Page 1

PUB

praçapública

PUB

RUA ANTERO DE QUENTAL, Nº 17 - 3880-146 OVAR

QUARTA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2013 . 0,80€. ANO 13 . Nº 644 QUINZENÁRIO DO CONCELHO DE OVAR . Diretora: SOFIA STOFFEL

Salvador Malheiro não perdeu tempo e, na primeira reunião do novo executivo da autarquia, apresentou e viu aprovada a proposta

de redução das taxas de IMI para 2014. Esta medida foi uma das promessas eleitorais feita aos munícipes

de Ovar, e aponta para uma redução de 5% para os prédios afetos à indústria, comércio e outras atividades económicas, e em 2,5% para

Órgãos do Município tomam posse para dar “Nova Energia” a Ovar Págs. 2 e 3

PUB

Câmara Municipal aprova redução do IMI para 2014

os prédios urbanos em geral, com a autarquia a abdicar de uma receita que poderá chegar aos 222 mil euros. Pág. 9

GRANDE ENTREVISTA

Bruno Oliveira conta como construiu a vitória eleitoral Págs. 6 e 7

BASQUETEBOL

Ovarense regressa aos títulos com a conquista do Troféu António Pratas Pág. 15 Publicidade Publicidade


praçapública

DESTAQUE

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Tiago Carriola

2

TOMADA DE POSSE DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO DE OVAR

DR

Salvador Malheiro “O povo de Ovar confiou numa geração que se impôs pela sua competência, pela sua integridade e pelo seu caráter”

O novo presidente da Câmara Municipal de Ovar diz estar ciente de que os tempos que se avizinham “não serão fáceis” e que constituirão “enormes desafios”. Salvador Malheiro afirma contar “com todos” com o objetivo de colocar o Município de Ovar “na senda do progresso e da melhoria da qualidade de vida” dos munícipes.

Na cerimónia de Tomada de Posse dos novos Órgãos do Município de Ovar, que decorreu no passado dia 12, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro disse que o povo de Ovar confiou numa “geração que se impôs pela sua competência, pela sua integridade e pelo seu caráter”. O presidente da Câmara Municipal destacou que o novo mandato autárquico se caraterizará “por enormes desafios” e salientou que “os tempos não serão fáceis”. Apesar de liderar uma maioria absoluta, Salvador Malheiro afirmou “contar com todos” para colocar o Município de Ovar “na senda do progresso e da melhoria da qualidade de vida” dos munícipes, e lançou um desafio aos vereadores socialistas: “Hoje o que nos une é muito maior do que aquilo que nos aparta. Já passou o tempo das estra-

tégias partidárias locais mesquinhas. Com divergência e pluralidade de opiniões, com discussão sadia dos assuntos, a probabilidade de uma melhor decisão é sempre maior”, defendeu. Numa intervenção onde não faltou o reconhecimento público ao seu antecessor (ver caixa), o social-

democrata lembrou que liderou uma candidatura cujo plano de ação quer ver agora implementado “na íntegra”, destacando os cinco eixos estratégicos de ação: Fomento do emprego e a dinamização da economia local; formação, valorização e reconhecimento das pessoas, e dignificação das instituições; coesão

Legado deixado por Manuel Oliveira coloca fasquia num “nível muito elevado” Um dos momento marcantes da tomada de posse dos novos dos Órgãos do Município de Ovar, aconteceu quando Salvador Malheiro reconheceu publicamente o trabalho desenvolvido pelo seu antecessor. O novo presidente da Câmara Municipal defendeu que “o futuro não se avizinha fácil”, e colocou a tónica no “legado deixado” por Manuel Oliveira, situando que “a fasquia está colocada num nível muito elevado”, uma realidade que Salvador Malheiro diz ser “um máximo difícil de igualar”.

social e a coesão territorial; consolidação da atratividade e qualidade de vida no território; e a diminuição dos consumos energéticos, das emissões de CO2 e da dependência aos recursos energéticos fósseis no município. Salvador Malheiro destacou estar preocupado com o desemprego, um “flagelo que assola o nosso município”, disse, assegurando que esta matéria constituirá “uma das principais apostas” do executivo do PSD, que aponta para a “afirmação de um tecido económico resiliente, industrializado, inovador e qualificado” como a solução que ajudará Ovar “a vencer esta maldita crise”, defendeu. Salvador Malheiro assegurou uma atuação rápida neste capítulo e apontou para a “redução da derrama e IMI, e para a isenção de taxas municipais”, como as medidas a implementar


praçapública

DESTAQUE DR

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Salvador Malheiro destacou estar preocupado com o desem prego, desemprego, um “flagelo que assola o nosso município”, disse, assegu rando que assegurando esta matéria constituirá “uma das principais apostas” do executivo do PSD

BRAGA DA CRUZ DEFENDE ‘BANDEIRA’ DA LUTA CONTRA A EXCLUSÃO SOCIAL Na primeira intervenção como presidente da Assembleia Municipal de Ovar, Pedro Braga da Cruz defendeu que o poder local, em Ovar, se encontra hoje perante “um novo paradigma de atuação”, em virtude “do esgotamento do modelo que assentou na elevada taxa de infraestruturação do concelho”, justificou, reconhecendo que, para este man-

O executivo social-democrata: Domingos Silva, Ana Cunha, Alexandre Rosas e Salvador Malheiro

dato, “não é exigido o nível de esforço financeiro dos últimos tempos”. Braga da Cruz lembrou que Ovar tem, agora, “a oportunidade de encetar um novo conjunto de políticas, que permita aumentar o bem-estar de todos nós, e que perdure no tempo”, e alertou que “estes tempos são também tempos

de urgência”, disse. O autarca salientou “a necessidade de se assegurar a coesão social, para que ninguém caia em situação de exclusão” e apontou que, nesta matéria, o poder local terá um papel importante a desempenhar, lembrando que “neste campo há um conjunto de dinamismos na sociedade civil que se devem aproveitar, e potenciar,

DR

com caráter mais urgente. Com o enfoque do discurso nas pessoas, o presidente da autarquia destacou que “o talento e a criatividade das gentes de Ovar serão valorizados” e afirmou a intenção de reforçar “o protocolo de delegação de competências com as freguesias”, abdicando “de obras de betão em prol das pessoas” e defendendo que “o futuro é o tempo do imaterial”. Salvador Malheiro reafirmou que o propósito do executivo social-democrata é o de gerir o município com base nas antigas oito freguesias, “que têm identidades próprias, tradições seculares e gentes de enorme valor onde o bairrismo prevalece e bem”, disse, tendo assegurado que, “apesar de no atual modelo existir a gestão administrativa integrada de quatro das nossas freguesias”, a Câmara Municipal tentará “equilibrar os investimentos, de forma equilibrada, pelas oito freguesias”, referiu. Perante um Salão Nobre que foi pequeno para acolher as centenas de ovarenses que se associaram à iniciativa, Salvador Malheiro afirmou estar a sentir-se “em casa”, e deixou “a palavra de honra” de que a sua equipa irá “trabalhar arduamente, desde a primeira hora, sem tempo para descompressões, porque a responsabilidade do serviço público não o permite” e, sobretudo, porque diz ter “a consciência de que cada dia de trabalho que passa é menos um dia disponível para concretizarmos, na íntegra, o nosso plano de ação”, disse.

Pedro Braga da Cruz, presidente da Assembleia Municipal de Ovar

tendo em vista a promoção do bem comum, com a autarquia, para garantir a maior eficácia, a assegurar a coordenação das diversas intervenções e a suprir lacunas que a rede social existente manifeste”, disse. Braga da Cruz registou que “a partir da Assembleia Municipal, se irão estabelecer as ligações com outros municípios, que potenciam o acesso a bens e serviços que isoladamente Ovar não poderia alcançar,” e lembrou que aí, em nome de um equilíbrio do território, é necessário apostar numa conceção policêntrica, contrária a qualquer centralismo, que tanto condenamos a nível nacional, e ainda estamos em condiçes de evitar a nível regional”. A Assembleia Municipal de Ovar, disse Braga da Cruz, “assegura o espaço de discussão e de concertação para o futuro do concelho, dando voz às correntes de opinião em que o eleitorado se reviu”, e deverá “ser expressão da pluralidade. Pluralidade de freguesias, continuamos a ser oito, pluralidade de projetos políticos, pluralidade religiosa, pluralidade artística, mas também de uma comunidade que se constrói sobre as diferenças, em torno do muito que nos une”, afirmou.

Salvador Malheiro quer envolver todos “Fomos adversários políticos até ao dia 29 de setembro, mas, hoje, o que nos une é muito maior do que aquilo que nos aparta”. Foi desta forma que o novo presidente da Câmara de Ovar se dirigiu à oposição na sua primeira intervenção pública. Salvador Malheiro disse estar seguro de que “a vontade de ver o município de Ovar na senda do progresso e da melhoria da qualidade de vida de todos vai prevalecer face a todas as tentações político-partidárias”, e lembrou que “é já uma tradição na Câmara Municipal dos senhores vereadores saberem separar o acessório do decisivo”, tendo afirmado, por isso, que a sua equipa “conta muito com os senhores vereadores que foram legitimamente eleitos”, mas que não concorreram nas listas sociais-democratas.

Composição da Assembleia Municipal Pedro Braga da Cruz (PSD) Carlos Pinto Ribeiro (PS) Cecília Oliveira (PSD) Conceição Andrade (PS) Manuel Reis (PSD) José Lino (PS) Sérgio Morais (PSD) Fernando Costa e Silva (PS) Paula Alves (PSD) Ana Matos (PS) Miguel Jeri de Sá (CDU) Salvador Lourosa (PSD) Frederico Sousa Lemos (PS) Alexandre Oliveira (PSD) José Lopes (BE) Jerónimo Alves (PS) Alexandra Pachão (PSD) Rui Costa (PSD) Esmeralda Souto (PS) António Oliveira (PSD) José Fragateiro (PS) Eleitos por inerência (presidentes de Junta) António Bebiano (PSD) Bruno Oliveira (PS) Jaime Almeida (PS) Miguel Silva (PSD) Sérgio Oliveira (PSD)

Composição da Câmara Municipal Salvador Malheiro (PSD) Vítor Ferreira (PS) Domingos Silva (PSD) Aníbal Moreira (PS) Ana Cunha (PSD) Maria Duarte (PS) Alexandre Rosas (PSD)

3


4

praçapública

POLÍTICA

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

TOMADA DE POSSE DOS ÓRGÃOS DA ASSEMBLEIA DA UNIÃO DAS FREGUESIAS DE OVAR, ARADA, SÃO JOÃO E SÃO VICENTE DE PEREIRA

A cerimónia teve lugar em São João de Ovar

ma que resultou neste processo, particularmente por intermédio de José Fragateiro. O presidente da Assembleia da União das Freguesias de Ovar, Arada, São João e São Vicente de Pereira, aproveitou o momento para agradecer publicamente “a todos os que lutaram” contra o que considera ser uma “desreorganização administrativa feita a régua e esquadro”. José Fragateiro reiterou o propósito dos socialistas em “reverter” esta Lei que considerou “injusta”, e prometeu continuar a lutar nos órgãos autárquicos e nos órgãos internos do partido para que este propósito seja alcançado quando o PS ganhar as próximas Eleições Legislativas, e for Governo”, disse. JOAQUIM BARBOSA ASSUME LIDERANÇA NA OPOSIÇÃO

Depois de ter criticado o local escolhido pelos socialistas para a realização da tomada de posse, Joaquim Barbosa afirmou ser “impensável que não fosse encontrada uma solução alternativa para se realizar uma cerimónia que se pretendia simples, mas com a dignidade que merece”, disse. O deputado do PSD garantiu que a sua equipa irá “ocupar um lugar na oposição”, e que o irá fazer “de forma construtiva e atenta”, numa demonstração de que “não estaremos aqui contrariados”, defendeu. Joaquim Barbosa salientou que o PSD pautou a sua campanha “sempre pela positiva” e referiu que os sociais-democratas estarão “disponíveis para dialogar”, mas que exigirão “rigor e transparência”. CDS-PP E CDU APELAM À UNIÃO

DR

A tomada de posse dos novos Órgãos da União das Freguesias de Ovar, Arada, São João e São Vicente de Pereira, que teve lugar no passado dia 11 de outubro, em São João de Ovar, ficou marcada, não só pela ausência do ex-presidente da Junta de Freguesia de Arada, António Jorge, mas também pelo momento simbólico que Joaquim Barbosa protagonizou, ao entregar a Bruno Oliveira as chaves da Junta de Ovar, disponibilizando-se, nesta fase de transição, para colaborar com o novo executivo. A cerimónia iniciou-se com a tomada de posse do novo executivo, composto pelos socialistas Bruno Oliveira, presidente, Nuno Sampaio, Salomé Costa, Filipe Mesquita, Susana Lima e Jacinto Emerenciano, e ainda pelo deputado Jorge Maia, eleito pelo CDS-PP, com quem os socialistas negociaram para assegurar a maioria absoluta de uma Assembleia que terá José Fragateiro como presidente, e Catarina Ferreira e Elisabete Andrade, como secretárias. Na sua primeira intervenção como presidente da União das Freguesias de Ovar, Arada, São João e São Vicente de Pereira, Bruno Oliveira deixou claro que, em virtude dos mais de 87 quilómetros quadrados de território que irá administrar, onde habitam mais de 33500 pessoas, é sua intenção, não só “manter em funcionamento todos os edifícios de atendimento atualmente abertos ao público em Ovar, Furadouro, São João, Arada e São Vicente de Pereira” como prometeu “reforçar este serviço, abrindo novos balcões de atendimento na Marinha, Torrão do Lameiro e Ribeira”. Bruno Oliveira aproveitou o momento para “assegurar a continuidade dos serviços existentes”, e destacou que o seu executivo irá “manter a comemoração do dia de cada freguesia, as suas bandeiras, respeitando sempre os seus costumes e tradições locais”. O presidente da União das Freguesias salientou que o plano de ação passará ainda por “promover a descentralização das Assembleias de Freguesia, e implementar uma gestão próxima, rigorosa e participada”, disse. Na noite em que oficialmente se agregaram as freguesias de Ovar, Arada, São João e São Vicente de Pereira, não faltaram críticas à refor-

DR

Bruno Oliveira promete abrir balcões de atendimento na Marinha, no Torrão do Lameiro e na Ribeira para reforçar proximidade com os cidadãos

Bruno Oliveira, presidente da União das Freguesias

DE ESFORÇOS A união de esforços foi a tónica dos discursos dos deputados eleitos pela CDU e pelo CDS-PP. Pelos primeiros, Manuel Duarte apelou à união de esforços “para contestar a Lei da Reforma Administrativa que impôs esta união” e destacou que “é com pequenas peças que se fazem grandes obras”. Para isso, disse o comunista, só é preciso que “haja vontade de o assumir”. Pelos centristas, a intervenção coube a José Carvalho, que se comprometeu “a trabalhar em defesa da União das Freguesias e dos nossos fregueses”. O deputado eleito pelo CDS-PP lembrou que “esta União de Freguesias exige muito mais trabalho e dedicação” e apelou à união por considerar que “este é o momento de se colocar de lado o crachá partidário”, pois diz estar certo de que “juntos poderemos vencer”, disse. DEPUTADO DO BLOCO DE ESQUERDA ARRANCA MANDATO EM SILÊNCIO O Bloco de Esquerda foi o único partido com assento na Assembleia da União das Freguesias de Ovar, Arada, São João e São Vicente de Pereira, que não fez ouvir a sua voz. Tal aconteceu, não em virtude de não ter sido dada a palavra a Ismael Varanda, mas antes por o deputado do Bloco ter declinado o convite efetuado por José Fragateiro, em virtude de “não ter ido preparado” para esse efeito, disse.

