Page 1

CAMPANHA

12 NOVEMBRO 2009 ANO 96 - N.º 4783 FUNDADOR José Ferreira Lacerda DIRECTOR Rui Ribeiro

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

|Página 3

PRIORITY

Nº DE2703206MPC

DESTAQUE

SEMANA DOS SEMINÁRIOS • 8 A 15 DE NOVEMBRO A Igreja está a celebrar mais uma Semana dos Seminários. Uma ocasião para pensar nesta instituição que, sendo religiosa, é também um valioso contributo à sociedade. Nesta edição deixamos um modesto contributo para essa reflexão. Páginas 2 e 3

Rui Ribeiro

O I R Á N SEMI UE

Q A R V A L PA A I V N E E CHAMA CULTURA

SOCIEDADE

EVENTO ECLESIAL

Iniciativa do Orfeão de Leiria

Câmara de Leiria

Encontros “Em Rede...”

Prémios na Marinha Grande

Valorlis e Simlis distinguidas

Concerto de solidariedade

Guitarra protagoniza ciclo de Concertos de Outono | P. 5 “Colecção de Puzzles” revela património | P. 5

Novo executivo cumpre promessa de reduzir taxas | P. 6

Chuva “abençoou” festa de S. Nuno de Santa Maria

D. António Marto propõe itinerário formativo a jovens | P. 9

Prémios de qualidade Espectáculo “Dar cor de serviço em águas à vida” em Leiria, pela e resíduos | P. 7 Missão no Sumbe | P. 10

MILHARES DE ESCUTEIROS VIERAM À BATALHA CELEBRAR O PATRONO | Última


2 DESTAQUE

O Mensageiro

12.Novembro.2009

editorial

Semana dos Seminários 8 a 15 de Novembro

Mais que uma casa, uma escola de formação

“Seminário palavra que chama e envia”

Rui Ribeiro A educação é um dos sectores que mais deve merecer a nossa atenção. Politicamente os partidos sabem que têm aqui um campo de trabalho, mas também uma aposta que pode dar votos. Todos nos damos conta da sua necessidade e urgência e por isso, este é um dos campos sensíveis na programação e nas propostas de qualquer programa eleitoral e governamental. Mas a educação não aborda apenas o sector escolar nem se reduz à apresentação mais ou menos aliciante de programas educativos. Ela tem que ver com a escola, é certo, com os professores, os programas e manuais escolares, os alunos e os pais ou encarregados de educação. Mas acima de tudo, ela tem que ver com a assimilação dos valores que podem moldar o indivíduo e a sociedade. Se são importantes as pedagogias educativas, não o são menos os ambientes e os contextos sociais em que o individuo se encontra. A educação é, por isso, transversal a todos os sectores da vida e atinge todos os indivíduos da sociedade. Os valores mais universais não podem ser de forma alguma ignorados ou relegados para segundo plano, em nome de tecnologias e metodologias que deveriam ser sempre meios e não fins. O contexto religioso que a Igreja Católica A Igreja celebra promove é um óptimo meio para que sejam mais uma vez ambiente inculcados e assimilados a semana dos esses valores, mais ainda, seminários. Um enriquecidos com a visão ocasião para cristã e transcendental da pensar nesta vida. Por isso, ao longo dos instituição anos, os Seminários foram que sendo verdadeiros espaços de culreligiosa deu, tura, formação e educação de e continua a muitas gerações. Inicialmente dar, um valioso criados para cuidar da prepapróxima dos candidatos contributo à ração ao sacerdócio, eles foram versociedade. dadeiras escolas de educação e formação de muita gente que não seguiu o caminho do sacerdócio. Foram muitos os que ali encontraram um espaço para crescer como indivíduos, e como cristãos. Quer aceitemos quer não, a sociedade deve-lhes muito. Nos últimos anos, porém, a generalização do ensino criou outros espaços que pouco a pouco foram substituindo os seminários, não sem o aliciante da facilidade e da menor rigidez. Pouco a pouco, eles foram-se especializando na formação específica dos candidatos ao sacerdócio. Inevitavelmente assistimos à redução do número daqueles que os frequentam e a verdade é que, também por essa razão, fomos assistindo ao aumento de verdadeiras faltas de educação, algumas que chegaram mesmo a ser atentados à sã convivência. A Igreja celebra mais uma vez a semana dos seminários. Um ocasião para pensar nesta instituição que sendo religiosa deu, e continua a dar, um valioso contributo à sociedade. Por isso todos deveríamos prestar maior atenção à reflexão e aos desafios que estas semanas lançam. O Mensageiro quer estar atento e por isso nesta edição deixamos umas breves linhas sobre a semana dos seminários que estamos a viver e que terminará no próximo domingo. Que este modesto contributo possa ajudar a ter em consideração esta instituição que é mais do que aparentemente julgamos.

DR

prui@iol.pt

Mensagem da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios

Presença e Esperança 1. Temos seminários em quase todas as dioceses de Portugal e em muitos dos institutos religiosos. Os seminários são instituições que inscrevem no chão sagrado dos seus edifícios as marcas do tempo e da história e elevam nos traços que exteriormente os identificam os sinais da presença da Igreja. Alguns destes seminários trazem consigo a memória viva de muitos séculos; outros mais recentes afirmam-se nos primeiros passos que agora começam a dar. Recebi há dias um belo texto com o título: Padres Jovens de Hoje. Assim se apresenta, através do testemunho de vários padres jovens que ali consolidaram a vocação e dali partiram rumo à ordenação de presbíteros, um dos mais recentes seminários maiores de Portugal. Nesta nova fase, o Seminário Maior de S. Paulo de Almada, na Diocese de Setúbal, tem apenas dez anos de existência. O antigo convento dominicano, fundado em 1569, foi mais tarde, em 1935, Seminário do Patriarcado e desde 1999 é Seminário Maior da recém-criada Diocese de Setúbal. Nestes dez anos são já vários os sacerdotes que falam deste Seminário em jeito de testemunho e são outros tantos aqueles em quem o valor e a missão do seminário se revelam, como se o percurso de vocação e do ministério se identificasse com a casa onde viveram e sobretudo com a instituição que os formou. Os seminários existem para formar

sacerdotes da Igreja, como pastores segundo o Coração de Cristo, o bom Pastor. Permanecem instituições necessárias e no contexto presente da formação são mesmo insubstituíveis. Os seminários não são apenas as casas com mais ou menos história, com mais ou menos beleza. Os seminários são os alunos, os formadores e quantos ali trabalham, rezam e colaboram tantas vezes como beneméritos anónimos, discretos e activos. Os seminários são escolas ao modo da escola do Mestre onde se aprende a ser discípulo de Jesus e onde se preparam os apóstolos de hoje. Vemos surgir no nosso tempo paradigmas novos de formação sacerdotal e seminários com percursos específicos, centrados na comunhão eclesial e no acolhimento das orientações da Igreja. Sentimos que nesta necessária abertura ao Espírito, que é alma da Igreja, todos somos chamados a assumir os seminários e a formação dos novos sacerdotes como uma missão essencial da vida dos cristãos e das comunidades. 2. O Santo Padre Bento XVI convida-nos a viver este ano como Ano Sacerdotal, na evocação dos 150 anos da morte do Santo Cura d’Ars. Muitas das iniciativas pensadas e programadas para a vivência deste Ano Sacerdotal gravitam em torno do Seminário, daí nascem e daí se projectam em toda a Igreja, verdadeiro povo sacerdotal.

A fidelidade do sacerdote, aprendida e renovada diariamente na fidelidade de Cristo é não apenas o lema deste Ano Sacerdotal mas certamente uma das afirmações mais belas da Igreja e um dos testemunhos mais válidos a fazer surgir novas vocações e a ajudar a perseverança daqueles que se sentem chamados. O amor pelos seminários, expresso em gestos de oração, de afecto e de generosidade, afirma um belo testemunho de vida eclesial, constitui um sinal de gratidão pelo bem ali realizado, faz despertar a gratidão por quantos ali dedicadamente trabalham, torna presente diariamente os seminários na vida dos sacerdotes e abre os seminários às comunidades cristãs. O Ano Sacerdotal deve levar cada vez mais os sacerdotes aos seminários e deve aproximar os seminários das comunidades cristãs. É nesta comunhão e nesta proximidade que cada sacerdote se revigora e fortalece também e que as comunidades se apercebem do valor do seminário como presença e esperança no coração da Igreja. Esta Semana dos Seminários vivida em pleno Ano Sacerdotal tem certamente mais afirmado ainda este carisma vocacional para fazer despertar na Igreja, povo sacerdotal, vocações para a vida sacerdotal.

Continua »


DESTAQUE 3

O Mensageiro

12.Novembro.2009

3. O VI Simpósio do Clero de Portugal, aberto a todos os sacerdotes e seminaristas maiores, foi um momento de bênção neste Ano Sacerdotal. A participação de cerca de 1000 sacerdotes, o conteúdo das mensagens recebidas, o ambiente ali vivido, a partilha feita, a beleza litúrgica das celebrações e os tempos mais prolongados de oração imprimiram a este Simpósio um espírito de alegria, de comunhão e de esperança. Importa aproveitar esta Semana dos Seminários para inspirar deste ambiente, vivido no Simpósio, e da mensagem aí recebida os seminários e os presbitérios de Portugal. As Actas do Simpósio serão publicadas ainda antes da Semana dos Seminários e podem constituir um belo contributo para reflexões mais demoradas e aprofundadas em cada seminário. 4. A Comissão Episcopal Vocações e Ministérios escolheu como lema desta Semana dos Seminários: Palavra que chama e envia. A Palavra de Deus é a fonte inesgotável da vocação e alimento de vida para tantos jovens. Os seminários são tempo de escuta desta “palavra que chama e envia” e espaço onde ressoa a voz do Mestre. Na escuta atenta da Palavra de Deus, rezada, celebrada, vivida e testemunhada, e no acolhimento dócil da voz do Mestre sentimos que é Jesus que nos chama a segui-LO, como outrora aos primeiros discípulos, e nos envia a testemunhar com fidelidade e ousadia as razões da nossa esperança e a alegria da Boa Nova do Reino. Para nos ajudar neste caminho e nos incentivar neste propósito, a Equipa Formadora do Seminário Diocesano de Santa Joana Princesa, em Aveiro, a quem em nome da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios agradeço esta colaboração e este testemunho de comunhão, indica-nos alguns textos de oração e de reflexão para servirem os grupos de crianças e de jovens ou a comunidade cristã. Desejam estes textos relançar neste momento propício da Semana dos Seminários alguns desafios à criatividade pastoral de cada Seminário e de cada Comunidade cristã ou Movimento apostólico. Todos sabemos do interesse pastoral e do dinamismo apostólico que as Semanas dos Seminário em cada ano despertam na Igreja em Portugal. Demos graças a Deus por todo o bem realizado e por tanta generosidade e dedicação aos Seminários encontradas no coração das pessoas e das comunidades. 5. Que Nossa Senhora, Mãe de Deus e nossa Mãe, nos anime na fidelidade e nos fortaleça na alegria e na comunhão para que os seminários sejam cada vez mais uma presença de graça, de bênção e de santidade no coração das nossas dioceses e na formação dos nossos presbitérios e um sinal de esperança na renovação da Igreja. +António Francisco dos Santos, Bispo de Aveiro Presidente da CEVM

Acções nas dioceses

Factos e sonhos O nosso Seminário, neste momento, acolhe 8 seminaristas no Ano Propedêutico, que precede o Seminário Maior. Contudo, apenas um aluno é da Diocese de Leiria-Fátima, havendo mais 4 que se encontram no Seminário Maior, em Coimbra. Estes 8 que aqui residem provêem 4 de Évora; 1 de Leiria-Fátima; 3 de Coimbra. Existe também um precioso trabalho na área do Pré-Seminário que se destaca pelo acompanhamento de vários jovens e adolescentes que em ambiente familiar vão reflectindo a sua vocação e são acompanhados no discernimento vocacional. “O fruto deste trabalho vocacional leva tempo” mas “apostamos no progressivo e contínuo”. Pensado, nos anos 60, para 250 alunos, o Seminário de Leiria está a sofrer profundas obras de remodelação. As mudanças sociais e culturais da Europa atingem os seminários; nas últimas décadas começa a registar-se um declínio vocacional. O reitor do seminário de Leiria, Pe. Armindo Janeiro, realça que estas mudanças agora efectuadas trazem novos espaços e, em simultâneo, a “dinâmica da Grupo de actuais seminaristas diocese vai crescendo”. Para adaptar o edifício (na foto, em cima), entre os quais aos novos tempos, estão em curso obras in- António Cardoso (na foto, em baixo), ternas que “em nada alterarão a estrutura e a da paróquia de Albergaria dos Doze estética do edifício. Elas vão melhorar as suas condições de habitabilidade e adaptar os espaços a novas funções” - frisou o reitor. Com o crescimento dos serviços diocesanos e dos movimentos é necessário espaço. “Além da comunidade do Seminário, que dá nome ao edifício, ali funcionarão todos os dinamismos diocesanos. Esta é uma antiga aspiração... Por isso, podemos dizer que é um projecto da Diocese e para a Diocese, no seu serviço às comunidades cristãs e aos dinamismos sócio-culturais da região” - salientou o Pe. Armindo Janeiro. “De uma forma sustentada, além de melhorar os espaços comuns, a remodelação procura instalar adequadamente quatro valências: a Comunidade do Seminário; a Casa de Retiros/Formação; a Residência Sacerdotal e o Centro Pastoral, com espaços para a Vigararia Geral, o Economato Diocesano; a Câmara e o Tribunal eclesiástico, os departamentos e comissões diocesanos, e duas dúzias e meia de Movimentos e Associações” - esclareceu o reitor do seminário. Concluída uma primeira fase de obras, que dotou o edifício de um espaço para o funcionamento normal do seminário com quartos e salas de aulas para os alunos, além da casa de retiros. Fazendo face às despesas inerentes a estas obras, a Diocese tem-se mobilizado de forma muito generosa. Uma última palavra concretiza-se num pedido: vamos mobilizar as nossas orações para que os nossos jovens escutem o chamamento de Deus. Servir a Deus e à Igreja no Sacerdócio, enquanto resposta à vontade de Deus, é uma opção de vida que nos torna verdadeiramente felizes no caminho da vontade do Senhor, no serviço a Deus e a toda a humanidade de uma forma plena e que dificilmente poderá ser conseguida noutra forma de vida. Contamos com a colaboração de toda a Diocese, e com cada uma das paróquias e comunidades, para a construção de um Seminário que chame e envie sacerdotes para a nossa Igreja Diocesana. Texto e Fotos Rui Ribeiro CAMPANHA

Donativos e informações Seminário Diocesano • 2414-011 Leiria Tel. 244832760 • Fax 244821102 email: sdl.reitoria@mail.telepac.pt NIB: 0018 0000 03669452001 72 (Se pretender recibo para IRS, envie email com nome, morada e NIF)

Na recta final da Semana dos Seminários (9 a 16 de Novembro), as dioceses portuguesas olham para a sementeira vocacional e lançam propostas. A Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios distribuiu por todas as comunidades cristãs do país um guião pastoral em ordem a ajudar a reflexão, a oração e a celebração que esses dias propiciam e promovem. Para além destes subsídios, as dioceses colocaram em prática outras iniciativas que visam despertar a caminhada vocacional. Algarve O Secretariado da Pastoral Vocacional da Diocese do Algarve iniciou a sua presença na Internet. O padre Pedro Manuel, explica que novo espaço, www.vocalgarv e.blogspot.com, “foi concebido para acolher testemunhos, inquietações” e “acima de tudo” para a “partilha de vida”. Coimbra No contexto da Semana dos Seminários, terá lugar no Seminário Maior de Coimbra, no próximo dia 13, às 21h30, uma Vigília de Oração. Funchal No Funchal, estão previstas várias iniciativas para assinalar a Semana dos Seminários: encontro vocacional do PréSeminário (8 de Novembro); Eucaristias em diferentes paróquias e, no dia 16, encontro da equipa formadora, pais e seminaristas no Seminário de Nossa Senhora de Fátima. Guarda D. Manuel Felício, Bispo da Guarda, escreveu à igreja diocesana convidando todos a rezar e “a quem pareça reunir condições, fazer o convite directo para fazer o seu encaminhamento para algum dos nossos Seminários ou Pré-Seminário”. Na Guarda, o ofertório das eucaristias no dia 16 de Novembro reverte a favor do Seminário Diocesano. Leiria-Fátima O ofertório das missas dominicais da diocese de Leiria-Fátima será para a manutenção do Seminário. O Pe. Armindo Janeiro, Reitor do Seminário, sugere que em cada “centro de culto” enquanto durarem as obras do Seminário se organize, anualmente, uma festa de angariação de fundos, com dois momentos: “um tempo de oração pelas vocações e um convívio da comunidade cuja receita reverta a favor das obras do seminário” Lisboa Em Lisboa, os seminários da Diocese vão abrir as suas portas, no dia 16 de Novembro. Penafirme, Caparide, Olivais e Redemptoris Mater vão organizar, em conjunto, uma tarde de reflexão e oração no Seminário dos Olivais, com a presença do Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo. Évora O Instituto Superior de Teologia de Évora – ISTE – assinala o seu dia a 15 de Novembro. Haverá uma celebração no Seminário integrada na semana de oração pelos Seminários e dia 23 deste mês será ordenado o diácono Ricardo Cardoso. Porto D. Manuel Clemente, bispo do Porto pede que, nesta semana em todas as paróquias se reze diariamente pelos seminários. Entretanto, a apresentação do Seminário está agendada para o dia 6 de Dezembro.


