Issuu on Google+

www.impactoevangelistico.net

A REVISTA QUE CONSTRÓI A SUA VIDA Outubro 2015 / Edição 741

evangélico

TESTEMUNHO

A verdadeira força de Jefferson

A web PUBLICAÇÃO OFICIALL

HERÓIS DA FÉ

MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL

O peregrino DEVOCIONAL

Avançando enquanto é dia

Em diversos países do mundo que compartilham o Evangelho correm risco

A PERSEGUIÇÃO DOS

CRISTÃOS

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

1


Siga-nos

betheltv

Sábados 10h

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação e educativa de Lima-Peru através de 6 satélites e via internet a todo o mundo. MOVIMENTO MISIONÁRIOcultural MUNDIAL

2 América • Europa • Oceanía • África • Asia


EDITORIAL

VAMOS PEDIR CONSELHO A DEUS Rev. Gustavo Martínez Presidente Internacional do M.M.M.

«E os moradores de Gibeom, ouvindo o que Josué fizera com Jericó e com Ai, usaram de astúcia, e foram e se fingiram embaixadores, e levando sacos velhos sobre os seus jumentos, e odres de vinho, velhos, e rotos, e remendados; e nos seus pés sapatos velhos e remendados, e roupas velhas sobre si; e todo o pão que traziam para o caminho era seco e bolorento... Então os homens de Israel tomaram da provisão deles e não pediram conselho ao Senhor. E Josué fez paz com eles, e fez um acordo com eles, que lhes daria a vida...» Josué 9:3-16.

O

Senhor falou com Josué de su-

uma consequência n nosso futuro. Josué

cesso, prosperidade e vitórias

concordou com os gibeonitas antes de ter

incomparáveis, mas tudo esta-

pedido conselho a Deus. Ele fez isso por

va subordinado à obediência. Josué teria

conta própria e no dia seguinte descobriu

de permanecer em obediência, fidelidade,

que tinham feito aliança com os próxi-

humildade e cumprir integralmente os

mos inimigos que deviam enfrentar. Eles

propósitos que Deus lhe revelou.

veiam perdoá-los, e os gibeonitas, efetiva-

Para que Deus nos chamou? Quanto tempo devemos esperar? Só temos que esperar até que Deus ordene que comecemos a marcha.

mente, introduziram a discórdia entre os chefes das tribos. Por isso, meus amados irmãos, antes de falar, para tomar decisões, apesar de

Fazendo isso, Josué tinha garantido o

que eles pareçam insignificantes, vamos

triunfo e a vitória contra seus inimigos.

pedir conselho a Deus. Se o fizéssemos,

No entanto, Josué cometeu um grave erro

evitaríamos problemas e dores de cabeça,

e assim seu testemunho como líder co-

além disso, evitaríamos ser uma pedra no

meçou a se enfraquecer. Quando as gibeo-

sapato para os outros. Às vezes, nossa im-

nitas chegaram, Josué não pediu conselho

paciência, a falta de uma verdadeira vida

a Deus, mas tomou determinações preci-

espiritual e uma relação genuína com

pitadas. Se Josué tivesse rezado, Deus lhe

Deus nos levam diretamente ao fracasso.

tivesse revelado que os gibeonitas eram

Deus permite situações e aparen-

inimigos do povo de Israel. Mas Josué

temente não age para testar nossa pa-

pensou que ele era uma pessoa expe-

ciência e nosso grau de espiritualidade,

riente, que sabia de tudo e que não tinha

nossa limpeza e nossa lealdade em Sua

porque rezar quando algo parecia óbvio e

presença. Para não falhar. Então, nós de-

insignificante.

vemos adquirir maturidade e espirituali-

As decisões que tomamos hoje terão

dade. Amém

l

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

3


www.impactoevangelistico.net

evangélico Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz Outubro 2015 / Edição N° 741 USPS 012-850) PUBLICAÇÃO OFICIAL DO MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL O World-Wide Missionary Movement, Inc. é uma igreja sem fins lucrativos, com uma visão para fundar novas igrejas nos Estados Unidos da América e seus territórios e também com uma visão missionária para fundar novas igrejas onde Deus abre novas portas em todo o Mundo. PUBLICAÇÃO MENSAL POR: Movimiento Misionero Mundial, Inc (Movimento Missionário Mundial, Inc.) San Juan, Porto Rico Washington, D.C. Postagem Periódica pagada a: San Juan, Porto Rico 00936

AGENTE DO CORREIO:

enviar variações de endereço a Impacto Evangélico P.O. BOX 363644 San Juan, Porto Rico 00936-3644 Telefono (787) 761-8806; 761-8805; 761-8903 OFICIAIS DO M.M.M. INC Rev. Gustavo Martínez Rev. José Soto Rev. Rubén Concepción Rev. Rodolfo González Rev. Álvaro Garavito Rev. Margaro Figueroa Rev. Rómulo Vergara Rev. Humberto Henao Rev. Luis Meza

Presidente Vice-presidente Secretario Tesoureiro Diretor Diretor Diretor Diretor Diretor

OBRAS ESTABELECIDAS EM: África do Sul Alemanha Argentina Aruba Austrália Áustria Bélgica Belize Bolívia Bonaire Brasil Camarões Canadá Chile Colômbia Congo Costa do Marfim Costa Rica Curaçao Dinamarca El Salvador Equador Espanha EUA

Filipinas Finlândia França Gabão Gana Guatemala Guiana Francesa Guiana Inglesa Guiné Equatorial Haiti Havaí (EUA) Holanda Honduras Ilha de San Andrés (Col.) Ilha Rodrigues Ilhas Canárias (Espanha) Índia Inglaterra Israel Itália Jamaica Japão

Kuwait Madagáscar Malásia Maurício México Mianmar Nicarágua Nigéria Oman Panamá Paraguai Peru Porto Rico Portugal República Dominicana Roménia Saint Martin Suécia Suíça Suriname Trinidad e Tobago Ucrânia Uruguai Venezuela

Depósito Legal na Biblioteca Nacional do Peru N ° 2011-02530 Igreja Cristã do Pentecostes do Movimento Missionário Mundial: Av. 28 de Julio 1781 - Lima 13 - Peru Impressão: Quad/Graphics Perú S.A. Av. Los Frutales 344 - Lima 03 - Perú MISIONÁRIO MUNDIAL 4 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

O Movimento Missionário Mundial é uma organização religiosa sem fins lucrativos, devidamente registrada em San Juan, Porto Rico, e na capital federal, Washington DC com sede nas duas cidades, bem como em todos os estados da União Americana e em outros países onde temos obras missionárias estabelecidas. Importante As ofertas e doações em dinheiro, computadores, imóveis, legados em testamento, para o benefício desta obra do Movimento Missionário Mundial, Inc. são dedutíveis do imposto de renda (Income Tax) e os recibos emitidos pelo Movimento Missionário Mundial são reconhecidos pela Diretoria das Rendas Internas (IRS), do Governo Federal dos Estados Unidos da América e do Estado Livre Associado de Porto Rico. n

Visite o nosso website Obtenha informação edificante da Obra de Deus e fique a par das últimas notícias. Um acesso personalizado a partir de qualquer lugar do mundo: www.impactoevangelistico.net n

Se você quiser Escreva-nos para o nosso endereço postal: Movimiento Misionero Mundial, Inc. P.O. Box 363644 San Juan, P.R. 00936-3644 n

Copyright © 2009 Impacto Evangélico Movimiento Misionero Mundial, Inc. (World-Wide Missionary Movement, Inc.) Todo o conteúdo da revista e cada edição subseqüente está devidamente registrada na Biblioteca do Congresso, Washington, DC EUA. Todos os direitos reservados. A reprodução parcial, completa ou em qualquer forma ou sua tradução para outros idiomas sem a autorização do Diretor é proibida. No âmbito dos acordos internacionais de direitos autorais é um crime punível por lei n

Declaração Doutrinária O Movimento Missionário Mundial adere às doutrinas fundamentais da Bíblia, tais como: n

• A inspiração das Escrituras Sagradas: 2 Timóteo 3:15-17, 2 Pedro 1:19-21. • A Divindade adorável em Três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo: Mateus 3:16-17, 17: 1-5; 28:19 João 17: 5, 24, 26, 16:32, 14:16, 23, 18:05, 6, 2 Pedro 1:17,18; Apocalipse 5. • A salvação pela fé em Cristo: Lucas 24:47, João 3:16, Romanos 10:13, Tito 2:11, 3:5-7. • O Novo Nascimento: João 3:3, 1 Pedro 1:23, 1 João 3:9. • A Justificação pela Fé: Romanos 5:01, Tito 3:07. • O Batismo nas águas por imersão, segundo ordenado por Cristo: Mateus 28:19, Atos 8:36-39. • O Batismo no Espírito Santo, subseqüente à salvação, falando em outras línguas, segundo: Lucas 24:49, Atos 1:4, 8, 02:04. • A Cura Divina: Isaías 53:4, Mateus 08:16, 17, Marcos 16:18, Tiago 5:14, 15. • Os Dons do Espírito Santo: 1 Coríntios 12:1-11. • Os frutos do Espírito Santo: Gálatas 5:22-26. • A Santificação: 1 Tessalonicenses 4:03, 5:23, Hebreus 0:14, 1 Pedro 1:15, 16, 1 João 2:6. • O Ministério e a Evangelização: Marcos 16:15-20, Romanos 10:15. • O dízimo e a Sustentabilidade da Obra: Gênesis 14:20, 28:22, Levítico 27:30, Números 18:21-26, Malaquias 3:7-10, Mateus 10:10; 23:23. • A ascensão da Igreja: Romanos 8:23, 1 Coríntios 15:51 - 52, 1 Tessalonicenses 4:16-17. • A Segunda Vinda de Cristo: Zacarias 14:1-9, Mateus 24:30, 31, 2 Tessalonicenses 1:07, Tito 2:13, Judas 14, 15. • O Reino Milenar: Isaías 2:1-4, 11:5-10, Zacarias 9:10, Apocalipse 19:20, 20:3-10. • Novos Céus e Nova Terra: Isaías 65:17, 66:22, 2 Pedro 3:13, Apocalipse 21:1.


SOMMARIO

Encontrar-nos em:

www.facebook.com/impactoevangelistico

6. Nota de capa. Os cristãos perseguidos.

30. Herói da fé. O peregrino.

52. Evento. ITÁLIA. Com quem me casarei?.

14. Infográfico. Perseguição Cristã.

34. Histórias de vida. A verdadeira força de Jefferson.

16. Internacional. La dramática crisis de los migrantes.

40. Devocional. Avançando enquanto é dia.

54. Evento. MÉXICO. Um povo que ama a santidade.

20. Bienestar. A dramática crise dos migrantes.

42. Devocional. A vontade de Deus é maior que os desígnios e caprichos humanos.

22. História. A Reforma que sacudiu a Igreja e o mundo. 24. Literatura. A Senda do Calvário. 28. Música. Jubiloso, venturoso!

44. Devocional. Autoridade sobre toda obra das trevas. 46. Evento. Em defesa da família.

56. Evento. BOLÍVIA. Céu aberto. 58. Evento. EQUADOR: Um chamado à unidade. 60. Evento. EL SALVADOR. Sua lealdade provada. 61. Evento. PORTO RICO. Ide por todo o mundo, pregai o evangelho. 62. Evento. EQUADOR. Quem crer será salvo. 63. Evento. EQUADOR. Mas quem não crer será condenado.

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

5


Em muitas zonas do mundo, ser cristão significa pôr em risco a própria vida e a da família. Os onze países mais perigosos do mundo se encontram no Oriente Médio, Ásia e África. De fato, vários pastores do Movimento Missionário Mundial (MMM) sofreram algum tipo de acosso.

MISIONÁRIO MUNDIAL 6 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


NOTA DE CAPA

OS CRISTテグS

PERSEGUIDOS

Outubro de 2015 / Impacto evangテゥlico

7


Continue lendo––

A

Coreia do Norte permanece na primeira posição na lista de 2015. É o décimo terceiro ano consecutivo que ocupa a mesma posição. A nação comunista alcançou o topo da relação por sua longa história de arrestos, torturas e assassinatos de cristãos. Segundo as estatísticas elaboradas por Portas Abertas, uma ONG que advoga pela liberdade religiosa, dos 200 000 norte-coreanos que permanecem nos cárceres políticos, entre 40 000 e 60 000 são cristãos. O regime de Kim Jong-un continua maltratando sua povoação com a desnutrição, o controle da vida privada e a perseguição de todo tipo de expressão espiritual que não seja a da adoração ao ditador. “Não é surpreendente que a Coreia do Norte seja o número um na lista de países onde os cristãos enfrentam a pior perseguição. Não há outro país no mundo no qual os cristãos sejam perseguidos de uma maneira tão terrível e sistemática. Três gerações de uma família são enviadas a prisão quando um membro é encarcerado”, denunciou o presidente de Portas Abertas, Carl Moeller. Na Coreia do Norte, alguns cristãos detidos são torturados e posteriormente postos em liberdade para que advirtam seus irmãos e irmãs ou para que sejam usados como isca. Os cristãos norte-coreanos que conseguiram atravessar a fronteira e chegaram ao Sul puderam relatar ao mundo a fé inquebrantável dos poucos cristãos que ainda vivem. O regime comunista lhes tirou tudo, mas não puderam eliminar suas crenças mais profundas. EM OUTROS PAÍSES No mundo, cem milhões de cristãos de todas as denominações sofrem represálias devido a suas crenças, de acordo com a Classificação da Perseguição Religiosa 2015, elaborado pela ONG Portas Abertas. Na última década se produziu uma longa lista de ataques contra os cristãos em uns setenta países. Essas agressões tornam os cristãos o grupo mais perseguido por causas religiosas. De acordo com esse ranking, a Somália continua na segunda posição em comparação com a lista do ano anterior. Enquanto o Iraque (3) e a Síria (4) trocaram posições, seguidos pelo Afeganistão, situado na quinta posição. No caso do Sudão (6), da Eritreia (9) e da Nigéria (10), os três países fazem parte das 10

MISIONÁRIO MUNDIAL 8 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

primeiras posições. Na sétima posição se encontra o Irã; e na oitava, o Paquistão. A informação de Portas Abertas revela que o Oriente Médio continua sendo uma das zonas mais violentas do mundo para os cristãos, pelo abuso por parte da organização Estado Islâmico e outros grupos terroristas islâmicos. Na Somália, o grupo radical Al-Shabaab pretende criar uma nação totalmente muçulmana. A agrupação terrorista se uniu à AlQaeda, que pretende implantar a lei islâmica, a Sharia, em todo o país. Em 2008, um vídeo do Al-Shabaab que circulou pela internet mostrou a decapitação brutal e sanguinária de Mohammed


