Issuu on Google+

CAMPANHA

13 AGOSTO 2009 ANO 95 - N.º 4771 FUNDADOR José Ferreira Lacerda DIRECTOR Rui Ribeiro

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

|Última

PRIORITY

Nº DE2703206MPC

DESTAQUE

Fátima - 1 a 4 de Setembro de 2009

PADRES

PORTUGUESES

EM SIMPÓSIO

CULTURA Cartaz completo das iniciativas

Festas da Batalha sob o lema de S. Nuno | P. 4 Gastronomia em Leiria

Festival de “Saber, Sabor e Tradição” | P. 5 SOCIEDADE Mais floresta ardida em 2009

Incêndios aumentam na Europa | P. 7 “Um sorriso com as TIC”

Pediatria do Hospital de Santo André recebe computadores | Última ECLESIAL 15 de Agosto Nossa Senhora da Encarnação

Cidade de Leiria celebra a sua Padroeira | P. 9 28 de Setembro Santo Agostinho

Diocese celebra o seu Padroeiro | Última

DR

Já na sua sexta edição, vai realizar-se este ano mais um simpósio do clero. O tema está intimamente ligado com a vida dos sacerdotes: “reaviva o dom da graça que está em ti”. Os dias em que decorrerá o simpósio serão certamente cheios de reflexões, diálogo e partilha de ideias, que não poderão deixar de enriquecer os participantes. À reflexão juntar-se-á o convívio e a possibilidade de estar em comunhão com quem vive e partilha as mesmas preocupações quotidianas. Páginas 2 e 3

O Mensageiro irá fechar os seus serviços para férias até ao próximo dia 23 de Agosto. Assim, no dia 20 não haverá edição. Agradecemos a compreensão dos leitores e formulamos votos de boas férias para todos os que aproveitam estes dias de descanso!


2 DESTAQUE

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Rui Ribeiro prui@iol.pt Já na sua sexta edição, vai realizar-se este ano mais um Simpósio do Clero. O tema deste simpósio está intimamente ligado com a vida dos sacerdotes “reaviva o dom da graça que está em ti”. Os dias em que decorrerá o simpósio serão certamente cheios de reflexões, diálogo e partilha de ideias, que não poderão deixar de enriquecer os participantes. À reflexão juntar-se-á o convívio e a possibilidade de estar em conjunto com quem vive e partilha a mesma preocupação quotidiana. Num destes dias li o comentário de alguém que se afirmava catequista e mãe, ao mesmo tempo que deixava bem clara a seu amor pela Igreja. No seu comentário deixou bem vincada a sua critica negativa em relação a reuniões como esta. Dizia-se de acordo com estas reuniões, mas questionava-se sobre a utilidade das mesmas. E apresentava até o seu caso pessoal, como catequista, dizendo que o amontoar de reuniões normalmente tem como resulVale a pena tado a perda de reflectir sobre tempo e a inércia o reavivar do no terreno. dom que está Não deixa de ser pertinente no sacerdote se a reflexão feita imediatamente sobre a incapacia seguir forem dade que se faz implantadas sentir na Igreja condições para que em passar à práisso aconteça tica aquilo que de facto sabe fazer, melhor que ninguém, reflectir e discutir. É uma realidade com que estamos já familiarizados: a Igreja tem um discurso retórico e racional muito bem elaborado e estruturado. Mas muitas vezes, a prática fica um pouco longe do que se diz e se ensina. Obviamente que não vamos exagerar o que dizemos nesta reflexão. Mas que fique vincada a preocupação. O número de reuniões que se faze, por exemplo, no contexto da catequese (reuniões para catequistas e para pais), já deveria ter produzido efeitos que teimamos em afirmar não se verem. O que se passará nessas reuniões para que, apesar delas, continuemos a levantar críticas à formação dos catequistas e dos pais? O que faltará, em nosso entender, é a capacidade de traduzir em factos o que se reflecte, o que só será possível se a especulação não for alimentada por si mesma, mas em função do real e do concreto. Vale a pena reflectir sobre o reavivar do dom que está no sacerdote se imediatamente a seguir forem implantadas condições para que isso aconteça. Caso contrário continuaremos a produzir extensos “livros de actas” e bonitos textos de conclusões, mas amanhã no terreno tudo continuará a ser igual. Concordo com aquela catequista e partilho das suas dúvidas e receios, mas quero acreditar que cada vez será melhor.

Padres portugueses em simpósio No texto que assinala a celebração de abertura do Ano Sacerdotal, marcada para 19 de Junho, D. António Santos, presidente da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios, anuncia a realização de um simpósio para os padres de Portugal. O encontro ocorrerá em Fátima, entre os dias 1 e 4 de Setembro de 2009. A mensagem lembra que, ao propor este período de reflexão, no ano em que se assinalam os 150 anos da morte do Cura d’Ars, S. João Maria Vianney, o Papa pretende sensibilizar as comunidades cristãs para os “grandes ideais” da vida sacerdotal, “nestes tempos que são os nossos”. O tema deste Ano - “Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote” - sublinha que o chamamento de Deus para uma missão específica de serviço à Igreja e ao mundo e a doação da própria vida são elementos constitutivos da identidade dos padres, que se consolida a partir do exemplo de fidelidade de Cristo a Deus Pai. A mensagem destaca a importância dos Seminários no discernimento que cada aluno faz sobre a vontade de Deus e da Igreja a seu respeito, bem como na formação espiritual, teológica e pastoral. Por isso eles “são chamados a viver, mais do que qualquer outra instituição, o Ano Sacerdotal com criativo acolhimento e com renovado sentido de missão”. As ordenações de padres que irão ocorrer proximamente serão momentos muito oportunos para constatar a acção de Deus, que revela a Sua vontade em cada seminarista, sem todavia deixar de respeitar a sua liberdade. Os votos perpétuos de pobreza, castidade e obediência orientam-se para facilitar e concretizar o amor inteiramente dedicado a Deus e à comunidade que caracteriza os padres. Mas aqueles meios precisam de ser permanentemente reavivados, dado que os sacerdotes, como todos os seres humanos, são frágeis e vulneráveis; por isso é indispensável que coloquem a vida espiritual no centro da sua existência A missa diária é o momento em que se renova o amor que o sacerdote recebe de Deus e que entrega aos que o rodeiam. Estas características tornam-se visíveis na união

Simpósio é a palavra usada para designar uma reunião de pessoas interessadas num determinado assunto, havendo uma refelxão, debate e diálogo à volta de um tema abrangente que é analisado sob vários e diferentes angulos. Neste sentido o simpósio permite uma actualização temática ao mesmo tempo que proporciona um intercâmbio de ideias e saberes. Os especialistas orientam e expoem as suas ideias criando-se desta forma o debate e executam-se trabalhos. com o bispo, na relação fraterna com os padres e no “serviço generoso” aos membros da comunidade, que são a razão de ser da sua existência. No entanto, mais do que aquilo que ele faz, “a beleza da vida e da missão do sacerdote consiste essencialmente naquilo que ele é”. A fidelidade e o agradecimento a Deus pela oferta de sacerdotes à Igreja serão intensificados através de uma vida conforme à vontade divina e que, por outro lado, manifestem aos membros das comunidades palavras de esperança e “sentimentos de perdão e de misericórdia e gestos de dor compassiva (...) nos momentos de fragilidade ou de desânimo.” D. António Santos lembra que apesar deste período se dirigir a toda a Igreja, “é no coração, na vida e no ministério de cada um dos sacerdotes” que ele encontra “o mais indicado e necessário ambiente de acolhimento e a mais densa e sentida forma de celebração”. Uma das prioridades deste Ano consiste na oração e no estabelecimento de condições para que mais pessoas escutem o apelo de Jesus Cristo e decidam ser sacerdotes. As comunidades são também convidadas a relembrar os exemplos, discretos e herói-

cos, de padres que seguiram a vontade de Deus, recolhendo motivos de esperança da sua memória. Para D. António Santos, os sacerdotes doentes, idosos e os que “vivem momentos dolorosos de provação” são

olhados com “atenta solicitude” por parte da Igreja, que vê revelados nos seminaristas e nos jovens padres “caminhos de generosidade e de fidelidade”.

Padres vão O tema deste Simpósio Nacional, enquadrado no Ano Sacerdotal é tirado da segunda Carta de Paulo a Timóteo: “Exorto-te a que reavives o dom da Graça de Deus que está em ti pela imposição das minhas mãos” (2 Tim 1, 6 – 11) Em cada momento é necessário reavivar o dom de Deus que está em nós. Que significará reavivar? O verbo grego significa avivar um fogo. Ora o Espírito Santo é descrito muitas vezes como fogo e a sua vinda é descrita simbolicamente em línguas de fogo. E é nesse sentido que é interessante que seja dito que o homem cristão, nomeadamente o sacerdote, tem responsabilidade no reavivar em si mesmo o dom de Deus. Neste caso concreto de Timóteo trata-se do dom que recebeu pela imposição das mãos, o rito específico da ordenação, da consagração ou nomeação. TrataDR

Pensar a vida ou viver a pensar

Fátima - 1 a 4 de Setembro de 2009

Arquivo/LMFerraz

editorial


DESTAQUE 3

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Simpósio vai convidar sacerdotes, mas também seminaristas e diáconos

O clero português vai reunir-se em Setembro com o objectivo de reavivar o dom do sacerdócio. A ocasião será o Simpósio organizado pela Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios, que dará o mote para o ano pastoral que é, simultaneamente, Ano Sacerdotal. O Simpósio, sob o tema « Reaviva o dom que há em ti», vai abordar a formação contínua e permanente do clero. Esta formação não pode estar desligada da inicial “nas várias instâncias dos seminários”, explica o Pe. Jorge Madureira, secretário da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios. Seminaristas e diáconos com vista à ordenação estão convocados para, junto com o clero, aprofundar o crescimento contínuo do ministério presbiteral, segundo o espírito do Ano Sacerdotal. Confirmada está já a presença do Cardeal Claudio Hummes, Prefeito da Congregação para o Clero. Também o Pe. Anselm Grün, monge beneditino alemão, “dos autores cristãos mais lidos”, o Pe. Amadeo Cencini, “que irá ajudar a pensar no modelo formativo permanente para os sacerdotes”, estarão presentes em Fátima, entre os dias 1 e 4 de Setembro. O Pe. Rocha e Melo, o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo e o Pe. José Tolentino de Mendonça, que irá dinamizar um painel, são

AP

Prefeito da Congregação para o Clero, cardeal Claudio Hummes estará em Portugal

também presenças asseguradas. A reunião, que juntou em Fátima os delegados da Comissão Episcopal dos Ministérios e Vocações de cada diocese e os Reitores dos Seminários, tomou o pulso da dinamização nacional em torno do Ano Paulino. O secretário da Comissão assegura “um grande dinamismo em todas as dioceses”, muito devido à emissão de notas e mensagens que os bispos escreveram para “convocar todos os diocesanos e os presbíteros”. “O que faz parte do calendário habitual terá a marca do ano sacerdotal”, explica, a que se

somam ainda retiros para sacerdotes, estudos para aprofundar o sentido do ministério sacerdotal, orações. As próprias dioceses vão intensificar a pastoral vocacional e aproveitar para imprimir maior dinamismo, “em especial para o sacerdócio”, confirma o Pe. Jorge Madureira, que espera ver sair deste ano, e do próprio simpósio de Setembro, “dinamismos de formação permanente”. Para o secretário da Comissão este ano sacerdotal, convocado por Bento XVI, que teve o seu início no passado dia 19, é uma

ocasião para “os sacerdotes retomarem a fonte que os alimenta, e cada um aprofundar o sentido do seu ministério e vocação sacerdotal”. Neste ano é fundamental assinalar a importância do ministério do padre para a Igreja mas também para o mundo. “Será um momento de forte renovação do próprio presbítero, na compreensão do ministério que configura a sua vida”, afirma o sacerdote. A sociedade “deve conhecer melhor o ministério e aprofundar o sentido do sacerdócio”. Esta análise não poderá estar desligada dos “fundamentos do sacerdócio que os presbíteros são chamados a realizar”. A temática apontada por Bento XVI, «Fidelidade a Cristo, fidelidade do Sacerdote», chama a isso mesmo. Para o Ano Sacerdotal, a Comissão Episcopal organizou um guião em que apresenta algumas propostas para a celebração deste ano pastoral. Estão a ser estudadas outras actividades mas o secretário da Comissão remete para a Conferência Episcopal Portuguesa. O Simpósio será já “uma actividade nacional para o Ano Sacerdotal”, centra o Pe. Jorge Madureira.

Programa do Simpósio Dia 1, terça feira 10h30 - Abertura (D. Jorge Ortiga; D. António Francisco dos Santos; P. Jorge Madureira) 11h30 - Conferencia “A experiencia de si e o acompanhamento espiritual - O presbítero, homem de Deus seduzido”, P. Anselm Grun 15h00 - Conferencia “Homem: Força na debelidade”, P. Anselm Grun 17h00 - Conferencia “Amadurecer espiritualmente toda a vida - desafios do acompanhamento”, Pe Anselm Grun 18h00 - Eucaristia 19h00 - Adoração/Vésperas Dia 2, Quarta feira 09h00 - Laudes e oração pessoal 10h00 - Conferencia ““Não descures o dom espiritual que está em ti -Os caminhos do silêncio e da oração”, P. Rocha e Melo sj 11h30 - Eucaristia 15h00 - Conferencia“Crescer como pessoas para servir como pastores”, Card. D. José da Cruz Policarpo 16h30 - Painel 19h00 - Adoração/Vésperas 21h30 - Momento cultural com Rão Kyao Dia 3, Quinta feira 09h00 - Laudes e Oraçãom Pessoal 10h00 - Conferencia “Modelo formativo em volta do qual se pode construir um projecto de formação permanente -A árvore da vida sacerdotal” , P. Amedeo Cencini 11h30 - Eucaristia 15h00 - Conferencia, P. Amedeo Cencini 17h00 - Conferencia, P. Amedeo Cencini 19h00 - Adoração/Vésperas 21h30 - Encontro por dioceses Dia 4, Sexta feira 09h00 - Laudes e oração pessoal 10h00 - Conferencia “Renova nos seus corações o Espírito de Santidade [Pontifical Romano - Ordenação de Presbíteros], Card. Hummes 11h30 - Conclusão dos trabalhos 12h00 - Eucaristia final

reflectir sobre como “reavivar o dom da Graça de Deus” se, portanto, do dom da Graça de Deus para o ministério em Igreja. É esse dom ministerial que é preciso reavivar. E se há necessidade de o reavivar significa que ele se pode apagar ou extinguir e que corre esse perigo. Como se extinguem ou “ofuscam” os dons de Deus e, nomeadamente, o dom do seu Espírito? Podemos colocar algumas hipóteses de motivos: No caso de Timóteo podemos colocar a hipótese de o dom se ofuscar por causa da solidão. Timóteo pode ter-se sentido “terrivelmente solitário” quando se separou de Paulo. Tinham trabalhado em muito estreita colaboração, mas agora o peso da solidão, das decisões na comunidade fazem-no esquecer de recorrer à força do dom de Deus. Ainda hoje encontramos solidões terríveis e que por isso destroem ou ofuscam o Espírito de Deus em nós.

Uma outra razão possível para o enfraquecimento do dom de Deus em Timóteo é a sua jovem idade ou, por quaisquer motivos, a insegurança. Jovem idade que pode fazer com que Timóteo se sinta inadequado para a direcção da comunidade. A insegurança produzida pela idade é, de facto, apresentada aqui como uma hipótese de algo que provoca o enfraquecimento do dom de Deus. Uma terceira hipótese de causa do enfraquecimento do Dom de Deus é a falta de exercícios espirituais, a falta de oração. Lembremos que, na primeira Carta a Timóteo, Paulo exorta Timóteo a exercitar a piedade (1 Tim 4, 8). O dom de Deus pode, portanto, ofuscar-se quando deixamos de rezar. Somos então desafiados a reavivar o dom de Deus que está em nós. E S. Paulo continua di-

zendo a Timóteo que Deus nãos nos deu um Espírito de timidez, mas sim de fortaleza, caridade e temperança. À primeira vista, humanamente falando, parece que temos aqui um Timóteo que não acredita já no seu ministério e na sua capacidade. É assim que S. Paulo o convida a sair do estado de temor em que parece viver (quem teme não é perfeito no amor). A timidez de que nos fala S. Paulo não é apenas, ou principalmente, uma timidez psicológica. É antes uma timidez que se revela como o contrário da confiança em Deus, o contrário da fé em Jesus Cristo que conhece e guia todas as coisas. Significa, portanto, que a timidez, no sentido de medo, de falta de coragem evangélica, é uma tentação grave e o possível início de muito ofuscamento de dons de Deus. É algo que mata a alegria e a coragem do serviço ministerial.

