Page 22

22

INDUSTRIAL

Junho 2021

A CONSOLIDAÇÃO DA USINA 4.0 Mais de 60 usinas já se beneficiam de tecnologia única no mundo, que controla plantas inteiras de processos contínuos Os avanços tecnológicos e a glo− balização arremetem, cada vez mais, para um mercado competitivo, que visa a redução de custos e a maximi− zação da produtividade, da eficiência e, principalmente, dos lucros. As ca− racterísticas do setor bioenergético, como a instabilidade da matéria− prima, dependência das condições climáticas, oscilações do mercado, diversidade de mão de obra e restri− ções legais e ambientais, dificultam o atingimento destes objetivos. Para fazer frente a esses desafios,

amplificados pelas demandas geradas pela pandemia da Covid−19, está acontecendo uma aceleração do processo de transformação digital na indústria bioenergética, rumo à Quarta Revolução Industrial, con− ceito mais conhecido como Indús− tria 4.0. A proposta da Indústria 4.0 é re− volucionar a maneira com que pro− dutos e serviços são gerados. Isso através da conexão e otimização de toda a cadeia de valor — informa− ções, pessoas e equipamentos — com

uso intensivo de tecnologia digital. O conceito Indústria 4.0 já está presente nas usinas e tem feito dife− rença na performance, sobretudo industrial, das plantas. Uma das ra− zões pelo interesse dos gestores, de− ve−se a levantamentos de consulto− rias internacionais, como a Mckin− sey, que indicam um potencial de redução de até 40% no custo de manutenção, em até 20% no consu− mo de energia, ao passo que também se pode aumentar a eficiência da operação em até 25%.

Ruptura tecnológica desenvolvida em usinas brasileiras Ainda considerada em outras par− tes do mundo como um conceito fu− turista, a RTO virou realidade e está consolidada no setor bioenergético. A aplicação mais abrangente dessa rup− tura tecnológica mundial, inclusive, foi desenvolvida no Brasil e, especifi− camente, nas usinas de cana−de− açúcar. Chama−se S−PAA e suas funcionalidades e benefícios, inclusi− ve, já podem ser medidos e compar− tilhados por gestores de mais de 60 usinas brasileiras O S−PAA, único software de RTO para usinas de açúcar e etanol em todo o mundo e, inclusive, o úni−

co que controla de forma integral uma planta de processo contínuo, foi de− senvolvido pela Soteica do Brasil, em− presa especializada em otimização de processos e excelência operacional, e implantado na primeira unidade pro− dutora em 2009. Como um software de RTO de última geração, o S−PAA funciona através de 4 componentes principais: 1−aquisição e tratamento matemático dos dados de laboratório e processos (big data); 2− modelo representativo da planta real, engenharia, processos e procedimentos (gêmeo digital); 3− si− mulação e otimização de cenários, a

partir de balanços de massa e energia e aplicação de algoritmo genético hí− brido (machine learning); e 4− atua− ção na planta real, através de laços fe− chados ou recomendações aos opera− dores (integração de sistemas e IoT). “O S−PAA integra 8 das 10 tec− nologias que compõem o conceito de Indústria 4.0 e, por essa razão, vem expandindo sua atuação para além do setor bioenergético, sendo adotado recentemente por indústrias de ci− tros, químicas e de geração de vapor e de energia elétrica a partir de bio− massa”, explica Nelson Nakamura, diretor da Soteica.

Otimização global e gestão inteligente da planta A técnica de Indústria 4.0 que vem recebendo destaque como diferencial nas usinas é a Otimização em Tempo Real (RTO), que possibilita uma oti− mização global da planta e uma gestão industrial inteligente e avançada, que passou a ser co− nhecida como Usina 4.0. As usinas de açúcar e etanol são plantas de processo contínuo, com grande variabilidade no processo, no qual cada setor de produção depende e interfere diretamente na eficiência dos demais setores. O papel da equipe industrial é reduzir as perdas, decidindo a todo mo− mento quais trade−offs resulta− rão em perdas menores e na melhor eficiência global da planta, maximizando a produção. Para lidar com estes desafios constantes − como variações na quantidade e na qualidade da ma− téria−prima; quebras ou perdas de eficiência em equipamentos; diver− sidade da mão de obra e restrições econômicas, ambientais e de segu− rança −, três premissas determinam o gerenciamento eficaz da indústria. A primeira é que as decisões devem ser em tempo real, uma vez que o processo é contínuo e dinâmico, recupera−se pouco ou nada do que se perdeu. Segundo, as decisões devem ser baseadas em engenharia, considerando os ba− lanços de massa e energia, as res− trições e limites operacionais, e não apenas em feelings ou dados históricos. Por fim, as decisões devem ter foco global, definindo os trade−offs, ou seja, quais atua− ções locais vão permitir alcançar a meta global de produção. Neste cenário dinâmico e desafiador, a única tecnologia existente capaz de cumprir essas três premissas no gerenciamen− to da indústria é a Otimização em Tempo Real (RTO). Ela permite explorar regiões próxi− mas da operação para encontrar com rapidez os set−points ade− quados para atingir a meta de produção, e isso, quaisquer que sejam as condições da planta.

Profile for ProCana Brasil

JornalCana 327 (Junho 2021)  

JornalCana 327 (Junho 2021)  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded