Page 1

1

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016


2

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016


Mensagem do Presidente

Falar sobre a história de qualquer empresa, entidade ou organização, e de seu sucesso, progresso e desenvolvimento, é impossível sem falar, também, dos homens que construíram sua história. Por isto, é impossível registrar a evolução do pioneirismo do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro – SindilojasRio (fundado em 6 de dezembro de 1932) e do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – o CDLRio (criado em 7 de novembro de 1955), sem lembrar daqueles que os conduziram ao longo de todos esses anos. Cada um com a sua marca e a sua filosofia de administrar. Todos eles empresários visionários, sonhadores e empreendedores, profundos conhecedores da arte de vender e comercializar seus produtos. Todos tinham o mesmo espírito e o mesmo objetivo: tornar as duas entidades marcas de sucesso, conhecidas e reconhecidas aqui, em sua cidade de nascimento, e em todo o Brasil, por sua atuação e pela categoria e qualidade de seus produtos e serviços, colaborando decisivamente para o desenvolvimento e o crescimento do varejo carioca. Assim não é exagero dizer que os 84 anos do SindilojasRio e os 61 anos do CDLRio são acontecimentos de amplitude nacional, pois as entidades são dois marcos que represen-

Aldo Gonçalves Presidente do SindilojasRio e do CDLRio

tam verdadeiras revoluções na história do sindicalismo e do sistema de crediário no Brasil. Primeiro sindicato inscrito no livro de registro do Ministério do Trabalho e Emprego e considerado um dos marcos da vida sindical patronal do Brasil, o SindilojasRio, ao longo das últimas décadas, cresceu e, hoje, é um dos maiores sindicatos da América do Sul, respeitado em todo o País. Tampouco é exagero dizer que os 61 anos do CDLRio é outro acontecimento de abrangência nacional. Não apenas porque nasceu da criação do Serviço de Proteção ao Crédito - SPC, também considerado um marco e uma verdadeira revolução na história do sistema de crediário no Brasil, mas porque se constitui em um dos exemplos mais bem-sucedidos entre as entidades do comércio, que deu origem à criação de novos CDL`s por todo o País e, inclusive, às entidades estaduais como a FCDL-RJ e a própria CNDL. Além de homenagear o SindilojasRio e o CDLRio, desejamos parabenizar a todos os nossos associados que, ao lado da força de trabalho, representam o bem mais valioso das nossas entidades.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

SindilojasRio e CDLRio: exemplos bem sucedidos na História do Comércio

Aproveitamos para desejar, também, feliz Natal e um Ano Novo com Paz, Saúde e Prosperidade!

1


SUMÁRIO 16

CAPA

perspectivas para 2017

Há luz no fim do túnel?

19

MERCADO & TENDÊNCIAS

ZINZANe

Marca carioca se expande na contramão da crise

ATUAÇÃO INSTITUCIONAL E PARCERIAS

05

HISTÓRIA E CURIOSIDADES DO COMÉRCIO

26

ARTIGO

10

SAÚDE E BEM-ESTAR

28

PESQUISAS

12

LEGISLAÇÃO E TRIBUTOS

30

SERVIÇOS PARA OS LOJISTAS

20

O LOJISTA RESPONDE

31

DESTAQUES

22

OPINIÃO

32


o lojista De volta ao nome original Mais antiga publicação do comércio lojista do País, a revista O Lojista, lançada em 15 de janeiro de 1934, comemora 83 anos de circulação em 2017 tendo sido interrompida apenas uma vez, de janeiro a maio de 1941, durante o governo Vargas. Foi rebatizada como Empresário Lojista, em 2002, quando passou a ser produzida em conjunto pelo SindilojasRio e pelo CDLRio. Agora, reformulada, volta a se chamar O LOJISTA, resgatando seu nome original. Fazemos votos para que estas mudanças agradem aos nossos leitores. Boa leitura!

CALENDÁRIO DE 2017 Com esta edição, o leitor recebe o Calendário de 2017 que o SindilojasRio e o CDLRio tradicionalmente enviam às suas empresas associadas. Confira os feriados de 2017 na pág. 18.

OBS.: As tabelas dos salários dos comerciários, INSS e outras estão disponíveis nos portais www.sindilojasrio.com.br e www.cdlrio.com.br

Capa da 1a edição da revista O LOJISTA, de janeiro de 1934

expediente Presidente do SindilojasRio e do CDLRio Aldo Carlos de Moura Gonçalves Diretoria do SindilojasRio Vice-Presidente: Julio Martin Piña Rodrigues Vice-Presidente de Relações Institucionais: Roberto Cury Vice-Presidente de Administração: Ruvin Masluch Vice-Presidente de Finanças: Gilberto de Araújo Motta Vice-Presidente de Patrimônio: Júlio Moysés Ezagui Vice-Presidente de Marketing: Juedir Viana Teixeira Vice-Presidente de Associativismo: Pedro Eugênio Moreira Conti Superintendente: Carlos Henrique Martins Diretoria do CDLRio

Vice-Presidente: Luiz Antônio Alves Corrêa Diretor de Finanças: Szol Mendel Goldberg Diretor de Administração: Carlos Alberto Pereira de Serqueiros Diretor de Operações: Ricardo Beildeck Diretor Jurídico: João Baptista Magahães Diretor de Assiciativismo: Jonny Katz Superintendente Operacional: Ubaldo Pompeu Superintendente Administrativo: Abraão Flanzboym

CDLRio: Ubaldo Pompeu Abraão Flanzboym Lúcio Ricardo Barbara Santiago

Conselho de Redação SindilojasRio: Juedir Teixeira Carlos Henrique Martins Andréa Mury

Editor Responsável: Luiz Bravo (Registro Profissional MTE nº7.750)

Revisão: Lúcio Ricardo Andréa Mury Fotógrafo: Arthur Eduardo Silva Pereira Secretário: Eduardo Farias

Reportagem: Igor Monteiro

Supervisão Gráfica e capa: Leonardo Lisboa

Publicidade: (21) 2217-5000 Ramais 202, 272 e 273

Diagramação: Márcia Rodrigues Eduardo Farias

Corretores: Santos: (21) 98682-1128 Lucélia Rosáro: (21) 99639-9379 e 97904-8759

O Lojista: Publicação bimestral do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro – SindilojasRio e do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDLRio

Versão On-line: www.cdlrio.com.br e www.sindlojasrio.com.br


ATUAÇÃO INSTITUCIONAL E PARCERIAS

SindilojasRio vence Ação coletiva Empresas associadas podem recuperar crédito tributário

Na ação, julgada em definitivo, foi reconhecido o direito das filiadas da entidade a não se sujeitarem à alíquota máxima do ICMS sobre energia elétrica e telecomunicações. Com o afastamento da alíquota de até 29%, as empresas lojistas associadas que aderirem à ação patrocinada pelo SindilojasRio se sujeitarão à alíquota de 22%, segundo a determinação do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A ação não abrange o Adicional ao Fundo de Combate a Pobreza (AFCP) de 1% na alíquota do ICMS, que foi prorrogado até 2018, com a alíquota de 2%, por meio da LC n° 151, de 9/10/2013.

VANTAGENS DA ADESÃO À AÇÃO COLETIVA Vale registrar que a empresa que optar por ajuizar ação individual, encontrará dificuldades e restrições: terá que aguardar anos por um pronunciamento judicial definitivo; correrá o risco de não ter o seu direito reconhecido; e, mesmo na hipótese de sucesso, só poderá recuperar os valores dos últimos cinco anos, da data do ajuizamento, correndo o risco de ter reconhecido apenas o direito ao crédito posterior a esta data. Diferentemente da ação coletiva patrocinada pelo SindilojasRio, que

confere o direito à recuperação do crédito a partir de 26/2/2007. O escritório Monteiro e Monteiro Advogados oferece aos lojistas associados ao SindilojasRio a viabilização do aproveitamento desta decisão, por meio de completo suporte contábil e jurídico, desde a adesão até a extinção do crédito proporcionado pela referida ação. Para mais informações, a empresa associada deve procurar a sede do SindilojasRio (Rua da Quitanda, 3/10º andar, Centro. Tel. 2217-5000) ou, se preferir, os advogados Thiago Escaleira ou Juliana Ramalho do escritório Monteiro e Monteiro, pelos telefones (21)3529-8448/ 97910-3669 e (81) 21216444, ou pelo e-mail monteiro@monteiro.com.br

VEJA COMO FICA, POR EXEMPLO, A SITUAÇÃO DE UMA EMPRESA QUE TENHA A CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA NO VALOR DE R$ 1.000,00 (UM MIL REAIS), EM MÉDIA: Valor da Fatura: R$ 1.000,00 Alíquota ICMS: 29% Valor do ICMS pago na fatura: R$ 290,00 Alíquota ICMS após a adesão: 22% (18% ref. à alíquota genérica, acrescido de 4% do AFCB*) Valor devido do ICMS na fatura: R$ 220,00 Crédito do ICMS no mês: R$ 290,00 – R$ 220,00 = R$ 70,00

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

O SindilojasRio, em parceria com o escritório Monteiro e Monteiro Advogados Associados, obteve uma importante vitória em uma ação coletiva que propicia um significativo benefício creditório às suas empresas associadas.

5


ATUAÇÃO INSTITUCIONAL E PARCERIAS

Novo Simples Nacional A Lei Complementar nº 155 de 27/10/2016, que amplia o prazo de parcelamento das dívidas tributárias de micro e pequenas empresas e estabelece novos limites para o enquadramento no Simples Nacional foi sancionada pelo presidente Michel Temer, durante uma solenidade no Palácio do Planalto que reuniu autoridades, dirigentes e empresários, entre eles o presidente do SindilojasRio e do CDLRio, Aldo Gonçalves.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Com as mudanças, o limite para a microempresa ser incluída no programa passa dos atuais R$ 360 mil anuais para R$ 900 mil. Para as empresas de pequeno porte, o teto passa de R$ 3,6 milhões anuais para R$ 4,8 milhões por ano. Já no caso do Microempreendedor Individual (MEI), o teto de faturamento anual passa de R$ 60 mil para R$ 81 mil.

6

O prazo para pagamento de dívidas tributárias também foi ampliado de 60 para até 120 prestações. Esta regra entrará em vigor assim que for regulamentada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional, vinculado à Receita Federal. A nova lei cria, ainda, a figura do “investidor-anjo” para ajudar as chamadas start-ups (empresas com atividades inovadoras) a obterem aportes para colocar seus produtos no mercado. Dessa forma, será possível captar investimentos sem a necessidade de o investidor se tornar sócio do novo empreendimento.

SEBRAE FARÁ MUTIRÃO PARA RENEGOCIAR DÍVIDAS DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS A ampliação do prazo de parcelamento das dívidas tributárias de 60 para até 120 meses é um dos pontos mais importantes da lei que muda as regras e tabelas do Simples Nacional. A mudança beneficia quase 700 mil micro e pequenas empresas ameaçadas de serem excluídas do regime tributário especial que, agora, poderão renegociar suas dívidas em condições mais favoráveis. O Sebrae Nacional fará um grande mutirão, em todo o país, para a promoção da renegociação das dívidas tributárias das micro e pequenas empresas, mais conhecidas como Refis. “O que temos de resolver com urgência é o reparcelamento das dívidas das empresas do Simples, para trazer de volta ao jogo quem está inadimplente hoje”, afirmou o presidente da instituição, Guilherme Afif Domingos.

Ampliação do prazo de parcelamento das dívidas tributárias beneficiará 700 mil micro e pequenas empresas


edições anteriores do evento. Ao todo, foram 2.830 atendimentos, com 415 acordos firmados entre consumidores e empresas. A marca do mutirão anterior, que antecedeu o Dia das Mães em maio deste ano, foi de 2.477 atendimentos.

Vinte empresas participaram do mutirão, entre empresas varejistas, concessionárias de serviços públicos, bancos e operadoras de telefonia. O Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) do CDLRio atendeu, gratuitamente, 1.925 pessoas em busca de informações sobre dívidas e crédito e de orientações financeiras.

cio – Black Friday (25/11) e o Natal – ao ajudar o consumidor a reduzir seus débitos, a recuperar seu crédito e a entender como melhor usar seus recursos, é benéfica para todos e, também, para a economia, principalmente diante do difícil momento que vive o Rio de Janeiro.

O presidente do SindilojasRio e do CDLRio, Aldo Gonçalves, e o presidente do Procon-RJ, José Geraldo Machado Júnior (foto), destacaram que esta ação conjunta, realizada desde 2013, tem contribuído para aproximar consumidores e empresas, com a renegociação de dívidas e a solução de outros problemas em condições mais favoráveis, com maior transparência e agilidade. Eles estiveram no mutirão, acompanhando os atendimentos. Gonçalves lembrou que a ação, realizada às vésperas de datas importantes para o comér-

“Mutirão aproxima empresas e consumidores, agilizando solução de dívidas e ajudando a movimentar a economia” Aldo Gonçalves Presidente do SindilojasRio e do CDLRio

ATUAÇÃO INSTITUCIONAL E PARCERIAS

O CDLRio e o Procon Estadual, com o apoio do SindilojasRio, realizaram, no dia 4 de novembro, mais um grande mutirão de atendimento ao consumidor para a renegociação de dívidas, no Largo da Carioca, batendo o recorde em número de atendimentos das

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Mutirão de Renegociação de Dívidas leva 2.830 pessoas ao Largo da Carioca

7


ATUAÇÃO INSTITUCIONAL E PARCERIAS

Estamos de olho! No Rio de Janeiro, entidades se mobilizam contra pacote que prevê aumento do ICMS O SindilojasRio, o CDLRio e outras entidades do Comércio de Bens e Serviços, assim como a Firjan, se manifestaram e estão mobilizados contra o aumento do ICMS incluído no conjunto de medidas anunciado pelo Governo, no último dia 4 de novembro, que visa a equilibrar as finanças do Estado. As entidades alertam que o aumento do imposto vai onerar ainda mais a Indústria, o Comércio e, também, o consumidor final, travando investimentos e a abertura de novos postos de trabalho, e alimentando a inflação, o que manterá o quadro recessivo da economia. Segundo o Governo do Estado, o aumento da alíquota do ICMS da energia elétrica, serviços de comunicação, gasolina, fumo, cervejas e refrigerantes, e a melhora nos processos internos na Receita Estadual deverão gerar um aumento de receitas tributárias no valor de, no mínimo, R$ 1,4 bilhão por ano. Em sua totalidade, as medidas anunciadas visam a economizar R$ 13,3 bilhões em 2017 e R$ 14,6 bilhões em 2018. Os decretos e os projetos de lei foram encaminhados à Assembleia Legislativa (Alerj).

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Lei que proíbe cobrança de mais de 12 aluguéis em shoppings avança no Congresso

8

A intensa mobilização do Conselho Nacional de Lojistas em Shoppings Centers e Entidades – Conecs, que inclui o SindilojasRio, foi decisiva para que a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados aprovasse, em 25 de outubro, o PL 4447/2012 que proíbe a cobrança absurda de 13 ou mais aluguéis por ano para lojas em shoppings centers e, também, de percentual sobre o faturamento do locatário. O projeto seguiu para a análise das Comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania. Hoje, shoppings cobram aluguéis duplicados de lojistas no Natal e no Dia das Mães. O autor da proposta, deputado Marcelo Matos (PDT-RJ), explica que essa prática oferece prejuízos não só aos lojistas, mas, também, aos consumidores: “Essas e outras modalidades de aluguéis especiais impostas aos comerciantes contribuem para o aumento da inflação, na medida em que os locatários de shopping centers repassam tais custos ao consumidor”, afirmou.


9

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016


ARTIGO

Procura-se consumidor ALDO GONÇALVES PRESIDENTE DO SINDILOJASRIO E DO CDLRIO *Publicado no jornal O Globo em 24/10/2016

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Os setores produtivos, especialmente o comércio, estão sendo duramente penalizados com a crise política e econômica.

10

A par de tantas dificuldades e dos percalços da economia, inflada pela interminável crise política que insiste em resistir às investigações da Lava-Jato, o empresário lojista, como um verdadeiro equilibrista, continua fazendo a sua parte. Buscando saída onde aparentemente não existe, lutando para manter empregos e o seu próprio negócio. Além disso, o comércio ainda tem que enfrentar a concorrência desleal do mercado informal, que pune quem paga imposto e gera postos de trabalho; e leis e regulamentos ultrapassados, que já não fazem mais sentido nos tempos atuais. Todas exigências burocráticas caras e inúteis, no momento em que as palavras de ordem no país são crescimento e desenvolvimento para fazer rodar o círculo virtuoso de uma economia combalida e ferida. Economia esta que, para se recuperar, tem que contar com a expansão dos setores produtivos, cada vez mais massacrados por medidas que ignoram as dificuldades enfrentadas pelas empresas. Tal cenário mostra o quanto os setores produtivos, especialmente o comércio, estão sendo duramente penalizados com a crise política e econômica, que gerou um quadro bastante adverso para o consumidor no ano passado e que permanece em 2016. Por causa dessa situação, o cliente sumiu das lojas, empurrado pelo crescente desemprego, inflação alta e falta de crédito. Pesquisa recente da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) mostra um dado bastante preocupante: ao retirar seu


nome do cadastro negativo, 84% dos consumidores disseram que não pretendem fazer novas compras nos próximos três meses. Aquela velha premissa de quanto menor o preço do produto, maior o número de consumidores com o consequente crescimento do mercado, resultando em lojas cheias, lucros assegurados e clientes felizes precisa ser revista diante do quadro atual. Na verdade, o consumidor sumiu. Faltam clima, disposição e dinheiro, por maiores que sejam as ações dos comerciantes para atraí-los. Balanço rápido do comércio varejista no primeiro semestre mostra um quadro bastante difícil. Os pedidos de falência registraram alta de 26,5% em relação ao ano passado, segundo dados do SCPC. Em junho, o número de pedidos cresceu 22,8% na comparação com 2015.

Para este ano, a Confederação Nacional do Comércio (CNC) revisou a sua expectativa de vendas do comércio brasileiro para um recuo de 4,8%, após o setor acumular queda de 7% no primeiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período do ano passado.

“84% dos consumidores disseram que não pretendem fazer novas compras nos próximos três meses.”

A nossa esperança é que o país volte definitivamente a um quadro político normal e que a economia retome o caminho do crescimento. Para que tudo isto aconteça e possa se tornar realidade, visões mais abertas e transparentes do poder público precisam ser mais focadas e harmonizadas com as dimensões do negócio, gerando investimentos possíveis e necessários num país que não pode perder mais tempo, que precisa crescer continuamente. Sem sustos. Vivemos um momento que, mais do que nunca, requer olhos voltados para o futuro e se confia que, com a participação dos setores representativos da sociedade, novos caminhos possam ser pavimentados e novos níveis de atividade econômica sejam conquistados em benefício de toda a sociedade, dos setores produtivos e do país.

Aldo Gonçalves Presidente do SindilojasRio e do CDLRio

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Outro dado preocupante é o que mostra que o número total de títulos protestados das empresas no país aumentou 26% no acumulado do primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano anterior. Não é sem razão que, de janeiro a julho deste ano, o comércio carioca, por exemplo, teve mais de 2.370 lojas fechadas. No estado foram mais de seis mil no mesmo período.

11


PESQUISAS

um ano difícil As últimas pesquisas do Centro de Estudos do CDLRio – Termômetro de Vendas, Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) e LigCheque – mostram as dificuldades que o comércio do Rio de Janeiro vem enfrentando, agravadas pela falência do Estado. A severa retração do consumo e custos cada vez mais altos seguem inviabilizando inúmeros empreendimentos. Prova disso são as 2.390 lojas que fecharam suas portas somente em setembro (1.670 no Estado, além de 720 só na capital).

As principais datas comemorativas para o comércio - Dia das Mães, dos Pais, dos Namorados e da Criança – registraram resultados quase negativos. Agora, o comércio aposta no Natal, cujas vendas representam mais de 30% do faturamento anual para muitos segmentos do varejo, para tentar fechar o ano com resultados melhores. Para o Natal, o setor espera uma melhora moderada das vendas, com crescimento mínimo de um por cento.

Termômetro de vendas

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

AS VENDAS ACUMULADAS COMPARADAS COM AS VENDAS DO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR

12

JAN-FEV

JAN-MAR

JAN-ABR

JAN-MAI

JAN-JUN

JAN-JUL

JAN-AGO

JAN-SET

JAN-OUT

-10,1%

-9,0%

-8,2%

-7,6%

-6,8%

-7,0%

-6,9%

-7,3%

-7,5%

No menor desempenho para o mês de outubro dos últimos 13 anos, as vendas do comércio varejista da cidade do Rio de Janeiro recuaram 5,8% em relação ao mesmo mês de 2015. Os dados são do Termômetro de Vendas, pesquisa divulgada mensalmente pelo CDLRio, que ouviu cerca de 750 estabelecimentos. No acumulado dos dez meses de 2016 (janeiro/ outubro) houve uma queda de 7,5% em comparação com o mesmo período de 2015. A pesquisa mostra, ainda, que todos os produtos do Ramo Mole (bens não duráveis) e do Ramo Duro (bens duráveis) registraram vendas nega-

tivas. As maiores quedas, no Ramo Mole, foram Calçados (-11,2%), Tecidos (-8,5%) e Confecções (-7%). No Ramo Duro (bens duráveis), foram Joias (-13,1%), Eletrodomésticos (-5,5%), Óticas (-4,8%) e Móveis (-4,2%). A modalidade de pagamento mais utilizada foi a venda à vista, com menos 4,8%, seguida da venda a prazo, com menos 6,6%. Em relação às vendas conforme a localização, no Ramo Mole as lojas do Centro venderam menos 12,8%, as da Zona Sul menos 7,7% e as da Zona Norte menos 5,2%. No Ramo Duro, as lojas do Centro faturaram menos 7,7%, as da Zona Sul menos 6,4%% e as da Zona Norte menos 4,8%.


13

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016


PESQUISAS

SCPC Movimentação do SCPC Janeiro a Outubro de 2016 A inadimplência no comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro cresceu 3,3% em outubro em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) do CDLRio. É o maior índice de inadimplência do ano e o pior para o mês desde 2007.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

As dívidas quitadas – indicador que aponta o número de consumidores que colocaram suas contas em dia – e as consultas, que indicam o movimento do comércio, diminuíram 1,9% e 7,9%, respectivamente, também em relação a outubro de 2015.

14

Ao comparar outubro ao mês anterior (setembro), os registros do CDLRio mostram que a inadimplência, as consultas e as dívidas quitadas cresceram 3,3%, 0,4% e 2,8% respectivamente. No acumulado dos dez meses do ano (janeiro/outubro) em comparação com o mesmo período de 2015, a inadimplência aumentou 2% e as consultas e as dívidas quitadas diminuíram 7,1% e 2,2% respectivamente.

CONSULTAS

CONSULTAS REALIZADAS EM NOSSO BANCO DE DADOS ACUMULADAS EM COMPARAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR Jan-Fev

Jan-Abr

Jan-Jun

Jan-Ago

Jan-Out

-7,1% -7,0% -7,0% -7,0% -7,1%

-7,2% - 8,1% -8,2%

-7,8%

NOVAS INCLUSÕES - INADIMPLÊNCIA

REGISTROS INCLUÍDOS EM NOSSO BANCO DE DADOS ACUMULADOS EM COMPARAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR

+1,1% +1,1% +1,2% +1,2%

Jan-Fev

Jan-Abr

+1,4% +1,5%

Jan-Jun

+1,7% +1,8%

Jan-Ago

+2,0%

Jan-Out

CANCELAMENTOS - DÍVIDAS QUITADAS

REGISTROS CANCELADOS EM NOSSO BANCO DE DADOS ACUMULADOS EM COMPARAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR Jan-Fev

Jan-Abr

Jan-Jun

Jan-Ago

Jan-Out

-0,4% -1,6% -2,2%

-2,2% -2,2% -2,2% -2,2% -2,4% -2,3%


PESQUISAS

Cheques Movimentação de Cheques Janeiro a Outubro de 2016

CONSULTAS NO CADASTRO DE CHEQUES ACUMULADAS EM COMPARAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR Jan-Fev Jan-Mar Jan-Abr Jan-Mai Jan-Jun Jan-Jul Jan-Ago Jan-Set Jan-Out

-9,7% -10,4% -11,0% -10,9%

-10,7% -10,7% -10,8% -10,9%

-11,1%

NOVAS INCLUSÕES - INADIMPLÊNCIA

REGISTROS INCLUÍDOS NO CADASTRO DE CHEQUES ACUMULADOS EM COMPARAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR

+1,1%

+1,2%

+1,6% +1,6% +1,7% +1,4% +1,5%

+0,6% +0,2% Jan-Fev Jan-Mar Jan-Abr Jan-Mai Jan-Jun Jan-Jul Jan-Ago Jan-Set Jan-Out

CANCELAMENTOS - DÍVIDAS QUITADAS

REGISTROS CANCELADOS NO CADASTRO DE CHEQUES ACUMULADOS EM COMPARAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR Jan-Fev Jan-Mar Jan-Abr Jan-Mai Jan-Jun Jan-Jul Jan-Ago Jan-Set Jan-Out

-0,1%

Segundo o registro de cadastro do LigCheque do CDLRio em outubro, em relação ao mesmo mês de 2015, a inadimplência cresceu 2,5% e as consultas e as dívidas quitadas diminuíram 13,2% e 3,3% respectivamente. Comparando-se outubro com o mês anterior (setembro), a inadimplência recuou 0,2% e as dívidas quitadas e as consultas cresceram 5,1% e 6,8% respectivamente. Já no acumulado dos 10 meses do ano (janeiro/outubro), em relação ao mesmo período de 2015, a inadimplência aumentou 1,7% e as consultas e as dívidas quitadas diminuíram 11,1% e 1,2% respectivamente.

FAÇA PARTE DESTAS PESQUISAS! Caso sua empresa se interesse em participar de nossas pesquisas, contate o Centro de Estudos do CDLRio: (21) 2506-1234 estudos@cdlrio.com.br

PESQUISA E ANÁLISE

-0,2%

Acompanhe o comporta-0,5% -0,5%

-0,6%

mento do comércio do Rio -0,8% -0,8%

de Janeiro: -1,0%

-1,2%

www.cdlrio.com.br

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

CONSULTAS

15


CAPA

Perspectivas para 2017 Há luz no fim do túnel, mas recuperação será lenta GEORGE VIDOR

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Foto: Igor Nogueira

16

Assim como o ano que termina, 2017 se iniciará marcado pela incerteza política e econômica. No Rio de Janeiro, o desmoronamento das finanças do Estado, com suas nefastas consequências, atinge serviços públicos, alguns vitais, como Saúde, Educação e Segurança, e causa impactos negativos na indústria e no comércio. O pacote de medidas enviado pelo governo à Assembleia Legislativa (ALERJ) – penalizando a população mais humilde, servidores e os setores produtivos, estes com a exaurida fórmula de mais aumento de impostos – provocou uma onda de protestos. As entidades representativas do comércio, dentre estas o SindilojasRio e o CDLRio, se posicionaram e estão mobilizadas contra estas medidas. Para saber o que vem por aí, O Lojista ouviu os jornalistas econômicos George Vidor, colunista do jornal O Globo, e Alex Campos, comentarista da Rádio JB FM e do jornal O Dia, e, também, Juliana Serapio, assessora econômica da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Eles acreditam que houve avanços, mas afirmam que a recuperação ainda será lenta.

“A recuperação da economia brasileira ainda será modesta em 2017. Infelizmente, pois isso faz com que milhões de brasileiros amarguem muitas dificuldades causadas pelo desemprego, ao mesmo tempo que se deparam com a deterioração de serviços públicos, na esteira da insolvência financeira do Estado. Como não temos mais o dragão chinês para nos ajudar, colocando novamente nas alturas os preços das commodities que exportamos, a economia brasileira terá que se reinventar, buscando novos vetores de crescimento. No entanto, com as iniciativas já tomadas, a economia deixou de vagar pela beira do precipício, trilhando por um caminho mais seguro e sustentável no médio prazo. Alguns passos foram dados para pôr as finanças públicas em ordem, a inflação está cedendo e o Banco Central começa a cortar as taxas de juros extravagantes. Juros mais baixos tornaram o crédito mais acessível para a habitação, o consumo e o investimento. 2016 foi duro demais para os brasileiros. 2017 não será ainda o paraíso. Mas tudo indica que teremos uma enorme sensação de alívio.”


CAPA “A exemplo de 2016 e de 2015, o que vem por aí ainda será ‘contaminado’ pela herança econômica da presidente afastada e pelas delações da Lava-Jato. A Lei de Repatriação foi uma ideia discutível, mas com arrecadação superior a 50 bilhões de reais, pode e deve ser revista, para tornar-se mais clara e atraente, motivando novas receitas. Se aprovada em definitivo, a Lei do Teto dos Gastos será tão importante e ‘estabilizadora’ quanto a Lei de Responsabilidade Fiscal, com impactos positivos no controle das contas públicas e no estímulo aos investimentos.

“Sobre as expectativas para o comércio no fim do ano, apesar de os indicadores de confiança terem melhorado, isto ainda não se transformou em vendas porque o consumidor se mantém cauteloso diante da demora para que ocorra uma efetiva recuperação do mercado de trabalho ou da situação financeira das famílias. Os principais entraves ao comércio são a inflação ainda pressionada, juros elevados e o desemprego crescente. Uma recuperação das vendas só deverá se iniciar quando o mercado de trabalho começar a contratar.”

ALEX CAMPOS

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

O maior e mais difícil desafio da lista de urgências do governo Temer será a Reforma da Previdência. Com ou sem reforma, o governo ainda terá um trunfo magnífico na manga: o programa de concessões na área de infraestrutura, onde muitas medidas de incentivo ao setor privado independem do Legislativo e podem ser tomadas por iniciativas do Executivo. Mesmo sendo o governo bem-sucedido nesses itens (concessão, repatriação, previdência e teto dos gastos), nada será possível sem que o País atravesse um pântano de incertezas e inseguranças. Por isso, prefiro ‘pular’ 2017 e antecipar os meus votos de ‘Feliz 2018’... Que assim seja!”

JULIANA SERAPIO

Foto: Carolina Braga/CNC

17


FERIADOS DE 2017

Feriados no Rio em 2017 Em 2017, a cidade do Rio de Janeiro terá 14 feriados, sendo oito nacionais, dois estaduais e quatro municipais. Para os comerciários haverá mais um feriado, em 16 de outubro, Dia do Comerciário. Novembro será o mês com mais feriados. Não haverá feriados, no entanto, nos meses de julho e agosto. O carnaval será em fevereiro: sábado, 25, domingo, 26, e 2ª feira, 27, que não são feriados. Entretanto, a 3ª feira, 28 de fevereiro, é feriado estadual. Na 4ª feira de cinzas, 1º de março, bancos e grande parte do comércio só abrem

JANEIRO 10 Domingo, feriado nacional, Dia da 20

Confraternização Universal. 6ª feira, feriado municipal, Dia de São Sebastião, Padroeiro da Cidade.

FEVEREIRO

ABRIL

28 3ª feira, feriado estadual de Carnaval.

14 6ª feira, feriado nacional, Paixão de Cristo. 21 6ª feira, feriado nacional de Tiradentes. 23 Domingo, feriado municipal e estadual, Dia de São Jorge.

MAIO 10 2ª feira, feriado nacional, Dia do Trabalho.

JUNHO 15 5ª feira, feriado nacional, Dia de Corpus Christi.

OUTUBRO 12 5ª feira, feriado nacional, Dia de 16

Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. No Rio, na terceira 2ª feira do mês, é feriado do Dia do Comerciário

a partir das 12 horas. Quanto a possíveis enforcamentos de dias de trabalho que antecedem ou são seguintes a feriados que caem terça ou quinta-feira, teremos, em 2017, quatro situações: em 16 de junho, 6ª feira, depois do feriado de Corpus Christi; em 8 de setembro, 6ª feira, após o feriado da Independência; em 13 de outubro, 6ª feira, depois do feriado de N. Sra. Aparecida; e em 3 de novembro, 6ª feira, após o feriado de Finados. Em 2017, dois feriados caem no domingo: 1º de janeiro e 23 de abril.

NOVEMBRO 02 5ª feira, feriado nacional de Finados. 15 4ª feira, feriado nacional, Dia da 20

Proclamação da República. 2ª feira, feriado nacional, Dia da Consciência Negra.

SETEMBRO 07 5ª feira, feriado nacional, Dia da Independência do Brasil.

DEZEMBRO 25 2ª feira, feriado nacional, Natal.


MERCADO & TENDÊNCIAS

Zinzane Em expansão, marca carioca se prepara para ganhar o mundo A Zinzane nasceu em 2002, na charmosa e famosa Babilônia Feira Hype, na cidade do Rio de Janeiro. Com 12 anos de atuação no mercado, a Zinzane se espalhou por todo o Brasil. Com suas estampas diferenciadas, hoje, a Zinzane possui 93 lojas, sendo 37 localizadas no estado do Rio de Janeiro. Está presente em 18 estados e no Distrito Federal.

OL - COMO A ZINZANE SE PREPAROU PARA AS VENDAS DE FIM DE ANO?

OL - VÃO CONTRATAR TEMPORÁRIOS? A REDE PROMOVE TREINAMENTOS?

Investimos em um nome forte para a campanha de Verão 2017, a atriz Juliana Paes, e preparamos ações promocionais, como kits de presentes, para novembro e dezembro.

Nossa previsão é contratar 350 colaboradores temporários. Todos passam por um treinamento intenso, com uma equipe multidisciplinar, antes de iniciarem o trabalho na loja.

Também apostamos em uma forte divulgação da marca pelas redes sociais Facebook e Instagram, para estarmos ainda mais próximos dos nossos consumidores.

OL - APESAR DA CRISE, A ZINZANE ESTÁ CRESCENDO. QUAL É O SEGREDO?

OL - QUAIS SÃO AS NOVIDADES PARA O FIM DE ANO E O VERÃO 2017? Preparamos para a coleção Verão 2017 estampas que traduzem o DNA da marca: alegres e coloridas, atreladas à qualidade e a preços democráticos.

Enxergamos na crise uma oportunidade de consolidar a nossa marca. Enxugamos os custos, aperfeiçoamos a operação nas lojas e focamos em manter a qualidade dos nossos produtos. Em 2016, tivemos que reduzir custos para nos adequarmos à nova realidade do mercado. Para 2017, projetamos um crescimento de 20% e a abertura da primeira unidade fora do Brasil.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Inicialmente voltada ao público feminino, a Zinzane passou a investir também nas linhas masculina e infantil. E, na contramão da crise, se prepara para abrir a primeira loja no exterior, em local ainda não revelado. A revista O Lojista conversou com os proprietários da Zinzane, o casal Cláudia Richa e Renato Vilarinho, para saber qual é a receita de tanto sucesso:

19


SERVIÇOS PARA O LOJISTA

Assessoria Administrativa: serviços especializados para o lojista Entre os serviços e produtos que o SindilojasRio oferece às suas empresas associadas, um dos destaques é a Assessoria Administrativa, a chamada assistência de despachantes. Como ocorre com a Assessoria Jurídica e a de Marcas, na Administrativa também os honorários de seus profissionais são cobertos pelo SindilojasRio. Apenas as despesas decorrentes do serviço prestado ficam por conta do lojista associado. Para serem atendidos, no entanto, os serviços devem ser solicitados, no mínimo, até cinco dias úteis antes do prazo final.

O NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA JURÍDICA DO SINDILOJASRIO ESTÁ LEGALMENTE HABILITADO E ESTRUTURADO PARA EXECUÇÃO, ASSISTÊNCIA TÉCNICA E CONSULTORIA PESSOAL OU POR TELEFONE, NAS SEGUINTES ÁREAS:

JUCERJA:

Contrato Social/Distrato – Registro de Atas – Alterações: Contratual/ Capital/ Sócios/ Atividades/ Endereço – Inclusão e Baixa – Carta de gerente – Certidão de Busca Prévia – Certidão de Inteiro Teor – Certidão Simplificada.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

CERTIDÕES NEGATIVAS:

RECEITA FEDERAL:

Distribuidores – Protestos de Títulos – Justiça Federal – Cremerj – Registro/ Renovação.

SPU:

Alvará/2ª via – Alteração de Endereço/Atividade – Baixa de Alvará – Certidão Enfitêutica – Certidões de Pagamento/Quitação Fiscal – Letreiros – Consulta Prévia de Local – Inspeção Sanitária – IPTU – Parcelamento/Revisão Valor Venal/2ª via – ISS – Autenticação de Livros Fiscais/CND sem exigências – ITBI.

Inscrição no CNPJ – Abertura e Registro de filial/ Alteração/ Preparo para Baixa – Certidão Negativa de Débitos sem exigências – Baixa/ Restabelecimento de CNPJ – Simples/ Opção/ Notificação.

20

REGISTRO GERAL DE IMÓVEIS (RGI):

Registro – Averbação – Certidão de Ônus Reais.

Certidão Enfitêutica – Certidão Negativa – Pagamento de Laudêmios.

ICMS:

Notas Fiscais / AIDF – Autenticação de Livros Fiscais – Alteração de Dados Cadastrais – Alteração de Faixa de ME – Inscrição/ Inclusão de ME – Certidão Negativa de Débitos sem exigências – Parcelamento – Paralisação Temporária.

AUTOS DE INFRAÇÃO:

Inmetro – Ipem – Comlurb – INSS – Crea – Procon (Orientação)

PREFEITURA:

REGISTRO CIVIL DE PESSOAS JURÍDICAS:

Contrato Social/ Distrato/Alteração – Busca Prévia – Registro de Ata.

CORPO DE BOMBEIROS:

Laudo de Exigência – Certificado de Aprovação – Requerimento/Redução/ Isenção Taxa de Incêndio.

O atendimento é feito de 2ª a 6ª feira, das 9 às 17 horas, presencialmente, ou pelos telefones (21) 22175000 (geral), 2217-5045/5049 ou 5065.


Com o objetivo de colaborar com os lojistas para que superem esse difícil momento da economia, o CDLRio oferece uma gama de serviços e produtos com novas técnicas de administração e vendas e com o emprego de tecnologia que podem ajudar a conquistar melhores resultados. Exemplo disso é o SMS Marketing, lançado pelo Ivar Contact Center do CDLRio às vésperas do Natal, a principal data comemorativa do comércio e responsável por 30% do faturamento anual, que chega para revolucionar o sistema de vendas do comércio varejista via celular. O SMS Marketing mostra, na tela do telefone, a imagem do que o lojista deseja vender, de promoções ao lançamento de novos produtos, por meio de um simples toque no link da mensagem. Com a vantagem de enviar, de uma só vez, mais de um mi-

lhão de mensagens, com recepção automática para qualquer celular, hoje uma das formas mais poderosas de aproximar e fidelizar o cliente. O SMS Marketing coloca o lojista mais perto dos seus consumidores atuais e potenciais. Para o presidente do CDLRio, Aldo Gonçalves, em uma atividade dinâmica como o comércio, o SMS Marketing é um poderoso instrumento de vendas para o lojista de qualquer porte. “Além disso, a grande vantagem dos serviços do Ivar é pertencer ao CDLRio, que tem condições de colaborar para o crescimento das vendas e do negócio”, conclui ele. Usar o SMS Marketing é muito simples: é só criar o texto com o link da imagem do produto desejado, indicar o público-alvo a ser contatado e todos receberão a mensagem em instantes. Testes do Ivar mostraram a eficiência do novo serviço que pode atingir mais de um milhão de consumidores, em um prazo médio de meia hora, dependendo da operadora. E o melhor de tudo: é muito mais barato do que uma ligação telefônica normal. Ou seja: cabe no bolso de qualquer lojista.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

No momento em que o País atravessa uma das piores crises econômicas dos últimos anos, olhar o custo com lentes de aumento e buscar novas alternativas de comercialização tornaram-se exercícios obrigatórios para a manutenção e o desenvolvimento do negócio.

SERVIÇOS PARA O LOJISTA

Na tela do celular o produto que o lojista quer vender

21


DESTAQUES

Diretores e colaboradores no encontro anual do SindilojasRio. Superação foi o tema de 2016

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

XXI Encontro de Colaboradores do SindilojasRio

22

Embalado pela Olimpíada Rio 2016, o XXI Encontro de Colaboradores do SindilojasRio, realizado em 2 de setembro, no Centro de Convivência de Vila Valqueire, teve como tema principal a Superação. As apresentações, que abordaram os desafios diários do trabalho e como vencê-los, foram inspiradas em situações vivenciadas pelos atletas. O vereador Marcelino D’Almeida prestigiou o evento.


O gerente geral José Belém e a gerente do Jurídico, Elizabeth Guimarães, explicaram o conceito da palavra superação e a importância do foco para alcançar objetivos.

O gerente de TI Luiz Roif conversou com as colaboradoras Marília dos Santos e Tatiane Mello. Elas contaram como construíram histórias de vida vitoriosas

O gerente comercial José Carlos Pereira Filho e os segredos para se superar: identidade positiva e vencedora; planejar; comunicar-se bem; capacidade de aprender; e muita prática. Diassagê Gonçalves e Jacqueline Maria deram exemplos.

O gerente administrativo-financeiro e de Recursos Humanos, Valmir de Oliveira, fez o balanço da campanha “Vamos doar amor?”, que incentivou doações ao Lar Maria de Lourdes para crianças e adolescentes especiais.

Participantes se abraçaram após a apresentação do gerente de RH

O grupo do Sistema de Excelência em Gestão Sindical (SEGS) – Beatriz Guimarães, Flávia Brandão, Igor Monteiro, Paulo Roberto Marques Júnior, Rejane Finamor e Rosangela Vicente – mostrou o resultado de 2016: 377 pontos na avaliação, ficando entre as 30 primeiras entidades do País.

O presidente Aldo Gonçalves agradeceu a todos o empenho na superação em questões relativas à qualidade dos serviços e destacou o Prêmio Quinquênio, que concede cinco dias de folga a cada período de cinco anos trabalhados. As regras foram explicadas por Luiz Bravo, assessor da Diretoria.

O presidente Aldo Gonçalves e o vereador Marcelino D’Almeida

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

O superintendente do SindilojasRio Carlos Henrique Martins abriu o Encontro, dando boas-vindas aos participantes

23


DESTAQUES

85 anos do Cristo Redentor Os 85 anos do monumento do Cristo Redentor foram comemorados, no dia 12 de outubro, pela Sociedade de Amigos da Rua da Carioca e Adjacências (Sarca), com o apoio do SindilojasRio e do CDLRio. A tradicional festa teve início às 8 horas, com a benção do cardeal-arcebispo Dom Orani João Tempesta ao Rio de Janeiro. Maior e mais famosa escultura Art Déco do mundo, a estátua do Cristo Redentor foi concebida pelo engenheiro brasileiro Heitor da Silva Costa e construída em colaboração com o escultor francês Paul Landowski e o engenheiro francês Albert Caquot, entre 1922 e 1931. Inaugurada em 12 de outubro de 1931, a estátua foi incluída pela Unesco, em 2012, na lista de Patrimônios da Humanidade.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Na foto, ao lado do bolo, o cardeal-arcebispo Dom Orani; o padre Omar Raposo, reitor do monumento; o monsenhor Maurício Cury, vigário patriarcal no Cairo, Egito; e Roberto Cury, presidente da Sarca e vice-presidente de Relações Institucionais do SindilojasRio.

24


DESTAQUES

CDLRio completa 61 anos

Descontração nos parabéns pelos 61 anos.

As fronteiras de nossas atuação, coesão e capacidade de administrar os fatos e antecipar-se ao futuro não mudaram. O banco de dados do CDLRio, o maior e o melhor do País, propicia aos seus mais de 15 mil lojistas associados – das micro e pequenas empresas às grandes redes do varejo – informações sempre atualizadas, que auxiliam na tomada de decisões. Além disso, desde a sua fundação, o CDLRio desenvolve produtos e serviços de excelência, visando à melhora contínua dos resultados das empresas. A qualidade total não é mais um programa. É um sistema de gestão. E a gestão de pessoas, que formam o capital intelectual ou de talento de uma organização, exige grande esforço na identificação permanente das necessidades empresariais. Atua-se em um contexto multidisciplinar, altamente competitivo e volátil. A eficácia e o trabalho em equipe têm sido fatores essenciais a impulsionar as atividades do corpo funcional do CDLRio. Completar 61 anos de atuação é uma grande vitória, que só foi possível porque contamos sempre com excelentes profissionais, muita garra, inovação e determinação.

PARABÉNS CDLRIO!

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Há 61 anos, em 7 de novembro de 1955, teve início a história do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – o CDLRio, marcada pela esperança, pela determinação e pelo entusiasmo. Olhando para trás, percebemos quantos obstáculos foram ultrapassados e quantos outros ainda serão. Ao longo de sua trajetória, repleta de iniciativas pioneiras, conquistas e ações de apoio aos principais episódios da economia brasileira, o CDLRio é a conscientização plena do movimento lojista.

25


HISTÓRIA E CURIOSIDADES DO COMÉRCIO

Curiosidades 25 de Dezembro

O dia 25 de dezembro é uma data comemorada em outras religiões, além da católica. Para os hinduístas e judeus, por exemplo, o Natal é celebrado como a “Festa das Luzes” e não como o nascimento de Jesus.

Presentes

Os romanos começaram a tradição de trocar presentes na véspera do Ano Novo. Eles davam mudas de árvores sagradas uns aos outros, como símbolo de boa sorte. Até hoje, a tradição permanece, apesar de os amuletos serem outros (calcinhas da sorte, pingentes etc.).

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Black Friday

26

Como referência às grandes liquidações que acontecem na sexta-feira seguinte ao Dia de Ação de Graças (quarta quinta-feira de novembro), nos Estados Unidos, a expressão Black Friday foi usada pela primeira vez em 1961, mas tornou-se popular só nos anos 90. O varejo adotou a expressão como sinônimo de oportunidade de “sair do vermelho” ou de “entrar no azul”. No Brasil, a Black Friday entrou de vez para o calendário do comércio.

YKK

A marca YKK, que encontramos em muitos zíperes, se refere ao nome Yoshida Kōgyō Kabushikigaisha, que fundou a maior indústria de zíperes do mundo, em 1934, no Japão. Hoje, o Grupo YKK está presente em mais de 70 países. A fábrica brasileira, fundada em 1972, acaba de completar 48 anos de atividades aqui.


HISTÓRIA E CURIOSIDADES DO COMÉRCIO

Gabriel Habib Uma lenda no comércio do Rio Nascido no Líbano em 1894, Gabriel Habib chegou ao Rio de Janeiro em 1914, com 20 anos. Trabalhando com os irmãos, ele logo conquistaria os clientes graças à sua simpatia. Em agosto de 1918, junto com os irmãos, abriu uma empresa na Rua da Alfândega, Centro do Rio, para atuar no atacado, a tendência comercial da época. Naquele tempo, os grandes atacadistas do Rio eram os ingleses Edward Asworth e Oscar Philips, Aoulla & Irmãos, Pedro Succar (o rei dos couros), Jabur Fiad, os Majdalany e José Muanis. A Rua da Alfândega abastecia os mascates que percorriam a cidade. Só o comércio da Rua 25 de Março, em São Paulo, outra grande concentração de libaneses no Brasil, rivalizava com o da Rua da Alfândega e seu entorno, região hoje conhecida como Saara (Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega).

Certo dia, uma cliente quis comprar dois metros de tecido para dar de presente, mas o vendedor informou que a loja, atacadista, só vendia peças completas. Foi quando o velho Gabriel orientou que vendessem à cliente o corte desejado. Esta decisão levou a uma guinada nos negócios. Nascia a Gabriel Habib & Filhos, a primeira empresa varejista da Rua da Alfândega. Na época, não circulava muita gente por lá, mas, aos poucos, os clientes começaram a aparecer e o movimento aumentou, comprovando que Gabriel Habib estava certo. Os atacadistas foram embora ou mudaram de ramo. A rua virou um grande centro comercial. A Gabriel Habib & Filhos, sinônimo de preços baixos, foi um autêntico bazar, onde se comprava quase tudo. No dia de seu falecimento, os lojistas da Rua da Alfândega cerraram suas portas, prestando uma última homenagem a Gabriel Habib, cuja história é contada pelo radialista e novelista Berliet Júnior, no livro “O Romance de um Imigrante”.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

MUDANÇA DE RUMO

27


SAÚDE E BEM-ESTAR

Outubro Rosa

Entidades do Comércio se unem às campanhas de prevenção Nos meses de outubro e de novembro, quando são realizadas as campanhas de conscientização e prevenção ao câncer de mama e ao de próstata, respectivamente, o SindilojasRio e o CDLRio se unem às iniciativas, realizando palestras sobre os temas. Como já se tornou hábito, nos dias das palestras, diretores e colaboradores do SindilojasRio usam as cores das campanhas (fotos). O câncer de mama é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos, sendo a maior causa de mortes entre as mulheres. O rastreamento do

câncer de mama é feito, principalmente, por meio da mamografia. Já em relação ao câncer de próstata, dados do lnstituto Nacional de Câncer (Inca) mostram que, no Brasil, é o segundo tipo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não melanoma) e a segunda principal causa de morte por câncer em homens, seguido apenas pelo de pulmão. A partir dos 50 anos, o exame de toque, junto com o PSA, deve ser feito anualmente. Se houver alteração no toque retal ou nos níveís séricos de PSA, será indicada uma ultrassonografia para identificar o nódulo.


SAÚDE E BEM-ESTAR Novembro Azul

Depois do rosa em outubro e do azul, em novembro, a cor laranja dá o tom ao mês de dezembro, que é dedicado ao combate ao câncer de pele. Por isso, no último sábado de novembro (26), antecipando o Dezembro Laranja, a Sociedade Brasileira de Dermatologia promoveu, pelo 17º ano seguido, o Dia Nacional de Combate ao Câncer de Pele, com ações em vários estados, incluindo o Rio de Janeiro. As ações do Dezembro Laranja alertam para a importância do uso do protetor solar diariamente, independentemente da estação, e, também, do diagnóstico precoce, que pode evitar danos ou mutilações mais profundas. O câncer da pele pode se manifestar como uma pinta ou mancha, geralmente acastanhada ou enegrecida, e, também, como uma ferida que não cicatriza.

Foco Imagem Ag Jaca ora em rep agu á!

- O laudo é entregue logo após a realização do exame. Funcionamos de Segunda a Sexta-feira, das 8h às 18h e Sábado das 8h às 12h.

Estrada de Jacarepaguá 7880 | Sala 302 Freguesia | Rio de Janeiro | Tel.: 2456-1763 focoimagem@focoimagem.com | www.focoimagem.com

A regra do ABCDE ajuda na suspeita de uma lesão maligna e sinaliza que um dermatologista deve ser procurado: A- lesão assimétrica; B- bordas irregulares; C- alteração de cor; D- diâmetro maior que 6 mm; E- evolução ou modificação da lesão.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Dezembro Laranja

29


LEGISLAÇÃO E TRIBUTOS

Obrigações dos Lojistas Nov/Dez 2016

01/11 DCT: após admissão de funcionário 01/12 não cadastrado no PIS, preencher o DCT e apresentar à CEF para fazer o cadastramento.

07/11 ICMS: pagamento do imposto pelos 05/12 contribuintes, referente ao mês anterior. 07/11 FGTS: efetuar o depósito corresponden07/12 te ao mês anterior. 07/11 CAGED: cadastro de empregados, por 07/12 meio do programa ACI: informar admis-

sões, desligamentos e transferências de funcionários do mês anterior.

10/11 IR/FONTE: referente a fatos geradores 09/12 ocorridos no mês anterior. 10/11 ISS: o prestador deve gerar no siste12/12 ma o documento de arrecadação das NFS-e emitidas. Obs.: o recolhimento deve ser feito até o dia 10 do mês seguinte à emissão.

ICMS: varejistas e atacadistas devem

10/11 efetuar o recolhimento do tributo apu12/12

18/11 DCTF Mensal: atende às inovações da 20/12 Instrução Normativa RFB nº 1.599, de

11/12/2015, como a exigência da declaração para optantes pelo Simples Nacional sujeitas ao pagamento da CPRB.

25/11 COFINS: recolhimento de 3% da receita 23/12 do mês anterior, exceto empresas tributadas no lucro real. *Prazo prorrogado até o dia 25 pela MP nº 447, D.O.U. de 17/11/08.

25/11 COFINS: recolher 7,6% das empresas 23/12 tributadas no lucro real. *Prazo prorroga-

do até o dia 25 pela MP nº 447, D.O.U. de 17/11/08.

25/11 PIS: recolher 0,65% sobre as operações 23/12 do mês anterior. *Prazo prorrogado até o dia 25 pela MP nº 447, D.O.U. de 17/11/08.

30/11 Contribuição Sindical dos Empregados: 30/12 efetuar o desconto de 1/30 do salário dos empregados para recolhimento ao sindicato profissional, dos admitidos em débito com a obrigação.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

rado no mês anterior.

30

14/11 PIS, COFINS, CSLL: relativos a fatos gera15/12 dores da 2ª quinzena de Out/Nov 2016. Retenção de contribuições: pagamentos de PJ a PJ de direito privado.

SUPER SIMPLES: pagamento do DAS 18/11 referente à apuração do mês anterior 20/12 (Ago/Set 2016).

18/11 INSS: recolhimento da contribuição do 20/12 mês anterior. *Prazo prorrogado até o dia 20 pela Medida Provisória nº 447, publicada no DOU de 17/11/08.

30/11 PIS, COFINS, CSLL: relativos a fatos 30/12 geradores da 1a quinzena de Nov/Dez 2016 (retenção de contribuições: pagamentos de PJ a PJ de direito privado).

30/11 IR/PJ: empresas devem efetuar o reco30/12 lhimento do tributo relativo à apuração do mês anterior.

30/11 Contribuição Social: empresas tributa31/12 das com base no lucro real, presumido ou arbitrado, devem efetuar o recolhimento do tributo relativo à apuração do mês anterior.


O LOJISTA RESPONDE

Pergunte!

O QUE DETERMINA A LEI 7.443/16 PUBLICADA NO D.O.E. DO DIA 10/10/2016? – Estabelecimentos que comercializam roupas, vestuários, indumentárias, calçados e seus similares, e demais artigos que integram o vestuário feminino e masculino, no Estado do Rio de Janeiro, serão obrigados a instalar ou adaptar seus provadores para torná-los acessíveis às pessoas com necessidades especiais e mobilidade reduzida. Os estabelecimentos terão prazo de 120 dias para se adequar, a partir da entrada em vigor da norma. Novas lojas já devem respeitar a obrigação. O descumprimento está sujeito à multa e a outras penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor. O texto será regulamentado por meio de decreto do Governo.

ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS PODEM FUNCIONAR NO DIA 1º DE JANEIRO? Não. Conforme a cláusula 15ª da Convenção Coletiva para Trabalho aos domingos, os estabelecimentos não funcionarão no Dia de Ano Novo, sendo proibido o trabalho neste dia.

Mas, estão garantidos os salários de seus empregados para todos os efeitos legais, inclusive repouso semanal remunerado.

O 13º SALÁRIO REFERENTE AO PERÍODO DA LICENÇAMATERNIDADE PODE SER DEDUZIDO NA GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL (GPS)? Sim. O 13º salário correspondente ao período da licença-maternidade, pago pela empresa, poderá ser deduzido quando do pagamento das contribuições sociais previdenciárias devidas, exceto das contribuições destinadas a outras entidades ou fundos.

EXISTE DISTÂNCIA MÍNIMA OBRIGATÓRIA PARA O FORNECIMENTO DO VALE-TRANSPORTE PELO EMPREGADOR? Não existe determinação legal de distância mínima que torne obrigatório o fornecimento do vale-transporte. Se o empregado usa transporte coletivo, por menor que seja a distância, o empregador é obrigado a fornecer o vale.

O EMPREGADO PODE TER DESCONTO NO SALÁRIO REFERENTE À AJUDA-ALIMENTAÇÃO FORNECIDA AOS SÁBADOS? Sim. As empresas que efetuam o pagamento em espécie podem descontar R$ 0,80 do salário de seus empregados, por lanche ou jantar, sendo que esta ajuda-alimentação tem caráter indenizatório, não integrando o salário para qualquer efeito, conforme Orientação Jurisprudencial n° 123 da SDI-1 do Tribunal Superior do Trabalho.

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Para facilitar o cotidiano de suas empresas lojistas associadas, a Gerência Jurídica do SindilojasRio tira dúvidas sobre questões trabalhistas, cíveis e tributárias. Empresas não associadas também podem utilizar o serviço. As consultas, gratuitas, podem ser feitas de 2ª a 6ª feira, das 9h às 17h, pelo telefone (21)2217-5000. A seguir, a advogada Luciana Mendonça responde a algumas questões:

31


OPINIÃO

Dados da CNI mostram que 13 milhões de pessoas na área industrial não estão preparadas tecnicamente para ocuparem cargos com plena qualidade. Imagino que, no comércio, este número chegue a mais de 25 milhões.

ABRAÃO FLANZBOYM SUPERINTENDENTE DO CDLRIO

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Educação: a base de tudo

32

A Educação é a base de tudo. Todos vocês, caros leitores, sabem, já ouviram ou leram várias vezes esta afirmação. Não há outro caminho para se alcançar uma qualidade de vida melhor e para se inserir no mercado de trabalho cada vez mais competitivo do que por meio da educação. Preparado, o cidadão terá muito mais chances de superar dificuldades e de sair-se bem no momento de concorrer a uma vaga, seja ela qual for. Em todos os setores, a educação deve ser o fator propulsor para dar um salto de qualidade à profissionalização, incorporando conhecimentos técnicos, estratégias de marketing, de gestão e qualidade de atendimento. No varejo, temos observado a preocupação das empresas, mesmo que tímida, com a capacitação de seus colaboradores, o que tem trazido mais eficiência ao setor. Eficiência que poderia ser ainda maior, se tivéssemos entidades de ensino preparadas para atender às exigências do mercado, com custos acessíveis.

Nós, do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDLRio, acreditamos na importância da capacitação como o grande diferencial das empresas varejistas. Conscientes do cenário altamente competitivo, temos acompanhado o esforço que muitas empresas brasileiras têm feito para se inserirem no mercado globalizado, melhorando cada vez mais a formação dos seus empregados. Apesar do alto índice de desemprego atual, quando há vagas a serem preenchidas o empresário esbarra na falta de qualificação do candidato, fundamental para quem busca uma colocação no mercado. Em uma reportagem recente, o jornal O Globo mostrou que há milhares de vagas disponíveis, aguardando para serem preenchidas por profissionais preparados, o que revela o grande percentual de candidatos inabilitados entre aqueles que estão desempregados. Pesquisas indicam que o comércio carece de mão de obra qualificada. Hoje, o trabalho no varejo deixou de ser apenas uma “ponte” para outras profissões, requerendo profissionais bem preparados. Antes considerada uma necessidade secundária para o varejo, a capacitação tornou-se decisiva para o desenvolvimento e a sobrevivência das empresas. Por isso, o comércio precisa, cada vez mais, de instituições de ensino dedicadas à formação e à qualificação profissional. Pela sua importância social e econômica para o País, como gerador de emprego e renda, o comércio merece.


33

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016


34

Revista O Lojista | Outubro, Novembro e Dezembro de 2016

Revista O LOJISTA - outubro/novembro/dezembro de 2016.  

Revista O LOJISTA. Edição de outubro/novembro/dezembro de 2016.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you