Page 1

A caça a Lázaro Barbosa (foto) chegou ao fim na madrugada de segunda-feira (28) com o serial killer atingido por 39 dos 125 tiros disparados contra ele pela PM de Goiás. Comemorada pelas autoridades e pela população, a morte do maníaco, no entanto, dificulta o esclarecimento das dezenas de crimes cometidos por ele. Ary Filgueira – Páginas 6 e 7

Ano X - número 521

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

www.bsbcapital.com.br

Fuzilamento deixa rastro de crimes sem resposta

Brasília, 3 a 9 de julho de 2021

PROPINOCINA 520 MIL

O Brasil parece condenado a padecer sob governantes corruptos. E quando isto ocorre concomitantemente a uma pandemia é aterrador. A CPI da Covid no Senado tem revelado impensáveis cobranças de propinas para a compra de vacinas contra o novo coronavírus: pessoas que tentam levar vantagem enquanto a Nação chora a morte de 520 mil brasileiros. Pelo Propinoduto do Petrolão escorreram o óleo e o dinheiro da Petrobrás. Pela Propinocina da vacina escorrem o sangue e a vida dos brasileiros. Pelaí – Página 3

Fake news castigadas

Ex-diretores da Terracap Alexandre Navarro e Fabiana Torquato recebem indenizações dos blogueiros José Seabra Neto, Antônio Carvalho Duarte e Etelmino Alfredo Pedrosa, o Mino Pedrosa, por Pelaí – Página 3 divulgação de matérias ofensivas em 2015.

Flexibilização do Desenvolve-DF

Desculpe o transtorno...

Gold Stone

Empresários que migraram do Pró-DF I e II apontam excesso de exigências do novo programa. Terracap quer regularizar a situação das empresas

Trânsito no centro de Taguatinga volta a sofrer mudanças para avanço das obras do túnel

Chega a Brasília um dos melhores sorvetes do mundo

Página 4

Via Satélites – Página 8

Dedé Roriz – Página 11


Brasília Capital n Opinião n 2 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Ex pedien te

Ed i to r i al

Julgamento de Bolsonaro deve ser político Diretor de Redação Orlando Pontes ojpontes@gmail.com Diretor Comercial Júlio Pontes comercial.bsbcapital@gmail.com Pedro Fernandes (61) 98406-7869 Diagramação / Arte final Giza Dairell Diretor de Arte Gabriel Pontes redação.bsbcapital@gmail.com

Tiragem 10.000 exemplares. Distribuição: Plano Piloto (sede dos poderes Legislativo e Executivo, empresas estatais e privadas), Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Vicente Pires, Águas Claras, Sobradinho, SIA, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Lago Oeste, Colorado/Taquari, Gama, Santa Maria, Alexânia / Olhos D’Água (GO), Abadiânia (GO), Águas lindas (GO), Valparaíso (GO), Jardim Ingá (GO), Luziânia (GO), Itajubá (MG), Piranguinho (MG), Piranguçu (MG), Wenceslau Braz (MG), Delfim Moreira (MG), Marmelópolis (MG), Pedralva (MG), São José do Alegre, Brazópolis (MG), Maria da Fé (MG) e Pouso Alegre (MG).

C-8 LOTE 27 SALA 4B TAGUATINGA/DF - CEP 72010-080 TEL: (61) 3961-7550 BSBCAPITAL50@GMAIL.COM WWW.BSBCAPITAL.COM.BR

Os textos assinados são de responsabilidade dos autores

Siga o Brasília Capital no facebook.com/jornal.brasiliacapital

Tentar provocar a Justiça contra Jair Bolsonaro é uma estratégia inócua da oposição. Alternativas como a queixa-crime contra o Presidente, apontando suposta prevaricação, apresentada por Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e outros parlamentares, não rendem mais do que manchetes vazias. Com uma Procuradoria-Geral da República aparelhada pelo governo, entulhar processos no Supremo Tribunal Federal pode, até mesmo, atrapalhar o andamento dos resultados da CPI a serem encaminhados pelo Senado. No futuro, quando chegar o indiciamento de autoridades com foro investigadas pela CPI, Augusto Aras pode alegar a existência de um processo já aberto para apurar o mesmo caso

apontado pela CPI. E, assim, arquivar todos os indícios, com base em um pedido anterior feito pela oposição. A saída para o pretendido impeachment de Bolsonaro é o julgamento político e a desconstrução de sua política econômica. A consolidação de uma oposição única, sinalizada pelo super pedido de impeachment apresentado na quinta-feira (1º) é o início da jornada. Assim como as mobilizações populares contra o governo. Na prática, a organização pelo impeachment de Bolsonaro ainda é uma recém-nascida. No Congresso real, líderes calculam que, caso fosse votado hoje, o impeachment alcançaria cerca de 200 dos 346 votos necessários para ser aprovado. Especialistas apontam como culpados pela baixa adesão os próprios

deputados signatários do documento. Por exemplo, Joice Hasselmann (o Bolsonaro de saias) e Kim Kataguiri (que enxergava o PT como ameaça à democracia). O próprio PT, hoje, prefere ver Bolsonaro sangrando do que fora do cargo. Assim, facilita a vida de Lula no próximo ano. Bolsonaro se desfez de sua base ideológica e lavajatista (Kim e Joice) para se firmar no poder. Quem o sustenta é o Centrão. Mesmo em seu momento mais delicado, o governo se mantém estável graças aos acordos com partidos como PP, PL, PSD etc. É bom lembrar que a centro-direita do Congresso sempre sustentou, enquanto quis e lhe foi útil, todos os mandatos presidenciais. Bolsonaro ainda tem lenha para queimar...

