Page 1

Eboletim

do AEM

Edição 01 / março de 201 4

Nesta Edição

EDITORIAL

Editorial

Foi com grato prazer que recebemos, da parte dos nossos leitores, mensagens de apreço pela iniciativa de divulgação das atividades que espelham o trabalho desenvolvido no Agrupamento de Escolas de Mafra (AEM). O mais importante e o mais gratificante é que, quer as críticas quer os cumprimentos são, quase sempre, acompanhados de sugestões e propostas construtivas.

Projeto Educativo do AEM 1 Carnaval no AEM 2 Abram portas e janelas à primavera 4 Educar nos e para os valores 5 O mundo ao alcance de todos 6 O "Cuquedo" na EB Hélia Correia 6 Dia da Internet Segura 7 O Amor que vem nos poemas 7 Agora o escritor és tu! 8 Dia do Pai - atividade de articulação 9 Onde está o bolo? 9 Em destaque 1 0

Este projeto ambiciona contribuir para que cada editor/leitor se reveja nos conteúdos apresentados e, neste sentido, é imprescindível que o boletim chegue ao maior número de leitores e que os mesmos nos enviem matérias que considerem de relevo ou até mesmo conteúdos de natureza lúdica, para os mais novos. Para que tal seja possível, contamos com o apoio de todos. Ainda assim, não renomeámos o E- boletim informativo, porque apenas recebemos contributos da APACIN (Associação de Pais e Encarregados de Educação de Alcainça, Cheleiros e Igreja Nova). Donde, aguardamos novas sugestões. As questões que se prendem com divulgação do boletim (a título de exemplo, como fazer chegar aos pais e encarregados de educação), muito embora esteja na página eletrónica do agrupamento e em formato papel, na escola sede, cada agente educativo ou entidade parceira do AEM poderá decidir qual o meio mais expedito para a sua divulgação. Agradecemos a todos quantos contribuíram para esta edição, estando cientes que muitos mais conteúdos e sugestões de melhoria irão surgir.

Datas em destaque 1 1 Pensamento do mês 1 2

Saudações editoriais

PROJETO EDUCATIVO DO AEM No desenvolvimento da notícia apresentada na edição anterior informamos a comunidade educativa que o Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas de Mafra foi aprovado em reunião de Conselho Geral do dia 11 de março de 201 4, encontrando-se disponível para consulta, na sua versão digital, em http://aemafra.edu.pt/docs.html, ou, caso assim prefira, em versão papel, junto de cada estabelecimento de educação/ ensino.


2 CARNAVAL NO AEM Carnaval é uma festa que teve início na Grécia, em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica em 590 d.C.. O Carnaval da Antiguidade era marcado por grandes festas, onde se comia, bebia e participava de alegres celebrações. O Carnaval prolongavase por sete dias na ruas, praças e casas da Antiga Roma. Todas as atividades e negócios eram suspensos neste período, os escravos ganhavam liberdade temporária para fazer o que em quisessem. As pessoas trocavam presentes, um rei era eleito por brincadeira e comandava o cortejo pelas ruas. No período do Renascimento as festas que aconteciam nos dias de carnaval incorporaram os baile de máscaras, com suas ricas fantasias e os carros alegóricos. Ao caráter de festa popular e desorganizada No J I d a B a rre i ra l va foi assim:

juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato atual. Sobre a origem da palavra, não há unanimidade entre os estudiosos. Há quem defenda que a palavra Carnaval deriva de "carne vale" (adeus carne!) ou de "carne levamen" (supressão da carne). Esta interpretação da origem etimológica da palavra leva-nos para o início do período da Quaresma, uma pausa de 40 dias nos excessos cometidos durante o ano, excessos esses que incluem, segundo a religião católica, a alimentação. Assim, a Quaresma era, na sua origem, não apenas um período de reflexão espiritual como também uma época de privação de certos alimentos como a carne. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade inglesa do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Toronto e Rio de Janeiro inspiraramse no Carnaval parisiense para implantar suas novas festas

carnavalescas. Já o Rio de Janeiro criou e exportou o estilo de fazer carnaval com desfiles de escolas de samba para outras cidades do mundo. O Carnaval do Rio de Janeiro está atualmente no Guinness Book como o maior Carnaval do mundo, com um número estimado de 2 milhões de pessoas, por dia. Em geral, o Carnaval tem a duração de três dias, os dias que antecedem a Quarta-Feira de Cinzas. Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação, estes dias são chamados "gordos", em especial a terça-feira (Terça-Feira Gorda).


