Page 1


editorial ao leitor

Mossoró em versos

E

Boa leitura, Nara Andrade.

p4 Entrevista

Padre Carlinhos fala das novidades da festa de São José 2014, dos projetos desenvolvidos pela paróquia e da forte lembrança do padre Guido.

m referência ao Dia da Poesia comemorado na sexta-feira, 14 de março, o escritor, advogado e professor universitário David de Medeiros Leite fala sobre o processo de finalização do livro Mossoró e Tibau em versus - Antologia Poética, idealizado por ele e organizado em parceria com o pesquisador Edilson Albuquerque Segundo. A obra, que sairá com o selo Sarau das Letras, reúne 50 poemas de estilos variados e deve ficar pronta em junho. David Leite também diz que vê com entusiasmo a renovação da cena poética de Mossoró, pela qualidade dos poetas que vem sendo revelados a cada dia, preferindo não citar nomes para não cometer injustiças. Nesta edição, DOMINGO também traz um material sobre a prevenção e o combate dos vermes, inimigos ocultos que podem atingir qualquer pessoa. Especialista alerta sobre como identificar os sintomas em crianças. O Serviço Social do Comércio (SESC), através do seu Programa de Comprometimento e Gratuidade, que já beneficiou cerca de 500 pessoas até o ano passado com cursos de culinária e artesanato, com o objetivo de promover aperfeiçoamento profissional, valorização social e apresentação pessoal, já está com o calendário de cursos gratuitos para o ano de 2014 praticamente todo fechado. Neste ano, o órgão pretende atender mais de 300 pessoas e já está com turmas em andamento. Até a próxima sexta-feira, 21, estão sendo promovidos cursos de produção de Carteiras Artesanais e Customização de Roupas, em parceria com duas comunidades da periferia de Mossoró. Também serão realizados cursos de culinária, com aulas sobre produção de Salgados para Festas. Os cursos são vistos pelas alunas como uma oportunidade de incremento na renda familiar e até mesmo mudança de vida. Desde o dia 9 de março, está sendo realizada a tradicional Festa de São José. Pe. Carlinhos, administrador paroquial e coordenador da festa, fala sobre o evento, as novidades da edição 2014, a história da paróquia, os projetos sociais desenvolvidos e ainda sobre a forte lembrança do Pe. Guido Tonelotto, fundador da comunidade de São José, que deu origem à paróquia.

p 13 p14

p6

Mossoró em Versos

David Leite fala da obra “Mossoró e Tibau em versos Antologia Poética”, que reúne poemas sobre os municípios.

Inimigo oculto

Médica alerta sobre sintomas da contaminação por vermes, orientando como se proteger e combater esse vilão.

p9

Sua carreira

Rafael Demetrius: 15 dicas fundamentais no atendimento ao cliente

Adoro comer Colunista Davi Moura: Torta de Limão por Igor Xavier

• Edição – C&S Assessoria de Comunicação • Editor-geral – Wil­liam Rob­son • Editora – Nara Andrade • Dia­gra­ma­ção – Rick Waekmann • Projeto Gráfico – Augusto Paiva • Im­pres­são – Grá­fi­ca De Fa­to • Re­vi­são – Gilcileno Amorim e Stella Sâmia • Fotos – Carlos Costa, Marcos Garcia, Cezar Alves e Gildo Bento • In­fo­grá­fi­cos – Neto Silva Re­da­ção, pu­bli­ci­da­de e cor­res­pon­dên­cia Av. Rio Bran­co, 2203 – Mos­so­ró (RN) Fo­nes: (0xx84) 3323-8900/8909 Si­te: www.de­fa­to.com/do­min­go E-mail: re­da­cao@de­fa­to.com Do­min­go é uma pu­bli­ca­ção se­ma­nal do Jor­nal de Fa­to. Não po­de ser ven­di­da se­pa­ra­da­men­te.

2

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014


conto

josÉ NiCoDemos*

(

Uma tragédia

Envie sugestões e críticas para o e-mail: aristida603@hotmail.com

)

P

or que suicidara-se Zé Lins, tão cheio de vida? Era a indagação geral da cidade estarrecida. Filho único de pai rico, rapaz cheio de saúde e que aparentava grande alegria de viver, e justamente no dia da sua formatura em direito. Ninguém, de forma nenhuma, conseguia entender. A vida lhe fora pródiga de tudo. Um ar de profundo luto envolveu a cidade, por muitos dias, semanas, uma solidão sem vozes amanhecendo no semblante das pessoas e nas coisas. No mais, Zé Lins era um rapaz da simpatia geral do seu povo, o seu jeito alegre de ser e de tratar as pessoas, fosse de que condição social fosse. Dava-se com todo mundo, e era de uma solidariedade humana reconhecida. E de tal modo que já se lhe falava no nome, em todas as camadas sociais da cidade, rodas de rua e de casas particulares, no geral, como o nome ideal para a prefeitura local na próxima eleição. E até já começava. na base da conversa informal, uma campanha, bem visível e notória, em favor dessa ´possibilidade, e o que é mais importante, com a sim-

Um ar de profundo luto envolveu a cidade, por muitos dias, semanas, uma solidão sem vozes amanhecendo no semblante das pessoas e nas coisas.