Bolsocheio e o rabo do macaco Júlio Miragaya (*)

AGÊNCIA BRASIL

É muito comum no Brasil se recorrer a um velho hábito (ou esperteza) de se imputar a outro seus próprios desvios e transgressões. É o caso típico do motorista que ultrapassa sinal vermelho, corta engarrafamento pelo acostamento, não respeita a faixa de pedestre e vive reclamando do trânsito. E quem não se lembra de Cunha, Geddel e Aécio acusando Lula de corrupto? Há um provérbio popular que diz: quem tem telhado de vidro não atira pedra no telhado do vizinho. Parece que Bolsonaro e sua choldra, que se fartaram de acusar Lula de corrupção, não o conhecem. Lula foi absolvido de todas as acusações de corrupção em todos os tribunais fora da jurisdição de Curitiba (TRF-4). E mesmo as condenações formuladas pelo “juiz ladrão” Sergio Moro - com base em delações “encomendadas” a empresários corruptos com a promessa de redução de penas – foram derrubadas no STF por incompetência e parcialidade. Já Bolsonaro, que se diz “incorruptível e imbroxável”, está diretamente envolvido num es-

cabroso caso de corrupção. Trata-se da perniciosa tentativa de aquisição, pelo Ministério da Saúde, da vacina Covaxin, fabricada pelo laboratório indiano Bharat Biotech. O caso estourou com a denúncia de um servidor público do MS de sofrer pressão para dar aceite a uma nota fiscal que possibilitaria um pagamento adiantado de US$ 15 milhões por uma vacina que ainda não tinha autorização da Anvisa e tampouco havia disponibilidade para entrega. Ademais, a quantidade prevista de vacina e o nome da empresa na nota estavam em desacordo com o que constava no contrato, assim como pagamentos de frete e seguro, atribuição do vendedor, estavam imputados ao MS. Como agravante, o contrato com o laboratório indiano envolveu a intermediação da Precisa, empresa pertencente a Francisco Maximiano, dono da Global, envolvida em calote de R$ 20 milhões no MS na gestão do ex-ministro Ricardo Barros. Para operar a ação em benefício da Precisa, que montou escritório num paraíso fiscal, Ricardo “Lamas”, contava no MS com dois servidores nomeados por ele. O mais escandaloso é que tais irregularidades foram comunicadas a Bolsonaro pelo deputado bolsonarista Luís Miranda, a quem o presidente genocida respondeu que era “rolo” de Barros, líder do “Centrão” e do go-

verno na Câmara, e que iria relatar o ocorrido à PF. E o que fez Bolsonaro? Mandou alertar a Precisa para corrigir as maracutaias na nota fiscal e mandou o ministro Onyx Lorenzoni ameaçar o deputado e seu irmão, que denunciaram a maracutaia, além de atacá-los via tuíte. É o modus operandi das “famiglias” mafiosas. Deve-se ressaltar que Maximiano goza da proximidade da famiglia Bolsonaro, pois, para se reunir com Gustavo Montezano, presidente do BNDES, o dono da Precisa, contou com a intermediação do senador Flávio “Rachadinha”. É “preciso” abrir essa “caixa preta”. E o que mais “precisa” para abrir o processo de impeachment? A pressão no MS envolveu o coordenador-geral de Logística, tenente-coronel Alex Lial Marinho e o assessor, coronel Marcelo Bento Pires, ambos indicados pelo general Pazuello. Juntos com o coronel Divério, afastado por licitação fraudulenta na Superintendência do MS/RJ, todos naufragaram com a tese do ex-capitão de que “militares são incorruptíveis”. Faz lembrar outro provérbio popular: “olha pra teu rabo, macaco”.

(*) Doutor em Desenvolvimento Econômico Sustentável, ex-presidente da Codeplan e do Conselho Federal de Economia


Brasília Capital n Política n 3 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Conspiração – Coube ao aliado Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, incentivar o deputado Luís Miranda (DEM-DF) a divulgar suspeitas de corrupção no governo. O indicativo aponta que Lira estaria conspirando contra Bolsonaro, ou apenas tentando destituir o líder do governo Ricardo Barros (PP-PR), seu desafeto.

Falso positivo O cabo da PM de Minas Gerais Luiz Dominguetti, representante comercial da Davati Medical, chegou à CPI da Covid na quinta-feira (1º) carregando a expectativa de tornar-se o delator de um grande esquema de corrupção envolvendo a compra de 400 milhões de doses da vacina Oxford/Astrazeneca. Mas era alarme falso. PROPINA – Dominguetti confirmou que bolsonaristas pediram US$ 1 de propina por dose (seriam 200 milhões da Astrazeneca vendidas ao Brasil em um dos contratos assinados com o Ministério da Saúde). Ao todo, o esquema deveria render US$ 1,4 bilhão (R$ 7 bi) para os participantes. MENTIRAS – Após duas das sete horas da oitiva, a narrativa de Dominguetti derreteu. Primeiro, porque ele não é contratado da Davati Medical. Segundo, porque a empresa não representa a farmacêutica Astrazeneca.

ÁUDIO – O celular do vendedor foi apreendido pela Polícia Legislativa no momento em que ele apresentava um suposto áudio do deputado Luiz Miranda (DEM-DF) que deveria tratar sobre corrupção na compra de vacinas. PRISÃO – Miranda foi à CPI e provou que o áudio estava editado e referia-se à compra de luvas - e não de imunizantes, como bradou o PM. Senadores chegaram a pedir a prisão de Dominguetti. O presidente da CPI negou. JANTAR – Segundo o PM, o pedido de propina aconteceu em um jantar num restaurante no Brasília Shopping. Agora, a CPI pretende promover uma acareação entre as quatro pessoas presentes no evento. ACAREAÇÃO – Além do vendedor, serão ouvidos na próxima semana: Cristiano Carvalho, representante da Davati no Brasil; Roberto Dias, ex-diretor de Logística do Ministé-

rio da Saúde, exonerado na quinta-feira, após as denúncias; e o deputado Ricardo Barros (PP-PR). TESTEMUNHA PLANTADA – O senador Humberto Costa (PT-PE) classificou como “muito estranho” o depoimento de Dominguetti. “Ele pode ter outro objetivo inconfessável. Pode ser alguém que foi plantado para tumultuar a CPI ou desmoralizar o depoente da semana passada. Vamos ter acesso às ligações dele e vai ficar mais fácil identificar o que isso realmente representa”, disse. XADREZ – No vai e vem da CPI, a denúncia dos irmãos Miranda, da semana anterior, deve ganhar novos capítulos nas próximas sessões. Senadores vão ouvir o líder do governo, Ricardo Barros (PP-PR), apontado como responsável pelas “pressões atípicas” para compra das vacinas da Covaxin antes da aprovação da Anvisa.

