Page 1


editorial ao leitor

A fraternidade esperada da Igreja

A

José de Paiva Rebouças. Chefe de Reportagem

Entrevista

p4 Contabilista Gilvan Alves explica como fazer e quais as vantagens do Imposto de Renda

igreja católica lançou na semana passada a sua Campanha da Fraternidade que, neste ano, tem como tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e como lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5,1)”. O objetivo do movimento é identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus. No entanto, é importante dizer que a igreja pode ir além desta questão específica, visto que tanto o tema quanto o lema são mais abrangentes do que está dito. É notório que em pleno século 21 pessoas ainda são traficadas, repetindo os movimentos escravocratas que se encerraram no final do século 19. Mas é inegável também que as leis, costumes e tradições também funcionam como uma espécie de “escravidão moderna”. A igreja precisa avançar ainda mais nas questões dos homossexuais, da descriminalização do aborto, da pesquisa sobre as células-tronco e até no debate sobre prostituição – assunto este que leva ao tema central da campanha. A igreja tem se omitido em questões fundamentais, ou interferido contrariamente de forma categórica em assuntos que dizem respeito ao ser humano. É importante lembrar que, embora a Igreja tenha se modernizado e que hoje tenha um líder que respeita as classes e diferenças – o papa Francisco, a exemplo de João 23 –, ela também teve sua parcela de contribuição na construção de estigmas como a escravidão, ao permiti-la nos séculos anteriores. Basta olharmos para as primeiras igrejas do Brasil, no município de Salvador (BA), para ver que seus porões eram transformados em senzalas. Hoje lutando pelo fim do tráfico humano e, consequentemente da escravidão, a igreja tem a possibilidade de corrigir erros históricos, uma vez que sua palavra ainda representa uma importante orientação para o mundo cristão ocidental.

p 13 p14

p6

Abertura diocesana

Campanha da Fraternidade é aberta neste domingo, 9, com caminhada de fiéis nas ruas de Mossoró.

Defesa do consumidor

Problemas com o atraso de entregas de produtos e serviços ocupam lugar de destaque no ranking de reclamações

p9

Sua carreira

Rafael Demetrius: 10 dicas para ajudar a escolher sua carreira

Adoro comer

Colunista Davi Moura: Receita de penne ao alho negro e dendê by chef Angélica Vitali

• Edição – C&S Assessoria de Comunicação • Editor-geral – Wil­liam Rob­son • Editora – Nara Andrade • Dia­gra­ma­ção – Rick Waekmann • Projeto Gráfico – Augusto Paiva • Im­pres­são – Grá­fi­ca De Fa­to • Re­vi­são – Gilcileno Amorim e Stella Sâmia • Fotos – Carlos Costa, Marcos Garcia, Cezar Alves e Gildo Bento • In­fo­grá­fi­cos – Neto Silva Re­da­ção, pu­bli­ci­da­de e cor­res­pon­dên­cia Av. Rio Bran­co, 2203 – Mos­so­ró (RN) Fo­nes: (0xx84) 3323-8900/8909 Si­te: www.de­fa­to.com/do­min­go E-mail: re­da­cao@de­fa­to.com Do­min­go é uma pu­bli­ca­ção se­ma­nal do Jor­nal de Fa­to. Não po­de ser ven­di­da se­pa­ra­da­men­te.

2

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014


conto

josÉ NiCodemos*

(

O sucesso do poeta

Envie sugestões e críticas para o e-mail: aristida603@hotmail.com

)

A

inda estudante do ensino médio, Alexandre sentiu-se chamado ao convívio das musas. Cometeu o primeiro poema, e mostrou ao professor de língua portuguesa. O professor Antero dos Reis gostou do poema, com algumas observações técnicas, recomendando-lhe a leitura dos grandes poetas, sem esquecer de uma vista de olhos pela teoria da literatura. “Poeta aprende é com poetas” – fez-lhe ver isto. O poeta Júlio Delgado era então o nome mais alto da poesia do estado, com nome feito em centros literários prestigiosos do país, e Alexandre teve a ideia de submeter-lhe à apreciação alguns poemas que já escrevera. A resenha crítica do poeta é que lhe determinaria o destino literário, ou desistiria de uma vez. E foi pessoalmente levarlhe os seus versos. Mais uns dias, e Alexandre recebeu, do poeta, uma carta nada animadora, observações com base no gerativismo, essas complicações da linguística de texto da moda. Mas é que não se convenceu, não podia entender a mensa-

Sem qualquer estudo literário, não quis no entanto aceitar a formulação critica do poeta, qualquer coisa assim como mecanização da poesia, em detrimento da arte.

gem poética sem outra origem que não fosse o sentimento da interioridade das coisas. Uma visão profética do mundo, como queria o seu professor de língua portuguesa. . Sem qualquer estudo literário, não quis no entanto aceitar a formulação critica do poeta, qualquer coisa assim como mecanização da poesia, em detrimento da arte. Nada a ver com engenhos mentais. .Não quer isto dizer que, para ele, Alexandre, poesia fosse apenas rima e metrificação, como também não seria qualquer coisa assim como charada erudita. Gincana mental. A poesia, sendo um mistério, não teria explicação teórica – pensava assim. Nos intervalos de aula, Alexandre sempre conversava com o professor An-

tero Reis, espírito culto e lúcido. e aproveitou para mostrar-lhe a carta do nomeado poeta, cuja arte exigia do leitor capacidade de adivinhação, ou por aí, fora do alcance do leitor comum, que quer a poesia em si mesma. Deu-lhe toda razão o professor. Que seguisse em frente, tinha, mesmo, talento, que libertasse o seu texto, despreocupado da literariedade. Era poeta, e isto era o que lhe bastava. Passado o tempo, não mais que cinco anos, e Alexandre, já terminando o curso de direito, e conhecido de publicações em jornais e revistas, publicou o seu primeiro livro de versos, com grande aceitação pública... Hoje, poeta nacional, sem precisar dos favores da crítica.

