Issuu on Google+

NOTA PASTORAL

8 NOVEMBRO 2012 ANO 99 - N.º 4933 FUNDADOR: José Ferreira Lacerda DIRECTOR: Rui Ribeiro PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

FUNDADO EM 1914

disponível em www.leiria-fatima.pt

DESTAQUE

CULTURA

Engenharia Automóvel | P. 4

Prevenção rodoviária motiva exposição na ESTG Iniciativas em Leiria | P. 5

O que é que Natal, fotografia e espantalhos têm em comum? SOCIEDADE

Juntas de freguesia | P. 6

Arrabal e Bajouca rejeitam gestão de pavilhões

A 1 e 2 de Dezembro | P. 7

Banco Alimentar de Leiria-Fátima em 70 supermercados ECLESIAL

Pormenor do cartaz do Pré Seminário Leiria-Fátima

Pastoral juvenil | P. 9

O mês de Novembro é marcado pela celebração da semana dos seminários, este ano com o tema “Sacerdote: irmão na fé e servidor da fé dos irmãos”. Trata-se de uma ocasião para os cristãos reflectirem, rezarem e ajudarem esta instituição que se dedica à formação dos candidatos ao sacerdócio. Paginas 2 e 3

Jovens em “Conversas c’aFé” no centro de Leiria Mosteiro da Batalha | P. 9

Visitas ao património religioso prosseguem dia 17


2 DESTAQUE

Rui Ribeiro prui@iol.pt

8.Novembro.2012

EDITORIAL

Viveiro de vocações

O mês de Novembro é marcado pela celebração anual da semana dos seminários. Trata-se de uma ocasião para os cristãos reflectirem, rezarem e ajudarem esta instituição que se dedica à formação dos candidatos ao sacerdócio. Nascidos do Concílio de Trento (1545-1563), os seminários tiveram como base de fundamentação para a sua criação “garantir que os candidatos ao ministério adquiram uma maior preparação cultural e uma formação espiritual mais profunda”. Como resposta a esta finalidade a vida no seminário compreende variados momentos: oração, estudo, formação humana, espiritual, intelectual e pastoral. Embora nos últimos anos esta seja uma das instituições que enfrenta alguma turbulência, o Papa João Paulo II não hesitou em defini-la como “um dos bens mais preciosos” de uma diocese. E Bento XVI, na missa que celebrou para os seminaristas em Madrid, desafiou os candiO Papa incita os datos aos sacerdócio a não seminaristas a se deixarem “amedrontar viver o tempo por um ambiente onde se excluir Deus” e a de seminário pretende assumirem, “sem compleem “silêncio xos nem mediocridade”, interior, oração “uma forma estupenda permanente, de realizar a vida humana estudo constante na gratuidade e no servie progressiva ço, sendo testemunhas inserção nas de Deus feito homem, actividades mensageiros da dignidae estruturas de altíssima da pessoa pastorais da humana e, consequenteseus defensores Igreja”. mente, incondicionais”. Para concretizar semelhante projecto de vida, o Papa convidou-os a desenvolver todo um processo de identificação com “Aquele que por nós se fez servo, sacerdote e vítima”. Só assim será possível chegar ao “amadurecimento do coração” que permite a cada candidato colocar-se “totalmente à disposição do Mestre”. Neste contexto, percebe-se bem a importância do tempo de preparação passado no Seminário. De uma forma ousada e provocadora para a cultura dominante, o Papa incita os seminaristas a vivê-lo em “silêncio interior, oração permanente, estudo constante e progressiva inserção nas actividades e estruturas pastorais da Igreja”. Deste modo, os candidatos ao ministério ordenado, mergulhando profundamente na contemplação do amor misericordioso da Trindade Santíssima, aprendem, na força do Espírito Santo, a traduzir em gestos concretos a solicitude amoroso de Deus Pai para com todos os seus filhos e a criar formas de atrair para Cristo os que “procuram a Deus na verdade e na justiça”. Parece, pois, oportuno recordar a toda a comunidade diocesana a necessidade de acompanhar com a sua oração esta causa maior da nossa Diocese.

O Seminário Diocesano de Leiria

Do passado ao presente Primeiras experiências Coube a D. Pedro Vieira da Silva (1671-1676), mais de um século depois do decreto tridentino De reformatione, de 1563, a edificação do primeiro Seminário Diocesano, junto ao Convento de Santo Agostinho, sobre a margem esquerda do Rio Lis. O seminário, entregue aos religiosos do mesmo Convento, por doação de 18 de Dezembro de 1672, com o passar dos anos, foi sendo abandonado, de tal modo que, quando D. Manuel de Aguiar entrou no bispado, em 1790, o edifício estava quase em ruínas. Por isso, este prelado teve de organizar, no seu próprio palácio, sobranceiro à Sé, um colégio para a formação eclesiástica de alguns jovens pobres. Em 1803, ele mesmo deu início à reconstrução do antigo edifício, reabrindo-o no ano seguinte e confiando-o, desta vez, aos religiosos da Congregação da Missão. Período atribulado Durante a terceira invasão francesa (1810-1811), a cidade de Leiria foi saqueada e os melhores edifícios incendiados, incluindo o paço episcopal e o próprio seminário. Logo que pôde, D. Manuel de Aguiar reparou-o e reabri-o (Outubro de 1812). Estabeleceu nele a própria residência e aí veio a falecer em 1815. Quando as tropas liberais se apoderaram da cidade, em Janeiro de 1834, o seminário foi novamente fechado, vindo a reabrir a 19 de Outubro de 1850, por obra do bispo D. Manuel José da Costa. Em 1911 o governo da República incorporou o edifício nos bens do Estado, extinguindo aí o ensino eclesiástico. Entre 1911 e 1918 embora tivéssemos vocações “em número e qualidade, graças ao zelo apostólico dum clero modelar...” (Almeida, 115), elas eram encaminhadas para Coimbra ou Lisboa (Seminário de Santarém), consoante a respectiva zona de anexação.

DR

EDITORIAL

O Mensageiro

A quinta da Bela Vista Em 17/12/1918, na sua quinta da Bela Vista, em Leiria, o P. Carvalho recebeu os primeiros 7 seminaristas. Dois anos depois, em 29/8/1919, na expectativa da nomeação e da vinda do novo bispo para a Diocese restaurada, «O Mensageiro» anunciava um convite ao clero para se reunir, e tratar da forma de criar o Seminário Diocesano. A solução “imediata e provisória” passou por instalar os seminaristas em edifício independente arrendado, próximo do Terreiro. O Seminário começou com 8 alunos. O novo bispo, D. José Alves Correia da Silva, foi também morar para o Largo do Terreiro. O seminário iniciou o ano de 1920-21 com 18 alunos. Porque o espaço se tornou pequeno, nos inícios de 1922, o Seminário mudou-se para a rua de Marcos Portugal. O edifício teve de sofrer sucessivas ampliações para receber o número crescente de alunos. Até que, em provisão de 25/7/1951, D. José dava a notícia da instituição de um pequeno Seminário em Fátima. Este Seminário funcionou de 1951 a 1964.

Em 1962, o bispo D. João Pereira Venâncio, fazia a bênção da 1ª pedra do novo edifício a construir na Quinta da Bela Vista. As aulas iniciaram em 2/ 11/1965, com 187 alunos. A inauguração solene, no entanto, deu-se mais tarde, em 22/05/1968. Andanças académicas A partir desse ano os alunos começam a fazer exames de equivalência no Liceu; de 1971 a 75, os anos correspondentes aos actuais 2.º e 3.º Ciclos passam a frequentar o Liceu; com o 25 de Abril, o 3.º Ciclo regressa ao Seminário, mas o 2.º Ciclo continua a ter aulas fora; em 1981, o Seminário deixa de receber alunos para 2.º Ciclo. Em 1971, no que se refere ao Seminário Maior, é criado o Instituto Superior de Estudos Teológicos (ISET), em Coimbra, do qual a nossa Diocese é também fundadora. No ano seguinte, os nossos alunos começam a passar progressivamente para Coimbra. Em 1981, 10 anos depois, o Seminário Maior regressa a Leiria e recomeça com 4 alunos. Em 1995, passados 14 anos, os alunos (17) voltam a fre-

quentar o ISET, integrando a comunidade do Seminário Maior de Coimbra. Em 1996, o Seminário deixa de receber, progressivamente, alunos do 3.º Ciclo e é criado o Pré-Seminário; nesse mesmo ano, as Dioceses do Centro lançam o Ano Propedêutico, que funcionou em Leiria até 2011. Em 2000, o Seminário Menor deixa de funcionar por falta de candidatos. Em 2010, os alunos do Seminário Maior passam a frequentar a Faculdade de Teologia da Universidade Católica e a integrar a comunidade do Seminário Maior de Lisboa. Actualmente a diocese tem ali 9 seminaristas. A integração na diocese fazse através de encontros vocacionais pelas paróquias da Diocese, pelos quais tomam contacto com a realidade pastoral e geográfica da Diocese e mantêm relação com os párocos. Depois de terminado o curso, têm o 6º ano (ano pastoral) em que fazem uma experiência pastoral numa paróquia da Diocese mais intensiva e depois de terminado o curso, ficam a estagiar numa paróquia.


DESTAQUE 3

O Mensageiro

8.Novembro.2012ro.2011

Pré-Seminário

Espaço de discernimento e acompanhamento

Alunos do Seminário Rui Miguel Lopes Ruivo Ferreira (17-02-1979), natural do Juncal, Leiria, frequenta o Ano Propedeutico. David Pereira, natural de Aljubarrota, Leiria, frequenta o Ano Propedêutico João Paulo Martins Reis (2805-1982), natural de Machial da Ladeira, Fundão, está a frequentar o 1º ano. Dany Gil, (07-06-1985), natural da Atouguia, Leiria, frequenta o 2º ano. Eduardo Domingos Caseiro, (19-06-1990), natural da Barreira, frequenta o 2º ano. António José Botas Cardoso, 03-12-1974), natural da paróquia de Benfica do Ribatejo, Santarém, frequenta o de 3º ano João Ricardo Santos Jordão (29-12-1980), natural de Carriço, Coimbra, frequenta o 4º ano Tiago Alexandre Jesus Silva (1508-1987), natural de Aljubarrota, Leiria, está a frequentar o 4º ano Fábio Manuel Carvalho Bernardino, (29-05-1988) natural de Aljubarrota, Leiria, frequenta o 6º ano e estagia nas paróquias de Vermoil e Meirinhas Miguel Alves (20-03-1976), natural de Caniçal, Funchal, em Estágio Pastoral na paróquia da Maceira.

na Diocese. Participaram nestes encontros, ao longo do ano, 80 rapazes, de 25 paróquias da Diocese.

em manter viva esta estrutura, o que se materializou na dinamização de um encontro com os rapazes que nos anos anteriores tinham sido acompanhados pelo Pré-Seminário. No ano 2006/2007 o Pe André Batista e o Pe Armindo Janeiro (Reitor do Seminário), com a colaboração de outros sacerdotes da Diocese (Pe José Batista, Pe

Encontro de apresentação

Ser padre… porque não?

No fim-de-semana que encerra a Semana dos Seminários (17 e 18 de Novembro) o PréSeminário vai realizar um encontro para rapazes dispostos a escutar a resposta à pergunta “ser padre... porque não?”. Nos dias 17 e 18 de Novembro o PréSeminário vai realizar um encontro para adolescentes e jovens do 6º ao 12º ano de escolaridade. Os participantes irão conhecer e conviver com outros rapazes da sua idade que mantêm igualmente o seu coração aberto e atento à voz de Deus, aceitando colocar para si a pergunta: “Ser padre... porque não?” O encontro começa às 10h00 do sábado, dia 17, com o acolhimento aos candidatos ao Pré-Seminário e termina no Domingo às 15h00, após o almoço. Esta é uma oportunidade privilegiada para que os catequistas, animadores vocacionais, párocos e cristãos em geral lancem àquele jovem que se poderá interrogar sobre a sua vocação, a pergunta que qualquer jovem cristão deve colocar pelo menos uma vez na sua vida: “Ser padre... porque não?” e escutar a resposta do Senhor. Mesmo que não possa participar no encontro todo, ou para mais esclarecimentos, contacte o Pré-Seminário ou o Seminário de Leiria.

Albino, Pe Nelson Araújo, Pe Pedro Viva, Pe Rui Acácio) promoveram 7 Encontros Vocacionais mensais (1º Sábado de cada mês) e um acantonamento final, como resposta possível ao apelo lançado pelo Bispo Diocesano, em sintonia com o Projecto Pastoral da Diocese, na procura de uma maior Dinamização da Pastoral Vocacional

Na Carta Pastoral Descobrir a Beleza e a Alegria da Vocação Cristã, D. António escrevia no número 4.2 a propósito de um acompanhamento vocacional a realizar em cada idade: “Temos ainda o “pré-seminário” ou “seminário em família”, como itinerário vocacional específico de acompanhamento, orientação e discernimento para os que se propõem entrar para o Seminário Maior em ordem ao sacerdócio.” Na Carta Pastoral “Testemunhas da Ternura de Deus, volta a fazer referência ao Pré-Seminário, dizendo: “incrementar o Pré-Seminário para os inte-

ressados no discernimento da vocação sacerdotal” (Testemunhas da Ternura de Deus (TTD) - 4.3) Foram 2 apelos que o nosso Bispo lançou para que fosse criada esta estrutura para acompanhar quem quer acolher em si o dom da vocação ao sacerdócio. Desde entao que tem-se tentado estabilizar a estrutura e as actividades do Pré-Seminário na Diocese de Leiria-Fátima com a instituição de 2 grupos: Samuel, para rapazes que frequentam o 6º ao 8º ano de escolaridade; e o grupo S. Paulo, para os rapazes mais velhos, com uma proposta mais estável de um grupo com mais maturidade.

“Sacerdote, irmão na fé e servidor da fé dos irmãos”

Vigília de Oração pelas vocações sacerdotais No âmbito da Semana dos Seminários, que vai decorrer entre os dias 11 e 18 de Novembro, sob o lema “Sacerdote, irmão na fé e servidor da fé dos irmãos”, o Seminário Diocesano de Leiria e os Irmãos Franciscanos do Converto da Portela promovem uma vigília de oração pelas vocações sacerdotais, a realizar no Sábado, dia 17 de Novembro, das 21h30 às 22h30, na igreja do Seminário. Será ocasião para darmos graças a Deus pelo dom da fé, enquanto resposta confiante, agradecida e obediente a Quem nos amou primeiro e incondicionalmente, e também uma oportunidade para meditar na beleza da vocação cristã, que se concretiza e personaliza em cada um de nós; em

DR

consolidar. O Pré-Seminário na Diocese de Leiria-Fátima é uma instituição Diocesana, integrada na estrutura do Seminário Diocesano de Leiria, constituída no ano pastoral 1994/95, sendo então director o Pe Rui Acácio Amado Ribeiro. Desde então vários padres têm assumido a direcção deste serviço: Pe José Baptista, Pe Nelson Araújo. Ao longo destes 13 anos o Pré-Seminário trilhou um percurso bastante irregular, pela indefinição quanto ao seu responsável, por opção da Diocese em prescindir deste serviço, por resultados imediatos em número de participantes pouco animadores. Em 2003/04 houve uma iniciativa por parte dos Seminaristas Maiores

DR

O Pré-Seminário é um serviço da Diocese de Leiria-Fátima que proporciona aos adolescentes e jovens da Diocese um espaço de discernimento e acompanhamento no seu crescimento vocacional e de fé pela descoberta do verdadeiro rosto da Igreja. Procura ajudar a promover na Diocese uma cultura da vocação ao sacerdócio. Destina-se a rapazes a partir dos 12 anos que manifestem sinais de abertura ao dom da vocação sacerdotal e estejam disponíveis para descobrir e deixar entrar esse dom na sua vida. Nestes últimos anos, de uma forma gradual e a partir dos encontros do primeiro sábado de cada mês, foi possível criar um espaço de encontro que se tem vindo a alargar e a

especial, louvaremos o Senhor pelo dom da vocação sacerdotal, que tem como missão servir todas as outras vocações. É, por isso, com alegria e grande esperança que vimos convidar toda a Diocese para esta semana de intensa oração pelas vocações sacerdotais e, nomeadamente, para a participação na referida vigília. Rezando e interessando-nos pessoal e comunitariamente por esta causa

maior da vida da Igreja, preparamo-nos para acolher as vocações que o Senhor nos quer enviar, dispondo-nos também a viver melhor a nossa vocação e a fazer, com simplicidade, o que estiver ao nosso alcance, para que os chamados à vocação sacerdotal possam ouvir a voz do Bom Pastor e tenham a coragem de responder “sim”, como Maria. Pela Comissão Organizadora P. Manuel Armindo Pereira Janeiro


4 CULTURA

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Teatro José Lúcio da Silva acolhe a 10 de Novembro

CINEMAS

Teatro Miguel Franco (Leiria) • ALI - O CAÇADOR | Thriller | de Frafi Pitts | 12 de Novembro, 21h30, 13 de Novembro, 21h30 e 14 de Novembro 18h30 e 21h30. • CIRKUS COLUMBIA | Drama | de Danis Tanovic | c/ Miki Mano Jlovic, Mira Furlan, Boris Ler | 18 de Novembro, 21h30, 19 de Novembro, 21h30 e 20 de Novembro 18h30 e 21h30. • END OF THE ROAD: HOW MONEY BECAME WORTHLESS | Documentário | de Tim Delmastro | 21 de Novembro, 21h30. Cine-Teatro (Monte Real) • A IDADE DO GELO 4 | Animação| de Steve Martino, Mike Thurmeier | 25 de Novembro, 15h30.

