Page 1

DESPORTO

2 3 A BR I L 2 0 0 9 ANO 95 - N.º 4755 FUNDADOR José Ferreira Lacerda DIRECTOR Rui Ribeiro

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

CAMPEÃO FORA DA PISTA P.15

PRIORITY

Nº DE2703206MPC

DESTAQUE

EQUIPAS DE NOSSA SENHORA

CASAIS REUNIDOS PARA VENCER DIFICULDADES

JS

Atravessamos tempos de grande grandes problemas sociais, profissionais e económicos. Quem vive de forma mais isolada terá maiores dificuldades em encontrar soluções. Neste contexto, a partilha entre casais poderá ser uma via interessante. O jornal O MENSAGEIRO foi conhecer um exemplo concreto de casais que vivem a sua espiritualidade num ambiente partilhado. Estivemos na casa de uma família dos Casais dos Ledos (Batalha), pertencente ao sector B do movimento das Equipas de Nossa Senhora da diocese de Leiria-Fátima. Com o acompanhamento do padre Luís Inácio, conselheiro espiritual, foram sete os casais que se reuniram na noite de 18 de Abril, dando o testemunho de quererem crescer no amor a Cristo. Nesta edição, apresentamos ainda a história deste movimento, que completa em 2009 os 70 anos da sua fundação. .Páginas 2 e 3

SOCIEDADE

CULTURA Na Marinha Grande

SIMLIS promove Projecto Rios

Cartaz recheado na Batalha

Alunos da Batalha “adoptam” troços do rio Lena

Biblioteca promove Rita Redshoes no II formação “com o Fim-de-Semana da dedo na página...”|P. 4 Juventude | P. 6 Leiria, Ourém e Pombal são alguns exemplos de locais onde o 25 de Abril será lembrado na região, com concertos, exposições e outros eventos | P. 5

A identidade da família... | P. 8

Comunidade de fiéis mobiliza-se

Tarde de convívio no Seminário | P. 9

Convívio desportivo e conferência “Mover é viver” | P. 6

“Jubileu das Vocações”

Celebrar o dom da vocação cristã | P. 9

Loja Social e duas ambulâncias

Bombeiros Voluntários da Batalha celebraram 31 anos | P. 7

Excertos do discurso de D. Jorge Ortiga na Assembleia Plenária da CEP

Última

Alunos da Escola Rodrigues Lobo promovem

Contentor para o Gungo LMFerraz

25 de Abril lembrado na região

ECLESIAL

Recta final... | P. 10


2 DESTAQUE

O Mensageiro 23.Abril.2009

Profecias para hoje Rui Ribeiro rr.omensageiro@gmail.com A crise que atravessamos estende-se a um âmbito mais vasto que o económico e financeiro, como já aqui recordámos. Os efeitos da crise vão estender-se também a vários sectores da vida, não apenas à economia e ao emprego. Pouco a pouco, estão a abrir-se profundas fendas em outros sectores da sociedade. Um deles é a família. Célula base da organização social não passará imune a este mal estar da vida actual. Para além de alguns problemas éticos que se levantam, começam a surgir questões que abalam toda a estrutura familiar. A reunião plenária da Conferência Episcopal, a decorrer por estes dias em Fátima, fez-se já porta-voz da defesa da família. Pedem os bispos portugueses que os políticos esclareçam bem as suas políticas, opiniões e propostas no que toca à família e sua defesa. Também aqui se exige desde já verdade e não demagogia, como parece ter acontecido nos últimos tempos. Os caminhos de saída da crise económica e financeira também passam pelas políticas sociais e familiares que se implantem. Aliás bem vistas as coisas pode dizer-se que as politicas erradas nestes sectores também contribuíram para o actual estado da economia. Vivemos num mundo global e numa sociedade organizada de forma tão ramificada que os problemas e as soluções se cruzam entre si e nunca ocupam um único espaço ou sector. A voz dos bispos torna-se ainda mais pertinente quanto ela exige esclarecimento Pedem os bispos e repudia toda a forma de portugueses que os mentira ou puro silêncio políticos. É urgente políticos esclareçam dos falar verdade e falar no bem as suas tempo devido, antes dos políticas, opiniões problemas surgirem, ane propostas no que tes das situações estarem toca à família e sua já em avançado estado de defesa. Também desenvolvimento. Certaaqui se exige desde mente ninguém imaginajá verdade e não va há 4 anos atrás que o demagogia governo que elegemos nos levaria a aceitar politicas tão cruéis como as que estão a legislar-se em relação ao casamento, ao divórcio, ao aborto. Mas a verdade é que as maiorias mandam e impõem as suas ideias, sem nunca as terem assumido antes de chegarem ao governo. Os bispos são, contudo, uma minoria. São a voz do que clama no deserto, qual profeta ao serviço da verdade. A sua voz pode e deve ser ouvida, porque falam não em nome próprio, mas em nome de um grupo e de uma multidão. Ao apelar para a verdade e clareza das politicas no sector da família, os bispos, a Igreja, os cristãos estão a pedir que a crise se resolva tendo em conta os diferentes sectores que compõem a sociedade e não se concentre a atenção exclusivamente em casos menores e singulares. A Igreja apresenta na sua estrutura e na sua acção uma atenção especial às famílias. Não deixa de as acompanhar e propor caminhos para que não se tornem casos isolados e em muitos casos insatisfeitos na sociedade; pede-lhes que se unam e na sua união encontrem força e caminho para superar problemas e dificuldades que são naturais. São muitas as propostas. Nesta edição quisemos dar a conhecer uma delas, as Equipas de Nossa Senhora. Parece-nos de singular importância o facto de o seu desenvolvimento se ter dado em tempo de crise: a segunda guerra mundial e suas consequências imediatas. Não haverá aqui, hoje, uma proposta válida para atravessar a crise actual?

Movimento de Espiritualidade Conjugal

“Equipas de Nossa Senhora” reúnem-se para vencer dificuldades Atravessamos tempos de grandes problemas sociais, profissionais e económicos. Quem vive de forma mais isolada terá maiores dificuldades em encontrar soluções e os caminhos para descobrir saídas possíveis. A partilha entre casais poderá ser uma caminhada interessante para encontrar respostas a estes tempos tenebrosos. O jornal O MENSAGEIRO foi perceber a forma como os casais vivem a sua espiritualidade num ambiente partilhado. Estivemos na casa de uma família acolhedora no mês de Abril, dos Casais dos Ledos (Batalha), pertencente ao sector B da Diocese de Leiria-Fátima. Com o acompanhamento do Pe. Luís Inácio, Conselheiro Espiritual, foram sete os casais que se reuniram na noite de 18 de Abril, como forma de testemunho de quererem crescer no Amor a Cristo. A leitura atenta da carta de São Paulo aos Colossenses (12,17), trouxe à mesa comentários, sentimentos comungados

DR

editorial

Padre Caffarel e as famílias de origem das “Equipas de Nossa Senhora” e descobertas de reflexão. Correspondendo à forma como está organizado o movimento, este grupo tem uma vida específica, reunindo uma vez por mês nas casas dos casais que

constituem a equipa, com o sentido de perceber qual o projecto que Deus tem para cada um. Nesse encontro habitual, rezam e celebram uma caminhada em conjunto, por isso, mais

reforçada. Nesta edição de O MENSAGEIRO, apresentamos os princípios e a história de um movimento que neste ano de 2009 completa 70 anos. Joaquim Santos

Os princípios das equipas

Além de uma comunidade humana... Formada por cinco a sete casais assistidos por um Padre, uma “Equipa de Nossa Senhora” constituise livremente, com cada pessoa ou casal, para se manter activa na fidelidade ao Espírito. Uma “Equipa de Nossa Senhora” não é uma simples comunidade humana. Reúne-se “em nome de Cristo” e quer ajudar os seus membros a progredir no amor de Deus e no amor ao próximo para melhor responder ao apelo de Cristo. O casal cristão é por si só uma “comunidade cristã”, mas com uma originalidade muito especial. Repousa sobre uma realidade humana: no dom livre, total, definitivo e fecundo do amor que, pelo matrimónio, um homem e uma mulher se dão mutuamente. Esta realidade humana torna-se, em Cristo, um Sacramento, isto

é, um sinal que demonstra o amor de Deus pela humanidade, o amor de Cristo pela Igreja. A entreajuda nas “Equipas de Nossa Senhora” adquire assim um rosto bem peculiar: os casais entreajudam-se para se construírem em Cristo e para colocarem o seu amor ao serviço do Reino de Deus. Comunidade de equipas Uma equipa isolada torna-se fraca. Arrisca-se a perder o fôlego, a empalidecer se não for vivificada por um bem exterior, se não for apoiada pelas exigências partilhadas com outros. Sem ligação a uma comunidade mais alargada, arrisca-se a definhar sobre si mesma e a ver a sua vida comunitária reduzida a um egoísmo de grupo. É por isso que ela se insere na comunidade de todas as equipas que ade-

rem ao mesmo projecto, nesta comunidade eclesial que constitui o movimento das “Equipas de Nossa Senhora”. As “Equipas de Nossa Senhora” colocam-se sob a protecção da Virgem Maria: não há melhor guia para chegar até Deus que aquela “que ocupa o primeiro lugar entre os humildes e os pobres do Senhor que esperam e recebem a Sua salvação com confiança” (Lumen Gentium “L.G.” 55). Um dos lemas das “Equipas de Nossa Senhora” é «Vem e segue-me», é o apelo que Cristo dirige a cada um de nós, a cada casal, convidando-os sempre mais ao seu amor de modo a testemunhar esse amor onde quer que seja. Os casais desejosos por responder a este apelo, mas conscientes das suas fraquezas, confiantes na graça do seu Sacramento

do Matrimónio, crentes na eficácia da entre-ajuda fraternal e na promessa de Cristo «Se dois ou mais se reunirem em meu nome, Eu estarei no meio deles» (Mt.18,20), decidem formar uma equipa e pedem ajuda ao movimento. Mas a vida em equipa não se limita à reunião mensal. A oração em união com os outros membros da equipa e respectivas intenções, a partilha, e a entre-ajuda, devem continuar ao longo de todo o mês. Compete ao casal responsável eleito em cada ano pelos membros da equipa, zelar para que todos participem efectivamente na vida comunitária de tal forma que a entre-ajuda seja eficaz e que cada um se sinta reconhecido, amado e realmente comprometido pela comunidade.


DESTAQUE 3

O Mensageiro 23.Abril.2009

Padre Caffarel criou em 1939 as “Equipas de Nossa Senhora”

Padre Caffarel A criação de um movimento de casais, desejosos de se santificarem no e pelo sacramento do Matrimónio foi um grande acontecimento na Igreja, uma verdadeira revolução. Os métodos e regras de vida espiritual eram entendidos e propostos de forma individual, sobretudo para pessoas consagradas ou de vida monástica. As “Equipas de Nossa Senhora” vieram propor a espiritualidade conjugal e uma metodologia para uma vida em equipa, em “Comunidade Cristã de Casais”, o que constituiu uma surpresa e é hoje entendido como um carisma, um dom dado por Deus à sua Igreja. Estamos em 1938. Quatro jovens casais, ricos em amor renovado e cristãos convictos, querem viver o seu amor à luz da sua fé. Pedem, então, ao Padre Henri Caffarel que os guie nesta procura. - “Façamos o caminho juntos” - respondeu-lhes o Padre Caffarel. A primeira reunião realizou-se em Paris, a 25 de Fevereiro de 1939. Foi seguida de muitas outras reuniões apaixonantes. Pouco a pouco, os olhos destes jovens casais descobrem o lugar privilegiado do casal nos desígnios de Deus: Imagem viva de amor que une Cristo à Sua Igreja. Simultaneamente, fazem a experiência da vida comunitária onde se realiza a promessa de Cristo de estar presente (Mt.18, 20). A vida deles progride assim em três vertentes: união a Deus; união entre esposos e entre casais; abertura aos outros. Durante a II Guerra Mundial, muitas outras equipas se formam. A reflexão alarga-se e aprofunda-se. Aparece, entretanto, a revista “l’Anneau d’Or”

que dará conhecimento a imensos casais, no mundo inteiro, da experiência destes pequenos grupos e da espiritualidade que vivem. No final da guerra, os grupos de casais multiplicam-se. A necessidade de unidade e de estrutura, concretizada numa “Regra” faz-se sentir. Nasce assim a “Carta das Equipas de Nossa Senhora”. Apesar da sua formulação envelhecida, este documento mantém ainda o seu valor pelo que representa no seu conjunto - as metas essenciais dos equipistas: vontade de viver o seu matrimónio e de aprofundar a sua fé, com a ajuda de uma equipa. A Carta propõe-lhes, para que tal alcancem, um certo número de meios já testados: oração conjugal e familiar; diálogo conjugal regular sob o olhar de Deus; reunião mensal de equipa para rezar e partilhar em conjunto; regra pessoal de vida e retiro espiritual. Tendo como suporte a Carta, as “Equipas de Nossa Senhora” desenvolvemse rapidamente em França, Bélgica e Suíça. Depois atravessam as fronteiras linguísticas e os oceanos. Em 1950 chegam ao Brasil e ao Luxemburgo; em 1953 às Ilhas Maurícias, ao Senegal e a Espanha; em 1955 ao Canadá; em 1956 a Inglaterra; em 1958 à Alemanha e Estados Unidos; em 1959 à Áustria e Itália; em 1961 à Austrália e Colômbia; em 1962 a Madagáscar e Vietname; em 1963 ao Líbano e Irlanda; em 1968 ao Japão e África francófona; em 1969 à Índia... O espírito das “Equipas de Nossa Senhora” chegou a Portugal em 1955 com a criação da equipa 1, que viria a ser reconhecida em 1959. O reconhecimento oficial do Movimento ocorreu em 1957, com o recohecimento da equipa Porto 1. O salto das “Equipas de Nossa Senhora” para além das fronteiras de França obriga a uma opção entre duas fórmulas: ser uma federação de movimentos nacionais e paralelos, ou ser um movimento único e internacional. Em 1960, o Movimento das ENS recebe o primeiro reconhecimento oficial da

Fotos: DR

Em 2009 assinalam-se os 70 anos da primeira equipa

Em Roma, o Papa Paulo VI no acolhimento das famílias das “Equipas de Nossa Senhora” Igreja, através duma carta do Cardeal Feltin, Arcebispo de Paris. Em Junho de 1973, as Equipas de Nossa Senhora defrontam-se com uma etapa nova: o seu fundador, o Padre Caffarel, decide retirar-se para deixar o seu lugar a uma equipa mais jovem, para permitir a continuação do “grande esforço de oração, de reflexão e de transformação, para continuar, com vontade inflexível, a descobrir a vontade de Deus sobre o Movimento e a sua missão, na fidelida-

de à intuição das origens e na compreensão dos sinais dos tempos”. Entretanto, em 1975, as Equipas de Nossa Senhora são reconhecidas por Roma como uma “Associação Internacional Católica” (Carta do Cardeal Roy, Presidente do Conselho Pontifício para os Leigos). No seguimento de esforços desenvolvidos oficialmente pelo Movimento, desde 18 de Abril de 1984, o Cardeal Pironio, Presidente do Conselho Pontifício para os Leigos, assinou, em dia

Padre Caffarel com João Paulo II

de Páscoa de 1992, o “Decreto de Reconhecimento das Equipas de Nossa Senhora”, enquanto associação de fiéis de direito privado e a aprovação dos estatutos, segundo o novo Código de Direito Canónico. Com efeito, é o terceiro reconhecimento oficial das Equipas de Nossa Senhora pela Igreja: a primeira foi a do Cardeal Feltin, Arcebispo de Paris, aquando da fundação do Movimento (Carta de 25 de Março de 1960); a segunda, a do Cardeal Roy, Presidente do Conselho de Leigos, em Roma (Carta de 18 de Fevereiro de 1975); a terceira, o reconhecimento das Equipas de Nossa Senhora como “Associação de Fiéis de Direito Privado”, através da Carta do Cardeal Pironio (1992). No dia 26 de Julho de 2002, festa de Santa Ana e de S. Joaquim, pais da Virgem Maria, o Conselho Pontifício para os Leigos reconheceu definitivamente as Equipas de Nossa Senhora como Movimento de Fiéis Leigos. Desde 1992 que os estatutos canónicos são reconhecidos “Ad Experimentum”, isto é, em regime probatório. Recordando Monsenhor Rylko, Secretário, e Sua Eminência o Cardeal James Francis Stafford, Presidente do Conselho Pontifício: “A irradiação apostólica do Movimento e o aprofun-

damento da formação dos membros das Equipas de Nossa Senhora, trabalhando ao serviço da família e da sociedade, ao longo de todos estes últimos anos, ajudando os casais a viver cristãmente a sua vida de casados e a descobrir e a realizar o projecto de Deus sobre eles na sua vida quotidiana [...} permite decretar o reconhecimento do Movimento das Equipas de Nossa Senhora como associação privada internacional de fiéis, dotada de personalidade jurídica de acordo com o Código de Direito Canónico” Este reconhecimento é a confirmação, para todos os equipistas, da qualidade dos seus compromissos apostólicos de casal e da seriedade da sua caminhada espiritual. O “Movimento das Equipas de Nossa Senhora” foi registado, no dia 15 de Dezembro de 2004, no Livro de Registos das Associações de Família, como Associação de Famílias de Representatividade genérica. Este reconhecimento foi concedido pela Coordenação Nacional para os Assuntos da Família, do Ministério de Segurança Social, da Família e da Criança.