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

3


entrevista

GiLVaN ALVes

”Quem declarar fora do prazo será multado” Por Nara Andrade naraandrade@gmail.com

A

Receita Federal começou a receber na semana passada as declarações de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2014. O prazo termina no dia 30 de abril. Neste ano, será permitido fazer a entrega por meio de tablets e smartphones, além de computadores. A Receita espera receber 27 milhões de declarações. Segundo o órgão, quem perder o prazo de entrega da declaração fica sujeito a uma DOMINGO – Todos os anos é a mesma coisa, mas as pessoas ou deixam para a última hora, ou acabam não declarando. De modo geral, quem deve declarar Imposto de Renda? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2014, a pessoa física residente no Brasil que, no ano-calendário de 2013: - Recebeu rendimentos tribu4

multa mínima de R$ 165,74. O valor máximo pode chegar a 20% do imposto devido. Sobre este assunto, conversamos com Gilvan Alves, do escritório Alves e Duarte Contabilidade, um dos contabilistas mais respeitados do interior do Rio Grande do Norte. Além de explicar os caminhos para realizar a declaração, ele também explica a importância desse controle financeiro para o desenvolvimento do Brasil.

táveis cujo valor seja superior a R$ 25.661,70; - Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cujo valor seja superior a R$ 40.000; - Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeitos à incidência de IR; - Realizou operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

assemelhadas; - No dia 31 de dezembro de 2013 teve posse ou propriedade de bens e direitos, inclusive na terra nua, de valor total acima de R$ 300 mil; - Passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e encontravase nessa condição em 31 de dezembro; - Optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente de ganho de


entrevista capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto de venda seja aplicado na aquisição de imóveis residências localizados no País no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda; - Obteve receita bruta em valor superior a R$ 128.308,50 com atividade rural; - Pretende compensar, também no âmbito de atividade rural, no ano-calendário de 2013 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2013.

OS PRAZOS dados pela Receita são suficientes, em seu ponto de vista? ENTENDEMOS como suficiente o prazo dado pela Receita Federal para entrega das Declarações do Imposto de Renda Pessoa Física 2014, que começou nesta quinta-feira (06/03/2014) até o dia 30/04/2014.

QUE punições são destinadas aos que não declaram seus rendimentos anuais ao leão? QUEM estiver obrigado a declarar e perder o prazo de entrega da declaração fica sujeito a uma multa mínima de R$ 165,74. O valor máximo pode chegar a 20% do imposto devido.

O QUE é restituição, como ela acontece e quem tem direito a ela? RESTITUIÇÃO do Imposto de Renda é a devolução da diferença do imposto pago a maior. Em outras palavras, se a diferença do imposto de renda a ser pago (descontando-se as deduções) em relação ao imposto já pago ou retido na fonte for positiva, o contribuinte tem saldo a pagar. Caso seja negativa, tem saldo a ser restituído. Muitos contribuintes têm o imposto de renda retido diretamente na fonte pelos seus empregadores. Se não existissem deduções (condições para redução do imposto a ser pago) e o contribuinte tivesse apenas essa fonte de renda, o IR a ser pago já teria sido retido e não haveria saldo a pagar ou a restituir, entretanto as deduções existentes permitem que o saldo a pagar seja menor que o imposto já retido na fonte. Dessa forma o governo é obrigado a devolver – ou restituir – essa diferença, que recebe o nome de restituição do imposto de renda. O contribuinte só tem esse direito quando fica comprovado que o imposto retido na fonte ou pago durante o ano foi acima do que deveria ser pago, ou também pela qualidade de seus rendimentos (que podem ser tributáveis ou não, isentos ou tributados na fonte) e de suas despesas. Pessoas que tem seu imposto retido na fonte porque recebem seus rendimentos descontados em parcelas do IR todo mês, que utilizam o carnê-leão ou que recebem renda do exterior são alguns exemplos de quem pode ter direito a restituição.

OS RETARDATÁRIOS, podem se safar de multa? QUEM declarar fora do prazo será multado, mas caso o contribuinte não concorde com o lançamento, então, poderá impugná-lo no prazo de 45 (quarenta e cinco) dias, contado do recebimento da notificação de lançamento, em petição dirigida ao Delegado da Receita Federal do Brasil de Julgamento, protocolizada em unidade da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) de sua jurisdição, nos termos do disposto nos arts. 14 a 16 do Decreto no 70.235, de 1972.

