Page 1

PUBLICIDADE

Lições de Fé

“VIVI UM VERDADEIRO

INFERNO!”

SEMPRE AO SEU LADO! Edição nº 738

Ano 15

Discotecas, festas, álcool e más companhias levaram Fua ao extremo do abismo e a ter de reconhecer que estava completamente perdida Pág 5

iurd.pt

11 a 17 de fevereiro 2018 Edição Nacional e Ilhas

Resultados da Fé

“Lutei contra um tumor no colo do útero” Exames detetaram um tumor em Giulia que a levaria à batalha pela sua vida Pág 10

Jornal de distribuição gratuita

Templo Maior

“Quis acabar com a minha vida”

Ana mergulhou num estado de depressão profunda, de tal forma que apenas se sentia bem no escuro, isolada e medicada Pág 3

Siga-nos no facebook!

73.400 exemplares

Ponto Final

À MARGEM DA SOCIEDADE Os sem-abrigo são frequentemente negligenciados, recebendo apoio apenas de grupos solidários como os Anjos da Noite Pág 12

+ de

Foi considerada mais perigosa que a obesidade e os efeitos do tabaco... falamos da solidão, a “epidemia oculta” que levou à criação do primeiro ministério no mundo para tratar este flagelo

35 mil sozinhos ou isolados em Portugal

Págs 6/7

SOLIDÃO A epidemia silenciosa AMOR

“Nunca fui feliz na minha vida sentimental!”

“Sofri bastante com as brigas, agressões e traições”

Cláudia Almeida Pág 9

Josilene Peixoto Pág 9

12 Dicas

Especiais... para tornar a sua relação feliz e duradoura Pág 9


2

Reflexão Edir Macedo

Bispo

A PACIÊNCIA DA FÉ INTELIGENTE

C

omo combinar a fé com a paciência? O que tem a ver a fé com a paciência? Se a fé fosse ferramenta exclusiva de soluções imediatas como mágica, nada teria a ver com a paciência. Porém, a fé e a paciência são dons do Espírito Santo para os Seus filhos terem condições de enfrentar os problemas e vencê-los. Paciência nunca foi o meu forte, porque não conseguia combiná-la com a fé. Sempre pensei que a fé atropelaria a paciência e resolveria os meus problemas sem ter de espe-

“Após décadas na fé com o meu Senhor, finalmente, aprendi que a paciência é uma das virtudes da fé inteligente”

rar. Só que, após décadas na fé com o meu Senhor, finalmente, aprendi que a paciência é uma das virtudes da fé inteligente. A paciência é perseverante, mesmo sob as piores circunstâncias. Quanto mais firme é a paciência, mais poderosa é a fé. Mas o jovem na fé, por conta da imaturidade, não vê assim. Acha que pela fé as coisas têm de acontecer, custe o que cus-

tar e no tempo dele. Se observarmos as suas atitudes, constataremos que tem usado a fé sem contar com a paciência ou a perseverança. Assim sendo, a sua fé só tem visão para vencer. E, quando perde, vê-se frustrado, como se a culpa fosse de Deus. Porém, se a fé é inteligente e é acompanhada de paciência, há consciência que ela, em princípio, tem de perder (semear, investir) para, então, lá na frente, colher os seus frutos. É como diz o Texto Sagrado: - “Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra (onde semeou), aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia” (Tiago 5.7). - “O Espírito Santo ensina: que a prova da nossa fé opera a paciência” (Tiago 1.3). - “O Senhor Jesus também ensina: Na nossa paciência, possuímos (salvamos) a nossa alma” (Lucas 21.19). O Espírito de Deus tem-me ensinado nos meus desertos que a fé sem a paciência não funciona para a Salvação eterna; que a fé é parceira inseparável da paciência. A fé sem a paciência pode funcionar de forma imediata na cura Divina. Mas não para a Salvação eterna. “… corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, Autor e Consumador da fé, o qual, pelo gozo que Lhe estava proposto, suportou a cruz (com paciência porque tinha fé no Seu gozo futuro), desprezando a afronta (não fez caso dos deboches sofridos), assentou-Se à destra do Trono de (Hebreus 12.1-2). Deus” (Hebreus

Quando, aparentemente, não falta nada... Completamente sem rumo na vida... era assim que David passava os seus dias, sem saber o que fazer para preencher o vazio angustiante que o consumia e levava ao desespero total David Ribeiro IURD Cascais (Av. 25 de abril, nº 25)

E

ra um vazio inexplicável e que o consumia, dia após dia, já que não sabia o que fazer para o colmatar... não existe melhor forma para descrever o que David sentia no mais profundo do seu ser antes de conhecer a Deus de verdade. “Sentia um vazio dentro de mim, algo que faltava para ligar os pontos todos... Isto sucedia embora vivesse uma vida despreocupada e nada

me faltasse em termos materiais. Talvez seja por isso que tenha tido uma existência quase sem rumo”, confessa o jovem. 100% PREENCHIDO. David teve o seu encontro com Deus não por mero acaso, mas graças à intervenção da sua esposa, que lhe fez o convite para assistir às reuniões. “Desde então, fui batizado com Espírito Santo e o vazio que sentia, a cada dia que passa, está cada vez mais preenchido com a força e a revolta do Espírito Santo, que me faz querer melhorar a minha vida. As lutas continuam e são muito mais difíceis, mas agora tenho a certeza de que tenho Deus do meu lado e nada me faltará”, conclui David, hoje um homem feliz, preenchido e realizado.

“Sentia um vazio dentro de mim, algo que faltava para ligar os pontos todos...” 

CorreiodoLeitor Envie por e-mail ou no nosso facebook:

É possível VENCER!

Como teve conhecimento do Folha de Portugal? Na IURD, onde aprendi como viver com Deus e a usar a fé, sem duvidar, sem usar o sentimento, mas sim a razão. Alguns testemunhos ensinaram-me a acreditar que, da mesma forma que as pessoas conseguiram vencer, eu também conseguiria.

TEM UMA OPINIÃO/SUGESTÃO SOBRE O JORNAL? ENVIE-NOS!

geral@folhadeportugal.pt

Folha de Portugal

Refira três temas que gosta ou gostaria de ver abordados no jornal? Gosto da Reflexão do bispo Edir Macedo, do Em Destaque e dos Resultados da Fé. Sugeria mais momentos de reflexão como tínhamos há algum tempo atrás. Que mensagem deixaria a quem está a ler o jornal pela primeira vez? Que leia cada página e cada texto com toda a sua atenção, pois eu creio que Deus irá falar consigo e irá encaminhá-lo/a para o que é melhor para si, tal como fez comigo. Sílvia Silva Silva, Funchal

PUBLICIDADE

Folha de Portugal

RUA DR. JOSÉ ESPÍRITO SANTO, Nº 34, 1950-096 - LISBOA Tel: 219 016 650 Correio do Leitor / Publicidade: geral@folhadeportugal.pt DIRETOR: João Filipe - jf.d@folhadeportugal.pt EDITOR: Iurd REDAÇÃO: Carla Vaz - cv.r@folhadeportugal.pt e Nilza Barros - nb.r@folhadeportugal.pt ASSISTENTE DE REDAÇÃO: Cláudia Pereira - cp.s@folhadeportugal.pt REVISÃO: Nilza Barros - nb.r@folhadeportugal.pt PAGINAÇÃO: Andreia Duque, Carlos Paredes e Diogo Almeida

Grande Lisboa: Positiva (95.0 FM) Record FM (107.7 FM) Região Norte: Record FM (95.5 FM) Região Centro: Record FM (101.3 FM) Ribatejo: Record FM (101.7 e 105.5) Alentejo: Antena Sul Évora (95.5 FM) Almodovar (90.4 FM) Região Sul: Record FM (91.8 FM) Madeira: Rádio Popular (101 FM) Zarco (89.6 FM) Rádio Festival (98.4 FM) TSF (100.1 FM) Açores: Rádio Popular FM (101.0 FM) e Canal FM (100.5 FM)

Folha de Portugal Título registado no ERC com o nº 125046 Propriedade: IURD Sede administrativa: Avenida Marechal Gomes da Costa, n.º 21 - D, 1950-097 Marvila - Lisboa NIPC: 513469524 Periodicidade: Semanal Impressão: Brandz Intelligence - Unipessoal Lda. - Av. Capitão Salgueiro Maia, nº 8 - 4A 1885 - 091 Moscavide Tiragem: 73.400 exemplares Depósito Legal: 322699/11 Distribuição: Gratuita Circulação: Portugal Continental e Ilhas.

Todos os dias, pelas 23H

Todas as fotografi as e imagens que não estão devidamente identificadas, reservam-se os direitos de autor. Todas as fotografi as respeitantes à IURD são da responsabilidade da mesma.


Aconteceu no Templo Maior

3

DOMINGO

Concentração de FÉ E MILAGRES  Discussões, desunião, separação... A sua família tem vindo a ser afetada por todo o tipo de problemas e você já não sabe mais o que fazer para a restaurar?!? Então, venha aos domingos, pelas 9H30, buscar a proteção de Deus para o seu lar, colocando a sua família no Abrigo do Altíssimo. Domingo, às 9H30 Para mais informações, consulte a página 11.

Depressiva, Ana só queria

ficar no escuro

O fim de um casamento é sempre traumático para ambas as partes. Para Ana, foi o desencadear de uma depressão profunda, que a fez mergulhar numa vida dissoluta e na escuridão constante

agora esposo meu servo! Até que ele acabou por me deixar, pois não aguentou a situação!” RECONSTRUIR. “Foi desta forma destruída que cheguei à IURD. Comecei a frequentar as reuniões e a colocar em prática o que aprendia sobre a Palavra de Deus e, através da minha mudança, o meu esposo não só se reconciliou comigo, como também começou

“Só queria ficar no escuro, andava medicada para a depressão...” 

Ana Sofia IURD Alverca (Rua António Sousa, por cima do Continente Bom-Dia)

“E

stava num estado lastimável, tinha acabado de me divorciar, e a forma que arranjei para tentar esquecer a situação foi ir para as noitadas com colegas do trabalho quase todos os dias. Para além disso, comecei a beber e a fumar.

Mas, como nada disto me fazia esquecer o passado, o meu estado só piorou, tendo ficado depressiva. Nesta fase, só queria ficar no escuro, andava medicada para a depressão e o nervosismo era tal, que cheguei ao ponto de querer acabar com a minha vida. Entretanto, conheci o meu atual esposo, mas, como eu não estava bem, a relação também não podia começar bem. Eu era agressiva, autoritária e tentei fazer do meu

a participar nas reuniões da IURD! A partir daí, passámos a estar os dois na mesma fé, a caminhar lado a lado, pelo mesmo propósito. Foi, então, que começámos a conquistar, em todas as áreas! Estamos casados há dois anos, temos casa própria, mesmo em tempo de crise, um segundo automóvel, mas, acima de tudo, a paz interior!” PUBLICIDADE

Esta é a única proteção para a sua família! Escreva os problemas pelos quais está a passar na sua vida e no seu lar e traga, no próximo domingo, participando nos 13 domingos em favor da proteção familiar.

Lisboa I Rua Dr. José Espírito Santo, nº 36 - Chelas

Recorte e entregue, domingo, nas mãos de um pastor!


Em Destaque

T R ATA M E N T O G A R A N T I D O

PUBLICIDADE

4

Praga rogada contra os filhos Cansada dos vícios do noivo, Fernanda decide terminar a relação e é nesse momento que a ex-sogra lhe roga uma praga contra os seus futuros filhos

SEXTA-FEIRA

INFORMAÇÃO SOBRE CONSULTA:

968 620 333

12 SINAIS

DE QUE VOCÊ PRECISA, URGENTEMENTE, DE UM TRATAMENTO ASSINALE OS SINAIS QUE TEM DETETADO NA SUA VIDA E LEVE SEXTA-FEIRA, ÀS 21H:  1. EXPLOSÕES DE RAIVA / NERVOSISMO O seu sistema nervoso é uma autêntica bomba relógio.  2. DORES DE CABEÇA CONSTANTES São dores que não respondem a qualquer tratamento médico, causando confusão e exaustão.

 5. MEDO A pessoa está, constantemente, em pânico.  6. DESMAIOS OU ATAQUES Para que aconteçam não existe hora ou lugar, nem tampouco uma explicação.

 10. VIDA SENTIMENTAL INSTÁVEL Casamentos destruídos, relações sucessivas, divórcios, solidão...

 11. AUDIÇÃO DE VOZES E VISÃO DE VULTOS Barulhos  7. PENSAMENTOS estranhos SUICIDAS ou visões Surgem em que causam momentos exaltação ou de extremo terror nas suas  3. INSÓNIA desespero vítimas. Há pessoas que e solidão. não dormem há  12. ENVOLVIMENTO anos e a falta de  8. DEPRESSÃO COM FEITIÇARIA E sono Há pessoas OCULTISMO é a morte lenta que passaram A comunicação do corpo. toda a sua vida com qualquer adulta a tomar espírito que não  4. DOENÇAS medicamentos, seja o de Deus é INCURÁVEIS incapazes de demoníaca e um Existem dois trabalhar. convite aberto tipos de doenças para a entrada incuráveis: a  9. VÍCIOS do mal. doença que é O auto-controlo genuína e as é abandonado sem diagnóstico. e um estado mental alterado é estabelecido.

