Page 1

Fev. de 2 0 1 9/ Out . d e 2 019 | Ano X I - N° 78 | Dist ri b u i ç ã o Gratu i ta

Foto: Gustavo Ferreira/ 2009

Ruínas?

EXCLUSIVO:

Solidariedade: Foto: Arquivo Pessoal - Carina Rezende

Foto: Juliana Martins

Após derrota no STF, Furnas apresenta projeto de restauro da Estação Ferroviária de Chiador PÁG. 3

Gincana da Santa Teresa arrecada alimentos, que foram doados a instituições de Três Rios PÁGs. 2 e 7

Pesquisa de Mestrado da UFRJ também aborda a importância da primeira estação de Minas Gerais PÁG. 4 (32) 999 526318 (novo!)

jornaldechiador@gmail.com

facebook.com/jornaldechiador


Sobre a solidariedade Calen dário

Rosimar de O. Reis

Recados

Foto: Divulgação

É muito importante pra nós enquanto Associação essas iniciativas, pois promovem a inclusão e nosso trabalho. E isso também auxilia no social dos nossos assistidos. Essa parceria deu tão certo que estamos articulando um dia de atividades com a escola. Levaremos nossos assistidos e conheceremos um pouco da rotina e

Parabéns à Yasmin! Fábio Mattos

Com carinho

Fotos: Arquivo pessoal

Completou no último dia 03 de março, 11 anos, a minha amada afilhada Yasmin. Desejo a ela muita

Comu nidade

atividades que acontecem lá na escola. [Estamos] certos de que essa é a maior intenção da Associação Luz do Amanhecer, promover uma inclusão pautada em valores de respeito, solidariedade, diversidade e muito amor. (*) Rosimar de Oliveira Reis, fundadora e tesoureira da Associação Luz do Amanhecer, de

Três Rios – uma das entidades que receberam doação de alimentos arrecadados pela Gincana Estudantil Solidária promovida pela Escola Municipal Santa Teresa, de Chiador. Além da Luz do Amanhecer, o Asilo São Jorge foi beneficiado com as doações. Leia notícia completa na página 7

Campo da Parada Braga vai receber iluminação

O campo de futebol da Parada Braga receberá iluminação pública. Os postes foram recebidos recentemente, pela comunidade, e a melhoria deve ser inaugurada no próximo dia 26 de outubro. Yasmim, aniversariante do mês de março. Envie você “Nós conseguimos também a sua homenagem! dez patrocinadores, que nos ajudaram com certa quantia, para comprar os Obras de implantação dos postes e refletores, na Parada Braga postes, juntamente com os refletores”, informa o destacou que essa é a do mundo das drogas. vereador Russo, presidente primeira vez que um A inauguração dos da Câmara. Segundo ele, campo de futebol do refletores deve contar com Paz e Saúde! Beijos, do os colaboradores terão município terá refletores. a presença do deputado dindo que lhe ama muito, os nomes divulgados no O incentivo ao esporte estadual Noraldino Fábio. muro da escola. visa, principalmente, Junior, disse Russo. (DA Ao JC, o parlamentar afastar crianças e jovens REDAÇÃO)

EXPEDIENTE JORNAL DE CHIADOR é um veículo comunitário e sem fins lucrativos editado pela Associação Comunitária Amigos do Jornal de Chiador. CNPJ 10.966.847/0001-89

Editor/ Jornalista Responsável: Rodrigo Galdino - MTb 15.219/MG | Projeto Gráfico: Marcela Viana | Diagramação: Rodrigo Galdino | Periodicidade: Indeterminada Colaboradores: Jhony Silva, Ana Luisa Furtado Silva, Eric Silva, Gustavo Ferreira, Fábio Grades, Carla Izidora, Rosimar de Oliveira Reis, Fábio Mattos, Russo, Carina Rezende, Neuza Maria da Silva, Lívia Souza, Juliana Martins, Rodrigo Galdino, Carlos Henrique Izidoro Ferreira APOIO: Comunidade e comerciantes de Chiador TIRAGEM: 1.000 exemplares | PERIODICIDADE: bimestral E-mail: jornaldechiador@gmail.com WhatsApp: 32 999 526318 (novo!) Facebook: facebook.com/jornaldechiador

“Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião da equipe editorial do JC”

2

JC - Ano XI - n° 78 Edição finalizada em 08/10/2019, às 20h30


Especial

Após determinação do TJMG, confirmada pelo STF, Furnas apresenta projeto para restauro da estação ferroviária Rodrigo Galdino

