Page 12

12

A VEREIRO ISEIT FE V RO/ E N TR JA

ENº43/2017 | n.

“Em 2017

TEXTO Carina Rodrigues FOTOS Sara Matos

antevemos

um

novo foco nas marcas próprias” 2017 arranca com o consumidor português a apresentar elevados níveis de confiança, nunca vistos nos últimos anos. No entender de Ana Paula Barbosa, Retailer Services Director da Nielsen, tudo indica que esta dinâmica positiva se vá manter. O ano será marcado pela valorização das categorias de valor acrescentado, com o consumidor a não recusar pagar um premium por aquilo que lhe der benefícios tangíveis. Ano, ainda, onde as estratégias de fidelização terão de começar a evoluir e a ganhar outros atributos que não o preço. Com as promoções a abrandarem o ritmo, o foco do retalho irá, progressivamente, desviar-se para as marcas próprias como elemento de diferenciação, cabendo à indústria encontrar novas formas de fidelização e conquista de clientes.

Grande Consumo – Arrancamos em 2017 com uma confiança tão em alta, por parte dos portugueses, como a Nielsen reportava no final de 2016? Ana Paula Barbosa – A confiança dos consumidores continua a subir. Em 2016, atingimos novos valores máximos. Já tínhamos assistido a máximos em 2015 e, em 2016, a confiança dos portugueses continuou a crescer e a aproximar-se da média europeia, sendo que, culturalmente, Portugal tem sempre um nível de confiança baixo. Pelo que este índice de 70 e que se aproxima do nível da Europa, que é de 81, é um mesmo muito elevado para o consumidor português. Nunca vimos um nível assim nos últimos anos. GC – Consideram que esta dinâmica de confiança se vai manter ao longo do primeiro trimestre de 2017?

Grande Consumo N.º 43-2017  

A Revista dos Negócios da Distribuição

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you