Page 1


A O L E I TO R

Ser feliz nunca sai de moda

Rir é o melhor remédio. Então, nada melhor que receber o novo ano com muito bom humor. Esse é o desejo da equipe de DOMINGO. Não é à toa que o assunto virou capa desta primeira edição de 2012. Fomos às ruas encontrar pessoas que se confundem com a alegria, tamanho o bom humor para lidar com as situações cotidianas da vida. Na reportagem, uma prova de que é possível sim ser feliz e apostar sempre no lado positivo das coisas. O ano novo é o primeiro sinal de que o verão está chegando. A partir de hoje, a praia de Tibau passa a ser ocupada por muitos mossoroenses que aproveitam a época de veraneio para curtir as belezas da região. E verão é sinal de muita malhação, corpos saudáveis e muita coisa boa. DOMINGO traz dicas de exercícios que podem ajudar você a ter um corpo bonito e saudável neste verão.

Arte: Neto Silva

3

Na seção de entrevista, uma retrospectiva dos principais assuntos que foram abordados por estudiosos, personalidades e artistas que foram entrevistados nas edições da revista, durante todo o ano passado. Na outra matéria, um alerta a quem costuma abusar do álcool nessa época do ano. Nem toda a alegria do mundo justifica o excesso de bebida alcoólica, que pode resultar em problemas de saúde e até casos mais graves, como acidentes de trânsito, quando motoristas 'misturam' álcool e direção. Seja feliz em excesso, mais com alguns cuidados, afinal você tem mais 366 dias (ano bissexto) para viver! Feliz Ano Novo

6

CONTO José Nicodemos

SAÚDE Os efeitos do excesso de álcool depois da festança

4

ENTREVISTA O que foi dito pelos entrevistados de DOMINGO em 2011 • Edição C&S Assessoria de Comunicação • Editor-geral William Robson • Editor Izaíra Thalita • Diagramação Rick Weakmann

11

COMPORTAMENTO Sorrir faz um bem danado • Projeto Gráfico Augusto Paiva • Impressão Gráfica De Fato • Revisão Gilcileno Amorim e Stella Sâmia • Fotos Marcelo Bento, Carlos Costa e Marcos Garcia • Infográficos Neto Silva

Esdras Marchezan Chefe de Reportagem

11

VERÃO Pedalar, nadar e jogar na praia fazem bem ao corpo

15

CULINÁRIA Pratos para você começar bem o ano novo Redação, publicidade e correspondência Av. Rio Branco, 2203 – Mossoró (RN) Fones: (0xx84) 3315-2307/2308 Site: www.defato.com/domingo E-mail: redacao@defato.com

DOMINGO é uma publicação semanal do Jornal de Fato. Não pode ser vendida separadamente.

2 Domingo, 1º de janeiro de 2012

Jornal de Fato


CONTO/JOSÉ NICODEMOS

EVITARIA UM CASTIGO Com a separação do marido, Janice voltou para a casa dos pais, no sítio Jatobá. Ficaria ali o tempo suficiente para estudar o seu destino, não se acostumava mais com a vida de sitiante, aquela pasmaceira sem fim. Talvez o Rio de Janeiro, tinha lá uma tia viúva, do lado materno, sem filhos, e que, desde que lhe falecera o marido, o doutor Pedrosa, insistia com ela, Janice, a vir fazer-lhe companhia, não lhe faltaria nada. Veio o casamento, que teve a duração de dois anos, e a tia, Dona Mafalda, silenciou. Desde três meses no sítio, metida com seus planos de vida, era como se o tempo não passasse, de tão longo. Não. O estilo de vida, ali, tudo como espremido numa solidão sufocante, coisa era a que não voltaria mais a se acostumar. .E não via a hora de abalar-se dali para o Rio, outra cidade que fosse. . Depois, temperamento sexual muito impositivo, desde que conhecera a menstruação, aos quinze anos, ainda mais depois da experiência da satisfação da carne, já estava que não se aguentava mais. Sonhos eróticos, tudo muito visível, como acordada, acordava de manhã com a calcinha encharcada, e aquele cheiro ácido de suas secreções ainda mais a excitavam. Matuto ali do sítio, nem pensar. Feios e brutos. Pensava nisso deitada numa rede no alpendre da frente, começo da noite, o céu como se descesse as estrelas sobre ela, quando Janice foi chamada pelo ne-

!

Desde três meses no sítio, metida com seus planos de vida, era como se o tempo não passasse, de tão longo. Não. O estilo de vida, ali, tudo como espremido numa solidão sufocante, coisa era a que não voltaria mais a se acostumar.

gro Dandão, da parte da mãe dela, Dona Rosinha, para o jantar posto na mesa. Desde menina tinha-lhe horror, ao negro, feições de bicho, baixo encorpado, sujo, cabeludo, andar bambo, lembrava-lhe um urso. Comeu pouco, a cabeça às voltas com suas fantasias sexuais. A carne pegando fogo, dias. Foi que tinha visto o jumento Rouxinol, desembainhado no cio, correndo, narinas arregaçadas, atrás de uma fêmea, no tabuleiro além do sítio. Ficou olhando aquilo, a carne queimando, até que o jumento, desesperado, alcançoua debaixo de um tamarindeiro, cravando-lhe, até o fim, aquele como cano fuliginoso. Duas vezes seguidas. Já passava da meia-noite, e Janice sem poder passar pelo sono, aquela cena seminal diante dos olhos, o sexo latejando, molhado. Situação que se agravava, ainda mais, com aquele cheiro de curral que lhe entrava, com o vento fresco da noite, pelas frestas da janela do quarto. Uma espécie de provocação glandular.