A estatal Furnas obrigada pela Justiça a restaurar a Estação Ferroviária de Chiador, como medida compensatória pela construção da Hidrelétrica de Simplício - apresentou no começo de 2019 o termo de referência para elaboração do projeto. A informação foi obtida pelo JC, em entrevistas com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e com o Ministério Público (MPMG). Segundo os órgãos, o andamento do processo depende agora de manifestações formais da prefeitura, do Compacchi (Conselho Municipal do Patrimônio Cultural) e do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que precisam analisar o teor dos documentos apresentados. Só depois, será dado início às obras. Procurados, a prefeitura e o Iphan não responderam nossos questionamentos. Já o Compacchi enviou ata de reunião realizada em maio, na qual os conselheiros, por unanimidade, aprovaram o projeto apresentado. Em abril deste ano, a Coordenadoria das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico do MPMG emitiu Parecer Técnico, a pedido da Promotoria de Mar de Espanha, sobre os documentos apresentados

por Furnas - que incluem, além de termo de referência, um caderno de estudos preliminares e o levantamento, diagnóstico e anteprojeto para viabilizar o restauro da estação ferroviária. Na Nota Técnica, à qual o JC teve acesso, o MP aprova a proposta da empresa. “Trata-se de um documento bem completo que atende de forma satisfatória ao objetivo proposto”, diz o Ministério Público sobre o termo de referência, que prevê a contratação de empresa, por Furnas, “para elaboração de projeto básico de revitalização da estação ferroviária, visando oferecer subsídios à posterior execução da obra de revitalização e restauração do bem cultural”. “A partir do termo de referência, que precisa ser complementado em um item [a restauração da plataforma existente do lado oposto da linha férrea, que também integra o bem cultural, conforme a Nota], o Compacchi e Iphan devem analisar e aprovar. Como o termo de referência está bem amplo e completo, caso seja aprovado do jeito que está, o projeto de reconstrução já estará encaminhado. Protocolado o projeto, o Iphan e Compacchi precisam aprovar oficialmente para início

Foto: Gustavo Ferreira/2009

As ruínas da estação ferroviária, a primeira de MG das obras”, disse ao JC o promotor de Justiça de Mar de Espanha Júlio Crivelllari. “Embora o TJMG tenha julgado a apelação do MPMG condenando Furnas a reconstruir a estação em 2014, o trânsito em julgado no STF só ocorreu em 2017. Paralelamente ao trâmite judicial da execução da ação, o Ministério Público vem, ao longo desses anos (desde 2015), adotando providências extrajudiciais (expedindo ofícios, participando de reuniões e audiências públicas), para dar encaminhamento positivo ao caso, o qual não depende só de Furnas, mas do Iphan e do Compacchi, os quais precisam analisar e aprovar previamente os pré-projetos, projetos etc”, complementa o promotor.

preveem a restauração integral do conjunto arquitetônico e paisagístico da estação ferroviária, tal qual determinado pela Justiça. A obra deverá contemplar os armazéns, os torreões laterais e a casa do agente, além da completa revitalização do entorno. Em reunião realizada em 2018, o Compacchi decidiu que, uma vez restaurada, a estação deverá abrigar as sedes das secretarias municipais de Turismo e Cultura, um pequeno museu para contar a história do município e de seu povo, salas para exposições itinerantes, feiras e reuniões, além de lanchonete, vestiário com banheiros, fraldário e sala multiúso.

Justiça A expectativa pela A obra restauração da estação de Os documentos Chiador é antiga. Furnas apresentados por Furnas, foi obrigada pela Justiça e aprovados pelo MPMG, a providenciar o restauro conforme decisão

3

proferida pelo TJMG, em 2014, e confirmada pelo Superior Tribunal Federal (STF), em 2016, quando o órgão máximo da Justiça brasileira negou o pedido de recurso interposto pela empresa. A importância da estação é abordada, inclusive, em projeto de Mestrado da UFRJ (leia na página 4). “No entendimento do MPMG, se Furnas quisesse abreviar todo esse processo, ela poderia, como por exemplo, nesse caso do termo de referência, protocolar cópias do termo junto ao Iphan e ao Compacchi para análise e aprovação”, afirma o promotor Júlio. Em nota, Furnas informou que “o Termo de Referência para contratação de empresa responsável pela fase de desenvolvimento do Projeto Básico de restauro integral do Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Estação Ferroviária de Chiador está sendo revisado para atender as exigências de órgãos fiscalizadores. O documento foi redigido de forma a assegurar que a obra observe os requisitos da Prefeitura de Chiador, do Ministério Público e do Iphan”. A empresa também acrescenta que “informações sobre custo da obra e cronogramas serão definidas tão logo o Projeto Básico esteja concluído”.


