Page 1

BEM-VINDO SANTO PADRE! APELO DO BISPO DIOCESANO • PROGRAMA • QUEM É O PAPA? | Última

Acompanhamos Bento XVI em: http://contigocaminhamosnaesperanca.blogspot.com CAMPANHA

6 MAIO 2010 ANO 96 - N.º 4808 FUNDADOR José Ferreira Lacerda DIRECTOR Rui Ribeiro

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

|Pág. 9

ECONOMY

Nº DE2703206MPC

DESTAQUE

CULTURA

O tema da Semana da Vida deste ano reafirma o seu valor até ao ponto mais ínfimo: a Vida é sempre um bem. Sempre, significa mesmo sempre e não só em determinadas situações. A mentalidade hodierna quer fazer-nos crer o contrário, que a vida é um bem apenas nalgumas situações e contextos... Páginas 2 e 3

Acervo do Município de Leiria

Exposição “Maria - Arte e Devoção” no edifício do Banco Portugal | P. 4 Marinha Grande comemora

Dia Internacional dos Museus | P. 5

SOCIEDADE Turismo de Portugal apoia

6 milhões do QREN para meia centena de projectos na área da restauração | P. 7 Anuário Financeiro revela

Município da Batalha é o 6.º com menos dívidas no País | P. 7 ECLESIAL Serviço de Catequese propõe

Actividades de rua para crianças na Festa da Fé | P. 9

Jovens não deixaram Fátima dormir... | P. 11

DR

Fátima Jovem 2010

Divulgação

Tu estás convidado!


2 DESTAQUE

O Mensageiro 6.Maio.2010

EDITORIAL

Rui Ribeiro

Valorizar a vida

prui@iol.pt De 9 a 16 de Maio celebramos a Semana da Vida. O tema deste ano reafirma o valor da vida até ao ponto mais ínfimo: a Vida é sempre um bem. Sempre, significa mesmo sempre e não só em determinadas situações. A mentalidade hodierna quer fazer-nos crer o contrário. Ou seja, a busca da perfeição, tem gerado situações em se vai relativizando o que antes era absoluto. Aliás a relativização das coisas tem gerado a relativização da vida. Querem fazer-nos crer que a vida é um bem apenas em determinadas situações e contextos, já não o sendo, ou sendo-o menos, noutras situações e contextos. É assim que se abre caminho para a aprovação generalizada de actos que são atentados contra esse bem maior que é a vida. Se analisarmos o percurso feito pelas democracias ocidentais, veremos como têm sido introduzidos mecanismos de desvalorização do que antes se considerava valor absoluto, como é o caso da vida: desde a manipulação genética, passando pela legalização do aborto, o uso do preservativo, e terminando no combate que está já na agenda do dia-a-dia e que é relativo à eutanásia, todas estas situações que têm dado entrada nas constituições democráticas, são manifestações deste destronar lento do valor da vida. João Paulo II, falava da cultura de morte que se estava a impor e que se traduzia não apenas pela luta na conquista de determinados direitos, mas também pela negação destes valores que foram o Querem fazer-nos alicerce da construção crer que a vida é europeia. um bem apenas O tema que este em determinadas ano nos é proposto situações e para animar a semana contextos, já da vida, tem uma carnão o sendo, ou ga forte na expressão sendo-o menos, “sempre”. Ou seja, noutras situações mesmo em situações deficiência ou de e contextos. de imperfeição a vida é sempre um bem. A experiência acaba até por nos dizer que muitas vezes esse bem maior só é reconhecido e apreciado nos momentos de obscuridade e incerteza. Normalmente assim é: a doença ajuda a apreciar a saúde, a fome ajuda a apreciar o alimento. Também nas questões mais genéricas, será a imperfeição a fazer valorizar mais a essência. Por isso a Vida é SEMPRE um bem. A celebração desta semana ocorre no momento em que o Papa Bento XVI visita o nosso país. Certamente ele será porta-voz deste valor absoluto, na linha do que a Igreja sempre defendeu e afirmou. Sabemos já que alguns se sentirão incomodados com esta afirmação e irão procurar silenciar a mensagem papal. Mas estejamos atentos, procuremos acima de tudo ouvir e reflectir, não nos deixemos levar pela moda ou pelos pretensos modernismos com que os defensores da cultura de morte pugnam pelas suas ideias. Com Bento XVI, deixemo-nos maravilhar por esta intemporalidade de bondade que está subjacente à vida, a toda a forma de vida.

Semana da Vida - 9 a 16 de Maio de 2010

A VIDA é sempre um bem Vêm-se multiplicando os debates e as declarações sobre o direito à realização pessoal em todas as circunstâncias e em todas as etapas da vida. São aspectos fundamentais da pessoa, que deve ser respeitada como sujeito da sua existência, e têm a ver com a própria dignidade humana. Por isso, a discussão não se confina ao seu carácter religioso ou confessional. As considerações éticas e jurídicas são inevitáveis e deverão sempre ser acompanhadas de um esforço sério de discernimento, ao nível pessoal e colectivo, sobre o que é importante e decisivo para uma vida verdadeiramente humana: os valores autênticos e fundamentais, e o modelo de sociedade que se pretende. Os Bispos de Portugal, apercebendo-se da grandeza dos problemas, nomeadamente da dificuldade de integrar a morte no horizonte da própria vida, e sabendo da intenção que se tem manifestado de se legislar neste âmbito, quiseram dar o seu contributo e ofereceram aos católicos algumas orientações. Nesta Semana da Vida, o Departamento Nacional da

Pastoral Familiar propõe, para reflexão, os seguintes excertos da Nota Pastoral Cuidar da vida até à morte: contributo para a reflexão ética sobre o morrer, publicada a 12 de Novembro de 2009. A vida, dom a agradecer A vida humana é prévia a qualquer projecto pessoal, por isso ninguém é senhor absoluto da sua própria vida, e muito menos senhor da vida dos outros. […] A revelação bíblica mostra-nos a existência humana como resultado da bondade divina, isto é, como um dom que suscita em nós gratidão e não nos dispensa da responsabilidade de cuidar dele. A condição humana tem origem na bondade criadora de Deus e no amor salvífico de Jesus Cristo. […] Numa perspectiva de fé, a realização plena e definitiva da pessoa só é possível na vida em Deus. Só Deus é o Senhor da vida. Tal facto não retira ao homem a sua responsabilidade de procurar as melhores opções para cuidar da vida que tem diante de si. […]

Não é arbitrariamente disponível A vida não está à inteira disposição de quem quer que seja, não é arbitrariamente disponível, mas tem de ser respeitada como a condição básica de realização pessoal. O valor da vida humana não brota das valorizações que a sociedade lhe atribui ou dos critérios que no momento são socialmente significativos, mas de uma dignidade prévia a qualquer criteriologia. […] O homem actual quer não só ser protagonista da sua própria história, mas ter nas mãos todos os processos da sua vida. Tornou-se dominante uma concepção de autonomia em que a liberdade individual é elevada a direito absoluto. É neste sentido que parece aliciante poder antecipar a morte ou prolongar o processo de morrer, de acordo com o que no momento for tido como mais vantajoso.[…] O próprio processo de morrer tem-se transformado: o morrer tornou-se mais longo; na maior parte das vezes morre-se em hospitais ou centros clínicos, nos ambientes anónimos e frios das

instituições; o sofrimento associado a longas doenças terminais causa uma insegurança adicional; diversos factores contribuem para que os moribundos vivam uma solidão preocupante; o excesso de tecnologia põe em causa os esforços por humanizar o cuidado dos doentes. […] A obrigação moral de garantir à vida humana uma especial protecção está codificada no mandamento bíblico do Decálogo: “Não matarás”. […] A eutanásia é eticamente inaceitável É eticamente inaceitável qualquer forma de eutanásia, isto é, qualquer “acção ou omissão que, por sua natureza e nas intenções, provoca a morte”(2). Nem sequer o objectivo de eliminar o sofrimento ou livrar a pessoa de um estado penoso pode legitimar a eutanásia, tanto mais que a medicina e a sociedade dispõem de outros meios para socorrer os pacientes em fase terminal. Equivalente à eutanásia, do ponto de vista ético, é qualquer forma de ajuda ao suicídio, também designado suicídio assistido. […]


DESTAQUE 3

O Mensageiro 6.Maio.2010

Na realidade, porém, e numa linha de princípio, qualquer forma de eutanásia constitui uma renúncia a acompanhar a pessoa doente, traduz a falta de empenho de uma sociedade em procurar meios que permitam viver dignamente todas as fases da existência humana. É, por isso, uma violação, ainda que consentida, da dignidade fundamental que se deve reconhecer a cada ser humano. A eutanásia ou a ajuda ao suicídio são formas desumanas de lidar com a pessoa que vive o seu processo de morrer e constituem “uma ofensa à dignidade da pessoa humana, um crime contra a vida e um atentado contra a humanidade”. […] Distinta desta atitude de agressão à vida humana, é a legítima renúncia a recorrer a todos os meios para manter viva uma pessoa em estado terminal. A obstinação terapêutica ou “distanásia” seria o recurso a um conjunto de intervenções médicas já desproporcionadas face ao bem global que a pessoa poderá vir a experimentar. […] Também esta renúncia a “tratamentos que dariam somente um prolongamento precário e penoso da vida” pode ser considerada uma opção de respeito pela vida, já que proteger a vida não significa prolongá-la a

todo o custo. O respeito pela vida humana não se reduz a uma protecção incondicional da vida biológica, mas deve incluir também o empenho por garantir todos os elementos que tornam humana essa vida. O direito a uma morte digna pode significar também não esgotar todos os meios médicos, quando tal signifique apenas um prolongamento do morrer. […] A vida humana nunca perde sentido Uma vida humana nunca perde sentido nem dignidade. Também o envelhecer e o morrer se integram no sentido da vida humana e reflectem a dignidade humana da pessoa. “O amor para com o próximo […] torna capaz de reconhecer a dignidade de cada pessoa, mesmo quando a doença veio pesar sobre a sua existência. O sofrimento, a idade avançada, o estado de inconsciência, a iminência da morte, não diminuem a dignidade intrínseca da pessoa, criada à imagem de Deus”. […] Pessoas gravemente doentes ou em estado terminal não podem ter de modo algum a impressão de serem indesejadas, mas devem sentir de modo reforçado que são preciosas e queridas, e que a sociedade não se dispensa de fazer

tudo o que está ao seu alcance para as valorizar e integrar. […] Diz São Paulo: “Nenhum de nós vive para si mesmo, e nenhum de nós morre para si mesmo. Se vivemos, é para o Senhor que vivemos; e se morremos, é para o Senhor que morremos. Quer vivamos, quer morramos, é ao Senhor que pertencemos”(Rm 14,78). Como explica João Paulo II, “morrer para o Senhor significa viver a própria morte como acto supremo de obediência ao Pai […]; viver para o Senhor significa também reconhecer que o sofrimento, embora permaneça em si mesmo um mal e uma prova, sempre se pode tornar fonte de bem”(6). O cristão encontra o sentido redentor do sofrimento humano, unindo-se a Cristo, no mistério da sua paixão, morte e ressurreição. […] O que está em causa é a preservação da dignidade da pessoa em algo que é decisivo e constitutivo de todo o projecto pessoal de vida. Isto inclui certamente fazer aquilo que é razoavelmente possível para que o paciente preserve as condições de sujeito da sua própria história. […] Que estes excertos suscitem uma leitura integral No mistério da trans-

missão dos afectos, as expressões de dedicação e amor, manifestações do amor de Deus reveladas pelo amor do irmão, são sensíveis numa criança que dorme, como em quem se encontra inconsciente ou na fase final da vida. As Obras de Misericórdia, descritas como os critérios do Juízo Final de Deus, constituem proposta imperativa a que cada um se torne verdadeiramente o próximo daquele que mais precisa e lhe proporcione uma experiência de entrega e de ternura, expressões do amor de Deus. Notas (1) Disponível em http: / / w w w. l e i g o s . p t / semanadavida.html (2) João Paulo II, Evangelium vitae, Vaticano 1995, nº 65. (3) Congregação para a Doutrina da Fé, Declaração sobre a Eutanásia (5.05.1980), in: AAS 72 (1980), II. (4) Congregação para a Doutrina da Fé, Declaração sobre a Eutanásia (5.05.1980), in: AAS 72 (1980), IV. (5) João Paulo II, Discurso aos participantes no XIX Congresso Internacional do Pontifício Conselho para a Pastoral no Campo da Saúde, 12.11.2004, nº 3. (6) João Paulo II, Evangelium vitae, Vaticano 1995, nº 67.

Dia Diocesano da Família A Semana da Vida é já de 9 a 16 de Maio próximo. Legada por João Paulo II, é-nos proposta pelos nossos Bispos através da Comissão Episcopal do Laicado e Família. “A Vida é Sempre um Bem”. É um eco da Carta Pastoral da CEP, de 12 de Novembro recente, “Cuidar da vida até à morte: Contributo para uma reflexão ética sobre o morrer” e, tal como a Carta, uma afirmação do valor e dignidade da pessoa perante a dificuldade em integrar o sofrimento, a velhice e a morte no horizonte da própria vida. É ainda um esforço de esclarecimento e sensibilização, na previsão do debate e da anunciada legislação neste âmbito. Estão à nossa disposição um texto sobre o Tema, uma Oração diária, uma Meditação do Rosário e um Enquadramento litúrgico para os domingos de abertura e termo. Além da utilização na pastoral comunitária, deseja-se fomentar momentos de união familiar, e aproveitar e valorizar a devoção do Rosário no mês de Maio. Envia-se também um folheto de divulgação para distribuição à saída das missas (um por família), com uma mensagem simples e indicação de fontes de informação que podem ser úteis. Como pude dizer na última Assembleia do Clero, a grande acumulação de actividades e a concentração na Festa da Fé, aconselham que se reduza o Dia Diocesano da Família a um gesto simbólico. Neste sentido, enviámos-lhe pagelas com uma oração para serem distribuídas, uma por família, às missas de 16 de Maio, encerramento da Semana da Vida. Sugerimos que, à Acção de Graças, um casal leia em nome de todos essa oração da família e se recomende a sua recitação depois, pessoalmente e em família. Estas iniciativas podem (devem) ser confiadas à Equipa Paroquial de Pastoral Familiar e, na inexistência desta, são sempre ocasião e apelo à sua criação. Padre Luís Inácio João

Nota histórica Desde 1994 a Conferência Episcopal Portuguesa, através da Comissão Episcopal competente para a área da Família, organiza a Semana da Vida. Esta iniciativa vem na sequência do apelo lançado em 1991 pelo Papa João Paulo II, na Encíclica O Evangelho da Vida sobre o valor e a inviolabilidade da vida humana, ao propor uma celebração que tenha por objectivo «suscitar nas consciências, nas famílias, na Igreja e na sociedade, o reconhecimento do sentido e valor da vida humana em todos os seus momentos e condições, concentrando a atenção de modo especial na gravidade do aborto e da eutanásia, sem contudo menosprezar os outros momentos e aspectos da vida…» (EV 85). Decorre habitualmente na semana em que se celebra o Dia Mundial da Família (15 de Maio).

