Page 1

LXNorte | NEWS

COMUNICAMOS COM (A) SAรšDE

Ano I * Nยบ 3

Ano II Nยบ 12


EDITORIAL LXNorte | NEWS | out’15 | 02

Voltamos a viver mais uma quadra festiva, com a satisfação própria desta época, em que ultrapassamos com maior abertura, os desafios inerentes ao nosso quotidiano e, em contexto familiar e com os amigos, celebrámos o Natal e a chegada de um novo ano. Para quem, como nós, está como Presidente de um dos maiores Centros Hospitalares Universitários do País, este terminus de ano propicia, inevitavelmente, a momentos de reflexão e de balanço. São estes momentos que fazem recordar todas as preocupações vividas e os desafios ultrapassados, mas igualmente fazem recordar o orgulho imenso que temos no capital humano da nossa instituição, o qual permitiu continuarmos a transformar a dificuldade em oportunidade e, assim, cumprirmos a nossa missão pública, de forma rigorosa e com indicadores claramente muito positivos. Ao longo destes tempos difíceis, soubemos que era possível mudar, com o apoio de todos, paradigmas organizacionais mais conservadores, introduzir inovação em culturas funcionais com algumas décadas, traçar estratégias estruturantes e introduzir reformas centradas na reorganização da instituição. Assumimos internamente o consórcio Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML), constituído em 2009 pelo Centro Hospitalar, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e pelo Instituto de Medicina Molecular (IMM), como um modelo organizacional estratégico e potenciador das capacidades instaladas, o qual efetivamente permitiu trilhar novos desafios na investigação, na formação, na inovação, na cooperação e na internacionalização. Foi para nós muito gratificante, ver que outros hospitais universitários a seguir o nosso exemplo, nesta ano que ora finda, o modelo em que fomos pioneiros, acrescentando-se com o mesmo valor e notoriedade à investigação clínica, aumentando o número de jovens médicos doutorandos e o número de jovens investigadores, assim como duplicámos o investimento em tratamentos com inovação farmacológica. Neste âmbito, apraz-nos recordar que foi recentemente inaugurado o Centro de Investigação Clínica, tendo sido assim concretizado mais um sonho de anos, passando o CAML a ter, na área da investigação clínica, um instrumento para conferir maior expressão e capacidade de execução aos prestigiados investigadores deste campus. O CIC permitir-nos-á planificar e projetar com segurança, o aumento da competitividade e da atratividade do CAML no âmbito da realização de ensaios clínicos, na captação de investimento externo e na sustentabilidade da inovação terapêutica. No plano interno, está em curso a reprogramação da capacidade instalada do Hospital de Santa Maria, por forma a construirmos um novo paradigma de ganhos de saúde e de sustentabilidade, alicerçando esta visão num inovador plano de investimento para o período de 2016 a 2020, o qual viabilizará a estratégia de crescimento e de desenvolvimento da instituição, num contexto integrado e através do estabelecimento de parcerias. E, neste contexto, recordamos a nossa adesão, no ano passado, ao LisbonLiving+, um projeto inovador que junta o Município à Universidade de Lisboa e a várias instituições públicas, numa procura de novas respostas para a melhor idade e onde o Centro Hospitalar se posicionou como um dos fundadores, vivenciando novos e estimulantes desafios conjuntos. Destacamos ainda, no corrente ano, um outro estruturante desafio externo, centrado na partilha de responsabilidades para transformar Lisboa numa referência internacional da Medicina de Precisão, o qual envolve, para além do CHLN, o Centro Hospitalar Lisboa Central, o IPO de Lisboa, a FMUL, a Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa, o Instituto Superior Técnico, o IMM e o Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica, entre outros. Foi assim construída, de forma integrada e com o apoio da Comissão de Coordenação Regional de Lisboa e Vale do Tejo, uma inovadora resposta para um conjunto de patologias cujo crescimento é incontornável, designadamente as doenças cerebrais, as cardiovasculares, a diabetes, as oncológicas, as reumáticas e as doenças músculo-esqueléticas, que será conferida através da medicina regenerativa e das terapias celulares, de tecnologias de diagnóstico e terapêutica, da simulação avançada, da cirurgia e da robótica. No que respeita a afiliações, dentro da rede de cuidados de saúde públicos nacionais, passámos a dar apoio in loco ao Centro Hospitalar do Oeste, à Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano, ao Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, e ao Hospital de Santo Espírito de Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira. Já no âmbito da cooperação e afiliações internacionais, definidas em 2014, estamos a desenvolver projetos conjuntos com os dois hospitais centrais da República de Cabo Verde, com duas importantes unidades de saúde de Luanda, Angola, e em breve formalizaremos uma relação muito abrangente com o Hospital Central de Maputo, em Moçambique. Termino endereçando uma mensagem de Boas Festas a cada um dos profissionais e colaboradores da nossa instituição, reforçada com uma nota de agradecimento e de reconhecimento pela forma como cada um de vós exerceu as suas responsabilidades ao longo do ano, o que se repercute na imagem de qualidade, humanidade e excelência que estão intrínsecas a este Centro Hospitalar Universitário. É uma honra presidir ao Conselho de Administração e tem sido um privilégio liderar os destinos do CHLN! Que o novo ano de 2016 nos imbua de um renovado espírito de filantropia e de solidariedade para continuarmos a cumprir a nossa nobre missão de cuidar da vida e da qualidade de vida dos nossos concidadãos, do nosso bairro, da nossa cidade e do nosso país. Ao fazê-lo estaremos não só a cumprir a nossa responsabilidade constitucional, mas igualmente a contribuir para uma sociedade melhor e mais justa. Um abraço e até já, Lisboa e CHLN, 31 de dezembro de 2015 Dr. Carlos das Neves Martins Presidente do Conselho de Administração


#1. Editorial|2

#2. A “Classe do Bebé” no CHLN/Campus de Santa Maria recebe 3as Jornadas de Medicina Subaquática e Hiperbárica|4 #3. 1º Meeting de Enfermagem Pneumológica|5 #4. Reunião com a Comissão de Prevenção da Corrupção|6 #5. Jornadas “Hipertensão e Insuficiência Cardíaca – Estado da Arte em 2015”|7 #6. Outubro: Mês da Prevenção Contra o Cancro da Mama|8 #7. CHLN assina 7 Acordos em Cabo Verde| 9 e 10 #8. Última Aula do Prof. Doutor Braz Nogueira|11 #9. CHLN anfitrião do “2nd European Patient Blood Management Expert Meeting” |12 #10. II Jornadas do Internato Médico do CHLN|13 e 14 #11. IV Simpósio de Enfermagem em Neurologia|15 #12. 2ª Reunião do Conselho Consultivo do CHLN/Prof. Doutor Fausto Pinto agraciado com Honoris Causa|16

#13. II Jornadas de Psicologia do Hospital de Santa Maria – CHLN |17 #14. Presidente recebe Secretário Regional da Saúde dos Açores/“Ágora – Centro Hospitalo-Universitários & Investigação Clínica”|18 #15. 30 anos de atividade da unidade de Procriação Medicamente Assistida– Entrevista com Prof. Doutor Calhaz Jorge |19 a 23 #16. Comemoração do Dia Mundial da Diabetes no HPV-CHLN |24

#19. Dia Mundial da DPOC assinalado no CHLN| 28 #20. A Qualidade em entrevista: Engª Maria das Dores Capucho, Gestora da Qualidade |29 a 32 #21. Inauguração da Pedo-Psiquiatria do CHLN no HPV|33 #22. V Jornadas da UCF Lisboa Norte |34 #23. CHLN recebe SESARAM para reforço de proximidade interinstitucional/Nutrition Day no HSM-CHLN |35 #24. Centro de Formação em notícias |36 #25. CHLN recebe VI Conferência Anual da Health Cluster Portugal |37 #26. Investimento de beneficiação/remodelação do serviço de Neurologia e da ex- Farmácia Comercial “Santa Maria”|38 #27. CHLN: Plano de Investimentos 2016-2020|39

#28. Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas|40 #29. Comemorações do 61ºAniversário do Hospital de Santa Maria |41 e 42 #30. Conselho de Administração recebe delegação do PCP|43 #31. Assinatura do Protocolo de Cooperação entre CHLN e a Ordem dos Psicólogos Portugueses|44 #32. Campanha da DGS “Vá pela Escadas” implementada no CHLN/3ª “Peregrinação a Fátima” 45 #33. Tweety Sessions do CAML/HPV assinala quadra natalícia com ações diversas|46 #34. Além D’Colaborador: Maria do Céu Santo|47 e 48 #35. Boas-Vindas e Despedidas/Ficha Técnica| Última Página

ÍNDICE

#17. Atividades em Pediatria: Halloween e PeddyPaper|25 e 26 #18. Conferência com o Ministro do Ensino Superior Ciência e Inovação de Cabo Verde na Aula Magna|27


LXNorte | NEWS | dez’15 | 03


Classe do Bebé no CHLN

A «Classe do Bebé» é um projeto de cariz pedagógico, desenvolvido pelas Técnicas Fisioterapeutas do Departamento de Pediatria do CHKN e que nasceu da necessidade de dar apoio aos pais, cujos bebés tenham tido alta da Unidade de Neonatologia, promovendo a iniciação ao toque e à massagem no bebé. O principal objetivo da “Classe do Bebé” centra-se na promoção da competência parental e no estímulo do desenvolvimento infantil. Vários estudos demonstram a importância do toque no desenvolvimento infantil durante o primeiro ano de vida e são muitos os benefícios da massagem infantil, tanto para o bebé, como para os cuidadores, designadamente: (i) proporciona boas relações entre pais/filhos; (ii) confere mais responsabilidade e maiores valores familiares/ competência parental; (iii) promove a diminuição dos níveis de stress; (iv) promove a empatia/intimidade; (v) incentiva a nutrição sensorial e (vi) incentiva a partilha de experiências entre cuidadores. A “Classe do Bebé” está indicada tanto para os bebés com desenvolvimento normal, como para os bebés com necessidades especiais. Foi concebida para frequência de bebés até aos 12 meses de idade, com periodicidade semanal e a duração de cerca de uma hora. Nas sessões que integram este projeto, são abordados vários temas, designadamente: (i) a massagem do bebé (em cada semana é dada uma parte do corpo); (iii) o neurodesenvolvimento (consoante a fase em que os bebés se encontram); (iii) os sinais de alerta a considerar; (iv) a segurança infantil e (v) o brincar e os brinquedos. A equipa que desenvolveu este projeto é constituída pelas Técnicas Fisioterapeutas Ana Judite, Fernanda Amaral, Sofia Cruz, Sofia Vieira e Virgínia Marques, do Departamento de Pediatria do CHLN.

Campus de Santa Maria recebe 3as Jornadas de Medicina Subaquática e Hiperbárica No passado dia 24 de setembro realizou-se, no Auditório 58 do Edifício Egas Moniz, do campus de Santa Maria, as 3as Jornadas de Medicina Subaquática e Hiperbárica da Marinha. Na sessão de abertura estiveram presentes o Prof. Doutor Mamede de Carvalho, Diretor do Instituto de Fisiologia Clínica da FMUL, o Comodoro Lourenço dos Santos, Diretor de Saúde Naval, o Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) e Presidente do Centro Académico Medicina de Lisboa (CAML), bem como o Comandante de Fragata Quaresma Guerreiro, Diretor do Centro de Medicina Subaquática e Hiperbárica da Marinha (CMSH). Estas Jornadas iniciaram com o tema «Investigação em Medicina Hiperbárica», que contou com a presença de especialistas das Faculdades de Medicina de Lisboa e do Porto, bem como especialistas do CMHSH. Foram ainda debatidos reconhecidos temas desta especialidade, entre eles, as indicações gerais da Oxigenoterapia Hiperbárica e sua aplicação na prática clínica no âmbito das diferentes especialidades, nomeadamente da Otorrinolaringologia, da Oncologia/Radioterapia, da Oftalmologia e da Fisiatria.

LXNorte | NEWS | dez’15 | 04


1º Meeting de Enfermagem Pneumológica do CHLN Realizou-se nos dias 21 e 22 de outubro, o 1º Meeting de Enfermagem Pneumológica do CHLN, que decorreu na Aula Magna do Hospital de Santa Maria (HSM) e no Auditório Hospital Pulido Valente (HPV). Este evento visou a divulgação, tanto a nível interno como externo, do trabalho desenvolvido nas diferentes unidades do Serviço de Pneumologia do CHLN, tendo recebido o apoio do Conselho de Administração face aos objetivos da organização e aos excelente resultados obtidos pelas equipas de enfermagem. A sessão de abertura contou com a presença da Enfermeira Diretora do CHLN, Catarina Batuca, em representação do Conselho de Administração, da Enfermeira Adjunta da Direção e Responsável pelo Serviço de Pneumologia do CHLN, Teresa Dotti, da Enfermeira Chefe da Unidade de Cuidados Intensivos Respiratórios, Clara Alves, e da Enfermeira Chefe da Unidade de Insuficiência Respiratória, Teresa Diez. O programa do dia 21, centrou-se no percurso assistencial proporcionado ao doente/família na área pneumológica, cujo tema foi abordado em quatro mesas, moderadas pelas Enfermeiras Chefes das unidades envolvidas e por alguns médicos coordenadores, designadamente o Dr. Carvalheira Santos, o Dr. Jorge Monteiro, a Prof.ª Paula Pinto e a Dr.ª Isabel Correia.

As três primeiras mesas, com os títulos «Doente com pneumonia… contributos das diferentes unidades», «Gerir a doença respiratória crónica no CHLN» e «Percursos diferentes na procura da qualidade de vida», foram suportadas por Estudos de Caso, como fio condutor dos temas apresentados. Na quarta mesa, com o título «Adesão e parceria», foi apresentado um trabalho de investigação desenvolvido em parceria com algumas unidades do Serviço de Pneumologia, sobre a adesão terapêutica na pessoa com doença respiratória crónica. Esta mesa teve a participação de diferentes profissionais da equipa interdisciplinar, nomeadamente das áreas da assistência social, psicologia, nutrição e cardiopneumologia, que realçaram os contributos das suas áreas de intervenção na adesão terapêutica. No dia 22, integrado no Meeting, decorreu no Auditório do HPV, o curso teórico prático de «Ventilação Não Invasiva» para Enfermeiros, tendo sido superadas as expectativas de adesão, face ao elevado número de inscrições. A Enfermeira Diretora Catarina Batuca e Enfermeira Adjunta Teresa Dotti estiveram na sessão de encerramento do evento, sublinhando a ampla participação e adesão dos profissionais de saúde e realçando o elevado nível científico dos temas apresentados. O Meeting traduziu-se num espaço privilegiado de discussão, partilha e atualização de conhecimentos baseados na evidência, que terminou com um momento musical, proporcionado pela Tuna da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL).

LXNorte | NEWS |dez’ 15 | 05


Reunião com a Comissão de Prevenção da Corrupção No passado dia 21 de outubro, decorreu no Anfiteatro 58 do Edifício Egas Moniz, campus de Santa Maria, uma reunião entre o Conselho de Administração e os dirigentes da instituição com a Comissão de Prevenção da Corrupção do Tribunal de Contas, representada pelo Juiz Conselheiro José Fernandes Tavares, pela Secretária-Geral do Ministério da Economia, Dr.ª Ermelinda Carrachás e o pelo representante do Banco de Portugal, Dr. Olívio Mota. Perante plateia muito representativa de todas as áreas gestionárias do CHLN, o Dr. Carlos das Neves Martins abriu a reunião e de seguida passou a palavra ao Juiz Conselheiro José Tavares, que após os cumprimentos protocolares, explicou o motivo da visita à instituição, que designou por “visita pedagógica”, para poder in situ averiguar e trocar impressões sobre o Plano de Prevenção de Riscos e a sua aplicabilidade prática. Na sua intervenção, o Juiz Conselheiro recordou a primeira visita à instituição, em novembro de 2010, com o mesmo objetivo e sublinhou a importância da avaliação do percurso evolutivo do CHLN nesta sensível área. O Juiz Conselheiro José Tavares aprofundou o tema, explicando aos presentes a importância do plano, enquanto instrumento prático de trabalho, bem como a relevância e responsabilidade dos Diretores de Departamento e de Serviço na aplicabilidade do mesmo nas suas áreas de gestão. Para além de uma explicação mais detalhada sobre o funcionamento do plano, que ilustrou com casos práticos, recordou aos presentes os tipos de riscos com que uma instituição desta natureza se pode deparar, e quais as medidas adotar face às situações mais correntes. Seguidamente usou da palavra o Dr. Olívio Mota, que enalteceu o papel do Serviço de Auditoria Interna do CHLN como potenciador e impulsionador da aplicabilidade do Plano de Prevenção de Riscos. A Dr.ª Ermelinda Carrachás deu igualmente uma nota sobre a importância da aplicabilidade do plano supramencionado e da sua vertente prática, enquanto instrumento de gestão. Encerrou a reunião o Dr. Carlos das Neves Martins, que na qualidade de Presidente da instituição deixou clara a importância que a instituição conferiu a este plano e à sua aplicabilidade, sublinhando o alcance da revisão em curso, após algumas orientações emanadas pela IGAS, assim como sublinhou o trabalho desenvolvido pelo Serviço de Auditoria Interna, designadamente a regular produção de relatórios e salientou ainda a constituição, e início de trabalhos, do Conselho Consultivo do CHLN. Nas suas palavras «(…)dotamos a instituição de serviços, órgãos, regulamentos e ferramentas para reforçarmos a transparência diminuirmos os riscos de irregularidades, mas sobretudo para atuarmos cada vez com mais eficácia e maior eficiência no combate ao risco de fraude e de corrupção.» E terminou a intervenção, anunciando a divulgação do Código de Conduta e Ética da instituição, aprovado recentemente pelo Conselho de Administração.

LXNorte | NEWS | dez’15 | 06


Jornadas “Hipertensão Arterial e Insuficiência Cardíaca Estado da Arte em 2015"

Decorreram no dia 23 de outubro as Jornadas «Hipertensão arterial e Insuficiência Cardíaca – Estado da Arte em 2015», novamente coordenadas pelo Prof. Doutor Luiz Menezes Falcão, do Departamento de Medicina do CHLN. Na sessão de abertura estiveram presentes o Dr. Francisco George, Diretor-Geral da Saúde, o Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração do CHLN, o Prof. Doutor Fernandes e Fernandes, Diretor do Departamento de Coração e Vasos do CHLN, o Prof. Doutor Luiz Menezes Falcão do Departamento de Medicina do CHLN e o Prof. Doutor José Braz Nogueira, Diretor do Serviço de Medicina I do CHLN. O programa científico das Jornadas desenvolveu-se ao longo de todo o dia de trabalho, dividido em quatro sessões, nesta que foi uma iniciativa de atualização científica «state-of-the-art» em áreas fundamentais da Medicina Interna e da Cardiologia. Além da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, o evento contou com o patrocínio científico da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna e da Sociedade Portuguesa de Cardiologia.

