Page 1

Eboletim do AEM Edição Protótipo / fevereiro 2014

Nesta Edição

EDITORIAL A Direção do Agrupamento, muito embora estimule, valorize e promova a

Editorial

divulgação de projetos, atividades e iniciativas, quer na página do Facebook quer na

Comemoração dos 800 anos da Língua Portuguesa 1

página

eletrónica,

informativo que

considerou

veicule,

pertinente

mensalmente, as

a

criação

atividades

de

um

E-boletim

desenvolvidas

pelo

Contrato de Autonomia do AEM 2

agrupamento e impulsione, na comunidade escolar, o gosto pela escrita e pela

Projeto Educativo do AEM 3

leitura, envolvendo e relacionando todos os agentes da comunidade educativa.

Educar nos e para os valores 4 Exposição: “Representações da Superfície Terrestre” 4

Estamos cientes que, ao publicar os textos e outros conteúdos que mereçam destaque, fornecidos por alunos, docentes, não docentes e restantes elementos da

Corta Mato Regional – Desporto Escolar 6

comunidade educativa, daremos ainda maior visibilidade às criações de autor e às

Banco Alimentar contra a Fome 7

diversas atividades e projetos dinamizados na nossa unidade orgânica.

Visitas à EB de Mafra 7

Paralelamente, com este novo formato digital, chamaremos a atenção dos alunos

Projeto Key For Schools 9

para atividades culturais e recreativas importantes para a sua formação integral.

Projeto Teste intermédios 10

É também nosso propósito lançar, desde já, o repto à comunidade escolar para que

Testes de Aferição 10

o nosso E- boletim informativo venha a ser renomeado, tornando-o mais próximo

Breves 11

dos seus editores/leitores, pelo que se guarda que cada professor titular e cada

Em destaque 14

diretor de turma divulgue o facto junto dos seus alunos.

Texto de Autor 15

Agradecemos a todos quantos contribuíram para esta edição- protótipo, estando

Pensamento do mês 16

cientes que muitos mais conteúdos e sugestões de melhoria irão surgir.

COMEMORAÇÃO DOS 800 ANOS DA LÍNGUA PORTUGUESA “Decorrerá entre 5 de maio de 2014 (Dia da Língua Portuguesa instituído pela CPLP) e 10 de junho de 2015 o evento de celebração “8 Séculos da Língua Portuguesa”, organizado pela Associação com o mesmo nome, tendo em vista a valorização e a visibilidade da Língua Portuguesa, enquanto língua oficial de oito países inseridos em múltiplas matrizes geopolíticas e culturais.” (DGIDC-Ministério da Educação e Ciência).

Com esta iniciativa, o MEC pretende assinalar os 800 anos da Língua Portuguesa, tendo por base os primeiros documentos escritos em português – Testamento de

1


D. Afonso II (27 de junho de 1214), Notícia dos Fiadores (1175), bem como outros documentos dessa época histórica, convidando as entidades públicas a aderirem às comemorações. Deste modo, o agrupamento vai desenvolver iniciativas neste âmbito e que constam do Plano Anual de Atividades, sendo que o lema anual foi inscrito no logótipo criado pela professora Cristina Armez. Legalmente, o português passou a existir a partir de 1290, quando o rei D. Dinis decretou que o português, que até então era chamado de "língua vulgar", fosse usado em vez do latim clássico para escrever as leis e os diários oficiais do reino. Desde esses tempos, o português foi o veículo de expressão de poetas e de trovadores, uma língua de transmissão de arte e cultura. Grandes nomes se podem salientar, a título de exemplo o rei D. Dinis, Luís de Camões ou Fernando Pessoa e, mais recentemente, José Saramago (prémio Nobel da Literatura em 1998), poetas que dilataram a “alma portuguesa”, amplamente difundida pelos Descobrimentos marítimos, que levaram a língua portuguesa aos “quatro cantos do mundo”. É esta mesma língua (a sexta língua mais falada) que serve de meio de comunicação a cerca de 230 milhões de pessoas em todo o mundo.

CONTRATO DE AUTONOMIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MAFRA Mafra foi o município escolhido pelo

Conselhos

Ministério da Educação e Ciência para

formalizaram a contratualização da

pedagógico, curricular, administrativo

a

de

autonomia, por ter sido reconhecida a

e cultural e que lhe permite diversificar

Contratos de Autonomia com 30

estas escolas a qualidade do serviço

a oferta educativa, com vista à

escolas e agrupamentos de escolas de

público de educação que prestam.

melhoria dos resultados escolares e

cerimónia

de

celebração

todo o país. A cerimónia decorreu na inigualável Biblioteca do Palácio de Mafra,

onde

se

assinaram

os

contratos, nomeadamente o da Escola Secundária José Saramago e o dos Agrupamentos de Escolas do nosso concelho - Ericeira- Venda do Pinheiro, e Mafra (Malveira já havia assinado no verão). O

Presentemente,

e

os

apenas

Diretores

27%

dos

estabelecimentos escolares do país usufruem

deste

instrumento

de

reforço da autonomia, até porque o ministério estabelece Contratos de Autonomia apenas com territórios educativos que apresentem resultados positivos e que tenham projetos educativos integradores e inclusivos.

Sr.

Diretor-Geral

Estabelecimentos

Escolares,

dos o

Sr.

Secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar, o Sr. Presidente da

Gerais

Câmara,

os

Presidentes

dos

autonomia

da

escola

aos

níveis

diminuição do abandono escolar, sem nunca perder de vista os objetivos primordiais - inovação e qualidade do serviço público. Ou seja, a autonomia reforçada

que

escola/agrupamento

cada recebe,

tem

como pressuposto o acréscimo das suas

responsabilidades,

sobretudo

para com a comunidade educativa que serve.

Os

dirigentes

ministeriais

O Contrato de Autonomia é um dos

ressaltaram o trabalho desenvolvido

instrumentos essenciais de garantia da

pelos Diretores das Escolas de Mafra,

diversidade e do reconhecimento do

os quais, num esforço de planeamento

mérito das escolas. É, por excelência, o

conjunto, clausularam compromissos

instrumento de aprofundamento da

de natureza organizativa e pedagógica,

2


com vista à manutenção da prestação

relativo à educação que se ministra no

uniram em prol da Educação no nosso

de um ensino eficaz e de qualidade, e

concelho.

concelho, numa tentativa de esbater

que apresentaram, inclusive, um plano de intervenção estratégico conjunto

Por tudo isto, cumpre-nos parabenizar todos os parceiros estratégicos que se

assimetrias. Ganha o Concelho, ganha a Educação! Ganhamos todos.

PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO O Projeto Educativo do AEM, ainda sob forma de proposta e em discussão pública, fundamenta-se nos referenciais educativos nacionais, bem como noutros documentos estruturantes da vida do agrupamento e tem por princípios a Educação, a Formação e a Inclusão de Todos, para Todos e com Todos.

Pretende-se

igualmente

a

consolidação das práticas, a garantia do sucesso escolar e educativo e a promoção da excelência. Lançado

o

repto

ao

professor

Eduardo Dias, este espelhou o ideário educativo na imagem que nos servirá de inspiração para o trabalho a desenvolver, estimulando o sentido de pertença a este território educativo.

3


EDUCAR NOS E PARA OS VALORES - CONFIANÇA

Sabes confiar? Confiança é um valor que tem que ser bem trabalhado entre todos nós, pois deverá estar presente em qualquer boa amizade. Para trabalhar este conceito, os alunos de EMRC realizaram dois jogos: "O Jogo da Ilha” passou-se na sala de aula. Tinha como objetivo a perda do medo e/ou a vergonha, mas também teve o intuito de desenvolver o contacto entre nós. Neste primeiro jogo tínhamos que partilhar uma folha de papel no chão para assim nos salvarmos de um possível afogamento. Foi preciso deixar para trás as desconfianças e estar atento ao espaço que os nossos pés ocupavam na folha, para dar lugar também aos outros. Experimentámos a partilha e o sacrifício. Já no segundo jogo, chamado "O Jogo da Venda", a professora propôs à turma que saíssemos da sala de aula. Alguns estavam vendados e os restantes fizeram de guias. Ser guiado e deixarmo-nos guiar foi uma experiência “na pele” do que é ter confiança e ser-se merecedor desta confiança. A reflexão conjunta ajudou-nos a perceber estes sentimentos. A prática destes dois jogos foi, sem dúvida, uma boa maneira de nos aproximarmos mais, assim como de interagirmos com pessoas que não conhecíamos tão bem, duma forma mais divertida e descontraída. Nós, os alunos do 9.º ano de EMRC, estamos a caminhar no sentido do contacto, da confiança e, sobretudo, da amizade, valores essenciais na vida dos jovens e de adultos. Confiança- É o ato de confiar. Aceitar a própria decisão de outra pessoa. Confiar em outro é muitas vezes considerado ato de amizade ou amor entre os humanos, que costumam dar provas dessa confiança. Confiança é o resultado do conhecimento sobre alguém, da informação e de um sistema de inteligência. Fonte: (http://pt.wikipedia.org/wiki/Confiança)

E tu? Sabes a importância da palavra confiança?

EXPOSIÇÃO “REPRESENTAÇÕES DA SUPERFÍCIE TERRESTRE” Foi no início de janeiro que algumas turmas do 7.º ano participaram, no âmbito das atividades do grupo de Geografia e inseridas nos respetivos Planos de Turma, em visitas à exposição sobre “Representações da Superfície Terrestre”. Também os membros do Departamento de Ciências Socias e Humanas tiveram a oportunidade de participar, em 21 de janeiro, numa visita guiada pelo professor de geografia, Henrique Martins. Esta visita seguiu-se a uma outra que se tinha realizado nesse mesmo dia e que teve a presença de alguns alunos do sétimo ano, que se tinham destacado pelo seu desempenho, e de várias entidades convidadas, sendo de destacar a presença da presidente da Associação de Professores de Geografia. No dia 22 de

4


janeiro foram alunos do 4.º ano da EB Hélia Correia que tiveram a oportunidade de participar numa visita guiada pelo mesmo docente a esta exposição, tendo estes alunos a oportunidade de manipular vários globos. Durante a atividade, os alunos da turma colocaram ao professor de geografia questões muito interessantes que ajudaram a tornar esta atividade ainda mais interessante. O professor de geografia que dinamizou esta experiência educativa salientou que esta exposição teve o apoio da DGT, do IGeoE e da Municípia que facultaram gratuitamente vários recursos cartográficos (cartas/mapas de base, náuticas e temáticas, fotografias aéreas, ortofotomapas e imagens de satélite), sendo de destacar os dois ortofotomapas que mostram a atual localização da Escola Básica (em 2012) e da anterior localização (em 1999). Nestes 2 ortofotomapas, que estão colocados no átrio de entrada da escola sede do Agrupamento, também são visíveis outras modificações ocorridas no tecido urbano de Mafra, nomeadamente a construção da EB Hélia Correia e as alterações recentes feitas em frente ao Palácio Nacional de Mafra. O grupo de geografia organizou esta exposição com a principal pretensão de proporcionar aos alunos do 7.º ano uma experiência educativa mais ativa, interventiva e em equipa que consolidasse a aprendizagem realizada em contexto de sala de aula, objetivo que se considera atingido, pois as opiniões dos alunos sobre esta exposição foram nesse sentido. Por exemplo: “Interessante pois ficámos a conhecer coisas novas”; “gostámos muito de trabalhar em grupo”; “foi engraçado e divertido, sobretudo porque aprendemos fora da sala de aula”; “procurar a informação em conjunto ajudou-nos a chegar mais rapidamente às respostas”; “gostei imenso de ver o relevo através daqueles óculos próprios”; “ficámos a conhecer mais sobre o nosso país”. Henrique Martins, docente do grupo de geografia

5


CORTA MATO REGIONAL – DESPORTO ESCOLAR No passado dia 29 de janeiro, decorreu mais uma edição do Corta-Mato Regional em A-dos-Cunhados, no concelho de Torres Vedras. Cumprindo com o requisito estabelecido, a Escola Básica de Mafra marcou presença com os seis primeiros classificados (escalão/género) no Corta-Mato Escolar. Na atividade participaram cerca de 40 escolas, mas a EB de Mafra destacou-se pelos excelentes resultados obtidos, tendo conquistado diversos prémios nos diversos escalões. Assim sendo, conquistou o 2.º Lugar no escalão de Infantis A Femininos, com a aluna Íris Melo; o 2.º Lugar por equipas no escalão de Infantis A Femininos, com as alunas Filipa Minorça, Daniela Dranga, Carlota Maia e Inês Nacimento; o 3.º Lugar por equipas no escalão de Iniciadas, com as alunas Inês Barreiros, Marta Loureiro, Joana Tavares e Celeste Fernandes e, finalmente, o 3.º Lugar no escalão de Juvenis Masculinos, com o aluno João Ávida, tendo este garantido o seu apuramento para o Corta-Mato Nacional. Escola, alunos e professores estão de parabéns...Bastou acreditar!

6


BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME Durante os meses de novembro e janeiro alguns Diretores de Turma dos 2.º e 3.º ciclos do nosso Agrupamento frequentaram uma formação sobre Solidariedade em parceria com o Banco Alimentar Contra a Fome. Numa altura em que os valores são fundamentais para criar cidadãos responsáveis e ativos, estas sessões revelaram-se muito interessantes no sentido de sugerir atividades diferentes que promovem a consciência social nos nossos alunos. A professora Ana Catarina Mendes, responsável pela organização destas sessões, considera que as mesmas foram uma mais- valia para todos os professores participantes, em particular e, para o Agrupamento no geral, pois foram disponibilizados materiais de apoio às atividades propostas para a Escola. Em nome do Agrupamento de Escolas de Mafra agradece a disponibilidade da formadora, Marta Braz, uma voluntária do Banco Alimentar contra a Fome, e espera dar continuidade a esta parceria, no próximo ano letivo.

VISITA À EB DE MAFRA

Mafra recebeu a Conferência Internacional de Literacia Social O Palácio Nacional de Mafra acolheu, a 16 de janeiro, a International Conference on Social Literacy (Conferência Internacional de Literacia Social). Nesta conferência debateu-se a literacia social no contexto da União Europeia e no desenvolvimento de competências humanas e sociais: os valores como fundamento de competência. Para o debate foram convidados investigadores e peritos europeus na área, bem como representantes de Governos e Famílias Reais da Europa, entre os quais a princesa Laurentien da Holanda, enviada especial da UNESCO em literacia para o desenvolvimento. Um estudo, realizado com o apoio da União Europeia, na Universidade Católica e no Instituto Luso-Ilírio para o Desenvolvimento Humano, concluiu que os que mais têm materialmente são os menos disponíveis, quer para ajudar os outros, quer para lutar por uma causa justa, o que cria, segundo os investigadores, um problema estrutural de democracia, porque os que mais instrução têm são os mais propensos a ocupar lugares de liderança. Conclui, ainda, que sociedade é mais tolerante mas mais individualista, que a família é vista numa ótica restrita, que as pessoas se acomodam ao seu bem-estar crescente e têm dificuldades em partilhar riqueza, benefícios e privilégios, e que os jovens são educados apenas para serem ativos e competentes. Agora, compete a cada um de nós tirar ilações sobre as conclusões e marcar a diferença solidária.

7


Visita de sua Alteza Real a Princesa Laurentien van Orage à EB de Mafra, por ocasião da Conferência Internacional de Literacia Social (International Conference on Social Literacy) promovida pelo Instituto Luso-Ilírio para o Desenvolvimento Humano (iLIDH) e a Universidade Católica Portuguesa (UCP), com o apoio da Câmara Municipal de Mafra.

VISITA DE INSPETORES GERAIS DE ENSINO DO MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO POLACO Visita de Inspetores Gerais de Ensino do Ministério de Educação Polaco, promovida pela Inspeção Geral da Educação e Ciência, subordinada ao tema Escola Inclusiva.

A convite da IGEC- Inspeção Geral da Educação e Ciência, dia 23 de janeiro, o Agrupamento acolheu um grupo de 9 Inspetores Gerais do Ministério da Educação da Polónia, na sequência de um intercâmbio entre os dois ministérios e cujo objetivo primordial foi o de conhecer in loco as práticas de integração e inclusão de alunos com necessidades educativas especiais, sendo que o Agrupamento tem visto reconhecido, nacional e internacionalmente, o seu trabalho nesta vertente da educação de e para todos. A visita teve início com a apresentação dos projetos de Educação Especial no Agrupamento (projeto SER- Socializar, Educar, Reintegrar) e Unidades de Ensino Estruturado e de Multideficiência), tendo a Sra. Diretora e os docentes de Educação Especial tornado patente o caráter integrador e inclusivo da política educativa que subjaz às práticas pedagógicas diferenciadoras no Agrupamento, no que se refere sobretudo aos alunos com necessidades educativas especiais de caráter permanente.

8


A interatividade do encontro resultou, igualmente, na exibição de um momento musical dinamizado pelo professor Gilberto Costa e por alunos do projeto. No final da visita, os Srs. Inspetores puderam apreciar, nas Unidades da Escola-Sede, as práticas pedagógicas em contexto real de práticas inclusivas, tendo verbalizado o quão gratos estavam pela experiência que lhes foi proporcionada.

PROJETO KEY FOR SCHOOLS

O Ministério da Educação e Ciência vai implementar o projeto KEY FOR SCHOOLS PORTUGAL, cujo objetivo é aplicar um teste de língua inglesa, concebido pelo Cambridge English Language Assessment, entidade da Universidade de Cambridge, responsável pelo desenvolvimento de instrumentos de avaliação no domínio da língua inglesa. Este teste avalia os domínios de compreensão da leitura e expressão escrita, de compreensão oral e da produção oral. No caso de os alunos conseguirem resultados positivos, obterão um certificado correspondente ao nível A2 do Quadro Europeu Comum de Referência. Os alunos dos 11 aos 17 anos que frequentam os 6.º, 7.º. 8.º anos de escolaridade só farão o teste se os encarregados de educação assim o entenderem, pelo que devem proceder à inscrição dos educandos no site www.gave.min-edu.pt , previsivelmente de 12 a 24 de fevereiro. No que concerne aos alunos do 9.º ano, estes fá-lo-ão com caráter de obrigatoriedade (Despacho n.º 11838-A/2013, de 10 de setembro), pelo que a inscrição para a realização do teste é da responsabilidade da escola. Caso os encarregados de educação pretendam que os seus educandos obtenham um certificado terão que o solicitar.

9


PROJETO TESTES INTERMÉDIOS

Os

testes

intermédios

são

processo a que estarão sujeitos no

de resposta dos alunos e sobre os

avaliação

final do 3.º ciclo do ensino básico e,

resultados alcançados.

disponibilizados pelo IAVE- MEC,

também por isso, se estendeu a

Calendário para o 9.º ano

tendo como principais finalidades

oferta destes testes a disciplinas

permitir a cada professor aferir o

sujeitas a provas nacionais.

desempenho dos seus alunos por

Estes

referência a padrões de âmbito

permitirem aos alunos e suas famílias

nacional, ajudar os alunos a uma

a consciencialização da progressão

melhor

da

na aprendizagem, possibilitam aos

progressão da sua aprendizagem e,

professores a regulação das suas

por acréscimo, contribuir para a sua

práticas, pela reflexão individual ou

progressiva

coletiva sobre a análise do processo

instrumentos

de

consciencialização

familiarização

com

Português- 6 de fevereiro Matemática- 21 de março

testes,

para

além

de Para mais informações, consultar a página

do

IAVE-

instituto

de

AVALIAÇÃO Educativa – MEC– em: http://www.gave.min-edu.pt/

instrumentos de avaliação externa,

TESTES DE AFERIÇÃO - REGULAÇÃO INTERNA DAS APRENDIZAGENS

Neste ano letivo irão ser relançados

isso,

testes

de

aferição que

caráter

universal

da

agrupamentos, independentemente

aplicação)

havia

informação

dos

resultados,

do grau de dificuldade das provas, os

no

constituem

um

importante

resultados podem ser bastante úteis

acontecido

anteriormente

Agrupamento. Com exceção das

instrumento

e

se a sua análise for feita de forma

áreas disciplinares do Departamento

monitorização do cumprimento dos

integrada pelos vários níveis de

de Expressões e das disciplinas que

programas,

ensino.

optaram pela aplicação de Testes

professores e do desempenho dos

Serão, pois, de importância relevante

Intermédios

pelo

alunos. São, igualmente, um precioso

para se verificar quais as matérias –

Ministério da Educação e Ciência-

recurso que permite uma reflexão

conteúdos ou capacidades – em que

IAVE), todas as outras disciplinas

individual

os alunos (globalmente ou por

implementarão Testes de Aferição

adequação das práticas letivas face

turmas)

(elaborados pela escola).

às

dificuldades,

Estes testes, por serem aplicados a

educacionais inscritos nos programas

conteúdos/capacidades que importa

todas as turmas do mesmo ano, no

e nas metas curriculares.

consolidar e quais parecem melhor

(elaborados

mesmo dia e à mesma hora (têm, por

de

natureza

No plano micro, a nível de escolas ou

à

do

pela

sua

interna,

semelhança

e

da

diagnóstico

das

e

finalidades

práticas

coletiva

e

aos

sobre

dos

a

objetivos

revelam quais

maiores os

adquiridos/desenvolvidos.

10


Se queremos uma cultura de rigor e

desempenho

a

entendimento de como adequamos

das práticas pedagógicas.

o currículo aos nossos alunos.

Os Testes de Aferição decorrem de

Agrupamento, é nosso dever fazer

Os

10 a 21 de fevereiro, nos 2.º e 3.º

uso de ferramentas destinadas à

relevantes para suporte à tomada de

aferição

decisões,

promoção

responsabilidade

ou

do na

sentido no

avaliação

de nosso

do

dos

resultados

são

alunos

e

ao

considerados

nomeadamente

matéria de planificação e orientação

ciclos de escolaridade.

em

BREVES

O Champimóvel vem à escola sede do AEM A Fundação Champalimaud, com o apoio do Ministério da Educação e Ciência, tem vindo a promover, de forma gratuita, uma ação de motivação dos jovens portugueses para a ciência e para a investigação científica. Realça-se que para a realização desta atividade a escola contou com a colaboração da Câmara Municipal de Mafra. De 11 a 14 de fevereiro, o Champimóvel estará estacionado junto à escola sede do AEM, para os alunos dos 2º e 3º ciclos, preferencialmente dos 6º e 9º anos participarem numa emocionante e interativa viagem tridimensional pelo corpo humano. O conceito inovador do Champimóvel alia a parte lúdica do simulador, do vídeo 3D e do jogo à aprendizagem de conceitos complexos transmitidos de forma simplificada. VISÃO,

No emocionante simulador, a viagem começa com o MECANISMO DA

seguido da APRESENTAÇÃO DA CÉLULA e o seu material genético, da AÇÃO DOS VÍRUS, da TERAPIA GENÉTICA e, finalmente, das

investigações recentes em células estaminais e em nanotecnologias.

11


Ida à redação do Diário de Notícias As turmas do 3ºA e 3º B da Escola Básica Dr. Sanches de Brito foram, no dia 11 de fevereiro à redação do Diário de Notícias. Decorrente da atividade, foi noticiada a visita das referidas turmas, na imprensa nacional.

Legumes para a horta!

Na primeira semana de janeiro e englobado no tema “Inverno”, a mãe do Joel foi realizar uma atividade com as crianças da Sala Verde do JI de Mafra, relacionada com a importância dos legumes na nossa alimentação. O objetivo foi dar a conhecer às crianças alguns legumes e as respetivas plantas. As plantas que a mãe Sara trouxe foram depois plantadas na nossa horta. No final cada criança levou para casa um saco com legumes, para fazer sopa.

12


Ano das Letras No dia 5 de fevereiro, foi lançado na Sala Verde do JI de Mafra, de forma oficial, o tema escolhido pelo Departamento da Educação Pré-Escolar para este ano letivo:”letras com imaginação”. Este tema está relacionado com o ANO DAS LETRAS, determinado pelo Ministério de Educação e Ciência. Foi convidada a Profª Maria João da Biblioteca da EB Mafra, que nos apresentou o livro “Isto não é uma caixa”. Um livro carregado de imaginação, como só as crianças sabem ter. Foi muito interessante e o grupo teve oportunidade de explorar outros livros trazidos pela Professora.

Atividade Dia do Bombeiro Ao longo da semana de 20 a 24 de janeiro, realizou a direção do AEM, em parceria com os Bombeiros Voluntários de Mafra, uma semana de atividades dedicada à sensibilização para o voluntariado e para a necessidade de angariar apoios e fundos para as diferentes organizações que prestam serviço na comunidade, nomeadamente o Corpo de Bombeiros Voluntários de Mafra.

13


EM DESTAQUE Afinal, quem foi São Valentim? Existem várias teorias relativas à origem de São Valentim e à forma como este mártir romano se tornou o patrono dos apaixonados. Uma das histórias retrata o São Valentim como um simples mártir que, em meados do séc. III d.C., havia recusado abdicar da fé cristã que professava. Outra defende que, na mesma altura, o Imperador Romano Claudius II teria proibido os casamentos, para assim angariar mais soldados para as suas frentes de batalha. Um sacerdote da época, de nome Valentim, teria violado este decreto imperial e realizava casamentos em sigilo absoluto. Este segredo teria sido descoberto e Valentim teria sido preso, torturado e condenado à morte. Muitas são as tradições associadas ao dia de São Valentim, variando de país para país. Por exemplo, nas Ilhas Britânicas na altura dos Celtas, as crianças costumavam vestir-se de adultos e cantavam de porta em porta, celebrando o amor; no atual País de Gales, os apaixonados trocavam entre si prendas como colheres de madeira com corações gravados, chaves e fechaduras, o que significava «Só tu tens a chave do meu coração». Já na Idade Média, em França e na atual Inglaterra, no dia 14 de fevereiro, os jovens sorteavam os nomes dos seus pares e estes eram cosidos nas mangas durante uma semana. Se alguém trouxesse um coração costurado na camisola, isso significava que essa pessoa estava apaixonada. Ao longo dos tempos, as tradições de São Valentim foram adquirindo um grau de complexidade cada vez maior. A cada ano que passava, foram-se criando novas tradições, lendas e brincadeiras, como é o caso das mensagens de amor e de amizade. A tradicional troca de cartões, cartas e bilhetes apaixonados no dia 14 de fevereiro teve origem na altura da própria lenda de São Valentim, quando este teria deixado um bilhete à filha do seu carcereiro. No entanto, não há qualquer facto que comprove esta lenda. Porém, é certo que, no século XV, Charles, o jovem duque de Orleães, terá sido o primeiro a utilizar cartões de São Valentim. Isto porque, enquanto esteve aprisionado na Tower of London, após a batalha de Agincourt, em 1945, terá enviado, por altura do São Valentim, vários poemas e bilhetes de amor à sua mulher que se encontrava em França. Durante o século XVII sabe-se que era costume os enamorados escreverem poemas originais, ou não, em pequenos cartões que enviavam às pessoas por quem estavam apaixonados. Os cartões passaram a ser enfeitados com fitas de tecido e papel especial e continham escritos que ainda hoje nos são familiares.

14


Em jeito de síntese …

TEXTO DE AUTOR

A

MOR

Lembro-me do mar imenso e azul. Ele é o símbolo da grandeza imutável dos gigantes da Natureza…

Lembro-me da praia quente e dourada Ela é o símbolo da pureza original dos primórdios da Natureza…

Mas… O que valem o mar e a praia? O que vale até a Natureza? Quando os comparo com os teus olhos azuis, de Mulher?

Manuel Charneca

15


PENSAMENTO DO MÊS

“Só sabemos, seguramente, de uma amizade ou de um amor sabendo o que temos pelos outros. De que os outros nos amem nunca poderemos estar certos. E é por isso talvez que a grande amizade e o grande amor são aqueles que dão sem pedir, que fazem e não esperam ser feitos; que são sempre voz ativa, não passiva.”

Agostinho da Silva, Sete Cartas a um Jovem Filósofo.

REFERÊNCIAS

imagem página 2 - disponível em: https://www.google.pt/search?q=800+anos+da+l%C3%ADngua+portuguesa imagem página 4 – disponível em http://www.professoresdosucesso.com.br imagem página 7 – disponível em http://eurotux.com/noticias/banco-alimentar-contra-a-fome-conta-com-apoio-daeurotux/image imagem página 9 – disponível em http://www.keyforschools.iave.pt/o-que-e.html imagem página 14 – disponível em https://encryptedtbn0.gstatic.com/images?q=tbn imagem página 14 – disponível em http://3.bp.blogspot.com/EGGHauMus_4/Tel5z7mwLJI/AAAGQ4/yLTY5XCBaH8/s400/val3.jpg imagem página 15 - disponível em http://4.bp.blogspot.com/-U3lQqYAkpU/UWcKQri1/s1600/Cartoon-de-Alexandre+Beck-06.jp imagem página 15 – disponível em http://www.sterling-wellness.com/wp-content/uploads/2011/01/heart.jpg imagem página 16 – disponível em http://viveraciencia.files.wordpress.com/2010/07/adasilva.jpg

FICHA TÉCNICA

Propriedade do Agrupamento de Escolas de Mafra – 1109507 Morada: Rua Santa da Misericórdia, nº 7 – 2640 – 528 Mafra boletiminformativo@aemafra.edu.pt / www.aemafra.edu.pt / https://pt-pt.facebook.com/agrupamentoescolasmafra Periocidade: mensal

16

Boletim informativo  

Boletim informativo do Agrupamento de Escolas de Mafra