EXPOSIÇÕES

Castelo - Leiria •”Habitantes e Habitats” - exposição permanente •”Korrodi e o restauro do Castelo de Leiria” - exposição permanente Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Ritmos de cor e composição” - pintura de Manuela G. Henriques (~11/11) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieiria - Leiria •”Envolvências de cor” (~8/11) m|i|mo -Museu da Imagem em Movimento - Leiria •”Cêramica reflexo de uma cultura” (~23/11) •”Oficina do Olhar” - exposição permanente Edifício Banco de Portugal - Leiria •”Cidades, quero-as comigo!” pintura de Maria Dulce Bernardes (~17/11) Arquivo Livraria - Leiria •”XILografias” - Mário Lopes (~13/11) Mercado de Sant’Ana - Leiria •”Passe, Cidadão” (~24/11) Escola EB23 Rainha Santa Isabel - Leiria •”A física no dia-a-dia” (~16/11) Casa-Museu João Soares - Cortes •”A República” - colecção de António Pedro Vicente (~30/11) Agromuseu Municipal Dona Julinha - Ortigosa •”Medidores de Azeite” (~31/12)

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS

Teatro Miguel Franco - Leiria •”Romeu e Julieta” - uma história diferente - dança (2/11, 21h00) •”Corre mãe! Corre!” - teatro (3 e 24/11, 21h30 e 22/11, 10h30) •”Era uma vez um sonho” - dança (4/11, 18h30) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria • Contos e cantigas - hora do conto (2, 7, 16, 21 e 30/11, 10h30 e 14h30) Arquivo Livraria - Leiria •”O homem da gaita” - livro infantil (3/11, 16h30) •”Pilu, Pilu!” - animação de história (3/11, 16h30) M|i|mo - Museu da Imagem em Movimento - Leiria • Câmaras obscuras - oficina de construção (8, 15, 22 e 29/11, 10h00) • Técnicas alternativas de cianotipia - oficina (8, 15, 22 e 29/11, 14h30) Sala Jaime Salazar Sampaio - Leiria •”C10H14N2-NICOTINA” - teatro (1,2,3,9,10,16,17,23,24, 9 e 30/11, 22h00) Espaço O Nariz - Leiria • Noites com Jazz - música (10/11, 22h00) Escola Secundária Domingos Sequeira - Leiria • V encontro concelhio da rede de bibliotecas escolares (8/11, 9h30) Centro Cívico - Leria • Rota dos escritores em Leiria (10/11, 15h00) Casa-Museu João Soares - Cortes • Viva a vida (8, 15, 22 e 29/11, 15h00) • Serões Literários (10//, 21h30) Museu da Comunidade Concelhia - Batalha • Colecção de conversas (2/11 e 7/12, 21h00) • Ilustração Científica - oficina (10/11, 10h00~18h00) Biblioteca Municipal - Batalha • A hora do conto (17/11 e 15/12, 16h00)

“Melodias por um sonho” A CERCILEI, Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Leiria realizará no dia 10 de Novembro, o 2ª espectáculo de canto “Melodias por um Sonho”, no Teatro José Lúcio da Silva, a partir das

21h30. O canto, a dança e a magia são os ingredientes deste espectáculo que também contará com a participação dos jovens da CERCILEI e que visa a angariação de fundos para a instituição.

Sara Lourenço, António Alves, Patrícia Pescadinha e os 4Voices: Joana Belo, Flávio Rocha, Marta Mendes e Vânia Gonçalves, oferecem as vozes para este espectáculo, Academia Vanda Costa, Mágico Rui Gaspar,

Sérgio Fernandes, Grupo Teatro de Porto de Mós – Trupego, Studio K – Arte em Movimento e ainda a participação dos jovens da CERCILEI, são os artistas que vão pisar o palco do Teatro José Lúcio da Silva.

Para ver até dia 14 de Novembro na Biblioteca José Saramago

Exposição “Esquecer Saramago” Até dia 14 de Novembro a Biblioteca José Saramago do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) apresenta a exposição itinerante de arte contemporânea “Esquecer Saramago”. Todas as obras da expo-

sição, à excepção do convidado especial, o designer e artista plástico Pedro Penilo, são da autoria de estudantes e ex-estudantes da Escola Superior de Artes e Design (ESAD.CR), e foram expressamente concebidas

para o projecto. Esta mostra onde são invocados 11 textos de José Saramago conta ainda com imagens dos Extras do filme “José e Pilar” cedidas pelo realizador, Miguel Gonçalves Mendes.

No âmbito desta iniciativa vai ainda ser lançado um livro com o mesmo nome, cuja apresentação decorrerá a 12 de Dezembro, também na Biblioteca José Saramago, com a presença de Pilar del Río.

ESTG associa-se à Prevenção Rodoviária Portuguesa

Exposição quer contribuir para aumentar a segurança nas estradas A Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) associou-se à Prevenção Rodoviária Portuguesa (PRP) e recebeu, na última Segunda-feira, uma exposição itinerante e interactiva, realizada no âmbito do projecto “Jovens 18-24 anos”, que pretende contribuir para a redução da

sinistralidade rodoviária nesta faixa etária. Os jovens participaram em actividades que visam aumentar o conhecimento sobre os problemas de segurança rodoviária e contribuir para a mudança de atitudes e comportamentos de risco. A exposição é constituí-

Em Ourém até 23 de Novembro

da por diferentes simuladores, tais como: o simulador do álcool, de tempos de reacção, e de força de embate, onde os visitantes poderam experimentar e testar os seus conhecimentos e comportamentos no âmbito da segurança rodoviária. As actividades que – decorreram no parque

de estacionamento e no edifício de Engenharia Automóvel - foram realizadas e acompanhadas por técnicos da Prevenção Rodoviária Portuguesa e por jovens voluntários do Instituto Português da Juventude (IPDJ) com formação específica de segurança rodoviária.

“Qual a imagem da Segurança e Saúde no Trabalho” é tema de exposição Até dia 23 de Novembro está patente ao público a exposição de fotografia “Qual a imagem da Segurança e Saúde no Trabalho” na sala de exposições do edifício dos Paços do Concelho. A exposição é com-

posta por 13 imagens de grande formato, referentes ao concurso europeu “pan-europeu de fotografia 2011”. A mostra, com entrada livre, pode ser visitada se Segunda a Sexta-feira entre as 14h00 e as 17h00.


CULTURA 5

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Crianças em destaque

Ourém promove debate

Câmara de Leiria promove actividades A Câmara Municipal de Leiria promove um conjunto de atividades lúdicodidáticas para as crianças que frequentam o ensino pré-escolar e do 1º ciclo do concelho. Assim, de 1 a 31 de Dezembro terá lugar a “Viagem do pai Natal” e que vai integrar o “Recreio dos Duendes” no mercado Sant’Ana e a “Fábrica do Pai Natal”no antigo edifício do Banco de Portugal. As ruas da cidade de Leiria vão ser decoradas pelas peças que integram a exposição Incentiv’Arte, que também faz parte das iniciativas promovidas no âmbito do Natal. É uma mostra de esculturas em material reciclado, criadas

pelos alunos das escolas públicas e privadas do concelho de Leiria, dos 2º e 3º ciclos e secundárias. A autarquia também criou o Kit Pedagógico que já foi entregue aos professores do concelho e que contém um CD com apresentação dos museus de Leiria, um manual sobre alimentação saudável e um conjunto de folhetos informativos para os alunos e professores. “Rita Cenourita” é mais uma das novidades e consiste num manual pedagógico elaborado com o objectivo de sensibilizar os educadores para a importância de uma alimentação saudável das crianças em idade escolar.

(Re)conhecer Leiria é uma exposição de memórias escritas e imagens de meados do século XX, constituída por fotografias do acervo fotográfico de José Fabião e testemunhos escritos de Raul Faustino de Sousa, que estará patente de Dezembro de 2012 a Maio de 2013, no m|i|mo – Museu da Imagem em Movimento. Para Gonçalo Lopes, vereador da Educação na câmara de Leiria esta é também uma iniciativa que visa “recordar o passado recente de Leiria e que destaca a importância da identidade, valor que poderá ser transmitido não só aos mais novos, mas aos visitantes em geral”.

A autarquia já programou as actividades do Carnaval e por isso no dia 8 de Fevereiro de 2013, o Teatro Miguel Franco e o Mercado de Sant’Ana vão receber um desfile de máscaras integrado no projecto “Irreverência – Carnaval 2013. No Moinho do Papel terá lugar a iniciativa “Espanto de Espantalhos”, destinada ao 1º ciclo e que desafia os alunos a construírem espantalhos em material reciclável, que ficarão depois expostos na zona envolvente do Moinho. O mais bonito será votado, entre 18 de Abril e 31 de Maio.

Região vista pela objectiva de fotógrafos do distrito

De 10 a 30 de Novembro, o Museu Joaquim Correia, na Marinha Grande acolherá a exposição de fotografia “Sensibilidades 25”. Este é um projecto dinamizado pelo Centro de Património da Estremadura (CEPAE) e coordenado por José Luís Jorge, reunindo trabalhos fotográficos inéditos de 25 fotógrafos e fotojornalistas do distrito de Leiria.

“O papel do docente na detecção do risco em crianças e jovens” é o tema da acção de formação que terá lugar no auditório do Agrupamento de Escolas de Ourém, nos dias 10 e 17 de Novembro. Destinada a docentes e outros profissionais com intervenção na área de infância e juventude, a acção é acreditada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC) e terá a duração de 15 horas. Mesmo existindo uma forte colaboração entre os agrupamentos de escolas do concelho de Ourém e a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, têm sido observadas algumas dificuldades ao nível da detecção e sinalização de situações de risco sobre as quais urge reflectir e trabalhar. Com base na premissa “no risco, previne-se; no perigo, actua-se”, a acção pretende facilitar a detecção atempada de situações de maus tratos ou outras situações de perigo, promover o conhecimento do funcionamento do sistema de protecção existente, favorecer a utilização de uma terminologia comum entre os vários profissionais, melhorar a eficácia da intervenção prestada, facilitar a articulação entre os diferentes níveis de intervenção, diferenciar e especificar os diversos procedimentos que promovam e facilitem actuações homogéneas, objectivas e eficazes e facultar orientações relativas à informação que é conveniente transmitir para se efectuar uma boa avaliação diagnóstica do caso.

Uma exposição a inaugurar no sábado

colectivo a9)))) apresenta “Preto no Branco”” Nesta exposição antológica patenteiam-se várias estéticas e tendências, que vão desde o fotojornalismo até à chamada fotografia de autor. Uma mostra para ver de Terça-feira a Sábado entre as 10h00 e as 18h00. A inauguração está marcada para as 17h00 de Sábado e terá entrada livre.

“Preto no branco, do papel impresso para a parede” é o tema da exposição que será inaugurada no dia 10 de Novembro, pelas 17h00, na sede do colectivo a9)))), em Leiria. Uma mostra que conta com com trabalhos de André Catarino, André Pereira, CAtarina Domingues, Eduardo Ferreira, Hugo Xavier, Joana Silva, João Fonte Santa, Marco Mendes, Patrícia Guimarães, Pedro Henriques, Rita Faia, Sara & André, Sofia Gomes, Tiago Baptista e uiu. Uma exposição para ver até 13 de Dezembro de Segunda a Sexta-feira das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 18h00.

Para evidenciar os malefícios do tabaco

“Há Gregos no Museu” na Marinha Grande

Crianças descobrem a escultura Orfeu “Há Gregos no Museu” é o tema do atelier que se realizará no Museu Joaquim Correia, na Marinha Grande, no dia 13 de Novembro, a partir das 09h30, dirigido a crianças dos seis aos dez anos. Uma actividade que engloba uma visita lúdica ao Museu para observação e interpretação das obras do escultor Joaquim Correia, em especial a escultura de Orfeu. Depois as crianças participam numa sessão de Leitura de um livro sobre esta personagem da mitologia grega. Uma acção que se repetirá nos próximos dias 20 e 27 de Novembro, no mesmo horário.

DR

DR

“Sensibilidades 25” no Museu Joaquim Correia

Formação sobre o papel do docente nadetecção do risco

“Fumar Fica-te a matar” é tema de campanha de sensibilização “Fumar Fica-te a matar” é a designação da campanha que a Pulmonale está a realizar até a 30 de Novembro e que visa assinalar o Mês do Cancro do Pulmão. Os jovens entre os 16 e 30 anos são convidados a participar. Bastando para isso que fotografem jovens fumadores que depois ficarão com a própria fotografia, juntamente com informação alerta sobre o cancro do pulmão. Os interessados podem obter mais informações no site do IPJ.


6 SOCIEDADE

O V Encontro Concelhio da Rede de Bibliotecas Escolares realiza-se no dia 8 de Novembro, a partir das 09h30, no auditório da Escola Secundária Domingos Sequeira, em Leiria. Um encontro organizado pela Câmara Municipal de Leiria, Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, Instituto Politécnico de Leiria e Rede de Bibliotecas Escolares e que contará na sessão de abertura com a presença de Elsa Conde, da Rede de Bibliotecas Escolares que abordará o tema “Bibliotecas escolares entre culturas e aprendizagens”. Seguindo-se a apresentação e o debate sobre os projectos de “Leitura digital”, “Sintra e-conteúdos: ecrãs que motivam” e “Filhote de tecnologias não cai em iliteracias”. Este encontro é dirigido a professores bibliotecários, técnicos de biblioteca, educadores e mediadores de leitura, sendo a participação gratuita.

Jantar conferência com Luís Filipe Pereira

NERLEI fala do“Enquadramento Estratégico NERLEI 2020” A NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria apresenta publicamente as linhas gerais do “Enquadramento Estratégico NERLEI 2020”, no dia 8 de Novembro, pelas 19h30. Uma apresentação que estará a cargo de Jorge Santos, presidente da NERLEI e que ocorrerá, em primeiro lugar, junto dos empresários associados. Depois as linhas gerais do “Enquadramento Estratégico NERLEI 2020” serão apresentadas publicamente durante o jantar conferência que terá como orador Luís Filipe Pereira, gestor, ex-ministro da saúde e ex-presidente da EFACEC, que falará sobre “A Importância da Estratégia nas PME”.