TEMPLO MAIOR: Rua Dr. José Espírito Santo, 36 - Chelas (próximo da estação de metro de Chelas)

Fernanda Alves IURD Entroncamento (Rua 5 de outubro, 85)

“E

m 1993, estava noiva de um rapaz com alguns vícios que eu detestava, tais como a droga e o álcool. Como estávamos noivos, pedi-lhe para deixar os vícios, mas ele não me ouviu e eu cancelei o noivado. Entretanto, ele prometeu-me que iria deixar os vícios e voltámos a marcar o casamento. Mas ele continuou a fazer a mesma vida e eu fui a casa dele uma última vez, tendo dito aos pais dele que se ele não mudasse cancelava o casamento definitivamente e acabei com ele. Achei que não valia a pena lutar sozinha pela relação, então, a mãe dele rogou-me uma praga, tendo dito que os meus filhos seriam de-

ficientes, que nasceriam sem braços e sem pernas. Depois desse dia, comecei a ficar muito cansada, irritada e com mudanças de humor, a sentir suores frios. Passei a fazer só o que queria e não ligava aos outros, tornei-me arrogante e explodia por qualquer coisa, mesmo que não tivesse razão. Este estado durou um ano e foi na altura em que estava a trabalhar numa empresa de produtos químicos. Foi lá que conheci o pai dos meus filhos, que era

“A mãe dele rogou-me uma praga, tendo dito que os meus filhos seriam deficientes” 

um dos meus chefes, apaixonámo-nos, fomos viver juntos e eu fiquei grávida do meu filho.” LIBERTAÇÃO. “Entretanto, o menino nasceu perfeito e, dias depois, comecei a frequentar a IURD, através dos meus sogros e do meu marido. Um dia em que estava lá comecei a sentir-me mal, com enjoos, suores frios e com vontade de fugir dali. Mas, uma obreira percebeu que eu não estava bem, fez uma oração e eu comecei a mudar de cor e a vomitar bolas de pêlo, parecia mesmo que tinha engolido uma dúzia de rolos de lã. Entretanto, comecei a participar na reunião da libertação, às sextas-feiras, e fiquei livre de todo o mal. Depois disso, apresentei o meu filho a Deus e até hoje ele tem sido um bom menino.”


Lições de Fé

5

“VIVI UM Aproxime-se VERDADEIRO

INFERNO!”

do Mais

Importante

Depois de se ter afastado da presença de Deus, Fua enveredou pelo mundo do álcool e da noite e quase se perdeu de vez

Por vezes, estamos tão distraídos com o ruído à nossa volta, que nos esquecemos de escutar a Voz que realmente nos pode direcionar para a plenitude de vida

A

s distrações e todas as formas de entretenimento ajudam a dispersar a nossa atenção e, muitas vezes, impedem-nos de ter a concentração necessária para conquistarmos os nosso objetivos e para nos aproximarmos mais de Deus. Durante os 21 dias do Jejum de Daniel, temos a oportunidade de nos afastar das informações seculares e de nos abster de todo o tipo de atitudes que nos impeçam de aprofundarmos a nossa relação com Deus, de recebermos o Espírito Santo e de beneficiarmos de uma vida plena, abundante e feliz.

ALIMENTO ESPIRITUAL. “Porque o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Romanos 14.17). A comida e a bebida representam a natureza humana, a necessidade do alimento que nos prende ao plano natural da vida.

Fua Nuanela IURD Portimão (Largo Gil Eanes, lote A, r/c direito)

F

Estas fazem ainda referência aos prazeres deste mundo, que nos distanciam de Deus. Durante o Jejum de Daniel, o nosso principal alimento é o Espírito de Deus e os ensinamentos que vêm d'Ele. Quando estamos próximos de Deus, enchemo-nos de paz, alegria e bondade, alcançando uma vida plena e feliz. BLOQUEIO CONTRA O MAL. “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26.41). A natureza humana não é capaz de lutar contra os espíritos malignos, que através dela promovem armadilhas contra a nossa vida. Por esse motivo, muitas pessoas passam anos a sofrer e enganadas. Durante o Jejum de Daniel, fortalecemos o nosso espírito em Deus, buscando a Sua presença.

ua cresceu numa família onde imperava a educação e o respeito. O seu pai, que sustentava o lar, tinha boas condições económicas, o que proporcionava uma vida estável a toda a família. Mas, de um dia para o outro, o pai adoeceu, ficando preso a uma cadeira de rodas. “Na altura, eu tinha apenas 12 anos, mas, devido à situação precária de saúde do meu pai, toda a família teve de começar a trabalhar, pois o meu pai não conseguia mais sustentar a casa. Então, fui obrigada a crescer muito rapidamente para poder ajudar. Mas, dentro de mim, começou a gerar-se uma revolta, pois era muito nova e tinha de estudar e trabalhar ao mesmo tempo. Apesar de a minha família estar na IURD, eu acabei por me afastar, pois queria viver a vida do meu jeito. Fiquei afastada cinco anos e vivi um verdadeiro inferno! Dentro de casa era muito respondona, orgulhosa e revoltada. As minhas palavras eram muito agressivas e não sabia tratar ninguém com carinho. Para além disso, era muito independente e não confiava em ninguém.”

COMPLETAMENTE PERDIDA. A fim de tentar preencher o vazio que sentia, Fua passou a frequentar discotecas e festas, a beber bebidas alcóolicas e a andar com más companhias. Mas tudo isso de nada adiantava: “Quando estava junto dos meus amigos e nas festas, achava que estava tudo bem comigo, mas, quando estava sozinha em casa e parava para pensar no que queria da minha vida, sentia-me triste e vazia, sem nenhuma perspetiva de vida. Numa dessas reflexões, vi o quanto estava perdida e que precisava da ajuda de Deus.” REALIZAÇÃO TOTAL. Entretanto, cheia de sofrimento, má-

goas, orgulho ferido e revolta, Fua decidiu regressar à IURD. “No meu interior não existia paz alguma! Não foi fácil ouvir a verdade sobre mim mesma, mas reconheci o meu estado e dispus-me a mudar. Através dos sacrifícios para Deus no Altar, toda a minha vida foi transformada. Entretanto, decidi fazer o Jejum de Daniel, abstendo-me de qualquer distração. Coloquei todo o meu foco na busca do Espírito Santo e recebi-O”, comemora. Hoje, Fua já não é mais uma pessoa respondona, orgulhosa e impulsiva. “Agora, consigo ouvir, ter domínio próprio e acatar ordens. Tornei-me uma pessoa interiormente realizada, com paz e alegria.

“Sentia-me triste e vazia, sem nenhuma perspetiva de vida” A nível familiar, passei a ser uma filha obediente, paciente, amiga e compreensiva. Para além disso, superei todas as mágoas e aprendi a perdoar. Hoje, tenho compaixão para com as outras pessoas, amor e paz. Também sou realizada a nível sentimental e financeiro, trabalhando numa empresa multinacional, como gestora operacional. O que eu pensara ser impossível, hoje é possível!”

