Page 1

DOCUMENTO

15 DEZEMBRO 2011 ANO 98 - N.º 4888 FUNDADOR: José Ferreira Lacerda DIRECTOR: Rui Ribeiro PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

P. 8

FUNDADO EM 1914

DESTAQUE

FAMÍLIA

NATAL

COMUNHÃO DE AMOR E DE VIDA

Um tema de Natal... O Natal não se reduz a uma “festa da família”, como muitos pretendem. No entanto, a família adquire nesta altura um papel importante, que vale a pena realçar. Sobretudo, quando assistimos a contínuos ataques ao papel e à importância da instituição familiar na sociedade. Talvez não seja sem segundas intenções que surgem temas como as “barrigas de aluguer”, precisamente quando estamos a viver esta quadra natalícia. Nesta edição, pretendemos oferecer um contributo positivo para a reflexão sobre a família. Páginas 2 e 3

DESAFIOS ACTUAIS À FAMÍLIA

DR

LUTA QUE EXIGE FIDELIDADE CULTURA

SOCIEDADE

ECLESIAL

Visita de dirigentes da APOM e do ICOM | P. 4

Prémios APOM 2011 | P. 6

Em tempo de Natal | P. 4

Programa de 17 de Dezembro de 2011 a Fevereiro de 2013 | P. 7

Samaritanos em campanha |P. 9

Nos 138 anos de vida | P. 5

Beato Nuno e Cova da Iria | P. 7

Instalações assaltadas | P. 9

Eventos diversos | P. 5

Nova designação | P. 7

“Presentes solidários” | Últ.

Museólogos elogiam Museu da Batalha

Concertos, oficinas, teatro e outras acções no Natal pela região...

No Seminário e no Colégio de Maria Imaculada | P. 9

Museu de Arte Sacra e Etnologia distinguido Festas da Padroeira, N.ª Sr.ª da Conceição

Orfeão organiza acções Bajouca: 40 anos de freguesia e paróquia para todas as idades SAMP apresenta “plano estratégico”

Mensagem de D. António Marto

Fátima inaugura dois centros escolares

Meias e televisões para o Natal dos reclusos

Cáritas de Leiria alerta para falsos peditórios

Centro Hospitalar Leiria- Ajude a abertura Pombal é novo nome do de “fontes de vida” Hospital de Santo André na missão do Gungo

DE ESPERANÇA, DE SOBRIEDADE E DE SOLIDARIEDADE 1. No Natal, os nossos olhares convergem para o Menino Jesus chamado também “Príncipe da Paz”. É um tempo especial oferecido aos homens para eles se redescobrirem irmãos uns dos outros e reconhecerem os laços espirituais que os unem na relação a um mesmo Pai. Este convite a viver os valores evangélicos de “inocência” e de bondade universais é-nos dirigido particularmente nesta festa em que Deus toma o rosto terno, indefeso e vulnerável de um menino. Quem acolhe este menino, pode chamá-lo pelo nome: “Tu és o Emanuel, Deus comigo, Deus connosco”! Deus mesmo vem ao coração do nosso mundo na fragilidade da nossa carne humana para afirmar a dignidade infinita de cada pessoa; vem tecer os laços filiais e fraternos que nos unem para além de todas as diferenças; vem comunicar ao coração dos homens a força de amar que permite viver de modo solidário. A celebração do Natal convida-nos, pois, a elevar o coração para Deus e a aprender d´Ele a verdadeira humanidade. 2. Como boa parte da Europa, também o nosso país é atingido por uma crise de tremendas consequências sobejamente conhecidas. Esta crise é um apelo a celebrar e a viver este Natal de modo mais autêntico e a dar-lhe uma importância acrescida. Não são só as soluções técnicas, os ajustamentos adaptados que põem fim a esta crise. São precisas mudanças culturais profundas, conversão de mentalidades, novos modos de vida pessoal, familiar, social – um novo estilo de vida mais sóbrio para ser mais solidário. Desta grave situação de emergência só sairemos todos juntos e solidários, com o contributo de todos e de cada um. O Natal de 2011 desafia-nos a crescer em solidariedade e em entreajuda partilhando generosamente com as pessoas e as famílias mais fragilizadas e carenciadas. Há iniciativas concretas que nos incentivam e em que todos podemos facilmente participar. A Caritas acaba de lançar a campanha “10 milhões de estrelas – um gesto pela paz”: uma vela por um euro ilumina a vida de quem mais precisa. 65% do montante que for recolhido destina-se a apoiar famílias portuguesas em situação de carência; 35% será para o povo da Somália vítima de uma crise alimentar. Nos primeiros dez meses de 2011, as Caritas diocesanas apoiaram cerca de 28 mil famílias portuguesas, o que representa um acréscimo significativo em relação ao mesmo período do ano anterior. O apelo da Caritas torna-se mais premente ao lembrarnos “que nenhuma criança deixe de ter o apoio necessário neste momento de fragilidade, nomeadamente que fique impossibilitada de frequentar as creches e os jardins-de-infância, e tenha acesso aos cuidados de saúde fundamentais”. Ninguém permaneça indiferente ao sofrimento dos nossos irmãos em dificuldade. Os gestos de solidariedade são sinais de esperança no meio da crise; ajudam a tornar o mundo mais humano, mais belo, mais cristão. A todos os diocesanos desejo um santo Natal, sóbrio, fraterno e solidário em Cristo! Leiria, 9 de Dezembro de 2011 † António Marto, Bispo de Leiria-Fátima


2 DESTAQUE

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

EDITORIAL EDITORIAL

Rui Ribeiro prui@iol.pt

Querem atacar o Natal

Como todos os anos, mais uma vez a proximidade das festas natalícias parece incomodar muita gente, instituições e pretensos ideólogos, que aproveitam a ocasião para desprestigiar coisas tão importantes como a família, a maternidade, a vida. Entre nós, sempre assim foi e assim continua a acontecer, nada de novo. Este ano é o tema das chamadas “barrigas de aluguer” que tem ocupado alguns dos preciosos minutos da comunicação social. E sem se chegar a debater o tema, fala-se dele com desplante e sem seriedade. Está à vista e a ninguém tem sido indiferente. Creio que estas questões relacionadas com a vida e seus valores fundamentais são propositadamente trazidas a publico pela proximidade das festas de Natal. Trata-se de uma festa em que estes valores são afirmados e apresentados de forma mais imperiosa e certamente incomodam interesses e pessoas que vivem à custa desses interesses. Obviamente não podem calar-se. Sempre houve e haverá gente que A proximidade das se entristece com a festas natalícias alegria dos outros. parece incomodar A sociedade muita gente, portuguesa, nos instituições e últimos anos, tem pretensos ideólogos sido minada com que aproveitam ideias e propostas a ocasião para que são um claro à instidesprestigiar coisas atentado tuição familiar. tão importantes Por vezes até mais como a família, a que as propostas é maternidade, a vida. o tom, o modo e a oportunidade de tais propostas que mais choca. Desde o aborto, até à eutanásia, passando pelos casamentos homossexuais e agora a legalização das “barrigas de aluguer”, tudo isto são atentados contra a instituição familiar tradicional tal como a conhecemos, e que merecem uma discussão mais séria e mais aberta do que a que tem sido proposta. Não chega vir para os meios de comunicação social falar do assunto e apresentar gente que pouco ou nada sabe da matéria a dar as suas opiniões pessoais. Mais ainda quando se trata de figuras públicas, cuja posição cria moda ou onda. Esse, afinal, o objectivo dos lobbies que estão por trás da sua apresentação e até pagam os custos da sua anuência. O Natal, sendo uma festa cristã, que celebra o nascimento de Deus feito homem, está efectivamente associado aos valores essenciais da vida e da família. Os cristãos, por isso mesmo, deverão estar conscientes de que será sempre uma época em que os ataques irão surgir de todos os quadrantes. Com calma e com serenidade importa nestas ocasiões recordar os valores que a Igreja propõe. É o que nesta edição fazemos, a propósito da família.

Um tema de Natal...

A família: comunhão de amor e de vida O Natal não se reduz a uma “festa da família” como muitos pretendem fazer. No entanto, a família adquire nesta altura um papel importante que vale a pena realçar. Sobretudo quando assistimos a contínuos ataques à instituição familiar. Talvez não seja sem segundas intenções que os meios de comunicação venham falar de casos, como as “barrigas de aluguer”, precisamente quando estamos a viver o natal. Concebida como comunhão de amor e de vida, a família humaniza a sociedade. Dela irradia o carácter sagrado da vida, a dignidade do homem e da mulher, iguais e diferentes. A fidelidade generosa, no seio da comunidade familiar, é fonte de generosidade e de honestidade, no seio da sociedade. Cada pessoa deve muito à força da família a maneira como se comporta em sociedade. A família é o ponto de partida para a cidade e o lar onde se regressa, em busca da força da comunidade. Famílias felizes são semente de uma sociedade diferente. Será que a família cristã sofre, hoje, ataques específicos? Por vezes temos a sensação de que o ideal cristão de família é alvo de ataques concretos. Será que querem atingir a Igreja, destruindo a família? A família, com as características essenciais que ainda hoje a definem, não é uma “invenção” do cristianismo. Ela constitui um dado estrutural da antropologia da criação. Segundo a Bíblia, o homem criado à imagem de Deus é homem e mulher: dois indivíduos, um único ser humano, chamados à unidade que exprime e anuncia a vocação de unidade e harmonia do próprio cosmos. Esta unidade procurada insere-se na busca progressiva da perfeição da criação, não é uma “fusão” com a perda da identidade dos sujeitos desta busca de unidade, mas uma comunhão, onde cada um, mantendo a sua individualidade, a reconhece continuamente na relação com o outro. No par humano, o ser humano afirma-se como relacional, isto é, alguém que se descobre e constrói na relação com o outro. Sem anular o indivíduo, este torna-se pessoa, porque encontra a sua verdade na relação. Esta unidade relacional do homem e da mulher, que na sua complementaridade física e espiritual garantem a

reprodução da espécie, mostra-se decisiva para a harmonia da criação, é o núcleo fundamental da vocação comunitária da humanidade e, por isso mesmo, sua célula fundante e fundamental. Fonte de sentido para toda a criação, esta unidade primordial alia a força da natureza com o sentido que lhe vem do espírito, afirmando, desde o início, a dimensão cultural e espiritual como componente essencial de toda a comunidade humana. Com a força da natureza, pode haver complementaridade física e reprodução da espécie; mas só haverá comunidade de pessoas com dimensão cultural e espiritual, que vai encontrar uma expressão decisiva na dimensão religiosa, ou seja, da comunhão com Deus, que se reconhece como Criador. A comunhão do homem e da mulher pode caminhar para a sua perfeição, porque Deus faz parte dessa comunhão. Comunidade natural, a união do homem e da mulher encontra na Palavra de Deus a luz que a guia pelos caminhos do amor. Comunhão de pessoas com a força de Deus, torna-se caminho e sinal da comunhão com Deus e gérmen da comunhão alargada no Povo de Deus. Radica aqui a possibilidade de a comunhão conjugal ser sacramento da graça e da edificação da Igreja. Está encontrada a convergência inevitável entre a família comunhão e a Igreja comunhão. O amor de Cristo pela Igreja torna-se o modelo inspirador do amor dos esposos. Os maridos devem amar as suas esposas como Cristo ama a Igreja (cf. Efs. 5). Situar a comunhão familiar

no âmago da comunhão eclesial revela o verdadeiro sentido da comunhão conjugal. A revelação do amor do Deus comunhão, desvela o sentido da criação. O cristianismo tem, pois uma visão muito clara e muito particular sobre a família que define com algumas características: * a família é uma comunidade de pessoas, radicada na comunhão do homem e da mulher. Nenhuma espécie de abertura ou de adaptação aos tempos poderá levar jamais a Igreja a considerar como família as uniões entre pessoas do mesmo sexo. * a família é uma comunhão de amor. A unidade procurada não é “fusão” mas comunhão de pessoas, exprime-se também pelo corpo, mas é união espiritual. Só o amor dá sentido à sexualidade humana. * Esta comunhão é expressão da caridade e é possível com a força do Espírito Santo. A graça da comunhão recebida pelos esposos cristãos é um dom baptismal e é a mesma graça oferecida a todos os baptizados para que sejam comunhão, em Igreja. * A união conjugal, sendo por natureza da ordem da comunhão de amor, tornou-se, em Cristo, sinal sacramental da graça eclesial. * Como toda a experiência cristã, a união conjugal anseia por uma plenitude final. A dimensão escatológica do matrimónio confunde-se com a dimensão escatológica da Igreja. A acção pastoral da Igreja em relação à família parte deste mistério perene da família. Trata-se de lhe revelar o seu mistério e de a ajudar a encontrar a sua plenitude. Não se pode pedir à Igreja que na sua acção pastoral renuncie a esta dimensão perene, que lhe foi apenas dada e revelada. A Igreja terá, certamente, em conta as circunstâncias mutáveis da família, mas não pode mudar a sua compreensão do mistério da família, ao ritmo das mutações culturais e sociológicas. É sua missão, isso sim, ajudar as famílias cristãs a situar-se nessas mutações, com discernimento e coragem para viverem o mistério de sempre nas condições concretas do mundo de cada tempo.


DESTAQUE 3

O Mensageiro

15.Dezembro.2011ro.2011

Desafios actuais à família

Uma luta que exige fidelidade Todos estamos conscientes de que o actual ambiente cultural não facilita a vida à família cristã. Esta para permanecer fiel e ser sinal, trava continuamente uma luta, como quem nada contra a corrente. Se resistir, fortalece-se; mas a fidelidade tornou-se mais exigente. Alguns traços dessa cultura ambiente e as repercussões que têm sobre a família.

não partilhada uma afirmação da privacidade individual, e o divórcio a maneira de resolver conflitos. Uma visão funcional da sexualidade Está na moda desligar a sexualidade do amor; se este existir, pode ajudar. A intimidade sexual aparece na lógica do próprio interesse, não gera compromissos, não é expressão de uma vida partilhada. Se a sexualidade não tiver a beleza e a exigência do amor, a união do casal não é construtora de comunhão e a sua estabilidade está ameaçada. É que na lógica da comunhão, nada exige tanto a gratuidade e generosidade do dom e da busca do bem do outro, como a intimidade sexual. A convivência acordada ou negociada será sempre um simulacro do amor.

A prioridade do indivíduo sobre a pessoa e a comunidade A própria sociedade é concebida como um conjunto de indivíduos, com direitos e deveres regulados pela Lei e raramente se fala da dimensão comunitária da sociedade, que no entanto é o verdadeiro princípio da sua humanização. Uma família concebida apenas como conjunto de indivíduos, com direitos e deveres, que não aprendam a encontrar o sentido da sua liberdade no dom de si mesmo aos outros, está ferida de morte como comunidade de vida e de amor. A infidelidade pode aparecer como um direito, a vida

Prioridade do que é efémero e positivo sobre o perene com a marca da eternidade Se vivemos numa civilização do provisório, do usa e deita fora, porque não havemos de mudar as opções fundamentais da nossa

Contactos da Pastoral Familiar (PF) da Diocese de Leiria-Fátima Departamento de PF 1. Casal Responsável Elsa e José António Machado Rua Mestre José Silva Roque, 3 Picassinos 2430-450 Marinha Grande 2. Director do Departamento Pe José Augusto P. Rodrigues Largo Cónego Maia 2400-175 Leiria

Avanços da ciência genética A ciência genética fez grandes progressos nos últimos tempos, permitindo ao homem penetrar no mundo insondável da vida. Esses progressos podem ser benéficos para os casais, desde que os critérios científicos não ditem comportamentos e não se transformem em princípios éticos. Leis pragmáticas As leis que se aplicam à família são pragmáticas, tendem a regularizar situações de facto, raramente assentam em princípios doutrinais sobre a família. Legaliza-se o aborto, facilita-se o processo de divórcio, equiparam-se à família as chamadas “uniões de facto”, ferindo a família na sua dignidade institucional. O universo ético que protege a família na sua dignidade é cada vez menos secundado pelas leis, obrigando os cônjuges à coragem de posições pessoais, generosas e decididas. Neste contexto a família cristã, na sua fidelidade, assume a qualidade de denúncia profética, sinal de um mundo novo, traçando na sociedade um rasto de luz, semente da esperança.