patia declarada do chefe político local de maior prestígio perante o povo. O líder da cidade. O Dr. Feitosa. O pai de Zé Lins, o desembargador aposentado Odorico Lins, deu um almoço público na sua fazenda, e o orador foi o Dr. Júlio Sampaio, diretor da Faculdade de Direito de Recife, pela qual se formara o jovem bacharel. Zé Lins fora o primeiro lugar da turma, e pelos seus dotes de perfeito orador e escritor prometido, foi escolhido, entre as diversas turmas de formandos, e por unanimidade, o orador da solenidade acadêmica, no Teatro Castro Alves. A noiva, Nevinha, sempre ao lado dele, Zé Lins, era toda ela a expressão

mais pura do amor e da felicidade, os lábios e os olhos não lhe paravam de sorrir o sorriso feliz dessa expressão. Não menos se podia dizer do noivo que, de tão feliz, parecia flutuar além das nuvens. Entre as estrelas transformado em lírio, como diria o poeta Deífilo Gurgel. E houve um instante, único e definitivo, em que Zé Lins, separando-se da noiva, desapareceu do meio dos convivas; não demorou, e ouviu-se um estampido seco vindo de um dos quartos da casa da fazenda, justamente o dos pais dele. Houve pasmos, cismas sem entendimento. Depois alvoroço. Zé Lins matara-se com um tiro no peito.

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

3


entrevista Por Nara Andrade naraandrade@gmail.com

PaDRe CaRLiNhos

N

atural do município potiguar de Pilões, Antonio Carlos Dantas, Padre Carlinhos, 36 anos, é hoje o administrador da paróquia de São José. Graduado em Filosofia e Teologia pelo Instituto Imaculada Conceição da Paraíba (Seminário da Arquidiocese da Paraíba, onde permaneceu no período de 1999 a 2005), ele está concluindo Comunicação Social com habilitação em Radialismo na Uern. A vocação para ser padre descobriu ainda na infância, mas ele conta que na adolescência a vontade esfriou um pouco e voltou com mais força na juventude, quando entrou para o seminário aos 21 anos. Nesse período, ele fazia faculdade de Letras em Pau dos Ferros. A decisão de entrar para o seminário e se dedicar à vida religiosa foi tomada depois de um bom tempo de reflexão. Por ser um jovem bem sucedido, sendo professor fixo da rede municipal em Pilões, tinha uma namorada e já fazia faculdade. Ele é padre há 6 anos, e antes de chegar à paróquia de São José, foi padre por quase 5 anos em Grossos e Tibau. Além de responsável pela paróquia de São José, padre Carlinhos também é representante do clero da Diocese de Santa Luzia e diretor da Rádio Rural (990kHz). Ele está coordenando a edição 2014 da Festa de São José, e fala das novidades do evento, da história da paróquia, dos projetos sociais e da forte lembrança do padre Guido Tonelotto, fundador da comunidade de São José. DOMINGO – No último dia 9, teve início a tradicional Festa de São José. Há quantos anos a festividade vem sendo realizada? PADRE CARLINHOS – A festa de São José já existia bem antes da criação da paróquia, que data do ano de 1966. Padre Guido, ao chegar da Itália, celebrava nas ruas com as famílias, já era o início da criação da comunidade de São José. Primeiro, foi criado o abrigo Amantino Câmara, e em seguida é que se deu a construção da igreja, que depois se tornou sede da paróquia. ESTA edição tem alguma novidade na programação em relação às edições anteriores? DEVIDO à seca que atinge há três 4

“Com São José somos uma nova paróquia” anos a nossa região, na festa deste ano intensificamos a oração a São José pelo homem do campo, pois ele é conhecido como o padroeiro dos agricultores. O dia de São José, 19 de março, é uma referência para o homem do campo. É a última esperança de chuva para quem, de fato, põe sua confiança no santo protetor. Uma novidade da festa é que no dia 19, ao meio-dia, haverá uma missa na igreja matriz, que intitulamos “Missa dos Agricultores”, que será transmitida pela Rádio Rural, e algumas rádios ligadas à igreja vão entrar em cadeia no interior da diocese para dar a oportunidade de o homem do campo entrar em comunhão conosco e rezar pela chuva e pela situação do agricultor que sofre com a falta de chuva.

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

QUAL a programação sociorreligiosa da Festa de São José 2014? Na programação religiosa, é sempre um momento de a comunidade alimentar a fé. Durante a festa, destacamos: 1) todos os dias, a missa às 6h, com uma boa participação, sobretudo, das pessoas que começam a trabalhar às 7h; 2) às 19h30, a novena, que conta sempre com pregadores que ajudam a refletir os subtemas do dia, padres e leigos; 3) destaca-se também a missa dos doentes e idosos, que acontece no sábado, 15, às 8h, dando a oportunidade de aquelas pessoas que faziam tempo que não vinham à igreja de participarem da festa. Essa missa sempre termina com um café da manhã. Também é destaque na dimensão


