Page 1

PUB

Caixa da Batalha

Nº DE27042006MPC

ECONOMY DE00992011SNC|GSCCS

Preço 0,80 € (IVA inc.)

Jornal da Golpilheira Estrada do Baçairo, 856 2440-234 GOLPILHEIRA

O Banco da (nossa) terra.

Tel. 965 022 333 Fax 244 766 710 geral@jornaldagolpilheira.com

CA Seguros | CA Consult | CA Gest Director: Luís Miguel Ferraz | Mensal | Ano XV | Edição 169 | Julho de 2011

42.º aniversário do Centro Recreativo

FESTA MOLHADA, MAS PARTICIPADA

Pág. 3 | Golpilheira e S. Bento s sócio 2 1 om leia c eleições b m Asse te as P.2 | ovamen n adia

o ã n a Aindistas para há l recção... a Di

Apesar da chuva, as comemorações do 42.º aniversário do Centro Recreativo da Golpilheira fizeram-se e foram participadas pela população. O Festival de Folclore resistiu à humidade, as “Rodas de Aço”, numa tarde soalheira, tiveram o dobro dos participantes do ano passado, e a última noite foi para ver o fogo novamente debaixo de água. P. 4 e 5 LMF

R. Inf. D. Fernando, 2 • 2440-901 BATALHA Tel. 244 769 270 • Fax 244 769 279

Mais duas festas religiosas se aproximam na Freguesia...

...enquanto isso, a igreja da terra recebe algumas melhorias, mas acusa necessidade de obras de fundo. O telhado está a desfazer-se! PUB

PetroFM

--------------------DAS 07h30 às 22h00 ---------------------

nto Desco ITRO! L / Combustíveis T --------------------5 CEeNm todsotsívoesis Lubrificantes u comb --------------------Produtos Auto ---------------------Gás (BP/REPSOL/GALP) --------------------Lavagem/Aspiração ---------------------Também com RAÇÕES Rua Forno da Telha, 1385 • Quinta do Retiro • Barreira • 2410-251 LEIRIA para animais Tlf. 244834445 • Tlm. 919701359 • Fax 244892250 • petro.fm@hotmail.com

> PIZZAS

REQUINTE > PASTAS E D E T N IE B M A A VILA DA > RESTAURANTE NO CENTRO D < TAKE AWAY

ENCOMENDE: TEL. 244 766 106 • 919 903 666 VISITE-NOS: R. ANTÓNIO CÂNDIDO ENCARNAÇÃO, 4 • BA-


2

Jornal da Golpilheira

. abertura .

Julho de 2011

.editorial.

Assembleia-Geral Ordinária (Continuação do dia 9 de Julho)

Convocatória

Eleições adiadas para 24 de Setembro Director

Esmurrar

Lembrei-me, aqui há dias, de uma das histórias que o padre Américo nos contava nas aulas de Inglês do Seminário, daquelas que davam para passar uma boa meia hora a rir. Não tanto pela história, mas mais pelo contador, confesso. Mas a história de que me lembrei, apesar da superfície cómica, tem um fundo sério, para não dizer dramático. Reza assim: Em certa aldeia, era hábito as pessoas apagarem as velas das procissões esmurrando-as contra a parede do cemitério, antes de entrar na igreja. Ora, com o passar dos anos, o muro ficava pior do que o das lamentações… preto, escravunçado, chapado de cera e borrões. Certo dia, um novo presidente de Junta decidiu dar um ar lavado à terra e vai de mandar limpar o muro do cemitério. Tudo raspado, reboco novo, caiadinho de fresco, ficou branco que até parecia outro. E, para que a coisa assim ficasse, mandou afixar um letreiro a pedir às pessoas que tivessem cuidado com as velas e não voltassem a sujar o muro. No dia da procissão, foi fiscalizar. Para seu espanto, o muro estava de novo chapiscado de cera! Revoltado, ia comentando com quem se cruzava sobre a falta de respeito das pessoas, que não respeitam a propriedade pública nem o trabalho do outros. Até que um velho, ainda com a vela acesa, levanta-a orgulhoso contra o muro e faz a ladainha: - “Olhe, senhor presidente… aqui esmurrou o meu avô, aqui esmurrou o meu pai, e aqui esmurro eu!”. Não vou dizer por que lembrei de tal história. Para bons entendedores…

MCR

Luís Miguel Ferraz

Assembleia-Geral do CRG Realizou-se, no passado dia 9 de Julho, a Assembleia-Geral do Centro Recreativo da Golpilheira, na continuação da Assembleia do dia 18 de Junho, em que não apareceram listas para a eleição dos órgãos sociais. Assim, a ordem de trabalhos para esta nova sessão, tinha como principal ponto a eleição dos novos corpos gerentes para o próximo biénio. A Assembleia-Geral teve início por volta das 22h30. O presidente da Mesa da Assembleia, como não lhe tinha sido apresentada qualquer lista concorrente, perguntou se porventura havia alguma para entregar. O silêncio sepulcral instalou-se. Mais uma vez, ficou demonstrado que o interesse em dirigir é muito pouco ou nenhum. Infelizmente, o desinteresse dos sócios pela nossa Associação, nomeadamente no que diz respeito às suas sucessivas direcções, é uma constante, e tem vindo a agravar-se nos últimos anos. O livro de presenças registou apenas a assinatura de doze associados. É uma vergonha. Uma autêntica vergonha. Os sócios do CRG estão a ficar muito mal na fotografia. Dos órgãos sociais cessantes, compostos por dezanove sócios, apenas cinco marcaram a sua presença: o presidente da AssembleiaGeral, o presidente da Direcção, o tesoureiro e dois vogais. Está tudo dito. Se nem sequer comparecem estes sócios, que ainda estão em funções, porque estatutariamente, enquanto não for a tomada de posse da nova Direcção, é esta que está em actividade, que moral dão aos outros para comparecerem? A missão deles só terminará na data da tomada de posse da nova direcção eleita. Pode haver

várias razões para esta ausência: pensarem que o seu mandato já acabou, terem receio de ser constituída no decorrer da própria Assembleia uma Direcção e poderem ser convidados, ou outras de carácter pessoal que a cada um diz respeito. Perante esta situação, que provoca os mais negativos comentários por parte de outros sócios, era bom que se definissem. Ou comparecem na próxima Assembleia-Geral, marcada para o dia 24 de Setembro de 2011 (que será a continuação desta do dia 9 de Julho, uma vez que a mesma ficou em aberto), ou apresentam a sua demissão ao presidente da Mesa da Assembleia-Geral. As actividades desenvolvidas pela nossa Associação, a pujança que a mesma tem, o prestígio adquirido ao longo de mais de 40 anos, o património construído à custa do sangue, suor e lágrimas, de tantos e tantos sócios, alguns dos quais já não se encontram entre nós, merecem outro tratamento. Como se sentiriam alguns sócios que tanto fizeram por este casa, ao observar uma situação destas? Tenhamos vergonha. Assumamos as nossas responsabilidades como sócios e respeitemos a sua memória, pois eles merecem. Tenho consciência de que a tarefa de uma Direcção não é fácil, mas a estrutura está montada, necessitando apenas de algumas afinações. As secções funcionam, apenas é preciso nesta fase de defeso completá-las e ajustá-las às novas realidades, que continuam em mutações constantes. Temos pessoas experientes nos diversos sectores. Vamos saber aproveitá-las, para bem do nosso futuro e dos nossos filhos. A nossa Colectividade é uma insti-

tuição aberta a todos aqueles que queiram trabalhar, mesmo não sendo sócios, uma vez que podem fazêlo de imediato e os custos são apenas 9 euros por ano. Vamos todos trabalhar para um futuro cada vez mais risonho da nossa Associação. A união faz a força. Uma nova infra-estrutura está prestes a iniciar a sua construção. Refirome ao pavilhão gimno desportivo, que será uma realidade dentro de ano e meio. Novas actividades e modalidades poderão surgir. No entanto, é preciso que a casa-mãe não ande à deriva, ou em zig-zag, com constantes indefinições. O homem pensa, o povo quer e a obra nasce. Vamos passar da teoria à prática. Manuel Carreira Rito

No dia 24 de Setembro de 2011, pelas 20h30, reúne-se a Assembleia-Geral Ordinária, pelo que convoco todos os sócios a assistirem à reunião com a seguinte ordem de trabalhos: 1 - Eleição dos novos Corpos Gerentes para o próximo biénio 2 - Outros assuntos de interesse para a Colectividade. Nos termos dos estatutos, não comparecendo a maioria dos associados à hora marcada, será a reunião efectuada às 21h30 do mesmo dia, com qualquer número de sócios, não podendo os restantes discordar daquilo que foi deliberado. Dada a importância da reunião, agradecemos a comparência de V/ Ex.as. O Presidente da Mesa da Assembleia Pedro José Meneses Monteiro

Comunicado da Direcção Informamos a todos os sócios que queiram apresentar listas para os novos Corpos Gerentes da Direcção da colectividade para o próximo biénio, que as deverão entregar na secretaria. As mesmas deverão ser entregues até ao dia da Assembleia-Geral, que se realizará no próximo dia 24 de Setembro de 2011. O Presidente da Direcção Manuel Carreira de Almeida Rito

COTAS / ASSINATURAS

Caro Sócio do Centro Recreativo Assinante do Jornal da Golpilheira Lembre-se que poderá pagar as suas cotas ou assinatura em qualquer altura do ano, ao balcão do CRG. Ajude a sua associação!

pub


Jornal da Golpilheira

. actualidade .

Julho de 2011

3

. voz Porde vós . Mais duas festas religiosas se aproximam… Vanessa Silva Férias... como?

Estamos a passar por tempos conturbados financeiramente, bombardeados com notícias da crise. Apesar disso, ouvimos nas noticias que nos feriados o Algarve está cheio, ou que os hotéis estão a abarrotar… Afinal, que férias vão as pessoas fazer este ano? 1 – Apesar de estarmos numa época de contenção de despesas vai fazer férias este ano? 2 – Em anos anteriores fez férias em que pôde gastar um pouco mais? 3 – Conselhos para poupar nas férias?

Madalena Rosa Doméstica – 55 anos 1.Vou. Sinto necessidade de descansar um pouco. 2. Fazer férias, fiz, mas nunca gastei demais. Temos que ter cuidado, pensar no dia de amanhã e não excedermos. 3. Não comer sempre fora… cozinhar na casa onde fico, por exemplo.

Isabel Rito Empresária – 41 anos 1. Vou. Como todos os anos, apenas 4 ou 5 dias, pois é só mesmo o que posso fazer. 2. O que gasto é sempre mais ou menos igual. 3. O que eu faço é estipular um valor para gastar e quando vou de férias já tenho tudo pago, com tudo incluído e, parecendo que não, é uma mais-valia, pois por vezes as pessoas a saírem todos os dias do local onde estão para irem comer fora gastam mais.

…enquanto isso, a igreja da terra recebe algumas melhorias, mas acusa necessidade de obras de fundo. O telhado está a desfazer-se! Este será, provavelmente, o maior título de notícia que alguma vez escrevi. Vai contra as regras básicas do jornalismo, mas desta vez teve de ser. Aliás, se coubesse na página, colocava o artigo todo em título. Talvez isto nem seja bem uma notícia. Talvez seja um desabafo. Talvez uma dor de alma. Espero que não seja ressentimento, pois o que me move é a procura do melhor para a minha terra, a paz, a colaboração, a união. Apesar de todos os esforços, reuniões, tentativas de solução, não conseguimos ainda na nossa terra evitar este exagero de ter três festas no espaço de um mês. Duas delas religiosas, com quinze dias de diferença e 300 metros de distância, ambas com arraial trabalhoso, peditório de rua, pedido de patrocínios, dinheiro gasto em filarmónicas, bandas e afins. No fundo, trabalho a duplicar, dinheiro gasto a duplicar, tudo a duplicar menos as pessoas, que são – ou deveriam ser – as mesmas. Poderíamos pensar em fazer uma num ano, outra noutro. Ou fazer as duas, mas com maior intervalo de tempo. Poderíamos unir esforços para que a festa de cada ano fosse maior, talvez com mais dias e de certeza com maior rentabilização do imenso trabalho que dão a preparar. Mas isso parece impossível, pelo menos enquanto os que têm maior poder de decisão não se entenderem. Se a desculpa é celebrarmos as invocações das igrejas, então deveríamos fazer três festas: Senhor Bom Jesus dos Aflitos, S. Bento e Nossa Senhora de Fátima. Mas já nem isso está a ser cumprido. O S. Bento já perdeu protagonismo para a Senhora da Esperança, e a Senhora de Fátima, invocação da igreja principal, nem é lembrada, já que foi "absolvida" pelo filho, Jesus dos

Aflitos, que veio da "capela velha". Como ainda temos as invocações paralelas do Sagrado Coração de Jesus, de S. Leonardo, da Senhora da Conceição (que até seria a mais antiga de todas), etc., por que não fazer uma festa a cada um? Temos três igrejas na freguesia, só uma tem culto regular. Deveríamos ter apenas uma comissão para cuidar das três, ou então, três comissões para cuidar uma de cada uma. Já defendo isto há muito tempo, já tentei, com outras pessoas promover a reflexão sobre o assunto, já reunimos as duas comissões várias vezes para procurar um entendimento. Parece que não há volta a dar. As velhas rivalidades, a que alguns chamam bairrismo, continuam bem patentes. E o património que é comum a todos os habitantes da mesma freguesia, parece ser tratado como se de um feudo privado se tratasse. Esta seria até uma boa ocasião para tentar a união. Quando os vários templos precisam de manutenção, poderia até justificar-se o esforço multiplicado para garantir as verbas a cada um. Mas neste momento ambas as igrejas mais antigas estão restauradas. Tanto

em S. Bento, como na Golpilheira, temos um salão, uma cozinha totalmente equipada, todos os acessórios possíveis e imagináveis, num investimento que, já de si, poderá ser questionado. Mas está feito. Poderíamos agora virar os olhos para a única igreja onde celebramos a Eucaristia dominical, que é a que se encontra mais desprezada. Tem um interior pobre, a acústica deixa muito a desejar, o conforto é nulo, a climatização inexistente, a iluminação natural e artificial é deficiente, as janelas, o tecto e a arquitectura em geral são do tipo "barracão" e… o telhado dá sérios avisos de ruína. Nos anexos do mesmo edifício, onde as nossas crianças têm catequese e se realizam outro tipo de reuniões e serviços, o cenário de pobreza dos materiais e das condições de conforto é o mesmo. Será que esta causa não justificaria a união de esforços, o canalizar do lucro das nossas festas para essa recuperação, para mais num tempo de crise em que esse lucro é muito mais difícil? Como disse, esta é uma reflexão que faço há alguns anos. Sei que há muitas outras pessoas, não só nas

comissões, mas entre a população, preocupadas com o assunto e que manifestam a mesma posição. Mas parece existir também uma espécie de força invisível de resistência que faz com que nada mude. Alguns passos Apesar de tudo, temos dado alguns passos. Contratámos uma equipa de arquitectos que está a estudar o edifício e a projectar uma intervenção global, para que não se façam "remendos" sem sentido. A primeira proposta desse trabalho vai ser apresentada à população, para que todos possam colaborar com sugestões e críticas construtivas. Foi já dentro desse plano que se instalou uma nova aparelhagem sonora, pois a acústica era péssima e, como sabemos, participar numa celebração em que se ouve mal, é quase o mesmo que não participar. Mudouse também a orientação dos bancos, para uma maior centralidade da assembleia em relação ao altar, como determinam as regras litúrgicas. No dia da festa, uma outra "surpresa" será feita à comunidade cristã. A igreja é um espaço celebrativo que

deve ter as melhores condições para que nos sintamos bem, pois isso também ajuda à nossa melhor participação nas celebrações. Os templos modernos contemplam esses aspectos com rigor, como podemos observar na nova igreja da Santíssima Trindade, no Santuário de Fátima. Os mais antigos devem procurar, dentro do possível, investir também nessa área do conforto. Apelo a que façamos todos um esforço de compreensão com o trabalho que está a ser feito. Todos devemos colaborar com ideias, críticas, sugestões, para que o resultado final seja o melhor possível. Infelizmente, todos sabemos como é mais fácil dizer que está mal feito, às vezes apenas porque se mudou alguma coisa. Aproveitemos as festas que aí vêm, que são momentos propícios ao encontro e à alegria, para conversarmos sobre estes assuntos, para discutirmos ideias de forma positiva e para as partilharmos com quem está com o trabalho em mãos. Só assim poderão ser úteis a toda a comunidade. Luís Miguel Ferraz

Festa na Golpilheira

Festa em S. Bento

Senhor Bom Jesus dos Aflitos

Nossa Senhora da Esperança

Vai realizar-se nos próximos dias 30 e 31 de Julho e 1 de Agosto a festa na Golpilheira, em honra do Senhor Bom Jesus dos Aflitos. Programa (ver cartaz na última página): Dia 30, Sábado: 15h00 - Abertura do Arraial; 22h00 - Baile com Banda Kroll. Dia 31, Domingo: 08h00 – Alvorada; 10h30 - Périplo pela Freguesia com Pousosom; 12h00 - Missa Solene e Procissão; 16h30 - Animação pelo grupo Pousosom; 17h30 - Saudação ao Padroeiro; 18h00 - Actuação do Rancho Folclórico As Lavadeiras do Vale do Lena; 22h00 - Baile com Manuel Brás. Dia 1, Segunda-Feira: 08h00 – Alvorada; 14h00 - Abertura do Arraial; 18h30 - Missa por intenção dos Festeiros; 19h00 - Corrida de Frangos e Quebra de Panelas; 21h30 - Baile com Dualband; 23h00 - Corrida de Cântaros e Sorteio de Rifas; 24h00 - Fogo de Artifício. Haverá música com DJ todas as noites. No arraial haverá bares variados, serviço de restaurante e zona de sobremesas e café da avó, e zona infantil com um insuflável gigante. O restaurante funcionará também ao almoço de domingo. A organização é dos nascidos em 1971.

Vai realizar-se nos próximos dias 20 a 22 de Agosto a festa em S. Bento, em honra de Nossa Senhora da Esperança. O programa será o seguinte: Sábado, 20 de Agosto : 14h00 – Abertura do arraial; 21h30 – Actuação do trio "Alta Voltagem". Domingo, 21 de Agosto: 08h00 – Alvorada; 10h30 – Recolha de andores com os gaiteiros do Vidigal; 12h00 – Missa solene com procissão; 21h30 – Actuação do grupo "FV MUSIC". Segunda-Feira, 22 de Agosto : 14h00 – Abertura do arraial; 18h00 – Missa por intenção dos festeiros; 18h30 – Corrida de frangos e quebra de panelas; 21h30 – Actuação do duo "Zé Café & Guida". Haverá música com DJ todos os dias, depois das actuações dos conjuntos. Durante os festejos haverá o serviço de bar, restaurante e café da avó e filhoses. No domingo, haverá serviço de restaurante na hora de almoço, com o já famoso bacalhau "à S. Bento" e os grelhados habituais. A organização é da Comissão da Igreja de S. Bento.


4

Jornal da Golpilheira

. reportagem .

