Page 1

CAMPANHA

28 JANEIRO 2010 ANO 96 - N.º 4794 FUNDADOR José Ferreira Lacerda DIRECTOR Rui Ribeiro

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

|Última

PRIORITY

Nº DE2703206MPC

DESTAQUE

UMA VIDA DE SERVIÇO E DEDICAÇÃO Páginas 2 e 3

Câmara de Leiria elabora plano

Biblioteca Municipal com “vida nova” e mais serviços no ano de 2010 | P. 4 Inaugura Museu e edita livro

SOCIEDADE

ECLESIAL

Sensibilizar feirantes

Clero de Leiria em formação

Batalha sensibiliza feirantes para terem “Mercado Bem Tratado” | P. 6

Padres reflectem sobre a missão da Igreja no mundo | P. 9

Leiria-Fátima na BTL 2010

Freguesia de Vermoil Região promove-se: “Mundo de Destinos “viveu” um dia e Negócios” | P. 7 histórico | P. 4

DR

CULTURA

<

Foto: Pe José Alves (Julho de 2007)

MONS. HENRIQUE DA FONSECA PARTIU PARA A CASA DO PAI

Visita Pastoral à Diocese

Entrevista ao pároco de Gondemaria e Cercal: “Verdadeiro tempo de graça”|Última


2 DESTAQUE

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

editorial

A Diocese perdeu um grande padre e um grande amigo; o presbitério perdeu um verdadeiro irmão e singular sacerdote. Monsenhor Henrique deixou-nos mais pobres e levou para o céu uma grande riqueza de personalidade. Desde pequeno que o conheci, como vigário geral, e desde logo me tocou a sua grandeza de estatura, a sua voz forte e a sua verticalidade. Sabia estar com os mais novos e com os mais velhos de forma contagiante e alegre. Quando ria, fazia-o de forma aberta e clara e quando se exaltava fazia-o também de modo sério e grave. De tal modo que descobríamos e sua sinceridade e nos tornávamos pequenos perante a verdade da sua determinação. Lembro-me quando o telefone tocava e do outro lado se fazia ouvir a sua voz. Com uma graça ajustada a cada momento fazia-me sentir logo à partida a incapacidade de dizer não ao que quer que disse-se. Fazia parecer fácil o que por vezes era A Igreja tem o difícil; gerava em condão de fazer nós de imediato homens assim: a vontade de ir totalmente em frente, mesdesprovidos de mo quando tudo puxar-nos interesses pessoais, parecia para tras. totalmente Em pleno dedicados aos ano sacerdotal, outros, num total este sacerdote foi desejo de se darem exemplo de amor e e entregarem ao dedicação ao trabaserviço lho, sempre eivado de forte amor pela Igreja e pelas gentes. A sua partida é por isso uma grande perda para todos nós, mas a sua vida e também a sua morte, não deixam de ser um hino de louvor e um elogio à missão sacerdotal. A Igreja tem o condão de fazer homens assim: totalmente desprovidos de interesses pessoais, totalmente dedicados aos outros, num total desejo de se darem e entregarem ao serviço: servos de todos e ao serviço de todos. À imitação de Cristo, o servo por excelência. Faltam as palavras, ficam os gestos e as memórias. Serão elas a incutir ânimo e vontade de crescer. O mundo continua a girar, nós continuamos a envolver-nos na correria desenfreada que os tempos nos obrigam, mas sentimos que vale a pena continuar, perante homens e mulheres que sabem dar às suas vidas um horizonte tão vasto e alegre como o fez o Mons. Henrique. O Mensageiro sente com pesar a sua partida, mas rejubila por ter contado entre os seus amigos e leitores alguém como ele. Paz à sua alma!

“Já contemplo Aquele a Quem buscava”

Testemunho das Irmãs Clarissas de Monte Real sobre o Mons. Henrique da Fonseca, na pág. 8

Foto: Pe José Alves (Num passeio ao Alentejo, com os padres da vigararia de Monte Real, em Julho de 2007)

prui@iol.pt

UMA VIDA DE SERVIÇO E DEDICAÇÃO

Faleceu na passada quintafeira, dia 21, Mons. Henrique Fernandes da Fonseca, no Hospital de Abrantes. A celebração exequial realizou-se no sábado, dia 23 de Janeiro, às 10h00, na igre-

ja catedral de Leiria, presidida pelo nosso Bispo, D. António Marto. No final da celebração, o funeral dirigiu-se para o cemitério do Olival, onde o seu corpo foi sepultado. Nas palavras de D. Alber-

to Cosme do Amaral “Mons. Henrique da Fonseca serviu a Igreja com raro espírito de dedicação e entrega, e num total esquecimento de si próprio”. A Deus agradecemos o dom da sua vida e tudo o que

ele pôde realizar em favor da Igreja de Leiria-Fátima. Neste sentido publicamos esta semana alguns apontamentos e testemunhos sobre ele. Que descanse em Paz!

Testemunhos... Uma referência para todos, como padre

“Viveu e morreu em paz”

PJ

Rui Ribeiro

Obrigado, senhor padre Henrique!

Mons. Henrique da Fonseca partiu para a casa do Pai

Gracinda Baptista Lopes, acompanhou por perto a vida de Mons. Henrique nos últimos 39 anos. “Tudo começou quando com 14 anos de idade vim para o Seminário trabalhar como empregada. Ele era um dos padres formadores e ecónomo. Por esta razão frequentemente falava com o pessoal doméstico. Davanos instruções sobre o modo como deveríamos lidar com os seminaristas. Dizia-nos que éramos as suas irmãs e por isso deveríamos sempre falar com eles. Chegava ao extremo de nos chamar a atenção para o modo como púnhamos a mesa e que às vezes não expressava esta proximidade”. Deste período, ela destaca o grande carinho que denotava para com os seminaristas e para com o Seminário. “No dia em que

saiu do Seminário para assumir as funções de secretário do senhor Bispo disse: «a minha cabeça vai para a casaepiscopal, mas o meu coração fica no Seminário»”. Iniciou, então, uma fase nova. Nesta altura a Gracinda acompanhou-o na casa episcopal e lembra como em algumas ocasiões ela foi secretária do secretário. “Pude então ver o rigor, a seriedade e a competência com que trabalhava. Ele pensava sempre duas vezes antes d agir e vivia com grande responsabilidadetudo o que lhe era pedido”. A competência e a seriedade fizeram com que fosse nomeado Vigário Geral da diocese, período em que a Gracinda recorda o seu grande zelo e carinho pelos irmãos padres. “Ele era como um pai e um irmão para os padres. Trabalhou com total isenção e independência, só com a preocupação e pelo amor pela igreja diocesana. Interrompia tudo para dar prioridade ao acolhimento dos padres”. Os últimos anos foram vividos na paroquialidade. De novo a Gracinda o acompanhou nesta missão e de novo salienta o espírito acolhedor e afável com que ele se entregou a esta missão. “Ele

(Pe Vitor Mira)

era um verdadeiro servo ao serviço de tudo e todos. Impressionava a forma atenta e acolhedora com que se dedicava aos idosos e doentes, em total disponibilidade”. Os últimos tempos foram vividos na luta contra o cansaço e a doença. Gracinda recorda a dor que ele sentia ao constatar as dificuldades que tinha no ensaio dos cânticos e nas próprias homilias. “Sofria por não conseguir falar de forma mais fluente. Lutava para se manter forte e capaz. Nos últimos dias, quando saiu do hospital, vinha em paz. Estava sereno e calmo e pedia que eu e todos vivêssemos em calma. Morreu em paz e levou com ele uma grande preocupação: a união entre os padres”. Gracinda sente-se tranquila e agradecida por ter vivido ao longo dos últimos 39 anos na companhia de um homem que no trato pessoal era muito atento e hospitaleiro. “Não deixava que faltasse nada aos outros. Vivia em total desprendimento e total doação. Muito solícito no trabalho e sempre com vontade de trabalhar até ao último momento. Fui privlegiada por ter partilhado de perto esta forma de ser. E por isso agradeço a Deus”.

Um bom padre e um padre bom

(Cónego Aurélio Galamba)

Homem sacrificado pelo bem dos outros

(Cónego Manuel Gaspar)

Personificação do poder e capacidade de decisão (Pe Albino Carreira)

Homem exigente e austero (Pe Manuel Messias)

Grande amigo e sempre acessível para os colegas (Pe Joaquim João)

Um grande amigo

(Pe José Gonçalves)

Um forte braço do tripé da Diocese (Pe José Luis Ferreira)

Grande amigo, no verdadeiro sentido da palavra (Pe Alcides Neves)

Muito amigo, muito humano, muito próximo de todos, muito terno e afável (Pe Artur Oliveira)

Excelente colega, sempre pronto a ajudar e com o saber eclesial de mestre (Pe José Alves)

Grande de corpo e alma, cuidadoso na escuta e humilde na obediência (Pe Luís Morouço)


DESTAQUE 3

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Homilia de D. António Marto na Missa exequial

Surpreendendo a nossa expectativa humana, fomos abalados pela notícia dolorosa da morte tão célere do nosso caro Mons. Henrique da Fonseca. Foi como se um muro de silêncio caísse sobre nós tal como diz o salmista: “Estou perturbado; falta-me a palavra”(Sl 77,5). É humano sentir e dar expressão à dor pela separação de um sacerdote tão querido e estimado por toda a diocese e colaborador próximo, precioso e apreciado do bispo. Creio que o podemos fazer com as palavras de S. Bernardo na morte do seu irmão, S. Gerardo: “Bem sabeis, meus filhos, quão razoável é a minha dor, quão digna de lágrimas é a perda que acabo de sofrer, pois compreendeis que fiel amigo foi afastado do meu lado. Vós conhecestes como era a sua atenção pelo dever, a sua diligência pelo trabalho, a sua doçura e amabilidade de disposição... Estimámo-nos em vida; porque fomos pois separados pela morte?”. No entanto, depois deste grito do coração ferido, S. Bernardo confia-se ao mistério santo e amoroso de Deus, dizendo: “Todavia, não esquecerei nenhuma das palavras do Santo... Deus é caridade e quanto mais se está unido a Deus, mais se está cheio de caridade. Porque a caridade nunca acaba. Tu (meu irmão) não me esquecerás”. Com estes sentimentos de fé quero expressar as nossas condolências, em nome da Diocese e no

meu pessoal, à irmã do Mons. Henrique, à auxiliar doméstica, a Gracinda, que o acompanhou e assistiu durante tantos anos e aos outros familiares. Com estes sentimentos de fé e de esperança queremos fazer memória, viva e cheia de gratidão, de Mons. Henrique junto do altar do Senhor, em comunhão de santos na eucaristia. Homem de fé e Pastor exemplar A leitura do livro do Deuteronómio apresentanos a figura de Moisés, chamado pelo Senhor a conduzir o longo e difícil caminho do povo de Deus, no qual empenhou toda a sua existência até à morte, incutindo-lhe coragem e levando-o às fontes da vida. Como Moisés, Mons. Henrique foi um grande crente, um grande homem de fé, sólida, amadurecida e alimentada na sarça ardente do ministério pastoral nas várias mansões em que serviu. Como Moisés, foi um pastor generoso e exemplar. O seu serviço sacerdotal passou por múltiplas experiências do ministério - desde pároco nos Pousos, na Marinha Grande, em Mira d’Aire e na Ortigosa até professor no Seminário, secretário episcopal, ecónomo diocesano, assistente da LOC e do movimento de casais, coordenador do Serviço de apoio ao clero e Vigário Geral durante dezanove anos – com disponibilidade permanente, sempre pronto, a todo o momento, a acudir,

animar e encorajar, atento a pôr de parte o que divide e a valorizar o que une. Foi verdadeiramente intenso o caminho que o Senhor o chamou a percorrer nos 56 anos de sacerdócio ao serviço da nossa diocese que ele calcorreou e conheceu como ninguém e sempre ao lado dos seus bispos. Foi um trabalhador incansável da vinha do Senhor! Só a falta de saúde o obrigou a retirar-se da actividade paroquial. Sobre a morte de Moisés, o livro do Deuteronómio refere: “Moisés, servo do Senhor, morreu ali, na terra de Moab, segundo a disposição do Senhor”(34,5). São Gregório de Nisa comenta, esplendidamente, estas palavras sublinhando que o grande “amigo de Deus” é chamado “servo” precisamente no momento supremo da vida quando já cumprira a missão que o Senhor lhe confiara. Servo é a palavra que resume toda a sua missão. Também Mons. Henrique procurou viver a sua missão como servo e serviço humilde, discreto e desprendido, sem olhar a honras e a títulos. Assim o deixou escrito: “Desejo assumir o ministério com todo o empenho e dedicação como servo e irmão no meio de uma comunidade que possa olhar-me como testemunha de serviço e amor”. Impelido pela caridade pastoral A leitura da segunda Carta aos Coríntios abre,

Foto: LMFerraz (Missa Exequial, 23 de Janeiro de 2010)

Homem de fé e pastor exemplar

precisamente, com uma expressão que, neste nosso contexto, assume um significado particular: “O amor de Cristo impele-nos”. Trata-se do amor que habita, penetra, possui e plasma a vida dos sacerdotes e faz deles “embaixadores de Cristo” e do seu mistério de amor e reconciliação. Envolve-nos e impele-nos a viver não para nós mesmos mas para os outros. É a caridade pastoral. O amor recebido de Cristo é restituído aos irmãos e toma as várias formas dos dons do Espírito Santo, a saber, “amor, alegria, paz, paciência, benevolência, bondade, fidelidade, mansidão, autodomínio” – dons que caracterizaram o estilo e o ministério sacerdotais de Mons. Henrique. A caridade pastoral levava-o a fazer-se próximo e acessível a todos, a olhar a vida concreta da sua gente, com uma comunicação que conquistava os fiéis até os mais pequeninos. É significativa a presença aqui dos

acólitos da Ortigosa para lhe manifestarem a sua ternura. É também digno de registo o testemunho de D. Alberto Cosme do Amaral: “Mons. Henrique serviu a Igreja com raro espírito de dedicação e entrega e num total esquecimento de si próprio. As missões oficiais não o impediram de se dedicar ao trabalho escondido do confessionário e da direcção espiritual”. Desejaria ainda sublinhar o seu amor ao presbitério, a especial dedicação aos irmãos sacerdotes como amigo, irmão e conselheiro atento e atencioso para com todos, preocupado para que não faltassem as condições humanas e espirituais para o bom desempenho do ministério. Testemunho de paz e de alegria O Evangelho de S. João refere as palavras do Ressuscitado repetidas duas vezes: “A paz esteja convosco”. E depois fala da alegria dos discípulos ao verem Jesus

ressuscitado. Paz e alegria foram dons que Mons. Henrique espalhou à sua volta. Era homem de paz que irradiou alegria serena. A sua presença foi sempre presença de paz. Irradiava alegria e bom humor com espontaneidade e creio que agora viva na plenitude da paz e da alegria ao contemplar o rosto de Jesus ressuscitado. Que ele peça para nós ao Pai aquela serenidade própria de quem confia vida e morte, presente e futuro nas mãos do Deus da paz e da alegria. Obrigado, caro Pe. Henrique! Toda a diocese te está agradecida na hora da despedida! Que a tua partida não nos faça esquecer o dom de termos tido a tua presença, a tua companhia, o teu testemunho de sacerdote. Bendito seja Deus pelo seu servo! Sé de Leiria, 23-01-2010 † António Marto, Bispo de Leiria-Fátima

Foto: LMFerraz (No Corpo de Deus, em Leiria, a 11 de Junho de 2009)

Dados Biográficos • Nasceu a 7.03.1931, em Aldeia Nova, freguesia do Olival, filho de Carlos Ribeiro da Fonseca e de Laura Rodrigues Fernandes. • Entrou no Seminário de Leiria em Outubro de 1941, e terminou o curso em Julho de 1953. • Ordenado Diácono a 12.07.1953, na Catedral de Leiria. • Ordenado Presbítero a 19.09.1953, na Catedral de Leiria. • Auxiliar da Câmara Eclesiástica, de 01.10.1953 até 30.03.1954. • Pároco interino dos Pousos, de 02.01.1954 até 30.03.1954, data em que foi nomeado Coadjutor da Marinha Grande. • Assistente Diocesano da LOC (Liga Operária Católica). • A 28.12.1956 foi nomeado Pároco de Mira de Aire. • Em 05.08.1965 foi nomeado Prefeito e Professor do Seminário Diocesano de Leiria (onde leccinou História Universal, História de Portugal e História da Civilização), funções que desempenhou até 26.12.1972.