Vitória contra Fake news O ex-presidente da Terracap, Alexandre Navarro, e a ex-diretora de Regularização Fundiária da estatal, Fabiana Torquato (foto), venceram as ações cíveis que moveram, desde 2015, contra os blogueiros José Seabra Neto (Notibras), Mino Pedrosa (Quidi Novi) e o titular do portal Radar Condomínio, Antônio Duarte. CESTAS BÁSICAS – Além das custas processuais e honorários advocatícios, os réus pagarão às vítimas diferentes indenizações pecuniárias por danos morais. Mas Navarro e Fabiana decidiram não fi-

formarão as indenizações em cestas básicas a serem doadas para instituições de caridade.

car com o dinheiro. Na sexta-feira (2), reuniram os amigos para um almoço e anunciaram que trans-

CREDIBILIDADE – “Vamos usar esse dinheiro, fruto de ações que vencemos contra pessoas inescrupulosas que praticaram crimes contra nossa honra, para ajudar pessoas que realmente necessitam. Deus escreve certo por linhas tortas”, disse Fabiana Torquato. Navarro lembrou que, à época, o Brasília Capital foi o único veículo de comunicação que deu credibilidade à versão apresentada por ele e por Fabiana.

A única A deputada Paula Belmonte (Cidadania/foto) foi a única parlamentar do DF a assinar a chamada “emenda antiprivilégio” apresentada por Kim Kataguiri (DEM-SP). A ideia é incluir no texto da Reforma Administrativa a extinção de benefícios concedidos a servidores públicos de todos os poderes, inclusive as Forças Armadas. A emenda extingue, por exemplo, férias maiores que 30 dias. DIVULGAÇÃO

Bye bye, DEM Pivô da mais nova crise do governo Jair Bolsonaro, envolvendo cobrança de propina para compra de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca, o deputado Luís Miranda (DF) está de saída do Democratas. CONCORRÊNCIA – Antes mesmo de causar rebuliço e ameaçar “explodir a República”, Miranda já sondava outro partido. Afinal o presidente local do DEM, Alberto Fraga, deve disputar vaga na Câmara Federal e não gosta da concorrência do correligionário. TRAIDOR – Mas a pecha de “traidor” que os bolsonaristas imputaram a Miranda emperrou a articulação que ele fazia para ir para o Republicanos. Apesar de o deputado fazer questão de dizer que defende Bolsonaro, tê-lo nos quadros da legenda não condiz com o apoio incondicional ao presidente.


Brasília Capital n Política 4 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Empresários pedem flexibilização do Desenvolve-DF ANTÔNIO SABINO

Grupo alega excesso de exigências para regularização do programa que sucedeu os antigos Pró-DF I e II Netto Costa Um grupo que reúne mais de cem empresários dos antigos programas Pró-DF I e II, de incentivo ao empreendedorismo, rebatizados de Desenvolve-DF, reivindica junto ao governador Ibaneis Rocha a flexibilização das exigências para a regularização das Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADEs). Os empresários reclamam do excesso de exigências e dizem que terão que refazer projetos. “Muitos, como eu, já possuem o documento Declaração de Implantação Definitiva para que possamos dar entrada na emissão das escrituras dos lotes”, diz Álvaro de Oliveira Correia, dono da Retífica de Motores Patilete, na QE 40 do Guará. Segundo Álvaro, um abaixo-assinado nesse sentido já foi

Empresários da QE 40 do Guará querem que o documento de implantação definitiva, que já possuem, garanta vantagens no processo

entregue ao GDF. No texto de abertura, os empresários citam as dificuldades impostas pela pandemia e o enfrentamento de grandes dificuldades financeiras para manter os empreendimentos funcionando. “Alguns até fecharam as portas devido à crise sanitária e humanitária, por isso, se não tivermos uma atenção por parte do governo, não teremos como regularizar a escrituração dos lotes”, diz trecho do abaixo-assinado. Os empresários afirmam que

têm recebido visitas de supostos advogados oferecendo-se para regularizar os processos por valores que variam de R$ 8 mil a R$ 60 mil. “Não seria melhor que pudéssemos pagar esses valores diretamente ao governo, já como forma de quitação de parte dos valores dos lotes?”, questiona Álvaro. Já Albino Xavier, empresário no setor ADE Placa da Mercedes, reclama da morosidade na tramitação dos processos. “Geralmente os processos ficam paralisados. Eu mesmo tive um

processo que ficou perdido dentro da Secretaria por mais de dois anos”, conta. Ele defende menos burocracia para que os empreendedores possam obter a escritura dos imóveis. EMPRESAS FECHADAS – De fato, os empresários sentiram de perto os impactos da pandemia. Segundo a Junta Comercial do DF, pelo menos 20 mil empresas foram fechadas no DF no ano passado. E, segundo o IBGE, a taxa de desemprego no DF chegou a 14,8% em 2020.

Terracap: mais empregos, menos taxas O GDF, por meio da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), reformulou o Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do DF (Pró-DF II), criando o Desenvolve-DF, cujo principal objetivo é regularizar a situação das empresas com pendências diversas. O programa é um sistema de concessão de direito real de uso sobre terrenos da Terracap, com prazo de concessão variável de cinco a 30 anos, prorrogável por igual período e carência para início de pagamento de seis a 24 meses.

O diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico da Terracap, Leonardo Mundim, explica: “A reformulação que criou o Desenvolve-DF surgiu ouvindo sugestões do setor produtivo em 21 regiões administrativas, com o objetivo de gerar empregos e auxiliar na retomada da economia. Pretendemos resolver problemas de pessoas que estão há 20 anos esperando por solução”. Ele destaca que quanto mais empregos gerados, menor será

o valor da taxa de ocupação paga. De acordo com as novas regras, as renegociações com empresas inseridas no Pró-DF II serão feitas pela Terracap e podem ser aderidas até 4 de setembro deste ano. Estão previstos descontos de até 100% sobre multas e juros de mora. A data-limite para empresários optarem pela migração do Pró-DF I e II ou renovação do processo na Terracap é 4 de agosto. “Caso o empresário tenha cometido falhas, cedido a

área sem gerar empregos ou com a concessão cancelada, será possível sanar os problemas e recomeçar sem pendências”, diz Mundim. “A ideia é resolver a situação de aproximadamente 3 mil imóveis”, completa. A Terracap disponibiliza um telefone aos empresários, para informações e esclarecimento de dúvidas: (61) 3350-2222, de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Também há um chat on-line, disponível no portal da Terracap. (NC)


O GDF não para de investir no combate à pandemia. Thalita Passos Enfermeira do HRAN

Mais de 1.000 novos leitos hospitalares.

R$ 300 milhões para combater a fome. Mais de 6 milhões de máscaras distribuídas.

6.500 profissionais de saúde contratados. 500 mil testes realizados. Maior testagem do Brasil. R$ 5 bilhões em crédito facilitado para empresários. Prazo prorrogado para pagamento de impostos para 37 mil empresas.

3 hospitais permanentes e 5 hospitais de campanha. 700 mil pessoas beneficiadas por programas sociais. Higienize as mãos com frequência.

O uso de máscara é obrigatório.

Quando a Covid-19 chegou, o GDF foi o primeiro a decretar o isolamento social. Também foi o primeiro a reservar vacinas para garantir a aplicação da 2ª dose. Esses números demonstram o esforço que o GDF está fazendo para amenizar os efeitos da Covid-19 aqui no DF. Continue você também a fazer a sua parte: usando máscara, álcool gel e evitando aglomerações.

Evite aglomerações.


Brasília Capital n Cidades n 6 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

A MORTE DE LÁZARO BARBOSA

Fim de caçada ou q Fuzilamento do serial killer não esclarece o rastro de

Ary Filgueira (*) O fuzilamento do criminoso Lázaro Barbosa de Sousa, na madrugada de segunda-feira (28 de junho), encerrou uma caçada de 20 dias e criou dúvidas e mistérios que levarão muitos meses (ou anos) para serem esclarecidos pelas Polícias Civis de Goiás, do Distrito Federal e da Bahia. Lázaro foi alvo de 125 tiros disparados por policiais militares goianos e atingido por 39 projéteis. Mesmo assim, seu corpo foi jogado numa viatura da PM e depois transferido para uma ambulância do Corpo de Bombeiros até chegar ao hospital, onde sua morte foi constatada oficialmente. O maníaco espalhou medo e ódio entre a população e as forças de segurança pelos crimes bárbaros que cometeu ao longo de vários anos no perímetro de Ceilândia, no DF, e Águas Lindas e Cocalzinho, em Goiás. Num deles, matou pai, mãe e dois filhos da mesma família. Mas, o que seria o fim de uma agonia, encerrando a missão de um batalhão de 270 policiais que se mobilizaram para as buscas ao serial killer, abre um leque de vários mistérios. Entre outros: por que Lázaro foi morto com 39 tiros quando já estava cercado e apresentava debilidade física, magreza e cansaço, e dificilmente escaparia ao um cerco de um contingente de guerra?; Como a polícia vai desnovelar a dúvida dos chefes da megaoperação se o maníaco agia por conta própria ou a mando de alguém?

Rede de interesses Em meio a gritos de euforia e carreata de viaturas oficiais para festejar o que a polícia goiana classificou como “operação bem-sucedida”, o serviço de inteligência da Secretaria de Segurança Pública de Goiás continuava o trabalho para referendar a hipótese de uma rede de interesses que investia em Lázaro para que fizesse o “serviço sujo”, ou enterrar de vez tal possibilidade. Em nota enviada ao Brasília Capital, a Secretaria confirmou que uma das linhas de investigação após a morte de Lázaro é a de que ele pode ter agido barbaramente a mando de alguém. A assessoria da Pasta admite que existe a suspeita de haver uma rede de interesses em torno das terras da região desde

Cocalzinho até Ceilândia. A suspeita da polícia de participação de mandantes para os crimes cometidos pelo serial killer passa pela morte da família Vidal. Cláudio Vidal de Oliveira, 48; Carlos Eduardo Marques Vidal; 21, e Gustavo Marques Vidal, 15, foram encontrados sem vida dentro de casa e com marcas de tiros e facadas, na fazenda onde moram outros membros da família. O crime ocorreu numa quarta-feira (9/6). O corpo da esposa de Cláudio e mãe de Carlos e Gustavo, Cleonice Marques, 43, só foi encontrado três dias depois num córrego no Sol Nascente, que fica em Ceilândia. Ela estava nua e apresentava marcas de violência sexual. Mais tarde a polícia descobriria que Lázaro era o autor.

A polícia suspeita de participação de mandantes no crime cometido por Lázaro contra a família Vidal

Imensidão de terras O casal Cláudio e Cleonice era dono de uma imensidão de terras, onde funcionam até hoje as empresas Viveiro Vidal e Agricultura, no Incra 9, à margem da BR-070. É a partir desse crime que a polícia começou a suspeitar de que Lázaro estivesse a mando de alguém. O autor da chacina teria cometido o

crime para que os herdeiros resolvessem vender a terra. Apesar de surgirem rumores na mídia de que os parentes do casal estariam interessados em se desfazer da propriedade, um dos familiares, que se identificou apenas como Geraldo, garantiu à reportagem do Brasília Capital que não pretende

vender a propriedade. Para ele, Lázaro era um psicopata que matava por prazer. “Eles foram mortos por um psicopata. Foi um assassinato e nada mais. Não estamos vendendo nada. Não acredito que ele agia a mando de alguém interessado em comprar nossas propriedades”, disse Geraldo.