Julho de 2011

42.º aniversário do Centro Recreativo

Festa molhada, mas participada Apesar da chuva, companheira indesejável nesta altura, as comemorações do 42.º aniversário do Centro Recreativo da Golpilheira, nos dias 16, 17 e 18 de Julho, foram um sucesso. Desde a preparação do arraial, este ano com mais ajuda dados os apelos efectuados que finalmente surtiram efeito, tudo ficou pronto atempadamente para estas festividades. Festival de Folclore A 22.ª edição do Festival de Folclore foi mais um êxito, proporcionado pelo nosso rancho folclórico "As Lavadeiras do Vale do Lena" do CRG. Teve como pano de fundo um cenário

muito original e espectacular, imaginado por Vítor Grosso, um decorador nato, e concretizado por este e por outro elemento do rancho, o Salvador. Foi um cenário muito fotografado, nomeadamente, pelos elementos dos outros ranchos folclóricos. Este festival começou muito antes das actuações em palco. Confraternizamos e aconchegamos as barriguitas, no salão de festas do nosso clube. Chegada a hora, realizou-se um pequeno desfile etnográfico, com a primeira passagem de cada um dos grupos pelo palco, onde ficaram os porta-estandartes para receberem as tradicionais lembranças.

Para a sua entrega, estiveram diversas entidades oficiais presentes: Cíntia Silva, vereadora da Câmara Municipal da Batalha; Fátima Sousa, da Junta de Freguesia da Golpilheira; José Travaços dos Santos, da Federação do Folclore Português; Carlos Calado, da Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura. Para além do grupo anfitrião, estiveram em palco três ranchos convidados, representando cada um à sua maneira a região etnofolclórica a que pertencem (ver fotos e apresentação). Com as suas danças, cantares e coreografias, encantaram, apesar da chuva, o numeroso público presente, numa excelente noite de Folclore. Se Deus quiser, para o ano haverá mais.

Sem chuva teria sido melhor...

ram muito bem, isentas de acidentes, apenas alguns pequenos despistes, sem qualquer gravidade. Na segunda-feira, a tradicional corrida de frangos e quebra de panelas. É pena que apenas tenham participado cinco concorrentes. Um adulto e quatro pequenos jovens. Foi pena não ter havido mais participantes. No entanto, o futuro já está garantido, pela presenças destes mais novos, que de certeza vão continuar a concorrer nos próximos anos. Durante todos os dias funcionou o restaurante, com o tradicional frango

assado, morcelas, tirinhas, entrecosto, etc. O café da avó, muito concorrido, aliás como acontece todos os anos. A quermesse, com muitas e variadas prendas. Também não faltou o bar no recinto do arraial, onde não faltou a fresquinha imperial e outras bebidas, assim como os belos caracóis. No domingo e segundafeira a animação esteve a cargo de dois grupos de música: Dualband e duo Daniel Silva e Ana. E a encerrar os festejos, uma monumental sessão de fogo de artifício, que a todos deslumbrou.

Artesão do vidro trabalhou ao vivo

Rolamentos e arraial Para além do folclore, as comemorações integraram no dia 17, a Santa Missa, por alma dos sócios do CRG já falecidos. À tarde, o tradicional "Rodas de Aço", com cerca de 40 carros de rolamentos, alguns dos quais muito originais. As três rampas decorre-

Café da Avó sempre a sair

O “acidente” da 1.ª página, na perspectiva do “agredido”

Há quem se aplique “mesmo” no veículo

Preparados para o pior...

Uns descem, outros sobem...

Amaragem assistida

Texto: MCR Fotos: MCR/LMF

Um dos 5 resistentes

Bob o construtor


Jornal da Golpilheira

. reportagem .

Julho de 2011

5

"As Lavadeiras do Vale do Lena" do CR Golpilheira

Danças e Cantares da Associação Cultural de Vilarinho

Fundado em 12 de Junho de 1989. Está sediado no lugar e freguesia de Golpilheira, concelho da Batalha e distrito de Leiria. Representa o Folclore da Alta Estremadura e está inserido na Região de Turismo Leiria/Fátima. As suas danças e cantares foram recolhidos de pessoas nascidas na última década do século XIX. Eram as que se "bailhavam" a céu aberto, nas alpenduradas e de portas adentro, nas eiras, nas descamisadas, nos terreiros pelos Santos Populares, nos serões dos enxovais, nos serões dos casamentos, nas adiafas da vindima e da azeitona e na "Casa da Brincadeira". Os instrumentos utilizados na tocata são os tradicionais da região. É sócio efectivo da Federação do Folclore Português, desde Janeiro de 1996, e é sócio fundador da Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura e filiado no INATEL. Durante todos estes anos de existência, sem qualquer paragem, já efectuou centenas de actuações, com deslocações a diversos países da Europa, a saber, Espanha, França e Roménia, onde mostrou toda a beleza de trajes, danças e cantares, preservando e divulgando a nossa cultura e tradição.

Representa a região da Beira Litoral. Vilarinho é uma pacata aldeia, situada a sete quilómetros de Coimbra, pertencente à freguesia de Brasfemes. Com a finalidade de manter vivas as tradições, usos e costumes das gentes da freguesia, foi fundado em 1985. É no ano 2000, com a entrada de uma nova direcção, que o grupo inicia um trabalho exaustivo de pesquisa, de estudo e trabalho de campo, em busca de provas fidedignas do que foi a freguesia em finais do século XIX, princípios do século XX. Desde esse tempo, tem-se preocupado em reviver as tradições que estavam esquecidas, como o descanto dos noivos, o cantar das janeiras, as fogueiras de S. João, as descamisadas do milho, o malhar do trigo e as romarias ao Espírito Santo. Todas as danças foram recolhidas nas aldeias da freguesia, onde predominam as modas de roda, dançadas nas eiras, nas fogueiras e romarias. Na sua actividade, além de promover anualmente a sua Festa de Folclore e o Dia do Folclore, integrado nas Comemorações da Freguesia, o grupo participa em colóquios e conferências, feiras de artesanato, eventos promovidos pela Câmara Municipal de Coimbra e em festas de folclore de Norte a Sul de Portugal e além fronteiras. Este grupo, que é actualmente sócio aderente da Federação do Folclore Português, esforça-se por manter vivas as tradições, usos e costumes da sua terra, com toda a veracidade e respeito que as mesmas merecem. apoio

Juventude em Marcha de Crestuma Representa a região do Douro Litoral Sul. Crestuma é uma linda freguesia, beijada pelas águas do rio Douro, situada na parte nascente de Vila Nova de Gaia, com um passado histórico valioso, a remontar à civilização romana e romano-portuguesa. Aliás, só assim se poderá compreender a sua vastíssima cultura medieval. Terra por excelência de trabalhadores têxteis e metalúrgicos, que adicionavam à sua labuta diária as tarefas de pescador, barbeiro, cesteiro, sapateiro, ferreiro, padeiro, vassoureiro e muitas outras. Graças ao trabalho árduo e profundo dos seus responsáveis, este rancho é hoje uma agradável realidade e um legítimo representante das terras do nascente da Gaia e de Terras da Feira. É membro efectivo da Federação do Folclore Português e do INATEL. Tem participado em vários festivais nacionais e internacionais de folclore, quer no nosso país quer no estrangeiro.

"Os Saloios" da Póvoa Galega Representa a região da Estremadura Centro. "Saloio" era o povo que habitava os arredores de Lisboa, aos quais se vieram a juntar os Mouros e os Árabes, que deixaram a capital no século XII, quando foram expulsos, pelo primeiro Rei de Portugal – D. Afonso Henriques. Os "Saloios" constituíam assim o núcleo populacional que explorava agricolamente o chamado "Termo de Lisboa", que fornecia os mercados lisboetas com carnes, legumes, frutas e hortaliças frescas. Este grupo folclórico iniciou a sua actividade no mês de Abril de 1968, numa aldeia da região onde habitava o povo "Saloio" – Póvoa Galega. O grupo sempre desenvolveu um grande trabalho de pesquisa, recolha e reconstituição no campo da etnografia e do folclore, o que o transformou num dos mais fiéis representantes da sua região. É sócio efectivo da Federação do Folclore Português, da Associação do Distrito de Lisboa para a Defesa da Cultura Tradicional Portuguesa e do INATEL. É também um organismo de utilidade pública.


6

Jornal da Golpilheira

. cultura . sociedade .

LMF

Julho de 2011

Encerramento do ano lectivo

Festa da Música e Dança do CRG Realizou-se no passado dia 28 de Junho a festa de encerramento do ano lectivo das Escola de Música e Dança do CRG. Com a

presença da grande maioria dos alunos, acompanhados na plateia pelos seus pais, familiares e amigos, o êxito foi total. De ano para

DR

G-DANCE em grande!

ano, podemos observar a evolução de todos, o que muito nos agrada e anima para continuarmos com as duas excelentes actividades

culturais. No final houve a distribuição de diplomas e uma lembrança a todos, assim como um ramo de flores

As G-DANCE, grupo do nível 5 da Escola de Dança do Centro Recreativo da Golpilheira, participaram nos dias 28 e 29 de Maio em duas competições de hip-hop. No dia 28, teve lugar a competição no Centro Cultural de Casal dos Claros, Amor, prova local que reuniu alguns grupos de hip-hop da zona de Leiria. Por ser a primeira vez que o clube organizou um evento desse nível, registaram-se algumas falhas da organização, nomeadamente quanto à forma de efectuar as classificações, que foram feitas pelo público. Existiam grupos da casa e, como era previsível,

aos tão dedicados professores, aos quais estamos muito gratos, pelo trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos. Houve tempo ainda

foram esses os vencedores. O Challenge de Ourém, realizado na tarde de 29 de Maio, foi um evento que contou com a presença dos melhores grupos de hip-hop a nível nacional, estando mesmo na competição o campeão e o vice-campeão nacionais de seniores. Sabendo, a priori, que os grupos eram dos melhores a nível nacional e que não competiríamos com bailarinos do nosso escalão, não esperávamos grande classificação, mas resolvemos arriscar e revelou-se uma aposta ganha. A experiência de estar lado a lado com os melhores foi para as bailarinas, professores e pais mui-

para cantar os parabéns à Adriana Silva, que naquele dia completou a bonita idade de 13 anos. MCR

to produtiva e verificámos que temos ainda um longo caminho a percorrer para chegar a tão alto nível. No entanto, é possível e as nossas bailarinas têm talento para isso. Agradecemos mais uma vez o esforço e dedicação destes pais e o apoio do Centro Recreativo da Golpilheira, que com o transporte e o incentivo mostrado nos têm levado a evoluir cada vez mais. Esperamos para o ano continuar o bom trabalho, com maior número de participações em competições oficiais, que decerto ainda nos trarão muita alegria! Liliana Ramos e David Brás

Idosos convidados a mexerem-se Sendo o envelhecimento um processo inevitável, inerente a todos os indivíduos, importa atenuar muitos dos seus efeitos adversos. Um dos factores que mais contribui para este processo e que pode levar mesmo à doença crónica é o sedentarismo. A degeneração que se verifica, ao nível das capacidades dos vários sistemas fisiológicos, diminui a capacidade de desempenho das actividades comuns do dia-a-dia. A actividade, seja ela de que tipo for, parece o melhor remédio para a velhice, surgindo assim a necessidade de oferecer à população idosa estímulos de natureza física, emocional, social e intelectual. Como este concelho não é alheio ao processo de envelhecimento que se verifica em Portugal e tem vindo a registar um enve-

MCR

“Reciclagem de Movimentos” no CRG

lhecimento da população desde os anos 80, surgiu a ideia de criar um projecto de desporto sénior que está em vigor há sete anos. Um projecto de actividades despor-

tivas para a população sénior do concelho, organizado pelo Município da Batalha, que dá pelo nome de "Reciclagem de Movimentos". Este projecto envolve os idosos do

concelho, e tem como objectivo aumentar os níveis de actividade física da 3.ª idade. Neste caso concreto do Centro Recreativo da Golpilheira, o projecto conta com a participação de 18 utentes, desenvolvendo-se actividades de ginástica geriátrica em que os idosos são encorajados ao aumento do movimento no geral e diminuição do sedentarismo e inactividade física. As sessões caracterizam-se por um trabalho generalizado, incluindo uma activação geral, exercícios de força, de equilíbrio, jogos lúdicos e relaxamento final. Quando possível, desenvolvem-se também exercícios aeróbios, como danças, caminhadas, encontros de exercício e saúde na 3.ª idade, tardes dedicadas ao movimento em grupo, festas e intercâmbios com outros grupos.

Estas sessões realizam-se duas vezes por semana, com uma duração de 50 minutos cada, e tem como objectivos aumentar a interacção social, diminuir o isolamento, aumentar os níveis de independência e autonomia, ocupar os tempos livres, promover o bem-estar, aumentar a aptidão cardiovascular, aumentar os níveis de força e resistência musculares, manter e/ou atenuar a perda da flexibilidade, coordenação e equilíbrio, diminuir os factores de risco atribuíveis ao desuso e ao envelhecimento. Este projecto destina-se a todos os indivíduos do concelho com idade igual ou superior a 55 anos, pelo que todos eles são convidados a comparecer no CRG, nos referidos dois dias por semana. Ricardo Salgueiro


Jornal da Golpilheira

. sociedade .

Julho de 2011

7

LMF

Encerramento da temporada

Passeios pedestres fazem férias nas Paredes

Restaurante Etnográfico da Golpilheira

Refeições de qualidade para clientes e escolas O Restaurante Etnográfico do Centro Recreativo da Golpilheira não fornece apenas refeições no seu espaço, estando também a seu cargo, há já alguns anos, o fornecimento aos jardinsde-infância e escolas do 1.º ciclo da Golpilheira, Rebolaria, Faniqueira e Batalha. Esta é mais uma parceria que temos com a Câmara Municipal da Batalha e que muito ajuda a rentabilizar este vultuoso investimento. Pela análise do quadro de refeições servidas nos anos de 2009, 2010 e de Janeiro a Maio de 2011, verifica-se que o número de refeições servidas às escolas e jardinsde-infância é cerca de dois terços do total. Por aqui se pode deduzir a importância desta parceria, que desejamos manter e se possível aumentar no futuro. Verifica-se, também, que o número de refeições servidas tem vindo a au-

mentar, tanto nesta área escolar, como ao cliente geral no próprio restaurante, o que indicia um crescimento sustentado. Basta ver que de 2009 para 2010 foram servidas mais 7.772 refeições e nos 5 primeiros meses deste ano já foram servidas mais de metade do que nos 12 meses do ano passado, o que aponta para um novo crescimento. Resta-nos referir que esta é uma infra-estrutura equipada com equipamento moderno e de alta qualidade, prestando um serviço que estará ao nível dos melhores do sector. Basta lembrar que a cozinha e o respectivo pessoal recebem

Quadro de refeições

vistorias e inspecções regulares por partes das autoridades sanitárias regionais, que controlam ao mínimo pormenor o fornecimento das refeições escolares. E se ainda houvesse dúvidas, a visita da ASAE no ano passado veio esclarecer: depois de uma análise rigorosa a todas as condições e procedimentos, deu-nos os parabéns pela qualidade que temos! Por isso, escusado será dizer que todos são convidados a servirem-se deste espaço para as suas refeições, com a garantia de higiene, qualidade e bom serviço. MCR

2009 N.º

2010 %

N.º

2011* %

N.º

%

Cliente geral

13.128 28,97% 18.184 34,26%

Escolas

32.184 71,03% 34.900 65,74% 18.462 65,78%

Total

45.312

* Entre Janeiro e Maio

53.084

9.605 34,22% 28.067

Realizou-se no passado dia 26 de Junho o tradicional passeio pedestre mensal organizado pelo CRG. Como era o último desta temporada, resolvemos fazê-lo junto ao mar. O convívio realizou-se no belo parque de merendas das Paredes de Vitória. Logo pela manhã, fomos marcar o nosso terreno, levando mesas e cadeiras, uma vez que se previa a comparência de muitos "pedestres" para o almoço. Com o acampamento montado, o "Ninim" ficou de guarda e o resto do pessoal foi fazer a tradicional caminhada. Estava muito calor. Mesmo assim, fomos muitos a fazê-la e por vários quilómetros. Chegados ao acampamento, começámos a preparar as coisas. Os assadores começavam a trabalhar. As mesas ficavam compostas. Começou-se pelos aperitivos. Depois, petiscava-se nesta mesa, depois naquela, pois claro,

o almoço era partilhado. As bebidas também eram à farta. Todos queriam que provassem o seu vinho, pois cada um dizia que era o melhor. Não havia grandes distinções. Todo ele era bom, e com muito espírito, que contagiou algumas cabecinhas pensadoras. Mas não houve problema. O dia era grande e ainda houve tempo para a sesta. Pelo menos para os homens, já que as mulheres e as crianças, mais brincalhonas, fizeram diversos jogos da nossa infância, como "O Bom Barqueiri-

nho", "O Lenço", "A Bandeira", "O Jogo do Anel", "O Estraga Albardas", e outros. Por alguns momentos também me senti criança. Por vontade de alguns, ainda hoje lá estávamos. Mas a noite estava a chegar e era hora de emalar a trouxa e zarpar. Foi o que fizemos. Todos muito felizes por um dia bem passado, regressámos a nossas casas. Para Setembro há mais, em data a indicar. Até lá, boas caminhadas e boas férias. Texto e fotos: MCR

pub

CLÍNICA VETERINÁRIA DA BATALHA

DR. EUSÉBIO

• consultas • vacinações • análises • Raios X • ecografias • • tosquias • internamentos • identificação electrónica • • consultas de refrência • todos os artigos para o seu animal • Est. de Fátima, 11 r/c A • 2440-100 Batalha Tel. 244 767 721 • Tlm. 917 521 116 (atend. permanente)

Tel. 244 769 720 EMISSÃO ONLINE

www.radiobatalha.com


8

Jornal da Golpilheira

. cultura . sociedade .

Julho de 2011

Feira e diversão no final do ano

Actividades no Dia dos Avós

Avós e netos no Museu da Batalha

Decorreu no passado dia 26 de Junho, na praça Mouzinho de Albuquerque, na Batalha, a habitual festa de encerramento do ano lectivo das Actividades de Tempos Livres (ATL) do nosso concelho. Foi uma tarde bem passada, onde colaboraram professores, animadores e auxiliares e, claro, muitas dezenas de crianças. Para além das tendas com venda de materiais feitos pelas crianças, houve um pouco de tudo: jogos, quermesse,

comes e bebes, oficinas de pinturas, etc. As crianças das várias escolas também participaram na animação, ora com danças, ora com cantigas. No final, os convidados especiais foram os Feedback, grupo de jovens músicos de Porto de Mós – Paulo, Diogo, Pedro e Vítor – que deram que falar no programa Portugal Tem Talento e que muito agradaram aos fãs batalhenses. Só foi pena o enorme calor que se fez sentir, que levou

Turma de ginástica da Golpilheira

muita gente a procurar o conforto de casa. Ainda assim, a

praça esteve composta. LMF

Rosas do Lena organizou

Festibatalha na vila

Mais um programa de luxo

Praça Mouzinho de Albuquerque, 27 de Agosto

Concerto de Jazz com Jacinta Jacinta é primeiro nome no cartaz do Ciclo de Jazz da Batalha, um evento inserido no projecto Rede de Mosteiros Património da Humanidade. O concerto tem lugar no dia 27 de Agosto, sábado, pelas 22h00, na praça Mouzinho de Albuquerque. A cantora deu os seus primeiros passos artísticos através do estudo da música clássica em piano e composição, percurso pouco comum numa cantora de jazz. Integrou vários grupos como cantora e instrumentista, chegando a liderar um grupo de rock sinfónico. É no entanto no mundo do jazz que a sua energia musical encontra plena expressão.

Organizada pelo rancho folclórico Rosas do Lena, decorreu no passado dia 3 de Julho, na praça D.