LXNorte | NEWS | out’15 | 07


Outubro: Mês da Prevenção contra o Cancro da Mama Outubro, Mês da Prevenção do Cancro da Mama A Associação Amigas do Peito – Associação Humanitária de Apoio à Mulher com Cancro de Mama, em conjunto com o Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) organizaram, no dia 30 de outubro, um conjunto de atividades que procuraram alertar e sensibilizar a comunidade em geral para a nobre causa da Patologia da Mama. As atividades escolhidas para atingir este objetivo foram: (i) o rastreio clínico gratuito à população, no Centro de Ambulatório do HSM/CHLN; (ii) a realização de três palestras informativas, subordinadas aos temas: «Cancro da Mama – Podemos Prevenir?», «O Papel do Enfermeiro no Cuidar da Pessoa com Cancro da Mama» e «A importância do Serviço Social na pessoa com Cancro da Mama», que decorreram no Auditório Egas Moniz, campus de Santa Maria, e (iii) a realização, no mesmo espaço, de uma passagem de modelos, protagonizada pelas mulheres “guerreiras”, que sofrem ou já sofreram de cancro da mama. Todas as atividades tiveram um enorme sucesso, por parte das utentes e por parte da audiência, que assistiu entusiasmada. Estas atividades integram-se no calendário anual de atividades de convívio para prevenção e divulgação desta patologia, organizadas pela Associação Amigas do Peito, e que procuram serem potenciadoras de um sentimento de esperança, nesta doença que, não obstante a sua gravidade, pode e deve passar a ser encarada como uma doença crónica, bem como um veículo privilegiado de sensibilização para a importância da deteção prévia da doença, através do seu rastreio.

Jantar de Gala da Amigas do Peito Decorreu no passado dia 13 de outubro de 2015, no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril, um Jantar de Gala para angariação de fundos destinados às novas instalações da Associação Amigas do Peito – Associação Humanitária de Apoio à Mulher com Cancro de Mama, conforme Protocolo assinado recentemente com o Conselho de Administração Durante o jantar decorreram vários momentos de animação, com o apoio da Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação da Costa do Estoril e a Associação agradeceu a presença de tantos apoiantes solidários, que participaram para apoiar esta nobre causa e encheram a sala.

LXNorte | NEWS |dez’ 15 | 8


CHLN assina sete

Na prossecução da política estratégica do Centro Hospitalar Lisboa Norte na área da cooperação e internacionalização, foram realizadas, a partir de dia 27 de outubro, um conjunto de visitas e reuniões em Cabo Verde, com a finalidade de serem firmados inúmeros Acordos Específicos, em diversas áreas clínicas e de gestão com os principais hospitais deste país. A comitiva do CHLN integrava o Presidente do CAML e do CHLN, Dr. Carlos das Neves Martins, a Diretora Clínica, Dr.ª Margarida Lucas, o Vogal Executivo, Dr. Júlio Pedro e o Diretor do Departamento de Medicina, Prof. Doutor Mendes de Almeida. O intenso programa desta missão iniciou-se com uma reunião com o Embaixador de Portugal Acreditado na Cidade da Praia. Ainda na Cidade da Praia, mais concretamente no Hospital Agostinho Neto (HAN), foram assinados quatro Acordos Específicos, no âmbito da (i) Nefrologia Geral e Transplantação Renal; da (ii) Urgência Geral; da (iii) Cirurgia Geral e da (iv) Gestão Hospitalar e Sistemas de Informação, e definidos os termos de referência para a assinatura de um quinto Acordo Específico, no âmbito da Enfermagem. Na Cidade do Mindelo foram assinados, com o Hospital Batista de Sousa (HBS), três Acordos Específicos, no âmbito da (i) Cirurgia Geral; da (ii) Anatomia Patológica e da (iii) Oncologia e foram definidos os termos de referência para o quarto Acordo Específico, também na área de Enfermagem. Estes hospitais firmaram os Acordos Específicos ao abrigo de Protocolos já oficializados, respetivamente, em janeiro de 2014 e que garantem o desenvolvimento de ações de cooperação em áreas da saúde, designadamente: (i) na Cooperação Técnica, (ii) na Documentação e Informação, (iii) na Formação e Especialização, na (iv) Investigação e na (v) Prestação de Serviços de Saúde.

LXNorte | NEWS |nov’ 15 | 09

Na cidade da Praia a delegação do CHLN foi recebida em audiência pelo Ministro do Ensino Superior, da Ciência e da Inovação Prof. António Correia e Silva, onde ficou firmada a integração do CHLN, em parceria com a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, no processo de criação de condições favoráveis ao arranque, ainda no corrente ano, do primeiro Curso de Medicina na Universidade de Cabo Verde. Teve ainda lugar uma audiência com a Ministra-Adjunta e da Saúde, Dr.ª Cristina Fontes, que teceu agradecimentos ao apoio que tem sido conferido pelo CAML, bem como um balanço francamente positivo do contributo do CHLN e adequado tempo de resposta a situações diferenciadas. Foram ainda definidas, em conjunto com a comitiva do CHLN, as principais linhas para o plano de ação global de 2016. Para além do contacto com a número dois da hierarquia do Governo de Cabo Verde, foram ainda estabelecidos inúmeros contactos ao mais alto nível, nomeadamente com o Presidente da Assembleia Nacional, com o PrimeiroMinistro e com o Presidente do Tribunal de Contas de Cabo Verde. A comitiva do CHLN esteve ainda presente na Gala de Beneficência do Hospital Batista de Sousa, mais concretamente na mesa de honra, onde teve oportunidade de trocar com o Presidente da República e Primeira Dama de Cabo Verde, algumas impressões acerca das colaborações bilaterais e do papel estruturante do CHLN nas mesmas.


acordos em Cabo Verde

Esta missão a Cabo Verde foi de crucial importância para o reforço dos Protocolos, já previamente firmados e estabelecidos, e permitirá resultados francamente positivos e profícuos quer para o CAML (CHLN, FMUL, IMM) quer para os serviços de saúde e estruturas académicas cabo-verdianas. Nas palavras do Vogal Executivo do Conselho de Administração do CHLN, Dr. Júlio Pedro, «A missão a Cabo Verde permitiu efetivar a relação Institucional entre as instituições de saúde de Cabo Verde e o CHLN, reforçando-se a coordenação e articulação dos protocolos estabelecidos. As intensas sessões de trabalho realizadas com vista à definição de planos de trabalho, conhecimento e diagnóstico de necessidades, demonstraram-se de extrema importância para aprofundar relação de confiança, parceria e amizade.» Por parte da FMUL o seu Diretor, Prof. Doutor Fausto Pinto enfatiza a importância e realça a abertura da instituição que dirige face aos desafios da cooperação «Este relacionamento da Faculdade de Medicina de Lisboa com Cabo Verde faz parte de um enquadramento estratégico da faculdade, no âmbito da cooperação e da internacionalização, com especial enfoque nos países de língua e expressão portuguesas. E, na sequência do convite do Dr. Carlos Neves Martins, na qualidade de Presidente do CAML e do CHLN e dos contactos previamente por ele estabelecidos, de imediato aderimos a este projeto. Do ponto de vista da Faculdade é de extrema importância que possamos estabelecer este tipo de cooperação e de ligação à Universidade de Cabo Verde e mais particularmente, às estruturas académicas cabo-verdianas

Tivemos a oportunidade de termos connosco o Ministro do Ensino Superior da Ciência e da Inovação, e de trocar com ele algumas impressões. Estamos claramente interessados em desenvolver várias áreas de cooperação, algumas delas já nitidamente definidas como a formação de formadores, que nós próprios estamos a realizar aqui na FMUL e é que uma área que consideramos essencial em termos de pedagogia e de educação médicas e nesse sentido podermos trazer esse nosso conhecimento, as nossas equipas, o nosso know-how para os colegas de Cabo Verde que estão agora a iniciar a sua experiência na área do ensino médico. Poderá ser extremamente interessante essa colaboração, quer para Cabo verde quer para nós, enquanto parceiros. Falámos também sobre a possibilidade de fazermos o reconhecimento das licenciaturas médicas, e desta forma, colaborando e apoiando as Universidades de Cabo Verde nesse sentido. Esta é uma atividade que já fazemos, há alguns anos, na FMUL e na qual temos vasta experiência. Temos igualmente muito interesse em estabelecer colaborações na área do ensino pré e pós graduado, e portanto em receber alunos para fazer mestrados, doutoramentos ou para integrar projetos de investigação. Estamos perfeitamente abertos e sintónicos com este tipo de colaboração, que penso, que trazem profícuos benefícios. Em termos genéricos, diria que a FMUL se posiciona estrategicamente como um parceiro da Universidade de Cabo Verde, e que está disponível com toda a sua equipa e esforço para colaborar, no que for necessário, para materializar e potenciar esta cooperação.»

LXNorte | NEWS |nov’ 15 | 10


Última aula do Prof. Doutor Braz Nogueira No passado dia 2 de novembro, decorreu, na Aula Magna da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, a última aula do Prof. Doutor Braz Nogueira, distinto profissional do CHLN, Professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e com uma vastíssima experiência na área da hipertensão arterial.

A abertura desta aula, subordinada ao tema “Hipertensão Arterial, que Futuro”, foi feita pelo Prof. Doutor Fausto Pinto, Diretor da FMUL, que enalteceu o brilhantismo que pautou o percurso do Prof. Braz Nogueira, realçando os seus inestimáveis contributos na área da hipertensão arterial e efetuou a entrega oficial do medalhão jubilar. Seguiram-se umas breves palavras de felicitações proferidas pelo Prof. Doutor Melo Cristino em nome do Conselho Científico da FMUL e pelo Prof. Doutor Ducla Soares, em nome da Clínica Universitário da Medicina, momentos que antecederam o início efetivo da lição. O Prof. Braz Nogueira iniciou a sua última aula com uma breve reflexão de teor pessoal, onde enalteceu o papel dos principais intervenientes na sua vida pessoal e na sua vida académica, passando em revista a influência recebida por parte dos seus mestres, que acabaram por sedimentar o seu percurso de vida académica e profissional. De seguida, entrou numa parte mais técnica, onde ofereceu todos os presentes uma brilhante reflexão sobre o futuro da hipertensão arterial, recorrendo a diversos estudos e de onde se destacou a forte ligação existente à genética e a problemática dos fármacos. Esta lição encerrou com uma forte ovação de pé e com felicitações ao Prof. Braz Nogueira pelo brilhantismo com que encerrou esta página da sua vida académica.

LXNorte | NEWS | dez’15 | 11


CHLN anfitrião do “2nd EU-PBM Expert Meeting”

No dia 6 de novembro teve lugar no Auditório Cid dos Santos, campus de Santa Maria, a segunda «European Patients Blood Management (EU-PBM)– Expert Meeting», tendo o CHLN sido o anfitrião desta reunião de especialistas, os quais trabalharam durante dois dias, neste projeto de cariz inovador, na área transfusional. A sessão de abertura contou com a presença do Prof. Lucindo Ormonde, Presidente desta reunião e Diretor do Serviço de Anestesiologia, do Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração, da Dr.ª Margarida Lucas, Diretora Clínica, do Prof. Álvaro Beleza, Diretor do Serviço de Imunohemoterapia e do Prof. Hans Gombotz, Presidente da European Patients Blood Management. A realização desta reunião em Lisboa é devida a um convite que o Dr. Carlos Neves Martins fez há um ano, quando o CHLN foi selecionado como um dos cinco hospitais universitários europeus (sendo os restantes os hospitais universitários de Copenhaga, Frankfurt, Viena e Zagreb), com capacidade para implementação de um programa de PBM e de casuística suficiente para deteção de diferenças no consumo de hemoderivados, após a implementação de medidas inovadoras de gestão. Na sua intervenção de boas vindas, o Presidente do CHLN realçou a «(…)grande importância da escolha para participarmos neste projeto, sendo o CHLN a única instituição hospitalar, a nível ibérico, a estar presente nesta equipa de peritos europeus».

LXNorte | NEWS | nov ’15 | 12


I ENCONTRO DE ENFERMAGEM DE HOSPITAIS II Jornadas do O Grande Auditório do Edifício Egas Moniz, campus de Santa Maria, recebeu a 2º edição das Jornadas do Internato Médico do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), que se realizaram de 6 a 8 de novembro.

Durante o dia 6 de novembro, em que decorreu o programa teórico, foram abordadas temáticas essenciais para os Internos aprofundarem os seus conhecimentos da prática médica, contribuindo da melhor forma para a sua formação contínua. Os temas-chave deste encontro centraram-se em quatro temas nucleares, designadamente (i) Abordagem no Serviço de Urgência, (ii) Comunicação em Medicina, (iii) Urgências IntraHospitalares e (iv) Clinical Governance. A componente mais prática das II Jornadas, incluiu vinte cursos práticos, subordinados às áreas médicas e cirúrgicas, nomeadamente, (i) Atualidades em Depressão, (ii) Exame Objetivo do Aparelho Locomotor, (iii) Curso de Drenagem Torácica, (iv) Curso Prático de SPSS, (v) Curso Avançado de SPSS, (vi) Curso Avançado de ECG, (vii) Curso Básico de Ecocardiograma Transtorácico, (viii) Curso Básico de Geriatria, (ix) Suporte Avançado de Vida, (x) FCCS, (xi) Curso Básico da Via Aérea, (xii) Curso de CVC, (xiii) Curso de Cricotomia, (xiv, xv, xvi, xvii) Blood Patient Management, (xviii) Dr. House in the House, (xix) Tratamento da Dor e (xx) Curso Básico de Laparoscopia, os quais realizados fisica e alternadamente entre o Hospital de Santa Maria, o Hospital Pulido Valente e o Edifício Egas Moniz. As II Jornadas do CHLN tiveram este ano duas novidades; a) foi a primeira vez que foram transmitidas, em direto, para Cabo Verde, nomeadamente para o Hospital Agostinho Neto, na Cidade da Praia, e para o Hospital Baptista de Sousa, na Cidade do Mindelo, possibilitando aos seus profissionais, no âmbito do quadro da afiliação, estabelecida 2014 com CHLN, o usufruto deste momento formativo; b) decorreu ainda, paralelamente ao programa científico e prático, um concurso de posters científicos, com prémios para os três primeiros posters e possibilidade de publicação dos mesmos trabalhos, na Ata Médica Portuguesa. A sessão de abertura contou com a presença do Dr. Edson Oliveira, Coordenador do Conselho Nacional do Médico Interno, do Dr. João Paulo Farias, Diretor do Internato Médico do CHLN, do Prof. Doutor Fernandes e Fernandes, Diretor do Departamento de Coração e Vasos, Professor Catedrático e antigo Diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), do Prof. Doutor José Manuel Silva, Bastonário da Ordem dos Médicos, do Prof. Doutor Miguel Castanho, Subdiretor da FMUL, do Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do CHLN e Presidente da Comissão de Honra das Jornadas, da Dr.ª Margarida Lucas, Diretora Clínica do CHLN e da Prof.ª Doutora Carmo Fonseca, Presidente do Instituto de Medicina Molecular. O Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração do CHLN, mencionou, na sua intervenção, a importância destas Jornadas e do percurso de sucesso que têm feito, abrindo-se, agora, para outro país de língua e expressão portuguesa, no âmbito da estratégia de internacionalização e enfatizou o esforço e dedicação, levados a cabo pela Comissão Organizadora, e que têm apresentado resultados francamente positivos, bem como tem contribuído para a projeção e prestígio das instituições à qual estão intrinsecamente ligados.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 13


I ENCONTRO DE ENFERMAGEM DE HOSPITAIS Internato Médico do CHLN Salientou ainda, o contributo internacional conferido pelo projeto Patient Blood Management, «Hoje, na abertura do segundo encontro do projeto Patient Blood Management, a convite da União Europeia, em que o Hospital de Santa Maria é um dos cinco hospitais universitários europeus do grupo de trabalho e o único ibérico, tive oportunidade de agradecer aos peritos europeus a sua disponibilidade para enriquecerem os trabalhos das II Jornadas, partilhando o seu saber, as suas experiências e o trabalho em curso para a elaboraçãoo de novas guidelines nesta tão sensível área clínica.” Na sua intervenção, recordou os momentos difíceis passados pela instituição, fruto do contexto económico-financeiro sentido, e enalteceu o esforço feito para manter «(…) a qualidade, e em muitos casos a excelência, mas também conseguimos manter, e reforçar até a inovação tecnológica e terapêutica, manter incentivos para formação no exterior, continuar a apoiar Internos Doutorandos, e estimular a participação em projetos de investigação.» Mais disse, com satisfação, que o CHLN tinha aumentado o número de Internos Doutorandos, bem como há uma crescente participação de Internos em projetos de investigação. Continuando, disse « (…) temos de novo uma política de recursos humanos que permite a renovação da carreira médica,» tendo ainda referido que «(...) até ao final do corrente ano, teremos cerca de 100 novos médicos, muitos deles selecionados pela sua diferenciação técnica ou/e pela sua formação académica. 2016, acrescentou, « (…) será o ano da inovação e desenvolvimento, com a aposta no Centro de Investigação Clínica do Centro Académico de Medicina de Lisboa, para além de outros desafios conjuntos, os quais estou certo que iremos ganhar e que são estruturantes para o futuro do ensino, da formação, da investigação e da prestação de cuidados altamente diferenciados.» Após algumas considerações sobre o futuro da estratégia de cooperação e internacionalização do CHLN, bem como das afiliações em curso com centros hospitalares e de como estas parcerias estratégicas representam um grupo interessante de oportunidades para os Internos da instituição, o Dr. Carlos das Neves Martins finalizou a sua intervenção acrescentando: «Acredito que continuareis a ter orgulho em fazer parte desta ímpar instituição e que a irão sentir sempre como a vossa casa, mesmo que o vosso futuro não passe pelo CHLN.»