4 CULTURA Em Leiria

“A Imprensa Regional Católica” Com o objectivo de perceber o contributo da imprensa regional ao longo do tempo, o Arquivo Distrital de Leiria está a organizar um ciclo de conferências. No dia 29 de Abril, 18h00, haverá mais uma conversa sobre “A Imprensa Regional Católica”, com Sandra Duarte, Investigadora do CEIS20 (Coimbra) e CEHR (Lisboa).

VII Festival Afonso Lopes Vieira Decorrerá, no dia 2 de Maio, o VII Festival Afonso Lopes Vieira, no Teatro Miguel Franco, Leiria, pelas 17h00. Este festival terá a participação de Coral Trítono de Évora, Coral “Cantábilis” de CGD–Leiria e Retales – Orquestra do Conservatório de Santander – Espanha. Ainda estarão presentes Jacinta Almeida (Sopro), Amadeu Oliveira (Pianista). Octávio Martús (Tenor) e Fanfarra da Folamónica dos Marrazes.

PUB

Leiria Av. Marquês de Pombal, Lote nº 2 Tel.: 244 830 460 Fátima Rotunda Sul - Ed. Azinheira Marinha Grande Rua das Portas Verdes, 58 Ourém Av. Nuno Álvares Pereira

CINEMAS Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) • VELOZES E FURIOSOS | acção | de Justin Lin | c/ Vin Diesel, Paul Walker, Michelle Rodriguez | 23 a 29 de Abril, 21h30; dia 24, 00h00; dia 25, 15h30 e 00h00, dia 26, 15h30 Teatro Miguel Franco (Leiria) • QUEM QUER SER BILIONÁRIO? | drama | de Danny Boyle, Loveleen Tandan | c/ Mia Drake, Imran Hasnee, Anil Kapoor | 23 a 26 de Abril, 21h30; dia 25, 18h30; dia 26, 15h03 Cine-Teatro de Monte Real • MONSTROS VS ALIENS | animação | de Rob Letterman, Conrad Vernon | 24 e 25 de Abril, 21h30; dia 26, 15h30 Cine-Teatro Actor Álvaro (Vieira de Leiria) • SOBREVIVER COM OS LOBOS | de Véra Belmont | c/ Mathilde Goffart, Michèle Bernier, Yaël Abecassis | 24 de Abril, 21h00 • RESISTENTES | de Edward Zwick | c/ Daniel Craig, Live Schreiber, Jamie Bell | 25 de Abril, 21h00 • VALQUÍRIA | de Bryan Singer | c/ Tom Cruise, Kenneth Branagh, Tom Wilkinson | 26 de Abril, 21h00 Auditório Municipal de Pombal • UNDERWORLD: A REVOLTA | acção, aventura | de Patrick Tatopoulos | c/ Bill Nighy , Michael Sheen , Rhona Mitra | 23 a 29 de Abril, 21h30 Cine-Teatro de Ourém • WATCHMEN – OS GUARDIÕES | acção | de Zack Snyder | c/ Carla Gugino , Jeffrey Dean Morgan , Malin Akerman | 25 de Abril, 21h30 • PINÓQUIO 3000 | animação | de Daniel Robichaud | 19 de Abril, 15h30 Auditório Municipal da Batalha • MARLEY E EU | comédia | de David Frankel | c/ Alan Arkin , Eric Dane , Haley Bennett , Jennifer Aniston , Owen Wilson | 24 a 27 de Abril, 21h30 Cine-Teatro de Alcobaça • MILK | biografia | de Gus Van Sant | c/ Sean Penn, Emile Hirsch, Josh Brolin, Diego Luna, Alison Pill | 26 de Abril, 17h30 e 21h30; dia 27, 21h30

EXPOSIÇÕES Edifício Banco de Portugal - Leiria •”Nadir Afonso - Século XXI” - pintura (~31/05) Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Intersecções” - pintura de Dulce Bernardes e Milú Dias (17/4~17/5) Teatro Miguel Franco - Leiria •”O grande mundo dos mais pequenos” (~21/04) • 40º aniversário da geminação Leiria-Tokushima (28/04~10/05) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria • “Expo arte” - pintura e desenho (~16/04)

O Mensageiro 23.Abril.2009

Formação para suscitar a leitura na Marinha Grande

“Com o dedo na página…” A Biblioteca Municipal da Marinha Grande acolhe, no dia 24 de Abril, entre as 10h00 e as 17h00, uma acção de formação intitulada “Com o dedo na página… estratégias para suscitar o prazer de ler”. A participação é gratuita, sujeita a inscrição prévia. A acção foi concebida e é realizada pela psicóloga e psicoterapeuta Inês Pupo e destina-se a professores, educadores, técnicos de bibliotecas, bibliotecários, responsáveis por bibliotecas escolares, animadores sócio-culturais, pais e encarregados de educação. A acção de formação irá abordar vários temas, tais como, as fases do desenvolvimento e a leitura; o papel dos adultos promotores de leitura em cada fase; o que

fazer e o que evitar; selecção de livros adequados a cada idade; apresentação de livros para suscitar o interesse pela leitura; leitura com crianças e jovens e actividades relacionadas com a leitura. Os participantes irão abordar a relação entre as várias fases do desenvolvimento e a leitura, como base para seleccionar os livros mais adequados a cada idade; irão trabalhar em grupo os truques para melhor apresentar os livros escolhidos e as actividades relacionadas com a leitura para as várias idades e, por fim, será abordada a promoção da liberdade na escolha das leituras, como principal estratégia para associar a leitura ao prazer de ler. Desta forma, preten-

• Literaura no séc. XX (~30/04) • Cem anos da literatura portuguesa” (~10/05) Orfeão Velho de Leiria • Fotografia de Joaquim Pesqueira (~17/04) M|i|mo - Museu da Imagem em Movimento (Mercado de Sant’Ana) • ”O fascínio do Olhar” (permanente) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria • ”Incêndios florestais” - fotografia (~30/04) Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa - porta 7 - Leiria • “Novos criadores” - trabalhos artísticos (18/04, 03/05) Bar Alinhavar - Leiria • “Os meus heróis” - pintura de José Nobre (~30/04) Museu Escolar - Marrazes • ”Herbários” (~26/04) Casa Museu João Soares - Cortes • ”10 anos” e “Vida no campo” (permanente) Museu do Vidro - Marinha Grande • “Olhares sobre o Vidro” - Virgílio Marques (temporária) Casa-Museu Afonso Lopes Vieira - Marinha Grande • Colecção Carlos Vieira - fotobiografia (permanente) Galeria Municipal da Marinha Grande • Pintura de Artistas Marinhenses (26/04, 18h00) Museu Marquês de Pombal - Pombal • “Os Chapéus dos meus Heróis” (~30/04) Torre de Menagem - Castelo de Pombal • “Elementos Arquitectónicos: Memórias de uma Época” (permanente) • “Liberdade de pensamento” - pintura Maria J. L. Fernandes (~7/05) Casa da Cultura - Santiago de Litém • “À descoberta da Alice” - Dinossáurio dos Andrés (permanente)

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS Teatro José Lucio da Silva - Leiria •“Óscar e a senhora Cor-de-Rosa” - teatro (16/04, 21h30) •“Músicos de Bremen” - teatro (17/04, 21h30) • Festival de Teatro Juvenil - sessão de abertura (19/04, 15h00) • “UHF” - música (25/04, 21h30) Teatro Miguel Franco - Leiria •“O flautista vem ao Oeste” (16 e 17/04, 10h30 e 14h00) •“Quinteto César Cardoso” - música (18/04, 21h30) •“O cair da máscara” - festival de teatro juvenil (21/04, 21h30) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •“Chape,chape,chape” - conto (17 e 22/4, 10h30 e 14h30; 6/04, 16h) •”Suzete” - hora do conto (17 e 22/04, 10h30 e 14h30; 6/04, 16h00) •”O urso polar” - conto (17 e 22/04, 10h30 e 14h30; 6/04, 16h00) Ludoteca Afonso Lopes Vieira - Leiria •“Zeferino e Zulmira!” (18/04, 10h00 e 14h30; 19/04, 14h00 e 16h00) •”Suportes para velas!” (25/04, 10h e 14h30 e 26/04, 14h e 16h) Te-Ato - sala Jaime salazar Sampaio - Leiria •”Terra de mim” e “O fogo e a água” - lança. obas poéticas (18/04, 16h) Mercado Sant’Ana - Centro Cultural - Leiria •“Abril Juvenil” - pintura e découpage (~30/04, 10h00~12h30)

de-se proporcionar formação que permita ampliar as competências na área da promoção da leitura entre crianças, pré-adolescentes e adolescentes, em articulação com os objectivos do Plano Nacional de Leitura. As inscrições, limitadas a 25 participantes, poderão ser feitas directamente na biblioteca, de segunda-feira a sexta-feira, das 9h00 às 17h30, através do telefone

244 57 33 22 ou por e-mail biblioteca.municipal@cmmgrande.pt A iniciativa conta com o apoio da Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas/ Ministério da Cultura, no âmbito do Programa de Promoção da Leitura 2009.

Auditório da “Casa Sanches” - Leiria •“Reabilitação Urbana e Arqueologia” - conferência (16/04, 21h00) Lar Emanuel - Marrazes •Serviço de Apoio da Biblioteca a Idosos Atentos (21/04, 14h30~16h00) Kartódromo dos Milagres •Campeonato de Portugal de Karting - Truféu do Futuro (25~26/04) Igreja da Cruz da Areia •Encontro anual da unidade militar BTR/1759 - música (18/04, 12h30) Casa-Museu João Soares - Cortes •“Viva a Vida” - actividade para a população idosa (16,17,23 e 24/04) •Construção de Fantoches - oficina ecológica (18/04, 15h00) Jardins-de-Infância Cortes e Reixida • Baú das histórias - hora do conto (~16/04) •“Anton” - hora do conto (17/04) EB1 Cortes e EB1 Reixida • Baú das histórias - hora do conto (21/04~24/04) Auditório da Caranguejeira • Encontro de Bandas - Centenário Mestre Cordeiro (19/04, 15h00) Biblioteca da Batalha •“Hora do Conto” - pré-escolar ao 2º ciclo (2ªs, 4ªs e 6ªs) •“Hora do Conto” - filhos e pais (1ºs e 4ºs sábados de cada mês) •Dia MUndial do Livro e dos Direitos de Autor (23/04~28/04) Largo da Praça da Fonte - Reguengo do Fetal (Batalha) •”Buraco Roto” - percurso pedestre (19/04, 9h00) Auditório Municipal da Batalha •”Sementinha Story” - teatro (19/04, 15h30) Pavilhão Multiusos da Batalha •II Fim-de-semana da Juventude (24/04~26/04) Bidoeira de Cima - Leiria •Tasquinhas (24/04~26/04) Galeria Municipal - Marinha Grande •Concerto - grupo coral La Coda e do Ateneu Desportivo (16/04,21h30) Biblioteca Municipal - Marinha Grande •”Mulheres, Gerra, Paz e Liberdade” - colóquio (18/04, 15h00) •”Pintando e desenhando o 25 de Abril” (18/04, 15h00) •”À descoberta do 25 de Abril” - Peddy Paper (18/04, 16h00) Edifício da fábrica de Resinagem - Marinha Grande •Feira de Artesanato (24/04, 20h00) Sede da ASURPI - Marinha Grande •”Uma Candidatura à Portuguesa” - teatro (24/04, 21h00) A.C.R. Comeira - Marinha Grande •Bandas Rock - concerto (24/04, 22h00) Largo da República - Vieira de Leiria •”Trio Vieirense + 1” - concerto (24/04, 22h00) Piscina Municipal - Vieira de Leiria •Festejar o 25 de Abril no meio aquático (25/04, 9h00) Teatro-Cine de Pombal •”Pombal iluminado pelo futuro” - workshop (17/04, 15h30) •”Sociedade Digital...” - colóquio (18/04) • Festival de Teatro de Pombal - teatro (18/04 ~16/05) Salão Paroquial da Ilha - Pombal • Concerto da Liberdade - concerto (18/04, 21h00)


SOCIEDADE 5

O Mensageiro 23.Abril.2009

25 de Abril em Ourém A Câmara Municipal de Ourém vai celebrar o 35.º aniversário do 25 de Abril com um conjunto alargado de iniciativas. Assim, dia 24, pelas 23h00, o largo do edifício dos Paços do Concelho vai receber um concerto pelos ‘Romeiros’, que interpretarão temas icónicos da revolução dos cravos. À actuação segue-se projecção da curtametragem “Antes de

Pombal assinala

35 anos da “Revolução de Abril” No ano em que se comemoram 35 anos sobre a Revolução de Abril, o Município de Pombal assinala este período da nossa história com a exposição “ABRIL SAIU À RUA”, em que se pretende recriar o ambiente eleitoral dessa época. Ao percorrer a exposição os visitantes poderão observar a diversidade cromática dos cartazes em formato original, admirar a criatividade das pinturas dos murais onde de tudo se

escrevia, e absorver a sonoridade que pairava no ar. O período compreendido entre o 25 de Abril de 1974 até ao dia 27 de Junho de 1976 foi o culminar de uma época vertiginosa da nossa História. Uma Revolução. Um novo regime. Novas figuras. Novas leis. O confronto ideológico. A situação nas colónias. Manifestações. Golpes. Contra-golpes. Jornadas de protesto. Jornadas de apoio. Ocupações. Comícios de to-

das as cores. Comunicados de todos os tons. Frases com todas as letras. Melodias com todos os sons. As comemorações dos 35 anos da Revolução de Abril terão início com uma sessão solene, às 10h30, no Salão Nobre do Edifício dos Paços do Concelho. Pelas 11h30 será inaugurada a exposição “Abril saiu à Rua” nos Claustros dos Paços do Concelho. Pelas 16h00 terá lugar, no Teatro-Cine de Pombal, a 7.ª

edição do Festival Cantar Abril com a participação do GRUPO CORAL - CTT do CDCR de Coimbra, o Coral do Clube Galp Energia e do Coro Municipal Marquês de Pombal. De realçar a apresentação da peça de teatro “A Verdadeira História da Tomada do Carvalhal” pela Estação Teatral Este, que terá lugar pelas 21h30 no Teatro-Cine de Pombal.

medicamentos passados apen oito meses as FAR retiram-lhe o se filho Emmanue e durante três anos vive sem notícias do seu paradeiro. Só com muita fé e resistência sobrevive a este inferno pa finalmente ser libertada a 10 de Janeiro de 2008 e poder reencontrar o seu filho e abraçar a sua família. É um retrato comovente e uma voz extremamente humana de quem ultrapassou obstáculos e sofrimentos e valoriza a vida tal como ela

Teatro José Lúcio da Silva

UHF tocam em Leiria A Associação de Solidariedade Académico de Leiria no âmbito das comemorações do 35º Aniversário da nossa instituição e da Revolução de Abril, vai organizar um concerto acústico com os UHF no Teatro José Lúcio da Silva em Leiria, no próximo dia 25 de Abril pelas 21h30. O nome do espectáculo é “Absolutamente ao Vivo em Leiria” e o concerto electro-acústico visitará a obra gravada dos UHF de 30 anos de carreira com um momento especial, a homenagem a José Afonso, “a senha de Abril”. Destaque ainda, para a apresentação de um novo tema “O tempo é Meu Amigo”. Este concerto integra-se na promoção do primeiro DVD dos UHF (“Absolutamente ao Vivo”), cuja banda sonora corresponde ao terceiro disco ao vivo do grupo. Este novo trabalho dos UHF, encontra-se já em 14º Lugar no top de vendas nacional. As receitas efectuadas com esta iniciativa serão colocadas à disposição do projecto social do Académico de Leiria, “Lar Para Crianças E Jovens Em Risco”.

“O 25 de Abril …35 anos depois”

Da opressão à liberdade Obrigados a avançar quase diariamente pela selva, para nunca verem a sua posição revelada, os reféns vivem em condições adversas, desde falta de comida, privação de intimidade e higiene, sujeitos a um clima húmido constante e ausência de luz do Sol. Aos poucos percebese que a hostilidade e as tensões não surgem só dos guerrilheiros mas também dos conflitos existentes entre reféns. A força e a coragem de Clara é posta à prova quando descobre que está grávida e vê-se obrigada a fazer uma cesariana no meio da selva sem condições nem

Histórico Municipal, no piso inferior da biblioteca municipal. Ainda dia 25, pelas 15h30, o Auditório da Biblioteca Municipal, acolherá mais uma edição dos (Con)Tributos, com um Colóquio “Memórias e Discursos de Abril”, um olhar antropológico do investigador Tiago Matos Silva e uma partilha de memórias de Sérgio Ribeiro. Acompanhamento pelo Quinteto de Sopros, da Ourearte.