QUAL a importância do Imposto de Renda para um país, para onde vai este dinheiro? O PAGAMENTO de tributos é um dever do cidadão, assim como é um dever do Estado informar para onde vão os recursos recolhidos. Os tributos são fundamentais para promover o crescimento econômico e o desenvolvimento social de qualquer País. O dinheiro que cada contribuinte paga em tributos é utilizado diretamente pelos Governos: Federal, Estadual e Municipal nas suas administrações. O Imposto de Renda, por exemplo, é de extrema importân-

O CIDADÃO assalariado também deve dar alguma resposta à Receita Federal? SIM. Quem é assalariado que recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma anual foi superior a R$ 25.661,70 ou recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00. COMO se faz a Declaração? AS DECLARAÇÕES podem ser feitas por meio de computador, com o Programa Gerador da Declaração (PGD) relativo ao exercício de 2014. O programa está disponível no site da Receita Federal do Brasil. Também é possível enviar a declaração por dispositivos móveis, como tablets e smartphones, com o aplicativo m-IRPF, disponível nas lojas de aplicativos Google Play (para sistema Android) e App Store (sistema iOS).

cia quando destinados à saúde, à educação, a programas de transferência de renda e de estímulo à cidadania, como o Fome Zero e o Bolsa Família. O IMPOSTO de Renda é justo no Brasil ou é mais um pacote da nossa injusta carga tributária? O ATUAL sistema tributário brasileiro é complexo, injusto e burocrático, principalmente em produtos essenciais como a cesta básica e medicamentos. Imagine que uma dona de casa vai ao mercado comprar um pacote de açúcar e 40,5% do que ela paga são impostos, isso tem que mudar. Desde 1965, até os dias atuais, o tema recorrente é a Reforma Tributária, porque aquele sistema que se modelou em 1965, não obstante fossem identificadas bases econômicas bastante importantes para tributação, já sofreu uma profunda influência política no seu delineamento e precisa de uma reforma urgentemente. Apesar de tudo não acreditamos que o Imposto sobre a Renda das Pessoas Físicas – IRPF – é universalmente considerado o tributo mais justo, pelo menos em teoria, haja vista que se baseia na aplicação dos princípios da equidade horizontal (mesma alíquota para pessoas de mesma classe de renda) e da equidade vertical (diferentes alíquotas para pessoas de classes de renda diferentes). Na verdade, no Brasil o maior problema não é a carga tributária alta, mas sim a falta dos serviços básicos funcionando a contendo, por exemplo, o contribuinte paga 02 (duas) vezes a saúde, a educação, a segurança etc., pois paga através dos tributos e ainda tem que pagar plano de saúde, escola particular e segurança privada, dentre outros, ou seja, o que mais se reclama no Brasil não é da carga tributária, mas sim a sua aplicação, principalmente, nos serviços básicos à disposição da população menos favorecida. O SISTEMA utilizado pela Receita Federal é seguro. Quais as chances de o cidadão ter seus dados vazados na internet? A RECEITA Federal vem sempre melhorando os seus sistemas de recepção e armazenamento de dados, que sem nenhuma dúvida, hoje, tem um dos sistemas mais moderno e mais seguro do mundo, é claro que falhas poderão acontecer, mas em resumo, o sistema da Receita Federal é seguro e não temos observado vazamento de dados, a não ser quando algum servidor age de má-fé, mas esses casos são raríssimos.

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

5


Abertura diocesana

Campanha da Fraternidade

2014 CF é aberta neste domingo, 9, com caminhada de fiéis nas ruas de Mossoró e missa presidida por bispo na Catedral de Santa Luzia; dom Mariano também participa de coletiva de imprensa nesta segunda-feira

)) “É para a liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5,1)”

6

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014


Abertura diocesana

T

radicionalmente, após o término do Carnaval, se dá início ao período da Quaresma, que é marcado entre outras coisas pela abertura oficial da Campanha da Fraternidade. A CF 2014 traz como tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e como lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5,1)”. O bispo da diocese de Mossoró, dom Mariano Manzana, esteve na última semana participando de um encontro de bispos em Recife, para tratar de algumas ações que serão realizadas durante a campanha, que aqui na cidade será aberta oficialmente nesta segundafeira, dia 10, com uma coletiva de imprensa. DOMINGO conversou com a coordenadora da Campanha da Fraternidade na diocese de Mossoró, Ana Maria Dutra, que adiantou algumas ações que serão realizadas dentro da programação da CF em Mossoró. Segundo Ana Dutra, neste domingo, 9, acontece a Abertura Diocesana da Campanha com uma passeata que percorrerá algumas ruas de Mossoró em direção à Catedral de Santa Luzia. A concentração acontecerá na Avenida Rio Brando, próximo ao Vuco-vuco, com a reunião de representantes de paróquias, das pastorais, e inclusive de toda a sociedade que está convidada a participar. Concentrados a partir das 8h da manhã, os fiéis seguem em caminhada para participar da missa das 9h, presidida pelo bispo diocesano, dom Mariano Manzana. Como já foi dito, a Diocese de Santa Luzia de Mossoró receberá representantes de veículos de comunicação da cidade a partir das 9h, na Unidade de Convivência da Família, antigo Peti, na Avenida Alberto Maranhão, em frente à Escola Municipal Professor Antônio da Graça Machado. Também participarão da coletiva autoridades mossoroenses. Ana Dutra explica que a programação fica sob responsabilidade das paróquias, que realizarão dentre outras ações encontros em família nas casas de fieis e praças. “Ao todo são nove encontros, cada um com um tema dentro da temática central da campanha. Cada paróquia vai realizando seu calendário de atividades”, comenta. Os interessados em se aprofundar mais sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2014, podem adquirir material de estudo em livrarias católicas, que contam com uma grande variedade de materiais sobre a CF. Outra ação que deve ser realizada dentro da programação será a represen-