Renovação do quadro

Centro Hospitalar Leiria-Pombal contrata novos médicos O quadro de pessoal do Centro Hospitalar LeiriaPombal vai ser reforçado com oito novos especialistas. Uma contratação conseguida após «intensas e insistentes negociações entre o CHLP e a tutela que, ainda assim, não colmatam a grave insuficiência de especialistas nos nossos hospitais», explica Helder Roque, presidente do Conselho de Administração deste Centro Hospitalar. As áreas contempladas são Psiquiatria, Otorrinolaringologia, Anestesiologia, Ginecologia/Obstetrícia e Gastrenterologia. O responsável do Centro Hospitalar adianta que a carência de médicos “é sobejamente conhecida e está perfeitamente documentada em diversos estudos que confirma que somos um dos hospitais do país com menor número de médicos, pelo que foi com satisfação que acolhemos esta atribuição”. Quanto à abertura de novos concursos, já anunciados pela tutela, Hélder Roque explica que «ainda estão a decorrer os exames para novos especialistas e enquanto não se concluírem, não pode ser aberto o concurso para já”. “Esperamos ser contemplados com um total de 46 médicos, distribuídos pelas nossas diversas especialidades, minimizando assim as carências que insistentemente temos reivindicado, e não esperamos, desta vez, qualquer surpresa negativa”. O CHLP já tinha acordos prévios com estes especialistas, que iniciam funções já no início de Novembro.

Conferência Internacional promove partilha de boas práticas

Futuro da animação turística em debate A Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM), em Peniche está a realizar a II Conferência Internacional em Animação Turística. Uma conferência que teve início no dia 7 de Novembro e que se prolonga até dia 9 e que tem por objectivo fornecer uma perspectiva actualizada sobre a evolução da animação turística, e promover a partilha de boas práticas e de experiências de sucesso entre os diversos agentes do sector. Nesta conferência participam cerca de 50 especialistas, portugueses e estrangeiros para debater o turismo desportivo e de cruzeiros, ou ainda falar sobre a animação turística em parques temáticos, hotéis e resorts, assim como, debaterem o papel da arte e da cultura na animação

DR

Encontro Concelhio da Rede de Bibliotecas Escolares em Leiria

8.Novembro.2012

turística. Sobre a pertinência da Conferência Internacional, o responsável Pedro Gonçalves explica que «a crescente mobilidade turística põe cada vez mais em destaque a questão da interculturalidade, no âmbito da animação turística e, nesse novo contexto, os profissionais de animação turística têm que saber lidar com uma grande diversidade de preferências,

culturas, valores, atitudes e fenómenos globais”, acrescentando ainda ser necessária “a cooperação e a interdependência entre os profissionais e os especialistas do meio académico, de modo a facilitar a partilha de experiências inovadoras que levam à implementação de boas práticas no âmbito da animação”. Pedro Gonçalves também constata que a grande

diversidade de actividades de animação turística “tem reflexos directos nas organizações, a nível nacional e a nível global, e o rápido desenvolvimento de alguns países, como é o caso da China, da Índia, do Brasil ou de Angola”, adiantando que constitui “um desafio para profissionais e investigadores do turismo, convidando-nos a repensar as práticas tradicionais de animação turística e a desenvolver novos modelos de actuação”. Esta Quinta-feira os trabalhos têm início marcado para as 09h00 com estudos de casos em animação turística em empresas de agroturismo na Europa, seguindo-se pelas 10h30 a apresentação do livro “Imagem, Património e Sustentabilidade de Destinos Turísticos”.

Junta dos Marrazes não assina protocolo e gere pavilhão

Arrabal e Bajouca rejeitam gestão dos pavilhões municipais Oito dos 11 pavilhões desportivos municipais que existem no concelho de Leiria estão a ser geridos pelas juntas de freguesia, desde o dia 1 de Novembro. A Câmara de Leiria assinou na última Segunda-feira, os protocolos com as juntas de freguesia de Caranguejeira, Carreira, Colmeias, Correia Mateus, Maceira, Pousos, Santa Eufémia e Souto da Carpalhosa para gestão dos pavilhões, tendo ficado de fora a freguesia de Arrabal, Bajouca e Marrazes. Embora a transferência da gestão do pavilhão municipal da Bajouca para a Freguesia tenha sido aprovada em reunião de Assembleia de Freguesia, o protocolo com a Junta não foi assinado. Por isso, a Câmara Municipal assegurará a sua abertura para funcionamento das aulas do Programa Viver Ativo,

DR

Escola Domingos Sequeira acolhe

O Mensageiro

que decorrem duas vezes por semana, bem como a manutenção e limpeza do espaço, já que o pavilhão não é utilizado por clubes desportivos. Os dados foram revelados por Acácio de Sousa, vereador do Desporto, na Câmara de Leiria, e depois de, na reunião de executivo, que decorreu na Terça-feira à tarde, José Benzinho, líder da oposição ter questionado

a presidente em exercício, Lurdes Machado sobre esta matéria. O Vereador socialdemocrata quis saber o porquê destas juntas não terem assinado. Acácio de Sousa explicou que ambas exigiram “contrapartidas exageradas”. O vereador especificou que a junta de Arrabal queria que a autarquia apoiasse a ocupação dos pavilhões

pelos jardins-de-infância e escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico o que “não aceitámos porque punha em causa a equidade de situações” avançou Acácio de Sousa. Acrescentando que a junta da Bajouca queria que a câmara colocasse painéis solares. A junta dos Marrazes não assinou o protocolo por razões que se prendem com a titularidade do pavilhão que é gerido pela junta com o apoio da câmara de Leiria. E o pavilhão do Arrabal também será, por enquanto, gerido pela autarquia. Contudo, durante a próxima semana serão estudadas alternativas com associações da Freguesia do Arrabal, que já mostraram disponibilidade para colaborar na gestão do pavilhão.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Leiria é uma cidade tranquila

“O ABRAÇO AZUL” acontecerá pelas 16h30

“Leiria é uma cidade tranquila, mas há cuidados a ter”. Foi esta a mensagem que a Policia de Segurança Pública deixou, numa sessão de esclarecimento que realizou, na última Terçafeira, junto dos estudantes que frequentam as escolas do universo do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), situadas na cidade do Lis. Abel Batalha, sub comissário da PSP de Leiria destacou o facto “de Leiria ser uma cidade tranquila”, mas mostrou-se preocupado com a ocorrência recente e também com os rumores e notícias que têm surgido sobre o assunto, que apenas “empolam” uma situação que é “pontual, caso único”. “Estas situações fizeram os estudantes, as suas famílias, e mesmo a população de Leiria, em geral, criar a imagem de que a cidade não é segura, o que não se verifica”. E alertou ainda que “o facto de não haver polícia fardada não quer dizer que não ande cá a polícia. A segurança não está em causa”, reforçou.

O sub comissário fazia alusão a uma ocorrência registada no dia 7 de Outubro, junto às residências universitárias e que envolveu uma estudante do Instituto, e do clima de instabilidade que se gerou. Renato Neto, subcomissário da PSP Leiria deu a conhecer as situações de insegurança mais comuns em Leiria que passam pelo furto em carros e a pessoas, que são “crimes de oportunidade: deixar uma mala aberta, longe do nosso campo de visão, arrumar objectos de valor, como computadores portáteis, na bagageira do carro, quando chegamos ao destino e à vista de todos, esquecer o telemóvel em cima do balcão enquanto pagamos o café, etc.”. São na generalidade situações resultantes de “um descuido ou distracção” rematou. Para evitar o roubo – que implica algum grau de violência – e/ou minorar as suas consequências, o subcomissário deixou várias recomendações:

circular acompanhado, especialmente se for tarde, em locais movimentados e iluminados, com os objectos de valor junto ao corpo (por exemplo malas, que andando penduradas ao ombro podem propiciar um roubo por esticão, que pode deixar mazelas graves na vítima), e manter uma atitude vigilante, por exemplo nos multibancos. “No caso de se verem envolvidos numa situação de roubo, se forem abordados, devem cooperar, ter as mãos sempre visíveis, para não provocar uma reacção inesperada por parte do indivíduo que vos aborda, obedecer, manter a calma, evitar contacto visual directo prolongado, não atacar nem defender, e memorizar algumas características, elementos essenciais de informação, como o sotaque, fisionomia, cicatrizes, tatuagens, estatura, indumentária, tipo de arma, direcção que tomam, se vão a pé ou de carro, etc.”, e, acima de tudo, alertar o mais rápido

possível a PSP, através do número 244 859 859, ou o 112. No que toca à acção preventiva da PSP, Renato Neto afiançou também aos estudantes e funcionários do IP Leiria presentes, que existem equipas de agentes nos locais frequentados por estudantes, ou à civil ou fardados, “estamos presentes”. Neto alertou ainda que o uso de álcool ou drogas pode também propiciar situações de insegurança, seja pela vítima, que fica mais vulnerável, seja pelo próprio agressor, que sob o efeito destas substâncias, ou na sua privação, pode ficar mais agressivo e reagir negativamente a qualquer gesto da vítima. Nuno Mangas e Abel Batalha destacaram a importância do “passa a palavra” entre estudantes, sendo que ficaram desde logo a contar com a colaboração da Associação de Estudantes da ESECS para que os conselhos de segurança fossem divulgados entre os pares.

Agrupamento Escolas da Carreira promove mostra diferente

Secretária de estado da Ciência ensina que a física faz parte do dia-a-dia “A física está em todo o lado!” Foi esta a mensagem que a secretária de Estado da Ciência, Leonor Parreira deixou, no Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel, em Carreira, Leiria, aquando da inauguração da exposição itinerante “A Física no dia-a-dia” que ficará patente na escola até dia 17 de Novembro. Leonor Parreira revelou que o ministro da Educação, Nuno Crato “sonhou este projecto o Mundo na Escola” que agora permite “trazer a ciência em exposição até à escola”. A secretária de Estado da Ciência aprovei-

tou o momento para testar os conhecimentos dos alunos presentes colocando algumas questões sobre física e sobre a exposição a inaugurar. Após algumas confusões, as respostas correctas chegaram até à representante do ministro da Educação que ficou satisfeita com o resultado do “pequeno teste oral”. Ana Eiró, directora do Programa “O Mundo na Escola” disse que este programa visa a “promoção e dinamização de actividades culturais na escola, sendo que este ano é dedicado ao tema da ciência e tecnolo-

gia”. A responsável deixou a certeza que “a ligação entre escolas, professores e cientistas pode ser melhorada através da promoção de troca de conhecimentos e experiências, como este projecto permite”. Para já e porque a física está em todo o lado, a exposição produzida pelo Pavilhão do Conhecimento e inspirada na obra “A Física no dia-a-dia”, de Rómulo de Carvalho apresenta-se organizada por divisões de uma casa. Assim sendo há o espaço do quarto, da sala, do escritório, da cozinha e jardim tudo porque com

objectos do quotidiano são explicados os princípios básicos da física clássica. O que significa que através de clipes, pregos, espelhos, relógios, chaleiras e balanças de cozinha é possível sabermos o que se passa, mas acima de tudo porque se passa assim. E isto é física. A exposição “A Física no dia-a-dia” irá visitar 36 escolas a nível nacional e agora pode ser visitada de Segunda a Sexta-feira das 09h00 às 17h00 e aos Fins-de-semana das 14h00 às 19h00, no Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel.

Com o objectivo de assinalar o dia Mundial da Diabetes que, este ano, tem como tema “Proteger o nosso futuro”, o Hospital de Santo André em parceria com a Câmara Municipal de Leiria realizará no dia 10 de Novembro, entre as 09h00 e as 17h00, no Mercado Sant’Ana, em Leiria rastreios da diabetes. Uma iniciativa aberta à população em geral, mas em especial às crianças e aos pais, pessoas com diabetes e profissionais de saúde. A partir das 09h00 e até às 16h00 decorrerão os rasteiros da diabetes, hipertensão arterial, obesidade e risco vascular. Também haverá momentos onde será abordada a temática da prevenção da diabetes e das complicações que podem advir da doença, com especial enfoque nos cuidados ao pé. Além disso, estão programados vários workshops sobre diversos temas com realce para a importância da alimentação correcta, do exercício físico e da mudança de estilos de vida. Do programa faz ainda parte a iniciativa de formar, a partir das 16h30, “O ABRAÇO AZUL”. Por isso, a organização solicita aos participantes que levem vestida uma peça azul para que depois se juntem ao mundo num abraço pela diabetes.

Nos dias 1 e 2 de Dezembro

Banco Alimentar Leiria-Fátima recolhe alimentos O Banco Alimentar Contra a Fome de Leiria-Fátima vai integrar a Campanha de Recolha de Alimentos que terá lugar nos próximos dias 1 e 2 de Dezembro, a nível nacional. Uma campanha que será coordenada pela Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares e que passara, no distrito de Leiria, pelos concelhos de Leiria, Batalha, Porto de Mós, Marinha Grande, Ourém, Pombal, Meirinhas, Ansião, Avelar, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande abrangendo um total de 70 supermercados. Os alimentos recolhidos serão distribuídos nas zonas de recolha. Em comunicado os responsáveis pelo Banco Alimentar Leiria-Fátima adiantam que “Estes alimentos vão integrar um plano semestral, com distribuição mensal a 57 IPSS, que acolhem, cuidam ou assistem pessoas comprovadamente carenciadas, nas mais diversas valências da solidariedade social, na região de Leiria”. Uma campanha que contará com a colaboração de mais de 1400 voluntários.

DR

IP Leiria e PSP deixam conselhos de segurança aos estudantes

Hospital de Santo André assinala dia Mundial da Diabetes


8 ECLESIAL

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Família há oito séculos

Junto ao Tejo F

eliz o homem que põe a sua confiança no Senhor: é como árvore plantada junto às águas correntes, dá fruto a seu tempo e a sua folhagem não murcha, canta o salmista. Clara de Assis, pela fidelidade ao santo Evangelho, estendeu as próprias raízes até ao coração de Deus, à água que brota do Espírito Santo. N’Ele pôs a sua confiança e deu frutos de vida eterna e a sua folhagem continua hoje fresca e viçosa. Ela produziu e ofereceu Àquele que amou excelentes frutos novos e velhos. Plantou para Ele oásis de silêncio, oração de adoração e contemplação na Igreja em toda a Terra, para toda a Humanidade. Surpreendentes e grandiosas são as obras de Deus. Acolhendo-se à sombra da cidade das sete colinas onde, ao longo des-

tes oito séculos foram fundados quinze Mosteiros, a Virgem Clara de Assis acolheu em seu o coração a nobre capital lusitana. Logo após a construção do Real Mosteiro de Xabregas, nasceu em 1514 na actual Avenida D. Carlos, o Mosteiro de Nossa Senhora da Piedade da Boavista, mais vulgarmente conhecido por Convento da Esperança. Inicialmente teve o nome de Nossa Senhora da Piedade da Boavista por ficar próximo do sítio assim designado, na parte ocidental de Lisboa junto do outeiro da Boavista, numa Quinta chamada de Sizana com um panorama magnífico sobre o rio Tejo. A sua fundadora foi D. Isabel de Mendanha, filha de Pedro de Abendano que passou a este reino, vindo da Biscaia, de família ilustre, muito acreditada nessa província de Castela.

