Issuu on Google+

PUB

Caixa da Batalha

Nº DE27042006MPC

ECONOMY DE00752009SNC|GSCCS

Preço 0,70 € (IVA inc.)

Jornal da Golpilheira Estrada do Baçairo, 856 2440-234 GOLPILHEIRA

O Banco da (nossa) terra.

Tel. 965 022 333 Fax 244 766 396 geral@jornaldagolpilheira.com

CA Seguros | CA Consult | CA Gest Director: Luís Miguel Ferraz | Mensal | Ano XIV | Edição 152 | Janeiro de 2010

Página 7 | Tradições que se recordam

Cantos das Janeiras e dos Reis ouviram-se na Golpilheira

R. Inf. D. Fernando, 2 • 2440-901 BATALHA Tel. 244 769 270 • Fax 244 769 279

CONVITE À POPULAÇÃO Apresentação da obra de Saul António Gomes

LMF

GOLPILHEIRA MEDIEVAL

DOCUMENTOS HISTÓRICOS

Página 9 | Para a população activa do Concelho

Informática gratuita nas freguesias

Centro Recreativo da Golpilheira 7 de Fevereiro de 2010 Domingo • 15h30

Páginas 11, 14 e 15 | Desporto

Regresso do TT e as equipas do CRG Página 17 | Um apelo, muitas formas de ajudar...

Tragédia no Haiti motiva onda de solidariedade Páginas 4 e 5 | A vida da Golpilheira

REVISTA DO

ANO 2009 A casa que faz

milionários

Nos 25 anos da Criação da Freguesia A Câmara Municipal da Batalha e o Jornal da Golpilheira têm a honra de convidar toda a população para a apresentação pública do livro “Golpilheira Medieval - Documentos Históricos”. Inserida no âmbito dos 25 anos da Criação da Freguesia, a obra apresenta 113 documentos da sua História, desde 1142 a 1813, com encadernação de luxo e ilustração fotográfica do património actual. A sessão incluirá momentos musicais por Jorge Humberto, professor da Escola de Música do CRG, e a actuação do rancho folclórico “As Lavadeiras do Vale do Lena”, também desta colectividade. No final, será servido um beberete aos presentes, gentilmente oferecido pela Junta de Freguesia da Golpilheira. Mais pormenores nas páginas 2 e 3

Quiosque da

APOSTE!

de José Manuel Matos Guerra

TOTOBOLA TOTOLOTO JOKER LOTARIAS RASPADINHAS

Batalha

jornais • revistas • promoções e vários serviços ao seu dispor... LG. MESTRE MATEUS FERNANDES • APARTADO 24 • 2441-901 BATALHA Tel 244 767 720 • Fax 244 767 228 • E-mail: quiosquebatalha@mail.telepac.pt

PetroFM

PUB

nto Desco TRO!

/LI stíveis T N E C bu 10 s com o odos em t

--------------------HORÁRIO

07h30 às 22h00 --------------------Combustíveis --------------------Lubrificantes --------------------Produtos Auto ---------------------Gás (BP/REPSOL/GALP) Também com venda de --------------------Rações para animais Lavagem/Aspiração ---------------------Rua Forno da Telha, 1385 • Quinta do Retiro • Barreira • 2410-251 LEIRIA Tlf. 244 834 445 • Tlm. 919 701 359 • Fax 244 892 250 • petro.fm@hotmail.com


2

Jornal da Golpilheira

. abertura . destaque .

Janeiro de 2010

. editorial .

Luís Miguel Ferraz Director

O nome de uma terra encerra bem mais do que a delimitação das suas fronteiras. E mais, muito mais, do que a identificação de um aglomerado urbano, um centro de movimentações sociais ou um conjunto de casas, comércios, serviços e indústrias. Seja um continente, um país, uma cidade ou uma aldeia, o seu nome engloba significados múltiplos, com o denominador comum de constituírem partes do mesmo todo, a que poderemos chamar uma identidade cultural. Uma “alma” construída em cada rua, em cada edifício, em cada espaço onde se cruzam histórias de vidas e de tempos passados e presentes, leivas de uma História lavrada pelos anos, às vezes séculos. Uma espécie de aura que envolve as paredes e as gentes que as habitam e que transforma essa relação de espaço/pessoa em sentimento, carregado de fascínios e desencantos, amores e tragédias, glórias e decadências. Assim, a importância de uma terra mede-se, não por quilómetros ou número de habitantes, mas pelo sangue, suor e lágrimas que nela se verteram e, como é óbvio, pela intensidade das vidas que nela se ergueram. No caso da Golpilheira, se dúvidas houvesse, esta publicação revela toda a profundidade dessa identidade cultural, dessa “alma” que encarna, ainda hoje, em todos aqueles que se orgulham de aqui terem nascido ou de aqui viverem os seus dias. Território apetecível, desde as primeiras civilizações, pelo vale frondoso e fértil do Lena, aqui se fixaram os primeiros homens e mulheres que decidiram fixar-se. Aqui cresceram e se multiplicaram as primeiras famílias que decidiram crescer e multiplicarse. Aqui morreram e mataram as primeiras e as sucessivas greis que lutaram por garantir neste local um espaço para a edificação da “sua” cidade. Testemunham-no os vestígios deixados em Collipo por povos como os túrdulos, os romanos e outros – infelizmente já raros, porque destruídos por quem não soube honrar esse legado. O mesmo sucedeu quando Portugal decidiu nascer como Povo e Pátria, pelo braço guerreiro de D. Afonso Henriques. Encostada ao surgir da nacionalidade, Leirena foi fundada por este nosso primeiro rei, com atribuição de foral em 1142, servindo de bastião ao estender do seu domínio até aos Algarves. E Alpentende – que abrangia a actual área da Golpilheira – logo por essa altura começa a surgir nos documentos, como região aprazível para o cultivo dos campos

Apresentação do livro

Convite à população A obra "Golpilheira Medieval – Documentos Históricos", do historiador Saul Gomes, está pronta e irá ser apresentada ao público no próximo dia 7 de Fevereiro, domingo, pelas 15h30, no Centro Recreativo. O convite está feito a toda a população e aos amigos que quiserem juntar-se a nós. A edição do livro e esta sessão inserem-se no âmbito das comemorações dos 25 anos da criação da Freguesia. Teremos ocasião de conhecer melhor o autor e o conteúdo da obra, bem como de a adquirir em condições muito especiais neste dia. Será ainda um momento recheado de animação musical, com a colaboração de Jorge Humberto, professor da Escola de Música do CRG, e do nosso rancho folclórico "As Lavadeiras do Vale do Lena". No final, todos estão também convidados para um beberete, gentilmente oferecido pela Junta de Freguesia da Golpilheira. Para um aperitivo do que espera os leitores deste livro, deixamos aqui o texto do respectivo prefácio. e a vida das gentes, mencionada por reis, nobres e clérigos influentes. Testemunhamno os escritos aqui publicados. É natural que esta relação tão enraizada e intensamente construída entre o território e os seus obreiros resulte, ao longo dos tempos, num sentimento forte de encantamento, de comunhão e de amor. A “alma” que se lê nessa História acaba por revelar-se na “alma” do povo que lhe dá o rosto humano e que, por cima do passado instituído, desenha o seu presente e planeia um futuro ainda por concretizar. Esta obra é também fruto desse amor à terra que nos viu nascer. Na verdade, apesar de tantas e tão ricas memórias, pouco ou nada se tem publicado sobre a Golpilheira. Por isso, ao pensarmos na forma de associar o Jornal às comemorações das Bodas de Prata da sua elevação ao estatuto de Freguesia, foi essa a primeira ideia: editar um livro. Poderíamos optar por recolher alguns textos descritivos ou de opinião, juntar algumas fotos, mostrar curiosidades. Mas queríamos algo mais substancial, que ficasse por si só como um documento histórico, um marco da nossa identidade cultural. Para tal, ninguém melhor do que o Doutor Saul António Gomes, professor da Universidade de Coimbra desde 1987, onde integra o Centro de História da Sociedade e da Cultura, sócio-correspondente da Academia Portuguesa da História e colaborador do Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa. Com mais de duas dezenas de livros e um extenso rol de artigos publicados, nomeadamente sobre a Batalha e o seu Mosteiro, este prestigiado historiador leiriense será dos que mais conhecimento reúne sobre a região concreta em que nos situamos. Acedeu graciosamente ao convite e lançou mãos a um trabalho de pesquisa, transcrição e análise de textos, como nunca se tinha feito sobre a nossa localidade. A Golpilheira ficará sempre devedora e grata a este investigador, também pela magistral Introdução que faz sobre os do-

cumentos, numa exposição clara, sucinta e acessível a qualquer leitor. Quanto às imagens do património, paisagens e locais que ilustram este volume, são de várias datas, mas optámos preferencialmente por fotografias tiradas a 31 de Dezembro de 2009, precisamente 25 anos depois da criação da Freguesia. Sendo uma edição comemorativa dessa data, fica assim registado o seu estado actual. Na forra da capa, publicamos um mapa histórico (1941-1947), anotado pelo autor. Na forra da contracapa, a imagem de satélite de 2005, tal como é neste momento exibida online pelo Google Earth. O desenho da raposa é original do nosso grafismo e representa a origem do nome Golpilheira, do termo latino vulpes. Escolhemos o título “Golpilheira Medieval”, porque é sobretudo da Idade Média o espólio documental reunido, embora se estenda também à época Moderna. Cumpre-nos agradecer a solícita cooperação da Câmara Municipal da Batalha neste projecto, seja pelo incentivo e interesse pessoal do Presidente, António Lucas, seja pela decisão unânime do Executivo de o editar connosco. Só assim se tornou viável um produto com esta qualidade, fazendo jus ao seu conteúdo e dando-lhe na forma o valor que tem de facto. Embora estejam entre as suas competências a promoção da cultura e a defesa e divulgação do património histórico do Concelho, devemos sublinhar a forma empenhada e objectiva como o Município apoiou esta publicação sobre a sua mais recente freguesia. Um muito obrigado, também, aos mecenas apresentados nesta página, que responderam ao convite a patrocinar a impressão. Não tendo o Jornal os fundos necessários para a sua parte na co-edição, foram estas as instituições e empresas que garantiram esse financiamento, mercê da consciência social e cultural dos respectivos administradores e empresários. Agradecemos, ainda, a outras parcerias: à Junta de Freguesia da Golpilheira, pelo

EDIÇÃO

MECENAS

PARCERIAS

acompanhamento permanente e pelo apoio logístico à edição e à respectiva apresentação pública; ao CEPAE – Centro do Património da Estremadura, pelo estímulo e pela ligação ao meritório trabalho que vem desenvolvendo em prol da cultura da região; à Folheto Edições & Design, pela atenciosa colaboração técnica na produção e posterior distribuição. A palavra final vai para cada um dos golpilheirenses, naturais ou residentes. A eles se dedica o livro, que contém parte da sua vida, da sua “alma” passada e presente. Na verdade, porque são páginas da sua História, esta obra é deles. Nossa. Prefácio do livro “Golpilheira Medieval - Documentos Históricos”


Jornal da Golpilheira

. destaque .

Janeiro de 2010

25 anos da criação da Freguesia da Golpilheira Pela Lei n.º 37/84, de 31 de Dezembro, foi criada a Freguesia da Golpilheira no concelho da Batalha, cujo primeiro dia de existência “oficial” foi o 1 de Janeiro de 1985, há 25 anos. Segundo o artigo 2.º dessa lei: “Os limites da nova freguesia, conforme representação cartográfica anexa, são: ao começar no lugar da Quinta de São Sebastião, ou seja, do lado nascente para norte, continua até à Vala do Moinho de São João, proximidades da Quinta da Serrada com o limite

46 freguesias criadas em 31 de Dezembro de 1984: Nome da Freguesia

No concelho de:

São Brás dos Matos (Mina do Bugalho)

Alandroal

São Martinho São Francisco Carregado Santa Joana Golpilheira Pó Santo Onofre Santa Maria Maior Madalena Fajarda Branca Erra Biscainho Santana do Mato Coutada Bairradas Pontinha Marteleira Ribamar Seixo Carapelhos Praia de Mira Gaio-Rosário Sarilhos Pequenos Ciborro Ereira Rio Mau Meirinhas Guia Foros de Arrão Longomel Vale de Açor Asseiceira São Sebastião Ribeira de São João Malaqueijo Foros de Salvaterra Nagozela Porto Covo Santa Luzia Outeiro da Cabeça Landeira Matas Cercal Monte Gordo

Alcácer do Sal Alcochete Alenquer Aveiro Batalha Bombarral Caldas da Rainha Chaves

Coruche Covilhã Figueiró dos Vinhos Loures Lourinhã Mira Moita Montemor-o-Novo Montemor-o-Velho Penafiel Pombal

do concelho de Leiria, devidamente demarcado por estradas, serventias e ribeiro; a partir do Moinho de São João, passa pela estrada camarária até à estrada nacional n.º 1, atravessando-a e seguindo por uma serventia pública até ao rio Lena, continuando por este até um pouco acima do Casal da Ponte de Almagra, onde desagua o ribeiro do Carvalho; segue por este até à sua nascente (proximidades a norte do Casal do Alho), seguindo em recta por serventia de fazendas até ao ribeiro Agudo, que passa a poente do lugar de Bico-Sacho, seguindo por este até à sua nascente, a qual continua com a Quinta de São Sebastião, acima referida.” O artigo 3.º definia que deveria ser criada uma “comissão instaladora da nova freguesia”, a nomear pela Assembleia Municipal da Batalha, constituída por: “1 representante da Câmara Municipal da Batalha; 1 representante da Assembleia Municipal da Batalha; 1 representante da Assembleia de Freguesia da Batalha; 1 representante da Junta de Freguesia da Batalha; 5 cidadãos eleitores designados de acordo com o n.º 3 do artigo 10.º da Lei n.º 11/82”. Nos artigos seguintes determinava-se que “a comissão instaladora exercerá funções até à tomada de posse dos órgãos autárquicos da nova freguesia”, cujas eleições “realizar-seão na data das primeiras eleições autárquicas gerais posteriores à entrada em vigor da presente lei”. Finalmente, o artigo 6.º referia que “a presente lei entra em vigor em 1 de Janeiro de 1985”. A lei foi aprovada em 30 de No-

vembro de 1984, promulgada em 29 de Dezembro de 1984, com assinatura do Presidente da República, António Ramalho Eanes, referendada em 29 de Dezembro de 1984, com assinaturas do primeiro-ministro, Mário Soares, e do presidente da Assembleia da República, Fernando Monteiro do Amaral. E foi publicada no Diário da República – I SÉRIE – N.º 301 – 31 de Dezembro de 1984. Actualmente É, assim, a mais recente freguesia do concelho da Batalha, no distrito de Leiria. Mantendo quase inalteradas as fronteiras então definidas, o seu território ocupa pouco mais de 490 hectares, cujo centro dista cerca de 3 km da sede de Concelho e 8 km da sede de Distrito. Habitada desde tempos imemoriais por povos das mais diversas civilizações, esta terra começa a ser nomeada logo nos primeiros documentos da constituição da nacionalidade portuguesa, como lugar aprazível para viver e cultivar. Estende-se ao longo do fértil vale do Lena, com vista aberta sobre o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, classificado pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, cuja construção terá sido um dos motores do seu crescimento populacional durante a Idade Média. É hoje o “lar” de cerca de 1800 habitantes, cujo dinamismo social é amplamente reconhecido e faz jus ao legado histórico dos seus antepassados. O seu nome deriva do termo latino vulpes, que significa “raposa”.

1

2

3

4

5

Ponte de Sor

6 Rio Maior Salvaterra de Magos Santa Comba Dão Sines Tavira Torres Vedras Vendas Novas Vila Nova de Ourém Vila Real de S. António

Nesta coluna de fotos estão os membros dos vários executivos da Junta de Freguesia, desde a sua criação até hoje, pela ordem de presidente, secretário e tesoureiro.

uim Vieira Fernandes e José Moreira Filipe 1 - 1985-1989 – Pedro Menezes Monteiro, Joaq Monteiro Bagagem e Luís Sousa Guerra 2 - 1989-1993 – José Moreira Filipe, Fernando Monteiro Bagagem e Mário de Sousa Videira 3 - 1993-1997 – José Moreira Filipe, Fernando da Silva e José Lucas Ferreira 4 - 1997-2001 – José Moreira Filipe, José Guerra da Silva e José dos Santos Silva 5 - 2001-2005 – José Moreira Filipe, José Guerra Guerra da Silva e José dos Santos Silva 6 - 2005-2009 – Carlos Monteiro Santos, José os Silva e Maria de Fátima Carreira de Sousa 7 - Actual – Carlos Monteiro Santos, José Sant

7

3


4

Jornal da Golpilheira

. revista do ano .