Reflexos da actual crise social... 3. Correspondência Seminário Diocesano Rua Joaquim R. Carvalho, 60 2414-011 Leiria pastoralfamiliarleiria@gmail.com

Centros de Preparação para o Matrimónio (CPM) Manuela e Júlio Rebelo Rua dos Feteiras, nº 21 Gândara dos Olivais, 2400-035 Leiria 244840455 / 963478378 • cpmleiriadiocese@gmail.com Equipas Nossa Senhora (ENS) 1. Casal de ligação à diocese: Maria do Carmo e António Pedro Rua Senhora da Agonia, 45 Andreus – Barreira 2410-001 Leiria rcentrosul@ens.pt 2. Sector A Dina e José Antunes Rua Principal 1277 Caxieira 2420-430 Leiria sleiriaa@ens.pt

vida? Aliás haverá ainda lugar para opções definitivas?

3. Sector B Elisabete e Armando Carreira Rua de Cima, nº 18 Demó 2495-023 São Mamede sleiriab@ens.pt

4. Sector C Sofia e Henrique Oliveira Rua Francisco Pereira da Silva, 43 Bl. C, RC Dto. 2410-105 Leiria sleiriac@ens.pt

Novo paradigma sócio-económico O papel das famílias cristãs na construção de um novo paradigma socioeconómico, exigido pela crise, esteve em destaque na 23ª Jornada Nacional da Pastoral Familiar, que decorreu no mês de Outubro em Fátima. . O encontro, que teve como tema “Família, compromisso na verdade”, juntou no Seminário do Verbo Divino diversos representantes diocesanos ligados ao sector, entre os quais Jorge Cotovio, de Coimbra, que falou sobre como “viver em cidadania”. Em declarações à Agência ECCLESIA, aquele responsável mostrou-se convicto de que “esta crise vai fazer muito mais apelo aos valores eternos, da espiritualidade” e, nesse contexto, as famílias cristãs terão “responsabilidade” acrescida, já que “têm uma doutrina da Igreja que os

chama a ser cidadãos activos e interventivos”. “É exigido a todos nós um testemunho que expresse esta nossa intervenção carregada de humanismo e que tem também os valores da espiritualidade e interioridade que tanto faltam na nossa sociedade”, acrescentou. Depois de, em 2010, ter levado a debate a “essência da família” o Departamento Nacional da Pastoral Familiar (DNPF) decidiu este ano reflectir sobre o modo como pais e filhos podem assumir um compromisso de verdade, particularmente em três áreas distintas: cidadania, transcendência e afectividade Para Graça Delgado, coordenadora daquele organismo, as dificuldades económicas e sociais só se constituirão como um obstáculo para a relação familiar

se pais e filhos esquecerem aquilo que realmente os une. “Se nós aceitarmos esta crise e efectivamente tivermos a preocupação de ir à verdade da família, onde está o amor, podemos ser mais seguros e comprometer-nos realmente com esse amor”, sustentou. A percepção de que há algo maior que liga as pessoas, para além das realidades materiais e terrenas, faz parte da essência da família cristã e, segundo o padre José Frazão, deve ser cultivada desde cedo. Durante o evento, o sacerdote jesuíta chamou a atenção para a importância dos pais criarem “no quotidiano, espaços humanamente qualificados de reconhecimento” de Deus.


4 CULTURA

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Visita de dirigentes da APOM e do ICOM Tearo José Lúcio da Silva (Leiria) • ANIMAIS UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS | Animação | de Holger Tappe, Reinhard Klooss | 22, 23, 24, 26, 27 e 28 de Dezembro, 15h30 e 25 de Dezembro, 21h30 Teatro Miguel Franco (Leria) • SANGUE DO MEU SANGUE | Drama | de João Canijo | c/ Rita Blanco, Anabela Moreira, Cleia Almeida, Rafael Morais | 21 e 28 de Dezembro, 18h30, 24 de Dezembro, 15h30 e 26 e 27 de Dezembrto, 21h30

EXPOSIÇÕES

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Voando” - escultura de Luís Santos (~9/01) Teatro Miguel Franco - Leiria •”Presépios” - Lena Riscado (~8/01) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Todas as noites acordam no dia” - pintura de João Pereira (~30/01) Edifício Paços do Concelho - Leiria •”As Invasões Francesas” (~31/12) m|i|mo -Museu da Imagem em Movimento - Leiria •”Da suspensão do tempo e outros registos”-foto. e escultutras (~29/01) Célula e Membraba/a9)))) - Leiria •”Nora. Eine Idyle” - pintura e desenho de Jochen Dietrich (~2/01) Loja Ponto JA - Leiria •”Voluntariado 2011” (~16/12) Cervejaria Camões - Leiria •”Interpretações Cidade Velha” - serigrafias (~31/12) Casa-Museu João Soares - Cortes •”Os grafitos medievais do Mosteiro da Batalha” (~31/12) •”A República” (~31/01) Museu Joaquim Correia - Marinha Grande •”Engenhos sonoros” (exposição temporária) •”Retratos” (3ªs~6ªs) Galeria Municipal - Ourém •”Beleza Natural” - pintura (~24/12)

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”O Lago dos Cisnes” - dança (15/12, 21h30) •”Aladino e a gruta mágica” - teatro, patinagem, ginástica, canto ao vivo e magia (16/12, 10h30 e 15h00; 18/12, 17h00) Teatro Miguel Franco - Leiria •”Natal em Família” - concertos para bebés (11/11, 10h30, 11h45 e 15h00) •”Tudo baila em seu redor” - teatro (15/12, 21h30) •”Motofonia” - solo poético (17/12, 16h00) •”Panza e de La Mancha” - teatro (20/12, 22h00) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Brrrr! Que frio especial!” - bebeteca (15 e 17, 15h00) •”O cavalinho de pau do menino Jesus” (16, 21 e 30/12, 11h e 15h) •”Tina e o Natal” - hora do conto (16, 21 e 30/12, 11h00 e 15h00) •”Contar e encantar-pais e filhos” (17/12, 16h00) • Férias de Natal na Biblioteca - actividades (19/~29/12) •”Letras soltas” - clube de leitura (20 e 29/12, 14h00) Sala Jaime salazar Sampaio - Leiria •”Por um dia claro” - teatro (19~21/12, 16h30 e 21h30) m|i|mo- Museu da Imagem em Movimento- Leiria •”CINANIMA” - festival internacional de cinema de animação (~17/12) •”Programa Pianola 2011” - filmes de Alexandra Estrela (15/12, 21h30) •”Câmara Obscura” - construção (17/12, 15h00) •”Momentos Luminosos” - oficina (20 e 27/12, 10h00) Edifício Banco de Portugal - Leiria •”Fábrica do Pai Natal” (~8/01) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria •” Natal no CIA” - construção de postais e enfeites de Natal (19~30/12) Orfeão - Leiria •”Concerto de Natal” - música (15/12, 21h00) Sé - Leiria •”Concerto de Natal” - música (18/12, 15h00) Casa-Museu João Soares - Cortes • Oficinas de Natal (17/12, 15h00) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”Já sei voar” - hora do conto (3ªs, 11h00 e 5ªs, 15h00)

Museólogos elogiam Museu da Batalha O Museu da Comunidade Concelhia da Batalha recebeu, no dia 5 de Dezembro, a visita de dirigentes da APOM – Associação Portuguesa de Museologia e do Comité Português do ICOM – International Council of Museums. Tratou-se de uma delegação de personalidades conhecedoras de museus em todo o mundo, o que permite a qualquer instituição do género perceber como é avaliado o seu trabalho num contexto mais global e especializado. E essa avaliação, no caso do Museu da Batalha, pode verificar-se nos comentários deixados: “O Museu do presente feito com o passado a projectar o

DR

CINEMAS

futuro”; “Magnífico equipamento museológico”; “Este museu honra os profissionais e os mentores portugueses ligados à história, património deste Portugal criativo e dinâmico”.

Actividades nas férias do Natal Avizinhando-se a época natalícia, o Serviço Educativo do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha (MCCB) programou

diversas actividades lúdicas e pedagógicas destinadas a crianças com idades compreendidas entre os 6 aos 12 anos. As acções visam o contacto directo e contextualizado com o espólio do MCCB proporcionando e estimulando a criatividade. As actividades compreendem uma visita natalícia ao Museu com uma personagem mistério, diversas oficinas temáticas, visitas-jogo e a hora do conto de Natal. As actividades decorrem nas tardes de 20 a 23 e de 27 a 30 de Dezembro, das 14h00 às 17h30.

“Da suspensão do tempo e outros registos”

Fotografia e escultura no m|i|mo “Da suspensão do tempo e outros registos” é a exposição que estará patente no m|i|mo até 29 de Fevereiro. Composta por fotografias da colecção de João Carlos Pereira e esculturas (pequenas instalações) da sua autoria, esta é, conforme as suas palavras, uma exposição “Da suspensão do tempo,

da comunicação suprema das imagens e dos objectos, dos momentos somados que formam o tempo, o tempo intemporal que pousa na vida das coisas e lhes dá a imortalidade.” “Da suspensão do tempo e outros registos” conta com a participação de trabalhos dos artistas Alexander Rodshenko, Jack Pierson,

Tracey Moffat, Genco de Ruitjer, Hiroshi Sugimoto, Jeff Wall, Joana Pimentel, José Luís Neto, Miguel Rio Branco, Eva Lootz, Fiorenza, Menini, Nan Goldin, Paulo Nozolino, Daniel Canogar, Leonel Moura, André Príncipe, Stephen Reusse, James Welling, Jorge Molder, Jan Koster, Gerard Castello Lopes, Peter Klasen, Cindy

Scherman, Vik Muniz, Juan Peña, Mário Cravo Neto, Luísa Mota e Pippilloti Rist. A exposição que foi inaugurada no dia 3 de Novembro pode ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 9h00 e as 12h30 e, entre as 14h00 e as 17h30. Ao sábado está aberta entre as 14h00 e as 17h30.

No Orfeão de Leiria Conservatório de Artes

Oficinas de Natal para todas as idades Natal: Zero|Cinco O projecto Zero|Cinco do Orfeão de Leiria Conservatório de Artes (OL CA) vai reunir pais e crianças numa oficina de trabalho musical inteiramente dedicada à quadra natalícia, no sábado 17 de Dezembro, das 10h00 às 10h45, para as crianças com idades entre os três e os cinco anos, e, das 11h00 às 11h45, para bebés entre os zero e os 35 meses. O evento tem como objectivo promover o seu desenvolvimento emocional e cognitivo, privilegiando a participação activa dos pais. Tendo a música como elemento central vai pro-

porcionar a aprendizagem e o desenvolvimento de competência físicas, intelectuais e relacionais das crianças que irão ouvir, imitar, improvisar e criar, através da realização de jogos e exercícios que conciliam ritmo e movimento. O momento musical lúdico pretende, através da interacção entre pais e crianças, contribuir simultaneamente para o fortalecimento dos laços familiares e emocionais. Oficina de neuróbica Os alunos do Conservatório Sénior do Orfeão de Leiria (CSOL) vão participar numa oficina de neuróbica,

que terá como objectivo abordar vários aspectos relacionados com o funcionamento do cérebro e dar a conhecer alguns exercícios que podem ser realizados para estimular a sua actividade. A iniciativa, orientada pela professora Diana Rolo, terá lugar no edifício sede do Orfeão de Leiria, a partir das 10h00 do próximo dia 19 de Dezembro, segunda-feira, e prevê a participação do público em geral, mediante inscrição prévia. “Dias do Clarinete” Nos dias 19, 20 e 21 de Dezembro, o Orfeão de Leiria vai ainda reunir

jovens alunos de várias escolas de música do País numa nova edição da master class “Os Dias do Clarinete”. A iniciativa de aperfeiçoamento musical, organizada pelos professores Luís Casalinho, Manuel Lemos e Susana Esequiel, inclui dois concertos nos dias 20 e 21 de Dezembro, que terão lugar no auditório José Neto do edifício sede do OLCA, pelas 19h00. A edição deste ano de “Os dias do clarinete” contará ainda com uma oficina de trabalho ministrada pelo professor Jorge Lemos, sobre “Manutenção e cuidados com o clarinete”.


CULTURA 5

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

No âmbito do 138.º aniversário

Sé de Leiria

SAMP apresenta “plano estratégico” Integrada no seu 138.º aniversário, a SAMP – Sociedade Artística e Musical dos Pousos apresentou, no passado dia 9 de Dezembro, um “plano estratégico” para um horizonte temporal de três anos, 2012-2014, em preparação desde Abril deste ano. O plano, que contou com a colaboração de vários profissionais da SAMP e outras pessoas e entidades da região, “é visto como um ponto marcante na história da instituição que visa a definição e operacionalidade de uma estratégia para o seu desenvolvimento nos próximos três anos”. A ideia é dar resposta às linhas que estão definidas nos seus estatutos: “A associação tem por fim, sem intuitos lucrativos, promover e potenciar as práticas culturais, em especial através da música e de outras artes

performativas, incentivar a formação e a produção artística e oferecer quaisquer outras actividades no âmbito da instrução e recreio dos seus associados”. A partir desta base, “a missão definida amplia o objecto dos estatutos, não se limita a uma formação musical, mas à formação da pessoa como um todo, do seu bem-estar e da sua comunidade, utilizando a música como uma das ferramentas possíveis”. Partindo de uma análise às características positiva e negativas da instituição, o plano apresenta os objectivos para este triénio, divididos em cinco eixos estratégicos: “Organização e Gestão”, “Parceiros e Comunidade”, “Projectos e Eventos”, “Banda Filarmónica e Formações Residentes”, “Ensino e Formação”. O plano assume-se

como ambicioso, apesar dos condicionalismos identificados e da situação complicada que atravessa a sociedade em geral, mas denota confiança nas capacidades dos seus colaboradores. Como ali se pode ler, a sua concretização “exigirá o envolvimento e empenho de todos quantos fazem parte da SAMP, desde os elementos da sua Banda Filarmónica, que esteve na origem da instituição, e restantes Formações Residentes, passando pelos seus profissionais, professores e colaboradores administrativos, até aos órgãos sociais e muitos voluntários anónimos que, ao longo da sua história, tanto têm contribuído para o crescimento e afirmação da instituição”. Actualmente, para além da Banda Filarmónica, a SAMP conta com várias

formações corais e instrumentais e com uma Escola de Artes com ensino oficial de Música. Desenvolve programas de ensino artístico para públicos-alvo desde a primeira infância até à terceira idade, de onde se destacam o seu Programa “Berço das Artes”, de que foi pioneira e se constitui como referência a nível nacional, a programas no âmbito dos efeitos terapêuticos das artes, nomeadamente da música, com uma forte intervenção social que mantém em parceria com diversas instituições públicas e privadas e organismos do Estado. O ensino oficial na SAMP conta actualmente com 23 professores, a sua maioria em tempo parcial, e com 111 alunos.