• A 17.10.1970 foi nomeado Ajudante do Ecónomo do Seminário, mantendo os cargos que exercia nessa data. • Em 26.12.1972 foi nomeado Secretário Episcopal. • Em 04.08.1979 foi nomeado Vigário Geral da Diocese, cargo que ocupou até 20.06.1998. • Nomeado Cónego da Sé Catedral a 18.06.1981, nomeado Monsenhor, com o título de Capelão de Sua Santidade, a 14.01.1983. • Membro do Conselho de Administração da Gráfica de Leiria desde 04.08.1984, membro do Conselho Económico Diocesano desde 31.12.1984, membro da Comissão do Inventário Artístico da Diocese desde 12.10.1993, membro do Conselho de Administração do Santuário de Fátima desde 25.07.1994. • Ecónomo Diocesano de 31.12.1984 a 9.06.1994. • Pároco de Ortigosa de 30.09.2000 a 29.06.2009, sendo dispensado deste serviço por motivos de saúde. • A 13.07.2007 foi nomeado Coordenador do Serviço de Apoio ao Clero, cargo que exerceu até ao final da vida.


4 CULTURA

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira

CINEMA Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) • SHERLOCK HOLMES | acção | de Guy Ritchie | c/ Robert Downey Jr., Jude Law, Mark Strong | 29 Janeiro a 3 de Fevereiro, 21h30; dia 31, 15h30 Cine-Teatro de Monte Real • ARTUR E A VINGANÇA DE MALTAZARD | animação | de Luc Besson | 29 e 30 de Janeiro, 21h30; dia 31, 15h30 Auditório Municipal da Batalha • TERAPIA PARA CASAIS | comédia | de Peter Billingsley | c/ Kristen Bell, Jason Bateman, Vince Vaughn , Jean Reno | 29 de Janeiro a 1 de Fevereiro, 21h30 Cine-Teatro Actor Álvaro (Vieira de Leiria) • JULIE E JULIA | drama | de Nora Ephron | c/ Meryl Streep, Amy Adams e Stanley Tucci | 31 de Janeiro, 21h00 Cine-Teatro da Nazaré • ACTIVIDADE PARANORMAL | terror | de Oren Peli | c/ Katie Featherston, Micah Sloat | 28 a 31 de Janeiro, 21h45 Cine-Teatro de Ourém • TERAPIA PARA CASAIS | 30 de Janeiro, 21h30

EXPOSIÇÕES Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •“O Teatro ontem e hoje” (~31/01) •“SIMLIS:10 anos” - fotografias de intervenção (~2/02) •“por uma obra para todos...” - SIMLIS (5/03~4/04) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •“Sentimentos” - pintura de Maria Lurdes Rodrigues (~23/01) • Pintura de Maria de Lurdes Rodrigues (~32/01) • A histórias do conto.como nasce um livro (~30/01) • Pintura de Rodrigo Baeta (30/01~13/02) Sede da Associação Célula e Membrana - a9)))) - Leiria •”Violent Colors” - Pedro Cabral Santo (~10/02) Agromuseu Municipal D. Julinha - Leiria • Presépio Tradicional (~30/01) Casa Museu João Soares - Cortes •”Korrodi e o restauro do Castelo de Leiria” (~30/04) Biblioteca Municipal - Marinha Grande • Colecção Carlos Vieira (permanente) • Fotobiografia de Afonso Lopes Vieira (permanente) Galeria Municipal - Marinha Grande •”O Vidro” - pintura (~31/01) Museu do Vidro - Marinha Grande • Mestres da Marinha Grande - artesanato de Maçarico (~30/05) Biblioteca Municipal - Porto de Mós •”Castels and Monuments of Portugal” - Ricardina Silva (~30/01) Museu Municipal - Ourém •”Pelo dia fora: objectos realacionados aos trabalhos da terra (~31/3) Teatro-Cine - Pombal •”Notas de um Percurso” - pintura de Sandrine Cordeiro (~17/02)

Música | Teatro | Eventos

PUB

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Hedda Gabler” - teatro (28/01, 21h30) • Filme-Concerto - Space Ansemble (2/02, 14h30) •”Anónima Nuvolari” - múscia (4/02, 21h30) • Rita Guerra - Acústico (14/02, 22h00) • Quinteto Lusotango e convidados - música (18/02, 21h30) Teatro Miguel Franco - Leiria •“Janita Salomé” - música (30/01, 21h30) •“Sabemos porque lemos” - infantil/juvenil (31/01, 16h00) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”A bela adormecida” - hora do conto (29/01, 10h30 e 14h30) • Cantinho de histórias - Janeiras-popu.sénior(27/01, 10h30 ou 14h30) Casa dos Pinores-Ofícina de Arqueologia - Leiria • Visitas guiadas (29/01, 15h00 e 16h00) Ludoteca Afonso Lopes Vieira - Leiria • Frases ao cubo - infantil/juvenil (30/01, 10h~13h e 14h~17h) • Pinguins divertidos - infantil/juvenil (31/01, 10h~12h30 e 14h30~16h) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”Elsa de cabelos em pé” - hora do conto (marcação prévia) Museu Joaquim Correia - Marinha Grande •”Descobrir o Tesouro” (terças e sextas-feiras) Café Concerto - Pombal •”Orange Blue” - concerto (30/01, 23h00)

“Vida nova” com mais serviços em 2010 Integrar a Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, localizada no Terreiro (Leiria), entre o grupo das terceiras melhores bibliotecas do país na disponibilização de horários e serviços para os seus utilizadores, foi um dos objectivos que incentivaram a Câmara Municipal de Leiria a desencadear um conjunto de mudanças no modo de funcionamento daquele arquivo local. No conjunto de mudanças apresentadas por Gonçalo Lopes, Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Leiria, destaca-se o novo horário que de segunda a sexta-feira se procedia até às 18h00, passando a partir de Fevereiro de 2010 a proceder-se até às 20h00, possibilitando aos utilizadores/investigadores mais tempo para as suas consultas. Só a biblioteca de Coimbra que está disponível até às 24h00 e a de Beja até às 23h00, está entre o leque dos espaços com horário mais alargado, tendo havido uma articulação de turnos por rotação entre os vinte e três funcionários da biblioteca. Outra das alterações

previstas é o acesso às fotocópias das obras consultadas. Ou seja, irá existir uma clara distinção entre a cópia de um livro vulgar (mais rápida, no momento da consulta) e a de livros de arquivo/reserva. Irão ser identificadas todas as obras consideradas de livre consulta, com menos importância no acervo, possibilitando ao leitor, ao invés do passado, de tirar no momento todas as cópias que necessitar. A criação de trinta lugares para utilizadores de portáteis é outra das novidades desta “vida nova” da Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira. Cada vez mais existem utilizadores de Internet ou investigado-

res que querem usar o seu computador pessoal para desenvolverem os seus trabalhos electronicamente. A instalação de uma caixa de recolha de livros “24 horas” por dia é outra das vantagens dos frequentadores da biblioteca, assim como irá haver acessos para pessoas de mobilidade reduzida, publicações em braille e áudio-livros. O bar será recheado com um mobiliário moderno e atractivo, haverá cenários ilustrativos que comporão a conhecida sala do conto, dando uma nova dinâmica a um espaço que é visitado por miúdos e graúdos. Os novos criadores também não foram esquecidos. Vai ser lançado um

concurso de artes plásticas nas escolas secundárias do concelho, onde os melhores trabalhos vão ter espaço de exposição nas paredes da biblioteca. Apesar de tantas mudanças, Gonçalo Lopes continua aberto a novas propostas. A colocação de uma caixa onde se poderá depositar um formulário de sugestões e o email sugestoes.biblioteca@cmleiria.pt, são aberturas para a discussão ou o acolhimento de ideias, quer do serviço prestado ou de todas as práticas que possam vir a serem melhoradas no futuro. É uma “vida nova” para um dos locais mais ricos do repositório de Leiria, com especial ênfase para o espólio do Afonso Lopes Vieira. É este o escritor, tão importante no panorama nacional no século XIX e XX, que dá nome e sentido a este espaço bibliotecário de Leiria, uma figura que ainda está muito por redescobrir, na sua retratação e valorização local. Um desafio para os próximos tempos, quem sabe, promovida pela casa que lhe deu nome??? texto e foto Joaquim Santos

Inauguração do Museu João de Barros e lançamento de livro

Vermoil “viveu” dia histórico A freguesia de Vermoil, do concelho de Pombal, viveu, no dia 24 de Janeiro de 2010, um dia repleto de cultura, trazendo um significado especial na vivência da sua terra para as centenas de pessoas que se associaram à iniciativa da autarquia. O programa teve início com um concerto na igreja velha, pela Filarmónica Vermoilense e pelo Coro Municipal Marquês de Pombal. Seguiu-se a apresentação pública do livro “Vermoil, retalhos da sua história”, uma investigação do passado e do presente da freguesia, realizada pelo padre Américo Ferreira, natural do lugar do Tojal. O autor, amante incondicional das suas raízes, dedicou anos a fio ao levantamento de documentos e narrativas, compilando esse trabalho numa obra que apresenta Vermoil no período da Romanização, a génese e conceito de freguesia, o

cristianismo naquela região, as suas gentes, tradições, e a caracterização das instituições da terra, toponímia, templos religiosos, cultura e demografia. A dedicatória do padre Américo Ferreira é tocante pelo seu conteúdo, referido aos seus pais: “Os mortos vivem na memória dos vivos, no bem, que legaram, nas lições, que deram, na fé, que transmitiram”. Após a apresentação da obra, feita pelo historiador Saul António Gomes, o

autor autografou mais de trezentos exemplares, tão significativa foi a presença da população. A cerimónia foi participada por diversas personalidades da sociedade e do clero, como D. António Marto, Bispo da Diocese de Leiria-Fátima, Narciso Mota, presidente da Câmara de Pombal, e Ilídio da Mota, presidente da Junta de Vermoil. O prelado leiriense salientou a importância desta publicação, até como “uma

manifestação de fé cristã que promove a cultura e se manifesta nela”. O padre Américo Ferreira, chanceler da Diocese, reiterou os agradecimentos pelo apoio na edição deste seu trabalho, referindo que “se a minha obra tem valor, é a Deus que se deve agradecer e a muitas pessoas que colaboraram para que ele se realizasse”. No final da tarde, foi inaugurado o Museu João de Barros, que homenagea esta personagem memorável daquelas paragens e o contexto histórico da época em que viveu. Uma tarde de história e com um enorme significado histórico. texto e foto JS


CULTURA 5

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Teatro Miguel Franco

Pintura de Sandrine Cordeiro

No Sábado, 30 de Janeiro, pelas 21h30, o palco do Teatro Miguel Franco recebe Janita Salomé que apresentará “Vinho dos Amantes”, o seu último trabalho musical. Janita Salomé é um artista multifacetado e versátil. A sua ligação aos temas de raiz popular, que explora e canta, traduz a sua forte empatia com a terra e as pessoas, de onde não pode ser dissociada a sua vertente de músico, de compositor e de autor de diversos temas que fazem história na música portuguesa. São características deste artis-

DR

Janita Salomé com “Vinho dos Amantes”

ta, o seu desenvolvimento técnico apurado das artes do canto e da modulação da voz, bem como uma excepcional criatividade para compor.

“Vinho dos Amantes”, título homónimo deste espectáculo e do seu último trabalho é, sob todos os prismas, uma ode à vida, em que Janita canta

a embriaguez da poesia, da virtude, da amizade e do amor. Nas palavras do artista, “Vinho dos Amantes, é o resultado daquilo que foi a minha existência, a minha vida, porque nada daquilo que faço, relacionado com a música, está separado daquilo que é a minha existência. A música que faço é o resultado dos livros que leio, dos amigos que tenho, das viagens que faço, dos sons que me rodeiam, daquilo que observo e daquilo que me surpreende”.

“Prémios Honoríficos David Russell” André Almeida Ferreira, aluno da Escola de Música do Orfeão de Leiria (EMOL), foi o grande vencedor dos Prémios Honoríficos David Russell, e traz, pela primeira vez para Portugal, os dois grandes galardões do concurso na mesma edição, o Prémio Honorífico David Russell e o Prémio Especial José Tomás, que lhe foi atribuído pela excelente interpretação. Henrique Pinto, presidente do OL CA, salienta a “enorme importância destas distinções, não só para o aluno e para a escola, como para toda a comunidade ligada à música e às artes”, e acrescenta que “é um grande orgulho termos alunos com este talento, reconhecido além fronteiras, e que deverá servir de motivação para todos aqueles que querem fazer da música o seu futuro”. O valor das inscrições do concurso, que recebe anualmente dezenas de jovens músicos oriundos de todo o mundo, reverte a favor da organização não governamental “David e Maria Russell” que, em 2010, utilizará estes

DR

André Ferreira foi o vencedor

fundos para a construção de uma escola na Índia. Os Prémios Honoríficos David Russell, que se realizaram entre 22 e 24 de Janeiro, são uma iniciativa do Conservatório Profissional de Música de Vigo (vertente da Universidad de La Coruña), em Espanha, e contam com o próprio David Russell, considerado o melhor guitarrista da actualidade, como presidente do júri. Natural da Marinha Grande, André

Almeida Ferreira iniciou os seus estudos de Guitarra em 2005 e, em 2007, participou no IV Concurso Nacional de Guitarra de Ourém, onde obteve uma Menção Honrosa. Nesse mesmo ano, integrado no Ensemble de Guitarras Francisco Tárrega, ganhou o primeiro prémio no Concurso “Jovens Talentos” da Escola de Música do Orfeão de Leiria, na Categoria de Música de Câmara, Escalão C. André Ferreira é frequentemente convidado a participar em eventos culturais como o “Café das Quintas”, “Encontro de Gerações”, “A Guitarra no Outono”, entre outros. André Almeida Ferreira, que em 2009 tinha recebido uma Menção Honrosa nos Prémios Honoríficos David Russell, é já o sétimo aluno da EMOL a participar neste concurso, sucedendo a Sofia Diogo, Ana Sofia Gariso, Ricardo Pereira, Bruno Almeida Ferreira, Diogo Carapito e Bernardo Carapito (premiado em 2007 com a Menção Infantil), que estiveram presentes em edições anteriores.

ria da Arte pela Universidade de Coimbra, encontra-se a preparar o doutoramento em História da Arte sobre o Santuário de Fátima enquanto complexo artístico de fé. O Curso encontra-se aberto a todos os que se interessam por esta área, independentemente da sua formação profissional, e está organizado em oito sessões, que decorrerão nas instalações do MASE

Acção de formação na Marinha Grande

“A Alquimia das palavras”

“A alquimia das palavras” é o título da acção de formação dirigida por Dulce de Souza Gonçalves, que decorrerá no dia 4 de Fevereiro, a partir das 09h30, na Biblioteca Municipal da Marinha Grande, situada frente à Praça Guilherme Stephens. A iniciativa destina-se a bibliotecários, técnicos de biblioteca, professores, educadores, animadores de leitura, pais e encarregados de educação. “A alquimia das palavras” tem como objectivos reflectir sobre a questão da literacia e a importância da literatura, promover a reflexão sobre o desafio e o impacto do Plano Nacional de Leitura, reconhecer a importância da tradição oral na motivação literária infantil, apreender estratégias discursivas e recursos técnico-expressivos e experimentar práticas de animação da leitura.

Iniciação ao Teatro

“Arte Sacra e Arte Profana” das obras de arte, analisando-as no contexto da sua produção, sem descuidar os pormenores de figuração que fazem da representação artística uma das mais excepcionais manifestações do pensamento humano. Serão abordadas temáticas da arte portuguesa antiga e contemporânea, da arte sacra e arte profana. Leccionado por Marco Daniel Duarte, licenciado em História variante Histó-

Decorre até 17 de Fevereiro, na galeria de exposições do Teatro-Cine de Pombal, a exposição de pintura “Notas de um Percurso”, de Sandrine Cordeiro. Nascida em Paris em 1976, frequenta o mestrado em História da Arte Contemporânea na Universidade Nova. É licenciada em Artes Plásticas pela Escola Superior de Tecnologia, Gestão, Arte e Design de Caldas da Rainha.

TAP promove oficina

Leituras e interpretações num curso livre O Museu de Arte Sacra e Etnologia, dos Missionários da Consolata, em Fátima, irá realizar um Curso Livre com o título “Aproximação aos estudos iconográficos – Arte Sacra e Arte Profana – Leituras e interpretações”. Este curso, sob orientação do Historiador de Arte Marco Daniel Duarte, pretende pôr à disposição da comunidade alguns instrumentos de leitura

Exposição “Notas de um Percurso”

todas as terças-feiras de 23 de Fevereiro a 13 de Abril, entre as 18h30 e as 20h00. O programa inclui também uma visita de estudo. A data limite de inscrição é 17 de Fevereiro, existindo número limitado de vagas. Informações e inscrições através do n.º de telefone 249 539 470 ou do e-mail museuartesacra @consolata.pt.

