Issuu on Google+

" I

~

I

I ,

,..

I PETROBRAS apresenta

,

.

\006 WWW.pONO(OMOfE/Tivol.CqM


•••• ·.. ••

'

t


I

.

...... I.

I.

outros continentes -

'

seja o I.

I I

.

I

I

:

I.

..

I

"'

. I.

I • I.

I

I

relacionamento

I •

.

... .... ... .....

• I •

I

I

"'

. - .. •

I

I


I.

..

I.

lI

I

•• I.

l-

.

vitrina nacional

II

...• ... ...- ...I

;.

I I

I

I'


10 N OV

sex/fri

Caixa Preta/Caja negra • : Cláudia Muller e Cristina Blanco 18h EspaçoSESCMultiuso Brisa •

I

Caixa Preta /Caja Negra • : Cláudia Mulier C lsf BI e ns ma anco 18h EspaçoSESCMultiuso

•• Diversos artistas 12h>20h TheatroMunicipal, C,C,daJustiçaFederal ,CaixaCultural, CineOdeonBR,e outrosespaços

• • Cristian Duarte 14h às 17h EspaçoSESCArena

Fragmento para Coreografismos • .: Paulo Caldas

Remonta

+

An-dando Rommel Nieves

Som

do Movimento Discípulos do Ri,mo 20h30 CaixaCultural/ teatro NelsonRodrigues

Médelei '" • • Cristian Duarte 19h EspaçoSESCArena

11 N OV

Feique

sab/sat

- em algum

Porta das Mãos Michel Groisman 19t1Oi Futuro , , Caixa Preta /Caia Negra • : Cláudia Mulier e Cristina Blanco 18111spaço SESCMultiuso

lugar, porém, aqui • I Verve Cta. De Dança 20h30 CaixaCultural/ TeatroNelsonRodrigues M. uma peça mediana

Médelei:

eu sou

14 N OV

bras.lelro

[eTc}

e

• : Maria Clara Villa Lobos 21h TeatroCacildaBecker

egenda

ter/tue

Die-t----

existo nunca rlsuan Duarte 19111',PIIÇO Sl SCArena

Dona Orpheline 19h Oi Futuro Lehmen Lernt

,limA peça mediana M,1I111 Clara Vllla Lobos 2111I, 1110 GIIC ildnBecker

Thomas Lehmen 20h30 CaixaCultural/I TeatroNelsonRodrigues

12 N OV

15 NOV

)[10

un/dom

'( )11 I di!', M'!O Mil 111 I "11 111111 1'111)111111))

ens

2

Três meninas e um garoto •

I

João Saldanha

Eu e meu coreógrafo

n063

Bruno Beltrão 20h30 TheaíroMunicipal Feique '" • I Verve Cia, De Dança 20h SESCSãoJoãode Meriti

1 6 N OV

qui/thu

Plasticization

+

They that's

look at me and ali they think

: Nelisiwe Xaba 19h Oi Futuro am here

• I João Fiadeiro 20h30CaixaO-Jltural/NelsonRodrigue

--~-

qua/wed

Legenda Diet Dona Orpheline 19h Oi Futuro

Feique", • I Verve Cia. De Dança 2Ql1_S~?CNovaIguaç:u ~~ NOVo 19uOcu excluS/w)

PG\.1!ebes do EXWA


17 N OV

+

r I H ,y lool 11,11'.;

20 NOV

sex/fri

)18 li ,i781 ion

Materiais

·

Diversos

at me and i 111thoy think

22h Teatro da UniverCidade

como

I jl 11',lwoXaba

Fervo

eles

. Tiago Guedes

"}II ClI I 1111110 11.I( JOI

Valéria Vicente

po

seg/mon como

como

fantas-

gorilas,

mentirosos, mesmos,

como como

cowboys Cristina Moura

Confluir

19h Teatro da UniverCidade

·

Confluir

: Thembi Rosa

II n'y

"dlorla Vicente ~111I,IIIIU Cncllda Beeker

pommes

1 NOV

19h SESC São Gonçalo

l

mas,

21h Teatro Caeilda Beeker

I (IVI

1'111

Homens

·

I

a pas

de au

Paradis

·

: Thembi Rosa

Sara Gebran

sab/sat

111Ü

.ornüon II1

19 N OV Pure

dom/sun

Collaboration Manuel Vason

Jraverseé II1 '111 1111.I111!lICi, 1,'

1111/11111<) ,I

: Yann Marrusich

·

I

1m permanências

II1

111,1,

·

II I'

Ser

I 111l11l,lollilll

Vera Sala

21 . N OV

ter/tue

Confluir

·

: Thembi Rosa

1I n'ya au

· ·

pas

de

pommes

Paradis I

Sara Gebran

21h Teatro Caeilda Beeker humano

luis Guerra 17h às 20h EspaçoTomJobim

:

resultado da oficina

de Thomas Lehmen 18h Espaço SESC Multiuso


caixa prrrovcojo

Nfg(O

fi. consrderada caixa-preta dos aviões não é preta: é vermelha ou cor de laranja, para que possa ser encontrada no meio dos destroços. Quase sempre há duas caixas-pretas. Uma guordo o som dos últimos 30 minutos de comunicação entre os pilotos e o controle. A outra, os dados de navegação aérea. Uma vez encontradas, as caixas-pretas são inseridas num simulador de vôo, de modo que possam ser revividos os momentos do acidente.

'l'lu: soocélllcd black box is not blaek: it's red or orange, so that it ean be found in the wrcckuge. Almost elweys, there are two black boxes. One records the last 30 minutes qf" communiceiion between pilots and flight contrai, the other one, the navigation data. W"en [ound, the black box is inserted into a flight simulator so that the moment of the uccitlent. can be reconstructed. A brasileira Cláudia Muller trabalha na Alemanha, Espanha e Brasil. De 1998 a 2000, integrou a Companhia de Lia Rodrigues. Desde 2000 desenvolve projetos individuais com 3M Performance. Suas peças e colaborações em projetos de artistas como Gary Stevens e Robert Pacitti têm sido apresentadas em vários festivais internacionais. como o Dança em Trânsito (r~io de Janeiro) e In-Presentable (Madri). A espanhola Cristina Blanco estudou Arte Dramática e Interpretação Gestual na RESAD, . em Madri. Realiza vários workshops de criação, dança e performance com Juan Dominguez, Jérôme Bel, Gary Stevens, Barbie Asante, Ana Buitrago e Helena Córdoba. Trabalha como atriz e cantora em várias companhias teatrais e em 2003 foi co-fundadora da Depieteatro.

CI,í"t/i" M/lller is Brazi/ian and works in Germany, Spain and Brezil: From 1998 to 2000, slu: ;/lI(,~/'llted the Companhia de Lia Rodrigues. Since 2000 she develops individual /JI'I!joc:lswith :JM Performance. Her pieees and contributions in projeets of artists such as (:"/~' Slc've/lS utu] Robert Pacitti have been presented in different intemational festivais like /)11111''' C:/II '/l-lifls;lo (Rio de Janeiro) and In-Presentable (Madrid). (.',.;.~ti/l"ll!"I/C;O ;.'1 Spunish, she studied Drama and Gestual Interpretation at RESAD, /I/m/de!. SIII' tuinisior» severel workshops of creation, dance and performance with Juan /)",IIiIlNIU:::.,Jclrf)fIIC' 111'i, Gury Stevens, Barbie Asante, Ana Buitrago and Helena Córdoba. SI/I! \\'c,,·".~ /1,'1 '1// /1('1 f'(!SS nntl singer in many theatrical company and in 2003 co-founded li", 1.)I'/,;II/c'III/'11.


bri/o /oN-doNdo "Brlan, particular

peça de Rommel Nieves que, pela improvisação, corporizou detalhes cotidiano como um desdobramento próprio da investigação e de suas sensações 11111111 profundas," (José Antonio Blasco)

dft !lOSSO

"ltrin«, pnrticutnr piece of Rommel Nieves that through improvisation embodied details

'!/' uur tI/lil)' l(fh through an unfolding proper of the investigation and the deepest 11"1/11111 i'IIIII,

"

(.Jose Antonio Blasco)

O sotaqua da cidade está marcado pelos corpos que definem os traços de suas ruas; o rllmo do cidadão supera o controle da consciência e, portanto, da lei. Assim, o artista urbano reauua da urgente necessidade de materializar a imagem subjetiva - convertida em metáfora - vinculando-se a semelhantes e contrários desde a corporalidade como instância essencial de lima identidade universal." (José Antonio Blasco)

Th»

,,,."'!1I1

1'111'/1111/

q/, the city is marked by the bodies that define the layout of its streets; the

'!/' /I/() citizens surpass the control of their consciences and, therefore, of the

tlu: urban artist results from the urgent necessity to materialize the subjective .- ronverted into metaphor - tying himselfto similar and contrary ones since ""I'/wl'lllily 1/.'1 essentisl instance of a universal identity." (Jose Antonio Blasco) 11111', '/'/11111,

i/"/lU"

Hommel Nieves estudou na Escuela Nacional de Danza e no Instituto Superior de Danza, 1'IIIIIclpou de workshops de improvisação com mestres como: Bill Young, Jeremy Nelson, I)lI\vlcl Znrnbrano, Alexei Taran e Mark Tornpkins, Bailarino da Companhia Neodanza de GnrnOIlS n partir de 1997, fez temporadas nacionais e internacionais até 2001, Em 2002 """ 111ft Companhia 100% Impro, na qual é diretor artístico e intérprete,

Nioves si udied at the Escuela Nacional de Danza and at the Instituto ti,. J)IIIlZII. IJe participated in improvisation workshops with masters such as: /lI/I \ íllll/U , .kircmy Nelson, David Zambrano, Alexei Taran and Mark Tompkins. He was /I ""1/""/' witt, / Neodanze Company of Caracas since 1997, dancing in national and 1//lI'I'lIl1lilllllll Sl'I/S0llS until 2001, In 2002 he started the 100% Impro a dance company \\'1".,'" I", i,'t nrtisitic diroctor and performer. 1/''',11,11,1

,"Í/lI/I'/'illl'

"o

111111:1/1111 provlsador, blogspot.com

II " "'''"''I:,,\,:AOI

'A'""

I'VIH.