)) Bispo dom Mariano Manzana participou na última semana de encontro de bispos em Recife para tratar da CF 2014 tação da Via Sacra nas ruas da cidade. Também serão promovidos trabalhos educativos nas escolas orientando sobre o tema central da CF, que é o tráfico humano. No dia 29 de março, a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, no Abolição III, promoverá um seminário, que será realizado na capela de São Francisco. Anualmente, durante a CF é realizada a Coleta da Solidariedade, que acontece no Domingo de Ramos, abertura da Semana Santa, que neste ano cai no dia 13 de abril, no qual todos os dízimos e ofertas recebidos pela Igreja Católica são recolhidos para a Campanha da Fraternidade. E, segundo Ana Dutra, excepcionalmente, neste ano, toda verba recolhida na Coleta da Solidariedade será destinada ao setor de Cáritas.

TRÁFICO HUMANO O objetivo geral da campanha é identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus. A escolha do tema surgiu com a proposta dos Grupos de Trabalhos de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e de Combate ao Trabalho Escravo, junto à Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB) e a entidades ligadas à Pastoral da Mobilidade Humana. A situação do tráfico humano no país e no mundo é alarmante: a Organização Internacional do Trabalho (OIT) atenta para o aumento de vítimas do trá-

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

7


Abertura diocesana fico humano, do trabalho forçado e do tráfico para a exploração sexual. De acordo como site da Organização das Nações Unidas (ONU), no Brasil, o tráfico de pessoas faz cerca de 2,5 milhões de vítimas por ano, incluindo homens, mulheres e crianças, mas principalmente pessoas vulneráveis e carentes – psicologicamente e de recursos. De acordo com informações divulgadas pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a partir de dados da ONG Walk Free, são 30 milhões de pessoas no mundo exploradas pelo tráfico humano. Já segundo a Organização Internacional do Trabalho, são 20 milhões no mundo, 1,8 milhão na América Latina. Deste total, 74% são adultos e 26% têm menos de 18 anos, sendo 55% mulheres e 45% homens. Uma rede de crime organizado que movimenta 32 bilhões de dólares (quase R$ 70 bilhões). Entre os principais países onde ocorre o tráfico humano, estão a Índia (14 milhões de casos), China (3 milhões), Paquistão (2,1 milhões), Nigéria (705 mil) e Etiópia (650 mil), a maioria com a finalidade de trabalho forçado e exploração sexual. No Brasil, não há dados precisos sobre o tráfico humano. Segundo relatório feito pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), entre os anos de 2007 e 2010, foram relatados cerca de 5 mil casos, a maioria para trabalho escravo. O número levou à criação da Rede Um Grito pela Vida, vinculada à CNBB e à Conferência de Religiosos do Brasil (CRB), com 22 núcleos espalhados em 19 estados.

)) Ana Dutra, coordenadora da

campanha na Diocese de Mossoró

# Objetivos específicos da CF 2014 1. Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos que sofrem com essa exploração.

2. Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano. 3. Reivindicar, dos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção das pessoas atingidas pelo tráfico humano na vida familiar e social.

4. Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania das pessoas em situação de tráfico.

5. Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador dessa realidade aviltante da pessoa humana.

6. Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vítimas desse mal.

8

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

Oração da Campanha da Fraternidade Ó Deus, sempre ouvis o clamor do vosso povo E vos compadeceis dos oprimidos e escravizados. Fazei que experimentem a libertação da cruz e a ressurreição de Jesus. Nós vos pedimos pelos que sofrem o flagelo do tráfico humano. Convertei-nos pela força do vosso Espírito, E tornai-nos sensíveis às dores destes nossos irmãos. Comprometidos na superação deste mal, Vivamos como vossos filhos e filhas, na liberdade e na paz. Por Cristo Nosso Senhor. Amém!


Segurança )) Problemas com o atraso de entregas de produtos e serviços ocupam lugar de destaque no ranking de reclamações

Defesa do

consumidor

Caso aprovado, projeto proposto na Assembleia Legislativa visa acabar com atrasos na entrega de produtos e realização de serviços no RN, obrigando empresas a definir data e hora da entrega