O Teatro Amador de Pombal promove uma Oficina de Jogos de Iniciação ao Teatro, a realizar nos dias 29 e 30 de Janeiro, no Teatro-Cine de Pombal. A formação será ministrada por Miguel Sopas, actor e encenador, traduzindo-se este workshop numa formação curta de iniciação ao teatro, com uma forte componente lúdica através de jogos teatrais. A actividade é gratuita, aberta a maiores de 15 anos e com limite máximo de 16 inscrições. Pretende-se, através de elementos de base, proporcionar aos participantes uma concentrada e divertida abordagem ao jogo teatral e ao trabalho do actor.

“Música no Prato”

José CID em Leiria O compositor e intérprete José Cid vai realizar um espectáculo no restaurante “Poente” do Estádio Municipal de Leiria, no próximo dia 29 de Janeiro, a partir das 20h00. Trata-se da primeira edição dos eventos “Música no Prato”, uma iniciativa da LEIRISPORT, em parceria com as empresas Iguarias do Tempo e Scorpio.

Café Concerto em Pombal

Orange Blue ao Vivo No próximo dia 30 de Janeiro, pelas 23h00, o palco do Café Concerto acolhe a banda pombalense Orange Blue. Com um vasto repertório de covers pop-rock variado, com tendência à música portuguesa, os Orange Blue surgiram há dois anos, nas Festas do Bodo 2007, na abertura do concerto do Boss AC. A partir daí passaram a tocar em bares e em festas pela zona centro. São compostos por Ricardo Silva (guitarra acústica e voz), João Silva (guitarra eléctrica e voz), David Roque (baixo e voz) e Mário Martinho (bateria).

Salão do Pisão

Noite de fados No próximo sábado, dia 30 de Janeiro, às 20H00 o fado invade o salão do Pisão para escutar os fadistas António Figueiredo, Romy, Alcides Cepas e Célia Leiria. O salão do Pisão é o espaço que vai homenagear a música mais portuguesa de sempre: o fado. A saudade, o ciúme, a tristeza, estarão em foco. Na mesa, pronto a comer, um chouriço assado, uma malga de caldo verde, uma posta de bacalhau e uma enfusa de vinho tinto, como manda a tradição.


6 SOCIEDADE

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Sensibilização de feirantes e comerciantes

Um dia na freguesia de… Olival A vila de Olival, concelho de Ourém, foi a primeira de 66 freguesias a receber “Um dia na freguesia de…”, uma iniciativa da ADIRN - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte – à qual o município de Ourém se associou. A jornada teve início com uma sessão de informação na Associação dos Caçadores que, segundo a organização, “superou as expectativas quanto ao número de pessoas presentes”. Aqui foram apresentados os vários objectivos da ADIRN assim como as medidas previstas para esta região no âmbito do PRODER – Programa de Desenvolvimento Rural. Presente na sessão, José Alho, vice-presidente da Câmara Municipal de Ourém, lembrou a criação do Pelouro de Desenvolvimento Rural e das Florestas, “uma afirmação clara do interesse deste executivo em dar uma identidade própria à vida deste território”. Neste sentido, o vereador deste novo pelouro adiantou ainda que a AmbiOurém, empresa municipal que tem como áreas de intervenção, entre outras, as ETAR´s e a manutenção de espaços verdes, “passará a ter uma versão mais operacional”, nomeadamente uma equipa que irá prestar apoio no que diz respeito à formalização de candidaturas a fundos comunitários, assim como o contacto com a ADIRN. “Penso que vamos ter uma viragem positiva no desenvolvimento rural do concelho”, reforçou. Para Lucília Vieira, vereadora da Câmara de Ourém, e “olivalense de gema”, esta freguesia “tem muitas potencialidades”. Concordando com o slogan apresentado pelo presidente da Junta de Freguesia, Fernando Ferreira, que defende para o Olival o estatuto de “Vila Jardim”, Lucília Vieira acredita que este objectivo é concretizável “se conseguirmos levar este conceito ao coração das pessoas, e se cada um se preocupar com o embelezamento dos seus espaços”.

Para leccionação de cursos de licenciatura

IPL coopera com Moçambique O Instituto Politécnico de Leiria celebrou com o Instituto Superior de Contabilidade e Auditoria de Moçambique (ISCAM) um conjunto de acordos de cooperação, no sentido de vir a apoiar a leccionação naquele país, de vários cursos de licenciatura. Em destaque, o IPL apoiará directamente o curso de Marketing do ISCAM, cujos estudantes terão a oportunidade de finalizar o seu curso ingressando na etapa final do curso de licenciatura em Marketing, em regime de ensino a distância (b-learning) do IPL. As relações de cooperação estabelecidas entre o IPL e o ISCAM alargam-se ainda a outros domínios: participação de estudantes, ex-estudantes e docentes daquele Instituto no curso de Mestrado em Controlo de Gestão, a ministrar pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão (Leiria) a partir do próximo mês de Fevereiro e a colaboração de docentes do IPL na coordenação de unidades curriculares do curso de licenciatura em Gestão do ISCAM. A parceria estabelecida entre as duas instituições no final do ano 2009, surge da vontade de ambas as instituições promoverem a partilha de informação científica e técnica e desenvolverem, de forma conjunta, projectos, acções de formação e programas de intercâmbio cultural e social, para além de fomentarem o intercâmbio de livros e outra documentação. Visa ainda proporcionar aos estudantes, ex-estudantes e docentes moçambicanos a frequência de determinados cursos complementares ou de especialização.

LMF/arquivo

Iniciativa da ADIRN

Com o objectivo de acabar com os inqualificáveis níveis de insalubridade pública dos recintos após a realização das feiras e mercados, a SUMA, em parceria com a Câmara Municipal da Batalha, vai divulgar, junto dos feirantes, uma nova acção de sensibilização. Intitulada "Mercado Bem Tratado", esta campanha visa a adopção de novos hábitos comportamentais pelos comerciantes de feiras e mercados, incutindo responsabilidades e, ao mesmo tempo, destacando a importância que a limpeza assume em relação ao que mais os motiva: o negócio. Versando a problemática da triagem e acondicionamento e deposição

de resíduos, esta iniciativa aborda ainda questões transversais, como os direitos e obrigações constantes no Regulamento Municipal e informações úteis para vender melhor. Porque a construção de

um ambiente com qualidade depende da aceitação e partilha de responsabilidades, a campanha "Mercado Bem Tratado" dirige-se também aos clientes, incentivandoos a dar preferência às bancas que evidenciem maio-

res cuidados ambientais, já que transmitem maior confiança em relação aos produtos comercializados. Além disso, esta é também uma forma de reconhecer o esforço de quem aposta em boas práticas ambientais. Com início previsto a partir de 1 de Fevereiro, esta acção de sensibilização vai ser promovida através de abordagem directa junto dos destinatários – feirantes e clientes – e da distribuição qualitativa de material informativo de suporte, como folhetos. Esta acção contará com a colaboração de alunos da Escola Secundária da Batalha e do Colégio de S. Mamede.

ACILIS entregou prémios do concurso de montras

Jantar encerrou “Dia do Comerciante” “O combate às dificuldades não se faz com lamentações nem com os braços em baixo, faz-se com o bom conhecimento da razão dos problemas…”, afirmou Paulo Sousa no passado dia 22 de Janeiro, no jantar de encerramento das comemorações do Dia do Comerciante, que decorreu na Quinta do Fidalgo, na Batalha. Durante a sua intervenção, o presidente da ACILIS afirmou que os sectores do comércio, indústria e serviços sofrem actualmente com o estado da economia, apelando para isso ao associativismo e à união dos empresários. Referiu ainda que a abertura do Leirishoping em Março representa uma “ameaça”, mas devem ser aproveitadas pelos comerciantes “oportunidades como a vinda do Papa a Fátima e o Mundial de Futebol”. Cerca de uma centena de pessoas, sobretudo empre-

DR

Notícias de Ourém

Batalha quer “Mercado Bem Tratado”

Empresários da IN! recebem primeiro prémio sários, estiveram presentes, entre os quais Mário Frota, presidente da Associação Portuguesa de Direito do Consumo, que fez uma intervenção sobre “Poder do consumidor – estímulos ao comerciante”. Criticando o actual código comercial, que na sua opinião contém leis avulsas e que não traduzem a realidade, este dirigente considerou de extrema importância a criação de um serviço municipal do consumidor, já que ajudaria a resolver muitos

problemas apresentados pelos consumidores, o que se traduziria também num benefício imediato para o comércio. “As pessoas não podem ficar caladas e têm que continuar a defender os seus direitos, num mercado cada vez mais concorrencial”, afirmou Mário Frota. Outro momento deste convívio foi a entrega dos prémios da 14.ª edição do Concurso de Montras de Natal, que este ano teve a concurso 50 montras: 31 de Leiria, 9 da Batalha e 10 de

Porto de Mós. Após a avaliação de critérios como a criatividade, a articulação ao tema, o efeito estético global e o valor apelativo do conjunto, foram atribuídos os prémios: 1.º Prémio: IN!, de Leiria – viagem a Amesterdão para duas pessoas 2.º Prémio: Mercado Regional, da Batalha – viagem à Madeira para duas pessoas 3.º Prémio: David Jeans, de Leiria – duas noites para duas pessoas numa Pousada Histórica 4.º Prémio: Sapataria Chic & Trendy, de Porto de Mós – uma escapada pitoresca para duas pessoas, em Portugal 5.º Prémio: Rebuliço Redondo, de Porto de Mós – um fim-de-semana para duas pessoas, em Portugal Foram ainda atribuídas menções honrosas à Perfumaria Ferreira, da Batalha, e a Kid to Kid, de Leiria.

Doação de 0,5% do IRS a uma instituição de solidariedade social

Ajude os Bombeiros da Batalha sem custos Na altura de preencher o IRS, os contribuintes têm a opção de doar 0,5 % do seu IRS a uma instituição devidamente credenciada pelo Fisco. Uma delas é a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários

do Concelho da Batalha, mas pode informar-se das muitas outras aptas a beneficiar desta lei. A doação não tem quaisquer custos, pois aquele valor é retirado do IRS que já pagou ao Estado, isto é,

do valor de IRS liquidado pela Direcção de Impostos e que iria reverter para os Cofres do Estado. No caso de ter direito à restituição/ reembolso de IRS, este ficará intocável, em nada ficando prejudicado.

Para tal, no caso dos Bombeiros da Batalha, preencha o quadro 9 do anexo H com o respectivo nome e o NIF: 501239995. Assim, está a contribuir para uma causa justa e humanitária... sem custos!


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Leiria-Fátima na BTL 2010 – Feira Internacional de Turismo

No auditório da Filarmónica de Chãs

“O Tratado de Lisboa” em debate

A 22ª edição da “maior montra da oferta turística em Portugal”, de 12 a 17 de Janeiro, contou com a presença das empresas líderes de mercado, dos grandes decisores do sector, operadores turísticos, organismos nacionais e regionais de turismo, imprensa especializada e ainda grande representação dos destinos internacionais, com destaque para a África do Sul, país convidado. O território turístico de Leiria-Fátima – constituído pelos concelhos da Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós – encontrou o espaço adequado para apresentar uma imagem forte num “Mundo de Destinos e Negócios”. Na sua maior parceria de sempre com municípios, entidades públicas e empresários da sua área territorial, Leiria-Fátima apresentou-se com um stand de 180m2, três frentes e imagens de grandes dimensões, representativas da diversidade que a região oferece. O principal objectivo foi desenvolver o negócio turístico de uma região com notável centralidade face ao território nacional, bem como aumentar a projecção internacional da marca “Fátima” e a visibilidade das potencialidades dos produtos turísticos da região, com destaque para o Turismo Religioso (Santuários, Igrejas, Ermidas e Capelas), Natureza (Pinhal de Leiria, Serra de Sicó, Mata Nacional do Urso, Lagoa da Ervideira, Mata das Termas de Monte Real, Parque Natural das Serras

DR

“Mundo de Destinos e Negócios”

Actuação do Grupo Tocándar de Aire e Candeeiros, Grutas de Mira de Aire, Santo António, Alvados e Grutas da Moeda, Monumento Natural das Pegadas de Dinossáurios, Agroal), Sol e Mar (S. Pedro de Moel, Vieira, Pedrógão e Osso da Baleia) Património (Mosteiro da Batalha, Castelos de Leiria, Ourém, Pombal e Porto de Mós) e Saúde e Bem-estar (Termas de Monte Real). Evidência especial foi dada ao Turismo de Negócios, numa região que reúne as melhores condições para acolher congressos e reuniões empresariais. O dia 16 foi especialmente marcante, com a animação musical de quatro grupos da região e a representação da Batalha de Aljubarrota, com alguns momentos transmitidos em directo pela RTP 1, no “Programa das Festas”. A animação musical teve início com o grupo de percussões do Orfeão de Leiria Conservatório de Artes, que surpreendeu quem assistia pela originalidade e dinamismo dos temas e dos jovens da escola de música de Leiria. Seguiram-se os

Mira d’Aire

Foto das grutas premiada Na sequência do passatempo intitulado “Mostrenos um Portugal Maior”, iniciativa que visou o reforço da visibilidade do Destino Portugal e a potenciação da presença das entidades que o compõem na Bolsa de Turismo de Lisboa, o Turismo de Portugal premiou as melhores fotografias do país a publicar na rede social “flickr”, uma por cada destino regional. A selecção foi feita por um júri composto pelo Turismo de Portugal, pelas Entidades Regionais de Turismo e pela Associação Portuguesa de Fotografia. Estas fotos foram projectadas no stand do Turismo de Portugal e poderão ser utilizadas posteriormente para efeitos promocionais, tanto pelo Turismo de Portugal como pelas entidades regionais. O contemplado para o destino Leiria-Fátima, Vítor Manuel Quelhas Alves de Freitas, apresentou uma foto das Grutas de Mira de Aire, que lhe permitirá desfrutar de um fim-de-semana para duas pessoas, uma oferta do Hotel Spa Villa Batalha.

Gaitilena, da zona da Batalha, que passearam pela feira, divulgando a tradição da região pelos visitantes. Já depois de começar o “Programa das Festas”, a música continuou no espaço de Leiria-Fátima com os Tocándar, grupo originário da Marinha Grande que junta miúdos e graúdos com tambores, bombos e muita energia a contagiar as pessoas que assistiram à sua actuação. O último grupo a actuar foi o Concertinas da Barrenta, de Porto de Mós, com uma sonoridade que ilustrou a tradição das serras. A evocação histórica da Batalha de Aljubarrota começou cedo, com o desfile pela feira dos soldados do exército português que derrotou os castelhanos, acompanhados de damas e outros personagens da história de Portugal, que transformaram depois o stand de Leiria-Fátima no seu campo de combate. A recriação esteve a cargo do Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota e da Companhia Livre. Foi com armas, armaduras, soldados e damas em

pano de fundo que Júlio Isidro entrevistou Graça Frazão Leiras, Técnica Superior da ERT – Turismo de Leiria-Fátima, que apresentou a região aos espectadores da RTP 1, que falou sobre a oferta da região nas várias vertentes do turismo, salientando por exemplo, alguns dos pratos típicos da gastronomia, como a morcela de arroz de Leiria, o leitão da Boa Vista, o borrego à Vale Travesso, as Brisas do Lis ou os pudins da Batalha. Graça Leiras referiu que visitam a região anualmente entre cinco e sete milhões de pessoas, sobretudo com grande afluxo de visitantes para Fátima, número que tem tido tendência para aumentar. Falou ainda da marca Fátima e do turismo de natureza, e do projecto “Mundo de destino e negócios”, que é impulsionado pela “centralidade e pelo facto de termos um parque hoteleiro de grande dimensão e qualidade, porque somos de facto uma aposta para as reuniões de negócios, seminários temáticos, congressos e outros eventos de negócios que podem realizar-se aqui na região”. No stand de Leiria-Fátima esteve ainda em exposição uma mota Vespa, que serviu para divulgar o 44.º Encontro Mundial de Vespas, que se realizará em Fátima entre 1 e 4 de Julho de 2010, e o projecto de guias turísticos para telemóveis, através de um ecrã touchscreen e de um sistema de envio da plataforma via bluetooth.

O conselho consultivo de Regueira de Pontes promove, dia 30 de Janeiro, um encontro sobre “O Tratado de Lisboa”, inserido num ciclo de debates/conferências, para discussão de temas que possam contribuir, de alguma forma, para a dinamização e desenvolvimento da freguesia. O orador convidado é o ex-eurodeputado e deputado nacional do CDS-PP, José Ribeiro e Castro. O encontro/debate terá lugar no Auditório da Filarmónica de Chãs, freguesia de Regueira de Pontes, pelas 21 horas. Contamos com a sua presença, para nos conhecer melhor e partilhar connosco os conhecimentos de todos os participantes.

