Page 1

LXNorte | NEWS

COMUNICAMOS COM (A) SAรšDE

Ano I * Nยบ 3

Ano I * Nยบ 5


Este editorial surge numa altura particularmente especial para uma das duas instituições do nosso Centro Hospitalar, o Hospital Santa Maria que comemora o seu 60º Aniversário, num mês igualmente particularmente especial para grande parte do mundo.

EDITORIAL

Em dezembro celebra-se o nascimento da esperança e, no nosso caso particular, celebramos o nascimento de um hospital universitário que marcou, marca e continuará a marcar o Serviço Nacional de Saúde e a ser uma referência de confiança e qualidade para os portugueses, em matéria de cuidados de saúde.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 02

Dezembro é também tempo de recordar desafios e mudanças do ano que ora está prestes a terminar, que geraram adaptações e alterações com o intuito de fazer sempre mais e melhor diariamente. Vivemos tempos que determinam o desenvolvimento e aperfeiçoamento de competências, no sentido da otimização e da eficácia de bens e recursos. Estes tempos, de reconhecida dificuldade, geraram igualmente, em cada um de nós, uma particular sensibilidade para novas políticas de sustentabilidade social e que devem ser munidas, enquanto questões que necessitam de debate, de melhor reflexão e de implementação de estratégias, no sentido de conferir respostas cada vez mais justas e melhor adequadas aos desafios atuais da sociedade portuguesa, nos dias de hoje e de amanhã. Assim entendo que neste editorial é tempo de reiterar uma mensagem de apreço e de esperança, mas sobretudo de reconhecimento a todos os nossos profissionais do CHLN, os quais muitas vezes ultrapassam o que são as suas responsabilidades funcionais, imbuídos de um elevado espírito de missão e de um louvável desprendimento pessoal com vista a uma prestação de cuidados cada vez mais humanizada e personalizada. Celebra-se também neste mês tão especial, a evolução, o crescimento, o esforço e a dedicação em prol de um bem que é incontornável e insubstituível para os portugueses: o direito à Saúde! E a verdade é que todos os dias, em todos os serviços de todas as instituições do Serviço Nacional de Saúde contribuímos para que nasça a esperança de um Serviço Nacional de Saúde mais equitativo de maior qualidade e melhor humanização. Eis porque entendemos que todos os dias celebramos a esperança própria desta quadra natalícia, fazendo nascer a confiança e a qualidade de vida. Termino com votos de um Santo Natal e um 2015 pleno de felicidade pessoal e profissional, com saúde na Saúde! O Presidente do Centro Hospitalar Lisboa Norte Carlos Neves Martins Lisboa e CHLN, dezembro de 2014


#1. Editorial| 2 #2. Projeto “Europeu Nutricion Day” no CHLN| 4

#3. I Jornadas de Psicologia Hospitalar do CHLN| 5 #4. Pediatria do CHLN comemora Dia de S. Martinho com Magusto| 6 #5. Biobanco – IMM faz balanço de 3 anos de atividade e apresenta nova Direção| 7 #6. Comemorações do Dia Mundial da Diabetes no CHLN (HSM e HPV)| 8 e 9 #7. I Jornadas do Internato Médico do CHLN| 10 #8. CHLN lança novo site institucional| 11 #9. III Simpósio de Enfermagem em Neurologia organizado pelo CHLN - HSM| 12 #10. CHLN assinala Dia Europeu do Antibiótico - Mensagem| 13

#12. Joana Bénard da Costa lança “Na Urgência” – Obra sobre o SUC do HSM| 16 e 17 #13. CAML recebe “Joint Conference in Gastric and Hereditary Cancer” | 18 #14. CHLN comemora Dia Mundial da Prematuridade – Mensagem|19 #15. Presidente do CHLN participa no 5º Congresso Internacional dos Hospital da APDH| 20

#16. Centro de Formação do CHLN promove “Curso de Doação e Transplantação de Órgãos| 21 #17. 8 de dezembro – Aniversário do Hospital de Santa Maria| 22 e 23 #18. Galeria Fotográfica: Galeria de Presidentes do HSM| 24 e 25 #19. Além D’Colaborador |João Fortunato| | 26 e 27 #20. IV Jornadas da UCF| 28

#21. Breves Culturais|29 #22. Boas-Vindas e Despedidas |Ficha Técnica| Última Página

ÍNDICE

#11. Referência: Dr.ª Conceição Patrício| 14 e 15


Projeto Europeu Nutricion Day no CHLN

Os Dietistas do Serviço de Dietética e Nutrição do CHLN-HSM, participaram mais uma vez no projecto “Nutrition Day”, estudo multicêntrico anual, realizado no passado dia 6 de novembro. “Nutrition Day in European Hospitals” O projecto “Nutrition Day in European Hospitals” é um estudo multicêntrico com a duração de um dia, e que consiste numa auditoria ao estado nutricional dos utentes e aos cuidados nutricionais em meio hospitalar, sendo o centro de coordenação na Áustria e conta este ano com a sua 9ª edição. O principal objetivo consiste na caracterização e contextualização da desnutrição a nível europeu em meio hospitalar de modo a serem criadas estratégias que recaiam quer a nível dos utentes, quer a nível das unidades hospitalares, de modo a optimizar os cuidados nutricionais aos utentes, com diminuição da prevalência de malnutrição nos hospitais. Tem ainda como objetivo sensibilizar os profissionais de saúde e os restantes colaboradores que exercem funções em meio hospitalar para os problemas relacionados com a nutrição em utentes hospitalizados. A recolha de informação tem por objectivo optimizar o apoio nutricional prestado aos utentes, bem como estabelecer a base de um plano independente de controlo da qualidade.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 04

Desnutrição Hospitalar A elevada prevalência de desnutrição hospitalar descrita em vários estudos a nível europeu e internacional salientam a necessidade de dar continuidade a este tipo de iniciativas de forma a reverter a situação. Por outro, o conhecimento dos motivos que levam os utentes hospitalizados a não cumprir as necessidades nutricionais estimadas, constitui uma mais-valia para a actuação de todos aqueles (profissionais de saúde e familiares) que interagem com o utente, para que, em sinergia, seja possível encontrar estratégias para minimizar a problemática. CHLN-HSM Este projecto foi realizado em 9 serviços de internamento do CHLN – Hospital de Santa Maria, nomeadamente: Gastroenterologia, Hepatologia, Unidade de Cuidados Intensivos Neurocirúrgicos, Unidade de Cuidados Intensivos Respiratórios, Unidade de Isolamento respiratório, S. O. Cirurgia Vascular, Unidade de Tratamento Intensivo de Doenças Hematológicas, Unidade de Transplante de Medula Óssea e Unidade de Cuidados Intensivos de Gastroenterologia e Hepatologia. Mais informações detalhadas sobre esta iniciativa encontram-se disponíveis em www.nutritionday.org


CHLN E ARSLVT CELEBRAMHospitalar PROTOCOLO I Jornadas de Psicologia do PARA CHLN

Esta sessão teve ainda como intervenientes a Dra. Conceição Almeida, Assessora para o Programa Nacional para a Saúde Mental da Direção Geral de Saúde, e a Dra. Fernanda Freitas, Jornalista

As I Jornadas de Psicologia Hospitalar do Hospital de Santa Maria (HSM) – CHLN, decorreram no passado dia 7 de novembro, subordinadas ao tema “Psicologia Hospitalar – Novos Paradigmas num Hospital Universitário”. O encontro contou com a enorme adesão de profissionais de diversas áreas, provenientes de norte ao sul do país e ilhas, num total de cerca de 250 pessoas. Psicólogos, enfermeiros, médicos, dietistas, assistentes sociais, entre outros, para além de uma forte representação de estudantes universitários, refletiram sobre a importância da Psicologia em contexto hospitalar, através da partilha do trabalho desenvolvido em áreas muito distintas e que revelam o saber de experiência acumulada.

A primeira mesa redonda, subordinada ao tema “Novos Paradigmas em Psicologia Hospitalar”, teve como Presidentes de mesa a Dra. Isabel Trindade e o Professor Daniel Sampaio, que defendeu a independência da disciplina de Psicologia relativamente à Psiquiatria. A sessão de abertura contou com a presença do Professor Doutor Telmo Mourinho Baptista, Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses, que defendeu o papel da Psicologia como um agente autorregulador dos processos hospitalares e reafirmou o papel da psicologia na promoção e prevenção da saúde psicológica e familiar. O Dr. Carlos Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração do CHLN, destacou o que considera serem os novos desafios dos profissionais de Psicologia, em trabalho pluridisciplinar, num Centro Hospitalar e no Serviço Nacional de Saúde. .

As mesas redondas contaram com a participação de vários serviços como o da Pedopsiquiatria e Saúde Mental da Infância e da Adolescência, o de Psiquiatria, o de Endocrinologia, o de Genética, o de Doenças Infecciosas, a Unidade de Cuidados Paliativos, o Núcleo de Estudos do Suicídio, entre outros. As comunicações realizadas pelos psicólogos dos diferentes serviços do HSM-CHLN, refletiram as áreas de intervenção em contexto hospitalar, evidenciando a especialização técnica e científica da Psicologia. Os grupos de trabalho, com discussão interpares, proporcionaram a emergência de novas ideias e linhas de orientação, sobre temas como a articulação do hospital com os cuidados de saúde primários e a comunidade; a avaliação psicológica como diagnóstico diferencial; a adesão terapêutica; os custos e efetividade das intervenções; a investigação e a melhoria da prática clínica, entre outros. Por fim, foi anunciado pelo Dr. Pedro Dias Ferreira, não só a criação do Núcleo de Psicologia Hospitalar, que pretende ser promotor de Formação e Investigação, mas também a promessa da continuação destas jornadas, previstas para Novembro de 2015. A sessão de encerramento teve como intervenientes a Professora Doutora Maria do Céu Machado, Diretora do Departamento de Pediatria do CHLN, que apoiou desde o início este projeto, a Dra. Alexandra Fonseca, a Dra. Mª João Fagundes, a Dra. Nélia Rodrigues Correia, o Dr. Pedro Dias Ferreira e a Dra. Teresa Fialho, Psicólogos de diversos serviços do CHLN.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 |05


Pediatria do CHLN comemora Dia de S. Martinho com Magusto No dia 11 de novembro, o São Martinho foi celebrado e recordado pelos pequenos utentes do Hospital de Santa Maria (HSM) através de diversas atividades lúdicas. A equipa de Educação do Serviço de Pediatria do HSM-CHLN adaptou as várias atividades de acordo com os contextos específicos: •Na Consulta Externa, os pequenos utentes tiveram oportunidade de elaborar, com o apoio das suas família um cartaz alusivo ao São Martinho, feito só com materiais recicláveis; •No Internamento foi realizado pela equipa de educação um teatrinho de sombras chinesas alusivo à efeméride. Em ambos os momentos foram distribuídas castanhas, que constituíram a base de inúmeras atividades lúdico-pedagógicas e de salutar convívio.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 06


Sob o lema "Ponte para os doentes, médicos e investigadores, novos voos para a investigação nacional e internacional" teve lugar, no passado dia 11 de novembro, uma sessão promovida pelo Biobanco-Instituto de Medicina Molecular (IMM)/Centro Académico de Medicina de Lisboa, no Edifício Egas Moniz, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL). A mesa da sessão de abertura contou com a presença do Diretor da FMUL, Prof. Doutor Fernandes e Fernandes, da Presidente do IMM, Prof. Doutora Maria Carmo-Fonseca, da Diretora Executiva do IMM, Prof. Doutora Maria M. Mota e do Diretor do Biobanco-IMM, Prof. Doutor João Eurico da Fonseca.

Biobanco – IMM faz balanço de 3 anos de atividade e apresenta nova Direção Nesta sessão o Prof. João Eurico Fonseca, Diretor e fundador do Biobanco-IMM, apresentou os resultados de três anos de atividade, em jeito de balanço de final de mandato, relembrando a data de criação do Biobanco - 2008 - e a data da recepção da primeira amostra por dador - janeiro 2012. O diretor cessante salientou a importância de toda a equipa que suportou o trabalho desenvolvido, e deu as boasvindas à próxima equipa de Co-Directores, referindo a importância da renovação das ideias e da energia, em projetos deste tipo. Seguiu-se a apresentação da nova Direção do Biobanco-IMM, a cargo do Prof. Sérgio Dias e do Dr. Joaquim Pereira, enquanto novos Co-Directores do Biobanco-IMM. Esta sessão incluiu ainda a apresentação (e respetiva sessão de autógrafos) do livro "De Zero a Dez", obra que versa sobre o quotidiano de uma doente com artrite

reumatóide, da autoria de Margarida Fonseca Santos. De realçar que parte dos lucros obtidos com a venda desta obra serão revertidos a favor do Biobanco-IMM.

LXNorte | | NEWS |Dezembro’14 | 07


Comemorações do Dia Mundial da Diabetes no CHLN HSM No âmbito do Dia Mundial da Diabetes, que se comemora a 14 de novembro, o Serviço de Dietética e Nutrição do Hospital de Santa Maria em colaboração com o Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo e a Equipa de Enfermagem do Centro de Ambulatório, dinamizaram pelo oitavo ano consecutivo, junto de utentes e colaboradores um conjunto de ações de sensibilização. O Dia Mundial da Diabetes é celebrado anualmente a 14 de novembro. A comemoração deste dia iniciou-se em 1991 por iniciativa da Federação Internacional da Diabetes (IDF) e da Organização Mundial da Saúde, face ao número crescente de diagnósticos de diabetes e o impacto que a doença detém quer a nível individual, quer na sociedade. As ações desenvolvidas no HSM-CHLN integraram uma campanha global, que apresenta anualmente um tema escolhido pela IDF, com o propósito de serem abordados os diferentes aspetos da comunidade internacional da diabetes. Deste modo as atividades desenvolvidas tiveram como objetivo: Avaliar o Risco de Desenvolver Diabetes tipo 2 e por outro, abordar o tema chave para 2014-2016 "Healthy Living and Diabetes", destacando-se este ano a importância de se iniciar o dia com um pequeno-almoço saudável. No rastreio foram avaliados a cerca de 150 participantes (utentes e colaboradores) os seguintes parâmetros: Glicemia, Colesterol, Tensão arterial e a Composição Corporal (peso, altura, perímetro cintura, massa magra e massa gorda). Face aos resultados obtidos e da análise do questionário validado para avaliar o risco de desenvolver Diabetes tipo 2, foi efetuado Aconselhamento Dietético Personalizado. Foi ainda efetuada uma sessão pública de esclarecimento sobre Diabetes, no anfiteatro Prof. Morais David, onde foram abordados diversos temas: • Diagnóstico e importância de um bom controlo glicémico, pela Endocrinologista Dra. Raquel Carvalho • Autovigilância, pela Sras. Enfermeiras Sílvia Paiva e Ana Castilho • Importância das escolhas alimentares no controlo glicémico, pela Dietista Dra. Rosa Domingos. É importante enfatizar que cerca de 70% dos casos de diabetes tipo 2 podem ser prevenidos ou retardados através da adoção de estilos de vida saudáveis, caracterizados pela prática regular de atividade física e uma alimentação equilibrada. Este tipo de iniciativas contribui para detetar na população situações de risco para o desenvolvimento da diabetes tipo 2 e desta forma atuar precocemente através da promoção de mudança de hábitos alimentares, do incentivo para a prática de atividade física, prevenindo o excesso de peso e a obesidade, assim como outras patologias associadas.

LXNorte | | NEWS | Dezembro’14 | 08


DIA MUNDIAL DA FISIOTERAPIA * 2014 Comemorações do Dia Mundial da Diabetes no CHLN

HPV No passado dia 14 de novembro, no período da manhã (9h-13h), no Serviço de Consultas Externas do HPVCHLN foi celebrado o Dia Mundial da Diabetes através da dinamização de ações educativas dirigidas aos utentes, seus acompanhantes e colaboradores da instituição. Esta iniciativa resultou, mais uma vez, da parceria entre a Equipa de Enfermagem da consulta multidisciplinar de diabetes do Serviço de Consultas Externas do HPV e o Serviço de Dietética e Nutrição (SDN) do HPV-CHLN. Subordinada ao lema “Estilos de Vida Saudáveis e Diabetes”, a ação incidiu sobre a temática central, definida para este ano, pela Federação Internacional de Diabetes: “A importância de começar o dia com um pequenoalmoço saudável”. Neste contexto, todas as atividades planeadas pretenderam ilustrar este conceito de uma forma simples, atrativa e pedagógica. Lado a lado, as duas equipas estiveram presentes no local, numa intervenção conjunta que mostrou-se muito frutífera. Em local central da sala de espera, foi exposto um placard informativo alusivo ao tema, com as principais mensagens desta campanha. Destacou-se a importância da toma diária de um pequeno-almoço saudável, em casa, no seio familiar, cujos argumentos assentam por ser mais económico e potencialmente mais equilibrado do ponto de vista nutricional. O pequeno-almoço, enquanto primeira refeição do dia, é importante para estabilizar a glicémia, responsável pela regulação do apetite e por sua vez, da ingestão alimentar; favorecendo uma distribuição mais equilibrada dos alimentos ao longo do dia; contribuindo para a manutenção de um peso corporal adequado e promoção de um melhor rendimento físico e intelectual. A equipa de Enfermagem realizou a avaliação de glicémia capilar e pressão arterial, fornecendo orientações individualizadas a todos os participantes, de acordo com as necessidades identificadas. Foram ainda distribuídos brindes simbólicos, que continham uma maçã e uma pêra (como forma de sensibilizar para a inclusão de fruta no pequeno-almoço), uma caneta e um pequeno livro com orientações básicas sobre alimentação saudável na Diabetes. A adesão a esta iniciativa foi mais elevada que a expectável, tendo como participantes cerca de uma centena. E neste sentido, a Enf.ª Filomena Garcez, que assume a organização da Consulta de Enfermagem de Diabetes do HPV-CHLN, expressou a sua satisfação pelo resultado final desta iniciativa “Tivemos uma adesão acima das nossas expectativas, sendo uma sexta-feira, dia que habitualmente é um pouco mais calmo. Esgotámos todo o material que tínhamos para oferecer, e as pessoas agradeceram imenso a nossa iniciativa, e o carinho e o profissionalismo que lhes dedicámos, ainda por cima num dia em que tinha sido convocada uma greve de enfermeiros”. O corpo técnico do SDN-HPV procedeu à exposição de vários exemplos de pequenos-almoços, saudáveis e não saudáveis, distribuindo uma brochura informativa relativa à temática. Os participantes observaram com curiosidade a mesa e colocaram diversas questões sobre os alimentos expostos, confrontando-se com os seus hábitos de consumo. Estas atividades que podem fazer gerar ganhos em saúde são fundamentais, tal como referido pela Dra. Joana Malta, uma das Nutricionistas dinamizadoras “os profissionais de saúde ao desenvolverem estas iniciativas num movimento de proximidade com o público, têm uma preciosa oportunidade educativa, respondendo às questões práticas e pertinentes. Poder ver, tocar e explorar os rótulos dos alimentos é uma excelente estratégia formativa”. Foram expostos três cabazes ilustrativos de pequenos-almoços saudáveis, que no final do dia foram sorteados entre todos os participantes. Os três contemplados receberam este brinde com satisfação, alegando que mais iniciativas desta natureza deviam ser desenvolvidas nas instituições de saúde. Com um sucesso garantido, para o próximo ano, esta equipa espera superar-se e superar as expectativas quer da sua população, quer da própria instituição, que tem como lema central a excelência dos cuidados prestados aos seus utentes.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 09


I Jornadas do Internato Médico do CHLN O Grande Auditório do Edifício Egas Moniz da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) recebeu, entre os dias 14 a 16 de novembro, as I Jornadas do Internato Médico do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN).

. Na Sessão de Abertura o Prof. Doutor Fernandes e Fernandes, Diretor da FMUL, deu as boas vindas aos participantes e expressou a sua gratidão e reconhecimento à dinâmica e proatividade dos médicos internos, que levaram à concretização destas Jornadas, enaltecendo o desempenho do Dr. Nuno Gaibino, membro da Comissão Organizadora.

Durante os trabalhos foram abordadas temáticas essenciais para os médicos internos aprofundarem os seus conhecimentos e experiências, contribuindo da melhor forma para a sua formação contínua. Os temas-chave deste encontro centraram-se, essencialmente, nos desafios inerentes ao funcionamento quotidiano do Serviço de Urgência, assim como em diversas sessões temáticas de esclarecimento, designadamente: “Investigação no Internato Médico, “Limites da Atuação Médica”, “Abordagem na Fase Aguda” e “Os Meios Complementares de Diagnóstico no Serviço de Urgência”. Este programa científico contou com a presença de vários oradores convidados, entre eles, médicos especialistas nas diversas áreas de intervenção e professores da FMUL que, simultaneamente, integraram a Comissão Científica das Jornadas.