Assembleia da União das Freguesias José Fragateiro (PS) Joaquim Barbosa (PSD) Ana Reis (PS) Ângela Liz (PSD) Luís Lopes (PS) Joaquim Reis (PSD) Diana Ferreira (PS) Valter Oliveira (PS) Nuno Sousa (PSD) Manuel Duarte (PCP) António Oliveira (PS) Laura Lopes (PSD) Elisabeth Andrade (PS) Ismael Varanda (BE) Henriques Gomes (PSD) Domingos Pepolim (PS) Pedro Farela (PS) Álvaro Silva (PSD) José Carvalho (CDS)

Mesa da Assembleia da União das Freguesias José Fragateiro Catarina Ferreira Elisabete Andrade

Executivo da União das Freguesias Bruno Oliveira Nuno Sampaio Salomé Costa Filipe Mesquita Susana Lima Jacinto Emerenciano Jorge Maia


praçapública

praçapública Quinzenário Vareiro

Diretor a : Sofia Stoffel (director@pracapublica.com)

HALL DE ENTRADA

Colaborador e s Aníbal Gomes

Assinaturas: (assinaturas@pracapublica.com) Propriedade Propriedade:: Globinóplia, Unipessoal, Lda Edição: Notícias Amplas, Unipessoal, Lda, Contribuinte nº 509 158 692 Capital Social: 1 000 Euros Detentores de mais de 10% do Capital Social: Gadgetresult SGPS. S.A. Contribuinte n.º 508 950 520 Reg. DGCS nº 123740 Dep. Legal nº 159271/00 Redação: Rua Antero de Quental, nº 17, 3880-148 OVAR Tel: 256 753 044 TM: 917 489 469 e-mail: geral@pracapublica.com Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis Telm.: 910252676 / 910253116 / 914602969

LUÍS FILIPE SILVA

N

o papel mais importante das redes sociais, no fenómeno da possibilidade de interação entre as pessoas, circulava uma espécie de SOS, apenas percetível pela angústia desenhada em cada frase, cada palavra do próprio que líamos nas entrelinhas do contexto global... um amigo precisava de sair do sufoco e desespero que traduzia a total impotência para continuar a lutar pela vida. Sendo certo que nada

conduzia à resolução efetiva do problema, faltava percorrer um espaço difícil de fazer, mas que, com solidariedade e determinação, poderia levar a que a esperança aumentasse e que a magia da vida continuasse a ser uma realidade para este Ser Humano, de seu nome António Magalhães. Apesar de tantos “gostos” nos textos e de imensas palavras de força e coragem, a verdade é que, a esperança estava na possibilidade de um tratamento inovador que apenas está disponível na Alemanha, sem apoios estatais e com custos elevados, fora do alcance da maioria das bolsas. Portanto, apesar da boa vontade e da generosidade das pessoas, faltava algo fundamental para conseguir o único tratamento que se conhece, passível de provocar uma remissão da doença, em muitos casos, total.

Surgem as ideias e as pessoas interessadas em dar alimento a esta esperança, formando-se um núcleo inicialmente reduzido de pessoas que rapidamente expandiu a sua ação e conseguiu um fantástico suporte na sociedade ovarense, com mais e mais pessoas a interessar-se pela causa. Com esta base e com o fundamental apoio e total disponibilidade do Jornal Praça Pública, que assumiu esta causa desde o primeiro minuto, oferecendo todos os seus recursos, humanos, logísticos e inteira dedicação, começaram a fazer-se os primeiros contactos, havendo imediata disponibilidade por parte da comunidade para o precioso contributo de cada um que se tem verificado, conseguindo-se através do Praça Púbica, da AV FM e das redes sociais, uma excelente divulgação dos eventos

a realizar. A esperança aumentava e tomavam corpo uma série de ações que poderiam ser realizadas e que certamente iriam tornar-se determinantes para o objetivo que se perseguia. Contactadas várias pessoas e instituições, num tempo record conseguiu-se um primeiro espetáculo, muitas ofertas que poderiam ser leiloadas, vendidas ou rifadas e o sucesso deste primeiro evento, produzia nas pessoas e instituições que ajudaram a organizar, um aumento da motivação e a certeza de se estar a conseguir gradualmente o objetivo proposto. A seguir ao primeiro bem-sucedido espetáculo nos Bombeiros Voluntários de Ovar, seguiu-se um segundo espetáculo com jantar e noite de fados que foi igualmente uma maravilhosa demonstração de amizade e solidarie-

dade, com imensa energia positiva e a certeza de que este era um caminho para que a Alemanha e para o primeiro tratamento com células dendríticas estivesse cada vez mais perto. Entre estas duas ações, o grupo manteve-se sempre em constante atividade e foram leiloadas várias ofertas, entre quadros, livros e várias utilidades. Ao mesmo tempo, os contactos continuavam e novas ideias iam surgindo, assim como mais e mais pessoas a quererem dar o seu contributo, através de donativos diretos na conta criada para este objetivo que foi para já um êxito com a possibilidade da primeira consulta praticamente garantida. Com o apoio do Projeto Safira, os contornos de esperança aumentam, como aumenta o número de pessoas empenhadas nesta causa ajudar um amigo!

falando de gestão O Orçamento Estado para 2014 e as empresas

Tiragem média: 3.000 exemplares Assinatura anual: 22,50 euros (nacional); 62,50 euros (estrangeiro). As opiniões publicadas neste quinzenário, podem não refletir a linha editorial do PRAÇA PÚBLICA. Por isso, os textos de opinião assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores, não cabendo qualquer responsabilidade à direção e administração deste jornal.

5

opinião Uma Causa - Ajudar um amigo

Redação: (redacao@pracapublica.com)

Colaboradores Fotográficos: Tiago Carriola

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

JOSÉ BRANDÃO DE SOUSA

O

Governo entregou esta semana no parlamento a sua proposta de Orçamento de Estado para o próximo ano. Trata-se de um instrumento legislativo muito importante e que afeta não só a vida de todos nós mas, também, a das empresas. Neste aspeto, esta proposta traz boas e más

notícias. Começando pelas boas notícias. A principal é a tão propalada descida do imposto sobre os lucros (IRC). É uma componente da anunciada reforma fiscal conduzida pelo jurista António Lobo Xavier. O IRC descerá dos atuais 25% para 23%, em 2014, prevendo-se que essa tendência terá continuidade nos anos seguintes. Interessante, também, é o regime de Dedução de Lucros Retidos e Reinvestidos (DDLR) que permite a dedução à coleta de 10% dos lucros retidos que sejam reinvestidos em inves-

timentos produtivos. Tratase de uma medida oportuna pois poderá ter o efeito de estimular o investimento e o reforço dos capitais próprios das nossas empresas que se apresentam, nesse aspeto, como das mais débeis da União Europeia. Ainda em matéria de IRC é alargado o prazo para reporte de prejuízos fiscais que passa dos atuais cinco para 12 anos. Também as PME com faturação até 200 mil euros vão poder aderir ao regime simplificado em que a matéria colectável é determinada através de coeficientes. O limite actual deste

regime, que isenta as empresas do pagamento especial por conta, é de 150 mil euros. No domínio da melhoria das relações com administração fiscal, esta passa a ter que respeitar nas suas orientações genéricas (os famosos “ofícios circulados”) a jurisprudência estabelecida pelos tribunais superiores. Quanto às más notícias. A principal é o aumento de Imposto de Único de Circulação sobre veículos ligeiros de passageiros a gasóleo numa taxa adicional que varia entre 1,39 euros e 68,85 euros. Afetando o negócio

da restauração há um incremento dos impostos sobre bebidas alcoólicas. Igualmente, não se verificou a ansiada descida do IVA para este sector. Temos que aguardar pela aprovação na Assembleia da República para se saber que alterações ainda podem ocorrer. Para já o saldo não é muito expressivo, mas pode ser considerado como um sinal que, a par de outros que vão aparecendo, pode auspiciar uma alteração ao curso da nossa economia.

j.brandao.sousa@olivetree.com Publicidade


praçapública

POLÍTICA

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

DR

6

ENTREVISTA COM BRUNO OLIVEIRA

“Nem tudo foram rosas. Tivemos de trabalhar e lutar muito” Numa noite de derrota eleitoral geral, ao nível do concelho, o PS de Ovar arrancou o seu melhor resultado com a vitória na União das Freguesias. Esperava este resultado? Naturalmente. A partir do momento em que assumimos esta candidatura, trabalhámos muito para que este resultado fosse possível. Nem tudo foram rosas. Tivemos de trabalhar e lutar muito, em primeiro lugar para constituir uma equipa que tinha de respeitar, entre outras coisas, a questão da representatividade de cada uma das freguesias. Tivemos um cuidado muito particular neste aspeto e conseguimos reunir um conjunto de pessoas excelentes, tanto do ponto de vista pessoal como profissional, a grande maioria já com provas dadas. Primeiro a constituição da equipa, depois o trabalho porta a porta. É evidente. Esse trabalho nós soubemos fazer. Ir porta a porta, contactar pessoa a pessoa para pudermos dar a conhecer as nossas ideias. Tendo em conta o que demonstravam os resultados anteriores, o PS, nomeadamente o Bruno Oliveira, gozava de uma larga simpatia nas freguesias de São João de Ovar e de São Vicente de Pereira. Foi isso que o levou a colocar o enfoque da campanha eleitoral na freguesia de Ovar? Nós começámos a trabalhar na campanha no dia 21 de julho. Sabíamos do peso que essa freguesia

teria e, por isso, promovemos os primeiros contactos junto da população, nos lugares da Marinha, Ribeira, Torrão do Lameiro e mesmo na cidade, sem esquecer, naturalmente as outras freguesias. Foi um trabalho de formiguinha? Posso dizer que, em período de campanha eleitoral, dedicámos aproximadamente uma semana e meia a cada freguesia. Naturalmente, tivemos diversas equipas a desenvolver um trabalho de contacto com a população, que acabou por dar frutos. Um trabalho que resultou numa vitória. Como é que foi essa noite? Esta vitória é o reconhecimento, por parte da população, da nossa equipa, dos nossos compromissos e do nosso programa de ação. Nós agradecemos muito este reconhecimento e toda a confiança depositada em nós. Com esta vitória na mega freguesia o Bruno Oliveira ganha um espaço diferente dentro do PS Ovar? O Bruno só está a pensar no trabalho, e vai ser muito, que tem pela frente durante os próximos quatro anos. Como sempre fizemos com a população de São João, assumimos compromissos para os cumprir. Portanto, esse é o objetivo que nos move. Para construir esta equipa, o Bruno ‘agarrou’ as bases do partido. Fez parte da estratégia? Desde cedo, eu e o professor Fragateiro assumimos o compro-

misso de representar o PS nesta União das Freguesias, contando, como não podia deixar de ser, com o Filipe Mesquita, de São Vicente de Pereira, entre outros. Naturalmente que estas duas pessoas são da base do partido em Ovar e o seu apoio foi, e continuará a ser, muito importante para todos nós. Embora os resultados tenham sido claros, o PS não conseguiu a maioria absoluta que desejaria. Foi fácil avançar com o compromisso com o CDS-PP? Nós fizemos, desde logo, um convite ao Jorge Maia, que era apoiado pelo CDS-PP, e que deu frutos. Estamos a trabalhar aqui diariamente e o Jorge Maia, que é meu amigo pessoal e andou comigo na escola, tem participado de uma forma incansável e ativa em todos os balcões de atendimento que temos nas quatro freguesias. Portanto, estamos convencidos que o Jorge Maia pode desenvolver um grande trabalho junto da nossa população. O CDS-PP apresentou-se com um programa eleitoral diferente do programa

Bruno Oliveira, presidente da União de Freguesias

socialista. Vai haver espaço para o CDS-PP implementar algumas das medidas que defendeu? É evidente. O Jorge Maia terá todo o espaço para apresentar e decidir connosco as propostas que entender convenientes. O nosso trabalho não se esgotará no nosso plano de ação.

soas não votaram no Partido Socialista e votaram no PSD. Da mesma forma que as pessoas preferiram o nosso plano de ação para a União das Freguesias, terão preferido o plano de ação do engenheiro Salvador Malheiro para a Câmara Municipal. Esta é a leitura que eu faço.

Ao fim de 20 anos, o PS perdeu a Câmara Municipal. O que é que falhou? O que posso dizer, relativamente a esse assunto, é que as pes-

O que espera do relacionamento com o executivo social-democrata da Câmara Municipal? Eu estou habituado a trabalhar e a procurar as melhores soluções para a nossa população.

