Page 1

AGENDA P. 14

9 MAIO 2013 ANO 99 - N.º 4959 FUNDADOR: José Ferreira Lacerda DIRECTOR: Rui Ribeiro PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

FUNDADO EM 1914

DESTAQUE

CULTURA

Iniciativa do ISCTE | P. 4

“12 Horas de Gestão” ganho por estudantes da Batalha

Lançamento de livro | P. 5

Desafios da adolescência “Em troca de nada”

SOCIEDADE

No Centro Hospitalar | P. 6

Leiria debate saúde mental na infância

Semana da

Dez casos no concelho | P. 7

Câmara de Leiria apoia com 35 mil euros freguesias que impugnaram agregação

ECLESIAL

Em Leiria | P. 9

Bispo convida Diocese para a Festa da Fé

Conferência Cáritas | P. 9

“Um olhar sobre a promoção e protecção de crianças e jovens”

P. 2/3


2 DIOCESE

Rui Ribeiro prui@iol.pt

9.Maio.2013

EDITORIAL

Semana da Vida (12 a 19 de Maio)

Dá mais vida à tua vida

Vida para lá da morte

Ocorre por estes dias, mais concretamente de 12 a 19 de Maio, a semana da vida, marcada pelo dia da família, que se celebra no dia 15. Uma ocasião para reflectir sobre o valor da vida, rezar pelo dom da vida e de forma mais acutilante tomar atitudes favoráveis à vida. À medida que vamos percorrendo os caminhos do nosso peregrinar, vamo-nos dando conta de que nada acontece por acaso. O tempo mostra que há movimentos, interesses, que muitas vezes estão escondidos para lá das opções visíveis que se tomam. É assim em tudo na vida. Rara será a actitude que seja genuína, valendo por si mesmo, em que não se escondam estes interesses e pretensões. O progresso faz-se precisamente destas coisas. Muitas vezes a revelação de toda a verdade é o maior entrava ao progresso. Sabendo que a verdade liberta, o medo, a segurança, a apatia tornam-se entraves fortes ante a novidade e revelá-la pode significar impedir o progresso. Talvez por isso, continuamos a apostar nas meias-verdades, na ocultação de toda a verdade. A semana da vida Ao mesmo tempo que pretende olhar a vida de assumo a defesa da forma positiva, mas não vida nas suas mais deixa de ser também, de variadas formas, forma mais escondida, também participo, uma reacção assumida por vezes sem me contra uma, também dar conta, em claras assumida, cultura de manifestações da morte. Claro que a vida cultura da morte. é o dom por excelência, que vale por si mesmo, e a sua promoção não deveria estar dependente destas quezílias do pró e do contra. Nestes dias, ao pensar sobre este assunto, dei comigo a cair em contra-sensos porque ao mesmo tempo que assumo a defesa da vida nas suas mais variadas formas, também participo, por vezes sem me dar conta, em claras manifestações da cultura da morte, entendida nas suas mais variadas formas. A morte, como a vida, não se reduz aos seres vivos. De facto há vida para lá dos viventes. Há vida na sociedade que se compõe de variados sectores dinamizadores e assim estes tornam-se autênticos geradores da vida. Com razão a sociologia começou por imaginar a sociedade como um ser vivo, pois que as instituições, os grupos, as leis que a formam, são expressão de vida. E é neste campo que todos nós participamos de forma consciente ou inconsciente, na cultura da morte, sempre que deixamos morrer algum dos motores da sociedade. De qualquer modo aí está a semana da vida, para ser celebrada é certo, mas também para nos fazer pensar mais a fundo nos sinais de morte que nós, defensores da vida, vamos espalhando à nossa volta. Nesta edição, a penúltima na vida do nosso jornal, abordamos a temática da vida com a certeza de que os que morrem são de facto os que vivem eternamente.

DR

EDITORIAL

O Mensageiro

Desde 1994 a Conferência Episcopal Portuguesa, através da Comissão Episcopal competente para a área da Família, organiza a Semana da Vida. Esta iniciativa vem na sequência do apelo lançado em 1991 pelo Papa João Paulo II, na Encíclica O Evangelho da Vida sobre o valor e a inviolabilidade da vida humana, ao propor uma celebração que tenha por objectivo «suscitar nas consciências, nas famílias, na Igreja e na sociedade, o reconhecimento do sentido e valor da vida humana em todos os seus momentos e condições, concentrando a atenção de modo especial na gravidade do aborto e da eutanásia, sem contudo menosprezar os outros momentos e aspectos da vida…» (EV 85). Dirigida a todos os que procuram verdadeiras razões de esperança, a semana da vida no presente ano ocorre entre os dias 12 e 19 de Maio e leva o lema genérico “Dá mais vida à tua vida”. A frase escolhida acorda em nós a consciência de que a vida é o maior e mais precioso dos dons. Mas também desperta e mobiliza para a premente necessidade de uma nova postura: sendo

a vida, hoje, tão depreciada, ameaçada e destruída, urge parar esta cultura de morte, instaurando, em seu lugar, uma sólida cultura da vida. A cultura de morte Desde há alguns anos, ainda com João Paulo II, a Igreja tem definido a cultura actual, no que à vida diz respeito, com a expressão “cultura de morte”. Ou seja, vivemos um ambiente geral em que a vida não é apreciada, não é valorizada, não é promovida. Pelo contrário, são bem mais visíveis os sinais e apelos a uma cultura de morte. A este propósito, a Conferência Episcopal Portuguesa criticou na sua última assembleia plenária a “banalização” do aborto e a “facilitação” do divórcio, alertando para as consequências da actual legislação sobre o futuro das famílias. Os bispos aprovaram uma nota pastoral intitulada ‘A força da família em tempos de crise’ e sustentam que “a facilitação extrema do divórcio e as formas de convivência marital precária dificultam a decisão de ter filhos”. O Encontro Mundial das Famílias, sobre A Fa-

mília: o Trabalho e a Festa, apelou à vigilância atenta sobre a justiça das medidas económicas decretadas, denunciou a ilusão de se pretender responder aos problemas humanos apenas pela via económica e lembrou que a família não pode continuar a ser deformada e destruída sem que se ultraje e destrua a pessoa e a própria sociedade. Contra a corrente No nosso quadro cultural, reconhecidamente desfavorável, dar mais vida à vida é assumir modos concretos de defesa e promoção da dignidade inviolável de cada pessoa, desde a sua concepção até à sua morte natural. A Páscoa do Senhor, na sua Ascensão e na vinda do seu Espírito Santo, abre-nos à dimensão mais profunda do nosso ser. No meio de nós e fazendo-se em tudo igual, menos no pecado, Jesus liberta-nos e abre-nos à dimensão infinita da relação com o amor e a ternura de Deus. Revelando-nos o desígnio admirável da nossa origem, criados por amor e para o amor, convida-nos a seguir o exemplo da sua entrega completa para que tenhamos a vida e a tenha-

mos em abundância. A inteligência e o coração dizem-nos que a vida é direito e responsabilidade de todos e de cada um, ninguém vivendo só por si, nem apenas para si. Cabe-nos acolher, defender e promover a vida que foi depositada em nossas mãos, a própria e a dos outros. Como valor primeiro, ela deve ser também critério fundamental, subjacente a todas as instituições humanas, privadas ou públicas. Toda a sociedade que não fundamente as suas leis no respeito total pela vida, desumaniza-se e cava a sua própria ruína. A Semana da Vida é uma oportunidade e um desafio para cada pessoa, grupo ou família, pensar em melhorar a qualidade de vida, sua e dos outros, nos âmbitos pessoal, profissional e comunitário, inspirando-se nos autênticos valores humanos e cristãos. Dar mais vida à nossa vida implica abraçá-la em todas as circunstâncias, sem ceder nem aos egoísmos, nem às modas ou correntes de opinião, nem aos mercados, nem aos parlamentos.

Rui Ribeiro


DESTAQUE 3

O Mensageiro 9.Maio.2013

Cultura da morte dos anos 60, do FNUAP (Fundo das Nações Unidas para Actividades Populacionais). O aborto passou então a ser entendido como integrado nestas políticas de planeamento familiar. A segunda estratégia, ainda que em preparação desde meados dos anos 70, foi inaugurada em 1990 e continua em execução nos países em que o aborto já é legalizado. Em 1990 a Fundação Ford reconheceu que a legalização do aborto e o oferecimento de serviços de saúde era insuficiente para reduzir de forma considerável o crescimento populacional do planeta, porque a maior parte das pessoas ainda sonhavam em formar uma família e ter filhos. A Fundação reconhecia explicitamente, que o problema agora era não apenas legalizar o aborto e disponibilizar serviços de planeamento familiar, mas desmotivar as pessoas do desejo de ter filhos. Para isto seriam necessárias, mais do que a simples propaganda, alterações estruturais da sociedade, entre as quais a emancipação da mulher para o mercado de trabalho, a alteração da moralidade das relações sexuais, a introdução da ideia do aborto como um direito.

DR

Cultura da morte é mais que uma expressão e apresenta-se mesmo como uma estratégia bem planeada e organizada, situada no tempo e com objectivos definidos. Os especialistas falam habitualmente de 3 estratégias da cultura da morte. A primeira estratégia vigorou desde 1952 até 1990 e consistiu numa campanha alargada de planeamento familiar e legalização do aborto. A estratégia consistia em três etapas, cada uma das quais durou pouco menos de uma década. A primeira etapa promoveu o estabelecimento de uma rede mundial de especialistas e centros de estudos de demografia, que pudesse dar apoio às fases seguintes. Na década de 50 começaram a surgir recursos, fundações, institutos e organismos internacionais, e, cada qual à sua maneira, começaram a combater a ameaça do rápido crescimento demográfico, o que acabou por dar origem a uma cruzada mundial a favor da redução da fecundidade. A segunda etapa promoveu o estabelecimento de programas de planeamento familiar nos países de terceiro mundo, principalmente na Ásia e na África. A terceira etapa consistiu num lobby junto do governo federal dos Estados Unidos para que este reconhecesse o problema populacional mundial como questão de segurança interna dos Estados Unidos. Os programas de planeamento familiar, a esta altura já implantados em grande parte dos países do terceiro mundo, serviriam de vitrina para fundamentar as exigências apresentadas ao governo americano. Esta terceira etapa, logo em seguida, estendeu-se à ONU para que esta reconhecesse a necessidade de conter a explosão populacional, o que começou a suceder de facto com o reconhecimento das Nações Unidas, do planeamento familiar como direito humano e com a fundação, no final

O valor da vida Estes objectivos não poderiam ser alcançados pelo financiamento da pesquisa médica. Seria necessário financiar, em vez disso, em primeiro lugar, pesquisas na área das ciências sociais e, em vez da oferta de serviços de saúde, seria necessário dar prioridade ao financiamento do movimento feminista. A terceira estratégia, preparada desde 2002, pretende ter-se inaugurado, a nível mundial, em Maio de 2012, e deverá ser implementada nos países que se recusam a dobrar diante da Cultura da Morte. Tudo indica que, ainda que não haja um documento formal, o aborto seguro será a terceira grande estratégia para implantar o aborto. Esta estratégia não tentará, como principal objectivo, convencer os governos de que a explosão populacional é um problema de segurança nacional, ou desmotivar a população que deseja ter filhos para que não deseje construir uma família tradicional. O alvo básico da nova estratégia é a submissão das populações que já conscientemente não aceitam ou trabalham contra as estratégias anteriores.