Nas palavras do Dr. Nuno Gaibino, membro da Comissão Organizadora, «As II Jornadas do Internato Médico confirmaram a aposta estratégica e ambiciosa na formação pós graduada do Centro Académico de Medicina de Lisboa. Com este evento, realizado por Internos e para Internos, pretendemos manter a excelência na formação médica, demonstrando o compromisso e responsabilidade de fazer parte do maior e melhor Hospital Universitário do país, demonstrando a sua relevância permanente no SNS. As II Jornadas em números traduzem 3 dias consecutivos de sessões e cursos, 517 inscritos para o curso teórico, 20 cursos práticos, 300 participantes em cursos práticos, 2 espaços: Hospital de Santa Maria e Hospital Pulido Valente, representantes de mais de 30 instituições de saúde (Portugal Continental e Regiões Autónomas), um jantar de convívio com 100 congressistas e um concurso de posters originais, com 15 posters aceites e apresentados, com 3 vencedores, com possibilidade publicação em revista indexada - Ata Médica Portuguesa. Por tudo, estamos confiantes que esta atividade constituiu um enorme desafio para o futuro, na perspetiva de fazermos mais e melhor, mantendo os Médicos Internos uma voz ativa no CHLN». As II Jornadas do Internato Médico do CHLN tiveram a chancela da Direção Clínica e da Direção do Internato Médico da instituição, bem como da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e do Instituto de Medicina Molecular (IMM), inserindose no âmbito da atividade do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML). A referência materializada por esta instituição em termos nacionais e internacionais na prestação de cuidados de saúde de elevada diferenciação e complexidade, acrescida da excelência da formação, proporcionada a alunos e internos fez com que surgisse este projeto ambicioso e inovador, continuamente pautado pelo sucesso, e que terá a sua 3º edição de 11 a 13 de novembro de 2016.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 14


IV Simpósio de Enfermagem em Neurologia

LXNorte | NEWS | dez'15 | 15

O Congresso Anual da Sociedade Portuguesa de Neurologia decorreu entre os dias 11 e 14 de novembro, no Sana Lisboa Hotel e, após o êxito dos anos anteriores, contou novamente com a participação dos profissionais de enfermagem, que organizaram o IV Simpósio de Enfermagem em Neurologia, que teve lugar no dia 11 de novembro. A Comissão Organizadora foi constituída pelas Enfermeiras Célia Rato e Adelaide Sousa e a Comissão Científica pelas Enfermeiras Elisabete Chibante e Lourdes Ferreira, do Serviço de Neurologia do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN). A sessão de abertura contou com a presença do Prof. Doutor Victor Oliveira, Presidente da Sociedade Portuguesa de Neurologia, do Enfermeiro José Carlos Gomes, representante do Bastonário da Ordem dos Enfermeiros, da Enfermeira Diretora Catarina Batuca, em representação do Conselho de Administração do CHLN e da Enfermeira Chefe Célia Rato, Presidente do IV Simpósio. Após a sessão de abertura, deu-se início à primeira mesa, moderada pela Enfermeira Supervisora e Adjunta da Direção Ana Paula Fernandes, intitulada «Multidisciplinaridade em Esclerose Múltipla (EM)», onde foi discutida a doença sobre diferentes perspetivas. Nesta mesa foi apresentada a intervenção de enfermagem na aderência e cumprimento do tratamento dos doentes com EM, foi feita uma análise da intervenção do Enfermeiro na recuperação e reabilitação motora, bem como, a avaliação e reabilitação neuropsicológica. Foram ainda abordadas a problemática dos cuidadores e a apresentação dos direitos e benefícios dos doentes portadores desta patologia. Por fim, foi dado o testemunho emotivo por parte de uma doente. Sendo a “multidisciplinaridade”, o tema desta mesa, contou-se com a presença de uma Enfermeira espanhola do Hospital Universitário de la Princesa (Madrid), de Enfermeiros do Centro Hospitalar de São João (CHSJ) e do CHLN, de um Neuropsicológo do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (CHLO) e com a presença de uma Assistente Social do CHLN. Para terminar a manhã, teve lugar uma mesa sobre «Demência: uma epidemia global», moderada pela Prof.ª Graça Melo (ESEL), onde foram abordados os cuidados de enfermagem à pessoa com demência, e sobre a atuação do Enfermeiro face ao internamento de uma pessoa com esta patologia, numa situação de doença aguda. Esta temática foi apresentada por uma Enfermeira do Centro Hospitalar do Algarve. A parte da tarde foi preenchida pela mesa «Acidente Vascular Cerebral: da emergência à reabilitação», moderada pelo Enfermeiro Ricardo Braga do Centro Hospitalar Lisboa Central (CHLC), e que incidiu sobre a Via Verde AVC, as complicações médicas do período pós-AVC, bem como a reabilitação na fase aguda e cardio-respiratória. Esta mesa teve a intervenção de profissionais do Hospital de Vila Franca de Xira, do CHLC, do CHLO e do Hospital Dr. Nélio Mendonça, do Funchal. Antes do encerramento, decorreu a última mesa do dia intitulada “Cuidados Paliativos: Refletir para Cuidar”, moderada pela Enfermeira Chefe Amélia Matos, da Unidade de Paliativos do CHLN. Iniciou-se com uma apresentação sobre as necessidades de cuidados paliativos dos doentes neurológicos com diferentes patologias, seguindo-se uma visão global sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica e a apresentação de um Estudo de Caso onde todos os palestrantes eram Enfermeiros do CHLN. Esta mesa encerrou com o Prof. Manuel Luís Capelas, Presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, que fez uma abordagem sobre a interação e integração dos Serviços de Cuidados Paliativos no sistema de saúde português. Na sessão de encerramento foi efetuado o balanço deste IV Simpósio, que se revelou um sucesso, sobretudo pela forte participação de Enfermeiros de todo o país e pela qualidade científica dos trabalhos apresentados. Segundo a Presidente do Simpósio e o Presidente da Sociedade Portuguesa de Neurologia «Esta é uma experiência que tem vindo a crescer de ano para ano, tendo começado há quatro anos com cerca de 50 inscritos e este ano contando com cerca de 150, um motivo forte para continuar a ser realizado nos próximos anos».


2ªReunião do Conselho Consultivo do CHLN No passado dia 11 de novembro decorreu nas instalações do Conselho de Administração, a 2.ª reunião do Conselho Consultivo do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN). Nesta reunião e sob a presidência da Eng.ª Esmeralda Dourado, estavam todos os membros do Conselho de Administração do CHLN, acompanhados pelos técnicos responsáveis pelo apoio ao órgão, no qual, para além de personalidades de reconhecido mérito da área da saúde, estão representados os Funcionários, os Voluntários, os Utentes, a Administração Regional de Saúde e o Município de Lisboa. Ao longo dos vários pontos constantes da ordem de trabalhos, foram sendo apresentados, detalhadamente, os resultados e a atividade desenvolvida de janeiro a outubro do corrente ano, e comparados com os períodos homólogos de 2013 e 2014. Para além destes resultados, foram ainda apresentados os quadros de benchmarking, interno e externo, que permitem visualizar o posicionamento do CHLN face às outras unidades hospitalares universitárias análogas. Foi igualmente apresentado e apreciado o ponto de situação em termos de política estratégica de inovação, bem como de cooperação, internacionalização e parcerias, que tem sido pautado pelo rigor e pelo sucesso, face aos inúmeros desafios planeados. Foi mais um momento de interação, de partilha e de envolvimento do Conselho Consultivo na vida hospitalar do CHLN, nos desafios em curso e futuros, que usufruiu de pertinentes intervenções e contributos dos seus membros, indispensáveis para o reforço das boas práticas de governação e estímulo da participação ativa na vida da instituição.

Prof. Doutor Fausto Pinto agraciado com Honoris Causa Foi atribuído no passado mês de novembro ao Prof. Doutor Fausto Pinto, Diretor do Serviço de Cardiologia do CHLN, Diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e Professor Catedrático de Cardiologia, o Doutoramento Honoris Causa, pela Universidade de Semmelweis, em Budapeste, Hungria. A distinção do grau de Doutor Honoris Causa, feita por aquela Universidade, visou enaltecer o brilhante percurso profissional e académico do Professor Fausto Pinto e representa uma enorme honra e orgulho para esta instituição. A cerimónia de entrega das insígnias teve lugar no dia 13 de novembro de 2015, na referida universidade húngara. Nas palavras do Prof. Fausto Pinto «Foi uma honra receber este Doutoramento Honoris Causa pela Semmelweis University de Budapeste e partilho esta distinção com a minha família, com a minha Universidade e com o meu país. Foi um privilégio ter a Prof.ª Bela Merkely enquanto minha orientadora local e quero igualmente enaltecer e agradecer a presença da Embaixada Portuguesa na Hungria, na pessoa da Dr.ª Maria José Morais Pires.» O Conselho de Administração do CHLN deu os parabéns ao Prof. Doutor Fausto Pinto por mais esta distinção, que honra o país e da medicina portuguesa.

LXNorte | NEWS | dez’15 | 16


I ENCONTRO DE ENFERMAGEM DE HOSPITAIS II Jornadas de Psicologia do Hospital de Santa Maria – CHLN

Subordinadas ao tema «Saúde Psicológica e Doença em Contexto Hospitalar», decorreram no dia 13 de novembro de 2015, as II Jornadas de Psicologia do Hospital de Santa Maria/CHLN, contando, pela primeira vez, com a participação do Hospital Agostinho Neto, na Cidade da Praia, e do Hospital Baptista de Sousa, na Cidade do Mindelo, através da transmissão em direto de todo o programa. Na parte da manhã foram abordados aspetos relacionados com a saúde psicológica e a doença, ligados à prática clínica e ao acompanhamento por equipas multidisciplinares, dos doentes e famílias seguidos em contexto hospitalar e foram realizadas duas mesas redondas, subordinadas aos temas «Doença Crónica e Doença Aguda» e «Intervenção na Crise», e uma conferência sobre «Bem–Estar Psicológico: Os desafios da Era da Prática baseada na Evidência». A sessão de abertura, moderada pela jornalista Dulce Salzedas, fez a transição para a temática da saúde psicológica dos profissionais, com «Conversas Trocadas: Stress e Burnout», um debate de ideias que contou com a presença do Dr. Francisco George, Diretor-Geral da Saúde, do Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração do CHLN e do Prof. Dr. Samuel Antunes, Vice-Presidente da Ordem dos Psicólogos Portugueses.

LXNorte | NEWS | dez'15 | 17

Da parte da tarde, iniciaram-se as sessões paralelas com as Comunicações Livres e um Grupo de Trabalho intitulado «Saúde Psicológica dos Profissionais». Decorreu ainda, um Workshop subordinado ao tema «Stress-Less: Trabalho com Bem-Estar». O programa científico ficou concluído com o painel de discussão dos trabalhos da tarde, sobre a «Promoção da Saúde Psicológica em Contexto Hospitalar», seguindo-se a sessão de encerramento e respetiva entrega de prémios para as melhores comunicações e cartazes científicos. O programa científico das Jornadas confirmou as elevadas expectativas face à atualidade e relevância do tema, abordado por profissionais e académicos de várias instituições. Estiveram presentes na Aula Magna, cerca de 270 participantes, de diferentes zonas do Continente e Ilhas e de diversas áreas profissionais. O encontro contou com o patrocínio científico da Ordem dos Psicólogos Portugueses e as III Jornadas de Psicologia do Hospital de Santa Maria/CHLN estão previstas para o dia 11 de novembro de 2016.


Presidente do CA recebe a visita do SRS dos Açores No passado dia 13 de novembro, o Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), Dr. Carlos das Neves Martins recebeu, o Senhor Secretário Regional de Saúde (SRS) dos Açores, Dr. Luís Mendes Cabral. Na reunião de trabalho sequente a uma outra, realizada recentemente na Cidade de Angra do Heroísmo foi efetuado um balanço da cooperação e apoio que o CHLN tem dado à Região Autónoma dos Açores, com francos impactos positivos na política de saúde daquela região insular e no desenvolvimento da capacidade instalada das suas unidades hospitalares. Foram igualmente encetadas, nesta reunião, as avaliações das prioridades para o plano de ação de 2016 com a Secretaria Regional e o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira , envolvendo outras entidades, já parceiras estratégicas institucionais do CHLN.

Ágora- “Centros Hospitalo-Universitários & Investigação Clínica” Esta sessão que teve lugar no dia 20 de novembro, no Instituto para a Investigação Interdisciplinar da Universidade de Lisboa e contou com a presença do Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), bem como da Dr.ª Ana Torres, Diretora Geral da Pfizer’s Portugal Country Manager & Global Innovative Pharma Head, e o debate foi moderado pelo Prof. Doutor Rogério Gaspar, Vice-Reitor da Universidade de Lisboa. Na sua intervenção, o Dr. Carlos Neves Martins, salientou que, «Numa vertente de parceria, procuramos contribuir para que a indústria deslocalize, para Portugal, determinados ensaios clínicos e temos um outro desafio, que posso desde já antecipar: estamos a trabalhar, desde finais do ano passado, com os Açores, com a Madeira e com Cabo Verde para conseguirmos ter ensaios partilhados, ou seja, convidarmos os nossos parceiros a estimular a indústria para realizarmos ensaios clínicos com doentes na Madeira, nos Açores, em Cabo Verde e no CHLN, com equipas mistas.» Referiu ainda a importância da inovação terapêutica, afirmando que, «De facto temos um caminho a percorrer também na inovação tecnológica. Por isso mobilizamos vontades e construímos um projeto conjunto para Lisboa, mas também para o país que temos entre Faculdades, Hospitais Universitários, Laboratórios e o Instituto Superior Técnico, o que vai ser muito importante para anteciparmos algumas soluções, designadamente, através de um centro de competência e excelência para a investigação e desenvolvimento de terapias celulares e genética avançada, de uma área de tecnologia avançada de simulação e de bioimagem. Basicamente, ficaremos capacitados para avançar com soluções nas doenças cerebrais, nas doenças cardiovasculares e diabetes, nas doenças oncológicas e nas doenças reumáticas e musculo esqueléticas. (…) Estamos a trabalhar hoje para aquilo que deve ser a sustentabilidade do amanhã e, sobretudo, para conseguirmos atrair mais investimento e atrair os melhores profissionais para projetos de elevado potencial tecnológico e de elevado alcance terapêutico, para conseguirmos assim alcançar crescentes respostas aos problemas do país e anteciparmos soluções para efetivos ganhos de saúde».

LXNorte | NEWS | dez'15 | 18


30 Anos - Unidade de Procriação

Entrevista

Prof. Doutor Calhaz Jorge, LXNorteNews – Será que nos pode fazer uma breve retrospetiva sobre a evolução da Medicina de Reprodução? Prof. Doutor Calhaz Jorge - A reprodução humana foi desde sempre uma preocupação. Quer para os casais que não conseguem reproduzir-se, quer também, para quem tenta ajudá-los e para a ciência em geral. Nos anos 60/70, sofreu um grande avanço em termos de conhecimento do que se passa nas células reprodutoras, e na sua interação, proporcionado sobretudo pelo trabalho do Prof. Robert Edwards e que acabou, tardiamente, por receber o Prémio Nobel em 2010 e digo tardiamente porque infelizmente, já estava muito debilitado e não pôde recebê-lo pessoalmente. O desenvolvimento de uma técnica cirúrgica, a laparoscopia, veio dar a possibilidade de visualizar o interior da cavidade abdominal sem ter que se abrir a parede abdominal. É, portanto, uma técnica com uma agressividade relativamente pequena e que nos dias de hoje é banal, mas que nos anos 60 estava em desenvolvimento inicial, e despoletava muitas reticências na comunidade científica, por parte de quem não apoiava essa técnica cirúrgica. Em suma, a conjugação destes dois fatores, veio permitir a quem tinha desenvolvido os conhecimentos laboratoriais, a possibilidade de juntar as células reprodutivas no laboratório. De realçar, que as células masculinas vêm para o exterior por inerência da natureza. Contudo as células femininas que são internas, passaram a ser colhidas através de laparoscopia, diretamente do ovário. Sem a laparoscopia, era impossível ir buscar de forma útil as células femininas aos ovários. Depois de anos de tentativas surgiu a primeira gravidez por esta via que, infelizmente, resultou em aborto espontâneo. Mas depois, a segunda gravidez resultou no nascimento de uma menina, a Louise Brown - um nome icónico nesta área - a 25 de julho em 1978. Foi a primeira criança do mundo, resultante de uma gravidez com a aplicação destas técnicas e que muito rapidamente se expandiram. Este fenómeno deve-se a uma abertura de espírito e de princípios superior, dos especialistas que desenvolveram as técnicas, e que, em vez de se “assumirem como seus detentores” e pretenderem ser os únicos no mundo a efetuá-las, as difundiram de uma forma generosa e completamente aberta a todos os cientistas que com eles quiseram aprender. Desta forma, ocorreu a sua difusão rápida, primeiro na Austrália, onde surgiu mais cedo ainda que nos EUA, depois um pouco por toda a Europa, e posteriormente o seu sucesso foi-se espalhando pelo mundo todo. E foi assim que os anos imediatamente subsequentes viram acontecer os nascimentos do primeiro bebé australiano, do primeiro bebé americano e subsequentes. Em Portugal, o primeiro bebé gerado por esta via nasceu em fevereiro de 1986, há trinta anos, resultado da laboração de uma pequena unidade de reprodução, instalada em 1985. Foi o resultado da fusão de um espírito especial e de um enorme entusiasmo por parte do Professor Pereira Coelho, o fundador desta técnica em Portugal. A sua estadia em França, onde esteve a fazer a tese de Doutoramento, permitiu-lhe o conhecimento e a aprendizagem das metodologias e, quando regressou a Portugal, conseguiu instalar a técnica na nossa instituição, na altura ainda Hospital de Santa Maria, embora com a componente laboratorial a ser realizada no Instituto Gulbenkian de Ciências. As técnicas clínicas foram feitas aqui, nomeadamente, a cirurgia de aspiração dos óvulos e posteriormente, as células foram transportadas para Oeiras, para o já mencionado instituto, onde a Dr.ª Christiane Arnaut que então lá trabalhava e que aprendeu a metodologia laboratorial para o efeito, deu assim origem às primeiras gravidezes em Portugal. O primeiro bebé português gerado por esta via chama-se Carlos Miguel e nasceu, como já referido em 1986. Acompanhámos assim, de forma quase natural a onda de generalização destas técnicas que se fez sentir pelo mundo. Ainda em 1986, esta primeira fase terminou, e foi possível a própria Fundação Gulbenkian financiar a aquisição de equipamento que permitiu instalar aqui no Hospital de Santa Maria, um laboratório, de dimensões bastante pequenas, localizado no piso do Serviço de Ginecologia, relativamente perto do bloco operatório e desta forma, passaram a realizar-se as técnicas localmente, possibilitando um acréscimo da atividade. Assim, a partir de 1987, e depois de um interregno de quase um ano, recomeçou a atividade sistemática nesta área terapêutica, integralmente realizada no nosso serviço. O marco seguinte que quero realçar ocorreu em 2001, ou seja, desde 1987 a 2001 estivemos confinados a condições laboratoriais muito restritivas. Houve algumas técnicas que se desenvolveram durante este período e cuja execução não era possível por falta de capacidade instalada, isto é, de espaços e de equipamento. Mas a partir de 2001, foi possível a instalação de um novo laboratório, no espaço físico de um novo prolongamento do edifício do hospital, localizado junto das Técnicas de Pediatria. Aí, passámos a ter instalações modernas e houve a possibilidade de aquisição (parcial) de algum equipamento que nos permitiu atualizar as técnicas até então desenvolvidas. Em 2009, houve um programa nacional de financiamento especialmente direcionado para a Procriação Medicamente Assistida, e através dele pudemos substituir equipamentos que estavam obsoletos e deteriorados, atualizando as metodologias laboratoriais.

LXNorte | NEWS | dez'15 | 19


Medicamente Assistida Devo, no entanto, realçar que, desde 2001, estamos sem capacidade de aumentar o número de tratamentos, porque ficámos com um laboratório novo, mas condicionados em termos de ampliação do mesmo. Conseguimos após uma estratégica de maximização e otimização de tudo o que era possível, manter um nível máximo de atuação, que é claramente insuficiente para dar resposta a todas as solicitações que nos são feitas. Após renovados esforços da equipa temos previsto aumentar ligeiramente a nossa capacidade em 2016. Atualmente, no Hospital de Santa Maria, são efetuadas a maioria das técnicas terapêuticas, com algumas exceções que pela sua especificidade são exclusivamente realizadas num único centro público. Embora esta situação não seja a ideal, sabemos que há países financeiramente melhores e consequentemente muito mais bem apetrechados que o nosso, e que também concentram todas a técnicas num mesmo centro, para que a tecnologia tenha número suficiente de casos que justifiquem os equipamentos e maximizem a experiência da equipa. Em termos práticos, estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos pelo nosso Centro de Procriação Medicamente Assistida, que estão em igualdade com a grande maioria dos centros internacionais, e que têm estado genericamente na frente, em primeiro e segundo lugar nos resultados dos centros nacionais. Aqui, devo salientar que a nossa preocupação para lá da melhoria contínua, centra-se na necessidade, com carácter de emergência, do aumento da capacidade de resposta, considerando que as nossas listas de espera têm cerca de um ano e meio. Esta demora é extremamente gravosa, sobretudo para as senhoras com 38 anos, não apenas pela limitação normativa existente (é importante ter em atenção que o SNS não financia tratamentos depois de completados os quarenta anos das senhoras), mas porque essa normativa se baseia na diminuição de eficácia destas técnicas à medida que aumenta a idade feminina. Logo, o ideal é alcançar um tempo reduzido de espera.