João I, a sexta edição da Festibatalha. O evento assume-se como uma "festa da cultura popular", procu-

rando promover a cada ano um dia de autêntica cultura portuguesa, com mostra de artesanato, festival de folcore, bailarico e marchas populares. Assim, não faltaram as barraquinhas de venda de artigos dos ranchos folclóricos que participaram no festival e outras referentes às actividades do artesanato de cada região. Não faltou também o bailarico popular, tão

ao gosto do nosso povo. E, à noite, tendo como pano de fundo o maravilhoso Mosteiro da Batalha, desfilaram junto ao monumento do Condestável, São Nuno de Santa Maria, três marchas populares: Pussos, concelho de Alvaiázere, Coral Gaudia Vitae de Mira de Aire, do concelho de Porto de Mós, e Pedreiras, também do concelho de Porto de Mós. MCR

Cerimónia militar na Batalha

Homenagem a Mouzinho Tradicionalmente, em Julho de cada ano, oficiais e sargentos de Cavalaria deslocam-se em romagem a cavalo ao concelho da Batalha, local onde nasceu Mouzinho de Albuquerque, Patrono da Arma de Cavalaria. Assim aconteceu mais uma vez no passado dia 23 de Julho. A Escola Prática de Cavalaria efectuou uma cerimónia de homenagem, junto ao busto de Mouzinho de Albuquerque, na

praça que tem o seu nome, bem no centro da vila da Batalha. A cerimónia foi presidida pelo tenente-general Luís Miguel de Negreiros Morais de Medeiros, director honorário da Arma de Cavalaria, começando pelas 17h30 com a apresentação da formatura à entidade que presidia, seguindo-se a deposição de uma coroa de flores junto ao busto do Patrono, intervenções de diversas entidades, descerra-

mento dos sabres de bronze e desfile da Força a Cavalo. De referir que esta iniciativa, que marcou o 114.º aniversário da Batalha de Macontene, onde aquele militar foi o herói mais destacado, teve a co-orhanização do Município da Batalha, já que se trata de uma homenagem a um militar que é considerado um dos batalhenses mais ilustres de todos os tempos. LMF

De 12 a 15 de Agosto, tem lugar mais uma edição das Festas da Batalha, que conta com um programa recheado de animação. GNR, Virgem Suta, Deolinda e José Cid são os cabeças-de-cartaz para a presente edição dos festejos, que incluem ainda o habitual Encontro de Emigrantes, a 14 de Agosto, Dia do Município, e a Feira das Actividades Económicas, no largo Cónego Simões Inácio. Ainda no dia 14, tem lugar a XXVI Gala Internacional de Folclore, com a participação do Grupo "Rosas do Lena", da Batalha e três grupos estrangeiros. No desporto, destaque para a Prova de Atletismo Mestre de Avis a realizar dia 15 de Agosto (ver p. 11). Na próxima edição, daremos mais pormenores.

MCR

Festas da Batalha em Agosto

DR

Patrícia Ferraz

ATL em festa

No âmbito das comemorações do Dia dos Avós, que se assinalou a 26 de Julho sob a temática "Museu e Memória: os objectos contam a vossa história", definido pelo ICOM para 2011, o MCCB – Museu da Comunidade Concelhia da Batalha desenvolveu um programa especial destinado a avós e netos. Ao longo desse dia, a equipa do Museu preparou várias sessões dedicadas a todos os avós e netos que o visitaram. As actividades iniciaram com um pequeno teatro de fantoches alusivo à data em celebração. De seguida, os participantes desfrutaram de uma visita orientada ao Museu, com particular destaque para a exposição temporária: "O Ensino na Batalha". Neste espaço de memórias, um antigo professor e os avós recordaram a escola de outros tempos, partilhando saberes e experiências de vida aos mais novos. Na base desta acção, com entrada gratuita, esteve a importância das relações familiares e o relevante papel dos avós no desenvolvimento emocional das crianças e na construção de um modelo de família.

pub

Comércio de Mobiliário e Carpintaria Tel./Fax: 244 768 353 Telm.: 918 700 998

Estrada dos Forneiros, 4 • Rebolaria • 2440-075 BATALHA

de Franclim Sousa

Aberto das 9h00 às 13h00 e das 15h00 às 19h30 Telefone 244 768 256 | Telemóvel 917 861 577

Profissionais de Caixilharia

Rua do Depósito de Água Tojeira • 2460-619 ALJUBARROTA

Tel. 262 596 896 geral@caixifer.com www.caixifer.com


Jornal da Golpilheira

. desporto .

Julho de 2011

“O Voto de El-Rei D. João I antes da Batalha Real”

S. Mamede já tem

Estação para Autocaravanas

LMF

António Monteiro apresentou livro Já foi presidente da Câmara e desempenhou outros cargos da vida pública da região, mas o seu interesse pela Batalha não se esgota aí. Empresário, proprietário agrícola, o engenheiro António de Almeida Monteiro é também um autodidacta e investigador da história batalhense. No livro que apresentou no passado dia 25 de Junho, no auditório municipal da Batalha, sintetiza uma dessas investigações. "O Voto de El-Rei D. João I antes da Batalha Real" é uma preciosa recolha de dados históricos sobre o Mosteiro da Batalha, os caminhos usados na batalha de Aljubarrota e o famoso voto de D. João I antes da guerra, entre outros assuntos. O autor apresenta documentos e oferece a sua interpretação pessoal de alguns factos e lendas, em conclusões bem fundamentadas e com sentido. A apresentação esteve a cargo de D. Serafim de Sousa Ferreira e Silva, que falou do valor desta investigação e da transmissão da "história simbólica", que sem deixar de ser concreta incluiu a "interpretação criativa", remetendo ao passado como "ponte para a compreensão

D. Serafim apresentou a obra

do presente e construção do futuro". Dividindo a sua intervenção em três tópicos – "investigação e imaginação", "caminho e congosta", "vontade e voto", D. Serafim quis salientar que "os caminhos da Batalha podem ser o símbolo de Portugal que soube vencer as suas crises, e mostram que, mesmo na adversidade, vale a pena lutar pelo bem comum".

Na sua intervenção, António Monteiro salientou a ligação da Batalha a Guimarães, pelo único e verdadeiro voto de D. João I antes da batalha, à Senhora de Oliveira, na "cidade berço". O autor mostrou ainda como, pela análise dos caminhos existentes à época, é possível reconstruir grande parte da história da Batalha de Aljubarrota, desde os prepara-

9

tivos até à vitória. Uma das novidades apresentadas, já adiantada pelo próprio na sessão solene de 14 de Agosto do ano passado, foi a da adaptação de que foi alvo o pórtico do Mosteiro, para receber um projecto magnífico que mestre Huguet trazia de França e que muito agradou ao rei, dada a sua imponência, mas que, por ser grande demais para o espaço existente entre as colunas centrais, ficou "entalado" entre elas, como se pode verificar no local. E aqui surge uma nova ligação a Guimarães: é que o projecto original de Afonso Domingues foi levado para a igreja da Senhora de Oliveira, onde foi colocado como janelão por cima do pórtico já existente. Com esta obra ficam revelados mais alguns dados sobre um monumento que tem sempre novidades para revelar. E fica também uma conclusão do autor desta investigação: "Guimarães não é só berço de Portugal, é também o berço da Batalha". Mas o melhor mesmo é ler a obra para conhecer as fascinantes revelações deste ilustre batalhense. LMF

Foi inaugurada, no dia 17 de Julho, a Estação de Serviço de Autocaravanas de São Mamede, localizada nas traseiras da Junta de Freguesia local. A ocasião foi motivo para dois dias de festa, começando na noite de véspera com actuação do Grupo de Cantares do Planalto de São Mamede e do Rancho Folclórico do Penedo, da Quinta do Sobrado. O dia 17 foi marcado por um percurso pedestre "Rota dos Moinhos", que antecedeu a inauguração da nova infra-estrutura, ao final da manhã. Refira-se que com este equipamento, o concelho da Batalha passa a dispor de duas áreas de serviço destinadas a este fim, estando a primeira localizada na vila da Batalha, junto à zona desportiva. Estas estações permitem aos milhares de caravanistas que anualmente visitam este concelho e a região, abastecer os veículos de água potável, carregar as baterias eléctricas do veículo e proceder ainda ao despejo dos detritos que se acumulam nas viagens. Em Portugal, segundo dados do Clube Português de Autocaravanas, existem cerca de 5 mil autocaravanas, com um ritmo de crescimento impressionante, na ordem dos 20 por cento ao ano. Estima-se que na Europa circulam mais de 2 milhões de autocaravanas, sendo que algumas passam entre nós a maior parte dos meses de Outono e do Inverno, fugindo aos climas frios das suas origens.

Assinatura de Memorando

Batalha liga-se à América do Sul Teve lugar no passado dia 15 de Julho, na sala de sessões do Município da Batalha, a cerimónia de assinatura de um Memorando de Intenções entre a autarquia e a Federação das Câmaras de Comércio e Indústria da América do Sul, estando presente Artur Victoria, representante em Portugal deste organismo. Este acto visa proporcionar às empresas do município da Batalha oportunidades para o estabelecimento de contactos comerciais com diversas entidades dos nove países da América do Sul, representados pela Federação.

Tendo por objectivo a ocupação activa e sadia dos tempos livres de férias das crianças e jovens do concelho da Batalha, o Município da Batalha realiza anualmente o programa "Férias Desportivas", com diversas actividades físicas e desportivas, e também culturais. A iniciativa visa ainda o convívio e a integração social, através da prática de actividades de grupo, numa interacção permanente com o meio local.

Nesse sentido, o município disponibiliza recursos materiais e humanos, de forma a proporcionar aos mais jovens, em períodos que os encarregados de educação não os podem acompanhar, um conjunto de actividades lúdicoeducativas que facultam o espírito de iniciativa, a capacidade criativa e crítica e a realização pessoal, desempenhando, assim, um papel determinante na sua formação. Assim, os participantes têm oportunidade de contactar com

DR

Férias Desportivas

as mais diversas modalidades desportivas, devidamente enquadradas tecnicamente, ao mesmo tempo que são levadas a visitas culturais ao património, sessões de cinema, acções de formação, etc.. Para o efeito, são utilizadas,

maioritariamente, instalações municipais; piscinas, campos de futebol, pavilhões, museus, bibliotecas, auditórios e outros espaços públicos. O programa "Férias Desportivas" é dirigido a uma franja etária

entre os 10 e os 14 anos, nas quatro semanas do mês de Julho. Os turnos que já decorreram foram um sucesso, tanto pelo interesse e satisfação dos mais jovens, como pela motivação dos monitores. Ricardo Salgueiro pub

R. Leiria, 73 - Cividade 2440-231 GOLPILHEIRA Tel/Fax 244767839 Tlm. 919640326 reciklena@iol.pt

Joaquim Vieira Reciclagem e comercialização de consumíveis informáticos


10

Jornal da Golpilheira

. desporto .

Julho de 2011

Tomaram posse para quadriénio 2011/2015

Novos órgãos sociais da AFL Realizou-se no dia 1 de Julho, na Quinta da Palmeiras, nos Pousos, a tomada de posse dos novos órgãos sociais da Associação de Futebol de Leiria (AFL) para o quadriénio de 2011/2015. Eleita na última Assembleia-Geral, onde votaram 45 sócios, com o resultado de 425 votos favoráveis, esta lista foi liderada por Júlio Vieira, que, apesar de muito jovem, vai para o seu quarto mandato. Na abertura desta sessão, o presidente da Assembleia-Geral, Fernando Manata, teceu algumas considerações sobre o percurso da AFL nestes últimos anos, nomeadamente naqueles em que Júlio Vieira foi seu presidente. Depois, um a um lá foram assinando os componentes dos novos órgãos sociais e que na sua totalidade são 52. Um dos momentos emocionantes foi quando Luís Tinta Galinha, de Turquel, foi chamado a assinar como secretário da Assembleia-Geral. Júlio Vieira descreveu com emoção, mas com bom humor, o trabalho que este homem tem desenvolvido em prol do Turquel e da AFL. Eu também pude presenciar, já lá vão mais de 30 anos, o trabalho meritório de Luís Galinha. Este lugar assenta-lhe que nem uma luva. Estiveram presentes neste acto solene vários autarcas da nossa região, demonstrando o seu incondicional apoio à AFL. No discurso de encerramento, Júlio Vieira afirmou que vai continuar com a mesma dedicação, esforço e trabalho, para continuar a melhorar os serviços da AFL em todas as suas áreas. Tem dado tudo, mas há sempre algo a acrescentar. "Os nossos objectivos e os nossos projectos são para ser concretizados", afirmou, realçando que conta com todos os elementos agora empossados para continuar a servir e a defender da melhor forma os interesses da Associação. Desejamos boa sorte e bom trabalho ao Júlio e à sua equipa, nesta fase conturbada que atravessamos. MCR

Entrevista a um futebolista que fez formação no CRG

Cristiano Matos, atleta do SL Marrazes Neste espaço de tempo, mudou alguma coisa? Sim. Com a entrada do treinador Veloso, a meio da época, as coisas modificaram um pouco. Com a progressiva integração no grupo de trabalho, comecei a jogar com mais regularidade.

Esta é a nossa segunda entrevista: Cristiano Filipe Almeida Matos, nascido a 17-03-1994, em Cumeira, freguesia da Barreira. Representa actualmente o Sport Leiria e Marrazes. Disputou o Campeonato Nacional de Juvenis. Também participou no Campeonato Distrital da Divisão de Honra de Juniores, apesar de ainda ser juvenil. Dois campeonatos, duas sortes diferentes. Infelizmente, no de juvenis não conseguiram manter-se no campeonato nacional, baixando à honra. No entanto, no campeonato de juniores foram campeões, a cinco jornadas do fim, subindo assim à segunda divisão nacional. Foi com um sentimento de saudade, mas também de grande felicidade, que entrevistámos este nosso jovem. É uma jovem promessa do futebol do nosso distrito, cujos horizontes podem ser bastante maiores. Enrevista de Manuel Carreira Rito Com quantos anos começaste a tua formação? Comecei a minha formação aos sete anos, no C. R. Golpilheira, um bocado impulsionado pelo meu pai, que é golpilheirense. Quem foi o teu primeiro treinador? Não tenho bem a certeza, mas penso que foste tu (Manuel Rito). Depois, sei que foi o teu irmão Luís Rito, também com a tua colaboração, até aos sub 13. O que mais te marcou no teu primeiro clube de formação? A amizade, a camaradagem, a união do nosso grupo, dentro e fora do campo. Muitos amigos que ganhei, que preservo com muito gosto. Alguns deles são meus colegas nos Marrazes. Com que idade ingressaste no Leiria e Marrazes? Tinha feito catorze anos há pouco tempo. O meu escalão foi o de Iniciado de primeiro ano.

Sei que na Golpilheira, embora no futebol de 7 os posicionamentos não sejam muito rígidos, gostavas de ser um jogador ofensivo. E no Marrazes? No Marrazes, comecei a jogar a extremo, pois o treinador quis aproveitar a minha técnica e velocidade.

Quem foi o teu primeiro treinador no Leiria e Marrazes? No início da época foi Fernando e depois foi Veloso. Na época que agora terminou, no escalão de Juvenil foi Veloso e no escalão de Juniores foi Paulo Santos. Veloso tem-me treinado em todos os escalões até esta data. Foi fácil a tua adaptação, no primeiro ano, já que passaste do futebol de 7 para o futebol de 11? Senti algumas dificuldades, por diversos motivos. O espaço do jogo é bastante maior. Sentia por vezes dificuldade em posicionar-me no terreno. Na equipa que integraste eram todos de primeiro ano? Não. Grande parte dos atletas da equipa eram de segundo ano de Iniciados, o que dificultou a minha tarefa. Conhecedor das minhas capacidades, nunca deixei de trabalhar com afinco, pois sabia que ia ter a minha oportunidade.

E neste momento qual é a tua posição na equipa? Nos Juvenis, comecei a jogar a extremo, mas mais ou menos nas últimas jornadas acabei a jogar a defesa direito. Também nos jogos que efectuei pelos Juniores, fi-lo na mesma posição. Desde que ingressaste no Leiria e Marrazes, como avalias a tua progressão até este momento? Devido à exigência dos campeonatos, efectuei muitos treinos bi-diários, o que fez que progredisse bastante, não só tecnicamente, mas também fisicamente. O futebol de 11 é muito mais exigente e cansativo, pelos menos nas duas posições em que fui utilizado, desde que estou nos Marrazes. Esta época é a tua primeira de Júnior, apesar de já teres jogado nesta equipa, mas com a idade de Juvenil. Pensas que tens potencialidades para ser titular na época que agora se aproxima? Penso que sim. Desde que continue a trabalhar bem nos treinos, a mostrar as minhas qualidades e o meu valor, esse é o meu objectivo. No entanto, sei que há mais atletas com valor para aquele lugar. Eles devem pensar do mesmo modo que eu, serem titulares. No entanto, essa decisão caberá sempre

ao treinador e eu respeitá-la-ei. Como te defines como jogador? Sou um jogador rápido, com boa técnica, e tomo decisões certas nos momentos cruciais dos jogos. Remato bem com os dois pés, embora seja mais forte com o direito. Estou neste momento a executar métodos de treino para melhorar o remate com o pé esquerdo. Jogo razoavelmente bem de cabeça. Pensas enveredar pelo profissionalismo, quando chegares à idade de sénior? Sim. É o meu sonho e o meu grande objectivo. Sei que não vai ser fácil, pois infelizmente, neste momento em Portugal apenas se aposta em jogadores estrangeiros. É só ler os jornais diários. É uma vergonha. Também sei que é preciso, para além do talento, ter muita sorte. Eu vou procurá-la. Tenho confiança no meu futuro. Dado que a profissão de futebolista pode ser uma carreira curta, é altura de te perguntar: como vão os teus estudos? Frequento o 11.º ano e vou transitar para o 12.º ano. Se conseguires conciliar o futebol com os estudos, pensas tirar um curso superior? Sim. Os estudos neste momento estão em primeiro lugar. Uma licenciatura são três anos. Se não for agora de seguida, no futuro tornar-se-á muito mais difícil. Para terminar, queres enviar alguma mensagem aos atletas dos escalões de formação do CRG? Nunca desistam, porque eu tenho 17 anos e, desde o início, já lá vão 10 anos de treinos e jogos, não desisti nem penso em desistir. No entanto, não se esqueçam de se aplicar nos vossos estudos, pois estes estão em primeiro lugar.

2.º Torneio de Futebol Infantil “Júlio Viegas” Organizado pelo Núcleo de Árbitros de Futebol de Porto de Mós, decorreu nos passados dias 25 e 26 de Junho, no campo sintético daquela vila, a segunda edição do Torneio de Futebol Infantil "Júlio Viegas". No dia 25 participaram as equipas de Petizes e Traquinas

e no dia 26 as equipas de Sub/13. Estiveram presentes 40 equipas, 460 atletas e 25 árbitros. Participou neste torneio a equipa de Sub/13 do CRG, em três jogos: ganhámos um por 5-0 às "Andorinhas" da Cruz da Légua e perdemos dois, com o União

de Leiria (que veio a ser a equipa vencedora deste torneio) por 3-0 e pela mesma marca com a nossa congénere do Marinhense. Foi um excelente dia de convívio, muito ao gosto dos nossos atletas. É de realçar o apoio prestado à nossa equipa por parte dos pais,

incluindo a presença de alguns no almoço-convívio. Aos jovens Filipe Vieira e Nuno Fernando, responsáveis pela equipa, em nome da nossa colectividade, os sinceros agradecimentos. Parabéns à organização. MCR


Jornal da Golpilheira

. desporto .