entrevista religiosa a missa dos agricultores no dia 19, ao meio-dia. Ainda no dia 19, a grande procissão de São José pelo bairro e missa final, com o bispo diocesano dom Mariano. Na programação social, temos a convivência fraterna das famílias no espaço que intitulamos de “Carpintaria Cultural”, uma alusão a São José, que é citado nas Sagradas Escrituras como o carpinteiro de Nazaré. Aí, temos barracas, bazar, minijantar, atrações culturais – bandas locais e grupos que se apresentam no palco, como Antônio Cardoso (cantor religioso que fez show de abertura), grupo Arquivo Musical, Tony e Wecleide, André Luvi, Leilão, jantar de confraternização, Natali Vox, Gianine Alencar, Samba Nobre, PJ Samba e outros. QUAL a expectativa de público para os dias de festa? A participação popular aumentou em relação às demais edições? NESTE ano, há uma distinção na participação. Na dimensão religiosa, a participação aumentou, e o que é mais importante: aumentou também a consciência de presença do povo à comunidade. Está havendo uma participação maior das comunidades da paróquia. Por exemplo: pessoas que vêm das comunidades da Estrada da Raiz, Santo Antônio, Santa Helena. Porém, na dimensão social, a participação diminuiu. Devido à falta de segurança que preocupa Mossoró, isso também preocupa a igreja. Por isso, pedi para não divulgarmos tanto as atrações sociais, para evitar possíveis perigos. Hoje, vivemos um clima de insegurança, daí que as pessoas que vêm para as novenas não ficam mais muito tempo na carpintaria cultural porque têm medo do que possa acontecer no local, uma vez que junta muita gente desconhecida, ou medo mesmo de voltar para suas casas mais tarde. A FESTA tem alguma temática especial? O TEMA central deste ano está em consonância com a CNBB, que lançou um texto de estudo chamando atenção para a paróquia como uma rede de comunidades, dai o porquê de o tema ser: Com São Jose Somos Uma Nova Paróquia: Comunidade de Comunidades. Durante o novenário, a cada noite temos um subtema que ajuda a viver o tema central. Essa reflexão das novenas é sempre conduzida por um leigo ou um padre (são nove noites e temos quatro padres pregadores e cinco leigos), dando assim maior possibilidade aos leigos de nos ajudar a refletir e exercer sua missionariedade na vida da própria comunidade. TRADICIONALMENTE, a festa é encerrada com uma procissão e missa no dia do padroeiro. Qual o percurso

da procissão? A missa será antes ou depois? Qual a média de público esperado para a procissão e missa? A PROCISSÃO será às 17h, com o seguinte itinerário: concentração e saída da igreja matriz, seguindo pela Rua Wenceslau Braz, entrando à esquerda na Rua Delfim Moreira, à esquerda na Juvenal Lamartine, à esquerda na Prudente de Morais e à esquerda chegando pela Rua Wenceslau Braz à matriz. O itinerário deste ano será totalmente oposto ao do ano passado, para valorizar as outras ruas por onde os fiéis desejam que passe a imagem de São José. O povo sempre pede para que a imagem do santo passe em frente a sua casa, porém não temos como andar todas as ruas do bairro, daí a proposta é que a cada ano o itinerário mude, para dar maior possibilidade aos fiéis de contemplar a procissão. Chegando da procissão, teremos a missa de encerramento no palco central da festa, presidida pelo bispo diocesano dom Mariano Manzana e concelebrada pelo padre Eliseu, que é vigário auxiliar da paróquia, e por mim. Não tenho como precisar os números, mas segundo a polícia, a procissão de São José é, depois da de Santa Luzia, a maior de toda a cidade de Mossoró. É um santo muito querido pelo povo, pai adotivo de Jesus e esposo da Virgem Maria. QUAL o perfil dos devotos de São José? O PERFIL dos devotos de São José é o mais diversificado possível, por São José ser invocado por vários títulos, como: o justo, o patrono da sagrada família, padroeiro dos agricultores, o carpinteiro, pai adotivo de Jesus, padroeiro das chuvas, e até há quem o invoque como aquele que ajuda as mulheres a encontrar bons maridos, se distinguindo de Santo Antônio, que é invocado como o santo casamenteiro. São José tem devotos que vão de crianças a velhinhos – é mesmo um santo querido pelo povo. QUANDO a paróquia de São José foi fundada em Mossoró? A PARÓQUIA de São José foi criada dia 19 de março de 1966, pelo quarto bispo da Diocese de Mossoró, dom Gentil Diniz Barreto, que exerceu seu pastoreio nesta Diocese de 1960 a 1984. QUAIS os projetos desenvolvidos pela paróquia? A PARÓQUIA de São José tem dois grandes projetos. O primeiro é o projeto espiritual – religioso. Nesse aspecto, quer ser uma Igreja Viva, acolhedora, que forma e acompanha a vida espiritual do seus paroquianos. Oferece catequese que acompanha a pessoa na sua dimensão espiritual desde criança até a velhice. O segundo projeto é um

