Page 1

Ano IV - Edição 20

Junho e Julho / 2016 - Distribuição Gratuita

contato@redesemfronteiras.com.br

Evento Integração Cultural Interestadual é realizado em Fortaleza (CE) e em Mossoró (RN) Com grande sucesso e importantes intercâmbios, o evento contou com o apoio de personalidades e entidades dos dois estados!

O

Mayra Soares

Mayra Soares

Evento Integração Cultural Interestadual, idealizado pela Escritora Socorro Cavalcante (na foto abaixo com Joana d’Arc Fernandes Coelho), com o apoio de importantes personalidades e entidades culturais, foi realizado nas cidades de Fortaleza (CE) e Mossoró (RN) nos dias 15, 16, 17 e 18 do mês de junho. Durante os quatro dias, entidades se congregaram, escritores palestraram, artistas mostraram suas obras e importantes intercâmbios foram realizados em prol da cultura e do aprimoramento individual dos participantes. No evento, foram lançados a Coletânea Literária e o Catálogo de Artes oficiais do evento e lançada a versão em Braille da Coletânea Literária Sem Fronteiras pelo Mundo... Págs. 20 a 24 e 40.

UBE-RJ recebe o Jornal Sem Fronteiras para lançamento da Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... e para a outorga do Troféu "Magnífico Sem Fronteiras"

N

JLDuarte

Na oportunidade, foram entregues de forma o dia 11 de maio, no Centro Cultural da Sociedade Nacional de Agricultura, a UBE-RJ – Presidida por Juçara Valverde - em Reunião Extraordinária, recebeu como anfitriã, a Rede Mídia de Comunicação Sem Fronteiras, para o lançamento da Coletânea Sem Fronteiras pelo exclusiva e pessoal, o Troféu "Magnífico Sem Fronteiras" a três dos quatro homenageados Mundo..., uma coletânea Literária Bilíngue - Português/Inglês, em comemoração aos 3 anos do Jornal Sem Fronteiras. do ano: Cláudio Aguiar - Presidente do PEN Clube (Categoria Literatura), Ricardo Cravo Albin - Presidente da Academia Carioca de Letras e do Instituto Cravo Albin (Categoria Excelência Cultural) e Therezinha Hillal - Presidente da Sociedade Brasileira de Belas Artes (Categoria Artes Plásticas). Págs.17 e 18.

JLDuarte

E ainda... •

SBBA realiza o Salão Olímpico e Paraolímpico Rio – 2016. Pág. 14.

Sandra Hasmann entrevista Mário Diniz, ilustrador de O Alquimista. Pág. 15.

Dez visões sobre a poesia de Ferreira Gullar, por Diego Mendes Sousa. Pág. 16.

Academia Carioca de Letras outorga Comenda aos parceiros da entidade. Pág. 25.

Informações dos Representantes Internacionais. Págs. de 32 a 38.

Acervo Sem Fronteiras

Projeto Visitando os Vultos Culturais – Editorial, Pág. 2.


2

Jun \ Jul 2016

Editorial Uma Edição muito especial, com gostinho nordestino!

Excepcionalmente, neste semestre, esta coluna estará em destaque para poder divulgarmos o carinho daqueles que enviaram seus pareceres e considerações sobre as comemorações do 3º Aniversário do Jornal Sem Fronteiras. Nesta edição, confira as cartas para essa redação nas páginas 4 e 5.

não só pelo Brasil, mas por vários países do mundo, com destaque para o lançamento oficial no Rio de Janeiro, quando tivemos a oportunidade de outorgar o Troféu Magnífico Sem Fronteiras para Cláudio Aguiar - Presidente do PEN Clube (Categoria Literatura), Ricardo Cravo Albin - Presidente da Academia Carioca de Letras e do Instituto Cravo Albin (Categoria Excelência Cultural) e Therezinha Hillal - Presidente da Sociedade Brasileira de Belas Artes (Categoria Artes Plásticas). Temos ainda a entrevista “A Arte Alquímica de Mário Diniz”, primeiro ilustrador do bestseller mundial O Alquimista, de Paulo Coelho, por Sandra Hasmann. A Crônica de Diego Mendes Sousa sobre o poeta maranhense Ferreira Gullar e as notícias de nossos Colunistas e Representantes Internacionais, além do giro cultural pelo Brasil, sobre os eventos do último bimestre, convites de eventos e muito mais. Antes de me despedir, gostaria de dividir com vocês notícias de um projeto muito legal, o “Visitando os Vultos Culturais”.  Idealizado e organizado pelo Jornal Sem Fronteiras e pela  UBE-RJ, o projeto “Visitando os Vultos Culturais” consiste em um animado grupo de escritores, que se reúne aos domingos (a cada 15 dias) no Rio de Janeiro, para tomar café da manhã juntos, trocando informações, fazendo intercâmbios, confraternizando e registrando o momento ao lado da estátua de um grande vulto de nossa literatura. Já foram visitados Clarice Lispector, no Leme (Foto 1), José de Alencar, no Flamengo (Foto 2), Carlos Drummond de Andrade, em Copacabana (Foto 3) e Otto Lara Resende, no Jardim Botânico (Foto da capa). Estão na lista para receber a visita do grupo, Machado de Assis, Eça de Queirós, Lima Barreto, Manuel Bandeira, Joaquim Nabuco e muitos outros. No dia, informações sobre a personalidade visitada são trocadas, poesias são feitas, músicas cantadas e muita confraternização acontece. Tudo muito informal, de graça e com grande alegria, chegando a integrar os transeuntes à atividade. Ao final de um ano, o grupo fará uma coletânea com cunho educacional, reunindo o material produzido nos encontros e sobre os respectivos vultos. Para participar, basta cadastrar o e-mail para receber os comunicados e agendamentos do grupo em: contato@redesemfronetiras.com.br. Fotos das visitas podem também ser vista no álbum do Jornal Sem Fronteiras no Facebook. É isso aí, pessoal, nossa família não tem fronteiras. Juntem-se a nós!!! Um forte e fraterno abraço e acompanhem diariamente nossas notícias no Portal Sem Fronteiras: www.redesemfronteiras.com.br

