Page 1

pme

* sábado, 14 de fevereiro de 2009 * ano 0I * nr. 02 *

Geldouro

Uma aposta ganha no “outsourcing” A Geldouro foi distinguida com o galardão de PME líder confirmando assim o crescente estatuto que desempenha no seu sector. Em entrevista Vítor Soares, presidente do Conselho de Administração da Geldouro, confessa que o sucesso se baseia “nos altos níveis de exigência e controlo de qualidade de todos os nossos prestadores de serviços.”

Curia Tecnoparque

Um parque tecnológico ao serviço da Região A WRC |Agência de Desenvolvimento Regional, sediada na Curia, concelho de Anadia, posiciona-se desde a sua criação em 2002 como um projecto de vocação tecnológica, envolvendo na sua constituição autarquias, universidades e empresas. Por Pedro Maranha, administrador da WRC | Agência de Desenvolvimento Regional

Intervir e desenvolver acções ligadas à sociedade da informação e à nova economia na Região Centro têm sido o leitmotiv, estando esta matriz na génese dos vários projectos desenvolvidos pela Agência. Enquanto espaço de desenvolvimento tecnológico, de inovação e empreendedorismo, o Curia Tecnoparque tem actuado, por um lado, no desenvolvimento de serviços que sejam uma mais-valia para a modernização administrativa das autarquias e, por outro, na promoção do crescimento de empresas inovadoras através de processos de incubação e spin-off. Neste contexto, tem apostado em parcerias com importantes players, possibilitando gerar a transferência de fluxos de conhecimento e tecnologia entre universidades, instituições de I&D e empresas. A WRC impulsionou a criação do Centro de Inovação e Desenvolvimento de Software Autárquico (CIDESA), em estreita articulação com a Associação de Informática da Região Centro, o segundo maior accionista da Agência. Este projecto, que rapidamente se transformou num dos projectos âncora do Curia Tecnoparque, tem como objectivo apoiar a construção de soluções inovadoras no âmbito da Gestão Autárquica. Integrado na rede dos Microsoft Innovation Centers, o CIDESA tem ainda como parceiros a Microsoft, o ISEC e a Universidade de Aveiro. É na área da promoção do empreendedorismo que o Curia Tecnoparque mais se tem destacado, assumindo também aqui uma estratégia clara de trabalho em rede, dado assentar no pressuposto de que a promoção do empreendedorismo e da inovação não pode ser feita isoladamente e de que através do trabalho em rede consegue alcançar-se mais facilmente vantagens de win-win. Assim se explica que uma das suas bandeiras seja a criação da INCUBE - Associação de Incubadoras de Empresas de Portugal, uma entidade que, no futuro, deverá desempenhar um papel de estímulo à inovação e à promoção do empreendedorismo no país. Uma nova etapa para a concretização deste projecto terá lugar em Maio, durante o II ENI - Encontro Nacional de Incubadoras de Empresas, a decorrer pelo segundo ano consecutivo no Curia Tecnoparque, onde se espera a adesão da maioria das incubadoras nacionais. Numa fase mais avançada de constituição encontra-se a Parques de Portugal – Associação de Áreas Empresariais Qualificadas, que representa o conjunto das estruturas de acolhimento empresarial, incluindo os parques científicos e tecnológicos. A localização central da Curia, entre os pólos de conhecimento de Coimbra e Aveiro, tem permitido posicionar o Curia Tecnoparque como um espaço de atracção e como agente dinamizador no seio da Região Centro. É nesta vertente de pólo tecnológico que conseguiu atrair as sedes do centroHabitat – Associação Plataforma para a Construção Sustentável e da Coimbravita, uma Agência de Desenvolvimento Regional ligada à promoção da saúde e às ciências da vida.


02 * Prisma * pme *

Uma aposta ganha no “outsourcing” pme

Propriedade. Escala de Ideias - Edições e Publicações, Lda. R. D. João I, 109, RC. 4450-164 Matosinhos NIF 507 996 429 Tel. 229 399 120 Fax. 229 399 128 Site. www.escaladeideias.pt E-mail. geral@escaladeideias.pt Directora-Geral. Alice Sousa Coordenação. Alexandra Carvalho Vieira Artigos. Ana Mendes Design e Produção Gráfica. Teresa Bento Account. Filipe Ferraz Banco de Imagens. StockXpert, SXC Contactos. Redacção. 229 399 120 Departamento Comercial. 229 399 120 Distribuição gratuita com o Diário de Notícias

A Geldouro assenta num padrão de gestão que lhe permite enfrentar novos desafios tendo para tal recorrido ao “outsourcing”. Desta forma consegue rentabilizar todos os processos desde o transporte do pescado, passando pela transformação, armazenamento, distribuição e reposição de stocks nos pontos de venda.

Segundo Vítor Soares, presidente do Conselho de Administração da Geldouro, o sucesso baseia-se “nos altos níveis de exigência e controlo de qualidade de todos os nossos prestadores de serviços. Existem vantagens a todos os níveis na entrega de processos a empresas que tem o ‘knowhow’ e que, por ser esse o seu ‘core business’, melhor sabem executar os mesmos, garantindo assim alto nível de competitividade. Este modelo permitenos crescer ao ritmo dos nossos clientes e do mercado. A Geldouro controla todo o processo desde a recepção da matéria-prima, ao processo de produção e expedição, garantindo o controlo dos seus produtos até ao cliente.”

Quais as principais características que aponta à evolução do mercado dos congelados? A evolução do mercado continuará a ser positiva quer qualitativamente quer

Mariscada de kg

quantitativamente, mesmo havendo transferência de espécies habitualmente capturadas para produzir em aquacultura. Quanto a tendências, os consumidores continuam a dar importância à praticidade e à inovação que, por si mesma, é um factor de incremento ao consumo. Que desafios enfrenta actualmente este mercado? Devido à procura crescente em todos os mercados, nomeadamente na Ásia, o desafio para o nosso sector é satisfazer a procura devido à escassez de algumas espécies. Para tal não é menos importante promover a sensibilização dos consumidores para o nível de qualidade dos produtos de aquacultura.


Prisma * pme * 03

mais difícil avaliar as quotas de mercado dos respectivos players.

* “É imperativo as empresas adaptarem-se às mudanças do mercado.” Qual a estratégia da empresa para esses desafios? Alargar o número de espécies comercializadas bem como as origens das mesmas – de salientar que para tal a empresa está a criar parcerias com entidades reconhecidas para o controlo de qualidade nas novas origens.

Qual é o posicionamento da marca Geldouro? Estamos a apostar em produtos de alta qualidade, para o segmento “Premium”/ “Gourmet”, com algumas inovações em desenvolvimento.

Miminhos do Mar

tares com um binómio preço/qualidade mais apelativo.

Miolo de Vieira com Coral

A maior ameaça provém das marcas de distribuição? Em que medida? A Geldouro não considera as marcas de distribuição como sendo uma ameaça. Acreditamos que é imperativo as empresas adaptarem-se às mudanças do mercado, tendo sempre como objectivo a satisfação das necessidades dos clientes e dos consumidores. As marcas de distribuição contribuem para tal criando uma maior profusão nos hábitos alimen-

Existe grande diferença entre o mercado nacional e internacional? Sim, o consumo de produtos da pesca em Portugal é significativamente maior do que na maioria dos países – o nosso consumo per capita é de 60 kg contrastando com outros países onde o consumo não chega a 20 kg. Outra característica do nosso mercado, em muito devido aos hábitos alimentares da dieta mediterrânea, é a comercialização de peixe semiprocessado, sendo o mercado internacional mais caracterizado pela presença de pescados elaborados. É possível verificar grandes oscilações/variações ao nível das quotas de mercado dos principais players existentes a nível nacional? Dado o permanente crescimento e a transferência do consumo cada vez mais acelerada para as marcas da distribuição (próprias e 1º preços) torna-se cada vez

Qual a razão de ser deste posicionamento? Responder às solicitações de nichos do mercado, em crescendo, permitindo-nos desta forma distinguir a nossa marca da massificação criada pelas marcas da distribuição. Prisma

Geldouro distinguida como PME líder A Geldouro foi distinguida com o galardão de PME líder confirmando assim o crescente estatuto que desempenha no seu sector. Em 2008 o volume de negócios ascendeu a 17.5 milhões de euros, sendo ambição da empresa, apesar das contingências económico-financeiras instaladas, continuar a crescer ao ritmo da última década. O mercado externo é uma prioridade da empresa, estando já criadas condições para uma forte aposta na internacionalização. A focalização desta empresa é o seu cliente. Para tal, sempre atenta à inovação e às solicitações do mercado, a Geldouro encontra-se integrada na mais moderna unidade fabril e plataforma logística de frio nacional, competindo com os melhores padrões internacionais.

Há mais de 31 anos no mercado Criada em 1978, a Geldouro – empresa de transformação e comercialização de produtos da pesca congelados – fornece a grande distribuição a actuar no mercado nacional. Uma situação que permitiu também avançar para vários países da Europa, acompanhando cadeias internacionais suas clientes, já instaladas em Portugal. Outros mercados como o México, Alemanha, Itália e Luxemburgo, já foram contemplados com os produtos da marca Geldouro, que aposta numa gama de alta qualidade, para o segmento de mercado “Premium”/ / “Gourmet”.

Peso das marcas de distribuidores (MDD) A Geldouro tem, neste momento, parte da produção destinada a responder às encomendas da grande distribuição. A empresa lidera o mercado dos pré-embalados de produtos do mar congelados, colocando no mercado cerca de 30 mil unidades de venda por dia, em vários formatos de embalagens – parte significativa através das marcas dos seus clientes. A Geldouro adquire as suas matérias-primas nos mercados de origem, que se encontram espalhados por todos os continentes. Quanto ao mercado nacional, este está condicionado principalmente a três espécies: sardinha, carapau e cavala, pela insuficiente quantidade capturada nas restantes espécies.


::: Prisma :: PME nr 2 :::  

journal suplement about pme's

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you