A doutrina cristã aponta uma série de valores inerentes à promoção da vida que importa aqui recordar. A vida no seu todo precisa ser olhada de um ângulo novo e mais valorativo. Como um dom de Deus – uma dádiva de quem é o autor da vida, uma oferta a que cada um deve responder com maior generosidade sabendo que ninguém pode dispor da vida a seu bel-prazer sacrificando-a no seu início ou no seu fim. A vida deve ser respeitada desde a concepção até ao seu fim natural. Como complexo bio-psicosocial-cultural e espiritual – a vida humana não se esgota no equilíbrio físico ou psicológico. O ser humano é um ser integral em que todas as componentes são essenciais. Também a cultura, as relações e o encontro com Deus se tornam meio da construção do ser humano na sua totalidade. Como um direito e um dever – os direitos humanos nos artigos 3º e 25º consagram que a vida é inviolável, inalienável e indisponível. Todas as leis humanas, até a Constituição da República Portuguesa, consagram este direito e dever. Daqui resulta o respeito pela vida em qualquer circunstância. Como valor – que lhe dá um sentido profundo

entre os valores humanos, a vida, podendo não ser valor absoluto, é, porém, o primeiro de todos os valores a partir do qual se desenvolve toda a riqueza do ser humano. O problema está em descobrir-lhe o sentido, o porquê, o para quê e como viver na fidelidade a tudo o que é essencial. Como desafio de qualidade – é João Paulo II que afirma ser a qualidade muito mais do que a suficiência económica, a beleza exterior ou o estatuto social. Afirma então que a qualidade implica as relações interpessoais, espirituais e sobrenaturais (cf EV 23). Esta visão permite compreender que até a saúde é muito mais do que o “bem estar bio-psicosocial”. A saúde é a harmonia integral do ser humano, do respeito e promoção da vida em todos os aspectos, mesmo apesar de eventuais limites que a condicionam. É tudo isto e muito mais a vida que de Deus se recebe através do amor dos nossos pais. É a esta vida que se tem o dever de ser fiel, agradecendo-a ao Deus Criador e Senhor. Para estar comprometido com a vida, importa amá-la, defendê-la, promovê-la, santificá-la. Amar a vida – o dom da maternidade é a coisa

mais bela a viver por uma mulher na expectativa do seu filho. Também o homem, pela comunhão do amor, sente que a sua vida se perpetua. Depois, o processo educativo tem tempos de alegria e tempos difíceis. Apesar das horas de incerteza, a vida de alguém constitui sempre razão de profundo amor, quer para a acolher com alegria, quer para a salvar na eminência da rotura. Daí que todo o ser humano seja chamado a servir a vida com uma expressão de amor. Defender a vida – na sociedade contemporânea a vida humana está em risco. Antes do nascimento há quem se veja “obrigado” a recusar a vida. Na etapa final a síndrome da solidão gera muitas vezes o desejo de morrer. Neste e em muitos outros casos, a vida deve ser “salva”. Na medida em que se organizem respostas que dêem qualidade à vida daqueles que sofrem, é possível defender a vida com a verdade do amor, a fantasia da caridade, a solidariedade verdadeira. Promover a vida – não bastam as denúncias, nem os movimentos para evitar mortes prematuras quer no início, quer no termo da vida. É preciso ajudar cada pessoa a crescer, a descobrir o sentido da vida, a desenvolver-se, para ter uma vida humana com suficiente qualidade. Deste crescimento faz parte a valorização da inteligência, a participação no mundo do trabalho e na vida social. Santificar a vida – o ser humano é constantemente chamado a relacionar-se com Deus. Passa por aí a santificação da vida. No encontro pessoal com Cristo, na oração de cada dia, descobrem-se perspectivas novas de uma autêntica felicidade. Pode haver dificuldades, mas a comunhão com Cristo permite a ultrapassagem dos tempos mais difíceis. Foi Jesus quem no-lo disse nas Bem Aventuranças “Felizes mesmo que pobres e até mesmo perseguidos” (cf Mt 5, 1-12).


4 CULTURA

O Mensageiro 9.Maio.2013

Cinco alunos do 12º ano

CINEMAS

Teatro Miguel Franco (Leiria) • GUIA PARA UM FINAL FELIZ | Comédia Dramática| de David O. Russell | c/ Robert de Niro, Bradley Cooper, Jennifer Lawrence | 22 de Maio, 18h30 e 21h30. • OS MARRETAS | Comédia/Animação | de James Bobin | 26 de Maio, 11h00. • 00:30 A HORA NEGRA | Drama | de Kathryn Bigelow | c/ Chris Pratt, Jessica Chastain, Joel Edgerton | 26 de Maio, 15h30 e 21h30. Cine-Teatro (Monte Real) • SHRECK PARA SEMPRE | Animaão | de Mike Mitchell | 12 de Maio, 15h30. • MADAGASCAR 3 | Animaão | de Tom Mcgrath, Eric darnell, Conrad Vernon | 31 de Maio, 11h00.

EXPOSIÇÕES

Castelo - Leiria •”Habitantes e habitats” - pré e proto-história na bacia do Lis •”Korrodi e o restauro do Castelo de Leiria” - exposição permanente Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Os filmes que não vi aqui...” (22/5~30/6) •”Álvaro Cunhal” - vida pensamento e luta (~14/05) Teatro Miguel Franco - Leiria •”Rotas Diversas” - percursos III (~3/05) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Arte de recordar” - aguarelas de Inês Neves (~29/05) m|i|mo -Museu da Imagem em Movimento - Leiria •”Corpo e corpos, transgressões e narrativas” (18/05~29/06) •”Living tribes fotógrafos e viajantes solitários” (~11/05) •”(Re)Conhecer Leiria” (~15/06) •”Oficina do olhar” - exposição permanente Edifício Banco de Portugal - Leiria •”Sobreviventes” - fotografia de Filipe Silva (~18/05) Nekob-Maroc Café - Leiria •”Marrocos-um paraíso por descobrir” - Behindnature (~18/05) Casa-Museu João Soares - Cortes •”A República” - colecção de António Pedro Vicente (~31/05)

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS

Castelo - Leiria •”Contos ao pôr-do-sol” - sessão de música (19/05, 18h00) Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa e Estacionamento - Leiria • Feira de Leiria - tradicional Feira de Maio (~26/05) Teatro José Lúcio da Silva - Leiria • Cristina Nóbrega canta José Luís Tinoco (17/05, 21h30) •”David Fonseca & Orquetra de Jazz de Leiria” - música (21/05, 21h30) •”Às escuras” - teatro de animaão (24/05, 21h30) Teatro Miguel Franco - Leiria • Festival de Teatro juvenil (9, 14, 15 e 21/05) •”Ganda Zeca” - canções de José Afonso (10/05, 22h00) •”Músicas da Primavera” - concerto para bébes (12/05, 10h30 e 11h45) •”Loucos por amor” - teatro (17/05, 21h30) •”Pistolas, pilantras e problemas” - tearo (30/05, 22h00) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria • Histórias com ursos - hora do conto (17, 24 e 29/05, 10h30 e 14h30) •”A árvore das tocas” - BEBETECA (16/05, 10h15 e 18/05, 16h00) m|i|mo - museu da imagem em movimento - Leiria •”O adulto em psicoterapia:da avaliação à intervenção (11/5~7/12, 9h~13h) •”(Re)Conhecer Leiria - tertúlia (18/05, 17h00) Orfeão - Leiria •”Bichinhos de palco” - teatro infantil (~11/05, 15h30) Jardím Luís de Camões - Leiria •”Artes e ofícios” - XXV Desfile etnográfico de Leiria (19/05, 15h00) Pátio Mercado Sant’Ana - Leiria •”Nem tanto ao mar nem tanto à terra” - teatro (13/05, 21h30) Ateneu Desportivo - Leiria •”Roda a saia” - danças tradicionais (18/05, 14h00~20h00) • Workshop de dança (18/05, 22h00) • Música ao vivo - concerto (19/05, 14h00~17h00) • Workshop de dança (19/05, 17h00)

Alunos da Batalha vencem concurso “12 horas de Gestão” do ISCTE Inês Amado, Isa Vala, Fábio Pereira, Yrina Borodovska e Válter Bento são os vencedores do concurso “12 Horas de Gestão” promovido pelo ISCTE - Business Schooll de Lisboa. Os jovens estudantes frequentam o 12º ano na Escola Básica e Secundária da Batalha e estiveram a competir com outros 250 jovens oriundos de 25 escolas secundárias e colégios particulares do país. Os jovens vencedores apresentaram a concurso, uma ideia original de sapatilhas para a terceira idade, como uma oportunidade de negócio. Isto porque constataram que o envelhecimento da população portuguesa e na generalidade dos

países desenvolvidos é de facto uma realidade, cada vez mais evidente. Os estudantes tiveram que apresentar o produto, em público, num auditório. Para isso elaboraram um vídeo publicitário que chegou a estar disponível, para votação, na Internet. O “12 Horas de Gestão” tinha como principal objectivo proporcionar aos jovens, um primeiro contacto com a realidade universitária da gestão de empresas, num jogo de carácter pedagógico que englobou diferentes áreas da gestão, como a Estratégia, os Recursos Humanos, as Finanças e a Contabilidade, o Marketing e a Logística.

No Mercado Sant’Ana

1ª Bienal Criatividade Jovem Leiria com “Sunset Party” Os vencedores do concurso de pintura/escultura que decorreu integrado na 1ª Bienal Criatividade Jovem Leiria vão ser conhecidos no próximo Sábado, a partir das 16h00, no Mercado Sant’Ana, local onde se realiza este evento. Logo após, entre as 16h30 e as 20h00 terá lugar a “Sunset

Party” com DJ FADE IN. A apresentação dos trabalhos de literatura e anúncio dos vencedores decorrerá no dia 18 de Maio, às 16h00, repetindo-se, no mesmo horário, a “Sunset Party” com o DJ AFA. A 25 de Maio, pelas 16h00 terá lugar a projecção de trabalhos de vídeo no Es-

paço + Jovem, no Mercado Sant’Ana e a entrega de prémios de participação. O evento terminará com mais uma “Sunset Party” com o DJ Matamorfose. A 1ª bienal Criatividade Jovem Leiria pretende ser uma “montra” de divulgação e promoção dos trabalhos de jovens artistas de

Leiria em início de carreira. Uma iniciativa da Câmara Municipal de Leiria, da ECO – Associação Cultural; FADE IN – Associação de Acção Cultural; Associação Fazer Avançar e Metamorfose – Hábitos em Mutação Associação Cultural.

Para ajudar crianças com doenças hepáticas

Festival Caminhos do Cinema Português promove leilão solidário No próximo dia 2 de Junho, pelas 16 horas, o Festival Caminhos do Cinema Português promoverá um Leilão Solidário de Memoráblia de filmes, no Salão Caffé do Casino da Figueira da Foz. Serão leiloados artigos

utilizados na rodagem de filmes portugueses e alguns DVDs autografados, nomeadamente do filme “Em Segunda mão” de Catarina Ruivo que conta com a participação do já falecido Pedro Hestnes, “Sangue do meu Sangue” de João Cani-

jo, “Aquele Querido mês de Agosto” de Miguel Gomes, entre outros artigos. Estes artigos estarão expostos na entrada do Casino da Figueira da Foz entre 27 de Maio a 1 de Junho. Este leilão reverterá para a Associação Nacional das

Crianças e Jovens Transplantados ou com Doenças Hepáticas, que actua maioritariamente no Hospital Pediátrico, ajudando a suprimir as dificuldades das crianças internadas e seus familiares.


CULTURA 5

O Mensageiro 9.Maio.2013

“Em troca de nada”

Em Caldas da Rainha

Jovem estudante lança um livro sobre os desafios da adolescência “Em troca de nada” é o título do livro de Maria Francisca Almeida Gama, estudante do 10º ano de escolaridade, no Colégio Dr. Luís Pereira da Costa, em Monte Redondo, concelho de Leiria que será apresentado no dia 11 de Maio, no Hotel Eurosol, em Leiria. É uma estreia absoluta desta jovem, de apenas 15 anos, no mundo da literatura, cujo livro fala dos desafios com que se depara na sua idade. O director do Colégio, Rui Miranda congratula-se com a “vontade e perseverança e coragem” que levaram Maria Gama a “dar este primeiro grande passo na literatura, perseguindo o seu sonho, sendo desafio

da escola e dos professores dar todo o apoio a estes jovens cheios de vontade e de desejos de fazer coisas e de encher os dias”.

“Em troca de nada” fala de um a jovem chamada Íris, “uma rapariga como tantas as outras que, com 12 anos integrava uma

família feliz e tinha uma vida promissora pela frente, recheada de alegrias e de sonhos concretizáveis. Um percalço abala o seu mundo e tudo aquilo em que havia acreditado. A cor desvanece-se sem avisar e o preto e o branco apoderam-se dos seus dias. A luz deixa de a guiar e é na escuridão que tenta descobrir onde está ou para onde deve ir. Sente-se confusa, perdida, esquecida… A multidão que a rodeava afasta-se num só compasso e a música contagiante, que antes a fazia dançar, é, agora, substituída por um silêncio cortante, onde, esporadicamente, se ouvia uma palavra, dois suspiros, três insultos. Já nada era como dantes”.

Alunos da Batalha vencem 2º prémio de concurso literário Romance na Primavera” destaca-se, pelo facto, de ter sido escrito por alunos com algumas dificuldades de português e porque a inspiração nasceu da observação de uma imagem, nas aulas de Apoio ao Estudo de Português. “Um Romance na Primavera” foi escolhido

entre mais de dez mil textos, enviados de mais de 400 escolas e foi um texto que “encantou o júri” do concurso, adianta em comunicado a editora Caminho. Frederico Oliveira, Ana Beatriz Silva, Dário Franco, Verónica Santos, Laura Neves e Maria do Rosário Gon-

çalves tiveram a ajuda da professora Maria Fernanda Cardoso. O texto será publicado num dos livros da colecção “Uma Aventura” e os jovens receberam como brinde um cheque livro.

De 17 a 24 de Maio, em Leiria

Cáritas promove exposição “Crianças Austríacas da Cáritas em Portugal” A Cáritas Diocesana de Leiria-Fátima vai promover uma exposição intitulada “Crianças Austríacas da Cáritas em Portugal”, na cidade de Leiria, no Porto de Turismo de Leiria-Fátima de 17 a 24 de Maio, entre

as 10h00 e as 13h00 e das 14h00 às 18h00. Esta exposição surge no seguimento de uma acção da Caritas para com as 5500 crianças austríacas que, após a Segunda Guerra Mundial, foram acolhidas,

por famílias portuguesas. Para estas Crianças Cáritas, esta experiência de paz e relativo bem-estar foi marcante, e é motivo da maior gratidão até aos dias de hoje. Os contactos calorosos

O cantor português, Miguel Ângelo está em digressão para apresentar o seu mais recente trabalho “Primeiro”. Depois de 25 anos de carreira com os Delfins, Miguel Ângelo apostou na música a solo e apresenta “Primeiro”, no dia 11 de Maio, no centro Cultural de Caldas da Rainha, pelas 21h30, com os bilhetes a custarem 10 euros.

No dia 11 de Maio

Rota dos Escritores em Leiria No próximo Sábado terá lugar mais uma edição da “Rota dos Escritores” na cidade de Leiria. Durante a visita os participantes terão a oportunidade de conhecer melhor as ligações a Leiria dos escritores Francisco Rodrigues Lobo, Eça de Queiroz, Acácio de Paiva, Afonso Lopes Vieira e Miguel Torga. A visita guiada terá início marcado para as 15h00 e o ponto de encontro será o centro Cívico, na Rua Direita. A participação é gratuita. Esta iniciativa realiza-se no segundo sábado de cada mês.

No Colégio Nossa Senhora de Fátima

“Semana das Profissões”

A “Semana das Profissões” organizada pelo Colégio Nossa Senhora de Fátima, em Leiria termina esta Sextafeira e apresenta como tema de reflexão “Que Escolas? Que Ofertas?” com o objectivo de dar a conhecer aos seus estudantes, as ofertas formativas existentes nas escolas de Leiria. Para as 18h30 está agendada uma conversa sobre “A Influência dos pais, na escolha profissional dos filhos” que terá como oradora Ana Paula Santos, psicóloga APS. Logo de seguida José Manuel Silva, vice-presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) abordará a temática “Escolhas com sentido vs empregabilidade”.

Com “Um Romance na Primavera”

Seis alunos do 5º ano, ao Agrupamento de Escolas da Batalha venceram o 2º prémio do concurso “Uma Aventura … Literária 2013”, na modalidade de Texto Original, do escalão do 2º ciclo, promovido pela editora Caminho. A conquista deste prémio com o texto “Um

Miguel Ângelo actua no centro Cultural e Congressos

entre as Crianças Cáritas, entretanto adultas, e as suas famílias portuguesas perduram ao longo das décadas e das gerações, constituindo uma forte corrente de amizade entre a Áustria e Portugal.

Lançamento na Feira do Livro de Pataias

Livro sobre a ocupação do Litoral Oeste

“50 anos de ocupação do Litoral Oeste – O caso da freguesia de Pataias, Alcobaça” é o título do livro de Paulo Grilo Santos, que será apresentado no dia 18 de Maio, na Feira do Livro de Pataias, a partir das 21h00. A apresentação estará a cargo de Carlos Pereira da Silva e Nuno Pires Soares, docentes no Departamento de Geografia e Planeamento Regional da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.


6 SOCIEDADE

O Mensageiro 9.Maio.2013

No concelho de Leiria

A Praia do Pedrógão Centro, a única praia do concelho de Leiria, vai voltar a hastear a bandeira Azul, na próxima época balnear. Visto que lhe foi atribuído o galardão pela Associação Bandeira Azul da Europa. A distinção contemplou 277 praias e 44 marinas portuguesas. Isabel Gonçalves, Vereadora do Ambiente da Câmara Municipal de Leiria, manifesta “satisfação por esta atribuição porque “O galardão Bandeira Azul da Europa é um símbolo de qualidade ambiental atribuído em função do cumprimento de um conjunto de critérios, como são a informação e educação ambiental, a qualidade da água, a segurança e os serviços e a gestão ambiental e equipamentos.” A autarca destaca, sobretudo, a preocupação que a Câmara de Leiria tem tido com as questões de segurança durante a época balnear. “O plano integrado de segurança, além de garantir a vigilância da praia, engloba um dispositivo de segurança em terra, como forma de salvaguarda da segurança de banhistas e veraneantes durante a época balnear.” Símbolo de qualidade ambiental atribuído anualmente às praias, portos de recreio e marinas, a Bandeira Azul da Europa traduz o cumprimento de um conjunto de critérios de natureza ambiental, de segurança e conforto dos utentes e de informação e sensibilização ambiental. A nível internacional, a Bandeira Azul da Europa é reconhecida como um “eco-label”, designadamente pela Comissão Europeia e pelo Programa das Nações Unidas para o Ambiente.

Porto de Mós

Câmara Municipal adoptou o Licenciamento Zero O Licenciamento Zero chegou à Câmara Municipal de Porto de Mós com o objectivo de facilitar a abertura de alguns negócios através da eliminação de pareceres prévios, licenças e vistorias. Esta simplificação de procedimentos visa uma maior responsabilização dos agentes económicos e um reforço da fiscalização posterior à abertura dos estabelecimentos. O licenciamento zero pretende também a desmaterialização dos processos de licenciamento através de uma redução da carga burocrática e dos custos a ela inerentes. Para tal, constitui-se o balcão do empreendedor que servirá como ponto de contacto - por via electrónica - entre o cidadão e a administração pública A grande mudança que este regime institui, é a substituição de uma permissão administrativa, como por exemplo um alvará, por uma mera comunicação prévia, no balcão do empreendedor, para a instalação e a modificação de estabelecimentos de restauração ou de bebidas, de comércio de bens, de prestação de serviços ou de armazenagem. Em paralelo e na mesma modalidade, são também simplificados através de comunicação prévia, os licenciamentos até aqui exigidos para várias práticas, por exemplo, colocação de suporte informativo, mensagens publicitárias, toldo, esplanada, entre outros. As principais actividades que vêem simplificado o seu processo de licenciamento são os restaurantes e estabelecimentos de bebidas, comércio alimentar a retalho, prestações de serviços que podem envolver riscos para a saúde e segurança das pessoas.

DR

Praia do Pedrógão volta a hastear Bandeira Azul

Leiria recebe o XXIV Encontro Nacional de Psiquiatria

Saúde mental na infância e adolescência em debate no Hospital de Santo André Entre os dias 15 e 17 de Maio vai decorrer no Hospital de Santo André, o XXIV Encontro Nacional de Psiquiatria da Infância e da Adolescência subordinado ao tema “As múltiplas interfaces na saúde mental infanto-juvenil”. Um Encontro organizado pela Unidade de Pedopsiquiatria do Centro Hospitalar Leiria-Pombal (CHLP) e que reunirá cerca de uma centena de especialistas

para debater as questões ligadas ao universo dos jovens e das crianças, no que toca à saúde mental. Graça Milheiro, pedopsiquiatra do CHLP e membro da Comissão Organizadora deste Encontro, salienta “a grande relevância da realização deste encontro em Leiria, o que é, de certa forma, o reconhecer do trabalho que vimos realizando”. “Sendo um encontro nacional, va-

mos poder reunir no nosso hospital especialistas de grande qualidade, que nos darão perspectivas muito ricas e variadas do trabalho feito a nível nacional e internacional, o que se reflectirá, sem dúvida, na evolução do nosso trabalho e dos cuidados que prestamos aos utentes”. No dia 15 de Maio terá lugar um workshop intitulado “Comportamentos suicidários: avaliação e

intervenção”, e nos dias 16 e 17 de Maio, realizar-se-ão conferências e mesas redondas, onde serão abordados assuntos relacionados com a intervenção precoce, a articulação multidisciplinar, o risco psicossocial, entre outros. Haverá ainda um momento designado por “Uma hora com Júlio Machado Vaz e Inês Meneses”, que encerra este Encontro.

Leque alargado de especialistas nacionais discute temas ligados à saúde

Jornadas do CHLP falam de felicidade, motivação e iniciativa A “Felicidade, a motivação e a iniciativa” são o mote para as Jornadas do Centro Hospitalar LeiriaPombal (CHLP), que se realizam estas Quinta e Sexta-feira, no auditório do Hospital de santo André, Unidade de saúde do CHLP e que juntam dezenas de especialistas nacionais para debater temas actuais, pertinentes e nem sequer consensuais, em medicina e na prática clínica.

Estas jornadas servem, precisamente, para debater, levantar questões e avaliar temas tão diferentes como a felicidade nas organizações, o humor como instrumento para encarar a doença, a aplicação de medicinas não convencionais em ambiente hospitalar, as inovações cirúrgicas alcançadas pelo Centro Hospitalar LeiriaPombal (CHLP)e até a visão que a comunidade tem do seu hospital.

Para esta Quinta-feira, pelas 10h30, está agendada uma mesa redonda sobre “Humor com Sentido”, com as intervenções de José António Pereira da Silva, que falará da “Felicidade como arma terapêutica”; Helena José, professora no Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica de Lisboa, que abordará “Senti(n)do com humor”; e Marine Antunes, autora do blogue “Projecto

Cancro com Humor”, que falará precisamente desta questão. Às 15h00 será tempo da mesa redonda “Medicinas (des)convencionais: ponto, meridianos e infusões”. Na Sexta-feira, a partir das 09h30 começará a mesa redonda “Nós por cá, artes e reflexões” que reflectirá sobre os vários serviços do CHLP.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 9.Maio.2013

Marinha Grande

Em Leiria a 11 de Maio

O processo de expansão da Zona Industrial da Marinha Grande foi desbloqueado com a assinatura da escritura de permuta, entre o representante do Município da Marinha Grande, Álvaro Pereira e os representantes do Estado e do Instituto de Emprego e Formação Profissional, no passado dia 3 de Maio. O Estado, através desta permuta, entregou ao Município da Marinha Grande uma parcela de terreno, na Mata Nacional do Casal da Lebre, com uma área de 13,69 hectares, bem como, conjuntamente com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, os imóveis onde funcionava a antiga Fábrica de Vidros da J. Ferreira Custódio. Em troca, o Município da Marinha Grande entregou ao Estado as parcelas de terreno situadas no Pinhal do Concelho/Pinhal da Boa Esperança, com 53, 48

DR

Expansão da zona industrial pode avançar

hectares, assim como, uma quantia em dinheiro. Álvaro Pereira, presidente da Câmara Municipal congratula-se “com o facto de, finalmente, ser possível concretizar a expansão da Zona Industrial de Casal da Lebre, que constitui uma prioridade fundamental para o concelho e uma oportunidade para a criação e/ou manutenção de postos de trabalho”. Ao mesmo

tempo salienta que “o desenvolvimento económico do concelho constitui uma matriz fundamental das políticas públicas municipais e tal passa pela existência de ofertas integradas de condições físicas para a instalação de unidades industriais”. Estas negociações com o Estado arrastam-se há vários anos. Contudo para chegar a um entendimen-

to foi necessário assegurar uma plataforma de entendimento que não impedisse a capacidade de execução das infra-estruturas necessárias à futura constituição dos lotes destinados às unidades industriais. O autarca marinhense considera que as condições, agora alcançadas, são “as mais vantajosas para o concelho e que permitem, no quadro actual, o desenvolvimento mais rápido das infra-estruturas necessárias à sua colocação ao dispor dos investidores”. Com este acordo, a Câmara da Marinha Grande espera a curto prazo conseguir concretizar a ligação da Zona Industrial à rotunda sul da Estrada do Guilherme, garantindo a segunda entrada e saída à zona industrial, o que melhora as condições de segurança e de acesso às diferentes fábricas ali instaladas.

Contra a vontade da oposição

Câmara dá apoio de 35 mil euros a freguesias para impugnar agregações A Lei da Reorganização Administrativa do território continuar a gerar muita polémica, nas juntas de freguesia do concelho de Leiria que, simplesmente, não aceitam a agregação imposta pelo Governo. Nesse sentido, há dez juntas de freguesia que decidiram impugnar a sua agregação e avançar para tribunal. Tendo em conta que a Câmara Municipal de Leiria sempre se mostrou contra este processo e solidária com as juntas, deliberou a autarquia, na última reunião de câmara, atribuir 3.500 euros a cada uma das dez juntas que decidiram avançar para tribunal. Uma decisão que mereceu os votos contra dos

vereadores da oposição e da vereadora Blandina Oliveira. Tendo em conta o teor da declaração de voto que apresentaram, o presidente da Câmara Municipal de Leiria, Raul Castro esclareceu que “este apoio está enquadrado legalmente e destina-se exclusivamente a impugnar judicialmente o novo mapa das freguesias, e não estudos relacionados com a matéria”. Raul Castro explica que as dez freguesias “solicitaram apoio” ao Município de Leiria por não disporem de recursos financeiros para suportar a totalidade das despesas envolvidas e que quem tem legitimidade para impugnar o novo mapa administrativo são as freguesias que se con-

sideram lesadas, e não o Município. Também foi explicado que a hipótese de estas acções judiciais serem defendidas por juristas do Município fica afastada, dada a lei não o permitir, uma vez que não se encontram inscritos na Ordem dos Advogados. O autarca acrescenta, por outro lado, que as freguesias “escolheram o advogado que entenderam” e que o apoio concedido pela Câmara Municipal seria mantido, independentemente dos advogados contratados por cada uma. O Presidente da Câmara Municipal de Leiria manifesta ainda estranheza por os Vereadores do PSD e a Vereadora Blandina Oli-

veira terem votado contra a atribuição de apoio às freguesias para lhes permitir impugnar a adopção do novo mapa administrativo. “Fica, assim, demonstrado quem defende a manutenção das actuais freguesias e está do lado das populações e quem assume interesses contrários, subordinados à intenção do Governo em continuar a teimar no processo de reforma administrativa, que só irá pesar sobre as populações e nada mais irá trazer às mesmas.” Azoia, Barosa, Barreira, Boa Vista, Carvide, Chainça, Carreira, Cortes, Ortigosa e Pousos são as freguesias que irão beneficiar deste apoio.