O Dr. Carlos Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração do CHLN mencionou, na sua intervenção, a importância da realização das I Jornadas do Internato Médico, não somente pela qualidade do seu programa científico e oradores convidados, mas igualmente por dar continuidade à “tradição” desta Instituição que, historicamente é referenciada com um dos maiores centros académicos de formação do país. O Presidente do CHLN referiu ainda que «2015 será um ano dedicado à inovação e desenvolvimento, com a aposta no Centro de Investigação Clínica (CIC) e do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML). Este tipo de investimentos, feitos em estreita parceria com a FMUL, são estruturantes para a aposta no ensino, na formação, na investigação e na prestação de cuidados altamente diferenciados que caracterizam o Hospital de Santa Maria desde a sua génese».

Entre os dias 15 e 16 de novembro teve lugar a componente mais prática deste programa, que incluiu diversos cursos práticos, nomeadamente, “Curso Básico de Suturas”, “ Traumatologia e Imobilizações”, entre outros, realizados em parceria com o Instituto de Medicina Molecular (IMM), a FMUL e o Hospital Pulido Valente – CHLN.

No encerramento destas Jornadas, o Prof. Doutor Lobo Antunes, na qualidade de Presidente da Comissão de Honra, deixou aos participantes palavras de incentivo e de esperança, dando como exemplo a sua vasta carreira médica como Neurocirurgião, relembrando a importância das experiências passadas e vividas na qualidade de professor da FMUL, bem como referenciando alguns casos clínicos que marcaram o seu percurso profissional e pessoal.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 10


O novo website do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) tem como principal objetivo dar uma resposta eficaz e intuitiva às necessidades de informação dos utentes. Do ponto de vista técnico houve o cuidado de adequar o novo website à maioria dos browsers (Internet Explorer, Chrome, Firefox, Safari, etc.) e de torná-lo responsive, ou seja, que responda e se adapte às resoluções do ecrã onde está a ser apresentado, permitindo ter uma apresentação diferenciada, a nível de disposição e formatação de conteúdos, conforme o dispositivo (computador, tablet ou smartphone). Este website é mais userfriendly, com um design mais limpo e minimalista e com uma maior performance, permitindo o carregamento dos conteúdos num menor espaço de tempo e uma navegabilidade mais simples e acessível. Para tal, foram utilizadas técnicas atuais de programação (html5 e CSS3).

CHLN lança novo site institucional Em termos de interface, optou-se por criar do lado direito do écran um menu de acesso direto às especialidades médicas, que permite aos utilizadores, com apenas dois cliques, chegarem à informação geral de cada serviço, tais como horários de consultas, contactos ou localização do serviço. No footer, barra inferior do website, encontram-se os contactos mais importantes do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), e que estão sempre visíveis, independentemente da página em que o utilizador se encontre. Tendo em consideração a dimensão do CHLN, a quantidade de serviços e as áreas que cada um compreende, uma das principais preocupações foi o correto encaminhamento dos utentes aos serviços de destino. Nesse sentido, foi criado um mapa interativo para cada serviço, com todas as áreas que o compõem e indicação de como chegar até às mesmas, a partir da entrada principal do hospital/Receção central. Atualmente, os conteúdos disponíveis no website são os considerados base para cada um dos serviços, tendo existido uma preocupação de remover a informação desatualizada que constava no anterior website. Permitirá, igualmente, o envolvimento dos respetivos serviços na atualização dos próprios conteúdos por forma a que o website seja utilizado na divulgação de informação e papers importantes sobre as demais temáticas. Em termos de projetos futuros, está previsto o desenvolvimento de uma nova intranet, com o grafismo e estrutura em tudo idêntica ao deste website, mas com as especificidades que uma intranet requer.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 11


III Simpósio de Enfermagem em Neurologia, organizado CHLN DÁ EXEMPLO DE SUSTENTABILIDADE pelo HSM - CHLN

L

O Congresso Anual da Sociedade Portuguesa de Neurologia decorreu entre os dias 12 e 15 de novembro, no Sana Lisboa Hotel, subordinado ao tema “Neurologia do futuro”. Após o êxito do ano passado, coube novamente aos enfermeiros do Serviço de Neurologia do Centro Hospitalar Lisboa Norte – Hospital de Santa Maria (CHLN-HSM) a organização do III Simpósio de Enfermagem em Neurologia, durante todo o dia 12 de novembro. Na Comissão Organizadora estiveram as Enfermeiras Célia Rato e Adelaide Sousa, tendo a Comissão Científica sido constituída pelas Enfermeiras Fernanda Realista, Elisabete Chibante e Lourdes Ferreira, todas enfermeiras do Serviço de Neurologia do CHLN-HSM. A sessão de abertura contou com a presença do Prof. Dr. Victor Oliveira, Presidente da Sociedade Portuguesa de Neurologia, da Sra. Enf. Helena Pestana, representante do Bastonário da Ordem dos Enfermeiros, da Sra. Enf. Diretora Catarina Batuca, do CHLN, e Sra. Enf. Chefe Célia Rato, presidente do Simpósio. Após a sessão de abertura, deu-se início à primeira mesa, moderada pela Sra. Enf. Isabel Ribeiro, Enf. do Centro Hospitalar São João (CHSJ), intitulada “Neuro-Intervenção – Uma realidade com impacto ao longo da vida”, onde foi discutida a intervenção do enfermeiro em doentes submetidos a Tratamento Endovascular, e a perspetiva de enfermagem nas abordagens cirúrgicas à pessoa com Doença de Parkinson e com Epilepsia. Esta mesa teve a intervenção de enfermeiros do Serviço de Imagiologia, Neurologia e Neurocirurgia do CHLN e do CHSJ. Para terminar a manhã, houve espaço para a apresentação e debate de Comunicações Livres e Posters, moderado pela Sra. Enf. Patrícia Pontífice, Professora do Instituto de Ciências da Saúde Universidade Católica Portuguesa. Nesta mesa foram apresentadas cinco comunicações livres de diferentes hospitais, sendo a última comunicação apresentada pela Enf. Ana Gonçalves, enfermeira do CHLN, que fez um relato emotivo na primeira pessoa, de como é viver com Esclerose Múltipla, que sensibilizou toda a assistência. XNorte | NEWS | Dezembro’14 | 12

Paralelamente, decorreu no hall de entrada uma exposição de posters, realizados por elementos de enfermagem dos diversos hospitais participantes. A parte da tarde foi preenchida pela mesa “Desenvolver Estratégias no Cuidar”, moderada pela Sra. Enf. Ana Paula Fernandes, Enfermeira Supervisora e Adjunta da Enfermeira Diretora do CHLN, onde foram abordadas as temáticas da comunicação com a pessoa com patologia neurológica, a preparação do regresso a casa após o internamento (do hospital ao ambiente familiar e à comunidade) e a intervenção de enfermagem na adesão terapêutica da anticoagulação oral. Todos os palestrantes desta mesa desempenham funções no Serviço de Neurologia do CHLN. Antes do encerramento, decorreu a última mesa do dia dedicada à Neuro-reabilitação, intitulada “Novos rumos em Neuro-avaliação e Neuro-reabilitação”, moderada pelo Sr. Enf. Delfim Oliveira, Enf. Chefe do Serviço de Neurologia do CHSJ, onde foi apresentada uma nova escala na avaliação de pessoas em coma (Four Score), um projecto-piloto na Estimulação Cognitiva no Defeito Cognitivo Ligeiro (DCL), e abordada a neuro-avaliação da pessoa em estado neurocrítico e a reabilitação neuro-cognitiva. Esta mesa teve como intervenientes enfermeiros do CHLN, CHSJ (Porto) e do CHUC (Coimbra). Na sessão de encerramento fez-se a entrega de prémios pela Comissão Científica deste III Simpósio, que se revelou um sucesso, com um elevado número de inscrições, surpreendendo pela forte participação de enfermeiros de todo o país, e pela qualidade científica dos trabalhos apresentados. Segundo a presidente do Simpósio e o Presidente da Sociedade Portuguesa de Neurologia, esta é uma experiência a repetir nos próximos anos.


ICHLN ENCONTRO DE ENFERMAGEM DE HOSPITAIS assinala Dia Europeu do Antibiótico MENSAGEM DA GCL - PPCIRA O dia 18 de novembro é o dia Europeu do Antibiótico desde 2008. Esta iniciativa resulta do aumento da resistência das bactérias aos antibióticos devido à sua má utilização. Todos somos responsáveis por este fato, uns como prescritores e outros como coatores da prescrição. A utilização não consciente e criteriosa de antibióticos favorece o aparecimento de infeções como a diarreia por Clostridium difficile ou por bactérias muito resistentes, a alguns antibióticos, como o Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA), Enterococcus resistente à vancomicina e bacilos gram-negativos como a Escherichia

coli e Klebsiella pneumoniae resistentes à maioria dos antibióticos disponíveis. O nosso país e mais concretamente o CHLN (doentes com elevados índices de complexidade e gravidade) debatem-se de forma crescente com este problema. Recentemente foram criadas nos hospitais equipas de monitorização e de apoio à prescrição de antibióticos, os Grupos Coordenadores Locais do Programa de Prevenção e Controlo das Infeções e da Resistência aos Antimicrobianos, que pretendem contribuir para a inversão desta problemática emergente.

Dr. Álvaro Ayres Pereira Coordenador do Grupo de Coordenação Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de resistência aos Antimicrobianos

LXNorte | | NEWS | Dezembro’14 | 13


Drª Conceição Patrício LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 14

Durante os meus cerca de 44 anos de serviço prestado a esta Casa, foi-me particularmente grato exercer a profissão que um dia escolhi: assistente social. Foi assim que, num percurso iniciado como estagiária e terminado como Diretora de Serviço, procurei ter como bússola e horizonte de intervenção o doente e a Instituição que me coube servir. Mas permitam-me assinalar que foi para mim uma honra liderar a mudança operada no SSGC (até há pouco SSGU) nos últimos cerca de 15 anos, que fez dele um Serviço de referência neste Hospital. E sublinhar que nada disso teria sido possível, se não tivesse contado com uma excelente e empenhada equipa de profissionais, que muito me ajudaram a crescer e a fazer crescer o SSGC. A todos, uma vez mais, o meu bem haja. 1. Como e quando surgiu a paixão pelo Serviço Social No decurso do então curso liceal (7.º ano), em tempo de formação académica e de crescimento pessoal e humano, para o que muito contribuiu a observação crítica que fui fazendo das muitas insuficiências e injustiças sociais que me rodeavam, as quais fui percebendo e interiorizando. Mas também reconheço que fui muito influenciada por uma familiar, assistente social, que representou para mim um exemplo de dedicação aos outros e de amor à profissão. Devo dizer que foi uma escolha de que, ao longo da minha vida profissional, nunca me arrependi.

2. De que falamos, quando falamos do Serviço Social e do Gabinete do Utente O SS remonta já à abertura deste Hospital, em 1954, em cujo Regulamento lemos que funcionará com autonomia e como órgão central no quadro das atividades hospitalares e assistirá o doente desde a sua admissão, para depois o acompanhar no período de tratamento. No essencial, essa função central ainda hoje se mantém. Assim, podemos defini-lo como uma unidade orgânica que integra a equipa de cuidados de saúde, assumindo-se como interlocutor privilegiado entre o doente, a família, o núcleo terapêutico e a comunidade, tendo como objetivo contribuir para a elevação da qualidade e humanização da saúde e responder às necessidades e direitos dos doentes. O GC constitui uma manifestação concreta do direito de petição constitucionalmente consagrado, por via da qual todos os cidadãos têm a faculdade de apresentar reclamações e sugestões para salvaguarda dos seus direitos, podendo igualmente manifestar louvores e pedidos, constituindo simultaneamente um instrumento de gestão dos Serviços e um meio de defesa dos utentes. 3. O que faz o SSGU ser único num hospital repleto de outras profissões únicas com as quais Previne a incapacidade, através de estratégias adequadas, com vista a interage? proporcionar ao indivíduo o máximo dedecorre desempenho e autonomia suasem que Justamente a sua singularidade e especificidade que do campo social e nas familiar funções pessoais, sociais e profissionais e, se necessário, o estudo e se insere - que, todavia, não colide com iguais características de outras profissões existentes no desenvolvimento dos respectivos produtos de apoio. Hospital, com as quais, de resto, interage pacificamente. Na verdade, os assistentes sociais estão especialmente vocacionados para integrar equipas multidisciplinares na saúde, tendo em vista O Serviço de Medicina Física e Reabilitação do HSM-CHLN recebeu o olhar o doente numa dimensão biopsicossocial. primeiro Terapeuta Ocupacional em Dezembro de 1985. Desde então, o grupo da Terapia Ocupacional vindo anoaumentar existindo, atualmente, 4. Sentia que o Serviço Social é uma profissão tem moderna, plano técnico, pedagógico e científico, onze terapeutas ocupacionais que tratam adultos e crianças com diversas investigação e humanização? E o Gabinete do Cidadão? em regime ambulatório oueprovenientes unidadesem de que a O Serviço Socialpatologias, é uma profissão de de todos os tempos de todas asdas sociedades (Ortopedia, Neurologia, Pediatria, Cirurgia dimensão socialinternamento das pessoas esteja comprometida ou em risco. DeMedicinas, resto, torna-se tanto mais Plástica). Intervêm ainda no Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental, necessária e exigente quanto essa dimensão social for mais crítica. Dito isto, e para cumprir a sua internamentos, Hospitaltendo de Dia, de uma missão, tem denomeadamente se atualizar e nos modernizar constantemente, como Unidade pressupostos Adolescência e Unidade Projeto de eReabilitação. formação contínua e um trabalho de investigação de ligação científica às universidades, nunca perdendo de vista que a humanização deve ser um denominador comum de toda a sua intervenção.


5. Face aos diferentes pedidos de intervenção nas diferentes áreas em que são confrontados com expectativas nem sempre realistas por parte dos doentes, como “articulam o sonho e o desprendem da realidade” Uma das funções dos assistentes sociais é trabalhar a relação com o doente em termos de o ajudar salutarmente a ver a realidade, sem, na medida do possível e do conveniente, comprometer “o sonho”. Na verdade, o assistente social, ao confrontar-se com expectativas irrealistas do doente, tem de fazer um caminho com ele no sentido de o levar a perceber onde está esse irrealismo e a encontrar em conjunto uma resposta efectivamente real para a sua situação concreta. 6. Uma atitude empática integrada numa presença e participação mais ou menos silenciosa ou activa, por parte do profissional que atende ou liga directamente com o utente é factor primordial para uma intervenção de excelência no âmbito do SSGC? É, sem dúvida, um factor preponderante na prossecução de resultados dessa intervenção. Mas é oportuno sublinhar que a criação de uma relação empática com o doente é algo que faz parte da aprendizagem colhida ao longo da formação dos profissionais de Serviço Social, constituindo um dos pilares mais importantes da sua actividade profissional. 7. Essa atitude, catalisadora para o estabelecimento de uma relação de confiança entre o profissional e o utente era o resultado de uma opção estratégica por parte da sua Direcção de Serviço? Sim, sem dúvida. Com efeito, sem a aposta na confiança entre o profissional e o utente não é possível atingir a qualidade e humanização inerente à intervenção social. E para que isso aconteça, forçoso é que a Direcção do SSGC assuma essa aposta como estratégica e, como tal, a faça sentir a toda a equipa. 8. Qual será o maior desafio do SSGU em termos de futuro? Por um lado, dispor de condições e meios que lhe permitam ocupar o seu espaço próprio e exercer a sua missão no sector da saúde, tendo como medida e pressuposto as necessidades e desafios que a sociedade diariamente lhe coloca; por outro, envolver e empenhar os assistentes sociais do SSGC nessa missão, promovendo a sua formação e actualização contínuas.

9. Revê-se nesta frase? “Hoje eu junto o ser e o querer, o que fui e o que desejo ser, para cumprimentar a vida, abraçar meus sonhos e pedir passagem simplesmente para ser feliz”. Esta frase, na sua diversidade, abrangência e complexidade daria, decerto, para uma longa tese sobre a “arte” da vida. Direi apenas que procurei que o ser e o querer andassem tanto quanto possível juntos para melhor, não cumprimentar que se me afigura redutor, mas sim para abraçar a vida e os sonhos – isso fez, e faz parte, do meu caminho; e que pedir passagem para ser feliz é inútil, quando não interiorizamos e vivemos o valor da felicidade.

REFERÊNCIA LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 15


CHLN DÁ EXEMPLO DEJoana SUSTENTABILIDADE Bénard da Costa lança A galeria do Piso 2 do Hospital de Santa Maria (HSM) do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) foi palco para o lançamento de mais um livro da Fundação Manuel dos Santos. “Na Urgência”, de Joana Bénard da Costa, é a mais recente obra feita sobre a instituição. Nela, a autora, jornalista freelancer, narra um desafio que abraçou, até à data nunca feito em nenhum hospital português: a permanência de um elemento externo, neste caso, um jornalista, com “escala de trabalho” durante cerca de dois meses no Serviço de Urgência Central (SUC) do HSM. A sessão iniciou com umas breves palavras de boas-vindas do Presidente do CHLN, Dr. Carlos Neves Martins, que cumprimentou os presentes e evidenciou a sua satisfação pelo lançamento do Livro “Na Urgência” ter decorrido no HSM, salientando a importância da obra, enquanto relato e visão de alguém que, não sendo um profissional de saúde, vê o quotidiano, cumprindo os requisitos de tradução em “linguagem corrente”, da complexa e célere dinâmica do Serviço de Urgência do maior hospital universitário do nosso país. «Se fosse médica ou enfermeira era no Serviço de Urgência que gostava de trabalhar» foi esta uma das afirmações proferidas pela autora, Joana Bénard da Costa, durante a apresentação do seu livro. Um dos objetivos foi, segundo a mesma, através da sua visão imparcial fazer com que o cidadão comum compreendesse, um pouco melhor, a complexa dinâmica de um Serviço de Urgência. A jornalista, que se sentiu muito bem acolhida pelos profissionais e pelos utentes, tinha «uma escala de trabalho, com dias e noites. Tive receio de perder o fio à meada. Houve noites, que por serem mais agitadas, impediam que me recolhesse para tomar notas. Quando chegava a casa tinha sido tanta a agitação que não conseguia quase entender nada dos meus apontamentos. Nesses casos, os factos surgiam quando começava a escrever.» Estas afirmações da autora deixam transparecer toda a complexidade que envolve o quotidiano de um Serviço de Urgências, em particular, o de Santa Maria, com um fluxo diário de mais de 400 pessoas. Foi, nas suas palavras «uma experiência muito positiva e gratificante». Das muitas pessoas que entrevistou, em particular, e do cruzamento dos seus dados com os relatórios produzidos institucionalmente resultou uma obra que retrata que os desafios da urgência e, portanto, do serviço Nacional de Saúde, vão muito para além das especificidades da área, abraçando a problemática do contexto social do país. Em representação da Fundação Manuel dos Santos, falou de seguida o Prof. Pedro Pita Barros, que fez uma introdução a esta obra narrativa, salientando a sua forte vertente pedagógica, nomeadamente pela forma simples e objetiva como destaca alguns procedimentos, nomeadamente a Triagem de Manchester, em funcionamento na maior parte dos hospitais portugueses, em como desmonta algumas ideias pré-concebidas, nomeadamente o tempo de espera e, sobretudo, na forma respeitosa e cordial como refere a dinâmica destes profissionais de saúde, a exercer funções num serviço que «nunca fecha as suas portas» e que lida, diariamente, com uma amostra expressiva dos principais desafios que o nosso Serviço Nacional de Saúde atravessa.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 16