O que é levou o Bruno Oliveira a decidir realizar a cerimónia de tomada de posse em São João de Ovar, e não em Ovar, por exemplo? Apesar de, já em tempos, ter manifestado a minha posição relativamente à Lei da Reorganização Administrativa, limitei-me a respeitar a Lei, que diz que a sede da União das Freguesias é em São João, na íntegra. E é lá que vai ser, definitivamente, a sede da União de Freguesias? É o que diz a Lei. Contudo, se os elementos da Assembleia da União das Freguesias decidirem por outro local, assim será.


praçapública

POLÍTICA

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

não venha a acontecer. Vamos tentar reunir todas as condições para assegurar todos os serviços, mas, tendo em conta o que se está a passar, não será uma tarefa fácil. O balcão de atendimento de Arada corre algum risco? É evidente que não. Quando falo de funcionários quero dizer os operacionais que andam no exterior, isto para além da funcionária que está nos correios e que está a terminar o contrato, agora, nos próximos dias. Há pouco falou de uma transmissão de pastas que se ficou pela entrega de chaves e telemóveis. Parece uma cena de um filme? É triste, mas é a verdade. É lamentável que alguém que teve responsabilidades perante uma população venha agora fazer isto. A população merecia mais respeito. Não tivemos acesso a documentos, a compromissos, a débitos, a contas bancárias. Chega a ser caricato.

Portanto, estou convencido que, sendo esses também os objetivos do senhor presidente da Câmara Municipal, tudo irá correr dentro da normalidade. Numa altura de tanto trabalho, como esta que está a viver, o que espera dos anteriores executivos das Juntas de Freguesia agregadas? Em primeiro lugar devo dizer que o Filipe Mesquita, de São Vicente de Pereira, está aqui, a trabalhar, afincadamente, connosco. O professor Joaquim Barbosa, de Ovar, colocou-nos perfeitamente à vontade para o que precisássemos. Posso até adiantar que, hoje mesmo, tivemos uma reunião entre tesoureiros, o senhor Manuel Catalão, com a nossa atual tesoureira. Portanto, caso tenhamos necessidade poderemos contar com a disponibilidade do professor Barbosa. Relativamente a Arada não podemos dizer a mesma coisa. Não houve transmissão de dados. Tínhamos uma reunião agendada, mas, uma hora antes, ligaram-nos a dizer que

essa reunião não ia ser feita e que, todos os dados e todos os bens, como chaves, telemóveis, entre outros, da freguesia nos iam ser deixados na manhã seguinte. Com o anterior executivo de Arada foi isto que houve. Um problema para resolver. Posso dizer que, em Arada,

somente três ou quatro funcionários é que se manterão em funções, pois os outros estão a terminar contrato até 31 de dezembro e temos esta situação complicada para resolver. Alguns serviços podem estar em risco? Talvez, alguns poderão mesmo ter de parar. Espero que isso

Sobre a transmissão de pastas em Arada “É triste, mas é a verdade. É lamentável que alguém que teve responsabilidades perante uma população venha agora fazer isto. A população merecia mais respeito. Não tivemos acesso a documentos, a compromissos, a débitos, a contas bancárias. Chega a ser caricato”.

Vai estar ao ‘leme’ de uma mega freguesia. Com um mega orçamento? É evidente que não. Estamos a falar de um orçamento que deverá rondar os 700 a 750 mil euros. Parece muito, mas, de facto, não será. Estamos a falar de um orçamento que servirá para gerir as anteriores quatro freguesias, pagar salários, para fazer a gestão corrente dos cerca de 87 km2 de território que a União de Freguesias abrange, com todas as competências que são públicas. Portanto, estamos a falar de um orçamento de uma freguesia que tem competências, quase como uma Câmara Municipal. Será um trabalho árduo, mas estamos aqui para cumprir com os nossos compromissos. Uma fatia importante do orçamento das freguesias sai, tradicionalmente, para os protocolos a estabelecer com as coletividades e associações. Estamos a falar da promoção da arte, da cultura, do desporto, das tradições, entre outras. Como vai funcionar a União das Freguesias neste capítulo? Estamos a trabalhar há alguns dias num levantamento exaustivo de todos os apoios ordinários e extraordinários, que foram concedidos às coletividades, em todas as freguesias e, dentro de muito pouco tempo, vamos come-

7

çar a reunir com as coletividades com o objetivo de acertar o que tiver de ser acertado e de corrigir o que tiver de ser corrigido. O objetivo será uniformizar os critérios. Terá de se fazer um Regulamento de apoio ao associativismo, com todos os seus critérios, através do qual as associações e coletividades se poderão candidatar aos apoios. Já prometeu que as freguesias continuarão a festejar o seu dia e que as suas bandeiras continuarão a ser respeitadas. Que tipo de cultura vamos ter na União das Freguesias? Vamos procurar, em parceria com as associações que integram esta União das Freguesias, descentralizar a organização de eventos, levando a cultura a todas as freguesias, através de iniciativas que promovam e divulguem o trabalho que essas mesmas coletividades e associações desenvolvem. Na Tomada de Posse, comprometeu-se a abrir balcões de atendimento na Ribeira, na Marinha e no Torrão do Lameiro. Que tipo de política quer implementar? Uma política de proximidade. Aliás, eu vejo o trabalho da Junta de Freguesia como um trabalho de proximidade, ainda para mais nesta fase, em que todos precisam destes serviços. Mas quero refrir outra coisa. Desde o passado dia 22 de outubro, todos os balcões de atendimento vão passar a ter um período mais alargado de serviço, das 8h30 às 17h30. A única exeção será o balcão do Furadouro, que abrirá às 8h00 e encerrará às 16h00, porque a funcionária terá que fazer o encerramento das contas para entregar posteriormente nos correios, que passam por volta das 17h00. Aproveito para informar ainda outra coisa. A partir do memo dia, o balcão do Furadouro passará a realizar as apresentações quinzenais, para evitar que as pessoas tenham de se deslocar a Ovar, evitando, assim, despesas aos munícipes. E mais, dentro de muito pouco tempo iremos ter, também no balcão do Furadouro, a possibilidade de passar atestados, um serviço que agora só é feito aqui, nas instalações da cidade. No próximo ano, em que dia, de que mês, se irá celebrar o Dia da União das Freguesias? É uma boa questão. Provavelmente no dia em que foi aprovada a Lei da Reorganização Administrativa.


8

praçapública

TERRA-A-TERRA

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

20º FESTIVAL DE TEATRO DE OVAR

FERNANDO SOUTEIRO

No momento em que a Contacto – Companhia de Água Corrente de Ovar, faz 30 anos de existência, ocorre também a 20ª edição do Festovar, que contou, na cerimónia de abertura, com as presenças do padre Manuel Pires Bastos, Manuel Malícia, ambos ligados à génese da instituição, Márcia Valinho, vereadora e Fernando Rodrigues, presidente da companhia teatral ovarense. Foi um evento que contou com sala cheia e onde muitos dos presentes ficaram a conhecer melhor a história da Contacto e do próprio festival. O certame deste ano abriu com a peça “Prometo que não volta a acontecer” e que teve a sua estreia no Teatro da Trindade, em Lisboa, e que originou um prémio ganho no ano transato. Esta peça foi encenada por Jorge Fraga e teve como atores, Manuel Ramos Costa, Tuxa Poças e Laura Poças. Trata-se de um drama atual, que, de uma forma indireta, nos transporta para casos de violência doméstica e recordações de uma família que, afinal, teve uma vida infeliz. No palco vêem-se um

Fernando Souteiro

FESTOVAR apresenta dez produções de boa qualidade

A 20ª edição do Festovar abriu com a peça “Prometo que não volta a acontecer”

velho gira discos, gaiolas vazias, um sofá, móveis e tudo se passa numa sala, onde o pai Artur e a filha Helena discutem sobre o passado e o presente da sua família. Um conjunto de valores e conceitos como a justiça, a quebra do fio umbilical, a traição, entre outros são postos em causa. Chega-se mesmo a questionar “Quanto custa uma vida? Quanto vale uma

vida?”. Fernando Rodrigues, presidente da Contacto, destacou ao PRAÇA PÚBLICA esperar que, nesta 20ª edição do festival, “a cidade de Ovar saia mais enriquecida com a proposta de ofertas culturais diversificadas, em termos teatrais”. O festival de teatro de 2013 comporta dez produções, entre comédias, farsas e teatro infanto-juvenil,

O certame deste ano abriu com a peça “Prometo que não volta a acontecer”, que teve a sua estreia no Tea tro da eatro Trindade, em Lisboa

quatro das quais da Contacto. Relativamente aos 30 anos de existência da instituição, Fernando Rodrigues faz um balanço “de muito trabalho, dedicação e empenho de muita gente”, destacando não ser, por acaso, que no átrio das instalações desta companhia teatral estão patentes os nomes de 189 pessoas que acabaram por engrandecer e prestigiar a Contacto, bem como os cenários da primeira peça “A Promessa”. Fernando Rodrigues destacou ainda que as Oficinas de Teatro são “um alfobre para recrutar nova gente e garantir o futuro dos trabalhos”. De realçar que no próximo dia 26, a partir das 21h30 é apresentada no Centro de Arte de Ovar, a peça “A Promessa”, pelo grupo Mérito Dramático Avintense e encenada por Manuel Ramos Costa. Já no dia 2 de novembro, o Teatro Vitrine (Grupo Nun’Álvares de Fafe) apresenta, na sala da Contacto, a comédia “Cama para três”, a partir das 21h45. Já na tarde do dia seguinte, a Contacto apresenta na sua sala, a peça infanto-juvenil “Doçuras e Travessuras”, a partir das 16h00.

VÁLEGA

FERNANDO SOUTEIRO

Bombeiros Voluntários de Ovar, da Banda do Clube Pardilhoense (Pardilhó) e do Grupo Musical de São Vicente Pereira “Filhos da Torre”. Apesar da chuva que espo-

Côngrua Paroquial ou Oblata ANÍBAL GOMES Outubro e novembro são meses de côngrua paroquial ou oblata. Chamamos côngrua paroquial ou oblata ao contributo anual de cada família para a “digna sustentação do seu pároco”. Por regra, cada família devia contribuir, basicamente, com um dia de trabalho do seu agregado familiar. Todavia a generosidade, as possibilidades e as dificuldades de cada uma podem fazer variar positiva ou negativamente o estipulado pela regra. Os paroquianos devem cumprir livremente a sua obrigação, entregando no cartório ou na sacristia do Salão Paroquial a sua contribuição durante os meses de outubro e novembro. Se tal dever não for possível por razões sociais e económicas graves devem ter a humildade e a delicadeza de o justificar junto do pároco Augusto Silva. Contamos com a boa vontade e compreensão de todos

radicamente se fazia sentir, não faltou alegria e divertimento para o público presente. No final houve uma majestosa descarga de fogo de artifício. Publicidade

A chuva acabou por estragar os festejos em honra de São Miguel, que decorreram na vila de Válega e impediram, inclusive, que a procissão saísse. De resto, as festividades decorreram com muita alegria e boa disposição, como tem sido apanágio nos últimos anos. A primeira noite foi preenchida com a Banda Jovem que brindou o público presente com temas musicais bem ritmados intercalados com outros mais calmos. Como já é da praxe, algumas pessoas aproveitaram a oportunidade para dançar e alegrar ainda mais os festejos. O serão mais concorrido

Fernando Souteiro

Festa em honra de São Miguel teve muita animação

SÃO JOÃO

As festividades decorreram com muita alegria e boa disposição

foi o de sábado, que contou com a participação do conjunto “Mundo Novo”, de Águeda. Este grupo, fundado em 1980, veio até Válega animar as festas e promover

o último CD intitulado “Dança que é bom”. Já a tarde do último dia dos festejos foi preenchida com missa e mais tarde uma atuação da Fanfarra dos


praçapública

TERRA-A-TERRA

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

PSD CUMPRE PROMESSA ELEITORAL

OVAR

Executivo municipal aprova redução do IMI para 2014

Presidente e vereadores da Câmara Municipal fazem atendimento ao público

atividades económicas, e em 2,5% para os prédios urbanos em geral, abdicando de uma receita que poderá chegar aos 222 mil euros. Como destaca o presidente da Câmara Municipal de Ovar, “a redução do IMI era para nós um objetivo prioritário, enquadrado no plano de ação apresentado ao

munícipes, e que permite aliviar as dificuldades económicas e sociais das famílias no atual contexto de austeridade, bem como minimizar as dificuldades do setor empresarial local em manter a sua atividade e os postos de trabalho”. A proposta será agora remetida à aprovação da Assembleia Municipal.

Esmoriztur - Esmoriz | T. 707 241 107 | Horário: 2ª a 6ª - 9h-16h; Por correio, remetido para a Câmara Municipal de Ovar | Praça da República | 3880-141 Ovar Por correio eletrónico, enviado para o endereço gapresidencia@cm-ovar.pt; Por telefone: 256 581 301 / 256 581 351; Por fax: 256 585 654

DR

Salvador Malheiro não perdeu tempo e, na primeira reunião do novo executivo da autarquia, no cumprimento da promessa eleitoral feita aos munícipes de Ovar, apresentou e viu aprovada, por unanimidade, uma proposta de redução das taxas de IMI, em 5% para os prédios afetos à indústria, comércio e outras Proposta

Publicidade

1 - Fixação das taxas do IMI de 0,39% para os prédios urbanos avaliados nos termos do Código do IMI, de 0,38% para os prédios urbanos avaliados no termos do Código do IMI, afetos à Indústria, Comércio e outras Atividades Económicas; 2 - Fixação das taxas de IMI de 0,683 % para os restantes prédios urbanos e de 0,665% para os restantes prédios urbanos, afetos à Indústria, Comércio e outras atividades económicas; 3- Redução da taxa de IMI em 12,5% para os prédios urbanos avaliados nos termos do Código de IMI com certificação energética A e A+, devidamente comprovada por entidades competentes; 4 - Redução em 50% da taxa aplicável aos prédios classificados como de interesse público, de valor municipal ou património cultural; 5 - Elevação, para o triplo, das taxas previstas, nos casos de prédios urbanos que se encontrem devolutos há mais de um ano e de prédios em ruínas; 6 - Majoração em 100% da taxa aplicável aos prédios rústicos com áreas florestais que se encontrem em situação de abandono e majoração em 30% da taxa aplicável aos prédios urbanos degradados, nos termos do Código do IMI;

9

Salvador Malheiro

O novo executivo da Câmara Municipal de Ovar quer promover a descentralização da gestão autárquica e aproximar os serviços da população. Para o efeito, numa nota enviada à nossa redação, a autarquia informa que “o presidente e os vereadores em regime de permanência, dando cumprimento a um dos vários compromissos expressos no plano de ação para o presente mandato autárquico, e apostando numa política de proximidade, vão receber os munícipes do concelho, já a partir deste mês”. O atendimento ao público será efetuado no edifício dos Paços do Concelho, podendo o mesmo ser efetuado nas sedes das Juntas de Freguesia, “sempre que o número de pedidos de agendamento de reunião assim o justifique”. No mesmo docu-

mento, a autarquia destaca tratar-se “de uma decisão que pretende promover a descentralização da gestão municipal e aproximar o poder político dos cidadãos, envolvendo a população local”. COMO PODE SER RECEBIDO A fim de serem recebidos pelos membros do executivo municipal, os interessados devem efetuar o respetivo pedido de reunião, por escrito, ou por telefone, identificando devidamente o requerente e o assunto, sendo que o mesmo ficará sujeito a confirmação pela autarquia. COMO PODE EFETUAR O PEDIDO Pessoalmente, no Balcão de Atendimento Único da CMOvar | Horário: 2ª a 6ª - 8h30-16h30; Pessoalmente, na Loja do Cidadão de Esmoriz | Av. da Praia, 464 - Edifício

Ana Cunha

Alexandre Rosas

Vereadora da Câmara Municipal

Vereador da Câmara Municipal

Horário de Atendimento: Terças-feiras (na 2ª e 4ª semana de cada mês)

Horário de Atendimento: Terças-feiras (na 2ª e 4ª semana de cada mês)

Áreas de atuação: educação, transportes escolares, ação social e saúde, gestão da habitação social, associativismo na área na educação e cultura.

Áreas de atuação: cultura, desporto e juventude, tempos livres, biblioteca, património histórico, museus e turismo, piscina municipal e equipamentos desportivos, associativismo cultural e desportivo

Salvador Malheiro Presidente da Câmara Municipal Horário de Atendimento: Quintas-feiras (na 2ª e 4ª semana de cada mês) Áreas de atuação: coordenação, planeamento estratégico e empreendedorismo, ambiente e eficiência energética, projetos e obras municipais, gestão do espaço público e equipamentos municipais, comunicação, tecnologias e modernização administrativa, candidaturas, auditoria e qualidade.

Domingos Silva Vice-Presidente da Câmara Municipal Horário de Atendimento: Terças e sextas-feiras das 9h30 às 12h30 Áreas de atuação: administração e atendimento, gestão financeira, recursos humanos, obras particulares, contraordenações e execuções fiscais, serviços jurídicos, contencioso e notariado, fiscalização,proteção civil, freguesias, publicidade e ocupação de via pública.


10 Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

praçapública

TERRA-A-TERRA

DR

ISPAB

Instituto dá as boas-vindas aos novos alunos

DR

OVAR

APADO comemora Dia do Animal

DR

bre a necessidade do não abandono dos animais, os cuidados que necessitam, a importância da existência das associações, contando igualmente com o testemunho de dois representantes da APADO. No passado dia 12, estas duas entidades proporcionaram um dia diferente e divertido para o público em geral, com diversas atividades desenvolvidas no Dolce Vita de Ovar. Estiveram presentes duas mascotes, um jogo de chão gigante que permitiu aos mais novos divertirem-se enquanto testavam os seus

conhecimentos sobre os animais e um atelier de pinturas faciais. A APADO esteve presente neste dia para falar sobre a associação e ainda vender alguns artigos oferecidos pela Pet’s Best Nutrition que reverteram na totalidade para a associação. Durante a tarde, um dos momentos mais apreciados pelos visitantes recaiu sobre as demonstrações caninas, estando presente uma escola de treino e obediência, mostrando a todos os interessados alguns exemplos das suas atividades, abrindo ainda a possibilidade a todos os presentes de participarem ativamente nesta atividade. A parceria da Sorgal com a APADO no desenvolvimento das comemorações do Dia do Animal pretende promover nos mais novos o respeitos pelos animais e a apresentação das associações de apoio aos animais a toda a comunidade.

OVAR

Autorizada a recolha de matos no perímetro florestal de Ovar Os agricultores de Ovar já podem fazer a recolha de matos no perímetro florestal de Ovar. Num comunicado enviado à nossa redação, a Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro (ALDA) informa que “fruto da luta e persistência dos agricultores e produtores pecuários do concelho de Ovar, juntamente com esta associação, após várias reuniões com o ICNF, é novamente permitido a recolha de matos no perímetro florestal de Ovar”. Para Albino Silva, res-

ponsável pela instituição, “trata-se de uma questão que vence pela justiça da reclamação e também de permitir que os

Foto de arquivo

produtores continuem a manter uma prática ancestral, ecológica e preventiva contra incêndios naquela região”.

No passado dia 3 de outubro, pelas 19h30, realizouse a receção aos novos alunos do ano letivo 2013/2014, no Auditório do Instituto Superior de Paços de Brandão (ISPAB). Raquel Oliveira, presidente do ISPAB, procedeu à abertura da receção proferindo algumas palavras de boas-vindas a todos os novos

alunos das licenciaturas em Gestão e Contabilidade e Marketing, Publicidade e Relações Públicas, fazendo uma breve apresentação do projeto educativo ao qual os novos alunos se associam. O evento contou, também, com a presença de João Monteiro, presidente da Associação Académica do ISPAB, que apresentou a associação,

tendo ainda sido entregue um dossier de boas-vindas. Na sessão estiveram ainda presentes os diretores de curso, os docentes e os discentes, proporcionando aos novos alunos a perceção da dimensão desta instituição de ensino e permitindo o contacto entre todos os presentes, para integra-los na comunidade escolar. Publicidade

Como já vem sendo habitual, a APADO, em parceria com o Sorgal, tem desenvolvido diversas iniciativas, para comemorar o Dia do Aminal. Durante a semana esteve presente, em duas escolas do Agrupamento de Ovar – a Escola EB 2/3 António Dias Simões e a Escola Secundária Macedo Fragateiro –, com uma ação de sensibilização a várias turmas do 5º ao 8º ano. Nesta fase, foram dadas informações aos alunos acerca da problemática dos animais abandonados, reforçando a mensagem so-


praçapública

INICIATIVAS

VÁLEGA

Crecor: Uma coletividade cada vez mais ao serviço da população FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

posição, espírito de convívio e ao som de música ambiente que decorreu mais esta iniciativa da Associação Amigos de São Bento. Alberto Duarte e o seu colega de direção, Bruno Oliveira adiantaram que não

esperavam tanta adesão e que o “evento decorreu em ambiente familiar”. Adiantaram, ainda que, a coletividade está de boa saúde e nos próximos tempos irá levar a efeito mais iniciativas, mas a mais emble-

mática será o passeio dos Pais Natais pela vila de Válega de trator, distribuindo guloseimas pelos pequenos e graúdos. Para angariar mais alguns fundos, a coletividade tinha um bar em funcionamento.

SÃO JOÃO DE OVAR

37º Aniversário do Grupo Desportivo e Cultural de Guilhovai FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

A Crecor – Solidariedade Social, Cultura, Recreio e Desporto de Cortegaça é uma coletividade cada vez mais eclética. Depois do falecimento do carismático presidente José Camboa, assumiu essas funções, Philip Campos. Por aquilo que foi possível apurar, esta instituição tem continuado a desenvolver um conjunto de atividades, no domínio da ajuda aos mais carenciados, à infância, a nível desportivo e da manutenção física de pessoas de ambos os sexos e de diferentes faixas etárias. Convêm destacar que a Crecor, em cooperação do Banco Alimentar Contra a Fome, presta auxílio a cerca de 60 famílias, residentes na vila de Cortegaça, mas também nas localidades vizinhas. Mensalmente é-lhes entregue um cabaz de géneros alimentícios que permitem a esses agregados familiares viver um pouco mais desafogadas em termos financeiros e com outra qualidade de vida. No entanto, esta coletividade cortegacense, que tem as suas instalações no edifício “Centro da Vila”, tem ao dispor dos mais novos um atelier denominado “Arte com pinta”, que tem como grande responsável Ruben Faria. A nível da manutenção física e da dança, a Crecor dispõe de aulas de zumba, ministradas por Sandra Oliveira, de hiphop, que tem como responsável, a antiga atleta do FC Porto, Fernanda Silva, aeróbica, a cargo da Xinha. Mas para os mais destemidos existe também aulas de artes marciais, cujo o mestre é Sensei Orlando. Existe também nesta coletividade um centro de estudos, que pretende ser mais uma “ferramenta” para os estudantes da freguesia e das localidades circundantes. Esta instituição dispõe igualmente de uma secção de futsal, em que as equipas têm conquistado alguns títulos distritais.

Publicidade

Uma das atividades do programa comemorativo desta coletividade foi o “Dia da Francesinha”, onde foram servidas mais de uma centena desta iguaria gastronómica e para quem não fosse muito apreciador de francesinha havia prego no prato e foram confecionados cerca de meia centena. O salão estava cheio. Prevaleceu o convívio, a amizade entre os presentes e para isso contribuiu o facto das pessoas estarem sentadas em mesas redondas, onde havia uma maior proximidade e a conversa fluía com mais naturalidade. António Ravásio, presidente do Grupo Desportivo e Cultural (GDC) de Guilhovai referiu a propósito, que o Dia da Francesinha “correu ótimamente bem. Superou as nossas expetativas”. Recorde-se que entretanto decorreu uma noite de rábulas populares com algumas canções à mistura, feitas pela “prata da casa”, houve lugar a uma noite de teatro com a

11

CORTEGAÇA

Desfolhada à moda antiga A Associação Amigos de São Bento de Válega levou a efeito nas suas instalações uma desfolhada à moda antiga, isto numa época, em que os lavradores da região optam mais pelo método da silagem, em detrimento do milho de espiga. Mas para preservar esta tradição, que se vai perdendo no tempo, esta instituição valeguense organizou esta desfolhada, que segundo Alberto Duarte, o presidente da associação “já não se realizava há alguns anos e estava incluído no plano de atividades”. O público demonstrou muito empenho em desfolhar o milho que estava no recinto e os diretores transportavam-no em cestos de vime para o carro de bois existente no local. Foi em clima de alegria, boa dis-

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

A iniciativa contou com a presença de Salvador Malheiro e Bruno Oliveira, entre outros

peça “Aqui há fantasmas”, levada à cena pelo Grupo de Teatro da Lourocoop (Lourosa), entre outras iniciativas. À semelhança dos anos anteriores, é um mês recheado de eventos, numa instituição muito eclética que tem no seu Grupo Folclórico “Tricanas de Ovar”, o verdadeiro embaixador da coletividade, mas possui também uma equipa de atletismo, que organiza anualmente um torneio de futebol de seis, uma biblioteca, um grupo de teatro, grupo de danças de salão, secção de ginástica e leva a cabo, um conjunto de atividades pontuais, como concursos de vestidos

de chita e espetáculos musicais que levam mesmo António Ravásio a dizer que esta “é uma das melhores coletividades de Ovar”. No entanto, a realidade do GDC Guilhovai, não se fica por aqui, o parque de lazer está praticamente concluído. Neste momento, o acesso ao moinho está pronto e decorrem obras para a construção de uma churrasqueira, dividida em quatro individuais, onde de um lado se pode assar carnes e do outro peixe sem que haja mistura de cheiros. Já noutro âmbito, as obras do museu etnográfico estão paradas, porque a

Câmara Municipal cessante só comparticipava com 15 por cento e o custo da tijoleira era bastante elevado e “nós não temos dinheiro”, assegurou o responsável máximo da coletividade. Com mais de quatro centenas de associados, esta associação tem no bar, uma das principais fontes de receita, sendo o serviço assegurado pelos próprios diretores. As comemorações encerram no próximo dia 2 de novembro, com a entrega de prémios dos diversos torneios realizados e a entrega de lembranças aos sócios que completem 25 anos de associados.


Fotos: Tiago Carriola

praçapública

INICIATIVAS

12 Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

SOLIDÁRIOS POR UM AMIGO

A generosidade dos ovarenses LUÍS FILIPE SILVA

Foram muitos os particulares que quiseram oferecer um pouco de si, do seu dinheiro (muitas dessas pessoas igualmente a passar por algumas dificuldades), como foram muitas as instituições que se juntaram a estas iniciativas, desde o primeiro momento, com total disponibilidade para ajudar o António Magalhães. A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ovar foi a primeira instituição contactada e, numa semana, tudo estava preparado para o primeiro espetáculo. Cedência dos espaços dos Bombeiros de Ovar, onde, à tarde, decorreu uma fantástica aula de Zumba, com os instrutores Bruno Machado, Mariana Monteiro, Sandra Oliveira e Sara Freitas, e cedência do espaço na Av. da Régua, que contou com um elevado número de participantes e para o espetáculo da noite. O apoio imediato da Junta de Freguesia de Ovar, com a cedência do palco, através da Associação Cultural e Recreativa do Torrão do Lameiro, e o apoio logístico necessário, foi igualmente fundamental, o mesmo acontecendo com a Ovarsom, que transportou, cedeu o seu material e acompanhou todo o espetáculo com grande amizade e irrepreensível profissionalismo. Com o espaço, palco e som assegurados, a Companhia Vareira, Miguel Mendes e o Grupo Malhação Power, não necessitaram de mais do que alguns segundos para aceitar juntarem-se a nós, oferecendo um maravilhoso momento de alegria e fraternidade, um espetáculo de cerca de duas horas e meia, numa sala repleta de gente solidária e generosa, rendendo-se ao maravilhoso ambiente e fantástica prestação cheia de cor e alegria, por parte de cada interveniente. O Grupo Malhação Power foi absolutamente espetacular. Capoeira, música e dança, associadas à demonstração de uma arte que deveria ser ainda mais divulgada em Portugal, com elementos

de todas as idades. A Companhia Vareira protagonizou um dos seus mais recentes espetáculos e, como habitualmente, brindou a assistência com um bonito e bem estruturado momento. Miguel Mendes, um jovem que encantou a plateia com uma maravilhosa voz e fantásticos acordes, num repertório musical muito bem escolhido e melhor ainda conseguido, arrancando coros da assistência que demonstrava dupla satisfação em estar ali, pela causa e pela qualidade da noite que ali estava a acontecer. Entre as diversas partes do espetáculo e durante todo o tempo, as pessoas podiam comprar rifas e muitos objetos de utilidade a preços simbólicos, havendo ainda lugar para, entre cada atuação, alguns leilões de Pão-de-ló de Ovar, todos vendidos, gentilmente oferecidos pela Associação dos Produtores do Pão-de-Ló de Ovar, que, assim, se juntou a esta ajuda ao António Magalhães que, mesmo debilitado, fez questão de estar presente do início ao fim do espetáculo, agrade-

cendo infinitamente o carinho e solidariedade por todos demonstrado.