Entre vista

Em pesquisa acadêmica, aluna de Mestrado da UFRJ aborda a Estação Ferroviária de Chiador Juliana Martins

Quem é você e qual sua relação com Chiador? Eu sou Thais Motta, tenho 27 anos, sou Arquiteta e Urbanista, tenho especialização em Gerenciamento de Obras e Projetos e estou cursando o Mestrado em Projeto e Patrimônio no Programa de PósGraduação em Arquitetura da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Eu conheci Chiador por intermédio da família do meu namorado. Eles tinham um sítio, que foi vendido na época da construção do Lago de Furnas e, com o dinheiro da indenização, compraram uma casa na cidade. Desde então, comecei a frequentar e sempre tive curiosidade de conhecer a ruína da Estação de perto. No dia que visitei, eu me encantei, desenvolvi um afeto pelo lugar e quis montar um projeto de restauração que ajudasse a desenvolver o turismo em Chiador.

de apresentar.

Fale sobre seu projeto. Meu projeto começou a ser elaborado a partir de uma notícia sobre a reativação da linha a que a estação pertence, para uso turístico (o projeto Expresso Trem da Terra, planejado pela ANTT em parceria com a ONG Amigos do Trem, cujo trajeto será de Três Rios/RJ a Cataguases/MG). Com meu olhar arquitetônico, comecei a pesquisar o que o projeto da reativação da linha pretendia. Descobri que ela foi a primeira estação ferroviária de Minas Gerais, inaugurada em 1869. Na questão da história da ferrovia, eu tive que fazer um levantamento para entender os motivos da ferrovia ter alcançado Chiador e por que razão o dimensionamento da estação é diferenciado em relação às outras da área. Foi assim que eu descobri que houve um estudo que reconheceu que Chiador Prefeitura e Câmara era um ponto estratégico. conhecem o seu projeto? Na época da produção de Não, mas eu gostaria café, de todas as cidades muito de uma oportunidade da Zona da Mata, do

Vale do Paraíba, Chiador era a que tinha maior produção registrada e o café significava dinheiro e, consequentemente, movia a economia. Somente em pontos importantes eles instalavam estações de médio porte, que é o tamanho da de Chiador. Então, escrevi este projeto sobre Chiador para participar na seleção do mestrado. A ideia é que haja a reconstrução dos dois pavimentos, com um hall no primeiro onde haja quiosques e lojinhas de souvenires e produtos feitos pela própria população. No segundo pavimento, poderia haver um espaço para exposição, como se fosse um pequeno museu, contando a história do local e com imagens da ruína. Também tenho uma proposta para o entorno, porque eu descobri que a Estação vem sendo cada vez mais conhecida por conta dos frequentadores do lago. O público é bem específico, de adultos esportistas radicais que usam a estação como referencial, como ponto

Página do projeto de Mestrado que estuda a Estação de Chiador. Estudante da UFRJ sugere a “reabilitação” e a “criação de parque” no local. Paralelamente, decisão judicial obriga Furnas a restaurar a estação (veja na pág. 3). (A íntegra da entrevista com a pesquisadora, inclusive com ideias alternativas para o financiamento da obra, está em facebok.com/jornaldechiador)

4

Fotos: Juliana Martins

Thais Motta

de encontro, então há potencial para se tornar um parque, um ponto turístico que pode mudar o cenário. Cidades com taxas de decrescimento e esvaziamento como as de Chiador se encontram com uma previsão preocupante perante o IBGE de poderem se tornar “cidades fantasmas” se nada for feito. A população acaba migrando por conta da falta de oportunidades de trabalho e vão ficando apenas os idosos... Eu acho que uma coisa precisa ser feita para a cidade não deixar de existir. Muitas cidades de Minas Gerais estão em situação parecida. Já apresentei trabalhos em congressos, inclusive em Belo Horizonte, e quando se fala em Chiador ninguém conhece, nem mesmo na capital do Estado. E com esse legado de ter sido a primeira estação de Minas, poderia ser muito mais

conhecida e visitada. O que você pretende com o seu projeto? Eu vejo que a extensão do entorno é muito estratégica para a exploração de um ponto turístico. E a maneira como estou propondo é uma ação de reabilitação, para tornar a estação apta a ser utilizada novamente. Por isso, fiz a [proposta, de] instalação de um ponto comercial de artesanato, alimentação, venda de laticínios, ou outras coisas que sejam produzidas ali, que poderiam iniciar uma transformação. Minha função seria de apresentar uma proposta de um projeto de arquitetura, apenas para a estrutura física, mas eu deixo muito mais do que isso com meus questionamentos sobre o potencial a ser explorado. Acho que isso é o ponto forte do meu trabalho.


