Page 1

FIM DE SEMANA, 14 E 15 DE JANEIRO DE 2017 EDIÇÃO Nº 64

Estilo casual chic Páginas 4 e 5


Comportamento

Dna fa

O estilo casual chic da blogueira Bianca Petry conquista milhares de seguidores em redes sociais estrelense Bianca Petry é figura tarimbada nos endereços mais badalados da Zona Sul de Porto Alegre. Na companhia do namorado Andrigo Oliveira de Araújo, jogador do Internacional, pode ser vista circulando pelo Barra Shopping Sul e Iguatemi ou em algum sushi local, em especial, o Koori. “Sempre quero retornar ao Paris 6. Amo o grand gateau!”, conta. Fã de celebridades como Olivia Palermo, Chiara Ferragni, Negin Mirsalehi, Kylie Jenner, a modelo Bianca inspira mais de 140 mil fãs no Instagram e mais alguns milhares nas demais redes sociais. Ela se define como digital influencer. Uma formadora de opinião, que serve como referência de estilo e comportamento. Peças como t-shirts e alfaiataria p&b compõem o guarda-roupa da blogueira. “Sou básica

A

QUEM FEZ ESTA EDIÇÃO voce@jornalahora.inf.br

4| Você. |

Minha aposta para a próxima estação é a trend militar. Na minha última viagem para Orlando, na Flórida, trouxe vários casacos e trench coats com abotoamento duplo. Acho lindo!” Bianca Petry

e clássica. Gosto de praticidade e conforto, sempre.” Os truques de estilo aprimora com a experiência. “Tenho referências, principalmente da gringa e procuro acompanhá-las para me manter atualizada, por dentro das tendências. Assim amadurecer meu gosto e preferências.” O closet da modelo é recheado de peças garimpadas na Zara. “A loja tem muitas peças com o meu estilo.” Seu nome também está associado a marcas como a Bioclin Biomedicina Estética, o salão New Visuallizé, Ótica Salatiel e make de Giovana Duval, além de Skazi e Cecconello e outras. No dia a dia, lida com o assédio do namorado, com quem completou cinco anos de união. “Nos conhecemos em

Direção Editorial e Coordenação: Fernando Weiss - Produção: Taciana Colombo, Anderson Lopes e Carolina Chaves - Arte: Fábio Costa Revisão: Viandara Rempel - Foto de capa: Divulgação - Tiragem: 7.000 exemplares. Disponível para verificação junto ao impressor (ZH Editora Jornalística)

FIM DE SEMANA, 14 E 15 DE JANEIRO DE 2017


ashion

Dois toques

Na minha cabeceira está... Uma foto minha e do meu namorado

O tour que me encantou... Foi a visi-

Música boa é...

ta a Disney

Cold Water, Bieber

Para ficar off eu... Assisto um seriado

Justin

Pratico... Oração. Gratidão, sempre.

no Netflix, curto meus dogs Tommy e Oliver

lançamento porque muita gente me pede por isso. Finalmente vou conseguir colocar em prática.” Também estão nos planos outras viagens como a mais recente, que inclui uma parada em Orlando, nos Estados Unidos.

Na nécessaire Bianca não dispensa o protetor solar com cor, hidratante e água termal da La Roche Posay. O pó compacto favorito é assinado pela Shiseido. Para corrigir a pele, prefere o da marca Kryolan. O arremate do make fica por conta do lápis de boca à prova d'água da MakeUp Forever. “Estou

Estrela faz sete anos”, lembra. “Encaramos a fama de forma tranquila. As pessoas mostram respeito e carinho, o que é

muito gratificante para nós.” Neste ano, Bianca pretende criar um canal no YouTube. “Estou superansiosa com o

Encaramos a fama de forma tranquila. As pessoas mostram respeito e carinho, o que é muito gratificante para nós.” Bianca Petry

apaixonada por lápis de contorno labial nesta temporada. São ótimos pra valorizar o desenho dos lábios e fazem o batom durar muito mais.” Entre as marcas, destaca a linha da Kylie Jenner. “É maravilhosa.”

Apostas 2017 “Minha aposta para a próxima estação é a trend militar. Na minha última viagem para Orlando, na Flórida, trouxe vários casacos e trench coats com abotoamento duplo. Acho lindo!” Bianca também segue investindo em looks minimalistas, com peças em alfaiataria e couro. “São sempre uma ótima escolha.”

FIM DE SEMANA, 14 e 15 DE JANEIRO DE 2017

| Você. | 5


Fala, Doutor Conteúdo patrocinado

Sinal de alerta

Como usar lenços

Inca apontou mais de 90 mil novos casos de câncer de pele em mulheres no Brasil

O

câncer de pele do tipo não melanoma é o mais incidente entre a população brasileira. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) divulgados no ano passado indicam uma estimativa de 80,8 mil novos casos do problema em homens e 90,9 mil em mulheres. O tumor tende a crescer no local de origem, mas raramente desenvolve metástases em outros órgãos. A avaliação é que esse carcinoma seja o mais comum em regiões como Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Em solo gaúcho, há 138 casos para cada cem mil habitantes. Resultado superior ao apresentado no país, cerca de 85 casos por cem mil habitantes. Entretanto, o mais perigoso é o câncer melanoma, mas a ocorrência é baixa. Estima-se que há três mil novos casos em homens e 2,6 mil em mulheres. “É mais raro, com comportamento mais agressivo e maior risco de disseminar-se para outros órgãos”, explica o oncologista Rafael Seewald. O principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele é a exposição aos raios ultravioletas. Por isso, a recomendação é evitar permanecer no sol de forma prolongada. “A incidência desses raios é maior das 10h às 16h”, lembra o especialista.