No Teatro José Lúcio da Silva

Mosteiro da Batalha

Nesta época natalícia, o Teatro José Lúcio da Silva (TJLS), em Leiria, apresenta nos dias 16 e 18 de Dezembro, Aladino e a Gruta Mágica, com teatro, patinagem, ginástica, canto ao vivo e magia. Uma animada história que conta as aventuras de Aladino, um jovem que vive numa aldeia das Arábias e que sonha um dia tornar-se príncipe e casar com uma bela princesa. Certo dia, Aladino é levado a uma gruta encantada onde encontra algo que irá mudar a sua vida para sempre. Começa então uma extraordinária aventura pelo mundo da magia e fantasia, que vai surpreender toda a gente. Em seu poder estará algo tão poderoso e mágico que será cobiçado por uma malvada personagem que tudo fará para enganar Aladino.

No dia 16 de Dezembro, pelas 21h30, irá realizar-se um concerto de Natal, pelo tenor Giovanne d’Amore, na igreja do Mosteiro da Batalha. O tenor, para este concerto especial de natal, escolheu um reportório clássico sacro com alguns temas bem conhecidos, relacionados com esta quadra festiva. O recital tem como instrumento principal o piano ou órgão e o artista será acompanhado pelo maestro Nuno Lopes do Teatro Nacional São Carlos.

Aladino e a Gruta Mágica

m|i|mo - museu da imagem

Chá dançante no mIiImo Na próxima quarta-feira, dia 14, pelas 15h30, o mIiImo - museu da imagem em movimento, em Leiria, recebe a iniciativa “Às Quartas, Danças e outros mIiImos”. O chá dançante tem como principal vocação o encontro das pessoas que gostam de dançar acompanhadas. O chá é o pretexto e marca a hora do encontro, que se inicia com uma visita ao espaço do Museu. Partindo de fotografias e filmes da colecção, propõe-se ainda uma conversa animada para activar memórias. Esta acção é da responsabilidade de Eunice Caetano, professora e animadora de danças do mundo.

Concerto de Natal

Concerto de Natal A Sé de Leiria é palco no 18 de Dezembro, às 15h00, de mais uma edição do Concerto de Natal. Participam os seguintes grupos corais: Coro Infantil do Jardim-Escola João de Deus, Viva Voz - Coral da Casa do Povo de Santa Catarina da Serra, Coral das Obras Sociais do Pessoal da Câmara Municipal de Leiria, Coro da Casa do Pessoal do Hospital de Santo André e Coral da Sociedade Artística e Musical dos Pousos. Esta iniciativa tem a organização da Autarquia, Paróquia de Leiria e Grupos Corais do Concelho.

Grupo do Ateneu Desportivo de Leiria

27º aniversário do Leiricanta O Leiricanta - Grupo de Música Popular do Ateneu Desportivo de Leiria, vai comemorar no dia 17 de Dezembro, pelas 21H00, no auditório da Filarmónica Santiago de Marrazes, um espectáculo musical para comemorar o seu 23º aniversário. Neste espectáculo, estarão presentes a formação do Leiricanta-Grupo de Música Popular e do Grupo de Cavaquinhos da Associação Cultural Recreativa de Dume (Braga).

Escultura no teatro José Lúcio da Silva

Luís Santos mostra “Voando” O Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, acolhe até 9 de Janeiro de 2012, a exposição “Voando - Escultura de Luís Santos”. As obras escultóricas apresentadas lembram-nos imagens de pássaros, revelando cada movimento a representação de uma nova oportunidade, com percursos muito diferentes. Nesta opção plástica, o autor pretende realçar a capacidade de sonhar de cada um, de forma a exaltar essa necessidade da realização de sonhos, de vivermos em harmonia e em liberdade, potenciando sempre a elaboração de projectos pessoais e colectivos, numa perspectiva de realização efectiva. Estas peças, materializadas em pedra, aço, inox, ferro e cerâmica, convidam a que nunca deixemos de sonhar.

Casa-Museu João Soares, nas Cortes

“Oficinas de Natal”

A Casa-Museu João Soares irá realizar, durante o mês de Dezembro “Oficinas de Natal” para crianças entre os 6 aos 10 anos, das 15h00 às 17h00. Porque o Natal é repleto de surpresas, no dia 17 haverá uma surpresa para os participantes.

Lançamento a 18 de Dezembro

IV Antologia de Poetas Lusófonos A Folheto Edições vai proceder à apresentação da “IV Antologia de Poetas Lusófonos” a realizar no próximo dia 18 de Dezembro de 2011, pelas 15h30, no Auditório 2, da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS) em Leiria. Haverá um momento de poesia com a participação de vários poetas. Depois do sucesso das I, II e III Antologias de Poetas Lusófonos, que contou com mensagens de parabéns dos presidentes da república de Portugal e do Brasil, assim como do primeiro-ministro de Portugal, de diversas embaixadas, imensas instituições e muitas individualidades, nasce, agora, a IV Antologia de Poetas Lusófonos. No total, são mais de 400 poetas nas quatro antologias, oriundos de 14 países.


6 CULTURA / SOCIEDADE

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Menção honrosa nos Prémios APOM 2011

Junta das Colmeias homenageia ex-autarcas

No passado dia 12 de Dezembro, o Museu de Arte Sacra e Etnologia, dos Missionários da Consolata em Fátima, recebeu uma menção honrosa no âmbito dos Prémios APOM 2011 na categoria “Melhor Serviço de Extensão Cultural”. Estes prémios são anualmente atribuídos pela Associação Portuguesa de Museologia distinguindo museus e personalidades que se destacam no panorama museológico português em diferentes categorias. A cerimónia de entrega de prémios decorreu no auditório do BES Arte e Finança, em Lisboa, com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas e outras personalidades, sendo homenageado o engenheiro Luis Casanovas pelo trabalho ao nível da

No dia 10 de Dezembro, a Junta de Freguesia de Colmeias homenageou os autarcas que assumiram as funções naquela freguesia no período republicano português. A iniciativa contou com o lançamento do livro “Os Presidentes”, edição da Junta de Freguesia de Colmeias, retratando os presidentes de Junta que estiveram em Colmeias nos períodos da Primeira República, Ditadura Militar, Estado Novo e o pós25 de Abril de 1974, até à actualidade. Os autarcas que assumiram este desempenho público deste tempo estão retratados nesta publicação com foto, currículo e a recordação de alguns acontecimentos notáveis da época em que estiveram à frente dos destinos da Junta.

DR

conservação preventiva realizado em vários museus portugueses. Fundado há 20 anos, este museu missionário é o único em Fátima e no concelho de Ourém credenciado pela Rede Portuguesa de Museus e reúne uma vasta colecção de elevadíssimo interesse artístico e cultural, promovendo o encontro com a beleza, a

arte, a história e a cultura. Ao longo do ano promove várias actividades culturais destinadas aos diferentes públicos, nomeadamente, concertos, recitais, exposições temporárias, oficinas de pintura, cursos-livres, lançamento de livros, visitas especializadas, testemunhos missionários, entre muitas outras.

N

as primeiras décadas do século XX português, não encontramos equilíbrios de relacionamento institucional no contexto político, social, económico e até mesmo cultural. João Franco, que tinha sido Ministro e Secretário de Estado dos Negócios do Reino, abandonou os regeneradores e funda o Partido Regenerador Liberal, numa tentativa de sair do ciclo negativo da sua posição política. É justamente nesta fase conturbada da vida nacional que a 6 de Novembro de 1904, na Sé Nova de Coimbra, o jovem José Lacerda é ordenado sacerdote, numa celebração presidida pelo Bispo D. Manuel Correia de Bastos Pina. Nesse mesmo ano, a 13 de Dezembro, então já sacerdote, vai para a paróquia de Alvorge, no concelho de Ansião. O jovem leiriense iniciava aqui uma vida sacerdotal mas que se iria revelar por entrega a várias causas da sociedade e muito especial na recuperação da Diocese de Leiria, perdida no século

Ficha biográfica de José Ferreira de Lacerda

anterior para a Diocese de Coimbra e o Patriarcado de Lisboa. Sobre este assunto abordaremos a sua acção nas próximas crónicas. Aquando do início da vida sacerdotal de José Lacerda, Portugal vivia sob o regime de uma Monarquia que se encontrava numa fase de declínio, percebendo-se que seria inevitável encontrar soluções e implementar reformas estruturais, carecendo por isso de uma outra organização político-administrativa. A Monarquia não viria a resistir dez anos completos no século XX. D. Carlos I, que era o rei de Portugal

desde Outubro de 1889, será uma vítima dos momentos de agitação social e política. Os primeiros anos do novo milénio revelaramse como dos mais difíceis para a sua governação, passando pela necessidade de intervir no sistema político, dando e retirando meios de governação. As suas resoluções foram consideradas, por diversas vezes, desajustadas das verdadeiras necessidades do País, gerando um desgaste entre os partidos monárquicos portugueses. No dia 1 de Fevereiro de 1908, D. Carlos I e o seu filho herdeiro Luís Filipe,

Presidentes retratados em um século republicano

foram assassinados no Terreiro do Paço, em Lisboa. O regicídio revelou-se determinante para o virar de página da Monarquia, num tempo marcado por cidadãos cansados dos escândalos financeiros, erros e violências do regime. Nenhum partido republicano reivindicou o crime, mas a partir desta data o cenário político alterou-se profundamente. As correntes republicanas ganham espaço. Terminava aqui a prepotência da ditadura franquista. Neste período da história de Portugal, o jovem sacerdote José Lacerda, está

Momento do regicídio

DR

Museu de Arte Sacra e Etnologia distinguido

A cerimónia que homenageou os quinze autarcas da história de um século em Colmeias iniciou com a celebração eucarística em memória dos ex-autarcas e uma representação do Grupo Coral do Ateneu Desportivo de Leiria. Seguidamente, foi inaugurada uma exposição permanente das fotografias dos ex-presidentes da Junta de Freguesia de Colmeias, de 1913 até

atento ao desenrolar aos acontecimentos de muita agitação política, embora a sua maior dedicação neste período seria com o sacerdócio, até porque contava com pouco tempo desde a sua ordenação. Apesar do período conturbado da primeira década do século XX, a Monarquia ainda resiste até 1910 com o reinado de D. Manuel II, um rei que vem a sofrer crises sucessivas, com uma profunda agitação e contestação política. Mesmo assim, o rei tenta manter a união e ordem constitucional mas a Monarquia já não tinha qualquer reputação entre o povo. Surge na luta de poder, com mais intensidade, o Partido Republicano e alguns movimentos organizados, com o objectivo de mudança de paradigma do regime. Entre eles, encontra-se a Carbonária Portuguesa. Não fosse esta organização e os seus congéneres, entre eles a Maçonaria e as gerações académicas de Lisboa, Coimbra e Porto, e a revolução talvez tivesse

2009, ano que assumiu funções Artur Santos, o actual presidente. O livro “Os Presidentes” teve como autor o colmeense Silvino Gaspar que para além da investigação da realidade autárquica da sua terra desde a Primeira República até à actualidade, também efectuou os retratos demográficos e das origens da freguesia de Colmeias.

REFLEXÕES SOBRE O SÉCULO XX - 3

Joaquim Santos Jornalista

Ordenação sacerdotal e o caminho que levou à viragem de regime sido votada ao fracasso. O povo e as próprias forças de segurança, associavam à Carbonária uma ideia enigmática, sem com isso tomar consciência que esta se organizava cada vez mais para participar no acto revolucionário que levaria à proclamação da República a 5 de Outubro de 1910.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Programa de 17 de Dezembro de 2011 a Fevereiro de 2013

Bajouca: 40 anos de freguesia e paróquia A freguesia da Bajouca foi criada oficialmente no sábado dia 17 de Dezembro de 1971, faz agora 40 anos, também a um sábado. Para assinalar este aniversário, uma comissão de representantes das associações e outras forças vivas locais preparou um programa especial: 16h00 – Festa de Natal da Catequese, no salão 18h00 – Missa solene com início oficial das comemorações dos 40 anos da freguesia e paróquia 19h30 – Sessão solene com uma Assembleia de Freguesia, no salão paroquial, aberta a toda a população, em homenagem às pessoas que fizeram parte da primeira Junta, todas ainda vivas, incluindo a leitura da 1.ª acta, feita há 40 anos. No final haverá uma votação, entre os presentes, de um projecto com verba a atribuir pela Junta. A concluir, um lanche de convívio, aberto a todos. Segundo a comissão, o principal objectivo desta comemoração passa por

“unir toda a comunidade, presentes e ausentes, numa grande manifestação de bairrismo, dinamismo e unidade”. O logótipo criado para este efeito (na imagem) tenta espelhar essa ideia: “a partir de um cântaro de água límpida jorram as palavras: União e Dinamismo”. É esta união e este dinamismo que sempre marcaram as gentes da Bajouca, que certamente irão sobressair em todas as actividades a levar a efeito”. Outro dos “objectivos é homenagear todos os que ao longo destes 40 anos ajudaram esta freguesia a crescer em todos os aspectos”.

Até Fevereiro de 2013 Para além da festa inaugural do próximo dia 17, estão agendadas muitas outras iniciativas, até Fevereiro de 2013, integrando ainda todas as actividades das várias associações. E a programação específica já definida é extensa: a 2 de Fevereiro de 2012, a celebração dos 40 anos da criação da Paróquia; a 19 de Fevereiro, o tradicional desfile de Carnaval sobre o tema do aniversário e com a participação das associações da freguesia; a 6 de Abril, Sexta-Feira Santa, representação cénica alusiva ao dia, no adro da igreja; a

26 e 27 de Maio, realização de uma grande jornada de confraternização entre todos os bajouquenses, com encontro de Bandas Filarmónicas e outras actividades; a 17 de Junho, peregrinação da paróquia a Fátima, como acção de graças por estes 40 anos de vida e homenagem aos que, de algum modo, combateram pelo nosso país na guerra mundial e na guerra no Ultramar; na feira de Maio, em Leiria, representar a freguesia numa mostra da sua vitalidade e dinamismo, com artesanato ao vivo; realização de uma feira dos “treze” como antigamente, com a recriação de alguns usos e costumes; actividades para os mais novos no Dia Mundial da Criança; um encontro das pessoas nascidas há 40 anos; encontro com os bajouquenses ausentes; lançamento de um livro sobre a história, o dinamismo e a coragem desta comunidade. A seu tempo falaremos de cada uma desta iniciativas...

Beato Nuno e Cova da Iria Foi num ambiente de festa que a cidade de Fátima viu inaugurar no dia 10 de Novembro os centros escolares Beato Nuno (na foto) e de Cova da Iria, dois equipamentos escolares que reflectem as exigências da educação na modernidade, num investimento superior a cinco milhões de euros. Paulo Fonseca, presidente da Câmara Municipal de Ourém exaltou a importância que este executivo dá à educação, afirmando que o esforço na construção de novos equipamentos se deve à consciência de que “é na escola que os nossos filhos e os nossos netos constroem o futuro”, pelo que a educação é um pilar fundamental no seu crescimento, tendo em conta que “as crianças de hoje são os homens do amanhã”.

DR

Fátima inaugura dois centros escolares

E esta aposta não fica por aqui. Para além dos centros em construção (Ourém-nascente, Freixianda e Olival) Paulo Fonseca anunciou que está já feita a pré-candidatura de mais dois, um para Fátima (zona rural) e outro para a freguesia de Caxarias, garantindo a “cobertura total do concelho em termos de rede de escolas”. A presidente do Agrupa-

mento de Escolas Ourém, Isabel Batista, manifestouse muito satisfeita com as instalações, que são “uma mais-valia para a comunidade” informando de que “todos os dias há pedidos de transferência para estes dois centros”. Para Natálio Reis, presidente da Junta de Freguesia de Fátima, este “é o momento mais feliz que estou a viver como presidente

de junta”, pois “resulta de um desejo muito antigo da população de Fátima”. Visivelmente emocionado o autarca local assumiu não ter palavras “para dizer o que sinto cá dentro” e concluiu: “o investimento que se faça na educação, numa sociedade moderna, é sempre bem feito”. Isabel Damasceno, do programa Mais Centro, destacou o esforço extraordinário do Município de Ourém, na construção destes quatro novos centros escolares, comparticipados por este programa, defendendo que “garantem uma educação mais eficaz”, capaz de formar “melhores cidadãos no futuro”. Destaque para as actuações musicais dos alunos deste centros, a brindar os presentes, no final.