NOTA DE CAPA

Continue lendo–– Outubro de 2015 / Impacto evangélico

9


PADECERÃO PERSEGUIÇÕES 

N

OS FINAIS DA DÉCADA de 70 do século I d. C., um conhecido rabino escrevia a um de seus discípulos mais próximos. As circunstâncias eram difíceis porque se encontrava recluso em uma masmorra romana e em questão de dias, talvez horas, teria lugar sua execução. O que escrevia tinha, pois, características de testamento e entre suas afirmações figurava a seguinte: “E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições. Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados” (2 Timóteo 3: 12-13). Como o leitor terá percebido, quem falava assim era o apóstolo Paulo, dirigindo-se a Timóteo. Contra o que muitos pregam na atualidade, Paulo sabia que a vida cristã não seria uma sucessão de prosperidade, ausência de dificuldades e riqueza à espera de ser arrebatada, sem experimentar o menor mal-estar. Na verdade, Paulo teria qualificado semelhante ensinamento como próprio de alguém que engana e se engana. Todos –sem exceção– os verdadeiros cristãos padecerão perseguições. O âmbito pode ser doméstico, familiar, trabalhista e mesmo político, mas a perseguição faz parte essencial da vida cristã pela simples razão de que o mundo odeia os seguidores de Jesus (João 15: 18-19; 17: 14) e se compraz com seu sofrimento (João 16: 33). Não pode ser de outra maneira porque seu “príncipe” é o mesmo Satanás que o controla com mão de ferro (1 João 5: 19). É possível que em um âmbito que gosta de se entregar à autocomplacência não poucos crentes obviem essa realidade, e mesmo a neguem, mas essa conduta equivale a tentar tapar o sol com um dedo. Durante o século I, o messias morreu na cruz, mas seus apóstolos não tiveram um destino melhor. É mais que possível que só João não fosse executado e mesmo essa circunstância não o livrou de acabar em um campo de concentração em Patmos, onde recebeu as visões contidas no Apocalipse (1: 9). No final do século I, a perseguição contra os cristãos constituía um fenómeno tão contínuo que o imperador Trajano estimou que era melhor detê-la e só arrestar e castigar os cristãos que fossem denunciados expressamente. Durante menos de três séculos, os cristãos sofreram dez perseguições imperiais gerais e numerosas particulares. No início do século IV, um Édito de tolerância acabou com as perseguições, mas, imediatamente, o paganismo que tinha entrado com força no seio do cristianismo teve, entre outras consequências, a de iniciar perseguições contra os que desejavam voltar à pureza da Bíblia. Em 385 d. C., um espanhol chamado Prisciliano se tornou o primeiro cristão executado pelas autoridades eclesiásticas que alegavam que era um herege quando só se limitava a assinalar os desvios que se produziam no seio do cristianismo. Durante os séculos seguintes, a morte continuou sendo o destino dos que pretendiam se aproximar da Bíblia e viver de acordo com seus ensinamentos. No século XIII, os valdenses –que tinham cometido o horrível pecado de traduzir a Bíblia para a linguagem do povo– não só foram perseguidos, mas também provocaram que Roma criasse a terrível Inquisição. A perseguição contra os cristãos verdadeiros foi feroz. Durante o século XIV, as autoridades católicas perseguiram os lollardos ingleses que divulgavam as Escrituras na linguagem da rua às pessoas. No século XV, queimaram o reformador Jan Hus e declararam uma guerra encarniçada contra os hussitas, empenMISIONÁRIO MUNDIAL 10 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

César Vidal

hados em seguir a Bíblia. No século XVI, as fogueiras da Inquisição se acenderam em ambos os lados do Atlântico para acabar com aqueles que tinham decidido que sua submissão não devia ser para o papa, mas para o Senhor e Suas Escrituras. Só nesse século e só na Espanha foram jogadas na fogueira umas duas mil vítimas cujo único delito era crer na Bíblia. Para que o leitor tenha uma ideia do que isso significaria, é necessário assinalar que, sobre a povoação atual dos Estados Unidos, seu equivalente numérico teria sido mais de cem mil pessoas executadas. Não foi pouco tributo em sangue e cinzas o que pagaram os que desejavam ser fiéis à Bíblia ou, para usar as palavras de Paulo, “viver piedosamente em Jesus Cristo”. Seria extenso demais assinalar o que a perseguição dos verdadeiros cristãos significou ao longo dos séculos. Na América Hispânica, por exemplo, são muitos os que podem lembrar como a igreja católica enviou multidões de pessoas para que os apedrejassem, atacassem seus templos ou queimassem Bíblias. Podem lembrar porque aconteceu ontem e, em alguns casos, também acontece hoje. A tudo isso devemos acrescentar as perseguições sob o nazismo –o “prisioneiro particular” de Hitler era um pastor evangélico alemão chamado Martin Niemöller – sob o comunismo ou sob o islã. E, no entanto… No entanto, deveríamos lembrar duas coisas e permitamme que para isso narre duas anedotas. A primeira é que essa situação, independentemente da dor que pode causar, é natural e nunca deveríamos esquecer isso. Em certa ocasião, um teólogo do sul dos Estados Unidos chamado Clarence Jordan foi convidado para pregar em uma congregação. Um dos diáconos se empenhou em lhe mostrar a cruz levantada perante a igreja e em falar do dinheiro investido nela. Jordan escutou um momento com paciência e, finalmente, disse: “irmão, fizeram um negócio muito mau. No século primeiro, os cristãos recebiam as cruzes de graça”. Clarence Jordan tinha razão. É necessário esperar que, em maior ou menor medida, os cristãos sejam perseguidos e quando esquecemos essa realidade e a cruz se torna um simples adorno definitivamente algo não vai bem. A segunda é que na perseguição há triunfo. Há uns anos, a Argélia, um país muçulmano situado no norte da África, tornou-se o terrível cenário de uma guerra civil entre o exército e os terroristas islâmicos. Ninguém teria podido imaginar que existisse a menor possibilidade –salvo a morte– para os cristãos evangélicos. No entanto, pouco tempo depois, crentes argelinos começaram a pregar o Evangelho na Cabília, uma região histórica onde nos anos 50 estourou a revolução contra a França, o poder colonial que tinha dominado a Argélia desde o século XIX. Os cristãos evangélicos sofreram –podia ser de outra maneira?– perseguição, mas seus vizinhos começaram a se converter por dúzias, por centenas, por milhares e por dezenas de milhares. Atualmente, o crescimento dos cristãos evangélicos na Argélia é tão grande que o governo se viu obrigado a modificar a lei para que possam abrir igrejas e a televisão francesa realizou várias reportagens sobre um fenômeno absolutamente incrível desde uma perspectiva simplesmente humana. Se considerarmos esses dois aspectos da perseguição, nosso julgamento sobre muito do que acontece agora será mais claro e, sobretudo, veremos com mais nitidez a maneira em que devemos nos comportar como discípulos de Jesus l


NOTA DE CAPA

Continue lendo––

Mansour, um jovem de vinte e cinco anos de idade que trabalhava em uma agência de ajuda humanitária. Seu crime: converter-se ao cristianismo em 2006. Al- Shabaab (juventude, em árabe) é um Movimento integrista surgido em 2006 após a derrota da União de Tribunais Islâmicos da Somália (UTI) perante a aliança de milícias dos grupos do Governo de Transição somali. Também conhecida como Harakat al-Shabaab al-Mujahideen, seu objetivo é a instauração de um Estado islâmico de linha wahhabista na África. De outro lado, mais de 70% de cristãos fugiram do Iraque desde 2003. O êxodo se acelerou desde que o Estado Islâmico se estabeleceu no norte do país. De acordo com defensores dos direitos dos cristãos, em meses recentes os casos de abuso contra cristãos aumentaram em Bagdá e outras cidades iraquianas. A organização sem fins lucrativos Bagh-

dad Beituna (Bagdá Nossa Casa, sua tradução para o português) disse que desde 2003 aconteceram mais de 7 000 casos de violação de propriedades pertencentes a cristãos iraquianos. Na Síria, o anticristianismo continua crescendo. Nas costas do norte, na fronteira turca, centenas de famílias se viram obrigadas a abandonar suas casas. E nessa zona as perseguições se multiplicaram: igrejas queimadas, casas saqueadas, inocentes mortos ou sequestrados. Para muitos cristãos sírios, a única solução parece ser fugir. Os jihadistas do Estado Islâmico –ao igual que outras milícias fundamentalistas– relacionam a religião de Jesus com o “inimigo ocidental”, apesar de que se trata de comunidades estabelecidas no Oriente Médio desde antes do nascimento do islã. Expulsálos de suas terras, sequestrá-los ou matá-los é parte da grande guerra que criaram para combatê-los. Os meios de comunicação não se pronun-

Continue lendo–– Outubro de 2015 / Impacto evangélico

11


Continue lendo––

ciam sobre o massacre bárbaro que estão cometendo diariamente contra os cristãos. Enquanto os muçulmanos alauitas e sunitas lutam pelo poder, os que mais sofrem são os cristãos. Na Nigéria acontecem diariamente novos casos de matanças e queima de igrejas nas mãos do Boko Haram. O grupo ainda tem em seu poder as mais de 200 alunas adolescentes –quase todas cristãs– que tomou como reféns há um ano. Ativistas internacionais denunciam que as perseguições se agravam no Sudão, Somália, República Centro-africana e regiões do Iêmen ou Paquistão. “Os jihadistas consideram que todos os cristãos são apóstatas e impuros porque desde há 1400 anos resistem a ordem de se converter ao islã, e que devem acabar com eles. O que observamos é um genocídio que busca erradicar o cristianismo do Oriente Médio”, denuncia Pascale Warda, ex-ministra iraquiana militante de direitos humanos, de origem caldeia.

AS NAÇÕES UNIDAS A Organização de Nações Unidas se pronunciou como consequência do atentado terrorista perpetrado pelo Al-Shabaab em 2 de abril de 2015 em Garissa, Quênia, no qual foram assassinados 147 jovens estudantes universitários inocentes e resultaram feridos outros 79, e condenou categoricamente todo tipo de violação aos direitos humanos, especialmente quando morrem pessoas por causa de sua religião. Em um pronunciamento público, a ONU lembrou que a liberdade de religião é um direito fundamental e rejeitou energicamente toda violência ou discriminação por motivos de religião.

O MASSACRE DO OREGON EM 1 DE OUTUBRO, um homem de 26 anos ingressou na escola comunitária Umpqua no Oregon (Estados Unidos) e matou 10 pessoas, deixando sete feridos. O assassino, identificado como Chris Harper Mercer, ingressou na escola com três pistolas e um rifle semiautomático perguntando a suas vítimas qual era sua religião, e se eram cristãs lhes disparava na cabeça, segundo vários testemunhas. Anastasia Boylan, uma das vítimas feridas durante o ataque, contou que o assassino pediu para as pessoas se levantarem e dizerem suas religiões e, então, começou a disparar. Outros parentes dos estudantes que sobreviveram ao ataque confirmaram que o autor do massacre procurava os cristãos. “Perguntou quem eram cristãos e disparou”, contou a jornalista de Univision, Roxy De La Torre. MISIONÁRIO MUNDIAL 12 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Também manifestou sua grave preocupação em relação ao abuso dos autores de atos terroristas em várias partes do mundo, e sua profunda preocupação pela proliferação dos episódios de intolerância, repressão e violência contra os cristãos, em particular em algumas zonas do mundo árabe.

POR QUE A PERSEGUIÇÃO? A resposta é complexa. Existem várias razões para explicar as causas da perseguição dos cristãos nessa parte do mundo. A principal causa de perseguição são os regimes onde o islã é a religião majoritária. Ao ser uma minoria em zonas de maioria islâmica, a comunidade cristã é considerada um grupo vulnerável, facilmente manipulável.


NOTA DE CAPA

Em segundo lugar, a atitude antiviolência dos coletivos cristãos os torna uma vítima fácil. Os exemplos dessa situação foram claros na história dos cristãos orientais, marcada por sua fidelidade à mensagem de Jesus Cristo. Segundo os ensinamentos de Jesus Cristo, os cristãos aceitam que o martírio faz parte de sua fé: “Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão” (Mateus 24:9-10).

PASTORES DO MMM Os pastores do Movimento Missionário Mun-

dial (MMM) também enfrentam sérios problemas. Em uma ocasião foram enviadas para a Malásia umas 20 revistas “Impacto Evangelístico” em inglês e retidas na alfândega. O pastor teve que responder perante o tribunal por que estava introduzindo as revistas cristãs no país, segundo revelou o Rev. Samuel Mejía, Supervisor da Obra na Ásia. Em outro país, o Myanmar, a antiga Birmânia, que é budista, o MMM tentou registrar uma igreja perante o governo, mas não foi possível. Nesse país estão permitidas igrejas cristãs, mas sua oficialização não é viável. É difícil obter um registro de personalidade jurídica do governo e, portanto, é impossível comprar um terreno em nome da igreja l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

13


NA SOMÁLIA, SE DESCOBREM QUE VOCÊ É CRISTÃO, AUTOMATICAMENTE É SENTENCIADO À MORTE

Os 50 países do mundo nos quais ser cristão pode ser letal. A ONG Open Doors (Portas Abertas) publicou sua Lista de Perseguição 2014, na qual detalha quais são os países que mais perseguem cristãos. Pelo décimo ano consecutivo, Coreia do Norte foi o primeiro país da lista de 50.

1. Coreia do Norte

26. Jordânia

2. Somália

27. Omã

3. Síria

28. Índia

4. Iraque

29. Sri Lanka

5. Afeganistão

30. Tunísia

6. Arábia Saudita

31. Butão

7. Maldivas

32. Argélia

8. Paquistão

33. Mali

9. Irã

34. Territórios palestinianos

10. Iêmen

35. Emirados Árabes Unidos

11. Sudão

36. Mauritânia

12. Eritreia

37. China

13. Líbia

38. Kuwait

14. Nigéria

39. Cazaquistão

15. Uzbequistão

40. Malásia

16. República Centro-Africana

41. Bahrein

17. Etiópia

42. Comores

18. Vietnã

43. Quênia

19. Catar

44. Marrocos

20. Turquemenistão

45. Tadjiquistão

21. Laos

46. Djibuti

22. Egito

47. Indonésia

23. Myanmar

48. Bangladesh

24. Brunei

49. Tanzânia

25. Colômbia

50. Nigéria

Aproximadamente

300 milhões

de cristãos perseguidos no mundo segundo o relatório do movimento International CIPROFAM.

Perseguição x Liberdade religiosa

A perseguição aos cristãos acontece quando: * Seus direitos à liberdade religiosa são negados * A conversão ao cristianismo é proibida através de ameaças provenientes do governo ou de grupos extremistas * São forçados a abandonar suas casas e trabalhos por medo da violência que pode sobrevir * São agredidos fisicamente ou assassinados por causa de sua fé * São presos, interrogados, na maioria dos casos, torturados por se negar a rejeitar a Jesus.

NA COREIA DO NORTE É PROIBIDO SER CRISTÃO.

MISIONÁRIO MUNDIAL 14 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


PERSEGUIÇÃO CRISTÃ

No Médio Oriente “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de

guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Mas tudo isto vos farão por causa do

Deus, e não de nós. Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não

meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”. João 15:18-21. “Por isso sinto

desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;

prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por

trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para

amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte”. 2 Coríntios 12:10. “Bem-aven-

que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos; e assim nós, que vivemos,

turados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;

estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se

bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o

manifeste também na nossa carne mortal”. 2 Coríntios 4:7-11. “Se o mundo vos odeia,

mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos

sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo

céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós”. Mateus 5:10-12. “Eu,

amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por

porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que

isso é que o mundo vos odeia. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior

vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem…” Mateus 5:44.

do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se

A cada

5

um cristão é martirizado por sua fé em algum lugar do mundo.

Turquia

70.000

5 minutos No Irã

Síria

prisões de trabalho da Coreia do Norte.

Irã Iraque

Líderes cristãos são presos e condenados unicamente por causa de sua fé em Cristo.

Egito

Arábia Saudita

Omã

ESTIMA-SE QUE AO MENOS 1.213 CRISTÃOS FORAM ASSASSINADOS NA SÍRIA EM 2013.

SEGUNDO FONTES LOCAIS, NO IRAQUE A CADA DOIS OU TRÊS DIAS UM CRISTÃO É AGREDIDO, SEQUESTRADO OU ASSASSINADO.

Iêmen

SÍRIA

Mais de 100 países receberam cristãos sírios, que fogem da guerra e da perseguição religiosa

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

15


A DRAMÁTICA CRISE DOS

MIGRANTES

A crise dos migrantes criou divisão entre os diferentes países europeus sobre como administrar a grande quantidade de refugiados, principalmente pessoas que fogem da guerra na Síria. Aqui, algumas ideias principais para entender a crise.

A

FOTO: AFP

té 7 de setembro de 2015, a quantidade de refugiados e migrantes que cruzaram o mar Mediterrâneo foi 381 412, e de acordo com cifras da Organização Internacional para as Migrações (OIM) são 378 343 pessoas, em sua maioria procedentes da Síria, Afeganistão, Eritreia, Nigéria, Albânia, Paquistão, Somália, Iraque, Sudão, Gâmbia e Bangladesh. De acordo com a OIM, 2760 pessoas faleceram em naufrágios no mar Mediterrâneo durante os primeiros oito meses de 2015, o que representa 73 % das mortes de migrantes acontecidas no âmbito mundial. Quatro milhões de sírios fugiram desde que em 2011 o regime de Bashar al-Assad começou os sangrentos enfrentamentos contra os rebeldes que pediam sua renúncia depois de onze anos de governo.