É desta mesma timidez que Jesus nos liberta quando nos diz “ Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não se perturbe o vosso coração, não tenhais medo” (Jo 14, 27) (não tenhais “deilia”). De facto, continua S. Paulo, Deus deu-nos um Espírito de fortaleza, de amor e de temperança”.Poderíamos traduzir de outra forma: “um Espírito de força, de amor e de sabedoria”. A força que nos é dada é a força do próprio Senhor Jesus, aquela que estava n’Ele ao anunciar com tantos e tantos sinais o Reino de Deus. O amor, por seu lado, é o amor de Deus, o amor criador, a caridade participação no próprio Amor que Deus é. A temperança, finalmente, aqui usada por Paulo, diz respeito à sabedoria associada à prudência e à moderação. A temperança é a capacidade de permanecer na justa medida que é diferente do meio termo, a ca-

pacidade do equilíbrio. É a justiça. É a capacidade de não se deixar manipular pelos estados emocionais passageiros, pelos fantasmas dos sentimentos, pela dureza das desilusões (inconsistência). Talvez por tudo isto S. Paulo diga a Timóteo que o Espírito de Deus é de força, amor e temperança. Talvez a força e o amor não chegassem e Paulo lhes junte a capacidade de discernimento que a temperança faz agir. Ser sábio e ter temperança é saber discernir os tempos, os lugares, os momentos, reconhecer a revelação da força de Deus, perseverar. Ano Sacerdotal e Simpósio, duas ocasiões, para o Clero e para todos os cristãos, de perceber melhor e mais profundamente o lugar do Padre na Igreja e no mundo. Uma ocasião de perceber a sua vocação e os sinais específicos da sua consagração.


4 CULTURA

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Jardins do Lis de Leiria

CINEMAS Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) • UP - ALTAMENTE | animação | de Pete Docter, Bob Peterson | 13 a 26 de Agosto, 15h30 e 21h30 Teatro Miguel Franco (Leiria) • HANNAH MONTANA: O FILME | comédia | de Peter Chelsom | c/ Miley Cyrus, Billy Ray Cyrus, Emily Osment | 13 a 26 Agosto, 15h30 e 21h30 • GÉNOVA | drama | de Michael Winterbottom | c/ Colin Firth, Hope Davis, Monica Bennati | 19 de Agosto, 18h30 • GÉNOVA | drama | de Michael Winterbottom | c/ Colin Firth, Hope Davis, Monica Bennati | 19 de Agosto, 18h30 • COCO AVANT CHANEL | romance | de Anne Fontaine | c/ Audrey Tautou, Benoît Poelvoorde, Alessandro Nivola | 26 de Agosto, 18h30 Cine-Teatro de Monte Real • HARRY POTTER E O PRÍNCIPE MISTERIOSO | thriller | de David Yates | c/ Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint | 14 a 16 Agosto, 21h30 • CASAMENTOS E INFIDELIDADES | drama | de Ira Sachs | c/ Chris Cooper, Annabel Kershaw, Pierce Brosnan | 21 a 23 de Agosto, 21h30 Cine-Teatro Álvaro (Vieira de Leiria) • SINAIS DO FUTURO | thriller | de Ron Howard | c/ Nicolas Cage, Chandler Canterbury e Rose Byrne | 19 de Agosto, 21h30 • STAR TREK | ficção científica | de J. J. Abrams | c/ Chris Pine, Zachary Quinto, Winona Ryder, Eric Bana | 26 de Agosto, 21h30 Auditório António Campos (Praia da Vieira) • O LEITOR | thriller | de Stephen Daldry | c/ Ralph Fiennes, Kate Winslet, Jeanette Hain, David Kross | 14 de Agosto, 21h45 • O SILÊNCIO DE LORNA | drama | de Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne | c/ Arta Dobroshi, Jérémie Renier | 16 de Agosto, 21h45 • UM DIA DE CADA VEZ | comédia | de Mike Leigh | c/ Sally Hawkins, Elliot Cowan, Alexis Zegerman | 21 de Agosto, 21h45 • O VISITANTE | drama | de Thomas McCarthy | c/ Richard Jenkins, Haaz Sleiman, Danai Jekesai Gurira | 23 de Agosto, 21h45 Auditório Municipal da Batalha • IDADE DO GELO 3: DESPERTAR DOS DINOSSAUROS | animação | de Carlos Saldanha | 14 a 17 de Agosto, 21h30 • A RESSACA | comédia | de Todd Phillips | c/ Justin Bartha, Heather Graham, Jeffrey Tambor, Ken Jeong | 21 a 24 de Agosto, 21h30 Cine-Teatro Municipal de Ourém • COM OUTRA?... NEM MORTA | comédia | de Jeff Lowell | c/ Eva Longoria , Jason Biggs , Lake Bell , Paul Rudd | 14 e 15 de Agosto, 21h30 • A PROPOSTA | comédia | de Anne Fletcher | c/ Sandra Bullock, Betty White, Ryan Reynolds, Denis OHare | 21 e 22 de Agosto, 21h30

EXPOSIÇÕES M|i|mo - Museu da Imagem em Movimento (Mercado de Sant’Ana) •”O Fascínio do Olhar” (permanente) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria •”Moinhos de Maré do Ocidente Europeu” (~14/09) Casa Museu João Soares - Cortes •”10 anos” e “Vida no campo” (permanente) Casa-Museu Afonso Lopes Vieira - Marinha Grande • Colecção Carlos Vieira (permanente) • Fotobiografia de Afonso Lopes Vieira (permanente) Museu do Vidro - Marinha Grande •”Contempotâneios - Vidro Artístico Contem. Port.-2009” (~25/10) Praia do Pedrogão •”Litoral Regional” - fotografia (~30/08) Galeria Mouzinho de Albuquerque - Batalha • “Ordens Honorificas de Portugal” - mostra de peças (14/08~13/09) Biblioteca Municipal de Ourém •“Palavras da terra...” - fotografia de Nuno Calvet (~31/08) Galeria Municipal de Ourém •“Antefututo” - fotografia de T. Gonçalves (16/08, 6/09) Museu Municipal de Ourém •“Pelo dia fora”: objectos relacionados aos trbalhos da terra (~31/03) Torre de Menagem - Castelo de Pombal •“Elementos Arquitectónicos: Memórias de uma Época” (permanente) Casa da Cultura - Santiago de Litém •“À descoberta da Alice” - Dinossáurio dos Andrés (permanente) Lagares d’ El Rei - Tomar • Rui Salvador - 25 de Alternativa (~6/09) Casa dos Cubos - Tomar •«Surrealismo, PORQUÊ?...» (~13/09) Galeria dos Paços do Concelho - Tomar •Pintura da autoria de Manuel Casimiro (~30/09) Edifício do Ascensor - Alcobaça • Pintura de Isabel Barra (15/08~30/08) Armazém das Artes - Alcobaça •”Pintura com afecto” - ”Desenhos de Júlio Resende” - ”Memórias” - ”Colecções” (~27/09)

Exposição colectiva de fotografia Enquadrado no Dia Mundial da Fotografia que se comemora a 19 de Agosto, o Jardins do Lis Galerias leva a efeito de 14 a 23 do corrente mês, a segunda exposição colectiva de fotografia com trabalhos dos seguintes fotógrafos amadores e profissionais: Ana Dias, Julieta Domingos, Bruno Horta, Pedro Caseiro, Tozé Santos, João Brites, Paulo Sérgio Paulino Silva, Filipe Domingues, Rui Miguel Meca e Flávio Patrício. Para melhor conhecer estes artistas, apresentamos uma breve descrição sobre os mesmos: Julieta Domingos Desde criança que está ligada ás artes, nomeadamente desenho, pintura e fotografia, e foi na fotografia que encontrou o que considera, a extensão dos seus sentidos! Paulo Sérgio Paulino Silva A sua primeira exposição fotográfica intitulada “O outro lado da fotografia” em Outubro de 2008 e mais recentemente em Junho de 2009 outra exposição “ Historia e Património “que esteve patente no novo edifício da Câmara Municipal de Ourém inaugurada pelo Exmo. Senhor Presidente da República. Rui Miguel Meca Desde cedo a fotografia despertou-lhe à atenção, a possibilidade de congelar um momento, um sorriso um lugar algo que se possa mais tarde recordar com gosto. João Brites Fotógrafo amador e finalista do curso de arquitectura na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto. Durante os meses de Fevereiro e Março de 2008 partiu em viagem rumo ao norte da Argentina, Bolívia, Perú e Chile. A seguinte exposição retrata alguns dos cenários e gentes que se foram cruzando pelo caminho. Pedro Caseiro Impulsionado a aprender e a desenvolver técnicas fotograficas, e sempre com a predominância do elemento humano, tive a oportunidade de fotografar a a vida nocturna em discotecas, designado por “Clubbing photos”. Uma vertente com técnicas muito próprias devido à dificuldades de captação de luz diminuta e inconstante. A captação do ambiente e meio envolvente vivido com um olhar diferente. Bruno Horta É apenas aos 22 anos que lhe é despertada a curiosidade pela fotografia. Todo o trabalho que faz a esse nível é puramente amador, tendo como modelo a sua cara-metade, e algumas pessoas que se disponibilizaram para algumas fotos. Em 2008 é convidado para realizar, books fotográficos e reportagens em discotecas.


CULTURA 5

O Mensageiro 13.Agosto.2009

XVII Festival Regional de Gastronomia de Leiria Leiria tem o prazer de apresentar o seu “XVII Festival Regional de Gastronomia”, nesta edição com o tema “Saber, Sabor e Tradição”. O Festival decorre de 29 de Agosto a 6 de Setembro, ao longo do Marachão, junto ao rio Lis, das 18h00 às 24h00. Para além dos sabores da gastronomia, o Festival já é uma referência na dinâmica da animação turística da região, tendo ao longo dos anos conquistado um público cada vez mais vasto. Este evento resulta da parceria entre a Entidade Regional de Turismo Leiria-Fátima e a Câmara Municipal de Leiria, contando com a participação de onze restaurantes, bem como de stands diversos sobre várias temáticas da gastronomia regional: vinhos, morcela, pastelaria, gelados, ervas aromáticas, fruta e livros. O programa de animação do festival é diversificado atendendo a todos os gostos e aos públicos mais exigentes. Todas as noites,

DR

“Saber, Sabor e Tradição”

a partir das 21h30, sobem ao palco artistas e grupos musicais que caracterizam a região. O Festival integra a Feira do Mel, onde a Associação de Apicultores da Região de Leiria apresenta diferentes variedades e derivados do mel. Estará também patente no Posto de Turismo de Leiria uma exposição de produtos regionais e artesanato intitulada “Produtos da Terra”, promovida pela ADAE. Esta pode ser visitada diariamente, das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 19h00. Em simultâneo com o

festival decorrerá o “Mundo da Maçã 2009 – Apple Parade Leiria”, iniciativa da Associação dos Produtores de Maçã de Alcobaça. Este é um projecto dinâmico, com actividades que não deixarão ninguém indiferente e que pretende sensibilizar para uma “Alimentação saudável e equilibrada”. O público terá a oportunidade de degustar os vários produtos da Maçã de Alcobaça, observar as originais 40 maçãs gigantes em exposição, participar na Caminhada da Maçã de Alcobaça, entre outros. No fim-de-semana de 04, 05 e 06 de Setembro

poderá ainda efectuar-se a visita à “Zona Institucional”, fruto desta iniciativa. Esta zona divide-se numa área de divulgação e informação acerca dos modos de produção e benefícios associados ao consumo da Maçã de Alcobaça, área de saúde com rastreios e área para as crianças com animação diversa. Também no fim-de-semana de 5 e 6 de Setembro, e integrado no programa do Festival, a III Festa do Rio Lis irá completar a animação do certame através de várias actividades como concurso de pesca, torneio de chinquilho, fado, entre outras actividades. O “XVII Festival Regional de Gastronomia de Leiria” quer proporcionar a todos os seus visitantes uma experiência única de sabores, paladares e sensações requintadas, transmitir as tradições graciosas desta região, bem como superar as expectativas de todos os seus visitantes.

Isabel Ricardo lança livro dedicado a D. Nuno Álvares Pereira

“A Demanda do Mestre de Avis e a Vida do Santo Condestável” A escritora Isabel Ricardo regressa à figura histórica de Nuno Álvares Pereira para o seu mais recente livro, “A Demanda do Mestre de Avis e a Vida do Santo Condestável”, que será apresentado no próximo dia 14 de Agosto, no Centro Cultural da Nazaré. A sessão, que se realizará pelas 22h00, no âmbito da 34ª Feira do Livro da Nazaré, contará com a presença de Alexandre Patrício Gouveia, presidente da Fundação Batalha de Aljubarrota.

Na sequência do extenso romance “A Demanda do Mestre”, cujo enredo se passa durante a crise de 1383-85, Isabel Ricardo escreveu uma adaptação, sob a forma de romance biográfico, dirigida a um público mais jovem. Nesta nova obra, a autora retrata a época, os factos e as figuras históricas ligadas a este período da História de Portugal, tendo como elemento central a personalidade de D. Nuno. Chefe militar, estratega de batalhas, personagem he-

róica, benfeitor e homem de fé, alcançou o respeito dos grandes do seu tempo, incluindo o Rei D. João I, de quem era braço-direito, e entrou no coração dos portugueses de todas as gerações. Natural da Nazaré, Isabel Ricardo escreveu o primeiro livro com apenas 11 anos e possui já uma vasta obra, publicada não só em Portugal, mas também no estrangeiro. Considerada uma referência valiosa na literatura infantil e juvenil, apresenta várias co-

lecções de grande sucesso publicadas na Multinova e Livros do Brasil. É também perita em criar romances com enredos empolgantes, repletos de mistério e suspense que transportam os leitores para o encantamento da ficção. Este é o seu terceiro romance histórico com a Planeta Editora. A apresentação acontece no dia em que se assinala o aniversário da mítica Batalha de Aljubarrota.

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS Pátio do Mercado Sant’Ana - Leiria •”Q temp‘Este” - teatro do elefante (15/08, 22h00) •”Jabardixie” - dixie jazz (21/08, 22h00) •”Careos” - flamenco (22/08, 22h00) Jardim Luís de Camões - Leiria •”Päsuke Folk Dance Group - rancho folclórico de Talin, Estónia (14/8) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria •”Férias com ciência” - animação infantil/juvenil (~14/08, 9h às 18h) •”Brincar e interpretar é o que está a dar” - animação infantil/juvenil - 8 aos 10 anos - (17 ~ 21/08, 9h30 às 17h00) •”Brincar e interpretar é o que está a dar” - animação infantil/juvenil - 6 aos 8 anos - (24 ~ 28/08, 9h30 às 17h00) Praia da Vieira - Lg. Monumento ao Pescador •“Amigos para sempre” (14/08, 22h00) • Festa de Porco no Espeto (14, 15 e 16/08) • “Banda Kroll” (15/08, 22h00) • Rancho “Peixeiras da Vieira” (16/08, 22h00) • Actividade Física da Praia (16 e 23/08, 10h00) • Noite latina e oficina de dança (21/08, 22h00) • “Adriana Miki ‘Sashimiki’” (22/08, 22h00) Praia do Pedrogão - Leiria •”Férias 100 limites” - Insulfláveis (10~14/08) •”Férias 100 limites” - Festival fitness (15 e 16/08) S. Pedro de Moel - Pç. Afonso Lopes Vieiria •”The Dixie Boys” (14/08, 21h30) •”Alegrativo en Comprimido” - animação de rua (15/08, 21h30) • Actividade Física na Praia (15 e 22/08, 18h00) •”As maravilhas do concelho” - apresentação pública (22/08, 21h30) Vieira de Leiria •Grupo ”DualBand” - Festas (14/08, 22h30) •Banda ”AmericaShow” - Festas (15/08, 22h00) •Banda ”Top 7” - Festas (16/08, 22h00) •Grupo ”Banda Kroll” - Festas (17/08, 22h00) Marinha Grande •“Mega-passeio Nocturno Marinha Grande/Fátima” (15/08, 20h00) Vila da Batalha •“Paulo Gonzo” - Festas da Batalha (14/08) •”Rancho Folclórico Rosas do Lena” - Gala Inter. Folclore (15/08) • Grande Prémio de Atletismo Mestre de Aviz - Batalha (15/08) •“Xutos e Pontapés” - Festas da Batalha (16/08) Torreão do Castelo de Ourém •“Leandro, Rei da Helíria” - Teatro Apollo (8, 15 e 29/08, 21h30) Capela de S. Sebastião - Ourém •“Canonização D. Nuno” - anim., artesanato, gastronomia (16/8, 18h) Aljubarrota - Alcobaça • Feira Medieval (14 ~ 16/08)

No Dia Internacional da Juventude

Piscina grátis no Reguengo A 12 de Agosto comemora-se o Dia Internacional da Juventude, efeméride instituída em 1999 pela Assembleia-Geral da ONU. No Município da Batalha, a data vai ser comemorada na piscina descoberta do Reguengo do Fetal, com a entrada gratuita naquele espaço para os jovens dos 12 aos 25 anos de idade. A par da gratuitidade do bilhete, estará também disponível naquele espaço a nova biblioteca itinerante da autarquia, com distribuição e empréstimo gratuito de jornais, revistas e livros a todos os presentes.