Janeiro de 2010

A vida da Golpilheira em 2009 Janeiro No primeiro mês de 2009, em que iríamos completar os primeiros 25 anos da criação da Freguesia da Golpilheira, fomos espreitar as obras da nova sede da Junta. Já se via a estrutura básica do edifício e as obras seguiam a todo o fôlego. Falámos ainda das festas de Natal das nossas escolas, do concurso de presépios da Golpilheira, da nova direcção dos Bombeiros Voluntários da Batalha constituída apenas por mulheres, do concerto jazz de Marta Hugon no auditório municipal e, no mesmo local, da formação sobre a doença de Alzheimer promovida pela Cáritas Diocesana de Leiria-Fátima.

Fevereiro Em Fevereiro, o destaque foi para as "imagens do Carnaval", com reportagem dos principais eventos na Golpilheira e na Batalha, sobretudo protagonizados pelos meninos e meninas das nossas escolas. Outros assuntos foram a visita e os parabéns da ASAE ao Restaurante Etnográfico, o lançamento de oito "medidas anticrise" pelo município da Batalha, os novos e baratos serviços no hospital das Brancas, o anúncio da 7.ª edição do Passeio TT Anjos sobre Rodas, e uma homenagem a duas figuras de proa da nossa História: o Padre António Vieira e Nuno Álvares Pereira, com santificação marcada para Abril.

Março A reportagem do mês foi sobre o 7.º Passeio TT "Anjos Sobre Rodas", mas a 1.ª página recebeu em grande plano uma imagem feita por uma menina da escola, para apresentar um caderno especial sobre "A árvore e a Água", em que os mais pequenos foram os redactores e ilustradores principais. Demos nota também da passagem do contador de histórias Jorge Serafim pela colectividade, dos 20 anos da Rádio Batalha, da conferência do Bispo na paróquia, do novo livro de Saul Gomes sobre Vinhos e História na Alta-Estremadura, e da passagem da Golpilheira às meias-finais das taças distritais de seniores e juniores de futsal feminino.

Abril Estava a decorrer uma limpeza nas margens do rio Lena, junto à Canoeira. A esse propósito, perguntávamos se "o povo voltará a lavar no rio?", chamando a atenção para a necessidade de um olhar mais atento de todos para a preservação deste importante recurso hídrico. Ainda em Abril, entrevistámos o presidente António Lucas a propósito da candidatura a mais um mandato na Câmara, publicámos o programa de mais uma Semana da Juventude da Batalha com Rita Redshoes no cartaz, e fizemos festa com o futsal feminino do CRG: "seniores são tricampeãs e vão à final da Taça Distrital e à Taça Nacional; juniores ganham Taça Distrital e (serão) pentacampeãs".

Maio Em Maio, o edifício da Junta estava quase pronto e anunciava-se a data de inauguração para o dia 14 do mês seguinte. Voltando ao desporto, "Golpilheira Ganha Tudo" resumia o cenário das conquistas do futsal feminino, nas taças e campeonatos distritais. Informámos também que a Assembleia Municipal tinha dado mais um passo para a construção do pavilhão desportivo na nossa freguesia, ao declarar o projecto de "utilidade pública" para desafectação de uma parcela em REN. Destaque ainda para a "adopção" de um troço do rio Lena por alunos da Secundária da Batalha num projecto da SIMLIS, para os 31 anos dos Bombeiros da Batalha e para o programa da FIABA.

Junho A obra há muito esperada foi inaugurada no dia 14 de Junho, com uma enchente de povo num dia marcado pela festa. A nova sede da Junta da Golpilheira apresentouse com todas as condições de modernidade para dar resposta às necessidades locais, num ano em que se completavam os 25 anos sobre a criação da Freguesia (31 de Dezembro de 1984). Demos conta também neste mês de uma assembleia-geral com eleições para os corpos gerentes do CRG que se revelou muito especial, falámos do caso mediático do "golpilheirense que votou duas vezes" e anunciámos a festa dos 40 anos da nossa associação.


Jornal da Golpilheira

. revista do ano .

Janeiro de 2010

5

A vida da Golpilheira em 2009 Julho Destacámos uma reunião que juntou as duas comissões das igrejas da Golpilheira com mais algumas pessoas preocupadas com o futuro da comunidade cristã. "É preciso renovar a igreja e a Igreja", dizíamos em referência à necessidade de obras na igreja de N.ª Sr.ª de Fátima e também de pensar formas de maior união entre todos, ponderando-se inclusive a união das duas comissões numa única equipa responsável pelo património religioso da freguesia. A ideia ficou a pairar... Neste mês saiu a reportagem da festa no CRG e os programas das festas da Golpilheira, S. Bento e Batalha, fizemos uma entrevista ao professor Manuel sobre a escola e revelámos o lançamento da equipa de veteranos de futebol.

Agosto Em plenas férias, começámos a pensar o ano lectivo seguinte, perguntando: "(Que?) Educação sexual obrigatória". O Governo aprovou uma lei para se iniciar neste ano a educação sexual em todas as escolas, mas os professores e os pais não tinham sido minimamente preparados. Sendo um assunto tão importante, achámos por bem alertar os leitores para o que poderia vir aí... a não ser que tudo não passasse do papel. Parece que estávamos a adivinhar. A edição trazia ainda reportagens das festas de Verão e um caderno especial sobre São Nuno de Santa Maria, com um texto histórico de Saul Gomes e a nota pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa.

Setembro O Jornal da Golpilheira anunciou uma iniciativa que pretendia preparar os eleitores para as autárquicas que se aproximavam e, ao mesmo tempo, promover a discussão sobre o futuro da Freguesia, neste ano de comemoração dos seus 25 anos: um debate com todos os cabeças de lista às eleições para a Junta, intitulado "Golpilheira 25 Anos!". Relatámos também o "regresso às aulas na (quase) normalidade", publicámos a alocução de Saul Gomes nas comemorações da Batalha de Aljubarrota, resumimos a carta "Ir ao coração da Igreja" do Bispo para este ano pastoral, e entrevistámos o atleta golpilheirense Olivier Pedroso, que acabara de ingressar no Centro de Alto Rendimento do Jamor.

Outubro Na edição em que o Jornal comemorou os 13 anos, o destaque foi para o resumo das principais ideias veiculadas pelos candidatos à Junta no debate "Golpilheira 25 Anos!". A palavra "futuro" marcou as intervenções, corroborando a dinâmica construtiva que esteve na origem desta nossa iniciativa. Quanto às eleições, publicámos os resultados das legislativas e das autárquicas no Concelho e na Freguesia, onde o PS levou a melhor a nível nacional, mas o PSD dominou localmente. Em ano comemorativo, a 16.ª edição da Semana Cultural da Golpilheira foi recheada de eventos para todos os gostos, desde os convívios aos colóquios, cinema, arraiais populares e moda.

Novembro Anunciava-se mais uma iniciativa do Jornal da Golpilheira, no âmbito das comemorações dos 25 anos da Freguesia. Iríamos editar um livro com 113 documentos históricos recolhidos, transcritos e analisados pelo historiador Saul António Gomes. Pretendia-se uma edição de luxo, com qualidade gráfica e de conteúdos para passar a ser também um marco cultural de referência na história desta novel freguesia mas tão antiga povoação. Faltava ainda recolher apoios para concretizar a obra. Neste mês, a tomada de posse dos novos executivos locais, com o apelo ao "funcionamento ordeiro e colaborante dos seus membros", e várias iniciativas culturais e desportivas marcaram a 1.ª página.

Dezembro O nosso livro ganhou forma e granjeou apoios: o Município da Batalha louvou a iniciativa e decidiu por unanimidade co-editar a obra connosco e outros mecenas aceitaram financiar o projecto, a concluir em Janeiro de 2010. No mês do Natal, um caderno especial foi preenchido com a mensagem do Bispo, a reportagem das muitas festas para as nossas crianças e um trabalho sobre o tema do "presépio". Falámos ainda do descerrar de uma lápide pela Comissão da Igreja a agradecer à família Coelho Pereira a doação de terrenos, do orçamento camarário para 2010, da formação de atletas nas escolas do CRG e da aventura de um golpilheirense na 12.ª edição das "24 Horas TT" de Fronteira.


6

Jornal da Golpilheira

. actualidade .

Janeiro de 2010

Assinatura de protocolos

Promotor bancário faz protocolo de campanha

Centro Recreativo ganha 30 euros por cada nova conta aberta O Centro Recreativo da Golpilheira celebrou um protocolo com o promotor do Banco Santander Totta, José Carlos Ferraz, mediante o qual irá receber 30 euros por cada nova conta aberta naquela instituição bancária pelos sócios ou amigos da colectividade. A campanha estará em vigor até ao dia 15 de Março e permitirá também ao novo cliente a escolha de um prémio, mediante as condições da Super Conta Ordenado, que poderá ser uma máquina de café, um máquina fotográfica, um GPS, uma máquina de filmar, um computador portátil ou um televisor. Para mais informações sobre este assunto, deverá consultar o referido promotor, no escritório junto ao Café Fidalgo, bem como pedir esclarecimentos no Centro Recreativo da Golpilheira ou no balcão da Batalha do banco Santander Totta. DR

Decorreu no dia 22 de Janeiro, na sala de sessões da Câmara Municipal da Batalha, a assinaturas de protocolos entre a autarquia e as diversas associações e outras instituições de carácter social do Concelho. Com a presença do presidente do Município, António Lucas, e outros vereadores do executivo, comparecerem os representantes de todas as entidades contempladas. Nem todas as candidaturas foram aprovadas pelo júri que as analisou. No entanto, como o presidente frisou, "o esforço da autarquia é grande e espera-se que os benefícios que daqui advenham possam contribuir para um melhor funcionamento das associações, que desempenham um papel importantíssimo no bem-estar da nossa comunidade". O autarca agradeceu ainda que todas as despesas a apresentar estejam bem documentadas, já que as inspecções são rigorosas, a fim de se evitarem problemas tanto para as associações como

No CRG

Sorteio do cabaz de Natal O sorteio do cabaz de Natal do Centro Recreativo da Golpilheira foi efectuado no dia de Reis. Foi premiada a rifa n.º 576, contemplando uma habitante da Corredoura, Porto de Mós.

Relatório de Contas da Festa em Honra de N.ª Sr.ª da Esperança 2009 (em euros)

Restaurante Bar Café d`avó Quermesse Festeiros Patrocínios Andores Jogos Tradicionais

9.620.00 3.845.00 1.750.00 1.552.00 1.810.00 1.775.00 705.00 737.00

Total de Receitas

21.794,00

Despesas

(em euros)

Frango, entrecosto e febras Bebidas Conjuntos musicais, som e filarmónica Fogo de artificio Restaurante Materiais: arraial e jogos tradicionais Seguros, licenças e publicidade

3.172.00 3.748.00 4.975.00 1.800.00 1.959.00 931.00 611.00

Total de Despesas

17.196,00

SALDO

4.598,00

S. Bento apoia Golpilheira A Comissão da Igreja de S. Bento contribuiu novamente com 500 euros para a Comissão da Igreja da Golpilheira, como forma de comparticipação nas despesas do centro de culto da freguesia.

Representantes das colectividades

para o Município. No final, António Lucas agradeceu a todos os presentes, incentivando-os a "colocarem mãos à obra". Quanto à nossa colectividade, tal como já tínhamos adiantado na passada edição, foi contemplado o "8.º Passeio TT Anjos sobre Rodas", a "17.ª Semana Cultural", o "22.º Festival de Folclore", a "Criação de sanitários para deficientes na

sede" e a "Equipa de Futebol Sénior – Veteranos". Por esta altura já se preparava o Grupo de Cantares do Planalto de São Mamede para o tradicional "Cantar das Janeiras" no átrio da Câmara. Foi um momento muito bonito, que a todos prendeu com grande atenção, ao ritmo das belas músicas cantadas e tocadas, todas com um sentido muito belo. Depois, foi o refrescar

das gargantas e aconchegar dos estômagos, na sala do bar da edilidade, com um lanche oferecido pela autarquia. Esta altura foi aproveitada pelos presentes para conversarem e trocarem algumas ideias úteis para as suas associações, uma vez que os problemas que as afligem são similares. Manuel Carreira Rito

Recordando...

Alberto Gomes de Sousa Parece que foi ontem. Por incrível que pareça, fez no passado dia 24 de Dezembro de 2009 um ano que faleceu Alberto Gomes de Sousa, mais conhecido entre nós por Sr. Alberto da Pocariça. Colaborador assíduo do nosso Jornal, deixou uma recolha vas-

MCR

Receitas

MCR

Câmara apoia as associações concelhias

tíssima sobre etnografia, usos e costumes da nossa região. Às suas recolhas etnográficas e ao seu saber muito deve o nosso rancho folclórico. Para quem de muito perto privou com ele, nunca mais esquecerá a sua maneira simples, mas entusiástica com que nos

contava tudo aquilo que sabia. Tivemos o privilégio de receber no nosso Jornal a sua colaboração, em crónicas de etnografia que eram muito apreciadas pelos nossos leitores. Deixamos-lhe nesta pequena nota a nossa singela homenagem. MCR

Doação de 0,5% do IRS

Ajude os Bombeiros sem custos Na altura de preencher o IRS, os contribuintes têm a opção de doar 0,5 % do seu IRS a uma instituição devidamente credenciada pelo Fisco. Uma delas é a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho da Batalha.

Esta doação não tem quaisquer custos, pois aquele valor é retirado do IRS que já pagou ao Estado, isto é, do valor de IRS liquidado pela Direcção de Impostos e que iria reverter para os Cofres do Estado. No caso de ter direito à restituição/

reembolso de IRS, este ficará intocável, em nada ficando prejudicado. Para doar 0,5% do seu IRS para os nosso Bombeiros, basta que na sua declaração de IRS preencha o quadro 9 do anexo H com o nome da associação

e o respectivo número de contribuinte: 501239995. Assim, está a contribuir para uma causa justa e humanitária e os Bombeiros da Batalha agradecem pela ajuda, que no fundo é para servir melhor a população do Concelho.


Jornal da Golpilheira

. actualidade .