projeto social que, sob a responsabilidade do padre Eliseu, busca ser a presença viva de Jesus que oferece a seu povo uma oportunidade de retomar o caminho. São o Projeto Esperança, criado pelo padre Guido, que oferece a crianças e adolescentes a oportunidade de se desenvolverem como cidadãos e descobrirem sua profissão - aulas de violão, computação, confecção de artesanato entre outros; a Pastoral da Sobriedade, com orientações de como a pessoa se libertar dos vícios que a aprisionam; e o Abrigo Amantino Câmara, que existe bem antes da criação da paróquia, cuidando de pessoas idosas. NA ÚLTIMA semana, teve início também a Campanha da Fraternidade de 2014. A paróquia terá uma programação especial em relação à CF? A CF é uma proposta da Igreja no Brasil, daí que todas as paróquias intensificam seu trabalho missionário com o tema da campanha para que se realizem seus objetivos. Neste ano, com o tema Fraternidade e Tráfico Humano, a paróquia quer ser uma luz que ajude as pessoas a tomar consciência de que não são mercadorias; por isso, jamais podem ser comercializadas. Quer fazer valer a exortação de São Paulo aos Gálatas: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl. 5,1). Na Paróquia de São José, realizamos a campanha nas escolas e nas famílias, com material que ajuda as famílias a viver o espírito da Quaresma lembrando os muitos irmãos e irmãs que têm a vida vendida como mercadoria. Além da CF em família e nas escolas, tivemos a abertura em nível de diocese, que saiu com caminhada do Vuco-Vuco, e a coletiva de imprensa, que foi no PETI/Barrocas, que fica na área da paróquia. QUANDO falamos sobre a Paróquia de São José, nos vem à mente o padre Guido. A lembrança dele ainda é forte entre os fiéis da Igreja? A PARÓQUIA de São José tem a cara do padre Guido. Há sempre alguém que tem uma história para contar do padre Guido, quase todas relacionadas ao seu grande coração acolhedor e caridoso. Por ser discípulo de dom Bosco, fundador de sua Congregação Salesiana, destaca-se o grande carinho que ele tinha pelas crianças e jovens. A missa das crianças é um referencial ainda em muitas pessoas hoje. Sempre que alguém se dirige para falar comigo, já cita que participou muito da missa das crianças com o padre Guido, que lhe deu grandes conselhos e motivação para a vida. Mesmo eu que não o conheci, tenho aprendido com aqueles que aprenderam com ele. É muito bom ser padre de uma paróquia da qual o povo guarda com carinho a lembrança do seu antecessor.

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

5


Homenagem Poética

Mossoró em Versos

Em referência ao Dia da Poesia, DOMINGO conversou com escritor David Leite, que fala da obra ‘Mossoró e Tibau em versos Antologia Poética’, que reúne poemas sobre esses municípios

6

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014


Homenagem Poética

E

m referência ao Dia da Poesia, comemorado na sexta-feira, 14, DOMINGO conversou com o escritor, advogado e professor universitário, mossoroense que atualmente mora na capital do estado, Natal/RN, sobre uma homenagem poética feita aos municípios Mossoró e Tibau. A obra que está em processo de finalização recebe o título “Mossoró e Tibau em versos Antologia Poética”. Idealizador da obra, David Leite afirma que sempre pensou em pesquisar se Mossoró era poeticamente pouco observada ou se, em verdade, era a ausência de um trabalho que reunisse poemas temáticos que nos remetia a esse entendimento. “Sabia da existência de trabalhos análogos em outras cidades, como o oportuno ‘Poesia Viva de Natal: 400 anos’, engenho do acadêmico Manoel Onofre Júnior, estudioso sério e competente das letras potiguares”, afirma.

No entanto, David Leite ressalta que, ao iniciar certo aprofundamento ao tema, compreendeu que precisaria seguir duas premissas básicas: primeiro, a pesquisa deveria abranger poemas que tratassem de Mossoró e Tibau; e, em segundo lugar, que o trabalho inevitavelmente teria que enveredar por uma linha que alcançasse a vertente histórica, pois, frisa que os poemas mossoroenses, em sua maioria, possuem estreita vinculação com datas expressivas da cidade. E para a realização de todo o trabalho de coleta de informação e organização da obra, David Leite contou com a parceria do pesquisador Edilson Albuquerque Segundo. O processo de organização da Antologia Poética teve início em outubro de 2013. Depois de cinco meses de trabalho, David Leite fala que o livro, que sairá com o selo da Sarau das Letras, já está sendo finalizado. “A seleção está concluída. Estamos

na fase de revisão e diagramação. Posteriormente, partiremos para a impressão. Creio que, em junho, estaremos com tudo concluído”, comenta. Ainda segundo o idealizador, a obra contará com cinquenta poemas, com uma boa diversidade em relação aos gêneros poéticos, na medida em que terá poemas nas formas fixas, como sonetos e cordéis, chegando aos versos brancos e livres. “Alguns, curtos e carregados de lirismos e outros mais longos”. “Como são cinquenta poetas, seria imprudente de nossa parte citar algum. Devo dizer tão somente que são poetas de estilos bem diversos e, claro, alguns contemporâneos e outros que viveram o festivo 30 de Setembro de 1883, legando-nos excelentes criações poéticas arrimados na efeméride”, ressalta. Sobre uma data para o lançamento da obra, David Leite foi enfático afirmando que ainda não tem nada agendado porque é preciso vencer cada etapa, com

)) Escritor David Leite, idealizador da obra Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

7


Homenagem Poética vagar e esmero, para, só então, programar o lançamento da Antologia. No lugar do prefácio, David Leite conta que haverá uma espécie de apresentação do livro. “Convidamos para escrever o texto para a “orelha”, o poeta e crítico Paulo de Tarso Correia de Melo, membro da Academia Norte-rio-grandense de Letras. A capa e o projeto gráfico ficarão sob os cuidados do competente Augusto Paiva. A obra não trará ilustrações, apenas fotos que Augusto utilizará na capa”, afirma. Renovação da cena poética Também conversamos com David Leite sobre o surgimento de novos nomes na cena poética mossoroense. O escritor afirma que vê essa renovação com entusiasmo, pela qualidade dos poetas que vem sendo revelados a cada dia. Perguntado se poderia citar alguns nomes da nova poesia mossoroense, ele afirma: “Sou refratário a citar nomes para não cometer equívocos ou injustiças. Porém, posso garantir que a nossa antologia poética apresentará gratas revelações. Então, como diria Canindé Queiroz: guardemos, pois”. DOMINGO falou ainda sobre essa renovação poética em Mossoró, com o poeta Caio César Muniz, sociofundador da POEMA - Poetas e Prosadores de Mossoró. “É bacana que esse quadro se renove, nós temos um movimento criado em 1997, e as vezes ficamos cansados e sobrecarregados com os afazeres cotidianos, então esse pessoal novo chega com novas ideias, trazendo um fôlego novo para o cenário. E o movimento artístico de Mossoró só tem a ganhar com o surgimentos de novos e bons nomes na poesia”, ressalta.

