Page 1

Notícias

Dez. 13 Ano 10| Número 2

da Escola

E-mail: jornal.ebsis@gmail.com

Jornal do Agrupamento do Concelho de Viana do Alentejo

III FEIRINHA DO OUTONO CPCJVA

comemorou

Aniversário da Convenção dos Pág. 2 Direitos da Criança

Novas hortas a surgir no Agrupamento

¿Sabías Que…?

Atividades dos Jardins de Infância de Aguiar e de Alcáçovas

UMA ESCOLA CADA VEZ MAIS ECO Pág. 5

Pág. 7

Falsos amigos Pág. 6 e 7

Pág. 4

Pág. 3

Biblioteca Escolar:

Os nossos pequenos Pág. 9 escritores

Desporto Pág. 8

Escolar

Pág. Pág. 1511


2

EDITORIAL Mais um Natal à porta e mais uma vez em tempo de crise. Nas carteiras falta dinheiro; provavelmente, faltarão presentes no sapatinho…A crise económica tocou e continua a tocar a todas as portas, numas com mais intensidade, noutras mais ao de leve, mas que o dinheiro é curto, lá isso é verdade. Não podemos contudo deixar que a crise nos afete os sentimentos e as vontades, porque ao tempo de austeridade financeira, deverá contrapor-se a abastança emocional e sentimental. Mais do que nunca devemos ser generosos em atenção, carinho e amizade… Não podemos oferecer presentes, vamos oferecer bons modos, sorrisos e simpatia; vamos pôr de lado a indiferença e estender a mão ao colega, ao vizinho, ao amigo e ao inimigo, a todos os que estão à nossa volta e que precisam de nós .

CPCJVA COMEMOROU ANIVERSÁRIO DA CONVENÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA

No âmbito da comemoração de mais um aniversário da Convenção dos Direitos da Criança, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Viana do Alentejo, promoveu no dia 25 de novembro, em estreita colaboração com a Escola Segura (GNR) e a Câmara Municipal de Viana do Alentejo, um conjunto de sessões intituladas “Os perigos da Internet para as Crianças e Jovens”, destinadas a todos os alunos do 1º Ciclo das três freguesias do concelho. As sessões suscitaram muito

Festejar o Natal pode ser partilhar boas energias, abraçar os mais carentes e dar tudo o que seja amor. Profª Gertrudes Pinto

Notícias da Escola com o apoio de:

interesse, quer no Centro Educativo de Viana, com a participação dos alunos locais e também os de Aguiar, quer na Escola EBI/JI de Alcáçovas. Os alunos demonstraram ter algum conhecimento sobre a matéria e aproveitaram a oportunidade para esclarecer algumas dúvidas. Paralelamente, a CPCJ promoveu a distribuição de panfletos a todas as turmas presentes nas sessões, realçando alguns dos Direitos da Criança constantes na Convenção adoptada pela Assembleia Geral nas Nações Unidas em 20 de novembro de 1989.

Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Viana do Alentejo


3

III Feirinha do outono Mais uma vez, foi com grande alegria que a nossa “Feirinha do outono” aconteceu… No dia 11 de novembro de 2013, “Dia de S. Martinho,” com um sol brilhante e muito quentinho, fomos visitar a “Feirinha do outono” que estava num sítio muito especial e querido para nós…a nossa “querida “ Escola de S. João.

Mas a azáfama começou uma semana antes, onde fizemos uns queques de chocolate deliciosos, com a ajuda preciosa das nossas mães e com todo o carinho que nos deram neste dia.

A visita da nossa turma à feirinha foi durante a manhã e quando lá chegámos ficámos surpreendidos com tantas pessoas que estavam lá a ajudar, outras a conviver

e a deliciarem-se com todos os docinhos que por ali havia. Assim, é com muita alegria e satisfação que dizemos… • Eu adorei a feirinha, porque comi castanhas com os meus amigos e colegas. (Eduardo e Catarina Lacão) • Gostei da feirinha, porque fui à minha antiga Escola de S. João, com todos os meus amigos. (Érica e Maria) • A feirinha foi muito boa! Comprei muitos bolinhos e doces saborosos. (Vasco e Cláudia) • Eu gostei de ouvir as histórias que a professora Luísa contou sobre o outono. (Raquel e Catarina Correia) • Adorei decorar os queques de chocolate que fizemos com as nossas mães. (Miguel)