O DOM DA FÉ

cemos, como é o caso de João Paulo II ou de Teresa de Calcutá. Outros pertenceram ao nosso povo, foram dos nossos, como acontece com os beatos Francisco e Jacinta Marto. Ou ainda a beata Alexandrina de Balasar. Há também casais santos. E jovens, como Chiara Luce ou Giorgio Frassati. Não faltam no elenco, além de pessoas consagradas e pastores do povo de Deus, figuras políticas ou do mundo económico. A multidão imensa dos santos inclui homens e mulheres de todas as idades e condições e de qualquer parte do mundo. Trata-se de pessoas cuja vida animada pela fé cristã foi apreciada e considerada digna de ser colocada como exemplo para todos. Na carta apostólica “A porta da fé”, Bento XVI destaca o testemunho exemplar de fé dos santos, afirmando: “Pela fé, no decurso dos séculos, homens e mulheres de todas as idades, cujo nome está inscrito no livro da vida (cf Ap 7,9; 13,8), confessaram a beleza de seguir o Senhor Jesus nos lu-

Pe Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

O exemplo admirável dos Santos http://padrejorgeguarda.cancaonova.pt

N

a história do cristianismo temos inúmeros exemplos de fé. De entre eles destacam-se os santos. E são muitos. Não falo somente da Virgem Maria, dos apóstolos, dos mártires e de todos aqueles que alcançaram grande devoção por parte das pessoas. Quero falar sobretudo daqueles que estão próximos de nós. Alguns deles até os conhe-

Em 1536, recebeu a primeira comunidade constituída por nove Irmãs Clarissas vindas Mosteiro de Santa Clara do Funchal e duas do Mosteiro de Santa Clara de Santarém. Após a morte da fundadora, esta comunidade foi protegida por D. Joana de Eça, filha de João Fogaça e de D. Maria de Eça, e viúva de D. Pedro Gonçalves da Câmara, filho do segundo capitão-donatário da ilha da Madeira. Esta nobre senhora prosseguiu as obras do mosteiro e, após a morte do marido, decidiu-se pela vida de clausura com mais duas das suas filhas. Neste Mosteiro consagraram as suas vidas muitas outras jovens da alta nobreza que abandonando toda a pompa e vaidade deste mundo preferiram seguir Jesus pobre e crucificado. O edifício ocupava uma

gares onde eram chamados a dar testemunho do seu ser cristão: na família, na profissão, na vida pública, no exercício dos carismas e ministérios a que foram chamados” (n. 13). A liturgia da solenidade de Todos os Santos dá-nos luz sobre o carácter exemplar dos cristãos santos. Porque são assim chamados? Porque acolheram e viveram a mensagem de Jesus nas bem-aventuranças, incarnando-as nas suas obras, atitudes e modo de vida. Souberam encarar e suportar as tribulações, trabalhos e adversidades da vida com a graça da fé e foram perseverantes e fiéis na correspondência às graças divinas. Conhe-

vasta área que se estendia até à actual Rua de São Bento ficando a fachada principal do mosteiro virada a sul para o antigo Largo da Esperança. Tinha corpos distintos, alguns de dois pisos e outros de pavimento térreo. A Igreja com a respectiva Capela-mor, era de nave única, abobada de lançaria lavrada e dourada, as paredes eram revestidas de azulejos. No livro “Lisboa em 1551 - Sumário” Cristóvão Rodrigues de Oliveira, refere que nesta data no “Mosteiro de Nossa Senhora da Esperança” viviam 37 Religiosas. Embora o Mosteiro fosse fundado sob a invocação de Nossa Senhora da Piedade rapidamente começou a ser denominado por Mosteiro de Nossa Senhora da Esperança ou simplesmente da Esperança. A razão é simples: como

se verifica, este é um local situado nas margens do rio, habitado pela gente do mar. Ora a grande devoção destes fiéis era prestada à Senhora da Esperança, a quem recorriam sempre que o mar não ia de feição e sentiam necessidade do auxílio vindo do Alto. Pescadores e marinheiros formavam assim uma confraria que frequentemente se reunia na igreja do Mosteiro. E tanta fama veio a ter a Senhora da Esperança entre todos os frequentadores do templo, que predominou o título de Senhora da Esperança. Também com muita frequência o Mosteiro era visitado pala família real. Consta, que a rainha D. Catarina viúva de D. João III gostava de passar longos tempos no Paço de Santos, acompanhada do seu neto D. Sebastião, frequentando com assiduidade o Mostei-

ro da Esperança. No ano de 1834, posta em vigor a lei que acabou com as casas religiosas em Portugal, o Mosteiro de Nossa Senhora da Esperança iria mudar de feição. Mas dizia a norma que, nos Conventos femininos, o Estado só tomaria posse quando morresse a última Religiosa. Assim o Estado teve de esperar 54 anos, para tomar posse da vinha alheia o que aconteceu após a morte da última Irmã, Cândida de Jesus. Em 1888, estando o edifício já na posse do Município lisboeta, procedeuse à demolição quase total. O espaço foi aproveitado para o quartel dos Bombeiros, então chamados Municipais. Quando é Deus que planta, cuida e rega a árvore não murcha e dá fruto em todo o tempo. Irmãs Clarissas de Monte Real

ceram as próprias fragilidades, limites, fraquezas e pecados, mas souberam reconhecê-los com humildade e confiança na misericórdia divina; lutaram por os superar, quanto possível, ou melhorar o próprio comportamento. Alcançaram o patamar da santidade porque se deixaram levar por Deus e cooperaram com ele. Viveram efectivamente como filhos de Deus e irmãos e irmãs dos outros homens e mulheres, tratandoos e servindo-os por amor, como desejariam para si próprios. Assim cresceu neles a semelhança com o Pai celeste. Imbuídos de confiança e esperança em Deus, trabalharam para o

imitarem na pureza de vida e no amor. Todos eles, e especialmente os mártires, passaram pelas tribulações da vida, mantendo-se unidos a Jesus e identificados com Ele. Tornaram-se dóceis ao Espírito Santo que foi moldando as suas vidas no sentido de Deus. Foram por isso abençoados e recompensados. Parafraseando as palavras de São Paulo, podemos dizer que verdadeiramente os santos receberam de Deus “o Espírito de sabedoria” que lhes revelou o Seu rosto e concedeu a graça de O conhecerem; os olhos dos seus corações foram iluminados para saberem que esperança nos vem do chamamento de Deus, que riqueza de glória contém a herança que Ele nos reserva entre os santos” (cf Ef 1, 1718). E assim viveram. Que exemplo são então para nós os santos? Cada cristão recebe a vocação e a graça da santidade no próprio baptismo. Ao longo da vida, é convidado a corresponder e a tornar-se sempre mais naquilo que já é. Os santos são modelos,

realizações variadas desta vocação concedida a todos. Em qualquer condição, idade ou circunstância a pessoa pode tornar-se santa. Os santos são também um estímulo para desejarmos também nós pormo-nos a caminho da santidade seguido os seus passos. Constituem ainda para quem aceita pôr-se nesse caminho uma garantia de que é possível cada um de nós ser santo, pois se eles conseguiram, e também foram frágeis e pecadores, por que não poderei também eu chegar a essa meta? Se Deus o quer, se Ele é o principal autor da santidade, se me dá todas as judas necessárias e todas as oportunidades para perseverar e mesmo para recomeçar, se fraquejei ou me desviei, então eu creio que isso é possível. Na verdade, ser santo é deixar-se levar por Deus em todos os momentos da vida e cooperar sempre com Ele.


DIOCESE 9

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Diocese de Leiria-Fátima

Novas visitas ao património religioso Tendo em conta o bom acolhimento da iniciativa “ Fé e a arte, um diálogo de séculos” levada a cabo pelo Departamento do Património Cultural da diocese de Leiria-Fátima, no ano transacto, o mesmo departamento quis associar-se ao Ano da Fé proclamado pelo Papa Bento XVI, decidindo dar-lhe continuidade. Este ano o programa teve o seu início com a visita às igrejas paroquiais de Colmeias, Vermoil e Carnide, com o objectivo de conhecer para além da arquitectura e outros elementos artísticos, a obra

de Mons. Nunes Pereira. A visita foi orientada pelo Dr. Marco Daniel Duarte, especialista em arte sacra e grande conhecedor da obra daquele padre dedicado também à arte, falecido em 2001. Na igreja das Colmeias pudemos admirar 15 gravuras em xilogravura que representam a via-sacra; em Vermoil, uma Última Ceia e dois outros trabalhos de grandes dimensões representando o Baptismo e a Pregação de Jesus, respectivamente e ainda um trabalho em mosaico representando N. Sra. da

Conceição, atribuído ao mesmo autor. Em Carnide o grupo foi surpreendido com um magnífico conjunto de vitrais desenhados por Monsenhor Nunes Pereira representando, sobre a entrada um quadro alusivo ao padroeiro, Santo Elias; na capela-mor, um conjunto de quadros referentes ao Maná, à Última Ceia e à Eucaristia; o baptistério, obra de grande beleza, é todo ele também ladeado por um belo conjunto de vitrais alusivos à salvação. Foi opinião unânime que ficámos todos enrique-

cidos com mais esta visita a património tão valioso mas desconhecido de muitos de nós e foi interessante ouvir testemunhos de pessoas comentando: “tenho um património tão valioso e interessante na minha terra que nunca tinha sabido olhar desta forma e apreciado o seu valor…” A próxima visita será ao Mosteiro da Batalha, no dia 17 de Novembro.

Pelo Departamento do Património Cultural Filomena Silva Martins

Iniciativa visa o convívio entre famílias

AMIGrante na “Família do Lado-2013” O Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural vai realizar, no próximo dia 18 de Novembro, uma iniciativa que visa o convívio entre famílias imigrante e autóctones. A AMIGrante e o CLAII de Leiria associam-se a esta organização. Todos são convidados a participar. No passado dia 13 de Setembro, o Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI) lançou o projecto “Família do Lado – 2012”, uma actividade que pretende “promover a integração dos imigrantes residentes

em Portugal, fomentar os laços entre as comunidades imigrantes e a população autóctone e criar um espaço de partilha e de convívio entre todos”. Na prática, trata-se uma família aceitar acolher em sua casa uma família que não conheça, constituindo-se pares de famílias para a realização de um almoço-convívio, típico da sua cultura, como forma de acolhimento do “outro”. O dia escolhido para estes encontros será o domingo 18 de Novembro de 2012, tanto em Portugal como em todos os países

que se associam: República Checa, Bélgica, Hungria, Itália, Malta, Eslováquia e Espanha. Este projecto transnacional foi criado na República Checa em 2004, onde existe desde então com resultados muito positivos. Deriva do conceito de “bairros inclusivos” e assenta na interacção entre imigrantes e autóctones e na importância do reforço das relações sociais como forma de contribuir para uma integração mais efectiva, eliminando barreiras e promovendo a diversidade cultural. Em Portugal, conta com o

apoio do Fundo Europeu para a Integração de Nacionais de Países Terceiros (FEINPT) e é desenvolvida em parceria com a Rede de Centros Locais de Apoio à Integração de Imigrantes (CLAII). As famílias interessadas em participar (anfitriãs ou imigrantes) deverão contactar o CLAII mais próximo da sua área de residência, que no caso de Leiria é a associação AMIGrante, associada da iniciativa.

GIC de Leiria-Fátma

“Conviver com a dor: o luto à luz da fé” Abril, 18 e 25 de Maio, 22 e 29 de Junho. Segundo o padre José Augusto Rodrigues, director do SPS da Diocese, esta é uma iniciativa “delicada e grande”, já que este é um assunto “difícil de viver de forma equilibrada, principalmente quando as circunstâncias da morte são mais traumáticas e a situação da pessoa enlutada se reveste de fragilidades de vária ordem”. Com a consciência que de “ver

Tertúlia juvenil em Leiria

Jovens em “Conversas c’aFé” Na próxima sexta-feira, 9 de Novembro, a partir das 21h00, vão estrear-se as “Conversas c’aFé”, uma iniciativa lançada pela primeira vez pelo Serviço Diocesano de Pastoral Juvenil (SDPJ) da diocese de Leiria-Fátima, “em que o cenário e os protagonistas são diferentes” dos que a pastoral juvenil costuma promover. Na página do SDPJ adianta-se que “o motivo inspirador é a celebração do ano da fé”, pretendendo-se que esta tertúlia, num espaço informal, “abordasse um tema que não é comum neste tipo de eventos: o percurso de fé das pessoas”. Em cada uma das quatro sessões previstas para este ano, haverá um convidado-surpresa, prometendo-se que alguns destes “anónimos” serão “sobejamente conhecidos do grande público e reconhecidos a nível nacional”. O entrevistado “dará o seu testemunho pessoal de vivência de fé em ambiente familiar”, mas, como em todas as conversas de café, todos os participantes terão oportunidade de contribuir para a partilha do tema. O local escolhido para estas sessões foi o GL Caffé, um espaço “acolhedor, familiar e, sobretudo, integrado na vida social e nocturna da cidade de Leiria”.

Advento e Natal

Catequese lança campanha Como tem sido hábito nos últimos anos, o Serviço Diocesano de Catequese (SDC) de Leiria-Fátima preparou uma campanha para uma vivência mais rica do tempo de Advento e Natal nas famílias, dirigida em especial aos pais. Com o título “Acolher o Amor – A fé vivida como experiência de um amor recebido”, a campanha propõe para cada semana do Advento um tempo de diálogo, um gesto e um momento de oração, partindo dos textos de cada domingo. Pretende-se promover “a reflexão e a partilha a partir de algumas atitudes fundamentais para que se possa acolher a graça de Deus e crescer na fé: rezar, amar, celebrar, confiar”, explica o padre José Henrique Pedrosa, director do SDC. Para o Natal, a proposta centra-se numa celebração que culmina com a proclamação da fé expressa no Credo dos Apóstolos, a oração indicada pelo Bispo diocesano para este ano pastoral. Gic de Leiria-Fátima

Visita Pastoral - 16 a 18 de Novembro

Serviço da Pastoral da Saúde O Serviço da Pastoral da Saúde (SPS) da diocese de Leiria-Fátima está a propor às vigararias uma acção local de formação sobre o tema do luto. Com o título “Conviver com a dor: o luto à luz da fé”, esta é uma proposta de reflexão em duas tardes de sábado, das 14h30 às 18h30, cujas datas serão agendada, caso a caso, com este serviço diocesano. Para já, estão indicadas como disponíveis os finsde-semana de 13 e 20 de

Breves

partir alguém que se ama é uma dura prova, também para quem acredita”, este responsável reconhece que “mesmo quem anteriormente se sentia seguro da sua fé” pode nesta circunstância “questionar a existência e a bondade do Deus em quem sempre acreditou como Todo-Poderoso e protector dos que n’Ele confiam”. Será tarefa dos formadores apresentar a leitura da morte e do luto a partir

da visão cristã da vida, segundo o Evangelho de Jesus Cristo, fornecendo algumas pistas práticas para o trabalho pastoral com pessoas que enfrentam situações dolorosas deste género. Assim, os principais destinatários serão membros dos grupos sócio caritativos, ministros extraordinários da comunhão, visitadores de doentes, etc.

GIC de Leiria-Fátima

São Romão e Guimarota 16 de Novembro (Sexta-feira) 19h00 – Acolhimento. 19h30 – Missa. 20h30– Jantar/convívio. 21h30 - Assembleia da Comunidade. 17 de Novembro (Sábado) 10h30 - Encontro com a catquese- acolhimento 10h45 – Encontro com as crianças do 1.º ao 6.º ano. 11h30 – Encontro com as crianças do 7.º ao 6.º ano. 14h30 – Encontro com os crismandos. 15h00- Oração mariana. 16h00 - Encontro com as famílias. 17h00 -Lanche. 18 de Novembro (Domingo) 15h00 - Celebração da Eucaristia, com Crisma. 16h00 – Almoço de encerramento.


