Page 1

ESTE 1 ESPAÇO PODE SER SEU

06/01/2011 Na Internet

www.jornaldetondela.com.sapo.pt PREÇO AVULSO C/ IVA 5% INCLUIDO

N.º 1029

* 6 de Janeiro de 2011

*

II Série

*

Ano XXI

Director: Manuel Ventura da Costa

CONTACTE-NOS: 917 627 957

TONDELA

Tondela

PADRE FLORENTINO APRESENTOU O LIVRO “CENÁRIOS DO MEU EXISTIR”

Sindicato denuncia condições de trabalho dos enfermeiros

pag. 7

A BOA FORMA FÍSICA ALIADA À SAÚDE E BEM-ESTAR COMO PROJECTO INOVADOR

pag. 4

VETERANOS DO C. D. T. PROMOVERAM JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO COM NUNO CLARO

pag. 3

Futebol

CD TONDELA AUMENTA OPÇÕES COM REFORÇOS DE INVERNO

pag. 3

NOTÍCIAS DE SANTA COMBA DÃO

pag. 11

Tondela

Município e CONFAGRI celebram protocolo de colaboração

ENTREGA DOS DIPLOMAS DO CURSO DE “EDUCAÇÃO / FORMAÇÃO PARENTAL” DE NÍVEL II NO SALÃO NOBRE DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA COMBA DÃO SISTEMAS DE INCENTIVOS – QUATRO NOVOS CONCURSOS ABERTOS 6.ª FASE MODCOM: 10 MILHÕES DE EUROS PARA O COMÉRCIO TRADICIONAL EXPRESSART PROMOVE WORKSHOP DE CINEMA

pag. 5

VISEU

pag. 10

APOSTA DA RUCI NO CONHECIMENTO E INOVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO

pag. 12


QUANTO GERAÇÕES? 06/01/2011 2 OPINIÃO VALE A VERDADE E A JUSTIÇA PARA O PAÍS E FUTURAS

T

odos nós conhecemos o que se tem passado na condução política, económica e social deste País, após a revolução de 25 de Abril de 1974, onde a partir daí foram desbaratadas centenas de toneladas de ouro e destruídos os meios de produção que nos levaram a pedir ajuda ao FMI em 1977 e 1983. A grande maioria dos portugueses passados estes trinta e quatro anos de democracia exercida por sucessivos governos, encontra-se numa situação de desânimo, tristeza, frustração, e, falta de confiança nos seus políticos e sem esperança no futuro. Depois da entrada de Portugal na CEE em l986,renasceu a esperança aos portugueses que os dirigentes políticos deste País começariam a por em ordem o seu desenvolvimento económico e social. Com a entrada de milhões de contos por dia da CEE, muita gente começou a pensar, inclusivamente os nossos dirigentes políticos, que este maná da Europa, nunca mais acabaria e vai dai semear dinheiro fácil por todo o canto e lado para elaboração de projectos de toda a forma e feitio sem controlo, sem viabilidade económica, por conseguinte não acautelando as infra-estruturas necessárias que o País necessitava para o seu futuro desenvolvimento. Com este grande fluxo de entradas de meios financeiros no nosso País, não foram acauteladas as regras de rigor, honestidade e isenção dos dirigentes políticos para por cobro a esta tamanha desarticulação e desaforo na aprovação da maioria destes projectos. Face a esta tamanha descoordenação de controlo de apoios financeiros, não faltaram como sempre os “chicos espertos” nesata vaga de tantas facilidades uma oportunidade de sacar uns milhões de contos ao bolso dos contribuintes, para a compra de mansões, herdades, carros topo gama, casas, mobiliário, eléctrico domésticos e até para passarem férias luxuosas no estrangeiro. Por outro lado a Banca com toda aquela sofreguidão e ganância que lhe é reconhecida e para não perder também esta oportunidade, fazia o seu marketing do empréstimo de dinheiro fácil com grande insistência em todos os meios de comunicação social para quem o desejasse, onde duma maneira geral todos os bancos se guerreavam ente si com diversos pacotes de empréstimo, com slogan aliciantes e tentadores: peça hoje, amanhã já está

na sua conta para gastar. Nos anos noventa quase cinquenta por cento das verbas do PEDIP para apoio às pequenas e médias empresas que se destinava ao seu desenvolvimento e modernização, foi parar à Banca que nos seus resultados anuais apresentavam lucros escandalosos e exorbitantes em detrimento do endividamento das empresas e prejuízo das mesmas. Nada impedia tamanha irresponsabilidade de pedir e emprestar dinheiro para esta sociedade de consumo, sem pensar no investimento a médio ou longo prazo. Muitos cidadãos anónimos deste País que já tinham passado muitas privações, trabalho e sacrifícios, interrogavamse como era possível continuar com esta loucura de desorientação de endividamento descontrolado que ninguém conseguia estancar. Seria possível continuar com esta euforia de despesismo e desbaratamento de meios financeiros que nos levaria ao abismo? Muitos cidadãos face a este descalabro financeiro e económico diziam que esta irresponsabilidade nos iria custar caro e que a grande maioria dos portugueses com rendimentos mais débeis e as gerações futuras por certo seriam as mais afectadas com grandes sacrifícios e privações. Como se costuma dizer quem gasta o que tem e não repõe o que desbarata, depressa cai no abismo. Com este desnorte de esbanjar recursos financeiros os nossos governantes também não ficavam atrás nesta maré de despesismo de recursos financeiros em despesas correntes supérfluas sem controlo, muitas vezes favorecendo os seus correligionários Esquecendo-se do desenvolvimento do País e sem coragem política para travar esta tamanha irresponsabilidade que nos levaria ao ponto em que nos encontramos. Como sempre em situações desta natureza, face a tantas oportunidades e facilidades, num mundo global e com uma tecnologia sofisticada propícia a criar e transferir dinheiro virtual, deu azo a que os tais “ chicos” espertos, muitas vezes entrosados no sistema político começassem a por em marcha o seu plano para sacar uns milhões ao bolso dos contribuintes por corrupção, tráfico de influências e compadrio que por demais é conhecido dos portugueses. Chegados a 2000 a situação do País começou

a agravar-se, mas com o entusiasmo da entrada de Portugal na moeda única foi mais um sinal de esperança na expectativa dos portugueses, que se concretizou no ano de 2001. Com a entrada no euro, com uma moeda forte com juros baratos, nada havia a perder com a continuação deste regabofe de gastos supérfluos por parta dos governos e privados, com a criação de Institutos, fundações, empresas público / privadas, etc. etc. tudo o que era preciso para dar mais uns empregos aos seus “boys” que era necessário proteger. Continuávamos assim a dar ao País uma imagem de riqueza fictícia, com pés de barro, pois se as empresas continuavam a encerrar o investimento a estagnar, o desemprego a aumentar, a agricultura e pescas abandonadas e as desigualdades sociais não paravam de crescer, não se criando assim trabalho e riqueza, como poderia haver um milagre que nos salvasse. Como era possível que o governo da Nação face à crise difícil que se vivia continuar a nomear gestores para as empresas públicas/privadas com vencimentos milionários e mordomias e comissões de luxo que tem sido um atentado imoral e escandaloso para as classes mais desfavorecidas deste País Não era raro muitas vezes ouvir de familiares de pessoas que estavam nestes serviços dizerem em público que estes seus familiares tinham um bom emprego, ganhavam bem, mas o trabalho não era demasiado. No meio de tanta irresponsabilidade dos governantes e descontrole, o Primeiro-Ministro que aderiu ao euro e que estava ao leme deste barco que começa a meter água por todos os lados vê-se obrigado a pedir a demissão informando os portugueses que o barco tinha encalhado num pântano Com novas eleições é nomeado um novo Primeiro-ministro que mais tarde para surpresa de todos, também pede a demissão dizendo aos portugueses que depois de ter desencalhado o barco do pântano o País ficou de tanga, sinais evidentes que a situação económica, social, e financeira se estava a agravar neste pequeno rectângulo da Europa. Entretanto é nomeado um Primeiro-ministro com maioria parlamentar, mas por birra do Sr.Presidente da República é demitido sem apelo nem agravo, em nome da democracia, palavra fascinante que é para ler, mas não para cumprir.

Com a euforia de novas eleições é eleito um governo, que presentemente ainda nos está a governar, que apesar de algumas medidas correctas que tomou, gorou as expectativas na sua ideologia de partido de esquerda, que se dizia promotor das desigualdades sociais, dos mais desfavorecidos, dos reformados com reformas de miséria, apoiaria o emprego com a criação de mais postos de trabalho, apoio à família, educação, saúde, justiça, agricultura e pescas duma maneira geral como se costuma dizer prometia dar um bodo aos pobres e aos mais carenciados, era o Pais a entrar num oásis, que nos traria as consequências que estamos a atravessar, neste mar encapelado, onde ainda não se avista terra firme. Com esta ilusão demagógica e falta de verdade que prometeu dizer aos portugueses, apareceram as realidades: Com a promessa e criação de mais postos de trabalho, aumentou o desemprego e os impostos. Com a promessa do desenvolvimento e progresso encontramo-nos na estagnação e recessão. Com a promessa da justiça social aumentou a pobreza e temos mais desigualdades sociais. Com a promessa do apoio à família e à nataliade, aprovou a lei do aborto, do casamento dos homossexuais, rasgou o cheque bebé e cortou o abono de família. Com a promessa de melhor educação respondeulhes com o fecho de escolas nos meios rurais desertificados, onde muitas aldeias parecem lugares de fantasmas e actualmente pretendem cortar alguns apoios ao ensino privado. Com a promessa de melhor saúde encerrou-lhes os Posto médicos, Centros de saúde, aumentou os medicamentos, taxas moderadoras e presentemente quer passar hospitais para Centros Hospitalares, como o que querem fazer com o Hospital Distrital de Tondela. Com o simplex na justiça pôs os tribunais amontoados de processos, a passo de caracol sem meios financeiros, com imensa morosidade, que criam imensas dificuldades e prejuízos aos cidadãos. Com o desprezo que deu à agricultura e às pescas sectores primários fundamentais, veio com imposições de cotas e responde que não há crise nenhuma neste sector, pois os supermercados estão cheios destes produtos provenientes das importações. Tem sido nestas indefinições e contradi-

ções que este governo, com um Primeiro-ministro com falta de humildade, teimosia de não querer falar a verdade aos portugueses, tem contribuído para que a grande maioria dos cidadãos já não acredite nas suas palavras e nas suas promessas. Presume-se pois que o horizonte temporal deste governo se encontra embaraçado, desorientado e armadilhado com falta de força anímica, que ao primeiro sinal de fraqueza terá que recorrer aos cuidados intensivos. Face ao agravamento da situação que se começa a definir sobre a governabilidade deste País, uma grande maioria dos portugueses também começam a ficar preocupados, pensativos e chocados com a apetência de certos “boys”, de outros quadrantes políticos, a esfregar as mãos de contentes e perfilados para irem ocupar os lugares dos “boys”, que entretanto terão que ir tratar da sua vidinha até uma próxima oportunidade. Mas será que o País com esta crise que todos conhecemos e com a falta de valores éticos poderá continuar a assistir a esta tão grande apetência de certas pessoas, a estes lugares, que põe acima dos interesses duma Nação os seus interesses pessoais? Num tempo de tanto egoísmo, hipocrisia, inveja e de tantas incertezas do futuro deste País, todos não somos de mais para contribuir com o nosso trabalho e sacrifício para o seu desenvolvimento e progresso e lembrar a estas pessoas que na situação em que o País se encontra, que ter padrinhos é bom, mas não precisar de padrinhos é muito melhor para os portugueses e Portugal. Pensamos pois que é altura dos próximos governantes eleitos democraticamente estarem atentos à intromissão de alguns políticos que para eles a governação é um trampolim para tratarem dos seus interesses, dos seus amigos, familiares ou grupos, esquecendo-se da sua missão de patriotismo e responsabilidade que com honestidade e isenção juraram quando tomaram posse dos seus cargos para servir Portugal. Com ou sem FMI os tempos que se aproximam vão ser muito difíceis, o tempo das vacas gordas da Comunidade Europeia dos anos oitenta e noventa já terminou. A Europa está a passar também uma grave crise de liderança tanto a nível da Comunidade europeia, como dos próprios países que se diziam mais solidários

com os países mais pequenos e mais pobres dando-nos a ideia que já não querem ver estes pedintes a bater-lhes à porta com a mão estendida para os ajudarem, parecendo dizer-lhes chega de retórica, arregacem as mangas e comecem a trabalhar que nós também fazemos o mesmo. Estes países e os seus dirigentes políticos começam já a olhar muito para o seu umbigo e a pensarem numa Europa a duas velocidades. É pois nos primórdios do século vinte e um que a grande maioria dos portugueses se interroga com tristeza, apreensão e desconfiança o rumo do destino politico, económico e social deste País, onde desde o 25 de Abril ainda não apareceram lideres democráticos com espírito de grande patriotismo, ética, honestidade, frontalidade e coragem politica para reformularem estes sistema cheio de vícios, incompetência, laxismo, combatendo os abusos do poder, a corrupção, clientelas partidárias, tráfico de influências exigir mais justiça nos tribunais com mais celeridade nos processos que também tem contribuído para o atraso deste País. Portugal com mais de oitocentos anos de história, não vai morrer nem acabar, assim haja portugueses da gesta dos Afonso Henriques, Nuno Alvares Pereira, D. João l.º, Infante Henrique, João Pinto Ribeiro, o grande obreiro que restaurou a nossa independência sobre o jugo de Espanha, e muitos outros que a maioria dos portugueses conhece que dedicarem com o seu espírito de sacrifício e patriotismo e muitas vezes com a perda das suas próprias vidas o seu sangue, para o engrandecimento deste País em que todos nós continuamos a viver. Façamos votos para que neste ano de 2011, tempos de tantas incertezas, preocupações e dificuldades que estamos a viver, principalmente para as pessoas com mais desigualdades sociais, que os futuros governantes deste País, saibam reconhecer e corrigir com humildade, sentido de estado, força de vontade e espírito de justiça os erros do passado que tanto atrasaram o nosso desenvolvimento, falando sempre a verdade aos portugueses, porque a verdade ao contrário da mentira cria estima, confiança, coragem e esperança para investir no desenvolvimento do bemestar social e económico dos portugueses, tendo em mente as gerações vindouras. AMADEU COSTA VENTURA


CIDADE 3

06/01/2011

Tondela

CONTACTAR 919 318 355

Veteranos do CDT promoveram jantar de confraternização ARRENDA-SE com Nuno Claro

T1

ARRENDA-SE

T2

Futebol

CD Tondela aumenta opções com reforços de inverno

ARRENDA-SE

T2 MOBILADO

ARRENDA-SE

T3

TEXTO E FOTO: ARMÉNIO PEREIRA

C/GARAGEM

ARRENDA-SE LOJAS COMERCIAIS EM TONDELA APARTIRDE200EUROS/MÊS

ARRENDA-SE

GARAGENS ARRENDA-SE

VENDE-SE

T2 MOBILADO CENTRO DE TONDELA

VENDE-SE 919 318 355

TEXTO E FOTO: ARMÉNIO PEREIRA

F

oi apenas um jantar e nem se pode falar de homenagem mas a secção dos veteranos do Clube Desportivo de Tondela (CDT) demonstrou mais uma vez o apreço que nutre e vice-versa pelo guarda-redes Nuno Claro. O futebolista que já conquistou sete títulos na Roménia e que por via disso já pisou os principais palcos do futebol europeu decorrente da participação

da sua equipa CFR Cluj na Liga dos Campeões Europeus continua a ser um dos orgulhos dos veteranos do CDT. O apreço que esta secção tem manifestado pelo atleta a par do Núcleo Sportinguista do Concelho de Tondela acontecem sempre que este se desloca a Portugal para gozar férias ou quando existe uma paragem competitiva mais alargada que lhe permita estar mais tempo nesta cidade onde já tem casa. Para assinalar este momento os promotores da iniciativa ofereceram uma camisola dos vetera-

nos do CDT, entregue por Joaquim de Matos, com o nome estampado do Nuno Claro, tendo ainda usado da palavra, três deles, Pedro Milhães, Alfredo Alexandre e Luís Carlos para elogiar o carácter e a personalidade deste conterrâneo que tem prestigiado o nome do país e do concelho de Tondela. Nesta circunstância foi este último que fundamentou de forma simples, clara e objectiva, as razões da atribuição da camisola ao atleta que retribuiu o carinho de todos, agradecendo este gesto ao qual é impossível ficar indiferente.

S. O. S. – BOMBEIROS Ocorrências registadas pelos Bombeiros Voluntários de Tondela no período de tempo compreendido entre os dias 27 de Dezembro de 2010 a 02 de Janeiro de 2011. Foram 153 as chamadas, que envolveram 211 Bombeiros, que efectuaram 154 saídas com viaturas, percorreram 8.418 quilómetros, perfazendo, em tempo, 294h07m. O número de doentes transportados foi de 195.