ENCONTROS INESQUECÍVEIS: Nessa edição com DAIANE DOS SANTOS

Por Dyandreia Portugal Acervo Sem Fronteiras

E

sta Edição Especial – Cobertura “Integração Cultural Interestadual” – traz informações sobre como foi esse incrível evento que integrou culturalmente a cidade de Fortaleza, no Ceará, e a cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Além da visita de participantes de vários outros estados do país e ainda uma da Itália. Foram dias de intensas atividades, recheadas de aprendizagens, intercâmbios e integração. A idealizadora e Coordenadora Geral do evento, Socorro Cavalcanti orquestrou, com a ajuda de uma equipe organizadora e o apoio institucional da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, do Jornal Sem Fronteiras, da Academia Cearense de Letras e da TCM - TV a Cabo de Mossoró, um evento que ficará na historia e, ainda, com a Coletânea Literária e o Catálogo de Artes InterArte criados especialmente para o evento, também um legado histórico. Em todo o decorrer desta edição, poderemos conferir notícias sobre o evento, começando pelas páginas 18 e 19, onde relatamos em detalhes como foi, na ocasião, o lançamento da Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... na versão em Braille; seguido das páginas 20, 21, 22 e 23, sobre a programação do evento; culminando na página 25, onde publicamos, na íntegra, a Carta de Agradecimento da Organizadora Geral, Socorro Cavalcanti. Por isso, ressaltar aqui a importância de pessoas como Joana d’Arc Fernandes Coelho, Rejane Costa Barros, Maria Gilda Freitas, José Odmar de Lima,Vicente Alencar, Cinara Maciel e outros, seria chover no molhado, porque todos foram incríveis. Por isso, fizemos questão de publicar tal carta na íntegra. Todos merecem esse espaço para receberem esses agradecimentos. For fim, ainda temos a contra-capa, com informações sobre a Coletânea Literária Integração Cultural Interestadual, editada com muita honra por nós, da Editora Rede Sem Fronteiras. É uma pena que aqui, em nossa publicação, não tenhamos espaço suficiente ainda para dar um parecer mais aprofundado sobre nossas positivas considerações sobre esse grande evento. Todavia, esperamos que, apresentando de forma resumida a programação, todos vocês, leitores, possam ter a noção do quão maravilhoso foi. Na próxima edição, ainda traremos algumas reportagens sobre as incríveis personalidades culturais que lá conhecemos. Convido a todos que prestem atenção à próxima edição, porque, além do que já prometemos, traremos importantes informações sobre o "2º Seminário Internacional Encontro das Américas – Literatura, Arte e Cultura em Terras Potiguares", promovido pela UBE-RJ, em parceria com o Jornal Sem Fronteiras e importantes entidades cariocas e nordestinas, e que terá a Organização Geral da escritora Ceição Maciel. O evento acontecerá em novembro, nas cidades de Natal e Mossóró (RN), portanto, fiquem atentos. Nesta atual edição, temos ainda importantes coberturas sobre os lançamentos da Coletânea Bilíngue Sem Fronteiras pelo Mundo...,

CARTAS PARa REDAÇÃO

E

Dyandreia Portugal Editora-Chefe

1

Acervo Sem Fronteiras

2

3 EXPEDIENTE:

Diagramação e Arte: Eduardo Carvalho Fotógrafos colaboradores (Sem vínculo empregatício):J. L. Duarte, Marlene Fonseca, Luciano Delbons e eventuais. Editora Geral e Jornalista Responsável: Dyandreia Portugal - MTB 36.185/RJ Produção Gráfica: Editora Sem Fronteiras Editor Adjunto: Fábio Valverde Portugal – MTB 36.186/RJ Tiragem: 10 mil exemplares Assistentes - Estagiários: Mayra Soares e Gabriel Correia. Distribuição Gratuita: Região Sudeste: Rio de Janeiro (Niterói, Região dos Lagos, Conselho Editorial: Betty Silberstein, Fábio Portugal e José Gonzaga. Norte Fluminense e Região Serrana), São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo; Colunistas Colaboradores (Sem vínculo empregatício): Arlete Trentini e Região Sul: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná; Região Nordeste: Alagoas, JC. Bridon,Beatriz Dutra, Betty Silberstein, Fábio V. Portugal,Isis B. Renault, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí e Maranhão; Jô Ramos, José Gonzaga, Josiana Martins e Sérgio Barbosa,Larissa Loretti, Região Centro-Oeste: Goiás, Brasília-DF e Mato Grosso do Sul e Região Norte: Maria Araújo, Messody Benoliel, Paco de Assis, Paiva Neto, Regina Braga, Tocantins, Pará, Acre e Amazonas. No exterior, em 26 países sob amostragem Rogério Araújo e Stela Oliveira. e,eventualmente, onde houver eventos culturais de brasileiros, residentes no local. Jurídico: Dra. Messody Benoliel Periodicidade: Bimestral Revisão: Betty Silberstein Departamento Comercial: comercial@redesemfronteiras.com.br REDE MÍDIA DE COMUNICAÇÃO E EDITORA SEM FRONTEIRAS LTDA – ME CNPJ: 19.304.491/0001-92