10 ECLESIAL

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Antífona de Entrada: Salmo 87, 3 Chegue até Vós, Senhor, a minha oração, inclinai o ouvido ao meu clamor. Leitura I: 1 Reis 17, 10-16 Salmo Responsorial: Salmo 145 (146), 7.8-9a.9bc-10 (R. 1 ou Aleluia) Refrão: Ó minha alma, louva o Senhor. Repete-se. Ou: Aleluia. Repete-se. Leitura II: Hebr 9, 24-28 Aclamação ao Evangelho: Aleluia Mt 5, 3 Refrão: Aleluia. Repete-se. Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus. Refrão. Evangelho: Mc 12, 28b-34 Naquele tempo, Jesus ensinava a multidão, dizendo: «Acautelai-vos dos escribas, que gostam de exibir longas vestes, de receber cumprimentos nas praças, de ocupar os primeiros assentos nas sinagogas e os primeiros lugares nos banquetes. Devoram as casas das viúvas, com pretexto de fazerem longas rezas. Estes receberão uma sentença mais severa». Jesus sentou-Se em frente da arca do tesouro a observar como a multidão deitava o dinheiro na caixa. Muitos ricos deitavam quantias avultadas. Veio uma pobre viúva e deitou duas pequenas moedas, isto é, um quadrante. Jesus chamou os discípulos e disse-lhes: «Em verdade vos digo: Esta pobre viúva deitou na caixa mais do que todos os outros. Eles deitaram do que lhes sobrava, mas ela, na sua pobreza, ofereceu tudo o que tinha, tudo o que possuía para viver». Palavra da salvação.

JANELA SOBRE A MISSÃO

DR

Leituras | XXXII Domingo do Tempo Comum (11/11/2012)

Pe. Vitor Mira

vitormira67@gmail.com

Mais uma etapa de missão

H

oje, 14 de Outubro, é domingo e estamos no Sumbe, onde participámos numa missa campal presidida por D. Benedito Roberto, administrador apostólico desta diocese (e arcebispo de Malange) que durou quatro horas e quinze minutos sob um sol muito quente e um ar morno e húmido. Claro que à tarde também nos

Cânticos |33º Domingo do Tempo Comum

AO SABOR DA PALAVRA

Ano B (18/11/2012) INÍCIO Eu sou a salvação do meu povo - Lau 368 A messe é grande - Lau 102 SALMO RESPONSORIAL Guardai-me Senhor - Lau 421 Guardai-me junto de Vós - Lau 420 APRESENTAÇÃO DOS DONS Tomai, Senhor, e recebei - Lau 821 Pobres e fracos que somos - Lau 63 COMUNHÃO Não fostes vos que Me escolhestes - Lau 512 Se alguém quiser segui-me - Lau 739 PÓS-COMUNHÃO Vós me seduzistes Senhor - Lau 877 FINAL Cristo vence - Lau 255 Ide por todo o mundo - Lau 435

MISSAS DOMINICAIS

Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 09h45 – Paulo VI 10h00 - S. Francisco 10h30 – Franciscanos 10h00 – S. Romão 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h30 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

32º Domingo do Tempo Comum 11 de Novembro de 2012

Coisas boas

O

que é que define o valor das coisas, o valor daquilo que cada um de nós faz? Todos nós gostávamos de conhecer a resposta a esta pergunta, sobretudo depois daquilo que ouvimos na semana passada no Evangelho. Quanto devemos amar? Será que as nossas boas acções em cada dia são suficientes? Fazemos suficientemente o bem para que no dia do nosso

sentimos unidos à nossa diocese de Leiria-Fátima que inicia hoje oficialmente o novo ano pastoral. Durante a “nossa” missa foi aberto oficialmente o “Ano da Fé” nesta diocese e foram ordenados três diáconos. Mas já tínhamos chegado ao Sumbe na quinta-feira, dia 11, depois de termos subido ao Gungo no dia um deste mês. Durante os dias em que estivemos na nossa missão visitámos um centro muito isolado chamado Culembe, talvez um dos que mais necessitam de apoio e reorganização pois se encontra muito disperso e várias aldeias nem sequer têm catequista nem capela, embora tenham cristãos. Durante os dias da visita realizámos várias reuniões com vários grupos, reorganizámos o

Ondjango do centro e a Inês não teve mãos a medir nas consultas que deu com o apoio de outros membros da equipa. Ali reencontrou o seu “velho” amigo Valentim, uma criança com um ano e pouco que em Agosto do ano passado, com duas semanas de vida, apareceu na Donga completamente desnutrido e desidratado, embrulhado num simples pano, preso por um ténue fio de vida. A Inês e a Sandra (então em missão de dois meses) conseguiram prendê-lo à vida e agora vemos um bebé bem bonito e saudável. O momento alto desta visita foi a celebração da Eucaristia, algo que não acontecia ali havia algum tempo. Regressados à Donga, ocupámo-nos em vários trabalhos: continuação da abertura de uma nova lavra

julgamento sejamos aceites por Cristo? Jesus Cristo deu a vida uma única vez pelos nossos pecados, como é dito aos Hebreus: “Jesus manifestou-se de uma vez para sempre, para destruir o pecado pelo seu sacrifício.” No caso da nossa salvação uma vez foi suficiente, porque foi um acto absoluto, total e perfeito. Mas como a salvação é para cada um de nós não nos podemos limitar a ver a banda passar. Temos de fazer alguma coisa, nem que seja caminhar ao lado dela, como os miúdos nas aldeias imitando os seus passos. Mas continuando com a nossa história: hoje aparecem-nos duas viúvas que são determinantes na História da Salvação, cada qual à sua maneira, mas ambas porque da sua pobreza souberam dar alguma coisa, tudo o que tinham, confiando que Deus lhe retribuiria de alguma maneira, porque o Reino de Deus vale tudo aquilo que se possui, por muito pouco que seja. Uma é estrangeira, outra é judia. Uma ajuda uma pessoa, outra uma instituição. Uma ajuda com géneros,

outra com dinheiro. Uma nota sobressai: há muita maneia de fazer o bem, muito jeito de ajudar, muita forma de contribuir para a felicidade dos outros, mesmo que pensemos não ter nada para dar. Na cultura judaica a viuvez, ao lado da orfandade, era um símbolo da pobreza extrema, da dependência absoluta dos outros. Mas mesmo estas duas pessoas têm alguma coisa para dar, de diversas formas. E o que é que nós fazemos? O que estamos dispostos a dar para que as coisas sejam melhores? Temos tantas coisas para dar, mas temos medo de perder. Aquela gentia foi capaz de partilhar a última comida com um judeu. Com alguém que ela nunca tinha visto. Também Jesus deu a vida por alguém que ele não conhecia, por pessoas que ainda não existiam. Só quem não vive para as riquezas, só quem não tem o coração obcecado com a posse dos bens (falamos, naturalmente, do dinheiro, da conta bancária; mas falamos, igualmente, do orgulho, da auto-suficiência, da vontade de triunfar a todo o

com o apoio de pessoas que chegaram de várias partes do Gungo, colocação de um telhado provisório no novo forno da Donga, descasca e debulha do milho para semente, actividades lúdicodidáticas e de catequese com crianças da vizinha aldeia da Calumbamba, rega da horta, pequenos arranjos e limpezas no espaço da missão, continuação da colocação das caleiras e descargas para aproveitamento da água das chuvas para a cisterna que já está concluída, fabrico da tampa da cisterna em betão, atendimento de consultas no posto de saúde de um promotor que vive próximo da Donga, entre muitas outras coisas. Como vêm, foram dias bem ocupados de actividades, mas também marcados por momentos de oração. E acreditem que lá naquelas montanhas não nos sentimos sós: Deus esteve connosco, tal como aquele povo e todos vós que nos acompanhais e nunca vos esquecemos.

custo, do desejo de poder e de autoridade, do desejo de ser aplaudido e admirado) é capaz de estar disponível para acolher os desafios de Deus e para aceitar, com humildade e simplicidade, os valores do Reino. Esses são os preferidos de Deus. O exemplo da viúva do Evangelho garante-nos que só quem é “pobre” – isto é, quem não tem o coração demasiado cheio de si próprio – é capaz de viver para Deus e de acolher os desafios e os valores do Reino. O valor daquilo que fazemos está então na forma de fazer essas coisas. Quanto mais interesse temos numa coisa, menos valor de bondade tem. Por outras palavras: se fizermos algum bem desinteressadamente o seu valor acaba por ser infinito, o seu prémio… Bem o prémio não é importante, pois não? Vamos então tornar os outros felizes ajudando-os de todas as formas que pudermos, mesmo que isso nos custe, porque não há preço para um sorriso ou para umas lágrimas enxugadas. Ou dormir sabendo que se fez alguma coisa boa.


PORTUGAL 11

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Apoiar países mais carenciados

Campanha «Presentes Solidários» mobiliza portugueses A Fundação Fé e Cooperação (FEC) lançou, no dia 5 de Novembro, a campanha “Presentes Solidários 2012”, apoiada por diversas personalidades públicas, como o professor Marcelo Rebelo de Sousa e o bispo de Lamego, D. António Couto. Segundo um comunicado da organização não-governamental de cooperação para o desenvolvimento, enviado à Agência ECCLESIA, o catálogo de dádivas deste ano é composto por “dez novos presentes”, entre os quais uma “bicicleta para Moçambique” e uma “maleta de parteira para Angola”. A iniciativa natalícia, que beneficia também as comunidades mais des-

favorecidas de Portugal, Guiné-Bissau, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe, Brasil e Cabo Verde, “vai ao encontro de áreas tão importantes como a educação, a saúde e as infra-estruturas”, salienta a FEC. Com o apoio da sociedade portuguesa e o contributo de parceiros no terreno, como a Cáritas de Angola, o Grupo Missão Mundo ou a Associação Portuguesa de Solidariedade Mãos Unidas P. Damião, os presentes serão “comprados em cada país”, ajudando também a “promover o comércio local”, acrescenta. Uma das maiores preocupações na promoção desta edição dos “Presentes Solidários” foi a aposta na “dinamização da campanha

na escola e com a comunidade escolar”. Para a organização católica, fundada há mais de duas décadas pela Conferência Episcopal Portuguesa, “é urgente pensar o mundo de forma global” e essa mentalidade tem de começar a ser introduzida a partir dos mais novos. Ana Patrícia Fonseca, coordenadora do Departamento de Educação para o Desenvolvimento da FEC, destaca a importância de

“sensibilizar e mobilizar a sociedade portuguesa para a justiça social e o desenvolvimento sustentável, de forma a garantir uma verdadeira opção pelos pobres”. A lista de padrinhos da campanha, que decorre até 6 de Janeiro na internet, integra ainda nomes como a escritora Alice Vieira, o político Guilherme d’Oliveira Martins e o humorista José Diogo Quintela. A compra dos presentes, cujo preço oscila entre os 8 e os 250 euros, é feita em nome de uma pessoa conhecida, tornando-se uma oferta dupla ao beneficiar as populações e o familiar ou amigo que será considerado como doador da prenda.

Integração dos emigrantes no estrangeiro

Valorizar a emigração pelo futuro de Portugal A Igreja Católica e o Governo português querem potenciar ao máximo a integração dos emigrantes nacionais no estrangeiro, considerados como fundamentais para a revitalização financeira do país. Esta decisão foi anunciada no final de um encontro de agentes socioculturais que trabalham nas comunidades portuguesas, dentro e fora da Europa, e que decorreu de 2 a 4 de Novembro, em Fátima. A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, a Obra Católica Portuguesa de Migrações (OCPM) e a Cáritas, organizadoras do evento, consideram que “a diáspora deveria ser mais utilizada na promoção de Portugal do ponto de vista económico”, uma vez que pode “abrir portas a um investimento em novos mercados”. No entanto, acrescentam, para que isso aconteça

é preciso assegurar primeiro a adequada “integração” dos emigrantes lusos, sobretudo através da colaboração com as comunidades portuguesas que já estão radicadas há mais tempo nos países de destino. O “trabalho local desenvolvido pelas associações culturais deve ser privilegiado”, pela capacidade que têm de “responder às necessidades dos emigrantes portugueses”, sublinha o documento conclusivo do evento. Os promotores do encontro recordam que desde “o final do ano passado” saíram de Portugal “cerca de 150 mil portugueses”, muitos deles com “falta de conhecimentos” e de “preparação” para enfrentarem os obstáculos que encontraram nos países de destino, quer em termos da busca de “oportunidades de trabalho” quer na “adaptação” a uma nova língua e

a diferentes “culturas e hábitos sociais”. Neste contexto, o “movimento associativo” pode funcionar como primeira “rede de integração”, desde que lhe seja dado “um novo enquadramento que melhore o seu funcionamento” e permita “ultrapassar dificuldades não apenas financeiras mas também legais e de articulação com as estruturas e governos locais”. Para favorecer esse desenvolvimento, as organizações da Igreja e do Estado que lidam mais de perto com a questão da emigração propõem a construção de uma “plataforma de promotores socioculturais das comunidades portuguesas”. Uma entidade que teria como missão “abrir portas para novas formas de cooperação” dentro desta área e que, numa primeira fase, seria coordenada por

responsáveis portugueses radicados na “Argentina, Brasil, Estados Unidos da América, Holanda, Suíça e Venezuela”, em conjunto com a Associação Mulher Migrante e a OCPM. Sugerem ainda o lançamento de uma “rede de partilha de informação e de experiências entre as comunidades emigrantes” através da internet e das redes sociais, a partir “da criação de um blogue e da dinamização de um grupo fechado no facebook”. A mensagem final do encontro de Fátima, que contou ainda com a participação de representantes portugueses da “África do Sul, Alemanha, Andorra, Bélgica, Canadá, França, Inglaterra, Luxemburgo e Macau”, chama também a atenção para “o isolamento e a solidão” a que estão sujeitos os emigrantes mais velhos.

Breves Igreja Católica está viva e quer dialogar

“Átrio dos Gentios”

O catolicismo está activo e quer dialogar com o mundo, afirmam os dois responsáveis pela organização em Portugal do Átrio dos Gentios, estrutura do Vaticano que pretende promover o encontro entre crentes e não crentes. “A Igreja não quis ficar à margem” das actividades das capitais europeias da cultura e juventude, que em 2012 decorrem em Guimarães e Braga, e por isso encontrou “um modo seu de marcar presença” e “de dizer ao mundo que está viva”, refere o cónego José Paulo Abreu na edição de hoje do Semanário Agência ECCLESIA. O Átrio dos Gentios que a 16 e 17 de Novembro se realiza nas duas cidades minhotas é “sociabilidade, partilha, hipótese de abertura e diálogo, sala de todos e para todos, sem preconceitos, para além de raças, de credos, de idades, de filiações”, observa o vigário geral da Arquidiocese de Braga. O encontro dedicado ao tema “O Valor da Vida” junta “pensadores dos mais variados quadrantes e proveniências: do Vaticano, das universidades, do mundo da arte, do desporto, da música, da filosofia, da literatura”, realça o sacerdote.

O Catecismo da Igreja

Centro de Cultura Católica inicia conferências O Centro de Cultura Católica do Porto (CCC) iniciou, no dia 6 de Novembro, um ciclo de conferências sobre os eixos fundamentais do Catecismo da Igreja, com uma reflexão do padre Emanuel Brandão de Sousa sobre «A Fé professada». O aprofundamento sobre o Catecismo da Igreja Católica, que este ano assinala o 20.º aniversário, prossegue a 04 de Dezembro com «A Fé celebrada», pelo cónego João da Silva Peixoto. «A Fé vivida», a 8 de Janeiro de 2013, é o ângulo de abordagem do cónego Jorge Teixeira da Cunha e, por fim, Maria do Rosário Soveral fala, a 5 de Fevereiro, sobre «A Fé rezada». Neste ano a actividade formativa do CCC apresenta ainda duas propostas mais específicas: “uma disciplina sobre o II Concílio do Vaticano, que integra o Curso Básico de Teologia e, que, como as demais, pode ser frequentada isoladamente”, além de um ciclo de conferências sobre a Fé, realça o site da instituição.

Diocese da Guarda

Fórum juvenil e lançamento do CD actividades no “Ano da Fé” Incluído no fórum juvenil da Diocese da Guarda, a Banda Jota vai lançar, oficialmente, o CD «Ámen», dia 17 deste mês, no Centro Apostólico D. João de Oliveira Matos daquela cidade. Esta actividade está enquadrada no «Ano da Fé» e o concerto será centrado na Eucaristia pois o CD nasceu “com o objectivo de animar” este sacramento, lê-se num comunicado enviado à Agência ECCLESIA. Na ocasião vai ser lançado também o livro de pautas que irá acompanhar o CD.