6 SOCIEDADE

O Mensageiro 13.Agosto.2009

João Paulo Marques toma posse como Presidente do IPL O professor João Paulo dos Santos Marques, anterior vice-presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), foi votado e tomou posse como presidente em exercício, a 31 de Julho, durante a reunião extraordinária do Conselho Geral do IPL. O processo eleitoral para a escolha do novo presidente da instituição teve início a 18 de Maio do corrente ano, estando as eleições agendadas para 28 de Setembro próximo.

Em Ourém Cemitério de Urqueira ampliado... Foram inauguradas no primeiro fim-de-semana de Agosto as obras de ampliação do cemitério de Urqueira, freguesia do concelho de Ourém. Num investimento de cerca de 250 mil euros, o cemitério foi ampliado em 2.000 metros quadrados, sendo edificada também uma casa de arrumos. As obras incluíram ainda os arranjos da envolvente de 1.630 metros quadrados, pavimentação de passeios, criação de espaços verdes e um parque de estacionamento para 65 viaturas.

... e Casa Mortuária do Vilar inaugurada Foi também inaugurada a Casa Mortuária de Vilar dos Prazeres, no mesmo concelho de Ourém. Uma obra há muito ansiada pela população, que colocou ao seu serviço um edifício orçado em 300 mil euros. Vítor Frazão, presidente da autarquia, entregou um cheque de 41 mil euros para apoio aos trabalhos e deixou a promessa de “entregar mais 30 mil euros para suportar os arranjos exteriores”, isto para além de fornecer o mobiliário em falta. Também o presidente da Junta de Freguesia de Nossa Senhora das Misericórdias, Joaquim Gonçalves, afirmou que “a Junta só não ajuda mais porque não pode”, e mostrou a sua confiança na “força dos vilarenses, que lutam incansavelmente pelos seus negócios e pela sua terra”.

Acidentes de viação fazem 407 mortes em 2009

Tragédia nas estradas portuguesas

Nos últimos 10 dias de Julho morreram 30 pessoas em acidentes de trânsito em Portugal continental, de acordo com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), que junta informação da GNR e PSP. De 22 a 31 de Julho, que corresponde a um dos maiores períodos de férias dos portugueses, a PSP registou cinco mortos e 25 feridos graves, enquanto a GNR registou 25 mortos e 55 feridos graves, indica a ANSR no seu site. De acordo com dados do Comando Operacional da GNR, nos primeiros três dias de Agosto morreram oito pessoas devido a acidentes e 94 ficaram feridas com gravidade. Desde o início do ano e até ao fim de Julho morreram 407 pessoas em acidentes e 1411 ficaram feridas com gravidade, de acordo com os dados da ANSR, que engloba informação da GNR e PSP.

Elaborado por estudantes da ESTG

IPL entrega Aplicação Web à Associação Bem-Estar dos Parceiros O Instituto Politécnico de Leiria (IPL), através do departamento de engenharia informática da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG), apresentou e entregou no dia 30 de Julho, uma aplicação institucional Web à Associação Bem-Estar dos Parceiros (ABEP), no Auditório daquela Escola, no Campus 2 do IPL, em Leiria. Esta aplicação não foi mais que um projecto-piloto iniciado em Março, por estudantes do curso de engenharia informática, levada a cabo em conjunto com a Associação Bem-Estar do Parceiros. A ESTG desenvolveu, então, uma aplicação onde o visitante virtual pode

DR

Após renúncia de Luciano de Almeida

obter informações acerca das valências e actividades realizadas pela ABEP, bem como recorrer a serviços digitais, como a realização de pré-inscrições referentes a valências, consulta de documentos, ou simplesmente a leitura do jornal interno da associação. Por

outro lado, o sistema permite à ABEP uma gestão simples e intuitiva dos serviços disponibilizados aos utentes. Outra particularidade a relevar passa pela facilidade de publicação de diversos tipos de conteúdos úteis ao utente, reforçando o alinhamento deste canal

de comunicações com a sua comunidade. O projecto, iniciado agora com a Associação Bem-Estar dos Parceiros, trata-se de uma prestação de serviços da ESTG para a comunidade, com consequente enriquecimento tecnológico do tecido institucional regional, com foco especial nas pequenas e microestruturas. De futuro prevê-se um aumento para mais dois ou três projectos colaborativos desta natureza por semestre, sendo que, para concorrer, basta entrar em contacto com o departamento de engenharia informática da ESTG, nos meses que antecedem o início dos semestres lectivos (Janeiro e Setembro).

Programa de formação-acção para PME

MOVEPME com vagas em Leiria No âmbito do projecto MOVEPME – Modernizar, Optimizar e Valorizar Empresas, programa de formação-acção para pequenas e médias empresas (PME) que a NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria está a promover, ainda existem vagas para empresas que queiram integrar as áreas de intervenção de Gestão, Reengenharia de Processos e Internacionalização. A área de intervenção da Gestão tem como objectivo dotar os colaboradoreschave de conhecimentos e competências nos domínios da Gestão Estratégica e Operacional, apoiar as empresas a determinarem o seu posicionamento actual

e futuro, e a lidarem com a envolvente de uma forma pro-activa, antecipando assim os impactos das mutações externas (globalização dos mercados, alterações legais, tecnológicas, demográficas) na sua organização, definindo ainda prioridades de actuação e planos de acção, face aos recursos detidos. Na área de intervenção da Reengenharia de Processos, os objectivos específicos passam por: dotar os colaboradores de competências internas necessárias à implementação sistemática e permanente de projectos de melhoria contínua nos seus processos organizacionais, bem como capacitá-los para actu-

arem transversalmente na organização; e melhorar os processos organizacionais, na base de uma redução do seu contributo para o custo operacional global, via eliminação dos desperdícios e da sua variabilidade, ao longo de toda a cadeia de valor da organização, nomeadamente: celeridade de processos, redução de custos e maximização da qualidade. No que respeita à área de Internacionalização, o objectivo é apoiar as empresas que pretendam iniciar a actividade exportadora, em todas as fases do processo: – diagnóstico, qualificação dos recursos humanos, elaboração do plano de exportação e sua

implementação. A participação das empresas neste programa é gratuita, já que é financiado pelo Eixo 3 – Gestão e Aperfeiçoamento Profissional do POPH (Programa Operacional do Potencial Humano). Os modelos de intervenção a desenvolver assumem a forma de “Formação-Acção Individualizada” e têm por objectivo conduzir e apoiar as empresas a atingirem padrões de desempenho mais competitivos, recorrendo para o efeito a metodologias activas e diversificadas, suportadas em Formação Teórica; Formação Personalizada, Workshops e Seminários de Sensibilização.

Pombal prepara Plano de Contingência para a Gripe A O Município de Pombal (CMP), através do serviço municipal de Protecção Civil, elaborou um plano de contingência para a Gripe A/H1N1 com as melhores orientações para os serviços e organizações do concelho. Para tal, a autarquia já procedeu à realização de acções de sensibilização junto dos trabalhadores municipais e funcionários das Juntas de Freguesia e apresentou este plano em vários locais, em parceria com o Centro de Saúde de Pombal e

o ACES (Agrupamento Centros Saúde) Pinhal Litoral I. Este documento pretende ser uma resposta substantiva ao alerta da Direcção Geral da Saúde (DGS) no sentido de cada instituição, pública ou privada, se preparar através da formulação do seu próprio Plano de Contingência, para enfrentar as ondas pandémicas da gripe. O presente plano pretende antecipar e gerir o impacto da gripe pandémica associado ao

vírus A/H1N1 na actividade da CMP, com o objectivo estratégico de garantir, mesmo no pior cenário possível, a continuidade da prestação de serviços mínimos. Para tal, definiram-se alguns objectivos operacionais, tais como, a resposta nas diferentes fases do plano, com o objectivo de manter os serviços essenciais em funcionamento; a estrutura de decisão, coordenação e monitorização no Município de Pombal; a coordenação com as organizações e

entidades externas; assegurar os serviços mínimos decorrentes da missão do Município de Pombal, nomeadamente instalações e rede transportes urbanos, atendimento ao público, função de abastecimento de águas, recolha do lixo, funcionamento de ETAR`S, cemitérios, apoio aos órgãos autárquicos e serviços mínimos instrumentais; reduzir o risco de contaminação nos locais de trabalho; conhecer o impacte da pandemia sobre os trabalha-

dores; preparar a resposta nas diferentes fases do plano, para diminuir as condições de propagação da pandemia; preparar procedimentos que permitam proteger a saúde de todos os colaboradores do Município de Pombal; garantir a correcta e adequada informação, quer ao nível interno, quer externo e preparar o restabelecimento da normalidade da situação tão rápido quanto possível.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Ardeu mais área florestal na Europa do que em 2008

DR

Incêndios estão a aumentar

A área florestal ardida na União Europeia desde o início do ano já ultrapassou em 20 mil hectares a devastada pelas chamas em 2008. Segundo dados do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS, na sigla em inglês), no ano passado perderamse 180 mil hectares de área florestal, contra 200 mil este ano, sendo que Espanha e Itália foram os países mais atingidos, situação que o EFFIS explica com as condições climáticas extremas registadas na segunda

quinzena de Julho. O relatório de Bruxelas indica que além de Espanha e Itália, também França e, “em menor medida”, Grécia e Portugal sofreram danos significativos. De acordo com o EFFIS, a contribuir para o aumento da área ardida já este ano estiveram “vários episódios pouco habituais” de incêndios em Portugal e no Noroeste da Espanha registados em Março, onde o clima seco e os fortes ventos contribuíram para que ardesse uma área estimada em cerca de 25 mil hectares. Durante os próximos dias, o risco de incêndio manter-se-á “elevado” em muitas zonas mediterrânicas e poderá resultar localmente em condições extremas, mas sem atingir os níveis de alerta do fim de Julho, prevê o EFFIS. O organismo europeu também publicou hoje o relatório “Incêndios Florestais na Europa 2008” que dá uma panorâmica global dos riscos de incêndio florestal e do impacto dos fogos no ano passado.

Em 2008, foi cartografado um total de 158.621 hectares ardidos, em comparação com uma média anual de 483.896 hectares. A área ardida e os danos associados foram os mais fracos registados desde 1980 no Sul da Europa. As condições meteorológicas “favoráveis” do ano passado conduziram a menores níveis de perigo de incêndio na orla mediterrânica, com algumas excepções registadas na região Sudeste. Entre os cinco países mais afectados pelos incêndios, 2008 foi “particularmente positivo” para Portugal, Espanha e França e “um pouco menos” para Itália e Grécia. Em Portugal, arderam 17.244 hectares, o que correspondeu a 11 por cento da área total desses cinco países e a uma redução de 45 por cento em relação ao ano anterior. Trata-se da menor área ardida dos últimos 30 anos, com um pico de 425.726 hectares registado em 2003. Ainda no ano passado, também se registou em Portugal uma diminuição

de 26 por cento do número de ocorrências – 13.832 fogos no total, tendo 81,5 por cento deles queimado áreas inferiores a um hectare. O EFFIS também assinala que Portugal teve no ano passado a maior frota de aviões (56) dedicada à luta contra os incêndios florestais não tendo requerido assistência do mecanismo de protecção civil europeu. Por outro lado, registaram-se em Portugal três mortes relacionados com os incêndios florestais. Assim, Bruxelas conclui que Portugal “não foi afectado severamente” pelos fogos florestais em 2008. O sistema EFFIS foi instituído pelo Centro Comum de Investigação e pela Direcção-Geral do Ambiente da Comissão Europeia e fornece alertas diários de risco de incêndio, bem como avaliações de danos em apoio aos serviços de combate aos incêndios dos Estados-membros da União Europeia, aos serviços da Comissão Europeia e a outras organizações neste domínio.

Óleos usados recolhidos nas ilhas ecológicas

Ourém procura melhoria do ambiente A Câmara Municipal de Ourém vai assinar um protocolo com a Oleotorres, uma empresa especializada na recolha de óleos alimentares usados, com o objectivo de retirar da rede de saneamento este tipo de resíduo. Com a recolha na via pública, a autarquia espera que “a deposição

de óleos alimentares nos oleões se torne tão comum como a reciclagem de papel ou de vidro”. O óleo recolhido será reciclado, tornando-se em biodiesel ou componente químico. De acordo com o protocolo, serão instalados, numa primeira fase, seis oleões de 500 litros, em

Ourém, Fátima, Caxarias e Freixianda. Para além destes, serão entregues às Juntas de Freguesia oleões de 50 litros, cobrindo-se assim todo o concelho. A forma de depositar o óleo alimentar usado é simples, pois a embalagem também deve ser depositada. Os receptáculos aceitam

embalagens até ao tamanho de garrafões de 5 litros. Este projecto levará a um investimento da autarquia na ordem dos sete mil euros, na aquisição de oleões, mas representará um abatimento de dez cêntimos no preço de tabela de comercialização de biodiesel.

Candidatura com objectivos para 2010 e 2011

NERLEI já certificou mais de 1500 adultos Até 31 de Julho de 2009, o Centro Novas Oportunidades (CNO) da NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria já validou e certificou competências a mais de 1500 adultos. Com cinco anos de actividade na certificação de competências de nível básico (equivalente ao 9º ano de escolaridade) o CNO da NERLEI auxiliou 1296 adultos a atingir este nível de competência. Ao nível do secundário, valência que foi atribuída ao CNO da

NERLEI em 2007, já foram certificados 210 adultos que assim obtiveram o 12º ano pela via do reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC). Este centro foi dos primeiros no distrito de Leiria, desde em Agosto de 2004, há cinco anos. Na altura, dado que a rede de CNO não abrangia todo o distrito, a NERLEI realizou dezenas de itinerâncias levando o processo RVCC a todo o distrito e a muitas empresas que desta forma

apostaram na qualificação dos seus trabalhadores. Com uma equipa inicial de cinco elementos – a coordenadora, duas técnicas de RVCC e duas formadoras – actualmente a actividade do CNO da NERLEI é garantida por 16 colaboradoras – a coordenadora, duas administrativas, quatro profissionais de RVCC, uma técnica de diagnóstico e oito formadoras (seis das quais a meio tempo) – num horário alargado que vai das 9h00 às 22h00 de forma a

adaptar-se às necessidades do seu público-alvo. Entretanto, o CNO da NERLEI vai apresentar, até final de Agosto, ao POPH (Programa Operacional do Potencial Humano), a sua candidatura com os objectivos para os próximos dois anos (2010 e 2011) que, para além de incluir a certificação de competências de nível básico e secundário, prevê também a certificação profissional (RVCC Pro) na área de Técnico Administrativo.