IPJ de Leiria apresenta exposição

Casa-Museu João Soares acolhe apresentação de livro No dia 23 de Abril, pelas 18h30, na Casa-Museu João Soares, nas Cortes, vai ser lançado o livro “Memórias do meu cativeiro”, de Clara Rojas. Depois de sobreviver seis anos na selva colombiana, prisioneira das FARC, Clara Rojas partilha a sua trágica experiência e a felicidade de viver novamente em liberdade. A 23 de Fevereiro de 2002, Clara Rojas directora de campanha de Ingrid Betancourt pelo Partido Verde Oxigénio é raptada juntamente com esta durante uma visita ao interior do país, pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Amanhã” de Golçalo Galvão Telles. Dia 25, a partir das 10h00, decorrerão as cerimónias oficiais junto ao edifício dos Paços do Concelho. Segue-se cortejo oficial, acompanhado pela Fanfarra dos Bombeiros e Cortejo da Banda da Associação Filarmónica 1º Dezembro Vilarense Reis Prazeres, desde os Paços do Concelho até à Praça Dr. Agostinho Albano de Almeida. Após o que decorrerá a apresentação pública do Arquivo

O IPJ de Leiria apresenta uma exposição informativa - documental “25 de Abril…35 anos depois”, que está patente ao público na Loja Ponto JA até ao dia 4 de Maio. A mostra é constituída por catorze painéis e tem como objectivo dar a conhecer aos jovens a história da democracia do nosso país.

IPJ promove concurso de fotografia

“Liberdade”

é. No final de Abril, em simultâneo com outros países, como França, Espanha, Alemanha ou Colômbia, a Caleidoscópio lançará a versão portuguesa, Memórias do meu Cativeiro.

A Loja Ponto JA de Leiria da Direcção Regional do Centro do Instituto Português da Juventude (IPJ) em parceria com a Associação Cultura e Juventude está a promover um concurso de Fotografia e de Artes Plásticas integrado nas “Comemorações do 25 de Abril”. Subordinado ao tema “Liberdade” este concurso tem como objectivo a promoção da cidadania e a participação activa dos jovens nas comemorações do dia 25 de Abril, um marco histórico na Democracia do nosso País. O concurso é destinado aos jovens estudantes dos ensinos secundário e superior, com idades compreendidas entre os 14 e os 35 anos.

WWW.OMENSAGEIRO.COM.PT


6 SOCIEDADE Câmara celebra canonização A Câmara Municipal de Ourém vai celebrar, no próximo 26 de Abril, a canonização do Beato Nuno, 2º conde de Arraiolos, 7º conde de Barcelos e 3º conde de Ourém, com um programa a desenrolar na zona histórica. As cerimónias terão início com uma missa na Igreja de N.ª Sr.ª das Misericórdias pelas 11h00, seguida de uma cerimónia evocativa e descerrar de uma lápide no Terreiro de S. Tiago, fronteiro ao Castelo de Ourém.

Cerimónia distrital de entrega dos prémios

Concurso “Escola Alerta!”

No âmbito do concurso “Escola Alerta!” de 2008/ 2009, no dia 24 de Abril, haverá a cerimónia distrital de entrega dos prémios no salão nobre do Governo Civil de Leiria. Pelas 16h00 será revelada a decisão do júri sobre o trabalho escolhido e proceder-se-á a seguir à entrega do prémio.

Marinha Grande assinou-se escritura pública

Futura instalação do Centro para o Desenvolvimento do IPL

23.Abril.2009

II Fim-de-Semana da Juventude da Batalha

Rita Redshoes encabeça cartaz Muita animação, propostas radicais e diversas competições desportivas é o que promete a segunda edição do Fim-de-Semana da Juventude da Batalha, uma iniciativa municipal que no ano passado se apresentou com bastante sucesso junto dos jovens e outros adeptos da adrenalina. O centro das actividades será o pavilhão multiusos da vila, mas as propostas de actividades irão estender-se a toda a zona desportiva circundante, num recheado programa preparado para os dias 24, 25 e 26 de Abril. Desde um torneio de futebol 5 ao paintball, air bungee, slide, escalada, BTT, carros de rolamentos

O Presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), Luciano de Almeida, e o Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Alberto Cascalho, procederam à assinatura de escritura pública de constituição de direito de superfície a favor do IPL sobre terreno na Zona Industrial da Marinha Grande, onde se irá construir um edifício para instalar o Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado de Produto (CDRsp), e do contrato de comodato para cedência de instalações no Centro Empresarial da Marinha Grande onde irá funcionar, a curto prazo, aquela unidade orgânica de investigação.

e passeios de gaivota, não faltarão possibilidades de escolha. O grande destaque deste II Fim-de-Semana da Juventude da Batalha será, com certeza, a promessa de um magnífico concerto da artista Rita RedShoes, a realizar no dia 24, sexta-feira, às 22h00, com entrada gratuita. Mas a animação musical não se ficará por aí, dada a oferta variada de espectáculos de ginástica e dança, demonstrações de modalidades gímnicas e de hip-hop. Também prometedora, para os amantes dos sons electrónicos, será a noite de 25 de Abril, com a presença do DJ oficial da rádio 94FM, “Mister M”.

Escola de São Pedro cedida a “Moher” As instalações da desactivada Escola Básica do 1º Ciclo de São Pedro de Moel, localizadas na Rua Helena Lopes Vieira, na praia da São Pedro de Moel, freguesia de Marinha Grande, foram cedidas pela Câmara Municipal à “Moher – Associação para o Desenvolvimento de S. Pedro de Moel”. O protocolo que formaliza o empréstimo foi assinado no dia 18 de Abril,

Edição de postais promocionais No âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2009, comemorado a 18 de Abril, o Turismo de Leiria-Fátima editou um postal promocional do património da região, cuja imagem de marca é o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha. Um outro postal editado na mesma ocasião é dedicado ao “Sol & Mar” e pretende realçar as praias no âmbito da promoção para o mercado interno. Os postais estão já a ser oferecidos aos visitantes dos postos de Turismo de Leiria-Fátima.

DR

Aprovação de planos municipais

Turismo de Leiria-Fátima

tar das propostas gratuitas desta iniciativa, organizada pela autarquia da Batalha e o Conselho Municipal da Juventude, com o apoio das associações de estudantes dos estabelecimentos de ensino. LMF

Câmara coopera com associação

Defesa da Floresta Contra Incêndios

Reuniu, no dia 17 de Abril, no Auditório da Biblioteca Municipal da Marinha Grande, a Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (CMDFCI), onde foram apresentados, discutidos e aprovados o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI) e o Plano Operacional Municipal (POM). O processo de execução destes planos teve por base a criação de algumas condições nos serviços municipais pela Câmara, como a admissão de um engenheiro florestal para o Gabinete Técnico Florestal (GTF), que funciona no Gabinete de Segurança e Protecção Civil.

Segundo Carlos Henriques, vereador da autarquia, esta iniciativa pretende “assinalar a mensagem de Abril junto dos jovens, mas também levar até eles a possibilidade de organizarem os seus próprios eventos, fomentando o gosto pelo associativismo juvenil”. Nessa linha, pretendendo evidenciar o carácter educativo e pedagógico desta organização, serão disponibilizados no pavilhão diversos espaços de informação juvenil, em áreas como o ambiente, a toxicodependência e o desporto. Resta referir que todos, jovens e menos jovens, estão convidados a vir desfru-

DR

Beato Nuno

O Mensageiro

no edifício da escola, pelo Presidente da Câmara da Marinha Grande, Alberto Cascalho; e Presidente da Moher, Paulo Tojeira. Mais de três dezenas de pessoas testemunharam o acordo, entre os quais se destacam vereadores da Câmara, presidente da Junta de Freguesia, chefe de gabinete do Presidente da Câmara, deputados da Assembleia de Freguesia e população.

Alunos da Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo promovem

Convívio e conferência “Mover é viver” Cinco alunos da Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo organizam, no próximo dia 29 de Abril, pelas 16h30, um convívio desportivo entre alunos desta escola e a equipa de basquetebol da delegação distrital de Leiria da Associação Portuguesa de Deficientes (APD-Leiria). A iniciativa, que irá decorrer na Escola EB 2,3 D. Dinis, insere-se num projecto com o tema “Motricidade” e visa sensibilizar os alunos para “uma realidade diferente, que está tão perto da sociedade”, dado irem experimentar jogar basquetebol também em cadeiras de rodas. No âmbito do mesmo projecto, esta equipa de alunos irá organizar uma

conferência, intitulada “Mover é viver”, no dia 15 de Maio, pelas 15h00, no auditório da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais. Na ocasião, o grupo fará uma apresentação sobre a importância da promoção da motricidade, da actividade física para a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos. Mostrarão ainda uma reportagem, realizada no Centro de Reabilitação Profissional de Gaia, sobre vários meios técnicos existentes para a reabilitação de indivíduos que, por qualquer razão, tenham adquirido deficiências, incapacidades, mostrando todo o trabalho que se faz a nível da reabilitação física, psicológica, mas também da integração posterior ao ní-

vel social, familiar, escolar, profissional, entre outros. Esta reportagem incidiu principalmente na inovadora mão biónica, uma prótese que já foi colocada num pasteleiro, o primeiro português a recebê-la. Esta prótese permite, ao contrário das outras, o controlo individualizado de cada um dos dedos da mão. Está conferência contará com a presença de Jorge Laíns, um prestigiado fisiatra, que falará da filosofia da reabilitação, dos seus objectivos, dos seus princípios, incidindo especialmente nos casos de AVC, doença que vitima muitos portugueses. Estarão ainda presentes dois leirienses que irão dar o seu testemunho de vida:

Manuel Sousa, representante da equipa de basquetebol em cadeira de rodas APD-Leiria, campeã no ano passado do campeonato de basquetebol em cadeira de rodas; e João Machado, que recuperou recentemente de uma paralisia que apareceu repentinamente na sua vida, uma hérnia discal na coluna dorsal. O convite à participação neste evento é extensivo a todo os interessados, pois será, com certeza, “enriquecedor para todos os cidadãos desta cidade, no sentido de se tornarem mais informados e terem uma visão mais ampla da vida, fora da rotina citadina”, concluem os alunos organizadores.


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 23.Abril.2009

Loja Social e duas novas viaturas como prenda OPINIÃO

Bombeiros da Batalha celebraram 31 anos A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho da Batalha (AHBVCB) celebrou o seu 31.º aniversário, no passado domingo, 19 de Abril, data que ficou assinalada pela inauguração de uma Loja Social da instituição e pela bênção de duas novas viaturas para transporte de doentes. As comemorações começaram com o hastear de bandeiras no quartel, pelas 09h00, seguindo-se uma romagem ao cemitério da vila, para homenagem aos bombeiros já falecidos, e a celebração de uma missa solene no Mosteiro de Santa Maria da Vitória. No final da celebração, o corpo de bombeiros formou em parada, em frente ao Mosteiro, local onde actuou a fanfarra da corporação e foram benzidas duas novas viaturas para transporte de doentes, uma para a sede da Batalha, outra para a secção de S. Mamede. “É uma das nossas preocupações, visto existirem alguns veículos que já não cumprem os actuais requisitos legais para o serviço dos bombeiros”, afirmou Cecília Justo, presidente da AHBVCB, adiantando que estas duas ambulâncias “são essenciais para que os bombeiros prestem um serviço de qualidade à população”. Também o comandante dos bombeiros, Fernando Oliveira, salientou a importância da renovação do parque automóvel dos voluntários da Batalha, agradecendo o “esforço da direcção, da autarquia e dos benfeitores” para estas aquisições e referindo que seria ainda necessária “uma nova viatura para o combate a incêndios e também um renovado

Desonestidade ateísta* D. Carlos Azevedo

Bispo Auxiliar de Lisboa

carro de comando”. A estas prendas, juntou-se a oferta de dois novos instrumentos musicais para a fanfarra recentemente constituída, e que é já um elemento de especial orgulho dos bombeiros, sobretudo na animação dos momentos festivos e solenes, como foi o caso. Após o cortejo de bombeiros e viaturas pelas ruas da vila, seguiu-se um almoço de confraternização no quartel, que contou a presença de muitos familiares e amigos dos “soldados da paz”, bem como de diversas entidades convidadas, entre as quais, Nélio Gomes, presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Leiria, e Rui Silva, representante da Liga dos Bombeiros Portugueses. Ambos frisaram a importância da união das pessoas em torno dos bombeiros nestas datas festivas, sobretudo numa altura em que as dificuldades que sentem são enormes. Acusando a legis-

lação de ser “desajustada à realidade e asfixiante”, desincentivando a actividade dos voluntários, Nélio Gomes referiu também que as verbas atribuídas pelo Governo são insuficientes e poderão mesmo “levar ao encerramento de algumas corporações”. Loja Social A principal novidade desta efeméride foi, sem dúvida, a inauguração da nova Loja Social criada por esta associação. “Trata-se de um espaço de recolha de bens que as pessoas ou as empresas queiram oferecer, que estejam ainda em bom estado para o uso, e que serão posteriormente distribuídas gratuitamente a pessoas carenciadas do concelho”, explicou Cecília Justo. A presidente da AHBVCB refere que esta é uma das concretizações da preocupação social da nova direcção, indo ao encontro, sobretudo, das “novas formas de pobreza escondida,

causadas pelo desemprego, pela crise que afecta cada vez mais famílias, e que nem sempre são facilmente sinalizadas”. Assim, o novo espaço, a funcionar junto à igreja matriz da Vila, irá acolher roupas, calçado, brinquedos, móveis, material didáctico, electrodomésticos, alimentos e todos os outros produtos que aparecerem, “aquilo que as pessoas tenham em casa e queiram partilhar”. Para beneficiar deste serviço, os interessados deverão apresentar-se junto dos serviços sociais da autarquia ou das instituições de solidariedade social, que farão a triagem dos pedidos e os encaminharão para a Loja Social, onde receberão os bens à disposição. O serviço será garantido por um grupo de voluntários, para já, durante as tardes de terças-feiras e sábados. Texto e foto: Luís Miguel Ferraz

Uma associação, que se intitula ateísta, tem-se manifestado contra a canonização de Nuno de Santa Maria e lamentado a presença do factor religioso em Portugal. Porque as intervenções rondam a desonestidade intelectual venho aqui combater afirmações deste pequeno grupo quase residual na sociedade portuguesa, mas, em virtude das suas posições extravagantes, valorizado na comunicação social. Porque respeito e considero o ateísmo atitude séria, estranho esta campanha anticatólica, mascarada de ateísta. Afirmar que Nuno Álvares Pereira foi canonizado graças a um milagre que ridicularizam, é desonesto. A canonização de uma figura tem como razão primeira as virtudes fora do comum, vividas em grau heróico, que aqui são absolutamente claras: entrega total ao serviço da pátria, confiança absoluta em Deus, perdão, partilha, serviço aos pobres. A segunda prende-se com a fama de santidade, muito cedo demonstrada pelo povo, invocando o Santo Condestável . Só em terceiro lugar se atende, como confirmação, à ocorrência de um milagre, sinal sempre débil, como todos os sinais da presença de Deus. Só a fé constitui a luz para entender o que a razão médica não consegue explicar. Neste caso, nem seria necessário este terceiro elemento, dada a antiguidade da fama de santidade, que aqui não cabe explicar. Pretender ignorar este processo completo é desonestidade grave, além de alinhar na crítica destruidora das grandes figuras da identidade nacional. É o mesmo anticatolicismo primário a motivar o desacordo com o facto de o Presidente da República integrar uma Comissão de Honra que promove comemorações destinadas a valorizar a dimensão nacional de Nuno Álvares Pereira. Mal seria se o representante da Nação estivesse ausente de facto tão relevante para a grande maioria da população, independentemente da sua posição pessoal. A identificação que a referida Associação faz entre religião e superstição é enganadora e velha. Pessoas com rigor intelectual não fazem equivaler formas degradadas de religião com verdadeira religião transformadora da sociedade, da qual tantos católicos e membros de várias religiões deram testemunho com o dom da própria vida. Denegrir toda a dimensão religiosa, meter tudo no mesmo saco para deitar abaixo é usar da mentira para a propaganda em curso. O grande crítico da falsa religião foi Jesus Cristo. Os que O seguem, como o Beato Nuno, não são super-homens ou super-mulheres, isentos de qualquer defeito. São porém, antes de mais, servidores do Deus vivo e inteiramente dados ao bem dos outros, em mil formas próprias da fidelidade a cada tempo. * In Correio da Manhã (17/04/09)

Convívio militar na Cruz da Areia

IMAGEREPORTER

Momentos de alegria, emoção e saudade No passado dia 18 realizou-se em Leiria, o 5.º convívio dos ex-combatentes em Angola da Bataria de Artilharia n.º 1759, sob a responsabilidade do Colmeense Silvino Gaspar e José Mendes, de Viseu. O encontro teve início às 10h30 no miradouro da igreja de Nossa Senhora da Encarnação, para, de lá, se

observar a cidade. Às 12h30, os visitantes seguiram nos seus automóveis, em cortejo, rumo à Cruz da Areia, em cuja igreja, de Santa Isabel, foi celebrada missa presidida pelo Pe. Adelino Guarda, em sufrágio das almas dos nove camaradas já falecidos. A cerimónia contou com a participação do gru-

po coral misto do Orfeão de Leiria e um terno de clarins da fanfarra do Regimento de Artilharia n.º 4, que fizeram homenagem aos camaradas falecidos e marcha de continência regulamentar à consagração da hóstia. Seguiu-me o almoço servido no salão polivalente da mesma igreja. A alegria

esteve ali bem presentes, cuja intensidade se explica pelo facto de, aqueles exmilitares terem convivido juntos durante sete meses em Gaia, e depois, mais 26 em Angola entre perigos, a incerteza do regresso, e as saudades crescentes que atormentavam. Foi um desfilar de contos e histórias, e de muitos risos à mistura.


