Issuu on Google+

DISCURSO DE ABERTURA DO IV WORKSHOP INTERNACIONAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL Regina Vidigal Guarita 9 de novembro de 2010 – 9h00 Bom dia a todos os presentes. Em nome da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, quero dar as boas vindas aos participantes do Quarto Workshop Internacional de Desenvolvimento Infantil. É com imensa satisfação que, pela quarta vez consecutiva, estou abrindo os trabalhos do nosso workshop. Nesta edição vamos discutir a importância e a funcionalidade das redes e parcerias na promoção do desenvolvimento infantil. Esse tema representa muito mais do que apenas um assunto relevante que decidimos debater. Ele é fruto de um processo de amadurecimento que vem sendo trilhado pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal ao longo dos últimos anos e que culmina, neste momento, na percepção da importância que a ação conjunta tem para o sucesso do nosso trabalho e do trabalho de todos. Percepção esta, que migrou do plano das idéias para o plano das ações por meio da decisão de que todos, absolutamente todos os projetos abraçados pela Fundação contemplarão, e já contemplam, necessariamente a presença de parceiros. A evolução e o amadurecimento da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal podem ser percebidos facilmente ao examinarmos os Workshops Internacionais promovidos nos últimos três anos. Eles refletem sempre o momento que a entidade está vivendo, seus questionamentos e necessidades. Nosso primeiro Workshop Internacional foi realizado em 2007, apenas um ano depois da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal ter definido que seu foco de atuação prioritário seria o Desenvolvimento Infantil desde a concepção até os três anos de idade. Na ocasião, convidamos cerca de setenta profissionais de áreas ligadas ao Desenvolvimento Infantil e discutimos, com a colaboração deles, questões fundamentais para a orientação das atividades da Fundação. Foi um encontro muito rico, que partiu do conceito de Desenvolvimento Infantil integral e integrado, e refletiu sobre as responsabilidades da família, dos serviços comunitários e da sociedade para o estabelecimento de um ambiente adequado às crianças, no qual elas possam explorar todas as suas potencialidades. As conclusões e diretrizes extraídas desse debate foram de grande valia para estruturação de alguns dos pilares sobre os quais se construiu o que hoje é a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal. No segundo Workshop Internacional, a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal já havia estabelecido o seu Programa de Desenvolvimento Infantil e estava preocupada em identificar sistemas adequados para a avaliação dos resultados de seu trabalho. Por


isso, o foco das discussões foram métodos e instrumentos de avaliação dos programas e projetos sociais. Não qualquer programa ou projeto social, senão especificamente os orientados ao Desenvolvimento Infantil. O segundo Workshop contou com a presença de estudiosos brasileiros, canadenses, mexicanos e norteamericanos. O intercâmbio foi tão fecundo e os reflexos do debate tão positivos que agora, há exatamente um mês, recebemos a visita de uma representante do Offord Centre for Child Studies, ligada à Universidade McMaster, do Canadá, que veio a São Paulo para participar de uma oficina de capacitação para a aplicação de um método de avaliação do grau de Desenvolvimento Infantil das crianças. Esse instrumento, chamado EDI, que são as iniciais de Early Development Instrument, ou seja, Instrumento de Desenvolvimento Infantil, será aplicado a todas as crianças na faixa dos cinco anos de idade dos seis municípios do estado de São Paulo nos quais a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal está trabalhando, que são Botucatu, Itupeva, Penápolis, São Carlos, São José do Rio Pardo e Votuporanga. Essa avaliação será feita agora, em 2011, e registrará o grau médio de Desenvolvimento Infantil nessas cidades. Posteriormente, uma nova avaliação será aplicada para medir os impactos do Programa Comunitário realizado pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal. Cito esse exemplo para demonstrar o quão importantes e representativos são esses encontros para a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal. No ano passado, foi a vez da Comunicação ocupar o lugar central nos debates do Workshop Internacional. Após estabelecer seu foco de atuação, conceber o Programa de Desenvolvimento Infantil, definindo claramente os critérios e os instrumentos a serem utilizados, havia chegado o momento da Fundação enfrentar o grande desafio previsto em sua missão: disseminar o conhecimento. Todos sabem como é complexo o processo de disseminação do conhecimento e quantos riscos de fracasso estão embutidos nesse objetivo. Não basta apenas espalhar a informação, é necessário garantir que ela chegue ao interlocutor, que seja compreendida, assimilada e que provoque uma mudança de comportamento. Não é pouca coisa, mas é exatamente essa a empreitada com a qual a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal se comprometeu. E foi buscando enxergar melhor as dimensões do desafio e compartilhar experiências com os que já trilharam esse caminho que a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal escolheu a Comunicação como tema do seu terceiro Workshop Internacional. Ouvimos publicitários, jornalistas, acadêmicos e agentes de movimentos sociais. Cada um deles apresentou sua história, com os sucessos e as dificuldades, e ajudou a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal a elaborar o Plano Estratégico de Comunicação que agora começa a ser colocado em prática. Finalmente chegamos a 2010 e a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal percebe que já está suficientemente madura para ser abrir. Já construiu sua visão, missão, valores, focos, métodos e objetivos. Definiu seu principal programa e já começa a colher os primeiros frutos. Já pode, e deve estabelecer parcerias e participar de redes que potencializem os efeitos de seus esforços. É dentro desse espírito que a foi estabelecido o tema deste Quarto Workshop.


E para provar a determinação de atuar em conjunto, a própria organização do Workshop foi feita em parceria, com a colaboração de quatro organizações: a Aliança pela Infância, a Fundação Abrinq, o Instituto C&A e a Sociedade Brasileira de Pediatria. Aproveito este momento para agradecer a contribuição de todos e a disposição demonstrada ao aceitar imediatamente o convite da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal. Além disso, o modelo do Workshop também foi alterado com o intuito de ampliar e diversificar os participantes, promovendo novos contatos e intercâmbios. Neste ano, pela primeira vez o evento foi aberto ao público. E para nossa surpresa, o número de inscrições superou em muito a expectativa. A tal ponto que nos vimos forçados a aumentar o espaço para comportar uma quantidade maior de participantes e, ainda assim, mais de uma centena de pessoas que estavam na fila de espera não puderam ser admitidas. Foi uma pena e, ao mesmo tempo, uma alegria constatar que acertamos na escolha de um tema atual e instigante, que atraiu tantos profissionais. Agora, só me resta agradecer a presença de todos, agradecer o trabalho da equipe organizadora e desejar que esses dois dias de encontro sejam enriquecedores para vocês assim como os Workshops têm sido para a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal. Bom trabalho!


IV Workshop Internacional – Pronunciamento Regina