Julho de 2011

“Mestre de Aviz”, “Batalha Jovem” e “Batalha – Boiças – Batalha”

Atletismo e caminhada nas festas da Batalha Integrado nas Festas da Batalha, organizadas pelo Município da Batalha, com a colaboração da Associação Distrital de Atletismo de Leiria e da Junta de Freguesia da Batalha, vai organizar-se o Grande Prémio Mestre de Aviz em Atletismo, de acordo com o seguinte: 1. As provas são abertas a todos os que desejam participar filiados na FPA, INATEL ou Populares, representação individual ou colectiva.

2. Da aptidão física dos atletas serão responsáveis os clubes ou entidades que os inscreverem. No entanto, o seguro desportivo aos atletas não federados será assegurado pela organização, desde que mencionem na inscrição a inexistência do mesmo. 3. As inscrições para as provas de atletismo serão gratuitas e deverão ser feitas até ao dia 12/08/2011 para a ADAL, Apartado 552, 2401-976, Leiria, pelo telefone 244 827 580, Fax 244 812 972, ou pelo e-mail: assleiria @adal.pt. Nas mesmas devem figurar o nome, o escalão, a data de nascimento, o clube e se é ou não atleta federado. 3.1. Os atletas filiados na ADAL interessados em participar terão que se inscrever antecipadamente para poderem participar na prova. 4. O Júri será da inteira responsabilidade da Comissão Distrital de Juízes e Cronometristas do Distrito de Leiria. 5. A organização técnica da prova obedecerá ao Regulamento Técnico de Atletismo e todos os casos omissos serão resolvidos de acordo com o mesmo.

Prova de Atletismo "Mestre de Aviz" 6. A prova realiza-se no dia 15 de Agosto de 2011 com partida às 10h30, com a distância de 6.000m, com o seguinte percurso: Campo Militar de S. Jorge (partida), passagem por Tojal de Baixo, Quinta do Sobrado, Batalha, Ponte da Boutaca, (viragem no bidão onde se recebe a senha para voltar a fazer o mesmo percurso até à Batalha), Rotunda da Igreja Matriz, Rotunda do Emigrante, Campo de Futebol, Recinto das Festas e Praça M. Albuquerque (chegada). 7. A Prova Mestre de Aviz engloba os seguintes escalões: Juvenis (masc), Juniores (masc e fem), Seniores (masc e fem), Veteranos M40, M45, M50, M55 e M60 (masc) e Veteranas F40 (fem). Escalões Seniores masc Seniores fem Juniores masc Juniores fem Juvenis masc Vet. M40 Vet. M45 Vet. M50 Vet. M55 Vet. M60 Vet. F40

Anos 1991 e antes 1991 e antes 1992/93 1992/93 1994/95 40 a 44 anos 45 a 49 anos 50 a 54 anos 55 a 59 anos 60 anos e mais 40 anos e mais

Obs.: Para os veteranos conta a idade do dia da prova

8. Às 09h45 sairá um autocarro junto ao local da meta da Prova Mestre de Aviz (nas traseiras do Mosteiro, Largo Cónego Simões Inácio) para levar os atletas para o local da partida. 9. Haverá classificação individual por escalão. Colectivamente, será feita uma classificação geral, premiando as 3 primeiras equipas (Troféu). Contam para esta classificação os 3 primeiros atletas de cada equipa. Será também atribuído um troféu para a equipa com mais participantes inscritos. Prémios Monetários Escalões Seniores masc e fem

Class. l.º 2.º 3.º 4.º 5.º

Valor 150 € 100 € 50 € 25 € 10 €

Escalões Juniores e vet. masc e fem

Class. l.º 2.º 3.º

Valor 50 € 25 € 10 €

11

10. Haverá prémios de presença para todos os participantes e aos 5 primeiros classificados de cada escalão (taça ou troféu), que serão distribuídos no recinto das Festas da Vila, perto do local da chegada. Prova de Atletismo "Batalha Jovem" 11. Haverá provas para jovens, com início às 09h20, com partidas e chegadas no percurso de manutenção da zona desportiva da vila da Batalha, junto ao complexo de ténis, para os escalões abaixo descriminados. Escalões Benjamins Masc Benjamins Fem Infantis Masc Infantis Fem Iniciados Masc Iniciados Fem Juvenis Fem

Ano 2000 e + 2000 e + 98/99 98/99 96/97 96/97 94/95

Distância 500 m 500 m 1.000 m 1.000 m 1.500 m 1.500 m 1.500 m

Voltas 1 1 2 2 3 3 3

Hora 09h20 09h30 09h40

12. Haverá prémios de presença para todos os participantes, aos 3 primeiros classificados de cada escalão será atribuído taça ou troféu, e do 4.º ao 5.º serão atribuídas medalhas. Os prémios serão distribuídos no recinto das Festas da vila, perto do local da chegada. Caminhada "Batalha - Boiças - Batalha" 13. A Caminhada "Batalha - Boiças Batalha" é aberta a toda a população, sendo a partida dada pelas 9.30 horas junto ao recinto das festas. 14. A Caminhada terá uma extensão de aproximadamente 4km. 15. Todos os participantes receberão uma lembrança e reforço alimentar. 16. A organização assegurará a existência de seguro para os participantes que se inscrevam dentro do prazo estipulado (até 11 de Agosto) e desde que mencionem o nome e a data de nascimento, no momento da inscrição. 17. As inscrições para a caminhada são gratuitas e deverão ser feitas, até ao dia 11 de Agosto, para a Câmara Municipal da Batalha, através do e-mail cultura@cmbatalha.pt, do fax 244 769 111 ou telefone 244 769 110. Devem ser enviados os seguintes dados, para efeitos de seguro de acidentes pessoais: nome completo e data de nascimento do participante. A organização

Atletismo do Agrupamento de Escolas da Batalha

Distrital de Clubes de Iniciados

DR

No passado dia 2 de Julho, realizou-se o Campeonato Distrital de Clubes de Iniciados de Leiria. O recém-criado clube do Agrupa-

mento de Escolas da Batalha ficou apurado para a fase final de equipas, em que esteve presente com 5 atletas, classificando-se num hon-

roso 4.º lugar. Destacam-se os resultados de: Tatiana Silva, 2.ª classificada no Lançamento do Peso e 6.ª no Lançamento do Dardo; Patrícia Ferraz, 4.ª classificada na série dos 80 metros barreiras e 9.ª no Salto em Comprimento; Catarina Pragosa, 5.ª classificada na série dos 80 metros barreiras e 7.ª nos 250 metros; Madalena Baptista, 5.ª classificada nos 800 metros e 8.ª classificada no Salto em Comprimento; Laura Marques, 6.ª classificada na série dos 80 metros e nos 250 metros. Paulo Bernardo e Simão Pombo, do Clube AE Batalha

Encerramento da época

Convívio do futsal feminino do CRG Teve lugar no passado dia 23 de Junho, no parque de merendas dos Parceiros, o convívio de encerramenbto de época desportiva das equipas de futsal feminino júnior e sénior do CRG. É um encontro já tradicional, onde se pretende juntar os directores, colaboradores e outros elementos responsáveis por estas duas equipas, assim como as atletas e seus familiares. Estiveram presentes a maioria das atletas, às quais foi proporcionada uma excelente tarde de lazer. As horas foram passando e era quase noite quando abandonaram o local. Texto e foto: MCR


12

Jornal da Golpilheira

. desporto .

Julho de 2011

Torneio de Futsal Município da Batalha

Madeira, Açores e Al

Veteranos do

SR Rel…vence Com o patrocínio do Município da Batalha, decorreu no pavilhão da Associação Recreativa Amarense, entre os dias 13 de Junho e 9 de Julho, o VIII Torneio de Futsal Município da Batalha. Teve a participação de 14 equipas, distribuídas por duas séries de sete. A equipa do CR Golpilheira também participou e ficou incluída na série "A". Constituída por atletas bastante jovens, acompanhados apenas pelos veteranos Marinho e Cesário, não conseguimos passar à fase seguinte. No entanto, pela forma como se bateram em todos os jogos, dignificaram o nosso clube. Depois da fase de grupos, os jogos eram a eliminar. Presenciaramse excelentes jogos, bem disputados, alguns deles com autênticas reviravoltas no marcador e sempre com muito e entusiástico público. Para os quartos de final passaram a SR Relvense, a AR Amarense, a CRJI Demó e o CR Rebolaria. Nas meias-finais, o Casal do Relvas venceu a Demó e o Casal do Marra ganhou à Rebolaria, apurando-se estas duas associações para a final. Sendo vizinhas, é natural uma certa rivalidade, mas notou-se grande amizade, uma vez que são duas aldeias com algumas afinidades. Tive oportunidade de verificar que havia mesmo alguns corações divididos: nascidos no Casal do Marra, Fernandito e Manuel Cabral residem no Casal do Relvas, onde fazem parte da equipa técnica. Não escondiam a satisfação por este encontro, já que eram as duas equipas que mais gostavam que ganhassem. Mas agora só uma podia ganhar…

Jogo da Final SR Relvense – 3 AR Amarense – 2 Foi um excelente jogo de futsal. Estavam frente a frente duas das equipas apontadas logo de início como potenciais vencedoras deste torneio. Começou melhor a equipa do Casal do Relvas, aproveitando a desconcentração inicial da equipa adversária, abrindo o activo, logo nos primeiros minutos, por Ricardo Rodrigues. A equipa da casa não conseguia acercar-se da baliza contrária, mercê do acerto defensivo do Casal do Relvas. Esta equipa, com alguns jogadores mais experientes, superiormente comandados por Bruno Costa, em mais uma bela jogada, aumen-

tou para dois a zero, novamente por Ricardo Rodrigues. Apenas depois deste golo, o Amarense acordou e começou a aproximar-se mais da área do Casal do Relvas, causando algum perigo. Numa destas jogadas, um jogador da Amarense foi derrubado dentro da área do Relvense, mas o árbitro nada assinalou. Uma penalidade por marcar, que proporcionava a oportunidade do Amarense reduzir a desvantagem. A equipa do Amarense, por esta altura, já merecia o seu golo. E veio a consegui-lo, ainda antes do intervalo, por Micael Santos. Após o reatamento do jogo, verificou-se que a equipa da casa pretendia empatar a partida. No entanto, foi o Relvense a marcar o terceiro golo, aliás um excelente golo, com muita técnica e uma excelente execução, por parte do Xavier Cabral. A partir daqui, e usando a experiência de alguns atletas do Casal do Relvas, era muito difícil ao Amarense dar a volta ao jogo. Em Futsal, a diferença de dois golos pode ser anulada em segundos, mas o tempo corria de feição lá para os lados do Casal do Relvas, mercê do empenho, espírito de entreajuda, garra e tenacidade dos seus atletas. É digno de registar que a equipa do Casal do Marra nunca baixou os braços, tentando sempre o golo. E conseguiu-o, mas já muito perto do final, por parte de Tiago Rodrigues. A diferença era mínima. Mais um golo e chegavam pelo menos ao prolongamento. Faltavam poucos minutos. Bem tentaram, mas não conseguiram. Apito final. Festa dos atletas e dirigentes do Casal do Relvas, em simbiose com o seu aficionado e fiel público. Associação Recreativa Amarense, uma digna vencida. Sociedade Recreativa Relvense, uma justa vencedora. Para além dos dois jogos, a tarde e a noite foram preenchidas com outras actividades. Antes do jogo da final, o Grupo de Hip-Hop da Associação Cultural e Desportiva do Rio Seco também teve a sua

Prémios

SR Relvense • Igor KharuK, Bruno Costa, Paulo Valentim, Emanuel Cabral, Gonçalo Aguiar, Xavier Cabral, Hugo Azevedo, Valter Cardoso, Ricardo Rodrigues, Telmo Rodrigues e Emanuel Antunes. Treinador – Manuel Cabral; Treinador-adjunto – Fernando Aguiar; Massagista – João Santos; Delegados – Daniel Pereira, Ana Santos e Daniel Cardoso.

AR Amarense • João Monteiro, Cláudio Rebelo, Diogo Pires, Frederico Bragança, João Cardoso, Micael Santos, Paulo carreira, Pedro Carreira, Renato Almeida, Tiago Rodrigues, André Santos e Pedro Sousa. Treinador – António Cunha; Treinador-adjunto – Luís Silva; Massagista – Telmo Ferreira; Delegado – Joaquim Salvador. Árbitros • Rui Baptista e José Luís Costa; Mesa – António Silva. oportunidade de brilhar. No intervalo desta final, realizou-se a entrega das Faixas de Campeão Distrital de Leiria, referente à época 2010/2011, à equipa de Infantis da Associação Recreativa Amarense, brilhante vencedora deste campeonato, superiormente dirigida pelo Apolinário e seus colaboradores. À noite, teve lugar o lancheconvívio entre os convidados, atletas, dirigentes e treinadores das associações participantes. Antes da entrega dos tão almejados troféus, actuou o Grupo de Música Tradicional "Sons do Lena", muito aplaudido pelos presentes. Seguiu-se a distribuição dos prémios individuais e colectivos, onde a apoteose final foi a consagração da grande vencedora da edição do ano de 2011, que neste dia pôde mudar uma letra ao nome para Sociedade Recreativa Rel…vence!

Taça Disciplina – Casal de S. Mamede Melhor Jogador: Helder Almeida (Rebolaria) Melhor Defesa - Série "A": Relvense (8 golos sofridos) Melhor Defesa - Série "B": Demo (7 golos sofridos) Melhor Marcador "A" – Helder Almeida (Rebolaria) – 18 golos Melhor Marcador "B" – Hélio Silva (Torre) – 21 golos Vencedor 1.ª Fase "A" – Rebolaria Vencedor 1.ª Fase "B" – Demó

A figura da final Marcar dois golos numa final, seja ela qual for, é sempre uma proeza. Ricardo Rodrigues conseguiu-o. No entanto, na minha opinião, houve um momento crucial do jogo. Quando o Amarense reduziu a desvantagem, o Relvense abanou um pouco. No entanto, surgiu o momento mágico do jogo. Xavier Cabral, um jovem com apenas dezasseis anos, com uma técnica incrível, obteve um golo de se lhe tirar o chapéu. Aqui aplica-se o velho ditado popular "filho de peixe sabe nadar". Este foi o golo que tranquilizou o Casal do Relvas até ao final. Texto e fotos: MCR

Classificação

1 – Relvense 2 – Amarense 3 – Demó 4 – Rebolaria 5 – Calvaria de Baixo 6 – Quinta do Sobrado 7 – Torre 8 – Pinheiros 9 – Casal de S. Mamede 10 – Golpilheira 11 – Batalhense 12 – Jardoeira 13 – Garruchas 14 – Atlético de S. Mamede

Como anunciado, realizou-se no sado dia 2 de Julho o Torneio de Fut Veterano da Golpilheira, tendo como vidadas três equipas: Alqueidão da S "Pretos e Brancos" do Clube Despo Nacional (Madeira) e Casa do Pov Terra Chã (Açores). Este torneio foi preparado com m antecedência, sobretudo entre o noss rector, Rui Rodrigues, e os responsávei equipas presentes. Foram trocados m emails e feitos muitos telefonemas para chegada a hora da verdade, tudo cor bem. E assim foi. A primeira a chegar foi a Terra por volta das 15h00 do dia 30 de Junh aeroporto de Lisboa, onde a esperavam autocarro com alguns directores dos ve nos da Golpilheira e o vereador da Câm Municipal da Batalha, Carlos Henriq Depois de instalados, jantaram no Re rante Etnográfico do CR Golpilheira. A equipa do Nacional chegou ao roporto na madrugada do dia 1 de Ju onde os esperava também um autoc com alguns directores dos nossos ve nos e o presidente da Junta de Fregu da Golpilheira. Foram instalados no M de S. Jorge.

Dia 1 No primeiro dia, fizemos a visita ambas as equipas ao Santuário de Fát Grutas da Moeda e Pia do Urso, onde bém almoçámos. Foi uma manhã bast preenchida, que todos apreciaram, cu nada com um bom almoço, que durou lá das 15h00. Seguiu-se a visita às praias da Na e de São Pedro de Moel, com passag paragem pela Marinha Grande. Nest cal, o nosso colega de equipa, José da Júnior, fez questão de oferecer a todo componentes de ambas as comitivas lembrança artesanal em vidro, execu pelo artesão marinhense Álvaro Cruz. pois, foi o regresso, com a equipa da deira a ir jantar ao Alqueidão da Serr dos Açores à Golpilheira.

Dia 2 Durante a manhã realizou-se o tor no campo de jogos sintético da Bat Os dois primeiros jogos foram ganhos p equipas do Nacional e da Golpilheira No apuramento para o 3.º e 4.º lug estiveram em campo o Alqueidão (1 Terra Chã (0), num disputado, assim c os outros, com muita correcção. Foi m equilibrado, com um ligeiro domínio e ali por parte dos veteranos do Alq dão da Serra. Foi esta equipa que cheg vantagem, já que Sérgio, muito oport marcou o primeiro e único golo do des A equipa dos Açores bem tentou o em mas não o conseguiu, dada a boa prest defensiva do adversário. Aproveitando tentativa de assédio à sua baliza, os tas do Alqueidão partiam para venen contra-ataques, que não produziram efe


Jornal da Golpilheira

. desporto .