4 CULTURA

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Dia 14 estreia na Marinha Grande

“Palco Assalto!”

EXPOSIÇÕES

O “Palco Assalto!” estreia no próximo dia 14 de Novembro, no Sport Operário Marinhense, com a presença de Nuno Rancho. Esta iniciativa visa criar uma nova forma de proximidade entre o público e o artista. Pretende ser um

DR

Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) • FAMA | musical | de Kevin Tancharoen | c/ Kelsey Grammer, Megan Mullally, Kay Panabaker | 14 a 18 de Novembro, 21h30; dias 14 e 15, 15h30 Teatro Miguel Franco (Leiria) • O NOVO NAMORADO DA MINHA MÃE | comédia | de George Gallo | c/ Antonio Banderas, Meg Ryan, Colin Hanks | 12 e 13 de Novembro, 21h30 • ABRAÇOS DESFEITOS | drama | de Pedro Almodóvar | c/ Penélope Cruz, Rubén Ochandiano, Blanca Portillo | 12 e 13 de Novembro, 21h30 Cine-Teatro de Monte Real • FORÇA-G | animação | de Hoyt Yeatman | 13 e 14 de Novembro, 21h30; dia 15, 15h30 Auditório Municipal da Batalha • MICHAEL JACKSON – THIS IS IT | documentário | de Kenny Ortega | 13 a 16 de Novembro, 21h30 Cine-Teatro Actor Álvaro (Vieira de Leiria) • PARA A MINHA IRMÃ | drama | de Nick Cassavetes | c/ Cameron Diaz, Alec Baldwin, Abigail Breslin, Joan Cusack | 15 de Novembro, 21h00 Cine-Teatro da Nazaré • CHÉRI | romance | de Stephen Frears | c/ Felicity Jones, Rupert Friend, Michelle Pfeiffer, Kathy Bates | 12 a 15 de Novembro, 21h45 Cine-Teatro de Ourém • PUSH: OS PODEROSOS | acção | de Paul McGuigan | c/ Colin Ford, Joel Gretsch, Djimon Hounsou, Dakota Fanning, Brandon Rhea | 13 e 14 de Novembro, 21h30

Galeria Mouzinho de Albuquerque

Aguarelas de Artur Franco na Batalha A galeria Mouzinho de Albuquerque, na Batalha, recebe, de 7 a 29 de Novembro, a exposição “Aguarelas de Artur Franco” (diariamente, das 14h00 às 17h30). Já com dezenas de exposições efectuadas em Portugal e no estrangeiro, este pintor leirienses apresenta-se cada vez mais realista, com um traço genuíno na técnica da aguarela que marca a sua pintura. Paisagens, gentes e monumentos são os principais temas que retrata nos seus trabalhos, neste caso, muitos deles relacionados com a vila heróica e o seu Mosteiro.

processo de conhecimento e exploração, uma interacção de ambiente descontraído entre um grupo de pessoas que encontra na música um interesse comum. A música, as conversas e a boa-disposição serão as forças principais

que irão impulsionar o projecto. A sessão é dirigida por um apresentador que vai convidar os artistas a falarem daquilo que os move, criando um cenário onde público e artista ficam lado a lado num palco preparado para a ocasião.

Porto de Mós

Concurso de Presépios em Porto de Mós Até ao dia 17 de Dezembro de 2009 podem ser entregues no “Espaço Jovem_ Jardim Municipal de Porto de Mós”, às construções natalícias que vão concorrer à décima nona edição do concurso de presépios. À semelhança de anos anteriores, após classificação dos premiados, seguir-se-á uma exposição onde poderão ser vistos os melhores trabalhos a concurso, que estará patente ao público de 22 de Dezembro de 2009 a 23 de Janeiro de 2010.

na nossa estante

A guerra e a sociedade na idade média Actas das VI Jornadas Luso-Espanholas de Estudos Medievais Edição SPEM Nesta obra, em dois volumes, tomam corpo as conferências e comunicações apresentadas nas VI Jornadas Luso-Espanholas de Estudos Medievais, de 6 a 8 de Novembro de 2008. No seu todo, esta será a memória futura, a imperecível memória, do encontro científico que se corporizou nestas Jornadas, que a Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais e a Sociedade Española de Estúdios Medievais decidiram realizar, de quatro em quatro anos, rotativamente em Espanha e Portugal, para fortalecerem as relações científicas e humanas entre os medievalistas dos dois países. Esta VI edição decorreu no Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, em S. Jorge, e nos Mosteiros de Alcobaça e da Batalha, contando com a parceria das respectivas autarquias e diversas outras entidades públicas e privadas. O tema central foi “A Guerra e a Sociedade na Idade Média”, repartido por quatro secções de trabalho: “A guerra em acto. Aljubarrota em debate”; “No rasto da guerra”; “Negociar e manter a paz”; e “Memórias e Celebrações”. Nos trabalhos agora publicados aparecem estes temas na sua interdisciplinaridade, convocando o direito, a literatura, as expressões artísticas, entre tantos outros.

O Mago dos Macondes e outras histórias Lino da Silva

Presos Políticos de Castanheira de Pera - 1949 Kalidás Barreto

Folheto Edições & Design

Folheto Edições & Design

Os contos são passados, ora em Portugal, ora em Moçambique, mormente nas cidades. Estão centrados em temas morais combinando o trágico e o cómico, o possível e o impossível, o porquê da vida e o porquê da guerra e da morte. Numa palavra. Os grandes dramas humanos. A referência à guerra colonial é tema onde se põe a questão do porquê daquele inferno. Certos personagens rondam pelo cepticismo, pela confiança, pelo amor, pela rotina, até na guerra, pela aventura, pelo desespero, pelo calhas, pela vergonha, mas todos revelam que o autor dos mesmos possui uma observação lúcida e simultaneamente serena do ser humano. Gente como toda a gente com vidas extraordinárias na terra dos Homens.

Este livro serve para avivar as memórias esquecidas e ensinar os que julgam que a ditadura de Salazar foi um mito e que reclamam uma mão forte para endireitar este país doente. Esquecem ou não sabem, esses infelizes, que mais vale uma democracia com erros do que a paz podre de uma ditadura de vozes amordaçadas em que se pode pensar mas nunca exprimir o pensamento contrário. A história dos doze presos políticos ligados a Castanheira de Pera, simples trabalhadores, torturados brutalmente nas masmorras da polícia política de Salazar, pode ter sido esquecida por muita gente, mas nunca foi pelas famílias que sofreram a ausência dos maridos e as dificuldades de criar os filhos. Elas também sofreram na carne (e de que maneira) a injustiça praticada com a complacência das autoridades locais de então.

As destruições provocadas pelas Invasões Francesas em Leiria Ricardo Charters D’Azevedo

Bela, riquíssima e além disso… viúva Artur Agostinho

Folheto Edições & Design

Neste romance do famoso Artur Agostinho, a ficção e a realidade cruzam-se numa teia de acontecimentos que acabam por envolver o próprio autor, num curioso conflito com as personagens que criou e se transformam, por vezes, em figuras reais. É a história de uma jovem, nascida no Brasil, filha de pais portugueses, que se vê, de forma inesperada, na posse de uma grande fortuna e se casa com um ex-diplomata brasileiro que, pouco depois, morre misteriosamente. A partir daí tudo muda na vida de duas mulheres: Márcia, uma viúva riquíssima, e Solange, proprietária e directora de uma respeitável residência para jovens estudantes. Por fim, um crime que conduz à descoberta de um outro que, por estranho capricho do destino, não chegou, sequer, a acontecer.

Fome, saque, falta de trabalho, morte, epidemias, subida de preços, fuga da população, escassez de produtos são alguns dos termos utilizados por quem escreve sobre Invasões Francesas. Trata-se de apresentar a ruptura que as Invasões Francesas provocaram em relação ao período precedente associado ao desafogo e ao desenvolvimento económico dos finais do Século XVIII. Mas será mesmo assim? A leitura dos dados históricos, nomeadamente, do livro das Décimas Provinciais permite a elaboração de outras análises e o apontar de hipóteses paralelas. Neste estudo, bem documentado, os interessados pela História poderão encontrar preciosos dados para uma compreensão mais correcta dos efeitos das Invasões Francesas no caso concreto de Leiria.

Folheto Edições & Design


CULTURA 5

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Iniciativa do Orfeão de Leiria

Guitarra em ciclo de concertos de Outono O Orfeão de Leiria Conservatório de Artes organiza, entre 21 de Novembro e 19 de Dezembro, o ciclo de concertos “A guitarra no Outono”. Esta iniciativa incluirá seis espectáculos com actuações de jovens intérpretes, dança e música espanhola e sul-americana. Ilda Coelho e Sónia Leitão, professoras da Escola de Música do Orfeão de Leiria (EMOL), são as responsáveis pela programação e organização do ciclo de concertos. Refere a primeira que “este ciclo de concertos tem como objectivo promover e dar visibilidade ao trabalho que, no âmbito da guitarra, se faz no Orfeão de Leiria, ao nível de professores e alunos”. “Com ‘A Guitarra no Outono’ pretende criar-se

uma dinâmica relacionada com este instrumento ao longo do ano, e não só no Festival Internacional de Guitarra de Leiria, promovendo ciclos de concertos e conferências que, numa perspectiva sistemática, originem uma fluência musical descentralizadora, inserindo a guitarra na vida cultural da cidade e da região”, acrescenta a professora Ilda Coelho. O primeiro espectáculo terá lugar no Sport Operário Marinhense, na Marinha Grande, no dia 21 de Novembro, e será protagonizado por quatro jovens intérpretes, João Lopes, Bruno Ferreira, João Resende e André Ferreira, frequentemente premiados em concursos internacionais de guitarra. Esta actuação repete-se na Igreja de São Pedro, em Leiria, no

dia 4 de Dezembro. Já no dia 27 de Novembro, pelas 21h30, o destaque será para a música sul-americana num espectáculo protagonizado pelo guitarrista Sérgio Pereira, professor da EMOL. “A música portuguesa para guitarra no século XX” será o tema do concerto e conferência que se realizarão na Biblioteca Afonso Lopes Vieira, pelas 16h00, com actuação do Ensemble Concertante de Guitarras, guitarra e direcção de José Mesquita Lopes, e apresentação e comentários de Sofia Rocha. O Trio de Guitarras de Leiria, Sónia Leitão à guitarra, e a Escola de Dança do Orfeão de Leiria, com coreografia de Catarina Moreira, serão os protagonistas do espectáculo “A música espanhola”, que se realiza

dias 11 de Dezembro, no Sport Operário Marinhense, e 19 de Dezembro, no Teatro Miguel Franco, em Leiria. Henrique Pinto, presidente do OL CA, explica que “a guitarra tem tido particular destaque nas actividades do Orfeão” e dá como exemplos “o número de alunos, que é muito elevado, a óptima qualidade dos docentes e dos executantes, e eventos como o Festival Internacional de Guitarra, realizado em 2009 pelo segundo ano consecutivo, o Encontro Nacional de Ensembles de Guitarra, o Concurso Nacional de Guitarra, a Master Class de Guitarra, o Estágio de Ensembles de Guitarra, e o Concurso Internacional de Guitarra”.

Entrega de prémios na Marinha Grande A Câmara Municipal da Marinha Grande e as escolas EB1 da Praia da Vieira e da Várzea procederam à entrega de prémios do concurso de desenho e apresentação da colecção de Puzzles “Lugares e Datas com Estórias - Património construído das 4 Cidades”, editada no âmbito do projecto educativo “À Descoberta das 4 Cidades”, que se realizou no passado dia 2 de Novembro. Perante uma plateia lotada de crianças, pais e professores de ambas as escolas, procedeu-se à entrega de uma máquina fotográfica digital às duas crianças vencedoras do concurso “Lugares e Datas com Estórias - Património construído das 4 Cidades”, pela mão do vereador da Educação, João Marques Pedrosa. Da Escola da Praia da Vieira, freguesia de Vieira de Leiria, foi galardoada a aluna Maria Goulart Pedrosa, com o desenho “Monumento ao Pescador”, que retrata o monumento localizado na Praia da Vieira, constituído por um barco “meia lua” em homenagem aos que dedicaram a vida à faina da pesca. Tem inscrição do poeta Loureiro Botas: “Partiu no meu barco

DR

“Colecção de Puzzles” revela património

novo, que era o mais forte e veloz, não escutou a voz do povo, nem dos pais ouviu a voz”. Recordam-se assim os homens que se lançavam ao mar embravecido, em grandes barcos em forma de meia-lua, para horas depois com a ajuda de uma junta de bois, arrastarem para terra as redes cheias de peixe. Da Escola da Várzea, freguesia da Marinha Grande, foi distinguida a aluna Beatriz Elisa Pereira Baptista, pelo desenho “Museu do vidro da Marinha Grande”, localizado no antigo Palácio Stephens, construído na segunda metade do século XVIII, no estilo Neoclássico. Foi residência do industrial inglês Guilherme Stephens que impulsionou a indústria vidreira na Marinha

Grande. Após uma cuidada remodelação, abre as portas como Museu do Vidro a 13 de Dezembro de 1998. Possui um vasto espólio de peças ligadas à indústria vidreira. Está classificado como imóvel de interesse público. Quatro concelhos geminados em puzzle No âmbito deste concurso, alunos e professores percorreram lugares, visitaram e fotografaram monumentos, fizeram pesquisas sobre a sua localidade, mas também sobre o seu concelho, para depois, em cada escola, construírem textos e desenhos sobre a história destas cidades. Foi uma actividade minuciosa, onde a vertente de investigação esteve

presente nas duas centenas e meia de trabalhos produzidos, e que depois de uma criteriosa selecção deu origem a uma colecção de oito puzzles, dois de cada cidade. Dos 227 trabalhos apresentados a concurso pelas escolas envolvidas no projecto (53 do Fundão, 99 da Marinha Grande, 38 de Montemor-o-Novo e 37 de Vila Real de Santo António) foram seleccionados 8 desenhos, dois por cada concelho. É de salientar o elevado número de trabalhos produzidos, para além da qualidade dos mesmos. Estes dois indicadores são reveladores do forte empenho dos professores das respectivas turmas, pais, agrupamentos e comunidade educativa em geral. De acordo com a calendarização desta acção educativa, no âmbito do projecto “À Descoberta das 4 Cidades” aprovada em reuniões anteriores, os trabalhos produzidos, deram origem à colecção agora apresentada e que será distribuída pelas escolas do 1º ciclo do concelho da Marinha Grande, no presente ano lectivo 2009/2010.

CINEMAS Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) • MICHAEL JACKSON – THIS IS IT | documentário | de Kenny Ortega | 2 a 11 de Novembro, 21h30; dia 7, 15h30 Teatro Miguel Franco (Leiria) • A ESPERANÇA ESTÁ ONDE MENOS SE ESPERA | drama | de Joaquim Leitão | c/ Ana Padrão, Virgílio Castelo, Diana Figueiredo | 5 de Novembro, 21h30 • MICHAEL JACKSON – THIS IS IT | 8 de Novembro, 15h30 Cine-Teatro de Monte Real • FORÇA-G | animação | de Hoyt Yeatman | 13 e 14 de Novembro, 21h30; dia 15, 15h30 Cine-Teatro Actor Álvaro (Vieira de Leiria) • UP – ALTAMENTE | animação | de Pete Docter, Bob Peterson | 8 de Novembro, 15h00 e 17h00 • ABRAÇOS DESFEITOS | drama | de Pedro Almodôvar | c/ Penélope Cruz, Rúben Ochandiano, Blanca Portillo | 8 de Novembro, 21h00 Cine-Teatro de Ourém • SEM PROVAS | acção | de Renny Harlin | c/ Luis Guzmán, Ed Harris, Samuel L. Jackson, Eva Mendes | 6 e 7 de Novembro, 21h30 Cine-Teatro de Alcobaça • SACANAS SEM LEI | acção | de Quentin Tarantino | c/ Brad Pitt, Diane Kruger, Mélanie Laurent, Eli Roth, Samuel L. Jackson, Mike Myers | 8 e 9 de Novembro, 21h30; dia 25, 17h00

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Monólogos da Marijuana” - teatro (19/11, 21h30) •”Leva-me aos fados” - Ana Moura (20/11, 21h30) •”Saúde e vida com coração feliz” - colóquio (21/11, 9h~17h15) Teatro Miguel Franco - Leiria •”Little Annie&Paul Wallfisch” - música (14/11, 22h00) •”Marieta-T+Juan et Julieta Maria” - infantil/juvenil (15/11, 21h30) •”A história da carochinha” - marionetas (21/11, 16h00) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira- Leiria • Hora do conto (13 e 18/11, 10h30 e 14h30; 14/11, 16h00) Ludoteca Afonso Lopes Vieira - Leiria • Magusto - infantil/juvenil (14/11, 15h00~17h00) • Animais Divertidos - infantil/juvenil (15/11, 10h00 e 14h30) • História e valor dos alimentos - infantil/juvenil (21/11, 10h00 e 14h30) • Cartões de Outono - infantil/juvenil (22/11, 10h ~ 12h30 e 14h30~16h) Mercado de Sant’Ana - Leiria • Personagens para Teatro de Sombras (14/11, 10h e 14h) •”Meia Marioneta” - ateliê (21/11, 10h00~13h00) Livraria Arquivo - Leiria • Escrita criativa para guiões de cinema (14/11) •”Conversas entre pais” - II Sessão do ciclo (14/11, 14h30) •”A feiticeira do bosque e o professor de botânica” (21/11, 17h30) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria • Ateliê de escrita criativa - formação/workshops (20/11~21/11) Hotel Eurosol - Leiria •”Saúde e vida com coração feliz”- I congresso (20/11, 9h~19h30) Kartódromo de Leiria • Passeio TT Rota do Sol (20/11~21/11) Associação Célula&Membrana a9))))- Leiria •”A pele” de Álvaro Romão - cinema (21/11, 19h00) Lar S. José - Leiria •”Viva a vida” - actividades com a população idosa (13 e 20/11) Lar Emanuel - Marrazes • Serviço de Apoio da Biblioteca a Idosos Atentos (17/11, 14h30~16h00) Casa-Museu João Soares - Cortes •”A Maçonaria e a implantação da República” - livro (17/11, 19h00) Escola EB1 de Cortes •”Zara, a moura encantada” - hora do conto (12/11) Abadia/Fontes - Cortes •”Leiria...Entre o Castelo e o Rio Lis” - roteiro cultural (14/11, 9h~13h) Escola EB1 da Reixida •”Zara, a moura encantada” - hora do conto (12/11) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”O dia em que quase perdemos o 5” - conto (marcação prévia) •”Chicken Little” - filme (18/11, 15h30) Sport Operário Marinhense - Marinha Grande •”Não chove de baixo para cima” - teatro (13/11, 21h45) •”Você está aqui” - teatro (20/11, 21h45) Cine-Teatro Actor Álvaro - Vieira •”Momentos” - teatro (14/11, 21h45) •”Spa de Massa” - teatro (21/11, 21h45) Grupo Desportivo Moitense - Moita •”Momentos” - teatro (21/11, 21h45) •”O Canto do Cisne” - teatro (14/11, 21h45) Santa Catarina da Serra •”O Chícharo da Serra” - festival cultural e gastronómico (20~25/11) Teatro-Cine de Pombal •”O dia em que troquei o meu pai por dois peixinhos...” (21/11, 16h) Cine Teatro de Açcobaça •”Um encontro de personagens de fábulas de La Fontaine” (12, 21h30)


6 SOCIEDADE

O Mensageiro

12.Novembro.2009

X Fórum Nacional da Apicultura Numa organização conjunta da FNAP e da Associação de Apicultores da Região de Leiria e com o apoio da Câmara Municipal de Ourém, realizar-se-á no próximo dia 14 de Novembro de 2009, a 10ª edição do Fórum Nacional da Apicultura. Este evento é hoje reconhecido pelos apicultores nacionais, dirigentes associativos e técnicos do sector como o espaço por excelência, onde são abordados e discutidos os temas mais actuais do sector.