m 2010, estive com a ginasta Daiane dos Santos, quando, juntas, fomos homenageadas pela Cia de Teatro Loucos do Tarô, ao final do espetáculo Sonho, uma adaptação da obra de William Shakespeare, durante o aniversário da Cia. Daiane Garcia dos Santos (Porto Alegre, 10 de fevereiro de 1983), a ex-ginasta artística e pura simpatia e simplicidade, é um orgulho brasileiro. Daiane foi a primeira ginasta brasileira, entre homens e mulheres, a conquistar uma medalha de ouro em uma edição do Campeonato Mundial. Dos Santos fez parte da primeira seleção brasileira completa a disputar uma edição olímpica – nos Jogos de Atenas – repetindo a presença nas edições seguintes, nas Olimpíadas de Pequim e Olimpíadas de Londres. Daiane possui, ainda, dois movimentos nomeados após ser a primeira ginasta no mundo a realizá-los: o “duplo twist carpado”, ou “Dos Santos I”, e a evolução deste primeiro: o “duplo twist esticado”, ou “Dos Santos II”. Agora, Daiane conquistou seu lugar no Time de Ouro de Comentaristas da Globo nos Jogos Rio 2016, que vão de 5 a 21 de agosto, portanto, poderemos contar com uma cobertura eficiente de quem saberá o que estará relatando e comentando.

Assinaturas e Cartas para a Redação: contato@redesemfronteiras.com.br Portal Oficial: www.redesemfronteiras.com.br * As matérias assinadas pelos colunistas, colaboradores convidados, parceiros e as propagandas são de inteira responsabilidade de seus autores e idealizadores e não representam necessariamente a opinião deste Jornal. * Caso esta edição possua uma foto ou citação sem crédito e ela seja sua, deixe-nos saber, para que possamos corrigir o equívoco. Teremos prazer em divulgar seu talento. * Proibida a reprodução para fins comerciais. Livre as reproduções para fins de divulgações. * Ninguém está autorizado a angariar assinaturas, anúncios ou matérias promocionais para essa publicação que não esteja devidamente credenciado. Os contatos devem ser feitos somente pelos e-mails acima informados. Quando alguém se identificar como membro da equipe, oferecendo alguma promoção, favor entrar em contato para confirmar tal oferta.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


3

Jun \ Jul 2016

Coluna Espaço Esotérico

A

Por Dominik Portugal* | Colunista Convidada

qui vamos começar uma viagem! Cada um a seu modo, exaltam a compaixão e a fraternidade universal, a sinceridade e a honestidade, a humildade e a mansidão, valores incontestáveis que ninguém quer ver desaparecer. Deste modo, estarei aqui nesta coluna - eventualmente ao logo do ano, revezando com colegas da área - para aguçar a curiosidade dos leitores a se aprofundarem neste universo místico e tão fascinante que são os oráculos esotéricos, com seus símbolos e olhares, no mínimo, curiosos. Nesta coluna, encontraremos Cartas do Tarot, Astrologia, Numerologia, Cartas Ciganas, Xamanismo, Runas e muito mais. Aproveitem e Boa Viagem!

TAROT – Arcanos Maiores

Do mesmo modo que usamos um espelho para observarmos a nossa aparência externa, podemos usar os símbolos místicos das diferentes correntes espiritualistas para abordarmos nossa realidade interna. O Tarot nos auxilia a enxergarmos além da forma. Podemos observar a realidade interna através das imagens que não são nem positiva nem negativa, tão pouco a favor ou contra nós. Elas simplesmente estão lá, nos oferecendo sugestões e pistas. Nós podemos examiná-las através da leitura de cada símbolo contido nas 22 lâminas dos Arcanos Maiores do Tarot. Então, cabe a nós descartá-las ou considerá-las para o nosso autoconhecimento. Consultar o Tarot consiste em embaralhar as cartas e pedir que elas nos mostrem aquilo que mais necessitamos aprender para o nosso aperfeiçoamento, para avaliarmos as condições energéticas das situações e pessoas do nosso convívio e por aí vai. Foi exatamente o que fiz para esta edição do Jornal Sem Fronteiras: consultei as cartas para receber uma mensagem sobre o planeta Terra e compartilho com vocês agora.

O Julgamento – XX A carta “O Julgamento” está frequentemente mal interpretada por sua aparência, pelo seu nome. O julgamento nos parece uma etapa final, mas não é bem assim. Esta Lâmina XX representa a ressureição, nos mostra a necessidade de redenção ou libertação daquilo que está aprisionado. Mostra o real e o divino emergindo do cárcere sombrio até a visada iluminação. Nosso planeta mergulhou em terrenos movediços perigosos em diferentes esferas, para todos nós, caminhantes da mãe Terra. Isto significa uma grande ferida. Logo necessitamos renascer das cinzas, do fogo que nós mesmos criamos. Há uma urgência e atenção com a sombra de cada um de nós. O Julgamento nos convoca a realinharmos nossa convivência planetária para as futuras gerações, ou seja, precisamos agir, apoiar movimentos para salvarmos a água, a flora, a fauna, o coração generoso do homem. Caso contrário, o julgamento será para todos. Tornemo-nos seres mais gentis, amplificando um novo renascer em moldes mais honestos, corajosos, amáveis. Este movimento, por si só, já é um bom começo de caminho. Gostou? Vamos liberar as fronteiras da comodidade e mãos à obra! Coloque em sua arte um pouco do ”JULGAMENTO”. Afinal, ele nada mais é do que um chamado ao renascer! Porque juntos, somos mais fortes, e os mais fortes, são Sem Fronteiras! * Dominik Portugal - Orientadora de Tarot e Baralho Cigano. Pesquisadora da Espiritualidade da Alma. Sacerdotisa do Oriente como Yasmim da Rússia. Trabalha com Espiritual Massagem com formação no Esalen Institute CA (USA). Atualmente, dedica-se ao trabalho de Terapia Espiritual de Resgate da Alma, bem como facilitadora de grupos de estudos voltados ao despertar do Self. Para contato: dominikvalverde@gmail.com