Notícias da Escola com o apoio de: Câmara Municipal de Viana do Alentejo

• A feirinha estava muito bonita, com muitos frutos e doces do outono. (Mariana e Camila) • Na feirinha comi castanhas assadas que a minha mãe nos ofereceu… estavam mesmo muito boas e quentinhas. (Ana Filipa) • A feirinha estava maior e adorei voltar à Escola de S. João, onde lanchámos e brincámos com todos os nossos amigos. (Joana) Para terminar, gostaríamos de agradecer a todos os pais, encarregados de educação, professores, educadoras e assistentes operacionais que nos ajudaram e tornaram esta “Feirinha do outono” tão especial e diferente! Até para o ano… Texto coletivo da Turma 2º C, Profª Célia Oliveira EB Viana do Alentejo


4

Novas hortas a surgir no Agrupamento

Dia do Não Fumador No passado dia 17 de novembro, os alunos do 9º ano desenvolveram trabalhos alusivos ao Dia do Não Fumador, entre os quais foram elaborados folhetos, cartazes e um projeto da Garrafa Fumadora. Os folhetos foram distribuídos na escola entre os alunos, os cartazes foram afixados no polivalente e por fim a experiência da Garrafa Fumadora que foi desenvolvida ao ar livre dentro do recinto escolar. Com a garrafa fumadora, tentámos sensibilizar toda a comunidade escolar de forma que todos se apercebessem, dos malefícios do tabaco.

Os alunos do segundo ano do Curso Profissional de Técnico de Gestão Ambiental na EBSIS têm vários projetos em desenvolvimento. Depois de no ano letivo passado terem realizado várias atividades relacionadas com o ambiente, a limpeza de uma parte da orla de uma barragem, a salvação e criação de uma rola que caiu do ninho prematuramente e a criação de um viveiro de sobreiros, este ano, de entre outras atividades, estamos a criar de raiz uma horta junto ao campo de jogos da nossa escola, à semelhança das dezenas que existiam antigamente à volta de Viana do Alentejo. Esperamos

obter sucesso neste projecto.

A horta do Curso Profissional da EBSIS

Prof. José Sabino

Um projeto de horta na EBI/JI de Alcáçovas A garrafa fumadora é um dispositivo que tenta simular o sistema respiratório de um fumador. De uma forma clara e bastante didática, os alunos, principalmente os mais novos, para quem se dirigia esta atividade, puderam verificar o efeito dos constituintes do cigarro nos pulmões de um fumador. Cristina Amante, Fábio Daniel, Diogo Vaqueira e Raquel Santos, 9ºB

Na EBI/JI de Alcáçovas, o Curso Vocacional de Agricultura, Transformação e Comércio também tem um projeto de horta. Já charruámos a terra, apanhámos as pedras e semeámos: favas, ervilhas, rabanetes, alfaces, nabiças e sobreiros. Em duas floreiras, semeámos coentros e salsa. Também estamos a construir

Notícias da Escola com o apoio de:

Junta de Freguesia de Aguiar Viana do Alentejo

uma casa com tijolos e cimento para pôr a bomba da água de rega. Os meus colegas compraram dois pintos que estamos a criar na escola. Em cada aula prática aprendo sempre alguma coisa nova. José João da Silva Caralinda, Aluno do Curso Vocacional de Alcáçovas


5

UMA ESCOLA CADA VEZ MAIS ECO Mais um ano civil se apresta para chegar ao fim. Com efeito, o ano de dois mil e treze dá os últimos cartuchos e é tempo de fazer um balanço, de olhar para trás e sentir o que valeu a pena, o que se fez de errado, o que ficou por fazer e aquilo que deve ser corrigido. Dando continuidade ao trabalho iniciado no ano letivo anterior, a nossa escola continua a apostar fortemente na componente ecológica. Cada vez olha-se mais para o ambiente com outros olhos. É nossa convicção que esse deve ser o caminho. Quer pelos tempos que atravessamos, quer pela necessidade de nos virarmos de novo para a terra e extrairmos o que de melhor ela nos pode dar, sem

