Page 1

CAMPANHA

14 OUTUBRO 2010 ANO 97 - N.º 4829 FUNDADOR José Ferreira Lacerda DIRECTOR Rui Ribeiro

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

|P. 9

ECONOMY

Nº DE2703206MPC

DESTAQUE

BISPOS REFLECTEM SOBRE SITUAÇÃO POLÍTICA, SOCIAL E ECLESIAL DA REGIÃO

PAPA CONVOCA PRIMEIRO PARA O MÉDIO ORIENTE

SÍNODO

DR

A primeira assembleia para o Médio Oriente do Sínodo dos Bispos reúne no Vaticano 185 “padres sinodais”, de 10 a 24 de Outubro, para reflectir sobre a situação da Igreja na região, desde a presença católica à situação social e política. Páginas 2 e 3 CULTURA

Internet, jogos, música, filmes... | P. 4

SOCIEDADE

Actividades comemorativas na região | P. 6

ECLESIAL

Bispo diocesano continua Visita Pastoral | P. 9

Fonoteca da Vieira de Leiria abriu

Centenário da República

D. António Marto estará nas Matas

Visita do aristocrata inglês foi em 1794 | P. 5

Crédito de 10 milhões disponibilizado | Última

Nova notária no Tribunal Eclesiástico | P. 9

William Beckford “volta” à Batalha Reabilitações no centro de Leiria

Celme Pedreiro tomou posse

PUB

Divulgação

Nova Evangelização

Paróquia Santiago de Marrazes

Encontros para adolescentes e adultos

De 18 de Outubro a 4 de Dezembro Segundas e Quintas-feiras, 21h00 Salão Paroquial (junto à igreja)


2 DESTAQUE

O Mensageiro

14.Outubro.2010

EDITORIAL

Rui Ribeiro prui@iol.pt

A religião ao serviço da paz

Desde pequeno que as imagens povoa a mente. Lá longe numa zona chamada Médio Oriente, os conflitos eram e são constantes. Uma guerra político-religiosa que os meios de comunicação fazem chegar até nós, sem, porém, nos fazerem entender a verdade dos factos. Um conflito generalizado em que as pedras arremessadas deram origem ao nome “entifada”, “guerra das pedras”. Nunca percebi bem a origem nem o objectivo daquela guerra. Lembro-me apenas das imagens de gente a correr nas ruas, de soldados a usar a força e de carros e camiões a explodirem. Já maior, visitei aquelas paragens e encontrei cidades divididas por fronteiras físicas; amigos separados por arame farpado e muita confusão à mistura. Confusão social e também religiosa, com espaços de culto a serem partilhados e divididos por diferentes religiões e a serem alvo da cobiça de uns e outros. O Médio Oriente, aprendíamos nos bancos da escola, era, e ainda é, das zonas mais ricas do globo. Ali A celebração de nasceram as granrevoluções que abertura do Sínodo des mudaram a história deixou antever humana, a começar que é possível pela agricultura. o diálogo e que Dali vieram tamcertamente os bém as grandes resultados serão religiões que de alcomprometedores guma forma foram para as diferentes e continuam a ser o religiões motor dos povos e culturas. Mas apesar de tudo isso, é também um barril de pólvora pronto a explodir. De tempos a tempos, voltam as notícias com mais conflitos e perseguições. São milhares as pessoas que ali têm o estatuto de refugiados. E porquê? Talvez porque a tal riqueza humana e espiritual assim leva a agir. Bento XVI, é já conhecido como o Papa do diálogo e dos consensos. Muito do seu trabalho e da sua acção passa por esta aproximação e por este esforço de encontro cultural e religioso. As suas visitas e as suas palavras vão muito nesta linha. E os resultados têm sido positivos. Agora anuncia e realiza o primeiro Sínodo para o Médio Oriente. O tema é “a Igreja católica no Médio Oriente: comunhão e testemunho”. As questões abordadas vão desde a presença católica à situação social e política. E com esta experiência de comunhão, está a contribuir para a paz e para a harmonia universal. Poucos poderão advogar para si semelhantes esforços. Para já a celebração de abertura do Sínodo deixou antever que é possível o diálogo e que certamente os resultados serão comprometedores para as diferentes religiões. De forma visível e concreta a religião coloca-se a serviço da paz entre os homens. Queira Deus que a causa palestiniana e judaica, encontrem aqui um espaço para encontrar caminhos de convergência que não têm sido possíveis noutros contextos. O Mensageiro traz à luz os acontecimentos e deseja que assim contribua para que todos os cristãos se sintam envolvidos neste Sínodo, pela oração e pela informação.

Bispos reflectem sobre a situação política social e religiosa da região

PAPA CONVOCA PRIMEIRO SÍNODO PARA O MÉDIO ORIENTE A primeira assembleia para o Médio Oriente do Sínodo dos Bispos vai reunir no Vaticano 185 “padres sinodais”, de 10 a 24 de Outubro, para reflectir sobre a situação da Igreja na região, desde a presença católica à situação social e política. Literalmente, a palavra “sínodo”, derivada de duas palavras gregas, «syn» que significa “juntos” e «odos» que quer dizer “estrada” ou “caminho”, significando “caminhar juntos”. O Sínodo pode ser definido, em geral, como uma assembleia dos bispos que representam o episcopado católico e que têm o dever de ajudar o Papa no governo da Igreja universal, dando o próprio conselho. Desde 1967, o Sínodo dos Bispos teve 12 assembleias gerais ordinárias e duas extraordinárias (1969 e 1985), a que se somam outras nove assembleias especiais: duas para a Europa e outras duas para a África; uma para a Ásia, América e Oceânia; uma para os Países Baixos e outra para o Líbano. A 24ª assembleia do Sínodo dos Bispos, primeira para a região do Médio Oriente, tem como tema “A Igreja Católica no Médio Oriente: comunhão e testemunho. «A multidão dos crentes tinha um só coração e uma só alma»”. O Médio Oriente é uma região de 7,18 milhões de quilómetros quadrados, com mais de 356 milhões de pessoas e 5,7 milhões de católicos (1,6% da população total) em 20 milhões de cristãos. Egipto, Iraque, Líbano e Síria dominam a lista de participantes, que representam comunidades historicamente

muito importantes no Cristianismo, embora hoje os católicos sejam apenas 1,6% da população nesta região. Além de Jerusalém e dos territórios palestinianos, o Sínodo para o Médio Oriente destina-se aos católicos de 16 Estados: Arábia Saudita, Bahrein, Chipre, Egipto, Emiratos Árabes Unidos, Jordânia, Iémen, Irão, Iraque, Israel, Kuwait, Líbano, Oman, Qatar, Síria e Turquia. Além dos católicos de rito latino (comum à maior parte dos países ocidentais, como em Portugal), existem nestes países seis Igrejas orientais católicas com autonomia própria, “sui iuris”, lideradas por um Patriarca próprio, em comunhão com Roma. Coptas, sírios, greco-melquitas, maronitas, caldeus e arménios dão vida a uma variedade de “tradições, espiritualidade, liturgia e disciplina”, como sublinhou o secretário-geral do Sínodo, o Arcebispo Nikola Eterovic, ao apresentar o evento. Pela primeira vez o árabe será língua oficial de um Sínodo, mas os presentes poderão fazer a sua intervenção também em inglês, francês ou italiano. Entre os 185 participantes haverá 101 líderes de circunscrições eclesiais no Médio Oriente e 23 da diáspora, vindos de nove países, incluindo o Brasil. Também haverá representantes de outras seis Igrejas orientais católicas: a etíope, a grega, a romena, a siro-malabar, a siromalancar e a ucraniana. A eles juntam-se 36 peritos e 34 ouvintes, homens e mulheres, para além de representantes de 14 Igrejas e comunidades eclesiais historicamente en-

raizadas no Médio Oriente. Bento XVI escolheu ainda convidados especiais dos mundos judaico e muçulmano, para falar aos participantes no Sínodo: o rabi David Rosen, director do Departamento para os assuntos inter-religiosos do American Jewish Committee; Muhammad al-Sammak, conselheiro político do grão-mufti do Líbano (sunita); o Ayatollah Seyed Mostafa Mohaghegh Ahmadabadi, professor da faculdade de direito da Shahid Beheshti University de Teerão e membro da Academia Iraniana das Ciências (xiita). A assembleia sinodal será mais breve e conta com a presença de 19 bispos de países limítrofes da África do Norte e da Europa de Leste, para além dos chefes de 14 dicastérios da Cúria Romana. Ao longo de duas semanas, os participantes reúnem-se com o Papa para debater a situação da Igreja na região que viu nascer o Cristianismo, mas onde este corre hoje o risco de desaparecer, por causa da violência, terrorismo, migração forçada e discriminação. O Sínodo pode ser definido, genericamente, como uma assembleia consultiva de bispos que representam o episcopado católico, convocados para ajudar o Papa no governo da Igreja, dando o seu próprio conselho. O diálogo inter-religioso está, pois, no centro do debate. A Igreja tem consciência de que as relações com judeus e muçulmanos são fulcrais para o futuro do Cristianismo na região. O encontro pretende acentuar a importância deste diálogo para o bem da socie-

dade e para que a religião, sobretudo dos crentes que professam um único Deus, se torne cada vez mais “motivo de paz”. No documento inicial de trabalho, entregue por Bento XVI em Junho deste ano, pode ler-se que “a chave para uma convivência harmoniosa entre cristãos e muçulmanos é reconhecer a liberdade religiosa e os direitos humanos”. As relações entre cristãos e muçulmanos, indica o Vaticano, são por vezes difíceis, sobretudo pelo facto de os muçulmanos não fazerem distinção entre religião e politica, o que coloca os cristãos na situação de não-cidadãos, mesmo em territórios onde se encontravam muito antes da chegada do Islão. O diálogo com os judeus, por outro lado, é qualificado como “essencial”, embora não seja fácil, ressentindo-se do conflito israelo-palestiniano. O Vaticano deseja que os dois povos vivam em paz numa pátria que seja deles, no interior de fronteiras seguras e internacionalmente reconhecidas. O texto reafirma a condenação do antisemitismo, sublinhando que as atitudes negativas entre árabes e judeus parecem ser sobretudo de carácter político, e portanto estranhas a qualquer discurso eclesial. O secretário-geral do Sínodo, arcebispo Nikola Eterovic, sublinha que a situação actual na região é em muitos aspectos pouco diferente da vivida pela primitiva comunidade cristã na Terra Santa, “ no meio de dificuldades e perseguições”. Os cristãos são chamados a não se isolarem em atitudes defensivas, sendo


DESTAQUE 3

O Mensageiro

14.Outubro.2010

também exortados a promover a “pedagogia da paz”, para fazer face a questões como a “pobreza, a educação e a luta contra a violência e o terrorismo”.

DR

Calendário de trabalhos As sessões de trabalho do Sínodo para o Médio Oriente iniciaram-se a 11 de Outubro, com a intervenção dos vários responsáveis pelas comunidades representadas nesta reunião. As chamadas “congregações gerais” são guiadas por um dos presidentes delegados pelo Papa: o Patriarca libanês Nasrallah Sfeir, o Patriarca iraquiano Emmanuel Delly, o Patriarca de Antioquia dos sírios Youssif Younan (Líbano) e o Cardeal Leonardo Sandri, prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais. À luz destas apresentações, o relator do Sínodo, o Patriarca egípcio Antonios Naguib, formula uma série de pontos a discutir na segunda fase, durante a qual todos os padres sinodais se dividem em pequenos grupos. Na terceira fase, o trabalho prossegue nos chamados círculos menores com a formulação de sugestões e observações, de forma a serem colocadas a voto propostas concretas. Nestes círculos menores, os padres sinodais podem votar uma proposta com um “placet” (sim) ou um “non placet” (não). As propostas dos círculos menores são, depois, recolhidas pelo relator geral e pelo secretário especial, o Arcebispo cipriota Joseph Soueif, sendo reunidas num elenco unificado de propostas que é apresentado pelo relator geral na sessão plenária. Por outro lado, é eleita uma comissão responsável pela elaboração de uma mensagem final, que será presidida, por escolha do Papa, pelo Arcebispo norteamericano Cyrille Bustros. A primeira sessão dos chamados círculos menores tem lugar a

13 de Outubro e o primeiro esboço da mensagem é discutido a 16 de Outubro, no final da primeira semana de trabalhos. Após um dia de descanso, os trabalhos retomam a 18 de Outubro, com o relatório “posterior à discussão”, concluídas as “congregações gerais”. A segunda semana centra-se na elaboração do elenco de propostas, cuja lista é apresentada a 21 de Outubro, Quinta-feira. No dia seguinte é apresentada e votada a mensagem final. A votação das propostas do Sínodo acontece a 23 de Outubro. Tanto a Missa de abertura como a de encerramento serão presididas por Bento XVI na Basílica de São Pedro, respectivamente a 10 e 24 deste mês. Na primeira sessão de trabalhos do Sínodo dos Bispos para o Médio Oriente, Bento XVI alertou para o “poder das ideologias terroristas”, pedindo aos cristãos que lutem contra as “falsas divindades”. “É aparentemente em nome de Deus que são cometidas essas violências. Mas não é Deus, são falsas divindades que devem ser desmascaradas”, afirmou. Numa intervenção espontânea, Bento XVI apontou ainda o dedo aos “capitais anónimos”, que acusou de “escravizar” as pessoas num modo de vida imoral”, à droga, “que como uma besta voraz conquista com as suas garras a terra inteira e destrói” e ao “modo de vida propagado pela opinião pública actual”, no qual “o casamento já não conta” e “a castidade já não é uma virtude”. Traçando um paralelo com os primeiros tempos do Cristianismo, quando o “sangue dos mártires” enfrentou os imperadores romanos, o Papa assegurou que “a dor do grito da Mãe Igreja transforma o mundo”. “Estamos numa luta contra estas falsidades que destroem o mundo”, concluiu.

Médio Oriente, zona de tensão O principal conflito no Médio Oriente dá-se entre palestinos e israelitas, e mistura disputas territorial e religiosa. A sua origem é histórica. Num dos lados estão os palestinos muçulmanos, que querem todas as terras sagradas ocupadas por Israel para o Islão. Do outro, os israelitas judeus, que não querem abrir mão das terras reivindicadas pela Palestina. Em 1946 começaram a despejar-se judeus vindos da Alemanha e a conceder-lhe terras que lhes pertenciam antes, há 2000 mil anos. O que se passa é que o Rei David unificou uma série povos ao redor da Judeia. Os palestinianos sempre existiram lá também. O que aconteceu foi que com o passar da história esse tal aumento da Judeia passou ela mesma “à história”. Esta terra foi e é historicamente tanto dos judeus, de cristãos e de muçulmanos. Durante os terríveis acontecimentos na 2 Guerra Mundial, muitos dos judeus tiveram que sair, e muito bem pois senão teriam sido mortos pelo Hitler, e, as Nações Unidas, concederam as antigas terras históricas aos judeus, criando colonatos, aldeias fechadas, e, pouco a pouco começou-se a mandar embora palestinianos. Por exemplo, quase 500mil palestinianos estão neste momento como refugiados na Jordânia, pois tiveram que sair do seu próprio país. Os refugiados palestinos são, de fato, muito numerosos. A 30 de Junho de 1999, a UNRWA recenseava 3.600.000. Não entram nesse número os que se tornaram refugiados em 1967 (mais de 50.000) e os seus descendentes. Sabe-se que existem mais umas centenas de milhar de palestinos que foram deslocados e não constam nas listas da UNRWA. A 11 de Dezembro de 1948 a ONU aprovou a resolução 194 que reconhece aos refugiados palestinos o direito de regressarem aos seus lares ou de serem indemnizados, se assim o preferirem. Apesar de o preâmbulo da resolução que o admitiu na ONU mencionar explicitamente a aplicação desta resolução, Israel recusou-se e continua a recusarse a aplicá-la. Apressando-se a

arrasar as aldeias palestinas que tinham sido esvaziadas dos seus habitantes (o número habitualmente avançado é de cerca de 500 localidades) e distribuindo as suas terras aos imigrantes judeus, Israel tornou impossível o regresso de uma boa parte dos refugiados aos seus lares. A esmagadora maioria dos refugiados amontoou-se em acampamentos na Faixa de Gaza, na Cisjordânia, na Jordânia, na Síria e no Líbano. Ajuda a esclarecer o nível de tensão do Médio Oriente alguns dados do Banco Mundial. De acordo com a instituição financeira, das 14 nações do mundo que gastam mais de 5% do PIB com militarismo, sete estão no Médio Oriente. Outros números revelam que os 20 países encravados no Médio Oriente compraram 40% de toda a produção de armas dos Estados Unidos em 2001. Com excepção de Israel e Turquia, todos os seus países não são democráticos, têm ditaduras ou governos autoritários. Poucos comercializam entre si e poucos têm uma identidade colectiva que una seus cidadãos. No Corão, livro sagrado dos muçulmanos, os israelitas são definidos como elementos minoritários e como um povo no qual não se deve confiar e que precisa ser mantido sob domínio. A porção oriental de Jerusalém é reivindicada pelos dois lados. Os palestinos querem instalar ali a capital de seu tão sonhado Estado. Até hoje, não houve acordo de paz que fizesse os inimigos chegarem a um consenso. A chamada Diáspora intensificou-se no ano 70 d.C. por motivo religioso, em consequência da destruição do Templo Sagrado de Jerusalém pelos romanos. Apesar de dispersos, os israelitas mantiveram vínculos emocionais e históricos com a pátria mãe perdida e sempre defenderam um reencontro. Situação dos cristãos Os cristãos católicos representam 1,6 % da população nesta zona do planeta. “Em geral, os muçulmanos não distinguem entre religião e política”, sendo esta a principal causa de atritos com os cristãos, afirmou o relator do Sínodo dos Bispos para o Médio Oriente, o Patriarca de Alexandria dos Coptas (Egipto), Antonios Naguib. Afirmando que os cristãos

