Page 1

Olhares Bibliotecas Saiba tudo sobre os investimentos realizados pela prefeitura nas bibliotecas públicas de SP

Esportes urbanos Adrenalina e esportes que são a cara da Metrópole

Em meio ao Cinza

Parques Paulistanos abrem espaço para o verde em meio ao cinza da capital

Guia

Bares, cinema musica e muito mais no melhor guia da semana #01 - Dezembro 2010

SP


Redação Aline de Oliveira Débora Dias Yara Lamers Jessica Fiuza Larisse Alves Renata Kelly

Editoração Jessica Fiuza

Fotografia Jessica Fiuza Débora Dias

Olhares SP

A Revista de quem vive em São Paulo

S

ão Paulo é uma das cidades mais importantes do Brasil. Considerada pólo econômico, é a maior da América latina, famosa pela correria de seus moradores e pelo trânsito cada vez mais caótico. Apesar de todos estes aspectos que às vezes tumultuam a vida da gente, será que nós damos o real valor a essa megalópolwe? Basta aparecer um feriado e as estradas já ficam repletas de carros indo em direção a outros pontos e cidades, consideradas turísticas e paradisíacas. Justamente pela falta de tempo que cerca o Paulistano, porque não aproveitar os inúmeros recursos culturais e de lazer que São Paulo nos oferece?

Olhares SP

Os artigos e publicados nesta revista não refletem, necessariamente, a opinião dos patrocinadores, nem da Editora. Ficam proibidas reproduções de qualquer natureza, sendo todos os direitos reservados a Equipe de Pordução da mesma.

[2] Olhares SP

Aqui se encontram diversas possi¬bilidades que envolvem desde mega eventos culturais até simples oportunidades de lazer: contamos com parques, cinemas, museus, restaurantes e muito, muito mais. Conheça algumas dessas possibilidades e redescubra a nossa cidade, através de um novo olhar. A equipe.


Bibliotecas de São Paulo

Prefeitura investe em projetos de incentivo à leitura

Por Débora Dias

Divulgação

A biblioteca Prestes Maia está completa

A

o contrário do que se pensa, São Paulo possui bibliotecas em bom estado de conservação. São aproximadamente oitenta unidades públicas distribuídas por quase todos os bairros, isso sem falar nas mantidas por escolas, universidades e outros centros privados. A bibliotecária Maricy Vasconcelos, uma das responsáveis pela Biblioteca Prefeito Prestes Maia, localizada na Zona Sul, afirma que houve aumentos na doação de livros, inclusive por parte da prefeitura, e que isso tem sido suficiente para garantir um atendimento de qualidade ao público.

A prefeitura tem realizado projetos para aumentar o interesse da população pela leitura, como é o caso dos ônibus-biblioteca, que atravessam a cidade promovendo eventos de recreação e incentivo à leitura, principalmente entre as crianças dos bairros mais humildes. Merece destaque também, a implantação de bibliotecas em estações do metrô e oficinas de leitura, redação e poesia nos Centros Educacionais Unificados, Céus.

Além disso, as bibliotecas já existentes estão sofrendo modificações para se adequar ao perfil e às necessidades da população. A auxiliar de bibliotecária Maria As bibliotecas sempre foram Luiza, que trabalha há vinte anos procuradas para a realização de na biblioteca municipal Belmonte, pesquisas e trabalhos escolares, de Santo Amaro, conta que antes o mas com a popularização das mí- espaço era dedicado apenas à litedias digitais, houve uma queda nas ratura infantil, mas que hoje possui visitas a esses locais, principal- também um acervo especializado mente pelos jovens, que preferem em cultura popular. a instantaneidade da internet. Ela diz também que, os projetos Porém, há quem ainda prefira de incentivo aumentaram o númeestudar em bibliotecas, como é ro de visitantes e fizeram com que o caso do vestibulando Raphael muitas crianças se tornassem freAquino, de dezoito anos. Ele pos- qüentadoras assíduas, algumas, insui o hábito de freqüentá-las e diz clusive, acompanhadas pelos pais. que o ambiente é propício para a Para acompanhar de perto esses concentração, facilitando o estudo. e outros projetos de inclusão proPorém reconhece que a maioria movidos pela prefeitura da cidade seus amigos não compartilha a de, visite o site: www.prefeitura. mesma opinião. sp.gov.br. Olhares SP [3]


Esportes Urbanos

Vista aérea do Autodramo de Interlagos

São Paulo não é só congestioamento.