“Na Urgência” – obra sobre o SUC do HSM Seguiu-se a intervenção da Dr.ª Margarida Lucas, Diretora do SUC do HSM, que deixou claro que «este foi um grande desafio para o Serviço». Existia alguma expetativa sua e dos profissionais do SUC, na forma como este processo iria decorrer. Definiu a presença de Joana como positiva, não intrusiva, muito clara e discreta, o que facilitou claramente a sua presença. Da obra, «que gostou muito», a Dr.ª Margarida Lucas destacou dois pontos, que lhe parecem ser os mais importantes na sua conceção: os aspetos didáticos implícitos na obra, que permitem desmontar, em linguagem simples e clara, conceitos como a “Triagem de Manchester”, “Prioridades”, “Encaminhamentos” e, igualmente, a desmontagem das “frases feitas” como por exemplo: «o episódio de urgência é demorado, mas já incluiu uma panóplia de exames e análises realizadas, que permitem um diagnóstico e um correto encaminhamento da pessoa» e, igualmente, a abordagem da problemática social que gira em torno do fluxo diário de uma urgência desta complexidade, e que se tem vindo a acentuar, nos últimos dois anos, consequência do contexto atual do país. Na sua opinião, a leitura do livro “Na Urgência” deveria ser «obrigatória para todos os profissionais que desempenham funções num serviço de urgência». Terminou, expressando, em seu nome e da equipa de profissionais que gere, a sua gratidão à autora pela experiência que permitiu, através de “um olhar desprendido e imparcial” a abertura clara e objetiva de um serviço complexo como o SUC-HSM à comunidade. O Prof. Pedro Pita Barros continuou, fazendo uma breve apresentação dos livros da Fundação Manuel dos Santos, que está a representar. As suas publicações são, caracteristicamente, de pequena dimensão, mas repletas de intensidade. Destaca a autora que transmite, nesta obra, pela sua experiência na área da saúde, um entusiasmo que faz o leitor «ler o livro de uma ponta à outra». É uma excelente descrição da realidade vivida num Serviço de Urgência Polivalente, pautada com interessantes relatos, do ponto de vista dos costumes, nomeadamente, como se aprende facilmente a “ultrapassar” o sistema. Dá, igualmente, uma perspetiva da forma flexível como os profissionais lidam com cada utente, que “traz consigo” não só a sua situação de saúde, mas também a sua condição social e, por inerência, a própria relação que mantém com o seu cuidador. Joana Bénard da Costa valoriza o conjunto de profissionais que se encontram de serviço ao SUC e que diariamente lidam com um conjunto de situações que requerem não só o melhor das suas competências profissionais, como também do ponto de vista relacional. O Presidente do CHLN, Dr. Carlos Neves Martins, encerrou a sessão com «duas ou três notas de quem leu o livro mais do que uma vez,» confessa, levado pelo «entusiasmo de ler um “guião” muito realista do que é um Serviço de urgência polivalente, conotado com uma interessante visão de cidadania». Nas suas palavras, «é sempre positivo refletir sobre uma visão externa de um hospital, pois confere-nos grandes oportunidades de melhorias e calibragens que a visão do profissional, por vezes, limita». O Presidente do CHLN agradeceu à autora e enalteceu a sua ousadia e coragem de passar tanto tempo integrada no maior Serviço de Urgência do país, lidando com uma realidade «que nem sempre é fácil, a Joana conseguiu transmitir, com veracidade, a vasta complexidade de funcionamento do SUC e desmontar a importância da engrenagem de profissionais afetos à mesma.» Nas suas palavras «este livro faz uma transposição muito interessante dos sentimentos dos diferentes protagonistas que diariamente estão no serviço: profissionais, utentes e seus cuidadores». O Dr. Carlos Neves Martins terminou a sua intervenção congratulando, mais uma vez, a autora pelo trabalho desenvolvido, enaltecendo a sua componente didática, que abrange os diversos momentos por que passa um utente que faz um episódio de urgência e deixando ainda o convite para, numa fase posterior, este trabalho de pesquisa ter continuidade, dado o resultado meritório, positivo e estimulante que o atual teve para profissionais de saúde e utentes. A apresentação terminou com uma sessão de autógrafos, por parte da autora.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 17


“Joint Conference on Gastric and Hereditary Cancer” foi o tema da conferência que teve lugar nos dias 20 e 21 de novembro, no Edifício Egas Moniz da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL). Uma iniciativa do Ministério da Saúde, com o apoio do Centro Académico Médico de Lisboa (CAML), e que promoveu dois dias de partilha de conhecimentos, experiências e estratégias entre os profissionais da área oncológica da Universidade do Texas e investigadores portugueses. A sessão de abertura, que decorreu após uma reunião de caráter mais privado entre os investigadores de Portugal e dos Estados Unidos da América, iniciou com a intervenção do Dr. Nuno Miranda, em representação do Dr. Francisco George, Diretor Geral da Saúde, que deu as boas vindas aos presentes, ressalvando a importância da articulação de sinergias entre os dois países para a troca de experiências, na área oncológica, dando novas esperanças e expetativas na investigação e inovação. De seguida, usou da palavra o Sr. Embaixador dos EUA, Dr. Robert Sherman, que agradeceu a receção e considerou uma honra a participação num evento deste cariz. Realçou, ainda, a importância do desenvolvimento de parcerias no tratamento do cancro e, igualmente, no estabelecimento de relações de cooperação científica com as Universidades Portuguesas, no apoio ao recrutamento de jovens investigadores. Destacou ainda que este encontro materializa o empenho dos E.U.A. na criação de sinergias deste tipo com Portugal, para que a prevenção e o combate da doença oncológica sejam articulados numa perspetiva mundial.

CAML recebe “Joint Conference in Gastric and Hereditary Cancer” O Dr. Carlos Neves Martins, Presidente do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) e do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML), deu as boas vindas a todos, demonstrando a sua satisfação e orgulho pela realização desta Joint Conference e realçando a importância da cooperação Portugal-EUA, nomeadamente, no seguimento de uma das linhas estratégicas da instituição, enquanto referência de Saúde em Portugal: o constante crescimento da investigação e inovação científicas em prol de uma melhor e mais eficaz prestação de cuidados de saúde. O Dr. Robert DePinho, Presidente do MD Anderson Cancer Center, da Universidade do Texas - E.U.A encerrou a sessão de boas vindas, reiterando a importância das sinergias realizadas entre Portugal e os EUA, no sentido de se conferir a melhor resposta possível a um grande flagelo mundial: o Cancro. A investigação, no sentido da prevenção e do combate ao cancro levará a que milhares de vidas, em todo o mundo, possam ser poupadas. As novas descobertas, em termos biológicos, vêm lançar novas esperanças e expetativas em terapias inovadoras para esta doença que, atualmente, afeta milhares de pessoas um pouco por todo o mundo.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 18

Foi igualmente frisado que a importância do tratamento e do diagnóstico devem ser calibrados com a importância da educação das populações para novos hábitos de vida. Os hábitos alimentares, a prática de exercício físico e a adoção genérica de um modo de vida mais salutar são premissas extremamente importantes de combate à doença oncológica e devem, nesse sentido, ser valorizadas e difundidas. Após as boas-vindas o Dr. Robert DePinho fez uma brilhante apresentação do MD Anderson Cancer Center falando da sua missão, valores e principais objetivos. Do programa desta Joint Conference constaram ainda diversas apresentações científicas, portuguesas e americanas, centradas na área oncológica e na investigação. É importante reforçar que a “Joint Conference on Gastric and Hereditary Cancer” vem lançar as bases de importantes relações de cooperação entre Portugal e EUA, trazendo significativas mais-valias, em termos científicos, pela partilha de conhecimentos, experiências e, igualmente, pela potencial formação e participação de jovens investigadores em estudos com impacto mundial na área oncológica.


Mensagem do Serviço de Neonatologia do CHLN No dia 22 de novembro, comemoramos mais uma vez, no Serviço de Neonatologia do CHLN, o Dia Mundial da Prematuridade que se celebra, anualmente, a 17 de novembro. Aproveitamos este dia para reencontrar muitos dos nossos ex-prematurinhos e pais e partilhar com eles, a alegria de vê-los a crescer… Contámos com a presença de 47 crianças, algumas delas, ainda só com alguns meses e outras já com cerca de 10 e 11 anos, vindos não só da periferia de Lisboa mas, também, das Caldas da Rainha, Almeirim e de Vendas Novas… .

Agradecemos a colaboração da “Associação Crescer Bem” que ofereceu a cada criança uma merenda; aos pais do Dinis Antunes que ofereceram o placard, onde cada um deixou a sua mensagem/desenho; ao Rui, pai da Maria Calheiros que colocou à venda livros infantis dos quais, 25% reverteu para a Associação para as Crianças de Santa Maria (ACSM), aos dois doutores palhaços da “Operação Nariz Vermelho” que animaram a festa com as suas graçolas e músicas, às duas Educadoras Infantis do Departamento de Pediatria do CHLN que fizeram as delícias da pequenada com pinturas faciais e moldagem de balões e à Faculdade de Medicina de Lisboa (FMUL) que nos cedeu gentilmente o espaço no edifício Egas Moniz.

CHLN comemora Dia Mundial da Prematuridade

O programa, para além do convívio teve ainda a projeção de um filme, realizado por duas enfermeiras da Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) “A nossa vida dava um filme…” onde mostraram um pouco da vida destas crianças quando se encontravam na UCIN, de momentos passados, de gestos de ternura entre pais e filhos e fizeram, igualmente, uma “pequena viagem” ao que cada um deles é atualmente! Foi um momento de grande emoção, de muitas recordações para os pais presentes e, igualmente, de um enorme orgulho por integrarem esta grande Família. Depois, o grupo de apoio “De Pais Para Pais” constituído por pais cujos filhos estiveram na UCIN e que existe desde janeiro de 2014, fez uma pequena apresentação sobre a sua “missão”, ilustrada pelas Histórias e fotos dos seus filhos ex-prematuros.

LXNorte | NEWS |Dezembro’14 | 19


Presidente do CHLN participa no 5º Congresso Internacional dos Hospitais da APDH Seguindo uma tradição já com 12 anos, o Auditório do Edifício Tomé Pires, na Alta Autoridade do Medicamento e Produtos de Saúde, IP (INFARMED) recebeu nos passados dias 20, 21 e 22 de novembro o 5º Congresso Internacional dos Hospitais, subordinado ao tema “Serviço Nacional de Saúde. (Re)conhecer as Mudanças”. Uma iniciativa da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar (APDH) e que compreendeu, para além de vários workshops, a 8º Edição do Prémio Boas Práticas, onde os projetos finalistas fizeram a sua apresentação final. No dia 21 de novembro, teve lugar a sessão de abertura do Congresso que contou com a presença do Prof. Dr. Rui Santos Ivo, Presidente da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) em representação do Ministério da Saúde; do Prof. Dr. Hélder Mota Filipe, Vice-Presidente da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, IP (INFARMED); Dr.ª Sara Pupato Ferrari, Presidente da Federação Europeia dos Hospitais (HOPE), do Prof. Carlos Pereira Alves, representante da Federação Internacional dos Hospitais (IHF) e da anfitriã deste evento e Presidente da APDH, Prof.ª Ana Escoval. A Prof.ª Ana Escoval deu as boas vindas a todos os oradores e participantes, enaltecendo a importância de espaços profícuos de conhecimentos, experiência e reflexões sobre a engrenagem e dinâmica das Unidades de Saúde nas suas diversas vertentes. Após um breve intervalo, onde os participantes puderam apreciar os posters alusivos às temáticas do congresso, seguiu-se a mesa “Reformas dos Sistemas Nacionais de Saúde: Diferentes Perspetivas” onde, sob a presidência do Prof. Diogo Lucena, da School of Businness and Economics da Universidade Nova de Lisboa, usaram da palavra: Dr. Carlos Figueiredo, da Associação Nacional de Hospitais Privados (ANAHP), com a comunicação “Experiência Brasileira”; Dr. Olle Olsson da Swedish Association of Local Authorities and Regions (SALAR) Health and Social Division, Senior Policy, com “A Experiência Sueca”, Dr. Gérard Vincent da Fédération Hospitalière de France (FHF) que trouxe “A Experiência Francesa” e que encerrou com a intervenção do Prof. Doutor Constantino Sakellarides, Presidente da Fundação para a Saúde/SNS com “A Experiência Portuguesa”. Após pausa para almoço, os trabalhos prosseguiram com a Mesa “A nossa História: 40 anos de Hospitais Públicos Portugueses” que contou a presença do Dr. Carlos Neves Martins, Presidente do CHLN, na qualidade de Chairman. Esta mesa contou com a presença do Dr. Artur Vaz, Administrador Executivo do Hospital Beatriz Ângelo, com a comunicação “Modelo de Gestão Hospitalar – Da Administração Direta dos Hospitais Públicos (SPA) aos SA, EPE e PPP”, a que se seguiram: Dr. Vítor Herdeiro, Presidente da Unidade Local de Saúde (ULS) de Matosinhos com a comunicação “Experiência de Integração de Cuidados na ULS de Matosinhos”; Dr. Fernando Sollari Allegro, Presidente do Centro Hospitalar do Porto (CHP) com a comunicação “Gestão Hospitalar em Tempo de Crise” e ainda a Dr.ª Marta Temido, Presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) com a comunicação “Passado, Presente e Futuro: Papel do Hospital Público Português”. A mesa, à semelhança de outros desafios lançados – em formato de vídeo - durante o Congresso, teve de dar resposta a um conjunto de questões colocadas pelo Prof. Correia de Campos, relacionadas com a problemática da gestão eficiente dos hospitais no contexto atual e, igualmente, sobre a contratação de pessoal no paradigma da relação Público/Privado.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 20