Nas freguesias da Batalha

Sessões de informática gratuitas No âmbito de um projecto que envolve o “Projecto Leiria Região Digital”, a ADAE e a autarquia da Batalha, iniciaram-se no passado dia 19 de Janeiro, nas freguesias de São Mamede, Golpilheira e Reguengo do Fetal, sessões de informática gratuitas dirigidas à população activa. As sessões de trabalho decorrem num veículo adaptado especialmente para o efeito, disponibilizando gratuitamente aos participantes computador, acesso à Internet e impressora. A formação é ministrada por monitores especializado na área das novas tecnologias e as matérias a abordar compreendem formação básica ao nível do processamento de texto, edição de imagem e acesso à Internet.

Serviços exclusivos, sete dias por semana

Farmácia Sanches ao domingo A Farmácia Sanches, situada na Avenida Marquês de Pombal, em Leiria, está agora aberta também ao domingo, passando assim a disponibilizar os seus serviços sete dias por semana. O horário de funcionamento neste dia da semana será entre as 9h00 e as 19h00. Natália Valinha, directora técnica e proprietária da Farmácia Sanches, refere que “o objectivo é estar sempre disponível para os clientes, o que vem na linha de serviços que já criámos, como a entrega gratuita de medicamentos ao domicílio, que favorece especialmente as pessoas mais idosas”. “Hoje em dia é essencial estar sempre ao lado dos utentes, sempre que eles necessitam, facilitando a sua vida, porque há necessidades urgentes, que não escolhem dias, e surgem mesmo fora dos horários de funcionamento tradicionais”, acrescenta a responsável. A Farmácia Sanches, em Leiria desde 1895, disponibiliza acompanhamento farmacoterapêutico personalizado e variados testes de monitorização.

Protocolo entre o Turismo e Vertigem Sendo o Turismo de Natureza um dos dez produtos considerados no “Plano Estratégico Nacional do Turismo” (PENT), o qual tem tido nos últimos anos uma grande procura, em especial por parte de mercados emissores estrangeiros, a direcção da Entidade Regional de Turismo de Leiria-Fátima entendeu impulsionar este produto através da celebração de um protocolo com a Vertigem – Associação para a Promoção do Património. Na definição de uma das suas várias estratégias de desenvolvimento e promoção para o sector do turismo da sua área de intervenção, a ERT Leiria-Fátima pretende, assim, consagrar este produto atendendo às

excelentes condições naturais existentes na região. O protocolo, com duração de um ano, tem por objecto a concepção e implementação do III Encontro Internacional de Observadores de Aves, a levar a efeito em Outubro de 2010. A observação de aves é hoje uma actividade que desperta um interesse crescente um pouco por todo o mundo pois, para além dos aspectos científicos, é hoje encarada como uma actividade turística que possibilita um saudável contacto com a natureza, sem grandes esforços físicos, aliciante para as camadas seniores, hoje, com maior disponibilidade de tempo e maior poder económico. A realização deste evento, a com-

plementar com a caracterização dos recursos, visitas guiadas e a elaboração de um roteiro, é efectuada em conjunto com a Vertigem, por ser uma Organização não Governamental de Ambiente (ONGA), de âmbito regional, sem fins lucrativos, políticos e/ou religiosos, que tem como missão a promoção, preservação e defesa do património natural e biológico. A Vertigem, fundada em 1997, tem a sua área de intervenção nos concelhos do distrito de Leiria e o concelho de Ourém, com uma equipa técnica nas diversas áreas da biologia, arquitectura, paisagismo e engenharia florestal e de ambiente.


8 ANO SACERDOTAL

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Retratos de mim (XIX)

Uma presença orante

Quinta-feira, ano 34 da era cristã. As portas da cidade abriram-se logo, um raio de sol se estendeu pela estreita rua que ali parecia terminar. Subitamente uma multidão irrompeu de forma agitada e barulhenta. Apressei-me a subir ao palanque que ali mesmo fora montado para os mirones. O cenário que ali mesmo se montou era aterrador, ao mesmo tempo comovia e deslumbrava os que ali nos apinhávamos para ver mais de perto. No meio da confusão e correria, surgiram 3 condenados ao suplício supremo. A maioria de nós, porém, estava ali por causa de um deles. Era Galileu e dizia-se filho de Deus. Era alto, de belo aspecto e fazia-se acompanhar por alguns amigos que agora estavam dispersos na multidão. Ainda eu procurava um lugar para me sentar, quando já a meu lado apontavam na direcção da porta onde ele acabara de chegar. Trazia poucas roupas e o sangue escorria-lhe pela face. Parecia estar só naquele sofrimento. Ali mesmo a fadiga, a fraqueza e a multidão fizeram com que caísse ao chão. Levantou-se e olhou em volta, certamente procurando alguém que lhe aliviasse a dor. Bastaria um olhar, uma presença para que as forças voltassem. Mas nada.. ninguém... O olhar perdeu-se na multidão… Não sei porquê, mas dei comigo a reproduzir palavras que nessa manhã, ainda noite, Pôncio Pilatos havia dito à vista do condenado “eis o homem”. Ao vê-lo assim a afastar-se em direcção ao local chamado calvário, dei comigo a sentir um enorme apreço por Ele. Agora sentia que na sua pequenez e humilhação se revelava a sua grandeza de forma pujante e evidente. Por isso não resisti e segui a multidão. De quando em vez Ele olhava para trás, parecia procurar alguém. Mas nada! Ninguém se aproximou dele. Ninguém. Caiu uma e outra vez, gritou de dor e de medo. Mesmo ao virar da última esquina percebia que essa dor se agravava pelo facto de não ter ninguém por perto. Foi então que uma mulher se aproximou e parou junto dele. Os soldados deram-lhe espaço e ela limpou-lhe o rosto de forma meiga, serena e amiga. Nesse momento o sangue da face misturou-se-lhe com as gotas de lágrimas que lhe pendiam dos olhos. Depois, de mão firme pegou de novo na cruz e quis prosseguir o caminho. Corri mais depressa e antes que recomeçasse a caminhada pedi aos soldados que me deixassem pegar-lhe na cruz. Ele olhou-me fixamente e demoradamente. Disse-me “obrigado” e apoiou-se no meu ombro. Foi assim que caminhámos lado a lado os últimos metros que nos separavam do Calvário. Não disse mais nenhuma palavra, apenas me olhava e sorria. Senti o calor do seu abraço e o cheiro do seu corpo. Os soldados gritavam, a multidão agitava-se. Mas parecia que não havia mais ninguém à nossa volta. Senti-me transportado para uma esfera longínqua, onde apenas estava Ele e eu. Fui então afastado de forma bruta e agreste. Não vi mais nada, não sei mais nada. Só sei que me retirei pensativo e com a certeza de que naquela tarde morrera um inocente. Por Rui Ribeiro

A vida humana e sacerdotal do Mons. Henrique foi transbordante de Deus como árvore que se verga sob o peso dos frutos. Nele refulgem as mais belas virtudes humanas, cristãs e sacerdotais de quem fielmente se abriu à acção de Deus e deixou o Espírito Santo trabalhar e fazer nele grandes coisas. Também como a Virgem Maria, a humilde Serva do Senhor, podia exclamar: O Senhor fez em mim maravilhas. Santo é o seu nome. Embora estivéssemos, mais ou menos, a par do evoluir do estado de saúde do Mons. Henrique, a notícia da sua morte surpreendeu-nos. Uma surpresa que nos invadiu sob dois sentimentos: saudade e esperança. Sentimento de esperança porque acreditamos que estão em Deus todos os que n’Ele morreram e foram fiéis ao Seu amor. Saudade porque Mons. Henrique partiu. Ainda há pouco estava entre nós, sorridente e discreto. Revemos a postura nobre do homem e a dignidade do sacerdote quando ele subia ao altar. As suas palavras sempre oportunas, palavras de profeta que fala em nome do Senhor sem recuos ou impasses, apesar da exigência dessa mesma Palavra. No site da Diocese, a que podemos aceder, vemos um curriculum profissional rico que, embora indicador dos seus raros talentos, não pode revelar-nos totalmente a grandeza do seu perfil espiritual e humano. Quem teve o privilégio de com ele contactar, não esquece o seu sorriso revelador de grandeza de alma, tolerância e compreensão das limitações humanas, revelador de altíssima vida espiritual de quem caminha para o Absoluto e por isso mesmo relativiza o que é relativo. Um sorriso sincero que, como delicado manto de caridade, oculta o seu sofrimento pessoal. Quem chegou um dia à casa episcopal, aquando do seu desempenho de secretário e depois Vigário Geral foi atendido por Mons. Henrique Fernandes da Fonseca? Esse não poderá certamente esquecer a capacidade de acolhimento que nele era um dom de Deus, cultivado com esmero cristão. Acolhia como a mãe e não se dedignava servir como um porteiro. A sua alma evangélica revelava-se nesses gestos simples. Não disse, porventura, Jesus “aquele que serve é o maior?” (cf. Mt 23:11) Por isso ele era grande entre nós, Povo da Diocese. O Mons. Henrique servia porque era grande! Só os

Já contemplo Aquele a Quem buscava

LMFerraz/arquoivo

Via Crucis

No trabalho da inventariação do património diocesano, no Convento da Faniqueira, em 22 de Julho de 2005 grandes sabem servir desinteressadamente na humildade e no silêncio. Com sabedoria e discrição esconde-se, apaga-se para que outros brilhem – é preciso que Ele cresça e eu diminua – para que outros dêem abundantes frutos de santidade. Mons. Henrique viveu o escândalo da cruz. Peregrino e estrangeiro, viveu pobremente, e nunca se deixou condicionar por qualquer amarra a não ser a vontade de Deus. A sua vida foi um permanente caminhar para a identificação com Cristo, configurou-se com o Servo e, com o Profeta, exclamou pela vida: Ardo de zelo pela Casa do Senhor. Recordamo-lo na sua missão de Vigário Geral da Diocese, missão que cumpriu com exímia competência e sabedoria. Se algum testemunho é válido, não podemos dar outro maior do que aquele que deu D. Alberto Cosme do Amaral, 19/10/82: Mons. Henrique da Fonseca serviu a Igreja com raro espírito de dedicação e entrega, e num total esquecimento de si próprio… As missões oficiais não o impediram de se dedicar ao trabalho escondido do confessionário e da direcção espiritual. Esta Comunidade pode afirmar o mesmo. Sempre encontrou no ilustre membro da Hierarquia, que foi o Mons. Henrique, um seguro apoio, pronto a ajudar e aconselhar em tudo o que era específico da sua função. Um Sacerdote a quem nós, Irmãs Clarissas, muito ficámos a dever. Um Sacerdote grande. Foi para todos um amigo, um irmão, um verdadeiro Sacerdote sempre

fiel ao ministério a quem a Diocese muito deve. Só o Espírito Santo podia inspirar o nosso Bispo a nomeá-lo Coordenador do Serviço de Apoio ao Clero. Certamente muitos sacerdotes encontraram nele um verdadeiro pai, no plano espiritual. Recordamos a sua vida simples e de grande austeridade, o seu espírito de sacrifício, mortificação e beleza interior. Um Sacerdote em quem transparecia a vida de oração. Um asceta enérgico, um místico. Reiteramos a sua grande capacidade de acolhimento, de escuta, de compreensão, de tolerância, de esquecimento próprio. A sua palavra fácil, eloquente e “influente” era palavra de Deus, fecunda e eficaz que tocava no fundo e semeava luz e esperança, criava harmonia, realizava a concórdia. Evocamos o seu amor à Eucaristia, que celebrava com a dignidade de Aarão, como quem presta culto a Deus e permanece sob o Seu olhar; o filial amor à Mãe de Deus; a sua dedicação ao Papa, Vigário de Cristo. A colaboração incondicional ao seu Bispo, aos irmãos no sacerdócio e a toda a sua família que é a Diocese. Pelas diversificadas actividades pastorais tornava-se bem visível o seu profundo amor eclesial. Ao visitar esta Comunidade, o que fez em diversas conjunturas, deixava invariavelmente uma palavra de esperança e estímulo para continuarmos fiéis à nossa vocação de Clarissas do Desagravo e à adoração ao Santíssimo Sacramento. Para recordar o Mons. Henrique, remontamos àquela figura ímpar da Sagrada Escritura – Eleazar

– que tomando uma bela resolução digna da sua idade, do prestígio que lhe outorgavam os seus cabelos brancos, da vida íntegra que levava desde a infância, avançou serenamente, ao encontro da morte. Como a desse venerável ancião, acreditamos que também a vida e o exemplo do Mons. Henrique, foi, é e será um verdadeiro e nobre testemunho de virtude e fidelidade, não só para os jovens, mas também para os seus colegas no sacerdócio, para os Consagrados e para todos os cristãos. Humanamente a Diocese de Leiria-Fátima perdeu um Sacerdote de envergadura singular, figura de relevo incomparável, um roble que ao longo de toda a vida firmou as suas raízes em Deus e por isso nenhuma adversidade o fez sucumbir. O Mons. Henrique Fernandes da Fonseca despede-se da sua amada Diocese, que amou com entranhas de mãe. No Céu, porém, ele continua a olhá-la. De lá, de junto de Deus, continuará a iluminá-la, a enviar-lhe aquele seu sorriso inigualável como a mãe olha o filho numa carícia. Num dos últimos retiros que nesta Comunidade orientou, o Monsenhor Henrique disse: As palavras de Jesus – Este é o Meu Corpo, Isto é o Meu Sangue – são as palavras mais dramáticas da História Humana, palavras que jamais alguém pronunciou. A doação que Jesus Cristo faz na Eucaristia é a mesma que realizou na Cruz. Sem Cruz e sem morte estas palavras de Jesus na Última Ceia seriam vazias de sentido. A morte de Cristo é a síntese total do seu viver para nós”. Esta reflexão do Mons. Henrique sintetiza claramente toda a sua vida de Sacerdote que, como Cristo, se ofereceu totalmente ao serviço de Deus e da sua Igreja, como o grão de trigo que morre e produz muito fruto. Neste dia, 21 de Janeiro, quinta-feira – dia da Eucaristia, dia do sacerdócio, Ano Sacerdotal e dia litúrgico de Santa Inês – Monsenhor Henrique parte ao encontro de Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote e como a virgem mártir canta: Aquele que me escolheu para Si, Esse é que me receberá na sua glória. Já contemplo Aquele a Quem buscava, já possuo Aquele a quem esperava: estou unido, no Céu, com Aquele que amei ardentemente na terra. Louvado sejais, Senhor, por terdes criado Henrique Fernandes da Fonseca, Vosso Sacerdote! Irmãs Clarissas de Monte Real


DIOCESE 9

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Breves

Clero de Leiria em Formação

Missão da Igreja no mundo Cerca de 35 sacerdotes da nossa diocese participaram no primeiro turno da Formação Permanente. Os trabalhos decorreram em Linda a Pastora, na casa das irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, e foram subordinados ao tema geral: “A missão da Igreja no Mundo”. A orientação do tema esteva cargo do Doutor Borges de Pinho. Partindo do pressuposto de que a Igreja, como qualquer instituição moderna, deve ter uma organização interna, o orador começou por dizer que é necessário um saudável realismo em relação ao modo de compreender o mundo em que vivemos. Segundo ele, o maior desafio que o mundo apresenta relaciona-se com as injustiças, a pobreza e a fome. A Igreja é chamada a ter uma palavra frente a estas e outras situações, pelo que se torna urgente buscar as raízes permanentes da fé.