Na Bajouca

Jantar de São Martinho No dia 14 de Novembro, vai realizar-se pelas 19h30, no Pisão (Bajouca), um jantar de São Martinho. No salão da ABAD, não vai faltar o galo, lume, castanhas e vinho.

Câmara de Leiria

Novo executivo reduz taxas Na reunião de 3 de Novembro e na sequência de uma proposta do Presidente da Câmara Municipal de Leiria, foram aprovadas três deliberações relativas à redução nas taxas do Imposto Municipal sobre Imóveis – IMI e da Derrama, bem como do Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares (IRS) dos sujeitos passivos com domicilio fiscal no território do Município de Leiria, para o ano de 2010. Na sua intervenção, Raul Castro, Presidente da Câmara Municipal de Leiria, referiu que a redução da carga tributária foi um dos compromissos eleitorais, que contribuirá para

DR

Na cidade de Ourém

atrair concentração no concelho. Por outro lado, estas medidas vêm ao encontro das preocupações sociais do executivo, “mostrando a nossa solidariedade com todos os leirienses”. Relativamente ao facto de esta

redução implicar menor receita fiscal para a Autarquia, Raul Castro referiu que “esta diminuição será compensada com melhores índices de eficiência na gestão da Autarquia”. O executivo deliberou

aplicar a redução de 1% na sua participação no IRS, na tributação dos rendimentos de 2010, dos sujeitos passivos com domicílio fiscal no território do Município de Leiria. Este valor é considerado como dedução à colecta do IRS, a favor dos sujeitos passivos. Ao nível da taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis, o executivo Municipal deliberou propor à Assembleia Municipal as taxas de 0,675% para os prédios urbanos antigos e de 0,375% para os prédios urbanos avaliados.

Na Nazaré

“Managing the Religious Tourism Experience” A Escola Profissional da Nazaré vai organizar com a Câmara Municipal daquela vila o encontro internacional de cientistas „Managing the Religious Tourism Experience”, de 19 a 21 de Novembro. A iniciativa vai ser aberta ao público e a língua oficial do encontro irá ser o inglês, uma vez que os oradores vêm de todo o mundo. A entidade promotora é o ATLAS, organização dedicada ao estudo aprofundado de diversos temas associados ao turismo. Para este ano de 2009, o tema central é o turismo religioso.

Diamantino de Jesus Aldeia, presidente da associação “Os Amigos de Colmeias”

Partiu um homem de referência

JS

No dia 6 de Novembro, faleceu no IPO de Coimbra, o colmeense Diamantino de Jesus Aldeia, Presidente da Direcção e fundador da Associação Humanitária “Os Amigos de Colmeias” desde o ano de 2001, data da sua fundação. Diamantino de Jesus Aldeia, empresário no sector das resinas, levou uma vida ligada ao associativismo, colaborando também na fundação do Clube O Abelha (Eira Velha) e Associação de São Mateus (Lameiria). Actualmente, levava a cabo o seu sonho, de ver construído o edifício-sede da instituição “Os Amigos de Colmeias”, incluindo também as valências de lar, centro-de-dia e ATL. No dia 7 de Novembro, realizaram-se as exéquias fúnebres na igreja Paroquial de S. Miguel das Colmeias, onde foi celebrada missa de corpo presente. No dia 8 de Novembro, foi realizada uma assembleia-geral “Os Amigos de Colmeias” onde foi aprovado que o edifício que está a ser construído para a instituição adopte o nome “Diamantino de Jesus Aldeia” e que seja colocada uma placa evocativa ao fundador na fachada principal. Diamantino de Jesus Aldeia foi uma das figuras mais activas no associativismo e na solidariedade na freguesia de Colmeias. Joaquim Santos

Câmara de Ourém

Paulo Fonseca avança com auditoria Na primeira reunião do executivo da Câmara de Ourém, o Presidente Paulo Fonseca, anunciou formalmente, na intenção de avançar de imediato com três medidas que permitam ao novo executivo definir, com segurança, os quatro anos de mandato que agora se iniciaram. A primeira é uma auditoria de Janeiro

de 2008 até 31 de Outubro de 2009. A segunda uma avaliação aos controlos internos de despesa e de receita. A terceira é a identificação das acções estratégicas (uma análise swot), para o período 2009-2013. A intenção do Presidente é ficar a conhecer a realidade financeira interna da autarquia e ter um

apoio para a definição das estratégias que permitam cumprir o programa eleitoral, servindo também de ponto de partida para o Congresso sobre o concelho que se pretende organizar no início de 2010. “Fazer uma auditoria não é acusar ninguém, é avaliar”, referiu Paulo Fonseca, acrescentando que “para que todos nós,

Câmara, Assembleia e população do concelho saiba qual é o ponto de situação a todos os níveis, para podermos partir de um ponto que seja conhecido de todos. E é isso que está em causa.”. A auditoria será realizada por uma entidade exterior ao município.

Câmara de Pombal

Município com factura electrónica O Município de Pombal já tem disponível no seu Portal a possibilidade de aderir à factura electrónica de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos. Com esta nova funcionalidade, o munícipe passa a receber a sua factura via e-mail no seu endereço de correio electrónico e o Município de Pombal associa-se às

boas práticas ambientais, procurando reduzir os custos ambientais da emissão de mais de 300.000 ofícios/ facturas por ano. Além da comodidade que esta funcionalidade proporciona, com a sua desmaterialização, o munícipe beneficia também de uma redução de 50 cêntimos no valor total da sua factura

o que, para um consumidor médio de 10 m3/mês representa uma poupança de 2,7 por cento. Para activar esta funcionalidade, o munícipe deve, depois de devidamente registado no Portal do Município (www.cm-pombal.pt), ir a “Serviços On-line”, seleccionar “Pagamento/Consulta Águas e RSU”, e na Secção

“Opções”, escolher o ícone “Activar Factura Electrónica”. Encontra-se em fase de preparação a redução de mais 50 cêntimos por factura aos clientes que mensalmente comunicarem as suas leituras de consumo por via electrónica ao Município.

Câmara da Batalha

Munícipes podem ir à “minha rua” O Município da Batalha aderiu ao portal “A minha rua”, um serviço online que permite a todos os cidadãos reportar as mais variadas situações relativas a espaços públicos, desde a ilumina-

ção, jardins, passando por veículos abandonados ou a recolha de electrodomésticos danificados. O sistema, criado pelo Portal do Cidadão, permite ainda que as comunicações

possam ser acompanhadas por fotografias, sendo todos os relatos encaminhados para a autarquia, que dará conhecimento ao munícipe sobre o processo e eventual resolução do problema.

O serviço é gratuito e está disponível na página do município, em www.cmbatalha.pt.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Prémio nacional distingue Valorlis e Simlis

Várias iniciativas para assinalar efeméride

Qualidade de serviço em águas e resíduos

LMF

Jaime António Silva, administrador da Simlis No caso da SIMLIS, empresa gestora do Sistema Multimunicipal de Saneamento do Lis, o prémio foi relativo à categoria “Qualidade de Serviço de Saneamento de Águas Residuais”. O júri teve em conta o importante papel da em-

Miguel Aranda da Silva, administrador-delegado da Valorlis, explica que “o Prémio que nos foi atribuído representa o reconhecimento do trabalho de toda uma equipa, empenhada e consciente de que o caminho deverá ser sempre a melhoria”. O prémio salienta “o esforço colocado ao nível da reciclagem, da recuperação de biogás e da caracterização dos resíduos, a complementar com a construção em curso da unidade de valorização orgânica de resíduos urbanos (CVO)”. Refere ainda a obtenção da certificação de Qualidade (ISO 9001), Ambiente (ISO 14001) e de Saúde e Segurança no Trabalho (OHSAS 18001). “Ao longo dos 12 anos de existência da Valorlis, fomos sempre pioneiros na utilização das melhores técnicas disponíveis para o tratamento de resíduos. Conscientes que todo este processo necessitava do envolvimento e participação activa da população, apostámos fortemente em campanhas de sensibilização direccionadas a crianças e adultos, que se traduzem nos bons resultados alcançados. A politica de Qualidade, Ambiente e Segurança faz da VALORLIS uma empresa social e ambientalmente responsável, constituída por uma equipa motivada e inovadora, empenhada em contribuir para o desenvolvimento sustentável” salienta Miguel Aranda da Silva.

DR

Momento da entrega do prémio à Simlis presa na melhoria ambiental da região no que diz especificamente respeito à resolução do problema das águas residuais urbanas, através de um sistema complexo que assegura uma qualidade do serviço em alta estável no tempo e de elevado nível. Como aspectos mais positivos realça-se o facto de ter sido concluída a execução do plano investimentos, bem como o bom desempenho em termos de tratamento das águas residuais recolhidas, de análises de águas residuais realizadas, de cumprimento dos parâmetros de descarga e de destino adequado de lamas e ainda uma boa qualidade da informação fornecida no âmbito das auditorias.

DR

A terceira edição do “Prémio Qualidade de Serviço em Águas e Resíduos”, promovido anualmente pela ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (antigo IRAR) e pelo jornal Água & Ambiente, distinguiu as duas empresas leirienses Simlis e Valorlis. Os galardões foram entregues no dia 4 de Novembro, numa cerimónia que decorreu no âmbito do evento ExpoÁgua. O objectivo destas distinções é contribuir para a melhoria da qualidade dos serviços de abastecimento público de água saneamento de águas residuais urbanas e gestão de resíduos sólidos urbanos.

Miguel Aranda da Silva, administrador da Valorlis Quanto à Valorlis, recebeu o prémio “Qualidade de serviço de gestão de resíduos sólidos urbanos”, distinção atribuída pelo “relevante desempenho global da entidade gestora na gestão do sistema multimunicipal de valorização e tratamento de resíduos urbanos da Alta Estremadura”.

Comissão Nacional da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente

Bilhota Xavier nomeado para presidente e da criança e do adolescente, de forma autónoma, mas integrada estrategicamente no mesmo órgão, no âmbito da promoção da saúde e da prevenção da doença, e funcionará como órgão consultivo da Ministra da Saúde nas áreas da sua competência específica. Entre os objectivos definidos pelo Ministério, salientam-se a análise da ligação entre as várias unidades hospitalares e entre estas e os centros de saúde, da evolução dos dados estatísticos relativos à mortalidade nestas faixas

etárias, e respectivas causas evitáveis, dos recursos humanos actuais e previsíveis a actuar nesta área. A comissão intervirá também, de forma proactiva, em aspectos como a promoção de programas de controlo de qualidade, a promoção de soluções para grupos desfavorecidos e sua referenciação, o acompanhamento e divulgação de questões como a gravidez, a contracepção, o rastreio de doenças sexualmente transmissíveis, a intervenção em trabalhos relativos à questão da violência doméstica

No dia 16 de Novembro comemora-se o “Dia do Comerciante”, sendo que a ACILIS vai assinalar a efeméride com um conjunto de iniciativas dedicadas aos comerciantes. Neste mesmo dia, pelas 19h30, vai ser celebrada missa em homenagem dos comerciantes já falecidos, na Igreja dos Franciscanos, pelo padre Vítor Melícias. De 7 a 15 de Dezembro vai decorrer o conhecido “Concurso de Montras - O Natal no Comércio”. A divulgação dos resultados do concurso será anunciada no dia 23 de Dezembro. No dia 22 de Janeiro vai ser realizado um jantar convívio, aberto a todos os empresários de Leiria, Batalha e Porto de Mós.

Campanha de Recolha de Alimentos

Banco alimentar presente nas superfícies comerciais O Banco Alimentar Contra a Fome de Leiria-Fátima vai integrar a Campanha Nacional, de Recolha de Alimentos, coordenada pela Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, a realizar nas superfícies comerciais nos dias 28 e 29 de Novembro. Esta Campanha irá decorrer nos concelhos de Leiria, Batalha, Porto de Mós, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Figueiró dos Vinhos em 46 supermercados. Os alimentos recolhidos serão distribuídos nas zonas de recolha. Estes alimentos vão integrar um plano semestral, com distribuição mensal. Actualmente são distribuídas, mensalmente cerca de 16 toneladas, através de 53 IPSS, que acolhem, cuidam ou assistem pessoas comprovadamente carenciadas, nas mais diversas valências da solidariedade social, na região de Leiria. Nesta campanha vão estar envolvidos mais de 1000 voluntários, nas lojas, armazém e transportes, coordenados por chefes de equipas, identificados com camisolas do Banco Alimentar. O transporte, dos locais de recolha para o armazém, nos Parceiros, é assegurado por viaturas cedidas por empresas e entidades, também identificadas.

Abertura no Sábado

Hotel Vila Batalha inaugurado O Hotel Villa Batalha, uma unidade de quatro estrelas superior, localizada a cerca de 400 metros do Mosteiro, foi inaugurado no passado sábado. O investimento ronda os nove milhões de euros e é promovido pela Investeforma. O hotel conta com 94 quartos, SPA, biblioteca, sala de cinema, ateliers e um espaço envolvente com 20 mil metros quadrados, onde está instalado o “primeiro campo de peach and putt da região centro, campo de ténis e padell”.

Colheitas de Sangue em Novembro Dia(s)

DR

Bilhota Xavier, director do Serviço de Pediatria do Hospital de Santo André (HSA), foi nomeado pela Ministra da Saúde presidente da Comissão Nacional da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente (CNSMCA), recentemente criada pelo Ministério da Saúde. Segundo despacho, o médico do Hospital de Leiria, encabeçará um conjunto de 17 especialistas de todo o país, membros da Comissão. A Comissão pretende desenvolver as vertentes de saúde materna e neonatal,

ACILIS comemora “Dia do Comerciante”

e a avaliação dos exames feitos à grávida e respectiva análise custo/benefício.

