Issuu on Google+

Ano LIV• fev/mar 2014 • nº 478

c a r ta Equipes de Nossa Senhora

IGREJA CATÓLICA Quaresma tempo de permear o coração de verdades divinas! p. 06

CORREIO DO ERI Cristão do futuro p. 09

Mensal

PARTILHA E PONTOS CONCRETOS DE ESFORÇO Testemunho de amor Piracicaba p. 34


CARTA MENSAL nº 478 • fev / mar 2014

Editorial Da Carta Mensal.................................... 01 Super-região A fé e as obras ..................................... 02 Amem-se uns aos outros ...................... 03 Recomeçar de Cristo ................................ 04 IGREJA CATÓLICA Quaresma tempo de permear o coração de verdades divinas!............. 06 PASTORAL FAMILIAR Peregrinação das famílias com o Papa Francisco ........................... 07 CORREIO DO ERI Cristão do futuro ......................................09 Equipe satélite....................................... 10 MARIA O sim .................................................... 13 RAÍZES DO MOVIMENTO Sementeiras de bons cristãos................... 14

FORMAÇÃO Você vai nadando ou de barco................... 15 O que é ser um conselheiro das ENS ......... 16 Vida de Equipe..................................... .17 VIDA NO MOVIMENTO Província Sul I ........................................ 18 Província Sul II......................................... 22 Província Centro-Oeste............................ 23 Província Nordeste.................................. 25 Província Norte....................................... 29 Tema de Estudo Casais equipistas evangelizadores......... 31 Nasce mais uma equipe!......................... 32 Partilha e Pontos Concretos de Esforço Retiro 2013 São José da Tapera............. 33 Testemunho de amor - Piracicaba.......... 34 Regra de Vida ....................................... 34 NOTÍCIAS ............................................ 36

Encarte Índice Geral das publicações da Carta Mensal em 2013

Carta Mensal é uma publicação periódica das Equipes de Nossa Senhora, com Registro “Lei de Imprensa” Nº 219.336 livro B de 09/10/2002. Responsabilidade: Super-Região Brasil - Cida e Raimundo N. Araújo - Equipe Editorial: Responsáveis: Zezinha e Jailson Barbosa - Cons. Espiritual: Frei Geraldo de Araújo Lima O. Carm - Membros: Fatima e Joel - Glasfira e Resende - Paula e Genildo - Zélia e Justino - Jornalista Responsável: Vanderlei Testa (mtb 17622) Edição e Produção: Nova Bandeira Produções Editoriais - R. Turiaçu, 390 Cj. 115 Perdizes - 05005-000 - São Paulo SP - Fone: 11 3473-1286 Fax: 11 3473-1285 - email: novabandeira@novabandeira.com - Responsável: Ivahy Barcellos Imagem de capa: Canstockphoto - Diagramação: Samuel Lincon Silvério - Tiragem desta Edição: 23.000 exs. Cartas, colaborações, notícias, testemunhos, ilustrações/ imagens, devem ser enviadas para ENS - Carta Mensal, Rua Luís Coelho, 308 Cj. 53 11º andar - 01309-902 São Paulo - SP, ou através de email: cartamensal@ens.org.br A/C de Zezinha e Jailson Barbosa. Importante: consultar, antes de enviar, as instruções para envio de material para a Carta Mensal no site ENS (www.ens.org.br) acesso Carta Mensal.


em família) deve ser marcada pelo sentido da humildade...; e que todos temos necessidade de sentir a bondade e a misericórdia de Deus por nós; que a oração deve ser feita com simplicidade, que esteja de acordo com a nossa condição de filhos prediletos de Deus. O casal Clarita e Edgardo (ERI) traz-nos uma séria reflexão para lidarmos com humildade no serviço para Deus: Quando deixamos de escutar a nossa própria voz, o Senhor começa a manifestar-Se através do outro... Vale a pena lê-lo na íntegra! Também sobre o tema Família, Jussara e Daniel relembram as três palavras sugeridas pelo Papa Francisco por ocasião da Peregrinação: “para levar a família adiante é necessário usarmos três palavras chave: “Permesso, Grazie e Scusa”traduzindo: Permissão; Obrigado e Desculpa. Gravemos em nossos corações estas palavras. Você vai nadando ou vai de barco? O porquê da pergunta vocês saberão lendo o interessante artigo de Helena e Cal que nos dão um bom mote para um Dever de Sentarse a fim de iniciar o ano equipista. E mais, muito mais encontrarão nos testemunhos de outros casais. Deixamos vocês com uma frase citada em um artigo: A graça de chegarmos à santidade é de Deus, mas o esforço é humano (Pe. Rinaldo). Portanto, aproveitemos estas bênçãos e mãos à obra !  Zezinha e Jailson CR Equipe da Carta Mensal

Tema: “Ousar o Evangelho - Acolher e cuidar dos homens ” CM 478 462

1

Editorial

Queridos irmãos Desejamos que nossa Carta os encontre plenos das bênçãos natalinas e esperança nas realizações dos novos sonhos! Chegou 2014, com ele a Igreja nos exorta a colocar a família no centro da discussão e ainda deflagra a Campanha da Fraternidade com um tema importante. Sobre este, Pe. Miguel abre esta edição pedindo para mantermos a campanha viva. E nos diz como fazer. Cida e Raimundo, com todo o carinho, embasam seu artigo na família; lembram as Orientações das ENS para 2014, alinhadas com a Igreja, e mencionam os eventos que contemplam a família. Hermelinda e Arturo fecham a bandeira com um artigo movido pela oração: Recomeçar a partir de Cristo. Dão 3 dicas: 1) cultivar a familiaridade com Deus...; 2) imitar Deus na saída de si mesmo para ir ao encontro do outro; 3) não ter medo de ir às periferias, de sair dos nossos esquemas, nossa zona de conforto. Pe. Paulo Renato nos mostra a dimensão do ser católico e do estar católico. Cita a quaresma como um tempo oportuno para preparar a celebração do mistério mais significativo da nossa Fé. Porém ela só dará razão a nossa vida e nossas esperanças se a celebração não for um ato puramente externo, mas sim uma expressão daquilo que passa no coração. Pe. Jacinto, SCE da ERI, socializa a sua experiência com o Santo Padre, por ocasião do Enc. Internacional das Famílias. O Papa insistiu em dois temas: que a oração (pessoal e


Super-Região

a fé e as obras A história da Campanha da Fraternidade teve origem alguns anos antes do início do Concílio Ecumênico Vaticano II, quando um pequeno grupo de padres recémordenados, sob a coordenação de Dom Eugênio Sales, reunia-se em Natal, cada mês, para rezar e refletir sobre a Igreja e a Pastoral. (http://domeugeniosales.webnode.com.br)

As ENS nasceram de maneira muito simples. Em 1938, um jovem padre de Paris, o padre Henri Caffarel, recebe a visita de uma moça que deseja lhe falar de sua vida espiritual. Alguns dias depois, ela volta, acompanhada do marido. A seguir, esse casal apresenta o padre a três outros casais. Está lançado, dessa maneira, o projeto de se reunirem para refletir juntos sobre o matrimônio cristão. (Guia das Equipes de Nossa Senhora p.7)

Alguma coincidência? Não! Não existe coincidência onde existe um Carisma Fundador. É a ação divina do Espírito Santo nos atos de bondade daqueles que se põem à alegria de servir. Gostaria de propor aos meus queridos casais um ponto discreto de esforço que nos permitisse, no nosso meio equipista, não esquecermos o Tema e o Lema da CF, durante 2014: Tema: Fraternidade e Tráfico Humano Lema: É para a liberdade que Cristo nos libertou: E reservarmos, em nossas orações diárias, um momento para rezarmos a Oração da CF 2014: Ó Deus, sempre ouvis o cla2

mor do vosso povo e vos compadeceis dos oprimidos e escravizados. Fazei que experimentem a libertação da cruz e a ressurreição de Jesus. Nós vos pedimos pelos que sofrem o flagelo do tráfico humano. Convertei-nos pela força do vosso Espírito, e tornai-nos sensíveis às dores destes nossos irmãos. Comprometidos na superação deste mal, vivamos como vossos filhos e filhas, na liberdade e na paz. Por Cristo nosso Senhor. Amém! Da mesma forma, para não cairmos na tentação da fé sem obras (Tg 2, 18), pensemos em como sensibilizar, pelo menos as comunidades que nos acolhem, para o quanto é sério o assunto que será debatido na Campanha da Fraternidade de 2014. O Tema é árido, quase impossível de fazermos alguma coisa, mas não é impossível rezar e discutir sobre os vários documentos elaborados pelo CONSEP (Conselho Episcopal Pastoral da CNBB), Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização das Nações Unidas (ONU), UNODC, Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, entre outros. Meus irmãos, se alguém disser que tem fé, mas não tem obras, que lhe aproveitará isso? Acaso a fé poderá salvá-lo? (Tg 2, 14).  No coração de Jesus!

Pe. Miguel Batista SCE SRB CM 478


AMEM-SE UNS AOS OUTROS (Jo 15,12) Queridos equipistas Fevereiro de 2014. Início do ano equipista em nossa Super-Região. Um ano que nos fará, certamente, “transbordar os limites do lar” (Caffarel). Nosso lar e família serão pequenos diante do que se tem a fazer para acolher e cuidar dos homens. Após ter percorrido, em 2013, “o caminho da vida espiritual em casal”, cremos estar preparados no coração e na razão a nos tornarmos discípulos missionários, em atenção ao chamado de Jesus: Vem e segue-me. Focar o olhar na “família”. Eis uma das linhas de ação das Orientações para este ano. Eventos promovidos pela Igreja marcarão a relevância da família como “escola da fé e lugar onde a vida humana nasce e se acolhe generosa e responsavelmente” (Aparecida, 65): o SIMPÓSIO DA FAMÍLIA (23 e 24 maio), a SEMANA NACIONAL DA FAMÍLIA (10-17 agosto), a III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos, com o tema DESAFIOS PASTORAIS SOBRE A FAMÍLIA NO CONTEXTO DA EVANGELIZAÇÃO (outubro). Dirigindo-se a casais equipistas em Milão, o cardeal Carlo M. Martini foi claro e direto na convocação para essa tarefa específica: “cada um de nós, devido à missão que nos foi confiada no Batismo é responsável por todos os outros. E vocês, por pertencerem às Equipes de Nossa Senhora, são responsáveis não apenas pelas famílias de vocês, mas também por todas as outras famílias 3 478 CM

espalhadas pela terra”. Talvez alguns de nós digamos: “A missão é grande; não temos tempo nem competência”. “Eu vos respondo, diz o Pe. Caffarel: ´estais aptos particularmente para o cumprimento desta missão, precisamente porque sois casais. Tendes um carisma próprio`”. Sendo este um tema tão “caro” às ENS, à Igreja e, em especial, ao nosso Papa Francisco, para quem a família, fundada na união estável do homem e da mulher no matrimônio, é o primeiro âmbito da cidade dos homens iluminada pela fé (Luz da Fé, 58), não fiquemos de fora do contingente a ser contratado para a “vinha do Senhor”. Assim, sem precisarmos nos afastar das tarefas familiares e profissionais, formemos um grande mutirão de agentes e façamos o que nos compete: tornar possível que cada família se torne um verdadeiro santuário de vida e amor para as gerações que se renovam sem cessar. Unidos em oração, nosso carinho.  Cida e Raimundo CR Super-Região CM 461 3


RECOMEÇAR DE CRISTO

Bento XVI disse: “A Igreja não cresce por proselitismo, cresce por atração”. E nós atraímos alguém? O que atrai é o testemunho. Que as pessoas vejam na nossa vida o Evangelho, e que, a partir do testemunho, possam ler o Evangelho e sentir o amor que vem de Cristo, e recomeçar sempre deste amor. Como recomeçar de Cristo? Primeiro, cultivar a familiaridade com Ele, estar unido, permanecer n´Ele, estar na sua presença, e deixar-se olhar por Ele. Quando vamos ao sacrário, por exemplo, falamos, pensamos, oramos, meditamos, ouvimos e às vezes até adormecemos, mas deixamos que Ele nos olhe? Se O deixamos nos olhar, o seu fogo inflamará nosso coração. E se em nosso coração não há o calor de Deus, do seu amor, da sua ternura, como podemos nós, pobres pecadores, inflamar o coração dos outros? Segundo, significa imitá-lo na saída de si mesmo para ir ao encontro do outro. É um paradoxo: 4

quem coloca Cristo no centro de sua vida, descentraliza-se: quanto mais te unes a Deus, mais Ele faz sair de ti mesmo. E não reserva uma porcentagem para si! Tudo o que recebe dá, não é um negócio, é puro dom: dom recebido, dom transmitido. São Paulo dizia: “O amor de Cristo nos impele”. E terceiro, significa não ter medo de ir às periferias, de sair d o s n o ssos e s que m a s , nos s a zona de conforto. Quando estamos “fechados” no nosso grupo, nosso movimento, nossa paróquia, nosso ambiente, acontece de cheirarmos a mofo, e adoecemos. Jesus não diz “Ide, arranjaivos”, não: Ele diz: “Ide, eu estou convosco...”(Mt 28,16), ou seja, Ele nos precede, já está lá, nunca nos deixa desamparados, portanto não deixemos que a esperança se apague dos nossos corações. Deixemos que Deus nos surpreenda, acolhamos suas surpresas. Confiemos n´Ele! Longe d´Ele o vinho da alegria e da esperança se esgota. Junto d´Ele nosso coração se incendiará de tal alegria que contagiará quem estiver do nosso lado. Jesus disse: “Onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração” (Mateus 6,21 ou Lucas 12,34). O que atrai o teu coração? Alguém pode dizer: meu trabalho, minha família. Sem dúvida, importante, mas CM 478


Para sermos felizes precisamos sair de nós mesmos, ficarmos vulneráveis, nos libertarmos, sentirmos prazer em outras pessoas e também nos entristecermos com sua dor. Este é o melhor caminho para nos descobrirmos, saber quem somos, conhecer nossa capacidade de amar, e o tamanho de nossa fé. qual a força que mantém você íntegro para enfrentar os desafios diários, as provações e a família unida? É o amor que Deus semeia em nosso coração, que nos permite ir além, pois até as dificuldades, as quedas e o pecado encontram um sentido no amor de Deus, porque este amor nos perdoa sempre, abrindo-nos à esperança. Precisamos aprender a ouvir e interpretar seus sinais em nossa vida, e sentir sua presença como amigo, que nos ajuda e compreende, nos encoraja nos momentos difíceis e nunca nos abandona. O relacionamento de Deus com a criação é inteiramente dádiva. Ele vem até nós como uma pessoa sedenta que espera alguma coisa, qualquer coisa que temos para dar. Acima de tudo Ele nos quer. E muitas vezes achamos que é difícil alcançar Deus, pois achamos, erroneamente, que se não formos bons Ele nos desaprovará. 5 478 CM

Assim é Deus: nos ama mais do que é amado. Então aprendemos com Ele que a perfeição do amor é quando recebemos a dádiva da outra pessoa como ela é. Se aceitarmos esta dádiva, então nosso amor estará a caminho da perfeição, pois o amor perfeito de Deus fará morada no nosso amor frágil e defeituoso. Santo Agostinho diz: “Começaste a amar? Deus começou a morar em ti”. Vivemos numa sociedade preocupada com a busca da felicidade. E com medo de tudo que possa ameaçá-la, como a solidão, o fracasso, a pobreza, o malogro dos relacionamentos, etc. Mas Jesus nos diz: “Em verdade te digo hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23,43). Jesus nos oferece a felicidade e a descreve como paraíso. Podemos estar na presença de Deus com toda a nossa fraqueza, e mesmo assim Ele sente prazer em nossa existência, e nos promete o paraíso! Para sermos felizes precisamos sair de nós mesmos, ficarmos vulneráveis, nos libertarmos, sentirmos prazer em outras pessoas e também nos entristecermos com sua dor. Este é o melhor caminho para nos descobrirmos, saber quem somos, conhecer nossa capacidade de amar, e o tamanho de nossa fé. Vamos sempre “recomeçar de Cristo!”  Hermelinda e Arturo CR Província Sul I CM 461 5


Igreja Católica

QUARESMA:

tempo de permear o coração de verdades divinas! O saudoso Papa João Paulo II, na quarta-feira de cinzas de 28 de fevereiro de 1979, nos presenteou com belíssimas palavras. Era sua primeira homilia quaresmal como pontífice e falava justamente desse forte, exigente e oportuno tempo na vida da Igreja. A pregação é inteiramente valiosa, mas particularmente chama atenção um trecho: ... Neste período as verdades divinas devem falar aos nossos corações com força especialíssima. Devem encontrar-se com a nossa experiência humana, com a nossa consciência. Verdades divinas que devem falar ao coração! Essa é uma exigência apontada pelo Santo Padre há trinta e cinco anos que me parece muito atual no mundo em que estamos vivendo. Encontramos no meio do povo católico com frequência o “catolicismo de estatística”. Aqueles que respondem a pergunta sobre religião afirmando serem católicos; que rezam uma ave-maria quando as coisas parecem um pouco mais difíceis; que não comem carne na sexta-feira santa; que carregam a imagem do santo protetor na carteira... Não que isso seja errado, muito pelo contrário, o problema é quando essas afirmações ou práticas não refletem o que passa no nosso coração. É justamente aqui que entra a importância da quaresma. É um tempo oportuno para preparar a celebração do mistério mais significativo da nossa Fé. Junto com a encarnação do Verbo a ressurreição “dá razão de nossa esperança” (1 Pd 6

3,15). É uma verdade fundamental! Porém ela só dará razão a nossa vida e nossas esperanças se a celebração não for um ato puramente externo, mas sim uma expressão daquilo que passa no coração. Aproveitemos esses dias para refletir e meditar o que será celebrado. Para transportar para o coração aquilo que assimilamos como valores e verdades durante a vida, porque nosso tesouro está onde está nosso coração (Mt 6,21). A festa da ressurreição não pode ser vivida na mediocridade do improviso exterior que se contenta com a participação de uma missa no domingo de páscoa ou o jejum de carne na sexta-feira santa. A festa da ressurreição deve ser fruto da preparação do nosso coração, do encontro das verdades divinas com a experiência humana, com a nossa consciência, como afirmou João Paulo II. Uma Feliz Páscoa exige uma austera e sóbria quaresma preenchida por períodos fortes de meditação, reflexão e tomada de atitudes concretas em direção à vida nova que será celebrada. Uma verdadeira Feliz Páscoa depende de uma atitude interior que se expressa através de atitudes exteriores, depende de um coração permeado pelas “verdades divinas”. Feliz Páscoa! Santa Quaresma! Piedosa e consciente preparação!!!  Padre Paulo Renato SCE Província SUL I São José dos Campos- SP CM 478


“Três palavras...” Ao sabermos da Peregrinação das famílias com o Papa Francisco, não pensamos duas vezes; seria a oportunidade de conhecermos pessoalmente o terceiro Papa. Porém, foi muito mais do que conhecer; foi viver mais uma graça de Deus. Em 2003 fomos recebidos, com outros Casais Regionais, por João Paulo II. Em 2012, participamos do Encontro Mundial das Famílias com Bento XVI, em Milão. E agora (2013), nos dia 26 e 27 de outubro, em Roma, fomos acolhidos, mais de 500.000 peregrinos do mundo todo, por Francisco. E que acolhida! O ambiente do Encontro (Piazza San Pietro) era um celeiro de alegria e de esperança para milhões de famílias. O evento, promovido pelo Pontifício Conselho pela Família, fez parte da programação do ano da Fé e teve como tema: A família vive a alegria da fé. No sábado, 26, a partir de meio dia, nos concentramos na Praça de São Pedro. A atmosfera era de festa. Os instantes que antecediam a chegada do Papa foram preenchidos com cantos, orações, confraternizações e muita alegria. Crianças, idosos, enfermos, pais, mães, filhos, sacerdotes, religiosos, movimentos cristãos, imigrantes, trabalhadores e desempregados, entre outros, estavam ali esperando o ‘porta-voz da esperança’. Eis que, num momento de grande silêncio e reverência (parecia imCM 478 462

possível naquele momento), chega Francisco, com sua simplicidade contagiante, com seu sorriso e seu aceno marcantes, com seu olhar emocionante. Era algo diferente no ar. A tarde do sábado foi de festa, de alegria. Todos professando a sua fé. Chegando a hora de sua fala, Papa Francisco, com sua voz pausada e lenta, forte e cheia de sabedoria contagiou a todos. Fez questão de repetir três palavras que havia pronunciado antes para as famílias. Reafirmou ele, que para levar a família adiante é necessário usarmos três palavras chave: “Permesso, grazie e scusa”traduzindo e explicando: Permissão (Posso fazer isso? Agrada-te que eu faça isto?); Obrigado (Agradecer. Quanto tempo passamos sem dizer a palavra “Obrigado”? Quanto tempo passamos sem agradecer a Deus, à esposa, ao marido, aos filhos?) e Desculpa (Perdão. Os membros da família não devem terminar o dia sem pedir perdão uns aos outros). Gravamos em nossos corações estas palavras. O Papa Francisco encerrou aquele momento lembrando a passagem da apresentação de Jesus no Templo (Lc 2, 22-40). Francisco lembrou que os protagonistas desta cena, também como nós, estão na caminhada. Maria e José caminharam em peregrinação para Jerusalém, a fim de cumprir o projeto de Deus. Os anciãos Simeão e Ana representam os idosos que esperam ansiosos a vinda do Senhor. Este fato é uma verdadeira 7

Pastoral Familiar

PEREGRINAÇÃO DAS FAMÍLIAS COM O PAPA FRANCISCO


festa de encontro de gerações. No meio deles o personagem central: o menino Jesus. Presença do Espírito Santo nas famílias. O Papa nos exortou a permanecermos fiéis a Jesus, testemunhando a nossa fé. Neste momento o céu foi colorido com balões, lançados ao ar pelos presentes. O coração bateu forte. No domingo, 27, fomos agraciados com três momentos: A reza do terço, a Santa Missa e o Ângelus. La Domenica foi marcada pela homilia do Santo Padre. Era o Evangelho do ‘fariseu e do publicano’; e Francisco questionou como é que está sendo a nossa oração. Igual ao fariseu ou igual ao publicano? As famílias, reforça Francisco, precisam de Deus, de sua força, de sua graça. Peçamos com humildade e simplicidade como o publicano o fez. Ao meio dia do domingo, o Ângelus. O Papa invocou a proteção de Maria para todas as famílias do mundo, especialmente aquelas que vivem em maiores dificuldades. Muitos equipistas também estiveram presentes. Que possam levar para as suas Províncias, a 8

alegria de ter vivido este momento. A peregrinação fez parte de uma agenda sobre a situação das Famílias. Em 2014, acontecerá de 05 a 14 de outubro, em Roma, a III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos, cujo tema será: Os Desafios Pastorais sobre a Família no contexto da Evangelização. Segundo o Pontifício Conselho, esta Assembleia será uma ponte “entre a última Assembleia Geral, dedicada à Nova Evangelização e à Assembleia Geral Ordinária prevista para o ano de 2015, que tratará de orientações práticas sobre a pessoa humana e a família”. Lembramos que em 2015, de 22 a 27 de setembro, acontecerá o VIII Encontro Mundial das Famílias em Filadélfia, Estados Unidos. Será mais um momento de encontro com o nosso Santo Padre. Encerramos pedindo: Permissão, Obrigado e Perdão. Que nossas famílias possam viver sempre estas três palavras!  Jussara e Daniel CR Comunicação Externa SRB CM 478


No recente Encontro Internacional das Famílias em Roma, em 26 e 27 de Outubro de 2013, o Santo Padre falou na necessidade da oração em família e do testemunho da alegria que as famílias cristãs são chamadas a dar ao mundo de hoje. No que diz respeito à oração, insistiu em dois temas: que a oração (pessoal e em família) deve ser marcada pelo sentido da humildade, isto é, ela deve proclamar a grandeza de Deus e a nossa pequenez, moral e espiritual, diante d’Ele; e que todos temos necessidade de sentir a bondade e a misericórdia de Deus por nós; que a oração deve ser feita com simplicidade, que esteja de acordo com a nossa condição de filhos prediletos de Deus. E como exemplo de simplicidade, o Papa Francisco deu a recitação do Terço em família, a oração das pessoas simples, e que o beato João Paulo II dizia ser o caminho mais curto para alcançar a pacificação interior e deste modo poder contribuir para a construção da Paz entre os homens e os povos. Aqui está para nós a importância dos Pontos Concretos de Esforço da Oração e também do Retiro Anual, aos quais todos nós nos devemos esforçar por sermos fiéis. Gostaria também de partilhar convosco a minha recente viagem ao Líbano (17-18 de Novembro de 2013), por ocasião das celebrações conclusivas do cinquentenário da presença das ENS naquela região CM 478 462

do mundo. Pude testemunhar a vitalidade e o entusiasmo das Equipes na prática do método espiritual do nosso Movimento, e a alegria em testemunhar a beleza do sacramento do Matrimônio e o sentido da família cristã no mundo de hoje. No encontro com os responsáveis, pude ver como estão empenhados na fidelidade ao carisma do nosso Movimento e ao sentido da internacionalidade, no qual podemos verificar a graça de pertencermos a uma grande família, que é uma parte, uma célula viva da grande Igreja, do corpo místico de Cristo. Na encíclica Lumen Fidei, o Papa Francisco recorda-nos que a fé se torna sempre mais forte e viva na medida em que formos capazes de nos abrirmos aos outros, de estarmos juntos e de partilharmos uns com os outros as riquezas da nossa fé, da nossa esperança. A fé que nos anima encontra a sua origem no amor do Senhor que nos precede, que nos une uns aos outros, na diversidade da nossa vocação e missão na Igreja e no Movimento. Para os casais, é maravilhoso acreditar que foi o Senhor que os escolheu e fez uns para os outros, para serem testemunhas da beleza do amor entre o homem e a mulher, que são um para o outro segundo o desejo do Senhor; e, ainda mais, que são, pelo sacramento do Matrimônio, sinais eficazes do amor de Cristo pela sua Igreja. O cristão do futuro será um místico ou não será nada; como casais cristãos, sede um testemunho vivo 9

Correio da ERI

CRISTÃO DO FUTURO


desta mística que é a alma do nosso Movimento; deixai-vos transportar pela fantasia criativa do amor para inventar um mundo novo, mesmo nas condições atuais da crise moral e espiritual na qual vivemos mergulhados em muitas partes do mundo, mas, sobretudo, no mundo ocidental. Neste sentido vós sereis, caríssimos amigos, homens e mulheres de esperança, porque sabeis em quem pusestes a vossa confiança, no Senhor Deus, que é

fiel e que vos ama com um amor que é digno de confiança, porque tem a forma da cruz de Cristo. Que a Virgem Santíssima, mãe de Deus e nossa Mãe, vos proteja e seja para todos vós o caminho seguro que vos há de conduzir até Deus. Recebei as minhas muito cordiais saudações.  Pe. José Jacinto Ferreira de Farias, scj SCE da ERI

EQUIPE SATÉLITE Somos Edgardo e Clarita Bernal Fandiño, o casal da ERI que coordena as EQUIPES SATÉLITES (ES). A partir de agora, em cada edição do Correio, cada casal da ERI dará pormenores do seu serviço dentro do Movimento, para que todos os equipistas tenham uma ideia clara destas instâncias de responsabilidade e se sintam próximos das mesmas. Somos colombianos, casados há 27 anos e estamos nas ENS há 16. Temos dois filhos: Santiago, de 21 anos, estudante do último ano de engenharia industrial na Universidade de Los Andes de Bogotá (Colômbia), e Silvia, de 18 anos e meio, que estuda Língua, Cultura e Civilização Francesa na Universidade Lumière Lyon 2, na França. A partir do Encontro Internacional de Brasília 2012, fomos convidados e fazer parte da EQUIPE RESPONSÁVEL INTERNACIONAL (ERI), com a missão específica de coordenar o trabalho 10

desenvolvido pelas Equipes Satélites. Nesta missão, pedimos ao Pe. Silvio Cajiao, padre jesuíta, que nos acompanhasse com o seu ministério e a sua amizade como Conselheiro Espiritual das ES. As Equipes Satélites são equipes de serviço diretamente ligadas à ERI e constituídas por casais e conselheiros espirituais de diferentes partes do mundo que têm como objetivo trabalhar no aprofundamento de temas específicos importantes para o Movimento. Recentemente, em Bogotá, Colômbia, de 11 a 13 de Outubro, teve lugar a reunião de arranque da Equipe de Formação Cristã e do Grupo da América de Reflexão sobre a Teologia da Sexualidade, e em Fátima, Portugal, de 8 a 10 de Novembro de 2013, a das equipes de Pedagogia, de Reflexão e Procura e do Grupo da Europa de Reflexão sobre a Teologia da Sexualidade. Por razões práticas não é possível alongarmo-nos em explicações CM 478


Reunião do grupo da América em Bogotá. Primeira fila, de joelhos, da esquerda para a direita: Mariola e Eliseu Calsing, Luiz Carlos Nogueira. Segunda fila: Maria Teresa Liévano (Tradutora), Clarita Fandiño, Ginette Bergeron, Olga Lucía Arango, Stella Mahecha, Pasqui Hoford, Ellen Holt, Márcia Nogueira. Terceira fila: Edgardo Bernal, Martin Bergeron, Antonio Arango, Germán Mahecha, Jeff Hoford, T.J. Holt, Pe. Flávio Cavalca, Pe. Silvio Cajiao.

sobre o trabalho de cada equipe, pelo que nos limitamos a enunciar os seus objetivos: • Pedagogia: continuar a aprofundar e a atualizar todos os aspectos inerentes à pedagogia e à mística do Movimento, oferecendo instrumentos práticos que ajudem os casais a interiorizar e a pôr em prática cada Ponto Concreto de Esforço. • Formação Cristã: elaborar um plano de formação catequética básica que possa ser aproveitado pelos membros das ENS e por todos aqueles que desejarem aprofundar os seus conhecimentos sobre a nossa religião e a nossa Igreja, os seus princípios fundamentais, os seus documentos, os sacramentos, a liturgia, utilizando todos os meios de comunicação disponíveis. • Reflexão e Procura: aprofundar a procura e o conhecimento do material que cada SR/RR tenha preparado para os seus equi11 478 CM

pistas ao longo da sua história, ordenando-o e classificando-o de forma a que possa ser conhecido e aproveitado por todo o Movimento, recomendando à ERI o material que possa ter uma aplicação de interesse universal. • Grupos de Reflexão sobre a Teologia da Sexualidade: realizar, com um olhar cristão, um trabalho de reflexão que convide os casais das ENS a descobrir na sua vivência da sexualidade um dom de Deus e um meio de santificação. Na nossa mensagem de boasvindas no início destas reuniões, dissemos aos casais e aos padres: “Neste trabalho que hoje se inicia, é fácil confiar unicamente nas nossas seguranças e nos nossos conhecimentos, apenas escutando a nossa própria voz, que acaba por fazer calar a voz de Deus. É importante que o nosso trabalho seja sempre guiado CM 461 11


Reunião do grupo da Europa em Fátima. Primeira fila, da esquerda para a direita: Graciete Rebelo, Dominique Arondel, Florence e Jean-Philippe Joubert, Agostinha Carvalho, Mary Jones, Isabel Baptista Ferreira (Tradutora), Masu Dominguez e Maryves e Cristoforo Codrino. Segunda fila: José Rebelo, Jean Arondel, Hubert e Brigitte Wattelet, Clarita Fandiño, Manuel Carvalho, Elisabeth Hatey, Olga Gonzalez, Robert Jones. Terceira fila: Anne-Michèle Lovens, Edgardo Bernal, Patrick Lovens, François Hatey, Secundino Gonzalez, Xosé Manuel Dominguez e Pe. Silvio Cajiao.

por uma oração profunda que nos torne humildes, pequenos, para que, esvaziando-nos de nós próprios, enfraquecendo-nos nas nossas seguranças, possamos acolher o poder de Deus. Quando não soubermos como abordar o trabalho, quando não tivermos resposta para tudo, tor narnos-emos fracos, deixaremos de contar unicamente com os nossos conhecimentos e com as nossas seguranças, e então virá a oportunidade para nos apoiarmos n’Ele, pois, como diz S. Paulo, é a nossa fraqueza que dá lugar ao seu poder. Quando deixamos de escutar unicamente a nossa própria voz, o Senhor começa a manifestarSe através do outro, e o seu Espírito começa a manifestar-Se na força da comunidade e na voz da colegialidade. Esperamos 12

que esta reflexão esteja sempre presente”. Queridos amigos, como dissemos em Bogotá e em Fátima, à nossa família das Equipes Satélites: o nosso maior desejo é que este trabalho que fazemos para Deus se torne, com a nossa docilidade e dedicação, um trabalho de Deus, no qual possamos deixar que a Sua vontade prevaleça sobre a nossa. Para isso, pedimos que nos acompanhem com a vossa oração que reconforta e nos anima. De todo o coração, desejamos a todos os casais e conselheiros espirituais das Equipes de Nossa Senhora que, neste ano de 2014, a família de Nazaré irradie nas vossas casas e nas vossas famílias todo o seu amor e toda a sua esperança.  Clarita e Edgardo CR Equipes Satélites - ERI CM 478


Maria

O SIM Dizer sim é fácil. Difícil é dizer sim com um sorriso estampado no rosto! Difícil é comprometer-se com este sim e com as suas consequências. Difícil é lutar contra a ferrugem do tempo que corrói a casca externa da novidade. O primeiro sim tem um sabor de aventura, de verão, de ruptura corajosa contra o comodismo. São como os primeiros passos de uma longa jornada, em que só conseguimos enxergar até a primeira curva, esquecendo que para além é chuva, poeira, cansaço, cascalhos, sol forte do meio dia. Dizer sim não é fácil! Requer abnegação, arriscar-se, confiar, sorriso no rosto, certeza de um chamado maior! Perseverar no sim é possível, com humildade, oração, entrega, doação, adoração. O primeiro sim tem o doce sabor da esperança, de que além da curva existem pássaros, riachos, sombras de árvores, braços que acolhem; pessoas que nos esperam para ouvir a doce melodia da boa nova. Que juntos possamos fazer este caminho sob a proteção da Senhora do Sim. Aquela que disse sim à vontade de Deus e que sustentou o seu Sim durante toda a vida. O Sim de Maria foram seios que amamentaram; mãos que ampararam; silêncio que decifrou mistérios; lágrimas que consolaram; orações que sustentaram. Assim como Maria possamos contar com a graça de Deus para dizer: Senhor, que sua vontade se cumpra em nós. Amém!  Cristina e Duque CR Setor F Juiz de Fora-MG

CM 478 462

13


Raízes do Movimento

SEMENTEIRAS DE BONS CRISTÃOS Francamente, jamais vos inquietastes ao constatar que no vosso quarteirão as mesmas famílias continuam crentes e as mesmas descrentes; que na vossa paróquia nada é tão raro quanto um batizado de adulto (“Se pudéssemos ter um catecúmeno para a noite pascal, isto seria tão bom!”); que nunca vemos – ou quase nunca – um casal recémconvertido ingressar numa equipe, emprestando-lhe novo fervor? Paróquia, equipe: – sementeiras de bons cristãos. Onde está o dinamismo conquistador dos jovens cristãos? Há coisas mais graves. Nós, os sacerdotes, prisioneiros de todos estes bons cristãos, não encontramos mais o meio de chegar até os descrentes e lhes levar a mensagem. Surpreendei-vos, pois, se às vezes indagamos se não estamos equivocados em vos consagrar tanto tempo. Havíamos pensado: “Eles prolongarão nosso sacerdócio, eles irão àqueles que não podemos atingir, eles nos encaminharão àqueles que têm fome e sede de palavras de Deus”. De fato, é preciso dizer, eles confiscam o nosso sacerdócio, eles constituem uma barreira entre nós e o mundo que se debate na miséria. Eu sei, corro o risco do vosso mau humor falando-vos desta maneira. Encontro sempre uma reação de descontentamento quando 14

assumo a posição de achar anormal o fato de um casal cristão não possuir fecundidade espiritual. – Se tendes estas reações, procurai analisá-las, isto talvez não vos será inútil. Dir-me-eis: Se é preciso querer o bem do próximo, é preciso também saber respeitar a sua liberdade, não sendo possível entrar em suas vidas mediante imposição. – Mil vezes de acordo. Mas quanta preguiça e covardia não se escondem muitas vezes debaixo dessa honrosa defesa. – Chegamos a tentar... – Tão tímidas as vossas tentativas. E tão depressa voltastes às vossas tendas... Para vos salvar, o Cristo contentou-se com tímidas tentativas? Sobretudo, não vos enganeis acerca do meu propósito. Não vos peço para pregar uma moral mais ou menos rabugenta - àqueles que vos cercam (são maçantes, os sabichões, com sua moral!). Não é brandindo uma moral que se converte o mundo – que se faz de seus filhos verdadeiros cristãos – mas anunciando a nova prodigiosa do amor de Deus por nós. Como? Não deixarei de vos responder. Um verdadeiro amor ao próximo, paciente, perseverante, eis a “alavanca” que não falha. P.S. - Lembrai-vos, pois, durante todo o curso deste ano, nas reuniões mensais, do dever capital de apostolado.  Henri Caffarel CM 478


Existem muitas formas de se chegar a Deus. Na sua infinita bondade e no seu infinito amor, Deus nos chama continuamente; nos atrai para perto de si, nos seduz. Às vezes nos deixamos seduzir; outras, fugimos para longe. Aprouve a Deus nos criar para a liberdade e fazer de nós pessoas muito diferentes entre si. Assim, o que atrai a um, não atrai a outros. Assim como acontece com os nossos filhos: fazemos o possível para agradar e demonstrar nosso amor por todos, só que agimos diferente de acordo com a necessidade e a personalidade de cada um. Imaginemos nosso momento de vida como se estivéssemos em alto mar e Deus nos aguardasse na margem segura. Ele nos chama e ouvimos sua voz. Muitos de nós se dirigirão até Ele nadando, braçada após braçada, na esperança de alcançá-Lo. Nós, casais equipistas, contudo, somos convidados a ir até Ele de uma forma diferente: A dois, em casal. E nos é fornecido um barco (do francês antigo esquif, que dá origem à Equipe), no qual só podemos embarcar juntos, ambos remando este mesmo barquinho. A forma de espiritualidade (ou de chegar a Deus, é a mesma) a que fomos chamados é bastante intrigante, pois é menos cansativa que ir sozinho a nado; pode ser muito mais rápida, mais prazerosa, mas talvez não consigamos chegar CM 478 462

por este método. Todos sabem que para duas pessoas num barco chegarem a algum lugar é preciso que estejam no rumo certo, e ambos remando na mesma direção. Pode ser que um de nós seja mais forte e reme incansavelmente, enquanto o outro pare muitas vezes para descansar. Não pode acontecer que rememos cada um para um lado, pois o barco não sairia do lugar e jamais chegaríamos. Por isso dizemos que no casal um é responsável pela santidade do outro. É impossível que um diga ao outro: “eu estou buscando a Deus e você siga o caminho que quiser”, pois estamos no mesmo barco, e quando um barco afunda, ele não o faz pela metade. Estamos encerrando no nosso Setor mais uma equipe de pilotagem paralela (casais que entraram em equipes prontas, mas incompletas) e a pergunta que fazemos a eles e que seria propício que todos nós respondêssemos de vez em quando é: é assim que vocês querem se aproximar de Deus? A dois? Vocês aceitam buscá-lo remando no mesmo barco? Se sim, é melhor habituarem-se a remar juntos na direção do Deus que nos chama e nos atrai continuamente para si. A Equipe pode nos ajudar indicando o caminho, mas remar compete a cada um de nós.  Helena e Cal CR Setor Limeira Limeira-SP 15

Formação

você vai nadando ou de barco?


o que é ser um conselheiro das ens Desde quando era seminarista, com D. Airton José dos Santos, ouvia falar do Movimento das ENS. Nós éramos curiosos para saber o que acontecia em cada Reunião Mensal, e como era o trabalho do sacerdote numa Equipe. Por que precisavam de um padre? Quando me tornei diácono, fui convidado pelo Pe. Fernando Rocha a assumir uma Equipe. Desde outubro de 2002, comecei um trabalho com a Equipe Nossa Senhora Aparecida. Afirmo e com muita alegria, que a cada dia me encanto mais com o Movimento, pois vejo que é sério, dá frutos, e muda a vida de um casal cristão, por causa da presença de Deus entre eles. A inspiração do Pe. Caffarel foi excelente, pois desde o início, desejou unir os Sacramentos do Matrimônio e da Ordem. Nós, como padres, ajudamos os casais a ir ao encontro de Deus e os casais nos ajudam, com suas alegrias e dificuldades, como ajudar muitas famílias em nossas comunidades. Quantos Retiros já preguei na paróquia e quantos casais já ouvi nestes 11 anos de padre! E dentro da metodologia das ENS, sempre pude ajudá-los a encontrar em Deus solução à vida conjugal. O SCE não é um mero espectador na Equipe. Ele é parte da Equipe e tem a seguinte missão: 1. Participar das reuniões preparatórias: Na qual o SCE es16

cuta o casal, conversa com os filhos e orienta, na fé, cada situação daquela família; 2. Ajudar a animar as reuniões: com uma oração diferente, criativa, medita com os casais a Palavra de Deus, reza com eles e por eles; 3. Expor o tema de estudo: depois de ouvir os casais, o SCE deve acrescentar outras informações que tenham passado despercebidas. Além de contribuições na espiritualidade, na doutrina e na fé; 4. Ouvir e orientar os casais na coparticipação : o sacerdote como homem de Deus escuta, orienta e reza. E, à luz da fé e da doutrina, ajuda-os na vida pessoal e conjugal; 5. Amigo: acima de tudo, o SCE deve ser um amigo, um pai que ama, corrige e faz tudo para que seus filhos cresçam diante de Deus. Afirmo, com alegria, que me realizo em cada Reunião Mensal. Nestes anos de Equipe, nunca deixei de fazer uma reunião preparatória ou mensal; pois em cada encontro quem cresce sou eu, e isto me faz ser mais padre e me apaixonar ainda mais pelas famílias. Que Deus olhe com muito carinho para cada Equipe e dê, a nós, Sacerdotes Conselheiros Espirituais, sabedoria e amor nesse serviço a Deus e aos casais.  Pe. Alex Sandro Camilo SCE Setor São Caetano São Caetano-SP CM 478


vida de equipe O Espírito Santo inspirou o Padre Caffarel a criar o Movimento em “pequenas comunidades”, as equipes. Ele nos convidou a buscar a nossa santidade não só como casal, mas, também, em comunidade! Arriscamo-nos a comparar a vida de equipe com a vida de casal: Compromisso: assim como o sacramento do Matrimônio é o ápice do compromisso de amor assumido livremente pelos cônjuges, na vida de comunidade os seus membros também são chamados a se comprometerem uns com os outros, a darem seu “sim” uns aos outros – um verdadeiro pacto! É uma decisão de priorizar o “nós” em detrimento do “eu”. Gradualidade: na vida em casal, temos estágios diferentes de amadurecimento humano e espiritual, a harmonia passa, necessariamente, por um “esperar” e “estimular” o outro. Na vida de equipe nós também precisamos respeitar o tempo do outro. Respeitar os irmãos que não estão no mesmo ritmo que nós, que não estão prontos para dar os passos que já conseguimos dar. Amor: Sabemos que o amor é construído no dia a dia, e precisamos investir bastante nele, não é? O filósofo Erich Fromm afirmou que o amor é uma decisão e não um sentimento. Da mesma forma na vida de equipe, devemos tomar a decisão de amar nossos irmãos! A vida de equipe, portanto, não está no âmbito do sentimento ou do “eu gostaria que tal pessoa fosse desse jeito”. Devemos amar decididamente quem o 17 478 CM

Senhor colocou ao nosso lado, e não quem nós escolhemos. Perdão: Jesus perdoa os nossos pecados! Também nós precisamos perdoar, e perdoar sempre! Não é fácil, mas quando estamos abertos à graça de Deus nós conseguimos. Em nossas casas fazemos essa experiência quase todos os dias... Também na vida de equipe temos a oportunidade de perdoar. Perdoar o casal que não nos deu a atenção que queríamos, ou que foi áspero conosco, ou que falou mal a nosso respeito. Caridade: nós chamamos de caridade o amor vivido em atitudes práticas. Experimentamos isso, no nosso casamento, através do serviço ao outro, no ouvir, no silenciar, no acolhimento, na docilidade do tratamento, etc. Na vida de equipe não é diferente! Devemos lavar os pés uns dos outros, servindo, escutando, não julgando, sendo verdadeiros, cuidando dos irmãos, etc. É isso o que nos faz ser diferentes de um clube social, ou amigos de trabalho. A nossa pertença às ENS não é fácil. O Movimento é exigente e requer de todos nós uma atitude séria, de busca do amor e da comunhão. Ser equipista é uma experiência divina, em que, mais do que ir à reunião mensal, é viver o clima da festa, da celebração da vida, uma maravilhosa oportunidade de nos exercitarmos juntos para chegarmos ao céu. Façamos esse caminho juntos!  Nena e Ronaldo CR Região SP Leste I São José dos Campos-SP CM 461 17


Vida no Movimento

PROVÍNCIA SUL I

Sessão de Formação Região SP Centro I No clima do Ano da Fé, aconteceu na Casa de Retiros Siloé, em Vinhedo, nos dias 19 e 20 de outubro de 2013, a Sessão de Formação Nível l, das Equipes de Nossa Senhora, com o tema: Fé e Vida Cristã. Sob a Luz do Espírito Santo e a proteção da Santa Mãe de Deus, Pe. Florentino (SCE Região São Paulo Centro I) conduziu os casais dos Setores Bragança/Morungaba, Campinas A/Mogi - Mirim, Campinas B, Indaiatuba, Louveira, Valinhos e Vinhedo nos caminhos de nossa Fé Cristã, Católica. Foram abordados temas catequéticos e missionários da vocação

cristã, numa evangelização que tratou a História da Salvação, Espiritualidade Cristã, Sacramentos e Ano da Fé. Nestes dias tivemos Celebrações Eucarísticas, momentos de informação, ricas troca de experiências nas reflexões em grupo, Oração das Vésperas (no Mosteiro de São Bento) e até sessão de cinema, com pipoca. “A atitude de fé é a primeira e a mais fundamental, para sermos associados aos planos de salvação que Deus tem por nós.”  Vânia e Ricardo CR Setor A Campinas-SP

Encontro Provincial 2013 Num misto de alegria e expectativa, iniciamos, no dia 08.11.2013, em Santa Fé-SP, o Encontro Provincial 2013 da Província Sul I. A abertura oficial, na 6ª feira à noite, iniciou com a entronização 18

da imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira da Província Sul I. Conduzida pelo CRP - Hermelinda e Arturo, o momento remeteu-nos para um ambiente de grande espiritualidade e emoção, e nos trouxe a CM 478


certeza de que a nossa tão querida Mãe se faria presente durante todo o Encontro, amparando, confortando e animando a todos. Ainda no auditório, tivemos a oportunidade de acolher a Região SP Leste III, recém-constituída, através do CRR e dos seus Setores, bem como os demais CRRs e seus respectivos colegiados. Após esse belo e alegre momento, o CRP falou sobre os objetivos de nosso encontro: 1. Animar os membros da Província Sul I para o exercício da responsabilidade; 2. Oferecer meios que auxiliem na reflexão e discernimento sobre a caminhada no Movimento; 3. P roporcionar momentos de evangelização, de formação e de troca de experiências; 4. Realizar e celebrar a Unidade do Movimento. Em seguida dirigimo-nos em procissão para a Capela, onde se realizou a Celebração Eucarística, presidida por Dom Pedro Luiz Stringhini, Bispo da Diocese de Mogi das CruCM 478

zes e concelebrantes Pe. Paulo Renato, SCE da Província, Pe. Flávio Cavalca e demais SCE presentes. No decorrer desta Santa Missa ocorreu a cerimônia de Compromisso e Posse dos novos CRSs e seus SCEs. Durante os dois dias do Encontro Provincial, podemos dizer que foram muitos os momentos de formação, partilha, testemunhos de casais e de Sacerdotes Conselheiros Espirituais. Percebemos a alegria do serviço e o compromisso de uma aliança séria com Deus e com o Movimento na partilha dos conhecimentos e dos progressos e dificuldades. Foram momentos fortes que nos servirão de referência, motivação e embasamento para a caminhada equipista de 2014. Encerramos o Encontro já engajados no gesto de cuidar do outro, de acolher e testemunhar o amor de um Deus, que se faz vivo no meio de nós!  Márcia e Rubens CR Região SP Centro I São Paulo-SP 19


Mutirão Os Setores A e B de Sorocaba-SP, da Região SP Sul II - Província Sul I, realizaram o Mutirão em outubro de 2013. A alegria e o entusiasmo foram contagiantes para mais de uma centena de participantes. Segundo o Pe. Tadeu Rocha, SCE do Setor B, o Mutirão é uma ação formadora de muitos em favor de todos. E acrescentou: esse Encontro, em Sorocaba, veio fortalecer o conhecimento do nosso Movimento e o encontro pessoal dos casais com Jesus Cristo. O programa do Mutirão foi dividido nas 5 partes de uma Reunião de Equipe. Os grupos se revezavam testemunhando, de forma descontraida, a importância dos PCEs. Essa formação foi realizada através de músicas, jograis, testemunhos, representação teatral e outras atividades criadas na unidade dos Setores de Sorocaba. O Pe. Manoel Júnior, SCE do Setor A destacou: é importante, sempre, reavaliar a caminhada e também manter a unidade do Movimento das ENS. O objetivo do Mutirão foi alcançado e levou os casais a refletirem sobre a Reunião de Equipe. Pediu aos casais para trilharem o mesmo caminho, em busca da santificação conjugal. As ENS no mundo: nos intervalos, os casais responderam os testes de conhecimento da história do Movimento. As ENS estão atualmente em mais de 70 países. No Brasil a primeira Equipe de Nossa Senhora foi instituída em 13 de maio de 1950, 20

pelo casal Nancy e Pedro Moncau, de São Paulo. As ENS surgiram em 1938 na França, Paris, através da inspiração do Padre Henry Caffarel e da participação de jovens casais franceses. O Movimento das ENS atravessou fronteiras e mares dos continentes nestes 75 anos. O Brasil é o País com o maior número de equipistas do mundo. O Mutirão de Sorocaba foi preparado durante dois meses, com muita dedicação. A liberdade dos casais em exporem seus temas, de forma criativa e pedagógica, para a formação dos participantes obteve o resultado esperado. Não poderíamos deixar de citar, para todos os nossos irmãos, os momentos marcantes de espiritualidade que nos sensibilizaram: a procissão com a entrada da Bíblia, a homilia, a entrega de botões de rosas a Nossa Senhora e o canto Bênção às Famílias, do coral, em um bonito gesto de comunhão, fraternidade e unidade.  Essa apresentação e outras imagens do Mutirão foram gravadas em reportagem da Rede Vida de Televisão e veiculadas para todo o Brasil. O Mutirão também teve repercussão na imprensa de Sorocaba e região e no Jornal Terceiro Milênio, órgão oficial da Arquidiocese e pode ser visto no Youtube - link: ENS Mutirão Momentos.  Claudete e Vanderlei Eq.02B - N. S. de Fátima Sorocaba-SP CM 478


Equipes de Nossa Senhora ÍNDICE GERAL DAS PUBLICAÇÕES DA CARTA MENSAL EM 2013 Este índice compreende as edições de número 469 a 477

edição p.

Título do artigo Atualidade Razões a favor do Aborto Digamos não ao PNDH3 (III Programa Nacional dos Direitos Humanos) Sínodo Sobre a Família

471

47

472 477

48 48

469 469

06 07

471 471 474 474 476 476

06 07 09 10 04 06

469 472 473 474 477 477 477

39 43 46 36 39 40 41

472 472

32 33

473

16

CORREIO DA ERI

Mensagem Pe. José Jacinto Ferreira de Farias – SCE da ERI A Porta da Fé Mensagem Pe. José Jacinto Ferreira de Farias – SCE da ERI Testemunhar a Fé ENS Sinal profético de um mundo novo Viver os conteúdos da fé Acreditamos no amor (1 Jo 1,4,16) A Dignidade e a Santidade do Casamento Cristão

CNSE

Agradecimento a Deus Hoje é tempo de louvar a Deus “O amor mais forte que a morte” Amai-vos uns aos outros como eu vos amo. A Padroeira do Movimento Caminhando na Esperança “Será o Trabalho uma Oração?”

DIA DOS NAMORADOS

Enamorar-se juntamente com Jesus Amor e Casamento

DIA DO PADRE – DIA DOS PAIS

Dia do Padre, Dia dos Pais

I ECOS DO XI ENCONTRO INTERNACIONAL Carta de Brasília convida para regressar à fonte

I

469

10


Título do artigo

edição

p.

ENCARTES

Índice Geral das Publicações da Carta Mensal em 2012 – Edições nº. 460 a 468 XI Encontro Internacional das ENS Carta Mensal Especial 466 outubro-2012 Demonstrações Financeiras 2012 – ENS Visita da Super-Região Brasil à Província Nordeste 3º Encontro Nacional das ENS do Brasil – Aparecida 2015

469 469 472 474 475

EJNS

2013: Ano que marcará a alma da Juventude Católica Brasileira EAJORE: Um momento importante de formação para as EJNS EJNS realizam primeiro curso nacional de Pilotos JMJ – A Juventude do mundo inteiro se encontra no Rio de Janeiro Diversidade na Unidade Somos a Juventude do Papa. Somos a Juventude de Cristo! Casais das ENS acolhem jovens peregrinos De Peregrinos a Acolhedores Minha experiência como peregrina na JMJ Voluntariado: Um serviço a Deus e à Igreja

FORMAÇÃO

Paz Desafios e Renuncias Equipistas A Eucaristia, Fonte e Ápice da Espiritualidade Orientações de quê...? Filhos do Mundo Formar-se é preciso A Busca por um Espírito de Unidade Eucaristia: Crer, Celebrar e Viver o Mistério Pascal “Viu” Conhecer para Amar! Salvação Uma boa refeição para uma boa comunicação Como se preparar para uma Reunião Mensal Ser Intercessor Caminho para a velhice IIII

469

38

470 471

47 44

472 474

44 35

475 475 475 475 475

38 40 42 43 43

469 16 470 11 470 12 470 13 470 14 471 12 471 13 471 14 471 15 472 15 472 16 472 17 473 14 474 13 474 14


Título do artigo

edição

Eucaristia: fonte e ápice da vida cristã Novas Formações nas ENS Correção fraterna, um ato de amor Equipe – Comunidade de Fé e Amor Focus em Deus A Mística do “SIM” Santidade e PCE Felizes O que é a Coparticipação

IGREJA CATÓLICA

As ENS e a Campanha da Fraternidade Como Viver o Ano da Fé As Indicações Pastorais para o Ano da Fé Páscoa Entrai por suas portas dando graças Viver a Páscoa hoje A Verdade que nos traz felicidade Credo – Profissão de Fé Corpus Christi Tu És Pedro! Festa de São Paulo e São Pedro O Entendimento do povo sobre o dia de São Pedro (e São Paulo) As Vocações, dom do amor de Deus! Oração pelas Vocações Verbum Domini O Pecado da Omissão A Direção Certa O Perdão Oração para o Perdão Finados, não corresponde à realidade Ousadia Divina, nela nossa ousadia Doutrina social da Igreja O valor de um Padre Compêndio da doutrina social da Igreja

MARIA

Mãe de Deus Oferta de uma entrega verdadeira A Esperança A Anunciação de Maria Assunção de Nossa Senhora Maria e a Eucaristia

III III

p.

474 15 475 13 475 15 476 12 476 13 476 14 476 15 477 11 477 12 469 12 469 13 469 14 470 05 470 06 470 07 470 08 471 09 472 07 472 08 472 10 472 473 473 474 474 475 475 475 476 476 476 477 477

12 06 07 06 07 05 06 06 08 09 10 06 07

470 471 471 472 473 473

10 10 11 13 08 10


Título do artigo “Fazei tudo o que Ele vos disser” O Sim de Maria Nossa Senhora Aparecida É Deus, e se parece comigo

edição

p.

474 475 475 477

12 10 11 10

477 477

37 38

469 470

33 42

473 474

42 34

473 473 473 474 475 475 476 477 477

11 12 13 08 07 08 11 08 09

NATAL Um desejo, um sonho de Natal Feliz Natal

Pe. CAFFAREL

Convite a um Amor Maior Padre Caffarel, e o Espírito Santo Somos responsáveis também pela Beatificação de Pe. Caffarel Padre Caffarel - Sua Bíblia em Imagens

PASTORAL FAMILIAR

Semana Nacional da Família Estatuto do Nascituro O Teor do Estatuto Família, recurso da sociedade Família e Vida Celebração Eucarística da semana da família De Nós e de Laços A beleza da família A lição do fogo

PARTILHA E PONTOS CONCRETOS DE ESFORÇO

A Meditação Cotidiana

Como anda a Oração Conjugal? Oração de Ano Novo O Dever de Sentar-se Faço por obrigação Regra de Vida, exercício do amor Um PCE Sustentável A Mística dos PCEs e Partilha O Amor começa em casa: Encontro com Deus no outro Dever de Sentar-se: Busca da Santidade Conjugal Coluna de Formação – O Retiro Anual Regra de Vida O Dever de Sentar-se É Questão de Prioridade A Mística dos PCEs e Partilha IV IV

469 469 469 470 470 470 470 471

29 30 31 35 36 37 38 35

471 471 471 471 472 472 473

36 37 37 38 35 36 38


Título do artigo

edição

p.

Retiro, Ponto Concreto de Esforço Retiro – O Caminho da Vida Espiritual em Casal Reavivando a nossa Fé Um Tempo - Retiro em Ribeirão Preto-SP Retirar-se para ir ao encontro O “Dever de Sentar-se” segundo Pe. Caffarel Regra de Vida... Escuta da Palavra Um Retiro para a Conjugalidade A Maravilhosa experiência dos Retiros Retiro – Conduzidos à luz do Espírito Santo A Escolha de uma Regra de Vida Como anda o nosso Dever de Sentar-se? Retiro

473 39 473 40 473 41 474 29 474 30 474 31 474 32 474 33 475 33 475 34 475 36 475 37 476 42 476 43

Regra de Vida Retiros ...

476 477

44 32

469 469 470 470 471 471 471 472 473 474 475 476 477

23 24 26 27 28 30 31 26 32 23 20 34 21

469 470 471 471

40 48 45 46

472

45

472 473 474

46 48 40

RAÍZES DO MOVIMENTO

“Cansei-me para encontrar Deus” Pensamento do Pe. Caffarel Baile de Máscaras Estamos Prontos Por que tantos fracassos? Sois Esperados Construir a Casa sobre a Rocha O Estranho Viajante Os Padres, Ministros da Palavra O Casal Permanente O Jogo de Equipe As Equipes de Nossa Senhora sua Razão de Ser A Entrada do Caminho

REFLEXÃO

Começamos um novo ano Deixar o passado para trás Nosso poder de julgar História do Lápis Como lidar com pessoas difíceis, a começar por mim Primeira peregrinação internacional das ENS – Roma – 1959: Partir... Caminhar... A Bíblia V

V


Título do artigo A Fábula da Convivência É Preciso Esforço O Bordado

SUPER-REGIÃO

Mensagem Pe. Miguel Batista – SCE-SRB Comunhão das almas Buscando a espiritualidade Portas abertas Jesus Cristo: Raiz da Espiritualidade Cristã Mensagem Pe. Miguel Batista – SCE-SRB “Minha Mãe!” A Conjugalidade “Comunidade de Comunidades: Uma nova Paróquia” “Obrigado, Senhor, por seu amor!” Os Fundamentos da Espiritualidade Conjugal Mensagem Pe. Miguel Batista – SCE-SRB “... E os Criou Homem e Mulher” Espiritualidade e Vida A Luz da Fé Sedentos da Palavra de Deus É Possível, Sim! “A Fé torna-nos fecundos” Discípulos e Missionários, na Escola de Jesus III Encontro Nacional à Vista! Exercício das Responsabilidades da Espiritualidade Conjugal Advento, tempo de perspectiva Via de Espiritualidade e Intercessão Alegria da boa nova É Preciso Ousar

TEMA DE ESTUDO

Em Busca de uma Espiritualidade Tema de Estudo 2013: Um testemunho Por que o Tema de Estudo? Em Busca de uma Espiritualidade Carta de Brasília “Mística de olhos abertos” Viver a Conjugalidade Oração e Caridade Espiritualidade Conjugal Problema D’ELE VI VI

edição

p.

475 476 477

48 48 47

469 469 469 470 470 471 471 471

02 03 04 02 03 02 03 04

472 472 472 473 473 473 474 474 474 475 475 476

02 04 05 02 03 04 02 03 04 02 03 02

476 477 477 477

03 02 04 05

469 470 471 471 471 472 474 475 475 476

32 40 39 40 41 37 17 16 17 33


Título do artigo

edição TESTEMUNHO

p.

Sim, Essa Pequena Palavra... 469 25 A Lapidação para o verdadeiro caminho 469 26 O Primeiro chamado 469 28 Nossa Espiritualidade antes e depois das ENS 470 28 Fomos CRE no ano que findou 470 28 Onde Reina o Amor 470 29 O Altar da nossa Ecclesia 470 31 O Testemunho de um SCE 470 31 Deixar ser guiado por Deus 470 32 Ninguém dá o que não tem 470 33 Nosso presente de Natal 470 34 ENS – Desatando nós, costurando nossas vidas 471 32 Experiência de um Casal Responsável 471 33 A Espiritualidade do Cotidiano 471 33 A Realização de um sonho... Sermos equipistas 472 27 Espiritualidade antes e depois das ENS 472 28 Onde existe o amor tudo é possível 472 29 Testemunho de uma Filha 472 30 Vocação Matrimonial e Familiar 472 31 Aprofundamento 473 33 Convite para amar mais 473 34 Ser Jovens Casais nas ENS: Um Testemunho em Equipe 473 34 Momento de Formação 473 36 Tapete de Corpus Christi 473 36 A Palavra de Deus em nossas vidas 474 25 Os desafios dos casais jovens nas ENS 474 26 ENS – Coral Mater Dei 474 27 CRE – Um Sim de Amor 475 26 O Caminho se faz Caminhando, 475 27 O Chamado de Deus 475 28 Busca da Maturidade Espiritual 475 29 Acolher e Servir 475 30 Dinâmicas nas reuniões e a nossa criança interior 475 31 Ajuda Mútua – A primeira Graça 475 32 A Cura 476 36 Uma Luminosa Noite de Oração 476 37 Esperar em Deus 476 38 Missão do CRR-PE II 476 41 Que Procurais? 477 26 Informar e Formar – Método diferente 477 27 A Gratuidade no Serviço 477 27 As mãos de Deus 477 28 Reforçando a Prática dos PCEs 477 30 Reflexões de um Sacerdote 477 31 VII VII


Título do artigo

edição VIDA NO MOVIMENTO

Encontros Provinciais 2012 Sessão de Formação Nível II II Encontro de Equipes Novas da Província Sul I Uma curiosidade: Equipe 1000 I Encontro dos CEs EEN – Encontro de Equipes Novas EACREs EACREs – 2013 Sessão de Formação Nível I – Fé e Vida Cristã Encontro dos Setores Norte I, II e III em Cruz-CE Mutirão 2013 Pastoral Familiar – Nossa Missão Sessão de Formação EEN – Encontro de Equipes Novas Encerramento das contas do XI Encontro Internacional Brasília Peregrinação em Pentecostes Missa 63 Anos das ENS Equipes de Nossa Senhora – 63 Anos Recompletamento: Abrir o coração para acolher Uma Nova Equipe: Setor C e Setor H A Equipe 04 de Brasília-DF continua Viva Sessão de Formação Nível III EEN – Encontro de Equipes Novas Sessão de Formação Nível I EEN – Encontro de Equipes Novas Mutirão Província Nordeste Sessão de Formação Nível III Colegiado Nacional 2013 Setor Castanhal – PA Mutirão Sessão de Formação Nível III-PA Sessão de Formação Nível III-CE Sessão de Formação Nível I da Região Rio V V Encontro de Equipes Novas – Novo Friburgo-RJ IV Encontro de Equipes Novas – Rio Claro-SP Província Sul III - Encontro Provincial 2013

3º ENCONTRO NACIONAL DAS ENS

Uma Peregrinação Comissão das inscrições Mensagem de Natal da ESRB

VIII VIII

p.

469 17 469 19 469 21 469 22 470 15 470 16 470 18 471 16 471 24 471 25 471 27 472 19 472 20 472 21 472 473 473 473 473 473 473 473 473 474 474 475 475 476 477 477 477 477 477 477 477

23 18 19 19 20 22 23 24 28 18 20 18 19 16 13 13 15 16 17 18 19

477 477 477

22 23 24


Crs - Formação Específica “As equipes são agrupadas em Setores e os Setores em Regiões. Os Casais Responsáveis de Setor e os Casais Regionais têm a responsabilidade do bom andamento das equipes que lhes são confiadas”. (Carta das ENS 1947)

Quando fomos chamados a assumir o Setor de Dois Córregos, confessamos que dúvidas, medos e insegurança ficavam girando em nossos pensamentos e, racionalmente, achamos que deveríamos dizer não. Porém o Espírito Santo agia... Insistimos em dizer não. Mas o Espírito Santo agia... Quando fomos dar a resposta, o sim saiu do nosso coração e aí as lágrimas rolaram e sentimos uma grande confiança de que Deus iria nos amparar. A alegria então nos invadiu. Dias depois o CRR nos convidou, juntamente com os CRS, para um dia de Formação Específica, seguindo as orientações das Equipes de Nossa Senhora. No dia 12.10.13 saímos de Dois Córregos, bem cedinho, para iniciarmos o dia com a Santa Missa. Chegamos à Matriz São Francisco de Assis de Brotas, participamos da Eucaristia; foi um momento de muita paz e reflexão. Depois da celebração tomamos um delicioso café da manhã e em seguida rezamos um terço com a comunidade. Logo depois, fomos à residência do CRR que, juntamente com a sua família, se empenhou em nos receber com imenso carinho. Sentimo-nos como que chegando à casa de velhos amigos, tamanha a gentileza e atenção recebidas. Foram momentos de oração, formação e convivência. Nos Documentos estudados sentimos a ação do Espírito Santo agindo, fruto do trabalho de muitas pessoas que os prepararam e fizeram chegar até nós para nos dar um respaldo ao trabalho para os próximos três anos de caminhada. Através dessa Formação ficamos amparados para seguir como filhos instruídos e capacitados para começar a trabalhar. A troca de experiências também foi enriquecedora. Voltamos para casa cheios de esperança, vontade de trabalhar e com novos amigos no coração. Agradecemos a Deus por esta oportunidade de crescimento recebida do Movimento das Equipes de Nossa Senhora!  Dani e Gé CR de Setor Dois Córregos-SP

CM 478

21


PROVÍNCIA SUL II

esperança para a salvação do mundo, pois “o futuro da humaé Een - Protagonistas da História Região SP Leste Aconteceu nos dias 28 e 29 de setembro no Centro Catequético Monsenhor Francisco Serra da Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio em Jaú, São Paulo, o segundo EEN na Província. Éramos 37 casais sedentos por nos aprofundar na caminhada da Equipe, conhecer mais e melhor o Movimento. Momentos de espiritualidade, de partilha e de muita alegria, trocamos experiências - uma grande família. Fomos brindados com a História do Movimento e situados no contexto atual mundial das ENS (quanta beleza: vimo-nos um elo naquele entrelaçamento de pessoas, agraciados em fazermos parte desta história) e reapresentados às Orientações do Movimento, suas propostas e meios, e à necessidade da busca diária e contínua desse aprendizado. Protagonistas da história - isto nos marcou fortemente. 22

Continuidade - fomos alertados sobre a responsabilidade de ser continuadores das ENS. Sentimento esse que foi constante na Reunião Mista. Os casais da equipe organizadora e de formadores e a alegria em servir, a acolhida carinhosa, os estímulos por perseverar na busca da espiritualidade e santidade em casal, os testemunhos sobre a importância do Movimento na trajetória matrimonial, os casais repletos de paz interior. Tudo isso fazia crescer dentro dos nossos corações, novatos nas Equipes, o desejo de alcançar essa graça. A seriedade e responsabilidade em fazer parte do Movimento foram coroadas com um Compromisso solene em que cada casal assumiu, entre outras coisas, querer ser fiel ao Carisma e buscar crescer na Mística. Ficou claro que perseverar na proposta das ENS é recompensador; buscar a santidade em casal é CM 478


a esperança para a salvação do mundo, pois “o futuro da humanidade passa pela família”, e isso não é possível sem casal, pais e filhos em harmonia buscando o bem do próximo. Que Maria aju-

de a cada um dos novos casais nesse propósito!  Valderez e Márcio Eq.04A - N. S. Rainha da Paz São Carlos-SP

PROVÍCIA CENTRO-OESTE

Encontro Provincial Nos dias 04, a 06 de outubro de 2013 realizou-se o Encontro Provincial da Província Centro-Oeste em Goiânia. Estiveram presentes os casais de Setor, Regionais e Sacerdotes Conselheiros Espirituais das seis regiões que compõem a Província. Foram momentos fortes e alegres pelo reencontro, em que no abraço, no sorriso e na acolhida Deus se fez presente no meio de nós. O Encontro iniciou com a Santa Missa presidida pelo Pe. Osmar, Conselheiro Provincial, e concelebrada por todos os SCEs presentes. Foi trabalhado e apresentado o Tema de 2014 “Ousar o Evangelho - Acolher e Cuidar dos Homens” e o Lema “Tudo o que fizerdes ao menor destes meus irmãos, CM 478

é a mim que o fazeis” (Mt 25, 40). As atividades plenárias, com palestras, flashes, dinâmicas nos prepararam em aspectos informativos e formativos como: Orientações para 2014, Qual a nossa Missão nas ENS?, Campanha da Fraternidade, o Ano Internacional da Família, a Ligação no Movimento, o Encontro Nacional das ENS 2015 em Aparecida, apresentação do Livro Colhendo os Frutos do Amor e do Documento, O Espírito e as Grandes Linhas do Movimento, bem como testemunho de um casal, que com seu exemplo de vida nos estimula a continuarmos firmes na missão de servir nossos irmãos e ao Movimento; o doc u m en t o o R e t i r o Es pi r i t ua l , 23


apresentado pelo Conselheiro Regional Pe. João Batista e, em sequência, o Casal Regional, Elza e Edilson motivaram todos para que em 2014 o Retiro seja um ponto forte para todos nós, que a participação seja de 100% dos equipistas. As celebrações e os momentos de oração deixaram os participantes alimentados espiritualmente, fortalecidos na unidade, em comunhão com Jesus e Maria, na certeza de suas presenças, nos conduzindo no exercício de nossas responsabilidades na missão. Tomaram posse 12 novos Casais Responsáveis de Setores e seus SCEs, lembrando-nos os benefícios da transitoriedade, da renovação no serviço da respon-

sabilidade nas ENS. O Encontro foi concluído com a Cerimônia de Envio: sermos missionários, já que somos discípulos. Todos os momentos transcorreram em clima de espiritualidade, simplicidade, alegria e grande espírito de acolhida, ressaltando sempre um dos mais significativos valores do equipista: o desejo de servir! O Encontro atingiu o seu objetivo: que todos retornassem aos seus Setores animados, esclarecidos e dispostos a servir sempre mais ao Pai e às nossas equipes de base.  Vera Lucia e Luiz Antônio CR Setor B Goiânia-GO

Encontro dos Conselheiros Espirituais

Foi realizado em Goiânia nos dias 7 e 8.10.2013, o primeiro Encontro dos Conselheiros Espirituais da Província Centro-Oeste. Aconteceu no Convento Mãe Dolorosa com a presença de 43 Conselheiros Espi24

rituais, na sua maioria sacerdotes, mas também com a presença de religiosas, vindos das seis Regiões que compõem a Província. Depois da abertura com uma Celebração Eucarística, o Pe. Osmar, CM 478


SCE da Província, discorreu sobre o casamento dos dois Sacramentos: Matrimônio e Ordem. Ali estavam as raízes e razões da atuação conjunta de casais e sacerdotes dentro das Equipes de Nossa Senhora. O Casal Provincial, Olga e Nei, falou sobre a rica história e expansão do Movimento e sua aprovação eclesial. O padre Flávio Cavalca fez uma abordagem sobre a pessoa do Pe. Caffarel, focando a sua mensagem, vida e carisma. Outros assuntos na pauta foram o Tema de Estudo 2014, o Retiro Anual e o Papel dos SCEs nas Equipes, este último apresentado pelo SCE Regional João Batista. Marcantes foram os testemunhos de Conselheiros Espirituais que falaram de seu crescimento sacerdotal e religioso a partir de sua pertença nas equipes. Dom Antônio Lino, bispo da Diocese de Itumbiara-GO nos contagiou com seu entusiasmo em testemunhar a importância de ser Conselheiro Espiritual e de pertencer às Equipes de Nossa Senhora, e outros participantes como sacerdotes

e irmãs deram seus testemunhos de que ser conselheiros espirituais das equipes é uma graça de Deus, pois auxiliam em suas vidas, fortalecendo suas vocações; e as equipes tornamse, pelo convívio, extensão de suas famílias. Nos trabalhos em grupo, a constatação definitiva de que Ordem e Matrimônio se encontram e se enriquecem na vivência fraterna de equipes, onde os conselheiros são estimulados para o exercício de seu sacerdócio e os casais chamados a serem testemunhas do amor, da fé e da esperança para o mundo. Agradecemos a Deus por nos possibilitar o convívio fraterno com os verdadeiros representantes de Cristo em nossas equipes, que se dispuseram em participar deste I Encontro Provincial dos Conselheiros Espirituais, enriquecendo-o com a partilha de suas experiências.  Afra e Beto CR Região Centro Oeste II Brasília-DF

PROVÍNCIA NORDESTE Encontro de sces no Colegiado Provincial Em de 19 de outubro, vinte e seis padres se reuniram sob a coordenação do Pe. Manoel Pedro Neto, SCE da Província NE. Após a invocação do Espírito Santo, o Encontro aconteceu em quatro momentos: 1) Apresentação dos participantes junto às ENS. Manifestaram o seu agrado em estar a serviço dos casais e, principalmente, à sua compreensão da imporCM 478

tância do Movimento como esperança para a família: igreja doméstica, na atual crise da família no mundo em mudança de época. 2) Distribuição de uma cópia do texto apresentado por Pe. Caffarel, intitulado ‘o último padre’, editorial da carta mensal nº 12. Baseado no texto de Graham Greene ‘o padre e a glória’, narrando a história de um padre alcoólatra, durante a perseguição da Igreja no 25


México vermelho, padre que não abandonou a sua ação pastoral. Pe. Caffarel escreveu: “existe nele, mais poderoso do que o seu pecado e a sua covardia, uma força que, constantemente, e mesmo sem ele o querer, o leva ao seu polo - a graça sacerdotal’. Aplicando às equipes “ricas e monopolizadoras” de padres, e fazendo-as refletir, Pe. Caffarel comenta: ‘se o padre encontrar em vocês, colaboradores que sejam testemunhas nos meios onde ele não pode entrar e lhe prepararem assim o caminho, se prolonga e de certa maneira multiplica o seu sacerdócio, então, não tenham receio. A sua presença entre vocês é legítima. Se tem a preocupação de conseguir maior campo de ação para o seu sacerdócio, se lhe preparam encontros com os que duvidam ou procuram, não sois ávaros nem “maus ricos”. Mas se assim não for... Não concluam apressadamente, sem fazer antes um exame de consciência”. 3) Comentários dos participantes: alguns salientaram a missão das 26

ENS como igreja doméstica e o serviço dos presbíteros junto a elas, enquanto exercício do seu sacerdócio ministerial, em função do sacerdócio do povo de Deus, exercido pelos cristãos leigos a partir da pequena igreja doméstica, que é a própria ENS. 4) Leitura da apresentação do 15º Encontro Nacional do Presbítero em 05.02.2014. Na apresentação e motivação do texto de estudo proposto para esse Encontro, Dom Pedro Brito Guimarães, presidente da comissão para os ministérios ordenados e a vida consagrada da CNBB escreve: “somos em torno de 22 mil presbíteros no Brasil... Com 22 mil padres daria para fazer a diferença na evangelização e na missão deste imenso país continental. O que está faltando? Por que pensamos tão pequeno e temos medo de outras igrejas concorrentes? O valioso e alegre Encontro finalizou com Ave Maria.  Mons. João Olímpio Castello Branco SCE Setor Vale do Jaguaribe Russas-CE CM 478


Encontro de Equipes Novas

Regiões Paraíba e RG Norte Com o tema “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”, realizouse nos dias 28 e 29.09.2013, em João Pessoa, o I EEN, da Região Paraíba e Região R.G do Norte. O Encontro foi dividido em 06 Módulos: Carisma e Mística, Orientações de Vida e Testemunho, PCEs e Partilha, Oração Conjugal, Dever de Sentar-se e sobre o Padre Caffarel. Estes módulos nos levaram às seguintes reflexões: Quem nos Guia? Para Onde Vamos? O que Levamos Conosco? Quem Vai Conosco? Qu and o no s reu n im o s em nome de Cristo, o Espírito Santo é o grande orientador de nossos pensamentos e ações, o que torna esse momento privilegiado, pois estamos na presença de Deus. É um momento vivido na Fé, em que, através da oração, do diálogo e do compromisso, buscamos um caminho de santidade, que faz de cada equipista um semeador da CM 478

Boa Nova no mundo de hoje. Respondemos a indagação: Quem nos Guia? E Para Onde Vamos? Vamos caminhando para a santidade que nos é ordenado pelo próprio Jesus, “Sede santos, assim como vosso Pai celeste é Santo!” (Mt, 5,48), e as ENS nos fornecem os meios para perseverar neste caminho de conversão e transformação de vida, pessoal e conjugal, sendo fortalecidos pela Palavra de Deus e pela Eucaristia que nos transforma e converte. Para refletir a terceira indagação, O que Levamos Conosco? Partimos do que nos disse Jesus no Evangelho de Lc 9, 3, “Não leveis coisa alguma para o caminho, nem bordão, nem mochila, nem pão, nem dinheiro, nem tenhais duas túnicas.” Na verdade, o que Jesus nos quer fazer entender é que não devemos ajuntar coisas materiais. Nós devemos levar conosco apenas o que for essencial para 27


testemunharmos o amor de Deus por nós através do Sacramento do Matrimônio. É através dos PCEs que levamos conosco apenas o que é essencial e o essencial é Jesus. E Quem Vai Conosco? Através do nosso testemunho podemos levar muitas pessoas a buscar a santidade, a descobrir que a oração nos aproxima de Deus e que a Eucaristia nos faz um só com Deus. Neste I EEN fomos renovados

na comunhão com Deus e com o próximo; tivemos o nosso compromisso de Equipista reafirmado e, tendo compreendido o espírito das Equipes, podemos agir no mundo como cristãos, dando testemunho da Ressurreição de Jesus com a certeza de sermos atendidos em tudo o que pedimos ao Pai pelo Nome do Senhor Jesus Cristo.  Leila e Roniere Eq.02C - N. S. da Conceição João Pessoa-PB

Encontro de Equipes Novas

Sergipe Num clima de muito entusiasmo, a Província Nordeste realizou nos dias 9 e 10.11.2013, o EEN, com Equipes dos Setores A e B de Itabaiana, Setor A de Aracaju e Setor Carira, da Região Sergipe. Na apresentação do Encontro, foi introduzida a ideia de “caminhada”: não só a vida equipista, mas a vida de todo cristão é uma peregrinação para a Pátria Definitiva. O caminho de seguimento de Jesus foi apresentado aos novos 28

casais como uma alternativa mais segura às ilusórias estradas desse mundo secularizado. O Encontro de Equipes Novas foi, sem dúvida, um momento de reflexão, de tomada de decisão e de conversão. Todo o processo da Pilotagem, culminando com o EEN, significou, para os casais, o início de uma nova caminhada. A formação recebida nesses dois dias, envolvida pela ação do Espírito Santo, tornou cada casal mais consciente da Mística e EspirituCM 478


alidade do Movimento; podemos afirmar, com certeza, que teremos equipistas mais comprometidos com a sua missão de casal transformador. O Encontro foi, também, para muitos, o despertar do sentimento de pertença ao Movimento. O acolhimento, a proximidade com outros casais, também iniciantes, a troca de experiências, a partilha de suas expectativas, o Compromisso assumido na Celebração Eucarística, tudo isso; levou cada um a dar o seu sim e elevou a certeza de que estão caminhando em terreno fértil, no caminho certo. Foram dois dias de estudo, de reflexão, de novos conhecimentos, de aprofundamento da fé e de vivência equipista; foi também de convivência fraterna, de ani-

mação, demonstrando, de uma maneira bem descontraída, que não são apenas Equipes Novas, mas, casais jovens que caminham para Deus. Tudo isso que aconteceu na Região Sergipe se resume numa frase muito forte: “Bênçãos e graça de Deus”. Não só para os casais participantes, mas também para a Equipe Formadora, composta de 2 casais e 1 sacerdote de Sergipe e 2 casais da Bahia. O apoio do CRR, dos CRS foi imprescindível para que pudéssemos dizer mais uma vez, cheios de emoção: “O Senhor fez em nós maravilhas!”  Dilma e Paixão Eq.01A - N. S. de Fátima Aracaju-SE

PROVÍNCIA NORTE Encontro Provincial Reforço da Unidade e Fidelidade

Foi com imensa alegria que vivenciamos o nosso primeiro Encontro Provincial, da Província Norte, em Ananindeua-PA, nos dias 08 a 10.11.2013. Inspirados pelo Espírito Santo, o CRP, auxiliado por sua excelente equipe de apoio, conduziu este momento tão especial, reunindo os CRRs, CRS e seus respectivos SCEs das Regiões Norte I, II e III. Foi maravilhoso identificar o testemunho de amor, ao serviço nas ENS, demonstrado por todos os envolvidos no evento, seja, na magnífica pregação do CM 478

SCE Provincial, Mons. Marcelino, que não mediu esforços para nos engrandecer com seu profundo conhecimento teológico e experiência equipista, seja, nas ricas palestras, ministradas por casais, que várias vezes nos sensibilizaram por percebermos que transbordam espiritualidade e mostram verdadeiro amor ao Movimento. O clima desse Encontro Provincial emocionaria o Pe. Caffarel, que, em sua primeira visita ao Brasil, em julho de 1957, falou: O difícil não é viver com entusiasmo a juventude, mas, sim, com fidelidade a idade adulta e 29


com fervor a velhice. Percebemos que isso é possível, porque estas três gerações estavam lá, imbuídas dos seguintes objetivos: os jovens, sedentos em aprender, e os de mais tenra idade, desejosos de se doarem por completo, para encherem os nossos vasos de amor, carinho e conhecimento da Mística e da Espiritualidade do Movimento. Algumas mensagens nos fizeram refletir que, somente ousando o Evangelho, seremos capazes, como casais cristãos, de acolher e cuidar dos homens, como nos propõe o tema das ENS/2014. Se, verdadeiramente nos dispusermos a seguir a exortação de Cristo: Tudo que fizerdes ao menor dos meus irmãos, é a mim que o fazeis, seremos capazes de nos colocarmos a serviço dos outros. 30

Destacamos, ainda, a fantástica troca de experiências vividas no momento de formação, inclusive nos grupos de reflexão, que foram de muito crescimento. Enfim, estamos agradec i d o s a Deus por este Encontro Provincial, fonte de inúmeras graças, que nos ajudam a perseverar na caminhada das Equipes de Nossa Senhora. Saímos dele formados e informados quanto à responsabilidade no Colegiado e a necessidade de reforço da unidade e fidelidade ao espírito do Movimento. “O vosso sim fortalece o nosso sim”, que o sim da nossa Amada Mãe Maria possa ser exemplo para estarmos sempre prontos ao serviço!  Cyntia e Jasson CR Região Ananindeua Ananindeua-PA CM 478


Evangelizadores...

No dia 30 de novembro passado, participamos da última reunião do Colegiado do Setor Santos A. Nossa última atividade como Casal Responsável de Equipe. Apesar do tempo nublado, passamos uma tarde maravilhosa junto aos casais e SCE do Setor e demais CREs de 2013. Entre as várias colocações e testemunhos sobre como “motivar” nossos filhos a fazerem parte da Igreja, e como consequência, no futuro, se tornarem jovens e casais equipistas, uma me fez pensar e relembrar a importância de sermos exemplo e servimos de modelo para outros casais e adolescentes. Sou filho de casal equipista... (pensando bem, de vários casais equipistas... casais da equipe Nossa Senhora do Bom Parto, de Santos). E se hoje fazemos parte do Movimento, é porque nos inspiramos e nos espelhamos nos casais dessa Equipe. Uma equipe com 5 casais e, acreditem, 14 (não errei na digitação...) crianças. Todas elas “participando” das reuniões mensais nas casas dos “tios”. Entenderam por que ENS do Bom Parto? Na fase de crescimento, ainda criança e na juventude, comecei a pensar o que motivava esses casais a saírem de suas casas em um dia do final de semana por mês, há anos, para se reunirem, orarem, partilharem, rirem, e até mesmo chorarem. Pessoas tão CM 478 462

diferentes umas das outras (profissões, temperamentos, posições políticas, naturalidade etc.), mas que se completavam, tratavam-se com carinho, respeitando o posicionamento de cada um, enfim, simplesmente, se amavam. Uma família de irmãos em Cristo, escolhidos por Ele, buscando crescer espiritualmente como pessoas e casal. Foi através desses pensamentos e da ânsia de entender tudo isso que coisas maravilhosas foram acontecendo em minha vida... Entrei para as EJNS, conheci minha amada esposa, nos casamos, tivemos uma filha linda (Fernanda), e hoje já se completam 6 anos que fazemos parte do Movimento! Se você conseguiu chegar até esse ponto, vou me atrever a dar dois conselhos: - Leve seus filhos para as reuniões e Missas mensais! Participem em família! - Tome cuidado! Com certeza, tem alguém buscando você como exemplo e modelo de pessoa e casal. Quem me conhece, sabe que eu nunca me arriscaria a escrever um texto para a CM, porém é uma maneira de tornar público o meu carinho e agradecimento a esses casais que foram meu exemplo! Amo vocês!  Thiago, da Eli Eq.10A - N. S. da Luz Santos-SP 31

Testemunho

casais equipistas


NASCE MAIS UMA EQUIPE!

Foi com grande alegria que, no dia 21 de novembro de 2013, na missa do sim, realizada pelo Setor São Caetano, na Paróquia Nossa Senhora da Candelária, todos nós, membros da ENS Rainha da Paz, demos o nosso sim! Essa nova equipe teve início pela vontade de um dos casais, que a exemplo de seus pais, queriam ser equipistas. A partir daí, o casal Vera e Clovis assumiram a missão e conduziram as Reuniões de Pilotagem nos ensinando, muito, sobre a história do Movimento, as normas, o Estatuto, a grandiosidade da vida do Pe. Caffarel e, principalmente, testemunharam uma vida de Oração Conjugal. Outra grande alegria foi ver, no dia 07.12. 2013, nosso Conselheiro Espiritual, João Paulo Rizek, até então diácono, ser ordenado Sacerdote, em uma belíssima cerimônia presidida pelo Arcebispo D. Odilo Scherer, na Catedral Metropolitana de São Paulo. Nesse período, pudemos perceber as grandes maravilhas de Deus em nossas vidas, seus ensinamentos, e as grandes transformações que acontecem em nós, dia após dia. Isso tudo tem nos motivado a “ser equipe”, para assim testemunhar também uma vida conjugal de oração, sendo casais jovens inseridos na sociedade, porém com um grande diferencial: ser cristão acima de tudo!  Viviane e Tiago Eq.15 - N. S. Rainha da Paz São Caetano do Sul-SP 32

CM 478


São José da Tapera você pode ser, na sua paróquia, o responsável em divulgar o pensamento da Igreja e procurar dispor de materiais para as famílias! Por que não?” No Retiro o palestrante conduziu sua fala a partir desse ponto e enfatizou a necessidade de as Equipes terem uma atenção maior a essa questão. O Pe. Caffarel, no discurso Nos dias 05 e 06.10.2013 acon- de Chantilly, trata dessa questão teceu o Retiro Anual das ENS, no no item 3 - O que não podia ter Colégio João Paulo II. sido visto do carisma fundador: Apesar de, por motivo de saúde, A quarta coisa que há quarenta Adeilda não ter podido ir, o Retiro anos não se podia prever: essa foi para mim e para ela motivo de multiplicação dos métodos e louvor: nossos amigos nos acolhe- processos da contracepção. Isso é ram e nos fizeram sentir o amor de uma transformação formidável nas Cristo através dos abraços fraternos ENS, porque, se outrora a maior da família equipista de Nossa Senho- parte dos casais tinha uma grande ra presente e por meio das mensa- preocupação de respeitar a lei de gens telefônicas, a nós enviadas, de  Deus, atualmente inúmeros casais Arapiraca e de Maceió. das ENS praticam a contracepção, e Foram vários os momentos es- isso preocupa-me enormemente... peciais: dinâmicas, deserto, pales- Ora, quando, num Movimento, há tras, palestrante, padres, amizades uma grande proporção dos seus e a acolhida. membros que não quer ouvir falar Um momento marcante foi quan- da lei de Deus, esse Movimento do o palestrante colocou em evidência arrisca-se a perder o estado de uma missão que ele recebera do bispo graça e resvalar para a decadência de Frederico Westphalen (RS), Dom e para a perversão (O carisma Antônio Carlos Rossi Keller na JMJ Rio fundador, p. 26). 2013, da qual participara. “Na JMJ tiDeus é justiça, mas também é vemos as catequeses com os bispos, amor! Apelemos ao amor de Deus; numa delas eu fiz uma colocação com que Ele possa inspirar-nos a viver respeito aos métodos anticoncep- essa questão tão delicada de acorcionais: a Igreja nos orienta a não usa- do com a Sua vontade. “O amor é mos métodos contraceptivos aborti- muito paciente e bondoso...nunca vos e sim métodos naturais, mas em é egoísta...”(1Cor 13, 1-13).  minha paróquia não temos matérias Veloso, da Adeilda disponíveis!. Dom Antônio nos orienEq.09 - N. S. da Saúde tou sobre o assunto e me deu a missão: São José de Tapera-AL CM 478 462

33

Partilha e Pontos Concretos de Esforço

retiros 2013


Testemunho de amor - Piracicaba O que levaria um homem a um Retiro de um final de semana, acompanhando uma mulher acometida pelo mal de Alzheimer? Após fazer esta pergunta a mim mesma, a única resposta possível foi: o amor. Somente o amor provocaria uma atitude de tamanha relevância. Então, pensei comigo mesma: se as palavras do pregador não me provocarem mudança, estou muito certa de que o amor deste homem já foi o suficiente para mexer com meu coração. Este foi somente o início daquele que seria, daquele momento até o final, um Retiro valiosíssimo. Isso aconteceu em agosto, no Retiro das ENS do Setor B de Piracicaba, SP. Nosso Retiro aconteceu no Seminário Santo Antônio, no Alto da Serra de São Pedro. A imagem do casal, Aldo e Marlene, participantes do Movimento das ENS há 23 anos, tocaram-me profundamente, quando aquele homem conduzia com tanto cuidado e carinho extremo a sua amada, que já não reconhece as pessoas, nem mesmo aqueles com quem conviveu muito proximamente durante anos, e que precisa do esposo a guiar-lhe a todos os lugares,

a preparar-lhe o prato de refeição, enfim, a ser-lhe a memória que insiste em abandoná-la. Tenho certeza de que o amor demonstrado naqueles gestos tocou não apenas a mim, mas a muitos outros. E isso me fez pensar que as minhas atitudes de amor tornam-se pequenas diante de tanto carinho e atenção, e dedicação e paciência. Todos sabem o quanto alguém acometido por este mal fica dependente do outro. No caso deste casal, 100% do tempo. Voltei para casa agradecendo ao Pai, por ter permitido aos meus olhos presenciar tamanho amor, por ter enviado mais esta mensagem para mim: “filha, este é o amor que eu tenho por cada um de vocês”. Obrigada, Senhor, por enviar anjos para me falar do Seu amor! Parabéns, Aldo e Marlene, por serem superiores a uma situação tão delicada e de tamanha exigência. Acima de tudo, muito obrigada, pois a presença de vocês em nosso Retiro transmitiu-nos um lindo e silencioso testemunho de amor.  Rosângela, do Ademir Eq.07B - N. S. do Bom Parto Piracicaba-SP

A regra de vida Quantas vezes nos decepcionamos com o resultado de uma Regra de Vida ou nos deparamos pensando se é realmente necessário fazer isto? Talvez sequer entendamos perfeitamente o que é 34

e que sentido tem para nós, mas ela está presente em nosso cotidiano muito mais que possamos imaginar. Procuremos aqui tentar entender o que é Regra de Vida como CM 478


um Ponto Concreto de Esforço: é algo real em nosso comportamento que exige empenho, coragem, força, interesse, zelo, esforço para melhorar. Isto nos leva a pensar qual o motivo de praticarmos repetidamente algo que não é bom e chegamos às origens em Adão e Eva. O ser humano, nascido para ser bom, deve escolher entre o bem e o mal e é isto o que propõe este PCE: a escolha da prática do bem e o efetivo afastamento da prática do mal ou, ainda, escolher entre ser filho de Deus e não do diabo. Em Jo 8,32-44, vemos a conversa de Jesus e as autoridades dos judeus que afirmavam ser filhos de Abraão e Jesus, replicando: “Se vocês são filhos de Abraão, façam as obras de Abraão”. Por fim, Jesus disse categoricamente: “O pai de vocês é o diabo, e vocês querem realizar o desejo do pai de vocês. Desde o começo ele é assassino, e nunca esteve com a verdade, porque nele não existe verdade. Quando ele fala mentira, fala do que é dele, porque ele é mentiroso e pai da mentira”. Da mesma forma que as autoridades judaicas se diziam filhos de Deus e Jesus dizia o contrário, devemos analisar a nossa própria conduta para saber de quem somos filhos. Ou seja, é o nosso comportamento, as nossas práticas diárias que nos tornam bons ou maus; e para isso, é necessário primeiramente aceitar a verdade para depois fazer um compromisso de melhora própria e, assim, se 35 478 CM

tornar um verdadeiro filho de Deus, que pratica as obras dos santos; o desejo de Deus e não do pretendente a opositor, utilizando a mentira para a continuidade no erro. A Regra de Vida é a busca da felicidade real. É acordar pela manhã e saber que iniciou um novo dia, para concretizar tudo aquilo ainda não realizado de bom ou iniciar este intento. É seguir em frente olhando para trás, apenas para saber que os erros conduzem-nos ao caminho certo e nunca a lamentações. É seguir em frente caindo, por ser humano, mas levantando-se por encontrar a mão de Deus estendida ao aguardo do nosso reerguimento, como o pai e a mãe ensinam o filho nos primeiros passos. Todas as vezes que desejamos melhorar a nossa conduta má, a partir das mais simples ações até as mais complexas, e damos o primeiro passo, a Regra de Vida está presente. Isto torna fácil, por exemplo, o Dever de Sentar-se,  deixando de apontar o defeito do outro para aceitar o próprio, torna fácil a Escuta da Palavra, após compreender a sua importância, objetivando-se a deixar de mentir para si  e/ou para os outros ao inventar desculpas para não ler, torna fácil ser feliz em casa, no trabalho ou mesmo ser um verdadeiro filho de Deus, um santo seguidor de Jesus Cristo.  Lu e Israel Eq.06 - N. S. do Amor Divino Núcleo Bandeirante-DF CM 461 35


Notícias

uma missa na Igreja Matriz de Guapiaçú-SP. A eles nossos parabéns e votos de muitas felicidades! Joilza e Eudice

BODAS DE OURO Marilisa e Nelson

No dia 12.10.2013, numa festa íntima, festejaram suas Bodas de Ouro, com seus três filhos, nora, netos, demais familiares e a Eq.03C - N. S. da Alegria em Florianópolis-SC, à qual pertencem já há 30 anos. Parabéns, e que Deus continue abençoando o querido casal!

Integrantes da Eq.03B - N. S. do Imaculado Coração de Maria em Fortaleza-CE, comemoraram no dia 18.12.2013, 50 anos de feliz vida matrimonial. Obrigado, Senhor, pela felicidade e por tantas bênçãos recebidas.

JUBILEU DE PRATA DE EQUIPE Eq.01 - N. S. Aparecida

Cida e José

Integrantes da Eq. 02 - N. S. Mãe Aparecida, comemoraram Bodas de Ouro no dia 12.10.2013 com 36

Com muita alegria comemorou em junho passado, os seus 25 anos de existência. Foi um momento de celebração e ação de graças que contou com a participação de todos os sete casais (que estão juntos desde o início da Equipe), seus familiares, bem como SCEs e amigos que marcaram a caminhada da equipe. . CM 478


Eq.09B - N. S. Escudo da Fé

A Santa Missa concelebrada pelo atual SCE, Pe. Lindomar, e por dois ex-SCE, Pe. Rossini, hoje morando na Itália, e Frei Eldi, foi o ponto maior da comemoração dos 25 anos da nossa equipe em BelémPA, no dia 26.10.2013. Agradecemos ao Pai, pelo passado, com todas as nossas lembranças do que ocorreu de bom e outras não muito boas, pelo presente, que estamos enfrentando sem fraquejar e pela esperança do futuro de paz em nossas vidas. A Equipe viveu momentos fortes como membros das ENS, não só na caminhada espiritual e de Igreja, mas também na vida familiar e de trabalho, destacando a emoção de ter recebido a visita de D. Nancy Moncau, em 1994; da participação de alguns casais na Peregrinação à Aparecida (2000), e nos Encontros Nacionais de 2003 e 2009 e Internacional de 2012. Dos seis casais atuais, quatro perseveram desde o lançamento em 26.10.1988. Obrigado, Senhor, obrigado N. S. Escudo da Fé, por nos terem dado estes irmãos como companheiros de caminhada de fé. Com eles e por eles podemos dizer: O Senhor fez em nós maravilhas e Santo é o Seu Nome! CM 478

ENS - 40 ANOS DE ESPIRITUALIDADE CONJUGAL EM BELÉM

Louvado seja Deus pelos 40 anos das ENS na Arquidiocese de Belém! Esta foi a saudação inicial de D. Alberto Taveira, Arcebispo de Belém, aos casais equipistas que participaram da Missa, em Ação de Graças, pelos 40 anos das ENS, em Belém, no dia 17.11.2013, enchendo a Basílica Santuário de N. S. de Nazaré. Foram concelebrantes o Bispo Auxiliar de Belém, D. Teodoro Mendes, o Arcebispo Emérito e SCE, D. Vicente Joaquim Zico e diversos SCEs. “O fato de os três bispos da Arquidiocese de Belém estarem aqui, neste altar, concelebrando, representa o apreço, o estímulo da Igreja de Belém ao Movimento das ENS, que esperamos que, cada vez mais, cresça e se expanda”, destacou Dom Alberto. Na homilia, D. Vicente, SCE da Eq. 06B - N. S. de Guadalupe, disse que a presença das ENS é “uma bênção visível de Deus de cada casal, cada Equipe, para a Igreja”. Segundo o Arcebispo Emérito, “vale a pena acompanhar uma Equipe de casais como eu acompanho. 37


Eles têm fé, eles são fermento na sociedade, trabalhando para que existam boas famílias, casais cheios de fé e alegria.” Em 1973, o casal Mônica e Plínio, equipista em Brusque-SC, recém-chegado a Belém - ele transferido por motivo de trabalho – em sua primeira missa dominical, na Basílica de Nazaré, procura saber junto ao pároco sobre as ENS na cidade. Ao ser informado de que ainda não existia, o casal propõe ao padre Giovanni Incampo a implantação do Movimento em Belém. Em pouco tempo nascia a Eq.01A - N. S. de Nazaré, semente que hoje se multiplicou em 74 Equipes, em sete cidades, que constituem os seis Setores da Região Norte II. O Pe. Giovanni, primeiro SCE, continua ativo equipista e a Equipe ainda tem dois casais e uma viúva da formação original. Quatro décadas de perseverança! O Plínio já está na Casa do Pai, mas Mônica, hoje equipista em Florianópolis, par ticipou das comemorações em Belém, que teve uma alegre convivência, com almoço, após a celebração.

JUBILEU DE OURO SACERDOTAL Pe. José Arlindo de Nadai Carinhosamente conhecido como Pa d re N a d a i d a Paró q u ia d o Divino Salvador de C a m p i n a s - S P, é sem dúvida um marco do espírito cristão em nosso 38

tempo. Sábios são seus ensinamentos, fundados na simplicidade e humildade  que inundam seu caráter. A Eq.09A - N. S. das Graças tem a felicidade de contar com sua dedicação e empenho como Conselheiro Espiritual. Portanto, Padre Nadai, muito obrigado pelo o que o Senhor já fez e continuará realizando por nós. Nossos sinceros parabéns pelos 50 anos de Sacerdócio comemorados no dia 06 de Janeiro, e que Deus nos permita desfrutar de sua companhia por longos e abençoados anos. Mons. João Olímpio Castelo Branco

Conselheiro Espiritual do Setor Vale do Jaguaribe há dois anos e SCE da Eq.01 - N. S. do Perpétuo Socorro há 18, quando acolheu o Movimento juntamente com o bispo D. Pompeu Bezerra Bessa, in memoriam. Natural de Fortaleza, desde os 9 anos se instalou na Diocese de Limoeiro do Norte onde até hoje permanece. Foi ordenado em Roma - Itália em 21.12.1963; comemorou seu Jubileu de Ouro com um Tríduo Vocacional ( 21 a 23.12.2013) em sua Paróquia - Sagrado Coração de Jesus - em Flores/ Russas-CE. CE). CM 478


JUBILEU DE PRATA SACERDOTAL Frei Lino de Oliveira, O. Carm.

No dia 03.12.13, completou 25 anos de Ordenação Sacerdotal. Questionado como descobriu a sua vocação, diz que foram três os motivos que o levaram a optar pelo Carm e lo: a vontade grande de servir a Deus e ao próximo, a presença carmelitana na região do Vale do Rio Paraíba do Sul e, por fim, as atividades que os freis carmelitas exercem pela região, em especial a devoção a Nossa Senhora. Atualmente é SCE de três Equipes no Setor B da Região São Paulo Sul I e ainda se dedica a acompanhar um Grupo de Experiência Comunitária. Sua dedicação ao Movimento das Equipes de Nossa Senhora é exemplar, pois durante sua vida sacerdotal sempre se fez presente quando solicitado. Louvamos a Deus pela dedicação que ele tem por cada um de nós, que temos o privilégio de com ele conviver. Pe. José Ernani Angelini No dia 08.12.2013 comemorou 25 an o s d e vid a sacerdotal. Logo cedo participou do Movimento das ENS. Na década de setenta foi Conselheiro Espiritual CM 478

na cidade de Angatuba. Nos anos oitenta, foi transferido para Sorocaba e aceitou o convite para integrar a nossa equipe. Foi SCE da Carta Mensal e atualmente é SCE de três equipes: a 3B, N. S. Mãe da Igreja, a 10B, N. S. do Espírito Santo e a 13B, N. S. da Divina Graça em Sorocaba-SP. Muito mais que um Conselheiro Espiritual, Padre Ernani é um grande amigo conselheiro, isso porque em todas as preparatórias participa do convívio íntimo das nossas famílias. Em todas as ações que se desenvolve nas Equipes, sabe invocar o Espírito Santo que nos orienta, fortalece e conduz para a alegria do serviço. A Paróquia de São José do Cerrado se organizou para a realização dessa celebração. Rendemos graças, sobretudo pela alegria de par tilharmos os ensinamentos deste grande e vocacionado Sacerdote. Pe. Raimundo Ribeiro No dia 14.12.2013, comemorou 25 anos de vida sacerdotal. Demonstrando muito amor pelo Movimento e p e l o s c a s a i s , Pe . Raimundo é um Conselheiro discreto, amoroso e sempre muito atento às necessidades de todos. Agradecemos pela sua dedicação ao Movimento das ENS, desde o início até a sua consolidação em toda Região Norte do Ceará. Obrigado por nos ensinar a ser casais cada vez mais unidos no amor de Deus. Obrigado pela 39


sua imensa bondade, carinho e amor! Obrigado ao Senhor nosso Deus pelos dons e talentos que lhe concedeu, pela sua vocação e pelos seus 25 anos de vida sacerdotal! Pe. Pedro Luiz Nierotka c.s. No dia 01.01.2014,  completou 25 anos de Ordenação Sacerdotal. A Eq.05F - N. S. Conquistadora da Paz, festejou o Jubileu de seu Conselheiro, com a comunidade d a Pa r ó q u i a S ã o José da Vila Nova, à qual pertence a maioria dos equipistas do Setor F. Cerca de 600 pessoas participaram da celebração Eucarística, presidida por Dom Dadeus Grings, Arcebispo de Porto Alegre, e do almoço festivo, entre elas os familiares do Pe. Pedro e outros 23 sacerdotes. 

Dom Gil Antonio Moreira Arcebisto de Juiz de Fora Bendito o que vem em nome do Senhor! A Eq.01B - N. S. da Natividade em Juiz de Fora-MG, com muita alegria recebe seu novo Conselheiro Espiritual: Dom Gil, Arcebispo da Arquidiocese de Juiz de Fora, que, com todo carinho, acolheu nosso convite para essa missão e já está devidamente integrado às ENS na Região Minas I, Província Leste. A presença de Dom Gil, certamente, será motivo de muita alegria e especialmente, de crescimento espiritual para todos que com ele conviverem. Por isso podemos dizer com muito carinho: Bendito o que vem em nome do Senhor!

VOLTA AO PAI

40

Pe. Divo Pedro Binotto No dia 23.10.2013 Integrava a Eq.04B N. S. do Carmo Jundiaí-SP

Enair (viúva do Hygino) No dia 01.12.2013 Integrava a Eq.01B N. S. da Providência Belém-PA

Alcir (da Dalva) No dia 05.11.2013 Integrava a Eq.03F N. S. da Estrada Juiz de Fora-MG

Dom Antonio Lino Diniz No dia 01.12.2013 Integrava a Eq.01 N. S. das Graças Itumbiara-GO

CM 478


Meditando em Equipe A conversão de São Paulo, que celebramos no dia 25 de janeiro, é um assunto tão importante para o Cristianismo, que foi narrado três vezes num mesmo livro (cf. At 9, 1-19; 22, 2-26; 26, 1-21). Na estrada de Damasco, por volta do meio dia, “a Palavra de Deus, viva, eficaz e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes”, caiu sobre o arrogante Saulo de Tarso, “dividindo alma e espírito, junturas e medulas, julgando as disposições e as intenções do coração” (Hb 4, 12). Uma simples frase: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues” (At 9, 5), fez Paulo enxergar, uma vez por todas, com clareza meridiana, as vigas mestras de toda a sua subsequente espiritualidade: a ressurreição e o corpo místico de Cristo. Ali morreu o Saulo perseguidor, e nasceu o Paulo apóstolo!

Escuta da Palavra em At 9, 1-19 Sugestões para a meditação: 1. Explique o sentido profundo da frase: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues” (v.5). 2. Que significam aqueles “três dias sem ver, nem comer, nem beber” (v.9)? 3. Por que Jesus não disse tudo diretamente a Saulo, mas recorreu a Ananias (vv.10-12)? 4. Descreva a missão que Jesus destinou a Saulo. Frei Geraldo de Araújo Lima, O. Carm.

Oração Litúrgica “Irmãos, ponde-vos de pé e cingi os rins com a verdade e revesti-vos da couraça da justiça e calçai os pés com o zelo para propagar o Evangelho da paz, empunhando sempre o escudo da fé, com o qual podereis extinguir os dados inflamados do Maligno. E tomai o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus. Com orações e súplica de toda a sorte, orai em todo tempo, no Espírito, e para isso vigiai com toda perseverança e súplica por todos os santos. Orai também por mim, para que, quando abrir os lábios, me seja dada a palavra para anunciar com ousadia o mistério do Evangelho, do qual eu sou o embaixador em cadeias: que eu fale ousadamente, como importa que fale” (Ef 6, 14-20).


o

Símbolo do 3 Encontro Nacional das ENS Aparecida 2015, escolhido entre vários apresentados no

último Encontro do Colegiado em Itaici-SP

Casal Dançando: Simboliza a alegria de festejar o Matrimônio. “As Bodas de Caná” O Verde-amarelo representa o Casal Brasileiro.

Aparecida no Coração: Simboliza Nossa Senhora Aparecida no coração dos brasileiros. O Azul-marinho invertido significa o Coração do Brasil O Caminho: Usando como referência à passarela em Aparecida, foi desenhado o número 3, representando Terceiro Encontro Nacional e ao mesmo tempo simbolizando o espírito de peregrinação. O Marron terra representa uma caminhada de humildade (descalço) sobre o chão de terra em busca

Equipes de Nossa Senhora Movimento de Espiritualidade Conjugal R. Luís Coelho, 308 • 5o andar, cj 53 • 01309-902 • São Paulo - SP Fone: (0xx11) 3256.1212 • Fax: (0xx11) 3257.3599 secretariado@ens.org.br • cartamensal@ens.org.br • www.ens.org.br


ENS - Carta Mensal 478 - Fevereiro/2014