12 MUNDO

Breves Pedidos de «justiça» para presos políticos

Ano da Fé na Venezuela

O arcebispo de Caracas, na Venezuela, inaugurou o Ano da Fé convocado por Bento XVI com uma intercessão especial a favor dos presos políticos do país e um pedido de “justiça imparcial” ao Governo. Em declarações à Agência Fides, o cardeal Jorge Urosa Savino reforçou o “pedido de amnistia” já apresentado por outros representantes da Igreja Católica venezuelana, salientando que a resolução destes casos “trará a paz aos corações daqueles que sabem que foram injustamente condenados”. Por outro lado, acrescentou, ao mostrar clemência, o Governo dará também um sinal ao povo de que no país “os opositores políticos não são punidos de forma indevida”. Durante uma celebração eucarística na igreja de Nossa Senhora de Chiquinquirá, no último sábado, D. Jorge Urosa Savino salientou que o Ano da Fé (Outubro de 2012-Novembro de 2013) “foi instituído pelo Papa para uma renovação da fé católica” mas o esforço de mudança também se aplica à sociedade em geral. O prelado recordou particularmente os homicídios que têm ocorrido na cidade de Caracas, pedindo a “todos para que coloquem fim à violência no país”.

Conselho Pontifício

Presidente da AIS nomeado para organismo O presidente executivo da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), Johannes Freiherr von Heereman Zuydtwyck, foi nomeado para o Conselho Pontifício Cor Unum, do Vaticano. Este organismo do governo central da Igreja “coordena, essencialmente, as actividades humanitárias da Santa Sé em regiões afectadas por crises e calamidades”, refere a AIS, em comunicado. Em carta endereçada a Freiherr Heereman, o cardeal Robert Sarah, presidente do conselho Cor Unu, expressou o desejo de continuação da estreita colaboração das estruturas da Fundação AIS. Antes de ter iniciado as suas funções na estrutura internacional da AIS, Freiherr Heereman foi presidente executivo da Ordem de Malta na Alemanha.

Diálogo Inter-religioso

Vaticano associa-se a novo centro A Santa Sé vai associar-se como “observador fundador” ao novo centro para o diálogo inter-religioso promovido pelo rei Abdullah, da Arábia Saudita, anunciou a Rádio Vaticano. A instituição, com sede em Viena, capital da Áustria, vai ser inaugurada no próximo dia 26. O “Centro para o diálogo inter-religioso e intercultural rei Abdullah Bin Abdulaziz” (KAICIID, sigla em inglês) apresenta-se como uma instituição independente, reconhecida pela ONU, com a finalidade de “promover o diálogo entre as culturas e religiões mundiais”. O KAICIID tem como “Estados fundadores” a Arabia Saudita, Áustria e Espanha, que constituem o seu principal órgão de decisão. A Igreja Católica vai fazer parte do conselho de administração, que inclui personalidades do Cristianismo, Judaísmo, Islamismos, Hinduísmo e Budismo. O representante da Santa Sé neste conselho será o padre Miguel Angel Ayuso Guixot, secretário do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, que vai acumular com o cargo de observador no KAICIID.

O Mensageiro 8.Novembro.2012

Irmãos de São João de Deus

Jésus Etayo Arrondo eleito novo responsável internacional A Ordem Hospitaleira de São João de Deus elegeu um novo superior geral durante a reunião magna da congregação religiosa fundada pelo santo português, que está a decorrer em Fátima. O cargo vai ser assumido pelo religioso espanhol Jésus Etayo Arrondo, de 54 anos, após a eleição de oitenta irmãos de São João de Deus e 20 colaboradores leigos. “A prioridade da Ordem hoje é continuar a pôr em prática o seu próprio carisma e a missão da hospitalidade: é verdade que já tem 500 anos, mas pensamos que ainda é actual e queremos reforça-lo para o futuro”, disse o responsável, em declarações divulgadas pela Rádio Vaticano. O 68.º Capítulo Geral é dedicado ao aprofundamento da identidade dos Irmãos de São João de Deus. Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, os religiosos recordam as palavras do cardeal Eduardo Francisco Pironio (1920-1998), antigo prefeito da Congregação para os Religiosos e Institutos Se-

culares e cujo processo de beatificação está a decorrer no Vaticano. O prelado argentino afirmou que cada “Capítulo deve deixar uma sensação de frescura na Igreja, uma boa dose de optimismo pascal” e “ se for bem celebrado”, será “sempre uma oportunidade de “recriação” para cada “instituto”, chamado a “transbordar a sua riqueza espiritual no mundo”. É este repto que os

irmãos hospitaleiros de São João de Deus querem cumprir, para continuarem a sua missão junto de “53 países, através de 311 obras apostólicas” e reforçarem um trabalho na área da assistência social e da saúde que serve “todos os anos uma média de 20 milhões de pessoas”. A 68ª reunião geral da ordem fundada pelo santo português (1495-1550) vai decorrer até ao dia 9 deste mês, subordinada ao tema

“A Família de São João de Deus”. Os Irmãos de São João de Deus prestam serviço junto de todo o tipo de doentes, sobretudo os mais maltratados e excluídos, com o apoio de 40 mil colaboradores, 5 mil voluntários e 300 mil benfeitores. Em Portugal têm centros de apoio nas regiões de Lisboa, Telhal, Montemoro-Novo, Areias de Vilar, Barcelos, Angra do Heroísmo, São Miguel e Funchal.

A importância da Igreja

Papa alerta para «privatização» da fé Bento XVI manifestouse contra a tendência de “relegar” a fé para a esfera do privado, uma atitude que “contraria” a sua natureza comunitária, e disse que a Igreja é necessária para evitar o individualismo. “Num mundo em que o individualismo parece regular as relações entre pessoas, tornando-as cada vez mais frágeis, a fé chamanos a ser Igreja, portadores do amor e da comunhão de Deus”, afirmou o Papa, na audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro, Vaticano. Prosseguindo um ciclo de catequeses dedicado ao Ano da Fé (Outubro de

2012-Novembro de 2013), Bento XVI defendeu que a pertença à Igreja “confirma” os fiéis e permite “a experiência dos dons de Deus: a sua Palavra, os Sacramentos, o apoio da graça e o testemunho do amor”. “O acto de fé é um acto profundamente pessoal que marca uma mudança de direcção, uma conversão, mas este acto não é o produto da minha reflexão solitária, é o fruto de uma relação, de um diálogo com Jesus”, observou. Segundo o Papa, “acreditar é um acto eclesial” e a fé da Igreja “precede” a fé pessoal.

“Eu ‘acredito’, mas o meu acreditar não é resultado de um reflexão solitária, mas o fruto de uma relação com Jesus, na fé que me é dada por Deus através da comunidade crente que é a Igreja: a fé nasce na Igreja, conduz a ela e nela se vive”, precisou. Bento XVI apresentou uma síntese desta catequese, em português, na qual destacou que “a Igreja é o espaço da fé”. “Precisamos da Igreja para ter a garantia que a nossa fé corresponde à mensagem originária de Cristo, pregada pelos Apóstolos”, declarou. O Papa saudou os pere-

grinos de língua portuguesa, entre os quais fiéis vindos de São Tomé e Príncipe: “Deixai-vos plasmar pela fé da Igreja, pois esta, apesar das dificuldades, fará de vós janelas abertas para a luz Deus, de modo que a recebendo, possais transmiti-la ao mundo”. No final das habituais saudações em vários idiomas, Bento XVI gracejou com o mau tempo, dizendo que “podia ser pior”, e agradeceu a “paciência” dos peregrinos, que tiveram de suportar a chuva e o vento.


OPINIÃO 13

O Mensageiro

ESBOÇOS - XX

Joaquim Santos Jornalista

Hospital de Santo André tem rei e roque

A

instituição mais importante de Leiria é o Hospital de Santo André. Sim, porque a saúde é o maior bem do ser humano e por isso mesmo devemos elevar esta casa a um dos patamares de maior destaque na vida pública de todos os cidadãos do concelho de Leiria. As minhas experiências com esta instituição de Leiria foram, na sua maioria, bastante satisfatórias. E acreditem que quase sempre entrei nas instalações do Hospital de Santo André pelas vias normais, ou seja, sem qualquer chamada telefónica ou com a conhecida cunha, para ultrapassar o sistema ou prejudicar outros utentes que eventualmente possam estar na necessidade de serem atendidos em primeiro lugar. A excepção a esta regra, foi apenas num trágico dia em que faleceu a minha filha Eduarda, data que confesso usei todos os meios ao meu alcance para a salvar. Já tinha tido uma excelente experiência com o seu nascimento naquela unidade hospitalar mas quase seis anos volvidos, na urgência pediátrica, nas salas mesmo ao lado dos blocos de partos, vivi o dia mais trágico da minha existência. Nessa ocasião, recordo que telefonei a todos os médicos que conhecia, incluindo a Hélder Roque, meu amigo e administrador daquela casa. Naquele dia, registei que o mesmo estava em Lisboa, julgo num congresso, largando tudo para estar comigo e com a mãe da Eduarda, num momento tão devastador da

nossa existência. Até essa data, 18 de Maio de 2006, entre idas a consultas ou urgências, sem qualquer caso de gravidade, juntando o nascimento e falecimento da minha Eduarda de Sempre, sempre obtive a excelência do atendimento. No ano de 2007 existiu uma ocorrência que francamente me desapontou. Tive sérias dúvidas no atendimento médico efectuado à minha esposa, como pelo desfecho no inquérito interno para eventuais apuramentos de responsabilidades. Desde então, se já me era difícil frequentar aquela unidade pela causa trágica que vivi, passei a assumir um distanciamento assumido, deslocando-me ali só num último recurso, num motivo de força maior. Volvido esse tempo, decidi que as minhas duas filhas que nasceram em 2010 e 2012 (Maria e Margarida) viessem a este mundo na cidade de Coimbra. Apesar do distanciamento que impus a mim mesmo, não esqueci nunca a consideração que sempre tive pelo seu administrador (sabendo que todos os que gerem uma casa com aquela grandeza têm sempre nas suas listas bons e maus profissionais), surgindo de quando em vez um sentimento de perda, porque afinal, aquela casa tinha sempre correspondido ao que sempre lhe foi solicitado para a saúde da minha família, com a excepção do caso de 2007, que considerei de gravidade extrema. No entanto, fui sempre acompanhando o evoluir da boa gestão, do exemplo e rigor dos sucessos e alcances médicos daquela unidade, das suas iniciativas inéditas e congressos ali realizados. Neste jornal O Mensageiro fui tratando de muitas notícias que sempre fiz questão de fazer publicar, distanciado de qualquer resistência que poderia existir do caso de 2007 que não justifica identificar ou descrever pormenorizadamente. Faz parte do meu foro pessoal e lá deverá ficar. Em 2011 e 2012 registei os melhoramentos ao nível das suas instalações, nomeadamente nas urgências, a pintura e embelezamento

DR

8.Novembro.2012

do seu exterior e o crescimento exemplar dos números e gráficos da gestão eficaz do Hospital de Santo André. Um dos médicos que conheço, disse-me um dia que estavam a efectuar todos os esforços para colocar as consultas em dia, as operações com pouco tempo de espera e reforçar as especialidades médicas ao dispor do utente. Em 2012, o Hospital de Santo André passou a servir os doentes de Pombal, integrando na sua rede a unidade hospitalar de Pombal, passando a designar-se a este agrupamento de Unidade de Saúde de Leiria e Pombal. Sinceramente não concordei com esta mutação, até porque julguei que o Santo André que dava nome ao hospital de Leiria iria desaparecer, o que não aconteceu. E foi este ano de 2012 que muito me tocou pela positiva. Voltei a acreditar na unidade de saúde a que quase sempre conferi credibilidade, até porque fui percebendo que instituições como aquela, são sempre susceptíveis de erro. Afinal, todos temos uma profissão, tendo de assumir que nem são poucas as vezes que falhamos, que algo nos escapa ao controlo, sem que com isso não tivéssemos tido tentativa de darmos o melhor, de sermos exímios profissionais. Os médicos não são excepção. Não desculpabilizo a má vontade, a falta de ética ou a conhecida negligência. Mas a falha humana devo entender, não generalizando ou confundindo com actos feitos muitas vezes

com desleixo ou falta de profissionalismo. Neste ano que quase termina, a minha mãe, sem qualquer contacto para atendimento privilegiado, foi internada na Cardiologia do Hospital de Santo André. Fiquei absolutamente satisfeito com o serviço prestado, tendo ali ficado a minha querida mãe sem qualquer recurso a ser acompanhada de forma excepcional. Na altura, comentei com a minha família e fiquei a saber que a Cardiologia do Santo André era muito reputada, facto que subscrevi. Mas a verdadeira experiência que me reconciliou por completo com o Hospital de Santo André estaria para chegar. A minha filha Maria deu entrada nas urgências, no passado dia 28 de Outubro, suspeitando-se de que teria uma meningite que lhe levantaria questões sérias de saúde. O que posso descrever, a bem da absoluta verdade, é que teve um tratamento que me honra como leiriense, também como jornalista, como privilegiado relator da vida e quotidiano de Leiria, enquanto a vida me permitir. A menina teve de ser internada. Lançou-se o pânico e passei a viver por alguns dias, na Pediatria do Hospital de Santo André. Felizmente o desfecho foi feliz. Não passou de uma ocorrência viral, detectada a tempo, com profissionais (todos, absolutamente todos) que se dedicaram à Maria, também a todas as crianças que ali se encontravam internadas. Um dia antes da saída

da Maria, da Pediatria, quando me deslocava para ir tomar o pequeno-almoço, depois de mais uma noite mal dormida, num cadeirão com tão pouco conforto para os pais, encontrei o meu amigo e administrador Hélder Roque. Perguntoume o que estava ali a fazer, ao que lhe relatei que a Maria estava na fase final do internamento e que recentemente ali tinha estado a minha mãe (que ele também conhece e sei que tem elevada estima). Fiz questão de lhe salientar do excelente tratamento que ambas tiveram (mãe e filha), tanto por auxiliares da acção médica, enfermeiros e médicos, pela capacidade de resposta e aparelhos tecnológicos para corresponder às necessidades de diagnóstico e tratamento. O Hospital de Santo André de Leiria já recebeu várias distinções. A mais recente foi a da Agência de Acreditação Internacional que reconheceu a unidade com excelência e qualidade. Mas, o maior prémio que um administrador, todo o pessoal médico e demais funcionários daquela unidade hospitalar podem receber, é um testemunho vivo de que os seus serviços são de referência, que se sente um ambiente de conforto e atenção para com o doente. Já disse e repito: um clínico que seja apenas um barra no conhecimento técnico e científico da sua profissão não é totalmente eficaz ou profissional no desempenho das suas funções, se não for portador e colaborante na dimensão humana que os doentes

tanto precisam. Conhecimento e afecto, são dois serviços indispensáveis em qualquer casa daquela natureza. Por isso, nunca mais esquecerei as noites mal dormidas mas compensadas pelas enfermeiras que iam medir a febre da Maria, que perante a sua resistência (até porque dormia), lhe chamavam de “Querida” ou “Amor”. Mas não o diziam por dizer. Distingui bem. Fizeram-no com uma dedicação e sentimento que me surpreendeu de forma inesperada. E quando picaram os bracinhos da pequena Maria, para lhe tirar sangue ou colocar soro, vi nos seus rostos a determinação mas também a angústia de terem de o fazer. Quando a Maria teve alta, em casa, disse-lhe em jeito de brincadeira, num dos momentos da sua teimosia, que se continuasse irrequieta voltaria para o hospital. Qual não foi o meu espanto que me respondeu prontamente que “sim”, não se importando de para lá voltar. E a Maria é uma menina muito ligada a afectos, gosta imenso do seu espaço habitacional... Este indicador demonstra claramete como foi tratada e como uma criança de dois anos se sentiu feliz num espaço onde sofreu imenso... O Hospital de Santo André de Leiria tem rei e roque. Está bem entregue. Mesmo que discorde que num hospital tenham que existir cegas contenções de despesa (numa doença ou caso grave, não se deve olhar ao dinheiro que se gasta), verifiquei que é uma unidade de saúde que respira imensa SAÚDE, a financeira e profissional. A Hélder Roque e toda a sua equipa, felicito-os publicamente pela forma como tratam e cuidam de todos os que têm de estar no Hospital de Santo André. Ali constatei o desejado bom serviço público de saúde. Assim fosse o resto do País. Sem dúvida alguma que passos importantes foram dados numa casa que carece de redobrados acompanhamentos e sensibilizações de todos os que nela trabalham, para que consigam curar mas também acalentar.