Brasília Capital n Cidades n 7 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

queima de arquivo? crimes cometido por ele no DF, em Goiás e na Bahia Elmi Caetano Evangelista, 74 anos, foi preso por esconder, alimentar e ajudar Lázaro Barbosa a fugir da Justiça.

Dúvidas vão para o túmulo FOTOS: ANTÔNIO SABINO

O criminoso vivia no mato, mas foi encontrado com uma quantia significativa de dinheiro (R$ 4,4 mil), parecia se alimentar de comida pronta e não somente de animais exóticos, como rãs. Quatro dias antes do cerco, a polícia chegou a um fazendeiro e seu caseiro, após constatar que os dois davam cobertura e suporte a Lázaro.

Fazendeiro dava cobertura O fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, 74 anos, e o caseiro dele, Alain Reis de Santana, 33, foram presos, mas só o primeiro continua detido. De acordo com o depoimento do caseiro, o patrão alimentava Lázaro e dava guarida ao criminoso, que se escondia em sua fazenda, em Cocalzinho. O caseiro disse que recebeu ordens de não deixar a polícia entrar no terreno desde o dia 18 de junho. Às vésperas de exterminar Lázaro, na madrugada do dia 23 de junho, uma equipe do Comando de Operação de Divisas da PM (COD) foi proibida de entrar na fazenda pelo proprietário. O Ministério Público de Goiás (MPGO) apresentou denúncia à Justiça contra Elmi Caetano Evangelista por suspeita de auxiliar na fuga de Lázaro Barbosa. No documento, a promotora de Justiça de Cocalzinho, Gabriela Starling Jorge Vieira de Mello, também pede que o filho do acusado, identificado como Gabriel, seja investigado. Ela acredita que existam indicativos da participação dele no crime de favorecimento pessoal praticado pelo pai.

Lázaro levou para o túmulo as explicações que teria para cometer tanto derramamento de sangue. Sua mancha criminal começa na Bahia, onde matou duas pessoas em Barra dos Mendes, em 2007. Onze anos depois, foi preso em Águas Lindas de Goiás, em cumprimento a três mandados de prisão por homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro. No dia 8 de abril de 2020, invadiu uma chácara em Santo Antônio do Descoberto e golpeou um idoso com um machado. No dia 26 do mesmo mês, mas em 2021, Lázaro invadiu uma casa no Sol Nascente (DF), quando trancou pai

e filho no quarto e levou a mulher para um matagal e a estuprou. No dia 9 de junho deste ano, o assassino em série invadiu uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde matou a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Mesmo sob forte vigilância policial, não parou. No dia 12, atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Três dias depois, baleou dois policiais militares de Goiás durante buscas a ele. Agora morto, quem poderá revelar as motivações de Lázaro ou mesmo desvendar os mistérios de sua mente doentia?

Caçada custou R$ 24 milhões Sua caçada gerou um custo milionário aos cofres públicos. Foram empregados, ou investidos, como queiram chamar as autoridades, mais de R$ 24 milhões em horas extras para policiais, emprego de viaturas, aeronaves, munição, armas. “A perda de qualquer vida, seja de criminosos, de cidadãos comuns ou de policiais, implica em prejuízos emocionais e materiais. O emocional, afeta direta ou indiretamente a família das vítimas e

do próprio criminoso. Uma morte aciona todo um sistema público e, às vezes, implica em custos para o sistema de saúde, para a seguridade social e para o sistema econômico, já que a perda pode representar um indivíduos ou mais, economicamente ativos, que terão deixado de ser contributivos para o desenvolvimento social”, sintetiza o professor e pesquisador em segurança pública da Universidade Católica de Brasília (UCB), Nélson Gonçalves. (*) Especial para o Brasília Capital


Brasília Capital n Cidades n 8 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

VIA

Satélites

{

Por Lorrane Oliveira

Seleção para a Saúde – A Secretaria de Saúde publicou, quarta-feira (30), o processo seletivo emergencial de profissionais da saúde e reforço no combate à pandemia do novo coronavírus. São 220 vagas, divididas em três áreas de atuação: 50 médicos, 70 enfermeiros e 100 técnicos em enfermagem. As inscrições podem ser feitas até segunda-feira (5) no site do Instituto AOCP.

TAGUATINGA

{

Mudanças na Samdu e na Elmo Serejo O GDF procedeu novas mudanças no trânsito de Taguatinga em função das obras do túnel no centro da cidade. As intervenções no começaram na terça-feira (29). Agora, os veículos que trafegam pela Avenida Elmo Serejo,

sentido EPTG, passarão por um desvio à esquerda, com cruzamento semafórico e seguir pela pista de acesso à Avenida das Palmeiras. Para atravessar da Samdu Sul para a Samdu Norte é preciso passar pela pista ao lado

da Feira dos Importados, manter-se na faixa à direita e cruzar a Elmo Serejo. Aqueles que desejam seguir para Ceilândia devem se conservar na faixa à esquerda para acessar a Elmo Serejo após o cruzamento semafórico.

DISTRITO FEDERAL DIVULGAÇÃO

Abertas as inscrições para os CILs Estão abertas as inscrições para os cursos de idiomas do segundo semestre de 2021 dos centros interescolares de línguas (CILs). Estudantes da rede pública que querem aprender uma língua estrangeira devem efetivar cadastro até 18 de julho, exclusivamente no site da Secretaria de Educação. Os idiomas oferecidos são inglês, francês, japonês e espanhol.