Nos últimos anos teve os seguintes temas:

2004 - Sem filhos não há futuro 2005 - Respeita o outro, diz não à violência 2006 - Família – amor e vida 2007 - Felicidade humana – preocupação de Deus 2008 - Vida com Esperança 2009 - Vida com Valores formação na Família 2010 – A Vida é sempre um bem


4 CULTURA

O Mensageiro 6.Maio.2010

Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira

CINEMA

Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) • PLANETA 51 | animação | de Jorge Blanco, Javier Abad | 9 de Maio, 11h00 Teatro Miguel Franco (Leiria) • HOMENS QUE MATAM CABRAS SÓ COM UM OLHAR | comédia | de Grant Heslov | c/ George Clooney, Ewan McGregor, Jeff Bridges | 12 de Maio, 18h30 e 21h30 Cine-Teatro de Monte Real • PLANETA 51 | 7 a 9 de Maio, 21h30 Auditório Municipal da Batalha • ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS | acção | de Tim Burton | c/ Helena Bonham Carter, Alan Rickman, Johnny Depp | 7 a 10 de Maio, 21h30; dia 9, 18h00 Cine-Teatro de Ourém • LEMBRA-TE DE MIM | drama | de Allen Coulter | c/ Robert Pattinson, Pierce Brosnan, Emilie de Ravin | 8 de Maio, 21h30 Cine-Teatro da Nazaré • UM SONHO POSSIVEL | drama | de John Lee Hancock | c/ Jae Head, Quinton Aaron, Sandra Bullock | 6 a 9 de Maio, 21h45

EXPOSIÇÕES Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Planeta água” - fotos subaquáticas de Luís Mendes (~30/05) Teatro Miguel Franco - Leiria •”O que é o Teatro?” (~28/05) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Retrospectiva de Miguel Rocha” (~28/05) Sede da Associação Célula e Membrana - Leiria •”24 horas a fazer arte” -Pedro Ferreira (8/05-12/06) Pousada da Juventude - Leiria •”Terra de Sonhos” - cerâmica artesanal (~17/05) Galeria Ponto Já (IPJ) - Leiria •”Sentimentos Profundos” - pintura (~21/05) Centro de Língua e Cultura Chinesas - ESECS - Leiria •”Olhares cruzados”-fotos de Portugal e da China” (~16/06) Edifício Banco de Portugal - Leiria •”Maria - Arte de Devoção” (~22/05) Centro Comercial Jardins do Lis - Leiria •”Pintar’te: expressões artísticas na infância” (~16/05) Agromuseu Municipal D. Julinha - Ortigosa •”Minha Terra, Minha Gente” (~30/05) •”Património Rural de Ortigosa e Vale do Lis” - Augusto Mota (~30/5) Biblioteca Municipal - Marinha Grande • Colecção Carlos Vieira e Fotobiografia de Lopes Vieira (permanente) •”A melhor camisola do mundo!” - hora do conto (marcação prévia) Museu Joaquim Correia - Marinha Grande •”A Medalha” - visitas guiadas, marcação prévia •”És bom observador?” (2ªs, mascação prévia) •”Presépios” - visitas guiadas (marcação prévia) •”Descobrir o Tesouro” (3ªs~6ªs) Museu do Vidro - Marinha Grande •”Mestres da Marinha Grande” - artesanato de Maçarico (~30/05) Teatro-Cine - Pombal •”O Tesouro-Poema em movimento” • J.M. Bustorff (~26/05) Museu Marquês de Pombal - Pombal •”Viagem ao Mundo dos Chapéus” (~31/05) Paços do Concelho - Tomar • Pintura de Gracinda Candeias (25/05~30/06)

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS

PUB

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria • Ballet Flamenco de Madrid - dança (6/05, 21h30) •”Sean Riley & The Slowriders” - música (13/05, 21h30) •”As palavras na barriga” - ópera infantil (16/05, 17h00) •Deolinda: ”Dois Selos e Um Carimbo”- novo albúm (20/5, 21h30) Teatro Miguel Franco - Leiria • António Casal, percussão - música (7/05, 21h00) • Concerto para bebés - infantil/juvenil (9/05, 10h30 e 11h45) •”Déjá Vu” - festival de teatro juvenil (10/05, 14h15) •”Moooooontes de Chiiiiii|ique” - festival de teatro juvenil (11/05, 15h) •”A Tampa” - festival de teatro juvenil (12/05, 15h00) •”Uma Pedra no Sapato” - festival de teatro juvenil (13/05, 21h30) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”O gato das botas” - hora do conto (8/05, 16h00) Livraria Arquivo - Leiria •”A mãe galinha” - animação da história infantil (8/05, 16h30) Casa-Museu João Soares - Cortes •”Tarde na Casa-Museu” - infantil/juvenil (12/05, 15h00) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”O rapaz da bicicleta azul” - hora do conto (marcação prévia) Bidoeira de Cim - Leiria • Aniversário da AFILBI - concerto (8/05, 21h30) Café Concerto - Pombal • Palco aberto (6ªs do mês, 23h00)

55 anos de literatura em Leiria No dia 30 de Abril, a Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira comemorou o seu 55º aniversário. Para assinalar esta data, a Biblioteca Municipal, desenvolveu um programa dirigido a todos os Munícipes de Leiria, relembrando Afonso Lopes Vieira. Assim, no dia 30, foi realizada uma visita à livraria privada de Afonso Lopes Vieira, com a qual, os visitantes, tiveram a

oportunidade de sentir o ambiente onde o escritor escrevia os seus livros. Sabendo que Afonso Lopes Vieira foi um grande escritor da língua portuguesa do princípio do séc. XX, houve também, uma breve apresentação da vida e obra de

Afonso Lopes Vieira. Com o objectivo de divulgar as obras de Afonso Lopes Vieira, foram recitadas poesias do livro “Bartolomeu Marinheiro” e “Animais Nos-

sos Amigos”, para crianças, divulgando o grande espírito literário daquele escritor.

Mais de 3500 pessoas participaram

“Semana da Leitura para Todos” A “Semana da Leitura para Todos” que decorreu de 17 a 24 de Abril, foi um verdadeiro sucesso que contou com mais de 3.500 participantes. Esta iniciativa do PNL (Plano Nacional da Leitura), com a organização conjunta da Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, da Rede de Bibliotecas Concelhias e da Biblioteca José Saramago do Instituto Politécnico de Leiria foi uma iniciativa premiada pela total adesão dos leirienses, que com a

sua participação na “Semana da Leitura para Todos” demonstraram que o livro ocupa um papel importante nas suas vidas. O vasto leque de actividades promovidas em diversos espaços, e destinadas a todos os públicos, nomeadamente crianças, jovens, adultos, idade maior e pessoas com necessidades especiais, teve ainda uma componente muito forte de originalidade, que decerto contribuiu para o sucesso desta iniciativa.

Hora do conto e do livro inclusivo, poemas em língua gestual portuguesa, conferências no âmbito da leitura, Parar para Ler, Árvore da Palavra (Braille Pictogramas), bem como a edição do Jornal de Leiria em Braille, iniciativa com a qual terminou a “Semana da Leitura para Todos”, foram algumas das actividades em que muitas pessoas participaram, não esquecendo as visitas do Vereador Gonçalo Lopes ao Hospital de Santo André, para oferecer livros

ao serviço de Pediatria e para, num gesto simbólico, oferecer o cartão de leitor da Biblioteca Municipal às crianças nascidas a 23 de Abril, Dia Mundial do Livro. “A Semana da Leitura para Todos” foi uma iniciativa absolutamente abrangente, que promoveu a versatilidade, a originalidade e a inclusão.

“Festa da Fé - Rosto(s) da Igreja Diocesana”

Arte Sacra no Turismo de Leiria De 21 de Maio a 6 de Junho, o Posto de Turismo de Leiria acolhe uma exposição de Arte Sacra, no âmbito das celebrações da Festa da Fé da Diocese de Leiria. Esta iniciativa

com o mote A “Festa da Fé: Rosto(s) da Igreja Diocesana” vai decorrer nos dias 21, 22 e 23 de Maio, no centro da cidade de Leiria e, como o próprio nome indica, vai procurar revelar

o rosto e os rostos da Diocese, na variedade das suas comunidades, movimentos, grupos e serviços, e da sua vitalidade. A exposição poderá ser visitada de segunda-feira a

domingo, no horário compreendido entre as 10h00 e as 13h00 e das 15h00 às 19h00.

Inaugurada no Dia da Mãe, em Leiria

Exposição “Maria – Arte e Devoção” No dia 2 de Maio, “Dia da Mãe”, inaugurou no edifício do Banco de Portugal, em Leiria, a exposição subordinada ao tema “Maria – Arte e Devoção”, contando com a presença de D. António Marto, Bispo da Diocese de Leiria-Fátima, e de Raul Castro, Presidente da Autarquia. A exposição de pintura “Maria – Arte e Devoção”, com obras do acervo de Arte Antiga do Município de Leiria, cuja temática incide sobre o culto mariano, surge

da vontade do Município de Leiria, em pleno mês dedicado a Maria e com a colaboração da Diocese de Leiria-Fátima, querer associar-se à peregrinação do Papa Bento XVI ao Santuário de Fátima, evocando também a passagem do Papa Paulo VI por Leiria, em 13 de Maio de 1967. No “Dia da Mãe”, a inauguração desta exposição foi também uma homenagem a todas as mães, aqui representadas pela Virgem Maria, decerto a “mais fas-

cinante e exaltada personagem feminina da história da Humanidade”. No âmbito da exposição “Maria – Arte e Devoção” e com o objectivo de estabelecer o seu enquadramento a nível temático, realizarse-ão no Banco de Portugal, visitas guiadas, bem como duas conferências, a primeira, no dia 11 de Maio, pelas 18h30 com Jorge Estrela, Historiador de Arte e coordenador do projecto de restauro do acerco pictórico do Município de Leiria e, a

segunda, no dia 18 de Maio, também pelas 18h30, com Marco Daniel, Historiador de Arte e membro da Comissão de Arte Sacra da Diocese Leiria-Fátima. Patente ao público até 22 de Maio, a exposição “Maria – Arte e Devoção”, representa ainda uma excelente oportunidade para os leirienses poderem contemplar o “rico” acervo de pintura antiga do Município.


CULTURA 5

O Mensageiro 6.Maio.2010

Comemorações na Marinha Grande

Marinha Grande

Dia Internacional dos Museus do trabalho por ela desenvolvido e da divulgação do património vidreiro marinhense. “Quero ser… explorador!” será a primeira das iniciativas, que decorrerá no Museu do Vidro (Praça Guilherme Stephens), nos dias 12 e 14 de Maio, pelas 9h30 e 10h00 – daremos conta do restante programa, em próximas edições.

DR

De 12 a 30 de Maio, vão decorrer, nos museus da Marinha Grande, várias actividades comemorativas do Dia Internacional dos Museus, que se assinala a 18 de Maio. O Museu do Vidro e o Museu Joaquim Correia organizam um programa comemorativo destinado às crianças e ao público em geral, cuja participação é gratuita. O objectivo das comemorações do Dia Internacional dos Museus é estimular

a vinda da comunidade aos Museus do Município, em especial das crianças e seus familiares, numa

perspectiva de divulgação e valorização do património, da valorização pessoal da criança, particularmente

VI Mostra e II Concurso de Dança

“Vem Dançar” em Porto de Mós De 7 a 22 Maio, no CineTeatro de Porto De Mós, às 21H30, o Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Porto de Mós, à semelhança de anos anteriores, irá realizar o ”Vem Dançar” - VI Mostra de Dança, que, para além da mostra habitual, incluirá a organização da II edição do Concurso de Dança. De salientar que

este ano haverá 36 instituições provenientes dos municípios de Porto de Mós, Caldas da Rainha, Leiria, Ourém, Alcobaça, Pombal, Nazaré, Coimbra, Batalha, Marinha Grande. O principal objectivo desta iniciativa é incentivar e promover a dança como modalidade, e simultaneamente proporcionar a inte-

gração e intercâmbio entre bailarinos, grupos e escolas que participam no evento, proporcionando-lhes uma oportunidade para a divulgação do seu nome e do seu trabalho, junto da população em geral. As eliminatórias serão realizadas através de espectáculos abertos ao público, a partir dos quais serão

seleccionadas as melhores coreografias que passarão para a Grande Final. De salientar que os apurados só serão disso informados no dia 21 de Maio. O espectáculo da Grande Final decorrerá, sábado, dia 22 de Maio, no qual serão decididos e anunciados os vencedores.

DR

Noiserv no espaço CISCO

No dia 8 de Maio, o espaço CISCO (no antigo mercado da Marinha Grande), recebe o projecto musical Noiserv, de David Santos. Além da música, o público poderá interagir com o mentor do projecto. David Santos é o nome por trás de “Noiserv”. Criado em meados de 2005, esta entidade musical ganhou forma quando David decide gravar algumas ideias numa demo com o intuito de participar no Termómetro Unplugged desse ano, meses mais tarde esses três temas são editados on line, na netlabel Merzbau. Desde aí um longo percurso foi percorrido, com muitos concertos um pouco por todo o país, o que levou David a abandonar progressivamente o formato de “songwriter”, do homem e a sua guitarra, para lentamente incorporar novos elementos nas suas músicas. Já em 2008 Noiserv edita “One Hundred Miles from Thoughtlessness”, disco que tem sido bem recebido pela imprensa e crítica. Destaques em várias publicações, Ípsilon, Disco Digital, DN ou DIF, e airplay nas rádios Radar, TSF ou Antena3. Nuno Galopim considerou-o uma das grandes surpresas do panorama nacional em 2008 e o público tem sido unânime seguindo com devoção cada concerto, e considerando-o um dos melhores discos de 2008. O seu, já extenso, currículo de actuações ao vivo conta com a presença em espaços como Cinema S. Jorge, Casa da Música do Porto, Santiago Alquimista, Galeria Zé dos Bois, Music Box ou Mercado Negro, e actuações na primeira parte de nomes incontornáveis como Tara Jane O’neil, Damon & Naomi, Yndi Halda, iLIKETRAINS, Your Ten Mofo, entre outros.

Câmara da Marinha reconhece 50 anos de carreira

Norberto Barroca homenageado

Inauguração na Galeria Municipal da Marinha Grande

“Deu-me na telha” de Clara Coelho A exposição de pintura e artesanato “Deu-me na Telha”, da artista Clara Coelho, é inaugurada no dia 7 de Maio, pelas 18H00, na Galeria Municipal da Marinha Grande. Esta exposição da artista marinhense Clara Coelho é constituída por obras em barro sobre telhas que com muita cor retratam a natureza. Cada telha tem uma história que cabe a cada um imaginar. Mahura é o nome com

que a artista assina esta exposição que, como diz, caracteriza-se pelo prazer de viver em harmonia com toda a criação. Clara Coelho nasceu na Marinha Grande, em Maio de 1956. Fez a sua primeira exposição de pintura a pastel, em 1995. Artista autodidacta, vê-se como pintora de emoções. Conta, no seu currículo, com sete exposições individuais e participação em duas ex-

posições colectivas. Esta mostra é dirigida ao público em geral e estará patente até ao dia 16 de Maio, podendo ser visitada de quarta-feira a domingo, das 11h00 às 13h30 e das 14h30 às 19h00. A entrada é gratuita. Clara Coelho confessa: “Um dia, numa aldeia perdida algures na Serra da Estrela, ofereceram-me um telhado. Presente bizarro, podem pensar, mas foi

UHF em concerto no Teatro José Lúcio da Silva

Solidariedade em Leiria

PUB

F. Costa Pereira

dia 8 de Maio, Sábado, pelas 21h30, no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria. Este concerto insere-se no projecto deste grupo de alunos, com a designação A força de Vencer e está relacionado com o tema: Paralisia Cerebral.

Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h DR

A direcção da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Leiria e um grupo de alunos do 12º ano da Escola Secundária Afonso Lopes Vieira, levam a cabo um Sarau Solidário a favor das crianças especiais da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Leiria, no

com carinho que guardei umas centenas de telhas velhas, muitas partidas, todas cheias de anos e anos de sol, chuva, neve... enfim, podem imaginar o aspecto. Guardei, mas não são só para mim. As minhas lindas não podiam ficar abandonadas e, num outro dia, olhei para elas e, naturalmente, deu-me na telha!”

A Câmara Municipal da Marinha Grande realiza uma sessão de homenagem ao encenador marinhense Norberto Barroca, pelos seus 50 anos de carreira, no dia 15 de Maio, pelas 17h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. A iniciativa insere-se nas comemorações do Feriado Municipal (13 de Maio), que decorrem no concelho de 7 a 16 de Maio. A Câmara Municipal pretende assim evocar a reconhecida carreira do encenador e reconhecer publicamente o contributo do artista para a dignificação do teatro a nível local e nacional. A sessão contará com a presença de amigos do homenageado e figuras ilustres da cultura nacional. Norberto Barroca é arquitecto de formação. Desde cedo enveredou pelo Teatro. Estreou-se profissionalmente em 1960, com o Grupo Fernando Pessoa, dizendo poesia em Portugal, no Brasil, em Angola e em Moçambique. Enquanto encenador estreou-se na Casa da Comédia em 1967, tendo recebido o Prémio de Imprensa em1969 pela encenação de “Fando e Lis” de Arrabal.