Entre vista

Festa das Crianças deve reunir mais de 500 pessoas na Parada Braga; veja entrevista com organizador Carla Izidora e Jhony Silva Paulo Henrique: Atrações, brincadeiras, brinquedos, bolo, refrigerante, cachorro quente, picolé, pipoca, algodão doce e o famoso churrasquinho de salsicha. Quantas pessoas são esperadas? Paulo Henrique: Mais de 500 crianças. Que horas começa e termina? Paulo Henrique: De 13h as 17h. É um evento político? Ou comunitário? Paulo Henrique: Não é um evento político, pois faço essa festa há 13 anos, e só tenho 2 anos e 9 meses como político. É Foto:Eric Silva

No próximo dia 12 de outubro, a partir das 13 horas, a comunidade Parada Braga sedia mais uma edição da sua “Festa das Crianças” - evento que já se tornou tradicinal, e que deve reunir mais de 500 pessoas, neste ano. O JC conversou com Paulo Henrique, organizador da festa. Também vereador, ele afirma que o evento não tem cunho político. “A festa é depois da política. Já existia há muitos anos, temos que saber separar as coisas da política em Chiador”, diz. Acompanhe o batepapo:

Paulo Henrique

JC: Qual é a edição da festa? Paulo Henrique: 14ª Festa da comunidade de Parada Braga. Quem são os colaboradores? Paulo Henrique: Amigos e a comunidade. O que teremos nessa próxima edição?

um evento comunitário, proibido política e bebida alcoólica. Você acredita que atuar diretamente na liderança da festa ajudou na sua eleição como vereador? Paulo Henrique: Não, a festa é depois da política. Já existia há

muitos anos, temos que saber separar as coisas da política em Chiador, e o ano todo. Por exemplo: cadê o Motocross e o Boi na Brasa? Acabaram por causa de política. O público da festa é de que locais? Somente da Parada Braga? Paulo Henrique: O público é de vários locais: Parada Braga, Chiador, Penha Longa, Santa Fé, Rua Direita, Três Rios, Juiz de Fora, Rio de Janeiro, Mar de Espanha, etc. Você foi idealizador da festa? O que o motivou? Paulo Henrique: Eu criei a festa. E o que me motivou foi o aniversário da minha filha e o Dia das Crianças. Quais as lembranças que tem da infância? Paulo Henrique: Eu lembro que na minha infância as coisas eram muito difíceis, família grande e pobre. Os meus pais se preocupavam para não faltar nada dentro de casa, meu pai criou 6 filhos com um braço só, roçou pasto e capinava, coisa que muitas pessoas com 2 braços não têm coragem de fazer. Fome eu nunca passei, mas eu queria ter um carrinho ou uma maquina e as coisas eram muito difíceis e muito caras, hoje não, por R$1,99 você compra um brinquedinho simples e muitas crianças ficam felizes.

5

Fotos: Arquivo pessoal

Cartaz do evento: incentivo à doação de brinquedos

Click!

Registros de edições anteriores da festa

Ajude a manter o JC! Anuncie conosco! jornaldechiador@ gmail.com


Feito uma garota... Lívia Souza - Psicóloga

Empo dere-se!

Certa vez assisti a um vídeo que ilustrava situações realizadas de forma menos qualificada, “feito garota”. Adultas, ao ouvirem essa frase, executavam as tarefas com menos entusiasmo, de forma mal acabada ou de qualquer maneira, subentendendo que “feito garotinha” devia ser algo depreciativo. Entretanto, ao pedirem a mesma coisa para meninas, elas davam o seu máximo. Se esforçavam para fazer seu melhor, não viam a frase como deboche, muito menos se menosprezavam por serem meninas. É essa mentalidade que

precisamos sustentar nas nossas crianças. A ideia de que meninas podem fazer qualquer coisa tão bem quanto ou melhor que meninos depende da sua autoconfiança e determinação. Então, sejam menos cruéis com as meninas que ainda têm dentro de si a autoestima. E revejam suas falas que, pode não parecer, são extremamente machistas, depreciativas e podem estraçalhar com a segurança de uma futura mulher, que poderia ser fortíssima, não fossem esses comentários arrasadores. Mulheres, lutemos feito garotinhas!