Janeiro de 2010

Tradições que se recordam

Janeiras e Reis ouviram-se na Golpilheira

Vamos cantar as janeiras Vamos cantar as janeiras Por esses quintais adentro vamos Às raparigas solteiras Vamos cantar orvalhadas Vamos cantar orvalhadas Por esses quintais adentro vamos Às raparigas casadas Vira o vento e muda a sorte Vira o vento e muda a sorte Por aqueles olivais perdidos Foi-se embora o vento norte Muita neve cai na serra Muita neve cai na serra Só se lembra dos caminhos velhos Quem tem saudades da terra

Visita das crianças do Jardim-de-Infância ao CRG

serão distribuídos em géneros alimentícios pelas famílias carenciadas da freguesia de São Mamede, por altura da Páscoa. Assim, vieram no dia 22 de Janeiro dar dos votos de bom ano aos autarcas e funcionários do Município da Batalha e, no dia seguinte, visitaram a população Reguengo do Fetal e da Golpilheira. Os cerca de trinta elementos chegaram ao nosso Centro Recreativo pelas 21h00, vestidos a rigor e com alguns acessórios típicos do povo serrano de antigamente. Formaram coro dentro do bar da colectividade e cantaram meia dúzia de músicas alusivas às boas festas e aos Reis, sendo muito aplaudidos por outros tantos ouvintes. Sobretudo depois do verso: "Vimos cantar as Janeiras / Aos lugares da Freguesia / Se não tendes que nos dar /

A tradição

caso de os haver são mais comuns os folclóricos: pandeireta, bombo, flauta, viola, etc.) e percorram as ruas, de casa em casa. Terminada a canção numa casa, espera-se que os donos tragam as janeiras (castanhas, nozes, maçãs,

LMF

O canto das Janeiras é uma antiga tradição portuguesa que consiste na reunião de grupos que se passeiam pelas ruas no início do ano, cantando de porta em porta e desejando às pessoas um feliz ano novo. Este mês era dedicado pelos romanos ao deus Jano (em latim: porta, entrada), que era o porteiro dos Céus e por isso fundamental para a protecção contra os espíritos maus que ameaçavam o ano. Era tradição que os romanos se saudassem em sua honra no começar de um novo ano e daí derivam as Janeiras. A tradição mais ou menos geral é que grupos de amigos ou vizinhos se juntem, com ou sem instrumentos (no

Acolhei-nos com alegria!". Mas havia "algo" para lhes dar... por isso, ficaram mais algum tempo connosco num beberete de convívio, pois alguns elementos do nosso ran-

LMF

LMF

Embora já não se sinta a tradição com o peso de décadas passadas, há ainda sinais de que ela é lembrada por alguns grupos. Um dos mais importantes é o das crianças, pois é por elas que se garante a continuidade da memória colectiva. Assim, é de louvar a iniciativa do nosso Jardim-de-Infância que vestiu os meninos a rigor (de reis) e os levou à rua a cantar as Janeiras ou os Reis, como também se usa, por esta altura do início do ano. Fomos encontrá-los muito bem dispostos e cheios de genica a cantar no bar do CRG, felizes por verem uma audiência atenta, interessada e sorridente. E também por receberem no fim um docinho. Também na fria noite de 9 de Janeiro fomos surpreendidos por um grupo de escuteiros de Leiria, a cantar as Janeiras à porta de casa. Além de reavivar tradições, é também um modo de angariar algumas receitas para as suas actividades. Uma nota especial vai para o Grupo de Cantares do Planalto de São Mamede, que andou a cantar pelo Concelho. A iniciativa, que mantêm desde há alguns anos, pretende "anunciar à população da vila um feliz Ano Novo", ao mesmo tempo que "representa o trabalho e esforço de várias dezenas de jovens de São Mamede na defesa da cultura e das tradições desta região". Tem também uma vertente solidária, pois os donativos recolhidos

Janeiras

cho folclórico fizeram questão de preparar uma mesa de petiscos e bebidas para acolher devidamente o grupo visitante. Luis Miguel Ferraz

Quem tem a candeia acesa Quem tem a candeia acesa Rabanadas pão e vinho novo Matava a fome à pobreza Já nos cansa esta lonjura Já nos cansa esta lonjura Só se lembra dos caminhos velhos Quem anda à noite à ventura

Grupo de Cantares do Planalto de São Mamede veio ao CRG

chouriço, morcela, etc.) Por comodidade, é hoje costume dar-se dinheiro, embora não seja essa a tradição. No fim da caminhada, o grupo reúne-se e divide o resultado, ou então, comem aquilo que receberam.

Escuteiros de Leiria cantaram Janeiras na nossa freguesia

As músicas utilizadas são por norma conhecidas, embora haja letras diferentes em cada terra. Uma das mais famosas é que reproduzimos ao lado. O cantar dos Reis é também uma antiga tradição antiga,

muitas vezes cruzada com esta, mas que parece ter raízes algo diferentes. No dia de Reis, 6 de Janeiro, os "reiseiros" agrupavamse para as celebrações conforme a categoria profissional (caixeiros, limpadores de chaminés, feirantes, instrumentistas, doutores, moradores e até estrangeiros). Durante a noite, percorriam as ruas dançando e tocando em procissões e cantavam às portas das casas. Em 1882, pelos Reis, há noticia de que "nas ruas da cidade arruavam zabumbas, ferrinhos e as gaitas-de foles anazaladas, exclusivas dos carrejões galegos". Durante as celebrações, tinha ainda lugar uma pantomina e uma espécie de Auto dos Reis. (Alguns dados retirados de Wikipedia)

7


8

Jornal da Golpilheira

. sociedade .

Janeiro de 2010

Realizou-se no passado dia 20 de Dezembro, nas instalações gentilmente cedidas pela direcção da Adega Cooperativa da Batalha, a assembleia geral ordinária desta cooperativa. Os principais pontos de agenda eram a apreciação, discussão e votação do Plano de Actividades e Orçamento Previsional para o ano de 2010, e a eleição dos novos corpos sociais para o triénio 2010 a 2012. Antes da ordem de trabalhos, o presidente da direcção cessante, José Pinheiro Franco, referiu que era “altura para dar lugar aos mais novos”, agradeceu a todos quantos com ele colaboraram neste mandato e desejou “muita sorte e sucesso para a direcção” que iria ser eleita. Passou-se de imediato ao primeiro ponto da agenda, com a leitura e explicação do Orçamento Previsional para o ano de 2010, pelo TOC da Cooperativa, Joaquim Cordeiro. Depois do esclarecimento, o mesmo foi colocado à votação e foi aprovado por maioria, apenas com uma abstenção. Seguiu-se a eleição dos corpos gerentes, à qual se apresentaram duas listas, o que é salutar, provando que a Cooperativa continua a merecer a atenção por parte dos seus associados. Talvez devido a esta situação, estiveram presentes bastantes associados. Depois de se exporem na presença de toda a assembleia os elementos das listas concorrentes (A e B), passou-se à votação. Ordeiramente, um a um, foram colocados na urna os votos. Depois das conferências, passou-se ao escrutínio. Votaram 109 sócios. A lista A obteve 86 votos, a lista B teve 23 votos e houve um voto nulo. Foi eleita a lista A, por maioria. Os novos corpos sociais para o triénio 2010 a 2012 têm a seguinte composição: Mesa da Assembleia Geral Joaquim dos Reis Vieira José Grosso de Oliveira António Ferreira Guerra Direcção Efectiva Presidente – Raquel Maria Cunha Ferreira Secretário – José Moreira Filipe Tesoureiro – Armando Vieira Fernandes Direcção Substituta Presidente – Joaquim Silva Capitão Secretário – Fernando Monteiro Bagagem Tesoureiro – Fernando Marques Monteiro Conselho Fiscal Manuel Carreira de Almeida Rito Inácio Ferreira Vieira António Oliveira da Silva

Sócrates escolheu estadia na Batalha O primeiro-ministro José Sócrates fez-se acompanhar de um numeroso número de ministros e secretários de Estado, no passado fim-de-semana de 9 e 10 de Janeiro, na primeira realização da iniciativa "Governo Presente", pela qual pretende salientar o diálogo de proximidade com os autarcas e outros actores locais sobre os assuntos da governação. Em périplo pelo distrito de Leiria, onde procurou inteirar-se das suas valências e dificuldades, a comitiva governamental decidiu instalar-se no Hotel Villa Batalha, junto ao Mosteiro de Santa Maria da Vitória. Aí decorreu também o almoço de trabalho com os presidentes e outros autarcas das 16 câmaras distritais, onde não faltaram os assuntos mais quentes, como a poluição das suiniculturas, a crise nas empresas ou as

Ricardo Oliveira (GPM)

Eleições na Cooperativa Agrícola

Comitiva em “Governo Presente” no Distrito

Visita às obras das Escolas Domingos Sequeira e Francisco Rodrigues Lobo, em Leiria

necessidades ao nível das acessibilidades. No caso da Batalha, o presidente da autarquia, António Lucas, insistiu na exigência de não serem colocadas portagens na futura variante ao IC2, para que se cumpra o seu objectivo, que é retirar o máximo

trânsito possível da frente do Mosteiro. De facto, já por diversas vezes o autarca tem defendido que as portagens naquela via irão fazer com que os veículos, sobretudo os pesados, continuem a circular pela estrada actual, o que será falhar completamente o principal objectivo

da construção da variante. Depois desta reunião, em relação a este e aos outros temas discutidos, resta agora esperar para ver se este "Governo Presente" se revelará em Governo eficiente. LMF

Programa de reabilitação de locais contaminados

Batalha quer recuperar pedreira O Município da Batalha, em parceria com outras autarquias da região Centro, apresentou uma candidatura ao Programa Mais Centro, tendo em vista a requalificação da pedreira da Barrosinha, pertença da autarquia. A candidatura insere-se no Documento Enquadrador do Eixo Prioritário III – Recuperação do Passivo Ambiental

do Programa Operacional Temático Valorização do Território, elaborado pela

DR

Orçamento para 2010 aprovado

Pedreira da Barrosinha

Agência Portuguesa do Ambiente, que considerou as minas e pedreiras abando-

nadas como de intervenção prioritária, atendendo às suas especificidades. Pretende-se “garantir meios financeiros que suportem a reabilitação da pedreira da Barrosinha, resolvendo, em paralelo, a possibilidade da contaminação dos solos e dos sistemas aquíferos”. Para tal deverão ser necessários cerca de 204.000 euros.

pub

Comércio Grossista de Flores e Artigos de Decoração Fabrico de Artigos em Vime IC2 - Santo Antão • 2440-053 BATALHA Tel. 244 765 523 / 244 767 754 • Fax. 244 767 754 E-mail. cruzarte@gmail.com

CONSTRUÇÕES Edifício Arcadas - Piso 0 - Loja 1 Av. Marquês de Pombal - 2440 Leiria

Telefone 244 815 818


Jornal da Golpilheira

. sociedade .

Janeiro de 2010

Sessões destinam-se à população activa do Concelho

Batalha conquista 2.º lugar e menção honrosa

ACILIS premeia montras de Natal

LMF

Informática gratuita nas freguesias Num projecto que envolve o Projecto Leiria Região Digital, a ADAE e a Câmara da Batalha, iniciou-se já um conjunto de sessões de informática para a população activa de todo o Concelho. A formação decorre num veículo adaptado especialmente para o efeito, onde se disponibilizam gratuitamente computadores com acesso à internet e impressoras. As sessões serão orientadas por monitores especializados na área das novas tecnologias, e as matérias a abordar compreendem formação básica ao nível do processamento de texto, edição de imagem e acesso à internet. Decorrerão próximo das respectivas Juntas de Freguesia, no seguinte calendário: São Mamede – Terçasfeiras, das 10h00 às 11h00

A 14.ª edição do Concurso de Montras de Natal promovido pela ACILIS decorreu entre os dias 7 a 15 de Dezembro, abrangendo as ruas comerciais de Leiria, Batalha e Porto de Mós. Este ano concorreram 50 montras, sendo 31 de Leiria, 9 da Batalha e 10 de Porto de Mós. Critérios como criatividade, articulação ao tema, organização do espaço, efeito estético final, grau de atracção ou valor apelativo do conjunto serviram para apurar as 5 montras vencedoras. O júri foi constituído por Norberto Guilherme e Goretti Gouveia, vitrinistas, Anabela Campos, do Gabinete de Apoio ao Consumidor, Luísa Patrício, do jornal O Portomosense, Lurdes Trindade, do Jornal de Leiria, Armindo Vieira, do Jornal da Batalha, Ana Vala, do jornal O Mensageiro, Etelvina Neves, do Diário de Leiria, e Luísa Gonçalves, da ACILIS. Os premiados vão receber viagens e estadias, tendo os prémios sido anunciados num jantar de empresários realizado no dia 22 de Janeiro. Este jantar serviu também de encerramento das comemorações do Dia do Comerciante, assinalado pela ACILIS no passado dia 16 de Novembro, com uma missa presidida pelo padre Victor Melícias, em honra dos comerciantes já falecidos. Resultados do concurso 1.º Prémio: IN! – Leiria 2.º Prémio: Mercado Regional – Batalha 3.º Prémio: David Jeans - Leiria 4.º Prémio: Sapataria Chic & Trendy – Porto de Mós 5.º Prémio: Rebuliço Redondo – Porto de Mós Menção honrosa: Kid to Kid – Leiria Menção honrosa: Perfumaria Jordão – Batalha

Carrinha estaciona no largo da Junta

e das 11h00 às 12h00 (2 turmas) Reguengo do Fetal – Terças-feiras, das 14h00 às 15h00 e das 15h00 às 16h00 (2 turmas) Golpilheira – Quartas-

feiras, das 10h00 às 11h00 e das 11h00 às 12h00 e das 14h00 às 15h00 e das 15h00 às 16h00 (4 turmas). No caso da freguesia da Batalha, as sessões estarão mais vocacionadas para a

9

população sénior, decorrendo as aulas numa sala devidamente equipada, no quartel dos Bombeiros Voluntários, em horários ainda por definir.

Sensibilização de feirantes e comerciantes Com o objectivo de acabar com os inqualificáveis níveis de insalubridade pública dos recintos após a realização das feiras e mercados, a SUMA, em parceria com a Câmara Municipal da Batalha, vai divulgar, junto dos feirantes, uma nova acção de sensibilização. Intitulada "Mercado Bem Tratado", esta campanha visa a adopção de novos

hábitos comportamentais pelos comerciantes de feiras e mercados, incutindo responsabilidades e, ao mesmo tempo, destacando a importância que a limpeza assume em relação ao que mais os motiva: o negócio. Versando a problemática da triagem e acondicionamento e deposição de resíduos, esta iniciativa aborda ainda questões transversais, como

os direitos e obrigações constantes no Regulamento Municipal e informações úteis para vender melhor. Porque a construção de um ambiente com qualidade depende da aceitação e partilha de responsabilidades, a campanha "Mercado Bem Tratado" dirige-se também aos clientes, incentivando-os a dar preferência às bancas

que evidenciem maiores cuidados ambientais, já que transmitem maior confiança em relação aos produtos comercializados. Além disso, esta é também uma forma de reconhecer o esforço de quem aposta em boas práticas ambientais. Com início previsto a partir de 1 de Fevereiro, esta acção de sensibilização vai ser promovida através de abordagem directa

LMF

Batalha quer “Mercado bem tratado”

Cenário frequente

junto dos destinatários – feirantes e clientes – e da distribuição qualitativa de material informativo de suporte, como folhetos.

Esta acção contará com a colaboração de alunos da Escola Secundária da Batalha e do Colégio de S. Mamede. pub

R. Leiria, 73 - Cividade 2440-231 GOLPILHEIRA Tel/Fax 244767839 Tlm. 919640326 reciklena@iol.pt

Joaquim Vieira Reciclagem e comercialização de consumíveis informáticos

Telefone 244 729 720

EMISSÃO ONLINE

www.radiobatalha.com


10

Jornal da Golpilheira

. sociedade .

Janeiro de 2010

Leiria-Fátima na BTL 2010 – Feira Internacional de Turismo A 22ª edição da “maior montra da oferta turística em Portugal”, de 12 a 17 de Janeiro, contou com a presença das empresas líderes de mercado, dos grandes decisores do sector, operadores turísticos, organismos nacionais e regionais de turismo, imprensa especializada e ainda grande representação dos destinos internacionais, com destaque para a África do Sul, país convidado. O território turístico de Leiria-Fátima – constituído pelos concelhos da Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós – encontrou o espaço adequado para apresentar uma imagem forte num “Mundo de Destinos e Negócios”. Na sua maior parceria de sempre com municípios, entidades públicas e empresários da sua área territorial, LeiriaFátima apresentou-se com um stand de 180m2, três frentes e imagens de grandes dimensões, representativas da diversidade que a região oferece. O principal objectivo foi desenvolver o negócio

turístico de uma região com notável centralidade face ao território nacional, bem como aumentar a projecção internacional da marca “Fátima” e a visibilidade das potencialidades dos produtos turísticos da região, com destaque para o Turismo Religioso (Santuários, Igrejas, Ermidas e Capelas), Natureza (Pinhal de Leiria, Serra de Sicó, Mata Nacional do Urso, Lagoa da Ervideira, Mata das Termas de Monte Real, Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, Grutas de Mira de Aire, Santo António, Alvados e Grutas da Moeda, Monumento Natural das Pegadas de Dinossáurios, Agroal), Sol e Mar (S. Pedro de Moel, Vieira, Pedrógão e Osso da Baleia) Património (Mosteiro da Batalha, Castelos de Leiria, Ourém, Pombal e Porto de Mós) e Saúde e Bem-estar (Termas de Monte Real). Evidência especial foi dada ao Turismo de Negócios, numa região que reúne as melhores condições para acolher congressos e reuniões empresariais. O dia 16 foi especial-

mente marcante, com a animação musical de quatro grupos da região e a representação da Batalha de Aljubarrota, com alguns momentos transmitidos em directo pela RTP 1, no “Programa das Festas”. A animação musical teve início com o grupo de percussões do Orfeão de Leiria Conservatório de Artes, que surpreendeu quem assistia pela originalidade e dinamismo dos temas e dos jovens da escola de música de Leiria. Seguiram-se os Gaitilena, da zona da Batalha, que passearam pela feira, divulgando a tradição da região pelos visitantes. Já depois de começar o “Programa das Festas”, a música continuou no espaço de Leiria-Fátima com os Tocándar, grupo originário da Marinha Grande que junta miúdos e graúdos com tambores, bombos e muita energia a contagiar as pessoas que assistiram à sua actuação. O último grupo a actuar foi o Concertinas da Barrenta, de Porto de Mós, com uma sonoridade que ilustrou a tradição das serras. A evocação histórica

da Batalha de Aljubarrota começou cedo, com o desfile pela feira dos soldados do exército português que derrotou os castelhanos, acompanhados de damas e outros personagens da história de Portugal, que transformaram depois o stand de Leiria-Fátima no seu campo de combate. A recriação esteve a cargo do Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota e da Companhia Livre. Foi com armas, armaduras, soldados e damas em pano de fundo que Júlio Isidro entrevistou Graça Frazão Leiras, Técnica Superior da ERT – Turismo de Leiria-Fátima, que apresentou a região aos espectadores da RTP 1, que falou sobre a oferta da região nas várias vertentes do turismo, salientando por exemplo, alguns dos pratos típicos da gastronomia, como a morcela de arroz de Leiria, o leitão da Boa Vista, o borrego à Vale Travesso, as Brisas do Lis ou os pudins da Batalha. Graça Leiras referiu que visitam a região anualmente entre cinco e sete milhões de pessoas, so-

DR

“Mundo de Destinos e Negócios”

Actuação dos Gaitilena

bretudo com grande afluxo de visitantes para Fátima, número que tem tido tendência para aumentar. Falou ainda da marca Fátima e do turismo de natureza, e do projecto “Mundo de destino e negócios”, que é impulsionado pela “centralidade e pelo facto de termos um parque hoteleiro de grande dimensão e qualidade, porque somos de facto uma aposta para as reuniões de negócios, seminários temáticos, congressos e outros eventos de negócios

que podem realizar-se aqui na região”. No stand de LeiriaFátima esteve ainda em exposição uma mota Vespa, que serviu para divulgar o 44.º Encontro Mundial de Vespas, que se realizará em Fátima entre 1 e 4 de Julho de 2010, e o projecto de guias turísticos para telemóveis, através de um ecrã touchscreen e de um sistema de envio da plataforma via bluetooth.

