Page 1

EVENTO

29 SETEMBRO 2011

ASSEMBLEIA DIOCESANA

ANO 97 - N.º 4877 FUNDADOR: José Ferreira Lacerda DIRECTOR: Rui Ribeiro

2 DE OUTUBRO

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

TESTEMUNHAS DE CRISTO NO MUNDO

FUNDADO EM 1914

Início do Ano Pastoral

DESTAQUE

O LUGAR DOS JOVENS NA IGREJA

JUVENTUDE, PRECISA-SE Depois de Madrid e da grande multidão de jovens que rodeou Bento XVI, é tempo de dar continuidade às experiências vividas e aos desafios que aquele encontro certamente deixou. As Jornadas Mundiais da Juventude não se fecham no esquema e programa de um dia. Trata-se de um acontecimento que se prolonga por toda a vida e se define por ser um certo modo de estar na vida. As propostas existem, mas muitas vezes faltam os interessados nelas. Nesta edição, quisemos chamar a atenção para este tema, numa altura que o novo ano pastoral está a arrancar. Páginas 2 e 3

CONVOCATÓRIA DE D. ANTÓNIO MARTO

“Reservai na vossa agenda a disponibilidade para participar, não marcando qualquer outra actividade, informai e motivai os vossos colaboradores para vos acompanharem.” Pág. 9

CULTURA

Promovida pela ACILIS | P. 4

SOCIEDADE

Tradição no Reguengo | P. 6

Moda Leiria foi um sucesso

Os caracóis da Senhora do Fetal

Dia Mundial da Música | P. 5

Gestão de materiais | P. 7

“Otros Aires” no teatro José Lúcio da Silva, em Leiria

Novo sistema logístico no Hospital de Santo André

Festival continua | P. 5

Livro Verde do Governo|Últ.

Música Tradicional e Celta na Batalha

Reforma administrativa deve “passar por cima de quaisquer interesses”

“Bandas em Concerto” | P. 5

Achados arqueológicos | Últ.

Banda Bingre Canalense em Pombal

Importantes descobertas no Castelo de Leiria

ECLESIAL

Pág. 10 | Janela sobre a Missão

ROTAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS


2 DESTAQUE

O Mensageiro 29.Setembro.2011

EDITORIAL

prui@iol.pt

Onde estão os jovens?

A renovação está, aliás como a palavra indica, nas gerações mais novas. Os jovens, em todos os campos da vida, são a garantia de que o futuro será assegurado e a continuidade do saber e da experiência permanecem para lá do passado e do presente. Também na fé, o futuro é garantido pelos jovens que no presente vivem as experiências que os pais transmitiram. Nos tempos que correm é comum dizer-se que os jovens estão a “fugir da Igreja”, não se revêem nos seus ensinamentos nem nas suas formas de estar. É consenso geral que o futuro da Igreja está em causa e é, no mínimo, muito incerto. Atenta ao ritmo moderno, a Igreja continua a apostar nos jovens e não os esquece na programação das suas actividades e projectos pastorais. O diálogo nem sempre é fácil, a O diálogo nem começar pela linguasempre é fácil, gem, passando pelos a começar pela métodos e terminanlinguagem, do nos princípios ou passando pelos propostas doutrinais. métodos e Por vezes há mesmo terminando um grande distannos princípios ciamento, e a Igreja ou propostas fica sozinha como que a “pregar para os doutrinais. Por peixes”. vezes há mesmo Alguns aconteum grande cimentos, de cariz distanciamento, e a internacional e mais Igreja fica sozinha mediáticos, movem como que a “pregar os jovens que, pelas para os peixes”. mais variadas razões, aderem e participam. Mas o trabalho persistente, continuado e regular, sofre da característica que mais marca os jovens: a mudança, o desenraizamento. É próprio dos jovens estarem em mudança, serem amanhã o que não são hoje. Esta mutação, aliada a alguma irreverência, trazem muitas dificuldades para a Igreja, assente numa tradição de longos anos e alicerçada em experiências que atravessam a história. É de facto difícil “construir sobre a rocha”, quando gostamos de “construir sobre a poeira dos sonhos”. Apesar de tudo a Igreja não desiste. Encontramos mesmo uma série de referências e propostas que mostram a preocupação e atenção que ela dá aos jovens. Provavelmente nenhuma instituição olha e aposta nos jovens como ela o faz. Exemplo disso é a relação que o papa mantém com eles. Não apenas nos ensinamentos, mas na forma cordial com que se aproxima. Aliás, alguém negará que Bento XVI é um eterno jovem? Mais do que nunca os jovens precisam de procurar na Igreja um apoio sólido para as suas vidas. As propostas existem, mas muitas vezes faltam os interessados nelas. Nesta edição quisemos chamar a atenção para este tema, sobretudo numa altura que o novo anos pastoral está a arrancar.

O lugar dos jovens na Igreja

Juventude, precisa-se DR

Rui Ribeiro

Depois de Madrid e da grande multidão de jovens que rodeou Bento XVI, e no início do novo ano pastoral, é tempo para dar continuidade às experiências vividas e aos desafios que aquele encontro certamente deixou. As JMJ (Jornadas Mundiais da Juventude) não se fecham no esquema e programa de um dia. Trata-se de acontecimento que se prolonga por toda a vida e define-se por ser um certo modo de estar na vida. No passado sábado, D. Jorge Ortiga desafiou os jovens da diocese de Braga a fazerem perdurar e frutificar o “espírito das “Jornadas Mundiais da Juventude, sublinhando a necessidade de a juventude católica se “alimentar da Palavra” e, com essa base, assumir uma “presença participativa na Igreja”. Em concreto, o prelado pediu uma presença nos Conselhos Pastorais Paroquiais, estruturas que quer ver a funcionar em pleno em todas as paróquias até ao final do ano pastoral. Concluindo, que as JMJ não sejam apenas vistas como “um facto” do passado recente que já está alojado na memória de cada um. “As JMJ “só podem “tornar-se em acontecimento” na medida em que os quase mil participantes da diocese assumirem a “responsabilidade de acolher a sua dinâmica”, trabalhando “na revitalização

dos grupos”, no “acolhimento dos movimentos organizados” e particularmente “na criação de novos grupos”. A pastoral juvenil está, assim, sobre a mesa das preocupações da Igreja em Portugal. Uma preocupação que é também um desafio a requerer criatividade e sobretudo ousadia, bem ao gosto dos jovens. Para lá dos estereótipos e dos clichés, Bento XVI é o amigo dos jovens, quer a comunicação social goste ou não, quer ache quer não. A Igreja sabe disso e os jovens também. Bento XVI está convencido e não se cansa de repetir a todos que «o Cristianismo não é uma moral mas uma Pessoa» (Mensagem na XXV Jornada Mundial da Juventude, 2010), e com uma Pessoa deve cultivar-se uma relação pessoal. Assim o tema da amicitia Christi - que é uma referência clássica na espiritualidade e na patrística e que o Papa conhece tão profundamente – é aquele que mais tem desenvolvido na sua homilética e, muito especialmente, no diálogo pastoral com os jovens, desde a homilia de início do ministério («só na amizade com Cristo se abrem de par em par as portas da vida») até Malta («não tenhais medo de ser amigos íntimos de Cristo») e, ainda mais recentemente, a 02 de Maio, em Turim

(«Jesus quer mesmo ser vosso amigo»).Para promover essa amizade com Cristo, Bento XVI tem-se mostrado ele próprio amigo dos jovens. Tem sido o amigo dos jovens ao manter a relação iniciada por João Paulo II nas Jornadas Mundiais da Juventude e tem-no sido a título pessoal no seu ministério pastoral e exemplo. Talvez chegou a hora de deixar, de uma vez por todas, de dizer que João Paulo II ainda é o preferido dos jovens porque Bento XVI é o Papa que Deus concedeu à Igreja há já cinco anos… e os adolescentes que tinham catorze e quinze anos na sua eleição são os jovens de dezoito e dezanove de hoje (e que já não têm uma imagem vívida de João Paulo II…) e os jovens que tinham vinte e vinte e cinco anos entraram definitivamente na idade adulta, ao menos cronologicamente, e até é saudável que a sua referência ao Papa já não seja apenas pelo prisma dos «jovens». Para os jovens de hoje, ano dois mil e dez, o Papa é Bento XVI e o Papa é o amigo dos jovens.Está mais do que visto – foi evidente no Fátima Jovem e está a sê-lo nas iniciativas movidas pelas dioceses de Lisboa, LeiriaFátima e Porto – que Bento XVI atrai os jovens e é seu interlocutor privilegiado, em nome de Cristo e em nome da Igreja. Será que todos os

agentes de pastoral estamos convencidos disso? A diocese de Leiria-Fátima acompanha os ritmos das outras dioceses, sofre das mesmas dificuldades e oferece soluções que os jovens não podem ignorar. Os dados mais recentes dizem que andará à volta dos 200 jovens que na diocese vão acompanhando as propostas. Das 73 paróquias apenas 15 terão grupos a funcionar. O serviço Diocesano da Pastoral Juvenil desdobra-se em iniciativas e programas que visam acompanhar estes grupos e ao mesmo tempo procuram “conquistar” novos rostos. Os mais de mil adolescentes que em cada ano celebram o crisma, e com ele terminam o percurso da catequese, desaparecem na sua maioria dos registos e das igrejas. Onde andam? Para onde vão? O que esperam e o que têm para continuar a sua formação e crescimento espiritual? Preocupações que devem inquietar todos os agentes pastorais. Nesta edição quisemos aflorar este tema, apresentando as propostas diocesanas, e ao mesmo tempo chamando a atenção para um sector da vida da Igreja que requer maior atenção. Rui Ribeiro


DESTAQUE 3

O Mensageiro

29.Setembro.2011ro.2011

SábaDoPraJovens – Série I, Temporada I, Episódio Piloto Promovido pelo Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil, SábaDoPraJovens é o nome do encontro com o qual este serviço marca o início das actividades do presente ano pastoral. O encontro é direccionado para os jovens e adolescentes que frequentem o 10º ano de catequese. Dadas as características deste encontro, a inscrição

é OBRIGATÓRIA. Para isso basta enviar um email para geral@sdpjleiria.com com uma FOTO de grupo em que se vejam bem as caras dos elementos. Em alternativa, podem enviar-se várias fotos com os vários elementos do grupo, é necessário dizer-se o número de participantes e deixar bem explícita a identificação do grupo e da paróquia.

Os objectivos deste encontro são: - Apresentação dos vários Grupos Jovens; - Apresentação do Plano Actividades do SDPJ; - Esclarecimento da especificidade e objectivos de cada actividade; - Posicionamento temporal das actividades (em que mês/meses se realiza cada uma delas);

- Apresentação da Equipa do SDPJ; - Apresentação das novidades do ano (Visitas aos Grupos Jovens, Trabalho mais próximo, “Padrinho” do Grupo de Jovens, actividade Verão, …) - Solicitação de sugestões aos Grupos para o SDPJ

Shemá – Encontros de oração para jovens Os “Encontros Shemá” são encontros de oração inspirados nas orações de Taizé. Pelo ambiente que se estabelece, que privilegia o canto e a oração meditada, os “encontros Shemá” têm como principais destinatários os jovens. Por isso não

admira que sejam eles a acorrerem em massa a esta actividade. Para além da oração meditada e acompanhada por cânticos juvenis, em cada um dos encontros há um gesto que o marca e que é sempre diferente de encon-

tro para encontro. Invariavelmente, também existe espaço para os participantes conviverem. Após cada “encontro Shemá”, é distribuído chá e bolos por todos os presentes, proporcionando, desta forma, a troca de

experiências. O convite é dirigido a todos os jovens, de modo especial aos que integram grupos paroquiais. Os encontros serão no Seminário de Leiria (entrada pelo lado da igreja) e terão início às 21h30.

crítica e reflexiva do jovem e desenvolver a sua capacidade criativa, de forma a que ele encontre soluções para o mundo de hoje e interrogue o seu sentido de vocação. Simultaneamente, a equipa de jovens que coordena o Convívio Fraterno disponibiliza-se a apoiar a caminhada individual de cada elemento participante, assim como de todo o grupo, quer através de um acompanhamento personalizado, quer através da realização de um mínimo de quatro encontros anuais com a duração de um dia. Estes encontros ou convívios de animação são

momentos de paragem e de deserto, são momentos de partilha, são momentos de catequese e aprofundamento de fé. O próximo convívio na diocese de Leiria-Fátima, realiza-se nos dias 28 a 31 de Outubro de 2011.Decorrerá no Seminário Diocesano e destina-se a todos os que desejem fazer esta experiência de fé e que tenham no mínimo 17 anos e no máximo 30. O encerramento do convívio terá lugar no dia 31 de Outubro, às 20h30, com a Eucaristia presidida pelo Bispo. Os interessados deverão inscrever-se até 14 de Outubro de 2011.

Convívios Fraternos Os Convívios Fraternos são um Movimento de espiritualidade e de acção de Jovens católicos que propõem a vivência, testemunho e anúncio da Boa-Nova de Jesus Cristo como oportunidade de realização: individual, familiar e social. Todos os que, através da participação num Convívio Fraterno, adiram livremente a este projecto e realizem esta caminhada, continuam auxiliados pelos meios de perseverança colocados à sua disposição. Um Convívio Fraterno é um encontro com a duração de três dias, liderados por um director espiritual e por uma equipa de jovens, que procura assim dar corpo aos anseios de S.S. Paulo VI ao desafiar os jovens a serem apóstolos dos jovens. Nesta perspectiva, através do testemunho autêntico de vida, da abertura e do diálogo, cria-se um ambiente propício à reflexão e à partilha em grupo, levando o jovem a viver uma verdadeira experiência de vida comunitária cristã. Daqui resulta, num ambiente de total liberdade e respeito de opinião, a abertura consciente do jovem à oração individual e comunitária, bem como ao desejo de ter Jesus Cristo como modelo de Vida. Suscita-se assim nos jo-

vens de qualquer condição social, o desejo e o empenho de viver o seu cristianismo na vida privada, familiar e social, aceitando as suas profundas exigências e consequências. Ficam desta forma sensibilizados para a defesa da dignidade e direitos da vida humana e naturalmente para contribuírem na eliminação dos factores de injustiça e miséria social ou económica. No fundo revelam-se as características da juventude: a força de um ideal e o dinamismo da esperança. E procura-se consciencializar de que a persecução destes objectivos de vida só será possível com uma vivência sacramental em Igreja. Os núcleos paroquiais de convivas promovem, por vezes, encontros de reflexão inter-paroquiais, procurando, num encontro de experiências, rasgar novos horizontes de vida e/ou reacender caminhadas. As dinâmicas e propostas diocesanas ou nacionais de pastoral juvenil são, num perfeito espírito de igreja, acolhidas e vividas pelos núcleos. Contudo, na eventual ausência de propostas concretas de trabalho, têm as estruturas do movimento apresentado a nível nacional guiões ou temas para reflexão em núcleos. Procura-se assim capitalizar a capacidade