“se sentem numa situação de não-cidadãos, ainda que se encontrem na sua pátria, nos seus países muito antes do Islão”, lembrou que “o Ocidente é identificado com o cristianismo e as decisões dos seus Estados são atribuídas à Igreja”, quando na verdade “os seus governos são laicos e cada vez mais se opõem aos princípios da fé cristã”. Daí a importância de “explicar esta realidade e o sentido de uma laicidade positiva que distingue o político do religioso”. Perante o Papa Bento XVI, que presidiu à sessão, D. Antonios Naguib apelou a “um reconhecimento que passe da tolerância à justiça e à igualdade, baseado na cidadania, liberdade religiosa e direitos humanos”. E recordou que a posição dos cristãos árabes “é muito delicada”, tendo-se referido à sua situação nos territórios palestinos, onde “a vida é muito difícil, às vezes insustentável”. Denunciou ainda a indiferença da “política mundial” ao não ter “em suficiente consideração a situação trágica dos cristãos no Iraque, que são as “vítimas principais da guerra e das suas consequências”. A liberdade de culto está constitucionalmente garantida na maior parte dos países do Médio Oriente, mas o prelado denunciou a existência de leis e práticas limitadoras da liberdade de consciência. Sublinhando que a “Igreja Católica condena com firmeza todo o proselitismo”, o patriarca lamentou a existência de obstáculos, em alguns países, a quem deseja aderir ao Evangelho “por temor de represálias”. Quanto à presença dos cristãos no Médio Oriente, esta deve distinguir-se pelo “serviço aos demais” e não pela “pertença confessional”: “A nossa tarefa primordial é viver a fé, deixar que as nossas acções falem por si, ver a verdade e proclamá-la na caridade, com coragem”. Por isso, recusa o anti-semitismo: “Distinguimos a realidade religiosa da realidade política”. Os “numerosos” estabelecimentos de ensino, os centros médicos e as instituições de apoio social da Igreja “constituem um testemunho eloquente do amor ao próximo, sem distinção nem discriminação alguma”, assinalou D. Antonios Naguib.


4 CULTURA

O Mensageiro

14.Outubro.2010

“À Tarde na Casa-Museu” No dia 20 de Outubro, das 15h00 às 16h30, realizase “À Tarde na Casa-Museu João Soares”, iniciativa que proporciona actividades dirigidas a crianças do 4º ao 8º ano (9-14 anos), pensadas para ensinar e, ao mesmo tempo, mantê-las ocupadas, contribuindo para uma aprendizagem mais fácil e divertida através dos jogos desportivos. O local de encontro dos participantes é na Biblioteca João Soares.

‘Líderes e Lideranças em Escolas Portuguesas – Protagonistas, Práticas e Impactos’

José Manuel Silva lança livro

José Manuel Silva, vice-presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), apresentou, a 7 de Outubro, o seu livro “Líderes e Lideranças em Escolas Portuguesas – Protagonistas, Práticas e Impactos”, no auditório da Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS) do IPL, em Leiria. Estiveram presentes Nuno Mangas, presidente do IPL, Luís Barbeiro, director da ESECS, Raul Castro, presidente da Câmara de Leiria, José Matias Alves, representante da Fundação Manuel Leitão, David Justino, ex-Ministro da Educação e professor na Universidade Nova de Lisboa, Cristina Nobre, coordenadora do Departamento de Línguas e Literatura da ESECS, e Paiva de Carvalho, Governador Civil de Leiria. “A importância da obra apresentada e o seu contributo para a compreensão da importância do papel dos líderes no processo da educação” foram alguns dos elementos destacados pelos intervenientes, salientando a “sua a qualidade científica e o valor do percurso profissional do seu autor”. Os SAMP Sax Quartet iniciaram a Sessão com um recital de algumas obras para quarteto de saxofones.

Internet, vídeo-jogos, música, filmes com acesso gratuito

Fonoteca da Vieira de Leiria já abriu A Fonoteca Municipal de Vieira de Leiria, situada no primeiro andar do CineTeatro Actor Álvaro, no Largo da República, reabriu ao público na passada sextafeira, 8 de Outubro. O momento foi assinalado pela presença do presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Álvaro Pereira, do presidente da direcção da Biblioteca de Instrução Popular, Rui Pedrosa, e de cerca de meia centena de alunos e docentes da Escola do 1º CEB António Vitorino. O presidente da Câmara lembrou que, “criado em 2005, este espaço para fruição pública tem estado encerrado nos últimos dois anos, o que muito lamentamos. Pela sua função social e pelas mais-valias que representa para a população, tudo fizemos para proceder à sua reabertura”. A Biblioteca de Instrução Popular está responsável pela gestão do espaço, a quem o autarca agradeceu

DR

Actividades escolares nas Cortes

o empenho neste processo. Este projecto da autarquia tem como objectivo “a disponibilização de um espaço com equipamentos que proporcionem a criação de oportunidades junto dos jovens para o contacto com as novas tecnologias de informação, de comunicação e de entretenimento”, referiu.

Álvaro Pereira acrescentou que se visa “motivar a aproximação de novos públicos, nomeadamente os juvenis, à participação social e à cidadania, potenciando aprendizagens capazes de melhorar a sua integração social e profissional”. A Fonoteca Municipal funcionará como centro de

recursos e centro de convívio dos jovens e demais população do concelho, com observância dos princípios da igualdade e da gratuitidade. Os equipamentos destinam-se à utilização gratuita da população. Por isso, convidou “todos os vieirenses a usufruir da Fonoteca que é de todos para todos”.

A Marinha e o Poder Político em Portugal no século XX João Freire

Diálogo em tempo de escombros Manuel Clemente com José Manuel Fernandes

Uma Atracção Irresistível Irmã Raquel Silva

Com base em investigação de arquivos, de imprensa e bibliográfica, este livro apresenta uma síntese das relações da Marinha de Guerra Portuguesa com o poder político ao longo do Século XX, incluindo a participação de seus membros nos órgãos superiores do Estado e as acções de força internas. Quatro regimes políticos – a Monarquia Constitucional, a República Parlamentar, a Ditadura do Estado Novo e a República Social-Democrática – são assim postos em confronto analítico. São ainda feitas sintéticas caracterizações da Marinha em cada um destes períodos e vistos os principais efeitos nela provocados pelas mudanças políticas.

Pedra da Lua

na nossa estante

O Segredo do Poder Teen Paul Harrington

Páginas a&b Maria Luísa Cabral (dir.)

Lua de Papel

Gabinete de Estudos a&b

Se alguma vez tiveste um sonho, uma ambição secreta, um desejo apaixonado, mas não fazias a mínima ideia de como o tornar real, então “O Segredo do Poder Teen” é o livro para ti. “O Segredo” já mostrou a milhões de pessoas em todo o mundo como podem mudar as vidas delas e tornar os seus sonhos realidade. E agora “O Segredo” está ao teu alcance. “O Segredo” dá-te o poder de ser, fazer, ou ter tudo aquilo que quiseres. E estamos a falar da riqueza, do sucesso, do amor, da saúde, da auto-estima… seja o que for que o teu coração desejar, tudo pode ser concretizado. Tudo o que precisas é de descobrir “O Segredo”.

“Então chegou a república. Ganhavam os homens doze ou treze vinténs, e as mulheres menos de metade, como de costume. Comiam ambos o mesmo pão de bagaço, os mesmos farrapos de couve, os mesmos talos.” José Saramago é evocado – “Levantado do chão”, 5.ª edição, Lisboa: Caminho, 1983. p. 33 - na 5.ª edição da Páginas a&b: revista de arquivos e bibliotecas digitais, dedicada à investigação científica nas área das ciências da informação. Nesta edição, destacamos o artigo “A memória da imprensa regional: Análise crítica da preservação e ao acesso de conteúdos digitais”, da autoria de Pedro Jerónimo, jornalista de O Mensageiro a desenvolver tese de doutoramento sobre Ciberjornalismo de Proximidade.

José Rodrigues Miguéis/ José Saramago Correspondência 1959-1971 Editorial Caminho A correspondência mantida entre José Rodrigues Miguéis e José Saramago reporta-se ao tempo em que este exercia as funções de director literário na Editorial Estúdios COR, Lda, a editora onde Miguéis publicava igualmente a sua obra. A troca de correspondência cessa precisamente em 1971, data em que José Saramago se demite do cargo, logo de seguida preenchido por Natália Correia, com quem Miguéis manterá igualmente regular correspondência, enquanto poeta, ocupou aquele mesmo lugar. Estamos na verdade perante dois conjuntos de peças literárias que são simultaneamente dois preciosos testemunhos de uma época da nossa vida social e cultural.

A última década foi, para Portugal, uma década perdida? Podemos ter esperança no futuro? Como portugueses, temos “medo de existir”, ou temos “Histórias a mais”? Que papel tem a Igreja Católica hoje em Portugal? E no mundo? No centenário da República, que balanço das relações entre o estado e a Igreja? Será que vivemos tempo de novos ateísmos, e de novos anticlericalismos? Bento XVI tem sido o Papa de que a Igreja e o mundo necessitavam? Eis algumas das questões que, colocadas por José Manuel Fernandes, serviram como ponto de partida para esta troca de cartas com Manuel Clemente, Bispo do Porto e Prémio Pessoa.

Edições Tenacitas Aqui se abrem não só portas de um mosteiro, que por séculos pareciam fechadas, mas se desvela um estilo de vida e concretamente um caso de adesão livre a uma radicalidade feliz e serena. A centralidade e o primado de Deus, requeridos a qualquer cristão, assumem na vida contemplativa uma resposta radical, dada a opção preferencial pelo silêncio e pela oração. É dado um particular realce nesta obra ao modo de encarar a crueldade do sofrimento. A reacção cristã, contada na primeira pessoa, irmana o leitor e questiona muitos comportamentos que facilmente nos movem em situação semelhantes. Que esta sugestiva e atraente narrativa leve muitas pessoas a interrogar-se sobre o sentido profundo da sua vida.


CULTURA 5

O Mensageiro 14.Outubro.2010

Aristocrata inglês visitou o monumento em 1794

Para crianças dos 0 aos 5 anos

William Beckford no Mosteiro da Batalha Com cerca de 35 figurantes e recorrendo a escritos do Século XVIII, decorre nos dias 16 e 17 de Outubro a reconstituição da visita de William Beckford ao Mosteiro da Batalha, ocorrida originalmente em 1794. A iniciativa pretende dar a conhecer ao público esta personagem polémica e excêntrica que no Século XVIII visitou o nosso país e a Batalha e cujas memórias e recordações deste monumento não mais esqueceu.

A reconstituição histórica vai contar com o trabalho de actores profissionais do

Grupo de Teatro “O Nariz” e iniciar-se-á no pórtico principal do Mosteiro, com

a chegada a cavalo do aristocrata inglês, acompanhado por Monges de Alcobaça. Será feita em duas sessões, uma no sábado, pelas 21h30, e outra no domingo, às 17h30. Esta iniciativa está inserida no âmbito da Rede de Mosteiros Património da Humanidade e conta com o apoio do Programa “Mais Centro”. As entradas são limitadas por sessão, tendo início junto à entrada principal do Mosteiro.

III Antologia de Poetas Lusófonos apresentada em Pombal

Depois de ter publicado as ‘I e II Antologias de Poetas Lusófonos’ a editora Folheto lançou no dia 9 de Outubro, em Pombal, mais uma compilação de poemas com a ‘III Antologia’, no Auditório da Biblioteca Municipal de Pombal. A sessão contou com Narciso Mota (Presidente da Câmara Municipal de Pombal), Arménio Vasconcelos (escritor e reconhecido advogado leiriense) e Adélio Amaro (gerente da Folheto). Na sessão houve alguns momentos de poesia com a participação de vários poetas e actuação do Grupo de Tunos de Leiria.

DR

A poesia reuniu 98 autores num livro

CINEMA Teatro Miguel Franco (Leiria) • TERRA FRIA | drama | de António Campos | c/ Joaquim D’Almeida, Cristina Marcos, Ana Bustorff | 14 de Outubro, 21h30 Cine-Teatro de Monte Real • SOLDADOS DA FORTUNA | acção | de Joe Carnahan | c/ Liam Neeson, Quinton ‘Rampage’ Jackson, Bradley Cooper | 15 a 17 de Outubro, 21h30 Cine-Teatro Actor Álvaro (Vieira de Leiria) • MIÚDOS E GRAÚDOS | comédia | de Dennis Dugan | c/ Adam Sandler, Salama Hayek, Steve Buscemi Cine-Teatro de Alcobaça • O SEGREDO DOS SEUS OLHOS | drama | de Juan José Campanella | c/ Ricardo Darín, Soledad Villamil, Pablo Rago | 17 e 18 de Outubro, 21h30; dia 17, 17h00 Cine-Teatro da Nazaré • CARTAS PARA JULIETA | comédia | de Gary Winick | c/ Amanda Seyfried, Chris Egan, Gael García Bernal | 14 a 17 de Outubro, 21h45

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Tour do Noddy - infantil/juvenil (15 e 16/10 11h00 e 15h00) Teatro Miguel Franco - Leiria •”Os Republicanos” - teatro (16/10, 21h30) •”Cancioneiro da Região de Leiria” - apresentação (17/10, 18h00) • Semana da luta contra a pobreza - dança “Annarella” (19/10, 21h00) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”A gata borralheira” - hora do conto (15/10, 14h30 e 20/10, 10h30) •”Os monstros na escola” - infantil/juvenil (20/10, 14h30) Livraria Arquivo - Leiria •”A vida nãos basta” - encntros na Arquivo (14/10, 18h30)

Largo 5 de Outubro (Largo do Papa) - Leiria •”Semana de sensibilização para a luta contra a pobreza” (17/10, 15h00) Fórum Fnac - Leiria •”À descoberta do da Vinci” - infantil/juvenil (17/10, 11h30) •”The Gilbert´s Feed Band” - música (16/10, 17h00) Associação Célula e Membrana/a9)))) - Leiria • Alfredo Costa Monteiro(Pt)+Tim Olive(JP) - música (16/10, 19h30) C.C.R. de Bidoeira de Cima - Leiria •”As Tecedeiras” - XXIII Festival de Folclore (17/10, 15h00) Casa-Museu João Soares - Cortes • Tardes no museu - infantil/juvenil (20/10, 15h00~16h30) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”Uma história de dedos” - hora do conto (marcação prévia) •”Ruca é amigo dos animais” - filme (20/10, 15h30) Galeria Municipal - Marinha Grande •”A República e a Maçonaria” - conferência (16/10, 16h00) Museu do Vidro - Marinha Grande •”Meter as mãos no vidro” -infantil/juvenil (4ªs a 6ªs, 10h00 e14h30) •”Ateliê do vidrnho” - infantil/juvenil (~26/11) Museu Joaquim Correia - Marinha Grande •”És bom observador” - actividades educativas (14,21 e 28/10,9h30~10h) Mosteiro da Batalha • Reconstituição da visita de William Beckford ao Mosteiro (16 e 17/10) Auditório Municpal da Batalha • XV edição do ACASO - Festival de teatro (27/10 e 10 e 24/11) Café Concerto - Pombal • Palco aberto (6ªs do mês, 23h00)

EXPOSIÇÕES

Castelo de Leiria •”A Ferro e Pedra” - escultura de Alexandre Estrela (~31/10)

Música para Bebés na Batalha A SAMP (Sociedade Artística e Musical dos Pousos) vai promover nas quatro freguesias do concelho da Batalha o espectáculo infantil “ISHIZUKA - O Afinador de Sonhos”, destinado a bebés dos 0 aos 5 anos acompanhados por dois familiares. As sessões são idealizadas para as crianças, tendo como elemento centralizador a música, em que o bebé será convidado a ouvir e a participar de forma activa e respondendo aos estímulos sonoros. As sessões decorrem nos seguintes dias / locais: • 16 de Outubro às 17h00 - Biblioteca da Batalha • 30 de Outubro às 17h00 - Junta da Golpilheira • 20 de Novembro às 17h00 - Centro Paroquial do Reguengo do Fetal • 4 de Dezembro às 17h00 - Junta de São Mamede As entradas são gratuitas, mas serão limitadas, pelo que é obrigatória a inscrição, para cultura@cmbatalha.pt ou 244769110.