Já na candidatura do Maciço Calcário Estremenho, que envolve institucionalmente o Município de Porto de Mós, a candidatura evidencia que esta mancha de relevo representa a mais importante zona calcária de Portugal, abrangendo as Serras de Aire e Candeeiros e os planaltos de Santo

António e de São Mamede. Na explicação formulada, é ainda apontado que o substrato calcário corresponde ao elemento fundamental da paisagem, sendo possível observar diversos valores naturais, designadamente geomorfológicos, que resultam de processos de dissolução das rochas na água, em sequência de uma permeabilidade elevada, tais como: grutas, algares, escarpas, campos de lapiás, vales secos, polje, dolinas, entre outros. Para votar, os interessados devem visitar o site www.7maravilhas.sapo.pt e seleccionar as respectivas categorias. As votações decorrem de Março a Setembro.

Batalha candidata Grutas da Moeda e o Maciço Calcário Estremenho

“7 Maravilhas Naturais de Portugal”

Maciço Calcário Estremenho

O Município da Batalha apresentou duas candidaturas a concurso, as Grutas da Moeda e o Maciço Calcário Estremenho. Segundo nota da autarquia, “esta selecção leva em linha de conta a importância que apresentam no contexto natural da região, bem como o seu enorme valor turístico”.

Quanto às Grutas da Moeda, enfatiza-se na candidatura o facto de estas formações calcárias serem consideradas as mais belas de Portugal, constituídas por calcários micríticos das Serras de Aire a partir dos quais se podem observar estalagmites e estalactites únicas.

DR

Portugal. Segundo Bernard Weber, criador deste movimento global e presidente da “New 7 Wonders Foundation”, divulgar e preservar o património natural é hoje uma prioridade a nível mundial, pois “se queremos salvar alguma coisa, primeiro precisamos de saber apreciá-la realmente”.

DR

Celebra-se em 2010 o Ano Internacional da Biodiversidade, motivo que levou a empresa “New 7 Wonders Portugal” a lançar o concurso para eleição das “7 Maravilhas Naturais de Portugal”. Pretende-se sensibilizar os portugueses para a necessidade de preservar o património natural do País, reforçando um movimento ambientalista que cresce a nível global e pretende ser uma referência no contributo para a sustentabilidade ambiental. De facto, esta eleição antecipa a campanha mundial para eleger as “7 Maravilhas da Natureza”, em 2011, sendo por isso um projecto pioneiro, que coloca os olhos do mundo nas imensas belezas naturais de

Grutas da Moeda


Jornal da Golpilheira

. cultura . desporto .

Janeiro de 2010

Torneio “O Condestável” já em Fevereiro Na cerimónia de encerramento do ano desportivo 2009 da Associação de Ténis de Leiria, no passado dia 9 de Janeiro, foram premiados diversos atletas dos distritos de Leiria e Santarém pelas suas prestações no ténis durante o ano passado. Estiveram presentes presidentes de clubes

associados, atletas, pais, treinadores e os presidentes das associações de Coimbra, Porto, Leiria e da Federação Portuguesa de Ténis. A secção de ténis da UDB – União Desportiva da Batalha recebeu os três seguintes prémios: Margarida Barros – Campeã Regional SF

BREVES REGIONAIS... Exposição em Porto de Mós

Castels and Monuments of Portugal Está patente na galeria da Biblioteca Municipal de Porto de Mós a exposição de pintura “Castels and Monuments of Portugal”, sobre castelos e monumentos do nosso país, mais propriamente da região. A mostra decorre até 30 de Janeiro.

Exposição na biblioteca do IPL

Fotografia de Ricardo Santos O Instituto Politécnico de Leiria tem patente, na sua Biblioteca José Saramago, a exposição de fotografia “Essências”, de Ricardo Santos. Patente até 30 de Janeiro, a mostra retrata de uma forma simples e subtil a essência dos elementos naturais que nos transportam para um espaço intemporal. A elegância da natureza expressa de variadas formas apelando aos nossos sentidos. Ricardo Santos sempre demonstrou interesse pelas artes visuais, principalmente a fotografia a preto e branco.

Novos guias em parceria

CEPAE colabora com Turismo Com a responsabilidade de definir uma estratégia para o sector do turismo da sua área de intervenção e desenvolvendo um esforço financeiro acrescido, o Turismo de Leiria-Fátima assinou um protocolo de cooperação com o CEPAE - Centro de Património da Estremadura. A parceria decorre durante este ano e consiste na produção de conteúdos para roteiros turísticos, a editar posteriormente em suporte de papel e informático, cujos temas já foram escolhidos: “Roteiro da Espiritualidade”, “Roteiro do Património”, “Roteiro da Natureza”, “Roteiro Gastronómico”, “Roteiro do Santo Condestável”, “Roteiro Histórico da Indústria Regional” e o “Roteiro Artístico de Leiria-Fátima”. De referir que o CEPAE é uma entidade de carácter associativo que foi fundada em Dezembro de 1993, com o objectivo de conjugar esforços para uma maior e melhor preservação do património cultural e ambiental. Desenvolve o seu trabalho nos concelhos de Pombal, Leiria, Ourém, Marinha Grande, Batalha, Porto de Mós e Caldas da Rainha, e conta com uma diversidade de colaboradores com competências multidisciplinares, nomeadamente nas áreas de história, etnografia, antropologia e arqueologia, literatura e fotografia.

Sub 12, Campeã Regional PF Sub 12, Vice-Campeã Regional PM Sub 12 e Vice-Campeã PF Sub 14 Rui Cerejo – Vice-Campeão Regional PM +35, Vice-Campeão Regional PM +45 Equipa UDB – ViceCampeões Regionais M +45

DR

Ténis da Batalha premiado

Os vencedores

11

Próxima prova Entretanto, a UDB vai promover, nos dias 6 e 7 de Fevereiro, o “XIV Torneio de Ténis O Condestável". Será um torneio sénior de nível C, nas modalidades de singulares masculinos e singulares femininos, a decorrer nos três campos de relva sintética do Complexo de Ténis da Batalha. As inscrições podem ser efectuadas por fax (244 766 612) ou por e-mail (udb_ tenis@hotmail.com). Info: 244766612 ou 918655215. divulgação


12

Jornal da Golpilheira

. pub .

Janeiro de 2010

Telas • Esculturas • Azulejos Móveis • Peças Decorativas Sempre exclusivo e original!

os! VisG OitLeP I-LnH E I RA na

Um toque de arte na decoração da sua casa...

Rua do Choupico, 129 Casal de Mil Homens 244765498 / 965170426 nelson.c.gomes@hotmail.com

Representante das marcas

Rua D. Filipa de Lencastre, N.º 7 A • 2440 BATALHA • Tel. e Fax 244766569

• Oficina de reparações gerais • Testes computorizados a motores • Serviços de ar condicionado


Jornal da Golpilheira Janeiro de 2010

OlĂĄ a todos!

. infantil .

13

Jardim-de-Infância da Golpilheira


14

Jornal da Golpilheira

. desporto .

Janeiro de 2010

Futsal Feminino Júnior Alegre e Unido – 0 Golpilheira – 9 O jogo foi disputado no passado dia 10 de Janeiro, frente à equipa do Alegre e Unidos. A nossa equipa vinha de duas derrotas consecutivas, algo inédito no nosso historial. Era um encontro decisivo, para continuarmos a acreditar na conquista de mais um campeonato, que a verificar-se será o sexto consecutivo. A equipa sentiu esta responsabilidade e entrou no jogo com atitude positiva, para demonstrar que os desaires frente aos Vidais e CEF tinham sido um mero acidente. Assim, resolveram a partida de forma esclare-

cedora, com nove golos sem resposta. Golpilheira – 6 União de Leiria – 1 Disposta a não cair em novas “distrações”, a equipa entrou no jogo do dia 17, contra a União de Leiria, com muita garra. O primeiro golo não aconteceu mais cedo, por mera infelicidade das nossas jogadoras. Mas a equipa pressionava, atacava e num desses ataques bem delineados, Pastilha apareceu no segundo poste e abriu o activo. Galvanizadas com a obtenção deste golo, protagonizaram excelentes jogadas, que ainda antes do intervalo deram mais

dois golos, um por Jessica Pedreiras e outro por Rita, na marcação dum livre de dez metros muito bem executado. No segundo tempo, o sentido do jogo não se alterou, com a Golpilheira sempre senhora do jogo, não dando qualquer hipótese à equipa da União de Leiria de pegar no jogo. Com normalidade, obtivemos o quarto e o quinto golos, obras de Jessica Pedreiras e Jeca. A ganhar por cinco a zero, a nossa equipa descomprimiu um pouco, aproveitando nesta altura a equipa adversária para obter o seu tento de honra. No entanto, foi novamente Pastilha

MCR

O regresso às vitórias

Voltou a garra...

a fechar o placar, que muito bem tinha aberto. Santa Bárbara – 0 Golpilheira – 30 A história do jogo com

o Santa Bárbara, no dia 24 de Janeiro, conta-se pelos golos. Com quase um golo por minuto, será difícil alguma equipa conseguir maior goleada. Foi eviden-

te a diferença entre as duas formações, o que é natural entre equipas que têm experiências muito diversas. Manuel Carreira Rito

Futsal Feminino Sénior

MCR

Nove jogos, 9 vitórias

Esquadrão invencível

Vidais – 1 Golpilheira – 5 A deslocação no dia 9 de Janeiro às Caldas da Rainha, para defrontar a equipa dos Vidais, segunda classificada, não se previa nada fácil. Conscientes das dificuldades que íamos encontrar, entrámos no jogo muito concentrados e fizemos o primeiro golo logo aos 40 segundos, por intermédio de Carolina. Dominando toda a primeira parte, não deixando o adversário organizar-se ofensivamente, conseguimos obter o segundo golo aos onze minutos, novamente por Carolina. Para coroar uma primeira parte de grande nível, acabámos por fazer o terceiro golo, por Rita Eusébio, num forte remate de fora da área. No início da segunda parte, a equipa dos Vidais equilibrou o jogo, tendo efectuado alguns remates à nossa baliza e, aos 39 minutos, acabou por obter o seu golo de honra, por intermédio de Daniela Nascimento. Com este

golo, sofremos alguma pressão da equipa dos Vidais, que terminou quando a nossa capitã Liças, sem marcação, fez o quarto golo, a passe de Jéssica. Os últimos dez minutos do jogo foram dominados, novamente, pela nossa equipa, que obteve o quinto golo através de Irina. Mais uma vitória muito importante para concretizar os nossos objectivos, uma vez que, com este resultado, aumentamos a distância pontual para oito pontos em relação à equipa dos Vidais. Golpilheira – 10 Ansião – 1 O jogo disputado no passado dia 16 de Janeiro, no pavilhão da Batalha, previa-se de alguma dificuldade. Mas, depois de obtido o primeiro golo, foi bastante fácil. Bom desempenho de todas atletas, aproveitando a nossa treinadora para rodar as jogadores com menos tempo de utilização. Para a história ficam os golos

marcados, seis na primeira parte e quatro na segunda. Irina abriu o placar e Licas fechou-o. Marcaram os golos: Irina (3), Inês (2), Rita Eusébio (2), Jéssica Pedreiras (1) e Licas (2). Núcleo Sporting. Leiria – 2 Golpilheira – 7 Este jogo, disputado no dia 23 de Janeiro, no pavilhão da Escola Correia Mateus, em Leiria, foi o último da primeira volta. Era muito importante vencê-lo, já que até aqui nenhuma equipa o tinha conseguido neste pavilhão. A expectativa era enorme, até porque a equipa da casa tem algumas jogadoras experientes. Representaram diversas equipas que lutavam para ser campeãs, mas que nestes anos não o conseguiram, assim como elas também não se conseguiram impor. Após o apito inicial, verificou-se de imediato que a equipa do Núcleo ia jogar muito fechada, espreitando possíveis contra-ataques. A Golpilheira fez

aquilo que lhe competia. Jogo de paciência, com excelentes trocas de bola, criação de algumas boas oportunidades de golo, que foram desperdiçadas por diversas vezes. A equipa da casa apenas defendia, colocando o "autocarro" à frente da sua guarda-redes. No entanto, água mole em pedra dura tanto bate até que fura. E furou mesmo. Numa excelente jogada de conjunto, Inês centrou e Jéssica, muito oportuna, de cabeça, abriu o activo. A partir do primeiro golo, era natural que as coisas se tornassem mais fáceis para as nossas cores. A equipa da casa tinha de procurar o golo, dando mais possibilidades à Golpilheira de marcar mais alguns. Ainda antes do intervalo, Liças, numa jogada confusa obteve o nosso segundo golo. O Núcleo sabia muito bem que não tinha qualquer hipótese de jogar de igual para igual. Foi o que tentaram fazer na segunda parte, acabando por facilitar a nossa tarefa. O terceiro e merecido golo não tardou, marcado por Carolina. O nosso domínio continuava e Irina assinalou um excelente golo, com um portentoso remate de fora da área, fazendo o 0-4. A equipa da casa, nas raras oportunidades que criou, marcou o seu primeiro golo, por Mara. A nossa equipa sentiuse um pouco espicaçada com este golo e partir com entusiasmo

à procura de mais. Numa boa jogada, ao segundo poste, Rita Eusébio marcou o nosso quinto golo. Quase de seguida, numa excelente jogada individual, Inês apontou o sexto. Ainda houve tempo para o Núcleo reduzir para 2-6, novamente por Mara. No entanto, foi a Golpilheira que fechou o marcador, numa insistência de Irina, que roubou a bola à guarda-redes contrária e com facilidade marcou o nosso sétimo golo. Excelente jogo da nossa equipa, que jogou muito coesa, com muita determinação, concentração, inspiração, confiança e alegria. Terminada a primeira volta, o balanço não podia ser melhor. Nove jogos, nove vitórias, 50 golos marcados e apenas 11 sofridos. Oito pontos de avanço dos Vidais e da Caranguejeira (esta com menos um jogo). Tudo isto se consegue através de muito trabalho, muito rigor, pontualidade e espírito de sacrifício. Mérito da treinadora Teresa Jordão, atletas, equipa directiva, outros colaboradores e o público que não se cansa de apoiar esta fantástica equipa. A conquista do "tetra" está cada vez mais ao nosso alcance, bastando para isso continuar a trabalhar com o mesmo afinco. Parabéns a todos. MCR


Jornal da Golpilheira

. desporto .