Actividades 2011-1012

Calendário diocesano Por todo o país as dioceses oferecem um serviço especialmente dedicado e voltado para os jovens. O Serviço Diocesano de Pastoral Juvenil (SDPJ), em Leiria, é o centro aglutinador desta preocupação. Para além de oferecer ajuda aos grupos constituídos, organiza algumas acções cujo objectivo é unir sensibilidades e competências entre a camada mais jovem. Para além de algumas actividades esporádicas outras há de carácter mais consistente e regular que são forma de ligação deste serviço com os diferentes grupos juvenis. O programa anua deste serviço destaca os encontros de oração (Shemá), como elo de encontro e ligação mensal que nenhum grupo deveria perder: Sábado, 8 de Outubro 15:00: SábaDoPraJovens – Série I, Temporada I, Episódio Piloto Sexta-feira, 28 de Outubro 20:00: Convívios fraternos 21:30: Shemá Sábado, 29 de Outubro Convívios fraternos Domingo, 30 de Outubro Convívios fraternos Segunda-feira, 31 de Outubro 23:00: Convívios fraternos Sexta-feira, 4 de Novembro 21:00. Reunião com Grupo de Jovens Domingo, 13 de Novembro Encontro Participantes JMJMadrid (?) Sábado, 19 de Novembro 21:00: Reunião com Grupo de Jovens Domingo, 20 de Novembro Encontro Participantes JMJMadrid (?) Sexta-feira, 25 de Novembro 21:30: Shemá Sexta-feira, 2 de Dezembro 21:00: Reunião com Grupo de Jovens Sábado, 17 de Dezembro 21:00: Reunião com Grupo de Jovens Sexta-feira, 30 de Dezembro 21:30: Shemá Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2012 21:00: Reunião com Grupo de Jovens Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2012 21:30: Shemá Sábado, 28 de Janeiro de 2012 21:00: Reunião com Grupo de Jovens Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012 21:00: Reunião com Grupo de Jovens Sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2012 21:30: Shemá Sábado, 25 de Fevereiro de 2012 21:00: Reunião com Grupo de Jovens Sábado, 24 de Março de 2012 14:00: Peregrinação Diocesana 21:00: Festival da canção jovem Domingo, 25 de Março de 2012 17:00: Peregrinação Diocesana Sexta-feira, 30 de Março de 2012 21:30: Shemá Sábado, 21 de Abril de 2012 Convívio equipa sdpj Sexta-feira, 27 de Abril de 2012 21:30: Shemá Sexta-feira, 25 de Maio de 2012 21:30: Shemá Sexta-feira, 29 de Junho de 2012 21:30: Shemá Sábado, 7 de Julho de 2012 Avaliação e projecção do ano Sexta-feira, 27 de Julho de 2012 21:30: Shemá Quinta-feira a domingo, 2 a 5 de Agosto de 2012 Acajota


4 CULTURA

O Mensageiro 29.Setembro.2011

“Charlie e a Fábrica de Chocolate” Teatro Miguel Franco (Leiria) • SUPER 8 | ficção científica | de J.J. Abrams | c/ Amanda Michalka, Elle Fanning, Kyle Chandler | 5 de Outubro, 18h30 Cine-Teatro de Monte Real (Leiria) • VELOCIDADE FURIOSA 5 | acção | de Justin Lin | c/ Vin Diesel, Paul Walker e Dwayne Johnson | 30 de Setembro e 1 de Outubro, 21h30

EXPOSIÇÕES Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Sensibilidades 25” - fotografia (~30/09) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Origem” - Nuno Ramos e Filomena Jesus (~30/09) •”No meu pequeno mundo aqui em baixo” - foto. Ana L. Pinho (1~31/10) Edifício Banco de Portugal - Leiria •”Subúrbio d’um azul anluarado” - Roberto Chichorro (~31/10) Edifício Paços do Concelho - Leiria •”Passe, cidadão!” (3/10~30/11) m|i|mo -Museu da Imagem em Movimento - Leiria •”Oficina do Olhar” (exposição permanente) •”Provas de cor” - arte da fundação EDP (~23/10) •”O Movimento das coisas/coisas em movimento” (~31/10) Célula e Membraba/a9)))) - Leiria •”Nora. Eine Idyle” - pintura e desenho de Jochen Dietrich (29/9~2/01) Tuá Tuá Cozinhartes - Leiria •”Anonimato” - fotografia de Rute Violante (~29/09) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria • Projecto”Lis:Velho rio con’vida” - mostra de pintura (~30/09) Agromuseu Municipal Dona Julinha - Ortigosa •”Jogos e brincadeiras de outros tempos” (~31/09) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”Divulgando...aos+pequenos” - trabalhos feitos p/ crianças (~30/9) Museu Joaquim Correia - Marinha Grande •”Retratos” (3ªs~6ªs) Teatro-Cine - Pombal •”Rostos Distantes” - pintura de Isabel Tomás (~30/09) Celeiro do Marquês - Pombal •”A Lenda do Bodo em BD” (~30/09) Paços do Concelho - Tomar • Fotografia - Fernando Lemos (~30/09)

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Outros aires” - música (30/09) Teatro Miguel Franco - Leiria •”O medo que o General não tinha” - teatro (6/10, 22h00) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Capuccina e a pequena feiticeira” - conto (7,12,21 e 26/10, 11h e 15h) •”Contar e encantar” - hora do conto (29/10, 16h00) Livraria Arquivo - Leiria •”Uma estratégia para Portugal” - livro de Henrique Neto (6/10, 18h30) Recreio dos Artistas - Leiria •”Sopa de Massa” - teatro (1/10, 22h00) Agromuseu Municipal Dona Julinha - Ortigosa •”Dia do Cavalo no Agromuseu” (4/10, 10h3~12h30) Auditório Municipal - Batalha • Libert Fortuny e Mário Laginha - Jazz na Batalha (29/10) • “O Guardião dos Rios” - teatro (5/10, 21h30) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”Pedro e a Lua” - hora do conto (3ªs, 11h00 e 5ªs, 15h00)

Rui Unas foi o apresentador do Moda Leiria 2011, que decorreu no passado sábado no Largo 5 de Outubro, em frente ao edifício do Banco de Portugal, iniciativa promovida pela ACILIS com o tema de “Charlie e a Fábrica de Chocolate”. Foram muitas as pessoas que se juntaram para ver as tendências de moda Outono/Inverno que foram apresentadas por algumas caras conhecidas como as 5 apresentadoras do Fama Show, Andreia Rodrigues, Vanessa Oliveira, Rita Andrade, Cláudia Borges e Laura Figueiredo, contando ainda com os manequins

DR

Moda Leiria foi um sucesso

CINEMAS

masculinos Pedro Barroso, Mário Franco, Bruno Rosendo e Pedro Martin. A escola de Dança Studio K fez a abertura do desfile com um espectáculo alusivo ao tema do evento

e Nuno Guerreiro encantou a plateia com músicas já bem conhecidas do grande público. Foram as seguintes as lojas de Leiria, associadas da ACILIS que partici-

param: Joaninha, João Ratão, Mixxies/Theoria, ADN Space/Tiffosi Kids, United Colors of Benetton, Throttleman, Undercolors of Benetton, Intimidades, Skulk, Lacoste, Lion of Porches, Dois G/Pel’Arte, La Squadra, Magic Women, IN!, Loja Stop, Antóniu’s, Óptica Cunha e Fonseca e Óptica Leirivisão. Depois do desfile, decorreu ainda uma festa de encerramento no Moinho, junto à Ponte Hintze Ribeiro, com a presença de bares associados da ACILIS, estando a animação musical a cargo dos Dj’s Rui Vargas e Rita Zukt.

Não há espectadores

Cinema da Batalha fechou A Câmara Municipal da Batalha acaba de anunciar que "terminaram as sessões semanais de cinema no auditório municipal". O principal motivo é "a fraca assistência registada nos dois últimos anos", motivadas, segundo o Município, "pelos filmes pouco atractivos que a empresa distri-

buidora disponibiliza". Por outro lado, a continuidade desta actividade iria obrigar à "substituição de todo o equipamento de projecção já em 2012", para cumprir as exigências da projecção digital, "o que representaria um encargo superior a 60 mil euros". A falta de procura desta

sala tem ainda a ver, segundo a autarquia, com o facto de existir "grande oferta de salas de cinema só na cidade de Leiria", com todas os filmes mais recentes, bem como a "concorrência forte dos canais de televisão por cabo e a disponibilização de filmes na Internet". Em nota de imprensa, o

Município refere que "face a estes factores, não há condições para manter as sessões de cinema no auditório da Batalha" e pede aos habituais frequentadores "o melhor entendimento para esta tomada de posição".

Batalha celebra Dia Mundial do Turismo

Museu organiza visita à vila Celebrado a 27 de Setembro, o Dia Mundial do Turismo foi criado em 1980 pela Organização Mundial do Turismo (O.M.T.), destacando uma temática anual para todas as suas comemorações. No ano em que se celebra o 31.º aniversário desta data, a equipa do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha (MCCB) vai associar-se a esta efeméride, com a organização de um circuito

cultural junto às principais atracções turísticas da vila, no próximo dia 2 de Outubro, domingo. A actividade tem como objectivo dar a conhecer o património cultural da Batalha, levando os participantes a sentirem-se turistas por um dia, animados pelas visitas guiadas e pelas diversas surpresas que acontecerão ao longo do percurso. A concentração será pelas 09h00 no

Museu, onde se fará uma visita guiada. Segue-se o itinerário: estátua equestre de D. Nuno Álvares Pereira, Mosteiro de Santa Maria da Vitória, estátua do Infante D. Henrique “O Navegador” (na praça com o seu nome), edifício e estátua de Mouzinho de Albuquerque (na praça com o seu nome), igreja matriz – Exaltação da Santa Cruz. O programa termina na Adega Cooperativa da Bata-

lha, com uma explicação dos processos de produção do vinho, seguindo-se uma prova de vinhos e petiscos regionais. As inscrições deverão ser efectuadas até ao dia 29 de Setembro, para 244769878, geral@museubatalha.com ou directamente no MCCB. Esta experiência turística terá o custo de 2,5 euros por pessoa.

Na Casa-Museu João Soares | Grafitos Medievais do Mosteiro da Batalha Continua patente até Dezembro, na Casa-Museu João Soares, nas Cortes, a exposição “Grafitos Medievais do Mosteiro da Batalha”, que mostra um lado pouco conhecido do munumento, “o gesticular anónimo de quem ali esteve durante a sua construção”. Escultores, pedreiros, carpinteiros, arquitectos, monges, fixaram nas

paredes uma linguagem paralela, não a dos alicerces, das abóbadas e de um imaginário que iriam legar à posteridade, mas as dúvidas, as conversas, as ironias, as crenças de um quotidiano forjado numa das épocas mais criativas do viver português. Graças às características peculiares do calcário das pedreiras do Reguengo do

Fetal, as linhas espontâneas que traçaram ficaram gravadas através dos séculos na face rugosa das pedras. São esses registos ténues que são aqui ressuscitados numa aparição imprevista. A cegonha, símbolo da vigilância ascética dos frades que ficou inscrita à porta do seu dormitório, os barcos dos carpinteiros navais que levantaram

as estruturas de madeira para suporte das abóbadas, as volutas dos escultores de capitéis, os jogos riscados de improviso nas horas de descanso… uma outra Idade Média que cruza os alvores do renascimento e renasce num sussurro íntimo, após 500 anos de silêncio.


CULTURA 5

O Mensageiro 29.Setembro.2011

Integrado nas Comemorações do Dia Mundial da Música

Otros Aires em Leiria ta”, com a colaboração da Orquestra Típica Erica Di Salvo, e que constitui uma apoteose entre a tradição e a contemporaneidade. Criado em 2003, Otros Aires é um projecto audiovisual de electrotango, composto pela fusão de

um espectáculo audiovisual com as referências ao século passado, que nos trazem o tango bairrista: a imigração, Gardel, milonga (canção que precede o tango na história) e as orquestras típicas. Pela primeira vez na

história, uma orquestra típica e a música electrónica cruzam-se num projecto comum, num espectáculo para maiores de 6 anos, e cujo preço do bilhete é 7,50 euros.

Festa no Museu Escolar

MCR

Mercado do Século XIX

Recreativo da Golpilheira. O evento recriou o ambiente popular caracte-

rístico dos mercados existentes no século XIX, com animação diversificada,

recorrendo a figuras-tipo. Destaque, a este nível, para a participação da companhia de teatro “Te-Ato”, de Leiria, que encenou diversos quadros históricos alusivos à época. No final, os produtos colocados à venda nas várias tendas estavam esgotados, a sardinha e o vinho levaram o mesmo caminho e as várias centenas de pessoas que por ali circularam reviveram intensamente o ambiente mercantil dos seus antepassados.

Festival “a dois tempos”

DR

Musica Tradicional e Celta na Batalha A primeira edição do Festival de Música Tradicional e Celta, organizado pelo Município da Batalha e pela Associação Cultural Sons do Lena, apresenta-se como "uma oportunidade única para apreciar e ouvir alguns dos agrupamentos nacionais de maior renome da música tradicional e celta". Com apresentação a cargo do jornalista da RDP Armando Carvalhêda, estavam previstos dois con-

certos, nos dias 10 e 11 de Setembro, na praça Mouzinho de Albuquerque. Mas

Um grupo de cantores amadores solidarizou-se com a Cercilei na recolha de fundos para a instituição. “Melodias por um sonho” é um espectáculo de musicais famosos, com canções de sempre, canto lírico e muitas surpresas, com a participação dos jovens daquela instituição, a realizar no dia 1 de Outubro, no Teatro José Lúcio da Silva, pelas 21h30. Mário Maduro e o fado português, o coro São Bernardo, Francisco Peças a recordar Elvis Presley, o Mágico Mário Gaspar, os jovens da Cercilei, são alguns dos protagonistas desta noite de sonho, cheia de melodia.

131.º aniversário da Filarmónica de S. Tiago

Na praça Mouzinho de Albuquerque A praça Mouzinho de Albuquerque, na Batalha, voltou a encher-se para mais uma edição do Mercado do Século XIX, no dia 25 de Setembro. Numa iniciativa que visa manter vivas as tradições da cultura popular e dos produtos comercializados nos mercados da época, envolveram-se mais de 350 figurantes, em representação de vários agrupamentos folclóricos da região, entre os quais o rancho “As Lavadeiras do Vale do Lena”, do Centro

“Melodias por um sonho”

a instabilidade atmosférica obrigou ao adiamento do primeiro, que ficou agen-

dado para o próximo dia 2 de Outubro. Assim, estarão em palco os grupos Sons do Lena, Fanfarra de Alfares e Ronda dos 4 Caminhos. Caso o clima seja desfavorável ao concerto na praça Mouzinho de Albuquerque, o mesmo decorrerá no pavilhão multiusos da vila. Refira-se que esta actividade está inserida na programação da Rede de Mosteiros Património Mundial da Humanidade.

“Bandas em Concerto” no cine-teatro

De 28 de Setembro a 2 de Outubro o Museu Escolar de Marrazes, em colaboração com a Filarmónica de S. Tiago vão comemorar o 131.º aniversário daquela filarmónica. Nesta ocasião será também inaugurada a exposição “Passa a Música no Museu”.