ACTUALIZE A SUA ASSINATURA

CONTACTE-NOS PELO TELEFONE: 232 822 137

O

Clube Desportivo de Tondela começou o ano novo com mexidas no plantel e equipa técnica liderada por Filipe Moreira. Como já tinha sido tornado público, o adjunto, Pepa, abandonou as suas funções, para encetar novo desafio na coordenação do futebol de formação do Benfica, clube que representou como jogador da equipa principal na época 98/99. O jovem técnico que deixou boas indicações em Tondela foi substituído no cargo por Joaquim Rodrigues que se sentará no banco já no próximo domingo no jogo em casa que o CD Tondela efectuará com o Sporting de Espinho. Mas as mexidas não ficaram por aqui, uma vez que o clube que lidera o Campeonato Nacional da 2ª Divisão – Zona Centro que tem os seus dirigentes, equipa técnica e jogadores empenhados em terminar a época no topo da classificação, procuram arranjar as melhores alternativas para o reforço do plantel. Assim devido também à impossibilidade do central Vítor poder dar o seu contributo à equipa foi contratado outro atleta que joga na mesma posição de seu nome Colaço e que actuava no Atlético que também lidera o Campeonato Nacional da 2ª Divisão mas da Zona Sul. Para além desta entrada e para colmatar as saídas de João Pedro e Pires que integravam o plantel do CDT desde o início da época entraram o médio polivalente Diogo Torres que actuava nos Aliados do Lordelo e o ponta-de-lança, Paulo Vaz que jogava no Sporting da Covilhã. Tanto quanto é possível apurar, mesmo que isso não seja uma certeza, as mexidas no grupo de trabalho poderão não ficar por estas que foram enunciadas, sendo no entanto importante esperar mais algum tempo para se confirmar essa possibilidade se for o caso disso. A dois jogos de terminar a primeira volta do campeonato o CD Tondela continua na frente, recebendo no próximo domingo, em casa o Sporting de Espinho, em jogo a contar para a 14 jornada.


4 CIDADE

06/01/2011

Tondela

A boa forma física aliada à saúde e bem-estar como projecto inovador

Equipa de trabalho com Patricia Lopes

Carina Antunes, à esquerda, Patricia Lopes, ao centro, e Ângela Figueiredo

O

espaço de ginástica, saúde e bemestar “Ffitness Woman and SPA” abriu as suas portas ao público, na tarde do último domingo, dia 2 de Janeiro de 2011, na urbanização Bela Vista, em Tondela. A qualidade do espaço ficou bem patenteada pela reacção positiva observada nos rostos dos convidados presentes, tendo estes a possibilidade de conhecer estas instalações. Tondela passa a ter uma infra-estrutura inovadora direccionada para a prática de exercício físico com diversas áreas complementares que a diferenciam de todas as outras que existem e já existiram nesta cidade. Este projecto protagonizado por duas jovens empreendedoras,

Carina Antunes e Ângela Figueiredo revoluciona o conceito não só da prática desportiva mas também ao nível de saúde e bem-estar destinada ao público-alvo que são as senhoras de todas as idades. O “Ffitness Woman and SPA” aposta numa qualidade diferenciadora dos seus serviços, apoiada por um grupo de profissionais especializados em condições de garantir esse trabalho de excelência reconhecida pelo franchising. O espaço que mereceu também um extraordinário bom gosto ao nível de decoração é composto pela recepção, uma área de massagens relaxantes, onde se aplicam a chocoterapia e pedras e outras técnicas, um gabinete de estética, para depilações e limpeza de pele e outra área destinada a hidromassagem. Separada apenas por um pequeno corredor exis-

FICHATÉCNICA

Registo na DGCS nº 109 629 Depósito legal nº 54581/92 Semanário Regional Independente (Fundado em 10/08/1989) DIRECTOR: Manuel Ventura da Costa E-mail:mventuracosta@sapo.pt REDACÇÃO Arménio Pereira E-mail: armeniopereira@mail.telepac.pt PAGINAÇÃO E MONTAGEM Angelo M. S. Ferreira

te uma área que confirma em pleno a ideia de inovação do “Ffitness Woman and SPA” com uma sala ZEN para meditação, yoga e pilates. As instalações ficam completas com a parte mais alargada destinada á pratica de exercício físico distribuído por um circuito cardio vascular e trabalho muscular, plataformas vibratórias, podendo as suas utilizadoras ainda ter aulas de grupo fitness (steep, aeróbica, combate, localizada, jump e GAP). Cada modalidade terá um personal-trainer específico da equipa de profissionais que compõem “Ffitness Woman and SPA”.

INVESTIMENTO APADRINHADO POR CAMPEÃ NACIONAL DE ATLETISMO As jovens proprietárias deste espaço quiseram também premiar os pre-

sentes trazendo uma referência do atletismo nacional, ao dia da inauguração, também há campeãs mulheres campeãs, Patrícia Lopes, é uma delas, no caso dos 400 metros barreiras de Portugal. O nosso jornal não podia perder a oportunidade de falar com a atleta do Sporting que nos confidenciou que está numa fase da sua carreira de plena ascensão e de que nunca teve gozo de correr na vida como agora o faz. Sobre a inauguração propriamente dita referiu que era uma honra ser madrinha deste espaço, aconselhando todas as mulheres que em vez de ficarem em casa a ver televisão possam tirar 30 minutos do seu tempo para relaxar, praticar desporto, porque faz bem, tanto ao físico como à mente. Patrícia Lopes gostou deste espaço que classificou de amplo e agradá-

vel tendo também a convicção de que este pode revolucionar o conceito do exercício físico neste tipo de espaço. A atleta do Sporting visita a região mais concretamente o concelho de Santa Comba Dão onde a mãe mora há oito anos com alguma regularidade e foi pelo facto desta ter sido aluna da professora Carina Antunes que aceitou com todo o gosto o convite que lhe foi feito. Aos 28 anos, Patrícia Lopes mantêm-se confiante na sua boa forma física e ainda no último verão esteve nos campeonatos de Barcelona onde bateu o recorde pessoal nos 400 metros barreiras. No próximo dia 8 de Janeiro tem inicio a nova época desportiva em pista coberta e a atleta sportinguista treina afincadamente, nas renovadas condições do Estádio Nacional, com o objectivo de alcançar os melhores registos deste

COLABORADORES Eng.º Hélio Bernardo Lopes, Dr. Cílio Correia, Dr.ª Marta Catarina Rosa, Maria da Conceição Marques Correia, Prof. Sérgio Carvalho, Dr. Leonel Marcelino, João A. Ventura da Costa, Artur Jorge Amaral Leitão CORRESPONDENTES Dr. Elisio Gomes de Matos (Barreiro de Besteiros), Henrique Marques Gonçalves (Caparrosinha), Optacilio de Matos Fragoso (Cortiçada), Herminio Henriques (Corveira), António Lopes de Sousa (Ermida), António Pais Ferreira (Lobão da Beira), José da Cruz Mendes (Mosteiro de Fráguas), Rodrigo Marques Xavier (Parada de Gonta), Amadeu Dias dos Santos (Tonda), Antonino Coimbra dos Santos (Vila Nova da Rainha), Manuel Francisco de Figueiredo (Vilar de Besteiros), Paulo Manuel L. Pereira da Fonseca (C. de Besteiros), Ana Maria de Almeida Simões (Lajeosa do Dão), Joaquim VIegas Conceição (Freimoninho), José Manuel Gomes Ferreira (Coelhoso), Eduardo Pereira Marques (Mouraz), Fausto Varela Macedo (Alvarim) PROPRIEDADE / ADMINISTRAÇÃO COMPOSIÇÃO SEDITON - Soc. Editora Tondelense, Lda Registo na DGCS nº 215 348 - Nº Cont. 502468076 Detentores com mais de 10% do Capital da Empresa, Eduardo António Ferreira Marques Arménio Ferreira Marques R. Dr. Marques da Costa Apartado 97 - 3461-909 Tondela E-mail: jornaldetondela@mail.telepac.pt Site: jornaldetondela.com.sapo.pt

ano. Patrícia Lopes ainda não fez planos sérios para o final da carreira mas gostava de ficar ligada ao desporto, mas como o futuro a Deus pertence, para já está no 4º ano do curso de Jornalismo na Escola de Comunicação de Lisboa. Apesar de considerar que nunca foi fácil conciliar a carreira de atleta com a de estudante universitária traça como grande objectivo neste momento a possibilidade de alcançar os mínimos que lhe permita estar presente nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012. Antes vai tentar estar em Paris nos campeonatos de pista coberta, lembrando ainda o contributo que sempre foi dado ao longo dos anos ao atletismo nacional pelo símbolo do Sporting que é o professor Moniz Pereira a quem todos os atletas de alta competição dos últimos 30 anos muito devem.

IMPRESSÃO CORAZE - Oliveira de Azeméis Telef.: 256 600 580 - Fax: 256 600 589 E-mail: grafica@coraze.com ASSINATURAS E PUBLICIDADE Eduardo A.F. Marques TELEFONE: 232 822 137 FAX: 232 821 118 ASSINATURAS ANUAL (52 nºs) - NACIONAL = 25,91 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Europa) = 55,12 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Resto Mundo) = 68,35 Euros (c/IVA)

Avulso = 0,60 Euros (c/IVA) Números atrasados = 2,00 Euros (c/IVA) Dia de Saida: Quinta-Feira TIRAGEM NESTA EDIÇÃO 3.000 Exemplares ASSOCIADO DA

Jornal de Tondela, como orgão de informação independente, apartidário e apolítico, está aberto à participação de todos os cidadãos, pelo que a sua colaboração reflecte apenas ideias pessoais que não vinculam o estatuto editorial do Jornal.


06/01/2011

REGIÃO 5

NOTÍCIAS DE SANTA COMBA DÃO

POR R.B.

SISTEMAS DE INCENTIVOS – QUATRO NOVOS CONCURSOS ABERTOS Estão abertas as candidaturas às três tipologias dos Sistemas de Incentivos às Empresas: I&DT – Empresas Individuais; Qualificação e Internacionalização de PME – Individuais e de Cooperação; Inovação – Inovação Produtiva e Empreendedorismo Qualificado. Em comum, os quatro novos concursos dão um especial destaque às empresas exportadoras. Uma das condições de admissibilidade dos projectos é a intensidade das exportações pré e pós-projecto, e que estão presentes nos avisos de concursos. No caso do Mais Centro, a dotação total para as micro e pequenas empresas é de 30 milhões de euros, sendo 9 milhões de euros de dotação Geral e 21 milhões de euros para as EEC. Assim, para além da dotação Geral, os concursos visam, também, a implementação das EEC reconhecidas como Pólos de Competitividade e Tecnologia – Clusters (PCT – Turismo e PCT – Outros Clusters). Os interessados deverão consultar os referenciais presentes no quadro dos concursos abertos, de modo a verificar os critérios que definem as condições para a avaliação da inserção do projecto numa EEC. Prazos para a apresentação de candidaturas: AAC 04/SI/2010 (Inovação Produtiva): 15 de Novembro de 2010 a 10 de Janeiro de 2011; AAC 05/SI/2010 (Empreendedorismo Qualificado): 15 de Novembro de 2010 a 10 de Janeiro de 2011; AAC 06/SI/2010 (Projectos Individuais): 15 de Novembro de 2010 a 31 de Janeiro de 2011; AAC 07/SI/2010 (Projectos Individuais e de Cooperação): 15 de Novembro de 2010 a 14 de Janeiro de 2011. Qualquer informação complementar pode ser solicitada ao Gabinete do Investidor de Santa Comba Dão, no Largo do Município nº 13 ou através do telefone 232880550 ou através do site www.maiscentro.qren.pt.

6.ª FASE MODCOM: 10 MILHÕES DE EUROS PARA O COMÉRCIO TRADICIONAL Encontra-se aberta, até 03 de Janeiro de 2011, a 6ª fase de candidaturas ao Sistema de Incentivos à Modernização do Comércio – MODCOM. Contando com uma dotação de 10 milhões de euros, esta nova fase destina-se a candidaturas consideradas elegíveis mas não seleccionadas na fase anterior. O MODCOM é um sistema de incentivos destinado a micro, pequenas e médias empresas, contemplando apoios para três tipos de acções: Acção A - Lojas individuais e conjuntos de modernização comercial; Acção B – Lojas em rede, ou seja, empresas que pretendam, por exemplo, adoptar uma insígnia comum ainda que a propriedade seja individual, que utilizem a mesma plataforma informática ou que se abasteçam na mesma central de compras; Acção C – Estruturas associativas do sector do comércio, com vista à promoção dos centros urbanos. Os projectos de investimento apoiados contam com uma taxa de incentivo a fundo perdido de 45% das despesas de investimento no caso das lojas individuais, de 50% nos projectos empresariais integrados e de 60% para as associações comerciais. Nas cinco fases anteriores do MODCOM foram disponibilizados um total de 134 milhões de euros a fundo perdido para a revitalização do comércio tradicional, correspondendo a cerca de 4600 projectos empresariais e associativos seleccionados e mais de 7 mil novos postos de trabalho. Qualquer informação complementar pode ser solicitada ao Gabinete do Investidor de Santa Comba Dão, no Largo do Município nº 13 ou através do telefone 232880550.

EXPRESSART PROMOVE WORKSHOP DE CINEMA A Expressart – Escola d’Artes do Município de Santa Comba Dão, vai realizar um Workshop (GRATUITO) sobre Cinema (noções fundamentais sobre a estrutura de um filme), com abordagem nas seguintes áreas: - O Argumento (Script); - A Produção; - Som: Música, Banda Sonora e Sonoplastia; - Fotografia e Câmara; - Direcção Artística e Direcção de Actores; - Montagem; - Realização, Mise-En-Scéne e Dramaturgia Este Workshop é destinado a todos os indivíduos maiores de 15 anos e terá lugar aos Sábados, pelas 16 horas, nas instalações da Escola d’Artes. Mais informações através do contacto: 910542198 – 961548100, ou na Expressart.

TIRA GEM DO "JORN AL DE TONDELA" TIRAGEM "JORNAL

Conforme estipula o Decreto-Lei nº 645/76, para os devidos efeitos se declara que a tiragem mensal do "Jornal de Tondela", no mês de Dezembro findo, foi de 15.000 exemplares, correspondendo à soma de 5 edições de 3.000 exemplares cada.

ENTREGA DOS DIPLOMAS DO CURSO DE “EDUCAÇÃO / FORMAÇÃO PARENTAL” DE NÍVEL II NO SALÃO NOBRE DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA COMBA DÃO

O Salão Nobre da Câmara Municipal de Santa Comba Dão foi palco, pelas 17:30h do dia 27 de Dezembro, da entrega de Diplomas aos formandos do Curso de “Educação / Formação Parental” de Nível II promovido pela ADICES – Associação de Desenvolvimento Local em parceria com a Câmara Municipal, no âmbito do Programa Rede Social. A cerimónia contou com as presenças de João Lourenço, Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão e de Regina Lopes em representação da ADICES que entregaram os diplomas aos formandos. Foram cerca de 15 os formandos, beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) e/ou com acompanhamento por parte da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Santa Comba Dão, que tiveram a oportunidade de frequentar, durante duas semanas, este curso inserido na medida 6.1. – Formação para a Inclusão, do Programa Operacional Potencial Humano (POPH). O principal objectivo do Curso de “Educação / Formação Parental” de Nível II foi dotar jovens adultos com filhos, ou em vias de os terem, oriundos do concelho de Santa Comba Dão e desempregados de competências parentais que lhes permitissem colmatar algumas lacunas ao nível da educação e formação e de competências sociais que lhes pudessem ser úteis na integração ou reintegração no mercado de trabalho. Para além destes objectivos, o curso de formação inserido nos programas de inserção e acções da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Santa Comba Dão permitiu aos participantes a partilha de experiências e de conhecimento, o que contribui para a consolidação da capacidade de liderança face a situações do quotidiano de cada um. Por outro lado, esta acção proporcionou um espaço de aprendizagem e de estímulo à relação entre os formandos e as instituições parceiras: Câmara Municipal de Santa Comba Dão no âmbito do Programa Rede Social, ADICES – Associação de Desenvolvimento Local e Centro de Emprego de Tondela.