Grupos de Carnaval dão exemplo de solidariedade O Carnaval é geralmente associado à folia, loucura, diversão e prazer. Pois efetivamente é! E é a maior festa, a que mais gente traz a Ovar, contribuindo enormemente para dar a conhecer a nossa região, o nosso povo, a nossa capacidade de organização com centenas de milhar de visitantes todos os anos por essa altura. Mas o Carnaval representa muito mais do que isso. É feito por pessoas e para pessoas, todas com as suas diferenças entre si, todas com a sua realidade, mas, objetivamente, todas igualmente com um espírito idêntico no âmbito do Carnaval, mas que se prolonga para outras áreas, como comprovam os acontecimentos recentes que permitem ver o seu papel no contexto de uma cidade, uma região e um povo. Aquando do primeiro evento que foi organizado a favor do Antó-

nio Magalhães, fomos informados por alguns representantes dos Grupos de Carnaval e Escolas de Samba, Não Precisa, Joanas do Arco da Velha, Pindéricus e Juventude Vareira, que haviam decidido que o produto do bar da festa de inauguração da Aldeia de Carnaval seria oferecido para ajudar o António Magalhães a conseguir o dinheiro para os seus tratamentos. Esta notícia foi maravilhosa e absolutamente delicada. Nos dias seguintes, Catitas, Charanguinha, Palhacinhas e Marroquinos juntaram-se a esta causa e, assim, o António Magalhães contou com mais esta preciosa ajuda que agradecemos com admiração. Deste modo conseguimos perceber que existe consciência social no seio dos Grupos de Carnaval, que os sentimentos estão presentes sempre, e que a preocupação social e o bem-estar das pessoas é, igualmente, uma preocupação para os grupos de foliões que sim, amam a folia, mas também sonham com um mundo melhor e mais solidário. A todos, muito obrigado.


praçapública

INICIATIVAS

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

13

SOLIDÁRIOS POR UM AMIGO

Fotos: Tiago Carriola

Memorável noite de fados

LUÍS FILIPE SILVA

Durante os intervalos e ao longo de toda a noite, foram vendidas e leiloadas todas as ofertas que haviam sido feitas pelas pessoas que desta forma se quiseram associar à causa, realizando-se assim mais uma boa quantia para juntar ao produto de todas as outras que decorriam e têm vindo a decorrer. Uma noite de enorme sucesso, maravilhosa do ponto de vista da solidariedade e da amizade.

Laçamento de livro “O amor não conta cromossomas” Valdemar Gomes, antigo diretor do PRAÇA PÚBLICA, estreou-se na escrita com a publicação do livro “O amor não conta cromossomas”. O lançamento da obra teve lugar no dia 12 de outubro, no auditório da Junta de Freguesia de Ovar, um espaço que se revelou pequeno para acolher as centenas de pessoas que fizeram questão de marcar presença no evento. Bruno Oliveira, presidente da União de Freguesias de Ovar, Arada, S. João e S. Vicente Pereira agradeceu ao autor a publicação da obra e frisou que o espaço continua disponível para acolher mais iniciativas do género. Domingos Silva, vereador da Câmara Municipal de Ovar, sublinhou a amizade que o une a Valdemar Gomes e desejoulhe as maiores felicidades, em nome pessoal e em nome da autarquia. Coube a Manuela Morgado fazer uma breve apresentação do autor e da obra, abstendo-se de fazer referências aos percursos académico, profissional e cívico, já que os mesmos se encontram pormenorizados no livro. Mas realçou as características humanas do autor, como a calma, a tolerância e a humildade. “A sua forma de tratar as pessoas é verdadeiramente inspiradora e é, sem dúvida, um exemplo a seguir”, referiu Manuela Morgado. “Este homem tem características de personalidade únicas e extremamente raras, nos dias de hoje”, disse. Em relação à obra, Manuela Morgado salientou que esta pode dividir-de em duas partes,

uma de cariz testemunhal e outra de índole científica. “Sem querer tirar o mérito, nem por um minuto, à parte científica, adorei ler a parte mais pessoal pois, através da sua escrita, o Dr. Valdemar Gomes coloca-nos a todos naquela maternidade e envolve-nos nas emoções por si vividas. Obrigada por esta partilha”, concluiu. Diogo Gomes, filho de Valdemar Gomes e portador de Síndrome de Down, leu um pequeno texto, da sua autoria, onde se apresentou e onde sublinhou ser um jovem igual aos outros e “muito feliz”. Valdemar Gomes apresentou um trabalho sobre “Trissomia 21 - Passado, Pre-

sente e Futuro”, onde falou, com detalhe, desta Síndrome e da forma como era encarada nos finais do século XIX (onde as crianças eram simplesmente abandonadas em hospícios, sem qualquer cuidado e atenção) e como é vista, na atualidade. No final foram passados vários slides do Diogo, alguns dos quais referentes à sua participação no Campeonato do Mundo para Ginastas com Síndrome de Down (Inglaterra), onde venceu a Medalha de Bronze. Seguiu-se uma longa sessão de autógrafos. Falta apenas referir que o livro pode ser adquirido na Clínica Frei Francisco, situada no Largo dos Combatentes, em Ovar. Publicidade

Incansável, Armando Valente, presidente da Associação dos Imigrantes de Santa Maria de Válega, empenhou-se a fundo neste evento, conseguindo um maravilhoso ambiente familiar. Tudo preparado com uma noite enfeitada a rigor, respirando-se enorme serenidade, e a cumplicidade era evidente em prol de um único objetivo, ajudar um amigo. No elenco, Ana Margarida, Maria de Jesus e Elisabete Rilho que, gentilmente, se quiseram juntar a esta causa, acompanhadas por dois músicos de elevada notoriedade, proporcionaram um espetáculo cheio de raça e envolvência, cantando cada uma delas nove fados, sempre merecedores de ovações por parte do público presente. A sala apresentava-se cheia, a ementa era sedutora e nada faltou naquele jantar de solidariedade que, por tudo o que aconteceu e a forma como decorreu, constituiu um grande sucesso. Responsabilidade total para quem se dedicou a pro-

mover este evento que contou ainda com uma surpresa de final de noite, a companhia de Tino de Rans, amigo do presidente, que não quis deixar de marcar presença e proporcionar um pequeníssimo, mas hilariante, espetáculo que levou às lágrimas todos os presentes, tal a boa disposição demonstrada por esta “celebridade” do Big Brother VIP e outros programas televisivos.

OVAR


14 Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

CLASSIFICADOS

praçapública


praçadesportiva Basquetebol formação Resultados 5 e 6 Out. Sub 19 F Sangalhos Ovarense

31 38

Sub 18 M Ovarense Esgueira

54 40

Sub 16 M A Ovarense Sangalhos

79 49

11 a 13 Out. Sub 14 F Calvão 40 Ovarense 77

Sub 16 M B Ovarense 63 Sanjoanense 21 Sub 14 M A Sanjoanense 34 Ovarense 51 Sub 14 M B Sanjoanense 23 Ovarense 60 Sub 14 F Ovarense Esgueira

VAREIROS DERROTARAM O SAMPAENSE NA FINAL

Ovarense vence Troféu António Pratas

63 21

19 e 20 Out. Sub 18 M Galitos 28 Ovarense 75

Sub 19 F Ovarense Galitos

Sub 16 F Ovarense GICA

54 27

Sub 18 Anadia Ovarense

17 105

Sub 16 M A Ovarense Anadia

130 8

Sub 16 F Oliveirense Ovarense

40 82

Sub 16 M B Ovarense Galitos

74 41

Sub 16 M A Galitos Ovarense

31 66

Sub 14 F Ovarense Gafanha

65 39

Sub 16 M B Esgueira Ovarense

34 92

Sub 14 M A Ovarense GRIB

107 22

Sub 14 M Ovarense B Ovarense C

77 43

Sub 14 M A Ovarense Oliveirense

100 34

Sub 14 M C Ovarense 42 Sanjoanense 35

56 42

A Ovarense bateu o Sampaense (65-62), na final do Troféu António Pratas, e regressou à conquista dos títulos. Os vareiros, que tinham deixado o CAB Madeira (6638) e a Oliveirense (75-80) pelo caminho, apresentaramse, na Luz, moralizados e, no encontro de abertura da competição, defrontaram e venceram o Maia Basket (72-64) e, numa tarde em que José Barbosa esteve imparável (17 pontos e 3 assistências), carimbaram o passaporte para a final. No jogo das decisões, os vareiros defrontaram o Sampaense, que eliminou, surpreendentemente, o Benfica. Os primeiros dez minutos do jogo foram equilibrados (1312), mas no segundo quarto a equipa de Carlos Pinto dei-

xou o primeiro aviso, ao protagonizar um parcial arrasador de 18-1, cavando uma diferença substancial no marcador, que ao intervalo assinalava 35-18. No regresso dos balneários a Ovarense apostou no coletivo e em poucos minutos colocou-se com uma vantagem de 25 pontos, que praticamente sentenciava o desfecho do encontro. Contudo, mesmo a perder por 52-33 à entrada do derradeiro ‘quarto’, o Sampaense não entregou os pontos e apostou na pressão defensiva para importunar, com êxito, a equipa alvi-negra. De tal forma que em poucos minutos a diferença pontual baixou para os 11 pontos (51-40) e os sampaenses começaram a acreditar. Coube a José Barbosa acalmar os ânimos adversá-

rios com um triplo, mas a equipa de S. Paio de Gramaços não desarmou e conseguiu uma espetacular recuperação no marcador, reentrando na discussão do resultado. Ao soar o ‘gongo de alerta’, valeu à equipa vareira a serenidade e eficiência de Cristóvão Cordeiro (11 pontos, 5 ressaltos e 4 assistências) e de Fernando Neves (10 pontos) que, da linha de lance livre alargaram a vantagem (63-58), e a experiência de Miguel Miranda (7 pontos, 10 ressaltos e 4 assistências), que travou o ímpeto dos adversários. Ainda assim, o Sampaense voltou a reduzir (60-63), mas José Barbosa (10 pontos e 4 assistências), da linha de lance livre, acabou por sentenciar o triunfo e assegurar a conquista de mais um título para a Ovarense.

Sampaense 62 Ovarense 65 Cristóvão Cordeiro 11 José Barbosa 10 André Pinto 02 Nuno Morais 06 Fernando Neves 10 Miguel Miranda 07 Sergi Coll 12 Rodolfo Castro nj Pedro Costa 04 Joaquim Soras nj Miguel Soares nj Emanuel Sá 03 Treinador: Carlos Pinto

1ª Divisão Feminina

Ovarense 56 Guifões 37 Publicidade


praçapública

DESPORTO

16 Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

ATLETISMO

F4099 1 - FÁTIMA SILVA 01:25:00 (CDP) 2 - LIDIA PEREIRA 01:26:42 (CPMANGUALDE) 3 - LURDES MONTEIRO 01:29:35 (CPMANGUALDE) 9 - FLORBELA COSTA 01:39:19 (SSCTMOVAR) 20 - FATIMA ALEIXO 01:48:37 (AFIS) M0039 1 - RUI PEDRO SILVA 01:04:33 (SLB) 2 - NUNO COSTA 01:05:51 (IND) 3 - LICINIO PIMENTEL 01:06:04 (SLB) 9 - LEONEL FERNANDES 01:07:59 (CCSJM) 56 - PAULO COSTA 01:19:26 (SSCTMOVAR) 58 - RUI COSTA 01:19:27 (CAOVAR) 66 - CELSO LEITE 01:20:12 (CAOVAR) 71 - ANTÓNIO TEIXEIRA 01:20:37 (CAOVAR) 81 - ANTÓNIO CRISTOVÃO 01:21:54 (GDCGUILHOVAI) 83 - JANIK LIMA 01:22:29 (AFIS) 90 - JOÃO FERNANDES 01:23:29 (OS FD´AR) 93 - ALEXANDRE SANTOS 01:23:46 (GDCGUILHOVAI) 94 - HELDER PIRES 01:23:51 (CAOVAR) 96 - ALBERTO VALENTE 01:24:00 (CAOVAR) 100 - MARCO COSTA 01:24:13 (AVD´OVAR) 113 - MARCIO SERRADO 01:26:01 (CAOVAR) 128 - ANDRÉ NADAIS 01:27:26 (ARADAAC) 145 - PAULO RESENDE 01:28:30 (CAOVAR) 169 - MARCIO QUINTAS 01:30:27 (CAOVAR) 192 - JOSÉ LOURENÇO 01:32:44 (CAOVAR) 225 - RUI MARTINS 01:34:51 (CAOVAR) 304 - MARCO PINTO 01:40:47 (CAOVAR) 315 - LICINIO ALMEIDA 01:41:35 (BVO) 424 - MANUEL PEREIRA 01:48:03 (BVO) 439 - LUIS SILVA 01:48:30 (AFIS) 487 - CLEMENTE SANTOS 01:53:27 (ARADA C) 495 - MANUEL JORGE 01:54:06 (ARADA C) 502 - FILIPE ABRANTES 01:54:53 (CAOVAR) 505 - LUIS SANTOS 01:55:15 (AFIS) 540 - RÚBEN SILVA 01:59:42 (CAOVAR) 541 - RICARDO COELHO 01:59:42 (CAOVAR) 542 - FILIPE DIAS 02:00:09 (BVO) 563 - JOSÉ D PINTO 02:05:10 (CAOVAR) 567 - HUGUES ALMEIDA 02:05:37 (CAOVAR) 571 - JOÃO PINTO 02:06:52 (CAOVAR) M4044 1 - PAULO GOMES 01:05:57 (CUAB) 2 - AUGUSTO COSTA 01:10:22 3 - GIL FERREIRA 01:13:13 (ADERCUS) 16 - JAIME GOMES 01:18:34 (GDCGUILHOVAI) 21 - MANUEL PINTO 01:20:09 (OS FD´AR) 25 - JOAQUIM FERREIRA 01:21:54 (ARADAAC) 65 - MÁRIO GONÇALVES 01:28:42 (AFIS) 88 - JOSÉ VIEIRA 01:31:49 (OS FD´AR) 115 - ANTONIO OLIVEIRA 01:35:17 (GDCGUILHOVAI) 140 - PAULO FERNANDES 01:38:47 (AFIS) 161 - EDGAR COSTA 01:40:51 (CAOVAR) 191 - MIGUEL VIEGAS 01:45:10 (AFIS) 230 - ANTÓNIO MATOS 01:52:04 (BVO) 236 - MANUEL SILVA 01:52:40 (OS FD´AR)