MISIONÁRIO MUNDIAL 16 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

A guerra civil criou um terreno fértil para que a organização Estado Islâmico se estabelecesse no norte do país. Então começaram os bombardeios da coalizão antiyihadista sobre o Iraque e a Síria. Por tudo isso, quatro milhões de sírios, de uma povoação de mais de 23 milhões, decidiram abandonar sua terra. Com sua morte retratada em uma foto, desses quatro milhões de crianças, mulheres e homens, só Aylan Kurdi, de três anos, conseguiu despertar o interesse por uma situação de anos. 1. Quantos migrantes chegaram este ano à Europa? Desde o início de 2015 chegaram à Europa meio milhão de pessoas em busca de proteção internacional. Desse total, 366 000 migrantes o fizeram através do mar Mediterrâneo, segundo o último relatório da Agência da ONU para Refugiados. 2. De onde saíram e para onde foram? Os sírios, acossados pela violência em seu país e pela instabilidade nos países vizinhos, engrossam os números dos migrantes que procuram um futuro na Europa. Foram 79 655 os sírios que cruzaram o Mediterrâneo desde janeiro até julho deste ano. Atrás deles se encontram os eritreus (26 657), que vivem sob uma ditadura que os submete a “violações sistemáticas, generalizadas e flagrantes dos direitos humanos”, segundo denunciou o Conselho dos Direitos Humanos da ONU em junho passado. Por sua parte, 25 556 afeganos afligidos pela instabilidade política, a inseguridade e Continue lendo––


FOTO: AFP

INTERNACIONAL

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

17


Continue lendo––

os ataques de insurgentes cruzaram ilegalmente o Mediterrâneo nos primeiros sete meses do ano. 3. Por que aumentou o número de migrantes? As guerras na Síria e no Iraque são claramente os grandes fatores desencadeantes da migração para a Europa. Os países vizinhos da Síria receberam uns três milhões de refugiados. Outros milhões de sírios estão deslocados dentro de seu próprio país. Mas muitos outros migrantes continuam realizando perigosas viagens desde o Corno de África. Os migrantes frequentemente são tratados brutalmente por traficantes de pessoas e devem suportar o sufocante calor do deserto

MISIONÁRIO MUNDIAL 18 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

e o conflito político que atualmente assola a Líbia, onde se encontra o principal ponto de partida. Funcionários italianos asseguram que a guerra que devastou a Somália também fez com que muitos migrantes, que são genuinamente perseguidos, procurassem asilo nesse país. No caso da Eritreia, estima-se que muitos dos migrantes são jovens que fogem do serviço militar obrigatório, que é considerado uma espécie de “escravidão” por eles. A situação na Eritreia também está deteriorada devido à repressão política, afirmam grupos de direitos humanos. No Afeganistão, muitos continuam fugindo da pobreza e da perseguição política no país, mas também dos letais ataques dos in-


INTERNACIONAL

FOTO: AFP

a desesperação das pessoas que procuram segurança.

surgentes do Talibã e das contínuas e ferozes agressões das organizações criminosas. Além disso, há um grande número de chechenos que estão fugindo da atribulada região do Cáucaso norte, afetada pelos combates e pela pobreza. 4. Por que os migrantes morrem? No que vai do ano 2015, na tentativa de cruzar o Mediterrâneo morreram umas 2500 pessoas. Além de que a quantidade de vítimas fatais varia em proporção ao aumento de pessoas que procura fugir para a Europa, existe outro fator atrás do drama: o fenômeno dos traficantes de pessoas. Os únicos que se beneficiam da falta de uma resposta europeia comum são as redes de tráfico de seres humanos, que lucram com

5. Quais são as rotas mais usadas para chegar à Europa? As rotas mais usadas são as do Mediterrâneo e a dos Balcãs. Os sírios –o grupo que mais viajou por vias irregulares para a Europa– costumam cruzar o Mediterrâneo da Líbia ou do Egito, ou pelo leste da Europa através da Bulgária e da Grécia, depois de passar pela Turquia. Em muitos casos, posteriormente se deslocaram à Hungria, usada como conexão para chegar à Europa Ocidental, sobretudo à Áustria, Alemanha e Suécia. A primeira experiência de migração africana foi pelo estreito de Gibraltar, através do qual passavam de Marrocos para a Europa, no final dos anos 80. À medida que os controles melhoraram, como a cerca de Melilha, começou a haver “um movimento em busca de outras rotas”, lembrou Ceriani, que assinalou que posteriormente a rota mais popular foi a das ilhas Canárias, até que começou a ser substituída pela do Mediterrâneo. Além disso, as migrações para a Líbia, Egito e Tunísia tem um crescimento específico a partir do conflito na Líbia, porque fogem mesmo aqueles que chegaram para morar ali, obrigados pelo atual caos institucional nesse país. Nos últimos anos, também começou a crescer a rota dos Balcãs, através da qual a Hungria é o primeiro país do espaço Schengen ao qual os migrantes têm acesso. 6. Qual é a diferença entre refugiado e migrante? Os refugiados são pessoas que fogem de conflitos armados ou perseguição e procuram a proteção de outros países. Os refugiados, amparados pelo direito internacional, não devem ser expulsos ou devolvidos a situações nas quais sua vida e liberdade estão em perigo. Até que recebam o status de refugiados, os migrantes são solicitantes de asilo. Os migrantes, por sua parte, decidem se deslocar para melhorar suas vidas e não porque as mesmas corram perigo. Ao contrário dos refugiados, os migrantes continuam recebendo a proteção de seu governo mesmo estando no exterior. Quando as razões do deslocamento são meramente econômicas, a pessoa é considerada um imigrante econômico l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

19


QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE SAÚDE A saúde é um tema sempre presente na vida das pessoas. À medida que enfrentamos situações que a comprometem, percebemos sua importância. Em caso de uma contingência em nossa saúde, requeremos assistência médica e nos encontramos perante temores e dúvidas naturais. Para superá-los, queremos contar com a melhor atenção médica possível. No entanto, em que consiste essa “melhor atenção”? Como podemos saber que recebemos atenção de qualidade nos serviços de saúde? Walter Menchola Vásquez (*)

E

(*) Médico Internista, Mg. Gestión y Políticas Públicas.

xistem muitas definições de qualidade. Edward Deming, guru da qualidade, afirma que “é a satisfação do cliente”; Joseph Juran, outro estudioso do tema, manifesta que “qualidade é adequação ao uso do cliente”. Essas definições se aplicam a todo tipo de indústria de bens e serviços. Em 1991, a Organização Mundial da Saúde (OMS) indicou que “uma atenção sanitária de alta qualidade é a que identifica as necessidades da saúde (educativas, preventivas, curativas e de manutenção dos indivíduos ou da povoação) de uma forma total e precisa, e destina os recursos humanos e outros de forma oportuna e tão efetiva como o estado atual do conhecimento da saúde permite”. Essa definição está estreitamente relacionada com duas formas de ver a saúde e em duas dimensões. A primeira visão está associada à saúde individual, à saúde de cada pessoa, e também é denominada de saúde das pessoas. A segunda visão se centra na saúde da comunidade, das povoações, também denominada de saúde pública. Ambas têm duas grandes dimensões de intervenção dos profissionais da saúde: a primeira, por meio da prevenção e promoção da saúde, destinada a evitar que as pessoas fiquem doentes, isto é, educar, promover condutas saudáveis e evitar fatores de risco; além disso, que contem com água potável e redes de esgoto, programas de vacinação, ambientes saudáveis, entre outros. Essa forma de intervenção é a menos custosa, altamente efeti-

MISIONÁRIO MUNDIAL 20 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

va e se consegue resultados surpreendentes na saúde das pessoas, como os alcançados pelos programas de vacinação. A segunda dimensão compreende o diagnóstico, tratamento e reabilitação dos doentes, isto é, a medicina recuperativa e de reabilitação, que é mais custosa e a mais conhecida pela povoação, mas que não necessariamente tem o maior efeito na saúde das pessoas. Então, o que são as necessidades dos indivíduos? Nos aspectos da saúde, não sempre coincide o que as pessoas percebem sobre sua saúde com o que o profissional aprecia nela. Por exemplo, uma pessoa de 60 anos com dor de cabeça suspeita que seu mal-estar é consequência da pressão alta e quer ser atendida por um cardiologista. Por isso, vai a um hospital público para receber atenção. No entanto, não é possível porque nos procedimentos do hospital a pressão arterial e o diagnóstico de hipertensão arterial podem ser feitos por um médico geral, e assim acontece. O resultado é que a dor de cabeça é consequência de uma enxaqueca causada por estresse. Então, o usuário sai descontente e com dúvidas sobre o diagnóstico. Uma pessoa pôde ter sido atendida plenamente em sua necessidade de saúde, mas poderia ficar insatisfeita, como no exemplo descrito, ou vice-versa, pode sair totalmente satisfeita sem ter obtido uma adequada atenção médica. A apreciação de uma pessoa sobre a qualidade dos serviços de saúde pode mudar constantemente, à medida que contata as partes que


BEM-ESTAR REALIDAD

os conformam. São três os componentes da qualidade dos serviços de saúde: a) o componente técnico: que é a aplicação da ciência e tecnologia no manejo de um problema da saúde de uma pessoa, de maneira que proporcione o maior benefício sem aumentar ao mesmo tempo os riscos; b) o componente interpessoal: que se baseia na relação entre as pessoas, as que devem seguir as normas e valores sociais que regem a interação dos indivíduos em geral; as que estão modificadas pelos princípios éticos dos profissionais e as expectativas e aspirações de cada pessoa; c) o terceiro componente está relacionado com aspectos de conforto, isto é, aqueles elementos do ambiente do usuário que lhe proporcionam uma atenção mais cómoda (Donabedian). Diversos estudos e pesquisadores demonstraram que a qualidade dos serviços de saúde também depende do nível de emergência de cada pessoa. Por exemplo, a angústia de uma mãe que foi com sua criança a um serviço de emergência, onde salvaram sua vida depois de ser atropelado por um veiculo e ter com-

FOTO: AFP

“Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, serlhe-ão perdoados”. Tiago 5:14-15.

prometido gravemente sua saúde. Essa mãe, quando chegou com seu filho, não percebeu as deficiências de infraestrutura, entre outros aspectos, mas o que queria era que atendessem e salvassem sua criança imediatamente. Para ela, a qualidade do serviço de emergência se relacionava com a vida de seu filho. Uma situação diferente é a atenção ambulatorial de um hospital, na qual os pacientes não têm essa necessidade urgente e avaliam todo o serviço: acesso, tempo de espera, limpeza, infraestrutura, trato do pessoal, intervenção do médico, entre outros aspectos. As mudanças acontecidas nos últimos 40 anos na indústria fizeram com que nos serviços de saúde se considere a opinião de seus usuários, aspecto fundamental a priorizar para melhorar a qualidade de suas atenções. Todo estabelecimento de saúde que considere seus pacientes deve realizar periodicamente relatórios de satisfação e ter presente as necessidades de seus usuários. Em resumo, qualidade em saúde é tratar as pessoas como gostaríamos que nos tratassem l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

21


A REFORMA QUE SACUDIU A

IGREJA E O MUNDO

Em outubro se comemora em todo o mundo a Reforma Protestante, 498 anos depois de que Lutero afixasse suas 95 teses em Wittenberg (Alemanha). Um ato que mudou o curso da história ao desafiar com coragem o poder do papado e do império.

E

m 31 de outubro de 1517, Martinho Lutero deu a conhecer publicamente suas teses, e o impacto foi tal que a data é considerada o início da Reforma Protestante. Lutero mudou o curso da história ao desafiar com coragem o poder do papado e do império, sustentando pontos de vista contrários à prática e às ordenanças da religião estabelecida, o catolicismo romano, por considerá-las contrárias ao conteúdo da Bíblia. A principal doutrina evangélica que Lutero defendeu contra o sistema ritualista de penitências foi a ideia de que a salvação se consegue só mediante a graça e não mediante obras. A faísca que inspirou o monge chegou provavelmente em 1515, quando Lutero começou a dar conferências sobre a Epístola aos Romanos, pois ele mesmo disse posteriormente que foi no primeiro capítulo dessa epístola onde encontrou a resposta a suas dificuldades. LONGA LUTA Essa resposta não veio facilmente. Não foi simplesmente que um dia Lutero abrisse a Bíblia no primeiro capítulo de Romanos, e descobrisse ali que “o justo viverá pela fé”. Segundo ele mesmo conta, a grande descoberta foi precedida por uma longa luta e uma amarga angústia, pois Romanos 1:17 começa dizendo que “no evangelho se descobre a justiça de Deus”. Segundo esse texto, o evangelho é a revelação da justiça de Deus. Esteve meditando de dia e de noite para compreender a relação entre as duas partes do versículo que, depois de afirmar que “no evangelho se descobre a justiça de Deus”, conclui dizendo que “o justo viverá pela fé”. A resposta que Lutero encontrou foi surpreendente. Na Epístola aos Romanos, a MISIONÁRIO MUNDIAL 22 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

“justiça de Deus” não se refere, como a teologia tradicional pensa, ao fato de que Deus castiga os pecadores, mas a que a “justiça” do justo não é sua obra, mas o dom de Deus. Sua grande descoberta, apesar de que lhe deu uma nova compreensão do evangelho, não o levou imediatamente a protestar contra o modo em que a Igreja católica entendia a fé cristã. Pelo contrário, nosso monge continuou dedicado a seus trabalhos docentes e pastorais e, apesar de que há indícios de que ensinou sua nova teologia, não tentou contrapô-la ao que o catolicismo ensinava. Quando finalmente decidiu que tinha chegado o momento de lançar seu grande desafio, compôs noventa e cinco teses, que deviam servir de base para um debate académico. Nelas, Lutero atacava vários dos princípios fundamentais da teologia escolástica e, portanto, esperava que a publicação dessas teses e o posterior debate seriam uma oportunidade de mostrar sua descoberta ao resto da Igreja. A controvérsia foi maior do que Lutero se propôs. O que tinha acontecido era que, ao atacar a venda das indulgências de Johann Tetzel na Alemanha, Lutero tinha se atrevido, mesmo sem saber, a se opor ao lucro e aos desígnios de vários personagens muito mais poderosos do que ele.

AS 95 TESES Lutero afixou suas famosas noventa e cinco teses na porta da Igreja do castelo de Wittenberg. Essas teses, escritas em latim, não tinham o propósito de criar uma comoção religiosa. Lutero deu a conhecer suas teses na véspera da festa de Todos-os-Santos, e seu impacto foi tal que frequentemente a data, 31 de outubro de 1517, é considerada


REALIDAD HISTÓRIA

o início da Reforma Protestante e a reafirmação de que a Palavra de Deus é o ponto de partida e a autoridade final da Igreja e de toda teologia. A maioria dos historiadores concorda em que Lutero enviou suas teses ao arcebispo de Mogúncia, ao Papa, a alguns amigos e a outras universidades nessa data. Contudo, as teses foram impressas muito prematuramente, e antes de 1518 tinham sido extensamente lidas por toda a Europa.

REAÇÃO E CISMA Seu impacto surpreendeu o próprio Lutero. No entanto, as autoridades religiosas vacilaram em condenar Lutero. Ele continuaria discutindo com teólogos partidários das doutrinas de Roma, por exemplo, Johann Eck na famosa disputa de Leipzig de 1519. As 95 teses são finalmente condenadas definitivamente em 15 de junho de 1520 mediante a bula Exsurge Domine do papa

Cuando por fin decidió que había llegado el momento de lanzar su gran reto, compuso noventa y cinco tesis que debían servir de base para un debate académico. En ellas, Lutero atacaba varios de los principios fundamentales de la teología escolástica, y por tanto, esperaba que la publicación de esas tesis, y el debate consiguiente, serían la oportunidad para dar a conocer su descubrimiento al resto de la Iglesia. Leão X. Lutero, então abertamente em conflito com a Igreja católica, é excomungado no início do ano seguinte. O papa Leão X exigiu que Lutero se retratasse pelo menos de 41 de suas teses, mas o monge alemão, já famoso em toda a Europa, rejeitou a exigência publicamente na Dieta de Worms de 1521, pondo em risco sua vida. Era o passo definitivo para o que posteriormente seria a Reforma Protestante l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

23


A SENDA DO

CALVÁRIO Traduzida para cerca de setenta línguas, a obra do pregador inglês Roy Hession está dirigida àqueles que se humilharam sob a mão do Criador nesse lugar onde os pecados são lavados.