10M

do

MOVIMENTO

o

espetáculo leva o público a um universo imaginário, onde som e movimento se misturam e já não se sabe mais se o movimento cria o som ou o som cria o movimento. O dançarino lem o poder de manipular o som e com isso fazer sua coreografia na ausência de música propriamente dita. O solo é desenvolvido dentro dos estilos de dança urbana: Popping, Locking, Waving, Boogalooing e Robot. Estes estilos são o foco da pesquisa teórica e prática de Frank Ejara há cerca de oito anos. '/'I/() show takes the public to an imaginary universe, where sound and movement mix 111/(1 wc don 't know if movement creates sound or sound creates movement. The dancer IlIIs lhe power to manipulate sound and with this make his choreography in the absence (~f' tnusic. The solo is developed in the urban dance style: Popping, Locking, Waving, ltoogulooing and Robot. These styles are the focus of Frank Ejera's theoretical research untl practice for about eight years.

Desde 1996, Frank Ejara desenvolve estudo sobre as origens e fundamentos dos estilos de danças urbanas (street dances). Com experiência nesse cenário, Frank decidiu formar, em 1999, sua própria companhia de dança: os Discípulos do Ritmo. Para isso, reuniu alguns dos melhores dançarinos que conheceu durante sua vivência dentro do Hip Hop, cultura da qual ele faz parte desde 1984.

Sil1c:n 1996, Frank Ejara develops a study on the origins and beginnings of street dance stylo«. Wilh experience in this scene, Frank decided to form, in 1999, his own dance ('(J11IIJ/1l1y: lhe Discípulos do Ritmo. For this, he united some of the best dancers he met rllI/'illMhi» Hip Hop experience, a culture ofwhich he takes part since 1984. Concopção I concept: Frank Ejara Dnnçarino I dancer: Frank Ejara Coroógrafo I choreographer: Frank Ejara Pró-produção e Edição I production and edition: Frank Ejara e Rooney Yo Yo Som o Trilha Sonora I sound design and soundtrack: Marcos Henrique "DJ Som 3" Moretto LII1 IIIClI,': Alessandra Domingues roto I pilO 10: Cláudia Ejara

Illlp:// www.discipulosdoritmo.com

I~

t:llllllllt

tt:Ilt,:1I0 1 11111111: LIVI1E


conversa

pública

após o espetá


"O espetáculo toma por ponto de partida o slogan 'Eu sou brasileiro e não desisto nunca' da campanha publicitária realizada para o governo e veiculada na televisão brasileira em 2004. Adotando como referência teórica a formulação do neurocientista português Antonio Damásio sobre a base racional da emoção, o grupo questiona o apelo emocional moralista contido no slogan citado e a própria idéia de nacionalismo, propondo discutir a famigerada idéia do corpo como suporte. Para isso desafia o elenco a exercitar sua adaptabilidade a diferentes referências culturais na mesma velocidade com que se troca de estação de rádio. E desafia a platéia a consolidar uma noção de 'ser brasileiro' nos 60 minutos de duração do espetáculo. Tudo para não dar em nada ... daquilo que se esperava encontrar", diz sobre a peça Fabiana Dultra Brito.

"The show takes as a starting point the slogan ' I am Brazilían and I never give up' the advertísíng campaign made for the government and propagated on Brezilien televisíon in 2004. Adoptíng as theoretícal reference the Portuguese neuroscíentist Antonío Damásío's theory about the ratíonal basís of emotion, the group questíons the moral emotional appeal contained in the cíted slogan and the idea of nationalism itselj, proposíng to ergue the famous idea of the body as support. ít defies the dancers to exercise their adaptability to different cultural references at the same speed as we tune in to different radio stations. And it defies the public to consolídate a notion of 'being Brezilien' in the 60 minute duratíon of the show. lt was not ali that we expected to find, but more ", says Fabíana Dultra Britto about the piece. O coreógrafo e bailarino brasileiro Cristian Duarte graduou-se em 2002 na Escola P.A.R.T.S , de Anne Teresa de Keersmaeker, em Bruxelas - Bélgica. Realizou colaborações com Cia. Nova Dança/SP, Shani Granot, Peter Foi, Lynda Gaudreau, Paz Rojo, Fabiana D. Britto e Thelma Bonavita. Duarte já participou de diversos festivais internacionais, como na Áustria, Holanda, Bélgica, França, Portugal e Brasil. Dentre os prêmios que recebeu, está o Bonnie Bird Choreography Award (Londres).

The choreogrepher and Brazilían dancer Crístían Duarte graduated in 2002 from P.A.R. T.S, Anne Teresa de Keersmeeker's school, in Brussels - Belgium. He collaborated with Cia. Nova Dança/SP, Shaní Grenot, Peter Foi, Lynda Gaudreau, Paz Rojo, Fabiana D. Britto and Thelma Bonavita. Duarte has already particípated in diverse ínternational festivais, s//(:h ns in Austria, Holland, Belgíum, Frence, Portugal and Brazíl.Amongst the prizes //0 rocoived, are the Bonnie Bird Choreography Award (London).


.... based in Brussels.

.~- ..

-

:A apresentação no Rio de Janeiro tem o apoio da Communauté Wallome-Bruxelles, da Bélgi com o SESC São Paulo e o Festival Internacional de Artes Cênicas - Goiãnia em Cena 2006.

http://www.xlproduction.net

.-


fn/I]/lIU 101conntruldo para discutir IUI IIdflplfllllCJ9

contrastes

sociais,

aspectos

do cotidiano

o bom

humor

brasileiro.

Sua grande

e a inteligência

habilidade

de

ao lidar com dificuldades

do IlIn /1 (li/I. 1:l11balado por música especialmente composta e executada ao vivo, desenha 110 1IIIIIlO 111111\ estrutura contaminada pela linguagem multidisciplinar da companhia. 1-'1'1""11 II'IIH rnnstrucied

to discuss aspects taken from daily Brazilian life. Ris great ability /I"{/III;II~ 111,~II";III contrests, his good mood and intelligence in dealíng with day to day IIWII'IIIII('H, 1.lIl/l.'tllJy especially composed and performed live music, on stage we IU'/'/'/,I,'/I 11struct un: contaminated by the compeny's multidisciplinary language.

'fI'

fi Vmvn Oompnnhla de Dança usa diversas linguagens e técnicas, resultado direto das IIM11I1I16111:lns de seu diretor e fundador, o designer, artista plástico e fotógrafo Fernando t~lllIlJtI, fi:: composições da Verve são pesquisas compartilhadas entre direção coreográfica 111111óI proles '/'1/11

criadores

que investigamo

corpo

e seu conseqüente

reflexo

sobre o meio.

\i·/'I'/· Companhia de Dança holds as a principie the use of diverse languages and li direct result of the experiences of its director and founder, the designer, 1111/1 IJ/llllographer Fernando Nunes. The compositions of Verve are researches

1/ld//I;/I/lI'S, 1fl1i~1

~11/"lltI 1111/11'

IU'III'/!It/l choreographic direction and creative interpreters lt» n:/lected consequence on our surroundings.

who investigate

the

1111/1

(JIIIIIIIIPVno o Dlroção Coreográfica I concept and choreographic direction: Fernando Nunes; Diretora Assistente I dlllll 101lI~nIBtant: Mariusa Bregoli; Intérpretes Criadores: creators-performers: Mariusa Bregoli, Austin Andrade, I t~111I I ,,111 ~o, Olego Oliveira e Rodolfo Greco; Participaram da primeira fase de pesquisa I participants of the I//.'plll/l" ot rosearch: Moacir Coletto, Candice Didonet e Pedro Paulo Abudi; Música I music: Chris Vine; 1IIIIIIIIIIIVllo I 110Mdesign: Silvio Vilczak; Ensaiadora I rehearser: Mariusa Bregoli; Técnico de Montagem: Milton 111111\: G i>11111 10(Concepção) I scenography (concept): Fernando Nunes; Cenário (Produção) I scenography 1/1111111111(/1.111); I 011'Tndeu Maciel; Gerente de Produção I production manager: Célia Guedes; Direção de Produção 1/"1111111 tllill tI/metlon: Maria Helena Alvarez; Vídeos, Criação, Direção, Imagens I creation , vídeos direction, /IIIIIIIIIM/ 1'!1III111Ic1o Nunes: Edição e Computação Gráfica I edition and computer graphics: Vladimir Silva; Ilillllltllll)1I1I IIiUIillIl(]: V8 Produções 1IIIp://www.vorve.art.br

~I

111 "'11111 10AQIIO IlTAIIIA:

LIVRE


1;

~s~Th~y

I or-rd i...

lOOK

OT M~

ThoTI oLL Th~y ThiNK

o título se refere a Sara Baartman, conhecida na França como "Hottentot Venus". Nascida em 1789, foi levada da Cidade do Cabo para Londres, em 1810, por um médico de um navio britânico. Foi exibida por todo o Reino Unido e mais tarde pela França como uma curiosidade científica, ou mais exatamente como um urso de circo, por causa de suas nádegas e genitálias grandes. Para Neli, a história de Baartman é uma alegoria de sua própria jornada artística de Soweto para o mundo eurocêntrico de hoje.

..~": ~. :;~. ':~.

~

The title refers to Sara Baartman known in Franee as the "Hottentot Venus': The Khoisan woman, born in 1789, was takenfrom Cape Town to London in 1810 by a British ship's doetor and exhibited all around Britain and later in Franee as a scientifie euriosity or 1, more exaetly as a cireus bear beeause of her large buttoeks and genitals. For Neli the .~; story of Sara Baartman is an allegory of her own artistie journey from Soweto to the ~ Euroeentrie world of art today.

I'

~r

•.