Julho de 2011

13

lqueidão foram os convidados

o CRG organizaram torneio

pastebol conSerra, ortivo vo de

muita so diis das muitos a que, rresse

Chã, ho, ao m um eteramara ques. estau. o aeulho, carro eterauesia Motel

com tima, tamtante ulmiu para

azaré gem e te loa Ilha os os uma utada . Dea Mara e a

rneio, talha. pelas a. gares, 1) e a como muito aqui queigou à tuno, safio. mpate, tação o esta atlenosos eitos,

dada a inoperância dos seus avançados e as boas defesas do guarda-redes da Terra Chã. Resultado justo de 1-0 para o Alqueidão. O jogo da final, entre a Golpilheira e os "Pretos e Brancos", era aguardada com enorme expectativa e não defraudou o numeroso público presente. A equipa Madeirense, com jogadores mais experientes, não se deixou levar pela equipa da Golpilheira, mais jovem e aguerrida. Apesar de ambas terem criado diversas oportunidades no decorrer do encontro, este terminou empatado a zero. Recorreu-se à marcação das grandes penalidades. Foi mais feliz a equipa do Nacional, que concretizou 4 e a Golpilheira apenas 2. O herói deste jogo, como já tinha sido do primeiro contra o Alqueidão da Serra, foi o guarda-redes do Nacional, Luís Fernando, que conseguiu defender duas penalidades. Depois do torneio, dirigimo-nos todos para a sede do CRG, para o tão desejado e merecido almoço. A ementa principal foi porco no espeto. No entanto, também não faltaram os frutos secos e os habituais martinis e favaios. A sopa da pedra, o arroz de feijão e as bebidas também marcaram a sua presença. Para a sobremesa, tínhamos os doces, salada e frutas da época. O salão de festas encheu. Foi bom, muito bom. É assim que eu gosto de o ver quando aqui se realizam os mais variados eventos. Depois de bem tratados, chegou o momento da troca de lembranças e entrega das taças de participação neste torneio. Foram muitas as lembranças distribuídas, as palavras de incentivo e agradecimento dirigidas por diversos intervenientes de cada uma das equipas. O mote geral é que todos estavam a gostar de estar aqui e que vão transportar para as suas terras a boa imagem da nossa Golpilheira. Uma lembrança a destacar: Sérgio Silva, dirigente dos veteranos do Nacional da Madeira proporcionou a todas as senhoras presentes a oferta de alguns produtos típi-

cos da Madeira. Durante a entrega das taças, um momento emocionante: não foram esquecidos dois veteranos recentemente desaparecidos: Fernando Azevedo, do Nacional da Madeira, e Jorge Pires, da Terra Chã. Foi um momento que a todos comoveu. Mas enfim, temos de nos conformar e fazer tudo de bom para perpetuar a sua memória. Nessa noite ainda fomos divertir-nos para as festas de S. Pedro, em Porto de Mós. Dias 3 e 4 Nos dois dias seguintes ainda fizemos algumas visitas ao Mosteiro e ao Museu da Batalha e à cidade de Leiria, tendo a equipa da Madeira regressado a casa no dia 3 e a equipa dos Açores no dia 4. No âmbito geral, foram dias muito bem passados, de alegre e saudável convívio, que muito apreciámos e que nos parece que também foram do agrado dos nossos visitantes. Agradecimentos Só foi possível a vinda das duas equipas das ilhas em simultâneo, graças à parceria que efectuámos com a Câmara Municipal da Batalha. Também a Junta de Freguesia da Golpilheira nos ajudou dentro das suas possibilidades. Esta parceria foi extensiva aos nossos amigos de longa data do Alqueidão da Serra, que também procuraram apoio na Câmara Municipal de Porto de Mós e na Junta de Freguesia de Alqueidão da Serra e foram bem sucedidos. Colaboraram connosco, assumindo diversas despesas com a equipa do Nacional da Madeira. Também agradecemos à direcção do rancho folclórico Rosas do Lena, pois apesar de lhes termos pago, mostraram total abertura e disponibilidade para nos cederem a utilização das suas instalações na Rebolaria, onde ficou a equipa açoreana. Obrigados a todos! Texto e fotos: Manuel Carreira Rito

"Pretos e Brancos" • Nicolau, Luís Fernando, Rodrigues, Marco, Fernandes, Norberto, Pita, Constantino, Roberto, Gonçalves, Castro, Caetano, Higino, Muchacho, Duarte, Freitas, Mauro, Vieira e Assis. Treinador: Maurídio Freitas.

Golpilheira • Rui Fidalgo, Marinho, Victor Cruz, Ramalhete, Álvaro, Daniel, Jorge Rito, Vitinho, Monteiro, Zeca, Pascoal, Marcelo, Paulo Rito, Manuel Rito, Quim Té, Virgílio, Maurício, Carreira, Lelo, Helder, José Augusto, Tiago, Rui Silva, Cunha, Ruizinho, Cesário e Zezinho. Treinador – Paulo Rito.

Alqueidão da Serra • Rui, Bispo, Matateu, Spala, Chalana, Rita, Balugas, Baptista, Quim Neto, Matos, Zé, Sérgio, Kiko, Manecas, Rebelo, Nebas, Ginja, Melo, Carlos Barriga, e Henrique. Treinador – Bio.

Eleição da nova direcção dos Veteranos do CRG Os atletas e dirigentes da secção de Veteranos da nossa colectividade, reunidos no dia 21 de Julho, elegeram por unanimidade a nova direcção para as duas próximas épocas desportivas. É composta pelos seguintes elementos: Director Desportivo e Secretário – José Carlos Martins Nunes Ajudante de Secretário – José Augusto Patrício Ferreira Tesoureiro – Virgílio Ferreira Carreira Vogal – Luís José Henriques Monteiro Pereira Vogal – Rui Jorge Vieira Fernandes Massagista – Armando Pereira de Sousa Treinador – Paulo Manuel Rodrigues Antunes Rito A este novo elenco directivo, como presidente do CRG, desejo o maior sucesso, para bem desta secção e da nossa Colectividade. À direcção cessante, agradeço em nome da Colectividade todo o trabalho desenvolvido, que em muito prestigiou o nosso clube e que lançou esta equipa, em apenas dois anos, para a ribalta dos Clubes de Veteranos a nível nacional. Bem hajam! Estreados novos equipamentos Patrocinado pela empresa Granicentro, foi entregue a todos os atletas da equipa de Veteranos do CRG um novo equipamento. A esta prestigiada empresa e ao seu sócio gerente, Luís Filipe, os nossos agradecimentos.

Terra Chã • Lourenço, Luís, Santos, Renato, Silva, Spínola, Carrolas, Pires, Bettencout, Golart, Mini, Melo, Tomás, Vitor, Simões, Azevedo, Rodrigues, Leal, Barros e Rocha. Treinador – Elvino Lourenço. Árbitros As equipas de arbitragem tiveram por base os gémeos Carlos e Henrique Rodrigues e o Rui Rodrigues, ajudados pelo incansável Serrano, Manuel Cabral e Alexandre.


14

Jornal da Golpilheira

. saúde .

Julho de 2011

. opinião .

Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla

Centro de Saúde da Batalha – Extensão da Golpilheira

O encerramento definitivo está cada vez mais perto

LMF

Infelizmente para os golpilheirenses, utentes desta Extensão de Saúde da nossa freguesia, a verdade é nua e crua: todos os sinais apontam para o encerramento desta unidade, e mais depressa do que se pensa. A preparação parece evidente. Depois de quase três semanas encerrada, por causa das férias do nosso médico de família, reabriu, mas a meio gás. Está aberta de segunda a sexta-feira da parte da manhã, e apenas à quinta-feira também da parte da tarde. Continuo a não perceber por que se abandonam umas instalações novas, que custaram ao erário público, há cerca de treze anos, 35 mil contos. O Estado é rico, riquíssimo, para se dar ao luxo de esbanjar este investimento, em prejuízo dos habitantes da freguesia da Golpilheira e da eficiência dos cuidados primários de Saúde. Se os utentes desta Extensão de Saúde tiverem de optar por serem atendidos em Leiria, Batalha, Reguengo do Fétal ou São Mamede, será mais um atentado aos direitos adquiridos pelos golpilheirenses, que alguém nos vai usurpar. Os utentes calam-se que nem cordeirinhos, preparados para o sacrifício. Parece terem medo de represálias, ou de serem maltratados no futuro, não sei por quê. Quem não deve, não teme. A USF – Unidade de Saúde Familiar da Batalha foi criada em 2009, em nome da melhoria dos serviços médicos do concelho, mas por razões que ainda não consegui apurar, ainda não entrou em funcionamento. Por que excluiu a candidatura desta USF a Extensão de Saúde da Golpilheira, quando havia outra candidatura que também a contemplava? Será que estamos em países diferentes? Alguém diz que são problemas técnicos. Os doentes não se compadecem com estes problemas, nem querem saber deles para nada. Estes querem é ser tratados e servidos com dignidade. Já estamos habituados a andar com a "casa às costas". Sempre foi com o futebol, também com o futsal (este com solução à vista), mas não vá um dia acontecer ao pavilhão desportivo o que está a acontecer com o edifício do Centro de Saúde. Agora é a Saúde, a seguir, o que será? Talvez aqueles que decidem pensem que os golpilheirenses não merecem melhores condições. Se calhar, até têm razão. O futuro o dirá. Manuel Carreira Rito

Festa de convívio da SPEM - Leiria Organizada pela delegação de Leiria da Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), decorreu no passado dia 10 de Julho, uma festa-convívio que juntou muitas pessoas que padecem desta doença e seus familiares e amigos, com o objectivo de angariar alguns fundos para o combate a esta terrível doença. A festa teve lugar junto à igreja dos Marrazes e foi muito participada. A ementa principal era um porco no espeto, mas não faltaram também as respectivas bebidas, filhós, bolos, doces, etc. Havia também uma banca onde se podiam adquirir camisolas com o símbolo da SPEM, bebidas naturais, toalhas e outros objectos feitos à mão. Funcionou também um bar com bebidas fresquinhas e servidas, sempre, com um sorriso nos lábios. Durante a tarde também houve muita animação com o Grupo de Dança Pop, Grupo da Dança Hip-Hop (Grupo da Escola de Dança da Nelly), Yoann Pereira (do concurso "Portugal Tem Talento), Grupo Coral C, e Luís Ramos, um jovem a quem auguramos um excelente futuro. Não podíamos deixar de estar presentes neste evento, até porque na nossa terra já foram diagnosticados alguns casos desta silenciosa mas terrível doença. Um deles foi uma pessoa bastante conhecida no mundo do futebol, o João Manuel, que não era de cá mas estava casado com uma conterrânea nossa. O João Manuel deixou-nos em menos de um ano, após o diagnóstico desta doença. O outro caso, o Helder Fernandes, um jovem nas-

cido a 21-07-1972, a quem o destino colocou esta adversidade no seu caminho. Um homem cheio de saúde até há cinco anos atrás, com uma grande dinâmica, um desportista (embora eu seja uns anos mais velho do que ele, chegámos a jogar juntos a defender as cores do nosso CRG). Ao Helder, e a tantos outros "helderes", a quem um dia os sintomas desta doença bateram à porta, quero manifestar a minha profunda solidariedade, dar-te a minha força para que consigas vencer, porque tu és um vencedor. Como alguém um dia me disse, "não há doenças boas, há umas piores que outras". Sei dar o valor ao teu estado de espírito, porque passo também por uma situação idêntica. Nunca deixes de lutar, porque eu também faço o mesmo. Nos momentos mais difíceis e angustiantes, lembra-te sempre de que já conseguiste vencer outros idênticos e este vais vencêlo também. Um abraço muito forte, para ti, extensivo a todos os pacientes com esta doença. Para conhecermos melhor o trabalho desta associação, fundada em 1998, fomos fazer uma breve entrevista ao Hélder, que é vogal da direcção desde Fevereiro de 2011. Já alguma vez tinham feito uma festa, com esta envergadura? Não. Já levámos a efeito outros eventos, mas não com tão grande envolvência. Já participámos por diversas vezes com uma quermesse na Feira de Maio, da cidade de Leiria. Organizámos também um colóquio no Hospital de Santo André, em Leiria, com o sem-

pre disponível neurologista Alfredo Sá. Temos planeado outro encontro, lá para Novembro, nos Marrazes. A vossa direcção tem em mente organizar mais alguns eventos do género? Sim, já temos alguns planeados. Em Setembro, vamos organizar uma Colónia de Férias, na Praia do Pedrógão, onde vão participar doentes que têm grande dificuldade em movimentarse e deslocar-se. Estamos também a tentar organizar uma noite de fados. Em Novembro, temos o tradicional "magusto", pelo São Martinho, em princípio nos Marrazes. Em Dezembro, vamos estar representados na Feira de Natal, no centro da cidade de Leiria. Onde é a sede e como são as vossa instalações? São instalações alugadas e ficam nas imediações do

Hospital D. Manuel Aguiar (velho). A nova direcção efectuou algumas obras de recuperação, conservação e adaptação a novos serviços, colocando-as mais funcionais. Colocámos telefone, internet e criámos o nosso blogue (www .spemleiria.blogspot.com) e um endereço de email: spemleiria@hotmail.com. Queres deixar aqui alguma mensagem para quem possa vir a ser confrontado com esta doença? Se porventura aparecerem mais casos, o que sinceramente não desejo, podem contactar-nos, pois cada vez há mais meios técnicos e medicinais para aliviar e combater esta doença. Com a ajuda de medicamentos mais eficazes, conseguimos ter uma vida quase normal. Mediante novos casos, se nos derem conhecimento, temos facilidade de aconselhar os novos pacientes, uma vez que conhecemos os circuitos por onde nos devemos movimentar. Temos uma boa parceria com o Hospital de Santo André, em Leiria, assim como com o neurologista Alfredo Sá. Entrevista e fotos de Manuel Carreira Rito

União Humanitária dos Doentes com Cancro | Ajude-nos a ajudar! A União Humanitária dos Doentes com Cancro é uma associação de solidariedade social e de beneficência, sem fins lucrativos, que tem como objectivo apoiar os doentes com cancro e seus familiares e sensibilizar a população sobre esta doença. A União destaca-se também por

ter sido pioneira no nosso país na criação de três diferentes tipos de apoio a doentes com cancro: Apoio Médico, Linha Contra o Cancro e Núcleo de Apoio ao Doente Oncológico. Tem como lema "Quanto mais olharmos o cancro de frente, mais ele se afasta de nós", uma frase que sin-

tetiza a extrema importância do diagnóstico precoce como forma de diminuir os índices de mortalidade com cancro e a importância dos doentes não se deixarem vencer pela doença. A União pretende criar mais dois centros de apoio, um no Centro e outro no Norte do País.

Nesse sentido, está a desenvolver uma campanha de sensibilização e angariação de fundos a nível nacional. A União sobrevive exclusiva mente de donativos, pois todos os apoios que presta são inteiramente gratuitos, não tendo assim outra fonte de receita que

não seja a solidariedade de toda a população. O seu apoio é por isso fundamental, quer em termos materiais quer humanos. Por favor, ajude-nos dentro das suas possibilidades. Info: www.doentescomcancro.org


Jornal da Golpilheira

. saúde .

Julho de 2011

15

. saúde .

Centro Hospitalar de Nossa Senhora da Conceição

Sardinhada alegrou hospital das Brancas S. João com sua graça Decidiu-se a visitar Os doentes internados Neste Centro Hospitalar Neste dia que escolhemos Para o S. João festejar Sardinha e broa comemos Pois isso não pode faltar Promovido pela equipa de voluntariado desta digna Unidade de Cuidados Continuados, teve lugar no dia 23 de Junho, véspera de São João, um excelente convívio, onde nada faltou: os doentes e seus familiares, pessoal médico e de enfermagem, pessoal auxiliar e, claro, os voluntários e voluntárias. Foi uma tarde muito bem passada, onde os sorrisos abundaram naqueles que mais sofrem, e que contagiaram todos os presentes. A boa disposição e alegria foram o mote. A bela sardinha, muito apetitosa, acompanhada com um naco de broa ou pão, estavam de morrer. Fruta, bolos e outras iguarias também não faltaram. A bebida, estava sempre pronta. A animação começou com as concertinas do Rosas do Lena, brilhantemente dirigidas pelo Joaquim Ruivo, e

acompanhado pelo Eduardo Guerra, um jovem, mas também um excelente executante. Depois foram as diversas cantigas, entoadas pela equipa de voluntariado, pelos doentes e pessoal médico, acompanhados à viola pelo Carlos Agostinho, homem dos sete ofícios, e pela doutora Ângela Coelho. Imaginem só, até as cadeiras de rodas dançaram! Nem a tradicional "marcha" faltou (ver caixa). Enfim, uma tarde inesquecível para todos aqueles que tiveram o privilégio de estar presentes. Texto e fotos: MCR

pub

www.misericordiabatalha.com

CENTRO HOSPITALAR Nª SRª DA CONCEIÇÃO

CONSULTAS EXTERNAS DE CLÍNICA GERAL Dias Úteis – das 15h às 21h Aos Sábados – das 9h às 13h Serviço de Atendimento Permanente: „

Serviço de Ambulatório „ Consulta Médica „ Apoio da Equipa de Enfermagem

Se trazes a tua amizade Alegria e animação És bem-vindo de verdade À festa do S. João A todos que por aqui passarem Desejamos de coração Recebam o que mais desejarem De Nossa Senhora da Conceição

Batalha recebeu primeira edição internacional

Congresso de Cardiologia

Ana Maria Henriques Enfermeira

O verão é a época do ano em que as praias, piscinas e rios são mais frequentadas, tudo com o objectivo de refrescar e aliviar um pouco do calor que se sente nesta estação do ano. Mas as temperaturas acima dos 35 graus, podem ter graves consequências. No ano de 2003, entre 35.000 e 50.000 pessoas morreram em toda a Europa em resultado de uma onda de calor. Para que isto não aconteça de novo e para que a população esteja informada sobre procedimentos fundamentais, são agora apresentadas orientações para viver bem com estas temperaturas extremamente altas. A desidratação é a pior consequência do calor, por isso, manter-se hidratado é fundamental. Devem ser ingeridos muitos líquidos ao longo do dia, quer seja água ou sumos de fruta natural sem açúcar. Bebidas gaseificadas, alcoólicas, com cafeína ou açúcar devem ser evitadas. A sede é já um sinal de alarme, por isso deve-se beber mesmo sem ter sede e é importante disponibilizar e incentivar o consumo de água aos bebés, idosos e doentes. As refeições devem ser ligeiras e frescas, com pouca gordura e de fácil digestão. Em casa, deve ser usada menos roupa de cama sobretudo em bebés, idosos e doentes acamados. A roupa deve ser solta, com materiais naturais como o algodão e de cores claras, para reflectir a luz do sol. Os óculos de sol e o chapéu são peças fundamentais. Sempre que a pele vai ficar exposta ao sol deve ser protegida com protector solar com índice nunca inferior a 30. É importante passar algum tempo, duas ou três horas, em sítios frescos ou com ar condicionado. De férias, as alturas de maior calor podem ser aproveitas para visitar museus ou lojas. A casa deve ser bem ventilada e arejada. Também nestas alturas podem ser tomados banhos de água tépida ou fria, para arrefecer a temperatura corporal. Devem ser evitados esforços físicos exagerados nas alturas de maior calor, uma solução para baixar a temperatura corporal em alturas destas é molhar os pulsos, as têmporas e a nuca com água fria. Nunca é demais relembrar as horas proibidas de exposição solar (das 11h às 16h). É também importante referir que os bebés e as pessoas idosas não devem de ir à praia nos dias de maior calor. Os idosos e os doentes crónicos são os mais susceptíveis e os que necessitam de maior vigilância. Fazer visitas regulares aos familiares e vizinhos mais débeis, isolados, idosos e doentes pode fazer a diferença e diminuir o número de mortes em resultado das ondas de calor.

Realizou-se nos passados dias 8 e 9 de Julho o I Congresso Internacional de Cardiologia, organizado pelo Serviço de Cardiologia do Hospital de Santo André (HSA), que reuniu mais de duas centenas de especialistas de todo o mundo no hotel Villa Batalha. Com o tema "Challenges in Cardiology", o evento teve como objectivo discutir os mais recentes avanços tecnológicos e as novas formas de prevenção ao nível do diagnóstico e tratamento das doenças cardiovasculares, numa época em que a sua prevalência ainda está em crescimento, principalmente nos países mais desenvolvidos. A discussão destes temas tem uma grande repercussão na prática médica diária, e tê-la-á também na vida dos doentes. No primeiro dia, foram discutidos temas relacionados com os mais recentes avanços no tratamento do colesterol, o problema da pressão arterial nocturna, ou ainda algumas novidades para a prevenção do acidente vascular cerebral. No segundo dia, os congressistas debateram temas como as novas tecnologias e os novos fármacos para o tratamento do enfarte do miocárdio e angina de peito, ou as novidades para a estimulação artificial do coração. Este foi o primeiro evento deste género no centro do País, "que se revela hoje um claro foco de evolução - Medicina Dentária Geral tecnológica e investigação - Higiene Oral Marcação médica", como afirmou - Implantologia de consultas João Morais, director do - Ortodontia 911 089 187 Serviço de Cardiologia do Lic. p/ Fac. Medicina Dentária de Lisboa - Próteses Todos os dias! HSA e presidente da Comissão Organizadora do BATALHA Acordos com: SAMS, Multicare, SSCGD, Associados do Montepio, Advance Care, Policlínica D. Nuno Congresso. WDA (Axa, BES-seg., Tranquilidade, Allianz, Lusitânea e Future Healthcare) Tel. 244 765 700

ANA FREITAS Médica Dentista

Centro Hospitalar Nossa Senhora da Conceição Rua Principal, 26 I Brancas I 2440-090 Batalha T. 244 769 430 | F. 244 769 439

Cuidados com o calor

pub


16

Jornal da Golpilheira

. temas .