Na apresentação dos vários intervenientes, sobre os quais o Dr. Carlos Neves Martins realizou uma pequena resenha biográfica, salientando alguns dos aspetos fundamentais em debate nesta mesa de trabalho, respetivamente: um olhar sobre os quatro modelos de gestão hospitalar - Público, Privado, Público-Privado e Social; bem como a experiência da Unidade Local de Saúde a que refere «há quem pense que o futuro estará na implementação do modelo das ULS por todo o país.» Após a intervenção seguinte, da autoria do Dr. Sollari Allegro, o Dr. Carlos Neves Martins realçou a importância da racionalização e otimização dos recursos hospitalares na capacitação das Instituições para resposta a situações inesperadas, como o caso Leggionella. Terminou com uma breve reflexão, após a comunicação da Dr.ª Marta Temido, chamando a atenção para a questão dos modelos de financiamento dos hospitais. Nas suas palavras, «a questão da criação de um novo modelo de financiamento dos hospitais é de grande importância para o futuro do Serviço Nacional de Saúde». Defende que o novo modelo de financiamento deve estar adaptado e adequado a cada unidade, contemplando, estrategicamente, a investigação. E acrescenta que nesse modelo de financiamento «deve existir a coragem de valorizar o desempenho de cada hospital, de acordo com o esforço que faz para prestar um bom serviço público ao país». Os trabalhos deste dia continuaram ainda com a mesa ”Qualidade e Segurança do Doente: Oportunidades, Constrangimentos e Garantias”. No dia 21 de novembro decorreram ainda duas mesas de reflexão e debate. A primeira subordinada ao tema “Hospital e Sociedade” e a segunda “SNS (Re)Conhecer as Mudanças”. Os trabalhos finalizaram com a entrega dos Prémios de Boas Práticas em Saúde e do Poster Científico do 5º Congresso Internacional dos Hospitais. O 1º prémio de “Boas Práticas em Saúde” foi para o projeto "Anatomia Patológica Digital no Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE" da responsabilidade de Rosa Tomé. O poster científico vencedor do 5º Congresso Internacional dos Hospitais: "Value in Healthcare: a new instrument for the analyst's toolkit? The case of the european healthcare systems against cancer, using published data" do Instituto Português de Oncologia do Porto, Francisco Gentil e que teve, enquanto responsáveis, Francisco Rocha-Gonçalves, José Pontes, Miguel Rothes e João Gaspar. A sessão de encerramento contou com a presença do Dr. Francisco George, Diretor-Geral da Direção-Geral da Saúde, da Dr.ª Isabel Paixão, Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, da Prof.ª Ana Escoval, Presidente da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar e da Dr.ª Marina Caldas, jornalista especializada na área da Saúde.


Capelania celebra Missa de Agradecimento Centro do deHPV Formação do CHLN promove

“Curso de Doação e Transplantação de Órgãos”

O Centro de Formação do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) organizou para os seus colaboradores (Médicos e Enfermeiros) o “Curso de Doação e Transplantação de Órgãos”. Com a duração de 2 dias (4 e 5 de dezembro) decorreu na Aula Magna da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e contou a coordenação do Dr. Lucas Baptista, Diretor do Gabinete Coordenador de Colheita e Transplantação (GCCT) e Coordenador da Área Cirúrgica de Transplantação e Dr. José Guerra Coordenador da Área Médica de Transplantação. Os principais objetivos do curso centram-se em dotar os profissionais de saúde de competência para: identificar e referenciar possíveis dadores; fazer a manutenção do dador; conhecer o processo desde a colheita de órgãos e tecidos ao transplante; compreender as particularidades do doente transplantado, bem como conhecer a realidade da transplantação a nível nacional e internacional. O curso contou a participação de 47 formandos, entre os quais 20 médicos e 27 enfermeiros. A sessão de abertura que decorreu no dia 4 de dezembro, pelas 16h30, na Aula Magna contou a presença do Dr. Júlio Pedro, Vogal do Conselho de Administração do CHLN, do Presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), Prof. Hélder Trindade, Dr.ª Ana França, Coordenadora Nacional da Transplantação, dos coordenadores do curso, Dr. José Guerra e Dr. Lucas Baptista e da Dr.ª Isabel Correia, Diretora do Centro Coordenador da Formação do CHLN.

A sessão iniciou com o Dr. José Guerra que apresentou a mesa e cumprimentou todos os presentes passando, de seguida, a palavra ao Prof. Hélder Trindade do IPST que apresentou os seus cumprimentos a todos os presentes. Trazia consigo a notícia de que foi entregue no Ministério da Saúde o documento que formaliza a abertura de possibilidade para colheita de órgão em paragem cardio-respiratória. Portanto, acrescenta «Vamos ter novos desafios pela frente». Salientou e parabenizou o trabalho desenvolvido ela Instituição e pelo seu Gabinete de Formação que terá certamente repercussões muito positivas no desempenho e envolvimento dos profissionais na «luta que é transplantação». Formalizou o apoio e o reconhecimento da parte do IPST a este tipo de iniciativas e agradeceu o convite para integrar esta iniciativa. Seguiu-se a intervenção da Dr.ª Ana França que após os agradecimentos e cumprimentos formais abordou a questão do envolvimento hospitalar que existe em torno da transplantação e realçou a importância do envolvimento e da dedicação dos diferentes profissionais no seio de uma Instituição para que um doente tenha um órgão que necessita. «É uma luta contra o tempo, que no final, se revela extremamente gratificante quando é possível a transplantação de um coração, de um rim, de um fígado salvaguardando ou melhorando substancialmente a vida de um doente», afirmou. A Coordenadora Nacional da Transplantação realçou ainda que para além da transplantação de órgãos é importante promover a transplantação dos tecidos. Enalteceu ainda a importância da articulação, nesta área entre o Conselho de Administração e o Centro Coordenador da Formação da Instituição e que é revelador da importância conferida à doação e transplantação. Representando o Conselho de Administração do CHLN, o Dr. Júlio Pedro encerrou a sessão enaltecendo este esforço de melhoria e acrescentando que «Cada um de nós tem que ser um agente de sensibilização dos profissionais nesta matéria» e realça «em muitos casos quando uma transplantação ocorre com sucesso é uma melhoria de qualidade ou, mesmo, uma segunda oportunidade de vida que damos a um doente. Este programa é de melhoria e possui muito potencial, contribuindo também para os indicadores hospitalares. Encerrou, agradecendo a presença de todos os envolvidos e acrescentando que «devemos sensibilizar gradualmente todos os profissionais e o Conselho de Administração está envolvido e confere todo o suporte e apoio ao GCCT para um bom desenvolvimento do seu trabalho».

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 21


8 de dezembro 2014

O Hospital de Santa Maria (HSM) – CHLN comemorou, o seu 60º Aniversário no dia 8 de dezembro de 2014. No sentido de assinalar este dia especial para a Instituição foi organizado um programa pleno de iniciativas com carácter simbólico. O dia iniciou, pelas 9h00, com a Cerimónia de Homenagem do Conselho de Administração aos profissionais do HSM, falecidos durante 2014, em que os mesmos são recordados através da plantação de uma árvore, neste caso um loendro, por parte dos seus familiares e amigos, por cada colaborador falecido. Após umas breves palavras de reflexão, proferidas pelo Presidente do CHLN, Dr. Carlos Neves Martins, os presentes foram convidados a participar numa Missa de Ação de Graças, que teve lugar na Capela do HSM e que foi presidida pelo Monsenhor Feytor Pinto. Pelas 11h00, seguiu-se, na Aula Magna da Faculdade de Medicina de Lisboa (FMUL), a Sessão Solene, presidida pelo Presidente do Conselho de Administração, Dr. Carlos Neves Martins, e que contou com a presença, na mesa de honra, do Prof. Doutor Fernandes e Fernandes, Diretor da FMUL, do Prof. Doutor Miguel Oliveira da Silva, Diretor Clínico do CHLN, do Dr. Júlio Pedro, Vogal Executivo do CHLN e da Enf.ª Emília Fradique, na qualidade de representante dos profissionais homenageados. Na Sessão Solene são homenageados publicamente, com a entrega de medalhas comemorativas, os profissionais que completam 25 anos de serviço à Instituição honrando, diariamente, com rigor e com espírito inovador, o bom nome do Hospital de Santa Maria. Durante esta sessão, que teve a sua apresentação a cargo da D.ª Angelina do Carmo, uma das mais antigas funcionárias do HSM, usaram da palavra a Enf.ª Emília Fradique, o Prof. Doutor Fernandes e Fernandes e o Dr. Carlos Neves Martins. A Enf.ª Emília Fradique cumprimentou todos os presentes e agradeceu, na sua intervenção, aos colegas e restantes profissionais, salientando o orgulho e a importância deste reconhecimento para ela e do privilégio de integrar a instituição, na qualidade de profissional. O Prof. Doutor José Fernandes e Fernandes felicitou o HSM pela celebração de mais um ano de atividade, à semelhança de uma tradição retomada há 9 anos e da qual se congratula de fazer parte, sendo a última vez que dela participa, enquanto Diretor da FMUL. Enalteceu o programa das comemorações e as cerimónias de homenagem, quer aos colaboradores já falecidos quer aos profissionais que comemoram 25 anos de serviço à Instituição. Inicia a sua reflexão salientando «Usei há anos, uma expressão que me é muito cara e que volto a utilizar hoje: o Hospital é o coração da Faculdade.» Refere ainda que a Faculdade só poderá cumprir verdadeiramente a sua missão, se tiver ao seu dispor um hospital académico, moderno, eficiente e dotado dos mais exigentes padrões de eficácia e qualidade na prática da medicina. E, acrescenta «uma escola médica como a nossa, que procura afirmar-se no contexto europeu e internacional precisa de apostar fortemente na investigação não pode “viver”, nem “realizar-se” sem o apoio de um grande hospital. Essa é a grande razão que nos levou lutar pela criação do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML), um modelo de articulação entre as diversas instituições do campus académico.» Nas palavras do Prof. Fernandes e Fernandes a instituição goza de uma dimensão única no panorama nacional, como o maior centro de formação, investigação e inovação tecnológica e na prestação de cuidados de saúde, onde possui a maior convergência de especialidades, de profissionais de saúde de elevada qualidade e, igualmente ,enquanto o maior centro de referenciação.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 22