Em defesa do Refúgio da Vida Silvestre Rayssa Tomaz (*) DIVULGAÇÃO

Enquanto acompanhamos, assustados, os retrocessos da área ambiental em âmbito nacional, no DF também ocorre uma agressão com danos irreversíveis aos recursos naturais: a construção de empreendimento de grande porte no Refúgio de Vida Silvestre, nas QI 17 e 19 do Lago Sul. Localizado próximo à Reserva Ecológica do Jardim Botânico, a REVIS Garça Branca é uma área de proteção integral e preservação de fauna

e nascentes de água. No DF, são cerca de 90 unidades de preservação, dentre parques ecológicos, reservas e o refúgio. O Refúgio é uma unidade conservação de espécies ameaçadas. Segundo documentos apresentados ao GDF, quase um ano após o início das obras sem alvará, o responsável pelo empreendimento informa que no local acontece uma modificação de estrutura já com a construção de 8.700m², dentro da Unidade de Proteção Integral. Não identificamos o processo de licenciamento ambiental. Porém, apenas por estar desmatando matas ciliares do córrego, a obra já seria passível de embargo. Segundo dados do INPE, a quantidade de árvores retiradas, desde 2019, assusta. Os

impactos na vida da comunidade deveriam constar no licenciamento, inclusive as medidas mitigadoras de danos ambientais, com a impermeabilização do solo, retirada de cobertura vegetal e estresse para fauna silvestre. O Instituto Brasília Ambiental não se manifestou. Alega não possuir a poligonal definida, segundo documentos apresentados em denúncia da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, do MPDFT. Pelo princípio da precaução e compreendendo que a vasta maioria das cerca de 90 áreas de preservação do DF não possui poligonais definidas, parar obra é urgente. A REVIS possui a mesma representação territorial desde que foi

transformada em Parque Ecológico pela Lei 1.594, de 25 de julho de 1997. Em resposta à Ação Civil Pública, o TJDFT entendeu que não poderia implicar em danos econômicos aos titulares do empreendimento. No entanto, desconsiderou a fragilidade e insegurança jurídica da área ambiental e o princípio constitucional preconizado no artigo 225, da garantia do direito ao meio ambiente preservado, “impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”. (*) Jornalista e ambientalista, ex-diretora de Sustentabilidade Urbana e Relações Institucionais da Secretaria de Meio Ambiente do GDF


Brasília Capital n Cidades n 9 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

GDF e empresa contratada ameaçam calote em profissionais de Saúde Adivinha? As denúncias “tão” no grau! Depois da novela da falta de insumos, do suposto esquema de superfaturamento em testes rápidos, da doação de EPI’s a outros estados etc., entramos, agora, numa nova fase - ainda em plena pandemia: a do atraso de pagamentos aos profissionais de Saúde dos hospitais de campanha do Distrito Federal. E, como sempre, temos o performático toma lá, dá cá. A empresa contratada, a baiana Associação Saúde em Movimento (ASM), afirma que depende dos repasses da Secretaria de Saúde (SES-DF) para a manutenção do contrato. O órgão, por sua vez, nega. Os atrasos, de acordo com as denúncias, referem-se aos serviços nos hospitais de campanha da Polícia Militar, de Santa Maria, do Gama e Hospital de Base. Isso significa que aproximadamente mil profissionais de Saúde estão com os salários atrasados. Já ima-

ginou? Você, na linha de frente, tratando pessoas com covid-19, enxugando gelo na pandemia (ainda com a vacinação a passos lentos), com o honorário em atraso? E tem mais: há, ainda, nos relatos feitos ao SindMédico-DF, a reclamação de que até o contrato foi “bagunçado”: em alguns casos não teve e, em outros, a empresa não assinou. Agora, para investigar esses atrasos, a Comissão Especial da Covid-19 no DF, após denúncia do SindMédico ao Ministério Público do Trabalho (MPT), enviou um ofício, nesta semana, ao MPT, para pedir explicações da situação. Porque é inadmissível que as pessoas que salvam vidas na pandemia não sejam pagas pelo serviço que prestam à sociedade, incluindo benefícios e recolhimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Mas, a empresa terceirizada responsável (ASM) pelos paga-

mentos (junto ao GDF) se defende. Ela afirma que o último repasse feito pela SES-DF foi em maio, no valor de R$ 11.672.394,00: para pagamento dos gastos dos meses de fevereiro e março. Ou seja, abril e maio não foram quitados. Enfim. O fato é que a história é longa e o verdadeiro prejudicado, como sempre, é a população: tanto profissionais da ponta quanto pacientes, que dependem do funcionamento destes hospitais para terem atendimento. Essa situação, só para deixar claro, é a mais recente no DF envolvendo toda essa questão da terceirização, que é um problema. E, vale salientar, o GDF é corresponsável pelo cumprimento da legislação trabalhista nesses casos. No passado, tivemos outros cenários semelhantes com empresas terceirizadas. É mais recorrente do que se sabe. Por isso, quero aproveitar este espa-

Dr. Gutemberg Fialho Médico e advogado Presidente da Federação Nacional dos Médicos e do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal

ço para salientar o que digo há anos: terceirizar é antônimo de direito à Saúde. É preciso ficar atento. E cobrar que, em vez de privatizar e terceirizar, o Estado faça sua parte como gestor da Saúde Pública.

Sinpro e MPDFT debatem volta às aulas presenciais Em resposta à carta enviada pelo Sinpro ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios solicitando a parceria do MPDFT para garantir que a Secretaria de Educação cumpra os protocolos necessários para a volta às aulas presenciais na rede pública de ensino do DF, a Comissão de Negociação do sindicato, representada pelos diretores Raimundo Kamir, Rosilene Corrêa, Berenice D’Arc e Cleber Soares se reuniu, na quarta-feira (30), com representantes do Ministério Público para debater o tema tão importante em um momento que, infelizmente, a curva de mortes e infectados continua alta no país. Durante a audiência, o sindicato colocou a importância do retorno presencial, mas, também, de todos os cuidados necessários para receber quase meio milhão de pessoas nas escolas públicas. Para o Sinpro, não basta va-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

cinar os (as) professores (as) e orientadores (as) educacionais. É preciso que as escolas estejam preparadas para receber os (as) alunos (as). A pouco mais de um mês para o retorno presencial, as escolas ainda estão totalmente despreparadas para receber a comunidade escolar em condições sanitárias adequadas e de proteção no trajeto de casa à escola. Até o momento, pratica-

mente nada foi feito para a instalação de equipamentos de proteção sanitária, ponto que traz grande preocupação tanto para a vida da categoria, quanto para a vida de estudantes, pais e demais profissionais da educação, boa parte deles em total estado de vulnerabilidade. Desde o início da pandemia, o Sinpro reconhece o prejuízo pedagógico que os estudantes da rede pú-

blica de ensino está sofrendo com o formato de aulas remotas, mas também tem alertado para o perigo que é o retorno presencial sem os devidos EPI’s e sem que os profissionais da carreira de magistério público tenham sido vacinados. Ao final da reunião, os representantes do MPDFT reconheceram a preocupação com que o Sinpro tem tratado o tema e colocam a importância de continuar o diálogo na busca por soluções conjuntas para o problema que estão passando a Educação e o Brasil, colocando como imprescindível o retorno às aulas com as condições de segurança necessárias.