recorrer a produtos químicos, privilegiando a agricultura biológica. Após o aparecimento do primeiro canteiro, surgiu na sequência e com toda a naturalidade, aquilo a que orgulhosamente chamámos “A Horta da Escola”, fruto do trabalho desenvolvido pelos alunos do segundo ciclo. Agora, e pelas mãos dos alunos do Curso Profissional de Técnicos de Gestão do Ambiente, surge um novo espaço, embelezado por uma bonita vedação com recurso a canas bravas,

de onde se espera, em breve, crescerão novos hortícolas. Em vez de uma, agora temos duas hortas! Por seu lado, o ponto de compostagem alargou-se, e agora em vez de um compostor, temos três! Em breve começaremos a usar o composto resultante das sucessivas descargas efetuadas ao longo do ano. Os sobreiros, que resultaram do viveiro de bolotas sobrevivem e vãose enformando um pouco por toda a escola, quer através de rega simples, quer através de um engenho-

sabores. Da “encosta do alecrim”, também resultante de uma ação desenvolvida no anterior ano letivo, chega-nos o cheiro a campo de um dos arbustos mais caraterístico da nossa região. Por último, uma palavra para o Projeto Depositrão, no qual continuamos envolvidos, embora longe das expetativas iniciais. Não obstante os sucessivos apelos à participação da comunidade escolar, a mensagem não tem passado. Este é um aspeto a corrigir e a melhorar no próximo ano. Façamos então a despedida a 2013 e saudemos 2014, com a certeza de que continuaremos a ECOar boas notícias!

so processo de rega (por condensação), obra dos futuros Técnicos de Gestão do Ambiente. O canteiro das ervas aromáticas, tão bem tratado pelas mãos do sr. Joaquim, é um excelente mostruário de diversidade de aromas e

Profº Manuel Rafael


6

Atividades do Jardim de Infância de Aguiar Os meninos do Jardim de Infância de Aguiar desenvolveram diversas atividades ao longo deste primeiro período. As seguintes fotos ilustram algumas dessas atividades:

Dia Nacional do Pijama Dia da Alimentação e Magusto em articulação com o primeiro ciclo.

Visita à Quinta do Pomarinho

O jardim de infância de Aguiar aderiu este ano ao Dia Nacional do Pijama, um dia em que se pretende que as crianças percebam e sintam um pouco o que é ser solidário, pois é disto que trata este dia. A associação "-Mundos de Vida" aproveita o dia 20 de novembro - Dia Internacional da Convenção dos Direitos das Crianças para a realização desta inicitiva solidária Dia do Pijama. As crianças são convidadas a ajudar outras crianças, realizam-se

atividades onde se tenta mostrar o sentido da amizade e da partilha, todos os participantes vão para a escola de pijama e têm uma "Casa dos Pijamas" para recolher donativos - com o pouco podemos fazer muito!! As crianças do JI de Aguiar, participaram com bastante entusiasmo e passaram esta mensagem aos seus familiares e amigos, foi um dia solidário muito bem passado!!!! Jardim-de-Infância de Aguiar Educadora Marta Rebocho

Colocar as cartas no correio para o Pai Natal !!!! Halloween

Notícias da Escola com o apoio de:

Preparativos de Natal


7

Atividades do Jardim de Infância de Alcáçovas Partilhar Une-nos Cada vez que partilhamos com os outros, espalhamos amizade pelo mundo. Com quem é que vais partilhar hoje? O Natal é uma época cada vez mais de apelo ao consumismo. Cabe-nos a nós, pais e educadores, contrariar esta ideia, por razões económicas, mas também e principalmente pelos valores que procuramos transmitir às gerações futuras que são os vossos filhos. Assim, no dia 5 de dezembro realizámos a nossa “Festa do Pijama”, que consistiu em virmos nesse dia vestidos de pijama e calçados com pantufas. Porquê nesse dia? Por três razões: 1– O mês de dezembro é marcado pelas comemorações de Natal, época em que se deve chamar a atenção para os valores como o amor à família e à solidariedade; 2- O facto de virmos vestidos de pijama para o jardim de infância foi apenas um pretexto para despertarmos nas crianças os valores

acima referidos e assim assinalarmos o início da época natalícia; 3- A existência nesta localidade de uma instituição que apoia famílias carenciadas é facilitador do objetivo da nossa ação . Então iremos com as crianças visitar a mesma e questioná-los acerca do que necessitam para tornar este Natal melhor a essas famílias. Feliz Natal são os votos dos