Nelisiwe Xaba nasceu em Soweto e pertence à nova geração de artistas do pós-Apartheid Africano. Trabalhou com uma gama de coreógrafos, diretores de teatro, designers e artistas plásticos. Ela também contribui para o treinamento de jovens dançarinos na África do Sul.

..Nelisiwe Xaba was born in Soweto and belongs to the new generation of post- apartheid -Africen ertists. She has worked with a gamma of ehoreographers, theeter directors, ...designers anel artists. She also eontributes to the training ofyoung daneers in South Africa . . ' Coreografia e interpretação I choreography and interpretation: .. Colaboração I collaboration: Strange Love .Direção I direction: Carlo Gibson ';' Foto I photo: Suzy Bernstein

Nelisiwe Xaba

A apresentação no Rio de Janeiro tem o apoio do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro.

29

CLASSIFICAÇÃO

ETÁRIA:

LIVRE


I OM hE(E '''Habitar'. Entrar por uma casa adentro (ou por um corpo, ou por um som, ou por um pensa mento ...), misturar-me, diluir-me, camuflar-me, como se já lá estivesse estado, como se nunc de lá tivesse saído ... é uma sensação que prezo e a única razão pela qual vale a pena sair do lugar. Desta vez, a casa que me acolhe é o imaginário de Helena Almeida, uma artist com a qual partilho o desejo de permanecer na fronteira do visível e de espreitar a realidad de esguelha (como se não fosse eu)."

"To inhsbit': To enter a house (or a body, or a sound, or a thought. ..), to mix myself, to dilate myself, to camouflage myself, as if I had already been there, as if I had never left.. it is a sensation thut J prize and the only reason worth leaving one's place. This time, the house that receives me is the imaginary one of Helena Almeida, an artist with which I sha the desire to remain ai the visible frontier and to spy reality aslant (as if it was not me)." João Fiadeiro teve seu primeiro contato com a dança com Rui Horta em 1982 antes de iniciar a sua formação nos cursos de formação profissional do Ballet Gulbenkian sob a direção de Jorge Salavisa. Iniciou a sua atividade coreográfica em 1989 com a peça "Plano para identificar o centro". Desde 1997 tem sido convidado regularmente para ensinar ou orientar ateliês de pesquisa em diversas instituições internacionais. luu! fi L.';[irst contnct wit h dance through Rui Horta in 1982 before initial in] liis [ormation in the courses o]'professionn! forma/Íon o] tlie Beltet. Cu[úenkLan uncler 1he diroction of Jo 1:'5 (' Soleviss. He initietcd his choreogrepluc acl iviiy in 1989 with the pieco "Piano para id(,l1tificar o centro .., Since 1997 lu: has been regular/v invitecl to tcach 01 to guide resoarcti workstiops in cliverse internetionel inst itutions. João Fuulciro

Direção

artística,

Cenografia

Manuel Coursin; Marie Mignot; production: Spectacles Exposições,

coreografia Música

I music: "Vê-me",

Assistentes

Vivant,

de ensaio

Fundação

RE.AL; Apoio

Patricia

Calouste

João Galante

/ Délégation

/ Espaço

Delfim Sardo,

http://www.re-al.org

e Ana Borralho;

en France,

Mathilde

I

/ Les

de Belém / Centro d

de Seguros;

e equipe,

Nada, Rui Horta, Luís Bombico,

e

Executiva

Pompidou

Languedoc-Roussillon

Companhia Monnier

Olivares

João Fiadeiro

Produção

Centro Cultural

de Montpellier

Lusitânia

João Fiadeiro;

I dramaturg:

de Ia Danse, Centre Georges

National

do Tempo,

do Especial

and interpretation:

Som I sound: Jean-Michel

(1979); Dramaturgia

Centre National

Chorégraphique

Luís Araújo,

João Garcia Miguel e equipe _

assistant:

Gulbenkian

I suppor1: Centre

choreography

Daniel Demont;

de Helena Almeida

I rehearsal

de Montemor-o-Novo

Almeida

I ar1istic direction, Luz llight:

I coproduction:

thanks: Tiago Guedes,

Wengorovius, photo:

Walter Lauterer;

RE.AL Co-produção

Centro Coreográfico tos I special

e interpretação

I scenography:

e d

Agradecime

Annie Tolleter,

Rui Catalão;

Marta

Foto I


i

OM hf(f

'''Habitar'. Entrar por uma casa adentro (ou por um corpo, ou por um som, ou por um pensa mento ...), misturar-me, diluir-me, camuflar-me, como se já lá estivesse estado, como se nunca de lá tivesse saído ... é uma sensação que prezo e a única razão pela qual vale a pena sair do lugar. Desta vez, a casa que me acolhe é o imaginário de Helena Almeida, uma artista com a qual partilho o desejo de permanecer na fronteira do visível e de espreitar a realidade de esguelha (como se não fosse eu)."

"To inhsbit'. To entor 11 house (ar a body, ar a sourul, ar a thought...), to mix myself, to dilute myselj, to camoujlege myselj, as iJ I had already been there, as if I had never left ... it is a sensation that I prize anel the only reason worth. leaving one's plaee. This time, the house that reeeives me is the imaginary one of Helena Almeida, an artist with which. I share the desire to remain nt the visiblefrontier and ia spy reelity aslant (as ifit was not me)." João Fiadeiro teve seu primeiro contato com a dança com Rui Horta em 1982 antes de iniciar a sua formação nos cursos de formação profissional do Ballet Gulbenkian sob a direção de Jorge Salavisa. Iniciou a sua atividade coreográfica em 1989 com a peça "Plano para identificar o centro". Desde 1997 tem sido convidado regularmente para ensinar ou orientar ateliês de pesquisa em diversas instituições internacionais. João Fincleiro luu! l/i8 [ust contnct lI'ilh dance 1hrougli Rui llori« ;/1 ID82 before initiuting his [ormut ion in / he ccurscs o] projessionel [ormetion of lhe Bailei Gulvenkiéll1 undcr tlie dlrection o] JOI'U(' Snlnvise, He init ialcel his chorcogrnphic ecilvity in J 989 with lhe piece 'Plano ptu» identificar o centro," Since 1997 he has bcen regulal'iy inviied 10 teeci, 01' to guie/e rosoerch. lI'orkshops in diverse internotionel institutions. Direção artística, Cenografia

Manuel Coursin; Marie Mignot; production: Spectacles Exposições,

coreografia

e interpretação

I scenography: Música

Walter Lauterer;

I music: "Vê-me",

Assistentes

de ensaio

RE.AL Co-produção Vivant,

Fundação

RE.AL; Apoio

Centro Coreográfico

photo:

Patricia

I rehearsal

Calouste

I support:

Gulbenkian Centre

de Montemor-o-Novo

Almeida

_

assistant:

João Galante

/ Délégation

http://www.re-al.org

e Ana Borralho;

en France,

Delfim Sardo, Mathilde

Companhia Monnier

Olivares Executiva

Pompidou

I

de Belém / Centro de

de Seguros;

e equipe,

e

/ Les

Languedoc-Roussillon

Nada, Rui Horta, Luís Bombico,

e

João Fiadeiro

Produção

Centro Cultural

de Montpellier

Lusitânia

João Fiadeiro;

I dramaturg:

de Ia Danse, Centre Georges

National

/ Espaço do Tempo, do Especial

and interpretation:

Som I sound: Jean-Michel

(1979); Dramaturgia

Centre National

Chorégraphique

Luís Araújo,

João Garcia Miguel e equipe

choreography

Daniel Demont;

de Helena Almeida

I coproduction:

tos I special thanks: Tiago Guedes, Wengorovius,

I artistic direction, Luz llight:

e do

Agradecimen

Annie Tolleter,

Rui Catalão;

Mar!

Foto I


CLASSIFICAÇÃO

ETÁRIA:

LIVRE


fXT(OCO(PO A nova criação do coreógrafo João Saldanha propõe um diálogo entre dança e arquitetura. A linguagem do arquiteto Oscar Niemeyer precede o ato de criar, estabelecendo leveza nas formas e sinuosidade nos traçados. Motivados pelo modernismo, seis dançarinos movimentam-se traçando linhas irregulares, construindo estruturas que nos transportam para o corpo e contrastam-se por ações velozes através de pausas e repousos. Cada apresentação tem nova configuração, rompendo com a linearidade na linguagem do movimento. The new creatian af the choreogrepher João Seldenhn propono» fi dialogue between dance enâ architecture. The language af the erchitect Oscur Niolnl!yC'I' precedes the act of creatian, establishing lightness offorms and sinuous 11'/1(;('8. Motivnlod by Modernism, six dsncers move trecing irregular lines, building struct uro« tiio! transpor! us to the body and show cantrast through has new eonfiguratian, breaking

quick sctions arui (1111/8('8IIl1d 1'('8/8. each presentetion with ihc linonrity oj' iho 11I1I~I/IIf.Waj' mavement.

Um dos mais ativos artistas da dança brasileira, João Sald nha se divide entre a criação e o ensino em diversas instituições a companhias há mais d 17 anos. Na última década, com o Atelier de Coreografia, pontuou a qualidade da dança c rioca no país e no exterior, com reconhecimento do público e da crítica especializada. One af the mast aetive ertists in Breziiien dance, .Joí'lo 8111(/11111111 divides tvimsel] for more than 17 years between creatian end CdllCéJI.ÍOII;11 (/;VW'S(' ill81it utions end dance campanies. In the last deeade, with the Atelicr d • COI'('()WI!/ill, lus nes highlighted the quality of Rio de Jeneiro's danee in Brezil end ebroetl, O/Jlllillillg I' icognition of the public as well as the speeialized crities. Coreografia I choreography: João Saldanha Dançarinos I dancers: Thiago Granato, Clarice Silva. Laura Sarny, Flávia Melreles. Carol Pires e Marcelo Braga Iluminação llight designer: Adelmo Lapa Figurino I costumes: Paula Stroher Tratamento Sonoro I sound: Sacha Amback Produção I production: Sandro Amaral Co-producão I coproduction: XII Bienal de Dança de Lyon / Sesc Rio de Janeiro Foto I photo: Nicolas Boudier Este trabalho foi contemplado com o Prêmio Klauss Vianna/Funarte 2006 com o patrocínio da Petrobras. Programa de Bolsas Vitae de Arte 2005. Prêmio Icatu Holding 2005.