Tel. 244 832406


6 SOCIEDADE Passeio pedestre na Mata Nacional No dia 9 de Maio, realiza-se um passeio pedestre pela Mata Nacional, com início às 9h00, no Parque Mártires do Colonialismo, na Marinha Grande. A participação é gratuita não sendo necessária inscrição prévia. A iniciativa é organizada pela Câmara Municipal com o objectivo de fomentar a prática de estilos de vida saudáveis junto da população e incutir o gosto de fruição do meio natural deste concelho, que constitui um importante legado às gerações vindouras se for preservado no presente. O percurso será realizado entre a Estrada Velha da Praia da Vieira e o Ponto de Vigia da Crastinha, num itinerário de 8400 metros. A Câmara Municipal cede transporte do Parque Mártires do Colonialismo até ao início do passeio, trazendo os pedestrianos para o Parque no final da iniciativa. Será ainda oferecido lanche aos participantes.

Sistema de Protecção Civil na Escola Nery Capucho

Simulacro de Sismo

No dia 28 de Abril, a Escola EB 2/3 Alberto Nery Capucho, na Marinha Grande, promoveu um simulacro de sismo com o apoio do Serviço Municipal de Protecção Civil e a participação do Corpo de Bombeiros Voluntários da Marinha Grande, da Esquadra da PSP da Marinha Grande e da Equipa Cinotécnica, da Unidade Especial de Polícia da PSP (Lisboa). O representante do Governo Civil, Carlos Lopes quis, com a sua presença, realçar e incentivar a realização destas iniciativas que, como disse, em muito contribuem para que, numa situação real, os danos sejam minimizados. Por isso, deu os parabéns à Escola Nery Capucho e a todos os agentes envolvidos na iniciativa. O exercício destinou-se ao treino da comunidade escolar, numa escola com de cerca de 600 alunos e consistiu, inicialmente, na evacuação ordenada de todo o edifício, após um período de auto-protecção (cerca de 50 segundos). De seguida, foram socorridas duas vítimas. A primeira vítima encontrava-se presa nos escombros do primeiro andar do edifício principal, tendo sido resgatada pela Equipa de Intervenção Permanente do Corpo de Bombeiros Voluntários da Marinha Grande. A segunda vítima encontrava-se sob escombros, no exterior do edifício. Neste resgate, estiveram envolvidos 4 binómios (um polícia e um canídeo treinado em busca e salvamento), da Equipa Cinotécnica, da Unidade Especial de Polícia da PSP. Nos últimos meses, os sismos têm tido um impacto devastador em diversos pontos da Terra. Por isso, torna-se cada vez mais importante, para todas as entidades envolvidas neste simulacro, treinar e testar os seus elementos e meios disponíveis, em cenários de acidente grave ou catástrofe. Para os responsáveis da Escola Nery Capucho, estas acções são extremamente importantes, pelo que desenvolvem, com frequência, junto dos alunos, corpo docente e auxiliares, processos de actuação em situações de catástrofe. O balanço deste exercício foi muito positivo, tendo a evacuação decorrido sem contratempos, com atitudes e num espaço de tempo adequados.

Colheitas de Sangue em Leiria Data 06/05/10 09/05/10 09/05/10 14/05/10 16/05/10 17/05/10 21/05/10 30/05/10 3ªs e Sab.

Horas Local 14h00-18h00 Escola Básica Gualdim Pais - Pombal 9h00-13h00 Salão Paroquial de Santa Eufémia - Leiria 9h00-13h00 Junta de Freguesia de Serro Ventoso 15h00-20h00 Empresa Adelino D.Mota - Meirinhas 9h00-13h00 Salão Paroquial da Guia - Pombal 9h00-13h00 Colégio Dinis de Melo - Leiria 16h00-20h00 Valco Empresa - Caranguejeira 9h00-13h00 Escola Primária da Bouca, Azóia - Leiria 9h00-13h00 Cruz Vermelha de Leiria

6.Maio.2010

Joaquim Vieira foi o orador das comemorações do 25 de Abril

“Ausência de uma opinião pública forte, de uma sociedade civil determinada” Joaquim Vieira, jornalista, professor e ensaísta, natural de Leiria, foi o orador convidado da sessão solene comemorativa do 36º aniversário do 25 de Abril. A evocação desta data histórica em Leiria, começou logo pela manhã, com o hastear das bandeiras do Município, Nacional e União Europeia, pelo Presidente da Câmara, Raul Castro, pelo Presidente da Assembleia Municipal, Carlos André e pelo Vereador Luciano de Almeida, na presença do restante Executivo e de alguns convidados. Este acto simbólico foi acompanhado por um pelotão do RAL4 e pela banda Filarmónica de São Tiago dos Marrazes, que interpretou o Hino Nacional. Pelas 11 horas, o Teatro Miguel Franco foi palco da Sessão Solene evocativa dos 36 anos do 25 de Abril, com a presença na mesa de honra, do orador convidado, Joaquim Vieira, do Presidente da Câmara Municipal de Leiria, Raul Castro, do Presidente da Assembleia Municipal, Carlos André, do Governador Civil do Distrito de Leiria, José Humberto Paiva de Carvalho e Vereadores. Perante os convidados, a primeira intervenção esteve a cargo do Vereador António Martinho, eleito pelo CDSPP, que realçou o facto de ser “imperativo conservar na memória colectiva, os valores fundamentais da vida e da sociedade democrática, o que representa uma obrigação histórica e política com o futuro”. Luciano de Almeida, Vereador eleito pelo PSD lembrou que “comemorar o 25 de Abril, significa também o renovar do compromisso permanente com a constru-

DR

Actividade física na Marinha Grande

O Mensageiro

ção de um País inclusivo e socialmente justo. Se fazemos questão de o lembrar é porque reconhecemos que esse compromisso nos vincula a todos nós: governo central, governo local, institutos públicos, empresas e cidadãos”. Gonçalo Lopes, Vereador da Educação, Cultura e Juventude, eleito pelo PS, lembrou no seu discurso que a principal conquista do 25 de Abril “foi e é sem dúvida a liberdade, valor supremo da condição humana”. Para este autarca “independentemente das convicções ideológicas de cada cidadão, a liberdade é algo que todos nós temos que exaltar” e lembrou como exemplo, Miguel Torga, que um dia escreveu: ”não posso ter outro partido senão o da liberdade”. No ano em que se comemora o Centenário da República, Gonçalo Lopes estabeleceu ainda uma analogia entre a implantação da República e o 25 de Abril porque “quer a Primeira República, quer o 25 de Abril, pretendiam transformar Portugal num país moderno, criando deste modo uma sociedade mais aberta, assente em ideais de justiça social e democratização.” O Vereador terminou a sua intervenção, agradecendo a Joaquim Vieira que de-

signou com “um leiriense de gema”, a sua presença nas comemorações do 25 de Abril. Joaquim Vieira, o orador convidado estabeleceu um paralelismo entre a queda do regime monárquico em 1910, cujo centenário se recorda este ano e o 25 de Abril, referindo que “há qualquer coisa no código genético dos portugueses que os levou a fazerem no espaço de menos de um século duas revoluções em que uma parece feita a papel químico da outra”. “A mesma alegria incontida, o mesmo autodomínio, a mesma rejeição da violência excessiva e gratuita…”. Na sua intervenção Joaquim Vieira mostrou também a sua preocupação com a “ausência de uma opinião pública forte, de uma sociedade civil determinada e actuante”, acrescentando que “séculos de servilismo e servidão dificilmente se esquecem e ultrapassam, sobretudo quando sempre tivemos, em parte ainda temos, uma educação deficiente, ao nível da formação para a cidadania”. A cerimónia prosseguiu com a intervenção do Governador Civil de Leiria, José Humberto Paiva de Carvalho, que sublinhou a importância da revolução, referindo que “o 25 de Abril

que tivemos foi o que precisávamos e precisamos de o salvaguardar”, referindo que nunca esquecerá e espera também que ninguém esqueça, o que muito se fez de muito bom nestes 36 anos. “É nos mais jovens que está o nosso futuro. O caminho é dos tempos e os tempos são diferentes. É necessário despertar consciências para que esta mudança aconteça”. De seguida teve lugar um apontamento musical interpretado por Hugo Paiva de Carvalho, através do qual, a guitarra portuguesa tocada de forma exímia, invadiu o Teatro Miguel Franco com o som inconfundível de Carlos Paredes. Em representação da Assembleia Municipal esteve o seu Presidente, Carlos André, que a propósito das Comemorações do 25 de Abril, sublinhou que “o silêncio é necessário para respeitar a história”. Para o Presidente da Assembleia Municipal, “os actores da democracia na cena política somos todos nós”. “Somos um povo que se quer orgulhoso da sua história, orgulhoso do seu presente, mesmo que difícil, e orgulhoso do seu futuro”. No final da cerimónia, o Presidente da Câmara ofereceu a Joaquim Vieira, um pergaminho de agradecimento, elaborado por António de Sá Pessoa. As comemorações do 25 de Abril terminaram à noite, no Teatro José Lúcio da Silva com o espectáculo ”Canções de Madrugar”, numa homenagem ao grande poeta de Abril, José Carlos Ary dos Santos.

Café das Quintas

Luís Amado e Henrique Pinto convidados Luís Amado, ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, e Henrique Pinto, médico e presidente do Orfeão de Leiria Conservatório de Artes, são os convidados de Carlos André no próximo Café das Quin-

tas, a decorrer no dia 6 de Maio, no Arquivo Distrital de Leiria. A diplomacia será o tema em destaque nesta edição, já que ambos os convidados se distinguem na sua vida profissional

pela sua actividade além fronteiras, ligados a entidades e causas internacionais de relevo. A iniciativa conta ainda com animação musical de Rodrigo Queirós no violino, professor da Escola de

Música do Orfeão de Leiria e do Curso Profissional de Instrumentista de Cordas e Teclas, ministrado em parceria pelo Orfeão de Leiria e pela Escola Secundária de Domingos Sequeira.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 6.Maio.2010

Turismo de Portugal apoia meia centena de projectos

Eleições na delegação distrital da AAFRE

6 milhões do QREN para restauração As empresas do sector da restauração acabam de ganhar um novo impulso para qualificarem a sua oferta, com a assinatura, pelo Turismo de Portugal, de 47 contratos de incentivo à sua modernização. Ao abrigo do programa Merca (de modernização e qualificação das PME do sector da restauração), foram atribuídos incentivos de 5,97 milhões de euros a 47 empresas, no âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Os projectos apoiados abrangem situações diversas como a requalificação de espaços degradados para a instalação de restaurantes, a criação de zonas

de restauração ao ar livre, a instalação de equipamentos para acesso de pessoas com mobilidade reduzida e a remodelação de apoios de praia. Entre as 47 candidaturas aprovadas, que totalizam um valor de 5.972.896 euros em incentivos, 29 pertencem à região Norte, 16 à região Centro e duas ao Alentejo. O programa Merca tem na sua base uma forte componente de requalificação, uma vez que apoia projectos empresariais de modernização localizados em áreas alvo de Acções de Regeneração e Desenvolvimento Urbano. Para o Turismo de Portugal, a atribuição

destes incentivos é mais um importante contributo para reforçar o produto turístico nacional. As candidaturas são apresentadas no âmbito de concursos do Sistema de Incentivos à Inovação, competindo ao Turismo de Portugal a análise, a contratação e o acompanhamento das candidaturas integradas no sector da restauração. A iniciativa Merca resulta de um protocolo celebrado entre o Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, o Ministério da Economia, da Inovação do Desenvolvimento e a Confederação do Comércio e Serviços de

Portugal, com vista ao apoio das PME do comércio, restauração e serviços. A modernização da restauração e a qualificação e sofisticação do produto gastronómico são áreas estratégicas de actuação para o Turismo de Portugal. Além dos incentivos agora atribuídos, a Autoridade Turística Nacional promove o acesso a linhas de crédito específicas (“+Restauração”, no âmbito da PME Investe, Protocolos Bancários), além de promover a gastronomia portuguesa junto dos principais fóruns e públicos internacionais.

Anuário financeiro revela estados dos municípios

Batalha é o 6.º com menos dívidas Foi apresentado no dia 26 de Abril, em Lisboa, o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses referente ao exercício de 2008. No documento divulgado, o Município da Batalha aparece muito bem classificado, especialmente no que respeita aos indicadores do endividamento. Em concreto, a Batalha está classificada no plano geral no 6º lugar no que respeita ao menor endividamento

“per capita”, sendo que no que se refere ao endividamento global, aparece em 19º lugar. Face a estes resultados António Lucas, Presidente da Câmara da Batalha, explica que o documento agora lançado pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, assume grande importância no contexto nacional e, no caso da Batalha, reportam para uma gestão eficiente e objectiva do Município.

Contudo, o Edil adianta que solicitou aos responsáveis pelo estudo agora publicado alguns esclarecimentos no que se refere à forma como certos valores foram tratados e exemplifica: “quando aparecem municípios sem contabilização de amortizações e sem contabilização de acréscimos e diferimentos, todos sabemos o que isso pode representar em termos de contas”.

Laura Esperança reeleita

Realizou-se no dia 30 de Abril, em Leiria, a eleição dos corpos sociais da delegação distrital de Leiria da AAFRE – Associação Nacional de Freguesias, mandato 2010 – 2013. Foi apresentada apenas a lista A que defende “promover a dignificação da qualidade de eleito de Freguesia e das condições de exercício de mandato”. A Coordenadora Laura Maria Santos de Sousa Esperança foi reeleita para o mandato 2010 / 2013, mandato que cessa com o mandato Autárquico, em 2013.

Na abertura das jornadas anuais da instituição

HSA dinamiza seminário sobre “Gestão das más notícias”

A “Gestão das más notícias” será o tema em destaque no seminário que antecipa as jornadas anuais do Hospital de Santo André (HSA), que se realizam nos dias 6 e 7 de Maio, e que terão como mote os conceitos “Humanização – Qualidade – Inovação”. O seminário pré-jornadas decorrerá no dia 5 de Maio, quarta-feira, no auditório do HSA. Coordenado por Helena do Vale, assistente de Medicina Interna do HSA, e com a intervenção de Ângela Escada, psicóloga clínica, o seminário tem como objectivo mostrar a importância da humanização dos serviços, especialmente numa área tão delicada como a da gestão das más notícias.

Pombal

Acções de prevenção de fogos Numa continuidade da estratégia de diminuição do número de ignições que despoletam em incêndios florestais, o Serviço Municipal de Protecção Civil de Pombal, vai levar a cabo um conjunto de acções de sensibilização e esclarecimento junto das populações. A estratégia definida passa pela realização de uma acção em cada freguesia, totalizando um conjunto de 17. Neste enquadramento, serão abordadas temáticas como os cuidados a ter na floresta; Medidas de autoprotecção em caso de incêndio florestal; Período critico; Circulação e permanência na floresta; Queimas e queimadas e as coimas na utilização do fogo.

Guia Turístico e Guia Fátima-Caminho de Fé

Comércio de Leiria apresentou colecções primavera/verão Foram muitas as pessoas que se juntaram no dia 1 de Maio, no Largo do Papa, para assistir ao Moda Leiria 2010, apresentado por Cristina Ferreira da TVI. A iniciativa, promovida pela ACILIS – Associação Comercial e Industrial de Leiria, Batalha e Porto de Mós, contou com a participação de 18 lojas de Leiria. Na passerelle de Leiria desfilaram muitas caras conhecidas do público: Andreia Rodrigues, Rita Pereira, Flor, Mariza Perez, Érica Aguilar, Vikky, Afonso Vilela, Pedro Guedes, Valter, e Nuno Romano. A animação do Moda Leiria ficou a cargo de Vanda Stuart & Fly Dancers.