LXNorte News - O Professor foi recentemente anfitrião de um congresso mundial, relacionado justamente com a PMA… Digamos que foi um acontecimento paralelo na nossa atividade diária, contudo representativo de um reconhecimento da existência de uma atividade sólida aqui no Hospital de Santa Maria e da iniciativa de um conjunto de pessoas, o grupo organizador e de outros colegas associados (não todos aqui da instituição). Foi realizada uma candidatura a esse evento, um processo complexo e trabalhoso mas depois de convencidas as estruturas dirigentes da sociedade europeia de que existiam condições para receber e correr bem, como aliás felizmente correu espetacularmente bem, quase todos os aspetos práticos e logísticos do congresso foram acautelados e tratados pela Sociedade Europeia. Esta candidatura foi feita por mim e pelo Professor Carlos Plancha, que também trabalha aqui na Faculdade de Medicina. Conseguimos trazer, pela primeira vez, até Lisboa, até Portugal, o maior congresso do mundo na área da Medicina da Reprodução, porque este congresso europeu tem até maior número de participantes que o seu congénere americano. As condições e as infraestruturas apresentadas permitiram esta escolha, e o congresso de 2015 foi o mais participado de sempre na história da Sociedade Europeia de Medicina da Reprodução.

Entrevista

Diretor do Serviço de Ginecologia

LXNorte | NEWS | dez'15 | 20


30 Anos- Unidade de Procriação Prof. Doutor Calhaz Jorge,

Entrevista

LXNorte News - E quanto participantes teve? Cerca de 10.200, quase 10.300. É claro que foi muito gratificante para toda a equipa. Marca, de facto, um reconhecimento internacional do nosso trabalho, do rigor do desenvolvimento das nossa técnicas e da nossa capacidade, de acordo com as infraestruturas e meios disponíveis, e que contribui, obviamente para projetar também o nome da nossa instituição. Devo realçar que, houve alguns momentos intrinsecamente ligados à instituição, por exemplo, no caso da cirurgia. A sessão de cirurgia ao vivo, que incluiu as cirurgias endoscópicas a que há pouco me referia, foi transmitida a partir do Bloco Operatório do nosso centro hospitalar. Tradicionalmente, o programa científico comtempla uma manhã de cirurgias que consiste na transmissão ao vivo de intervenções, embora alguns dos cirurgiões fossem estrangeiros, no nosso caso, tivemos o prazer de ter vários membros do nosso serviço a participar nas intervenções, um deles até na qualidade de cirurgiã principal, a Dr.ª Filipa Osório. Sentimos que a esse nível houve também um claro reconhecimento concreto e prático do trabalho que desenvolvemos. É devido um grande agradecimento aos decisores da nossa instituição, que de imediato reconheceram a importância desta participação e a autorizaram, bem como aos colegas de outros serviços, que permitiram o uso de tempos operatórios que lhes estavam destinados naquela manhã. LXNorteNews – Será que nos pode falar um pouco da sua equipa? Para lá dos nomes já mencionados, como o Professor Pereira Coelho, que foi reconhecido institucionalmente e que teve como o seu braço direito, durante os primeiros anos, a Dr.ª Beatriz Arraiano (porque os atos cirúrgicos então necessários para a recolha dos ovócitos não podem ser realizados por uma só pessoa e ocorrem praticamente em todos os dias da semana). Houve também a necessidade de estabelecer metodologias laboratoriais e de doseamentos hormonais, que na altura não existiam e que foram realizados no então Instituto de Química Fisiológica, com o Professor Manuel Bicho e suas colaboradoras. Para todo o processo foi muito importante o apoio dos membros da estrutura de enfermagem, do qual destaco a Enfermeira Reis, em nome de toda a equipa. Quando foi concretizada no Hospital de Santa Maria a estrutura laboratorial, passou a existir uma equipa de duas embriologistas clínicas, a Dr.ª Isabel Cordeiro e a Dr.ª Fernanda Leal (esta ainda hoje em funções), e que foram durante dezoito anos as únicas embriologistas do serviço, o que significa que estavam de serviço fim-de-semana sim, fim-de-semana não, esforço que só muito tardiamente lhes foi reconhecido e retribuído pela instituição. Posteriormente, foram sendo integrados novos membros para a equipa, dos quais sou o mais antigo neste momento. Ingressei em 1987 e fui assistindo à passagem pelo serviço de alguns colegas, que entretanto saíram, como foi o caso das Dras. Beatriz Arraiano, Madalena Barata e, recentemente, Ana Paula Soares. Neste momento, o grupo clínico é composto por cinco membros, não contando comigo, pois as funções de direção que desempenho em relação a todo o serviço retiram-me muito tempo para poder assumir uma prática clínica relevante. A equipa clínica está não só vocacionada para fazer estas técnicas, como para realizar tudo o que diz respeito à medicina da reprodução, e que passo a enumerar: consultas, cirurgias, ecografias da área da reprodução, para além, claro, de todos os atos referentes às inseminações e fertilizações in vitro ou microinjeção, as técnicas mais complexas por nós concretizadas. Atualmente, no laboratório, temos uma equipa de três profissionais, o que está relativamente adequada para aquilo que podemos fazer. Na possibilidade de ampliar o laboratório, teríamos obviamente que adquirir mais equipamento e por inerência, de recrutar mais profissionais. Como já atrás referi, a atividade da equipa encontra-se, neste momento, maximizada ao limite e muitas vezes, é mesmo necessário que seja eu a “assumir a retaguarda” quando há impedimentos inesperados, congressos ou férias. Mas, apesar do esforço temos conseguido manter a nossa produção.

LXNorte | NEWS | dez'15 | 21


Medicamente Assistida LXNorteNews - Será que nos pode falar de forma genérica da atividade assistencial do serviço? Em média são efetuados, por ano, cerca de 8 mil consultas, cerca 200 intervenções cirúrgicas (houve um decréscimo, nos últimos anos, por causa dos problemas da anestesia, transversais a toda a instituição), são executadas cerca de 2.500 ecografias, e temos um conjunto de atos diagnósticos específicos (sobretudo radiológicos), que são cerca de 200 e que são feitos maioritariamente por médicos internos. Temos sempre internos em formação, quer da instituição quer sobretudo de fora, uma vez que é obrigatório no internato da especialidade, três meses dedicados à Medicina de Reprodução, e existem poucos centros que, como o nosso, cumpram os critérios de idoneidade formativa. Assim, recebemos internos provenientes desde o Funchal a Évora. Em termos de técnicas são, genericamente, cerca de 200 inseminações intrauterinas (ou inseminações artificiais) por ano, e cerca de 320 fertilizações in vitro ou microinjeções por ano. Concluindo, estes são os resultados oficiais que apresentamos, com uma lista de espera que ronda um ano e meio para a técnica, e cerca de dez meses para a primeira consulta, embora estejam definidos critérios de prioridades, etários, ou relacionados com situações clínicas, que nos são dadas a conhecer através de um inquérito prévio adequado e adaptado que é feito ao casal. LXNorteNews - Focando agora no exemplo de um casal que pretende ter um bebé… Durante quando tempo, em média, um casal é acompanhado pelo Centro ? Não é possível apontar uma média porque existem muitos fatores condicionantes. Por exemplo, se casal tem uma infertilidade porque a senhora não ovula e nós, através de tratamentos relativamente simples, ao fim de quatro, cinco, seis meses, conseguimos obter uma gravidez é um caso diferente de, por exemplo, se o casal necessita de técnicas, que têm o tempo de espera que referi, e que não resultam sempre, mesmo com resultados muito bons (cerca de 40% dos tratamentos começados resultam em gravidez). Temos igualmente que considerar que nem todas as gravidezes correm bem e terminam em parto, o que quer dizer que existe um número considerável de casais que têm que repetir o tratamento e, entre um tratamento e o tratamento seguinte, existe um período de cerca 6 a 8 meses, em que aguardam para que possamos responder à lista existente de quem está à espera para efetuar o seu primeiro tratamento. Existe por isso uma clara diversidade. Mas se um casal entrar e tiver indicação para uma destas técnicas complexas e esperar um ano e meio e resultar em parto; estamos a falar de 3 ou 4 meses para ter a consulta, acrescido de um ano e meio para efetuar o tratamento, e se resultar, os 9 meses para ter a criança. O tempo em que permanecem na consulta pode ser extremamente variável. Se for um casal que não engravide no primeiro, nem no segundo, nem no terceiro tratamento, pode ser por nós acompanhado quatro a cinco anos, desde que não seja atingido o limite etário da senhora, os quarenta anos. Do ponto de vista prático, depende do insight e depende do empenhamento e do desejo dos casais. Porque existem casais que fazem o primeiro tratamento e quando este não resulta, consideram que é legítimo encerrar o processo e existem os que fazem todos os tratamentos possíveis, e até fariam mais, se houvesse essa possibilidade. Contudo, para lá do limite etário, o SNS financia apenas três ciclos de tratamento por casal. Em suma, não são possíveis médias, depende do casal, da patologia e da alternativa terapêutica necessária.

Entrevista

Diretor do Serviço de Ginecologia

LXNorte | NEWS | dez'15 | 22


30 Anos Unidade de Procriação Medicamente Assistida

Entrevista

(Continuação)

LxNorte News - Em Portugal, quais são as principais causas de infertilidades? Cada vez existem mais artigos que dizem que o estilo de vida, o stress, a que somos submetidos, o tempo passar muito rápido e que isso seria um fator muito grande de infertilidade. Eu não diria que o stress seja em si um fator, mas a questão do tempo passar muito rápido é sinónimo de se querer engravidar em idades tardias e isso, sim, é um problema. Em termos comportamentais, há um conjunto de fatores, como o aumento de doença por transmissão sexual, e que pode resultar em obstrução das trompas e infertilidade futura, ou os problemas de largo espetro mundial, como a obesidade, o tabagismo etc. Regressando às implicações da idade quando se projeta engravidar, realço que temos connosco muitas senhoras que pretendem engravidar aos 40 ou depois do 40, e isso não é fácil, pois as probabilidades de êxito terapêutico são muito reduzidas. Porque o que está em causa é a idade das suas células reprodutivas. Enquanto no sexo masculino as células reprodutivas são produzidas continuamente ao longo da vida, no sexo feminino, as células já estão nos ovários quando as meninas nascem, o que significa que vão (embora sendo células resistentes), diminuindo a sua eficácia reprodutiva à medida que aumenta a idade das senhoras. Essa curva de diminuição de eficácia reprodutiva, torna-se muito visível depois após os 35, 38 anos, e é muito mais patente após 40. O stress, em si, não perturba a capacidade de engravidar, se não perturbar as ovulações ou as relações sexuais do casal. Contudo, se o casal não tem disponibilidade para ter vida sexual regular, porque chega muito cansado, todos os dias, a casa, não será fácil que ocorra gravidez. Portanto, sob esse ponto de vista, o stress do dia-a-dia pode ser muito perturbador, mas na esmagadora maioria das vezes, o mais grave é justamente protelar um projeto parental para idades em que a reprodução já não é tão eficiente. A procura de filhos mais tardia é um fenómeno generalizado a muitas sociedades, o que se traduz no aumento progressivo da idade média em que se tem o primeiro filho. A nossa realidade foi talvez mais brusca, porque não se assistiu a uma transição suave, ao longo de gerações, para a emancipação feminina. Por outro lado, continuamos, erradamente, a penalizar as senhoras que estão grávidas em termos laborais e, sem uma proteção clara à família, há uma tendência para a baixa da natalidade, o que não tem implicações apenas na área da infertilidade, mas atinge o país em geral.

LXNorte | NEWS | dez'15 | 23

LXNorteNews – E quanto ao futuro da Medicina de Reprodução no CHLN? “Quanto futuro, diria, que sou um otimista”, mas penso que o nosso futuro é um pouco preocupante. Porque há metodologias novas a ser instaladas noutros setores e, inclusive, noutras instituições deste país, e nós não temos grandes perspetivas de as conseguir instalar, por constrangimentos físicos do laboratório. Ou seja, não temos ampliação possível e sem mais salas de laboratório, aquilo que é a preservação do potencial fértil nos doentes oncológicos, ou a preservação de ovócitos para as senhoras quando tiverem 40 ou mais anos, ou até a instalação das técnicas de diagnóstico genético (que só existe no Porto), tudo isso nos está cerceado por constrangimentos, não direi financeiros, porque tudo isso tem implicações financeiras, mas físicos, porque temos o laboratório já lotado de equipamentos e a nossa capacidade de resposta esgotada. Depois seria também primordial ultrapassar outras dificuldades funcionais, relacionadas com o aumento do nosso capital humano. Um objetivo permanente é tentar melhorar continuamente os resultados, mas não há expetativas de conseguir muito mais, porque atingimos uma grande rentabilidade da técnica mas neste momento, estamos a diminuir as nossas médias por causa do aumento da idade das senhoras que atendemos. No passado, a percentagem das senhoras com 38 ou mais anos era muito baixa, e agora é cada vez maior, o que significa uma diminuição inerente da eficácia. Portanto, vejo com muita preocupação a nossa incapacidade para reduzir as listas de espera.. LXNorteNews – Existe alguma mensagem que o Professor queira deixar? Estamos orgulhosos do que fazemos, mas muito inquietos com a impossibilidade de responder à população que nos procura. Mas reitero, muito orgulhosos com o que alcançámos nestes 30 anos de atividade e nas nossas taxas de sucesso sistematicamente posicionadas entre os melhores centros nacionais.


Comemoração do Dia Mundial da Diabetes no Hospital Pulido Valente – CHLN O Dia Mundial da Diabetes é a maior campanha de consciencialização sobre esta doença, a nível mundial e foi criado em 1991 pela Federação Internacional da Diabetes e pela OMS, tornando-se, em 2007, a data oficial. Integra campanhas que têm por objetivo focar aspetos distintos, no sentido de minorar as morbilidades desta doença e, por outro lado, prevenir o aparecimento de novos casos. O tema deste ano centraliza-se na alimentação saudável, convergindo para a escolha dos alimentos, no sentido de optar pelos que na sua constituição, têm menos açúcares e são nutricionalmente mais corretos. Sendo um tema direcionado para a alimentação, a equipa de enfermagem das Consultas Externas, associou-se ao Serviço de Dietética e Nutrição do CHLN, no passado dia 16 de novembro. Foi organizado um espaço, na Consulta Externa do Hospital Pulido Valente, muito idêntico a uma mercearia, com exposição de embalagens de produtos (iogurtes, bolachas, bebidas engarrafadas, frutas, farináceos, etc.) para que os utentes fizessem as suas “compras”, lendo os rótulos com ajuda de um profissional de saúde. Foi ainda realizado um rastreio com a avaliação da glicemia capilar. Esta atividade pretendeu, através de uma vertente prática, ajudar as pessoas nas escolhas que têm de fazer nas suas compras de mercearia, seguindo as regras da boa alimentação e os conselhos fornecidos pelos profissionais de saúde, no sentido de controlar melhor os seus níveis de glicémia. Assim, o móbil da campanha passou por informar como ler os rótulos das embalagens dos alimentos, descodificando a mensagem que ali é produzida.

Este ano as comemorações do Dia Mundial da Diabetes no HPV foram apadrinhadas por uma figura pública do futebol português, o guarda-redes do Benfica, Júlio César.

LXNorte | NEWS | dez'15 | 24


Atividades em Pediatria: A Consulta Externa do Departamento de Pediatria do CHLN, recebeu no dia 29 de outubro, a celebração do Halloween ou Dia das Bruxas, que se comemora a 31 de outubro. Um grupo de jovens, acompanhados na Unidade de Dia da Adolescência do Serviço de Psiquiatria, lançou a ideia e propuseram-se a ir brincar com as crianças e jovens da Consulta Externa de Pediatria. O argumento do M, «O Hospital acolheu-nos quando precisámos, e nós gostaríamos de dar algo em troca», deixou a equipa sem palavras… A equipa abraçou a ideia com entusiasmo e todos os elementos, crianças, jovens e pais, terapeuta ocupacional, educadoras, enfermeiros e assistentes operacionais, estiveram na Consulta Externa de Pediatria, durante uma manhã, com um fantasma, uma bruxa, um zombie e um diabo, a contar histórias, pintar, criar crachás e personagens para habitar uma grande cidade fantasma. Mais do que uma manhã de brincadeira, foi uma manhã diferente, expressa nas opiniões que deixaram registadas: «Adorei fazer parte desta iniciativa. Nunca me senti tão realizada enquanto pessoa. Tenho a agradecer a todos os que tornaram esta experiência possível para mim e para o meu grupo (Unidade de Adolescência). Um especial obrigado à Unidade de Pediatria por terem confiado e acreditado em nós. Realmente, não há nada neste mundo que bata o sorriso de uma criança. Que manhã tão enriquecedora. Sinto-me verdadeiramente feliz!» T. - Personagem «bruxa» «Agradeço a disponibilidade e a prontidão dos recursos humanos e materiais para trazer alguma alegria e orgulho aos mais pequenos. Senti-me muito cansado ao longo do tempo com as adversidades e dificuldades que ia encontrando mas de certeza que foi uma experiência positiva para todos.» M. - Personagem «fantasma» «Eu gostei muito desta atividade do dia das bruxas especialmente do zombie, eles eram muito simpáticos para nós e fiz muitas coisas fixes, fiz um crachá do Sonic e colaborei com o cartaz de Halloween, uma caveira, um gato preto, um fantasma «Mais cinco» e uma aranha. Gostei muito de tudo.» Leonardo

Segundo os responsáveis por esta iniciativa, foi uma verdadeira partilha, entre as crianças, as famílias e os profissionais das várias carreiras, habitualmente com vidas próprias, independentes, e onde se provou que é possível abrir as portas dos espaços e fazer coisas diferentes, inventando estratégias, que são terapêuticas e indiscutivelmente satisfatórias, para os jovens utentes e também, para os profissionais.

LXNorte | NEWS |nov’ 15 | 25


Halloween e PeddyPapper Por ocasião do Dia Mundial da Diabetes, o Departamento de Pediatria do CHLN organizou um PeddyPaper, destinado a crianças/jovens com diabetes tipo 1 e suas famílias, em parceria com o Serviço de Dietética e Nutrição do CHLN, através da Consulta Externa de Diabetes da Pediatria.