3 Ca rn a va l n a E B D r. S a n ch e s d e B ri to constatada logo pela manhã, foi decidido alterar o local de modo a Apesar da chuva miudinha ou que situações mais gravosas não se graúda, o calendário não para e o proporcionassem. O cancelamento Carnaval chegou. Entre chapéus -de de um desfile, tal como a sua -chuva e serpentinas gigantes, os preparação envolve procedimentos palhaços dão alegria e cor à nossa relacionados com a autarquia e com escola. Tal como prometido, aqui a GNR, os quais têm de ser está o vídeo do nosso Desfile de acionados atempadamente. Carnaval 201 4. Ele reflete todo o Qualquer decisão envolve riscos, divertimento vivido. Já aqui referimos neste caso privilegiou-se o bem-estar que infelizmente, pela instabilidade das crianças e a organização de uma atmosférica do dia em questão e alternativa que lhes proporcionasse

divertimento e proteção das condições atmosféricas, aqui teve de ser implementada na parte da manhã por questões de logística interna. É neste compromisso de profissionalismo e dedicação de todo o corpo docente e não docente da EB Dr. Sanches de Brito, que continuaremos sempre a atender à motivação, salubridade, bem-estar e segurança das nossas crianças.

Ca rn a va l n a E B H é l i a Corre i a O tempo não nos permitiu desfilar pelas ruas de Mafra como é habitual, mas a alegria e a folia não faltou no espírito de cada um de nós! Os nossos meninos, os nossos assistentes e professores estão de parabéns!


4 ABRAM PORTAS E JANELAS À PRIMAVERA É quase chegada a primavera. Esta é a estação do ano tipicamente associada ao reflorescimento da flora e da fauna terrestres. Apesar de nos tempos que correm, as estações do ano estarem extremamente esbatidas, o tempo útil diário de sol faz com que a natureza nos deslumbre com uma profusão de cores, odores e formas que nos convidam ao apuramento dos sentidos. A primavera do hemisfério norte é chamada de "primavera boreal", e a do hemisfério sul é chamada de "primavera austral". A "primavera boreal" tem início, no hemisfério norte, a 21 de março e termina a 21 de junho. A "primavera austral" tem início, no hemisfério sul, a 23 de setembro e termina a 21 de dezembro. Estação do ano é uma das quatro subdivisões do ano baseadas em padrões climáticos. Elas são a primavera, o verão, o outono e o inverno. Há muitos séculos atrás, o ano era dividido em duas partes: • O período quente (em latim: "ver"): era dividido em três fases: o Prima Vera (literalmente "primeiro verão"), de temperatura e humidade moderadas, o Tempus Veranus (literalmente "tempo da frutificação"), de temperatura e humidade elevadas, e o Æstivum (em português traduzido como "estio"), de temperatura elevada e baixa humidade. • O período frio (em latim: "hiems") era dividido em apenas duas fases: o Tempus Autumnus (literalmente "tempo do ocaso"), em que as temperaturas entram em declínio gradual, e o Tempus Hibernus, a época mais fria do ano, marcada pela neve e ausência de fertilidade. Posteriormente, para ajustar as estações à posição exata dos equinócios e solstícios, relacionando-as com a influência do movimento de translação associado à inclinação do eixo da Terra, convencionou-se, no ocidente, dividir o ano em somente quatro estações (primavera, verão, outono, inverno). As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol dura um ano. A este movimento dá-se o nome de movimento de translação e a sua principal consequência é a mudança das estações do ano. O inverno está a terminar`