No Posto de Turismo de Fátima

Atelier “Imagina Agora” expõe De 1 a 14 de Novembro, está patente ao público no Posto de Turismo de Fátima, uma exposição de pintura de um grupo de alunas e alunos, composto por adultos e crianças, do atelier “Imagina Agora”. A exposição pode ser visitada de Segunda-Feira a Domingo, no horário compreendido entre as 10h00 e as 13h00 e das 14h00 às 18h00. Esta exposição resulta da vontade dos responsáveis e alunos do atelier de mostrar à comunidade de Fátima a evolução artística destes alunos. Os trabalhos em questão variam em função das muitas técnicas de artes decorativas como telas a óleo e acrílico, pintura em caixas, pratos de vidro e chacota, malas de trapilho, restauração de peças antigas (tabuleiros, ferros, latas, entre outras peças).

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Passe, cidadão!” - Centenário da República (~21/11) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Letras e cores, ideias e autores da República” (~30/10) •”Re(s)Pública: as leituras” - Centenário da República (~13/11) Edifício Banco de Portugal - Leiria •”Re(s)Pública: os ambientes” - Centenário da República (~13/11) Arquivo Distrital - Leiria •”Re(s)Pública: os registos” - Centenário da República (~13/11) •”Um tiro no escuro” (~10/11) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria •”Insectaricos saltaricos” trabalhos em madeira (~5/11) Loja PONTO JA - Leiria •”Viagem ao país de 1900” - Centenário da República (~30/10) Galeria fotográfica da Fnac - Leiria •”City Models” - fotgrafias de Masimino Mastrorillo (~20/11) Associação Célula e Membrana/a9)))) - Leiria • Obra de Fernando Carradas (16/10~10/11) Museu Escolar - Marrazes •”A instrução na 1ª República” (~24/12) Agromuseu Municipal Dona Julinha - Ortigosa •”Sacas de retalhos à moda antiga” (3ªs~6ªs) Junta de Freguesia - Santa Eufémia •”A arte que o Côa guarda” - réplicas e fotograias (~31/10) Biblioteca Municipa - Marinha Grande •”Letras e Cores...” (~30/10) Museu do Vidro - Marinha Grande •”Vilma libana-arta da gravura em vidro” (~30/11) Teatro-Cine - Pombal • Pintura de Vitor Gonçalves Carvalho (~30/10) Museu Municipal - Ourém •”OUREMPUBLICA” - implantação da República em Ourém (~31/12)


6 SOCIEDADE

O Mensageiro

14.Outubro.2010

Inúmeras actividades marcam comemorações

presentação dramática com ideia e textos de Acácio de Sousa e arranjo cénico de Fernando Oliveira. O Roteiro do Centenário teve lugar logo de seguida, com início na Praça Rodrigues Lobo, terminando no Salão Nobre dos Paços do Concelho, Contou com a participação entusiástica de muitas pessoas, a exemplo dos roteiros do Centenário já realizados ao longo do ano e através dos quais os participantes se familiarizam com os topónimos das ruas da cidade, ligados a figuras que marcaram a implantação da República. Dia 7, “Os fados da República”, foi o espectáculo

Passeios Pedestres

Hábitos saudáveis na Marinha Grande A Câmara Municipal da Marinha Grande organiza mais um passeio pedestre no dia 17 Outubro de 2010, com concentração pelas 09h00 no Parque Mártires do Colonialismo, na Marinha Grande. A participação é gratuita e não carece de inscrição prévia. O passeio, com grau de dificuldade moderada, realiza-se nas praias de Pedras Negras, São Pedro de Moel e Água de Madeiros, e tem uma extensão aproximada de 8 quilómetros. Esta iniciativa tem como objectivo fomentar a prática de estilos de vida saudáveis junto da população e incutir o gosto de fruição do meio natural. A Câmara Municipal cede transporte do Parque Mártires do Colonialismo até ao início do passeio, trazendo os pedestrianos para o Parque no final da iniciativa. Será ainda oferecido lanche aos participantes a meio do percurso. No final do passeio será feito um piquenique, pelo que se sugere aos participantes que levem os alimentos que considerarem pertinentes para o referido convívio.

de música que inundou o Teatro José Lúcio da Silva com a alma do fado, que evocou a voz dos poetas que marcaram uma época. Acompanhados com uma linguagem musical portuguesa, orgânica mas moderna, mostrou assim os caminhos que a República abriu ao nível de mentalidades, de vivências e de paixões. Este foi um grande momento muito apreciado por todos os que tiveram o privilégio de assistir às excelentes interpretações em palco. O dia 9, à tarde, foi dedicada aos mais pequeninos com a peça de teatro infantil “O Rei Vai Nu”, que

teve lugar no Teatro Miguel Franco. A noite foi dedicada aos ilustres convidados do Banquete Republicano, uma encenação de um banquete à época da Implantação da República. No passado domingo, dia 10 de Outubro, decorreu no Largo da República, em frente ao edifício dos Passos do Concelho, a recriação histórica do ambiente vivido no fim da monarquia, com todo o movimento de revolta entre os adeptos daquele regime e a Carbonária. Cantou-se a portuguesa, jogou-se futebol, desporto herdado dos ingleses, assistiu-se ao anúncio do Regicí-

dio, houve duelo de pistola e espada e, finalmente, a inúmera assistência assistiu à actuação do Circo Carroça, que apresentou o halterofilista, o mago orelhudo, os malabarismos das siamesas Marisol e o homem narigudo. Seguiu-se, já na escadaria do edifício dos Passos do Concelho, a recriação da luta pelos ideais republicanos, terminando com Vivas à República. Foi entretanto arreada a bandeira monárquica e hasteada a bandeira republicana. Já no Salão Nobre dos Paços do Concelho foi igualmente recriada a primeira Assembleia de 7 de Outubro de 1910, onde foram eleitos os vogais da primeira Comissão Municipal Republicana. Posteriormente foi realizada a eleição do Presidente e Vice-presidente da referida Comissão, respectivamente Inácio Veríssimo de Azevedo e José Jacinto da Assunção. Deu posse a estes novos eleitos, o Presidente cessante José António Correia Mateus. A reunião de 10 de Outubro de 1910 teve como pontos de ordem a Inauguração do Edifício dos Paços do Concelho, da autoria do Arquitecto Ernesto Korrodi e a proposta de alteração da toponímia de artérias e

praças da cidade. No próximo dia 16, será levada ao palco do teatro Miguel, a peça “Os Republicanos”, que nos fala de ‘Pisquinho’, um rapazinho observador, nascido no dia 1 de Janeiro de 1900 no bairro da Madragoa e, através dos seus olhos, vemos o desenrolar de eventos, ano após ano, nas ruas de Lisboa, até à Implantação da Republica. A Conferência “A República e a Educação”, apresentada pelo Professor Doutor Reis Torgal, terá lugar dia 30, pelas 15h30, no Museu Escolar, em Marrazes. No mês de Novembro será dada continuidade às comemorações locais do Centenário da República, com a apresentação da Conferência “A Primeira República em Leiria e na sua Região”. Tal evento terá lugar no dia 6, pelas 9h30, no Auditório do Instituto Politécnico de Leiria assim como o Concerto Comemorativo do Centenário da República, a levar a efeito pela Filarmonia das Beiras com os Coros de Leiria, dia 7, pelas 21h30, no Teatro José Lúcio da Silva.

Comemorações do Centenário da República na Marinha Grande

“Do Regicídio à Implantação da República” A inauguração da exposição “Do Regicídio à Implantação da República”, que teve lugar na Galeria Municipal no passado Sábado, dia 02 de Outubro, marcou o início das comemorações evocativas do Centenário da Implantação da República, uma organização conjunta da Câmara Municipal e do Rotary Club da Marinha Grande. A cerimónia incluiu um momento teatral a cargo do Grupo de Teatro do Sport Operário Marinhense, com uma recriação dos acontecimentos da época, a que se seguiram as intervenções do Sr. Presidente da Câmara Municipal, da representante do Governador Civil de Leiria e do Sr. Gabriel Roldão, um dos coordenadores da exposição. O evento encerrou com a conferência “O Ideal Republicano nos manuais de Educação Cívica na Primeira República” proferida

DR

Entre os dias 5 e 10 de Outubro o centenário da República foi assinalado em Leiria, com muitas iniciativas, que simbolicamente, marcaram esta data determinante para a história de Portugal. Dia 5 de Outubro, data em que foram comemorados os cem anos da República, a Praça Rodrigues Lobo foi palco do “Uníssono Virtual”, que contou com a participação da Sociedade artística e Musical de Pousos e através do qual, às 10h30, em diversas zonas do País, foi cantado, com muita emoção, o Hino Nacional. O concerto “Sons da República”, dirigido pelo Maestro Alberto Roque, foi outro momento de grande significado, que encheu a Praça Rodrigues Lobo de público, que numa tarde amena de Outono ouviu e sentiu e aplaudiu os sons que há cem anos marcaram a mudança política e social do país. Seguiu-se a Proclamação da República, numa interpretação conjunta da Escola EB1 Quinta do Alçada e da Banda Filarmónica da Amieirinha. Esta interpretação dramática do evento histórico da Proclamação da República, e que empolgou os pequenos intérpretes e quem assistiu, foi uma re-

DR

Leiria comemora o centenário da República

por Rosário Batalha. “Do Regicídio à Implantação da República” é, como o próprio nome indica, uma abordagem dos acontecimentos históricos desencadeados com a morte d’ El-Rei D. Carlos I e seu filho D. Luís Filipe em 1908, o período tumultuoso com a intervenção maçónica que culminou na

Implantação da República, até à eleição de Manuel de Arriaga em 1911. As repercussões que estes factos tiveram na Marinha Grande é igualmente contemplada, o que possibilita a ligação entre tão importante data nacional e a história local. Composta por documentos originais e objectos históricos

de grande importância, a exposição permite um contacto diferente com a história, complementado com imagens emblemáticas da época. Um conjunto de jornais originais “define” o percurso histórico e a exposição de livros, objectos maçónicos, moedas e selos monárquicos e republicanos - com especial destaque para o depoimento manuscrito do Rei D. Carlos I aquando da sua visita à Marinha Grande em 1892 e uma condecoração por ele atribuída - permitem uma envolvência peculiar com o passado. Esta exposição poderá ser visitada gratuitamente até dia 28 de Novembro, na Galeria Municipal da Marinha Grande, de quarta-feira a Domingo, das 11h00 às 13h30 e das 14h30 às 19h00.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 14.Outubro.2010

Problemas de insersão dos estudantes em debate

16 e 17 de Outubro

Câmara reúne-se com alunos do IPL Realizou-se, no dia 8 de Outubro, uma reunião na Câmara Municipal de Leiria onde foi analisada e debatida a forma como tem decorrido a inserção dos novos estudantes na cidade de Leiria, assim como os problemas que têm ocorrido na cidade, em particular na sua zona histórica. Foram igualmente analisadas as acções que podem ser desenvolvidas em conjunto para resolver os problemas actualmente existentes. Foi consensual entre os presentes que os pro-

blemas que têm surgido têm causas diversificadas e múltiplas, não podendo ser unicamente imputados aos estudantes do ensino superior. Efectivamente, apesar de ser reconhecido pelos presentes que se verificam por vezes excessos por parte de alguns estudantes do ensino superior, o problema é muito mais vasto e envolve um conjunto diversificado de intervenientes e de causas. Por parte dos responsáveis da Câmara Municipal e do Instituto Politécnico foi

referida a necessidade de conciliar as actividades de natureza lúdica com uma convivência cívica que não ponha em causa os deveres próprios e os direitos dos outros cidadãos, nomeadamente daqueles que habitam na zona histórica da cidade de Leiria. Por parte dos representantes dos estudantes foi referido que iriam intensificar as acções de sensibilização junto dos colegas, alertando-os para a necessidade destes terem práticas socialmente responsáveis, em particular, quando se

encontram em espaços públicos ao ar livre, em zonas habitacionais. Adicionalmente, os representantes dos estudantes presentes demonstraram total disponibilidade para colaborarem com a Câmara Municipal no sentido de serem identificadas medidas que permitam reduzir de forma substancial alguns dos problemas referenciados. Mostraram ainda grande abertura para colaborar de forma activa na implementação das mesmas.

IPL apresentou campanha e esclarece o “7.º Programa Quadro”

“Tudo por uma Causa Maior” No dia 11 de Outubro, pelas 15h00, foi apresentada a campanha ‘Tudo por uma Causa Maior’, este ano com uma consciência ‘‘Todas as crianças têm o direito de brincar’, uma declaração das Nações Unidas dos Direitos da Criança (1959/reiterado a 1990). Quando as crianças brincam, conhecem-se a si mesmas e aos outros. Descobrem o Mundo. Exercitam novas habilidades. Criam vínculos. Desenvolvem-se aos níveis cognitivo, psicomotor e afectivo. No entanto, as crianças especiais são confrontadas com obstáculos que as impossibilitam de usufruir destes momentos. É aqui que o Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID), do IPL, tem vindo a intervir, através da “Campanha Mil Brinquedos, por Mil Sorrisos”,

recebendo brinquedos electrónicos, novos ou usados, que são adaptados por estudantes e professores, tratados, embrulhados, e oferecidos numa cerimónia simbólica às crianças que deles precisam, nomeadamente, crianças com deficiências motoras. Este ano, o CRID lança a 3.ª Edição desta Campanha, que não oferece dinheiro, mas sorrisos. E, para que tudo se desenrole com o maior sucesso possível, o IPL apela à ajuda de todos. O objectivo consiste em ter brinquedos que encherão as caixas do IPL e, consequentemente, mais crianças terão o direito a brincar e a sorrir. Também foi abordada a cerimónia de entrega dos brinquedos, que decorrerá durante a Gala da Inclusão, promovida pelo IPL, em conjunto com a Câmara

Municipal de Leiria e Governo Civil, e que contará com a presença de Maria Cavaco Silva. 7.º Programa Quadro Entretanto, no dia 19 de Outubro, o IPL promoverá, com a colaboração do Gabinete de Promoção do ‘7.º Programa-Quadro de I&DT’ (GPPQ), uma sessão de informação sobre o ‘7.º Programa Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico’ (7.º PQ). A sessão decorrerá dia 19 de Outubro, no auditório dos Serviços Centrais do Instituto, pelas 14h30, e destinase aos professores/investigadores IPL, bem como às empresas da região. O ‘7.º Programa Quadro’ possui um orçamento global superior a 50 mil milhões de euros para o período 2007-2013, sendo maior instrumento da Co-

munidade Europeia, especificamente orientado para o apoio à investigação, através do co-financiamento de projectos de investigação, desenvolvimento tecnológico e demonstração. O gabinete de promoção do ‘7.º Programa-Quadro de I&DT’ foi criado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), com o objectivo de promover e apoiar a participação das comunidades científica e empresarial nacionais no 7.º PQ. Este Gabinete estabelece a ligação entre os investigadores e empresas portuguesas e o 7.º PQ, nomeadamente, através da Rede de Pontos de Contacto Nacional (NCP). São alguns destes Pontos de Contacto Nacional que estarão presentes na sessão a ter lugar no IPL.

Hospital de Leiria recebe oferta da empresa Exporlux

Candeeiros especiais no serviço de Pediatria A Unidade de Cuidados Especiais Neonatais e Pediátricos (UCEP) do Serviço de Pediatria do Hospital de Santo André (HSA) recebeu seis candeeiros especiais para iluminação das incubadoras, um donativo da Exporlux, uma empresa sedeada em Águeda e especializada em soluções de iluminação técnica e decorativa para interior e exterior. Os seis candeeiros, com um valor total

de três mil euros, estão já instalados no serviço e completamente funcionais. Estes candeeiros são considerados equipamentos de electromedicina e têm particularidades técnicas específicas para este tipo de serviço, como por exemplo a não interferência com o restante material eléctrico, e a regulação da intensidade da iluminação e da área iluminada. Bilhota Xavier, director do Serviço

de Pediatria explica que “estes candeeiros têm características especiais que permitem iluminar apenas um local, ou seja, ao iluminar o berço de um bebé que está em tratamento, salvaguardam o repouso dos outros bebés”. O donativo surgiu na sequência de um pedido feito pelo HSA à Exporlux para fornecimento destes equipamentos para a UCEP, e que a gerência da empresa

optou por doar ao serviço. Helder Roque, Presidente do Conselho de Administração, refere que gestos como este são sempre bem-vindos e em nome do Hospital de Santo André agradece à Exporlux a oferta deste equipamento, congratulando-se por cumprir o seu estatuto social de empresa, ao manifestar as suas preocupações no apoio às instituições de saúde e aos seus doentes.