Brasília Capital n Geral n 10 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

QUESTÕES DA ALMA

Anna Ribeiro Tálamo Eu quero morar em você para nos mudarmos constantemente Já passei por tantos lugares, tantos países e culturas! Dia desses, me peguei pensando onde eu gostaria de atracar. Onde gostaria de morar se não onde estou? A resposta veio quase que junto do pen-

samento. Eu queria “morar” em você! Conhecer suas ruas e becos, suas praças e segredos. Seus mistérios, sua arquitetura. Conhecer o dito e o implícito que toda cidade tem. Morar. Fazer morada. E

ESPÍRITA

José Matos Liberte-se da sua criação É hora de fazer um inventário da criação e dar novo rumo à vida, livre das negatividades. Plante novas memórias O modo como você foi criado fez de você o que você é. Por melhor que tenha sido a sua criação, há uma parte que cabe a você dar prosseguimento. Além do mais, há certas negatividades que ficaram e que lhe atrapalham hoje. Se você é complexado, tem autoestima baixa e é pessimista, trouxe isto da criação. É hora de cuidar de si e libertar-se.

TV Comunitária lIGADA EM BRASÍLIA

É hora de fazer um inventário da criação e dar novo rumo à vida livre das negatividades. Plante novas memórias por boa leitura, boas palestras, boas conversas, boas ações, terapias. Cuide-se! Louise Hay, maltratada e abusada na infância, superou os traumas, tornou-se terapeuta, e escreveu o livro “Você Pode Curar Sua Vida”.

quem sabe me enamorar. Eu não quero apenas passear. Quero fixar residência! Ter um endereço fixo para enviar meus sentimentos e segredos. Um lugar para retornar diariamente e me sentir em casa. Um lugar para enfeitar com flores. Um lugar com cheiro de café fresco. Eu quero morar em você para, juntos, ganharmos o mundo. Eu quero morar em você para nos mudarmos constantemente. Cúmplices, passearemos soltos e livres, porém preenchidos. Afinal, quando se mora em alguém livre, as amarras não caem bem. Vamos juntos aproveitar as estações dos nossos sentimen-

tos. Quero-te no verão, mas também no seu inverno. Tolos aqueles que não desfrutam da melancolia, da lágrima, mas sobretudo do silêncio. Também eu estou aqui para que você more em mim. O terreno está à venda. Não é para moradas provisórias. É para o infinito. O livre, alegre e imprevisível infinito. Ainda há tanto a descobrir, tanto a visitar! Mas meus olhos querem ver através dos seus. Por isso, se me perguntarem sobre nós dois, apenas responda... Moramos juntos!

Há pessoas, até boas, mas a conversa é sempre sobre misérias, doenças, mortes, desastres, assaltos, queixas. Vivem doentes. Observe seus pensamentos, conversas e atitudes. Miséria atrai miséria. O bem abre seus caminhos, desde que feito com o coração. Você acha que é azararado? Acha que é macumba? avalia o que vai fazer? O que fez? Pensa no que fala? Pensa no bem do próximo? Vive se queixando? É hora de mudar. Uma dor menor pode ajudar uma dor maior e a aparecer meios de você livrar-se da sua dor. É ajudando o que sofre mais que você arrumará meios de superar o seu próprio sofrimento. Seja inteligente. Aprenda com quem já desenvolveu qualidades que você ainda não desenvolveu. Está tudo dentro de você. Não há seres diferenciados. Há seres que se aplicaram e se desenvolve-

ram, como você também pode fazê-lo. Todos somos criados simples e ignorantes. Os grandes seres apenas deixaram crescer as sementes das virtudes que também estão dentro de você. Tudo contagia: alegria, tristeza; ânimo, desânimo; ódio, amor; generosidade, maldade. Mantenha distância de pessoas negativas! Alegria, honestidade e generosidade dos outros devem servir de lembrança para você. Você também pode ser assim! Quando as qualidades superiores dos outros lhe contagiarem em vez de despertarem ódio ou antipatia, você já estará muito próximo de tornar-se uma pessoa de bem. Você estará a um passo do salto quântico, da liberdade!

Anna Ribeiro Escritora

José Matos

Professor e palestrante

CANAL 12 NA NET WWW.TVCOMUNITARIADF.COM @TVComDF

TV Comunitária de Brasília DF


Brasília Capital n Gastronomia n 11 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Gastronomia

Empresário e radialista divulgando a boa gastronomia e eventos de Brasília Instagram: @dederoriz

Dedé Roriz

LUIGI TRATTORIA

HONORIS BAR

Parmegiana italiana com fettuccine Alfredo A noite de sexta (25) marcou a inauguração da Luigi Trattoria, no Centro Cultural do Brasil 21. É a segunda unidade da antigo Trattoria 101, do Setor Sudoeste, que tem como carro-chefe a tradicional parmegiana italiana com fettuccine Alfredo. Durante a festa, os convidados puderam desfrutar, além do prato mais famoso, do menu degustação preparado pelo chef Edilson Oliveira, com entradinhas típicas italianas, massas e risotos. De sobremesa, o cannoli a la siciliana. Tudo harmonizado com vinhos da Del Maipo. A atmosfera intimista da casa foi completada com música italiana ambiente, que animou os presentes.