Q

ueremos falar de avivamento de forma muito simples. Avivamento não é outra coisa que a vida de nosso Senhor Jesus derramada nos corações humanos, que é sempre vitorioso, e pelo qual está sendo louvado no céu sem cessar. Nós podemos viver experiências de fracasso ou de aridez espiritual, mas Ele nunca é derrotado, e seu poder não tem limites. Só devemos ter uma boa relação com Ele para ver seu poder demonstrado em nossos corações, em nossas vidas, e em nosso serviço. Assim sua vida vitoriosa nos encherá, e se espalhará sobre nós. Isto é, essencialmente, o que quer dizer avivamento. Na obra, seu autor, o pregador britânico Roy Hession, compartilha suas vivências marcadas por um avivamento contínuo, como resultado de sua predisposição a caminhar baseado na Palavra de Deus e em íntima relação com Ele. Cada linha escrita por Hession é um desafio para confrontar o pecado e a maldade. “A Senda do Calvário”, livro editado e publicado originalmente em inglês em 1950 na Inglaterra, incentiva a desenvolver paixão pela santidade, para agradar ao Senhor e para se entregar em favor dos outros. A fim de que nossa vontade seja quebrantada e sujeita à vontade de Deus, Ele nos leva ao pé da cruz, onde mostra o que realmente é o verdadeiro quebrantamento. Vemos suas mãos e pés perfurados, seu rosto amoroso coroado de espinhas, e seu total quebrantamento ao dizer: não minha vontade, mas a tua, enquanto bebia até o final a taça amarga de nosso pecado. Só podemos ser quebrantados olhando para ele, convencidos de que foi cravado ai por culpa de nosso pecado. Posteriormente, vendo o amor e o quebrantamento de que ele morreu em nosso lugar, nossos corações serão extraordinariamente tocados e comovidos. MISIONÁRIO MUNDIAL 24 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

A senda do calvário é uma mensagem vital do Todo-Poderoso para seus seguidores que se mantém inquebrantável com o passar do tempo. Porém, no curso dos anos, e segundo a opinião de seu criador, as verdades expressadas através de suas páginas estão no coração de todos os movimentos de despertar espiritual com os que o Senhor fornece uma vida nova em tempos de aridez e necessidade espiritual. Há milhares de anos, no mais belo horto que existiu, moravam um homem e uma mulher, feitos à imagem de seu Criador. O único propósito de sua vida era manifestá-lo a Ele, a sua criação, e também, que um com outro o glorificassem em cada momento do dia. Eles aceitaram humildemente o lugar que lhes correspondia, o de criaturas perante seu Criador e o de uma submissão e entrega completa a sua vontade. Ao submeter


LITERATURA

Não há nada mais claro no Novo Testamento que o fato de que nosso Senhor espera que tomemos essa humilhante posição de servos, e não é um dever adicional que podemos aceitar ou recusar a nossa vontade, mas o centro mesmo dessa nova atitude que o discípulo deve adotar para Deus e para o próximo.

sua vontade à de seu Criador, vivendo para Ele e não para si mesmos, também se submeteram totalmente um com outro. Assim, naquele primeiro lar, nesse belíssimo horto, existia uma absoluta harmonia, paz, amor e união.

A POSIÇÃO DE SERVOS Traduzida para cerca de setenta línguas e reeditada ano após ano, a obra do inglês Hession, que nasceu em Londres em 1908, está dirigida àque-

Continue lendo–– Outubro de 2015 / Impacto evangélico

25


MISIONÁRIO MUNDIAL 26 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


LITERATURA Continue lendo––

les humanos que se humilharam sob a mão do Altíssimo nesse lugar onde os pecados são lavados. Além disso, para Hession, tem um significado especial para os homens de hoje que podem utilizar seu conteúdo, com a bênção do Salvador, para chegar à cruz e se apresentar como candidatos para o avivamento mediante a confissão do vazio e o fracasso. Segundo o Novo Testamento, devemos velar pelo bem-estar de nosso próximo, temos que estar dispostos a fazer tudo a nosso alcance para tirar a rocha que nos estorva e impede ver sua bênção. Somos induzidos a “nos admoestar uns aos outros”, a “nos exortar uns aos outros”, a “nos provocar ao amor e às boas obras uns aos outros”. O amor de Jesus derramado em nós fará com que desejemos ajudar desta maneira nosso irmão. Quanta bênção cai sobre muitos por meio de nossa boa vontade quando nos ajudamos humildemente uns aos outros. Com um total de dez livros publicados ao longo de seus 84 anos de existência, Roy Hession é um dos mais célebres autores cristãos da época moderna. Lembrado por sua profunda fé em Jesus Cristo, foi um dos pregadores mais influentes e eficazes que evangelizou o território inglês após a Segunda Guerra Mundial. Enquanto participava durante mais de quarenta anos em conferências cristãs para famílias do Reino Unido, Hession pregoava constantemente o valor do arrependimento. Não há nada mais claro no Novo Testamento que o fato de que nosso Senhor espera que tomemos essa humilhante posição de servos, e não é um dever adicional que podemos aceitar ou recusar a nossa vontade, mas o centro mesmo dessa nova atitude que o discípulo deve adotar para Deus e para o próximo. Quando compreendemos a humilhação e o desalento que implica ser servo, também é evidente que só aqueles que decidiram firmemente viver à sombra do Calvário contemplando sempre a humildade e o quebrantamento que o Senhor teve que sofrer por nós são os que verdadeiramente estão dispostos a exercer tais funções.

O PODER SALVADOR O livro, que até agora vendeu mais de um milhão de exemplares, surgiu nos fins da

década de quarenta, depois de que o autor Hession conhecesse um grupo de missionários e líderes evangélicos da Uganda, Ruanda e Quênia que chegaram à Inglaterra para compartilhar com os cristãos suas experiências sobre o avivamento que estava acontecendo nesse momento na África Oriental. A influência destes servos do Senhor, que falaram sobre o arrependimento, resultou nesta obra com mais de sessenta anos de história. A mensagem desafiadora de um avivamento, como chega a muitos de nós nestes dias, é penetrante em virtude de sua grande simpleza. A verdade é que em todo o mundo o único impedimento para o crente sair vitoriosamente em comunhão com Deus e estar cheio do Espírito Santo é o pecado em uma ou outra forma. Só o poder do sangue do Senhor Jesus Cristo pode limpar do pecado e dar liberdade e vitória. Ainda assim, é muito necessário que saibamos que é o que dá a seu sangue o grande poder perante Deus a favor da humanidade, para que possamos compreender em que condições sua plena virtude pode ser experimentada em nossas vidas. Em agosto de 1998, em uma entrevista com o jornalista cristão David Mains, o autor Hession falou sobre seu livro “A Senda do Calvário” e afirmou energicamente que: “O avivamento não é um vale que se torna cada vez mais verde, mas um vale cheio de ossos secos que voltam à vida, e que se levantam como um numeroso exército. Não se trata de um bom crente que se torna melhor, mas de alguém disposto a confessar: sou um vale cheio de ossos secos que voltará à vida”. Ninguém consegue o quebrantamento se Deus não lhe mostra antes o Cordeiro divino sobre a cruz do Calvário, e que por derramamento de seu sangue elimina o pecado. Deus que de antemão declara o que somos, fornece primeiro o remédio para nosso pecado. Jesus é o Cordeiro imolado por nossos pecados desde antes da criação do mundo, e n’Ele, que os levou mansamente, meus pecados acabam. Quando são confessados com verdadeiro quebrantamento e se confia em seu sangue, são eliminados e desaparecem. A paz de Deus vem depois a meu coração, a comunhão com Ele é restaurada, e ando com Ele em vestiduras brancas l

A verdade é que em todo o mundo o único impedimento para o crente sair vitoriosamente em comunhão com Deus, e estar cheio do Espírito Santo é o pecado em uma ou outra forma. Só o poder do sangue do Senhor Jesus Cristo pode limpar do pecado e dar liberdade e vitória.

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

27


JUBILOSO,

VENTUROSO! Traduzido em para uma multiplicidade infinidade de línguas, o hino da Johannes Daniel Falk está relacionado na sua versão atual com várias passagens bíblicas que descrevem o nascimento de Jesus. É todo um clássico do mundomundial.

H

ino de grande impacto repercussão em todo o mundomundial e emblemático dentro da música cristã, “Jubiloso, venturoso!” fFoi criado pelo autor alemão Johannes Daniel Falk, em 1816, após a morte de quatro dos de seus sete filhos, que foram vítimas de uma epidemia de tifo. Focada Centrada no nascimento de Jesus de Nazaré, esta Ode ode nasceu graças ao grande entusiasmo do de seu autor em compartilhar sua fé no amor do Evangelho e de Deus com as crianças do orfanato que dirigia na cidade de Weimar. Hoje tem uma ampla aceitação em todo o mundo e é ecoada ressoa nos cinco continentes. Traduzida em para uma infinidade de idiomaslínguas, incluindo espanhol, inglês, francês, latim, sueco e norueguês, a cançãoo hino de Johannes Daniel Falk, quem chegou no ao mundo em 28 de outubro de 1768, na cidade de Danzig, está relacionada relacionado na sua versão atual com várias passagens bíblicas que descrevem o nascimento de Jesus. No entanto, em seu formato original, escrito em alemão, descreve o gozo e a alegria que o Natal, a Páscoa e o Pentecostes produziam em seu criador.

JUBILOSO, VENTUROSO! 1 Jubiloso, venturoso tempo santo de Natal! Mundo perdido: Cristo é nascido! Rejubila, cristandade, no Senhor! 2 Jubiloso, venturoso tempo santo de Natal! Cristo bendito salva o aflito! Rejubila, cristandade, no Senhor! 3 Jubiloso, venturoso tempo santo de Natal! Coros divinos cantam seus hinos! Rejubila, cristandade, no Senhor!

MISIONÁRIO MUNDIAL 28 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Foi publicada pela primeira vez em 1819, três anos após sua criação e não demorou muito para em se tornar popular. Filho de um fabricante de perucas crente de boas novas, Falk Johannes cresceu em um lar pobre onde Deus cumpriu um papel fundamental e indispensável. Apoiado em sua fé cristã, Johannes Daniel enfrentou a dura existência que lhe tocou viver. Assediado pelos problemas financeiros de sua família, aos dez anos ele Johannes teve que apoiar seu pai para ganhar o sustento diário. Porém, com uma inteligência maior à médiado que a inteligência média, ele este servo de Deus recebeu um estipêndio econômico em 1897 pelas autoridades de seu povo, que lhe permitiu estudar Teologia na Universidade de Halle. Depois de seu tempo na Universidade de Halle, Johannes Daniel Falk se estabeleceu-se na cidade de Weimar, localizada nas margens do rio Ilm, onde rapidamente se tornou um renomado homem de letras e desenvolveu realizou várias ações filantrópicas a favor dos mais necessitados. Homem de grande fé e fortes convicções cristãs como o aço, Johannes acolheu abrigou muitos órfãos em sua casa e junto com outros cristãos fundaram a Sociedade dos Amigos em Necessidade. Essa A organização tinha como principal objectivo proporcionar educação básica para crianças sem pais e colocálos em lares adequados. No Em seu trabalho em benefício de das crianças vulneráveis, Falk Johannes mostrou uma enorme confiança em Deus como o centro e a finalidade de toda a atividade. Seus altos ideais evangélicos o levaram-o a escrever belas canções, como “Jubiloso, venturoso!”, que nasceram em seu trabalho diário com as crianças que cresceram na em sua casa dele. Precursor das sociedades de educação cristãs, Johannes Daniel deixou de existireste mundo em 14 de fevereiro de 1826 após cerca de vinte anos de trabalho dirigindo uma trabalho obra missionário missionária que contribuiu para a salvação de muitas almas l


MÚSICA

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

29


O PEREGRINO John Bunyan, reconhecido por ser um dos personagens mais emblemáticos da literatura evangélica, foi um dos cristãos de maior transcendência do século XVII. Tornou-se um pregador influente do Reino Unido após uma luta espiritual.

George W. Latham

M

Um dia em Bedford, uma conversa de três mulheres cristãs chamou sua atenção. Aproximou-se e ao ouvilas falar sobre as coisas de Deus, de sua obra nos corações e da paz da reconciliação, viu que o Evangelho oferecia algo que ele ainda não tinha conhecido nem experimentado. As palavras daquelas mulheres o motivaram a mudar e desde então abandonou os prazeres do mundo e procurou a companhia dos que criam em Jesus Cristo.

MISIONÁRIO MUNDIAL 30 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

embro de uma família humilde, John Bunyan foi um pregador proeminente da Palavra de Deus que contribuiu para a exaltação da glória de Deus através da obra “O Progresso do Peregrino”, traduzida para mais de cem línguas, e se tornou um dos paladinos mais destacados da história do cristianismo. Nascido em 28 de novembro de 1628, na comunidade inglesa de Elstow, muito perto da cidade de Bedford, Bunyan cresceu enfrentando uma luta severa contra a pobreza. Contudo, seus pais com muito esforço puderam enviá-lo à escola onde aprendeu a ler e a escrever rapidamente. Os primeiros anos de John Bunyan não só estiveram marcados pelas carências, mas também pela escuridão. Em seu entorno, entre jogos e outras atividades infantis, foi dominado pelo demônio que o instou a amaldiçoar, jurar, mentir e renegar de Deus. Isto ofendeu tanto o Senhor que mesmo em sua infância lhe enviou horríveis sonhos e visões e frequentemente, depois de passar um dia no pecado, era afligido grandemente quando dormia, pelo sentimento da presença do demônio e de espíritos malignos que tentavam levá-lo com eles. LUTA ESPIRITUAL Em sua juventude, após o falecimento de sua mãe, Bunyan serviu no exército do parlamento da Inglaterra, na cidade de Newport Pagnell, desde 1644 até 1647. Além disso, sob as ordens de Oliver Cromwell – líder político e militar britânico – participou na guerra civil inglesa onde foi testemunha de um fato surpreendente. A este respeito, John revelou em sua autobiografia espiritual publicada em 1666 que foi enviado a um lugar para que fizesse guarda quando era soldado,

mas quando estava disposto a ir, outro soldado solicitou tomar seu lugar e enquanto cumpria a missão encomendada foi assassinado com um tiro na cabeça. Dois anos depois de sair do exército, John se casou com uma jovem cristã de Elstow, uma garota muito pobre, que o aproximou de Deus e exerceu uma grande influência espiritual sobre ele. Ela, junto com Bunyan, lia frequentemente os livros “O Caminho do Homem ao Céu” e “A Prática da Piedade”


HERÓI DA FÉ

que foi herança de seu pai. Isto levou John Bunyan a sentir um vivo desejo de reformar a vida mundana que tinha até esse momento, e assim o fez; mas somente no exterior. Seu coração não experimentou nenhuma mudança e sua vida seguiu pelo mesmo caminho do pecado que até então tinha seguido. Os seguintes quatro anos de seu casamento foram uma época de intensas lutas espirituais para Bunyan. Porém, ficou grandemente impressionado com uma prédica

que ouviu sobre o dia do Senhor. Enquanto se divertia na tarde desse mesmo dia, pensamentos sobre o juízo futuro passaram por sua mente. Ficou aterrado, imaginou ouvir uma voz do céu que dizia: “Você vai deixar seus pecados e ir para o céu ou vai abraçar seus pecados e ir para o inferno?”. Então se convenceu rapidamente de que era um grande pecador; mas pensou que já era tarde demais para procurar o perdão ou o céu, e viu com desespero sua existência mundana.

Continue lendo–– Outubro de 2015 / Impacto evangélico

31


Continue lendo––

SOLDADO DE DEUS Posteriormente, começou a ler a Bíblia e empreendeu a reforma de sua vida; mas só confiava em suas próprias forças e ignorava o amor e a graça de Jesus Cristo. No entanto, um dia em Bedford, uma conversa de três mulheres cristãs chamou sua atenção. Aproximou-se e ao ouvi-as falar sobre as coisas de Deus, de sua obra nos corações e da paz da reconciliação, viu que o Evangelho oferecia algo que ele ainda não tinha conhecido nem experimentado. As palavras daquelas mulheres o motivaram a mudar e desde então abandonou os prazeres do mundo e procurou a companhia dos que criam em Jesus Cristo. Bunyan rapidamente se tornou um dos cristãos mais críticos da Inglaterra e coMISIONÁRIO MUNDIAL 32 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

meçou a pregar ardentes mensagens que mostravam, desde sua posição de pregador laico, suas experiências espirituais. Em 1658 sua esposa morreu e lhe deixou quatro filhos pequenos. Um ano depois, casou-se novamente com uma jovem evangélica chamada Elizabeth. Nesse tempo, já era respeitado como um dos servos de Deus mais conhecidos da Inglaterra, mas começou a ser visto com receio desde as altas esferas do clero oficial, que, perante a proliferação de vários pregadores sem ordenação, temiam ser substituídos. Em 1660, após a restauração da monarquia inglesa, os crentes britânicos deixaram de ter liberdade de culto e qualquer forma de congregação que não seguisse as normas estabelecidas pela igreja anglicana foi decla-


HERÓI DA FÉ

rada ilegal. John Bunyan, que confiava em seu apoio popular, continuava convocando os seguidores de Deus a suas prédicas proscritas, foi acusado de promover reuniões ilegais e acabou encarcerado na prisão de Bedford. Ali permaneceu durante doze anos, desde 1660 até 1672, durante esse tempo, conseguiu manter bem sua família trançando cordões de sapatos no cárcere.

PODEROSA OBRA Este prolongado período de reclusão serviu a Bunyan para aprofundar sua formação acadêmica e espiritual. Em sua cela, John leu constantemente a Bíblia e “O Livro dos Mártires”, escrito pelo teólogo inglês John Foxe, e, depois de analisar os conteúdos e as características destas duas obras,

começou a redigir seus primeiros escritos doutrinais, que ao princípio pareciam folhetos. Posteriormente, em 1666, ainda recluso na prisão, terminou seu primeiro grande livro, uma espécie de autobiografia espiritual, que apareceu com o título “Graça Abundante para o Principal dos Pecadores”. Em 1672, o longo encarceramento de Bunyan acabou finalmente. O rei Carlos II, em seu afã de beneficiar os cristãos, assinou a Declaração de Indulgência, na qual suspendeu todas as leis que penalizavam os dissidentes religiosos. Então, John recebeu a autorização para pregar e foi chamado para pastorear a igreja de Bedford. Posteriormente, abençoado por Deus, desfrutou de três anos de gratificante trabalho a favor da propagação do Evangelho do Senhor. Seu trabalho pastoral incansável e que não conhecia limites o levou mesmo até a cidade de Londres, onde milhares de pessoas ouviram suas poderosas mensagens. No entanto, em março de 1675, John Bunyan foi aprisionado novamente depois de que o rei anulou a Declaração de Indulgência que tinha referendado. Segundo diversos historiadores cristãos, Bunyan passou outros seis meses no cárcere de Bedford. No curso desse tempo, começou a escrever seu famoso livro “O Progresso do Peregrino”, uma alegoria da peregrinação de uma alma em busca de sua salvação eterna. Publicada em duas partes, em 1678 e 1684, a obra conseguiu um sucesso imediato entre os leitores ingleses da segunda metade do século XVIII, tanto que mereceu dez reedições e se tornou o texto mais lido na Inglaterra. Além do sucesso na Inglaterra, a magna obra de sua produção literária teve uma enorme difusão por toda a Europa, o que tornou John Bunyan um dos cristãos e escritores mais renomeados de sua época. Realizou um ativo processo de redação, sem descuidar por isso a atenção pastoral para seus fieis, e isso lhe permitiu redigir numerosos tratados teológicos, sermões e mesmo poemas. Em todos seus trabalhos deixou um impressionante testemunho autobiográfico de sua procura de Deus e da verdade. Ao final de sua passagem terrena, vítima de uma pneumonia, faleceu em Londres em 31 de agosto de 1688 l

Em sua cela, John leu constantemente a Bíblia e “O Livro dos Mártires”, escrito pelo teólogo inglês John Foxe, e, depois de analisar os conteúdos e as características destas duas obras, começou a redigir seus primeiros escritos doutrinais, que ao princípio pareciam folhetos. Posteriormente, em 1666, ainda recluso na prisão, terminou seu primeiro grande livro, uma espécie de autobiografia espiritual, que apareceu com o título “Graça Abundante para o Principal dos Pecadores”.

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

33


A VERDADEIRA FORÇA DE

JEFFERSON Sem rumo pela vida, Jefferson Vera Anchundia sobreviveu contaminado pelas drogas, o álcool e todo tipo de libertinagem. Ingressou no mundo do fisiculturismo seduzido pelo culto ao corpo. E nada o fazia feliz. Mas Deus nunca nega o perdão e conseguiu resgatá-lo.

MISIONÁRIO MUNDIAL 34 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


HISTÓRIAS DE VIDA

Junto a sua esposa Noemí Matute, saindo de uma escura etapa. Transformado em um novo ser.

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

35


Aqueles tempos como militar e no mundo do fisiculturismo. Sempre crendo que era feliz, mas atormentado.

MISIONÁRIO MUNDIAL 36 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

E

le foi a vaidade, a arrogância, a soberba, a altanaria, a promiscuidade, a frivolidade, a infidelidade, o egoísmo e a presunção. Tudo reunido em um mesmo homem. E honrava em todo momento a palavra “mundanidade” com sua forma de ser. Jefferson Vera Anchundia, até há três anos, era um ser humano que vivia de costas a Deus e se encontrava enredado em um mundo de escuridão. O fisiculturismo, o hedonismo, as mulheres, as drogas, o álcool, as brigas e os prazeres carnais eram parte central de sua realidade.

Nascido em 12 de novembro de 1991, na cidade equatoriana de Quevedo, Jefferson foi marcado pelo ferro da perversidade desde pequeno. Armar o quebra-cabeça de sua vida supõe reunir um conjunto infinito de detalhes amargos que o afastaram do caminho do bem e do Senhor. Em seu lar, onde cresceu junto a seus irmãos Carlos, Leonardo e Esperanza, as boas novas jamais foram conhecidas. “Cresci em um lar onde a Palavra de Deus nunca esteve presente. Meus pais, Carlos Vera e Jamilet Anchundia, criam a seu modo no Senhor,


HISTÓRIAS DE VIDA

aposentou do exército e dilapidou o dinheiro de sua aposentadoria. Naquele momento, a vida deu a Jefferson um golpe enorme que o levou aos braços do mal. Então, indignado e ressentido, calmou sua dor no regaço do licor. Com doze anos, começou a se embriagar e a andar frequentemente pelas ruas. Cegado pela infelicidade, seu coração se encheu de orgulho, vaidade e de um apetite desmedido pelas coisas materiais. “Cheguei a me afundar no álcool devido ao ódio e rancor que sentia por meu pai. Sua relação com meus irmãos e comigo estava marcada pelo machismo e pelos palavrões. Mesmo minha mãe gritava: ‘Ponha sua saia, menina’, quando ajudava a lavar os pratos”, evoca ele. Em sua adolescência, guiado por seus enormes desejos de modificar seu comportamento, aprofundou no mundo da luta livre

mas não eram cristãos”, conta Jefferson.

VIDA AGITADA Com as lembranças ainda frescas em sua memória, Vera afirma que a rota desses primeiros anos de sua existência foi turbulenta. Carlos, que era soldado, era escravo do álcool e não existiu momento em que não discutisse e brigasse com Jamilet. Além disso, Jefferson tem presente que de seu progenitor só recebeu uma chuva interminável de insultos e maus-tratos naqueles dias. O pior aconteceu em 2003 quando seu pai se

De costas ao Senhor, Jefferson serviu primeiro em um forte de sua cidade. Posteriormente, com a ideia de se afastar completamente de sua família, solicitou sua transferência para Guayaquil e foi destinado ao recinto militar “Huancavilca”. “No forte existiam soldados drogados, mulherengos, agressivos e mesmo jogadores compulsivos. Eu imitei os maus hábitos e, na noite de 22 de outubro de 2011, estive a ponto de matar com um revólver Kledis Macías, membro do MMM, que se atreveu olímpica graças ao convite de um amigo. a aconselhar uma de No entanto, confessa que, na verdade, en- minhas namoradas”, volveu-se nesse esporte como uma via para lembra ele. deixar de ser aquele rapaz magro como um palito de quem todos seus amigos zombavam. Além disso, afirma que outro de seus objetivos foi abandonar seu lar para não ser testemunha das brigas que seus pais tinham diariamente. Quase imediatamente se envolveu completamente na luta. Carregado de uma fúria letal, Jefferson foi de menos a mais. Seus sucessos aconteceram um após outro. Primero foi convo-

Continue lendo–– Outubro de 2015 / Impacto evangélico

37


Continue lendo––

cado pela equipe local, posteriormente pela provincial e depois se integrou à seleção nacional de luta livre do Equador. “Empenheime em ter sucesso para esquecer tudo o que acontecia em minha casa. Ganhei mais de uma dúzia de campeonatos e pude participar em torneios internacionais representando meu país. No esporte fui chamado de ‘Fatal’ devido a minha corpulência. Graças a meu corpo, nesse momento, conquistei muitas mulheres”, relata Jefferson.

RUMO ERRADO Antes de fazer dezoito anos, Vera, impulsionado pela fatuidade e pelo orgulho, entrou no mundo do fisiculturismo. Um interesse desmedido por incrementar ainda mais sua musculatura, ou talvez uma escura paixão pela presunção, pavimentou seu caminho aos pesos e aos ginásios. Maravilhado por esse mundo de ilusão e mistério, Jefferson diz que se deixou arrastar pelo halo de superioridade e figuração em torno dele. Pensou também que, com um corpo esculpido pelo treinamento e aperfeiçoado pelos esteroides, seria um galã irresistível para qualquer mulher. Hoje, cerca de seis anos depois, fala daquele tempo com vergonha. Embaraçado e contrariado, afirma que alcançou certo reconhecimento no mundo do fisiculturismo e ganhou uma série de certames. Contudo,

MISIONÁRIO MUNDIAL 38 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

o que mais lhe incomoda é que voltou ao consumo de álcool e se viciou em maconha e outras sustâncias ilícitas. “Minha degradação foi aumentando. Além de minha evolução física, eu me tornei um infiel incorrigível e mantive muitas relações amorosas de maneira paralela. Além disso, as drogas eram meu mundo e muitas vezes me embriaguei até perder a consciência”, explica ele. Em 26 de fevereiro de 2011, o garoto de Quevedo, que também por arrogância algumas vezes trabalhou como stripper em despedidas de solteiras, desceu dessa nuvem que o tinha ensoberbecido e se uniu ao exército de seu país. Segundo ele, estava cansado de sua existência libertina e algo em seu interior fez com que pensasse que ali encontraria a paz que não tinha. Violento, como uma bola de fogo, amante das brigas, o único que procurava era a senda do bem. Contudo, reconhece que na milícia não achou o que esperava. De costas ao Senhor, Jefferson serviu primeiro em um forte de sua cidade. Posteriormente, com a ideia de se afastar completamente de sua família, solicitou sua transferência para Guayaquil e foi destinado ao


HISTÓRIAS DE VIDA

recinto militar “Huancavilca”. Ali, completaria sua instrução no mundo dos excessos e da maldade. “No forte existiam soldados drogados, mulherengos, agressivos e mesmo jogadores compulsivos. Eu imitei os maus hábitos e, na noite de 22 de outubro de 2011, estive a ponto de matar com um revólver Kledis Macías, membro do MMM, que se atreveu a aconselhar uma de minhas namoradas”, lembra ele.

HOMEM RENOVADO Transformado em um personagem egoísta e sedutor, Vera girou indefinidamente em torno do mesmo ponto até que conheceu a Palavra. Seu encontro com as boas novas aconteceu enquanto tinha um romance turbulento com Noemí Matute depois de seis meses no exército. No início, acostumado à imundícia na qual vivia, foi difícil para ele atender o chamado do Evangelho apesar de que em seu interior existia um clamor enorme pela verdade. Jefferson não podia deixar seu mondo de diversão. Nem sequer se importou que Noemí ficasse grávida e a abandonou. No entanto, em 23 de janeiro de 2012,

quando o arrependimento o encurralou, Jefferson soube do nascimento de seu primeiro filho e escutou a voz de Deus que o obrigou a refazer sua vida. “O Senhor me mostrou o caminho para me tornar uma criatura de bem. Eu me reuni com Noemí e meu filho Jefferson Gabriel e imediatamente comecei a procurar uma igreja para pôr em prática a fé que tinha descoberto em mim. No trajeto me encontrei com o irmão Javier Romero, de Quevedo, que me levou ao Movimento Missionário Mundial e me apresentou o grande trabalho da Obra de Deus”, relata ele. Na atualidade, Jefferson Vera Anchundia, que se entregou ao Senhor em 15 de julho de 2012 e se batizou em 7 de junho de 2014, é uma criatura restaurada. No interior do MMM, e sob o amparo da sã doutrina, experimentou um giro radical e graças ao cristianismo atualmente é um homem de bem que venceu o mal. Junto a Deus, e secundado por Noemí, com quem se casou em 23 de maio de 2014, conseguiu também que seus pais se unissem à Obra. Além disso, é um crente comprometido que prega de forma incansável a Palavra em Quevedo e fala de maneira incessável sobre sua grande renovação espiritual l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

39


AVANÇANDO ENQUANTO É DIA “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar”. João 9:4. Rev. Luis M. Ortiz

O

relógio de Deus marcará o minuto final. O dia da salvação está declinando, as sombras da noite da perdição se avizinham. Quanto mais declina o dia, mais urgente é a tarefa da Igreja. As multidões sem Cristo precisam de grande ajuda, temos que nos entregar inteiramente ao cumprimento da grande comissão até levar o Evangelho a todas as pessoas e até o último da terra (Marcos 16:15). Cada cristão está obrigado a participar ativamente nesta grande tarefa, que é a tarefa suprema da Igreja. Não pode haver indiferença nem mesquinhez; a inação é inexcusável. Cada cristão tem que ganhar almas. Cada templo tem que ser um centro de evangelização. Cada congregação tem que ser uma força dinâmica e invencível para combater as forças do mal, levando as boas novas de salvação. Nesta hora crucial e culminante, esta não é uma tarefa para pusilânimes, nem para covardes, nem para fracos, é uma tarefa forte, e deve ser feita por fortes e corajosos, pois “se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele” (Mateus 11:12). Para poder realizar este grandioso trabalho de evangelização mundial, neste curto tempo que temos, é preciso dar prioridade à mesma. O cumprimento desta tarefa tem que estar por cima de tudo e de todos. E quando os grandes e poderosos não o fazem, Deus usa os pequenos e os fracos. Quando os intelectuais e os eruditos não o fazem, Deus usa os homens iletrados e mesmo os analfabetos. Quando os grandes oradores não o fazem, Deus usa os tartamudos. Quando os Nicodemos escondem sua covardia na noite, Deus usa as samaritanas à luz do dia. Quando hierarcas e teólogos MISIONÁRIO MUNDIAL 40 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

mostram indiferença, Deus usa pescadores e principiantes. Quando os ricos e potentados não oferendam suas abundantes riquezas para promover o Evangelho, Deus usa as viúvas que dão tudo para esta bendita Obra. Quando os materialistas se esmeram por aumentar suas propriedades e suas contas bancárias, Deus usa os Barnabés para vender tudo o que têm e dar esse dinheiro para a Obra de Deus. Quando os Geazis dentro da Obra de Deus vão procurar prebendas, comodidades e riquezas, Deus usa os Zaqueus para restituir o que é ganho com desonestidade e dar quatro vezes mais para a Obra de Deus. Este Evangelho tem que ser proclamado em todo o mundo por aqueles que amam a Cristo de todo o coração; por aqueles que servem ao Senhor e aos demais sem esperar recompensa nem reconhecimento humano; por aqueles que agem perante a grande necessidade das almas e para o cumprimento da grande comissão; por aqueles que sacrificam sua vida e a põem ao serviço de Deus; por aqueles que dedicam seu tempo, talento e dinheiro sem reserva para a salvação das almas. Eles são as verdadeiras testemunhas de Cristo, eles são os que mantêm a luz acendida, eles são o sal da terra, eles são os que Cristo procura, eles são os que estão aproveitando os últimos raios de luz. Aqueles que são menos que eles são caricaturas de cristãos, são luzes apagadas, são sal desvanecido, são talentos enterrados, são obreiros frouxos, são virgens dormidas, são nuvens sem água, são árvores sem fruto, são estrelas erráticas; que merecidamente serão lançados às trevas exteriores, com a severa sentença: “Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o dia-