U

m projeto de lei apresentado na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte visa facilitar a vida dos consumidores de todo o Estado. Proposto pelo presidente da AL, deputado Ricardo Motta (PROS), o projeto pretende obrigar os fornecedores de bens e serviços localizados no RN a fixar data e turno para a entrega dos produtos ou realização dos serviços aos consumidores, sem que eles não tenham de pagar nada a mais para receber essa garantia. Segundo dados apresentados na Assembleia, os problemas com o atraso de entrega de produtos e serviços ocupam lugar de destaque no ranking de reclamações registradas pela Secretaria Na-

cional do Consumidor (SENACON). As falhas na entrega estão ligadas, sobretudo, à incapacidade dos fornecedores em atender a demanda que geraram. Além das sanções administrativas, o Programa de Defesa do Consumidor do Rio Grande do Norte (PROCON-RN) tem trabalhado junto aos fornecedores para ajustar condutas. Porém, muitas empresas, utilizando-se de má fé para ludibriar o consumidor, alegam que não há lei impondo obrigações no sentido de coibir esses atrasos. “O projeto tem o intuito de inovar positivamente para garantir ao consumidor que seus direitos sejam efetivamente resguardados. Temos relatos de pessoas que perderam um dia de traba-

lho esperando a entrega de algum bem ou execução de um serviço ou que tiveram que recorrer à Justiça para assegurar seus direitos de consumidor. Queremos evitar essas situações, na medida em que, no ato da compra, as empresas terão que marcar o dia e o turno para procederem a entrega”, afirmou o deputado Ricardo Motta.

)) Ricardo Motta, presidente da Assembleia Legislativa, é o autor da proposta

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

9


Segurança adquirido em outro Estado. Mesmo assim, ele afirma que conhece muitas pessoas que passaram por problemas semelhantes, perdendo dia de trabalho ou atrasando a reforma ou decoração da casa, devido à falta de compromisso das empresas. “Tudo que vem no sentido de melhorar a nossa vida enquanto consumidores é bem-vindo. Sou favorável, uma vez que a maioria da população trabalha de segunda a sábado e muitas empresas só disponibilizam o horário comercial para fazer suas entregas. É mais fácil perder uma hora do trabalho do que um dia inteiro. E as empresas abusam mesmo nessa questão de entrega. Infelizmente, muitas empresas só dão o respeito merecido pelo cliente até a momento de fechar a compra, depois temos que esperar pela boa vontade dos comerciantes”, frisa. Já a dona de casa Anair Azevedo conta que comprou sua cozinha um ano antes de casar, mas como a casa estava em reforma, deixou os armários na loja. Terminada a reforma, Anair entrou em contato com a loja para agendar a entrega e sou-

be que uma das peças estava em falta. “Foi uma grande frustração, porque comprei antes justamente para não ter problema. Casei e meus utensílios de cozinha ficaram numa estante de livros e dentro de caixas até eles virem montar, dois meses depois do prazo combinado”, comenta. A operadora de caixa Magna Lidiane também sofreu com o descaso das empresas que atuam no comércio mossoroense. “Comprei uma cama box e um rack e a loja cobrou pela entrega e montagem, afirmando que a empresa responsável pelo serviço era terceirizada. Paguei e, quando recebi, percebi que a cama apresentava alguns defeitos, procurei a loja, que trocou o produto mais duas vezes até eu receber uma cama como eu havia comprado, mesmo assim tive de pagar pelas outras duas entregas e cada vez eles aumentavam mais a taxa. Além disso, ainda tive problema com o prazo, porque a empresa alegou que não tinha o produto no estoque e eu tinha que esperar 15 dias, mas só recebi 22 dias depois”, relata.

)) Designer gráfico Hemilky

Souza diz que tudo que facilite a vida do consumidor é bem-vindo No ato de finalização da contratação de fornecimento de bens ou prestação de serviços, o fornecedor entregará ao consumidor documento por escrito contendo as seguintes informações: identificação do estabelecimento, da qual conste a razão social, o nome de fantasia, o CNPJ-MF, o endereço e o número do telefone para contato; descrição do produto a ser entregue ou do serviço a ser prestado; data e turno em que o produto deverá ser entregue ou realizado o serviço; endereço onde deverá ser entregue o produto ou prestado o serviço. No caso de comércio à distância ou não presencial, eletrônico ou não, o documento deverá ser enviado ao consumidor, previamente à entrega do produto ou prestação do serviço, por meio de mensagem eletrônica, fax ou correio. CONSUMIDORES INSATISFEITOS O designer gráfico Hemilky Souza diz que já sofreu com a entrega de uma central de ar, mas no caso dele, o produto foi 10

)) Magna Lidiane teve de trocar uma cama box três vezes por problemas no produto, pagou as três entregas e ainda sofreu com um atraso de 22 dias

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014


Comportamento

A

luta

contra o Projeto da

Nasemanainternacional da mulher, feministas lutam contra o projeto de lei do deputado carioca Jean Wyllys, que trabalha pela legalização daprofissãodeprostituta e descriminalização das casas de prostituição.