Julho de 2011

.beleza e bem-estar .

. vinha .

Lista de algumas castas José Jordão Cruz | Eng. Técnico Agrário O nome casta quer dizer "pura", com origem no latim. Castas, sendo um conjunto de videiras que, no âmbito da enologia, apresentam um número de características morfológicas com qualidades específicas ou particulares, dão ao vinho um carácter único, ou não. No caso de termos um vinho com um carácter único, os franceses deram-lhe o nome de "Terroir". Este tem de provir de um agregado de características transmitidas pelo solo e clima. Em qualquer ponto do globo, podemos ter regiões que nos podem proporcionar um Terroir. Em todo o mundo existem entre dez a vinte mil castas, no entanto, destas apenas cerca de quinhentas foram isoladas, cultivadas e reproduzidas pelo homem. Nesta secção irá encontrar as castas mais utilizadas em Portugal, bem como outras de interesse. Por exemplo, actualmente as variedades de castas mais utilizadas na produção de vinho Madeira são: Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Tinta Negra. No entanto, existem outras castas recomendadas e autorizadas."

Castas Brancas, aptas para a Península de Setúbal: Alicante-Branco, Almafra, Almenhaca, Alvadurão, Alvar, Alvarelhão-Branco, Alvarinho, Antão Vaz, Arinto (Pedernã), Arinto-do-Interior, Arns-Burguer, Avesso, Azal, Babosa, Barcelo, Bastardo-Branco, Batoca, Beba, Bical, Boal-Barreiro, Boal-Branco, Boal-Espinho, BrancoDesconhecido, Branco-Especial, Branco-Gouvães, Branco-Guimarães, Branco-João, Branda, Budelho, Cainho, Caracol, Caramela, Carão-de-Moça, Carrasquenho, Carrega-Branco, Cascal, Castelão-Branco, Castelo-Branco, Cerceal-Branco, Cercial, Chardonnay, Chasselas, Chasselas-Sabor, Chasselas-Salsa, Chenin, Côdega-de-Larinho, Colombard, Cornichon, Corval, Crato-Espanhol, Dedo-de-Dama, Diagalves, Dona-Branca, Dona-Joaquina, Donzelinho-Branco, Dorinto, Encruzado, Esganinho, Esganoso, Estreito-Macio, Fernão-Pires (Maria Gomes), Folgasão, Folha-de-Figueira, Fonte-Cal, Galego-Dourado, Gigante, Godelho, Gouveio, Gouveio-Estimado, Gouveio-Real, Granho, Jacquere, Jampal, Lameiro, Larião, Leira, Lilás, Loureiro, Luzidio, Malvasia, MalvasiaBianca, Malvasia-Branca, Malvasia-Branca-de-São-Jorge, Malvasia-Cândida, Malvasia-Fina, Malvasia-Parda, Malvasia-Rei, Malvasia-Romana, Manteúdo, Molinha, Moscadet, Moscatel-Galego-Branco, Moscatel-Graúdo, Moscatel-Nunes, Mourisco-Branco, Muller-Thurgau, Pé-Comprido, Perigo, Perrum, Pinheira-Branca, PinotBlanc, Pintosa, Praça, Promissão, Rabigato, Rabigato-Franco, Rabigato-Moreno, Rabo-de-Ovelha, Ratinho, Riesling, Roupeiro-Branco, Sabro, Samarrinho, Santoal, São-Mamede, Sarigo, Sauvignon, Semilão, Semillon, Sercial (Esgana-Cão), Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Terrantez, Terrantez-da-Terceira, Terrantez-do-Pico, Touriga-Branca, Trajadura, Trincadeira-Branca, Trincadeira-das-Pratas, Uva-Cão, Uva-Cavaco, Uva-Salsa, Valente, Valveirinho, Vencedor, Verdelho, Verdial-Branco, Viognier, Viosinho e Vital. Castas Tintas, aptas à produção de vinho "Península de Setúbal": Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Alvarelhão, Alvarelhão-Ceitão, Amaral, Amor-Não-Me-Deixes, Amostrinha, Aragonez (Tinta Roriz), Aramon, Arjunção, Baga, Barca, Barreto, Bastardo, Bastardo-Tinto, Bonvedro, Borraçal, Bragão, Branjo, Cabernet-Franc, CabernetSauvignon, Caladoc, Calrão, Camarate, Carignan, Carrega-Burros, Carrega-Tinto, Casculho, Castelã, Castelão (Periquita), Castelino, Casteloa, Cidadelhe, Cidreiro, Cinsaut, Concieira, Coração-de-Galo, Cornifesto, Corropio, Corvo, Doçal, Doce, Donzelinho-Tinto, Engomada, Esgana-Cão-Tinto, Espadeiro, Espadeiro-Mole, Farinheira, Ferral, Galego, Gamay, Gonçalo-Pires, Gorda, Gouveio-Preto, Graciosa, Grand-Noir, Grangeal, Grenache, Grossa, Jaen, Labrusco, Lourela, Malandra, Malvarisco, Malvasia-Preta, Manteúdo-Preto, Mário-Feld, Marufo, Melhorio, Melra, Merlot, Molar, Mondet, Monvedro, Moreto, Moscatel-Galego-Tinto, Mourisco, Mourisco-deSemente, Mourisco-de-Trevões, Negra-Mole, Nevoeira, Padeiro, Parreira-Matias, Patorra, Pau-Ferro, Pedral, Pêro-Pinhão, Petit-Bouschet, Petit-Verdot, Pexem, Pical, Pilongo, Pinot-Noir, Português Azul, Preto-Cardana, Preto-Martinho, Rabo-de-Anho, Rabo-de-Lobo, Rabo-de-Ovelha-Tinto, Ramisco, Ramisco-Tinto, Ricoca, Rodo, Roseira, Rufete, Saborinho, Santareno, São-Saul, Sevilhão, Sousão, Syrah, Tannat, Teinturier, Tinta, Tinta-Aguiar, Tinta-Aurélio, Tinta-Barroca, Tinta-Bastardinha, Tinta-Caiada, Tinta-Carvalha, Tinta-Fontes, Tinta-Francisca, Tinta-Lameira, Tinta-Lisboa, Tinta-Martins, Tinta-Mesquita, Tinta-Miúda, Tinta-Negra, Tinta-Penajoia, Tinta-Pereira, Tinta-Pomar, Tinta-Porto-Santo, Tinta-Tabuaço, Tintinha, Tinto- Cão, TintoSem-Nome, Touriga-Fêmea, Touriga-Franca, Touriga-Nacional, Transâncora, Trincadeira (Tinta Amarela), Valdosa, Varejoa, VerdelhoTinto, Verdial-Tinto, Vinhão, Xara, Zé-do-Telheiro e Zinfandel.

Carina Pereira Terapeuta de Massagem

Pigmentação – Causa e Tratamento

A pigmentação da pele nasce de um mecanismo complexo que faz intervir dois tipos de células da epiderme, camada mais externa da pele: os queratinócitos e os melanócitos. Esta pigmentação está associada à presença da melanina, pigmento responsável pela coloração da nossa pele e pela sua uniformidade. A taxa de melanina na pele determina tom e o fototipo de pele, seja ela clara ou morena, assegurando uma maior ou menor protecção face aos raios ultravioletas (UV). O processo pelo qual a pele se colora, denominado melanogénese, é influenciado por factores externos, como a poluição, radiações UV, por alterações hormonais (ex: gravidez e/ou menopausa) e pelo envelhecimento cutâneo. Todos estes factores podem provocar alterações de pigmentação (pele baça, não uniforme, manchas na pele castanhas, mais ou menos difusas). Mais de 60% das manchas são provocadas pelo sol, principal factor de envelhecimento prematuro da pele. Caso 1: Manchas da Gravidez São chamadas de cloasmas e caracterizam-se por manchas escuras ou acastanhadas na face, principalmente nas bochechas, testa, nariz, lábio superior e têmporas. O factor principal é a exposição solar, mas também são importantes a predisposição genética e as alterações hormonais características da gravidez. As lesões podem ser de grande extensão, com bordas irregulares e com pontilhado pigmentado. Podem ocorrer associadas ao uso de anticoncepcionais e também em homens, embora em menor frequência, sendo chamadas nesses casos de melasmas. O cloasma pode regredir espontaneamente após o término da gestação, mas o tratamento pode acelerar o processo, com o uso de protector solar, substâncias despigmentantes e peeling. Após a regressão do quadro, o uso do protector solar deve ser mantido para evitar a recorrência, que é comum. Para prevenir o problema, a mulher

grávida nunca deve expor-se ao sol sem o uso de protector solar. Caso 2: Manchas de Envelhecimento As manchas senis ou melanose solar são frequentes em indivíduos de idade mais avançada. Entretanto, elas não são causadas pela idade e sim pelo dano causado pela exposição ao sol ao longo de vários anos. São manchas escuras, acastanhadas, geralmente de pequeno tamanho e limites precisos. Surgem apenas nas áreas de maior exposição ao sol, como braços, mãos, face, ombro e colo. Além disso, são mais frequentes em pessoas de pele mais clara. Mais importante que o tratamento é a prevenção, que é conseguida pelo uso contínuo da protecção solar, no dia-a-dia, bem como do acompanhamento adequado da cosmética mais indicada. A dermoabrasão proporciona um método seguro e controlado de esfoliação, removendo as camadas mortas de epiderme. Uma excelente solução de tratamentos progressivo para poros dilatados, pontos negros, pigmentação, marcas, cicatrizes de acne, estrias e muito mais. O tratamento ajuda também a aumentar a produção de novo colagénio e fibras de elastina, resultando numa textura de pele mais firme e tonificada. A suave acção de vácuo consegue alcançar um efeito lifting imediato nos músculos cansados, como se de um exercício facial de tratasse. A dermoabrasão pode também ser utilizada em todo o corpo, na zona das costas ou braços, em pelos encravados, na linha do biquini, em zonas congestionadas e com cicatrizes. Este tratamento é aconselhado a todos os tipos e tons de pele, tratando com êxito um vasto número de problemas da pele do rosto, mãos e corpo. Fonte: www.sweetcare.pt

pub

IC2 - Santo Antão 2440-053 BATALHA Tel. 244 765 523 / 244 767 754 Fax. 244 767 754 E-mail. cruzarte@gmail.com Comércio Grossista de Flores e Artigos de Decoração Fabrico de Artigos em Vime


Jornal da Golpilheira

. temas .

Julho de 2011

. energias renováveis .

David Lucas Engenheiro Civil

. combatentes . Coluna da responsabilidade do Núcleo da Batalha da Liga dos Combatentes

17

CAMPANHA

DO

WATT

Renováveis invenções Combatentes da Batalha

As energias renováveis são um fenómeno recente e apresentam-se ou impõem-se como uma espécie de cultura ou consciencialização que todos temos de ter nos dias de hoje. A limitação em termos de produção de energia a longo ou médio prazo assim o determina. Assim, é interessante verificar como a mente humana descobre formas alternativas de produção de energia recorrendo a processos não tradicionais, ou mesmo em iniciativas pro-activas. São as ditas invenções! Uma dessas invenções pro-activas passou pela Dinamarca, onde o Crowne Plaza Hotel decidiu oferecer aos seus hóspedes uma refeição em troca de umas pedaladas de bicicleta (estática)! Estes tinham de produzir cerca de 10W/h de electricidade. Satisfaziam assim dois propósitos: ajudar o hotel na factura da luz eléctrica e ao mesmo tempo ajudar os utentes a manter a sua forma física. É verdade que este tipo de iniciativas é de louvar, mas pode dizer-se que é mais viável num país onde cerca de 36% da população se desloca para o trabalho de bicicleta, como é o caso da Dinamarca. "Nós por cá" também temos mão-de-obra inventora. Nuno Fernandes, original da Maia, inventou uma bicicleta ecológica capaz de produzir energia. Usou a sua imaginação, que desenvolve desde os seus tempos de criança, e utilizando uma bicicleta antiga, ferros, voltímetro, velocímetro, fusíveis e mais materiais, construiu assim uma forma de acender os candeeiros e televisões lá de casa – a pedalar, claro está! A ideia base já tinha sido desenvolvida por outros autores, no entanto, o processo de obtenção de energia é que se apresentava inovador. Demorou cerca de 2 meses a construi-la. No Departamento de Engenharia Civil da UNL, um grupo de estudantes empenhados na eficiência energética dos edifícios desenvolveu um sistema de aproveitamento do calor das águas proveniente dos banhos. O processo consiste no aproveitamento da água quente que é libertada para o esgoto da base de duche, para pré-aquecer o novo fluxo que sai pelo chuveiro. Recupera cerca de 12 graus de aquecimento e poupam-se aproximadamente 150 euros por ano, com um retorno de investimento em cerca de dois anos e meio. É uma ideia totalmente inovadora e que já foi premiada em algumas ocasiões. Os três exemplos mencionados são claros em como podemos percorrer um "caminho limpo" no que diz respeito à produção ou poupança de energia. Muitas vezes, basta um pequeno esforço, que no futuro nem deverá ser considerado como tal, para que ideias simples possam ser colocadas em prática. Fontes: http://news.bbc.co.uk/2/hi/8621038.stm e http://a-ciencia-nao-e-neutra.blogspot.com/2011/06/electricidadepedal.html

No “10 de Junho”, o Núcleo da Batalha da Liga dos Combatentes esteve representado em duas frentes: 1 - Nas comemorações em Lisboa, Belém, junto ao Monumento aos Combatentes mortos nas guerras de África, com participação de um elemento da Direcção, com o nosso Guião e acompanhado por mais quatro sócios combatentes. 2 – Em Castelo Branco, nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Aqui, em dois autocarros, deslocaram-se 104 batalhenses, entre sócios do Núcleo e famílias. Destes, 24 dos nossos combatentes, trajados condignamente, integraram-se no desfile das Forças em Parada. Os aplausos da multidão, enquanto desfilávamos, fizeram-nos viver momentos de emoção, que não esqueceremos tão depressa. A culminar, no final, o Presidente da República, que presidiu às cerimónias, deslocou-se ao local onde os combatentes estavam concentrados, vindo pessoalmente felicitar-nos. Decididamente, no próximo ano, temos de repetir! Falando em convívios e passeios, estamos a tentar organizar, a curto prazo, mais dois, ambos de 2 dias, dependendo a sua concretização da aderência dos nossos sócios e amigos: o 1.º, entre a última semana de Agosto e a primeira de Setembro, a Campo Maior, à "Festa da Flor; o 2.º, no início de Outubro, às Termas de S. Vicente e zonas limítrofes. Os eventuais interessados podem ir passando pelo Núcleo, a saber pormenores. Mais tarde, em 11 de Novembro, teremos o nosso convívio local de S. Martinho para, uns dias depois, voltarmos a Lisboa – Belém, Forte do Bom Sucesso / Monumento aos Combatentes caídos pela Pátria – às Comemorações do 93.º aniversário da assinatura do Armistício (fim da 1.ª Guerra Mundial) e 88.º aniversário da Liga dos Combatentes. Finalmente, em 10 de Dezembro, estamos esperançados em conseguir encerrar o ano com "chave d’ouro", com o convívio de Natal entre nós e os camaradas e amigos combatentes dos outros Núcleos nossos vizinhos. Este ano, o evento decorrerá na "Aldeia de Santo Antão", sendo nós os responsáveis pela organização. Estamos a delinear um programa que, se o conseguirmos cumprir, irá ser do agrado geral. A seu tempo iremos dando pormenores do mesmo. pub

CAFÉ FIDALGO

NOVA GERÊNCIA!

Um espaço renovado... para si! Tel. 244 765 183 • Rua do Outeirinho • GOLPILHEIRA

Lançámos em Janeiro uma campanha para angariação de fundos. Pensámos concluir na Páscoa, mas até essa data conseguimos apenas 1.771,33 euros. Por isso, deixámos a campanha em aberto, para que todos tenham oportunidade de contribuir! Passaram três meses e recebemos apenas mais 279,70 euros, o que faz um total de 2.051,03 euros.

Ainda falta mais de metade... ...vamos desistir?

A campanha continua... ENTÃO... QUANTOS WATTS DÁS? DONATIVOS Nome

Euros

Anónimo

5

Anónimo

10

Anónimo

40

Anónimo

5

Daniela Monteiro

2

Dr. José Eusébio

50

Eduardo Filipe

2.7

Gracinda Lourenço

20

Joana Lourenço Bagagem

10

Joaquim da Cruz

75

Maria Júlia Ferraz

10

Patrícia Capitão Ferraz

30

Sérgio Vieira

10

Tiago Miguel Lourenço Bagagem Total deste mês

10 279,70

Saldo de Abril

1771,33

Total geral

2051,03

No final, será divulgada a lista total dos donativos (poderão ser anónimos), na igreja e no jornal.

O equipamento de som custou 4500 euros. Esta campanha serve para pagar esta aquisição. Quem desejar colaborar deve procurar os envelopes da campanha na igreja, ou entregar o donativo a qualquer elemento da comissão.


18

Jornal da Golpilheira

. sugestões de leitura .

Colecção BIS da Leya • A Leya acaba de lançar três novos volumes da BIS, a colecção de livros de pequeno formato que integra os grandes títulos clássicos e contemporâneos da literatura nacional e mundial, livros de leitura recomendada e best-sellers, disponíveis em edições acessíveis a todas as bolsas. Recorde-se que a colecção BIS, já lançou um total de 95 títulos, em praticamente três anos de existência. Apresentamos aqui uma breve descrição de cada um, podendo os leitores conhecer toda a colecção no blog: www.bisleya.blogs.sapo.pt.

O Burro em Pé José Cardoso Pires Esta obra foi publicada em Dezembro de 1979, pela Moraes Editores, ilustrada com pinturas de Júlio Pomar e capa de Sebastião Rodrigues. Em 1999, foi editada pela Dom Quixote. Dela fazem parte os contos: “Os reismandados”; “O conto dos chineses”; “Nós, aqui por entre o fumo”; “Dinossauro Excelentíssimo” (versão revista pelo autor após o 25 de Abril); “Celeste & Làlinha: por cima de toda a folha”. Uma colecção de contos deliciosos de José Cardoso Pires, um dos mais premiados e conceituados autores portugueses.

O Rapaz do Pijama às Riscas John Boyne Bruno, de nove anos, nada sabe sobre o Holocausto e as terríveis crueldades que são infligidas pelo seu país a vários milhões de pessoas. Sabe apenas que se mudou de uma confortável mansão em Berlim para uma casa numa zona desértica, onde não há nada para fazer nem ninguém para brincar. Aí conhece Shmuel, um rapaz que vive do outro lado da vedação de arame que delimita a sua casa e que estranhamente, tal como todas as outras pessoas daquele lado, usa o que parece ser um pijama às riscas.

A Sombra do Vento Carlos Ruiz Zafón Numa manhã de 1945, Daniel Sempere é conduzido pelo pai a um lugar misterioso no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, o rapaz encontra um livro maldito, que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona. Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, esta é sobretudo uma história trágica de amor. Com uma grande força narrativa, a intriga mantém-se até à última página.