6 GERAL

06/01/2011

PS TONDELA – COMUNICADO “CENTRO HOSPITALAR DE TONDELA-VISEU No passado dia 15 de Dezembro, o Conselho de Ministros aprovou a criação do Centro Hospitalar de Tondela – Viseu, EPE, o que reforça a lógica de colaboração e cooperação verificada, ao longo dos últimos tempos, entre o Hospital S. Teotónio de Viseu e o Hospital Cândido de Figueiredo de Tondela. Esta decisão garante uma melhoria da qualidade dos serviços, uma melhor prestação dos cuidados de saúde e, aligeirando a estrutura orgânica, administrativa e funcional das unidades de saúde, aumenta a eficiência da gestão hospitalar. Com a racionalização de todo o pessoal existente, é possível a reorganização do Ambulatório Cirúrgico – optimizando os dois blocos operatórios – e alargar as especialidades médicas – Cardiologia, Fisioterapia, Oftalmologia, Pneumologia e outras que sejam consideradas pertinentes face às listas de espera e necessidades dos utentes. O Hospital de Tondela continuará a ser uma referência para os seus munícipes e para os vizinhos de S. Comba Dão, Nelas e Carregal do Sal, agora com uma via de comunicação (E.N. 232) finalmente concretizada pelo Governo do P.S., após tantas e incumpridas promessas de outros tempos e de outros políticos! Além disso, e sem nada perder, Tondela ganha uma Unidade de Cuidados Paliativos integrada na Rede Nacional de Cuidados Continuados que vem garantir o direito a uma qualidade de vida e à dignidade, minimizando o sofrimento dos doentes terminais e dos que sofrem de patologias crónicas. O Governo Português investiu mais de 1,2 milhões de euros neste projecto, o que indispôs o maior Partido da Oposição! Para o PSD, tudo o que seja feito para as populações é quase um crime – já na Idade Média era assim – tudo o que fosse um benefício era demoníaco, apenas os donos da “verdade” podiam manipular a vontade dos desgraçados! Mas cremos que ainda por aqui vagueiam muitas almas penadas, profissionais da desgraça que, em razão da sua sobrevivência (política), continuam a querer brincar com os mais sagrados direitos dos doentes. Sobre este assunto, identificamos três: – o autor do miserável título da “Folha de Tondela” de 17 de Dezembro – FIM DO HOSPITAL CÂNDIDO DE FIGUEIREDO – alarmando as populações menos prevenidas, o que é uma das mais ignóbeis formas de terrorismo jornalístico; - o Presidente da Câmara Municipal de Tondela que, em entrevista à Lusa (sic), publicada no Jornal do Centro de 17 de Dezembro, faz um “rascunho” da conferência de imprensa que a C.P. do PSD de Tondela “ofereceu” no dia seguinte (18 de Dezembro – comemorativo da elevação de Tondela a cidade); - o Presidente da C. P. do PSD de Tondela que, além da falta de discernimento e inteligência, por se limitar a copiar as palavras do Presidente da C.M., na conferência de imprensa a que presidiu, cometeu a saloia indelicadeza, na sua crónica no Jornal do Centro de 17 de Dezembro, ao apelidar de “coveiros do hospital” aos militantes do PS que, no dia 20 de Novembro fizeram uma visita ao Hospital Cândido de Figueiredo! Para nós, a linguagem do deputado e Presidente da C.P. do PSD já não nos surpreende – apenas nos choca! E choca-nos porque é um político profissional, aliás como a maioria dos elementos do órgão a que preside, o que contrasta com os membros da C.P. do PS – nenhum dos seus elementos é escravo da política ou do Partido – e disparar alarmismos como este não é compatível com uma politica de seriedade – no mínimo, exigir-se-ia um pouco de dignidade e de honestidade intelectual. Em Setembro, uma delegação do PSD visitou as obras no Hospital Cândido de Figueiredo, congratulando-se pelo que verificou; Uma comissão do Bloco de Esquerda, representado pelo Médico e Deputado João Semedo, congratulou-se pela qualidade da obra feita no Hospital; Em 17 de Dezembro, no Jornal do Centro, o deputado do CDS Hélder Amaral, manifestou a sua concordância sobre a criação deste Centro Hospitalar; Em meados de Dezembro, mas cuja decisão mental estava tomada desde 20 de Novembro, o PSD de Tondela dispara em todos os sentidos, num histérico desespero contra o Serviço Nacional de Saúde, uma das mais gloriosas conquistas do Partido Socialista e do Povo Português, e que, desta vez, está a ser usado como trampolim da luta interna local daquele Partido e usando, para isso, uma instituição que deveria merecer todo o respeito. Mas, se lhe restam dúvidas, senhor Presidente da C. P. do PSD, vamos debater publicamente este assunto – aceite o desafio – estamos a oferecer-lhe uma oportunidade de ouro para se redimir e de lutar pela sua sobrevivência interna –mas sobretudo porque nos interessa esclarecer devidamente todos aqueles que tenham alguma dúvida sobre os benefícios da política de saúde do Governo Socialista. E, aos Tondelenses, podemos garantir que, enquanto permanecer este Governo, o Hospital de Tondela continuará a prestar todos os serviços e em total colaboração com o Hospital S. Teotónio de Viseu. TONDELA, 27 DE DEZEMBRO DE 2010. A COMISSÃO POLITICA CONCELHIA DE TONDELA DO PARTIDO SOCIALISTA

Hospital de Tondela Cândido de Figueiredo

Nota de Imprensa EFEITOS DA APLICAÇÃO DO REGULAMENTO INTERNO, PUBLICADO EM BOLETIM INFORMATIVO DE 10/12/2010. Ao Conselho de Administração cabe esclarecer o seguinte: 1. Com a inserção do Hospital Cândido de Figueiredo na Rede de Cuidados Continuados Integrados e no sentido de ser efectuado um esforço de convergência com as medidas de consolidação orçamental, adoptadas pelo Governo, foi desencadeado um processo negocial com as estruturas sindicais representativas dos diferentes grupos profissionais relativo à organização dos horários de trabalho. 2. Foram ouvidos todas as estruturas sindicais, de acordo com o Código de Procedimento Administrativo, e convidados os trabalhadores, em geral, a darem o seu contributo, tendo sido acolhidas muitas das suas sugestões, nomeadamente, TODAS as que foram sugeridas pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) pela sua pertinência e razoabilidade dentro do processo negocial. 3. Na sequência foi publicado a 10/12/2010, em Boletim Informativo, o Regulamento Interno de Horário de Trabalho, no quadro das competências do Conselho de Administração, a quem cabe definir os horários de trabalho dos trabalhadores ao seu serviço, dentro dos condicionalismos legais. 4. As alterações dos horários por turnos aprovadas não beliscam nem põem em causa quer a Qualidade dos serviços prestados que o nível de cuidados, nem poderia ser de outra forma, estando o Conselho de Administração em condições de garantir que serão adoptadas todas as medidas necessárias aos cuidados de saúde, de forma mais equilibrada durante TODOS os dias úteis da semana. Por último, informar que o processo de abertura da Unidade de Cuidados Paliativos, objecto de um financiamento especifico à margem do orçamento do Hospital, decorre normalmente, estando em curso as diligências necessárias para suprir e adaptar o Hospital às novas necessidades, identificadas após visita inspectiva das entidades competentes.

LIGA PORTUGIESA CONTA O CANCRO (NÚCLEO DE TONDELA) Os coordenadores, Alexandre Coimbra e Virgílio Augusto Santos, vêm por este meio agradecer a todas as pessoas do concelho de Tondela que no final de Novembro e princípio de Dezembro do ano de 2010, contribuíram com o seu donativo no peditório então efectuado a favor da prestigiosa Instituição, demonstrando assim o quanto são generosos e solidários para com aqueles que sofrem de doença tão terrível e dramática como é o cancro. Um agradecimento muito especial para todas as pessoas que nas suas aldeias e nesta cidade de Tondela, colaboraram no referido peditório e ajudaram na contagem final de todos os valores. O valor apurado foi de 11.303,30 euros e foi depositado na conta n.º 0528022158130 da Caixa Geral de Depósito em Coimbra, titulada pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, tendo esse valor sido contado por 11 pessoas, incluindo funcionários da C.G. D. que disponibilizou uma máquina para a contagem das moedas, Segue-se por ordem alfabética a relação das localidades e os valores obtidos em cada uma delas: Adiça, 73,92; Barreiro de Besteiros, 221,52; Botulho, 252,64; Campo de Besteiros, 358,98; Canas de Santa Maria, 446,33; Caparrosinha, 74,98; Caramulo, 104,45; Coelhoso, 34,40; Cortiçada, 54, 65; Couço de Mouraz, 161,13; Ferreiroz do Dão, 129,76; Lejeosa do Dão, 459,52; Lobão da Beira, 280,21; Molelinhos, 161,55; Molelos, 1.806,67; Mosteiro de Fráguas, 211,54; Múceres, 312,02; Muna de Besteiros, 92,96; Nandufe, 499,29; Outeiro de Cima, 310,53; Parada de Gonta, 133,86; Paranho de Besteiros, 242,74; Póvoa Rodrigo Alves, 91,95; São João do Monte, 478,24; S. Miguel do Outeiro, 39,77; Santiago de Besteiros, 57,39; Sabugosa, 165,79; Silvares, 46,07; Tonda, 91,21; Tondela, 3.490,19; Tourigo, 249,86; Vila Nova da Rainha, 59,02; Vilar de Besteiros, 109,84. A Liga, através dos seus coordenadores, deseja a todos os Tondelenses e a todos os habitantes das freguesias do concelho que tenham passado um santo e feliz Nata e que o ano de 2011 seja muito próspero, reiterando a sua total gratidão pelo seu gesto tão elevado e solidário. VIRGÍLIO AUGUSTO SANTOS

JORNAL DE TONDELA


REPORTAGEM / OPINIÃO 7

06/01/2011

VENTOS E MARÉS

Tondela

Padre Florentino apresentou o livro “Cenários do Meu Existir” TEXTO: ARMÉNIO PEREIRA

N

N

o passado dia 29 de Dezembro de 2010 realizou-se no Auditório do Museu Terras de Besteiros a apresentação do livro de poesia “Cenários do Meu Existir” de autoria do padre claretiano Florentino Mendes Pereira. A esta cerimónia compareceram o vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Tondela, José António de Jesus, entre muitas outras pessoas amigas do autor, entre elas, o padre Carlos Candeias do Colégio dos Carvalhos que se deslocou propositadamente a Tondela para assistir à apresentação deste livro. A preceder às intervenções alusivas ao acontecimento houve a declamação de algumas composições poéticas daquela obra por duas alunas da Escola Profissional de Tondela, do Curso TAP 10 - Técnico de Apoio Psicossocial, Marisa Teixeira e Jéssica Gomes, convidadas pela professora de Língua Portuguesa deste estabelecimento de ensino, Isabel Moura, que tomou parte na declamação.

VIDAS QUE A MORTE NÃO APAGA

Aliás esta docente assina o prefácio que merece referências elogiosas ao autor.”De realçar que algumas das composições poéticas são de certa forma autobiográficas, onde o leitor pode seguir o trajecto de menino de 12 anos quando deixou a casa materna para ingressar, de uma forma tímida no Seminário de Alpendorada – Marco de Canavezes, até atingir a meta do sacerdócio que conhecemos – um ser amigo, leal e sempre disponível…”. O momento alto desta apresentação foi

protagonizada como não podia deixar de ser pela intervenção do padre Florentino, pertencente à Comunidade Pastoral dos Padres Claretianos de Tondela de que é responsável e uma figura incontornável deste movimento missionário cristão. O autor deu exemplos de obras de outros escritores portugueses do passado, não deixando de agradecer o carinho das pessoas que ali se encontravam, apesar do frio que se fazia sentir naquela noite, na apresentação da sua mais moderna obra, assim como, a colabora-

ção que foi prestada pelo Município de Tondela. O padre Carlos Candeias foi o orador seguinte, tendo afirmado, numa breve e clara alusão ao autor e à sua obra sentir-se muito satisfeito e feliz por ter tomado parte nesta importante cerimónia. O momento destinado às intervenções foi encerrado pelo vereador do Pelouro da Cultura do Município de Tondela, dedicando um elogio significativo à obra do padre Florentino com menção especial para este último livro de poesia, “Cenários do Meu Existir”. José António de Jesus deixou claro que a autarquia está sempre atenta a estas manifestações culturais, apoiandoas sempre que for possível, contribuindo assim para o enriquecimento da literatura que vai sendo feita na região. O interesse por este livro ficou desde logo evidenciado pela vontade que muitos tiveram em adquirir um exemplar, um desejo satisfeito que depois ficou completo com a sessão de autógrafos. Um momento de simpatia protagonizado pelo seu autor, Padre Florentino Mendes Pereira.

o nosso país, aliás como pelo mundo fora, há vidas fadadas par serem grandes, para ultrapassarem a caminhada normal que é própria de cada um e que por isso vão para além da simples actuação de Figurantes que entram e saem de cena sem que qualquer efeito, bom ou mau, tenha interferido no entremez. Desde logo, Portugal nasceu da tenacidade e da força de quem quis ultrapassar a comodidade da Corte e as honrarias que ela oferecia. E assim foi criando espaço, dilatando horizontes, dando novos mundos ao mundo e criando um Império por obra e graça do querer, mas que acabou pela cobiça de imperialismos e de portugueses mais comprometidos com ideologias e menos com o país. Acabar o Império, sim, mas para dar aos povos aquilo que era dos Povos, o que não foi. Reis, Heróis e Santos fazem parte da plêiade de homens grandes, de que Portugal deve orgulhar-se e que a morte não destrói. No século XX, passado o consulado de Salazar que, apesar de muitos erros de percurso salvou o país da iminente derrocada que se avizinhava e que a História, um dia e passada a esquizofrenia de certos autistas, haverá de trazer a lume, a maior personalidade politica nascida no século XX foi, sem dúvida, Francisco de Sá Carneiro. Nasceu para ser jurista, mas terá sido a sua vivência no seio da Igreja Católica, na preocupação social que então aí se vivia, na procura de respostas das Equipas de Casais a quem tanto deu, no empenhamento do debate das questões que afligiam os católicos empenhados na justiça social, e que tantos foram, foi esse caminho a moldar o seu cariz social, humano e até politico a partir do que havia bebido no seio da Igreja e de muitos que com ele partilhavam ideais de libertação, no sentido de entrega ao bem comum. Ouvi-lo, mesmo antes da sua entrada na política activa, mas já quando certas questões pertinentes eram debatidas, era sentir que estava ali um líder, que os tempos vieram a confirmar. Com Adelino Amaro da Costa, outro português que nasceu para ser grande mas que o destino também ceifou cedo o seu talento, tinha uma visão de futuro para o futuro de Portugal. O atentado (alguém duvida?), deixou para trás a dimensão de dois homens nascidos para darem ao país o que o país precisava, ultrapassando a pequenez dos que queriam ver-se guindados a lugares que o seu tamanho não albergava, mas que a força do destino os atirou para eles. O que seria hoje Portugal se ambos fossem vivos, é pergunta corrente. Desde logo, por certo, os dois Partidos se teriam unificado, o que a lógica e o bom senso recomendariam. Depois, não teria acontecido que uma caterva de mediocridades atingisse lugares cimeiros. Muitos dos que são hoje figuras de topo, onde quer que se encontrem, não passariam de amanuenses. Não seria pelas mãos desses dois Homens que as assimetrias fariam sentido, que haveria um estado social para ricos e outro para pobres e remediados, que a corrupção fosse um lugar comum, que a saúde, a educação e a justiça andassem pelas ruas da amargura e que os interesses e compadrios gerissem a vida portuguesa. Foi o acontecimento de Camarate que traçou o destino. Outro Homem que deve se recordado no Portugal democrático é Ernani Lopes, recentemente falecido. Perante o vazio do nosso rumo, onde já pouco existe de valor, lembrá-lo é estar com o muito que nos deixou e o pouco de bom que nos resta. JOÃO DE BESTEIROS


Crónicas de Londres

8 OPINIÃO

06/01/2011

GILBERTO FERRAZ

Reflexões de cidadania

SUDÃO DO SUL: novo país em 2011?

HÉLIO BERNARDO LOPES

AÍ ESTÁ A SOLUÇÃO

O

s portugueses, na sua esmagadora maioria, não duvidam, infinitesimalmente que seja, das mil e uma dificuldades que terão de vir a passar nos próximos anos. Anos que, quase com toda a certeza, se contarão por dezenas. Também não duvidam das verdadeiras causas de se ter chegado até ao atual estado de coisas: a governação que foram sucessivamente escolhendo, em outras tantas eleições, desde que a Constituição de 1976 entrou em vigor, e a crise financeira que se abateu sobre o Mundo, oriunda da ganância alimentada através do modelo económico norteamericano, desde que se viu, esse sim, à solta. Destas duas causas, indiscutivelmente, a segunda foi a mais determinante. Uma realidade que se tem podido ver à saciedade por via dos mil e um problemas que têm atingido países por todo o Mundo, muito para lá da sua história política, económica, financeira e social. Casos de que nos vão chegando notícias de todo o lado e a um ritmo diário. No meio de toda esta embrulhada, não nos têm faltado comentadores, opinadores, políticos, académicos, economistas, financeiros, agora até religiosos, com tomadas de posição para todos os gostos. Mas lembro-me bem – muitíssimo bem – de lhes ouvir reconhecer não saberem como sair da crise, logo quando ela surgiu, aí com uns dois meses de vida. Como também recordo perfeitamente a recusa de quase todos eles em face da medida dos cortes salariais, logo que o Governo da República da Irlanda se determinou a seguir por este caminho. Num ápice, eis que nos vêm agora dizer – até já desde há uns bons meses – que o Governo de José Sócrates agiu tardiamente, devendo ter seguido o exemplo irlandês, ou seja, aquele que se mostra a todos como um autêntico poço sem fundo, e onde

se procedeu, precisamente, aos cortes salariais, e onde agora se propõe, entre outras medidas, a taxação dos bónus dos banqueiros em noventa por cento. A grande verdade é que o fim da nossa crise, à semelhança das dos outros, parece não ter fim, ou, no mínimo, só vir a têlo lá para daqui a umas décadas. Simplesmente, há sempre gente que não dorme, mesmo entre nós, e até neste tempo cinzento, e muito para lá das manifestações invernosas destas duas últimas semanas. Pois parece que temos aí a solução, surgida num recente Expresso do Meio-Dia. Num ápice, cinco concidadãos nossos dizem ter a solução para a grave crise que nos chegou de fora, por via da grande criminalidade financeira, sem ética nem moral, praticada na grande pátria do neoliberalismo, e que também tem agora vindo a prendar os cidadãos mais diversos do Mundo com a mais fantástica fuga de informações diplomáticas classificadas, no mínimo, de confidenciais. Gente tecnicamente garantida, portanto. Como já se tornou habitual, esses nossos concidadãos são António Barreto, António Carrapatoso, Pedro Magalhães, Rui Ramos e Daniel Bessa. Alguns já tiveram posições políticas diversas, outros fizeram o mesmo mas como independentes, outros nada tiveram na vida em matéria de vivência política, e outros andarão à procura de um rumo que seja já marcado pelas leis do regime permanente. Em todo o caso, a maior parte deles surgenos, e já desde há uns tempos, como detentores da solução para o caso que é o nosso. Este grupo de concidadãos nossos respondeu, pois, positivamente à pergunta que materializava o tema do debate, ou seja, PORTUGAL PODE VOLTAR A SER UM PAÍS PRÓSPERO?, chegando mesmo a indicar duas condições