Fotos: DR

Desfile de moda promovido pela ACILIS

Documentos ajudam a conhecer e como chegar à região No dia 6 de Maio, pelas 17h00, na Casa Beato Nuno, em Fátima, na sequência de uma parceria estabelecida entre a ERT Leiria-Fátima e a M-INSIGHT, será apresentado, um Guia Turístico desta região – Guia YouGo Leiria-Fátima e um Guia Fátima - Caminho de Fé. Depois de Sintra, Lisboa e Évora é agora a vez da Região de Leiria-Fátima disponibilizar este serviço com características inovadoras que irá permitir ao turista e visitante da Região de Leiria-Fátima subscrever ambos aos Guias no seu telefone móvel. Com o lançamento destes Guias, os visitantes desta Região, nacionais e estrangeiros, irão usufruir de um conjunto de conteúdos úteis e detalhados, como por exemplo os locais “Onde Comer” ou “Onde Ficar”, outros pontos de interesse turístico da Região e ainda informação sobre o Santuário de Fátima, incluindo as celebrações. Este serviço poderá ser a curto prazo subscrito em sites, postos de turismo e posteriormente num conjunto alargado de locais, como unidades hoteleiras e restaurantes, dentro e fora da Região de Leiria-Fátima.


8 ANO SACERDOTAL Não desanimamos neste ministério que nos foi concedido misericordiosamente. Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz é que brilhou nos nossos corações, para que irradiássemos o conhecimento da glória de Deus que se reflecte no rosto de Cristo. Porém trazemos o tesouro do nosso ministério em vasos de barro para que tão excelso poder se reconheça vir de Deus e não de nós (2 Cor 4,1.6-7). Com estas palavras S. Paulo revela claramente a grandeza do ministério do sacerdote. Contudo, esse tesouro é guardado em vasos de argila, quebradiços, frágeis, porque, também os Sacerdotes, como qualquer outra criatura humana, estão na arena da vida em contínuo combate. Também eles se debatem com duas forças: a força sublime do seu ministério para o qual foram chamados e consagrados e a força da própria natureza que os limita e torna finitos. Também eles sentem inclinação para o pecado, para o mais fácil. Uma inclinação própria de todos nós. Por isso, aquele que estiver sem pecado atire a primeira pedra. Sobre esta realidade, especialmente neste Ano Sacerdotal, muitas pedras se têm atirado contra a Igreja, o Santo Padre e contra os sacerdotes. Disparam-se flechas em todas as direcções e por preço tão irrisório. Acreditamos que seja apenas água de enxurrada que após a sua passagem faz renascer uma nova primavera. De facto, a

O Mensageiro 6.Maio.2010

Igreja está a viver um momento muito especial, momento de purificação mas também momento de graça. Esta Igreja que tem 2000 anos, que tem promessas de vida eterna e que já venceu inúmeras tempestades. Em cada alvorecer ela pode escutar a voz firme e sonora do Mestre: Não tenhais medo, Eu venci o mundo! Sopram ventos, formam-se tempestades, cai a chuva, mas a Igreja de Cristo não ruirá porque está edificada sobre rocha firme, Jesus Cristo. Não tenhais medo. Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos! Muito se tem dito e escrito, muito lixo tem aparecido em certos meios de comunicação social. Mas estejamos convictos de que 99,9% dessas informações não têm qualquer fundo de verdade. Por isso, dar-lhe atenção, será apenas perder tempo e recolher lama em bandeja de prata. E não vale a pena. Naturalmente, não vamos chamar virtude ao pecado, bem ao mal. É justo que, se alguns sacerdotes prevaricaram e cometeram tais crimes devem ser punidos. Porém, é justo e imperioso que se faça justiça a todos os outros pedófilos, independentemente do seu estrato social. Como é justo que se faça justiça à Casa Pia e a tantas “casas pias” espalhadas pelo mundo. Sem dúvida, a Igreja está ferida e estaria ferida com um só pecado de um dos seus filhos. Contudo, continua a ser a Igreja de Cristo, bela

95 anos de (in)formação diferente www.omensageiro.com.pt www.twitter.com/omensageiro www.facebook.com/omensageiro

Uma presença orante

Tesouro em vasos de argila

e resplandecente, cheia de beleza na sua dimensão divina, embora frágil e pecadora porque formada por homens e mulheres. É frase comum: “A roupa suja lava-se em casa”; todavia, quando um sacerdote cai, imediatamente surgem “mãos hábeis” para lavar a roupa do próximo na praça pública, profissionais que têm a “fina delicadeza” de atirar lama aos outros para encobrir os delitos que eles mesmos cometem. Quem critica e condena a infidelidade, o adultério de tantos casais? Onde estão os seus acusadores? Mas porque foi um sacerdote que caiu, todos levantam a mão e atiram pedras. Afinal, onde estão os meios de comunicação social que reservam espaços em horário nobre para denunciar tantas injustiças, tantas corrupções, tantos adultérios, tantos pais que praticam pedofilia com os seus próprios filhos? Mas se entre largos milhares de sacerdotes, uma dezena deles pisa o risco, imediatamente é assunto de condenação por comadres e compadres. O príncipe das trevas compra e vende boatos por tão baixo preço e, facilmente, vai corrompendo o pensar de tantas pessoas. Recordemos o que recentemente um sacerdote e grande missionário afirmou: Aqueles que hoje tão maliciosamente atacam a Igreja estão a cuspir no prato de onde amanhã hão-de comer. Não é por um sacerdote cair

e ser infiel que todos os outros sacerdotes são infiéis. Apesar das infidelidades de tantos casais quem põe em causa a sacralidade do matrimónio, o valor primordial da família – homem e mulher, pais e filhos – tão necessário ao equilíbrio da sociedade? Apesar da infidelidade de um pequeníssimo número de sacerdotes quem põe em causa a grandeza e a beleza do Sacramento da Ordem? Por favor, respeitemos e reverenciemos o que realmente merece todo o respeito e não semeemos mais joio entre o trigo. Já basta aquele que o príncipe deste mundo semeia com os seus partidários pela calada da noite. Apesar de todas estas feridas, de todas as fragilidades, invademnos sentimentos de profunda gratidão e esperança ao contemplarmos a imensa multidão de sacerdotes que hoje, neste nosso tempo, no meio das vicissitudes da nossa sociedade tão sensual, permissiva e promíscua, continuam fidelíssimos à sua vocação. Continuam a proclamar com verdade e heroicamente a beleza de ser sacerdote-pastor que dá a vida pelo seu “rebanho”. Oh! Como é grande o padre! – exclamava o Santo Cura d’Ars. Grandiosa é a missão e vocação do sacerdote mesmo trazendo o precioso tesouro do seu ministério em vaso de argila. Irmãs Clarissas de Monte Real

Comunicação como meio Gostaria de fazer uma última observação, antes de dar a palavra ao Prof. Philip Goyret, sobre o significado e sobre a correcta posição “teológica” da comunicação. Criou-se não raramente um certo resvalamento semântico entre os termos “comunhão” (communio) e “comunicação”, pensando de atribuírem-se reais ou presumidas “raízes trinitárias” à comunicação humana. Se é claro que o homem é sempre o actor, ou ao menos um dos actores, da comunicação, e que o homem foi criado à imagem do Deus trinitário, e é chamado a tornar-se à Sua semelhança, todavia não parece directamente justificada uma identificação dos dois referidos termos. A communio pertence à ordem dos fins e é absolutamente necessário respeitar a sua natura, ainda mais dentro do discurso teológico. A comunicação, ao contrário, pertence à ordem dos meios, e pode licitamente ser descrita como um meio, talvez como um dos meios mais eficazes para o alcance, ou melhor, para o acolhimento da communio.

Estou convencido que a reflexão e o aprofundamento desta “instrumentalidade” e “finalização” da comunicação à Comunhão seja uma premissa indispensável de todo o pensar teológico que queira oferecer um contributo realmente edificante e permita, inclusive à comunicação dos sacerdotes, uma real finalização que, em última análise, poderia simplesmente responder à pergunta: “aquilo que estou comunicando pertence à Igreja? Favorece a comunhão? Comunico, isto é, coloco quem me escuta em comunhão com dois mil anos de história cristã?” Também na comunicação dos Sacerdotes – e concluo – é de extraordinária eficácia aquilo que o Santo Padre Bento XVI recordou em sua Encíclica Caritas in Veritate: “A caridade na verdade coloca o homem perante a admirável experiência do dom. A gratuidade está presente na sua vida sob múltiplas formas, que frequentemente lhe passam despercebidas por causa duma visão meramente produtiva e utilitarista da existência. O ser humano está feito para o

dom, que exprime e realiza a sua dimensão de transcendência. Por vezes o homem moderno convence-se, erroneamente, de que é o único autor de si mesmo, da sua vida e da sociedade. Trata-se de uma presunção, resultante do encerramento egoísta em si mesmo, que provém — se queremos exprimi-lo em termos de fé — do pecado das origens. Na sua sabedoria, a Igreja sempre propôs que se tivesse em conta o pecado original mesmo na interpretação dos fenómenos sociais e na construção da sociedade. ‘Ignorar que o homem tem uma natureza ferida, inclinada para o mal, dá lugar a graves erros no domínio da educação, da política, da acção social e dos costumes (Catecismo da Igreja Católica, n. 407)” (Bento XVI, S.S. Carta Encíclica Caritas in Veritate, n.34). Evidentemente, pode ser causa de graves erros também no campo da comunicação e da “Comunicação na missão do sacerdote”. Desejo, de coração, bom trabalho a todos! Dom Mauro Piacenza Secretário da Congregação para o Clero


DIOCESE 9

O Mensageiro 6.Maio.2010

Serviço Diocesano de Catequese propõe

Actividades para crianças na Festa da Fé

“Vida Ascendente”

Movimento Cristão de Reformados O grupo diocesano de Leiria “Vida Ascendente” – Movimento Cristão de Reformados, recebeu, no passado dia 27 de Abril, a visita de três membros de Direcção Nacional. Estavam presentes representantes dos três grupos da diocese: Chainça, Freixial (recém-formado) e inter-paroquial de Leiria. A Presidente Nacional explicou, detalhadamente os fins que mantinham este movimento: aproveitar a experiência e disponibilidade dos mais velhos, reforçar laços de amizade já existentes ou fomentar a criação de novas amizades e a espiritualidade dos seus membros para serviço próprio e dos outros. Com o aumento de esperança de vida, há cada vez mais idosos, muitos com carências materiais e muitos em situação de isolamento, para os quais umas palavras, uma visita de quando em quando, aliviam as dores de quem vive à margem da sociedade. O vice-presidente falou dos grupos, do papel do animador, lembrando que, cada pessoa deve estar preparada e disponível para animar as reuniões. Toca ainda no tema que vai ser proposto para estudo no próximo ano. O assistente diocesano, o Padre Pedro Viva, depois de agradecer a presença dos três membros da Direcção Nacional, a sua disponibilidade e a forma simples, clara que usaram quando comunicaram com todos, fez uma belíssima oração de agradecimento ao Senhor e invocou a “Luz” e protecção do Espírito santo e de Nossa Senhora para todos nós.

DR

será sempre acompanhado de um adulto responsável, os grupos da Adolescência (a partir dos 13 anos) não terão a obrigatoriedade de se fazerem acompanhar de um adulto; O início e a conclusão da actividade será na Praça Rodrigues Lobo. No início da actividade será atribuído um guião a cada equipa que terá todas as indicações para a realização da actividade: locais a visitar, informações a recolher e actividades a fazer. A actividade é considerada concluída quando o guião completo é revisto e aprovado no lugar onde termina a actividade. As actividades vão ainda procurar levar as crianças e adolescentes a alguns lugares significativos da cidade de Leiria, assim como orien-

tá-los numa visita às tendas de exposição das vigararias, dos movimentos e dos serviços diocesanos. Cada grupo terá de visitar 3 tendas de exposição das vigararias, a saber: 1ª Etapa: Fátima, Monte Real e Milagres; 2ª Etapa: Batalha, Colmeias, Marinha Grande;

Adolescência: Leiria, Porto de Mós e Ourém. Quanto à catequese durante este fim-de-semana, fica à responsabilidade de cada comunidade decidir se opta ou não por ter catequese da forma habitual.

Paróquia dos Marrazes

Bênção das grávidas e bebés No próximo dia 9 a 16 de Maio a paróquia dos Marrazes vai celebrara a Semana da Vida com o tema “A Vida é sempre um dom”. A bênção das senhoras grávidas será no dia 9, domingo, durante a Eucaristia na igreja paroquial às 11h00. É uma bênção litúrgica de grande valor, como bênção de Deus. No domingo seguinte, dia 16, far-se-á a bênção dos bebés, também na Eucaristia das 11h00h, na igreja paroquial.

LMFerraz

Donativos e informações

Seminário Diocesano 2414-011 Leiria Tel. 244832760 • Fax 244821102 email: sdl.reitoria@mail.telepac.pt NIB: 0018 0000 03669452001 72

(Se pretender recibo para IRS, envie email com nome, morada e NIF)

Durante a «Festa da Fé - Rosto(s) da Igreja Diocesana», o Serviço Diocesano da Catequese propõe actividades de rua para as crianças e adolescentes. Estas actividades terão como objectivos descobrir pessoas que marcaram a história da Igreja de LeiriaFátima, compreender que todos somos Igreja e descobrir a diversidade e unidade da Igreja de Leiria-Fátima. A organização do dia 22 de Maio (10h00 às 12h30 e 14h30 às 19h00): haverá três propostas de jogo, para os diferentes grupos etários: a) 1ª Etapa (1º, 2º e 3º anos); b) 2ª Etapa (4º, 5º e 6º anos); c) Adolescência; cada grupo terá o máximo de 10 participantes; cada grupo da infância (1ª e 2ª Etapa, até aos 12 anos)

Breves

Donativos de Fevereiro e Março Estamos a poucos dias da peregrinação do Papa Bento XVI a Fátima. Será para nós um tempo de graça, pois o sucessor de Pedro, nestes tempos difíceis, virá, na força do Espírito Santo, confirmar os seus irmãos na fé e encorajar o testemunho das nossas comunidades cristãs. A exemplo de Maria, que tudo meditava no seu íntimo, havemos de examinar todas as situações para nelas descobrir, segundo as palavras do Anjo de Fátima, os “desígnios de misericórdia” do nosso Deus e acolhê-los de todo o coração. Deste modo, o Espírito Santo encontrará em nós aquela colaboração na fé, que em Maria foi total e sem reservas, e nós, centrados no projecto amo-

roso de Deus Pai, revelado em Cristo Jesus e mediado na história pela Igreja, caminharemos na esperança, por mais adversas que sejam as circunstâncias. Foi com o objectivo de dar à nossa Igreja diocesana mais condições para servir os “desígnios de misericórdia” do nosso Deus, nomeadamente com a afectação de espaços para uma Casa de Retiros, que se executou a primeira fase das obras de conservação e introdução de melhorias no edifício do Seminário. Agora que elas estão concluídas, não podíamos ter maior e mais significativo acontecimento para assinalar a sua entrada em pleno funcionamento do que a vinda do Papa a Fátima! Esta feliz coinci-

dência marca também a abertura da Casa de Retiros a iniciativas de carácter religioso de âmbito nacional e internacional. Continuando a campanha de angariação de fundos a favor das obras no edifício do Seminário, informamos que, em Fevereiro e Março, recebemos os seguintes donativos: Comunidade Paroquial de Matas: 876,00€; Comunidade Paroquial de Monte Redondo: 340,34€; Comunidade Paroquial do Souto da Carpalhosa: 1.000,00€; Centro de Culto da Vesparia/Lavradio: 600,00€; Celeste de Jesus Silva Guerreiro: 5,00€; Anónimas: 500,00€; Maria Conceição Machado Rosa Costa Silva: 1.000,00€; Joaquim Cruz Oliveira, Casal dos Bernardos: 20,00€; Centro

de Culto da Ranha de São de João: 106,00€; Anónimo: 300,00€; Anónimo: 40,00€; Abílio da Costa Antunes, França: 20,00€; Anónimo de Leiria: 10,00€; Jorge Gabriel Nogueira, França: 10,00€; Fernando José Cordeiro Marques: 150,00€; Anónima: 200,00€; Anónima do Arrimal: 50,00€; Comunidade Paroquial de Espite: 400,00€; Anónimo: 50,00€; Arminda Conceição, Vale do Horto: 25,00€; Legião de Maria: 48,60€; Total: 5,750,94€. Juntando estes aos donativos referidos no mês de Fevereiro (428.159,17€), atingimos a importância de 433.910,11€. O nosso bem-haja a todos os benfeitores. Padre Armindo Janeiro (reitor)

DR

Feliz coincidência!