Rui Silva e Cláudia Pereira venceram a 25ª Meia Maratona Cidade de Ovar Tiago Carriola

F0039 1- CLAUDIA PEREIRA 01:13:39 (JOMA) 2 - SARA RIBEIRO 01:14:01 (SCP) 3 - CATARINA LIMA 01:15:49 (UDVÁRZEA) 4 - MÓNICA SILVA 01:16:20 (MARATONA CP) 5 - CLARISSE CRUZ 01:17:46 (SCPOTUGAL) 65 - JOANA SILVA 28 02:05:11 (CAOVAR) 67 - SÓNIA PINHO 02:05:37 (CAOVAR) 72 - CARMEM FERREIRA 02:07:16 (AFIS)

Tiago Carriola

Classificações

Rui Pedro Silva

O atleta internacional Rui Silva foi o grande vencedor da 25ª edição da Meia Maratona Cidade de Ovar. Numa prova onde cortaram a meta mais de 1700 participantes, o atleta do Benfica

Cláudia Pereira

acabou por dominar a competição, cortando a meta com o tempo de 01:04:33. Esta foi a terceira vez que Rui Pedro Silva triunfou em Ovar, isto depois dos êxitos alcançados em 2005 e em

2012. O atleta encarnado garantiu a conquista do segundo troféu da temporada com a camisola do Benfica, numa prova que classificou como “uma das melhores meias maratonas de Portugal”.

Nuno Costa foi o segundo corredor a cortar a meta, com o tempo de 01:05:51, e o terceiro lugar coube a Paulo Gomes, do Benaventense, que gastou mais dois segundos do que o seu mais direto


praçapública

DESPORTO

Classificações

adversário. No setor feminino o domínio pertenceu à atleta da JOMA, Cláudia Pereira, que cortou a meta com 01:13:39, um tempo bem abaixo do alcançado pela segunda classificada, Sara Ribeiro (01:14:01.). O último lugar do pódio pertenceu à jovem Catarina Lima, que correu com a camisola do UD Várzea, registando o tempo de 01:15:49.

M5054 1 - VICTOR SILVA 01:17:45 (SSSJMADEIRA) 2 - ERNESTO ALMEIDA 01:17:51 (NAC) 3 - BENJAMIM SOARES 01:17:58 (GDCGUILHOVAI) 5 - JOÃO PEREIRA 01:19:00 (AFIS) 28 - MANUEL FONSECA 01:29:02 (AFIS) 40 - AMÉRICO VALENTE 01:31:05 (SSCTMOVAR) 42 - CARLOS COSTA 01:32:09 (CAOVAR) 51 - JOSÉ GARCIA 01:33:31 (AVD´OVAR) 52 - JOSÉ CARLOS 01:33:32 (OS FD´AR) 53 - VITOR LEITE 01:33:35 (OS FD´AR) 54 - RODRIGO SILVA 01:33:35 (OS FD´AR) 57 - ABILIO PINTO 01:34:39 (CAOVAR) 80 - JOSÉ COSTA 01:39:18 (SSCTMOVAR) 87 - FRANCISCO GONÇ. 01:39:50 (OS FD´AR) 88 - JOSÉ AMARO 01:40:21 (AFIS) 106 - ARTUR NADAIS 01:43:17 (GDCGUILHOVAI) 114 - NORBERTO OLIVEIRA 01:45:38 (GDCGUILHOVAI) 129 - MANUEL VIEIRA 01:49:27 (AFIS) 177 - MANUEL BRANCO 02:19:41 (CAOVAR) M5559 1 - CASIMIRO GALHARDO 01:14:54 (CPTBCARCAVELOS) 2 - HERMINIO MARTINS 01:15:46 (IND) 3 - PEDRO TERRA 01:15:58 (CCSJM) 7 - ANTÓNIO VIEIRA 01:23:05 (AFIS) 26 - DAVID FERNANDES 01:33:32 (GDCGUILHOVAI) 50 - JOSE SILVA 01:38:10 (AFIS) 54 - ANTÓNIO BRANCO 01:39:20 (CAOVAR) 61 - ARLINDO PINTO 01:40:47 (CAOVAR) 70 - JOSÉ SOUSA 01:42:15 (AFIS) 75 - ANTÓNIO SANTOS 01:44:07 (AFIS) 86 - ANTÓNIO BRANDÃO 01:45:39 (CGD OVAR) 91 - MÁRIO CONDE 01:46:21 (AFIS) 100 - MANUEL COSTA 01:48:27 (AFIS) 101 - JOAQUIM COSTA 01:48:39 (CAOVAR) 10 - ANTÓNIO SÁ 01:36:53 (CAOVAR) 26 - FERNANDO SANTOS 01:42:07 (AFIS) 27 - EDUARDO RESENDE 01:42:16 (AFIS) 50 - VITORINO PEREIRA 01:47:40 (CAOVAR) 88 - JORGE PINA PINTO 02:02:34 (AFIS) 102 - MANUEL SÁ PINTO 02:09:34 (OS FD´AR)

17

Associação de Pais do Infantário e Jardim de Infância da Escola Preparatória de Ovar Convocatória de Assembleia Geral Ordinária Pela presente, e de acordo com o disposto no Ar tigo 28º, Parágrafo 3, dos Estatutos que regem esta Associação, convoco todos os Associados para uma Assembleia Geral Ordinária, a realizar nas instalações da Associação de Pais do Infantário e Jardim de Infância da Escola Preparatória de Ovar, sitas na Sala da valência de ATL, na Rua Dr. Albino Borges de Pinho, n.º164, pelas 21.30 horas, do dia 15 de Novembro de 2013, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apreciação e votação do orçamento e programa de acção para o ano seguinte; 2. Assuntos diversos. Se, à hora mencionada, não estiver presente a maioria dos Associados, a Assembleia funcionará, em segunda convocatória, meia hora mais tarde, com o número de associados presentes. Ovar, 16 de Outubro de 2013 A Presidente da Mesa da Assembleia Geral Praça Pública nº 644, 23 de outubro de 2013 Ana Sofia Penna Simões de Moura Stoffel Furtado de Castro

CENTRO DE PROMOÇÃO SOCIAL DO FURADOURO Convocatória Nos termos legais e estatutários convoco os Sócios para reunirem em sessão ordinária no próximo dia 08 de Novembro (Sexta-Feira) pelas 17h com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apreciação e votação do Plano de Actividades para 2013. 2. Apreciação e votação do Orçamento para 2013. 3. Meia hora para tratar de assuntos de interesse para a Instituição. A Assembleia reunir-se-á na Sede Social do Furadouro e se à hora indicada não se verificar o quórum necessário, funcionará com qualquer número, uma hora depois. Furadouro, 10 de Outubro de 2013 A Presidente da Assembleia Geral Esmeralda Souto Praça Pública nº 644, 23 de outubro de 2013

Publicidade

13ª CAMINHADA “CIDADE DE OVAR” E 18ª MINI MARATONA “CORRER PELA VIDA NÃO À DROGA” FORAM UM SUCESSO Em paralelo com a edição 25 da Meia Maratona, tiveram lugar duas iniciativas que reuniram milhares de pessoas. A 13ª Caminhada “Cidade de Ovar”, uma prova destinada aos jovens com idades compreendidas entre os 9 e os 16 anos, que tem como objetivo ajudar a promover o desporto e os hábitos de vida saudável, e a 18ª Mini Maratona “Correr pela Vida Não à Droga”, uma iniciativa organizada pela secção de pedestrianismo do AFIS, foram um sucesso, que este ano contou com os apoios especiais da Bosh e da Royal School of Languages.

M4549 1 - ANTÓNIO FERNANDES 01:08:43 (ACRVCAMBRA) 2 - ALBERTO ALMEIDA 01:11:36 (GD 3 S.POPULARES) 3 - MANUEL URBANO 01:13:13 (GDCGUILHOVAI) 10 - MANUEL FERREIRA 01:15:40 (GDCGUILHOVAI) 14 - MANUEL PEREIRA 01:17:33 (GDCGUILHOVAI) 22 - VITOR GONÇALO 01:21:26 (SSCTMOVAR) 76 - SALVADOR FARDILHA 01:31:16 (GDCGUILHOVAI) 100 - GABRIEL SILVA 01:33:34 (CAOVAR) 112 - PEDRO LEAL 01:34:20 (CAOVAR) 116 - JOAQUIM FERREIRA 01:34:46 (GDCGUILHOVAI) 122 - RUI COSTA 01:36:47 (OS FD´AR) 135 - CARLOS CAMPOS 01:38:50 (AFIS) 189 - CARLOS LOPES 01:47:35 (A AVALEGA) 211 - PAULO OLIVEIRA 01:51:54 (AFIS) 221 - ANTONIO SANTOS 01:55:36 (GDCGUILHOVAI) 239 - MANUEL ANDRADE 02:01:43 (GDCGUILHOVAI) 240 - RUI FERREIRA 02:02:27 (AFIS)

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013


18 Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

praçapública

DESPORTO

CAMPEONATO DISTRITAL DA II DIVISÃO - SÉRIE B - 2ª, 3ª E 4ª JORNADAS

Ovarense arranca vitória ‘gorda’ e segura liderança Ao cabo de quatro jornadas, a Ovarense é líder da Série B, do Campeonato Distrital da II Divisão., os vareiros. Depois de ter entrado no campeonato com um triunfo prometedor, frente ao Santiais, a Ovarense deslocou-se ao terreno do Alba B e repetiu o triunfo (0-1), em jogo a contar para a segunda jornada. De regresso aos jogos em casa, os vareiros tiveram pela frente o Valecambrense e não conseguiram melhor do que segurar um empate a duas bolas. Num jogo muito disputado, a Ovarense acabou por entrar praticamente a perder, fruto do golo sofrido aos sete minutos de jogo.

Tiago Carriola

CLASSIFICAÇÕES DISTRITAL

Contudo, a reação dos vareiros não tardou e a equipa alvinegra conseguiu, ainda na primeira parte, dar a volta ao marcador (2-1), por intermédio de Tiago Lopes e Flecha.

A segunda parte foi muito disputada, com os forasteiros a apontarem o golo que fixou a igualdade (2-2) final. Depois de ter perdido os primeiros dois pontos desta

época na jornada anterior, no passado fim de semana a Ovarense deslocou-se a Macieira de Cambra e arrancou, de novo, um resultado dilatado (0-5) que vale a lideran-

ça, ainda que repartida, da tabela classificativa. No próximo fim de semana a Ovarense recebe, no Estádio Marques da Silva, a visita do Beira-Vouga. Tiago Carriola

Equipa feminina apresentada No intervalo do jogo com o Valecambrense, a Ovarense apresentou oficialmente a sua equipa feminina de sub-18 - futebol de sete.

CAMPEONATO DISTRITAL DA II DIVISÃO – SÉRIE B – 2ª, 3ª E 4ª JORNADAS

Vitória caseira e empate fora de portas valem lugar tranquilo na tabela classificativa Depois de ter entrado com um desaire caseiro no campeonato, o Furadouro arrancou um empate (0-0) na segunda jornada, frente ao Gafanha Aquém, que moralizou a equipa para a jornada seguinte. A jogar de novo em casa, a equipa vareira recebeu e bateu o Requeixo num encontro emotivo e garantiu a conquista do primeiro triunfo no

campeonato, segurando um lugar tranquilo na tabela classificativa. No último fim de semana, o Furadouro efetuou uma deslocação ao difícil terreno do Rocas do Vouga, e perdeu (2-0), caindo um lugar na classificação. No próximo fim de semana, a tarefa volta a ser difícil, com o Furadouro a jogar fora de portas, frente ao Vista Alegre.

Tiago Carriola

-

DIVISÃO

Equipa Gafanha Oliv. Bairro AD Sanjoanense Esmoriz Carregosense Alba Sporting Paivense Canedo Fiães Mealhada Águeda Milheiroense At. Cucujães AD Valonguense AC Famalicão Avanca Soutense

J V E D P 5 5 0 0 15 5 5 0 0 15 5 4 0 1 12 5 4 0 1 12 5 3 0 2 9 4 2 2 0 8 5 2 1 2 7 4 2 1 1 7 5 1 3 1 6 5 1 3 1 6 5 2 0 3 6 5 0 4 1 4 5 1 0 4 3 5 1 0 4 3 5 0 3 2 3 5 0 2 3 2 5 0 2 3 2

UD Mourisquense

5

0

DISTRITAL SÉRIE Equipa J Rio Meão 4 U. Lamas 4 Macieirense 4 P. Brandão 4 Argoncilhe 4 Lusitânia Lourosa B 3 Mosteirô FC 4 Lobão 4 Mansores 4 Alvarenga 4 Caldas S. Jorge 4 Senguêdo 4 Romariz 4 ACRD Mosteirô 4 Real Nogueirense 3

2ª V 4 4 3 2 2 2 2 2 2 1 1 1 1 0 0

S. V. Pereira

0

4

DISTRITAL SÉRIE Equipa J Ovarense 4 Pinheirense 4 Rocas do Vouga 4 Macinhatense 4 Alba B 4 S. Roque 4 Beira-Vouga 4 Vista Alegre 4 CD Furadouro 4 Bom-Sucesso 4 Requeixo 4 Valecambrense 4 Macieira de Cambra 4 Palmaz 4 Gafanha Aquém 4 Santiais 4

2ª V 3 3 2 2 2 2 2 1 1 1 1 1 0 1 0 0

1

4

1

DIVISÃO A E D P 0 0 12 0 0 12 1 0 10 2 0 8 0 2 6 0 1 6 0 2 6 0 2 6 0 2 6 2 1 5 1 2 4 1 2 4 0 3 3 1 3 1 0 3 0 0

4

0

DIVISÃO B E D P 1 0 10 1 0 10 2 0 8 2 0 8 1 1 7 1 1 7 0 2 6 3 0 6 1 2 4 1 2 4 1 2 4 1 2 4 3 1 3 0 3 3 2 2 2 0 4 0

Publicidade


praçapública

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

FUTEBOL CAMPEONATO DISTRITAL DA II DIVISÃO – SÉRIE B

ATLETISMO

S. Vicente de Pereira em fase menos positiva

ANÍBAL GOMES

Ainda não foi desta que o S. Vicente de Pereira conseguiu pontuar no Campeonato Distrital. Depois do desaire caseiro frente ao Lourosa (B) (0-3), os vicentinos deslocaram-se a Rio Meão e perdeu por igual resultado. Os responsáveis técnicos da formação vareira contestaram a arbitragem dos últimos dois encontros, com Arlindo Reis a frisar que “desta forma vai ser difícil chegar lá”.