Deixamos aqui o testemunho, em discurso direto, pela Consulta Externa de Pediatria e pelo Serviço de Dietética e Nutrição deste dia memorável: «14 de novembro, Dia Mundial da Diabetes novamente. Mais uma vez o Departamento de Pediatria do CHLN, não deixou passar a data em branco. Esta vez a ideia partiu do Rui: «E se fizéssemos um Peddy Papper?» E foi um “mãos à obra”: Educadoras, Enfermeiras, Dietista e Médicos da equipa de profissionais que acompanham estas crianças e famílias, juntaram-se para organizar um dia que foi memorável. Que áreas privilegiar? Para um Peddy Papper tem que estar o exercício físico, e junto com ele a alimentação. E chega. Mais uma vez a imaginação teve o papel principal, de mãos dadas com o trabalho de toda a equipa. As equipas participantes foram 22, tantas quantas as famílias; sim porque esta coisa da Diabetes é sem dúvida alguma, da família. Num percurso que começou e acabou na Consulta Externa quase todo o recinto exterior do Hospital foi percorrido, pela quase uma centena de grandes e pequenos. Objetivos: Com as pistas, descobrir e passar por todos os pontos, responder às perguntas, sobre exercício físico e alimentação, e aprender umas coisas da história do Hospital, da Saúde, da Medicina, da Arte. etc.. A torre de azulejo desenhada e oferecida por Thomas Schittek, junto ao dragoeiro símbolo emblemático, centenário associado à saúde, passando pelo Prémio Nobel da Medicina. Fazer umas contas e mexer, sempre a mexer. Foi o espírito de família que prevaleceu. No cumprimento de cada tarefa em cada ponto, quando os mais pequenos desistiam, ou a dificuldade espreitava, os mais velhos avançavam. Nada ficou por fazer e tudo com muito boa disposição e alegria. Para terminar e recuperar as energias perdidas, esperavam-nos um lanche convívio, sem nunca esquecer as contas…desta vez dos doces! No final, missão cumprida. Até para o ano».

O Serviço de Dietética e Nutrição do CHLN participou neste evento, em parceria com a Consulta Externa de Diabetes do Departamento de Pediatria. A alimentação tem um papel fundamental na prevenção e controlo da diabetes, deste modo neste âmbito, foram elaborados diversos jogos didáticos, a saber:

- Perguntas sobre alimentação saudável e alimentação na diabetes tipo 1 em cada "posto“; - Sopa de letras com palavras que constituem uma alimentação saudável; - Educação alimentar, com um "posto" com a roda dos alimentos, em que o objetivo era colocar na mesma os alimentos corretamente ; Este tipo de iniciativas promotoras de bons estilos de vida, fora do contexto da Consulta são de extrema importância, uma vez que proporcionam às crianças e jovens com diabetes tipo 1 um dia diferente de convívio e simultaneamente, alertar para a importância de uma alimentação saudável, segundo afirmou o Serviço de Dietética e Nutrição.

LXNorte | NEWS |nov’ 15 | 26


Conferência do MESCI de Cabo Verde na Aula Magna O Prof. Doutor António Correia e Silva, Ministro do Ensino Superior, da Ciência e da Inovação (MESCI) de Cabo Verde . proferiu, no dia 18 de novembro, na Aula Magna da FMUL, uma Conferência com o título “Cabo Verde: os desafios da formação e investigação em ciências da vida e da saúde num microestado arquipelágico em transição demográfica, epidemiológica e de modelo de desenvolvimento”. O Prof. António Correia e Silva tem sido uma figura incontornável no desenvolvimento do ensino superior em Cabo Verde, onde foi Presidente da Comissão Nacional que esteve envolvida na instalação da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), e foi depois eleito como seu primeiro Reitor. Na sua apresentação, o Prof. António Correia e Silva referiu a importância que o ensino superior tem na sociedade cabo-verdiana, sendo um dos seus vetores estratégicos, para a afirmação do capital humano e promoção da economia do conhecimento. O convite para esta Conferência surgiu no âmbito das parcerias estabelecidas desde 2014 entre o CAML e o CHLN com instituições de Cabo Verde e tendo presente o plano estratégico de cooperação e internacionalização, em preparação para o triénio 2016/2018. Considerando que o Curso de Medicina em Cabo Verde iniciou-se este ano, esta visita teve ainda o objetivo de estreitar relações com o Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML) e conhecer o modo de funcionamento de um hospital universitário com uma grande componente de investigação, como é o caso do Hospital de Santa Maria

Durante a hora geralmente destinada ao almoço, o CAML proporcionou a convidados externos, a profissionais do CHLN, a docentes e a alunos da Faculdade de Medicina, uma entusiasmante palestra sobre realidades e desafios que a sociedade cabo-verdiana enfrenta nas áreas da educação, da ciência e da saúde, muitos deles em parcerias com instituições portuguesas.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 27


Dia Mundial da DPOC assinalado no CHLN No âmbito da celebração do Dia Mundial da DPOC realizou-se no dia 18 de novembro 2015, no átrio da Central de Consultas do Hospital de Santa Maria/CHLN, um conjunto atividades, dirigidas aos utentes e organizado pela equipa de enfermagem do Serviço Pneumologia tendo contado, contou com a intervenção de Enfermeiros, de Técnicos Cardiopneumologia e de um Técnico de Avaliação de Monóxido de Carbono.

de de de de

No rastreio, foram contemplados a avaliação de espirometria; a avaliação de monóxido de carbono, o preenchimento de um questionário de avaliação de sintomatologia da doença respiratória, e ainda a disponibilização de conselhos de educação para a saúde. No total, foram realizados 75 rastreios, salientando-se os seguintes dados: •61% do sexo feminino e 39% do sexo masculino; •53% apresentam idade compreendida entre 51 e 70 anos; •79% pessoas são não fumadoras e 21% são fumadoras. Das 75 espirometrias realizadas, 90% apresentaram valores normais, 6% valores restritivos e 4% obstrutivos, assim como após avaliado o monóxido de carbono a 15 fumadores, detetou-se que 67% destes apresentaram valores superiores a 6 ppmm, tendo o último cigarro sido fumado há mais de 1 hora. Igualmente destaca-se o facto do Serviço de Dietética e Nutrição (SDN) do CHLN do HSM se ter associado a estas comemorações, dado que a evolução da DPOC pode trazer inúmeras complicações com consequências no estado nutricional dos utentes. O tratamento da DPOC inclui uma série de medidas, que vão desde as de carácter profilático, até as destinadas à correção das alterações, provocadas pela doença. Um programa terapêutico abrangente, que inclua o acompanhamento nutricional pode aliviar os sintomas, diminuir a frequência dos internamentos hospitalares, evitar a morte prematura e permitir aos utentes uma melhor qualidade de vida. Uma intervenção nutricional individualizada é muito importante e deve ser instituída o mais precocemente possível, a fim de proporcionar aos utentes uma melhoria do estado nutricional, da função imunológica, da função muscular respiratória e da tolerância à atividade física . A participação da equipa do Hospital ed Santa Maria do SDN nas comemorações deste dia, foi feita através da elaboração de um vídeo e de um folheto informativo sobre a importância da alimentação nesta doença, sobre os mitos alimentares associados e algumas dicas alimentares para um estilo de vida mais saudável.

LXNorte | NEWS | dez'15 | 28


A Qualidade Eng.ª Maria das Dores Capucho, O que é a Qualidade em Saúde? A sua avaliação foi desenvolvida por Avedis Donabedian através de um quadro conceptual estruturado a partir dos conceitos de estrutura, processo e resultado, correspondentes à tríade da Teoria Geral dos Sistemas, composta por inputprocess-output. Neste conceito são considerados sete, os pilares que suportam a qualidade em saúde: a qualidade, a efetividade, a eficiência, a otimização, a aceitação, a legitimidade e a equidade. A LxNorte News foi ouvir a Eng.ª Maria das Dores Capucho, Gestora de Qualidade do CHLN falar sobre a evolução da certificação na instituição.

LXNN – Quando se iniciou o processo de certificação dos serviços no CHLN? Eng.ª Maria das Dores Capucho - Parece-me importante dizer que o Hospital Pulido Valente iniciou em 2005, um processo de acreditação pela Joint Commission International (JCI), de acordo com decisão da Administração da altura, sob orientações da Unidade de Missão dos Hospitais S.A. Este projeto desenvolveu-se ao longo de 2 anos e meio, através de vários grupos de trabalho que elaboraram documentação no sentido de assegurar o cumprimento de aproximadamente 1.000 normas, distribuídas por 11 grandes temas (de acordo com a versão do Modelo à data), centrados no utente e na gestão da organização. Este modelo foi inicialmente aplicado nos Hospitais da América do Norte e posteriormente revisto e adaptado para aplicação a nível mundial, muito direcionado para as instituições da Saúde e nos quais os profissionais facilmente se reconhecem, pela sua clareza, objetividade e detalhe, abrangendo a organização no seu todo. Posteriormente, quando o HPV passou a integrar o Centro Hospitalar Lisboa Norte, houve um período de reflexão sobre o desenvolvimento do projeto da qualidade, englobando agora as duas unidades hospitalares, como um todo. Na altura, e considerando o trabalho já desenvolvido em alguns serviços, abriram-se as portas para a concretização da certificação por serviços, deixando para uma fase posterior a certificação global da instituição. O documento de referência, passou a ser neste caso, a Norma ISO 9001 (Sistemas de Gestão da Qualidade. Requisitos), internacional, aplicável a todo o tipo de organizações e base de todos os conceitos de gestão da Qualidade que surgem nos restantes modelos de gestão da qualidade posteriores.. O Presidente do Conselho de Administração, na altura o Dr. Adalberto Campos Fernandes, promoveu uma “onda de certificação” junto da instituição, com o lançamento simultâneo de cerca de vinte projetos de certificação de Serviços no CHLN. O primeiro Serviço a ser certificado foi a Imagiologia Geral do HPV. Seguiu-se o Serviço de Imunohemoterapia do HSM no primeiro ano, tendo sido solicitada a extensão às instalações no HPV, no ano seguinte. Seguiram-se o Centro de Procriação Medicamente Assistida e o Serviço Social. Este último de acordo como o Modelo EQUASS (European Quality in Social Services) específico para instituições de carácter social, tendo sido o primeiro serviço hospitalar, em Portugal a obter este reconhecimento. Neste momento, temos dez serviços certificados, quatro serviços em vias de certificação e alguns projetos a decorrer.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 29

LXNN – Como descreve a sua função atualmente? Atualmente, funciono basicamente como uma consultora/formadora/auditora interna, dando apoio técnico na implementação dos sistemas de gestão da Qualidade, de acordo com as necessidades e solicitações dos diversos Serviços envolvidos. No início de cada projeto, em conjunto com o grupo de trabalho nomeado para o efeito é necessário identificar os processos chave do Serviço, na ótica dos utentes. Num serviço clínico, os grandes processos de prestação de cuidados serão, por exemplo: processo de Consultas Externas; processo de Cuidados Intensivos; processo de Hospitais de Dia; processo da Unidade de Técnicas, obviamente todos adaptados às condições particulares de cada Serviço. Estes processos são descritos em procedimentos, contemplando desde a chegada do doente até ao seu posterior encaminhamento. Ou seja, o percurso do doente no Serviço, está perfeitamente clarificado e definido, muitas vezes esquematizado sob a forma de fluxogramas para facilitar o seu seguimento.


em Entrevista: Gestora da Qualidade Exemplo de um processo de uma Unidade Técnica:

.

São nomeados responsáveis (gestores de processo) por cada processo chave, que devem assegurar a monitorização dos mesmos. A metodologia seguida para todos os projetos é: a) Nomeação do grupo coordenador (envolvimento das chefias dos vários grupos profissionais que atuam nesse Serviço) e indicação dos subgrupos de trabalho; b) Realização de levantamento da situação do Serviço face à norma de referência (auditoria de diagnóstico); c) Elaboração do cronograma dos trabalhos previstos; d) Sensibilização de todos os colaboradores nos conceitos de Sistemas de Gestão da Qualidade; e) Formação dos elementos dos grupos de trabalho na Norma ISO 9001; f) Elaboração/revisão/validação da documentação de suporte ao SGQ g) Implementação do SGQ; h) Formação de Auditores internos do Serviço; i) realização Auditorias internas, j) auditoria da entidade certificadora externa . Ao longo deste processo temos contado sempre com o apoio do Centro de Formação do CHLN na realização dos «Cursos de Auditores Internos», o que permite a qualificação dos colaboradores para realizar auditorias nos Serviços, dando cumprimento a um requisito mandatório da norma ISO. Neste momento, o CHLN dispõe de um grupo considerável de colaboradores qualificados, cerca de cinquenta, já com bastante experiência, alguns dos quais, realizam além de auditorias no próprio Serviço, também noutros Serviços, integrados em equipas mistas, o que na minha opinião potencia a partilha de experiências e a consolidação dos conhecimentos. Constituem o núcleo de uma bolsa de auditores internos da Qualidade do CHLN. LXNORTE News - Qual é o feedback que tem tido dos Serviços? Existe um claro reconhecimento da importância do processo de certificação, nomeadamente numa “arrumação da casa”, mas sobretudo na disponibilização de indicadores que permitem fazer uma monitorização mais objetiva e atempada das atividades. As chefias estão envolvidas nos grupos da Qualidade, sendo inclusive a sua presença mandatória na reunião de revisão do Sistema de Gestão da Qualidade onde é feito o balanço anual do mesmo. Contudo é fulcral que todas os colaboradores envolvidas no processo percebam e sintam a importância de cumprir os requisitos do sistema da Qualidade. LXNORTE News - O que distingue um Serviço certificado? Basicamente, uma clarificação da organização, uma maior sistematização nos procedimentos/práticas, e a capacidade de atuar de forma rápida perante os problemas. A partir do momento em que um problema é identificado no Serviço, é obrigatório analisar a situação, encontrar as causas e propor medidas corretivas. Um sistema de gestão da qualidade tem como pilar o conceito da melhoria contínua de processos e de resultados, o que leva a repensar a organização das atividades no serviço, por um lado e, por outro lado, a definir uma série de indicadores, de acordo com os objetivos anuais em termos da qualidade, e respectivas metas. Periodicamente, (pelo menos semestralmente e a maior parte deles, no trimestralmente) são feitos pontos de situação e se necessário, lançadas as ações de melhoria. Em suma, temos à disposição uma ferramenta de apoio à gestão do Serviço. XNorte | NEWS |dez'15 | 30

L


A Qualidade LXNORTE News – Quantos gestores da Qualidade existem em todo o hospital e qual a sua importância nos serviços ? Qual é o trabalho que desenvolvem? Com a designação de Gestor da Qualidade existe, pelo menos, um colaborador por cada Serviço certificado. Existem estruturas ligeiramente diferentes nos vários Serviços, muito de acordo com a natureza dos mesmos. A base é sempre um núcleo duro, composto por um Gestor da Qualidade ou Coordenador da Equipa da Qualidade, responsável pela implementação e monitorização do Sistema de Gestão da Qualidade no dia-a-dia. Normalmente, é coadjuvado por cinco a seis colaboradores, de diversos grupos profissionais, que funcionam como pivôs nas várias áreas e que são responsáveis pelos processos de prestação de cuidados mais significativos dentro dos Serviços. São pessoas dinâmicas, muito empenhadas e envolvidas no Serviço e sem as quais não seria possível concretizar todos estes projetos. Sempre que necessário, formam-se pequenos grupos de trabalho, com temas específicos atribuídos (por exemplo: gestão de equipamentos, formação, etc.) ou para elaboração/revisão dos documentos relevantes. Nesta última situação, são formados pequenos grupos temporários com os colaboradores da área em questão, são revistos os procedimentos todos e elaborados os que estão em falta. Posteriormente, são incluídos no Sistema da Qualidade, pelo Gestor da Qualidade, de forma a assegurar o controlo da documentação válida no Serviço. Portanto, é efetivamente, uma estrutura em cadeia e que pressupõe, além do ou dos responsáveis diretos pela Qualidade, a criação de grupos de trabalho temporário, consoante as necessidades sentidas. Projetos do CHLN Certificados pela ISO 9001: SERVIÇO/ UNIDADE

PERIODO DE VALIDADE DA CERTIFICAÇÃO

ÂMBITO DA CERTIFICAÇÃO/ ENTIDADE CERTIFICADORA

Serviço Imuno-Hemoterapia Comissão da Qualidade coordenada pelo Gestor da Qualidade – Dr.ª Anabela Brites

1º ciclo de certificação - 2010 a 2013 2ºciclo de certificação - 2013 a 2016

Prestação de Serviços de Imunohemoterapia em Urgência, Internamento e Ambulatório, no Centro Hospitalar de Lisboa Norte - Hospital de Santa Maria para: Realização de Análises de Imunohematologia, Irradiação e Disponibilização de Componentes Sanguíneos. Consultas de Imunohemoterapia. Técnicas de Plasmaférese e Citafereses Terapêuticas. Técnicas de Colheita, Processamento, Seleção e Criopreservação de Células Progenitoras Hematopoiéticas para Transplantação e Terapia Celular. Transfusões Autólogas. Transfusões de Componentes Sanguíneos, Flebotomias e outras Terapêuticas em Hospital de Dia. Avaliação Clínica e Tratamento de Doentes com Coagulopatias Congénitas.” Prestação de Serviços de Imunohemoterapia em Urgência, Internamento e Ambulatório, no Centro Hospitalar de Lisboa Norte - Hospital Pulido Valente para: Realização de Análises de Imunohematologia, Disponibilização de Componentes Sanguíneos. Consultas de Imunohemoterapia, Hemóstase, Anticoagulação e tratamentos em Hospital de Dia. - APCER

Serviço Gestão Tecnico-Farmaceutica Gestor da Qualidade – Dr. Luís Guerreiro

1º ciclo de certificação -2011 a 2014 2ºciclo de certificação - 2014 a 2017

Atividades farmacêuticas de âmbito hospitalar no Centro Hospitalar Lisboa Norte, EPE APCER

Centro de Procriação Medicamente Assistida Gestor da Qualidade – Professor Doutor Calhaz Jorge

1º ciclo de certificação - 2011 a 2014 2ºciclo de certificação - 2014 a 2017

O sistema de Gestão da Qualidade abrange as seguintes técnicas, intra-conjugais: 1)inseminação artificial; b) fertilização in vitro; c)microinjecção intracitoplasmática de espermatozoides, inclusive com recolha de espermatozoides por biópsia testicular; d)congelação de embriões; e)transferência de embriões criopreservados e f)criopreservação de espermatozoides de doentes com patologia oncológica cujo tratamento põe em risco a fertilidade futura. - SGS/ICS

Unidade de Logística e Stocks Gestor da Qualidade – Dr. Paulo Jerónimo

1º ciclo de certificação -2011 a 2014 2ºciclo de certificação - 2014 a 2017

Gestão e Organização de toda a cadeia de abastecimento de materiais de consumo clínico, administrativo e hoteleiro no CHLN. - APCER

Serviço Patologia Clínica Comissão da Qualidade coordenada pela Dr.ª Teresa Amaral