33

CLASSIFICAÇÃO

ETÁRIA:

LIVRE


purf coltoboro

riou

Celebrado fotógrafo de moda, Manuel Vason construiu sua carreira retratando o corpo bonito. A instalação Pure Collaboration, entretanto, não retrata supermodelos, mas performers que usam o corpo como lugar para a performance. Através de colaborações com artistas como Alex Bradley, Anne Seagrave, Franko B., Ernst Fischer e Miguel Pereira, a instalação provoca os desejos que projetamos na forma ffsica e explora a maneira como são subvertidos pelos artistas.

A celebrated fashion photographer, Manuel VIlSO/l IIIIS/II/I(le 11 career out of portraying the body beeutiful, The installation PUf"CCO/lO[)(),.II/ ion, howcvof", doesn 't feature portraits of Supermodels, but performenco nrtists wlio use tlu: body iiseljes a placefor performance. Through collaboration with ortists «ucl: l/S !\1C'x Bradley, Anne Seagrave, Franko B., Ernst Fischer and Miguel Percirn, lhe instnllntion provokes desires we project on physical form and explores the way thosc 0,.(' subvcrtod by ertists. Manuel Vason nasceu em Padova, na Itália, em 1974. Enquanto estudava na University of Social Science, decidiu tornar-se fotógrafo e se mudou para Milão. Foi para Londres em 1998 e em 2003 graduou-se Mestre em Belas Artes pela Central Saint Martins. Seu trabalho pode ser visto como uma série de estudos das possibilidades de expressão do corpo humano. Desde 1999 trabalha em revistas de moda por todo mundo, como L'Uomo Vogue e ID e já expôs em galerias como a Tate Liverpool, ICA London, Whitechapel Gallery.

Manuel Vason was born in Padova, Italy, in 1974. Whilo st udying in the University of Social Science, he decided to become a photogrepher anel movecl to MiLan. He went to London in 1998 and in 2003 obtained an MAff"Om Centro! Seini Mertins. His work: can be seen as a series of studies in the possibilities of expression o] lhe human body. Since 1999 he works for fashion magazines worldwide, such as L'Uomo Vogue, ID and has already exhibited works in Tate Liverpool, ICA London, Whitechapel Gellery, Luke & A Gallery London. Foto I photo: Collaboration

Miguel Pereira-Manuel

_ http://www.artcollaboration.co.uk

36

CLASSIFICAÇÃO

ETÃRIA:

18 ANOS

Vason


IMp~(MaN~NCla/ o corpo

está envolto por arames de metal que funcionam simultaneamente como contenção e extensão deste, recriando um ambiente onde estão dissolvidos os limites entre corpo e arames, criando um corpo-objeto. O que está dentro está fora, simultaneamente. É um corpo reconfigurado continuamente pelas alterações das interconexões que estabelece com este ambiente. Uma dramaturgia sem desfechos, sem linearidades.

The body is wrapped in metal wires that function simultaneously as its containment and extension, recreating an environment where the limits between body and wire are dissolved, creating a body-object. What is inside is outside, simultaneously. It is a body reconfigured continuously by the slierstions of the interconnections that it establishes with this environment. A story without outcomes, without linearities. Vera Sala é criadora-intérprete e desenvolve pesquisa na área de dança desde 1987. Professora do Curso de Comunicação das Artes do Corpo da Faculdade de Comunicação e Filosofia, PU€/ SP desde 1999, participou de diversos festivais no Brasil e no exterior. Recebeu vários prêmios, entre eles o APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte), na categoria CriaçãoIntérprete, 2005.

Vera Sala is a creator-interpreter and develops research in the dance area since 1987. Professor in the Curso de Comunicação das Artes do Corpo da Faculdade de Comunicação e Filosofia, PUC/SP since 1999, she has participated in several festivaIs in Brasil and abroad. She has received many prizes, among them the APCA (São Paulo Association of the Critics of Art), in the category Creetion-interpreter, 2005. Concepção

e Criação

Dramaturgia

Fotos I photos: Produção Apoio

Cândida

I production:

I support:

Foto I photo:

40

I concept

I dramaturg:

Espaço

Jorge

CLASSIFICAÇÃO

and creation:

Vera Sala

Rosa Hércoles Almeida

e Jorge Etcher

Dora Leão - PLATôproduçôes de Dança Ruth Rachou

Etcher

ETÁRIA:

18 ANOS


pubLiquE Publique é uma tempestade jovem. Jeans e camisetas, tênis, pés descalços e shorts curtos: oito garotas tiram prazer de uma dança frenética, dançando juntas, cada uma em seu ritmo, ao mesmo tempo sintonizadas. A trilha sonora é composta por canções de PJ Harvey, cantora pop rock que canta com intimidade e paixão, desejo e contemplação, sensualidade e independência.

Publique is a young storm. Jeans and t-shiris, trainers, borefooted and shorts: eight girls combine their particular pleasure in getting a kick oui DI dance, and in doing so together. The music is that o] PJ Harvey, female rock singer, singing with intimacy and passion, desire and contemplation, sensuality and independence. Mathilde Monnier é a diretora do Centre Chorégraphique National de Montpellier desde 1994. Monnier ganhou em 1999 o Grand Prix National des Arts du Spectacle Vivant (prêmio para as artes performáticas entregue pelo Ministére de Ia Culture et de Ia Communication - França), e recebeu em 2000 a distinção de Chevalier de Ia Légion d'Honneur e o Grand Prix de l'Etoile Dansante.

Mathilde Monnier is the director of Cenire Chorégraphique National of Montpel/ier since .1994. Monnier was awarded the 1999 "Grand Prix National dse Arts du Spectacle Vivant" (a prize that the Ministry of Culture and Communication - France awards for the performance arts), and in 2000 received the distinction Df "Chevnlier de Ia Légion d'Honneur and the" Grand Prix of /'Etoile Densente". Coreografia Germana

I choreography: Civera,

Filiz Sizanli; Fabreque Claude

Ondine

Cenografia

com Laurence

Espinassier;

A apresentação

Mathilde

Monnier;

Cloez, Corinne I scenography: Alquier;

Garcia,

Música

I music: P.J Harvey;

Natacha

Kouznetsova,

Annie Tolleter;

Luz llight:

Éric Wurtz;

Som I sound: Oliver Renouf; Readiness:

Foto I photo:

no Rio de Janeiro

ETÁRIA:

LIVRE

I dancers:

Magali

Caillet,

I costumes:

Dominique

Civera; Observador

I observer:

Marc Coudrais tem o apoio

_ http://www.mathildemonnier.com

CLASSIFICAÇÃO

Figurino

Germana

de Culturesfrance

(novo operador

reuniu a AFAA e ADPF) e do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro. e FID - Fórum Internacional de Dança (Belo Horizonte)

44

Bailarinos

I Fang Lin, Ana Sofia Neves Gonçalves,

cultural

Em parceria

internacional

que

com o SESC São Paulo


r-ro rtr ioi • divEr/o/ "Ao tentar afastar-me cada vez mais de um espetáculo coreográfico, continuando o meu trabalho à volta dos materiais plásticos e da relação intérprete/função, uma inesperada aproximação à coreografia se revelou", diz Tiago. De que forma e de onde se pode ainda extrair coreografia? Como é que, a partir de uma partitura à volta dos materiais, se pode reinventar essa mesma partitura e transformá-Ia em algo tão abstrato quanto possível?

"When trying to distance myself from a choreographic piece, continuing my work involving plastic materiais and the relation interpreter/function, an unexpected reunion to choreography was disclosed", says Tiago. In what way andfromwhere can choreography still be extracted? How, from a partition involving these materiais, can one reinvent this same partition and trensform it into something as abstract as possible? Tiago Guedes estudou música durante 10 anos no Conservatório Regional de Tomar antes de fazer a licenciatura na Escola Superior de Dança de Lisboa. Iniciou a sua atividade coreográfica em 2000. Tiago colabora com a produtora RE.AL, fundada por João Fiadeiro, desde 2003. É artista em residência do Theatre Le Vivat em Armentieres, França, até 2008.

Tiago Guedes studied music during 10 years in the Regional de Tomar conservatory before graduating from the Escola Superior de Dança in Lisbon. He started his choreographic activityin 2000. Tiago col/aborates with producer RE.AL, established by João Fiadeiro, since 2003. He is an in residence artist of the Theatre Le Vivat in Armentieres, Frence, unti12008. Concepção, coreografia e interpretação I conception, choreography and interpretation: Tiago Guedes Luz I light: Caty Olive; Som I sound: Raymond Scott; Assistente de direção e consultor artístico I direction assistant and artistic consultant: Inês Jacques; Direção técnica I technical direction: Pedro Machado Produção I production: RE.AL; Co-produção I coproduction: Ulle 2004, Capital Européia da Cultura, Le Vivat (Armentiêres) e Dança para 4 Estações / Chão de Oliva; Projeto financiado I finnancial support of: MC (Ministério da Cultura / IA (Instituto das Artes); Apoio I support: Fundação Calouste Gulbenkian e Lusitânia Companhia de Seguros; Agradecimentos I special thanks to: Martim Pedroso, Fapil/Fernando Teixeira, Júlio Dolbeth, Nuno Cabral, Eliane Dheygêre, Centro Coreográfico de Montemor-o-Novo / Espaço do Tempo Foto I photo: Patricia Almeida

_ http://www.re-al.org


cor-rfluir Confluir é uma continuidade de encontros para investigar dança. Fazer coexistir o pensamento coreográfico de Alejandro Ahmed, Rodrigo Pederneiras e a música do O Grivo. Regras, padrões de movimento, aprendizagem, processos de comunicação, emoção e ontologia são fatores nessa construção. A coreografia não é tratada apenas como uma finalidade de formas, mas como umacionamento de possibilidades.