Padaria São Geraldo Tel: (32) 3285-1252 O PÃO NOSSO DE CADA DIA. Obrigado pela preferência!

Resistência! A série Empoderese nasceu a partir de uma análise social de casos de machismo que culminavam em relações abusivas, agressões e diversos outros tipos de violência contra a mulher. Com o objetivo de trazer novos olhares para a forma com que as mulheres enxergam suas vidas e suas relações, a coluna traz críticas e reflexões importantes, a fim de ofertar novas e/ou outras possibilidades para as mulheres além das que são socialmente impostas. R e p e n s a r costumes, ideologias e comportamentos são

Ilustração, retirada da internet, de camiseta com frase que virou praticamente o slogan da luta feminina por igualdade. (DA REDAÇÃO).

MERCADO E AÇOUGUE MOISÉS

QUIOSQUE DA PRAÇA 32) 98419-4528 (32) 98431-1022

Aceitamos cartão de crédito Entrega a domicílio Tel.: 3285 1244

Atendimento de Felipe e Paulinho

(32) 9 9823 6168

MERCEARIA DO RUSSO

CHIADOR - MG

Gêneros alimentícios e utensílios diversos, direto na nossa comunidade!

AGR MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Rua Dona Santinha, 170, Chiador-MG Entrega a domicílio.

Tel: 3285-1328 / 98421-1435

maneiras de evoluir e exterminar padrões que oprimem parte dos indivíduos. A coluna será, junto com o Jornal, resistência.

ESPAÇO DOS ANUNCIANTES

POSTO COMPANHEIRO (32)3285-1166

Foto: Reprodução/Internet

6

Parada Braga Chiador/ MG

O “Espaço do Anunciante” é destinado à veiculação de propagandas e informes publicitários, exclusivamente.


Comu nidade

Gincana da Escola Santa Teresa arrecada mais de 600 kg de alimentos para entidades beneficentes Carina Rezende, professora

Os alunos da Escola Municipal Santa Teresa de Chiador participaram de uma Gincana Estudantil Solidária nos dias 12, 13 e 14 de agosto, em comemoração ao Dia do Estudante. Os professores Amália Cassini, Carina Rezende e Carlos Vicente, como responsáveis pelo projeto, contaram com a colaboração dos demais professores, funcionários, Secretaria de Educação e Secretaria de Saúde. Foram arrecadados mais de 600 kg de alimentos, com a ajuda da comunidade local e comércio, que foram doados a duas instituições em Três Rios, no dia 20

Esporte

de agosto: Creche Luz do Amanhecer e Asilo São Jorge. Cerca de 130 pessoas, entre alunos e professores, fizeram a entrega, com uma linda apresentação musical. Segundo os professores Amália, Carina e Carlos Vicente, a gincana visou exclusivamente à solidariedade e ao espírito em equipe. Foram atividades lúdicas e de entretenimento que contaram com a participação ativa de todos e com muita alegria. A equipe Branca (vencedora) recebeu como prêmio uma caixa de bombom cada aluno e a equipe Azul, uma caixa de Bis.

Fotos: Arquivo pessoal

Com a ajuda da comunidade, alunos da Escola Santa Teresa arrecadaram alimentos, que foram doados para duas instituições de Três Rios

Estudantes de Chiador participam dos Jogos Escolares de Minas Gerais, em São João Nepomuceno Neuza Maria da Silva, professora