‘Tasquinhas da Mendiga’ Nos próximos dias 16 e 17 de Outubro vão realizarse as ‘Tasquinhas da Mendiga’. A juntar aos petiscos da região e à exposição de artigos regionais, haverá animação com ‘DJ SET’ e karaoke.

Vermoil

Bodo das Castanhas Mantendo a tradição secular da Feira do Bodo das Castanhas, que se realiza no último domingo de Outubro, nos dias 29, 30 e 31 de Outubro, em Vermoil, vai haver tasquinhas regionais. Será um fim-se-semana com muitas castanhas a aquecer o espírito de partilha, dando vida às tradições, à cultura e ao convívio.

Leirienses de idade igual ou superior a 60 anos

Passeio da Junta de Freguesia

Estão abertas as inscrições para o passeio anual que a Junta de Freguesia de Leiria habitualmente realiza, para cerca de 300 pessoas, em comemoração do Dia Mundial da Terceira Idade. Este ano é realizado em parceria com o Grupo Sociocaritativo da Cruz da Areia. Decorrerá a 24 de Outubro e incluirá uma visita às ruínas e museu de Conímbriga, seguida de almoço e tarde convívio (com baile e lanche) em Ansião. O evento destina-se a eleitores da Freguesia de Leiria, de idade igual ou superior a 60 anos e/ou reformados. As inscrições são na Junta de Freguesia de Leiria.

Batalha investe mais de 80 mil euros

Tratamento de vias respiratórias O Município da Batalha vai adquirir dois postos de tratamento das vias respiratórias a instalar no Centro Hospitalar Nossa Senhora da Conceição. O investimento, que ultrapassa os 80 mil euros, será de futuro instalado no edifício das Termas das Salgadas e vai permitir realizar tratamentos de Inalações Quentes, Duche Nasal e Aerosol Termal. Os equipamentos vão permitir no imediato, assegurar alguns tratamentos da especialidade de Otorrinolaringologia no Hospital Nossa Senhora da Conceição.

Entrega na prevenção e combate dos Incêndios

Batalha agradece a Bombeiros

Seguindo a sugestão da Associação Nacional de Municípios, o Município da Batalha expressou aos Bombeiros Voluntários da Batalha o seu agradecimento público pelo empenho e abnegação com que vigiaram a floresta e todo o território concelhio, assumindo uma postura de alerta e de total entrega para com o combate aos incêndios florestais. Num Verão particularmente complexo, com milhares de hectares de área ardida no nosso país de que resultam enormes danos pessoais e patrimoniais para inúmeros cidadãos, entende a Associação Nacional de Municípios Portugueses proceder ao reconhecimento do trabalho dos Bombeiros de Portugal pelo seu empenhamento e abnegação com que assumiram a primeira linha de combate, efectivo, ao fogo florestal.

Rajendra Kumar Pachauri

Dirigente da ONU visita Fátima Rajendra Kumar Pachauri, presidente do Painel Intergovernamental das Alterações Climáticas (IPCC) da ONU, desde 2002, esteve de visita a Fátima, na companhia dos vereadores do Município de Ourém, José Manuel Alho e Nazareno do Carmo. Este era o responsável da IPCC em 2007, aquando da atribuição do Prémio Nobel da Paz a esta organização, partilhado com Al Gore. É o criador e responsável pela iniciativa “Lighting a Billion Lives”, cujo principal objectivo é o de levar electricidade e energia às áreas rurais mais remotas da Índia, através da energia solar (2005). Escritor de poesia e ficção, é autor de “Return to Almora”, romance publicado em 2010.


8 REFLEXÃO

O Mensageiro

14.Outubro.2010

[COLUNA SEMANAL]

Rumores da Visitação

CARTA PASTORAL

1

Caríssimos Diocesanos, Irmãos e Irmãs em Cristo, A vós, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. Bendito seja Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação. Ele nos consola em toda a nossa tribulação, para que também nós possamos consolar aqueles que estão em qualquer tribulação, mediante a consolação que nós mesmos recebemos de Deus. (2 Cor 1, 2- 4) Com estas palavras do Apóstolo Paulo saúdovos afectuosamente. Como ele, em união espiritual convosco, começo por abrir o coração bendizendo a Deus pelos dons de consolação com que confortou a nossa Igreja diocesana ao longo do ano pastoral findo.

Dons de consolação Destaco apenas alguns mais significativos em que sobressaíram a beleza e a alegria de ser e sentir-se Igreja – Comunhão de fiéis em Cristo e corresponsáveis na sua vitalidade: o retiro popular, durante a Quaresma, com a participação de 6000 pessoas; os encontros de formação, em cada vigararia, para os membros dos conselhos pastorais e económicos das paróquias, que abrangeram 1500 colaboradores; o culminar do ano pastoral com a “Festa da Fé: Rosto(s) da Igreja diocesana”. Este evento suscitou uma adesão popular surpreendente e deu visibilidade ao rosto da nossa Igreja na variedade das suas comunidades, dos seus movimentos, grupos e serviços. Foi uma verdadeira festa da fé que irradiou alegria, comunhão e fraternidade na cidade dos homens. Não posso deixar de referir as celebrações da abertura e do encerramento do Ano Sacerdotal, com a evocação de figuras exemplares de sacerdotes que pertenceram ao presbitério diocesano. Ajudaram, sem dúvida, a redescobrir o dom do sacerdócio para a beleza e saúde espiritual da Igreja e do mundo; a reforçar a fraternidade entre os padres; a cuidar das vocações sacerdotais. Considero uma verdadeira graça do Ano Sacerdotal a ordenação de um diácono e a entrada de seis novos seminaristas para o nosso Seminário Maior. Como momento culminante lembro a inesquecível peregrinação do Santo Padre a Fátima que nos trouxe um novo ânimo à fé e nos fez sentir Igreja viva, alegre e missionária.

A oração segundo Santa Joana de Chantal Quando a Santa Fundadora da Visitação começou a caminhar na vida espiritual sob a direcção de S. Francisco de Sales, aspirou sempre aos “cimos”. Todo o tempo em que não tinha de visitar os pobres, cuidar dos seus filhos e dos seus negócios, empregava-o em exercícios de piedade. A sua oração tornou-se rapidamente contemplativa. Sendo já religiosa, no decurso de uma viagem à Borgonha, a santa entrou na capelinha de uma paróquia para assistir à Missa. Logo que se ajoelhou, ficou em êxtase, perdendo o uso dos sentidos, e de tal maneira que não se apercebeu que o sacerdote chegara para celebrar. Acabada a Missa, o seu genro, que a acompanhava, perguntou à irmã que estava com ela se a oração da madre ainda se prolongaria. Ela respondeu que não ousava perturbá-la no seu recolhimento. Mas ele, como tinha pressa, despertou a santa, que ficou muito surpreendida. Foi preciso esperar que voltasse a si. Perguntou então porque motivo não a deixavam assistir à Missa. Tendo ouvido que já tinha sido celebrada, ficou em silêncio. Mas estava ainda tão absorta em seu êxtase, que

não sabia o que fazia, e nesse dia não pôde almoçar. Dava às suas irmãs muitos ensinamentos sobre a oração. “O essencial na oração, não é estar de joelhos, mas sim ter a nossa vontade unida à de Deus em todas as ocasiões, até mesmo a varrer...” “A simples presença do nosso espírito diante do seu Deus e a do seu espírito diante de nós, formam a oração, quer tenhamos bons pensamentos e bons sentimentos quer não os tenhamos.” “Quando estamos em oração, para que a sua graça destile pouco a pouco, é preciso que sejamos como um vaso aberto exposto diante de Deus, e permanecer assim contentes por sermos vasos vazios, que Ele encherá se Lhe aprover. Acontece que muitas vezes se pensa estar vazio, quando estamos cheios do espírito de Deus. Isto porque ignoramos as operações do Espírito Santo na alma. Tudo se passa interiormente e muitas vezes sem conhecimento próprio.” E noutro lugar ensina:”O grande método da oração é não existir método algum, quando o Espírito Santo se apodera da alma que medita, porque então Ele faz o que Lhe agrada, sem ser necessário

regras nem métodos... Se estando em oração podemos apresentar uma ainda que pequena capacidade para receber o Espírito de Deus, isso basta para todo o método. E mais adiante: “Se a alma sente alguns toques de Deus pelos quais Ele mostra que se quer comunicar a ela, então é preciso cessar toda a operação e esperar a vinda (do Espírito) e não O impedir, mas dispor-se, num grande silêncio interior e profundo respeito, a receber. Bem-aventurado quem se deixa conduzir inteiramente pelo atractivo de Deus, seguindo-O na simplicidade de coração, banindo do seu espírito toda a curiosidade ou desejo de se ver a si mesmo. Conheço almas que são conduzidas por este caminho de simplicidade, que têm dificuldade em exprimir o que se passa com elas, porque se trata de algo tão imperceptível, tão delicado, que não conseguem traduzir em palavras o seu estado de alma. A Madre de Chantal, certo dia, durante uma reunião, expôs às suas Filhas o que entendia por martírio de amor. “Minhas queridas Filhas: S. Basílio (era dia da festa deste Santo) e a maior parte dos Padres da Igreja,

não foram martirizados. Porque vos parece que isto aconteceu?” Depois de cada uma ter dado a sua resposta, a santa expôs o seu pensamento: É porque há um martírio que se chama martírio de amor, no qual Deus, mantendo na vida os seus servos para trabalharem para sua glória, os faz mártires e confessores.” Uma Irmã perguntou-lhe como se realizava isso. A santa explicou então: “ Dai a Deus o vosso consentimento e sentireis como é. Ficai a saber, minha Irmã, que o Amor faz passar a sua espada até ao mais secreto e íntimo das nossas almas e chega até a separar-nos de nós mesmos. “Uma Irmã quis saber que tempo durava esse martírio. “Desde o momento – esclareceu ela – em que nos entregamos a Deus sem reserva, até ao momento da nossa morte. Mas isto dá-se com os corações generosos e que são fiéis ao amor, porque os corações fracos e inconstantes, a esse nosso Senhor não os leva pelo caminho do martírio; deixa-os continuar na sua vida medíocre para que não se afastem d`Ele, porque nunca força a nossa vontade livre. Irmãs do Mosteiro da Visitação da Batalha

Congresso em Fátima

“Eucaristia: Comunhão com Cristo e com os outros” Nos próximo dias 27 e 28 de Novembro vai decorrer em Fátima, no Centro Paulo VI, o Congresso Eucarístico Diocesano Apostolado da Oração da diocese Leiria-Fátima. O Congresso inicia no dia 27, sábado, às 9h30 e serão apresentadas as

seguintes conferências: “Eucaristia: mistério acreditado”, “Eucaristia; mistério celebrado” e “Sagrada comunhão e culto do mistério eucarístico fora da Missa”. Ainda haverá a celebração da eucaristia às 18h00. No dia 28, domingo, será exposta a conferência

“Eucaristia: mistério vivido”. Neste dia ainda será realizado um painel temático “eu e a Eucaristia” e durante a a tarde actuará o grupo coral “Gaudia Vitae” (Mira de Aire). A eucaristia de encerramento, às 16h30, será presidida por D. António Marto, bispo diocesano

de Leiria-Fátima. A inscrição terá um custo de 5 euros (cada refeição na casa de retiros de Nª Senhora do Carmo é de 8,50 euros) e deverá ser preenchida e entregue até ao dia 13 de Novembro.

Divulgação

LMFerraz

CAMINHO... COM A


DIOCESE 9

O Mensageiro

14.Outubro.2010

Tribunal Eclesiástico da Diocese Leiria-Fátima

Celme Pedreiro toma posse como notária No passado dia 7 de Outubro, realizou-se no Semeninário Diocesano, a tomada de posse da Dr.ª Celme Brites de Oliveira Marques Pedreiro, como Notária do Tribunal Eclesiástico da Diocese de LeiriaFátima. Esta nomeação é válida pelo período de cinco anos e a nova notária exercerá o cargo segundo a Lei da Igreja e em comunhão com o Bispo Diocesano. Depois de um momento de oração, dirigido pelo

padre Dr. Fernando Clemente Varela, seguiu-se o

juramento. Celme Pedreiro terá como papel coadjuvar

o juiz instrutor, desempenhando as funções de notária, actuará mediante o registo em actas das declarações das partes e das testemunhas envolvidas no processo. Estiveram presentes o padre Dr. Fernando Clemente Varela, Vigário Judicial, Dr. Ilídio Gonçalves de Vasconcelos, Promotor de Justiça e Defensor de Vínculo, e o Dr. Ildo Rocha Silva, chefe de Chancelaria do Tribunal. Ana Vala (texto e foto)

Animação vocacional como serviço de caridade

Encontro para animadores vocacionais Os catequistas, os animadores vocacionais e de jovens das paróquias e demais comunidades cristãs são os principais destinatários do encontro de formação e sensibilização promovido pelo Serviço Diocesano de Animação Vocacional. É no Sábado, dia 23 de Outubro, das 10h00 às 12h30, no Seminário de

Leiria (entrada pelo lado da igreja). O tema a desenvolver é “Animação vocacional como serviço de caridade: ‘Como Eu vos fiz, fazei vós também’ (Jo 13,15)”. Este encontro visa os seguintes objectivos: proporcionar a experiência pessoal do amor de Jesus, tomar consciência das condições e atitudes para cativar para

Jesus na catequese e em outras actividades apostólicas, incentivar a prática do amor na catequese e outras actividades, e dar a conhecer propostas para a animação vocacional nas comunidades cristãs. Além das pessoas mencionadas, podem participar outras que tenham interesse no tema e nos objectivos

do encontro. As inscrições, sem qualquer custo, devem fazer-se até 20 de Outubro, para padre Jorge Guarda (email: sav@leiriafatima.pt; tel. 244 845 032; 962445325). Padre Jorge Guarda Coordenador do Serviço de Animação Vocacional

Cinquenta e Cinco – 55

Histórias de outro tempo e de hoje Fomos chegando... acompanhados da família que nos trazia “o enxoval”, garotos, vestidos de preto (outros tempos!). Alguns de carro (poucos!), outros de camioneta (ali mesmo ao pé), até de carroça... ali junto à Casa Catarino do lado da Casa Carmo do Santuário. Havia ali o posto da Polícia. Camarata longa, filas de camas alinhadas, colchas brancas, revíamos uma ou outra cara conhecida do exame de admissão, dois meses antes. Caras infantis, chorosas da despedida da família, aos magotes, íamos conhecendo os colegas do 2º ano. Sentado com à-vontade numa cama vizinha, feita de novo, levei um grande estalo dum aluno do 2º ano (Ó Vítor, Deus te tenha em descanso...). O dia 2 de Outubro de 1955 era um Domingo. Novos éramos 27. Passaram 55 anos. O Costa e Silva, do Pedrome, houve por bem oferecer-nos

Visita Pastoral à Diocese 14 a 17 de Outubro 2010

Paróquia das Matas Conforme informámos na última edição, D. António Marto irá retomar a Visita Pastoral à Diocese durante este mês de Outubro, desta vez pela vigararia de Colmeias. A primeira paróquia a receber o Pastor será a das Matas. O programa é o seguinte:

14 de Outubro (quinta-feira) 20h00 – Recepção oficial 20h15 – Eucaristia 21h00 – Assembleia Paroquial 15 de Outubro (sexta-feira) 18h30 – Visita à capela do Formigal 19h30 – Jantar casa paroquial 21h00 – Vigília Missionária 16 de Outubro (sábado) 15h30 – Encontro com a catequese da infância 16h30 – Lanche 17h00 – Encontro com adolescentes e crismandos 19h00 – Missa Vespertina no Lavradio 20h00 – Jantar/convívio no Lavradio 17 de Outubro (domingo) 10h30 – Missa com Crisma 12h00 – Almoço convívio

BREVES “Senhor, ensina-nos a rezar”

FMME organiza retiro Nem sempre a nossa oração é a ensinada por Jesus Cristo. Por vezes ela é uma tagarelice efusiva com Deus, outras vezes, uma repetição de fórmulas, onde nos distraímos e o espírito fica longe de Deus. A Fundação Maria Mãe da Esperança (FMME) oferece mais um retiro com o tema “Senhor, ensinanos a rezar”, certamente ajudará a nossa caminhada de oração. O retiro realiza-se de 18 a 20 de Novembro, no Seminário de Leiria. Inicia às 18h00 com o jantar e termina no sábado pela hora de almoço. As inscrições poderão ser feitas pelo telm.969310272, ou para a morada da nova sede, Rua da Barrada, nº. 2 Loureira -2495-124 Santa Catarina da Serra.