Confluir is a continuance of meetings to investigate dance. To coexist the choreogrephic thought of A lejnrulro Amhed, Rodrigo Pederneiras and O Grivo's mus/c. Rules, petterns of movement., lenrning, communication processes, emot.ion and ontology are [ectors in this construction, The choreogrnphy is not dealt with only as a finality of [orms, but as a stert of possibilities. Thembi Rosa é bailarina, coreógrafa e pesquisadora. Graduou-se em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais. Realiza trabalhos solo e em parceria com outros criadores desde 2000, dentre eles, Regra de dois (2006); Ajuntamento (2003; 2004); 10 x1 - Daqui para onde. vamos? (2002); propriocepção (2000). Estes projetos tiveram apoio do FIO - Fórum Internacional de Dança; Rumos Dança Itaú Cultural; Funarte e dos diversos eventos nos quais foram apresentados.

Thembi Rosa is a dencer, coreogrepher and reseercher. She graduated [rom the Federal University of Minas Gerais with a degree in Literature. She choreographs solo works and also in pertnership with other creators since 2000, amongst them, Regra de dois (2006); Ajuntamento (2003; 2004); 10 xl - Daqui para onde vamos?(2oo2); propriocepção (2000). These projects had had support ofthe FID - Fôrum Internacional de Dança; Rumos Dança Itaú Cultural; Funerte and from the diverse events in which they have been presented. Projeto

e bailarina

Rodrigo

Pederneiras;

I project

Ensaiadora

I rehearser:

technician:

Eustáquio

Observadora Beatriz

CLASSIFICAÇÃO

à Cultura; Apoio

ETÁRIA:

LIVRE

Rosa; Coreografia

I choreography:

Iluminador I objects:

I/ight

I sponsor: I support:

designer:

Guilherme

Pedro Pederneiras;

Amarante I special

CEMIG; Secretaria

Ahmed + + Nelson Soares);

Alejandro

I original sound track: O Grivo (Marcos M. Marcos

Barra; Agradecimentos

todos do FIO; Patrocínio

Lei Federal de Incentivo

48

Objetos

Christina

Thembi

original

Paula Cançado; Bento;

I observer:

Moreira,

and dancer:

Trilha sonora

Técnico

+ Daniel Hertel + Ulisses

thanks:

Nely Rosa, Marcos

de luz I/ight Tavares; M. Marcos,

Estadual de Cultura de Minas Gerais;

Corpo Escola de Dança; Fotos I Photos:

Daniel Mansur


..•

... ..

• I •

I.

..• ...

.• . . .

.

• I •

.

••

•.

. • • ••• .•

.. . .• .

I •••.

.

. :.

I

Ii

.

•.

. ......

. • • .

• • I

.

!

':' •.

• I

I I I

I

I I

•. ••

I •

I

.. • •• • .. ••• . I·

...

• I.

.

.

• I


Quatro criadores-intérpretes, quatro trajetórias, muitas histórias. No palco, uma festa que acabou, que já não há. A memória que não quer se dissipar. Desvendar um imaginário, inventar uma história comum. Quatro homens que em suas linguagens diferentes discorrem sobre os mesmos temas de hoje e de ontem, de um e do outro, de sempre. Um exercício ao mesmo tempo lúdico e reflexivo. Reconhecer-se a si mesmo e ao ridículo em seu sorriso . .Four creator-interpreters, four trajectories, many stories. On stage, a party that finished, that already does not exist. The memory thet. does not want to venish, To .unmask an imaginary story, to invent a common story. Four men who in their different languages talk about the same subjects of today and yesterday, of one end the other, of always. A playful and at the same time refleciive exercise. To recognize oneself and the ridicule in ones smile.

A coreógrafa e dançarina brasileira Cristina Moura desde 1984 trabalha em companhias no Brasil e na Europa. Entre 1995 e 2002, trabalhou com artistas como João Fiadeiro (Portugal), Mudances/Angels Margarit (Espanha), L'Esquisse (França), Les Ballets C. de Ia B. (Bélgica) e Angela Guerreiro (Alemanha). Desde 1999, cria suas próprias coreografias.

The Brazilian choreographer and dancer Cristine Moura has worked in dance companies in Brezil and Europe since 1984. Between 1995 and 2002, she worked with artists like João Fiadeiro (Portugal), Mudances/Angels Margarit (Spain), L'Esquisse (France), Les Ballets C. of la B. (Belgium) and Angela Guerreiro (Germany). Since 1999, she crentes her own choreographies. Concepção,

Direção

Dramaturgia

I dramaturg:

Música

Original

Luz, Direção

e Coreografia

Administração Produção Théâtre Apoio

llight,

52

I management:

and choreography:

Cristina

Moura

I support:

Dalton Camargos

Renato Unhares, Thiago Granato,

Horacio Macuacua

e Felipe Rocha.

Dieter Jaenicke : La Ferme du Buisson,

Théâtre

Instituto

Pole Sud de Strasbourg,

Goethe Rio de Janeiro,

Kultur-Fond Dalton Camargos

CLASSIFICAÇÃO

direction:

Tatiana Garcias

I coproduction:

de Strasbourg,

Foto I photo:

technique

I creators-performers:

I production:

Franzéisischer

direction

Wavelet

I music: Beat Halberschmidt

Técnica

Criadores-intérpretes

Co-produção

I concept,

Christophe

ETÁRIA:

16 ANOS

Paris -

Scene Nationale

ARCADI,

Consulado

Tanzhaus

Geral da França

de Marne-Ia-Vallé,

Le Maillon

NRW Düsseldorf Rio de Janeiro,

Deutsch-


PARA MARCAR OS 15 ANOS DO FESTIVAL COMO A PRINCIPAL VITRINE DA DANÇA NO RIO DE JANEIRO, A CIDADE GANHA, NO DIA 15 DE NOVEMBRO, UM FERIADO ESPECIAL. UM DIA DE PERFORMANCES E ESPETÁCULOS GRATUITOS EM LUGARES NO ENTORNO DA CINELÂNDIA, INCLUINDO O THEATRO MUNICIPAL, O CENTRO CULTURAL DA JUSTiÇA FEDERAL, A CAIXA CULTURAL / ALMIRANTE BARROSO, O CINE ODEON E ESPAÇOS PÚBLICOS. E para completar a comemoração, uma noite histórica em co-produção com o Theatro Municipal do Rio de Janeiro: as remontagens de três espetáculos escolhidos entre os 15 anos do festival. To mark the 15 yeers of the festival as the main showcase of lhe city gets a special holiday on the 15th of November. One free shows in p/aces eround Cinelândia, including the Theetro da Justiça Federal, Caixa Cultural/Almirante Barroso, Cine

dance in Rio de Janeiro, day of performances and Municipal, Centro Cultural Odeon and pub/ic spaces.

And to complete the celebration, a historical night co-produced by Municipel Theatre of Rio de Janeiro: the restaging of three works chosen from the 15 yeers of the festival.

55


... .. . •. ... .

.. • ... . . .- .... - .. ....• ...• . ... .

(em caso de chuva o espetáculo .•.

será apresentado

..

•••

MUnicipal)

:1

,.

.. - .. ...- ..... •

eSQaciais entre

com a idéia do emQil

_http://www.osdois.com

ás 16h no térreo do ifheatro

I.

..

I


pl.oosbo WAGNER SCHWARTZ / MINAS GERAIS 15 NOV qui/thu Cine Odeon- instalação 14h> 20h (contínuo) De acordo com seus efeitos farmacológicos, placebo é uma preparação neutra, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações de natureza psicológica que acompanham tal procedimento terapêutico. Nesta pertormance, placebo ganha uma abrangência metafórica na construção de um terceiro endereço, um espaço itinerante em que ambientes podem ser recriados e desdobrados sucessivamente a fim de renomear seus elementos, não por seu sentido imediato, dinamicamente organizado, mas enquanto estruturas que necessitam de complemento sensorial.

In accordance with its pharmaceutical effect, placebo is a neutrel preperstiori, given iri substitution of a medicine, with the purpose to excite or to contrai the reections of a psychological nature that follow sucli a therapeutic procedure. In this performance, placebo gains a metaphoric meaning in the construction of a third address, a traveling space where surroundings can be recreated and unfolded successively in order to rename its elemenis, not for its immediate meaning, dynamically organized, but as siructures that need a sensorial complement. Criação, interpretação e direção de video I creation, performance and vídeo director: Wagner Schwartz; Acompanhamento do primeiro projeto I assistance of 1st project: Adriana Banana; Acompanhamento final I final assistance: Maíra Spanghero, design: Alexandre Molina; Objetos

Lucas Laender; Direção técnica e iluminação I technical director and Iight de Cena I scene objects: Caroliny Pereira & Fauster Martins, Lucas Laender;

Música I music: Liszt, Arnaldo Passos & Monsueto

Menezes, Rogério Duprat; Texto I text: Luiz Fernando Gallego &

Wilson Amendoeira; Vídeos I videos: Produtofinal Comunicação Multimeios; Participações nos vídeos I vídeo participation: Lucas Laender, Natália Oliveira, Patrícia Neves; Subsídio do primeiro projeto I subsidy of 1st project: Fórumlnternacional de Dança (FID)/ Território Minas; Produção I production: Gabriela Gonçalves.

57

CLASSIFICAÇÃO

ETÁRIA:

16 ANOS


/fNST;áLL~TJ/OfN.-F./LM

.

- -

. ....

••

exibida simultaneamente .•.

,.

simultaneousl

,.

'http://www.lucycasn.

.... . ..