Levantou-se, foi à cozinha, a garganta seca. Ouviu uns ruídos estranhos, sincopados, quase gemidos. Apurou o ouvido, vinham do quarto reservado a Dandão, contíguo à cozinha e, curiosa, olhou pela porta, entreaberta; era o negro masturbando-se. Membro desmedido, tamanho e volume, era ver o jumento Rouxinol. Engoliu em seco, nervosa, nas últimas. Sem se sentir, o sexo daquele jeito, entrou de vez, ordenando silêncio com o indicador na frente dos lábios, atirou fora a calcinha, quase rasgando-a, e ali mesmo, em pé, entregou-se ao negro Dandão, fungando os rogos, audíveis de fora, de uma penetração profunda. Cópula selvagem, mas uma só vez. De manhã, um nojo ao vômito, arrumou tudo e abalou para a cidade, a casa de um irmão, e daí se mandaria para o Rio de Janeiro. Medo repugnante. No período fértil, poderia ter sido fecundada, lá interromperia a possível gravidez - evitaria o castigo de parir um urso.

Jornal de Fato Domingo, 1º de janeiro de 2012 3


ENTREVISTA

O que eles disseram em 2011 Releia frases ditas por alguns dos entrevistados da revista DOMINGO ao longo do ano cordelista, em 06/11/11) "Se a gente tivesse o serviço aqui, pleno, com partos normais, cirúrgicos, duas maternidades e um serviço mais amplo, os alunos de Medicina só iriam a Natal por opção. Mas, a situação faz que essa ida seja quase uma obrigação, sem escolha, porque eles mesmos sentem a necessidade de ver uma realidade mais ampla desse serviço de saúde. " (ANTÔNIO LEITE, diretor da faculdade de Medicina na Uern, em 06/02/11)

"Eu me sinto distante do palco, mas não das salas de teatro. Eu sou um consumidor compulsivo. Por onde eu ando, muitas vezes em viagens de trabalho, eu consigo um tempo para ver teatro. " (AÉCIO CÂNDIDO, professor e ator, em 25/05/11) "O meu único inimigo é uma folha branca de papel porque quando vejo uma folha branca me dá logo vontade de bordar nela umas letras assim, e depois ler." (ANTÔNIO FRANCISCO, poeta e

"Por muitos anos sofri com o estigma de que teria de ficar em casa, mas quando tomei consciência de que tinha de ser diferente, consegui romper todos esses obstáculos. Um dos momentos marcantes foi quando eu fiz um cadastro por telefone para fazer um curso de três meses oferecido pelo Hospital Sara Kubitschek em Salvador (BA), para ensinar pessoas com deficiência a ter uma vida mais independente. " (CLÁUDIA MEDEIROS, cadeirante e integrante do Fórum de Mulheres com Deficiência de Mossoró, em 01/05/11) "A assistência social trabalha com o foco da integralidade porque não percebe o indivíduo só saúde ou só educação, assim como a gente não consegue ver o indivíduo só braço ou só perna, mas

sim o conjunto, para que ele tenha cidadania plena. " (FERNANDA KALLYNE, gerente executiva do Desenvolvimento Social do Município de Mossoró, em 10/07/11)

"O jornalista sempre foi um generalista. Hoje, sabemos da importância de ele focar e aprofundar o conhecimento numa determinada área, mas é importante que ele não perca essa sua tradicional "visão holística" que o diferencia de outros profissionais e da maioria das pessoas. Isso é um dos facilitadores de sua missão de "ler os fatos", processar informação e produzir conhecimento. " (JOMAR MORAIS, jornalista e escritor, em 14/08/11) "Foi a leitura que me levou a ser a pessoa que sou hoje, e sem ela, certamente eu não seria, e isso é que eu tento passar para as pessoas. Muitas têm baixaestima, acham que não é possível, e eu digo que é possível, sim, desde que você foque sua vida, que busque. " (JOSÉ XAVIER CORTEZ, proprietário da Cortez Editora, em 06/06/11) "Dorian Jorge Freire me fez ver as coisas de uma maneira diferente, através da palavra. Custa acreditar que seu talento já não está entre nós. Custa acreditar, também, que pouco se faz pelo

4 Domingo, 1º de janeiro de 2012 Jornal de Fato


reconhecimento de sua obra literária. Existe uma dívida da cidade com Dorian que ainda não foi paga. " (MÁRIO GERSON, jornalista e escritor da Academia Mossoroense de Letras, em 17/04/11)

"A gente percebe neste momento que existe um potencial muito grande do hospital que precisa ser explorado. Ou seja, o hospital é capaz de prestar um serviço quantitativo e, sobretudo, de qualidade à população." (NEY ROBSON, diretor do Hospital Tarcísio Maia em 27/02/11).