Festival “Acaso”

Teatro regressa à Batalha “O Nariz” – Teatro de Grupo, de Leiria, organiza entre Setembro e Outubro a XVI Edição do ACASO – Festival de Teatro, evento que conta com o apoio do Município da Batalha. O Auditório Municipal da Batalha já recebeu, no dia 21 de Setembro, “A Princesa do Amor de Sal”, pelo grupo organizador, e contará ainda com os seguintes espectáculos, sempre às 21h30: - Dia 5 de Outubro, Palmilha Dentada apresenta “O Guardião dos Rios” - Dia 19 de Outubro, Óscar Branco traz a comédia “O último a sair apaga a luz”

No Teatro Miguel Franco

“Peça para dois”

“Peça para dois”, da autoria do dramaturgo norte-americano Tennessee Williams, será apresentada pelo grupo de teatro A Barraca, no dia 29, no Teatro Miguel Franco. Pelas 22h00, os actores sobem ao palco para revelar ao público a história de Felice e Clare, dois actores em tournée, que são abandonados pela sua companhia, num decadente teatro de uma província, que ninguém sabe onde fica. Confrontados pelo público, que espera uma actuação, tentam a “Peça para dois”. Esta é uma actuação com um texto enigmático e extraordinário sobre os limites do teatro e da vida, da máscara dentro da máscara e da fusão das realidades. DR

Integrado nas Comemorações do Dia Mundial da Música, o Teatro José Lúcio da Silva será palco no dia 30 de Setembro, pelas 21h30, da banda Otros Aires. Em Leiria, o grupo vai apresentar o seu terceiro álbum gravado em estúdio, “Trico-

Espectáculo a favor da Cercilei

Banda Bingre Canelense em Pombal

Fórum Cultural de Porto de Mós

No próximo dia 1 de Outubro, sábado, pelas 21h30, no Teatro- Cine de Pombal, realiza-se um concerto com a Sociedade Recreativa e Musical Bingre Canelense, de Estarreja, no âmbito do projecto “Bandas em Concerto”, promovido pela Direcção Regional de Cultura do Centro, em parceria com o Município

Organizada pelo grupo coral “Vila Forte”, com o apoio da Câmara Municipal de Porto de Mós e das Juntas de Freguesia participantes, realiza-se pela sétima vez a Mostra de Doces e Licores, nos próximos dias 8 e 9 de Outubro no Fórum Cultural de Porto de Mós. A iniciativa que visa promover a doçaria regional e os licores produzidos artesanalmente reunirá receitas típicas de todo o concelho, caras conhecidas e muita animação. No dia 9 de Outubro estarão presentes figuras públicas da RTP como Odete Silva e Filipa Vacondeus.

de Pombal. A Sociedade Recreativa e Musical Bingre Canelense foi fundada em 1865, na freguesia de Canelas, concelho de Estarreja, então sob a denominação de “Sociedade Musical União Canelense”, e passou em 1934 a denominar-se “Banda Bingre Canelense”. Após a sua última grande refor-

mulação estatutária, passou a denominar-se “Sociedade Recreativa e Musical Bingre Canelense”. Mantendo ininterrupta actividade musical, desde a sua fundação, é intensamente solicitada para actuações por todo o país. A “Banda Bingre Canelense” é actualmente integrada por 70 músicos, tendo na Escola de Música,

54 crianças e jovens que frequentam gratuitamente o “CIMA - Curso Interno de Músico Amador”. É a Associação mais antiga do concelho de Estarreja, tendo sido distinguida com a Medalha de Ouro do respectivo Município.

Mostra de Doces e Licores


6 CULTURA / SOCIEDADE

O Mensageiro 29.Setembro.2011

Festas de Nossa Senhora do Fetal

Estradas de Portugal informa

Trânsito cortado no IC (Azóia) A Estradas de Portugal informa que, de modo a permitir a realização dos trabalhos de melhoria das condições de segurança no IC2 na zona da Azóia, será necessário proceder-se ao corte de tráfego entre os quilómetros 117,580 e 117,880 no sentido Norte / Sul. O condicionamento de tráfego será implementado a partir do dia 26 de Setembro (segunda-feira) durante um período estimado de vinte dias. Os trabalhos e condicionamentos à circulação estão devidamente sinalizados no local.

Criopreservação do tecido do cordão umbilical

“Conversas com Barriguinhas”

As “Conversas com Barriguinhas”, sessões de esclarecimento dedicadas à grávida, à maternidade e ao bebé, da Crioestaminal, realizaram-se no dia 27 de Setembro, na Escola Superior de Enfermagem, em Leiria. A criopreservação do tecido do cordão umbilical foi um dos temas de destaque.

Milhares de cascas de caracóis iluminam e acompanham as procissões em honra de Nossa Senhora do Fetal, uma tradição centenária que atrai milhares de pessoas e mobiliza toda a região. Cumprindo-se a tradição, na sexta-feira dia 23 de Setembro, ocorreu a primeira procissão nocturna, com início na igreja matriz, através de um percurso de cerca de 800 metros, até ao Santuário de Nossa Senhora do Fetal, regressando à igreja matriz com a imagem no seu trono. No próximo sábado, dia 1 de Outubro, volta a acontecer nova procissão, levando-se a imagem da Virgem de novo para o

DR

Os caracóis do Reguengo

seu Santuário. A procissão ocorre cerca das 21h00 e será de novo abrilhantada com iluminações realizadas com inúmeras cascas de caracóis colocadas ao longo do percurso, produzindo um belo espectáculo visual, devido às imagens criadas pela imaginação das muitas pessoas que colaboram na

realização do evento. Esta era uma freguesia rural, em que a quase totalidade da sua população se dedicava à agricultura. O azeite, para além dos normais fins alimentares, era também utilizado nas candeias, como combustível para iluminação. Á semelhança das candeias,

eram utilizadas como recipiente as cascas de caracóis, que com um pequeno pavio cumpriam o objectivo. É aí que tem origem esta tradição, que remonta aos séculos passados e tem sido alvo de grande empenho da população nos últimos anos. Comemorando em 2012 os 500 anos da sua fundação, a freguesia do Reguengo do Fetal está rodeada de muita história e tradição. Para além do vasto património edificado e natural, a sua gente é muito apegada às tradições, sendo também um local onde se pode encontrar hospitalidade, tranquilidade, cultura e muita beleza. Esta é uma ocasião propícia a uma visita.

Organizado por “Victor Limousines”

I Encontro de Clássicos da Batalha

Vão realizar-se as comemorações do Dia Mundial da Música em Porto de Mós. A Banda Recreativa Portomosense subirá ao palco do cine-teatro da vila, pelas 21h30 horas, destacando também a presença de Madalena Santos, José Vigário, Rui Silva e João Crachat.

Realizou-se, no passado dia 4 de Setembro, o I Encontro de Clássicos da Vila da Batalha, uma organização de Victor Moniz, proprietário da empresa “Victor Limousines”, contando com a colaboração do Município e de algumas entidades e empresas da região. O encontro começou com a concentração junto ao pavilhão multiusos, com a participação de mais de 90 viaturas. Depois de três voltas à vila, em caravana, dirigiram-se para o almoço no restaurante A Aldeia de Santo Antão. Depois de aconchegados os estômagos, a caravana

Dia Mundial da Música

Profundamente remodeladas

Piscinas da Batalha reabrem Depois de profundas obras de melhoria deste equipamento desportivo, que incidiram ao nível da substituição da cobertura, dos sistemas de tratamento de águas e da circulação do ar, as piscinas municipais da Batalha já abriram para mais um ano de actividade. Estas piscinas dispõem de horários livres para a prática da natação, bem como programas de hidroginástica (também sénior), unidades didácticas de educação física e natação adaptada para utentes do concelho. Os interessados podem efectuar as inscrições através do telefone 244766033, de segunda a sexta-feira, a partir das 16h30.

MCR

Porto de Mós

seguiu para uma volta pela região, com paragem junto às instalações da Adega Cooperativa da Batalha, onde houve uma degustação de vinhos. Após o regresso ao pavilhão multiusos, foram distribuídos diversos

prémios deste encontro aos melhores veículos e participantes. Todos levaram um saco-brinde com várias lembranças deste I Encontro. Segundo Victor Moniz, “nunca pensei que o evento atingisse tal dimensão, com

91 viaturas clássicas e muitos proprietários a trazerem as famílias a este verdadeiro convívio familiar”. O autor da ideia e organizador manifestou também o seu contentamento pelo conjunto de parceiros que conseguiu juntar ao seu redor para este evento, nomeadamente a comunicação social, alguma de âmbito nacional. “Foi um desafio que se tornou um sucesso e, por isso, a empresa Victor Limousines já agendou a segunda edição deste encontro para o primeiro domingo de Setembro de 2012”, assegura.

Intervenção em tertúlia inserida no ciclo “Diálogos com a Região”

Laborinho Lúcio considera revisão constitucional imprescindível Para se tornar mais eficaz a justiça devia ter um sistema único de governo, ou seja, um órgão que garanta o funcionamento da justiça no seu todo (juízes, advogados, ministério público, etc.). Mas para que isto possa acontecer é necessário fazer uma revisão constitucional, já que a actual estrutura do poder judicial está aí definida. Esta foi a mensagem deixada por Laborinho Lúcio, Juiz Conselheiro do Supremo Tribu-

nal de Justiça e ex-Ministro da Justiça, na intervenção que fez na tertúlia com o tema “A Justiça e os Cidadãos”, a terceira do ciclo “Diálogos com a Região”, que decorreu no dia 21 de Setembro, no Edifício NERLEI. Laborinho Lúcio salienta a independência que os tribunais devem ter, mas refere que esta independência não pode ser dissociada de responsabilidade e daí a necessidade de um go-

verno único. Admitindo que a “justiça tem uma crise de eficácia, que começa a transformar-se em crise de credibilidade relativamente aos resultados de algumas decisões” o Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça não tem dúvidas que o problema está na “falta de uma política de justiça. Tomam-se medidas para resolver problemas concretos, mas só uma política geral tornará mais eficaz

o funcionamento da Justiça”. O ciclo de tertúlias “Diálogos com a Região” é desenvolvido no âmbito do projecto Leiria Região de Excelência. Pretende-se que sejam um espaço de reflexão sobre a região, no qual, as ideias apresentadas pelos convidados e por todos os presentes, com as suas interrogações e as suas convicções, contribuam para o surgimento de sugestões concretas para a qualificação da região,

promovendo um novo olhar e uma nova forma de sentir este território. Estas Tertúlias terão uma periodicidade mensal, com temáticas que oportunamente serão divulgadas. O Leiria Região de Excelência é um projecto de desenvolvimento regional que está a ser promovido pela NERLEI, em conjunto com a ADLEI, a CIMPL e o IPL.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 29.Setembro.2011

Gestão e distribuição de medicamentos, material clínico e hoteleiro

eficaz. Assim, e ao longo do último ano, procedeuse à remodelação dos armazéns centrais, no caso da Farmácia, com renovação e reorganização das zonas de armazenamento e, no caso do Aprovisionamento, com obras de remodelação, que permitiram tornar o espaço em “open space” mais funcional para as rotas de preparação de material para expedição. Além destas alterações aos espaços físicos, renovaram-se os sistemas de armazenagem dos produtos (estanteria, equipamento de embalagem de medicamentos e um armário vertical de dispensa de medicamentos para preparação em unidose) e alteraram-se procedimentos de aviamento de produtos - picking (registo e aviamento com recurso a leitura de códigos de barras), da distribuição, da gestão de stocks e de inventários, assim como foi realizada a formação dos colaboradores. «Todo o processo, em todas as suas fases, é mais rápido, seguro e eficaz», salienta o presidente do Conselho de Administração, Helder Roque. Na farmácia o sistema foi implementado durante o mês de Julho de 2011, realizando-se testes durante o mês de Agosto, encontrando-se neste momento em pleno funcionamento. No Aprovisionamento, o início da nova metodologia logística, com a utilização do sistema de leitura de código de barras para

o registo das entradas do material em armazém, o aviamento dos produtos, o fornecimento aos serviços e o registo de consumo através dos terminais PDT pelos serviços, é o próximo dia 3 de Outubro, estendendo-se depois a todos os serviços do hospital. Lurdes Nogueira, administradora hospitalar responsável pela direcção do serviço de aprovisionamento afirma que «acreditamos que a implementação do novo processo logístico conduzirá a melhorias em todos os serviços utilizadores, na medida em que serão agilizados os procedimentos inerentes ao abastecimento dos artigos, ao armazenamento e ao consumo dos mesmos, à identificação de desvios aos consumos médios e ao inventário de existências (nos armazéns centrais e nos armazéns periféricos dos serviços), que passará a ser on-line e permanente». Salienta ainda que «a redução do desperdício será igualmente uma realidade, dado que o controlo dos prazos de validade dos produtos será uma prioridade neste modelo», acrescenta. No caso específico da distribuição de medicamentos, foram criados nos 26 serviços prestadores de cuidados pequenos armazéns, que são armários onde ficam guardados e identificados todos os artigos, e cujas entradas e saídas são permanentemente registadas através de um

sistema de códigos de barras (para identificação dos materiais e introdução nos terminais de cada aviamento). Os registos são feitos com terminais portáteis que, através de uma rede wireless que funciona em todo o hospital, comunicam os consumos em tempo real com o armazém central, assegurando assim a manutenção do stock necessário em cada serviço. «Apesar de esta ser ainda uma fase de adaptação, e de introdução de alguns ajustamentos sempre necessários, a resposta de todos os intervenientes no processo, está a ser muito positiva» explica Carlos Poças Santos, director do Serviço Farmacêutico do HSA, no balanço do primeiro mês de actividade do novo sistema. «A implementação do modelo e o seu funcionamento praticamente a cem por cento, em apenas um mês, só foi possível graças à dedicação, disponibilidade e empenho de todos os profissionais envolvidos», salienta. O sistema implementado no Serviço Farmacêutico tem um custo total de 510 mil euros, sendo que apenas 133,8 mil euros serão sujeitos a financiamento externo, e o restante montante suportado integralmente pelo HSA. Os ganhos serão substanciais em termos de redução de stocks, de aumento da produtividade e de aumento da frequência de reposição nos serviços utilizadores, facilitado também pela gestão remota que permite a detecção de excessos ou materiais sem movimento, que poderão assim retornar ao armazém e ser distribuídos novamente, evitando o desperdício. O investimento no serviço de aprovisionamento é de 420 mil euros, e contempla uma componente de obras de adaptação dos armazéns já concluída, que apresenta já resultados na optimização do tempo dispendido pelos funcionários no abastecimento dos carros para fornecimento dos artigos aos serviços.

DR

O Hospital de Santo André (HSA) está a concluir a implementação do novo sistema logístico no Serviço Farmacêutico e no serviço de aprovisionamento, que vem reorganizar a distribuição e consumo de medicamentos, materiais clínicos e hoteleiros em todos os serviços prestadores de cuidados e de apoio do HSA. Este sistema inovador e de grande funcionalidade prática, permitirá garantir uma maior segurança na movimentação de medicamentos, com grandes benefícios para os utentes, racionalizar os stocks de materiais clínicos e outros e, consequentemente, diminuir os custos associados a este tipo de consumos. O projecto do novo modelo logístico do HSA a funcionar nos serviços Farmacêutico e de Aprovisionamento, representa um investimento total de 930 mil euros, e significará uma redução de custos na ordem de um milhão e quinhentos mil euros, em cinco anos, estimando-se já em 2011 uma redução de 315 mil euros. «A implementação de um projecto tão abrangente e transversal como este traz benefícios importantes, quer na melhoria dos serviços prestados pelo Hospital, quer ao nível da racionalização e gestão rigorosa de recursos, que têm sido uma prioridade e uma aposta constantes do nosso hospital», afirma Helder Roque, presidente do Conselho de Administração do HSA. «Além disso representa para o HSA uma mudança excepcional, com a implementação de uma solução inovadora e muito avançada tecnologicamente, que nos coloca ao lado dos melhores e mais modernos hospitais». O projecto teve início em 2008, com base num estudo de avaliação detalhada dos procedimentos e recursos materiais e humanos destes serviços, das necessidades em termos de gestão e distribuição de stocks e das soluções mais adequadas para potenciar um funcionamento mais

DR

Novo sistema logístico da farmácia e aprovisionamento do HSA

Tertúlia sobre Voluntariado

“Sou Voluntário e...” Vai realizar-se no próximo dia 4 de Outubro, pelas 18h00, na sala de sessões do Município da Batalha, uma tertúlia sobre o tema do voluntariado, intitulada "Sou Voluntário e…". Contará com a intervenção de António Lucas, do Centro Centro Europe Direct da Alta Estremadura, José Travaços Santos, fundador do rancho Rosas do Lena e promotor cultural da Batalha, Estrela Neiva, dirigente associativa, voluntária no Centro Hospitalar de Nossa Senhora da Conceição e membro do Movimento dos Cursilhos de Cristandade da diocese de Leiria-Fátima, e Celine Pedro, membro do grupo missionário diocesano Ondjoyetu. A iniciativa insere-se num ciclo de tertúlias promovidas pelo Centro Europe Direct da Alta Estremadura, no âmbito da Volta do Voluntariado em Leiria e respectivas comemorações do Ano Europeu do Voluntariado.