.

experiência entre

.-

..


f(agM~NTo para cortoqrofi/r-ro/

2

Numa paisagem restrita a um quadrado de quatro metros de lado e habitada por dois bailarinos, pretende-se estabelecer a composição cênica como um exercício sobre a idéia de limitação. A limitação espacial - a quase totalidade das frases de movimento se inscrevem mesmo num quadrado ainda menor (1m) - e a limitação de elementos e regras de composição - a continuidade do fluxo de movimento, o contato das mãos, os arcos desenhados que se contrapõem à angulosidade e à dureza das linhas que, sob os pés, definem o cenário. "Fragmento para Coreografismos 2", dançado pelos bailarinos Maria Alice Poppe e Paulo Caldas em sua estréia no 12° Panorama da Dança, foi destacado entre "Os melhores de 2003 da Dança" pelo jornal O Globo. No ano seguinte, o espetáculo "Coreografismos" mereceu o mesmo destaque.

In a scenery restricted to a square of four meters on its side and inhobited by two dancers, an exercise on the idee of limitntion: space and rules of composition - the continuity of the fLow of movement, the contact of hends, the arcs drawn by the vocabulary that oppose the angularity of the Iines thet, under the feet, define lhe scene. "Fragmento para Coreografismos 2", danced by Maria Alice Poppe and Paulo Caldas, was distinguished as "One of the best of dance of 2003", in its premiere at 12° Panorama de Dança. The complete piece "Coreogrefismos" received the same highlight in the following year. Um dos coreógrafos mais expressivos de uma geração da dança carioca que despontou em meados dos anos 1990, Paulo Caldas formou-se em dança clássica e contemporânea na Escola de Angel Vianna, da qual é discípulo dileto. Aperfeiçoou-se com cursos de Sistema Laban e Técnica Limón / Horton. Fundador da companhia Staccato Dança Contemporânea, ganhou o Prêmio RioDança de Melhor Coreógrafo em 1998.

One of the most expressivo choreographers of a generation of the Carioca dance that arose in the mid-1990s, Paulo Caldas had a classical and contemporary dance formetion at the Escola Angel Vianna, from whicn he is a favorite disciple. He sought other techniques witli Laban and Limôn/Horton courses. Founder of the company Staccato Dança Contemporânea, he was awarded the RioDança Prize for best choreography in 1998.


T(Ef

MENINOf

,EUM gO(OTO

"Em junho de 1999, Lia Rodrigues me encomendou uma criação para encerrar a programação no do 8° Panorama de Dança. A minha proposta foi de um solo que celebrava os 10 anos de parceria com o bailarino Marcelo Braga. Marcelo, naquele ano, ganhou o prêmio Rio Arte de Melhor bailarino e o trabalho foi indicado à melhor coreografia. Passados 7 anos, Nayse López e Eduardo Bonito me convidam para uma noite celebrativa da 15" edição do Festival no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Imediatamente pensei na encenação de Três Meninas e um Garoto, não com a idéia de remontagem, mas com o sentido de manter viva a essência de uma idéia. Nesse caso, o bailarino Thiago Granato. contribui com suas parti-cularidades para uma nova leitura desta coreografia que pretende fugir das amarras do tempo, mantendo-se fiel ao sentido do fazer," ln June of 1999, Lia Rodrigues asked me for a piece to dose the 8th Panorama de Dança. ,'Vlyproposal was a solo that celebrated a 10 yenr of pertnership witb lhe dancer VIarcelo Brege. \larcelo, in thet year, was swerded lhe Rio Arte best dancer pris» and lhe piece was indicated for the best choreogrephy eward. 7 years have pessed, .\ayse López and Eduardo Bonito invite me to a celebralive night of lhe 15th edition of lhe festival in the Municipal Theater of Rio de Janeiro. lmmodieteiy 1 thought: ebout the steging ofTrês Meninas e um Garoto, not with the idee of resteging, but in the sense of keeping alive the essence of an idee. In this case, lhe dnncer Thiago Grenato contributes with his particularitities for a new reading of this choreography thet. intetuls to escape from the pessng« of time, remaining itsclffaithful 10 lhe sense of its making. " Um dos mais ativos artistas da dança brasileira, João Saldanha se divide entre a criação e o ensino em diversas instituições e companhias há mais de 17 anos. Na última década, com o Atelier de Coreografia, pontuou a qualidade da dança carioca no país e no exterior, com reconhecimento do público e da crítica especializada. One of the most active artists in Brazilian dance, João Saldanha divides himself for more then 17yeers between creetlon erul educetion in diverse institutions and dance compe.nies. 111 lhe Ias I decade, with lhe Atelier de Coreografia. he has highlighted the quality of Rio de Jnneiro's dance in Brezil erul abroad, obtaining recognition of the public as well as the spccinlized critics.


EU E MEU

cortóqrofo

Nr

63

"Estamos eu e Eduardo (Willow) almoçando num quarto de hotel em São Paulo, horas antes de fazermos uma apresentação num centro de convenções. Conversando bastante. Sem que ele perceba, registro a conversa com meu gravador. Algumas questões vêm a minha cabeça: É possível saber quem ele é pela dança que faz? O que ele pensa coincide com o que ele dança? Onde?", pergunta Bruno Beltrão.

"Eduardo (Willow) and I are having lunch in a hotel room in São Paulo, afew hours before a presentetion in a center of conventions. We are talking a lot. Without him noticing, I tape the conversation with my recorder. Some questions come to my head: Is it possible to know who he is [rom the dance thet he does? Does whet he thinks coincide witri what he dances? Where?", asks Bruno Belirêo, A história do Grupo de Rua de Niterói começa quando Bruno Beltrão e Rodrigo Bernardi decidem criar a companhia, em 1996. Durante os primeiros três anos, a companhia participou de festivais competitivos, eventos e programas de tv. Em 2000, Bruno ingressa na faculdade de dança, onde descobre a filosofia e o universo da dança. Em 2002, o GRN inicia uma produtiva carreira internacional tendo se apresentado até hoje em 14 países, em mais de 50 cidades ao redor do mundo.

The history of Grupo de Rua de Niterôi starts when Bruno Beltrão and Rodrigo Bernardi decide to create the company in 1996. During first the three ycers, the company participated in competitive festivais, events and TV programs. In 2000, Bruno enters Dence college, where he discovers the philosophy and the universe of dance. In 2002, (:1m initiates a productive internetionel career heving to this day, performed in 14 countries, and more thsn 50 cities around of the world. Criação e direção phers: Rodrigo

coreográfica

I choreography

creator & director:

Bernardi e Bruno Beltrão; Assistente

Pesquisa de movimento de direção

I assistant

Iluminação

llight

e interpretação director:

I movement

de coreografia researcher

Gabriela Monerat; Trilha sonora

design: Renato Machado;

de Niterói e SESC Niterói; Agradecimentos

Produção especiais

Bruno Beltrão; Coreógrafos

I choreogra-

I assistant

Marta Nunes;

and performer:

choreographer:

Eduardo Hermanson;

I music: Eduardo Hermanson

I production:

Ana de Castro; Apoios

Assistente

e Bruno Beltrão; I support:

Prefeitura

I special thanks: João Marcos Beltrão e Norma Cássia

Beltrão; Arte e fotografia I design and photos: Thiago Hortala e Bruno Beltrão; Vídeo I video: Bruno Beltrão; Management: Int'l R Management; Foto I Photo: Thiago Hortala e Bruno Beltrão

http://www.grupoderua.com.br


·\~lL-.' .,~~;. The pieces were selected from the Mostra Coreográfica do I Encontro dos cursos de "~~~graduação em dança do Rio de Janeiro, held in the Centro Coreogréfico da Cidade "'~:05:1!'~-; ;"~"1,'do Rio de Janeiro, from the 4th to the 8'10 of October of 2006. The meeting discussed ',.~;,,'the current university formation of the professionals of dance, teechers, performers ):F<~l11dchoreographers, around the subject Dialogues and Political Identity in Dance . .~',: The curetorship of the Novissimos this year inc/uded by Katya Gualter (Universidade -Feilere! do Rio de Janeiro), Angel Vianna (Feculdede Angel Vianna), Roberto Pereira (Centro Universitário da Cidade do Rio de Janeiro -UniverCidade) and Leonel Brum , ..,,~(Encontro dos Cursos de Graduação em Dança do Rio de Janeiro)

.'i~·~·,'.'

f)'::

...•

'

Trabalho de movimentos tendo como ponto de partida o foco do olhar. Utilização do esboço coreográfico e percepções iniciais em busca de um procedimento inquieto e obsessivo .

..Movemcnt work having as a starting point the [ocus of the eye. Use of the choreographic ,,' s~~tch and initial perceptions in search of an uneasy and obsessive procedure. , 'Coreografia, interpretação I choreography, performance: .', sound track: Ois quand reviendras-tu (Barbara Lienas)

Milene Pimentel; Trilha sonora I

t,i".

:Trabalho iniciado como pesquisa para a aula de composição

. ; 'i'lie piece started as research for a composition

coreográfica de Marcia Rubin .

c/ass of professor Marcia Rubin.

'Coreografia, interpretação I choreography, performance: Carta Reichelt

'~~;i.,_:" o:.

;'~:.

'

uifi' corpo

limitado em espaço, tempo e condição, Heterônomo. Manipulado como uma marionete ou um boneco desarticulado sem controle e sufocado, lutando contra o engessamanto que sua própria mente lhe impõe. Pede um pouco de possível. The body limited in HII//('c',time anel condition. Heteronimous. Mnnipulated as a puppet ar a inarticulate

tllIl/liny without contrai snd suffoceting, fighting the restreints imposed by his own lIIil/cI. Ile esks for some of the possible. C()reografia, interpretação I coreography, performance:

/IMk: I put a spe/l on you (Screamin Jay Hawkins) CLIISSIFICAÇÃO

ETÁRIA:

LIVRE

Alexandre Bado; Trilha sonora I sound


o PANORAMA SEMPRE ACREDITOU NA DEMOC

ATIZAçÃO DO ACESSO À CULTURA. ESTE ANO, ALÉM DOS INGRESSOS POPULARES, O FESTIVAL SE ESPALHA POR OUTROS BAIRROS E MUNiCíPIOS VIZINHOS. COM APOIO DO SESC RJ, E OCUPANDO TEATROS DO CIRCUITO SESC NO ESTADO, O PANORAMA EM 2006 PELA PRIMEIRA VEZ LEVA ESPETÁCULOS DA SUA PROGRAMAÇÃO NACIONAL E INTERNACIQNAL JjTÉ A BAIXADA FLUMINENSE(NOVA IGUAÇU E SAO JOAO DE MERITI) E SÃO GONÇALO. Panorama Danee Festival has always believed in demoeratie aeeess to eulture. This year, ,a~well as l'ow-cdst tickets, Panorama also spreads to other neighbourhoods and towns. 'With the support of SESC RJ through Espaço Sesc and oecupying Sese theater faeilities throughout. the state, for the first time Panorama 200q takes artists from Brasil and ~\road to the Baixada Fluminense (Nova Iguaçu and São João de Meriti) and São Gonçalo.

'~NTRADA FR~NCA FREE ENTRANCE

SESr'-' ·\" ' ",.1,,1uIG""l'J '"",exclus,'vo para leitores do EXTRA >,',"""

I

78

,

~.'

.,",

;;,


coLABoratório REALIZADO PELO PANORAMA COM VÁRIOS PARCEIROS NO BRASIL E NO EXTERIOR, O PROJETO É UMA INICIATIVA PIONEIRA QUE REÚNE COREÓGRAFOS DA AMÉRICA DO SUL E EUROPA PARA DISCUTIREM A DANÇA CONTEMPORÂNEA, SUAS PRÁTICAS E PROBLEMAS, E TRABALHAREM JUNTOS EM PROJETOS DE CRIAÇÃO. A primeira fase do projeto acontece durante todo o mês de novembro com a participação de 30 profissionais dos dois continentes. Como finalização desta fase, se realizará uma conferência de quatro dias no Espaço SESC, com artistas, curadores e profissionais da dança. A conferência será acompanhada de três instalações em vídeo dos artistas espanhóis Daniel Miracle e Raul Diez, sobre as questões e idéias levantadas durante o coLABoratório. A conferência é parte da programação do Fórum Mundial Cultural.

coLABoratorio is a project initiated by Panorama with severul pert.ners in Brazil anel abroad and is a pioneer initintive thet reunites choreogrephers [rom South America anel Europe to discuss contemporary dance, its practices anel problems, nrul 10 work. together in creation project.s, The first phnse of tlu: project. hnppens in November wil h lhe pnrt.icipution of 30 from the two continents, As a final step oj' this [irst phnse, a [our dnys conference wil! be held at Espaço SESC. Three vitleo iústnlietion« by Spanish artist Daniel Mirecle, reflecting questions and ideas rnisetl during coLABoratorio will be presented as a complement. to discuseione. The conference is pert o] vVorld Culturel Forum's programme. professionels

Espaço SESC Multiuso 27+28+29+30 NOV: 15h>18h Instalações/ installations 27+28+30 NOV das 12h>18h 80


PALAVRANDO (21 PALAVRAS PARA O RIO DE JANEIRO) / WORDING (21 WORDS FOR RIO DE JANEIRO) 18 NOV sáb/sat 15h Galeria Tom Jobim

GESTÃO DE COMPANHIAS DE DANÇA / DANCE COMPANIES MANAGEMENT 20 NOV seg/mon 14h30 Teatro Maison de France

.. .. •.... . . . . . . .....- .... . .. . . .•.

•.

..

...

.. ..

•..

.. ..

.•.

...

Vera Sala en

,.

83

, :, ,

. .,. .


PALAVRANDO (21 PALAVRAS PARA O RIO DE JANEIRO)

/ WORDING (21 WORDS FOR RIO DE JANEIRO) 18 N OV

sáb/sat

15h Galeria Tom Jobim

.. ,.

,.

, !

., .

GESTÃO DE COMPANHIAS

." .

DE DANÇA

/ DANCE COMPANIES MANAGEMENT 20 NOV

seg/mon

.

14h30 Teatro Maison de France .•.

.

..

.

! '

,.

. .,. .


TODAS COM SELEÇÃO PRÉVIA, EXCETO AÇÃO MÉDELEI, QUE É ABERTA AO PÚBLICO

OFICINA COMPOSiÇÃO EM TEMPO REAL / JOÃO FIADEIRO 17 NOV: 15h>20h /18>22 NOV: 10h > 15h CONVERSA PÚBLICA COM JOÃO FIADEIRO E OS ARTISTAS PARTICIPANTES / PUBLlC TALK W/TH JOÃO F/AOE/RO ANO PARTlC/PANT ARTlSTS 22 NOV: 18h Espaço SESC "A metodologia de Composição em Tempo Real cria as condições para sobrevivermos ao 'vício' de querermos significar, contrapondo à representação de uma imagem, o estar na imagem. Os workshops são importantes para um aprofundamento prático e teórico do método. Durante estes cursos providencia-se um conjunto de ferramentas para que os participantes possam, através dos vários exercícios que suportam o método e regras que o enquadram, testar e ultrapassar os seus limites e, simultaneamente, desenvolver uma consciência crítica apurada face ao que fazem e vêm fazer", diz João Fiadeiro.

"The methodology of Real Time Composition creates the conditions to survive the 'addiction' ofwanting to mean, in opposition to representing an image, to be in that image. The workshops are important to go deeper into the method, both practical and theoretical. During these courses we provide a group of tools so the participants can, through the difterent exercises that support the method and the rules that frame it, to test and surpass their limits and, simultaineously, develop a criticaI conscience of towards what they do and come to do", says João Fiadeiro.

84


OFICINA FUNKTIONEN / THOMAS LEHMEN 15>21 NOV:10h >15h e 15h>20h (qua/sex) APRESENTAÇÃO INFORMAL/ INFORMAL PRESENTATlON 22 NOV:18h Espaço SESC A oficina dirigida pelo coreógrafo Thomas Lehmen baseia-se em seu sistema de rotação Funktionen. Centrado na observação, no material, na interpretação, na mediação e na manipulação das funções, os participantes trabalham para desenvolver propostas individuais e de grupo. São propostos temas de trabalho, mas também são exploradas as idéias artísticas dos participantes. O intuito é encontrar uma abordagem e uma forma específica individual de contextualizar as idéias com a composição e execução da dança. Thomas Lehmen é músico, performer, bailarino e coreógrafo. Entre 1986 e 1990, estudou na School for New Dance Development, em Amsterdã. Nessa época também surgiram suas próprias coreografias e composições. Vive em Berlim desde 1992, onde trabalha com Sasha Waltz e Frauke Havemann, e desenvolveu inúmeras peças próprias, como Schreibstück (2002), Dialogues (2002) e STATIONEN (2003). Participou de diversos festivais internacionais com suas peças, entre eles o Nottdance, na Inglaterra, e o Tanzplattform, em Stuttgart.

The workshop is structurally based on the rotating system Funktionen. In the funktions Observetion, Material, Interpretation, Medietion and Menipulstion, each participant works with the own individual ideas and for for the ideas of the others. The system is able to work with existing themes and ideas of the participants as well as new ierritory can be found. The aim is to find an idividual specific approach and form to contextualise the ertistic ideas (themes) with the composition and execution of dance. Thomas Lehmen is a composer, performer, dencer, and choreographer. He studied ai ihe School for New Dance Development in Amsterdam from 1986 to 1990. lt was during /his period that he offered his first choreographies and compositions. He has been living in Berlin since 1990 where he worked with Sasha Waltz and Frauke Hevemann and r1eveloped pieces such as "Schreibstúck" (2002), "Dialogues" (2002), and most reccntly "STKnONEN" (2003). He has teken his pieces to severel internationaL festivais.

85


OFICINA SISYPHE CARE PROJECT / JULlE NOCHE & GABRIELLE MALLET 14>18 NOV:10h>15h Espaço SESC PERFORMANCE LES SISYPHE X 15, 18 NOV: 16h30 + 19 NOV : 20h Espaço Tom Jobim Les Sisyphe x 15 é um meio de interação entre jovens que normalmente não têm a oportunidade de estarem e trabalharem juntos. Entre dança e fisioterapia, Gabrielle Mallet e Julie Nioche questionam os limites do corpo e da identidade. Os saltos focam esses limites até a exaustão. Os movimentos criados se tornam reivindicações políticas, econômicas, étnicas e sociais. Estar em grupo para realizar uma performance é uma forma de questionar o que todos temos em comum. A oficina trabalha o treinamento pelos sentimentos. Julie Nioche é formada pelo Conservatoire National Supérieur de Musique et de Danse de Paris. Desenvolveu suas habilidades em colaboração com importantes coreógrafos, como Meg Stuart, Alain Buffard, Catherine Contour, Emmanuelle Huynh e Jennifer Lacey. Em 1996, com Rachid Ouramdane, fundou o instituto de pesquisa e produção L'Association Fin Novembre. Gabrielle Mallet graduou-se em Fisioterapia. Em dezembro de 2003, começa sua participação no projeto "Studies", iniciado por Nioche. Juntas em 2004 criam um objeto para a performance "XX with Alice".

Les Sisyphe x1S is a way to interact between young people that would not otherwise be and work together. Between dance and physiotherepy, Grebrielle Mallet and Julie Nioche question the body's limits anel uleniity. The jumps focus on the limits of the body anel its exhaustion. The movements created became political, ethical, economical anel social demanels. Tp be in a group to perform is a way to questian whet: we ali have in camman. The warkshap manage the treining thraugh feelings. The yau/1g choreogrepher Julie Niache has graeluated i/1 dance ai the Conservetoire National Supérieur ele Musique et ele Dunse de Paris. she has elevelaped her work in

86


collaboration with importsnt srtists such as Meg Stuart, Alain BL!lTard,Cuthorino Coutour. Emmanuelle Huynh and Jennifer Lacey. in 1996, with Rachid Ouramdono, j'ou/I(/NI/II('/I reseerch. anel production cenire L'Association Fin Novembre. Gabriclle Mullet graduated in physiotherapy. In december 2003, begins her part icipntion in the "Studies" project, by Nioche. In 2004 together they create an object for the performance "XX with Alice':

AÇÃO MÉDELEI / CRISTIAN DUARTE 12 NOV: 14h > 17h Espaço SESC Arena A idéia é experienciar os conteúdos e discussões abordados no espetáculo Médelei: eu sou brasileiro [etc} e não existo nunca através da lógica médelei desenvolvida durante o processo criativo. A ação acontece no palco, antes do espetáculo. Pedimos a todos os participantes que tragam algo "típico" do Brasil.

The idea is to experience the contents and arguments of the performance Médelei: eu sou brasileiro [eTc} e não existo nunca through the logical médelei developed during the creative processo The action happens in the stage, before the performance. We ask the participants to bring something "typical"from Brazil. O coreógrafo e bailarino brasileiro Cristian Duarte graduou-se em 2002 na Escola PAR.T.S, de Anne Teresa de Keersmaeker, em Bruxelas - Bélgica. Realizou colaborações com Cia. Nova Dança/SP, Shani Granot, Peter Foi, Lynda Gaudreau, Paz Rojo, Fabiana D. Britto e Thelma Bonavita. Duarte já participou de diversos festivais internacionais, como na Áustria, Holanda, Bélgica, França, Portugal e Brasil, Dentre os prêmios que recebeu, está o Bonnie Bird Choreography Award (Londres). Mais informações sobre o artista: www.nomadeaction.orq

The choreographer anel Brazilian dancer Cristian Duarte graduated in 2002 from PA.R. T.S. Anne Teresa de Keersmeeker's school, in Brussels - Belgium. He collaborated with Cia. Nova Dança/SP, Shuni Grenot, Peter Fol, Lynda Gaudreau, Paz Rojo, Fabiana D. Britto and Thelma Bonavita. Duarte has already participated in diverse internationel festivais, such as in Austria, Hollanel, Belgium, Frence, Portugal anel Brazil.Amongst the prizes he received, are the Bonnie Bird Choreography Award (London). More information about the ertist: www.nomaeleaction.org 87


TEATRO CACILDA BECKER Rua do Catete, 338 Largo do Machado 2265.9933 R$ 5,00 I R$ 2,50* Administradora I administrator: Maria Gloria Pacifico; Subgerente I submanager: José Perez; Bilheteria I tickets: Gerusa Lopes; Contra-Regra I stage assistant: Alcides Gonçalves; Iluminação llight design: Ricardo Carvalho e Jorge Luiz da Cruz; Som I sound design: Luiz Cláudio Horas; Apoio I support: Tereza de Brito. Elias de Araújo. Paulo Conceição; Segurança I security: Manoel.

01 FUTURO Rua Dois de Dezembro, 63 Flamengo 3131.3060 R$ 5,00 I R$ 2,50* Presidente I president: José Augusto da Gama Figueira; Vice-presidente I vice-president: George Moraes; Direção I direction: Maria Arlete Gonçalves e Samara Werner; Equipe I stett: Alberto Saraiva, André Couto, Flávia Vianna, Lucia Nascimento, Maíra Pimentel, Maria de Fátima Santana, Mariana Várzea, Pedro Prata, Renata Fontanillas, Roberto Guimarães, Shirley Fioretti, Taissa Thiry, Tatiana Laura, Tatiana Zanotti, Victor D'Almeida.

ESPAÇO SESC Rua Domingos Ferreira, 160 Copacabana 2548.1088 Arena: R$ 12,00 I R$ 6,00 I R$ 3,00* Multiuso: R$ 6,00 I R$ 3,00 I R$ 1,50* Mezzanino: R$ 12,00 I R$ 6,00 I R$ 3,00* Gerente I manager: Beatriz Radunsky; Gerente adjunto I deputy manager: Cely Bianchi; Executiva técnica I lechnical executive: Tatyana Paiva; Coordenador administrativo I administralive coordinator: Rodrigo Corrêa; Administradora do teatro I theater administration: Leysa Vidal; Equipe técnica I technical stett: Alexandra Jordão, Benhur

Alvarez, Bruno Barreto, Carlos lsidro, Elias Vieira Costa, Fabiana Araújo, Sérgio da Silva; Bílheteíro I tickets: Sidnei Leal Marateo; Assistente técnico I technical assistant: Daniel Victor dos Santos, Márcia Casares da Silva, Thalitha Lippi.

GRUPO ESTAÇÃO /ODEON BR Praça Marechal Floriano, 7 Centro 2240.1093 ENTRADA FRANCA / FREE ENTRANCE Direção I direction: Produção

Adriana Rattes;

I production:

Marina Couto.

ESPAÇO TOM JOBIM CULTURA E MEIO AMBIENTE Rua Jardim Botânico, 1008 Jardim Botânico 2274,7012 ENTRADA FRANCA / FREE ENTRANCE Presidente I presidente Paulo Jobim; Direção executiva I executive direction: João Augusto Fortes; Direção artística I artistic direction: Bíza Vianna.

TEATRO LAGOA UNIVERCIDADE Rua Humaitá, 275 Humaitá 2536.5047 / 5040 Diretoria geral de comunicação I communication direction: Ronaldo Lapa; Assessoria de comunicação I press officer: Paula Germann; Produção I production: Central de Eventos (Cecilia Valverde e luri Araújo); Montagem de palco I stage set: George Marinho, Marcos Braga e Thiago Lachtermarcher; Som e iluminação I sound and light design: Cloude Rosa; Cuidados gerais I janitor: Luciene Silva.


THEATRO MUNICIPAL

CENTRO CULTURAL DA JUSTiÇA FEDERAL

Praça Marechal Floriano, s/n') Centro 2262.3935

Av. Rio Branco, 241 Centro 3212.2550

R$ 5,00 I R$ 3,00 I R$ 1,00

ENTRADA FRANCA / FREE ENTRANCE

Governadora

Direção geral I direction: Desembargador Paulo Freitas Barata; Direção executiva

Vice-Governador I vice-governor: Luiz Paulo Conde: Secretário de Estado de Cultura I culture secretary: Osvaldo Alves Pereira (Noca da Portela); Presidente

direction:

Maria do Socorro

C. Branco;

partnerships: Tereza Cardoso; cação social I communication

Convênios

I

Assessoria de comuniofficer: Luciana Viii ar;

Programação e produção cultural cultural production: Sergio Mota. Rita Bittar; Estagiárias Delfino; Arte-educação

Federal I executive

I programme and Rosana Belmont.

I intern: Juliana I art-education:

Pepino. Priscilla Valéria Martins;

Administração I administration: Francisco Cordeiro; Preservação de patrimônio I heritage conservation: Izabela Fraga Alvim; Programação visual I visual art: Ricardo

Horta;

Biblioteca

I/ibrary:

Cristina

Paiva.

CAIXA CULTURAL / TEATRO NELSON RODRIGUES Avenida Chile, 230 Centro 2262.0942 / 5483 R$ 5,00 I R$ 2,50*

CAIXA CULTURAL / ALMIRANTE BARROSO Avenida Almirante Barroso, 25 Centro 2262.5483 ENTRADA FRANCA / FREE ENTRANCE

I governor:

Rosinha

da Fundação Theatro Municipal

Garotinho;

I president of Fundação

Theatro Municipal: Helena Severo; Vice-Presidente I vice-president: Maria Regina Sales; Diretor Artístico I artistic director: Eduardo Alvares; Diretora Operacional I operational director: Malu Azevedo;

Diretora Adminis-

trativa e Financeira (interina) I financial and administra tive director (substitute): Maria Regina Sales

SESC NOVA IGUAÇU Rua Dom Adriano Hipólito, 10 Moquetá 2797.3001

SESC SÃO GONÇALO Av. Presidente Kennedy, 755 Estrela do Norte 2712.3282

SESC SÃO JOÃO DE MERITI Av. Automóvel Clube, 66 2755.7070 ENTRADA

FRANCA / FREE ENTRANCE

* MEIA ENTRADA PARA ESTUDANTES,

MAIORES DE 65 ANOS, PORTADORES 00 CARTÃO PETROBRÁS (NO MÁXIMO 2 INGRESSOS POR ESPETÁCULO).


apoios

=2000 fJ

~

ai

BI~L

DI'( A DOCE

-

-I" Instituto Cervant

artsadmin

.J 1 d Iérum

IPACEAV

RA

.~~

l[

REPUBI.lOUE ETC"NTON DEGEHEVE

C"n~nl~20()6 '"

I \STITI

->. ""1 1 """

'Til

CRMÕES

G"van"e

WNW.movimienk>.org

POH1TG\L

MINISTIO:I\IO

lU. CULTUII"

e

svxss er-ts councit

lnstituto

KUNSTRÂDET

das Artes

V,~il.h ArtsCour.cil

pr:::heLvetia

o.

-=i:jjj=-

iiiiMiilii

~

.•

~ CCjF

00 RIOOl JANHRO

I

ENCONTRO

OOS CURSOS

EM DANÇA

ANGEl

C

o

L t.

VIANNA

DO RIO

Culturais

~

~OElHI.INSTlTUT

~RIODEJANEIRU,

Affaires étrangéres Canada

A

E

DE GRADUAÇÃO DE JANEIRO

~ ê

••••

t!,,!;,/~.r,.",,,,,~ R~r;:'""'Q!!f.i:M;<o.lSf.

I.;J..."'.'.

CONIIJl.AttO GI:AAl DA FItAN(:A NORlODI:jA1WRO

M

1~F@f1 Instituto i! I as A r t es t s c ní c a s

d

é

JUSTIÇA

1;.$

Ins11tut Català de tes Indústries

red@movimienlo.o<g

•• yM(lsic3Ies

o CULTIJRAL-,

OD€ON

Gen~rnlitat da Cata\unya

~

Foreign Affairs Canada

o

JJJrr[1

HID1

I

!

••• '=f-"> => lL

FÓRUI'v'\ CULT'LJR.AL MUND1.A.l.

,donto

~

••" ti t" •.• "'15 anos o

••

.lnl~rO<l(lono\


Festival Panorama 2006