"A gente precisa de melhores hotéis, melhores aeroportos, melhores estradas, melhores estádios, melhores campos de treinamento, precisa de tudo. Tudo que for feito para a Copa, para melhorar, vai ficar para o brasileiro." (CARLOS ALBERTO PARREIRA, extécnico da seleção brasileira, sobre a Copa de 2014, em 31/07/11)

"Eu não sou o inventor da homossexualidade de Lampião. Há mais de trinta anos que o prof. Luis Mott publicou tal fato. Demais disso, em vários outros livros constam a mesma afirmativa. Eu, porém, dei linguagem direta ao assunto." (PEDRO DE MORAIS, juiz alagoano e autor de livro sobre Lampião, em 27/11/11)

"As classes média e alta não querem que seus filhos tenham seus direitos restritos, portanto é uma restrição de direito para os filhos dos pobres. Tem uma hipocrisia forte nesses discursos ultrapenalistas. Se a ideia é reduzir a violência, está provado no mundo inteiro que a restrição de direitos só produz mais violência." (RENATO ROSENO, advogado e especialista em Direitos Humanos da Criança e do Adolescente, em 09/10/11)

"Nós não temos no país - e isso não é um problema exclusivo dos nossos políticos - a cultura da prevenção, a cultura do risco. O que temos é a cultura do desastre, ou seja, esperamos o desastre acontecer e depois nós vamos dar resposta a ele." (CILENE VICTOR, jornalista e professora universitária sobre a cobertura de desastres, em 16/10/11)

"A cidade tinha tudo para não dar certo e deu. Por ser uma cidade que nem é sertão nem é litoral, Mossoró está localizada numa depressão de terreno e, no entanto, para o mossoroense é a cidade mais bonita do mundo, e eu falo disso até com bom humor porque é o que garante que a cidade dê certo. As pessoas acreditam nos seus empreendimentos e vão adiante, acreditando que tudo pode ser." (TARCÍSIO GURGEL, professor e escritor, em 03/07/11) "Hoje, o maior projeto social que se tem na favela de Eliópolis em São Paulo (SP) é um projeto de música erudita. Por muito tempo, o sonho dos meninos era serem jogadores de futebol, e as meninas, dançarinas. Agora há uma mudança de paradigmas." (ANDRÉ MUNIZ, maestro da Orquestra Sinfônica da UFRN, em 11/12/11) Jornal de Fato Domingo, 1º de janeiro de 2012 5


SAÚDE

Efeitos nada AGRADÁVEIS

Neste domingo, primeiro dia do ano de 2012, é preciso retomar as energias para os dias que ainda virão; veja como curar o corpo da ressaca e indisposição depois dos excessos de álcool O álcool é considerado a única droga comum a todas as civilizações na história e todo mundo sabe que o produto em excesso produz consequências nada

agradáveis no corpo no dia seguinte à bebedeira, e recomendar moderação ou redução dos excessos em pleno Réveillon é conselho que poucos adotam.

6 Domingo, 1º de janeiro de 2012 Jornal de Fato

O que resta, na maioria dos casos, é ter de lidar com o problema depois que ele aparece. A ressaca é implacável e pode significar um dia inteiro perdido, ten-


do de curar o corpo das dores de cabeça, dores pelo corpo, náuseas e outros sintomas (confira no gráfico "A ressaca no nosso corpo"). Em geral, os homens são mais resistentes à bebida do que as mulheres porque têm mais água no corpo, o que ajuda a diluir o álcool. Além disso, produzem em maior quantidade uma enzima que quebra as suas moléculas. Mas depois que os limites são ultrapassados, não tem jeito. Muitas pessoas acham que a mistura de bebidas deixa o sujeito mais bêbado, porém o que deixa o indivíduo mais embriagado é a quantidade de álcool que ingeriu, não o tipo de bebida. Tomar bebidas de sabores diferentes, uma em seguida à outra, pode deixar o beberrão apenas mais enjoado porque os diferentes sabores geralmente não combinam - o cérebro não tem como saber se o álcool que chega a ele é de licor ou de uísque. Outro mito é de que para a ressaca existem receitas especiais, como cuidar da ressaca tomando refrigerante gelado ou não se alimentando. Mitos que se propagam, mas que não têm relação com o problema.

Editoria de arte: Neto Silva

O QUE FAZER? A única forma garantida de não ter ressaca é mesmo não beber além dos próprios limites. No entanto, é possível aumentar a tolerância fazendo o álcool entrar mais lentamente na corrente sanguínea. Para começar, não se deve exigir demais do organismo, que já está bem estressado. Se possível, faça apenas o que o corpo pede. Fique em casa, no silêncio e no escuro, descansando, e tome muito líquido água e suco de frutas para repor as vitaminas e os sais minerais perdidos na batalha contra o álcool. No dia seguinte, ingerir glicose e frutose (basicamente, doces e frutas) pode ajudar seu corpo a se livrar do álcool mais rapidamente. Comida, só quando sentir fome. A primeira refeição deve ser leve. Purê de batatas, canja de galinha ou chá - de boldo, de preferência - caem bem num estômago em crise. Evite comidas ácidas, gordurosas ou difíceis de digerir, quando você já estiver de ressaca. PREVENINDO A PRÓXIMA RESSACA A melhor maneira de fazer uma espécie de "prevenção" é comer bem antes e durante o tempo em que estiver bebendo. A ingestão de vitaminas do complexo B também pode ajudar. Outra dica para evitar os incômodos da ressaca é a de tomar comprimido de

100mg antes, um durante e outro depois para que o fígado não proteste tanto no dia seguinte. Quanto mais água, melhor. Antes, durante e depois. A água dilui o álcool e reduz a chance de intoxicação, facilita o trabalho do fígado e dos rins, que eliminam mais rapidamente os resíduos tóxi-

cos do organismo. O metabolismo funciona bem melhor. Você demora um tempo maior para ficar embriagado e recupera-se com mais facilidade. Afinal, é bom lembrar que depois de tanto excesso a volta à rotina no outro dia será inevitável e, com certeza, sua atitude será mais comedida.