Peregrinação à Terra Santa

Catequese organiza viagem

a sua casa de campo para nos juntarmos, alguns dos sobreviventes... Cinco já faleceram... alguns dispersos pelo país e pelo estrangeiro, alguns por doença não puderam fazer-se presentes. Éramos 13. Adultos de vida feita, contada ao pormenor. O dia 2 de Outubro de 2010 era Sábado... 55 anos! Ninguém esqueceu de enaltecer a “formação” sólida de Seminário diocesano, que ainda perdura, em termos psicológicos, morais, religiosos e humanísticos. Aí aquele latim!

Titire, tu pato marreco... E a Matemática com o Lestro Henriques? E o Português com o padre Gaspar e Literatura com o Dr. Portela? E aquela “penca” do Adelino Gomes ao Prof. de latim: polegar espetado no na-

riz, palmo esticado para a Selecta – Assim está bem? Ai tempos! Comemorámos. Bela jornada! 2 de Outubro de 1955 / / 2 de Outubro de 2010

O Serviço Diocesano de Catequese está a programar uma Peregrinação Diocesana de Catequistas à Terra Santa, para os dias 15 a 22 de Fevereiro de 2011. Esta Peregrinação destina-se a catequistas da Diocese de Leiria-Fátima. Está já definido o programa geral da viagem, assim como as condições gerais de participação. As fichas de inscrição estão apenas disponíveis no Serviço Diocesano de Catequese, no Seminário de Leiria (tel. 244 825 168). Esta Peregrinação pretende ser também uma oportunidade para a formação bíblica, teológica e espiritual dos participantes. Por isso, além dos momentos de celebração e oração, haverá tempos de formação que serão orientados pelo padre Gonçalo Diniz e pelo padre José Henrique Pedrosa. O programa e outras informações encontram-se na página da diocese de Leiria-Fátima.

Horários de cartório da Sé Terça: 10h00 - 12h30 e 15h00 - 18h00 Quarta: 10h00 - 12h30 e 15h00 - 18h00 Sexta: 10h00 - 12h30 e 15h00 - 19h30


10 ECLESIAL

O Mensageiro

14.Outubro.2010

Tempo Comum (17/10/10)

Antífona de Entrada: Salmo 16, 6.8.9 Leitura I: Ex 17, 8-13 Salmo Responsorial: Salmo 120 (121), 1-8 (R. cf. 2) Refrão: O nosso auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra. Repete-se Leitura II: 2 Tim 3, 14 – 4, 2 Aclamação ao Evangelho: Hebr 4, 12 Refrão: Aleluia. Repete-se A palavra de Deus é viva e eficaz, pode discernir os pensamentos e intenções do coração. Refrão EVANGELHO: Lc 18, 1-8 Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos uma parábola sobre a necessidade de orar sempre sem desanimar: «Em certa cidade vivia um juiz que não temia a Deus nem respeitava os homens. Havia naquela cidade uma viúva que vinha ter com ele e lhe dizia: ‘Faz-me justiça contra o meu adversário’. Durante muito tempo ele não quis atendê-la. Mas depois disse consigo: ‘É certo que eu não temo a Deus nem respeito os homens; mas, porque esta viúva me importuna, vou fazer-lhe justiça, para que não venha incomodar-me indefinidamente’». E o Senhor acrescentou: «Escutai o que diz o juiz iníquo!... E Deus não havia de fazer justiça aos seus eleitos, que por Ele clamam dia e noite, e iria fazê-los esperar muito tempo? Eu vos digo que lhes fará justiça bem depressa. Mas quando voltar o Filho do homem, encontrará fé sobre a terra?». Palavra da salvação.

Cânticos | XXX Domingo do Tempo Comum (24/10/10) INÍCIO: Escutai Senhor a voz do meu clamor – Lau 344 Deus vinde em meu auxílio – Lau 288 Escutai, Senhor, a prece – Lau 343

“Contra a pobreza, tu podes ser a diferença”

Semana pretende sensibilizar população De 17 a 24 de Outubro “Tu podes ser a diferença”, durante a semana de sensibilização pela luta contra a pobreza. O dia 17 de Outubro é a data que assinala internacionalmente o Dia pela erradicação da Pobreza. Este ano acontece justamente poucos dias após a cimeira da ONU em Nova York que fez o balanço dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, balanço este que mostra como um conjunto de metas pelo combate à pobreza e o direito ao desenvolvimento, previstas para ser atingidas em 2015, revelam-se difíceis de atingir, sobretudo em algumas regiões do mundo. Na cidade de Leiria, o dia 17 de Outubro conta com a abertura de uma tenda no centro da cidade com vista à sensibilização da população para esta temática. Será igualmente inaugurada a exposição fotográfica subordinada aos temas «Crianças do Gungo» e «Ser jovem no Gungo», na sequência de um projecto co-financiado pela Comissão Europeia. Haverá ainda lugar para animação

DR

Leituras | XXIX Domingo do

infantil com a participação dos “Akunamatata” e são esperados diversos grupos musicais. Trata-se de um conjunto de actividades promovido pelo Grupo Missionário Ondjoyetu, da Diocese Leiria-Fátima, um grupo que nos últimos 10 anos já enviou 41 voluntários em missão para Angola, seja por períodos de um a dois meses no Verão, seja por um ou mais anos. Assim, com vista a sensibilizar a população para a causa da Pobreza, uma realidade também em Por-

tugal, o Grupo Missionário Ondjoyetu convida os leirienses a visitar a tenda e a exposição ao longo da semana, entre as 12h00 e as 20h00. Crianças de escolas do ensino primário também por ali passarão para ouvir contar histórias e mostrar os seus desenhos alusivos ao tema da pobreza. O espectáculo de dança «Para um mundo melhor», a cargo da Annarella – Academia de Ballet e Dança constitui outro ponto alto. Será no dia 19 de Outubro, no Teatro Miguel Franco, às 21h e a receita reverte

permissa. É ela que nos permite ter uma certa unidade e identidade interna como povo. Claro que com a abertura das sociedades provocada pela crescente globalização, não apenas dos mercados, mas sobretudo das comunicações (canais de televisão via satélite, internet, etc.) e da própria cultura, percebemos que em todos os povos e culturas há aspectos bons e maus, há pessoas boas e más. A própria motivação das nossas atitudes pessoais tornou-se cada vez mais relativa. No fim de contas podemos dizer que por nossa culpa (não apenas da religião cristã, mas de todas as outras) há muita gente que não acredita que Deus é Misericórdia, que é Amor. Que pensam que Deus é um tirano, pronto a esmagar os que se lhe atravessam pelo caminho. Há também muita gente que não percebe que este mundo é diferente do que existia há 100, 200, ou 500 anos atrás. Como S. Paulo explicava ao Bispo Timóteo: “Proclama a Palavra, insiste a propósito e a despropósito, com toda a paciência e dou-

trina.” É isto que nós temos de fazer: não apenas condenar os que agem mal, os que não pensam como nós, mas procurar descobrir acima de tudo a verdade. Essa verdade que está presente na Palavra de Deus, mas que tem de ser descodificada para ser compreensível para os irmãos que nos escutam. Não basta estudar para conhecer o mundo e a cultura bíblica, compreender o enquadramento e o ambiente em que o autor sagrado escreve, é preciso conhecer o mundo em que vivemos, as pessoas a quem anunciamos Jesus Cristo. Na caminhada do anúncio do Reino não podemos perder a coragem. Não podemos deixar cair os braços, porque é então que a dúvida e o erro se instalam, e assim não conseguimos ser testemunho para ninguém. “Quando Moisés tinha as mãos levantadas, Israel ganhava vantagem.” Se nós próprios duvidamos como não hão-de duvidar os outros. Se nós não temos algumas certezas como podemos dar segurança aos outros? Para alem do estudo da Bíblia, a oração é importante

a favor da ADAV – Associação de Defesa e Apoio da Vida. Os bilhetes custam 3 euros. Para Sábado 23 de Outubro, o Grupo Ondjoyetu, está ainda a co-organizar o XI Dia do Voluntário Missionário. Um encontro anualmente promovido pela FEC - Fundação Evangelização e Culturas, no qual participam mais de uma centena de jovens adultos associados a movimentos de cooperação missionária com países em Desenvolvimento, sobretudo com os países lusófonos. Este ano a iniciativa decorre em Leiria e a temática será a “Contra a pobreza, tu podes ser a diferença”. Entre outras actividades, os participantes serão desafiados a percorrer algumas ruas do centro de Leiria, num peddy-paper, durante o qual terão oportunidade de passar por workshops promovidos pela Amnistia Internacional, Caritas, Associação Cais, Serviço Jesuíta aos Refugiados e Grupo Ondjoyetu, nos quais serão apresentadas diferentes abordagens ao tema da pobreza.

SALMO RESPONSORIAL: O pobre clamou – Lau 573 APRESENTAÇÃO DOS DONS: O Senhor te defende – Lau 1095 És Senhor minha força – Lau 341

AO SABOR DA PALAVRA

COMUNHÃO: Como veado anseia – lau 228 Vinde a mim – Lau 862 Saboreai como é bom – Lau 726 PÓS-COMUNHÃO: Tudo posso – Lau 830 Pedi e recebereis – Lau 649 FINAL: Ide por todo o mundo – Lau 435 Ide e ensinai – Lau 432

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

O que somos XXIX Domingo do Tempo Comum

Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos

MISSAS DOMINICAIS

Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 09h45 – Paulo VI 10h00 - S. Francisco 10h30 – Franciscanos 10h00 – S. Romão 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h30 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

N

os dias de hoje percebemos, cada vez mais, que a divisão entre bons e maus nunca é clara nem absoluta, para alem do branco e do preto há uma enorme escala de cinzentos. Mas durante centenas de anos a nossa cultura foi sendo fundada na certeza de que nós é que somos os bons e de que os nossos inimigos são os maus. Não foi apenas à nossa cultura que isto aconteceu, todos os povos, todas as culturas são assentes nesta

para percebermos a vontade de Deus e o projecto que Ele tem para nós Em cada dia somos sinal para os outros, sinal do cristianismo, sinal de que a Igreja vive, e está não apenas presente, mas actuante para que o mundo seja cada vez melhor, com liberdade e justiça para todos, mesmo para aqueles que são ateus impenitentes, mas que são geniais naquilo que fazem. Devemos por isso fazer como aquela viúva que insistiu até que lhe fosse feita justiça. O diálogo que mantemos com Deus, na oração, não pode ser um diálogo que interrompemos quando deixamos de perceber as coisas ou quando Deus parece ausente; mas é um diálogo que devemos manter, com perseverança e insistência. Quem ama de verdade, não corta a relação à primeira incompreensão ou à primeira ausência. Pelo contrário, a espera e a ausência provam o amor e intensificam a relação. É isso que mostra o nosso verdadeiro ser.


DIOCESE 11

O Mensageiro

14.Outubro.2010

“Na Descoberta da Outra Margem”

DR

Encontro Nacional dos Jovens Sem Fronteiras no Barreiro

O Barreiro abriu o porto para receber as caravelas que partiam de todos os pontos do país, de 8 a 10 de Outubro, para mais um Encontro Nacional, o XXII da história dos Jovens Sem Fronteiras (JSF), com o tema ‘Na Descoberta da Outra Margem’. Uma partilha sobre a Missão nas margens da nossa sociedade marcou o início do Encontro, com a presença do Presidente da Cáritas Portuguesa, Prof. Eugénio da Fonseca, do director do Centro Padre Alves Correia, padre Mário Silva e do Presidente da

ONGD Sol Sem Fronteiras, Eng. Pedro Amorim. Como ‘Missão é partir, é caminhar’ (D. Hélder Câmara), os JSF dedicaram a sua tarde de sábado a um photo-papper pelos caminhos do Barreiro e de Lisboa. Os grupos num misto de curiosidade e aventura percorreram os marcos mais importantes das duas cidades e as viagens de barco unificaram as duas margens. O ponto alto foi a conferência do P. Pedro Fernandes na Igreja do Coração de Jesus sobre a importância da Missão hoje. O domingo, dia 10,

foi um dia voltado para o futuro, com a Presidente Nacional, Rita Costa, a apresentar os dez desafios que se lançam aos JSF: 1. o novo logótipo; 2. o voluntariado missionário; 3. o XII Fórum Ecuménico Jovem; 4. Taizé na Páscoa; 5. Retiros de Quaresma; 6. Missão de Verão (Ponte/ Semana Missionária/ Jornadas Mundiais da Juventude); 7. os projectos de Solidariedade e Desenvolvimento de Sol Sem Fronteiras; 8. o Encontro Nacional de Coordenadores e Animadores; 9. o renovado, a edição de CD de músicas

JSF e a nova Bandeira JSF; 10. a importância da missão diária na vivência de Cristo. Seguiram-se dez workshops temáticos, O Encontro foi encerrado com chave de ouro com a Eucaristia presidida por D. Gilberto Reis, Bispo de Setúbal, que pediu aos jovens para não deixar encarcerada a palavra de deus nas suas vidas. Com este ‘grito de libertação’, os jovens regressaram às suas 45 paróquias de origem onde a Missão JSF vai continuar. Tony Neves

«Movimento que nasce em Fátima nunca morrerá»

Romagem Nacional a Alcântara pelo MCC No dia 9 de Outubro, decorreu uma Romagem Nacional a Alcântara que reuniu no pavilhão do Atlético Clube de Portugal um número bem representativo da força do Movimento dos Cursilhos de Cristandade (MCC) em Portugal. Com uma Ultreia e Eucaristia presididas pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, foram vividos e recordados momentos que marcaram o primeiro cursilho realizado em Fátima em 1960, através do testemunho de dois cursilhistas que tiveram a Graça de viver esse experiência e de a poder partilhar com todos os que atentamente os ouviram. Francisco Salvador, cursilhista de Peniche a quem coube a responsabilidade de estabelecer o paralelismo entre a evolução dos cursilhos nestes 50 anos, falou-nos de forma emo-

cionada como no cursilho se «encontrou cara a cara com o seu amigo Jesus», encontro que o marcou e que mudou toda a sua vida. Mostrou-nos ainda com testemunhos que lhe marcaram a vida, como o hino do movimento “DECOLORES” é um sinal reconhecível por todos os que se sentem irmãos por terem vivido a experiência de um Cursilho de Cristandade. Ficou clara, em todos os testemunhos que se ouviram naquela tarde em Alcântara, a importância do cursilhista nos diversos ambientes, evangelizando, ajudando à conversão através da mensagem do amor de Cristo. Importantes também as palavras de D. José Policarpo aplaudidas com entusiasmo, quando comparou o movimento dos Cursilhos de Cristandade e o seu DE-

COLORES à Luz, tão necessária hoje nas nossas vidas, na nossa sociedade em que «as pessoas estão condicionadas por uma carapaça social e cultural». Reproduzindo as suas palavras: «a diversidade das cores e a harmonia da beleza só é dada pela Luz. E, essa Luz, todos sabemos qual é» Acrescentou que «é urgente cobrir o mundo de hoje de cores de alegria, de vitória sobre o mundo e sobre o egoísmo. Cores que encontrem na Luz a harmonia da beleza» O DECOLORES transmite essa harmonia das cores, sendo por isso muito importante o papel do cursilhista na nova evangelização. Terminada uma tarde cheia de emoções, o regresso foi feito com a convicção de que muito há a fazer para que as palavras

de D. João Pereira Venâncio há 50 anos quando referiu que «movimento que nasce em Fátima nunca morrerá», sejam a força e o incentivo para que continuemos a evangelizar os ambientes cada vez mais sedentos da mensagem de Cristo. Que o coração de cada homem e de cada mulher se abra ao amor de Jesus e que a sua mensagem seja um lenitivo cada vez maior para os males que teimam em atingir a nossa sociedade. Que a alegria de ser cursilhista se estenda a todos os ambientes, e que muitas vidas se continuem a regenerar, e que muitas famílias encontrem a paz e a harmonia, com aconteceu com tantos milhares de cursilhistas nestes 50 anos.

BREVES Catequese precisa de um upgrade

Jornadas Nacionais de Catequistas em Fátima

Se não acompanhar a evolução e não souber interpretar correctamente os desafios que uma sociedade cada vez mais global e tecnológica coloca aos mais novos, a Catequese corre o risco de perder a sua importância e de se diluir, no meio da vertigem do dia-a-dia. Esta questão marcou decisivamente a ordem dos trabalhos nas Jornadas Nacionais de Catequistas, que se realizaram em Fátima, entre 8 e 10 de Outubro. Uma iniciativa que teve como tema “A Catequese de Adolescentes” e que foi o destaque final da Semana Nacional da Educação Cristã. Para Cristina Sá Carvalho, do Departamento responsável por aquela área dentro do Secretariado Nacional da Educação Cristã, «a Catequese não tem conseguido acompanhar os novos desafios que se colocam aos adolescentes, tudo acontece a uma velocidade que não se conseguia imaginar, e portanto os instrumentos do passado já não são suficientes». Apesar de tudo, sublinha ainda que «há uma sensibilidade ou honestidade catequética, extensível a todos os países da Europa, onde se procura compreender essas problemáticas importantes na transformação da fé, algo que poderá ser a chave da transformação da própria Igreja e da sua adaptação às novas realidades». A solução para não perder esse potencial de fé, até à idade adulta, poderá estar, em grande medida, no papel dos pais. Quem o diz é o padre Paulo Malícia, director do Secretariado Diocesano do Ensino Religioso de Lisboa.