Recordando a cerimónia religiosa levada a cabo pelo Monsenhor Feytor Pinto e pelo Padre Fernando Sampaio recordou, com os presentes, as palavras do “Sermão de quarta-feira de Quaresma” do Padre António Vieira. Terminou, parabenizando a instituição pelos seus 60 anos, os seus colaboradores, o seu órgão de gestão e, em particular, os profissionais que completaram 25 anos de dedicação e serviço ao HSM e desejou que «o 60º aniversário do HSM seja um momento de reflexão, criatividade e realização futura». O Presidente do Conselho de Administração do CHLN, Dr. Carlos Neves Martins encerrou esta Sessão Solene com uma reflexão histórica do HSM, salientado que «Hoje, comemora-se 60 anos do HSM ao serviço da prestação de cuidados de saúde, mas igualmente ao serviço da investigação, do ensino e da formação.» De seguida enumerou algumas das datas mais emblemáticas ligadas à instituição: 1937, data a que remonta a decisão de construção do HSM e que será materializada treze anos depois, em 1940, sendo este um processo desenvolvido em várias fases, das quais a fase de construção, com cerca de 7 anos (19401947), dada a sua dimensão e complexidade. Nas suas palavras, «Há quem diga que a sua conceção foi feliz por ter o rigor da escola de arquitetura alemã, através de Herman Distel» refere. Outra data emblemática do HSM referida foi 1953, mais concretamente o mês de Outubro, em que foi inaugurada a sua atividade escolar, com o início do 1º ano da Faculdade de Medicina. Só em 1954, mais precisamente, a 31 de agosto, é que foi “entregue” o Hospital à sua Comissão Administrativa, e teve início a sua atividade na prestação de cuidados de saúde à população


Aniversário do Hospital de Santa Maria O Presidente, continuando a sua reflexão, salientou que 8 de dezembro é «no fundo uma data de cariz religioso (Dia da Imaculada Conceição) ligada ao início da atividade do HSM. Mas, no próximo ano iremos recordar, através de exposições, um conjunto de datas importantes para o Hospital, nomeadamente a data de publicação do Decreto-lei, a data de adjudicação do projeto, a data de obra em 1940, a data de inauguração a 27 de abril de 1953, bem como a sua abertura oficial ao serviço do país, já anteriormente referida.» Dr. Carlos Neves Martins, a título de curiosidade histórica recordou alguns dados interessantes sobre a dimensão física da instituição, sobre os seus gastos energéticos e características técnicas que lhe conferem especificidade, salientada e valorizada pela imprensa de época «da maior obra executada até então, pelo Estado Português» «A partir daí», acrescenta o Presidente do CHLN «os dados que constituem a nossa história são os dados referentes à qualidade e prestação de cuidados de saúde altamente diferenciados, à investigação desenvolvida, ao incontornável contributo das diversas figuras académicas e restantes profissionais que, através da sua dedicação, esforços contínuo, brio e profissionalismo, dignificaram a nossa instituição, contribuindo para os resultados obtidos.»

E esses resultados espelham-se na memória da população portuguesa ao elegerem, num inquérito nacional, feito a cerca de 10 000 portugueses, em que o Hospital de Santa Maria a “Marca” em termos de Saúde. Assim, a instituição foi eleita, no ano passado, como a “Marca que Marca” os portugueses na área da Saúde. O Presidente do CHLN deixou uma palavra de reconhecimento, e elevado apreço pessoal, ao Diretor da FMUL e à sua equipa, salientando «a forma como o Conselho de Administração foi recebido, o entendimento das missões e desafios conjuntos e a forma frontal que, sempre prezamos e respeitamos, como a Faculdade contribuiu para que o CHLN encontrasse um novo rumo para fazer face à difícil situação que se apresentava, encontrando o caminho para a sustentabilidade. «Por isso» disse «É altura de deixar um reconhecido e merecido agradecimento ao Prof. Doutor Fernandes e Fernandes e à sua equipa pela forma como entenderam os nossos problemas e como nos ajudaram a ultrapassá-los.». O Dr. Carlos Neves Martins, terminou a sua intervenção com uma palavra de apreço, gratidão e reconhecimento aos colaboradores homenageados pelos 25 anos de atividade ao serviço do HSM, onde através do seu profissionalismo e dentro da sua responsabilidade individual, contribuíram para dignificar e enaltecer o bom nome e honra da instituição. Após a intervenção final do Presidente do CHLN, teve lugar um momento musical, extremamente apreciado por todos os presentes, da responsabilidade da Orquestra Médica de Lisboa e do Coro da Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (AEFMUL). Para finalizar as solenidades, realizou-se o almoço de confraternização entre profissionais, familiares e convidados, no refeitório do Hospital onde foi cortado o tradicional bolo de aniversário ao som dos parabéns musicais proporcionados pela Orquestra Médica de Lisboa e pelo Coro da AEFMUL.

LXNorte | NEWS | Dezembro’14 | 23


Prof. Doutor Francisco Gentil 1935-1952

Tenente Coronel António Simões da Mota 1952-1955

Prof. Doutor Coriolano Ferreira 1956-1961

Dr. Albano Enes Dias 1961-1973

Prof. Doutor Francisco Aires de Sousa 1973-1974

Prof. Doutor Armando Luís 1974-1976

Prof. Doutor Fernando Nunes 1978-1988

Prof. Doutor Miguel Carneiro de Moura 1988-1997

GALERIA DOS PRESIDENTES DO LXNorte| NEWS| Dezembro’14 | 24


Prof. Doutor Manuel Barbosa 1997-1999

Prof. Doutor Fernando Rosa 1999-2003

Eng.º Alberto Conde Moreno 2004 - 2005

Prof. Dr. Adalberto Campos Fernandes 2005 - 2010

Eng.º Luís Alves Monteiro 2003-2004

Prof. Dr. João Correia da Cunha 2010-2013

Dr. António José Albino Freire 2004

Dr. Carlos Neves Martins 2013 – presente data

HOSPITAL DE SANTA MARIA LXNorte| NEWS| Dezembro’14 | 25


ALÉM D’COLABORADOR LXNorte | NEWS | Novembro’14 | 26

João Fortunato, 26 anos de idade é natural de Moita do Norte, distrito de Santarém. Há 8 anos veio para Lisboa com o intuito de ser Enfermeiro, tendo-se decidido por uma profissão de interrelação e comunhão com a vivência e as emoções do Outro. Terminado o curso de enfermagem foi convidado a exercer funções no Serviço de Medicina 3A e (antiga) Gastrenterologia do Hospital Pulido Valente (HPV), serviço onde teve 3 estágios do seu percurso académico. Ainda hoje se recorda da forma calorosa e integradora como foi acolhido por todos os colegas no primeiro dia do resto da minha vida. O sentimento era tal que dizia: “Faço o que gosto e ainda por cima sou remunerado por isso”.

Como e quando surgiu a paixão pelo teatro e pela Dança? Foi com 9 anos de idade que descobri as minhas duas grandes paixões – o teatro e a dança. Foi nos corredores da escola que ouvi uma conversa de que iria ser fundada uma companhia de teatro e que se iriam realizar audições. Encontrei a professora Antónia Coelho (Diretora da Escola Dª Mª II de Vila Nova da Barquinha) encenadora. Lembro-me do seu sorriso a dizer “Vais dar que falar João” (sic). Graças a esta, integrei 17 peças, em 99 espetáculos, desde figuração a personagens principais de elenco. Quanto à dança, sempre andou de mãos dadas com o teatro, porque em todos os espetáculos eu dançava. Devo confessar que as pessoas diziam, não raras vezes, que iam assistir aos espetáculos só para me verem dançar. Jamais me esquecerei das palavras calorosas de um anónimo “você é egoísta quando entra em palco, a sua energia e o seu brilho fazem com que só centremos a atenção em si, nada mais importa, tudo é possível para si!” (sic). Após cada espetáculo novos projetos e convites surgiram, vi-me completamente integrado no mundo do espetáculo da representação e da dança. A música, a dança, o teatro sempre fizeram parte da minha vida e farão até ao final dos meus dias. Porque preciso de música para respirar, não sou livre sem a dança e não me reconheço sem o teatro. A dança atualmente está mais presente do que nunca e jamais poderia deixar de mencionar Ana Kohler a minha mestra da dança clássica (ballet) e Rudi Ageu (Hip hop), que me têm proporcionado experiências que nunca pensei vir a concretizar, tais como dançar no grande auditório do CCB e no Teatro Nacional São Carlos. Salas de prestigio e renome, onde “grandes” nos marcaram com o seu magnífico talento e que nos servem sempre como referência. Cheguei onde cheguei porque subi às costas de gigantes! Quer fazer-nos uma breve retrospetiva das suas participações no mundo das Artes? Companhia de teatro da Escola Dª Maria II: Carmina Burana, Castelo do Graal (Castelo de Almourol), Flauta Mágica, Feiticeiro de Oz, Mary Poppins, Peter Pan, Casa de Bernado d’Alba, Alice no País das Maravilhas, entre outra. Companhia de teatro Fatias de Cá: Inês de Castro (Quinta das Lágrimas), Tanegashima (Margens do rio Tejo – Tancos), O nome da Rosa (Convento de Cristo), O sonho de uma noite de verão (Mata dos sete montes – Tomar), A Morte do Lidador, entre outros. Escola de Dança Ana Kohler: Bailados: “ A Pequena sereia” (CCB) , “O carnaval dos Animais” (no TNSC), “Ana e o Rei de Sião” (CCB). Companhia Lisbon Dance Center - One Up: Convenções de hip hop com bailarino da Madona, Marvin. Participação na 1ª Edição do programa de televisão “Achas que sabes dançar” e Filme “Machchan” de produção de Bollywood em Portugal.