)) Pesquisador Edilson Albuquerque Segundo,

parceiro na organização da coletânea de poemas

!

Sobre uma data para o lançamento da obra, David Leite foi enfático afirmando que ainda não tem nada agendado porque é preciso vencer cada etapa, com vagar e esmero, para, só então, programar o lançamento da Antologia.

8

)) Poeta Caio César Muniz, sociofundador da POEMA - Poetas e Prosadores de Mossoró

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014


Verminoses

)) Dores abdominais estão entre os sintomas de parasitoses intestinais

Inimigo

oculto

Saiba como prevenir e combater a contaminação por verminoses, causadoras das parasitoses intestinais, doenças endêmicas universais

E

ngana-se quem pensa que as doenças causadas por parasitas como verminoses são coisa do passado. Os vermes são inimigos ocultos que ainda podem ser considerados uma epidemia, por serem muito comuns no mundo todo, não apenas nas áreas rurais, como também nos grandes centros urbanos. DOMINGO conversou com a clínicageral da Hapclínica Mossoró, Raquel Oliveira, que faz um alerta sobre a importância de adotar cuidados simples, mas essenciais para prevenir e combater as parasitoses intestinais, que segundo ela são doenças endêmicas e universais provocadas por protozoários e helmintos que, em parte do seu ciclo vivem na luz

intestinal do homem, em geral, se alojam nos intestinos, mas podem abrigarse também em órgãos, como o fígado, pulmões e cérebro. “As parasitoses intestinais são muito frequentes na infância, principalmente em pré-escolares e escolares, consideradas problemas de saúde pública, principalmente em países chamados periféricos, onde são mais frequente”, frisa a médica. Raquel Oliveira afirma que em termos mundiais as verminoses mais frequentes são: ascaridíase ou lombrigas, teníase ou solitária, oxiuríase, tricuríase e ancilostomíase ou amarelão. Ela explica que a via fecal-oral é a principal forma de transmissão, a partir da água ou ali-

mentos contaminados, dependendo das condições sanitárias e de higiene da comunidade. “As verminoses são transmitidas por alimentos contaminados, frutas e verduras mal lavadas, água contaminada, carnes cruas ou mal cozidas, mãos sujas, objetos contaminados como, por exemplo, as chupetas, brinquedos, copos, pratos, talheres. Menos frequente é a contaminação pela poeira, lombriga, e através da penetração direta pela pele como no caso do amarelão e da esquistossomose”, fala. A expressão clínica e importância da doença varia entre dois extremos: nas populações que vivem em condições adequadas de saneamento, higiene, habitação, educação e nutrição, as parasitoses são infrequentes e evoluem sem ou com poucos sintomas, geralmente com desconforto abdominal leve, alterações do hábito intestinal ou meteorismo. Por outro lado, indivíduos que vivem em situação de miséria, más condições de higiene e saneamento, desnutrição, as parasitoses são frequentes, mais graves e com maior risco de repercussões graves como desnutrição, anemia, reações alérgicas cutâneo-palmares, abdome agudo, abscessos, disseminação hematogênica, sepse e morte. “Além disso, muitas dessas parasitoses relacionam-se a déficit cognitivo,

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

9


Verminoses

)) Cuidados simples, como lavar bem e

com frequência as mãos, são essenciais para prevenir a contaminação físico e de desnutrição. A prevalência e as repercussões sobre a saúde aumentam em condições socioeconômicas desfavorecidas, com saneamento básico inadequado, sobretudo falta de água tratada, esgoto, instalações sanitárias e coleta de lixo, desnutrição, baixo nível

de educação, conceitos de higiene e de promoção de saúde e dificuldade de acesso a serviços básicos de saúde”, frisa. De modo geral, a maioria das pessoas infectadas se apresenta com quadro de dor abdominal, cólicas, náuseas, vômitos, diarreias, perda de peso, anemia, febre e quadros respiratórios, falta de apetite, comprometimento cerebral. “No caso específico das lombrigas, a proliferação desses vermes pode formar um novelo compacto e obstruir o intestino ou mesmo a garganta, provocando asfixia e morte”, enfatiza. De acordo com a médica da Hapclínica, a repercussão sobre a saúde das crianças que vivem nessas condições é particularmente intensa pois a anemia, agravamento da desnutrição, risco aumentado de diarreia grave ou prolongada, quadros respiratórios por ciclo pulmonar de parasitas repercutem de forma significativa sobre a saúde, crescimento, performance física e escolar. Algumas manifestações clínicas como dor abdominal, cólicas, meteorismo, flatulência, sensação de plenitude gástrica, redução do apetite, diarreia leve ou intermitente ocorrem em praticamente todas as parasitoses, variando de intensidade dependendo da carga parasitária e do estado nutricional e imuni-