Horas

Local

12

9h00 - 13h00

Colégio Dinis de Melo (Leiria)

13

15h00 - 20h00 Adelino D. M. Meirinhas

15

9h00 - 13h00

Salão Paroquial da Santa Eufémia (Leiria)

18

9h00 - 12h30

Matecerâmica

18

9h00 - 13h00

Baquelite (Leiria)

22

9h00 - 13h00

Bombeiros Voluntários de Ansião

23

9h00 - 13h00

El Clube Corpo Livre (Leiria)

23

9h00 - 17h30

Escola C+S de Avelar

24

9h30 - 18h00

Shaeffler Portugal (Caldas da Rainha)

25

9h00 - 18h00

Escola Sup. Biotecnologia (Caldas da Rainha)

26

9h00 - 13h00

Escola Sec. Figueiró dos Vinhos

29

9h00 - 13h00

Salão Paroquial da Caranguejeira (Leiria)

Terças e sábados

Cruz Vermelha de Leiria


8 ANO SACERDOTAL Retratos de mim (VII)

Cafarnaum

Seriam 5 da manhã quando, do alto da montanha, avistei o pequeno lugarejo para onde me dirigia: Cafarnaúm, a pequena vila dominada pela imponente Sinagoga para a qual muitos, como eu, já se dirigiam para a oração da manhã. As ruas eram estreitas e as casas muito baixas. Havia fumo que saia pelos telhados e pelas janelas, fazendo adivinhar o ambiente quente e ao mesmo tempo agitado que se vivia lá dentro. Quando entrei na rua principal, senti um leve cheiro a café e pude ver um punhado de homens que saía da casa de Pedro. Como todos, dirigi-me para a sinagoga. Quando entrei cobri a cabeça com o lenço que até ali me protegera os ombros e aninhei-me no canto esquerdo da ala principal. Dali eu podia ver tudo e ao mesmo tempo sentia-me mais perto da divindade que parecia “entalar-me” naquelas paredes frias. O cheiro a incenso era intenso e o fumo que pairava no ar mal deixava adivinhar os rostos dos homens que de joelhos se predispunham para iniciar a oração. Naquele dia, porém, registou-se um atraso provocado pelo alarido que a chegada de Pedro e seus companheiros tinha provocado. De dentro, eu podia ouvir as vozes e os ditos que eram sussurrados no exterior. Dizia-se que estavam de volta; dizia-se que iriam comandar a oração da manhã; e havia também quem dissesse que deveriam ausentar-se, pois que só vinham à oração de quando em vez, sem avisarem previamente e que a sua visita trazia sempre uma maior vigilância por parte das autoridades. Pouco a pouco, o alarido foi aumentando e eu acabei por sair. No átrio de entrada, um punhado de homens parecia discutir de forma delicada e até amistosa. Retirado do grupo, estava aquele jovem que um dia havia chamado Pedro e os outros pescadores que agora andavam com ele. Estava calado, aquecendo-se junto da fogueira que ali mesmo tinha sido colocada para os mais friorentos. Tinha os olhos fixados na chama que à sua frente trepidava e de quando em vez olhava para o grupo que discutia. O rabino de serviço tinha saído e procurava de todas as formas convencê-los a retirar-se. Não lhes queria mal e por isso mesmo, em nome da amizade que os unia, pedia que não entrassem. Trazia à memória a última passagem do grupo, naquela ocasião em que os ofícios matinais tinham sido interrompidos depois do jovem-mestre ter curado um paralítico que ali estava. A confusão que então se gerara trouxera à vila um batalhão de soldados que durante três dias lançaram o medo e o temor entre a população. Não queria que Cafarnaúm, especialmente a casa da sogra de Pedro, se tornasse no quartel-general de uma revolução cujos contornos desconhecia. E pedia explicações sobre as reuniões que ali se faziam. Judas era o mais agitado e com gestos espampanantes dizia que só a eles dizia respeito o que se passava em casa. Foi quando o rabino Moisés decidiu alto e bom som que eles não poderiam entrar, que o jovem deixou o calor da fogueira, agora avivada com um molho de vides que ele lhe lançara, e se dirigiu a todos os que já saiam da Sinagoga. Num tom calmo e sereno explicou que apenas queria rezar e iria fazê-lo. E sem mais palavras, passou por entre a multidão e entrou na grande sala de oração. Para lá me dirigi eu e todos os que entretanto tinham saído. Lá dentro os ânimos acalmaram e o silêncio foi tomando conta de nós, só interrompido pelo ecoar pesado e grave das orações. A oração fez-se sem mais alarido. Teriam passado uns 50 minutos quando terminámos e saímos. Nasciam os primeiros raios de sol. Cá fora esperava-nos um punhado de homens montados a cavalo. Tinham vindo para vigiar os movimentos pouco habituais mas já frequentes que acordavam Cafarnaúm. Durante três dias, a sua presença fez-se notar em todas as esquinas e em algumas casas, onde entraram de forma abrupta para interromper fraternas refeições. Até que numa bela manhã de chuva desapareceram no encalço do grupo que durante a noite se pusera uma vez mais a caminho. Até quando voltariam a estar longe? Se a dúvida pairava no ar, vivíamos na certeza de que os próximos dias seriam mais calmos e as orações iniciariam a tempo.

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Uma presença orante

“A vinha do Senhor”

“A lâmpada do corpo são os olhos; se o teu olhar estiver são, todo o teu corpo andará iluminado” (Mt 6,22). São palavras de Jesus, palavras de Mestre, Mestre que sabe, que conhece, que vive. Mas acreditar nelas exige. É um desafio à fé. Olhar esta sociedade em que vivemos e descobrir nela o bem, exige fé. Precisamos dos “óculos” de Deus, para podermos ver a Sua presença no meio de tantos “espinhos e abrolhos”, que se vão disseminando na vinha por Ele plantada e que, em muitos casos, se transformou em terra inculta que apenas produz agraços (Cfr Is 5,1 ss). Na verdade vivemos sob o signo da complexidade. Aceitamos ser preto quando na verdade é branco, aceitamos ser virtude quando na verdade é defeito. Tudo é permitido segundo a própria consciência, independentemente da boa ou má formação. Proferir na praça pública os maiores disparates é um direito, sem sequer ter em atenção a boa educação que é um princípio de civilidade. Neste emaranhado do “diz que diz”, do “faz que faz”, para os que acreditamos em Deus e na beleza da santidade, é urgente colocarmos a pergunta: o que é o essencial? O que é que, afinal, tem valor, vale a pena? Corremos o risco de nos acomodarmos, cruzar

os braços porque edificar sobre a rocha é mais difícil, mais exigente do que construir sobre a areia. Pactuar com o mais fácil pode ser tentação de Consagrados, da maioria dos cristãos e pode ser também tentação dos Sacerdotes. Na verdade, segundo a vocação específica de cada um, é urgente que silenciemos muitas vozes, muitas sereias, realidades efémeras e redescobramos o essencial da vida. A própria estação do ano, o Outono, convida-nos a reflectir. É um desafio a reencontrar o caminho árduo e difícil, mas sumamente importante para darmos razão da nossa fé. “Pára, escuta e olha”, é o alerta nas travessias potencialmente perigosas. Vivemos um tempo perigoso, pejado de perigosas armadilhas. Portanto, é extremamente importante parar, fazer o balanço. E neste Ano Sacerdotal, ano de graça, o Senhor convida-nos a olhar para os seus Sacerdotes e a redescobrir a grandeza da sua vocação, o seu serviço dedicado na vinha do Senhor. Eles são no mundo a presença viva do amor do Pai para com os seus filhos. Apesar do emaranhado, tão complexo e tão contraditório da sociedade, somos surpreendidos por algo que nos confunde e baralha a nossa lógica humana: Deus continua, teimosamente, a

cuidar e a amar esta vinha, como Ele próprio o afirma pela boca do Profeta Isaías: Eu, o Senhor sou o seu guardião; rego-a a cada momento para que as suas folhas não murchem; guardo-a de dia e de noite. Nunca me canso de a cuidar” (27, 3-4). E Deus fá-lo de forma muito concreta e visível pela acção dos Sacerdotes e do seu ministério sagrado. São eles que, sob a acção do Espírito Santo, continuam a alimentar esta vinha com o Corpo e Sangue de Cristo; regam-na a cada momento com a proclamação da Palavra de Deus e do Sacramento da Penitência, guardam-na dia e noite com oração perseverante junto do sacrário. Também Jesus com persistência continua a obra do Pai: sai à praça pública a todas as horas a contratar, a chamar, a sagrar e a enviar operários para a sua vinha, embora aparentemente não se revele bom “gestor-empresário”, ao querer dar o mesmo salário, por igual, a todos os trabalhadores, sem ter em conta as horas de trabalho de cada um. Apesar da solicitude do Mestre, a messe continua imensa e os operários muito poucos”. Vamos todos unidos suplicar ao “Dono” da messe que envie muitos e santos operários, muitos e santos Sacerdotes para a sua vinha. A missão não é fácil, grande é a quantidade

do joio a crescer lado a lado com o trigo. Não é fácil ser operário, ser Sacerdote desta vinha tão devastada pelo “semeador nocturno”, que se compraz em pescar em águas turvas, e a lançar ardilosamente a má semente pela calada da noite, e impulsionar os seus satélites a girar freneticamente em plena luz do dia. Ser Sacerdote, nesta vinha do Senhor, é ser verdadeiro herói, porque, como afirma Bento XVI Jesus não se contenta com uma pertença superficial e formal, não Lhe é suficiente uma primeira e entusiástica adesão; ao contrário, é necessário participar toda a vida no seu pensar e no seu querer. Segui-l’O enche o coração de alegria e dá sentido pleno à nossa existência, mas inclui dificuldades e renúncia porque, com muita frequência, se deve ir contra a corrente” (OR 29.08.09). Ser Sacerdote é de facto um desafio, uma missão de risco. Contudo existem duas certezas: trabalho e “salários” sempre garantidos. Os operários da vinha do Senhor recebem sempre o salário justo e nunca vão para o desemprego. Por isso, apesar da exigência vale a pena ser operário da vinha do Senhor a tempo inteiro. Irmãs Clarissas de Monte Real

especificidades para se ser político, o Padre Albino Carneiro salienta que – “de acordo com os critérios que as pessoas me transmitem e que, de facto, se verifica no terreno, mas que não aceito porque não as coloco em prática – é preciso ser mentiroso, corrupto e saber aproveitar-se das situações”. E acentua: “por aí não entro”. Não compreende as acusações que as pessoas fazem à classe política, mas “depois exigem a quem exerce funções neste domínio que sejam iguais” àqueles que criticam. No entanto esclarece que conhece muitos políticos que “são sérios” e que “prestam um serviço público à comu-

nidade”. Entrou na política para “moralizar um pouco a situação que se vivia no concelho”. Actualmente, não tem paróquia porque “o exercício da paroquialidade está impedido, enquanto se exerce funções de político” de acordo com o Direito Canónico e o Direito Civil. Apesar destas contingências, o padre Albino Carneiro celebra a Eucaristia visto que “tenho que alimentar a minha fé”. “Procuro é celebrar a título privado, contudo, particularmente no tempo de Verão, ajudo alguns sacerdotes” que solicitam a sua ajuda.

Albino Carneiro

Padre e político O mês de Outubro foi profícuo em eleições que trouxeram para a ribalta o esmiuçar dos resultados eleitorais. O verdadeiro político senta-se na oposição e no poder, todavia deseja as melhores condições de vida para os cidadãos. Em Vieira do Minho (Braga), o padre Albino Carneiro já sentiu o sabor da derrota e da vitória no sufrágio eleitoral, mas continua com o mesmo lema: “ajudar as pessoas”. Nunca teve vocação para a política, mas – “depois de estar 24 anos fora da minha terra” – circunstâncias “muito particulares” contribuíram para que, naquele momento muito concreto e de acordo “com

a situação que se vivia no concelho, alguém me lançou esse desafio de assumir uma candidatura à Câmara Municipal de Vieira do Minho”. Depois de ponderar o desafio, o Padre Albino resolveu aceitar. Quando falou com a Agência Ecclesia ainda era presidente daquela câmara minhota. No entanto, na noite de 11 de Outubro, o candidato «Unidos por Vieira» perdeu por uma vintena de votos para Jorge Dantas, o candidato da lista opositora. “Uma das acusações que me fazem – tanto da oposição como daqueles que me apoiam - é que eu não sei ser político” – referiu. Questionado sobre as


IGREJA DIOCESANA 9

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Breves

“Em rede...”

D. António Marto propõe itinerário formativo antes do final do percurso. A equipa de apoio é constituída por pessoas de diferentes vocações ligadas aos serviços diocesanos de pastoral juvenil e vocacional. O desdobrável com a proposta de D. António Marto, as informações gerais e a ficha de inscrição encontra-se disponível no site da Diocese: www.leiria-fatima.pt , de onde pode ser descarregado. Os jovens que queiram aceitar a proposta deverão inscrever-se até 15 de Novembro. Quem desejar mais informações pode obtê-las junto de uma das seguintes pessoas: Irª Natália 914 498 062, padre Gonçalo Diniz 960 194 507 e Pe. Jorge Guarda 962 445 325.

Lucros revertem a favor de uma acção social

Pedro Jerónimo/Arquivo

O Bispo de LeiriaFátima propõe, uma vez mais, aos jovens cristãos, rapazes e raparigas, dos 18 aos 30 anos, abertos ao chamamento de Deus, um itinerário formativo com o nome “Em rede...”. É uma experiência de fé, em grupo, cuja finalidade é ajudar a buscar um horizonte para a própria vida, “orientar a liberdade e a escolha do projecto de vida para servir o projecto de Deus no mundo na parte que a cada um diz respeito”. O percurso consta de um encontro mensal, normalmente no primeiro Domingo, durante seis meses, de Dezembro próximo a Maio de 2010, em Fátima. Haverá também um retiro,

Almoço-Convívio em Carvide

Este grupo vocacional teve já dois percursos nos anos passados, com cerca de 30 jovens, alguns dos quais clarificaram com clareza a sua vocação e por ela se decidiram. Outros descobriram novos modos de se empenharem na Igreja e na sociedade. Este grupo vocacional teve já dois percursos nos

anos passados, com cerca de 30 jovens, alguns dos quais clarificaram com clareza a sua vocação e por ela se decidiram. Outros descobriram novo modos de se empenharem na Igreja e na sociedade. Padre Jorge Guarda

Encontro Vicarial da Marinha Grande

“Viver a Comunhão”

Paróquias recebem novos párocos

Padres assumem novas responsabilidades No passado dia 1 de Novembro, o padre Sérgio Henriques foi investido como novo pároco em Carvide e na Vieira de Leiria. Deste modo, completou-se o processo de mudança que envolveu 14 paróquias e 13 sacerdotes da diocese de Leiria-Fátima, desde meados de Setembro. Em todas as comunidades paroquiais, os fiéis receberam os novos pastores com alegria e esperança, não sem deixarem cair algumas lágrimas de saudade e tristeza pelo sacerdote de quem se despediam. As-

sim manifestavam os laços de afecto que se tinham criado ao longo de anos e a expectativa em relação ao futuro. Assumiram novas responsabilidades no período mencionado, além do já mencionado, os seguintes sacerdotes: Marcelo Moraes e João Carlos Rodrigues, na Maceira, Isidro Alberto, em Regueira de Pontes, José Alves, em Porto de Mós e Alcaria, Filipe Lopes, em Ribeira do Fárrio, Vitor Mira, em Urqueira e Casal dos Bernardos, Fernando Ferreira, em Ortigosa e Monte

Real, Bertolino Vieira, em Caxarias e Olival. O padre Virgílio da Silva deixou de ser pároco, por motivos de saúde, e passou a trabalhar como vigário paroquial em Bajouca e Carnide. O Cónego Henrique, devido ao seu estado de saúde, foi para a casa do clero, em Fátima. Espera-se ainda a vinda de um sacerdote do Sumbe, Angola, que irá trabalhar com o padre Vitor Mira. Os actos de investidura foram conduzidos pelo Vigário Geral, em nome do bispo diocesano, D. António Marto. Em todos eles,

os sacerdotes comprometeram-se a desempenhar o ministério sacerdotal em nome da Igreja e em comunhão e obediência ao Bispo. Os fiéis católicos manifestaram o seu acolhimento e confiança acorrendo em grande número, rezando pelos e com os seus novos pastores, aplaudindo com entusiasmo e mediante gestos e ofertas simbólicas. Em quase todos os casos, houve ainda tempo para a confraternização num lanche partilhado. Padre Jorge Guarda

Celebração, oração e catequese em Fátima

Dia da Criança no Santuário A partir do Advento, no 3º sábado de todos os meses, o Santuário de Fátima convida os mais novos para um programa especial e especialmente para eles preparado. Este projecto, intitulado “Dia da Criança”, é de participação livre e gratuita, e inicia a 19 de Dezembro de 2009. Incluiu momentos de celebração, oração e catequese. Os restantes Dias da Criança, até Novembro de 2010, são os seguintes: 16

de Janeiro, 20 de Fevereiro, 20 de Março, 17 de Abril, 15 de Maio, 19 de Junho, 17 de Julho, 21 de Agosto, 18 de Setembro, 16 de Outubro e 20 de Novembro. “As crianças sentem uma especial atracção por Nossa Senhora, como Mãe, e por Jesus, tal como é apresentado na linguagem infantil dos Pastorinhos. Não são indiferentes ao testemunho de vida dos beatos Francisco e Jacinta Marto, com quem se identificam em tantos aspectos.

As experiências feitas com as peregrinações das crianças, com os momentos de adoração ao Santíssimo numa linguagem infantil, com os grupos de meninos e meninas que rezam o terço, mostram-nos que se sentem atraídos e entusiasmados”, escreveu o Padre Virgílio Antunes. O programa estabelecido é o seguinte: 10h00 – Acolhimento; 10h15 – Preparação da celebração, na sala Norte do Convivium Santo Agostinho (45’), no

No próximo dia 15 de Novembro, Domingo, realizase um Almoço-Convívio, às 13h00 no Restaurante do Salão Paroquial, em Carvide. Este evento é dinamizado pelos Caminheiros e Comissão de Pais dos Escuteiros do Agrupamento 1136 de Carvide, que convida todas as pessoas a participarem neste almoço “convívio”. Os lucros revertem a favor de uma acção de serviço social que a IV Secção do Agrupamento, em conjunto com os Caminheiros de Monte Redondo vão realizar no próximo mês de Agosto a uma paróquia de Cabo Verde. O Custo do almoço é de 7,50 escuteiros (adulto) e 5,00 escuteiros (criança 5 até 10 anos). A Ementa será bifinhos com cogumelos, sopa de legumes, sobremesas e bebidas diversas e o café. As inscrições estão a cargo dos escuteiros e da Comissão de Pais.

piso inferior da Igreja da Santíssima Trindade; 11h00 – Missa oficial, na Igreja da Santíssima Trindade, com participação das crianças; 12h15 – Catequese sobre a Mensagem de Fátima (30’); 13h00 – Almoço (livre); 14h30 – Preparação da Adoração, na sala Norte do Convivium Santo Agostinho; 14h45 – Adoração Eucarística, na Capela do Santíssimo Sacramento (25’); 15h30 – Despedida, na Capelinha das Aparições (15’).