1º ciclo de certificação 2012 a 2015 2º ciclo de certificação 2015 a 2018

Realização de análises clínicas: Colheita e tratamento de amostra (fase pré-analítica), Execução de amostras (fase analítica nas valências de Hematologia, Química Clínica, Microbiologia e Biologia Molecular),e Processamento dos dados e entrega ao Cliente (fase pós-analítica) do CHLN- HSM Colheita (fase pré-analítica) e entrega ao Cliente na central de colheitas do HPV - SGS/ICS

Serviço de Neurologia Gestor da Qualidade – Dr.ª Isabel Guerreiro

1º ciclo de certificação 2012 a 2015 2º ciclo de certificação 2015 a 2018

Realização de exames de Electromiografia, Potenciais evocados, Eletroencefalograma, Estudos do Sono, Neuropatologia e Ultrasonografia. Realização de tratamentos de terapia da fala. - Extensão ao Hospital de Dia em 2014 - SGS/ICS

Serviço de Pneumologia . Gestores da Qualidade – Dr. Carlos Lopes / Técnica Cardiopneumologista Sara Paula

1º ciclo de certificação 2012 a 2015 2º ciclo de certificação 2015 a 2018

Prestação de serviços de diagnóstico, seguimento, tratamento em internamento (geral e cuidados intensivos) e hospital de dia e reabilitação respiratória a doentes do foro da pneumologia e realização de exames de endoscopia, fisiopatologia e estudos do sono. Extensão à Unidade de Fibrose Quística em 2014 - SGS/ICS

Serviço de Urologia Gestor da Qualidade – Enf.ª Paula Montes

1º ciclo de certificação 2013 a 2016

Prestação de serviços abrangendo; 1) Cirurgia de Ambulatório 2) Litotrícia Extracorporal por Ondas de Choque. - SGS/ICS

Serviço de Doenças Infeciosas Comissão da Qualidade coordenada pelo Gestor da Qualidade Dr. Luis Caldeira

1º ciclo de certificação 2013 a 2016

Prestação de cuidados de saúde na área das doenças infeciosas. - APCER

O Modelo Equass (European Quality in Social Services) é específico para o sector dos Serviços Sociais. Serviço Social e Gabinete do Cidadão Núcleo da Qualidade coordenado pela Dr.ª Argentina Castilho

LXNorte | NEWS |dez'15 | 31

1ºperíodo de certificação - 06/2010 - 06/2012; 2º período - Renovação da Certificação (Quality Assurance) - 2012 até 2014 3º período - Renovação da Certificação (Quality Assurance) – 2015 até 2017


em Entrevista: (Continuação) Relativamente aos Serviços com processos de certificação a decorrer, encontram-se na fase final, aptos para a auditoria de concessão num curto prazo (início de 2016), os seguintes: Serviço de Imagiologia Geral Grupos de trabalhos coordenados pela Técnica de Radiologia Cátia Fernandes e pelo Técnico de Radiologia António Almeida Serviço de Imagiologia Neurológia Grupos de trabalhos coordenados pela Técnica de Radiologia Cátia Fernandes e pelo Técnico de Radiologia António Almeida Serviço de Saúde Ocupacional Gestor da Qualidade Dr. Tiago Matoso Centro de Formação Gestor de Formação Dr.ª Isabel Correia

Norma de referência: ISO 9001:2008 – Sistemas de Gestão da Qualidade. Requisitos Norma de referência: ISO 9001:2008 – Sistemas de Gestão da Qualidade. Requisitos Norma de referência: ISO 9001:2008 – Sistemas de Gestão da Qualidade. Requisitos

Norma de referência: NP 4512:2013 – Sistemas de Gestão da Formação Profissional

LXNORTE News - Pode-se fazer um balanço no caminho da certificação do CHLN? A maior parte dos projetos foram concretizados, digamos que os tais vinte projetos têm 50% de realização. Dos outros, alguns ficaram “pelo caminho”, devido a alterações significativas, nomeadamente a junção dos Serviços do HSM e no HPV e outros estão ainda em stand by, aguardando uma análise de oportunidade.

LXNORTE News – No futuro quando é que toda a instituição, o seu todo, estará com capacidade para uma certificação global? Quando lhe digo que queria passar a um nível superior, esse era o meu desejo. Iria-nos obrigar a desenvolver o conceito de melhoria contínua a um nível transversal, e portanto aquilo que agora são os grupos de trabalho nos serviços que tratam o problema, basicamente, a nível do serviço, seriam aplicados a toda a organização, envolvendo os vários intervenientes e permitindo a tomada de medidas a um nível muito mais profundo. Não vejo qualquer impedimento, desde que haja um empenho da liderança, em começar a avançar, sempre com consciência que será um projeto a longo prazo e um processo complexo e demorado. Da minha experiência, considero que um projeto desta natureza tem vários aspetos mais críticos dos quais gostaria de salientar a necessidade de: .

Envolvimento claro da gestão de topo da organização; “Venda” interna do projeto – apresentação do mesmo aos colaboradores de todos os níveis profissionais, explicitação dos objetivos, de forma a sensibilizar e assegurar a sua colaboração sempre que necessário; Disponibilidade de tempo para os grupos de trabalho diretamente envolvidos no projeto.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 32


Criação da Pedo-Psiquiatria no HPV O Conselho de Administração do CHLN visitou, no passado dia 18 de novembro, as novas instalações, no Hospital Pulido Valente/CHLN, do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental da Infância e da Adolescência (SPSMIA) do Departamento de Pediatria. Este Serviço, que até então se situava exclusivamente no Pavilhão da Consulta de Desenvolvimento, campus de Santa Maria, passou, por falta de espaço, a estar em simultâneo em ambos os hospitais que integram o CHLN. Este aumento de instalações permitiu não só um acréscimo e melhoria das condições de trabalho para profissionais e utentes, mas também, um acréscimo no número de valências disponibilizadas: além das já existentes consultas de Terapia Familiar e de Psicologia, passou agora a haver uma consulta de Terapia Ocupacional e uma «área de dia», onde se faz o atendimento em grupo (a crianças e pais) com perturbações graves de comportamento.

Este novo espaço, situado no HPV desde setembro deste ano, veio permitir desenvolver e ampliar as vertentes deste Serviço que necessita de espaço para trabalho em grupo, dado que tipicamente se carateriza pela interdisciplinaridade no seu funcionamento, entre os diversos profissionais que o integram e entre outros, Médicos, Enfermeiros, Terapeutas Ocupacionais, Psicólogos, ou Assistentes Sociais.

.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 33

Estiveram presentes na ocasião, o Presidente do Conselho de Administração do CHLN, Dr. Carlos das Neves Martins, acompanhado pela Diretora Clínica, Dr.ª Margarida Lucas, e pela Enf.ª Diretora, Catarina Batuca, pela Diretora do Departamento de Pediatria, Prof.ª Doutora Maria do Céu Machado, pela Diretora do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental da Infância e Adolescência, Dr.ª Teresa Goldschmidt, para além de outros dirigentes do CHLN e de grande parte dos colaboradores que formam a equipa do SPSMIA. O Dr. Carlos das Neves Martins aproveitou o momento para endereçar « (…) um agradecimento pelo esforço e dedicação de toda a equipa, na criação destas novas instalações, que esperamos, possam contribuir para que se trabalhe ainda melhor». E, ainda realçou o papel da Pedopsiquiatria numa unidade com as características do CHLN, assinalando que « (…) cada vez mais, temos a necessidade de dar resposta à população em termos de saúde mental, reabilitando-os e devolvendo-os à sociedade».


V Jornadas da UCF Lisboa Norte Realizaram-se no passado dia 19 de novembro, no Auditório do Hospital de Pulido Valente (HPV), as V Jornadas da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) Lisboa Norte, nas vertentes da Saúde Materna e Neonatal e Saúde da Criança e do Adolescente. Subordinadas ao tema «Violência ao longo do Ciclo de Vida», os assuntos abordados ao longo do dia, motivaram uma participação ativa dos presentes, salientando-se a utilidade prática dos mesmos. Num percurso que se iniciou na área da Saúde da Criança e do Adolescente, com uma abordagem sobre o impacto da violência e da disfunção familiar nos profissionais da área da infância e juventude, foi ainda feita uma reflexão acerca do circuito de intervenção na violência, e da violência na criança e no adolescente, com alguma ênfase nas «novas» formas de violência – como o cyberbullying.

A sessão de abertura contou com a presença da Dr.ª Manuela Peleteiro, Diretora Executiva do ACES Lisboa Norte, da Prof.ª Doutora Celeste Barreto, Diretora do Serviço de Pediatria Médica do CHLN, em representação da Dr.ª Cândida Rebelo, Presidente da CRSMC, da Prof.ª Doutora Maria do Céu Machado, Diretora do Departamento de Pediatria do CHLN, da Enf.ª Catarina Batuca, Enfermeira Diretora do CHLN, em representação do Conselho de Administração, e da Dr.ª Argentina Castilho, Diretora do Serviço Social e Gabinete do Cidadão do CHLN.

.

No período da tarde, na área da Saúde Materna e Neonatal, foi abordado o papel das equipas multidisciplinares na violência na grávida e no recém-nascido, onde se identificaram as forças e fraquezas dos recursos existentes na UCF representada. Foram ainda partilhados exemplos de intervenção de outras áreas/realidades, bem como exemplos de resposta da comunidade com sucesso. A Comissão Organizadora realçou, em termos de balanço que o número de participantes excedeu largamente as expectativas, com um número de inscrições que ultrapassou os 100 profissionais e que, com a transversalidade dos temas escolhidos, numa abordagem multidisciplinar, ficou a certeza da continuidade da realização deste tipo de encontros, quer pela pertinência dos assuntos no contexto da prática diária, quer pela partilha que proporcionam.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 34


CHLN recebe o SESARAM para reforço de proximidade interinstitucional No passado dia 22 de novembro, o Presidente, Dr. Carlos das Neves Martins, e os restantes membros do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), receberam o Conselho de Administração do Serviço e Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM), para uma reunião de trabalho na sequência da relação de cooperação, recentemente firmada em cerimónia pública no Funchal, Madeira. Ao longo do programa acordado para mais este dia de trabalho, além da reunião inicial de boas vindas, foram efetuadas visitas técnicas a vários serviços e foi definindo o quadro de referência para o plano de cooperação, a executar em 2016. O Conselho de Administração do SESARAM veio conhecer as boas práticas implementadas no CHLN e demonstrou particular interesse nas que existem no Serviço de Urgência Central, no Serviço de Logística e Stocks e no Serviço de Gestão TécnicoFarmacêutica, para posteriormente serem adaptadas à realidade regional. A Presidente do Conselho de Administração do SESARAM agradeceu ao CHLN o rápido e essencial apoio aos doentes oncológicos à sua responsabilidade, permitindo que o diagnóstico e o tratamento continuassem a ser efetuados no Funchal até ao restabelecimento da capacidade de resposta do Hospital Dr. Nélio Mendonça.

Nutrition Day no HSM-CHLN O Serviço de Dietética e Nutrição (SDN) do CHLN, participou mais uma vez no projeto Nutrition Day, estudo multicêntrico anual, realizado no passado dia 19 de novembro. O projeto “Nutrition Day in European Hospitals” é um estudo multicêntrico, que consiste numa auditoria ao estado nutricional dos utentes e aos cuidados nutricionais em meio hospitalar, situando-se o seu centro de coordenação na Áustria e, decorrendo este ano, a sua 10ª edição. Este projeto tem como objetivos principais: (i) caracterizar e contextualizar a desnutrição a nível europeu em meio hospitalar, de forma a serem criadas estratégias que incidam quer a nível dos utentes, quer a nível das unidades hospitalares, de modo a otimizar os cuidados nutricionais, com diminuição da prevalência de malnutrição nos hospitais, uma vez que esta poderá ser um fator de risco que poderá contribuir para internamentos mais prolongados; (ii)sensibilizar os profissionais de saúde e os restantes colaboradores que exercem funções em meio hospitalar para os problemas relacionados com a nutrição em utentes hospitalizados; (iii) otimizar o suporte nutricional prestado aos utentes, bem como (iv) estabelecer a base de um plano independente de controlo da qualidade. A elevada prevalência de desnutrição hospitalar descrita em vários estudos a nível europeu e internacional salientam a necessidade de dar continuidade a este tipo de iniciativas de forma a reverter a situação. Por outro lado, o conhecimento dos motivos que levam os utentes hospitalizados a não cumprir as necessidades nutricionais estimadas, constitui uma mais-valia para a atuação de todos aqueles (profissionais de saúde e familiares) que interagem com o utente, para que, em sinergia, seja possível encontrar estratégias para minimizar a problemática. Este ano, o projeto foi realizado em diversos serviços de internamento do Hospital de Santa Maria/CHLN, nomeadamente: na Gastrenterologia, na Hepatologia, na Dermatologia, na Psiquiatria e no Serviço de Medicina Intensiva. A equipa do Hospital de Santa Maria SDN, agradece a colaboração de todos os profissionais envolvidos e que contribuíram para a realização do mesmo. Para ter acesso a informações mais detalhadas sobre esta iniciativa, pesquise em www.nutritionday.org

LXNorte | NEWS | dez'15 |35| 35


Centro de Formação em notícias II Curso de Doação e Transplantação do CHLN O II Curso de Doação e Transplantação, organizado pelo Gabinete Coordenador de Colheita e Transplantação (GCCT) e pelo Centro de Formação do CHLN, decorreu entre os dias 11 e 12 de novembro de 2015, no Anfiteatro Cid dos Santos e no Anfiteatro 52 do Edifício Egas Moniz, campus de Santa Maria. Este Curso, que teve como destinatários Médicos e Enfermeiros, surgiu da necessidade de serem adquiridos conhecimentos na área da doação e transplantação, como o processo desde a colheita até ao transplante, as suas particularidades e o conhecimento da realidade nacional e internacional. O Curso teve como coordenadores o Dr. Lucas Batista, Diretor do Gabinete Coordenador de Colheita e Transplantação (GCCT) e Coordenador da área cirúrgica da Unidade de Transplantação/CHLN, e do Dr. José Guerra, Coordenador da área médica da Unidade de Transplantação/CHLN, tendo contado com a presença de 22 moderadores e 32 formadores, profissionais de saúde do CHLN e especialistas nesta área.

II Curso de Transporte Neonatal e Pediátrico SEMP-VH/TIP-CHLN Decorreu entre os dias 14 a 16 de outubro de 2015, o II Curso de Transporte Neonatal e Pediátrico SEMP-VH/TIP-CHLN, na Sala do Serviço de Cirurgia Experimental, organizado pelo Centro de Formação do CHLN, pelo TIP SUL e pelo SEM – Pediátrico Vall d`Hebron em Espanha. A organização/coordenação deste curso esteve a cargo do Dr. Francisco Abecasis, Coordenador Médico do TIP Sul-CHLN, do Dr. Pedro Dominguez Codirector Responsável Assistencial SEM–Pediátrico do Hospital Universitário Vall d´Hebron em Barcelona, da Enfermeira Zélia Soares, Coordenadora de Enfermagem do TIP Sul-CHLN e de diversos formadores/instrutores médicos, técnicos e instrutores de ambulância do SEMP-VH, VMER e do TIP Sul (CHLN). Os objetivos principais deste Curso passaram por melhorar as competências dos profissionais envolvidos no TIP, incorporar conhecimentos, habilidades e atitudes, e promover a troca de experiências em relação aos procedimentos do transporte inter-hospitalar Pediátrico e Neonatal (TIHPN) em recém-nascidos e crianças em estado crítico, nos seus aspetos organizativos, operacionais e assistenciais. Nesta edição, participaram vinte e cinco médicos de diversos hospitais, desde as ilhas ao norte e sul do país, e permitiu habilitar os formandos, através de aulas teóricas e práticas, para a compreensão do modelo do TIHPN na Catalunha e em Portugal, familiarizarem-se com aspetos práticos do funcionamento de uma ambulância e dos seus equipamentos, compreender as particularidades do transporte em helicóptero, conhecer os principais incidentes não-médicos durante o transporte e a sua antecipação e resolução, e por fim, reforçar o conceito de trabalho de equipa, reconhecendo os seus componentes essenciais e as suas bases de eficácia. O Curso de Transporte Neonatal e Pediátrico SEMP-VH/TIP-CHLN, é reconhecido pela Sociedade Portuguesa de Pediatria e tem o aval da Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos Pediátricos (SCIP), Sociedad Española de Neonatologia (SEN) e da Sociedad Española de Cuidados Intensivos Pediátricos (SECIP).

V Edição do Curso de procedimentos Neonatais do CHLN A sala do Serviço de Cirurgia Experimental do Hospital de Santa Maria/CHLN foi, entre os dias 25 e 27 de novembro de 2015, o “palco” da 5ª Edição do «Curso de Procedimentos Neonatais», organizado pelo Centro de Formação e pelo Serviço de Neonatologia do CHLN, coordenado pela Dr.ª Graça Oliveira, do Departamento de Pediatria. O Curso teve como objetivo uniformizar atitudes na prática diária dos procedimentos na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, assentes numa metodologia baseada em sessões mistas de teoria e prática, com recurso a simulações práticas de atuação em modelos. Foram 12 os formandos deste curso, 10 médicos e 2 enfermeiros, de hospitais de todo o país, da área da Pediatria, Neonatologia e Anestesiologia, e no final foi entregue o Guia de Bolso de Procedimentos Neonatais e um DVD, onde constam todas as indicações, contraindicações, material necessário, técnicas, complicações mais frequentes e os procedimentos neonatais administrados no Curso.

LXNorte | NEWS | dez'15 |36


CHLN recebe VI Conferência Anual do Health Cluster Portugal No passado dia 25 de novembro o campus de Santa Maria, mais concretamente o Grande Auditório do Edifício Egas Moniz, recebeu a VI Conferência Anual do Health Cluster Portugal (HCP), subordinada ao tema “O valor da Saúde para o desenvolvimento económico e social”. O Presidente do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML), Dr. Carlos das Neves Martins, abriu a sessão, onde saudou todos os presentes, reiterando a importância do evento e agradecendo ao HCP a escolha do campus de Santa Maria para acolher a sua conferência anual. Enalteceu ainda, a importância do papel desempenhado pelo HCP na internacionalização e na competitividade do setor da Saúde. Seguiu-se o Dr. Luís Portela, Presidente do HCP, que cumprimentou os presentes e reforçou a importância quer da competitividade no setor da saúde quer, igualmente, da continuação do financiamento da ciência. Realçou a importância de se olhar o setor da saúde, enquanto valor acrescido em termos de competitividade e qualidade, evocando a importância de se continuarem a referenciar e a divulgar as investigações e as empresas do setor da saúde. Após palavras de agradecimento pelo acolhimento, passou a palavra ao Dr. Fernando Medina, Presidente da Câmara de Lisboa, que depois dos circunstanciais cumprimentos, salientou a evolução levada a cabo pelo HCP e pelos seus associados, a importância e impacto da saúde no desenvolvimento do turismo, bem como a dimensão empresarial que o setor da saúde assume atualmente, realçando que grande parte deste tecido empresarial, está concentrado no Município de Lisboa. Frisou ainda, a importância do envelhecimento da população, reforçando a crucialidade latente na célere adaptação a esta nova realidade, que deve ser encarada não como um constrangimento, mas sim como uma oportunidade. Encerrou esta sessão de abertura Sua Excelência o Ministro da Saúde,Dr. Fernando Leal da Costa, que agradeceu ao CHLN e à FMUL a disponibilidade e que enalteceu o trabalho do HCP e a sua articulação com o Ministério da Saúde do ponto de vista científico, institucional e da inovação. O Dr. Fernando Leal da Costa enfatizou que «(…) está na altura de implementar a legislação sobre a investigação médica, que deve seguir o seu curso natural com o aumento da produção científica e a valorização dos médicos investigadores.» Após a sua intervenção, deixou os seus cumprimentos formais de despedida, enaltecendo a intervenção seguinte, da responsabilidade do Prof. Doutor Lobo Antunes, Professor Emérito da Universidade de Lisboa e Vice-Presidente do HCP sobre o conceito de Valor e de Saúde.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 37

A Conferência decorreu em paralelo com o Mercado de Inovação Aberta em Saúde, no qual foram divulgadas tecnologias, projetos e serviços de inovação e desenvolvimento tanto de universidades, como de hospitais, centros médicos, institutos e spin-offs que integram o HCP. O CAML fez-se representar na mesma, com o recém-criado Centro de Investigação Clínica (CIC), uma estrutura transversal aos seus membros constituintes, e que pretende concentrar, potenciar e amplificar toda a atividade e investigação clínica decorrente, asseguradas pela procura de forma de financiamento externo e que conta na qualidade de Presidente, com o Prof. Doutor Luís Costa, Diretor do Departamento de Oncologia do CHLN A qualidade dos oradores, dos moderadores e os pertinentes temas em muito contribuíram para um renovado sucesso desta Conferência, cujas conclusões encerram desafios importantes para o futuro do setor da Saúde e do País.