Caricatura do Artista Plástico Cláudio Batista

V

incent van Gogh (Zundert, 30/03/1853 – Auvers-sur-Oise, 29/07/1890) foi um pintor pós -impressionista neerlandês. Sua produção inclui retratos, autorretratos, paisagens e naturezas mortas de ciprestes, campos de trigo e girassóis. Muitos de seus trabalhos mais conhecidos foram finalizados durante os dois últimos anos de vida. Em pouco mais de uma década, produziu mais de 2.100 obras de arte, incluindo 860 telas a óleo e cerca de 1.300 aquarelas, desenhos, esboços e gravuras. Após tempos sofrendo de ansiedade e com crises de desequilíbrio mental, van Gogh morreu aos 37 anos, em decorrência de uma ferida de bala auto-infligida, num ato de suicídio.

Contato: Facebook: Claudio Batista ART'S - e-mail: minuzinho27@yahoo.com.br www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


4

Coluna: Cartas para a Redação

Jun \ Jul 2016

Especial Aniversário de 3 Anos (Parte 2 de 3)

Carta de Álvaro Cardoso (Amparo - SP):

Fotos: Duarte

aqueles que têm a felicidade de poder estar em todos os "eventos sem fronteiras" pode até ser normal. Mas, para mim, que preciso escolher a dedo “Um Blues de Blumenau Viajando Sem Fronteiras a fruta mais saborosa e a melhor semente, foi um acontecimento muito Este é um blues de Blumenau, onde atraquei minha nau catarineta além do mensurável. Eu me senti em um país de primeiro mundo, onde a exaurida de singrar. É um blues de sonho bom, depois de seis meses de arte e a cultura eram cultuadas como gêneros de primeira necessidade, a preparação. Expectativas mil, lutando no cotidiano por um plano melhor elegância e a gentileza predominavam e Alice finalmente chegara a "Paris de conviver e existir. Eu confiei nas boas palavras de uma mulher, que vive das Maravilhas". Hahah! Por essa, você não esperava! Nem eu! sem fronteiras e que, de alguns anos para cá, passou a me conhecer e a me Por isso, tive um tal de “choque de realidade” na volta ao cotidiano, dar valor. Por causa dela, eu consegui vencer vários obstáculos, momentos mas disso eu não vou falar, para não quebrar o ritmo do Blues. Só sei difíceis de encarar e ter vontade de alçar novos voos, e lutar por eles. que, a partir de Blumenau, senti profundamente que alguma mudança Consegui chegar a Navegantes e me deixar levar a Blumenau. Tive dias muito boa viria para mim. E virá!  gratificantes de conhecer e reconhecer amigos de outras plagas e abraçar aquela Valeu a pena todo esforço e todo o investimento dedicado, pois valeu gente culta e alegre e todos num só mote sem fronteiras, reunidos para festejar cada dia e cada minuto de convívio com tanta gente do bem. No fundo, um fato, um ato cultural de suma importância: o trabalho de escritura dessas precisaria de uns três dias a mais para dar conta de conversar com todo criaturas prenhes de literatura, comemorando a sua arte e a expressão dela mundo que estava lá. Na Noite de Gala, senti-me um “gentleman”, quase num veículo magnífico chamado LIVRO. Uma Coletânea que virou Duas, de não comi para não destoar a silhueta! No Sarau, estive muito à vontade, tanta qualidade que catalisou.  pois pude fazer o que sei fazer de melhor: cantar, interpretar e realizar a Este é um Blues de Blumenau, que escrevo cantando, enquanto vêm à memória o som, a cor e o tom das viagens dentro da Viagem. Viajei em “Cosmossomos” e, por causa dele, “mise-en-scène”, só quem ama o palco sabe como é bom estar nele. E no palco do Teatro Carlos provoquei outras viagens! De avião e de ônibus! E os encontros mais marcantes e surpreendentes não cabem Gomes, senti-me honrado, fiquei mesmo “na glória” parafraseando Aracy de Almeida, por obter aqui neste blues proseado, mas foram vários e belos, que escancararam os “portões da alma”, permitindo menção, em meio a tantos autores de gabarito e de jovens e talentosos escribas. Aí, a emoção brotou uma troca de sintonia finíssima de energia pura, que fazia o coração da gente saltitar de emoção e alegria.  em borbotões e eu pensei “Barbaridade, como foi bom ter vindo e poder viajar dentro da Viagem!”. Mas foi a mão de Dy que me acenou e me arrastou para dentro da Viagem maior, que foi romper Um ser poeta Sem Fronteiras Pelo Mundo, é assim que eu me sinto agora! E este é o último acorde com o ramerrão ao meu redor e buscar novos ares de renovação e refrescância. Sim, porque para em Sol maior deste Blues de Blumenau. Quem quiser, que siga na viagem.”

Carta de Márcia Etelli Coelho (São Paulo - SP):

Carta de José Warmuth e Marlen (Blumenau - SC):

“Querida Dyandreia, Nós é que agradecemos pelos momentos ímpares vivenciados. Logo de início, dava para perceber a dedicação de toda a equipe, a transparência, a comunicabilidade e a atenção a todos os detalhes. Valeu a pena. O aproveitamento foi total, o intercâmbio harmonioso, a meta atingida. Obrigada pela oportunidade de conhecer e integrar essa "família" literária. Parabéns a todos. Um abraço carinhoso.”

