Page 1

Avaliação de Riscos e Controles A ANÁLISE "BOW-TIE" CONECTADA AO SISTEMA DE GESTÃO Abordagem do QSP alinhada à norma ISO/IEC 31010

HAZID

APP/APR Identificar

HAZOP

FMEA

What-If

Etc.

Identificação

Analisar FTA

Perigos e Ameaças

Análise de Probabilidades

ETA FMECA

Análise de Consequências A análise Bow Tie faz o "link" entre os controles e o sistema de gestão

QRA (Quantitativa) Avaliar

Análise LOPA

Reduzir

Camadas de Proteção Barreiras

Policy

CONTROLES

Modelagem de Efeitos Físicos

Planning

Conectar ao SG

Auditoria Baseada em Riscos


O que diz a NBR ISO/IEC 31010 sobre a Análise BOW-TIE

B.21 Análise Bow tie B.21.1 Visão geral A análise Bow tie é uma maneira esquemática simples de descrever e analisar os caminhos de um risco desde as causas até as consequências. Pode ser considerada como uma combinação do raciocínio de árvore de falhas, que analisa a causa de um evento (representada pelo nó de uma Bow tie), com árvore de eventos, que analisa as consequências. Entretanto, o foco Bow tie está nas barreiras entre as causas e o risco, e o risco e as consequências. Diagramas de Bow tie podem ser construídos a partir das árvores de falhas e eventos, porém são mais frequentemente desenhados diretamente a partir de uma sessão de brainstorming.

B.21.2 Utilização A análise Bow tie é utilizada para representar um risco que possui uma gama de possíveis causas e consequências. É utilizada quando a situação não justifica a complexidade de uma análise de árvore de falhas completa ou quando o foco estiver mais em assegurar que existe uma barreira ou controle para cada caminho de falha. É útil quando há caminhos claros independentes levando à falha. A análise Bow tie é muitas vezes mais fácil de entender do que árvores de falhas e de eventos e, portanto, pode ser uma ferramenta de comunicação útil quando a análise é conseguida utilizando técnicas mais complexas.

B.21.3

Entradas

É necessária uma compreensão das causas e consequências de um risco e das barreiras e controles que podem evitá–lo, atenuá–lo ou estimulá-lo.

B.21.4 Processo A Bow tie é desenhada conforme descrito a seguir: a)

Um risco específico é identificado para análise e representado como o nó central de uma Bow tie.

b)

As causas do evento são listadas considerando as fontes de risco (ou perigos em um contexto de segurança).

c)

O mecanismo pelo qual a fonte de risco leva ao evento crítico é identificado.

d)

linhas são traçadas entre cada causa e o evento formando o lado esquerdo da Bow tie. Os fatores que podem levar a uma intensificação podem ser identificados e incluídos no diagrama.

e)

As barreiras que evitariam que cada causa leve a consequências não desejadas podem ser mostradas como barras verticais cruzando a linha. Onde havia fatores que poderiam causar intensificação, as barreiras para a intensificação também podem ser representadas. A abordagem pode ser utilizada para consequências positivas onde as barras refletem os "controles" que estimulam a geração do evento.

f)

No lado direito da Bow tie diferentes consequências potenciais do risco são identificadas e linhas desenhadas para irradiar do evento de risco para cada consequência potencial.

g)

As barreiras para a consequência são representadas como barras que cruzam as linhas radiais. A abordagem pode ser utilizada para efeitos positivos onde as barras refletem os "controles" que NÃO TEM VO

72/101


ABNT/CEE-63 PROJETO 63:000.01-002 ISO/IEC 31010 NOVEMBRO 2011

suportam a geração das consequências. h)

As funções de gestão que suportam os controles (tais como treinamento e inspeção) podem ser mostradas sob a Bow tie e vinculadas ao respectivo controle.

Algum nível de quantificação de um diagrama de Bow tie pode ser possível quando os caminhos forem independentes, a probabilidade de uma consequência ou resultado específicos é conhecida e um valor pode ser estimado para a eficácia de um controle. Entretanto, em muitas situações, os caminhos e as barreiras não são independentes, os controles podem ser procedimentais e, consequentemente, a eficácia pouco clara. A quantificação é muitas vezes realizada mais apropriadamente utilizando AAF) e AAE.

B.21.5 Saída A saída é um diagrama simples mostrando os principais caminhos de risco e as barreiras existentes para evitar ou atenuar as consequências indesejadas ou estimular e promover as consequências desejadas.

Figura B.8 – Exemplo de diagrama de “Bow tie” para consequências indesejadas

B.21.6 Pontos fortes e limitações Pontos fortes da análise da Bow tie: •

é simples de entender e fornece uma representação gráfica clara do problema;

foca a atenção nos controles supostamente existentes para prevenção e atenuação e sua eficácia;

pode ser utilizada para consequências desejáveis;

não necessita de um alto nível de especialização para utilizar.

As limitações incluem: •

não pode ser representada onde múltiplas causas ocorrem simultaneamente para resultar nas consequências (ou seja, onde houver portas “AND” em uma árvore de falhas representando o lado esquerdo da gravata); NÃO TEM VALOR NORMATIVO

73/101



Clique nas figuras abaixo para conhecer estes dois cursos exclusivos do QSP


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.