Exposição no Museu de Arte Sacra

«The Power of Fátima»

O Museu de Arte Sacra e Etnologia (MASE), em Fátima, inaugurou a exposição temporária «The Power of Fátima». A mostra apresenta duas dezenas de pinturas da artista holandesa Unamore que fazem parte de um projecto surgido no ano 2000. A autora apresenta sete séries de pinturas sobre sete cidades europeias, mostrando as energias nelas existentes, funcionando como pólo de atracção. Fátima é a quarta cidade desta série, tendo Unamore já exposto em, Bruxelas, Amesterdão e Berlim. Seguem-se as cidades de Paris e Granada. A exposição poderá ser visitada até ao dia 2 de Janeiro de 2011, das 10h00 às 19h00 durante o mês de Outubro e das 10h00 às 17h00 de Novembro a Janeiro. Encerra às segundas-feiras. Unamore nasceu em 1942 na Holanda. Passou a sua juventude num mundo de som e cor, cercada de conversas entre poetas, músicos e arquitectos. Secunda Langehenkel, sua mãe, tocou piano. O pai, Pieter van Velzen, era escultor. Quando Unamore demonstra interesse pela pintura, o pai Pieter constrói um estúdio para a sua filha com vista para os prados do lado de fora do dique de Loosdrecht. No espírito de liberdade, iniciado pelo movimento Cobra, Unamore decide desenvolver os seus talentos com a ajuda do seu pai e da própria vida. Unamore faz a sua primeira exposição com 21 anos. Desde então expôs em Amesterdão e outras cidades holandesas. O seu trabalho esteve exposto em feiras de Arte nacionais e internacionais. As pinturas coloridas e abstractas de Unamore sobre pessoas e campos de energia revelam profundidades surpreendentes e parecem mudar quando observadas de um ângulo diferente. Os símbolos cristãos da juventude de Unamore misturam-se com outras tradições religiosas e espirituais e na evolução da criação formam um conceito de poderes subjacentes: fé, esperança e caridade.


12 ECLESIAL

BREVES “Uma nova geração de jovens”

Jornada Mundial da Juventude Foi apresentada no Vaticano a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realizará em Madrid, de 16 a 21 de Agosto de 2011, com a presença programada de Bento XVI. “Se cada Jornada Mundial da Juventude é um presente para toda a Igreja, também é, em primeiro lugar, para a Igreja local que a recebe”, afirmou o Cardeal Antonio María Rouco Varela, arcebispo da capital espanhola. A Espanha é o primeiro país a acolher a JMJ pela segunda vez. Em 1989, este evento foi realizado em Santiago de Compostela, quando o Cardeal Rouco Varela era ali arcebispo. No dia 16 de Agosto de 2011 acontece a Missa de inauguração na Plaza de Cibeles, de Madrid. De 17 a 19 de Agosto, haverá catequeses em diferentes paróquias da capital espanhola. No dia 18, os jovens darão as boas-vindas ao Papa. No dia 19, tem lugar a Via-sacra e no dia 20, a vigília no aeródromo Cuatro Vientos. O evento termina no dia 21 de Agosto, com a Missa de encerramento e o anúncio da sede da JMJ de 2014. A história das JMJ, que se realizam a cada 3 anos desde 1985, “é uma história fascinante, do nascimento de uma nova geração de jovens”, disse o Cardeal Stanislaw Rylko, presidente do Conselho Pontifício para os Leigos. “Temos certeza de que, também desta vez, os jovens responderão ao convite do Papa e Madrid se vai converter no lugar de uma nova epifania, de uma Igreja jovem, radicada e fundada em Cristo, sólida na fé”, concluiu. Redacção/Zenit

“Promover a renovada evangelização”

Criado novo Conselho Pontifício O recém-criado Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização foi apresentado oficialmente a 12 de Outubro, com a publicação de uma Carta Apostólica de Bento XVI, sob forma de Motu Proprio, intitulada “Ubicumque et semper”. O documento institui oficialmente o novo dicastério da Cúria Romana e foi apresentado em conferência de imprensa, com a presença do já nomeado presidente do Conselho Pontifício, o Arcebispo italiano D. Rino Fisichella, antigo presidente da Academia Pontifícia para a Vida. “Decidi criar um novo organismo, na forma de Conselho Pontifício, com a tarefa principal de promover a renovada evangelização nos Países onde já ressoou o primeiro anuncio da fé e estão presentes Igrejas de antiga fundação, mas que estão a viver uma progressiva secularização da sociedade e uma espécie de eclipse do sentido de Deus”, revelou então Bento XVI.

Livro-entrevista com Bento XVI

Obra é lançada em Novembro O autor de um novo livro-entrevista com Bento XVI, o jornalista alemão Peter Seewald, considera que “todos ficarão surpreendidos” por encontrar um Papa “tão disponível e aberto”. A obra tem como título “Licht der Welt. Der Papst, die Kirche und die Zeichen der Zeit” (Luz do mundo. O Papa, a Igreja e os sinais dos tempos) e será lançada no dia 24 de Novembro, segundo anúncio feito na Feira do Livro de Frankfurt, Alemanha. “Fiquei maravilhado pela bondade e a disponibilidade do Papa”, refere Seewald, que no passado já entrevistou Joseph Ratzinger, por duas vezes. O jornalista alemão assegura que Bento XVI “não fugiu a nenhuma pergunta”.

O Mensageiro

14.Outubro.2010

Conselho Pontifício para a Nova Evangelização

“Trabalhar para a renovação da fé” O Conselho Pontifício para a Nova Evangelização foi apresentado no dia 12 de Outubro, no Vaticano, com a publicação da Carta Apostólica de Bento XVI, sob forma de Motu Proprio, intitulada “Ubicumque et semper”. Este organismo, que será presidido pelo arcebispo italiano Rino Fisichella, pretende fazer face aos desafios que a evolução e as transformações sociais e económicas colocam à Igreja, particularmente no que diz respeito ao anúncio da Palavra de Deus. Na sua carta apostólica, o Papa começa por referir que “é o Primeiro Mundo que precisa de maneira específica de uma nova evangelização”. De acordo com a Rádio Vaticano, Bento XVI aponta no documento que “a indiferença, secularismo e ateísmo alastram sobretudo nos países e nas nações do chamado Primeiro Mundo, no qual o bem-estar económico e o consumismo, embora misturado com situações terríveis de pobreza e de miséria, inspiram e sustentam uma vida vivida como se Deus não existisse”. Para o Papa, “a indi-

ferença religiosa e a total insignificância prática de Deus para os problemas também graves da vida não são menos preocupantes e relevantes do que o ateísmo declarado”. E mesmo a fé cristã, “embora sobreviva nalgumas suas manifestações tradicionais e rituais, tende a estar desenraizada dos momentos mais significativos da existência; o nascimento, o sofrimento e a morte”, refere. Esta perda do sentido do sagrado, na opinião de Bento XVI, tem convivido lado a lado com as mudanças sociais que se têm verificado nas últimas décadas, e com a evolução científica e tecnológica, com a crescente interdependência entre os povos, com a globalização, que alimentaram dúvidas em áreas que pareciam indiscutíveis, como a fé, a vida em família, a lei moral natural. O problema, segundo o Papa, não está nos benefícios resultantes da evolução, mas sim no facto do Homem parecer estar a querer ser “o único artífice do seu destino, pondo de lado aquilo que deveria ser o fundamento de todas as coisas”. D. Rino Fisichella destaca “a visão profética de

Bento XVI”, que foi capaz de “olhar com realismo para o presente e para o futuro da Igreja”. Numa intervenção publicada pelo site oficial do Vaticano, depois da apresentação do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização, o prelado relembra ainda uma passagem da Carta Apostólica, onde o Papa alerta para o facto de todo este contexto estar a contribuir para “a criação de um deserto interior”, em cada homem, de um mundo onde Deus não tem lugar. “Este é um dos motivos que levou Bento XVI a criar um departamento para a promoção da Nova Evangelização”, explica o arcebispo italiano, para quem o grande desafio da Igreja passa por “renovar o seu anúncio a tantos baptizados que já não compreendem o sentido de pertença à comunidade cristã”. Antes de mais, para D. Rino Fisichella, importa evitar que o conceito “Nova Evangelização” soe como um conceito abstracto. “Vamos ter de enchê-lo com conteúdo pastoral e teológico, fortalecê-lo, de acordo com o magistério praticado nas últimas décadas”. O prelado apontou

como exemplos “as muitas iniciativas através das quais, durante estes anos, os bispos e as suas Igrejas, Conferências Episcopais e grupos de crentes, têm mostrado a sua sensibilidade para a questão da nova evangelização”. Em 2012, será assinalado o vigésimo aniversário da publicação do Catecismo da Igreja Católica, e entre as atribuições que lhe estão confiadas, o Conselho Pontifício para a Nova Evangelização está a ponderar renovar aquela obra. Considerando o Catecismo como “um dos frutos conciliares mais maduros” o arcebispo defende ser essencial “encontrar todas as formas que coloquem o progresso da comunicação ao serviço da nova evangelização”. “O Evangelho não é um mito, mas um testemunho vivo de um evento histórico que mudou a face da história”, afirma D. Rino Fisichella, para quem o trabalho do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização só terá sucesso de conseguir, em primeiro lugar, levar aos crentes “a pessoa histórica de Jesus e os seus ensinamentos”.

Memória do Beato John Henry Newman

Cardeal inglês beatificado A Igreja Católica celebrou no passado dia 9 de Outubro, pela primeira vez, a memória litúrgica do Cardeal John Henry Newman, beatificado por Bento XVI a 19 de Setembro, em Birmingham (Reino Unido). A data assinala a conversão do anglicanismo ao catolicismo, em 1845, de uma das maiores figuras eclesiais no século XIX. Forte influência na vida e pensamento de Joseph Ratzinger, Newman é reconhecido como um notável escritor, pregador e teólogo, que James Joyce apelidava o “maior dos escritores ingleses em prosa”. Nascido em Londres a 21 de Fevereiro de 1801 e falecido a 11 de Agosto de 1890, John Henry Newman converteu-se do anglicanismo ao catolicismo aos

44 anos. Antes da sua conversão, foi uma das figuras principais do Movimento de Oxford, que procurava aproximar das suas raízes a Igreja Anglicana da Inglaterra, na qual era clérigo. Após a sua conversão foi ordenado padre católico em Roma, no ano de 1847, e encorajado pelo Papa Pio IX regressou à Inglaterra, onde fundou o oratório de S. Filipe Neri. Escritor prolífico, como recorda o Vaticano na sua biografia oficial, Newman abordou diversas matérias com destaque para a relação entre fé e razão, a natureza da consciência e o desenvolvimento da doutrina cristã, obras que lhe valeram grande reconhecimento do mundo católico e que influenciaram mesmo o

Concílio Vaticano II, nos anos 60 do século XX. Em 1879, com 78 anos de idade, foi criado Cardeal por Leão XIII, tendo morrido no ano de 1890, em Birmingham. A 22 de Janeiro de 1991, o Cardeal Newman foi declarado venerável por João Paulo II, uma vez comprovada a heroicidade das suas virtudes. Durante o processo de beatificação, os seus restos mortais foram transladados do pequeno cemitério de Rednall Hill, nos subúrbios de Birmingham, onde estava enterrado juntamente com Ambrose St. John, também convertido ao catolicismo, para o Oratório São Felipe Neri de Birmingham. O Cardeal Newman foi uma figura muito popular no seu tempo: a sua conver-

são teve grande impacto na sociedade vitoriana e restaurou o prestígio da Igreja Católica na Inglaterra. A sua autobiografia espiritual “Apologia pro vita sua” (1864) é vista por muitos como a maior obra do género desde as célebres “Confissões”, de Santo Agostinho. Foi este o homem escolhido por Bento XVI para o momento mais importante da sua primeira visita de Estado ao Reino Unido, de 16 a 19 de Setembro de 2010, um Cardeal inglês que o actual Papa apresentou recentemente com “extraordinário exemplo de fidelidade à verdade”, mesmo “à custa de um considerável sacrifício pessoal”.


OPINIÃO 13

O Mensageiro 14.Outubro.2010

TESTEMUNHAS DO AMOR

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

Teresa de Calcutá

A

gnes Gonxha Bojaxhiu, conhecida como Teresa de Calcutá, o nome adoptado na sua consagração religiosa e o da cidade indiana onde se instalou para amar e cuidar dos “pobres mais pobres”, nasceu na Albânia em 26 de Agosto de 1910. Sentindo a vocação à vida religiosa, deixou a sua terra natal e

foi primeiro para a Irlanda e depois para a Índia, onde acabaria por morrer em 5 de Setembro de 1997. João Paulo II inscreveu-a no elenco dos beatos no dia mundial das missões, 19 de Outubro de 2003. Embora pequena e frágil de estatura física, Teresa de Calcutá foi uma mulher gigante e forte na prática do amor para com os mais carenciados em múltiplos países. A iniciativa para esse tipo de dedicação não foi sua: recebeu de Jesus o que ela chamou “o chamamento no chamamento” que a levou a deixar a sua congregação religiosa e o ensino para se entregar ao cuidado dos moribundos abandonados nas ruas de Calcutá. Começou por os levar para um lar onde pudessem morrer em paz e com dignidade. De seguida, abriu um orfanato. Uma após outra, foram surgindo múltiplas obras para servir o pobres. Atraídas pelo seu exemplo de amor, algumas das suas antigas alunas seguem-na. Surgem assim as

“Missionárias da Caridade” e mais tarde o ramo masculino e outros. Não escolhe os pobres, cuida daqueles que lhe aprecem em grave necessidade material e espiritual. É longa a lista que deixou nas constituições das Missionárias da Caridade: “Os famintos, os sedentos, os nus, os desalojados, os ignorantes, os prisioneiros, os coxos, os leprosos, os alcoólicos, os doentes, os moribundos carenciados, os não amados, os abandonados, os exilados, os que são um fardo para a sociedade, os que perderam toda a fé e esperança na vida, os pecadores obstinados pela dureza de coração, os que estão sob o domínio do pecado, do erro ou da confusão, os ateus, os que estão na dúvida ou em tentação, os cegos, os fracos, os debilitados e os ignorantes sob o aspecto espiritual, os que ainda não foram tocados pela luz de Cristo, os famintos da palavra e da paz de Deus, os difíceis, os repugnantes, os tristes, as almas do pur-

gatório”. A todo este género de pessoas, a religiosa albanesa queria levar o amor de Deus. Movida pelo amor divino, a sua missão e a das suas irmãs e irmãos é: “trabalhar pela salvação e a santificação dos mais pobres dos pobres, onde quer que se encontrem”. Fazem-no “vivendo o amor de Deus na oração e na acção numa vida marcada pela simplicidade e a humildade do Evangelho; amando Jesus sob o aspecto dos mais pobres dos pobres, quer materialmente quer espiritualmente, reconhecendo neles e restituindo-lhes a imagem e a semelhança e Deus”. Mais do que bens materiais, Teresa de Calcutá dava lições de higiene e moral, palavras amigas e as mãos sempre prestáveis para qualquer trabalho. Desejava e recomendava “fazer algo de belo para Deus”. Podia fazer qualquer coisa: “Não importa o nosso trabalho, mas apenas quanto amor pomos no que fazemos. Eu pertenço a

Cristo e tanto faz que Ele a um certo momento queira que eu limpe as casas de banho, cuide dos doentes de lepra, ou fale com o presidente dos Estados Unidos da América, porque eu sou o que Deus quer que eu seja e faço o que Ele quer que eu faça”. Amava e servia os pobres mais pobres com um sorriso nos lábios, liberdade de coração e mãos repletas de ternura. Há muita gente que faz bem ao seu próximo. Para explicar a especificidade da sua acção, Madre Teresa escreve: “Jesus quis ajudar-nos partilhando a nossa vida, a nossa solidão, a nossa agonia, a nossa morte. Unindo-se a nós, redimiu-nos. A nós é-nos concedido fazer o mesmo. Toda a desolação dos pobres deve ser redimida: não somente a sua indigência material, mas também a sua pobreza espiritual; e devemos partilhá-las unicamente porque unindo-nos a eles podemos redimi-los; fazemo-lo levando Deus à sua vida e levando-os a Deus”.