tário do paciente. A apresentação dos sintomas e os exames de fezes normalmente dão a identificação do parasita. Exames de sangue podem ser necessários se houver acometimento sistêmico. O exame de fezes é fundamental para identificar o tipo de verme causador da doença. Existem antiparasitários específicos para o tratamento das verminoses. Alguns deles são polivalentes, isto é, agem contra diversos tipos de vermes. “O tratamento preventivo não evita reinfecções. As únicas medidas preventivas que devem ser realizadas são direcionadas para interromper o ciclo epidemiológico. Não se justificam as desparasitoses de rotina, sem evidência de parasitação. Aliás, o uso generalizado dos antiparasitários pode conduzir ao desenvolvimento de resistências, com redução da eficácia dos fármacos usados atualmente como primeira linha”, orienta. A médica afirma que as recomendações atuais da OMS incluem a desparasitação profilática de rotina com antihelmínticos apenas nos países com taxas de parasitismo intestinal acima de 20% e principalmente superiores a 50%. Alguns cuidados com a prevenção das verminoses dependem do serviço público. Outros dependem apenas de nós mesmos.

Identifique os sintomas

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 10

Quadro de dor abdominal Cólicas Náuseas Vômitos Diarreias Perda de peso Anemia Febre e quadros respiratórios Falta de apetite Comprometimento cerebral

)) Clínica-geral da Hapclínica Mossoró, Raquel Oliveira

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014


Oportunidade )) Mulheres do Redenção participam do Curso de produção de Carteira Artesanal

Cursos

gratuitos Promovidos pelo Sesc, através do Programa de ComprometimentoeGratuidade,cursossãovistos pelas alunas como oportunidade de incremento na renda familiar e mudança de vida

A

té o próximo dia 21 de março, um grupo de mulheres de duas comunidades da periferia de Mossoró estarão participando de cursos gratuitos de produção de carteira artesanal e de customização de roupas. Os cursos são vistos pelas alunas como uma oportunidade de incremento na renda familiar e até mesmo de mudança de vida. E é com este objetivo que cursos como estes vêm sendo oferecidos pelo Serviço Social do Comércio (SESC), através do Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG). Desde 2011, ano de início da realização dos cursos através deste programa, cerca de 500 pessoas já foram beneficiadas por cursos de culinária e artesanato, na área de aperfeiçoamento profissional, valorização social e apresentação pessoal, com a finalidade

de promover empregabilidade e geração de renda. Uma das beneficiadas é a dona de casa Solange Maria da Silva, de 32 anos, do bairro Redenção, que está participando da turma de produção de Carteira Artesanal. Solange conta que já trabalha produzindo peças artesanais e o curso é mais uma oportunidade de aumentar seus conhecimentos e pretende sim produzir as carteiras para vender. “Estou gostando muito do curso e quero usar o que estou aprendendo aqui para melhorar minha renda, já que sou dona de casa e complemento a renda da minha família com a venda de trabalhos artesanais, essa é uma boa oportunidade que estamos tendo”, comenta. Segundo a assistente social Raquel Duarte, técnica de referência do setor de cursos do Sesc Mossoró, para este

ano a expectativa é de beneficiamento de mais de 300 pessoas. Já que durante todo o ano serão realizados cursos que têm duração média de 30h, cada um ofertando 15 vagas por turma. “Durante os cursos, as turmas também recebem orientações de empreendedorismo, com noções de precificação, lucro, como vender o produto”, explica

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

11


Oportunidade a assistente social. No momento, os cursos estão beneficiando mulheres do Redenção e do Santo Antônio. No bairro Redenção, estão acontecendo aulas do curso de produção de Carteira Artesanal, com reunião todas as tardes, das 14h às 17h, na sede do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do Redenção, com carga horária de 30h. Já o curso de Customização de Roupas, está sendo realizado no mesmo horário, durante o mesmo período, no Centro Social Juraci, no bairro Santo Antônio. O próximo curso a ser realizado será o de Culinária, com aulas sobre a produção de Salgados para Festas. As aulas acontecerão entre os dias 31 de março e 4 de abril, na Igreja Batista da Comunidade do Fio. Diferente dos cursos que estão acontecendo nesta semana, este terá carga horária de 25h, mas a turma contemplará a mesma quantidade de mulheres interessadas. Inscrições abertas Para o mês de abril, serão ofertadas 165 vagas para os cursos gratuitos e as inscrições foram prorrogadas até o dia 21 de março. Os interessados podem se candidatar aos cursos oferecidos pelo Sistema Fecomércio RN, por meio do Sesc, nas cidades de Natal, Mossoró, Caicó e Nova Cruz. O edital com todas as informações está disponível no site do Sesc RN, o www.sescrn.com.br. No mês de abril, os alunos aprenderão, nos cursos do PCG, habilidades nas áreas de culinária e de trabalhos manuais, com destaque para a decoração de roupas com temas de Páscoa, já de olho na festividade. Comerciários e seus dependentes, além de estudantes de escolas públicas cuja renda familiar mensal não ultrapasse três salários mínimos nacionais, podem se inscrever.