Publicidade

DESPORTO

Vitória de Clarisse Cruz Realizou-se no Pinheiro da Bemposta, Oliveira de Azeméis, o “ XXIV Grande Prémio de S. Paio”, que contou com a presença de Clarisse Cruz, vareira, com dorsal do Sporting Clube de Portugal, que obteve o primeiro lugar na categoria Seniores Femininos, e ainda a presença de 26 atletas com dorsais vareiros, que obtiveram as seguintes classificações: Juniores – Seniores 10000 metros 24º Paulo Costa, SSTCMOvar 32º Filipe Leite, AFIS 33º Márcio Quintas, CAO 35º Pedro Leal, AFIS 38º José Lourenço, CAO 42º Fábio Fonseca, ACR Valdágua

FUTEBOL - CAMPEONATO DISTRITAL DA I DIVISÃO

Esmoriz mantém perseguição ao primeiro lugar FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

O Esmoriz bateu o Milheiroense, fora de portas, e manteve-se nos lugares cimeiros da tabela classificativa. O golo apontado por Fred valeu os três pontos e permite à equipa da Barrinha manter a

perseguição ao primeiro lugar. Na jornada anterior o Esmoriz já tinha vencido, em casa, o Cucujães, por 2-0, numa partida onde os esmorizenses entraram, praticamente, a vencer, fruto do golo apontado por Samú, logo aos três minutos de jogo. O Cucujães tentou reagir, mas

até ao intervalo não se registaram alterações no marcador. A segunda parte acabou por ser mais emotiva e ambas as equipas procuraram a baliza contrária. As oportunidades de golo foram escassas, mas, mesmo assim, as mais flagrantes pertenceram aos donos da casa. Contudo, o público que se deslocou ao Estádio da Barrinha só voltou a gritar golo já no último quarto de hora do jogo, após a cobrança certeira de um livre, que teve como protagonista Pedro Godinho, que elevou a contagem e fixou o resultado final. Após a quinta jornada, o Esmoriz é quarto classificado, com 12 pontos. No próximo domingo, os pupilos de Amadeu Rocha recebem, no Estádio da Barrinha, a visita do Alba. Esmoriz: Miguel, Narciso Ratinho, Ruça, Pedro Borges, Diogo Silva, Nuno Godinho, Diogo Lima, Fred (Mika, 68'), Samú (Jesus, 89'), Pedro Godinho e Carriça (Pedro Russo, 89').

Infantis 8º Fredy Silva, AFIS Iniciados 3º Tomás Silva, AFIS 9º Edgar Costa, CAO Veteranos I 4º Manuel Pereira, GDC Guilhovai 9º Manuel Ferreira, GDC Guilhovai 18º Pedro Leal, CAO 32º Edgar Costa, CAO 37º Joaquim Ferreira, GDC Guilhovai 44º Manuel Andrade, GDC Guilhovai Benjamins Femininos 6º Sara Costa, CAO 7º Matilde Silva, AFIS 9º Rita Costa, CAO 11º Ana Catarina, CAO 18º Mariana Costa, CAO 24º Inês Silva, ACR Valdágua Por equipas o Clube de Atletismo de Ovar (CAO) ficou em primeiro lugar com 26 pontos Infantis Femininos 7º Ana Rita, ACR Valdágua 19º Filipa, AFIS Juniores – Seniores Femininos 1º Clarisse Cruz, Sporting Club de Portugal 22º Lígia Marques, AFIS 25º Maria Pinto, AFIS Por equipas seniores masculinos o Clube de Atletismo de Ovar ficou em quinto lugar com 95 pontos e o Atletas de Fins de Semana ficou em sétimo com 125 pontos.

19


praçapública

DIVERSOS

20 Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

MANUEL AUGUSTO ESTEVES RAPOSO NOTÁRIO DE ESTARREJA JUSTIFICAÇÃO Certifico, narrativamente, para efeito de publicação, que por escritura de Justificação, lavrada em onze de Outubro de dois mil e treze, no Cartório Notarial do Notário Manuel Augusto Esteves Raposo, sito na Rua Manuel Lopes Rodrigues, nº 6, nesta cidade e concelho de Estarreja, e exarada a folhas 122 e seguintes, do livro de notas para escrituras diversas com o número 103 – E, Reinaldo Rodrigues Correia, NIF 198 180 144, casado sob o regime da comunhão de adquiridos com Maria Cândida Bandeira Correia, NIF 278 818 854, natural da freguesia de Maceda, concelho de Ovar residente na Avenida Draveil, número 240, Apartamento 24, segundo andar, Matosinhos de Baixo, Esmoriz, concelho de Ovar por não possuir título suficiente que legitime o seu direito, invocou a aquisição por usucapião, do seguinte bem imóvel, de que é dono e legítimo possuidor, com exclusão de outrem: PRÉDIO RÚSTICO, sito na Rua do Lamarão (Lugar da Carvalheira), freguesia de Maceda, concelho de Ovar, composto por terreno de cultura com a área de oitocentos e setenta e um vírgula sessenta e seis metros quadrados, a confinar do norte com caminho, do sul com Otília Rodrigues Correia, do nascente com estrada (Rua do Lamarão) e do poente com caminho, inscrito na respectiva matriz, em nome do justificante, sob o artigo 275, com o valor patrimonial de IMT e o atribuído de quatrocentos e cinquenta e nove euros e dez cêntimos, omisso na Conservatória do Registo Predial de Ovar. Está conforme ao original. Estarreja, onze de Outubro de dois mil e treze. O NOTÁRIO: Praça Pública nº 644, 23 de outubro de 2013 Manuel Augusto Esteves Raposo

Eu, William da Silva Gomes, natural da Venezuela, atualmente a viver em Ovar, venho por este meio informar que não me responsabilizo pelas dívidas contraídas pela senhora Yexi Ford da Silva, a partir do dia 26 de maio de 2013. A.D.O. - Basquetebol da Associação Desportiva Ovarense, SAD ASSEMBLEIA - GERAL CONVOCATÓRIA Ao abrigo da lei e do Pacto Social, convoco os senhores accionistas da sociedade “A.D.O. - BASQUETEBOL DA ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA OVARENSE, S.A.D.” para reunirem em Assembleia-Geral no próximo dia 4 de Novembro (segunda-feira), pelas 21:00 horas, numa das salas da Arena Dolce Vita, a fim de deliberarem sobre a seguinte ORDEM DE TRABALHOS: 1. Proceder a eleição dos Órgãos Sociais para as épocas desportivas de 2013/2014, 2014/2015 e 2015/2016. Nota: São requisitos para a participação e exercício do direito de voto na assembleia-geral: a) A cada dez (10) acções corresponde um voto. b) A participação na assembleia-geral depende do depósito das acções dos accionistas na sede social ou em instituição bancária, até três (3) dias antes da realização da assembleia-geral. c) Os senhores accionistas possuidores de menos de dez (10) acções poderão agrupar-se para perfazerem aquele número, devendo fazer-se representar por um deles, cujo nome deverá ser indicado ao Presidente da Mesa da Assembleia-Geral até oito (8) dias antes do dia designado para a Assembleia. Ovar, 17 de Outubro de 2013 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Carlos Manuel dos Reis Mendonça Praça Pública nº 644, 23 de outubro de 2013

Associação Cultural e Recreativa de Valdágua Convocatória Assembleia Geral Ordinária Dando cumprimento ao artigo 13º do Estatutos desta Coletividade, convocam-se todos os sócios para uma Assembleia Geral Ordinária, a realizar no próximo dia 30 de outubro pelas 21h00, na sede desta Associação, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Leitura e aprovação da ata da última Assembleia; 2. Aprovação do Plano de Atividades e do Orçamento para o ano de 2014; 3. Outros assuntos de interesse para a Coletividade. Se à hora marcada não estiver presente a maioria dos Associados, a Assembleia funcionará meia hora mais tarde com qualquer número de sócios presentes. Válega, 7 de outubro de 2013 O Presidente da Assembleia Geral Bernardino Pereira da Frutuosa Praça Pública nº 644, 23 de outubro de 2013

Maria Rosa Godinho (Rosa Bacela) 78 anos Salgueiral de Cima - São João - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

José Pereira Ribeiro 86 anos Última residência Centro de Acção Social S. Vicente Pereira A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Maria Gonçalina Dias Nunes Branco 87 anos Última residência Santa Casa da Misericórdia A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Arlindo Lopes Cachaço 80 anos Marinha - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Maria Rodrigues Graça 89 anos Marinha - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

14º Aniversário Lutuoso 25-10-2013 José Miguel

Seus pais e irmã agradecem a todas as pessoas que possam assistir à missa do 14º aniversário do seu falecimento, e que esta se realiza no próximo dia 27 de outubro, pelas 11h00, na Capela do Furadouro “Miguel há catorze anos que partiste, mas a tua imagem continua bem viva nos nossos corações”.

7º Aniversário Lutuoso 20.10.2006 - 20.10.2013 António Mendes Fernandes A ausência do marido e pai que se foi é uma ferida aberta no coração onde goteja lágrimas de saudades. Descansa em paz!

Agradecimentos José de Castro Resende Válega A família vem desta forma agradecer a todas as pessoas que participaram nas cerimónias fúnebres deste ente querido e que transmitiram a sua mensagem de solidariedade nesta hora de dor. PARA TODOS A SUA PROFUNDA GRATIDÃO

Ruben Filipe Valente Santos 21 anos Torrão do Lameiro - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Maria da Glória de Oliveira Repinaldo 89 anos Rua de Sande - São João - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.

Domingos sa Silva Sousa 95 anos Torrão do Lameiro - Ovar A Família agradece a todos os que acompanharam a cerimónia fúnebre, e que de alguma forma manifestaram o seu pesar.


praçapública

DESPORTO

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

21

FUTSAL

Crecor 4 - 6 Tabuaço

ATLETISMO Fernando Souteiro

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Depois do triunfo no Torneio do Saavedra Guedes, pelo segundo ano consecutivo, e do empate a dois golos na jornada inaugural, frente ao Viseu 2001, a Crecor defrontou, em casa, a turma de Tabuaço, uma equipa que defendeu muito bem e que, através de rápidas transposições defesa-ataque, conseguiu aproveitar algumas fragilidades da formação da casa, acabando por vencer a partida. Diga-se que a matreirice levou a melhor, sobre uma equipa que teve mais posse de bola e rematou mais vezes à baliza. Aos quatro minutos e meio, de livre, os forasteiros adiantaram-se no marcador. A partir daí, o Tabuaço fez um jogo de paciência e explorou o contra-ataque. O tento

da igualdade surgiu aos nove minutos, na sequência de uma combinação entre João Oliveira e Zira e com este a rematar com êxito. A Crecor não abrandou o ritmo e Ce-

guinho apontou o segundo tento da sua equipa. No entanto, a 22 segundos do intervalo, o Tabuaço aproveitou uma ligeira desconcentração dos atletas da casa para esta-

belecer a igualdade. Na segunda parte a Crecor reentrou a pressionar, com boas trocas de bolas, e, por duas vezes, Fernando Costa poderia ter marcado,

mas foi Jorginho que apontou o 3-2. Aos 36 minutos, Ceguinho desmarcou primorosamente Fernando Costa, que apontou o 4-3. Os últimos minutos foram verdadeiramente frenéticos e os visitantes acabaram por dar a volta no resultado. António Duarte, treinador-adjunto da Crecor, admitiu ao PRAÇA PÚBLICA que quem viu o jogo, “viu que merecíamos muito mais do que isto, mas contra uma equipa com esta maturidade que explora muito bem os erros, pagámos caro aqueles que cometemos”, adiantando que os golos do Tabuaço “acabaram por ser percas nossas na baliza deles”. Crecor: Rui Capelas, Fernando Costa, Ceguinho, Pinto, João Oliveira, Zira, Nuno Vendeira e Jorginho.

Grande Prémio da Amieirinha No final do mês de setembro correu-se na Marinha Grande o “Grande Prémio da Amieirinha”, onde Ovar esteve representado por dois atletas que venceram no seu escalão etário. António Sá, do Clube de Atletismo de Ovar, venceu com 38,52 minutos, na categoria de veteranos mais de 60 anos nos 9600 metros do percurso; enquanto que Clarisse Cruz, vareira com dorsal do Sporting Clube de Portugal, venceu com o tempo de 34,30 minutos, na categoria de seniores femininos.