Naturais e ex-residentes em Moçambique

Assembleia e almoço da Acrenarmo Realizar-se-á no próximo dia 15 de Outubro, 10h00, na sede da Acrenarmo – Associação Cultural e Recreativa dos Naturais e ex-Residentes em Moçambique, uma Assembleia Geral para eleição dos órgãos sociais e discussão sobre o futuro da associação. Durante os trabalhos será servido um almoço de convívio, com alguns pratos típicos moçambicanos, ao custo de 15 euros por pessoas e com marcação obrigatória até 10 de Outubro. Segundo Paulo Batista, presidente da direcção, esta é uma ocasião para quem queira “oferecer generosamente qualquer coisa útil à comunidade”, assumindo o voluntariado associativo como luta contra a “ausência de valores estruturantes” na sociedade actual. É essa a filosofia desta associação, em mais de 25 anos de “trabalho, dedicação e generosidade”.

Ourém em Cabo Verde

“Encontro de Cooperação e Desenvolvimento Rural José Manuel Alho, vice-presidente da Câmara Municipal de Ourém, participou na semana passada no “Encontro de Cooperação e Desenvolvimento Rural”, que decorreu na Ilha do Sal (Cabo Verde). O Encontro, que contou na sessão de abertura com a participação do Primeiro-Ministro de Cabo Verde, incluiu um seminário, diversas visitas e participações institucionais. Para José Manuel Alho, que integrou uma comitiva da ADIRN - Associação para o Desenvolvimento do Ribatejo Norte -, “foi uma jornada de profundo relacionamento institucional quer com municípios, ADL´s (Associações de Desenvolvimento Local) e empresas portuguesas, quer com os seus congéneres de Cabo Verde numa representatividade muito significativa para iniciativas como estas (...) Através da ADIRN continuaremos a acompanhar os próximos passos deste processo de cooperação para o desenvolvimento”.


8 DIOCESE

O Mensageiro 29.Setembro.2011

Família há Oito Séculos

Centro de Formação e Cultura

Início das aulas

A começar já na próxima segunda-feira, 3 de Outubro, no Seminário de Leiria, vão funcionar à segunda-feira, das 19h15 às 20h45 os cursos de: Introdução à Ética Teológica, pelo padre Vítor Coutinho e das 21h00 às 22h30: A Religião no Século XXI, pelo padre Jorge Guarda; à quinta-feira, das 19h15 às 20h45: Teologia Pastoral, pelo padre Adelino Guarda. A cultura moderna proporciona-nos muitas possibilidades de experiências e concede-nos novos poderes, aumenta significativamente o âmbito da nossa liberdade, mas multiplica também as nossas inseguranças. Somos, por isso, confrontados cada vez mais com a exigência de decidir, de forma correcta, nos diversos âmbitos da vida: social e político, familiar e pessoal. A ética é procurada e as expectativas em relação a ela são muito elevadas. O curso de Introdução à Ética Teológica ocupa-se desta dimensão fundamental da vida humana, que diz respeito às decisões morais da pessoa, às suas opções fundamentais, aos princípios éticos, aos valores que orientam as escolhas e às virtudes que condicionam o sujeito. Trata-se de identificar elementos fundamentais que sejam relevantes para decisões responsáveis e para um agir consciente. No panorama religioso deste início do século XXI encontramos crise e novidade. As grandes religiões continuam bem vivas ainda que sofram algumas mudanças. Surgiram entretanto novas propostas religiosas. Experiência e descoberta pessoal, mística, espiritualidade, terapia e desenvolvimento do potencial humano são algumas das características marcantes da nova religiosidade, que vão ser tratadas no curso A Religião no Século XXI. Pastoral é palavra abundantemente repetida na linguagem eclesial. Palavra carregada de ressonâncias, de expectativas e apelos, mas também palavra gasta, imaginada como indicação de soluções mágicas para quase tudo. A juntar a isto o facto de o nosso tempo, com as suas mudanças radicais, exigir uma pastoral pensada, responsável, corajosa e bem projectada: a repetição e a rotina de esquemas recebidos do passado, ainda que óptimos, não resolvem. O curso de Teologia Pastoral pretende introduzir rapidamente nos problemas teóricos e fornecer as referências essenciais para uma configuração mais correcta e eficaz da acção da Igreja. Em qualquer dos cursos, podem inscrever-se todas as pessoas maiores de dezasseis anos. Mais informações on line, em www.leiria-fatima.pt/cfc, por email: cfcleiria@gmail.com, na Secretaria do CFC, ou pelo tel. 244 103 816.

“De quando em quando, aparecem no mundo mulheres enriquecidas de qualidades e virtudes excepcionais que se impõem à estima e admiração da humanidade. Clara de Assis pertence a esta nobre estirpe de almas grandes insatisfeitas que não se contentam com a vulgaridade de vida de suas contemporâneas” (Fr. Joaquim Capela OFM). Na verdade esta jovem, frágil na sua condição humana, deu o salto, salto de gigante, e transformou-se num verdadeiro candelabro da casa de Deus, numa estrela de intenso brilho para a humanidade: “Clara de luz, Clara de Deus”. Surpreende-nos a fortaleza e firmeza desta jovem em todo o seu viver. De facto, o sensacionalismo fútil e passageiro traz fama que hoje é e amanhã desaparece, mas a vivência evangélica conduz à santidade, produz frutos de vida eterna, a sua memória jamais se apagará. Como viviam Clara e as suas quarenta e nove Irmãs no pequenino Mosteiro de S. Damião? Como foi possível sobreviverem sem propriedades, sem rendimentos na mais extrema pobreza? Como Gamaliel, o doutor da Lei, também nós podemos afirmar: “Se a obra é dos homens por si mesmo terminará, mas se é de Deus …” (Act 5,38). E, não terminou porque esta obra não é dos homens, nem tão pouco de Francisco, nem de Clara. Esta obra nasceu de Deus e para Deus. É fruto do seu

DR

DR

Vida segundo o Espírito

Espírito. Por isso a vida de Clara e das suas Irmãs não é uma vida segundo a natureza, nem segundo a carne, mas nasceu do Espírito Santo. É Ele que forma, é Ele que une, é Ele que dá vida. Clara é apenas aluna fiel de tão ilustre Mestre. É apenas um simples pincel nas mãos do Artista divino, Clara abriu-se ao dom e deixou Deus trabalhar. Com a sua forma de vida, Clara e suas Irmãs reacenderam a chama do viver dos primeiros cristãos. Também em S. Damião todas tinham um só coração e uma só alma. Tudo tinham em comum mas não possuíam bens terrenos, viviam do seu trabalho. A sua fé e confiança no Pai das Mi-

Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos

MISSAS DOMINICAIS

Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 09h45 – Paulo VI 10h00 - S. Francisco 10h30 – Franciscanos 10h00 – S. Romão 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h30 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

sericórdias ia para além do simples grão de mostarda. Não movia montanhas mas tocava o coração de Deus que, abrindo generosamente as mãos, com infinito carinho e solicitude, providenciava às suas filhas o pão de cada dia. Se Jesus era para todas o Mestre por excelência, Clara era a mais fiel discípula. “A sua vida – como refere o Papa Alexandre IV na bula de Canonização – era para as irmãs instrução e doutrina. Nessa vida feita livro, aprenderam o estilo de viver. Se Clara estava fisicamente na terra, segundo o espírito já pairava no Céus, ela que era vaso de humildade, guarda-jóias de pureza, fogo de caridade, doçura de bondade, vigor de paciência, laço de paz e elo de comunhão fraterna” (nº 14). Santa Clara forma as suas Irmãs na escola do Evangelho. No dia-a-dia desempenhava as tarefas mais humildes, lavava os pés às suas irmãs e servi-as à mesa. Tratava as doentes com grande nobreza espiritual. Jamais pactuou com a ociosidade sem todavia permitir que “o trabalho apagasse o santo espírito da oração” como ela própria deixou escrito na Regra. Vestia-se com uma túnica simples e um manto áspero e frequentemente “ a terra nua coberta de vides secas servia-lhe de leito. Por

almofada, usava um tosco pedaço de madeira” – escreve o seu biógrafo. Clara era delicada, simples, nobre de sentimentos e atitudes, extremamente sensível, bondosa, acolhedora e compreensiva. Na mansão dos seus pais nada lhe faltava, podia usufruir de todo o conforto. Agora por amor Àquele Menino, pobremente reclinado num presépio, vive com austeridade e na mais extrema pobreza e penitência. Apaixonada pela Eucaristia passa longas horas em oração e adoração, sobretudo durante a noite. Apesar de todas as privações e mortificações físicas, Clara revela-se em todos os momentos uma mulher jubilosa, uma mulher pascal. “No meio de tantas mortificações, mantinha sempre um rosto festivo e alegre. Dirse-ia que não sentia os sofrimentos físicos ou que os vencia com um simples sorriso” (LCL, 18). Estamos, de facto, perante uma pessoa original, invulgar, Mulher Nova que desafia o tempo e faz nascer cheia de frescura a forma de viver dos primeiros cristãos. Há oito séculos, em S. Damião, lugar de paz, de silêncio e de presença de Deus, renasce a beleza da Igreja primitiva. Ao longe e ao perto, por toda a parte, faz-se ouvir: “Vede como elas se amam”. “Nesta igrejinha, Clara e as suas Irmãs formaram uma comunidade, vivendo segundo o santo Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo e observando em particular a “Altíssima Pobreza” e a humildade vivida por Jesus e sua Santíssima Mãe. Deus fala no silêncio, mas é preciso saber escutar. Por isso, os mosteiros são oásis no qual Deus fala à humanidade; e neles se encontra o claustro, um lugar simbólico, porque é um espaço fechado, mas aberto para o céu” (Bento XVI - 10.08.2011). Irmãs Clarissas de Monte Real


DIOCESE 9

O Mensageiro

29.Setembro.2011

Fé e Arte, um diálogo de séculos!

Neste último ano do Projecto Pastoral, a nossa Diocese, querendo servir cada vez melhor aqueles que o Senhor lhe confiou, deseja acompanhar quantos lutam por um mundo mais justo e mais fraterno, ampliando sempre mais os horizontes do bem comum. De entre os tesouros da nossa Região, estão, sem dúvida, os de arte sacra, nas suas diversas expressões. Estes não só nos oferecem uma via de acesso ao mistério de Deus, como nos ajudam a reconhecer, pela sucessão dos tempos e dos estilos, as grandes inquietações que atravessam o coração humano na sua incessante procura de um sentido para a vida. Muitas das nossas igrejas e outros locais de culto guardam as marcas, por nós desconhecidas, desta procura. Importa descobri-las, pois são poderosas sínteses entre a fé e a vida, traduzidas em obras de arte pelo génio de muitos artistas anónimos

DR

Visitas guiadas ao património religioso da diocese de Leiria-Fátima

que deram e dão contexto às nossas celebrações; é imperioso conhecer um pouco melhor o que escondem as linhas arquitectónicas dos templos, as suas pedras trabalhadas, as pinturas, azulejos e imagens... No ano pastoral em que vamos dar especial atenção ao mundo da cultura, o Departamento do Património Cultural organiza sete visitas guiadas a algum do património edificado da Diocese com maior valor artístico. Convidamos todos os interessados a participar. As visitas começam às 14h45 e terminam por

volta das 18h00. A participação é livre. - 15/10/2011. As três catedrais de Leiria (com a presença de D. António Marto): Igreja de Nossa Sra. da Penha; Igreja de S. Pedro e Catedral de Leiria. - 19/11/2011. Por terras do Lis: Igreja paroquial do Souto da Carpalhosa; Igreja paroquial de Regueira de Pontes e Santuário do Senhor Jesus dos Milagres. - 21/1/012. Do Românico ao barroco: Aljubarrota, Igreja Paroquial de Nossa Senhora dos Prazeres e Capela de S. João Batista; Igreja Paroquial do Juncal.

- 25/2/2012. Por terras da Colegiada: Antiga Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Purificação do Olival e Capela da Conceição; Igreja paroquial de Nossa Senhora das Misericórdias de Ourém. - 24/3/2012. Rota da pedra lavrada: Igreja matriz da Batalha e Capela de N. Sra. da Conceição (Brancas); Igreja paroquial do Reguengo do Fetal e Ermida de N. Sra. do Fetal. - 28/4/2012. Por terras do Lena: Igreja Paroquial de São João Batista de Porto de Mós e Capela de Santo António; Igreja paroquial de Alvados. - 19/5/2012. Por terras da Senhora do Rosário: Capela do Instituto das Filhas de Santa Maria de Leuca; Capela do Instituto das Irmãs Oblatas de Maria Virgem de Fátima; Capela do Carmelo de São José e Museu de Arte Sacra e Etnologia. Departamento do Património Cultural P. Manuel Armindo Pereira Janeiro (director)

Assembleia Diocesana a 2 de Outubro

Convocatória do Bispo diocesano

Caríssimos Diocesanos, Irmãos e irmãs em Cristo, “A vós a graça e a paz de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. Todas as vezes que me lembro de vós, dou graças ao meu Deus, sempre, em toda a minha oração por todos vós”. Com estas palavras do Apóstolo Paulo (Fl 1, 2-3), saúdo-vos afectuosamen-

te. Convosco dou graças a Deus pelos frutos de caridade que se produziram na Igreja diocesana ao longo do ano pastoral findo. Sabeis que estamos a percorrer o caminho traçado pelo Sínodo Diocesano e desenvolvido no projecto pastoral “Testemunhar Cristo, fonte de esperança”. Nesta caminhada comum, venho convocar uma ASSEMBLEIA DIOCESANA, que terá lugar na tarde do Domingo, 2 de Outubro, no ginásio do Seminário Diocesano, em Leiria. Com ela celebramos o Dia da Igreja Diocesana, em comunhão visível, apresentamos o programa do novo ano e damos-lhe início juntos. Para ela convoco especialmente os padres, o Conselho Pastoral Diocesano, os membros dos Serviços e organismos diocesanos, as

direcções dos Movimentos, Associações e Obras, os superiores ou representantes das comunidades religiosas masculinas e femininas, as direcções dos Institutos Seculares e Novas Comunidades, os membros dos conselhos pastorais paroquiais, catequistas, ministros da comunhão e outros. O programa será o seguinte: 15h00: Saudação, oração, intervenção sobre “A inserção do cristão na sociedade portuguesa de hoje” (Dr. Acácio Catarino) e momento musical. 16h30: Momento musical seguido de apresentação da nova Carta Pastoral. 17h30: Eucaristia na igreja do Seminário Na manhã desse dia, no colégio da Cruz da Areia, das 9 às 13 horas, realiza-se o encontro anual dos cate-

quistas da Diocese, promovido pelo Departamento da Educação Cristã. Estes eventos testemunham a nossa união no amor de Cristo, promovem a comunhão eclesial e imprimem no nossos corações maior sentido de co-responsabilidade na missão comum e de pertença a uma mesma e grande família espiritual. Reservai na vossa agenda a disponibilidade para participar, não marcando qualquer outra actividade, informai e motivai os vossos colaboradores para vos acompanharem. Seguindo as orientações diocesanas, peço a todos o melhor empenho na acção pastoral.

† António Marto, Bispo de Leiria-Fátima

BREVES Oficinas de Oração e Vida

Calendário de actividades As oficinas de oração e vida surgiram em 1984 pela mão de Frei Inácio Larrañaga, um capuchinho espanhol. Espalharam-se por todo o mundo, e até hoje já formaram mais de oito milhões de pessoas. Estão implantadas em Portugal há mais de vinte anos, funcionando em todas as dioceses. As 15 “aulas” que compõem uma oficina – uma por semana, com a duração de 2 horas cada - são orientadas por um guia (ou dois), formado e credenciado pela organização. Na nossa diocese, há dezoito guias em funções, os quais, em grupos de dois, vão orientando oficinas pelas paróquias interessadas, a pedido dos párocos ou de leigos. Os guias orientarão duas oficinas por ano: uma com início em Setembro/Outubro e outra em Janeiro/Fevereiro. Estão já em funcionamento, ou agendadas, “oficinas”, nas seguintes paróquias: Maiorga e Cós, concelho de Alcobaça, à 6ª feira, às 21h00; Amiais de Baixo, concelho de Alcanena, à 3ª feira, às 20h00; Marinha Grande, à 6ª feira, às 21h00; Colmeias (Igreja Velha), à 3ª feira, às 21h00; Leiria (Franciscanos), à 3ª feira, às 21h00 (a partir de 11de Outubro); Fátima (Casa de Maria/Canção Nova), à 4ª feira, às 20h00 (a partir de 19/Outubro).

Festas Religiosas na Diocese

Mês de Outubro

Tradicionalmente nos meses de Verão com o retorno dos emigrantes, intensifica-se a frequência de festividades religiosos na Diocese. Para além de proporcionarem momento de encontro e convivo, elas são essencialmente homenagem dos crentes aos seus Santos Padroeiros. Na impossibilidade de reproduzirmos o programa de cada uma das festas de que vamos tendo conhecimento, deixamos as datas das que chegaram até nós: Dias 1 e 2 de Outubro, no Bairro das Almuínhas, Festa em honra de Nossa Senhora de Fátima; Dias 7, 8, e 9 de Outubro, em Marinha Grande, Festa em honra de Nossa Senhora do Rosário. Dias 6, 7, 8, e 9 de Outubro, em Monte Redondo, Festa em honra do Sagrado Coração de Jesus.

Paróquia da Maceira

Bênção das grávidas e dos bebés No dia 18 de Setembro realizou-se na Paróquia de Maceira a bênção das grávidas e dos bebés. A celebração, organizada pela Pastoral Familiar da paróquia, convidou as famílias que esperam o nascimento dos seus filhos, e aqueles cujos filhos são ainda recém-nascidos ou “bebés de colo”, baptizados ou não. Na celebração estiveram presentes cerca de 40 bebés e 15 grávidas que se uniram de forma particular e mais festiva à comunidade num ambiente que se quis de festa, mas também de oração, onde foi recordado o valor do dom da vida que estas famílias recebem, mas também os grandes desafios que os esperam na educação dos seus filhos.


10 ECLESIAL

O Mensageiro 29.Setembro.2011

Leituras | XXVII Domingo Tempo

Comum (02/10/11)

Antífona de Entrada: Est 13, 9.10-11 Leitura I: Is 5, 1-7 Salmo Responsorial: Salmo 79 (80), 9.12.13-14.15-16.1920; (R. Is 5, 7a); Refrão: A vinha do Senhor é a casa de Israel. Repete-se Leitura II: Filip 4, 6-9 Aclamação ao Evangelho: cf. Jo 15, 16; Refrão: Repetese Aleluia. Eu vos escolhi do mundo, para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça, diz o Senhor. Refrão EVANGELHO: Mt 21, 33-43 Naquele tempo, disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: «Ouvi outra parábola: Havia um proprietário que plantou uma vinha, cercou-a com uma sebe, cavou nela um lagar e levantou uma torre; depois, arrendou-a a uns vinhateiros e partiu para longe. Quando chegou a época das colheitas, mandou os seus servos aos vinhateiros para receber os frutos. Os vinhateiros, porém, lançando mão dos servos, espancaram um, mataram outro, e a outro apedrejaram-no. Tornou ele a mandar outros servos, em maior número que os primeiros. E eles trataram-nos do mesmo modo. Por fim, mandou-lhes o seu próprio filho, dizendo: ‘Respeitarão o meu filho’. Mas os vinhateiros, ao verem o filho, disseram entre si: ‘Este é o herdeiro; matemo-lo e ficaremos com a sua herança’. E, agarrando-o, lançaram-no fora da vinha e mataram-no. Quando vier o dono da vinha, que fará àqueles vinhateiros?». Eles responderam: «Mandará matar sem piedade esses malvados e arrendará a vinha a outros vinhateiros, que lhe entreguem os frutos a seu tempo». Disse-lhes Jesus: «Nunca lestes na Escritura: ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; tudo isto veio do Senhor e é admirável aos nossos olhos’? Por isso vos digo: Ser-vos-á tirado o reino de Deus e dado a um povo que produza os seus frutos». Palavra da salvação.

Janela sobre a Missão

Rotação de voluntários A transição de Setembro para Outubro é também tempo de rotação de missionários voluntários. Nesta quinta-feira, 29 de Setembro partem para a Missão da diocese de Leiria-Fátima em Angola dois voluntários: o Amândio Évora, do Coimbrão, e o António Saraiva, do Resouro, Urqueira. Relativamente ao Amândio, carpinteiro, de 38 anos, é uma repetição. Já tinha estado em missão entre Outubro de 2010 e Abril de 2011. Após o regresso sentiu novamente o apelo interior para partir de novo, tendo também em conta grande ajuda que pode dar na construção da segunda da casa da missão no Sumbe. Vai novamente por seis meses e irá encontrar na cidade os amigos que com ele formaram equipa e agora, já mais formados, também estão a trabalhar na casa do Sumbe. Os “alunos” do Amândio estão ansiosos que o seu “mestre” chegue por-

que têm saudades e também querem que ele veja os progressos que fizeram e como são já capazes de colaborar numa obra chamada de “construção definitiva” (que contrasta com as casas que se constroem no Gungo, em Adobes, e que têm uma duração muito curta). O Amândio irá trabalhar na área que lhe é específica, toda a carpintaria da casa, mas também em outras áreas como canalização e esgotos, assentamento de azulejo e mosaico, reboco e pintura, serralharia. Quanto não vale ter um “mestre dos sete ofícios” num projecto como este. Se ainda sobrar tempo o Amândio dará apoio na construção da moagem e da nova capela, as duas infra-estruturas na aldeia do Uquende, talvez a principal de todo o Gungo. O Amândio teve o seu envio missionário na sua paróquia no passado domingo, dia 25 de Setembro. O Sr. António Saraiva

é casado, é pai e avô, tem 63 anos e já é reformado. Entre as várias profissões que teve, aquela em que esteve mais tempo foi na de forneiro numa cerâmica. Agora tem as suas terras que vai amanhando e presta serviços a outras pessoas que lhe pedem. Quando era jovem esteve em Angola como militar. Sempre sonhou voltar àquele país. Tendo conhecido o grupo missionário e o projecto da construção que estamos a executar, disponibilizouse para dar dois meses do seu tempo a esta missão. Vai como ajudante na obra que estamos a construir; mas certamente que terá a oportunidade de ir passar alguns dias ao Gungo e ali reviver aqueles tempos que tanto o marcaram. Umas semanas mais tarde, no dia 19 de Outubro, partirá também como voluntário missionário o Sr. António Neves, também do Resouro (Urqueira) e que teve o seu envio missioná-

rio juntamente com o Sr. António Saraiva, no lugar onde residem, no passado dia 17 de Setembro. Mas sobre este voluntário falaremos noutra oportunidade. Um dia depois da chegada deste dois voluntários a Angola, mais concretamente no dia 1 de Outubro, regressarão à lusa pátria a Inês Figueiredo e a Sandra Leal, estudantes de medicina, que estiveram a trabalhar no Gungo durante dois meses. Devem trazer muitas histórias para contar, das quais iremos partilhar algumas neste espaço e no nosso blogue. Podemos dizer que terminamos o mês de Setembro em beleza e iniciamos o mês missionário de Outubro em força, tudo motivo para darmos graças a Deus que toca o coração de tanta gente para dar um pouco de si a quem mais precisa. Parabéns a estes missionários leigos e muito obrigado pelo seu testemunho. P. Vítor Mira

AO SABOR DA PALAVRA

como dizem os antropólogos. Nós não somos ilhas, fazemos parte de uma rede muito vasta, mesmo sem estarmos ligados à internet, uma rede mais pessoal, feita com laços que se vão criando e fortalecendo pelo contacto diário com os que nos rodeiam, feita de relações. E com esses não podemos ter uma atitude apenas tolerante. Um cristão não pode ser apenas tolerante, porque a tolerância é uma atitude passiva. Temos então de descobrir a verdadeira atitude para aqueles que nos rodeiam e são diferentes de nós. A verdadeira atitude é a caridade, o amor, que já tem sentido activo, que nos leva a sair do nosso comodismo. É essa atitude pessoal que Deus tomou para com o seu povo, tratando dele como duma vinha como nos diz Isaías na 1ª leitura. Mas o Povo não cumpriu a sua parte do contrato, não se importou com o que era da sua responsabilidade, deixou-se estar, produzindo apenas uvas bravas. O encontro com o amor de Deus tem de significar uma efectiva transformação

do nosso coração e tem de levar-nos ao amor ao irmão. Quem trata os irmãos com arrogância, quem assume atitudes duras, agressivas e intolerantes, quem pratica a injustiça e espezinha os direitos dos mais débeis, quem é insensível aos dramas dos irmãos, certamente ainda não fez a experiência do amor de Deus. No Evangelho vemos que os rendeiros não cumpriram a sua parte do contrato, rejeitam aqueles que não pertenciam ao seu grupo, mas que pretendiam o que lhes era devido. Com medo que lhes faltasse o que lhes tinha sido dado acabam por ficar sem nada devido à sua ambição. Nós, que fazemos parte de uma comunidade cristã temos de produzir frutos bons e testemunhar diante do mundo, em gestos de amor, de acolhimento, de compreensão, de misericórdia, de partilha, de serviço, a realidade do Reino que Jesus Cristo veio propor. S. Paulo diz aos filipenses que têm de seguir o que aprenderam, mas isso é apenas o ponto de partida para o discernimento do que é necessário fazer para

cumprir o seu contrato com Deus e com os outros irmãos, mesmo aqueles que ainda não acreditam em Jesus, e que precisam de descobrir o verdadeiro Amor até porque mundo em que vivemos tem valores muito bonitos e sugestivos, que nos ajudam a crescer de uma forma sã e equilibrada e a integrar uma realidade rica em desafios e esperanças.. Neste domingo iniciamos solenemente o ano pastoral com uma Assembleia Diocesana. Este ano vamos centrar-nos no aprofundamento da nossa formação cristã, e neste ano Paulino somos chamados a fortalecer o nosso conhecimento da fé para podermos mostrar aos outros as razões da nossa fé.. É esta experiência do conhecimento dos dons de Deus que temos de partilhar com os outros, procurando que todos possam beneficiar dos frutos que a Vinha produz. Não podemos guardar esta riqueza apenas para nós de uma forma egoísta, nós somos apenas os guardiães deste tesouro e temos a missão de o partilhar.

Cânticos | XXVIII Domingo Tempo Comum (09/10/11) INÍCIO: Vamos confiantes ao trono da graça - Lau 843 Quem poderá subir à montanha do Senhor - Lau 709 SALMO RESPONSORIAL: Habitarei para sempre na casa do Senhor - Lau 423 APRESENTAÇÃO DOS DONS: Se me envolve a noite escura - Lau 744 Se vos amardes - Lau 749 COMUNHÃO: Ó sagrado banquete - Lau 576 Preparais a mesa para mim - Lau 682

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

27º Domingo do Tempo Comum 5 de Outubro de 2011

Projectos

PÓS-COMUNHÃO: Tudo posso - Lau 830 Meu Senhor eu Vos amo - Lau 498 FINAL: Confiarei no meu Deus - Lau 236 Senhor Tu amas o mundo - Lau 778

leia, assine, divulgue, anuncie! O MENSAGEIRO

Como é tempo de vindimas o Evangelho continua a apresentar-nos a imagem tão rica da vinha para nos falar do Reino de Deus. Desta vez é uma vinha arrendada, cujo dono procura recolher a renda. Ora toda a nossa vida é regida por contratos, pactos e acordos. Começando nas compras mais simples que fazemos e terminando nos tratados que os países fazem entre si. Isso é reflexo da nossa condição de seres sociais,


ECLESIAL • PORTUGAL 11

O Mensageiro 29.Setembro.2011

Colocar Igreja Católica no topo da agenda informativa

Desafio diário do jornalismo religioso A inclusão de notícias da Igreja na informação do grupo radiofónico mais ouvido em Portugal e a distinção entre fé e rigor jornalístico na televisão constituem alguns dos reptos do jornalismo religioso produzido nas redacções dos media católicos. “O meu desafio diário é fazer com que em quase todos os noticiários haja uma perspectiva de Igreja”, sublinha a jornalista Ângela Roque, da Renascença, no programa da ECCLESIA na Antena 1. Quando há dois anos assumiu o cargo de responsável pela selecção e redacção final do noticiário religioso, elegeu como prioridade “conseguir que o tema fizesse parte da informação diária e estivesse ao alto da actualidade, como a política, economia e o trabalho, interligando tudo”. Após mais de duas décadas a trabalhar na emissora católica, onde coordenou o noticiário de áreas como política e educação, Ângela

Roque, “católica assumida”, diz gostar muito do que faz, “embora seja uma grande responsabilidade, sobretudo na casa em que é”. Henrique Matos, por seu lado, considera que o “mais difícil” é “ser bom profissional”, para que a informação relativa à Igreja “não seja forçosamente uma catequese” e “uma forma de conversão ao cristianismo”: “Nem sempre é fácil” distinguir entre “crente e jornalista”, e “provavelmente acaba por nunca acontecer”. O jornalista, um dos rostos dos programas que o Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja Católica apresenta na RTP-2, esteve esta segunda-feira na emissão de rádio da ECCLESIA. O dever de “isenção” e de auscultação de todas as vozes, incluindo as “críticas”, contribui para “credibilizar” o trabalho, considera Henrique Matos, com 15 anos de experiência na secção de religião, área

que como as outras exige a avaliação diária “do que é relevante em termos de cobertura jornalística”. Depois de recolhidos sons e imagens, os repórteres têm de os “condensar” e evitar a linguagem “hermética” que segundo Ângela Roque caracteriza frequentemente o discurso eclesial, procurando “dar notícias sobre a vida da Igreja que todos entendam” e tornálas cativantes mesmo para quem não é crente. A editora de religião também se depara com a dificuldade de conjugar a urgência da notícia com a espera pelas declarações: “O tempo da Igreja não é o da comunicação social. Em rádio queremos tudo para a hora seguinte e às vezes não é possível obter a reacção de um responsável nesse espaço que exigimos”, explica. Ângela Roque também lamenta a diminuta presença de leigos católicos preparados para comentar a actualidade do mundo e

da Igreja: “Faz falta gente que não seja da hierarquia a quem os jornalistas possam recorrer”. O jornalismo religioso permite “pequenos privilégios”, como a reportagem que Henrique Matos realizou no convento dos Cartuxos, em Évora, onde encontrou um ambiente “algo estranho mas também belo e intenso”: “É como se estivéssemos noutra dimensão”: “A carteira profissional abre muitas portas mas não as da clausura. É preciso outro género de compromisso e seriedade, que é reconhecida em nós, para que possamos entrar”, assinala. Na semana em que a Igreja Católica organiza as Jornadas das Comunicações Sociais, agendadas hoje e sexta-feira (29 e 30 de Setembro) em Fátima, o programa da ECCLESIA na Antena 1 dá voz a jornalistas de informação religiosa de televisão, rádio e imprensa escrita.