Recomendações da Direcção-Geral da Saúde

Ondas de Calor

Portugal encontra-se entre os países da Europa mais contemplados pelo Sol, o que em conjunto com a sua extensa orla costeira, o torna num dos destinos de excelência para o turismo. No entanto, para usufruir na plenitude o clima e as atracções que o país oferece, é necessário estar sensibilizado para os perigos decorrentes dos períodos de calor intenso que por vezes se fazem sentir – as chamadas ondas de calor. Antes e durante estes períodos devem ser adoptados alguns cuidados especiais, de forma a minimizar os efeitos do calor sobre a saúde humana. Os grupos mais vulneráveis ao calor são as crianças nos primeiros anos de vida, as pessoas idosas, os portadores de doenças crónicas ou problemas de saúde mental, as pessoas obesas e as que tomam medicamentos como anti-hipertensores, antiarrítmicos, diuréticos, anti depressivos e neurolépticos. Mas todos devemos adoptar medidas básicas de prevenção: • Permanecer, pelo menos, 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco, como por exemplo, no hotel, centros comerciais, cinemas, museus, bibliotecas ou outros locais que disponham de climatização, particularmente nos períodos em que as temperaturas estão mais elevadas; • Não tomar banho ou consumir água, mesmo que para se refrescar, proveniente de fontanários ou lagos decorativos, e utilizar apenas água da rede pública ou água engarrafada. • Evitar a permanência em viaturas expostas ao sol, particularmente de crianças e de idosos, sobretudo nos períodos de maior calor. Se não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas. Leve água suficiente ou sumos de fruta natural, sem adição de açúcar, para a viagem. Sempre que possível viaje de noite. E evite actividades que exijam esforço físico intenso, tais como desportos, durante os períodos de temperaturas mais elevadas. • Aumentar a ingestão de líquidos, mesmo sem ter sede, de modo a evitar a desidratação; Evitar as bebidas alcoólicas e com elevados teores de açúcar; Oferecer água e estar atento aos recém-nascidos, às crianças, às pessoas idosas e aos doentes crónicos, que podem não sentir ou não manifestar sede, o que os torna particularmente vulneráveis; Fazer refeições leves e mais frequentes, evitando pratos pesados e muito condimentados. • Usar vestuário adequado, leve e de cores claras; evitar expor-se directamente ao sol, particularmente entre as 11 e as 16 horas; Utilizar protectores solares de índice elevado (> 30), não esquecendo a protecção da cabeça e dos olhos (utilização de chapéus e óculos de sol); no período de maior calor, tomar um duche com água tépida ou fria, evitando mudanças bruscas de temperatura; Caso sofra de doença crónica ou esteja a fazer uma dieta com pouco sal ou restrição de líquidos, deve aconselhar-se com um médico ou contactar o serviço Saúde 24 (808 24 24 24). • Conhecer os principais sinais de alerta: modificação do comportamento; grande fraqueza ou fadiga; tonturas, vertigens, perturbações da consciência, convulsões; náuseas, vómitos, diarreia; cãibras musculares; temperatura corporal elevada; sede e dores de cabeça. • Conhecer as principais acções a desenvolver: transportar a pessoa para a sombra ou para o interior de um local fresco e aliviar-lhe o excesso de roupa; fazer o máximo de arejamento possível; pulverizar o corpo com água fresca; dar água se a pessoa estiver consciente; contactar um médico ou o serviço Saúde 24 – 808 24 24 24 ou o número nacional de emergência (SOS) – 112. Para mais informações: • Sitio da Direcção-Geral da Saúde: www.dgs.pt | calor@dgs.pt • Serviço Saúde 24 (808 24 24 24) • Informações meteorológicas: www.meteo.pt • Autoridade Nacional de Protecção Civil: www.proteccaocivil.pt


8 ANO SACERDOTAL

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Uma presença orante

“Os Meus ungidos”

“Não toqueis nos Meus ungidos, não façais mal aos Meus profetas”, canta o salmista. Esta palavra de Deus faz-nos temer e tremer. Hoje vivemos num tempo em que, vítimas de uma insuficiente formação cristã, as consciências nada temem, nada as faz tremer. Infelizmente vivemos sob a égide da promiscuidade e da permissividade. Tudo se contesta, tudo se critica, há soluções para tudo, prescinde-se da relação íntima com Deus. Tenta-se minar por todos os meios os “edifícios”, as colunas imprescindíveis, que corajosamente persistem erguer-se sobre a rocha firme da fé, da fé viva em Jesus Cristo e na sua Igreja. Evitam-se os confrontos, usa-se antes a táctica da subtileza, do disfarce, ridiculariza-se o sagrado, tenta-se apagar as pegadas de Deus e esquece-se que Ele escreve em tábuas de pedra. “Não toqueis nos Meus ungidos, não façais mal aos Meus profetas”, ecoa, hoje, por toda a terra a voz suplicante de Deus. Surpreendentemente bela é esta passagem do 1º Livro de Samuel: “David e Abisaí penetraram durante a noite no meio das tropas. Saul dormia no acampamento. Abisaí disse a David: “Deus entregou hoje nas tuas mãos o teu inimigo; agora, pois, vou cravá-lo na terra com uma só lançada, sem precisar dum segundo golpe”. David respondeu: “Não o mates. Quem

DR

É com verdadeiro prazer que me encontro convosco, pensando no precioso serviço pastoral que desempenhais no âmbito da promoção, da animação e do discernimento das vocações. Viestes a Roma para participar num congresso de reflexão, de confronto e de partilha entre as Igrejas da Europa, que tem como tema “Semeadores do Evangelho da vocação: uma Palavra que chama e envia”, destinado a infundir um novo impulso ao vosso compromisso a favor das vocações. A atenção às vocações constitui para cada diocese uma das prioridades pastorais, que adquire ainda mais valor no contexto do Ano sacerdotal, há pouco iniciado. Portanto, saúdo de coração os Bispos Delegados para a Pastoral Vocacional das várias Conferências episcopais, assim com os Directores dos Centros Vocacionais nacionais, os respectivos colaboradores e todos vós aqui presentes. No centro dos vossos trabalhos pusestes a parábola evangélica do semeador. Com abundância e gratuidade, o Senhor lança a semente da Palavra de Deus, mesmo consciente de que ela poderá encontrar um terreno inadequado, que não lhe permitirá amadurecer por causa da aridez, ou que apagará a sua força vital, sufocando-a no meio dos arbustos espinhosos. No entanto, o semeador não desanima, porque sabe que uma parte desta semente está destinada a encontrar o “terreno bom”, ou seja, corações ardentes e capazes de acolher a Palavra com disponibilidade, para a fazer amadurecer na perseverança e para lhe oferecer de novo o seu fruto com generosidade, em benefício de muitos. A imagem do terreno pode evocar a realidade mais ou menos boa da família; o ambiente às vezes árido e árduo do trabalho; os dias do sofrimento e das lágrimas. A terra é principalmente o coração de cada homem, de modo particular dos jovens, aos quais vos dirigis no vosso serviço de escuta e de acompanhamento: um coração muitas vezes perturbado e desorientado, e no entanto capaz de conter em si inimagináveis energias de doação: pronto para se abrir nas pérolas de uma vida dedicada por amor a Jesus, capaz de O seguir com a totalidade e a certeza que derivam do facto de ter encontrado o maior tesouro da existência. Quem semeia no coração do homem é sempre e só o Senhor. Só depois da sementeira abundante e generosa da Palavra de Deus é possível aventurar-se pelas sendas do acompanhamento e da educação, da formação e do discernimento. Tudo isto está vinculado àquela pequena semente, dom misterioso da Providência celeste, que emana de si uma força extraordinária. Com efeito, é a Palavra de Deus que, por si mesma, realiza eficazmente aquilo que diz e deseja. (discurso do papa Bento XVI aos participantes no Congresso Europeu sobre a Pastoral Vocacional)

DR

Parábola da semente

poderia, sem pecado, estender a mão contra o ungido do Senhor? Deus me livre de levantar a mão contra o ungido de Senhor” (1Sam 26,7-11). Delicada, nobre e cheia de santo temor e reverência foi esta atitude de David para com o rei Saul, embora este atentasse contra a sua vida. Quantas vezes, na fragilidade da nossa natureza, somos tentados a pensar e agir segundo os sentimentos e o parecer de Abisaí, companheiro de David!? Quantas vezes, sem qual-

quer fundamento, se criticam os Sacerdotes, se contestam, condenam ou se opta por uma atitude de indiferença e frieza para com aqueles que generosamente se dão ao serviço do próximo. Facilmente se aponta o dedo, atira-se a primeira pedra. A nós, cristãos, pedras vivas do templo de Deus, do Corpo de Cristo, Deus convida-nos: “Não toqueis nos meus ungidos”, nãos toqueis nos Meus Sacerdotes, nãos lhes façais mal. Portanto não temos o direito de tocar nos Sacerdotes, nem pela palavra nem pelo pensamento. Eles são os ungidos do Senhor! Antes pelo contrário devemos amá-los, respeitá-los, estimá-los e ajudá-los nas suas actividades, com o testemunho de vida, com a oração e com actos concretos. Nós, Irmãs Clarissas, recebemos da nossa Madre Teresa, fundadora do Mosteiro de Monte Real, em nobre herança a extrema delicadeza para com os ministros do Senhor. Nesta nobreza de sentimentos “nascemos” e “crescemos”. Recebemos esta grandiosa herança não só dela, mas também de S. Francisco de Assis, de quem o biógrafo refere: “Muito venerava os Sacerdotes e por eles nutria extraordinário afecto e pedia aos seus Irmãos: “Desculpai as suas quedas, supri as suas faltas” (1C 62). S. Francisco queria que se manifestasse grande respeito

e veneração pelas mãos do Sacerdote, porque a ele foi conferido o divino poder de consagrar, de tocar o Filho de Deus, Pão da verdadeira Vida. “Se me acontecesse – dizia com frequência – encontrar ao mesmo tempo um Anjo e um Sacerdote, saudaria primeiro o sacerdote, correria a beijar-lhe as mãos e diria ao anjo: “um momento, por favor, porque as mãos deste tocam o Verbo da Vida e possuem um poder sobre-humano” (2C 201). Queremos pois, com a nossa vida de Consagradas e a força da nossa pobre oração, atender à voz suplicante de Deus: “Não toqueis nos meus ungidos”. Perante o julgamento e a condenação infundadas para com os sacerdotes, queremos nós prestar atenção ao desafio ousado de Jesus: “Aquele que estiver sem pecado atire a primeira pedra” (Jo 8,7). Diante deste dom tão sublime, que é cada Sacerdote, só nos resta ajoelhar e, no silêncio do Claustro, continuar a ser presença orante em favor dos ungidos do Senhor. Verdadeiramente “o Senhor fez um julgamento e não voltará atrás: Revestirei de santidade os sacerdotes e os fiéis exultarão de alegria” (Sl 131).

Irmãs Clarissas do Mosteiro de Santa Clara


IGREJA DIOCESANA 9

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Festividades

Em 28 de Agosto, na Igreja de S. Agostinho

Diocese celebra o seu padroeiro No dia 28 de Agosto, Sexta-feira, ocorre a festa de Santo Agostinho, que é padroeiro da diocese de Leiria-Fátima juntamente com Nossa Senhora de Fátima. Por tal motivo, o bispo D. António Marto preside à Eucaristia, nesse dia, às 21h00, na igreja de que o santo bispo é titular na cidade de Leiria. No termo de um ano dedicado a “ir ao coração da fé” e no início do ano sacerdotal, o Santo Bispo de Hipona é testemunho vivo e mestre de fé e de vida sacerdotal. Convidam-se a participar nesta missa todos quantos desejem honrar o santo padroeiro da Diocese. Apela-se, de modo especial, à presença das pessoas mais empenhadas na Igreja de Leiria-Fátima: sacerdotes, religiosos e religiosas e os leigos que colaboram na acção apostólica, particularmente nos serviços e conselhos diocesanos, movimentos e associações. Celebrar juntos o padroeiro, ao redor do bispo e do mesmo altar, unidos na mesma fé, contribui para exprimir e alimentar a comunhão eclesial e a consciência de pertencer ao mesmo corpo de Cristo, à comunidade diocesana. Assim se manifesta a identificação com esta família

eclesial. Por outro lado, a vivência litúrgica ajuda a aprofundar a comunhão espiritual com o santo padroeiro, a conhecer melhor o seu carisma e a herança espiritual e doutrinal que nos deixou, e a contar com a sua oração por nós junto de Deus. São belas as palavras com que a Igreja reza, no prefácio dos santos: reconhece que, nestes cristãos plenamente realizados, Deus dá-nos “um exemplo” que nos permite contemplar a realização concreta da vida cristã; “na comunhão com eles”, oferece-nos “uma família” que constitui apoio e ajuda; e, na sua intercessão, possibilita-nos “um auxílio”. Compreendese assim a importância de celebrarmos juntos, como comunidade diocesana, a festa do nosso padroeiro. Santo Agostinho foi adoptado como padroeiro, em 1918, aquando da restauração da Diocese. Esta escolha radicava, certamente, no facto de Leiria ter estado, desde o século XII até ao ano de 1545, sob a influência do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, que era de religiosos da Ordem de Santo Agostinho. Esta adopção foi confirmada pelo Papa João XXIII, que, em 13 de Dezembro de 1962, em resposta a um

pedido do bispo diocesano, concedeu à Diocese dois padroeiros principais: manteve o anterior, Santo Agostinho, e acrescentou Nossa Senhora de Fátima. Nota biográfica Santo Agostinho nasceu a 13 de Novembro de 354, em Tagaste, actual SukhAhras, na Argélia. Os pais, Patrício e Mónica, intuindo o génio do filho, não se pouparam a esforços na sua educação. Depois dos primeiros estudos na cidade natal, enviaram-no para Madaura, centro intelectual da região, e de lá para Cartago - cidade que o deslumbrou - onde estudou retórica. Aqui descobriu a filosofia, aderiu à seita religiosa dos Maniqueus e apaixonou-se por uma jovem, de quem teve um filho de nome Adeodato. Em busca de maior seriedade e fama mas também com uma imensa inquietação na alma, partiu para Roma. Não contente com o ambiente da cidade e desiludido com os da sua seita, candidatou-se a professor de retórica em Milão. Nesta cidade recebeu a visita de sua mãe que o ajudou a clarificar ideias, no campo religioso. Na sua procura incansável e por sugestão do bispo Santo Ambrósio,

Festa de Nossa Senhora da Encarnação a 15 de Agosto

Leiria celebra padroeira A Confraria de Nossa Senhora da Encarnação vai organizar, no dia 15 de Agosto, a celebração da festa da padroeira da cidade de Leiria, no santuário com a mesma evocação. O programa inclui um tríduo preparatório, nos dias 12, 13 e 14 de Agosto, com celebração da Eucaristia, pelas 21h30. No dia 15, haverá duas celebrações eucarísticas, uma às 15h00 no santuário de Nossa Senhora da Encarnação, outra às 21h00 na igreja de Santo Agostinho, presidida pelo Bispo diocesano, D. António Marto. Depois desta celebração nocturna, segue-se uma procissão para o santuário, momento que encerra esta festa. Os festejos contarão com a colaboração da Filarmónica dos Pousos, que percorrerá alguns locais da

cidade durante a manhã e dará um concerto pelas 16h30 no adro. O dia 15 contará ainda com a organização de um pequeno arraial, a abrir a partir das 12h00, com quermesse e um espaço de bebidas e petiscos variados, onde este ano haverá um porco assado no espeto. Para além de ser uma importante iniciativa para angariação de fundos para o Santuário, a direcção da Confraria espera que esta seja também uma ocasião para o contacto com a população e para a promoção da própria irmandade, de modo a cativar novos irmãos, já que a renovação de pessoas é uma das necessidades actualmente mais sentidas. LMF

pôs-se a ler a Bíblia. Este encontro com os Textos Sagrados provocou uma viragem na sua vida. Tinha 32 anos. Na Vigília Pascal, de 24 para 25 de Abril do ano 387, foi baptizado juntamente com o filho e o seu amigo Alípio. De regresso a África, vendeu o que tinha e deu-o aos pobres, ficando apenas com uma casa que transformou em mosteiro. Nascia assim a regra de vida para os servos de Deus. Já sacerdote e bispo em Hipona, hoje Annaba, na Argélia, manter-se-ia fiel a esse estilo de vida. Até à sua morte, a 28 de Agosto do ano 430, entre as múltiplas ocupações de pastor, escreveu ou ditou mais de uma centena de livros, o mais conhecido dos quais é as Confissões. De Santo Agostinho, pelo seu itinerário espiritual e intelectual, disse João Paulo II, todos na Igreja e no Ocidente nos sentimos discípulos e filhos. Padre Jorge Guarda, Vigário Geral