Muita adrenalina corre no concreto, entre as ruas e as esquinas da Capital

B

icicleta ergométrica, esteira e muito peso para puxar sentindo o ar condicionado da academia, apesar do cotidiano logístico das grandes metrópoles, São Paulo nem de longe se limita as quatros paredes desse espaço apático. Com a cara da metrópole, o Skate foi uma febre nos anos 80 e 90, e é um dos esportes mais praticados pelos jovens paulistanos até hoje, prova disso é a Associação Brasileira de Skate Feminino que foi fundada na Capital e o projeto Ska[4] Olhares SP

Por Jessica Fiuza

te nas escolas que conta com o apoio de Skatistas profissionais como André Hiena e Laurence Reali. José Alexandre de 18 anos que é estudante de Design de Produção da FAAP é skatista nas horas vagas desde os 08 anos de idade e confessa que o skate é uma de suas maiores paixões, porém não é a única, o estudante também é adepto do Le Parkour e explica que adora novas experiências “Cada esporte é uma sensação diferente “ afirma. O Le Parkour é um esporte relativamente novo

Le Parkoul

e pouco conhecido, onde o atleta sobrepõe obstáculos utilizando diversas técnicas como saltos dignos de filmes hollywoodianos. José Alexandre explica também que o Le Parkour permite ao esportista entender que existem varias maneiras de se superarem quaisquer obstáculos, porém sempre reconhecendo seus próprios limites. E já que a atividade física não serve apenas como lazer, mas é também um fator essencial para a saúde e o vigor físico e mental, então porque não juntar o útil ao agradável e ser adepto de uma dieta de adrenalina, vitalidade e bem estar? O Hockey sobre grama é uma ótima opção pra quem procura por

Acervo do Autodramo de Interlagos

um esporte ágil e competitivo, afirma o estudante Ivan Motta de 21 anos. Já para quem prefere esportes de menos impacto físico mas de muita adrenalina, André Belotto, estudante de administração, afirma que o Kart é uma alternativa que transmite a sensação de liberdade, permitindo ao piloto correr a 80km/h, sem precisar de muita proteção, e correndo um risco relativamente baixo. São Paulo é a cidade mais arrojada da America Latina, nessa imensa metrópole existem as mais variadas possibilidades de escolha para quem é adepto da Adrenalina e de esportes não tão convencionais, seja entre as alturas do Bungee jumping, ou a velocidade do Kart, o dinamismo do Le Parkour, ou o equilíbrio do Skate.


Parques Paulistanos

S

e o paulistano é naturalmente conhecido pelo ritmo acelerado e a rotina conturbada, a cidade de São Paulo tornou-se, para muitos, sinônimo de trânsito, buzinas e caos. A cidade que nunca para, o pólo industrial, entre outros estereótipos, ajudam a nos convencer de que para encontrar tranqüilidade é preciso descer a serra em dias de feriado, ou até mesmo abrigar-se em cidades do interior em busca de refúgio. Apesar de não podermos ignorar que, de fato vivemos em uma cidade agitada e populosa, vale à pena desfrutar da sensação de paz e liberdade proporcionada pelos diversos parques existentes aqui mesmo. Entre reservas ambientais, parques estaduais e municipais, somam-se 63 áreas espalhadas por toda a cidade, nas mais diversas regiões. O Parque da Luz, por exemplo, localizado ao lado da Estação da Luz, embora, possua uma área pequena se comparada aos demais parques, é o mais antigo da cidade.

Recentemente reformado, carrega consigo uma áurea histórica por ter servido durante grande período, a partir de 1901, como ponto de encontro da alta sociedade, sendo palco de festas, peças teatrais, balés e eventos públicos, segundo nos conta a historiadora Fernada Karolina Galvão. Já o Parque do Ibirapuera, localizado na Zona Sul, é um dos mais conhecidos, freqüentados e modernos parques urbanos da cidade. Oferece playgrounds, quadras, ciclovia, pista de cooper, bosque de leituras, viveiro, escola de jardinagem, museu, planetário, espaço para eventos, um lago com várias espécies de peixes e abriga mais de cem tipos de aves. O administrador Joseppe Di Siervi ressalta a importância do parque para a realização de eventos, como a feira do estudante realizada pelo CIEE aproximando estudantes e empresas, e lembra ainda a relevância social deste tipo de iniciativa.