¿Sabías Que…? FALSOS AMIGOS

meninos do jardim de infância de Alcáçovas, suas educadoras Cristina Gil e Paula Gonçalves e auxiliares de ação educativa Leonor Sim Sim e Cândida Sim Sim. EBI/ JI de Alcáçovas

Profª Mª Inácia Janeiro Romão

Español

Português

Português

Español

Asignatura

Disciplina

Assinatura

Firma

Bolsa

Saco de Plástico

Bolsa

Bolso

Berro

Agrião

Berro

Grito

Embarazada

Grávida

Embaraçada

Avergonzada

Exquisito

Delicioso

Esquisito

Raro

Lentilla

Lente de contacto

Lentilha

Lenteja

Oso

Urso

Osso

Hueso

Polvo

Polvo

Pulpo

Rapaz

Ave de rapina

Rapaz

Chico


8

BIBLIOTECA ESCOLAR: mundos infinitos à espreita

Semana das Bibliotecas Escolares O mês de outubro foi o mês internacional das Bibliotecas Escolares. Na impossibilidade de se realizarem atividades especiais, todos os dias, que abrangessem toda a comunidade escolar e que tivessem impacto na comunidade, elegeu-se a última semana de outubro como a semana da Biblioteca Escolar do Agrupamento. Fizeram-se inter-

Feira do Livro – Neste Natal, ofereça um livro!

venções de leitura em todas as salas de aula das escolas e jardins de infância do Agrupamento, com o apoio de elementos da comunidade, pais, encarregados de educação e funcionárias da Biblioteca Municipal, no evento 1,2,3,4,5 MN de leitura. Fez-se uma sessão de Leituras à Lareira para a comunidade, no espaço CulArtes e apresentouse o livro Pão & Rosas, de Maria do Céu Pires, editado pela Colibri. Leituras à Lareira foram também a Alcáçovas. Realizou-se uma sessão no pólo da Biblioteca Municipal. Foi um serão muito bem passado, a que não faltou poesia publicada e décimas, ditas por um poeta popular. Os serões foram completados com bolinhos e chá para aconchegar o estômago e aquecer o corpo, nestas noites frias de outono.

Pela primeira vez, a BE realizou feiras do livro nas três localidades do concelho, uma vez que se constitui o mega agrupamento. Assim, como habitualmente, a Tradicional Feira do Livro esteve patente no salão polivalente da escola sede, na EBS Dr. Isidoro de Sousa, em Viana do Alentejo, esteve seguidamente, na EBI de Alcáçovas e, por fim, em Aguiar, no salão da Junta de Freguesia, uma vez que o JI e a EB1 não dispõem de local apropriado para um evento desta natureza. Foi a primeira vez que se realizou uma Feira do Livro nesta freguesia. A livraria Fonte de Letras, sediada na rua 5 de Outubro, em Évora, foi a

fornecedora dos livros, uma seleção atual e bastante diversificada, indo ao encontro das solicitações do público. Havia livros para todas as idades e interesses. Em tempos de crise e de escassez financeira, houve grande adesão das comunidades aos livros. De facto, oferecer um livro é levar pedaços de tempos, pedaços de espaços para dentro de casa, é fazermos viagens por sítios inimagináveis, é termos todos os mundos e mais algum nas nossas mãos. Oferecer um livro é oferecer mundos novos!

Feirinha do Outono No passado dia 11 de Novembro, realizou-se a já tradicional Feirinha de Outono, organizada pelo 1.º Ciclo e pelo Jardim de Infância de Viana do Alentejo. A BE recebeu um convite para participar. Então, a Professora Luísa Bagão levou contos de Outono para uma sala do edifício S. João, uma das antigas escolas desativadas, substituídas pelo novo centro escolar. Além disso, a BE solicitou ao Clube de Artes a sua participação, nomeadamente, através da realização de um painel em papel cenário, com um poema e pinturas alusivas ao Outono.