Caminho de Emaús: 200 semanas no ar!

“Amar com o coração de Deus” O programa de rádio “Caminho de Emaús” comemora a emissão 200. Na edição de aniversário, o tema central é a caridade. Durante o encontro da Pastoral Social, que ocorreu recentemente, em Fátima, D. José Policarpo, D. António Marto e D. Carlos Azevedo falaram sobre a caridade e a necessidade a de distinguir da solidariedade. No “Caminho de Emaús”, o Bispo de Leiria-Fátima defende que a

caridade «é o essencial do ser cristão» e acrescenta «é o testemunho mais belo para dizer: quem é Deus; Quem é a Igreja de Cristo? A Igreja do amor? O que é que Deus espera de nós?». D. António Marto considera que é preciso reabilitar o conceito de caridade tantas vezes mal entendido: «a caridade é a alma da cultura da solidariedade». D. José Policarpo sublinha que «caridade é das coisas mais belas que um cristão pode

experimentar: quando ama o seu irmão, sentir e saber que ele se sente profundamente amado por Deus. Na caridade, o cristão ama com o coração de Deus». Uma visão amorosa da caridade que é essencial ao Povo de Deus. D. Carlos Azevedo defende que «a Igreja é antes de mais Igreja a partir da caridade e só pode ser Igreja a partir da caridade». Ideias profundas e essenciais para marcar a diferença na acção social

dos cristãos reflectidas no “Caminho de Emaús”. Para comemorar a emissão 200 do programa, lançamos um passatempo para todos os que nos ouvem e acompanham através da Internet e das redes sociais. Uma frase original pode ser o passaporte para duas noites para duas pessoas num hotel, em Fátima.

Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja

Conhecer e Fruir No próximo dia 18 de Outubro, celebra-se o Dia Nacional dos bens Culturais da Igreja. Neste dia dedicado ao Património da Igreja, o Auditório Vita, em Braga, estará aberto a todos os interessados, pretenden-

do constituir um lugar de reflexão e partilha do trabalho desenvolvido no contexto das dioceses portuguesas. Dando assim maior visibilidade à sua actividade, visa ainda debater novas propostas de actuação,

avaliar as dificuldades do sector e identificar os principais desafios enfrentados pelos agentes com actuação nesta área. Reunindo vários dirigentes e responsáveis diocesanos, promove um olhar atento sobre a matéria,

com particular incidência no papel central dos Bens Culturais da Igreja como um património vivo, que importa conhecer, dinamizar e fruir.

BREVES Mega encontro de Formação para agentes pastorais

E-vangelizar 2011

Pela quarta vez, as Edições Salesianas, organizam o evento “E-vangelizar”, com o apoio da Província Salesiana Portuguesa. Trata-se de um mega evento de formação destinado aos animadores e agentes da pastoral (catequistas, sacerdotes, leigos consagrados, acólitos, leitores, …). O dia assenta na oferta de mais de 30 workshops através dos quais os participantes melhoram as suas competências de anúncio do Evangelho. Ao longo do dia, cada inscrito pode frequentar 5 ateliês diferentes que estão divididos em 3 níveis, mediante o grau de experiência de animação pastoral dos participantes. As temáticas são as mais variadas e abrangentes, da Narração às Dinâmicas de animação, da Dança à Psicologia, da Bíblia ao Teatro, do Design aos Sacramentos. A edição deste ano, será também ocasião para a apresentação do projecto “Na força do Espírito”, curso de preparação para o Crisma da autoria do salesiano padre Rui Alberto. O “E-vangelizar 2011” decorrerá na Escola Salesiana do Porto (Colégio dos Órfãos), entre as 9h00 e as 18h00 do dia 5 de Outubro de 2011. As inscrições podem ser feitas através do site da editora (www.edisal.salesianos .pt) ou do e-mail formacao@edisal.salesianos.pt .

Curso gratuito para agentes de pastoral

“Profetas”

O Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro (ISCRA) vai abrir no próximo dia 6 de Outubro, um curso de formação gratuito dirigido a “todos os agentes de pastoral, de modo especial aos catequistas”. Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, esta instituição adianta que se trata de uma “formação bíblica presencial” subordinada ao tema “Profetas” e que contará com a orientação do padre Júlio Franclim Pacheco. A iniciativa, que vai decorrer até 24 de Novembro no salão principal do Seminário Diocesano de Aveiro, conta com a parceria do Secretariado Diocesano de Catequese de Infância e Adolescência. Estão previstas oito sessões de formação, sempre à quinta-feira, com início marcado para as 21h00. Mais informações estão disponíveis através do número de telefone 234 377 436 ou via e-mail, com o endereço sdcia.aveiro@gmail.com.

Jornadas de Pastoral Juvenil

“Saber chegar às pessoas é o caminho a ponderar” Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o grupo ligado aos Missionários da Boa Nova apresenta as conclusões das Jornadas de Pastoral Juvenil, evento que organizou entre 19 e 24 de Setembro em Valadares, na diocese do Porto. Cerca de uma centena de catequistas, animadores e professores constataram que um “conhecimento esclarecido” das emoções pode significar uma “via verde para o sucesso”, no campo da evangelização. “No mundo em que vivemos, saber chegar às pessoas é o caminho a ponderar”, sublinham os JBN, que consideram essencial que a formação dada aos agentes pastorais os “habilite” a “perceber, clarificar e gerir emoções”, tanto ao nível pessoal como nos respectivos grupos de trabalho. Ultrapassar barreiras recorrendo a emoções positivas como “o amor, o entusiasmo, a determinação e a alegria” é um sinal de que os educadores cristãos estão “prontos a responder de forma competente ao chamamento de evangelizar”, concluem


12 ECLESIAL - MUNDO

Comunidades religiosas de Albânia

Contribuir para uma «nova sociedade»

As comunidades religiosas da Albânia querem contribuir para o surgimento de uma “nova sociedade” no país, ainda a passar uma fase de “transição” depois da queda do regime comunista. Uma intenção expressa durante um encontro internacional da Conferência das Comissões Europeias Justiça e Paz, entre 16 e 18 de Setembro, que juntou na cidade de Tirana representantes de 21 nações em busca de “oportunidades e desafios para a solidariedade”. No final do evento, os participantes destacaram a união que se vive entre líderes e membros das comunidades muçulmana, ortodoxa, católica, protestante e bektashi, construída no meio de “experiências de perseguição e sofrimento”. “Apesar da existência de algumas tensões e dificuldades, a atitude das comunidades religiosas até à data, caracterizada pelo respeito mútuo, deverá constituir um fundamento sólido a partir do qual é possível continuar a enfrentar estes desafios”, sublinharam ainda.

União Europeia

Arcebispo polaco pede «cooperação» Igreja-Estado O arcebispo polaco Stanislaw Gadecki pediu em Bruxelas uma maior cooperação entre Igreja e Estado no âmbito da acção da União Europeia (UE). O prelado, responsável pela diocese de Poznan (Polónia), presidiu à missa de reinício das actividades da UE, no âmbito do semestre da presidência polaca, cerimónia que teve lugar na catedral da capital da Bélgica. “Quando se prega a autonomia institucional, é preciso ter presente a necessidade de uma cooperação [IgrejaEstado] em muitos âmbitos da vida humana”, disse D. Stanislaw Gadecki, citado pela agência italiana SIR. Bruxelas acolheu, também, um simpósio sobre a encíclica “Laborem exercens”, de João Paulo II, publicada a 14 de Setembro de 1981, documento dedicado às questões do trabalho.

29.Setembro.2011

Viagem a Alemanha

Papa confiante no «futuro do cristianismo» No passado dia 25 de Setembro Bento XVI despediu-se da Alemanha, após uma viagem de quatro dias, a primeira com estatuto de visita de Estado, marcada por vários apelos à união entre católicos e ao respeito pela dimensão pública da religião. “Recordo com prazer as celebrações litúrgicas comuns, a alegria de ouvir juntos a Palavra de Deus e de rezar unidos – e isto sobretudo nas partes do país onde, durante decénios, se tentou remover a religião da vida das pessoas. Isto enche-me de confiança quanto ao futuro do cristianismo na Alemanha”, disse o Papa no seu discurso final, proferido no aeroporto de Lahr, 50 quilómetros a norte de Friburgo, no sudoeste alemão. Diante do presidente germânico, Christian Wulff, Bento XVI passou em revista a terceira viagem à Alemanha, 21ª ao estrangeiro (16ª na Europa), que se iniciou na quinta-feira e contou com passagens por Berlim, Erfurt, Etzelsbach e Friburgo, tendo como lema ‘Onde há Deus, há futuro’. Uma visita que incluiu o primeiro discurso alguma

DR

BREVES

O Mensageiro

vez proferida por um Papa no parlamento federal alemão, o Bundestag, no qual apelou à redescoberta do património cristão da Europa para defender o futuro do “Estado de Direito” no Velho Continente. Várias intervenções de Bento XVI visaram a tendência de remeter a religião para o espaço privado ou mesmo de a “marginalizar”, preocupação que partilhou com representantes muçulmanos e, antes, com líderes judaicos, junto dos quais lembrou as “horríveis imagens que chegaram dos campos de concentração” nazi e o Holocausto. Após a passagem pela capital germânica, o Papa entrou no território da antiga República Democrática Alemã, na qual

homenageou a resistência da fé face à ditadura nazi e ao regime comunista, que comparou a uma “chuva ácida”, sublinhando o papel dos católicos na queda do Muro de Berlim, em 1989. Na região verificou-se o encontro com membros da comunidade protestante, num antigo convento Agostinho em que viveu Martinho Lutero, um dos «pais» da reforma do século XVI. O Papa reafirmou distâncias quando se mostrou mais próximo das Igrejas da Ortodoxia e disse aos luteranos que a vivência da fé não pode admitir qualquer “adulteração” para poder fazer face a um “mundo secularizado”. Nos discursos dirigidos aos católicos na Alemanha

– que proporcionaram ao Papa vários banhos de multidão -, Bento XVI criticou os conflitos internos que afastam os católicos da sua ligação ao Vaticano e aos seus bispos, bem como a excessiva institucionalização das comunidades, defendendo a libertação de qualquer “fardo material e político” na Igreja para superar uma “crise de fé”. Os “tristes escândalos” de abusos sexuais de menores por membros do clero e em instituições eclesiais também mereceram a atenção do Papa, que recebeu um grupo de vítimas, após ter admitido “compreender” quem deixa a Igreja por se sentir “escandalizado por estes crimes, que foram revelados nos últimos tempos”. Um tempo difícil para o qual Bento XVI pediu o apoio dos fiéis, declarando que “permanecer em Cristo” significa “permanecer na Igreja”. “Agradeço a todos por estes dias estupendos, por tantos encontros pessoais e pelos inumeráveis sinais de atenção e de estima que me manifestaram”, disse o Papa, antes de regressar ao Vaticano.

Brasil

A Igreja Católica brasileira assinalou, no dia 21 de Setembro, o Dia da Árvore com uma cerimónia simbólica que decorreu na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília. O gesto foi promovido pelo Comité Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, de que o episcopado brasileiro faz parte, com o objectivo de chamar a atenção para o texto do novo Código Florestal, em discussão no Senado Federal, refere uma nota de imprensa da CNBB. “Nesta data tão significativa, que o novo Código Florestal garanta efectivamente a conservação e uso sustentável das florestas em todos os idiomas brasileiros, trate de forma diferenciada e digna agricultores familiares e populações tradicionais e combata a cultura de impunidade”, assinala o texto do Comité. O programa da cerimónia, realizada na capital do Brasil dois dias antes do início da Primavera no hemisfério sul, previa a plantação de uma muda de ipê, árvore nativa do cerrado, segunda maior formação vegetal do território, “simbolizando a esperança do povo por um Código Florestal justo e sustentável”.

Igrejas no Quénia

Homenagem Wangari Maathai Os responsáveis das Igrejas cristãs no Quénia uniram-se em homenagem a Wangari Maathai, primeira mulher africana a receber o prémio Nobel da Paz, falecida no passado Domingo, aos 71 anos, num hospital de Nairobi. Maathai era reconhecida pelo seu empenho em favor da protecção do ambiente, a promoção da democracia e da paz. “Espero que o seu espírito seja seguido por outros. Ela era uma pessoa muito prestável, que queria que os outros vivessem em paz e harmonia”, disse D. Boniface Lele, arcebispo católico de Mombaça, em declara-

DR

Igreja Católica pede defesa das florestas

ções à ENInews (Notícias Ecuménicas Internacionais, sigla em inglês). O moderador da Igreja Presbiteriana da África Oriental, David Gathanju, referiu, por seu lado, que

Wangari Maathai “ofereceu-se mental e fisicamente para salvar a criação de Deus através dos seus esforços de conservação”. O antigo arcebispo anglicano Benjamin Nzimbi

lembrou “uma líder forte e consistente, em especial no cuidado pelo meio ambiente”. “As Igrejas e outras organizações beneficiaram imenso com o seu trabalho, que deixa lições-chave para o mundo”, acrescenta. Wangari Maathai, Nobel da Paz em 2004, fundou o “Green Belt Movement” (Movimento Cintura Verde), em 1977, principal programa de plantação de árvores em África, destinado a promover a biodiversidade dando, ao mesmo tempo, emprego às mulheres.


OPINIÃO 13

O Mensageiro 29.Setembro.2011

LUZ ENTRE OS HOMENS

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

http://padrejorgeguarda.cancaonova.pt

A luz na noite do fanatismo: Asia Bibi

U

m hino da oração da tarde da Igreja Católica canta em honra de Cristo estas estrofes: “Sois digno de ser cantado a toda a hora e momento/por vozes inocentes, / Ó Filho de Deus que nos dais a vida. / Dissipais as trevas do universo/ e iluminais o espírito do homem,/ vencendo a noite com a luz da fé.” Hoje, ao

OPINIÃO

Pedro Jerónimo

Observ. de Ciberjornalismo

Comunicação digital na imprensa regional: uma nova era de oportunidades?