No passado dia 25 de Outubro realizou-se, na Maceira, o 1º encontro vicarial da Marinha Grande. Estiveram presentes pessoas das Paróquias de Alpedriz, Maceira, Marinha Grande e Pataias. No inicio do encontro houve uma dinâmica de apresentação de cada paróquia e, de seguida, falou o padre Adelino Guarda sobre: viver a comunhão na paróquia e na vigararia, no contexto do tema da diocese para este ano “Ir ao coração da Igreja”. Cremos que foi um bom contributo para a maior consciência e melhor vivência deste ano pastoral. Depois houve um momento de oração e de envio, entregando-se a cada paróquia o ícone proposto para este ano – a última ceia de Jesus. No final fez-se o habitual convívio entre todos os presentes que se manifestaram muito agradados com o encontro.

Escola Nossa Senhora da Gaiola

Formação para adultos nas Cortes À semelhança do ano passado a paróquia das Cortes promove ao longo do ano um espaço de formação para adultos. Com o título geral de Escola Nossa Senhora da Gaiola, pretende ser um espaço quinzenal em que são tratados assuntos de âmbito geral da doutrina cristã. No presente ano, seguindo as orientações do Plano Diocesano, a temática da referida escola é a Igreja. De Outubro a Junho e ao ritmo quinzenal são abordadas questões relativas à Eclesiologia. Os cursos, que contam com 50 participantes, são ministrados pelo pároco e outros convidados.

Curso para Acolhedores no Santuário de Fátima

“Repartir com alegria, como a Jacinta” Nos próximos dias 22 a 24 de Janeiro realiza-se o 26º curso de preparação para os acolhedores, na Casa Nossa Senhora do Carmo em Fátima. Este curso é inteiramente gratuito, e destina-se aos jovens e menos jovens que têm intenção de vir trabalhar para o Acolhimento do Santuário. As inscrições devem ser efectuadas até ao dia 11 de Janeiro de 2010 através do contacto 249 539 623 ou envio do e-mail: info@fatima.pt.


10 ECLESIAL Leituras |33º

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Domingo Comum ANO B (15/11/09)

Antífona de Entrada: Jer 29, 11.12.14 Leitura I: Dan 12, 1-3 Salmo Responsorial: Salmo 15 (16), 5.8.9-10.11 (R. 1) Refrão: Defendei-me, Senhor: Vós sois o meu refúgio. Repete-se; Ou: Guardai-me, Senhor, porque esperei em Vós. Repete-se Leitura II: Hebr 10, 11-14.18 Aclamação ao Evangelho: Lc 21, 36 Refrão: Aleluia. Repete-se; Vigiai e orai em todo o tempo, para poderdes comparecer diante do Filho do homem. Refrão Evangelho: Mc 13, 24-32 «Reunirá os seus eleitos dos quatro pontos cardeais» Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Naqueles dias, depois de uma grande aflição, o sol escurecerá e a lua não dará a sua claridade; as estrelas cairão do céu e as forças que há nos céus serão abaladas. Então, hão-de ver o Filho do homem vir sobre as nuvens, com grande poder e glória. Ele mandará os Anjos, para reunir os seus eleitos dos quatro pontos cardeais, da extremidade da terra à extremidade do céu. Aprendei a parábola da figueira: quando os seus ramos ficam tenros e brotam as folhas, sabeis que o Verão está próximo. Assim também, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o Filho do homem está perto, está mesmo à porta. Em verdade vos digo: Não passará esta geração sem que tudo isto aconteça. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão. Quanto a esse dia e a essa hora, ninguém os conhece: nem os Anjos do Céu, nem o Filho; só o Pai». Palavra da salvação.

Cânticos | Cristo Rei B ANO B (22/11/09)

Concerto de solidariedade

“Dar cor à vida” O Grupo Missionário Ondjoyetu encontra-se a organizar mais uma acção de solidariedade! E nós podemos ajudar a levar a cor à vida dos habitantes do Gungo, onde este grupo exerce a sua missão. No Domingo dia 22 de Novembro, no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, decorrerá o concerto de solidariedade: DAR COR À VIDA! Por apenas 10€ assistirás a um concerto com Ricardo Azevedo, João Portugal, P. João Paulo Vaz, entre outros. Não percas e traz um amigo! Os bilhetes estão à venda no Teatro José Lúcio da Silva. Para obter mais informações podes contactar-nos para o mail: animissionaria leiria@gmail.com. Podes conhecer o Grupo Missionário Ondjoyetu no seguinte blog: http://www.o ndjoyetu.blogspot.com.

INÍCIO Aclamai Jesus Cristo - Lau 134 A Sobre um trono - Lau 792 SALMO RESPONSORIAL O Senhor é Rei num trono de luz - Lau 591

AO SABOR DA PALAVRA

APRESENTAÇÃO DOS DONS Levamos para o Vosso altar - Lau 469 Nele e para Ele - Lau 1142 COMUNHÃO O Cordeiro de Deus é o nosso Pastor - Lau 550 Se vos amardes uns aos outros - Lau 749 ACÇÃO DE GRAÇAS Alegre-se o Povo de Deus - Lau 1022 FINAL Anunciaremos Teu reino Senhor - Lau 153 Povos batei palmas - Lau 678

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

MISSAS DOMINICAIS

Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 10h00 – Paulo VI 10h00 – Franciscanos 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h45 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário 11h30 – Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

Fim do mundo 33º Domingo do Tempo Comum

Estamos a chegar ao fim de mais um ciclo litúrgico. Então é natural que as leituras comecem a falar-nos do fim das coisas, ou melhor das mudanças no mundo e da glória de Cristo que se aproxima. Neste domingo é o próprio Jesus que nos fala do fim do mundo. Mas não fala para nos assustar mas para que continuemos a trabalhar pelo Reino, até ao dia em que ele se cumpra plenamente, com a confiança de que Deus

não permite que a sua obra fique a meio. Jesus não diz quando é este fim, apenas o Pai o sabe. E se o Pai não o revelou ao filho, também não o vai revelar a alguns homens, que se julgam iluminados por Deus, e andam aí a assustar as pessoas com o eminente fim do mundo. Devemos antes preocuparnos com o dia de hoje. Jesus é o nosso guia, e deixou-nos outras pessoas para caminharem à frente do seu povo para o conduzirem ao Reino. Alguns com mais responsabilidades do que outros, como os Bispos, mas todos temos a missão de ajudar os nossos irmãos a conhecerem a Sabedoria Divina, e o Amor de Deus. Assim “aqueles que tiverem guiado a multidão nos caminhos da justiça terão o brilho das estrelas por toda a eternidade.” Porque nós não vivemos sozinhos a nossa salvação implica a salvação dos nossos irmãos, a nossa chegada ao céu tem de ser reflexo de uma vida de entrega, de doação aos outros, como resposta ao próprio sacrifí-

cio de Jesus. Sacrifício tão imenso que nos libertou de todo o pecado, como se diz na carta aos Hebreus: pelo seu sofrimento Jesus levou para sempre à perfeição os homens que são santificados. Por isso o pior pecado é o do egoísmo. E nós somos santificados pelas nossas acções: se fazemos acções santas somos santificados, se não ficamos em pecado. Mas onde havia o pecado passa também a haver o perdão, pelo sacrifício de Cristo, e pelo nosso arrependimento, que se revela numa mudança de vida, de acordo com o projecto que Jesus traçou para os homens. Deixaram de existir aqueles sacrifícios pelos pecados que existiam no Antigo Testamento pois o perdão dos pecados não é um acto mágico, automático, tem de exigir uma mudança de vida, uma viragem no rumo da nossa caminhada, uma busca da perfeição. É isso que significa a conversão. E, vivendo a vida desta forma empenhada, não nos preocuparemos com o fim

do mundo, pois este fim do mundo acontece para todos aqueles que morrem, abandonando a realidade terrena e entrando na eternidade espiritual. Aí estaremos plenamente na presença de Deus, e veremos claramente todas as nossas acções e as suas consequências. Cada dia é uma nova vida que nasce, uma nova etapa para construirmos, de acordo com a Palavra de Deus. Buscando a Sabedoria, não a sabedoria inchada, provocada pelo simples conhecimento empírico das coisas, mas aquela compreensão ontológica que nos permite ser cada vez mais imagem de Jesus, mais imagem do amor de Deus, confiantes na sua misericórdia e no amor que Ele tem pelos homens. O cristão não pode fechar-se no seu canto e ignorar Deus, os seus apelos e os seus projectos; mas tem de estar atento e de notar os sinais através dos quais Deus Se dirige aos homens e lhes aponta o caminho do mundo novo.


IGREJA EM PORTUGAL 11

O Mensageiro

12.Novembro.2009

“Quem tudo dá, tudo recebe”

Breves

A missão do diácono “Nós padres, seremos sempre diáconos mesmo depois de passarmos a outros graus do sacramento da ordem”, afirmou o bispo de Santarém. “Por isso – prosseguiu D. Manuel Pelino – necessitamos de cultivar as virtudes relacionadas com o serviço: a humildade, a afabilidade, atenção aos outros”. “Dispor-se a servir quando a tendência geral é servir-se, fazer-se servo quando o sonho comum é ser senhor, torna-se um desafio que exige humildade, consciência esclarecida e muita confiança em Deus”, referiu o prelado na missa em que ordenou um novo diácono para a diocese escalabitana. A atenção aos mais pobres e à Bíblia foram os dois aspectos da identidade diaconal salientados na intervenção de D. Manuel Pelino. “Cabe aos diáconos a tarefa de fazer apelo à generosidade dos fiéis e proceder à distribuição dos bens pelos mais necessitados de modo que haja justiça na partilha e a ninguém falte o necessário”, observou o bispo de Santarém. “A atenção aos pobres caracteriza o estilo de vida das comunidades

Conferência Episcopal Portuguesa

Assembleia Plenária

primitivas”, relembrou. A acção dos diáconos deve igualmente centrar-se na educação para a caridade, que “é o agir mais genuíno da fé”: “nos tempos de hoje, tão marcados pelo egoísmo e pela perspectiva individualista da posse de bens, a caridade precisa de ser desperta. Por isso, pede-se aos diáconos, aos pastores e aos educadores da fé que eduquem para o dom”. “Quem renuncia a si mesmo encontra uma liberdade mais profunda.

Quem tudo dá tudo recebe. Quem entrega a sua vida e se sacrifica ao serviço do evangelho, encontra a verdadeira vida”, sublinhou o prelado. D. Manuel Pelino recomenda igualmente aos diáconos “que incentivem e preparem o povo de Deus para participar activamente no serviço da palavra”. O diaconado é o primeiro dos três graus do sacramento da Ordem. As actividades sócio-caritativas e o serviço à palavra de Deus constituem os

elementos mais importantes da semelhança que os diáconos apresentam em relação à vida de Cristo. O diácono exerce também fun ções litúrgicas, como assistir o bispo ou padre na missa, presidir ao culto e à oração dos fiéis, ser ministro ordinário da bênção do Santíssimo Sacramento, da Comunhão e do Baptismo, presidir a casamentos, às exéquias, e a diversos sinais sagrados. D. Manuel Pelino

Durante os dias 9 a 12 de Novembro está a realizarse na Casa de Nossa Senhora das Dores, no Santuário de Fátima, a 173ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP). De entre os temas agendados destacam-se os seguintes: Discurso de abertura do Presidente da CEP; Informações sobre os trabalhos desenvolvidos pelas Comissões Episcopais; Documentos para avaliação e aprovação; Nota Pastoral sobre a Eutanásia e o testamento vital; Nota Pastoral sobre a missão dos leigos na Igreja e no mundo; Visita de Bento XVI a Portugal (Maio de 2010); Apresentação dos Decretos-Lei que regulam a assistência espiritual e religiosa; “Repensar a Pastoral da Igreja em Portugal”: estado da questão e sequência; Análise e votação do orçamento do Secretariado-geral da CEP para 2010; Outros assuntos. Depois do encerramento da Assembleia haverá, no dia 12 de Novembro, às 14h00, no mesmo local, uma Conferência de Imprensa na qual será apresentado o Comunicado Final.

Nas pegadas da esperança

Semana da Bíblia em Algés A semana da Bíblia, que decorre na paróquia de Cristo Rei (Algés), entre os dias 14 e 21 de Novembro, integra um conjunto diversificado de iniciativas destinadas a todas as faixas etárias e pretende “ajudar-nos a crescer no amor à palavra viva de Deus, seguindo o convite do programa diocesano de pastoral que consiste em «assumir a palavra de Deus como luz para a vida: alimento da oração, forma da comunidade e sustento da missão»” – lê-se num comunicado enviado à Agência Ecclesia. Do programa consta uma Exposição Permanente, um espaço Bíblico, um espaço Multimédia “A Palavra na Imagem”, uma Livraria Bíblica, Conferências e Concertos e Tempos de Oração.

Encontro Nacional da Pastoral dos Ciganos

Perspectivas da ONPC para 2010 Capelães e Assistentes Espirituais dos hospitais “Aprofundar e assumir as consequências da nova regulamentação da assistência espiritual e religiosa nos hospitais” foi o objectivo da VI Assembleia Nacional de Capelães e Assistentes Espirituais Hospitalares, que esteve reunida em Fátima. Porque “a realidade cultural e religiosa da sociedade portuguesa pede formação para novas necessidades pastorais”, os responsáveis pela assistência religiosa nos hospitais estudam a elaboração de “regulamentos internos” que estejam em sintonia com a legislação recentemente publicada no Decreto-Lei 253/2009 de 23 de Setembro, que regula a assistência espiritual e religiosa nos hospitais.

DR

Assistência religiosa em debate

Este encontro, que reuniu padres, diáconos, religiosos e leigos que prestam serviço pastoral nos hospitais do Serviço Nacional Saúde de todo o país, tem como tema “Capelania e Comunidade - Um novo modelo para

um tempo novo”. Os trabalhos iniciaram com uma reflexão sobre a situação presente, feita pelo Coordenador Nacional das Capelanias Hospitalares, padre José Nuno. O processo em curso de constituição da Associação Portuguesa de Capelães e Assistentes Espirituais Hospitalares foi também objecto de análise. Jorge Vilaça, Especialista em Pastoral da Saúde que concluiu recentemente os seus estudos no Instituto Internacional de Teologia e Pastoral da Saúde, em Roma, desenvolveu o tema da Assembleia: a reconfiguração comunitária dos Serviços Religiosos Hospitalares e a sua articulação com as Comunidades humanas e religiosas das zonas abran-

gida pelos hospitais. Foi ainda abordado o processo em curso de um “encontro inter-confessional e inter-religioso para, em conjunto com os representantes de outros Credos e Confissões, estudar a nova situação criada pelo Decreto-Lei 253/2009 de 23 de Setembro e definir caminhos de actuação conjunta para corresponder ao direito fundamental de cada pessoa doente a ser acompanhada espiritualmente segundo as suas convicções”. Neste encontro ainda foi debatido o projecto de lançamento de um inquérito nacional aos profissionais de saúde para perceber a consciência que têm da dimensão terapêutica da espiritualidade.

De 20 a 22 de Novembro, Ovar irá receber o Encontro Nacional da Pastoral dos Ciganos. O encontro decorrerá na Casa de S. Paulo, Cortegaça, e far-se-á o balanço da Organização Nacional da Pastoral dos Ciganos (ONPC) em 2009 e programar-se-á o próximo ano, desta organização. Durante o encontro haverá debates e sessões que incidem sobre “A Pastoral dos Ciganos na Diocese do Porto”, “Vamos construir pontes: projecto de Mediadores municipais ciganos”e “A Pastoral dos Ciganos em Espanha”. Por último haverá um Fórum Ibérico.

“Obrigatório Ser”

Banda Jota lança novo CD No próximo dia 22 de Novembro, a Banda Jota apresenta, na Guarda, o cd “Obrigatório Ser”. O evento será no Teatro Municipal da Guarda, pelas 17horas. Este concerto tem, sobretudo, dois objectivos: lançar, de modo oficial, o segundo trabalho da Banda Jota na sua Diocese de origem, e promover uma acção solidária junto do Centro de Apoio à Vida (CAV). Por isso o valor de entrada no concerto será de 3€ (três euros) sendo que um euro reverte automaticamente para o CAV. Numa tarde que promete ser de animação, a Banda Jota garante muitas surpresas, autógrafos e descontos na venda dos dois cd’s que já tem no mercado pelas Edições Salesianas.