14 INSTITUCIONAL / OPINIÃO

O Mensageiro 8.Novembro.2012

CEDILE

OPINIÃO

Telefone 244 850 690 ECOGRAFIA / DOPPLER / ECOCARDIOGRAFIA TAC / MAMOGRAFIA / RX / OSTEODENSITOMETRIA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ARTICULAR Telefone +351244850690 / Fax 244850698 Largo Cândido dos Reis, Nº 11 / 12 • 2400-112 LEIRIA

Luís António Santos

Professor da Univ. Minho

A televisão que nos tiraram*

N

a pequena localidade onde costumo passar parte dos meus tempos de descanso, numa zona interior do distrito de Braga, há uma senhora de idade que, nos últimos meses, adotou uma nova rotina de vida. Depois de jantar, todas as

Dr. Rui Castela Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500

Telemóvel: 917 511 889 Telefone: 244 828 450 Fax: 244 828 580 Rua Machado Santos, n.º 33 2410-128 LEIRIA

Telefones: BARREIROS (sede): 244 840 677 JUNCAL: 244 470 610 Fernando - 919 890 630

FARMÁCIAS DE SERVIÇO Central (8), Godinho Tomáz (9), Higiene (10), Antunes (11), Lis (12), Oliveira (13), Sanches (14) e Tomáz (15). TELEFONES ÚTEIS Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

noites, a Srª Augusta, lá arruma a cozinha, veste um agasalho, fecha a porta e percorre a pé umas quantas dezenas de metros a caminho da casa da vizinha para ver televisão. Antes que surja a dúvida, não, este não é um qualquer texto repescado de um jornal da década de 1970. Hoje, em 2012, apesar de lhe terem vendido (no sentido figurado, mas também no sentido mais concreto) as “maravilhas” do novo serviço de TDT, a Srª Augusta, está mais mal servida do que estava antes. O país, que somos todos nós, não devia ter permitido que isto acontecesse, sobretudo a pessoas como ela. Mas permitiu. Permitiu o país político - com responsabilidades repartidas por igual entre os dois principais partidos

Cartório Notarial de Leiria a cargo do Notário Pedro Tavares Certifico, para fins de publicação, que neste Cartório e no Livro de Notas para Escrituras Diversas n° 225-A de folhas trinta e sete a folhas trinta e oito verso se encontra exarada uma escritura de Justificação Notarial no dia vinte e três de Outubro de 2012. outorgada por Maria Odete Domingues Fernandes Lisboa e marido Luís Vieira Rafael, casados em comunhão de adquiridos, naturais de Milagres, Leiria, residentes na Rua do Outeiro n° 585, Figueiras, Milagres, Leiria, nif 121 909 549 e 172 884 730, na qual disseram. Que, com exclusão de outrem, ela é dona e legítima possuidora do prédio rústico, composto por terra de cultura com árvores de fruto, com quinhentos metros quadrados, que confronta a norte com Luís Rafael, sul Luís Rafael, nascente Rua do Pinhal do Outeiro e poente Luís Rafael, sito em Balres, na freguesia de Milagres do concelho de Leiria, não descrito na Conservatória do Registo Predial deste concelho, inscrito na matriz sob o artigo 11.797, com o valor patrimonial tributário de 510€, igual ao atribuído; Que o prédio veio à posse dela por doação meramente verbal que lhe foi feita pelos pais Abílio Fernandes Lisboa e Maria Domingues, por volta de mil novecentos e oitenta, sendo ela ainda solteira a essa data. Que, assim, vem possuindo esse prédio como seu, há mais de vinte anos, como proprietária e na convicção de o ser, cultivando-o e colhendo os seus frutos, cumprindo as obrigações fiscais a ele relativas, posse que vem exercendo ininterrupta e ostensivamente, com conhecimento de toda a gente e sem oposição de quem quer que seja, assim de modo pacífico, contínuo, público e de boa fé, pelo que adquiriu por usucapião a propriedade sobre o indicado imóvel. Que dada a forma de aquisição originária não tem documentos que a comprovem. Que para suprir tal título vêm pela presente escritura prestar estas declarações de justificação com o fim de obter no registo predial a primeira inscrição de aquisição do prédio. Vai conforme ao original na parte fotocopiada não havendo na parte omitida nada que amplie restrinja, modifique ou condicione a parte fotocopiada. Maria Leonor de Almeida Pereira, funcionária do Cartório em epígrafe, no uso de competência cuja autorização pelo Notário respectivo foi publicado nos termos da Lei sob o número 128/3 a 31/01/2011, em Leiria, vinte e três de Outubro de dois mil e doze. A Funcionária, (Leonor Pereira)

- 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244 816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista

do chamado “arco da governação” - e permitiu quem, em nosso nome, tinha por missão principal assegurar que a (natural) ambição de uma empresa monopolista não se sobrepusesse ao interesse comum. A Srª Augusta não está sozinha nesta sua mudança de rotinas. Está, aliás, na companhia de muita e muita gente a quem não adianta coisa nenhuma ouvir os responsáveis da ANACOM dizer que tudo foi feito dentro do estrito cumprimento da lei. Isso sabe ela, coitada. E sabe também que as leis, “são eles que as fazem, para melhor se governarem”. Que a Srª Augusta pode ser analfabeta, mas é “bem fina”, como só mulheres da sua idade conseguem ser. O processo de implementação da TDT em Portugal foi um embuste social.

DR

pub

E teve - na elaboração das leis, dos regulamentos, dos concursos, das adjudicações e das alterações subsequentes – a cumplicidade de dois grandes partidos com enormes responsabilidades. Tudo aconteceu como estava previsto. Mas tudo aconteceu da pior forma (do ponto de vista do planeamento da oferta, das responsabilidades financeiras pela transição e da negociação do que ficou a “sobrar” no espectro). Há dias, uma tese de Doutoramento defendida na Universidade do Minho provou isto mesmo; provou, no fundo, o que a Srª Augusta sabe há muito. Mas, em vez de ter despoletado reações de políticos ou de entidades com responsabilidade na investigação despoletou - por parte da empresa beneficiada, a PT, e só depois por parte da entidade reguladora - ameaças de processo crime contra o autor do detalhado estudo. Dizer que ‘o rei vai nú’ ainda é muito difícil em Portugal. Deve ser porque somos uma ‘democracia jovem’. Só pode. A Srª Augusta lá resolveu o seu problema da melhor forma que soube - sem a ajuda do Estado, como se habituou a fazer durante toda a vida. * Originalmente publicado em Página1 (05/11/12) pub

F. Costa Pereira Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h Tel. 244 832406

- 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, André Batista (Pe.), Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), Cláudia Mirra, José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Pedro Jerónimo (CO1060), Saúl António Gomes, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade André Antunes Batista (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Depósito Legal 2906831/09 Impressão e Expedição Empresa do Diário do Minho, Lda - Tel: 253 303 170 - Fax: 253 303 171

Tabela de Assinaturas para 2012 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 8.Novembro.2012

liga portuguesa de futebol profissional

I Liga 8.ª Jornada 4 de Novembro Porto x Marítimo (5-0) Sp. Braga x Gil Vicente (3-1) Benfica x Vitória de Guimarães (3-0) Paços de Ferreira x Olhanense (0-0) Nacional x Beira-Mar (2-4) Moreirense x Rio Ave (0-1) Académica x Estoril (0-2) Vitória de Setúbal x Sporting (2-1) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Porto Benfica Sp. Braga Rio Ave P. Ferreira V. Guimarães V. Setúbal Estoril Gil Vicente Académica Marítimo Olhanense Sporting Moreirense Beira-Mar Nacional

J 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8

V 6 6 5 4 2 3 2 2 2 1 2 1 1 1 1 1

E 2 2 2 2 5 2 4 3 3 5 2 4 4 3 3 2

D 0 0 1 2 1 3 2 3 3 2 4 3 3 4 4 5

Pts 20 20 17 14 11 11 10 9 9 8 8 7 7 6 6 5

Vencedores caseiros

Jornada(s) quase perfeita(s)

ATLETISMO – Tiago Marques (A.C. Vermoil, Pombal) e Dulcínea Silva (C.A. Barreira, Leiria) venceram a Tripla-Légua de Vermoil (4 de Novembro), no escalão de seniores. “Foram precisos 19 anos e outros tantos vencedores para que o mérito vencedor fosse conquistado por um atleta da casa”, pode ler-se em acvermoil.org, numa alusão ao resultado de Tiago Marques. Colectivamente a vitória também foi para o A.C. Vermoil, seguido do I.D. Vieirense (2.º lugar) e C.A. Barreira (3.º). As restantes classificações, nestas categorias bem como nas de formação, podem ser consultadas no citado website, do clube organizador.

ANDEBOL – Colégio João de Barros (Pombal) e Juve Lis (Leiria) realizaram na Madeira um dupla jornada, a contar para o campeonato da 1.ª Divisão (seniores femininos), que foi globalmente positiva. O principal destaque vai para o empate (22-22) entre Madeira SAD e o João de Barros. Embora estivesse a vencer ao intervalo (11-7), a verdade é que invariavelmente a equipa das Meirinhas tem averbado derrotas frente a actual campeã nacional. Seguiu-se uma vitória (37-29) frente ao C.S. Madeira. Quanto à Juve Lis, registou com as mesmas equipas, respectivamente, uma derrota (12-24) e uma vitória (26-24). Actualmente João de Barros ocupa o 3.º lugar (11 pontos, 4 jogos), atrás de Alvarium (1.º, 15 pontos, 5 jogos) e Colégio de Gaia (2.º, 13 pontos, 5 jogos), e a Juve Lis o 5.º (9 pontos, 4 jogos).

Challenge Cup em Leiria

B.C. Lis no pódio

ANDEBOL – A terceira eliminatória da Challenge Cup (seniores femininos) decide-se em Leiria, em dois jogos que colocarão frente-afrente as equipas da Juventude Desportiva do Lis e do Spono Nottwil Handball (Suiça). O Centro Desportivo Juve Lis (São Romão, Leiria) será o local dos jogos, agendados para os dias 17 de Novembro, 16h00, e 18, 12h00

associação de futebol de leiria

TAÇA DISTRITO

9.ª Jornada 11 de Novembro Gil Vicente x Paços de Ferreira . Dia 9, 20h15, Sport Tv1 V. Guimarães x Nacional . Dia 10, 20h30, Sport Tv1 Estoril x Moreirense . 16h00 Olhanense x Beira-Mar . 16h00 Porto x Académica . 18h00, Sport Tv1 Rio Ave x Benfica . 19h30, Sport Tv2 Sporting x Sp. Braga . 20h15, Sport Tv1 Marítimo x Vitória de Setúbal . Dia 12, 20h15, Sport Tv1

4.ª Jornada 4 de Novembro (Pré-Elimin., Série A) Moita do Boi x Ansião (2-4) Ranha x Motor Clube (1-2) Folgou: Caseirinhos 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º

liga portuguesa de futebol profissional

II Liga 12.ª Jornada 4 de Novembro Belenenses x Penafiel (2-0) Porto B x Marítimo B (1-0) Trofense x Oliveirense (1-1) Freamunde x Arouca (0-1) Tondela x Portimonense (0-1) Feirense x Sp. Covilhã (1-0) Santa Clara x Atlético (2-1) U. Madeira x Leixões (1-1) Naval x V. Guimarães B (2-1) Benfica B x Sporting B (1-3) Sp. Braga B x D. Aves (1-2) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º 17.º 18.º 19.º 20.º 21.º 22.º

Equipa Sporting B Belenenses Arouca Oliveirense Marítimo B D. Aves Penafiel Benfica B Tondela Leixões Portimonense U. Madeira V. Guimarães B Santa Clara Sp. Covilhã Naval Atlético Porto B Feirense Trofense Sp. Braga B Freamunde

J 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12

V 10 9 7 6 7 5 6 5 5 4 4 3 3 3 2 3 4 2 3 2 0 1

E 1 1 3 5 0 5 2 4 3 5 4 5 4 4 6 3 0 5 2 5 6 3

D 1 2 2 1 5 2 4 3 4 3 4 4 5 5 4 6 8 5 7 5 6 8

Pts 31 28 24 23 21 20 20 19 18 17 16 14 13 13 12 12 12 11 11 11 6 6

13.ª Jornada 4 de Novembro Oliveirense x Benfica B . Dia 10, 11h15, Sport Tv1 Penafiel x U. Madeira . Dia 10, 16h00 Sporting B x Naval . Dia 10, 17h00 Sp. Covilhã x Sp. Braga B . Dia 10, 20h30 Marítimo B x Santa Clara . 11h00 Arouca x Porto B . 11h15, Sport Tv1 Trofense x Freamunde . 15h00 Atlético x Feirense . 15h00 Leixões x Tondela . 15h00 Portimonense x D. Aves . 16h00 V. Guimarães B x Belenenses . 16h00

BRIDGE – A equipa do Bridge Clube do Lis, constituída por Manuel Mendes, Mário David, Antero Correia, Armindo Ferreira, José Alho e Vasco Siza, terminou o Torneio Regional de Equipas Open da ABC 2012 (26 e 27 de Outubro, Coimbra) no 2.º lugar. Os restantes lugares do podio foram ocupados pelas equipas do Clube de Tiro Sport (Coimbra), 1.º, e Centro de Bridge da Bairrada (Mealhada), 3.º.