Jornal de Fato Domingo, 1º de janeiro de 2012

7


C A PA

Regiane de Paiva, professora: ‘Sou uma pessoa feliz e procuro fazer coisas que me dão alegria’

Bom humor é CONTAGIANTE Pra começar o ano com alto astral conheça pessoas que estão na maior parte do tempo de bom humor, uma dica pra se conseguir sucesso, amigos e saúde. 8 Domingo, 1º de janeiro de 2012 Jornal de Fato

Amor, sucesso profissional, prosperidade, amizades, saúde. A lista de pedidos sempre que um ano se inicia é geralmente composta por esses desejos tidos como algo a se buscar e que definem o melhor do que se pode conseguir num novo ano. É claro que nem tudo depende de si mesmo e sim da relação que se tem com o mundo e com as outras pessoas. Por isso, há algo que ajuda e muito a obter cada um destes desejos e é algo simples, fácil e barato: alimentar diariamente o seu bom humor. Sorrir e estar de bom humor é algo tão fácil que nem sempre é cultivado com a importância que lhe é merecida, desprezando-se uma importante chave de renovação de energias que favorecem a muitas outras conquistas no campo pessoal e profissional. A ciência explica que como uma lei da atração, nós seres humanos gostamos de estar mais perto de pessoas bem humoradas, que transmitem alegria. "Isto acontece porque nossa resposta depende do estímulo do outro, ou seja, nosso comportamento é também desencadeado por pessoas e situações ao nosso redor. Desta forma, se convivemos em ambientes e com pessoas felizes, consequentemente, interpretaremos o mundo de forma mais leve e otimista", explica a psicóloga Margarida Chagas, especialista em comportamento. A psicóloga explica que é importante ressaltar que pessoas bem humoradas, normalmente, possuem esta característica cognitiva, por terem sido educadas em ambiente familiar com estímulos amorosos, além de uma visão do outro e do mundo positiva. Mas, não necessariamente. A professora universitária Regiane de Paiva é sinônimo de alegria e garante que ter bom humor é algo natural de sua personalidade: "Tive uma adolescência difícil, mas as pessoas não imaginavam porque na escola, com os amigos, professores, conseguia manter minha alegria apesar de tudo. Acho que é da minha natureza não ficar pensando no lado ruim das coisas, não alimento conversas negativas", explica Regiane, que sente que seu bom humor atrai pessoas que querem esse bom astral. "Meu bom humor me ajuda a ter autoestima, a ter prazer nas pequenas coisas, a ter satisfação com minha profissão porque eu amo o que faço", completa. Satisfação com o que faz parece ser mesmo algo comum aos bem-humorados que compõem essa matéria. O professor de português Caio Moura é referência entre colegas e pelos próprios alunos como uma pessoa divertida e bem humorada. Leciona três dias em Natal e três em Mossoró e garante que não há cansaço que o desanime: "Sou extremamente realizado com o


padas com suas dores, mas eu sempre dava um jeito de atender e transmitir minha alegria e percebi o quanto agir assim é bom para mim e para elas. Levei essa experiência pro meu dia a dia", ressalta. A fisioterapeuta Catalice Cavalcanti sabe bem o que é isso. Muitos pacientes chegam em busca de um tratamento para suas dores físicas, mas acabam levando uma amiga no pacote de serviços. Na base do bom humor e da conversa solta, os pacientes se tornam grandes amigos e são "contagiados" por algo bom. "Às vezes há essa impressão de que o profissional de saúde tem que ser sério, sisudo e eu não sou assim. Gosto é de transmitir alegria e adoro conversar com os pacientes que se tornam amigos. Só vejo vantagens em ser assim", completa.

Keké, humorista de TV: ‘Meu humor é espontâneo e fazer a alegria das pessoas hoje é uma forma de motivação’.

que faço e tento passar essa alegria para as pessoas. Esse perfil acaba sendo um diferencial porque diante desse mundo de problemas está cada vez mais difícil encontrar pessoas que conseguem manter esse bom humor. Me motiva a manter o bom humor poder ver que tive uma educação maravilhosa, ver quantas coisas boas já conquistei com meu trabalho, que tenho uma família que me ama. Não precisa muito para ser feliz", afirma Caio.

"Eu era gerente de farmácia e as pessoas nunca entram numa farmácia felizes, alegres, ao contrário, chegam preocu-

RIR E FAZER RIR Sinônimo de bom humor, que atrai sucesso e reconhecimento, é o de Kerginaldo Bezerra, o "Keké". Tudo começou com uma brincadeira, vídeos amadores feitos com amigos em situações engraçadas e risíveis que começaram a passar em um programa da TV Mossoró. O espaço destinado aos vídeos de Keké lhe rendeu, pouco tempo depois, a proposta para ter um horário e um programa próprio com vídeos engraçados feitos por ele, com os recursos que poderia conseguir. O programa "Kekéisso" possui personagens feitos por Keké e sua mãe, Dona

Caio Moura, professor: ‘Alimento o bom humor e procuro passar isso pras pessoas que estão perto de mim’.