absolutamente essenciais: garantidas estas, e aí nos surgirá, radiante, a prosperidade. No fundo, estes cinco nossos concidadãos conseguem ver o que ninguém até hoje viu entre nós, nem mesmo lá por fora, por onde as estas coisas costumam ser tratadas a tempo e horas. E, indo um pouco mais fundo, torna-se fácil perceber que a tragédia que se abateu sobre o Mundo, e que tanto doer nos faz, nunca teria tido lugar se estes cinco nossos concidadãos, ou mesmo só alguns deles, pudessem ter opinado, ou, de preferência, decidido, sobre o rumo que se foi prosseguindo a partir daquelas excelentes ideias vindas do outro lado do Atlântico. Ideias que levaram mesmo, como há dias referiu D. Carlos Azevedo, a que alguns dos causadores da actual desgraça mundial tivessem sido agraciados com o Prémio Nobel da Paz. Ora, quais são, então, as duas condições agora descobertas, e de pronto apresentadas ao meiodia, para que Portugal possa voltar a ser um país próspero? Bom, estas simples duas: reformas estruturais e novos protagonistas para as porem em execução. Quanto às reformas estruturais, tudo se resume a esta maravilha: privatização do Serviço Nacional de Saúde, universal e tendencialmente gratuito, porventura, também do Ensino Superior Público, e por igual da Segurança Social Pública. Ou seja, mais miséria ainda do que a já hoje existente entre todos nós. No fundo, uma receita muito simples, onde uma minoria continuaria a ter tudo o que hoje já tem, talvez mesmo muitíssimo mais, mas onde a esmagadora maioria ficaria a viver tendencialmente a caminho da China, ou da Índia ou do Kosovo. Elementar, como Sherlock Holmes diria para o seu amigo Watson. Em contrapartida, a segunda condição exigiria

novos protagonistas, ou seja, novos políticos. Simplesmente, esta condição corresponde a mudar o regime constitucional, porque os políticos de hoje, tal como os seus partidos, deixariam de servir, sendo necessário começar tudo desde o início. Não se lembraram, estes cinco nossos concidadãos, de parceria com uma legião de outros facilmente cooptáveis, de constituir um partido político que pudesse vir a concorrer à Assembleia da República, que até poderia vir a apresentar uma subida rápida, talvez mesmo maior, que a do Bloco de Esquerda, assim podendo influenciar o rumo da nossa vida política e, por aí, ajudar ao dealbar do tal rumo para a prosperidade. E sendo um novo partido de direita – o verdadeiro, o legítimo, o realmente português –, num curto espaço de tempo tocar-nos-iam à porta, vindos, precisamente, da parte da prosperidade nacional. Estes nossos cinco concidadãos, no fundo, e procurando ser cada um de nós intelectualmente honesto, já não reconhecem a ordem constitucional hoje em vigor entre nós. Algo que, em si mesmo, nem tem qualquer mal. O estranho na intervenção de todo este quinteto está no facto de todos eles acreditarem no que propõem, porque se estivessem a dizer algo que soubessem não ser verdadeiro, bom, tudo não passaria de uma qualquer tática com certa finalidade, mas se realmente acreditam naquelas suas duas propostas, bom, uma tal falta de noção da realidade da cultura portuguesa fala bem – mesmo muito bem – por si. Um dado é certo: todo o cuidado é pouco, por parte dos portugueses eleitores, porque seguir um tal canto de sereia, bom, é como prosseguir pelo Desfiladeiro da Morte… Este texto foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico

C

om a realização do referendo sobre a possível secessão do Norte, a partir deste domingo, caso, como tudo leva a crer, mais de três milhões de registados cidadãos do Sul, terão, este ano, um novo país e uma nova cidadania. A República do Sudão, esse enorme país africano, de 2,5 milhões de km2 de superfície, já conhecida por Núbia, cenário de flagelos e lutas, poderá ser desmembrada dando lugar a um novo Estado. Resultado, como em muitos casos, de lutas para a independência, o Sudão do Sul emerge depois de duas horríveis guerras civis, o mais longo conflito africano, com o saldo de dois milhões de vítimas. Aliado à vizinha região do Darfur, a noroeste, que tantas manchetes internacionais têm dominado nos últimos anos, particularmente pelas suas mais de 200,000 mortes e dois milhões de deslocados habitantes, o historial deste possível novo Estado é nobre e extraordinariamente notável. Se já em si, esta vasta região constituía uma verdadeira anomalia sócio-politico-geográfica em relação ao Norte, a sua independência é mais do que justificada. Separada do árido e muçulmano Norte por enormes montanhas, ao sul das quais predominam pântanos e florestas tropicais, com o fértil Rio Nilo a dividi-la em duas partes, leste-oeste, é uma região distinta e que, há muito, luta pela independência. A República do Sudão, que até 1956 estava associada ao Egipto e cujo antigo historial intimamente ligado aos antigos Faraós, com a desvinculação colonial britânica, adquiriu a independência, uma conturbada independência, inicialmente chefiada militarmente pelo Presidente Jaafar Numeiri, que depois de graves conflitos com o sul, concordou na autonomia desta região em 1972, voltando a eclodir em 1983. A partir de 1989, um bem sucedido golpe militar levou ao poder o general Umar al-Bashir – eleito em 1996 e reeleito em 2000. Em Abril do ano passado voltou a ganhar eleições multipartidárias, as primeiras em 24 anos, cujo resultado foi fortemente contestado pelos partidos de oposição, alguns dos quais renunciaram a luta pelas alegadas infracções. Homem duro, a sua liderança tem gerado enormes controvérsias, incluindo acusações de genocídio pelo que é procurado pelas Nações Unidas a depor no tribunal Internacional de Haia, sendo acusado de crimes de guerra e contra a Humanidade, principalmente devido à sua alegada acção no Darfur. Porém, tem-se evadido à justiça, principalmente devido ao apoio de alguns países da União Africana, bem como da China. E, agora, à semelhança de outros ditadores como os Marcos das Filipinas, segundo WilkiLeaks, desviou para bancos britânicos, sem dúvida como prevenção, 11,5 biliões de euros! Após dois anos de conflito, surgiu, finalmente o Tratado de Paz, assinado em Janeiro de 2005, resultando num governo de união nacional, com o primeiro vice-presidente e principal dirigente do Sul, também antigo lutador do Movimento de Libertação do Povo do Sudão (SPLM), Salva Kiir Mayardit, que poderá surgir como o primeiro Presidente do novo Estado Independente. Fértil em petróleo, a produzir meio milhão de barris por dia, o acordo só foi possível com a concessão dos proventos, partilhados entre as duas regiões, mas com as refinarias e mais valias no Norte! Com a independência, a situação poderá mudar e, daí, a razão do Norte tudo ter feito para atrasar a realização do referendo. Com um Sul cristão ou animista, que recusou a imposição nacional muçulmana da sharia, a campanha do referendo, que começou em Abril do ano passado, cedo começou a ser fortemente contestada por um Norte oposto à independência do Sul, uma vez que perde a principal fonte de rendimento. Despachos da agência noticiosa do Sudão do Sul, (SUNA), provam-no, incluindo o encerramento do semanário independente do sul Juba, pelo governo nacional. O referendo, para ser válido, tem de contar com 60% de eleitores registados, muitos dos quais se deslocaram propositadamente ao Sul, enquanto outros estão a regressar ao que poderá ser novo País. Por isso, segundo o The Sudan Tribune, em inglês, publicado em Paris, a União Europeia está a seguir, muito de perto, o decorrer das operações, bem como o próprio embaixador britânico, na capital do Sudão, Kartum, Nicholas Kay, que classifica o desenrolar das operações de “drama em grande escala”.


OPINIÃO 9

06/01/2011

Notas Semanais

Notas & Comentários

CÍLIO CORREIA

JOÃO VENTURA DA COSTA

COISAS QUE AMANHÃ TALVEZ HAJAM DESAPARECIDO…

O

ano de 2011 começou com um facto inédito: a tomada de posse da Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff. Dilma não é Lula, repetiram até à exaustão os seus opositores. Pois não, e bem. Dilma é uma mulher. E de armas, da têmpera do seu antecessor o ex-sindicalista e metalúrgico, Lula da Silva, que terminou a presidência com apoio de 85% da população. O Brasil de Lula, nestes últimos oito anos, guindou-se a um elevado patamar de desenvolvimento, sendo, hoje, um país respeitado no concerto das nações e dono duma economia saudável e emergente. Retirou da fome e da miséria milhões de brasileiros. Começou a “limpeza” das “favelas” dos bandos de criminosos, contrabandistas e traficantes que ali alojados infernizavam a vida dos seus vizinhos. Tarefa ciclópica a que se devotou com uma enorme coragem e determinação. São do ex-presidente Lula da Silva as afirmações tão contundentes quanto premonitórias, que a seguir se transcrevem: “A imprensa age como partido. Vamos derrotar além do PSDB, vários jornais e revistas. Alguns órgãos de

imprensa pensam que são democratas. Não sou eu que vou censurálos, é o leitor, o telespectador, o ouvinte. O papel da imprensa não é fiscalizar. É informar. Os pobres não aceitam mais o tal formador de opinião. Nós somos a opinião pública”. A maioria dos 135 milhões de eleitores elegeu Dilma Rousseff, a candidata apoiada por Lula e pelo Partido dos Trabalhadores (PT), para desespero dos seus opositores e gáudio dos apoiantes que lhe reconheceram o papel de “mãe do PAC” Programa de Aceleração do Crescimento - nas áreas da energia e das infra-estruturas. Lula e Dilma ganharam a batalha da credibilidade e do respeito contra alguma imprensa e “opinion makers” que não os massacraram com permanentes acusações de corrupção e peculato. Venceram o preconceito que, no caso de Lula, passava, também, por não ter atrás de si nenhum título académico. Foi simplesmente um cidadão comum que acreditou nos seus concidadãos e que

seria capaz de proporcionar aos mais pobres e carenciados do seu país as condições mínimas de vida. Juntos, enfrentaram as políticas neoliberais e o coro dos que são sempre contra os apoios sociais: os mais carenciados não tinham acesso aos meios de subsistência mais elementares, nem sequer aos comentaristas, para lhes denunciar as suas experiências de vida. Como é possível não valorizar o facto de o rendimento familiar dos nordestinos ter triplicado (para 670 euros) e que tenham tido, pela primeira vez, a possibilidade, graças aos créditos com apoio governamental, de comprar terrenos para construírem as suas casas, um carro usado em 60 prestações e os electrodomésticos, para além de terem sido abrangidos pelo programa de transferência de renda do Governo para os brasileiros sem meios de subsistência, a Bolsa Família?!... Foram 45 milhões de brasileiros que saíram da pobreza, durante os anos de Lula da Silva. Com cinco letras se escreve o seu nome, Dilma, uma mulher de ar-

OS ARMAZÉNS POMAR COMEMORAM 62 ANOS DE EXISTÊNCIA Convidamos os nossos clientes a visitarem-nos e a usufruir de 20% de desconto em todos os nossos artigos durante todo o ano. Estamos localizados no Caramulo, em Tondela junto a estátua do emigrante e na Rua Tomas Ribeiro.

mas, que traduz a simplicidade e a grandeza de quem se entregou à luta contra a ditadura brasileira (1964 - 1985) e que a levou à dita “Torre das Donzelas” - local onde esteve sob prisão (28 meses) com outras companheiras de luta. Os seus adversários políticos chamavam-na de “guerrilheira” por ter participado na luta armada, procurando assim assustar o eleitorado mais moderado. Não conseguiram. Sofreu o isolamento e a tortura, durante 22 dias, às ordens dos esbirros fascistas. E ela aí está, firme e determinada, na cerimónia de tomada de posse, para nos dizer que não tem nenhum arrependimento, mas que também não guarda rancor nem ódio. Foi bonito de ver os olhos húmidos da emoção e a voz embargada quando afirmou que a partir daquele momento era “a Presidenta de todos os brasileiros”… Dilma Vana Rousseff Linhares, filha de um emigrante búlgaro, tem à sua frente uma tarefa não menos importante e decisiva do que a que esteve reservada ao seu antecessor, nomeadamente, no combate à pobreza extrema, aos morros capturados pelos bandidos, às ilhas de miséria e às ruas pequenas onde se esconde muito desânimo e angústia. As “favelas” dão um colorido caleidoscópico às cidades brasileiras mas são, ao mesmo tempo, um resquício do atraso em que o regime totalitário brasileiro mergulhou o País. As “favelas” representam um fragmento da primitiva condição humana que é preciso erradicar da sociedade. Bem hajam e muitas felicidades!..., esperando que amanhã algumas coisas talvez hajam desaparecido.

Opções ideológicas

P

assei o primeiro dia do ano a trabalhar, estive a tratar da capota do meu carro. Não se tratou de nenhuma resolução de fim de ano, tipo, vou deixar de ser preguiçoso ou coisa parecida, não senhor, foi mesmo uma obrigação das obrigatórias. Como já escrevi há tempos, o meu descapotável tem treze anos e mete água. Depois de consultar vários especialistas, todos eles muito recomendados e muito estimáveis, consegui, finalmente, um diagnóstico que ouvi sem me pôr a chorar, antes pelo contrário, até achei muito bom. O primeiro especialista pediu-me mais de oito mil euros para solucionar a fuga, o segundo tapava as entradas por oitocentos e o terceiro, embora não me tenha garantido um resultado a cem porcento, disseme que se eu tratasse do popó com muito, muito carinho – tratamento que a viatura desconhece por completo – bastariam uns meros quarenta e oito euros em produtos: um para lavar a capota, um impermeabilizador, um lubrificante para as borrachas, um vulgar pincel, uma escova de sapatos, duas escova de dentes e um pano seco e limpo, o pedaço duma t-shirt velha. Ah, mas o trabalho e a paciência teriam que sair do meu coiro. Infelizmente – há sempre uns mas! – o gajo, além de me exigir muito trabalho, deu-me uma descasca de todo o tamanho pela maneira como nunca tratei do carro e disse-me que se eu queria tornar-me proprietário dum clássico (vocábulo caridoso dado aos chaços para não ofender os seus proprietários), teria que mudar de comportamento. Outro “mas” que não posso deixar de referir: o consultório fica no parque de estacionamento do estádio dos lampiões, eu saí de lá cheio de espirros e o motor do carro só deixou de se engasgar quando meti o quinto golo a quinta velocidade. De maneira que hoje iniciei a primeira fase da pena, lavei a capota para lhe tirar os treze anos de porcaria acumulada e amanhã vou aplicar o impermeabilizador (o pincel é para espalhar harmoniosamente o produto); depois passo à fase das borrachas, limpo-as muito cuidadosamente com as escovas de dentes e depois besunto-as com o lubrificante. Terminada esta fase, passarei para a pele dos estofos e depois para os plásticos do tablier e das portas. Pelas minhas contas, devo terminar antes de ser avô. Voltando atrás, estava a dizer que levei uma descasca do especialista pela negligência e desleixo que sempre dediquei ao bólide e, como devem calcular, não é nada agradável ouvir aquelas verdades todas, ainda por cima ser um lampião, em plena catedral da luz, a pregar-me tal sermão. Enquanto levava nas orelhas estava a pensar se havia de dar uma de socialista ou uma de liberal (ou neoliberal, como entenderem). Dar uma de socialista era culpar o maldito sistema capitalista que não impôs ao fabricante estrangeiro a obrigação de informar que a lona podia estragar-se, ainda por cima financiaram-nos para venderem os seus estúpidos carros, eles sim contribuíram para o défice comercial e para a nossa enorme divida ao estrangeiro, agora não só querem o dinheiro de volta como nos exigem juros malucos, nós as vitimas inocentes temos que nos juntar, exigir a intervenção do governo, quem sabe a nacionalização do bólide e a colocação duma capota novinha em folha que é para os mercados especulativos não se ficarem a rir e eu deixar de levar com água no colinho. Dar uma de liberal (ou neoliberal) era reconhecer a culpa, a minha e a de mais ninguém. Foi o que fiz, comi e calei e estou a tratar do problema. Podia eu ter dado uma de socialista? Poder podia, mas não era a mesma coisa…pois não?


10 REPORTAGEM

06/01/2011

Tondela

Município e CONFAGRI celebram protocolo de colaboração

Fernando Gonçalves e Antónia Figueiredo da CONFAGRI TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

O

presidente do Município de Tondela, Carlos Marta e a responsável da Confederação Nacional da Agricultura Portuguesa (CONFAGRI), Antónia Figueiredo, assinaram na semana passada um protocolo de colaboração entre estas duas entidades que permitirá a criação de um gabinete de apoio ao agricultor que funcionará nas instalações camarárias a partir de 1 de Fevereiro. Este novo serviço terá como principais objectivos informar os agricultores sobre os apoios existentes e sobre os seus direitos. Presentes estiveram neste acto técnicos da CONFAGRI, autarcas e agricultores do concelho. Nesta ocasião foram também distribuídos diplomas a todos que frequentaram acções de formação sobre as normas de “Legislação Florestal/Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos”, organizados pelo Município de Tondela e CONFAGRI realizadas nas freguesias de Santiago de Besteiros, São João do Monte, Barreiro de Besteiros, Dardavaz e Tondela. Nesta sessão foram ainda desenvolvidas

temáticas direccionadas para a importância do Parcelário no Desenvolvimento do Sector Agro-Florestal e Principais ajudas Financeiras no Sector Agrícola, tendo como oradores os engenheiros Antónia Figueiredo, secretária-geral adjunta e o responsável pela delegação em Viseu, Fernando Gonçalves. No acto seguinte à assinatura do protocolo de colaboração entre o Município de Tondela e a CONFAGRI usaram da palavra, Antónia Figueiredo que realçou na sua intervenção que o objectivo com a criação deste gabinete é maximizar os apoios a que os agricultores têm direito a nível individual para o concelho de Tondela.