8 IGREJA DIOCESANA «Descortinar sementes de esperança, e empenhar-se para que frutifiquem» “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, guardei a fé” (2 Tm 4,7) A família está, hoje, sujeita a múltiplos e permanentes ataques. Para nós, ela tem relevância intrínseca e uma centralidade única para o presente e futuro da Igreja e da sociedade. Não ignoramos, porém, que não é fácil articular o amor à verdade de Deus com a compreensão da fragilidade humana. Conhecendo “o tempo” da família nas suas coordenadas contrastantes, nunca poderemos apresentar a maravilhosa proposta cristã com compromissos ou descontos doutrinais, atenuando a beleza do projecto esponsal. Compreender nunca pode ser sinónimo de trair. Com esta atenção à família, onde vão desaguar os grandes problemas da actualidade, aponto algumas referências que considero de pertinência doutrinal e pastoral, para oferecer as ajudas necessárias ao renascimento do tecido familiar.

O Mensageiro 23.Abril.2009

Excertos do discurso de D. Jorge Ortiga na abertura da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa

A Igreja profeta da esperança

A identidade da família

O primeiro passo dessa política é o reconhecimento social da identidade própria da família, que não pode confundir-se com qualquer outro tipo de convivência. Por isso, é grave que se assista, agora, entre nós, à tentativa de redefinição legal do casamento (e, desse modo, do conceito de família), de modo a nele incluir uniões entre pessoas do mesmo sexo. Há quem afirme que, desta forma, a família não é afectada. Mas não pode deixar de o ser, porque a mensagem cultural subjacente a essa redefinição é a indiferença perante a centralidade do seu papel social. Que política familiar poderá conceber um Estado que começa por ignorar o papel social da família e o seu carácter insubstituível e inconfundível? O papel social da família ligase à renovação da comunidade, através da geração e educação dos seus novos membros. Mediante a família, uma geração assegura a existência e a felicidade da geração seguinte. A educação da pessoa, por seu lado, supõe o contributo simultâneo das dimensões masculina e feminina, que só em conjunto compõem a riqueza integral do humano. O valor e a riqueza da dualidade sexual, a unidade e complementaridade das diferenças entre as dimensões masculina e feminina do humano exprimem-se na instituição do casamento, como união entre um homem e uma mulher, como sempre foi con-

questão do trabalho era apresentada como motivo de confronto duro e trágico entre patrões e operários, hoje a tensão tornase mais profunda pelo facto de as decisões se tornarem mais distantes, porque tomadas por potentados financeiros que se tornam, ou podem tornar, árbitros absolutos, sem consideração pela dignidade do trabalhador. A pobreza vai-se acentuando e a Igreja deve ser a voz perene “da boa notícia para os pobres”. Sabemos que o pobre não pode ser visto como um fardo, mas como uma “possibilidade de riqueza maior”, se formos capazes de promover a justiça e a caridade, mudando “os estilos de vidas, os modelos de produção e de consumo, as estruturas consolidadas de poder que hoje seguem a sociedade” (João Paulo II, Carta Encíclica Centesimus Annus, 58).

cebido nas mais variadas épocas e culturas.

A família colocada perante desafios novos

Sabemos que a família não encerra apenas momentos idílicos de paz e felicidade. A convivência familiar é também, por vezes, a ocasião que propicia fenómenos de violência doméstica, que representam a completa perversão dos valores familiares. Sem descurar a acção dos sistemas policial e judicial na repressão deste fenómeno, há que salientar a importância da prevenção, o que também depende da educação e da preparação para o casamento. O cenário de crise económica, que já se verifica e que tenderá a agravar-se nos próximos tempos, torna particularmente gravoso o futuro de muitas famílias. Para muitas pessoas, a família é o apoio seguro, moral e material, nos momentos mais dramáticos. A família é o primeiro sistema de segurança social e este é mais um motivo a justificar o apoio do Estado. E é assim, antes de mais, porque a família é a primeira escola de solidariedade, onde cada um sente como seus os problemas dos outros. Esta crise económica poderá servir, precisamente, para descobrir novas formas de organização

económica, mais fraternas e solidárias, mais à medida da pessoa e da família. Por outro lado, perante a crescente exclusão social, só uma verdadeira integração de todos – pessoas e grupos sociais – permitirá que a pobreza e a discriminação não proliferem. Daí que a lógica da solidariedade activa e da subsidiariedade se tornem, em conjunto, o único instrumento capaz de garantir dignidade para todos, afastando o espectro da pobreza, tantas vezes envergonhada. A falência do sistema económico-financeiro exige uma solução global, onde a participação de cada um faça com que as coisas materiais sejam colocadas ao serviço do bem comum. O Papa Bento XVI tem sublinhado que a crise não é meramente económica ou financeira. O que está a acontecer é a crise dum modelo de sociedade que, alicerçada no lucro fácil e rápido, propunha um consumismo desenfreado e concretizava uma ética relativista, onde cada um percorria os caminhos da satisfação de gostos e critérios pessoais, em detrimento da justiça, da solidariedade e dos valores éticos fundamentais. Pode acontecer que esta crise nos ensine a conviver na “casa comum” duma única família, onde a pessoa vale por si, sem

descriminações de qualquer espécie. Isto supõe que nos coloquemos numa perspectiva de verdade. Sabemos que há empresários que, para salvarem as empresas, defrontam situações graves. Só que, por outro lado, ninguém ignora que outros abandonaram o barco com atitudes fraudulentas, não respeitando as mínimas exigências éticas... Há trabalhadores que assumiram o momento difícil da situação para produzir mais e melhor. Mas também temos outros que caminham na ilusão de acreditar em realidades que não existem. Só com maior sobriedade, austeridade e compromisso colectivo ultrapassaremos o que parece inevitável. Se existem muitos direitos sublinhados pela Doutrina Social da Igreja, o direito ao trabalho é primário e condicionante da dignidade da pessoa humana. Negar ou não proporcionar que todos possam exercer uma actividade que permita o essencial para viver, significa gerar fenómenos de exclusão e marginalidade social, potencialmente causadores de insegurança, violência ou incapacidade de vida em comum no respeito por todos. Mais grave ainda – embora não seja facilmente visível – é o problema dos desempregados envergonhados, que nunca poderemos ignorar. Se houve um tempo em que a

Na opção que fiz de introduzir os nossos trabalhos com uma comunicação centralizada na família, situei-me em aspectos que podem parecer transmitir uma visão pessimista, quando a hora deve ser de esperança. No entanto, apenas quis sublinhar a violenta e sistemática agressão ao facto cristão, que coloca a Igreja numa situação de contraste com certas mentalidades. Ao referir este contexto, pretendi suscitar dinamismos de resposta, pois a Igreja não deve ser ingénua espectadora inactiva e sorridente. Quis, só e apenas, recordar o que o Papa João Paulo II nos legou na Carta Encíclica Redemptoris Missio (11): “A Igreja – e nela os cristãos – não podem esconder-se, nem conservar para si a novidade e a riqueza, recebida da bondade divina para ser comunicada a todos os homens”. Não comunicamos uma doutrina ou uma explicação teórica do enigma humano e do universo. Anunciamos um acontecimento, como algo que continua e de que nos orgulhamos, conscientes de que os nossos interlocutores já não se encontram nas condições que caracterizavam épocas precedentes. Parece que vivemos num tempo de alergia às certezas; mas temos um património onde transparece uma verdade total de que devemos ser eco. Cabe-nos mostrar a evidência da verdade, sem amputações. E cabe-nos fazê-lo sem fórmulas cansadas e repetitivas!...

+ Jorge Ortiga, Presidente da CEP


IGREJA DIOCESANA 9

O Mensageiro 23.Abril.2009

Breves Tarde de convívio no Seminário

“Barraca” promove jantar

LMFerraz/Arquivo

Angariação de fundos para o Lar

A comunidade que, habitualmente, frequenta a Igreja do Seminário, respondendo ao convite feito pelo Reitor, Sr. Padre Armindo, realizou neste sábado, 18 de Abril, um convívio nas suas instalações. O edifício, inaugurado há 50 anos, pedia obras: o tempo causou-lhe mazelas. Às necessidades de tratar essas mazelas, acresça-se a necessidade de adaptação às exigências pastorais de hoje. A nossa Diocese é pobre, os tempos são difíceis, os recursos poucos. Mas como “a vida faz-se caminhando”, o Seminário já está em obras e é preciso trabalhar para arranjar meios e sensibilizar as pessoas para esta necessidade. Por isso, arregaçámos as mangas, convidámos amigos e a Festa aconteceu! Primeiro, o acolhimento. Seguidamente, na Aula Magna, o Sr. Padre Armindo fez um pouco a história do Se-

minário, deu alguns números sobre os jovens que ao longo dos tempos por lá passaram e se formaram, tendo salientado que muitos, não tendo seguido o caminho do sacerdócio, foram ou ainda são válidos elementos na sociedade, explicou o que o Seminário tem de ser hoje e no amanhã: Não só espaço de formação para sacerdotes, mas aberto à formação de leigos que queiram, estudando, aprofundar a sua fé e ainda a sede de todos os serviços e movimentos de carácter diocesano. Mostrou, com o auxílio de imagens, as fases em que se dividirão as obras, o que já está a ser feito, e o destino da parte intervencionada e o que, com a ajuda de Deus e da sociedade, se há-de fazer: o como, o porquê e o para quê. Seguiu-se um breve momento de oração: a leitura do poema “Alegrai-vos sempre no Senhor”, bem enqua-

drado no espírito da quadra em que estamos e do Ano Paulino que estamos a celebrar, de um outro poema lido por todos os presentes e a recitação do Pai Nosso. Seguidamente, quem pôde (a esmagadora maioria dos presentes), foi visitar as obras em andamento, sempre bem guiadas pelo Sr. Padre Armindo, que nos ia explicando tudo o que víamos: As novas instalações para os seminaristas, para os Padres que os acompanharão e a zona que servirá para a realização de retiros, cursos, encontros de formação, etc… Estas finalidades é que obrigaram à remodelação de aposentos, a criar salas para essas actividades, a substituir as instalações eléctricas e de saneamento e a instalar materiais de isolamento, tudo para proporcionar aos que lá irão trabalhar, um conforto, ainda que modesto, mas im-

prescindível para a obtenção dos melhores resultados dos seus trabalhos. No fim da visita todos nos juntámos à volta da mesa para saborear uma merenda partilhada: tudo muito despretensioso, tudo com muita alegria: conversou-se, cantou-se, tocou-se, e quando chegou a hora, cada um partiu para a sua casa levando uma nova missão: Transmitir aos amigos, a todos em geral, a responsabilidade de termos de amar aquela casa, coração da Diocese, e ajudar a que ela melhor possa servir a Igreja e a sociedade. Saímos felizes com o pouco que fizemos e prometemos esforçar-nos para melhorar a organização para que preparemos novas iniciativas que tenham o mesmo fim: Ajudar o nosso Seminário. Pelo grupo animador, Fernando Manuel Almeida

“Jubileu das Vocações”

Celebrar o dom da vocação cristã No próximo dia 2 de Maio, em Fátima, a Igreja diocesana vai celebrar o dom da celebração cristã e das diferentes vocações que se desenvolvem e concretizam a graça baptismal.

Assim o Senhor bispo D. António Marto, convidou todas as pessoas que este ano perfazem 25, 50 ou 60 anos, de matrimónio, de sacerdócio e de vida consagrada a estarem presentes

para juntos celebrar o “Jubileu das vocações”. O programa do dia 2 de Maio para todos aqueles que irão participar nesta celebração é o seguinte: 14h30 - Acolhimento (Al-

reflexão sobre o Francisco, através de leituras, histórias, debates, etc. Podereis consultar as sugestões de leitura e actividades a realizar na nossa página de Internet e b) Quando vamos a uma festa de aniversário é habitual levarmos um presente. Sabendo que o Francisco gostava de brincar, jogar, tocar, sugere-se que as crianças tragam um brinquedo, um jogo, instrumento musical ou até uma peça de roupa, feitos por elas,

“Os Traumas da Guerra Colonial” No próximo dia 24 de Abril o MASE - Museu de Arte Sacra e Etnologia, em Fátima apresenta mais uma tertúlia, com o tema “Os Traumas da Guerra Colonial”. Foram convidados especiais para esta tertúlia o médico psiquiatra Afonso de Albuquerque e Armindo Roque da Associação APOIAR. Esta tertúlia irá ter também a participação de quatro alunos do Centro de Estudos de Fátima que elaboraram o projecto”Heróis esquecidos”. “Tertúlias no Museu” resulta de uma parceria entre o Museu de Arte Sacra e Etnologia dos Missionários da Consolata e a Junta de Freguesia de Fátima visando desenvolver mecanismos culturais para a comunidade local. A entrada é livre.

Formação de Animadores juvenis-4x4

e que sejam do tempo do Francisco ou típicos da região de cada um. Podem pedir ajuda aos pais, avós ou outras pessoas mais idosas… Confiamos na vossa imaginação e na das crianças. Os responsáveis de cada grupo farão a diligência por recolher e guardar, durante a viagem para Fátima, os trabalhos que as crianças trouxerem.

Festa “Spring Celebration”

“Quero ter um coração bonito” no slogan o que exprime um anseio de todos nós: “Quero ter um coração bonito”. Lança-se aos colégios católicos e catequeses, o desafio de preparar esta festa, propondo as seguintes actividades para as quais se pede colaboração: a) Quando vamos à festa de um amigo, procuramos conhecê-lo melhor, saber quais os seus gostos, a sua personalidade e que presente gostaria de receber. Assim, sugerimos uma

Tertúlia no Museu de Fátima

bergue do Peregrino); 15h00 – Encontro de apresentação e testemunho; 16h30 – Eucaristia na basílica, presidida por D. António Marto; 18h00: Convívio no Albergue do Peregrino.

Peregrinação das Crianças a Fátima No próximo dia 9 e 10 de Junho realizar-se-á a Peregrinação das Crianças a Fátima com o tema do ano do Santuário “Os puros de coração verão a Deus”, este ano baseado no 9º Mandamento: “Guardar castidade nos pensamentos e nos desejos”. Este mandamento interpela-nos a manter a pureza de coração, pois só assim nascerão as boas obras, já que todas as acções nascem no coração do Homem. Assim, nesta Peregrinação, sintetiza-se

A “Barraca”, valência do Centro Social Paroquial Paulo VI, nasceu com o objectivo bem definido de promover o convívio entre as pessoas a aí congregar vontades para a angariação de fundos a favor do Lar de Santa Isabel. Todos conhecemos as iniciativas levadas a efeito com esse fim por um generoso grupo de voluntários(as), nomeadamente durante o período da Feira de Leiria, com o funcionamento de um esmerado serviço de restaurante, bar e quermesse. A “barraca”, continuando a estar presente na Feira, embora de outro modo, lança mãos de outras iniciativas com o mesmo objectivo de sempre: a angariação de fundos a favor do Lar de Santa Isabel. Desta vez, anunciam um jantar de beneficência, a realizar no dia 24 deste mês de Abril, pelas 20h30, no restaurante “Aldeia de Santo Antão”, Batalha. Estão abertas as marcações que poderão ser feitas junto de qualquer Voluntário da “Barraca”, no Lar de Santa Isabel (Tel. 244826875), na secretaria do CSPPVI (Tel. 244859800) ou no Cartório (Tel. 244832366). A organização conta com a participação de todos aqueles que puderem estar presentes. Além da colaboração numa boa causa, expressão de solidariedade e ajuda, será também ocasião de confraternização e convívio.

Inscrições insuficientes para iniciar o curso

O curso de formação de animadores juvenis - 4x4 - previsto para a paróquia de Fátima para os dias 9, 23 e 30 de Maio, foi cancelado. Apesar do mesmo curso ter tido sucesso na Quinta da Matinha e na Bajouca, a acção prevista para Fátima não teve inscrições que justificassem a sua realização. No entanto, já se está a planear fazê-lo no início do próximo ano pastoral.

Grande noite musical nos Milagres No próximo dia 25 de Abril a comissão de festas da paróquia dos Milagres leva a efeito uma Festa “Spring Celebration”, grande noite de animação musical, para preparar a festa em Honra de Nossa Sr.ª da Graça, que se realiza de 29 a 31 de Maio, nos Milagres. A festa realiza-se no Salão paroquial dos Milagres a partir das 22h00 e a entrada tem um custo de 2€. Haverá um concerto com a Banda Latex e a actuação do DJ Da Cruz.