DEVOCIONAL

bo e seus anjos” (Mateus. 25:41). Esse é o destino final daqueles que não se esforçam pela obra missionária e a evangelização do mundo. Como se apresentará perante o Senhor, pela desatenção do clamor das almas nesta hora crucial? Quais serão suas escusas perante o Senhor? Não haverá escusas! O capitão de um iate desejava a glória de ganhar um prêmio na regata. Em plena competição, alguém gritou que um de seus marinheiros caiu na água, mas o iate seguiu avançando e ganhou o prêmio, e o marinheiro morreu afogado. O capitão afirmava

que não tinha escutado o aviso, mas ele estava consciente disso, e não quis deter o iate. Acossado pela consciência começou a perder o apetite e o sono, e começou a depender de calmantes e drogas, tinha os nervos destroçados, por isso procurou ajuda psiquiátrica e foi internado em um manicômio. Passava todo o tempo realizando trabalhos de salvamento em um náufrago imaginário. Um doutor comentou: Se tivesse socorrido esse marinheiro, não estaria agora fazendo esse trabalho infrutuoso, dia e noite. Irmão, apesar de que não ganhe o prêmio que oferece a família, a escola, universidade, o governo ou o concílio, não desatenda o chamado de auxílio que fazem as almas perdidas no mar tempestuoso do pecado. Temos que avançar “enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (João 9:4). Continuemos avançando enquanto é dia! Amém l

E quando os grandes e poderosos não o fazem, Deus usa os pequenos e os fracos. Quando os intelectuais e os eruditos não o fazem, Deus usa os homens iletrados e mesmo os analfabetos. Quando os grandes oradores não o fazem, Deus usa os tartamudos. Quando os Nicodemos escondem sua covardia na noite, Deus usa as samaritanas à luz do dia. Quando hierarcas e teólogos mostram indiferença, Deus usa pescadores e principiantes. Outubro de 2015 / Impacto evangélico

41


A VONTADE DE DEUS É MAIOR QUE OS DESÍGNIOS E CAPRICHOS HUMANOS “Vendo Balaão que bem parecia aos olhos do Senhor que abençoasse a Israel, não se foi esta vez como antes ao encontro dos encantamentos, mas voltou o seu rosto para o deserto; e, levantando Balaão os olhos, e vendo a Israel... Benditos os que te abençoarem, e malditos os que te amaldiçoarem”. Números 24:1-9. Rev. José Soto Benavides MISIONÁRIO MUNDIAL 42 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


DEVOCIONAL

B

alaque era rei dos moabitas. Sua origem mesma é indigna, porque surgiu das sementes de Ló e suas duas filhas, delas saíram dois povos: Moabe e Amom (Gênesis 19:30-38). Balaão é denominado um profeta. Era da Mesopotâmia, de Aram, da Síria, dos territórios de Midiã. Ele é contratado pelo rei Balaque para que amaldiçoasse o povo de Israel. O rei Balaque lhe enviou mensageiros, pessoas importantes do governo (Números 22:5-13). Balaque é informado da recusa de Balaão, o rei crê que todo homem tem um preço, crê que se oferecer mais, então acederá. E ofereceu mais (Números 22:15-17). “Então Balaão respondeu e disse... Ainda que Balaque me desse sua casa cheia de prata e de ouro, eu não poderia ir além da ordem do Senhor meu Deus, para fazer coisa pequena ou grande. Agora, pois, rogovos que também aqui fiqueis esta noite para que eu saiba o que mais o Senhor me dirá”. (Números 22:18-19). Eis o problema quando cremos que a vontade de Deus pode ser manipulada, e que Deus pode ser ajustado a nossos caprichos em lugar de que nós nos ajustemos a suas demandas. Pedro nos previne de pessoas parecidas com Balaão, e nos diz: “Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão… que amou o premio da injustiça, mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta” (2 Pedro 2:15-16). Judas menciona que alguns “foram levados pelo engano do premio de Balaão” (Judas 1:11). E o apóstolo João fala de “a doutrina de Balaão” (Apocalipse 2:14). Aí vá Balaão, mas de repente sua jumenta começa a reagir estranhamente. Quando o animal viu um anjo no meio do caminho e que não há nada a fazer, deitou-se e quando um burro se deita ninguém o levanta (Números 22:21-24). O profeta não entendia o que acontecia, espancou novamente o animal, e foi ai quando a jumenta fala com Balaão (Números 22:25-30). Quando o diálogo acaba, Deus abre os olhos a Balaão e vê o anjo com a espada, que lhe diz: “Por que já três vezes espancaste a tua jumenta? Eis que eu saí para ser teu adversário, porquanto o teu caminho é perverso diante de mim. A jumenta me viu,

e já três vezes se desviou diante de mim, na verdade que eu agira te haveria matado, e a ela deixaria com vida” (Números 22:31-33). O rei Balaque sabia que não podia atacar Israel no plano material, por isso chamou Balaão (Números 22:6). Balaão veio para amaldiçoar, e acabou abençoando (Números 23:7-10). Não se podia amaldiçoar Israel porque Deus já o tinha abençoado (Gênesis 12:3). “Então disse Balaque a Balaão: Que me fizeste? Chamei-te para amaldiçoar os meus inimigos, mas eis que inteiramente os abençoaste” (Números 23:11). Outra vez foi incitado a amaldiçoar, mas novamente abençoou o povo de Israel (Números 23:13-24). Na terceira vez, Balaão disse: “Vê-lo-ei, mas não agora, contemplálo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó e um cetro subirá de Israel, que ferirá os termos dos moabitas, e destruirá todos os filhos de Sete” (Números 24:15-17). Nesta visão, Israel consegue se assentar em Canaã, seus inimigos são derrotados, e desfrutou das benções na terra prometida. Balaão tinha desejado ir a profetizar para que lhe pagassem, mas sabemos que o ministério não tem preço nem por cargos políticos nem por tesouros da terra nem por fama nem por glória. O que Balaque queria era prejudicar Israel, e não teve sucesso. Mas o diabo manipulou a mente de Balaão, seu caminho foi o dinheiro (vender o ministério). Sua doutrina foi fazer que Balaque incitasse as mulheres moabitas e midianitas a convidar os israelitas para sua festa idolátrica, e quando estivessem bêbados, ouvindo a música estridente, ficariam perdidos, misturados, e não poderiam distinguir entre o santo e o profano, e Deus mesmo se encarregaria deles. (Números 25:1; 31:16; 2 Pedro 2:15; Apocalipse 2:14). A doutrina de Balaão é a doutrina da mistura entre o mundo e a Igreja. O povo de Deus é um povo separado do mundo, é um povo santo. Quando o povo se misturou, foi castigado. Moisés lutou a última batalha em Midiã, e venceu Moabe, mataram os reis de Midiã e Balaão também, assim que esse profeta acabou mal. Amado, a vontade de Deus é maior que os desígnios e caprichos humanos, por isso há que permanecer na linha que Deus nos marcou. Amém l

Mas o diabo manipulou a mente de Balaão, seu caminho foi o dinheiro (vender o ministério). Sua doutrina foi fazer que Balaque incitasse as mulheres moabitas e midianitas a convidar os israelitas para sua festa idolátrica, e quando estivessem bêbados, ouvindo a música estridente, ficariam perdidos, misturados, e não poderiam distinguir entre o santo e o profano, e Deus mesmo se encarregaria deles.

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

43


AUTORIDADE SOBRE TODA OBRA DAS TREVAS “Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a forca do inimigo, e nada vos fará algum dano”. Lucas 10:19. Rev. Rodolfo González Cruz

H

As visões mostravam navios que chegavam cheios de demônios, também se via que os pastores chegavam às nações; conforme avançavam, apareciam delegações demoníacas tentando detê-los, mas os missionários continuavam avançando. Então começaram a aparecer pastores que junto com os demônios queriam deter a Obra de Deus, mas a Obra continuava avançando mais e mais.

MISIONÁRIO MUNDIAL 44 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

á mais de 50 anos, em uma convenção na cidade de Bayamo, na República de Cuba, com o Rev. Luis M. Ortiz, sua esposa Rebecca e um grande número de pastores, a glória de Deus foi manifestada. Línguas repartidas como fogo bem como visões e manifestações sobrenaturais apareceram naquele lugar; Deus mostrou a muitos irmãos que esta Obra se estenderia por todo o mundo. As visões mostravam navios que chegavam cheios de demônios, também se via que os pastores chegavam às nações; conforme avançavam, apareciam delegações demoníacas tentando detê-los, mas os missionários continuavam avançando. Então começaram a aparecer pastores que junto com os demônios queriam deter a Obra de Deus, mas a Obra continuava avançando mais e mais. A Escritura diz: “E as portas do inferno não prevalecerão contra ela (a Igreja)” (Mateus 16:18). Durante o ministério de nosso Senhor, as potestades, principados e demônios não pararam. Naqueles tempos, os líderes religiosos disseram a Jesus: “Tem demônio!” (João 10:20), “não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios” (Mateus 12:24), “é samaritano” (João 8:48), e dizer “samaritano” a um judeu era uma tremenda humilhação. Mas, quem dizia isto? Os grandes líderes da religião forte desse tempo, que tinham os livros da Lei, que invocavam o nome de Deus. Os piores inimigos, antes e depois de Cristo, são os líderes religiosos, que profetizando uma religião falsa, hipócrita e cheia de demônios, querem destruir a Obra de Deus. O apóstolo Paulo disse: “Porque não temos que lutar contra a carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra os hostes espirituais da maldade,

nos lugares celestiais” (Efésios 6:12). Nossa luta é contra forças satânicas que, tomando homens, surgem para desafiar o avanço da evangelização. Jesus advertiu que apareceriam muitas pessoas vestidas de ovelha, e seriam lobos devoradores. Ele disse: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que vem até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis… Nem tudo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus” (Mateus 7:15-16, 21). Como reconheceremos um verdadeiro servo de Deus? Como conheceremos se uma denominação é uma verdadeira Igreja de Cristo? A resposta é: “Por seus frutos os conhecereis” (Mateus 7:16). Na noite em que Nicodemos se aproximou de Jesus, disse: “Rabi, bem sabemos que é Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não fora com ele” (João 3:2). Jesus disse: “E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios...” (Marcos 16:17). Também disse: “Aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai” (João 14:12). Deus entregou “as virtudes do século futuro”, poderes sobrenaturais (Hebreus 6:5). Jesus disse: “Eis que vos dou poder… e toda a forca do inimigo…” (Lucas 10:19). A única forma de comover os povos e nações é cheio do Espírito Santo. Quando tinha 16 anos, comecei a orar e recebi o Batismo no Espírito Santo, recebi um poder sobrenatural, e comecei a expulsar demônios e orar pelos doentes, e eles foram curados. Há algum tempo viajei para a Colômbia, e li um jornal com letras grandes que dizia: “O


DEVOCIONAL

louco de Tolú foi curado por um jovem pastor”. Tratava-se de um jovem de 18 anos, que começou a orar bastante por um louco que passava pela cidade todos os dias. Deus se comunicou com ele mediante sonhos, visões e Sua Palavra. Aquele jovem começou a orar por essa pessoa durante vários dias. Junto a outro rapazinho mais jovem do que ele; jejuavam, oravam, e faziam vigílias. Um dia, durante o jejum e a oração, Deus lhe disse: Levanta-te, hoje vai orar pelo louco de Tolú. Então, foram à beira do mar e ali estava sentado aquele homem e começaram a falar com ele, dizendo: Viemos para que Jesus Cristo o libere, Ele me disse que o curará. Estendendolhe as mãos, reprenderam as potestades s a t â ni cas, expulsaram os espíritos imundos, e aquele homem que esteve louco por 35 anos, ficou completamente livre dessas cadeias. Depois chegou a sua casa, banhou-se e disse a sua família: Sou livre! Deus está esperando que obedeçamos a seus mandamentos, que façamos sua vontade, e então Ele manifestará seu poder e sua glória através de nós. Se isso não está acontecendo é porque não vivemos em santidade e obediência. A palavra diz: “Eis que a mão do Senhor não está encolhida” (Isaías 59:1). O diabo veio “para roubar, matar e destruir” (João 10:10), mas “para isto o filho de Deus se manifestou, para desfazer as obras do diabo” (1 João 3:8). Cristo veio para liberar os endemoninhados, curar doentes e ressuscitar mortos (Lucas 4:17-19). Amado, decida ser cheio do poder do Espírito Santo de Deus, e terá autoridade sobre todo poder das trevas. Deus o abençoe! l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

45


Um relatório superficial do trabalho que a Obra do Movimento Missionário Mundial desenvolve pelos caminhos da América e ao redor do mundo. A Santa Bíblia diz: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo… E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:46, 47.

EM DEFESA DA FAMÍLIA O Movimento Missionário Mundial da Itália realizou sua VI Convenção Nacional na cidade de Gênova. Uma celebração muito espiritual, que contou com a presença dos oficiais internacionais da Obra. MISIONÁRIO MUNDIAL 46 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


EVENTO

Presidente Internacional do MMM, José Soto Benavides, Vice-presidente Internacional, Rodolfo González Cruz, Tesoureiro Internacional, Arturo Hernández, Supervisor Nacional do MMM nos Estados Unidos da América e Canadá, e as irmãs Carmen Valencia de Martinez e Rita Vásquez de González chegaram até a cidade de Gênova, a sexta cidade mais populosa do país. Também estiveram presentes irmãos de diferentes igrejas da Europa. A VI Convenção Nacional do MMM da Itália começou com uma jornada especial na qual o Rev. José Soto pregou a mensagem ���Os resultados de um alto privilégio”, baseado em 2 Timóteo 4:2, na qual afirmou que o principal dever de um filho de Deus é estar preparado para qualquer ataque inesperado do inimigo. Com voz firme e apoiado pelas escrituras, o pastor Soto afirmou que: “os cristãos devem manter sua armadura, sem descuidar sua consagração ao Senhor, em caso contrário, o descuido provocará heresias e divisões na Igreja”. Posteriormente, na manhã do segundo dia de atividades, perante os olhos atentos do povo de Deus, o Rev. Arturo Hernández foi o encarregado da mensagem do Senhor. Sua participação, através de um discurso intitulado “As demandas de um futuro glorioso”, esteve centrada na analise da passagem bíblica Gênesis 49:1-4 e da profecia de Jacó sobre seus filhos. Com a Bíblia na mão, o pastor Hernandez salientou que: “os crentes devem reconhecer os privilégios que o Senhor lhes deu, pois para mantê-los são necessários sacrifícios, cuidados e humildade de coração”.