12 IGREJA NO MUNDO

CD «Alma Mater»

Apresentação do álbum de Bento XVI Roma acolheu a conferência de imprensa de apresentação do álbum “Alma Mater. Music from the Vatican”, com a voz de Bento XVI, que será lançado em todo o mundo no próximo dia 29 de Novembro. A produção é fruto de um acordo discográfico entre a Geffen/Universal, uma das principais editoras mundiais, e a Multimedia, etiqueta dos Paulistas. Uma parte das receitas provenientes da venda será direccionada para a educação musical de crianças pobres dos cinco continentes. Em “Alma Mater”, o Papa lê e canta acompanhado pelo Coro da Academia Filarmónica Romana e pela célebre Orquestra Filarmónica Real de Londres. São oito trechos originais de música sacra moderna, misturados com orações, ladainhas e cantos marianos. Bento XVI fala em latim, italiano, francês, alemão e português. As músicas do disco procuram responder à intenção de produzir um CD que fosse “universalmente atraente”, e têm como inspiração os cantos gregorianos, com as suas profundas raízes históricas. O alinhamento do álbum foi seleccionado por uma comissão de três compositores: Simon Boswell, Stefano Mainetti e Nour Eddine, respectivamente um ateu, um católico e um muçulmano. Quanto ao “Alma Mater”, será lançado em dois formatos: CD, com oito músicas, e a edição especial CD+DVD, que inclui um filme de 22 minutos intitulado “The making of a Masterpiece” (O surgimento de uma obra-prima).

Padre Michael Brehl

Redentoristas têm novo Superior Geral Os Missionários Redentoristas (Congregação do Santíssimo Redentor, CSSR), reunidos em Capítulo Geral em Roma elegeram, no dia 4 de Novembro, o seu novo Superior Geral, padre Michael Brehl. O padre Michael Brehl, da Província de EdmontonToronto, Canadá, ao ser interrogado pelo padre Tobin se aceitava sua eleição, respondeu: “Sim, com a graça de Deus”. Então os Capitulares desceram até à frente da mesa da Presidência para cumprimentar o novo Superior Geral. O padre Michael Brehl exerceu muitas funções na sua Província antes de se tornar Superior Provincial. Foi Mestre dos Noviços, Prefeito dos Estudantes, membro do Conselho Provincial Extraordinário e Vigário Provincial. Também pregou missões populares e foi pároco. Participou da Comissão Teológica da Conferência dos Religiosos do Canadá e do Conselho de Directores do Ministério Pastoral Unido de Ontário, Canadá. O padre Brehl nasceu em Toronto, Canadá, em 1955. Estudou na Casa de Estudos Redentoristas em Toronto e entrou no noviciado redentorista em 1975. Fez a profissão temporária em 1976 e a profissão perpétua em 1979. Foi ordenado sacerdote a 15 de Março de 1980 após obter o mestrado na Escola Teológica de Toronto. Em termos de experiência redentorista internacional, o padre Brehl participou do Secretariado Geral de Formação, foi Moderador dos Capítulos Gerais de 2003 e de 2009 e, com frequência, pregou retiros para grupos de Redentoristas em várias partes do mundo sobre temas de espiritualidade redentorista.

Papa visita terra natal de Paulo VI

“Igreja livre e pobre” Bento XVI efectuou uma visita pastoral a Brescia e Concesio – Norte da Itália – locais do nascimento e início da vida de Giovanni Battista Montini, que viria a ser o Papa Paulo VI, pedindo que a Igreja seja “pobre e livre” para poder falar ao homem da hoje. A primeira etapa do percurso rumo à cidade de Brescia foi uma visita ao Santuário de Boticcino Sera, município de Valverde, que guarda a urna com os restos mortais de Santo Arcangelo Tadini. Neste local, falando de improviso, o actual Papa disse que “é necessário rezar e trabalhar para que nasça um mundo fraterno onde cada um não viva para si mesmo, mas para os outros”, disse Bento XVI dirigindo a sua breve saudação, não prevista, à multidão congregada fora da igreja paroquial de Botticino Sera. Mais tarde o Papa quis prestar homenagem a Paulo VI e defendeu que “o mundo precisa de uma igreja pobre e livre que fale ao homem de hoje”. “O encontro e o diálogo da Igreja com a humanidade deste nosso tempo estavam particularmente a peito a João Batista Montini” durante toda a sua vida, prosseguiu, antes de afirmar que o mundo tem “absoluta necessidade” de Jesus Cristo. Bento XVI dirigiu-se em particular aos leigos presentes, a quem falou

DR

Breves

O Mensageiro

12.Novembro.2009

dos desafios das migrações, da crise económica e da educação dos jovens no mundo actual. O Papa alemão apresentou uma meditação sobre o “mistério da Igreja”, que considerou um “organismo espiritual concreto que prolonga no espaço e no tempo a oblação do Filho de Deus, um sacrifício aparentemente insignificante em relação às dimensões do mundo e da história, mas decisivo aos olhos de Deus”. “A Igreja, que incessantemente nasce da Eucaristia – salientou – é a continuação deste dom, desta super abundância que se exprime na pobreza de tudo que se oferece no fragmento do pão consagrado”. Bento XVI citou a Encíclica Ecclesiam suam de 6 de Agosto de 1964, em que Paul XVI se propunha “explicar a todos a importância da Igreja para a salvação da humanidade, e ao mesmo tempo, a exigência que en-

tre a Comunidade eclesial e a sociedade se estabeleça uma relação de conhecimento e amor recíproco”. “Consciência, renovação, diálogo: estas as três palavras escolhidas por Paulo VI para exprimir os seus pensamentos dominantes – como ele os definiu – no início do seu ministério petrino e as três palavras referem-se à Igreja”, recordou. Noutra passagem, destinada especialmente aos bispos e padres, Bento XVI salientou que a questão da Igreja, da sua necessidade no desígnio de salvação e da sua relação com o mundo também permanece hoje absolutamente central. O dia incluiu ainda uma visita à casa natal de Giovanni Battista Montini, com a inauguração da nova sede do Instituto Paulo VI, e uma visita à igreja paroquial de Santo Antonino, onde Giovanni Battista Montini foi baptizado.

O Papa quis concluir esta viagem de apenas meio dia visitando a paróquia de Concesio, onde reconheceu que “não é fácil ser cristão”. “É preciso ter coragem e tenacidade para não se conformar com a mentalidade do mundo – acrescentou –, para não se deixar seduzir pelo forte convite do hedonismo e do consumismo, para enfrentar, se for necessário, as incompreensões e inclusive perseguições”. “Viver o baptismo implica permanecer solidamente unidos à Igreja, mesmo quando vemos no seu rosto sombras e manchas”, alertou. Aos presentes, Bento XVI deixou um desafio: “Amemos a Igreja e sirvamos a Igreja com um amor fiel, que se traduza em gestos concretos dentro das nossas comunidades, sem ceder à tentação do individualismo e do preconceito, superando qualquer rivalidade e divisão”.

Associação acolhe voluntários Europeus

“Uma oportunidade para os jovens” A Associação Juvenil de Peniche (AJP) aderiu, desde Fevereiro de 2001, ao Serviço Voluntário Europeu (SVE) do Programa Juventude, actual Programa Juventude em Acção, da União Europeia. Ao longo dos últimos 8 anos a AJP já acolheu 93 voluntários vindos dos mais diversos países da Europa. O trabalho desenvolvido pelos voluntários, em Peniche, é de actividades de carácter educativo e de animação com crianças, bem como, dar apoio a actividades culturais e ambientais da instituição. Actualmente a AJP está

a coordenar um projecto de acolhimento de 8 jovens, oriundos da Polónia, França, Roménia e Finlândia. Jovens com poucas oportunidades (educacionais, sociais, geográficas) que vêm para Portugal desenvolver actividades na AJP. Estes jovens estão integrados no SVE de curta duração, estando em Portugal por um período de três semanas. No próximo mês de Dezembro, vão chegar duas jovens da Finlândia e Polónia, sendo as duas últimas jovens do projecto “Novo Desafio” que está a decorrer desde Janeiro de 2009. Paralelamente, está um

jovem de Peniche, Emanuel Fernandes, de 23 anos, a desenvolver um projecto de SVE (Magia em Split) em Split, na Croácia. O Emanuel Fernandes está neste projecto desde Maio e vai manter-se até Abril de 2010, fazendo um ano de projecto num outro país Europeu. Estes projectos estão a ser financiados pela Agência Nacional para a Gestão do Programa Juventude em Acção. O SVE está aberto a todos os jovens com idades compreendidas entre os 18 e 30 anos com residência legal num país da União Europeia ou Países

Programa. Não há custos de participação e os voluntários recebem alojamento, alimentação, apoio linguístico, viagem paga para o país escolhido e uma bolsa mensal da organização de acolhimento. Aos próprios voluntários cabe a iniciativa de contactar as organizações de acolhimento e de envio. Os jovens interessados em mais informações acerca deste programa poderão contactar a AJP, os dados encontram-se no site: www.ajpx.com.


OPINIÃO 13

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Os especialistas já falam em década perdida na economia portuguesa. De facto, incluindo a previsão para este ano, a taxa de crescimento média anual nos dez anos desde 1999 é a mais baixa da economia moderna em Portugal (0.4%). Temos de recuar aos terríveis anos 20 para encontrar pior. Há suspeitos evidentes. O euro, nascido precisamente em 1999, parece o réu ideal. Impedindo desvalorizações, habituais nas décadas de crescimento, não se exime de responsabilidades. Apesar disso, a entrada na moeda única foi correcta, inadiável e vantajosa. Os inconvenientes verificados só aconteceriam se o resto da política económica não a levasse em conta. Como não levou. As culpas de um desastre não estão no carro se o motorista não tem carta de condução. Invocar a crise interna-

cional, como hoje tantos fazem, também não colhe. Uma década não se perde em alguns meses. Se a crise explica de menos, a globalização explica de mais. A abertura financeira e comercial mundial e a consequente reestruturação produtiva são a grande força dinâmica da actualidade. O mundo nesta década cresceu à média de 3.5%, mais que nos anos 1980 e 90. Dividindo essa dinâmica planetária entre ricos e pobres surge uma pista curiosa para o nosso enigma. As regiões em desenvolvimento tiveram na média dos últimos dez anos o melhor crescimento do último meio século (5.9%), enquanto os países avançados viram a pior prestação (1.7%). Também os 12 fundadores da Zona Euro registam na década até 2009 o menor crescimento dos últimos 50 anos (1.4%). Assim, a nossa década per-

dida é paralela à dos países desenvolvidos, embora lá a taxa seja quádrupla da nossa. Esta breve inspecção trouxe bastantes elementos para reflexão. As recentes condições internacionais, excelentes para os pobres, não favoreceram os abastados, grupo a que, sem darmos por isso, já pertencemos. É irónico constatar que o mal está em sermos demasiado prósperos. Portugal cresceu menos que os pobres porque é rico, e menos que os ricos porque é novo-rico. A nossa falta de dinamismo sócio-económico vem na cultura de parasitismo, direitos adquiridos, requintes, imposições e exigências, tudo pago pela tributação dos que produzem. Como novosricos, ganhámos hábitos refinados sem saber lidar com eles. Não se pensa em produzir como rico, mas

em consumir como rico. Imitamos os europeus no centro comercial, não no emprego. Temos defesa do consumidor, ambiente, cultura, emprego, sexo. Só não há defesa do trabalho, empresa, produtor, desenvolvimento. Impomos muitas reivindicações, poucas realizações. O que mais choca na vida nacional é o alheamento político desta realidade, a irresponsabilidade de discursos e programas governamentais. Quem, perante a estagnação, fala de TGV e plano tecnológico, multiplica portarias, empola serviços, satisfaz interesses instalados, tudo à custa do orçamento, revela total incapacidade de vislumbrar o real problema do País. A nossa política centra-se em projectos fúteis e questões laterais e vistosas, como avaliação de professores e distribuição de portáteis, sem lidar ao essencial, o

ensino. O Governo não cria condições para a recuperação; cria obstáculos por distracção. Alterar a situação implicaria enfrentar os grupos de pressão, fazer a tão falada consolidação orçamental, cortar despesas públicas, aliviar as receitas. Significava pôr os serviços públicos a servir as populações, não a seguir procedimentos. Exigiria reduzir os bloqueios à flexibilidade das empresas e criar um quadro regulamentar leve e eficaz, desmantelando miríades de exigências que, servindo múltiplos interesses e causas particulares, sufocam o dinamismo produtivo e atrasam a reestruturação. Ou seja, fazer o contrário do que dizem os governantes. A década não foi perdida porque, apesar de tudo, a reestruturação foi-se fazendo e a economia mudou. Mas se perguntarem aos ministros a razão de

OPINIÃO

João César das Neves

Economista

Quem perdeu a década* Portugal viver uma década estagnada, as respostas caem todas fora do alvo. Há anos que Governos de novos-ricos andam mais perdidos que a década. In DN (09/11/09)

OMENSAGEIRO .com.pt

www

SINAIS DOS TEMPOS

D. João Alves

Bispo Emérito de Coimbra

O bem comum do nosso país exige colaboração de todos os portugueses Passadas que são as campanhas eleitorais para o Parlamento Europeu, para o Parlamento Nacional e, por fim, para as Autarquias, encontramo-nos, agora, no começo do tempo para a concretização das ideias e programas dos eleitos pelo povo português.

Como o regime vigente em Portugal é a democracia, compete à força política vitoriosa em eleições livres, orientar a vida do País sob o olhar da oposição atento, colaborante e crítico. Todos sabemos que isto é elementar em democracia política. Agora todas as energias devem convergir para a solução dos reais problemas do país sem desvios para interesses particulares não permitidos. Ao escrever isto estou a pensar que uma oposição esclarecida e lúcida há-de exigir a fidelidade dos eleitos aos seus programas no sentido da realização do bem comum do povo português. Este discurso poderá parecer provocador para alguns, dominados em excesso pela cor da sua força política tomada como um absoluto que não cede o passo a nada mais. Se assim fosse diria: Pobre país que tem quem dele se queira servir e não que o sirva garantindo a sua unidade, coesão e desenvolvimento. Estes juízos não são mera especulação, são realidades

presentes no passado das nossas governações a nível nacional ou local e, infelizmente, a alastrar por todo o mundo. Não faltam, porém, numerosas excepções a esta reprovável conclusão mas, como excepções, não são a totalidade. Como a plano local e nacional há bastantes casos de recondução, isto há-de ajudar a uma avaliação objectiva e corajosa da acção anterior para melhor orientação no futuro. Infelizmente esta coragem nem sempre existe. Surpreende que, lendo os grandes escritores do século XIX se verifique que muitas das lamentações de então se referem aos mesmos problemas e abusos de hoje! Sei que me estais a dizer que é a fraqueza do género humano e é certo, mas ela não devia irromper como acontece hoje. Com o abandono e, por vezes, com algum achincalhamento da necessidade dos grandes valores éticos e morais, que queremos serão a progressiva descredibilização da vida política! Não é isso que significa o alastramento da

corrupção com tantas faces e cores? É incompreensível que se resista tanto a um ordenamento legal, no sentido ético, da vida do país, de modo que esse monstro da corrupção não se sinta tanto à vontade!... Fica-nos a esperança de melhores dias, havendo responsáveis fortes diante das tentações e corajosos diante das “clientelas”. Morigerar a vida pública nunca foi fácil, mas transigir com o mal e o erro é caminhada para a desordem e a insegurança. As maçãs sadias guardadas junto das apodrecidas por, falta de vigilância, acabam por apodrecer, porque se não retirou a tempo a primeira que apodreceu. Lembro, mais uma vez, que governar com sabedoria é difícil, muito difícil, mas não é impossível, desde que na humildade e na solicitação da colaboração de todos se queira servir, antes de mais nada, o bem de todo o país com sugestões e crítica sã. Em tempo de tantos e graves problemas esta colaboração de todos e de cada um é urgente. Como vemos não interessa só

votar, é necessário acompanhar os eleitos depois das votações. Que todos aqueles que receberam poder entendam a sua função como serviço a todos os portugueses na defesa dos valores do seu verdadeiro património nacional e na consecução do seu necessário desenvolvimento. Porque o mal existe e há pessoas insensíveis ao bem dos outros e do país, são necessários orientadores da vida nacional que não se deixem encantar e seduzir por melodias aliciantes e de má qualidade. Que ninguém recuse a sua colabora-

ção específica a quem tem de orientar a vida nacional no seu todo ou, localmente, nas autarquias. A Igreja, praticamente desde o início da sua história, sempre pediu a Deus, fonte de todos os bens e de todas as luzes, que assista, ilumine e fortaleça aqueles que dispõem de autoridade. Termino manifestando a minha confiança na bondade, lucidez, e rectidão que reside no coração de tantos homens e mulheres honestos do nosso País.