Sentir a religiosidade como caminho

As festas de Verão Com o Verão a “bater portas” em Junho chegam as festas dos santos António, João e Pedro. A partir deste mês, até Setembro, são muitas as festas que se realizam nas paróquias da Diocese de Leiria-Fátima, com o apogeu das celebrações no mês de Agosto. As festas são motivo de viver e reviver tradições, de convívio entre locais e forasteiros, da chegada tão desejada dos emigrantes e das celebrações religiosas que dão sentido às realizações. As evocações às padroeiras e padroeiros, significam algo de muito valioso às populações locais porque como o próprio nome nos sugere, traduz protecção, amparo e auxílio. Já em 2001, o bispo D. Serafim Ferreira e Silva, então bispo da Diocese de Leiria-Fátima, quis alertar os paroquianos para que exista alguma contenção, e cai no “esbanjamento de dinheiro”. Na nota pastoral que emitiu refere que “Muitas vezes, as festas são concebidas e realizadas mais como festas da aldeia, do que propriamente da comunidade cristã”, afirma o prelado, lamentando que a parte profana assuma importância especial na elaboração dos programas, enquanto a componente religiosa se limita à “celebração eucarística e, eventualmente, à procissão”. Para o bispo, “torna-se necessário repensar as celebrações festivas das comunidades cristãs”, tendo mais atenção à constituição das comissões de festas e ao diálogo com o pároco, para que os “objectivos religiosos e a preparação dos actos litúrgicos” não sejam remetidos para segundo plano. Estamos em Agosto de 2009 e a mensagem de D. Serafim Ferreira e Silva continua actual. Envoltos nas alterações climáticas que existem, com origem nas más intervenções do homem no Planeta, vamos viver as festas das muitas paróquias da Diocese, incluindo a de Leiria, no dia 15 de Agosto, com a evocação a Nossa Senhora da Encarnação, padroeira da cidade. Esta festa é exemplo de uma verdadeira vivência religiosa, remetendo o profano para segundo plano, convidando todos os visitantes a sentirem muito mais o espírito da Senhora da Encarnação, num espaço envolvente que transmite paz e o deslumbramento com a imagem da cidade de Leiria que nos confere do seu ponto alto. Texto e fotos: Joaquim Santos


10 ECLESIAL

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Leituras |20º Domingo Comum

Leituras |21º Domingo Comum

ANO B (16/08/09)

ANO B (23/08/09)

Antífona de Entrada: Salmo 83, 10-11

Antífona de Entrada:Salmo 85, 1-3

Leitura I: 1 Prov 9, 1-6

Leitura I: Jos 24, 1-2a.15-17.18b

Salmo Responsorial: Salmo 33 (34), 2-3.10-11.12-13.1415 (R.9a) Refrão: Saboreai e vede como o Senhor é bom. Repete-se

Salmo Responsorial: Salmo 33 (34), 2-3.16-17.18-19.2021.22-23 (R. 9a) Refrão: Saboreai e vede como o Senhor é bom. Repete-se

Leitura II: Ef 4, 30 – 5, 2

Leitura II: Ef 5, 21-32

Aclamação ao Evangelho: Jo 6, 56 Refrão: Aleluia. Repete-se Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue permanece em mim e Eu nele, diz o Senhor. Refrão

Aclamação ao Evangelho: cf. Jo 6, 63c.68c Refrão: Aleluia. Repete-se As vossas palavras, Senhor, são espírito e vida: Vós tendes palavras de vida eterna. Refrão

Evangelho: Jo 6, 51-58 Evangelho de N.º Sr. Jesus Cristo segundo São João Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que Eu hei-de dar é minha carne, que Eu darei pela vida do mundo». Os judeus discutiam entre si: «Como pode Ele dar-nos a sua carne a comer?». E Jesus disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia. A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em Mim e Eu nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou e Eu vivo pelo Pai, também aquele que Me come viverá por Mim. Este é o pão que desceu do Céu; não é como o dos vossos pais, que o comeram e morreram: quem comer deste pão viverá eternamente». Palavra da salvação

Evangelho: Jo 6, 60-69 Evangelho de N.º Sr. Jesus Cristo segundo São João Naquele tempo, muitos discípulos, ao ouvirem Jesus, disseram: «Estas palavras são duras. Quem pode escutálas?». Jesus, conhecendo interiormente que os discípulos murmuravam por causa disso, perguntou-lhes: «Isto escandaliza-vos? E se virdes o Filho do homem subir para onde estava anteriormente? O espírito é que dá vida, a carne não serve de nada. As palavras que Eu vos disse são espírito e vida. Mas, entre vós, há alguns que não acreditam». Na verdade, Jesus bem sabia, desde o início, quais eram os que não acreditavam e quem era aquele que O havia de entregar. E acrescentou: «Por isso é que vos disse: Ninguém pode vir a Mim, se não lhe for concedido por meu Pai». A partir de então, muitos dos discípulos afastaram-se e já não andavam com Ele. Jesus disse aos Doze: «Também vós quereis ir embora?». Respondeu-Lhe Simão Pedro: «Para quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós acreditamos e sabemos que Tu és o Santo de Deus». Palavra da salvação.

Cânticos | 21º Domingo Comum

Cânticos | 22º Domingo Comum

ANO B (23/08/09)

ANO B (30/08/09)

INÍCIO Feliz o povo de quem o Senhor é Deus - Lau 1135 Nós somos o povo do Senhor - Lau 533 SALMO RESPONSORIAL Saboreai e vede - Lau 727 APRESENTAÇÃO DOS DONS Escuta Israel - Lau 342 Senhor eu creio que sois Cristo - Lau 759 Só no Espírito de Deus - Lau 789 COMUNHÃO Tu és o pão/Jesus és o alimento - Lau 456 Vinde a Mim vós todos os que andais - Lau 862 A quem iremos Senhor - Lau 112

INÍCIO Somos um povo que caminha - Lau 799 Tua palavra me dá vida - Lau 828 Vamos com alegria - Lau 842 SALMO RESPONSORIAL Ensinai-nos Senhor quem viverá - Lau 332 Ensinai-me Senhor os caminhos da vida - Lau 331 APRESENTAÇÃO DOS DONS Onde há caridade/Onde haja caridade - Lau 625 Escuta Israel - Lau 759 COMUNHÃO Se cumprirdes os meus mandamentos - Lau 740 Dou-vos um mandamento novo - Lau 301

ACÇÃO DE GRAÇAS As vossas palavras Senhor - Lau 168 Senhor eu creio que sois Cristo - Lau 759

ACÇÃO DE GRAÇAS Dai-me Senhor um coração puro - Lau 264 Como sois grande em toda a terra - Lau 229

FINAL Fica entre nós Senhor - Lau 401 Senhor tu amas o mundo - Lau 778

FINAL Dá-nos um coração - Lau 259 É preciso renascer - Lau 309

Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 10h00 – Paulo VI 10h00 – Franciscanos 11h00 – S. Agostinho e Hospital 11h45 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

MISSAS DOMINICAIS

AO SABOR DA PALAVRA

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

Aprender a viver 20.º e 21.º Domingos do Tempo Comum

O homem tem necessidade de um objectivo na vida, de algo a que se dedicar para se sentir relaizado e feliz. Muita gente, nos dias de hoje, vive sem objectivos, sem balizas, sem destino. Sobretudo aqueles que são mais jovens, e que são assediados com propostas de uma cultura do bem estar, erderam estes pontos de referência e vagueiam perdidos pelo mundo, experimentando tudo, à procura de algo que mate a sua fome e sede de viver. No Antigo Testamento, a Palavra de Deus é frequentemente comparada a um banquete oferecido aos homens. O pão e o vinho são tidos como símbolo do alimento que dá a vida em plenitude. A imagem do banquete assume maior expressão na Eucaristia que nos é dado celebrar. A ceia pascal judaica estava intimamente ligada à libertação dos hebreus da escravatura egípcia. Ao comerem a Páscoa, os judeus tinham consciência de serem o povo libertado por Deus. Cristo associa também os discípulos à Sua morte redentora. Os participantes na celebração eucarística, ao comerem o pão e beberem o sangue derramado na cruz pela multidão dos homens, reconhecem-se no povo redimido por Cristo. Deus criou o homem livre e não quer sobreporse a essa liberdade. Deixa a cada um a possibilidade de fazer as suas opções. Porém, uma escolha consciente só é possível, tendo presente determinada hierarquia de valores que ajudará a decidir, não apenas acerca do acto, como também do tempo próprio para o realizar.

Todos sabemos que o primeiro caminho é apontado pela Família, a célula básica da sociedade, onde nascemos, onde somos educados, onde vivemos e morremos. Mas a própria família anda perdida, está em processo de degradação e por isso aqueles que nela encontravam a base do seu crescimento como pessoas têm de ir procurar esse crescimento noutros lugares, o que provoca tantas e tantas vezes um desenvolvimento atrofiado das pessoas porque são soluções parciais. Como ouvimos Josué dizer, mesmo que a maioria dos israelitas preferisse seguir outros deuses, a sua família seguiria o verdadeiro Deus de Israel, porque sabiam o que Ele tinha feito pelo seu povo, sabiam que só Ele os tinha libertado. Mas foi este exemplo que levou também os outros a seguirem Javé, a aceitarem a sua Aliança e a seguirem o caminho que ele tinha marcado para o seu Povo, assim como os discípulos, segundo Pedro, só poderiam seguir Jesus Cristo porque só ele é a Palavra Viva, só ele é a fonte da vida. A família é o retrato da Santíssima Trindade, e como comunidade onde o mais importante é o amor, que leva cada um dos esposos a abandonar a casa onde nasceram e foram educados para formar um novo lar, têm a tarefa de perpetuar esse amor, nascido à imagem do Amor entre Cristo e a Igreja, amor que é doação ao outro, morrendo cada dia para que ele possa viver, para que cada elemento da família se desenvolva, seguindo o seu caminho. Os passarinhos aprendem a voar vendo como fazem os seus pais, mas usam as suas próprias asas. Também os jovens têm de aprender a viver com os seus pais, mas têm de seguir o seu próprio caminho, não às cegas mas iluminados pelos mais velhos: e é pena que muitas vezes os mais velhos os guiem em direcção ao precipício, porque lhes vão gritando cá de trás, sem verem o caminho que se vai abtrindo aos pés dos jovens.


IGREJA EM PORTUGAL 11

O Mensageiro 13.Agosto.2009

Breves

Arcebispo português chega ao Vaticano em Setembro

D. Manuel Monteiro de Castro homenageado na sua terra natal O Arcebispo português Manuel Monteiro de Castro, nomeado no passado mês de Julho como novo Secretário da Congregação para os Bispos, na Cúria Romana, chegará ao Vaticano a 9 de Setembro. No dia seguinte, será recebido por Bento XVI. D. Manuel Monteiro de Castro desempenhava desde 2000 o cargo de Núncio Apostólico em Espanha e Andorra. Em declarações ao Programa ECCLESIA, o Arcebispo falou da sua experiência e disse que “procurei sempre fazer aquilo que devia fazer”. A nomeação de Bento XVI, diz, significa que o mesmo “valorizou ao máximo” o seu trabalho. Na história fica um “almoço” de três horas com o primeiro-ministro Zapatero para falar de “todos os problemas” que afectavam as relações Igreja-Estado. “Tenho boas relações com os políticos de todos os campos, porque o Núncio é o representante do Papa, da Santa Sé, e tem uma missão para com a Igreja e outra missão diplomática”, assinala o Arcebispo. “Um bom diplomata é

aquele que consegue boas relações entre o governo que representa e o governo que os cidadãos elegeram”, prossegue D. Manuel Monteiro de Castro. Este Domingo, na sua terra natal, D. Monteiro de Castro foi homenageado por centenas de paroquianos, sacerdotes e autarcas, entre os quais o presidente da Câmara de Guimarães. O Arcebispo diz que a sua vida se centra em três pontos “muito importantes”: “Trabalhar, ler e rezar”. “Esse foi o meu lema de sempre e levei-o desde aqui. Será também o meu lema em Roma”, assinala. Sobre aquilo que o espera no Vaticano, D. Manuel Monteiro de Castro mostrase pronto para trabalhar “sempre” com os Bispos portugueses, “porque há sempre relações entre os Bispos e o Papa”. Em relação ao método de escolha de Bispos, apesar de admitir que “tudo é discutível” e que há coisas “a melhorar”, o novo Secretário da Congregação para os Bispos entende que “é o melhor”. Ainda em conversa com os jornalistas, o Arcebispo

português comentou os projectos legislativos que pretendem a equiparação das uniões homossexuais ao casamento, defendendo que “há uma instituição muito bem definida, o matrimónio, que não convém tocar-lhe”, prejudicando “90 ou 95 por cento da população”. “Não confundamos as coisas. Há uma instituição bem definida, deixem-na estar. É um erro fazê-lo (autorizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo)”, disse, pronunciando-se como “cidadão português”. D. Manuel Monteiro de Castro, de 71 anos, tem uma longa experiência diplomática ao serviço da Santa Sé, que já o fez passar por países como Panamá, a Guatemala, o Vietname, a Austrália, o México, a Bélgica, Trinidad e Tobago ou África do Sul. Em 2007 foi nomeado pelo Papa como observador permanente do Vaticano para a Organização Mundial do Turismo. Arcebispo titular de Benavento desde 1985, é doutorado em Direito Canónico e ocupava desde esse ano funções como

Festa da Solidariedade

Chama une cidades solidárias “embaixador” do Papa em diversas nações. Deixou Portugal em 1961 e nunca trabalhou no nosso país, embora mantenha uma relação próxima com a sua terra. Segue agora para a Cúria Romana. Com raízes que remontam a 1588, a Congregação para os Bispos ocupa-se das matérias que se referem “à constituição e à provisão das Igrejas particulares”, como a nomeação de Bispos, bem como ao exercício da missão de cada Bispo na Igreja Latina, à constituição das Conferências Episcopais e à revisão dos seus estatutos. É também seu dever a erecção dos Ordinariatos Castrenses, para o cuidado pastoral dos militares. Predispõe ainda tudo o que se refere às visitas “ad Limina” dos Bispos de todo o o mundo, examinando os seus relatórios e transmitindo aos Bispos diocesanos as conclusões referentes à própria diocese. O Secretário, com a colaboração do subsecretário, ajuda o Prefeito do Dicastério, neste caso o Cardeal Giovanni Battista Re.

De Lisboa a Compostela em BTT

“Caminho Português de Santiago, o Caminho para o Ano Santo 2010” A AEJ – Associação Espaço Jacobeus vai realizar, de 10 a 20 de Setembro deste ano, um projecto de dinamização cultural do Caminho Português de Santiago. Denominado “Caminho Português de Santiago, o Caminho para o Ano Santo 2010”, que consiste na realização de uma peregrinação, em BTT, de Lisboa a Santiago de Compostela, percorrendo os vários itinerários de peregrinação sinalizados em Portugal. Aproveitando a realização do Ano Santo Compostelano em 2010, o facto do Caminho Francês estar sobrelotado, e ainda do itinerário de peregrinação desde Lisboa já está sinalizado, a AEJ deseja chamar a atenção para os diversos itinerários de peregrinação

existentes em Portugal. De facto, o Caminho Português de Santiago, apesar de histórico, é ignorado pelo Estado português e por muitas das autoridades locais, ficando esquecido pelas populações locais. Importa pois dar a conhecer este património local de importante interesse cultural e fundamental no desenvolvimento estratégico regional. Assim, um grupo máximo de 30 peregrinos irá iniciar a sua peregrinação, no próximo dia 10 de Setembro, em Lisboa. Em Santarém, estes peregrinos serão divididos em dois grupos: uns seguem o traçado do Caminho de Santiago até Tomar; os outros seguem o Caminho do Tejo para Fátima. Encontram-se todos novamente em Coimbra,

para onde seguem juntos até ao Porto. Da invicta os peregrinos dividem-se em três grupos: uns seguem para Braga; outros para Barcelos; os demais para Viana do Castelo (pelo Caminho da Costa). Reúnemse novamente em Valença do Minho, de onde seguem juntos até Compostela, onde devem chegar no dia 19 de Setembro. No Domingo participam na tradicional Missa do Peregrino. Mas não só de quilómetros vão viver estes peregrinos. Ao longo de cada etapa estão previstas acções de promoção junto das comunidades locais, organizadas com o apoio das autarquias locais. Mais, cada peregrino terá o seu próprio blog, onde a cada dia, terá de escrever as suas impressões acerca des-

ta peregrinação muito especial. Deste modo, através da Internet, esta peregrinação poderá ser acompanhada, dando ainda a conhecer o Caminho português de Santiago. Esta peregrinação está aberta à participação de peregrinos, nacionais e estrangeiros, de ambos os sexos, maiores de idade e fisicamente preparada para o esforço que requer esta peregrinação. As inscrições estão abertas até ao próximo dia 23 de Agosto. Para esta peregrinação vão ainda ser convidados alguns jornalistas nacionais e da Galiza, afim de acompanhar este projecto e promover o Caminho Português de Santiago nos órgãos de Imprensa que representam.