Em seu entender elas são: - o reino de Deus, como proposta de um mundo mais humano e mais justo - a sacramentalidade da Igreja, como expressão visível de uma realidade invisível. Contexto em que a Igreja humanizando evangeliza e evangelizando humaniza. - a caridade como expressão da missão da Igreja e uma forma grandiosa de falar de Deus. Tendo em conta estes pressupostos, o orador pre-

conizou um maior esforço relativamente à sensibilidade, à criatividade caritativa e à espiritualidade social. Para tanto é urgente, em seu entender, assumir e organizar a pastoral sociocaritativa, valorizar os ministérios da comunidade e formar os agentes para um conjunto necessário de qualidades, a saber: a competência, a sensibilidade humana, a gratuidade, a seriedade e serenidade na cooperação com o Estado. Os cristãos deverão

Aprofundar a fé em Santiago de Compostela

SDPJ organiza peregrinação O Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ) está a organizar uma peregrinação a Santiago de Compostela, durante a Semana Santa. Perspectiva-se que será um tempo forte, marcado pela caminhada a pé, reflexão, partilha e oração. O grupo irá dormir em albergues, escolas e conventos, vivendo uma experiência de comunidade e de aprofundamento na fé, na rota por onde passaram tantos cristãos ao longo de séculos. Como eles, o grupo irá pôr-se a caminho e peregrinar até à simbólica cidade de Santiago de Compostela. O caminho do grupo começará em Valença e terá 5 etapas até chegar a Santiago de Compostela. Podem participar todos os jovens com mais de 18 anos. O preço será de 85 euros (70 euros para estudantes), este valor inclui as viagens de autocarro, dormidas e alimentação. Quem quiser participar, mas tiver alguma dificuldade económica, deve contactar o SDPJ. A data limite de inscrição é até 28 de Fevereiro (aceitam-se as inscrições por ordem de chegada até ao máximo de 30 participantes), e podem ser feitas através dos contactos: santiago@sdpjleiria.com, 960194507 ou 915070117 A saída de autocarro de Leiria é no dia 27 de Março, de manhã, e a chegada no dia 1 de Abril. Haverá um encontro de preparação no dia 5 de Março, às 21h00, no Seminário de Leiria.

comprometer-se no mundo, como expressão da caridade social, sem medo de se integrarem nos ambientes sociais e políticos variados. Um primeiro passo a dar será a reorganização, nas comunidades cristãs, de todo o serviço social: pelo que importa descobrir lugares e espaços de anúncio de Deus; fazer dos leigos os primeiros anunciadores; formar na corresponsabilidade. Os trabalhos decorreram de forma serena e pacífica, sendo as tardes ocupadas com assuntos relativos à vida da diocese (RABI e inventário, entre outros). Para além da reflexão, a semana redundou num feliz momento de convívio e oração, tendo os sacerdotes feito desta forma uma justa homenagem ao colega responsável pela organização, Monsenhor Henrique, que faleceu no momento em que se concretizavam os trabalhos. texto e foto Rui Ribeiro

Centro de Preparação para o Matrimónio

Encontros de Noivos na Cruz da Areia

No próximo dia 30 e 31 de Janeiro a equipa do Centro de Preparação para o Matrimónio realiza um encontro com os noivos na Cruz da Areia. Para melhor aproveitamento, os noivos devem ir antes a uma “reunião zero”, devendo, para isso informar-se na respectiva paróquia. Os noivos não participarão sem terem preenchido as fichas nas paróquias e estas devem enviá-las à Equipa CPM, a tempo de se organizar o encontro. A equipa do CPM não pode aceitar fichas de última hora.

Paróquia de Pataias

Jantar - convívio na Burinhosa No próximo dia 13 de Fevereiro realiza-se um jantar-convívio na Burinhosa, paróquia de Pataias, com a finalidade de angariação de fundos para as obras da igreja da Burinhosa. O local para o jantar-convívio será na Quinta da Valinha (Quinta da Eng. Coutinho), às 20h00, seguindo-se o Baile de Carnaval. O preço será de 10 “carnavias” e as inscrições poderão ser feitas até ao dia 11 através dos contactos: 965525104 -Fernando Pereira ou 964380825-Rogério.

«Ir ao coração da Igreja»

Retiro Diocesano de Catequistas O Serviço Diocesano de Catequese de Leiria-Fátima promove, nos dias 6 e 7 de Março de 2010, um Retiro Diocesano de Catequistas. Este terá lugar no Centro Catequético, em Fátima e será orientado pelo padre Pedro Viva, tendo como base o tema diocesano «Ir ao coração da Igreja». Durante o tempo da Quaresma é uma oportunidade para os catequistas aprofundarem e viverem a «espiritualidade da comunhão» neste ano dedicado à comunhão e corresponsabilidade na comunidade cristã. As inscrições devem ser enviadas para o Serviço Diocesano de Catequese até ao dia 23 de Fevereiro de 2010. Para inscrições e informações contactar o Serviço Diocesano de Catequese.

Jovens 1990/2010

Festa de S. Sebastião - Cortes Nos próximos dias 30 e 31 de Janeiro realizam-se os tradicionais festejos em honra de S. Sebastião, na paróquia das Cortes. Esta festa é organizada pelos jovens da paróquia que fazem, este ano, 20 anos. Durante os dias de festejos a celebração da eucaristia será às 19h30, no sábado, e 11h00, no domingo. O programa será composto por um espaço de divertimento, com jogos tradicionais, e ainda actuação de grupos musicais. Durante os festejos haverá um serviço de bar, quermesse e restaurante.


10 ECLESIAL

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

ANO C (31/01/10 Antífona de Entrada: Salmo 105, 47 Leitura I: Jer 1, 4-5.17-19 Salmo Responsorial: Salmo 70 (71), 1 2.3-4a.56ab.15ab.17 (R. cf. 15ab) Refrão: A minha boca proclamará a vossa salvação. Repete-se Leitura II: 1 Cor 12, 31 – 13, 13 Aclamação ao Evangelho: Lc 4, 18 Refrão: Aleluia. Repete-se O Senhor enviou-me a anunciar a boa nova aos pobres, a proclamar aos cativos a redenção. Refrão Evangelho: Lc 4, 21-30 - Como Elias e Eliseu, Jesus não é enviado somente aos judeus Naquele tempo, Jesus começou a falar na sinagoga de Nazaré, dizendo: «Cumpriu-se hoje mesmo esta passagem da Escritura que acabais de ouvir». Todos davam testemunho em seu favor e se admiravam das palavras cheias de graça que saíam da sua boca. E perguntavam: «Não é este o filho de José?». Jesus disse-lhes: «Por certo Me citareis o ditado: ‘Médico, cura-te a ti mesmo’. Faz também aqui na tua terra o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum». E acrescentou: «Em verdade vos digo: Nenhum profeta é bem recebido na sua terra. Em verdade vos digo que havia em Israel muitas viúvas no tempo do profeta Elias, quando o céu se fechou durante três anos e seis meses e houve uma grande fome em toda a terra; contudo, Elias não foi enviado a nenhuma delas, mas a uma viúva de Sarepta, na região da Sidónia. Havia em Israel muitos leprosos no tempo do profeta Eliseu; contudo, nenhum deles foi curado, mas apenas o sírio Naamã». Ao ouvirem estas palavras, todos ficaram furiosos na sinagoga. Levantaram-se, expulsaram Jesus da cidade e levaramn’O até ao cimo da colina sobre a qual a cidade estava edificada, a fim de O precipitarem dali abaixo. Mas Jesus, passando pelo meio deles, seguiu o seu caminho. Palavra da salvação.

Mangas maduras e verdes De há um mês a esta parte, tem havido uma fruta muito saborosa, a manga, que temos pena de não poder partilhar convosco mas partilhamos estas linhas para manifestar que estamos juntos na mesma missão. Mesmo a terminar o mês das Missões, a Equipa Missionária deslocou-se para o centro do Chimbango, zona limite com a diocese de Benguela, para aí vivermos duas semanas de intensas formações. O bom acolhimento, mais uma vez, nos fez sentir em casa nesta que foi a segunda visita àquela comunidade. Destaca-se a eleição de alguns catecúmenos, etapa pela qual esperavam há muito tempo. O cume foi a celebração de 5 casamentos e 14 baptismos no dia 15 de Novembro. No fim-de-semana seguinte foi a vez de os jovens do Gungo participarem num encontro diocesano juntamente com as “manas”. Uma delegação de seis jovens pôde buscar experiências para depois partilhar com os que fica-

DR

Leituras |4º Domingo Comum

ram. No mesmo fim-de-semana, dia 22, foi a criação da paróquia de Cristo Rei do universo, na Pedra Um, Sumbe, onde está situada a nossa casa e motivo que fez o Pe David marcar presença em tal efeméride. Após estas actividades

foi a vez de visitar a zona Tuma por uma semana. Aí avançou-se com as formações da pastoral da criança, uma formação dirigida às mães para bem poderem cuidar dos seus filhos desde a gestação até ao nascimento e acompanhamento do

os baptizados que vivem a sua fé; Igreja que tem como cabeça Jesus Cristo, formando assim o corpo místico de Jesus. Assim o facto de se pertencer ao mesmo corpo leva-nos a interessarmo-nos pelo bem estar daqueles nossos irmãos que nos rodeiam: alegramo-nos quando eles se alegram, entristecemo-nos quando se entristecem como nos diz S. Paulo na primeira carta que escreveu aos Coríntios: Se um membro sofre todos os membros sofrem com ele; se um membro é honrado, todos os membros se alegram com ele. Mas esta alegria não é automática, é necessário partilhar verdadeiramente o Espírito que habita em todos, Espírito de amor que nasce do Amor entre o Pai e o Filho. Na verdade um cristão precisa de praticar a união entre todos os membros da Igreja praticando a união com o Pai, que é o mesmo para todos. Por isso dizemos todos os domingos. “Pai nosso”. É por isso que o domingo é o dia da festa por excelência de todos os cristãos, porque nesse dia

celebramos de um modo especial os mistérios da nossa libertação do pecado e da morte. Então podemos dizer como Neemias e Esdras: “Hoje é um dia consagrado ao Senhor, vosso Deus. Não vos entristeçais nem choreis.” Porque o Espírito Santo está connosco e nos diz que os problemas são passageiros; que a força de Deus e a confiança n’Ele nos dão força para nos libertarmos das cadeias que nos prendem. É esta a mensagem central do Evangelho deste domingo: “O espírito do senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres.” Jesus diz simplesmente: “Cumpriu-se hoje mesmo esta passagem das escrituras” Esta passagem continua hoje a cumprir-se, porque há muita gente que deixa que o Espírito actue nas suas pessoas e que vão por esse mundo fora anunciar a Boa Nova: aos pobres, aos infelizes, aos doentes, aos pecadores. Para que todos se possam verdadeiramente alegrar. Mas com uma alegria sobrenatural que enche a nossa alma de bem estar,

crescimento saudável. Isto possibilitou descobertas às mamãs sobre si próprias e aquilo que se passa na mulher gestante permitindo compreender melhor o mistério da Vida. Uma das formações que também foi possível destinou-se às esposas dos catequistas no sentido de ajudar estas a compreenderem a tarefa e o chamamento dirigido aos seus maridos e o modo como os podem auxiliar. No dia 14 de Dezembro tivemos a alegria de poder ir buscar ao Lobito e levar para o Sumbe a “nova” carrinha, usada, que vem para o apoio aos trabalhos da Equipa Missionária. Foi o resultado de muitas canseiras, viagens e algumas despesas imprevistas mas valeu a pena e, agora, na utilidade concreta deste veículo se verá o quanto valeu. Cá vamos lambendo os dedos e saboreando as doces mangas e os doces frutos da missão. Estamos juntos! A Equipa Missionária do Gungo

Cânticos | 5º Domingo Comum ANO C (31/01/10) INÍCIO Eu venho, Senhor, à vossa presença - Lau 377 Senhor, Tu nos chamaste - Lau 782

AO SABOR DA PALAVRA

SALMO RESPONSORIAL Na presença dos anjos - Lau 507 APRESENTAÇÃO DOS DONS Tu que nas margens do lago - Lau 827 COMUNHÃO Eu estou à porta e chamo - Lau 361 Se alguém quiser seguir-me - Lau 739 ACÇÃO DE GRAÇAS A messe é grande - Lau 102 FINAL Ide por todo o mundo - Lau 435

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

Raio de Sol 4º Domingo Comum

MISSAS DOMINICAIS

Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 10h00 – Paulo VI 10h00 – Franciscanos 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h45 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário 11h30 – Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

Aquilo que distingue um cristão de um não crente é a forma como ele enfrenta os problemas que lhe aparecem no dia a dia. Um cristão tem os mesmos problemas de todos os homens (às vezes até parece que são maiores) mas enfrenta-os de um forma bastante diferente, porque nele há uma força interior que o leva a ultrapassar essas dificuldades. Os cristãos têm a consciência de que pertencem a um mesmo corpo, que é a Igreja, feita de todos

de paz. E não uma alegria meramente externa que facilmente cai em desespero e ódio contra aqueles que nos rodeiam. É por nós que Jesus age para cumprir a promessa divina. Dá-nos o seu Espírito para que o nosso coração se liberte dos seus egoísmos, para que os outros não se sintam mal no nosso coração, para que levemos aos pobres o apoio da nossa ajuda e da nossa partilha, aos cegos a luz da nossa amizade, para que hoje seja um dia de felicidade para aqueles e aquelas que encontrarmos. É a nossa missão de cristãos: que a Boa Nova tome corpo na nossa vida, para que a Palavra de Deus seja viva hoje! Que o único Senhor, que deu a todos nós o mesmo Espírito, nos faça mais conscientes de que somos um único corpo, que tem de zelar pela felicidade mútua e verdadeira. Abandonemos as nossas guerrinhas pessoais e façamos festa, pois o Senhor ressuscitou. E com a sua ressurreição deu-nos a vida, que é a melhor razão para a alegria.


PORTUGAL 11

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

Família Salesiana empenhada na evangelização

Os vários ramos da Família Salesiana (Salesianos de Dom Bosco, Filhas de Maria Auxiliadora, Salesianos Cooperadores, Antigos Alunos, Voluntários de D. Bosco, Movimento Juvenil Salesiano e Canção Nova) estiveram reunidos no Seminário do Verbo Divino, em Fátima, no dia 16 de Janeiro, para o lançamento do lema do Reitor Maior, padre Pascoal Chávez para o ano 2010. Congregaram-se mais de 500 pessoas, provenientes das várias casas salesianas, mas também de locais onde o espírito salesiano existe através da presença de membros da Família Salesiana, como Alfena, Aroura e Amoreira. Após as boas-vindas e o canto de Laudes, o lema foi apresentado pelos provinciais dos Salesianos e das Filhas de Maria Auxiliadora, respectivamente, padre João de Brito Carvalho e Irmã Maria da Conceição Santos. Assistiu-se, em seguida, a um DVD onde o Reitor Maior, sucessor de S. João Bosco, num estilo moderno, dinâmico e apelativo apresentava a toda a Família Salesiana a meta a alcançar neste ano:

DR

«Levemos o Evangelho aos jovens»

«Levemos o Evangelho aos jovens». A forma de levar o Evangelho aos jovens tem de ser uma urgência de todos os filhos espirituais de S. João Bosco, respondendo ao apelo lançado pelo Papa Bento XVI, na carta que remeteu aos padres capitulares no 26.º Capítulo Geral e na linha do ano Paulino e do sínodo da Palavra de Deus. Após a apresentação do lema, cerca de 100 jovens participaram na Assembleia de Jovens, orientada pelo padre José Aníbal Mendonça, responsável pela Pastoral Juvenil Salesiana. Este responsável afirmou que «o breve encontro que teve lugar no final

da manhã, juntou jovens professores, funcionários, catequistas, animadores, educadores… que nos ouviram repetir várias vezes “o MJS é um movimento de referência, com o qual nos identificamos, pois vivemos a mesma espiritualidade e temos a mesma paixão apostólica de D. Bosco”. Somos, de facto, um grande movimento, com imensa qualidade e força, mas… talvez um pouco envergonhado e disperso! Hoje, quisemos gritar que é possível sermos mais organizados e estarmos mais unidos. (…) Estou convencido que é urgente e é tempo de chamar, convocar, unir, envolver,

promover muitos e muitos jovens dos nossos centros e de fora deles, que connosco querem ser discípulos». Este encontro assinalou, também, o lançamento de uma obra acerca do Beato Padre Rua, sucessor de Dom Bosco, beatificado pelo Papa Paulo VI, em 1972, e que em 2010 se assinala o centenário do seu falecimento (1910-2010). Na parte da tarde, deuse posse aos novos Corpos Dirigentes da Federação Nacional dos Antigos Alunos de Bom Bosco e apresentaram-se as acções programadas e as conclusões da Assembleia de Jovens. O encontro concluiu-se com uma concelebração eucarística, presidida pelo padre José Miguel Nuñez, Conselheiro Geral para a Região Europa Oeste. Concelebraram algumas dezenas de salesianos, entre os quais um grupo de responsáveis europeus que estava reunido em Fátima para lançar o «Projecto Europa», que visa a evangelização do velho continente. Este projecto sucede ao «Projecto África» lançado há trinta anos. Sérgio Carvalho

Corpo Nacional de Escutas

Renovação do programa educativo O Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português (CNE) iniciou em 2001 um processo de Renovação da Acção Pedagógica, vulgo RAP. Este movimento pretendia melhorar e actualizar a forma como o método escutista estava a ser aplicado em Portugal, adaptando-o aos tempos de hoje e aos jovens de hoje. Pedro Duarte Silva, Secretário Nacional Pedagógico, explicou o que muda e o que se mantém: “O que muda, então, são alguns aspectos do método escutista que careciam de uma actualização e ajustamento perante a realidade presente. Houve alterações ao nível da Mística e Simbologia proposta para as quatro Secções etárias, conferindo-lhe uma maior coerência e sequencialidade, reforçando-se o

papel e a importância de testemunhos e modelos de vida na educação. Houve alterações sobretudo ao nível do Sistema de Progresso, a forma como o desenvolvimento pessoal das crianças e jovens é avaliado, estimulado e orientado. Até aqui vigorava um sistema baseado numa listagem de provas iguais para todos e estáticas no tempo; doravante, num quadro de objectivos a atingir em cada Secção, cada criança e jovem escolhe e negoceia com o adulto que a acompanha os objectivos que quer procurar atingir em cada ano, propondo/ aceitando desafios pessoais que podem ser exercidos no âmbito da Secção, da família, da Comunidade, etc.” O Programa Educativo do Corpo Nacional de Escutas é a totalidade da-

quilo que as crianças e os jovens fazem no Escutismo Católico Português [as actividades], como o fazem [o método] e a razão porque o fazem [a finalidade]. A Proposta Educativa do Corpo Nacional de Escutas constitui a declaração das finalidades últimas da Associação, expressando a sua intenção educativa, com base na análise das necessidades e aspirações dos jovens num determinado tempo e num contexto sócio-cultural específico. O Projecto Educativo do Corpo Nacional de Escutas é o conjunto de objectivos e métodos, traduzidos em oportunidades, que contribuem para a construção de um percurso de desenvolvimento pessoal das crianças e jovens, sendo simultaneamente uno e plural.