10 ECLESIAL

O Mensageiro 23.Abril.2009

MISSÃO EM ANGOLA

Leituras |III Domingo Páscoa ANO B (26/04/09) Antifona de Entrada: Salmo 65, 1-2 Leitura I: Actos 3, 13-15.17-19 Salmo Responsorial: Salmo 4, 2.4.7.9 (R. 7a) Refrão: Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz do vosso rosto. Repete-se Leitura II: 1 Jo 2, 1-5ª

Pe. Vitor Mira

Aclamação ao Evangelho: cf. Lc 24, 32 Refrão: Aleluia. Repete-se Senhor Jesus, abri-nos as Escrituras, falai-nos e inflamai o nosso coração. Refrão EVANGELHO: Lc 24, 35-48 Evangelho N. Senhor Jesus Cristo segundo S. Lucas Naquele tempo, os discípulos de Emaús contaram o que tinha acontecido no caminho e como tinham reconhecido Jesus ao partir do pão. Enquanto diziam isto, Jesus apresentou-Se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja convosco». Espantados e cheios de medo, julgavam ver um espírito. Disse-lhes Jesus: «Porque estais perturbados e porque se levantam esses pensamentos nos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés: sou Eu mesmo; tocai-Me e vede: um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que Eu tenho». Dito isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. E como eles, na sua alegria e admiração, não queriam ainda acreditar, perguntou-lhes: «Tendes aí alguma coisa para comer?». Deram-Lhe uma posta de peixe assado, que Ele tomou e começou a comer diante deles. Depois disse-lhes: «Foram estas as palavras que vos dirigi, quando ainda estava convosco: ‘Tem de se cumprir tudo o que está escrito a meu respeito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos’». Abriu-lhes então o entendimento para compreenderem as Escrituras e disse-lhes: «Assim está escrito que o Messias havia de sofrer e de ressuscitar dos mortos ao terceiro dia, e que havia de ser pregado em seu nome o arrependimento e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vós sois as testemunhas de todas estas coisas». Palavra da salvação.

vitormira@jhs.mail.pt

Contentor para o Gungo: recta final Como tem vindo a ser noticiado, o Grupo Missionário Ondjoyetu está a preparar o envio de um contentor com diversos bens para apoio à missão que a diocese de Leiria-Fátima tem no Gungo, Sumbe, Angola. Muitos dos bens necessários já os temos connosco, alguns comprados, outros conseguidos gratuitamente graças à generosidade de muitas pessoas e até empresas. A todas as pessoas que de alguma forma já contri-

AO SABOR DA PALAVRA

Cânticos | IV Domingo Páscoa ANO B (03/05/09) INÍCIO Cantai ao Senhor um cântico novo - Lau 204 Senhor Tu nos chamaste - Lau 782 Alegre-se o coração - Lau 142 SALMO RESPONSORIAL A pedra que os construtores rejeitaram - Lau 111 APRESENTAÇÃO DOS DONS A messe é grande - Lau 102 O Senhor é meu Pastor / Confiarei nessa voz - Lau 588 COMUNHÃO O Cordeiro de Deus é o nosso Pastor - Lau 550 Ressuscitou o bom Pastor - Lau 720 Não fostes vós que me escolhestes - Lau 512 ACÇÃO DE GRAÇAS O amor de Deus repousa em mim - Lau 546 Vós me seduzistes Senhor - Lau 877 FINAL Cristo quer a tua ajuda - Lau 252 Sois a semente que há-de nascer - Lau 793

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com

Compromissos III Domingo de Páscoa 26 de Abril

Jesus ressuscitou verdadeiramente, ou a ressurreição é fruto da imaginação dos discípulos? Como encontrar Jesus ressuscitado? Para fazermos esta descoberta temos de fazer uma caminhada de fé, como os discípulos, para podermos chegar à certeza da ressurreição, que não é lógica nem intelectual, chega-se lá metendo-nos no contexto em que o próprio Jesus se revela: no encontro comunitário, no diálogo com os irmãos que partilham a mesma fé, na escuta

buíram para esta campanha aqui fica a nossa palavra de gratidão. A campanha está a durar um pouco mais do que inicialmente estava previsto, mas estamos a caminhar para a sua recta final Entretanto, ainda necessitamos de alguns bens que passamos a descrever e que se conseguirmos como oferta, tanto melhor. Aqui fica a lista. Quatro camas de beliche, 24 colheres de sobremesa, duas tenazes para salada, 24 taças de sobremesa, dois abre-latas, cinco facas de cozinha, duas cafeteiras de meio litro, um escamador de peixe, uma tesoura de cozinha, esponjas para lavar louça, esfregonas e vassouras, detergente em pó “super pop”, duas toalhas de plástico para mesa

com 4,5 m de comprimento, um cesto em plástico para roupa suja, duas sanitas, dois autoclismos, um lavatório de casa de banho, dobradiças de tamanho médio para portadas de janelas, uma tesoura de cortar chapa e uma tesoura para podar, quatro caixas de papel A4, dois dicionários de Língua Portuguesa, um disco externo para computador (500 GB), uma antena para televisão, uma lona de 3,50 x 2,00 metros, um pulverizador para aplicar insecticida, um rádio pequeno que sintonize em Onda Curta (SW). Ainda estamos também a recolher bens alimentares: arroz, óleo vegetal, açúcar, leite em pó, comida enlatada (de todo o género), massas, papas para crianças.

Quem quiser e puder oferecer algum destes bens agradecemos que o faça até dia 30 de Abril, na paróquia de Regueira de Pontes. Os nossos contactos são: 926 031 382 e animissionarial eiria@gmail.com. Mais uma vez, o nosso bem-haja a todos os que colaboram nesta iniciativa. Aproveitamos para informar que o Sr. Armando Franco já regressou da sua missão de seis meses em Angola. Com ele veio o Sr. Vitorino João Guluve, da Missão do Gungo, onde é membro do Conselho Permanente. Estará connosco dois meses numa perspectiva de testemunho e partilha entre as dioceses de LeiriaFátima e Sumbe.

comunitária da Palavra de Deus, no amor partilhado em gestos de fraternidade e de serviço Jesus ressuscitado reentrou no mundo de Deus; mas não desapareceu da nossa vida e não se alheou da vida da sua comunidade. O Ressuscitado continua a “sentar-se à mesa” com os seus discípulos, a partilhar as suas inquietações, anseios, dificuldades e esperanças, sempre solidário com a sua comunidade. Podemos descobrir este Jesus ressuscitado que se senta à mesa com os homens sempre que a comunidade se reúne à mesa da eucaristia, para partilhar esse pão que Jesus deixou e que nos faz tomar consciência da nossa comunhão com ele e com os irmãos. Jesus lembra aos discípulos: “vós sois as testemunhas de todas estas coisas”. Este testemunho passa, mais do que pelas palavras, pelos nossos gestos. Jesus vem, hoje, ao encontro dos homens e oferece-lhes a salvação através dos nossos gestos de acolhimento, de partilha, de serviço, de amor sem limites. São esses gestos que testemunham, diante dos nossos irmãos,

que Cristo está vivo e que ele continua a sua obra de libertação dos homens e do mundo. Jesus ressuscitado confia aos discípulos a missão de anunciar “em seu nome o arrependimento e o perdão dos pecados a todos os povos, começando por Jerusalém”. Continuando a obra de Jesus, a missão dos discípulos é eliminar da vida dos homens tudo aquilo que é “o pecado” (o egoísmo, o orgulho, o ódio, a violência...) e propor aos homens uma dinâmica de vida nova. Os discípulos recebem de Jesus a missão de dar testemunho diante de “todas as nações, começando por Jerusalém”. O anúncio dos discípulos terá como tema central a morte e ressurreição de Jesus, o libertador anunciado por Deus desde sempre. A finalidade da missão da Igreja de Jesus é pregar o arrependimento e o perdão dos pecados a todos os homens e mulheres, propondo-lhes a opção pela vida nova de Deus, pela salvação, pela vida eterna. É isso que Pedro faz, dirigindo-se aos israelitas, depois de ter curado um coxo que pedia esmola à

entrada do Templo, mostra que o projecto de Jesus continua a realizar-se e demonstra que Jesus está vivo. Enquanto percorreu os caminhos da Palestina, Jesus manifestou, em gestos concretos, a presença da salvação de Deus entre os homens... Se essa salvação continua a derramar-se sobre os homens doentes e privados de vida e de liberdade, é porque Jesus continua presente, oferecendo aos homens a vida nova e definitiva. Os discípulos são os agentes através dos quais Jesus continua a sua obra libertadora e salvadora no mundo. Na linha do mandamento que Jesus deixou no Evangelho, S. João pede-nos para identificarmos a fé com a vida. A nossa religião não é uma bela teoria, separável da nossa vida concreta. Um crente que diz amar Deus e cria à sua volta injustiça, conflito, opressão, sofrimento, vive na mentira; um crente que diz ter “a sua fé” e recusa o amor, a partilha, o serviço, a comunidade, está muito longe dos caminhos onde se revela a vida e a salvação de Deu.


IGREJA EM PORTUGAL 11

O Mensageiro 23.Abril.2009

«Vinde e Vede» em Lisboa As portas do Seminário dos Olivais e a Casa das Discípulas do Divino Mestre, em Camarate, vão abrir as suas portas aos jovens, rapazes e raparigas, para uma experiência de uma semana ao ritmo da vocação. Não é a primeira vez que os seminários e as casas religiosas abrem as suas portas à curiosidade mas também à experiência vocacional, onde o «Vinde e Vede» se aplica por inteiro. Durante um dia ou para uma experiência de alguns dias, as portas já foram abertas para uma vivência diária a um ritmo muito próximo do que é habitual para quem assume o sacerdócio ou os votos religiosos. Esta experiência, no entanto, vai mais longe e quer envolver durante uma semana quem já escuta uma interpelação ou tem curiosidade sobre a vida dos religiosos. A experiência decorre entre os dias 26 de Abril e 1 de Maio, na semana de Oração pelas Vocações. Os participantes não irão abdicar da sua vida durante esses dias. O programa prevê que os jovens estudem durante o dia, se for o caso, e que participem da vida comunitária nos restantes momentos, designadamente de manhã e a partir do final do dia. O Padre José Miguel Pereira, responsável pelo sec-

DR

Seminaristas e religiosas abrem portas a jovens

tor de animação vocacional do Patriarcado de Lisboa, acredita que estes dias vão permitir “desfazer ideias de que a vida numa casa religiosa ou num seminário é algo fechado” e oferece aos jovens “a experiência de uma vida sacramental diária”, explica à Agência Ecclesia. Os jovens que irão passar a semana no Seminário dos Olivais vão poder contactar com os seminaristas que ali vivem. “O objectivo é que os jovens se integrem no ritmo da casa. Nas refeições, nas orações, na eucaristia diária, nos convívios e demais tarefas”, traduz. A Quarta-feira é o dia comunitário “onde os jovens irão também participar”. Nos restantes dias haverá actividades próprias onde se inclui “uma tertúlia sobre as vocações onde os seminaristas poderão também participar”. Do contacto que man-

tém com jovens, o Pe. José Manuel Pereira percebe um grande “desconhecimento sobre as vocações religiosas”. No entanto, no contacto mais próximo “ouvem-se comentários de surpresas e espanto, porque achavam que os seminaristas não eram normais e tinham uma vida ausente de convívio, de conversas, de contacto com o mundo exterior. Há o mito de que se passa o dia a rezar”. Estas oportunidades podem ajudar “a desconstruir estes clichés embora os que já têm uma interrogação vocacional, e que são acompanhados, tenham ideias mais próximas da realidade”. A iniciativa é dirigida a jovens que estão a fazer uma caminhada de acompanhamento vocacional. “Quisemos oferecer, sobretudo a estes jovens que se interrogam, uma experiência com uma comunidade, ao ritmo da comunidade”. Mais do que proporcionar momentos de escuta “quer-se estar com”, acrescenta. No entanto, a proposta é ampla e não se restringe a quem faz já acompanhamento. “Dirigimo-nos também às comunidades paroquiais para que, qualquer jovem que queira, possa participar nesta experiência”. Necessário será “ter algo mais do que apenas curiosidade. É

importante que o jovem queira descobrir”. Sem adiantar números o responsável garante haver já candidatos, quer para o Seminário dos Olivais como também para a Casa das Discípulas do Divino Mestre, em Camarate. A vocação sacerdotal “tem alguma visibilidade, pois é uma presença nas paróquias”, mas “sobre frades e freiras é tudo muito difuso. Abundam os clichés”. Por isso, assume, em especial para as raparigas, ser “uma oportunidade para viver numa comunidade religiosa é importante”. Este poderá ser um tempo forte de oração e de escuta. “A semana é uma oferta, poderá fazer despertar alguma coisa, ou não. Não será a semana que vai dizer algo em absoluto”, adianta o sacerdote. No entanto, ao longo da semana “haverá sempre a possibilidade de se estabelecerem conversas pessoais, de partilha e acompanhamento, que a própria vivência da semana faz despertar”. Ao entrar no ritmo da comunidade haverá espaços para questionamentos normais que surjam, “até no recolhimento do seu quarto, num ambiente propício para a interiorização”.

Simpósio da CEP

Crise motiva presença na Internet Foi lançada a página oficial do Simpósio sobre a crise que a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) promove no próximo dia 15 de Maio, no Centro de Congressos de Lisboa. Em www. reiventarasolidariedade.org é possível fazer inscrições, consultar o programa e compreender o alcance da iniciativa. “Atenta à actual conjuntura nacional e mundial, a Conferência Episcopal Portuguesa decidiu promover um Simpósio de interpelação da sociedade portuguesa, convocando todos os cidadãos para uma reflexão alargada e profunda sobre o futuro da

solidariedade e o paradigma de desenvolvimento das sociedades hodiernas”, refere o texto de abertura. Mais do que debater formas de ultrapassar uma conjuntura recessiva, a organização do evento pretende “debater premissas, ideias e iniciativas que poderão ajudar à criação de um modelo de desenvolvimento mais humano e solidário. O desafio que a Igreja lança a todos os cidadãos é “o de se encontrarem novos modos e expressões para a solidariedade, ou seja, que cada um de nós, individual e colectivamente, seja capaz de «reinventar a solidarie-

dade»”. O Simpósio “Reinventar a Solidariedade (em tempo de crise)” enquadra-se nas celebrações do Cinquentenário do Santuário de Cristo Rei (de Almada), que terão lugar nos dias subsequentes de 16 e 17 de Maio. A organização foi confiada à Comissão Episcopal da Pastoral Social, na pessoa de D. Carlos Azevedo, e à Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais, na pessoa de D. Manuel Clemente, tendo sido nomeado Comissário João Wengorovius Meneses. O Simpósio conta, também, com o apoio de

um Conselho Consultivo, composto pelas seguintes entidades: ACEGE, Cáritas Portuguesa, Comissão Nacional Justiça e Paz, Ordem Cruz de Malta e União das Misericórdias. Foi ainda criada uma equipa de produção do Simpósio, que tem contado com o apoio de diversas entidades que, de formas distintas entre elas, decidiram colaborar com esta iniciativa, nomeadamente: ECCLESIA, Rádio Renascença, Logomedia, Associação Industrial Portuguesa (AIP), Fpreto e Cunha Vaz & Associados.

Breves Festa das Famílias de Coimbra

“A Família formadora nos valores Humanos e Cristãos” Anualmente, sobre proposta do Secretariado de Pastoral Familiar da diocese de Coimbra, ocorre a Festa das Famílias. Um encontro festivo de famílias promovido em locais diferentes da Diocese envolvendo na sua organização paróquias, Arciprestado ou unidades pastorais, conforme a realidade eclesial do local escolhido para a realização do encontro, onde em torno do Bispo Diocesano se procura celebrar a vida que tem origem na família a exemplo da Sagrada Família de Nazaré. Este ano a Festa das Famílias, já na sua XV edição, vai ter lugar em Mortágua, no dia 10 de Maio, no início da semana que a Igreja portuguesa chama de Semana da Vida, subordinada ao tema “Vida com Valores, formação na Família”. O tema escolhido vem na linha do VI Encontro Mundial de Famílias que se realizou no México, em Janeiro último, com o tema “A Família formadora nos valores Humanos e Cristãos”. A Unidade Pastoral de Mortágua, da qual fazem parte as paróquias de Mortágua, Almaça, Cercosa, Cortegaça, Espinho, Marmeleira, Oliveira do Mondego, Pala, Sobral, Trezoi e Vale de Remígio, foi convidada a organizar para a Diocese uma “festa de alegria cristã celebrada em torno da realidade familiar” – anuncia um comunicado enviado à Agência Ecclesia.

SDPJ de Setúbal

Mostra de Bandas Católicas O Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil de Setúbal, SDPJ de Setúbal, está a organizar a Mostra de Bandas Católicas de Setúbal 2009, este ano, o grande espectáculo realizar-se-á no Mega Acampamento A3 Jovem (de 5 a 7 de Junho), no dia 6 de Junho, pelas 21h00, no recinto da Quinta do Álamo, Seixal. Como é habitual, o SDPJ fará uma reunião obrigatória com todas as bandas dia 31 de Maio, pelas 15h00, no espaço do evento (Quinta do Álamo). Quem quiser inscrever a sua banda deve fazer o download da Ficha de Inscrição e do Regulamento da Mostra de Bandas, o qual deve ser lido com muita atenção para que sejam cumpridos todos os requisitos. Em caso de qualquer dúvida devem contactar o SDPJ para o endereço de e-mail: sdpj@sdpj-setubal.org. As inscrições para a Mostra de Bandas Católicas de Setúbal 2009 estão abertas até dia 19 de Maio, inclusive.