A Chama da Solidariedade vai iniciar novo périplo apostada em mobilizar as populações e as Instituições Particulares de Solidariedade Social para a Festa da Solidariedade, marcada para o próximo dia 19 de Setembro, na cidade de Viseu. De Barcelos vai sair a Chama, uma vez que em 2008 foi esta a cidade que acolheu a Festa, organizada localmente sob a chancela da CNIS – Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade. O programa da Chama não está ainda completamente definido, mas é certo que sairá de Barcelos em direcção a Chaves no dia 15 de Setembro, chegará a Vila Real a 16, a Lamego dia 17 e a Viseu no dia 18. No dia 19 fará um percurso em Viseu até ao recinto da Festa. João Carlos Dias, coordenador da iniciativa, explica ao jornal «Solidariedade» que a Chama não tem um significado específico, mas “permite encontrar muitos significados”. “A sua passagem de mão em mão até ao local da Festa representa a união de esforços para alcançar um objectivo, que é a Solidariedade”. A passagem é organizada pelas IPSS locais, que em parceria com as autarquia e colectividades, organizam o percurso e envolvem a população. A própria Chama gera “emoção nas pessoas”, assume o coordenador. Unindo as Festas da Solidariedade, “quem com ela se cruza, a recebe e a entrega a alguém, é conduzido por uma emoção que não esperava”.

Taizé prepara encontro no Porto

Em Portugal pela segunda vez Há mais de 30 anos que a Comunidade de Taizé anima uma «Peregrinação de Confiança através da Terra», com etapas que reúnem milhares de jovens na aldeia de Taizé ou em cidades de todos os continentes. Esta peregrinação não pretende organizar os jovens num movimento centrado nos irmãos, mas sim proporcionar experiências que os ajudem a empenhar-se cada vez mais na igreja local e numa vivência cristã na sociedade. Os participantes são convidados a sair da rotina do seu quotidiano, assumindo a atitude de um peregrino que se põe a caminho para ir ao encontro de Deus e dos outros. Nos últimos anos, esta Peregrinação teve como etapas encontros europeus em Lisboa (2004), Milão (2005), Zagreb (2006), Genebra (2007), Bruxelas (2008), um encontro asiático em Calcutá (2006), um latino-americano em Cochabamba (2007), um africano em Nairobi (2008) ou um ibérico em Sevilha (2009). No Carnaval de 2010, cerca de trinta paróquias do Grande Porto acolherão as várias centenas de jovens participantes nesta próxima etapa ibérica da peregrinação. A zona de acolhimento abrangida pelo encontro foi definida em função da acessibilidade ao Estádio do Dragão em transportes públicos, que deverá ser realizável em menos de meia-hora. A experiência dos últimos anos mostra que tanto o tempo de preparação como o próprio encontro podem ser muito enriquecedores para as comunidades acolhedoras, pois ajudam a reanimar a fé das comunidades, a despertar um entusiasmo cristão, a fazer novas descobertas e a dar testemunho na sociedade. Eis algumas questões que poderão ser levantadas de forma muito concreta: - Descoberta da comunidade local: que grupos, pessoas empenhadas ou movimentos poderão dar um testemunho durante as manhãs do encontro passadas na paróquia? - Descoberta da generosidade de quem vive à nossa volta: que pessoas do nosso bairro, cristãs ou não, estarão dispostas a abrir a porta de sua casa a jovens que não conhecem? - Descoberta da universalidade da Igreja: de que forma nos enriquecemos partilhando a nossa fé com os jovens que nos virão visitar?


12 IGREJA NO MUNDO

Argentina

Papa condena “escândalo da pobreza” Bento XVI enviou uma mensagem aos promotores e colaboradores da campanha de solidariedade que a Igreja Católica realiza anualmente na Argentina, denominada “Mais por menos”. A campanha terá início em Setembro, com o lema “Mais solidariedade por menos exclusão”. No texto, divulgado pelo núncio apostólico, D. Adriano Bernardini, o Papa convoca os argentinos a realizarem um esforço para reduzir o “escândalo da pobreza” e a “iniquidade social” no país, “concretizando as exigências evangélicas que exortam a tornar possível uma sociedade mais justa e solidária”. Segundo o presidente da comissão de Pastoral Social, Dom Alcides Jorge Pedro Casaretto, bispo de San Isidro, 40% da população argentina é pobre. Na sua mensagem, Bento XVI convida cristãos e nãocristãos a serem solidários para alcançar uma sociedade mais justa e agradece, desde já, a todos os que contribuírem para o bom êxito desta campanha. O chefe de gabinete da presidência argentina, Aníbal Fernández, pediu à imprensa que não manipule as palavras do Papa e destacou que o governo concorda com as mesmas, porque chegou à política para mudar a actual situação.

Igreja na Venezuela

Luta pela liberdade de expressão A Igreja Católica na Venezuela protestou, juntamente com os líderes políticos da oposição, contra o encerramento de 34 emissoras radiofónicas no país. O Arcebispo de Caracas, Cardeal Jorge Liberato Urosa Savino, disse que a medida do Governo “viola o direito da defesa e da liberdade de expressão”. Este responsável alertou para as consequências do encerramento das 34 emissoras na vida quotidiana de muitas pessoas, “que serão prejudicadas apenas porque trabalham numa emissora que tem um comportamento crítico e não submisso ao Governo”. A Conferência Episcopal Venezuelana manifestou a sua preocupação pelos anúncios de decretos e normas em relação aos meios de comunicação social, proferidos pelo Governo. “O Estado deve garantir o direito à liberdade de expressão, um dos direitos humanos fundamentais, no desenvolvimento integral da pessoa humana, além de ser um meio de participação e defesa da democracia”, assinalam.

Casamentos homossexuais

Comunhão anglicana evita cisma O jornal do Vaticano, “L’Osservatore Romano”, respondeu positivamente ao pedido de ajuda do primaz dos anglicanos, Rowan Williams, para salvaguardar o ecumenismo entre as Igrejas. O arcebispo da Cantuária teme um cisma entre os anglicanos. O risco surgiu agora, mais uma vez, depois das resoluções aprovadas, em Julho passado, pela Igreja Episcopaliana (o ramo anglicano nos Estados Unidos da América) em relação à união entre homossexuais. Rowan Williams entende que os anglicanos devem defender e promover a unidade, pois a divisão prejudicaria o movimento ecuménico, em especial com a Igreja Católica. O arcebispo de Cantuária defende que o matrimónio de homossexuais não tem fundamento bíblico, devendo a Comunhão Anglicana guiar-se pela Bíblia, rejeitando as resoluções de seis estados norte-americanos que permitem o matrimónio de homossexuais, bem como a admissão ao sacerdócio e ao episcopado de homens e mulheres que vivem com pessoas do mesmo sexo.

13.Agosto.2009

Em tempo de Férias

Turismo e a evangelização pelo património da Igreja Quando falamos de evangelização somos levados, inadvertidamente, a pensar exclusivamente em palavras, em discurso, esquecendo que o mesmo mistério (Logos) traduzido na palavra escrita e oral, é transmitido por muitas outras formas que, para muitos, poderão ser, em certas circunstâncias, as mais eloquentes. Estamos em tempo de férias. A procura de outros lugares é uma oportunidade para visitar, ao menos por curiosidade, um monumento, para participar numa festa, enfim, para ir à procura do desconhecido… O turismo oferece, pois, uma oportunidade única para uma evangelização através do património da Igreja. Seremos capazes de tirar partido disso? «Herdamos um património excepcional que pode, ainda hoje, testemunhar e instruir». Para nossa reflexão, transcrevemos um extracto da comunicação do bispo de Amiens ao Comité episcopal do turismo e dos tempos livres de França (tradução de La Documentation Catholique, nº 2162, 15 Junho 1997, pp. 588-589). «O turismo vem-se tornando cada vez mais cultural. O que atrai o turista é frequentemente a natureza (o sol, o mar, a montanha), mas, uma vez chegado ao local, dá início a uma pesquisa cultural. Para apenas não “bronzear o idiota”, há a leitura. Mas há sobretudo a visita aos locais históricos, monumentos notáveis,

DR

Breves

O Mensageiro

museus diversos… É surpreendente observar como a curiosidade do veraneante é imediatamente excitada pelos traços do passado. Mesmo quando os conhecimentos do passado são pouco exactos acerca dos séculos e se misturam as personagens, a visita de um castelo ou de uma estação arqueológica faz parte da estadia. Os serviços de turismo sabem apoiar-se neste gosto pela história, insinuando-o mediante um espectáculo de luz e som ou de um museu pedagógico. Pode dizer-se que o turista está habitado por uma nostalgia ou em todo o caso por um desejo de compreender o hoje através do passado. A viagem é quase sempre para ele uma peregrinação às fontes. Talvez porque na outra face da sua vida, a face do trabalho, é o amanhã que domina: a invenção, os projectos, os desafios. Então, no tempo livre, por contraste, concentra todo o seu interesse no ontem… Os comerciantes de viagens sabem vender quilómetros e estadias

justificando-os com alguns minutos num mosteiro ou numa igreja românica. Que sede misteriosa, que curiosidade mística, que procura espiritual se esconde por detrás disso? Pode falar-se de moda… pode prosaicamente sublinhar-se que os edifícios religiosos têm, frequentemente, entrada livre… Pode dizer-se que muitos dos visitantes não compreendem nada do sentido religioso das esculturas góticas ou dos espaços da arquitectura românica. E contudo … Muito humildemente, a pequenina igreja da aldeia de que se não fala mesmo no Guia Verde [Michelin], se por sorte está aberta, recebe a visita do turista que aí pára. Senta-se por um instante, ouve o silêncio, goza a frescura, olha à esquerda e à direita, dá uma volta, talvez acenda uma vela, ou leia um ex-voto… Não, não se trata de uma visita ao Santíssimo Sacramento! Mas talvez de uma oração. Pensa no primo doente, no filho sem trabalho, nos amigos que se divorciaram… Não diz nada a ninguém.

Nem diz que tem fé… Talvez, algures, um outro lugar teria produzido o mesmo movimento interior. Mas se aí o monumento na sua humildade fez sinal, se uma presença, um texto, uma imagem, uma tradição, um livro aberto propôs uma reflexão, uma chamada, uma interrogação, então a visita poderá ser uma etapa decisiva. Neste caso, foi um encontro consigo mesmo e, talvez, sem o saber, com o próprio Deus. Por vezes, há o encontro com alguém, o sacristão que limpa as cadeiras, um desconhecido que reza, um padre que, por sorte, não se encontra muito apressado, e a aventura espiritual pode aprofundar-se. O convite para uma liturgia excepcional ou para um tempo de oração: eis o contacto retomado e um caminho que começa e que ninguém, à partida, poderá adivinhar as etapas que se seguem. Este «turismo religioso» revela sem dúvida um dos segredos profundos de toda a viagem. Aquele que se movimenta anda em busca de alguma coisa: não lhe basta acumular sempre postais ilustrados ou boas refeições. Procura alguém no fundo de si mesmo. Não lhe digais demasiado depressa quem ou o quê, teria medo disso! Procura quem possa dar sentido a esta viagem, a esta aventura, a esta vida que se esvai. Esperemos que se familiarize um pouco com este desconhecido para lhe revelar o seu nome».

América Latina

Fundação papal ajuda indígenas A Fundação Populorum Progressio aprovou 193 projectos, totalizando mais de 2 milhões e 100 mil dólares, em favor das comunidades indígenas e afro-americanas da América Latina e Caribe. O Conselho Administrativo da Fundação deliberou a decisão na sua reunião anual, de 27 a 31 de Julho em Paderborn, na Alemanha. Os projectos escolhidos

serão financiados principalmente pela Conferência Episcopal Italiana, e beneficiam sectores de saúde, educação escolar e formação profissional, sempre orientados ao desenvolvimento integral. Durante a reunião, foram examinadas as situações políticas, económicas e eclesiais das nações que apresentaram projectos.

Este ano, foi dada atenção especial às Honduras e aos países que atravessam momentos de maior dificuldade social. “Os indígenas e os agricultores representam uma grande fatia de população da América Latina; o rápido processo de urbanização do continente e a imposição da cultura pós-moderna isolaram estes povos do

contexto social e do desenvolvimento”, afirma um comunicado da Fundação. A Fundação Pontifícia Populorum Progressio, instituída em 1992, apresentase como “sinal de caridade do Santo Padre aos povos indígenas e da população rural latino-americana e caribenha”.


OPINIÃO 13

O Mensageiro 13.Agosto.2009

CONVERSAS SOBRE A FÉ

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

O pão, a palavra e o sacerdote Quem participa numa Missa pode sentir desabrochar dentro de si perguntas inquietantes como estas: Poderão as hóstias, o pão usado na liturgia católica, tornar-se realmente corpo de Cristo, ser presença

SINAIS DOS TEMPOS

D. João Alves

Bispo Emérito de Coimbra

Portugal não está bem, que é que lhe falta? Não é preciso ser dotado de qualidades especiais, para qualquer se aperceber de que Portugal não está bem. Há numerosos portugueses que se debatem com um constante mal estar pelos problemas que os afligem. Em artigo anterior, publicado neste jornal, dei voz a bastantes desses concidadãos que nos revelaram, com simplicidade, as suas muitas preocupações. Nota-se um ambiente carregado e, não raro, triste. Embora olhando, criticamente, tudo o que acontece, não se pode negar que existe descontentamento pela forma como se está a conduzir a vida do nosso país em várias das suas áreas. Há descontentamento nas manifestações de rua, naquilo que, com frequência, se diz no Parlamento, no que se

dele e alimento espiritual? Poderá tal pão considerarse o que “desceu do Céu” e “Deus nos dá”? E como é que nos comunica a vida de Deus, a vida eterna? Feitas assim, estas perguntas podem suscitar em nós a mesma reacção dos judeus ao discurso de Jesus sobre “o pão da vida” (cf Jo 6, 41-51). Eles conheciam demasiado bem Jesus e a sua família para admitirem a afirmação de que descera do Céu. Como podia vir do Céu, se eles sabiam bem de onde era e até conheciam o pai e a mãe? Jesus responde à murmuração, dizendo que só poderiam entender as suas palavras se recebessem a instrução de Deus e se deixassem conduzir por Ele como o Mestre da verdade e da vida eterna. Por outras palavras, se recebessem de Deus o dom da fé. A adesão interior às pa-

lavras e à pessoa de Jesus e a resposta positiva às questões levantadas requerem um acto de fé, com vários elementos: aceitar que o homem Jesus, bem conhecido de todos, era o Filho de Deus, por Ele enviado a instruir os homens sobre as coisas divinas; aceitar que um elemento material, o pão, se pode tornar dom de Deus e veículo do bem espiritual que Ele oferece aos seus filhos; aceitar a identificação desse pão com a pessoa de Jesus, de Jesus que continua vivo, ressuscitado, que, pela força do Espírito Santo, transforma o pão eucarístico no seu próprio corpo e nele se dá aos seus fiéis; para nós, hoje, é ainda aceitar que Jesus se confia aos sacerdotes, para pegarem nesse pão, invocarem o Espírito que o consagra no corpo de Cristo e o distribuírem

como alimento espiritual para os homens. A fé, todavia, não depende da nossa maior ou menor ingenuidade e credulidade. É dom de Deus à nossa inteligência, vontade e liberdade: “Ninguém pode vir a Mim, se o Pai, que Me enviou, não o trouxer”, diz Jesus. Só a graça, a atracção, o impulso, a força de Deus pode impelir o homem a acreditar. Como é que Deus o faz? Através da Sua palavra, esclarece Jesus: “Todo aquele que ouve o Pai e recebe o seu ensino vem a Mim”. É Deus quem suscita em nós a fé, falando-nos. Para se comunicar connosco, Deus usa as nossas coisas e palavras e servese de pessoas como nós. Utiliza portanto meios do nosso ambiente e que nos são familiares. Este modo de se comunicar, por um lado, facilita a nossa com-