Visita de cortesia ao Paço Episcopal

Bispo diocesano recebeu equipa da Junta de Freguesia de Leiria D. António Marto, bispo da Diocese Leiria-Fátima, recebeu no dia 29 de Abril, na Casa Episcopal, o executivo da Junta de Freguesia de Leiria que lhe foi apresentar cumprimentos e, simultaneamente, abordar alguns assuntos de interesse para a autarquia. D. António Marto revelou grande interesse e atenção por tudo aquilo que a presidente Laura Esperança expôs, felicitou-a pelo facto desta ter sido eleita para novo mandato, desejando-lhe as maiores felicidades. A presidente deixou alguns livros alusivos à Freguesia de Leiria e uma medalha com o brasão da cidade.


10 ECLESIAL

O Mensageiro 6.Maio.2010

(09/05/10)

Antífona de Estrada: cf. Is 48, 20 Leitura I: Actos 15, 1-2.22-29 Salmo Responsorial: Salmo 66 (67), 2-3.5.6.8 (R. 4) Refrão: Louvado sejais, Senhor, pelos povos de toda a terra. Repete-se Leitura II: Ap 21, 10-14.22-23 Aclamação ao Evangelho: Jo 14, 23 Refrão: Aleluia. Repete-se Se alguém Me ama, guardará a minha palavra. Meu Pai o amará e faremos nele a nossa morada. Refrão Evangelho: Jo 14, 23-29 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Quem Me ama guardará a minha palavra e meu Pai o amará; Nós viremos a ele e faremos nele a nossa morada. Quem Me não ama não guarda a minha palavra. Ora a palavra que ouvis não é minha, mas do Pai que Me enviou. Disse-vos estas coisas, estando ainda convosco. Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos recordará tudo o que Eu vos disse. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como a dá o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração. Ouvistes que Eu vos disse: Vou partir, mas voltarei para junto de vós. Se Me amásseis, ficaríeis contentes por Eu ir para o Pai, porque o Pai é maior do que Eu. Disse-vo-lo agora, antes de acontecer, para que, quando acontecer, acrediteis». Palavra da salvação.

Cânticos | 7º Domingo de Páscoa (16/05/10) Entrada Aclamai Jesus Cristo - LAU 134 Deus vive na Sua morada santa - LAU 289 Salmo Responsorial Ergue-se Deus o Senhor em júbilo - LAU 338 Apresentação dos Dons Recebestes um Espírito - LAU 716 Hinos de glória - LAU 424

Caminhada de Fé No último ano pastoral partiram em missão seis leigos voluntários. Todos eles continuaram a caminhada feita por outros, dando um pouco de si, partilhando a sua fé e alegria. O padre David Nogueira esteve no seu terceiro ano consecutivo à frente da Missão de S. José do Gungo, estando presentemente no quarto ano. Agradecemos a Deus o maravilhoso apoio de quem dá o seu tempo e coração à Missão, deixando a sua terra, casa, família, indo ao encontro do irmão. Do outro lado do mundo, no centro da Missão do Gungo, o início do ano pastoral foi marcado com a visita do Bispo D. Benedito Roberto à nossa missão. Momento de grande felicidade para o povo, que tanta aguardava pela sua visita. A população mobilizou-se para o acolher. O Sr. D. Benedito visitou as três zonas pastorais da missão, e celebrou o Crisma de centenas de pessoas, jovens e adultos. O acompanhamento

familiar iniciou no início de 2008, e tem sido uma formação muito importante, uma das apostas da equipa missionária no ano pastoral último e um projecto a continuar este ano. Entre os objectivos contamse: fortalecer de laços entre o casal, o conhecimento e respeito mútuo, a ajuda a perceber a importância da vida a dois. A pastoral da criança foi um desafio do último ano pastoral, e a continuar este ano, com a formação de iniciação às crianças, áreas em que os leigos têm desenvolvido um papel fundamental. Os catequistas com a equipa missionária estão sempre atentos e têm trabalhado arduamente na preparação e celebração dos sacramentos. Foram celebrados, o ano passado, 208 baptismos, 14 casamentos e feitas 25 primeiras comunhões. O leigo missionário Armando Franco desenvolveu e trabalhou mais na área da mecânica, formando 25 jovens do Gungo.

AO SABOR DA PALAVRA

caos na sociedade humana. Quanto mais complicado é um sistema mais difícil se torna a sua estabilidade: quanto mais simples são as regras do jogo mais fácil é jogá-lo; quanta diferença entre os jogos de futebol que fazia na minha rua e aquele espectáculo que se vê nos estádios dos dias de hoje: quantos problemas criados pela complexidade dos apêndices ás regras básicas. Na nossa vida espiritual isso também acontece: Porque é que na sua origem o cristianismo, apesar dos problemas que aconteceram nas diversas comunidades, teve uma expansão tão grade? E porque é que agora não é atractivo para as pessoas? Podemos encontrar parte das respostas nas leituras deste domingo: “Quem me ama guardará a minha palavra e meu Pai o amará.” A comunhão do crente com o Pai e com Jesus não resulta de momentos mágicos nos quais, através da recitação de certas fórmulas, a vida de Deus bombardeia e inunda incondicionalmente o crente; mas a intimidade e a comunhão com Jesus e com o Pai estabelece-se

Comunhão Eu estou sempre convosco - LAU 362 Saboreiai como é bom - LAU 726 Saciastes o vosso povo - LAU 729 Pós-Comunhão Ao Deus do Universo - LAU 155 Senhor Tu és a luz - LAU 779 Final Ide por todo o mundo e proclamai - LAU 435 Cristo vence - LAU 255

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

Cidade de Deus 6º Domingo de Páscoa

MISSAS DOMINICAIS Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 10h00 – Paulo VI 10h00 – Franciscanos 10h00 – S. Romão 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h45 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

Esta vida é muito complicada, há muita coisa para fazer, muitas obrigações a cumprir, horários para tudo, ordem e mais ordem. No entanto aumentam as fugas a esta ordem. Quanto mais regras se fazem para ordenar o mundo mais transgressões acontecem a essas regras, e mais regras são criadas na tentativa de evitar as transgressões: vejamos o que aconteceu com a recente lei sobre o tabaco. Mas o que este círculo vicioso faz é aumentar o

DR

Leituras | 6º Domingo de Páscoa

Janela Sobre a Missao

Outros leigos têm trabalhado na formação mais social, como por exemplo na continuação nas aulas de culinária, e formando sobre a importância de uma alimentação variada e saudável, e dando formação em saúde preventiva. Um grande passo já foi dado com os jovens do Gungo que já têm conseguido participar em actividades Diocesanas. A Inês Pereira trabalha este ano nesta área, unindo e fortalecendo os laços dos jovens no Gungo, procurando envolvê-los o mais possível na comunidade. A equipa missionária dá um forte apoio à comunidade do Gungo, que tem aproximadamente 25 000 habitantes, na gestão de projectos de sustentabilidade da missão, como por exemplo, no comércio de carvão, na construção de padarias comunitárias,

em postos de venda de bens essenciais com preços educativos, tais como, a venda de medicamentos, material escolar, roupa, e até combustíveis. A missão possui cerca de 70 hectares de terreno que são rentabilizados com uma junta de bois, dinamizando assim a agricultura da região, integrando o projecto de sementes, que consiste em vender sementes de diversos produtos agrícolas para que a população crie hábitos alimentares variados e diversificados. Muita coisa ficou por dizer, mas nem só de actividades vive lá e cá o Ondjoyetu, porque esta missão é de Deus, é por Ele que ela vive e continua a aquecer o coração de muitos, porque esta Missão é de Cristo, é “Cristo que vive em Mim”, Cristo vive a Missão. Celina Pedro

percorrendo o caminho do amor e da entrega, numa doação total aos irmãos. Quem quiser encontrar-se com Jesus e com o Pai, tem de sair do egoísmo e aprender a fazer da sua vida um dom aos homens. A força do cristianismo está na sua simplicidade, que também torna mais fácil a resolução clara dos problemas sem encontrar fórmulas complicadas que procuram apenas agradar a todas as partes. Logo nos primeiros anos do cristianismo foi necessário esclarecer se os cristãos tinham de obedecer à lei judaica, representada pela circuncisão. Mas a acção do Espírito Santo manifestou aos apóstolos que o que era importante era reconhecer o Deus único (deixar os rituais idolátricos) e o respeito pela vida e pelos outros (abandonar as relações imorais). A questão de cumprir ou não os ritos da Lei de Moisés, que surgem na primeira leitura, é uma questão ultrapassada, que hoje não preocupa nenhum cristão; mas este episódio vale, sobretudo, pelo seu valor exemplar. Faz-nos pensar, por exemplo, em

rituais ultrapassados, em práticas de piedade vazias e estéreis, em fórmulas obsoletas, que exprimiram num certo contexto, mas já não exprimem o essencial da proposta cristã. Faz-nos pensar na imposição de esquemas culturais que muitas vezes não têm nada a ver com a forma de expressão de certas culturas… O essencial do cristianismo não pode ser vivido sem o concretizar em formas determinadas, humanas e, por isso, condicionadas e finitas. Mas é necessário distinguir o essencial do acessório; o essencial deve ser preservado e o acessório deve ser constantemente actualizado. O que importa não são os rituais, os espectáculos, mas é um estilo de vida. Acredito que todo homem tem gravado no seu coração aquilo que é essencial para viver cristãmente. Apenas tem de procurar descobrir com honestidade o que a vida lhe aponta. Assim não seria preciso muitos códigos, nem muitas leis: basta que cada um em cada momento respeite a vida que Deus dá a cada ser.


IGREJA EM PORTUGAL 11

O Mensageiro 6.Maio.2010

Fátima Jovem 2010

Jovens não deixaram Fátima dormir... Estiveram presentes em Fátima 2680 jovens que não deixaram o Santuário de Fátima dormir na noite de 1 para 2 de Maio. Uma «Directa com Maria» tomou conta deste santuário mariano num momento de “grande sinergia” entre os jovens, a pastoral juvenil e o Santuário de Fátima. Uma noite cheia de actividades mostrou que uma directa “não serve apenas para se estar acordado”, explica o Director do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil - DNPJ, o padre Pablo Lima, mas para “uma linha directa” com o objectivo de “aprofundar a fé, a relação com Jesus e conhecer melhor Maria”. A organização superou as expectativas. No número – estiveram presentes 18 das 20 dioceses portuguesas e oito movimentos juvenis – e na afluência às propostas que “apesar do cansaço durante a noite não conheceram quebra”. A «Directa com Maria», como este ano se chamou a actividade nacional que congrega os jovens, Fátima Jovem, foi uma aposta ganha na visão do Pe Pablo Lima. As iniciativas podem não se repetir mas as “boas

intuições são de manter”. “A proposta tinha qualidade e foi bem cuidada, quer pelos movimentos como pelos secretariados diocesanos. O resultado evidenciou o bem estar sentido entre os jovens”. Um concerto de abertura dava o mote para uma noite que contou sempre com música. Houve também um espaço «lounge», alimentação durante toda a noite e uma vigília de oração. No final da noite a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima foi pequena para acolher os 2680 jovens que atentamente escutaram a homilia D. Ilídio Leandro. Na eucaristia que encerrou a noite dos jovens, pelas seis horas da manhã, o bispo de Viseu apelou ao espírito inquieto da juventude, salientando a sua sensibilidade para a esperança e concretização de sonhos. “É hora de acordar do sono da preguiça e indiferença, de acreditar na força da esperança, de iniciar a fase da mudança e de concretizar realidades diferentes”, apelou o vogal da Comissão Episcopal do Laicado e da Família, que o DNPJ integra.

Frisou o bispo que se vive um momento de “apelo à mudança” especialmente dirigido à “juventude cristã”. “Precisamos de gritar que há vida, apesar e para lá da crise e que essa vida nasce do amor, a grande fonte da solidariedade, da justiça social, da partilha de sonhos, de projectos, de comunhão, de vida”. Afirmou ainda o bispo de Viseu que a «Directa com Maria» precisa ter “consequências”. Os jovens precisam por isso de “actuar na renovação da vida e na transformação das estruturas”, apelou o Bispo, indicando ainda que Bento XVI, que estará em Portugal dentro de uma semana, deverá sentir o entusiasmo dos jovens. “Fazei-o sentir ao Papa, que aí vem para estar connosco e para nos confirmar na fé e apontar a esperança”. Também a Pastoral Juvenil espera “consequências na sociedade, nas estruturas e na vida da Igreja que tanto precisa da irreverência, alegria e ousadia dos jovens”. O padre Pablo Lima afirma mesmo que o “Fátima

jovem foi motivo de alento e empurrão de qualidade na vida dos jovens”. Ao Papa os jovens presentes em Fátima endereçaram uma carta onde afirmam esperar “com imensa alegria a visita” apostólica e “rezar por Sua Santidade”. “Quando receber em suas mãos esta carta, nós estaremos espalhados um pouco por todo o lado onde passar o Santo Padre Bento XVI e, em espírito, Vos daremos um forte abraço”, escrevem os jovens. Esta missiva vai ser entregue a Bento XVI, no próximo dia 13 em Fátima. Será D. Ilídio Leandro e D. António Carrilho, Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, que o DNPJ integra, a entregar ao Papa a carta escrita pelos jovens. O padre Pablo Lima traduz um sinal de comunhão “ecclesial”. Em Fátima foram ainda soltos balões a lembrar o dia da mãe mas também a visita apostólica de Bento XVI. O Director do DNPJ afirma que “o Papa esteve presente em toda a actividade”, lembrando o forte aplauso que a sala Paulo VI acolheu quando a visita apostólica foi mencionada.

Reitor da UCP

Bento XVI “porta-voz da razão ética da humanidade”

as universidades têm de aliar o ensino dos conhecimentos técnico à sabedoria, o membro do Conselho de Estado sublinhou que a sabedoria das tradições religiosas não se pode deitar para o “cesto do lixo” da história das ideias. Para Manuel Braga da Cruz, reitor da Universidade Católica Portuguesa (UCP), “o Ocidente corre hoje o risco de desistir de procurar a verdade e de colocar a razão subordinada ao materialismo e utilitarismo”.

Por outro lado, Bento XVI teme que o ensino superior corra o risco de “perder o sentido da unidade dos saberes” e passe a ser “dominada pela tecnocracia”, acrescentou O discurso que o Papa foi impedido de proferir na Universidade La Sapienza, em Roma, a 17 de Janeiro de 2008 – tema do painel em que intervieram os dois oradores – salienta os “limites da ciência” no que se refere ao alcance dos conhecimentos e à sua aplicação prática, assinalou o reitor.

“Incertezas próximas e preocupações futuras”

Bispo do Porto partilha preocupações dos universitários D. Manuel Clemente, Bispo do Porto, manifestou preocupações perante a actual situação “económica e sócio-profissional”, partilhando as “incertezas próximas e preocupações futuras” dos universitários que concluem o seu curso. Na homilia da Bênção das Pastas, que decorreu na Avenida dos Aliados, o prelado admitiu que “é difícil para muitos conseguir trabalho, trabalho à altura da competência adquirida e das legítimas aspirações”. Enquanto cristãos, acrescentou, os jovens não se devem deixar “abater pelo desânimo”, mas fazer das dificuldades “outras tantas oportunidades de criar coisas novas”.