Nova designação do Hospital de Santo André

Centro Hospitalar Leiria-Pombal O Hospital de Santo André passou a designar-se Centro Hospitalar Leiria-Pombal. Esta nova fase vai permitir gerir recursos e integrar um espírito de rede entre os dois concelhos vizinhos. O Conselho de Administração do Centro Hospitalar Leiria-Pombal (CHLP) tomou posse na quarta-feira, dia 14 de Dezembro, resultando na extinção do Hospital de Santo André (Leiria) e do Hospital Distrital de Pombal. O CHLP foi oficialmente criado a 1 de Abril de 2011 e reúne o Hospital de Santo André e o Hospital Distrital de Pombal. O Conselho de Administração que agora vai tomar posse iniciou funções a 21 de Novembro, e é composta por Helder Roque, presidente, e os vogais João Coucelo, director clínico, Emília Fael, enfermeira directora, Licínio de Carvalho e Francisco Velez Roxo. Enquanto unidade hospitalar de referência do distrito de Leiria abrange uma população da ordem dos 350.000 habitantes, pertencentes aos concelhos da Batalha, Leiria, Marinha Grande, Porto de Mós e parte dos concelhos de Alcobaça, Nazaré, Ourém e Pombal.

Quinta edição de 13 a 15 de Dezembro

ESAD recebe encontros de estudantes das artes da animação A Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD.CR), do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), recebe até 15 de Dezembro, a quinta edição dos Encontros Internacionais de Estudantes das Artes da Animação | FIRST. Susana Rodrigues, directora da ESAD.CR explica que «a proposta de realizar mais uma edição dos Encontros Internacionais de Estudantes das Artes da Animação | FIRST não só faz todo o sentido no âmbito dos cursos e das manifestações que a ESAD.CR promove, como faz todo o sentido no âmbito nacional e internacional pela pertinência que esta arte, isolada ou em parceria e diálogo com outras, representa para o universo criativo, pedagógico, de pesquisa e profissional». FIRST é um espaço de encontro onde se pretende divulgar a animação ou outras formas de arte transversais, onde a animação se apresenta como uma das componentes criativas. Estes Encontros pretendem apresentar e explorar o carácter irreverente, inteligente, artístico e experimental dos estudantes, por um lado, das artes em geral e da animação em particular, despertando todos os sentidos e capacidades criativas dos estudantes, professores e público envolvido. A iniciativa envolve várias componentes, entre as quais a competição aberta a estudantes no âmbito da sua actividade curricular, a exposição, apresentação, performance e instalação de obras retrospectivas de professores e artistas convidados.

Até Maio de 2012

Caminhadas na Batalha 2011-2012 Esta é a nova acção dinamizada pelo Grupo de Educação Física da Escola Básica e Secundária da Batalha, no âmbito do Projecto de Educação para a Saúde e Sexualidade e do Projecto Pessoa, do Agrupamento de Escolas da Batalha. Trata-se de um conjunto de caminhadas, com periodicidade mensal, entre Dezembro de 2011 e Maio de 2012, que terão lugar em vários locais dos concelhos da Batalha e de Porto de Mós. A primeira caminhada realiza-se já no dia 17 de Dezembro, no percurso da Mata do Cerejal (Alcanadas). As restantes “visitarão” os percursos do Buraco Roto (Reguengo do Fetal), Rota dos Moinhos (São Mamede), Fórnea (Alcaria) e Serra da Pevide (Porto de Mós e Serro Ventoso).


8 ECLESIAL

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

[COLUNA SEMANAL]

CAMINHO... COM A

CARTA PASTORAL

DR

9

3. Vasto mundo, minha paróquia Ao escrever esta carta lembrei-me, várias vezes, dum livro do meu tempo de estudante que se intitulava “Vasto mundo, minha paróquia”. Era seu autor um célebre teólogo francês, o P.e Yves Congar. Com o título provocador, ele queria despertar os cristãos para não ficarem fechados na sua paróquia. Nesta os fiéis alimentam a fé, mas a sua missão é no meio do mundo. Como pudemos ver, as próprias imagens evangélicas “vós sois o sal da terra e a luz do mundo” mostram-nos que somos enviados a levar Cristo como verdadeira luz e verdadeiro sal ao coração do mundo. Significa que tudo o que é humano – cada pessoa, a vida, as relações interpessoais, a organização da convivência social – encontra em Jesus a sua verdade, o seu sentido pleno, a sua renovação, a salvação. Não podemos trair esta missão que nos foi confiada. É um dom, mas também um dever grave e irrenunciável. O Papa Bento XVI di-lo de uma maneira impressionante: “O mundo sem Deus torna-se um inferno: prevalecem os egoísmos, as divisões nas famílias, o ódio entre as pessoas e entre os povos, a falta de amor, de alegria e esperança. Pelo contrário, onde as pessoas e os povos acolhem a presença de Deus, O adoram na verdade e escutam a sua voz, aí se constrói concretamente a civilização do amor, em que cada um é respeitado na sua dignidade, cresce a comunhão com os frutos que ela produz”. Não nos é lícito desertar do mundo e descuidar as tarefas temporais. O nosso ser cristãos no mundo é chamado a renovar-se e a assumir o rosto de uma presença e de um testemunho mais autêntico, mais decidido e comprometido. Como tornar esta missão mais visível, mais concreta e mais significativa na sociedade de hoje?

Para reflexão...

ização l de qualidade o lugar de human 3.1. Vida espiritua de cada dia com o lh ba tra o os • Valorizam no mundo? ntidade de vida e vivência da sa

Família há oito séculos

Eu sou a cepa, vós os ramos Eu sou a videira, vós os ramos. Quem está em Mim esse dá muito fruto. Dando vós muito fruto Meu Pai é glorificado (Jo 15,7.10). Santa Clara alimentava-se diariamente da Palavra de Deus. Também estas palavras de Jesus deixaram marcas no seu coração e na sua vida. Ela foi esta vara, este ramo sempre unido à verdadeira Cepa. Por isso produziu muito fruto e glorificou o Pai que está no Céu. Apesar das vicissitudes por que passou a Ordem ao longo de oito séculos, o Espírito Santo alimentou sempre a chama que Clara acendera em Assis. E quando parecia moribunda ou o ramo quase a separar-se do tronco fez surgir mulheres santas que reacenderam com novo esplendor e beleza o primeiro fervor. No princípio do século XV com o movimento renovador protagonizado por Santa Coleta surgiram as Clarissas Coletinas, que seguiam a Regra de Santa Clara mas tinham Constituições próprias. Assim na mesma Ordem passam a existir as Clarissas que observavam a Primeira Regra escrita por Santa Clara, as Clarissas Urbanistas que seguiam a Regra de Urbano

IV. Depois, vem com a reforma de santa Coleta, as Clarissas Coletinas. Prosseguindo o mesmo ideal de radicalidade evangélica, simplicidade e altíssima pobreza, em meados do século XVI nascem as Clarissas Capuchinhas, que observavam a Regra de Santa Clara mas espiritualmente estavam confiadas aos cuidados dos Frades Menores Capuchinhos. Esta nova família clareana foi fundada por Maria Lorenza, filha da nobreza e esposa do Regente da Chancelaria Régia, Juan Llonc. Em 1506 o casal acompanhou o rei Ferdinando para Nápoles. A distinta senhora que então contava 43 anos de idade e doente duma paralisia provocada pela vingança de uma empregada que lhe deu uma bebida envenenada, um ano após a sua chegada à cidade italiana estava viúva. Entretanto numa peregrinação que fez a Loreto, ao ouvir a leitura do Evangelho da cura do paralítico, ficou milagrosamente curada. Decidiu então dedicar-se totalmente à assistência dos doentes e mais necessitados. Assumindo a responsabilidade da direcção do Hospital dos Incuráveis, ela própria, com incansável amor,

tratava dos mais doentes. Contudo, Deus tinha-lhe destinado outra missão. Deixaria a vocação de Marta para passar à contemplação de Maria. Em 1530 chegaram à cidade de Nápoles os primeiros Frades Capuchinhos que foram acolhidos nas dependências do Hospital. Fascinada pelo ideal de Francisco e Clara, a nobre senhora aceitou o desafio de Jesus: Vai, vende o que tens, dá o dinheiro aos pobres. Depois vem e segue-Me. Então a senhora Maria Lorenzo não mais olhou para trás. Com a aprovação do Papa Paulo III fundou um Mosteiro sob a Regra de Santa Clara, onde rapidamente afluíram muitas jovens. Nele exerceu com exímia sabedoria, humildade e competência o cargo de abadessa. Na vida destas Irmãs resplandecia o espírito da altíssima pobreza, simplicidade, sobriedade e rigorosa fidelidade à santa Regra. Esta renovada forma de viver espalhou-se rapidamente e muitos outros mosteiros se abriram ao Espírito de Deus que sopra onde quer, aceitando o desafio de endireitar as veredas e regressar ao primeiro fervor. Um século depois já existiam sessenta

e cinco mosteiros de Clarissas Capuchinhas. Ao longo destes oito séculos, outros movimentos renovadores foram surgindo, dando origem a outras formas de vida, mas tendo sempre o carisma de Santa Clara como alicerce: Clarissas Sacramentinas, Clarissas de Adoração Perpétua, Clarissas Capuchinhas Sacramentinas e Clarissas da Divina Providência. Permanecem assim estas denominações de Clarissas, conforme a Regra ou as Constituições que observam. Uma grande Família que, inserida no Corpo Místico de Cristo, se espalha pelos cinco Continentes do globo. Podemos assim contemplar um só tronco, diversos ramos, todos ligados à verdadeira cepa - Jesus Cristo. “Clara de Assis! Quão vivo é o poder desta luz e quão forte é o brilho desta fonte luminosa. Na verdade, esta luz tinha-se enclausurado no escondimento da vida monástica mas irradiava luzes cintilantes. Mantinha-se dentro e difundiase fora. Clara, de facto, escondia-se, mas a sua vida foi revelada a todos” (Papa Alexandre IV). Irmãs Clarissas de Monte Real


DIOCESE 9

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Festa no Seminário fecha com “chave-de-ouro”

Padroeira, Nossa Senhora da Conceição Tal como havia sido anunciado, o Seminário de Leiria festejou no dia 8 de Dezembro a festa da sua Padroeira, Nossa Senhora da Conceição. Durante a tarde, o nosso Bispo, D. António Marto, juntou-se às Celebrações, presidindo às Vésperas na Igreja do Seminário, e admitindo às “Ordens Sacras” o aluno João Jordão. Depois realizou-se um concerto tão espectacular como diverso nos estilos de música executados, que foram desde temas do rock sinfónico, a espiritual negro, baladas, peças clássicas, corais e instrumentais, música de filme, e sobretudo composições de músicos presentes no espectáculo, como Rui Mesquita, Carlos Carneiro e João Junqueira. Os 11 músicos intervenientes vieram todos do norte do país, se bem que dois deles foram alunos deste Seminário, e se a amizade entre eles foi o que os trouxe, o envolvimento com esta casa já não era inédito. O espectáculo, que esteve completamente de casa cheia, pese embora a diversidade, não deixou de

encerrar uma mensagem de todo o tempo presente, o advento, pois iniciou com duas peças à Virgem (“Avé Maria Pagana” e “Ave Maria” de Gounoud), e encerrou com 4 canções de Natal, percorrendo esse tempo entre a “Conceição e o nascimento”. Antes das últimas peças, Luís Matias, que apresentou o espectáculo, chamou à ribalta D. António Marto, Bispo de Leiria-Fátima, o padre Armindo Janeiro, Reitor do seminário e o Dr. António Agostinho, presidente da Associação dos Antigos Alunos, que dirigiram à assistência breves palavras. Concretamente o padre Armindo Janeiro congratulou-se com a qualidade do espectáculo, e relevou o empenhamento e envolvimento dos antigos alunos para com a sua casa, sinal da educação que aqui receberam, e como ao longo dos anos continuam a ser muito significativos os valores aqui recebidos. A dimensão afectiva e a envolvência que se quer cada vez maior, dos antigos alunos com o seu seminário, foram evidenciadas pelo António Agostinho, que se congra-

tulou com a envolvência e a relação de antigos alunos deste seminário com pessoas tão profissionais como estes músicos, que acedem a vir, por amizade, partilhar e proporcionar-nos momentos tão especiais. Manifestou a sua satisfação pela beleza do espectáculo, e por ver a casa cheia, e a alegria estampada em cada rosto. D. António Marto, visivelmente emocionado com aqueles momentos, não disfarçou o seu contentamento nem escondeu a sua surpresa perante a beleza do espectáculo, que enfatizou da seguinte forma: “…mas que belo momento este que vivemos aqui. Com que rapidez o tempo passou. É um momento digno de ser mostrado. Deveriam estar aqui as televisões para divulgar o que aqui vivemos… que qualidade a destes músicos. Que belos temas. Alguns, fizeram-me voltar aos meus tempos de estudante…”. Referiu ainda que o homem também vive da dimensão da beleza e da estética. Regozijou-se pela generosidade destes músicos, e deu relevo à formação ministrada nos

seminários, que ajudou a produzir pessoas com esta sensibilidade e talentos. D. António Marto abraçou calorosamente cada músico, e chamou-os pelo nome. A ovação final foi efusiva, forte e prolongada, aplaudida de pé, obrigando os músicos a repetir mais uma peça, que acabou participada por todos. No final, quase todos os participantes quiseram pessoalmente vir abraçar e conversar com os músicos, declarando generalizadamente o seu agrado e agradecendo. Discos e trabalhos de alguns autores presentes foram também disponibilizados, designadamente de Rui Mesquita, Carlos Carneiro e João Junqueira. Seguiu-se um lanche convívio aberto, com grande adesão dos participantes, e onde o espírito e os fantásticos momentos do espectáculo foram prolongados nas conversas. A satisfação de todos, músicos e espectadores, deixou a promessa de que haverá mais! L. Matias

Colégio Conciliar de Maria Imaculada

Dia da Padroeira celebrado No passado dia 8 de Dezembro, o Colégio Conciliar de Maria Imaculada viveu o seu dia, homenageando a sua padroeira, Maria Imaculada. Imbuído de um verdadeiro espírito cristão, de partilha e fraternidade, a comunidade do CCMI saiu à rua e participou activamente nas comemorações do dia do colégio e da sua padroeira, respondendo assim positivamente ao convite lançado pela direcção do colégio e pela Associação de Pais. A igreja paroquial da Cruz da Areia encheu-se de luz e cor, revelando-se pequena para acolher as centenas de pessoas que participaram na missa, especialmente preparada

pelos alunos e professores do CCMI. Em todos os momentos da celebração foi visível o entusiasmo e alegria com que pais, alunos e professores festejaram o dia do colégio e da sua padroeira. A festa haveria de continuar já nas instalações do colégio, com um espectáculo cultural, composto por apresentações de dança, música e teatro. Os alunos apresentaram, com grande simplicidade, mas de forma superior, perante um auditório do CCMI praticamente cheio, diversas actuações preparadas com enorme entusiasmo em conjunto com os professores. Foi aliás notória a cumplicidade entre alunos e professores

na preparação deste espectáculo, onde o natural amadorismo aliado à alegria e dinamismo com que trabalharam, enriqueceu em muito o resultado final. Quem assistiu, pôde apreciar a actuação de um grupo de Gospel. Seguiu-se a declamação de um poema original a Maria, escrito por uma aluna do colégio, Maria Inês Pedro. Maria foi ainda presenteada com uma música original, composta pelo professor David Ramon. A pequena Ana Sofia também deslumbrou o público, com a sua magnífica voz, ao interpretar a canção “Mãe Negra”. A coroação de Nossa Senhora como rainha de Portugal, por D. João IV, no século XVII, interpretada

por um elenco de cerca de trinta actores, todos eles alunos do colégio, transportou o público para um momento místico de grande importância para a história de Portugal. As coreografias encenadas pela professora Annarella complementaram o espectáculo com a graciosidade e alegria que lhes é tão peculiar. O entusiasmo com que a festa foi preparada por alunos e professores, a atmosfera de fraternidade que se criou durante toda a tarde, o apoio permanente da direcção do colégio e a forte participação da comunidade de pais mostram bem que estamos unidos e prontos para o futuro.

BREVES “Os Samaritanos” lançam campanha

Meias e televisões para o Natal dos reclusos A associação “Os Samaritanos”, da Pastoral Carcerária da nossa diocese, está a promover uma campanha de solidariedade de Natal para angariar meias para os presos que, nas suas celas, sofrem com o frio e a humidade de modo especialmente agreste. Ao mesmo tempo, uma vez que com a transição do modo de difusão da televisão para a TDT muitas pessoas vão deixar de usar algumas das suas antigas televisões, “Os Samaritanos” estão também a aceitar a oferta desses aparelhos (apenas interessam os mais pequenos, dado o espaço limitado das celas). As prisões foram equipadas com um sistema central de captação TDT, pelo que as velhas televisões poderão servir para que os reclusos tenham um pouco mais de distracção neste Natal. Quem tiver alguns destes materiais para entrega, poderá contactar para os telefones 918703005 (Joaquim Carrasqueiro) ou 919338382 (Ana Matos).

Instalações foram assaltadas

Cáritas Diocesana de Leiria alerta para falsos peditórios As instalações da Cáritas Diocesana de Leiria foram assaltadas no passado fim-de-semana. A entrada forçada foi feita por uma janela lateral, partindo o vidro. Quem foi, sabia que do lado de dentro havia uma escada que facilitava a entrada. As gavetas foram remexidas e foram causados pequenos danos, mas apenas foi roubada uma calculadora pequena e um livro de recibos, pois há sempre o cuidado de não deixar valores ou dinheiro nestas instalações. Foi chamada a polícia, que tomou conta da ocorrência e vão ser tomadas providências para dificultar uma possível segunda entrada. Para além da desagradável situação de ver vandalizadas as instalações de uma instituição que se preocupa em ajudar os mais necessitados, uma questão nos preocupa: o roubo do livro de recibos pode indiciar uma intenção de ir junto das pessoas pedir donativos, utilizando o nome da Cáritas para proveito próprio. Assim, solicita-se que as pessoas estejam devidamente alertadas para peditórios fraudulentos em nome da Cáritas. Informa-se que a Cáritas não efectua peditórios de porta em porta. O peditório anual a favor das Cáritas é feito no início da Quaresma, na rua, com caixas e pessoas devidamente identificadas.

Paroquia da Marinha Grande

Bênção das grávidas Decorreu no passado dia 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição (que há alguns anos marcava o Dia da Mãe), a celebração da bênção das grávidas na igreja paroquial da Marinha Grande, que teve a presença de mais de vinte senhoras, a maioria acompanhada pelos seus maridos, e em que, de forma simples mas sentida, se pediu a bênção de Deus para elas próprias e para os filhos que trazem no seu seio. A gravidez é um momento significativo na vida de uma pessoa, tanto da mãe que traz a criança no seu ventre, como do seu filho ou da sua filha, pequenino, mas que tem já consigo a dignidade e o direito de qualquer ser humano, e também do pai, a quem incumbe o dever e a missão de acompanhar, proteger e apoiar a sua família, de modo particular nesta ocasião.


10 ECLESIAL

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Antífona de Entrada: Is 45, 8 Leitura I: 2 Sam 7, 1-5.8b-12.14a.16 Salmo Responsorial: Salmo 88 (89), 2-3.4-5.27 e 29 (R. cf. 2a) Refrão: Cantarei eternamente as misericórdias do Senhor. Repete-se Leitura II: Rom 16, 25-27 Aclamação ao Evangelho: Lc 1, 38 ; Refrão: Aleluia. Repete-se; Eis a escrava do Senhor: faça-se em mim segundo a vossa palavra. Refrão Evangelho: Lc 1, 26-38 Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um homem chamado José, que era descendente de David. O nome da Virgem era Maria. Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo: «Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo». Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela. Disse-lhe o Anjo: «Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Conceberás e darás à luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo. O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David; reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim». Maria disse ao Anjo: «Como será isto, se eu não conheço homem?». O Anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus. E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice e este é o sexto mês daquela a quem chamavam estéril; porque a Deus nada é impossível». Maria disse então: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra». Palavra da salvação.

Cânticos|Cânticos para o Natal (25/12/11)

Janela Sobre a Missão

Pedro Ernesto (I) O Pedro Ernesto é um jovem do Gungo de 37 anos, casado, pai de cinco filhas. Como a maioria dos “Camungungos” (habitantes do Gungo), desde sempre a base da sua subsistência foi uma agricultura muito primitiva e rudimentar. Quando a equipa missionária de Leiria-Fátima começou a trabalhar no Gungo de forma permanente ele se tornou próximo dela, dando o seu apoio e colaboração sempre que tal lhe tem sido pedido. Um dos primeiros passos que deu numa “nova vida” foi desenvolver e aperfeiçoar a confecção de fazer pão. Começou a trabalhar como voluntário a favor dos jovens da missão do Gungo. A equipa missionária leva a farinha de trigo e ele faz o pão para vender. O lucro reverte a favor de um fundo que permite aos

AO SABOR DA PALAVRA

INÍCIO: Exultemos de alegria - Lau 993 SALMO RESPONSORIAL: Hoje nasceu o nosso salvador - Lau 997 APRESENTAÇÃO DOS DONS: Adeste fideles - Lau 976 COMUNHÃO: O Verbo fez-se carne - Lau 619 O pão que comemos - Lau 570 PÓS-COMUNHÃO: Cantem cantem os anjos - Lau 982 FINAL: O menino está dormindo - Lau 1004 Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos

MISSAS DOMINICAIS

Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 09h45 – Paulo VI 10h00 - S. Francisco 10h30 – Franciscanos 10h00 – S. Romão 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h30 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

4º Domingo do Advvento 18 de Dezembro de 2011

O rei que vem Mas afinal quem é esse menino de que toda a gente fala nestes últimos dias? Quem é esse Jesus, do qual mesmo dois mil anos depois do seu nascimento numa pequena aldeia de Israel, meio mundo fala e festeja? Bem, o mensageiro que anunciou essa notícia à mãe de Jesus disse que ele seria o sucessor do rei David. Mas o que de facto aconteceu é que Jesus nunca se sentou num trono, e acabou por morrer como os

DR

Leituras | IV Domingo do Advento (18/12/11)

jovens da missão participar em actividades de cariz diocesano ou até nacional, algo que antes era completamente impensável. Uma das histórias mais célebres do Pedro, numa dessas saídas, foi quando o Papa Bento XVI visitou Angola, em Março de 2009. Em Luanda, ele e um amigo compraram um gelado cada um, algo inédito para eles.

Mas pensaram em comê-lo num sítio mais agradável como uma sombra, logo que tivessem oportunidade. Com o calor de Março em Luanda, claro que ao tirarem o gelado da mochila só havia uma pasta algo pegajosa a pingar do papel. Quando o Amândio Évora veio para Angola, em Outubro de 2010, definiu-

piores criminosos do império Romano: numa cruz. Então onde é que pára a promessa feita a David, de que um seu descendente construiria um palácio ao nome de Deus, e esse descendente seria Rei para sempre? O autor sagrado está seguro de que Jahwéh, o Senhor da história, se preocupa com o caminho que os homens percorrem e encontra sempre forma de derramar o seu amor e a sua bondade sobre o Povo que ele próprio elegeu. Numa época em que a cultura dominante parece apostada em decretar a “morte” de Deus ou, pelo menos, em torná-lo uma inofensiva figura de cera e em exilá-lo para o museu das experiências pré-racionais, é importante para nós crentes não esquecermos esta certeza que a Palavra de Deus nos deixa: o nosso Deus preside à história humana, vem continuamente ao encontro dos homens, faz com eles uma Aliança, oferece-lhes a paz e a justiça e apontalhes o caminho para a verdadeira vida, a verdadeira liberdade, a verdadeira salvação. Os homens podem in-

ventar a morte, a violência, a injustiça, a opressão, a exploração, os imperialismos; mas Deus saberá conduzir a história dos homens e do mundo a bom porto, de acordo com o seu projecto de amor e de salvação. Esta certeza deve levar-nos a encarar a história humana com optimismo, com esperança e com confiança, mesmo quando as forças da morte parecerem controlar a nossa história e dirigir as nossas vidas. A segunda leitura, repete a mensagem fundamental da primeira: Deus tem um plano de salvação para oferecer aos homens. O facto de esse projecto existir “desde os tempos eternos”, mostra que a preocupação e o amor de Deus pelos seus filhos não é um facto acidental ou uma moda passageira, mas algo que faz parte do ser de Deus e que está eternamente no projecto de Deus. Não esqueçamos isto: não somos seres abandonados à nossa sorte, perdidos e à deriva num universo sem fim; mas somos seres amados por Deus, pessoas únicas e irrepetíveis que Deus conduz com amor ao longo da caminhada pela história

se como duplo objectivo de ensinar o que ele sabia (e foi aprendendo por cá) e melhorar as condições de algumas estruturas físicas da missão. Por isso se formou uma equipa de trabalho que passou a colaborar com ele de forma muito assídua. O Pedro foi um dos que aderiu e aproveitou muito bem esta oportunidade. Ajudou e por isso também aprendeu a fazer massa e a aplicá-la, a obrar ferro, rebocar, fazer chão, montar portas e janelas, colocar telhas, entre outras coisas. Por isso, não foi por acaso que ele rejubilou de alegria quando soube que o seu mestre voltaria de novo a Angola, o que veio a acontecer em Outubro de 2011. (continua)

e para quem Deus tem um projecto eterno de vida plena, de felicidade total, de salvação. Tal constatação deve encher de alegria, de esperança e também de gratidão os nossos corações. Aquela boa notícia que o anjo disse a Maria é a mesma que nós temos de dar aos homens de hoje. Mesmo com as tragédias que acontecem sempre por altura do Natal, que nos fazem parar e pensar no que andamos cá a fazer. Porque não importa o tempo que se vive. O que importa é viver plenamente o tempo que se tem. E eu acredito que os que morreram naquele voo levaram a sua vida cheia de coisas boas para dar a Deus, e ao menino Jesus. E o que é que nos lhes vamos dar neste Natal? Qual deve ser a resposta do homem? Na atitude de Maria não há qualquer sinal de egoísmo, de comodismo, de orgulho, mas há uma entrega total nas mãos de Deus e um acolhimento radical dos caminhos de Deus. É este desafio que somos convidados a realizar: tornar presente no mundo dos Homens o Reino de Deus.


PORTUGAL 11

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Associação CAIS desafia as famílias

O director executivo da associação CAIS diz que falta à sociedade actual uma noção mais comprometida de solidariedade, lamentando que aquele conceito apenas sirva como “indumentária” para determinadas situações e fases do ano. “A solidariedade não deve fazer parte de nós como se de um hobby ou de alguma coisa fora de nós se tratasse, um casaco que vestimos conforme a crise maior ou menor, conforme estamos mais bem ou mal dispostos, essa indumentária tem que ser carne da nossa carne” realça Henrique Pinto, ao Programa da Igreja Católica na Antena 1. Na edição do passado domingo, dedicada à quadra natalícia, este responsável desafiou as famílias a “comprometerem-se no apoio a uma pessoa que não tem trabalho, não tem comida, que tem problemas de saúde”, a fazerem da solidariedade uma atitude

DR

Compromisso com a fraternidade: apoiar uma pessoa em dificuldade

contínua, sem estar sujeita “ao calendário civil ou religioso”. “Eu prefiro até a palavra fraternidade, porque ela intrinsecamente tem um abraço, um compromisso. Só na medida em que formos capazes de viver fraternalmente é que estaremos a viver genuinamente”, sublinhou. De acordo com Henrique Pinto, esta mudança de mentalidade só será possível quando cada indivíduo fizer da resolução da pobreza ou do sofrimento

humano uma prioridade de vida, em vez de se entregar muitas vezes as “sobras”, o que “não faz falta” ou é “dispensável”. Uma atitude que, acrescentou, “resulta de um sistema económico falido”, que “durante muitos anos” foi “aliviando a sua consciência mas não se comprometendo com o outro”. O diretor executivo da CAIS mostrou-se confiante de que as instituições sociais podem contribuir para mudar este cenário, mas só se forem “cada vez

mais transparentes”, dignas de “confiança” e com um trabalho verdadeiramente orientado para as necessidades das pessoas e não para a defesa de “marcas” pessoais ou institucionais. “Costumo sempre dizer que o destino natural da CAIS é acabar e ficaremos certamente felizes se acabarmos porque a pobreza e as pessoas numa situação de rua deixaram de existir”, confidenciou ainda. A “CAIS” é uma Associação de Solidariedade Social sem fins lucrativos que apoia a construção ou a recuperação da autonomia de pessoas em situação de pobreza e exclusão social. Diariamente, acompanha de perto cerca de 140 pessoas sem-abrigo, nas zonas de Lisboa e do Porto, procurando dar-lhes alternativas para poderem voltar a inserirem-se na sociedade.

Assembleia da União dos Antigos Alunos dos Seminários Portugueses

Mais um degrau para a consolidação A UASP – União dos Antigos Alunos dos Seminários Portugueses, estrutura nacional que congrega várias Associações de antigos alunos de seminários em todo o país, com sede em Leiria, reuniu mais uma vez em AssembleiaGeral no passado dia 3 de Dezembro. Este organismo de constituição recente, estando a dar os primeiros passos, encontra-se por isso num período de grande azáfama a todos os níveis. A direcção, apoiada pelo secretariado recém-formado, tem reunido praticamente todas as semanas, com vista à elaboração de um regulamento interno que é pedido estatutariamente, e

esteve a redigir o plano de actividades e orçamento para o ano de 2012. Aliás, esses eram os pontos principais a tratar na referida Assembleia-geral. Como qualquer organização a iniciar, é muito rica em sonhos (a utopia é precisa), mas ainda parca em possibilidades e recursos. Mas como não falta vontade a este grupo de gente que viveu uma cultura, que a usa na sua vida quotidiana, influencia o mundo com ela, e pretende divulga-la (porque lá diz o livro dos livros – não se acende uma candeia para colocar debaixo do alqueire), não falta motivação para levar por diante este projecto que foi, é, e será importante

para a Igreja e para o mundo contemporâneo. Neste sentido, esta Assembleia-geral constituiu-se como mais um importante degrau na via da consolidação da UASP. Foi proposta e aprovada por unanimidade uma versão final do “Regulamento interno”, já anteriormente partilhada com as Associações, foi apresentado um plano de actividades para 2012 e o orçamento que o suporta, também aprovado por unanimidade, e cujas linhas mestras de orientação assentam em actividades concernentes com: Um fórum de reflexão sobre a filosofia e acção da própria UASP; Um momento de

interioridade/reflexão individual a proporcionar aos interessados; Um momento de convívio associado a uma actividade cultural e de lazer. Foi ainda discutido em termos gerais o modelo de comunicação e divulgação de ideias e saberes, quer para dentro quer para fora da organização, e foi dada informação sobre o processo de oficialização da UASP, que temos conhecimento já ter dado entrada nas instâncias próprias. É caso para dizer: a UASP continua a mexer!!! L. Matias

BREVES Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial

Concurso «Portugal: Múltiplas vivências de fé» A Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial lançou o concurso de fotografia “Portugal: Múltiplas vivências de fé”, por ocasião do Dia Internacional para a Tolerância, instituído pelas Nações Unidas e comemorado a 16 de Novembro. A iniciativa, que pretende destacar a “‘fé nos Direitos Humanos Fundamentais’, no qual se inclui o Direito à Liberdade de pensamento, de consciência e de religião”, tem como objectivo “a promoção do Diálogo Inter-religioso”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA. O concurso acolhe “fotografias que documentem qualquer prática da fé, símbolo, estrutura ou artefacto que ajude a ilustrar como os portugueses ou estrangeiros residentes em território nacional expressam as suas crenças religiosas”, indica o comunicado. As participações deverão ser enviadas até 18 de Janeiro de 2012 e a atribuição dos prémios e menções honrosas ocorre a 23 do mesmo mês, por ocasião de um seminário subordinado ao tema “O diálogo inter-religioso no combate à discriminação”, a realizar em Lisboa. De acordo com o regulamento, a cerimónia de entrega vai ser presidida por Rosário Farmhouse, que preside ao Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI), patrocinador da iniciativa.