A equipa sénior feminina do C.R. Golpilheira conquistou a Supertaça da Associação de Futebol de Leiria, ao vencer a da Academia - A.D. Caranguejeira (6-3), num jogo disputado no Pavilhão das Meirinhas (1 de Novembro). Foto: AFL

federação portuguesa de futebol

federação portuguesa de futebol

federação portuguesa de futebol

associação de futebol de leiria

II Divisão B sul

III Divisão D

III Divisão E

HONRA

7.ª Jornada 4 de Novembro Casa Pia x Ribeira Brava (1-0) Louletano x U. Leiria SAD (1-1) Sertanense x Futebol Benfica (2-0) Fátima x Pinhalnovense (2-1) Mafra x Oeiras (5-3) 1.º Dezembro x Torreense (1-1) Carregado x Farense (1-2) Oriental x Quarteirense (3-0) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

O Estádio Dr. Magalhães Pessoa foi palco da Supertaça António Vieira Ascenso (1 de Novembro), conquistada pela equipa sénior masculina do S.C. Leiria e Marrazes à do C.C.R.Alqueidão da Serra (3-1). Numa tarde ameaçada pela chuva, esta resolveu aparecer no final, aquando da entrega do troféu. Foto: Pedro Jerónimo

Equipa Sertanense Farense Fátima Mafra 1.º Dezembro Oriental Carregado U. Leiria SAD Torreense Quarteirense Casa Pia Fut. Benfica Pinhalnovense Ribeira Brava Louletano Oeiras

J 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7

V 5 4 5 4 2 3 3 2 2 2 1 1 1 1 0 0

E 1 3 0 2 5 2 1 3 3 3 4 3 2 1 4 3

D 1 0 2 1 0 2 3 2 2 2 2 3 4 5 3 4

Pts 16 15 15 14 11 11 10 9 9 9 7 6 5 4 4 3

8.ª Jornada 11 de Novembro Ribeira Brava x Oriental .Todos os jogos às 15h00 U. Leiria SAD x Casa Pia Futebol Benfica x Louletano Pinhalnovense x Sertanense Oeiras x Fátima Torreense x Mafra Farense x 1.º Dezembro Quarteirense x Carregado

7.ª Jornada 4 de Novembro Torres Novas x Sp. Pombal (1-4) Alcanenense x Ol. Hospital (1-4) V. Sernanche x Mortágua (2-1) Marinhense x Beneditense (1-2) Sourense x Caldas (0-0) Penelense x Alcobaça (2-0) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Sourense Caldas V. Sernache Ol. Hospital Sp. Pombal Penelense Alcanenense Alcobaça Beneditense Marinhense Torres Novas Mortágua

J 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7

V 5 5 5 4 4 4 3 2 2 1 1 0

E 2 1 0 1 1 0 0 2 1 1 1 2

D 0 1 2 2 2 3 4 3 4 5 5 5

Pts 17 16 15 13 13 12 9 8 7 4 4 2

8.ª Jornada 11 de Novembro Sp. Pombal x Penelense .Todos os jogos às 15h00 Ol. Hospital x Torres Novas Mortágua x Alcanenense Beneditense x V. Sernache Caldas x Marinhense Alcobaça x Sourense

7.ª Jornada 4 de Novembro Lourinhanense x Cartaxo (3-1) U. Tires x Barreirense (4-2) Pêro Pinheiro x Peniche (2-0) Real x Amora (0-1) Eléctrico x Fabril Barreiro (0-0) Sacavenense x Sintrense (2-1) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Sintrense Sacavenense Eléctrico Lourinhanense Barreirense Fabril Barreiro U. Tires Real Pêro Pinheiro Amora Peniche Cartaxo

J 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6

V 4 4 4 3 3 2 2 2 2 0 0 0

E 2 1 0 2 2 3 3 2 2 3 1 1

D 0 1 2 1 1 1 1 2 2 3 5 5

Pts 14 13 12 11 11 9 9 8 8 3 1 1

8.ª Jornada 11 de Novembro Cartaxo x Sacavenense .Todos os jogos às 15h00 Barreirense x Lourinhanense Peniche x U. Tires Amora x Pêro Pinheiro Fabril Barreiro x Real Sintrense x Eléctrico

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa GRAP/Pousos Pelariga Pousaflores Marrazes Portomosense Guiense Fig.Vinhos Nazarenos Meirinhas Pataiense Atouguiense Lisboa Marinha Vieirense Avelarense Alvaiázere Bombarralense

J 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7 7

V 5 5 4 4 4 4 4 3 2 2 2 2 2 2 1 0

E 1 1 3 2 1 1 0 1 3 2 1 1 1 0 1 1

D 1 1 0 1 2 2 3 3 2 3 4 4 4 5 5 6

Pts 16 16 15 14 13 13 12 10 9 8 7 7 7 6 4 1

8.ª Jornada 11 de Novembro Vieirense x Alvaiázere .Todos os jogos às 15h00 GRAP/Pousos x Portomosense Atouguiense x Bombarralense Guiense x Meirinhas Pataiense x Avelarense Nazarenos x Lisboa e Marinha Figueiró dos Vinhos x Pelariga Marrazes x Pousaflores

J 3 3 4 3 3

V 3 2 2 1 0

E 0 0 0 0 0

D Pts 0 9 1 6 2 6 2 3 3 0

5.ª Jornada 11 de Novembro (Pré-Elimin., Série A) Ansião x Ranha .Todos os jogos às 15h00 Motor Clube x Caseirinhos Folga: Moita do Boi 4.ª Jornada 4 de Novembro (Pré-Elimin., Série B) Albergaria dos Doze x Mata Mourisquense (2-1) Alegre e Unido x Ilha (2-1) Folgou: Pedroguense 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º

7.ª Jornada 4 de Novembro Lisboa e Marinha x GRAP/Pousos (1-1) Bombarralense x Figueiró dos Vinhos (0-3) Pousaflores x Pataiense (0-0) Portomosense x Atouguiense (2-1) Pelariga x Guiense (2-1) Meirinhas x Marrazes (3-0) Alvaiázere x Nazarenos (0-3) Avelarense x Vieirense (1-3)

Equipa Ansião Motor Clube Moita do Boi Ranha Caseirinhos

Equipa Alb. dos Doze Alegre e Unido Mata Mourisq. Pedroguense Ilha

J 4 3 3 3 3

V 3 2 2 0 0

E 1 1 0 0 0

D Pts 0 10 0 7 1 6 3 0 3 0

5.ª Jornada 11 de Novembro (Pré-Elimin., Série B) Mata Mourisquense x Alegre e Unido Ilha x Pedroguense Folgou: Albergaria dos Doze 4.ª Jornada 4 de Novembro (Pré-Elimin., Série C) Outeirense x Alfeizerense (3-1) U. Leiria x Alqueidão da Serra (2-0) Folgou: Unidos 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º

Equipa U. Leiria Alq. Serra Unidos Outeirense Alfeizerense

J 3 3 3 4 3

V 2 2 1 1 0

E 1 0 2 1 0

D Pts 0 7 1 6 0 5 2 4 3 0

5.ª Jornada 11 de Novembro (Pré-Elimin., Série C) Alfeizerense x U. Leiria .Todos os jogos às 15h00 Alqueidão da Serra x Unidos Folga: Outeirense 4.ª Jornada 4 de Novembro (Pré-Elimin., Série D) Nadadouro x Os Vidreiros (4-0) Santo Amaro x Boavista (0-1) Folgou: Maceirinha 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º

Equipa Nadadouro Boavista Os Vidreiros Maceirinha Santo Amaro

J 4 3 3 3 3

V 3 2 1 1 0

E 1 1 0 0 0

D Pts 0 10 0 7 2 3 2 3 3 0

5.ª Jornada 11 de Novembro (Pré-Elimin., Série D) Os Vidreiros x Santo Amaro .Todos os jogos às 15h00 Boavista x Maceirinha Folga: Nadadouro


ÚLTIMA 8NOVEMBRO2012

Os livros podem ser divididos em dois grupos: aqueles do momento e aqueles de sempre. John Ruskin, poeta e crítico inglês [1819 - 1900]

Joaquim Santos apresenta nas Cortes, no próximo Domingo, a edição “Imagens com Foco - A cidade e a aldeia”

A sua cidade de Leiria e a visão empírica do autor sobre a vida resultam no seu livro número dez PERFIL DO AUTOR Joaquim Manuel Alves dos Santos, jornalista profissional, 40 anos, natural de Pousos, reside actualmente na freguesia de Colmeias. Mestre em Comunicação e Jornalismo, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. A 17 de Novembro de 2011, defesa da tese José Ferreira de Lacerda: o sacerdote jornalista – A Crónica sobre a Grande Guerra no jornalismo leiriense, na Sala dos Actos, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, com nota obtida de 17 valores. Na média final do curso (dois anos), obteve nota de 16 valores.

António Sá Pessoa, ilustrador

Licínio Florêncio, ilustrador Em Novembro de 2007, há precisamente cinco anos atrás, Joaquim Santos publicava o seu primeiro livro. Com o título “Estrelas que Voam para os Céus”, apresentado em Lisboa, na Avenida da Liberdade, com grande destaque de reportagem no Jornal Nacional da SIC, o autor iniciava uma jornada de publicações literárias. Assim, volvidos cinco anos, Joaquim Santos apresenta o seu 10º livro, intitulado “Imagens com Foco - A cidade e a aldeia”, numa cerimónia que decorrerá no dia 11 de Novembro de 2012, na Casa Museu João Soares, na freguesia de Cortes, pelas 16h00. A obra destaca na sua primeira parte a cidade de Leiria (Minha Leiria), na segunda parte apresenta uma visão empírica do autor sobre a vida e o quotidiano (Parte de Mim e do Imaginário), fechando num terceiro momento com uma chave de ouro incontornável, apre-

sentando uma selecção apurada de fotos sobre a cidade de Leiria antiga (A Leiria que não conheci). A publicação “Imagens com Foco - A cidade e a aldeia”, somou nas suas páginas as obras de dois conhecidos ilustradores, nomeadamente António Meneses de Sá Pessoa e de Licínio Florêncio, ambos com vivências intensas na freguesia de Cortes. O autor do prefácio, o Pe. Rui Ribeiro, amigo do autor e director do jornal O Mensageiro, órgão de comunicação onde Joaquim Santos é jornalista desde 2005, faz uma descrição sobre o protagonista de mais um livro que legará ao fundo local leiriense. “Conheço o Joaquim Santos há vários anos e a palavra que melhor o define é exactamente, em meu entender, a palavra mistério, segundo a concepção Paulina. Ou seja, há nele uma verdade sublime que se vai revelando passo a passo, em

cada momento e em cada escrito. As múltiplas facetas de actividades que desenvolve não fazem dele um super-homem, mas revelam uma inquietação permanente e misteriosa que faz parte de si. Inquieto com o mundo, com os outros e consigo mesmo, o Joaquim Santos é alguém que não consegue ficar parado.” - parte do prefácio da autoria do Pe. Rui Acácio. Esta apresentação decorrerá nas Cortes, porque os ilustradores e autor do prefácio têm um vínculo forte à terra mas também porque o autor, desde jovem, tomou aquela freguesia como terra do seu coração. Da Senhora do Monte à sede de freguesia, das Fontes à Reixida, da visita e participação em inúmeras iniciativas locais ao orgulho de por ali ter imensos amigos, quis Joaquim Santos concretizar este sonho de também ele fazer acontecer um momento de cultura na aldeia que

sempre o recebeu de braços abertos. Na sessão, para além de uma breve intervenção de Joaquim Santos, participará ainda Rui Sá Pessoa, director do Jornal das Cortes, apresentando o livro e o autor, assim como Licínio Florêncio que descreverá a sua relação de amizade com o escritor e a sua motivação para participar neste livro. António Meneses de Sá Pessoa trará à sessão imensas recordações da freguesia de Cortes, muitas delas sobre as experiências que ali viveu, recordará a cidade de Leiria, mas também evocará a sua família que a ela pertence(u), proporcionando certamente um grande momento cultural/ histórico. Este ilustrador irá expor algumas aguarelas para venda com o valor a reverter à Igreja Paroquial de Cortes, para um contributo na sua missão de ajudar os que mais precisam.

Percurso profissional

Um dos primeiros realizadores e apresentadores de emissoras de Leiria, na Rádio Sirol (Pousos), em 1983; Apresentação de diversos programas, de 1990 a 2000, nas três estações de rádio da cidade de Leiria (Rádio Comercial de Leiria, Rádio Liz e Rádio Clube de Leiria); Tipografia Leiriense, aprendeu a profissão de tipógrafo manual, mais tarde um dos impulsionadores da era da informática naquela unidade tipográfica de Leiria, promovendo a transição do semanário Região de Leiria do chumbo para a impressão em offset, através de paginação em PC (1986 até 1990); Semanário Região de Leiria (1990 até ao ano de 2003), desenvolvendo as funções de paginador, jornalista e mais tarde integrou o marketing; Em 1991, 1992 e 1993, foi membro do júri do Festival RTP da Canção. Actor secundário nas telenovelas “Fúria de Viver”, na SIC, em 2002; “O Jogo; na SIC, em 2002; no “Coração Malandro”, na TVI, em 2003. Na prática desportiva, atleta com dois títulos obtidos na década de 80 de campeão distrital de atletismo em provas do Inatel, na distância de 1500 metros em pista. Autor de duas revistas sobre a freguesia dos Pousos em 1992 e 1993. Participação em vários concursos literários com um destaque para a obtenção de segundo lugar a nível nacional, no ano de 1995, numa iniciativa da Comissão de Luta Contra a Sida e um primeiro lugar no prémio literário do POPH – Programa Operacional Potencial Humano, no ano de 2010, no concurso “Nosso Futuro Comum”. Representante da DECO na região de Leiria, através do Departamento de Estudos de Mercado da Revista Proteste, de 1995 até à actualidade. Participação em projectos de sondagens para a Universidade Católica Portuguesa, em 1998 e 1999, sendo o Referendo sobre a Regionalização um dos exemplos dos trabalhos desenvolvidos. Sobre esta participação recaiu uma mensagem de reconhecimento e de louvor do órgão máximo dessa instituição, destacando o profissionalismo e crédito que incutiu no trabalho. Em 1998 foi seleccionado para representante na cidade de Leiria da organização não governamental “International Friedship League” – Grupo Português. Esta ONG tem ligações próximas à UNESCO e à ONU. O Grupo Português do IFL é membro fundador do Conselho Nacional da Juventude. Membro da Assembleia de Freguesia de Colmeias nos anos de 1998 e 1999. Em 1999 é fundador do mensário informativo Notícias de Colmeias, jornal que ainda é proprietário e director. Inscrito no ICS – Instituto da Comunicação Social, desde 2001. portador do cartão de Jornalista Profissional nº 7731, emitido pela Comissão da Carteira Profissional de Jornalista. Colaborador na estrutura de Marketing do UEFA Euro 2004 com uma equipa destacada por aquele importante organismo de futebol mundial. Elaboração de planos de marketing, controlo das marcas apoiantes do Euro 2004, aplicação de estratégias de visibilidade nos eventos e acompanhamento integral de todas as cerimónias. Implementação de estratégias de marketing no Campeonato da Europa de Futebol em Portugal nos meios televisivos, rádio, imprensa, nos estádios de Leiria e Coimbra. No ano de 2004 deu início à frequência no processo RVCC (9º ano), seduzido pelos programas Novas Oportunidades, na NERLEI (Núcleo Empresarial da Região de Leiria), tendo ido a júri em 2005 (foi um dos primeiros candidatos validados/certificados pelo Ministério da Educação). No ano de 2005 assume as funções de jornalista no jornal “O Mensageiro” da Diocese de Leiria-Fátima, função que ainda exerce. Em 2007, inicia novamente a sua frequência num novo processo RVCC (12º ano), na NERLEI, tendo ido a júri em 2008, obtendo a sua validação/certificação pelo Ministério da Educação. Observador de futebol na época desportiva 2007 e 2008, no Sport Lisboa e Benfica. No ano lectivo de 2008-2009 integrou a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, realizando uma pós-graduação em Imprensa Regional. Obteve média de 16 valores. Representante e moderador da Associação “A Nossa Âncora – Apoio a Pais em Luto”, nos distritos de Santarém e Leiria, de 2006 até 2009. Membro do Conselho Económico da Paróquia de Colmeias (2011-2013). Colaborador desde 2010 da publicação electrónica “Eça & Outras”, plataforma de publicação de conteúdos sobre Eça de Queirós, da Confraria Queirosiana, Amigos do Solar do Conde de Resende, Canelas – Vila Nova de Gaia. Elaboração em 2010 de análise a uma carta inédita de José Maria Eça de Queirós, trabalho de investigação efectuado com a Doutora Ana Teresa Peixinho – FLUC – Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como escritor, publicou os seguintes livros: Estrelas que Voam para os Céus (Novembro de 2007); Leiria – Cidade Sonhada (Junho de 2008); Amor Terno (Novembro de 2008); Estrela Cintilante (Junho de 2009); Descoberta: Um Amor de Sempre (Novembro de 2009); BemAmor (Março de 2010); Ré Pública – 100 Anos de Contradições (Outubro de 2010); Ancorar o Amor (Novembro de 2010); Imagem de Letras (Março de 2012). Livros que desenvolveu em parceria com outros autores: Economia de Colmeias (2006); Gente e Saberes de Colmeias (2007); 10 anos Notícias de Colmeias (2009). Livros que prefaciou: Colmeias, uma origem, um espaço, um caminho (2004); Um Pequeno Retrato de Colmeias (2008); Contributos para a história da Igreja do Barracão (2008).


4933#OMensageiro#8NOV