5 EDUCAR NOS E PARA OS VALORES MARÇO – AUTENTICIDADE “Cada pessoa vale pelo que é e não pelo que tem” é uma das frases que salta do livro de EMRC do 6º ano na unidade “Ser Pessoa”. É normal preocuparmo-nos e gostarmos de cuidar da nossa aparência, pois isso significa estarmos bem connosco próprios, gostarmos de nós. A vaidade em exagero, em contrapartida, faz-nos amarrados ao fabrico de uma imagem exterior e ao que os outros pensam dela. Ser autêntico é o mesmo que ser verdadeiro, ser genuíno, sem máscaras, nem mentiras. É acreditar que valemos pelo que somos e não pelo que temos. O que penso, digo, faço, luto e alcanço faz de mim quem sou. Eu tento ser uma pessoa verdadeira e não gosto que me mintam ou sejam falsos para mim. Não sou do tipo de pessoa de virar costas quando alguém precisa de ajuda mas, às vezes, são essas mesmas pessoas que acabam por gozar connosco e virar-nos as costas sem reconhecerem que as ajudámos. Quem mente nunca se vai sentir bem. Uma pessoa que é verdadeira é muito mais adorada e feliz. Ana Coimbra, 6º G ACRÓSTICO: ABRIL – LIBERDADE Liberdade é ser` Independente Bondoso Esperto Respeitador Decidido Amigo Dedicado Especial José Pedro Dias, 6º E

A liberdade é o valor visível, uma palavra curta de se ler, bonita e alegre. Ser livre para o que se quiser fazer e dizer. Não ter liberdade é o mesmo que não ser pessoa, tira-se uma parte da mesma que com muita dificuldade se recupera. A liberdade são nove letras chamativas para qualquer ser humano. É visível porque é falada e relembrada todos os dias no mundo. Tânia Sofia, 6º G


6 O MUNDO AO ALCANCE DE TODOS Desde 2011 que, de forma articulada entre a Biblioteca e os docentes da Educação Especial, se tem desenvolvido na Escola Básica de Mafra o projeto “Todos juntos podemos ler” que visa construir bibliotecas inclusivas do ponto de vista dos acessos, dos recursos disponíveis e das práticas desenvolvidas. Este projeto tem permitido envolver alunos com necessidades educativas especiais em práticas de leitura motivadoras e tem constituído uma mais-valia no desenvolvimento das competências leitoras destes alunos. Ao longo da implementação deste projeto, tem-se constatado que os alunos demonstram grande apetência pelo uso do tablet de que a biblioteca dispõe, embora o mesmo seja apenas um e de reduzidas dimensões, o que impede que se planifiquem atividades para grupos. É de referir que as atividades que têm sido desenvolvidas têm tido impactos muito significativos nas aprendizagens destes alunos; porém o facto de apenas se dispor de um

equipamento não permite desenvolver de forma contínua e sistemática o trabalho com esta tecnologia e com as metodologias que lhe são inerentes. Deste modo, a Escola Básica de Mafra entendeu que seria bastante relevante dispor de um maior número de equipamentos que seriam usados quer para desenvolver as competências de leitura quer para desenvolver outras competências (de informação e dos média) fundamentais na atualidade, sempre de acordo com as capacidades e objetivos definidos nos currículos específicos individuais dos alunos. Assim, a Escola candidatou-se ao Programa Gulbenkian Qualificação das Novas Gerações (Educação Especial) com o projeto “O Mundo ao alcance de TODOS”.

O "CUQUEDO" NA EB HÉLIA CORREIA Os primeiros e os segundos anos foram até à biblioteca fazer máscaras de Carnaval. Decorrente da exploração da obra de Clara Cunha, “O Cuquedo”, ilustrado por Paulo Galindro, “meteram mãos à obra” e pintaram as suas máscaras, criadas a partir das personagens da história. O Cuquedo está à solta! Mas... o que é o Cuquedo? Será um pássaro? Será um avião? Não! É uma lengalenga original e muito divertida. “Andava uma manada de Hipopótamos,de lá para cá e de cá para lá, quando apareceu uma Zebra e disse: - Alto lá! Podem dizer-me o que andam vocês, Hipopótamos, a fazer de lá para cá e de cá para lá? - Ai, tu não sabes!? - gritaram os Hipopótamos entre dentes. - Chegou à selva o Cuquedo! E quem é o Cuquedo? - perguntou a Zebra. - O Cuquedo é muito assustador, prega sustos a quem estiver parado no mesmo lugar.”

Excerto da obra recomendada pelo Plano Nacional de Leitura, O Cuquedo, da autoria de Clara Cunha.


7 VAMOS ASSINALAR...DIA DA INTERNET SEGURA Ao longo da semana de 1 0 a 1 4 de fevereiro, na biblioteca da escola Básica de Mafra tiveram lugar 20 sessões sobre segurança na internet, para alunos de 6.º, 7.º, 8 e 9.º anos. Partiu-se daquilo que os alunos já sabem sobre o assunto, para se chamar a atenção para

alguns aspetos que desconhecem ou que, conhecendo, julgam contornar facilmente. Aos alunos do 5.º ano, foi distribuído um jogo em papel sobre a mesma temática.

O AMOR QUE VEM NOS POEMAS No âmbito de uma atividade que se começa a tornar uma tradição, a biblioteca da Escola Básica de Mafra propôs aos alunos que, para assinalarem o Dia de São Valentim, dedicassem a algum aluno da escola um postal, para o qual copiavam o poema de um escritor reconhecido. Os poemas eram escolhidos de entre um conjunto de textos

pré-selecionados pela Biblioteca. No dia 1 4 de fevereiro, professoras da equipa da Biblioteca (e outras professoras voluntárias) foram às turmas entregar os postais aos respetivos destinatários, não sem antes lerem os poemas aí registados. A adesão foi muito significativa tendo sido distribuídos 461 postais.


8 AGORA O ESCRITOR ÉS TU! Este foi o nome do concurso que a Revista Visão Júnior lançou, tendo a EB Dr. Sanches de Brito concorrido, com o apoio do Pofessor Bibliotecário Rafael Ribeiro. O desafio consistia em dar continuidade a uma obra de um autor conhecido, escrevendo um final diferente e fazendo uma ilustração de capa para a história escolhida. Para cada categoria a Visão Júnior iria selecionar quatro vencedores, a nível nacional. Os vencedores teriam como prémio uma entrevista com o respetivo escritor bem como uma visita guiada às instalações da Visão Júnior. Cada ano de escolaridade tinha o seu escritor específico. O autor escolhido, pela Visão Júnior, para o 4º ano de escolaridade foi o António Torrado e a sua obra Teatro às três Pancadas. Este livro de teatro é composto de várias pequenas peças de teatro: Serafim e Malacueco na corte do Rei Escama; A Raposa e o Corvo; História de um papagaio; Vem aí o Zé das Moscas; Olha o Passarinho;

Os quatro pés do trono e as Três Abóboras. Cada uma das quatro turmas (A,B,C,D), do 4º ano da EB Dr. Sanches de Brito escolheu uma peça diferente, compôs uma ilustração e reescreveu o final da peça. Todos os trabalhos foram enviados para a Visão Júnior. Passado umas semanas recebemos uma notícia que nos deixou a pular de contentamento` Duas turmas do 4º ano da EB Dr. Sanches de Brito tinham ganho, cada uma delas, um prémio nacional! Um prémio nacional já seria muito bom, agora dois prémios nacionais era mesmo Excelente! Assim os alunos e docentes (profª Sandra Santos e Zaida Vasconcelos) dos 4.º A e 4.º B puseram-se a caminho da Visão Júnior para receber os seus prémios. A Direção do Agrupamento de Escolas também ajudou, oferecendo o transporte aos nossos premiados. O 4.º A ganhou o seu prémio com a continuação da história “Vem aí o Zé das Moscas” e o 4.º B com “A

Raposa e o Corvo”. Ao chegar ao destino, os alunos conversaram e fizeram perguntas ao escritor António Torrado. Viram os seus livros autografados pelo autor e, depois de um lanche oferecido pela equipa da Visão Júnior, fizeram uma visita de estudo muito interessante pelos arquivos históricos e pela própria redação e composição gráfica da Revista. Toda a equipa da Revista Visão Júnior foi muito simpática e recebeunos muito bem. Todos nós adorámos! E sabem que mais? Ainda trouxemos revistas da Visão Júnior para distribuir pelos nossos colegas da escola, na Semana da Leitura. Na Revista da Visão Júnior do mês de março saiu uma reportagem com a nossa visita e também temos fotografias e vídeos na revista online da Visão Júnior e na nossa página de Facebook da Escola: https://www.facebook.com/ebsanche sbrito