Janeiro de 2010

Atletas e dirigentes em convívio

Almoço de convívio das Escolas do CRG

Equipas do CRG FUTSAL Juniores Femininos . Campeonato Distrital de Futsal

10-01 – Alegre e Unido – 0 / Golpilheira – 9 17-01 – Golpilheira – 6 / União de Leiria – 1 24-01 – Santa Bárbara – 0 / Golpilheira – 30 Próximos Jogos 07-02, 15h00 (Batalha) – Golpilheira / Louriçal 13-02, 19h00 (Segodim) – Segodim / Golpilheira (Taça Distrital) 20-02, 15h00 (Batalha) – Golpilheira / Segodim

Seniores Femininos . Distrital da Divisão de Honra

09-01 – Vidais – 1 / Golpilheira – 5 16-01 – Golpilheira – 10 / Ansião – 1 23-01 – Núcleo Sportinguista de Leiria – 2 / Golpilheira – 7 Próximos jogos 30-01, 20h30 (Batalha) – Golpilheira / Pocariça 06-02, 21h00 (Casal Marra) – Amarense / Golpilheira 13-02, 19h00 (Casal Marra) – Amarense / Golpilheira – Taça Distrital 20-02, 20h30 (Batalha) – Golpilheira / Louriçal

FUTEBOL Escolas “A” Futebol 7 - 1º. Torneio Distrital de Escolas

MCR

Decorreu no passado dia 16 de Janeiro, na nossa colectividade, um almoço de convívio das equipas de Futebol de 7, Sub 13 e Juniores de Futebol de 11. Foram momentos bem passados, primeiro pelos juniores, que depois foram jogar na Batalha contra o Vieirense, um jogo para o campeonato distrital. Os mais pequenos, mais traquinas, nem a comer paravam. De quando em vez, lá tinham de ser repreendidos pelos seus responsáveis, quando a situação assim o exigia. O que vale é que o espaço é grande, proporcionando-se, claro está, para o divertimento. Com certeza, até ao final da época, ainda o iremos fazer mais alguns destes animados encontros. MCR

15

09-01 – Portomosense – 12 / Golpilheira – 0 16-01 – Golpilheira – 13 / Alqueidão da Serra – 0 Próximos Jogos 30-01, 09h30 (Barrocas) – Golpilheira / Mirense Fim deste Torneio

Juniores

Infantis Su/13 – Distrital Futebol de Sete – Série C

16-01 – Golpilheira – 4 / Portomosense – 10 23-01 – UDB Batalha – 13 / Golpilheira – 0 Próximos Jogos 30-01, 11h00 (Barrocas) – Golpilheira / Beneditense 06-02, 11h00 (Portela - Marinha Grande) – Marinhense / Golpilheira Fim da primeira fase deste Campeonato

Juniores Masculinos - Distrital da 1ª. Divisão - Série C

09-01 – São Guilherme – 2 / Golpilheira – 1 16-01 – Golpilheira – 0 / Vieirense – 3 Próximos Jogos 06-02, 15h30 (Pilado – Marinha Grande) – Pilado / Golpilheira Fim da primeira fase deste Campeonato. Independentemente do resultado a verificar-se neste último jogo, a equipa da Golpilheira está apurada para a fase seguinte.

Veteranos de Futebol 11

Escolas

MCR

Escolas

Futebol de 11 | Veteranos

“Velhas glórias” querem ir à Madeira Barreiros – 1 Golpilheira – 1 Num palco em que já não estávamos habituados a jogar (campo pelado), iniciou-se mais uma tarde de convívio, perto das 15h00. Apesar duns anitos e uns quilitos a mais, todos os intervenientes neste jogo demonstraram que quem sabe nunca esquece. Bonitas jogadas de parte a parte, excelentes defesas de ambos os guarda-redes, enfim, muito futebol. A primeira parte foi dominada pelos donos da casa, influenciada, segundo a minha óptica, pela inclinação do campo. Foi neste primeiro tempo

que a equipa da casa marcou o seu golo, mercê dum excelente pontapé fora da área, que não deu hipóteses a Rui Fernandes. A nossa equipa também teve excelentes oportunidades de golo mas, apesar do José Augusto não estar presente, houve outros atletas que fizeram o que ele normalmente faz: falhar golos. Na segunda parte, mandámos nós. Foi um massacre autêntico, mas a bola não queria entrar. E foi bem perto do final que conseguimos o golo do empate, por Bruno Carreira, a passe de Hélder Monteiro. Resultado justo, pelo

que fizeram as equipas em cada uma das partes. A equipa de arbitragem, toda ela vinda da Golpilheira, cumpriu muito bem o seu dever, com rigor e isenção. A terceira parte, servida num restaurante da localidade, esteve impecável do princípio ao fim. Travaram-se novas amizades, recordaram-se tempos antigos, reencontraram-se amigos que não se viam há largos anos. No final, ainda houve tempo para a troca de lembranças, para perpetuar o primeiro encontro destas duas equipas de veteranos.

MCR

MCR

09-01 – Barreiros – 1 / Golpilheira – 1 Próximos Jogos 30-01, 15h30 (Alqueidão da Serra) – Alqueidão / Golpilheira 20-02, 18h00 (Batalha) – Golpilheira / Boavista

Na 3.ª parte, todos ganham...

Madeira? A direcção da equipa de veteranos está a tratar, em conjunto com os seus atletas, de uma possível deslocação à Madeira, para jogar com a sua congénere do Nacional da Madeira, no próximo mês de Abril. Para tratar

deste assunto, realizou-se uma reunião na sede do CRG, no dia 20 de Janeiro, onde estiveram presentes a maioria dos interessados. Neste momento, falta acertar a data com a equipa da Madeira e marcar a viagem e o alojamento... MCR


16

Jornal da Golpilheira

. solidariedade .

Janeiro de 2010

Pão para as crianças do padre João Campanha de solidariedade O padre João Monteiro da Felícia, um missionário da Consolata natural da Golpilheira, paróquia da Batalha, está há já alguns anos no Brasil, onde oferece o seu amor a Jesus Cristo, no serviço aos mais desfavorecidos. Daqueles que, ainda antes da fé, precisam de pão para a boca. O Jornal da Golpilheira tem em curso uma campanha para a oferta de uma “cesta de alimentos”, no valor de 10 euros, que é a ajuda que o padre João tenta entregar todos os meses às famílias que têm crianças a morrer à fome. Desde Janeiro de 2006, enviámos um total de 2630 euros, o que deu para 263 cestas... Este mês de Janeiro recebemos: - Anónimo - 5 cestas (50 euros) - Vítor Matos Martins - 6 cestas (60 euros) - Luís Henriques da Cruz Monteiro - 5 cestas (50 euros) - Anónima - 1 cesta (10 euros) - Anónima da Faniqueira - 5 cestas (50 euros) - António Rosa - 2 cestas (20 euros)

Colabore! Seja solidário... Contacte:

• CRG - R. Baçairo, 856 - 2440-234 GOLPILHEIRA • Pe. José Gonçalves (Pároco da Batalha) • António Monteiro Rosa (Casal de Mil Homens)

...e poupe nos impostos! Os Missionários passam recibo da sua oferta, que poderá deduzir no IRS. Basta que junte ao donativo o seu nome, morada completa e o n.º de contribuinte.

Cartas do Brasil Queridos familiares e amigos colaboradores. Como vedes pela carta que vos reencaminho, ainda distribuo um pouco em Jaguarari, onde eu trabalhei durante 4 anos. A caridade não tem limites. O pouco com Deus é muito. A carta que vos mando é bem clara. O Brasil são muitos Brasis. Não vos deixeis enganar pela propaganda. Há muita gente com fome. Muito obrigado por tudo e boas festasPe. João da Felícia

Carta das famílias da Bahia aos amigos de Portugal É com muita alegria que nós que fazemos parte da equipe solidária da Paróquia de São João Batista de Jaguarari – Bahia vos saudamos. Queremos agradecer a todos vocês pela colaboração dada com muito carinho às nossas crianças e famílias, pois com a vossa colaboração distribuímos as cestas básicas, tiramos estas famílias da FOME e de DOENÇAS. As famílias agradecem, mas também nós queremos em nome delas agradecer a vocês. E também agradecer ao nosso querido e irmão Padre João Monteiro, que veio para o nosso meio nos trazer alegria e tirar as famílias da miséria, com a contribuição de vocês. Se não fosse esse nosso irmão a nos ajudar como estariam essas famílias? Junto ao agradecimento vai também a nossa oração por todos vocês e que Deus nosso Pai criador lhes dê tudo em dobro. O Pe. João neste 2.º semestre nos ajudou com a quantia de R$ 1.200,00 [cerca de 500 euros], todos os gastos incluídos. Agradecemos não só pelo dinheiro e pela ajuda que vocês todos nos dão, mas pela caridade que fazem com este povo tão carente de nossa cidade que precisa muito de ajudas solidárias como estas. Temos a certeza que a vossa generosidade vai ainda continuar. Pedimos a Nossa Senhora de Fátima que proteja todos vocês. Não vos esquecemos. Atenciosamente, Equipe de caridade Paróquia São João Batista de Jaguarari Bahia

União Europeia define tema para Ano Europeu 2010

“Contra a pobreza e a exclusão social” O princípio de solidariedade está na base da construção europeia. Por isso, a União Europeia (UE) e os Estados membros proclamaram 2010 como “Ano Europeu Contra a Pobreza e a Exclusão Social” (AECPES). Uma ocasião para reafirmar o compromisso político da UE feito em Lisboa para “realizar uma reviravolta decisiva na luta contra a pobreza”. São quatro os objectivos principais: “reconhecer o direito das pessoas em situação de pobreza e exclusão a viverem de modo digno e participarem de modo activo na sociedade; partilhar responsabilidades e maior participação na estratégia contra a pobreza, através de uma acção conjunta de todas as entidades públicas e privadas; promover uma maior coesão social, na qual cada um esteja plenamente consciente dos benefícios que traz à sociedade a erradicação da pobreza; renovar o compromisso e a acção concreta da UE e dos Estados membros, no esforço comum para a inclusão social”. Tema pertinente O ano foi inaugurado no dia 21 de Janeiro, em Madrid, no âmbito do semestre espanhol da presidência da UE e contou com a participação de todos os Estados membros, com a Islândia e a Noruega. Entre as actividades programadas, estão conferências, debates, seminários e campanhas de sensibilização, para dar voz a quem é obrigado a viver na marginalização social, mas sobretudo para estimular uma forte tomada de consciência e assumir uma maior responsabilidade na luta contra a pobreza. A pobreza é normalmente associada aos países em vias de desenvolvimento, nos quais a subnutrição, a fome e a falta de água limpa e potável são desafios quotidianos. Contudo, a Europa também é afectada pela pobreza e pela exclusão social. Apesar de estes problemas não serem

tão visíveis e gritantes, são ainda assim inaceitáveis. A pobreza e a exclusão de um indivíduo implicam o empobrecimento de toda a sociedade. O tema havia sido definido no início de 2008, quando a economia florescia e nada fazia prever a tempestade financeira que se avizinhava. Ninguém então imaginava o estado em que estaria a Europa neste sector. Depois de uma crise económica sem precedentes e que levou à falência centenas de empresas e ceifou milhares e milhares de empregos, dificilmente se poderia pedir um tema mais pertinente para dar o mote ao Ano Europeu. Um europeu em cada dez pertence a uma família em situação total de desemprego. As crianças constituem a camada social mais exposta à chaga da pobreza: com 19 milhões de menores em condições de precariedade e de exclusão Cerca de 80 milhões de pobres na Europa Um quinto da população europeia é afectada pela pobreza e exclusão social. No primeiro semestre do ano 2009, foram feitos 1836 pedidos de apoio social, segundo dados da Amnistia Internacional, um aumento de 24% em relação ao ano anterior. São cerca de 80 milhões os europeus que vivem sob a ameaça da pobreza, enfrentando a insegurança da falta de emprego, segurança social, assistência médica e qualidade de vida que muitas pessoas davam por direitos adquiridos. Apesar de a UE ser uma das regiões mais ricas do mundo, 17% da sua população não tem os meios necessários para satisfazer as suas necessidades mais básicas. Portugal à beira da explosão Em Portugal, não fossem os apoios sociais e 41% das pessoas estariam abaixo do limiar da pobreza. Segundo o Eurobarómetro de Outubro, 61% dos cidadãos nacionais acreditam que o nível de pobreza aumentou

fortemente nos últimos 12 meses. A sondagem também revela que muitos já esticaram os rendimentos até ao limite e começam a sentir na pele as dificuldades. Os dados revelam ainda que 88% dos portugueses dizem não poder pagar dívidas que subam acima dos 1000 euros nos próximos 12 meses. E é cada vez mais difícil fazer face às despesas fixas: 6% estão a deixar de pagar algumas contas, 37% dizem que lutam constantemente para as pagar e 36% dizem que, de vez em quando, têm dificuldades. Por último, 16% dos portugueses admitem que, no último ano, pelo menos por uma vez ficaram sem dinheiro para pagar as contas fixas ou comprar bens de primeira necessidade. Segundo os indicadores do Instituto Nacional de Estatística divulgados recentemente, em 2008, 18% dos portugueses (quase dois milhões de pessoas) viviam abaixo do limiar da pobreza. Número que não era maior graças aos apoios sociais (as pensões representam 16% e os restantes apoios 7%). Ou seja, feitas as contas e, sem os apoios sociais, 41% da população portuguesa vive abaixo do limiar da pobreza. Tenha-se ainda em conta que o próprio Estado entrou num caminho que vai dificultar a manutenção destes apoios. Solução apontadas A Europa só pode ser forte se utilizar ao máximo o potencial de cada um dos seus cidadãos. Um valor fundamental da UE é a solidariedade, particularmente importante em tempos de crise. A palavra “União” diz tudo – enfrentamos juntos a crise económica e é esta solidariedade que nos protege a todos. Aqui ficam alguns desafios do muito que podemos fazer juntos: - Encorajar a participação e o compromisso político de todos os segmentos da sociedade para participarem na luta contra a pobreza e a exclusão social, desde

o nível europeu ao nível local, no sector público e no privado; - Motivar todos os cidadãos europeus a participarem na luta contra a pobreza e a exclusão social; - Dar voz às preocupações e necessidades de todos quantos vivem situações de pobreza e de exclusão social; - Dar a mão a organizações da sociedade civil e a ONG na área da luta contra a pobreza e a exclusão social; - Ajudar a derrubar os estereótipos e a estigmatização da pobreza e exclusão social; - Fomentar uma sociedade que garanta a qualidade de vida, o bem-estar social e a igualdade de oportunidades para todos; - Reforçar a solidariedade entre gerações e garantir o desenvolvimento sustentável. Programa Nacional O Governo português nomeou um coordenador nacional – o presidente do conselho directivo do Instituto da Segurança Social – como responsável pela definição do programa nacional para este Ano Europeu, cujas iniciativas a prosseguir “deverão contribuir de forma eficaz para reconhecer o direito fundamental das pessoas em situação de pobreza e exclusão social a viver com dignidade e a participar activamente na sociedade”. O programa nacional estrutura-se em torno de quatro eixos estratégicos: - Contribuir para a redução da pobreza (e prevenir riscos de exclusão); - Contribuir para a compreensão e visibilidade do fenómeno da pobreza e seu carácter multidimensional; - Responsabilizar e mobilizar o conjunto da sociedade no esforço da erradicação das situações de pobreza e exclusão; - Assumir a pobreza como um problema de todos os países, eliminando fronteiras.


Jornal da Golpilheira

. solidariedade .