MUITA LUZ, MUITO AFETO No trabalho de fotografia, a luz faz um diferencial, torna uma imagem mais bonita, revela nuances, cores e a beleza natural das pessoas e das coisas. Talvez por isso desejar "muita luz" às pessoas é a frase preferida do fotógrafo Pacífico Medeiros. Pacífico é bem humorado e seu trabalho está em registrar os momentos belos e felizes. "Não gosto de registrar coisas que reforcem o ruim, o baixo-astral e acho que por isso consigo passar a minha alegria para as fotografias. Acho que isso faz parte da minha natureza, não tem um segredo", explica o fotógrafo. Mas, antes mesmo de ser o profissional de mão-cheia que ficou conhecido nos ensaios de noivas (estas sempre ansiosas e preocupadas), ele conta que pôde testar seu bom humor em situações que não necessariamente lembram alegria. Jornal de Fato Domingo, 1º de janeiro de 2012 9


Irene, que tiram risadas de qualquer pessoa. Em um ano e meio conseguiu audiência, um público ampliado devido às postagens e exibições na internet, levando a equipe, Keké, Dona Irene a serem convidados por programas de rede nacional como "Agora é Tarde", de Danilo Gentilli, na Band. Antes disso, Keké já lotou o Teatro Municipal Dix-huit Rosado com mais de 700 pessoas na comemoração do primeiro aniversário do programa. "Sempre fui 'munganguento', desde criança. Só não sabia que um dia esse meu lado engraçado fosse me levar a algum lugar", conta Keké, que é formado em Ciências Sociais, mas, hoje se diz feliz por fazer algo que tem prazer. "Nunca imaginei que a gente fosse ter essa aceitação. Minha motivação é ver o quanto as pessoas gostam e se divertem com as coisas que a gente faz, assim, espontaneamente", explica Keké. MAIS ALEGRIA, MAIS SAÚDE "Vez por outra, a ciência tenta comprovar o que já está marcado no inconsciente coletivo. Rir deve ser contemplado como um exercício terapêutico, capaz de ser treinado, vivenciado e estimulado", afirma o psicoterapeuta João Rafael Torres. Ele lembra que estudos americanos recentes mostram que o riso nos defende de uma série de microorganismos invasores. O Departamento de Bioquímica da Universidade de Navarra, Espanha, estima que 15 minutos diários de riso podem garantir até 4,5 anos a mais de vida, além de reduzir em até 40% a chance de infartos. Além de evitar a tristeza, manter o bom humor e o sorriso ajudam o corpo a trabalhar melhor, a ter mais saúde. A psicóloga Margarida Chagas explica que o sorriso é, na verdade, a demonstração de um esquema cognitivo saudável. "Tudo começa com um pensamento funcional (bom pensamento), este pensamento faz com que nossa estrutura cognitiva interprete a pessoa ou situação ao nosso redor de forma positiva. A partir daí, o cérebro, através da sua atividade, libera para o corpo sensações de bem-estar, como resultado, sorrimos. Por isso, preste atenção nos seus pensamentos, eles são responsáveis por nossas sensações e sentimentos", completa a psicóloga. SORRIA, MEU BEM! Seguindo tantos bons exemplos é fácil entender que sorrir é muito mais negócio e com esse gesto simples se conquista muitas coisas boas daquela lista de começo de ano, que todo mundo quer. "Rir é relaxante, renovador e econômico, pois são usados 17 músculos para sorrir e 43 para franzir a testa. Abra um

10 Domingo, 1º de janeiro de 2012

Catalice Cavalcanti, fisioterapeuta: ‘Ser bem humorada me ajuda muito, fico mais próxima das pessoas’.

vídeo com a risada limpa de um bebê e veja como reage ao terminar de assisti-lo. Quer algo melhor que ir a uma comédia no teatro e sentar-se próximo ao dono (ou dona) da risada mais escandalosa da noite? Aos poucos nos deixamos envol-

ver pelo clima de descontração e, quando menos se percebe, já estamos em cólicas. Rir é contagioso e saudável", reforça João Rafael Torres. Prontos para dar boas risadas? O ano está apenas começando. Divirta-se.

Pacífico Medeiros, fotógrafo: ‘Tenho prazer no que faço e isso me deixa sempre bem humorado’.

Jornal de Fato


VERÃO

Pedalar, Pedalar, nadar nadar ee jogar jogar na na praia praia fazem fazem bem bem ao ao corpo corpo

Mexa seu corpo Pedalar ao ar livre, caminhar à beira-mar, brincar com jogo de frescobol e de vôlei de areia são algumas opções atraentes e divertidas de manter o corpo ativo em pleno Verão Longe das paredes de uma academia, poder praticar exercícios ao ar livre e ainda aproveitando uma bela paisagem é uma opção interessante neste veraneio. Para quem se instala na praia por alguns dias e quer manter uma rotina de prática de exercícios físicos, não há nada melhor. A viagem à praia acaba, muitas vezes, quebrando um ritmo saudável de exercícios de quem se preparou para deixar o corpo mais bonito e bem para o Verão. Se a ideia é viajar e manter uma rotina de exercícios - nada exagerado - neste período de férias, vale seguir algumas dicas para adaptar os exercícios realizados na academia para outro lugar, independente do destino - praia, campo, fazenda.

PASSEIO Uma das vantagens das férias é a de poder andar de bicicleta, fazer exercício e ainda aproveitar para conhecer lugares diferentes, apreciar paisagens. O ideal é que, ao decidir passear de bicicleta, veja o percurso antes e os caminhos por onde deve passar. Pedalar na rua requer atenção e preparo físico, se as distâncias forem grandes e o terreno não for plano. "Para um iniciante que não pratica nenhuma atividade física há algum tempo, depois de 15 dias ele terá passado da fase das dores tardias e estará se sentindo mais apto a desenvolver a atividade como um treino", explica a professora de educação física Silvana Pessoa. Enquanto em uma aula de spinning de

45 minutos se gasta, em média, 800kcal, na rua o gasto calórico é de 600kcal. AZUL DO MAR Já quem gosta de nadar pode dar as braçadas no mar. A água do mar possui peso molecular maior, assim o deslocamento é mais difícil do que em uma piscina, porém a flutuação é maior. O preparo muscular e aeróbico específico é muito importante e o gasto calórico é muito maior do que na piscina. Enquanto durante 45 minutos na piscina se gasta 500kcal, no mar se gasta 700kcal. Os especialistas alertam que a correnteza e o desnível do solo podem dificultar a atividade. Portanto, deve-se ter atenção. FRESCOBOL Os adeptos de jogo de tênis podem perder até 500kcal com o frescobol. Deslocar-se na areia é mais difícil, porém, se o cenário for a praia, é compensador. CUIDADOS COM A PELE Numa atividade ao ar livre, embora prazerosa, existem cuidados básicos que devem ser observados, como a hidratação, o uso de protetor solar e o horário em que se vai praticar a atividade. Uma consulta médica também é recomendada.

Jornal de Fato Domingo, 1º de janeiro de 2012 11


COLUN A

SUA CARREIRA /RAFAEL DEMETRIUS

Dicas para economizar na compra do material escolar Passado o Réveillon e as compras de Natal, é hora de pensar na aquisição do material escolar das crianças. Para este ano, os pais terão a costumeira e árdua tarefa de pesquisar o preço dos produtos em papelarias e livrarias e garimpar por descontos. Antes das dicas para economizar, saiba que antecipar o quanto puder a compra do material escolar do seu filho é uma excelente pedida. O mês de janeiro é marcado pelo reajuste da matrícula escolar, lista de material e impostos, como IPTU e IPVA. Além de tudo isso, o preço do material escolar será reajustado de acordo com o índice de inflação do Brasil, cerca de 7%, ou seja, a partir de 2012, cadernos, fichários, lápis, pastas, tesoura, cola, giz de cera, agenda e outros produtos vão estar mais caros. O preço dos livros vai subir cerca de 10%. Os próprios lojistas garantem que a inflação da lista escolar vai ser puxada pelos livros. Segundo eles, o material não será o principal vilão da alta dos preços. Por isso, antecipe o que for possível logo nos primeiros dias de janeiro. As condições de pagamento também devem ser avaliadas. Evite fazer crediário ou usar o cartão. Lembre-se dos impostos que estão por vir e comprometem quase todo o seu orçamento doméstico. Ciente disso, veja também outras dicas que vão fazer você economizar na compra do material escolar do seu filho. ANTES DE COMPRAR - Antes de sair às compras, analise os materiais que seu filho usou neste ano. Aproveite os que estão em bom estado de reutilização. Somente depois faça uma pesquisa de preço em diferentes estabelecimentos, como papelarias, depósitos e lojas de departamento e decida sobre onde comprar. Esta é uma época de muitos custos, principalmente resultados dos gastos excessivos devido às férias, as festas e os impostos que estão chegando no início do ano como IPVA, IPTU, Imposto de Renda etc..

dem tanto ao gosto do seu filho como também ao do seu bolso. Não opte por aqueles superbaratos, porque muitas vezes eles não possuem boa qualidade, o que pode gerar uma nova compra, devido a problemas com o material, tente agregar qualidade a preços acessíveis. É preciso ter cautela ao escolher os produtos para que o barato não saia caro. A diferença de preços entre os mesmos itens surpreende, mas deve-se levar em conta que o produto mais barato pode não ter a mesma qualidade, não vai durar o mesmo tempo.

NÃO DEIXE PARA A ÚLTIMA HORA Quanto mais perto das aulas, mais caros ficarão os produtos. Os mesmos só rirão baixar cerca de sessenta dias após o inicio do ano letivo. É totalmente desaconselhável esperar o tempo passar para ir às compras. É uma tendência natural, os preços não vão baixar e os modelos mais baratos, devido à grande procura, podem acabar, e o consumidor corre o risco de ficar com menos opções.

CUIDADO COM AS FALSAS OFERTAS Algumas lojas barateiam alguns produtos para servirem de chamariz, para atrair e enfeitiçar o cliente. Em uma olhada mais a fundo o cliente pode perceber que os demais produtos e materiais da lista são bem mais caros e compensam para o proprietário a baixa feita no "chamariz".

EVITE LEVAR OS FILHOS NA LIVRARIA - Saiba que levar os filhos no momento da compra dos materiais, pode não ser uma boa opção. Geralmente, as crianças são atraídas por tudo, principalmente por produtos chamativos, de melhor acabamento e proporcionalmente mais caros. Isso faz com que os pais gastem mais do que deveriam. A indústria utiliza os desenhos e personagens para chamar a atenção das crianças, o que acaba indo para o preço. PERSONAGENS SÃO CAROS - Os personagens do cinema chegam com força colorindo o material escolar. Estampam as capas dos cadernos, fichários e das mochilas, fazendo o preço acelerar. O último desenho animado da temporada pode fazer a compra custar até três vezes mais. Uma mochila pode custar de R$ 20,00 a R$ 400,00. Os cadernos de um simples brochurão ao último lançamento da telona podem variar de R$ 0,69 até R$ 50,00. Cuidado com as marcas. AGRADANDO A TODOS - Na hora da compra procure comprar materiais que agra-

12 Domingo, 1º de janeiro de 2012

não duráveis e 90 para bens duráveis. ESTEJA ATENTO À LISTA - As escolas não podem solicitar compra de material de uso coletivo como materiais de higiene e limpeza, ou cobrar taxas para suprir despesas como água, luz, e telefone. Nesse caso o mais recomendado é procurar a direção da escola ou órgãos, como Procon e Ministério Público. NO CASO DE ANÚNCIO ERRADO - Toda informação ou publicidade, veiculada por qualquer meio de comunicação, obriga o fornecedor a cumpri-la integralmente. Do contrário, você poderá exigir, à sua escolha que o fornecedor cumpra com o que ofertou, prometeu ou anunciou; a entrega de outro produto igual e/ou equivalente; ou cancelamento do contrato, com direito à devolução do valor que tenha sido pago antecipadamente, monetariamente atualizado.

PESQUISE O MÁXIMO - Faça pesquisa de preços em diferentes estabelecimentos, compare os preços individuais de cada produto, o total, os descontos, formas de pagamento e os prazos concedidos, observe ainda o acréscimo de juros no caso de parcelamentos. REÚNA OS AMIGOS - Algumas lojas oferecem descontos em compras de grande quantidade, vale à pena reunir um grupo de pessoas para comprar juntos, convide os pais e mães das crianças que estudam com seu filho. Em grupo de três ou mais pessoas as lojas geralmente oferecem boas ofertas e condições de pagamento. EXIJA A NOTA FISCAL - Sempre exija nota fiscal, pois em caso de problemas será necessário apresentá-la para trocar a mercadoria com defeito. Como as empresas atualmente produzem em grandes quantidades é normal aparecerem "problemas" em alguns produtos. ATENÇÃO PARA OS PRAZOS - O consumidor deverá sempre atentar para os prazos de troca das mercadorias. Caso algum material escolar de seu filho apresentar problemas o prazo de troca é de 30 dias para bens

Jornal de Fato

Rafael Demetrius Administrador, consultor, e professor universitário. site: www.tenhametas.com.br e-mail: rafael@tenhametas.com.br


RETROSPECTIVA

Jornal de Fato Domingo, 1ยบ de janeiro de 2012 13


ARTIGO/FÁBIO LUCAS

CLAUDER ARCANJO E A BELEZA MELANCÓLICA Novenário de Espinhos (Mossoró: Sarau de Letras, 2011), coletânea de versos ilustrados, é um luxo só. Os poemas, centrados no "eu poético" invadido pelas dores do mundo - a solidão, o sentimento da perda, a nostalgia do que se teve ou se deixou de ter trazem consigo a marca da experiência literária. Daí a transposição de emoções várias ao valor estético, riqueza conquistada nos estudos e na busca da melhor linguagem. Ato de escritor consciente. Além da expressão do "eu poético", lírico, atento ao quadro familiar e aos amigos, desfila na obra o diálogo com os autores que mais se afinam com as circunstâncias vitais e artísticas do poeta. Figurações que se revelam nas epígrafes e dedicatórias, ou nas citações diretas e indiretas. Para completar a aspiração operacional da excelência, sucedem o projeto gráfico e a cópia das ilustrações carregadas de beleza e de sentido. O suporte "livro" está pejado não somente de adornos, mas sobretudo de símbolos, alegorias e informações visuais que fazem do conjunto um achado estético, uma exaltação artística dos objetos e das relações afetivas. Vários poemas anafóricos, doridos, "Louças, cristaleira e solidão" e "Partido de ontem", mostram-se bem realizados, exemplificam a melhor composição do poeta. Sejam mencionados os artistas que completam a obra: Fred Veras, fotógrafo; Augusto Paiva, Lourenço, João Helder Alves Arcanjo, ilustradores. Várias linguagens em apoio da dicção madura, melancólica, de Clauder Arcanjo. Da leitura do Novenário de Espinhos, a primeira impressão vem da velha crença de que a Língua Portuguesa se presta de modo especial para a confissão amorosa. Como se sabe, desde a corte de D. Afonso X, O Sábio, o galaico-português era utilizado para a expressão lírica. Outros aspectos se juntam ao contato inicial com a obra: a beleza gráfica, o projeto visual enfatizado pelos ilustradores: Fred Veras, Augusto Paiva, Lourenço, João Helder Alves Arcanjo. Tudo contribui para as surpresas proporcionadas pelo ambiente cultural de Mossoró. Clauder Arcanjo manifesta estilo pessoal quando inocula as expressões líricas com

as reminiscências sentimentais depositadas no seu espírito norte-rio-grandense. Conceitos e objetos das paisagens interior e exterior acodem à imaginação criadora. O leitor perceberá categorias anafóricas na composição dos poemas, certa reiteração sintagmática ao modo religioso, como se, por detrás dos interesses expressionais e das descobertas, repousasse o apelo insistente para que se gravassem na memória contingências da condição humana, perante as armadilhas do amor. Leiam-se os poemas "O baú da noite" e "Na solidão do meu quarto", plenos de tensões líricas, confessionais. Igualmente, "Fascínio e náusea", "Louças, cristaleira e solidão". Em breve composição, "Setembro", dedicado ao poeta Paulo de Tarso Correia de Melo, Clauder Arcanjo revela capacidade de síntese, seu poder de comunicar emoções inéditas. Poeta singular, Clauder Arcanjo reflexiona sobre o próprio ofício, como é praxe. Poderíamos apontar, no conjunto Novenário de Espinhos, duas artes poéticas: a primeira se insinua no poema "Creio (in)confesso". Guarda o tom enumerativo, esclarecedor, quase didático, mas intensamente poético. O remate é soberbo: "Creio na poesia, em verso e prosa/ Só não creio em poeta inconsequente." O título do poema "Creio (in)confesso", faz acudir à lembrança do leitor dois termos de gênese religiosa, os verbos "crer" e "confessar". O outro poema de cunho me-

14 Domingo, 1º de janeiro de 2012 Jornal de Fato

talinguístico é "Pretensão", no qual o eupoético aspira, em conclusão: "Verso-diamante-manhã/ Que se explica por si só,/ Sem a turva presença do poeta." Em ambos, observe-se, o juízo de valores transcende a artepoética. Seria o caso de outorgarmos a eles o neologismo trocadilhesco: realiza a arte pró-ética. A editora Sarau das Letras, de Mossoró, associada à Corpos Editora, do Porto, Portugal, proporciona ao leitor outra obra insuperável: Livro de Linhagens (2011) de Paulo de Tarso Correia de Melo. Alta poesia evocativa da Grécia e de Portugal. Valeria um estudo específico. Curiosamente, andei metido, nos últimos tempos, no estudo de obras de helenistas mineiros, poetas, ensaístas e pensadores: Pero Botelho (de Paracatu), Joaquim Brasil Fontes (de Formiga) e Andityas Soares de Moura (de Barbacena). Para não dizer de outro estudioso do Renascimento, especialista em Petrarca, Luís André Nepomuceno, ficcionista moderno, de alto valor. Cientistas e filósofos atestam, no mundo posterior ao século XX, ao pensamento do positivismo lógico, à relatividade de Albert Einstein, que a Filosofia grega está de volta, com suas iluminações e aporias. Fábio Lucas é crítico, ensaísta, ficcionista e autor de O Poliedro da Crítica (2009), O núcleo e a periferia de Machado de Assis (2009) e As ficções de Guimarães Rosa: perspectivas (2011)


CULINÁRIA

Pernil à pururuca INGREDIENTES 1 pernil com o couro 1 cebola 1 cabeça de alho 3 copos de vinagre Suco de 2 limões 1 colher de sopa rasa de sal, para cada quilo de pernil Pimenta do reino a gosto 1 copo de óleo

MODO DE PREPARO 1- Bater no liquidificador: cebola, alho, vinagre, suco dos limões, sal e pimenta. 2 - Coar em um pano ( utilizo um pano de prato limpo ) colocar o líquido em uma seringa grande e injetar no pernil. 3 - A parte pastosa deste tempero, passar sobre o pernil, em especial, na parte da carne. 4 - Deixar neste tempero por 48 h. 5 - levar ao forno para assar, com a parte do couro para cima, coberto com papel alumínio ( 1 hora para cada k de carne), em fogo médio.

6 - 1 hora antes de retirar do forno, retirar o papel alumínio, deixe em fogo alto, para dourar. Depois de dourado, jogar o óleo fervendo sobre o couro. OBS: o pernil da foto tem 7 k.

Camarão à Moda Baiana

Sobremesa de sorvete com chocolate

1 kg de camarões sal, pimenta limão, cheiro verde ao seu gosto 1 kg de tomates (sem pele e sem sementes) 2 colheres de sopa de óleo de soja 2 ou 3 colheres de sopa de azeite de dendê leite de coco

MODO DE PREPARO 1- Limpe os camarões, retirando as cascas e as tripas, e lavandoos a seguir 2 - Tempere com sal, pimenta, suco de limão e cheiros-verdes 3 - Leve ao fogo uma panela com um pouco de óleo 4 - Quando o o óleo estiver quente, coloque os camarões e deixe dourar bem, junte os tomates formando um molho bem consistente 5 - Acrescente o leite de coco, e deixe no fogo com panela bem tapada, por mais 10 minutos 6 - Por fim, junte o azeite de dendê 7 - Pimenta a gosto

INGREDIENTES 1 pote de sorvete de creme 360 g de chocolate ao leite ou meio amargo 1 lata de creme de leite sem soro 1/2 caixinha de bis escuro 1/2 caixinha de bis branco Cereja em calda para decorar

MODO DE PREPARO 1 - Derreter o chocolate no microondas começando por 1 minuto 2 - Retirar,verificar e se necessário colocar mais 1 minuto 3 - Mexer bem, acrescentar o creme de leite Montagem: 1 - Em uma travessa colocar o sorvete 2 - Sobre ele a mistura de chocolate e o bis picado 3 - Decorar com as cerejas 4 - Levar ao freezer por 2 horas e servir

Jornal de Fato Domingo, 1º de janeiro de 2012 15

FONTE: tudogostoso.com.br

INGREDIENTES

Revista Domingo 01 janeiro 2012  

Revista Domingo 01 janeiro 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you