9

DIA DO PAI - ARTICULAÇÃO No âmbito das atividades relacionadas com a comemoração do Dia do Pai, as crianças da Sala Verde do JI de Mafra colaboraram com os alunos do 2.º C da EB Hélia Correia na realização da prenda do Pai: uma máquina fotográfica. As Docentes Rita Sopa e Salomé Bragança, tiveram a ideia desta partilha de saberes aquando da visita efetuada pelos alunos do 2.ºC, em novembro, quando foram levar o Pão-Por-Deus às crianças da Sala Verde. E a ideia ganhou vontades, tanto dos adultos como das crianças e foram efetuadas duas visitas dos alunos do 2.º C ao Jardim de Infância. Para além do trabalho

planeado, houve tempo para muita brincadeira e lanche em conjunto. Ao mais crescidos gostaram de regressar ao Jardim de Infância e tornar a brincar na garagem e na casinha das bonecas. Os mais novos sentiram-se importantes ao ajudarem os mais crescidos a realizar a prenda para o Pai, com uma técnica que eles dominam cheios de segurança. Já estão planeadas novas PARTILHAS de SABERES e BRINCADEIRAS! Educadora Rita Sopa

ONDE ESTÁ O BOLO? Os meninos do Jardim de Infância de Mafra, sala encarnada desenvolveram uma atividade em parceria com a Biblioteca Escolar da EBM. Ouviram uma história contada pela Prof. Maria João e

requisitaram o livro: "ONDE ESTÁ O BOLO?", para posteriormente contarem a história no Jardim de Infância.


EM DESTAQUE

10

e - I n cl u s ã o “As novas tecnologias apresentam-se no contexto educacional como recursos facilitadores de um ensino mais dinâmico, instrumental e socializador, capaz de informar e formar indivíduos de forma harmoniosa e enriquecedora, integrando-os na “aldeia global” mas respeitando-lhes a sua própria individualidade. É necessário assumir que as tecnologias de informação e comunicação devem ser usadas como suporte aos programas das diferentes disciplinas e promover o seu uso alargado. A Escola procura, assim, encontrar respostas diversificadas, adequadas à nova fase da evolução científica e técnica que atravessamos com vista à criação de uma “escola informada” e aberta ao mundo. “ [1 ] Educar/formar, na e para a sociedade do conhecimento pressupõe a alteração dos métodos tradicionais de ensino e de aprendizagem e um investimento na disponibilização de ferramentas, conteúdos e materiais pedagógicos adequados. Num interesse redobrado para equipar os territórios educativos com recursos e meios informáticos, o Agrupamento tem diligenciado, com um esforço de engenharia financeira, no sentido da aquisição de bens e equipamentos que visam a modernização tecnológica das escolas do Agrupamento, com o intuito de disponibilizar conteúdos e serviços em linha e para o reforço das competências TIC de alunos, docentes e não docentes. Pretendese, desta feita, continuar a investir na e-inclusão de todos os elementos da comunidade educativa. ----------------------[1 ] In Plano Tecnológico de Educação, pág. 7 8 0 0 a n os d a Lín g u a d a P ortu g u e sa


11

DATAS EM DESTAQUE D i a M u n d i al d a Poesi a

O Dia Mundial da Poesia foi criado na Conferência Geral da UNESCO, de 1 6 de Novembro de 1 999. O Dia Mundial da Poesia celebra-se a 21 de março e o propósito desta comemoração é promover a leitura, escrita, publicação e ensino da poesia através do mundo. O Dia Mundial da Poesia celebra a diversidade do diálogo, a livre criação de ideias através das palavras, criatividade e inovação. A data que se assinala visa fazer uma reflexão sobre o poder da linguagem e do desenvolvimento das competências criativas de cada pessoa, através das palavras e os dos modos pessoais de perceção e de compreensão do mundo. A literatura portuguesa apresenta muitos poetas cuja obra é mundialmente conhecida: Luís de Camões, Fernando Pessoa, António Nobre, Florbela Espanca, José Régio, Florbela Espanca, Natália Correia, Eugénio de Andrade, Cesário Verde, Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner Andersen, são alguns dos poetas portugueses mais conhecidos. D i a M u n d i a l d a Árvore

O Dia Mundial da Árvore ou da Floresta celebra-se anualmente a 21 de março. Neste dia decorrem várias ações de arborização e reflorestação, em diversos locais do mundo. O objetivo da comemoração desta efeméride é sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, pela sua função no equilíbrio ambiental e ecológico, e na própria qualidade de vida dos cidadãos. Estima-se que 1 000 árvores adultas absorvem cerca de 6000 kg de CO2 (dióxido de carbono). Apenas 30% da superfície terrestre está coberta por florestas, sendo nestas que se realiza a fotossíntese - produção de oxigénio a partir de dióxido de carbono. As florestas são apelidadas dos “pulmões do mundo”, não apenas pela sua função de manutenção e renovação dos ecossistemas.

A celebração do Dia Mundial da Árvore ou da Floresta começou a 1 0 de abril de 1 872, no estado norte-americano do Nebraska (EUA). O seu mentor foi o jornalista e político Julius Sterling Morton, que incentivou a plantação ordenada de árvores no Nebraska, promovendo o "Arbor Day". Em Portugal, a 1 .ª Festa da Árvore comemorou-se a 9 de março de 1 91 3 e o 1 .º Dia Mundial da Floresta a 21 de março de 1 972. D i a I n te rn a ci on a l d a E l i m i n a çã o d o P re con ce i to Ra ci on a l Dia 21 de março é o Dia Internacional dedicado à Eliminação do Preconceito Racial, momento em que negros, índios, asiáticos, mestiços, e brancos celebram como irmãos, mais do que a mútua tolerância, mas o amor e respeito pelos diferentes, vendo-os como seu semelhante, independente de cor, raça, sexo, posicionamento filosófico ou religioso.


PENSAMENTO DO MÊS "Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, ou por sua origem, ou por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender; e, se elas podem aprender a odiar, podem ser ensinadas amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração do que seu oposto." Nelson Mandela

REFERÊNCIAS imagem página 1 - responsabilidade do AEM imagem página 2 - disponível em http://4.bp.blogspot.com/Lf774G8rgDQ/s1 600/carnaval201 2+(1 ).jpg fotografias página 2 - responsabilidade de J.I. de Barreiralva fotografias página 3 - responsabilidade de EB Dr. Sanches de Brito e EB Hélia Correia imagem página 4 - disponível em http://www.punjabidharti.com/seasons/spring-tree/ imagem página 4 - disponível https://pt-pt.facebook.com/tirasarmandinho?sk=timeline‎ imagem página 5- disponível em http://2.bp.blogspot.com//s1 600/Vieira_da_Silva-Liberdade.jpg imagem página 6 - disponível em http://vamoslerbe1 mangualde.blogspot.pt/201 0/04/bu-o-cuquedo-anda-solta.html fotografias página 6 - responsabilidade de EB Hélia Correia fotografias página 7 - responsabilidade de EB de Mafra imagem página 7 - disponível em http://br.freepik.com/fotos-gratis/coracoes-vermelhos-valentim_645258.htm imagem página 8 - disponível em http://visao.sapo.pt/o-escritor-es-tu=s25373 fotografias página 9 - responsabilidade de JI de Mafra imagempágina 1 0 - responsabilidade EB de Mafra imagem página 11 - disponível em http://www.turismo-braganca.com/blog/?p=1 79 imagem página 11 - disponível em http://diariodocontra2011 .blogspot.pt/ imagem página 11 - disponível em http://albumsociedadeportuguesa.blogspot.pt/2008/05/preconceito.html imagem página 1 2 - disponível em http://circolare.terra.com.br/tag/nelson-mandela/

FICHA TÉCNICA Propriedade do Agrupamento de Escolas de Mafra - 11 09507 Morada: Rua Santa Casa da Misericórdia, nº7 - 2640 - 528 Mafra boletiminformativo@aemafra.edu.pt / www.aemafra.edu.pt / pt-pt.facebook.com/agrupamentoescolasmafra Periocidade: mensal

12

eBoletim AEM edição 01  

Edição nº 01 do Boletim Informativo do Agrupamento de Escolas de Mafra

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you