Publicidade


praçapública

DESPORTO

22 Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

JUNIORES

Furadouro 0 - 4 Ovarense

INICIADOS

Fernando Souteiro

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

A Ovarense bateu o Furadouro (0-4), no passado fim de semana. Os alvi-negros dominaram a partida e, com dois golos em cada parte, carimbaram a vitória. Os primeiros 15 minutos foram equilibrados, com os vareiros a criarem duas ocasiões para marcar, por intermédio de Marcelo Ribeiro e Félix, contudo, foi o Furadouro quem esteve mais perto de se adiantar no marcador, num lance vistoso onde Hugo Garranas enviou a bola ao poste da baliza contrária. Este lance espevitou a Ovarense, que precisou de poucos minutos para se adiantar no marcador, primeiro por intermédio de Tiago Fidalgo, e pouco depois, por Teles, que dilatou a vantagem. No regresso dos balneá-

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

rios a Ovarense voltou a entrar mais forte e aos 54 minutos Jorge voltou a ‘faturar’ para a sua equipa. O Furadouro tentou reagir, mas acabaria por ser novamente a Ovarense a marcar, desta vez por intermédio de Marco Rodrigues, que fixou o resultado final. No final da partida, o jovem técnico do Furadouro, André Leal, admitiu que foi “um jogo difícil. Acabámos

por ter a primeira oportunidade mais flagrante. O terceiro golo acabou por desmoralizar a equipa”, disse. Já André Matias, treinador da Ovarense, realçou que, “num campo difícil”, a sua equipa “foi mais forte no meio campo”. De momento, a Ovarense ocupa o nono lugar, com quatro pontos, enquanto que o Furadouro está uma posição abaixo, sem qualquer ponto.

Furadouro: Pina, Hugo Garranas, Ruben, Mike, Luís Carlos, João Palhas, Diogo, Ricardo, Gaby, Nuno e José Alberto. Jogaram ainda: André Soares, Pipo e Adriano Ovarense: Artur, Carlos Ferreira, Marco Rodrigues, Luís, Balreira, Teles, Marcelo Ribeiro, Félix (Leandro), Cris (Samuel), Jorge (Ricardo Sousa) e Tiago Fidalgo.

JUVENIS

Válega 1 - 3 Ovarense

Fernando Souteiro

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

Este dérbi concelhio foi um jogo agradável de seguir em que a equipa da casa se adiantou no marcador, logo aos dez minutos por intermédio de Tomás. No entanto, a turma alvi-negra, treinada por Paulo Campino e Rogério Santos, assumiu as despesas da partida e Tiago Fula, à entrada da área obrigou o guardião da casa a uma boa intervenção. Este atleta sobressaiu na frente do ataque, dando bastante trabalho à defesa valeguense. Os visitantes foram criando algumas oportunidades de golo, por intermédio de João Campino, Amaro e Tiago Fula, mas Eduardo, com um punhado de defesas, evitou que o marcador se alterasse até ao intervalo (1-0). Aos 42 minutos, na sequência de um canto João Campino errou o alvo. Foi precisamente este jogador que, mais tarde, aproveitou um passe de Fula e apontou

Válega 2 – 2 São Martinho da Gândara O encontro entre o Centro Cultural e Recreativo (CCR) de Válega e o São Martinho da Gândara foi bastante emotivo, com um vencedor incerto até ao final do jogo. Ruben Chê teve uma jogada individual que culminou com o primeiro golo do encontro. Aos 23 minutos, o São Martinho da Gândara, comandado pelo ovarense Toninho, estabeleceu a igualdade. Mais tarde, o pequeno André Barge isolou Ruben Chê e este bisou na partida. A cinco minutos do intervalo, Gui cruzou para Ruben Chê, mas este falhou a emenda. No reatamento, o guardião Tiago Filipe teve de sair da sua baliza para evitar males maiores. Pouco depois, o Válega, treinado por João Carlos e Joaquim Gonçalves, poderia ter ampliado a vantagem. Aos 58 minutos, a formação valeguense beneficiou de uma grande penalidade, que desperdiçou. Na resposta, Tiago Filipe evitou o tento do empate com uma soberba defesa com os pés. Este lance motivou os visitantes que chegaram à igualdade a dois minutos do final. No final, o treinador do CCR de Válega, João Carlos considerou que “a minha equipa foi penalizada pelo penalti inexistente que deu origem ao segundo golo”, tendo acrescentado que “a equipa melhorou bastante em relação ao jogo anterior”. Válega: Tiago Filipe, César, João Barbas, Pedro Mané, Morais, Gonçalo Gil, Ruben Cruz, André Barge, Tiago Amaral, Ruben Chê e Gui. Jogaram ainda: André Valente e João Soares.

JUVENIS

Arada 0 - 1 S. Roque FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS

um grande golo. No minuto seguinte ocorreu a reviravolta no marcador. O quarteto defensivo do Válega demorou a sacudir o esférico, tendo Amaro cruzado rasteiro e Fula rematado com êxito (12). Depois, assistiu-se a bons momentos de futebol e os adeptos das duas formações a puxarem pelo clube da sua preferência. O central valeguense, Viseu cabeceou a centímetros do poste e na resposta Amaro enviou a bolsa ao ferro. Este mesmo atleta

combinou bem com Tiago Fula e este fixou o resultado final. Diogo Padrela admitiu que a sua equipa “entrou muito bem no jogo e com uma forte atitude”, realçando que depois do empate, “a equipa foi abaixo. Falhámos na finalização”, disse, dando os parabéns ao adversário. Tiago Fula, jogador da ovarense disse que a equipa “entrou mal. Conseguimos dar a volta. Isto era um dérbi. Fomos superiores”.

Válega: Eduardo, Bruno, Viseu, Pacheco, Fábio, Freitas, Roque, Camaché, Torres, Ricardo e Zinão. Jogaram ainda: Chico, Daniel e Paulo. Ovarense: Bruno, Ricardo, Nuno, Cruz, Brandão, Oliveira, Aleixo, Zé Miguel, Amaro, João Campino e Tiago Fula. Jogaram ainda: Afonso, Zé Mário e Rafael Almeida.

Quem assistiu a esta partida, ficou com a sensação que o resultado final foi completamente injusto. O Arada entrou forte no jogo e com boa atitude. Diogo enviou a bola à trave. Mais tarde, o mesmo atleta cabeceou à figura do guardião visitante. Ainda durante os 45 minutos iniciais, Reis isolou-se, mas o remate saiu por cima do travessão. Já na segunda parte, o encontro foi mais repartido, nem sempre bem jogado e os pupilos de Bruno e Ruben Reis tiveram mais dificuldades para chegar à baliza contrária. Mesmo assim, aos 47 minutos, Emanuel errou o alvo por pouco. Minutos a seguir, Diogo quase ia surpreendendo o guarda-redes do São Roque. Já aos 59 minutos, os forasteiros chegaram à vitória, na sequência de um livre apontado para o interior da área, tendo o “keeper” Gonçalo ficado lesionado e obrigado a abandonar o retângulo de jogo. No cômputo final da partida, o resultado acaba por injusto para o Arada, sobretudo por aquilo que fizeram durante a primeira parte, como afirma ao PRAÇA PÚBLICA Bruno Reis. “Tivemos várias oportunidades para ganhar o jogo. O resultado acaba por ser injusto. Merecíamos mais sorte”. Arada: Gonçalo, Pedro, Gonçalo II, Bruno, Nuno, Rodrigo, Francisco, Reis, Emanuel, Diogo e Daniel. Jogaram ainda: Filipe, Ruben e Jorge.


praçapública FUTSAL

18º Grande Prémio Internacional 11 de Outubro

Liga Quatro Estações promete grande emoções

Os Serviços Sociais dos Trabalhadores Municipais de São João da Madeira, organizaram, nesta cidade, a 12 de outubro, os seu “18º Grande Prémio Internacional 11 de Outubro”. Nesta prova subiram ao pódio Manuel Urbano, Benjamim Soares, David Fernandes e Filomena Costa, atletas com dorsal vareiro. Estiveram presentes 48 atletas vareiros, que obtiveram as seguintes classificações: Iniciados 4º Pedro Nadais, Arada AC 8º Tomás Silva, AFIS 20º Renato Pereira, Escola Secundário Júlio Dinis Juvenis 23º João Carvalho, AFIS Juniores 17º Filipe Leite, AFIS 22º Pedro Leal, AFIS

Veteranos I 9º Manuel Pinto, Falta d’Ar 25º Edgar Costa, CAO Veteranos II 3º Manuel Urbano, GDCG 10º Manuel Ferreira, GDCG 12º Pedro Leal, CAO 18º Rufino Castro, GDCG

Veteranos IV 3º David Fernandes, Ind. 10º Arlindo Pinto, CAO 27º Germano Paiva, GDCG Benjamins Femininos 7º Sara Costa, CAO 8º Ana Catarina, CAO 11º Rita Costa, CAO 12º Matilde Silva, AFIS 21º Ana Margarida, CAO 26º Mariana Costa, CAO 29º Inês Granja, AFIS 48º Inês Silva, ACR Valdágua Iniciados Femininos 4º Laura Regalado, ESJD 24º Patrícia Silva, ACRV 35º Beatriz Carvalho, ACRV 36º Beatriz Pinto, AFIS Juniores Femininos 11º Maria Pinto, AFIS Seniores Femininos 25º Ana Lígia Marques, AFIS Veteranos Femininos 5º Fátima Aleixo, AFIS 8º Matilde Leal, CAO

Casa do Povo de Válega CONVOCATÓRIA No cumprimento do artº 32 alínea 1 dos Estatutos desta Colectividade, convoco a Assembleia Geral para o dia 30 de Outubro do corrente ano, pelas 19h00, que se realiza nesta Casa do Povo com a seguinte Ordem de Trabalhos: 1.Leitura e aprovação de Acta da última Assembleia 2.Eleição dos Corpos Sociais para o Triénio de 2014-2017. Após a eleição reunir-se-ão os sócios para a Tomada de Posse da lista eleita seguindo-se a seguinte Ordem de Trabalhos: 1.Tomada de Posse 2. Apresentação e aprovação de Plano de Atividades para o ano de 2014 3.Apresentação e Aprovação de Orçamento Geral para o ano de 2014 4- Assuntos de interesse para a colectividade. De acordo com os mesmos estatutos a Assembleia Geral funcionará em primeira convocatória com a maioria dos sócios com direito a nela participarem, e, uma hora depois com qualquer número de sócios. Válega, 18 de Outubro de 2013 A Presidente da Assembleia Geral Drª Ana Isabel Tavares Cunha Praça Pública nº 644, 23 de outubro de 2013

FERNANDO SOUTEIRO E PAULO SANTOS A Liga Quatro Estações já principiou e na presente temporada conta com a presença de 11 equipas, quatro das quais do concelho de Ovar. Na jornada inaugural, o Centro Cultural e Recreativo (CCR) de Válega, perdeu no pavilhão daquela vila, frente à turma da Amisad, por quatro a dois, enquanto que a Juventude Corguense Futsal Team, que substituiu a Casa do Povo de Válega goleou o Soutelo (62). Já a Associação Amigos (AA) Seixo Branco perdeu em casa por 3-6. Por sua vez, o Dynamo derrotou o Santiais por duas bolas a uma. No próximo sábado, o Soutelo tem por adversário Arsenal de Canelas (Estarreja). Dois dias depois, o pavilhão gimnodesportivo de Válega, a partir das 21h00, o CCR de Válega recebe o Santiais. Uma hora depois, os Independentes de Valdágua Futsal defronta o Futsal Azeméis B. No dia 8, no mesmo pavilhão, a Juventude Corguense Futsal Team tem por opositor a Amisad. A partida está marcada para as 22h00. Já no dia 10, a partir das 22h00, a AA Seixo Branco vai medir forças com a JUV de São João da Madeira.

Independentes de Válega

Centro Cultural e Rcreativo de Válega Publicidade

Seniores 6º Leonel Fernandes, CCSJM 25º André Nadais, Arada AC 27º Celso Leite, CAO 31º Paulo Costa, SSTCMO 32º Alexandre Santos, GDCG 34º Janik Lima, AFIS 51º António Cristóvão, GDCG 54º José Alvarado, Arada AC 55º Fábio Fonseca, ACRV 61º Márcio Quintas, CAO 68º José Lourenço, CAO

Veteranos III 3º Benjamim Soares, GDCG 6º Américo Valente, SSTCMO 13º Norberto Oliveira, GDCG 22º José Costa, SSTCMO 23º Artur Nadais, GDCG

23

Fernando Souteiro

ATLETISMO

Quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Fernando Souteiro

DESPORTO


praçapública OVAR

Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Ovar assinalou o Dia do Idoso No passado dia 10 outubro, no jardim do Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Ovar, assinalou-se o Dia do Idoso com uma feira à moda antiga. Residentes, colaboradores, técnicos, voluntários e familiares estiveram envolvidos na preparação e decoração do espaço que contou com animais vivos e com tendas de venda de produtos biológicos e artesanais, trazidos e confecionados pelos idosos do lar e do centro

de dia. Em conjunto com as crianças do infantário foi feita a troca de experiências numa desfolhada onde os mais velhos puderam ensinar os mais novos a desfolhar milho e a pisar uvas para fazer o vinho. O momento alto da tarde esteve a cargo do Grupo de Cantares Gente Madura, que proporcionou a todos os presentes a alegria de reviver o repertório das desfolhadas e das músicas que o tempo não leva. Publicidade

VALDÁGUA

Companhia Vareira assinala 3º aniversário A Companhia Vareira vai festejar, no próximo dia 9 de novembro, pelas 21h30, no auditório da Associação Cultural e Recreativa de Valdágua, o seu 3º aniversário. Para o efeito, o grupo irá apresentar o espetáculo “3”, que tem diversos significados para os seus membros, que irão ser desvendados nessa noite. O ponto alto das comemorações acontecerá com a apresentação da “CV- Kids”, a nova turma da Companhia Vareira que vem dar mais um lado dinâmico e criativo. Recorde-se que nas últtimas semanas as redes sociais foram invadidas pelo vírus “3”, numa iniciativa de Miguel Cunha, um dos responsáveis da Companhia Vareira. Como o próprio referiu ao PRAÇA PÚBLICA, tratou-se de um “vírus bom” ao qual, “numa primeira fase, só elementos da CV aderiram”, mas que, “depressa, e de uma forma espontânea se alastrou a muitos dos que quiseram entrar na brincadeira, mesmo sem saber o significado do 3”, disse Miguel Cunha. Não falte a esta iniciativa.

Mudança da hora Em conformidade com a legislação em vigor, a hora legal, em Portugal e nas Regiões Autónomas dos Açores e Madeira, será atrasada 60 minutos às 01h00 UTC do dia 27 de outubro, entrando-se assim na hora de inverno.

23-10-2013  

Praça Pública

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you