E

m um ambiente de grande expectativa, o Movimento Missionário Mundial da Itália realizou de 13 a 16 de agosto sua VI Convenção Nacional na Villa Imperiale, um dos lugares mais antigos e prestigiados de Gênova, com a participação de uma multidão de irmãos de diferentes igrejas do território italiano e o resto do continente. Sob o tema “Em defesa da família”, inspi-

rado no Salmo 127:1, o evento serviu para renovar a fé em Deus e proclamar ao mundo que o Senhor é o único que pode edificar a humanidade e protegêla do mal. A festa espiritual do Movimento Missionário Mundial da Itália contou com a presença de líderes internacionais da Obra de Deus. Assim, os reverendos Gustavo Martínez Garavito,

PRONTOS PARA AGIR Horas mais tarde, o Rev. Gustavo Martínez tomou a palavra e se dirigiu aos membros do Movimento Missionário Mundial que vieram à Villa Imperiale. Baseado no livro de Ester 4:13-17, o pastor Martinez deu um discurso intitulado “Estamos prontos para agir neste momento estratégico que Deus nos Continue lendo–– Outubro de 2015 / Impacto evangélico

47


Continue lendo––

deu”. Nele declarou que: “a humanidade está em um momento crítico e por isso devemos estar prontos para agir neste tempo estratégico, e dizer como Ester disse: ‘se perecer, pereci’. Devemos deixar de lado o conforto e entregar nossas vidas ao serviço de Deus, dando nossa juventude, nossa saúde e nossas capacidades”. No dia seguinte, em uma manhã chuvosa, realizou-se o quarto serviço da VI Convenção Nacional do MMM da Itália. Nessa ocasião, a irmã Car-

men Valencia de Martínez, a esposa do Rev. Martínez, foi a principal apresentadora da Palavra de Deus e transmitiu uma mensagem intitulada: “O poder do pensamento”. Baseada no livro de Provérbios 23:7, a missionária salientou que: “Deus deu ao homem uma mente perfeita e pura, que foi contaminada pelo inimigo através do pecado, usando seus meios diabólicos para fazer da humanidade seus escravos. O inimigo ataca a mente, tentando desafiar a autoridade de Deus”. Horas mais tarde, durante o quinto

serviço da festa espiritual do MMM, o Rev. Rodolfo González foi responsável por compartilhar a Palavra de Deus com o povo do Senhor que se reuniu em Gênova. Cheio de emoção, o pastor Gonzalez, que deu um discurso intitulado “Evangelismo com poder”, falou sobre os temas bíblicos “Uma nação pecadora” e “Chamado ao arrependimento verdadeiro” contidos em Isaías 1:2-20. Além disso, em sua participação, o reverendo disse que: “Deus permitiu que o evangelho fosse espalhado por todo o mundo graças à tecnologia e os meios de comunicação que colocou nas mãos de sua igreja”. Posteriormente, no encerramento de atividades, o Rev. Carlos Medina, Supervisor Nacional do MMM da Espanha e Supervisor do Bloco A da EuContinue lendo–– MISIONÁRIO MUNDIAL 48 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


EVENTO

Outubro de 2015 / Impacto evangĂŠlico

49


MISIONÁRIO MUNDIAL 50 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


EVENTO Continue lendo––

ropa, pregou a palavra de Deus através de uma mensagem intitulada: “O perigo de uma família sem visão espiritual”. Inspirado em Gênesis 13:10-11, o pastor Medina disse que “cada membro das famílias cristãs deve crescer e não deve ceder perante qualquer oferta do inimigo”. Além disso, 5 irmãos foram promovidos a Pregadores Laicos, 11 obreiros a Pregadores Licenciados, e 7 foram promovidos a Ministros Ordenados. Dessa promoção, 19 foram nacionais e 4 do Bloco B l

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

51


COM QUEM ME CASAREI? Com a presença de quatrocentos crentes, foi realizado o I Acampamento Europeu de Jovens do Movimento Missionário Mundial que reuniu delegações da Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Holanda, Itália, Suécia e Suíça.

D

edicado a encontrar a presença do Senhor, o I Acampamento Europeu de Jovens do Movimento Missionário Mundial foi realizado entre 10 e 12 de julho na comuna italiana de Arquata Scrivia, localizada na região do Piemonte, aonde mais de quatro centenas de seguidores de Deus chegaram. Com o lema “Com quem me casarei?”, MISIONÁRIO MUNDIAL 52 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

inspirado no livro de Gênesis 24:14, a atividade reuniu delegações de jovens da Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Holanda, Itália, Suécia e Suíça. Na abertura do evento, o Rev. Leonel Cedeño, Oficial Nacional do MMM da Itália, compartilhou as boas novas do Senhor através de uma exposição intitulada: “O namoro cristão””. Ba-

seado em Gênesis 24, o pastor Cedeño falou sobre a importância da paixão entre duas pessoas da mesma fé. A este respeito, ele afirmou que: “Deus tem um tempo determinado para o namoro. Nesse sentido, todas as pessoas jovens do MMM devem encontrar a perfeita vontade de Deus e se submeter a ela”. Outro expositor da palavra de Deus


EVENTO

foi o Rev. David Echalar, Supervisor Nacional do MMM da Itália e Supervisor do Bloco B na Europa, que expôs no segundo dia um discurso baseado na passagem bíblica contida no livro de Daniel 2. Com voz firme, o pastor Echalar chamou a atenção dos jovens que estão longe do Senhor e lhes ordenou que deixassem o orgulho para ver

a glória de Jesus Cristo. Além disso, ele disse que: “independentemente das situações difíceis, o Senhor cumprirá seu propósito com a juventude da Europa”. No final do I Acampamento Europeu de Jovens do Movimento Missionário Mundial, o Rev. Luis Valderrama, Secretário Nacional do MMM

da Itália, foi o servo de Deus eleito para pregar a Palavra. Baseado em 1 Samuel 17, o pastor Valderrama afirmou que: “o jovem crente se encontra exposto diariamente a muitas batalhas contra vários grandes obstáculos como vícios, dependências, entre outros, dos quais só Deus tem o poder absoluto para livrá-lo” l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

53


UM POVO QUE AMA A SANTIDADE O Movimento Missionário Mundial do México realizou sua XIII Convenção Nacional na cidade de Tapachula, onde o povo do Senhor lutou para se limpar de qualquer imundícia.

R

ealizada de 6 a 9 de agosto, nas instalações do salão Lienzo Charro, localizado na cidade de Tapachula, em Chiapas, a XIII Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do México serviu para que Deus estivesse presente em solo mexicano. O evento, que foi realizado sob o lema “Deus para nós”, foi liderado pelos Diretores Internacionais do MMM, reverendos Álvaro Garavito, Luis Meza Bocanegra e o Rev. Alejandro Robledo, Supervisor MISIONÁRIO MUNDIAL 54 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Nacional do MMM do México. No primeiro dia da XIII Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do México, que contou com a presença de pastores e membros do MMM da República da Guatemala, o Rev. Garavito foi o responsável por pregar a Palavra de Deus. Baseado em Zacarias 3:1-8, o pastor Garavito disse que o povo do Senhor deve se limpar da imundícia. Além disso, o servo de Deus falou sobre o sumo sacerdote Josué.

Posteriormente, na manhã do segundo dia de atividades, o Rev. Marlon Hernández, presbítero na República da Guatemala, transmitiu as boas novas através da mensagem: “A preocupação com os poucos que lutam para manter suas vestiduras brancas”. Horas mais tarde, à noite, o pastor Luis Meza, baseado na citação bíblica em 2 Pedro 03:10, expôs a Palavra de Deus e desenvolveu o tema: “Um povo que ama a santidade”. Na jornada da manhã do terceiro dia


EVENTO

da XIII Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do México, o Rev. Garavito voltou para evangelizar o povo do Senhor com uma mensagem intitulada: “Sofrendo em vão”, baseado em Gálatas 3:3-4. Mais tarde, à noite, o Rev. Gustavo Chay, assistente de supervisão e presbítero na Guatemala, compartilhou a mensagem de Deus através da prédica: “O resultado que obtemos quando fazemos o que Deus nos ordena”. O evento terminou com um culto missionário e a cerimônia de promoção de obreiros onde 8 irmãos foram admitidos no Ministério como Pregadores Laicos, 2 foram promovidos a Pregadores Licenciados e 2 a Ministros Ordenados. É preciso especificar que a Convenção foi transmitida por Bethel TV, Rádio Luz, Rádio Bethel, Rádio Remanente na Guatemala, e outros meios da Obra do Senhor l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

55


CÉU ABERTO Na cidade de Barquisimeto, o Movimento Missionário Mundial da República Bolivariana da Venezuela realizou sua XXX Convenção Nacional onde as boas novas de Deus foram transmitidas.

C

om a participação dos Oficiais Internacionais Jorge Henao, Margaro Figueroa e Rubén Concepción, o Movimento Missionário Mundial da República Bolivariana da Venezuela realizou sua XXX Convenção Nacional de 4 a 8 de agosto no Estádio “Arena Plaza”, na cidade de Barquisimeto. O evento, chamado “Céu aberMISIONÁRIO MUNDIAL 56 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

to”, serviu para defender a união entre Deus e seus milhares de seguidores do território venezuelano. No serviço inaugural, o Rev. Ricardo Manrique, Supervisor Nacional do MMM da Venezuela, agradeceu a Deus pelo grande número de participantes presentes no Estádio “Arena Plaza”. Depois, o Rev. Rubén Con-

cepción, Oficial Internacional do MMM, transmitiu as boas novas de Deus em Isaías 62:1-4. Sua mensagem, intitulada: “Lealdade à proclamação divina”, abordou as exigências da fé no Senhor. Posteriormente, durante o segundo encontro da XXX Convenção Nacional do MMM da Venezuela, o Rev.


EVENTO

Margaro Figueroa, Oficial Internacional do Movimento Missionário Mundial, pregou a palavra de Deus através de uma mensagem intitulada: “Superando os medos”. Mais tarde, o Rev. Jorge Henao, Oficial Internacional do MMM, baseado em Josué 20:1-9, foi responsável pela mensagem do Senhor através do tema: “Cidades de refúgio”. Um dia depois, o Rev. Ricardo Manrique falou a Palavra do Senhor. Com base em 2 Reis 3:4-17, o pastor Manrique desenvolveu o tema: “O que fazer quando as coisas não vão bem” e disse que uma mão pode estragar o plano de Deus. Posteriormente, o Rev. Manrique se dirigiu ao povo do Senhor e deu uma mensagem intitula-

da: “Deus levanta os humildes”, inspirado em Jó 02:29-30, que abordou a maneira na qual o Senhor exaltou Jó. Na manhã do segundo dia de atividades, o Rev. Carlos Mendoza, pastor do MMM do Peru, compartilhou a mensagem de Deus. Em sua participação, intitulada “O Espírito Santo e o pecado” baseada em romanos 07:18-25, salientou que cada jovem tem suas lutas e dificuldades. Outro expositor da palavra de Deus foi o Rev. Henao. Baseado em Gênesis

37:26, o pastor expôs a mensagem: “Não importa quem você é”. No culto de encerramento, que serviu para fazer a promoção de obreiros, onde 41 irmãos foram promovidos a Pregadores Laicos, 35 a Pregadores Licenciados, e 19 a Ministros Ordenados. O Rev. Figueroa pregou através de um discurso baseado no livro de Êxodo 18:13-14 e 17. Em sua apresentação, intitulada: “Transferência de responsabilidade”, disse que não somos donos de nosso destino nem capitães de nosso navio l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

57


UM CHAMADO À UNIDADE Realizada na República da Guiné Equatorial, a XX Convenção Nacional da África congregou as igrejas do terceiro continente mais extenso do mundo.

C

om a assistência das delegações provenientes de diversos pontos do continente africano, o Movimento Missionário Mundial realizou a XX Convenção Nacional da África de 5 a 6 de agosto passado. O evento, marcado pela presença do Senhor, realizou-se no centro poliesportivo “Nkua-Ntoma”, da Cidade de Bata, República da Guiné Equatorial. A XX Convenção Nacional da África contou com a presença dos MISIONÁRIO MUNDIAL 58 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

reverendos Rómulo Vergara, Oficial Internacional do MMM, Clemente Vergara, Supervisor Missionário das Antilhas e África, e Luis Ayala, Supervisor Nacional de Porto Rico. Em um ambiente de glória e de unidade, a festa espiritual foi o marco ideal para o desenvolvimento de temas como: “A importância do Espírito Santo”, “A unidade”, “O Castiçal”, “A lealdade de Jó”, entre outros, que serviram para que o povo de Deus se

alimentasse com a sã doutrina que impulsiona a obra de Deus. Durante a convenção se nomeou uma Junta Africana de Damas composta por seis operárias. Também se delineou a futura construção de um templo na Guiné Equatorial. Oremos muito por este continente que tem 54 nações, e estamos em só 4 países: Gabão, Gana, Congo e Costa do Marfim. A Deus seja dada a glória! l


EVENTO

A SOLUÇÃO DE SEUS PROBLEMAS ESTÁ EM CRISTO O Movimento Missionário Mundial realizou na Guiné Equatorial uma Confraternização de Jovens na qual se fez um chamado para afazer parte da obra missionária.

A

cidade de Mongomo, na República da Guiné Equatorial, abrigou a Confraternização de Jovens do Movimento Missionário Mundial da África de 25 a 28 de junho. Realizada com o lema: “A solução de seus problemas está em Cristo”, a festa espiritual consolidou a presença do MMM entre os jovens guinéu-equatorianos e fez possível que as boas novas de Deus se divulgassem nessa pequena nação africana.

A Confraternização de Jovens do Movimento Missionário Mundial da África foi liderada pelos pastores Emilio Ndong, do templo de Mongomo, e Paulino Nguema, presbítero da zona, e os integrantes da Diretiva de Jovens em nível do continente africano. A presença de Deus se deixou sentir ao longo dos quatro dias de atividades nos quais muitas vidas foram libertadas e restauradas pelo Senhor.

Um acontecimento significativo do evento do MMM da África se produziu quando um jovem irmão, chamado Santos, membro da Obra de Deus, foi entregue ao Senhor para que cumprisse de forma acertada a missão pastoral que lhe encomendou na cidade de Aconibe, localizada no sudeste da Guiné Equatorial, onde o Movimento Missionário Mundial estabeleceu neste ano um templo l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

59


SUA LEALDADE PROVADA Com a presença de irmãos porto-riquenhos, o Movimento Missionário Mundial da República de El Salvador realizou sua Confraternização Nacional de Jovens.

F

oi uma jornada intensa na qual Deus fez sentir seu Poder em terras salvadorenhas. A Confraternização Nacional de Jovens do Movimento Missionário Mundial da República de El Salvador, que contou com a grande participação do povo do Senhor, foi realizada em 1 de agosto e constituiu uma fonte inacabável de bênçãos que irradiou as boas novas de Jesus Cristo e transmitiu a sã doutrina da Obra de Deus. O evento, organizado pelo MMM de El Salvador, incluiu a intervenção de quatro irmãos do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico. Foram os pastores Edwin Torrez e Luis Gonzales e os irmãos Carlos Jiménez, Líder de Cavalheiros, e José Luis Vásquez, Presidente Nacional de Jovens do MMM de Porto Rico. Eles, além de intervir na confraternização, tiveram a ocasião de visitar vários templos salvadorenhos. MISIONÁRIO MUNDIAL 60 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Durante a festa espiritual também se celebraram dois cultos. No primeiro, pela manhã, o Senhor falou a seu povo através da voz do pastor Edwin Torrez, que expôs o tema “Sua Lealdade Provada” baseado em Daniel

1:8. Posteriormente, pela tarde, o expositor da Palavra de Deus foi o irmão José Luis Vásquez, Presidente Nacional de Jovens do MMM de Porto Rico, que interveio com a exposição denominada: “Você está eleito” l


EVENTO

IDE POR TODO O MUNDO, PREGAI O EVANGELHO O Movimento Missionário Mundial de Porto Rico realizou uma confraternização, que compartilhou uma série de testemunhos, na cidade de Ponce.

A

uspiciada pela irmandade “Cavalheiros em Ação”, a confraternização mensal do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico transformou em 15 de agosto a cidade de Ponce, o segundo maior município da Ilha do Cordeiro, em porta do céu e casa de Deus. A festa espiritual, que se destacou pelas inumeráveis mostras de fé, foi organizada pelas igrejas da Zona 7 do MMM de Porto Rico. O evento começou com uma série de testemunhos que deram conta do Poder de Deus. A este respeito, o pastor Luis González testemunhou sobre as experiências que viveu em sua visita ao MMM de El Salvador. Posteriormente, o Rev. Albert Rivera compartilhou as obras que o Senhor está realizando na Itália, onde o servo de Deus ensinou a sã doutrina. Além disso, a irmã Yarelie Laboy falou sobre a capacitação de operários e líderes que se realiza de forma constante na América Central. Posteriormente, pela tarde, o Rev.

Margaro Figueroa, Diretor Internacional do MMM, pregou a Palavra do Senhor. Em sua mensagem, denominada: “Quando o povo se rebela”, o pastor Figueroa instou os seguidores de Deus

a serem firmes em sua fé. Apoiado em Êxodo 32:1, 8 e 17, salientou também que: “uma má decisão traz maldição a nossas vidas, por isso devemos tentar cuidar cada passo que damos” l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

61


QUEM CRER SERÁ SALVO O MMM de Equador aceitou catorze novos membros que ingressaram na Obra de Deus depois de passar pelas águas batismais em Guayaquil.

A

s águas da piscina da Unidade Educativa “Águias de Cristo”, da cidade de Guayaquil, foram testemunhas em 25 de julho do batismo de catorze novos membros do Movimento Missionário Mundial da República do Equador. A cerimônia foi liderada pelo Rev. Eugenio Herdades, Supervisor Nacional da Obra de Deus em território equatoriano, e demonstrou que o povo do Senhor cresce dia a dia. MISIONERO MUNDIAL MOVIMENTO MISIONÁRIO 62 MOVIMIENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Baseado em Marcos 16:14-16, o pastor Masías, durante o ato, dirigiu-se à paróquia e mencionou que: “para se batizar, primeiro há que crer, um não pode ser batizado sem crer, achar é necessário crer que Jesus é o caminho ao céu, a verdade e a vida”. O servo do Senhor foi o encarregado de submergir nas águas batismais cinco irmãos e nove irmãs que entregaram suas vidas a Jesus Cristo e se comprometeram a permanecer firmes a seu lado.