preensão, torna-se acessível à nossa inteligência, afectos e sensibilidade. Por outro, aparece demasiado ao nosso nível e sem aquele carácter extraordinário, transcendente, misterioso e fascinante que esperávamos. Esta foi a dificuldade dos interlocutores de Jesus e por isso acabaram por afastar-se. Só ficaram os discípulos, não porque entendessem mas por confiarem em Jesus, O amarem e se sentirem bem junto d’Ele. Era o princípio da fé, de uma adesão pessoal que deveria ainda ser posta à prova e robustecer-se. Este é o desafio da fé: reconhecer a voz e o dom de Deus no que nos é familiar, no pão, na palavra e nos homens que dele nos falam e dão testemunho. Ele, então, com a graça do Seu Espírito, move o nosso espírito, toca o mais profundo do coração,

escreve nos jornais, no que se vê nas televisões, ouve nas rádios, nas conversas de café e nas conversas em casa de cada um. Lamenta-se o modo como se processa, entre nós, a política, a educação, a justiça e, até, como se administram, por vezes, os bens públicos. Lamentase a falta de segurança e o aumento da criminalidade. Lamenta-se a persistência e agravamento da pobreza, a expansão da corrupção, a crise de autoridade e lamentam-se tantos outros aspectos da vida do nosso país. Dir-se-á que foi sempre assim… Basta recuar no tempo, apenas alguns anos, para verificar que isso não é verdade. Creio que, com espírito crítico e preocupação pela objectividade, não se pode negar o mal estar de tantos portugueses na situação actual do nosso país. Diante desta realidade há quem procure justificar tudo o que atrás se referiu com a crise internacional ou, então, e a muito custo, com a crise nacional, atendendo apenas à sua visão pessoal não confrontada. Outros há que não descobrem nada de bom naquilo que se foi realizando, guiados pela sua visão pessoal ou de grupo sem preocupação de objectividade. Existe, ainda, um terceiro grupo de portugueses, o mais numeroso, que vive alheado do barulho das discussões políticas, que os enjoa, pois andam a tentar descobrir

solução para os seus problemas concretos ou, ao menos, para os minimizar. Aponto, por fim, um grupo de portugueses, felizmente minoritário, que afirma que a vida, em Portugal, vai bem, por poderem dar largas aos seus devaneios, gastando, sem conta nem medida, a riqueza que, no geral, herdaram, conduzidos pelo seu individualismo egoísta. Estas pessoas não dão pelo sofrimento de tanta gente, fechados como estão, na satisfação dos seus desejos inquinados. Nenhuma destas atitudes tem uma visão global da realidade. O bom senso e a lucidez, conselheiros seguros, clamam por que se tomem como problemas de todos e de cada um os problemas do nosso país. Estes problemas são de todos porque, de uma ou outra forma, todos participaram no seu aparecimento ou agravamento, quanto mais não seja, pela omissão da denúncia ou, então, pela falta de colaboração no aparecimento de alternativas. Ter uma atitude, sem exercício da capacidade crítica, que sistematicamente tudo aprova ou ter uma atitude que sistematicamente condena tudo ou, ainda, ter a atitude de quem não se quer comprometer, alheando-se da realidade, é não reconhecer com nitidez, a dignidade e capacidade plenas dos seres humanos, nem satisfazer às exigências do bem comum.

Não se esqueça que, nesta experiência de mal estar, é o país que sofre, para já no seu presente e, continuando a agir assim, sofrerá também no futuro. Não é correcto ficar-se somente por lamentações ou condenações, como se os problemas fossem causados apenas pelos outros. Todos hão-de dar o seu contributo para ultrapassar as nossas dificuldades segundo a capacidade de cada um. Ninguém diga que não tem nada para dar. Todos têm sempre alguma coisa a dar e a receber. Criado este dinamismo renovador, acabará por se ir mudando o clima interior dos portugueses e o ambiente geral de mal estar em que hoje se vive. Actuando assim, todos e cada um beneficiarão da mudança. Isto não anula o interesse na luta pelas próprias convicções e de cada grupo, não as anula, apenas ordena os diferentes interesses colocando à cabeça o bem da comunidade e não os interesses individuais ou de grupo. Haverá quem designe esta posição, de “idealismo”. Sim, para quem não está disposto a abrir as janelas e as portas da sua casa ao interesse comunitário, a posição de solidariedade e de corresponsabilidade é idealismo. “Os não idealistas” porém, acabarão por ser inúteis e perturbadores da paz e felicidade da comunidade. Antes de concluir sublinho que esta visão “idealista” só é possível concretizar-

se com a consciência de que a pessoa, seja qual for, é um bem do maior valor e que merece toda a colaboração; que só é possível a realização plena do ser humano numa relação saudável com os seus semelhantes e com a própria natureza; que isto só é possível trilhando os caminhos da verdade, da justiça, da solidariedade e da humildade. O nosso país sofre agora não só pelas circunstâncias adversas, mas também pelos seus próprios erros e defeitos. Urge, por isso, que todos os portugueses dêem as mãos, independentemente de convicções

ilumina a mente e faz-nos vislumbrar o invisível e experimentar o divino. E do nosso íntimo brota a exclamação de fé, como Tomé: “Meu Senhor e meu Deus!” Dá-se então a percepção da presença divina, da sua companhia nos caminhos da nossa vida. Ele nos guia, alimenta, anima e fortalece, como experimentou Elias, na sua travessia do deserto, em fase desesperada da sua vida (1 Re 19, 4-8). A fé manifesta-se ou esconde-se, fortalece-se ou enfraquece, ganha-se ou perde-se no confronto com as situações e acontecimentos da vida quotidiana. É nesta, e não apenas na Eucaristia, que Deus nos fala, nos dá a ajuda dos seus ministros, humanos como todos os outros mas com uma missão divina para os seus irmãos, e nos alimenta com “o pão do Céu”.

e ideologias, para “salvar” e valorizar aquilo que é comum a todos eles. A concluir cito o esplêndido documento conciliar, Gaudium et Spes, que diz no seu número 74: “O bem comum compreende o conjunto daquelas condições de vida social, que permite aos homens, às famílias e aos grupos poderem alcançar mais plena e facilmente a sua própria perfeição”. E nesse mesmo número e no seguinte lembra que a Comunidade política existe por causa do bem comum e os partidos políticos “nunca devem antepor o próprio interesse ao bem comum”.

Ficha de Assinatura Assinaturas normal/benfeitor: 20/40 Euros (Nacional), 30/60 euros (Europa) e 40/60 (Resto do Mundo) Nome: ___________________________________________ ____________________________________________ Rua: _____________________________________________ _______________ N.º _______________ Localidade: ____________________________ C. Postal: _____ - ____________________ Telf.: _______________________________ E-mail:___________________________@_______________ Enviar esta ficha, recortada ou fotocopiada, para: O Mensageiro - Lg. Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA ou forneça-nos os seus dados através do endereço de correio electrónico jornal@omensageiro.com.pt


14 INSTITUCIONAL

EXTRACTO CERTIFICO, para finde de publicação e em conformidade com o seu original, que por escritura de Justificação lavrada neste Cartório, no dia quatro de Agosto de dois mil e nove, de folhas nove a folhas dez, verso do respectivo Livro de Notas para Escrituras Diversas, número NOVENTA E CINCO, Olinda do Carmo Primitivo Teixeira Antunes, NIF 114.127.131, natural da freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, casada sob o regime da comunhão de adquiridos com Luciano Manuel Teixeira Antunes e com ele residente na Rua de Tomar, nº 37, Quinta da Sardinha, Santa Catarina da Serra, Leiria, declarou: Que é com exclusão de outrem, dona e legitima possuidora dos prédios seguintes: 1- rústico, composto de pinhal e mato, com a área de cinco mil e novecentos metros quadrados, sito em Horta, limite de Ulmeiro, freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, a confrontar do norte com Maria Faria, do sul com José Pereira Filipe, do nascente com José Pereira Isabel e do poente com José Pereira Novo, inscrito na matriz sob o artigo 11085, com o valor patrimonial de € 1.550,00 e a que atribui valor igual ao patrimonial. 2- rústico, composto de pinhal e mato, com a área de sete mil e trezentos metros quadrados, sito em Vale da Mó, freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, a confrontar do norte e do nascente com Maria Faria, do sul com José Pereira e do poente com José Pereira Filipe, inscrito na matriz sob o artigo 2233, com o valor patrimonial de € 24,01 e a que atribuem valor igual ao patrimonial. Somam os bens os valor global de € 1.574,01. Que os indicados imóveis não se encontram descritos na Conservatória do Registo Predial de Leiria, e vieram à sua posse, ainda no estado de solteira, maior, por doação verbal feita por José Pereira Primitivo e mulher Maria do Carmo Mateus Primitivo, residentes na Quinta da Sardinha, Santa Catarina da Serra, Leiria, em mil novecentos e setenta e três, sem que dela ficasse a dispor de título suficiente e formal que lhe permita fazer o respectivo registo. Que, possui os indicados prédios em nome próprio, há mais de vinte anos, sem a menor oposição de quem quer que seja, desde o seu início, posse que sempre exerceu, sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente da freguesia de Santa Catarina da Serra, lugares e freguesias vizinhas, traduzida em actos materiais de fruição, conservação e defesa, nomeadamente usufruindo dos seus rendimentos, cultivando e recolhendo os respectivos frutos limpando-os de mato, pagando os respectivos impostos e contribuições, agindo sempre pela forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, sendo, por isso, uma posse pública, pacífica, contínua e de boa fé, pelo que adquiriu os ditos imóveis por USUCAPIÃO. Ourém, quatro de Agosto de dois mil e nove. A Colaboradora da Notária, por competência delegada, nos termos do art.º 8.º do Estatuto do Notariado, (Eugénia Maria Vieira Arrabaça)

CARTÓRIO NOTARIAL DA MARINHA GRANDE NOTÁRIA: Ana Luísa Cabral de Melo Pereira Guerreiro Certifico, para fins de publicação, que no Livro de Notas para escrituras diversas número 67 – A, deste Cartório, a folhas 6 e seguintes, foi lavrada escritura de Justificação Notarial, no dia oito de Junho de dois mil e nove, na qual JOAQUIM DE SOUSA HENRIQUES e mulher FERNANDA COELHO PEDROSO HENRQIUES, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Maceira, concelho de Leiria, onde residem em A-do-Barbas, NIF 123 388 821 e 123 389 283, declararam que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrém, do prédio rústico, composto por mato, com mil quinhentos e noventa e seis metros quadrados, sito em A-do-Barbas, dita freguesia de Maceira, que confronta do norte com Albertina Silva Duarte Carmo, sul com Raul da Encarnação Frade, nascente com Findés, Lda e poente com Rua das Achadas, inscrito na matriz, em nome do justificante sob o artigo 15.608, com o valor patrimonial tributário de 470,00 €, não descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria. O prédio veio à posse deles justificantes, já no estado de casados, por doação meramente verbal feita em mil novecentos e setenta e cinco por seus sogros e pais, Júlio Henriques e Lucinda de Sousa, casados na comunhão geral, residentes que foram em A-do-Barbas, Maceira, Leiria. Assim possuem o prédio há mais de vinte anos, cultivando-o, amanhando-o, colhendo os seus frutos, usufruindo do mesmo e tendo cumprido sempre as sua obrigações fiscais, à vista de toda a gente do lugar e de outros circunvizinhos, sempre na convicção de exerceram um direito próprio sobre coisa própria. Esta posse, assim exercida, deve reputar-se de pública, pacífica e contínua. Por tal motivo e muito embora não possam exibir o respectivo titulo de aquisição, o certo é que adquiriram este prédio para seu património próprio, por usucapião, que invocam, por não lhes ser possível provar pelos meios extrajudiciais normais. Está conforme. Marinha Grande, 08 de Junho de 2009. A colaboradora autorizada, (Assinatura ilegível)

O Mensageiro 13.Agosto.2009

CARTÓRIO NOTARIAL DA MARINHA GRANDE NOTÁRIA – Ana Luísa Cabral de Melo Pereira Guerreiro Certifico, para fins de publicação, que no Livro de Notas para escrituras diversas número 68-A, a folhas 73, foi lavrada escritura de Justificação Notarial, no dia sete de Agosto de dois mil e nove, na qual CARLOS JORGE DE JESUS SOARES e mulher MARIA CIDÁLIA DA SILVA BERNARDES SOARES, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais ele da freguesia de Souto da Carpalhosa, concelho de Leiria, ela da freguesia de São Julião da Figueira da Foz, concelho da Figueira da Foz, residentes na Rua da Serrana, nº 221, Carreira, Leiria, NIF 118745 590 e 118 745 581, titulares dos bilhetes de identidade 4359756 de 11/09/2006 e 7946019 de 29/12/1999, emitidos pelos SIC de Leiria, declararam que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte bem: Veiculo automóvel da marca “LAMBRETTA” com a matricula LL – 97-98, registado na Conservatória do Registo de Automóveis de Leiria, a favor de Armando Carvalho Vieira, com a ap. zero zero zero vinte e oito de doze de Abril de mil novecentos e cinquenta e sete. O referido veículo, ao qual atribuem o valor de quinhentos euros, foi verbalmente vendido por Armando Carvalho Vieira, no ano de mil novecentos e setenta e um, a Manuel de Oliveira Frias, viúvo, então residente na Rua da Fonte, nº 29, Lezíria, freguesia de Monte Redondo, concelho de Leiria. Por sua vez, no ano de mil novecentos e oitenta e oito os ora requerentes adquiriram, por contrato meramente verbal, ao referido Manuel de Oliveira Frias, o aludido veículo. Os requerentes possuem, por isso, tal veiculo automóvel, há mais de dez anos, não tendo, contudo, título relativo àquelas transmissões para efeitos do competente registo a seu favor, pelo que pretendem justificar por usucapião a falta daqueles títulos, para efeitos de estabelecimento do trato sucessivo no registo de automóveis. O certo é que sempre os justificantes desde aquela altura e até hoje, possuem o veículo, usufruindo do mesmo, à vista e com o conhecimento de toda a gente, de boa-fé, pacífica, pública e ininterruptamente, sem oposição de quem quer que fosse, com a consciência de utilizar e fruir e de coisa exclusivamente sua. Adquiriam, por isso, o direito de propriedade, por usucapião, que aqui invocam, por não lhes ser possível provar de outro modo. Está conforme. Marinha Grande, 07 de Agosto de 2009. A Colaboradora autorizada, (Assinatura ilegível)

EDITAL N.º 96/2009 5 INQUÉRITO ADMINISTRATIVO 1.ª Publicação ISABEL DAMASCENO CAMPOS, Presidente da Câmara Municipal do Concelho de Leiria, faz saber, nos termos dos Artigos 223º e seguintes do Decreto - Lei n.º 59/99, que se procede pela Secção de Apoio Administrativo às Empreitadas desta Câmara Municipal a Inquérito Administrativo relativo à empreitada de “BENEFICIAÇÃO DO ESPAÇO EXTERIOR FRONTAL E DOS ARRANJOS EXTERIORES NAS INSTALAÇÕES DE APOIO AOS CAMPOS DE TÉNIS – SÃO ROMÃO - POUSOS “, P,.º N.º T –85/2008, de que foi empreiteira a Firma MCA – MANUEL DA CONCEIÇÃO ANTUNES, CONSTRUÇÕES, S.A., pelo que, durante os QUINZE DIAS que decorrem desde a data da afixação destes éditos e mais OITO, poderão os interessados apresentar na Secretaria desta Câmara Municipal, por escrito e devidamente fundamentadas e documentadas, quaisquer reclamações a que se julgam com direito por falta de pagamento de salários e materiais, ou de indemnizações e, bem assim, o preço de quaisquer trabalhos que o empreiteiro haja mandado executar por terceiros. Não serão consideradas as reclamações apresentadas fora do prazo acima estabelecido. Para constar se pública o presente e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos do costume. Paços do Município de Leiria, 23 de Julho de 2009. A Presidente da Câmara Municipal, (Isabel Damasceno Campos) O MENSAGEIRO • Edição 4771 • 13/08/09