O evento Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG) é uma ação do Governo de Minas e conta com as parcerias da Secretarias de Estado de Esportes e de Educação. Além de identificar novos talentos dentro do esporte, tem sido um instrumento aliado à educação, ajudando na formação do cidadão de uma maneira geral, tornando aluno, atleta e escola um só, diminuindo assim a evasão escolar. Possibilitam a

realização desse projeto, diretores, orientadores pedagógicos, professores, pais e alunos. Os Jogos Escolares de Minas Gerais – JEMG/2019 são dividido em quatro etapas: municipal, microrregional, regional e estadual. O município de Chiador contou com participação da Escola Estadual Santo Antonio, com o Ensino Médio, e Escola Municipal Santa Teresa (6º ao 9º anos), na modalidade coletiva de

futsal masculina, na etapa regional em São João Nepomuceno do JEMG. Os alunos da Escola Municipal Santa Teresa conquistaram o vicecampeonato Regional. E contaram com a organização e apoio dos professores: Talita e Vinicius, Prefeitura Municipal de Chiador, Secretaria Municipal de Educação, alunos e Alunos que participaram dos Jogos Escolares de Minas Gerais, com professores. Competição foi realizada responsáveis. entre os dias 28 e 31 de maio deste ano, na cidade de São João Nepomuceno

7


Saiba como escolher sua profissão

Opinião

Jhony Silva

Se você está em dúvida sobre qual profissão escolher, saiba que esta é a realidade de muitas pessoas. É muito normal ficarmos em “cima do muro” quando o assunto é decidir uma profissão, eu, por exemplo, já pensei em várias profissões, como veterinário, marinheiro, engenheiro, ator, entre

Giro

segui foi conhecer minhas habilidades, o que eu faço de melhor e me destaco. Depois que você seguiu todos esses passos, você pode procurar na internet por “Teste vocacional”, como o nome já fala é um teste que te ajuda na escolha profissional. De acordo com o site catho.com.br, “um dos

Chiadorense é premiada na Semana da Água, em Três Rios

Estou enviando fotos do certificado e do prêmio que ganhei, em primeiro lugar, na Semana da Água, em Três Rios (RJ). Fiz um artigo, com meu orientador Saulo Paschoaletto, para um projeto de racionamento da água do município, desenvolvemos o Water Control 1.0 Free, que consiste em

uma placa de Arduíno, para implementação nas moradias, que vem com um sensor, oferecendo dados diários do consumo da água, em um aplicativo instalado em aparelhos eletrônicos, para que, assim, a própria população atue junto com a prefeitura, nessa tarefa.

Ana Luisa Furtado Silva, aluna de Biologia da UFRJ. Premiação ocorreu em 23 de março

Broa de milho com coco Suges tão

Ingredientes: 1 lata de milho verde 2 ovos Meio copo americano de óleo Meio copo de leite 1 lata de açúcar (use a lata do milho para medida) 1 lata de fubá 100 gramas de queijo parmesão ralado 50 gramas de coco ralado 1 pitada de sal

Carla Izidora 1 colher de sopa de fermento em pó

Foto: Carla Izidora

Modo de preparo: Bata no liquidificador: o milho, os ovos, o leite, o óleo e o açúcar. Acrescente o fubá, o queijo, o coco, o sal e bata mais. Por último, bata o fermento. Coloque numa forma untada e leve para assar por 35 minutos. Bom apetite!

Sugestão de culinária: broa de milho com coco. Bom apetite!

8

principais objetivos de fazer um teste vocacional é verificar os níveis de interesse, personalidade e capacidade da pessoa, bem como avaliar as habilidades para uma determinada área.”. Quando você chegar ao final desse teste vão aparecer diversas profissões relacionadas

Esporte Fotos: Arquivo pessoal

Jc

outras, mas finalmente escolhi que futuramente cursarei Direito. O primeiro passo que eu segui foi saber quem eu sou e quais são os meus objetivos, depois disso eu fui para o segundo passo que era quais são os meus gostos e pelo que me interesso, o terceiro e último passo que eu

às respostas que você respondeu, por isso, eu peço que ao chegar ao final do teste pesquise mais sobre cada profissão detalhadamente, porque assim facilitará a sua escolha profissional.

Município sedia torneios de futebol

Chiador sediou dois torneios de futebol Society, no mês de setembro. Em Penha Longa, dez equipes disputaram as partidas – e o vencedor foi o time “Os Ousados”, que é da própria comunidade (foto 1). Já na Parada Braga, a equipe do “Garça” (foto 2), de Três Rios, venceu o torneio, disputado por nove equipes. Segundo Fábio Grades, diretor de Esportes do município, os torneios contaram com a participação de times de Três Rios, Santana do Deserto, Parada Braga, Penha Longa. (DA REDAÇÃO)

Profile for JORNAL DE CHIADOR

JC - Fevereiro de 2019/ Outubro de 2019  

Edição 78 do Jornal de Chiador

JC - Fevereiro de 2019/ Outubro de 2019  

Edição 78 do Jornal de Chiador

Advertisement