Page 1

Língua

Portuguesa Ensino Fundamental | Anos finais | Língua Portuguesa | 8 ano o

8 Organizadora: Edições SM Obra coletiva concebida, desenvolvida e produzida por Edições SM.

Editora responsável: Andressa Munique Paiva Camila Sequetto Pereira Fernanda Pinheiro Barros Luciana Mariz

UN POR 8 PNLD17 LA CAPA.indd 1

5/29/15 2:23 PM


Língua

Portuguesa Ensino Fundamental | Anos finais | Língua Portuguesa | 8 ano o

8

Organizadora: Edições SM

Obra coletiva concebida, desenvolvida e produzida por Edições SM.

Editora responsável: Andressa Munique Paiva

Bacharela em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Especialista em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Especialista em Fundamentos da Cultura e das Artes pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Editora de livros didáticos.

Camila Sequetto Pereira

Licenciada, Bacharela em Letras e Mestra em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora formadora da Rede Nacional de Formação Continuada. Professora de Língua Portuguesa e Literatura do Ensino Fundamental e do Ensino Médio em escolas da rede particular de ensino.

Fernanda Pinheiro Barros

Licenciada em Letras, Mestra e Doutora em Estudos Linguísticos pela UFMG. Professora formadora da Rede Nacional de Formação Continuada. Professora Adjunta do Departamento de Ciências da Educação da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

São Paulo, 3a edição 2015

Luciana Mariz

Licenciada em Letras e Mestra em Estudos Linguísticos pela UFMG. Professora de Língua Portuguesa e Literatura do Ensino Fundamental e do Ensino Médio em escolas da rede particular de ensino.

UN POR 8 PNLD17 LA INICIAIS 001A002.indd 1

6/2/15 6:46 PM


Universos – Língua Portuguesa 8 © Edições SM Ltda. Todos os direitos reservados

Direção editorial

Juliane Matsubara Barroso

Gerência editorial

Roberta Lombardi Martins

Gerência de processos editoriais

Marisa Iniesta Martin

Coordenação de área

Andressa Munique Paiva

Ana Alvares, Ana Spínola, Marília Rodela Oliveira, Maurício Baptista Vieira

Edição

Assistência administrativa editorial  Alzira Aparecida Bertholim Meana, Camila Cunha, Flavia Casellato, Silvana Siqueira

Preparação e revisão

Coordenação de design

Coordenação de arte

Projeto gráfico

Erika Tiemi Yamauchi Asato Ulisses Pires Apis design integrado

Capa Erika Tiemi Yamauchi Asato e Apis design integrado sobre ilustração de Fernando Volken Togni

Edição de arte

Editoração eletrônica

 láudia Rodrigues do Espírito Santo (Coord.), Ana Paula Ribeiro Migiyama, C Berenice Baeder, Eliana Vila Nova de Souza, Eliane Santoro, Fátima Cezare Pasculli, Fernanda Oliveira Souza, Izilda de Oliveira Pereira, Nancy Helena Dias, Rosinei Aparecida Rodrigues Araújo, Sandra Regina Fernandes, Valéria Cristina Borsanelli, Vera Lúcia Rocha, Marco Aurélio Feltran (apoio de equipe)

Andressa Fiorio, Daniel Campos Souza Equipe SM, Estúdio Typegraphic

Iconografia  Josiane Laurentino (Coord.), Bianca Fanelli, Susan Eiko Diaz, Thaisi Lima Tratamento de imagem

Marcelo Casaro

Fabricação  Alexander Maeda

Impressão

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Pereira, Camila Sequetto Universos : língua portuguesa, 8o ano : anos finais : ensino fundamental / Camila Sequetto Pereira, Fernanda Pinheiro Barros, Luciana Mariz ; organizadora Edições SM ; obra coletiva concebida, desenvolvida e produzida por Edições SM ; editor responsável Andressa Munique Paiva. — 3. ed. — São Paulo : Edições SM, 2015. — (Universos) Suplementado pelo manual do professor. Bibliografia. ISBN 978-85-418-0881-1 (aluno) ISBN 978-85-418-0882-8 (professor) 1. Português (Ensino fundamental) I. Barros, Fernanda Pinheiro. II. Mariz, Luciana. III. Paiva, Andressa Munique. IV. Título. V. Série. 15-03948 CDD-372.6 Índices para catálogo sistemático: 1. Português : Ensino fundamental 372.6 3ª edição, 2015

Edições SM Ltda. Rua Tenente Lycurgo Lopes da Cruz, 55 Água Branca 05036-120 São Paulo SP Brasil Tel. 11 2111-7400

edicoessm@grupo-sm.com www.edicoessm.com.br

UN POR 8 PNLD17 LA INICIAIS 001A002.indd 2

6/2/15 6:46 PM


Apresentação Prezado aluno, prezada aluna, Você deve estar pensando: pronto, lá vem mais uma coleção de Português cheia de substantivos, adjetivos, verbos, regras de ortografia... Pois é, esta coleção tem tudo isso mesmo, e muito mais! Mas calma! Queremos mostrar que saber essas coisas pode ser útil para muitas situações da sua vida. Por exemplo, para descolar uma autorização dos seus pais para ir àquela balada, para bolar uma cantada infalível, para pedir desculpas por um fora que parecia imperdoável... Para quem é fera com as palavras, há sempre um jeito legal de pedir perdão, de conseguir o que parecia impossível. Nós queremos que você não se contente em ser mais um. Esperamos que você faça a diferença, que ajude a construir um mundo com mais verde, com mais bichos, com mais gente de verdade, com mais respeito às diferenças, enfim, com mais amor. Querer essas coisas não é ser piegas nem careta. E, acredite, tudo isso é possível pela linguagem. Queremos ajudar você a perceber que nenhuma palavra é vã. Todas as palavras são motivadas por uma intenção, um desejo, um objetivo. Um grande poeta, Carlos Drummond de Andrade, disse que “lutar com palavras é a luta mais vã”. Nosso convite é para que você não lute contra as palavras, e sim que se alie a elas e se torne seu confidente, seu escudeiro, seu conquistador. Eureka! Encontramos a palavra: conquista. Convidamos você a conquistar as palavras. Em um mundo feito de palavras, nada melhor do que isso. Então, olhos, ouvidos e todo o corpo atentos. Você vai penetrar em um mundo em que nada é impossível! A equipe

3

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 3

6/1/15 6:55 PM


44

o mundo das

Conectando

ocompras mundo dasem compras em revista revista

1. Nestas páginas, está reproduzida uma Conectando obra do1.artista plástico Andy Warhol Nestas páginas, está reproduzida uma (1928-1987) faz plástico parte Andy da chamada obraque do artista Warhol Não escreva no livro. pop art. (1928-1987) que faz parte da chamada

Não escreva no livro.

Vai começar uma nova unidade! As imagens e as atividades da abertura vão ajudar você a perceber o que já sabe sobre o tema que vai ser tratado. E com certeza vão despertar sua curiosidade sobre o que virá a seguir.

pop art.

a) Qual é a) o tema obra? Qual é oda tema da obra? Brasil, 2012

O que é possível observar sobre o uso b) O que éb) possível observar sobre o uso das cores? das cores? 2. Os capítulos desta unidade têm como tema

Licenciado por AUTVIS

unidade destadesta unidade

Licenciado por AUTVIS

Brasil, 2012

Capítulos Capítulos

Notícia 11 | Made in 12 | Publicidade para Notícia

. Fotografia: ID/BR. Coleção particular

crianças: pode ou

o mundo das compras. 2. Os capítulos desta unidade têm como tema a) Na obra de Andy Warhol, a figura o mundo das representada compras. se repete. Que associação você é capaz de fazer entre a a) Na obra de Andy Warhol, a figura repetição e o consumo? representada repete. Que assob) De quese maneira a artista como Marilyn Monroe se ciação você é capaz derelaciona fazer aoentre a universo do consumo? repetição e o consumo? 3. Pelo que você viu até agora, o que a b) De que arte maneira artista de Andy aWarhol podecomo ter a ver com mundo dasse compras? MarilynoMonroe relaciona ao 4. A expressão “em revista”, no título da universo do consumo? Fotografia: ID/BR.

10 | Compra, compra,

10 | Compra, compra, compra... $$$ compra... Anúncio $$$ publicitário Anúncio 11 | Made publicitário in

12 | Publicidade não pode? para Artigo de opinião crianças: pode ou não pode? Artigo de opinião

Coleção particular.

Fique atento aos capítulos da unidade. Em cada um, você vai estudar um gênero textual.

unidade

unidade

Conheça Conexão seu em Ciências livro

unidade, pode ser interpretada de mais

de umaviu forma. sentidosovocê 3. Pelo que você atéQueagora, queé a capaz de atribuir a ela nesse contexto? arte de Andy Warhol pode ter a ver com Você já pensou no quanto somos o mundo das compras?

seduzidos pelos anúncios publicitários?

Caímos“em muitas vezes emno tentação 4. A expressão revista”, título da e compramos produtos de que não unidade,precisamos; pode serafinal, interpretada o que vale éde mais de uma conseguir forma. Que sentidos você o objeto desejado. Vocêé é um consumidor consciente? Sabe capaz de atribuir a ela nesse contexto? qual a diferença entre consumo e consumismo? Esta unidade vai ajudá-lo

Você jáa pensou no quanto refletir sobre essas e outrassomos perguntas. seduzidos pelos anúncios publicitários? Caímos muitas vezes em tentação e compramos produtos de que não precisamos; afinal, o que vale é conseguir o objeto desejado. Você é um consumidor consciente? Sabe 167 qual a diferença entre consumo e consumismo? Esta unidade vai ajudá-lo a refletir sobre essas e outras perguntas.

166

UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_166A171.indd 166

6/1/15 3:23 PM

UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_166A171.indd 167

6/1/15 3:23 PM

Antes da leitura

166

As características do gênero textual estudado, os temas do capítulo e os tópicos abordados na reflexão gramatical estão listados no boxe O que você vai estudar neste capítulo. Aproveite as informações para organizar seu caderno!

5. Você acha que os contos de fadas se destinam apenas ao público infantil

Paródia de conto de fadas

“não era uma vez...” Paródia de conto de fadas UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_166A171.indd 167

Antes da leitura

sentido ‚ Repetição, hipérbole, antítese ‚ Papéis sociais da mulher e trocadilho: e do homemusos e efeitos de sentido ‚ O amor pela pátria

‚ Repetição, hipérbole, antítese e trocadilho: usos e efeitos de sentido

1. Qual é o conto de fadas retratado nessa ilustração? Em que você

baseou sua resposta? 2. Embora os contos de fadas tenham nascido da tradição oral, alguns

escritores se encarregaram de colher e registrar essas histórias, tornando-as mundialmente conhecidas. Fale para os colegas os nomes de escritores de contos de fadas que você conhece. 3. Que contos de fadas você conhece? Você se lembra de quando os leu ou

ouviu pela primeira vez? Qual é o seu preferido? Conte aos colegas. 4. O que um texto deve ter para ser considerado um conto de fadas?

1. Qual é o conto de fadas retratado nessa ilustração? Não escreva no livro.

baseou sua resposta?

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd 64

haja príncipes e princesas, essa é do diferente. Siga os o professor vai 2.embora Acompanhe atentamente a história leitura texto que 4. Ao final da leitura, troque sua folha com um colega; um vai confepassos para realizar a atividade. fazer. as terminar respostas outro. Cadafeche resposta 1.rir Após de lerdo estas instruções, o livro. certa vale 1 ponto. 3.2.Durante a atentamente leitura, o aprofessor faráque 13o perguntas Acompanhe leitura do texto professor vai sobre o que vai

Veja quem mais se aproximou do alvo com seus palpites. Observe a ilustração e responda oralmente às questões 5. a seguir. fazer. acontecer a seguir na história. Anote suas respostas a caneta em

Reflexões gramaticais

64

Mirella Spinelli/ID/BR

Antes da leitura

‚ Repetição, hipérbole, antítese Reflexões gramaticais do beijo e trocadilho: usos e efeitos de

3. Durante a leitura, o professor fará 13 perguntas sobre o que vai uma folha avulsa. Não é permitido rasurar nem alterar as respostas. acontecer a seguir na história. Anote suas respostas a caneta em 4. É Ao final leitura, troque rasurar sua folha comasum colega; um vai confeuma folhada avulsa. Não é permitido nem alterar respostas. importante saber 4.rir Aoas finalrespostas da leitura, troque sua folhaCada com um colega; um vai confedo outro. resposta certa vale 1 ponto. O rir príncipe Roger do tem um problema: todos quevale se 1aproximam dele as respostas outro. Cada resposta certa ponto. 5.morrem Veja quem mais se mais aproximou do alvo com palpites. 5. Vejade quem mais se aproximou do alvo com palpites. rir. Para torná-lo respeitável, oseus mago da corteseus o envia

a uma busca. Roger deve aventurar-se por lugares temíveis, como a Floresta Para Sempre, É importante saber a Divisa Perversa, o Vale da Vingança, o Mar importante saber deÉ Gritos e a Montanha das Más Intenções. Durante sua aventura, O príncipe Roger tem um problema: todos que se aproximam dele descobre que o objetivo de sua busca é resgatar a princesa Petúlia morrem de rir. Para torná-lo mais respeitável, o mago da corte o envia príncipe Roger tem um problema: todos que se aproximam dele dosaOuma braços doRoger gigante Teobaldo. Antes encontrá-la, busca. deve aventurar-se por lugaresde temíveis, como a Roger conhece morrem de Parade maisda o mago envia Floresta Pararir. Sempre, atorná-lo Divisa Perversa, orespeitável, Vale da Vingança, o Mar da Lady Sarita, dama companhia princesa, de quem secorte tornaomuito de Gritos e a Montanha das Másaventurar-se Intenções. Durante aventura,temíveis, como a a uma busca. Roger deve porsualugares próximo. Ambos escapam da Divisa Perversa descobre que o objetivo de sua busca é resgatar a princesa usando Petúlia o Pó Mágico, Floresta Sempre, a Divisa Perversa, odeVale da eVingança, Mar dostransforma braçosPara do gigante Teobaldo. Antes encontrá-la, conhece que Lady Sarita emdeuma folha Roger árvore Roger emouma de Gritos a Montanha Más Intenções. Durante sua aventura, Lady Sarita,edama de companhia das da princesa, de quem se torna muito águia. No capítulo que você vai ler, Roger, a Águia, volta a assumir a próximo. Ambos escapam da Divisa Perversa usando o Pó Mágico, descobre que o objetivo de sua busca é resgatar a princesa Petúlia forma humanaLady e, finalmente, encontra a princesa, que lhe conta toda que transforma Sarita em uma folha de árvore e Roger em uma braços do gigante encontrá-la, águia. No capítulo que vocêTeobaldo. vai ler, Roger,Antes a Águia,de volta a assumir a Roger conhece ados sua história. forma humana dama e, finalmente, encontra a princesa, que lhe conta toda se torna muito Lady Sarita, de companhia da princesa, de quem a sua história. Capausando de Um barril risadas, próximo. Ambos escapam da Divisa Perversa o PódeMágico, um de árvore lágrimas, Capa de vale Um barril de risadas, de Jules Feiffer. que transforma Lady Sarita em uma folha de e Roger em uma um vale de lágrimas, de Jules Feiffer. águia. No capítulo que você vai ler, Roger, a Águia, volta a assumir a Emforma que vocêe, finalmente, encontra a princesa, que lhe conta toda humana escreva no NãoNão escreva nolivro. livro. a sua história.

1. Qual é o conto de fadas retratado nessa ilustração? Em que você 2. Embora os contos de fadas tenham nascido da tradição oral, alguns baseou sua resposta? 6/1/15 6:31 PM

Capa de Um barril de risadas, um vale de lágrimas, de Jules Feiffer.

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd 65

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd escritores se encarregaram de colher e registrar essas histórias, tor-

A cada capítulo, enquanto lê o texto, você vai ter um desafio diferente: juntar peças de um quebra-cabeça, participar de um jogo de perguntas e respostas, representar um apresentador de TV... E então, você está preparado? Mirella Spinelli/ID/BR

gramaticais ‚ DiferentesReflexões significados

que vai acontecer na narrativa a seguir? Não se engane, pois, vezes, de versão em versão, uma narrativa pode até mesmoprever virar Tiroode ao alvo! fazer. embora hajadepríncipes e princesas, essa história é odiferente. Siga os Os contos fadas costumam ser bem previsíveis. leitor sabe cabeça para baixo! É o que você vai descobrir neste capítulo,3. rimando Durante a leitura, o professor fará 13 Operguntas sobre o que vai que vaipara acontecer quandoaoatividade. príncipe beijar a princesa, ou quem vai realizar Antes da humor leiturae se encantando com um príncipe quepassos amor com faz todo a seguir nahistória. história. Anote suasé capaz respostas a caneta em seacontecer dar bem ou mal no final da Mas será que você de Observe a ilustração e responda oralmente às questões a seguir. 1. Após terminar deNão lernarrativa estas instruções, livro. as respostas. Observe ilustração e responda oralmente às questões a seguir. prever ofolha que vaiavulsa. acontecer na a seguir?rasurar Não sefeche engane, mundo rir e acom uma princesa que tem um coração de pedra... uma é permitido nemopois, alterar

mundo rir e com uma princesa que tem um coração de pedra...

Cia. das Letras/Arquivo da editora Cia. das Letras/Arquivo da editora

‚ A desconstrução de de humor ‚ Amores difíceisa produção e amores risíveis personagens típicas Amor ‚ Diferentes significados ‚ Amores difíceis para e amores risíveis ‚ Inversão de situações do beijo ‚ Diferentes significados a produção do debeijo humor ‚ Papéis sociais da mulher ‚ Papéis sociais da mulher eAmor do homem e do homem ‚ O amor pela pátria Amores ‚ O‚ amor peladifíceis pátriae amores risíveis

Mirella Spinelli/ID/BR

‚ A desconstrução de

personagens típicas Amorvalores sociais ‚ Inversão de situações para

Os contos de fadas costumam ser bem previsíveis. O leitor sabe o

do livro, no final desta página (boxe É importante saber), e responda. tradicionais já estavam na boca do povo, sendo transmitidas oralautor. Seu objetivo épersonagem descobrir o que há de semelhante dequem diferente que vai acontecer o dapríncipe beijar a princesa,eou vai a) Quem parece ser aquando capa? mente de geração em geração. A origem na tradição oral ajuda acontos exentre os de no fadas tradicionais e Mas esse capítulo do romance. se dar ou mal final da história. será que você é capaz de b) bem Que características físicas e psicológicas ela parece apresentar? Era Era umapor vez, há muito tempo... o conto de fadas! Muito antes de uma vez, há mesmo muito tempo... ocostuma conto deter fadas! Muito antesode plicar que um conto várias versões. E, às prever que vai acontecer na narrativa a seguir? Não se engane, pois, ganhar as páginas dos livros e as telas dos cinemas, essas narrativas Tiro aode alvo! Durante a leitura ganharde asestavam páginas dosversão, euma as transmitidas telas dosoralcinemas, essas narrativas vezes, versão narrativa pode até mesmo virar embora haja príncipes e princesas, essa história é diferente. Siga os tradicionais já na em boca dolivros povo, sendo Você vai ler um do romance Um ser barrilbem de risadas, um vale O leitor sabe o mente de geração tradição oraldescobrir ajuda a exOs contos decapítulo fadas costumam previsíveis. tradicionais jágeração. estavam nanavocê boca do povo, sendo transmitidas oralpassos para realizar a atividade. cabeça paraembaixo! ÉA oorigem que vai neste capítulo, rimando de lágrimas, de Jules Feiffer, acompanhado das ilustrações feitas pelo plicar por que um mesmo conto costuma ter várias versões. E, às que vai acontecer quando o há príncipe beijar princesa, mente de geração em geração. nade tradição oral ajuda a Seu ex1. Após terminar de ler oestas instruções, feche o livro. ou quem vai autor. objetivo é descobrir que de semelhante e deadiferente amor com humor e se encantando com um príncipe que faz todo vezes, de versão em versão, uma narrativa podeA atéorigem mesmo virar contos fadasno tradicionais capítuloMas romance. seentre dar oudemal final daeaesse história. será que que você é capazvai de cabeça parapor baixo!que o que vocêmesmo vai descobrir neste capítulo, rimando plicar um conto costuma tercoração várias versões. E,osbem às Acompanhe atentamente leitura dodo texto o professor mundo rir eÉ com uma princesa que tem um de 2. pedra... amor com humor e se encantando com um príncipe que faz todo

Cia. das Letras/Arquivo da editora

‚ O questionamento de valores sociais O que vai estudar que você vai estudar ‚ AOdesconstrução devocê neste capítulo personagens típicas neste capítulo Paródia de conto de fadas ‚ Inversão ‚ conto O questionamento de Paródia de desituações depara fadas sociais a‚ produção de valores humor O questionamento de

Coleção particular. Fotografia: Mary Evans Picture Library/Other Images

Paródia de conto de fadas

Durante a leitura

5. Durante Você acha que os contos de fadas se destinam apenas ao público infantil a leitura “não era uma vez...” Era uma vez, há muito tempo... o conto de fadas! MuitoVocê antes de ou os jovens e os adultos também gostam de lê-los? vai alvo! ler um capítulo do romance Um barril de risadas, um vale Tiro ao “não era umadosvez...” ganhar as páginas livros e as telas dos cinemas, essas Você vai ler ade seguir o capítulo de um romance. Dê uma espiada capa de6.narrativas lágrimas, Jules Feiffer, acompanhado das na ilustrações feitas pelo

Paródia de conto de fadas

Coleção particular. Fotografia: Mary Evans Picture Library/Other Images

44

O que você vai estudar neste capítulo

6/1/15 3:23 PM

Você vai ler um ser capítulo do romance Um barril de risadas, um vale a) Quem parece a personagem da capa? de lágrimas, de Jules Feiffer, acompanhado das feitas pelo b) Que características físicas e psicológicas elailustrações parece apresentar? autor. Seu objetivo é descobrir o que há de semelhante e de diferente entre os contos de fadas tradicionais e esse capítulo do romance.

Coleção particular. Fotografia: Mary Evans Picture Library/Other Images

4 CAPÍTULO

Quando texto, você não parte “do zero”: ou os lê jovensum e os adultos também gostam de lê-los? 6. Você vai ler a seguir o capítulo de um romance. Dê uma espiada na capa sempre há algo que você já sabe e pode recordar, e do livro, no final desta página (boxe É importante saber), e responda. 167 Você achaparece que osser contos de fadas seda destinam a) Quem a personagem capa? apenas ao público infantil você5. também pode levantar hipóteses sobre o que ou Que os jovens e os adultos também gostam deela lê-los? b) características físicas e psicológicas parece apresentar? 6. VocêÉ vai o ler aque seguir o capítulo de um romance. Dê uma espiada na capaseção. vai ler. vai acontecer nesta Durante a desta leitura do livro, no final página (boxe É importante saber), e responda. 6/1/15 3:23 PM

CAPÍTULO

CAPÍTULO

UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_166A171.indd 166

65

Sempre que você precisar de mais informações sobre o texto de leitura, elas vão estar no boxe É importante saber. 65

6/1/15 6:31 PM

65

6/1/15 6:31 PM

2. nando-as Embora osmundialmente contos de fadas tenham nascido da tradição oral, Nãoalguns escreva no de livro. conhecidas. Fale para os colegas os nomes

65

escritores de se encarregaram de colher e registrar escritores contos de fadas que você conhece.essas histórias, tor-

nando-as mundialmente conhecidas. Fale para os colegas os nomes de 3. Que contosdedecontos fadas de você conhece? Você se lembra de quando os leu ou escritores fadas que você conhece. UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd

ouviu pela primeira vez? Qual é o seu preferido? Conte aos colegas.

65

6/1/15 6:31 PM

3. Que contos de fadas você conhece? Você se lembra de quando os leu ou 4. Oouviu que pela um texto deve terQual paraé oserseuconsiderado um conto de fadas? primeira vez? preferido? Conte aos colegas.

TextoTexto

Texto

“E sempre quem acaba me salvando é uma moça.” Esta constatação irritou-o. “Primeiro Lady Sarita, agora você.” 4. O que umOtexto deve ter para ser considerado um conto de Vale de Lágrimas Não fadas? escreva no livro. A linda mulher ficou radiante quando ouviu mencionar o nome de Lady Sarita. “Você só Alguém o estava beijando. Por que ele cuspia água nela, logo nela, tão carinhosa com ele, pode ser o Príncipe Roger. Lady Sarita está a meu serviço. Sou a Princesa Petúlia!” Alguém o estava beijando. Por que ele água nela, tão a ponto de beijá-lo? E uma desconhecida! Ela cuspia lhe deu mais um nela, beijo. Não Alogo água saiu dele, em carinhosa com ele, E deu um sorriso para Roger, sorriso fascinante a ponto de ser paralisador. Mas Roger escreva no livro. pela boca. Ela lhe deu outro beijo. Uma cachoeira desceu pelo nariz. mais outro a ponto detorrentes, beijá-lo? E uma desconhecida! Ela lhe deu mais um Ebeijo. A água saiu dele, em estava interessado demais no destino de Lady Sarita, portanto o fascínio não teve efeito sobre beijo. Ele lembrou-se de que era preciso fazer alguma coisa. Mas o quê? Alguma coisa além ele. “Lady Sarita está viva?” torrentes, pela boca. Ela lhe deu outro beijo. Uma cachoeira desceu pelo nariz. E mais outro de ficar botando água para fora. PM “Está, sim.” beijo. Ele lembrou-se deuma que preciso fazer alguma coisa. Mas o quê? Alguma 6/1/15 coisa6:31 além “Respire”, disse vozera suave. “E está passando bem?” Ah! Era isso! Respirar! Mas como poderia respirar se essa mulher desconhecida, aninhan“Está bem.” de ficar botando água para fora. 6/1/15 6:31 PM do-o em seus braços, insistia em curvar-se sobre ele e beijá-lo? De qualquer modo, mesmo “Onde está?” Roger olhou à sua volta. Não viu nenhum sinal de Lady Sarita. “Respire”, disse uma voz suave. com ela presente, ele começou a respirar. Começou a tossir. Tossiu, tossiu, levou muito tem“Foi raptada.” po tossindo. Ah! Era isso! Respirar! Mas como poderia respirar se essa mulher desconhecida, aninhan- “Pensei que a raptada tivesse sido você.” “Respire”, insistiu ela. do-o em seusFácil braços, em um curvar-se beijá-lo? qualquer modo, mesmo “Eu estou raptada.” para ela insistia dizer, mas nem pouco fácilsobre para ele ele fazer.eDepois de um De minuto, con“Onde está o seu raptor?” Roger olhou à sua volta. seguiu aprender a respirar e tossir ao mesmoComeçou tempo. E arquejar, também. Respirar,tossiu, tossir, levou muito temcom ela presente, ele começou a respirar. a tossir. Tossiu, “Você está sentado em cima dele. Eu estou sentada em cima dele, pobrezinho. Essa janarquejar. Aos pouquinhos pode-se ir longe por esse caminho, e não demorou que ele se sengada é o meu raptor.” po tossindo. tisse quase pronto a estar vivo de novo. Ergueu os olhos do colo que o apoiava até o rosto que Roger tentou levantar-se, mas cambaleou. A Princesa Petúlia estendeu-lhe a mão, mas o o salvara. O rostoela. era tão lindo que o deixou sem respiração. Perder a respiração era o tipo “Respire”, insistiu orgulho dele não lhe permitia aceitar qualquer nova ajuda sua, fosse qual fosse. Deu um jeito da coisa que ele não podia se permitir naquele momento. Começou a arquejar e tossir, tudo de pôr-se de pé, tremendo muito e demorando uma eternidade, por suas próprias forças. Fácil para dizer, mas umforam pouco fácil para ele fazer. de um minuto, conoutra ela vez. “Que nome vocênem dá a isto?”, as primeiras palavras dirigidas porDepois Roger à bela Qual não foi o seu espanto ao descobrir que estava pisando, na altura do quinto botão (a desconhecida. seguiu aprender a respirar e tossir ao mesmo tempo. E arquejar, também. Respirar, tossir, contar de cima para baixo), a camisa do cadáver flutuante de um gigante! “Isto o quê?” “É este gigante que raptou você?” arquejar. Aos“Isto pouquinhos pode-se ir longe que você acabou de fazer comigo, estespor beijosesse e tal?”caminho, e não demorou que ele se sen“É uma longa história”, disse a Princesa Petúlia, também de pé, posicionando-se para “Isto se chama o Beijo Vida. Peço desculpas começado tisse quase pronto a estar vivodade novo. Ergueuporosterolhos doa fazer coloantes quedeosermos apoiava até o rosto que amparar Roger caso ele caísse. apresentados um ao outro.” o salvara. O rosto era devidamente tão lindo que o deixou sem respiração. Perder a respiração era o tipo “Ele está morto?”, perguntou Roger. “Não fosse por você, eu teria me afogado.” da coisa que ele não podia se permitir naquele a arquejar e tossir, tudo “É uma longa história.” “Você caiu no mar. Bem ali,momento. ó.” Ela apontouComeçou para um trecho que “Uma história que tem a ver com Lady Sarita?” Caso ficava oitocentos metrosas deprimeiras distância. Roger reparou num rastro outra vez. “Que nome você dáaauns isto?”, foram palavras dirigidas por Roger à bela contrário, Roger não estava a fim de escutá-la. de penas flutuantes. “O papel que ela desempenha é muito desconhecida. “Como foi que você me salvou?” importante.” “Nadando. De que outra forma poderia ter conseguido?” “Isto o quê?” “Então pode contar”, disse Roger, deRoger não tinha a menor ideia de onde se achava. Parecia sabando estatelado sobre o cadáver (não “Isto que você acabou de estar fazeremcomigo, e tal?” algo assimestes como beijos uma imensa jangada. Mas uma de todo um cadáver, veremos) flutujangadaPeço com calça e camisa!por “Você nadando todaa esta “Isto se chama o Beijo da Vida. desculpas terfezcomeçado fazer antes de sermos ante do gigante. distância, daqui até lá?” Olhou para a linda mulher. Era devidamente apresentados um ao outro.” pequenina. “Sou excelente ela tranquilamente. “Não fosse por você, eu nadadora”, teria medisse afogado.” “E depois voltou me trazendo? E me puxou para “Você caiu nocima mar. ali, ó.” Ela apontou destaBem jangada? E deu-me o Beijo da Vida?” para um trecho que “Você teria feito ode mesmo por mim.” Roger reparou num rastro ficava a uns oitocentos metros distância. “Não poderia, não sei nadar. E, além disso, sou de penas flutuantes. eu quem está encarregado de uma busca. Quem salvarme fui eu.” O tom de voz usado por “Como foificou quedevocê salvou?” Roger denotava um certo mau humor. “Nadando. De quecerteza outradeforma ter conseguido?” “Tenho que vocêpoderia já salvou muito maistinha do que era sua obrigação.” Roger não a menor ideia de onde se achava. Parecia

64

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd 64

Cia. das Letras/ Arquivo da editora

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd 64

Cia. das Letras/ Arquivo da editora

O Vale de Lágrimas

64

Nesta seção, você vai ler textos de diversos gêneros.

66

Cia. das Letras/ Arquivo da editora

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd 66

4

66

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 4

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd 66

estar em algo assim como umaNãoimensa jangada. Mas umaNão escreva no livro. escreva no livro. jangada com calça e camisa! “Você fez nadando toda esta distância, daqui até lá?” Olhou para a linda mulher. Era pequenina. “Sou excelente nadadora”, disse ela tranquilamente. “E depois voltou me trazendo? E me puxou para cima desta jangada? E deu-me o Beijo da Vida?” “Você teria feito o mesmo por mim.” “Não poderia, não sei nadar. E, além disso, sou eu quem está encarregado de uma busca. Quem ficou de salvar fui eu.” O tom de voz usado por Roger denotava um certo mau humor. “Tenho certeza de que você já salvou muito mais do que era sua obrigação.” 6/1/15 6:31 PM

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_062A069.indd 67

67

6/1/15 6:31 PM

Não escreva no livro.

6/1/15 6:31 PM

6/1/15 6:55 PM


Livro de português não fala só sobre português! O boxe Conexões estabelece relações importantes entre as disciplinas do Ensino Fundamental. E o boxe Fique antenado vai deixar você sempre de olho no lance!

Depois da leitura Uma manifestação contra a discriminação e pelo respeito às

Depois da leitura

Responda às atividades a seguir no caderno. Depois da leitura

A reconstrução dos sentidos do texto

Uma manifestação diferenças, a Parada do Responda às atividades a seguir no caderno. 1. A palavra elucidar tem o sentido de “tornar claro, esclarecer, explicar”. Orgulho LGBT (sigla para contra a discriminação “lésbicas, gays, bissexuais, Sabendo disso, pode-se dizer que o título “A valsa” é elucidativo quane pelo respeito às travestis e transexuais”) to à temática do poema? Explique sua resposta. acontece no mês de diferenças, a Parada do junho, na cidade de 2. Leia abaixo o trecho de um artigo acadêmico e, na sequência, o fragOrgulho LGBT (sigla para São Paulo, desde 1. 1996. A palavra elucidar tem o sentido de “tornar claro, esclarecer, explicar”. mento de um verbete de dicionário. Em 2011, o evento “lésbicas, gays, bissexuais, comemorou seus quinze Sabendo disso, pode-se dizer que o título “A valsa” é elucidativo quantravestis e transexuais”) anos com o clássico das [...] do poema? Explique sua resposta. to à temática acontece no mês de festas de debutante: ao Embora se tenha notícia da valsa como gênero desde o século XV som de “Danúbio azul”, [...], ela teve ampla aceitação europeia no início do século XIX, como junho, na cidade de de Strauss, em plena 2. Leia abaixo o danças trecho de mais um valorizadas artigo acadêmico e, na sequência, o fraguma das de salão no Ocidente, mesmo tendo avenida Paulista (uma São Paulo, desde 1996. em vista as muitas oposições feitas, algumas bastante curiosas, como das mais importantes da mento de um verbete de dicionário. a dos médicos, que achavam prejudicial a velocidade com que os danEm 2011, o evento cidade), vários pares se çarinos rodopiavam pelo salão e também objeções morais, pois foi o formaram para dançar comemorou seus quinze valsa, como um tributo à primeiro gênero que se dançou estando os pares enlaçados, em abraço anos com o clássico das convivência harmoniosa [...]muito estreito [...]. festas de debutante: entre ao as pessoas. Célia Reis e Marco de Campos. Entre o poema e a partitura: A valsa, de Casimiro de Abreu. Embora se tenha notícia da valsa como gênero desde o século XV Per Musi – Revista Acadêmica de Música, Belo Horizonte, n. 15, p. 57, jan./jun. 2007. som de “Danúbio azul”, [...], ela teve ampla aceitação europeia no início do século XIX, como de Strauss, em plena valsa s.f. [...] dança em compasso [...], constituída por uma uma das danças de salão maisternário valorizadas no Ocidente, mesmo tendo avenida Paulista (uma série de melodias entremeadas, com introdução e coda. [...] em vista as muitas oposições feitas, algumas bastante curiosas, como das mais importantes da Antônio Houaiss e Mauro de Salles Villar. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. a dos médicos, que achavam prejudicial velocidade Rio de Janeiro:aObjetiva, 2001. p. 2826. com que os dancidade), vários pares se Participantes da 15 Parada çarinos pelo salão e também objeções morais, pois foi o formaram para dançardo Orgulho LGBT, em São Qualrodopiavam é o tema de cada texto? Paulo,àdançam a valsa valsa, como um tributo primeiro gênero que se dançou estando os pares enlaçados, em abraço 3. Com base em suas respostas às atividades anteriores, posicione-se: “Danúbio azul”, de Strauss. convivência harmoniosa muitoIdentificar estreitoo tema [...].de um texto é suficiente para sabermos se ele é ou entre as pessoas. não literário? Explique.

A reconstrução dos sentidos do texto

x Definir o melhor posicionamento das personagens em cada momento da cena. x Definir o melhor posicionamento das personagens em cada momento da cena.

Anna Silveira/Fotoarena

Anna Silveira/Fotoarena

Célia Reis e Marco de Campos. Entre o poema e a partitura: A valsa, de Casimiro de Abreu.

atentando para a atmosfera que se deseja criar.

enchimentos superpostos Trecento italiano: decote e elementos postiços, dosmangas vestidos [...] edeiseu com nesgas xando as da camisa ajuste novercorpo, pentena roupa feminina; para ados complicados com os homens, pequeno traje enchimentos superpostos curto e justo, calções codeterminados atores ou elementos do cenário. lantes, calça, postiços, chapéu [...]. e elementos mangas com nesgas deiFrançois Boucher. ARQUIVO do vestuário no 8. Chegou o momento de planejar o figurino dos atores. Com o grupo, xando História ver asdas daorigens camisa Ocidente: aos Associada ao cenário e à pesquise sonoplastia, a iluminação é responsável “atmosfera” a respeito do vestuário italiano dopela período aproximado em na roupa nossosfeminina; dias. Trad. André para Telles. São Paulo: Cosac da cena. Muita luz pode criarque umseclima ouXIII frenético; luz dáconsiderando à cena passaalegre, a peçafestivo (séculos a XV). pouca Em seguida, a os homens, pequeno traje Naify, 2010. p. 170. um aspecto mais sombrio ouposição romântico. por meio luz personagem, é possível destacar socialAlém e a disso, personalidade deda cada elabore os escurto e justo, calções coboços do determinados atores ou elementos dofigurino cenário.(leia o boxe Conexões História). lantes, calça, chapéu [...].

rio, ao passo que o artigo acadêmico e o verbete de dicionário não são.

ARQUIVO 7. A iluminação é outro elemento importante em uma peça de teatro.

5. Releia as estrofes de 1 a 4 do poema “A valsa”.

Associada ao cenário e à sonoplastia, a iluminação é responsável pela “atmosfera” Com o grupo, elabore uma proposta de iluminação para a cena lida, da cena. Muita luz pode criar um clima alegre, festivo ou frenético; pouca luz dá à cena um aspecto mais sombrio romântico. Além disso, por meio da luz é possível destacar atentando para a atmosfera que se oudeseja criar.

valsaa)s.f. dança estrofes, em compasso ternário [...], constituída por uma Nas [...] três primeiras o que o eu lírico descreve detalhasérie dedamente? melodias entremeadas, com introdução e coda. [...] b) Na quarta estrofe, qual é o foco da descrição? Antônio Houaiss e Mauro de Salles Villar. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa.

Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 2826. 6. No poema, há uma oposição entre movimento e imobilidade. a) A que personagem pode ser atribuída a ideia de movimento? E a ideia

Qual é o de tema de cada texto? imobilidade? Comprove sua resposta com trechos do poema.

b) Que outras ideias estão associadas a essas personagens e ao estado

movimento de imobilidade) que cada uma seanteriores, encontra? 3. Com base(deem suas ourespostas àsematividades posicione-se:

9. Agora, avalie se a leitura expressiva que o grupo realizou em Durante a

Identificar o tema de um texto é suficienteNãopara se ele é ou escreva nosabermos livro. não literário? Explique.

François Boucher. História do vestuário no Ocidente: das origens aos nossos dias. Trad. André Telles. São Paulo: Cosac Naify, 2010. p. 170.

leitura é compatível com os outros foramoincorporados 8. Chegou o momento de planejar o figurino doselementos atores.queCom grupo, ao texto: cenário, sonoplastia, iluminação, figurino. Se o grupo concluir que

pesquise a respeito do vestuário italiano do período aproximado em alguma coisa está em desarmonia, deve fazer as alterações necessárias. que se passa a peça (séculos XIII a XV). Em seguida, considerando a 10. Alguns pesquisadores sustentam que Romeu e Julieta teriam existido, posição social e a personalidade de cada personagem, elabore os esde fato, na Verona do início do século XIV. Tendo existido ou não, peboços do figurino (leia o boxe ConexõesoHistória). las mãos de Shakespeare casal protagonizou uma das mais populares

4. Levante uma hipótese para explicar por que o poema é um texto literá-

UVP8_LA_PNLD17_U02_C05_088A093.indd 88

Hoje, uma roupa com parecer algo banal, mas

4. Levante uma hipótese explicar por que o poema um texto literáPer Musi – Revistapara Acadêmica de Música, BeloéHorizonte, n. 15, p. 57, jan./jun. 2007.

88

CONEXÕES História

foi uma umum diadiajájá foi umagrande grande 6. Chegou a a hora de planejar da a sonoplastia da cena. Com o grupo, novidade. Na Na Europa, ela ela 6. Chegou a hora de planejar sonoplastia cena. Com o grupo, definadefina novidade. Europa, introduzida na Itália e os ruídos e as músicas a serem executados, em função dos efeitos que foi foi introduzida napara Itália os ruídos e as músicas a serem executados, em função dos efeitos que depois se espalhou o e você deseja produzir, e assinale o momento exato em que cada um depois se continente espalhoucomo para o resto do você deseja produzir,deve e assinale momento exato em que cada um ser iniciado oe interrompido. umado dascontinente característicascomo resto do traje moderno. Saiba deve ser iniciado e ARQUIVO interrompido. uma características umdas pouco mais sobre o do vestuário traje moderno. da Itália doSaiba A sonoplastia de uma peça envolve tanto efeitos sonoros quanto músicas que ajuARQUIVO XIV.mais sobre o dem a construir o clima adequado a cada momento. Em associação com outros elemenumséculo pouco tos da linguagem teatral, ela ajuda a criar efeitos que emocionam o público. Para isso, Determinadas caractevestuário da Itália do A sonoplastia de uma peça envolve efeitos sonoros aju- para a é importante quetanto esteja em harmonia com os quanto diálogos emúsicas o cenário que idealizado rísticas não demoraram século XIV. montagem.a cada momento. Em associação com outros elemendem a construir o clima adequado a se configurar na arte do Trecento italiano: decote tos da linguagem teatral, ela ajuda a criar efeitos que emocionam o público. Para isso, Determinadas caractedos vestidos [...] e seu é importante que esteja7.emAharmonia os diálogos o cenário idealizado paradea teatro. rísticas iluminaçãocom é outro elementoe importante em uma peça não demoraram ajuste no corpo, pentemontagem. Com o grupo, elabore uma proposta de iluminação para a cena lida, a seados complicados configurar nacom arte do

a

Participantes da 15a Parada do Orgulho LGBT, em São Paulo, dançam a valsa “Danúbio azul”, de Strauss.

CONEXÕES História

x Possibilitar a visualização dos objetos cênicos utilizados pelas Hoje, uma roupa com x Possibilitar a visualização dos objetos cênicos utilizados pelas abertura na frente pode abertura na frente pode personagens. personagens. parecer algo banal, mas

Biblioteca Nacional da França, Paris. Fotografia: ID/BR

Fique antenado

Fique antenado

6/1/15 3:20 PM

rio, ao passo que o artigo acadêmico e o verbete de dicionário não são.

histórias de amor de todos os tempos.

5. Releia as estrofes de 1 a 4 do poema “A valsa”.

a) Você considera possível na vida real, haja amor comoa o de 9. Agora, avalie se a leitura expressiva que oque, grupo realizou emumDurante e Julieta? Conhece alguma históriaincorporados de pessoas que ao tenham leitura é compatível comRomeu os outros elementos que foram vivido um amor como esse? texto: cenário, sonoplastia, iluminação, figurino. Se o grupo concluir que b) Como você reagiu ao final da peça? Você teria dado um final diferente alguma coisa está em desarmonia, deve fazer as alterações necessárias. à história? Se sim, qual?

a) Nas três primeiras estrofes, o que o eu lírico descreve detalhadamente? b) Na quarta estrofe, qual é o foco da descrição?

Esta reprodução de um breviário italiano do século XIV mostra como eram os vestidos femininos da época.

Não escreva no livro. 10. Alguns pesquisadores sustentam que Romeu e Julieta teriam existido,

127

de fato, na Verona do início do século XIV. Tendo existido ou não, pe-

6. No poema, há uma oposição entre movimento e imobilidade.

Biblioteca Nacional da França, Paris. Fotografia: ID/BR

Texto lido? Então, chegou a hora de pôr a mão na massa! Em A reconstrução dos sentidos do texto, você vai ficar atento a aspectos importantes do gênero estudado e às características do texto lido.

las mãos de Shakespeare o casal protagonizou uma das mais populares Em na reconstrução a) A A que gramática personagem pode ser atribuída a ideia de movimento? E a dos ideia histórias de amor de todos os tempos. de imobilidade? Comprove sua resposta com trechos do poema. a) Você considera possível que, na vida real, haja um amor como o de sentidos do texto, você vai prestar b) Que outras ideias estão associadas a essas personagens e ao estado Romeu e Julieta? Conhece alguma história de pessoas que tenham (de movimento ou de imobilidade) em que cada uma se encontra? um amor como esse? atenção aos recursos linguísticos que b) vivido Como você reagiu ao final da peça? Você teria dado um final diferente àcartilha história?eSe sim, qual? a uma nova 5. Releia um trecho de uma das dicas da compare-o ajudam a materializar osversão. sentidos do texto lido. Atraso – Já não é de bom-tom chegar deA gramática na reconstrução dos sentidos do texto O boxe Mais gramática pois do espetáculo iniciado, mas brigar por lugares marcados, mesmo com as entradas em 1. Releia o trecho. mão, atrapalha todo mundo. [...] De resto, é indica que você deve melhor deixar pra lá e, discretamente, ir sennas poltronas traseiras, sem incomodar A gramática na reconstrução dos sentidos texto realizar atividades “[...] Certa vez, no cinema, uma turma dedo adolescentes gritava e fazia zorra com um tando A gramática na reconstrução dos sentidos do texto ninguém. laser vermelho mirado para a tela. A sessão ficou tão insuportável que saí no meio do 1. Releia o trecho. complementares para filme’’, conta a historiadora Emanuele de Maupeou [...]. Atraso – Não chegue depois do espetáculo “[...] Certa vez, no cinema, uma turma de adolescentes gritava e fazia zorra com um iniciado, muito menos brigue por lugares marse aprofundar nos laser vermelho mirado para a tela. A sessão ficou tão insuportável que saí no meio do 5. Releia um trecho de uma das dicas da cartilha e compare-o a uma nova cados, mesmo com as entradas em mão; não a) Identifique o sujeito dos de verbos em[...]. destaque. filme’’, conta a historiadora Emanuele Maupeou versão. atrapalhe todo mundo. De resto, deixe para lá conceitos estudados. Em geral, quando o sujeito não está explícito na oração, é possível e, discretamente, vá sentando nas poltronas UVP8_LA_PNLD17_U03_C07_126A131.indd 127

6/1/15 3:22 PM

Mais gramática

Esta reprodução de um breviário italiano do século XIV mostra como eram os vestidos femininos da época.

Para saber mais sobre os tipos de predicado, faça as atividades das páginas 244 e 245, na seção Mais gramática.

88

Não escreva no livro.

Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U02_C05_088A093.indd 88

127

6/1/15 3:20 PM

UVP8_LA_PNLD17_U03_C07_126A131.indd 127

6/1/15 3:22 PM

Mais gramática

Mais gramática

Para saber mais sobre os tipos de predicado, faça as atividades das páginas 244 e 245, Para saber mais sobre os tipos de predicado, faça as atividades das páginas 244 e 245, na seção Mais gramática. na seção Mais gramática.

1. Releia o trecho.

Sempre que a lâmpada aparecer, você vai receber uma ajuda luminosa para responder à atividade.

“[...] Certa vez, no cinema, uma turma de adolescentes gritava e fazia zorra com um laser vermelho mirado para a tela. A sessão ficou tão insuportável que saí no meio do filme’’, conta a historiadora Emanuele de Maupeou [...].

Em geral, quando o sujeito não está explícito na oração, é possível identificá-lo pelas informações do contexto ou pela flexão do verbo.

5. Releia um trecho de uma das dicas da cartilha e compare-o a uma nova

versão.

Robson Araújo/ID/BR

a) Identifique o sujeito dos verbos em destaque.

Atraso – Já não é de bom-tom chegar depois do espetáculo iniciado, mas brigar por lugares marcados, mesmo com as entradas em

a) Identifique sujeito verbos em destaque. b) Quais dosoverbos acima dos indicam uma ação realizada pelodo sujeito? identificá-lo pelas informações contexto ou pela flexão do verbo.

Atraso – incomode Já não todo é de bom-tom traseiras. Não ninguém. mão, atrapalha mundo. [...] De chegar resto, é demelhor deixar iniciado, pra lá e, discretamente, ir senpois do espetáculo mas brigar por lutando nas poltronas traseiras, sem incomodar b) pelo sujeito? gares marcados, ninguém. mesmo com as entradas em 2. Releia. a) No plano formal, qual amão, principal diferença os dois atrapalha todoentre mundo. [...]fragmentos? De resto, é E quais indicam estado ou uma característica b) Quais dos verbos acima um indicam uma ação realizada pelo sujeito? do sujeito? – Não depois do espetáculo ir senpra láchegue e, discretamente, Veja em que modo osmelhor verbos deixar estãoAtraso flexionados. “[...] Certa vez, no cinema, uma turma de adolescentes gritava e fazia zorra com um E quais indicam um estado ou uma característica do sujeito? muito menos brigue por lugares martando nasiniciado, poltronas traseiras, sem incomodar laser vermelho por [...]”. que, nesse trecho, predominam verbos que indicam ação. c) Explique cados, mesmo comnos as entradas mão; não é difeb) O conteúdo das orientações apresentadas doisemtrechos ninguém.atrapalhe todo mundo. De resto, deixe para lá c) Explique por que, nesse trecho, predominam verbos que indicam ação. Robson Araújo/ID/BR

quais indicam um estado ou uma não característica do sujeito? na oração, é possível EmE geral, quando o sujeito está explícito c) Explique dos por que, nesseinformações trecho, predominam que indicam ação. flexão Quais verbos acima indicam açãodorealizada identificá-lo pelas doverbos contexto ouuma pela verbo.

a) Esse trecho é formado por duas orações. Identifique-as e copie-as.

Releia. 2.2.Releia. b) No caderno, grife o predicado de cada oração. Localize os verbos para identificar cada oração.

rente? Explique.

e, discretamente, vá sentando nas poltronas

traseiras. Não incomode ninguém. c) Ambos os fragmentos buscam persuadir o leitor a adotar uma atiAtraso – Não chegue depois do espetáculo tude. Em quala)deles essa tentativa dediferença persuasão se fragmentos? dá de forma No planoiniciado, formal, qualmuito a principal entre ospor doislugares menos brigue mardireta e explícita? E modo em os qual busca conquistar a simpatia “[...]“[...] CertaCerta vez, novez, cinema, turma uma de adolescentes e fazia zorragritava com ume faziamais que verbosse estão flexionados. no uma cinema, turma degritava adolescentes zorra com umVeja em cados, mesmo com as entradas em mão; não c) Considere a primeira oração isoladamente. Se omitíssemos o verbo b) O conteúdo orientações apresentadas nos dois trechos é difelaser vermelho [...]”. do leitor? Justifique comdasexemplos. gritava, seria possível saber o que a turma de adolescentes fazia? Nas orações, tudo aquilo que não é o sujeito do verbo faz parte do predicado.

atrapalhe rente? Explique.

Robson Araújo/ID/BR

laser vermelho [...]”. Explique.

todo mundo. De resto, deixe para lá

d) Por que a flexão de modo dos verbos usados fragmento e, fragmentos discretamente, vá sentando poltronas c) Ambos os buscam persuadir ono leitor anas adotar uma original atiEm qual essa tentativa de persuasão se dáde de forma é a mais indicadatude. para umadeles cartilha de boas maneiras uma matraseiras. Não incomode ninguém. mais direta e explícita? E em qual se busca conquistar a simpatia téria jornalística?do leitor? Justifique com exemplos.

Psonha Camacho/ID/BR

a) Esse trecho é formado por duas orações. Identifique-as e copie-as. 3. Releia.

a) Esse trecho é para formado porno meio duas orações. Identifique-as e copie-as. Localize verbos identificar oração. “‘[...] Aos sessão ficou tão insuportável que saí cada do filme’ [...].”

Localize os verbos para identificar cada oração. b) No caderno, o predicado deIdentifique-as cada oração. a) Esse trechogrife é formado por duas orações. e copie-as.

Já o boxe Arquivo traz informações que valem a pena você registrar no caderno.

d) Por que a flexão de modo dos verbos usados no fragmento original

a) No plano formal, équal principal diferença entre os doisdefragmentos? a maisaindicada para uma cartilha de boas maneiras uma ma-

b) Noorações, caderno, grife o predicado cada oração. Nas tudo aquilodeque não é o sujeito do verbo faz parte do

ARQUIVO

b) No caderno, grife o predicado de cada oração. c) Se, na primeira oração, omitíssemos o verbo ficou, seria possível predicado.

téria jornalística? Veja em que modo os verbos estão flexionados.

Assim como o modo imperativo, o modo indicativo e a forma infinitiva do verbo

O conteúdo das orientações apresentadas nos dois trechos é difeARQUIVO Nasa orações, tudo isoladamente. aquilo que não é o sujeito do verbo faz parte (sem dob) flexão) também podem ser usados para dar ordens, sugestões, conselhos, c) Considere primeira oração Se omitíssemos o verbo rente? Explique. 4. O núcleo de um predicado é a palavra que apresenta sua informação Assim como o modo imperativo, o modo indicativo e a forma infinitiva do verbo instruções. Em algumas situações, eles funcionam como uma estratégia para conpredicado. (sem flexão) também podem ser usados para dar ordens, sugestões, conselhos, gritava, seria Ele possível saber oobservando-se que a turma adolescentes fazia? mais essencial. deve ser identificado a relaçãode entre o saber como estava a sessão de cinema? Explique.

Em do algumas situações, eles funcionam uma às estratégia para conquistar a simpatia doinstruções. leitor ou ouvinte, levando-o aderir sugestões e aos c) Ambos os fragmentos buscam persuadir oa como leitor a adotar uma ati-

predicado e o sujeito. Considerando isso, indique o núcleo do predicado

Explique. conselhos da primeira oração dos das atividades 2 e 3. tude.propostos. Em qual deles essa tentativa de persuasão se dá de forma c) Considere a trechos primeira oração isoladamente. Se omitíssemos o verbo conselhos propostos. explícita? E em qual se busca conquistar a simpatia seria possível saber o que a turma de adolescentes fazia? mais direta 6.e Conclua: Acom escolha do modo imperativo ou do indicativo sofre alguma do leitor? Justifique exemplos. Predicados que têm um verbo como núcleo são classificados como predicados verbais. Predicados que 6. Conclua: A escolha do modo indicativo sofreconsialguma influência do tipoimperativo de relação entreou os do interlocutores? Explique, Explique. têm um substantivo ou umficou adjetivotão como insuportável núcleo são classificadosque como saí predicados nominais. “‘[...] A sessão no meio do filme’ [...].” quistar a simpatia do leitor ou do ouvinte, levando-o a aderir às sugestões e aos

Não escreva no livro.

os interlocutores do lido. d) Por quedo a flexão modo dos verbos usados no fragmento influência tipoderando dederelação entre ostexto interlocutores? Explique,original consié a mais indicada para do uma cartilha deno uma maNão escreva livro. derando os interlocutores texto lido. de boas maneiras téria jornalística?

156

155

156

b) No caderno, grife o predicado de cada oração.

Psonha Camacho/ID/BR

3.a)Releia. Esse trecho é formado por duas orações. Identifique-as e copie-as.

Psonha Camacho/ID/BR

3. Releia. gritava, ARQUIVO

“‘[...] A sessão ficou tão insuportável que saí no meio do filme’ [...].” ARQUIVO

UVP8_LA_PNLD17_U03_C09_153A158 155

6/1/15 10:04 AM

UVP8_LA_PNLD17_U03_C09_153A158 156

c) Se, na primeira oração, omitíssemos o verbo ficou, seria possível saber como estava a sessão de cinema? Explique.

a) Esse trecho é formado por duas orações. Identifique-as e copie-as. UVP8_LA_PNLD17_U03_C09_153A158 156

4. O núcleo de um predicado é a palavra que apresenta sua informação

b) essencial. No caderno, o predicado de cadaa oração. mais Ele devegrife ser identificado observando-se relação entre o predicado e o sujeito. Considerando isso, indique o núcleo do predicado c) Se, na primeira oração, omitíssemos o verbo ficou, da primeira oração dos trechos das atividades 2 e 3.

Não escreva no livro. 6/1/15 10:04 AM

Assim como o modo imperativo, o modo indicativo e a forma infinitiva do verbo (sem flexão) também podem ser usados para dar ordens, sugestões, conselhos, instruções. Em algumas situações, eles funcionam como uma estratégia para conquistar a simpatia do leitor ou do ouvinte, levando-o a aderir às sugestões e aos conselhos propostos.

seria possível

saber como estava a sessão de cinema? Explique.

6. Conclua: A escolha do modo imperativo ou do indicativo sofre alguma

influência do tipo de relação entre os interlocutores? Explique, consi-

4. O núcleoAvalie de umo predicado é a palavra que apresenta sua informaçãoderando pARA TIRAR que você aprendeu os CoNClUSÕeS interlocutores do texto lido. Predicados que têm um verbo como núcleo são classificados como predicados verbais. Predicados que Avalie o que você aprendeu

Na estante

mais essencial. Ele deve ser identificado observando-se aisso, relação entre ƒoƒ aEscreva caderno: “O que aprendemos no capítulo 10 sobre anúntêm um substantivo ou um você adjetivo núcleo são classificados como predicados nominais. Agora, vaicomo recordar o que aprendeu até aqui. Para leia o anúncio se- nono Escreva caderno: “O que aprendemos no capítulo 10 sobre anúnpARA TIRAR CoNClUSÕeS

Agora, você vai recordar o que aprendeu até aqui. Para156 isso, leia o anúncio a see faça as as atividades no caderno. guirguir e faça atividades no caderno.

Na estante

Não escreva no livro. Imagine um mundo

Agência Centoeseis/ID/BR

Agência Centoeseis/ID/BR

publicitários”. Leiadaacanção letra“Admirável da canção “Admirávelno qual chip cios publicitários”. Leia a letra chip novo”, todosnovo”, os seres predicado e o sujeito. Considerando isso, indique o núcleo do predicado cios humanos são criados em da cantora baiana Pitty. Pitty. da cantora baiana laboratório com capacida155 da primeira oração dos trechos das atividades 2 e 3. des e limitações imutá-

Não escreva no livro.

Pane no sistema, alguém me desconfigurou Aonde olhos de robô? me desconfigurou Paneestão no meus sistema, alguém Eu não sabia, eu não tinha percebido Aonde estão Eu sempre achei quemeus era vivoolhos de robô? 6/1/15 e10:04 AMem lugar de articulação Parafuso Eu nãofluido sabia, eu não tinha percebido

UVP8_LA_PNLD17_U03_C09_153A158 156

ARQUIVO

UVP8_LA_PNLD17_U03_C09_153A158 155

veis. O comportamento é controlado quimicamente por pílulas de felicidade e não há liberdade de escolha. Tudo é rigidamente programado para o maior proveito da indústria e de suas demandas de consumo. Estes são alguns traços da nova ordem mundial inventada pelo Naescritor estante inglês Aldous Huxley (1894-1963) no livro Admirável mundo Imagine um mundo novo (Brave new world), no qual todos seres publicadoos pela primeira vez em 1932. O romance humanosdialogava são criados em com ideias e laboratório comtecnológicas capacidapromessas dos anos 1920 e 1930, des e limitações imutámas continua instigante veis. O comportamento éa nos dias de hoje, quando clonagem de seres vivos e 10:04 AM controlado quimicamente outros recursos imaginados Huxley se tornapor pílulas deporfelicidade e ram realidade. E então, não há liberdade de escovocê já descobriu de onde a inspiração para o lha. Tudoveio é rigidamente título da canção composta programado para o maior pela cantora baiana Pitty?

pARA TIRAR CoNClUSÕeS

Mas lá vêm eles novamente EAté eu seiachava o que vãoque fazer:aqui

batia um coração

Reinstalar sistema ƒ Escreva no caderno: “O que aprendemos noéocapítulo 10 sobre anúnNada orgânico, é tudo programado 155 E eufale, achando que tinha libertado compre, beba cios publicitários”. Leia a letra da Pense, canção “Admirável chipmenovo”, Leia, vote, se esqueça Mas lá não vêm eles novamente da cantora baiana Pitty. Use, seja, ouça, diga

E eumore, sei ogaste quee viva vão Tenha,

preparamos especialmente para você neste Natal. [...]

1. Que produto ou serviço é anunciado no texto? 2. Quem é o provável público-alvo do anúncio? 3. Observe os aspectos gráficos do anúncio.

a) No caderno, descreva os elementos a seguir: x cenário;

fazer:

Reinstalar o sistema Pense, fale, compre, beba

Pensando em você, criamos a receita ideal para suas compras de fim de ano ficarem ainda mais gostosas. Fábrica de Biscoitos do Shopping Metrô Santa Cruz, uma deliciosa mistura de encanto e diversão para toda a família.

Pane no sistema, alguém me desconfigurou Leia, vote, não se esqueça Pense, fale,diga... compre, beba Use, seja, ouça, Aonde estão meus olhos de robô? Não senhor, Sim não senhor Leia, vote, se(2x) esqueça Eu não sabia, eu não tinha percebido Eu sempre achei que era vivo Use, seja, ouça, diga Tenha, more, gaste e viva Parafuso e fluido em lugar de articulação

fique aí parado com água na boca, corra para o Shopping Metrô Santa Cruz e experimente esta novidade que UVP8_LA_PNLD17_U03_C09_153A158Não155

6/1/15

Pitty. Admirável chip novo. Intérprete: Pitty. Em: Admirável chip novo.

da indústria e 2. Pense, fale, compre, bebaDeck Discos, 2003. 1 CD. Faixaproveito

Até achava que aqui batia um coração

Globo/Arquivo da editora

Não escreva no livro.

Mirella Spinelli/ID/BR

Até que aqui batiaque um coração Euachava sempre achei era vivo Predicados que têm um verbo como núcleo são classificados como predicados verbais. Predicados que Nada é orgânico, é tudo programado Parafuso e fluido em lugar de articulação têm um substantivo ou um adjetivo como núcleo são classificados como predicados nominais. E eu achando que tinha me libertado

Chega um momento em que é bom você se lembrar do que estudou e avaliar o que já aprendeu.

Mas lá vêm eles novamentex b) Como esses elementos dialogam com o tema do Natal e do produto ou serviço E eu sei o que vão fazer: 4. Identifique no anúncio as informações relacionadas a cada um dos objetivos de um Reinstalar o sistema 2. Quem o provável anúncio? textoépublicitário (fazer público-alvo o consumidor crer, do levá-lo a agir, ensiná-lo sobre como agir). anunciado? ou serviço é anunciado no texto? 1. Que produto

5. Releia.

3. Observe os aspectos gráficos do anúncio.

x a relação entre o modo verbal imperativo e a finalidade novo do (Brave new world), Pitty. Admirável chip novo. Pitty. Em: Admirável chip novo. Capa do livro Admirável publicado pela primeira anúncio publicitário (abordada na atividade 1 Intérprete: da página 174); mundo1novo, Aldous 2. Deck Discos, 2003. CD.deFaixa

Leia, vote, não se esqueça x os objetivos do anúncio publicitário – fazer crer, levar a agir, Se você acha que o Natal mais gostoso vai ser no Shopping Metrô Santa Cruz, acervez em 1932. O romance Huxley (Globo, 2001). a) No caderno, descreva os elementos a seguir: tou na lata. ensinar sobre como agir (abordados na atividade 2 da págidialogava com ideias e Use, seja, ouça, diga x cenário; na 174). promessas tecnológicas Que sentidos estão associados à expressão em destaque? Tenha, more, gaste e viva No caderno, relacione a letra da canção ao que você estudou sodos anos 1920 e 1930, x cores predominantes; Não escreva no livro. Não escreva no livro. bre anúncios publicitários. Certifique-se de abordar os seguintes mas continua instigante Pense, fale, compre, beba x imagens; aspectos: nos dias de hoje, quando a Leia, vote, não se esqueça x cor e tamanho das letras. clonagem de aseres vivos e x o modo como os anúncios publicitários capturam atenção Use, seja, ouça, diga... outros recursos do imagib) Como esses elementos dialogam com o tema do Natal e do produto ou serviço no trecho livro Não senhor, Sim senhor (2x) dos potenciais consumidores (abordadonados por Huxley se tornaanunciado? Publicidade e consumo, presente na atividade 9 da págiram realidade. E então, na 173); você já descobriu de onde 4. Identifique no anúncio as informações relacionadas a cada um dos objetivos de um veioe aainspiração para do o x a relação entre o modo verbal imperativo finalidade texto publicitário (fazer o consumidor crer, levá-lo a agir, ensiná-lo sobre como agir). título da página canção composta anúncio publicitário (abordada na atividade 1 da 174); pela cantora baiana Pitty? 5. Releia. Pitty. Admirável chipxnovo. Pitty. Admirável chip novo. osIntérprete: objetivos doEm: anúncio publicitário – fazer crer, levar a agir, Deck Discos, 2003. 1 CD. Faixa 2. ensinar sobre como agir (abordados na atividade 2 da págiSe você acha que o Natal mais gostoso vai ser no Shopping Metrô Santa Cruz, acerna 174). tou na lata. No caderno, relacione a letra da canção ao que você estudou soescreva no livro. de abordar os seguintes bre anúncios publicitários. Não Certifique-se Que sentidos estão associados à expressão em destaque? aspectos: 6/1/15 3:24 PM

UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_172A177.indd 177

Globo/Arquivo da editora

UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_172A177.indd 176

Mirella Spinelli/ID/BR

176

Pense, fale, compre, beba

o modo como os anúncios publicitários capturam a atenção escritor inglês Aldous dos potenciais consumidores (abordado no trecho do livro Huxley (1894-1963) no Publicidade e consumo, presente na atividade 9 da págilivro Admirável mundo na 173);

Mirella Spinelli/ID/BR

de suas demandas de Pensando em você,predominantes; criamos a receita ideal para suas compras de fim de ano ficarem ainda mais gostosas. Fábrica Leia, vote, não se esqueça x cores Nada é orgânico, programado consumo. Estes são alguns No caderno, a letradiga... da canção ao que você estudou sode Biscoitosx do Shopping Metrô Santa Cruz, uma deliciosa mistura de encanto e diversão para todaé atudo família. Use,relacione seja, ouça, imagens; bre anúncios publicitários. Certifique-se de abordar os seguintes Não fique aí parado com água na boca, corra para o Shopping Metrô Santa Cruz experimenteque estatinha novidade traços da nova ordem E eue achando meque libertado x cor e tamanho das letras. Não senhor, Sim senhor (2x) aspectos: preparamos especialmente para você neste Natal. [...] mundial inventada pelo

176

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 5

UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_172A177.indd 176

E para que você encontre todas as informações no caderno quando precisar, as atividades do boxe Para tirar conclusões vão ajudá-lo a fazer uma síntese do seu aprendizado!

Imagine um mundo no qual todos os seres humanos são criados em laboratório com capacidades e limitações imutá6/1/15 10:04 AM veis. O comportamento é controlado quimicamente por pílulas de felicidade e não há liberdade de escolha. Tudo é rigidamente programado para o maior proveito da indústria e de suas demandas de consumo. Estes são alguns traços da nova ordem mundial inventada pelo escritor inglês Aldous Huxley (1894-1963) no livro Admirável mundo novo (Brave new world), publicado pela primeira vez em 1932. O romance dialogava com ideias e promessas tecnológicas dos anos 1920 e 1930, mas continua instigante nos dias de hoje, quando a clonagem de seres vivos e outros recursos imaginados por Huxley se tornaram realidade. E então, você já descobriu de onde veio a inspiração para o título da canção composta pela cantora baiana Pitty?

Ao longo de todo o livro, você vai encontrar muitas dicas legais sobre música, livros, filmes e sites, nos boxes Na estante, Escuta essa, Na telona e Na web. Globo/Arquivo da editora

ARQUIVO

Avalie o que você aprendeu

6/1/15 10:04 AM

177

6/1/15 3:24 PM

5

Capa do livro Admirável mundo novo, de Aldous Huxley (Globo, 2001).

177

Não escreva no livro.

x o modo como os anúncios publicitários capturam a atenção UVP8_LA_PNLD17_U04_C10_172A177.indd 177 dos potenciais consumidores (abordado no trecho do livro Publicidade e consumo, presente na atividade 9 da pági6/1/15 3:24 PM na 173); x a relação entre o modo verbal imperativo e a finalidade do

6/1/15 3:24 PM

6/1/15 6:55 PM


Conheça seu livro Oficina de textos

na estante

Qual é o gênero?

da ciência, você escreveria: Qual a) é oum gênero? artigo de opinião. c) um relatório científico. b) uma notícia. d) um texto de divulgação científica. Se você tivessede quetextos produzir um texto explicando para leigos uma grande descoberta Oficina na estante da ciência, você escreveria: Qual é o gênero? é o gênero? a)Qual um artigo de opinião. c) um relatório científico. Para rir e se divertir com histórias sobre Se vocênotícia. tivesse que produzir um texto explicando para leigos descoberta b) uma d)uma umgrande texto de divulgação científica. a língua portuguesa, da ciência, você escreveria: Seumvocê tivesse que produzirc) um texto explicando para leigos uma leia ogrande livro Esse descoberta nosso a) artigo oficina, de opinião. relatório científico. Nesta você vaiumdivulgar uma grande descoberta científica. português: histórias sobre uma notícia. dab)ciência, você escreveria: d) um texto de divulgação científica. língua, linguagem e a) um artigo de opinião. c) um relatório científico. literatura, de João Ubaldo Definição do projeto de comunicação Ribeiro (Ediouro, 2012). b) uma notícia. da situação d) um texto de divulgação científica. Apresentação

Oficina de textos

Apresentação da situação

Apresentação da situação Definição do projeto de comunicação

A primeira versão do seu texto já está escrita e agora chegou o momento de verificar o que pode ser melhorado. Faça as atividades dos módulos a seguir para ficar ainda mais por dentro das características dos textos de divulgação científica.

ID/BR

Texto de divulgação científica

Objetivo da produção final leitores

Organizar uma coletânea de textos de divulgação científica com o título “Importantes da humanidade” Leigosdescobertas que se científicas interessam por ciência

ID/BR

descoberta científica Definição do Uma projeto de comunicação leitores Leigos que se interessam por ciência

produção Objetivo da produção Gênerofinal produção

Módulo I – Definindo subtítulos

Como os textos de divulgação científica precisam apresentar suas informações

o texto deve serde em científica folha de papel Organizar coletânea textos divulgação com Em duplas; o Em textoduplas; finaluma deve ser impressofinal emde folha de papel A4impresso

A4

de maneira acessível ao do público é comum que sejam divididos em partes que A primeira versão seuleigo, texto já está escrita e agora chegou o momento de veMódulo – Definindo subtítulos organizamIa sequência dessas informações, sinalizando ao leitor o que será tratado rificar em o que tópico. pode ser melhorado. Faça as atividades dos módulos a seguir para ficar Comocada os textos de divulgação científica precisam apresentar suas informações ainda 1.mais por dentroe quando das características dos textos de divulgação científica. O texto “Como, onde ao nasceu aleigo, língua portuguesa?” é dividido em partes.divididos Os de maneira acessível público é comum que sejam em partes que subtítulos foram ocultados do texto das páginas 25 a 28 e se encontram no quadro organizam a sequência dessas informações, sinalizando ao leitor o que será tratado abaixo fora da ordem original. Veja. I – Definindo subtítulos em Módulo cada tópico. A O período do Romance (600-1000) Como os textos de divulgação científica precisam apresentar suas informações 1. O textoB “Como, epúblico quandodo leigo, nasceu língua portuguesa?” é divididoem empartes partes.que Os de maneira acessível éacomum que sejam divididos Quando onde ocorreuao o reconhecimento Português como uma nova língua? organizam informações, sinalizando aoeleitor o que será subtítulos foram ocultados texto 25 a 28 se encontram no tratado quadro c a sequência Formação da Europadessas Latina (390do a.C.-124 d.C.) das páginas em abaixo cada tópico. da ordem original. Veja. Dfora Povos pré-romanos na Península Ibérica

ID/BR

tema

Na Apresentação da situação, você vai saber mais detalhes sobre o texto que vai produzir, na parte Definição do projeto de comunicação.

Texto“Importantes de divulgação científica científicas da humanidade” o título descobertas

preparação de conteúdos tema Umaque descoberta científica leitores se interessam por ciência preparação deLeigos conteúdos

O primeiro passo para planejar seu texto é definir com o colega

Sproetniek/iStock/Getty Images

1.

A B

e F

G

Diz aí, como era mesmo esse Latim Vulgar?

O período do Romance (600-1000)

Português Arcaico: a primeira variedade de Português que se ouviu no mundo

Como foiocorreu que os romanos invadiram a Península Ibérica (197 a.C.-400como d.C.) uma nova língua? Quando o reconhecimento do Português

H

c A

I

Preparando o cenário para a formação do Português

Formação da Europa Latina (390 a.C.-124 d.C.) O período do Romance (600-1000) Povos pós-romanos que invadiram a Península Ibérica

D Relacione, Povos pré-romanos na Península Ibérica no caderno, cada subtítulo a um tópico texto. como uma nova língua? B Quando ocorreu o reconhecimento do do Português Sproetniek/iStock/Getty Images

Em seguida, vai partir para a Preparação de conteúdos.

Os módulos da seção Criando soluções para O texto “Como, onde e quando nasceu a língua portuguesa?” é dividido em partes. Os os problemas vão subtítulos foram ocultados do texto das páginas 25 a 28 e se encontram no quadro ajudar você a avaliar e abaixo fora da ordem original. Veja. a melhorar seu texto. ID/BR

de dupla qual seráda a importante descoberta científica a serde divulgada uma coletânea textos divulgação científica produção Em Organizar duplas; oplanejar texto finalseu deve ser impresso em folhacom de papel A4com O Objetivo primeiro passo para texto édedefinir o colega por vocês. Pode serfinal um invento, que tenha contribuídocientíficas da humanidade” produção o uma títulopesquisa “Importantes descobertas para melhorar a vidaserá das pessoas e a situação do descoberta planeta, um processo de dupla qual a importante científica a ser divulgada inovador que tenha trazido benefícios para humano, um leitores Leigos que oseser interessam porachado ciência por vocês. Podede serconteúdos um invento, uma pesquisa que tenha contribuído preparação arqueológico, etc. A descoberta pode estar relacionada a qualquer área do conhecimento humano. para melhorar a vidapara das pessoas eseu afinal situação planeta, um processo produção passo Em duplas; o texto deve ser impresso em folha papel A4 O primeiro planejar texto é do definir com odecolega Veja algumas sugestões. que tenha trazido benefícios paracientífica o ser humano, um achado de inovador dupla qual será a importante descoberta a ser divulgada ‚ A invenção do etc. avião, A permitindo um deslocamento a grandes descoberta poderápido estar relacionada qualquer área porarqueológico, vocês. Pode ser um invento, uma pesquisa que tenhaa contribuído preparação de conteúdos distâncias. do conhecimento humano. criação de possibilitando a prevenção de doenças. do planeta, um processo para melhorar avacinas, vida das para pessoas e a situação O‚‚ OAprimeiro passo planejar seu texto é definir com o colega desenvolvimento de plásticos alternativos, que sejam Veja algumas sugestões. inovador que tenha trazido benefícios para o sercientífica humano,a um biodegradáveis, causando impacto na natureza. de dupla qual será amenos importante descoberta ser achado divulgada ‚ A dessalinização água do mar, tornando-a própria pararelacionada consumo. arqueológico, etc. Adaser descoberta pode estar qualquer área por vocês. Pode umno invento, uma que arápido tenha ‚ ‚A A descoberta de uma Egito, fornecendo informações invenção dotumba avião, permitindo umpesquisa deslocamento acontribuído grandes dopara conhecimento humano. sobre uma das mais antigas civilizações da história. melhorar a vida das pessoas e a situação do planeta, um processo distâncias. Veja algumas sugestões. inovador queseutenha trazidopossibilitando benefícios para o ser humano, um achado Após tema, pesquise sobre o assunto. Por ‚ Adefinir criação de vacinas, a exemplo, prevenção de doenças. se você e o colegaetc. escolheram falar sobre pode dessalinização, devem arqueológico, A descoberta estar relacionada a qualquer área Osaber desenvolvimento de para plásticos alternativos, que rápido sejam a grandes procurar bemdo do avião, que se trata explicar àsdeslocamento pessoas leigas ‚conhecimento A‚invenção permitindo um do humano. Microbiologista medindo (lembrem-se de que, no texto de divulgação científica, as sequências biodegradáveis, causando menos impacto na natureza. distâncias. explicativas são fundamentais). As pesquisas podem ser feitas em substâncias líquidas. Veja sugestões. Fotografia de 2012. consumo. ‚ A algumas dessalinização da água do mar, tornando-a própria para

ID/BR

Gênero

Objetivo da Organizar uma coletânea de textos de divulgação científica com Nesta oficina, você vai divulgar uma grandecientíficas descoberta científica. tema Uma descoberta científica produção final o título “Importantes descobertas da humanidade” Gênero Texto de divulgação científica

ID/BR

tema Uma científica Apresentação da descoberta situação Definição do projeto de comunicação

ID/BR

Nesta oficina, vai divulgar uma grande descoberta científica. Nesta oficina, vocêvocê vai divulgar uma descoberta científica. Gênero Texto de grande divulgação científica

Pronto, agora você já pode fazer A primeira produção. Você já sabe muita coisa sobre o gênero, mas criando soluções para os problemas não estão falando cientistas. A primeira versão com do seu texto já está escrita e agora chegou o momento de ve- é provável que ainda rificar o que pode ser melhorado. Faça as atividades dos módulos a seguir para ficar tenha dúvidas. ainda mais porsoluções dentro daspara características dos textos de divulgação científica. criando os problemas A primeira produção

Sproetniek/iStock/Getty Images

Antes de produzir um texto, você deve perceber qual é o gênero textual mais adequado à situação apresentada, desafio proposto pelo boxe Qual é o gênero?

Para rir e se divertir com histórias sobre a língua portuguesa, na estante Escreva, leia o livro Esse nosso com o colega, a primeira versão do texto de divulgação científica. Alguns importantes: Para rir lembretes e se histórias divertir sobre português: comlíngua, histórias linguagem x sobre UsemAe subtítulos para identificar o tópico a ser tratado. primeira produção a língua portuguesa, literatura, de João Ubaldo na estante Escreva, com o colega, a primeira versão do texto de divulgação científica. o Alguns x Usem expressões temporais e espaciais facilitar entendimento do leitor. leiaRibeiro o livro (Ediouro, EsseEscreva, nosso2012). o colega, a primeira versão para do texto de divulgação científica. Alguns lembretescom importantes: Para rir e se divertir português:lembretes histórias x Nãoxsobre seimportantes: esqueçam dos trechos explicativos – eles serão fundamentais para os Usem subtítulos para identificar o tópico a ser tratado. com histórias sobre língua, linguagem e x Usemleigos leitores entenderem a descoberta. expressões temporais e espaciais para facilitar o entendimento do leitor. x Usem subtítulos para identificar o tópico a ser tratado. a língua portuguesa, literatura, de João Ubaldo x Não se esqueçam dos trechos explicativos – eles serão fundamentais para os x Usem umaleigos pitada de informalidade para se aproximar dos leitores; afinal, vocês leia o livro Esse nosso leitores entenderem a descoberta. Ribeiro (Ediouro, 2012).expressões temporais e espaciais para facilitar o entendimento do leitor. x Usem nãoxestão falando cientistas. Usem uma pitada decom informalidade para se aproximar dos leitores; afinal, vocês português: histórias sobre x Não se estão esqueçam dos trechos explicativos – eles serão fundamentais para os falando com cientistas. língua, linguagemnão e leitores leigos entenderem a descoberta. literatura, de Joãocriando Ubaldo soluções para os problemas x Usem uma pitada de informalidade para se aproximar dos leitores; afinal, vocês Ribeiro (Ediouro, 2012).

A primeira produção

Oficina textos Se você tivessede que produzir um texto explicando para leigos uma grande descoberta

retome a primeira versão do seu texto de divulgação científica. e2. Agora, Diz aí, como era mesmo esse Latim Vulgar? c a) VejaFormação Europa Latina a.C.-124 se você e odacolega fizeram uma(390 boa divisão do d.C.) texto em partes, respeitando as mudanças de tópico.

livros ciências,de enciclopédias, ou revistas de divulgação cien- de doenças. ‚ Adecriação vacinas, sites possibilitando a prevenção tífica. ‚Material para consultar o quetumba não falta!no Egito, fornecendo informações A descoberta de éuma

F Português Arcaico: a primeira variedade de Português que se ouviu no mundo D b) CriePovos pré-romanos na Península subtítulos adequados para cada tópicoIbérica do texto. Sproetniek/iStock/Getty Images

Oficina de textos

‚ O‚desenvolvimento de plásticos alternativos, que sejamrápido a grandes Anoinvenção do avião, permitindo um deslocamento Não escreva livro. uma das mais antigas civilizações da história. Não escreva no livro. 36 35 sobre G Como foi que os romanos invadiram a Península Ibérica (197 a.C.-400 d.C.) biodegradáveis, e Diz aí, como era mesmo esse Latim Vulgar? distâncias. causando menos impacto na natureza. V a–prevenção Ortografia ‚ A‚dessalinização da águapossibilitando doMódulo mar, tornando-a própriadepara consumo. A criação vacinas, doenças. H Preparando o cenário para a formação do Português Após definirdeseu tema, pesquise sobre o assunto. Por exemplo, Português Arcaico: a primeira variedade de Português que se ouviu no mundo ‚ A‚descoberta de uma tumba no Egito, fornecendo informações Agora, você vai treinar a escrita de palavras com som igualF ou semelhante, mas O desenvolvimento de plásticos alternativos, sejam Módulo V – Ortografia se você e o colega escolheram falar sobre que dessalinização, devem sobre uma das mais antigas civilizações da história. commenos grafiaimpacto e sentido diferentes. Trocar intencionalmente umaIG de letra por pode Povosoutra pós-romanos que invadiram a Península Ibérica biodegradáveis, na natureza. Agora, você vai treinar a escrita palavras igual ou semelhante, mas (197 a.C.-400 d.C.) Como foicom que ossom romanos invadiram a Península Ibérica procurar saber bem causando do que se trata para explicar às pessoas leigas gerardo duplo e, assim, acrescentar a seu texto mais uma pitada de humor. ‚ A dessalinização da água mar, sentido tornando-a própria para consumo. com grafia e sentido diferentes. Trocar intencionalmente uma letra por outra pode

UVP8_LA_PNLD17_U01_C02_030A039.indd 35

6/1/15 3:10 PM

UVP8_LA_PNLD17_U01_C02_030A039.indd 36

6/1/15 3:10 PM

A produção final

Mirella Spinelli/ID/BR

Mirella Spinelli/ID/BR

(lembrem-se de que, no texto de divulgação científica, sequências Microbiologista medindo Após‚ Adefinir seu tema, sobre fornecendo o assunto. Porasexemplo, H Preparando o cenário para a formação Português substâncias líquidas. descoberta de uma pesquise tumba no informações gerar duplo sentido e,frases assim, acrescentar ano seucaderno, texto mais uma pitadaado de humor. Relacione, cada subtítulo um tópico do texto. são fundamentais). AsEgito, podem ser feitas 1. Explique opesquisas sentido das palavras destacadas a seguir. Módulo Vem –nas Ortografia se explicativas você esobre o colega escolheram falar sobre dessalinização, devem Fotografia de 2012. uma dasenciclopédias, mais antigas civilizações da história. livros de ciências, sites ouexplicar revistas depessoas divulgação cienQuem colocou chicletes meu assento? I de palavras Povos que invadiram procurar saber bem do que sea)trata para às leigas Agora, você vai treinar a2.escrita comasom igual oua Península semelhante, mas científica. 1.noExplique o sentido das palavras destacadas nas frases seguir. Agora, retome após-romanos primeira versão do seu texto deIbérica divulgação tífica. Material parano consultar édivulgação o que não científica, falta! Microbiologista medindo (lembrem-se de que, texto de as sequências com grafia e sentido diferentes. Trocar intencionalmente uma letra por outra pode b) Esqueci-me deocolocar acento nas proparoxítonas. a)Por Quem colocou chicletes no meu assento? Após definir seu tema, pesquise sobre assunto. exemplo, a) Veja se você e o colega fizeram uma boa divisão do texto em partes, respeitando substâncias líquidas. explicativas são fundamentais). As falar pesquisas podem ser feitas em gerar duplodevem sentido e, assim, acrescentar a seu textocada maissubtítulo uma pitada humor. seNãovocê colega escolheram sobreao dessalinização, no caderno, a umde tópico do texto. escrevaeno o livro. c) Quando olhou redor, ficou impressionado com a desujeira da 35de tópico. b) Esqueci-me deFotografia colocar acento nascela. proparoxítonas. 2012.Relacione, as mudanças livros de ciências, enciclopédias, oupara revistas de divulgação cienprocurar saber bem do qued)sesites trata explicar pessoas leigas Oque peão colocou a sela às no c) animal e saiu. 1. Explique oolhou sentido palavras destacadas nas frases a seguir. Quando ao das redor, ficou impressionado com a sujeira da cela. b) Crie subtítulos adequados para cada tópico do texto. tífica. Material para consultar é ode não falta!científica, 2. Agora, medindoretome a primeira versão do seu texto de divulgação científica. (lembrem-se de que, no texto divulgação as sequências Microbiologista a)oQuem colocou chicletes no e) Você se esqueceu de assinar cheque. asubstâncias sela no líquidas. animal eassento? saiu. a)meu Veja se você e o colega fizeram uma boa divisão do texto em partes, respeitando explicativas são fundamentais). As pesquisas podem d)serO peão feitascolocou Não escreva no livro. 36em Não escreva no livro. Fotografia de 2012. 356/1/15 3:10 PM UVP8_LA_PNLD17_U01_C02_030A039.indd 35 f) Seu rei está em xeque. b) Esqueci-me de colocar acento nas proparoxítonas. e) Você se esqueceu de assinar o cheque. as mudanças de tópico. livros de ciências, enciclopédias, sites ou revistas de divulgação científica. Material para consultarg)éOoconcerto que nãofoi falta! lindo, penaf)c) que você não pôde ir!redor, ficou Quando olhou impressionado com a sujeira cela.tópico do texto. Seu rei está em ao xeque. b) Crie subtítulos adequados paradacada h) Paguei muito caro pelo conserto do carro. d) OOconcerto peão colocou a sela no que animal saiu.pôde ir! g) foi lindo, pena vocêe não Mirella Spinelli/ID/BR

Depois de passar por todos os módulos, você vai estar pronto para produzir a versão definitiva do seu texto!

Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U01_C02_030A039.indd 35

UVP8_LA_PNLD17_U01_C02_030A039.indd 36 36

6/1/1535 3:10 PM

Não escreva no livro.

Módulo V se –muito Ortografia Paguei caro pelo conserto doentre carro.parênteses. e) Vocêcoerente, esqueceu de assinar o cheque. 2. Copie e complete as frases, deh) forma com uma das palavras

2. Reescreva no caderno o começo do texto O planetinha encharcado, de Luca Rischbieter,

que explica algumas características de três planetas de nosso Sistema Solar: Vênus, Marte e Terra. Utilize ao menos uma vez cada um dos recursos a seguira)para construir Prometo cenas cômicas. repetição  •  hipérbole  •  trocadilho  •  antítese

6/1/15 3:10 PM

6/1/15 3:10 PM

Mirella Spinelli/ID/BR

UVP8_LA_PNLD17_U01_C02_030A039.indd 35

Agora, você vai treinar a escrita de palavras com som igual ou semelhante, mas

f)grafia Seu rei está em xeque. e complete sentido diferentes. Trocar intencionalmente uma letra por uma outra pode que esse « não vai se (acidente / incidente) 2.com Copie erepetir. as frases, de forma coerente, com das palavras entre parênteses. gerar duplo sentido e, assim, acrescentar a seu texto mais uma pitada de humor. g)no OUVP8_LA_PNLD17_U01_C02_030A039.indd concerto lindo, pena que você não pôde b) Felizmente ninguém morreu « de ontem. / incidente) 6/1/15 3:10ir! PM a) Prometo que foi esse(acidente « não vai se repetir. (acidente / incidente) 1. Explique o sentido das palavras destacadas nas 36 frases a seguir. h)tem Paguei muito caro pelo conserto doontem. carro. (acidente / incidente) c) Olhe na «, acho que aindab) açúcar. (dispensa /assento? despensa) a) Quem colocou chicletes no meu Felizmente ninguém morreu no « de b) Esqueci-me de colocar acento nas proparoxítonas.

d) Odormindo treinador concedeu « jogadores / tem despensa) Planetinhas estavam c) Olhe «,hoje. acho(dispensa que ainda açúcar. (dispensa / despensa) 2.aos Copie e na complete frases, de forma coerente, c) Quando olhou ao redor,as ficou impressionado com a sujeira da cela.com uma das palavras entre parênteses. E que só um deles parecia d) treinador concedeu aosvaijogadores hoje. (dispensa / despensa) d) peão colocou/que a cumprimento) selaesse no animal enão saiu. Acordado. e) Eu o « por sua vitória. (comprimento a)OOPrometo «« se repetir. (acidente / incidente) O doutor perguntou-se, e) Você se esqueceu de assinar o cheque. f) O « da calça está curto! (comprimento cumprimento) e) Eu o « por/sua vitória.morreu (comprimento cumprimento) Ensimesmado: b)Seu Felizmente ninguém no « de/ontem. (acidente / incidente) f) rei está em xeque. “Por que será que, em dois f)g) «e complete-o da calça está curto! (comprimento / cumprimento) concerto lindo, pena que você não pôde ir!das 3. asCopie com asainda palavras atividades 1 e 2./ despensa) c)OOOlhe nafoi «, acho que tem açúcar. (dispensa Planetinhas, coisas o quadro a seguir no caderno h) Paguei muito caro pelo conserto do carro. Andam tão quietinhas?” d) O otreinador aos jogadores hoje.com (dispensa / despensa) 3. Copie quadro aconcedeu seguir no « caderno e complete-o as palavras das atividades 1 e 2. [...] Copie e complete as frases, que de forma com umaodas palavrassom, entre parênteses. I. Homônimos homófonos2.são pares de palavras têmcoerente, exatamente mesmo mas

Era uma vez um médico de planetas Que passeava em uma galáxia Muuuuuito distante, Quando... Vejam só que interessante:

Sempre que for útil, aqui ou em outros momentos do livro, e) Exemplos: Eu o « por vitória. (comprimento / cumprimento) grafias e sentidos diferentes. « esua «; « e «. são I. Homônimos homófonos pares de palavras que têm exatamente o mesmo som, mas você pode receber a sugestão de II. parônimos são termos def)sentidos com (comprimento grafias e sons O grafias « dadistintos, estámas curto! /«; cumprimento) ecalça sentidos diferentes. Exemplos: « eparecidos. « e «. Exemplos: « e «; « e «.II. parônimos são termos de sentidos distintos, mas com grafias e sons parecidos. 3. Copie o quadro a seguir no caderno e complete-o com as palavras das atividades 1 e 2. retomar algo que já viu, ou de Exemplos: « e «; « e «. a produção final I. Homônimos homófonos são pares de palavras que têm exatamente o mesmo som, mas antecipar algo que ainda vai ver, a produção final grafias e sentidos diferentes. Exemplos: « e «; « e «. Veja o que você ainda precisa fazer antes de encerrar o trabalho. II.oparônimos são termos defazer sentidos distintos, mas com grafias e sons parecidos. por meio do boxe Seu livro. Veja que você ainda precisa antes de encerrar o trabalho. Mirella Spinelli/ID/BR

Encontrou três Planetinhas, Que eram aquecidos Pelo mesmo sol. Olhando com atenção, o doutor Percebeu que dois dos três

a) Prometo que esse « não vai se repetir. (acidente / incidente)

b) Felizmente ninguém morreu no « de ontem. (acidente / incidente)

Luca Rischbieter. O planetinha encharcado. Curitiba: Aymará, 2009. p. 7-8.

c) Olhe na «, acho que ainda tem açúcar. (dispensa / despensa)

3. Troque de caderno com um colega: cada um deve avaliar se o texto do outro ficou

engraçado.

d) O treinador concedeu « aos jogadores hoje. (dispensa / despensa) e) Eu o « por sua vitória. (comprimento / cumprimento)

Módulo iV – avaliando a produção inicial

f) O « da calça está curto! (comprimento / cumprimento)

Com sua primeira produção em mãos, verifique, com o colega de dupla, o que está de acordo com o que você estudou nos três primeiros módulos e o que precisa ser refeito. As atividades a seguir podem ajudar a realizar essa tarefa.

3. Copie o quadro a seguir no caderno e complete-o com as palavras das atividades 1 e 2. I. Homônimos homófonos são pares de palavras que têm exatamente o mesmo som, mas grafias e sentidos diferentes. Exemplos: « e «; « e «. Exemplos: « ede«; « edistintos, «. mas com grafias e sons parecidos. II. parônimos são termos sentidos

1. Verifique se o título dado a seu conto retoma e reformula o sentido Mais do título original. gramática 2. Copie e complete o quadro a seguir no caderno, indicando o que foi mantido e o que

Exemplos: « e «;no « eestudo «. Mais gramática Antes de fazer a revisão final do seu texto, aprofunde-se de algumas regras do uso da vírgula, fazendo as atividades das páginas 250 a 252. parÓDia a produção Antes de fazer final a revisão final do seu texto, aprofunde-se no estudo de algumas regras seu livro do Veja uso odaque vírgula, fazendo as fazer atividades das páginas 250 a 252. você ainda precisa antes de encerrar o trabalho.

a produção final

ID/BR

foi modificado do conto de fadas original em sua paródia. cOntO OriGinal personagens

1. Com o colega, revise a paródia, fazendo alterações Veja o queasvocê ainda necessárias. precisa fazer antes de encerrar o trabalho. Consulte, na página 39, Mais gramática as orientações para a 2. Crie uma ilustração para a1.suaCom paródia. colega, revise a paródia, fazendo as alterações necessárias. Antesgramática deofazer a revisão final do seu texto, aprofunde-se no estudo de algumas regras Mais

tempo espaço enredo

montagem de uma

do uso da vírgula, fazendo as atividades das páginas 250 a 252.

3. Organize-se com a turma 2. paraCrie montar a coletâneapara de paródias. uma ilustração a sua paródia.

narrador

de de textos. Antes de fazer a revisão final do seu texto, aprofunde-secoletânea no estudo algumas regras na página 39, 3. doOrganize-se com a turma para montar a coletânea deas Consulte, paródias. uso da vírgula, fazendo as atividades das páginas 250 a 252. orientações para a 2. Crie uma ilustração para a sua paródia. seu livro

1. Com o colega, revise a paródia, fazendo as alterações necessárias.

elementos mágicos

Mais um dedo de prosa

ensinamento

Uma última pergunta 3. Verifique se o enredo da sua paródia apresenta situação inicial, conflito, clímax “Não era uma vez...”?

e desfecho.

Mais um dedo de prosa

montagem de uma coletânea de textos.

as alterações necessárias.

última pergunta antes para quese desfaça: o aencanto seo título desfaça: Por que o título deste capítulo é 2. Uma Crieúltima uma ilustração sua paródia. Uma pergunta antes que o encanto Por que deste capítulo é “Não era vez...”? “Não erauma uma vez...”?

reconstrução dos sentidos do texto: repetição, hipérbole, trocadilho e antítese. Não escreva no livro. 82

3. Organize-se com a turma para montar a coletânea de paródias.

antes que o1. encanto seodedo desfaça: Porrevise que o título deste capítulo é Mais um de prosa Com colega, a paródia, fazendo

4. Observe se você utilizou os recursos linguísticos estudados na seção A gramática na

3. Organize-se com a turma para montar a coletânea de paródias. Não escreva no livro.

Não escreva no livro.

83

83

seu livro

Consulte, na página 39, as orientações para a montagem de uma coletânea de textos. seu livro

Consulte, na página 39, as orientações para a montagem de uma coletânea de textos.

Não escreva no livro.

83

Mais um dedo de prosa

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_078A083.indd 82

6/1/15 3:19 PM

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_078A083.indd 83

Mas... o capítulo só acaba quando termina! Ao chegar ao boxe Mais um dedo de prosa, você vai ter uma última atividade para realizar antes de concluir seu estudo no capítulo.

6/1/15é 3:19 PM Uma última pergunta antes que o encanto se desfaça: Por que o título deste capítulo 6/1/15 3:19 PM “Não era uma vez...”?

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_078A083.indd 83

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_078A083.indd 83

6/1/15 3:19 PM

Não escreva no livro.

83

UVP8_LA_PNLD17_U02_C04_078A083.indd 83

6/1/15 3:19 PM

Atividades integradas Que tal exercitar suas habilidades de leitura e, de quebra, testar seus conhecimentos sobre outras disciplinas do Ensino Fundamental? Vá treinando: quando tiver de fazer uma prova, você já vai ser uma fera!

Atividades integradas Atividades integradas Respondasempre sempre nono caderno. Responda caderno.

Você já sabe que o objetivo desta seção é propor uma reflexão sobre estratégias usadas para

Os males do consumo desenfreado

Leia o artigo de opinião a seguir, às atividades de 1 a 4. A cena é clássica: quase para sempreresponder que um determinado

Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/artigos/os-males-do-consumo-desenfreado4l782thsoedaqjeov7zh3ttu6>. Acesso em: 9 abr. 2015. Marcos Guilherme/ID/BR

produto é lançado, uma enxurrada de pessoas simplesmente

1. Nesse artigo de opinião, o autor defende a tese de que:

antes. quase Assim, produtos ainda poderiam ser A cena é como clássica: semprequeque um determinado usados naturalmente acabam virando descarte fácil produto é lançado, uma enxurrada de pessoas simplesmente entre os consumidores. Comaquele base no cenário acima, o para fato é que resolve abandonar que possui ter atualmente o modelo a sociedade ocidental possuijá uma relação intensamais de consumo, atualizado, uma vez que o antigo não satisfaz o que vem gerando consequências irreversíveis ao meio ambiente. como antes. Assim, produtos ainda poderiam ser Segundo um relatório doque Fundo Mundial para a Natureza (WWF), a humanidade está consumindo mais fácil do que a Terra usados naturalmente acabam virando descarte é capaz de repor. De acordo com o documento, a Terra tem entre os consumidores. 11,4 bilhões de hectares terrestres e marinhos considerados Com baseprodutivos no cenário acima,– isto o fato é que atualmente e sustentáveis é, com capacidade de renovação. Mas já estamos o equivalente a sociedade ocidental possui umausando relação intensaa de consumo, 13,7 bilhões de hectares para produzir os alimentos, o que vem gerando consequências irreversíveis ao meio ambiente. água, energia e bens de consumo de que necessitamos. dados mostram que a Mundial diferença (2,3 bilhões de Segundo umEstes relatório do Fundo para a Natureza hectares, ou cerca de 20%) sai dos estoques naturais (WWF), a humanidade está consumindo mais do que a Terra não renováveis, configurando uma crise mundial é capaz de repor. De acordo documento, a Terra tem sem precedentes, que com tende aoreduzir drasticamente a qualidade de vida até 2030. e marinhos considerados 11,4 bilhões de hectares terrestres Por isso, é urgente a necessidade de se buscar produtivos e maneiras sustentáveis – isto é, com capacidade de de conciliar o progresso econômico e a renovação. Mas já estamos usando o equivalente a preservação dos recursos ambientais. Sim, é possível pouparmos o meio ambiente se tivermos um consumo consciente. 13,7 bilhões de hectares para produzir os alimentos, Mas isso só será possível se houver articulação entre todos os água, energiasetores e bens de consumo que necessitamos. – governo, empresas ede sociedade. Algumasque escolhas do dia a dia (2,3 podembilhões ajudar a diminuir a degradação do meio ambiente, como Estes dados mostram a diferença de usar mais meios de transporte alternativos, diminuir hectares, ou cerca de 20%) sai dos estoques naturais o desperdício de água e de energia, reciclar mais, além de evitar o consumo sem necessidade. Mas essa é uma lição que não vem sendo ensinanão renováveis, configurando umaÉ crise da, muito menos aprendida. precisomundial repensar, inclusive, os produtos que usamos em casa: se afetam a natureza, se são ausados na fabricação [de] materiais que respeitam o meio ambiente, e sempre sem precedentes, que tende reduzir drasticamente preferir as marcas que causem menos impacto. a qualidade de vida até 2030. Além disso, como mostram os autores do relatório, os líderes mundiais têm a chance de reverter Por isso, aé atual urgente a necessidade de se buscar tendência de consumo superior à capacidade de renovação da Terra. Basta optarem por sistemas de produção mais sustentáveis, manejo maneiras de conciliar o progresso econômico e a adequado de recursos naturais e racionalidade no consumo de bens e, sobretudo, de energia. Como sugestão, pedem mais empenho na substituição preservação dos recursos ambientais. Sim,deé tecnologias possível limpas, edificações inteligentes, sistemas de dos combustíveis fósseis e na promoção mais eficientes mercados deum consumo mais sustentáveis. pouparmos otransporte meio ambiente se etivermos consumo consciente. Mas isso só será possível se houver articulação entre todos os 216 Não escreva no livro. setores – governo, empresas e sociedade. Algumas escolhas do dia a dia podem ajudar a diminuir a degradação do meio ambiente, como usar mais meios de transporte alternativos, diminuir o desperdício de água e de energia, reciclar mais, além de evitar o consumo sem necessidade. Mas essa é uma lição que não vem sendo ensinada, muito menos aprendida. É preciso repensar, inclusive, os produtos que usamos em casa: se afetam a natureza, se são usados na fabricação [de] materiais que respeitam o meio ambiente, e sempre preferir as marcas que causem menos impacto. Além disso, como mostram os autores do relatório, os líderes mundiais têm a chance de reverter a atual tendência de consumo superior à capacidade de renovação da Terra. Basta optarem por sistemas de produção mais sustentáveis, manejo adequado de recursos naturais e racionalidade no consumo de bens e, sobretudo, de energia. Como sugestão, pedem mais empenho na substituição dos combustíveis fósseis e na promoção de tecnologias limpas, edificações inteligentes, sistemas de transporte mais eficientes e mercados de consumo mais sustentáveis.

6 216

UVP8_LA_PNLD17_U04_C12_214A217.indd 216

6/1/15 3:38 PM

a) a preservação dos recursos ambientais é menos importante do que o progresso. b) as mudanças promovidas pela indústria são importantes para a sociedade evoluir. Marcos Guilherme/ID/BR

resolve abandonar aquele que possui para ter o modelo Os males do consumo desenfreado atualizado, uma vez que o antigo já não satisfaz mais

UVP8_LA_PNLD17_U04_C12_214A217.indd 216

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 6

Precisamos urgentemente de uma mudança de postura se quisermos contribuir para a preservação do meio ambiente. Claro que as mudanças proporcionadas pela industrialização foram importantes para a evolução da sociedade, mas o consumo exacerbado acarretou e continua acarretando a depredação ambiental, de forma a comprometer visivelmente a vida na Terra. Nossa relação de consumo atual está nos levando a uma séria crise ambiental. Por isso a urgência em trabalhar políticas mais eficientes e concretas sobre esse tema. Já estamos atrasados, mas ainda há tempo. Rodrigo Berté, doutor em Meio Ambiente, é professor do Centro Universitário Uninter.

Você já sabe quequestões o objetivo desta seção é que propor reflexão estratégias resolver de leitura. Também sabe essas uma estratégias podem sobre ser usadas para resol- usadas para ver questões em todasTambém as disciplinas. resolver questões de leitura. sabe que essas estratégias podem ser usadas para resolas atividades e lembre-se de que é preciso entender a pergunta e escolher a melhor ver questões forma emFaça todas as disciplinas. de se chegar à sua resposta. Faça as atividades e lembre-se de que é preciso entender a pergunta e escolher a melhor Leia o artigo de opinião a seguir, para responder às atividades de 1 a 4. forma de se chegar à sua resposta.

c) o consumo sem limites traz consequências irreversíveis ao meio ambiente. d) os líderes mundiais podem, se quiser, reverter o consumismo desenfreado. 2. Que elementos foram fundamentais para responder à atividade 1? Você pode escolher mais de uma

opção. a) A informação sobre o autor do artigo. b) A informação do título do texto. c) As informações do 1o parágrafo. d) As informações do 2o parágrafo. 3. A alternativa que apresenta uma opinião do autor do texto é:

a) [...] quase sempre que um determinado produto é lançado, uma enxurrada de pessoas simplesmente resolve abandonar aquele que possui para ter o modelo atualizado [...]. b) [...] Segundo um relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), a humanidade está consumindo mais do que a Terra é capaz de repor. c) [...] a Terra tem 11,4 bilhões de hectares terrestres e marinhos considerados produtivos e sustentáveis – isto é, com capacidade de renovação [...]. d) [...] é urgente a necessidade de se buscar maneiras de conciliar o progresso econômico e a preservação dos recursos ambientais. 4. Converse com o professor e os colegas: Que procedimento você utilizou para responder à

atividade 3? As atividades 1 e 2 pedem para identificar a tese defendida pelo autor do texto. Para isso, é preciso selecionar e destacar as informações mais relevantes, isto é, é preciso ser capaz de fazer uma síntese do texto. Como fazer essa seleção? Em artigos de opinião, é bom procurar pistas no título, nos dois parágrafos iniciais e no parágrafo final. As atividades 3 e 4 pedem para distinguir fatos de opiniões. Para isso, é preciso prestar atenção à linguagem: as formas verbais podem ser pistas importantes, assim como a presença de expressões do tipo “é urgente”, “é necessário”, “não é aceitável”. Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U04_C12_214A217.indd 217

217

6/1/15 3:38 PM

Não escreva no livro.

6/1/15 3:38 PM

6/1/15 6:55 PM


Projeto ID/BR

Fotorrelatório

Objetos pessoais de Jorge Amado

São Jorge Oxóssi Amado Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

Projeto Projeto

Fotorrelatório

Nesta unidade, você viajou com a língua portuguesa: viu como ela se relaciona com a construção do efeito de humor nas piadas, aprendeu sobre suas origens e sua história e fez um tour pela Tanzânia, país africano que “quase falou português”. Nesta unidade, você viajou com a língua portuguesa: viu como ela se relaciona Agora, vamos propor mais uma viagem. Muitas vezes, na escola, escrevemos relaa construção do parques, efeito teatros, de humor aprendeu sobre suas origens e sua tórios com sobre nossas visitas a museus, cinemas,nas entrepiadas, outros lugares. O objetivo deste projeto produzir umpela tipo especial de relatório: fotorrelatório. história e fezé um tour Tanzânia, paísumafricano que “quase falou português”. O trabalho está dividido em três etapas: familiarização com o gênero, preparaAgora, vamos propor mais umado viagem. Muitas vezes, na escola, escrevemos relação (com coleta e seleção das fotografias) e montagem fotorrelatório.

Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

tórios sobre visitas a museus, parques, teatros, cinemas, entre outros lugares. Familiarização comnossas o gênero

O objetivo deste projeto produzir um tipo especial de relatório: um fotorrelatório. Decerto você já ouviu falar do escritor é baiano Jorge Amado. Mas talvez você não saiba que, aos anos de idade, ele foi morar em Ilhéus, no suletapas: da Bahia; que o pai dele O 2trabalho está dividido em três familiarização com o gênero, preparaganhou na loteria 100 contos de réis (o equivalente hoje a 5 milhões de reais!); e que Painel com objetos pessoais do escritor, como roupas, çãoteve(com coleta epara seleção das Pois fotografias) e montagem do fotorrelatório. o escritor livros traduzidos 47 idiomas... todas essas informações são chapéus e cachecol, no primeiro andar da casa, na antidadas pelos guias da Casa de Cultura Jorge Amado, em Ilhéus. Veja as páginas de um ga sala de estar. Há também fotos dele com a família e fotorrelatório que conta sobre uma visita a essa casa de cultura. amigos: sua mãe (dona Eulália Leal), seus irmãos (Jofre,

58

Joelson e James), seu pai e sua segunda esposa (Zélia Gattai). Ficamos encantados ao saber que Jorge Amado

Antiga casa da família em Itabuna

ID/BR

Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

A visita à Casa de Cultura Jorge Amado foi rea­ lizada na manhã de 29 de setembro de 2011. Loca­ lizada em Ilhéus, ela é um dos pontos turísticos da cidade. A visita foi motivada por dois objetivos: visitar um patrimônio cultural e aprender um pouco sobre a vida de um renomado escritor brasileiro.

A Casa

ID/BR

A Casa fica no centro histórico de Ilhéus. Ela foi construída pelo pai do escritor. Logo após ganhar na loteria, Jorge Amado de Faria comprou um título de coronel e iniciou a construção. A casa levou seis anos para ficar pronta, mas valeu. É linda! Pena que, por questão de segurança, não foi possível visitar o terceiro andar, pois, de lá, a vista da cidade deve ser deslumbrante.

Ainda na sala de estar encontramos a lousa em que Jorge Casa de Cultura JorgeAmado Amado e Adonias Filho foram alfabetizados. Amigos na

Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

infância, os dois se A visita à Casa de Cultura Jorge Amado foitornaram rea­ imortais da Academia Brasileira de Letras. Dizem que a professora, dona Guilherlizada na manhã de 29 de setembro 2011. Loca­ mina, de era muito severa. Será que a lousa da professora tinha um turísticos poder especial? da Afinal, formar dois imortais da lizada em Ilhéus, ela é um dos pontos Academia... cidade. A visita foi motivada por dois objetivos: visitar um patrimônio cultural e aprender um pouco sobre a um renomado escritor brasileiro. Não vida escrevade no livro. Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U01_C03_056A061.indd 58

A família de Jorge Amado morava em Itabuna (cidade que fica a 30 km de Ilhéus), na casa do meio, representada na pintura. Como se pode ver, a casa era simples. Perguntamo-nos: Jorge teria seguido a carreira de escritor se seu pai não tivesse ganhado na loteria? Talvez não, porque ele teria de ajudar a família nas plantações de cacau. Esse quadro fica na sala de jantar da casa, ainda no primeiro andar.

59

A Casa

5/31/15 5:14 PM

UVP8_LA_PNLD17_U01_C03_056A061.indd 59

5/31/15 5:14 PM

A Casa fica no centro histórico de Ilhéus. Ela foi construída pelo pai do escritor. Logo após ganhar na loteria, Jorge Amado de Faria comprou um título de coronel e iniciou a construção. A casa levou seis anos para ficar pronta, mas valeu. É linda! Pena que, por questão de segurança, não foi possível visitar o terceiro andar, pois, de lá, a vista da cidade deve ser deslumbrante.

Acervo PNBE – Projeto anual de leitura de romance

Neste projeto, a ser desenvolvido ao longo do ano, você vai se dedicar à leitura de romances fazendo pesquisas, debates, produzindo cenários, trailers, cartazes... Vai ser divertido! Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

58

Não escreva no livro.

Projeto anual de leitura de romance Acervo de romance Acervo PNBEPNBE Projeto anual de leitura UVP8_LA_PNLD17_U01_C03_056A061.indd 58

Aprendendo com a literatura

Ao lado do painel com objetos pessoais do escritor, vemos uma curiosa escultura que faz referência a personagens de Cervantes, mas, em lugar de dom Quixote e seu cavalo Rocinante, temos são Jorge Oxóssi Amado em um burrico. Como o escritor era simpatizante do candomblé, foi representado por seu orixá Oxóssi, que, no catolicismo, equivale a são Jorge.

ID/BR

ID/BR

ID/BR

Decerto você já ouviu falar do escritor baiano Jorge Amado. Mas talvez você não era amigo de Pablo Neruda, grande poeta chileno! saiba que, aos 2 anos de idade, ele foi morar em Ilhéus, no sul da Bahia; que o pai dele ganhou na loteria 100 contos de réis (o equivalente hoje a 5 milhões de reais!); e que o escritor teve livros traduzidos para 47 idiomas... Pois todas essas informações são dadas pelos guias da Casa de Cultura Jorge Amado, em Ilhéus. Veja as páginas de um A primeira professora Casa devisita Cultura Jorge Amado fotorrelatório que conta sobre uma a essa casa de cultura. Ivelin Radkov/Philip Meyer/Sarunyu_foto/James Steidl/Shutterstock.com/ID/BR; Agliberto Lima/AE; Luis Gomes/Editora Abril; Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

Ivelin Radkov/Philip Meyer/Sarunyu_foto/James Steidl/Shutterstock.com/ID/BR; Agliberto Lima/AE; Luis Gomes/Editora Abril; Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

Familiarização com o gênero

Anabel Mascarenhas/Acervo da fotógrafa

O que você estudou nos capítulos dá muito pano para manga. Nos projetos de fim de unidade, você vai colocar esses aprendizados em prática realizando debates, produções multimídia, peças, saraus...

5/31/15 5:14 PM

Para Hobbes, o estado de natureza é o estado de “guerra de romance que vamos ler neste ano se chama O visconde partido ao meio e também trata[...]de todos contra todos”. Objetivos do projeto questões consideradas universais. O objetivo deste projeto é estimular a discussão sobre esMas a própria guerra [...] é também fonte de insegurança geneRetrato de Thomas Hobbes. ralizada e de da morte. [...] ses temas, tendo o medo escritor 1 etapacomo ponto de partida o olhar de um romancista em particular: Para selar a paz, os homens devem [...] “renunciar a seu direito a todas as coisas”, desistin1. Preparar a leitura de um romance italiano Italo Calvino. do, cada um, de ser obstáculo à autopreservação do outro. [...] (O visconde partido ao meio).

National Portrait Gallery, Londres. Fotografia: ID/BR

Texto 1

Aprendendo com a literatura

Que ninguém se engane: os homens não são irmãos. Ao conAmor, morte, solidão, medo, loucura... Esses são alguns temas considerados universais, trário, são inimigos, capazes de matar um ao outro. O homem, explorados por escritores de todos os tempos e lugares. As reflexões sobre essas temáticas, na verdade, é o lobo do homem. no entanto, variam de acordo com o olhar de cada autor, com sua época e sociedade. O Amor, morte, solidão, medo, loucura... Esses são alguns temas considerados universais, Nem por isso, porém, a humanidade, obrigatoriamente, exterromance que vamos ler neste ano se chama O visconde partido ao meio e também trata de minará atemáticas, si mesma. Há uma alternativa, que pode instituir a paz e explorados escritores todos tempos e lugares. As reflexões sobre essas questões consideradaspor universais. O objetivode deste projetoos é estimular a discussão sobre esmantê-la. [...]. ses temas, tendo como ponto de partida o olhar de um romancista em particular: o escritor no entanto, variam de acordo com o olhar de cada autor, com sua época e [...] sociedade. O italiano Italo Calvino.

a

2. Refletir sobre o tema da natureza humana.

[...] Nesse pacto, a renúncia é total. [O Estado] passa a concentrar todas as forças, todas as vontades e todos os poderes de cada homem, transformando-os em uma só força, uma só vontade, um só poder [...]. [...] O Estado representa, nessa medida, o fim do estado de natureza e a inauguração da sociedade civil. [...] nessa passagem, o homem perde a liberdade natural de que dispunha. Mas esta era fonte de guerra e do medo da morte. A instituição do Estado é então a superação do medo pela esperança, a garantia da segurança e do direito à vida. [...]

Objetivos do projeto

2a etapa 1. Ler o primeiro capítulo do romance em sala de aula. 1a etapa 2. Ler o romance O visconde partido ao meio. 1. Preparar a leitura de um romance 3. Discutir a importância do elemento (O visconde partido ao meio). fantástico nesse romance.

Bernadette Siqueira Abrão (Org.). História da Filosofia. São Paulo: Nova Cultural, 1999. p. 233-239 (Coleção Os Pensadores). (Destaques inseridos para esta edição.)

2. Refletir sobre o tema da natureza

3a etapa humana. 1. Realizar seminários sobre as personagens do romance.

Texto 2 “O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos demais não deixa de ser mais escravo do que eles. [...]” Ao colocar em pauta a questão da legitimidade do pacto que os homens fizeram para sair do estado de natureza e inaugurar o estado civil, Rousseau adota [...] uma postura polêmica em relação aos pensadores políticos que o precederam, especialmente Hobbes [...]. [...] Teria sido graças a uma sucessão de acasos que o homem saiu do estado de natureza, no qual era livre e vivia muito bem, para se tornar escravo. O contrato que teria possibilitado a saída do homem do estado de Retrato de Jean-Jacques Rousseau. natureza [...] não é legítimo [...]. Rousseau não aceita a tese de Hobbes de que o contrato põe fim ao estado de guerra e garante a segurança [...]. Para fundamentar sua crítica à sociedade, Rousseau irá se inspirar na natureza, como outros já haviam feito. Na interpretação que faz de seus antecessores, percebe o mesmo deslize [...]. Os juristas e até mesmo os filósofos que trataram do estado de natureza transportaram para lá o homem civilizado com suas paixões degeneradas, com seus vícios. Rousseau fará uma crítica radical a essas interpretações [...].

Robson Araújo/ID/BR

1a etapa: Preparando a leitura

Você já escutou alguém dizer que determinado 3a etapacomportamento ou sentimento é próprio da “natureza humana”? Você acredita que1.algumas são comuns a todos os Realizarcaracterísticas seminários sobre as persoseres humanos, configurando algo que poderia ser chamado de “natureza humana”?

nagens do romance.

A natureza humana Responder a essas perguntas não é tarefa das mais fáceis. Para refletir um pouco sobre a natureza humana, descubra o que pensavam dela dois grandes filósofos: o inglês Thomas Hobbes (1588-1679) e o francês Jean-Jacques Rousseau (1712-1778).

Bernadette Siqueira Abrão (Org.). História da Filosofia. São Paulo: Nova Cultural, 1999. p. 286-287 (Coleção Os Pensadores). (Destaques inseridos para esta edição.) Não escreva no livro.

Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_PROJETO_ANUAL_218A223 218

6/1/15 12:11 PM

UVP8_LA_PNLD17_PROJETO_ANUAL_218A223 219

219

Mais gramática 6/1/15 12:11 PM

3. Leia o início deste e-mail. O uso de senhor

sinaliza que ele foi escrito para uma situação formal. a) O que segue em anexo?

1a etapa: Preparando a leitura

Mais gramática

Leia o início e-mail. de senhor x O 3. sujeito estádeste depois doO uso verbo (sujeito sinaliza que ele foi escrito para uma situação formal. 4. Leia o que um entrevistado respondeu sobre Ao ler um trecho da peça Romeu e Julieta, no capítulo 7, você observou que a a) O que segue em anexo? 6/1/15 12:11 PM pouco usuais e da ordem inversa das orações? Comente com o professor e os colegas. segurança pública a um jornal de televisão. palavras usuais e aolíngua predomínio de orações na ordem inversa às b) Qual desses pronomes substitui o termo O textopresença a seguir é umade cantiga de amor à pouco moda antiga, de quando portuguesa item a: ele, eles, ou a) O de que faz da “aresposta genteaoficar preso emelacasa”? ainda dava seus podem primeiros passos. Leia-o. a compreensão do texto. Essas características dão pistas vezes dificultar elas?

Variação linguística: a língua muda

posposto).

Marcos Guilherme/ID/BR

presença de palavras pouco usuais e o predomínio de orações na ordem inversa às vezes podem dificultar a compreensão do texto. Essas características dão pistas de uma linguagem própria da época em que o texto foi escrito.

1. Você já leu outros textos que também foram difíceis de entender em função de palavras

uma linguagem própria Cantiga da Ribeirinha

da época em que o texto foi escrito.

No mundo non me sei parelha, mentre me forjá como vai, 1. Você leumeoutros textos que também foram difíceis de entender em função ca já moiro por vós — e ai! pouco usuais e da ordem inversa das orações? Comente com o professor e mia senhor branca e vermelha, queredes que vos retraia O texto a seguir é uma cantiga de amor à moda antiga, de quando a língua quando vos eu vi en saia! ainda dava seus primeiros passos. Leia-o. Mau dia me levantei, que vos enton non vi fea! E, mia senhor, dês aquel di’, ai! me foi a mi mui mal, e vós, filha de don Paai No mundo non me sei parelha, Moniz, e ben vos semelha d’haver eu por vós guarvaia,me for como me vai, mentre pois eu, mia senhor, d’alfaia ca já moiro por vós — e ai! nunca de vós houve nen hei Representação de dois poetas medievais em um livro de cantigas do e século XII. valia d’˜ua correa. mia senhor branca vermelha,

Cantiga da Ribeirinha

b) Qual desses pronomes o termo c) Tendo em vista o quesubstitui você respondeu nos itens a e b, reescreva o e-mail, adequando a concordância. da resposta ao item a: ele, eles, ela ou

de palavras elas? d) Por que o autor do e-mail não fez a concordância? Copie no caderno a opção mais adequada. os colegas. c) De acordox com as respostas aos itens a ficou e distante do verbo. O sujeito é muito extenso e seu núcleo portuguesa x Oosujeito estádo depois do verbo (sujeito posposto). b, reescreva trecho entrevistado.

Marcos Guilherme/ID/BR

Leia caderno o que um entrevistado respondeu sobre d) Copie4. no a(s) opção(ões) corsegurança pública a um jornal de televisão. reta(s). a)Por que o entrevistado não usou O que faz “a gente ficar preso em casa”? a concordância? b) Qual desses pronomes substitui o termo da resposta ao item a: ele, eles, ela ou x O sujeito é muito extenso e seu núcleo elas? ficouc)distante do verbo. De acordo com as respostas aos itens a e b, reescreva o trecho do entrevistado. x O sujeito está depois do verbo (sujeito posposto). d) Copie no caderno a(s) opção(ões) cor-

E as atividades do boxe Mais conclusões vão ajudá-lo a deixar seu caderno sempre em ordem para que você possa tirar dúvidas quando precisar. Bom estudo!

x O entrevistado fezo aentrevistado concordância reta(s). Por que não usou com o termo que estava mais próximo do Domínio público. queredes que vos retraia verbo. a concordância? a) Você deve estar se perguntando: issoen é língua quando vos“Mas eu vi saia!portuguesa?”. A resposta é: x O sujeito é muito extenso e seu núcleo sim! Agora, junte-se a um colega e tente identificar o tema central do texto. Mau dia me levantei, ficou distante do verbo. b) Copie as palavras que você e o colega reconhecem. x O sujeito está depois do verbo (sujeito posposto). quea definição vos enton nonguarvaia vi fea!(13o verso). O que o resultado MAIS CONCLuSõES c) Procure no dicionário da palavra x O entrevistado fez a concordância com o termo que estava mais próximo do de sua pesquisa sugere? E, mia senhor, dês aquel di’, ai! ƒ Copie o quadroverbo. a seguir no caderno e preencha-o com os colegas e o professor. d) Converse com a turma e verifique: me foi a mi mui mal, x qual é o tema da cantiga; e vós, filha de don Paai MAIS CONCLuSõES x se todos conhecem as mesmas palavras do texto; CONCORDÂNCIA VERBAL Moniz, e bendavos semelha ƒ Copie o quadro a seguir no caderno e preencha-o com os colegas e o professor. x se alguém encontrou a definição palavra guarvaia no dicionário; O que é? x se a hipótese para explicareu o resultado da pesquisa no dicionário foi parecida. d’haver por vós guarvaia, CONCORDÂNCIA VERBAL Ela é exigida em qual pois eu, mia senhor, d’alfaia que é? Não escreva no livro. variedade daOlíngua? Ela é exigida em qual nunca de vós houve nen hei Representação de dois poetas medievais em um livro deO que pode dificultar variedade da língua? a cantigas do século XII. valia d’˜ua correa. concordância? O que pode dificultar a ID/BR

ID/BR

UVP8_LA_PNLD17_PROJETO_ANUAL_218A223 218

Marcos Guilherme/ID/BR

218

b) Qual desses pronomes substitui o termo da resposta ao item a: ele, eles, ela ou elas?

Mais gramática

A natureza humana c) Tendo em vista o que você respondeu nos itens a e b, reescreva o e-mail, adequando As atividades não desta seção ajudarãodas você mais a aprofundar e consolidar conhecimenResponder a essas perguntas é tarefa fáceis. Para seu refletir um pouco sobre a concordância. to sobre diversos temas relacionados à língua. Sempre que sentir necessidade, você a natureza humana, descubra o que pensavam dela dois grandes filósofos: o inglês Thomas pode consultar As essasatividades páginas e também a resolução exercícios no caderno. desta seçãodos ajudarão você a aprofundar e consolidar seu conhecimend) Por que o autor do e-mail não fez a concordância? Copie no caderno a opção mais Hobbes (1588-1679) e o francês Jean-Jacques Rousseau (1712-1778). gramática to sobre diversos temas relacionados você adequada. Variação linguística: a língua muda à língua. Sempre que sentir necessidade,Mais consultar essase Julieta, páginas e também a resolução no caderno. x O sujeito é muito extenso e seu núcleo ficou distante do verbo. Ao lerpode um trecho da peça Romeu no capítulo 7, você observou queNão a dos escrevaexercícios no livro.

Mosteiro de El Escorial, San Lorenzo de El Escorial. Fotografia: Fine Art Images/Heritage Images/Glow Images

A gramática é uma ferramenta importante para a leitura e a produção de textos. Neste suplemento, você vai aprofundar os conceitos gramaticais explorados nos textos de leitura dos capítulos. É o boxe Mais gramática, presente nos capítulos, que vai indicar as atividades que você deve fazer.

Você já escutou alguém dizer que determinado comportamento ou sentimento é próprio da “natureza humana”? Você acredita que algumas características são comuns a todos os seres humanos, configurando algo que poderia ser chamado de “natureza humana”?

Mosteiro de El Escorial, San Lorenzo de El Escorial. Fotografia: Fine Art Images/Heritage Images/Glow Images

Mais gramática

Marcos Guilherme/ID/BR

218

Robson Araújo/ID/BR

2 etapa 1. Ler o primeiro capítulo do romance em sala de aula. 2. Ler o romance O visconde partido ao meio. 3. Discutir a importância do elemento fantástico nesse romance.

Musée National du Château et des Trianons, Versalhes. Fotografia: ID/BR

a

230

UVP8_LA_PNLD17_FINAIS MAIS GRAMATICA_230A237.indd 230

6/1/15 2:54 PM

concordância?

Domínio público.

a) Você deve estar se perguntando: “Mas isso é língua portuguesa?”. A resposta é: 234 234 sim! Agora, junte-se a um colega e tente identificar o tema central do texto. b) Copie as palavras que você e o colega reconhecem.

Não escreva no livro.

Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_FINAIS MAIS GRAMATICA_230A237.indd 234

c) Procure no dicionário a definição da palavra guarvaiaUVP8_LA_PNLD17_FINAIS (13o verso). O que o resultado MAIS GRAMATICA_230A237.indd de sua pesquisa sugere?

234

6/1/15 2:54 PM

6/1/15 2:54 PM

d) Converse com a turma e verifique:

7

x qual é o tema da cantiga; x se todos conhecem as mesmas palavras do texto; x se alguém encontrou a definição da palavra guarvaia no dicionário; x se a hipótese para explicar o resultado da pesquisa no dicionário foi parecida. 230

UVP8_LA_PNLD17_FINAIS MAIS GRAMATICA_230A237.indd 230

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 7

Não escreva no livro.

6/1/15 2:54 PM

6/1/15 6:55 PM


Sumário

1

NÓS FALAMOS PORTUGUÊS 12

1

Você conhece aquela...?

Antes da leitura  Durante a leitura  Uma eleição diferente... 

Texto Piadas (Cultura popular) 

Depois da leitura  A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ Os mecanismos linguísticos envolvidos na produção do efeito de humor das piadas ‚‚ Preconceito linguístico Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

2

Última flor do Lácio Texto de divulgação científica

Antes da leitura  Durante a leitura  Profissão: filólogo 

14  14  15   15

  16  17

  17   19

  21   21

22  22  24   24

Texto Como, onde e quando nasceu a língua portuguesa? (Ataliba T. de Castilho) 

Depois da leitura  A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ Os marcadores de tempo e espaço e as sequências explicativas no texto de divulgação científica ‚‚ O registro informal como estratégia para aproximar-se do leitor Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

Oficina de textos  Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação  ‚‚ Preparação de conteúdos  A primeira produção  Criando soluções para os problemas  ‚‚ Módulo I – Definindo subtítulos  ‚‚ Módulo II – Uma pitada de informalidade  ‚‚ Módulo III – O diálogo com o leitor  ‚‚ Módulo IV – Como, onde e quando?  ‚‚ Módulo V – Acentuar é preciso!  A produção final 

  25

Por mares nunca dantes navegados Relato de viagem

Antes da leitura  Durante a leitura  Clique! 

40  40  41

  41

Texto Karibu! quer dizer bem-vindo no país que quase falou português... (Zeca Camargo) 

Depois da leitura  A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ Marcas de tempo e espaço no relato de viagem ‚‚ Verbos: flexão de pessoa e de número Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

Oficina de textos  Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação  ‚‚ Preparação de conteúdos  A primeira produção  Criando soluções para os problemas  ‚‚ Módulo I – A transformação do oral em escrito  ‚‚ Módulo II – A concordância nas normas urbanas de prestígio  ‚‚ Módulo III – A articulação entre as partes do texto  ‚‚ Módulo IV – A divisão do texto em parágrafos  A produção final 

Projeto: Fotorrelatório 

  42  45

  45   48   50   51  52

  52   52   52   52   52   53   56   56   57   57  58

 29

  29   31

  33   34  35

  35   35   35   36   36   36   37   37   37   38   39

Robson Araújo/ID/BR

Piada

3

8

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 8

6/1/15 6:55 PM


4

O AMOR ESTÁ NO AR “Não era uma vez...” Paródia de conto de fadas

Antes da leitura  Durante a leitura  Tiro ao alvo! 

Mirella Spinelli/ID/BR

2

62

64   64   65  65

Texto O Vale de Lágrimas (Jules Feiffer) 

Depois da leitura  A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ Repetição, hipérbole, antítese e trocadilho: usos e efeitos de sentido Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

Oficina de textos  Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação  ‚‚ Preparação de conteúdos  A primeira produção  Criando soluções para os problemas  ‚‚ Módulo I – O que manter e o que transformar?  ‚‚ Módulo II – Virando personagens do avesso  ‚‚ Módulo III – Construindo cenas engraçadas  ‚‚ Módulo IV – Avaliando a produção inicial  ‚‚ Módulo V – Ortografia  A produção final 

5

Me concede a honra desta contradança? Poema

Antes da leitura  Durante a leitura  Um recital para Strauss 

 66   73  73

 75  77  78 79  79  79  79  79  80  80  81  81  82  83  83

84   84   85  85

Texto A valsa – a M*** (Casimiro de Abreu) 

Depois da leitura  A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ Rima, métrica e repetição na construção dos sentidos do poema ‚‚ Modos verbais: usos do imperativo e do indicativo e efeitos de sentido Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

 86 88  88  90

 91   93

6

Pra você lembrar de mim Entrevista

94

Antes da leitura  Durante a leitura 

  94

Bancando o entrevistador! 

  95  95

Texto Entrevista com Luan Santana – parte 1 (Sara Duarte Feijó) 

Depois da leitura 

 96 99

A reconstrução dos sentidos do texto   99 A gramática na reconstrução dos sentidos do texto   100 ‚‚ Transitividade: substantivos e verbos que precisam de complementos ‚‚ Complemento nominal ‚‚ Complementos verbais: objeto direto e objeto indireto ‚‚ Período simples e período composto: forma, usos e efeitos de sentido Avalie o que você aprendeu   103 ‚‚ Para tirar conclusões   103

Oficina de textos  Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação  ‚‚ Preparação de conteúdos  Criando soluções para os problemas – Parte I  ‚‚ Módulo I – A organização das perguntas  A primeira produção  Criando soluções para os problemas – Parte II  ‚‚ Módulo II – O texto introdutório  ‚‚ Módulo III – A transformação do oral em escrito  ‚‚ Módulo IV – Ortografia  A produção final 

Projeto: Que tal meu videopoema? 

  104  104  104  104  105  105  106  106  106  108  109  109

 110

9

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 9

6/1/15 6:55 PM


Sumário

3 7

ENTRE CENAS E ATOS

114

Desliguem os celulares, o espetáculo vai começar! Texto instrucional

Em cena: um clássico

116

Texto dramático 1

Antes da leitura  Durante a leitura 

  116

117  117

“Ser ou não ser... eis a questão” 

Texto  118

Romeu e Julieta (William Shakespeare) 

Depois da leitura 

  125  125

 129  130  131

Mirella Spinelli/ID/BR

A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ A ordem dos termos na oração e a construção do ritmo no texto dramático Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

8

9

Em cena: uma peça contemporânea Texto dramático 2

Antes da leitura  Durante a leitura  Descobrindo jovens talentos 

132   132   133  133

A descoberta (Marcus Di Bello)  A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ Processos de formação de palavras: derivação prefixal e derivação sufixal ‚‚ Os neologismos na paródia do discurso científico ‚‚ Os sinais de pontuação como pistas para a leitura dramática Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

Oficina de textos  Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação  ‚‚ Preparação de conteúdos  A primeira produção  Criando soluções para os problemas  ‚‚ Módulo I – Dando voz às personagens  ‚‚ Módulo II – Avaliando a produção inicial  A produção final 

Decifrando imagens 

  148   149  149

Texto Boas maneiras para evitar um “mico” numa sala de espetáculos (Geisa Agricio) 

Depois da leitura  A reconstrução dos sentidos do texto  A gramática na reconstrução dos sentidos do texto  ‚‚ Predicado verbal e predicado nominal ‚‚ Uso dos modos verbais em textos instrucionais e efeito de sentido Avalie o que você aprendeu  ‚‚ Para tirar conclusões 

Oficina de textos  Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação  ‚‚ Preparação de conteúdos  A primeira produção  Criando soluções para os problemas  ‚‚ Módulo I – Fazendo uma boa introdução  ‚‚ Módulo II – “Pescando” o leitor  ‚‚ Módulo III – Escolhendo as imagens  ‚‚ Módulo IV – Ortografia sem gafes  A produção final 

Atividades integradas 

 150   153  153

 155

 157  158   159  159  159  159  160  161  161  162  162  163  163

 164

 134

4

O MUNDO DAS COMPRAS EM REVISTA 166

  137  137

10

Compra, compra, compra... $$$ Anúncio publicitário 168

Texto Depois da leitura 

Antes da leitura  Durante a leitura 

148

 139

Antes da leitura  Durante a leitura  Os reis do rádio 

 141  142   143

 143  143  143  143   143  144  147  147

  168   169  169

Texto Anúncios publicitários 

 170

Depois da leitura 

  172 A reconstrução dos sentidos do texto   172 A gramática na reconstrução dos sentidos do texto   174 ‚‚ Estratégias linguísticas do anúncio publicitário: repetição, antítese e frases curtas ‚‚ Hipônimos e hiperônimos: usos e efeitos de sentido ‚‚ Modo imperativo: usos e efeitos de sentido Avalie o que você aprendeu   176 ‚‚ Para tirar conclusões    177

10

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 10

6/1/15 6:55 PM


Oficina de textos  Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação  ‚‚ Preparação de conteúdos  A primeira produção  Criando soluções para os problemas  ‚‚ Módulo I – Frases de efeito e imagens de impacto  ‚‚ Módulo II – Fazer crer, levar a agir, ensinar sobre como agir  ‚‚ Módulo III – O aspecto gráfico do cartaz  ‚‚ Módulo IV – Ortografia  A produção final 

11

  178   178   178   178   182   183   183

  184   185   186   187

Texto Um mercado fora da lei (Isabella Henriques) 

  200

Crianças, cores e imaginação (Monica de Sousa) 

  201

Depois da leitura  A reconstrução dos sentidos do texto 

  202   202

A gramática na reconstrução dos sentidos do texto 

  204

‚‚ Seleção vocabular como estratégia de persuasão ‚‚ O futuro do pretérito do modo indicativo e o efeito de dúvida Avalie o que você aprendeu 

Made in

188

Notícia

Antes da leitura  Durante a leitura 

  188

Fazer legenda 

‚‚ Para tirar conclusões 

Oficina de textos 

‚‚ Módulo I – Recheando a estrutura do texto 

  207   207   207   207   210   210   210

‚‚ Módulo II – Aprendendo com um mestre da argumentação 

  211

Apresentação da situação  ‚‚ Definição do projeto de comunicação 

  189

‚‚ Preparação de conteúdos 

  189

A primeira produção 

Texto

Criando soluções para os problemas 

Consumo de produtos piratas cai pelo 3o ano, diz Fecomércio RJ  

Depois da leitura 

 189 191

A reconstrução dos sentidos do texto  191 A gramática na reconstrução dos sentidos do texto    192 ‚‚ Efeitos de sentido da seleção vocabular ‚‚ Uso do presente do indicativo e do pretérito perfeito do indicativo ‚‚ Juízos de valor e verbos de dizer Avalie o que você aprendeu    193 ‚‚ Para tirar conclusões    195

  206   206

‚‚ Módulo III – A gramática na construção dos sentidos do texto  ‚‚ Módulo IV – Pesquisa com a comunidade  ‚‚ Módulo V – Ortografia  A produção final 

Atividades integradas 

  213   213   214   215  216

Mirella Spinelli/ID/BR

Acervo PNBE – Projeto anual de leitura de romance Aprendendo com a literatura 

 218

Mais gramática 

  230

Variação linguística: a língua muda  Preconceito linguístico  Concordância verbal  Verbo 

  230

‚‚ Modo indicativo  Futuro do pretérito do modo indicativo  ‚‚ Modo imperativo  ‚‚ Verbos de dizer 

Sintaxe  ‚‚ Complemento nominal  ‚‚ Complemento verbal  ‚‚ Tipos de predicado 

12

Publicidade para crianças: pode ou não pode? Artigo de opinião 196

Antes da leitura  Durante a leitura  Desembaralhando textos 

196 197   197

Formação de palavras  Acentuação   Ortografia  ‚‚ Porque, por que, por quê e porquê 

Pontuação: o uso da vírgula  A gramática no texto 

Referências bibliográficas 

  231   232   235   235   235   237   240   241   241   242   244   246   247   248   248 250    252   255

11

UVP8_LA_PNLD17_INICIAIS_003A011.indd 11

6/1/15 6:55 PM


unidade

1

Nós falamos português

Capítulos desta unidade

1 | Você conhece aquela...? Piada 2 | Última flor do Lácio Texto de divulgação científica 3 | Por mares nunca dantes navegados Relato de viagem

12

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 12

6/1/15 3:05 PM


Conectando 1. As fotografias destas páginas foram tiradas na Estação da Luz, que abriga o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo (SP). Elas correspondem à ideia de museu que você tem na cabeça? Explique.

Não escreva no livro.

lsar Imagens

2. Você imagina com que objetivos o Museu da Língua Portuguesa foi criado?

Delfim Martins/Pu

3. O Museu da Língua Portuguesa oferece aos seus visitantes diversas experiências sensoriais e interativas. Que características da língua podem ser reveladas nesse tipo de experiência? 4. Você sabe dizer por que falamos português no Brasil?

Delfim Martin

ens s/Pulsar Imag

5. Por que se fala português em Portugal? Pense em uma explicação possível.

Nesta unidade, vamos viajar com a língua portuguesa... Vamos voltar ao passado para entender por que Pedro Álvares Cabral falava português, visitar um país que quase falou português, entender o que a língua tem a ver com as boas risadas que damos ao escutar uma piada. No museu vivo da língua portuguesa, você é sempre bem-vindo e nunca encontra as portas fechadas!

13

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 13

6/1/15 3:05 PM


Piada ‚‚ Contexto de produção e de circulação ‚‚ A produção do efeito de humor ‚‚ A revelação de traços culturais e sociais de um povo

Humor e sociedade ‚‚ Relações entre o riso e a saúde ‚‚ As generalizações e os preconceitos como temas do humor

Reflexões gramaticais ‚‚ Os mecanismos linguísticos envolvidos na produção do efeito de humor das piadas ‚‚ Preconceito linguístico

O assunto agora é sério: vamos falar sobre piadas. Por incrível que pareça, rir de uma piada exige do ouvinte entender os recursos linguísticos que foram usados, bem como o meio cultural em que a piada foi criada. Além disso, as piadas dão uma boa dica sobre os preconceitos que circulam na sociedade, servindo de ponto de partida para refletirmos sobre eles. Entendeu por que dissemos que o assunto era sério?! Mas vamos ao que interessa: você conhece aquela do...

Antes da leitura Observe as fotografias e responda oralmente às atividades. Helder Tavares/Doutores da Alegria

O que você vai estudar neste capítulo

Você conhece aquela...?

Lucas Fonseca/Doutores da Alegria

CAPÍTULO

1

Piada

sabe sobre eles. Caso não os conheça, levante hipóteses com base nas imagens. 2. Observe, ao lado, a logomarca dos Doutores da Alegria.

Explique como ela se relaciona às atividades desse grupo. 3. O grupo Doutores da Alegria acredita que o riso pode

Doutores da Alegria/ID/BR

1. Você já ouviu falar dos Doutores da Alegria? Conte à turma o que você

melhorar a saúde de crianças hospitalizadas. Que relação pode haver entre o bom humor e a saúde? 4. Os palhaços provocam o riso por suas brincadeiras, por contarem pia-

das, por suas ações exageradas. Que outras profissões relacionadas ao humor você conhece? 14

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 14

Não escreva no livro.

6/1/15 3:05 PM


Durante a leitura

Na telona

Entenda como vai funcionar a eleição do melhor contador de piadas da turma. 1. O professor vai sortear, entre os voluntários, cinco alunos para contar as piadas da seção Texto. Se você for ficar na plateia, não leia as piadas antes da atividade, para não perder a graça! 2. Cada aluno sorteado contará uma piada, a ser definida também por sorteio. 3. Os candidatos devem sair da sala para treinar a “contação” das piadas. 4. Os demais alunos devem se organizar com o professor para fazer a votação logo após a apresentação dos humoristas. Seguem algumas dicas para os candidatos a melhor contador. xx Você pode fazer modificações para tornar a piada mais engraçada, como: acrescentar detalhes, definir momentos de suspense, inverter a ordem dos acontecimentos, criar repetições para aumentar a expectativa da plateia. xx Pense na entonação de voz, nos gestos e na expressão facial que devem acompanhar cada momento da piada. Agora, veja as dicas para a eleição do melhor piadista. xx Não escolha um candidato só porque ele é seu amigo; seja objetivo ao dar seu voto. xx Copie a ficha de avaliação abaixo e preencha com o nome de cada contador. xx Logo após a apresentação de cada candidato, anote “sim” ou “não” para cada critério. xx Ao final, veja qual candidato recebeu mais avaliações positivas e faça dele o seu escolhido.

Imovision/ID/BR

Uma eleição diferente...

Doutores da Alegria – o filme (2005, 89 min, direção de Mara Mourão) acompanha de perto o cotidiano desses atores-palhaços, especialistas em “Besteirologia”, em sua atuação com crianças hospitalizadas, seus familiares e os profissionais de saúde que cuidam delas. Recheado de cenas tocantes, o documentário traz ainda depoimentos dos artistas – histórias que nos fazem refletir sobre o papel do humor e do palhaço em nossa sociedade. Assista ao trailer no site oficial do filme. Disponível em: <http://www.doutoresda alegriaofilme.com.br>. Acesso em: 3 fev. 2015. Vale dar uma espiada!

Robson Araújo/ID/BR

Você é um bom contador de piadas? Então, candidate-se agora mesmo para a nossa eleição: esta é sua chance de mostrar seu talento para a turma! Se você é tímido, não se preocupe. Tome seu lugar na plateia e se prepare para dar boas risadas. Ao final da atividade, você será convidado a escolher seu piadista preferido.

ID/BR

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Nome do candidato

Manteve a plateia atenta do início ao fim da piada?

Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 15

Usou recursos faciais, gestuais e de entonação?

Falou alto o suficiente para todos ouvirem?

Soube criar expectativa para o desfecho da piada?

15

6/1/15 3:05 PM


Texto Leia as piadas de 1 a 5, a seguir, e avalie se os candidatos a melhor contador conseguiram torná-las ainda mais engraçadas.

É importante saber As piadas são textos orais de autoria incerta, que circulam de boca em boca, com o propósito primeiro de divertir, por isso é comum que elas sofram alterações e acréscimos. As piadas que você vai ler pertencem à cultura popular.

Piada 1 O malandro vivia pedindo para pendurarem sua conta no restaurante. Um dia, cansado de levar calote, o dono encostou-o na parede: — Está pensando que esse estabelecimento é instituição de caridade? O outro nem se abalou: — Fique sabendo que meu consumo não lhe dá nenhum prejuízo. Eu nunca bebo o vinho que me servem! — Ah, é? E posso saber que vinho é esse??? — Ovinho de codorna! Cultura popular.

Piada 2 Um caipira foi visitar o compadre e, tendo intimidade, entrou na casa sem bater. O dono da casa estava sentado no sofá, vendo televisão. O visitante então cumprimenta: — Oi, cumpadi, firme? E o compadre responde: — Nada, sô, futebor... Cultura popular.

Piada 3 Duas senhoras caminham em um cemitério. A certa altura, passam em frente a um túmulo em cuja lápide estão inscritos os dizeres: “Aqui jaz um político e um homem honesto”. — Nossa, mas que povo pão-duro! — diz uma das senhoras. — Não é que enterraram duas pessoas em uma mesma cova? Cultura popular.

Piada 4 Dois amigos conversam: — Rapaz, outro dia fui ao cinema e, antes de a sessão começar, tive que ir ao banheiro. Na hora de sair, descobri que a fechadura da porta estava emperrada e fiquei trancado! Sorte que a porta tinha um buraco e pude assistir ao filme através dele. — É mesmo? E qual era o nome do filme? — Vida privada.

Piada 5 O português vai até seu chefe (também português): — Seu Joaquim, eu estive pensando... Nossos arquivos estão abarrotados. Não há mais espaço para uma única folha de papel. Então me ocorreu uma ideia: Será que nós não poderíamos jogar fora as pastas e os documentos que já têm mais de vinte anos??? — Ótima ideia, Manoel! Pode começar já. Mas, antes, me faça um favor: por precaução, tire uma cópia de tudo.

Cultura popular.

Cultura popular.

16

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 16

Não escreva no livro.

6/1/15 3:05 PM


Depois da leitura Responda às atividades no caderno.

A reconstrução dos sentidos do texto 1. As questões a seguir referem-se à piada 1. Releia-a.

Robson Araújo/ID/BR

a) O que o malandro diz para convencer o dono do restaurante de que não lhe dá prejuízo? b) O malandro dá ou não dá prejuízo para o dono do restaurante? Explique. c) A piada seria engraçada se o substantivo codorna fosse substituído por pata ou galinha? Explique. a) Observe o quadro ao lado. Copie, em seu caderno, a palavra que poderia ser usada no lugar de futebol para a piada continuar sendo engraçada.

Opção 1

Novela

Opção 2

Basquete

Opção 3

Jornal

ID/BR

2. Releia a piada 2.

b) Como ficaria a última fala do compadre com a nova palavra? c) Por que é importante, para a piada ser engraçada, dizer que o caipira entrou na casa do compadre sem bater? d) Essa piada sustenta que o jeito de falar dos moradores da zona rural é engraçado. O que você pensa de piadas sobre os diferentes modos de falar? Converse com o professor e os colegas. 3. Responda às questões sobre a piada 3.

a) Quais são os dois homens que, segundo uma das senhoras, estariam enterrados na mesma cova? b) O que explica essa senhora ter interpretado os dizeres “Aqui jaz um político e um homem honesto” como um sinal de que dois homens tinham sido enterrados em uma mesma cova? c) Você concorda com o conteúdo dessa piada, ou seja, todos os políticos são ladrões? 4. Releia a piada 4 para responder ao que se pede.

a) Resuma, em poucas palavras, a história contada nos dois primeiros parágrafos da piada. b) Qual é a função dessa narrativa na piada?

Opção 1

Modo de viver das pessoas na intimidade.

Opção 2

Tempo de vida que é tirado das pessoas.

Opção 3

Assistir ao filme de dentro do banheiro.

Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 17

ID/BR

c) Copie a(s) alternativa(s) que mostra(m) os sentidos que a sequência sonora “Vida privada” pode ter na piada.

17

6/1/15 3:05 PM


Robson Araújo/ID/BR

5. Releia a piada 5.

a) Por que a ordem que o chefe dá ao funcionário contraria a lógica? b) Leia uma piada de brasileiro contada por portugueses.

O brasileiro chega ao pé de um português e pergunta-lhe ao ouvido: — Onde é que fica o mictório? — Do outro lado — responde o português. O brasileiro dá uma volta e pergunta no outro ouvido do português: — Onde é que fica o mictório? Cultura popular portuguesa.

Por que o comportamento do brasileiro contraria a lógica? c) Leia as definições para o verbo colonizar e o adjetivo eurocêntrico. colonizar v. (1836 cf. SC) 1 t.d. criar colônia(s) ou transformar em colônia [...] 3 t.d. fig. alastrar-se por, propagar-se; invadir [...] [...] eurocêntrico adj. [...] que tende a interpretar o mundo segundo os valores do ocidente europeu [...] Antônio Houaiss e Mauro de Salles Villar. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 763 e 1276.

Pensando na relação histórica entre Brasil e Portugal, levante uma hipótese para explicar a existência de piadas de português contadas por brasileiros e vice-versa. 6. Leia, a seguir, um trecho de um livro do professor Sírio Possenti que

analisa a linguagem das piadas. [...] piadas [...] versam sobre: sexo, política, racismo (e variantes que cumprem um papel semelhante, como etnia e regionalismo), canibalismo, instituições em geral (igreja, escola, casamento, maternidade, as próprias línguas), loucura, morte, desgraças, sofrimento, defeitos físicos [...]. [...] são quase sempre veículo de um discurso proibido, subterrâneo, não oficial [...]. Segundo as piadas, por exemplo, as pessoas casam por interesse (e não por amor), os governantes são ridículos (e não competentes e dedicados), [...] as línguas são cheias de ambiguidades (e não códigos que servem para a comunicação eficiente e a expressão clara do pensamento) etc. Sírio Possenti. Os humores da língua: análises linguísticas de piadas. Campinas: Mercado de Letras, 1998. p. 25-26.

As cinco piadas analisadas nesta seção apresentam características apontadas por Sírio Possenti? Explique. 18

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 18

Não escreva no livro.

6/1/15 3:05 PM


A gramática na reconstrução dos sentidos do texto 1. Releia o trecho final da piada 1. — Fique sabendo que meu consumo não lhe dá nenhum prejuízo. Eu nunca bebo o vinho que me servem! — Ah, é? E posso saber que vinho é esse??? — Ovinho de codorna!

a) Que aspecto da língua é explorado para a produção do efeito de humor da piada? Copie a opção certa no caderno. xx Diferentes sentidos associados a uma mesma palavra. xx Diferentes possibilidades de divisão de uma sequência sonora em palavras. xx Diferentes formas de pronunciar uma mesma palavra. b) Que outra piada da seção Texto deste capítulo explora esse mesmo aspecto na produção de efeito de humor?

— Oi, cumpadi, firme? E o compadre responde: — Nada, sô, futebor...

Robson Araújo/ID/BR

2. Releia o fim da piada 2.

a) Localize três exemplos que identifiquem uma variedade própria de falantes da zona rural. b) Explique o mecanismo linguístico responsável pela produção do efeito de humor dessa piada. c) A mudança do som final da palavra futebol, na fala do compadre, é um exemplo de que fenômeno linguístico? Copie a resposta certa no caderno. xx Registro formal. xx Duplo sentido. xx Variação linguística.

CONEXÕES História

O português brasileiro é uma língua que está em constante transformação. A diversidade de sotaques e de modos de falar representa uma riqueza cultural que é preciso valorizar. Muitas vezes o preconceito contra determinada forma linguística está associado ao desconhecimento e à falta de reflexão. A substituição do l pelo r em palavras do falar caipira pode parecer exótica e risível para certo grupo social. Mas essa troca de sons, que se chama em linguística rotacismo, foi um processo frequente na história do português. Passeie um pouco por essa história e, com a ajuda do professor, descubra como palavras como grude, praia, cravo, escravo e prata, entre outras, se formaram graças ao rotacismo. Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 19

19

6/1/15 3:05 PM


Robson Araújo/ID/BR

3. Releia a piada 3. Duas senhoras caminham em um cemitério. A certa altura, passam em frente a um túmulo em cuja lápide estão inscritos os dizeres: “Aqui jaz um político e um homem honesto”. — Nossa, mas que povo pão-duro! — diz uma das senhoras. — Não é que enterraram duas pessoas em uma mesma cova?

a) Veja duas possibilidades de reescrita para os dizeres da lápide. I. Aqui jaz um político honesto. II. Aqui jaz um político e, além dele, um homem honesto.

Qual dessas versões corresponde à interpretação feita pela senhora que leu a lápide?

Opção 1

Diferentes sentidos associados a uma mesma palavra.

Opção 2

Diferentes formas de pronunciar uma mesma palavra.

Opção 3

Diferentes formas de relacionar as palavras de um enunciado.

ID/BR

b) Qual dos aspectos abaixo foi explorado para a produção do efeito de humor da piada? Copie a opção correta no caderno.

4. Releia a piada 4. Dois amigos conversam: — Rapaz, outro dia fui ao cinema e, antes de a sessão começar, tive que ir ao banheiro. Na hora de sair, descobri que a fechadura da porta estava emperrada e fiquei trancado! Sorte que a porta tinha um buraco e pude assistir ao filme através dele. — É mesmo? E qual era o nome do filme? — Vida privada.

a) Na atividade 4c da página 17, você observou que a sequência sonora “Vida privada” apresenta duplo sentido na piada. Um deles é representado, na escrita, pelo substantivo vida mais o adjetivo privada. Como a sequência deve ser grafada para corresponder ao outro sentido? b) Houve mudança de classe gramatical das palavras na versão da sequência grafada por você? Explique. ARQUIVO

Diversos aspectos da língua podem ser explorados para a construção do efeito de humor nas piadas: as possibilidades de divisão dos sons em palavras, o duplo sentido associado a um termo, a relação entre as palavras de um enunciado, as diferentes formas de pronunciar uma palavra, entre outros.

Mais gramática

Muitas piadas reforçam o preconceito linguístico. Faça as atividades das páginas 231 e 232 e veja um pouco mais sobre esse tipo de preconceito. 20

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 20

Não escreva no livro.

6/1/15 3:05 PM


Avalie o que você aprendeu Leia as piadas a seguir para fazer as atividades. Piada 2 O Manuel avistou seu amigo Joaquim no alto do prédio e gritou: — Ó, Joaquim, como faço pra subir até aí? — Tens que chamar o elevador. Manuel começou a gritar: — ELEVADOR, ELEVADOR...!!! — Não, Manuel, tu tens que chamá-lo pelo botão. E o Manuel pegou o botão de sua camisa e começou a gritar pra ele: — ELEVADOR, ELEVADOR...!

Cultura popular.

Robson Araújo/ID/BR

Piada 1 — Juca, me diga um verbo. — Azur, professora. — Errado! Azul não é verbo! Bento, me diga um verbo. — Bicicreta. — Errado! Bicicleta não é verbo! Pedro, me diga um verbo. — Os pedar… — MUITO BEM! Agora forme uma frase com esse verbo. — Os pedar da bicicreta é azur!

Cultura popular.

1. Em seu caderno, indique a(s) piada(s) que:

a) explora(m) o duplo sentido das palavras; b) evidencia(m) o preconceito com relação a falantes de variedades não padrão; c) apresenta(m) uma sequência de sons que pode ser dividida em mais de uma forma; d) apoia(m)-se em uma ideia preconcebida a respeito de um grupo social. 2. Explique como o efeito de humor se produz em cada piada. para tirar conclusões

ƒƒ Vamos fazer uma síntese do que vimos no capítulo 1? No caderno, indique se as afirmações a seguir são verdadeiras ou falsas. Depois, copie as falsas, corrigindo-as. a) As piadas são eficientes no combate às generalizações e ao preconceito. b) Toda piada explora apenas um aspecto da língua para a produção do efeito de humor. c) Algumas piadas se valem da possibilidade de uma mesma sequência de sons ser entendida de mais de uma forma. d) Há piadas que ridicularizam o modo de falar dos usuários de variedades não padrão. e) As piadas são uma evidência de que a ambiguidade é uma característica da língua. f) Piadas de português contadas por brasileiros e piadas de brasileiro contadas por portugueses têm como base as relações históricas entre os dois países. g) Piadas não exigem muito trabalho interpretativo para que se produza seu efeito de humor.

Mais um dedo de prosa

E então, depois de todo esse trabalho, seria absurdo dizer que piada é coisa séria?

Não escreva no livro.

UVP8_LA_PNLD17_U01_C01_012A021.indd 21

21

6/1/15 3:05 PM

Port8  
Port8