O modo de amar de Teresa de Calcutá permitiulhe derrubar fronteiras e ter entrada em muitos países com religiões e ideologias bem distantes do cristianismo. Como se explica? Responde ela: “Não temos absolutamente nenhuma dificuldade em trabalhar em países com religiões diferentes. Tratamos todos como filhos de Deus: são nossos irmãos e irmãs e mostramos para com eles grande respeito. A nossa tarefa é encorajar estas pessoas, cristãs ou não cristãs, a praticar obras de amor, porque cada obra de amor feita com o coração aproxima de Deus”. Agindo assim, conquistou a admiração de muitos. Continua a ser exemplo e inspiração para a prática da caridade de modo muito concreto e criativo para atender às necessidades e sofrimentos das pessoas.

WWW.FACEBOOK.COM/OMENSAGEIRO COMENTÁRIO

Orlando Fernandes Jornalista

O paroxismo da pior política

E

sta semana ficámos todos mais pobres. Na verdade, já estávamos mais pobres, mas agora começamos a sentir essa pobreza na pele. E não é para um ano, é para uma década. Um governo e um primeiro-ministro completamente irresponsáveis acrescentaram aos factores de crise internacional (que não são de sua responsabilidade) uma gestão da crise

incompetente e feita com dolo, pelas piores razões, cujo custo em termos de sacrifícios dos portugueses é agora muito maior do que seria se tivessem sido tomadas medidas no tempo próprio. E não há sequer a desculpa de que houve um qualquer erro de avaliação, por boas razões mesmo que erradas, no que fez o Governo. Bem pelo contrário, há dolo, engano, mistificação, irresponsabilidade, falha de qualquer sentido de Estado e sentimento nacional. O primeiro-ministro fez o que fez, primeiro para ganhar as eleições de 2009 e depois para não ter que se pôr em causa na sua arrogância de melhor governante do mundo, cujas desgraças lhe são alheias: foi a tenebrosa conspiração dos bancos americanos, depois a malfeitoria das agências de rating e por fim o submarino que anda por aí”. Arranjou sempre desculpas, como arranja agora, para não ter feito o que devia, porque na sua vaidade não queria apare-

cer aos portugueses como alguém que falhou. Essa vaidade custou demasiado caro a um país já no limite da sua capacidade de sofrer e vai custar aos portugueses sacrifícios sem fim. O que aconteceu ao primeiro-ministro islandês, que vai ser julgado pela maneira como procedeu na crise bancária que levou o país à falência, devia acontecer cá. E não me venham meter no mesmo saco toda a gente dizendo que todos são responsáveis pela situação actual, a terminar no próprio povo (versão de Almeida Santos), que é a melhor maneira de desresponsabilizar José Sócrates e o PS. O que aconteceu desde 2008, data já caridosa e benevolente, só tem um responsável. Pode ter havido e houve muitos erros de governação, alguns dos quais de responsabilidade do PSD e do CDS (que governaram, convém não esquecer, apenas dois anos para mais de quinze do PS), mas nada se compara a esta governação subordinada à vaidade e à

prepotência de um homem que não se enxerga na sua irresponsabilidade. Sócrates no Parlamento atinge uma espécie de paroxismo da pior política. O país está na crise que está e ele mostra-se apenas disposto à politiquice. Recusa-se sempre a responder a qualquer pergunta, – como aconteceu quando perguntado sobre o que é que correra mal para depois do PEC 2 ter sido necessário um PEC3 –, e quando o interlocutor está a confrontá-lo com algo que não lhe convém gasta, logo que pode, todo o seu tempo com autoproclamações elogiosas para poder pretextar falta de tempo. Quando vê uma oportunidade para fugir de uma questão disparando sobre os seus adversários, mesmo quando os temas e a gravitas da situação exigem outra atitude, agarrase a qualquer trivialidade ou mesmo a coisas sérias, sem dignidade e sentido de Estado. É o “animal feroz” da irrelevância, no que é apoia-

do por uma comunicação social que gosta é destas coisas. Veja-se como se agarrou ao submarino para fugir de explicações sobre a execução orçamental, ao melhor estilo do Bloco de Esquerda. Para quem tenha um mínimo de sentido patriótico e sofra pela miséria em que o país está, este comportamento incomoda. Ele não tem vergonha, temos nós por ele. Quando um dia se conhecer melhor o modo como a partir dos gabinetes ministeriais, e em particular o do primeiro-ministro, se conduzem operações de informação, contra-informação e desinformação, usando técnicas dos serviços secretos, alguém terá que pedir contas por tal abuso democrático. Do mesmo modo que veio a saber-se das operações para controlar a TVI, os seus protagonistas e os seus métodos, o país perceberá com que tipo de pessoas tem estado a lidar e o modo como se pratica todos os dias um abuso do

poder, no limite da lei senão para além da lei. O PSD parece ter perdido a memória no momento em que mais precisava dela. Não se percebe esta amnésia, nem sequer parcial, mas total, com que a direcção do PSD se esquece das posições do partido nos anos de 2008 e 2009, quando Manuela Ferreira Leite disse sozinha as verdades que eram necessárias, e isso é um património que nenhum outro partido político tem face à crise. Por isso custa ver a sistemática omissão do seu papel e das suas posições, que eram as do PSD, pelos actuais protagonistas do partido, quer na direcção do PSD, quer no Parlamento, diante de um Sócrates e de um PS que a afrontaram quando tinha a razão toda. É um comportamento mesquinho, que enfraquece o PSD na sua razão contra Sócrates.


14 INSTITUCIONAL / SOCIAL

O Mensageiro

14.Outubro.2010

Bodas de Ouro Matrimoniais

“Num sim à vida em completa doação” Ficha de Assinatura Assinaturas normal/benfeitor: 20/40 Euros (Nacional), 30/60 euros (Europa) e 40/60 (Resto do Mundo) Nome: ___________________________________________ ____________________________________________ Rua: _____________________________________________ _______________ N.º _______________ Localidade: ____________________________ C. Postal: _____ - ____________________ Telf.: _______________________________

No dia 18 de Setembro, comemorou as suas Bodas de Ouro matrimoniais o casal Maria Albina de Jesus Mestre Simões e Manuel Simões Inácio. A missa de Acção de Graças foi presidida pelo padre Tony Neves no Santuário de Nossa Senhora da Encarnação, em Leiria. O casal testemunhou este dia de felicidade na companhia dos filhos:

Margarida, Jorge, Alzira e Oníria, e dos seus netos: Beatriz, Sara, João, Patrícia, José e Mariana. Neste dia ainda homenagearam os seus pais, pois “… Compenetrados do vosso “Sim” até à morte, nos ensinaram a conhecer e a amar Jesus…” O jornal “O Mensageiro” deseja as melhores felicidades ao casal, parabéns!

E-mail:___________________________@_______________ Enviar esta ficha, recortada ou fotocopiada, para: O Mensageiro - Lg. Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA ou forneça-nos os seus dados através do endereço de correio electrónico jornal@omensageiro.com.pt

Jorge Carvalho Sofia

Médico Especialista de Otorrinolaringologia CONSULTAS • CIRURGIAS • EXAMES DE AUDIÇÃO VIDEONISTAGMOGRAFIA • POSTURAGRAFIA APNEIA DO SONO

Rua Dª Maria da Graça Lúcio da Silva, 9 - 1º Esqº - LEIRIA Marcações pelos telefones 244 822970 • 239 827 089 • 932 442 274

Ministério da Economia e da Inovação Direcção Regional da Economia do Centro ÉDITOS Faz-se público que, nos termos e para os efeitos do Art. 19º do Regulamento de Licenças para Instalações Eléctricas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 26 852, de 30 de Julho de 1936, com redacção dada pela Portaria n.º 344/89, de 13 de Maio, estará patente na Secretaria da Câmara Municipal de Leiria, e na Direcção Regional da Economia do Centro, Rua Câmara Pestana n.º 74, 3030-163 Coimbra, todos os dias úteis, durante as horas de expediente, pelo prazo de quinze dias, a contar da publicação destes éditos no “Diário da República”, o projecto apresentado pela EDP Distribuição-Energia, S.A. – Direcção de Rede e Clientes Tejo, para o estabelecimento de Linha Mista a 30 KV com 479 m de ap. 1 LAT para PT LRA 829 de Cerca III a PT LRA C 532C de Sgcoin, Ldª; em Cerca, freguesia de Maceira, concelho de Leiria, a que se refere o Processo nº. 0161/10/9/1864. Todas as reclamações contra a aprovação deste projecto deverão ser presentes na Direcção Regional da Economia do Centro ou na Secretaria daquela Câmara Municipal, dentro do citado prazo. Direcção Regional da Economia do Centro, 17 de Setembro de 2010 Adelino Lopes de Sousa, (Director de Serviço de Energia)

LABETO, S.A.

Leiria Av. Marquês de Pombal, Lote nº 2 Tel.: 244 830 460 Fátima Rotunda Sul - Ed. Azinheira Marinha Grande Rua das Portas Verdes, 58 Ourém Av. Nuno Álvares Pereira

CARTÓRIO NOTARIAL DA MARINHA GRANDE Notária Natália Dias Lopes Certifico, para efeitos de publicação, que por escritura de Justificação, lavrada a trinta de Setembro de dois mil e dez, de folhas 43 a folhas 44 verso, do livro de notas para escrituras diversas número 92- L, deste cartório, ANTONIO DA SILVA CLÉRIGO e esposa MARIA CELESTE DA ENCARNAÇÃO GOMES CLERIGO, casado sob o regime da comunhão geral de bens, ambos naturais da freguesia de Maceira, concelho de Leiria, residentes em Rua Arroteia, nº5, Telheiro, Maceira, Leiria NIF 109 842 561 e 174 442 599. PELOS OUTORGANTES FOI DITO: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte imóvel: PRÉDIO RÚSTICO, sito em Outeiros – Maceirinha, freguesia de Maceira, concelho de LEIRIA, composto de eucaliptal e mato, com a área de mil e cem metros quadrados, a confrontar do norte com João Ramos, do sul com António Clérigo e caminho, do nascente com Joaquim Ascenso e do poente com Silvina Fernandes e caminho, inscrito na matriz em nome do justificante, sob o artigo 15660, com o valor patrimonial actual e atribuído de quatrocentos e setenta euros, não descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria. Que o prédio ora identificado veio à sua posse em mil novecentos e setenta, já no estado de casados, por doação meramente verbal feita ao justificante marido António da Silva Clérigo por seus pais António Ascenso Clérigo e mulher Soledade Jesus da Silva residentes que foram no lugar de Maceirinha, Maceira, Leiria. Que, por falta de título, não têm, eles justificantes, possibilidade de comprovar, pelos meios normais, o seu direito de propriedade plena. Mas a verdade é que são eles os titulares desse direito, pois vêm possuindo o mesmo bem desde aquela data, há, portanto, mais de vinte anos, sempre em nome próprio e na firme convicção de não lesarem direitos de outrem, sem a menor oposição de quem quer que seja e com o conhecimento de toda a gente, ostensiva e ininterruptamente desde o seu início, posse essa que se tem materializado pelo aproveitamento agrícola de que o mesmo é susceptível, cortando o mato, colhendo a resina, quer zelando pela sua conservação e pagando os respectivos impostos. Que esta posse, pública, pacífica, contínua e de boa fé, fundamentou a aquisição dos respectivos direitos de propriedade por usucapião, o que pela sua natureza impede a demonstração documental do seu direito pelos meios extrajudiciais normais. ESTÁ CONFORME O ORIGINAL Marinha Grande, 30 de Setembro de 2010 A Colaboradora, (Sandra Marina Rodrigues Gouveia)

F. Costa Pereira

Dr. Rui Castela

Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO

Tel. 244 832406

Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500

WWW.OMENSAGEIRO.COM.PT JOGOS | N.º 41/2010 (Confirme em www.jogossantacasa.pt) Euromilhões: 9, 30, 35, 39, 46 + 6, 8 Totoloto: 5, 8, 10, 13, 28, 29 + 32 Loto2: 25, 32, 39, 41, 43, 46 + 7 Joker: 2 1 6 2 2 8 3 Totobola: 212 X1X 212 11X1 FÁRMÁCIAS DE SERVIÇO Godinho e Tomaz (14), Higiene (15), Antunes (16), Lis (17), Oliveira (18), Sanches (19), Tomaz (20) e Avenida (21).

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244 816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria

- 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Pedro Jerónimo (CP7104), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade Pedro Viva (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição CORAZE - Oliveira de Azeméis - Tel: 256 600 580 / Fax: 256 600 589 - E-mail: grafica@coraze.com Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2010 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 14.Outubro.2010

Futsal | Leiria

Dupla na selecção André Sousa e Fábio Aguiar – ambos do Instituto D. João V, Louriçal, Pombal – foram convocados à selecção nacional de seniores masculinos, que irá disputar o VI Grand Prix, de 17 a 25 de Outubro, em Anápolis, Brasil. Numa competição que reúne as melhores selecções do mundo, Portugal irá disputar a primeira fase – grupos – juntamente com Guatemala (17), Rússia (18) e Irão (19).

Super-Taça C.R. Golpilheira e U.D. Caranguejeira vão decidir quem leva a Super-Taça da Associação de Futebol de Leiria – futsal, seniores, femininos –, jogo a realizar no dia 16 de Outubro, 17h00, no Pavilhão dos Pousos, Leiria. Considerando o percurso recente, a equipa do concelho da Batalha parte como favorita, dado ser a detentora do troféu, que conquistou no inicio da última época, na qual contabilizou ainda o campeonato e a taça distritais.

Ténis | Pleno no campeonato nacional

José Frazão faz ‘dobradinha’

Só ou acompanhado, José Frazão (Centro Internacional de Ténis de Leiria) continua a não desarmar. Campeão nacional de veteranos +60, por duas vezes, é o mais recente feito. Expectativas elevadas à entrada para competição, com o tenista leiriense como n.º 2. Os seis títulos nacionais até então conquistados justificavam-no. O estatuto começou a ser comprovado na variante individual, com José Frazão (na foto, à direita) a chegar à final, onde venceu José Ralheta (Quinta da Moura, Barcarena - na foto, à esquerda) por um duplo 6/3. O mesmo acabaria por suceder à posteriori, juntamente com Silva Pereira, dupla que venceu Pinto dos Santos/ João Madeira por duplo 6/2. “Com mais estes dois troféus o atleta do CITL eleva para mais de oito os títulos de campeão nacional, entre provas de singulares e pares, encontrando-se assim no ‘roll dos atletas em Portugal mais vezes consagrados”, revelou o clube, em comunicado. O Campeonato Nacional de Veteranos decorreu no Vale do Lobo Tennis Academy, Algarve, de 13 a 19 de Setembro.

Andebol | Juve Lis é a representante portuguesa

Challenge Cup joga-se em Leiria Uma competição internacional, três equipas e um pavilhão a ser inaugurado pelo Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias. Três dias que prometem animar não só a freguesia de Souto da Carpalhosa, mas o andebol leiriense, que será representado pela Juventude Desportiva do Lis – seniores, femininos. A.S. Aris Thessalonikis (Grécia) e Great Dane London (Inglaterra) juntam-se à representante portuguesa para a fase concentrada da Challenge Cup – 2.ª ronda –, onde apenas o vencedor seguirá em frente. “Contamos com o apoio do público do Souto [da Carpalhosa] para nos ajudar a vencer esta eliminatória”, apelou recentemente Célia Afra, presidente da direcção da Juve Lis, nas páginas do períodico Notícias da

O Pavilhão do Souto da Carpalhosa será inaugurado dia 16, 16h00, pelo Secretário de Estado do Desporto

Calendário de jogos Dia 15, 21h00 – Great Dane London x Juve Lis Dia 16, 18h00 – A.S. Aris Thessalonikis x Great Dane London Dia 17, 15h00 – Juve Lis x A.S. Aris Thessalonikis Freguesia – Souto da Carpalhosa. Recorde-se que a Juve Lis garantiu a participação na prova europeia em virtude do 5.º lugar alcançado no Campeonato Nacional da 1.ª Divisão da época passada – Colégio de Gaia (4.º) é outro representante português presente, mas

que só iniciará a sua participação a partir dos 1/16 final. Já o Colégio João de Barros (Meirinhas, Pombal), irá participar na Taça EHF (Federação Europeia de Andebol). Pedro Jerónimo (texto e foto) pj@omensageiro.com.pt

Surpresa(s). Há uns meses a imprensa desportiva brincava com o nome do até então desconhecido Pedro Caixinha, que sucedeu a Lito Vidigal no comando técnico da U. Leiria. Sete jornadas da Liga volvidas, a ‘brincadeira’ tornou-se real, com o técnico a levar a

equipa ao melhor arranque da década. Melhor do que José Mourinho (9.º lugar, 9 pontos, 2001/02), actualmente no clube espanhol Real Madrid, e Domingos Paciência (7.º lugar, 10 pontos, 2006/07), no Sp. Braga (fonte: Diário de

Leiria). Após sete jogos o registo de Pedro Caixinha, na U. Leiria é superior (ver tabela, em baixo). Após duas vitórias consecutivas em casa (1-0, Rio Ave; 2-1, Académica – foto), segue-se uma difícil deslocação ao Estádio do Dragão, para defrontar o líder

do campeonato. Antes, irá iniciar a sua participação na Taça de Portugal, com uma recepção à U. Madeira (II Divisão), dia 17 de Outubro, 16h00, seguindo-se uma deslocação a Barcelos para defrontar o Gil Vicente (II Liga), jogo a contar para a Taça da Liga (dia 20).