CARTÓRIO NOTARIAL DA BATALHA Notária: Sónia Marisa Pires Vala Certifico, para fins de publicação, que por escritura lavrada hoje, exarada de folhas cinquenta e cinco a folhas cinquenta e seis, do Livro Cento e cinquenta e um - B, deste Cartório. Júlio Dias, NIF 126 995 630, e mulher Ana de Assunção Neto, NIF 159 672 260, casados sob o regime da comunhão geral. ambos naturais da freguesia de Parceiros, concelho de Leiria, onde residem na Rua do Casal Novo, Segunda Travessa, no lugar de Pemelhas, declaram que: Que por escritura de Justificação outorgada no dia três de Dezembro de dois mil e oito, neste Cartório, exarada de folhas trinta a folhas trinta e um verso, do livro de notas para escrituras diversas número Cento e Trinta e Nove-B, adquiriram por usucapião, entre outros, o prédio urbano. lá identificado na verba um, composto de casa de habitação de rés-do-chão, com a superfície coberta de cinquenta e quatro metros quadrados, dependência com a área coberta de cem metros quadrados e logradouro com a área de duzentos e setenta metros quadrados, sito na Rua do Casal Novo, no lugar de Pernelhas, freguesia de Parceiros, concelho de Leiria, a confrontar de norte com Alípio Vieira da Roa. de sul com Rua do Casal Novo, de nascente com caminho público e de poente com Júlio Dias, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 2.760. Que na citada escritura ficou a constar que o referido prédio se encontrava omisso na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria, contudo. quando foram proceder ao registo de aquisição vieram a constatar que o mesmo se encontrava lá descrito, correspondendo à parte urbana do descrito sob o número trinta e três/Parceiros, encontrando-se inclusivamente já registado a seu favor uni quarto indiviso da referida parte urbana pela apresentação quatro, de três de Março de mil novecentos e oitenta e nove; Que, pela presente escritura, rectificam a já referida escritura de justificação, no sentido de nela passar a constar que justificam três quartos indivisos do acima identificado prédio urbano, e lá relacionado na verba um, do qual também possuem o restante um quarto indiviso, já registado a seu favor na competente conservatória, a destacar do prédio misto descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria, sob o número trinta e três/Parceiros, correspondendo à totalidade da parte urbana, a qual têm existência autónoma da parte rústica anteriormente a lei dos loteamentos, conforme consta da certidão passada pela Câmara Municipal de Leiria arquivada a instruir a citada escritura de justificação, a qual menciona que parte urbana foi construída há sessenta anos, inscrito na matriz sob o artigo 2.760, com o valor patrimonial para efeitos de Imposto de selo de €5.810,00. Que em tudo o mais confirmam o inicialmente exarado. Está conforme o original. Batalha, sete de Agosto de dois mil e nove. A funcionária com delegação de poderes (art” 8” do Dec/Lei 2612004 de 4 de Fevereiro), (Assinatura ilegível)

Jorge Carvalho Sofia

Médico Especialista de Otorrinolaringologia CONSULTAS • CIRURGIAS • EXAMES DE AUDIÇÃO VIDEONISTAGMOGRAFIA • POSTURAGRAFIA APNEIA DO SONO

Rua Dª Maria da Graça Lúcio da Silva, 9 - 1º Esqº - LEIRIA Marcações pelos telefones 244 822970 • 239 827 089 • 932 442 274

Dr. Rui Castela Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500

JOGOS | Nº 32/2009 (Confirme em www.jogossantacasa.pt) Euromilhões: 10, 20, 22, 24, 31 + 2, 7 Totoloto: 1, 5, 12, 32, 34, 38 + 2 Loto2: 1, 8, 19, 38, 39, 40 + 44 Joker: 2 3 2 9 3 5 5 Totobola: 111 X11 XX1 2X1X FÁRMÁCIAS DE SERVIÇO Central (dia 13), Higiene (dia 14), Lino (dia 15), Oliveira (dia 16), Sanches (dia 17), Avenida (dia 18), Central (dia 19), Higiene (dia 20), Lino (dia 21), Oliveira (dia 22), Sanches (dia

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

23), Avenida (dia 24), Central (dia 25) e Higiene (dia 26) TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 |

C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244 816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Pedro Jerónimo (CP7104), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (TP558). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Matias, Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade Pedro Viva (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição CORAZE - Oliveira de Azeméis - Tel: 256600580 / Fax: 256600589 - E-mail: grafica@coraze.com Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2009 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 13.Agosto.2009

O veterano Bilro (na foto) e o estreante Bruno Novo integraram a selecção nacional de futebol de praia, que venceu o 14.º Mundialito, que decorreu em Portimão, de 7 a 9 de Agosto. A dupla do Distrito – Bilro jogou futebol 11 na U. Leiria e Bruno Novo representou o mesmo clube na recente conquista do título de campeão nacional de futebol de praia – contribuiu para o terceiro título de Portugal, que no jogo decisivo venceu (6-4) o Brasil, selecção que comanda o quadro de campeões do Mundialito, com dez vitórias.

liga sagres

I LIGA 1.ª Jornada (16/08) Sp. Braga x Académica (15/08), V. Setúbal x V. Guimarães (17/08), Benfica x Marítimo, U. Leiria x Rio Ave, Leixões x Belenenses (14/08), Naval x Olhanense, Nacional x Sporting (15/08), P. Ferreira x Porto 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Porto Sporting Benfica Nacional Sp. Braga Leixões Académica V. Guimarães Marítimo P. Ferreira Rio Ave Naval V. Setúbal Belenenses Olhanense U. Leiria

J V E D Pts 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2.ª Jornada (23/08) V. Guimarães x Benfica, Académica x P. Ferreira, Sporting x Sp. Braga, Olhanense x U. Leiria, Porto x Nacional, Belenenses x Naval, Marítimo x Leixões, Rio Ave x V. Setúbal

liga vitalis

II LIGA 1.ª Jornada (16/08) D. Chaves x Feirense, BeiraMar x Sp. Covilhã (13/08), Varzim x Oliveirense, Freamunde x D. Aves, Trofense x Carregado, Santa Clara x Fátima, Estoril x Portimonense, Gil Vicente x Penafiel 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Trofense Santa Clara Estoril Feirense Freamunde Sp. Covilhã Varzim Gil Vicente D. Aves Beira-Mar Portimonense Oliveirense Fátima D. Chaves Penafiel Carregado

J V E D Pts 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2.ª Jornada (23/08) Oliveirense x Estoril, Penafiel x Santa Clara, Carregado x Gil Vicente, D.Aves x D. Chaves, Fátima x Trofense, Sp. Covilhã x Freamunde, Portimonense x Beira-Mar, Feirense x Varzim

Arquivo/João Matias

Campeões

Natação | Nazaré

Época 2009/10

Grande Prova

Vai começar a rolar U. Leiria (I) joga em casa e Fátima (II) fora de regressos e reencontros. Após uma época na II Liga, os leirienses estão de volta ao escalão máximo do futebol português, onde se vão cruzar, quatro épocas depois, com a equipa de Vila do Conde. Na época 2005/06 a U. Leiria levou a melhor nos dois jogos, para a I Liga, com vitórias fora (2-1) e em casa (5-2). Novidades U. Serra e Marinhense (II), Sp. Pombal, Caldas, Peniche e Portomosense (III) são as equipas do distrito de Leiria que vão disputar os campeonatos não-profissionais, cuja 1.ª jornada está agendada para 6 de Setembro. Em ambas as provas, há novidades. A primeira curiosidade prende-se com o facto de

a Associação de Futebol de Leiria (AFL) voltar a ter duas equipas na II Divisão: U. Serra – o Fátima, que também esteve nesta divisão, em 2008/09, está filiado em Santarém – e Marinhense. A outra prende-se com a reestruturação da competição. Assim, esta será disputada em três séries (norte, centro e sul), com 16 equipas cada, contrariamente ao que sucedeu na última época, em que eram quatro séries de 12 equipas, à excepção de uma, a de Fátima e U. Serra, que tinha 11. Relativamente à III Divisão, mantém-se Sp. Pombal, Caldas e Peniche, agora com a companhia do campeão distrital Portomosense, que ocupa a vaga do Marinhense, que subiu. Referir ainda que também nesta divisão

ocorreram alterações, designadamente na distribuição das equipas do distrito de Leiria por duas séries – em 2008/09 as quatro da AFL ocupavam a mesma série. Taça de Portugal Antes de iniciarem os respectivos campeonatos, as equipas do distrito de Leiria nas II e II divisões vão disputar a 1.ª eliminatória da Taça de Portugal, agendada para o dia 30 de Agosto. Resultado do sorteio: Peniche x Vianense, Praiense x Caldas, Portomosense x Juventude de Évora, Marinhense x Serzedelo, Sp. Pombal x Cinfães e União da Serra x Santa Maria. Pedro Jerónimo

A Praia da Nazaré acolhe, no dia 15 de Agosto, dois momentos desportivos de homenagem a Joaquim Bernardo Sousa Lobo. O primeiro é a VI Prova Infantil de Natação, pelas 11h00, seguindo-se-lhe o XXVIII Grande Prova de Natação, 11h30.

Atletismo | Alcobaça

Corrida de São Bernardo

Decorrem, até dia 20 de Agosto, as inscrições para a segunda edição da Corrida de Atletismo de São Bernardo, agendada para o dia 22, 16h30, em frente ao Mosteiro de Alcobaça. A iniciativa insere-se nas festas e feira da cidade, que decorrem entre os dias 20 e 24, que contam ainda com o Circuito de Ciclismo e II Grande Prémio de Karts de São Bernardo, dia 20, a partir das 15h00. Inscrições através do email desporto@cm-alcobaca.pt, telefone 262 580 908 ou fax 262 580 905.

Ciclismo | Leiria

UCL soma vitórias Uma semana e 105 pilotos, em representação de 38 países, incluindo Portugal, para decidir quem será o campeão mundial de aeromodelismo. Pombal será o local de todas decisões do “FAI World Championship for Aerobatics Model Aircraft”, que decorrerá entre os dias 20 e 29 de Agosto. “Para esta prova, foi construída a maior pista de Portugal e uma das maiores da Europa, a Pista Internacional de Aeromodelismo do Casalinho, com 1 km de comprimento e 16 m de largura”, avançou, em comunicado, a organização, que garante ser este um dos “eventos mais importantes do calendário ‘aeromodelís-

Esperados cerca de 100 pilotos

DR

Futebol | Leiria

As I e II ligas arrancam no próximo fim-de-semana e com elas a participação das representantes da região de Leiria, as equipas da U. Leiria e do Fátima, respectivamente. Depois do arranque oficial da época – Supertaça, dia 9 de Agosto, Porto x Paços de Ferreira (2-0) –, seguem-se os campeonatos organizados pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (I e II ligas) e Federação Portuguesa de Futebol (II e III divisões), que em 2009/10 contam, em todos eles, com representantes da região. A primeira equipa a entrar em campo será o Fátima, que no regresso à II Liga – primeira participação em 2007/08 – irá defrontar o Santa Clara, no Estádio de São Miguel, pelas 16h00 (15h00 nos Açores). O histórico do confronto entre as duas equipas é favorável aos comandados por Rui Vitória, que há dois anos empataram (0-0) nos Açores e venceram em Fátima para o campeonato (1-0) e Taça da Liga (2-0). Uma hora mais tarde, 17h00, no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, será a vez da U. Leiria receber o Rio Ave, jogo que também será

Mundial em Pombal

tico’ internacional e a prova mais importante jamais realizada em Portugal.” Neste âmbito, são esperados três antigos campeões do Mundo e também o actual, o

norte-americano Quique Somenzini. A selecção portuguesa será representada pelos pilotos António Costa, Bruno Heleno e Rui Ferreira, bem

como pela “manager” Luísa Ferreira. O mundial poderá ser acompanhado, na Internet, em www.fpam.pt/ WCF3A09.

Os atletas da União de Ciclismo de Leiria (UCL) estiveram em destaque nos circuitos de Alvaiázere e Ansião, que decorreram nos dias 8 e 9 de Agosto, respectivamente. Luís Gregório venceu (Master’s C) em ambas as provas, enquanto que Célia Vieira foi 2.ª classificada em Alvaiázere e 1.ª em Ansião. Destaque ainda para os 3.º e 2.º lugares de Américo Vieira (Marter’s C) na primeira e segunda provas, respectivamente.

Atletismo | Leiria

Vânia no mundial

PUB

F. Costa Pereira Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h Tel. 244 832406

LABETO, S.A.

Leiria Av. Marquês de Pombal, Lote nº 2 Tel.: 244 830 460 Fátima Rotunda Sul - Ed. Azinheira Marinha Grande Rua das Portas Verdes, 58 Ourém Av. Nuno Álvares Pereira

A leiriense Vânia Silva (Sporting), especialista no lançamento do martelo, integra a lista de 30 atletas convocados pela Federação Portuguesa de Atletismo para os Campeonatos do Mundo, que vão decorrer de 15 a 23 de Agosto, em Berlim.


ÚLTIMA 13 AG O S TO2009

Por saúde, quero dizer a possibilidade de levar uma vida completa, adulta, viva, em que eu esteja em estado de respirar em comunhão com aquilo de que gosto. Katherine Mansfield, escritora da neozelandesa [1888-1923]

Projecto «Um Sorriso com as TIC»

DR

São cinco novos computadores multimédia que a pediatria do Hospital de Santo André (HSA), em Leiria, recebeu esta tarde, numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias. Este equipamento hoje recebido insere-se no âmbito do programa «Um Sorriso Com as TIC», promovido pela Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, e operacionalizado pela Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação (FDTI), que ao todo já beneficiou 22 hospitais públicos. Os cinco portáteis, todos equipados com webcam e internet de banda larga, irão servir para animar os dias das crianças e jovens internadas no serviço de pediatria deste hospital. “É um contributo inquestionável para a melhoria das condições de conforto destas crianças”, afirma Bilhota Xavier, director do serviço de Pediatria do HSA.

DR

Pediatria do HSA recebe computadores

De acordo com este responsável, este equipamento é “uma mais-valia para as crianças e jovens que passam pelo internamento, pois permite que mantenham as actividades normais do dia-a-dia, tais como navegar na internet, jogar ou falar com os amigos». Em caso de internamentos mais longos, este equipamento permitirá que as crianças e jovens mantenham a ligação à escola.

Promovido pela Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, a iniciativa «Um Sorriso com as TIC» é, de acordo com Nuno Araújo, presidente do conselho de administração da FDTI, “um projecto inovador que pretende dar continuidade à missão da fundação, que passa pelo combate à infoexclusão e pela disseminação das tecnologias de informação”, salientando ainda o contributo do projecto na

humanização dos serviços de saúde. Este projecto pretende, de acordo com este responsável, “minimizar o sofrimento das crianças e jovens que passam pelo internamento, e das respectivas famílias”. O director do serviço de Pediatria do HSA salienta ainda que esta iniciativa contribui para o facto de, quando tiverem alta, “as crianças e jovens se lembrem mais, na sua memória

futura, das actividades lúdicas que desenvolveram e pouco dos aspectos menos bons que um internamento hospitalar sempre implica”, conclui. “Trata-se de um projecto que pretende reproduzir ao máximo as rotinas do dia-a-dia quer dos jovens, quer dos pais, e que vai contribuir para que as crianças tenham uma melhoria mais rápida”, afirma Bilhota Xavier. Este equipamento vem enquadrar-se na política de humanização do Serviço, da qual se destaca o apoio dado pelos docentes do Agrupamento de Escolas Correia Mateus, da Escola Afonso Lopes Vieira e da Biblio-

teca Afonso Lopes Vieira, e reforçar outros equipamentos já existentes, que diariamente combatem o “síndroma do hospitalismo” que afecta e fragiliza a estabilidade emocional não só das crianças e jovens internados como da própria família, contribuindo para uma “melhoria significativa dos doentes”, conclui. Para além do equipamento multimédia, a FDTI disponibiliza a cada hospital técnicos para dar formação, bem como voluntários inscritos no Instituto Português da Juventude, que irão acompanhar o projecto durante os dois anos de duração (renováveis).

divulfação

Donativos e informações Seminário Diocesano • 2414-011 Leiria

Tel. 244832760 • Fax 244821102 • email: sdl.reitoria@mail.telepac.pt NIB: 0018 0000 03669452001 72 (Se pretender recibo para IRS, envie email com nome, morada e NIF)


4771#OMENSAGEIRO#13AGO