ENCURTAR CAMINHO ENTRE OS AGRICULTORES E MECANISMOS DE APOIO Este patamar de colaboração irá sobretudo incidir no esclarecimento daquilo que as pessoas têm direito e trabalhar sempre com qualidade. Para esta responsável, a câmara municipal pode contar com este procedimento, “uma vez que nós temos 48 pessoas a trabalhar na CONFAGRI muitos deles estão sediados em Lisboa e temos outros

espalhados pelo país”. Em Viseu no centro de formação profissional existe uma delegação desta organização onde está um técnico Fernando Gonçalves, que é também o rosto da CONFAGRI ao nível do terreno e com o qual todos os agricultores podem contar. Para Antónia Figueiredo o objectivo que se pretende com este protocolo é trabalhar de uma forma transparente, honesta, sincera, quando houver problemas e dificuldades, estão disponibilizadas todas as vias de comunicação, para o esclarecimento de todas as dúvidas. A secretária-geral adjunta da CONFAGRI reconhece que a tarefa não é fácil porque a agricultura não é considerada um sector de actividade em Portugal, “portanto há aqui uma luta que a todos é exigida só que a nossa parte o que pretendemos é defender tudo aquilo que os agricultores têm direito sem que para isso seja necessário devolver a Bruxelas”. A principal preocupação desta organização é de em colaboração com o Município de Tondela tudo fazer com que esses apoios e subsídios venham parar às mãos dos agricultores. A aposta fundamental é actuar ao nível do apoio, colaboração, transparên-

Carlos Marta e Antónia Figueiredo assinaram o protocolo cia e maximização dos subsídios a que os agricultores têm direito, “para tal podem contar sempre com a CONFAGRI para fazer todas as acções de formação e informação que possam vir a ser necessárias”.

“A AGRICULTURA VOLTARÁ A SER MUITO IMPORTANTE PARA AS NOSSAS POPULAÇÕES” O presidente Carlos Marta começou por dizer que a Câmara Municipal de Tondela mais uma vez como não poderia deixar de ser associa-se a uma instituição privada para tentar resolver aquilo que são competências do Estado central. Mesmo não sendo uma das áreas de intervenção do município “nós não podemos deixar de nos preocupar com os problemas da nossa comunidade e sobretudo dos pequenos e médios agricultores do nosso território”. Por isso em seu entender em boa hora foram criadas as condições para o apoio logístico, técnico e financeiro aos agricultores. Mas para o autarca, tanto mais negativa é esta situação de substituirmonos ao Estado “quando sabemos que este tem tantas instituições depende dele próprio por todo o país e com tantos funcio-

nários especializados, não fazendo sentido que seja a câmara que não tem técnicos especializados a ter que prestar o apoio que é claro, inequívoco e necessário para os nossos agricultores”. Os apoios comunitários devem ser aproveitados ao máximo para se rentabilizarem infra-estruturas e equipamentos, produzindo para o nosso país e talvez por isso é que Carlos Marta acha estranho que não seja o Estado a fazer aquilo que lhe compete. Ainda para mais quando nalguns concelhos vizinhos o Ministério da Agricultura tem vindo abrir gabinetes de apoio sem que se perceba quais são os critérios atribuídos para tal, “já procurámos saber o que é que esses gabinetes fazem e pelo que me dizem até agora ainda não fizeram nada…”. Mais uma vez o presidente do município diz estarmos perante propaganda pura, porque todos precisamos é que se criem gabinetes e estruturas mas que elas possam funcionar. Em relação à assinatura do protocolo de colaboração da CONFAGRI, o presidente do Município de Tondela espera que o presente protocolo possa naturalmente ter efeitos positivos e que possa verdadeiramente prestar um bom serviço aos nossos

agricultores. Este é um importante desafio que nós devemos prosseguir e cumprir para que possamos todos assim prestar um bom trabalho vai sendo desenvolvido nos nossos territórios. Carlos Marta concluiu com a ideia de que a agricultura não é um sector de actividade económica prioritária no país mas ainda poderá ter vir a ser de novo para uma grande parte das nossas populações. “Temos terrenos abandonados quando temos uma dependência do exterior enormíssima ao longo de todos estes anos as pessoas dos diferentes governos mandavam tirar vinha por vinha, trocar maça por maça e mesmo não sendo especialista sempre achei isso um pouco estranho”. Se esse regresso em força à agricultura se consumar é importante que possam ser feitas com boas condições, bons equipamentos, boas infraestruturas, boa capacidade de nos associarmos, produzindo bons produtos de forma a sermos competitivos. Por isso este instrumento que existe ao nosso dispor em 2012/2013 e 2015 que é o actual Quadro Referência Estratégico Nacional (QREN), actual quadro de apoio comunitário será um grande instrumento de apoio.


REPORTAGEM 11

06/01/2011

Tondela

Sindicato denuncia condições de trabalho dos enfermeiros TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

que entrou em vigor no dia 27 de Dezembro de 2010.

O REGULAMENTO INTERNO DA DISCÓRDIA

A

grande maioria dos 57 enfermeiros que compõem o quadro do Hospital Cândido de Figueiredo em Tondela manifestou-se na última segunda-feira de manhã em frente destas instalações, denunciando a aplicação de um regulamento interno sem consulta prévia destes profissionais. Nesta contestação foi também apresentada publicamente uma moção que alerta para a “vontade inadmissível do Conselho de Administração (CA) deste hospital se preparar para a redução drástica do número de enfermeiros nos seus serviços”. Esta intenção é testada pela intenção de ser criada uma lista de enfermeiros para a realização de transferências inter-hospitalares, “ O CA do hospital pretende que sejam os enfermeiros do próprio serviço (que se encontram a prestar cuidados), a assumir essa responsabilidade”. O nosso jornal ouviu o dirigente nacional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, Pedro Frias que nos explicou de forma mais detalhada todos os contornos que desencadearam esta tomada de posição. Esta concentração de enfermeiros foi efectuada depois de algumas reuniões plenárias com distri-

Pedro Frias, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses buição de panfletos à população para que esta saiba o que se passa dentro do hospital, explicando que quando recorrem aos serviços não têm a noção do que se está a passar. Os enfermeiros estão preocupados para a degradação das condições de trabalho que obviamente não motivam estes profissionais para uma correcta prestação de cuidados. Neste momento não são descuradas outras formas de luta caso o CA do hospital mantenha a intransigência relativamente às matérias pendentes.

ENFERMEIROS QUERIAM SER OUVIDOS SOBRE O RECÉM-CRIADO CENTRO HOSPITALAR Pedro Frias disse também que a criação do Centro Hospitalar Tondela – Viseu foi já aprovada em

Conselho de Ministros, mas ainda não está efectivada em Decreto de Lei, “mas aquilo que dizemos é que os enfermeiros são parte integrante dessa criação do Centro Hospitalar”. Por isso, na sua opinião, deveria ter sido feita uma reunião geral de trabalhadores para que este CA apresentasse as linhas mestras do que será o futuro desta unidade integrada para sossegar também um pouco os seus trabalhadores. Na óptica de Pedro Frias este poderá criar a diminuição e transferência de valências de uns hospitais para outros e por conseguinte também alguma instabilidade nos trabalhadores e também nos enfermeiros. O dirigente sindical alega que outro assunto à cabeça prende-se com o facto deste hospital se orgulhar de dizer que realizou um investimento de

mais de 1 milhão e 200 mil euros de e ter criado de raiz uma unidade de cuidados paliativos e “depois quando foi efectuado uma auditoria por parte da rede nacional de cuidados continuados integrados veio dizer que os serviços não cumpriam com os serviços mínimos básicos para este entrar em funcionamento”. Para Pedro Frias é um ponto de honra dizer como é que o CA deste hospital pode ter gasto tanto dinheiro sem acautelar as regras básicas dessa unidade de cuidados paliativos. Em seu entender, a terceira razão desta manifestação tem a ver com a degradação gradual das condições de trabalho dos enfermeiros que prestam serviço neste hospital que viram imposto um regulamento interno (que já levou a que fossem realizados dois plenários) para a elaboração de horários e

Este regulamento que a seu tempo o sindicato contestou e apresentou propostas de alteração, algumas delas foram contempladas, sendo que uma das mais importantes e que altera os horários de trabalho dos enfermeiros, “este CA continua na sua arrogância e prepotência, mantendo a sua posição, levando a que esteja completamente isolado porque nenhum enfermeiro pode estar de acordo com esta nova forma de horário”. A única explicação para esta alteração tem a ver com uma questão de redução de custos, poupando alguns euros por dia reduzindo o número de enfermeiros entre as 22 horas e as 24 horas, “ou seja uma redução por turno e por serviço, aumentando a sobrecarga de trabalho dos enfermeiros”. Em causa pode estar a qualidade e a segurança dos cuidados de enfermagem que são prestados aos utentes que estão internados nestes serviços. Sobre o regulamento de transferências o que é dito aos enfermeiros é que os serviços têm de transferir os doentes para outro hospital, quando o enfermeiro está sozinho e que não tem só um utente a seu cargo se este profissional for fazer essa transferência os outros utentes ficarão sozinhos e sem nenhum enfermeiro que possa cuidar deles.

Perante esta situação os enfermeiros recusarse-ão abandonar os serviços para fazer essas transferências e se isso implicar uma situação mais grave, “declinaremos esta responsabilidade no CA do hospital uma vez que é este que não cria condições para que esta transferências sejam feitas em segurança e mantendo enfermeiros no serviço”. Para além disso apraz registar que foi graças a actuação do sindicato que dois enfermeiros não foram despedidos no dia 31 de Dezembro de 2010 por se ter pedido de imediato uma reunião à Ministra da Saúde, conseguindo que estes renovassem o seu contrato e continuassem a exercer funções. O CA do hospital alegava que não tinha forma de renovar o vínculo contratual com estes enfermeiros e “nós sempre dissemos que havia forma de renovar esses contratos e tanto assim foi que por intervenção do Ministério da Saúde esses enfermeiros renovaram a sua vinculação a este hospital”. Apesar de tudo os enfermeiros estão esperançados que o CA do Hospital Cândido de Figueiredo mude as suas linhas orientadoras porque este está completamente isolado e por isso desaconselha que este continue a querer aplicar este regulamento interno de forma autista prepotente e arrogante. Os enfermeiros pretendem pelo contrário que sirva os seus interesses mas também os da própria instituição.


12 REGIÃO

06/01/2011

Viseu

Aposta da RUCI no conhecimento e inovação para o desenvolvimento da região

Mesa de honra TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

N

o mês de Dezembro de 2010 foi efectuada no Hotel Montebelo em Viseu a sessão pública da assinatura do protocolo de financiamento da Rede Urbana para a Competitividade e Inovação (RUCI), abrangida por seis municípios, Tondela, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul, Nelas, Mangualde e Viseu. A entidade promotora é a Comunidade Intermunicipal da Região Dão Lafões (CIMRDL) a que preside o autarca Carlos Marta. O protocolo que foi celebrado nesta cerimónia prevê o investimento de 9 milhões de euros, com uma comparticipação comunitária de 5,8 milhões englobando o desenvolvimento de 16 projectos di-

ferenciados para serem executados ao longo dos próximos quatro anos. Este é aliás um plano estruturante que visa desenvolver a região em diferentes áreas, apostando na “regeneração e revitalização económicas que vão ser combinadas entre os diferentes municípios, evidenciando uma vibração económica que está bem patente nesta candidatura, levando mesmo acreditar de que estamos perante um bom exemplo do que pode ser uma região anti-crise, onde a força da realização destas acções demonstram a capacidade de uma dinâmica salutar”. Estas palavras foram proferidas na ocasião por Alfredo Marques, presidente da Comissão do programa “Mais Centro”, antes Carlos Marta, presidente da CIMRDL, lembrou que esta organização tem-se assumido como motor da região, elogiando a boa relação

Nuno Martinho, Secretário Executivo da CIMRDL institucional que tem sido mantida com o conselho directivo do Mais Centro e o contributo “silencioso” que a Comunidade Intermunicipal da Região Dão Lafões está a dar para o desenvolvimento dos nossos territórios. Este projecto que foi assinado pretende responder aos novos desafios da competitividade, promovendo o conhecimento, a capacitação de uma rede institucional forte que favoreça o posicionamento competitivo do território. Desta forma foram estabelecidas sinergias com os seis municípios, Tondela, Viseu, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul, Nelas e Mangualde, várias instituições, como a AIRV, ACERT, Turismo do Centro, Instituto Politécnico de Viseu, Universidade Católica de Viseu, Instituto Piaget, Centro de Artes e Espectáculos de Viseu, Escola de Estudos Avançados da Beira e empre-

sas da região. Desta conjugação de esforços resulta a vontade de trazer mais investimento estruturante para a região, atraindo pessoas, gerando criação de riqueza, empreendedorismo, desenvolvimento da marca “Dão Lafões”, dando assim um forte contributo para combater o pessimismo e a crise e por outro lado, procurando o progresso e desenvolvimento da região. Carlos Marta na sua intervenção lembrou que a CIMRDL é a segunda do país com maior execução financeira, na casa dos 40 por cento, tendo sido possível chegar à avaliação intercalar do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) em condições de receber mais recursos financeiros para a segunda fase e assim promover mais investimentos no “Mais Centro” ou no POVT Nacional. Os projectos que estarão em causa e que envolvem diferentes áreas

contemplam um pólo de Criatividade, Cosmética e Bem-Estar ligado às Termas de São Pedro do Sul, Empreendedorismo Social em Santa Comba Dão, Biotecnologia e Saúde em Tondela, Sector Automóvel em Mangualde e Produtos Endógenos como o vinho em Nelas e por último Viseu que orientou os seus projectos para a vertente cultural e revitalização da área urbana. Algumas entidades parceiras também lideram alguns projectos como é o caso da Associação Empresarial da Região de Viseu no caso específico das energias renováveis com a realização de alguns eventos de marca no sector e com a criação de prémios de empreendedorismo. A ACERT e o Teatro Viriato também dinamizam candidaturas que visam promover a cultura enquanto vertente essencial na valorização dos ter-

ritórios. Para além de Carlos Marta e Alfredo Marques usaram ainda da palavra nesta cerimónia todos os representantes dos municípios envolvidos, Américo Nunes de Viseu, João Lourenço de Santa Comba Dão, José António de Jesus de Tondela, João Azevedo de Mangualde, Isaura Pedro de Nelas e António Carlos Figueiredo de São Pedro do Sul. A sessão pública foi aberta pelo Secretário Executivo da CIMRDL, Nuno Martinho, tendo ainda intervindo, o presidente da AIRV, João Cotta, o representante da ACERT, Miguel Torres e do Teatro Viriato, Paula Garcia. Todas as intervenções procuraram enaltecer os factores da criatividade, talento, qualificação, competitividade, coesão, marketing territorial e afirmação, marcas ligadas aos projectos de investimento previstos ao abrigo da RUCI.

Ministério da Educação Direcção Regional de Educação do Centro Escola Básica de Tondela

Agrupamento de Escolas de Tondela

AVISO O Agrupamento de Escolas de Tondela publicita que se encontra aberto o concurso para o fornecimento de bens alimentares, para o ano civil de 2011. O concurso decorre pelo período de 10 dias a contar da publicação do presente aviso, devendo as propostas ser entregues em carta fechada, dirigidas à Directora deste Agrupamento de Escolas. Tondela, 30 de Dezembro de 2010 A Directora Maria Helena Bernardo Gonçalves (JORNAL DE TONDELA, 6 DE JANEIRO DE 2011)

Assinatura do protocolo protagonizado por Alfredo Marques e Carlos Marta


CONCELHO 13

06/01/2011

Mosteiro de Fráguas

Freimoninho (Mosteirinho)

Festa de Natal da freguesia

JOAQUIM VIEGAS DA CONCEIÇÃO

DESPEDIDA DE 2010 E ENTRADA EM 2011 Na freguesia do Mosteirinho mais concretamente no Freimoninho como já vem sendo hábito há alguns anos e como tem sido noticiado mais uma vez reuniu-se uma grande parte da povoação e alguns de fora na garagem do Sr. Arsénio Carlos Viegas. Neste convívio de comes e bebes a ementa foi composta por febras e barriga, frango assado de churrasco, caldo verde, bolo-rei, tendo sido acompanhado de toda a qualidade de bebidas, desde o bom vinho da Quinta da Gala até às bebidas mais finas que andam no mer-

Foi na passada Sexta-feira, dia 17/ 12/2010, que se realizou, mais um evento organizado pela Junta de Freguesia de Mosteiro de Fráguas, denominado por Jantar de Natal da Nossa Freguesia. Este teve como objectivo principal promover o convívio e entre todos festejar a quadra natalícia em que nos encontramos. De realçar a excelente participação, da população, pois para além de participarem no mesmo, trouxeram excelentes sobremesas, para todos, que muito “adocicaram” o jantar, a todos a Junta de Freguesia, agradece o espírito de partilha e convívio manifestado. Este jantar, teve a especial e muito grata participação do Exmo. Senhor Presidente de Município de Tondela, Dr. Carlos Marta e os seus Vereadores Engª Carla Pires e Pedro Adão, que com este gesto, mostram o carinho que têm por esta Freguesia.

Durante o jantar, foi aproveitada a oportunidade para efectuar uma breve descrição do que foi feito ao longo do ano na nossa terra pela Junta de Freguesia, pois nem sempre é visível o trabalho executado. Igualmente o Senhor Presidente do Município, Dr. Carlos Marta, também se dirigiu aos presentes, para deixar algumas palavras de conforto sobre os tempos vindouros, pois certamente virão algumas dificuldades, mas com trabalho e empenho serão ultrapassadas. Para terminar, não poderíamos deixar de agradecer a colaboração da ADCR Mosteiro de Fráguas e a Escola C+S de Campo de Besteiros, que disponibilizou um grupo de alunos, para efectuar de forma muito organizada e competente, o serviço de mesa a todos os presentes. A todos um Feliz e Santo Natal AP

cado. Na minha opinião só é pena que estes convívios tenham de ser feitos numa casa particular. Lamento que a povoação não tenha a casa que tanto se fala. Talvez por falta de boa compreensão ainda não tenha sido feita, ainda para mais a povoação tem um dinheiro para um começo, daqui por mais uns anos terá mais algum. Acredito que as autarquias até poderiam arranjar alguma verba como a Junta de Freguesia e Câmara Municipal, mas eu também compreendo todos nós temos as nossas dificuldades para gerir os nossos orçamen-

tos. Temos de ir andando com as nossas debilidades mas quem sou eu para me estar a meter nessas coisas. Algumas pessoas poderão dizer o Viegas está ultrapassado, até poder ser que esteja, mas burro não estou. Deixemos estas coisas para os mais entendidos.