A cor do verão Faz mais de dez anos que a publicitária e blogueira de beleza, Julia Thetinski, evita tomar sol. Sua pele clara requer cuidado o ano inteiro. “Uso protetor solar facial FPS 50. No verão, aumento o cuidado com áreas mais expostas como mãos, braços e pescoço.” Por recomendação da dermatologista, evita os horários de pico. “Praia e piscina só depois das 16h. Óculos e chapéu também ajudam na proteção.” Porém, nem sempre foi assim. Na

Site ensina a proteger a cabeça durante tratamento do câncer

infância, sofreu com o famoso “torraço”, com queimaduras e ardência na pele. Na adolescência, a tentativa de ficar bronzeada também trouxe consequências. “Percebi que a ‘cor do verão’ nunca chegava, não valia o risco”, conta.

Autoestima e proteção

“A incidência de raios ultravioletas é maior das 10h às 16h”, Rafael Seewald, oncologista

Depois que uma tia morreu de câncer, a estilista Laís Horn começou a nutrir admiração pelo uso de lenços como adorno. A história faz parte do ‘DNA’ profissional da estrelense. “Ao enfrentar o tratamento, as mulheres perdem os cabelos, uma parte importante da sua autoestima. Sentir-se feminina auxilia na recuperação. A moda pode ajudar e muito neste momento.” Laís sempre gostou de criar diferentes amarrações e maneiras de utilizar os lenços. No

Apoiadores

6| Você. |

FIM DE SEMANA, 14 E 15 DE JANEIRO DE 2017

A dica da estilista é encontrar um lenço que combine com estilo e tipo de corpo. “Têm mulheres que amam seu cabelo mais curtinho e querem assumi-lo. Optam por lenços menores e cheios de estilo.” Outras demostram paixão por cabelos

ateliê, costumava aproveitar os retalhos de malha para fazer turbantes, mesmo sem pensar em quem usaria ou para qual momento serviria. “Muitas mulheres com câncer acabaram me procurando para comprá-los, pois eram confortáveis.” Em uma pesquisa de moda para mulheres com câncer, observou que a maioria utilizava lenços de tecidos com o toque seco, quentes, com misturas de fibras, como o poliéster. “A escolha do material do lenço é muito importante.” Para proteger a cabeça, indica tecidos macios e leves, com fibras naturais, como algodão e viscose, que permitem que a pele respire e evitam alergias. “Acredito muito no estilo de cada mulher, sentir-se bem está na cabeça de cada uma.”

longos. “Podem usar lenços mais compridos, que imitam o movimento do cabelo.” Já quem passa pelo período sem cabelo pode usar lenços que lembram os árabes e indianos. “A internet é cheia de ideias, basta entrar e testar esse novo mundo cheio de estilo.”

Como identificar De acordo com Seewald, merece atenção e avaliação médica uma lesão na pele que crescer, coçar, sangrar ou apresentar alteração das características. As pessoas mais propensas a desenvolver a doença são aquelas com síndromes hereditárias. Também as de pele e olhos claros, múltiplas sardas e aquelas que dificilmente se bronzeiam e apresentam queimam com frequência.


Coluna

As cores da vida aos quarenta

S

ai do consultório da oftalmologista entendendo que agora era oficial: sou uma quarentona e não escapo do fato de não enxergar mais como antes. Enxergo melhor agora, pode ser de perto ou de longe. É isso mesmo, não me enganei. Mesmo tendo em mãos uma receita médica que indicava a necessidade de usar óculos de grau para facilitar a leitura, percebi que ironicamente era agora, nesta fase da minha vida, quando o acessório passou a compor meu visual, que eu via tudo com maior nitidez. Segundo a tradição hinduísta, temos situado em um ponto entre as

Agora entendo que sentar-me à sombra e sentir o seu frescor traz uma sensação de paz que dura muito mais do que o bronzeado da pele que tostou ao sol sobrancelhas um terceiro olho que está ligado à percepção sutil e à capacidade intuitiva. Pois penso que isso explica muito. Se por um lado os meus lindos olhos castanhos já não são mais tão independentes, por outro, o meu sexto chakra está com tudo. Não tenho poder de clarividência, no entanto, meu radar para identificar as cores da vida, traços de caráter, sociopatas, amigos verdadei-

ros e gente chata está muito bom! O mesmo posso dizer da minha capacidade de ver e avaliar pelo que realmente derramarei lágrimas e quais os melhores caminhos para percorrer em cada situação. Agora entendo que sentar-me à sombra e sentir o seu frescor traz uma sensação de paz que dura muito mais do que o bronzeado da pele que tostou ao sol (confesso que ainda

estou me desapegando do bronze). Já enxergo que mantenho a forma comendo maçãs e, por vezes, saio dela me deleitando com as massas, porque agora compreendo que, apesar dos corpos malhados atraírem os olhares de admiração, as mulheres de carnes macias também os atraem e com a imensa possibilidade de virem acompanhados de sinceros e calorosos abraços. Vejo os acontecimentos utilizando, além dos olhos, meus ouvidos, meu tato, olfato e paladar. Os 40 anos desembarcaram em minha vida mostrando a que vieram. Trazem consigo um ar requintado, perfumado, uma intuição apurada. Trazem um novo gosto musical e agora bebo valsas e degusto de clássicos interpretados pela Alcione e outros tantos nomes sensacionais. Estou fascinada com tudo o que ainda poderei descobrir (e agora escrever!) aos 50, 60 e lá vão anos de minha vida. Se antes eu olhava, agora eu enxergo.

Raquel Winter cronicasraquel@gmail.com

FIM DE SEMANA, 14 E 15 DE JANEIRO DE 2017

| Você. | 7


AH - Você | 14 e 15 de janeiro de 2017