Momentos de leitura enriqueceram este evento, que se transformou, também, num espaço de promoção das literacias. Profª Bibliotecária Rosa Barros


9

O ouriço e o sapo Era uma vez um ouriço e um sapo que se encontraram por acaso ao fim da tarde. O ouriço, um animal solitário, passeava ao entardecer como era o seu hábito e observou o sapo que comia umas moscas com um aspeto delicioso, pareciam mesmo estaladiças. Ficou com uma inveja do tamanho do mundo porque estava com muita fome e aquelas moscas eram… de seleção! Então começou a estudar um plano para lhe roubar o petisco. Com voz simpática disselhe: - Olá, amigo sapo, há quanto tempo não o vejo e reparo que está com muita fome, olhe que esses bichinhos não chegam para lhe encher a barriga. Conheço um sítio no bosque onde há uma praga de moscas de tamanho XL, gordinhas…hum… e se partilhar comigo agora essas magricelas, eu ensino-lhe o caminho para chegar àquele paraíso. O sapo como era glutão, coaxou só de imaginar tal e respondeu: - Amigo ouriço, pode comer estas à sua vontade, pois eu já estou saciado – mentiu o sapo. O ouriço assim fez, terrincou com um sorriso matreiro todas aquelas moscas que pairavam por ali e de seguida enrolou-se para dormir. O sapo que esperava ansioso pelo seu guia para ir ver o tal local, reconheceu que tinha sido enganado e deu-lhe um encontrão com quanta raiva tinha. O seu corpinho ficou cheio de picos. Ao ver que não valia a pena vingar-se do ouriço porque ele era mais esperto, afastou-se pelo bosque choramingando. MORAL DA HISTÓRIA:

Não confies em tudo o que te dizem. David Banha, 5.º A

Conto de Natal Era noite de Natal, as pessoas caminhavam para a igreja pois ia ser a missa do galo. Dos telhados saíam nuvens de fumo. As janelas estavam embaciadas mas conseguia-se ver o piscar das luzes da árvore de Natal e quase se sentia o calor humano que ia naqueles lares. Tristemente uma menina caminhava na rua, na sua mão levava um saquinho de trapos que lhe fizera a sua mãe quando ela ainda tinha alguma saúde. Com ele esperava conseguir, através das esmolas que iria receber à saída da missa, o dinheiro suficiente para ir comprar aquela boneca que ainda estava na montra da praça. Começou a chover fortemente, as gotas de água tornavam-se pesadíssimas e frigidíssimas e certamente não ia conseguir aguardar à porta da igreja pelo fim da missa, até as pessoas iam apressar o passo para não se molharem muito e aquela boneca que tanto desejava nunca iria ser sua. Então teve a ideia de subir a escadaria em caracol até chegar ao relógio da torre e atrasar uma hora, quem sabe se entretanto a chuva se iria embora…e as pessoas reparassem nela ali à espera que uma esmola caísse no seu saquinho. Assim o fez e com a ajuda da bondade do menino Jesus, tudo o desejava se concretizou naquela noite: a chuva parou, as pessoas saiam entoando os votos de um feliz Natal e a menina conseguiu reunir o dinheiro para finalmente ter uma boneca. O seu Natal foi de esperança, quem sabe se também naquela maré a sua vida e a dos seus pais melhoraria. Íris Afonso, 6º C

Abecedário Abecedário sem juízo do 5º A A é o André, que lambeu o chulé. B é a Bruna, que cai na duna. C é o Carlos, que se mete em trabalhos. C é a Clarisse, que está sempre a dizer parvoíce. I é Inês, que escondeu um chinês. J é o João Cardoso, que gosta de ser vaidoso. J é o João Galvão, que tem cara de melão. J é o José, que vai ao baile com um chimpanzé. L é a Luísa, que perdeu a camisa. N é Nuno, que fugiu do gatuno. R é a Rita, que fez chichi na sanita. R é a Rute, que ficou presa no iogurte. Nuno Fitas, 5ºA Alcáçovas

Abecedário sem juízo do 5º B A é o Anibal Flores, que tem pombas às cores.