Janeiro de 2010

17

Um apelo, muitas formas de ajudar…

Tragédia no Haiti motiva onda de solidariedade demais lembrar que uma migalha de cada um de nós poderá ser importante para matar a fome a uma das vítimas dessa catástrofe. Assim, nesta edição publicamos o apelo da Cáritas Portuguesa, a que a nossa estrutura diocesana se associou, mas damos nota de outras formas concretas de concretizar essa ajuda. Cáritas lança campanha A Cáritas Portuguesa lançou já uma campanha de solidariedade, disponibilizando de imediato alguns milhares de euros à Cáritas do Haiti e espera, a par das anteriores campanhas realizadas pela nossa instituição, que o nosso povo dê uma resposta ampla, generosa e inequívoca nesta hora de dor dos irmãos que vivem naquele país do Caribe. Somos cristãos. É porque fazemos da nossa crença uma religião viva que vamos mostrar, uma vez mais, que a nossa solidariedade é real. O donativo pode ser feito em transferência para o NIB 003506970063000753053. UNICEF A resposta da UNICEF, em coordenação com outras agências das Nações Unidas, a Cruz Vermelha Internacional e o Crescente Vermelho, destina-se prioritariamente às crianças e mulheres, que são a camada da população mais vulnerável em tempos de crise. Perto de 50 por cento dos 10 milhões de habitantes do Haiti são crianças com menos de 18 anos. Apesar de já ter disponibilizado alguns milhões de euros, a agência diz que é urgente mais financiamento, artigos médicos e de saúde, kits familiares para abrigo, e forneci-

mentos para o sector de água e saneamento. Os donativos podem ser efectuados em www.unicef.pt, por transferência para o NIB 003500970000199613031, ou nas caixas Multibanco (Transferências > Ser Solidário > UNICEF). Para o comprovativo para efeitos fiscais, seleccionar a opção “Factura” e introduzir o número de contribuinte. FAIS A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (FAIS) avançou também com ajuda de emergência, após contacto com os bispos e o núncio apostólico no Haiti. A secção portuguesa lançou uma campanha, lembrando que “a Igreja Católica não deixará de entrar imediatamente em acção, através das suas instituições de caridade, indo ao encontro das carências mais prioritárias da população”. Os donativos podem ser feitos no site www.fundacao-ais.pt ou por transferência bancária para o NIB 003201090020002916073. Cruz Vermelha A Cruz Vermelha Portuguesa enviou de imediato 250 mil euros para as operações humanitárias que estão a ser conduzidas pela Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha/ Crescente Vermelho, que no dia 16 tinham já disponibilizado cerca de 400 trabalhadores e um total de 73 milhões de euros, para socorrer as necessidades de 300.000 pessoas (60.000 famílias) durante um período de três anos. Os donativos podem ser feitos nas caixas Multibanco ou por netbanking (Transferências > Ser Solidário >

DR

Não será preciso adiantarmos muitos pormenores sobre a tragédia provocada pelo sismo registado no Haiti, na semana passada. Os relatos e as imagens em directo já fizeram com esse acontecimento seja parte da nossa própria história, sendo difícil a qualquer um de nós ficar-lhe indiferente. Além da capital, Port-auPrince, o abalo deixou outras três cidades haitianas completamente destruídas e muitas outras com danos graves. As fontes noticiosas falam em cerca de 200 mil mortos e quase dois milhões de feridos e desalojados. No final da primeira reunião internacional de avaliação dos estragos, foi divulgado que a reconstrução do Haiti poderá custar sete mil milhões de euros e demorará cinco anos. Entretanto, centenas de voluntários de diversas entidades públicas e privadas, algumas portuguesas, estão no terreno a prestar auxílio às vítimas e começam a chegar os primeiros carregamentos aéreos de ajuda humanitária, sobretudo roupas, produtos de higiene, medicamentos, produtos alimentares e água. Mas este apoio é ainda muito limitado para as necessidades de um País que era já dos mais pobres do mundo e que está agora semi-destruído. O financiamento para a reconstrução do país está a ser discutido por um comité internacional, que engloba a ONU, Estados Unidos, União Europeia, Canadá, Brasil e México. A União Europeia já revelou que vai enviar ajudas no valor de 200 milhões de euros, com Portugal a assumir a comparticipação de 1 milhão. Mas toda a ajuda será pouca e nunca é

Cruz Vermelha, ou Pagamento de serviços > entidade 20999 > referência 999 999 999). Seleccionar opção de factura para obter logo o comprovativo de donativo para efeitos fiscais. No caso de transferência, são vários os NIB: 003300004530761069105 003500270008240223053 001000003631911000174 000700000014968739423 003600879910005371651 003201170020102246475 003800570062952077172. Oikos A Oikos disponibilizou também fundos próprios para o arranque da missão no Haiti, que será liderada por Sandra Lopes, de nacionalidade portuguesa, coordenadora da delegação da Oikos em Cuba. A sua resposta estende-se por três fases, passando pela ajuda na emergência, reabilitação e apoio ao desenvolvimento. Em situações humanitárias como

estas características a Oikos privilegia o apoio a nível de água e saneamento, abrigo temporário e alimentação. Os fundos podem ser enviados por transferência para o NIB 003503550002952963085. PT e TMN A Campanha de Solidariedade PT arrancou no dia 15: cada chamada realizada para o 760 206 206 apresenta o valor de 60 cêntimos (+IVA), que reverterá a favor da AMI, da Cruz Vermelha e dos Médicos do Mundo, presentes no Haiti. Dada a adesão de cerca de 80 mil portugueses, a TMN passou a disponibilizar também a possibilidade de abraçar esta causa através do simples envio de SMS. Basta enviar para o número 61906, em que cada SMS enviada apresenta o valor de 60 cêntimos (+ IVA), que reverterá a favor da AMI.

pub

Telf. 244767337 Tlm. 914116511 Palmeiros 2440 BATALHA


18

Jornal da Golpilheira

. Igreja .

Janeiro de 2010

Bodas de Prata

Bíblia e Palavra de Deus

Acção de Formação em Leiria A Equipa Diocesana do Renovamento Carimástico Católico (RCC) da Diocese de Leiria-Fátima promove uma acção de formação, a realizar no Seminário Diocesano de Leiria, no dia 30 de Janeiro, com o tema “Bíblia e Palavra de Deus”, orientada pelo padre Gonçalo Diniz. O programa será o seguinte: 10h00 – Oração da manhã e louvor 10h45 – Ensinamento sobre “Bíblia / A Palavra de Deus” - Momento mais “teórico”: autores, inspiração divina, géneros literários, etc. 12h15 – Missa 13h00 – Almoço 14h30 – Oração e louvor 15h00 – Ensinamento sobre “Bíblia / A Palavra de Deus” - Momento mais “prático”: como viver a Bíblia em cada dia, a sua “interpretação”, uma Lectio Divina para principiantes, etc. 16h00 – Perguntas e respostas 17h00 – Oração final Info: joquim.alves@gmail.com ou 962108509.

ne realizada na igreja do Seminário de Leiria. Até hoje, deu formação a 1251 alunos. O seu primeiro director foi o padre Rogério de Oliveira, já falecido, que lhe traçou o rumo para formar cristãos mais amadurecidos na sua fé, “onde os leigos estejam mais presentes e activos… e cresçam no conhecimento de Cristo e do seu Evangelho, na adesão profunda a Ele em toda a sua vida e na vontade de O servir, colaborando na sua obra salvífica”, como disse no dia de abertura. Hoje, a escola prossegue o seu caminho, pois continua a ser indispensável que a formação teológica de todos os cristãos se mantenha e intensifique. Com efeito,

A Bíblia é a fonte de todo o conhecimento

“o convite evangélico a trabalhar na vinha do Senhor continua a requerer o saber da fé, que ilumina todos os sectores da vida e é imprescindível para o empenhamento concreto de todos, na missão da Igreja”, refere o padre Adelino Guarda, actual director do CFC. As palavras de D. António Marto são agora o farol dos caminhos que a Escola vai traçando: “A situação cultural e religiosa actual

da Europa exige a presença de católicos adultos na fé e de comunidades cristãs missionárias que testemunhem a caridade de Deus a todos os homens”. Urge passar de uma fé apoiada na tradição social, a uma fé mais pessoal e adulta, esclarecida e convicta. “A Igreja constrói-se como comunhão de homens e mulheres, adultos e responsáveis na fé e no dinamismo da vida comunitária”.

Faleceu o ex-vigário-geral

Mons. Henrique Fernandes da Fonseca Faleceu no passado dia 21 de Janeiro, no hospital de Abrantes, o padre Henrique Fernandes da Fonseca, ex-vigário-geral da diocese de LeiriaFátima. A celebração exequial, no dia 23, na igreja catedral de Leiria, foi presidida pelo Bispo D. António Marto e participada por centenas de familiares e amigos deste servo de Deus, tanto padres como religiosos e leigos. O funeral dirigiu-se para o cemitério do Olival, onde foi sepultado. Nascido a 7.03.1931, em Aldeia Nova, freguesia do Olival, filho de Carlos Ribeiro da Fonseca e de Laura Rodrigues Fernandes, entrou no Seminário de Leiria em Outubro de 1941, e terminou o curso em Julho de 1953. Ordenado diácono a 12.07.1953 e presbítero a 19.09.1953, na Catedral de Leiria, foi nomeado auxiliar da Câmara Eclesiástica, de 01.10.1953 até 30.03.1954. Pároco interino dos Pousos, de 02.01.1954 até 30.03.1954, data em que foi nomeado coadjutor da Marinha Grande e Assistente Diocesano da Liga Operária Católica. A 28.12.1956 foi nomeado Pároco de Mira de Aire e, em 05.08.1965

DR

O Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil de Leiria-Fátima vai organizar uma peregrinação a Santiago de Compostela, durante a Semana Santa. Será um tempo forte, marcado pela caminhada a pé, reflexão, partilha e oração. Os participantes dormirão em albergues, escolas e conventos, vivendo uma experiência de comunidade e de aprofundamento na fé, na rota por onde passaram tantos cristãos ao longo de séculos. O caminho começará em Valença e terá 5 etapas até à chegada. A saída de autocarro de Leiria será na madrugada do dia 27 de Março e a chegada será na tarde de 1 de Abril. Poderão participar jovens com mais de 18 anos, num máximo de 30 participantes, devendo inscreverse até 28 de Fevereiro. A inscrição custa 85 euros, ou 70 euros para estudantes, valor que inclui as viagens de autocarro, dormidas e alimentação. A organização ressalva que quem quiser participar, mas tiver alguma dificuldade económica, não deverá deixar de comunicar o seu interesse. Info: www.sdpjleiria.com / 960194507 / 915070117

No passado dia 10 de Janeiro, passaram 25 anos da abertura solene da Escola de Formação Teológica de Leigos, actualmente integrada no Centro de Formação e Cultura (CFC) da nossa diocese. A data foi assinalada numa sessão que contou com o testemunho de antigos alunos e a apresentação de algumas notas sobre estes 25 anos de existência, bem como por uma visita guiada às obras em curso no Seminário, a oração de Vésperas presidida por D. António Marto, Bispo diocesano, e um lanche partilhado. Criada por decreto de D. Alberto Cosme do Amaral, então Bispo de Leiria-Fátima, em 28 de Agosto de 1984, a abertura da mesma aconteceu em sessão sole-

DR

Escola Teológica de Leigos

foi nomeado prefeito e professor do Seminário Diocesano de Leiria, onde leccionou História Universal, História de Portugal e História da Civilização, funções que desempenhou até 26.12.1972, data em que foi nomeado Secretário Episcopal. Em 04.08.1979 foi nomeado Vigário-Geral da Diocese, cargo que ocupou até 20.06.1998. Entretanto, fora nomeado Cónego da Sé Catedral a 18.06.1981 e Monsenhor, com o título de Capelão de Sua Santidade, a 14.01.1983. Foi ainda

membro do Conselho de Administração da Gráfica de Leiria desde 04.08.1984, membro do Conselho Económico Diocesano desde 31.12.1984, membro da Comissão do Inventário Artístico da Diocese desde 12.10.1993, membro do Conselho de Administração do Santuário de Fátima desde 25.07.1994 e Ecónomo Diocesano de 31.12.1984 a 9.06.1994. A sua última missão paroquial foi na Ortigosa, de 30.09.2000 a 29.06.2009, sendo dispensado deste serviço por motivos de saúde. A 13.07.2007 fora nomeado Coordenador do Serviço de Apoio ao Clero, funções que desempenhou até ao final da sua vida. Monsenhor Henrique da Fonseca "serviu a Igreja com raro espírito de dedicação e entrega, e num total esquecimento de si próprio", tinha afirmado D. Alberto Amaral sobre o seu trabalho na vigararia-geral. A Deus agradecemos o dom da sua vida e tudo o que ele pôde realizar em favor da Igreja da nossa Diocese. Que descanse em Paz!

pub

de Franclim Sousa

Aberto das 9h00 às 13h00 e das 15h00 às 19h30 Telefone 244 768 256 | Telemóvel 917 861 577

Comércio de Mobiliário e Carpintaria Tel./Fax: 244 768 353 Telm.: 918 700 998

Estrada dos Forneiros, 4 • Rebolaria • 2440-075 BATALHA


. economia .

Jornal da Golpilheira Janeiro de 2010

Revista Exame distingue empresa “José Aldeia Lagoa & Filhos, SA”

Catroga defende congelamentos

A edição de Dezembro de 2009 da revista “Exame” trouxe uma agradável notícia à empresa “José Aldeia Lagoa & Filhos, SA” (JALF), de Pombal, administrada por José e Carlos Aldeia Lagoa, ao ser considerada a empresa PME líder dos minerais metálicos e não metálicos e uma das “melhores do ano” de 2008. Com um volume de negócios de 14,3 milhões de euros, a empresa registou nesse ano um crescimento de 18,4% face a 2007, destacandose no sector da produção de matéria-prima para a indústria cerâmica. Mesmo tratando-se de um ano difícil, em que os principais mercados em que opera foram altamente atingidos, sobretudo com a crise da construção em Espanha, a JALF percebeu que tinha de orientar estratégias, reformular e adaptar-se à conjuntura. Essa gestão valeu-lhe este prémio da “Exame”, que o empresário Carlos Lagoa considera ser “um aumento da nossa responsabilidade empresarial e social, mas também o reconhecimento

“Sou contrário a qualquer aumento de impostos em 2010. Também não devemos continuar com artifícios contabilísticos, nem recorrer a receitas extraordinárias. Temos de adequar o nível de despesa pública total ao nível da riqueza produzida no País”. Estas afirmações são de Eduardo Catroga, economista e ex-ministro das Finanças, proferidas durante o jantar-conferência promovido pela NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria, no passado dia 16 de Dezembro. Perante cerca de uma centena de empresários, o economista afirmou que “2010 ainda vai ser um ano complicado”, mesmo acreditando que haverá já alguma melhoria económica. Para o período 2010-2013, poderá esperar-se um crescimento na ordem de 1% ao ano, que poderá ser maior “melhoran-

Os empresários nas instalações de Pombal

do mérito, pelo dinamismo com que gerimos a nossa empresa, mesmo em períodos economicamente difíceis, o que só é possível com o esforço e empenho de todos aqueles que directa ou indirectamente colaboram connosco”. Na senda do futuro, a JALF continua a apostar na inovação e diversificação de mercados. Neste momento, o pioneirismo do investimento nas novas tecnologias é o garante do sucesso da empresa, nomeadamente pela produção e venda de energia pelo sistema de co-geração, nas unidades de Pombal e

Santa Comba Dão. Esta foi uma das muitas medidas de gestão adoptadas, que veio a significar só por si, já em 2009, um volume de facturação na ordem dos 700 mil euros. Mais uma vez, garantem os empresários, “o segredo do sucesso foi a adaptação aos condicionalismos e também a implementação de novas medidas, outros modelos de gestão para os tempos difíceis que vivemos”. Só assim foi possível garantir em 2008 a posição n.º 660 na listagem das mil maiores PME de Portugal. Joaquim Santos

do a qualidade das políticas públicas, aumentando a capacidade empreendedora e acelerando e aperfeiçoando as reformas a efectuar em áreas diversas”. A curto prazo, o exministro defende “o congelamento da despesa pública total nos 82 mil milhões de euros”, valor apresentado no Orçamento do Estado inicial para 2009. Considera ainda que “daqui para a frente devíamos aprender a viver com este valor de despesa pública, encontrando formas de, em simultâneo, promover o crescimento da economia”. Assegurando que “todos os anos consumimos mais 10% do que aquilo que produzimos”, Eduardo Catroga diz que “temos de melhorar a nossa produtividade, não necessariamente trabalhando mais, mas produzindo com mais valor acrescentado; só assim poderemos aumentar

DR

NERLEI trouxe ex-ministro a Leiria

JS

Classificada entre “as melhores do ano” em 2008

19

a nossa competitividade externa e incrementar as nossas exportações, sem perder mercado interno; só assim conseguiremos resolver o problema do crescimento económico e torná-lo sustentado”. Reconhecendo que existem “dificuldades das empresas e dos políticos em se adaptarem ao novo contexto concorrencial internacional”, o economista concluiu que “é preciso acreditar e trabalhar”. pub interna

pub


20

Jornal da Golpilheira

. sugestões de leitura .

Janeiro de 2010

. livros .