Q

uem são os leitores da imprensa de inspiração cristã? E quem se prevê que sejam os seus futuros leitores? O que é que está a ser feito para ir ao seu encontro? Interrogações que surjem num período em que o consumo de informação que circula em plataformas digitais está em franco crescimento. E,

rezar este hino, lembreime de uma mulher paquistanesa presa e condenada à morte por ser cristã e ter testemunhado a sua fé em Cristo. É uma vítima inocente do fanatismo e está no caminho do calvário carregando uma pesada cruz. Junto a ela estão o marido e 5 filhos, que desejam e reclamam que ela volte para casa e possa viver em segurança e cuidar da sua família. Asia Bibi tem 45 anos e é cristã. Residia numa aldeia e trabalhava no campo, no seu país, o Paquistão, onde a população é maioritariamente de religião muçulmana e onde existe uma pequena comunidade católica. Num dia de verão escaldante, enquanto trabalhava com outras mulheres muçulmanas, Ásia sentiu sede e dirigiu-se ao poço e bebeu água com um copo que ali estava. As outras mulheres consideraram que ela, por ser cristã e ter bebido pelo mesmo copo que elas tornara a água impura. Por

isso discutiram com ela. Palavra puxa palavra e Asia interrogou-as: “O que fez o vosso profeta para salvar os homens?”. Referia-se a Maomé e certamente tinha presente a diferença em relação a Cristo que deu a sua vida na cruz por amor dos homens. Estas palavras foram o suficiente para que esta mulher cristã fosse acusada de blasfémia contra Maomé e levada ao tribunal que a condenou à morte com base numa lei existente no país há poucos anos e de que têm sido vítimas outros cristãos. Dois homens do seu país que a tentaram defender, um cristão e outro muçulmano, foram brutalmente assassinados. Desde 19 de Junho de 2009, Asia está presa e aguarda a execução da sentença de morte por enforcamento, se não conseguir a libertação. Já intervieram em seu favor quer os bispos do seu país quer o Papa Bento XVI, Hillary Clinton, Secretária de Estado Americana, e muitas outras pessoas. Há

entretanto, já passaram 15 anos desde a chegada da Internet às redacções dos media portugueses. Quais têm sido as estratégias adoptadas, sobretudo ao nível local e regional? É incontornável falar em imprensa regional de inspiração cristã, quando se pretende olhar para o percurso da imprensa em Portugal. Nesse campo, surgiu há poucos meses um contributo relevante, que ajuda a responder à primeira questão aqui formulada. “Da imprensa regional da Igreja Católica: para uma análise sociológica” é o título da tese de doutoramento que Manuel Leite defendeu no ISCTE, no final de 2010. A partir dela, ficou a saber-se que: é uma imprensa lida, maioritariamente, por pessoas com mais de 65 anos; que um terço dos profissionais tem mais de 50 anos e 25% menos de 30; quase todos, 80%, têm carteira profissional de jornalista. Já quanto aos próprios conteúdos, diz o autor que “não há cuidado com a imagem e por vezes

os textos são ilegíveis” e que “além de descontextualizados da actualidade, os artigos de opinião utilizam uma linguagem repetitiva e moralista, confundindo o discurso do altar com o discurso dos media”. Esta são, resumidamente, algumas das conclusões da citada tese. Mas e quanto à realidade online? Um ano após a chegada da Internet às redacções portuguesas, 1996, já a Associação de Imprensa de Inspiração Cristã começava a debater “As novas tecnologias na produção da Imprensa Regional” – naquele que foi o seu segundo congresso. Desde então, o tema esteve presente nas cinco edições que se lhe seguiram. Quinze anos depois, a realidade é que dos cerca de 200 associados – jornais, boletins, revistas, etc. – apenas 42% têm página na Internet. E mesmo aqueles que estão presentes na web, pouco mais fazem do que reproduzir os conteúdos que publicam em papel. Por outras palavras, trata-se do

campanhas de oração e petições internacionais em seu favor. Apesar das dificuldades de êxito de todos estes esforços, mantém-se a esperança de conseguir salvar esta vida. Perante o juiz que lhe ofereceu a possibilidade de salvar-se no caso de se converter ao islão, Ásia Bibi afirmou: “Prefiro morrer como cristã do que sair da prisão sendo muçulmana”. E ao seu advogado disse: “Eu não sou uma criminosa, não fiz nada de mal. Estou a ser julgada por ser cristã. Creio em Deus e no seu enorme amor. Se o juiz me condenou à morte por amar a Deus, estarei orgulhosa de sacrificar a vida por Ele”. É muito forte a sua convicção cristã e o seu testemunho de que acredita que Jesus está vivo. A oração é a sua fonte de força para suportar as imundas condições e a dureza da prisão. Encontrou também algum conforto ao saber que muita gente fazia oração por ela e lutavam pela sua libertação.

Na semana em que a Igreja Católica comemora e realiza as Jornadas Nacionais da Comunicação Social (29 e 30 de Setembro, Fátima), publicamos um dos artigos que constam no dossier da agência Ecclesia (agencia.ecclesia.pt). shovelware – primeira fase do ciberjornalismo. É o que sucede, de uma maneira geral, por entre os principais título de imprensa regional em Portugal. Um estudo desenvolvido recentemente – pelo autor destas linhas – revelou que os jornais regionais que mais vendem em papel, nos respectivos distritos, aproveitam pouco as potencialidades da Internet (21,4%). Entre eles, alguns de inspiração cristã. Ainda assim, há excepções.

Há pouco mais de duas semanas foi publicado em Portugal um livro com a sua história sob o título “Blasfémia”. É sua autora a jornalista francesa AnneIsabelle Tollet, que viajou pelo Paquistão e, através do marido da condenada, pode recolher o seu testemunho de vida. Foi à aldeia e ouviu as mulheres que a condenaram confirmarem que foi por aquela pergunta. No livro, Asia conta que durante anos fora empregada em casa de uma família de ricos funcionários muçulmanos e que estes não se incomodavam com o facto de uma cristã lhes preparar as refeições e lhes lavar a louça. A terminar a sua narrativa, a condenada deixa aos leitores um pedido: “Lestes a minha história, aprendestes a conhecer o meu país, a nossa vida que, apesar de tudo, é uma vida feliz – ou que, em todo o caso, poderia sê-lo. Agora que me conheceis, contai à vossa volta o que me aconteceu. Creio que é a única maneira de eu

não morrer no fundo desta prisão”. Na prisão sente muito a solidão e contraiu uma doença devido às más condições em que está. Tem visitas do marido, Ashiq Masih, e dos filhos. O seu advogado informa que “reza muito e oferece a Deus o seu sofrimento”. A sua vida corre sério perigo, pois, mesmo que venha a ser absolvida, os círculos fanáticos que a acusaram não descansam enquanto não a matarem. A oração por ela ajuda-a a viver. A organização “Ajuda à Igreja que sofre” (cf www.fundacaoais.pt) apresenta informações sobre a história desta mulher e modos de apoiar a sua causa. Creio que Cristo que ilumina o homem pode vencer as trevas da noite com a luz da fé, como canta o hino com que comecei. É esta fé que sustenta Asia Bibi e a pode fazer viver.

Estudos tem apontado para o crescimento dos acessos à Internet, da utilização de smartphones (telemóveis multi-funções) e dos tablets (computadores do tamanho de uma folha A4). Isso acontece entre as camadas mais jovens, os potenciais leitores daquilo que hoje é conhecido por imprensa de inspiração cristã, mas que na realidade é mais do que isso. Com o aparecimento da Internet, os jornais deixaram de ser meros difusores de informação. Passaram a ser marcas com mais do que um canal de distribuição. E esta já não se dá num único sentido, isto é, os antigos leitores (actuais utilizadores) também já produzem informação. Deixaram de ser consumidores passivos. Têm telemóveis, estão nas redes sociais online... onde comunicam o seu dia-a-dia. Não estar próximo dessas pessoas, é ignorar a missão primária não só dos próprios meios de comunicação social, como também da instituição que lhes serve de inspiração.

A Igreja deu, recentemente, uma prova de que está atenta à realidade, às mutações que ocorrem na sociedade. A última Jornada Mundial da Juventude, em Madrid, é disso exemplo. Foi um evento que mostrou o Vaticano e a organização local particularmente activos nas novas plataformas digitais e nas redes sociais online, como o Facebook, Twitter, YouTube... Resumindo: conhecia o seu público e os canais que o mesmo previligia. E foi através deles que “dialogou”, isto é, que comunicou as suas informações e que recebeu as de milhares de jovens peregrinos. Eis, pois, um bom exemplo para a imprensa regional de inspiração cristã reflectir e agir. Há outros exemplos, vindos de dentro. Basta olhar com atenção para os principais jornais regionais das dioceses portuguesas, para se perceber quem está atento e em conversação. Oportunidades não faltam e as ferramentas – gratuítas – estão aí.


14 INSTITUCIONAL / OPINIÃO

O Mensageiro 29.Setembro.2011

INSTITUCIONAL CARTÓRIO NOTARIAL DE MANUEL FONTOURA CARNEIRO PORTO DE MÓS Certifico, para fins de publicação, que por escritura de justificação celebrada neste Cartório Notarial, no dia vinte e dois de Setembro de dois mil e onze, exarada a folhas cento e trinta e cinco do livro de Notas para Escrituras Diversas Duzentos e Cinquenta – A, EZEQUIEL RODRIGUES MATEUS e cônjuge ETELVINA MARIA DOS REIS MATEUS, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais ele da freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria e ela da freguesia de Fátima, concelho de Ourém, residentes em Cova Alta, Santa Catarina da Serra, Leiria, Nifs: 143 334 840 e 173 026 664, declararam; Que, com exclusão de outrém, ele marido é dono e legítimo possuidor do prédio rústico sito em Sobral da Granja, freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, composto de terra de pinhal e mato, com a área de três mil duzentos e dezassete metros quadrados, a confrontar de norte com Artur Moreira Rodrigues, sul com Joaquim Pereira das Neves, nascente com António Conceição Pereira e poente com António de Oliveira dos Santos, não descrito na Segunda Conservatória de Registo Predial de Leiria, inscrito na matriz sob o artigo 11.211, com o valor patrimonial IMT de € 1.990,00. Que adquiriu este bem por doação verbal de Júlio Maria Mateus e mulher Madalena Moreira Rodrigues, residentes em Cova Alta, Santa Catarina da Serra, Leiria, doação essa que teve lugar no ano de mil novecentos e setenta e cinco, ainda no seu estado de solteiro. Não obstante não ter título formal de aquisição do referido prédio, foi ele que sempre o possuiu, desde aquela data até hoje, logo há mais de vinte anos, em nome próprio, defendeu a sua posse, pagou os respectivos impostos, gozou de todas as utilidades por ele proporcionadas, cultivou-o e colheu os seus frutos, sempre com o ânimo de quem exerce direito próprio, sendo reconhecido como seu dono por toda a gente, posse essa de boa fé, por ignorar lesar direito alheio, pacífica, porque sem violência, contínua e pública, por ser exercida sem interrupção e de modo a ser conhecida por todos os interessados. Tais factos integram a figura jurídica da usucapião, que o justificante invoca, como causa de aquisição do referido prédio, por não poder comprovar a sua aquisição pelos meios extrajudiciais normais. Cartório Notarial de Manuel Fontoura Carneiro em Porto de Mós, vinte e dois de Setembro de dois mil e onze. A colaboradora com delegação de poderes, (Ana Paula Cordeiro Pires de Sousa Mendes)

Ficha de Assinatura Assinaturas normal/benfeitor: 20/40 Euros (Nacional), 30/60 euros (Europa) e 40/60 (Resto do Mundo) Nome: ___________________________________________ ____________________________________________ Rua: _____________________________________________ _______________ N.º _______________ Localidade: ____________________________ C. Postal: _____ - ____________________ Telf.: _______________________________ E-mail:___________________________@_______________ Enviar esta ficha, recortada ou fotocopiada, para: O Mensageiro - Lg. Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA ou forneça-nos os seus dados através do endereço de correio electrónico jornal@omensageiro.com.pt

RECORTES

Aura Miguel

Vaticanista e jornalista

Opção de vida ou de morte*

A

decisão de permanecer ou não na Igreja é, disse ontem [22 de Setembro] Bento XVI, uma questão de vida ou de morte. Alguns olham para a Igreja apenas exteriormente, como se fosse uma multinacional. Outros consideram-na com certos interesses, como se fosse uma associação desportiva ou cultural e quando esses interesses não se realizam, criticam-na. Seria bom, disse ontem o Papa, em Berlim, que os descontentes se interrogassem sobre o que significa pertencer à Igreja. É que pertencer verdadeiramente significa permanecer em Cristo, mesmo quando isso custa, quando é difícil e até contrário aos nossos planos. Porque na Igreja haverá sempre peixes bons e maus, haverá trigo e joio, misturados, mas Cristo é a garantia de vida e ele nunca nos abandona, garantiu Bento XVI. A nós, compete optar se queremos permanecer nele ou não. O Papa recordou ainda como Cristo é a videira e nós os ramos. Fora dela, os ramos secam e morrem. É mesmo uma opção de vida ou de morte. * In RR online (23/09/11)

H

á três anos, o mundo mudou. A falência do Lehman Brothers e as semanas incríveis que se lhe seguiram criaram uma nova realidade económica. Este é o mito oficial, mas de facto as coisas não são assim. O mundo continua mais ou menos como era: sempre em mudança. Esses momentos de tensão apenas nos relembraram algumas lições que andavam muito esquecidas, e que são também muito úteis no actual momento da crise nacional. A primeira coisa que aprendemos é que a humanidade não consegue evitar cair em períodos de delírio colectivo. Por mais sofisticadas que sejam as leis e instituições, por mais avançada que esteja a civilização e a sociedade, uma euforia será sempre imparável; até ao colapso fatal. A história regista múltiplas bolhas especulativas, alimentadas por ilusões infantis. Este tempo tecnológico, com sofisticadíssimos mercados de hipotecas e derivados, esqueceu a lição e caiu de novo na esparrela. Temos de admitir que se trata, não de uma doença evitável, mas de um traço de carácter da raça humana que sempre ressurgirá. Mas o mal tem cura. Os últimos anos também mostraram que a política económica, se não consegue evitar a crise, possui meios que lhe reduzem muito as consequências. O maior choque financeiro de sempre acabou com efeitos muito inferiores ao previsto. Os actuais sofrimentos sociais, indiscutivelmente violentos, nunca atingiram a justamente anunciada derrocada estrutural. A terceira lição, que domina a situação presente, é o valor da solidariedade, pois

FARMÁCIAS DE SERVIÇO Tomás (29), Maio (30), Avenida (1), Baptista (2), Central (3), Godinho Tomáz (4), Higiene (5) e Antunes (6).

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

RECORTES

João César das Neves Economista

As três lições da crise conflitos e suspeitas podem criar recaídas. A luta partidária no Congresso americano gera a incerteza que já levou à histórica descida do rating soberano. Na Europa, após o endividamento excessivo de alguns, que constituiu forte quebra de solidariedade dentro do euro, vive-se hoje a dificuldade de encontrar uma solução solidária que salve o projecto comum. Portugal é um dos protagonistas da crise global. Apesar de alheio ao subprime americano que precipitou o estoiro original, a fragilidade da sua “década perdida” acabou por colocá-lo no centro do segundo episódio, o dominó das dívidas soberanas. Agora, enfrentando a difícil terapêutica de ajustamento, as mesmas três lições são muito úteis a cada um dos três grupos nacionais: público, governantes e analistas. A euforia que alimentou a nossa bolha foi mais longa e subtil que a americana. O País viveu acima das suas posses durante quinze anos, desde que a candidatura ao euro lhe deu acesso a crédito fácil. Agora, a mesma tolice da facilidade manifesta-se na frase mais repetida: “Por-

tugal tem de cortar despesa, mas aqui é injusto.” Ora é precisamente aí, e em todo o lado, que se deve cortar até doer. Só assim voltaremos a ser um país equilibrado. Os novos governantes vêm embuídos de espírito reformador e apostados em cumprir o forte programa de austeridade. Mas só terão êxito se conseguirem evitar cair nos dois extremos fatais: ser capturado pela máquina ou triturado por ela. Um ministro só consegue resultados através do seu ministério. A fraqueza dos antecessores acabou dominada pelos interesses instalados, criando a espiral de dívida. Agora é preciso retomar o propósito do bem comum, mas sem hostilizar os mecanismos públicos que o servem. É preciso emagrecer o Estado, não só para perder peso mas para ser mais eficaz. Finalmente, todos temos de aprender a lição da solidariedade. Aqui, o pior veneno são as pomposas análises que repetem vir aí forte conflitualidade nacional. Tais afirmações, além de irresponsáveis, são simplistas. Explosões sociais acontecem, não quando se perde muito mas quando não há mais nada a perder. A maioria dos portugueses, apesar do que sofre, sabe que não deve arriscar o resto em aventuras tolas. Nos últimos três anos, o mundo reaprendeu três coisas: que quem faz tolices perde, que já sabemos tratar as crises e que no mundo globalizado estamos todos no mesmo barco. Portugal tem agora de mostrar ao mundo o valor dessas lições, vencendo o desafio da austeridade para lançar o próximo ciclo de progresso. * In DN (26/09/11)