)) Turma do curso de Customização de Roupas, no Centro Social Juraci, Bairro Santo Antônio

Número de beneficiados em Mossoró • 2011 - 65 • 2012 - 224 • 2013 – 105 • 2014 – Estimado em 305 VAGAS • Abril - 165 • 2014 - 2.673 MUNICÍPIOS CONTEMPLADOS • Natal • Mossoró • Caicó • Nova Cruz

12

No ato da inscrição, é preciso levar os seguintes documentos originais (com cópias): RG ou certidão de nascimento, CPF, comprovante de residência e de escolaridade, e ainda, caso necessário, documento que comprove deficiência física ou mental. Também deverá ser entregue a autodeclaração de renda familiar e o questionário socioeconômico. Caso o interessado em fazer o curso se-

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

ja menor de idade, deverá estar acompanhado do responsável. A lista com os aprovados será divulgada no dia 25/03, no site do Sesc RN, e as aulas iniciam a partir do dia 01/04. Em 2014, o PCG oferecerá 2.673 vagas nas áreas de valorização social, aperfeiçoamento profissional e educação (incluindo cursos preparatórios para o ENEM).


sua carreira

RafaeL DemeTRiUs

15 dicas fundamentais no atendimento ao cliente

O x

consumidor nunca deve sair da empresa com a impressão de que foi mal atendido. Isso porque uma pessoa pode contar sua experiência negativa (ou positiva) a diversas outras, que contarão a outras, e assim por diante. Por isso, a função de atender jamais pode se mostrar rotineira. Constitui sério erro definir o atendimento ao cliente como trabalho de rotina. Este pensamento acaba reduzindo a importância dessa função e inibindo a capacidade criativa de quem o executa. A rotineirização da tarefa atendimento é prejudicial para o funcionário e, logo, para a empresa, pois o cliente seria apenas mais um no meio de toda uma gama de consumidores. Pelo contrário, todo cliente exige um tratamento diferenciado, pois cada um tem necessidades diferentes. O importante é fazê-lo se sentir especial, através do tratamento diferenciado. Para isso, apresentam-se algumas dicas para manter um bom relacionamento com o cliente: 1º Seja consciente e cortês - atenda bem a qualquer pessoa que se dirigir à padaria. Para isso, esqueça seus próprios preconceitos. Pare de formar impressões antecipadas e distorcidas dos clientes. O tratamento “senhor” ou “senhora” deve ser dirigido mesmo a jovens, a não ser que o cliente o autorize a chamá-lo por “você”. 2º Dê as boas-vindas - cumprimente a todos com um sorriso. Esse é um modo de nos mostrarmos agradáveis e receptivos, o que facilita o contato com o cliente. Sempre que possível, chame-o pelo nome, procurando pronunciá-lo corretamente. 3º Atenda de imediato - nunca deixe uma pessoa esperando, principalmente se o serviço que estiver fazendo não tiver relação com o assunto que o cliente irá tratar. Para quem espera, um minuto torna-se uma eternidade. Há pessoas que aguardam por dois minutos, e depois são capazes de dizer que esperaram por mais de dez! No entanto, após ter sido inicialmente atendida, a pessoa aguarda com mais calma. Exemplo: uma cliente aguarda o atendimento do caixa, enquanto este está procurando o bloco de notas para usá-lo. Neste caso, é bem mais simpático que o caixa olhe para a pessoa e diga: “um momentinho, já vou atendê-la”, em vez de nada dizer. Assim, ela fica ciente de que já foi visto e não se sente rejeitado. 4º Demonstre boa vontade - mesmo fora de seu setor, cumprimente a todos. Não só os colegas de trabalho, mas também os clientes. A gentileza não precisa se restringir ao setor de atuação, mas pode (e deve) se estender a toda a empresa. É sempre gratificante para o consumidor ser reconhecido e cumprimentado pelo funcionário da padaria.

5º Dispense muita atenção ao cliente - faça com que ele se sinta bemvindo. Trate-o como alguém importante para a empresa. Comentários agradáveis valorizam a relação, mas nunca fale além do necessário, dê tempo para que ele explique o que deseja. 6º Aja com rapidez - o tempo é um fator importante na hora do atendimento. Geralmente, o cliente quer que sua necessidade seja satisfeita o mais rápido possível. Porém, cuidado para não passar a impressão de que você deseja se ver livre dele rapidamente. Não confunda rapidez com descaso! 7º Preste orientação segura - muitas vezes o cliente fica inibido diante do funcionário, por isso, deixe o consumidor à vontade e lhe preste um atendimento eficiente, orientando-o em sua compra de maneira clara e educada. 8º Evite termos técnicos - se você conhece a terminologia técnica dos produtos que lida, deve abster-se de usá-los quando se dirigir aos clientes, sob o pretexto de confundi-los. Isso poderia causar incompreensão e constrangimento ao consumidor. Abreviações e siglas também devem ser evitadas. O ideal é usar expressões simples, pronunciadas em voz moderada e clara. É importante que tenha paciência caso a pessoa uma informação. Se isso acontecer, repita-a quantas vezes forem necessárias. As pessoas não são culpadas por deixar de entender determinada expressão. 9º Jamais dê ordens - nunca, nunca mesmo, dê uma ordem ao cliente. Ninguém gosta de ouvir algo como “O senhor tem de assinar aqui”. Uma expressão cordial tem mais valor: “Por favor, o senhor poderia assinar nesta linha?”. 10º Chame o chefe em casos especiais - diante de um cliente autoritário, que acha que é dono da verdade, tente usar de sua habilidade para atendê-lo da melhor forma e para contornar qualquer mal entendido. Caso perceba que uma determinada situação pode piorar, procure ajuda de seu supervisor ou gerente. 11º Evite atitudes negativas - expressões negativas tendem a criar um clima negativo. O ideal é evitar expressões como: “não pode”, “está errado”, “não deve”. 12º Fale a verdade - nas informações prestadas ao cliente, a verdade é extremamente importante. Mesmo sendo desagradável, é preferível assumir uma falha, a passar ao cliente a impressão de que esconde informações ou omite problemas. 13º Dê atenção às reclamações - fique atento a qualquer reclamação, queixa ou sugestão vinda do cliente e encaminhe-as ao superior imediato para verificação. 14º Demonstre simpatia, como um bom cartão de visitas - lembre-se de que sua imagem corresponde à da empresa. Cuide de sua aparência e vestuário, para que esteja sempre apresentável, mantendo-o limpo e bem cuidado, e do seu material de trabalho, mantendo-o organizado. Use palavras cordiais e dê informações corretas. 15º Garanta qualidade para seu ambiente de trabalho - faça a manutenção diária da limpeza e cuide dos móveis e objetos de trabalho. Deixe sempre à mão os objetos de que necessita. Em um ambiente limpo e organizado, todos desempenham melhor suas funções.