Uno, pois suporta uma pedagogia educativa para as crianças e os jovens dos 6 aos 22 anos, consubstanciando o método escutista criado por Lord Baden-Powell of Gilwell; plural, porque composto por quatro projectos sequencialmente complementares, que são os Projectos Educativos de cada Secção. O início do ano de 2010 vai ficar marcado pela disseminação da formação do novo Programa Educativo, preparando a entrada em vigor no ano escutista 2010-2011 que inicia em Setembro. Serão publicados manuais de apoio e será dada formação aos cerca de 9 mil dirigentes que trabalham com jovens em todo o país.

Breves Encontro Ibérico no Porto

Irmãos de Taizé chegam em Fevereiro O Encontro Ibérico promovido pela Comunidade de Taizé, na cidade do Porto, de 13 a 16 de Fevereiro próximo, coincidindo com o Carnaval, poderá ser um ponto alto na “Missão 2010” que anima, este ano, a diocese do Porto. São esperados milhares de jovens ao encontro da alegria, numa experiência ecuménica de Igreja em espírito de simplicidade, de partilha e de acolhimento. A “Peregrinação de Confiança através da Terra”, ao estilo de Taizé, pretende empenhar os jovens na igreja local e na vivência cristã na sociedade. Ganham os jovens e ganham as comunidades cristãs que os acolhem, como acontecerá no Porto, para os jovens de cá e os que vêm de fora. Inclusive os mais adultos podem aprender a alegria com os jovens cristãos que fazem caminho ao andar na prática evangélica que orienta as suas vidas. Eu e o irmão Cristian estaremos no Porto a partir de dia 1 de Fevereiro. Juntamente com os jovens voluntários, nas duas semanas que precedem o Encontro Ibérico, teremos orações quotidianas às 19 horas, de Segunda a Sexta-feira, no centro do Porto, na igreja de S. José das Taipas. Todos são bem-vindos a estes momentos de oração, que vão marcar a última etapa da preparação da peregrinação de confiança ao Porto. O irmão Alois chegará a Portugal directamente da Ásia, onde vai participar no Encontro de Manila. E um pequeno grupo de irmãos juntar-se-á a nós, indo de Taizé ao Porto, para os quatro dias do Encontro. Do Norte ao Sul de Portugal, de Coimbra à Madeira, de Faro aos Açores, e mesmo nas comunidades emigrantes de diferentes países, já há muitas centenas de jovens portugueses a preparar-se para ir passar o fim-de-semana de Carnaval ao Porto. Também em Espanha, há grupos a preparar peregrinações em várias cidades. E, do Brasil à Polónia, do Chile à Lituânia, da Noruega à Eslovénia, do Reino Unido à Sérvia, passando pela Alemanha, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, França, Itália ou Hungria, as inscrições não param de chegar à nossa caixa de correio electrónico em Taizé! Irmão David, Comunidade de Taizé

“A Deus dá-se o melhor”

Apostar em catequistas de qualidade O coordenador do Departamento da Catequese da Arquidiocese de Braga apelou à necessidade de se privilegiar a qualidade dos catequistas. «Não aceitemos catequistas de qualquer maneira só porque temos um grupo que ainda não tem ninguém», disse o padre Luís Miguel Rodrigues, dirigindo-se aos coordenadores paroquiais de catequese, que estiveram reunidos no Auditório Vita. No encontro, que contou com a presença do Arcebispo de Braga, o sacerdote lembrou que as paróquias, neste mês de Janeiro, já sabem quantos catequizandos vão ter no próximo ano e quantos catequistas vão estar disponíveis. Por isso, sublinhou, um trabalho que podia começar já a ser feito era «ver na comunidade paroquial possíveis catequistas», «falar com eles durante o tempo da Quaresma», «convidá-los a participarem nas reuniões», «para em Junho ou Julho o grupo de catequistas estar perfeitamente estabilizado e organizado». Assim, «no próximo Ano Pastoral teremos tudo a correr com normalidade e com muita qualidade, porque é um serviço que estamos a prestar a Deus, e a Deus dá-se o melhor», acrescentou.


12 MUNDO

Papa nomeia subsecretária para o CPJP Bento XVI nomeou como subsecretária do Conselho Pontifício Justiça e Paz (CPJP) Flaminia Giovanelli, que integra a equipa deste Conselho há mais de 35 anos. Em comunicado, o CPJP destaca que se trata da primeira mulher a ocupar o cargo. Giovanelli, licenciada em ciências políticas, destacou-se na organização da Conferência Internacional “Vida, família, desenvolvimento: o papel das mulheres na promoção dos direitos humanos”, que decorreu em Roma em Março do ano passado. Tem vindo a trabalhar, sobretudo, nos temas do desenvolvimento, pobreza e mundo laboral, sendo perita em políticas de desenvolvimento e trabalho. O Conselho Pontifício Justiça e Paz tem em vista “fazer com que no mundo sejam promovidas a justiça e a paz, segundo o Evangelho e a doutrina social da Igreja”. Os responsáveis do CPJP destacam que “a nomeação de Giovanelli confirma a grande confiança que a Igreja e o Papa Bento XVI depositam nas mulheres”. Antes dela, a leiga Rosemary Goldie desempenhou um cargo semelhante no Conselho Pontifício para os Leigos e a Ir. Enriaa Rosanna é a actual subsecretária da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica.

Taizé convida…

Rezar pelo Haiti no dia 12 Transmitindo a sugestão feita por um jovem do Haiti, depois do sismo do dia 12 de Janeiro, a Comunidade de Taizé convida todos os que puderem a rezar pelo povo do Haiti, sozinhos ou em grupo, no dia 12 de cada mês, durante 12 meses. Este jovem, que foi voluntário em Taizé no Verão de 2006, escreveu: «A vida ou a morte, não vejo a diferença depois desta terça-feira, 12 de Janeiro, quando o país mergulhou numa profunda desordem. Mas Deus é grande e, uma vez que é amor, o seu plano de amor para nós já está estabelecido. Os cânticos de Taizé dão-me uma força e uma confiança nunca imaginadas. Peçam a todos os povos do mundo para rezar no dia 12 de cada mês, durante 2 meses, pelo povo haitiano. Não hesitem! É muito importante.» Alguns jovens do Haiti, que foram voluntários em Taizé nos últimos anos, escreveram-nos do seu abalado país. O site de Taizé dará, antes de 12 de Fevereiro, uma proposta de oração que poderá ser utilizada nesse dia.

Um acontecimento histórico

Novos padres na Guiné-Bissau No passado dia 23, foram ordenados sacerdotes na Guiné-Bissau seis frades da Custódia de São Francisco de Assis. A celebração é apresentada como um acontecimento histórico, seja para a Custódia Franciscana (composta por frades Portugueses, Italianos e Guineenses) seja para a jovem Diocese de Bissau, dado que nunca antes aconteceu uma ordenação de tantos sacerdotes no mesmo dia. A ordenação foi presidida pelo Bispo de Bissau D. José Camnate. Os novos padres são Carlos Tambá, Domingos Tchigna Infanda, Francisco Cesário Mendes Gomes, Galiano Lima De Oliveira, José Infanda Nhaga e Marcelo Raxido Dos Santos.

“Os mais pobres dos pobres”

Dia Mundial dos Leprosos No último Domingo de Janeiro de cada ano, é celebrado o Dia Mundial dos Leprosos, o qual foi instituído pela ONU, em 1954, a pedido de Raoul Follereau, o Apóstolo dos Leprosos do século XX. A Lepra é uma doença dermatológica, infecciosa, crónica que atinge as pessoas pelo contágio, em especial as mais frágeis que sofrem de desnutrição, falta de água potável e baixos padrões de higiene. Raoul Follereau chamava à lepra a filha primogénita da pobreza. O Dia Mundial dos Leprosos celebra-se no próximo dia 31 de Janeiro de 2010 e será mais uma oportunidade para levar as pessoas a reflectirem sobre

lesões graves nos pés, nas mãos e evitar a cegueira. Actualmente há tratamento e cura para a doença e são tratados, efectivamente, cerca de um milhão de doentes por ano. No entanto, as precárias condições de vida de muitas populações, devido à pobreza, às injustiças sociais, à ignorância, às guerras e às calamidades naturais causam o aparecimento de 400/500 mil casos novos por ano. Raoul Follereau (1903/ 1977) dedicou 50 anos da sua vida à causa dos Leprosos “os mais pobres dos pobres”, como ele os definia, orientando a sua acção sob a mensagem “combater a Lepra e todas as causas de exclusão social”. APARF

a situação de sofrimento das vítimas desta doença e a partilhar com elas a sua solidariedade e algo dos seus bens, para ajudar a tratar as suas feridas, aconchegar os seus estômagos, prestar mais informação sobre a doença, reabilitar

e reinserir quem está marginalizado por causa desta enfermidade. Quando a Lepra é diagnosticada e tratada atempadamente, evita-se a formação de úlceras, a afectação do sistema nervoso periférico, a produção de

Cardeal Bertone nomeado Secretário de Estado

“Competência e dedicação generosa” Bento XVI confirmou o Cardeal Tarcisio Bertone como Secretário de Estado do Vaticano, recusando assim a renúncia que este tinha apresentado ao completar os 75 anos, conforme determina o direito canónico. Numa carta publicada pelo jornal do Vaticano, “L’Osservatore Romano”, o Papa percorre o “longo caminho” de colaboração

com o Cardeal italiano, manifestando o seu “vivo reconhecimento”. A esse respeito, sublinha o “delicado trabalho” realizado por Bertone “para construir o diálogo com D. Marcel Lefebvre”. “Sempre admirei o seu sensus fidei, sua preparação doutrinal e canónica, A sua humanitas, que nos ajudou muito a viver na Congregação para a Doutrina da

Fé num clima de autêntica familiaridade, unida a uma delicada e determinada disciplina de trabalho”, confessa o Papa. Segundo Bento XVI, “todas estas qualidades foram o motivo que me levou à decisão, no Verão de 2006, de nomeá-lo meu Secretário de Estado, e é hoje a razão pela qual não quero renunciar à sua preciosa colaboração”. DR

Flaminia Giovanelli

28.Janeiro.2010

DR

Breves

O Mensageiro

“Testemunho comum” dos cidadãos

Semana de oração pela unidade Bento XVI deixou um apelo ao “testemunho comum” dos cristãos perante “os desafios cada vez mais complexos do nosso tempo, como a secularização e a indiferença, o relativismo e o hedonismo”. Na celebração conclusiva da semana de oração pela unidade dos cristãos, a que presidiu na Basílica de São Paulo fora de muros, o Papa falou ainda dos “delicados temas éticos que dizem respeito ao inicio e ao fim da vida, os limites da ciência e da tecnologia, o diálogo com as outras tradições religiosas”. No início da celebração, o Papa foi saudado pelo Cardeal Walter K asper,

presidente do Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos. Referindo-se ao tema do oitavário de oração, “vós sois as testemunhas destas coisas”, o Cardeal alemão salientou que o mesmo recorda as origens do movimento ecuménico moderno, quando há um século os missionários reunidos em Edimburgo chegaram à conclusão de que o maior obstáculo à missão no mundo era precisamente a divisão entre os cristãos. Bento XVI, por seu lado, afirmou que, a um século de distância da conferência de Edimburgo, a intuição dos precursores do movimento ecuménico continua “actu-

alíssima”. “Num mundo marcado pela indiferença religiosa, e até mesmo por uma aversão crescente em relação à fé cristã – acrescentou - é necessária uma nova, intensa, actividade de evangelização, não só entre os povos que nunca conheceram o Evangelho, mas também onde o Cristianismo se difundiu e faz parte da sua história”. O Papa admitiu que “não faltam questões que nos separam uns dos outros e que esperamos possam ser superadas através da oração e do diálogo”, mas lembrou que “existe um conteúdo central da mensagem de Cristo que podemos anunciar juntos: a paterni-

dade de Deus, a vitória de Cristo sobre o pecado e sobre a morte com a sua cruz e ressurreição, a confiança na acção transformadora do Espírito Santo”. Em conclusão, Bento XVI quis frisar que “o empenho para a unidade dos cristãos não é tarefa apenas de alguns nem actividade acessória para a vida da Igreja. Cada um é chamado a dar o seu contributo para dar os passos que levam à comunhão plena entre todos os discípulos de Cristo, sem nunca esquecer que ela é - antes de mais - dom de Deus que se deve invocar constantemente”. (Com Rádio Vaticano)


OPINIÃO 13

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

NO CORAÇÃO DA IGREJA

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

Um sacerdote incondicional no serviço

ANÁLISE POLÍTICA

Orlando Fernandes Jornalista

O maior terramoto do século

E

stamos em ano sacerdotal. O gesto de Jesus que lava os pés aos apóstolos e lhes diz: “dei-vos exemplo para que, assim como Eu fiz, vós façais também” (cf Jo 13, 1-19), constitui o modelo inspirador para o sacerdócio, entendido como serviço em nome e sob o exemplo de Cristo. É certo que este “ícone” vale para todo o cristão chamado a amar os irmãos e a fazer-lhes bem, conforme o exemplo de Jesus. Mas este modelo é de modo especial inspirador para quem foi chamado ao ministério de pastor. Ser sacerdote é viver ao serviço por amor em todas as actividades do próprio ministério: da comunicação do Evangelho à celebração da Eucaristia, da condução de uma comunidade à escuta dos fiéis, da administração de bens à concessão do perdão de Deus... Toda a vida de um sacerdote há-de ser fazer bem aos irmãos, à Igreja e mesmo aos outros homens, em quaisquer circunstâncias e missões.

Vem isto a propósito da morte surpreendente do Padre Henrique Fernandes da Fonseca, no dia 21 de Janeiro, aos 78 anos. A participação de tantas pessoas no seu funeral e as lágrimas que brilhavam em muitos rostos testemunham o grande afecto e admiração que ele suscitou em quem o conheceu. Foi um padre grande não apenas na sua estatura física mas também no serviço incondicional às pessoas e à Igreja nas variadas missões que desempenhou. O bispo D. Alberto Cosme do Amaral, de quem o padre Henrique foi secretário pessoal e vigário geral, testemunhou sobre ele o seguinte: “Mons. Henrique da Fonseca serviu a Igreja com raro espírito de dedicação e entrega, e num total esquecimento de si próprio... As missões oficiais não o impediram de se dedicar ao trabalho escondido do confessionário e da direcção espiritual”. Não encontro palavras mais acertadas para qualificar

este fiel sacerdote. O mérito do seu serviço e dedicação generosa foi-lhe reconhecido pelo mesmo bispo, que lhe concedeu a dignidade de cónego da catedral de Leiria e para ele obteve o título honorífico de “Monsenhor”, dado pelo Santo Padre a alguns sacerdotes que exercem o ministério de forma distinta. Todavia, embora tenha aceitado estas distinções, certamente para não desgostar o seu bispo, não se conformou com elas e gracejava com frequência ao ser tratado por tais títulos. Por isso, ao terminar a sua colaboração mais próxima com o bispo diocesano que sucedeu àquele, aceitando voltar à vida paroquial como pároco, quis despojar-se dos mencionados títulos honoríficos, renunciando aos mesmos, com a seguinte justificação: “Desejo assumir o ministério com todo o empenho e dedicação como servo e irmão, no meio de uma comunidade que possa olhar-me como testemunha de serviço e amor”. E assim

viveu e serviu a paróquia da Ortigosa, colaborou com uma equipa de casais na preparação dos noivos para o Matrimónio, coordenou o serviço de apoio ao clero e desempenhou outras tarefas com total dedicação. Conheci o padre Henrique, quando eu ainda estava no Seminário Menor. Impressionou-me a sua proximidade dos alunos e a seriedade que imprimia ao que dizia e fazia. Mais tarde, foi ele que me apresentou na paróquia para onde fui e sempre se manifestou disponível para me ajudar no que lhe pedia. Depois vim a suceder-lhe como Vigário Geral e habitámos na mesma casa durante dois anos. Pude admirar de perto o seu estilo simples, desprendido e generoso de viver e de exercer o ministério. Nestes últimos anos, colaborámos juntos em vários serviços na Diocese. Sempre manteve o mesmo espírito incondicional de serviço à Igreja diocesana. Creio que, na sua chegada à cada do Pai, terá ouvido

as palavras de Jesus: “Vem, bendito de meu Pai, porque me serviste generosamente quer nos meus irmãos mais pequeninos, quer nos meus ministros e na minha Igreja em múltiplas tarefas. Foste fiel no pouco e no muito. Vem sentar-te à mesa do banquete eterno”. A sua espiritualidade e o seu estilo de vida sacerdotal foram marcados pelo empenho incondicional em servir por amor a Cristo, aos irmãos e à Igreja. Tanto na relação pastoral directa como na colaboração próxima com os bispos diocesanos no governo da Igreja particular e em todas as suas tarefas, viveu verdadeiramente aquela página do Evangelho que citei acima. Louvado seja Jesus Cristo por este seu fiel servidor! Louvado seja por quanto ele amou e serviu a Sua Igreja!

O

abalo seguiram-se outras três dezenas de réplicas que, apesar do menor impacto, aumentaram ainda mais quer os danos materiais quer o número de vítimas mortais e feridos. Só nas primeiras três horas registaram-se dez réplicas, sendo que a mais forte chegou aos 5,9 de intensidade. Apesar de o palácio presidencial ter ficado praticamente destruído, o presidente René Préval encontra-se a salvo. Num país com menos de nove milhões de habitantes, estima-se que cerca de três milhões tenham sido afectados directamente pelo sismo, o que significa perto de um terço da população.

A elevada densidade populacional (3000 pessoas por quilómetro quadrado) a grande concentração de pessoas junto às grandes cidades prejudicaram as manobras de salvamento bem como estiveram na origem do elevado número de vítimas e feridos provocados pelo tremor de terras. O facto de o epicentro ter sido em terra e não em mar, como normalmente acontece nesta região do globo, foi outro factor de agravamento. O Haiti é o país mais pobre do hemisfério ocidental: 80% da população vive abaixo do limiar da pobreza, com acesso a menos de 2 dólares por

dia. A capital, que no início dos anos 50 contava com apenas 250 mil habitantes, alberga actualmente 3 milhões de pessoas, agrupadas em gigantescos bairros de lata. Os outros 6 milhões estão dispersos pelo resto do país, sobrevivendo sobretudo da agricultura. Na sequência da tragédia foi montada uma gigantesca operação de emergência, onde países como os Estados Unidos e o Brasil assumiram natural destaque, fruto da sua forte influência regional. Em conjunto com outras organizações internacionais, como a Cruz Vermelha, já se puseram em marcha os seus mecanismos de apoio, e múltiplas

organizações humanitárias já partiram para este país das Caraíbas. O embaixador do Haiti nos Estados Unidos, Raymond Alcide Joseph, classificou a situação como uma “catástrofe de gigantescas proporções”, e iniciou uma recolha de fundos sem precedentes com vista à ajuda de uma catástrofe natural. As verbas recolhidas para o furacão Katrina e o tsunami de 2004 no Sudeste asiático foram em poucos dias superadas.

Haiti está literalmente debaixo de escombros. O maior terramoto do século e um dos mais violentos de sempre, com uma magnitude de 7,0 na escala de Richterr, deixou os haitianos em desespero. O terramoto, com epicentro a cerca de 15 quilómetros de Port au Prince, deixou a cidade coberta por uma densa poeira durante horas. A capital ficou ainda sem electricidade e sem telecomunicações. Todo o tipo de infra-estruturas foi afectado: o palácio presidencial, escolas, hospitais, todo o tipo de sistemas rodoviários, como as pontes, os viadutos e as estradas. O Haiti é um país em ruínas. Depois do primeiro

PUB

agência

M. Carvalho Legalização de viaturas estrangeiras e nacionais Troca e renovação de cartas de condução Documentação automóvel e pessoal | Contabilidades e IRS Seguros em todos os ramos Praceta Dr. Alberto Baeta da Veiga, Lt. 11, R/C Frente (Junto ao Tribunal do Trabalho), 2410-158 LEIRIA Tel./Fax: 244 834 502 . Telm.: 919 029 029 E-mail: mcmediador@sapo.pt


14 INSTITUCIONAL

F. Costa Pereira Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h Tel. 244 832406

Dr. Rui Castela Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500

LABETO, S.A.

Leiria Av. Marquês de Pombal, Lote nº 2 Tel.: 244 830 460 Fátima Rotunda Sul - Ed. Azinheira Marinha Grande Rua das Portas Verdes, 58 Ourém Av. Nuno Álvares Pereira

Jorge Carvalho Sofia

Médico Especialista de Otorrinolaringologia CONSULTAS • CIRURGIAS • EXAMES DE AUDIÇÃO VIDEONISTAGMOGRAFIA • POSTURAGRAFIA APNEIA DO SONO

Rua Dª Maria da Graça Lúcio da Silva, 9 - 1º Esqº - LEIRIA Marcações pelos telefones 244 822970 • 239 827 089 • 932 442 274

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

EDITAL N.º 6/10 PROCESSO DE LOTEAMENTO N.º 3793/74 Lino Dias Pereira, Vereador do Pelouro do Ordenamento do Território e Urbanismo, Obras Municipais e Habitação da Câmara Municipal de Leiria, torna público, para efeitos do disposto no n.º 2 do artigo 27.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, na redacção que lhe foi dada pelo Decreto-Lei n.º 177/01, de 4 de Junho, e pela Lei n.º 60/07, de 4 de Setembro, conjugado com o previsto na alínea c) do n.º 1 do artigo 103.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 442/91, de 15 de Novembro, na redacção que lhe foi dada pelo Decreto-Lei n.º 6/96, de 31 de Janeiro, que em 2009/07/14 deu entrada na Câmara Municipal de Leiria um pedido referente à alteração às especificações constantes da licença do loteamento sito em Quinta da Alçada, freguesia de Marrazes, deste concelho, titulado pelo alvará n.º 344, emitido em 17/04/1980, e respectivos aditamentos, cujo o licenciamento decorre os seus trâmites nesta Câmara Municipal em sede do processo n.º 3793/74. O pedido é apresentado por Nataliya Zhukova, incide sobre o lote n.º 20 (Fracção A) descrito na Conservatória do Registo Predial de Leiria sob o n.º 1949 e inscrito na matriz urbana sob o artigo 6863 da freguesia de Marrazes, e consta de alteração de uso de comércio para comércio/serviços. Todos os interessados poderão apresentar, por escrito e no prazo de quinze dias, contados a partir do primeiro dia útil seguinte ao da publicação deste edital, sugestões e/ou reclamações. Para eventual consulta, informa-se que o respectivo processo se encontra patente na Secção de Atendimento e Licenças desta Câmara todos os dias úteis entre as 09:00 horas e as 15:30 horas. Leiria, 6 de Janeiro de 2010 POR DELEGAÇÃO DO PRESIDENTE DA CÂMARA O VEREADOR, (LINO DIAS PEREIRA)

Cartório Notarial de Leiria A Cargo do Notário Pedro Tavares Certifico, para fins de publicação, que neste Cartório e no Livro de Notas para Escrituras Diversas nº 185 – A, folhas cinquenta a folhas cinquenta e dois no dia vinte e cinco de Janeiro de 2010. Outorgada por Acácio Mendes Oliveira e mulher Teresa Maria Rodrigues Ferreira Oliveira, casados sob o regime de comunhão de adquiridos, naturais ele de Santa Eufémia, Leiria e ela de França, residentes na Rua da Fonte, 300, Caxieira, Santa Eufémia, Leiria, nif 132 498 898 e 195 918 223, Na qual disseram. Que, com exclusão de outrem, ele é dono e legítimo possuidor do prédio rústico composto por pinhal, com a área de quinhentos e vinte e quatro metros quadrados, sito em Pereiro, na freguesia de Santa Eufémia, concelho de Leiria, a confrontar do norte com Joaquim Patrício Neves, do sul com António Pereira Faustino, do nascente com Moisés Carreira Ferreira e do poente com Junta de Freguesia, não descrito no Registo Predial, inscrito na matriz predial respectiva sob o artigo 1.989, com o valor patrimonial tributário de 22,11€, a que atribui igual valor. Que o referido prédio veio à posse dele, ainda no estado de solteiro, da seguinte forma: uma sexta parte indivisa do prédio cerca do ano de mil novecentos e setenta e dois, por partilha meramente verbal, por óbito de seu pai, Manuel de Jesus Oliveira Fiúza e cinco sextas partes indivisas, cerca do ano de mil novecentos e oitenta e cinco por compra meramente verbal por ele feita a sua mãe e irmãos, residentes em Caxieira, Santa Eufémia, Leiria. Que, assim, vem possuindo o referido prédio, como seu, há mais de vinte anos, como proprietário e na convicção de o ser, cortando e vendendo árvores, limpando o mato, cumprindo as obrigações fiscais a ele relativas, posse que vem exercendo ininterrupta e ostensivamente, com conhecimento de toda a gente e sem oposição de quem quer que seja, assim de modo pacífico, contínuo, público e de boa fé, pelo que adquiriu por usucapião a propriedade sobre o referido prédio; Que dada a forma de aquisição originária não tem documentos que a comprovem. Que para suprir tal título vêm pela presente escritura, prestar estas declarações de justificação com o fim de obter no registo predial a primeira inscrição de aquisição do referido prédio. Vai conforme ao original na parte fotocopiada não havendo na parte omitida nada que amplie restrinja, modifique ou condicione a parte fotocopiada. Leiria vinte e cinco de Janeiro de dois mil e dez A Funcionária, (Assinatura ilegível)

CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DA NOTÁRIA ANA PAULA PINTO ALVES CERTIDÃO Nos termos do artigo n.º 100º do Código do Notarial, CERTIFICO, PARA EFEITOS DE PUBLICAÇÃO, que por escritura lavrada no dia vinte de Janeiro de dois mil e dez, exarada a folhas uma verso e seguinte do livro de notas para escrituras diversas número Oitenta-A, deste Cartório Notarial, sito na Avenida Heróis do Ultramar, Galerias Jerónimo, Loja treze, na cidade de Pombal, a cargo da notária, Ana Paula Pinto Alves, os outorgantes: AMÉRICO DOS SANTOS NORTE, contribuinte número 147 972 450, e mulher, MARIA DE JESUS, contribuinte número 147 972 434, casados sob o regime da comunhão geral de bens, como declararam, naturais, ele da freguesia de Milagres, concelho de Leiria e ela da freguesia de Vermoil, concelho de Pombal, residentes na Rua dos Nortes, n.º 260, freguesia de Bidoeira de Cima, concelho de Leiria, declararam: Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores dos seguintes bens: BENS SITUADOS NA FREGUESIA DE MILAGRES, CONCELHO DE LEIRIA: UM – Três quartas partes, únicas partes que possuem, o que declaram sob sua inteira responsabilidade, do prédio rústico, sito em Volta, composto de terra de semeadura com oliveiras, com a área de seiscentos e cinquenta metros quadrados, a confrontar de norte com caminho, de sul com Manuel dos Santos Norte, de nascente com caminho, de poente com Manuel dos Santos Norte, inscrito na respectiva matriz, na proporção de uma quarta parte, em nome de Maria Joaquina Camarneira, sob o artigo número 4132, ainda por descrever na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria. Que em relação a duas quartas partes do indicado bem possuem título válido de aquisição, pelo que agora apenas justificam o direito de propriedade em relação a uma quarta parte do mesmo. DOIS – Duas sétimas partes, únicas partes que possuem, o que declaram sob sua inteira responsabilidade, do prédio rústico, sito em Moita Coelho, composto de terra de semeadura, com a área de mil oitocentos e vinte metros quadrados, a confrontar de norte com Alfredo Agostinho, de sul com Manuel Gaspar, de nascente com ribeiro e de poente com Luís Sousa Gago, inscrito na respectiva matriz, na proporção de uma sétima parte para cada um, em nome de Manuel da Fonseca e de Manuel dos Santos Norte da Volta, sob o artigo número 4226, ainda por descrever na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria. Quem em relação a um catorze avos do indicado bem possuem título válido de aquisição, pelo que agora apenas justificam o direito de propriedade em relação a três catorze avos do mesmo. TRÊS – Prédio rústico, sito em Pocinhos, composto de pinhal, com a área de novecentos e sessenta metros quadrados, a confrontar de norte com caminho, de sul com Manuel Norte do Arneiro, de nascente com António da Costa Passadouro e de Poente com Manuel Norte do Arneiro inscrito na respectiva matriz, em nome de José Pereira Bom, sob o artigo número 3927, ainda por descrever na Segunda Conservatória de Registo Predial de Leiria. Que entraram na posse dos identificados bens, em datas que já não sabem precisar mas que se situam, em relação à mencionada quarta parte do bem da verba número um, por volta do ano de mil novecentos e sessenta, através de uma compra meramente verbal que dela ajustaram fazer à referida Maria Joaquina Camarneira, viúva, residente que foi em Bidoeira de Cima, freguesia de Milagres, concelho de Leiria; em relação aos referidos três catorze avos do bem da verba número dois, uma sétima parte por volta do ano de mil novecentos e oitenta e dois, através de uma compra meramente verbal que dela ajustaram fazer ao referido Manuel da Fonseca, viúvo, residente que foi na Rua de santo António, n.º 246, freguesia de Bidoeira de Cima, concelho de Leiria e os restantes um catorze avos por volta do ano de mil novecentos e oitenta e três, através de uma compra meramente verbal que deles ajustaram fazer a Carlos dos Santos Norte e mulher, Amélia de Jesus e Silva Norte, residentes que foram em Lourais, freguesia de Colmeias, concelho de Leiria, os quais, por sua vez, os tinham adquirido, por volta do ano de mil novecentos e oitenta e dois, através de uma partilha que, com os demais interessados, ajustaram fazer dos bens deixados por óbito do referido Manuel dos Santos Norte da Volta; em relação ao bem da verba número três, por volta do ano de mil novecentos e oitenta, através de uma compra meramente verbal que dele ajustaram fazer ao referido José Pereira Bom, viúvo, residente que foi em Trutas, Marinha Grande; compras e partilha essas que não lhes foi nem é agora possível titular por escritura pública. Desde as mencionadas datas tomaram a posse efectiva dos aludidos bens, nas indicadas proporções, tendo vindo desde então, nos das verbas um e dois, com os restantes possuidores, a gozar de todas as utilidades por eles proporcionadas, nelas praticando os actos materiais de fruição e conservação correspondente ao direito de propriedade, designadamente, cultivando-os e colhendo os seus frutos, vendendo árvores para corte, limpando o mato e avivando as estremas, tudo na convicção plena que sempre tiveram e têm de ser de facto proprietários, nas indicadas proporções. Todos estes actos de posse e de composse foram, como se disse, praticados pelos justificantes, em nome próprio e pessoalmente, durante mais de vinte anos, sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento e o acatamento de toda a gente da região, sendo por isso uma posse pacífica, contínua e pública, que conduz á aquisição por usucapião, que expressamente invocam, não tendo os justificantes, dado o modo de aquisição, documentos que lhes permitam fazer a prova do seu direito de propriedade plena, nas indicadas proporções, pelos meios extrajudiciais normais. Pombal, vinte de Janeiro de dois mil e dez, A Notária, (Ana Paula Pinto Alves)

WWW.OMENSAGEIRO.COM.PT JOGOS | Nº 04/2010 (Confirme em www.jogossantacasa.pt) Euromilhões: 4, 22, 27, 36, 44 + 7,9 Totoloto: 5, 7, 24, 26, 33, 38 + 8 Loto2: 7, 24, 26, 32, 33, 35 + 12 Joker: 7 8 6 7 4 9 4 Totobola: 222 211 12X 12X2 FÁRMÁCIAS DE SERVIÇO Tomás (dia 27), Higiene (dia 28), Lino (dia 29), Lis (dia 30), Oliveira (dia 1 de Fevereiro), Sanches (dia 2), Tomás (dia 3).

