Page 1

Jovens apresentam riscos de doenças no coração, diz estudo Pesquisa nacional sobre riscos cardiovasculares em adolescentes, da qual a FMB/Unesp faz parte, indica que 25% dos 90 primeiros analisados apresentaram alterações. Página 12

Obras da Upea começam a virar realidade Já está definida a empresa que construirá a Unidade de Pesquisa em Experimentação Animal (Upea) da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). As obras tiveram início oficialmente dia 18 de junho e o prazo para conclusão é de 360 dias. O prédio terá 1.168,62 metros quadrados. Página 3

Medicina/Unesp tem representante na Rio +20

Domingos Alves Meira (1932-2012): vida dedicada ao ensino e à saúde C o m g r a n d e p e s ar a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e toda a comunidade acadêmica universitária receberam a notícia do falecimento, na madrugada de 22 de junho, do professor emérito desta instituição Dr. Domingos Alves Meira, aos 80 anos. Seu corpo foi velado no Serviço de Ambulatórios Especializados de Infectologia - SAEI/DAM

Para compartilhar conhecimentos e reunir informações que possam resultar em futuros projetos e parcerias, a Faculdade de Medicina esteve representada na Rio+20. A professora Karina Pavão Patrício, médica e doutora em Saúde Ambiental, viajou para o Rio de Janeiro onde participou de alguns debates do evento. Página 7

ANEXOS- Medicina/Unesp terá 115 novas vagas de estacionamento. Página 10

Centro de Memória da FMB é reestruturado e tem nova comissão Aprovada pela Congregação no início de junho, a nova Comissão do Centro de Memória e Arquivo da Faculdade de Medicina de Botucatu será responsável pela guarda e preservação de documentos (sejam ofícios,

Projeto recebe bolsa Ciência sem Fronteiras

- (Hospital Dia) - unidade localizada no Distrito de Rubião Júnior e que leva seu nome. O sepultamento ocorreu no Cemitério Jardim, em Botucatu. Centenas de pessoas, emocionadas, acompanharam o féretro. Meira nasceu em São Paulo, em 11 de junho de 1932. Era casado com a professora aposentada da FMB Jussara Marcondes Machado e deixa cinco filhos. Página 5

A u t o r d e u m p ro j e t o d e pesquisa de pós-doutorado apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da Faculdade de Medicina (FM) da Unesp, Câmpus de Botucatu, foi contemplado com a Bolsa Ciência sem Fronteiras para estudar no Imperial College School of Medicine, em Londres, Inglaterra. Quem receberá a bolsa é Antonio Rodrigues Braga Neto. Página 12

Comissão de Ética Ambiental conhece Usina de Reciclagem Integrantes da Comissão de Ética Ambiental- antiga Comissão de Acompanhamento e Avaliação do Gerenciamento de Resíduos do Complexo Faculdade de Medicina de Botucatu- realizaram, dia 19 de junho, visita à Usina de Reciclagem do município. O objetivo foi acompanhar o processo de triagem e destinação do ‘lixo seco’ a empresas especializadas. No local foi verificado também como o lixo seco oriundo da FMB é recebido e separado. Página 10 Material enviado pela FMB também é verificado assim que chega

Conheça a página da FMB no Facebook www.facebook.com/fmb.unesp

despachos, fotografias, entre outros) da faculdade. A comissão terá como presidente o professor emérito Joel Spadaro (titular) e o professor Francisco Habermann será o suplente. O mandato será de dois anos. Página 3

Alto desempenho esportivo em xeque durante simpósio

CAPS Acústico promove a arte da universidade Página 11

Mais do que instrumento para a qualidade de vida das pessoas, o esporte se tornou um nicho de negócios milionários em que o atleta, pressionado por contratos e cobranças, precisa atingir o mais alto rendimento. Dois exemplos desse fenômeno são os esportes olímpicos e as Mixed Martial Arts. O desafio de garantir o melhor desempenho sem prejudicar a saúde desses atletas foi um dos pontos debatidos no 5.º Simpósio de Medicina Esportiva, realizado dias 15 e 16 de junho. Página 9


2

Faculdade de Medicina

Artigo

Gostaria de dividir com os leitores algumas sensações e De acordo com as estatísticas da prefeitura do RJ, cerca reflexões sobre a Rio+20. A Conferência das Nações Unidas de 45 mil pessoas estiveram no Riocentro e mais de 1 milhão sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, ficou assim de pessoas participaram dos eventos paralelos à Rio+20, conhecida porque marcou os vinte anos após a realização principalmente na Cúpula dos Povos, que teve um público da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e de 300 mil pessoas, e do Projeto Humanidade 2012, no Desenvolvimento (Rio-92). Teve como objetivo a renovação Forte de Copacabana, ambos na Zona Sul da cidade. Esta do compromisso político com o desenvolvimento sustentável, foi uma conferência com números recordes, segundo a avaliando progressos e lacunas em sua implementação própria ONU. De um lado tivemos a intensa participação da mundial, focado na economia verde no contexto do sociedade civil, de ONGs, de movimentos sociais (mulheres, desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e indígenas, de grupos vulneráveis), dizia-se participativa, mas na estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável. no documento final, podemos constatar tristemente que A Rio+20 foi composta por três momentos: um anterior realmente poucos avanços foram conquistados. Quando a conferência dedicado a preparação e discussões, entre existe uma ameaça aos dogmas dominantes e manipulantes elas uma plataforma digital (www.riodialogues.org), espaço do capitalismo desenfreado, que dizem ser responsável de discussão on-line em torno dos dez temas da Rio+20 pelo desenvolvimento da humanidade, as grande potências e que tinha como facilitadores pesquisadores de alguns se retiram do cenário, e várias outras seguem no vácuo. E dos principais centros acadêmicos mundiais. Saíram 843 pergunto que ‘desenvolvimento da humanidade’ é este, que recomendações, com participação de ameaça a própria sobrevivência e felicidade No entanto, não foram da espécie? Colocou-se em votação “o 63 mil pessoas, de 200 países indo para votação 100 recomendações. Em pactuadas as formas de futuro que nós queremos”, mas qual seria seguida, entre 16 e 19 de junho, deram ele? Aquele que atende as necessidades implantação e nem as da maioria, ou de uma minoria detentora seguimento a discussão destes Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável, no origens dos recursos de poder e recursos, mantendo as grandes Rio Centro, tirando as trinta sugestões injustiças socioambientais? para se realizar mais votadas dos dez temas, que foram E como resultado final da rio+20 o que essa transformação tivemos? Um documento intitulado “O futuro levadas diretamente a próxima etapa. De 20 a 22 de junho, ocorreu o Segmento que queremos” (http://www.uncsd2012. de Alto Nível da Conferência, no qual org), que já está sendo muito criticado, participaram 103 chefes de estado, mas lembrando que alguns principalmente por ser uma longa lista de promessas para vieram nos minutos finais para saírem nas fotos, outros não se uma economia verde, para diminuir a degradação ambiental, manifestaram e a grande maioria não apoiou financeiramente combater a pobreza e reduzir desigualdades. No entanto nem ideologicamente a implantação de uma agenda mundial não foram pactuadas as formas de implantação e nem as para o desenvolvimento sustentável do planeta. origens dos recursos para se realizar essa transformação. As atividades da Rio+20 ocuparam diversos locais do RJ Como afirmou o presidente da França: “Não se pode exigir (mais de 20), o que dificultava muito a nossa participação, ambição de ação se não há ambição de financiamento. creio que esta descentralização foi intencional, para dissipar Quem exige ambição de ação e não põe dinheiro sobre a forças e facilitar ‘organização’. Os dois maiores palcos de mesa está sendo pelo menos incoerente”. A China, um dos atividades aconteciam no Rio Centro localizado na Barra da maiores poluidores do mundo, deixou claro que a preservação Tijuca, e no Parque do Aterro do Flamengo. No Rio Centro ao meio ambiente não será uma prioridade do país se isto concentravam atividades oficiais do evento coordenadas frear seu crescimento. Como Iara Pietricovsky, do Inesc, pela ONU e exposições de alguns países e poucas ONG, claramente definiu: “O documento... retrocedeu nos direitos muito interessantes e lindas, notando que ali havia tido muito das mulheres, não resolveu o problema do financiamento ao investimento, diversos pavilhões muito bem equipados, desenvolvimento sustentável e muito menos os problemas mostrando projetos fantásticos do mundo todo. Já do outro diretamente relacionados à mudança climática, assim como, lado, no Aterro do Flamengo até o MAM, acontecia um não solucionou o problema de transferência de tecnologia, grande evento paralelo – A Cúpula dos Povos- ao longo de direito a água, piso social básico, entre muitos dos temas uns 4 Km, em meio a uma multidão de pessoas das mais fundamentais para que os direitos humanos sejam efetivados diferentes etnias e países, com o objetivo de discutir as e os países caminhem para uma rota de sustentabilidade”. causas da crise socioambiental, apresentar soluções práticas Agora acredito que a mudança e as soluções virão e fortalecer movimentos sociais do Brasil e do mundo. das bases, de cada um de nós, por isto a importância vital Em ambos os locais, assim como nos demais, ocorriam de exercemos nosso papel de cidadão, mudarmos nossas seminários, debates e oficinas, palestras, rodas de conversa práticas diárias, no trabalho, em casa, com amigos, e encontros, nas diversas tendas. Senti que na Cúpula dos repensar nossos valores, se não é possível sermos Povos pulsava mais vida e força, dando voz às comunidades. um pouquinho menos consumistas, trabalharmos Fiquei impressionada com a mobilização de comunidades numa lógica menos capitalista e mais sustentável, indígenas que ocupavam grande área no Aterro, em torno socioambiental, e constatar que é possível sermos felizes de 2000 índios que vieram de diferentes locais do Brasil e do com menos e garantir a vida com qualidade também às mundo para o Rio. Muitos ficaram alojados no Sambódromo, próximas gerações. E como Vandana Shiva colocou na tendo que dormir até no chão, pois não havia colchão para Rio+20: “a Terra tem o suficiente para a necessidade de todos, e receberam comida azeda, mas estavam ali, lutando todos, mas não para a ganância de uns poucos”. pelos seus direitos! Um exemplo para nós, para mostrar que é *Karina Pavão Patrício é professora do Departamento vital que nos organizemos, juntando forças, exercendo a real de Saúde Pública da FMB e participou da Rio +20 cidadania, lutando pela sustentabilidade da vida. artigos publicados nesta página não refletem necessariamente a opinião do Jornal da FMB. Contatos para @ Os críticas, sugestões e envio de textos para publicações podem ser feitos pelo email: imprensa@fmb.unesp.br

Carta aos colegas

Mensagem de Despedida- Aposentadoria Edna Maria de Souza Carvalho* Aos amigos e colegas do HC e FMB de Botucatu Com a oficialização da minha aposentadoria, ocorrida recentemente, gostaria de fazer algumas considerações. Este momento especial e impar da nossa vida. É hora de olhar o meu passado e refletir para o futuro. No passado, lembro-me dos momentos de dificuldade e desafios. Mas, lembro com sabor de doçura, dos tempos de alegria, de vitórias, de cumplicidade. E eles nunca vão retornar como tudo na vida. Marcas e lembranças... É hora mais do que nunca de valorizar as amizades e os conhecimentos adquiridos aqui. Fiz amigos, muitos dos quais sempre me acompanharão. Agradeço aos queridos profissionais da área de enfermagem, assim como, os demais profissionais da saúde, que passo enumerar: docentes do curso de medicina e enfermagem, médicos, fisioterapeutas, assistentes sociais, biólogos, nutricionistas, dentre outros. Recordo-me daqueles da área administrativa, pessoal da manutenção, lavanderia e transporte. Enfim, todos os níveis e categorias profissionais que levo as boas lembranças. Conheça a página da FMB no Facebook www.facebook.com/fmb.unesp

junho

2012

Lembro e agradeço anos de convivência harmoniosa e profissional com vários parceiros – pessoas e entidades, as quais destaco, a Secretaria Municipal de Saúde; o Grupo da Vigilância Epidemiológica de Botucatu; a Coordenadoria de Controle de Doenças e Divisão de Imunização da Secretaria de Saúde do Estado de S. Paulo. Também me lembro e agradeço aos pacientes, pois as convivências com eles me trouxeram outros ensinamentos e lições de vida. Nesta nova etapa de minha vida, vou continuar torcendo para a grande e complexa família que é o HC, no sentido que dê boa guarida para os cidadãos necessitados. E ainda que o conhecimento cientifico e de cuidado aos pacientes sejam cada vez mais aprimorado, técnica e humanisticamente por seus profissionais competentes. Ao final, destas poucas palavras, mas cheias de emoção e saudade, devo principalmente e imensamente gratidão a Deus, por ter exercido dignamente por trinta e dois anos, a minha profissão num lugar especial que me proporcionou grande aprendizado e enriquecimento de vida. Meu muito obrigado a todos. *Edna Maria de Souza Carvalho é enfermeira

Siga a FMB também no Twitter www.twitter.com/imprensafmb

@

Confira as edições do Jornal da FMB no link www.fmb.unesp.br

5/07/2012 - DEFESA DE TESE RENATA CAMPOS CAPELA EQUIVALÊNCIA MÉTRICA DO DISEASE ACTIVITY SCORE (DAS 28) E JUVENILE ARTHRITIS DISEASE ACTIVITY SCORE (JADAS) NA ARTRITE IDIOPÁTICA JUVENIL Programa: Saúde Coletiva Orientador (a): Prof(a). Dr(a). CLAUDIA SAAD MAGALHAES Local: Sala de Videoconferência do Prédio da Administração da FM/Botucatu Horário: 8h30 contato: spg@fmb.unesp.br 6/07/2012 - REUNIÃO 514ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CONGREGAÇÃO Local: Sala de Reuniões Professor Emérito Mario Rubens Guimaraes Montenegro, junto a Diretoria da FMB Horário: 8H30 contato: milton@fmb.unesp.br 12/07/2012 - DEFESA DE TESE VALÉRIA DE CASTILHO PALHARES QUALIDADE DE VIDA, QUALIDADE DO SONO E FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Programa: Fisiopatologia em Clínica Médica Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Beatriz Bojikian Matsubara Local: Auditório Prof. Dr. Tiberê Alves de Rezende - FMB. Horário: 9 horas contato: spg@fmb.unesp.br 13/07/2012 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO VANESSA CRISTINA PADUAN QUALIDADE DE VIDA E FATORES ASSOCIADOS EM PACIENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE RENAL Programa: Saúde Coletiva Orientador (a): Prof(a). Dr(a). ANA TERESA DE A R CERQUEIRA Local: Anfiteatro do Depto. de Saúde Pública - FM/Botucatu - Unesp Horário: 14 horas contato: spg@fmb.unesp.br 20/07/2012 - DISSERTAÇÃO DE MESTRADO ANDREZA APARECIDA DE LIMA POSSO AJUDAR? CUIDADOR FORMAL E RELAÇÃO DE AJUDA A PERCEPÇÃO DO IDOSO ACERCA DO APOIO OFERECIDO POR UM SERVIÇO SOCIOASSISTENCIAL DE UM MUNICÍPIO DO INTERIOR DE SÃO PAULO Programa: Saúde Coletiva Orientador (a): Prof(a). Dr(a). Regina Stella Spagnuolo Local: Anfiteatro do Departamento de Enfermagem Horário: 9 horas contato: spg@fmb.unesp.br 3/08/2012 - REUNIÃO 515ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CONGREGAÇÃO Local: Sala de Reuniões Professor Emérito Mario Rubens Guimaraes Montenegro, junto a Diretoria da FMB Horário: 8H30 contato: milton@fmb.unesp.br 6/08/2012 - CURSO II CURSO DE INICIAÇÃO CIENTIFICA - LIRHA Local: Salão Nobre FMB Horário: 18 horas contato: patriciaperola@hotmail.com 11/08/2012 - EVENTO V WORKSHOP DE MEDICINA Local: Faculdade de Medicina Horário: 8h30 contato: workshopunesp@yahoo.com.br informações: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/ 17/09/2012 - CONGRESSO 21° CONGRESSO MÉDICO ACADÊMICO DE BOTUCATU Local: SALÃO NOBRE DA FMB Horário: 18:00 contato: cmab@fmb.unesp.br informações: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/ 26/09/2012 - CONGRESSO VIII CONFIAM - CONGRESSO DE FÍSICA APLICADA À MEDICINA Local: SALÃO NOBRE DA FMB Horário: 8 horas contato: viiiconfiam@gmail.com informações: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/ Informações detalhadas no site www.eventos.fmb.unesp

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Vice-Reitor no exercício da reitoria: Julio Cezar Durigan

Faculdade de Medicina de Botucatu

Diretora: Silvana Artioli Schellini Vice-diretor: José Carlos Peraçoli

Superintendente do HCFMB: Emílio Carlos Curcelli Chefe de Gabinete do HCFMB: Irma de Godoy

Jornal da FMB

Compreendendo e refletindo sobre a Rio +20

agenda

Presidente da Famesp: Pasqual Barretti Vice-presidente: Antonio Rugolo Junior O Jornal da FMB é uma publicação mensal da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp e das fundações, unidades médico-hospitalares e de pesquisas a ela vinculadas. Sugestões, comentários e colaborações devem ser encaminhadas à Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp pelo endereço imprensa@fmb.unesp.br. ou telefone (14) 3811-6140 ramal 116. Assessoria de Comunicação e Imprensa- Leandro Rocha (MTB-50357) Produção, editoração e impressão: G3 Gráfica & EditoraRua Jorge Barbosa de Barros, 163- Jardim Paraíso-Botucatu-SP Reportagens: Flávio Fogueral (MTB- 34927) Fotografia: Flávio Fogueral, Fotografia AG Unesp Botucatu e Arquivo ACI/FMB Estagiário: Sérgio Viana


3

Faculdade de Medicina

Centro de Memória e Arquivo da FMB é reestruturado para preservação da história institucional e acadêmica São 49 anos de história e participação nos diversos momentos de destaque da história de Botucatu e do próprio ensino médico estadual. A inserção da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) e de suas fundações correlatas (FamespFundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar e Fundação UNI) proporcionaram o desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão na área da saúde no interior paulista. Todos esses anos de história documentada passam a ter maior importância de preservação e cuidado. São documentos que contam cada uma das fases que a instituição passou, desde a criação da Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB), no ano de 1962, até a incorporação da mesma à Universidade Estadual Paulista, em 1976. Aprovada pela Congregação no início de junho, a nova Comissão do Centro de Memória e Arquivo da Faculdade

Uma das atribuições

é

garantir a recuperação, preservação e divulgação da memória institucional

de Medicina de Botucatu (Cemarq) será responsável pela guarda e preservação de documentos (sejam ofícios, despachos, fotografias, entre outros) da faculdade. A comissão terá como presidente o professor emérito Joel Spadaro (titular) e o professor Francisco Habermann será o suplente. Fazem parte, ainda, como representantes dos servidores técnico-administrativos a chefe da Seção de Comunicações da FMB (setor responsável pela catalogação e manutenção dos documentos no Centro de Memória), Valdelice Ramos (titular) e Vera Eliane Burini (suplente); além de Sulamita Colnago (titular) e Enilze Volpato (suplente) como representantes da Biblioteca do Câmpus. Haverá também a colaboração da professora

Membros da nova comissão do Centro de Memória e Arquivo em uma das primeiras reuniões de trabalho de história da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp, Célia Reis Camargo e Paulo Henrique Martinez. O mandato será de dois anos e algumas de suas principais atribuições garantir a recuperação, preservação e divulgação da

memória institucional e científica; discussão da memória histórica e sócio-cultural; formação de acervos documentais, museológicos, digitais e bibliográficos, entre outros. Para a preservação da história da instituição, o Centro de Memória e

Arquivo e Centro de Memória da FMB Está para ser inaugurada, nos próximos meses, a sede do Arquivo e Centro de Memória, dentro do complexo administrativo da Faculdade de Medicina e da Central de Salas de Aula. O local possui 382,92 m², com seu pavimento térreo concluído. Há previsão de um espaço-sala de consulta. O edifício contempla as necessidades básicas para o trabalho com o arquivo e para a sua preservação. O acervo da faculdade será composto, inicialmente, por processos de vários setores da administração. Depois, poderá receber material dos setores acadêmicos. Serão implantadas estantes deslizantes para facilitar o acesso aos documentos. O edifício foi projetado para suportar outro pavimento para a parte documental, com espaço reservado para elevador de carga. A estrutura pronta é própria para edifícios com essa finalidade e segue as recomendações do Conarq (Conselho Nacional de Arquivos, do Governo Federal), que estabelece normas para os arquivos de todo o país. Possui uma ampla sala somente para a guarda do acervo, espaço específico para o trabalho administrativo e para recepção e tratamento da documentação, antes de sua entrada na sala de guarda do acervo.

Arquivo também receberá doações de alunos, professores e funcionários da FMB; elaborar instrumentos de pesquisa para o acesso aos d o c u m e n to s ; p ro d u ç ã o d e publicações retrospectivas e técnicas de referência, exposições temáticas, além de pesquisas sobre fatos relevantes à Faculdade de Medicina. Professora Silvana Schellini, diretora da FMB, destaca que a criação da comissão e a consolidação de um Centro de Memória próprio da faculdade vêm ao encontro da proposta de recuperação da história universitária. O presidente da comissão também ressalta que a conservação da história institucional representa significativo avanço dentro da universidade. “A Unesp tem reconhecido a importância da conservação de seus documentos. Isso faz parte da construção da memória da universidade”, ressalta. “Quando se fala da memória da Faculdade de Medicina, dizemos também o desenvolvimento da ciência, da medicina em si e também os problemas de saúde enfrentados nessa região do Estado ao longo dos anos”, complementa professor Joel Spadaro.

Obras

Unidade de pesquisa em experimentação animal começa a virar realidade Já está definida a empresa que construirá a Unidade de Pesquisa em Experimentação Animal (Upea) da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). A assinatura simbólica do contrato com a Elgel Eletricidade e Engenharia LTDA aconteceu nesta terça-feira, 12 de junho, na diretoria da instituição. As obras terão início oficialmente na próxima segunda-feira, 18 e o prazo para conclusão é de 360 dias. A Upea será construída com recursos da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) - órgão ligado ao governo federal - e terá contrapartida da Unesp. Serão investidos R$ 1.577.948,00 pela Finep e R$ 300 mil serão repassados pela universidade. O prédio terá 1.168,62 metros quadrados e no projeto está prevista a construção de um novo piso (andar) caso haja necessidade.

A estrutura será dividida em área suja (contaminada) e área limpa (com assepsia). A área suja prevê uma secretaria e uma sala para os técnicos bioteristas, área para ração e área para maravalha (lascas de madeira usadas na forração de gaiolas). Para que os usuários passem para a área limpa existe a necessidade de assepsia. Nela, ficarão as “racks” para ratos e camundongos e também as seis salas de experimentação, preparadas para cirurgias. Na região externa haverá uma câmara fria, espaço para depósito de lixo hospitalar, reciclagem e lixo orgânico. A diretora da FMB, professora Silvana Artioli Schellini, ressalta que a Upea seguirá critérios rígidos, pois a faculdade buscará certificar a unidade como um laboratório de pesquisa com excelência internacional. Estiveram presentes na assinatura

Obra para a construção da nova unidade de auxílio à pesquisa na FMB deve ter a duração estimada de 360 dias simbólica do contrato, o sócio proprietário da empresa vencedora da licitação, José Carlos Neri Oliveira; o engenheiro Flávio Mascaro, da Assessoria de Planejamento e Orçamento da Unesp - Câmpus Botucatu; além da diretora e do vice-diretor da FMB, professores

Silvana Schellini e José Caros Peraçoli, respectivamente. A empresa Elgel Eletricidade e Engenharia LTDA, vencedora da licitação para construção da Unipex (Unidade de Pesquisa Experimental), atualmente está sediada em Assis. A Elgel foi a empresa responsável pela

construção do forno incinerador, atualmente instalado no campus da Unesp em Botucatu. Entre seus principais clientes estão: as prefeituras de São Paulo e São Bernardo do Campo e a própria Unesp, com moradias estudantis e outros laboratórios. junho

2012


4

Faculdade de Medicina

Professor fala sobre correção de paralisia facial no Reino Unido O cirurgião plástico e professor da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Fausto Viterbo, participou, em maio, do 6th International Congress of the World Federation of Skull Base Societies e 10th European Skull Base Society Congress, realizados na Universidade de Brighton, no Reino Unido. Além da atualização científica e divulgação de suas técnicas, o especialista ainda obteve como resultados da viagem importantes contatos internacionais que poderão render projetos em parceria com a Unesp. N o e v e n to , q u e re u n i u otorrinoloaringologistas, oncologistas e neurocirurgiões do mundo todo foram discutidos temas que envolvem pacientes com problemas na base do crânio. Viterbo ministrou uma palestra sobre correção de paralisia facial através da neurorrafial términolateral - método desenvolvido por ele, na FMB/Unesp de Botucatu. Ele participou de uma mesa-redonda. A “Neurorrafia término-lateral” foi tema da tese de doutorado de Viterbo, defendida em 1992 e orientada pelo professor emérito da FMB, José Carlos de Souza Trindade. A técnica, que consiste na ligação de nervos, está restabelecendo o movimento e sensibilidade em casos graves de lesões no ombro, mãos e face. Pacientes paraplégicos podem se beneficiar com a prevenção do aparecimento de úlceras de decúbito (feridas). “Descobrimos que os nervos seccionados por uma lesão ou doença podem ser ligados lateralmente a outro nervo (doador), e com isso, recuperar a sensibilidade e o movimento em alguns casos”, esclarece Viterbo. “A grande vantagem é que qualquer nervo pode ser usado como doador, sem causar prejuízo”, explica Viterbo. Mas além de disseminar essa descoberta obtida por meio de pesquisas realizadas na FMB/Unesp, o cirurgião salienta que só teve a oportunidade de ministrar aula no congresso no Reino Unido, graças à indicação de um antigo colega, o Dr.

Charles Nduka, da Inglaterra, que realizou estágio em Botucatu. Em seguida, Viterbo viajou para Paris, atendendo convite de dois professores: Georges Lamas e Jean-Paul Meningaud. “Foi muito interessante, pois estes dois convites aconteceram graças ao contato de um colega, o Benoit Ayestaray. Em 2010, ele passou dois meses na FMB conhecendo nossa estrutura de pesquisa e participando de uma delas. Ele veio para Botucatu após ter sido premiado com uma bolsa em dinheiro, por um estudo que desenvolveu, e com a qual poderia passar dois meses em qualquer instituição do mundo para realizar aprimoramento na área de microcirurgia de nervos periféricos. E, por conhecer nossa tradição nessa área, optou pela FMB”, contou, orgulhoso, o professor. O cirurgião da FMB esteve, dia 24

Viterbo teve a oportunidade de sugerir a eles técnicas para

correção de paralisia facial,

que deverão ser implantadas

de maio, no “Groupe Hospitalier PitiéSalpêtrière”, também na França. Nessa instituição fez uma apresentação mais completa sobre sua técnica para correção de paralisia facial utilizando

a neurorrafia termino-lateral. No outro dia, a convite do Prof. JeanPaul Meningaud, chefe do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Henri Mondor, visitou a unidade. A equipe é a que tem mais experiência em transplantes de face no mundo. Sob o comando de Meningaud, o grupo já realizou oito transplantes. Viterbo teve a oportunidade de sugerir a eles técnicas para correção de paralisia facial, que deverão ser implantadas na rotina do serviço. “Foi uma grande honra para mim poder compartilhar com profissionais tão experientes técnicas desenvolvidas em nossa faculdade”, completou. Para o professor, no entanto, além de divulgar sua técnica, o que mais valeu foi ter conseguido fazer contatos importantes com especialistas que são referência em sua área de atuação, e estes contatos, por sua vez, foram possibilitados por colegas que estiveram e m Botucatu. “Devemos estimular os intercâmbios, trazendo colegas do exterior para estagiar e pesquisar em nossa instituição, pois esses contatos podem abrir portas importantes para divulgarmos aquilo que produzimos em nossa escola. Isso, além de construírmos parcerias que podem render bons projetos em conjunto”, declarou.

Prof. Viterbo (2º da esq p/ dir) fez contatos com renomados especialistas

Carreira

Rogério Saad Hossne obtém título de livre-docência O professor do Departamento de Cirurgia e Or topedia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Rogério Saad Hossne, deu mais um importante passo em sua carreira acadêmica com a obtenção do título de livredocente pela instituição pelas disciplinas “Clínica Cirúrgica I, II e III”. O concurso ocorreu de 29 a 30 de maio, com as atividades centradas no Salão Nobre da FMB, em Rubião Júnior. Compuseram a banca examinadora os professores Maria Aparecida Henr y, Celso Vieira de Souza Leite, Nelson Adami Andreollo, Paulo Kassab e Sidney Roberto Nadal. Pelo roteiro seguido, o candidato realizou, dia 29, no período da manhã, prova didática sobre o tema “Doenças Inflamatórias Intestinais (Crohn e Retocolite Ulcerativa Idiopática) Diagnóstico e Tratamento”. Pela tarde, ocorreu a leitura da prova escrita e julgamento do memorial. No dia 30, professor Rogério realizou a defesa de sua tese “Estudo dos Efeitos da Aspirina em Modelos Experimentais e Tecidos”, como complementação do concurso para livre-docência - título concedido no Brasil por uma instituição de nível superior, apenas para portadores de doutorado. Esse, é requisito na Unesp para a candidatura ao cargo de professor titular. Rogério Saad Hossne é formado pela FMB Unesp em 1992, realizou mestrado (1997) e doutorado (2001) em Bases Gerais da Cirurgia e Cirurgia Experimental pelo Programa de Pós-Graduação em Bases Gerais da Cirurgia e Cirurgia Experimental da Faculdade de Medicina de Botucatu. Atualmente, é professor assistente doutor da FMB, orientador do Programa de Pós-Graduação em Bases Gerais da Cirurgia da mesma. Tem experiência na área de Medicina Humana, com ênfase em Cirurgia Gastroenterologia, atuando principalmente nos temas: câncer colorretal e trauma.

Em Salvador

Gerenciamento de Resíduos da FMB é destaque em congresso interamericano A avaliação de uma década de implantação de novas práticas de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde implantadas na Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) e Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) foi um dos trabalhos apresentados durante a 33ª edição do Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental, realizado de 3 a 7 de junho, em Salvador (BA). A professora do Departamento de Enfermagem da FMB, Maria José Trevizani Nistche, representou a Unesp. Realizado a cada dois anos, o evento organizado pela Associação Interamericana de Engenharia Sanitária e Ambiental – AIDIS, com o apoio da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, foi importante fórum de debates e ideias sobre desenvolvimento, sustentabilidade, ecoeficiência e saneamento ambiental em todo o junho

2012

continente americano. Participaram representantes de 21 países e dos 27 estados brasileiros. Temas como novas práticas para melhoria da gestão do setor, educação ambiental, tecnologias de tratamento utilizadas no Brasil, Europa, Japão e Estados Unidos, entre outros, foram a tônica de debates, reuniões, simpósios e mesas-redondas. Professora Maria José participou com a apresentação oral e de um pôster mostrando iniciativa realizada pela Faculdade de Medicina de Botucatu. Com o título “Avaliação dos resultados obtidos após 10 anos de implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) em um Hospital Universitário Brasileiro do Estado de São Paulo”, a acadêmica faz o balanço dos resultados obtidos com as políticas de implantação de programas de reciclagem e descarte correto de materiais hospitalares. O trabalho tem a co-autoria de Sandra

Olbrich, Karina Martins, Priscila Araújo e Drielly Matarazzo. Essa é a terceira participação da professora em tais debates. Em 2008 e 2010 ela esteve no Chile e República Dominicana, respectivamente, onde apresentou avaliações parciais do PGRSS implantado no Hospital das Clínicas e na Faculdade de Medicina de Botucatu e também o descarte correto de resíduos químicos. Segundo Maria José, o contato com outras instituições tem propiciado ideias e despertado interesse de várias delas por iniciativas implantadas na FMB. “A intenção é a ampla divulgação das iniciativas implantadas dentro do hospital e faculdade para o gerenciamento do lixo que produz e as formas corretas quanto ao manuseio e descarte. Entre todas as instituições presentes, o HCFMB é a unidade de saúde com maior porte estrutural”, frisou.

Professora destacou os resultados do Programa de Resíduos na FMB


5

Luto

A perda de um pioneiro na luta contra a Aids Com grande pesar a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e toda a comunidade acadêmica universitária receberam a notícia do falecimento, na madrugada de 22 de junho, do professor emérito desta instituição Dr. Domingos Alves Meira, aos 80 anos. Seu corpo foi velado no Serviço de Ambulatórios Especializados de Infectologia - SAEI/DAM - (Hospital Dia) - unidade localizada no Distrito de Rubião Júnior e que leva seu nome. O sepultamento ocorreu no Cemitério Jardim, em Botucatu. Centenas de pessoas, emocionadas, acompanharam o féretro. Meira nasceu em São Paulo, em 11 de junho de 1932. Era casado com a professora aposentada da FMB Jussara Marcondes Machado e deixa cinco filhos. O docente, que ocupava o cargo de diretor do Serviço de Ambulatórios Especializados de Infectologia “Domingos Alves Meira”, era formado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1958) e doutorado em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Universidade de São Paulo (1965). Obteve a livre-docência na Universidade de São Paulo (1967). Tornou-se professor adjunto ,por concurso, na Faculdede de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (1975). Conquistou o cargo de professor titular na Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (1977). Atualmente, era professor emérito da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp. Tinha experiência na área de Medicina, com ênfase em Doenças Infecciosas e Parasitárias, atuando principalmente nos seguintes temas: aids, malária, paracoccidioidomicose, citocinas e HIV. Em 1978 criou e organizou a residência médica de moléstias infecciosas e parasitárias, depois, infectologia, da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp). Foi diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) de 1980 a 1984 e, durante seu mandato em 1982, criou a Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp) para a gestão dos recursos extraorçamentários do Hospital das Clínicas. Criou o Departamento de Doenças Tropicais e Diagnóstico por Imagem em 1993, e o Curso de PósGraduação em Doenças Tropicais em 1992, do qual foi coordenador e vice-coordenador, nele atuando como orientador e responsável

4

Prof. Meira foi um dos ícones da FMB

por disciplinas, entre as quais se destacaram imunologia aplicada em HIV/Aids e metodologia de pesquisa científica até 2009. De 2000 a 2004 foi coordenador da Área de Ciências da Saúde da Unesp. Em junho de 2002, já aposentado, passou a atuar na universidade como professor voluntário e, em 2003, recebeu o título de professor emérito da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp.

Domingos Alves Meira se tornou professor emérito

da Faculdade de

Medicina em 2002

Em 2004 inaugurou o Serviço de Ambulatórios Especializados e Hospital-Dia “Domingos Alves Meira” para atendimento de indivíduos infectados pelos vírus HIV-I/II, VHB, VHC, e HTLV-I/II. Atua, desde o início nesse serviço, como diretor-técnico e médico, atendendo os pacientes do ambulatório de HTLV-I/II. Por 42 anos foi professor da graduação da FMB/Unesp e, por 30 anos, da residência de infectologia, tendo participado da formação de quase 4.000 médicos e decerca de 70 especialistas. Durante a vida acadêmica teve 86 trabalhos publicados em revistas nacionais e estrangeiras; 45 capítulos em livros, tendo organizado dois livros da especialidade:Terapêutica de Doenças Infecciosas e Parasitárias e Clínica de Doenças Tropicais e Moléstias Infecciosas. Das muitas homenagens que recebeu ao longo da vida profissional, destacam-se:seu nome dado a prêmio em quatro edições do Congresso MédicoAcadêmico e patronode duas turmas de formandos na Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp); título de Cidadão Botucatuense; medalha comemorativa do Sesquicentenário da Polícia Militar do Estado de São Paulo, quando diretor da FCMBB. Professor Meira é neto de Rubião Meira, primeiro presidente d a A s s o c i a ç ã o Pa u l i s t a d e Medicina, com mandatos de 1930 a 1932 e 1937 a 1942. O pai do professor Meira, João Alves Meira, foi o primeiro diretor da antiga Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FCMBB), com mandato de agosto de 1962 a julho de 1963.

2

3

5

Professor emérito Domingos Alves Meira foi diretor da antiga FCMBB (1970 a 1974) e da Faculdade de Medicina (1980 a 1984)- fotos 1 e 2. Meira foi homenageado durante os 30 anos da Famesp- entidade criada durante sua gestão frente à FMB em 1981 (foto3) e em 2011, recebeu da Associação Paulista de Medicina medalha pela atuação de seu avô, Rubião Meira (foto 4). O professor teve grande destaque na área acadêmica (foto 5)

Na última sexta-feira fui pega de surpresa por uma notícia enquanto representava a nossa Oftalmologia em um importante evento científico. O Professor Emérito Domingos Alves Meira havia falecido... Notícia triste para a FMB que sempre o teve como um dos seus ícones. Não quero falar aqui dos livros que o Professor escreveu. Nem dos artigos que publicou. Nem dos prêmios e honrarias que recebeu. Quero deixar registrado como tenho na lembrança o nosso querido Professor. Altivo, decidido, inteligente, visionário, aqui atuou desde a criação da FCMBB até os nossos dias, colaborando de forma ampla e marcante com a implantação e estruturação do curso de Medicina. Par ticip o u da fo rmação do s Departamentos de Ensino, organizando a Disciplina de Moléstias Infecciosas e Parasitárias no ano de 1968. Na década de 70 foi designado como o primeiro Diretor do Hospital das Clinicas da nossa escola. Foi Diretor da FMB no período de 1980 até 1984. À época, convivi com o Professor como graduanda e depois como residente e aprendi a admirá-lo. Com o conhecimento adquirido enquanto Diretor do HC, teve como uma constante a sua dedicação ao desenvolvimento do mesmo, lançando mão de muitas iniciativas no sentido de melhorar o financiamento para a Assistência. Idealizou e instalou a Fundação para o Desenvolvimento Médico-Hospitalar (Famesp), com o intuito de administrar os recursos extraorçamentários aportados para o HC. A criação da Famesp que não foi bem entendida no início, após curto espaço de tempo foi reconhecida como fundamental para o nosso crescimento. A Famesp sem dúvida mudou a nossa história, possibilitando aqui grandes feitos, como o aporte financeiro necessário para o financiamento da Assistência e também para o Ensino. A sua dedicação a esta escola fez com que a FMB fosse projetada no cenário nacional e internacional. Sempre presente no palco do Ensino de Graduação, participou inúmeras vezes de congressos e conferências, nos representando no Brasil e no exterior. Também trilhou o caminho da pós-graduação, atuando na criação e implantação do programa no seu Departamento. Criou o Hospital-Dia que recentemente recebeu o seu nome como uma singela homenagem por sua ideia inovadora. Aposentado pela compulsória no ano de 2002, não parou de trabalhar pela FMB. No início de nossa gestão nos visitou e, com orgulho nos contou sobre seus planos e sobre as atividades que se desenvolvem no Hospital Domingos Alves Meira. Lutou muito para dar atenção digna e efetiva para os portadores do vírus HIV/AIDS e outras enfermidades infecciosas. Comemorou a melhora dos índices de sobrevida dos seus pacientes e a possibilidade de participar de estudos multicêntricos que possam levar ao desenvolvimento de novas tecnologias para a assistência dos enfermos. O Professor Meira colocou a serviço da FMB o seu prestígio em várias ocasiões, como quando falou com a nossa Comunidade sobre a nossa possível participação no Hospital Estadual Bauru. Várias vezes com o Salão Nobre lotado colocou o seu ponto de vista favorável à administração daquele hospital pela FMB, o que agora, depois de 10 anos já de funcionamento do HEB, se revela como mais um de seus acertos. Estive com ele na solenidade em que o Governador nos designou para o comando do Hospital Américo Brasiliense. Sem dúvida a presença do Professor naquela solenidade conferiu credibilidade ao processo. Se me pedissem para descrever o Professor em poucas palavras eu falaria de sua competência, do seu espírito crítico e de sua visão de futuro, características que foram fundamentais para o fortalecimento da FMB. O Professor Meira não nos deixa! O seu exemplo permanecerá aceso entre nós e nos guiará por caminhos seguros. Incontáveis pacientes se beneficiaram da competência do nosso querido Professor. O conhecimento que ele transmitiu para número enorme de alunos e colegas de trabalho ampliou horizontes e mudou a realidade das pessoas. O exemplo que ele deixou para servidores, alunos e professores jamais será esquecido. Muito obrigada Professor Meira por ter feito parte da FMB e de nossas vidas! *Silvana Artioli Schellini é professora titular e diretora da Faculdade de Medicina de Botucatu junho

2012


6

Geral

UnidadedePesquisaClínicacriaPrograma de Aprendizagem e Treinamento Criada em 2009 para contribuir com a geração e transferência do conhecimento na área da saúde, em suas diversas especialidades (Medicina, Enfermagem, Farmácia, entre outros), a Unidade de Pesquisa Clínica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (Upeclin) passa a oferecer atualização a profissionais através de seu Programa de Aprendizado e Treinamento (Prat). Ao todo serão oferecidas três vagas para o curso, que terá duração mínima de seis meses. Todo o plano de ensino será supervisionado e conduzido com a participação de representantes da própria Upeclin. Podem participar do programa profissionais da área da saúde (exceto médicos). O conteúdo programático será concentrado nos aspectos práticos dentro da pesquisa clínica. Entre os tópicos, os alunos selecionados terão qualificação em “Conceitos Básicos da Pesquisa Clínica”, “Boas Práticas Clínicas (ICH/GCP)”; “Aspectos Regulatórios Nacionais e Internacionais da Pesquisa Clínica”; “Fluxos Regulatórios no Brasil: CEP, Conep e Anvisa”; “Aspectos Éticos e Legais da Pesquisa Clínica na Prática”. Também compõem o curso os temas: “Fluxo do Projeto de Pesquisa no Complexo HCFMBUnesp”; “Gerenciamento de Projetos: Análise de contratos e Negociações”; “Controles e Procedimentos Relacionados aos Produtos em Investigação”; “Documento Fonte e Ficha Clínica (Case Report Form - CRF);” Relato de Eventos Adversos/Eventos Adversos Sérios”; “Aspectos Importantes da Coleta, Preparo e Envio de Material Biológico (Instruções IATA)” e “Auditoria,

Sobre a Upeclin A UPECLIN integra a RNPC - Rede Nacional de Pesquisa Clínica em Hospitais de Ensino (que conta com 32 unidades). É competência da unidade realizar pesquisa clínica (pesquisa em seres humanos) de projetos encaminhados por todas as unidades da Unesp, de interesse do Ministério da Saúde e do SUS, com investimento público ou privado, participando como centro coordenador ou colaborador, desde que o produto em investigação/ desenvolvimento atenda todas as legislações vigentes no país. Já ocorrem vários ensaios clínicos multicêntricos desenvolvidos em parceria com várias unidades da Rede Nacional de Pesquisa Clínica.

Controle de Qualidade e Procedimentos Operacionais Padronizados (POPs)”. Para o coordenador da Upeclin do HCFMB, Carlos Caramori, a instituição de um programa de aprendizagem e treinamento visa garantir qualificação específica aos participantes pela rotina na assistência e pesquisa. “É uma modalidade de estágio formal e isso melhora a formação desse profissional por estar em contato

Ao todo serão oferecidas três vagas para o

curso, que terá duração mínima de seis meses

com os projetos de pesquisa clínica realizados na unidade”, reforça. As inscrições já estão abertas, ocorrem em fluxo contínuo e os formulários, além de informações complementares, podem ser obtidos no site: www.fmb.unesp. br/sta/prat.asp ou enviando um email para upeclin@fmb.unesp. br. O interessado também pode realizar a matrícula pessoalmente na Seção de Aprimoramento, na Sede Administrativa da Faculdade de Medicina de Botucatu, no câmpus de Rubião Júnior, em horário comercial. Caso o número de candidatos seja maior do que as vagas oferecidas, haverá processo seletivo.

capacitação

PET-Saúde une ensino, pesquisa e desenvolvimento profissional Desde 2009, a Faculdade de Medicina de Botucatu /Unesp(FMB) organiza e desenvolve grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) nos cursos de Medicina e Enfermagem. O PET está espalhado por todo o país em inúmeras instituições de ensino públicas e privadas e contempla todas as áreas de ensino, oferecendo mais de quatro mil bolsas de estudo. O PET-SAÚDE, desenvolvido na FMB, se baseia na proposta do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde, o Pró-Saúde, que tem por objetivo integrar o ensino-serviço, para a formação de profissionais com ênfase nos processos de Atenção Básica que fortaleçam o Sistema Único de Saúde (SUS). No dia 10 de abril, os grupos PET-Saúde - oito em Saúde da Família e um em Saúde Mental atuantes na FMB tiveram suas atividades finalizadas e apresentaram os resultados de seus trabalhos para a comunidade acadêmica. Com isso, foi possível definir novas metas para a continuidade de ações proativas dos novos grupos que virão a atuar na instituição junto as Unidades da Saúde nas quais as atividades já eram desenvolvidas. “Não há dúvida que a formação de nossos profissionais exige muito mais que o aprendizado teórico e técnico. Assim, o PET-SAÚDE da FAMÍLIA é importante complementação na formação dos alunos dos cursos de Enfermagem e de Medicina, por meio de uma ação integradora entre ensino, assistência e pesquisa”, disse prof. José Carlos Peraçoli, vice-diretor da FMB. Prof. Eliana Ciryno durante a apresentação dos resultados junho

2012

Publicação

Professora de Botucatu lança Tratado de Otorrinolaringologia F o i l a n ç a d a a s e g u n d a e d i ç ã o d o Tr a t a d o d e Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial (Editora Roca, 2012). A organização é da professora Regina Helena Garcia Martins, da Faculdade de Medicina da Unesp, de Silvio Caldas Neto e João Ferreira de Mello, da Faculdade de Medicina da USP, e de Sady Selaimen da Costa, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A obra foi produzida pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. São quatro volumes e 84 capítulos, que abrangem as áreas de Otologia, Otoneurologia, Rinologia, Faringoestomatologia, Laringologia, Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Cirurgia Plástica da Face, Cirurgia da Base do Crânio e Otorrinolaringologia Pediátrica. Os textos foram desenvolvidos por especialistas e contemplam informações técnicas recentes. Um dos capítulos aborda a anatomia da orelha humana e é de autoria de Neivo Luiz Zorzetto, professor aposentado do Instituto de Biociências (IB) da Unesp de Botucatu. Várias das dissecações apresentadas por ele no livro foram realizadas no IB. Zorzetto foi diretor da instituição de 1985 a 1989 “É algo muito importante ter um capítulo neste Tratado que contribui para a formação dos médicos”, disse Zorzetto, ao comentar sua participação no Tratado. “Acredito que é uma satisfação para o Departamento de Anatomia, do qual fui professor, e acima de tudo para a Universidade”, acrescentou. Segundo o professor Progresso José Garcia, do Departamento de Anatomia do IB, a publicação foi desenvolvida de maneira que facilita a compreensão do leitor sobre os conteúdos expostos. Ele também destaca a variedade de ilustrações em relação às abordagens, aspecto que, de acordo com o professor, se diferencia de outras obras do gênero.

Oncologia Comparada

Inscrições até 22 de julho garantirão despesas totalmente pagas em evento internacional promovido pela Unesp A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), com apoio das Pró-Reitorias de Pós-Graduação e de Pesquisa, e também da Fapesp (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo) promoverá um encontro internacional sobre Oncologia Comparada. O evento, denominado São Paulo Advanced School of Comparative Oncology (Escola São Paulo Avançada de Oncologia Comparada), será realizado no Grande Hotel São Pedro, em Águas de São Pedro, entre os dias 30 de setembro e 7 de outubro deste ano. Os participantes do evento, que reunirá cientistas do mundo todo das áreas de saúde e ciências médicas, biológicas e veterinária, poderão concorrer a 100 vagas com todas as despesas cobertas pela Fapesp (passagem aérea, hospedagem e alimentação, inscrevendo-se até 22 de julho de 2012. As vagas serão distribuidas entre doutorandos (50%), mestrandos (20%), jovens pesquisadores (5%) e pós-doutorandos (25%), sendo que metade serão brasileiros e metade estrangeiros. Os palestrantes serão 13 pesquisadores nacionais e 16 internacionais. Mais informações sobre a programação do evento podem ser obtidas em: http:// comparativeoncologyespca.org/ ou pelo e-mail comparativeoncology@ fmb.unesp.br

O projeto tem como objetivo principal reunir especialistas líderes de grupo de diferentes países, assim como estudantes, para discutir a medicina molecular e aplicada em nível animal, humano e comparado sob o aspecto básico e aplicado. “O ambiente estabelecido na Escola será de extrema aprendizagem, interação e informação contando com cientistas e jovens pesquisadores, abrindo oportunidades de avanço n o c o n h e c i m e n to e e f e t i va s colaborações. A Oncologia Comparada é pouco difundida no país e no mundo e este evento poderá trazer grandes benefícios para a comunidade brasileira e internacional”, avalia a bióloga e professora titular da FMB, Silvia Rogatto, coordenadora do evento. Haverá apresentação de trabalhos - os melhores serão selecionados para exposição oral - além de palestras em forma de aulas. A língua oficial do evento será o inglês. Participarão representantes, além da FMB, do Instituto de B i o c i ê n c i a s e Fa c u l d a d e d e Medicina Veterinária e Zootecnia – ambas do câmpus da Unesp em Botucatu -, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Hospital A.C Camargo.


7 Faculdade de Medicina

Pesquisa da FMB é premiada em congressos de Física e Infectologia O trabalho científico “Quantificação Semiautomática de Estruturas Pulmonares”, desenvolvido por pesquisadores do Instituto de Biociências de B o t u c a t u ( I B B /Unes p) e Fa c u l d a d e d e M e d i c i n a d e Botucatu (FMB/Unesp) foi premiado duas vezes em maio deste ano. A primeira p re m i a ç ã o o c o r re u n o 3 5 º Encontro Nacional de Física da Matéria Condensada, em Águas

De Lindóia, e a segunda no 8º Congresso Paulista de Infectologia. A pesquisa apresentada faz parte do estudo desenvolvido no projeto de mestrado da a l u n a M a rc e l a d e O l i ve i r a , formada em Física Medica e

A partir de exames é possível identificar lesões residuais permanentes após o tratamento

Marcela de Oliveira desenvolveu método para quantificar a fibrose

atual discente do programa de pós-graduação em Biologia Geral e Aplicada do Instituto de Biociências de Botucatu. Em ambos os eventos científicos, o trabalho desenvolvido com a colaboração dos pesquisadores da FMB: Diana Rodrigues de Pina e Rinaldo Pôncio Mendes, e do IBB: Marcela de Oliveira, Matheus Alvarez, Alexandre França Velo e José Ricardo de Arruda Miranda, ficou em primeiro lugar da premiação. A partir de exames radiológicos auxiliados por sistemas computacionais em pacientes que sofreram de Paracoccidioidomicose (PCM), é possível identificar lesões residuais permanentes após o tratamento. A doença é causada pela inalação de esporos de um fungo que instalado na área pulmonar pode causar sintomas de pneumonia, febre, sudorese, tosse e até semelhanças com a tuberculose. “O objetivo deste trabalho foi desenvolver um método computacional de quantificação objetiva das lesões residuais (fibrose) causadas pela PCM, [podendo] determinar o volume p u l m o n a r c o m p r o m e t i d o”, afirma uma das autoras, Diana P i n a , d o D e pa r t a m e n to d e Doenças Tropicais e Diagnóstico por Imagem da FMB. Ainda segundo a pesquisadora, determinar a quantidade de lesões residuais no pulmão de pacientes também colabora com a avaliação do quanto os remédios ingeridos danificam o órgão e mostra a real eficácia destes durante o tratamento.

Destaque

Medicina/Unesp conquista prêmios científicos no 11º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia

Abertura oficial do evento, que reuniu os maiores especialistas do país De 31 de maio a 2 de junho, em Foz do Iguaçu/PR, foi realizado o 11º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia, evento reconhecido internacionalmente e que a cada edição promove discussões abrangentes sobre o campo da otorrinolaringologia e fonoaudiologia. Ao todo, o Congresso contou com mais de dois mil participantes, que puderam acompanhar a apresentação de 200 palestrantes internacionais e outros 400 especialistas brasileiros com trabalhos científicos inscritos, segundo a organização. Assim como nas edições

anteriores a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) esteve representada na exposição de pesquisas científicas, tendo alcançado destaque e premiações. O 11º Congresso da Fundação Otorrinolaringologia contempla trabalho em duas modalidades: Prêmio na área de Fonoaudiologia e Prêmio na área de Otorrinolaringologia. Nesta última modalidade, a FMB conseguiu a 1ª colocação com o trabalho “Análise Morfométrica do Epitélio e da Lâmina Própria das Pregas Vocais de Idosos”, que tratase de tese de doutorado da aluna Adriana Benito Pessin, sob orientação

da docente do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia, Regina Helena Garcia Martins. A orientadora explica que: “[Essa] pesquisa vem sendo desenvolvida há um ano e está voltada à laringe do idoso, procurando desvendar as causas da deterioração vocal nessa população para propormos medidas mais eficazes de tratamento”. Os novos cuidados a serem desenvolvidos com as pregas vocais de idosos farão parte de uma segunda etapa da pesquisa, segundo a doutoranda Adriana Pessin. “Nessa coletamos material de autópsias e constatamos que em idosos as pregas são menos espessas, o que facilita o seu enfraquecimento”, conclui. O segundo lugar da premiação também ficou com uma pesquisa da FMB. Orientada pelas professoras Silke Weber e Maria Rosa Bet, do mesmo departamento de Martins, a residente Alessandra Loli desenvolveu o tema “Pressão Intraocular em Pacientes com Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono”, que segue a linha de pesquisa de Distúrbios Respiratórios do Sono. Ambos os trabalhos estão integrados ao curso de pósgraduação “Bases Gerais em Cirurgia”.

Karina Pavão ministra “Meio Ambiente e Saúde” no curso de enfermagem

Ecologia

Doutora em Saúde Ambiental, Karina Pavão participa da Rio +20 Para compartilhar conhecimentos e também reunir informações que possam resultar em futuros projetos e parcerias, a Faculdade de Medicina de Botucatu/ Unesp (FMB) esteve representada na Rio+20 (Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável) - que marca 20 anos desde a ECO-92. A professora do Departamento de Saúde Pública, Karina Pavão Patrício, médica e doutora em Saúde Ambiental, viajou para o Rio de Janeiro onde participou do evento. Professora Karina ministra a disciplina “Meio Ambiente e Saúde” no curso de Enfermagem, desenvolve atividades no Programa PET-Saúde, com alunos de Medicina e também dá aulas do mesmo tema na Pós-Graduação em Saúde Coletiva, todos na FMB. A acadêmica participou, neste ano, pela internet, do comitê preparatório para o Rio +20 nos temas “Desenvolvimento Sustentável para o combate à pobreza” e “A economia do Desenvolvimento Sustentável incluindo padrões sustentáveis de produção e consumo”. No evento, que é considerado o principal fórum sobre meio

ambiente do mundo, Karina participará de apresentações e debates sobre “desenvolvimento para sustentabilidade”. Ela garante estar interessada em fazer contatos com pessoas que possam ser parceiras em novos projetos. Segundo a especialista, o tema “Saúde e Meio Ambiente” merece grande espaço de debates e reflexões nos dias atuais, já que, segundo pesquisas recentes, 24% das doenças tem relação com fatores ambientais e ocupacionais. “O ambiente de trabalho também deve ser considerado como meio ambiente”, justifica. Karina defende que as ações para tentar minimizar os impactos dos prejuízos ambientais para a saúde pública devem, necessariamente, passar por uma mudança nos hábitos da população. “As pessoas precisam repensar suas práticas, seus comportamentos e seus valores. A situação ambiental no mundo está insustentável”, afirma. Duranteosfórunsqueantecederam a Rio +20, foram discutidas algumas propostas e dessas foram selecionadas 100. Elas estão disponíveis na internet para votação popular. O material está disponível no endereço: http://vote. riodialogues.org/.

visita e parcerias-

A Faculdade de Medicina de Botucatu recebeu, dia 15 de junho, o médico Eric Boulanger, representante de Relações Internacionais da Universidade Lille 2, da França. Após ser recepcionado pela coordenadora do Escritório de Relações Internacionais (ERI) da FMB, Silke Webber, e a funcionária do ERI Karina Chamma, o acadêmico também se reuniu com a pró-reitora de Pós-Graduação da Unesp, Marilza Vieira Cunha Rudge, para tratar de acordos para cooperação em projetos e programas de intercâmbio junho

2012


8

Geral

FMB participa de reunião que pleiteia mais recursos à saúde O vice-diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), José Carlos Peraçoli, participou, dia 21 de junho, de uma reunião com entidades e autoridades representativas de Botucatu referente à mobilização nacional em prol de um projeto de lei de iniciativa popular para maior destinação de recursos públicos à saúde. O encontro ocorreu na sede local da Associação Paulista de Medicina (APM). Pela proposta encabeçada pela Frente Nacional por mais Recursos para a Saúde - que já tem a adesão de 24 entidades representativas - há a obrigatoriedade do investimento mínimo de 10% das receitas da União em saúde. Isso representaria, segundo o projeto, um adicional de R$ 35 bilhões por ano para a área. O texto ainda altera os dispositivos da Lei Complementar nº 141/2012 que regulamenta a Emenda Constitucional 29, que fixa o percentual mínimo que os governos federal, estadual e municipal devem investir. O movimento tem percorrido diversas regiões brasileiras. As discussões realizadas em Botucatu centraram-se na ampliação desses valores e os atuais gargalos que o sistema de saúde tem enfrentado no país. Entre os convidados estavam o prefeito de Botucatu, João Cury Neto; o presidente da Câmara Municipal, André Rogério Brabosa (Curumim) e o vereador Fontão; além do presidente da subsecção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Samir Zacharias. A classe médica foi representada por Donaldo da Cunha, vicepresidente estadual da APM; além do vice-presidente da regional Botucatu da entidade, Benedito Miranda e dos delegados da entidade, Alexandre Taborda e Moisés Mendonça Neto. Na abertura dos debates, Mendonça Neto ressaltou que a saúde é a principal preocupação do brasileiro, mesmo com o sistema privado de assistência. Lembrou

Autoridades de diversas esferas representativas de Botucatu participaram dos debates sobre movimento que busca maior destinação de recursos ao SUS da necessidade de se haver uma destinação ampla e disciplinada dos recursos. “Em função da necessidade de melhoria do financiamento, tem que haver também o aprimoramento da formação e condições de trabalho do médico”, frisou. Já Alexandre Taborda fez um panorama da situação vivenciada em Botucatu. De acordo com ele, o município tem uma estrutura sólida na atenção pública em s a ú d e , p e l o s i n s t r u m e n to s instalados: desde as Unidades Básicas de Saúde ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB). “Mas se fecha um ciclo de atendimento com q ua l i dade que des toa da realidade vivida em todo o país. Por isso, a luta pela ampliação do financiamento é importante”, ressaltou. Benedito Miranda avaliou o perfil do médico em Botucatu. Segundo sua pesquisa - realizada entre outubro de 2008 e junho de 2009 -, e que entrevistou 198 médicos vinculados à FMB, Famesp (Fundação para

Pela proposta há a obrigatoriedade do

investimento mínimo de 10%

da União em saúde

“O resultado, tanto desse

financiamento, quanto da gestão eficaz desses recursos, tem que ser sentido rapidamente no retorno à sociedade

José Carlos Peraçoli sobre a importância da eficácia dos recursos o Desenvolvimento Médico e Hospitalar), Unimed e também os que exclusivamente estão inseridos no SUS; apenas 11% atendem pelo sistema. Frisou ainda que mais de 60% desses profissionais têm jornada de trabalho acima de 40 horas semanais. “Há maturidade na formação desses médicos, mas poucos acabam por aderi r ao Sistema Único de Saúde, exclusivamente”, alertou. Ainda sobre o SUS, o vicepresidente da APM estadual, Donaldo da Cunha fez um histórico do próprio financiamento público de saúde. Informou que o país investe, em média, 399 dólares per capta em saúde, valor abaixo de vizinhos sul-americanos e muito aquém do destinado pelos Estados Unidos, Japão e Europa. O prefeito de Botucatu, João Cury, elogiou a iniciativa, mas fez um alerta: além dessa

ampliação de recursos, é urgente a descentralização da competência de cada esfera administrativa (municípios, estado e a própria União) na assistência em saúde. “O problema da saúde, no país, não é só o financiamento, mas também a gestão, capacitação profissional e informação da própria população”, complementou. Prof. Peraçoli, vice-diretor da FMB, reafirmou a necessidade urgente de a distribuição adequada dos recursos para a saúde e seu retorno à sociedade ser em curto prazo. “O resultado, tanto

desse financiamento, quanto da gestão eficaz desses recursos, tem que ser sentido rapidamente no retorno à sociedade”, frisou. Para que o Projeto de Lei tenha entrada no Congresso Nacional, são necessárias 1,4 milhão de assinaturas (1% do eleitorado brasileiro), sendo 0,3% dos eleitores de cinco estados brasileiros diferentes ou mais. Informações adicionais sobre a iniciativa podem ser obtidas pelo site www. emdefesadosusu.org.br

SUS é o maior programa de saúde pública do mundo O Sistema Único de Saúde (SUS), criado em 1988, abrange mais de 150 milhões de brasileiros, com uma rede pública de cerca de 6 mil hospitais, 440 mil leitos contratados, 63 mil unidades ambulatoriais, 26 mil equipes de saúde da família, 215 mil agentes comunitários, 13 mil equipes de saúde bucal. Ocorrem anualmente cerca de 12 milhões de internações hospitalares, mais de 1 bilhão de procedimentos em atenção primária em saúde, 150 milhões de consultas médicas, 2 milhões de partos, 300 milhões de exames laboratoriais, 1 milhão de tomografias computadorizadas, 9 milhões de exames de ultrassonografia, 140 milhões de doses de vacinas que constituem um excelente programa de imunizações. O SUS é o maior sistema público de transplantes de órgãos do mundo e um programa de controle de DST/AIDS que é referência mundial, tanto no tratamento, quanto na prevenção.

Internacionais

FMB receberá especialistas para estudos colaborativos em doenças trofoblásticas A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) receberá, dias 5 e 6 de julho deste ano, a visita dos médicos e pesquisadores internacionais Rafael CortésCharry e Ross Berkowitz. Os especialistas Ross Berkowitz e Cor tés-Charr y estarão na unidade para participar de estudos colaborativos e ministrar aulas no curso de pós-graduação em doenças trofoblásticas que será realizado no Salão Nobre da FMB/Unesp. Podem participar todos os interessados no tema, inclusive quem não for aluno de pósgraduação. As inscrições devem ser feitas até uma semana antes das atividades, através do e-mail: imaesta@fmb.unesp.br – com a professora Izildinha Maesta, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMB. Essas atividades, além de junho

2012

serem resultado dos esforços da FMB para internacionalizar suas pesquisas, também fazem parte do intercâmbio científico que Maesta iniciou entre julho e dezembro de 2011 quando esteve no New England Trophoblastic Disease Center, na Harvard Medical School, importante centro de referência em estudos e tratamentos de doenças gestacionais e ginecológicas. Nesse período, professora Izildinha desenvolveu um programa de pós-doutorado d e n o m i n a d o Po s t d o c t o r a l Research Fellow, que concedeulhe o título de Pesquisadora Associada de Harvard. A pesquisa teve participação do professor Berkowitz e uma equipe de pesquisadores renomados no estudo de doenças trofoblásticas gestacionais. O objetivo era determinar genes relacionados ao aparecimento da Neoplasia

Trofoblástica Gestacional (NTG) através de análises de prontuários de pacientes e pesquisas laboratoriais. A NTG é uma doença que ocorre na placenta devido a defeitos no processo de fecundação do óvulo pelo espermatozoide. “O sucesso no tratamento da NTG depende muito do diagnóstico precoce. Como é uma doença no tecido gestacional, que cresce muito rápido, o tumor tende a se desenvolver da mesma forma”, explica Izildinha. A FMB, em sua grade curricular, fez a inclusão de disciplinas referentes a esse tema (NTG) e faz a manutenção de um ambulatório específico para pacientes com doenças trofoblásticas que já atendeu mais de 300 pessoas, com a publicação de 10 dissertações sobre NTG.

Ross S. Berkowitz, professor da Universidade de Harvard

Rafael Cortes-Charry, professor da Universidade da Venezuela


9

Evento

Alto rendimento e preparação para lutas de MMA são debatidos em simpósio na Unesp de Botucatu Mais do que instrumento para a qualidade de vida das pessoas, o esporte se tornou um nicho de negócios milionários em que o atleta, pressionado por contratos e cobranças, precisa atingir o mais alto rendimento. Dois exemplos desse fenômeno são os esportes olímpicos e as Mixed Martial Arts, mais conhecidas pela sigla MMA. O desafio de garantir o melhor desempenho sem prejudicar a saúde desses atletas foi um dos pontos debatidos no 5.º Simpósio de Medicina Esportiva, realizado na Faculdade de Medicina, Câmpus da Unesp de Botucatu (FMB), nos dias 15 e 16 de junho, que teve como tema principal “Preparando o Atleta para a Competição”. Um dos organizadores do evento, o professor Roberto Carlos Burini, coordenador do Centro de Metabolismo em Exercício e Nutrição (Cemenutri) da FMB, frisou a relação do exercício físico com o envelhecimento saudável da sociedade. Para ele, há um aumento da longevidade da população, relacionada à melhora e universalização da assistência em saúde. No entanto, o especialista alertou sobre os perigos do sedentarismo e da má alimentação, enfatizando o aumento das doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. “A sociedade fez com que, nas últimas décadas, as profissões mais bem remuneradas também fossem as mais sedentárias”, ilustrou. “Vivemos uma era de tecnologia e conforto, o que contribui para o decréscimo da atividade física.” MMA Professor da Universidade Federal do Ceará, Daniel Coimbra analisou a adequação alimentar do atleta de MMA. Segundo o nutricionista, a redução rápida de peso que costuma acontecer nesse esporte envolve riscos físicos e psicológicos. “Alguns lutadores chegam a fazer uma desidratação considerada inadmissível, pela perda de componentes importantes no desempenho”, alertou. “Alguns indivíduos não possuem estrutura física para estarem em uma categoria inferior.” O professor de Educação Física Eric Haddad, especializado na preparação física de atletas de MMA, assinalou o tempo necessário para adequar o corpo aos combates – em geral, de oito semanas. Defendeu ainda a eficácia dos modelos programados de preparação dos lutadores. “A luta é mais complexa do que se imagina”, explica. “Sua preparação envolve diversas áreas, pela diferença de biotipos dos atletas.” Especialista em Medicina do Esporte e também vinculado ao Cemenutri, Franz Burini discutiu as diferenças no metabolismo de atletas de MMA e a influência do ambiente na preparação do esportista. Já o biomédico Rodrigo Minoru Manda, outro integrante do Cemenutri/FMB, abordou os polimorfismos gênicos e marcadores moleculares do atleta de alto desempenho. Os

Prof. Burini: avaliação do exercício físico e longevidade na população

Rodrigo Manda fez considerações sobre a genética e o esporte

Preparação do corpo para o MMA foi realçado por Eric Haddad

Tânia Rodrigues falou sobre a nutrição de atletas durante a corrida

polimorfismos envolvem diferenças entre sequências de DNA e os marcadores abrangem genes ou sequências genéticas que podem ter ligação com certos traços orgânicos. Esses aspectos genéticos têm sido estudados pela Medicina do Esporte para determinar características como massa muscular, impulso e resistência física. “Essas análises são uma tendência em países com tradição esportiva, para testar as condições que possam auxiliar na indicação da modalidade mais apropriada a determinada pessoa”, ressaltou o biomédico.

Unesp de Botucatu terá uma das quatro residências em Medicina Esportiva do Brasil

CORRIDA Outro tema de destaque foi a adequação nutricional dos atletas de corrida. A nutricionista Tânia Rodrigues, especialista em fisiologia do exercício, falou sobre dietas a serem adotadas antes, durante e depois das competições, relatando sua experiência com a seleção brasileira de atletismo nos Jogos

Desafio de garantir o melhor desempenho sem prejudicar a saúde desses atletas foi um dos pontos debatidos

Olímpicos de Pequim, na China. Tânia lembrou que, ao se pensar na nutrição dos atletas, é preciso considerar a associação entre alimentos e suplementos alimentares, e também levar em conta objetivos, modalidade, histórico esportivo do indivíduo, lesões, rotina diária, composição corporal, hábitos alimentares, preferências e intolerância, entre outros aspectos. A dieta do esportista, segundo Tânia, observa ainda seu gasto energético, a duração do treinamento e o calendário de competições. “É preciso considerar o clima, o vestuário do atleta e a estação do ano para determinar a quantidade de líquido a ser consumida. Mas esse líquido deve ser sempre consumido em temperatura fria”, disse. O médico fisiologista Paulo Zogaib, do Departamento de Futebol da Sociedade Esportiva Palmeiras, fez uma apresentação sobre doping. Em seguida, César Cavinato Cal Abad, professor de Educação Física e especialista em fisiologia e treinamento esportivo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), abordou a avaliação do desempenho físico de corredores.

Durante o simpósio, Dr. Ricardo M. Nahas, médico do exercício do esporte e ortopedista, que é vicepresidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, traçou cronológicamente o histórico da Medicina Esportiva no Brasil e no mundo. Em sua esplanação ele ressaltou que a Faculdade de Medicina da Unesp - Câmpus Botucatu terá, em

Nahas explica que a Medicina do Esporte foi implantada em 1941

breve, um dos quatro programas de Residência Médica em Medicina Esportiva do país - hoje apenas USP, Unifesp e Universidade Caxias do Sul oferecem o curso. Nahas explicou que em 2005 foram traçadas as diretrizes para o primeiro programa de residência médica na área esportiva e em 2007 foi instalado o primeiro programa. Ele lembrou que, segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), compete exclusivamente ao médico, após o diagnóstico da patologia, prescrever a terapêutica adequada ao paciente e, inclusive, a prescrição de atividade física em face da patologia diagnosticada ou para a prevenção de diversas patologias A Medicina do Esporte foi implantada no Brasil em 1941. Essa especialidade, conceitualmente, deve “investigar a influência do exercício sobre indivíduos sadios e doentes para prevenir, tratar ou reabilitar. “A Medicina do Esporte é, antes de mais nada, do exercício, por isso no nome da Sociedade a palavra ‘exercício’ vem antes de ‘esporte’”, frisou Nahas. junho

2012


10

Faculdade de Medicina

Comissão de Ética Ambiental aprimora atuação sobre descarte de materiais recicláveis Integrantes da Comissão de Ética Ambiental- antiga Comissão de Acompanhamento e Avaliação do Gerenciamento de Resíduos do Complexo Faculdade de Medicina de Botucatu- realizaram, dia 19 de junho, visita à Usina de Reciclagem do município. O objetivo foi acompanhar o processo de triagem e destinação do ‘lixo seco’ a empresas especializadas. A professora Adriana Polachini do Valle (presidente da comissão), acompanhada dos servidores Marcos Ballestero, Sidney Vieira e Nádia Rodrigues, conheceu todo o processo envolto no reaproveitamento desse tipo de material. No local foi verificado também como o lixo seco oriundo da FMB é recebido e separado. A cooperativa que atua na usina recolhe semanalmente todo o material reciclável produzido pela instituição. Ao mês, mais de uma tonelada de lixo é produzido pela instituição em sua sede e departamentos, sendo separados em orgânicos e secos- que são destinados à usina. A comissão, acompanhada do presidente da entidade, Claudemir Mendes Rosa, debateu ideias de como o lixo seco, principalmente papéis, pode chegar ao local com condições plenas de reaproveitamento. Instalada desde 2006 junto ao Aterro Sanitário de Botucatu, a Usina de Reciclagem faz a triagem de média de 60 toneladas de lixo reciclável. Emprega 27 pessoas da cooperativa, que realizam a coleta desse material em diversos pontos do município. A visita permitiu ainda aprofundar ideias para a atuação da comissão junto às políticas de descarte e reciclagem dentro da

Integrantes da comissão conheceram todo o processo de triagem do material reciclável em uma usina local Faculdade de Medicina. Uma delas será a formação de uma cultura de consumo e descarte adequados aos papéis utilizados pela instituição. No dia 26, secretários dos Depar tamentos de Ensino e chefes de seções participaram de uma reunião para a definição de normativa para o manuseio desse material. O passo inicial será um levantamento, junto a todos os setores da FMB, para verificar o consumo de cada local e a maneira como é realizado o descarte. Também será analisado se os papéis são usados em documentos cuja eliminação pode ser realizada sem arquivamento por longo período. Outro ponto será o consumo

racional desse tipo de material, priorizando o não desperdício dentro da instituição. “A intenção é que a faculdade estabeleça um fluxo para a destinação desses materiais para o reaproveitamento. Esse caminho de descarte já existe na faculdade, mas precisamos aprimorar a forma como isso ocorre tanto no prédio administrativo quanto nos departamentos de ensino”, ressalta profª Adriana.

Atualmente, a Faculdade de Medicina de Botucatu conta com dois pontos de acomodação do lixo produzido na instituição. Um deles está instalado próximo à lavanderia do Hospital das Clínicas desde 2008 e recebe o material da própria unidade de saúde e dos departamentos de ensino. Já o outro, em atividade desde fevereiro deste ano, recebe os materiais orgânicos e recicláveis da sede administrativa, Central de Salas de Aula e Centro de Memória e Arquivo.

Extensão

Acidentes de trabalho são temas de fórum De 25 a 29 de junho, por meio do projeto de extensão “Fórum de Acidentes do Trabalho: análise, prevenção e aspectos associados” da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e Universidade de São Paulo (USP) ocorreu o 30º Encontro Presencial, com conferências em Piracicaba/SP, São Paulo e Rio de Janeiro. O convidado especial das reuniões do 30º Encontro Presencial foi o francês Michel Llory, especialista em segurança industrial e ex-diretor de pesquisa da Eletricité de France, maior produtora e distribuidora de energia da França. Llory expôs reflexões de seus trabalhos de pesquisa e análises voltadas aos grandes acidentes industriais. O objetivo foi destacar falhas na gestão de segurança do trabalho nesses casos, entre eles, a falta de comunicação interna; desvalorização do saber prático dos operadores e crença exacerbada na ideia de que a segurança depende apenas da obediências às normas de conduta. O projeto “Fórum de Acidentes do Trabalho” é desenvolvido pelos professores do Departamento de Saúde Pública da FMB, Ildeberto Muniz de Almeida e Maria Dionísia do Amaral Dias , em conjunto com o professor Rodolfo Andrade Vilela, da USP. O objetivo desse projeto é contribuir para o desenvolvimento da compreensão do acidente de trabalho como fenômeno sistêmico, contrapondo-se à visão culpabilizadora da vítima. Em 2012 já ocorreram dois encontros presenciais e a programação prevê a realização de mais quatro até o mês de dezembro.

A visita permitiu ainda aprofundar ideias para a atuação da comissão junto às políticas de descarte

Estrutura

FMB vai criar 115 novas vagas de estacionamento nos anexos acadêmicos Por meio de uma parceria com a Prefeitura Municipal de Botucatu e Administração Geral do Câmpus da Unesp, além de outros colaboradores, a Faculdade de Medicina da Unesp (FMB) promoverá melhorias nos estacionamentos de seus quatro anexos acadêmicos, onde estão instalados os departamentos de ensino. Ao todo, serão criadas aproximadamente 115 novas vagas, o que deverá trazer mais conforto e comodidade a professores, alunos e funcionários, liberando vagas externas aos demais usuários das ruas do câmpus. A diretora da FMB, profª Silvana Artioli Schellini e a diretora do Serviço de Atividades Auxiliares, Rosana Barreto, estiveram reunidas com o prefeito João Cury Neto e seu vice, prof. Caldas há alguns dias, que garantiram o apoio necessário. Em alguns estacionamentos, a ampliação de espaço para os carros chegará a 85% se comparado com o que existe atualmente. Graças às parcerias e ao reaproveitamento de materiais, o custo desse projeto não deve ser superior a R$ 20 mil. junho

2012

Especialização médica- O professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) esteve presente a uma reunião extraordinária da Congregação, dia 20 de junho, para debates sobre os programas de especialização médica daquela instituição. Entre os pontos levantados estavam processo seletivo, análise de desempenho dos programas e avaliação dos concluintes.

Reunião mostrou ao Executivo Municipal as mudanças propostas As obras, que deverão ter início em julho deste ano, consistirão na redução - sem impacto ambiental de alguns gramados. Esses espaços serão pavimentados e com isso será possível a criação de novas vagas de estacionamento. Serão instalados batedores de rodas (dispositivo de segurança para evitar o contato da parte frontal do carro com obstáculos) e também haverá o plantio de mudas nativas para tornar o ambiente mais

agradável. A Prefeitura fará a doação das mudas nativas e dos aneis de cimento onde elas serão plantadas; fornecerá os batedores de rodas; além de todo o maquinário e mão-de-obra necessários para as pavimentações. O Poder Público Municipal também se responsabilizará pela sinalização de solo. As atuais guias, que serão recuadas nos estacionamentos, serão reaproveitadas.

aprendizado-

O Curso “Introdução à Medicina Baseada em Evidências”, do programa de pós-graduação em Bases Gerais da Cirurgia, promovido pela Faculdade de Medicina de Botucatu, teve sua abertura no dia 5 de junho, com uma aula introdutória e presencial ministrada pela professora Madelon Finkel, da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos. O curso vai até 12 de julho.


11

Hospital das Clínicas

Banco de Leite do Hospital das Clínicas homenageia mães e aprimora sistema para captação de leite materno Dia 19 de maio é considerado o Dia Mundial da Doação de Leite Materno. Para comemorar e homenagear as mães doadoras nessa data, o Banco de Leite do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (HCFMB) entregou lembrancinhas para cada uma delas. Cada mãe recebeu um botão de rosa doado pela Associação dos Servidores da Unesp (ASU) e um pingente oferecido pela relojoaria e joalheria Gold & Silver. As mães que receberam a homenagem são as que, semanalmente, doam seu leite para reforçar o estoque do HCFMB. As mulheres que ainda estão com seus bebês internados nas unidades de Terapia Intensiva, Cuidados Intensivos ou Cuidados Especiais também foram presenteadas. Nestes casos, em que a criança não está se amamentando direto no peito, é necessário que a mãe faça a ordenha do leite para que as enfermeiras ministrem a alimentação do bebê em cada unidade. Segundo a pediatra neonatologista, Simone Manso de Carvalho, vicecoordenadora do Banco de Leite, esse procedimento é muito comum e imprescindível para manutenção

e Bofete”, afirma. Novo equipamento facilita doações Após uma ação beneficente do Lions Clube de Botucatu, o Banco de Leite do HCFMB pôde adquirir uma nova máquina de coleta de leite materno, que além de ser mais confortável para a mãe doadora, estimula a produção. “Trata-se de uma bomba elétrica, que faz praticamente tudo sozinha, e serve especialmente para mães de bebês pré-maturos, uma vez que ela é colocada nas duas mamas ao mesmo tempo e alterna a ordenha com massagens”, afirma Simone, pediatra neonatal. O equipamento é importado da Suiça e custa em torno de R$ 7 mil, valor conseguido através da ajuda dada pelo Lions Clube. Equipamento adquirido deve auxiliar na captação de leite materno da saúde do bebê e da própria mãe. “Isso normalmente ocorre em casos de pré-maturos. As mães devem realizar o procedimento para manter a produção do alimento. Se não há sucção, não há nova produção de leite”, frisa a pediatra.

As crianças internadas no HCFMB também recebem leite materno das doações externas – casos nos quais uma equipe do banco de leite vai até a casa de uma mãe, que esteja amamentando e tenha leite de sobra para realizar a coleta.

Cultura

CAPS Acústico e a arte dentro da universidade Com promoção do Centro Acadêmico Pirajá da Silva (CAPS)- entidade representativa dos estudantes da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB)-, ocorreu, dias 13 e 14 de junho, a 17ª edição do CAPS Acústico, mostra de música universitária. A participação foi aberta não sendo necessário vínculo com a Unesp. Mas as quatro unidades da universidade (FMB, FCA, FMVZ e IBB) estiveram representadas. O CAPS Acústico levou seus artistas participantes novamente ao Teatro Municipal “Camillo Fernandez Dinucci”, em Botucatu. Se inscreveram mais de 30 bandas, formações ou cantores. Diversos estilos musicais como rock, blues, Música Popular Brasileira, entre outros, deram o tom aos pocket-shows. Além disso, a tradicional bateria da Associação Atlética Acadêmica Carlos Henrique Sampaio de Almeida (AAACHSA) também se apresentou. O evento foi uma prévia do Feunart- Festival Universitário de Artes- que, em 2012 completa 16 anos e será realizado em outubro. Todas as formas de manifestações artística terão seu espaço como música, dança, teatro, artes literárias, plásticas, fotografia e artesanato.

Atualmente, houve queda no número de colaborações. Durante o inverno, as doações caem ainda mais, por causa do frio que desestimula as mães e da própria tendência natural de diminuição na absorção de líquidos, que compõem a produção do leite. A assistente social e supervisora do Banco de Leite, Sueli Zanquetta de França, ressalta que todas as segundas-feiras é dia de coleta domiciliar, mas lembra que até mesmo em outros dias é necessário que a equipe de captação se desloque para assegurar a ordenha de leite materno. “Além de Botucatu, vamos coletar doações de muitas cidades da região, como Itatinga, Laranjal Paulista

Banco de Leite O Banco de Leite pasteuriza semanalmente de sete a dez litros de leite materno, e distribui diariamente entre 1,2 e 2 litros para a capacidade de quinze bebês que a UTI Neonatal oferece no Hospital das Clínicas (HCFMB). O Banco tem como doadoras mães da cidade Anhembi, Areiópolis, Bofete, Botucatu, Conchas, Itatinga, Pardinho, Pratânia, Piramboia, Porangaba, Torre de Pedra e São Manuel. Essas mulheres são cadastradas e todas são orientadas como proceder na hora da ordenha. A mãe não tem gasto nenhum com essa doação, sendo que o Hospital disponibiliza todo o material necessário e ainda vai buscar o leite na casa da mãe.

Unidade, em Vitoriana, vai abranger população de 7 mil pessoas

Parceria

Novo posto de saúde de Vitoriana receberá projetos de ensino e pesquisa A convite do vice-prefeito de Botucatu, Antônio Luiz Caldas Júnior, a diretora da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Silvana Artioli Schellini visitou, dia 7 de junho, as futuras instalações da nova unidade básica de saúde do Distrito de Vitoriana. O posto de saúde, que foi inaugurado dia 1º de julho, tem uma ampla estrutura e deverá servir como mais um importante palco de ensino e pesquisa para alunos e professores dos cursos de Medicina e Enfermagem da FMB. A dirigente esteve acompanhada de professores dos departamentos de Pediatria e Enfermagem, que

ficaram satisfeitos com o - por: espaço e infra-estrutura. São 700 metros quadrados que estarão disponíveis ao atendimento de aproximadamente 700 pessoas por mês, abrangendo uma população de 4 mil habitantes, incluindo moradores de regiões rurais como Mina, Rio Bonito e Alvorada da Barra. No local, atuarão um médico, quatro auxiliares de enfermagem, uma enfermeira, um dentista, um auxiliar de serviços dentários, um auxiliar de limpeza, um auxiliar administrativo e seis agentes comunitários. junho

2012


12 Geral

Primeiros resultados de estudo com jovens apontam risco para doenças do coração A participação de Botucatu, por meio da Faculdade de Medicina da Unesp (FMB), no Projeto ERICA (Estudo sobre Riscos Cardiovasculares em Adolescentes) entra em sua fase final. Até agora, aproximadamente 200 jovens passaram pelos testes e entrevistas e já foram obtidos os primeiros resultados. Dos 90 primeiros avaliados e cujos exames já foram enviados para análise, 25% apresentaram alterações que expõem seu coração a riscos. São dezesseis adolescentes que apresentam algum ou até mais que um dos seguintes quadros: obesidade, pressão alterada, índice de açúcar no sangue fora do normal e colesterol. Todos serão encaminhados para receberem acompanhamento médico. Botucatu é um dos cinco municípios piloto para um estudo do Ministério da Saúde, que avaliará riscos de doenças cardiovasculares em adolescentes. Foram sorteados 270 adolescentes da cidade, que farão parte de um grupo com 75 mil jovens, com idades entre 12 e 17 anos, em todo o Brasil. Além de Botucatu, fazem parte do ERICA os municípios do Rio de Janeiro, Feira de Santana, Cuiabá e Campinas. No Estado de São Paulo, somente a FMB e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) integram o estudo. Os resultados das análises serão utilizados para a elaboração de políticas públicas para a prevenção de doenças cardiovasculares em adolescentes. Os adolescentes que foram sorteados estão matriculados na Escola Estadual Cardoso de Almeida (EECA) e Colégio Santa Marcelina - que já foram avaliados - e Escola Municipal Dr. João Maria Araújo Júnior, onde uma equipe do projeto, supervisionada por especialistas da FMB, trabalham atualmente. Os jovens respondem a um questionário auto-preenchível por meio de um coletor de dados - mesmo equipamento usado no Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Botucatu é um dos cinco municípios no país a participar do estudo sobre saúde cardíaca em adolescentes

Sobre o ERICA O ERICA é um estudo multicêntrico nacional que tem por objetivo conhecer a proporção de adolescentes com diabetes mellitus e obesidade, assim como traçar o perfil dos fatores de risco para doenças cardiovasculares (como níveis de lipídios e pressão arterial, entre outros) e de marcadores de resistência à insulina e inflamatórios nessa população. Para isso serão avaliadas as condições de saúde de cerca de 75 mil estudantes entre 12 e 17 anos, de cerca de 1.251 escolas brasileiras, públicas e particulares, distribuídas pelas 134 cidades participantes – incluindo todas as capitais.

Os resultados obtidos pelo ERICA poderão ajudar a reorientar as políticas públicas de educação e saúde voltadas para os jovens brasileiros, a partir da identificação de vulnerabilidades e necessidades dessa população. Além de apresentar um panorama do estado atual da saúde dos nossos jovens, permitirão, ainda, a definição de padrões nacionais para algumas características físicas entre a população de 12 a 17 anos – como peso, altura, pressão arterial e circunferência da cintura -, o que será importante para diversos outros estudos no futuro.

O sistema apresenta perguntas sobre seus hábitos de vida e alimentares, além de características como sexo e idade. São realizadas medidas de peso, altura, circunferência de cintura, pressão arterial e exame de sangue. Todas as avaliações têm sido feitas nas escolas, supervisionadas por profissionais da FMB– que também terão de responder a um questionário sobre o ambiente oferecido aos estudantes, que indicará possíveis risco à saúde dos adolescentes. Os pais ou responsáveis pelos alunos selecionados assinarão um termo de consentimento livre e esclarecido para que os menores possam participar da pesquisa; ninguém será identificado. Os exames e medições tiveram início dia 28 de maio. “Para os adolescentes participantes será uma forma de prevenção contra doenças cardiovasculares. Eles serão protagonistas da saúde no Brasil”, avalia professora Tamara Goldberg, especialista em saúde do adolescente e professora do Departamento de Pediatria da FMB e coordenadora de campo do estudo em Botucatu. A pró-reitora de Pós-Graduação e professora da FMB, Marilza Vieira Cunha Rudge e o professor do Departamento de Saúde Pública, Adriano Dias, são os coordenadores do estudo no Estado de São Paulo, juntamente com professores da Unicamp. Também integram a equipe a professora Silvana Molina, do Departamento de Enfermagem (coordenadora de campo), a nutricionista Valéria Nóbrega da Silva e a enfermeira Bianca Nicolosi, ambas supervisoras de campo. “Esse projeto vai envolver uma população que não aparenta ter as alterações que oferecem riscos de doenças cardiovasculares. Nossa expectativa é que os resultados obtidos com esse estudo possam incentivar mudanças no estilo de vida dos adolescentes e ainda sensibilizar as esferas públicas pelas ações de prevenção”, destaca Adriano Dias.

Gravidez

Projeto da Medicina/Unesp recebe bolsa Ciência sem Fronteiras P ro j e to d e p e s q u i s a d e pós-doutorado apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da Faculdade de Medicina (FM) da Unesp, Câmpus de Botucatu, foi contemplado com a Bolsa Ciência sem Fronteiras para estudar no Imperial College School of Medicine, em Londres, Inglaterra. Quem receberá a bolsa é Antonio Rodrigues Braga Neto, cujo trabalho terá a supervisão de Izildinha Maesta, coordenadora do Centro de Doenças Trofoblásticas da FM. O projeto é um estudo da história natural da gravidez molar entre adolescentes da América do Norte, América do Sul e da Europa. A doença trofoblástica gestacional é anomalia da reprodução que acomete mulheres no menacme (período menstrual). Trata-se de intercorrência obstétrica, cuja forma benigna é representada pela mola hidatiforme (MH), que demanda seguimento rigoroso a fim de detectar-se precocemente a forma evolutiva maligna – neoplasia trofoblástica gestacional (NTG). Sabe-se que idade materna elevada (acima de 40 anos) é fator de risco para NTG; todavia, junho

2012

ignora-se o comportamento biológico e tumoral da NTG entre adolescentes. É objetivo dessa investigação, estudar a história natural da MH entre adolescentes da América do Norte, América do Sul e da Europa, caracterizando essas populações em seus aspectos clínicos, histopatológicos, evolutivos e te r a p ê u t i c o s ; b e m c o m o estabelecer fatores prognósticos para NTG entre adolescentes dos diferentes cenários. Para tal, foi desenhado estudo de coorte única, não concorrente e colaborativo internacional, que incluirá pacientes acompanhadas com MH, entre janeiro de 1990 e dezembro de 2010, na América do Norte (New England Trophoblastic Disease Center, Brigham and Women´s Hospital, Har vard Medical School), da América do Sul (Centro de Doenças Trofoblásticas de Botucatu; Centro de Doenças Trofoblásticas da Universidade Federal Fluminense; Centro de Enfermedad Trofoblástica de la Universidad Central de Venezuela; Centro de Enfermedad Trofoblástica de la Maternidad Concepción Palácios de Caracas –

Venezuela) e da Europa (Charing Cross Trophoblastic Disease Center, Imperial College School of Medicine). As variáveis serão obtidas a partir da revisão dos prontuários médicos. Será variável preditora a fase da vida da gestante, categorizada em adolescente (10 a 19 anos) e adulta (20 a 53 anos). As potenciais variáveis moderadoras/ mediadoras consideradas serão: idade gestacional ao diagnóstico (em semanas), tamanho uterino igual ou maior que o esperado para a idade gestacional, sangramento vaginal, anemia, presença de cistos tecaluteínicos, hiperemese, préeclampsia, valor do hCG sérico pré-esvaziamento uterino e tipo histológico da MH. A variável de desfecho será a evolução da MH para NTG. O estudo será submetido aos Comitês de Ética em Pesquisa das instituições participantes. “A perspectiva de realizar estágio pós-doutoral em uma instituição das mais renomadas no mundo, como o Imperial College School

of Medicine (que junto c o m a O x f o rd U n i ve r s i t y e Cambridge University compõe o Golden Triangle University of t h e U n i t e d K i n g d o m ) é estimulante a um recémdoutor que consolida sua linha de pesquisa, for talece sua rede de contato com pesquisadores internacionais e amadurece sua capacidade de investigação científica”, afirma Braga Neto. A aprovação da bolsa foi divulgada em final de maio de 2012 e a sua vigência é de 14 de junho a 14 de dezembro. Estão envolvidos no projeto os professores Michael Seckl – Imperial College School of Medicine; Ross Berkowitz – Harvard Medical School; Rafael Cortés-Charry – Universidad Central de Venezuela; José Colón – Maternidad C o n c e p c i ó n Pa l á c i o s de Caracas; e Dee Short – Imperial College School of Medicine.


Jornal da FMB nº 45  

Edição de junho de 2012

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you