500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244 816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, André Batista (Pe.), Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Jerónimo (CP7104), Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade André Antunes Batista (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição Empresa do Diário do Minho, Lda - Tel: 253 303 170 - Fax: 253 303 171 Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2011 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro

29.Setembro.2011

Futebol | Pontes voltou a treinar a U. Leiria... mas por pouco tempo

FOTOJORNALISMOS

D 0 0 0 1 2 1 1 2 3 2 2 4 4 4 5 4

Pts 14 14 14 13 12 11 9 8 7 6 6 4 4 4 3 2

V. Setúbal x Rio Ave (dia 30) Benfica x P. Ferreira (dia 1) Feirense x Marítimo Nacional x Olhanense U. Leiria x Sp. Braga (16h00) V. Guimarães x Sporting Académica x Porto Gil Vicente x Beira-Mar

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Atlético Leixões Belenenses Arouca Santa Clara Oliveirense Naval Penafiel U. Madeira Estoril D. Aves Freamunde Moreirense Trofense Sp. Covilhã Portimonense

J 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5

V 3 3 2 2 2 2 2 1 2 1 1 1 1 1 1 1

E 1 1 3 2 2 2 1 3 0 3 3 2 2 2 1 0

D Pts 1 10 1 10 0 9 1 8 1 8 1 8 2 7 1 6 3 6 1 6 1 6 2 5 2 5 2 5 3 4 4 3

Telemóvel: 917 511 889 Telefones: BARREIROS (sede): 244 840 677 JUNCAL: 244 470 610 Fernando - 919 890 630

F. Costa Pereira Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h Tel. 244 832406

III Divisão

SUL

Caldas x Mafra (2-0) Vendas Novas x Juv. Évora (5-0) 1.º Dezembro x Pinhalnovense (0-2) Oriental x Fátima (2-1) Tourizense x Louletano (1-1) Torreense x Reguengos (3-0) Sertanense x Monsanto (1-1) Moura x Carregado (2-1) Equipa Vendas Novas Torreense Sertanense Pinhalnovense Moura Carregado Tourizense Caldas Oriental 1.º Dezembro Monsanto Fátima Louletano Mafra Juv. Évora Reguengos

J 3 3 3 3 3 3 3 3 3 3 3 3 3 3 3 3

V 2 2 2 2 1 1 1 1 1 1 0 1 0 0 0 0

E 1 1 1 0 2 1 1 1 1 1 3 0 2 2 1 0

Mafra x Moura Juv. Évora x Caldas Pinhalnovense x Vendas Novas Fátima x 1.º Dezembro Louletano x Oriental Reguengos x Tourizense Monsanto x Torreense Carregado x Sertanense

DR

Arquivo federação portuguesa de futebol

II Divisão B

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Atlético x Naval (dia 1) Penafiel x Estoril Oliveirense x Moreirense Sp. Covilhã x Santa Clara D. Aves x Arouca Freamunde x U. Madeira Trofense x Belenenses Portimonense x Leixões

PUB

Telefone: 244 828 450 Fax: 244 828 580 Rua Machado Santos, n.º 33 2410-128 LEIRIA

federação portuguesa de futebol

D Pts 0 7 0 7 0 7 1 6 0 5 1 4 1 4 1 4 1 4 1 4 0 3 2 3 1 2 1 2 2 1 3 0

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º

associação de futebol de leiria

Pampilhosa x Bombarralense (4-0) Sp. Pombal x Alcobaça (3-1) Sourense x Marinhense (1-1) Riachense x Tocha (0-4) Peniche x B.C. Branco (1-0) Beneditense x Crato (Crato desistiu) Equipa Pampilhosa Sp. Pombal B.C. Branco Peniche Sourense Tocha Beneditense Bombarralense Marinhense Riachense Alcobaça

J 3 3 3 3 3 3 2 2 3 3 2

V 3 2 2 1 1 1 0 0 0 0 0

E 0 1 0 2 1 1 2 1 1 1 0

D Pts 0 9 0 7 1 6 0 5 1 4 1 4 0 2 1 1 2 1 2 1 2 0

Bombarralense x Sp. Pombal Tocha x Peniche B.C. Branco x Beneditense Alcobaça x Sourense Marinhense x Riachense Folga: Pampilhosa

CEDILE Telefone 244 850 690 ECOGRAFIA / DOPPLER / ECOCARDIOGRAFIA TAC / MAMOGRAFIA / RX / OSTEODENSITOMETRIA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ARTICULAR Telefone +351244850690 / Fax 244850698 Largo Cândido dos Reis, Nº 11 / 12 • 2400-112 LEIRIA

HONRA

série D

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Meirinhas x GRAP/Pousos (2-1) Alq. Serra x Biblioteca (3-0) Atouguiense x Portomosense (2-5) Fig.Vinhos x Guiense (1-1) Vieirense x Pataiense (2-2) Nazarenos x Avelarense (2-1) Ansião x Marrazes (1-2) Alvaiázere x Pedroguense (3-0) Equipa Portomosense Alvaiázere Nazarenos Marrazes Guiense Alq. Serra Meirinhas Biblioteca GRAP/Pousos Pataiense Avelarense Atouguiense Vieirense Fig.Vinhos Meirinhas Pedroguense

J 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2

V 2 2 1 1 1 1 1 1 1 0 0 0 0 0 0 0

E 0 0 1 1 1 1 0 0 0 2 1 1 1 1 0 0

Meirinhas x GRAP/Pousos Pedroguense x Alvaiázere Alq. Serra x Biblioteca Atouguiense x Portomosense Fig.Vinhos x Guiense Vieirense x Pataiense Nazarenos x Avelarense Ansião x Marrazes

D Pts 0 6 0 6 0 4 0 4 0 4 0 4 1 3 1 3 1 3 0 2 1 1 1 1 1 1 1 1 2 0 2 0

Futebol | Leiria

I Distrital

É já a partir do dia 2 de Outubro que vão estar em pleno todas as competições da Associação de Futebol de Leiria, referentes ao futebol de 11, escalão de séniores masculinos. Depois da Divisão de Honra, é agora a vez da I Divisão, dividida em duas zonas, norte (12 equipas) e sul (11). associação de futebol de leiria

I Divisão

ZO. NORTE

E 2 2 2 1 0 2 3 2 1 3 3 1 1 1 0 2

Portugal, dia 16, Alcochete, 15h00), Rio Ave (I Liga, dia 23, Vila do Conde), Santa Clara (Taça da Liga, dia 26, Açores) e V. Setúbal (I Liga, dia 30, Marinha Grande) são os próximos desafios do novo técnico e equipa leirienses, para o mês de Outubro.

Moita do Boi x Ranha Cast. Pêra x Mata Mourisquense Pelariga x Arcuda Boavista x Caseirinhos GAU/Bajouca x Motor Clube Ilha x Pousaflores

ZONA SUL

V 4 4 4 4 4 3 2 2 2 1 1 1 1 1 1 0

mas épocas comandou o Al Sharjah, Emirados Árabes Unidos. Natural de Olhão, onde a agora nova equipa registou a última derrota, regressa a Leiria. Aqui comandou a União ao longo de duas épocas (1993/94 e 2002/03). Sp. Braga (I Liga, dia 2, Marinha Grande, 16h00), Alcochetense (Taça de

2.ª JORN. 25.09.11

J 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6 6

U. Madeira x Trofense (0-1) Arouca x Atlético (2-0) Belenenses x Freamunde (1-0) Moreirense x D. Aves (1-1) Santa Clara x Portimonense (2-1) Leixões x Sp. Covilhã (1-0) Estoril x Oliveirense (0-0) Naval x Penafiel (1-0)

3.ª JO. 25.09.11

Equipa Porto Benfica Sp. Braga Marítimo Académica Sporting Olhanense Gil Vicente V. Setúbal Beira-Mar Feirense V. Guimarães Nacional P. Ferreira U. Leiria Rio Ave

5.ª JORN. 25.09.11

Porto x Benfica (2-2) Sp. Braga x Nacional (2-0) Sporting x V. Setúbal (3-0) Beira-Mar x Rio Ave (0-0) P. Ferreira x Gil Vicente (1-2) Olhanense x U. Leiria (1-2) Marítimo x V. Guimarães (2-1) Académica x Feirense (4-0)

mento – Beira-Mar (1-0) –, porém, o comando técnico esteve a cargo do anterior adjunto de Caixinha, Hélder Batista. Foram dois os jogos em que comandou os leirienses. Resultado, duas derrotas – Marítimo (1-3) e Olhanense (1-2). O treinador que se segue é Manuel Cajuda, 60 anos, que nas duas últi-

3.ª JORN. 2.10.11

7.ª JORN. 02.10.11

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

II LIGA

6.ª JORN. 02.10.11

6.ª JORN. 25.09.11

I LIGA

Pedro Caixinha começou a época, seguiu-se-lhe Vítor Pontes e agora Manuel Cajuda

4.ª JO. 02.10.11

liga portuguesa de futebol profissional

4.ª JORN. 02.10.11

liga portuguesa de futebol profissional

3.ª JORN. 25.09.11

Três pontos ficam em Olhão | A U. Leiria deslocou-se ao reduto do Olhanense, onde averbou mais uma derrota (1-2). Foto: Melanie Maps/Lusa

A ocupar os últimos lugares da I Liga, a U. Leiria já vai no terceiro treinador esta época. Isto após seis jornadas. O último, Vítor Pontes, resistiu dois jogos. Segue-se-lhe outro nome que bem conhecido na cidade do Lis: Manuel Cajuda. Veremos se, ao contrário dos colegas de profissão, consegue manter-se no cargo por mais de três jogos. Pedro Caixinha foi quem preparou e iniciou a época. Três jogos e outras tantas derrotas depois – Académica (1-2), P. Ferreira (1-2) e Porto (2-5) –, foi dispensado. Sucedeu-lhe Vítor Pontes, um regresso à U. Leiria. Sentou-se no banco em Aveiro, na única vitória registada até ao mo-

João Filipe Matias/Arquivo

Quem resiste mais de três jogos?

Praia Vieira x Pilado Santo Amaro x Maceirinha Nadadouro x Gaeirense Lisboa e Marinha x Jucalense Unidos x Os Vidreiros Folga: Outeirense PUB


ÚLTIMA 29SETEMBRO2011

Em política, tal como na moral, é um grande mal não fazer bem, e todo o cidadão inútil deve ser considerado um homem pernicioso. Jean Jacques Rousseau, filósofo francês [1712-1778]

Secretário de Estado da Administração Local apresentou livro verde

O secretário de Estado da Administração Local, Paulo Júlio, disse no dia 25 de Setembro que a reforma administrativa é “demasiado importante” para Portugal e deve “passar por cima de todos e quaisquer interesses sectoriais, partidários ou pessoais”. Em entrevista à agência Lusa, Paulo Júlio Simões disse que “o Governo não tem nenhum medo do debate”, em torno da reforma administrativa, e assume desde já a extinção de um “número significativo” de freguesias, incentivando também a fusão de alguns municípios. “O Governo estimulará aqueles municípios que nesta fase se queiram fundir”, esclareceu. “O Livro Verde traz as notícias que são necessárias para o poder local”, declarou o secretário de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, realçando que a apresentação do documento constitui “um modo diferente de iniciar um debate

LMFerraz / Arquivo

Governo defende que a reforma administrativa deve “passar por cima de todos e quaisquer interesses”

nacional sobre a reforma da administração local”. Paulo Júlio advertiu que “o debate não serve para não se fazer a reforma: ela é para fazer porque é necessária”. O documento a apresentar pelo primeiro-ministro “já resulta de muita interacção com a Associação Nacional de Municí-

pios Portugueses (ANMP) e com a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE)”, além de deputados da maioria (PSD e CDS) e “personalidades que têm conhecimentos mais profundos” nas áreas da administração e do território. A divulgação do Livro Verde “significa o ponto de partida para

abrir o debate à sociedade portuguesa e, naturalmente, ainda para afinar mais” a reforma envolvendo a ANMP e a ANAFRE. “É um plano estratégico para a administração local que tem esta meta de, até final do primeiro semestre de 2012, mexer praticamente numa dúzia de diplomas e que alicerça a sua estratégia em quatro pilares: o sector empresarial local, a reorganização do território, a gestão municipal e intermunicipal e a democracia local”, acrescentou o governante. Paulo Júlio disse que o documento contempla “objectivos gerais da reforma e objectivos específicos para cada um dos eixos”, apontando a metodologia a seguir, o cronograma e o enquadramento legislativo. “Esta reforma foi suficientemente bem pensada, é estrutural e parte de problemas que estão perfeitamente identificados. Nós temos um problema de sustentabilidade financeira na administra-

ção local”, referiu. O secretário de Estado disse que tem encontrado, em geral, uma “boa receptividade” para fazer avançar a reforma. “Mas não escondo que há sempre uma primeira reacção de algum imobilismo e, sobretudo, de agarrar alguns argumentos sobre os efeitos que isto possa ter”, admitiu. Em Portugal, “somos sempre a favor de uma mudança, desde que seja com os outros”. Perante a escassez de recursos financeiros, “é necessário fazer diferente” para que se mantenha “pelo menos o mesmo nível de serviços públicos” às populações, preconizou. “Esta reforma não se limita a discutir o número de autarquias. Ela quer intervir sobre o modelo de gestão”, explicou Paulo Júlio. Na sua opinião, “todos os actores locais, antes de criticarem, devem reflectir” sobre o processo.

Achados arqueológicos

As escavações arqueológicas que decorreram no Castelo de Leiria, detectaram a presença humana no local, desde a idade do cobre até à época contemporânea, tendo-se apurado a existência de materiais e contextos do calcolítico, idade do bronze e ferro, bem como das épocas romana, islâmica e posteriores à reconquista cristã. Estes achados arqueológicos foram dados a conhecer no dia 24 de Setembro nos Paços Novos do Castelo, durante a terceira sessão do ciclo de conferências “Conversas sobre Arqueologia”. Dedicada ao tema “O Castelo de Leiria: novos resultados arqueológicos”, esta sessão apresentou os resultados das intervenções

arqueológicas e geofísicas, bem como dos trabalhos de documentação geométrica e fotogramétrica, promovidos pelo Município de Leiria, no quadro do Plano Nacional de Trabalhos Arqueológicos (PNTA), denominado “Valorização e Requalificação do Castelo de Leiria”. Vânia Carvalho, arqueóloga da Câmara Municipal de Leiria e responsável pelo PNTA, falou sobre “O projecto de investigação arqueológica do Núcleo do Castelo de Leiria: enquadramento, objectivos e resultados”. Isabel Inácio e Filipe Coutinho, arqueólogos responsáveis pelas intervenções de sondagens manuais e prospecção geofísica, da empresa Arqueohoje, aborda-

ram o tema “Completando por muralhas a obra da Natureza: O Castelo de Leiria, das origens à contemporaneidade”. O terceiro conferencista foi Alberto Martinez, engenheiro especializado em levantamentos arquitectónicos e fotogramétricos, da empresa AMR, que desenvolveu o tema “A documentação geométrica e fotogramétrica do Castelo de Leiria”. Para a concretização deste projecto foi constituída uma equipa que integra uma Comissão Científica de consultores de relevo nas áreas da Arqueologia, Conservação e Restauro, Antropologia e História, nomeadamente História Local, ligados a instituições de reconhecido mé-

DR / Arquivo

Importantes descobertas no Castelo de Leiria

rito nestes domínios, procurando-se potenciar uma investigação efectivamente interdisciplinar, centrada no estudo da ocupação

humana do espaço onde se fundou o Castelo de Leiria.

4877#OMENSAGEIRO#29SET  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição de 29 de Setembro de 2011 (N.º 4877).