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

13


adoro comer

Davi moURa mente. Antes de qualquer coisa, você deve se preocupar com o modo de preparo da carne, o ponto de cozimento, temperos, molhos, quantidade de gordura e suculência da peça, para, então, escolher o vinho. No entanto, se a escolha da carne for definida a partir do vinho, o processo é o inverso, e aí a escolha se deve à presença dos taninos, ao corpo, estrutura e acidez da bebida. Veja: - Alcatra: Por ser bastante fibrosa, macia e sem tanta gordura, como a picanha, a alcatra acompanha bem um vinho de corpo médio, boa acidez e estrutura. Então indicamos o Barbera. - Linguiça: Quando está no ponto, a linguiça é bem suculenta, mas contém uma certa gordura. Indicamos um Espumante para acompanhar. - Contrafilé: Apesar de apresentarem algumas especificidades, de maneira geral, o contrafilé é uma carne fibrosa e suculenta. Combina perfeitamente com um Tannat. - Costela: Se bem preparada, a costela fica tão suculenta que parece derreter na boca. Acompanha muito bem com molho barbecue, quando ela ganha notas de especiarias e certa “picância”, o que aumenta o seu potencial para vinhos de médio corpo com notas de especiarias. Logo, um Syrah se torna ideal. - Fraldinha e maminha: Duas carnes que não possuem muita gordura. A fraldinha é uma carne que não exige tanto corpo de um vinho. Logo recomendamos um igualmente macio, fácil e com taninos redondos, que pode ser um Merlot. - Cupim: O cupim não é uma carne que se pode dizer suculenta. Ela é macia, sim, mas pode ser um pouco seca, o que vai te dar sede. Então um Espumante Brut ajuda bastante a digerir a carne e a degustar melhor essa iguaria.

1

Hoje teremos uma matéria especial! São as dicas do nosso querido Gui Araújo. Acompanhe e se delicie: No Brasil, a carne vermelha é considerada como uma preferência nacional. Durante os finais de semana (e não só neles), milhares de brasileiros organizam reuniões para apreciar esse alimento tão querido. Há também aqueles que apreciam outros tipos de carnes, como as de origem suína, ovina e a de aves. Mas uma dúvida paira entre nós, amantes de um bom vinho, dá para combinar carne com essa bebida?

- Frango: carnes brancas leves pedem vinhos aromáticos e com acidez equilibrada. Um Sauvignon Blanc pode cair muito bem nessa harmonização. No entanto, por ter mais gordura, a sobrecoxa e o coração de frango pedem de um vinho mais leve, como um Rosé de Provença, por exemplo. - Peixes grelhados: peixe como o pescado e o namorado que são leves e delicados. Então é interessante acompanhar com um vinho aromático, fresco e rico em acidez, como um Gewürztraminer ou Poully Fumé, como é chamado o Sauvignon Blanc na França. Já peixes mais fibrosos, como o salmão, vão bem com um vinho tipo branco encorpado, como um Chardonnay, mas também podem ser servidos com um tinto leve, como um Pinot Noir.

A resposta é: com certeza. Apesar de não parecer, um bom vinho combina com carne, sim, basta separá-los e escolhê-los de acordo com cada tipo de carne que será servido. Provavelmente você já ouviu alguém dizer que “carne combina com vinho tinto”. E pode até ser um bom ponto de partida, mas a partir de agora vamos passar opções mais finas e detalhadas para você servir os amigos e a família adequada-

Aproveite e acesse o http://blogadorocomer.blogspot.com para conferir esta e outras delícias! 14

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014


Torta de Limão

adoro adoro comer comer

by chef Igor Xavier

iNGReDieNTes • 3 pacotes de biscoito maizena de leite • 2 latas de leite condensado • 1 lata de creme de leite • 1 xícara de chá bem cheia de suco de limão • 1 pote de margarina médio

MODO DE faZeR • Triture os biscoitos no liquidificador até virar um pó; • Derrata a margarina em banho marinha e vá molhando o pó aos poucos, apertando com as mãos; • Forre uma forma de fundo falso ou tigela e fure toda a massa para não inchar; • Coloque no forno por 20 minutos; • Para o mousse, coloque o leite condensado e o creme de leite no liquidificador. Acresce o suco aos poucos; • Depois da massa fria, coloque a mistura do suco e leve à geladeira.

Jornal de Fato | DOMINGO, 16 de março de 2014

15


Revista de Domingo nº 647  

Revista semanal do Jornal de Fato