“Vinde e Vede”

Jovens juntaram-se em caminhada vocacional Os Missionários do Verbo Divino organizaram a 1 e 2 de Maio a 4ª caminhada vocacional, que reuniu cerca de meia centena de jovens de diversos pontos do país. A iniciativa, que teve como tema “Vinde e Vede”, numa alusão ao convite que Jesus dirigiu aos seus primeiros discípulos, começou com o acolhimento no Seminário do Verbo Divino, em Tortosendo, tendo-se seguido o percurso até ao Santuário de Nossa Senhora das Dores, em Paul. O itinerário foi marcado pela contemplação da natureza e da paisagem sobre a Cova da Beira, bem como por momentos de descanso e reflexão. No dia seguinte os jovens participaram na missa realizada na igreja matriz do Tortosendo, numa animada celebração em que o mês de Maria e o Dia da Mãe tiveram lugar de destaque. A organização do encontro contou com o apoio das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo e do grupo Diálogos-leigos SVD para a Missão Padre Feliciano Sila, svd/Agência Ecclesia

Diocese de Aveiro

I Jornada de Educação

DR

O médico João Lobo Antunes sublinhou que os argumentos que Bento XVI utiliza no diálogo com os seus interlocutores são de uma “extraordinária doçura”. No entender do investigador, que falava no colóquio “O Pensamento de Bento XVI”, que decorre esta Segunda-feira em Lisboa, o Papa distingue-se também por abordar temas “complexos” com “simplicidade e afectividade”. Bento XVI sabe que a Igreja é detentora de um “tesouro de conhecimento e experiência ética” mas não impõe a “ética da obediência”, referiu João Lobo Antunes, salientando que o “recurso a filósofos laicos é um dos timbres deste Papa”. Depois de recordar que

BREVES

“A verdade não se esgota no saber, mas destina-se a fazer o bem, e como tal precisa da razão ética”, lembrou Manuel Braga da Cruz, para quem a missão do Papa seria como a de um “sentinela” que pretende assegurar a coesão de toda a comunidade humana. O reitor da UCP referiu que Bento XVI apresenta-se ao saber universitário como “porta-voz da razão ética da humanidade” e que, de acordo com as suas palavras, a Teologia é a “força purificadora” da razão.

De 21 a 22 de Maio, o Colégio de Nossa Senhora da Apresentação (Calvão), recebe a I Jornada de educação da Diocese, organizada pela Associação de Escolas Católicas da diocese de Aveiro. Etienne Verhack, Secretário-geral do Comité Europeu da Escola Católica, será um dos oradores. Do programa constam conferências sobre “Jesus Cristo, o caminho da pessoa nova”; “A pessoa que mora no aluno”; “Educar por um desenho antropológico: para ser inteligente, para ser ético, para ser livre, para amar”; “Orientações do Magistério para a Educação - Querubim Silva”; “A liberdade de aprender e de ensinar”; “Contributos para a construção de um projecto educativo numa escola humanista e cristã” e “A intervenção da Escola Católica na construção de uma sociedade nova” Ainda serão apresentados painéis, abordando a “Aprendizagem cooperativa e pedagogia da autonomia no 2º Ciclo do Ensino Básico”; “Projecto SOFIA”; “Educação para a Sustentabilidade” e “Escola: espaço de acompanhamento pastoral”.


12 IGREJA NO MUNDO

Economia sem ética preocupa Bento XVI

Bento XVI defendeu que a crise financeira internacional mostrou a “fragilidade” do actual sistema económico e das instituições a ele ligadas. O Papa insistiu na necessidade de “regras éticas”, que promovam um “desenvolvimento integral da pessoa e não só o lucro”. O discurso papal foi pronunciado perante os participantes na reunião plenária da Academia Pontifícia das Ciências, reunidos no Vaticano até ao próximo dia 4 de Maio para discutir sobre o tema “A crise numa economia global”. Bento XVI afirmou a derrocada do sistema financeiro mostrou “o erro do pressuposto com base no qual o mercado é capaz de se regular, para lá da intervenção pública e do contributo de normas éticas internas”. Segundo o Papa, “a vida económica deve ser vista correctamente como um exercício de responsabilidade humana, intrinsecamente orientada para a promoção da dignidade da pessoa, a prossecução do bem comum e o desenvolvimento integral”.

Bispos lamentam xenofobia e desconfiança

Igreja pede mais protecção para os migrantes na Europa

Os Bispos católicos da Europa condenaram a xenofobia e o clima de “medo” diante dos imigrantes, que tendem a aumentar com a actual crise económica. Na mensagem final do VIII Congresso europeu sobre migrações, que se concluiu na cidade espanhola de Málaga, os representantes dos episcopados do Velho Continente quiseram afirmar que a presença dos imigrantes é “uma oportunidade para o presente e para o futuro”. “Constatámos que em muitos países, os imigrantes dão um contributo positivo, não só económico, às sociedades que os sabem acolher”, pode ler-se. A iniciativa do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) juntou uma centena de delegados, que alertam para “o sofrimento a miséria e o desalento” que atingem muitos imigrantes. Os participantes deram a conhecer “numerosas iniciativas” desenvolvidas pela Igreja no apoio a estas populações.

Exposição «Compostela e a Europa»

Intercâmbio cultural na construção da catedral

“Compostela e a Europa – A história de Diego Gelmírez” é o título da exposição com que a Comunidade Autónoma da Galiza, Espanha, destaca a construção da catedral destinada a acolher os peregrinos. A mostra, que decorre em Paris, sublinha o papel desempenhado na edificação da sé pelo arcebispo de Compostela, cujas viagens transformaram a igreja num espaço de criação com influência notável na Europa, elevando-a ao mesmo nível de Jerusalém e Roma. As obras expostas são provenientes de museus espanhóis, franceses, italianos e portugueses, testemunhando a presença e o intercâmbio artístico promovidos pelo arcebispo nesses territórios. Um dos núcleos da mostra é dedicado à estadia de D. Gelmírez na região que anos mais tarde viria a conquistar a independência e dar origem a Portugal. De acordo com o texto de apoio à exposição, a viagem do prelado, em 1102, teve um carácter acentuadamente político, ligando-se ao roubo das relíquias mais prestigiadas da Sé de Braga – os corpos de São Frutuoso, São Cucufate, São Silvestre e Santa Susana. Com SNPC

A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) divulgou um aumento da violência e da intolerância contra os cristãos no ano passado. Os dados são revelados no Observatório 2009 da Liberdade Religiosa no Mundo. De acordo com a organização católica internacional, entre 75 a 85% das perseguições religiosas em todo o mundo dizem respeito aos cristãos. Actualmente diminuíram as medidas opressivas contra os cristãos com base em ideologias ateias, mas há novas ideologias que permitem a liberdade religiosa apenas dentro de uma única religião – como em países muçulmanos e na Índia, onde, em alguns Estados, grupos radicais hindus conseguiram promulgar leis “anticonversão”. A Ásia é o continente onde se verificou um agravamento da situação dos cristãos que são perseguidos e ameaçados. Segundo o documento publicado pela Fundação AIS, dos 13 países referidos no Observatório 2009, mais de metade são asiáticos (Arábia Saudita, Butão, China, Índia, Iraque, Paquistão e Vietname), seguindo-se quatro países africanos (Argélia, Egipto, Eritreia

Fundação Ajuda à Igreja que Sofre

Violência contra os cristãos aumentou em 2009 e Somália). Completam a lista Bolívia e Venezuela, da América do Sul. “A Fundação AIS publica de dois em dois anos o relatório sobre a liberdade religiosa no mundo onde é feita uma análise exaustiva de todos os países do mundo. Este ano foram escolhidos 13 países onde se verificou um claro agravamento da situação, com o aumento da perseguição, da violência, da intolerância contra cristãos e apatia das respectivas autoridades”,

explica a presidente do conselho de administração da Fundação AIS, Catarina Martins de Bettencourt. O objectivo é divulgar a situação real dos cristãos. “Este relatório prende-se com a nossa missão de divulgar e dar a conhecer a situação da Igreja no mundo. Como podemos ajudar se não conhecermos a realidade de cada país? Para podermos apoiar determinada Igreja precisamos de saber exactamente a realidade do dia-a-dia, o modo como

a população expressa a sua fé ou como lhe é permitido expressar. Ao termos este conhecimento nas nossas mãos, temos por obrigação divulgá-lo de modo a dar a conhecer ao mundo a situação e, caso seja necessário, tentar influenciar a opinião e a postura da sociedade civil e classe política”, destaca.

Bento XVI

“Igreja antecipa destino final da humanidade” Apesar das limitações e dos pecados, a Igreja antecipa a Jerusalém celeste, o destino final da humanidade, afirmou Bento XVI, na homilia da liturgia de exéquias do cardeal beneditino Paul Augustin Mayer, falecido aos 98 anos. A Missa foi celebrada na Basílica de São Pedro pelo cardeal Angelo Sodano, decano do Colégio cardinalício, acompanhado por outros cardeais. O Papa presidiu à liturgia de exéquias, fez a homilia e conduziu os ritos da Ultima Commendatio e da Valedictio. Toda liturgia de exéquias, lembrou o Pontífice, “dá-se sob o símbolo da es-

perança: no último suspiro de Jesus na cruz, Deus se doou inteiramente à humanidade, preenchendo o vazio deixado pelo pecado e restabelecendo a vitória da vida sobre a morte”. “Por isso, todo o homem que morre no Senhor participa, pela fé, deste acto de amor infinito e, de alguma forma, une o seu espírito a Cristo, na segura esperança de que a mão do Pai o ressuscitará dos mortos e o introduzirá no Reino da vida”, acrescentou. Numa época como a nossa, em que “o medo da morte leva muitos ao desespero e a buscar compensações ilusórias”, o cristão “distingue-se pelo facto de

depositar a sua segurança em Deus, num Amor tão grande que é capaz de renovar o mundo inteiro”, observou o Papa. Lembrando que “a visão da nova Jerusalém exprime a realização do desejo mais profundo da humanidade, o de viver em comunidade na paz, sem mais ser ameaçado pela morte, mas gozando de plena comunhão com Deus e entre nós”, explicou que “a Igreja e, em particular, as comunidades monásticas, constituem uma prefiguração na terra desta meta final”. “É uma antecipação imperfeita, marcada por limitações e pecados e, portanto, sempre dependente

DR

Papa convida a tirar lições da crise financeira

6.Maio.2010

DR

Breves

O Mensageiro

de conversão e purificação; e, todavia, na comunidade eucarística experimenta-se a vitória do amor de Cristo sobre tudo o que divide e mortifica”, assinala. “A nossa vida está, a cada instante, nas mãos do Senhor, especialmente no momento da morte”, concluiu Bento XVI. Zenit

WWW.OMENSAGEIRO.COM.PT


OPINIÃO 13

O Mensageiro 6.Maio.2010

NO CORAÇÃO DA IGREJA

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

A Igreja como mestra

L

endo o livro “Ortodoxia”, do escritor inglês convertido ao catolicismo, G.K. Chesterton (18741936), encontrei uma interessante passagem sobre a Igreja como mestra que nos ensina a verdade muito útil para a nossa vida e que aju-

ANÁLISE ECONÓMICA

Orlando Fernandes Jornalista

As iniciativas do Governo

O

desemprego apresenta nos últimos tempos uma taxa mais elevada. Esta ocorrência deriva da crise que afecta a nossa economia. Não é possível responder às necessidades de emprego da população sem haver crescimento da actividade económica, sem o surgimento de novas iniciativas e a criação de novas empresas ou sem o incremento da actividade produtiva das empresas existentes, umas e outras dessas realidades gerando novos empregos. Esta crise é, como se sabe, internacional e afecta o nosso país como afecta os outros.

dou o autor na sua conversão, em 1922. Transcrevo algumas partes. “A Igreja Cristã é, na sua relação com a minha alma, um mestre vivo, e não um mestre morto; não se limitou a dar-me lições no passado, mas quase de certeza mas dará também no futuro. (...) Platão dissenos algumas verdades; mas Platão morreu. Shakespeare espantou-nos com certas imagens; mas Shakespeare não voltará a espantar-nos. Mas imagine o leitor o que seria viver com esses homens ainda vivos, saber que amanhã Platão podia vir dar uma nova conferência, ou que, a qualquer momento, Shakespeare podia deixarnos de boca aberta com um novo soneto. A pessoa que vive em contacto com aquilo que acredita ser a Igreja viva é uma pessoa que está constantemente na expectativa de conhecer Platão

e Shakespeare amanhã ao pequeno almoço. Que está sempre na expectativa de conhecer uma verdade que não conhecia. Só há um paralelo com esta posição, que é o paralelo com o começo da vida de todos nós. Quando o nosso pai nos levou a passear pelo jardim, para nos explicar que as abelhas picavam e que as rosas eram perfumadas, nenhum de nós se lembrou de aproveitar ao máximo esta filosofia. Quando a abelha efectivamente nos ferrou, não nos pareceu que se tratasse de uma coincidência engraçada. Quando as rosas nos cheiraram bem, não pensámos: ‘O meu pai é um símbolo rude e bárbaro, que alberga (talvez de forma inconsciente) a profunda e delicada verdade de que as flores cheiram bem’. Não: acreditámos no nosso pai, porque tínhamos chegado à conclusão de que ele era

efectivamente mais do que nós, alguém que nos diria a verdade amanhã, como nos tinha dito hoje. E, se isto se aplicava ao nosso pai, aplicava-se ainda mais à nossa mãe (...) Quando, em criança, ia ao jardim, achava que era um local terrível, precisamente porque mo tinham explicado; se não mo tivessem explicado, tê-lo-ia achado terrível, mas doméstico. Um simples ermo sem sentido nem chega a impressionar. O jardim da minha infância, porém, era fascinante, porque tudo o que nele existia tinha um significado preciso, que podia ir sendo descoberto à vez. Milímetro a milímetro, eu tinha a possibilidade de ir descobrindo o que era aquele objecto de formato horrível chamado ancinho; ou de formar uma vaga conjectura sobre o motivo pelo qual os meus pais tinham um gato.