C é a Catarina, que cai na marina. C é o Constantin, que tem cara de lagostim. I é a Inês, que dá beijos no chinês. J é o João, que fugiu do tubarão. J é o José, que rói a unha do pé. M é a Matilde, que é muito humilde. N é o Nuno, que foge que nem um gatuno. P é a Patrícia, que faz pastorícia. P é o Pedro, que chucha no dedo. R é o Rui, que faz ui! ui! S é a Sofia, que assobia. Catarina Pajote, 5ºB Alcáçovas


10

O peso da cultura Quando deixámos de andar a quatro patas e passámos a assentar dois pés no chão, todo o nosso corpo teve de se adaptar a uma postura radicalmente diferente. Ainda hoje essa adaptação continua, com resultados diferentes conforme as estruturas. Uma das que maiores dificuldades tem tido nessa adaptação é a coluna vertebral. Não é de estranhar, pois, que as afeções da coluna continuem a ter um peso muito significativo nas dores por que vamos passando… Uma coluna bem cuidada aguenta-se razoavelmente bem durante os 70 ou 80 anos de vida que nos esperam. O problema é que nem sempre a tratamos bem. As más posturas, a falta de exercício físico e o peso excessivo originam desequilíbrios das estruturas ósteo musculares da coluna de que resultam o sofrimento de muitos e gastos em cuidados de saúde, assim como a perda de produtividade por absentismo ou incapacidade, que fazem das afeções da coluna um dos grupos de patologia com maior peso económico. A coluna vertebral é, pois, um dos órgãos que deve merecer o nosso maior respeito em todas as idades. Assim, é preocupante verificar que as nossas crianças e jovens apresentam com frequência queixas de dor vertebral que podem até ser causa de absentismo escolar ou objeto de cuidados médicos. Estudos recentes demonstram que este fenómeno se tem agravado nas

últimas décadas e os investigadores apresentam como causas as já referidas: más posturas, falta de exercício físico e excesso de peso. As nossas crianças e jovens passam muitas horas sentados, seja nas suas casas, na escola ou durante os seus momentos de lazer. Sabemos que a postura sentada representa um esforço das estruturas vertebrais superior ao requerido pela posição em pé; sabemos também que quando nos sentamos de forma incorreta, devido a mobiliário inadequado ou a “desleixo”, essas estruturas são sede de desequilíbrios. É frequente que deste conjunto de circunstâncias resultem dor e danos na coluna que podem ser permanentes. Lembremo-nos então que as crianças e jovens passam grande parte do dia na escola onde o mobiliário, salvo raras exceções, está longe de ser adequado do ponto de vista ergonómico… Quanto ao excesso de peso, sendo a obesidade um estado mórbido cada vez mais frequente e precoce, estamos falados. Mas as pobres crianças nem precisam de ser gordas para sofrerem os efeitos do excesso de peso. As mochilas que transportam diariamente para a

Notícias da Escola com o apoio de:

Zona Industrial

7090-222 Viana do Alentejo

escola representam sobrecargas que não podem deixar de ser prejudiciais para a sua coluna. Sabemos hoje que uma criança em idade escolar não deve transportar na sua mochila mais de 10% do seu peso corporal; por exemplo, uma criança que pese 30 kg não deve exceder os 3 kg de carga, sob risco de adquirir lesões. Pois deixo aqui um desafio aos Pais - pesem a mochila dos vossos filhos antes de eles saírem para a escola. Mas atenção, estou convencido de que encontrarão razões para ficarem seriamente preocupados! Post-scriptum: Este desafio também é válido para os Senhores Professores que, para além de Pais e Educadores, são quem marca as faltas de material…

Dr. Augusto Santana de Brito


11

E B S I S

e m

M o v i m e n t o | O Coordenador do Desporto Escolar: Prof. João Horta

EBSIS a correr O grupo de Educação Física organizou no dia 14 de novembro o Corta Mato Escolar. A meteorologia brindou-nos com uma bonita e soalheira manhã, onde 128 alunos de todos os níveis de ensino, distribuídos pelos diferentes escalões, deram vida, alegria e boa disposição ao circuito de manutenção de Viana do Alentejo. Esta atividade teve em conta o Programa Nacional de Educação Física (Atletismo), desenvolvendo o gosto pela corrida de fundo e promoveu a participação dos alunos em atividades da escola. Todos estes pequenos, grandes campeões, desafiaram as suas capacidades e procuraram cumprir a respetiva distância do percurso o mais rápido possível. Uns mais rápidos que outros, certo é que todos chegaram ao fim e aí receberam um lanche para retemperar as forças. A atividade teve início às