Arraial em Gondomar

Ajudar as Missões Capuchinhas O Grupo de Acção Missionária (GAM) dos Capuchinhos de Gondomar irá realizar o 4º Arraial Missionário que decorrerá no dia 2 de Maio, na Casa Solar dos Capuchinhos de Gondomar e que tem como objectivo angariar fundos para as Missões Capuchinhas em Timor-Leste. Deste modo, toda a comunidade empenhada e voluntariosa, oferece trabalho e bens, com o objectivo de garantir a presença dos Franciscanos Capuchinhos no país do Sol Nascente. Para além do jantar, este arraial contará com a participação de grupos: «Orquestra Ligeira da Banda de Música», o Grupo Folclórico «As Nabeirinhas» e ainda os grupos infantis, dos Corais Kyrios e Psallite, todos de Gondomar.


12 IGREJA NO MUNDO

Breves Maior central solar na Europa

“Desenvolver a energia renovável” O Estado da Cidade do Vaticano quer construir a maior central solar da Europa, que ficará localizada nos arredores de Santa Maria di Galeria, onde se situam as torres e antenas de transmissão da Rádio Vaticano. O presidente da Comissão Pontifícia para o Estado da Cidade do Vaticano, Cardeal Giovanni Lajolo, afirmou à Rádio Vaticano que chegou o momento de agir, porque “se tem de aproveitar a crise para tentar desenvolver essa fonte de energia renovável que, a longo prazo, trará recompensas incomparáveis”. Muitos países europeus descartam a possibilidade de investir em energia solar, argumentando que a crise não permitiria arcar com o seu custo. O orçamento inicial da obra é de 500 milhões de euros. Foi explicado que, uma vez completada, a central geraria 100 megawats e poderia fornecer electricidade a 40 mil lares, pelo que o Vaticano poderia exportar energia. Em 2008, a implantação de painéis solares sobre a sala Paulo VI permitiu ao Estado do Vaticano obter de forma limpa uma percentagem considerável da energia gasta – num gesto classificado pela Santa Sé como um sinal concreto do seu “compromisso ecológico”. Outro sinal é o facto de o próprio Estado da Cidade do Vaticano ter sido o primeiro a chegar ao objectivo de “emissões zero” de carbono, com a criação, em 2007, de uma zona florestal em território húngaro.

China

O Mensageiro 23.Abril.2009

Conferência internacional contra o racismo

Vaticano comenta declarações do presidente iraniano O Vaticano condenou as palavras do Presidente do Irão sobre o Estado israelita, proferidas na conferência internacional contra o racismo, promovida pela ONU. Mahmoud Ahmadinejad acusou Israel de ser um Estado racista, pela forma como trata os palestinianos. O Vaticano considera que se trata de um declaração “extremista e inaceitável”. “Discursos como o do Presidente iraniano não vão na direcção certa, já que embora não tenha negado o Holocausto ou o direito à existência de Israel, usou expressões extremistas e inaceitáveis”, afirmou o porta-voz da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, à “Rádio Vaticano”. A Santa Sé, acrescentou, continua a participar da Conferência das Nações

Unidas para poder “afirmar com clareza o respeito pela dignidade da pessoa humana contra todo o tipo de racismo e intolerância”. O Padre Lombardi afirmou que a Conferência em si é uma ocasião importante para levar por diante a luta contra o racismo e a intolerância: “Com essa intenção, a Santa Sé participa no evento e pretende apoiar o esforço das instituições internacionais para dar passos em frente, nesta direcção”. “A grande maioria dos países do mundo está a participar – prosseguiu – e o esboço concordado na passada Sexta-feira é aceitável, pois foram retirados os elementos principais que suscitavam objecções”. A sala de imprensa da Santa Sé publicou uma nota oficial, na qual “deplora a

utilização deste fórum da ONU para assumir posições políticas, extremistas e ofensivas, contra qualquer Estado. Isso não contribui para o diálogo e provoca uma conflitualidade inaceitável”. A nota fala na necessidade de “valorizar esta importante ocasião para dialogar conjuntamente, segundo a linha de acção que a Santa Sé desde sempre adoptou, em vista de uma luta eficaz contra o racismo e a intolerância que ainda hoje afectam crianças, mulheres, afro-descendentes, migrantes, populações indígenas, etc., em todas as partes do mundo”. O representante da Santa Sé no encontro, D. Silvano Maria Tomasi, reiterou que aquilo que mais importa é o conteúdo da conferência, ou seja, as

novas formas de racismo que se manifestam em discriminações contra grupos de imigrantes e contra grupos economicamente marginalizados. “Vê-se a necessidade de renovar, como as Nações Unidas propõem, um esforço comum da comunidade internacional para combater o racismo em todas as suas manifestações”, disse à Rádio Vaticano. Após referir que em cima da mesa está a necessidade de combater qualquer forma de anti-semitismo, de islamofobia e de cristianofobia, com uma menção explícita ao Holocausto, o Arcebispo italiano considera que “não se entende bem a ausência de alguns países, o que cria dificuldades”.

Bíblias distribuídas Começaram a ser distribuídas na China, durante esta Páscoa, as primeiras 100 mil cópias da Bíblia que a comunidade ecuménica de Taizé mandou imprimir, como “resposta às necessidades dos cristãos chineses”. No Encontro Europeu que reuniu 40 mil jovens em Bruxelas, em finais do ano passado, o irmão Alois, prior da comunidade, anunciara a intenção de imprimir na China um milhão de exemplares do texto bíblico: 200 mil Bíblias completas e 800 mil Novos Testamentos com os Salmos. A impressão desta edição, segundo a tradução franciscana «studium biblicum», será feita em Nanjing. Depois de impressos, os livros serão distribuídos em diferentes etapas, ao longo deste ano. Durante 2009, a Comunidade de Taizé vai também apoiar o trabalho bíblico da Igreja Protestante na China.Os custos de impressão serão assumidos por uma colecta organizada por Taizé, chamada “Operação Esperança”.

Igreja de Onna

Alemanha ajuda na reconstrução O governo alemão vai financiar a reconstrução e o restauro da igreja de Onna. Esta vila foi o local do epicentro que destruiu a cidade italiana de L’Aquila, na região de Abruzzo, no passado dia 6 de Abril e causou a morte a 295 pessoas. Graças a uma geminação com o distrito alemão de Rotweil, Onna vai receber ajuda para colmatar as necessidades da população. A informação foi dada por D. Claudio Tracanna, porta voz da arquidiocese de L’Aquila, depois de um encontro com o embaixador alemão em Itália, Michael Steiner, que recentemente inspeccionou as áreas atingidas.

Quatro anos de pontificado

“Nunca me sinto só” Bento XVI assegurou no passado Domingo que “nunca me sinto só”, uma resposta indirecta aos inúmeros comentários e artigos postos a circular na comunicação social sobre a alegada “solidão” do Papa. No dia em que se completam 4 anos sobre a sua eleição como sucessor de João Paulo II, o actual Papa agradeceu “os sinais de afecto” que lhe foram manifestados, a propósito deste aniversário, mas também do seus 82 anos, feitos no passado dia 16. “Dou graças ao Senhor por tanto afecto. Como tive ocasião de afirmar recentemente, nunca me sinto só”, assegurou. “Mais ainda nesta semana especial, que para a liturgia constitui um único dia, experimentei a comunhão que me rodeia e me sustenta: uma solidariedade espiritual, alimentada essencialmente de oração, que se manifesta em mil modos”, disse ainda Bento XVI. O Papa observou que desde os colaboradores da

Cúria Romana até às mais distantes paróquias, “nós católicos formamos e devemos sentir-nos uma única família, animada pelos mesmos sentimentos da primeira comunidade cristã”,

uma unidade e comunhão que “tinha como verdadeiro centro e fundamento Cristo ressuscitado”. “Ressuscitado, Jesus doou ao seus uma nova unidade, mais forte que

antes, invencível, porque fundamentada não sobre recursos humanos, mas sobre a misericórdia divina, que os fez sentir todos amados e perdoados por Ele”, observou. Bento XVI recordou que João Paulo II quis dedicar à Misericórdia divina este segundo Domingo de Páscoa, “a todos propondo Cristo ressuscitado como manancial de confiança e de esperança, acolhendo a mensagem espiritual transmitida pelo Senhor a Santa Faustina Kowalska”. Em conclusão, o Papa deixou um pedido aos peregrinos: “Peço-vos que confieis novamente a Maria o meu serviço à Igreja”. Neste encontro com os peregrinos em Castel Gandolfo, nos arredores de Roma, foram recordadas a celebração da Páscoa no Oriente, neste Domingo, e a Conferência de exame da Declaração de Durban de 2001, contra o racismo, a discriminação racial, a xenofobia e a intolerância, que se inicia Segunda-feira em Genebra.


OPINIÃO 13

O Mensageiro 23.Abril.2009

CONVERSAS SOBRE A FÉ

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

O mistério do mal Todos os dias nos deparamos com o mal, que nos fere e amargura. Ele põe à prova a fé, mas só esta pode dar-lhe resposta e acender a esperança de que poderá ser vencido. Neste artigo, sirvo-me de uma meditação do Cardeal Martini sobre o mistério da iniquidade (cf O absurdo de Auschwitz e o mistério da cruz). Nela

OPINIÃO

Fátima Sismeiro

A Igreja é nossa mãe “O amor nunca morre de morte natural. Finda porque não sabemos reabastecer a sua nascente; extingue-se de cegueira, de erros e traições; finda-se de doença e de feridas; apagase de cansaço, de sequidão, de embaciamento.” A Igreja é nossa mãe. Devo ter ouvido esta frase muitas vezes. Mas há dois, três meses atrás, ouvida de uma homilia, ficoume. Pela maneira como foi dita, o contexto em que o foi e por outras circunstâncias várias presentes... Levou-me a pensar na minha mãe e nos exemplos que me deu. Com grande

aprofunda um texto de S. Paulo (2 Ts 2, 1-12) no qual o Apóstolo adverte os cristãos para o “mistério da iniquidade”, ou mistério do mal, que “já está em acção” (2 Ts 2,7). Está em contradição e luta contra o mistério da salvação que tem a sua plena revelação em Cristo. O mistério do mal, diz o Cardeal, é um plano de perdição, um certo desenvolvimento da história, com uma sua lógica e inteligência, que trama o aniquilamento do homem. Se é certo que o mal se manifesta na história e até parece crescer, o bem cresce ainda mais e, no final, ensina São Paulo, se revelará que Cristo é o verdadeiro vencedor porque capaz de derrotar o mal. Numa meditação sobre “o mistério da iniquidade”, o Cardeal Martini menciona três formas de manifestação do mal na humanidade. Antes de mais, o mal dos indivíduos: todas as formas de desvio do bem ou de falta dele que causam dano à vida humana. São as doenças, sofrimentos físicos e psí-

quicos, mortes prematuras, ofensas e maldades; os crimes provocados por pessoas concretas: falsidades, roubos, violações, exploração da prostituição, comércio de droga, homicídios, corrupções, injustiças... Acima deste está o mal colectivo: o que é cometido por povos, grupos ou etnias. Os campos de concentração, os fenómenos de corrupção difusa, as desordens civis incontroláveis, as sangrentas lutas tribais e étnicas são exemplos deste tipo de mal. As formas de desvio tornamse contagiosas e públicas. A pessoa singular, para se subtrair à pressão da cadeia do mal e das estruturas de injustiça, precisaria de exercitar o heroísmo. Então, as pessoas tornam-se coniventes no mal colectivo, por cegueira ou recusa de pensar e de exercer um juízo crítico. Este mal colectivo desagrega a sociedade contagiando os grupos e pondo-os uns contra os outros. A terceira forma é a das aberrações mentais ou das ideologias: o mal é elevado

a princípio de vida e de acção. O iníquo coloca-se não simplesmente como objecto de culto religioso, mas ainda mais como objecto de culto científico e portanto sentase no templo da ciência ou da filosofia. Dele fala o profeta Isaías (5,20), quando afirma: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem, mal, que têm as trevas por luz e a luz por trevas, que têm o amargo por doce e o doce por amargo!”. Estamos perante a origem de todos os males: além de cometerem o mal por fraqueza ou paixão, os homens acreditam na mentira. Com tal crença se explicam as loucuras colectivas, os massacres legalizados, a ferocidade das limpezas étnicas... Estamos perante o mal que se torna pensamento, interpretação da história, filosofia e cultura. Então a injustiça, a violência, a morte... são legalizadas e legitimadas pela classe dominante. O mal multiplica-se sem resistência, a não ser de poucos heróis, e cai-se numa condição obscura da humanidade...

Instintivamente, adverte o Cardeal Martini, pensamos que o pior do mistério do mal não acontecerá, se nos empenharmos com todas as forças para impedir que ele alastre. Mas o certo é que este mistério está em acção e ai de quem abaixa a vigilância! “A maldade humana está continuamente em emboscada, o mistério da inteligência do mal não pára, o ‘filho da perdição’, o ‘homem iníquo’, deve ainda revelar-se plenamente”. Como há-de o cristão situar-se perante o mistério do mal? Em primeiro lugar, não se surpreender com o seu aparecimento na nossa vida quotidiana, pois o Senhor nos advertiu para ele e nos ensinou a pedir: “Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal”. Ele nos fortalece para o enfrentarmos. Depois, é preciso manter a vigilância para descobrir a actuação da salvação no coração do mistério do mal, para identificar os sinais de salvação num campo cheio de joio mas onde cresce também o bom

trigo. “É o convite a sermos profetas vigilantes”. Por fim, há que esperar ser de algum modo atingido e ferido pelo mistério do mal, mantendo, entretanto, a confiança de que o Senhor nos preserve de ser esmagado. Perante o mal, o nosso olhar não pode deixar de contemplar Cristo crucificado e de meditar no seu destino. Ele foi esmagado pelo mal, mas enfrentou a paixão e a morte por amor. Deus ressuscitou-O. E Ele oferece ao homem a vitória sobre o mal. Com a graça de Deus, mediante a fé, o cristão participa da vitória do seu Senhor, como testemunha S. João: “Porque todo aquele que nasceu de Deus vence o mundo. E este é o poder vitorioso que venceu o mundo: a nossa fé. E quem é que vence o mundo senão aquele que crê que Jesus é Filho de Deus?” (1 Jo 5, 4-5). Os mártires do passado e do presente são testemunhas desta vitória da fé e do amor.

devoção por Nossa Senhora de Fátima, ainda hoje é com franca alegria que me conta das peregrinações a pé ao Seu Santuário com as jovens da sua idade. Deume à luz num dia de Natal, pôs-me o nome de Maria, e pediu à Igreja o meu baptismo para o dia treze de Fevereiro seguinte. Foi ela quem, à noite, me ensinou as primeiras orações. Todos nós temos, e podemos ter, expectativas pessoais e “legítimas” perante a Igreja. Igreja como Instituição; Igreja como Povo de Deus; Igreja como comunidade em que nos inserimos e onde devemos crescer na fé. “Legítimas” porque, e sempre que, estribadas na Palavra de Deus e nos ensinamentos de Cristo que é a sua cabeça. Pessoais porque são do nosso foro pessoal e íntimo, do domínio da nossa espiritualidade sem outras ingerências. E quem ama (e sente) a Igreja, olha para ela, e move-se nela, com gesto e trato diferente do mero espectador ou do mero expectante. Procura com avidez tranquila a sua beleza, os seus sinais, a harmonia dos movimentos dos seus membros, o crescimento em verdade e espiritualida-

de, amor e entusiasmo da comunidade que forma; na sua capacidade de testemunho. Atenta no testemunho dos seus sacerdotes e neles perscruta a sua sabedoria; neles reconhece os sinais do sagrado. E como este amor já vem de um outro, por Cristo, (e como disse J. Ratzinger , “ Se não nos enamorarmos de Cristo não teremos interesse algum como cristãos.” ), esta procura e esta atenção revestem-se de profundidade, intensidade e exigência. É por isso que, aqui e ali, atitudes há que podem derrear qualquer cristão para quem o cristianismo e a Igreja não são indiferentes. A acepção de pessoas, a hipocrisia, o cinismo, o uso do púlpito para promoção pessoal, enquanto atitudes adoptadas numa comunidade por pessoas, ou grupos de pessoas, a pretexto de “ serviço “ e nela permanecendo, por ( demasiado ) longos períodos de tempo, potenciando e desenvolvendo atitudes de arrogância e ignorância, por constituírem atitudes denotadoras do esquecimento de Cristo, do Seu amor e Palavra tornam-na amorfa, indiferente, letár-

gica e podem ferir e afectar profundamente ( quiçá para sempre ) aquele amor, que a não fundar-se sobre a rocha da fé, claudicará a breve trecho da vida. “Que nenhuma raiz amarga comece a crescer e lance o contágio na comunidade” ( Hebr 12, 15 ) e que essas pessoas sejam convidadas à reflexão; que o seu trabalho seja avaliado segundo os critérios do conhecimento daquela Palavra, do testemunho de Cristo, do amor e alegria; que métodos utilizam; qual a sua verdade; que aparência cultivam. Que fazem ( ou fizeram ) a quem chega ( ou chegou ) de novo? Que fez Jesus Cristo entre os fariseus e os doutores da lei? Desinstalou, quebrou vícios e forças instituídas que não procuravam a verdade. Aqui e ali, já tenho ouvido de quem sofreu decepção ou desencanto na sua relação com a Igreja. Algumas pessoas optam por afastar-se; outras praticam um cristianismo escondido; outras ainda optam pela rebeldia e propagam a sua insatisfação. Foi a dor que ficou e que o amor não suplantou. Mas há quem opte e persista em cultivar a arte de acreditar e amar. Assumamos que o que

importa é a nossa relação com Deus. Mas o que (também) sustenta esse amor em parte mais ou menos determinante, dependendo de cada um, é a mediação da Igreja em presença da co-responsabilidade dos seus membros. Ela deve ancorar-nos. E é por isso que a formação em Igreja tem de ir, primordialmente ao princípio de tudo; tem de ir ao coração da fé. Afinal que coração tem a nossa fé? E onde nos leva a nossa fé? Esperemos, laborando

e orando, que a instituição da celebração do ano Paulino potencie a descoberta do verdadeiro fermento nas nossas comunidades, daquele que leveda. Que os cristãos sejam o sal na nossa sociedade mas do que salga, não do insípido. Mas tudo começa no amor e “ Ser cristão significa ter amor. Isto é incrivelmente difícil e, no entanto, ao mesmo tempo, incrivelmente simples “ ( Papa Bento XVI ).