No site do Ibirapuera é possível consultar a programação completa: www.parquedoibirapuera.com. Além de proporcionar entretenimento e lazer, os parques possuem importante papel ambiental. Os lagos neles existentes, por exemplo, contribuem para amenizar os riscos de enchentes, auxiliando na drenagem das águas e favorecendo o aumento da umidade relativa do ar. Segundo o Biólogo Luciano Storani, estes ambientes favorecem a flora e a fauna já que cultivam diversas espécies vegetais e animais. A pedagoga Leila Alves, troca semanalmente as salas de aula, por uma jornada de exercícios no Parque Ibirapuera. Para ela a sensação desfrutada nestes ambientes pode fazê-la esquecer momentaneamente o stress vivenciado no dia-a-dia. “Ver o MASP em plena Avenida Paulista, além de um belo contraste com a paisagem urbana, causa uma sensação reconfortante”. Admite. Para informações sobre os demais parques acesse: www.prefeitura.sp.gov.br. Uma boa opção pra quem gosta de natureza ou busca fugir da agitação é visitá-los pessoalmente. Por Larisse Alves

Olhares SP [5]


MIS 40 Anos Museu comemora os 40 anos de existência e reafirma sua importância na preservação do patrimônio audiovisual brasileiro. Por Yara Lamers

D

esde 1970, quando foi inaugurado em São Paulo, o MIS, Museu da Imagem e do Som, passou por muitas mudanças, sempre visando atrair um público sedento por arte aliada à tecnologia. E para comemorar esta data mais do que especial, a redação da Olhares de São Paulo faz um balanço da história deste importante museu e apresenta alguns fatos relevantes que contribuíram para que se tornasse um dos museus mais importantes da capital. Ao longo destes 40 anos, o museu desenvolveu sua programação e constituiu seu acervo partindo da idéia de adotar as tendências museológicas mais avançadas para conseguir um caráter moderno, e ter como foco a comunicação em massa, apoiada em imagens e sons. Entre os destaques do Museu, estão depoimentos de Tom Jobim, Nelson Pereira dos Santos e Camargo Guarnieri, registros em áudio sobre a Companhia Cinematográfica Vera Cruz, Memória do Rádio e Memória Paulo Emílio Salles Gomes, além de cópias de filmes do Prêmio Estímulo, curtas do Cinema Cultural Paulista (anos 1980-90) e películas de festivais de Super-8. Em 2008, o MIS se reinventou seguindo o desenvolvimento da arte contemporânea. Assim, suas instalações foram reformadas e renovadas pelo arquiteto Álvaro Razuk, possibilitando a adequação do edifício ,situado no Jardim Europa- aos mais modernos equipamentos audiovisuais. O público do museu é eclético, freqüentado desde artistas e intelectuais a estudantes em busca de conhecimento. Rafael Duek, de 23 anos, bacharel em Desenho Industrial, visitou o museu pela primeira vez este ano e aprovou a cara nova do MIS : “ Conheci o museu pelo site, e o visitei com um amigo, é muito interessante porque tem recursos tecnológicos e interatividade. Podíamos assistir a vídeos diferentes ao mesmo tempo, e o preço e a [6] Olhares SP

organização também são impecáveis.” Afirma ele. As atividades do Museu da Imagem e do Som envolvem não apenas seu espaço interno, mas abrem para questionamentos atuais a partir da troca viva de experiências, sejam sensoriais ou intelectuais. Detalhes importantes para o músico Gabriel Mendes, de 35 anos, que diz: “ MIS é um museu que não tem cara de ‘museu’, não tem nada de tedioso.” A novidade de atuação do MIS é o LABMIS, que funciona como um ponto de encontro de artistas renomados e emergentes, estudantes, e público em geral. Além da infraestrutura com equipamentos de ponta, o laboratório-atêlie oferece apoio prático e teórico para o desenvolvimento de projetos inovadores e de qualidade, nas áreas de fotografia digital, vídeo digital, cinema digital, áudio arte, web arte, games, computação gráfica entre outros. Para Márcia Soares, de 30 anos, formada em análise de sistemas, o museu é o ponto de encontro da capital para jovens descolados. Ela já o visita desde 2008. Tudo que acontece no MIS pode ser visto também pelo site www.mis-sp.org.br que funciona como uma segunda ferramenta de interatividade do museu, com total abertura ao público em geral. Uma forma concreta de comemorar esses 40 anos e acompanhar toda a evolução do museu é freqüentá-lo constantemente.