Investimento de beneficiação/ remodelação do Serviço de Neurologia do CHLN

Teve início no mês de dezembro, a remodelação do Serviço de Neurologia do CHLN. Estas obras de remodelação desenvolver-se-ão em três fases distintas, durante os anos de 2015 e 2016. Numa primeira fase será realizada, a obra do Hospital de Dia de Neurologia, que passará a estar localizado onde hoje se situa o Centro de Formação do Hospital de Santa Maria, seguindo-se a segunda fase da obra de remodelação da área de Consulta Externa, localizada no piso 2. Na totalidade, serão remodelados oito gabinetes médicos, será feita a reestruturação das instalações sanitárias e igualmente da respetiva sala de espera. Estes dois investimentos irão melhorar significativamente as condições de trabalho dos profissionais de saúde e sobretudo irão alterar a qualidade do atendimento aos utentes deste serviço. Ainda no ano de 2016 está prevista a terceira e última fase das obras, as quais irão beneficiar a área da EEG/Sono, localizado no piso 7. Este conjunto de intervenções inscrevem-se no plano de remodelação global do Departamento de Neurociências, o qual se iniciou em 2014 com as obras do Serviço de Neurocirurgia, no piso 8, e terminarão em 2016 com as obras de requalificação integral do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental (SPSM) nos pisos 1, 3 e 4, que estão previstas para se iniciarem no primeiro semestre de 2016 e cuja complexidade determinará a mudança do SPSM para o Hospital Pulido Valente, conforme planeamento efetuado. Assim, ao longo de três anos o CHLN terá toda a área de Neurociências programada de acordo com as exigências do futuro em matéria de boas práticas clínicas, decisão que determinou a necessidade de alocar e cabimentar aproximadamente 4,2 milhões de euros, em obras e equipamentos. De sublinhar que o Conselho de Administração do CHLN tem apostado, dentro do contexto e das restrições orçamentais, também numa política de renovação de serviços e consultas, melhorando a qualidade em termos de contexto laboral para os profissionais de saúde e igualmente contribuindo para a dignificação e qualidade do espaço de atendimento dos utentes do CHLN.

Investimento de beneficiação/ remodelação da ex-Farmácia Comercial “Santa Maria” Iniciaram-se no passado dia 16 de novembro, as obras de readaptação da ex-Farmácia Comercial designada por “Santa Maria”. Após a posse administrativa, efetuada pelo atual Conselho de Administração, devido à ausência de pagamento desde a data da sua abertura, foi analisada a melhor solução para rentabilizar e otimizar aquele espaço, aproveitando-o para instalações próprias e para beneficiar, desta forma, a qualidade e a humanização do atendimento aos utentes, devolvendo toda esta área ao serviço público. Assim, o Conselho de Administração determinou que o espaço fosse destinado a uma nova área de Ambulatório, do Serviço de Gestão Técnico-Farmacêutica, e a uma nova Central de Colheitas do Serviço de Patologia Clínica. Esta decisão baseou-se nos constrangimentos funcionais existentes neste dois espaços, decorrentes do amplo número diário de atendimento de utentes, em áreas com conhecidas limitações, potenciando-se assim a acessibilidade e a capacidade de resposta destes dois importantes serviços diretos aos utentes. De realçar que estas são duas áreas primordiais dentro dos cuidados ambulatórios prestados, com uma ampla afluência diária de utentes, sendo que, na Central de Colheitas, a média diária tem sido aproximadamente de 500 colheitas realizadas, das quais cerca de 450, entre as 7h00 e as 14h00. Quanto à dispensa de medicamentos de ambulatório, importa reforçar que são mais de 12.300, os utentes com acompanhamento e dispensa de medicamentos, numa média diária de aproximadamente 370 atendimentos e que representa um investimento de consumo, até outubro do corrente ano, de 52 milhões de euros. Estes dados são ilustrativos dos picos de atividade que ocorrem diariamente, congestionando o núcleo central do atual Centro de Ambulatório e causando naturais constrangimentos aos utentes, suas famílias e aos nossos profissionais. A criação de condições de atendimento aos utentes de ambulatório reveste-se de uma importância estratégica, prioritária no contexto assistencial do CHLN, enquanto centro hospitalar universitário e de “fim de linha”, pelo que estas duas readaptações de serviços ambulatórios, visam proporcionar uma melhoria na qualidade do atendimento, com impacto positivo também na circulação de utentes e na reorganização, o que irá representar tangíveis ganhos de saúde e uma maior satisfação dos utentes. A reutilização e reorganização dos atuais espaços ocupados pela Central de Colheitas e da Dispensa de Medicamentos irá, no futuro, melhorar as condições de atendimento nas áreas de Hospital de Dia e Bloco de Exames de Gastro, que se encontram adjacentes e que assim poderão finalmente ampliar as suas áreas funcionais. Esta obra, que tem previsto o seu terminus para o final de janeiro de 2016 representa, para a instituição, um investimento de aproximadamente três centenas de milhares de euros, custo que terá um rápido retorno pelo aumento da oferta, logo do crescimento da acessibilidade e do desenvolvimento das boas práticas clínicas.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 38


CHLN: Plano de Investimentos 2016/2020 Conselho de Administração conclui a primeira fase de candidaturas a financiamentos externos para inovação tecnológica e I&D Projeto “Lisboa uma referência internacional em medicina de precisão” Na sequência da preparação, pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), da estratégia de desenvolvimento regional 2014-2020, focada em cinco áreas-chave, a Saúde foi considerada uma das mais importantes e por isso foi construído o projeto “Lisboa uma referência internacional em Medicina de Precisão”. O objetivo nuclear passa pela construção de um projeto conjunto e integrador, envolvendo a sociedade civil e as diversas entidades da região, com vista a potenciar a utilização de fundos comunitários, nos vários eixos prioritários, em que a Saúde desempenhará um papel absolutamente fundamental e intrinsecamente ligada à inovação e à investigação. Sabe-se que as tendências da Saúde na Europa convergem para três grandes linhas de mudanças, suportados na tecnologia e direcionados para uma prestação de cuidados mais sustentáveis, menos invasivos e mais personalizados, designadamente (i) tecnologia médica e de sistemas de informação, (ii) medicina regenerativa e de precisão e (iii) formação avançada e simulação. No quadro da preparação da estratégia de investimentos 2016/2020, em linha com as janelas de oportunidade existentes neste período, o Conselho de Administração do CHLN deliberou aprofundar o estabelecimento de parcerias inovadoras com a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e com o Instituto Superior Técnico (IST). Para além destas parcerias estratégicas, e na sequência de diversas reuniões de trabalho em conjunto com a CCDR-LVT, desde o início do segundo trimestre do corrente ano, foram sendo envolvidas outras entidades e instituições, num total de oito, divididas entre hospitais, instituições de ensino e investigação, consideradas como essenciais para este projeto transversal de inovação, o qual visa contribuir para a competitividade da Cidade de Lisboa e do País, com significativos ganhos em saúde. A cooperação destas entidades neste projeto integrador, que permite a capacitação dos recursos, competências e conhecimentos existentes, permitirá à região obter um franco impacto em termos económicos e sociais e permitirá ainda posicionar a capital portuguesa, enquanto referência nacional e internacional, na área da medicina de precisão. Este projeto foca-se nas doenças neurodegenerativas, cardiovasculares, oncológicas e nas doenças reumáticas e músculo-esqueléticas e planeia, nesse âmbito, obter um impacto direto no centro de imagiologia (CI) e no centro de simulação avançada (CSA), e um impacto indireto na medicina regenerativa e terapias celulares e nos aceleradores de partículas. Este investimento nas tecnologias de diagnóstico e terapêutica, através da criação de centros de imagem e de medicina de precisão, dotados de equipamentos de alta tecnologia, permitirá o aumento da capacidade de resposta aos cuidados de saúde nos hospitais envolvidos, bem como o desenvolvimento da área de investigação

LXNorte | NEWS |dez'15 | 39

O projeto do CI visa dotar Lisboa de um centro de investigação de imagiologia, dotado com tecnologia de ponta e especialistas de renome, posicionando-se como centro de referência europeu nas áreas das doenças neurodegenerativas, cardiovasculares, oncológicas e reumáticas e músculo-esqueléticas. O projeto do CSA constituirá um contributo inestimável para as boas práticas assistenciais e de promoção da excelência clínica, bem como para a melhoria da segurança do doente. Este centro, que terá fisicamente a sua localização no Hospital de Santa Maria, e posicionar-se-á como um centro de referência internacional no treino avançado de profissionais, de estudantes e de equipas de saúde, aliando dois fatores importantíssimos para competitividade em saúde: (i) a componente educacional e (ii) a componente de investigação e desenvolvimento (I&D), que trará a médio/longo prazo, francos benefícios com impacto nacional e internacional. Nesta primeira fase de candidaturas a financiamentos externos para a definição de uma estratégia de investimento a cinco anos, o CHLN centrou as suas prioridades na renovação e na inovação tecnológica, bem como na investigação e na formação avançada. A globalidade do projeto, que inclui o CI, o CSA, a medicina regenerativa e os aceleradores de partículas, implicará um valor total de 42,7 milhões de euros, dos quais cerca de 10 milhões de euros representarão o investimento da responsabilidade do CHLN, no período 2016-2020. De realçar que a Medicina de Precisão efetua o diagnóstico e o tratamento das doenças através da utilização da composição genética dos pacientes, para efetuar a seleção dos tratamentos mais adequados a cada um, tomando em consideração a eficácia e a segurança dos mesmos. Para além deste projeto, o CHLN apresentou ainda um plano de investimentos à ARSLVT, mapeados como prioridades ao Eixo 6, através da candidatura ao Portugal 2020, no qual inclui tecnologia inovadora e de substituição no valor de 9,7 milhões de euros, direcionado o mesmo para as áreas da Imagiologia, da Oncologia, da Gastrenterologia, da Cardiologia, da Anestesiologia e dos Cuidados Intensivos. Simultaneamente decorreu a habitual preparação do plano de investimentos para 2016, tendo o Conselho de Administração decidido corporizar no mesmo também alguns dos projetos estruturantes, que permitirão a devolução de todo o Hospital da Santa Maria à prática clínica, ao ensino/formação e à investigação, assim como no plano estrutural serão inscritos projetos de conservação dos muros e vedações exteriores e de todas a fachadas do edifício principal. Reafirma-se assim a estratégia iniciada em 2013 de reabilitação do edifício hospitalar universitário de Santa Maria, a par do reposicionamento externo da instituição e da alteração da sua cultura gestionária interna. O conjunto das ações, das decisões e dos investimentos, constituirão a resposta adequada, faseadamente, aos desafios futuros desta ímpar instituição hospitalar universitária, preparando-a para a próxima década, de forma integrada e tendo presente as estratégias no âmbito do Centro Académico de Medicina de Lisboa.


Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas

As alterações climáticas são uma realidade, sendo de esperar que prossigam, e até que se tornem mais frequentes e intensas. Portugal, como país do sul da Europa, apresenta características naturais, nomeadamente climáticas e topográficas, que o posicionam na lista dos países europeus mais sensíveis aos impactos das alterações climáticas. Face à experiência e ao conhecimento adquirido ao longo dos últimos anos, entendeu-se ser necessário ampliar o Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas, no sentido de abranger também os períodos de frio intenso. Assim, no sentido de implementar e reforçar a articulação entre as entidades da saúde, decorreu uma reunião conjunta no Hospital de Santa Maria – CHLN, no passado dia 7 de dezembro, entre a ARSLVT, representada pelo seu presidente, Dr. Luís Cunha Ribeiro, o CHLN, na pessoa do seu presidente, Dr. Carlos das Neves Martins, da Diretora Clínica, Dr.ª Margarida Lucas e da Enfermeira Diretora Catarina Batuca, e o ACES Lisboa Norte, na pessoa da sua presidente, Dr.ª Maria Manuela Peleteiro. Além disso, estiveram igualmente presentes dirigentes do CHLN em representação das área clínicas, de enfermagem, de recursos humanos, da gestão, do medicamento, da gestão de altas, da logística, e outras. Conjuntamente, foi assim discutida a criação do «Plano de Contingência Regional para Temperaturas Extremas Adversas (PCRTEA) – Módulo Frio», que incide sobre o período Outono-Inverno e que incluirá também a dificuldade acrescida dos picos de gripe. Desta reunião saiu um documento com diversas premissas, das quais se concluiu que o CHLN cumpre 100% as normas existentes, espelho do elevado grau de compromisso e qualidade de resposta desta instituição. O Plano de Contingência servirá para reforçar o sistema de vigilância e alerta existente, em colaboração com as entidades envolvidas, no sentido de minimizar os efeitos negativos dos períodos de frio intenso sobre a população abrangida pelas alterações climáticas extremas. Posteriormente, será feita a monitorização do período de vigência do PCTEA – Módulo Frio, através da elaboração de um relatório mensal que inclua todas as ocorrências relacionadas com potenciais efeitos do frio intenso, bem como, os níveis de alerta definidos nesse período e respectivas medidas de intervenção.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 40


61º Aniversário do

Sua Excelência o Ministro da Saúde, Prof. Doutor Adalberto Campos Fernandes presidiu à Sessão Solene Comemorativa do 61º Aniversário do Hospital de Santa Maria, no passado dia 8 de dezembro, tendo igualmente inaugurado o Centro de Investigação Clínica (CIC) do Centro Académico Médico de Lisboa (CAML) e agraciado o Hospital de Santa Maria (HSM) com a mais alta distinção do Ministério da Saúde, a Medalha de Serviços Distintos - Grau Ouro, que atesta «o brio dos profissionais» que todos os dias prestam serviço na instituição. De acordo com a tradição, o programa comemorativo, que incluiu diversos momentos relevantes para a instituição e para os seus colaboradores, teve início às 9h00, com a cerimónia de plantação de árvores no Jardim Poente da instituição em homenagem aos colaboradores falecidos no corrente ano. Após este momento, seguiu-se a Missa de Ação de Graças, na Capela do HSM, ministrada pelo Monsenhor Feytor Pinto. A inauguração do CIC do CAML foi um sonho de alguns anos, agora materializado, tendo como objetivo facilitar a investigação clínica no CHLN, com a finalidade de melhorar o conhecimento científico, biomédico e clínico, incluindo as suas dimensões psicológicas, sociais e económicas, com o fim último de providenciar cuidados de saúde mais eficazes, efetivos e eficientes, e aumentar a informação científica disponível para permitir escolhas mais evidentes para os doentes, profissionais de saúde e decisores de diferentes níveis e instâncias. Facultar à comunidade científica e de investigadores do CAML uma infraestrutura logística e de conhecimento que permita a condução de projetos de investigação clínica e translacional.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 41


Hospital de Santa Maria

Com a abertura do CIC, abrem-se novos horizontes que contribuirão para o aumento da competitividade e atratividade do CAML, para a realização de ensaios clínicos, a captação de investimento externo e para a sustentabilidade da inovação terapêutica. A Sessão Solene teve lugar na Aula Magna, e contou com as intervenções da Dr.ª Arminda Veiga, profissional representante dos colaboradores homenageados e do Dr. Carlos das Neves Martins, Presidente do CHLN, sob a presidência de Sua Excelência o Ministro da Saúde Prof. Doutor Adalberto Campos Fernandes. Após a intervenção ministerial, seguiu-se um momento de elevada importância e orgulho para a instituição e para os seus profissionais: a atribuição da Medalha de Serviços Distintos do Ministério da Saúde ao Hospital de Santa Maria, Grau Ouro. A medalha, que representa o reconhecimento do papel e relevância da instituição no desenvolvimento do Serviço Nacional de Saúde, foi entregue por Sua Excelência . Prof. Doutor Adalberto Campos o Ministro da Saúde, Fernandes ao Presidente do CHLN, Dr. Carlos das Neves Martins. A Orquestra e Coro Médicos da Universidade de Lisboa, proporcionaram um memorável momento musical, que antecedeu a cerimónia de entrega de medalhas de homenagem aos funcionários que completam 25 anos de serviço no HSM. O almoço de confraternização no Refeitório, finalizou o programa comemorativo e contou com a entoação do cântico de parabéns, pelo Coro Médico da Universidade de Lisboa.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 42


CA do CHLN recebe Comitiva do PCP No passado dia 15 de dezembro decorreu nas instalações do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), uma reunião com o Secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP), Sr. Jerónimo de Sousa, e uma delegação do Grupo Parlamentar. Da parte do CHLN estiveram presentes os elementos do Conselho de Administração, bem como a Prof.ª Celeste Barreto e a Enfermeira Madalena Abranches, respetivamente Adjuntas da Diretora Clínica e da Enfermeira Diretora. O objetivo nuclear desta reunião, solicitada pelo PCP, foi ouvir a perspetiva do CHLN sobre o contexto climatérico que se aproxima, com a possibilidade de períodos com grande diminuição da temperatura, causadas por vagas de frio e as naturais repercussões que o mesmo tem na saúde pública portuguesa e de qual a sua perspetiva de prevenção para as eventuais temperaturas adversas que se farão sentir. O Presidente do Conselho de Administração, Dr. Carlos das Neves Martins, faz uma breve introdução, realçando que o CHLN foi uma instituição que suportou, no ano passado, as temperaturas adversas sem nenhuma intercorrência ou situação anómala e que continuará com a estrutura organizacional implementada, tendo em conta a sua responsabilidade acrescida, enquanto hospital de última linha de cuidados de saúde. Após esta breve introdução, o Presidente do CHLN fez uma apresentação da atividade assistencial do CHLN, dos últimos desafios ultrapassados, dos reconhecimentos obtidos, tendo em conta a sua prestação de cuidados de saúde diferenciados, abordando ainda a recuperação económico-financeira a par de alguns desafios, como o aumento do consumo de medicamentos, que de deve em grande parte ao aumento do número de tratamentos inovadores, já realizados e em curso.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 43

Para além destes temas, foi ainda referida a evolução do CHLN, em termos de recursos humanos, com um quadro de novas contratações que permitirão um rejuvenescimento dos quadros e mais capacidade de resposta dos serviços clínicos. O Dr. Carlos das Neves Martins finalizou a sua intervenção com a apresentação do Plano de Contingência para Temperaturas Adversas, com três níveis de alerta, e previamente revisto e validado junto da Direção Geral de Saúde e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, afirmando que «Foi implementado um rigoroso sistema de monitorização que permite a este Conselho de Administração estar “em tempo real” a par do fluxo ocorridas no nosso Serviço de Urgência Central, e portanto preparado para acionar o que for necessário, pelo que considero efetivamente, que o CHLN está em grau de prontidão, a qualquer momento.» Após esta reunião de trabalho, os membros da delegação do PCP foram convidados a visitar o Serviço de Urgência Central, ao que sucedeu uma reunião do Partido com os diversos representantes dos Sindicatos na instituição.