PUB


14 INSTITUCIONAL CARTÓRIO NOTARIAL DA MARINHA GRANDE Notária Natália Dias Lopes Certifico, para efeitos de publicação, que por escritura de Justificação, lavrada a quatro de Novembro de dois mil e nove, de folhas 50 a folhas 51 verso, do livro de notas para escrituras diversas número 87- L deste Cartório. AUGUSTO DA SILVA TERESO e mulher MARIA ERMELINDA FERREIRA, casados sob o regime da comunhão geral de bens, naturais ele da freguesia de Maceira e ela da freguesia Azóia, ambas do concelho de Leiria, residentes na Rua do Pousio, Arnal, Maceira, Leiria, NIF 117.857.211 e NIF 137.769.067. DISSERAM OS PRIMEIROS OUTORGANTES: Que lhes pertence, com exclusão de outrem, o seguinte imóvel: PRÉDIO RÚSTICO, sito em VALE GRANDE – ALGOGULHE, freguesia de MACEIRA, concelho de LEIRIA, composto de terra de semeadura, com a área de seis mil duzentos e oitenta e quatro metros quadrados, a confrontar do norte com Rui Miguel da Silva Santos, do sul com Estrada, do poente com caminho e do nascente com José Ferreira, inscrito na respectiva matriz em nome do justificante sob o artigo 15.628, com o valor patrimonial para efeitos de IMT e atribuído de dois mil quatrocentos e vinte euros, não descrito na competente Conservatória do Registo Predial. Que o prédio ora identificado veio à sua posse em mil novecentos e sessenta e um, por doação meramente verbal feita pelos pais dela justificante Joaquim Ferreira e Maria Ermelinda, residentes que foram em Azóia, Leiria. Que por falta de título, não têm eles, justificantes, possibilidade de comprovar, pelos meios normais, o seu direito de propriedade. Mas a verdade é que são eles os titulares desse direito, pois vêm possuindo os mesmos bens desde aquela data, há, portanto mais de vinte anos, sempre em nome próprio e na firme convicção de não lesarem direitos de outrem, sem a menor oposição de quem quer que seja e com o conhecimento de toda a gente, ostensiva e ininterruptamente desde o seu início, posse essa que se tem materializado pelo aproveitamento agrícola de que o mesmo é susceptível, para seu beneficio, zelando pela sua conservação, pagando os respectivos impostos. Que esta posse, pacifica, contínua, publica e de boa fé, fundamenta a aquisição dos respectivos direitos de propriedade por UUSUCAPIÃO, o que pela sua natureza impede a demonstração documental do seu direito pelos meios extrajudiciais normais. ESTÁ CONFORME O ORIGINAL. Marinha Grande, 4 de Novembro de 2009 A Colaborado, (Sandra Marina Rodrigues Gouveia)

CARTÓRIO NOTARIAL DA BATALHA Notária: Sónia Marisa Pires Vala Certifico, para fins de publicação, que por escritura lavrada hoje, exarada de folhas setenta e nove a folhas oitenta, do Livro Cento e Cinquenta e Quatro – B, deste Cartório. António dos Santos Pires, NIF 177 980 982 e mulher Esmeraldina Tavares Martins, NIF 177 980 974, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, ele natural da freguesia de Reguengo do Fétal, concelho da Batalha, ela natural da freguesia de Silva Escura, concelho de Sever do Vouga, residentes no lugar de Rio Seco, Reguengo do Fétal, Batalha, declaram que com exclusão de outrem são donos e legítimos possuidores do prédio rústico, composto de terra com vinha, seis oliveiras, cinco tanchoeiras e duas pereiras pequenas, com a área de três mil e quinhentos metros quadrados, sito em Casal do Estudo, freguesia de Cortes, concelho de Leiria, a confrontar de norte com José Marques Gaspar, de sul com regueiro, de nascente com Manuel Gomes Prior, e de poente com Francisco Marcelino Marques, não descrito na Primeira Conservatória do Registo Predial de Leiria, e inscrito na matriz predial rústica, sob o artigo 835, com o valor patrimonial de €59.33. Que adquiriram o referido prédio, no ano de mil novecentos e oitenta e oito, por compra verbal a Maria Manuel dos Santos Pires, residente no lugar de Torrinhas, na aludida freguesia de Reguengo do Fetal, não dispondo os justificantes de qualquer titulo formal para o registar na Conservatória, mas desde logo entraram na posse e fruição do mesmo. Que em consequência daquela compra verbal, possuem o identificado prédio em nome próprio há mais de vinte anos sem a menor oposição de quem quer que seja desde o seu inicio, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente com o conhecimento de toda a gente e a prática reiterada dos actos habituais de um proprietário pleno, com o amanho da terra, recolha de frutos, conservação e defesa da propriedade, pagamento das contribuições e demais encargos, pelo que, sendo uma posse pacífica, continua, pública e de boa fé durante aquele período de tempo, adquiriram o identificado prédio por usucapião. Batalha, trinta de Outubro de dois mil e nove. A funcionária com delegação de poderes, (Assinatura ilegível)

O Mensageiro

12.Novembro.2009

EXTRACTO CERTIFICO, para fins de publicação e em conformidade com o seu original, que por escritura de Justificação lavrada neste Cartório, em quatro de Novembro de dois mil e nove, de folhas cento e trinta e seis a folhas cento e trinta e sete verso do respectivo Livro de Notas para Escrituras Diversas número CENTO E UM, José das Neves Silva, NIF 177.449.888 e mulher Maria Lindalva Pereira Fernandes, NIF 182.255.581, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais ele da freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria e ela da freguesia de Salto, concelho de Montalegre residentes na Rua da Cova Silveira, 9, Loureira, Santa Catarina da Serra, Leiria, declararam: Que, são com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do prédio rústico, composto de terra de cultivo com cinco oliveiras, com a área de seiscentos e setenta e cinco metros quadrados, sito na Rua Beco da Barrada, freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, a confrontar do norte com José das Neves Silva, do sul com caminho, do nascente com Daniel Fernandes Silva e do poente com Inácia de Jesus, inscrito na matriz sob o artigo 11125, com o valor patrimonial de € 290,00 e a que atribuem igual valor. Que o indicado prédio não se encontra descrito na Conservatória do Registo Predial de Leiria e veio à posse de ambos por doação verbal feita por Francisco da Silva e mulher Conceição das Neves, residentes em Loureira, Santa Catarina da Serra, Leiria, em mil novecentos e setenta e cinco, sem que dela ficassem a dispor título suficiente e formal que lhes permita fazer o respectivo registo. Que, possuem o identificado prédio em nome próprio, há mais de vinte anos, sem a menor oposição de quem quer que seja, desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente da freguesia de Santa Catarina da Serra, lugares e freguesias vizinhas, traduzida em actos materiais de fruição, conservação e defesa, nomeadamente usufruindo dos seus rendimentos, cultivando e recolhendo os respectivos frutos. Limpando-o de mato, pagando os respectivos impostos e contribuições, agindo sempre pela forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, sendo, por isso, uma posse pública, pacífica, contínua e de boa fé, pelo que adquiriram o dito prédio por USUCAPIÃO. Ourém, três de Novembro de dois mil e nove. A Colaboradora da Notária, por competência delegada, nos termos do artº 8º do Estatuto do Notariado, (Carla Sofia Pinheiro Coelho Neto)

CARTÓRIO NOTARIAL DA BATALHA Notária: Sónia Marisa Pires Vala Certifico, para fins de publicação, que por escritura lavrada hoje, exarada de folhas seis a folhas sete, do Livro de Notas para Escrituras Diversas Cento e Cinquenta e cinco-B, deste Cartório. José Cordeiro Carlos, NIF 119 808 870 e mulher Celeste Ferreira Batista Carlos, NIF 119 808 889, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, ambos naturais da freguesia de Cortes, concelho de Leiria, onde residem na Estrada Principal, n.º169, no lugar de Ponte Cavaleiro, declaram que com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores do prédio rústico, composto de terra de Pousio, com a área de novecentos e setenta e oito metros quadrados, sito em Ponte Cavaleiro, freguesia de Cortes, concelho de Leiria, a confrontar de norte e poente com José Cordeiro Carlos, de sul com José Gonçalves Oliveira e outro e de nascente com estrada nacional 356-2, não descrito na Primeira Conservatória do Registo Predial de Leiria, e inscrito na matriz predial rústica, em nome de justificante marido, sob o artigo 4.525, com o valor patrimonial de €470,00. Que adquiriram o referido prédio, no ano de mil novecentos e setenta e cinco, por doação verbal de Flamiano Carlos e mulher Inácia Lopes Cordeiro, pais do marido, residentes que foram no lugar de Famalicão, da citada freguesia de Cortes, não dispondo os justificantes de qualquer titulo formal para o registar na Conservatória, mas desde logo entraram na posse e fruição do mesmo. Que em consequência daquela doação verbal, possuem o identificado prédio em nome próprio há mais de vinte anos sem a menor oposição de quem quer que seja desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente com o conhecimento de toda a gente e a prática doas actos habituais de um proprietário pleno, com o amanho da terra, recolha de frutos, conservação e defesa da propriedade, pagamento das contribuições e demais encargos, pelo que, sendo uma posse pacífica, continua, pública e de boa fé durante aquele período de tempo, adquiriram o identificado prédio por usucapião. Está conforme o original. Batalha, cinco de Novembro de 2009. A funcionária com delegação de poderes, (Assinatura ilegível)

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA

JOGOS | Nº 45/2009 (Confirme em www.jogossantacasa.pt) Euromilhões: 11, 19, 34, 43, 45 + 5, 9 Totoloto: 3, 10, 11, 23, 26, 36 + 40 Loto2: 5, 11, 24, 28, 29, 30 + 17 Joker: 4 2 5 9 0 4 3 Totobola: 1X2 XX2 2X1 11X2 FÁRMÁCIAS DE SERVIÇO Higiene (dia 12), Lino (dia 13), Oliveira (dia 14), Sanches (dia 15), Avenida (dia 16), Central (dia 17) e Higiene (dia 18)

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

Jorge Carvalho Sofia

Médico Especialista de Otorrinolaringologia CONSULTAS • CIRURGIAS • EXAMES DE AUDIÇÃO VIDEONISTAGMOGRAFIA • POSTURAGRAFIA APNEIA DO SONO

Rua Dª Maria da Graça Lúcio da Silva, 9 - 1º Esqº - LEIRIA Marcações pelos telefones 244 822970 • 239 827 089 • 932 442 274

Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Tel. 244 832406

EDITAL N.º 12/09 Prof. Doutor CARLOS MANUEL BERNARDO ASCENSO ANDRÉ , Presidente da Assembleia Municipal de Leiria, torna público, nos termos do n.º 1,do artigo 84º da Lei n.º 169/99,de 18 de Setembro, que em sessão extraordinária realizada em 27 de Outubro de 2009, foi eleita a Mesa da Assembleia Municipal, com a seguinte composição: Presidente da Mesa – Prof. Doutor Carlos Manuel Bernardo Ascenso André 1º Secretário – Dr. José da Silva Alves 2º Secretário – Dr.ª Maria Manuela Miranda Marques dos Santos Góis Graça Para constar e devidos efeitos legais, se passou o presente Edital que vai ser afixado nos lugares públicos do costume. Leiria, aos 29 de Outubro de 2009 O Presidente da Assembleia Municipal, (Prof. Doutor Carlos Manuel Bernardo A. André)

Dr. Rui Castela

F. Costa Pereira CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h

Ministério da Economia e da Inovação Direcção Regional da Economia do Centro ÉDITOS Faz-se público que, nos termos e para os efeitos do Art. 19º do Regulamento de Licenças para Instalações Eléctricas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 26 852, de 30 de Julho de 1936, com redacção dada pela Portaria n.º 344/89, de 13 de Maio, estará patente na Secretaria da Câmara Municipal de Leiria, e na Direcção Regional da Economia do Centro, Rua Câmara Pestana nº. 74, 3030-163 Coimbra, todos os dias úteis, durante as horas de expediente, pelo prazo de quinze dias, a contar da publicação destes éditos no “Diário da República”, o projecto apresentado pela EDP Distribuição-Energia, S.A. – Direcção Projecto e Construção/Departamento Redes AT-MT, para o estabelecimento de Linha Mista 10 15 L5 4103 00 a 60 KV com 3736 m de SE de Pinheiros a SE de Andrinos (troço a licenciar entre a SE de Pinheiros e apoio 8 com 1826 m); freguesias de Marrazes, Santa Eufémia e Pousos, concelho de Leiria, a que se refere o processo nº. 0161/10/9/907. Todas as reclamações contra a aprovação deste projecto deverão ser presentes na Direcção Regional da Economia do centro ou na Secretaria daquela Câmara Municipal, dentro do citado prazo. Direcção Regional da Economia do Centro, 14 de Outubro de 2009 Adelino Lopes de Sousa, Director de Serviços de Energia

LABETO, S.A.

Leiria Av. Marquês de Pombal, Lote nº 2 Tel.: 244 830 460 Fátima Rotunda Sul - Ed. Azinheira Marinha Grande Rua das Portas Verdes, 58 Ourém Av. Nuno Álvares Pereira

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500 816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Pedro Jerónimo (CP7104), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (TP558). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Matias, Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade Pedro Viva (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição CORAZE - Oliveira de Azeméis - Tel: 256 600 580 / Fax: 256 600 589 - E-mail: grafica@coraze.com Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2009 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro

12.Novembro.2009

Derbie emotivo Sport Clube Marinhense e Clube de Basquetebol de Leiria protagonizaram o jogo mais disputado da 1.ª jornada do Campeonato Nacional de Basquetebol 2 (zona centro sul), com o resultado a ser favorável à formação leiriense (71-70). Quanto à equipa do Gaeirense, de Óbidos, folgou, em virtude da desistência das equipas do Torres Novas e Rio Maior.

Pentatlo | Leiria

Taça de Portugal A vila de Pataias, Alcobaça, acolhe, dia 14 de Novembro, a primeira etapa da Taça de Portugal de biathle. Esta inicia-se pelas 14h20, com a prova de natação, prosseguindo, a partir das 15h50, com a prova de corrida.

Torneio de Triatlo Entretanto, também inserido no calendário das provas organizadas pela Federação Portuguesa de Pentatlo Moderno, decorreu o Torneio de Abertura de Triatlo – tiro, natação e corrida –, nas Caldas da Rainha, a 8 de Novembro, em que se destacaram atletas do distrito de Leiria. Ivan Simões (A.R.D. Outeiros da Gândara, Leiria) foi segundo classificado, em absolutos, tal como Joana Jacinto (A.C.R. Maceirinha, Leiria).

I LIGA Setúbal x Olhanense (0-0), Benfica x Naval (1-0), U. Leiria x Académica (1-1), Leixões x Nacional (2-4), Beleneneses x P. Ferreira (0-3), Marítimo x Porto (1-0), Rio Ave x Sporting (2-2) J 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10 10

Dois títulos de campeão e seis de vice-campeão foi o saldo dos atletas do Clube de Orientação do Centro (COC), de Leiria, no XVII Campeonato Ibérico 2009 de Orientação Pedestre, que decorreu em Toledo, Espanha, de 31 de Outubro a 1 de Novembro. Jorge Sousa, campeão ibérico É com o objectivo de encontrar as melhores, que foi lançado o projecto “Caça Talentos no Futebol Feminino”. A iniciativa, da Associação de Futebol de Leiria (AFL), destina-se a praticantes, federadas ou não, nascidas entre os anos 1993 e 1996. “As melhores praticantes serão referenciadas para poderem vir a integrar a selecção distrital de futebol de sete”, avança a AFL, em comunicado, referindo ainda que a iniciativa “pretende ser um processo metódico de observação de talentos que contribua para o desenvolvimento qualitativo e quantitativo do futebol distrital”. A observação será efectuada em jogos a realizar, aos sábados à tarde, durante os meses de Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010. Estes, com uma duração de 30 minutos (15+15), realizam-se “de forma aleatória, por proximidade geográfica ou pertencentes à mesma instituição de ensino ou grupo de amigas”, sendo “constituídas tantas equipas quantas as que os números de participantes inscritas o permitir.”

V 8 8 6 5 4 3 3 3 2 2 3 2 1 1 2 1

E D Pts 1 1 25 1 1 25 2 2 20 2 3 17 3 3 15 6 1 15 5 2 14 5 2 14 4 4 10 4 4 10 1 6 10 2 6 8 5 4 8 5 4 8 2 6 8 4 5 7

Pts 17 16 16 15 14 14 12 12 11 11 10 10 9 9 9 7

2009), tal como já tínhamos noticiado. A este, juntou ainda os de vice-campeão ibérico, em distancias média e longa. Já Tiago Romão, não se ficou atrás do colega de equipa e também se sagrou campeão (sprint, H20) e vice-campeão (distância longa, H20) ibérico, depois dos

três títulos de vice-campeão – distâncias média, longa e sprint – na Taça dos Países Latinos (9 a 11 de Outubro, Santa Cruz do Sul, Brasil). Por fim, destaque para os três títulos de vice-campeã ibérica de Luísa Mateus (D45), em distâncias média, sprint e longa.

Atletismo | Nazaré

Meia-maratona internacional

Associação de Leiria

“Craques” procuram-se “Caça talentos” promove futebol feminino As jovens interessadas devem contactar a AFL, através do telefone 244 800 800, fax 244 800 809 ou email geral.afleiria@fpf.pt, até ao dia 27 de Novembro, primeira fase, ou até 31 de Dezembro, segunda fase – possível participar em ambas as fases. Mais informações em www.afleiria.com. Do futsal para o futebol 11 Tem sido assim com algumas atletas do distrito de Leiria, convocadas, com alguma frequência, às selecções nacionais de futebol de 11 (Sub-19 e AA). O caso mais recente é o de Ana Valinho (U.D.

II DIVISÃO

9.ª Jornada (08.11) D. Aves x Feirense (1-1), Fátima

x Sp. Covilhã (3-0), Gil Vicente x Estoril (02), Penafiel x Oliveirense (0-2), Santa Clara x D. Chaves (3-0), Freamunde x Beira-Mar (1-2), Trofense x Varzim (2-1), Carregado x Portimonense (1-3) Equipa J V E D 1.º Portimonense 9 5 2 2 2.º Santa Clara 9 4 4 1 3.º Beira-Mar 9 5 1 3 4.º Feirense 9 4 3 2 5.º Gil Vicente 9 4 2 3 6.º Oliveirense 9 4 2 3 7.º Fátima 9 3 3 3 8.º D. Aves 9 2 6 1 9.º Estoril 9 2 5 2 10.º Trofense 9 3 2 4 11.º Penafiel 9 2 4 3 12.º Sp. Covilhã 9 3 1 5 13.º Freamunde 9 2 3 4 14.º Varzim 9 2 3 4 15.º Carregado 9 2 3 4 16.º D. Chaves 9 1 4 4

na categoria sprint (H35), voltou a estar em destaque numa prova internacional, duas semanas após ter obtido a melhor classificação portuguesa de sempre – 5.º e 6.º lugares em sprint e distância longa, respectivamente – no Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre para Veteranos (WMOC

fed. portuguesa futebol zona centro

II LIGA

9.ª Jornada (08.11) V. Guimarães x Sp. Braga (1-0),V.