Leigos para o Desenvolvimento lançam livro

«25 anos, 25 contos»

Os Leigos para o Desenvolvimento (LD) recordam, no dia 12 de Dezembro, 25 anos de existência, com a apresentação em Lisboa de um livro dedicado aos projectos e pessoas que fazem parte da história desta associação católica. Com o título “Estamos juntos: 25 anos, 25 contos”, a obra contou com o contributo de “autores portugueses” e de figuras provenientes de “todos os países onde os LD trabalham: São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique e Timor”, adianta a organização, em comunicado enviado à Agência ECCLESIA. Nela estão incluídos, entre outros, depoimentos do padre jesuíta António Vaz Pinto, que durante 20 anos foi assistente espiritual dos LD, de Fernanda Freitas, presidente nacional do Ano Europeu do Voluntariado, recentemente concluído, e de António Pinto Leite, responsável pela Associação Cristã de Empresários e Gestores. As reflexões apresentadas procuram sobretudo ajudar os leitores a compreender o estilo de vida e os problemas com que se debatem actualmente os países em vias de desenvolvimento, sobretudo os territórios africanos de língua oficial portuguesa. Através de experiências pessoais ou recorrendo a imagens ilustrativas, os autores partilham também a sua visão cristã acerca de temáticas tão antagónicas como a pobreza e a beleza natural que caracterizam aqueles lugares. O projecto, desenvolvido através da colaboração das Edições Tenacitas, vai ser apresentado a partir das 19 horas, na livraria “Ler Devagar”, em Alcântara. Todas as verbas que venham a ser recolhidas através da venda do livro vão reverter a favor dos vários projectos que esta organização não governamental para o desenvolvimento está a implementar.


12 MUNDO

MUNDO Faleceu cardeal John Foley, antigo presidente do CPCS

“Exemplo para a Igreja”

O cardeal norte-americano D. John Foley, antigo presidente do Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais (CPCS), morreu no passado domingo aos 76 anos, revela a Rádio Vaticano. D. John Foley, ordenado padre em 1962, concluiu o doutoramento em Filosofia e mestrado em Jornalismo, tendo sido chamado ao Vaticano pelo Papa João Paulo II em 1984 para presidir ao Conselho da Comunicações Sociais, Centro Televisivo e Filmoteca do Vaticano. Bento XVI criou-o cardeal em 2007, nomeando-o grão-mestre da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém, cargo que deixou por motivo de doença em 2010, ano em que regressou à sua diocese de origem, Filadélfia, EUA, onde faleceu numa casa para clero idoso. Em telegrama enviado ao arcebispo de Filadélfia, D. Charles Chaput, o Papa lembra o “compromisso de toda a vida” do falecido cardeal Foley na “presença da Igreja nos media”, deixando votos de que “inspire outros para assumir este apostolado tão essencial na proclamação do Evangelho e no progresso da nova evangelização”. O actual director da Sala de Imprensa da Santa Sé, o padre italiano Federico Lombardi, que sucedeu ao cardeal na direcção do Centro Televisivo Vaticano, recordou-o como “servidor da comunicação”. “Estou muito tocado pessoalmente, mas ao mesmo tempo, em paz. A sua morte não é inesperada. Regressou ao seu país porque sabia que esta seria a última etapa de sua vida. O cardeal Foley era muito conhecido e admirado pela sua gentileza e espiritualidade”, declarou.

Presépio do Vaticano

Dedicação à Virgem Maria O presépio que a Santa Sé vai inaugurar na véspera de Natal na Praça de São Pedro, Vaticano, tem a Virgem Maria como tema central, revela um dos responsáveis pela construção, o arquitecto italiano Barbara Bellano. A montagem do presépio no espaço mais emblemático do Vaticano foi iniciada há 30 anos por João Paulo II, cuja beatificação a 1 de Maio motivou a escolha do tema, dado que o Papa polaco foi “intensamente devoto” da mãe de Jesus, referiu o responsável, citado pelo portal de informação do Vaticano. As cenas bíblicas incluem a “Anunciação”, quando um anjo revela a Maria que está grávida de Jesus por acção do Espírito Santo, o encontro entre a Virgem e a sua prima Isabel, que se preparava para dar à luz João Batista, e também a apresentação de Jesus no templo de Jerusalém, dias depois do seu nascimento. “Este projecto inicia-se no fim de Setembro”, relatou o especialista, acrescentando que as imagens escolhidas pertencem ao Vaticano: nove foram criadas em 1842 pelo santo italiano Vicente Pallotti, enquanto que os anjos, figuras concebidas no México, são parte fixa de todos os presépios montados na praça de São Pedro. O presépio vai ser inaugurado na tarde de 24 de Dezembro, como é habitual, pelo presidente do Governatorato da Cidade do Vaticano, o arcebispo italiano Giuseppe Bertello, num programa que inclui a interpretação de cantos populares transalpinos e internacionais por corais de crianças e adultos. No final da cerimónia o cardeal italiano Angelo Comastri, vigário do Papa para a Cidade do Vaticano, dirige uma oração, e pelas 18h00 locais, menos uma em Lisboa, Bento XVI acende uma vela de Natal na janela do seu apartamento, voltado para a Praça de São Pedro.

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Bento XVI anuncia viagem ao México e Cuba

“Proclamar a Palavra de Cristo” No passado dia 12 de Dezembro, Bento XVI revelou a sua “intenção” de visitar o México e Cuba, em 2012, antes da Páscoa [8 de Abril], num anúncio feito durante a missa celebrada pelo bicentenário da independência dos países latino-americanos, no Vaticano. O Papa disse na sua homilia que a viagem apostólica, terceira ao continente americano [Brasil (2007) e Estados Unidos da América (2008)], visa “proclamar a Palavra de Cristo” e reforça a “convicção de que este é um tempo precioso para evangelizar”, lembrando João Paulo II que, em 1983 e na América Latina, lançou pela primeira vez o “programa de uma nova evangelização”. Bento XVI alertou para a defesa da “vida humana desde a sua concessão até ao seu fim natural” e à promoção da paz, para superar “a miséria, o analfabetismo e a corrupção” e “erradicar toda a injustiça, violência, criminalidade, insegurança urbana, narcotráfico e extorsão”. Para o Papa, é necessá-

rio “fomentar cada vez mais iniciativas concertadas e programas efectivos que proporcionem a reconciliação e a fraternidade, incrementem a solidariedade e o cuidado com o meio ambiente”. A homilia deixou ainda apelos a “tutelar a família na sua genuína natureza e missão”, intensificando, “ao mesmo tempo, uma vasta e capilar tarefa educativa que prepara rectamente as pessoas”. A celebração, na basílica de São Pedro, promovida pelo Vaticano, associou-se às comemorações do bicentenário da independência

dos países da América Latina, festejadas entre 2010 a 2014, com excepção do Peru e do Brasil (2020-2022). A missa contou com a presença do embaixador português junto da Santa Sé, Manuel Tomás Fernandes Pereira, que se uniu a responsáveis eclesiais e governamentais latino-americanos e caribenhos, para além de representantes de Espanha, EUA e Canadá. Falando em português, Bento XVI disse que “Deus é aquele que merece toda a honra e glória, o Poderoso que fez maravilhas por sua fiel servidora e que hoje continua mostrando

o seu amor por todos os homens, particularmente aqueles que enfrentam duras provas”. Antes da celebração, os participantes estiveram reunidos num momento de oração, com reflexões sobre a Virgem de Guadalupe, cuja memória litúrgica hoje se comemora, e sobre o bicentenário das independências, enquanto desfilavam, pelo corredor central da basílica de São Pedro, dois jovens de cada nação latino-americana levando a bandeira do seu país. Bento XVI destacou os avanços no “caminho de integração” da América Latina, que lhe permite um “novo protagonismo emergente no contexto mundial”. “Nestas circunstâncias, é importante que os seus povos salvaguardem o rico tesouro de fé e o seu dinamismo histórico-cultural”, disse o Papa, que utilizou uma plataforma móvel para fazer o trajecto da procissão de entrada entre a sacristia e o altar central da basílica.

União Europeia

COMECE lamenta «falta de controlo democrático» A porta-voz da Comissão dos Episcopados Católicos da União Europeia (COMECE) afirmou que é necessário regressar ao “método comunitário” para evitar a “falta de controlo democrático sobre as decisões que estão a ser tomadas” pelos Estados-membros. Johanna Touzel lembra, em texto publicado no semanário Agência ECCLESIA, que os “pais fundadores da Europa” tinham definido um papel central para a “Comissão Europeia, independente dos governos e garantia do bem comum europeu”, sob o controlo do Parlamento Europeu, “eleito democraticamente”. “Aquilo que estamos a

viver é realmente um sopro de Europa intergovernamental, ou seja, liderada pelos chefes de Estado e de Governo. Nesta configuração, são os Estados mais poderosos que se impõem aos Estados de pequenas dimensões”, alerta. Para esta responsável, “a União Europeia está mais do que nunca no meio da tormenta” e a recente cimeira de Bruxelas “deu à luz a uma solução discutível: os chefes de Estado propõem, com efeito, a elaboração de um novo Tratado Europeu”. O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, revelou hoje em Estrasburgo, na sessão plenária

do Parlamento Europeu, a intenção de não permitir que o tratado intergovernamental firmado no último Conselho Europeu “entre em conflito” com a lei da União Europeia (UE). O acordo para a revisão dos Tratados não foi alcançado a 27, dada a recusa do Reino Unido, dando assim lugar a um tratado intergovernamental, que para Johanna Touzel vai “além do controlo democrático nacional”. “A falta de transparência e o défice democrático que caracteriza as decisões actualmente tomadas pelos nossos chefes de Estados nos seus conclaves em Bruxelas devem inquietar-

-nos e fazer-nos reagir”, assinala. Os bispos da COMECE aprovaram declaração sobre a economia social de mercado, intitulado ‘Uma comunidade europeia de solidariedade e responsabilidade’, que será publicado em vários idiomas a partir de Janeiro de 2012. “A economia social de mercado incarna um justo equilíbrio entre os princípios da liberdade e da solidariedade. Refere-se ao respeito pela dignidade de todos os seres humanos e a uma proteção especial dos mais fracos”, sublinha Johanna Touzel.


OPINIÃO 13

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

ANÁLISE ECONÓMICA

Orlando Fernandes Jornalista

Portugal e o crescimento

S

egunda avaliação da ‘troika’ a Portugal, segundo teste passado. Num país em que autoflagelação é um culto, é bom valorizar os bons resultados. Ainda é muito cedo para abrir garrafas de champanhe mas, para já, Portugal está a cumprir a sua parte, com enormes sacrifícios económicos e sociais. Os números do desemprego agora conhecidos são mais uma prova. É com este tipo de avaliações positivas que Portugal reconquistará a credibilidade internacional, imprescindível para voltar aos mercados financeiros daqui a dois anos. Segundo notícia positiva das conferências de imprensa de Vítor Gaspar, ministro das Finanças, e dos três representantes da ‘troika’ - FMI, Comissão Europeia e BCE – é a abertura para rever o plano de resgate em alguns pontos,

Lições do mar Mais do que uma boa notícia que veio animar o país em crise, o resgate dos pescadores de Caxinas é uma espécie de parábola que devemos reter nesta época de Natal, que, este ano, dadas as circunstâncias, vai mesmo ter que ser algo mais do que presentes e doces. A pesca é uma das actividades primeiras do ser humano, uma pro-

nomeadamente alguns prazos relacionados com as medidas para a banca. A solidez do sistema financeiro é uma preocupação que deve ser partilhada por todos porque é outra condição base para o País recuperar a credibilidade internacional. Ainda assim, há várias maneiras de garantir a solidez da banca. E a forma que está a ser imposta pela Europa e pelo Governo está longe de ser a melhor, a não ser que o objectivo final passe pelo Estado garantir uma fatia de leão nos capitais dos bancos e mandar a sua gestão. Isso chama-se nacionalização e penso que, felizmente, foi um tipo de política que acabou com o PREC. Portanto, flexibilizar algumas medidas pode ser uma boa solução. Agora as más notícias. O crescimento económico foi um tema esquecido. Falou-se muito de Orçamento, défice, almofadas e medidas para a banca, mas sobre a estratégia para relançar o crescimento económico nem uma ideia com princípio, meio e fim. Há duas explicações. Primeira, não se falou porque não é uma prioridade, o que faz sentido no caso da ‘troika’. Eles representam os credores e querem acima de tudo garantir que há dinheiro para pagar as dívidas. Segundo, não falaram sobre crescimento porque não sabem como fazer. Acham que os ajustamentos brutais, correspondentes à

diminuição do endividamento do País, têm que ser feitos necessariamente à custa do empobrecimento real dos portugueses. Por isso, desvalorizaram a necessidade da banca ter mais capacidade para garantir linhas de crédito mínimas. E a única sugestão foi cortar salários no privado, tal como está previsto para a função pública para 2012. Com este tipo de ideias é visível que a ‘troika’ não aprendeu com os erros que está a cometer na Grécia. Cortar salários também no privado de forma abrupta, além de uma injustiça porque há empresas que podem pagar, empurraria a economia para uma recessão catastrófica, o que dificultaria a aplicação do resto do plano de resgate, nomeadamente as metas de redução do défice orçamental. Ou seja, seria contraproducente. E instigaria uma crise social ainda maior. É verdade que não se pode fazer um ajustamento económico desta dimensão sem dor, leia-se sem recessão. Mas é nas crises que se adubam as terras e lançam as sementes que garantem o forte crescimento no futuro. Vítor Gaspar não acredita nisto. Com a sua maneira metódica, está a limpar o terreno para depois ficar em pousio. Por isso, para já, o seu dicionário continua sem a palavra crescimento.

fissão que exige bravura, sacrifício e que, pelas suas características, não deixa que os homens esqueçam as prioridades na vida. O que o país viu ao longo deste fim-de-semana foi um grupo de homens simples, mas ricos. Perderam o local de trabalho, a embarcação em que saíam para o mar, mas provaram a um país que vive aflito com dinheiro que a vida é mais importante. Ao longo de três dias,

andaram à deriva numa balsa, com fome e com frio, mas unidos na esperança de serem encontrados, agarrados a um mesmo terço e obedecendo às ordens do mestre que tomou as decisões vitais, como os turnos para dormir ou como valer aos que estavam mais aflitos. Ao fim de três dias, contra todas as expectativas, foram encontrados e recebidos em festa no país e na sua terra. Apenas um,

