Issuu on Google+


Projeto desenvolvido pelas Gestoras Comunitárias em Educação com os alunos do Programa Mais Educação da EMEB Afonso Fioca Vitalli – São Carlos – SP Gestoras Comunitárias em Educação Leda Maria Andrade Paschoalino Marcia Aparecida Fagionato Salvini Diretora Selma Afonso Gomes Vice-diretoras Marisa Helena Chiarinotti Fontanetti Josiane Aparecida Brambila Carneiro Coordenador do Programa Mais Educação Silvio José Padovan Professores Mais Educação Bianca Gonçalves Mattara Queli Patrícia Viviane Piedade Benedito Inácio Bueno Rosa Cássia Cristina Alvarez Luciana Santa Catharina Moreira Celene Murari Pinheiro Graciane de Paula Aguiar Gradelim Lilian Aparecida Perocini da Silva Rafael de Castro dos Santos Rita Aparecida Costa Educadoras Comunitárias Ana Carolina dos Santos Nascimento Silva Rosângela dos Santos Priscila da Silva Duarte Maria Luciene Santos Barnabé

H2O Preservar é melhor / Leda Maria Andrade Paschoalino; Marcia Aparecida Fagionato Salvini (coords.). – São Carlos : Editora Cubo, 2013. 52 p. ISBN 978-85-60064-39-7 1. Preservação. 2. Meio Ambiente. 3. Água. 4. Ensino Fundamental. I. Paschoalino, Leda Maria Andrade, coord. II. Salvini, Marcia Aparecida Fagionato, coord.

Capa, Projeto Gráfico e Diagramação


DedicatĂłria Dedicamos este livro a todos aqueles que diariamente ajustam as velas, enxergando sempre uma possibilidade de mudar o mundo. “O pessimista se queixa do vento, o otimista espera que ele mude e o realista ajusta as velas.â€?

William George Ward


Agradecimentos Este livro é resultado de um trabalho interativo e cooperativo. Agradecemos primeiro a Deus, e depois aos anjos iluminados que Ele colocou em nosso caminho. Agradecemos, A Editora Cubo, especialmente ao Rafael Mozeto, por ser o responsável pela concretização deste Projeto, aos seus funcionários Larissa Orlandi e Gustavo Kaimoti pelo comprometimento e profissionalismo. Ao coordenador do Programa Mais Educação da EMEB Afonso Fioca Vitalli Silvio José Padovan, que abraçou o projeto e esteve sempre presente e participativo em todas as etapas. As Professoras do Programa Mais Educação Queli Patrícia Viviane Piedade e Bianca Gonçalves Mattara que se dedicaram com carinho. Ao Escritor Antonio Fais que com muita alegria nos auxiliou, fomentando nos alunos e professores o desejo de tornarem-se escritores. A Sônia Pinheiro bibliotecária, contadora de histórias e parceira com quem pudemos contar durante todo o trabalho. A doutora Fernanda Massaro que colaborou com este trabalho. Ao Maicom Sérgio Brandão aluno de graduação da USP de São Carlos, que compartilhou suas experiências com os alunos de maneira muito especial. Ao professor Carlos Alberto Andreucci Secretário Municipal de Educação e Ana Maria Fonseca chefe de Divisão do Programa Escola Nossa, por acreditarem no trabalho do Gestor Comunitário em Educação. A Bibliotecária Fátima Aparecida Gonçalves Ciapina pelo apoio e incentivo ao longo do trabalho. Ao CDCC pela viabilização dos passeios que contribuíram para ampliar o conhecimento dos alunos. Ao Senhor Mauro Jensem, gerente do Sesc São Carlos-SP, pelo acolhimento e por ceder o espaço. Ao Prof. Doutor José Galizia Tundisi, por apoiar e colaborar com o nosso trabalho. Agradecemos também, a todas as pessoas e aos patrocinadores que contribuíram para o sucesso desse trabalho que é resultado da confiança, da força, do trabalho em grupo e principalmente da soma dos equipamentos sociais que quando unidos contribuem para a melhoria da educação e da sociedade em geral. Cordialmente,

Leda e Márcia Gestoras Comunitárias em Educação


Epígrafe: A Enciclopédia do Futuro Antonio Fais Algo raro de se ver: a mãe, ao entrar em casa à tarde, vindo do trabalho, encontra a filha de 12 anos sentada à mesa da cozinha, fazendo suas pesquisas em uma enciclopédia! Enquanto procura adiantar seus afazeres domésticos, pergunta: — O que você está lendo aí? — Tenho que fazer um trabalho sobre a vida no passado. E estava vendo como viviam as pessoas antigamente. — E qual é o trabalho? — Temos que produzir um texto assim: se viesse um visitante do passado, que maravilha de nosso tempo eu daria para ele levar de volta. — E em que você pensou? — Acho que daria um celular. — Sei... E para quê? Para falar com quem? — Bem, seria bacana eles poderem conversar à distância e rápido... Mas, pensando um pouco mais, rindo meio sem graça, continuou: — Mas precisaria de pelo menos dois, né? — E as antenas? E a eletricidade? — cutucou a mãe. — É... — concluiu a menina meio decepcionada com a maravilha da sociedade atual. — De que época você está pensado que viria seu fantástico visitante? — De uns 500 anos atrás. Do século XVI. — O que você acha que realmente faria falta naquela época? — Carros? Mas antes mesmo do sorriso alegrar-lhe a face, lembrou-se dos combustíveis. E com isso percebeu que quase todas as benesses tecnológicas atuais naufragariam no passado. — Remédios? Sim — alegrou-se novamente a menina — Remédios para as doenças. — Mas tem algo que talvez tenha um efeito melhor, que engloba quase tudo que você pensou. A menina olha curiosa para a mãe, que, rindo, dá a pista: — Está embaixo de seu nariz.


A garota, em um gesto teatral, aponta com o indicador seu próprio nariz e faz o dedo seguir reto para baixo, em direção à mesa da cozinha: — Um livro? Não. Uma enciclopédia! — com um sorriso definitivo no rosto — Assim eles poderiam ter conhecimento, ver as coisas boas e ruins que foram feitas, e até corrigir alguns erros... Aprender a cuidar do ar e da água. A Barsa. Vou enviar a Barsa ao venturoso D. Manoel — quase gritando, enquanto levantava o volume da enciclopédia aos céus como uma espada. E a mãe ainda acrescentou: — Bem, vou cuidar do jantar enquanto você termina seu trabalho — concluiu a mãe, sentindo seu dia mais completo por sua ação catalisadora. E enquanto a mãe procurava o que comer, a menina mergulhou no computador para digitar o que ele chamou de “Visitante de outro tempo”. — Vem jantar, filha. — Um minuto. Tô no finalzinho... Posso ler pra você — pediu a menina antes do jantar. — Claro — respondeu a mãe, sabendo-se cúmplice. E assim, leu para mãe o trabalho que seguia o roteiro combinado, exceto pelo último parágrafo: “E, se um dia, pudesse ler uma enciclopédia do século XXV, eu iria procurar pelo meu nome, ou de meus filhos e netos, para saber se no fundo fizemos algo marcante pela humanidade”. E diante da mãe sorrindo com os olhos mareados, pergunta singelamente: — Mãe, mãe, depois do jantar, posso entrar no facebook?


Sumário Prefácio, 11 As coisas boas da vida, 13 O mundo sem água, 15 O mundo sem água, 15 O mundo sem água, 15 Natureza, 15 Sem água não viveríamos, 16 O mundo que só tinha terra, 16 Um planeta que só tinha terra, 16 A falta de água, 17 A pescaria, 17 A Turma da Mônica em: Uma aventura com a água, 17 O planeta sem água, 18 Acabou a água, 18 O rei e a rainha da água, 19 Três coisas importantes sobre a água, 19 A água perdida, 20 O planeta que não tinha água, 21

Muita água, 22 A batalha por água, 22 Planeta água, 22 Planeta água, 23 Planeta que só tem água, 23 O planeta que só tem água, 24 A natureza, 24 Um planeta que só tinha água, 24

A água e a saúde, 25 A menina que ajudou a água, 25 Meu cachorro é desastrado, 25 Eu e a água, 26 O tratamento da água, 26 Saúde, 26

A poluição da água, 27 O rio poluído, 27 Contaminação da água, 27 A água poluída, 28 A água limpa, 28 O rio, 28


Juliana a cuidadora, 29 Água poluída, 29 Feliz pela natureza, 30 H2O preservar é melhor, 30 Água do deserto, 30 A preservação da natureza, 30

Sonhos e fantasias, 31 O descobrimento da água, 31 Vida de sereia, 31 Planeta azul, 32 Os meninos e a água, 33 A brincadeira água, 33 A fonte da juventude, 33 O planeta terra, 34 A máquina do tempo, 34 Planeta água, 34 O homem e a água, 35 O sonho de um peixe, 35 O mundo aquático, 36 O mundo do dinossauro, 36 O naufrágio, 36 A sereia e a água, 37 O herói das águas cristalinas, 37 Água, 38 O netuno Deus dos mares, 38 Arca de Noé, 38 A ilha do Dinossauro Rex, 39 O menino da água, 39 Noé, 39 Eu quero voltar para meu lugar, 40 O mato azul, 40 A enchente no bairro, 41 A cidade, 41 A arca de Noé, 41

Córrego da Água Fria, 42 Água Fria, 42 Água Fria, 42 A fazenda, 43 Vamos ajudar a água, 43 Como cuidar da água, 44 A lama, 44

Carta, 45 Carta ao prefeito, 45

Poesias, 46 Água preciosa, 46 A água, 46 Água que nasce do céu, 46 Minha água, 46 O líquido cristalino, 47 Líquido precioso, 47 A última gota de água, 48 Água, 48 A água, 48 Água, 49 Água, 49 Água, 49 A água no espaço, 49 Olhei da janela, 49 O planeta, 50 A linda cachoeira, 50 Líquido gostoso, 50 Água preciosa, 50

Alunos, 51


Prefácio Nesse ano, as crianças participantes do projeto do Programa Mais Educação do CAIC integraram diversas atividades relacionadas ao Meio Ambiente – especificamente a temática da água. Fiz com eles uma visita ao Córrego Água Fria e lá pudemos constatar o problema da poluição dos rios e seu entorno. Naquela ocasião, recolhemos em média sete sacolinhas de lixo. Realizei uma contação de histórias do livro “Txopai e Itohã”, de Kanatyó Pataxó, que conta o mito de criação para a etnia dos Pataxós. O mito diz de os seres humanos originaram-se dos pingos de chuva. Então discutimos a importância da água para nossa vida, nossa saúde e bem estar. Setenta por cento de nosso corpo é água, setenta por cento do nosso planeta é composto por água. Não por acaso, há uma música que diz: “Terra, planeta Água”. Sabemos que não devemos jogar lixo nos rios, na rua, no chão. Mas quando pensamos que nossa sociedade ao longo de muitos anos, décadas e séculos tem o histórico de jogar nossos próprios dejetos nos rios das nossas cidades, percebemos que algo não está correto entre o discurso e a ação. As palavras que encontraremos nesse livro tem muita imaginação, respeito, ciência, reflexão e mesmo sapiência. Nos leva a pensar questões sobre o Meio Ambiente, Saneamento, Saúde e sobre a continuidade de vida em nosso planeta. Nas narrativas tem aventura, ação, tem sonho, tem utopia, tem até “tubarãofagia”. A “Liga da Justiça de 1992” logo me fez lembrar na Eco 92. Fico feliz por ter participado de um pedacinho desta construção constante que é a educação do dia a dia. As crianças destas histórias viraram mito, causos, lendas... e ficamos sabendo: “foi assim que juntando a terra com a água o mundo ficou normal”. Este livro é a experiência de que água é vida; quem nos diz são as sábias crianças. Quem o ler certamente saberá quem são os descendentes dos “filhos do pai da Terra e da mãe da Água”. Desejo a tod@s uma boa leitura.

Sônia Maria Pinheiro

11


Eu e a água Um dia estava eu e o meu primo andando de bicicleta. Estava muito calor e o meu primo falou: — Que tal nós irmos nadar? Eu respondi: — Então vamos, mas nós temos que chamar minha mãe. E meu primo respondeu: — Então vamos. Nós chegamos em casa e chamamos minha mãe e fomos nadar. Chegando lá nós escutamos um barulho de moto e era meu pai; nadamos muito e fomos embora. No outro dia eu fui para escola e contei para todo mundo.

Edgar Manoel da Silva Siqueira

O tratamento da água Em uma cidade pequena as pessoas estavam ficando doentes porque bebiam água contaminada. No começo não perceberam, mas depois começaram a ver a sujeira na água que tomavam e cada vez aumentava essa sujeira. Os moradores foram até o lugar que tratava a água e perceberam que não tinha água limpa, não havia tratamento. Escolheram uma pessoa para ficar responsável pelo tratamento e até que enfim conseguiram água tratada e as pessoas não ficaram mais doentes por causa da água.

Rafhaella de Souza Paulino

Saúde Era uma vez uma menina chamada Biba. Ela não gostava de tomar água e nem de tomar banho. Mas um dia a mãe dela percebeu que ela não estava mais fazendo xixi e levou-a ao médico. O médico consultou-a receitou um remédio e o mais importante que ela deveria tomar muita água. Ela tomou todos os remédios e passou a beber muita água. Assim ela aprendeu que a água só faz bem para a saúde.

Anna Karolina de Souza Oliveira


A poluição da

água

O rio poluído Um dia uma menina estava passeando pela floresta, andou, andou até que chegou a um rio, que estava muito poluído. Então ela pensou: — Que tal eu e meus amigos cuidarmos deste rio?! Saiu correndo para procurar seus amigos. Ao encontrá-los disse: — Eu estava passeando na floresta e encontrei um rio poluído, que tal se nós formos tirar todo lixo dele? E lá se foram eles, mas foram pelo caminho errado, chegaram a um rio limpinho. Como estava tarde voltaram para casa. Foi quando a menina percebeu que tinha ido para o lado errado e falou com os seus amigos que deveriam voltar. No dia seguinte voltaram à floresta e acharam o rio contaminado. Pegaram sacos de lixo e limparam o rio, deixando ele limpinho. Em seguida voltaram pra casa muito felizes por terem ajudado a natureza.

Yslene de Jesus dos Santos

Contaminação da água Gabriel estava com sede, e foi até o rio beber água, percebeu que o rio estava cheio de latinhas e garrafas. Então resolveu limpar, chamou seus amigos e limparam o rio, deixando tudo limpinho. E a água voltou a ficar limpa. Assim eles aprenderam uma lição: A água é importante para nós, não podemos contaminá-la porque ela nos sustenta.

Adriell Queiroz Batista de Araújo 27


Feliz pela natureza Um dia duas meninas amigas foram passear na praia, chegando lá elas se assustaram com tanto lixo na praia, voltaram para casa pegaram sacos de lixo e voltaram para recolher. Recolheram tudo e deixaram a praia limpinha. Voltaram para casa muito felizes.

Maria Eduarda Soares de Lima

H2O preservar é melhor Certo dia eu fui ao mar e vi muita sujeira, tinha muito lixo porque ninguém se preocupava com o mar. Nós temos que preservar, não só a água, mas todo o meio ambiente porque estamos poluindo e isso só vai trazer coisas ruins para nós.

Cristiane Ferreira Machado

Água do deserto Certo dia num deserto muito quente, o mais quente deserto do Planeta, todos estavam com muita sede e fome e saíram a procura de socorro. No meio do caminho muitas pessoas caíram de fome e sede. De repente começou a chover e todos ficaram alegres e voltaram para casa com água. Desse dia em diante, todos os dias aquelas pessoas iam até o local e faziam uma oração para nunca mais faltar água.

Jhonatan Cintra de Oliveira

A preservação da natureza Um dia Maria se mudou para um lugar que tinha flores matas, mares... Maria convidou sua mãe: — Mamãe vamos a um lugar bonito? — Mas que lugar bonito é esse, filha? — É um lugar que eu descobri outro dia quando fui à padaria – disse Maria. A sua mãe concordou e disse que iriam depois do almoço. E assim aconteceu. Chegando lá Maria pediu que sua mãe fechasse os olhos para lhe fazer uma surpresa. Mas, quando a mãe dela abriu os olhos gritou: — Cadê as coisas lindas Maria? Maria ficou assustada porque estava tudo pegando fogo. Foi aí que elas ligaram para os bombeiros no número 193 e eles conseguiram apagar o fogo. Maria e sua mãe ainda conseguiram entrar na cachoeira e ficaram felizes por conseguirem ajudar a natureza.

Samanta Luara da Silva Gonçalves de Moura 30


Sonhos e fantasias O descobrimento da água Em um dia de muito sol, Adão sentia muita sede e não sabia como parar, ele ficou preocupado e viu sua sombra refletindo em um líquido transparente que corria. Ele pegou um pouco e bebeu. Assim descobriu que aquele líquido matava a sede. Adão empolgado com o descobrimento foi contar para Eva, que ficou impressionada e perguntou para Deus qual era o nome daquele líquido, e ele respondeu: — O nome disso é água e ninguém sobrevive sem ela. As plantas morreriam e os animais também então cuidem bem dela. Eva ficou muito preocupada e perguntou: — Mas como podemos cuidar dela? — Não jogando lixo nos rios. Pois a água limpa é importante para os seres humanos. Eva descobriu a importância da água, e foi direto contar tudo que aprendeu para Adão, assim os dois aprenderam a importância de cuidar da água para que ela não acabe.

Vitor Hugo de Souza Bonfim

Vida de sereia Um dia a Baby saiu para surfar e aconteceu uma coisa muito estranha com ela. No meio do treino a água molhava no cabelo e ficava rosa e ela nem percebeu e todo mundo olhava para o cabelo dela e ela não entendia. Quando ela chegou em casa e olhou no espelho deu um pulo para trás de tão assustada. Seu avô bateu na porta, entrou. Quando viu aquele cabelo não se assustou porque já sabia porque ela estava desse jeito. Sua mãe era uma sereia. Seu avô contou tudo. Apareceu um golfinho rosa atrás dela dizendo que conhecia sua mãe e levou para conhecer a sua mãe, que lhe deu um colar de presente para quando ela quiser virar sereia era só colocar.

Yasmin Ferreira de Paula

31


Poesias Água preciosa

Água que nasce do céu

Que cai lá de cima Que rega as plantas Que transforma a cidade Numa linda poesia Água que nasce das rochas Que mata a sede do mundo Que forma um rio profundo Água cristalina Que molha o chão Tirando a tristeza do grande sertão (Esta poesia foi inspirada na música Planeta Água de Guilherme Arantes)

Água que nasceu em cachoeira, Que da nascente do rio, Vai até as torneiras. E me deu uma vida e um lugar Água de uma terra preciosa que tem tantos rios e cachoeiras, Um lugar para os animais. Água que que do céu vai pro chão Que vai pro coração Vai para as veias e vira uma poesia preciosa.

Joyce Sindarina Ferreira da Silva

Isabely Maria de Castro

Minha água

A água

Minha água, minha água Gosto muito de beber. Minha água, minha água Sem você não vou viver. Minha água, minha água Gosto muito de você Minha água, minha água Limpa para eu beber, Só o bem pode me fazer. Minha água, minha água Sem você posso morrer. Minha água, minha água Mas com você todos nós podemos viver.

Água que bebemos Água que queremos Água que tratamos Água que limpamos Podemos ferver Podemos beber Podemos lavar Podemos usar Podemos nos limpar O que seria de nós Sem a água

Letícia Luiza Oliveira Pereira

Thais de Aragão Oliveira 46


O líquido cristalino

Líquido precioso

O líquido cristalino Tão cristalino e precioso O líquido que nos ajuda a viver Esse líquido é a água. Tão importante quanto o céu Que nos faz lembrar a grande doce água de mel. A água que cai lá do céu Escorre nas rochas e cai na terra. Água quando misturada na química, Água poluída escura que não serve pra nada. todos os seres humanos dependem desse líquido Para sobreviver é preciso melhorar Não poluir riachos nem sujar Recolher lixo dos rios A água assim cristalina fica Igual ao titulo desta poesia.

Líquido precioso Tão importante quanto o ar A água tem seu papel Ajuda a manter nossa vida. Caindo lá do céu Molhando o chão Apagando a poeira Enche o rio Faz cachoeira Recupera a natureza. Transformando a paisagem Encantada em fantasia O solo fértil e as rochas É um filtro admirável Separa a impureza da chuva Deixando a água potável Para assim podemos beber.

Vinicius Alexandre Santos de Souza

Andressa Siqueira dos Santos

47



Mais Educacao