PUB

F. Costa Pereira Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h Tel. 244 832406

Dr. Rui Castela Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500


14 INSTITUCIONAL CARTÓRIO NOTARIAL DE LEIRIA Da Drª Maria Lucília Ferreira Antunes Martins, sito na Avª. Marquês de Pombal, lote 12 –H, Galerias de S. José. CERTIFICO que por escritura de 20 de Abril de 2009, iniciada a folhas 143 do livro de notas 153 –A, deste Cartório. António Ferreira Vieira e mulher Joaquina dos Santos, casados em comunhão geral de bens, naturais da freguesia de Espite, concelho de Ourém, residentes na Rua Principal, nº 57, Cercal, Ourém, NIF 109 717 686 e 109 717 678. Justificaram a posse dos seguintes bens: UM: - Prédio rústico, sito em Vale dos Amieiros, freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, composto de pinhal e mato, com a área de seis mil novecentos e noventa metros quadrados, a confrontar do norte com António Ferreira, do sul com José Pereira Rodrigues, do nascente com Manuel Baptista e do poente com Joaquim Filipe, Herdeiros, inscrito na respectiva matriz em nome dele justificante sob o artigo 9138, com o valor patrimonial de IMT de 555,72 €, não descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria, a que atribuem o valor de seiscentos euros. DOIS: - Metade do prédio rústico sito em Casal Novo, dita freguesia de Santa Catarina da Serra, composto de terra de cultura com oliveiras, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 9160, com o valor patrimonial correspondente de 593,30 €, descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria sob o número cinco mil seiscentos e cinquenta e um/Santa Catarina da Serra, aí registada a aquisição de metade a favor de António Rodrigues dos Reis pela apresentação trinta e seis de catorze de Julho de dois mil e seis, a que atribuem o valor de seiscentos euros. TRÊS: - Prédio rústico, sito em Vale Pisão, freguesia de Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, composto de terra de cultura com oliveiras, com a área de dois mil e oitocentos metros quadrados, a confrontar do norte com extrema de freguesia da Caranguejeira, do sul com Faustina de Jesus, do nascente com Guilhermina Dias e do poente com Rio, inscrito na respectiva matriz, em nome do justificante, sob o artigo 9.779, com o valor patrimonial de IMT de 551,30 € não descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Leiria, a que atribuem o valor de seiscentos euros. Que os referidos bens vieram à posse dos justificantes por volta do ano de mil novecentos e cinquenta e dois, por doação verbal de Manuel Ferreira Vieira e mulher Ana de Jesus, residentes que foram, na Rua Principal, Cercal, Ourém, há mais de vinte anos, não reduzida a escrito, sendo impossível fazer a escritura por falecimento dos doadores, e desde essa data que os vêm possuindo em nome próprio, sem interrupção ostensivamente e sem oposição de ninguém, na convicção, que sempre tem sido também as a das outras pessoas, de serem eles e o comproprietário referido, os verdadeiros e únicos donos. Na verdade têm sido eles e mais ninguém que durante todo aquele tempo têm amanhado e desfrutado os ditos bens e praticado neles os actos normais de conservação e defesa da propriedade. Que, assim e na falta de melhor título, adquiriram os ditos bens por usucapião, que aqui invocam por não lhes ser possível provar pelos meios extrajudiciais normais a sua aquisição e posse. Vai conforme o original na parte transcrita não havendo na parte omitida nada que altere, modifique ou restrinja a parte transcrita. Leiria, 20 de Abril de 2009. A Colaboradora, (Assinatura ilegível)

CARTÓRIO NOTARIAL DE LEIRIA Da Drª Maria Lucília Ferreira Antunes Martins, sito na Avª. Marquês de Pombal, lote 12 –H, Galerias de S. José. CERTIFICO que por escritura de 15 de Abril de 2009, iniciada a folhas 118 do livro de notas 153 –A, deste Cartório. ANTÓNIO ANTUNES CURADO e mulher ARMINDA SILVA CARREIRA ANTUNES, casados sob a comunhão de geral de bens, naturais ele da freguesia de Barreira, concelho de Leiria ela da freguesia de Reguengo do Fetal, concelho de Batalha, nela residentes na Rua de S.ta Iria, nº5, Alcaidaria, NIF 112.484.131 e 112.484.123. Justificaram a posse do seguinte bem: PRÉDIO URBANO, sito em Carreira d’Água, denominado Petigais, freguesia de Barosa, concelho de Leiria, composto de barracão, destinado a armazém e actividade industrial, com a superfície coberta de cento e cinquenta metros quadrados e descoberta de setecentos metros quadrados, a confrontar do norte com Castelhano e Ferreira, do sul com Serventia, do nascente com António Marques Cruz e do poente com António Antunes Curado, omisso na Primeira Conservatória do Registo Predial de Leiria e inscrito na respectiva matriz em nome dele justificante sob o artigo 1171, com o valor patrimonial de 28.436,71€ e atribuído de vinte e oito mil e quinhentos euros. Que o imóvel identificado, foi por eles construído em terreno comprado verbalmente, por volta do ano mil novecentos e setenta e oito a José Alves Dias e mulher Irene Rebelo Dias, residentes que foram na Rua Tenente Valadim, em Leiria, sendo impossível deles obter título por falecimento deles. Que, assim, não têm eles, primeiros outorgantes, título formal de aquisição do mencionado imóvel. Certo é, porém, e do conhecimento geral que o vêm possuindo desde há mais de vinte anos sem interrupção, ostensivamente e sem oposição de ninguém, na convicção, que sempre tem sido também a das outras pessoas, de serem eles os seus verdadeiros donos. Na verdade, têm sido eles e mais ninguém, que durante todo aquele tempo têm desfrutado o referido imóvel, pago impostos por ele devidos e têm praticado nele os actos normais de conservação e defesa da propriedade. Que, assim, e na falta de melhor título, adquiriram o identificado imóvel por usucapião, que aqui invocam por não lhes ser possível provar a sua aquisição pelos meios extrajudiciais normais. Vai conforme o original na parte transcrita não havendo na parte omitida nada que altere, modifique ou restrinja a parte transcrita. Leiria, 15 de Abril de 2009 A Colaboradora, (Assinatura ilegível)

JOGOS | Nº 16/2009 (Confirme em www.jogossantacasa.pt) Euromilhões: 4, 7, 21, 44, 47 + 1, 5 Totoloto: 8, 12, 13, 22, 34, 44 + 29 Loto2: 5, 9, 13, 19, 25, 31 + 39 Joker: 1 1 2 5 9 9 9 Totobola: 222 X11 XX2 211X FÁRMÁCIAS DE SERVIÇO Lino (dia 23), Oliveira (dia 24), Sanches (dia 25), Avenida (dia 26), Central (dia 27), Higiene (dia 28) e Lino (dia 29)

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 2.200

O Mensageiro 23.Abril.2009

desportobreve(s) Atletismo | Olímpico Jovem em Leiria UEDITAL N.º 3/09 MANUEL DE JESUS ANTUNES, Presidente da Assembleia Municipal de Leiria, torna público, nos termos do n.º 3 do artigo 84º, da Lei n.º 169/99, de 18/09, que no dia 28 de Abril de 2009, pelas 20.30 horas, no Auditório do Centro Associativo Municipal, se realizará a sessão ordinária da Assembleia Municipal de Leiria, com a seguinte Ordem do Dia: 1. RELATÓRIO DA PRESIDENTE DA CÂMARA SOBRE A ACTIVIDADE DO MUNICÍPIO E RELATÓRIO FINANCEIRO – Apreciação nos termos da alínea e) do n.º 1, do artigo 53º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro; 2. RELATÓRIO E CONTAS DO MUNICÍPIO DE LEIRIA DE 2008 – Apreciação e votação nos termos da alínea c), do n.º 2 do art.º 3º da Lei n.º 169/99, DE 18/09 com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5-A/2002, de 11/10; 3. RELATÓRIO E CONTAS DOS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E SANEAMENTO DE 2008 – Apreciação e votação nos termos da alínea c), do n.º 2 do art.º 3º da Lei n.º 169/99, DE 18/09 com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5-A/2002, de 11/10; 4. ENTRADAS LIVRES NO CASTELO E TORRE DE MENAGEM – ISENÇÃO DE TAXA DE ENTRADA EM DIAS COMEMORATIVOS RETROACTIVA AO DIA 18 DE ABRIL (DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS) – Apreciação, discussão e votação; 5. ACTUALIZAÇÃO DA TAXA DE UTILIZAÇÃO DOS SISTEMAS PÚBLICOS DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS (TUSPAR) PARA O ANO DE 2009 – Apreciação, discussão e votação; 6. ALTERAÇÃO AO MAPA DE PESSOAL DE 2009 – REDUÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO - Apreciação, discussão e votação; 7. DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS EM JUNTAS DE FREGUESIA – Apreciação, discussão e votação; 8. PROTOCOLO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS COM A JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA CATARINA DA SERRA COM O OBJECTO «BENEFICIAÇÃO DO JARDIM-DE-INFÂNCIA DA LOUREIRA». ALTERAÇÃO DO VALOR PROTOCOLADO – Apreciação, discussão e votação; 9. PROTOCOLO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS COM A JUNTA DE FREGUESIA DE BOA VISTA. ALTERAÇÃO DO OBJECTO – Apreciação, discussão e votação; 10. PROTOCOLO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS COM A JUNTA DE FREGUESIA DE COLMEIAS. ALTERAÇÃO DO OBJECTO – Apreciação, discussão e votação; 11. PROTOCOLO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS COM A JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA EUFÉMIA. ALTERAÇÃO DO OBJECTO – Apreciação, discussão e votação; 12. Protocolo de Delegação de Competências com a Junta de Freguesia de Maceira para o Mercado Municipal da Maceira. Rectificação - Apreciação, discussão e votação; 13. Projecto de Regulamento da Comissão Municipal de Protecção Civil - Apreciação, discussão e votação; 14. CONSTITUIÇÃO DO DIREITO DE SUPERFÍCIE A CELEBRAR ENTRE O MUNICÍPIO DE LEIRIA E O CENTRO SOCIAL BAPTISTA DE LEIRIA – Apreciação, discussão e votação; 15. AJUSTAMENTO DE PORMENOR NOS TERMOS DO ART.º 96º DO REGULAMENTO DO PDM – PROC.º OBRAS PARTICULARES N.º1573/03 EM NOME DE RIBALIZ FUTEBOL CLUBE – Apreciação, discussão e votação; 16. Alteração ao Contrato da Sociedade “GESTINLEIRIA – PARQUES EMPRESARIAIS DE LEIRIA, S. A.”. Realização de prestações acessórias reembolsáveis - Apreciação, discussão e votação; Para constar e devidos efeitos legais, se passou o presente Edital que vai ser afixado nos locais de estilo. Leiria, 14 de Abril de 2009 O Presidente da Assembleia Municipal, (Manuel de Jesus Antunes)

Juventude Vidigalense e Arneirense dominam

Os atletas da Juventude Vidigalense (7 vitórias em juvenis e 13 em iniciados) e do Arneirense (9 vitórias e, juvenis) estiveram em evidência na final distrital do Olímpico Jovem, que decorreu em Leiria, nos dias 18 e 19 de Abril. Individualmente, Bernardo Lopes (vitórias nos lançamentos do dardo, do disco e do peso), da JV, Eva Vital (vitórias nos 100 metros planos e com barreiras) e Ana Vasconcelos (vitórias no salto em comprimento e no lançamento do dardo), ambas do Arneirense, destacaram-se no escalão de juvenis, enquanto que em iniciados foram João Moniz (salto em comprimento e lançamento do peso), Artur Koshchuk (80 metros planos e 100 com barreiras), Sarah Dias (80 metros com barreiras e planos) e Anais Baptista (saltos em altura e em comprimento, todos da JV.

Futebol | Alcobaça acolhe

Formação a treinadores “O Percurso do Jovem Jogador” e “O Perfil do Treinador de Jovens” são o mote para uma acção de formação, a realizar no dia 27 de Abril, na Biblioteca Municipal de Alcobaça, no âmbito dos XIII e XIV Cursos de Treinadores de I Nível de Futebol 11. Alexandre Santos e João Paulo Costa, ambos com formações superiores em Treino Desportivo de Alto Rendimento e docentes na Escola Superior de Desporto de Rio Maior, são os convidados.

Futebol | Bombarral

Encontro de Rua Aproxima-se mais um Encontro de Futebol de Rua (5.º), a realizar no dia 25 de Abril, a partir das 10h00, no Sport Clube Escolar Bombarralense.

PUB

Jorge Carvalho Sofia

Médico Especialista de Otorrinolaringologia CONSULTAS • CIRURGIAS • EXAMES DE AUDIÇÃO VIDEONISTAGMOGRAFIA • POSTURAGRAFIA APNEIA DO SONO

Rua Dª Maria da Graça Lúcio da Silva, 9 - 1º Esqº - LEIRIA Marcações pelos telefones 244 822970 • 239 827 089 • 932 442 274

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244

816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Pedro Jerónimo (CP7104), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (TP558). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Matias, Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade Pedro Viva (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição CORAZE - Oliveira de Azeméis - Tel: 256600580 / Fax: 256600589 - E-mail: grafica@coraze.com Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2007 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 23.Abril.2009

Basquetebol | Leiria

Supertaça

A equipa da delegação distrital de Leiria da Associação Portuguesa de Deficientes defronta, no dia 25 de Abril, 11h00, Pavilhão dos Pousos, a sua congénere de Sintra, para decidir quem leva a Supertaça (época 2007/08). Recorde-se que a equipa leiriense é a actual detentora da Taça de Portugal, enquanto que a sintrense é a campeã nacional.

Atletismo | Nélson Évora ajuda jovem leiriense

Na capa d’A Bola (17 de Abril)

Campeão fora da pista “5000 euros são 5000 euros”, exclama o técnico da Juventude Vidigalense (JV), Paulo Reis. É este – segundo o jornal A Bola – o valor que o campeão olímpico do triplo salto, Nélson Évora, doou ao jovem Alexandre, para que lhe seja colocada uma prótese numa perna e, assim, possa viver uma paixão que começou na última Taça da Europa, em Leiria. Para já, vai treinando na JV. Nasceu com uma deficiência na perna direita e o uso das muletas não lhe permitia ser atleta de alta competição. Porém, o contacto que teve com os atletas da selecção nacio-

nal, no decorrer da Taça da Europa de Atletismo, o ano passado, despertou paixões e proporcionou amizades. Uma delas foi com o campeão olímpico, que decidiu ajudar o leiriense de 8 anos, residente nos Barreiros. “O Nelson tem sido muito importante neste processo. Tem sido o apoio, a grande força para o Alexandre”, refere Helena, mãe do petiz, em declarações A Bola. “Ele está eufórico. Olha para mim e não pára de sorrir. Está completamente nas nuvens, radiante. E eu feliz, também, claro. Foi um processo muito complicado para conseguir concretizar este sonho do meu filho,

Futsal | Leiria

Títulos distritais

que quer ser atleta e tem garra para isso”, acrescenta a Helena, radiante com o donativo. Quem também sublinha a generosidade do atleta campeão do triplo salto é Paulo Reis, lembrando, a O Mensageiro, que “ele [Nélson Évora] não tem os mesmos rendimentos que um futebolista, mesmo sendo campeão olímpico.” E acrescenta: “ao que sei, tentou tudo por tudo para que não se soubesse que tinha feito este donativo. É uma atitude de louvar!”