Trânsito interrompido para a Benção de Finalistas No dia 11 de Maio terá lugar a cerimónia de Bênção das Pastas dos estudantes finalistas do Ensino Superior em Leiria. Nesse sentido, o trânsito sofrerá algumas alterações, entre as 14h00 e as 18h00, desde o início ao fim do desfile. Os estudantes vão concentrar-se no Largo da República, seguindo depois pela Rua do Município, a Rua de Alcobaça, o Largo Cândido dos Reis, a Rua Barão de Viamonte, o Largo da Sé e o parque de estacionamento da Sé de Leiria.

Avaliação das especialidades médicas no HSA

Entidade Reguladora da Saúde reconhece excelência clínica

A excelência clínica do Hospital de Santo André (HSA), unidade do Centro Hospitalar Leiria-Pombal (CHLP) foi reconhecida pela Entidade Reguladora da Saúde, no relatório recentemente divulgado e que visava avaliar, de forma objectiva e consistente, a qualidade dos cuidados de saúde em Portugal. Na análise do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS) que visa especificamente a dimensão da excelência clínica, o HSA recebe classificação máxima na Obstetrícia, nomeadamente nos partos e cuidados pré-natais, à Ortopedia, no tratamento cirúrgico da fractura proximal do fémur, e à Pediatria, especialmente nos cuidados neonatais. Hélder Roque, presidente do Conselho de Administração do CHLP, olha para esta análise como “o resultado do trabalho que vem sendo desenvolvido ao longo dos últimos anos, e, acima de tudo, o reconhecimento da qualidade dos nossos profissionais e dos investimentos que vimos fazendo para melhorar as condições de prestação de cuidados, de segurança e conforto, e que foram, inclusivamente, reconhecidos pelos nossos utentes no inquérito realizado em 2012 – 91% dos nossos utentes consideram a nossa qualidade boa ou muito boa”.

Para se dar conhecer

Instituto Politécnico de Leiria promove Semana Internacional Até dia 10 de Maio o Instituto Politécnico de Leiria (IPL) está a promover a Aemana Internacional do IPL com o objectivo de promover a partilha de saberes e culturas nas suas diferentes escolas, bem como a internacionalização do Instituto. “A Semana Internacional do IPL é uma tradição que envolve os nossos docentes e não docentes, bem como estudantes que já estiveram em mobilidade. Conta ainda com a participação de colaboradores e estudantes de outros países que se encontram no Instituto a efectuar um intercâmbio internacional”, explica Nuno Mangas, presidente do IPL.A Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) organiza esta Quinta-feira, o seminário “Língua e Cultura Portuguesa” e a iniciativa “A minha experiência Erasmus que liga a vida e a aprendizagem”, em que os estudantes darão o testemunho da sua experiência no estrangeiro. A actividade “Conhece o meu país” dará voz aos estudantes que se encontram em mobilidade nesta escola, e ao fim do dia será realizado um jantar dedicado à gastronomia portuguesa.A Escola Superior de Saúde (ESSLei) encerra a Semana Internacional no dia 10 de Maio com a conferência “Uma amizade que atravessa a Europa”. Após este momento será servido um almoço luso-norueguês e serão apresentados testemunhos de estudantes no âmbito da acção “Uma norueguesa em Portugal / Uma portuguesa na Noruega


8 ECLESIAL

O Mensageiro 9.Maio.2013

Família há oito séculos

Nos passos de Jesus

P

or entre a beleza natural do norte do jardim à beira mar plantado, surge Braga uma das mais antigas cidades portuguesas e uma das cidades cristãs mais antigas do mundo; a Bracara Augusta dos romanos conta com mais de 2000 anos de História como cidade. Neste secular espaço citadino são fundados dois Mosteiros da Ordem de Santa Clara em 1625 e 1727. Esta Roma Portuguesa viu brilhar no seu seio, com grande resplendor, o Evangelho e da altíssima pobreza, pela vida das filhas de Clara de Assis. Em Vinhais, foi fundado o Mosteiro de Santa Clara em 1664, pelo Dr. António Álvares Ferreira, Juiz de Fora, e sua mulher, D. Helena de Nóvoa, que era natural dessa terra. Sua primeira Abadessa foi a Irmã Maria de São Boaventura. Brilhou ali o ideal de Assis nas inumeráveis jovens

DOM DA FÉ

Pe Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

Creio em Deus Amor http://padrejorgeguarda.cancaonova.pt

O

símbolo da fé cristã começa por afirmar “creio em Deus, Pai todo-poderoso...”. Creio... é a resposta do homem a Deus, que se lhe dá a conhecer como próximo e amigo, convidando-o a viver em comunhão com Ele (cf DV 2). É na liberdade que o homem corresponde às iniciativas do amor de Deus. E só no amor o homem o pode fazer de modo adequado. Deus não se impõe nem pretende dominar. Propõe-se, comunica-se, faz amizade, inspira e

que fielmente seguiram os passos de Jesus pobre e crucificado. A Comunidade chegou a ter 112 Irmãs professas. Extinto no ano de 1882, foi ocupado pouco depois pela Câmara Municipal e outras instituições públicas. A igreja, o coro e as capelas do edifício foram dadas à Santa Casa da Misericórdia. Com o aroma de santidade que daqui irradiou para toda a Igreja, permanece a beleza das lendas: É costume dizer-se na região, sobretudo em Vinhais, no que se refere à duração de qualquer alimento: «rende como os feijões da Madre Garcia». No Mosteiro de Santa Clara existiu uma Irmã que morreu com fama de santidade, de sobrenome Garcia. Como era despenseira, os mantimentos rendiam-lhe mais que às outras; durante muito tempo gastou da reduzida colheita dos feijões sem baixar o depósito. Consta

que «em mau ano agrícola, a virtuosa Irmã governou as suas Irmãs e matou a fome a muitos pobres com a parca colheita que tinha no celeiro». Conta-se ainda que uma irmãzinha do mesmo Mosteiro, de nome Plágia, muito devota da Sagrada Família, depois da oração dizia às irmãs: «Se soubésseis o que eu tenho no meu coração!…» Elas, pensativas, pediam-lhe lhes dissesse o que sentia, tendo como resposta apenas as mesmas palavras: «Se soubésseis o que eu tenho no meu coração!…» . Quando morreu, as irmãs levadas pela curiosidade abriram-lhe o lado esquerdo, observando com assombro as imagens de Jesus, Maria e José, gravadas no coração. O milagre espalhou-se rapidamente por toda a parte, tendo vindo muito povo de longe a presenciá-lo. O coração da irmã Plágia foi fechado num relicário e guardado re-

ligiosamente. Com a extinção do Convento, desapareceram todos os objectos e relíquias veneráveis, permanecendo apenas a simplicidade das lendas. Em 1675 surge um novo Mosteiro em Alenquer mais concretamente em Aldeia Galega. Três anos depois, é fundado um mosteiro em Resende, por Mariana da Madre de Deus, sob invocação de Jesus-Maria-José. A fundadora, de família nobre e rica, com a sua mãe transformaram a casa e a quinta de seus pais num recolhimento de jovens e nele ela iniciou vida de clausura. Alguns familiares não se conformaram com a aquela decisão e colocaram vários obstáculos, contribuindo assim para o atraso das licenças e privilégios da clausura, que só veio a ser instituída no dia 8 de Setembro de 1678, sob a Regra de Santa Clara.

A pressão dos parentes da jovem junto do bispo de Lamego, D. Frei Luís da Silva, impediram-na de emitir os votos religiosos, pelo que, a primeira abadessa foi a Madre Isabel Baptista. O homem põe e Deus dispõe e, por isso, sete anos após a fundação, com a substituição do Bispo, a fundadora pôde consagrar-se totalmente a Deus emitindo os votos. Dois anos depois foi eleita abadessa. Faleceu com fama de santa, a 1 de Janeiro de 1693. A comunidade chegou a contar com mais de trinta religiosas. Devido a algumas dificuldades de subsistência nos finais do século XVIII a Comunidade transferiu-se para o Mosteiro das Chagas de Lamego. Com a extinção das Ordens Religiosas o edifício foi confiscado pelo Estado e vendido em hasta pública. Reconstruído, foi durante alguns anos adaptado a colégio para meninas. Vítima

de um incêndio ocorrido no princípio do século XX, restam apenas as ruínas. Há circunstâncias na vida em que a dignidade humana pode exigir grandes sacrifícios, isto é, heroísmo. Ninguém tem autoridade moral para exigir de outro um comportamento heróico. Cada um de nós tem essa obrigação, não porque outros lho peçam ou censurem se o não fizer, mas porque as próprias coisas lho pedem; pede-o sobretudo a dignidade humana. A história de todas as culturas está cheia de gestos exemplares deste tipo, fora do “normal estatístico”. Mas estas escolhas podem surgir na vida de todos os homens, em circunstâncias “normais”. (Juan Luis Lorda)

suscita confiança. As páginas da Bíblia narram a admirável história do amor de Deus pelo homem. Em Deus, Pai todo-poderoso... O homem crê, antes de tudo, em Deus, a quem chama Pai, pois nele e por obra sua tem origem a sua vida. Deus é aquele que sempre o ama e acompanha. É todo-poderoso no amor e no perdão, pois nunca desiste de amar o homem, é sempre fiel. Mesmo que o homem lhe volte as costas, Ele não faz o mesmo, mas sempre o procura e acolhe, como o mostra a “parábola do filho pródigo” ou do “pai misericordioso”. A mística inglesa do século XIV Juliana de Norvich, associa a Deus tanto a figura do pai como a da mãe, dizendo que “Deus é tão verdadeiramente mãe como pai”. Criador do Céu e da Terra... Tudo o que existe não vem do acaso, é obra de Deus, do seu amor, poder e sabedoria. Ele não cria por necessidade, mas por livre iniciativa e para o bem. Dele surge tanto o que se vê, o que é material, o mundo e quanto nele existe, como o que se não vê, as realidades escondidas e as espirituais, a nossa alma, os anjos... Tudo vem dele e para ele se orienta.

Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor... No seu amor pelo homem, Deus Pai quis fazer-se próximo, pelo que lhe enviou o seu Filho, o único Filho, que assumiu uma vida semelhante à daqueles a quem o Pai o enviou. É pelo Filho que podemos conhecer o Pai, pois mostrou-se na nossa carne, falou connosco, usou a nossa linguagem. Vê-lo é ver o Pai e ouvi-lo é acolher a voz do Pai (cf Jo 14,9). Jesus Cristo é nosso Senhor. Ele mesmo confirmou aos discípulos: “Vós chamais-me mestre e senhor, e dizeis bem, porque o sou” (Jo 13,13). Ele é nosso mestre e modelo, é quem nos guia e nos põem em comunhão com o Pai. O crente confia-lhe a direção da sua vida e coopera com ele, pois acredita que com ele vai mais longe e vive melhor. Que foi concebido pelo Espírito Santo... Jesus teve a sua origem em Deus e a sua concepção é obra do Espírito de Deus, é miraculosa e não comum, pois não intervém um homem. Por isso, a sua mãe é considerada virgem. Nasceu da Virgem Maria... O Filho de Deus não apareceu na terra como uma figura celeste para se impor ao homem. Nasceu de uma mulher, mas de forma

extraordinária. O natal narra e celebra este nascimento de Jesus “segundo a carne”. Fezse verdadeiramente homem, embora seja único. E viveu de modo semelhante a qualquer homem, aprendendo tudo o que diz respeito à vida humana. Padeceu sob Pôncio Pilatos... Jesus foi vítima de sofrimento que lhe infligiram os judeus no tempo histórico do governador romano da Palestina, cujo nome ficou no credo, pois teve responsabilidades na condenação de Jesus. Ele assumiu as fragilidades e limites humanos, para ensinar o homem a dar-lhes sentido e enfrentá-los como desafios para a perfeição e a santidade. Foi crucificado, morto e sepultado... “para nos conduzir a Deus” (1 Pe 3, 18). Jesus sofreu imenso e morreu efetivamente, sendo sepultado, descendo à terra. Para quê? Para redimir os homens dos seus males e lhes dar a vida pela fé em Deus e pelos sacramentos. Desceu à mansão dos mortos... “para pregar também aos espíritos cativos” (1 Pe 3, 19). Jesus assumiu plenamente a morte e libertou os mortos para lhes dar acesso à vida plena com Deus.