LUZ ENTRE OS HOMENS

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

http://padrejorgeguarda.cancaonova.pt

Cristã Salva Mulher Muçulmana

N

o Paquistão, o mesmo país em que uma mulher cristã, Asia Bibi, foi injustamente condenada à morte por denúncia de blasfémia por parte de mulheres muçulmanas, suas companheiras de trabalho, outra mulher cristã compadeceu-se de uma jovem mãe muçulmana, no hospital, e procurou os meios para que fosse operada e salva. A história li-a na revista “Notícias das Fraternidades”, das Irmãzinhas de Jesus, que recebi há dias. Shameem é uma cristã fervorosa de uma família pobre. Foi ao hospital com a filha, que estava doente e precisava de cuidados médicos. Na cama ao lado, estava uma jovem mulher muçulmana, prestes a ser mãe. Junto dela, a sogra. A situação clínica da jovem mulher requeria uma

ucraniano, não regressou a casa, porque vivia no barco afundado, nem voltou para a família, que continua na Ucrânia. Aos olhos do jornalista que o entrevistou, perdeu tudo, mas a sua resposta é elucidativa sobre o que é tudo: “Coisas? Essas compram-se com dinheiro. O trabalho e o dinheiro resolvem, isso não é nada comparado com o que ganhei, a vida”. Raquel Abecasis in RR on-line (05/12/11)

intervenção cirúrgica de urgência. Para ser feita era preciso pagar ao cirurgião e ainda os medicamentos, a transfusão... A cristã ouve a outra dizer para a sogra: “Leva-me daqui, tu não vais ter dinheiro para o meu funeral!” Sentindo um choque com o que ouvia e via, Shameem pôs-se a pensar no que poderia fazer para ajudar. Não importava a diferença de religião. Foi então de cama em cama pedir um contributo aos familiares dos doentes. Depois, falou com o cirurgião, que a dispensou de pagamento, e ao director do hospital, que deu gratuitamente os medicamentos disponíveis na farmácia. O genro da mulher cristã comprou os outros. Faltava somente o sangue para a transfusão. Ao sair da sala, Shameem viu um jovem militar. Saudou-o com simpatia e contou-lhe a história da jovem mãe. Ele, que era saudável, dispôs-se a dar o sangue e a pagar as despesas dos exames e o material para a transfusão. O sangue era compatível e assim a mulher pôde ser operada, dando à luz uma linda menina. Depois deste acto de amor, Shameem nem sequer ficou com a direcção da mãe a quem ajudou. Teria gostado de saber como cresceu a menina que ajudou a nascer. Concretizou-se uma vez mais o provérbio que diz: “faz o bem e deita-o ao rio”, equivalente ao que diz Jesus “não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita”. O bem não

se pode ostentar. E muito menos se pode cobrar por ele. É gratuito, desinteressado! Shameem tem cinco filhos. Um deles obteve uma bolsa e pôde começar a estudar para ser terapeuta. Mas há seis anos desapareceu. E a família continua sem saber nada do seu paradeiro: “É tão duro ficar na incerteza, é como se a sua existência tivesse sido apagada...”, desabafa a mãe a sua amargura. Ela mesma tem problemas de saúde e há ainda uma neta cancerosa. Mas esta mulher continua a lutar e mesmo entre lágrimas caminha na confiança: “Deus não pode abandonar-nos”, declara. E a irmãzinha que escreveu esta história comenta: “Na sua noite, ela (Shameem) é para mim uma luz de esperança”. É assim com boas obras e testemunhos como estes que a luz de Cristo brilha no mundo e leva os homens a descobrirem a existência de Deus e o seu amor por eles. Quando o amor de Cristo se acende no coração de um cristão, tal amor faz ver e leva compadecer-se dos outros. Mais, move a pessoa ao bem, dá-lhe criatividade, ousadia, coragem, generosidade, intrepidez, sabedoria. São obras deste género que, no dizer de Jesus, levam os homens a glorificarem a Deus, que semeia o bem nos corações dos verdadeiros crentes e os leva a compadecer-se dos seus irmãos nas tribulações em que os encontram.

PUB

F. Costa Pereira Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h Tel. 244 832406


14 INSTITUCIONAL

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

CEDILE Telefone 244 850 690 ECOGRAFIA / DOPPLER / ECOCARDIOGRAFIA TAC / MAMOGRAFIA / RX / OSTEODENSITOMETRIA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ARTICULAR Telefone +351244850690 / Fax 244850698 Largo Cândido dos Reis, Nº 11 / 12 • 2400-112 LEIRIA

Telemóvel: 917 511 889 Telefone: 244 828 450 Fax: 244 828 580 Rua Machado Santos, n.º 33 2410-128 LEIRIA

Telefones: BARREIROS (sede): 244 840 677 JUNCAL: 244 470 610 Fernando - 919 890 630

FARMÁCIAS DE SERVIÇO Tomáz (15), Maio (16), Avenida (17), Baptista (18), Central (19), Godinho Tomás (20), Higiene (21) e Antunes (22)

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244 816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

AVISO N.º 96/11 ALTERAÇÃO À LICENÇA DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO ABERTURA DE PROCEDIMENTO DE NOTIFICAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS CONSTANTES DO ALVARÁ DE LOTEAMENTO N.º 145/1977 E RESPECTIVOS ADITAMENTOS PROCESSO DE LOTEAMENTO N.º 29/75 Lino Dias Pereira, Vereador do Pelouro do Ordenamento do Território, Urbanismo e Obras Municipais, no uso da competência delegada (Edital n.º 21/2011) torna público, nos termos da alínea d) do n.º 1, do artigo 70.º do Código do Procedimento Administrativo (C.P.A.), conjugado com o n.º 3 do artigo 27.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, na redacção que lhe foi dada pelo Decreto-Lei n.º 26/2010, de 30 de Março, bem como com o artigo 17.º do Regulamento de Operações Urbanísticas do Município de Leiria, que se submete a pronúncia dos proprietários dos lotes constantes do alvará de loteamento n.º 145/1977, emitido em 11/07/1977, e respectivos aditamentos, o pedido de alteração à licença de operação de loteamento, cuja apreciação decorre na Câmara ao abrigo do processo n.º 29/75. O pedido de alteração é apresentado por Armando Meira de Brito, incide sobre o lote 19 do prédio descrito na Conservatória do Registo Predial de Leiria sob o n.º 709/19880923, e inscrito na matriz urbana sob o artigo 6434-P, da freguesia de Pousos, lote este resultante da operação de loteamento do prédio sito em Vale Sepal, na referida freguesia. As alterações ao lote 19 consistem no seguinte: • Aumento da área de implantação de 121m2 para 164,10m2 e consequente alteração à configuração do polígono de implantação; • Aumento da área de construção de 242m2 para 285,50m2, dos quais 11,5m2 são para habitação e 32m2 destinam-se a garagem; • Alteração à configuração do lote; • Alteração à cota de soleira de 81,30m para 81m. O período de pronúncia decorre pelo prazo de dez dias úteis, contados a partir do primeiro dia útil seguinte à data da respectiva publicação em jornal e no sítio do Município de Leiria na Internet, podendo no decorrer deste período, os proprietários vir a pronunciarse por escrito sobre a alteração pretendida, mediante requerimento dirigido ao Ex.mo Presidente da Câmara Municipal de Leiria, a remeter ou entregar no Departamento de Operações Urbanísticas, sito na Rua da Cooperativa, S. Romão, freguesia de Pousos, onde se encontra patente o respectivo processo, para eventual consulta, todos os dias úteis entre as 09:00 horas e as 15:30 horas. E para constar, se lavrou o presente Aviso e outros de igual teor, que vão ser afixados no edifício-sede do Município e da respectiva Freguesia, nas instalações do Departamento de Operações Urbanísticas, bem como de anúncio a publicar em dois jornais locais e no sítio do Município de Leiria na Internet. Município de Leiria, 30 de Novembro de 2011 POR DELEGAÇÃO DO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL O VEREADOR, (Lino Dias Pereira)

Ass. Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Conc. da Batalha Convocatória Convoco todos os Associados a estarem presentes na Assembleia Geral Ordinária, nos termos do art.º. 37º e 41º, dos Estatutos da Associação, que terá lugar no dia 16 de Dezembro (sexta-feira), pelas 20h30, no Quartel desta Associação, com a seguinte Ordem de Trabalhos: - Ponto Primeiro Apreciação e votação do Plano de Actividades e Orçamento para o ano de 2012 e subsequente apreciação dos actos e deliberações tomadas pela Direcção no âmbito do procedimento de obras de remodelação do quartel; - Ponto Segundo Apreciação e votação do Regulamento Interno do Corpo de Bombeiros da Associação; - Ponto Terceiro Eleição dos Órgãos Associativos para o triénio 2012/2014; - Ponto Quarto Outros assuntos de interesse para a Associação. Caso à hora marcada não esteja presente a maioria absoluta dos Associados, a Assembleia realizar-se-á meia hora mais tarde (21h00), em segunda convocação, com os associados presentes, nos termos do nº 1 do art. 42º dos Estatutos da Associação. Nota: Todos os documentos referentes à Ordem de trabalhos e que serão apreciados poderão ser consultados na página de Internet da Associação (www.bv-batalha.pt), assim como a discussão do segundo ponto da ordem de trabalhos. Batalha, 7 de Dezembro de 2011 A Presidente da Assembleia Geral, ( a) Colette Pedrosa de Sousa)

Cartório Notarial de Leiria A cargo do Notário Pedro Tavares Certifico, para fins de publicação, que neste Cartório e no Livro de Notas para Escrituras Diversas nº 214-A de folhas nove a folhas dez verso se encontra exarada uma escritura de Justificação Notarial no dia nove de Dezembro de 2011. Outorgada por Idalina de Jesus Lisboa Violante e marido Manuel Violante António, casados sob o regime de comunhão geral, naturais de Milagres, Leiria, residentes em Pingarelhos, Milagres, Leiria, nif 177 755 105 e 177 770 619, na qual disseram: Que, com exclusão de outrém, são donos e legítimos possuidores dos seguintes imóveis: um: um sexto indiviso do prédio rústico, composto por terra de semeadura, sito em Insúa, na freguesia de Milagres do concelho de Leiria, descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial deste concelho sob o número quatro mil duzentos e sessenta e sete, sem inscrição dessa quota-parte, inscrito na matriz sob o artigo 8078, com o valor patrimonial tributário de 308,73€, igual ao atribuído, onerado com a servidão registada; dois: metade indivisa do prédio rústico, composto por vinha e mato, com a área de mil quatrocentos e vinte metros quadrados, que confronta a norte com caminho, sul António Francisco Duro, nascente Luís da Mota e poente Manuel Gomes, sito em Barros, na freguesia de Milagres do concelho de Leiria, não descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial deste concelho, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 8058, com o valor patrimonial tributário de 513,72€, igual ao atribuído. Que a parte restante do prédio um pertence a Manuel António Domingues Gomes, quando a um sexto e a António Gomes quanto a metade e a parte restante do prédio dois já pertence aos justificantes. Que os imóveis vieram à sua posse por doação meramente verbal que lhes foi feita por volta do ano de mil novecentos e noventa pelos pais dela Luís Fernandes Lisboa Júnior e Rosalina de Jesus, residentes que foram em Milagres, Leiria. Que, assim, com os demais comproprietários vêm possuindo esses prédios como seus, nas referidas proporções, há mais de vinte anos, como proprietários e na convicção de o serem, cultivando-os e colhendo os seus frutos, cumprindo as obrigações fiscais a eles relativas, posse que vêm exercendo ininterrupta e ostensivamente, com conhecimento de toda a gente e sem oposição de quem quer que seja, assim de modo pacífico, continuo, público e de boa fé, pelo que adquiriram por usucapião a propriedade sobre as referidas quotas-partes. Que dada a forma de aquisição originária não têm documentos que a comprovem. Que para suprir tal titulo vêm pela presente escritura prestar estas declarações de justificação com o fim de obter no registo predial a primeira inscrição de aquisição dos referidos direitos. Vai conforme ao original na parte fotocopiada não havendo na parte omitida nada que amplie restrinja, modifique ou condicione a parte fotocopiada. Maria Leonor de Almeida Pereira, funcionária do Cartório em epígrafe, no uso de competência cuja autorização pelo Notário respectivo foi publicado nos termos da Lei sob o número 128/3 a 31/01/2011, em Leiria, nove de Dezembro de dois mil e onze. A Funcionária: (Leonor Pereira)

Cartório Notarial de Leiria A cargo do Notário Pedro Tavares Certifico, para fins de publicação, que neste Cartório e no Livro de Notas para Escrituras Diversas nº 214-A de folhas dezanove a folhas vinte se encontra exarada uma escritura de Justificação Notarial no dia doze de Dezembro de 2011. Outorgada por Mário da Silva Severino dos Santos e mulher Clementina Pereira Rodrigues dos Santos, casados sob o regime de comunhão geral, naturais de Boa Vista, Leiria e de Caranguejeira, Leiria, residentes na Rua da Praça nº 22, Boa Vista, Leiria, nif 170 692 574 e 170 692 566, na qual disseram: Que, com exclusão de outrém, são donos e legítimos possuidores do prédio rústico, composto por terra de semeadura, com a área de quinhentos e vinte e cinco metros quadrados, que confronta a norte com Abílio Severino da Silva Santos, sul Carlos Manuel Simões Dias Rosa, nascente Victor Carpalhoso e Maria Dulcineia da Silva Carpalhoso e poente estrada, sito em Boa Vista na freguesia de Boa Vista do concelho de Leiria, não descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial deste concelho, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 3226, com o valor patrimonial tributário de 540€, igual ao atribuído; Que o imóvel veio à sua posse por doação meramente verbal que lhes foi feita por volta do ano de mil novecentos e noventa por José Severino dos Santos e Luísa de Jesus Silva, residentes que foram em Boa Vista, Leiria. Que, assim, vêm possuindo esse prédio como seu, há mais de vinte anos, como proprietários e na convicção de o serem, cultivando-o e colhendo os seus frutos, cumprindo as obrigações fiscais a ele relativas, posse que vêm exercendo ininterrupta e ostensivamente, com conhecimento de toda a gente e sem oposição de quem quer que seja, assim de modo pacífico, continuo, público e de boa fé, pelo que adquiriram por usucapião a propriedade sobre o imóvel. Que dada a forma de aquisição originária não têm documentos que a comprovem. Que para suprir tal título vêm pela presente escritura prestar estas declarações de justificação com o fim de obter no registo predial a primeira inscrição de aquisição do prédio. Vai conforme ao original na parte fotocopiada não havendo na parte omitida nada que amplie restrinja, modifique ou condicione a parte fotocopiada. Maria Leonor de Almeida Pereira, funcionária do Cartório em epígrafe, no uso de competência cuja autorização pelo Notário respectivo foi publicado nos termos da Lei sob o número 128/3 a 31/01/2011, em Leiria, doze de Dezembro de dois mil e onze. A Funcionária, (Leonor Pereira)

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, André Batista (Pe.), Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Jerónimo, Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade André Antunes Batista (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição Empresa do Diário do Minho, Lda - Tel: 253 303 170 - Fax: 253 303 171 Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2011 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 15.Dezembro.2011

Futebol | Capitão Marco Soares foi a estrela da tarde

DR

D 3 2 2 3 3 3 4 2 5 5 4 6 5 8 7 9

Pts 25 24 24 23 21 19 18 18 17 15 12 12 11 10 9 5

Louletano x Reguengos Fátima x Monsanto Pinhalnovense x Carregado Juv. Évora x Sertanense Mafra x Torreense Caldas x Tourizense Vendas Novas x Oriental Moura x 1.º Dezembro