Big Nate volta a atacar Lincoin Peirce

Conspiração 365 - Julho Gabrielle Lord

O Que Se Leva Desta Vida Alice Vieira

Arte Plural Cá está o segundo livro deste herói juvenil. Big Nate vai superar todos os outros! Mas não será fácil. Gina, a sua maior inimiga, não o larga e pode estragar tudo! Será que o Nate vai ganhar ou perder… ter outra nega… ou acabar no castigo mais uma vez? Para os fãs da hilariante série “O Diário de Um Banana”, eis Big Nate, um autodenominado génio, e que não é de todo o menino dos professores. Mais de 1,5 milhão de exemplares vendidos comprovam o sucesso de Lincoin Peirce, ilustrador de banda desenhada que publica em mais de duzentos jornais nos Estados Unidos e diariamente online em www.bignate.com. O Big Nate é sobre o autor que vive com a mulher e dois filhos em Portland.

Contraponto Libertar-se da rede de pesca é a mais pequena das preocupações de Cal, pois esperam-no inúmeros perigos no cais. Ele consegue esquivar-se da polícia, mas fica em dívida para com o capitão do barco, e o preço a pagar é bem alto. Afinal, como pode ele continuar a investigar o testamento de Piers Ormond enquanto anda a amanhar peixe para recuperar a sua liberdade? Cal vê-se então obrigado a procurar a sua tia-avó, a única que o poderá ajudar a prosseguir na sua busca. Só que, com os capangas de Sligo no seu encalço, decerto que o jovem não será a única visita inesperada que Millicent terá. Uma tempestade sinistra está prestes a rebentar. Deverá Cal expor outro familiar ao perigo?

Casa da Letras O que se leva desta vida? Bom, cada um sabe de si, mas nós sabemos o que o leitor pode levar deste livro! Dependendo dos casos e das histórias levará um sorriso nos lábios, uma lágrima no canto do olho, um grito de esperança, uma sonora gargalhada, um olhar cúmplice, um reviver de outros tempos ou um sentir do toque do futuro... São velhinhas inglesas, bonecas partidas e camisolas verdes, Callas e Chopin, pessoas felizes e infelizes, a língua portuguesa e os professores, heróis, amizades, histórias de amor e questões familiares… e a Lei de «Mârfi»! “O Que se Leva desta Vida” são pequenas estórias escritas com o humor e a sensibilidade a que Alice Vieira sempre nos habituou.

Julho de 2011

. livros .

Guia da Inteligência Emocional Lucrecia Pérsico

Adoles Ser

Bertrand Editora As emoções são a resposta do interior perante uma situação crítica. Produzem-se de forma automática, mas devido a determinadas regras éticas e cívicas, o homem conseguiu estabelecer-lhes limites. Na sociedade actual, uma das maiores conquistas que uma pessoa pode alcançar é o sucesso que obtiver no momento de estabelecer relações sociais, familiares ou profissionais. Através deste guia (que contém vários testes) descobrese a melhor forma de controlar as emoções. De tornar a empatia e o bem-estar nos alicerces que sustêm a inteligência emocional. É o começo de uma viagem ao interior de cada um em busca das capacidades ocultas.

João Costa

A Opereta dos Vadios Francisco Moita Flores Casa das Letras Trata-se de uma farsa política onde o humor e a ironia conduzem o leitor pelos meandros dos partidos políticos num país falido. O povo tem fome, a democracia está doente, a gente perdeu a virtude do riso. Portugal transformou-se num protectorado alemão e o Zé Francisco, velho anarquista exilado, decide criar um novo partido político com alguns amigos, vadios intelectuais, sem eira nem beira. A sua principal arma é a gargalhada. É esta A Opereta dos Vadios, talvez um manual para a política da bancarrota. Afinal, mais vale um político que sabe rir do que uma legião de rapazes sisudos, de gravata escura, empenhados em levarem-nos até aos confins da amargura.

- Psicomotricidade relacional em jovens com alterações do comportamento

Trilhos/Coisas de Ler A perturbação do comportamento e de oposição é um flagelo na sala de aula, leva ao afastamento dos colegas e ao desespero dos professores e dos pais. Cerca de 4% da população escolar tem comportamentos disruptivos, com tendência a aumentar. A resposta passa pelo recurso às artes, à cultura e ao desporto. É fundamental procurar um lugar onde se possa expressar os sentimentos os afectos e onde se sintam dignos. João Costa, psicomotricista, através de uma linguagem simples e clara que o caracteriza na escrita, procura dar neste livro, um lugar de compreensão para este jovens. Que não seja o de marginal.

A Rapariga Errada Pedro Paixão Impressão Digital / Prime Books O novo livro de Pedro Paixão trata de uma curiosa relação: a do autor com uma mulher - Eva Stein - que lhe começou a enviar intrigantes cartas e postais que continham rápidas histórias, curiosos apontamentos, pensamentos isolados, estilhaços e fragmentos. Os envelopes tanto podiam conter uma dúzia de páginas como um só bilhete de autocarro com uma frase escrita no verso. De regresso de uma viagem esperava-o um postal. Desta vez não era dela, mas sim do namorado, que não sabia existir, e que lhe comunicava a morte de Eva aos 21 anos com um cancro no sistema linfático. Durante mês e meio, coligiu e coredigiu quase em transe o acaso dessas palavras…

Quando Deus Não Estava a Ver, o Diabo Inventou os Negócios J. R. Zyla Gestão Plus Basta olharmos à volta para suspeitarmos que, entre sinais de crises económicas, financeiras, morais e humanas, poderá haver um toque diabólico. J. R. Zyla, consultor de gestão, faz uma análise provocante e cheia de humor das filosofias de gestão contemporâneas e da forma como elas influenciaram a gestão moderna, sobretudo em épocas de crise, levando à criação de empresas que, basicamente, venderam a alma – e, ao fazê-lo, criaram ambientes de trabalho infelizes, pouco saudáveis, pouco produtivos… ou seja, infernais. O desafio é fazer uma reavaliação crítica e ética do mundo empresarial dos nossos dias, para maior justiça, equidade e produtividade.

Por Detrás do Espelho – Reflexões sobre o mundo desconhecido da criança autista

Maria José Vidigal Margarida Bilreiro

Trilhos/Coisas de Ler Este livro tem a história do sofrimento e da luta do Ricardo e da Carolina, de 25 e 18 anos. As autoras acompanharam o seu caso desde cerca dos 4 anos de idade, quando lhe foi diagnosticado autismo. Esse longo percuso permitiu agora chegar à verbalização do sofrimento psíquico, a principal preocupação das terapeutas: procurar o sentido dos sintomas e não eliminá-los, ajudando os doentes a encontrar o prazer de pensar e de imaginar, isto é, o prazer de existir. Talvez eles possam ser um exemplo e uma ajuda para todos aqueles que apresentem os mesmos sofrimentos, para os pais e para os técnicos da saúde mental, e para todos os que se interessam pela “condição humana”.

Caveman – o Livro Pergaminho Caveman, de Rob Becker, é a peça a solo de maior sucesso de sempre na Broadway. Foi levada à cena em mais de 30 países e teve mais de 8 milhões de espectadores em todo o mundo. O motivo deste sucesso não é difícil de adivinhar: desde tempos imemoriais que as pequenas grandes manias, diferenças e idiossincrasias de homens e mulheres têm sido uma fonte de reflexão, introspecção e, claro, muito humor. Caveman – o Livro é a versão narrativa actualizada da peça, a história de um casal moderno, Manuel e Teresa, e dos altos e baixos da sua relação. Uma mistura perfeita entre stand-up comedy, terapia de casais e pura diversão!

Ítaca - Cadernos de Ideias, Textos & Imagens N.º 3, Maio de 2011 Coisas de Ler “Ítaca - Cadernos de Ideias, Textos & Imagens” é uma revista (sobretudo) literária, fundada no decurso de 2009, por três investigadores do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa: André Simões, J. P. Moreira e Tatiana Faia. A revista compõe-se, de um modo geral, de quatro secções: ensaio, tradução, fotografia e escrita criativa (dividida em poesia e prosa breve). A sua publicação, a cargo da editora Coisas de Ler, é semestral, e este é o seu terceiro número.


Jornal da Golpilheira

. sugestões de leitura e música .

Julho de 2011

19

. discos .

Queen 40

Queen Universal Music Portugal No âmbito do 40.º aniversário dos Queen, a Universal está a editar uma Deluxe Boxset, versão limitada, dirigida aos muitos fãs e coleccionadores desta lendária banda. A caixa incluirá todos os discos de estúdio dos Queen (15 no total, a editar durante todo o ano), uma espécie de incentivo para os fãs comprarem as reedições que faltam. Em Março foram editados os 5 primeiros álbuns: «Queen», «Queen II», «Sheer Heart Attack», «A Night At The Opera» e «A Day At The Races». Em Junho último saíram mais 5, correspondentes ao período entre 1977 e 1982: «News of the World», «Jazz», «The Game», «Flash Gordon»

e «Hot Space». Estas reedições foram acompanhadas pelo 2.º título da série «Queen: Deep Cuts», que oferece um novo olhar sobre as faixas menos conhecidas destes discos. 1977-1982: EXCESSO EM TODAS AS ÁREAS Entre 1977 e 1982, os Queen tornaram-se oficialmente a mais bem sucedida banda do mundo, ao editarem algumas das maiores e melhores canções de todos os tempos, entre as quais «Tie Your Mother Down», «Good Old Fashioned Lover Boy», «We Are The Champions», «We Will Rock You», «Fat Bottomed Girls», «Bicycle Race», «Don’t Stop Me Now», «Crazy

Little Thing Called Love», «Save Me», «Play The Game», «Another One Bites The Dust», «Flash» e «Under Pressure» (com David Bowie). Os cinco álbuns desse período foram gravados, portanto, na época em que o sucesso dos Queen, já com dimensão de estádio no Reino Unido, alastrava para os EUA, América do Sul, Europa e Ásia, e representam o som de uma banda a romper todas as barreiras, quebradas por uma enorme ambição. O início dos anos 80 encontrou o grupo a conquistar, pela primeira vez, a América do Sul, fazendo história ao tocar para 131 mil pessoas no Estádio do Morumbi – então, nunca tamanho número de

pessoas tinha pago para assistir ao concerto de uma só banda. Se o início dos anos 70 e a edição dos primeiros cinco álbuns dos Queen representam a fase hard-rock do grupo, o final da década de 70 e o princípio dos anos 80 representam a era da festa total. Ao mesmo tempo que Brian, Roger, Freddie e John viajavam pelo mundo em digressão, cresciam as histórias de extravagâncias rock’n’roll fora dos palcos, acrescentando à mitologia dos Queen relatos lendários de excessos, cometidos de Kensington a Copacabana. Foi igualmente durante este período que se desenvolveu uma das mais icónicas imagens da música contemporânea, quando, em 1980, Freddie

Mercury deixou crescer aquele que será, provavelmente, o mais famoso bigode dos tempos modernos! Inspirados nas suas aventuras pela vida nocturna do Lower East Side nova-iorquino do final dos anos 70, tanto o bigode quanto o uso de cabedal mudaram completamente a imagem da banda. De forma célebre, o bigode causou tamanha fúria nos fãs do grupo que chegaram a enviar-lhe cartas com lâminas descartáveis. Estes cinco álbuns realçam o multifacetado talento, a ambição musical e o (já então) sucesso global de uma banda constituída por alguns dos melhores compositores, músicos e intérpretes de todos os tempos.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>> www.universalmusic.pt <<<

Controlo de Sintomas no Cancro Avançado José Ferraz Gonçalves

Feliz novo dia Anna Llauradó Lena Mercadal

Coisas de Ler Este livro aborda o tema das doenças crónicas avançadas e progressivas, para quem não há possibilidade de cura ou mesmo de prolongar a vida, mas que continua a necessitar de cuidados médicos. Nomeadamente, cuidados paliativos, que são sobretudo psicológicos, sociais e espirituais. Considera-se o doente como um todo, cuja multiplicidade de problemas deve ser tratada por uma equipa multidisciplinar de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais, psicólogos e psiquiatras, voluntários, religiosos e outros. A ideia fundamental deste manual é que os doentes com cancro avançado devem ser objecto de tanto interesse e atenção como os que se encontram em qualquer fase da doença.

Pergaminho Pode mudar-se a vida em apenas 21 dias. As mais recentes descobertas no campo da Neurologia mostram que o cérebro tem uma capacidade que é a base física para aprender novos comportamentos e novos padrões. Para mudar de vida só é preciso alterar os pensamentos. Através de exercícios e meditações acessíveis, as autoras revelam como moldar os pensamentos e povoar a mente de positividade, de forma a que cada dia seja um feliz novo dia! Num livro simples e eficaz, mostra-se como reeducar-se e reprogramar para pensar melhor e viver melhor, activando o elemento químico do bem-estar que existe no corpo (a seratonina) e praticando aquilo a que pode chamar-se fitness mental.

SPIDER Pedro Vieira Pergaminho A vida é uma espantosa viagem de criação, de experiências... Às vezes esquecemo-nos que temos a capacidade de criar a nossa realidade. Às vezes esquecemo-nos de saborear as experiências. Às vezes esquecemo-nos que o futuro é apenas o presente que chegará um dia. Às vezes esquecemo-nos do que é realmente importante. Às vezes esquecemonos que podemos ser felizes… agora! SPIDER é uma sigla e o nome de um método único e inovador de definição de objectivos que aplica de forma prática conhecimentos de neuroestratégia, permitindo-lhe criar poderosas metas em todas as áreas da sua vida, em 10 simples passos. Quer expandir os seus resultados físicos, emocionais ou financeiros? Leia.

Se…, Não… Revista de Psicanálise e Psicoterapia Psicanalítica – N.º 2 AP / Coisas de Ler Esta revista valoriza os aspectos positivos das culturas e dos modos de vida. Neste segundo número, questiona-se como é possível amar em tempos difíceis. Aqui ficam algumas das muitas propostas que foram ditas num seminário da AP, realizado no Douro e subordinado ao tema «Amor em Tempos de Inverno». Na segunda parte, o núcleo científico da revista, apresentam-se alguns trabalhos fruto da investigação teórica e clínica. Na terceira parte, subordinada ao tema «Desenvolvimento Humano e Sociedade» privilegia-se a psicanálise enquanto teoria do desenvolvimento. Por fim, uma leitura psicanalítica da personalidade e da obra literária de Natália Correia.

Até Mim: Vivência da Psicanálise Maria João Saraiva Trilhos/Coisas de Ler Esta obra analisa a dor, o medo, o desespero e todo o mundo da psicanálise. Numa narrativa da vivência interna de uma psicanálise, o leitor pode percorrer um caminho, página após página, onde assiste ao que acontece no encontro entre a pessoa que traz a dor, o medo, o desespero… e o psicanalista, aquele mergulhador de pérolas, fazedor de lugares, de novos lugares. Pode ser um livro de esperança, esperança em nós próprios e naqueles nossos lugares felizes, ainda por desvendar, por desencantar. Maria João Saraiva licenciou-se na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra em 1986 e desenvolve a sua actividade profissional em Oeiras e na Parede.

O ladrão de sombras Marc Levy Contraponto Neste novo romance, Marc Levy conta a história de um rapazinho com um dom invulgar: ele consegue «roubar» as sombras das pessoas com quem se cruza. Ao princípio, acontece-lhe involuntariamente e isso chega a assustá-lo. Por vezes contra a vontade do rapaz, as sombras contam-lhe os mais profundos desejos, temores e aspirações das pessoas a quem pertencem. Mais tarde, o «ladrão de sombras» torna-se estudante de Medicina e debate-se com a questão de usar ou não o dom que tem para ajudar a curar – tanto os pacientes como os amigos. Afinal, será ele capaz de adivinhar o que poderá fazer felizes aqueles que o rodeiam? E ele próprio, saberá onde o espera a felicidade?

Um coração cheio de estrelas Álex Rovira Franscesc Miralles Pergaminho Este romance leva-nos até ao ano de 1946, a Selonsville, uma pequena aldeia dos Alpes. Os rigores de um Inverno duro e longo teimam em não deixar esta aldeia, que luta por recuperar das feridas de uma guerra recentemente terminada. No orfanato onde vivem, Michel e Eri são amigos inseparáveis, mas um dia Eri entra num coma profundo e misterioso, que os médicos não conseguem explicar nem tratar. Michel é o único que poderá mudar o destino da sua amiga. Guiado pelos conselhos de uma sábia anciã, o rapaz terá de encontrar as nove pessoas que representam as nove qualidades-chave do amor – e, com retalhos da sua roupa, confeccionar um novo coração para Eri.


20

Jornal da Golpilheira

. pub .

Julho de 2011

Representante das marcas

Rua D. Filipa de Lencastre, N.º 7 A • 2440 BATALHA • Tel. e Fax 244766569

Telas • Esculturas • Azulejos Móveis • Peças Decorativas Sempre exclusivo e original!

Hélio Videira

os! VisiOtLeP-I LnH E I RA na G

Um toque de arte na decoração da sua casa...

Rua do Choupico, 129 Casal de Mil Homens 244765498 / 965170426 nelson.c.gomes@hotmail.com

Rua da Freiria - Lt 7 - r/c • 2440-046 BATALHA • Telm. 919 327 418

• Electricidade • Sistema de Alarmes • Telecomunicações • Canalização Água • Aspiração Central • Climatização • Ar Condicionado • Painéis Solares • Aquecimento Central

Adelino Bastos

Licença de Exploração Industrial N.º 50/2010 SEDE: TRV. DO AREEIRO, 225 • ZONA IND. JARDOEIRA • 2440-373BATALHA FILIAL: CASAL DE MIL HOMENS • 2440-231 GOLPILHEIRA TELS: 244 768 766 • 917 504 646

• Oficina de reparações gerais • Testes computorizados a motores • Serviços de ar condicionado

SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA, LDA. Licença AMI n.º 7416

Urbanização Aldeia de Santa Marta Zona calma na Calvaria de Cima Vivendas individuais • 140.000 euros

Financiamento gara ntido! Pç. Município, Lt.5-r/c D. 2440-107 BATALHA Telf. 244 766 202 Tlm. 912 230 888

A Solução na Habitação... Procura a casa dos seus sonhos? Quer trocar de casa? Quer reduzir a prestação do empréstimo? Fale connosco... ...nós temos a solução!

(Ref. 385) Terreno com projecto de arquitectura aprovado. Local sossegado e com óptimas vistas sobre a Vila histórica da Batalha. Área: 1.172 m2. Preço: 60.000 euros. Negociável.

Pesquise na Internet as nossas promoções a nível nacional:

www.leninveste.pt

(Ref. 388) Moradia de tipologia V5 com garagem. Bons acessos. Localização: Faniqueira - Batalha, perto da vila da Batalha e do IC2. Preço: 115.000 euros. Negociável.

(Ref. 389) Moradia situada nas Brancas, perto da vila da Batalha, com 680 m2 de terreno. Preço: 99.500 euros.


Jornal da Golpilheira

. motores . rodovia .

Julho de 2011

Associação dos Andreus organizou

Cap Magellan promove "Sécur’été 2011"

Concentração de Motorizadas

Campanha lançada em Paris

Organizada pela Associação Cultural Desportiva Recreativa dos Andreus, Barreira, decorreu no passado dia 10 de Julho a 1.ª Concentração de Motorizadas. Participaram mais de cem veículos, de variadas marcas e modelos, alguns completamente reconstruídos e conservados com os traços originais. São autênticas relíquias, jóias de estimação exibidas com orgulho pelos seus proprietários. Para melhor ilustrarmos este evento, conversámos com Joaquim Borges Almeida, mais conhecido por Joaquim Maria, tesoureiro da recente direcção.