Fonte: universal.org PUBLICIDADE

“Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre...” (Apocalipse 3.7)

2018

Venha receber a CHAVE que abre todas as portas! SEGUNDA-FEIRA,

ÀS 20H, 15H,10H E 7H

O ANO DAS PORTAS ABERTAS IURD TEMPLO MAIOR Rua Dr. José Espírito Santo, 36 - Lisboa (próximo da estação de metro de Chelas)


6

Tema Capa

EPIDEMIA MUNDIAL

Primeiro ministério

CRIADO PARA COMBATER A

SOLIDÃO

A INICIATIVA PARTIU DO REINO UNIDO, ONDE CERCA DE NOVE MILHÕES DE PESSOAS SÃO AFETADAS PELO QUE A CHEFE DO GOVERNO BRITÂNICO, THERESA MAY, APELIDOU DE “FLAGELO SOCIAL” E “EPIDEMIA OCULTA”

“O vazio fazia-me refugiar nos vícios” Chegar ao ponto de se tornar sem-abrigo estava longe de ser o que Marcelo projetava para a sua vida, contudo, foi a este fim que o seu vazio interior o levou... Marcelo Cyrne IURD Abrantes (Rua D. João IV, nº 29, Edifício Coreba)

E “Conquistei o meu próprio negócio e nada me falta...”

xtremamente infeliz e com um vazio interior muito grande... era assim que Marcelo se sentia, de tal forma que só encontrava refúgio nos vícios. “O meu casamento estava completamente arruinado devido a discussões e desavenças, até que cheguei ao ponto de me separar. Eram problemas atrás de problemas, tanto que, aos poucos, fui perdendo tudo o que tinha alcançado. Dinheiro, bens, sonhos, vida... ao ponto de ir morar na rua, sem nada nem ninguém. Nesses momentos, vinha

a tristeza, pensava que não tinha como sair daquela situação. Para quem tinha tido carro, casa, família... agora encontrava-me sozinho e sem nenhuma perspetiva de vida.” DE VOLTA À VIDA. “Quando conheci a IURD era mendigo, morador de rua, mas ali percebi que poderia mudar a minha vida. Então, comecei a obedecer às orientações que me davam a cada dia, libertando-me dos vícios, pois já não precisava mais depender daquilo para viver. Hoje, tenho uma fa-

“Nesses momentos, vinha a tristeza, pensava que não tinha como sair daquela situação”

mília abençoada, sou feliz, conquistei o meu próprio negócio e nada me falta. Tenho paz e, inclusivamente, aquele vazio interior foi preenchido pela presença de Deus.”

“Passava os meus dias no cemitério” Durante 17 anos Fernanda foi VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, tanto verbal como física, prática que a fez descer às profundezas do abismo interior... Fernanda Cunha IURD Peniche (Rua Arquiteto Paulino Montez, nº 93)

“P

or mais que fizesse tudo perfeito para lhe agradar, ele não aprovava...”, relata a mãe de família, cujo ex-marido mantinha outras relações e bebia muito. “Isso tudo levou-me, aos poucos, a uma depressão profunda. Vivia triste, nervosa, constantemente com medo de tudo e de todos, só estava bem isolada, fechada no quarto, pensando que a única solução seria morrer.” EM QUEDA LIVRE. Como se não bastasse, Fernan-


Tema Capa Nilza Barros nb.r@folhadeportugal.pt

“Vivemos numa sociedade narcisista. Estamos tão preocupados em conquistar mais, em satisfazer mais o nosso ego, que deixamos de lado a conversa, o olhar para o outro”

V

iver só, socialmente isolado, não ter amigos ou, simplesmente, alguém com quem desabafar... de facto, a solidão tem uma expressão própria para cada ser humano, contudo, é um facto que a mesma se tem vindo a tornar cada vez um flagelo social, a nível mundial. A solidão pode ser mais perigosa do que a obesidade ou fumar 15 cigarros por dia. As conclusões publicadas pelo site sapo.pt são do relatório da comissão para solidão, criado pela deputada trabalhista Jo Cox, que foi assassinada durante a campanha para o referendo do Brexit. O relatório aponta ainda que três a quatro médicos do Reino Unido atendem, por dia, cinco pessoas que vivem sós.

AMIGOS FICTÍCIOS. No Japão, uma empresa criou um serviço que permite aos clientes reservar amigos falsos para fazer fotos e postar nas redes sociais. O negócio também oferece namorados e familiares de mentira para participar de fotos de pessoas solitárias, segundo reportagem publicada em março pelo site britânico The Independent.

da começou a nutrir profundos complexos de inferioridade. “Tinha nojo de mim mesma, sentia-me feia e inútil em todas as áreas da minha vida. Perdi a autoestima, deixei de cuidar da minha saúde e de mim mesma. Não comia e tomava calmantes, pois já não vivia mais sem esses remédios. Pedi o divórcio, que só obtive quatro anos depois, tanto que, durante como após o divórcio, a depressão manteve-se. Passei a vestir-me só de preto, chorava muito e passava os meus dias no cemitério. Fui-me tornando amarga e agressiva verbalmente, cheia de rancor e ódio contra o meu ex-marido.” TRANSFORMADA. “Até que, um dia, através do jornal da IURD, que vi num café, decidi

“Tinha nojo de mim mesma, sentia-me feia e inútil em todas as áreas da minha vida” 

procurar a Igreja aqui em Peniche. Então, começou uma nova etapa da minha vida. Fui orientada a participar nas reuniões de libertação e a buscar o Espírito Santo. Hoje tenho paz, alegria de viver e cuido de mim mesma. Perdoei o meu ex-marido, sou uma mulher e mãe realizada.”

7

Uma empresa criou um serviço que permite aos clientes reservar amigos falsos para fazer fotos e postar nas redes sociais Esta não é a primeira notícia sobre empresas japonesas que oferecem atores para atuar como familiares e amigos. Em 2009, o mesmo jornal britânico noticiou que japoneses contratavam estranhos para interpretar papéis como chefe, amigo e cônjuge em ocasiões como casamentos e aniversários. Mas, afinal, o que levaria uma pessoa a contratar um estranho para fingir uma amizade ou um relacionamento familiar? PROFUNDA SOLIDÃO. Embora o aluguer de atores pareça algo extremo, a psicóloga e psicoterapeuta Danielle Ferreira, em declarações ao site universal. org, avalia que uma das possíveis explicações para isso seja a

solidão. “Estas pessoas estão a suprir a necessidade de ter um amigo de verdade. Creio que o que leva a isso é a dificuldade do ser humano em lidar com a própria solidão. Às vezes, colocamos nos outros a responsabilidade de preencher o nosso vazio”, diz. “Vivemos numa sociedade narcisista. Estamos tão preocupados em conquistar mais, em satisfazer mais o nosso ego, que deixamos de lado a conversa, o olhar para o outro. Nós queremos ter um lugar, queremos ser alguém, mas no fundo estamos a deixar de suprir necessidades fundamentais. Quando pensamos apenas em ter, nós deixamos de ser”, esclarece.