Equipa Sp. Braga Benfica Porto Nacional Marítimo Rio Ave U. Leiria Sporting V. Guimarães P. Ferreira Naval V. Setúbal Olhanense Belenenses Leixões Académica

Oito títulos ibéricos viajam para Leiria

liga vitalis

liga sagres

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Orientação | Joaquim Sousa e Tiago Romão campeões

João Sena Goulão/Lusa

Basquetebol | Leiria

7.ª Jornada (08.11) Pampilhosa x Monsanto (1-2), Ac.

Viseu x Praiense (1-0), Marinhense x Arouca (03), Tourizense x Operário (1-1), U. Serra x Mafra (1-0), Esmoriz x Sertanense (1-0), Eléctrico x Tondela (1-3), Ol. Bairro x V. Pico (0-1) 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Tourizense Tondela Mafra Monsanto U. Serra Marinhense Esmoriz Praiense Arouca Pampilhosa Operário V. Pico Sertanense Ac.Viseu Eléctrico Ol. Bairro

J V E D Pts 7 4 2 1 14 6 4 1 1 13 7 4 1 2 13 7 4 1 2 13 7 3 2 2 11 7 3 2 2 11 7 3 2 2 11 7 3 2 2 11 7 3 2 2 11 7 2 2 3 8 7 2 2 3 8 6 2 1 3 7 7 2 1 4 7 7 2 0 5 6 7 1 2 4 5 7 1 1 5 4

10.ª Jornada (29.11) Sp. Braga x U. Leiria, Académica

10.ª Jornada (15.11) D. Chaves x Penafiel, Beira-

8.ª Jornada (15.11) Monsanto x Ol. Bairro, Praiense

x V. Setúbal, Sporting x Benfica, Olhanense x V. Guimarães, Porto x Rio Ave, Belenenses x Marítimo, Nacional x Naval, P. Ferreira x Leixões

Mar x Trofense, Sp. Covilhã x Santa Clara, Portimonense x Fátima, Feirense x Carregado, Varzim x D. Aves, Estoril x Freamunde, Oliveirense x Gil Vicente

x Pampilhosa, Arouca x Ac.Viseu, Operário x Marinhense, Mafra x Tourizense, Sertanense x U. Serra, Tondela x Esmoriz,V. Pico x Eléctrico

Caranguejeira), suplente não utilizada no Portugal x Finlândia (0-1), jogo a contar para o apuramento para o Campeonato do Mundo – Alemanha 2011, em selecções seniores, realizado a 28 de Outubro. Carolina Silva e Inês Cruz (C.R. Golpilheira) são mais dois exemplos de atletas que pelos clubes jogam em pavilhões, mas que têm de trocar as sapatilhas pelas conhecidas “chuteiras”, quando são chamadas às selecções nacionais de futebol de 11. A inexistência de equipas que justifiquem um campeonato de futebol de 11, ou até mesmo de

sete, leva a que os técnicos da Federação Portuguesa de Futebol recrutem, no distrito de Leiria, as praticantes de futsal. Curioso é que a tendência se mantem, ainda que, na presente época, a região conte com três equipas de futebol de 11 femininos, que disputam o Campeonato de Promoção – Série E: F.C. “Os Belenenses” (Marinha Grande) e G.D.C. A-dos-Francos (Caldas da Rainha), inscritos na AFL, a que se junta o C.A. Ouriense (Ourém), inscrito na associação de Santarém. Pedro Jerónimo pj@omensageiro.com.pt

fed. portuguesa futebol

III DIVISÃO série D

série

E

7.ª Jornada (08.11) Sp. Pombal x Gândara (2-1),

7.ª Jornada (08.11) Alcochetense x Casa Pia (2-3),

Sourense x F. Algodres (1-1), B.C. Branco x Nelas (3-1),V. Mocidade x Alcains (2-0), Tocha x Mangualde (2-0), Penamacorense x Anadia (0-0)

Sintrense x Caldas (1-2), Portomosense x Ol. Moscavide (0-0), Oeiras x Gavionenses (3-1), Tojal x 1.º Dezembro (2-1), Peniche x Torreense (2-2)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Sourense Anadia F. Algodres Sp. Pombal B.C. Branco Tocha Gândara V. Mocidade Penamacorense Mangualde Nelas Alcains

J V E D Pts 7 4 3 0 15 7 4 2 1 14 7 4 1 2 13 7 3 2 2 11 7 3 2 2 11 7 3 1 3 10 7 2 3 2 9 7 2 2 3 8 7 1 5 1 8 7 2 2 3 8 7 0 3 4 3 7 0 2 5 2

8.ª Jornada (15.11) Gândara x Penamacorense, F.

Algodres x Sp. Pombal, Nelas x Sourense, Alcains x B.C. Branco, Mangualde x V. Mocidade, Anadia x Tocha

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º

Equipa Casa Pia Tojal Torreense 1.º Dezembro Alcochetense Sintrense Caldas Peniche Oeiras Portomosense Ol. Moscavide Gavionenses

J V E D Pts 7 5 2 0 17 7 5 0 2 15 7 3 2 2 11 7 3 2 2 11 7 3 1 3 10 7 3 1 3 10 7 3 1 3 10 7 2 3 2 9 7 2 2 3 8 7 1 4 2 7 7 1 2 4 5 7 0 2 5 2

8.ª Jornada (15.11) Casa Pia x Peniche, Caldas x

Alcochetense, Ol. Moscavide x Sintrense, Gavionenses x Portomosense, 1.º Dezembro x Oeiras, Torreense x Tojal

Sai para a estrada, nos dias 14 e 15 de Novembro, a 35.ª Meia Maratona Internacional da Nazaré, considerada, pelos organizadores, como a “mãe das meias maratonas em Portugal”. A competição inicia-se no sábado, pelas 15h00, com a 9.ª Meia do Futuro - categorias de benjamins a juvenis –, prosseguindo no dia seguinte, a partir das 11h00, com a 35.ª Meia Maratona, a 14.ª Volta à Nazaré e a 4.ª Caminhada, estas duas últimas com um percurso com cerca de 8.000 metros.

Motor | Leiria

Vice-campeões A dupla Paulo Rui Ferrreira/ Jorge Monteiro (RF Competições, Leiria) sagrou-se vice-campeã nacional de todo-o-terreno, na categoria T8, na 23.ª Baja Portalegre 500, que decorreu de 29 a 31 de Outubro.

ass. futebol de leiria

HONRA

7.ª Jornada (08.11) Outeirense x Guiense (1-4),

Bombarralense x Pedroguense (1-0), Meirinhas x Pilado (31-1), Alq. Serra x Gaeirense (2-0), Alcobaça x Marrazes (0-0), Pataiense x Beneditense (0-2), Nazarenos x Valcovense (1-0), Fig.Vinhos x Ansião (2-1) Equipa J V E D Pts 1.º Bombarralense 7 7 0 0 21 2.º Alq. Serra 7 5 0 2 15 3.º Valcovense 7 4 2 1 14 4.º Guiense 7 4 1 2 13 5.º Alcobaça 7 3 3 1 12 6.º Pataiense 7 4 0 3 12 7.º Beneditense 7 3 1 3 10 8.º Meirinhas 7 3 1 3 10 9.º Nazarenos 7 3 1 3 10 10.º Gaeirense 7 2 3 2 9 11.º Pedroguense 7 3 0 4 9 12.º Outeirense 7 2 0 5 6 13.º Ansião 7 1 3 3 6 14.º Fig.Vinhos 7 1 2 4 5 15.º Marrazes 7 0 4 3 4 16.º Pilado 7 0 1 6 1 8.ª Jornada (15.11) Guiense x Fig.Vinhos, Pedroguense

x Outeirense, Pilado x Bombarralense, Gaeirense x Meirinhas, Marrazes x Alq. Serra, Beneditense x Alcobaça,Valcovense x Pataiense, Ansião x Nazarenos


ÚLTIMA 12NOVEMBRO2009

Ao querermos, enganamo-nos muitas vezes. Mas quando nunca queremos, enganamo-nos sempre. Romain Rolland, escritor francês (1866-1944)

Chuva “abençoou” festa litúrgica de S. Nuno de Santa Maria

LMFerraz

Milhares de escuteiros vieram à Batalha celebrar o Patrono

Foram cerca de cinco mil os escuteiros e familiares que se juntaram em frente ao Mosteiro da Batalha, no passado dia 8 de Novembro, para a primeira Missa da festa litúrgica de São Nuno de Santa Maria, patrono do Corpo Nacional de Escutas (data oficial: 6 de Novembro). Vindos de todo o País, mais teriam sido, não fosse a abundante chuva que veio “abençoar” aquele domingo, obrigando ao cancelamento da caminhada prevista até ao Campo Militar de S. Jorge e de outras actividades a realizar naquele local.

Ainda assim, não deixou de ser grandiosa e festiva esta celebração, presidida por D. António Carrilho, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, e concelebrada por mais de uma dezena de sacerdotes ligados ao movimento escutista. Com transmissão em directo pela TVI, a Eucaristia foi marcada pela animação musical, mensagem e símbolos do escutismo, recebendo também uma tónica de solidariedade no momento do ofertório que, numa colaboração com a Cáritas Portuguesa, foi destinado aos filhos de

pais desempregados. Na homilia, o Bispo do Funchal salientou precisamente a faceta da solidariedade e do “desprendimento dos bens materiais” vivida por S. Nuno, bem como “a sua caridade para com os pobres, o respeito por todas as pessoas, mesmo com os inimigos, e o amor à oração como lugar permanente de relação com Deus”. E a propósito do Dia dos Seminários celebrado nesta data, apelou: “A Igreja precisa de jovens dispostos a dar tudo, toda a vida, por Cristo e ao serviço dos irmãos”.

Esse foi o verdadeiro exemplo do Santo Condestável, “válido para os escuteiros, que se orgulham da sua fé e por ela orientam a sua vida, e para todas as pessoas dos nossos dias, chamadas a serem membros de Cristo na construção da paz”, afirmou o prelado, concluindo que “Nuno de Santa Maria aprendeu a sintonizar a sua vida com Deus e mostrou que é possível viver a partir dos valores de Deus, mesmo nos contextos mais adversos”. Luís Miguel Ferraz

D. Nuno evocado em Ourém

Museu Nacional do Santo Condestável Foi na celebração do primeiro dia litúrgico dedicado ao Santo Condestável, que, numa missa mandada celebrar para o efeito, Carlos Evaristo, Presidente do Conselho Executivo da Fundação Oureana e Paulo Fonseca, Presidente da Câmara Municipal de Ourém, anunciaram a formalização de uma parceria tendo em vista o estabelecimento em Ourém, já no início de 2010, do Museu Nacional do Santo Condestável - MNSC. No final da celebração religiosa, presenciada por cerca de meia centena de pessoas, Carlos Evaristo usou da palavra para fazer uma breve resenha histórica do Santo. Afirmou Evaristo que “a data celebrada não é a data da sua morte, que é o que usualmente acontece, nem essa data foi o dia 1 de Novembro, mas sim a 1 de Abril de 1431”. Afirma ainda que “Bento XV escolheu o dia 6 como data a dedicar a D. Nuno porque era a primeira disponível após o dia de Todos os Santos”. Referindo-se ao relicário que fará parte do novo Museu, Carlos Evaristo explicou que “é um busto mandado fazer na casa sucessora do Mestre Tedim, que guarda no peito as relíquias do Santo”. Anunciou ainda que o Museu terá uma visão abrangente da vida do Santo, “desde a sua vida bélica até à vida na Ordem do Carmo”.

Crónica de Viagem - 2 | Nos passos de S. Paulo - Malta e Roma Seguir os passos de S. Paulo e não fazer uma viagem marítima seria deixar a nossa “caminhada” forçosamente incompleta. Por isso, ali íamos nós, mais ou menos balanceados, a navegar no Mediterrâneo, deixando Malta para trás e rumando à pequena ilha de Gozo, com Comino à vista, pelo menos temporariamente. Era já o terceiro dia. Encontrar nesta nossa travessia passos de S. Paulo só por analogia e algum esforço de imaginação. De comum só mesmo o mar Mediterrâneo, algo encapelado naquele dia mas não tempestuoso. Quanto ao resto, lá estavam de novo os quase dois milénios de distância, com toda a evolução que representam, evolução que permitiu ir da “casca de noz” (metáfora gasta mas sempre expressiva) em que Paulo terá viajado, ao moderno “ferry” (penso que posso designá-lo assim) em que viajávamos, embalados mas seguros. As leituras litúrgicas do dia haveriam de dar pleno sentido a estes nossos “passos”. Tempos houve em que, a Gozo, os malteses só iam em caso de extrema necessidade, pelos perigos inerentes à viagem, mas sobretudo

pelo risco sempre iminente de ataque dos piratas muçulmanos, uma ameaça constante a este pequeno arquipélago em longos períodos da sua História, com momentos verdadeiramente dramáticos para as populações, de que ficaram marcas e de que ainda hoje “falam” muitas das suas pedras: muralhas, cidadelas, torres de vigia… Mas neste espaço ocidental concreto os tempos são hoje outros e nós, apesar de estrangeiros, éramos cristãos e estávamos ali em missão de paz, em busca de raízes e marcas da nossa religião comum, sem desdenhar, naturalmente, outras marcas culturais específicas do povo maltês e que contribuíram, em maior ou menor grau, para a construção da sua identidade. Feita, como aliás a nossa própria, de múltiplas achegas que as vicissitudes da História foram trazendo, e cujas origens são por vezes difíceis de rastrear ou explicar, principalmente se remontam a tempos em que não havia ainda a escrita para as esclarecer. Foi o que nos aconteceu na visita aos templos megalíticos de Ggantija, que nos fizeram viajar até à Pré-história e nos impressionaram pela sua

grandeza arquitectónica. Ficam sem resposta diversas perguntas: como conseguiram os seus construtores erguer e dispor daquela forma pedras de tais dimensões, em tempos tão recuados (c. 4100 – c. 2500 a. C.), com meios técnicos seguramente muito rudimentares? Qual a razão de ser da sua estrutura em forma de trevo?... Mas para além de todas estas interrogações, aqueles templos são sem dúvida prova de uma grande fé, sente-se ali a presença do sobrenatural, da religiosidade inerente ao Homem. Continuando a viajar no tempo, saltámos para o séc. VI a.C. (se considerarmos a passagem a escrito do poema homérico) e tivemos a nossa “Odisseia” (como diria alguém do grupo) na Gruta de Calypso, a deusa que ali teria retido Ulisses durante oito anos, impedindo-o de regressar a Ítaca, mas de cujos laços o herói acabaria por libertar-se, recusando a imortalidade que a deusa lhe assegurava, a que preferiu a imperfeição da vida perecível ao lado da mulher e do filho que o esperavam. Penélope ficaria, aliás, como símbolo da fidelidade conjugal, desfazendo de noite a teia que tecia de dia, para enganar

os pretendentes que a assediavam. A história, mesmo que apenas ficção literária, é bonita e merece sempre ser evocada. A gruta vale o que vale, apenas pela lendária presença de Ulisses naquelas paragens, a remeter para a cultura grega, substrato de toda a cultura ocidental. (Não temos nós também a lenda da fundação de Lisboa – Ulissipo ou Olisipo – por Ulisses? Que pena não termos referido isso ao nosso guia! Ou alguém referiu?) Mas fomos sempre tendo os pés bem assentes no presente, nos diversos locais onde os assentámos, testemunhas ou não de épocas passadas, e pudemos ficar com uma boa visão de Gozo, cuja morfologia (as colinas e as praias) e cores (o verde muito presente) contrastavam com Malta na sua monotonia quase plana e quase monocolor (a cor da pedra local e da terra seca) caindo mais ou menos abruptamente no mar. E, foi com todo o nosso ser bem assente no presente, que visitámos a Igreja de Ta’Pinu, o santuário mais popular consagrado ao culto da Virgem Maria nas ilhas maltesas, onde foi celebrada a Eucaristia. Retomámos aqui mais explicitamente

os passos de Paulo, bem presentes na primeira leitura – a tempestade e o naufrágio (Act 27, 14-44), - que pudemos sentir mais vivamente depois da nossa própria experiência marítima. A ida tinha de ter regresso e, já de novo em Malta, numa visita fora do programa, fomos conhecer a Igreja de Mosta. Intrusos procurando não perturbar a celebração em curso (era Domingo), admirámos a beleza da sua única cúpula e das suas capelas e, mesmo sem compreender a língua, pelos gestos bem nossos conhecidos, ainda nos integrámos momentaneamente na Eucaristia: éramos cristãos entre cristãos e naquele momento preciso a língua não era barreira. Foi um extra que teria feito falta, mesmo sem a possibilidade de vermos a bomba que atravessou a cúpula da igreja em 1942 sem explodir, poupando miraculosamente a vida a 300 fiéis ali reunidos. Chegava ao fim mais um dia, concluído com o que já era também ritual estabelecido: balanço, reflexão e oração. E chegavam também ao fim a os nossos passos em Malta. Celme Pedreiro

4783#OMENSAGEIRO#12NOV  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição de 12 de Novembro de 2009 (N.º 4783).

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you