Prostituição A

s mulheres conseguiram avanços significativos na luta pela igualdade de gênero no Brasil nos últimos anos. Elas que representam mais de 50% da população, aos poucos, percebem a força e a importância social que têm. Ainda assim, são tratadas como minoria e com discriminação. A Lei Maria da Penha é considerada um dos maiores progressos na luta recente no País, no entanto, para o Centro Feminista 8 de Março (CF8) ainda há muita resistência

por parte das corporações e da própria Justiça. Como se não bastasse essa lentidão em ter reconhecidas questões fundamentais, as feministas lutam agora contra projetos que fingem defender a igualdade, mas, a seu ver, só contribuem para o aumento da repressão. É o caso do projeto de Lei n° 4.211/2012, do deputado ex-BBB Jean Wyllys (PSOL/RJ), conhecido como Lei Gabriela Leite. A proposta regulamenta a prostituição no Brasil e assegura às

profissionais do sexo o direito ao trabalho voluntário e remunerado. O texto descriminaliza as casas de prostituição e autoriza até mesmo a cobrança de valores devidos na Justiça, nos casos em que os clientes não pagam o preço combinado. E aí é onde está o problema na visão do CF8. Longe de querer limitar a mulher de seus direitos, o Centro Feminista acredita que a prostituição não é uma escolha, mas falta de oportunidade. “Na maioria

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

11


Comportamento dos casos, as mulheres são pobres, têm baixo índice de alfabetização ou sofreram violência sexual”, diz a coordenadora de projetos do CF8, Rejane Medeiros. “São poucas as que se dizem prostitutas por definição e nós trabalhamos pela maioria, além do que, a prostituição é uma questão de classe, porque a maioria das mulheres é pobre”, complementa. A questão mais grave nesta situação, segundo o CF8 é a parte que “descriminaliza as casas de prostituição”. De acordo com Rejane, isso potencializa o trabalho dos cafetões e reduz ainda mais a circunstância da mulher. O tema volta à tona justamente na semana em que a Igreja anunciou o tema da Campanha da Fraternidade, que neste ano luta contra o “tráfico humano”. O Centro Feminista acredita que a liberação dos bordéis aumenta este crime, tendo em vista que o seu produto principal é o humano, em sua maioria a mulher. Tentativas Essa não é a primeira tentativa de regularizar a situação das prostitutas brasileiras. Em 2003, o então deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) tentou tirar a proposta do papel, mas o projeto foi arquivado pela Mesa Diretora da Câmara. No ano seguinte, o hoje ex-deputado petista Eduardo Valverde (RO) também apresentou proposta semelhante, mas a ideia teve o mesmo destino. Reação De acordo com o Correio Braziliense, a crescente bancada conservadora da Câmara dos Deputados promete uma ofensiva contra o avanço desse projeto, o que representa um desafio à aprovação da proposta. O número de parlamentares de perfil mais progressista encolheu, mas eles prometem uma atuação combativa em defesa das chamadas causas polêmicas. Além da regulamentação da prostituição, devem ser enfrentados temas como a descriminalização da maconha e da homofobia e o casamento civil igualitário. A polêmica ganhou força quando, em defesa do projeto, Wyllys afirmou que 60% dos parlamentares recorriam aos serviços das prostitutas. “Os deputados têm medo de se aproximar das chamadas causas polêmicas, como as que envolvem os direitos LGBT, a defesa das religiões de matriz africana, a briga pelos direitos das prostitutas, dos adolescentes infratores, a legalização da maconha, do aborto ou das células tronco. Os deputados temem ser estigmatizados e por conta desse temor abrem mão de brigar por cidadania”, reclamou Jean Wyllys.

12

#Rápidas Entenda

)) O que diz o projeto

O Projeto 4.211/2012 classifica como profissional do sexo toda pessoa maior de 18 anos que presta serviços sexuais mediante remuneração. A proposta estabelece que esse serviço é passível de cobrança de pagamento, mas proíbe a exploração sexual, que seria a apropriação de mais de 50% do valor auferido com o serviço sexual. Pela proposta, a prostituta poderia trabalhar como autônoma, coletivamente em cooperativas ou em casas de prostituição — que passariam a ser permitidas. O projeto também concede às prostitutas direito de aposentadoria especial aos 25 anos.

#Rápidas Saiba mais

))

Gabriela Silva Leite foi uma paulista nascida em 1951, socióloga e prostituta brasileira. Atuou na Boca do Lixo, em São Paulo, Zona Bohemia, em Belo Horizonte e da Vila Mimosa, no Rio de Janeiro. Estudou Ciências Sociais na Universidade de São Paulo, mas não chegou a concluir, começou a cursar em 1969. Fundou a ONG “Davida”, que defende os direitos das prostitutas, a regulamentação da profissão e foi contra a ideia de vitimização, de tratar a prostituição apenas como falta de opção para mulheres em situação de pobreza. Foi também a idealizadora da grife Daspu, desenvolvida por prostitutas, e cujo nome é uma provocação à Daslu, a maior loja de artigos de luxo do Brasil, pertencente à empresária Eliana Tranchesi. Morreu no Rio de Janeiro, aos 62 anos, em 10 de outubro de 2013, vítima de câncer.