O TEMPO Ontem, 2 de Janeiro de 2011, esteve um dia de sol com algumas nuvens e nevoeiro mas com uma temperatura boa para a época, o que nós devemos pedir é saúde e paz para toda a gente, que Deus nos proteja a todos.

Coluna Social - Necrologia ARMÉNIO PEREIRA

Vilar de Besteiros A D. Maria do Carmo Almeida Monteiro, nascida a 13 de Agosto de 1921 e residente da aldeia de Vilar de Besteiros, faleceu no dia 1 de Janeiro de 2011. Era viúva de António de Sousa Ramos e mãe de Maria Esmeralda Monteiro de Sousa Ramos, residente no Botulho, Fernando Monteiro Sousa Ramos, residente em França, Carlos Alberto Monteiro Sousa Ramos, na Suíça e e Maria Arminda Monteiro Sousa Ramos em Vilar de Besteiros. Tinha onze netos, e seis bisnetos. O funeral realizou-se no dia 2 de Janeiro, na capela da Nossa Senhora do Rosário em Vilar, acompanhada pela irmandade com o mesmo nome. O seu corpo seguiu depois para o cemitério da freguesia de Vilar de Besteiros em cortejo fúnebre onde se integraram muitos familiares e amigos. A família agradece também a todos quantos acompanharam a D. Maria do Carmo até à sua última morada. Este agradecimento é extensivo a todos os profissionais do Hospital de Tondela que prestaram todo o apoio possível no período de um mês em que a falecida esteve internada nesta unidade. A missa de 7º Dia terá lugar na próxima sexta-feira, dia 7 de Janeiro, às 19 horas, na Igreja Paroquial de Vilar de Besteiros. O nosso Jornal apresenta à família as mais sentidas condolências.

Castelões Maria do Carmo de Jesus Henriques faleceu no passado dia 25 de Dezembro de 2010, pelas 9h20 em Viseu. De 82 anos de idade, era viúva de Adalberto das Neves Cabral e natural de Castelões onde residia no lugar de Vila de Rei. Era mãe de Maria Amélia Henriques Cabral e Adalberto Henriques Cabral. Foi a sepultar para o cemitério de Castelões. Paz à sua alma e condolências à familia enlutada.


14 CONCELHO

06/01/2011

Vila Nova da Rainha ANTONINO DOS SANTOS

PARÓQUIA VENERA O SEU PADROEIRO No passado domingo, dia 2, os paroquianos veneraram e jubilaram o Padroeiro Santíssimo Nome de Jesus. Pelas 11h30 o sr. Padre Flor subiu ao altar dando inicio à santa missa com a igreja cheia de fiéis. O Grupo Coral litúrgico, tendo-se preparado com cânticos de júbilo para a festa, deu grande ajuda ao ambiente. No fim da missa o celebrante pegando no menino em duas mãos deu-O a beijar aos que o procuraram. Preparada a procissão, deu a volta pelas ruas habituais com todos os paramentos. O sr. Padre reconduzia o Santíssimo em suas mãos protegido pelo pálio. Sem pensar em crise, a Comissão da Mordomia,

PASSAGEM DE ANO

fez subir bastantes foguetes, estes e a Banda de Tondela deram brilho à festa. Ao meio da tarde teve lugar o leilão de tudo quanto foi oferecido… mal-

dito galo, não parou dando tréguas à sua dona! O leilão muito disputado, deixou para as obras da Igreja um soma apetecida. Publicáremo-la na pró-

Necrologia Adelino do Vale Marques faleceu no dia 23 de Dezembro de 2010 pelas 23h15 no Hospital de Viseu. Natural e residente em Tondela, era filho de Augusto do Vale Marques e Encarnação do Vale. Foi a sepultar no dia 26 de Dezembro de 2010 pelas 15 horas para o cemitério de Tondela. António Pereira Martins faleceu no dia 24 de Dezembro de 2010 pelas 1h35 no Hospital de Viseu. Natural e residente em Tondela, era filho de António Martins e Maria da Conceição Pereira, e pai de Maria Emilia Pinto Martins, António Francisco, Carlos Manuel e José Pinto Pereira Martins. Foi a sepultar no dia 25 de Dezembro de 2010 pelas 15h30 para o cemitério de Tondela. Maria Manuela Neves Coimbra faleceu no dia 26 de Dezembro de 2010 pelas 11h20 no seu domicilio em Outeiro de Baixo, de onde era natural e residente. Era filha de Graciano Gonçalves Coimbra e Maria de Lurdes Neves. Foi a sepultar no dia 28 de Dezembro de 2010 pelas 15 horas para o cemitério de Dardavaz. Octávio Marques Ferraz faleceu no dia 27 de Dezembro de 2010 pelas 6h45 no Hospital de Viseu. Natural de Tonda e residente em Dardavaz, era filho de António Rodrigues Ferraz e Maria Emilia Marques Ferraz e pai de Elisabete Maria Correia Ferraz Esteves. Foi a sepultar no dia 28 de Dezembro de 2010 pelas 15 horas para o cemitério de Dardavaz. Maria Natália da Conceição Pereira faleceu no dia 27 de Dezembro de 2010 pelas 19h10 no Hospital de Viseu. Natural de Mouraz e residente em Pereiro (Sátão), era filha de Adriano Pais Pereira e Albertina da Conceição. Foi a sepultar no dia 29 de Dezembro de 2010 pelas 15 horas para o cemitério de Mouraz. Alfredo Pinheiro de Sousa faleceu no dia 30 de Dezembro de 2010 pelas 16h15 no Hospital de Viseu. Natural de Aboim (Amarante) e residente em Tondela, era filho de José Albano de Sousa e Tomásia de Jesus Pinheiro e pai de João Miguel Vasconcelos Liz de Sousa. Foi a sepultar no dia 31 de Dezembro de 2010 pelas 15 horas para o cemitério de Tondela. Maria Amabilia de Matos da C>osta faleceu no dia 30 de Dezembro de 2010 pelas 21 horas num Lar em Santa Comba Dão. Natural de Dardavaz era filha de Joaquim Neves da Costa e Ana de Matos e mãe de António, Maria Arlete, Maria Jacinta e Rogério de Matos Viegas. Foi a sepultar no dia 1 de Janeiro de 2011 pelas 15 horas para o cemitério de Alvarim. Francelina de Matos dos Santos faleceu no dia 31 de Dezembro de 2010 pelas 23h55 no Hospital de Viseu. Natural e residente em Dardavaz, era filha de José dos Santos e Estes de Matos e mãe de Ester de Matos Neves e Cremilda de Matos Neves Soares. Foi a sepultar no dia 2 de Janeiro de 2011 pelas 15h30 para o cemitério de Dardavaz. Maria Luisa dos Santos faleceu no dia 2 de Janeiro de 2011 no Hospital de Viseu. Natural e residente em Tondela, era filha de António dos Santos e Maria Fernanda da Piedade e mãe de Maria Fernanda dos Santos Pereira, Ilda dos Santos Pereira Loureiro, Maria Adelina dos Santos Alves Rebelo e António Jorge dos Santos Pereira Alvez. Foi a sepultar no dia 4 de Janeiro de 2011 pelas 15h30 para o cemitério de Tondela. Serviço a cargo da Agencia Funerária do TONDELFÚNEBRE, Lda.

xima semana. Foram nomeados para a festa de 2012, Artur Martins e esposa, David Dias e esposa e Maria Otília Santos.

As Associações Culturais da freguesia ARCGU (Gândara) e ARCH, animaram os concorrentes até de madrugada. A ARCGU devido ao tempo chuvoso não pode fazer o seu café matinal ao ar livre com todos em volta da fogueira. Esperamos que no próximo se esforce para não deixar cair uma tradição de alguns anos. ARCH divertiu-se com a música de Leonel Nunes até ser dia. Porém, um festeiro bem animado com o calor da noite, deu mau jeito ao volante da sua viatura, não pode continuar a sua viagem porque outra viatura o estorvou. Vai dai, palavra puxa palavra, veio a GNR que os mandou descansar por a noite já ir longe… coisas de uma festa! Por volta da meia-noite, fogo de lágrimas fezse mostrar. Até para o ano.

VILA PNEUS DE PARABÉNS Em dois anos de serviço na nossa Freguesia, esta empresa vocacionada exclusivamente para assistir automóveis, nomeadamente nas rodas de viaturas ligeiras e tractores agrícolas na aplicação de pneus novos ou usados, câmara, travões (pastilhas), calibragem de rodas, etc., está de parabéns pela sua evolução e consolidação. Em dois anos passou “fronteiras”, servindo clientes de outros concelhos o que lhe perspectiva um bom futuro. Apesar dos receios e tempos de crise, a firma tem subido nas vendas, diz-nos o gerente José Nelson. Endereçamos novamente, votos de felicidades a esta empresa que apesar dos tempos difíceis teima em evoluir e criando assim uma mais valia para a Freguesia onde se insere.

Maria Manuela de Figueiredo Almeida NOTÁRIA NIF: 128 291 990 Av. Dr. António Manuel Tenreiro da Cruz, n.º 54

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, narrativamente para efeitos de publicação que por escritura exarada de folhas 20 a folhas 21 do livro de notas número 110-I, deste Cartório Joaquim Oliveira Brás e mulher Maria Isabel Matos da Escada Brás, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais do concelho de Tondela, ele da freguesia de Barreiro de Besteiros e ela da freguesia de Dardavaz, onde residem na Rua do Cemitério, N.º 107, lugar da Chancela, se declaram com exclusão de outrem, donos e legitimos possuidores do seguinte prédio: Rústico, sito ao Vale das Colmeias, freguesia de Dardavaz, concelho de Tondela, composto por terreno de pastagem, com a área de duzentos e cinquenta metros quadrados, que confronta de Norte com Albertino Ferreira Braz, do nascente com Estrada, do sul com Maria Guilhermina e do poente com Ernesto Fernandes, inscrito na matriz, em nome de António Braz, sob o artigo 6015. Que adquiriram a totalidade do mencionado prédio em mil novecentos e oitenta e nove, então ainda solteiros, por doação que lhes foi feita, por Alípio Gomes Braz e mulher Maria Licia de Oliveira Braz por Adriano Gomes Braz e mulher Maria da Piedade Pereira de Matos Escada, residentes em Tarrastal, Barreiro de Besteiros e na Chancela, freguesia de Dardavaz, sem que no entanto ficassem a dispor de qualquer título formal que lhes permita efectuar o seu registo na Conservatória do Registo Predial, sendo certo porém, que sempre têm exercido os poderes de facto correspondente ao direito de propriedade, sem interrupção, fruindo como donos as utilidades possíveis, á vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém. Está conforme o original. Tondela, 28 de Dezembro de 2010. A colaboradora da Notária, devidamente autorizada para a prática deste acto, Carine Maria Martins Agostinho. (assina) (JORNAL DE TONDELA, 6 DE JANEIRO DE 2011)

PUBLICIDADE? SÓ NO JORNAL DE TONDELA!


CONCELHO 15

06/01/2011

Mosteiro de Fráguas

Lobão da Beira

JOSÉ DA CRUZ MENDES

ANTÓNIO PAIS FERREIRA

NA CASA DO POVO JANTAR FIM DE ANO Foi realmente em grande como, aliás, era previsível e esperado. Com tempo e para que nada falhasse, iniciou-se o trabalho de cozinha. Houve lareira incandescente na sala principal do edifício da Casa do Povo, onde seria servido o jantar na hora azada. Até um presépio ali permanecia, televisão, para quem queria acompanhar o desenrolar da noite noutras paragens, a nível nacional. Cerca das 21 horas, em mesas expostas com requinte, era servido o belíssimo repasto. Tudo foi preparado para ser uma grande noite como se previa. Não faltou uma mesa composta de sobremesas variadas e deliciosas, onde cada qual podia escolher a seu gosto. Junto ao salão de festas, foi preparada uma grande fogueira. Após a refeição, ao som de boa música, houve folia, dança, muita juventude aguar-

dando as 24 horas. Antes o Presidente da Direcção chamaria ao palco outros elementos dos órgãos sociais, bem como o Francisco Figueiredo Almeida (nosso artesão em molas de madeira). Trazia consigo ofertas para a CP e guloseimas variadas. O Presidente Cláudio André agradeceu, em nome da instituição as ofertas que irão servir para presentear outros eventos. Agradeceu à Câmara Municipal, Junta de Freguesia, a muitos particulares e amigos que, sem esses apoios não seria possível efectuar, esta e outras actividades.

FIM DE ANO ASSOCIAÇÃO DE VÁRZEA Como é uso a Associação Recreativa Social e Cultural Lusitana de Várzea, congrega associados e amigos na noite de fim de ano. Convive-se, não falta uma Lareira na sala, e fogueirão em frente à sede, cumprindo-se o ha-

bitual. Ao cair de 2010 foi ao ar uma sessão de fogo de artifício, extravasando muita alegria e votos de ano melhor em 2011.

AMBULÂNCIAS INEM E GNR Cerca das 16,30 horas, junto à Casa do Povo, estiveram duas ambulâncias e Agentes da GNR a fim de se inteirarem de ocorrência para a qual foram solicitados. A sua atenção atempada é muito respeitável e proveitosa, o que se agradece. Findos os trabalhos, bombeiros e agentes, retornaram aos seus postos.

ENCONTRO DE JANEIRAS No coreto/jardim Dr. Cândido de Figueiredo, pelas 20 horas de 02/Janeiro como havia sido anunciado, estiveram em palco para o Encontro de Janeiras: grupo de Cantares de Lobão, Cana Verde de Canas de Santa Maria

Natália Teixeira Garcia Agente de Execução

EDITAL DE VENDA (1.ª Publicação) Processo: 158/08.0TBTND N/Referência: PE/79/2008 Data: 03/01/2011 Exequente: Caixa Geral de Depósitos, S.A. Executados: João Pedro Gomes da Costa e outro. Processo n.º 158/08.0TBTND Tribunal Judicial de Tondela - 1,º Juizo FAZ-SE SABER que nos autos acima identificados, encontra-se designado o dia 18 de Fevereiro de 2011, pelas 14.00 horas no Tribunal Judicial de Tondela, para a abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento, na secretaria do Tribunal, pelos interessados na compra do seguinte bem: Verba Verba n.º 1 - Prédio Urbano, sito na Ladeira do Couço, Freguesia de S. João do Monte e Concelho de Tondela, composto por casa de habitação constituida de cave, r/c, sótão, anexo e logradouro, com 229 m2 de S. C. e 591 m2 de logradouro, inscrito na matriz sob o artigo n.º 1133 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Tondela sob o n.º 1877/20020619. Valor Base: 60.480,00 euros. O brm pertence aos executados: João Pedro Gomes da Costa e Maria Celeste Santos Pereira da Costa, residentes na Rua do Couço, n.º 34, 3475-070 S. João do Monte. Será aceite a proposta de melhor preço acima da quantia correspondente a 70% do valor base. Não se Encontra pendente oposição à execução. Não foram reclamados créditos. É fiel depositária, que os deve mostrar a pedido, Natália Teixeira Garcia, Agente de Execução, contribuinte n.º 197300251, com escritório na Rua da Azerveira n.º 2, r/c esq. - Alagoas, Albergaria-a-Velha. Contacto: 234522328. Albergaria-a-Velha, 3 de Janeiro de 2011 A Agente de Execução (JORNAL DE TONDELA, 6 DE JANEIRO DE 2011)

e Cavaquinhos de Nandufe. Os grupos foram recebidos nas instalações da Casa do Povo, sede do grupo anfitrião, sendo servida uma refeição antes da sua actuação. Fazia sentir-se algum frio e nevoeiro condições características num espectáculo, que deixou referências muito agradáveis, quer nas melodias, quer na execução excelente dos grupos. No final foram distribuídas lembranças aos três grupos intervenientes. A abertura da sessão foi feita pelo pároco João Pedro Cardoso e a fechar, usou da palavra o presidente da Junta de Freguesia Isaque Almeida. Cláudio André Silva Pereira, também ele executante e director do grupo local, referiu uma vez mais os apoiantes que proporcionaram este primeiro encontro de Janeiras. Há que repetir-se na ocasião apropriada

FALECIMENTOS Faleceu em 28/12/ 2010, enquanto hospitalizado no Hospital S. Teotónio/Viseu, António José de Sousa Pimentel deixando viúva Maria Clara Correia Marques Pimentel. Era pai de Clara Maria e de Isabel Maria Marques Sousa Pimentel, e avô do Paulo e Esmail. Residiu na rua Coronel Gonçalves/Vila Jusã. Natural de Alijó, para lá foi seu corpo em cortejo fúnebre em 29/12 ficando em repouso no cemitério. Aos familiares em dor, as nossas condolências. Faleceu em 30/12/ 2010 com 84 anos António Silva da Cruz. Deixa viúva Maria da Piedade Pereira Abranches, e do casal, não houve filhos. Esteve em câmara ardente na capela mortuária paroquial de onde seu corpo foi transferido para a igreja matriz, recebendo santa missa pelas 15,00 horas do dia 31. Familiares, seus amigos e outros, vindo de outras paragens, entre as quais de Lageosa do Dão, onde, tinha cunhados e também sobrinhos que se juntaram aos da freguesia. Aos enlutados os nossos sentidos pêsames. Que os corpos agora sepultados, descansem na verdadeira paz.