11.ª J. 11.12.11

III Divisão

12.ª J. 18.12.11

série D

Alcobaça x Bombarralense (9-0) Tocha x Pampilhosa (2-0) B.C. Branco x Sp. Pombal (0-2) Peniche x Sourense (2-1) Riachense x Beneditense (1-1) Folga: Marinhense Equipa Sp. Pombal Pampilhosa B.C. Branco Sourense Tocha Beneditense Marinhense Alcobaça Peniche Bombarralense Riachense

J 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10

V 6 6 5 4 4 2 3 2 2 0 0

Um ano depois… O capitão Marco Soares e o jovem Ruben Brígido. Manuel Cajuda, treinador da U. Leiria, já tinha afirmado que eram estes os ‘reforços’ mais desejados para a reabertura do mercado de transferências – 1 de Janeiro de 2012. Sinal de que as

liga portuguesa de futebol profissional

federação portuguesa de futebol

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º

Marco Soares

E 3 1 3 4 3 7 2 5 5 6 3

D 1 3 2 2 3 1 5 3 3 4 7

Peniche x Riachense (todos às 15h00) B.C Branco x Sourense Tocha x Sp. Pombal Marinhense x Pampilhosa Bombarralense x Beneditense Folga: Alcobaça

Pts 21 19 18 16 15 13 11 11 11 6 3

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

longas paragens por lesão tinham chegado ao fim. Foi o que sucedeu com Marco Soares no último jogo, após cerca de 13 meses afastado dos relvados, período em que foi sujeito a três intervenções cirúrgicas. Os momentos que antecederam o jogo foram “muito emotivos”, revelou o atleta em entrevista ao jornal A Bola. “O mister Cajuda é mestre a tranquilizar-nos e a dar-nos confiança. E até me pediu para falar ao grupo, no balneário. Disse-lhes o que me ia na alma. O quanto tinha sofrido, as vezes em que pensei que

I LIGA

II LIGA

Sp. Braga x P. Ferreira (5-2) Beira-Mar x Porto (1-2) Sporting x Nacional (1-0) Rio Ave x Gil Vicente (2-0) V. Setúbal x Feirense (1-1) U. Leiria x V. Guimarães (1-0) Marítimo x Benfica (0-1) Olhanense x Académica (0-2)

Moreirense x Belenenses (3-2) Naval x Estoril (0-3) Santa Clara x U. Madeira (0-1) Arouca x Oliveirense (3-3) Leixões x Trofense (2-3) Sp. Covilhã x Freamunde (2-1) Atlético x Penafiel (1-1) Portimonense x D. Aves (1-1)

Equipa Porto Benfica Sporting Sp. Braga Marítimo Académica Olhanense Gil Vicente Beira-Mar V. Guimarães U. Leiria V. Setúbal Feirense Rio Ave Nacional P. Ferreira

J 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12

V 9 9 8 6 6 5 3 3 3 4 4 3 2 3 3 2

E 3 3 2 4 4 1 5 5 4 1 0 3 5 2 2 2

D 0 0 2 2 2 6 4 4 5 7 8 6 5 7 7 8

Pts 30 30 26 22 22 16 14 14 13 13 12 12 11 11 11 8

Benfica x Rio Ave (dia 16, 20h15, Sport Tv1) V. Guimarães x G.Vicente (17, 18h15, Sport Tv1) Porto x Marítimo (dia 17, 20h30,TVI) Feirense x U. Leiria (16h00) Nacional x V. Setúbal (16h00) P. Ferreira x Beira-Mar (16h00) Académica x Sporting (19h15, SportTv1) Olhanense x Sp. Braga (dia 19, 20h15, SportTv1)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Atlético Moreirense Estoril Santa Clara Leixões Oliveirense Penafiel Naval Sp. Covilhã D. Aves Freamunde Trofense Arouca U. Madeira Portimonense Belenenses

J 11 11 11 11 11 11 11 11 12 11 11 12 11 11 11 11

V 6 6 5 5 5 4 4 4 4 3 3 3 2 3 3 2

E 3 2 4 3 1 4 4 3 3 5 4 3 6 3 2 4

HONRA

D 2 3 2 3 5 3 3 4 5 3 4 6 3 5 6 5

Pts 21 20 19 18 16 16 16 15 15 14 13 12 12 12 11 10

Estoril x Moreirense (dia 17, 11h15, SportTv1) D. Aves x Atlético (11h15, SportTv2) Freamunde x Portimonense (todos às 15h00) Oliveirense x Leixões Trofense x Arouca Belenenses x Santa Clara Penafiel x Sp. Covilhã (15h30) U. Madeira x Naval (16h00)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

J 10 10 10 10 10 10 9 10 10 10 10 10 10 9 10 10

V 8 6 6 6 4 5 4 4 3 3 2 2 2 1 1 1

E 1 3 2 2 4 1 2 2 5 2 4 4 3 4 2 1

D 1 1 2 2 2 4 3 4 2 5 4 4 5 4 7 8

associação de futebol de leiria

associação de futebol de leiria

I Divisão

I Divisão

NORTE

Portomosense x Biblioteca (1-0) Avelarense x Ansião (1-2) Nazarenos x Alq. Serra (1-0) Fig.Vinhos x Marrazes (2-0) Meirinhas x Pedroguense (3-1) Guiense x Alvaiázere (2-0) GRAP/Pousos x Pataiense (2-0) Atouguiensex Vieirense (2-2) Equipa Alq. Serra Pataiense Guiense Portomosense Nazarenos GRAP/Pousos Atouguiense Alvaiázere Vieirense Fig.Vinhos Marrazes Meirinhas Avelarense Biblioteca Ansião Pedroguense

Dupla na final As equipas do Colégio João de Barros (Pombal) e Juventude Desportiva do Lis (Leiria) qualificaram-se para a fase final da 1.ª Divisão, seniores femininos. Ambas venceram as respectivas zonas, 2 e 3, referentes à primeira fase. A próxima, a iniciar a 7 de Janeiro de 2012, contará ainda com Madeira SAD (1.º lugar) e C.S. Madeira (2.º, zona 1), C.A. Leça (2.º, zona 2), Maiastars “B” (2.º, zona 3), Colégio de Gaia (1.º) e Alavarium (2.º, zona 4), Gil Eanes (1.º) e J.A.C. – Alcanena (2.º, zona 5).

ia acabar tudo para mim, a importância da família quando estamos em apuros. Falei do jogo, do quanto era importante ganharmos e pedi-lhes que, todos juntos, coroassem este regresso com vitória. Emocionei-me, chorei, chorámos todos, demos as mãos e fomos para o jogo...” Noventa minutos volvidos, uma tripla vitória: três pontos conquistados; um jogo bem conseguido pelo capitão de equipa; e a distinção de melhor em campo por parte do citado diário desportivo.

associação de futebol de leiria

liga portuguesa de futebol profissional

Andebol | Leiria

Pts 25 21 20 20 16 16 14 14 14 11 10 10 9 7 5 4

Marrazes x Alvaiázere Ansião x Portomosense Alq. Serra x Avelarense Fig.Vinhos x Meirinhas Pataiense x Guiense (todos os jogos às 15h00) Pedroguense x Atouguiense Biblioteca x GRAP/Pousos Vieirense x Nazarenos

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Moita do Boi x Castanheira de Pêra (5-0) Boavista x Pelariga (0-1) Alegre e Unido x Arcuda (adiado) Motor Clube x Ranha (5-0) Pousaflores x Matamourisquense (2-0) Caseirinhos x Ilha (2-1) Equipa Moita do Boi Pelariga Pousaflores Mata Mourisq. Motor Clube Alegre e Unido Boavista Ranha Cast. Pêra Arcuda Ilha Caseirinhos

J 8 8 8 8 8 7 8 8 8 7 8 8

V 7 6 5 3 4 4 4 3 2 1 1 1

E 0 1 1 4 1 0 0 1 0 2 2 0

D 1 1 2 1 3 3 4 4 6 4 5 7

21 19 16 13 13 12 12 10 6 5 5 3

Ilha x Castanheira de Pêra Arcuda x Boavista (todos os jogos às 15h00) Pelariga x Moita do Boi Mata Mourisquense x Alegre e Unido Ranha x Pousaflores Caseirinhos x Motor Clube

8.ª JO.04.12.11

E 1 3 3 2 3 4 3 6 2 3 6 3 5 1 3 2

solução para ganhar ao V. Guimarães. Estou tranquilo e não entro em pânico. Muita gente, sem a minha

Resultados da 2.ª eliminatória da Taça Distrito da Associação de Futebol de Leiria (11 de Dezembro), seniores masculinos: Unidos x GRAP/Pousos (1-3 a.p.), Alq. Serra x Pousaflores (2-0), Matamourisquense x Gaeirense (3-0), Os Nazarenos x Pelariga (1-2), Marrazes x Vieirense (2-0) e Guiense x Ilha (2-1). Jogo em atraso da pré-eliminatória: Juncalense x Alegre e Unido (0-1).

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º

9.ª JO.11.12.11

V 8 7 7 7 6 5 5 4 5 4 2 3 2 3 2 1

11.ª JOR. 11.12.11

J 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12 12

no reduto do Gil Vicente]. A minha situação nem é fácil, nem difícil, é real. Compete-me arranjar a melhor

12.ª JOR. 18.12.11

Equipa Pinhalnovense Torreense Oriental Vendas Novas Fátima Carregado Louletano Mafra Sertanense 1.º Dezembro Monsanto Moura Tourizense Juv. Évora Reguengos Caldas

12.ª JOR. 11.12.11

13.ª JOR. 18.12.11

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Monsanto x Pinhalnovense (0-1) Louletano x Moura (4-1) Reguengos x Fátima (2-2) Carregado x Juv. Évora (4-2) Sertanense x Mafra (0-2) Torreense x Caldas (3-0) Tourizense x Vendas Novas (1-1) Oriental x 1.º Dezembro (2-0)

13.ª JOR. 18.12.11

12.ª JOR. 11.12.11

SUL

Estreia decisiva de Léo a marcar pela União

experiência, entraria em pânico”, acrescentou. Sem dois dos defesas habitualmente titulares, Cajuda viu-se forçado a fazer adaptações. Uma delas envolveu o capitão Marco Soares (ver caixa), que acabaria por ser o melhor em campo. Um triunfo difícil, tangencial e moralizador – o último fora a 30 de Outubro, na recepção ao V. Setúbal (2-0). Destaque ainda para o Léo, que marcou pela primeira vez ao serviço da U. Leiria.

8.ª JO.04.12.11

II Divisão B

Taça Distrito

9.ª JO.11.12.11

federação portuguesa de futebol

Um mês depois, a U. Leiria voltou às vitórias. Um desfecho especial, após uma semana agitada no seio da equipa leiriense, devido ao abandono dos defesas centrais Maykon e Diego Gaúcho. “Provavelmente nenhuma equipa da Liga terá tido uma semana tão dura como nós”, comentou o treinador Manuel Cajuda, em declarações ao jornal A Bola, antes do jogo. “O bloco defensivo só vai ter um jogador – ou provavelmente nenhum – dos que jogaram no último encontro [derrota 1-2,

10.ª JOR. 04.12.11

A Juventude Vidigalense venceu, em masculinos e femininos, os campeonatos distritais de juniores de Leiria (pista coberta), que decorreram na Expocentro, Pombal, nos dias 10 e 11 de Dezembro. Os pódios ficaram completos com o C.A. Marinha Grande (2.º, masculinos), A.C.D.R. Arneirense (3.º, masculinos; 2.º, femininos) e A.C. Vermoil (3.º, femininos).

Futebol | Leiria

U. Leiria regressa às vitórias

11.ª JOR. 18.12.11

Distritais juniores

Paulo Cunha/Lusa

Atletismo | Pombal

SUL

Nadadouro x Lisboa e Marinha (0-2) Santo Amaro x Unidos (3-1) Praia da Vieira x Os Vidreiros (1-0) Outeirense x Juncalense (2-0) Pilado x Gaeirense (2-0) Folgou: Maceirinha Equipa Lisboa Marinha Outeirense Gaeirense Pilado Juncalense Praia da Vieira Maceirinha Os Vidreiros Santo Amaro Nadadouro Unidos

J 8 7 7 8 7 7 7 7 7 7 8

V 8 5 5 4 4 4 2 2 1 1 0

E 0 1 0 0 0 0 2 1 2 1 1

Unidos x Nadadouro Os Vidreiros x Santo Amaro Juncalense x Praia da Vieira Gaeirense x Outeirense Maceirinha x Pilado Folga: Lisboa e Marinha

D 0 1 2 4 3 3 3 4 4 5 7

Pts 24 16 15 12 12 12 8 7 5 4 1


ÚLTIMA 15DEZEMBRO2011

Não temos nas nossas mãos as soluções para todos os problemas do mundo, mas diante de todos os problemas do mundo temos as nossas mãos. Friedrich Von Schille, poeta e dramaturgo alemão [1759-1805]

Presentes solidários chegam ao Gungo, missão da diocese de Leiria-Fátima

Ajude a abertura de “fontes de vida” em Angola A missão Gungo, do Grupo Missionário Ondjoyetu, da diocese de Leiria-Fátima, é uma das instituições que integra este ano o projecto “Presentes Solidários”. Em concreto, os fundos angariados servirão para levar à população das mais de 80 aldeias da comuna do Gungo, em Angola, água com maior abundância, melhor qualidade e com menor dispêndio de tempo para a obter. Uma das grandes dificuldades das pessoas do Gungo é o acesso a água e, muito mais ainda, a água de qualidade. Actualmente, as pessoas, principalmente mulheres adultas, jovens e até meninas, têm a dura tarefa de ir buscar água às cacimbas ou pequenos riachos que existem nos vales; transportam-na em baldes, à cabeça, tendo para isso que percorrer por vezes grandes distâncias. A qualidade da água é muito baixa, estando na origem de numerosas doenças. O principal objectivo deste presente é a abertura de poços próximos das aldeias, em locais considerados mais adequados e com a profundidade que for possível. Com as manilhas também se poderão construir reservatórios de água dentro das aldeias. No tempo das chuvas as águas serão aproveitadas, evitando o seu desperdício. O convite está feito: compre este “presente solidário” (custa 19 euros) e ajude a “nossa” missão em Angola. Como funciona Através da campanha “Presentes Solidários 2011”, está a contribuir de forma concreta para a melhoria das condições reais de vida de inúmeras famílias dos Países Lusófonos. A sua compra, feita em nome de um amigo, colega ou familiar, será um motivo de esperança para a vida de tantos homens, mulheres e crianças que nestes países enfrentam situações adversas a um desenvolvimento justo e sustentado. Ao comprar um Presente Solidário, o seu dinheiro será entregue aos diversos parceiros no terreno, que farão a compra e a entrega dos bens a quem deles mais precisa. Receberá também um postal relativo ao presente que comprou e que poderá oferecer como presente de Natal aos seus amigos, colegas ou familiares. Está a contribuir directamente com o seu dinheiro para a melhoria das condições de vida das famílias dos Países Lusófonos e esta sua oferta será feita em nome do seu amigo, colega ou familiar, que será surpreendido pela sua originalidade e generosidade, ao receber o postal ilustrado. Para todas as informações, vídeos explicativos, pormenores de cada projecto, imagens, etc., consulte a página www.presentessolidarios.pt.

4888#OMENSAGEIRO#15DEZ  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição de 15 de Dezembro de 2011 (N.º 4888).

4888#OMENSAGEIRO#15DEZ  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição de 15 de Dezembro de 2011 (N.º 4888).

Advertisement