Ressuscitou ao terceiro dia... Jesus não ficou no túmulo, voltou à vida pelo poder de Deus e está vivo. Os discípulos, que se encontraram com Ele, tornaram-se suas testemunhas. Ele próprio deu-lhes nova vida e enviou-os a proclamarem o Evangelho a todos os homens. Quem nele crê recebe a mesma nova vida espiritual pelo poder de Cristo vivo. Subiu aos Céus... Terminou a sua missão visível na Terra, regressando para onde estava antes da sua incarnação. Com ele subirão os que nele crerem, aspirando às coisas do Alto... Está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso... Jesus regressou para junto do Pai. O estar sentado à direita de Deus significa a união com Ele, a participação na natureza divina e no seu poder. Mais, é daí que Ele há de voltar à Terra para julgar os vivos e os mortos. O capítulo 25 do evangelho de S. Mateus mostra-nos Jesus no seu papel de juiz universal. O critério desse julgamento é o amor ao próximo: o que se faz ou se deixa de fazer ao homem, Jesus considera que é feito ou deixado de fazer a ele mesmo. Quem não ama o seu próximo que vê não ama na verdade a

Deus, que não vê. Creio no Espírito Santo... Jesus prometeu que seria enviado pelo Pai e ficaria com os seus discípulos, estaria com eles. Ele ensinar-lhes-ia tudo, recordar-lhes-ia tudo o que o mesmo Jesus ensinou (cf Jo 14, 17.26). O Espírito é quem revela a distinção e exprime a união e comunhão no amor no interior de Deus. Para os crentes ele é o mestre interior que os ensina, capacita e guia nos caminhos de Deus na sua vida quotidiana e não somente nos momentos extraordinários. A profissão de fé do cristão dirige-se a Deus, que é comunhão de amor, relação e doação mútua das pessoas divinas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, que são um só Deus. O melhor resumo do que é Deus exprime-se na afirmação. “Deus é amor” (1 Jo 4, 8.16). É um amor prático e próximo do homem, como testemunha o profeta Isaías (43,5): “Não temas, porque Eu estou contigo”. E mais: ainda que uma mãe possa esquecer o filho das suas entranhas, “Eu nunca te esquecerei”, diz Deus ao homem que o escuta e nele acredita (Is 49,15). No próximo artigo comentarei a última parte do credo.

Irmãs Clarissas de Monte Real


DIOCESE 9

O Mensageiro 9.Maio.2013

Breves

Convite à Festa da Fé 2013 Caríssimos irmãos e irmãs da Igreja de Leiria-Fátima, em Maio de 2010, vivemos juntos uma experiência intensa e maravilhosa de celebração festiva da nossa fé. Com o lema “Rosto(s) da Igreja Diocesana”, sentimos a alegria da unidade da Igreja Diocesana, expressa em algumas iniciativas que juntaram milhares de fiéis, tal como saboreámos a riqueza da sua diversidade, na partilha das várias comunidades, movimentos, estruturas e serviços. Com esta grata memória voltei a propor uma nova edição da Festa da Fé como coroamento do Ano da Fé. A realização da Festa será nos próximos dias 31 de Maio a 2 de Junho. Escolhemos como tema a expressão “Caminho(s) de vida, razões de esperança”. Queremos dar visibilidade à beleza e à alegria dos “caminhos de vida” com Cristo na comunidade cristã, na sociedade e no mundo. E queremos também manifestar as “razões de esperança”, tão necessárias nestes tempos que vivemos de dificuldades e desafios acrescidos.

Neste momento em que a data se aproxima, renovo o meu convite e apelo à participação de cada um de vós, meus irmãos e minhas irmãs diocesanos: às crianças, jovens e adultos; aos leigos, padres e religiosos; aos mais envolvidos na acção pastoral e aos menos próximos da vida eclesial. Só com a presença de todos, na vossa diversidade de carismas e personalidades, poderemos fazer uma verdadeira festa diocesana, de todos e para todos. Aos que aceitarem este convite do vosso Bispo, bem como a todos os que estiverem de passagem ou em visita ocasional, estendo o meu abraço de acolhimento fraterno e o convite a que entrem em cada uma das tendas de exposição e em cada um dos espaços de oração, de cultura, de música e de convívio. A todos, sede bem-vindos, em nome de Jesus Cristo, nosso caminho e nossa esperança!

† D. António Marto, Bispo de Leiria-Fátima

“Um olhar sobre a promoção e protecção de crianças e jovens”

Cáritas promove conferência A Cáritas Diocesana de Leiria-Fátima vai promover, no próximo dia 17 de Maio, pelas 17h00, na Biblioteca Afonso Lopes Vieira, em Leiria, uma conferência subordinada ao tema “Um olhar sobre a promoção e protecção de crianças e jovens”. Os oradores convidados serão Armando Leandro, presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em risco (CNPCJ), e Rita Cabral, directora técnica do Internato Masculino de Leiria. A ocasião servirá ainda

para a apresentação do livro “Criminalidade, Geração e Educação de Menores”, de Ernesto Candeias Martins, uma obra baseada em textos do padre António, uma “figura excepcional” na defesa dos valores humanos, sobretudo do conceito de “superior interesse da criança” e da necessidade de “qualidade da infância” para a construção do futuro. A afirmação é de Armando Leandro, presidente da CNPCJ, que irá apresentar esta obra por si considerada “de interesse público”. O evento terá entrada

Cursilho de Cristandade

O Movimento dos Cursos de Cristandade (MCC) realizou, nos passados dias 25 a 28 de Abril de 2013, na Casa de Retiros S. José, no Seminário Diocesano de Leiria, o Cursilho n.º 126 de homens da diocese de Leiria-Fátima, em conjunto com o Cursilho n.º 37 da diocese de Santarém. Participaram neste encontro 15 homens “que aceitaram o desafio de viverem três dias de intensa reflexão e entrega ao amor incondicional de Cristo”, refere uma nota do secretariado diocesano do MCC. Após esta experiência, orientada pelos padres Sérgio Henriques e Patrício Oliveira, da diocese de Leiria-Fátima, e Tiago Pires, da diocese de Santarém, partiram “com uma fé renovada e conscientes de que, enquanto Igreja, também eles têm uma missão importante na evangelização dos seus ambientes”. No dia do encerramento, cerca de 200 cursilhistas de ambas as dioceses se associaram a eles e lhes manifestaram o acolhimento no seio do movimento, como “homens renovados e de coração cheio, rendidos ao mistério da cruz”. GIC de Leiria-Fátima

Celebração na paróquia do Marrazes livre ao público em geral, sendo de especial interesse para os técnicos e colaboradores das comissões de protecção de crianças e jovens em risco, bem como pelos que trabalham com a faixa etária da infância e juventude.

GIC de Leiria-Fátima

Semana da Vida

A Pastoral Familiar da Paróquia de Marrazes, durante este mês de Maio, vai celebrar a Semana da Vida. De salientar as duas acções de grande importância, que vai promover a exemplo dos anos anteriores. Assim, no domingo, dia 12, na Eucaristia das 11h00, na Igreja Paroquial dos Marrazes, será a Bênção das Grávidas. No domingo seguinte, dia 19, no Salão Paroquial dos Marrazes, às 15h00 far-se-á a Bênção dos Bebés. A Pastoral Familiar convida todas as senhoras, em tempo de gestação, ou bebés, trazidos pelos seus pais a participar. Estes momentos são muito importantes quer pelo aspecto religioso, quer pelo aspecto humano, social e pedagógico. Por motivos de logística, pedimos aos pais que façam a sua inscrição através do telemóvel 919996397 (casal coordenador da Pastoral Familiar) ou pelo telefone da paróquia, 244855180.

Paróquia está a ganhar vida

Vida Ascendente

Padre Borga em concerto solidário

Tarde de Oração pelas Vocações No dia 23 de Abril de 2013 numa Capela do Seminário Diocesano de Leiria, sob orientação do nosso Assistente, Rev.º sr. padre Gonçalo Diniz estivemos em Oração pelas Vocações Sacerdotais Religiosas e Missionárias. Adorámos o santíssimo sacramento e escutámos e meditámos as palavras do Sr. Padre, das quais se apresenta uma breve resenha: -As ovelhas (nós) somos chamados pelos nossos nomes, pelo próprio Pastor.

“Homens renovados e de coração cheio”

Em Mateus 5, 19, Jesus, caminhando nas margens do Mar Galileu, chamou os pescadores, anunciandolhes que faria deles pescadores de homens. A iniciativa da chamada é sempre de Deus, que não procura homens e mulheres prefeitos: chama todos e a quem mais precisar de forças Ele as dará para vencerem as suas imperfeições e fraquezas. Quem é chamado, não é para se elevar, é para servir.

O sr. padre Gonçalo convidou-nos a oferecermos ao Senhor tudo o que somos e fazemos, com a ajuda de Maria, particularmente: pelo Mundo, pelos Seus sacerdotes e pelos homens e mulheres consagradas. Recebemos a bênção do Santíssimo, terminamos a rezar uma bela Oração Vocacional, escrita pelos sr. D. António Marto, o nosso querido Bispo.

Fernanda Figueiredo

Colónia de Férias Dando continuidade a esta iniciativa, vamos ter a nossa Colónia de Férias, na Casa da Cáritas, na Praia do Pedrógão, entre os dias 8 e 15 de Julho. As pessoas interessadas em usufruir deste benefício (descanso, convívio, mar) podem contactar 918 544 256.

O auditório da igreja de Nossa Senhora de Fátima, em construção na Quinta do Alçada, paróquia dos Marrazes, está a ganhar vida cultural, quase dois anos após o acto de vandalismo que o destruiu quando estava já praticamente concluído. Para recuperar os quase 500 mil euros de prejuízos que o incêndio criminoso ali causou, a comunidade local não se poupou a esforços e já o reergueu das cinzas. O concerto com o padre Borga, no próximo dia 17 de Maio, a partir das 21h00, será mais uma ajuda para esse fim. Outros espectáculos solidários deverão ocorrer nos próximos tempos, segundo adianta o pároco, padre Augusto Gonçalves.


10 ECLESIAL

O Mensageiro 9.Maio.2013

(12/05/2013) Antífona de Entrada: cf. Actos 1, 11 Leitura I: Actos 1, 1-11 Salmo Responsorial: Salmo 46 (47), 2-3.6-7.8 (R.6) Refrão: Por entre aclamações e ao som da trombeta, ergue-se Deus, o SenhorRepete-se. Leitura II: Ef 1, 17-23 Aclamação antes do Evangelho: Aleluia Mt 28, 19a.20b Refrão: Aleluia. Repete-se. Ide e ensinai todos os povos, diz o Senhor: até ao fim dos tempos. Refrão. Evangelho: Lc 24, 46-53 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Está escrito que o Messias havia de sofrer e de ressuscitar dos mortos ao terceiro dia e que havia de ser pregado em seu nome o arrependimento e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vós sois testemunhas disso. Eu vos enviarei Aquele que foi prometido por meu Pai. Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos com a força do alto». Depois Jesus levou os discípulos até junto de Betânia e, erguendo as mãos, abençoou-os. Enquanto os abençoava, afastou-Se deles e foi elevado ao Céu. Eles prostraram-se diante de Jesus, e depois voltaram para Jerusalém com grande alegria. E estavam continuamente no templo, bendizendo a Deus. Palavra da salvação.

Cânticos| Domingo de Petencostes

Janela sobre a Missão

Uma Páscoa diferente - Parte II N

o sábado, a Vigília Pascal iniciou-se às 21 horas e terminou por volta da 1h e 30min. Com grande alegria recebeu-se o lume novo e festejou-se a Ressurreição de Cristo. Durante a celebração procedeu-se à leitura dos textos bíblicos, baptizaram-se 3 crianças e ainda 12 adultos. Tudo isto decorreu em ambiente de grande entusiasmo com músicas e danças que caracterizam tão bem o povo do Gungo. Para mim, que nunca havia presenciado as celebrações fora do tempo quaresmal, toda a celebração transmitiu a alegria de Cristo ressuscitado. No domingo, observouse uma grande afluência de pessoas, o que para mim era inimaginável: tanta gente a deslocar-se

ondjoyetu.blogspot

Leituras| Ascensão do Senhor

várias horas/dias a pé, sob chuva, sem sítio para pernoitar, para celebrar a Páscoa com a equipa. Mais uma vez este povo deu-me um grande exemplo de fé e dos sacrifícios que estão dispostos a fazer pela fé. Na celebração da Vigília Pascal e do Dia de Páscoa estima-se a presença de mais de 600 pessoas. Na Eucaristia do Dia de Páscoa

foram celebrados também dois matrimónios. Contou, mais uma vez, com a imensa alegria e o grande espírito de partilha deste povo, que tanto impressiona. Na verdade, alguém que tem muito pouco consegue dar sempre alguma coisa e nós, que possuímos tanto, custanos partilhar um pouco. Muitas mais coisas podia contar, mas o verda-

deiro sentimento e a verdadeira alegria só se consegue perceber estando aqui, com este povo, pois não há palavras que expliquem o que sentimos. Obrigada a todos os que nos apoiam.

bém com Jesus Cristo foi projectada sobre os homens uma nova luz, tudo ganha sentido na vida, já nada entristece ou assusta. A ressurreição/ascensão de Jesus garante-nos que uma vida vivida na fidelidade aos projectos do Pai é uma vida destinada à glorificação, à comunhão definitiva com Deus. Quem percorre o mesmo caminho de Jesus subirá, como Ele, à vida plena. As palavras de despedida de Jesus na primeira leitura sublinham dois aspectos: a vinda do Espírito e o testemunho que os discípulos vão ser chamados a dar “até aos confins do mundo”. Temos aqui resumida a experiência missionária da comunidade de Lucas: o Espírito irá derramar-se sobre a comunidade crente e dará a força para testemunhar Jesus em todo o mundo, desde Jerusalém a Roma. Na realidade, trata-se do programa que Lucas vai apresentar ao longo dos Actos dos Apóstolos, posto na boca de Jesus ressuscitado. O autor quer mostrar com a sua obra que o testemunho

e a pregação da Igreja estão entroncados no próprio Jesus e são impulsionados pelo Espírito. Na segunda Leitura, Paulo pede a Deus a sabedoria para os seus cristãos. Não se trata de uma sabedoria humana, mas da inteligência para compreender o mistério da Igreja. Ele pede a Deus que ilumine os olhos dos seus corações para que compreendam quão grande é a esperança à qual são chamados. A primeira leitura convidava os cristãos a não descuidar os deveres concretos deste mundo. A segunda completa este pensamento e recomenda aos cristãos que não esqueçam que a sua vida não está fechada no horizonte deste mundo, porque, mesmo se empenhados nas actividades desta vida, eles estão sempre à espera que Cristo volte para os levar definitivamente consigo. Na nossa peregrinação pelo mundo, convém termos sempre presente “a esperança a que fomos chamados”. A ressurreição de Cristo é a garantia da nossa própria ressurrei-

ção. Formamos com Ele um “corpo”, destinados à vida plena. Esta perspectiva tem de dar-nos a força de enfrentar a história e de avançar – apesar das dificuldades – nesse caminho do amor e da entrega total que Cristo percorreu. A ressurreição/ascensão de Jesus convida-nos a ver a vida com outros olhos – os olhos da esperança. Diz-nos que o sofrimento, a perseguição, o ódio, a morte, não são a última palavra para definir o quadro do nosso caminho; diz-nos que no final de um caminho percorrido na doação, na entrega, no amor vivido até às últimas consequências, está a vida definitiva, a vida de comunhão com Deus. Esta esperança permite-nos enfrentar o medo, os nossos limites humanos, o fanatismo, o egoísmo dos fazedores de pecado e permite-nos olhar com serenidade para esse qualquer coisa de novo que nos espera, para esse futuro de vida plena que é o nosso destino final.

Joana Matias

(19/05/2013) Início O amor de Deus foi derramado - Lau 545 O Espírito do Senhor encheu a terra inteira - Lau 555

AO SABOR DA PALAVRA

Salmo Responsorial Mandai, Senhor, o Vosso Espírito - Lau 488 Sequência Vinde ó Santo Espírito - Lau 866 e 866B - Lau 488 Apresentação dos dons Só no Espírito de Deus - Lau 789 Senhor trazei-nos a paz - Lau 777 Comunhão Formamos um só corpo - Lau 406 Enviai, Senhor, o Vosso Espírito - Lau 335

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

Pós-Comunhão Recebestes um Espírito - Lau 716 Glória ao Pai que nos criou - Lau 413 Final Ide por todo o mundo - Lau 435 O amor de Deus repousa em mim - Lau 546

Solenidade da Ascensão do Senhor 12 de Maio de 2013

Esperança

MISSAS DOMINICAIS

Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 09h45 – Paulo VI 10h00 - S. Francisco 10h30 – Franciscanos 10h00 – S. Romão 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h30 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

C

om a entrada de Jesus na Glória do Pai, exteriormente nada mudou na terra. A vida dos homens continuou a ser o que era: semear e colher, comerciar, construir casas, viajar, chorar e rir. No entanto, assim como o sol ao romper as nuvens mostra as coisas existentes de uma mova maneira, tam-


PORTUGAL 11

O Mensageiro 9.Maio.2013

“Com(o) Maria ide e fazei discípulos”

Encontro anual de antigos alunos do seminário

Uma reflexão

No passado fim-de-semana, dias 4 e 5 de Maio, decorreu em Fátima a peregrinação nacional de Jovens organizada pelo Departamento Nacional da Pastoral Juvenil. Um encontro que teve como tema: “Com(o) Maria ide e fazei discípulos”, tendo em vista a Jornada Mundial da Juventude 2013. Cerca de 4000 jovens das várias dioceses do país que, com a alegria e energia próprias, encheram as ruas de Fátima interagindo com os outros peregrinos de idades e países distintos. O programa do Fátima Jovem foi estruturado para incluir momentos de oração, partilha, convívio e oração. De manhã, o “Marypaper” permitiu que os jovens percorressem os espaços simbólicos do Santuário e meditar a mensagem do Papa Bento XVI para as JMJ do Rio, e a mensagem de Fátima. Os workshops que decorreram no sábado permitiram o aprofundamento, reflexão e partilha em grupos sobre o tema do encontro. Uma iniciativa

DNPJ

Peregrinação Nacional de Jovens

que permitiu a muitos jovens caminhar por Fátima e conhecer novos amigos. O padre Omar, reitor do Santuário do Cristo Redentor no Rio de Janeiro e membro do COL das JMJ do Rio, foi a figura de maior destaque nesta edição do Fátima Jovem. Acolheu os jovens na Praça Luís Kondor com uma música feita na véspera com o refrão igual ao tema do encontro. Os milhares de jovens ecoaram o tema até à Cruz alta, de onde caminharam para a Capelinha das Aparições para saudação a Maria. Depois, padre Omar Raposo e o músico Paulo Lima, actuaram para os jovens que encheram o Paulo VI num

momento intenso de música cristã ao ritmo do samba e muita oração. O sacerdote conseguiu fazer com que o auditório, cheio de jovens eufóricos se mantivessem em silêncio num momento orante muito emotivo. À noite os jovens foram até perto da Mãe e participaram no terço e na procissão das velas, seguindo depois para a Igreja da Santíssima Trindade onde decorreu um momento de Adoração muito vivido pelos jovens. O dia acabou com o Musical Alegria da Fé preparado pelos Jovens da Boa Nova, numa noite que acabou tarde, mas muito efusiva com a actuação de Vânia Fernandes, autora do

tema: Senhora do Mar. No domingo os jovens viveram e participaram nas habituais celebrações do Santuário de Fátima. D. António Marto, presidiu à Eucaristia, deixou o desafio de não terem medo e de serem cristãos autênticos. «Sejam instrumentos do evangelho», disse. Fátima Jovem 2013 demonstrou a confiança dos jovens na Igreja e a abertura da Igreja aos jovens, reconhecendo e dando resposta às suas necessidades e aspirações. Jesus Cristo cativa os jovens e a Igreja precisa deles; os jovens respondem testemunhando publicamente a sua fé e como o caminhar com Jesus Cristo, acompanhados por Maria, é um caminho de alegria, de partilha e de comunhão. O caminho para as JMJ do Rio está a ser feito e os jovens puderam partilhar com outros jovens o que é ser discípulo de Deus.

Departamento Nacional da Pastoral Juvenil

“Youth Empowerment”

Escuteiros promovem evento

O Youth Empowerment Study Session (YESS), organizado pelo Corpo Nacional de Escutas (CNE), vai ter lugar em Lisboa e Cascais, entre hoje, 9 de Maio a 12 de Maio e conta com a presença de investigadores internacionais. O objectivo deste evento é contribuir para a actualização dos conhecimentos teóricos de pessoas que trabalham em organizações que têm o “youth empowerment”

como finalidade; construir pontes entre o mundo académico e os técnicos mais ligados ao trabalho de campo na área do “youth empowerment”; trabalhar o conceito em diferentes áreas e com diferentes abordagens; promover a partilha de ideias, experiências e boas práticas entre os diversos intervenientes e participantes. Esta sessão de estudo, que conta já com diversos parceiros académicos, ins-

titucionais e da sociedade civil, nacionais e internacionais, vai ser constituída por dois momentos distintos mas complementares, a conferência aberta com a presença de dois investigadores da Universidade de Wisconsin-Madison, o professores Brian Christens e Julie Petrokubi e pelo seminário residencial constituído por painéis e workshops. O YESS vai ser um evento ímpar no que respeita a

oportunidades de aprofundamento de conhecimentos, discussão e debate de ideias e abordagens, diálogo entre agentes e potenciais parceiros e partilha de boas práticas ao estudo do “youth empowerment”. O programa YESS e outras informações adicionais estão disponíveis no site www.yess.cneescutismo.pt.

Gabinete de Imprensa do CNE

Dizem que o entusiasmo dos primeiros anos esmoreceu um pouco. Segundo as crónicas, chegaram a ser uns cem, os participantes no encontro anual de antigos alunos do seminário diocesano de Leiria promovido e apadrinhado pela ASDL, realizado a 4 de Maio. Quando me juntei, andava eu a rondar os sessenta (hei mihi, como o tempo passa!), o número tinha baixado significativamente. Agora têm andado pela meia centena. Alguns primam pela perseverança, outros “mordem o isco” e desaparecem… Não entendo bem o que se passa com estes últimos, porque eu, agora que tomei o gosto, só se não puder mesmo…! Vejam lá quem fui reencontrar este ano: os do meu tempo recordam-se certamente do Francisco Lourenço! Um rapaz franzino da Freixianda, mais precisamente, e salvo erro, da Ribeira do Fárrio. Entrou no seminário em 1957. Ao fim de quatro anos incompletos, saiu. Pelos vistos, não foi por descobrir não ter vocação, mas por incidências de outra natureza, que não vêm agora ao caso. Contudo, sentindo ainda acesa, lá dentro de si, a misteriosa chama daquilo a que chamam vocação e sem perder de vista os ideais que o haviam levado a deixar, menino de onze anos, tal como eu e tantos mais, a aldeia natal, enveredou por outros trilhos e acabou por se fazer missionário salesiano. Desde há três décadas, diz, tem gasto as suas energias a trabalhar em Moçambique, na região de Tete. Falou-nos da sua vida de missionário, das muitas dificuldades e sacrifícios, de algumas recompensas (essencialmente de ordem espiritual). Foi bom escutá-lo. Quando cheguei (atrasado, como de costume) não sabia quem era aquela figura magra, repassada de suavidade, que, com voz serena e pausada, prendia o auditório. Depois, incidentalmente, ouvi o nome. A partir daí, passou-se qualquer coisa, para mim irresistível, inelutável: de um momento para o outro, deixou de estar à minha frente um venerável e já sexagenário missionário, e passei a ver e escutar o Chico Lourenço, o pequeno e franzino condiscípulo de há mais de cinquenta anos, que tinha dificuldades no latim, e que eu não voltara a ver, desde a adolescência! Até lhe redescobri, vejam lá, o pequeno remoinho na franja do cabelo (porque ainda o tem em abundância, o felizardo!) No regresso a Lisboa, dei-lhe boleia. As duas horas de caminho deslizaram num ápice, e mal demos por elas. Nessas duas horas, o Lourenço resumiu para mim cinco décadas de vida, e eu resumi para ele outras cinco! Uma ponte com cinquenta anos de longitude, percorrida em duas horas! Ficámos quites e aprazidos: barriga cheia de opípara refeição. Trocámos e-mails e números de telefone. Até pode acontecer que poucas vezes venham a ser utilizados… Pouco importa isso. O importante é que as pontas já puídas do lacito frágil de uma amizade de crianças, que se haviam separado lá pelos idos de 1962, parecendo que para sempre, se tinham reencontrado, e estavam de novo atadas. Benditos encontros do primeiro sábado de Maio. Para o ano, há mais! Venham daí! Que esperam?

Fernando Faria

leia, assine, divulgue, anuncie!

O MENSAGEIRO


12 MUNDO

Papa visita Brasil

O Papa vai visitar o Brasil de 22 a 28 de Julho, com passagens pelo Rio de Janeiro e o Santuário de Aparecida, no interior do Estado de São Paulo, anunciou o Vaticano. Francisco vai visitar um hospital, encontrar-se com presos, passar por uma favela e confessar alguns participantes na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), num programa que prevê 15 intervenções. O Papa vai chegar ao Brasil a 22 de Julho, Segundafeira, após uma viagem de 12 horas, pelas 16h00 locais (mais quatro em Lisboa); a cerimónia oficial de boasvindas e os primeiros discursos vão decorrer uma hora depois, no Palácio Guanabara, sede oficial do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Francisco vai ficar na residência do Sumaré, da Arquidiocese do Rio, que já acolheu João Paulo II. A Terça-feira não tem qualquer ato oficial previsto e o dia seguinte começa com uma viagem em helicóptero de 200 quilómetros e mais de uma hora até ao Santuário Nacional de Aparecida, onde o Papa vai venerar a imagem de Nossa Senhora e presidir à missa, antes de regressar ao Rio de Janeiro. Nesta cidade, Francisco tem visita marcada ao Hospital São Francisco de Assis, especialmente direccionado para a recuperação de toxicodependentes e alcoólicos. A 25 de Julho, o Papa vai visitar o Palácio da Cidade, para receber as chaves do Rio de Janeiro e abençoar as bandeiras oficiais dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. Às 11h00 locais, Francisco desloca-se à Comunidade da Varginha, em Manguinhos, favela que foi alvo de um programa de recuperação pelas autoridades brasileiras. Esta previsto que, no percurso entre a paróquia local e o campo de futebol, onde vai pronunciar o seu discurso, o Papa visite a casa de uma família da comunidade. A primeira viagem internacional do pontificado está ligada à celebração da JMJ 2013, convocada pelo Papa emérito Bento XVI, no Rio de Janeiro, entre 23 e 28 de Julho, e os jovens vão acolher Francisco numa “festa” na praia de Copacabana pelas 18h00 do dia 25. O dia 26 de Julho começa com a confissão de cinco participantes na JMJ, provenientes dos cinco continentes, antes da visita ao Palácio São Joaquim, residência do arcebispo do Rio de Janeiro, onde o Papa se vai encontrar de forma privada com cinco jovens presos; o almoço terá a presença de 12 jovens de várias nacionalidades, representando todos os continentes e o Brasil. O regresso à JMJ é feito na tarde deste dia, com a celebração da Via-sacra na praia de Copacabana. No Sábado de manhã, o Papa irá à catedral da cidade onde para celebrar a missa os bispos da 28ª JMJ, com sacerdotes, religiosos e seminaristas; segue-se um encontro com a “classe dirigente do Brasil”, no Teatro Municipal do Rio. O dia conclui-se com uma vigília de oração em Guaratiba, arredores da cidade, onde decorrem os momentos conclusivos da JMJ 2013, com participação prevista de mais de dois milhões de pessoas. No Domingo, Papa Francisco vai sobrevoar de helicóptero a estátua do Cristo Redentor antes de presidir à missa final da Jornada Mundial, com início marcado para as 10h00. O último dia da visita ao Brasil inclui encontros com o comité de coordenação do Conselho Episcopal LatinoAmericano e os voluntários da JMJ. A partida para Roma está prevista para às 19h00 e a chegada à Itália deve acontecer pelas 11h30 (menos uma em Lisboa) do dia 29 de Julho.

9.Maio.2013

“Consagrar toda a Jornada Mundial da Juventude”

Arcebispo do Rio de Janeiro escreve aos seus diocesanos “Estarei em Fátima a convite do Senhor Bispo de Leiria-Fátima para presidir às solenidades do dia 13 de Maio, quando, a pedido do próprio Papa Francisco, iremos consagrar o seu pontificado à materna protecção da Virgem que, através dos Pastorinhos, convoca a todos para a conversão do seguimento de Jesus Cristo”. Na mensagem, disponibilizada na página oficial da arquidiocese na Internet (http://arqrio.org), D. Orani Tempesta reitera uma outra intenção para a sua peregrinação a Fátima: “consagrar toda a Jornada Mundial da Juventude, os seus jovens, os colaboradores e organi-

zadores” a Maria, para que “interceda por todos e ensine a dizer sim ao Senhor, para que o seu plano de amor e salvação se cumpra em nossas vidas”. Para o arcebispo, a mensagem de Fátima “é feita de esperança”, mas, simultaneamente, é “exigente” e “confortadora”; é anunciada “a todos os homens e mulheres de boa vontade, particularmente num mundo violento que clama por paz e por justiça”. A Mensagem de Fátima, acrescentou, “é centrada na oração, na penitência e na conversão, que se projecta para além das ameaças, perigos e horrores da história, para convidar o homem a

ter confiança na acção de Deus, a cultivar a grande boa esperança, a fazer a experiência da graça do Senhor para se enamorar d´Ele, fonte do amor e da paz”. No mesmo texto, D. Orani Tempesta descreve situações de violência social, de furtos e mesmo de morte, e apela à “mudança de mentalidades” em especial na “revalorização da Família”. “Os nossos casais não devem ter medo da maternidade, de constituírem famílias numerosas. Somente dentro de um lar alicerçado sob os valores do Evangelho, é que educaremos a juventude para os valores

de Deus, para a cidadania, para a solidariedade, para a justiça e para o respeito à vida como primado principal do Filho de Deus e do cidadão”. Para todos este mês “dedicado à Bem-Aventurada Virgem Maria”, D. Orani Tempesta propõe aos seus diocesanos que valorizem a recitação do Rosário em família e em comunidade, e que peregrinem aos santuários marianos da Senhora da Penha e de Nossa Senhora de Fátima, no Rio de Janeiro.

LeopolDina Simões | CCS Santuário de Fátima

Brasil tem nova beata, filha e neta de escravas

“Nhá Chica” uma mulher de oração O Brasil celebrou no passado dia 4 a beatificação da leiga Francisca de Paula de Jesus (1810-1895), conhecida como “Nhá Chica”, filha e neta de escravas, que não sabia ler nem escrever. A “santinha de Baependi” nasceu no Estado de

Minas Gerais e é recordada pelo cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, como alguém que quis “levar uma vida dedicada à caridade e oração”. A futura beata herdou uma herança do seu irmão,

que foi distribuída como esmola para os pobres e utilizada na construção de uma capela para a Imaculada Conceição. “O Papa Francisco, na sua carta de beatificação, disse que Nhá Chica era uma mulher de oração assí-

dua e uma fiel testemunha da misericórdia de Cristo para com os necessitados no corpo e no espírito”, refere o cardeal Amato. A beatificação é a penúltima etapa para a declaração da santidade de um católico.

Responsáveis debateram temas ligados aos Direitos Humanos e à Paz

Papa recebe presidente da Suiça O Papa Francisco recebeu, no passado dia 6 de Maio, no Vaticano o presidente da Suíça, com quem falou sobre temas ligados aos Direitos Humanos e à paz, anunciou a Santa Sé. Francisco e Ueli Maurer reuniram-se no dia em que os novos elementos da Guarda Suíça prestam juramento, uma celebração anual, destacando o serviço prestado por esta força militar ao longo dos séculos. Os dois responsáveis

DR

Primeira viagem internacional do pontificado

O Mensageiro

abordaram “temas de interesse comum, como a tutela dos Direitos Humanos,

a formação dos jovens e a colaboração internacional para a promoção da justiça

e a paz”. O Papa e o presidente da Suíça manifestaram a vontade de “reforçar as boas relações” bilaterais e “intensificar” a colaboração entre Igreja e Estado. Maurer reuniu-se ainda com o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, acompanhado pelo arcebispo Dominique Mamberti, secretário do Vaticano para as relações com os Estados.


OPINIÃO 13

O Mensageiro

RECORTES

Pedro Brinca Jornalista

O essencial da vida

E

m Timor-Leste há uma localidade conhecida pelas cabeças que, num monumento, suportam a representação do território hoje independente à custa de muito sangue e sofrimento. Laleia viu as suas casas completamente destruídas e incendiadas na altura da retirada indonésia, em 1999. Esses sinais já não estão presentes, a

RECORTES

Pe Anselmo Borges Professor de Filosofia

Óscar Lopes e o Transcendente

F

igura cimeira da cultura portuguesa do século XX, Óscar Lopes deu contributos fundamentais para a linguística, a crítica literária, a história da literatura. Falámos várias vezes. Em 1970, convidei-o para uma “mesa redonda”

normalidade foi restituída, mas há marcas que nunca se apagam. Em todas as famílias houve gente assassinada durante o período de ocupação. A comunidade organizou-se para apoiar a resistência. Os homens tornaram-se guerrilheiros e estiveram durante anos entrincheirados nas montanhas. As mulheres garantiam os mantimentos, percorrendo quilómetros pelo mato. O medo e a determinação estiveram sempre presentes, mas, ainda assim, no final do processo, juntamente com a vitória, a vingança das forças ocupantes deixou um rasto de destruição à saída. Hoje, quando se passa por Laleia, que é mesmo apenas um ponto de passagem entre Manatuto e Baucau, ou mesmo que se pare por breves instantes, não é nada disso que se vislumbra. O que salta à vista é a alegria das crianças, às dezenas. E a pobreza das casas, ainda na sua maioria feitas de cana ou de madei-

ra. Mas, se nos detivermos um pouco mais, começamos também a perceber a simpatia e a hospitalidade daquela gente. Ao fim de algum tempo, talvez consigamos estabelecer a confiança necessária para partilharem connosco os relatos desses tempos difíceis. Em Laleia há uma Fraternidade dos Franciscanos Capuchinhos que dá quase todo o apoio que aquela população recebe, uma vez que a distância a Díli é ainda muito grande para a localidade entrar nas prioridades do Governo timorense. Nessa fraternidade está um frei português e, de momento, mais dois portugueses como leigos missionários. Tal como as gentes locais, vivem com privacidades, ainda assim quebradas com algumas deslocações à capital. Na povoação não há comércio, não há serviços e, claro, não há indústria. Mas hoje existe um jardim-de-infância, uma carpintaria, uma biblioteca e um centro de internet com

sobre “a crise da fé hoje”, na qual também participou o bispo do Porto, D. António Ferreira Gomes. O que aí fica é uma homenagem ao pensador e professor, a partir dessa “mesa redonda”. D. António Ferreira Gomes, que tinha chegado havia pouco tempo do exílio, revelou que tinha “uma cartinha muito breve do Sr. Dr. Óscar Lopes (não combinámos nada), em que diz que a sua participação seria “um depoimento na primeira pessoa do singular acerca daquilo que durante 50 anos julgo ter crido a partir de um fervoroso catolicismo de infância. Apenas desejaria descobrir o melhor de mim mesmo no melhor catolicismo de hoje, e contribuir para tudo aquilo que deveras nos transcende”.” E o bispo do Porto acrescentou: “Nós sabemos que a maior parte da nossa boa gente não transcende. Muitas

vezes para o povo a religião no geral não significa nada de transcendente.” E, depois de denunciar a religião das promessas, a religião utilitária, afirmou: “A religião cristã, entretanto, o limiar diferencial da religião cristã começa quando alguém se debruça sobre o outro, quando alguém se volta para aquilo que o transcende, seja o outro neste mundo, seja o outro absoluto (a relação ao outro absoluto é exactamente também a relação ao irmão). Por conseguinte, eu tenho para mim que quem procura pôr-se deveras em relação com aquilo que nos transcende está numa atitude religiosa. Desculpe, Senhor Doutor, se o ofendo.” E Óscar Lopes: “De modo algum.” Para Óscar Lopes, que deixou de ser cristão por causa da afirmação do inferno, a virtude da fé bem como a da esperança

DR

9.Maio.2013

uma ligação bem eficiente. E brevemente vai existir ainda uma rádio, a Nain Feto. O equipamento já chegou e falta só proceder à sua instalação. A população está entusiasmada com a ideia de poder ouvir na telefonia as vozes e as histórias da sua terra. Perante tantas carências, a rádio vai ser uma voz amiga, mas vai ter

também uma missão bem importante na formação do conceito de cidadania e na transmissão de preocupações básicas, em termos de cuidados de higiene, de saúde, de solidariedade. Em Laleia há muito pouco, mas há o essencial. O calor humano, a simplicidade, o prazer em receber, a pureza no olhar das pessoas

e sempre, por todo o lado, o sorriso das crianças. Mágico, penetrante. Há muita beleza naquele território do outro lado do mundo e as crianças são lindas em toda a parte, mas nada nem ninguém se compara às crianças de Timor-Leste. * In ParlamentoGlobal .sic.sapo.pt (06/05/13)

são “inseparáveis do simples facto de se ser vivo e consciente”. Citou o amigo Mário Sacramento: “Sim, é com Fé que todos somos homens, quando o somos.” Mas, para ele, a fé e a esperança não implicavam a fé em Deus e na sua Promessa. Confessava-se ateu, no quadro do materialismo dialéctico: “chamo “matéria” àquilo que corresponde ao conceito-limite daquilo donde provenho e daquilo para que tende o objecto do meu conhecimento e das minhas aspirações, quando esse conhecimento e essas aspirações se tornam mais adequadas.” Numa linha comparável ao pensamento de Ernst Bloch, o materialismo significava progressismo e disponibilidade potencial de avanço sem fim no sentido da libertação plena: há uma esperança contínua, que está sempre para lá das

nossas realizações à vista na História. Marxista filiado no Partido Comunista, repudiava absolutamente “toda a forma de ateísmo de Estado e toda a forma de perseguição”. O que nos une é o resgate de todos os males. O diálogo entre crentes e descrentes é necessário e fecundo para os dois lados: “Não é a mim que compete a apologética da Igreja, mas desejo com a maior sinceridade que ela vença a sua crise institucional de hoje, que ela leve a cabo o seu já hoje tão sensível esforço de desmitificação, de purificação e de dignificação. Se os teólogos mais avisados hoje vêem o ateísmo como uma teologia negativa que aumenta o grau de exigência quanto a qualquer concepção ou representação, sempre necessariamente inadequada, de Deus, os ateus como eu vêem qualquer religião que

progrida como uma antítese indispensável para que o nosso materialismo se não converta, ele próprio, numa religião degradada, com o seu ritual, as suas fórmulas estereotipadas, a sua fúria catequística e uma grande suficiência incrítica.” Não acreditava na promessa cristã da ressurreição dos mortos, à sua espera. Mas, perguntado sobre a morte, concluiu: “Eu acredito numa sobrevivência. Há simplesmente esta pergunta: o que é que de mim desejo eu que sobreviva? E a esta pergunta eu não sou capaz de responder. Para mim existe apenas uma esperança para essas aspirações, de que a religião dá aproximações em mitos. Para mim, fica sempre a esperança, mas uma esperança que, em sinceridade, não sou capaz de tematizar, quer dizer, de reduzir a um símbolo, a uma imagem.”. In Diário de Notícias (13/04/13)


14 DIOCESE / INSTITUCIONAL

O Mensageiro 9.Maio.2013

FARMÁCIAS DE SERVIÇO

Sanches (9), Tomáz (10), Maio (11), Vida (12), Dulce Caçador (13), Avenida (14), Batista (15) e Central (16). TELEFONES ÚTEIS Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244 816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

PUB

Dr. Rui Castela Telemóvel: 917 511 889 Telefone: 244 828 450 Fax: 244 828 580 Rua Machado Santos, n.º 29 2410-128 LEIRIA

Telefones: BARREIROS (sede): 244 840 677 JUNCAL: 244 470 610 MILAGRES (Alcaidaria): 919 321 145 Fernando - 919 890 630

Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO

CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h

Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Tel. 244 832406

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500

Registo no ICS N.º 100494

F. Costa Pereira

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Pedro Jerónimo (CP7104), Joaquim Santos (CP7731) e Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, André Batista (Pe.), Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), Cláudia Mirra, José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Saúl António Gomes, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade André Antunes Batista (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Depósito Legal 2906831/09 Impressão e Expedição Empresa do Diário do Minho, Lda - Tel: 253 303 170 - Fax: 253 303 171

Tabela de Assinaturas para 2013 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 9.Maio.2013

II Liga

28.ª Jornada 5 de Maio Moreirense x Sp. Braga (2-3) V. Setúbal x Académica (0-1) V. Guimarães x Gil Vicente (3-1) Nacional x Porto (1-3) Benfica x Estoril (1-1) P. Ferreira x Sporting (1-0) Beira-Mar x Marítimo (4-2) Olhanense x Rio Ave (1-0)

39.ª Jornada 5 de Maio Sp. Covilhã x Portimonense (0-3) Porto B x Feirense (1-2) Trofense x Benfica B (2-3) Arouca x Naval (1-1) Marítimo B x Belenenses (1-1) Atlético x U. Madeira (0-1) Sporting B xTondela (1-1) Oliveirense x D. Aves (1-2) V. Guimarães B x Leixões (1-1) Penafiel x Santa Clara (1-2) Freamunde x Sp. Braga B (1-3)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Benfica Porto P. Ferreira Sp. Braga V. Guimarães Estoril Rio Ave Sporting Marítimo Nacional Académica V. Setúbal Gil Vicente Olhanense Beira-Mar Moreirense

J 28 28 28 28 28 28 28 28 28 28 28 28 28 28 28 28

V 23 22 14 15 11 11 10 9 8 9 6 7 6 5 5 4

E 5 6 11 4 7 6 6 9 10 7 9 5 7 9 8 9

D 0 0 3 9 10 11 12 10 10 12 13 16 15 14 15 15

Pts 74 72 53 49 40 39 36 36 34 34 27 26 25 24 23 21

29.ª Jornada 11 de Maio Rio Ave x Gil Vicente . 16h00 Marítimo x V. Guimarães . 16h00 Sporting x Olhanense . 16h00 Estoril x Beira-Mar . 16h00 Académica x Paços de Ferreira . 16h00 Sp. Braga x Nacional . 16h00 Moreirense x V. Setúbal . 16h00 Porto x Benfica . 20h15 federação portuguesa de futebol

III Divisão D 6.ª Jornada - Fase de subida 5 de Maio Sp. Pombal x Sernache (2-4) Caldas x Alcanenense (1-3) Ol. Hospital x Sourense (1-1) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

Equipa Sourense Sernache Alcanenense Caldas Ol. Hospital Sp. Pombal

J 6 6 6 6 6 6

V 4 4 4 1 1 1

E 1 0 0 1 2 2

D 1 2 2 4 3 3

Pts 35 29 29 27 26 24

7.ª Jornada - Fase de subida 12 de Maio Alcanenense x Sp. Pombal .Todos os jogos às 16h00 Sernache x Ol. Hospital Sourense x Caldas 6.ª Jornada - Segunda fase 5 de Maio Marinhense x Alcobaça (1-0) Beneditense x Penelense (1-2) Torres Novas x Mortágua (1-1) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

Equipa Marinhense Torres Novas Penelense Mortágua Alcobaça Beneditense

J 6 6 6 6 6 6

V 4 3 2 3 2 1

E 1 1 1 1 1 1

D 1 2 3 2 3 4

Pts 26 25 20 16 16 16

7.ª Jornada - Segunda fase 12 de Maio Penelense x Marinhense .Todos os jogos às 16h00 Alcobaça x Torres Novas Mortágua x Beneditense federação portuguesa de futebol

Campeonato Nacional feminino 6.ª Jornada - Apur. Campeão 5 de Maio Albergaria x 1.º Dezembro (4-1) Vilaverdense x Atl. Ouriense (0-0) 1.º 2.º 3.º 4.º

Equipa Atl. Ouriense Albergaria 1.º Dezembro Vilaverdense

J 6 6 6 6

V 3 3 0 0

E 3 1 5 3

D 0 2 1 3

Pts 33 30 25 19

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º 17.º 18.º 19.º 20.º 21.º 22.º

Equipa Belenenses Arouca Leixões Portimonense Sporting B Benfica B D. Aves Santa Clara Oliveirense Penafiel U. Madeira Tondela Porto B Feirense Atlético Sp. Braga B Naval Marítimo B Trofense Sp. Covilhã Freamunde V. Guimarães B

J 39 39 39 39 39 39 39 39 39 39 39 39 39 39 39 38 39 39 39 39 39 38

V 27 19 17 16 15 15 14 15 15 14 12 14 13 13 12 11 13 11 9 6 7 5

E 7 10 14 12 15 14 17 13 12 12 17 11 12 10 8 12 15 7 12 16 10 14

D 5 10 8 11 9 10 8 11 12 13 10 14 14 16 19 15 11 21 18 17 22 19

Pts 88 67 65 60 60 59 59 58 57 54 53 53 51 49 44 43 42 40 39 34 31 29

40.ª Jornada 8 de Maio D. Aves x Sp. Covilhã Tondela x Atlético U. Madeira x Marírimo B Feirense x Trofense Naval x Freamunde Benfica B x Porto B Sp. Braga B x Santa Clara Leixões x Sporting B Penafiel x Oliveirense Portimonense x V. Guimarães B Belenenses x Arouca 41.ª Jornada 12 de Maio Santa Clara x Feirense Freamunde x Benfica B Sp. Covilhã x Naval Trofense x Belenenses Arouca x U. Madeira Marítimo x Tondela Atlético x D. Aves Sporting B x Portimonense Oliveirense x Leixões V. Guimarães B x Penafiel Porto B x Sp. Braga B federação portuguesa de futebol

CICLISMO – David Rosa conquistou a primeira vitória numa competição internacional, ao ser o mais rápido na “Copa Catalana Internacional BTT” (Vall de Lord, Espanha, 4 e 5 de Maio), escalão de elite.

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

Equipa Pêro Pinheiro U. Tires Real Amora Peniche Cartaxo

J 6 6 6 6 6 6

V 4 4 4 2 1 0

E 1 2 0 3 0 0

D 1 0 2 1 5 6

Pts 30 27 27 22 14 3

6.ª Jornada - Segunda fase 12 de Maio Cartaxo x U. Tires .Todos os jogos às 16h00 Amora x Peniche Real x Pêro Pinheiro

David Rosa em Espanha

Honra à U. Leiria e Moita do Boi FUTEBOL – Concluída a fase regular da I Divisão da Associação de Futebol de Leiria (seniores masculinos), segue-se o apuramento do respectivo campeão. U.D. Leiria ou A.P.S.D.R.C. Moita do Boi (ver tabelas, ao lado) sucederá ao Sport Lisboa e Marinha, campeão na última época. A subida à divisão de Honra está para já garantida. Uma estreia para ambos. Percurso invicto no campeonato, assim se fez a participação da U. Leiria, naquela que foi a época de estreia. A subida está garantida, cumprindo-se assim o objectivo inicial do clube leiriense, que apostou numa antiga glória, Luís Bilro, para comandar a equipa ao escalão superior.

A presença na final Taça Distrito da AFL é outro dos feitos alcançados. Inédita será a participação da Moita do Boi na Honra distrital, que teve um percurso semelhante à da U. Leiria, com a excepção de ter averbado uma derrota – em casa, frente ao C.C. Ansião (1-2), finalista da Taça Distrito 2012/13. Depois de ter terminado em 3.º lugar na última época, a equipa do concelho de Pombal consegue agora a tão desejada subida, sob o comando do treinador José Marques. O apuramento do campeão da I Divisão da AFL será feito dia 19 de Maio, no Estádio de Pombal (hora a designar).

HONRA

ANDEBOL – Jogo intenso e emotivo no Pavilhão das Meirinhas, com um golo a fazer a diferença. O Colégio João de Barros (Pombal) iniciou da melhor forma a final do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão (seniores femininos), ao receber e vencer o Alavarium (Aveiro), no primeiro jogo (22-21).

27.ª Jornada 5 de Maio Portomosense x Lisboa e Marinha (6-0) Meirinhas x Nazarenos (0-1) Pataiense x Atouguiense (3-2) Avelarense x Guiense (1-4) Pelariga x Vieirense (1-2) Pousaflores x GRAP/Pousos (3-0) Bombarralense x Alvaiázere (1-5)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Portomoense Marrazes Guiense GRAP/Pousos Pelariga Pousaflores Nazarenos Meirinhas Fig.Vinhos Pataiense Vieirense Atouguiense Lisboa Marinha Avelarense Alvaiázere Bombarralense

J 26 26 26 26 26 26 26 26 26 26 26 26 26 26 26 26

V 17 16 13 14 13 13 12 11 11 10 10 9 8 4 3 2

E 4 7 8 5 6 3 4 7 6 8 7 3 4 3 3 6

D 5 3 5 7 7 10 10 8 9 8 9 14 14 19 20 18

Moita do Boi em festa associação de futebol de leiria

associação de futebol de leiria

I Divisão sul

I Divisão norte 18.ª Jornada 5 de Maio Ranha x Pedroguense (3-1) Albergaria dos Doze x Mata Mourisquense (3-4) Alegre e Unido x Caseirinhos (5-1) Ansião x Motor Clube (1-1) Ilha x Moita do Boi (1-5) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º

Equipa Moita do Boi Ansião Motor Clube Alb. Doze Mata Mourisq. Ranha Alegre e Unido Pedroguense Ilha Caseirinhos

J 18 18 18 18 18 18 18 18 18 18

V 16 12 9 9 7 6 6 4 4 2

E 1 5 4 2 6 4 2 3 2 1

D 1 1 5 7 5 8 10 11 12 15

Pts 49 41 31 29 27 22 20 15 14 7

18.ª Jornada 5 de Maio Boavista x Unidos (1-2) Alqueidão da Serra x Maceirinha (9-0) Santo Amaro x Nadadouro (6-2) Alfeizerense x Os Vidreiros (0-3) Outeirense x U. Leiria (2-4) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º

Equipa U. Leiria Alq. Serra Unidos Outeirense Maceirinha Santo Amro Boavista Os Vidreiros Nadadouro Alfeizerense

J 18 18 18 18 18 18 18 18 18 18

V 17 14 12 9 9 7 6 4 2 0

E D Pts 1 0 52 2 2 44 1 5 37 4 5 31 0 9 27 2 9 23 4 8 22 3 11 15 3 13 9 0 18 0

A uma vitória do título

associação de futebol de leiria

III Divisão E 6.ª Jornada - Segunda fase 5 de Maio U. Tires x Amora (2-2) Peniche x Real (1-3) Pêro Pinheiro x Cartaxo (3-1)

A representar Portugal, o ciclista de Ourém contribuiu para a vitória colectiva. Para tal também contribuiram os resultados dos colegas: dois primeiros lugares, dois segundos lugares e um terceiro lugar.

Marcelo Brites/Arquivo

I Liga

Sérgio Carvalho

Vitória histórica

liga portuguesa de futebol profissional

Pts 55 55 47 47 45 42 40 40 39 38 37 30 28 15 12 12

28.ª Jornada 12 de Maio Lisboa e Marinha x Bombarralense Portomosense x Avelarense .Todos os jogos às 15h00 Vieirense x Meirinhas GRAP/Pousos x Pataiense Atouguiense x Marrazes Alvaiázere x Pelariga Nazarenos x Pousaflores Fig.Vinhos x Guiense

À melhor de três jogos, o Colégio João de Barros (CJB) está a uma vitória do título. Se vencer o segundo jogo, agendado para Aveiro, dia 11 de Maio, 18h30, poderá festejar. Caso contrário, a decisão ficará guardada para o derradeiro jogo, pré-agendado para o dia seguinte, nos mesmos local e hora,

Dérbi na Taça de Portugal O sorteio das 1⁄2 finais da Taça de Portugal ditou um dérbi regional: Juventude Desportiva do Lis x CJB. Maiastars x Madeira SAD decidem quem será o outro finalista da prova. Os jogos estão agendados para 25 de Maio e a final para 2 de Junho, em Tavira.

Trio em frente na Taça Nacional Pedro Jerónimo/Arquivo (2007)

liga portuguesa de futebol profissional

Final Benfica x GRG (5-2)

FUTSAL – C.R. Golpilheira (Batalha), A.C.R.D. Louriçal (Pombal) e C.D. Fátima (Ourém) garantiram a qualificação para a segunda fase da Taça Nacional, o que lhes permite participar no primeiro campeonato nacional (seniores femininos), que arranca em 2013/14, com as 16 melhores equipas.

Golpilheira, Quinta dos Lombos, Ourentã e Estrelas Feijó integram a série C, enquanto que Louriçal, Fátima, Benfica e Padernense integram a D. A segunda fase arranca dia 11 de Maio, com os jogos Ourentã x Golpilheira, Fátima x Padernense e Louriçal x Benfica.


ÚLTIMA

9MAIO2013

O tempo que passa não passa depressa. O que passa depressa é o tempo que passou. Vergílio Ferreira, escritor português [n.1916 - f.1996]

4959#OMensageiro#9MAI  

Semana da Vida em destaque.