Pensava no

SUICÍDIO constantemente Foi aos cinco anos de idade que Daniela conheceu a IURD. Tendo sido curada dos problemas de saúde que apresentava, mais tarde, a sua vida sofreu um retrocesso inesperado Daniela Duarte IURD Santarém (Largo Comendador Paulino Cunha Silva, nº 1)

P

or não praticar os ensinamentos que escutava, Daniela começou a sentir-se muito deprimida. “Só queria ficar sozinha, chorava muito e tinha muitos pensamentos de suicídio... tal era o vazio que estava dentro de mim. Apesar de conhecer a Verdade, não colocava nada em prática. Tinha muitas discussões com os meus pais, especialmente com a minha mãe, ao ponto de chegar a nutrir maus sentimentos em relação a ela. Era um sofrimento

muito grande. Até ao momento em que me envolvi com uma pessoa. Foi uma relação muito curta, na qual sofri bastante, porque sempre que estava com ela estava bem, mas quando ficava longe sentia um vazio muito grande.” A PAZ ANSIADA. “Então, a certa altura decidi deixar tudo aquilo para trás e seguir aquela Verdade que ouvia na Igreja e praticá-la. Dali em diante, houve uma transformação interior. Todos os maus sentimentos que nutria, como o vazio, a mágoa e o ódio foram arrancados. O meu comportamento mudou,

“Só queria ficar sozinha, chorava muito e tinha muitos pensamentos de suicídio... tal era o vazio que estava dentro de mim”

pois, nessa altura eu já era uma jovem rebelde. Passou a existir harmonia no lar e os pensamentos de suicídio foram arrancados. Em vez de querer morrer, queria viver para poder passar aquilo que tinha recebido através do uso da minha fé. Hoje, sou uma jovem realizada, pois, se no passado não tinha planos, hoje sou formada, trabalho e numa área que gosto muito, mas, acima de tudo tenho paz.”

SEXTA-FEIRA

LIBERTAÇÃO  Inveja, pragas, bruxedos, maldições hereditárias, perturbações nervosas e espirituais que dão origem a pensamentos negativos, depressão, tristeza, medo, traumas, insónia, complexos, nervosismo ou angústia. Participe, às sextas-feiras, às 10H, 12H,15H e 20H, e seja livre, ao eliminar todos os problemas espirituais da sua vida!


8

AMOR

Como superar os obstáculos Nem sempre tudo corre como planeado e, quando as dificuldades surgem, muitas relações não sobrevivem ao impacto causado pela dura realidade de que a vida a dois não é “um mar de rosas”

INIMIGOS

DO AMOR

Carla Vaz cv.r@folhadeportugal.pt

D

esde cedo imaginamos como será conhecer aquele alguém com quem iremos namorar, casar e constituir família. Por vezes, tudo corre como planeado e a felicidade parece ter sido, finalmente, alcançada. Mas eis que surgem as dificuldades do dia a dia ou até quem sabe problemas maiores, realidade que nem todos os casais estão preparados para enfrentar e superar. Na Bíblia é-nos descrita a reação de uma mulher sulamita perante as adversidades do relacionamento com o seu amado: “De noite, no meu leito, busquei o amado de minha alma, busquei-o e não o achei. Levantar-me-ei, pois, e rodearei a cidade, pelas ruas e pelas praças; buscarei o amado da minha alma.

❤ Traição e consequente perda de confiança ❤ Problemas financeiros ❤ Sentimento de posse ❤ Ciúmes exagerados ❤ Excesso de insegurança ❤ Fim do respeito ❤ Agressões verbais e/ou físicas Busquei-o e não o achei. En❤ Vícios contraram-me os guardas, que rondavam pela cidade. Então, lhes perguntei: Vistes o amado da minha alma? Mal os deixei, encontrei logo o amado da minha Fonte: universal.org alma; agarrei-me a ele e não o deixei ir embora, até que o fiz entrar em casa de minha mãe e na recâmara daquela que me concebeu” (Cântico dos Cânticos de Salomão 3.1-4). Esta mulher não ficou parada diante dos obstáculos, procurando incansavelmente a solução para o seu problema, não se detendo perante a primeira tentati va falhada e fazendo uso de todos os meios ao seu alcance para ser bem-sucedida.

FELICIDADE. Encare cada obstáculo como mais um degrau rumo a uma vida sentimental bem-sucedida

MUDE A SUA VISÃO. Obstáculos sempre enfrentaremos, mas cabe-nos a nós não nos ficarmos a lamentar e desistir, mas sim se-

guir em frente e superá-los. Pois, à medida que o vamos fazendo, vamos ficando cada vez mais fortes e experientes. Só depende de nós mudarmos a nossa visão! Foi o que aconteceu com Paula

Rodrigues, que passou por muitas dificuldades na sua vida sentimental, mas com a força da fé conseguiu superá-las, tal como a mesma nos relata: “Vim de um lar totalmente destruído, onde as brigas e as discussões eram constantes, assistindo, por vezes, a agressões físicas entre os meus pais. Cresci, então, descrente no amor dentro do casamento. Era uma pessoa angustiada, cheia de medos e inseguranças. Casei duas vezes e ambas acabaram em divórcio. Via que a minha vida se resumiria a isso, já que era isso que tinha vivido toda a minha infância. Foi, então, que conheci a IURD e participei na Fogueira Santa pela minha vida sentimental. Hoje sou casada e feliz, sabendo o que é amar e ser amada. Agora, há paz dentro do meu lar e temos total confiança um no outro.”


Amor

O que fazer depois de

mento amoroso, Josilene decidiu aceitar um convite para participar na Terapia do Amor na IURD. “Estava cansada de sofrer. Em primeiro lugar, reconheci que sem Deus não poderia fazer nada dar certo. Em seguida, aprendi que deveria amá-Lo e reaprender a amar-me para depois encontrar e amar alguém”, acrescenta.

3 relacionamentos FRACASSADOS? Josilene Peixoto IURD Brasil

N

a adolescência, Josilene apaixonou-se por um rapaz com quem se casou. “Quando fomos morar juntos, os problemas começaram. Sofri bastante com as brigas, agressões e traições. Até que, quando a nossa filha nasceu, nos separámos”, recorda. A fim de tentar curar a dor da solidão, Josilene entrou noutro relac iona mento. “Da segunda vez achei que fosse dar certo, porque ele era gentil. Engravidei logo no começo da relação, mas, por causa do vício da bebida, passámos a ter muitos problemas e resolvemos terminar. Meses depois, entrei num terceiro relacionamento e, depois de nove anos, separei-me novamente”, relata.

UMA NOVA OPORTUNIDADE. Depois de começar a frequentar a Terapia do Amor, Josilene, conheceu José e convidou-o para participar nas palestras com ela. “Eu admirava tanto o comportamento da Josilene, que decidi frequentar as palestras com ela e passámos a ir juntos à Terapia do Amor”, relembra. Passados alguns meses, decidiram iniciar o namoro. “Namorámos durante seis meses, até que ficámos a saber da Celebração dos Casamentos. Não pensei duas vezes e pedi-a em casamento. Eu queria fazê-la ainda mais feliz para o resto das nossas vidas”, explica.

Josilene apaixonou-se e desiludiu-se três vezes, até que decidiu tomar uma atitude que iria mudar a sua vida sentimental

O CASAMENTO. Casaram no dia 15 de setembro de 2015, no Templo de Salomão, e mesmo depois de casados continuam a participar na Terapia do Amor, porque para eles esta é a fonte de toda a sabedoria e o segredo do sucesso do bom casamento que construíram. “Problemas sempre aparecem e as palestras ajudam-nos a ter ferramentas para resolvê-los sem prejudicar a nossa união. Temos a Terapia do Amor como prioridade nas nossas vidas e no nosso relacionamento”, conclui José.

“Sofri bastante com as brigas, agressões e traições”

O CONVITE. Decidida a colocar um ponto final no sofri-

RELAÇÃO FELIZ E DURADOURA

*Dêem prioridade à vossa relação com Deus *Leiam a Bíblia juntos

*Orem juntos e um pelo outro *Dêem prioridade à vossa família

*Participem na Terapia do Amor Fonte: universal.org

Insegurança e nervosismo destroem vida sentimental Depois de sofrer diversas desilusões amorosas, Cláudia conseguiu voltar a acreditar que era possível ser feliz no amor

Cláudia Almeida IURD Cabo Verde

“N

unca fui feliz na minha vida sentimental! Passei por vários relacionamentos fracassados e tive três fi lhos, um de cada relacionamento. Todos esses fracassos amorosos resultaram do facto de ser insegura e nervosa. Com todo esse sofrimento,

*Exercitem o perdão

*Sejam pacientes *Aprendam a conversar sobre tudo

*Partilhem objetivos e princípios *Invistam tempo, carinho e atenção na vossa relação

*Pensem no bem-estar do outro

*Dêem prioridade um ao outro

9

“Passei por vários relacionamentos fracassados e tive três filhos, um de cada relacionamento” 

não tinha paz, não dormia à noite e fiquei mais insegura em relação à vida sentimental, tornando-me numa mulher fracassada e sem autoestima.” VOLTAR A ACREDITAR. “Ao chegar à IURD e ao começar a frequentar as reuniões, pude recuperar a minha autoestima e resolver o problema do nervosismo e da insegurança. Passei, então, a frequentar as palestras da Terapia do Amor, onde aprendi a cuidar das feridas do meu coração e voltei a acreditar numa vida sentimental feliz e realizada. Entretanto, conheci o José Pedro e, seguindo as orientações ensinadas na Terapia do Amor, casámo-nos. Já estamos casados há dois anos e somos muito felizes e realizados.”


10

Resultados da Fé “O meu fundo do poço foi quando os médicos me disseram que queriam tirar-me os ovários devido à gravidade do cancro e ao estado depressivo no qual me encontrava”

CANCRO DO OVÁRIO

Ia suicidar-se com 185 comprimidos

A grave doença era apenas a ponta do icebergue dos problemas que afetavam a vida de Jovita que, para tentar fugir dos mesmos, tentou acabar com a vida três vezes Jovita Aguiar IURD Ribeira Brava (Edifício D. Pedro, Lote A)

O

cancro dos ovários do qual padecia deixava Jovita abatida e sentindo-se extremamente doente. Todavia, o seu estado de saúde era ainda agravado pelas dores de cabeça constantes, a audição de vozes e a visão de vultos. “Há nove anos que sofria de insónia e tinha uma depressão muito profunda”, revela. “Para pôr fim ao meu sofrimento, tentei três vezes o suicídio e, numa dessas tentativas, já tinha o frasco preparado com 185 comprimidos para tomar. Estava decidida a acabar com a minha

vida, mas não tive sucesso. O meu fundo do poço foi quando os médicos me disseram que queriam tirar-me os ovários devido à gravidade do cancro e ao estado depressivo no qual me encontrava, foi, então, que fiquei desesperada e saí do hospital sem conseguir controlar as lágrimas.”

Cancro do ovário Este é o mais letal de todos os cancros ginecológicos, pois um tumor

Fonte: sapolifestyle

A MELHOR COISA. “Um dia, ao assistir a TV Record, vi um programa da IURD no qual me identifiquei com um testemunho de uma senhora, que parecia estar a contar toda a minha vida. O sofrimento dela era igual ao meu, mas agora ela estava curada e feliz, então, tomei a decisão de procurar a IURD.

Ainda demorou algum tempo até a encontrar, mas, um dia, sem esperar, passei à frente de uma e resolvi entrar. Foi a melhor coisa que me aconteceu na vida! Passei a frequentar as reuniões de libertação às sextas-feiras, para além das de quar-

CANCRO DO ÚTERO

“Vivi uma batalha contra um tumor”

Embora já conhecesse a IURD, Giulia tinha-se afastado, tendo sido neste período que a sua vida sofreu uma reviravolta, pela negativa... Giulia Ketlen IURD Torino

“F

iz alguns exames de rotina e fui diagnosticada com um início de tumor no colo do útero (HPV papilomavírus ASUS VC LSIL). Além desta péssima notícia, em casa via vultos, ouvia vozes e discutia com o meu marido todos os dias. Comecei a fazer exames atrás de exames e

maligno do ovário pode invadir os órgãos adjacentes. Além disso, pode libertar células cancerígenas no abdómen, levando à formação de outros tumores em órgãos e tecidos circundantes ou até disseminar-se através do sistema linfático. Cerca de 90 por cento dos tumores do ovário surgem em mulheres na menopausa, sobretudo após os 55 anos.

cada vez voltava mais abatida. A médica explicou-me que as consequências do vírus eram graves. O tumor era perto do colo do útero, na cervical, e talvez fosse necessário retirar o útero. Eu não podia fazer nada, estava desesperada, por isso eu e o meu marido chorávamos muito. Estava com princípio de depressão e o meu marido chegava a dizer que, se algo acontecesse, ele tiraria a própria vida.”

Cancro do útero Em Portugal, o cancro do útero representa cerca de 6% de todos os cancros nas mulheres. A investigação constante, numa área de intervenção tão importante como o cancro do útero, é, inquestionavelmente, necessária; cada vez se sabe mais sobre as suas causas, sobre a forma como se desenvolve e

CERTEZA INABALÁVEL. “Foi aí que tive o desejo de voltar para a IURD, mas não queria voltar apenas por interesse. Eu já tinha decidido regressar, mas queria voltar curada. Eu conhecia a fé que um dia me tinha sido ensinada e agarrei-me a ela com todas as forças. Para ter forças e lutar, escutava a rádio positiva e a rede aleluia todos os dias, orava com os pastores e com uma obreira que me ajudou muito. Dentro de mim

ta e domingo. O primeiro sinal que vi foi ficar livre das dores de cabeça e curada da depressão da qual sofria há anos. Continuei a perseverar e a obedecer, colocando em prática tudo aquilo que era ensinado e hoje estou curada do

cancro, já não ouço vozes, não vejo vultos e não quero mais me suicidar. Na minha vida sentimental também estou realizada, pois era mãe solteira, mas hoje estou casada. Do meu encontro com Deus, resultaram a paz e a felicidade.”

era grande a certeza de que eu venceria a doença. Enquanto isso, fiz a biopsia excisional e a médica descobriu que, em 15 dias, o tumor tinha crescido 15mm. Não desanimei, continuei a crer, usando a minha fé. No exame seguinte, a médica não sabia explicar o que teria acontecido, porque para ela era o momento em que eu deveria iniciar a terapia, mas, surpreendentemente, não seria mais necessário, pois o meu útero estava saudável.”

de vozes e visão de vultos. Hoje, a minha casa tem paz e é um pedaço do céu, tanto que o meu marido diz que parece que estamos a viver uma segunda lua-de-mel. Decidi entregar a minha vida a Deus, batizando-me nas águas e, algum tempo depois, recebi o Espírito Santo. Não tenho palavras para exprimir a alegria que sinto, porque onde vou e em tudo o que faço, o Espírito Santo me guia!”

TRANSFORMAÇÃO TOTAL. “Voltei a participar nas reuniões da IURD e comecei a ver mudanças dentro de mim e no meu casamento. Tornei-me mais tranquila, fui liberta da audição

cresce, ou seja, como progride. Estão, também, a ser estudadas novas formas de o prevenir, detetar e tratar, tendo sempre em atenção a melhoria da qualidade de vida das pessoas com cancro, durante e após o tratamento, bem como a diminuição da probabilidade de morte por cancro do útero. Fonte: roche.pt


Resultados da Fé Filme com imagens já divulgadas

Profetas da Bíblia: Joel

Como a IURD foi fundada na década de 1970, o filme também contará com imagens de época. Todos os cenários e figurinos foram pensados para reproduzir com fidelidade o momento em que a história se passa.

O filme “Nada a Perder”, que conta a trajetória do líder e fundador da IURD, bispo Edir Macedo, irá estrear apenas no dia 29 de março próximo. Porém, algumas imagens sobre a longametragem já foram divulgadas.

 Já leu o livro de Joel, na Bíblia? Por meio do seu texto, este profeta explica que para chegarmos à presença de Deus é necessário que haja um arrependimento sincero por parte do ser humano para que a Salvação

Eterna possa ser alcançada. Muitas pessoas, nos dias de hoje, vivem como aquelas dos tempos de Joel. Elas conhecem as orientações de Deus, mas insistem em não seguir os Seus ensinamentos. O grande problema desse tipo de atitude é que, mais cedo ou mais tarde, as consequências acabam por vir. E você? Está preparado? Fonte: universal.org

PUBLICIDADE

À ESPERA QUE A

11

MORTE

CHEGASSE... Diagnosticada com cancro no colo do útero, Eugénia foi mandada para casa à espera de morrer, já que o seu caso, para a medicina, não tinha solução possível Eugénia Arman IURD Trajouce (Largo do Rossio Pequeno, nº 2)

O

percurso de vida de Eugénia foi marcado por um intenso sofrimento. “Tinha muitos problemas, tanto familiares, como económicos... porém, o pior de todos era na minha saúde, pois via-me com a pele muito amarelada, um aspeto pálido e muita fraqueza...,” conta Eugénia o motivo que a levou a procurar o médico. “Quando resolvi ir ao médico, recebi um diagnóstico inesperado: tinha cancro no colo do útero.

“Quando resolvi ir ao médico, recebi um diagnóstico inesperado: tinha cancro no colo do útero”

Quando recebi aquela notícia, confesso que fiquei sem chão, porém, através de um amigo, fui convidada para ir à IURD. Antes disso, os médicos tentaram de tudo, todavia, fui desenganada por eles ao ponto de me mandarem para casa e esperar... sendo que eu já sabia o que queriam dizer com isso.” LUTA PELA VIDA. “Quando cheguei à IURD, vi os testemunhos e participei nas reuniões, tendo também recebido toda a atenção dos pastores. Porém, o mais importante que eu recebi foi uma palavra de fé, a qual me levou a despertar e a lutar pela minha cura. Resumindo, através da fé e das orações, fui totalmente curada daquele cancro que me condenava à morte e hoje estou muito feliz por estar viva e contar a todos o que Deus

fez na minha vida. E não foi só a cura, pois Deus também restaurou o meu lar. Jesus disse que tudo é possível ao que crer, pois bem, eu cri e estou curada! Nem mesmo os médicos entenderam, pois ficaram igualmente surpreendidos.”

3ª FEIRA REUNIÃO DA

Saúde Restaurada

 Direcionada para quem sofre com uma doença, dores ou problemas de saúde persistentes. Realiza-se todas as terças-feiras, às 10H, 15H, e 20H, na IURD mais próxima de si. A IURD ENSINA A PRÁTICA DA FÉ ESPIRITUAL LIGADA AO TRATAMENTO MÉDICO QUE É ACONSELHADO A CADA DOENTE

PUBLICIDADE

TEMPLO MAIOR:

Para mais informações:

Rua Dr. José Espírito Santo, 36, Chelas - Lisboa (próximo da estação de metro de Chelas) S. J. DO ESTORIL. Rua Sacadura Cabral, nº 102 C MERCÊS. Rua Dr. João de Barros, nº 14 CACÉM. Praceta da Fraternidade Universal, nº 28 A PÓVOA DE SANTO ADRIÃO. Rua General Alves Roçadas, nº 4 PONTINHA. Estrada Militar, s/n (próximo do supermercado Europa)

BENFICA. Avenida Gomes Pereira, nº 39 A ALVALADE. Rua Marquesa de Alorna, nº 25 D

2ªFEIRA*

CONGRESSO PARA O SUCESSO

IMPÉRIO Alameda D. Afonso Henriques, 35 (em frente à estação da Alameda)

TORRES VEDRAS. Edifício Choupal, bloco D, r/c ALVERCA. Rua António de Souza, Galerias Choupal, 1º piso CASCAIS. Avenida 25 de Abril, nº 25

3ªFEIRA

SAÚDE RESTAURADA

7H - 10H - 12H* - 15H - 20H

RIO DE MOURO. Calçada da Rinchoa, lote 1

ALMADA. Av. 23 de julho, nº 14/16/18 - Cova da Piedade CRUZ DE PAU. Rua da Cordoaria, Qta. das Cordas, nº 42, Vale dos Gatos-Amora SETÚBAL. Avenida do Alentejo, nº 30, 4 Caminhos CENÁCULO DO PORTO. Rua Egas Moniz, nº 485

AMADORA. Praceta da Carranca, 5 (próximo dos Bombeiros MATOSINHOS. Avenida da Amadora, Antigo Custódio) Villagarcia de Arosa, 1034 BAIXA DA BANHEIRA. Estrada Nacional 11, nº 243 MONTIJO. Rua da Indústria Corticeira, lote 16 E

PAREDES. Av. Comendador Abílio Seabra, C.C. Vale do Sousa, loja 116

CENÁCULO VILA NOVA DE GAIA. Rua do ÉVORA. Av. São Sebastião, s/n Agueiro, nº 151, Mafamude

4ªFEIRA* NOITE DA SALVAÇÃO

RIO TINTO. Rua Fernão Magalhães, nº 306 S. J. DA MADEIRA. Rua da Arrifana 201, Arrifana BRAGA. Av. Imaculada Conceição, 567 VILA REAL. Av. Almeida Lucena, letra E FAMALICÃO. Rua Amélia Rey Colaço, nº 300 COIMBRA. Rua do Sota, nº 20 FIGUEIRA DA FOZ. Rua Vasco da Gama, nº 47, r/c AVEIRO. Av. D. Lourenço Peixinho, nº 181

5ªFEIRA

6ªFEIRA*

TERAPIA DO AMOR - 19H30

HORA NONA - 21H

CORRENTE DA FAMÍLIA

LIMPEZA ESPIRITUAL

VISEU. Av. Dr. António José FARO. Largo de São de Almeida, s/n (ao lado da central Sebastião, nº 10 de camionagem)

CASTELO BRANCO. Rua Prior Vasconcelos, nº 14 LEIRIA. Rua Capitão Mouzinho de Albuquerque, nº 105 CALDAS DA RAINHA. Rua da Alegria, nº 3 SANTARÉM. Largo Comendador Paulino Cunha e Silva, nº 1 ENTRONCAMENTO. Rua 5 de Outubro, nº 85 (Em frente à Câmara Municipal) PORTIMÃO. Largo Gil Eanes, lote A

LOULÉ. Rua Padre António Vieira, nº 141 CENÁCULO DO FUNCHAL. Rua Dr. Brito Câmara, nº 32 FUNCHAL 1. Rua Dom Carlos 1º, nº 11 (Atrás da Casa da Luz) RIBEIRA BRAVA. Edifício D. Pedro, letra A, sítio da Murteira PONTA DELGADA. Rua da Boa Nova, nº 5 - Calheta

Mais moradas da Universal em: igrejauniversal.pt

SÁBADO

DOMINGO

FORÇA JOVEM - 16H30

(TAMBÉM PELAS 7H30) Estudo do Apocalipse - 18H

Jejum das Causas CONCENTRAÇÃO DE FÉ Impossíveis - 7H30 E MILAGRES - 9H30


12

Ponto Final As vozes que ninguém escuta...

“Tenho medo de morrer na rua...”

IURD NO ROSSIO

ANJOS DA NOITE

A SOLIDÃO DE QUEM VIVE NAS RUAS Numa das noites mais frias deste inverno, em diversos locais do país, a IURD alcançou mais de seiscentas pessoas que fazem da rua a sua morada Nilza Barros nb.r@folhadeportugal.pt

Q

uando a estação fria chega, automaticamente, a vida de milhares de pessoas torna-se ainda mais difícil... Falamos dos sem-abrigo, milhares de pessoas que vivem nas ruas. Independentemente

do motivo que as tenha colocado nessa situação, a verdade é que a sua realidade não pode ser ignorada, sendo precisamente isso que o grupo solidário Anjos da Noite procura fazer: atender às necessidades mais imediatas dos sem-abrigo. E foi isso que aconteceu na terça-feira, dia 30 de janeiro, uma das inúmeras noites frias que tem assolado a capital portuguesa. MOVIMENTO SOLIDÁRIO. Cerca de 600 pessoas receberam uma sopa quente, agasalhos, sandes, uma palavra amiga acompanhada de uma oração

para quem assim o desejasse e um exemplar do jornal Folha de Portugal... o objetivo era ajudar a mitigar o sofrimento de quem mais precisa e, cientes disso, estas mesmas pessoas foram-se aproximando e recebendo a ajuda solidária dos Anjos. Desde a margem sul, onde Setúbal e a Baixa da Banheira foram contempladas, até à Gare do Oriente tendo, inclusivamente, passado por Santa Apolónia, Rossio e Cais do Sodré... várias cidades tiveram os seus habitantes de rua ajudados, tendo os mesmos passado uma noite menos sofrida.

“Vivo do rendimento mínimo e sou doente. Alimento-me apenas quando tenho possibilidade e passo muito frio, pois não tenho outra solução... com estes agasalhos e a manta, esta noite vou passá-la mais quentinha, pois preciso de algo para me tapar. Tenho medo de, com a doença que tenho, qualquer dia ficar aí no meio da rua. Este trabalho da IURD é muito importante, considero que é o próprio Deus a ajudar-nos, por isso precisamos de ter fé.” Ana Maria Há 4 meses sem-abrigo e portadora de HIV

“Já tentei o suicídio duas vezes”

“Estive junta cerca de 21 anos e fui vítima de violência doméstica, por isso tive que sair de casa. Tenho cinco filhos que ainda continuam com o pai, pois ele é um homem muito agressivo. A Se-

IURD EM ARROIOS

IURD EM STA APOLÓNIA

IURD NO SALDANHA

IURD mais próxima:

Caso de Sucesso Após dois anos a viver nas ruas e com vários problemas, foi através do trabalho dos Anjos da Noite que Abílio deixou de ser sem-abrigo, tendo tido a oportunidade que tanto desejava para mudar de vida. “Estive quase dois anos na rua e foi desde que os

voluntários dos Anjos da Noite da IURD da Alameda começaram a vir aqui fazer o trabalho solidário e a falar comigo, é que comecei a frequentar as reuniões. Como resultado, fui curado da epilepsia, consegui arranjar um quarto e a minha vida está a endireitar-se!” Abílio Ex-morador de rua

gurança Social nunca fez nada a respeito. Por causa desta situação já tentei o suicídio duas vezes. Os sem-abrigo estão completamente desamparados, porque ninguém ajuda em nada. Se formos pedir comida a um restaurante somos escorraçados, pois parece que estamos a cometer um crime. Se roubar é um crime, então, pedir também é... se eu tivesse uma oportunidade, saía desta vida.” Cristina Paiva Há 2 meses sem-abrigo, vítima de violência doméstica

“Estou cansada desta vida...”

Reincidente como sem-abrigo, Soraia é consumidora de drogas, mas já uma vez conseguiu sair das ruas. Depois disso, teve mais um filho e, à cerca de dois anos, por causa do vício, tornou a ir parar às ruas. Para sustentar o seu vício, ela faz de tudo... “Para sustentar o vício prostituo-me ou vou roubar nas lojas roupa que depois vendo na rua... tudo isso por causa da droga. Tenho 30 anos e quatro filhos, todos entregues a familiares... estou super cansada desta vida, até porque já passei por isto e sei que este caminho não leva a lado nenhum.” Soraia Há 2 anos sem-abrigo, toxicodependente

Folha de Portugal | Edição nº738  
New
Advertisement