Um lugar descolado no SIG TELEFONE PARA RESERVAS E DELIVERY (61) 3771-7951 Instagram: @luigi_trattoria Instagram: @complexobrasil21

COLD STONE

Um dos melhores sorvetes do mundo em Brasília Uma das marcas de sorvetes mais famosas do mundo agora está em Brasília. A Cold Stone foi trazida para a capital pelo empresário Daniel Barroso e já faz sucesso na cidade, inclusive formando fila na inauguração, mesmo a cidade vivendo dias frios neste inverno. Uma das opções que mais atrai a atenção é o sorvete na pedra, que pode ser misturado com brownie, pasta de amendoim ou diversas caldas, entre elas a de doce de leite. Você ainda pode pedir um delicioso Waffle feito na hora. Outro sabor diferente é o de massa de bolo, que remete à infância, quando toda criança rapa a panela enquanto a mãe prepara o bolo. Na Cold Stone você ainda vai encontrar tortas de sorvetes, um cafezinho e milk-shakes incríveis. A Cold Stone fica na Asa Norte, na rua do Uniceub. MAIS INFORMAÇÕES: Instagram: @coldstonebrasilia

O Setor de Indústrias Gráficas de Brasília ganhou mais um boteco descolado. Foi inaugurado, na Quadra 3 do SIG (ao lado da churrascaria Pampas), com a presença de muita gente bonita, o Honoris Causa Cozinha e Bar. Sob o comando do casal Leandro e Roberta Coppi, a casa tem música ao vivo à noite de quarta-feira a domingo. Para quem gosta de esporte, as TVs estarão sintonizadas na transmissão dos principais jogos Brasileirão e da Seleção Canarinho, entre outras atrações. O cardápio de drinks e petiscos é variado. Destaque para a “linguiça embriagada” e para o sensacional camarão empanado. No almoço, o Honoris Bar oferece um buffet com grande variedade de saladas. A comida bem temperada e o churrasco desfilam ao lado de pratos árabes, como kafta, charuto e quibe. Então, tá esperando o que pra conhecer o Honoris?

MAIS INFORMAÇÕES: Instagram: @honorisbar


Brasília Capital n Esportes n 12 n Brasília, 3 a 9 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

BRASILEIRÃO

Cheio de surpresas Favoritos Grêmio e São Paulo ainda não venceram. Bragantino e Athlético-PR lideram Gustavo Pontes Antes do início do Brasileirão 2021, Flamengo, Atlético-MG, Palmeiras, São Paulo, Internacional e Grêmio eram apontados como favoritos ao título. Com a bola rolando está sendo bem diferente. Grêmio e São Paulo ainda não venceram e o tricolor gaúcho ocupa a lanterna com apenas 2 pontos e duas partidas a menos. O pau-

lista, apesar de já ter disputado os 8 jogos, também está na zona da degola. O Inter possui 9 pontos em 8 jogos. Flamengo, Atlético-MG e Palmeiras, estão fazendo um bom início de competição, mas quem lidera é o Bragantino, que já derrotou o rubro-negro e o alviverde nas primeiras rodadas e continua invicto. O Athlético-PR também arrancou bem e após ficar dois jogos sem vencer, confirmou a boa fase ao golear o Fluminense por 4 a 1, fora de casa. No fim de semana, o tricolor carioca busca a reabilitação no clássico contra o Flamengo. Outros jogos interessantes movimentam a rodada, como São Paulo x Bragantino, em duelo de opostos na competição.

SÃO PAULO FC

Tricolores paulista e gaúcho ocupam atualmente a zona de rebaixamento

SEGUNDONA

SÉRIE D

Botafogo, Cruzeiro e Vasco fora do G-4

Gama e Brasiliense fazem clássico

Cercada de expectativas pela quantidade de grandes clubes na disputa, a Série B do Brasileirão 2021 vem sendo difícil para os três gigantes que tentam voltar à elite nacional. Além de Botafogo, Vasco e Cruzeiro, outros dois campeões brasileiros – Coritiba e Guarani – correm atrás de uma vaga. Após oito rodadas, os três gigantes estão fora do G-4 e estão preocupando seus torcedores. Deles, quem vive a pior situação é o Cruzeiro, com apenas duas vitórias, 7 pontos atrás do quarto colocado e apenas 1 à frente do Z-4.

O Vasco segue oscilando muito e está 5 pontos atrás do Sampaio Corrêa, quarto colocado. Já o Botafogo está a 4 pontos do G-4, mas com uma partida a menos. Entre os grandes da série B é o que mostra maior regularidade, apesar das inúmeras deficiências. Formam o G-4 o Náutico, único invicto; o Coritiba, que engatou uma sequência de 4 vitórias consecutivas; o Goiás e o Sampaio Corrêa, a grande surpresa do campeonato. Na parte de baixo da tabela, os tradicionais Remo, Brasil-RS, Vitória e Ponte Preta estão no Z-4.

Brasiliense e Gama se enfrentam neste sábado, às 15h, pela série D, no Serejão. O mandante Jacaré vem de derrota fora de casa para o União Rondonópolis e caiu para a terceira posição no grupo 5, com 7 pontos em 4 jogos. Já o Gama, vem de duas derrotas seguidas e saiu do G-4, ocupando a sexta colocação com 4 pontos. O Brasiliense não contará com o artilheiro Zé Love, que recebeu o terceiro cartão amarelo. Outro desfalque será o za-

gueiro Badhuga. No lado alviverde terá a estreia do técnico Marcelo Caranhato. Caso vença o clássico, o Gama alcança o rival em número de pontos e pode voltar a figurar entre os quatro primeiros colocados. O confronto entre os maiores vencedores do futebol do DF será transmitido em rede nacional pela TV Brasil, detentora dos direitos da competição. A partida também será transmitida na internet através da plataforma da eleven sports.

Profile for Jornal Brasília Capital

Jornal Brasília Capital 521  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded