Issuu on Google+

Má alimentação favorece doenças ósseas em idosas Constatação ocorreu após pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina/ Unesp com 118 mulheres acima de 60 anos. Qualidade da dieta foi classificada como ‘necessitando de melhoria’ em mais de 50% dos casos. Página 12

ACORDO- Aditivo com o IAMSPE garantirá aumento nos recursos destinados ao atendimento de servidores. Página 3

Equipe de futsal feminino é bronze em torneio nacional Em sua primeira participação na Liga do Novo Despor to Universitário (NDU), a equipe de futsal feminino da Atlética da Medicina garantiu a terceira colocação na Série B do torneio, que reuniu algumas das mais conceituadas instituições de ensino superior do país. Página 7

Diversas seções da FMB contam com lixeiras especiais de coleta

FMB debate ações para gestão sustentável de papéis A Comissão de Ética A m b i e n t a l d a Fa c u l d a d e de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) promoveu, dia 26 de junho, uma reunião de trabalho para discutir ações que visam garantir uma gestão sustentável dos papéis utilizados na instituição. Essa atividade, que contou com a

presença do vice-diretor da FMB, José Carlos Peraçoli, envolveu representantes de todos os departamentos acadêmicos, s e ç õ e s a d m i n i s t r a t i va s e serviços da faculdade e foram re u n i d a s p ro p o s t a s pa r a minimizar a geração desse tipo de material no ambiente de trabalho. Página 7

Equipe de futsal agora se prepara para disputa de outros torneios

Especialista realça parcerias para a saúde da mulher

Cortés-Charry é professor da Universidade da Venezuela Siga a página da FMB no Facebook www.facebook.com/fmb.unesp

A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp recebeu, dias 5 e 6 de julho, a visita do médico e pesquisador internacional Rafael Cortés-Charry. O especialista esteve na instituição a convite da professora Izildinha Maesta, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia, para participar de estudos colaborativos e ministrar aulas no curso de pós-graduação em doenças trofoblásticas. “A importância desse intercâmbio é a possibilidade de partilhar conhecimentos entre os centros de tratamento em doenças trofoblásticas”, disse Cortés- Charry. Página 7

Prof. Saad receberá homenagem da Câmara de São Paulo Página 4

Novo prédio terá dois andares e está ao lado da sede da AG

Nova sede da STS começa a ganhar forma no câmpus Página 10


2

Faculdade de Medicina

agenda

Artigo

3/08/2012 - REUNIÃO 515ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CONGREGAÇÃO Local: Sala de Reuniões Professor Emérito Mario Rubens Guimaraes Montenegro, junto a Diretoria da FMB Horário: 8H30 contato: milton@fmb.unesp.br 6/08/2012 - CURSO II CURSO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA - LIRHA Local: Salão Nobre FMB Horário: 18 horas contato: patriciaperola@hotmail.com 10/08/2012 - CURSO RESGATE DE VALORES EM PROL DA PROMOÇÃO DA SAÚDE - 2ª TURMA Local: Sala 15 - Central de Aulas da FMB Horário: 08:30 contato: gtdrh@fmb.unesp.br 16/08/2012 - DEFESA DE TESE RENATA LEME GOTO EFEITO DA DESNUTRIÇÃO E DAS CITOCINAS PRÓ-INFLAMATÓRIAS NA INFECÇÃO EXPERIMENTAL EM CAMUNDONGOS BALB/C INFECTADOS COM TRYPANOSOMA CRUZI Programa: Doenças Tropicais Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Paulo Câmara Marques Pereira Local: Solário do Depto. de Doenças Tropicais e Diagnóstico por Imagem Horário: 9 horas contato: spg@fmb.unesp.br 18/08/2012 - EVENTO V WORKSHOP DE MEDICINA Local: Faculdade de Medicina Horário: 8h30 contato: workshopunesp@yahoo.com.br informações: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/ 14/09/2012 - CURSO RESGATE DE VALORES EM PROL DA PROMOÇÃO DA SAÚDE - 3 TURMA Local: Sala 17 - Central de Aulas da FMB Horário: 08:30 contato: gtdrh@fmb.unesp.br 17/09/2012 - CONGRESSO 21° CONGRESSO MÉDICO ACADÊMICO DE BOTUCATU Local: SALÃO NOBRE DA FMB Horário: 18:00 contato: cmab@fmb.unesp.br informações: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/ 26/09/2012 - CONGRESSO VIII CONFIAM - CONGRESSO DE FÍSICA APLICADA À MEDICINA Local: SALÃO NOBRE DA FMB Horário: 8 horas contato: viiiconfiam@gmail.com informações: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/

Informações detalhadas no site www.eventos.fmb.unesp

Música

Botucatuense emociona família real em apresentação No domingo dia 2 de julho, o organista Botucatuense Felipe Bernardo - mestre de capela do Pateo do Collegio em São Paulo ( www.pateocollegio.com.br) tocou, à convite da Pró Monarquia Brasileira, em uma Missa de ação de graças pelo 74 aniversário de D. Luiz de Orleans e Bragança, na Igreja Nossa Senhora da Glória do Outeiro no Rio de Janeiro. Felipe Bernardo é filho de Aluísio Bernard, servidor da Unesp lotado na Seção de Contabilidade da Administração Geral do Câmpus. O músico fez participação no II Festival de Inverno do Rio de Janeiro, com uma apresentação na Igreja da Candelária. Também no final de julho, Felipe coordenou as atividades musicais da FIUC -

Assembléia Geral da Federação Internacional das Universidades Católicas. A abertura ocorreu em São Bernardo do Campo, na FEI- Faculdade de Engenharia Industrial -SP, com missa presidida por Sua Eminência o Cardeal Zenon Grocholewski, prefeito da Congregação para a Educação Católica. O encerramento foi na Capela Beato José de Anchieta - Pateo do Collégio, com missa presidada pelo Cardeal de São Paulo D. Odilo Scherer. O músico é ex-aluno do Colégio Santa Marcelina de Botucatu, é formado em piano popular na FASM – Faculdade de Música Santa Marcelina em São Paulo. Foi o primeiro aluno de teclado do saudoso André Sanfoneiro.

Os príncipes Dom Bertrand e Orleans e Bragança (4º à dir), Dom Antônio de Orleans e Bragança (3º) com dona Maria Gabriela, Dom Rafael e Felipe Bernardo julho

2012

Reflexões para o Jubileu de Ouro da FMB desde móveis improvisados a partir de caixotes e Prezados colegas, O nosso aniversário de 50 anos está se caixas, até conseguir por empréstimo materiais aproximando. O texto que se segue foi baseado fundamentais para as aulas e assistência aos no exposto pelo Prof. Mario Rubens Montenegro doentes. Foram estes anos considerados heroicos e os pioneiros verdadeiros desbravadores! quando da comemoração dos 25 anos da FMB. Depois de já instalado o curso de Medicina, Disse o Prof. Montenegro que não foi o bom senso que levou a criação da FCMBB, mas sim ainda não havia meios de colocar o hospital a garra de alguns botucatuenses que viram na em funcionamento, devido a falta de recursos criação de uma “Faculdade de Medicina” a salvação humanos e materiais. Surge dentre os alunos uma ideia que foi de sua cidade que estava estagnada. Souberam eles aproveitar o momento de uma eleição difícil e colocada em prática e que mudou o rumo da Botucatu ganhou sua faculdade. O governo perdeu história desta faculdade, a tão conhecida “Operação Andarilho“ que, em abril de 1967, foi a eleição. O Reitor da USP na época O sonho dos colocada em ação. Estudantes e era Ulhoa Cintra, um homem de bom senso que, em face da botucatuenses e dos professores se colocaram em marcha para a cidade de São Paulo, parte à pressão, usou a opor tunidade pioneiros fundadores da pé e parte de ônibus ou de carro, para criar não uma Faculdade de Faculdade de Medicina fazendo passeata nas cidades de Medicina, mas o núcleo de uma universidade dedicada às Ciências vem se solidificando percurso e acampando, enfim, na capital. da Saúde. Os estudantes buscavam soluções Esta era uma ideia proposta pelo Plano de Ação do Governo Carvalho Pinto para os problemas de infraestrutura, para a fixação como política a ser seguida na criação de novos de um quadro docente permanente, assim como cursos superiores no interior. Para estabelecer as para iniciar a residência médica e a ampliação diretrizes desse núcleo, escolheu um Conselho do número de vagas. A operação conseguiu seu Deliberativo, do qual participavam professores intento. Ganhou visibilidade, com as manifestações universitários com larga experiência nas áreas de da imprensa e encontrou eco na movimentação já conhecimento que seriam o objeto dos cursos iniciada na cidade de São Paulo pelos estudantes propostos. Eram eles os professores: Adamastor inconformados com o problema dos excedentes, Correa, Euclides Onofre Martins, João Alves Meira e gerenciamento em vir tude da dispersão, da Mário Guimarães Ferri. Respectivamente, diretores diversificação de áreas e da falta de integração das Faculdades de Odontologia, Veterinária, entre eles. Daí o surgimento de várias propostas Medicina e Fisiologia da USP, e o Professor Jayro de aglutinação das escolas em uma administração Ramos Fundador da Escola Paulista de Medicina centralizada, desde a criação do Conselho Estadual e o Prof. Mario Rubens Montenegro, seu assessor. de Educação. O curso de Medicina cresceu e se fortaleceu A FCMBB não tinha infraestrutura nenhuma. Havia um prédio ainda inacabado, construído nos anos seguintes, juntamente com os demais para dar suporte ao tratamento de tuberculosos cursos que haviam aqui sido instalados. Ampliação na década de 50 e que ficou abandonado, devido da área construída, contratação de professores ao fato do tratamento daquela afecção ter sofrido e funcionários, organização administrativa e profundas mudanças à época. Não se sabendo didática, laboratórios equipados, o hospital com que destino dar ao prédio construído para ser um aumento da capacidade de atendimento aos Hospital de Tratamento de Tuberculosos, propôs- doentes, e o crescimento dos demais cursos em se a criação de uma unidade para múltiplos cursos, direção a desocupação do espaço físico do hospital foram algumas das conquistas que ocorreram sendo o principal, o de Medicina. Devido a total falta de planejamento, a vida em velocidade ímpar. Na década de 70, a FCMBB dos que aqui chegaram foi extremamente difícil. gozava de prestígio e vivia momentos de sucesso Os próprios pioneiros relatam as dificuldades e e todos os seus níveis. a grande abnegação. Tiveram que esquecer que *Silvana Artioli Schellini é professora titular e eram profissionais de nível superior. E passaram a se dedicar a todos os tipos de tarefas, preparando diretora da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB).

@

Os artigos publicados nesta página não refletem necessariamente a opinião do Jornal da FMB. Contatos para críticas, sugestões e envio de textos para publicações podem ser feitos pelo email: imprensa@fmb.unesp.br

Opinião

Relação Médico-Paciente Na minha memória sempre vai ficar marcada hoje em dia e substituídas por um fino relacionamento a sensação de curiosidade e admiração que eu, que intermediado por máquinas cada vez mais modernas. virei cardiologista e meu irmão (hoje professor na Estas, com seus exames precisos encobrem muitas minha Faculdade) tínhamos ao invadir o consultório vezes a incapacidade dos médicos de estabelecer do meu pai, que ficava na nossa própria casa. Tudo diagnósticos e limitam cada vez mais a capacidade clínica dos profissionais de medicina. era interessante, o símbolo da O ato sagrado da consulta médica é medicina na parede, o antigo Naquela época não existia primordial. É claro que a tecnologia é de diploma, os equipamentos nenhum equipamento suma importância, mas nunca irá substituir médicos, os brindes dos laboratórios, um mini- museu sofisticado exceto um a sensibilidade humana. Espero que as próximas gerações natural, tudo exalava Ciência estetoscópio “moderno” de médicos possam nas suas escolas e uma sensação mística. aprenderem a conversar, dar atenção Naquele local um médico caridoso e competente ajudava a salvar muitas e examinar corretamente seus pacientes e que o vidas e a muitos consolava nos momentos de dor e raciocínio e a sensibilidade possam ser a parte mais importante da consulta médica. sofrimento. Resumindo, o contato com o doente ouvindo com Naquela época não existia nenhum equipamento sofisticado exceto um estetoscópio “moderno”, um atenção suas queixas, mais o exame físico, a empatia, estetoscópio de Pinard e um esfignomanômetro. a confiança mútua e o próprio aprendizado do Os exames bioquímicos eram rudimentares e os médico com o paciente (que muitas vezes fornece o exames radiológicos muito limitados. Mesmo diagnóstico em uma simples frase) são sem dúvida os assim, os diagnósticos dos médicos da época eram fatores mais importantes para se conquistar o sucesso no relacionamento médico-paciente que sobreviverá muito precisos. A consulta se baseava na relação médico- sempre, mesmo que acabe a energia elétrica... paciente em que havia por parte do médico carisma, *Willian Teixeira Haddad é médico formado pela competência, sabedoria, atenção, dedicação, sacerdócio e benevolência, qualidades muito raras 15ª Turma da Faculdade de Medicina de Botucatu Conheça a página da FMB no Facebook www.facebook.com/fmb.unesp

Siga a FMB também no Twitter www.twitter.com/imprensafmb

@

Confira as edições do Jornal da FMB no link www.fmb.unesp.br


3

Faculdade de Medicina

Acordo amplia atendimento aos servidores pelo Iamspe A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e o Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público) assinaram, na tarde de 6 de julho, um aditivo de contrato que aumenta em 20% os recursos destinados ao atendimento de servidores no Hospital das Clínicas da FMB, em Botucatu. Além dos R$ 330 mil mensais, serão repassados mais R$ 60 mil, o que representa R$ 720 mil a mais por ano. Com o incremento, será possível ampliar o teto de atendimentos e minimizar filas de espera, principalmente por exames de imagem. A partir de agora, diagnósticos por meio de ressonância, ultrassom e tomografia poderão ser realizados, também, na Santa Casa de Misericórdia, que será parceira do HCFMB. A articulação para que fosse viabilizado esse aumento no valor repassado à FMB foi feita pela Prefeitura de Botucatu, onde ocorreu a assinatura do termo aditivo. “O servidor público de Botucatu e região vai ser beneficiado com esse aditivo. Haverá mais possibilidade de ele ser bem atendido”, avaliou Arnaldo Giorgis Filho, diretor técnico de Divisão de Saúde

Universidade

Diretora da FMB, profª Silvana Schellini assina o aditivo de contrato com o diretor técnico do DECAM do Iamspe do DECAM (Departamento de Convênios e Assistência Médica) do Iamspe. A diretora da FMB, professora Silvana Artioli Schellini, lembrou que há uma demanda por consultas que está reprimida. O tempo de espera, em alguns casos, chega a até um ano. “Mas agora nossos usuários serão

significativamente beneficiados. Esse é um pleito antigo. Ficamos muito satisfeitos com a notícia no aumento dos investimentos

Será possível ampliar o teto de atendimentos e minimizar

filas de espera, principalmente

por exames de imagem

pelo Iamspe. Temos consciência da quantidade de usuários e da necessidade de ampliação”, declarou. “ N o s s e n t i m o s ba s t a n te felizes com essa parceria. Há tempos que lutamos por isso. Agora, efetivamente, estamos conseguindo. Um orgulho poder atender essa demanda

do Iamspe através do Hospital das Clínicas”, obser vou Valter Castilho, diretor da Santa Casa de Misericórdia. José Carlos Souza Trindade Filho, responsável pela política de convênios do Hospital das Clínicas, disse que, com o incremento de 20% na verba mensal, será possível trabalhar pela redução da fila de espera por exames, especialmente os de imagem, como ultrassom, tomografia e principalmente ressonância. “Vamos nos organizar para ampliar o atendimento. A idade média no nosso público é alta, então os usuários tê - por : m necessidade de consultas com cardiologista, clínico geral, endocrinologista e dermatologista, por exemplo. Vamos poder aumentar a oferta de exames e assim poderemos agilizar o atendimento de uma maneira geral”, frisou. Além da diretora da FMB, estiveram presentes na cerimônia de assinatura do termo aditivo o diretor técnico de Divisão de Saúde do DECAMIamspe, Arnaldo Giorgis Filho e o diretor da Santa Casa de Misericórdia, Valter Castilho.

Despedida

Unesp inicia escolha de reitor e vice

Professores Renê Prado e Rubens de Andrade reúnem colegas de profissão e familiares durante confraternização de aposentadoria

No último dia 30 de junho, o professor Julio Cezar Durigan e a professora Marilza Vieira Cunha Rudge desincompatibilizaramse, respectivamente, das funções de vice-reitor no exercício da Reitoria da Unesp e de pró-reitora de Pós-graduação da Unesp. Durigan e Marilza compõem a chapa única inscrita junto à Comissão Eleitoral Central da Unesp, para o processo de consulta à comunidade universitária visando a elaboração de lista tríplice para escolha do reitor e vice-reitor da Unesp no período 2013/2016. A chapa propõe o nome de Julio Cezar Durigan para o cargo de reitor e Marilza Vieira Cunha Rudge para o cargo de vice-reitora. A Comissão Eleitoral Central, em reunião realizada no dia 29 de junho, homologou a inscrição da chapa. A desincompatibilização das funções deu-se no dia 30, em conformidade com a regulamentação aprovada pelo Colégio Eleitoral da Unesp, e prossegue até a homologação dos resultados da consulta. Durante este período, o pró-reitor de Administração da Unesp, Ricardo Samih Georges Abi Rached, estará no exercício da Reitoria e Eduardo Kokubun ocupará a Pró-reitoria de Pós-graduação.

Dia 22 de junho, foi realizado o jantar de aposentadoria dos professores Renê Gamberini Prado (foto ao lado) e Rubens Ramos de Andrade, ambos do Departamento de Cirurgia e Ortopedia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). Essa confraternização contou com a presença de familiares, amigos e também diver sos docentes da FMB. Após discursos dos homenageados e de alguns professores do departamento, foi exibido um vídeo que apresentou parte da trajetória dos médicos que a partir de agora se afastam de suas atividades acadêmicas. O professor Trajano Sardenberg, chefe do Depar tamento de Cirurgia e Ortopedia, que ficou responsável por organizar o jantar, fez questão de salientar a impor tância de ambos os docentes para a história do setor, para a FMB e também seu Hospital das Clínicas. “Foram médicos que se dedicaram à medicina, aos pacientes e, principalmente, aos seus alunos”, frisou Sardenberg. Renê G. Prado formou-se em 1968, na antiga Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB), e foi contratado para prestar serviços junto ao Departamento de Cirurgia e Ortopedia, na Disciplina de Gastroenterologia Cirúrgica, em dezembro de 1970. Aposentou-se em março de 2010. Rubens Ramos de Andrade (foto ao lado) formou-se em 1970, na antiga FCMBB, e foi contratado para prestar serviços junto ao Depar tamento de Cirurgia e

Professorers Renê Prado (primeira à equerda) e Rubens de Andrade agradecem aos companheiros de profissão e realçam o comprometimento com a FMB. Prof. Trajano Sardenberg entrega placa de homenagem da instituição a Andrade

Or topedia, na Disciplina de Cirurgia Cardiovascular, em dezembro de 1975. Aposentouse em fevereiro de 2012. “Faz 47 que dou aula. Não poderia imaginar todos os bons momentos que passei nessa faculdade. Aqui consegui ter uma formação baseada em todos os aspectos com ensinamentos muito sólidos, por isso eu só

tenho a agradecer a todos que contribuíram, inclusive aos pacientes, que às vezes são pessoas muito humildes, mas ricas em sabedoria. Foi um privilégio ter podido participar dessa universidade. É muito gratificante. Obrigado!”, declarou professor Rubens. “Eu sou da primeira turma e no inicio não foi fácil. O que

nos prendeu aqui foi o idealismo do professor Montenegro e outros professores incríveis. Os professores aqui nos deram formação, que é muito mais importante do que informação. Eu agradeço a todos pelo que fizeram por nós e pela universidade. Queria dizer aos mais novos, que estão cuidando dessa casa hoje, que pisassem suavemente pelos corredores dessa escola, pois estão andando sobre os sonhos do professor Montenegro, professor Saad, e provavelmente no sonho de muitos outros”, afirmou professor Renê. julho

2012


4

Faculdade de Medicina

FMB integra comissão julgadora do CNPq para divulgação científica O P rof e s s o r R u i S e a b r a Ferreira Junior, do Curso de PósGraduação em Doenças Tropicais e pesquisador do Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos (CEVAP), que também é membro da Diretoria da Associação Brasileira de Editores Científicos – ABEC - , participou do Comitê Julgador do 32º Prêmio José Reis de Divulgação Científica, no último mês de junho, em Brasília-DF O Prêmio José Reis é promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), importante órgão fomentador de pesquisas acadêmicas nacionais. Criada em 1978, a premiação é destinada às melhores iniciativas que contribuem no processo de tornar a Ciência, Tecnologia e as Inovações geradas através de pesquisas, conhecidas do público em geral. Ao todo são três categoria d e p re m i a ç ã o : ‘ D i v u l g a ç ã o C i e n t í f i c a e Te c n o l ó g i c a ’, ao pesquisador ou escritor como divulgador da Ciência; ‘J o r n a l i s m o C i e n t í f i c o’, a o jornalista destaque da área, e ‘Instituição’, premiando a instituição ou o veículo de comunicação que mais apoiou a divulgação científica. E desde 1995, apenas uma categoria é premiada por ano.

A edição 2012, levou em conta a categoria “Instituição” e premiou a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), instalada em Recife-PE, foi a grande premiada. Criada em meados do século passado por iniciativa do antropólogo, historiador social e escritor, Gilberto Freyre, que então era deputado federal, a F u n d a j c a r re g a a m i s s ã o d e p re s e r va r a m e m ó r i a e promover atividades cientificas e culturais que contribuam para o desenvolvimento da sociedade brasileira, sobretudo das regiões Norte e Nordeste. Segundo a justificativa da comissão julgadora do Prêmio

Professor Rui Seabra ainda ressaltou revista

Unesp Ciência, como concorrente ao Prêmio

José Reis, o prêmio foi concedido à Fundaj: “Considerando a Sistematicidade da proposta no tempo; Educação científica para os jovens da escola básica; Abrangência para o público geral; e Problematização à natureza de propósitos”. A entrega do Prêmio ocorreu na abertura da reunião da SBPC, na Universidade Federal do Maranhão, dia 24 de julho. Além de troféu, a Fundaj recebeu fomento necessário para sua participação na Reunião Anual da Sociedade para o Progresso da Ciência (SBPC), também promovida pelo CNPq. O p rof e s s o r R u i S e a b r a ainda ressaltou a participação, como concorrente ao Prêmio, da revista Unesp Ciência, que fora um veículo elogiado por todos o membros da Comissão Julgadora.

Reconhecimento

Câmara de São Paulo prestará homenagem a Willian Saad Hossne Willian Saad Hossne, professor e m é r i t o d a Fa c u l d a d e d e Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), será homenageado pela Câmara Municipal de São Paulo com a Medalha Anchieta- maior condecoração da capital paulista- e com o Diploma de Gratidão daquele município. A entrega está marcada para o dia 9 de agosto, a par tir das 19 horas, no Auditório Prestes Maia, na sede do Legislativo paulistano. A iniciativa da honraria foi dos vereadores Gilber to Natalini e Domingos Dissei. A honraria já foi concedida a personalidades cuja atuação foram destaque na vida pública da capital como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o arquiteto Ruy Ohtake; além de esportistas e cidadãos naturais de São Paulo. Referência nacional em bioética, prof. Willian Saad Hossne foi graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo, em 1951. Exerceu o cargo de diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu entre 1984 e 1988. Especializado em cirurgia gastroenterologia, é coordenador do Curso de Pós Graduação Mestrado em Bioética do Centro Universitário São Camilo. Hossne foi o responsável pelo conhecimento da bioética no país ao lançar, em 1987, o livro “Experimentação com Seres Humanos”. Já em 1992 fundou a Sociedade Brasileira de Bioética e coordenou a comissão que elaborou as Resoluções sobre Ética na Pesquisa. Foi Coordenador da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa – Conepde 1996 a 2007. O professor ainda é Doutor Honoris Causa da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, entre outras titulações.

Participaram deste Comitê, os seguintes membros: Issac Roitman – CNPq, Universidade de Brasília Isaltina M. de Az. M. Gomes – CNPq, Universidade Federal de Pernambuco Marcus Raimundo Vale – CNPq, Universidade Federal do Ceará Ada Cristina Silveira – CNPq, Universidade Federal de Santa Maria Osmir de J. Nunes – ABRADIC, Associação Brasileira de Divulgação Científica Mariluce de S. Moura – ABJC, Associação Brasileira de Jornalismo Científico Rui Seabra Ferreira Junior – ABEC-UNESP, Associação Brasileira de Editores Científicos / Universidade Estadual Paulista Marcelo Knobel- SBPC, Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Vice-Reitor no exercício da reitoria: Julio Cezar Durigan

Faculdade de Medicina de Botucatu

Diretora: Silvana Artioli Schellini Vice-diretor: José Carlos Peraçoli

Jornal da FMB

Superintendente do HCFMB: Emílio Carlos Curcelli Chefe de Gabinete do HCFMB: Irma de Godoy

Professor Seabra com demais integrantes do comitê que avaliou os melhores trabalhos de divulgação científica

Presidente da Famesp: Pasqual Barretti Vice-presidente: Antonio Rugolo Junior O Jornal da FMB é uma publicação mensal da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e das fundações, unidades médico-hospitalares e de pesquisas a ela vinculadas. Sugestões, comentários e colaborações devem ser encaminhadas à Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp pelo endereço imprensa@fmb.unesp.br. ou telefone (14) 3811-6140 ramal 116. Assessoria de Comunicação e Imprensa- Leandro Rocha (MTB-50357) Produção, editoração e impressão: G3 Gráfica & EditoraRua Jorge Barbosa de Barros, 163- Jardim Paraíso-Botucatu-SP Reportagens: Flávio Fogueral (MTB- 34927) Fotografia: Flávio Fogueral, Fotografia AG Unesp Botucatu e Arquivo ACI/FMB Estagiário: Sérgio Viana

Faculdade de Medicina

50 anos

Professor Domingos Deláscio ministrando aula de Ginecologia e Obstetricia aos alunos da primeira turma da Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB), no Auditório da Misericórdia Botucatuense, em 1965 (curso de Semiologia para o 3º ano). As fotografias foram cedidas pelo professor Francisco Habermann. Participe também do resgate da história da Faculdade de Medicina cedendo fotografias e documentos ao Centro de Memória e Arquivo da FMB pelo email: 50anos.medicinaunesp@gmail.com julho

2012


5 Internacionalização Estados Unidos

Professora da Tufts University ministra aulas em programa de pós A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB ) recebeu em julho a professora KyungJin Yeum, da Tufts University, Boston, EUA, que permaneceu na instituição durante três semanas. Yeum ministrou o curso Biomarkers of Antioxidant/Oxidative Stress and Their Applications for Human Health, na disciplina Tópicos Especias, do programa de PósGraduação “Fisiopatologia em Clínica Médica”. Além disso, a pesquisadora desenvolveu projeto de pesquisa nas dependências do Laboratório Experimental da Clínica Médica, par ticipará de discussão de projetos em andamento e de planejamento de parcerias futuras entre as duas unidades, Tufts University e FMB/Unesp. Kyung-Jin Yeum é Scientist do Jean Mayer Human Nutrition

Research Center (Centro de Pe s q u i s a d o M i n i s té r i o d a Agricultura Americano, USDA) da Tufts University, Boston, MA, EUA , desde 1993; Associate Professor da Friedman School of Nutrition Science and Policy (Tufts University, Boston, MA, EUA) desde 2009, e professora colaboradora do Programa de Pós Graduação Fisiopatologia em Clínica Médica (FMB/Unesp) também desde 2009. Desenvolve projetos em cooperação com Programa de Pós-Graduação Fisiopatologia em Clínica Médica desde 1999 e tem sido supervisora de doutorandos (5) e pós-doutorandos (4) ligados a esse programa. A visita da norte-americana teve suporte financeiro Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Pesquisador venezuelano diz que estudos com a Medicina/Unesp são exemplos para outros países A Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) recebeu, dias 5 e 6 de julho, a visita do médico e pesquisador internacional Rafael Cortés-Charry. O especialista esteve na instituição a convite da professora Izildinha Maesta, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia, para par ticipar de estudos colaborativos e ministrar aulas no curso de pósgraduação em doenças trofoblásticas. A FMB, em sua grade curricular, fez a inclusão de disciplinas sobre NTG (Neoplasia Trofoblástica Gestacional) e faz a manutenção de um ambulatório específico para pacientes com doenças trofoblásticas que já atendeu mais de 300 pessoas, com a publicação de 10 dissertações sobre NTG. Essa, é uma doença que ocorre na placenta devido a defeitos no processo de fecundação do óvulo pelo espermatozoide. O sucesso no tratamento da NTG depende muito do diagnóstico precoce. Como é uma doença no tecido gestacional, que cresce muito rápido, o tumor tende a se desenvolver da mesma forma. Em um dos intervalos de suas aulas, CortésCharr y concedeu entrevista à equipe da Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB. Confira os principais trechos: Qual é, na sua opinião, a importância desse intercâmbio entre a Faculdade de Medicina de Botucatu e Universidade da Venezuela? A impor tância desse intercâmbio é a possibilidade de par tilhar conhecimentos entre os centros de tratamento em doenças trofoblásticas. O mais interessante é que nossas instituições estão respaldadas por universidades. Esse cenário é muito importante, pois teremos a solidez de ter vivenciado uma experiência junto aos pacientes. E essa experiência deve ser revertida em benefício da educação, já que será possível difundir o conhecimento sobre essa doença a outros centros. Temos benefícios em todos os pontos de vistas: educacional, epidemiológico e assistencial. Qual a importância do centro de estudos sobre doenças trofoblásticas implantado na Faculdade de Medicina de Botucatu pela professora Izildinha Maesta? Há uma grande impor tância entre esses convênios interinstitucionais, pois é uma maneira de incentivar as pesquisas sobre doenças trofoblásticas. É um padrão a ser seguido

“Os estudos colaborativos A visita de Kyung-Jin Yeum teve o suporte financeiro da Fapesp

Debates

Encontro sobre endoscopia Digestiva No dia 11 de agosto, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp sedia pela primeira vez o encontro Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva) Interior. O evento, que será no Anfiteatro da Patologia, busca aprimorar e atualizar conhecimentos técnicos e científicos na área de endoscopia digestiva. O encontro ocorrerá apenas no período da manhã - das 8h30 às 13h – e tem como público-alvo médicos e enfermeiros da área de endoscopia e a comunidade acadêmica em geral. O Sobed Interior será composto por mesasredondas onde serão discutidos os temas: Técnicas de acesso à

via biliar; Acessos enterais via endoscopia; Afecções do intestino delgado; Hemorragia digestiva alta não varicosa. Para a gastroenterologista e docente do Departamento de Clínica Médica da FMB, Luciana da Matta Gradella, é preciso ressaltar a realização do evento em Botucatu pela primeira vez. “O encontro Sobed é de suma importância ao serviço de endoscopia da Faculdade de Medicina de Botucatu”, afirma. As inscrições ao evento são limitadas e podem ser feitas, gratuitamente, no Serviço de Endoscopia do Hospital das Clínicas da FMB até o dia 6 de agosto, sexta-feira.

entre Venezuela e Brasil são bastante proveitosos, pois unem as forças acadêmicas de ambas as instituições

Rafael Cortés-Charry salientou a parceria entre os dois países contra as doenças trofoblásticas

Cortés-Charry é um dos maiores especialistas em doenças trofoblásticas da América Latina por outros países, pois por meio desse processo teremos muito mais o que mostrar e desenvolver. Recentemente, foi desenvolvido um trabalho por meio de uma parceria entre Venezuela e Brasil, que envolveu 925 pacientes. É um número importante para chegarmos a conclusões. Envolvemos, nessa pesquisa, um grupo de adolescentes, que é uma faixa-etária que nos interessa muito. Os estudos colaborativos entre Venezuela e Brasil são bastante proveitosos, pois unem as forças acadêmicas de ambas as instituições. A organização da Unesp é muito boa, sob coordenação das professoras Marilza Vieira Cunha Rudge e Izildinha Maesta. Já foram apresentados 40 trabalhos em congressos internacionais. Há, inclusive, instituições de várias partes do mundo que querem conhecer nossa experiência com as doenças trofoblásticas. Com esses esforços dos cientistas, as doenças trofoblásticas tendem a ser controladas no futuro? Sim. Esse é um de nossos objetivos. Difundir informações sobre a doença, com experiências próprias e com a epidemiologia específica de diferentes regiões. Assim vamos, através de pesquisas, chegar a um diagnóstico precoce e um tratamento mais eficaz.

Aulas frisaram aspectos de doenças no trofoblasto Dias 5 e 6 de julho deste ano, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) recebeu a visita do médico e pesquisador internacional Rafael Cortés-Charry. O especialista esteve n a u n i d a d e p a r a pa r t i c i pa r d e e s t u d o s colaborativos e ministrar aulas no curso de pós-graduação em doenças trofoblásticas realizadas no Salão Nobre. Essas atividades, além de serem resultado dos esforços da FMB para internacionalizar suas pesquisas, também fazem par te do intercâmbio científico que a professora Izildinha Maestá iniciou entre julho e dezembro de 2011 quando esteve no New England Trophoblastic Disease Center, na Harvard Medical School, importante centro de referência em estudos e tratamentos de doenças gestacionais e ginecológicas.

Nesse período, ela desenvolveu um programa de pós-doutorado denominado Postdoctoral Research Fellow, que concedeu-lhe o título de Pesquisadora Associada de Harvard. A pesquisa teve participação do professor Berkowitz e uma equipe de pesquisadores renomados no estudo de doenças trofoblásticas gestacionais. O objetivo era determinar genes relacionados ao aparecimento da Neoplasia Trofoblástica Gestacional (NTG) através de análises de prontuários de pacientes e pesquisas laboratoriais. A NTG é uma doença que ocorre na placenta devido a defeitos no processo de fecundação do óvulo pelo espermatozoide. “O sucesso n o t r a t a m e n t o d a N TG d e p e n d e m u i t o d o diagnóstico precoce. Como é uma doença no tecido gestacional, que cresce muito rápido, o tumor tende a se desenvolver da mesma forma”, explica Izildinha. julho

2012


6

Geral

Professor da FMB coordena procedimento que pode melhorar sobrevida em casos de câncer no abdômen O professor da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) Alexandre Bakonyi Neto coordenou uma equipe multiprofissional que realizou, há algumas semanas, com sucesso, procedimento raro para retirada de um tumor alojado na região abdominal de uma paciente. A técnica, denominada Peritoniectomia com Quimioterapia Hipertérmica Intraabdominal foi utilizada como tratamento para uma carcinomatose peritoneal (tipo de câncer metastático que atinge o peritôneo – membrana que reveste o abdomen) causada por um adenocarcionoma mucinoso do apendice cecal (espécie de tumor primario). O t r a t a m ento com es s a técnica, ainda recente no Brasil e realizada em poucos centros, tem obtido resultados expressivos, aumentando a sobrevida livre de doenças dos pacientes. Antes da utilização desse procedimento as sobrevidas eram curtas e atualmente podem chegar a varios anos, sendo que a pessoa tem uma melhora importante em sua qualidade de vida e até a possibilidade de cura. A Quimioterapia Hipertérmica Intraabdominal é utilizada como um complemento à Peritoniectomia, por meio da qual é retirado o peritôneo (citorreducao). Trata-se de uma perfusão intraoperatória da

Professor Alexandre Bakonyi Neto foi o coordenador da equipe multiprofissional que retirou um tumor raro cavidade peritoneal com solução quimioterápica hipertérmica, ou seja, a quimioterapia é inserida no abdômen do paciente por meio de um cateter e a substância entra em contato com a area operada a uma temperatura de aproximadamente 40 ºC. Segundo professor Bakonyi, a carcionomatose faz com que o peritôneo fique tomado por tumores. Por isso, apenas a retirada da membrana não resolve o problema, é necessária a utilização

de quimioterapia. Porém, o método quimioterápico convencional, intravenoso, não resolve. “Os adenocarcinomas mucinosos do apêndice frequentemente se implantam no peritônio, condição conhecida como pseudomixoma peritoneal. Os agentes

O tratamento, ainda recente no Brasil e realizado em poucos centros, tem obtido resultados expressivos

quimioterápicos citotóxicos administrados por via sistêmica apresentam baixa concentração na cavidade peritoneal, sendo insuficientes para eliminar lesões residuais, mesmo microscópicas”, explica Bakonyi. “A Pe r i to n i e c to m i a c o m Quimioterapia Hiper térmica Intraabdominal representa uma nova e promissora modalidade terapêutica para este seleto grupo de pacientes com disseminação peritoneal de neoplasias.

(cânceres)”, afirma o professor. As carcinomatoses secundárias são as mais frequentes, na maioria das vezes originárias de tumores primários de ovário e apêndice. O procedimento realizado recentemente no Hospital das Clínicas da FMB envolveu uma equipe multidisciplinar composta pela médica oncologista Guareíde Carelli (FMB); os cirurgiões professor Alexandre Bakonyi Neto (FMB); Dr. Ytauan Calheiros ( Hospital do Servidor Publico Estadual de SP / Hospital Alemao Osvaldo Cruz); Dr Eduardo Rubens Arguello e Dra Monica Y Ayabe (residentes da Disciplina de Gastroenterologia Cirúrgica); as anestesiologistas professora Yara Marcondes Machado Castiglia e Dra Elisa Y; e a enfermeira Andreia C Passarone, perfusionista do Serviço de Cirurgia Cardiaca do HCFMB. A cirurgia associada à quimioterapia teve duração aproximada de 10 horas. A paciente teve alta e passa bem. Possivelmente não serão necessárias outras sessões de quimioterapia.“Só foi possivel realizar esse trabalho graças ao apoio incondicional da Direção Clínica e Superintendência do HCFMB”, destaca Bakonyi. O HC da FMB teve condições de realizar o tratamento, pelo fato de ser um hospital universitário, além de centro de pesquisa.

Infância

Violência sexual e autismo serão debatidas em jornada A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) debate, dias 31 de julho e 1º de agosto, problemas relacionados ao desenvolvimento mental e social além de agressões e violência sexual contra a criança durante a Jornada de Saúde Mental na Infância. O evento, com organização do Centro Acadêmico Pirajá da Silva (CAPS) ocorre sempre a partir das 18 horas no Anfiteatro da Patologia e tem promoção das Ligas de Pediatria e de Saúde Mental, Seção Técnica de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão, além do Departamento de Pediatria da FMB. Dia 31, as duas palestras previstas na programação irão debater o autismo, disfunção global do desenvolvimento e que afeta a capacidade de comunicação individual, de socialização e de comportamento. Em crianças, esse problema é manifestado antes dos três anos e apresenta ainda algumas características próprias como fobias, perturbações de sono ou da alimentação e agressividade.

Segundo tipo de abuso contra crianças, a violência sexual produz marcas físicas profundas e, principalmente, no aspecto psicológico. Esse será o principal tema a ser debatido pelo evento no dia 1º de agosto. Conforme a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, mais de 50 mil denúncias entre 2003 e 2011 registradas pelo Disque Denúncia Nacional se referiam a violência sexual. Trata-se de um fenômeno complexo e multicausal, que pode acontecer com ou sem contato físico e que se divide em abuso sexual (não envolve intermediação financeira ou comercial) e exploração sexual (há troca de sexo por dinheiro ou favores). Inscrições podem ser feitas até o dia 31 de julho pelo site www. inscricoes.fmb.unesp.br. Para sócios do CAPS, a taxa de participação será de R$ 6; enquanto que para não associados o valor passa a R$ 8. Informações podem ser obtidas pelos e-mails staepe@fmb.unesp.br ou nateldiw@yahoo.com.br ou pelo telefone (14) 3811-6020 .

Empresário encarte aqui seus panfletos e ofertas

Jornal da FMB imprensa@fmb.unesp.br (14) 3811-6140 ramal 116 julho

2012

Prof. Marcone foi um dos participantes do grupo de brasileiros que esteve em praga e debateu trombose

Internacional

Marcone Sobreira integra seleto grupo de brasileiros em congresso sobre trombose O professor do Departamento de Cirurgia e Or topedia da Facul dade de M edi ci na de Botucatu/Unesp (FMB), Marcone Lima Sobreira (2º da dir p/ esq na foto), participou, durante os dias 15 e 16 de junho, em Praga, República Tcheca, de um congresso internacional sobre trombose, chamado “Thrombosis Management”. Participaram do evento aproximadamente 950 médicos de diversos países do mundo e Marcone foi um dos 15 brasileiros presentes nas atividades de atualização profissional. Segundo o docente, durante o congresso foram trabalhadas

três frentes: trombose venosa ( p re v e n ç ã o e t r a t a m e n t o ) ; Síndromes Coronarianas Agudas; e AV C ( A c i d e n t e Va s c u l a r Cerebral) causado por arritimia cardíaca. Foram presentados novos tipos de medicação que estão sendo inseridos no mercado e os especialistas tiveram a oportunidade de opinar sobre esses fármacos. Entre as novidades estão remédios que o paciente pode utilizar durante seu tratamento, sem precisar ficar internado em um hospital. No entanto, ainda é uma opção de alto custo. “Discutiu-se bastante as vantagens e desvantagens de novos

anticoagulantes, considerando segurança e eficácia”, contou Marcone. Sobre a Trombose Trombose é a formação de um trombo no interior do coração ou de um vaso sanguíneo num indivíduo vivo. Tromboembolia s e r i a o t e r m o u s a d o pa r a descrever tanto a trombose quanto sua complicação que seria o embolismo. Já os coágulos sanguíneos ocorrem, num indivíduo vivo, fora do sistema cardiovascular ou, num indivíduo mor to dentro dos vasos e no coração.


7

Especial

A proteção da pele com nova embalagem Aliados na proteção à pele, os protetores solar, com o uso indevido, podem provocar problemas à saúde. Nas prateleiras das farmácias e supermercados, inúmeras marcas e diferentes Fatores de Proteção Solar (FPS). Mas como saber qual o número indicado? Quais os mais eficazes? Para informar o consumidor, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANS) determinou, no início de junho, novas regras para os rótulos dos produtos. A norma determina que alegações como resistência total à água terão que ser comprovadas por metodologias específicas definidas no novo regulamento. Poderão indicar, no entanto, expressões como “Resistente à Água”, “Muito Resistente à Água”, “Resistente à Água/suor” ou “Resistente à Água/transpiração”, desde que essas características sejam comprovadas. Outra mudança significativa é quanto o aumento do FPS, que passa de 2 para 6, que garantirá maior proteção ao usuário. Já a proteção contra os raios UVA (derivação do Raio Ultravioleta, que penetra profundamente a pele e contribui para o fotoenvelhecimento. Está presente nas câmaras de bronzeamento e naturalmente, sua incidência ocorre com maior frequência entre as 10 e 16 horas) terá ser de, no mínimo, um terço do valor do FPS declarado, ou seja, um protetor solar com FPS 60 deverá ter o fator de proteção de 20. A Anvisa determinou ainda que a orientação sobre a reaplicação do produto será obrigatória e proibiu a garantia de 100% proteção contra a radiação solar. O prazo para que os fabricantes se adequem à nova norma é de dois anos. Para o professor do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Botucatu, Hamilton Stolf, as novas regras permitem ao consumidor saber a real eficácia dos protetores solar. No entanto, o especialista alerta que ainda falta explicação clara, na embalagem, da quantidade ideal a ser aplicada na pele. Em entrevista ao Jornal da FMB, Prof. Stolf, que também é presidente da Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, ressalta que a melhor proteção contra os efeitos do uso incorreto e da não-proteção da pele ainda é a educação em relaçãoi ao protetor solar. Segundo ele, a soma de ‘um conjunto de medidas como roupas adequadas, óculos, chapéus e principalmente, a escolha dos melhores horários para a prática de esportes, entre outras atividades. Por que as novas regras da Anvisa sobre protetores solares e também, incluindo os labiais, podem se tornar benéficas ao consumidor? Esta foi a ideia básica, tentar ser mais claro possível na rotulagem a respeito da utilização do filtro solar: reaplicação, resistência na água e qual o grau de proteção. Essas medidas são suficientes para a proteção da pele? Quais pontos da nova norma merecem comentários. Quais as principais novidades? Apesar de que as medidas foram implementadas pensando no usuário, ainda falta na rotulagem uma explicação clara da quantidade ideal a ser aplicada, ou seja: este produto será FPS 30 se for aplicado corretamente, por exemplo para uma pessoa de 70 quilos é necessário aplicar 40 ml em todo o corpo. Pois sabemos que em média o usuário aplica 1/4 do ideal, portanto ele pensa que está utilizando um filtro 30, quando na prática ele esta utilizando um filtro 8 no início, imagine após transpirar.

“Só o protetor não resolve

é um conjunto de medidas como roupas, óculos, chapeus e horário adequado

Hamilton Stolf recomendando outras medidas de proteção contra os raios solares

“ Ainda falta na rotulagem uma explicação clara da quantidade ideal a ser aplicada

Hamilton Stolf sobre as novas regras nas embalagens de protetores solar Um dos pontos se refere ao aumento no número do FPS mínimo, que passa de dois para seis. Por que ocorreu essa mudança? Este foi um ponto que não ficou claro, pois esperavamos que um filtro bem aplicado deve conferir um bom lastro de segurança. Nenhuma das resoluções foram justificadas, portanto não consigo entender totalmente isto. Os produtos chamados “Multifuncionais” têm obtido maior inserção no mercado. Eles são realmente eficazes na proteção da pele? Quais cuidados devem ser levados em consideração na hora da compra? Eles também deverão ser mais explícitos seguindo a normatização e isto foi bom para usuário. O filtro que era contido neste produto como coadjuvante passa ter uma finalidade. Que tipos de problemas à saúde o uso indevido de protetores solares podem causar? Reação alérgica tipo dermatite de contato (inflamação da pele causada por contato direto com uma substância irritante). Quando o filtro é químico com o produto PABA (sigla de ácido paraaminobenzoico, um dos primeiros ingredientes de proteção usados nos filtros solares químicos) em seus componentes é mais alergeno. Como a Medicina e a própria indústria de cosmético trabalham para amenizar os efeitos dos raios solares e propiciar maior proteção à pele? Sempre há a necessidade de uma educação com relação a proteção solar. Só o protetor não resolve é um conjunto de medidas como roupas, oculos, chapeus e horário adequado para pratica de esportes, além de na escola ter os fundamentos tanto a fotoproteção quanto da identificação precoce do câncer de pele. São mais de 1000 por ano só desse tipo de patologia identificado em ações e campanhas promovidas pela Faculdade de Medicina, por exemplo.

O que é câncer de pele? Dos tumores existentes, o câncer da pele é o mais frequente. Muitos deles poderiam ser evitados se medidas de prevenção fossem aplicadas em tempo apropriado, permitindo assim sua cura. Existem três tipos de câncer de pele: carcinoma basocelular, espinocelular e melanoma. Qualquer pessoa pode ter câncer da pele, principalmente as de pele, olhos e cabelos claros, que sempre se queimam e nunca se bronzeiam. Além desses, ruivos e portadores de “sardas”, pessoas que se expõem ao sol por muito tempo ou os que possuem história familiar de tumor na pele também estão no grupo de risco. A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo desenvolvimento do câncer da pele. Ela se encontra nos raios solares e nas cabines de bronzeamento artificial. A exposição excessiva e prolongada ao sol contribui não só para o risco no desenvolvimento do câncer como também no envelhecimento precoce da pele. É importante lembrar que o efeito da radiação ultravioleta é cumulativo, ou seja, mesmo depois de parar de se expor ao sol, as alterações da pele podem se manifestar anos depois. Além da radiação solar outros fatores como raios X e certas substâncias químicas podem levar ao câncer da pele. FONTE: SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA julho

2012


8

Geral

Chefe do Departamento de Doenças Tropicais é otimista quanto ao controle da meningite no Brasil O médico infectologista, professor e chefe do Departamento de Doenças Tropicais e Diagnóstico por Imagem da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Carlos Magno Fortaleza, foi entrevistado, dia 19 de junho, no Programa O Palanque, da Rádio Emissora de Botucatu (PRF-8 AM). O especialista abordou aspectos relacionados à meningite, doença que, em quadros mais graves, pode levar à morte. A meningite é uma doença que consiste na inflamação das meninges – membranas que envolvem o encéfalo e a medula espinhal. Ela pode ser causada, principalmente, por vírus ou bactérias. O quadro das meningites virais é mais leve e seus sintomas se assemelham aos da gripe e resfriados. Entretanto, a bacteriana – causada principalmente pelos meningococos, pneumococos ou hemófilos – é altamente contagiosa e geralmente grave, sendo a doença meningocócica a mais séria. Febre alta, for tes dores de cabeça, vômitos, rigidez no pescoço, moleza, irritação, fraqueza e manchas vermelhas na pele (que são inicialmente semelhantes a picadas de mosquitos, mas rapidamente aumentam de número e de tamanho, sendo A meningite é mais indício de que há uma grande comum em pessoas quantidade de bactérias que vivem em circulando pelo sangue) são alguns dos seus sintomas. grandes aglomerados. O Jornal da FMB transcreve abaixo os principais trechos Carlos Magno Fortaleza sobre os locais mais da conversa, que teve como suscetíveis ao aparecimento da meningite interlocutor o radialista e apresentador Waldir Duarte. No Estado de São Paulo, todos os anos, temos aproximadamente Em que grau a população 3 mil casos notificados. Há dois deve se preocupar com anos, foi incluído no calendário a doença atualmente? É preciso dosar nossa preocupação vacinal das crianças menores de d e m a n e i r a a d e q u a d a . H á 2 anos, a vacina contra meningite meningites virais, que são quadros menigocócica. Só com essa inclusão, leves e o tratamento não envolve diminuiu muito a incidência da antibióticos, mas existem também as doença nas crianças no primeiro meningites causadas por bactérias. ano de vida, se comparado com as O quadro nacional em relação a estatísticas do ano anterior. Teremos, doença é estável há vários anos. a longo prazo, o surgimento de uma

pessoas carregando a bactéria sem adoecer. Sempre que há vírus A meningite pode acometer ou bactérias circulando pessoas em qualquer idade. silenciosamente há um pior controle das doenças Mas é alta em crianças e não há como eliminar menores de dois anos. na população em geral. Por isso, é difícil evitar Carlos Magno Fortaleza sobre a faixa etária 100% da meningite propícia para o aparecimento da doença meningocócica. Quandoé registrado um caso de meningite, todos os Ocorre através de gotículas espelidas familiares da pessoa doente precisa pela pessoa com a bactéria ou o tomar antibiótico. Chamamos isso vírus da meningite. A transmissão de bloqueio. Isso vale também para ocorre se essas gotículas entrarem os alunos de uma mesma classe em contato com os olhos, nariz ou a quando há manifestação da doença boca de outra pessoa. Sendo assim, em alguma das crianças. Com isso, a proximidade com uma pessoa que carregue a bactéria é a principal reduzimos a circulação da bactéria. forma de transmissão. Por que a pessoa que transmite, Como são os tratamentos? não desenvolve a meningite? Muitas pesquisas foram feitas sobre Em geral, a meningite viral não a meningite para explicar porque precisa de tratamento, ela cura o indivíduo que carrega a bactéria sozinha e apresenta quadro menos não desenvolve a doença, mas ele grave que a bacteriana. Essas, são pode transmitir para outra pessoa, agudas e podem ser causadas por que adoecerá. O que a gente espera vários tipos de bactérias, entre elas é que, ao longo dos anos, a vacina o meningocóco, o pneumocóco, o que foi introduzida nas crianças, vai hemófilos (que praticamente não impactar na quantidade de pessoas é mais registrado). O tratamento é carregando a bactéria e haverá feito com antibióticos conhecidos. uma diminuição da doença na Mas o que vai influenciar na população. Espero que a meningite, sobrevivência dos doentes é a assim como outras doenças, introdução rápida do tratamento. Em algumas pessoas a evolução caminhe para a erradicação. da meningite é fulminante. As pessoas podem e devem procurar Como são as vacinas um médico, se acharem que estão já existentes no Brasil? As vacinas boas contra meningite são com algum sintoma que possa recentes, são as chamadas vacinas indicar a meningite. conjugadas. As anteriores eram usadas apenas para conter grandes Há fatores que facilitam epidemias. Hoje, a imunização o contágio da meningite? mantem as defesas por mais tempo, A meningite é mais comum em por isso a decisão do Ministério da pessoas que vivem em grandes Saúde de inserir no calendário infantil. aglomerados. Mas muitas doenças Temos algumas vitórias consideráveis. têm relação com interpéries, Hemófilos era uma bactéria que atingia quando as pessoas são obrigadas muitas crianças e causava meningite. a ficar mais agrupadas, com poucas Havia 600 casos por ano. Hoje, graças condições de higiene. O inverno, a vacina, não chegam a 20 casos anuais. quando as pessoas buscam ficar em locais mais quentes, é uma época em que a meningite acaba De que forma acontece sendo mais comum. a transmissão?

população bem protegida contra a doença no país. Qual a faixa etária mais acometida pela meningite? A meningite pode acometer pessoas em qualquer idade. Mas é desproporcionalmente alta em crianças menores de dois anos de idade. Elas sempre foram mais acometidas que o restante da população. No entanto, o Brasil tem um dos melhores calendários de vacinação do mundo. Como é a circulação da doença no Meio Ambiente? A bactéria meningococo circula na população. A maioria das pessoas que carrega essa bactéria, no nariz ou garganta, não tem sintomas, não desenvolve a doença, mas é transmissora da meningite. Para cada pessoa doente há diversas

Pesquisa

Análise sazonal colabora com controle de bactérias no ambiente hospitalar A professora Silvia Caldeira, do Departamento de Enfermagem da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), obteve o segundo lugar na premiação do 8º Congresso Paulista de Infectologia com a apresentação do trabalho “Determinantes climáticos da incidência de bacteremia nosocomial por Bacilos Gramnegativos Não Fermentadores: um caso de sazonalidade irregular?”. Bacteremia nosocomial trata-se de infecção sanguínea por bactérias no ambiente hospitalar. O evento ocorreu em Campos do Jordão/SP, no mês de maio, promovido pela Sociedade Paulista de Infectologia. A programação científica contou com a apresentação e debate de pesquisadores nacionais e internacionais da área de infectologia em saúde.O trabalho apresentado por Silvia Caldeira é parte de sua pesquisa de doutorado, que analisa a julho

2012

Pesquisa analisou a ocorrência de infecções na assistência do HCFMB

variação na incidência de Infecções Relacionadas à Assistência em Saúde (IRAS) e seus agentes etiológicos, de acordo com as condições climáticas (sazonalidade), no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB). “Estudos de países de clima temperado demonstraram “picos de verão” na incidência de infecções sanguíneas em áreas de assistência à saúde. Reconhecer padrões sazonais [entre o clima e o surgimento das bactérias] é uma ferramenta potencial para promover ações de controle”, afirma Caldeira. O estudo apresentado no 8º Congresso Paulista de Infectologia t r a to u e s p e c i f i c a m e n te d e apenas dois tipos de bactérias: a Acinetobacter baumannii e Pseudomonas aeruginosa, segundo a coleta de hemoculturas positivas no HCFMB entre 2005 e 2010. Nesse período, o índice de infecções sanguíneas por essas bactérias foi,

respectivamente, de 1,38 e 1,60 por 10.000 pacientes/dia. Segundo a pesquisadora, o estudo detectou uma relação discreta- porém consistente- entre elevação de temperatura e aumento na incidência de infecções por Bacilos Gram- negativos Não Fermentadores. ‘A irregularidade climática característica da região pode ter mascarado o comportamento sazonal desses microrganismos”, conclui. O estudo de Silvia Caldeira conta com a orientação dos docentes Lenice do Rosário de Souza e Carlos Magno Castelo Branco, ambos do Departamento de Doenças Tropicais e Diagnóstico por Imagem da FMB. Tem colaboração de Renata Akazawa e Rayana Moreira, alunas do curso de graduação em Medicina, e Antônio Ribeiro da Cunha, do Departamento de Recursos Naturais da Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu/Unesp (FCA).


9

Alunos

Ministério da Saúde aprova execução de seis projetos pelo Pró-Saúde e PET-Saúde

Equipe de futsal feminino da AACHSA se prepara agora para a disputa do Intermed 2012

Desempenho

Futsal feminino da Atlética é bronze no Novo Desporto Universitário Em sua primeira participação na Liga do Novo Desporto Universitário (NDU), a equipe de futsal feminino da Associação Atlética Acadêmica Carlos Henrique Sampaio de Almeida (AAACHSA) da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) garantiu a terceira colocação na Série B do torneio, que reuniu algumas das mais conceituadas instituições de ensino superior do país. A medalha de bronze veio após a vitória diante o time da Comunicação Metodista por 3 a 2, com gols de Lygia (2) e Joyce. A partida ocorreu dia 24 de junho, no ginásio do Corinthians, em São Paulo. No entanto, o terceiro lugar faz com que as botucatuenses permaneçam na série B da Liga. Apenas a Faculdade de Comunicação/ Mackenzie (campeã da divisão) e de Direito da Universidade de São Paulo (USP, vice-campeã) se classificaram para a série A. O bom desempenho também fez com que a equipe botucatuense garantisse duas atletas na artilharia do torneio: Paula de Castro Scherer marcou sete gols, enquanto que Joyce Godoy Farat balançou as redes seis vezes. Foi também o time mais disciplinado, com apenas quatro cartões amarelos tomados. “Foi um resultado que surpreendeu por ser a primeira participação da equipe nesse torneio, que reuniu diferentes faculdades do Estado. Já tínhamos jogado com algumas das equipes participantes em outras ocasiões, como na Intermed (maior torneio entre faculdades de medicina de São Paulo) e sabíamos da qualidade de muitas”, frisa Paula Scherer. “Mas o fato de Botucatu ter garantido duas artilheiras, mostrou a regularidade que a equipe teve durante todo o torneio”, completou a atleta.

Campanha regular na primeira fase e final antecipada Na primeira fase do torneio, a Medicina/ Unesp esteve no grupo A, ao lado das Faculdades de Direito da USP e Mackenzie; além da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLHC) e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, ambas da USP; e a FEA - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - da PUC (Pontifícia Universidade Católica). A equipe botucatuense terminou na primeira colocação do grupo, com dez pontos em cinco partidas. Foram três vitórias, um empate e uma derrota. Ao todo foram dezesseis gols marcados e nove sofridos. Nas quartas-de-final, venceu a representação da Medicina-Unitau (Universidade de Taubaté) por 2 a 0. Pelas semifinais, em partida considerada como uma ‘final antecipada’ pelas próprias jogadoras, Medicina/Unesp e Comunicação Mackenzie empataram em 2 a 2 no tempo normal. No entanto, as botucatuenses foram derrotadas na prorrogação por 4 a 0. Torneios e amistosos para a Intermed A equipe de futsal feminino da Medicina/ Unesp representou, em março e abril, o Distrito de Rubião Júnior na Copa Record de Futsal Feminino, sendo eliminada na segunda fase. Mas o foco tem sido a preparação para o Intermed 2012, que ocorre a partir de agosto em cidade ainda a ser definida. Devem ser realizados três amistosos contra a Unesp/Bauru e Unesp/ Rio Claro, além da Escola Paulista de Medicina.

Conhecer

Workshop vai mostrar rotina de ensino em Medicina Estudantes do Ensino Médio e de cursos pré-vestibulares poderão conhecer, por um dia, a rotina acadêmica do curso de Medicina oferecido pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). Esse é o objetivo da 5ª edição do Workshop de Medicina, que ocorre dias 18 e 19 de agosto, no câmpus da Unesp, em Rubião Júnior. Estão disponíveis 400 vagas para escolas e instituições de ensino de caráter público e privado para cada um dos dois dias de workshop. Os alunos poderão conferir, através de oficinas, dinâmicas e palestras, um pouco do ensino universitário nas áreas de anatomia, cirurgia, patologia, parasitologia, psiquiatria, semiologia, enfermagem e noções de primeiros-socorros. As inscrições serão feitas apenas pela

internet, pelo site www.inscricoes.fmb.unesp.br até o dia 17 de agosto. Haverá diferença entre os valores a serem cobrados. Alunos de instituição pública pagam R$ 30 e de escola particular, R$ 60, até dia 10 de agosto (após essa data e até dia 17, os preços serão de R$ 35 e R$ 70, respectivamente). Caso cada escola consiga fechar grupos com 20 ou mais pessoas, a taxa de inscrição tem desconto de R$ 10 por aluno. Contato com a comissão organizadora pode ser feito através do telefone workshopunesp@yahoo.com.br. O evento é uma realização conjunta do Centro Acadêmico Pirajá da Silva (CAPS) e da Associação Atlética Acadêmica Carlos Henrique Sampaio de Almeida (AAACHSA); com o apoio da Faculdade de Medicina de Botucatu e Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp)..

Em busca do aprimoramento da formação profissional de seus estudantes e o fortalecimento da relação ensino-serviço-comunidade, a Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) iniciará mais uma vez a execução de projetos aprovados pelo Ministério da Saúde através do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde (Pró-Saúde) e o Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde). O Pró-Saúde e PET-Saúde são articulados para promover a educação e geração de conhecimento dos futuros profissionais, por meio da inserção desses em trabalhos diretos com a comunidade dependente de serviços da área da saúde. Além da promoção do incentivo às pesquisas científicas feitas pelas Instituições de ensino superior voltadas à área. Para o último edital do Ministério da Saúde, lançado em dezembro de 2011, a FMB, em conjunto à Secretaria Municipal de Saúde de Botucatu e Instituto de Biociências de Botucatu/ Unesp (IBB), enviou 18 propostas das quais 6 foram aprovadas e serão desenvolvidas num prazo de 2 anos. Segundo o Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) da FMB, serão recebidos R$ 800 mil de investimento às atividades, dos quais cerca de R$ 370 mil serão destinados à Secretaria de Saúde do município para investimentos em estruturas. O restante (R$ 430 mil) será repassado pela FMB aos projetos Pró e PETSaúde. Por meio da execução dos projetos deverão ser alcançadas melhorias na estrutura curricular dos cursos de Medicina e Enfermagem, oferecidos pela FMB, e Nutrição, do IBB, pela maior aproximação da teoria com a prática, formação humanística e

O Pró-Saúde e PET-Saúde são articulados para promover a educação e geração de conhecimento

integração interprofissional. Além de fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS), com maior produção científica, desenvolvimento de redes de cuidados e promoção de mudanças do atual modelo assistencial. To d o s o s p r o j e t o s a s e r e m desenvolvidos serão monitorados e avaliados por relatórios semestrais e comissões do Pró-Saúde que visitarão e verificarão a implementação das propostas.

Projetos PET-Saúde selecionados 1. DESAFIOS DA ORGANIZAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO DE EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA DIANTE DO ATENDIMENTO EVENTUAL - Tutora: Janete P. Simonetti 2 . A L I M E N TA Ç Ã O , E S TA D O NUTRICIONAL E CÁRIE PRECOCE EM PRÉ-ESCOLARES - Tutor: Miriam Hashimoto 2.1. PROGRAMA DE EDUCAÇÃO SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL (AS) PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE (ACS)- Tutora: Luiza Cristina Godim Domingues Dias 3. MEIO AMBIENTE E SAÚDE: INTERFACES NA ATENÇÃO PRIMÁRIA - Tutora: Karina P. Patrício 4. AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL E FATORES DE RISCO PARA DOENÇA RENAL EM IDOSOS - Tutora: Adriana Polachini do Valle 5. CONSTRUINDO NARRATIVAS NO APOIO AO AUTOCUIDADO NO DIABETES MELLITUS TIPO 2 - Tutor: Antonio de Pádua Pithon Cyrino 5.1. AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO DIABETES MELLITUS TIPO 2 (DMT2) NA ESF - Tutora: Adriana Lúcia Mendes 6. ADOLESCER E NÃO ADOECER – B U S C A N D O E S PA ÇO S PA R A O ADOLESCENTE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA NO INTERIOR DE SÃO PAULO - Tutor: Alice Y. Prearo 6.1. ACOLHIMENTO E ESCUTA QUALIFICADA NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA - Tutora: Regina Stella Spagnuolo

Esporte

ASU celebra 45 anos com Corrida e Caminhada Em comemoração aos 45 anos de sua criação, a Associação dos Servidores da Unesp (ASU) realiza, dia 26 de agosto, sua 1ª Corrida e Caminhada de Aniversário. O evento, que tem organização em parceria com a ACOB (Associação dos Corredores de Botucatu) deve reunir mais de 300 fundistas de toda a região de Botucatu e será disputada no câmpus da Unesp, no Distrito de Rubião Júnior. A participação é aberta tanto aos associados da ASU quanto o público em geral. Serão quinze categorias em disputa (no masculino e feminino) por diversas faixas etárias. Para a corrida, o percurso será de seis quilômetros; enquanto que para a caminhada, os participantes percorrerão três quilômetros dentro do câmpus. Já abertas, as inscrições deverão ser feitas até o dia 21 de agosto e x c l u s i v a m e n t e p e l o s i t e w w w.

incentivoesporte.com.br. O valor de participação para a corrida e caminhada aos não-associados à ASU será de R$ 20. Os sócios estão isentos de taxa, sendo que as inscrições devem ser feitas na sede da entidade (nos câmpus de Rubião Júnior ou da Fazenda Experimental do Lageado) mediante a apresentação da carteirinha. Serão distribuídas medalhas e troféus aos primeiros colocados de cada categoria. Para o diretor de esportes da associação, Márcio Alexandre Cardoso, o evento, também visa difundir e melhorar a qualidade de vida. “A corrida e a caminhada são as práticas esportivas mais democráticas que existem atualmente, procuradas como um meio de melhorar a qualidade de vida”, ressalta. Informações podem ser obtidas nas duas sedes da associação, no campus de Rubião Júnior e do Lageado, além do telefone (14) 3811-6168 ou pelo site www.asu.com.br julho

2012


10

Faculdade de Medicina Atualização

Medicina/Unesp promove curso sobre lipoaspiração e células-tronco

Nova sede será construída em terreno próximo à Administração Geral do Câmpus e do campo de futebol

STS terá sede própria dentro do câmpus de Rubião Júnior

Investimento conjunto entre a Reitoria da Unesp, Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp)- entidade de apoio da Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB)- e o Grupo Administrativo do Câmpus (GAC) irá viabilizar a construção da nova sede para a Seção Técnica de Saúde (STS), na área interna do campus universitário, em Rubião Júnior. A assinatura do contrato com a Prudesan Engenharia, vencedora da concorrência pública), ocorreu na manhã de sexta-feira, 29 de junho. Estiveram presentes o presidente do campus, p rof e s s o r L u i z C a r l o s Vu l c a n o ( d i re to r d a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia); d i re to r d i re to r a d m i n i s t r a t i vo d o c a m p u s , Carlos Winckler ; Enilze Volpato (diretora da Biblioteca do Câmpus); Ludmila Cândida de Braga (coordenadora da STS); Melina Trento (assistente social da STS) e do engenheiro G i l s o n d e S o u z a e S i l va , re p re s e n t a n d o a Representantes da universidade e da empresa construtora contratada. vencedora da licitação na assinatura do contrato O início da obra era previsto para 10 de julho, cuja duração será de 300 dias. O valor para a no Distrito de Rubião Júnior, a Seção Técnica de construção da unidade será de R$ 951.229,68, Saúde conta com uma estrutura funcional de dois sendo que os recursos são provenientes da enfermeiros, quatro auxiliares de enfermagem, Fundação para o Desenvolvimento Médico dois assistentes sociais, seis médicos, uma e Hospitalar (Famesp) e Reitoria (cada uma psicóloga, um técnico em segurança do trabalho destinou R$ 400 mil) e da própria Administração e dois servidores técnico-administrativos. Em 2010 as duas STS’s (Rubião Júnior e Lageado) Geral do Câmpus; que dará R$ 151.229,68. Pelo projeto, o prédio terá 486 metros foram unificadas. Segundo Ludmila, as atividades da quadrados de área subsede da STS localizada no campus construída, com Prédio terá 486 da Fazenda Experimental do Lageado dois andares que metros quadrados de continuarão normalmente e descarta o poderão receber as área construída, fechamento do espaço após a inauguração diversas atividades desempenhadas pela com dois andares da nova sede. Para ela, a estrutura a ser construída também significará maior STS. No pavimento conforto ao servidor. “Esta ampliação é inferior estarão alocados oito consultórios, recepção de enfermagem, um avanço para a universidade, pois o serviço secretaria e agendamento e sala odontológica. prestado será dentro do campus, facilitando a Na parte superior ficará a área administrativa, locomoção”, realça. Somente em 2011, a seção- responsável pela com salas para as equipes técnicas, arquivo, copa e cozinha e salas de grupo (que podem assistência em saúde dos servidores de toda a ser usadas para os processos de readaptação Unesp- realizou duas mil perícias médicas, 570 juntas médicas, 1.700 exames periódicos e foi dos servidores, por exemplo). A acessibilidade será um dos pontos mais responsável por 145 processos de readaptação contemplados pelo projeto com o espaço dos servidores. adaptado para receber portadores de Novos estacionamentos necessidades especiais e ser vidores com dificuldade de locomoção ou mesmo em macas. Para que a nova sede da Seção Técnica de Um elevador será instalado no prédio. Para prof. Vulcano, o novo espaço significa Saúde fosse viabilizada dentro do campus de um avanço na assistência em saúde para os Rubião Júnior, o Grupo Administrativo do Câmpus servidores da universidade. “Será um local de irá transferir o atual estacionamento localizado grande relevância dentro da Unesp e para o adjacente ao prédio para outro local, próximo ao campus de Botucatu. Essa nova sede propiciará Centro de Convivência Infantil (CCI) e em uma que o trabalho seja desenvolvido com qualidade área viabilizada pela FMVZ. A preparação do espaço ocorrerá simultaneamente com as obras pela equipe da seção”, frisou. Atualmente alocada em um prédio alugado da sede da STS e serão viabilizadas 200 vagas. julho

2012

A Disciplina de Cirurgia Plástica da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp promoveu, dias 29 e 30 de junho, um curso sobre lipoaspiração e células-tronco. O treinamento, que reuniu especialistas de várias partes do Brasil, além de cirurgiões plásticos do Peru e Itália. Ao todo, cerca de 110 pessoas se envolveram nas atividades acadêmicas e científicas. A coordenação do evento foi do professor Fausto Viterbo, do Departamento de Cirurgia e Ortopedia da FMB, também teve a participação do professor e cirurgião plástico Aristides Palhares e da professora Elenice Deffune, médica hematologista vinculada ao Hemocentro de Botucatu. Alunos de pós-graduação da FMB discutiram seus estudos sobre células tronco e reneração de nervos. Já estudantes da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) apresentaram trabalhos experimentais sobre células-tronco. Um dos momentos mais esperados do curso foi a palestra da professora Elenice Defunne, que explanou sobre “Lipoaspiração e Medicina Translacional”. Sua conferência tratou da grande quantidade de células-tronco presentes na gordura que é aspirada durante a lipoaspiração. “O universo das células-tronco já é uma realidade entre nós, e cada vez mais o cirurgião plástico está

sendo convidado a participar do avanços alcançados tanto na esfera experimental como na aplicação clínica. A recente descoberta da gordura como principal fonte de células-tronco mesenquimais colocou nossa especialidade no foco das ações pela naturalidade e facilidade com que lidamos com o tecido gorduroso”, avalia professor Fausto Viterbo, da FMB. De acordo com ele, hoje já é possível para qualquer paciente estabelecer o seu banco próprio de células-tronco a partir da gordura e pele normalmente descartados em cirurgias plásticas. “Assim como já acontecia com as células do cordão umbilical (linhagem hematopoiética), as células-tronco da gordura e da pele podem ser separadas e multiplicadas em milhões de vezes para serem então criopreservadas, com a possibilidade de utilização futura ou mesmo imediata nas diversas aplicações clínicas já estabelecidas.”, acrescenta Viterbo.

“O cirurgião plástico está

sendo convidado a participar do avanços alcançados tanto na esfera experimental como na aplicação clínica

Fausto Viterbo, sobre os avanços que a medicina tem com as células-tronco

Células-Tronco As células-tronco, células-mães ou células estaminais são células que possuem a melhor capacidade de se dividir dando origem a duas células semelhantes às progenitoras. As células-tronco de embriões têm ainda a capacidade de se transformar, num processo também conhecido por diferenciação celular, em outros tecidos do corpo, como ossos, nervos, músculos e sangue. Devido a essa característica, as células-tronco são importantes, principalmente na aplicação terapêutica, sendo potencialmente úteis em terapias de combate a doenças cardiovasculares, neurodegenerativas, Diabetes mellitus tipo 1, acidentes vasculares cerebrais, doenças hematológicas, traumas na medula espinhal e nefropatias.

Curso reuniu mais de 110 especialistas de várias partes do Brasil, além de cirurgiões plásticos do Peru e Itália


11

Faculdade de Medicina

Primeira Cipa da FMB quer trabalho em conjunto Para atender a legislação trabalhista vigente, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) instituiu sua primeira Comissão Interna de Prevenção a Acidentes de Trabalho (Cipa) sem vinculação com o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB). Empossada dia 4 de julho e com mandato de um ano, o grupo tem como objetivo a prevenção de acidentes e melhoria da qualidade do ambiente de trabalho. A primeira Cipa da FMB será presidida por Marcos Ballestero, que terá como vice Mar tha Negrisoli. Compõem ainda a comissão os servidores Ednélson Henrique Bianchi, Araldo José Vieira, Sônia Aparecida de Brito, Lilian Cristina Nadal Bianchi e Misael Donizetti de Freitas (titulares representantes do empregador), Ermínio Tori Júnior, Cristino Oliveira Silva Neto, Denis Alexandre Carvalho Santos, Giovana Teixeira Pinto e Suelene Aparecida Ber tin Carnietto (suplentes representantes do empregador). Como titulares representantes dos empregados foram eleitos Neide Aparecida Del Acqua Cesário, Solange Ramires, Almir Camargo, Arlindo Sérgio Gabriel e Milton Máximo de Carvalho. Já os suplentes são: Márcia Cristina Foglia Ramos, Levi Pascoal, Gabriela Pinheiro dos Santos Manoel, Nilton Antonio Pavan e Rosângela Andrade Moraes

Integrantes da nova Cipa da FMB passaram por capacitação quanto a métodos e legislação de sergurança Camargo. Os diretores da FMB, p rof e s s o re s S i l va n a A r t i o l i Schellini e José Carlos Peraçoli - que chegou a usar a palavra para incentivar os novos cipeiros estiveram presentes da cerimônia de posse da nova Cipa. Pa r a p re pa r a r o s n o vo s cipeiros, a instituição promoveu, de 2 a 4 de julho, um curso de formação de seus membros para a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho. Foram abordados tópicos como histórico da segurança do trabalho, noções sobre legislação trabalhista e previdenciária, normas regulamentadoras, análise prática

e comunicação dos acidentes de trabalho, medidas de controle dos riscos, além de princípios de higiene do trabalho. Os membros ainda realizaram atividades práticas quanto ao mapeamento de riscos no ambiente de trabalho e conheceram os Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e o de Prevenção dos Riscos Ambientais (PPRA). Integrou o conteúdo

A Cipa é um instrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção de acidentes do trabalho

noções de prevenção e combate a incêndios e a organização quanto a Sipat- Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho- da instituição. Para Marcos Ballestero, a atuação da Cipa- voltada exclusivamente para a FMB- terá sua ênfase em locais distintos e específicos como a sede administrativa da faculdade, laboratórios de pesquisa, locais de ensino e as unidades auxiliares como o Centro Saúde Escola (que possui membros na comissão), além das Unidades de Pesquisa Experimental (Unipex) e a futura Unidade de Pesquisa em Experimentação Animal (Upea).

Ambiente

Unesp

Comissão de Ética Ambiental discute ações para gestão sustentável de papéis A Comissão de Ética Ambiental da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) promoveu, dia 26 de junho, uma reunião de trabalho para discutir ações que visam garantir uma gestão sustentável dos papéis utilizados na instituição. Essa atividade, que contou com a presença do vicediretor da FMB, José Carlos Peraçoli, envolveu representantes de todos os departamentos acadêmicos, seções administrativas e serviços da faculdade e foram reunidas propostas para minimizar a geração desse tipo de material no ambiente de trabalho. De acordo com números apresentados pela presidente da comissão, professora Adriana Polachini do Valle, são produzidos, por mês, na FMB, 1 tonelada de material reciclável e 1,2 tonelada de orgânicos, que somados aos resíduos biológicos e químicos superam o montante de 2,7 toneladas de lixo/mês. A proposta é que todo papel descartado seja encaminhado para a Cooperativa de Reciclagem de Botucatu. A diretora do Ser viço de Atividades Auxiliares da FMB, Rosana Barreto, abriu os trabalhos propondo uma reflexão sobre o conceito “meio ambiente”. Sugeriu que os funcionários ponderassem que o significado é muito mais amplo que conservar e preservar os recursos naturais. “O homem

“Tínhamos uma demanda grande por parte do HCFMB, que terá sua própria Cipa. Podemos, a partir desse novo perfil, voltar nossa atenção a questões mais pertinentes à segurança dos funcionários da própria faculdade”, ressalta. O plano de trabalho, conforme adianta o presidente, será apresentado na próxima reunião da comissão que ocorrerá em agosto. Ele adianta que será imprescindível manter contato direto com as Cipas da Famesp (Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar) e do próprio Hospital das Clínicas. “A c o m po s i ção de s s a nova comissão envolve profissionais de diversos setores da faculdade e isso será fundamental para o levantamento de demandas e ideias de melhorias contínuas nos diferentes ambientes de trabalho”, complementou Ballestero. Efetivamente, a Cipa é um instrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção de acidentes do trabalho, das condições do ambiente do trabalho e de todos os aspectos que afetam sua saúde e segurança. O órgão é regulamentado pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) nos artigos 162 a 165 e pela Norma Regulamentadora 5 (NR5), contida na portaria 3.214 de 1978 publicada pelo Ministério do Trabalho.

Vice-diretor da FMB frisa o comprometimento com a sustentabilidade está diretamente inserido nesse contexto de ambiente”, afirmou. Em seguida, destacou que a expressão “sustentabilidade” precisa ser compreendida como: “Fazer muito mais, usando muito menos”. Para Rosana, a universidade deve servir de exemplo quando o assunto é sustentabilidade e, para isso, tem que fazer uma gestão voltada ao uso racional dos recursos das unidades. “Como servidores públicos temos que dar bons exemplos à sociedade e ampliar nossa atuação na busca por soluções ambientais, assumindo administrativamente essa necessidade”, destacou. Um segundo momento da

reunião foi dedicado a elencar algumas das iniciativas ambientais desenvolvidas pela FMB, entre elas a criação da Comissão de Ética Ambiental; levantamento quantitativo dos resíduos produzidos na FMB; realização de um lelilão para a venda de sucatas (exceto equipamentos de informática). Também foram mencionadas a construção do abrigo para lixeiras; a instalação do posto de coleta de óleo de cozinha usado e a implantação do sistema de outsourcing (terceirização / locação de gerenciamento de cópias) - que será implantado pelo Serviço Técnico de Informática (STI)

-, todas no prédio administrativo da faculdade. Estão em andamento, ainda, as propostas de compostagem da maravalha (lascas de madeira usadas na forração de gaiolas) nos laboratórios experimentais e ainda a implantação de um sistema de captação de água pluvial no prédio administrativo, central de salas de aula e anexos acadêmicos da FMB. Além disso, está prevista a substituição das torneiras convencionais por modelos com acionamento automático ou eletrônicos; implantação de sensores de presença para acionamento automático de luminárias em banheiros e corredores. A última etapa da reunião foi dedicada a uma dinâmica em grupos para que os participantes pudessem apresentar sugestões de ações para diminuir a geração de resíduos. As mais recorrentes, foram: intensificar a utilização de meios digitais para as atividades do dia a dia; reutilização das folhas de papel - reaproveitando para rascunhos e impressões no verso, quando possível -, e separação correta dos resíduos para descarte adequado. Essas propostas serão organizadas e transformadas em políticas administrativas. Contato com a Comissão de Ética Ambiental pode ser obtido pelo email: cea@fmb.unesp.br.

Unidades de Botucatu têm novos ramais A Unesp - Câmpus de Botucatu - tem passado por alterações em seu sistema de telefonia. Os antigos ramais analógicos estão sendo gradativamente substituídos pelo Sistema de Voz sobre o IP, ou VoIP, que é o mecanismo de envio de informações através da Internet. No entanto, é fundamental ressaltar que as linhas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina não sofreram qualquer alteração. As listas telefônicas com os novos ramais de todos os departamentos, ser viços e seções das cinco unidades da Unesp em Botucatu (Instituto de Biociências, Faculdade de Medicina Veterinária e Z o o te c n i a , Fa c u l d a d e d e M e d i c i n a , Fa c u l d a d e d e Ciências Agronômicas e Administração Geral) podem s e r a c e s s a d a s n a pá g i n a da Administração Geral do Câmpus na internet, por meio do endereço: www.btu. unesp.br. Basta clicar no menu “ TELEFONES-UNIDADES” (último ícone) localizado do lado esquerdo da página. Consultas também podem ser feitas através dos telefones: (14) 3811-6000 ou (14) 3880-0000 julho

2012


12 Pesquisa & Inovação

Doenças ósseas em idosas podem se acentuar com má ingestão de nutrientes Mulheres acima dos 60 anos têm apresentado maiores probabilidades de problemas ósseos- como fraturas, osteoporoese, entre outras doenças- devido à ingestão insuficiente de nutrientes adequados. É o que constatou estudo realizado pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) que relacionou a falta dessas substâncias na dieta em pessoas idosas. De autoria da pesquisadora Silvia Andrea Destefani, a análise mostrou ainda que a qualidade da dieta e perfil da ingestão alimentar e de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) também não está adequada nessa faixa etária. Tais substâncias são essenciais para a visão, ossos e dentes, absorção de cálcio, inibição de doenças cardiovasculares e formação de radicais livres; além de agirem na coagulação de ferimentos, aumento da quantidade de plaquetas, formação dos cabelos e serem antioxidantes. Ao todo, 118 mulheres acima dos 60 anos e atendidas pelo Programa Municipal de Atendimento ao Idoso (Promai) de Bauru, no interior paulista, participaram da análise. As avaliações abrangeram desde dados sócioeconômicos, culturais, antropométricos a estado de saúde das pacientes. As questões tiveram auxílio do Inquérito Recordatório 24 horas (método de investigação de consumo alimentar) com intervalos de 30 dias entre cada aplicação. Através do indicador foram obtidos dados para avaliação da qualidade da dieta e comparados com recomendações do Guia Alimentar da População Brasileira. Também foi aferido o Índice de Massa Corporal (IMC) nessa população. Foi constatado que as mulheres participantes apresentavam sobrepeso e havia queixa sobre o sistema osteomuscular. A qualidade da dieta foi classificada como necessitando de melhorias em 50,8% dos casos avaliados ou de má qualidade (49,2%). Essas mulheres ainda apresentaram ingestão suficiente dos grupos de carnes, ovos, óleos, gorduras e sementes. Frutas, A qualidade da dieta legumes e verduras, laticínios foi classificada como e cereais apresentaram níveis insatisfatórios, conforme a ‘necessitando de melhorias’ análise. em 50,8% dos casos

Gestão

Segundo Silvia, essa relação entre o consumo inadequado pode desencadear nessa população problemas crônicos na parte osteomuscular, com prevalência para a osteoporose e também a fragilidade dos ossos. Para ela, é urgente que o sistema público de saúde se atente para a realidade já que pessoas com 65 anos ou mais correspondem a 78,4% da população brasileira, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). “Há a necessidade da elaboração de um plano de ações, por parte da saúde pública do município, para elaborar estratégias com o objetivo de conscientizar este segmento populacional sobre esta condição e da necessidade de mudanças no hábito alimentar”, ressaltou a pesquisadora.

Apoio Acadêmico

Estudo destaca importância de Nova plataforma científica para pesquisas clínicas enfermeiros em processos gerenciais clinicamente significativas (tipo Desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp, a dissertação de mestrado “A Compreensão do Processo de Trabalho Gerencial pelos Enfermeiros de um Hospital Estadual”, realizada no Hospital das Clínicas da FMB, conquistou o prêmio de melhor pôster no congresso canadense “12th Thinking Qualitatively Workshop Series”, em Edmonton. A pesquisa foi desenvolvida por Maria Valéria Pereira e orientada por Wilza Carla Spiri, docente do Departamento de Enfermagem da FMB e especialista em Gerenciamento de Serviços

Wilza Spiri é orientadora do trabalho desenvolvido na FMB julho

2012

de Saúde e Enfermagem. Wilza foi quem apresentou o pôster do trabalho durante o evento, uma vez que ela também está cursando seu pós-doutorado no Canadá. O trabalho foi concluído em 2011 e, por meio de depoimentos dos profissionais de enfermagem, se propôs a observar, interpretar e compreender suas experiências nos processos de trabalho gerencial. “A importância dos resultados relacionam-se ao contexto do gerenciamento em enfermagem e no processo decisório do e n f e rm e i ro f o r t a l e c e n d o a autonomia profissional”, defende a orientadora. De acordo com a orientadora do trabalho, a compreensão dos processos gerenciais colabora para o exercício da enfermagem e melhoria nos cuidados dos usuários do sistema de saúde. Ela ainda afirma que é necessário desenvolver os aspectos estrutural e psicológico do profissional no processo de tomada de decisão, junto à competência de liderança dos enfermeiros. “Penso que o prêmio reforça o trabalho realizado no Departamento de Enfermagem e em especial no Programa de Pós Graduação em Enfermagem - Mestrado Profissional -, cuja a proposta é realizar pesquisa de qualidade aplicada à realidade, contribuindo para o avanço do conhecimento nessa área”, completa Wilza.

Interessados terão acesso online a livros, monografias e estudos diversos A Biblioteca do Câmpus da Unesp em Rubião Júnior aderiu à ferramenta Clinical Key, plataforma que permite acesso ao conteúdo de mais de 700 livros e 400 periódicos médicos, oferecendo respostas clinicamente relevantes, baseadas em evidências sobre as mais diversas especialidades médicas. Essa plataforma foi desenvolvida pela empresa Elsevier, produtora de soluções digitais para áreas ligadas à saúde, após pesquisa de mercado com mais de dois mil médicos. Com essa implantação, os docentes, alunos e pesquisadores da FMB poderão ter acesso a livros, revistas, monografias, vídeos e imagens, com velocidade de

busca clínica por meio de resultados específicos para a s m a i s d i v e r s a s q u e s tõ e s médicas. As informações estão disponíveis em um banco de dados hierarquizado segundo os conceitos clínicos. A Clinical Key permite que sejam filtrados os resultados da busca por subcategorias Para acessar o Clinical Keys, siga os passos: 1. www.biblioteca.btu.unesp.br 2. links 3. sites para pesquisa – acesso restrito 4. http://www.clinicalkey.com/

de conteúdo, especialidade, tratamento e diagnóstico) possibilitando ir rapidamente da visão geral do tópico para informações detalhadas da especialidade, para enfrentar os desafios clínicos. ‘A a q u i s i ç ã o d o C l i n i c a l Key é um enorme ganho para a universidade, pois tem informações de conteúdo médico inteligente e rápido, que favorece a assistência e a pesquisa”, afirmou Darcila Bozoni, diretora Técnica do Serviço de Biblioteca e Documentação Científica do Departamento de Gestão de Atividades Acadêmicas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB). Conforme Enilze Volpato, Diretora Técnica da Biblioteca da Unesp - Câmpus Rubião Júnior: ‘Clinical Key é uma base de dados de informações secundárias, ou seja, os autores contratados pela Elsevier fazem uma revisão da produção bibliográfica nos diversos tópicos da Medicina. É uma tendência forte na área da Saúde em geral, já que é impossível acompanhar toda a literatura publicada em todo escopo de prática clínica”, declara. No dia 26 de junho, nos laboratórios de informática do Núcleo de Educação a Distância e Tecnologia da Informação (NEAD/TIS), foi realizado treinamento aos interessados no uso da ferramenta.


Jornal da FMB nº 46