“Olá, Dyandreia. Bom-dia! Desejo, nesta oportunidade, dar-lhe – e a todos os membros da sua equipe – efusivos parabéns pela impecável promoção em Blumenau. A organização foi de "encher os olhos". Impecável, carinhosa, inolvidável, surpreendendo pelo perfeito detalhamento prévio de tudo o que foi realizado.(...)”

Carta de Luiz Poeta (Rio de Janeiro - RJ): “Rede Mídia Sem Fronteiras - Parabéns poetas, escritores, artistas, colunistas por fazerem a diferença. Muito glamour, diversão, alegria, fraternidade e arte na solenidade de Premiação Literária e no lançamento das antologias bilíngues “Sem Fronteiras pelo Mundo” (português-inglês) e “Madalenas em Prosa e Verso” (português-francês). Dirigida, competente e talentosamente por sua carismática Presidente Dyandreia Portugal e por sua lindíssima equipe, a comemoração dos três anos do Jornal Sem Fronteiras tornou-se um momento único, onde não faltaram os melhores ingredientes que movimentam uma belíssima festa, desde a atenção dispensada a todos os convidados e interlocutores, aos brindes e premiações que todos receberam nos diversos eventos realizados em Blumenau, uma cidade extremamente cultural e acolhedora, onde fomos recebidos pelos nossos amados anfitriões - os belíssimos e ilustres escritores JC Bridon e Arlete Trentini - e recepcionados pelas autoridades presentes, nas pessoas do Secretário de Cultura da cidade, que compôs a seleta mesa do Teatro Carlos Gomes durante a cerimônia de premiação do Concurso Sem Fronteiras, além da Diretora da Biblioteca Frits Müller (...) que nos brindou com uma belíssima apresentação da Banda de Música de Blumenau (que, na verdade, é uma sublime orquestra!). Foram momentos indeléveis e inefáveis, que nos proporcionaram uma inequívoca oportunidade de nos conhecermos melhor e de nos darmos uma agradável confraternização, tornando-nos mais próximos e menos virtuais, principalmente no Sarau e no “tour” que fizemos a Florianópolis,onde declamamos, cantamos, enfim, brincamos, libertamos todas as nossas angústias e tristezas, e fomos essencialmente felizes. A Festa de Gala, que premiou diversos Presidentes, Diretores, escritores e convidados especiais do Jornal Sem Fronteiras, por todo o trabalho que indubitavelmente prestam à cultura nacional e internacional, superou

as expectativas. Realizada no charmosíssimo Castelo Suíço, local em que tivemos, todos, um tratamento “vip”, a cerimônia apresentada pelo Colunista e Presidente Adjunto Fábio Valverde, teve momentos divertidíssimos, cuja quebra protocolar proposital e oportuna do nosso “DJ” enfatizou a alegria de todos que, apesar de estarem primorosa e cerimoniosamente bem vestidos, fizeram da espontaneidade sua melhor maneira de celebração da vida e da fraternidade, onde não faltaram muitos abraços e alegres reciprocidades. Todavia, a culminância desse projeto ocorreu mesmo na premiação literária, quando os batimentos cardíacos superaram as redondilhas maiores e menores, mostrando que as mulheres fizeram a diferença na criatividade, obtendo as melhores e mais justas premiações, merecendo todos os nossos aplausos e reverências. De minha parte, minha “Menção Honrosa” pelo poema “Meu Olhar de Sonhador” (“My Dreamy Look”) – páginas 158 - 159 e 382 - 383 da nossa antologia – proporcionou-me uma das maiores e melhores alegrias que pude ter. Aproveito a oportunidade para parabenizar a todos pela excelência de cada uma das obras em prosa e verso que tive a oportunidade de ler, pois todos são, na minha opinião, belíssimos escritores e, portanto, vencedores.(...) Embora seja impossível gravar e grafar os nomes de todos – e para evitar qualquer tipo de pseudodiscriminação – sintam-se confortavelmente instalados nos 80% do meu coração, onde, quem está, certamente partirá comigo, pois se diluiu no melhor dos meus silêncios reflexivos, que é aquele em que minha melhor lágrima passeia pelo meu melhor sorriso. (...) Obrigado, do fundo do meu coração, Dyandreia Portugal, pelo respeito com que eu e minha mulher, Denise Domingues, fomos tão bem recepcionados por você, pelo Fábio Valverde e por cada um dos componentes da sua competente equipe. Parafraseando Agatha Christie, “Os elefantes não esquecem” – “Luiz Poeta também não”“Saudade é lembrança que deu certo” – Luiz Poeta . Deus abençoe cada um de vocês, rica e abundantemente.”

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


Jun \ Jul 2016

5

Coluna: Cartas para a Redação

Especial Aniversário de 3 Anos (Parte 2 de 3)

Carta de Claudete Silveira (Porto Alegre – RS): “Dyandreia, (...) Quero dizer-te que nunca participei de algo tão lindo e tão bem organizado. O evento do JSF, sem dúvida alguma, foi um verdadeiro primor. Tudo estava perfeito.  Fomos muito bem recepcionados, detalhes pensados com muito carinho. Realmente nada que se possa dizer que nisto ou naquilo seja preciso melhorar.  Apesar de não estar acostumada a festas com tantas "pompas", senti-me lisonjeada em haver sido convidada e homenageada no evento (...) Obrigada pelo carinho e oportunidades! Sucesso sempre, pois és uma guerreira! Abraços!”

Carta de Augusto Lopes (Suíça):

“Minhas Queridas Amigas, (...) Quero deixar aqui o meu enorme agradecimento a toda Organização do 3° Aniversário do JSF pela forma extremamente carinhosa e amável com que me receberam, muito em especial ao casal Dyandreia e Fábio Portugal, e acreditem que me faltam palavras para descrever o carinho que sinto por vocês, depois que vos conheci! Estou habituado a conviver e comunicar com muitas pessoas, mas nunca julguei que vocês fossem tão fantásticos. Será difícil esquecer tão simples gestos que a distância de mais de 10.000 km não irá tão depressa apagar, pois as vossas vozes, os vossos sorrisos e o olhar amável (que dirigiam sempre que alguém vos chamava lá no evento) me acompanham, diariamente, no melhor "álbum das minhas memórias"! Devo também agradecer à Lúcia Amélia – Madalena’s – pela oportunidade e convite que me endereçou (em nome do Jornal) e pela oportunidade de ter conhecido pessoas muito simpáticas e, sobretudo, muito ativas na sociedade, pois bem necessitamos de pessoas assim!(...) Com a minha humilde vénia, para vós que tanto admiro,  Augusto Lopes.”

Carta de Rai D`Lavor (Rio de Janeiro - RJ): Carta de Silvana Borges (São Paulo - SP): “(...) Nunca fui a um evento igual a esse. Voltei renovada e já contando os dias para o próximo ano. Quero dizer que observei seu carinho com todo o grupo que ali estava, e imagino o quanto você deve ter investido em dinheiro, em trabalho manual, enfim, em tudo para que pudesse sair tudo perfeito e saiu. (...) E quanto ao evento, eu não tenho palavras para expressar minha alegria. Só peço a Deus que multiplique os nossos dias aqui na Terra para, juntas, fazermos muitas histórias. Beijinho.”

“Querida! Eu nem sei o que dizer! Parabéns mais uma vez. Juntos somos mais fortes sim, mas não somos nada sem ter essa pessoa incrível que você é, reunindo essa força e direcionando para a realização desse evento espetacular! Muito obrigado, de todo coração! Beijocas!”

Carta de Ilka dos Santos (Rio de Janeiro - RJ): “Estava esperando uma oportunidade para agradecer a vocês por ter sido convidada a participar do evento de Blumenau. Se eu estivesse numa comissão de júri desta festa, daria o premio máximo pela organização, beleza e eficiência muito bem elaboradas nos mínimos detalhes. Muito obrigado e Parabéns pela alegria que nos proporcionaram.”

Fotos: Duarte

Carta de Amélia Luz (Pirapetinga - MG): “Que trabalho maravilhoso! Continuo encantada com a organização, as atrações do encontro, que será inesquecível. Obrigada, Dyandreia, desta vez fui convidada, acompanhante da amiga Cecy e muito bem recebida por todos. Das próximas vezes, serei participante ativa, integrada a esse projeto cultural que divulga valores, reúne pessoas em função das letras e das artes. Viva a Língua Portuguesa. Viva Dyandreia Portugal, Fábio e sua equipe. Viva o Jornal Sem Fronteiras! Em Lisboa, no 4° Ano do Jornal Sem Fronteiras, se DEUS quiser, estaremos juntos novamente. Obrigada! Obrigada! (...)

Confira na próxima edição, a Coluna: Cartas para a Redação (Parte 3 de 3) Especial Aniversário de 3 Anos www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


6

Jun \ Jul 2016

LBV – Valorização da Vida Por Paiva Neto*

O

Clima de deserto

clima seco, a cada ano, preocupa mais a população de várias regiões do Brasil, agravado, principalmente, pelas secas e queimadas. A baixa umidade relativa do ar gera, além de problemas de saúde, transtornos na vida de milhões de brasileiros. Por isso, torna-se imprescindível hidratar o organismo adequadamente com líquidos (água, água de coco e sucos), manter a residência ou local de trabalho livres da poeira, evitar a prática esportiva em horários em que o sol esteja mais forte e usar soro fisiológico em narinas e olhos. Ainda é aconselhável colocar, nos ambientes, vasilhas com água, toalhas molhadas ou umidificadores. Toda a atenção é pouca com crianças e idosos, grupos de maior risco.

Síndrome do olho seco Entre os principais prejuízos ao corpo, o clima seco provoca dor de cabeça, sangramento das vias respiratórias, maior incidência de asma e bronquite, além da síndrome do olho seco. Numa entrevista ao programa Vida Plena, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196), o Dr. AlessanderTsuneto, oftalmologista, integrante da Associação dos Portadores de Olho Seco (Apos), esclareceu que essa síndrome atinge de 10% a 15% dos indivíduos acima dos 50 anos. É a segunda maior causa de atendimento nos consultórios, e muitos

desconhecem essa enfermidade. Alguns fatores, como cirurgia prévia, uso de lentes de contato sem avaliação oftalmológica, diabetes, doenças reumáticas e queimaduras, podem causar a secura ocular. O médico também comentou que a baixa umidade relativa do ar pode desencadear precocemente a doença. “Os níveis saudáveis, segundo a Organização Mundial da Saúde, são em torno de 60%. Li uma reportagem na internet falando que a umidade relativa do ar em São Paulo está abaixo dos 20%. Só como curiosidade, no deserto do Saara é de 10% a 15%. Isso faz com que aumente a evaporação das lágrimas e agrave o olho seco, ou quem não tem o problema, corre o risco de possuí-lo.” Brasília já conhece bem esses baixos índices. Para o Dr. Alessander, o exame preventivo da síndrome do olho seco pode evitar graves doenças oculares, inclusive a cegueira. “Tudo depende do grau de severidade. Se o paciente tiver uma queixa leve, só um desconforto ou uma irritação ocular, a gente pode tratá-lo somente com colírio ou pomada. Mas, se apresentar alguma gravidade, pode ser até caso de cirurgia.” Deficientes visuais Durante o bate-papo, o telespectador Lucas Fernando Gouveia, de Porto Alegre (RS), perguntou ao Dr. Alessander se pessoas com deficiência visual padecem com o problema. De