Ao evento foi uma grande multidão de crentes provenientes da Zona 5 do MMM do Equador. Além disso, estiveram presentes o Rev. Oswaldo Becerra, presbítero da zona 1, e o pastor Mac Silva, encarregado da igreja do centro de Quito na Zona 1. Depois do batismo se realizou um culto especial destinado a agradecer a Deus por ter permitido que sua Obra continue crescendo l


EVENTO

MAS QUEM NÃO CRER SERÁ CONDENADO

Vinte e dois novos irmãos do Movimento Missionário Mundial do Equador desceram às águas batismais na cidade de Quito.

F

oi uma cerimônia em massa na qual a maioria dos membros do Movimento Missionário Mundial da cidade de Quito esteve presente. Aconteceu em 1 de agosto na piscina de Amaguaña, muito perto do rio San Pedro, e serviu para que vinte e dois novos filhos do Senhor selaram sua união à Obra de Deus depois de descer às águas batismais e aceitar o Evangelho como o estandarte de suas novas vidas.

Na cerimônia, que foi o primeiro batismo realizado pela igreja de Quito Centro, o pastor Mac Silva, responsável pelo templo, detalhou que os recém-convertidos eram catorze crentes provenientes de Quito, sete irmãos da igreja de La Concordia e um jovem de Riobamba do MMM do Equador. Todos eles cumpriram o sacramento estabelecido por Deus para ser admitidos dentro do cristianismo.

Antes do batismo se realizou um devocional cujo orador principal foi o Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial do Equador, o Rev. Eugenio Herdades, que pregou a Palavra do Senhor. Citando o livro de Marcos 16:14-16 e Atos 8:32-38, o pastor Herdades recomendou: “ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado, será salvo; mas quem não crer será condenado” l Outubro de 2015 / Impacto evangélico

63


Otros Eventos

PANAMÁ GLORIOSÍSSIMA CONFRATERNIZAÇÃO DE JOVENS

Os jovens do Movimento Missionário Mundial na Zona de Rubén, área leste da província do Panamá, celebraram uma gloriosa Confraternização com as diferentes congregações da área na Igreja de 24 de Diciembre em 13 de junho. O devocional esteve a cargo das igrejas de Llano de Jesus e 24 de Diciembre. Nesta atividade estiveram presentes o Rev. Epifanio Asprilla, presbítero da Zona 1, o Rev. Agustín Batista, presbítero da área, o Rev. Julio Klinger, presidente nacional da juventude, a irmã Daisy Elid Soto, vice-presidente nacional da juventude, e o irmão Abraham Ruiz, vogal nacional. Também esteve presente uma representação de jovens da Zona de Gad em companhia do irmão Elías Spencer, líder da Zona. A mensagem da Palavra de Deus esteve a cargo do Rev. Julio Klinger, que pregou sob o tema “Não mudo, nem me vendo”. Parabenizamos o irmão Jacob Elington, líder da Zona de Rubén, que esteve a cargo da organização deste culto que foi de muita bênção para a juventude da área l

MISIONÁRIO MUNDIAL 64 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

MADAGASCAR CAMPANHAS AO AR LIVRE

Estas gloriosas atividades se realizaram de 14 a 16 de junho em Madagascar. O Rev. Carlos Guerra, pastor da Obra na Costa Rica, chegou em 14 de junho passado a Andavamamba, onde se encontra a segunda igreja. Alugou-se um terreno e se compartilhou a mensagem de Deus ao ar livre no meio do frio. Por todos os lados, as pessoas saíram a escutar a Palavra de Deus. O pastor Guerra se comoveu ao ver as crianças descalças e sem roupa no meio do forte frio. No segundo dia em Andranomena se realizou outra atividade ao ar livre. Os irmãos de Andavamamba foram transportados por um ônibus para apoiar esta gloriosa campanha. No terceiro dia, a atividade continuou no povo Malagas. Os irmãos de Andavamamba não puderam pegar o ônibus, e alguns deles tornaram a suas casas. O som era mau. Chegou um grupo de jovens e começaram a perturbar o culto, sentia-se a opressão forte das trevas. Além disso, no meio da prédica, chegou um bêbado, perturbando a reunião. Mas Deus tomou o controle de tudo, o grupo de jovens acabou escutando a mensagem, e o homem bêbado acabou rendido e chorando perante o Senhor l

PARAGUAI CONFRATERNIZAÇÃO EM CIDADE DO LESTE

A Obra do Movimento Missionário Mundial realizou de 6 a 9 de agosto, uma gloriosa reunião com pastores e líderes do Paraguai na Cidade do Leste. E pelas noites, houve poderosas campanhas ao ar livre com o pastor e evangelista Rev. Carlos Guerra da Costa Rica. Pastores e líderes vieram de todo o país, alguns tiveram que percorrer até 800 km de distância. Durante os quatro dias de evangelização, cerca de duzentas vidas vieram a Jesus Cristo. A atividade se caracterizou por um poderoso derramamento do Espírito Santo cada dia e cada noite. Glória a Deus! l

ESTADOS UNIDOS BATISMO NAS ÁGUAS EM NOVA IORQUE

O dia 22 de agosto foi uma data gloriosa na Obra do MMM da Zona 6 que corresponde aos estados de Nova Iorque e a Pensilvânia. Como todos os anos, o Senhor permitiu levar às águas batismais mais de 60 irmãos, jovens em sua maioria. Os candidatos proviam das Igrejas de Manhattan, Washington Heights, Bronx, Newburgh, Yonkers, Spring Valley, Mount Carmel, Mount Kisco, Queens, Brooklyn, Long Island, Allentown e FarRockaway. A atividade foi celebrada na cidade de Bethlem, Pensilvânia, e esteve presidida pelo Rev. Benito Green, Presbítero da Obra do MMM dos estados de Nova Iorque e a Pensilvânia, e pastor do Centro Evangelístico Pentecostes do MMM nos condados de Queens e Brooklyn. Além do Presbítero da Zona 6, estiveram oficiando no ato batismal os pastores Tomas Green da Igreja do MMM de Long Island, Nova Iorque, o pastor Iván Coneo da Igreja do MMM de Yonkers, Nova Iorque, o Rev. Moisés Cabrera de Manhattan, além das operárias do Senhor que assistiram as irmãs batizadas l


REFLEXÕES

A BÍBLIA FUNDAMENTAL A Bíblia do Urso, primeira versão completa das Sagradas Escrituras em espanhol, traduzida das línguas originais, é considerada uma obra-prima dentro da literatura 446 anos depois de sua publicação.

Q

uem poderia imaginar que o sonho de dois monges jerônimos, de traduzir a Bíblia para o espanhol, que foram perseguidos e sentenciados em ausência por isso, chegaria a se converter na tradução que mudaria a vida de milhões de hispano-falantes. Este piedoso anseio começou no século XVI, quando a primeira tradução completa das Sagradas Escrituras em espanhol foi publicada em 1569. A primeira edição foi conhecida como a Bíblia do Urso, e anos mais tarde, a edição correspondente à primeira revisão, em 1602, como a Bíblia do Cântaro. A primeira publicação foi denominada Bíblia do Urso pelo emblema que aparecia em sua capa: um urso de pé junto a uma árvore, tentando atingir uma colmeia para beber seu mel, logotipo do impressor bávaro Mattias Apiarius. Ele utilizou essa ilustração porque queria evitar o uso de ícones religiosos, dado que naquela época estava proibida qualquer tradução das Sagradas Escrituras para línguas vulgares. A tradução esteve a cargo do monge jerônimo e humanista sevilhano Casiodoro Reina, e a revisão foi realizada por seu companheiro Cipriano de Valera. No trabalho realizado por Reina, é importante salientar seu valor literário, principalmente por dois motivos: primeiro, pela qualidade de sua língua, que a torna um monumento da literatura ibero-americana; e segundo, por sua extrema fidelidade à versão original, já que recolhe o tom primordial das tradições hebraicas. Por sua parte, Valera dedicou 20 anos de sua vida à revisão do trabalho de seu conterrâneo e companheiro de claustro. Como resultado, a referida versão foi publicada em 1602 e chamada de Bíblia do Cântaro, porque na capa aparecia a imagem de dois homens: um plantando uma árvore, e outro o regando com água que sai de um cântaro.

Segundo alguns experientes, a ilustração foi tomada em alusão ao texto bíblico da Primeira Carta aos Coríntios 3:6: «Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento». Da mesma maneira, considera-se uma referência à ideia de que com a primeira edição (Bíblia do Urso), realizada por Reina, plantou-se a semente da Palavra de nosso Senhor e, novamente, na revisão de Valera, regou-se o semeado para que cresça e dê frutos. A revisão é uma das mais admiradas, tanto para eruditos protestantes quanto para aqueles que ainda não participavam nesta interpretação das Sagradas Escrituras, consideram a excelente qualidade da mesma. Segundo os dados das obras, a segunda edição (Bíblia do Cântaro) foi publicada 33 anos depois da primeira edição (Bíblia do Urso); no entanto, desde o momento em que as pessoas entraram em contato com elas, suas vidas foram transformadas. Samuel Escobar Aguirre, presidente honorário das Sociedades Bíblicas Unidas e catedrático de Missiologia no Seminário Teológico da Pensilvânia, salienta que as duas versões foram publicadas na Europa do século XVI, especialmente porque o culto protestante tinha como tema central a leitura e explicação da Bíblia. Por outra parte, a conversão era um desafio, pois naquela época muito poucos sabiam ler e escrever, já que durante a Idade Média esses conhecimentos estavam limitados ao clero e, em alguma medida, à nobreza. A Bíblia do Urso foi publicada em Basileia, Suíça em 28 de setembro de 1569. Hoje continua sendo a tradução mais aceita pelo cristianismo. A primeira edição foi de 2.600 exemplares e, apesar dos obstáculos para sua venda na Europa daquele tempo, em 1596 já estava completamente esgotada l

Segundo os dados das obras, a segunda edição (Bíblia do Cântaro) foi publicada 33 anos depois da primeira edição (Bíblia do Urso); no entanto, desde o momento em que as pessoas entraram em contato com elas, suas vidas foram transformadas.

Outubro de 2015 / Impacto evangélico

65


ESCREVEM-NOS... cartas@impactoevangelistico.net YESENIA CÁRDENAS Deus os abençoe por este grande trabalho que estão levando ao mundo inteiro. Sabemos que muitas pessoas estão lendo esta revista e que também se entregaram ao caminho do Senhor. Continuem com sua missão. De Callao, Peru.

LUIS MIGUEL PÉREZ Deus os abençoe. Esta revista é de muita bênção e se destaca entre muitas. Dou graças a Deus por este material tão importantíssimo nestes tempos finais. Peço-lhes que rezem pela Igreja na Costa Rica. Obrigado por tudo. De Heredia, Costa Rica.

HERMINIO AVALOS Gostaria de saber mais destas mensagens que vêm nas diversas revistas, já que nos últimos tempos se vê uma grande necessidade da Palavra de Deus para o mundo inteiro. Deus os abençoe. De Chiapas, México.

trabalhando com a mesma devoção que percebi através da leitura do exemplar que tenho. Deus abençoe todos os que trabalham nesta publicação tão edificante e a Obra do Movimento Missionário Mundial. De Santiago de Cuba, Cuba.

RAFAEL OJEDA Irmãos, que Deus os abençoe sempre pelo belo trabalho que fazem para oferecer aos necessitados a oportunidade de receber a mensagem de muitos pregadores, bem como os tremendos testemunhos. Agradeço-lhes tudo o que fazem sem nenhum interesse, mostrando a humildade que caracteriza a revista. Do Texas, Estados Unidos.

MARIBEL SERRANO Deus os abençoe. São de muita bênção para minha vida, porque aprendi muitas verdades bíblicas com sua revista. Continuem assim. De Mérida, Venezuela.

FRANK FÉLIX AGUIRRE Deus os abençoe muito por este trabalho tão árduo. A revista “Impacto Evangelístico” é de uma grande bênção, não só para os filhos de Deus, mas também para as vidas ímpias. Estou contente de saber que por meio desta revista se salvaram e se salvarão muitas vidas. De Lima, Peru.

Deus os abençoe. Só queria parabenizá-los por esse grande conteúdo que edifica nossas vidas. Continuem com esse trabalho. De Tolima, Colômbia.

MARÇO 5-8 Convenção na Honduras ABRIL 1-5 Convenção na Guatemala 2-5 Confraternidade Nacional na Austrália (Sydney) MAIO 2-4 Convenção no Japão 27-31 Convenção na Índia JUNHO 11-14 Convenção no Brasil (Manaus) JULHO 2-5 Convenção na Bolívia (Sucre) 7-10 Convenção nos Estados Unidos (Marietta, GA) 7-11 Convenção na Costa Rica (Zona Central) 8-11 de Convenções nas Antilhas Holandesas (Aruba)

OUTUBRO 9-11 Confraternidade Nacional no Canadá 21-25 Convenção no Mauritius 22-24 Convenção na República Dominicana 22-25 Convenção no Uruguai (Montevidéu) 26-28 Campanha em Madagascar 29-1 (Nov.) Convenção no Chile (Santiago)

Deus os abençoe grandemente. Consegui sua direção na Internet, e é de muita bênção. De Louisville, Estados Unidos.

MARÍA AVALOS

Dou graças a Deus por me dar a oportunidade de ter um exemplar da revista. Nunca tinha lido algo tão edificante, aparte da Bíblia. Rogo a Deus que continuem

FEVEREIRO 5-8 Convenção no Paraguai (Assunção) 12-15 Convenção na Argentina (Buenos Aires) 14-17 Convenção no Panamá 19-22 Convenção no Belize

SETEMBRO Sábado 26 - Dia Mundial das Missões

JACQUELINE DONE

MARÍA EMILIA DEL CASTILLO

JANEIRO 1-4 Convenção Nacional no Porto Rico 13/06 Convenção Nacional na Colômbia

AGOSTO 4-8 Convenção na Venezuela 6-9 Convenção no México 6-9 Convenção na Espanha 12-15 Convenção na África 12-16 Convenção no Haiti 13-16 Convenção na Itália 26-30 Congresso Sul-americano em Guayaquil, no Equador

JEISSON CAMILO DONOS

Deus abençoe o corpo pastoral junto a toda a família na fé desta preciosa Obra. São de grande bênção para meu crescimento espiritual. De Buenos Aires, Argentina.

AGENDA GLOBAL 2015

GUIDO ROMERO MONTES Como estudante de Teologia no Centro Evangelístico onde me congrego, a revista “Impacto Evangelístico” supera toda expectativa para um maior conhecimento de Deus. Que Deus os abençoe. De San José, Costa Rica.

NOVEMBRO 5-8 Convenção no El Salvador 24-29 Convenção Nacional em Lima (Peru) 26-29 Convenção no Nicarágua DEZEMBRO

Puede descargar el lector de códigos QR gratis desde estas plataformas: n Eventos realizados n Eventos a realizar

evangélico

MISIONÁRIO MUNDIAL 66 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz. Conselho editorial: Rev. Luis Meza Bocanegra, Jacqueline Rovira, Samuel Martínez, Rev. Andrés Espejo. Coordenador editorial: Rev. Julián Morón. Editor geral: Víctor Tipe Sánchez. Editor: Jaime Tipe Sánchez Editor gráfico: Roberto Guerrero. Design gráfico: Adolfo Zubietta. Redação: Johan Pérez Landeo, Marlo Pérez. Diagramação: Lesly Sánchez, Jorge Cisneros. Webmaster e Infografia: Julio de la Cruz. Ilustrações: Pablo Vilca. Transcrição: Fanny Vidal. Community manager: Juan Becerra, Denisse Barrientos. Distribuição: Javier Arotinco.


Outubro de 2015 / Impacto evangĂŠlico

67


Felicidadée

MISIONÁRIO MUNDIAL 68 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Para a felicidade da família


741_Portuguesa