Não há famílias perfeitas Marta Gautier

O futuro Inventa-se António Câmara

Editora Objectiva Pressionadas por um sem-fim de teorias que não conseguem adaptar à sua realidade por fadiga, inadequação ou falta de tempo, as mães dos nossos dias vêem-se a braços com a olímpica missão de cumprir a perfeição em todas as áreas da sua vida e, sobretudo, na tarefa suprema da maternidade. Com prefácio de Marcelo Rebelo de Sousa, este livro, escrito num tom confessional e genuíno, ajudará as mães a perceberem, com alívio, que não há nem pode haver famílias perfeitas. A autora, psicóloga clínica, chama ainda a atenção para certos vícios e equívocos que se instalam nas relações familiares, e que, sem uma tomada de consciência, podem avolumar-se e agravar-se com o tempo. A par da terapia individual, Marta Gautier tem sido procurada na área das Competências Parentais por pais que desejam melhorar a relação com os filhos e conhecer formas de mudar comportamentos que desorganizam a dinâmica familiar.

Editora Objectiva Algumas das melhores universidades mundiais perceberam há muito o seu papel de conceber e alimentar as indústrias do futuro, liderando o rumo da inovação científica e empresarial. Este livro é um desafio nesse sentido à universidade portuguesa, para que se assuma como centro cívico e promova o debate, a inovação e o empreendedorismo. Para tal, são necessárias mudanças no ensino, na investigação, na gestão e ligação da universidade com a indústria. As propostas aqui apresentadas baseiam-se na experiência do autor, como professor e investigador na Universidade Nova de Lisboa e em várias instituições no estrangeiro, bem como no trabalho de uma década como líder da YDreams, projecto empresarial de raiz universitária. Mas a relevância da obra não se circunscreve ao mundo universitário. Interessa a todos os que pretendem ser exploradores na vida científica, cívica e empresarial, e querem contribuir para que o país tenha futuro.

Revista de História da Sociedade e da Cultura - 9 Autores Vários

Shadow – O Confronto Joana Miguel Ferreira

CHSC-UC / Palimage Editada pelo Centro de História da Sociedade e da Cultura, da Universidade de Coimbra, esta é uma revista científica de periodicidade anual, publicada em português, cujos artigos são sujeitos a avaliação prévia por parte de uma comissão de arbitragem externa. Foi fundada no ano de 2001 com o objectivo principal de divulgar os estudos históricos desenvolvidos no âmbito do Centro de História da Sociedade e da Cultura, da Fundação para Ciência e Tecnologia. Publica textos inéditos de natureza histórica (desde a Idade Média à Época Contemporânea), noticiário de actividades científicas e recensões críticas de livros no domínio da História. O n.º 9 da revista, relativo a 2009, foi apresentado em Dezembro passado, na Universidade de Coimbra, pelo Bispo do Porto, D. Manuel Clemente.

Papiro Editora No seu livro de estreia, esta jovem escritora transporta-nos para um mundo de magia, fantasia e mistério, povoado de elfos, duendes e gnomos, criaturas de um mundo fantástico e deslumbrante, no qual imperam sonhos, aventuras e emoções. Enredados em incríveis jogos de poder, autênticos labirintos sufocantes que os obrigam a ultrapassar inúmeros obstáculos, Shadow e Niadji aprendem o valor da lealdade, da abnegação e, acima de tudo, do amor, assente na partilha e na cumplicidade. Auxiliados por um cortejo de figuras fascinantes, vivendo aventuras mirabolantes e absolutamente surreais, em que o Bem e o Mal se confundem e se misturam vezes sem conta, fazendo-os questionar-se sobre a essência do Ser, os dois jovens emaranham-se nas suas próprias emoções, culminando na verdadeira descoberta do seu íntimo.

Diagrafias Aplicadas à Hidrogeologia Elsa Cristina Ramalho Manuel Marques da Silva António Correia

Revista Campos Monteiro -4 Autores Vários

A rosa que te dei Nuno Gonçalo Brito

A.A.A.C.C.M. / Palimage Propriedade da Associação dos Alunos e Amigos do ex-Colégio Campos Monteiro, de Torre de Moncorvo, esta é uma revista anual que apresenta como subtítulo identificativo “história património cultura”. Segundo o editorial deste número 4, relativo a 2009, assinado pela directora Adília Fernandes e o subdirector José Alfredo Sousa, “olhando o passado à distância de cinco anos, período que nos remete para o primeiro número da revista, observamos, com legítima alegria, a sua evolução. (...) No decurso deste tempo, precisaram-se os propósitos que nos guiavam: tornar visível uma instituição educativa pautada pela importância da sua actuação e projecção; acolher, como expressão de uma política interdisciplinar desejada, investigadores de várias áreas do saber em torno do conhecimento da região transmontana e de assuntos de pertinente actualidade.

Papiro Editora Tantas cartas de amor se escrevem, tantas palavras de amor que são fingidas, tantos momentos que se perdem num segundo. A vida é assim, quem aproveita ganha! Quem não aproveita perde! As regras, as leis e os estatutos do grande jogo da vida estão aí, o jogo começa, no momento em que vimos ao mundo. Por outro lado, a vida é um palco em que nós tentamos representar o papel que queremos. Um livro sobre o amor, que tem como pano de fundo uma visão idílica da história do país. Um romance sobre ilusões, as contrariedades da vida, mas onde marca presença a tenacidade e a capacidade de regeneração tão próprias do ser humano, e que assenta na premissa de que a esperança é ao pilar mais forte da construção humana. Um libelo ao amor, à liberdade, e à pureza de sentimentos, “A Rosa que te dei” é uma história simples, de gente simples, mas capaz de grandes feitos.

Um grito de amor desde o centro do mundo Kyoichi Katayama

Vamos para onde temos a ventura Antologia de Novos Autores de Leiria

O Perigo na Ponta da Esferográfica Pedro Miguel Gon

Alfaguara / Editora Objectiva Este é o romance japonês mais lido de todos os tempos, uma comovente história de amor que apaixonou milhões de leitores em todo mundo. Sakutarô e Aki conhecem-se na escola de uma pequena cidade japonesa. Ele é um adolescente engenhoso e sarcástico. Ela é inteligente, bonita e popular. Tornam-se amigos inseparáveis até que, um dia, Sakutarô começa a ver Aki com outros olhos. A amizade cúmplice transforma-se numa paixão arrebatadora. Juntos vivem uma história capaz de transtornar os sentidos e apagar as fronteiras entre a vida e a morte. Um grito de amor desde o centro do mundo vendeu mais de três milhões de exemplares no Japão e já foi traduzido em vários países, sendo um grande êxito de vendas. Inspirou uma versão cinematográfica, uma série televisiva e foi adaptado a mangá.

Edição do CEPAE Nestas páginas reúnem-se sete contos originais de novos autores leirienses, alguns deles já conceituados: “Um caracol na escada” de Sílvia Alves, “Rodolfo” de António Gregório, “Cinza no chão” de Paulo Kellerman, “O quadro” de Ana Cristina Luz, “O tambor de Albano Marmelo” de Paulo Moreiras, “Os coleccionadores de datas” de Fernando José Rodrigues e “A barca de Noé” de João Paulo Silva. “Pela qualidade dos autores e dos contos originais que apresenta, pelo contexto de valorização regional que almeja, pela feição como se integra no conceito global de património que o CEPAE sempre defendeu, pelas dinâmicas educativas que pretende lograr, pelo exemplo que dá da riqueza cultural da região, este é seguramente um projecto original e de qualidade”, refere Joaquim Ruivo no prefácio da obra.

Palimage / Terra Ocre Edições A leitura deste livro deixa a gratificante sensação de nos ter feito pensar, porque cada uma das suas 15 histórias, algumas delas completas metáforas, se constroem em torno de ideias fortes, sejam insólitas, polémicas ou, tão-só, divertidas. Expõem o leitor a situações inesperadas mas verosímeis na sociedade cada vez mais tecnológica em que vivemos. Longe do mero exercício de estilo e da recriação descritiva de ambientes passadistas, estes textos trazem uma visão crítica, muitas vezes não consensual, sobre o que nos espera no futuro.

Palimage / Terra Ocre Edições Trata-se de um livro técnico, mas que interessará a todos os que pretendam saber um pouco mais de diagrafia. Haverá alguma zona de Portugal onde não tenha sido feito um furo? Embora por vezes subvalorizadas por alguns técnicos que trabalham em hidrogeologia, as diagrafias constituem uma importante ferramenta de suporte na elaboração de um projecto de captação, permitindo que se obtenham maiores rendimentos com menores custos. Esta importância sustenta-se em aspectos tão diversos da utilização de diagrafias como a definição da coluna das captações, a estimativa de parâmetros hidráulicos dos aquíferos ou ainda a identificação de fracturas em rochas cristalinas. A presente obra pretende ser um apoio para os técnicos ligados a esta área e para o melhor conhecimento geológico e hidrogeológico de dada região.


Jornal da Golpilheira

21

. saúde . agricultura . ambiente .

Janeiro de 2010

. vinha .

. saúde .

. ambiente . A paixão pelas nascentes do rio Lis

Hospital

José Jordão Cruz Eng. Técnico Agrário

Ir ao hospital não é necessariamente uma experiência negativa. Internamentos, cirurgias, consultas ou exames são realizados para um restabelecimento físico e psicológico, logo, quanto mais calmamente for encarado o acontecimento, mais e melhores resultados surgirão. Um internamento pode ser programado ou realizado de urgência. Quando este é programado, existe a possibilidade de uma preparação prévia. Alguns hospitais já disponibilizam on-line informações preciosas. Assim, é importante saber qual é o local exacto onde se vai realizar o internamento, qual é o horário das visitas, um número de telefone e horário para poder telefonar, quem são as entidades responsáveis pelo serviço, que objectos pessoais é possível levar (pijamas, chinelos, roupão, produtos de higiene, etc.) e quais os documentos necessários para realizar o internamento. Quando o internamento é realizado de urgência, é necessário obter estas informações o mais precocemente possível (pelo doente ou familiares). Após a chegada ao serviço onde se realiza o internamento, é importante conhecer o espaço físico onde vai circular, as rotinas do serviço, o que fazer em caso de urgência, saber qual o médico responsável pelo internamento, o seu horário de atendimento aos familiares e esclarecer todas as dúvidas com o médico e enfermeiro. Para uma cirurgia, se esta for programada, é necessário ter muita atenção a todas as instruções fornecidas por médicos e enfermeiros acerca da preparação para esta. Tudo é importante e o não cumprimento de uma única orientação pode inviabilizar a cirurgia. Após esta, seguese normalmente um internamento, sendo este um internamento programado com os conselhos já descritos. Para a realização de consultas é necessário ter muita atenção ao horário desta, preparar todos os documentos necessários (incluindo exames e livros descritivos de algumas doenças) e ter em atenção as recomendações dadas anteriormente (por exemplo, jejum, realização de exames imediatamente antes da consulta, etc.). No decorrer da consulta, responda a todas as questões de forma verdadeira, sem ocultar ou deturpar dados, pois todas as informações são fundamentais para um juízo médico. Esclarecer todas as dúvidas é igualmente importante, para que sejam cumpridas correctamente todas as indicações do médico. Indispensável é não ter dúvidas na toma de possíveis medicamentos. Na realização de exames, a preparação é fundamental, logo devem ser seguidas minuciosamente todas as orientações dadas, respeitando jejum, ingestão de líquidos ou medicamentos, entre outros. Assim, é essencial obter toda a informação acerca do procedimento que vai ser realizado, suas consequências e riscos, para poder decidir e depositar toda a confiança na equipa de saúde. Todos os hospitais têm diferenças de funcionamento, por isso as informações de um hospital podem não ser válidas noutro. Por fim, é necessário considerar a equipa de saúde como um "amigo", não tendo medo de questionar e esclarecer dúvidas, pois a função da equipa de saúde é tratar e cuidar de quem necessita.

A Malvasia Fina, casta de uvas brancas, tem outros nomes noutras regiões, como Boal Cachudo do Ribatejo, Arinto do Dão, Arinto Galego e Assario Branco. Cultiva-se mais no Douro, Dão, Encostas da Nave, Varosa e Beira Interior. Esta casta, bastante cultivada nestas zonas, tem problemas com algumas doenças, como míldio, oídio e podridões, sobretudo na fase de floração. É boa produtora, embora desavinho também aconteça, e a sua maturação acontece antes de Setembro. Por isso, fazendo-se a vindima cedo, dá bons espumantes. Estas uvas da Malvasia Fina sofrem muito com o excesso de calor, daí os cachos rapidamente ficam em passas. Estes vinhos são agradáveis e finos na boca, como comprova a origem do seu nome “Fina”. Tem uma produção elevada e regular e qualquer tipo de poda é admitida por esta casta, de fácil condução, embora as vara sejam duras. No entanto, é vantajoso conseguirmos com êxito torcer a vara, se for o caso do tipo de condução de vara e talão. A falta de água prolongada é um problema, pois os bagos engelham. Os cachos são de tamanho médio a grande, os bagos são pequenos e de difícil destacamento, a sua película é espessa e com muitas grainhas. Com uma maturação precoce, mas com abrolhamento tardio. Tem muitas gavinhas.

MCR

MCR

Ana Maria Henriques Enfermeira

Casta Malvasia Fina

Não é só de agora. Há vários anos que em alturas diferentes vou visitar estas nascentes, aproveitando para tirar algumas fotografias. Depois, gosto de as comparar e ver a sua diferença. No Inverno, com a nascente mais chegada ao poço, no início do sopé do monte. De Verão, a água nasce muito mais abaixo, devido ao abaixamento do nível da água no subsolo. Há muitas pessoas, daqui bem perto, que ainda não visitaram esta maravilha da natureza. Será bom que o façam, porque com as obras que se fazem neste país, não me admiraria nada que as nascentes do Lis, mais cedo ou mais tarde, desapareçam...

Foto no dia 22 de Janeiro de 2010

ADLEI lança apelo

Tudo e todos para salvar o Rio Lis Na sequência de todos os esforços antes empreendidos e particularmente de recentes notícias sobre a origem dos impactos poluidores na água do rio Lis, vem mais uma vez a ADLEI – Associação para o Desenvolvimento de Leiria, no âmbito dos seus objectivos estatutários, apelar a todas as entidades, públicas e privadas, que de modo directo ou indirecto, têm responsabilidades na resolução deste problema, que desenvolvam todos os esforços para se terminar de uma vez por todas com este martírio ecológico. Conhecendo com alguma profundidade o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos últimos anos e as melhorias significativas que se conseguiram, considera-se mesmo assim fundamental que para tudo aquilo que ainda falta, se possa atingir uma maior rapidez de concretização. Vontade política, disponibilidade das empresas poluidoras, reforço da fiscalização, maior exigência das populações, mais pressão da comunicação social, enfim todos os meios que legitimamente possam ser usados para vencer uma chaga, que marca negativamente o nível de vida dos habitantes da cidade e da região de Leiria. Percebe-se, mais uma vez, que o problema resulta em grande medida do impacto das suiniculturas, sem esquecer que focos poluidores com outras origens provocam também efeitos negativos na qualidade da água. Independentemente dos responsáveis, é urgente ultrapassar este grave problema de saúde pública e qualidade de vida. No momento em que na Dinamarca se discute este tipo de matérias a uma dimensão global, é fundamental olharmos para o nosso território e tudo fazermos para garantir um futuro melhor. “Pensar global, agir local” adapta-se na perfeição a esta prolongada doença, normalmente esquecida em momento de eleições autárquicas, como se por cansaço ou qualquer outra justificação, o problema já tivesse deixado de o ser. Para aqueles que recentemente assumiram responsabilidades, governativas e autárquicas, a ADLEI repete o pedido feito exigência de colocarem todas as suas competências, esforços e meios na resolução definitiva deste assunto.

A Direcção da ADLEI (14-12-2009) pub

ANA FREITAS Médica Dentista

Lic. p/ Fac. Medicina Dentária de Lisboa

BATALHA

Policlínica D. Nuno Tel. 244 765 700

- Medicina Dentária Geral -

Higiene Oral Implantologia Ortodontia Próteses

Marcação de consultas 911 089 187

Todos os dias!

Acordos com: SAMS, Multicare, SSCGD, Associados do Montepio, Advance Care, WDA (Axa, BES-seg., Tranquilidade, Allianz, Lusitânea e Future Healthcare)


22

Jornal da Golpilheira

. culinária . poesia . obituário . boas festas .