TEATRO NA FREGUESIA No passado dia 26 de Dezembro o grupo da catequese, jardim de infância e o grupo de teatro da freguesia com o nome de “amigos do teatro” decidiram juntar-se e proporcionar uma tarde de domingo bem passada com bastante riso e boa disposição. Esta actividade decorreu no salão da ADCR desta freguesia. Iniciou-se com pequenos poemas, passe o pleonasmo, dos pequenos miúdos da catequese, alguns já com algumas capacidades e à-vontade. De seguida, os miúdos do jardim-de-infância, muito envergonhados e alguns adoentados lá conseguiram, através do improviso executar a tarefa programada. Os “amigos do teatro” iniciaram com um tipo de dança pré-histórica, muito bem caracterizados. Nas peças seguintes aludiram a apanhados de peripécias referentes à junta de freguesia.

QUASE 102 ANOS DE IDADE Trata-se da sra. Hermínia Monteiro, natural do lugar de Fráguas. Esta nossa conterrânea entrou já no seu 2.º aniversário além dos seus 100 anos de vida entre nós, tendo nascido a 03-12-1909. É filha dos nossos ainda conhecidos, sr. Alberto José de Carvalho e Filomena Monteiro, é viúva do sr. Manuel de Sousa de cujo matrimónio não houve filhos, mas em compensação tem com ela duas sobrinhas que lhe são muito afeiçoadas e que desde sempre a acompanharam, principalmente agora na sua enfermidade que a tem retido no leito aproximadamente há 10 anos. São as senhoras Orlanda e Cesaltina, esta enfermeira muito conceituada no nosso meio e nos lugares onde exerceu os seus trabalhos públicos. À sra. Hermínia desejamos melhoras, ás suas sobrinhas Cesaltina e Orlanda muita saúde para continuarem o auxilio à sua madrinha e tia que muito estimam.

Agradecimento Maria do Carmo Almeida Monteiro Aldeia de Vilar A família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente como era seu desejo, vem por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram acompanhar a sua ente querida à sua última morada e bem assim a quantas que de qualquer outra maneira lhe manifestaram o seu pesar.

MIGUEL P P.. CARDOSO MÉDICO DENTISTA

Com: IMPLANTOLOGIA e ORTODONTIA

Praça do Comércio, nº 3 - 1º (Por cima da Rosicar) Telef.: 232821959-TONDELA * 917 373 426 de: António Luís Simões Dias - CANALIZAÇÕES - MONT AGENS MONTA

Energia Solar Ar Condicionado Aquecim. Central

- ELECTRICID ADE ELECTRICIDADE Telem.: 966 083 869

R. Principal, N.º 538 * Eiras * Castelões * 3465-126 Campo de Besteiros


16 CONCELHO

06/01/2011

Tourigo MANUEL DA COSTA

CENTRO SOCIAL DO TOURIGO – IPSS NO “PREÇO CERTO” Depois de ter apresentado a sua candidatura há alguns anos, o Centro Social do Tourigo – IPSS foi, finalmente, seleccionado para participar no “Preço Certo” da RTP1, nos tradicionais programas de ajuda às Instituições de solidariedade social que se realizam na quadra natalícia. Nesse contexto e para gravar o referido programa, deslocou-se a Lisboa, no dia 20 do passado mês de Dezembro de 2010, aos

Estúdios daquele canal emissor, um grupo que incluía clientes do Centro Social, elementos da direcção, António Costa Ventura e Célio Viegas Rosa, respectivamente Vice-presidente e Secretário, representantes de outras Associações – Centro Cultural e Associação Folclórica, AFERT – assim como de outras profissões liberais e alguns habitantes da Freguesia. Patrocinaram a deslocação a Junta de Freguesia do Tourigo e o Banco Espírito Santo por intermédio da agência de Tondela.

A emissão pública teve lugar no final do ano, no dia 31 de Dezembro de 2010 e foi conduzida, como habitualmente pelo conhecido apresentador Fernando Mendes. A Assistente social, Rita Cardoso, foi a portavoz da Instituição tendo oferecido a Fernando Mendes algumas lembranças da Freguesia, artesanato do concelho e alguma literatura disponibilizada pelo Município concelhio. Com uma equipa de jornalista da RTP1 a substituir os habituais concorrentes, parte da montra final foi dividida por três

Associações de carácter social, tendo a nossa Instituição sido contemplada com vários utensílios para seu uso próprio num valor aproximado de cinco mil e novecentos euros. Uma ajuda preciosa que vem suprir algumas carências minorando assim as dificuldades com que se debatem quase todas as Instituições de solidariedade social. Ficam os agradecimentos à Junta de Freguesia do Tourigo e ao Banco Espírito Santo, assim como a benfeitores anónimos que contribuíram com a sua quota-par-

TEM AUTOMÓVEL? O SEGURO É OBRIGATÓRIO! Está consciente das coberturas contratadas? Tenha entre si e a companhia de seguros um especialista.

Preços especiais.

CONTACTE: Eduardo Marques - Mediador de Seguros Rua Dr. Marques da Costa (junto à Escola de Condução) Tondela - Telef. 232 813 026 ou 91 762 79 57

te para o pagamento da deslocação a Lisboa e outras despesas inerentes. Agradecimentos também a todos os que tomaram parte neste acontecimento que ficará na história do Centro Social do Tourigo – IPSS, como um testemunho da acção social que desempenha. Quanto à gravação do programa foi pena que as câmaras não tivessem filmado o local onde se encontrava a comitiva do Tourigo, pois aquando da transmissão televisiva foram muitas as pessoas que não identificaram o

programa como sendo do Centro Social do Tourigo. A juntar a isso, no começo, o apresentador, em vez do nome correcto, anunciou a Instituição como Centro Social da Serra do Tourigo. Coisas que acontecem…

NOTÍCIAS DA AFERT “PREÇO CERTO” A AFERT vem por este meio agradecer ao IPSS Tourigo a disponibilização de 2 lugares para membros da direcção da AFERT poderem acompanhar o Centro de Dia ao programa “Preço Certo”.


CONCELHO 17

06/01/2011

FALECIMENTO

Alvarim (Dardavaz)

Mouraz

FAUSTO V. MACEDO

EDUARDO P. MARQUES

controu várias dificuldades de modo especial para criar os seus 4 filhos, goze agora das boas aventuranças eternas. À família apresentamos as nossas sinceras condolências.

S. SILVESTRE

O dia 30 de Dezembro foi fatal para a sra. Maria Mabilia de Matos Costa. Esta idosa senhora contava 94 anos de idade, era viúva do sr. Honorato de Matos Viegas. Após velório na casa mortuária e com missa de corpo presente, já que coincidiu com a missa solene do primeiro dia do ano de 2011. Prestaramlhe a última homenagem muitos familiares e amigos que a acompanharam á sua última morada no cemitério da nossa terra onde foi encontrar os restos mortais do seu marido. Já que pela passagem por este mundo onde en-

O dia 31 de Dezembro é dedicado na nossa terra a S. Silvestre. Foi uma festa toda ela cheia de brilho em que antes da santa missa, 2 jovens á entrada da nossa Igreja, faziam as honras ao toque de 2 violinos e numa tela era projectada a vida de S. Silvestre. O acto litúrgico começou pelas 15 horas com a presença do nosso Pároco António Flor acompanhado pelo Pároco de Tondela, Padre Rocha, que nos veio encantar com o seu sermão. O Padre Rocha ficou muito sensibilizado da maneira como foi recebido e ficou bastante impressionado com a beleza da nossa Igreja assim como com o presépio do Menino Jesus. O Coro da nossa terra, acompanhado pelos violi-

nos, também deu outro brilho ao acto solene com cânticos apropriados. No final procedeu-se à tradicional procissão onde S. Silvestre foi levado pelos jovens pelas ruas tradicionais onde também não faltou a presença junto ao Cruzeiro de alguns animais que recebiam as graças de S. Silvestre o qual se conta de que é advogado. No final e após bênção final dada pelo nosso Pároco os mordomos procederam ao sorteio do cabaz de S. Silvestre tendo o mesmo sido atribuído a uma jovem açoriana que por esta ocasião se encontra a residir em Treixedo – S. C. Dão. A este acto religioso apenas faltaram os tradicionais foguetes que já estavam comprados, mas como tínhamos o corpo da nossa irmã Mabilia na casa mortuária os mordomos entenderam e muito bem, que os mesmo sejam lançados já no final da Santa Missa de Sábado próximo que será pelas 19h15. Aos mordomos apresentamos os nossos sinceros parabéns.

Maria Manuela de Figueiredo Almeida NOTÁRIA

FALECIMENTOS

BODAS DE PRATA

Faleceu no passado dia 28 de Dezembro de 2010 no hospital de S. Teotónio em Viseu, a senhora Maria Natália da Conceição Pereira de 78 anos de idade, viúva de Adelino Braz da Costa. Era mãe de Delfim e de Maria Luísa Pereira da Costa e avó de Andreia, Tiago e Andrew. O seu corpo esteve em câmara ardente na Igreja paroquial de Mouraz. Depois de ter sido rezada missa de corpo presente, realizou-se o cortejo fúnebre para o cemitério n.º 1 com grande acompanhamento de pessoas que quiseram prestar-lhe a última homenagem. Paz à sua alma e os nossos pêsames a toda a família enlutada.

Realizou-se, com toda a pompa, no passado dia 28 de Dezembro do ano passado a cerimónia das Bodas de Prata de Maria Natércia Ferreira Inácio bento e do Sr. António Manuel da cruz Bento na Capela de Nossa senhora da esperança. Após a cerimónia foi servido um requintado almoço no restaurante Alambique a familiares e amigos. Ficou assim o exemplo de uma vida partilhada e que mostra continuar a querer que assim seja. Desejamos ao casal as maiores e felicidades pela vida fora.

AINDA UM ANTIGO ACIDENTE Como noticiou o Jornal de Tondela na altura, deu-se um acidente em 1209-2010 no cruzamento da estrada regional 230 com a estrada de Mouraz, que derrubou a sinalização. Até agora os ferros torcidos encontram-se no mesmo local sem que ninguém reparasse os danos causados. Chamamos a tenção dos responsáveis para tal situação, pois a continuar assim há a possibilidade de repetição de outros acidentes. Já aqui falámos na necessidade de uma rotunda no referido local, pois no nosso ponto de vista tal facto evitaria situações iguais. Falta também iluminação o que agrava ainda mais o perigo. Seria bom também pensar em passadeiras para peões e até umas lombas para evitar grandes velocidades. Deixamos as sugestões para que os responsáveis tomem as devidas providências.

Faleceu também nos Estados Unidos da América a 15 de Dezembro de 2010 o Sr. António da silva Pais de 77 anos de idade, que deixa viúva a senhora Maria Brízida Ventura Braz da Costa Pais. Era pai de Octávio Luís Ventura Pais e de Ana Maria Ventura Pais e avô de Michael e de Cláudia Pais Costa. Foi rezada missa de corpo presente na capela de Santo António no Couço pelas 15h30 do dia 22 de Dezembro, seguindo depois o corpo em cortejo fúnebre para o cemitério n.º 2. Foram muitas as pessoas que acompanharam os seus restos mortais até à sua última morada. Que descanse em paz. A toda a família os nossos sentimentos.

NIF: 128 291 990 Av. Dr. António Manuel Tenreiro da Cruz, n.º 54

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, narrativamente para efeitos de publicação que por escritura exarada de folhas 38 a folhas 39 do livro de notas número 110-I, deste Cartório, José Pereira de Almeida e mulher Etelvina Gomes, casados sob o regime da comunhão geral, naturais da freguesia de Castelões, concelho de Tondela, onde residem na Av. do Rio Criz, 598, lugar do Coelhoso, se declararam donos com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Rústico, sito na Corredora ou Corredoura, freguesia de Castelões, concelho de Tondela, composto por pinhal, com a área de três mil cento e cinquenta metros quadrados, que confronta do norte com Maria do Carmo Coimbra, do sul com o caminho, do nascente com Júlia Deus e do poente com Piedade Marques Paiva, inscrito na matriz, em nome do justificante, sob o artigo 8115, omisso na Conservatória do Registo Predial de Tondela. Que adquiriram a totalidade do mencionado prédio em mil novecentos e setenta, por compra que dele fizeram a Frutuoso Rodrigues de Matos, viúvo, que foi residente no mencionado lugar do Coelhoso, sem que no entanto ficassem a dispor de qualquer título formal, que lhes permita efectuar o seu registo na Conservatória do Registo Predial, sendo certo porém, que sempre têm exercido os poderes de facto correspondente ao direito de propriedade, sem interrupção, fruindo como donos as utilidades possíveis, à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém. Está conforme o original. Tondela, 30 de Dezembro de 2010. A Notária, (assina) (JORNAL DE TONDELA, 6 DE JANEIRO DE 2011)

ANTÓNIO FIGUEIREDO

ORTOPEDISTA

CONSULTAS EM PARADA DE GONTA ÀS SEGUNDAS FEIRAS PELAS 15 HORAS Telem.: 967 851 889

O ESTADO DO TEMPO PARA OS PRÓXIMOS DIAS DIA

TEMPO

5.ª

Chuva e trovoada

6.ª

Chuva e trovoada

Sáb.

Chuva e trovoada

Dom. 2.ª 3.ª 4.ª

Índice UV: 1 Minimo Índice UV: 1 Minimo Índice UV: 1 Minimo

Chuva Índice UV: 1 Minimo

Aguaceiros Índice UV: 2 Minimo

Ensolarado Índice UV: 2 Minimo

Parcialmente nublado Índice UV: 2 Minimo

MÁX.

MIN.

13.ºC

11.ºC

11.ºC

9.ºC

10.ºC

8.ºC

8.ºC

6.ºC

8.ºC

6.ºC

8.ºC

6.ºC

8.ºC

6.ºC

VENDE-SE

NEUR OL OGIA NEUROL OLOGIA

Rua Dr. Almiro Vale - TONDELA (Junto ao Campo de Futebol) Vende: Consurbanas, SA Av. Alberto Sampaio, 134 - Viseu Telf.: 232 429537

TRATAMENTO DE ENXAQUECAS/CEFALEIAS DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO

APARTAMENTOS T2, T3 e Duplex LOJAS, ARMAZÉNS E GARAGENS

DR. PETER GREBE CONSULTAS E MARCAÇÕES Tondelmédica Telef.: 232 821 815 Rua Dr. Flausino Torres - Tondela


18 CONCELHO

VEJA A SUA SORTE! TOTOBOLA 211 221 112 12 2 M:0

PRÉMIOS Super 14 1.º 2.º 3.º

0 0 9 153

X X X X

0.00 € JACKPOT 0.00 € 3.070.35 € 180.60 €

JOKER 2 797 803 PRÉMIOS 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

0 0 11 118 1363 13693

X X X X X X

0.00 € JACKPOT 50.000.00 € 5.000.00 € 500.00 € 50.00 € 5.00 €

TOTOLOTO 14 17 21 30 43 44 + 48

PRÉMIOS 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º

0 1 32 2616 55834

X X X X X

0.00 € JACKPOT 41.621.81 € 2.262.05 € 29.74 € 4.89 €

06/01/2011

Ermida (Tondela) ANTÓNIO LOPES DE SOUSA

FESTEJOS DE S. SILVESTRE Decorreram muito bem os festejos em honra de S. Silvestre, embora com algum atraso devido a um carro pesado não conseguir passar por causa dos muitos carros estacionados e não o deixarem passar. Os festejos começaram logo cedo com a salva de 21 foguetes de canhão e então começou a Santa Missa acompanhada com o Coro local e o sr. Padre Rocha como celebrante e coadjuvado pelo sr. Padre António José com laços familiares à Ermida. Felizmente que a procissão saiu com uma temperatura amena e sem chuva, acompanhada pela Filarmónica de S. Pedro

LOTO 2

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º

0 0 32 2415 47965

X X X X X

0.00 € JACKPOT 0.00 € 2.845.27 € 25.73 € 4.54 €

EUROMILHÕES 02 24 34 38 43 01 07

PRÉMIOS 1.º 0 2.º 0 3.º 2 4.º 9 5,º 221 6.º 400 7.º 624 8.º 11745 9.º 10166 10.º 18660 11.º 60865 12.º 174756

X X X X X X X X X X X X

15.338.239.00 € 506.709.66 € 83.880.99 € 8.078.42 € 337.54 € 146.51 € 105.09 € 34.00 € 30.54 € 20.21 € 12.28 € 10.62 €

LOTARIA CLÁSSICA 1.º PRÉMIO 16628 2.º PRÉMIO 52600 3.º PRÉMIO 29128

LOTARIA POPULAR 1.º 2.º 3.º 4.º

PRÉMIO PRÉMIO PRÉMIO PRÉMIO

38363 72036 16237 24852

SÉRIE SORTEADA: 05 INFORMAÇÃO:

CASA TAPADA, LDA. AGÊNCIA N.º 20-01010 Rua Tenente Valadim (Carril) * 3460-615 TONDELA A CONSULTA DESTE CARTAZ NÃO DISPENSA A CONSULTA DO CARTAZ OFÍCIAL.

da Mealhada, e razoavelmente pela população da Ermida. Foram nomeadas as zeladoras para a Capela de S. Silvestre para o ano de 2011 Maria de Lurdes Rodrigues Silva, Anunciação Marques Matos, Maria Alcina Dias Pereira, Maria Regina Gonçalves Lopo, Amélia Lopes, Maria Fernanda Oliveira Coimbra Seabra, Maria Madalena Silva Lopes, Maria João Marques Lopes, Maria de Fátima Varela, Maria Teresa Dias Lopes. Já no domingo, dia 2 de Janeiro, foi feito o leilão das ofertas de S. Silvestre e este ano decorreu muito bem, pois que apesar da crise foi melhor do que o do ano passado, rendeu 255 euros. As coisas

mais procuradas foram os bolos, tartes e peixes fritos, menos avaliadas foram as garrafas, chouriças e pés de porco. Em linhas gerais foi muito positivo. Estão de parabéns os mordomos e felicidades às novas zeladoras e os maiores sucessos durante o ano, é o nosso desejo.