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014


sua carreira

RafaeL DemeTRiUs

10 dicas para ajudar a escolher sua carreira

Q

uando chega a hora de decidir por qual caminho levaremos nossa carreira, uma porção de x dúvidas pode surgir e, ao contrário do que muitos pensam, esse momento não é apenas para os recém-formados do ensino médio. Escolher qual é a carreira que vai lhe acompanhar é tarefa de gente grande e não tem idade predefinida. Se você não sabe muito bem por onde começar, aí vão 10 dicas que podem facilitar a sua escolha: 1 Cuidado com os testes vocacionais Os testes vocacionais podem ser um excelente ponto de partida, porém não devem ser fator decisivo na escolha. Lembre-se que esses testes são padronizados, mas pessoas não. Portanto, não se prenda aos resultados; use-os como direcionadores, mas nunca como principal ponto de decisão. 2 Informe-se Leia, vá a palestras, eventos, veja vídeos, sugue toda informação que puder sobre suas possíveis opções. Informarse de todos os aspectos relevantes sobre sua futura carreira é um passo importante para auxiliá-lo em sua escolha. 3 Nem tudo é definitivo Não se preocupe e muito menos se pressione com a famosa frase: essa é uma escolha para a vida toda. Definitivamente, não é! Se em algum momento você notar que a profissão que escolheu não é a que te faz brilhar os olhos e decidir seguir para outro rumo, siga! É perfeitamente comum perceber apenas depois de ingressar no mercado de trabalho que aquela não era a sua área dos sonhos, então, por que se prender a algo que não te faz feliz? 4 Curso x Mercado de Trabalho Não se impressione com tudo que é dito em cursos de especialização, técnicos e até mesmo em graduações, as vivências do mercado de trabalho são bem diferentes das passadas em sala de aula. Converse com profissionais que já trabalham na área e conhecem as práticas do mercado para tirar suas dúvidas, te apresentar rotinas e que te auxilie a descobrir os pontos positivos e negativos da tal profissão.

5 Impacto financeiro Sabemos que o retorno financeiro é um dos pontos de maior relevância na escolha de uma carreira, porém não pode ser o fator de maior peso na balança. Nem sempre o que te dá prazer profissionalmente pode rechear sua conta bancária. Porém, digo com certeza: o que é feito com gosto e paixão gera melhores resultados pessoais e profissionais e os cifrões são consequência! 6 Diálogo com os pais Converse com seus pais, tios, avós, ou quem quer que lhe dê apoio e segurança. Abrir seus pensamentos e anseios com quem te conhece bem pode ser uma boa opção para abrir leques de possibilidades e acertar na escolha. 7 Projeto de vida Sua carreira não diz somente a respeito de quem você é no trabalho; ela será seu projeto de vida. O que você vai fazer? Como vai fazer? Para quê e para quem vai fazer? Com quem vai compartilhar suas ações? Todas essas perguntas e outras mais farão parte do projeto que traçará a partir de agora. 8 Disciplina Para tudo que deseja ser bem-sucedido exige-se esforço e disciplina. Esteja ciente que estabelecer rotinas e até mesmo algumas regras serão importantes para chegar ao patamar que deseja. 9 Curso técnico Se você já imagina o que deseja seguir mas ainda está cercado por algumas dúvidas, optar em fazer um curso técnico antes da graduação pode ser uma solução. Busque cursos que se assemelham com a possível área escolhida, as disciplinas e o dia a dia vão mostrar aos poucos se é realmente o que você espera. 10 Passo a passo Relacione todas as profissões que existem na sua família. Relacione as profissões que você um dia pensou em escolher. Analise quais foram os interesses que levaram você a escolher cada uma delas. Escreva quais são os fatores que mais pesam na sua escolha profissional: influência da família, mercado de trabalho, questão financeira etc.. Escreva de um lado as atividades que lhe dão prazer e do outro as que você tem que fazer por obrigação. Relacione as características pessoais que você tem que ajudam no seu relacionamento interpessoal, como: disposição, bom humor... Escreva as suas habilidades com as quais você tem facilidade e gosta de executar: inglês, cálculo, computação. Converse com profissionais da área que você escolheu para conhecer a rotina de trabalho da profissão. Planeje metas do que você deseja alcançar com a sua profissão.

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

13


adoro comer

DaVi moURa

1

A coluna de hoje está superespecial!vive o homem: Estou de casa nova, vida nova, tudo novo. Sensação boa, de recomeço mesmo. Obviamente já comecei a receber, aos poucos, uns amiguinhos no meu ninho, minha mãe, meus irmãos. Sensação de dever cumprido. Hoje contarei um pouquinho das minhas aventuras na cozinha da minha casa. Quero começar com algumas lições que tirei nestes primeiros dias. É incrível como todo mundo te ajuda com dicas, mas na hora H, você tem que se virar mesmo. Acompanhe: - Nem só de micro-ondas vive o homem: micro-ondas salva sua vida, mas você não pode comer comida congelada o resto da vida. Não há nada melhor do que o cheirinho da cebola na manteiga ou a emoção de ver o seu molho ficar pronto. Em suma, ajeite o seu fogão antes de qualquer coisa; - Geladeira organizada: uma das coisas que eu mais dizia a mim mesmo era que minha geladeira seria superorganizada, independente do que acontecesse. E até então, so far so good. Não é difícil, é só não ter preguiça. A regra principal é não deixar nenhum alimento aberto na geladeira. Use e abuse de vasilhas de plástico e papel filme para cobrir a comida; - Gelágua: enganei-me amargamente achando que, por morar sozinho, iria precisar apenas de 3 garrafinhas de água na geladeira. Quem mora desse jeito, acaba recebendo mais pessoas em casa. O resultado é uma rotatividade imensa de garrafas de água e nenhuma acaba gelada. A parte boa de comprar um gelágua é que cada um se serve e você não fica de garçom de ninguém, cada um se serve como quiser; - Consuma rápido, consuma agora: para não ter nada estragado na geladeira, o lance é consumir em poucos dias o que abrir. No primeiro dia de dormida, comprei um Ades Frapê de Coco – delicioso, por sinal, muito embora minha mãe tenha odiado – e estou tomando pelo menos um copo por dia. Dessa forma, ele não vai estragar e eu não vou perder o alimento. Em casas com muitas pessoas, não há essa preocupação, mas morando sozinho a coisa muda. Consuma rápido para não correr o risco de azedar ou criar monstrinhos na sua geladeira; - Vá sem fome ao supermercado: essa é a regra geral, mas funciona ainda mais para o morador solitário. Geralmente, na casa dos pais, a gente enche o carrinho com muitas bobagens e acaba esquecendo o principal. Na sua feira, tente focar no que é importante e se dê o luxo com pequenas coisas. Exemplo: não deixei de comprar o arroz e o macarrão que são sempre necessários, mas comprei meu molhinho agridoce e uma caixa de Polenguinho;