Assinatura de Protocolo de Cooperação entre o CHLN e a OPP

Foi assinado no dia 17 de dezembro de 2015, pela primeira vez, um Protocolo de Cooperação entre uma instituição hospitalar do SNS e Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP). O Protocolo assinado pelo Presidente do Conselho de Administração do CHLN, Dr. Carlos das Neves Martins, e pelo Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses, Dr. Telmo Mourinho Baptista, enquadra um acordo de cooperação no âmbito da área científica de estudo dos riscos psicossociais, tendo em conta que a OPP, no âmbito das suas atribuições, se encontra a promover a campanha Healthy Work Places, e que esta se reveste de interesse para o CHLN Para o Dr. Carlos das Neves Martins este Protocolo deve ser encarado como uma alavanca de desenvolvimento entre as duas instituições de acordo com as suas palavras: «É com muito agrado que o Conselho de Administração assina este Protocolo com a OPP, pois é o início, esperamos nós, de uma profícua relação neste e noutros campos. Aproveito também para dar-vos nota de outro compromisso que foi publicamente assumido com a OPP e perante a nossa instituição, nas II Jornadas de Psicologia Hospitalar do CHLN: a criação do Núcleo de Psicologia do CHLN. Este compromisso está cumprido, tendo recentemente o Núcleo sido formalmente aceite pelo Conselho de Administração, com a garantia de apoio para a sua instalação, pelo que assim terminamos o ano de forma auspiciosa, em matéria do que assumimos decidir na área da Psicologia Clínica e do que entendemos como um contributo ativo para a redução de riscos inerentes ao stress e ao burnout».

Para o Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses, Dr. Telmo Mourinho Baptista, esta data é um marco histórico e de acordo com as suas palavras: «Em primeiro lugar é com todo o gosto que estou presente nesta assinatura do Protocolo pelo significado que a mesma tem, por ser com o CHLN e também, por este ser o primeiro Centro Hospitalar do SNS que o faz. Mas sobretudo por que é uma preocupação que hoje em dia temos todos e que tem sido central, para a Ordem: locais de trabalho saudáveis. Esta preocupação é também uma preocupação europeia, que não só da Ordem dos Psicólogos mas importa recordar que fomos o primeiro parceiro da Psicologia em Higiene e Segurança no Trabalho e que temos tido um impacto muito grande com a nossa campanha, como também com o nosso prémio, para as empresas e para as organizações, visando a constituição de locais de trabalho saudáveis. Ficamos muito gratos que uma instituição de saúde com a importância que tem naturalmente o CHLN, esteja na linha da frente a fazer este trabalho connosco, o que implica, logicamente, e, sobretudo, o envolvimento dos dirigentes e dos profissionais. A criação do Núcleo é uma excelente notícia, e concordo que é uma decisão muito importante, pelo que quero agradecer ao Conselho de Administração e ao seu Presidente, sendo de fato, uma determinante positiva para a constituição de uma organização dos Psicólogos, os quais têm que discutir os assuntos inerentes à profissão e organizaremse como qualquer grupo profissional, por forma a contribuírem também, de uma forma diferente e mais solidária, para aquilo que são os desígnios e desafios do CHLN». Com a assinatura deste Protocolo, o CHLN compromete-se a ser parceiro em projetos de iniciativa da OPP, que sejam considerados de interesse mútuo, nas áreas objeto do presente protocolo, a sugerir áreas de intervenção e estudo, e a disponibilizar conjuntamente com os Serviços, as condições para a realização dos mesmos. Igualmente fica assumida a colaboração ou prestação de apoio em projetos de investigação desenvolvidos pela OPP na área dos riscos psicossociais, a autorização da colaboração dos seus recursos humanos em atividades de investigação e formação da OPP consideradas relevantes pelo CHLN, bem como a facilitação, sob supervisão do Serviço de Saúde Ocupacional e coordenação da Psicologia no CHLN, do acesso a informação e infraestruturas, porventura relevantes para atividades de investigação e intervenção da OPP. A OPP compromete-se, por sua vez, a disponibilizar instrumentos de avaliação dos riscos psicossociais aos psicólogos com intervenção nesta área, a integrar profissionais designados pelo CHLN, na formação na área dos riscos psicossociais e respetivos instrumentos de avaliação com intervenção nesta área, a colaborar com o Serviço de Saúde Ocupacional, na avaliação de riscos de natureza psicossocial, na análise de dados e no desenho de propostas de intervenções específicas, a acompanhar o trabalho desenvolvido na prevenção primária dos riscos psicossociais; a avaliar o impacto das intervenções e a participar em eventos no âmbito da avaliação, prevenção e intervenção em riscos psicossociais nos locais de trabalho, apresentando projetos, atividades e dados recolhidos.

LXNorte | NEWS |dez'15 | 44


Campanha da DGS “Vá pelas Escadas” implementada no CHLN A equipa de Enfermagem do Serviço de Saúde Ocupacional (SSO) do CHLN, aderiu à Campanha denominada “FAÇA A MELHOR ESCOLHA, VÁ PELAS ESCADAS”, promovida recentemente pela Direção Geral de Saúde (DGS). Segundo a DGS, «Portugal, tal como outros países europeus, tem vindo a dar cada vez mais importância a atividades que pretendam melhorar a condição física e promover a saúde da população». O SSO tem igualmente como um princípio orientador, privilegiar a promoção da saúde de todos os profissionais, aliada à adoção de hábitos de vida saudável, no caso, hábitos/ comportamentos fisicamente ativos. Para esta Campanha, a DGS disponibilizou diferentes cartazes que foram adaptados pelo SSO para colocação em locais bem visíveis e estratégicos, como a entrada para os elevadores e os patamares de escadas, tendo em vista a promoção da utilização das escadas, mais especificamente a sua subida, em detrimento do uso sistemático dos elevadores. O SSO pretende reiterar a todos os profissionais e outros colaboradores do CHLN quais os benefícios para a saúde desta Campanha, nomeadamente, o fortalecimento ósseo reduzindo o risco de osteoporose e fraturas, o controlo do peso, a saúde cardio-respiratória e também os ganhos ambientais. Alerta para a importância do uso preferencial de sapatos fechados, com sola antiderrapante e com salto estável, até 2 cm ou 3 cm de altura, aliando assim o conforto à segurança dos profissionais. Reforça ainda para se usar o corrimão, olhar os degraus e não usar o telemóvel quando subir ou descer as escadas. Aconselha-se também dosear o número de patamares das escadas de forma gradual e progressiva.

“3ª Peregrinação a Fátima pelos Peregrinos de Santa Maria” A 3ª Peregrinação por Nossa Senhora de Fátima é uma iniciativa dos «Peregrinos de Santa Maria» do CHLN e terá lugar no dia 8 de maio de 2016.

FAÇA A MELHOR ESCOLHA, VÁ PELAS ESCADAS” Esta peregrinação partirá da Capela do Hospital de Santa Maria/ CHLN, no dia 8 de Maio de 2016 e a chegada a Fátima está prevista para dia 12 de maio 2016. As inscrições estão abertas até ao dia 31 de janeiro de 2016 e para mais informações, disponibilizam-se os seguintes contactos: •Lurdes Mixão – lurdesgmixao@gmail.com – TM: 965001986 •Marta Gonçalves - marta.esteves1@sapo.pt – TM: 966758751 •Padre Fernando Sampaio - fpaio57@gmail.com – TM: 94174

LXNorte | NEWS | dez'15 |45


Tweety Sessions, um espaço de discussão e reflexão do CAML As «Tweety Sessions» são uma iniciativa conjunta do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e do Instituto de Medicina Molecular (IMM), representando o verdadeiro espírito do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML). Com a instituição desta atividade pretendeu-se criar sessões mensais com convidados especiais que abordem temas sobre o mundo da ciência, das artes, das humanidades ou da sociedade, fazendo refletir, interrogar e desacomodar, criando um espaço de discussão ímpar. O objetivo é que estas sessões, ao serem inspiradoras, criativas e irreverentes, se tornem num mote para a discussão e para a troca de ideias entre colegas, profissionais de saúde, para o deslumbramento com novas ideias e para a inspiração, entre pares. Depois das sessões que, ao longo de todo o ano de 2015 foram apresentadas, deixase uma «antevisão» de alguns dos oradores para 2016: Prof. Adriano Moreira, Dr. Rui Rio, Dr.ª Lídia Jorge, Prof. Sobrinho Simões, José Mourinho e Prof. Serafim Guimarães.

HPV assinala quadra natalícia com ações diversas O Hospital Pulido Valente (HPV) do CHLN, assinalou, no passado dia 17 de dezembro, o Natal 2015. A efeméride foi assinalada através de diversas atividades, ao longo de toda a manhã, iniciando-se com a realização de uma Missa de Ação de Graças, na Capela do HPV, presidida pelo Padre Fernando Sampaio e co-celebrada com o Frei Fernando Ferreira e com o Diácono Vítor Fernando. Seguidamente, foi organizada, por elementos do Corpo de Voluntários da Liga dos Amigos do HPV, uma ação em prol dos utentes internados, através da oferta de um cartão de boas festas e de uma lembrança a todos. Para terminar a celebração, foi organizado um almoço de confraternização, oferecido aos colaboradores da instituição pela Liga dos Amigos do HPV, que contou com a presença de inúmeros colaboradores do HPV e do Hospital de Santa Maria (HSM), bem como com a presença de diversos dirigentes e do Conselho de Administração do CHLN.

FAÇA A MELHOR ESCOLHA, VÁ PELAS ESCADAS”

A Dr.ª Maria Jorge Nogueira da Rocha, Presidente da Liga dos Amigos do HPV, usou da palavra, agradecendo a presença de todos os funcionários e desejou um «Feliz Natal» aos presentes. O Presidente do Conselho de Administração, Dr. Carlos Neves Martins, deixou uma palavra de apreço e agradecimento à Liga dos Amigos do HPV, assim como endereçou aos colaboradores do CHLN, «(…) uma palavra de agradecimento a todos sem exceção. A todos aqueles que aqui trabalham e a todos os que já aqui passaram e ainda, àqueles que não puderam aqui estar hoje, o Conselho de Administração quer agradecer tudo o que têm feito em mais um ano de dificuldades, mas que acabámos por ultrapassar, com serviços de qualidade e com humanização». O Presidente do CHLN aproveitou ainda para desejar aos presentes e às respetivas famílias, “um Santo e Feliz Natal”.

LXNorte | NEWS | dez'15 |46


ALÉM

Maria do Céu Santo

É Assistente Hospitalar Graduada de Obstetrícia e Ginecologia do Hospital Santa Maria/CHLN e Professora da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Possuí mais de duas décadas de experiência na área e é hoje uma referência na área da ginecologia e da sexualidade, sendo presença assídua em programas de televisão, onde esclarece dúvidas e desmistifica conceitos, bem como em congressos e colóquios que versam sobre a sexualidade, feminina ou masculina. É reconhecida pelo seu trabalho clínico e de investigação, que partilha com o público sob a forma de livros, resultantes da fusão da sua experiência e do seu conhecimento científico, pautados pelo seu já conhecido sentido de humor.

A escrita é um desejo de viajar para um lugar desconhecido, onde se cruzam emoções, saúde e sexualidade? A escrita pode levar-nos por muitos caminhos desconhecidos, mas também pode ser um ponto de encontro com o “eu”. No meu caso a escrita é o registo de uma viagem partilhada com muitas mulheres que fui observando ao longo da vida profissional. A saúde é a base, mas as emoções, os afetos e a forma como a sexualidade é vivida podem fazer toda a diferença na qualidade de vida. Procuro que as mulheres desconstruam algumas ideias pré-concebidas que as condicionam e levá-las a pensar sobre temas que têm sido tabu e que sempre estiveram ausentes na sua formação. Como e quando surgiu a sua ligação com a escrita, esse fascinante espaço onde reside o infinito e onde tudo acontece? Aconteceu como muitas outras situações da minha vida, que vão surgindo sem programação. Como gosto de adrenalina, enfrento o medo das novas situações com informação e formação. Apercebi-me que a especialidade de ginecologia não nos dava formação em medicina sexual, apesar de ser crescente o número de mulheres que recorriam à consulta com problemas sexuais, pelo que decidi fazer uma pós-graduação em medicina sexual e outra em anti envelhecimento, atendendo também ao elevado número de mulheres em menopausa. Ao transmitir o que aprendi, as pessoas foram manifestando uma adesão natural por se reverem nos problemas e na forma como os analisava e divulgava. Recebi vários convites para palestras e programas de televisão. Depois surgiu o convite para escrever sobre os temas que abordei em diversos programas, o que permitiu a reflexão e a sedimentação, que são mais eficazes através da escrita. A promoção do bem-estar e a melhoria da vida sexual e afetiva das mulheres são eixos impulsionadores da sua escrita?

LXNorte |N EWS | dez'15 | 47

Penso que sim, pois são objetivos que fazem parte do que pretendo transmitir. Sou geralmente bem-disposta e otimista e procuro transmitir essa energia positiva às pessoas que me rodeiam. É para mim um enorme prazer poder contribuir para ajudar mulheres a ultrapassar dificuldades resultantes da forma como se relacionam com a afetividade e com a vida sexual. Há muitos preconceitos, muita desinformação, mitos e desconhecimento do próprio corpo. O estudo da sexualidade feminina é muito recente, só começou a surgir à medida que a mulher foi ganhando autonomia, mas apesar da pílula, do acesso ao ensino, ao mercado de trabalho e à liberdade sexual, o peso cultural continuou a limitar o tratamento destes temas.


D’COLABORADOR A sua escrita é um tributo à feminilidade moderna, vibrante mas humanista, que brilha com uma energia irresistível, e encantatória? Não escrevo para homenagear a mulher moderna. O que pretendo é que as mulheres estejam mais informadas sobre matérias que fazem parte da sua vida, com o direito de assumirem a sua sexualidade de forma responsável, tal como têm mostrado que são capazes de ocupar lugares profissionais de topo em todas as áreas. Sempre houve uma preocupação, seja na investigação, na indústria farmacêutica ou na medicina, com a procura de soluções para os problemas sexuais dos homens, seja a disfunção erétil ou outro tipo. Para as mulheres sempre se registou a omissão no tratamento da sexualidade feminina. A divulgação deste tema de forma natural em programas de televisão e nos livros já é um avanço. É muito estimulante receber na rua, de pessoas anónimas e principalmente de alguma idade, palavras de apreço e de simpatia pela forma como viram tratados assuntos que sempre estiveram fechados, porque a cultura dominante não o permitia, ou quando eram abordados, não era da melhor forma. O destapar o corpo é na maioria das vezes bem mais fácil, até na praia, do que destapar o cérebro. No consultório, para além da avaliação física também devemos ter a psicológica pois as duas peças fazem parte do mesmo puzzle. Á medida que a esperança média de vida vai aumentando novas realidades se colocam a todos, sejam homens ou mulheres. Nas idades mais avançadas os afetos, o carinho e a partilha de bons momentos são elementos essenciais da sexualidade. Por tudo isso, este é um tema fascinante que tem visões muito diferentes nas várias fases da vida. Qual a mensagem que deixaria a todos aqueles que gostariam de abraçar a escrita como hobby ou como vocação? Não tenham medo de escrever, de riscar, apagar ou rasgar. Escrevam para si ou para os outros. A escrita é uma forma de organização, de sonho e de vida.

Comecem … e não desistam!

LXNorte |N EWS | dez'15 | 48


Damos as boas vindas a… outubro/novembro Ana Rita Gonçalves Simão Ana Rita Ribeiro de Jesus Angelina Maria Ribeiro da Silva Carla Cristina Figueiredo Barreto Rocha Carlos Jorge Alves Rosa Catarina Filipa Gonçalves Martins Cátia Cristina Jesus Santos Rodrigues Cátia Sofia de Almeida Pinto Cláudia Sofia Evangelista Rebelo da Silva Emanuel Rosa Andrade Eva Sofia Alves Rolo José Sebastião Ramos Freitas Leonor Isabel Silva Martins Luis Miguel Faísco Nogueira Mafalda Cristina Oliveira Rebimba Maria de Lurdes Ferreira Bernardo Maria Leonor Mota Nunes Maria Raquel Goncalves Vaz Mário Jacinto Alves Oliveira Marta Sofia Lameiras Trindade Nádia Sofia Quelhas Cepeda Patrícia Vila Flor Lourenço Paula Alexandra Sousa Correia Guimarães Ricardo Filipe Marques Ramos Rui Alexandre Ferreira Martins Cardoso Leão Sandra Cristina Costeira Vieira Sofia Isabel Leandro dos Santos Silva Susana Vieira Morais Tatiana Sofia Silva Gouveia Teresa da Fonseca Custodio Matias Vanda Maria Carrola Fernandes

Médica Enfermeira Assistente Operacional Assistente Operacional Técnico Superior Enfermeira Assistente Operacional Enfermeira Assistente Operacional Assistente Operacional Técnica Superior Enfermeiro Enfermeira Assistente Operacional Enfermeira Assistente Operacional Enfermeira Técnica de Diagnóstico e Terapêutica Técnico de Diagnóstico e Terapêutica Assistente Operacional Enfermeira Enfermeira Enfermeira Assistente Operacional Informático Assistente Operacional Enfermeira Enfermeira Enfermeira Assistente Operacional Assistente Operacional

Despedimo-nos de… Arminda da Conceição Capelas de Almeida Cândida da Conceição Diogo Canha Carlos Maria Palmela Chagas Zaida Maria Coutinho da Cruz

Assistente Operacional Assessor Superior Saúde Assistente Graduado Hospitalar Assistente Técnico

LXNorte | NEWS | nº12| Ano II |dezembro’15 Ficha Técnica: Planeamento, Produção, Edição e Fotografia: Gabinete de Comunicação e Relações Públicas do Centro Hospitalar Lisboa Norte, EPE gab.com@chln.min-saude.pt

LxNorte News Ano II nº 12  

Publicação do Centro Hospitalar Lisboa Norte | Ano I | Nº12 | Gabinete de Comunicação e Relações Públicas | gab.com@chln.min-saude.pt

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you