PASSAGEM DE ANO Também decorreu muito bem por estes lados a passagem de ano, muito discreta, e com algum foguetório de alguns particulares. Este ano não houve o grande foguetório que era habitual com certeza fruto dos tempos, embora a chuva miudinha que caia fizesse com que muitas famílias ficassem em casa a festejar e desejar que o Ano de 2011 seja melhor.

ASSEMBLEIA-GERAL O Presidente da Assembleia, sr. Nuno Albernaz, convoca a Assembleia-geral da Associação de Cultura e Recreio Ermidense para que no domingo, dia 16 de Janeiro, pelas 14 horas, se realize a Assembleia com a seguinte Ordem de Trabalhos: Leitura da acta da última assembleia; Apresentação do Relatório de Contas do Ano de 2010; Eleição de novos Corpos Directivos; e Discussão de assuntos de interesse para a Associação. O nosso apelo é para que estejam o maior número possível de sócios, que é o dever de todos, e se às 14 horas não houver maioria começará meia hora mais tarde com qualquer número de sócios presentes.

Nandufe

16 21 24 36 38 45 + 35

PRÉMIOS

TELEFONES

O CESTEIRO

“MOEDAS DO EURO” Entrou já algum tempo uma nova moeda na Turquia que se chama “nova lira turca”, acontece que esta moeda veio substituir uma outra lira que é bastante desvalorizada. Quando se olha para esta nova moeda, estranhamente é muito parecida com a moeda de 2 euros que circula pelo nosso país. Constata-se que tem exactamente a mesma aparência (uma parte de cobre central rodeado por uma parte de níquel), tendo sensivelmente o mesmo tamanho. A face da moeda tem, como muitos euros, uma cabeça desenhada (neste caso tratase de uma figura de Ataturk), os euros têm a figura do rei de Espanha ou da Bélgica e a única diferença que se encontra é que, no lugar do 2 dos 2 euros, tem 1 e é semelhante ao 1 das moedas de 1 euro. Esta moeda no nosso país não tem qual-

quer valor, pelo que muitos se aproveitam de a utilizar apenas para fazer trocos. Estas moedas já circulam por aí pelo que que se pede a todos que estejam atentos às moedas que passam pelas vossas mãos. Repito que esta moeda é muito parecida com a nossa de 2 euros, mas não tem valor nenhum no nosso país, estejam por isso muito atentos!

”CONSULTAS HEPÁTICAS” Na Casa de Saúde de S. Mateus em Viseu, encontra-se já à disposição dos utentes que precisem de uma consulta externa direccionada para as doenças do foro hepático e oncológico. Como doenças do fígado,vesícula e vias biliares. Este novo serviço conta com a presença do médico Rui Perdigoto que é Professor da Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa

PAULA M. PENEDOS MÉDICA DENTISTA

CONSUL TAS TODOS OS DIAS ÚTEIS CONSULT ACORDO C/ SAMS ENFERMÉDICA-Tel.: 232 813 556 Largo Visconde de Tondela (Finanças) - TONDELA

e especialista no Hospital Curry Cabral em Lisboa. Estas consultas decorrem uma vez por mês, aos sábados entre as 11horas da manhã e as 17 horas da tarde. Aqui fica o contacto para quem precisar, 232 423 423.

“ANO NOVO 2011” Desejo a todos os Nandufenses espalhados pelo nosso Continente, Ilhas e pelo Mundo Inteiro, um Ano Novo muito Próspero. Naturalmente e prevê-se que seja um ano muito difícil, quer socia, quer economicamente ou mesmo financeiramente. Infelizmente encontramonos numa situação verdadeiramente aberrante, pois, nem de Governo podemos mudar, porquê, pergunta o caro leitor, dado que continuamos a ter gente que nada percebe de leis, pois, no estado em que se encontra o País nada pode ser alterado. Primeiro terá que

haver as eleições presidenciais, a seguir vamos ter de esperar pela posse, isto mais ou menos mês e meio, o que vai dar para final de Março. Resumidamente, vamos estar quatro ou cinco meses ou até talvez mais à espera que haja coragem para por quem lá está andar, acabar com esta pouca vergonha, pois pedir responsabilidades criminalmente à maneira “socialista” é e só basta ir a votos!! Isto é mais que aberrante! Depreendo que nem o próprio Salazar faria uma coisa destas, porque se chama a isto Democracia em que conseguem deixar o País nesta situação miserabílista, não entendo como é possível deixar andar isto ao sabor do “vento” à espera que entre de vez o tão falado FMI! Pedia aos “Politicos mais experientes deste Nobre País” o favor de uma vez por todas acabarem com estas “maleficências”!

CRISTIN AB APTIST A CRISTINA BAPTIST APTISTA

PEDIATRIA

CONSULTAS E MARCAÇÕES

Tondelmédica Telef.: 232 821 815

Rua Dr. Flausino Torres - Tondela

ÚTEIS

B.de Tondela ----------- 232 814 110 ----------------- 232 814 111 ----------------- 232 814 112 B. C. de Besteiros --- 232 851 115 ----------------- 232 857 000 Bombeiros de S. João do Monte (Secção) --- 232 866 166 Bombeiros de Lajeosa do Dão (Secção) ------ 232 957 366 Hospital Distrital de Tondela ------ 232 819 060 Centro de Saúde Tondela ------ 232 814 040 EXTENSÕES DE SAÚDE Barreiro de Besteiros 232 871 209 Campo de Besteiros - 232 851 497 Canas de S. Maria --- 232 841 172 Caparrosa --------------- 232 856 290 Caramulo ---------------- 232 861 499 Lajeosa do Dão -------- 232 958 347 Lobão da Beira --------- 232 822 434 Molelos ----------------- 232 822 638 Santiago de Besteiros 232 851 112 São João do Monte -- 232 866 137 Tonda ----------------- 232 816 373 Vilar de Besteiros ----- 232 841 319 FARMÁCIAS Horta - Tondela -------- 232 822 304 Matos - Tondela ------- 232 822 227 Moura - Tondela ------- 232 822 237 Gama Vieira - Tondela 232 841 259 Molelos ----------------- 232 813 957 Canas de S. Maria --- 232 841 323 Campo de Besteiros - 232 851 290 Lajeosa do Dão -------- 232 957 477 Caramulo ---------------- 232 861 257 Sabugosa ---------------- 232 841 259 MÉDICOS Dr. Samuel Bernardes 232 813 943 Dr. Zé Ni Abreu ------- 232 822 833 Dr. Mário João Rodrigues -- 232 821 959 Dr. Jorge Brás --------- 232 822 254 Dr.ª Cristina Cordeiro 232 812 872 Dr. Abilio Oliveira (Dentista) ---- 232 813 158 Dr. Malva Correia ---- 232 821 965 Dr. Elísio de Matos --- 232 822 569 Dr.ª Aurora T. C. Carnevale -- 232 822 176 Dr. Gil Morgado ------- 232 813 619 Dr.ª Florbela Melo C. Besteiros ----- 232 852 728 Dr.ª Basseliça ---------- 232 812 018 Dr.ª Paula Matos (Dentista) ---- 232 813 556 Dr.ª Isabel Mimoso --- 232 812 923 GNR Tondela ----------GNR C.de Besteiros GNR Caramulo -------Guarda Florestal ------

232 819 370 232 851 387 232 861 326 232 813 775

CORREIOS Campo de Besteiros - 232 857 010 Caramulo ---------------- 232 868 024 Centro Dist. Postal --- 232 814 120 Parada de Gonta ------ 232 951 444 Sabugosa ---------------- 232 841 638 Tondela ----------------- 232 819 080 DIVERSOS Inf. Pop. de Tondela - 232 822 157 Novo Ciclo ACERT - 232 814 400 Praça de Táxis -------- 232 822 067 Soc.T. Caramulo ----- 232 822 235 Águas do Planalto ---- 232 819 240 CENEL ----------------- 232 813 670 Aterro Sanitário do Planalto Beirão B. Besteiros 232 870 020 Turismo ----------------- 232 811 110 Câmara M. Tondela - 232 811 110 Tribunal Judicial ------- 232 814 280 Rep.de Finanças ----- 232 822 259 Centro de Emprego -- 232 819 320 Bib.Tomás Ribeiro --- 232 811 110 Cons.R. Predial ------- 232 814 160 Registo Civil ------------ 232 819 310 Secretaria Notarial ---- 232 814 180 Soc.Filarmónica Tondelense - 232 822 414 Piscinas Municipais - 232 813 757 Serviços Municipais de Metrologia ----------- 917 503 254 Estaleiros Municipais 232 811 110 Rigorauto - Centro de Inspecções --------- 232 813 827 Esc.Cond.Tondelense 232 822 420 Esc.Cond.Sr.Calvário 232 851 510 Adega C. de Tondela 232 819 030 Jornal “Folha de Tondela” 232 812 074 Emissora das Beiras 232 861 333 Zona Agrária ------------ 232 813 775


PENÚLTIMA PÁGINA 19

06/01/2011

Sudoku

Momentos de Poesia MARIA DA CONCEIÇÃO

SOLUÇÃO DO NÚMERO ANTERIOR.

Fofa a cadeira, muito lauta a mesa, Palácio de Belém com fausto e luz, Que nada tem a ver com a pobreza Da Gruta, em Belém, do Bom Jesus. Sabem que, nele, se vive com largueza… A Presidência, assim, qualquer, seduz, Porque viver à grande, à “portuguesa”… Não é carregar o peso duma cruz. Essa está a pesar nos eleitores Que pagam crise, sem ser, dela, autores, Dando origem à contestação. Sem serem tentadores os dois mandatos, Não haveria tantos candidatos A querer prestar serviço à Nação…

De Tudo um Pouco MVC

NO COMEÇO DO ANO… INVESTIMENTO

Palavras cruzadas MANUEL DA COSTA Horizontais: 1-Prenome de um dos Presidentes da República portuguesa. Procurar. 2- Pão de… Interj. que exprime irritação. Apre! Hasteia. 3-Aqueles. Inundar. 4-Grande artéria que é o tronco de todas as outras do corpo humano. 5-Nota musical. Em que há erros (pl.). 6-Via de cintura interna (inic.). Carta de jogar. 7-Aque que segue a religião católica (escrito ao contrário). Letra do alfabeto grego correspondente ao nosso “r”. 8-Torne limpo. 9-Rezes. Mulheres sem roupas. 10-Espécie de dobadoira em que se enrolam os fios das maçarocas para fazer meadas. Cabelo branco. 11-Ama. Branco. Verticais: 1-O mesmo que olá. Parte do pão por dentro da côdea (pl.). 2-Astro-rei. Diz-se que quem as vê não vê corações. 3-Durar. 4-Suspiros. Assembleia de cristãos. 5-Sigla de uma Rádio portuguesa. Curso de água. Aprendi. 6-Nome que os antigos Egípcios davam ao Sol. Ultima sílaba do nome por que é conhecida uma plantação de videiras. 7-Linguagem baixa, gíria. Duas vogais. 8-Pequena embarcação (escrita ao contrário). Pega. 9-Quadrúpede carniceiro do grupo gato (pl.). 10-Respeito, observo. Cova sem vogais. 11-Que não só vulgares. Membro superior do homem.

Imagine que o seu Banco põe cada manhã, na sua conta, a crédito, a quantia de 86.400 euros com uma condição: você tem de gastar esse dinheiro nesse mesmo dia de maneira a que à noite, a sua conta fique a zero. Nesta situação o que faria? Iria, com certeza, todos os dias esvaziar a sua conta para aproveitar ao máximo essa dádiva. Pois bem. Este Banco existe e você é um dos seus clientes. O Banco chama-se TEMPO! Todas as manhãs o TEMPO põe na sua conta 86.400 segundos... Cada fim de dia o Banco considera como perdidos os segundos que você não usou, e o pior para si é que o Banco não lhe avança qualquer quantia sobre o montante que lhe será creditado no dia seguinte… Importa, por isso, que aproveite cada um desses preciosos segundos e os transforme em trabalho, alegria e boa disposição. Verá assim o seu capital aumentar substancialmente!... (TRADUZIDO DO FRANCÊS)

CITAÇÃO «Querido Deus: Adoro este engraçado mundo, mas acabo de saber que vais destruí-lo, ou, o que é pior ainda, que vais ficar muito descansado no Céu a ver destruí-lo, como actores cómicos a despedaçar um piano magnífico no qual grandes mestres interpretaram Beethoven. Não posso discutir as Tuas acções. O Universo é Teu. Tu fazes malabarismos com as estrelas e consegues mantê-las no espaço. Mas, por favor, antes da última explosão poderás explica-me algumas coisas?!... Eu sei que isto não passa de um pequeno Planeta, mas é nele que vivo e, antes de o deixar, gostaria de compreendê-lo um pouco melhor…» MORRIS WEST, IN “OS PALHAÇOS DE DEUS

A FAMA … E O PROVEITO Um miúdo de 8 anos resolveu escrever uma carta a Deus pedindo-lhe 100 euros para comprar um telemóvel. Escreveu a carta com o pedido e pôs o endereço: Senhor Deus – Portugal Os CTT receberam a carta, acharam graça, e enviaram-na para o Ministério das Finanças. O Ministro recebeu a carta, abriu-a, leu e pensou: - «Cem euros para um pequenote é muito. Vou enviarlhe 10 euros… O rapazinho recebeu a carta com os 10 euros e resolve escrever para agradecer: - Senhor Deus: Recebi a resposta, mas num envelope do Ministério das Finanças. E, como sempre, aqueles malandros ficaram logo com 90 por cento da quantia que te pedi!...

Pensamento da Semana

Solução do n.º 1028 Horizontais: Ra, pá, elara, caril, sim, ia, irara, cá, ró, as, r, mi, ou, a, ar, nega, por, alado, casta, dorido, moer, o, ozono, Lua.

Ponto Final

A CADEIRA DO PODER

Metade dos políticos não presta. A outra metade presta-se a tudo. COLUCHE – HUMORISTA FRANCÊS 1944-1986 – TRAD.

MANUEL VENTURA DA COSTA

“Viver é afinar um instrumento…”

E

stou a escrevinhar estas linhas no começo da noite do segundo dia deste novo ano de 2011, por coincidência, uma segunda-feira, um dia nada recomendável para que se peça aos neurónios ajuda para alinhavar qualquer coisa de jeito. Além disso não tenho já muito tempo, pois tenho de entregar o papel amanhã de manhã. É sempre assim. Nunca tenho tempo quando não quero ter tempo, quando quero arranjar uma desculpa… E então começo a recriminar-me e a falar com os meus botões: - ontem podia ter escrito qualquer coisa. Mas ontem já passou. Esvaiu-se… O tempo não volta para trás. Não pára. O futuro de ontem é hoje o presente. E hoje está quase a ir embora, é quase meia noite… Mas escrever sobre o quê?!... Tenho à minha frente a crónica da semana passada em que dizia que enquanto não houvesse alguém capaz de dar um murro na mesa e de pôr fim ao baile, a coisa não ia ao sítio. Mas estou agora a ver que me esqueci de dizer que o baile a que me referia, era este baile de máscaras a que assistimos todos os dias. Máscaras, mais máscaras - um país de mascarados! As estatísticas que nos chegaram no final de 2010 e que nos põem no topo das coisas más e no sopé das boas, são a prova evidente de que temos de mudar. Mudar de vez. É tempo de aprender, de evitar o que deveríamos ter evitado ontem. De ver o mal que fizemos. E desse balanço, dessa reflexão é que devemos arranjar material para construir o tempo de hoje e preparar o tempo de amanhã – o futuro. Que poderá ou não ser nosso, mas que será

com certeza dos nossos filhos, dos nossos netos. Enganam-se aqueles que me rotulam de pessimista. Aliás disse-o na semana passada. Sou, por natureza, optimista. Sou um defensor acérrimo do conceito «Não beba champanhe só nas vitórias, beba também nas derrotas. O sabor é o mesmo e é nas derrotas que você mais precisa...» E foi o que aconteceu no final do ano, depois de conferir os meus palpites do Euromilhões, do Totoloto e da Lotaria. Afoguei as mágoas E toca a afogar as mágoas! Fim de ano. Trezentos e sessenta e cinco dias que foram morrendo, enlutados apenas pelo negro de outras tantas noites. Um ano de angústias e de promessas não cumpridas. De mentiras e de piruetas desses pinóquios da democracia, desses vendedores de banha de cobre, que são os políticos. De injustiças e de hipocrisias mal disfarçadas, cometidas, sobretudo, por quem deveria dar o exemplo… É assim a vida – vivese, briga-se, esquece-se, lê-se, escreve-se, perdoase e sobrevive-se! É assim a vida. Como um romance que se escreve à noite, e se lê de manhã. E todos os dias se vira uma página… Como diz a canção: «Viver é afinar um instrumento / de dentro pra fora / de fora pra dentro / a toda a hora / a todo o momento / de dentro pra fora / de fora pra dentro…»


20

06/01/2011

JT 1029  

Jornal de Tondela

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you