- Sujou, limpe: regra simples e clara. Nada pior do que uma pia imensa, cheia de louça. Sujou, seja o que for, limpe. Independente se for a louça inteira do jantar ou uma faquinha de um bolo que você cortou, lave e guarde sempre. Sua cozinha ficará sempre arrumada e a sensação de casa limpa é excelente. De manhã, após o café, lave tudo. Você nunca sabe se vai voltar com alguém pra casa e vai ter que sair correndo pra esconder a sujeita; - Bagunçou, arrume: mesma regra do anterior. Tirou um liquidificador do canto, guarde no mesmo canto. Não tem outra; - Use suas coisas, sempre: li em um canto alguma vez que todas as louças deveriam ser sempre usadas. Em outras palavras: não adianta guardar a sua porcelana chinesa ou os seus copos de cristal para usar em ocasiões especiais – na maioria das vezes, essa ocasião nunca chegará. Use sempre, mesmo que seja pra comer um pão com manteiga; - Álcool, sim. Todo dia? Não! Pode beber sim, claro, óbvio! Todo dia? Não, lógico. Você está morando sozinho para ter mais responsabilidade e não para encher a cara de cana e sair quebrando tudo. Tenha responsabilidade, imponha suas próprias regras; - Carnes práticas, cortes prontos: na hora de comprar suas carnes, se possível, queira praticidade. Procure o frango já pronto, a carne sem gordura, tudo que seja prático o bastante pra sair do congelador e ir direto pro fogão. Você jamais vai querer chegar cansado de trabalhar o dia todo e ter que desossar um frango. Haja paciência e boa vontade pra isso; - Estoque comida: depois que cai a ficha que não existe mais mamãe em casa pra fazer comida e que a comida também não vai se fazer sozinha, você acaba dando mais valor a cada docinho que ganha. Quando sua mamãezinha falar: "quer levar comida pra casa"? Responda sempre que sim. Na hora, com o bucho cheio, você nem pensa direito. Mas de noite, quando a fome apertar, você dará graças a Deus aquela tigela de comidinha pronta pra ser colocada no micro-ondas; - Deixe a parte difícil pronta: quer tapioca? Deixe a massa pronta no dia anterior. Sabe que vai cozinhar e tá picando cebola? Pique mais que dê mais um dia. Seja criativo com seu tempo na cozinha. Se tem mais tempo, faça mais coisas. Quando o tempo for curto, você vai agradecer; - Comida congelada, sim: mesmo com os teores de sódio altíssimos, vai chegar um dia que você estará cansado de viver e vai acabar optando por esse tipo de comida. É uma mão na roda! E aí, o que achou? Você já passou por essa experiência antes? Conte-nos!

- Light, por favor: dá pra conseguir obter as versões mais leves de quase todos os alimentos. Não é por razões de "vou morar sozinho" que você tem que comer o mundo de gordura. Tiro por meus exemplos: açúcar demerara ao invés de açúcar refinado; sal de ervas ao invés de sal normal; ervas desidratadas e temperos naturais ao invés de caldo de galinha ou temperos prontos; sucos e polpas de fruta ao invés de refrigerantes, até porque eu nem tomo; e assim vai;

Aproveite e acesse o http://blogadorocomer.blogspot.com para conferir esta e outras delícias! 14

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014


Penne ao alho negro e dendê

adoro adoro comer comer

by chef chef Angélica Vitali

iNGRedieNTes • 500g de macarrão tipo penne • 500ml de creme de leite fresco • 250ml de leite de coco • 10ml de azeite de dendê • 2 cabeças de alho negro picadas • 100g de bacon picado • Meia cebola picada • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem • Sal a gosto

MODO DE faZeR • Cozinhe o penne conforme as instruções da embalagem e reserve; • Em outra panela, doure a cebola e o bacon no azeite de oliva; • Acrescente o creme de leite, o leite de coco, o azeite de dendê e mexa; • Adicione o alho negro picado e mantenha o cozimento em fogo médio por dez minutos; • Se necessário, corrija o sal; • Misture o penne ao molho e sirva.

Jornal de Fato | DOMINGO, 9 de março de 2014

15

Revista de Domingo nº 646  

Revista semanal do Jornal de Fato

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you