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244

816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Pedro Jerónimo (CP7104), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade Pedro Viva (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição CORAZE - Oliveira de Azeméis - Tel: 256 600 580 / Fax: 256 600 589 - E-mail: grafica@coraze.com Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2009 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 28.Janeiro.2010

As equipas feminina e masculina da Juventude Vidigalense (JV) conquistaram o 2.º e 3.º lugar, respectivamente, no nacional de juniores, conseguindo, assim, colocar ambas as equipas no pódio. Um feito só ao alcance do clube leiriense e do Benfica (campeão e vice-campeão nacional, em femininos e masculinos). “A formação feminina, composta maioritariamente por atletas do escalão de juvenis, arrasou”, pode ler-se na página do clube, na Internet. Para além de deixar antever um futuro risonho para o sector feminino da JV, mantendo, assim, a tradição dos últimos anos, em que tem sido mais forte, o clube recorda que as suas atletas apenas perderam para “a muito reforçada equipa do Benfica”. Na prova, que decorreu em Pombal, dias 23 e 24 de Janeiro, destaque para o títulos de Luís Ferreira, campeão nacional no salto com vara, e os de vicecampeão, de Ana Alves (1.500 metros planos) e Anïs Baptista (triplo salto). Sarah recorde nacional Entretanto, Sarah Dias foi um dos destaques do Triatlo Técnico Jovem das Beiras, ao vencer a competição – escalão de iniciados – e estabelecer novo recorde nacional, que já detinha (1908 pontos, mais 29 pontos que o anterior). A atleta da JV, em representação da selecção da Associação Distrital de Atletismo de Leiria, viu ainda Daniela Jorge (infantis) e Miguel Carreira (iniciados), seus colegas de clube, sagrarem-se igualmente campeões nacionais, numa competição que decorreu em Espinho, dia 23. Para além dos títulos individuais, registe-se o 2.º lugar da ADAL, que terminou atrás da sua congénere de Coimbra (mais 258 pontos). Recorde de participantes à vista Oitenta e duas equipas (47 masculinas e 33 femininas) são esperadas na fase de apuramento do nacional de clubes de pista coberta, que irá decorrer em Espinho e Pombal, nos dias 29 e 30. São mais 16 equipas (sete masculinas e nove femininas) que na última época, entre as quais se destacam as nove representantes do distrito de Leiria: AA Pombal (masculina), ACDR Arneirense (feminina), CA Marinha Grande (masculina e feminina), JV (masculina e feminina), CB Alcobaça (masculina) e AC Vermoil (masculina e feminina).

liga vitalis

liga sagres

I LIGA

II LIGA

Dois golos europeus Mas nem só de competições distritais e nacionais se faz o percurso desportivo de Joel Domingues – iniciou-se no G.A.U. Bajouca (Leiria) e passou ainda por S.L Mari-

fed. portuguesa futebol zona centro

II DIVISÃO

16.ª Jornada (24.01) Marinhense x Tourizense (0-1),

16.ª Jornada (17.01) Académica x Sp. Braga (0-2),V.

16.ª Jornada (17.01) Penafiel x Gil Vicente (0-0),

Guimarães x V. Setúbal (2-2), Marítimo x Benfica (0-5), Rio Ave x U. Leiria (0-2), Belenenses x Leixões (1-3), Olhanense x Naval (1-0), Sporting x Nacional (3-2), Porto x P. Ferreira (1-1)

Oliveirense x Varzim (3-0), Portimonense x Estoril (2-1), Feirense x D. Chaves (1-0), Sp. Covilhã x Beira-Mar (2-2), D. Aves x Freamunde (1-2), Carregado x Trofense (2-3), Fátima x Santa Clara (2-5) Equipa J V E D Pts 1.º Beira-Mar 16 9 3 4 30 2.º Santa Clara 16 7 8 1 29 3.º Portimonense 16 8 5 3 29 4.º Feirense 16 7 5 4 26 5.º Trofense 16 6 4 6 22 6.º D. Chaves 16 5 6 5 21 7.º Fátima 15 5 6 4 21 8.º Gil Vicente 16 5 6 5 21 9.º Oliveirense 15 5 5 5 20 10.º Estoril 16 4 8 4 20 11.º Freamunde 16 5 5 6 20 12.º D. Aves 16 3 9 4 18 13.º Sp. Covilhã 15 4 4 7 17 14.º Penafiel 16 2 8 6 14 15.º Varzim 15 2 8 5 14 16.º Carregado 16 2 4 10 10

Ac.Viseu x U. Serra (2-2), Pampilhosa x Esmoriz (4-0), Monsanto x Eléctrico (0-2), Praiense x V. Pico (1-1), Arouca x Tondela (1-1), Operário x Sertanense (1-2), Mafra x Ol. Bairro (3-2)

17.ª Jornada (31.01) Benfica x V. Guimarães, P.

17.ª Jornada (31.01) D. Chaves x D. Aves, Trofense

17.ª Jornada (31.01) Ol. Bairro x Marinhense,

Ferreira x Académica, Sp. Braga x Sporting, U. Leiria x Olhanense, Nacional x Porto, Naval x Belenenses, Leixões x Marítimo,V. Setúbal x Rio Ave

x Fátima, Freamunde x Sp. Covilhã, Gil Vicente x Carregado, Santa Clara x Penafiel, Estoril x Oliveirense,Varzim x Feirense, Beira-Mar x Portimonense

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Sp. Braga Benfica Porto Sporting Nacional U. Leiria V. Guimarães Rio Ave Marítimo P. Ferreira Académica Naval Olhanense Leixões V. Setúbal Belenenses

J 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16

V 12 12 10 7 7 6 6 4 5 3 4 4 2 3 3 1

E D Pts 3 1 39 3 1 39 3 3 33 6 3 27 3 6 24 5 5 23 5 5 23 7 5 19 4 7 19 7 6 16 4 8 16 3 9 15 8 7 14 5 8 14 4 9 13 8 7 11

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Tourizense Pampilhosa Esmoriz Tondela Operário Arouca Praiense Mafra Sertanense U. Serra Marinhense Monsanto Ac.Viseu Eléctrico Ol. Bairro V. Pico

J 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16

V 9 9 8 8 7 6 6 6 5 5 5 4 5 4 3 3

E D Pts 4 3 31 4 3 31 3 5 27 3 5 27 3 6 24 5 5 23 5 5 23 4 6 22 5 6 20 5 5 20 4 7 19 7 5 19 4 7 19 5 7 17 5 8 14 4 9 13

Tourizense x Ac.Viseu, U. Serra x Pampilhosa, Esmoriz x Monsanto, Eléctrico x Praiense,V. Pico x Arouca, Tondela x Operário, Sertanense x Mafra

Goleadores ‘não se medem aos palmos’ Pedro Jerónimo

DR

Vidigalenses fazem o pleno

Considera-se “um ´rato´ de área” e admira os avançados Saviola (Benfica) e Miccoli (Palermo). Tem em comum, respectivamente com o argentino e o italiano, as ligações ao clube ‘encarnado’, a posição que ocupa em campo e a baixa estatura. Chama-se Joel Domingues, representa o Guiense, e comanda a lista de melhores marcadores da divisão de Honra da Associação de Futebol de Leiria (AFL), com 13 golos. Tem ‘faro’ para o golo, ainda que os seus 1,68 metros de altura não o fizesse prever. “Tento procurar os espaços, para tentar compensar a falta de uma estrutura, mais possante, que normalmente se exige a um avançado”, comenta o atleta, de 27 anos, a residir na freguesia de Souto da Carpalhosa, Leiria. Ao todo já contabiliza, esta época, 17 golos, quatro dos quais na Taça Distrito. E até já marcou dois de cabeça. “Os golos são fruto de um trabalho de equipa”, refere. E é precisamente para o Guiense que aponta os principais objectivos de 2009/10: terminar num dos primeiros lugares da Honra da AFL e chegar à final da Taça Distrito. A título pessoal, espera manter-se na frente dos melhores marcadores.

Joel Domingues é o melhor marcador da Honra da AFL nha (Marinha Grande), Sp. Pombal, Meirinhas (Pombal), Casal Novo/Monte Redondo e Bidoeirense (Leiria). Representou o Instituto Politécnico de Leira no Campeonato Europeu Universitário, onde apontou dois golos, em quatro jogos. “Foi uma experiência muito enriquecedora. Os resultados não foram muito positivos [12.º e penúltimo lugar], mas dignificamos Portugal, especialmente fora do campo”, recorda.

Pequenos ‘reis’ do golo Messi e Saviola podem vir a formar a dupla de avançados da Argentina, no Campeonato do Mundo da África do Sul. Em comum, para além da nacionalidade, a altura e a apetência para os golos. Dois exemplos aos quais Joel Domingues junta o italiano Miccoli – jogou no seu clube preferido, o Benfica, de quem é olheiro – , de “jogadores que provaram que a sua baixa estatura não os condiciona”, como, aliás, se pode aferir pelos clubes que representam e os campeonatos onde jogam. Mas há mais exemplos, por essa Europa fora. Deixamos os nomes de alguns dos melhores marcadores dos campeonatos português, espanhol, italiano e inglês, todos eles a fazerem jus ao ditado que diz que ‘os homens não se medem aos palmos’.

‘Piscar’ de olhos à União A III Divisão foi o escalão mais elevado onde já jogou enquanto sénior, porém, não deixa de pensar noutros ‘voos’. “Uma coisa que gostava de experimentar era fazer uma pré-época com o plantel da U. Leiria para verificar as diferenças de intensidade de treino e ritmo que existe entre uma equipa profissional e uma amadora”, confessou, recentemente, ao Diário de Leiria. Pedro Jerónimo pj@omensageiro.com.pt

Leonel Messi (Barcelona) 22 anos, 1,69 metros 15 golos (1.º na Liga Espanhola). Jermain Defoe (Tottenham) 27 anos, 1,70 metros 14 golos (1.º na Premier Legue, Inglaterra). Antonio Di Natale (Udinese) 32 anos, 1,70 metros 13 golos (1.º na Série A, Itália). Javier Saviola (Benfica) 28 anos, 1,69 metros 9 golos (3.º na I Liga, Portugal). Fabrizio Miccoli (Palermo) 30 anos, 1,68 metros 6 golos (6.º na Série A, Itália) (Fonte: zerozero.net)

fed. portuguesa futebol

III DIVISÃO série D 15.ª Jornada (24.01) Penamacorense x Sourense (1-1),

B.C. Branco x Sp. Pombal (1-1),V. Mocidade x Gândara (2-3), Tocha x F. Algodres (1-2), Anadia x Nelas (4-1), Mangualde x Alcains (0-0)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Sourense Anadia Sp. Pombal F. Algodres Gândara Magualde B.C. Branco Tocha V. Mocidade Alcains Penamacorense Nelas

J 15 15 15 15 15 15 15 15 15 15 15 15

V 8 8 8 8 7 6 5 5 4 2 1 1

E D Pts 7 0 31 4 3 28 4 3 28 4 3 28 5 3 26 3 6 21 6 4 21 4 6 19 3 8 15 4 9 10 7 7 10 3 11 6

16.ª Jornada (31.01) Sp. Pombal x Sourense, Gândara

x B.C. Branco, F. Algodres x V. Mocidade, Nelas x Tocha, Alcains x Anadia, Mangualde x Penamacorense

série

E

15.ª Jornada (24.01) Peniche x Sintrense (2-0),

Portomosense x Alcochetense (0-0), Oeiras x Casa Pia (1-1), Tojal x Caldas (2-0), Torreense x Ol. Moscavide (2-0), 1.º Dezembro x Gavionenses (6-0) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Casa Pia Torreense 1. Dezembro Alcochetense Peniche Tojal Oeiras Sintrense Caldas Portomosense Gavionenses Ol. Moscavide

J 15 15 15 15 15 15 15 15 15 15 15 15

V 10 10 7 7 6 7 5 5 4 2 2 1

E D Pts 4 1 34 3 2 33 5 4 26 3 5 24 5 4 23 2 6 23 7 3 22 2 8 17 3 8 15 8 5 14 3 10 9 3 11 6

16.ª Jornada (31.01) Alcochetense x Sintrense, Casa

Pia x Portomosense, Caldas x Oeiras, Ol. Moscavide x Tojal, Gavionenses x Torreense, 1.º Dezembro x Peniche

ass. futebol de leiria

HONRA

15.ª Jornada (24.01) Gaeirense x Marrazes (0-1),

Pilado x Beneditense (2-2), Pedroguense x Valcovense (3-1), Guiense x Ansião (1-0), Outeirense x Nazarenos (0-2), Bombarralense x Pataiense (4-2), Meirinhas x Alcobaça (1-4), Alq. Serra x Fig.Vinhos (3-0) Equipa J V E D Pts 1.º Bombarralense 15 14 1 0 43 2.º Guiense 15 11 2 2 35 3.º Alcobaça 15 8 5 2 29 4.º Alq. Serra 14 8 3 3 27 5.º Nazarenos 15 7 2 6 23 6.º Valcovense 15 6 4 5 22 7.º Pataiense 14 7 0 7 21 8.º Pedroguense 15 6 3 6 21 9.º Gaeirense 15 5 4 6 19 10.º Beneditense 15 5 3 7 18 11.º Marrazes 15 2 9 4 15 12.º Meirinhas 15 4 3 8 15 13.º Outeirense 15 4 2 9 14 14.º Fig.Vinhos 15 3 3 9 12 15.º Ansião 15 1 6 8 9 16.º Pilado 15 1 4 10 7 16.ª Jornada (31.01) Meirinhas x Alq. Serra,

Bombarralense x Alcobaça, Outeirense x Pataiense, Guiense x Nazarenos, Pedroguense x Ansião, Pilado x Valcovense, Gaeirense x Beneditense, Marrazes x Fig.Vinhos


Deus segreda-nos nos nossos prazeres, fala connosco na nossa consciência, mas grita-nos nas nossas dores: são o Seu megafone para acordar um mundo surdo

ÚLTIMA 28JANEIRO2010

C. S. Lewis, escritor irlandês (1898-1963)

Visita Pastoral à Diocese Entrevista ao padre Manuel Santos Lopes, pároco de Gondemaria e Cercal

“Verdadeiro tempo de graça”

Como se preparou a comunidade para receber o Bispo? A Visita Pastoral às

Qual foi o critério na elaboração do programa? O programa da Visita Pastoral foi elaborado pelos diversos movimentos das paróquias e, por fim,

sujeito à aprovação do Bispo. De forma geral, como decorreu a visita? A Visita Pastoral às paróquias excedeu todas as expectativas. De facto, a participação e o entusiasmo das pessoas na recepção ao Bispo surpreendeume, tanto mais que parte da Visita Pastoral foi feita durante a semana, portanto, em dias de trabalho. Houve algum momento especial que queira destacar? Os momentos especiais da Visita Pastoral ocorreram no sábado e no domingo, pois a Eucaristia e os encontros realizados contaram com uma afluência muito significativa das crianças, jovens e adultos.

Fotos: DR

Que pensa desta iniciativa do Bispo diocesano de fazer uma visita pastoral a todas as paróquias? Considero que a Visita Pastoral que está em curso na Diocese é uma iniciativa louvável e, em particular, necessária fundamentalmente para toda a comunidade paroquial.

paróquias da Gondemaria e do Cercal foi anunciada com alguma antecedência. Além disso, fez-se a distribuição para crianças, jovens e adultos de pagelas alusivas à Visita Pastoral e o convite à oração para que, efectivamente, a presença do Bispo nas comunidades se tornasse um “verdadeiro tempo de graça e momento especial para o encontro e o diálogo do Bispo com os fiéis”. Mais tarde, espalharam-se catálogos em diversos locais das paróquias, de forma a sensibilizar as pessoas para este grande acontecimento, de carácter espiritual e pastoral.

Qual a principal mensagem ou marca deixada por D. António Marto? O que de mais importante se registou da passagem do nosso Bispo pelas paróquias terá sido a Palavra de Deus, que, de forma convicta e cativante, nos confiou.

Na oportunidade, não deixámos de o registar e agradecer publicamente. Quais as expectativas criadas a partir da Visita Pastoral? Foi já definida alguma prioridade pastoral ou tomada alguma decisão em ordem à renovação da

dinâmica paroquial? Para já, é demasiado prematuro anteciparmos quaisquer resultados da Visita Pastoral, uma vez que ainda não nos reunimos com os diversos movimentos apostólicos das paróquias.

AVISO

Estimado assinante Donativos e informações

Seminário Diocesano • 2414-011 Leiria Tel. 244832760 • Fax 244821102 email: sdl.reitoria@mail.telepac.pt NIB: 0018 0000 03669452001 72

LMFerraz

(Se pretender recibo para IRS, envie email com nome, morada e NIF)

Iniciaremos em breve o processo de cobranças de assinaturas relativas a 2009. Caso ainda não o tenha feito, regularize o seu pagamento, evitando-nos os custos com as taxas dos CTT. Ficar-lhe-emos muito gratos! A administração

4794#OMENSAGEIRO#28JAN  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição de 28 de Janeiro de 2010 (N.º 4794).