E assim, a partir do momento em que adoptei o cristianismo – como uma mãe, e não como um mero exemplo casual –, descobri que a Europa e o mundo se assemelhavam muito aquele jardim onde eu ficara a olhar espantado para as formas simbólicas do ancinho e do gato; e passei a olhar para todas as coisas com ignorância e expectativa élficas. Este rito ou aquela doutrina poderão parecer horríveis e misteriosos como um ancinho; mas eu descobri por experiência que em geral, essas coisas vão dar, de uma forma ou de outra, à relva e às flores. Um clérigo poderá, aparentemente, ser tão inútil como um gato, mas é igualmente fascinante, porque tem de haver uma razão – mesmo que seja uma razão misteriosa – para ele existir. (...) O cristianismo não se limitou a dizer esta verdade,

Aliás, Portugal depende muito da actividade económica dos outros países porque muitas das nossas empresas vivem da venda dos seus produtos para fora e porque, por exemplo, temos uma importante indústria turística e, quando há crise e desemprego lá fora, menos turistas vêm comprar a nossa oferta de sol, praia, natureza e história, e de hotéis e restaurantes. Por exemplo, em Espanha a taxa de desemprego está a bater próximo dos 20%, que é o dobro da nossa que está um pouco abaixo dos 10%. Um grupo que tem especiais dificuldades é o dos jovens, onde o desemprego é mais elevado. Isto, de alguma forma, compreende-se, e ocorre em qualquer tempo e circunstância, pois trata-se de um período da vida das pessoas em que se procura um primeiro emprego ou em que se procura mudar de emprego, buscando uma adaptação a certa profissão ou a uma actividade mais vantajosa ou mais realizadora. É claro que, em momentos em que a economia gera menos empregos novos, a dificuldades de aceder a um primeiro empregou ou mudar para outra actividade é mais difícil ou mais

demorada. Uma das respostas mais exaltantes pode ser a tentativa de empreender, de arriscar uma ideia económica, criando a pessoa o seu próprio emprego e, até gerando postos de trabalho para outros. Para isso existem hoje em dia ajudas e incentivos que podem ser uma primeira alavanca para a concretização de uma vocação ou de uma ideia lucrativa, sejam iniciativas individuais ou em sociedades. Por outro lado o Governo português avançou com uma iniciativa, que o Orçamento do Estado para 2010 encaixa, que entre outras, comporta medidas especialmente dirigidas a levar os jovens para dentro do mercado de trabalho. Basicamente o que se pretende é criar condições a entidades públicas e privadas, com financiamento e vantagens diversas, para receberem jovens nos seus quadros de trabalho, como estagiários, devidamente pagos. No fundo isto já se traduz num emprego remunerado. Ainda que a título de estágio e sem vínculo definitivo. Mas dar a uma entidade empregadora a possibilidade de conhecer a competência de trabalho de um

jovem e o contributo que ele é capaz de aportar à sua actividade pode significar a abertura para uma contratação. Do mesmo passo que dar a um jovem a oportunidade de se integrar numa entidade lhe abre um horizonte de aprendizagem bem como uma oportunidade soberana de mostrar o seu valor e eventualmente ganhar um posto de trabalho. Os programas governamentais, financiados no Orçamento do Estado, visam os jovens à procura de primeiro emprego, jovens licenciados em situação de desemprego, e jovens que embora se encontrem empregados, exerçam uma ocupação profissional não correspondente à sua área de formação e nível de qualificação. Está estabelecida a criação de 5.000 estágios na Administração Pública Central, e 2.000 nas Autarquias Locais, a readaptação de 5.000 jovens licenciados formados em áreas de baixa empregabilidade para melhorar adequação ao mercado de trabalho, a inserção de 1.000 jovens quadros em instituições da economia social, a inserção de 10.000 jovens qualificados ao nível secundário num novo programa de

estágios profissionais. Depois vai haver um programa para apoiar a contratação dos jovens que concluíram os estágios. Os estímulos às entidades empregadoras para a contratação, sem termo, de jovens vai dar um apoio directo, de 2500euros, por cada posto de trabalho em acumulação com a isenção do pagamento de contribuições para a segurança social por um período longo de dois a três anos. Haverá ainda outros incentivos fortes para as empresas já que os encargos, com a criação destes postos de trabalho para jovens, serão considerados como custo, considerado a cento e cinquenta por cento do seu valor, para descontar nos impostos a pagar ao Estado. É um caminho e serão oportunidades deste governo, para os jovens que enfrentam o negro mercado de trabalho, que é ainda mais difícil neste ano de 2010. Este é um desafio do governo, que acaba de dar aos jovens desempregados, mas se esta situação piorar? Ou José Sócrates ainda tem dúvidas?

ou aquela verdade, antes se revelou como algo que diz a verdade. Todas as outras filosofias afirmam coisas que parecem nitidamente verdadeiras; esta filosofia é a única que, uma vez e outra, afirma coisas que não parecem ser verdadeiras, mas são. Este é o único credo que se mostra convincente naqueles pontos em que não é atractivo; e que acaba por ter razão, como o meu pai tinha razão relativamente ao jardim” (p. 220-223). Como este autor, cada membro da Igreja deverá encontrar nele uma mãe e mestra que lhe ensina e mostra a verdade que dá significado a toda a vida. Podemos então amá-la como se ama uma mãe e se quer bem a um mestre.

JORNALICES.COM

Pedro Jerónimo

Curioso dos media

Igreja e os media

F

echou, aos 126 anos, o Distrito de Portalegre. Segundo D. Antonino Dias, bispo de PortalegreCastelo Branco, o motivo foi a viabilidade económica, porém, deixa a possibilidade de surgir um novo projecto. Sinceramente, das leituras feitas, parecem-me justificações um pouco contraditórias. Curioso é o timming em que chega a notícia: Dia Mundial da Liberdade de Imprensa (3 de Maio) e anúncio de mais de 2.000 jornalistas acreditados para a visita do Papa. Penso ainda na Internet, com custos reduzidos, e o apelo feito por Bento XVI para que se evangelize também por lá (onde estão as novas gerações)... Que fazes, Igreja? Ignoras ou apostas nas novas formas de anunciar Cristo Ressuscitado?


14 INSTITUCIONAL / LIVROS

O Mensageiro 6.Maio.2010

EDITAL N.º 57/2010 INQUÉRITO ADMINISTRATIVO 1.ª Publicação LINO DIAS PEREIRA, Vereador da Câmara Municipal do Concelho de Leiria, faz saber, nos termos dos Artigos e seguintes do Decreto - Lei n.º , que se procede pela Secção de Apoio Administrativo às Empreitadas desta Câmara Municipal a Inquérito Administrativo relativo à empreitada de “AMPLIAÇÃO/ REMODELAÇÃO DA EB1 DA GÂNDARA DOS OLIVAIS - MARRAZES “, P,.º N.º T - 111/2006, de que foi empreiteira a Firma SOTEOL – SOCIEDADE DE TERRAPLANAGENS DO OESTE, LDª, pelo que, durante os QUINZE DIAS que decorrem desde a data da afixação destes éditos e mais OITO, poderão os interessados apresentar na Secretaria desta Câmara Municipal, por escrito e devidamente fundamentadas e documentadas, quaisquer reclamações a que se julgam com direito por falta de pagamento de salários e materiais, ou de indemnizações e, bem assim, o preço de quaisquer trabalhos que o empreiteiro haja mandado executar por terceiros. Não serão consideradas as reclamações apresentadas fora do prazo acima estabelecido. Para constar se pública o presente e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos do costume. Paços do Município de Leiria, 21 de Abril de 2010. POR DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS O Vereador, (Lino Pereira)

Ficha de Assinatura Assinaturas normal/benfeitor: 20/40 Euros (Nacional), 30/60 euros (Europa) e 40/60 (Resto do Mundo) Nome: ___________________________________________ ____________________________________________ Rua: _____________________________________________ _______________ N.º _______________ Localidade: ____________________________ C. Postal: _____ - ____________________ Telf.: _______________________________ E-mail:___________________________@_______________ Enviar esta ficha, recortada ou fotocopiada, para: O Mensageiro - Lg. Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA ou forneça-nos os seus dados através do endereço de correio electrónico jornal@omensageiro.com.pt

O Mensageiro • Edição 4808 • 06/05/10

PUB

Instituto Euro-Americano De: Investigação, diagnóstico e tratamento clínico de doenças nervosas e mentais

DR. FERREIRA DO VALE

LABETO, S.A.

Leiria Av. Marquês de Pombal, Lote nº 2 Tel.: 244 830 460 Fátima Rotunda Sul - Ed. Azinheira Marinha Grande Rua das Portas Verdes, 58 Ourém Av. Nuno Álvares Pereira

Telemóvel: 917 511 889 Telefone: 244 828 450 Fax: 244 828 580 Rua Machado Santos, n.º 33 2410-128 LEIRIA

Telefones: BARREIROS (sede): 244 840 677 JUNCAL: 244 470 610 Fernando - 919 890 630

(MÉDICO ESPECIALISTA)

CONSULTAS DE NEUROPSIQUIATRIA

P/ Comparência ou Marcações - Tels. 244 811857 / 244 812441 Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, 79 - 1º - F 2400 LEIRIA

Jorge Carvalho Sofia

Médico Especialista de Otorrinolaringologia CONSULTAS • CIRURGIAS • EXAMES DE AUDIÇÃO VIDEONISTAGMOGRAFIA • POSTURAGRAFIA APNEIA DO SONO

Rua Dª Maria da Graça Lúcio da Silva, 9 - 1º Esqº - LEIRIA Marcações pelos telefones 244 822970 • 239 827 089 • 932 442 274

ECOGRAFIA / DOPPLER / ECOCARDIOGRAFIA TAC / MAMOGRAFIA / RX / OSTEODENSITOMETRIA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ARTICULAR Telefone +351244850690 / Fax 244850698 Largo Cândido dos Reis, Nº 11 / 12 • 2400-112 LEIRIA

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

Edições Colibri «Os Gregos descobriram a razão e todo o seu poder, mas não abdicaram ao mito. Homero assenta-o como elemento estrutural. Hesíodo alimenta-se dele. Líricos e trágicos são impensáveis sem ele. Filosofia e historiadores, Platão e Heródoto à cabeça, convivem serenamente com ele. O mito está em toda a parte na cultura grega. Antes dos Gregos, as civilizações pré-clássicas viveram intensamente o mito, o Egipto tão intensamente que mal deixou rasto dele nos escritos. Sumérios, Babilónios e Assírios parecem ter moldado no mito a vida toda: fainas agrícolas, magia e adivinhação, medicina e ciência, guerra e paz, orações e culto. Os Hititas fazem figura de parente pobre, serôdio e marginal. E, contudo, não lhes falta grandeza. Nenhum povo do oriente Antigo preservou como eles a frescura original dos mitos.»

Anonimato – poesia Klemen Craveiro Folheto Edições & Design A arte está em todos nós e manifesta-se em tudo aquilo que fazemos. Para mim, vida sem arte não é vida, porque a própria é e exige arte por si só. As fontes de inspiração podem ser várias conforme o estado de espírito, experiência de vida, ideologia ou ainda mais surpreendente, alguém que pouco ou nada escreveu e de súbito cria uma obra de arte. Que a arte independentemente da forma de se manifestar exalte a nossa dor, alegria, sofrimento, ideais, transcendendo qualquer limite ou receio.

Mulheres da Marinha Grande – Histórias de luta e de coragem Júlia Guarda Ribeiro Não serão muitas as cidades ou vilas de Portugal que podem orgulhar-se de uma história de luta tão longa e firme contra a opressão e o fascismo como a Marinha Grande. Nessa luta foram presos, torturados, por vezes até à morte, os melhores filhos desta abnegada terra. Mas… e as mulheres? Alguém falou delas? Terá o seu sofrimento sido menor que os dos homens? Ficaram sozinhas, firmes e fiéis, esperando e desesperando. Tiveram de ser mãe e pai. Tiveram de trabalhar por dois. Passaram miséria extrema, humilhação sem nome. Foi para lhes dar a voz a que têm direito, que estas histórias de vida foram recolhidas e escritas. E já não era sem tempo!

Telefone 244 850 690

FÁRMÁCIAS DE SERVIÇO Central (dia 6), Godinho e Tomaz (7), Higiene (8), Antunes (9), Lis (10), Oliveira (11), Sanches (12) e Tomaz (13).

Mitos e Lendas Hititas José Nunes Carreira

Folheto Edições e Design

CEDILE

JOGOS | Nº 18/2010 (Confirme em www.jogossantacasa.pt) Euromilhões: 6, 22, 24, 25, 36 + 3, 8 Totoloto: 16, 18, 28, 30, 36, 39 + 3 Loto2: 2, 5, 15, 19, 21, 36 + 35 Joker: 1 7 4 4 5 4 2 Totobola: 12X 1X1 112 X2X1

na nossa estante

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244

816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Pedro Jerónimo (CP7104), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade Pedro Viva (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição CORAZE - Oliveira de Azeméis - Tel: 256 600 580 / Fax: 256 600 589 - E-mail: grafica@coraze.com Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2010 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 6.Maio.2010

liga vitalis

I LIGA 29.ª Jornada (02.05) Rio Ave x Guimarães (0-0),

Marítimo x V. Setúbal (2-0), Porto x Benfica (3-1), Belenenses x U. Leiria (2-5), Olhanense x Leixões (1-0), Sporting x Naval (0-1), Académica x Nacional (3-3), Sp. Braga x P. Ferreira (1-0) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Benfica Sp. Braga Porto Sporting V. Guimarães Nacional Marítimo Naval U. Leiria P. Ferreira Rio Ave Académica Olhanense V. Setúbal Leixões Belenenses

J 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29

V 23 22 20 12 11 10 10 10 9 8 6 7 5 5 5 3

E 4 4 5 9 8 8 8 6 8 10 13 6 13 10 6 11

D 2 3 4 8 10 11 11 13 12 11 10 13 11 14 18 15

Pts 73 70 65 45 41 38 38 36 35 34 31 30 28 25 21 20

30.ª Jornada (09.05) Nacional x Sp. Braga, Naval x

Académica, Leixões x Sporting (08.05), P. Ferreira x Olhanense, U. Leiria x Porto (08.05, 19h15), V. Setúbal x Belenenses (08.05),V. Guimarães x Marítimo, Benfica x Rio Ave

II DIVISÃO

29.ª Jornada (02.05) Feirense x Oliveirense (2-1),

Sertanense x Arouca (0-3), Tondela x Praiense (1-2),V. Pico x Monsanto (4-3), Eléctrico x Pampilhosa (2-1), Esmoriz x Ac.Viseu (4-1), U. Serra x Marinhense (3-0), Ol. Bairro x Tourizense (1-1) Equipa J V E D Pts 1.º Arouca 30 17 7 6 57 2.º Pampilhosa 30 15 7 8 52 3.º Tourizense 30 14 8 8 50 4.º Tondela 30 14 6 10 48 5.º Mafra 30 12 10 8 46 6.º Esmoriz 30 13 6 11 45 7.º U. Serra 30 11 8 11 41 8.º Praiense 30 10 11 9 41 9.º Sertanense 30 11 7 12 40 10.º Eléctrico 30 11 7 12 40 11.º Operário 30 11 7 12 40 12.º Ac.Viseu 30 9 9 12 36 13.º Marinhense 30 9 7 14 34 14.º Ol. Bairro 30 8 7 15 31 15.º V. Pico 30 9 4 17 31 16.º Monsanto 30 6 10 14 28

30.ª Jornada (09.05) Trofense x Gil Vicente, Freamunde

Qualificados para a fase final, de acesso à II Liga Arouca.

x Penafiel, Beira-Mar x Carregado, Santa Clara x D. Aves, D. Chaves x Fátima,Varzim x Sp. Covilhã, Oliveirense x Portimonense, Estoril x Feirense

série

E

6.ª Jornada, fase de subida (02.05) Anadia x Mangualde

6.ª Jornada, fase de manutenção (02.05) Portomosense

7.ª Jornada, fase de subida (09.05) Sp. Pombal x Anadia,

7.ª Jornada, fase de subida (09.05) Ol. Moscavide x

(1-1), F. Algodres x Sp. Pombal (2-0), Gândara x Sourense (1-1) Equipa J V E D Pts 1.º Anadia 6 3 2 1 33 2.º Sp. Pombal 6 1 2 3 30 3.º Gândara 6 3 2 1 29 4.º F. Algodres 6 2 2 2 29 5.º Sourense 6 1 4 1 28 6.º Mangualde 6 0 4 2 20 Sourense x F. Algodres, Mangualde x Gândara

30.ª Jornada (02.05) Mafra x Operário (1-1),

Portimonense x Varzim (3-2), Fátima x Estoril (1-1), Sp. Covilhã x D. Chaves (2-0), D. Aves x Beira-Mar (1-3), Carregado x Freamunde (3-2), Penafiel x Trofense (0-1), Penafiel x Trofense (0-1), Gil Vicente x Santa Clara (0-0) Equipa J V E D Pts 1.º Beira-Mar 29 15 6 8 51 2.º Portimonense 29 15 6 8 51 3.º Feirense 29 13 10 6 49 4.º Oliveirense 29 14 7 8 48 5.º Santa Clara 29 12 12 5 48 6.º Trofense 29 13 6 10 45 7.º D. Aves 29 9 11 9 38 8.º Penafiel 29 9 11 9 38 9.º Estoril 29 7 14 8 35 10.º Fátima 29 7 14 8 35 11.º Freamunde 29 9 8 12 35 12.º Gil Vicente 29 8 11 10 35 13.º Sp. Covilhã 29 7 9 13 30 14.º Varzim 29 5 13 11 28 15.º D. Chaves 29 6 10 13 28 16.º Carregado 29 6 6 17 24

fed. portuguesa futebol

III DIVISÃO série D

U. Serra fica na II Divisão Marinhense desce

fed. portuguesa futebol zona centro

II LIGA

x Sintrense (1-2), Gavionenses x Caldas (2-3), Peniche x Ol. Moscavide (0-0) Equipa J V E D Pts 1.º Sintrense 6 4 1 1 24 2.º Caldas 6 3 0 3 23 3.º Peniche 6 2 2 2 20 4.º Portomosense 6 2 0 4 17 5.º Gavionenses 6 2 1 3 14 6.º Ol. Moscavide 6 2 2 2 14 Portomosense, Sintrense x Gavionenses, Caldas x Peniche

Nota As equipas partem para as fases de subida e manutenção com metade dos pontos conquistados

- arredondados por excesso - na fase regular. Sobem à II divisão os dois primeiros classificados (série D) e descem aos distritais os três últimos (série E).