João Flipe Matias

U. Leiria Caixinha melhor do que Mourinho

liga zon sagres

I LIGA

liga orangina

zona centro

II LIGA 7.ª Jornada (03.10) Rio Ave x Marítimo (0-0), Nacional

x Portimonense (3-1), U. Leiria x Académica (2-1), Naval x P. Ferreira (1-2), Olhanense x V. Setúbal (3-1), Benfica x Sp. Braga (1-0),V. Guimarães x Porto (1-1), Beira-Mar x Sporting (1-1) Equipa J V E D Pts 1.º Porto 7 6 1 0 19 2.º Benfica 7 4 0 3 12 3.º Olhanense 7 3 3 1 12 4.º V. Guimarães 7 3 3 1 12 5.º Académica 7 3 2 2 11 6.º Sp. Braga 7 3 2 2 11 7.º U. Leiria 7 3 2 2 11 8.º P. Ferreira 7 2 4 1 10 9.º Nacional 7 3 1 3 10 10.º Sporting 7 2 3 2 9 11.º V. Setúbal 7 2 3 2 9 12.º Beira-Mar 7 1 4 2 7 13.º Portimonense 7 2 1 4 7 14.º Naval 7 1 1 5 4 15.º Marítimo 7 0 3 4 3 16.º Rio Ave 7 0 3 4 3

II DIVISÃO

série d

III DIVISÃO

4.ª Jornada (03.10) Arouca x Moreirense (3-0), Santa

4.ª Jornada (10.10) Eléctrico x U. Serra (0-1), Esmoriz

4.ª Jornada (10.10) Ac.Viseu x B.C. Branco (2-3),

Clara x Sp. Covilhã (3-1), Fátima x Belenenses (42), Estoril x Penafiel (2-0), D. Aves x Gil Vicente (1-2), Trofense x Feirense (0-0), Freamunde x Varzim (0-0), Leixões x Ovarense (1-1)

x Padroense (0-1), Pampilhosa x Gondomar (0-0), Cesarense x Coimbrões (1-1), Sp. Espinho x Sertanense (0-1), Al. Lodelo x Sp. Pombal (1-0), Tondela x Boavista (1-0), Tourizense x Anadia (2-0) Equipa J V E D Pts 1.º Tondela 4 3 0 1 9 2.º Sertanense 4 3 0 1 9 3.º Coimbrões 4 2 1 1 7 4.º U. Serra 4 2 1 1 7 5.º Anadia 4 2 1 1 7 6.º Gondomar 4 1 3 0 6 7.º Padroense 4 1 3 0 6 8.º Tourizense 4 2 0 2 6 9.º Sp. Pombal 4 2 0 2 6 10.º Cesarense 4 1 2 1 5 11.º Pampilhosa 4 1 1 2 4 12.º Al. Lordelo 4 1 1 2 4 13.º Boavista 4 0 3 1 3 14.º Esmoriz 4 1 0 3 3 15.º Eléctrico 4 0 2 2 2 16.º Sp. Espinho 4 0 2 2 2

Nogueirense x Gândara (6-0), Ol. Bairro x Ág. Moradal (1-0), Sourense x V. Mocidade (1-2), Monsanto x Marinhense (2-0), Riachense x U. Tocha (3-0)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Gil Vicente Estoril Penafiel Fátima Feirense Sp. Covilhã Moreirense Belenenses Oliveirense Leixões Trofense Arouca D. Aves Santa Clara Varzim Freamunde

J V E D Pts 4 3 1 0 10 4 2 1 1 7 4 2 1 1 7 4 2 0 2 6 4 1 3 0 6 4 2 0 2 6 4 2 0 2 6 4 1 2 1 5 4 1 2 1 5 4 1 2 1 5 4 1 2 1 5 4 1 2 1 5 4 1 1 2 4 4 1 1 2 4 4 0 2 2 2 4 0 2 2 2

8.ª Jornada (24.10) V. Setúbal x V. Guimarães, Marítimo

5.ª Jornada (24.10) Varzim x D. Aves, Penafiel x

5.ª Jornada (24.10) Eléctrico x Esmoriz, Padroense x

x Naval, Sp. Braga x Olhanense, P. Ferreira x Beira-Mar, Académica x Nacional, Porto x U. Leiria, Portimonense x Benfica, Sporting x Rio Ave

Trofense, Fátima x Estoril, Sp. Covilhã x Feirense, Gil Vicente x Arouca, Moreirense x Santa Clara, Oliveirense x Freamunde, Belenenses x Leixões

Pampilhosa, Gondomar x Cesarense, Coimbrões x Sp. Espinho, Sertanense x Al. Lordelo, Sp. Pombal x Tondela, Boavista x Tourizense, U. Serra x Anadia

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Nogueirense Monsanto Ac.Viseu Riachense B.C. Branco V. Mocidade Ol. Bairro Sourense Ág. Moradal Marinhense U. Tocha Gândara

J V E D Pts 4 4 0 0 12 4 3 0 1 9 4 3 0 1 9 4 2 1 1 7 4 2 1 1 7 4 2 0 2 6 4 2 0 2 6 4 2 0 2 6 4 1 0 3 3 4 1 0 3 3 4 1 0 3 3 4 0 0 4 0

5.ª Jornada (24.10) Ac.Viseu x Nogueirense, Gândara

x Ol. Bairro, Ág. Moradal x Sourense,V. Mocidade x Mosanto, Marinhense x At. Riachense, B.C Branco x U. Tocha

série e

III DIVISÃO 4.ª Jornada (10.10) Oeiras x 1.º Dezembro (16.10),

Peniche x Crato (1-0), Bombarralense x Sacavenense (2-1), Sintrense x Caldas (5-0), Tojal x Odivelas (1-2), Malveira x Alcochetense (0-0)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Odivelas Sintrense Caldas 1.º Dezembro Sacavenense Crato Alcochetense Bombarralense Oeiras Peniche Tojal Malveira

J V E D Pts 4 3 1 0 10 4 2 2 0 8 4 2 1 1 7 3 2 0 1 6 4 1 2 1 5 4 1 2 1 5 4 1 2 1 5 4 1 1 2 4 3 0 3 0 3 4 1 0 3 3 4 1 0 3 3 4 0 2 2 2

5.ª Jornada (24.10) Oeiras x Peniche, Crato x

Bombarralense, Sacavenense x Sintrense, Caldas x Tojal, Odivelas x Malveira, 1.º Dezembro x Alcochetense

associação de futebol de leiria

HONRA 3.ª Jornada (10.10) Alcobaça x Nazarenos (0-1),

Pataiense x Gaeirense (3-0), Portomosense x Alvaiázere (2-0), Ansião x Pedroguense (0-1), Beneditense x Fig.Vinhos (3-2), Guiense x Marinha (3-1), Marrazes x Alq. Serra (0-0), Biblioteca x GRAP/Pousos (1-2) Equipa J V E D Pts 1.º Beneditense 3 3 0 0 9 2.º Nazarenos 3 2 1 0 7 3.º Guiense 3 2 1 0 7 4.º Marrazes 3 2 1 0 7 5.º Pataiense 3 2 0 1 6 6.º Alcobaça 3 2 0 1 6 7.º Fig.Vinhos 3 2 0 1 6 8.º Pedroguense 3 2 0 1 6 9.º Alvaiázere 3 1 1 1 4 10.º Portomosense 3 1 0 2 3 11.º Ansião 3 1 0 2 3 12.º GRAP/Pousos 3 1 0 2 3 13.º Alq. Serra 3 0 2 1 2 14.º Biblioteca 3 0 0 3 0 15.º Marinha 3 0 0 3 0 16.º Gaeirense 3 0 0 3 0 4.ª Jornada (17.10) GRAP/Pousos x Alcobaça, Alq.

Serra x Bblioteca, Marinha x Marrazes,Fig. Vinhos x Guiense, Pedroguense x Beneditense, Alvaiázere x Ansião, Gaeirense x Portomosense, Nazarenos x Pataiense


ÚLTIMA 14OUTUBRO2010

Uma nação forte nada tem a temer da antipatia dos estrangeiros; uma nação fraca nada deve esperar da simpatia deles. Max Nordau, co-fundador da Organização Sionista Mundial [1849-1923]

Criada linha de financiamento de 10 milhões de euros

No dia 11 de Outubro, realizou-se no edifício dos Paços do Concelho, em Leiria, a cerimónia de assinatura do protocolo entre a Câmara Municipal e a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria, que representa um passo decisivo na recuperação e reabilitação do edificado do Centro Histórico de Leiria. Raul Castro, presidente da autarquia, destacou a importância deste protocolo na criação de condições para todos os interessados na reabilitação do edificado no Centro Histórico de Leiria, tendo realçado esta “solução pragmática, que levará à concretização das intervenções no terreno”. O autarca sublinhou ainda a disponibilidade da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria que, “soube interpretar o seu papel de parceira neste objectivo comum que é o da reabilitação do Centro Histórico de Leiria”. Mário Matias, presidente do Conselho de Administração da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria, referiu que “a nossa disponibilidade é total e surge na sequência da recuperação que temos vindo a empreender no Palácio dos Athaídes, o que comprova a nossa sensibilidade para os problemas do Centro Histórico”. Mário Matias reforçou ainda a disponibilidade do banco em prol dos interesses da cidade, tendo manifestado a vontade pública de ver esta linha de crédito aproveitada. Realçou ainda o facto

DR

Reabilitar o Centro Histórico de Leiria

de este protocolo partir de uma iniciativa da Câmara Municipal de Leiria, bem como a característica singular desta linha de crédito visar a reabilitação do edificado, quer seja para habitação própria, quer seja para o comércio, quer seja para o arrendamento. Concluiu afirmando que o grande objectivo é promover a vinda de jovens para o Centro Histórico. Subjacente a este protocolo está, por um lado, a aposta estratégica do Município na reabilitação da zona histórica e, por outro lado, a vontade da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria em colaborar num desígnio que tem de ser protagonizado em conjunto pela autarquia, proprietários, instituições, empresas e sociedade civil. O protocolo estabelece um conjunto de regras para operacionalizar a referida

reabilitação, competindo à autarquia aprovar de forma célere, com respeito pelas normas legais, os licenciamentos municipais de operações urbanísticas de edificação requeridos para o Centro Histórico de Leiria. A Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria compromete-se a criar uma linha de crédito no montante de dez milhões de euros, destinada a financiar operações urbanísticas de edificação, recuperação e reabilitação no Centro Histórico. Esta instituição bancária concederá aos titulares de projectos municipais, devidamente licenciados, um crédito bonificado à euribor a três meses, acrescida de um spread de 1,25%, até ao valor máximo de 200 mil euros por cada licenciamento, que não será superior a 75% do valor da

avaliação efectuada pela Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria. Este protocolo, que tem a duração de um ano, renovável por iguais períodos de tempo, é sem dúvida a materialização de um conjunto de sinergias e vontades, entre duas Instituições, que irão conduzir a uma rápida e profícua actuação sobre o edificado do Centro Histórico, enquanto património de valor histórico e depositário da memória colectiva dos leirienses. Foi recentemente realizado um levantamento dos edifícios devolutos na Área Crítica de Recuperação e Reconversão Urbanística, tendo sido identificados cerca de 100 edifícios devolutos ou degradados, estando apenas a decorrer processos de licenciamento de obras, relativos a 12 edifícios.

Utilização ao longo de todo o ano

Cobertura do Mercado de Sant’Ana Foi aprovado por maioria o projecto de arquitectura de requalificação do Centro Cultural Mercado de Sant’Ana, em Leiria, que genericamente contempla a cobertura do pátio e a reformulação de um conjunto de instalações. Esta intervenção tem como objectivo potenciar a utilização do recinto para actividades culturais durante todo o ano, criando-se uma nova centralidade de atracção

ao Centro Histórico de Leiria, ao mesmo tempo que permitirá dar resposta à dinâmica da Autarquia e das Instituições locais. O projecto contempla a cobertura do pátio, feita através de um envidraçado sustentado por uma rede de tirantes metálicos, que se apoia pontualmente no edifício existente, mantendo-se no entanto como um elemento independente, reduzindo ao mínimo a in-

terferência com o edifício. Está ainda prevista a reformulação das instalações sanitárias existentes com o objectivo de as dotar de melhores condições de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida. Este projecto prevê ainda a reorganização espacial interior de alguns dos espaços através de intervenções pontuais na compartimentação, a protecção das entradas do

pátio através da recolocação dos antigos portões gradeados e dois novos portões, semelhantes aos existentes e a alteração pontual do pavimento do pátio de modo a valorizar o desenho criado na intervenção anterior. Esta intervenção integra a reprogramação do Programa de Acção Local para a Regeneração Urbana do Centro Histórico de Leiria – PALOR (ver coluna lateral).

Câmara já adjudicou construção

Centro Cívico de Leiria avança

A Câmara Municipal de Leiria deliberou por maioria aprovar a adjudicação da empreitada de construção do Centro Cívico e respectiva Praça Pública, no Centro Histórico de Leiria, orçado em cerca de 800 mil euros, estando assegurada uma comparticipação de 70% do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. Este Centro localiza-se na zona delimitada pelas ruas Barão de Viamonte (a Norte), Manuel António Rodrigues (a nascente) e a Travessa da Tipografia (a poente), sendo o projecto da autoria do arquitecto Gonçalo Byrne. O projecto, intitulado “Edifício Praça Eça de Queiroz”, contempla a criação de um espaço com vocação social, destinado à terceira idade e aos jovens, complementado por um bar / cafetaria com esplanada. Esta componente social vem dar resposta às necessidades específicas destes dois grupos etários, funcionando como um local de convívio, numa lógica de partilha inter-geracional. O acesso ao edifício é feito pela rua de ligação entre a Travessa da Tipografia e a Rua Manuel António Rodrigues. Relativamente ao projecto inicial, a construção do Centro Cívico apenas terá como alteração a eliminação da cave, onde seriam instalados uma sala polivalente e um auditório. Subjacente a esta alteração está a necessidade de se cumprir o prazo imposto pelo PALOR – Programa de Acção para a Regeneração do Centro Histórico de Leiria, que é para Julho de 2011. Caso não se cumprisse este prazo, o projecto perderia todo o financiamento no âmbito do QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional para o período de 2007 / 2013. Considerando que é igualmente o projecto nuclear de todo o PALOR, inviabilizaria a comparticipação comunitária a todos os outros projectos inseridos neste programa, mesmo que estes respeitassem os prazos para a sua concretização. Para além da questão cronológica, a eliminação da cave prende-se também com um conjunto de condicionantes ao nível geológico, dado tratar-se de um terreno em aluvião, bem como as limitações que advêm da morosidade das sondagens arqueológicas a maiores profundidades. Esta alteração já tinha sido contemplada em sede da reformulação das candidaturas aprovadas nos Programas Operacionais do QREN - Quadro de Referência Estratégico Nacional para o período de 2007 / 2013 e o respectivo ajustamento financeiro, aprovado em reunião de câmara de 23 de Fevereiro último. Sondagens arqueológicas concluídas As escavações arqueológicas no local de construção do Centro Cívico e respectiva Praça Pública decorreram de 26 de Julho a 16 de Setembro último. Os trabalhos arqueológicos realizaram-se através de sondagens manuais, numa área total de 135m² até cerca de 1,5 metro de profundidade máxima, com o objectivo genérico de avaliar o potencial arqueológico daquela área. Identificaram-se depósitos de materiais antigos e estruturas de edifícios, desde a Baixa Idade Média (século XV) até à época contemporânea. Este trabalho permitiu ampliar a interpretação dos vestígios arqueológicos encontrados em 2000 e enriquecer o conhecimento sobre a malha urbana mais antiga de Leiria, nomeadamente da zona da antiga Judiaria medieval. A quantidade de muros e a diversidade de alinhamentos entre eles, comprovam a génese medieval da malha urbana do Centro Histórico, que se caracteriza vulgarmente por ser muito irregular. Dos vestígios mais interessantes destacam-se potes de cerâmica, faiança, dois poços, estruturas de cozinha e um forno de época moderna.

4829#OMENSAGEIRO#14OUT  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição de 14 de Setembro de 2010 (N.º 4829).

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you