9.30H e terminou por volta das 12.30H, decorrendo conforme planificado pelos docentes do grupo. Os três primeiros classificados de cada prova, subiram ao pódio e aí receberam as respetivas medalhas. Os participantes, foram sujeitos a um teste sobre a sua capacidade respiratória em repouso por parte das Sras. Enfermeiras do Centro de Saúde, inserido no Projeto Escola Saúde. Um obrigado muito especial para a turma do Curso Profissional, pela preciosa colaboração na organização deste evento, às funcionárias do bar pela preparação dos lanches, demais funcionários da escola envolvidos, Câmara Municipal, GNR e Bombeiros Voluntários. Os primeiros classificados de cada escalão, irão representar a EBSIS no Corta Mato distrital a realizar no dia 7 de fevereiro de 2014.

Notícias da Escola com o apoio de: Junta de Freguesia de Viana do Alentejo

Os Professores de Ed. Física 2013-2014


12

Correio sentimental e espiritual Dr.ª Lizette Conselheira sentimental

Braço de trabalho Tenho 16 anos e já “chumbei” três anos na escola. Gostava de saber se posso sair da escola e ir trabalhar. Estou farto de ouvir os meus pais a chatearem-me a cabeça, os professores a darem-me nas orelhas e todos a olharem para mim como se eu fosse uma coisa de outro mundo. O que eu quero mesmo é arranjar um empregozito num banco, ou assim, e ganhar

dinheiro para as minhas coisas, já que os “cotas” estão sempre a queixar-se de que não há dinheiro que chegue, que a fonte está a secar e sei lá mais o quê. Ouvi dizer que somos obrigados a andar na escola até aos 18, mas eu quero lá saber, eu vou é trabalhar e ganhar o meu. O que me diz, doutora? Anónimo com falta de ar

Olha, meu rapaz, parece que és mesmo uma coisa de outro mundo! Três anos perdidos a arrastares-te como se a escola fosse um martírio, sem respeito pelos sacrifícios dos teus pais ou pelo trabalho dos teus professores…Claro,

para ti tudo se resolve com um empregozito, mas não um qualquer. De preferência um emprego num banco, “à sombra da bananeira”. És mesmo um cromo ignorante e sem cérebro. Então pensas que podes deixar a escola e que há por aí um belo emprego à tua espera? Não há trabalho para gente grande e responsável, mas para ti todas as portas se abrem, está tudo ali ao virar da esquina, não é? Deves é pensar em compensar os anos perdidos, quer na escola, quer nas despesas que deste aos teus pais; toma juízo e não inventes coisas impossíveis.

Lizette de Vasconcellos e Sá

On-line http://www.aevianadoalentejo.edu.pt/

Escola Básica e Secundária Dr. Isidoro de Sousa Viana do Alentejo Estrada da Quinta de Santa Maria

Trabalho elaborado pelos meninos do Jardim de Infância de Aguiar

7090 Viana do Alentejo Tel.: +351 266 930 070 E-mail: jornal.ebsis@gmail.com Publicação da responsabilidade da Professora Gertrudes Pinto, produção gráfica do Professor Francisco Fadista e impressão na EBSIS. Tiragem: 220 exemplares

A equipa do Notícias da Escola associa-se a todas as escolas que constituem o Agrupamento de Escolas do Concelho de Viana do Alentejo e deseja a toda a comunidade educativa um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo.

Noticias da escola dezembro 2013 pub  

Notícias da Escola Edição dezembro de 2013 - Jornal do Agrupamento de Escolas do Concelho de Viana do Alentejo

Noticias da escola dezembro 2013 pub  

Notícias da Escola Edição dezembro de 2013 - Jornal do Agrupamento de Escolas do Concelho de Viana do Alentejo

Advertisement