acordo com o oftalmologista, “mesmo uma pessoa que não enxerga, mas possui as estruturas oculares e as glândulas que produzem a lágrima, pode ter alteração da qualidade da lágrima e ter olho seco”. Dicas e cuidados Ao fim da entrevista, passou importantes dicas para que se saiba se os olhos estão ressecados. “O paciente vai sentir algum grau de desconforto, o olho vermelho, uma irritação ocular. Vai ser difícil piscar, porque, não tendo uma lágrima boa e suficiente na pálpebra, ela não vai deslizar sobre o olho. Então, ela dá uma travadinha.” Também alertou para o fato de que quem fica exposto ao ambiente com ar-condicionado e os que exercem atividades no computador têm maior probabilidade de adquirir a doença, já que o local fica mais seco por causa da falta de umidade, e a fixação por demasia na tela do computador desestimula a pessoa a piscar. Outra questão de relevância é o perigo da automedicação. “Só o oftalmologista vai saber se o paciente tem o olho seco, que grau e qual colírio deve usar”, evidenciou. Mais informações sobre o tema podem ser obtidas no site www.apos.org.br. Cabe a todos nós, além de informar a população dos riscos que corre com a baixa umidade atmosférica, iluminar as mentes a respeito das graves consequências da seca e queimadas provocadas pela ganância humana.

*O ColunistaJosé de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta, nasceu no Rio de Janeiro (RJ). É Diretor Presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter). É filiado ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. Teve a infância e a juventude marcadas por uma preocupação incomum com temas espirituais, filosóficos, educativos, sociais, políticos, científicos e econômicos, além de um profundo senso de auxílio aos necessitados. Em 1956, ainda adolescente, iniciou sua jornada ao lado do saudoso fundador da Legião da Boa Vontade, Alziro Zarur (1914-1979). Para se dedicar totalmente à LBV, abandonou a vocação para a Medicina. Mais tarde, tornou-se Secretário Geral (cargo equivalente ao de Vice-Presidente) da Instituição, e, com o falecimento de Zarur, sucedeu-o. Para propagar a Cidadania Espiritual (conceito preconizado por ele), Paiva Netto criou a Super Rede Boa Vontade de Comunicação (rádio, TV, internet e publicações). É escritor de referência internacional e autor de vários best-sellers.  Contato: paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Flavia Mariath toma posse na ALAP

N

Divulgação

o dia 31 de maio, aconteceu a cerimônia de posse dos novos acadêmicos da ALAP – Academia de Letras e Artes de Paranapuã. O evento, tradicionalmente realizado no Salão Nobre da Casa das Beiras, na Tijuca (RJ), contou com a presença de autoridades do meio cultural. A “Medalha de MéritoCultural Austregésilo de Athayde”, também foi outorgada a algumas personalidades e acadêmicos. Mas o destaque da noite foi para Flávia Mariath (na foto com a acadêmica Marice Prisco), filha da Presidente Eliane Mariath Dantas, que, como todos sabem, é o braço direito da mãe e quem cuida, com carinho, de todos os aspectos da academia. Portanto, já estava mesmo na hora, por justiça. O Jornal Sem Fronteiras parabeniza a nova acadêmica.

frase da edição:

Tirinha de Humor – Por João Monteiro (http://caricaturasjoaomonteiro.blogspot.com.br/)

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


7

Jun \ Jul 2016

Nomes mais populares no Brasil

Q

uando se fala nos portugueses, logo vêm à cabeça os nomes de Maria, Manoel ou Joaquim... Mas, e quando se fala dos brasileiros? Quais os seus nomes mais populares? Recentemente, o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – divulgou em seu site “um levantamento inédito dos nomes mais frequentes no Brasil, identificados pelo Censo Demográfico de 2010”, conforme matéria assinada pelo jornalista Caio Barbosa, com a colaboração do estagiário Rafael Nascimento, publicada no jornal O Dia, de 29/04/2016. Por ela, tomamos conhecimento dos nomes mais populares no Brasil: Maria (11.734.129) e José (5.754.529). Assim, temos mais de 11 milhões de Marias e 5 milhões de Josés – “disparadamente os mais populares”. Mas interessante é que Jesus são apenas 35.774 em todo o país... E Deus só tem 233 xarás... enquanto que Reis são 132 e Rainhas, 77... Quais seriam os dez primeiros colocados? Maria, José, Ana (3.089.838), João (2.984.119), Antônio (2.576.348), Francisco (1.772.197), Carlos, Paulo, Pedro e Lucas. Luiz é o 11º nome e Luís, o 13º. Mas se somados (com “z” e com “s”) “tomariam o 5º lugar de Antonio.” Entre várias curiosidades apontadas, destacamos: temos “55 Gordos e nenhum Magro no Brasil. Pastor não há, mas Padres são 991. O orgulho de ser chamado Brasil é para 1.138. Outros 22 são Gringos. Temos 161 Ricos e nenhum Pobre. Cristo são 256. Fulano são 40 e Beltrano, outros 24. Mas não temos Sicranos. Não temos nenhuma Onça, mas temos 117 Antas”... Pasmem! O que levaria um pai a nomear seu filho Anta?!... Considerando-se o momento político, vale lembrar que “temos mais de 40 mil Dilmas (40.632) e pouco mais de 5 mil Aécios entre nós”. Se Dilma “cairá em desuso, não sabemos”... Muito provavelmente. O fato é que nomes como Alzira, Oswaldo, Geraldo, Avelino e Waldemar, “que faziam muito sucesso nos anos 30, pouco aparecem atualmente”. E Terezinha, Neuza e Severino, “populares nos anos 50, idem”. “Estamos na supersafra de Cauãs, Rians, Enzos, Kailanes e Sophias. E os Josés que se cuidem. O trono absoluto ainda é deles, mas dos anos 80 para cá, o que tem de Joões, Lucas e Gabriéis brigando pelo primeiro lugar no pódio não está no gibi. E agora, José?” finaliza o jornalista Caio Barbosa, com o oportuno verso de Drummond.