Descem à III Divisão Marinhense, Oliveira do Bairro,

Vitória do Pico e Monsanto.

ass. futebol de leiria

HONRA

26.ª Jornada (02.05) Pilado x Pedroguense (0-2),

Gaeirense x Guiense (0-3), Marrazes x Outeirense (3-0), Beneditense x Bombarralense (1-1), Ansião x Alq. Serra (3-1), Nazarenos x Alcobaça (0-1), Pataiense x Fig.Vinhos (2-2), Valcovense x Meirinhas (adiado) Equipa J V E D Pts 1.º Bombarralense 26 21 4 1 67 2.º Guiense 26 18 4 4 58 3.º Alcobaça 26 15 6 5 51 4.º Nazarenos 26 15 4 7 49 5.º Alq. Serra 26 12 7 7 43 6.º Valcovense 25 11 6 8 39 7.º Pataiense 26 12 2 12 38 8.º Beneditense 26 9 8 9 35 9.º Pedroguense 26 10 3 13 33 10.º Gaeirense 26 7 8 11 29 11.º Ansião 26 7 8 11 29 12.º Marrazes 26 6 10 10 28 13.º Fig.Vinhos 26 6 6 14 24 14.º Meirinhas 25 5 5 15 20 15.º Outeirense 26 5 4 17 19 16.º Pilado 26 3 5 18 14 27.ª Jornada, fase de subida (09.05) Fig.Vinhos x Pilado,

Pedroguense x Gaeirense, Guiense x Marrazes, Outeirense x Beneditense, Bombarralense x Valcovense, Meirinhas x Ansião, Alq. Serra x Nazarenos, Alcobaça x Pataiense

In medius stat virtus

Pedro Jerónimo/Arquivo

liga sagres

U. Serra três épocas consecutivas na II Divisão Aristóteles, filósofo grego (384 A.C.322 A.C.) e autor da expressão que serve de título à presente notícia, entendia que “a virtude está no meio” (in medius stat virtus). Uma ideia que serve para ilustrar a classificação das equipas da região, nas diferentes divisões, em 2009/10. Estados de espírito diferentes no final do U. Serra x Marinhense, que concluiu a participação de ambas na II Divisão, enquanto que U. Leiria (I Liga) e Fátima (II Liga) ainda têm um jogo para definir a classificação final. Um derbie regional fechou a II Divisão (zona centro) – os primeiros classificados das três zonas vão disputar o título de campeão e a subida à II Liga (dois lugares) –, precisamente entre as únicas representantes da Associação de Futebol de Leiria, na prova. Com o objectivo já conseguido, a equipa de Santa Catarina da Serra jogava o derradeiro encontro de 2009/10 no seu reduto, enquanto que a equipa adversária, da Marinha Grande, precisava de vencer, e esperar por um deslize do Académico de Viseu, para conseguir fugir ao último lugar de despromoção. Como ambas perderam, confirmaram-se as quatro descidas (ver tabela, ao lado), previstas à entrada para a 30.ª jornada, entre elas, a do Marinhense. Tristeza de uns, alegrias de outros. Depois de se ter estreado na II Divisão com um surpreendente 3.º lugar (2008/09), a U. Serra garante a terceira presença na prova (2010/11).

Permutas entre centro e norte U. Leiria e Porto vão ser as primeiras equipas a encerrarem a sua participação na I Liga, atendendo à calendarização definida pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional: Estádio Dr. Magalhães Pessoa, Leiria, sábado, dia 8, 19h15. Um jogo que colocará frente-a-frente duas equipas que já ‘não lutam por nada’ (Porto será 3.º, longe do título e da Liga dos Campeões, e a U. Leiria não conseguirá o 5.º lugar e a qualificação Liga Europa), sendo que em caso de vitória dos leirienses, juntamente com uma conjugação de resultados que se traduzam em derrotas das equipas que estão imediatamente acima na classificação, estes podem ainda aspirar, no máximo, ao 6.º lugar. Num cenário desfavorável, isto é, derrota com o Porto, a pior classificação com que poderá terminar a I Liga, será o 10.º lugar. Também o Fátima poderá ficar a meio da tabela, no 7.º lugar, caso vença na deslocação a Chaves, ou, na pior das hipóteses, no 12.º. Um jogo que se prevê difícil, pois a equipa flaviense está obrigada a vencer, para não descer à II Divisão. Ainda assim, e seja qual for o desfecho, a equipa fatimense conseguirá sempre a melhor classificação, visto ser esta a sua segunda participação na II Liga – em 2007/08 terminou em 16.º lugar (último) e desceu de divisão. Pedro Jerónimo pj@omensageiro.com.pt

Natação | Um ficou em casa e o outro rumou à Marinha Grande

Troféu Cidade Caldas da Rainha

‘Os Pimpões’, das Caldas da Rainha, e Desportivo Náutico da Marinha Grande (DNMG) foram os melhores colectivos, respectivamente nas categorias de absolutos e cadetes, no VII Troféu Cidade Caldas da Rainha, realizado nos dias 1 e 2 de Maio. DNMG e Benedita SCN, em absolutos, e Associação de Solidariedade Académico de Leiria e ‘Os Pimpões’, em cadetes, ocuparam, respectivamente, os restantes lugares do pódio. Individualmente, destaque para Tiago Gonçalo Ribeiro (‘Os Pimpões’), cujo desempenho valeu a qualificação para os campeonatos do mundo master, que vão decorrer em Oslo, Suécia, no mês de Agosto.

Ciclismo | Leiria

Passeio BTT

PUB

Decorrem as inscrições para o 2.º Passeio BTT, a realizar no dia 6 de Junho, na localidade de Andrinos, Leiria, e com uma extensão de 30 quilómetros. Mais informações e/ou inscrições através do e-mail inscricoes.juvent ude69@gmail.com ou telefone 912 846 141.

Futsal | Leiria

Taça Nacional A equipa do C.R. Golpilheira, seniores femininos, iniciou da melhor forma a sua participação na Taça Nacional – prova onde se encontram todas as campeãs distritais –, com uma vitória (6-2) na recepção à A.D. Estação (Fundão). Segue-se novo jogo em casa – antecipado da 3.ª jornada –, frente ao C.D.C.C. Posto Santo (Angra do Heroísmo), dia 5 de Maio, 21h30, no Pavilhão da Batalha, e, a terminar a primeira volta, serie ‘C’, uma deslocação a Torres Novas, para defrontar o C.A Riachense, dia 9.

Futsal | Porto de Mós

Inter-Associações

Leiria, Aveiro, Coimbra e Porto vão disputar o Torneio Inter-Associações Sub-17, feminino, dia 8 de Maio, no Juncal. A competição inicia com o jogo Leiria x Coimbra, a partir das 10h15, no Pavilhão de Porto de Mós, prosseguindo com o Aveiro x Porto, 10h30, no Pavilhão do Juncal, e, no mesmo local, a final, pelas 17h30.


Nós estamos caminhando para uma ditadura do relativismo que não reconhece nada como definitivo e tem como valor máximo o ego e os desejos individuais. A Igreja precisa se opor às “marés de modismos e das últimas novidades. (...) Precisamos nos tornar maduros nessa fé adulta, precisamos guiar o rebanho de Cristo para essa fé”.

ÚLTIMA 6MAIO2010

Joseph Ratzinger, no conclave, um dia antes de ser eleito Papa Bento XVI (18.04.2005)

Peregrinação do Santo Padre a Fátima

Apelo do Bispo Diocesano Caros irmãos e irmãs: Venho mais uma vez lembrar-vos a próxima visita do Santo Padre a Portugal. Ele vem sobretudo como peregrino do Santuário de Fátima tão querido ao nosso povo e a todo o mundo católico. Aqui somos nós, os diocesanos de Leiria-Fátima,

os primeiros anfitriões a receber tão ilustre e amado peregrino na sua qualidade de Sucessor do Apóstolo S. Pedro e Pastor universal da Igreja. Queremos corresponder à honra da sua visita acolhendo-o com júbilo, entusiasmo e afecto e unindo-nos em oração às

em Roma). O papa também é o Chefe de Estado da Cidade do Vaticano. Os papas na Antiguidade auxiliaram na propagação do cristianismo e a resolver diversas disputas doutrinárias. Na Idade Média os papas desempenharam um papel importante na Europa Ocidental, muitas vezes, lutando com monarcas sobre amplos assuntos de igreja e estado. Actualmente os papas têm papel importante no diálogo inter-religioso, nas acções de caridade e a defesa dos direitos humanos. A Igreja Católica reconhece que

Jesus designou São Pedro, como “pastor” e “rocha” da Igreja. Declarações oficiais, colocam a situação dos Papas no Colégio dos Bispos como uma situação análoga à realizada por Pedro no colégio dos apóstolos, dos quais o Colégio dos Bispos, uma entidade distinta, é o sucessor.

Coro do Santuário nas celebrações em Fátima O Coro Adulto do Santuário de Fátima animará as celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária de Maio, nos dias 12 e 13, que este ano serão presididas por Sua Santidade Bento XVI. Serão 80 vozes a cantar, a juntar às dos muitos milhares de peregrinos que se espera que venham a acolher o Papa neste santuário nacional português dedicado a Nossa Senhora. Este coro, que tem a seu cargo a animação das principais celebrações no Santuário, tem como bases para o início da sua história a chegada à instituição, em meados dos anos 50, do organista Dr. Gregório.

das pelo Santo Padre. Não vos deixeis seduzir pelo comodismo de ver apenas pela televisão. Grato pela vossa atenção a este meu apelo, envio a todos uma saudação cordial e amiga. Leiria, 28 de Abril de 2010. † António Marto, Bispo de Leiria-Fátima

PROGRAMA da VISITA a PORTUGAL

QUEM É O PAPA? A expressão Papa possivelmente provém do Latim “Papa”, (do grego παππας, uma palavra carinhosa para pai). Ele é o Bispo de Roma e, como tal, é o líder mundial da Igreja Católica ( Rito Latino e das Igrejas Orientais Católicas em plena comunhão com Roma). O actual pontífice é o Papa Bento XVI, que foi eleito no conclave em 19 de Abril de 2005. O cargo eclesiástico do papa é chamado de Papado, e a sua sede eclesiástica de “Santa Sé” - Sancta Sedes em latim - ou “Sé Apostólica” - Soles Apostolica em latim - (Esta última com base no facto dos apóstolos São Pedro e São Paulo terem sido martirizados

suas intenções pela Igreja e pelos anseios da humanidade. É importante, nesta hora, darmos testemunho da Igreja unida ao Papa e solidária com ele. Por isso, apelo do coração à vossa presença e participação pessoal nas celebrações de 12 e 13 de Maio, em Fátima, presidi-

“O primeiro e grande impulsionador da música litúrgica no Santuário, o Dr. Gregório, iniciou uma programação nova, mais actualizada. Em latim ou gregoriano, as celebrações de domingo eram animadas pelas vozes dos alunos dos seminários menores em Fátima e, nos dias 12 e 13, de Maio a Outubro pela Schola Cantorum do Seminário Maior de Leiria”, recorda o Padre Artur Oliveira, capelão do Santuário agora responsável pela área. “Foi nessa altura que o Concilio Vaticano II introduziu a liturgia em língua vernácula. Começaram uns esboços de animação celebrativa das missas do-

minicais, com a ajuda de um grupo de voluntárias, entre as Servas de Nossa Senhora de Fátima e de empregadas do Santuário. O repertório era muito exíguo, de adaptações de língua estrangeira, foramse preparando as colecções de cânticos, passando por dossiers, folhetos de vésperas, etc.”, acrescenta o sacerdote. O Padre Artur Oliveira, actual responsável pela secção de Música Sacra do Serviço de Pastoral Litúrgica, iniciou em 1977 no Santuário o trabalho de ensaio e preparação de cantores. Em final dos anos 70, as vozes femininas eram preparadas em Fátima e as

masculinas no Seminário Maior de Leiria. Na década seguinte foram recrutados alguns homens de Fátima para integrar este coro e assim nasce o coro misto do Santuário de Fátima, ao qual, desde os anos 90, se associam nas peregrinações aniversárias as vozes do grupo corais paroquiais de Ourém e Alburitel. Este foi o coro que animou as celebrações do Cinquentenário do Santuário de Cristo Rei e tem alguns trabalhos editados, como “Cânticos Marianos do Santuário de Fátima” (2004), “Eu vi a cidade santa…” (2009). Leopoldina Simões

11 de Maio, terça-feira ROMA 8h50 – Partida de avião do Aeroporto Internacional Leonardo da Vinci de Fumicino para Lisboa LISBOA 11h00 – Chegada ao Aeroporto Internacional da Portela, Lisboa. Acolhimento oficial. Discurso do Santo Padre. 12h45 – Cerimónia de boas-vindas, frente ao Mosteiro dos Jerónimos. Breve visita ao Mosteiro dos Jerónimos 13h30 – Visita de cortesia ao Presidente da República, no Palácio de Belém 18h15 – Santa Missa no Terreiro do Paço. Homilia do Santo Padre. Mensagem do Santo Padre comemorativa do 50º aniversário da inauguração do Santuário de Cristo Rei de Almada 12 de Maio, quarta-feira 7h30 – Santa Missa, em privado, na Capela da Nunciatura Apostólica 10h00 – Encontro com o mundo da cultura, no Centro Cultural de Belém. Discurso do Santo Padre 12h00 – Encontro com o Primeiro Ministro, na Nunciatura Apostólica 15h45 – Despedida da Nunciatura Apostólica 16h40 – Partida de helicóptero do Aeroporto Internacional da Portela de Lisboa para Fátima FÁTIMA 17h10 – Chegada ao heliporto no grande parque do novo Estádio Municipal de Fátima 17h30 – Visita à Capelinha das Aparições. Oração do Santo Padre 18h00 – Celebração das Vésperas com sacerdotes, diáconos, religiosos/as, seminaristas e agentes de pastoral, na Igreja da Santíssima Trindade. Discurso do Santo Padre 21h30 – Bênção das velas, na Capelinha das Aparições. Discurso do Santo Padre. Oração do Rosário. 13 de Maio, quinta-feira 10h00 – Santa Missa na esplanada do Santuário de Fátima. Homilia do Santo Padre. Saudações do Santo Padre. 13h00 – Almoço com os Bispos de Portugal e com o Séquito Papal no Refeitório da Casa de Nossa Senhora do Carmo 17h00 – Encontro com as Organizações da Pastoral Social, na Igreja da SS.ma Trindade. Discurso do Santo Padre 18h45 – Encontro com os Bispos de Portugal no Salão da Casa de Nossa Senhora do Carmo. Discurso do Santo Padre 14 de Maio, sexta-feira 8h00 – Despedida da Casa de Nossa Senhora do Carmo 8h40 – Partida de helicóptero do heliporto de Fátima para o Porto GAIA 9h30 – Chegada ao heliporto do Quartel da Serra do Pilar PORTO 10h15 – Santa Missa na Avenida dos Aliados. Homilia do Santo Padre 13h30 – Cerimónia de despedida no Aeroporto Internacional Sá Carneiro do Porto. Discurso do Santo Padre 14h00 – Partida de avião do Porto para Roma ROMA 18.00 – Chegada ao Aeroporto de Ciampino, Roma

4808#OMENSAGEIRO#06MAI  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria)...