Sobre os treinos que o Alexandre tem feito, o técnico do clube leiriense lembra que “o lema é sempre o mesmo: todos são bem-vindos”, mesmo sendo esta uma nova realidade – desporto adaptado – para a JV. Pedro Jerónimo

As equipas de seniores femininos da Golpilheira e Vidais vão encontrar-se, dia 25 de Abril, a partir das 18h00, no Pavilhão da Pocariça, na final da Taça Distrito da Associaçao de Futebol de Leiria (AFL). Para o mesmo dia, Pavilhão Rainha D. Leonor, 17h00, está agendada a final do campeonato distrital de juvenis masculinos, que colocará frente-a-frente Barreiros e Casa do Benfica das Caldas da Rainha. Entretanto, já é conhecido o vencedor da Taça Distrito AFL em juniores masculinos. Na final, disputada no dia 19, o Núcleo Sportinguista de Leiria venceu (4-1) o Instituto D. João V.

Atletismo | Marinha

Milha Cristal Futebol | Fátima e U. Leiria

João Matias

Próximos da subida

Carlão bisou na vitória (2-0) frente ao Boavista

liga de

LIGA

HONRA

25.ª Jornada (19/04/09) | Rio Ave x Trofense (2-1), Nacional x Sp. Braga (1-1), Marítimo x Belenenses (1-1), V. Setúbal x Benfica (0-4), Académica x Porto (0-3), E. Amadora x P. Ferreira (0-2), V. Guimarães x Sporting (1-2), Naval x Leixões (1-0) Equipa J V E D Pts 1.º Porto 25 17 6 2 57 2.º Sporting 25 16 5 4 53 3.º Benfica 25 14 7 4 47 4.º Nacional 25 12 7 6 43 5.º Sp. Braga 25 11 9 5 42 6.º Leixões 25 10 8 7 38 7.º Marítimo 25 9 10 6 37 8.º Académica 25 8 7 10 31 9.º V. Guimarães 25 8 7 10 31 10.º P. Ferreira 25 7 6 12 27 11.º E. Amadora 25 6 9 10 27 12.º Naval 25 7 6 12 27 13.º V. Setúbal 25 6 4 14 22 14.º Beleneneses 25 4 9 12 21 15.º Rio Ave 25 5 5 15 20 16.º Trofense 25 4 7 14 19

25.ª Jornada (19/04/09) | Portimonense x Estoril (1-2), Gil Vicente x Covilhã (1-1), Gondomar x Vizela (2-0), Santa Clara x Varzim (1-0), U. Leiria x Boavista (2-0), Freamunde x D. Aves (1-2), Beira-Mar x Olhanense (1-1), Feirense x Oliveirense (0-1) Equipa J V E D Pts 1.º Santa Clara 25 14 6 5 48 2.º Olhanense 25 14 4 7 46 3.º U. Leiria 25 11 9 5 42 4.º Feirense 25 10 7 8 37 5.º Estoril 25 10 7 8 37 6.º D. Aves 25 9 7 9 34 7.º Gil Vicente 25 7 12 6 33 8.º Sp. Covilhã 25 8 9 8 33 9.º Varzim 25 9 5 11 32 10.º Beira-Mar 25 8 8 9 32 11.º Freamunde 25 8 7 10 31 12.º Vizela 25 5 13 7 28 13.º Portimonense 25 6 10 9 28 14.º Oliveirense 25 6 9 10 27 15.º Gondomar 25 6 7 12 25 16.º Boavista 25 7 4 14 25

26.ª Jornada (26/04/09) | Sp. Braga x Trofense, Belenenses x Nacional, Benfica x Marítimo, Porto x V. Setúbal, P. Ferreira x Académica, Sporting x E. Amadora, Leixões x V. Guimarães, Naval x Rio Ave

26.ª Jornada (26/04/09) | Sp. Covilhã x Estoril, Vizela x Gil Vicente,Varzim x Gondomar, Boavista x Santa Clara, D. Aves x U. Leiria, Olhanense x Freamunde, Oliveirense x Beira-Mar, Feirense x Portimonense

Basta um empate ao Fátima, na próxima jornada (antepenúltima), para garantir o primeiro lugar e consequente qualificação para o play-off de acesso à Liga de Honra. Quanto à U. Leiria, as contas passam por não perder pontos nos cinco jogos que restam. A efectuar uma segunda volta notável, a equipa treinada por Manuel Fernandes irá receber, daqui a duas jornadas (27.ª) o Olhanense, actual segundo classificado, equipa que, na seguinte (28.ª), recebe o primeiro, Santa Clara. Jogos que poderão ser decisivos, para definir quais são as duas equipas que sobem à Liga.

série “c”

II DIVISÃO

Equipa Fátima Tourizense Pampilhosa U. Serra Monsanto Operário

J V E D Pts 7 5 2 0 38 7 3 2 2 29 7 2 4 1 29 7 2 2 3 28 7 2 1 4 22 7 1 1 5 19

8.ª Jornada - Fase de Promoção* (26/04/09) Pampilhosa x Fátima Operário x Tourizense Monsanto x U. Serra

* Equipas transitaram da primeira fase com metade dos pontos conquistados, arredondados por excesso. O 1.º classificado passa à fase final.

Sai para a estrada, no dia 24 de Abril, a partir das 20h30, a 23ª Milha de Cristal. A meta estará instalada na Praça Guilherme Stephens, na Marinha Grande.

Natação | Leiria

BA vence

Rallye Vidreiro A dupla Pedro Peres/Tiago Ferreira, em Ford Escort RS Cosworth (na foto), venceu a edição deste ano do Rallye Vidreiro, que percorreu São Pedro de Moel, Campos do Lis e Marinha Grande. Participaram 69 equipas. (Foto: João Matias/imagereporter.com)

série “d”

7.ª Jornada - Fase de Promoção* (19/04/09) Fátima x Operário (3-0) U. Serra x Tourizense (1-0) Monsanto x Pampilhosa (1-1)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

fotodestaque

associação de futebol

III DIVISÃO 3.ª Jornada - Fase de Promoção* (19/04/09) Marinhense x Sertanense (1-1) Gândara x B.C. Branco (1-1) Vigor x Sp. Pombal (2-0)

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

Equipa Sertanense Marinhense B.C. Branco Sp. Pombal Vigor Mocidade Gândara

A equipa do Bairro dos Anjos venceu o Torneio de Natação Cidade de Tomar, que ali decorreu no dia 18 de Abril. Dos 15 clubes participantes, destaque ainda para aqueles que viajaram do distrito de Leiria: Benedita (4.º lugar), Bombeiros das Caldas da Rainha (5.º), Naval da Nazaré (8.º) e Juventude Ouriense (10.º).

J V E D Pts 3 1 1 1 30 3 2 1 0 29 3 1 1 1 26 3 2 0 1 25 3 1 0 2 21 3 0 1 2 21

4.ª Jornada - Fase de Promoção* (26/04/09) Vigor x Sertanense B.C. Branco x Marinhense Sp. Pombal x Gândara

** Descem aos distritais os dois últimos classificados e os três piores segundos classificados das 12 séries de manutenção da III Divisão.

HONRALEIRIA 3.ª Jornada - Manutenção (D1)** (19/04/09) Peniche x Sourense (3-1) Atalaia x Lousanense (1-1) 1.º 2.º 3.º 4.º

Equipa Peniche Lousanense Sourense Atalaia

J V E D Pts 3 2 1 0 22 3 1 1 1 21 3 1 0 2 19 3 0 2 1 16

4.ª Jornada - Manutenção (D1)** (26/04/09) Sourense x Lousanense Peniche x Atalaia

3.ª Jornada - Manutenção (D2)** (19/04/09) Torres Novas x Caldas (0-0) Penamacorense x Unhais (0-0) 1.º 2.º 3.º 4.º

Equipa Penamacorense Unhais Caldas Torres Novas

J V E D Pts 3 1 2 0 22 3 2 1 0 21 3 0 2 1 17 3 0 1 2 12

4.ª Jornada - Manutenção (D2)** (26/04/09) Caldas x Unhais Torres Novas x Penamacorense

25.ª Jornada (19/04/09) | Portomosense x Beneditense (0-2), Bombarralense x Caranguejeira (3-1), Nazarenos x Alq. Serra (3-1), Ilha x Marrazes (0-1), Fig. Vinhos x Guiense (3-2), Pataiense x Meirinhas (3-1), Vieirense x Alcobaça (2-2), Gaeirense x Pilado (3-2) Equipa J V E D Pts 1.º Portomosense 25 18 4 3 58 2.º Alcobaça 25 16 3 6 51 3.º Nazarenos 25 13 6 6 45 4.º Beneditense 25 12 8 5 44 5.º Alq. Serra 25 12 7 6 43 6.º Bombarralense 25 12 4 9 40 7.º Marrazes 25 11 6 8 39 8.º Gaeirense 25 11 6 8 39 9.º Guiense 25 10 5 10 35 10.º Pataiense 25 8 5 12 29 11.º Meirinhas 25 7 7 11 28 12.º Caranguejeira 25 5 11 9 26 13.º Vieirense 25 7 5 13 26 14.º Fig.Vinhos 25 6 7 12 25 15.º Pilado 25 4 9 12 21 16.º Ilha 25 0 3 22 3 26.ª Jornada (26/04/09) | Caranguejeira x Beneditense, Alq. Serra x Bombarralense, Marrazes x Nazarenos, Guiense x Ilha, Meirinhas x Fig. Vinhos, Alcobaça x Pataiense, Pilado x Vieirense, Gaeirense x Portomosense


O Senhor é espírito e onde está o Espírito do Senhor há liberdade. E todos nós, com a cara descoberta, reflectindo a glória do Senhor, como um espelho, somos transformados (...) nessa mesma imagem, sempre mais resplandecente, pela acção do Espírito do Senhor. Paulo, Apóstolo (Segunda Carta aos Coríntios 3, 17) • [ANO PAULINO - 2008/09]

ÚLTIMA 23 AB RIL 2009

SIMLIS promove Projecto Rios

Alunos da Batalha “adoptam” troços do rio Lena A Simlis realizou, no passado dia 21, a primeira saída de campo do “Projecto Rios”, desenvolvido no âmbito da implementação do Plano de Educação Ambiental desta empresa, intitulado “Conhecer os nossos Rios”. A acção envolveu os 26 alunos da turma do 5º C da Escola Básica Mouzinho de Albuquerque, da Batalha, que visitaram um troço de cerca de 500 metros do rio Lena por eles “adoptado”, junto à ponte do Paul, no limite da freguesia da Golpilheira, sobre o qual irão trabalhar de modo mais directo. No próximo dia 28, uma outra turma da mesma escola fará acção semelhante, num troço do Lena dentro da vila da Batalha. O principal objectivo é “sensibilizar os jovens e a respectiva população para a necessidade de preservar os ecossistemas ribeirinhos, procurando também intervir directamente na recuperação do rio, numa perspectiva multidisciplinar e integradora das vertentes ambiental, cultural, económica, etc.”, esclarece a engenheira Sandra Vieira, da Simlis, coordenadora do projecto. Para além desta responsável, fizeram parte da equipa monitorizadora desta visita: Ana Amado, do Gabinete de Comunicação da Simlis; Gilberto

Miranda, engenheiro ambiental da ONG Vertigem, que colabora com esta iniciativa nos concelhos da Batalha, Porto de Mós, Marinha Grande e Leiria; Joana Amaro, engenheira do Serviço de Gestão Ambiental do Município da Batalha; Carlos Santos, presidente da Junta de Freguesia da Golpilheira; e ainda as professoras Fátima Nunes (Ciências), Cristina Gonçalves (EVT) e Teresa Oliveira (directora de turma). A ideia é insistir, sobretudo, na recuperação da qualidade da água do rio e na requalificação das margens e de algumas infraestruturas existentes. Para tal, em primeiro lugar, os alunos foram convidados a identificar a fauna e a flora existentes no Lena, como o tipo de vegetação autóctone, as plantas “invasoras”, os peixes, anfíbios, répteis, aves, insectos e outros seres vivos do habitat ribeirinho. Depois, analisaram as características específicas do troço que “adoptam” para o seu trabalho, como o comprimento e a largura do leito, a qualidade, aspecto e velocidade da água, a inclinação e altura das margens, etc. Finalmente, procuraram os sinais positivos e negativos da acção humana, como o uso da água para a agricultura, a construção de açudes, a existência de

acessos e vias de circulação, mas também a presença de lixos, descargas poluentes, entulhos, etc. Só depois deste trabalho se coloca a questão: o que podemos fazer para melhorar a vida e equilíbrio ecológico do rio e corrigir os erros detectados? A resposta, a concretizar em acções que se desenvolverão nos próximos meses, será fruto da análise dos dados recolhidos e das conclusões a retirar do estudo feito pela turma no âmbito do projecto. Mas logo no local surgiram algumas pistas para essa acção prática, tais como “sensibilizar a população para não deitar lixo e entulhos de obras no rio e pedir a intervenção da Junta de Freguesia para retirar plantas exóticas existentes no local e plantar árvores autóctones”. Em complemento a este tipo de intervenções, os alunos deverão ainda fazer o levantamento do património cultural e etnográfico da região em que se situa o curso de água em causa, nomeadamente, das actividades, histórias, lendas e outras temáticas que se relacionem com o rio Lena. Numa altura em que decorre uma acção de limpeza do leito e margens daquele rio, da responsabilidade da Autoridade Regional Hi-

drográfica, este “Projecto Rios” será, com certeza, uma mais-valia para a promoção da reabilitação do Lena, sobretudo, no campo da sensibilização da população local e da ligação prática dos temas ambientais ao currículo escolar dos alunos. Texto e fotos Luís Miguel Ferraz

Projecto Rios O Projecto Rios é uma iniciativa de âmbito nacional, que utiliza metodologias de educação ambiental para a implementação de soluções sustentadas na resolução dos problemas dos ecossistemas fluviais. Coordenado pela Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA), conta ainda com a colaboração da Associação de Professores de Geografia (APG), da Liga para a Protecção

da Natureza (LPN) e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Para além da vertente ecológica, este projecto visa também a tomada de consciência ambiental baseada na participação voluntária e activa dos cidadãos (vertente social e cultural). Pretende-se criar uma rede de monitorização e de adopção de troços de rios e ribeiras por grupos locais or-

ganizados. Recorrendo a uma metodologia de observação, simples mas rigorosa, estandardizada e de fácil aplicação e desenvolvimento, estes grupos assumirão a responsabilidade de vigilância e protecção do troço do curso de água que seleccionaram, contribuindo assim para a melhoria sustentada dos recursos hídricos em geral, e do processo de reabilitação do seu troço, em particular.

SIMLIS adere à plataforma de combate à Sida

Código de Conduta Empresas e VIH A SIMLIS acaba de integrar o grupo de empresas subscritoras do “Código de Conduta Empresas e VIH”, elaborado no âmbito da Plataforma Laboral contra a SIDA, assumindo-se como interlocutora privilegiada na resposta à infecção pelo VIH no local de trabalho, nomeadamente, nas vertentes da não discriminação, da prevenção e do acesso ao tratamento. A adesão a esta plataforma decorreu no passado dia 20 de Abril, numa cerimónia em que participaram todas as empresas participadas do Grupo AdP – Águas de Portugal, um grupo que tinha já aderido a esta proposta da Coordenação Nacional para a Infecção VIH/Sida, desde Outubro do ano passado. “Actualmente, 9 em cada 10 pessoas infectadas pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) encontram-se em idade activa, pelo que a adesão da SIMLIS e da totalidade das empresas do Grupo AdP a esta iniciativa, num universo de cerca de 5.000 colaboradores, representa um importante contributo para a resposta à infecção pelo VIH no local de trabalho”, adianta uma nota da empresa enviada à comunicação social. Segundo a mesma nota, a adesão ao Código de Conduta Empresas e VIH implica o comprometimento das empresas a: “não discriminar as pessoas que vivem com infecção VIH, quer sejam trabalhadoras ou candidatas a cargos na empresa; assegurar a igualdade entre homens e mulheres no que respeita ao acesso á prevenção e ao tratamento da infecção pelo VIH; facilitar a divulgação junto de trabalhadores e trabalhadoras de materiais informativos relativos à infecção pelo VIH e participar em programas de prevenção envolvendo os seus representantes; reconhecer que a realização de teste de infecção pelo VIH, enquanto medida de saúde pública importante, é insusceptível de comprometer o ingresso e a progressão na carreira de cada trabalhador/ a; respeitar e fazer respeitar o carácter voluntário dos testes para o VIH e a confidencialidade dos resultados; facilitar o acesso aos cuidados de saúde e à protecção social em condições de igualdade para todas as pessoas da empresa”.

4755#OMENSAGEIRO#23ABR  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição 4755 de 23 de Abril de 2009

4755#OMENSAGEIRO#23ABR  

O Mensageiro (O Mais Antigo Semanário do Distrito de Leiria): Edição 4755 de 23 de Abril de 2009

Advertisement