Para curtir o

HAPPY HOUR

Afrouxe a gravata e descubra o que torna a noite Paulistana uma das mais atraentes do mundo. Por Renata Kelly

U

ma pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas a pedido do Ministério do Turismo e do Sebrae aponta que São Paulo é a capital brasileira mais bem estruturada para receber turistas. Conhecida como a capital mundial da gastronomia, possui mais de 10 mil opções em bares e restaurantes para todos os gostos e bolsos. Por isso a vida noturna em São Paulo não poderia ser melhor, a qualquer hora há opções de onde ir: bares, restaurantes, baladas, cinemas e teatros. O músico Fernando Gabriel Nunes, de 29 anos de idade, conta que a vida noturna já faz parte da sua rotina há 10 anos: “Adoro a vida noturna, e amo o que faço. Já estou super adaptado, e não a troco por nada”. Conclui com entusiasmo. Já Roberto Gonçalves, de 36 anos, declara que faz parte dessa vida por não ter tido a oportunidade de trabalhar em outros lugares: “Ainda sinto falta da minha vida diária, e ter a noite para dormir”. Roberto é barman há 13 anos. Tendo a vida noturna apenas como hobby, Jaqueline Silva de 32 anos de idade, é freqüentadora assídua do The Blue Pub, localizado na Consolação, e afirma ser viciada na noite de São Paulo. Jaqueline mora em São Paulo há 11 anos: “Não conseguiria morar em outro lugar, aqui é maravilhoso! Você tem várias opções. Não sei como alguém consegue

entrar em depressão nessa cidade. É a melhor do país”. Brinca Jaqueline. Quem aprecia além de diversão, uma boa gastronomia pode curtir um restaurante que também é uma balada, o Café de La Musique, localizado no Itaim Bibi. Amanda Ribeiro de 21 anos, freqüenta o lugar há 2 anos: ¨Adoro sair na noite, paquerar muito e ver homens lindos, como aqui, no Café de La Musique”. Além das maravilhas a noite paulistana também oferece riscos, como deixar os carros com manobristas. Muita gente já foi facilmente roubada. Objetos como, celular, malas, dinheiro e até step são levados frequentemente. Algumas pessoas já adotaram métodos para evitar que isso aconteça. É o caso de Jorge Franca, de 38 anos, o advogado conta que adotou uma maneira fácil para evitar tal situação: “Assim que eu paro meu carro, aviso para o manobrista, mostro o step e coisas de valor que estão no carro. Com isso, posso ficar despreocupado, pois avisando, vão pensar duas vezes antes de me roubar”. Esta é uma precaução de quem já foi roubado duas vezes. Apesar de alguns riscos e desconfortos a que todos estão propícios, estes não desencorajam os eternos amantes da noite paulistana que consideram garantida a possibilidade de diversão.

Circuito

SP

Aquário do Ipiranga Por: Aline de Oliveira

C

riado há quatro anos, o Aquário de São Paulo é considerado o maior aquário temático da América do Sul. Dividido internamente em três partes: água doce, água salgada e mamíferos, lá se encontram animais de origem brasileira, africana e oriental. Segundo a educadora ambiental Julia Bueno, 20 anos, a maioria dos animais ali existentes vieram por apreensão do IBAMA, de cativeiros, ou foram achados machucados ou sem mãe. Ela afirma ainda, que os animais que mais atraem a atenção do público são: dois filhotes raros de jacaré albino, a sucuri verde de 5 metros, o raro tubarão lixa branco, os morcegos gigantes conhecidos como raposa voadora, o peixe-boi da Amazônia que está em extinção, além do mais novo habitante do aquário: Angel, um filhote de lobo-marinho que fará companhia para outro lobo-marinho do aquário, Thunder. O Aquário funciona todos os dias, e o preço dos ingressos varia de acordo com cada faixa etária ou com o dia da visita: crianças de 3 a 12 anos pagam R$ 20,00; visitantes a partir de 60 anos pagam R$ 15,00; de segunda-feira os ingressos custam R$ 15,00 e nos demais dias o preço é R$ 30,00. O Aquário oferece uma estrutura sofisticada para atendimento do público, conta com uma lanchonete, banheiro e elevador para deficientes físicos. Estudantes de biologia e pessoas já formadas na área podem tirar as eventuais dúvidas dos visitantes, há ainda no local um cineminha educativo 3D para as crianças, estacionamento com manobrista e futuramente será inaugurado um restaurante. Para mais detalhes, visite o site: www.aquariodesaopaulo.com.br

Olhares SP [7]


Guia Olhares SP  

Guia semanal sobre a cidade de São Paulo. Diagramação: Jessica Fiuza./ Fotografia: Jessica Fiuza e Débora Dias./ Redação: Aline de Oliveira,...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you