Janeiro de 2010

. mãos na massa . Delícia de batata doce Ingredientes 40 gr de batata doce 300 gr de açúcar 100 gr de amêndoa torrada sem pele e triturada 10 gemas 1,5 dl de água Preparação Coza a batata doce em água abundante. Escorra e reduza a puré. Ferva o açúcar com a água. Adicione o puré, a amêndoa e as gemas mexidas com o açúcar. Deixe cozinhar um pouco em lume brando, até engrossar, mexendo sempre. Coloque em tacinhas e decore a gosto. Conceição Guerra

. obituário . Agradecimento

Dr. José Francisco Guiomar N. 25-07-1934 F. 03-01-2010 Sua esposa, filhos e restantes familiares vêm muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que estiveram presentes no funeral do seu ente querido, ou que de uma ou outra forma lhe prestaram homenagem. Por tudo, bem-hajam. O Jornal da Golpilheira apresenta os pêsames a todos os seus familiares e pede aos leitores uma oração pela sua alma. Agradecimento

Manuel da Silva Frazão N. 10-08-1925 F. 07-01-2010 A família vem muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que estiveram presentes no funeral do seu ente querido, ou que de uma ou outra forma lhe prestaram homenagem. Por tudo, bem-hajam. Agradece também ao Apoio Domiciliário da Azóia, por todo o acompanhamento e cuidado estremoso. O Jornal da Golpilheira apresenta os pêsames a todos os seus familiares e pede aos leitores uma oração pela sua alma. Agradecimento

Manuel Pedreiras Rodrigues N. 25-03-1926 F. 23-01-2010 A família vem muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que estiveram presentes no funeral do seu ente querido, ou que de uma ou outra forma lhe prestaram homenagem. Por tudo, bem-hajam. O Jornal da Golpilheira apresenta os pêsames a todos os seus familiares e pede aos leitores uma oração pela sua alma.

. poesia . Natal em montanha da Judeia No momento expedito Uma delas subira a colina E logo a saúda e ao Bendito Outra mãe com filho em surdina Jesus vivinho a João Maria levou a santificar Das Mães vibra o coração Por inatos bebés a cantar Ainda eram nadinhas Apenas em água se moviam Sem se dar em vistinhas Só as mães os sentiam. Um de ser ali pequenino Ao outro se manifesta Cada um no seu ninho Com as mães a fazer festa Dois nadinhas de ser São grandezas de amor Mesmo antes de nascer Erguendo mães em louvor.

Aires Gameiro

O poder do Natal Luzes, cores, carinho, festas, traduzem a alegria do povo, comemorando o novo significado de viver. Há um perfume de cipreste no ar... um colorido em cada veste, uma esperança em cada olhar, na sinfonia celeste do poder. O Natal abre presentes e passados, aperta abraços, convence a humanidade de que o amor existe! É o poder do Natal que ressoa, renovando tudo, prometendo a todos a paz que não se esgotou, está escondida na sua árvore de vida e você por distracção ainda não encontrou.

Dar animo ao Ano Novo Seja bem-vindo Ano Novo Ao chegares, pareceste desconfiado Com a chuva e o vento Ficaste um pouco desorientado. O que os antepassados passaram Por cá, pouco nos lembramos, Quando não se espera Há lágrimas e danos. O previsto é incerto Da natureza são coisas normais, Famílias desesperadas e animais famintos Vivem no meio de trevas e tantos ais. O ano que está a principiar Bom ou mau, não podemos desanimar. Pensar sempre o positivo Não nos pormos a adivinhar. Uma palavra de esperança Para os obstáculos vencer, Contar apenas o dia a dia E a saúde também queremos obter. Governantes de todo o mundo Ouvi meu pedido de clemência, As injustiças sejam descobertas Com verdadeira consciência.

Cremilde Monteiro

Ivone Boechat

O Jornal da Golpilheira agradece e retribui os votos de Boas Festas enviados por diversos meios pelas seguintes entidades e pessoas: • &KTAL • 2Dance (Michelle Vieira) • 4gift • 4porQuatro • ACILIS – Associação Comercial e Industrial de Leiria, Batalha e Porto de Mós • ACRENARMO – Associação Cultural e Recreativa dos Naturais e Ex-Residentes de Moçambique • Adega Cooperativa da Batalha • Aires Gameiro • Alexandre Manuel • Alfabeto – Jornal da Escola Secundária da Batalha • Alzira Pedroso • AMIGrante – Associação de Apoio ao Cidadão Migrante • António Lucas • António Luís • António Manuel • As Lollypops • Assembleia Municipal da Batalha • Associação Coral Calçada Romana • Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Batalha • Associação Nacional de Jovens Empresários - Núcleo do Centro • Associação Orfeão Dr. João Antunes • Associação Portuguesa de Solidariedade Mãos Unidas P. Damião • Associação Portuguesa dos Amigos do Fado • Banema • Bertrand Editora (Berta Lopes) • C&C – Consultores de Comunicação (Evaristo Moura) • Caldas da Rainha - Capital do Comercio • Câmara Municipal da Batalha • Câmara Municipal da Marinha Grande • Câmara Municipal de Ourém • Carlos Alberto Vieira • Casa-Museu / Centro Cultural João Soares • Centro Cultural e Congressos – Caldas da Rainha • Centro de Comunicação Social do Santuário de Fátima • Centro Hospitalar Nossa Senhora da Conceição - Santa Casa da Misericórdia da Batalha • Centro Infantil Moinho de Vento – APDRB • Centro Paroquial de Assistência do Reguengo do Fetal • Centro Social e Cultural da Paróquia de São Mamede • CIP - Confederação da Indústria Portuguesa • Coimbra iParque • Comando Distrital da Protecção Civil (José Manuel Moura) • Comunicação Livre • Cristina Marques • Daniel Soares de Oliveira • Daniela Sousa • Dora Felizardo • Eleonora Magalhães • Enviar • Escola Secundária da Batalha • Espaço Libris • Estado-Maior do Exército • Estrela Neiva • Evok • Exposalão • Força Aérea Portuguesa • Fundação Ajuda à Igreja que Sofre • Fundação S. João de Deus (David Silva) • Gabinete de Congressos CMStatus • Grande Hotel de Luso • Grupo GCI • Grupo Missionário Ondjoyetu • Guerra e Paz Editores (Tânia Raposo) • Home Instead Senior Care • Hotel Villa Batalha • illiCO Obras • INE - Serviço de Comunicação e Imagem (Isabel Silva) • Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes • Instituto Imprensa Democrática • Instituto Politécnico de Leiria • Instituto Português da Juventude – Centro (Miguel Nascimento) • IPEFI – Instituto Português de Estudos Fiscais Internacionais • Ivone Boechat • João Costa e Melo • João Lagos Sports • João Pedro Rei • Jornal A Voz do Domingo • Jornal da Batalha • Jornal das Cortes • Jornal de Leiria • Jornal O Interior • Jornal O Mensageiro • Jornal Região de Rio Maior • José Batista de Matos • José Diogo (Assistente CTT) • José Jordão da Cruz • Laboratório Virgílio M. Roldão (João Gomes) • Leninveste • Lizauto • Maria Cândida Martinho • Maria da Luz Moreira • Matilde Noca • Missionários da Consolata • Moita Francisco • Multicom Comunicação (Sónia Matos) • Município de Avis • Museu de Arte Sacra e Etnologia de Fátima - Missionários da Consolata • Natureza Brincalhona • NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria • Notícias do Centro • Objectivo24 • Oeste.tv • Open Comunicación • Óptica Cunha Fonseca • Orquestra Clássica do Centro • Palferma • Papiro Editora (Narcisa Moura) • Partido Ecologista Os Verdes • Paulo Bagagem • Pe. Américo Ferreira • Pe. João Monteiro Felícia • Pe. Vítor Mira • Pedro Jerónimo • Pequenos Vícios – Jóias • PLi – Planeamento Informático • Pneus 32 • Polirigido • Portugalmail (Manuel Costa) • Presidência do Conselho de Ministros • Primeware • Prodigentia • Prova de Artista • Publicittà • Rádio Alto Ave • Rádio Batalha • Rádio Elvas • Rancho Folclórico Rosas do Lena • REAPN – Rede Europeia Anti Pobreza / Portugal • Redicom • Representação da Comissão Europeia em Portugal • Restaurante Santa Rita • Revista Invest (João Paulo Leonardo) • Ricardo Cardoso • Sandra Tavares • Santuário de Fátima (Pe. Virgílio Antunes) • Selecções do Readers Digest • Seminário de Leiria (Pe. Armindo Janeiro) • Serafim Marques • Sílvia Reis • SIMLIS – Saneamento Integrado dos Municípios do Lis (Sandra Vieira) • Sistema 4 (Pedro Oliveira) • Socirema • SRUFÁTIMA – Sociedade de Reabilitação Urbana de Fátima • Telepataias • Terra Ocre Edições / Palimage (Jorge Fragoso) • Textiverso (Carlos Fernandes) • Turbus Portugal (Cristina Félix) • Turismo de Leiria-Fátima • Turiworld • Twice Design Services • UAU • Valdemar Rodrigues • Veneza Hotel • Virtualnet (Luís Frazão) • Webcomum •


Jornal da Golpilheira

23

. últi . lazer .

Janeiro de 2010

Bombeiros Voluntários da Batalha G.N.R. Batalha Junta de Freguesia Golpilheira Câmara Municipal Batalha Extensão de Saúde da Golpilheira Centro de Saúde da Batalha Hospital de Santo André Farmácia Padrão – Golpilheira Farmácia Ferraz (Batalha) Farmácia Padrão (Batalha) Escola Primária da Golpilheira Jardim-de-Infância da Golpilheira Escola EB 1+2 Batalha Escola Secundária Batalha Escola Artes e Ofícios Tradicionais Segurança Social - Batalha Conservatória R. C. P. Batalha Tesouraria Faz. Pública da Batalha Misericórdia da Batalha Correios (CTT) - Batalha Posto de Turismo da Batalha Biblioteca Municipal Batalha Cinema/Auditório Municipal EDP -Informações (Grátis) Águas do Lena Rodoviária – Agência Batalha Táxis da Batalha Rádio Batalha Centro Recreativo da Golpilheira

244 768 500 244 769 120 244 767 018 244 769 110 244 766 836 244 769 920 244 817 000 244 767 856 244 765 124 244 765 449 244 766 744 244 767 178 244 769 290 244 769 180 244 767 595 244 765 269 244 765 264 244 764 120 244 766 366 244 769 100 244 765 180 244 769 871 244 769 870 800 232 425 244 764 080 244 765 505 244 765 410 244 769 720 244 768 568

Estive a ler a notícia da página 9 e decidi inscrever-me numa turma para ir aprender computadores!

Não é “aprender computadores” que se diz... é “aprender informática”! Não leste o comentário às fotos do mês aqui em baixo?!

Goza, goza! Para o mês que vem, não venho ao Cartoon! Mando-te as respostas pelo Messenger...

Chatearam-se...

. fotos do mês .

LMF

Ficha Técnica

Blog: jgolpilheira.blogspot.com Email: geral@jornaldagolpilheira.com 8

4

2

9

. a fechar .

Cinema na Batalha ...toda a qualidade da 7ª arte tão perto de si! De 6ª a 2ª feira Consulte programa em: www.cm-batalha.pt

Classificados

29 de Janeiro a 1 de Fevereiro

Terapia para Casais

• Vende-se - Terreno urbanizável, na Golpilheira, 2ha ou parc. até 2000m2. 25 euros/m2. T. 962600945. • Limpeza - habitações ou escritórios, na zona da Golpilheira ou Batalha. T. 244767044 ou 914513959 • Limpeza - habitações ou escritórios, na zona da Batalha, Leiria e arredores. T. 917922856. • Explicações de Ing. Fra. Port. até 9º ano, via internet. T. 228320637. franciscolaranjeir@hotmail.com. • Passo a ferro, faço recolha e entrega ao domicílio, na Golpilheira e arredores. Tel. 938815586. • Insuflável infantil - vendo ou alugo. T. 918510127 ou www.insuflaveis.pt.vu • Casal urbano - Vende-se na Golpilheira, com casa de habitação, loja e terreno (1.260m2). T. 244767378 • Part/Full-time - Optimus/Euphony consultores telecom.. T. 936141012. joao.r.carreira@hotmail.com

Anuncie grátis o seu classificado!

Nome _____________________________________________

Assinatura anual PT : 7 euros Europa: 10 euros Resto Mundo: 12 euros

6

5

4

8

Rua _______________________________________________ Nº ___________

9

1

Localidade _______________________________________________________________

7

3

5

2

Código Postal __ __ __ __ - __ __ __

3

7 6

1

7 1 3 5 6 2 9 4 8

2 6 4 1 5 8 3 9 7

5 7 8 9 3 6 1 2 4

9 3 1 7 2 4 8 6 5

3 4 2 6 8 1 7 5 9

6 8 9 2 7 5 4 1 3

1 5 7 3 4 9 6 8 2

Soluções do Sudoku 7

A expressão “aprender computadores” é muitas vezes usada pelas pessoas mais velhas para se referirem ao ensino da informática. Pois bem... aqui estão exemplos de quem já não fala assim e até já dá cartas no Word e no Excel, navega na internet e até manda emails! Este ano vão aderir ao Facebook e ao HI5...

________________________________________

Tel. _____________ Email: _________________________ Data Nasc. ___ / ___ / _____ Entregar ou enviar para: Centro Recreativo - Est. Baçairo, 856 - 2440-234 GOLPILHEIRA

Sudoku 7 (Dificuldade: média)

www.jornaldagolpilheira.com

“Aprender computadores”

. passatempo .

Director . Luís Miguel Ferraz (CP 5023) <lmferraz@iol.pt> Director-adjunto . Manuel Carreira Rito (TE-395) <manuelcrito@gmail.com> Composição . Paginação . Luís Miguel Ferraz Colaboradores . Clube de Jornalismo do CRG . Ana Margarida Rito <ana_reef@hotmail.com> André Carvalho <andr_rosa@sapo.pt> Carlos M. Meneses <fadigas@universitarios.com> F. Monteiro <filipemonteiro@portugalmail.pt> Pedro Rosa <ped_ros@hotmail.com> Vera Rito <vrito@esec.pt> Outros colaboradores . António Ferraz (assinaturas), Carlos Santos, Carolina Carvalho (secretária), Célia Capitão, Cremilde Monteiro, Filomena Meneses (assinaturas), Joaquim Santos, José António Santos, José Jordão Cruz, José Travaços Santos, Marco Ferraz (publicidade), Pedro Jerónimo. Propriedade/Editor . Centro Recreativo da Golpilheira (Instituição Utilidade Pública - D.R. 239/92 de 16/10) Presidente: Manuel Almeida Carreira Rito Sede . Estrada do Baçairo, 856 - 2440-234 Golpilheira . Tel./Fax: 244 768 568 Composição. Est. do Vale, 100 - 2440-232 Golpilheira Contribuinte . 501 101 829 Impressão . CIC - CORAZE . Ed. Rainha, 4º Piso . 3720-232 Oliveira de Azeméis . Tel: 256661460 Fax: 256673861 . E-mail: grafica@coraze.com Tiragem desta edição . 1700 exemplares

8 3

9 9

2

6

1

1 7

6

6 6

5

4

5 2

8

9

5

2

8 2

6 7

7 3

8 3


24

. pub . divulgação .

Jornal da Golpilheira Janeiro de 2010

Urb. Aldeia de Santa Marta Zona calma na Calvaria de Cima Vivendas individuais 140.000 euros

SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA, LDA. Licença AMI n.º 7416

Pç. Município, Lt.5-r/c D. 2440-107 BATALHA Telf. 244 766 202 Tlm. 912 230 888

Pesquise na Internet as nossas promoções a nível nacional:

(Ref. 336) Padaria na Cela, a 2 km da vila da Batalha, com cerca de 310 m2, terreno e logradouro, e todo o recheio e licenças para este fim. • 200.000 euros

(Ref. 248) Apartamento T3 sito no centro da Batalha, junto aos bombeiros, com duas varandas, garagem individual, sotão e aquecimento • Preço: 80.000 euros

A Solução na Habitação... Procura a casa dos seus sonhos? Quer trocar de casa? Quer reduzir a prestação do empréstimo? Fale connosco... ...nós temos a solução!

www.leninveste.pt

(Ref. 152) Vivenda unifamiliar de tipologia T3+1, implantada num lote de terreno com 800 m2, sita num local sossegado com excelentes vistas. Fica a 5 minutos de carro do centro da Batalha e a 10 minutos do centro de Porto de Mós • Preço: 190.000 euros


1001 Jornal da Golpilheira Janeiro 2010