Tal como informámos na última edição, a Cap Magellan, principal associação de jovens lusodescendentes de França, está a organizar pelo 9.º ano consecutivo uma campanha de segurança rodoviária intitulada "Sécur'été". Trata-se de uma acção dirigida aos portugueses e lusodescendentes, residentes em França, que se deslocam de carro a Portugal durante as férias de Verão. A campanha decorre em três países – França, Espanha e Portugal – e tem como principal objectivo a redução do número de acidentes durante os trajectos longos e depois das saídas nocturnas. Para tal, os voluntários sensibilizam o público para os perigos das viagens longas (fadiga, excesso de velocidade, etc.) e para as precauções a ter (preparação do veículo, parar de 2 em 2 horas para descansar, etc.). Além disso, informam os automobilistas sobre dos códigos da estrada dos países atravessados (velocidades autorizadas, álcool, coletes reflectores, etc.). Por último, alertam os jovens para os perigos da condução sob efeito do consumo de álcool e/ou de drogas, nomeadamente aquando das saídas nocturnas. A campanha foi lançada no passado dia 8 de Julho, na discoteca La Costa, em Paris, na presença da "madrinha" de 2011, a piloto Elisabete Jacinto. Assim, com uma quinzena de voluntários, a equipa da Cap Magellan começou as suas

Quantos participantes houve e como estava organizado o passeio? Tivemos cerca de 120 participantes. A partida, como não podia deixar de ser, era junto à sede da nossa associação, seguindo para a Barreira, mais concretamente para o Jardim do Visconde, onde se verificou a primeira

Organização

paragem, para reforço. Seguimos para as Cortes, com destino às nascentes do Rio Lis, nas Fontes. Os locais a visitar são bastante bonitos. Não foi por acaso que os escolhemos. Há muitas pessoas que sendo daqui muito perto, se não fosse este passeio, continuavam a desconhecê-los. Depois das Fontes, seguimos para a Reixida, Amoreira, Rio Seco, Garruchas, Celeiro, Casal do Quinta, Freiria e Golpilheira. Junto à sede da vossa colectividade houve novo reforço, até porque a hora do almoço estava próxima. O carro vassoura teve algum trabalho? Infelizmente, teve de transportar duas motorizadas avariadas. No entanto, e dado o elevado numero

de participantes, a coisa não correu muito mal. Qual o balanço que faz? O balanço é bastante positivo. Foi muito trabalhoso, mas compensador. O convívio entre as pessoas é muito importante. Tivemos de conciliar participantes com idades que variavam entre os 14 e os 70 anos. Foi um evento que toda a gente gostou e o almoço foi excelente. Um agradecimentos às nossas cozinheiras de serviço, assim como aos serventes de mesa e a todas as pessoas que de alguma maneira colaboraram para o êxito. Penso que esta mobilização de motorizadas é para continuar para o próximo ano. No entanto, se surgir outra ideia, também a apoiarei. Texto e Fotos: MCR

No exterior da La Costa

Fotos: DR

Já promoveram outros eventos do género. Como começaram? Esta atracção pelas máquinas já tem alguns anos. Começámos pelos tractores. Depois, seguiram-se os circuitos com carros ligeiros, lambretas e motos. Tem havido uma preocupação por parte da nossa associação de ir inovando através dos tempos e temo-nos dado bem com isso, pois todas as iniciativas têm sido um êxito.

Partida

21

...e no interior

acções de sensibilização junto dos jovens à saída de uma discoteca parceira do evento. Também houve acções logo à chegada dos jovens, através da pulseira "sécur’été". Assim, dento de cada grupo, um jovem era designado "capitão da noite" e era-lhe remetida a pulseira. No fim da noite, era esse jovem que era submetido ao teste de alcool. Próximas acções As acções de sensibilização irão continuar agora ao longo do percurso, principalmente no sul de França e norte de Espanha, em algumas das áreas de serviço das autoestradas mais frequentadas pelos automobilistas que rumam a Portugal, e ainda nas principais fronteiras portuguesas. Também serão desenvolvidas acções

de sensibilização junto dos jovens, em locais de diversão nocturna (discotecas e festivais), em várias cidades portuguesas, durante o mês de Agosto. Mais especificamente, - nos dias 30 de Julho e 1, 6 e 7 de Agosto, haverá equipas nas fronteiras de Vilar formoso, Vila Verde da Raia e Valença. - no dia 31 de Julho, haverá uma acção na fronteira de Vilar Formoso, com a imprensa portuguesa e convidados especiais para uma reportagem televisiva; - no dia 9 de Agosto será a "Noite Especial Sécur’été 2011", na discoteca Palace Kiay, em Pombal, onde o Jornal da Golpilheira, parceiro desta campanha, também irá marcar presença. LMF

pub

Filipa Silva Solicitadora

Telf./Fax. 244 765 466 | Telm. 910 865 979 E-mail: 4830@solicitador.net Estrada de Fá�ma, n.º 16 - B, R/C Esq., 2440-100 Batalha (Junto à escola de condução Espírito Santo e Reis, Lda)

CONSTRUÇÕES Edifício Arcadas - Piso 0 - Loja 1 Av. Marquês de Pombal - 2440 Leiria

Telefone 244 815 818


22

Jornal da Golpilheira

. diversas . do leitor .

Julho de 2011

. mãos namassa

Sofia Ferraz

Bolo de Caramelo

Ingredientes: 5 Ovos 3 Copos de farinha 3 Copos de açúcar 1 Copo de leite 1/2 Copo de caramelo 1/2 Copo de óleo 1 C. Café de erva-doce 1.c café de canela Preparação Colocam-se numa tigela todos os ingredientes (a ordem é indiferente). Batese o preparado muito bem com a batedeira. Leva-se o preparado a cozer em forno médio, em forma untada com margarina e polvilhada com farinha, durante cerca de 40 minutos. Bom Apetite!

Mensagem no Dia da Criança

Apostar na Família é construir o Futuro! Já sabemos que neste Dia 1 de Junho todos falarão das crianças!* Em vésperas de eleições, será certamente arma política para alguns, que não deixarão de as beijar e festejar em público para aparecerem nas televisões e ficarem bem nas imagens! Ouviremos as habituais promessas vãs de bem-estar e protecção, palavras vazias de circunstância e veremos balões e presentes a serem distribuídos, a troco do sorriso fácil das crianças. Nos recreios das escolas, como sempre, ecoarão os risos de meninos e os mais bonitos e espertos serão filmados nas suas brincadeiras, ou em sábios discursos, quando mais crescidos. Mas para outros, porventura não-políticos, será também dia de manifestar dor e indignação, pois não podem calar a verdade real do aborto, perante uma sociedade cega, manipulada, enganada e guiada por cegos, que só vêem e compreendem o que querem ver e compreender...e nada querem ouvir. Disse o Poeta que "o melhor do mundo são as crianças", dizem as mulheres que não conseguem ter filhos "eu dava tudo para ter um filho", e "Conseguimos! Vamos ser pais, que maravilha!" dizem os casais à 1.ª análise e à 1.ª eco das 6-13 semanas... quando finalmente

. obituário . Agradecimento

Maria Júlia Bento Cunha N. 07-08-1935 F. 11-07-2011

Seus filhos, netos e restantes familiares, na impossibilidade de o fazerem pessoalmente como era seu desejo, vêm de forma reconhecida agradecer a todos que de uma forma ou de outra homenagearam a sua querida familiar e que a acompanharam à sua última morada. Por tudo e a todos, um bem-haja. Tratou: Funerária Santos e Matias, Lda

pub

conseguem a gravidez tão desejada. Simultaneamente, porém, assistimos a realidades bem diferentes: - Mais de 19,6 milhões de euros já foram gastos pelo Estado português a pagar abortos, usados como anti-conceptivos desde a sua despenalização... - Mais de 15.000 crianças abandonadas, ou retiradas a famílias problemáticas, estão neste momento institucionalizadas, mas gostariam de ter uma família e não têm, nem vão ter, na sua maioria... - Mais de 65% de casais divorciam-se anualmente, nestes últimos anos de que há notícia, deixando atrás de si um rasto de sofrimento e traumas entre os filhos... - Foram-nos prometidos 150.000 novos postos de trabalho ainda não há muito tempo, e acabamos de mão estendida à Europa e América, com mais de 750.000 desempregados, quantos deles pais e mães de família a passarem muito mal

neste momento... Por isso, neste Dia da Criança, a APFN convida-vos a todos, com ou sem família numerosa, a verem o seu novo vídeo e a reflectirem! É hora de inverter estas situações! Cada um de nós pode fazer alguma coisa no seu pequeno metro quadrado de acção! Podemos ajudar os nossos filhos a serem mais felizes. Comecemos pelo namoro e pelo diálogo em casal. Preparemo-nos para resistir às dificuldades em casal. Não nos separemos aos primeiros desacordos e dificuldades. Aprendamos a comunicar. Sejamos solidários. Amemos melhor os nossos filhos! Merecem-no! Famílias mais felizes transformarão uma sociedade cinzenta e triste numa sociedade mais alegre e mais saudável! Apostar na Família é construir o Futuro! Associação Portuguesa de Famílias Numerosas * Texto escrito antes do Dia da Criança

Pão para as crianças do padre João Campanha de solidariedade O padre João Monteiro da Felícia, um missionário da Consolata natural da Golpilheira, paróquia da Batalha, está há já alguns anos no Brasil, onde oferece o seu amor a Jesus Cristo, no serviço aos mais desfavorecidos. Daqueles que, ainda antes da fé, precisam de pão para a boca. O Jornal da Golpilheira tem em curso uma campanha para a oferta de uma “cesta de alimentos”, no valor de 10 euros, que é a ajuda que o padre João tenta entregar todos os meses às famílias que têm crianças a morrer à fome. Desde Janeiro de 2006, enviámos um total de 4070 euros = 407 cestas...

Este mês recebemos euros: - Vítor Martins - 100 euros (10 cestas) - António Marques Monteiro - 10 euros (1 cesta)

Colabore! Seja solidário... Contacte:

• CRG - R. Baçairo, 856 - 2440-234 GOLPILHEIRA • Pe. José Gonçalves (Pároco da Batalha) • António Monteiro Rosa (Casal Mil Homens)

...e poupe nos impostos!

Os Missionários passam recibo da sua oferta, que poderá deduzir no IRS. Basta que junte ao donativo o seu nome, morada e o n.º de contribuinte.

Apelo solidário teve resposta

Ajudem o João! Na edição anterior, a Vanessa escreveu um artigo sobre o João (Pipoca, como os amigos o conhecem). Hoje, decidi relembrar e escrever eu, em nome de um amigo que conheci há alguns nos karaokes. O Pipoca é uma pessoa espectacular, humilde e com um coração grande. Neste momento, espanta todos pelo estado em que se encontra fisicamente, pelo problema que tem, apresentando uma figura bastante debilitada. Infelizmente, não é um futebolista ou um cantor famoso… aliás, cantor famoso é, mas só nos karaokes. Daí não ter dinheiro para continuar a ter uma vida normal, ou pelo menos o mais normal possível. Ele sofre de fibrose pulmonar (explicada na edição anterior), mas a vontade que tem é inigualável. Contudo, os tratamentos no nosso país, todos nós sabemos como são. Os que podem financeiramente têm tudo e para os que não podem é muito difícil chegar-lhes. Por isso, venho por este meio solicitar ajuda para um amigo, por pequena que seja a ajuda será bem-vinda. Quantos de nós não podemos passar bem sem um café ou outra mordomia qualquer e assim pensar nesse dia: "Hoje ajudei uma pessoa que necessita!" Em nome do Pipoca, agradeço a todas as pessoas que viram a notícia no jornal e que já o ajudaram, nomeadamente uma senhora da Quinta do Sobrado, da Batalha, que juntou (com mais pessoas) alimentos e dinheiro para o tratamento do Pipoca. Outro caso foi o do grupo HRV - Equipamentos de Processo, S.A., em resposta à mesma notícia, que o jornal O Mensageiro publicou a partir do nosso Jornal. Foi com muita alegria que recebemos esta informação do departamento financeiro da empresa: “No seguimento do vosso apelo, e depois de falarmos e visitarmos o João, achamos que podemos e devemos ajudá-lo. Sendo assim, a nossa empresa irá assumir o pagamento das despesas dos tratamentos do João, durante os 3 meses, ou alguns mais caso seja necessário. Já contactámos o Hospital D. Manuel de Aguiar. Não faz parte da nossa maneira de estar no mercado fazer publicidade a estas situações, mas porque notámos certo interesse da parte do João em dizer algo sobre este assunto, deixamos aqui esta nota. Por nós, a simpatia e a alegria do João foram toda a compensação”. A todos muito obrigado e mais uma vez relembro que podem ajudar, pois o João, mesmo com esta ajuda nos tratamentos, agradece a todos os que possam dar algum contributo, dado que a doença o impede de exercer o seu trabalho de vendedor de pipocas, que era o seu ganha-pão. Podem fazê-lo para a conta com o NIF 0018.0000.01818217021.82 (João Domingos). Quem o quiser visitar, poderá fazê-lo no Hospital Dom Manuel de Aguiar (hospital velho de Leiria), quarto 14, cama 24. Outros contactos: 914949926, 965192524, Facebook "João Pipoca". No Cento Recreativo vai também uma caixa para deixarem a vossa ajuda. Muito obrigado e lembre-se de que hoje é ele que precisa de ajuda, amanhã poderá ser qualquer um de nós! André Carvalho


Jornal da Golpilheira

23

. útil . lazer .

Julho de 2011

Ficha Técnica Registo ICS . 120 146 / Depósito Legal . 104.295/96 Contribuinte . 501 101 829 Director . Luís Miguel Ferraz (CP 5023) <lmferraz@iol.pt> Director-adjunto . Manuel Carreira Rito (TE-395) <manuelcrito@gmail.com> Composição . Paginação . Luís Miguel Ferraz Clube de Jornalismo do CRG . Ana Rito, Anabela Lopes, André Rosa, Ângela Susano, Carlos Meneses, Catarina Bagagem, Cristina Agostinho, David Lucas, Joana Valério, Nuno Rosa, Vanessa Silva. Outros colaboradores . Ana Vala, Ana Maria Henriques, António Ferraz (assinaturas), Carlos Santos, Carolina Carvalho (secretária), Célia Capitão, Cremilde Monteiro, Filomena Meneses (assinaturas), Joaquim Santos, José António Santos, José Jordão Cruz, José Travaços Santos, Marco Ferraz (publicidade), Pedro Jerónimo, Rui Gouveia. Propriedade/Editor . Centro Recreativo da Golpilheira (Instituição Utilidade Pública - D.R. 239/92 de 16/10) Presidente: Manuel Carreira Almeida Rito Sede . Estrada do Baçairo, 856 - 2440-234 Golpilheira Tel. 965022333 / 244 768 568 . Fax 244 766 710 Composição. Est. do Vale, 100 - 2440-232 Golpilheira Impressão . Empresa Diário do Minho, Lda Tel. 253303170. - Fax. 253303171 Tiragem desta edição . 1500 exemplares Fechada a 25 de Julho de 2011.

9

6

8

7

Frango

. fotos do mês.

. Segurança rodoviária .

Coluna em parceria com a associação Cap Magellan

Há vidas assim...

Poucos devem conhecer a menina que está a animar com tanto entusiasmo este grupo de participantes na sardinhada do Centro Hospitalar Nossa Senhora da Conceição, da Misericórdia da Batalha. Chama-se Ângela Coelho, é médica no Hospital de Santo André em Leiria e também neste das Brancas. Só isso já marca a diferença, de uma profissional de saúde que se dedica ao voluntariado e que não tem problema em agarrar na viola e cantar. Mas há mais. Ela é também a “Irmã Ângela Coelho”. Sim, freira. Recentemente nomeada vice-postuladora da Causa da Canonização dos Pastorinhos, é uma apaixonada pela Mensagem de Fátima, de que fala com um entusiasmo contagiante. Há vidas assim, cheias de talentos e de tarefas, mas vividas de forma simples, dedicada, alegre. Basta falar com ela dois minutos para perceber o segredo: Deus basta.

Mais cromos

Mudando completamente de assunto, não podíamos deixar de ir completando a nossa caderneta. Como é hábito, é na tasca que eles mais se revelam...

Nome _____________________________________________

Assinatura anual PT : 8 euros Europa: 12 euros Resto Mundo: 15 euros

2

3 8

Rua _______________________________________________ Nº ___________

2

1

Localidade _______________________________________________________________

5 7

4

4

9

3

1

6

5

4 5 1 6 9 3 8 2 7

5 3 8 4 6 2 1 7 9

1 4 6 7 3 9 2 5 8

2 9 7 5 8 1 6 4 3

8 6 4 2 7 5 3 9 1

3 2 5 9 1 6 7 8 4

7 1 9 3 4 8 5 6 2

Soluções do Sudoku 21

Então... com tanta festa que temos cá pela freguesia no espaço de um mês, o que não te falta são oportunidades de comer frango!

Porquê?!

Código Postal __ __ __ __ - __ __ __

________________________________________

Tel. _____________ Email: _________________________ Data Nasc. ___ / ___ / _____ Entregar ou enviar para: Centro Recreativo - Est. Baçairo, 856 - 2440-234 GOLPILHEIRA

Sudoku 21 (Dificuldade: média)

Blog: http://jgolpilheira.blogspot.com Twitter: http://twitter.com/jgolpilheira Email: geral@jornaldagolpilheira.com

Olha... tás com sorte!

. passatempo .

www.jornaldagolpilheira.com

O médico anda a chatear-me com as comidas. Diz que tenho de evitar carnes vermelhas por causa do colesterol.

MCR

244 768 500 244 769 120 244 767 018 244 769 110 244 766 836 244 769 920 244 817 000 244 767 856 244 765 124 244 765 449 244 766 744 244 767 178 244 769 290 244 769 180 244 767 595 244 765 269 244 765 264 244 764 120 244 766 366 244 769 100 244 765 180 244 769 871 244 769 870 800 232 425 244 764 080 244 765 505 244 765 410 244 769 720 244 768 568

LMF

Bombeiros Voluntários da Batalha G.N.R. Batalha Junta de Freguesia Golpilheira Câmara Municipal Batalha Extensão de Saúde da Golpilheira Centro de Saúde da Batalha Hospital de Santo André Farmácia Padrão – Golpilheira Farmácia Ferraz (Batalha) Farmácia Padrão (Batalha) Escola Primária da Golpilheira Jardim-de-Infância da Golpilheira Escola EB 1+2 Batalha Escola Secundária Batalha Escola Artes e Ofícios Tradicionais Segurança Social - Batalha Conservatória R. C. P. Batalha Tesouraria Faz. Pública da Batalha Misericórdia da Batalha Correios (CTT) - Batalha Posto de Turismo da Batalha Biblioteca Municipal Batalha Cinema/Auditório Municipal EDP -Informações (Grátis) Águas do Lena Rodoviária – Agência Batalha Táxis da Batalha Rádio Batalha Centro Recreativo da Golpilheira

2 4 7 5 1 2

7 1

5

8

6

2

7

6 8 3

9 5

9

3

5

4 6

4

7 9

6

7 6 1 9 5


. divulgação .

. Jornal da Golpilheira . Julho de 2011 .

24

1107 Jornal da Golpilheira Julho 2011  

Edição de Julho de 2011 do Jornal da Golpilheira - publicação mensal da freguesia da Golpilheira, concelho da Batalha, distrito de Leiria. N...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you