Sente que esta ligação às Artes influencia o seu desempenho laboral? A dança e o teatro ajudam-me a ser um Enfermeiro mais completo. A empatia, o trabalho em equipa, o autoconhecimento, o trabalho de parceria, são alguns dos contributos das artes no desempenho das minhas funções como profissional de saúde. O escutar o doente/família, gerir conflitos, cuidar do doente em fase terminal, gestão de tempo e de recursos, trabalho no seio de uma equipa multidisciplinar, são algumas das competências que ponho em prática todos os dias. É das artes que retiro grande parte da energia, da organização, do saber estar e da sensibilidade/disponibilidade para utilizar em doses corretas em cada situação particular Considero-me “Enfermeiro” e “Bailarino” porque se por um lado me reconheço como um enfermeiro exigente e dedicado na prestação de cuidados dos doentes/famílias que estão à minha responsabilidade, por outro lado sou um bailarino genuíno que coloca em cada movimento do seu corpo a liberdade de mostrar ao mundo o seu verdadeiro eu. Mas uma verdade é certa, posso ser enfermeiro, posso ser bailarino, mas sempre humilde porque a minha grande missão: é a de ser e fazer felizes os que me rodeiam! E quem me conhece e convive comigo diariamente sabe que é verdade! No palco da vida ou no palco da dança! Esta eterna força que me faz renascer a cada dia... dessa imensa vontade de viver, de dançar, de interpretar, de celebrar a oportunidade de marcar pela diferença! Eu acredito que em cada um de nós existe um pedaço de mundo. E que neste mundo existe um pedaço de milagre! Vou agarrar oportunidades, de ir mais além, de não ficar pelo comum… E todos os dias acordo reconhecendo que ainda tenho a natural inquietude de quem sabe que ainda falta tanto para fazer!

O que sente quando está perante o Público? Sente que estas ocupações potenciam as suas competências interpessoais? Encaro o público como um amigo confidente, que merece o meu respeito, atenção e dedicação. Afinal é uma honra para mim o facto de cada pessoa do público dedicar tempo da sua vida para estar a admirar o meu trabalho. No âmbito da minha prestação de cuidados, o meu público é o doente, a família e a equipa multidisciplinar. A confiança, a facilidade de exposição de ideias e de argumentação, sempre na tentativa de defender o melhor conforto e bem-estar do doente/família, são ferramentas que utilizo diariamente, que a dança/teatro muito tem contribuído para o meu desenvolvimento enquanto Enfermeiro. Quais foram as experiências artísticas que mais o marcaram? A primeira vez que entrei em palco foi como “marioneta humana” ao som de “Carmina Burana”. Saí de dentro de um cesto de vime tão pequeno que ainda recordo as vozes estupefactas do público, questionando-se “mas é um boneco ou é um menino?” Lembrome como se fosse hoje, tão boa essa sensação! Nem imaginaria passados alguns anos estar perante uma plateia com 1500 pessoas, de pé, a aplaudir o bailado “Ana e O Rei de Sião” na maior sala de espectáculos do país – CCB, onde protagonizei a personagem Rei de Sião. Quer deixar alguma mensagem de incentivo para quem se queira dedicar ao mundo das Artes? Eu acredito que vale a pena ser feliz! Ainda existe seriedade! Sejamos sempre fiéis a nós próprios, aos nossos sonhos...porque aconteça o que acontecer nós estamos lá, de pé, fortes! Está em cada um de nós a força e a vontade de tocar ainda que seja só com um dedo no impossível!

LXNorte | NEWS | Novembro’14 | 27


IV Jornadas da UCF LX Norte

A Unidade Coordenadora Funcional (UCF) que integra o HSM/CHLN (vertentes da Saúde Materna e Neonatal e da Criança e do Adolescente), e os Centros de Saúde do ACES Lisboa Norte, promoveu no passado dia 20 de Novembro, as suas IV Jornadas, que decorreram no Auditório do Centro de Saúde de Sete Rios. Mais do que um momento de formação, este encontro de profissionais constituiu um espaço privilegiado de trabalho, partilha e reflexão conjunta, de modo a concretizar as próprias funções da UCF, das quais se salienta: - A importância da cooperação regular entre profissionais e a articulação e complementaridade entre os vários serviços do SNS; - Monitorização, recolha e análise de indicadores epidemiológicos, estatísticos e de qualidade que permitam o levantamento das reais necessidades de cuidados da população, bem como o adequado planeamento das ações a desenvolver; - Promoção do estabelecimento de canais de comunicação entre os diferentes níveis de cuidados. Subordinadas ao tema “Planear para Prevenir – Sem discussão hoje…não há acção amanhã”, as sessões tiveram uma ampla participação, conseguindo-se estabelecer um franco diálogo, entre as várias entidades, ao longo dos dois períodos considerados: na sessão da manhã com “ Doenças de Adulto na Criança” – com moderação da Dra. Clara Pais, e nas sessões da tarde, com “Quando a gravidez não é desejada…” com moderação da Dr.ª Mónica Centeno e com “Ir para Casa em Segurança…” com moderação da Dr.ª Margarida Abrantes.

LXNorte | |NEWS | Dezembro’14| 28

A cerimónia de abertura decorreu pelas 12h00 e contou com a participação do Prof. Doutor Luís Mendes da Graça, Diretor do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do CHLN, do Dr. Luís Siborro, em representação da Prof.ª Doutora Maria do Céu Machado, Diretora do Departamento de Pediatria do CHLN, da Dra. Argentina Castilho, Diretora do Serviço Social e Gabinete do Cidadão do CHLN, do Enf.º Fernando de Sá, Enfermeiro Supervisor do Departamento de Pediatria do CHLN, da Dr.ª Cândida Rebelo, Presidente da CRSMC, em representação do Dr. Luís Cunha Ribeiro, Presidente da ARSLVT, e da Dra. Manuela Peleteiro, Presidente do ACES LX Norte. A articulação foi o tema central. Todos os contributos, das diversas entidades, representaram ótimos instrumentos de trabalho, fornecendo importantes contributos para o plano de atividades, de 2015, da UCF Lisboa Norte, assim como uma imensa responsabilidade de corresponder às expectativas expressas por todos os intervenientes. Em suma, a comissão organizadora considerou que estas Jornadas tiveram um balanço francamente positivo, com o cumprimentos de todas as metas propostas. Sobretudo, foi evidente a articulação entre a intervenção multidisciplinar e a pertinência dos temas escolhidos foi comprovada pela participação que se verificou nos períodos de discussão, após a apresentação dos mesmos. No final, a proximidade entre os interlocutores dos vários níveis de cuidados, saiu mais uma vez reforçada, numa evidente predisposição para dar continuidade ao trabalho que há muito vem a ser desenvolvido. Pode concluir-se, desta forma, que o entusiasmo e a motivação para o planeamento das próximas Jornadas (a decorrerem para o ano) ficaram dobrados.


Exposição de Natal do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental “A arte que se faz por cá “ À semelhança de anos anteriores e com a organização Serviço de Psiquiatria e de Saúde Mental do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), decorreu, no átrio principal do Hospital de Santa Maria (HSM) entre os dias 26 de Novembro e 5 de Dezembro a exposição de Natal “Arte que por cá se faz!”. É uma exposição de trabalhos com recursos plásticos e reciclados, realizados pelos doentes que são acompanhados no Internamento e Hospital de Dia deste Departamento.

Feira do Livro - Natal Decorreu na semana de 17 a 21 de novembro, no piso 2, em frente ao Gabinete de Colaborador mais uma Feira do Livro da Editora “Largebooks”. Numa altura próxima da época Natalícia, esta iniciativa permitiu não só aos colaboradores e utentes, a aquisição de diversos livros didáticos, com particular enfoque no público infantil. Muitos foram os visitantes que aproveitaram esta ocasião para as compras de Natal sendo que as vendas reverteram a favor do Departamento de Pediatria deste Centro Hospitalar.

Mostra de Artesanato do Centro Hospitalar Lisboa Norte Entre os dias 23 e 28 de novembro de 2014, realizou-se a Mostra de Artesanato do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), exibição que decorreu no piso 2, em frente ao Gabinete do Colaborador. Com vários expositores de peças de artesanato, nomeadamente de bijuteria, decoração, e artigos para criança, esta feira contou com uma grande afluência de visitantes que aproveitaram esta iniciativa para adquirir ofertas de Natal, proporcionado assim simultaneamente com a sua compra, a contribuição de 10% a favor do Departamento de Pediatria do CHLN.

LXNorte | |NEWS | Dezembro’14| 29


Damos as boas vindas a… Cátia Sofia Caldas Baptista da Silva Inês Filipa Martins Duarte Manuela Rita Guerreiro Viviana Isabel Neto

Enfermeiro Enfermeiro Enfermeiro Enfermeiro

Despedimo-nos de… Alexandre Edgar Martins Baptista Ana Carolina Simões Ângela Sofia Lopes Guarda António Manuel Rodrigues Nunes Diogo Arlinda Esperança Parreira Madeira do Carmo Elisa Cristina Vieira Lisboa Silva Leão Pimentel Filipa Madaleno Mendes Hélder de Jesus da Silva Fonseca Isabel Maria Santos da Costa Freitas José Filipe da Purificação Monteiro Margarida Filipa de Carvalho Fonseca Maria Cristina de Pinho Ferreira Guiné Maria Fátima Gaspar Pepe Pinto Maria Lúcia Alves de Moura dos Santos Maria Luísa Pina dos Santos Maria Luísa Vieira Octávio Castro Cunha Patrícia Alexandra de Figueiredo Gomes Pereira Rosa Maria Ferreira Lopes Monteiro Peguicha Sandra Luísa da Conceição Silva Saraiva da Costa Sandy Paixão Baptista Sara Maria Jardim dos Santos Ferreira Maroco Moura Sofia Vieira Veiga Teresa de Jesus Cabral Torres Tiago Miguel Negrita Lopes

Assistente Técnico Enfermeiro Enfermeiro Assistente Graduado Sénior Hospitalar Assistente Operacional Enfermeiro Chefe Enfermeiro Assistente Operacional Assistente Operacional Assistente Graduado Hospitalar Enfermeiro Assistente Saúde Assistente Operacional Assistente Operacional Enfermeiro Enfermeiro Assistente Operacional Assistente Operacional Assistente Operacional Assistente Operacional Assistente Operacional Assistente Hospitalar Enfermeiro Assistente Operacional Assistente Operacional

2 Internos da Especialidade

LXNorte | NEWS | nº5| Dezembro’14 Ficha Técnica Planeamento, Produção, Edição e Fotografia: Gabinete de Comunicação e Relações Públicas do Centro Hospitalar Lisboa Norte, EPE gab.com@chln.min-saude.pt

Feliz Natal e um Bom 2015 !

LxNorteNews Ano 1 | nº 5  

Publicação do Centro Hospitalar Lisboa Norte Ano 1| nº 5 | Gabinete de Comunicação e Relações Públicas| gab.com@chln.min-saude.pt

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you