*A colunista é carioca. Advogada, Professora Universitária com Pós-Graduação em Direito Privado, cursado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Presidente da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa. Escreveu o livro Mônadas, em coautoria com José Carlos Ribeiro, e os livros Simplicidade e Suavidade. Possuidora da Médaille D’Or da Académie de Mérite et Dévouement Français. Beatriz também é colunista do Jornal O Saquá, da Jornalista Dulce Tupy, onde, originalmente, foram publicados os textos desta coluna. Contatos: beatrizrdutra@globo.com

Câmara Municipal do Rio de Janeiro O Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Vereador Jorge Fellipe, por iniciativa do Exmo. Sr. Vereador Reimont, tem a honra de convidar para a Solenidade da Casa do Compositor Musical intitulada: “Rio, a cidade mais cantada e decantada em música, poesia e versos”, a realizar-se no dia 02 de agosto de 2016, terça-feira, às 18 horas. Salão Nobre Palácio Pedro Ernesto

Praça Floriano, s/nº Cinelândia – RJ

F

oi bastante concorrida e apreciada a apresentação poético-musical do Women’s Clube da ABRADE, no IBEU Copa, dia 24/05. O grande declamador Valentim Fernandes deu voz a Fernando Pessoa, com o apoio da Ubeana Angela Guerra, que cantou o fado, com o xale sobre os ombros, como é de praxe, e outros ritmos portugueses, "cum sutaqui i tudu...", ao som do violão de Antônio Moreira, que participou, também, cantando, ao final. Foi uma tarde muito agradável, com direito a brigadeiros e uma torta deliciosa, entre outros acepipes, em mais uma comemoração do aniversário da cantora (12/05). Registramos, entre outros nomes de destaque, Maria Amélia Paladino, Gerdal dos Santos, Abílio Kac, Carmen Elias, Nina Fernandes, Francisco Caldas e Roberto Motta, sempre presentes; Fany Rodrigues, Gioconda Cavaliere, Denise Teixeira, Rose Frota e Gilda de Souza Campos, da ANLA; Vera Toledo, Diretora Geral do Women’s Club, além de membros da Diretoria e associadas, bem como Dorée Camargo, Diretora dos Departamentos de Cultura e Belas Artes, que organizou o evento. Muitos amigos e alguns familiares de Valentim e de Angela também prestigiaram a apresentação, que contou com mais músicas do que a da Academia Luso-Brasileira de Letras. Maria Luiza Guerra, Presidente de Honra do Women’s Clube mãe da cantora, não compareceu, por estar convalescendo de uma pequena cirurgia.

Nina Fernandes

Por Beatriz Dutra*

Por Mayra Soares Com colaboração Angela Guerra

Prêmio Lions 2015/2016

Por Arleni Batista | Escritora, jornalista, radialista Colunista do Portal Sem Fronteiras

A

escritora e jornalista Dyandreia Portugal recebeu o Prêmio Lions 2015/2016, na categoria “Cultura”, da associação internacional, presente em 210 países, com cerca de 1,38 milhão associados, e que presta, anualmente, homenagem àqueles que se destacaram em sua área de atuação. A Biografia de Dyandreia Portugal foi aprovada por unanimidade por indicação do Lions Tijuca. A cerimônia ocorreu dia 23 de maio, às 18h, na Confederação Nacional do Comércio, na Avenida General Justo – Centro (RJ). Na composição da mesa, Governadores da Instituição, o ex-Governador, o advogado Pedro Aurélio de Mattos Gonçalves, e a futura Governadora Marília Simões Fernandes da Silva, que trará, com sua simpatia e competência, novos associados aos Lions Clubes.

Duarte / Tel.: (21) 99511-6964

Momento Cultural

"A lira portuguesa de Fernando Pessoa"

A partir da esquerda: Arleni Batista (companheira Leão do Lions Tijuca), a futura Governadora Marília Simões Fernandes da Silva e o Presidente do Lions Tijuca, José Leal de Matos.

Dyandreia Portugal recebe a importante homenagem “Prêmio Lions” das mãos do Presidente do Lions Tijuca, José Leal de Matos.

Dyandreia Portugal entrega um exemplar da Coletânea bilíngue Sem Fronteiras pelo Mundo... para o DiretorGeral da FACHA, o professor Paulo Alonso, membro da Academia Carioca de Letras.

O registro do reencontro com Eduardo André Chaves Nedehf, o Marquês de Viana (tetraneto do Barão de Mauá), que também recebeu o “Prêmio Lions”.

Presente também o Diretor-Geral da FACHA, o professor Paulo Alonso, membro da Academia Carioca de Letras. A Editora-chefe do Jornal Sem Fronteiras prestigiou o evento e marcou sua presença com a entrega da Coletânea Literária Internacional Sem Fronteiras pelo Mundo... a futura governadora do Lions, na presença do Presidente do Lions Tijuca José Leal de Matos, desta Colunista do Portal do Jornal Sem Fronteiras e, também, uma “companheira leão” do Lions Tijuca, Arleni Batista.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


8

Jun \ Jul 2016

Saudemos Iansã, a santa idolatrada, cujo manto vermelho a todos ilumina, dona da ventania, orixá da trovoada, com a força da magia, imagem que fascina. Vivemos uma vida ainda atormentada, plena de indecisões, oh! Doce Mãe Divina, não nos deixeis ficar no mundo desprezada, qual filho que carrega ingrata e triste sina! Mostrai-nos o caminho a trilhar, a seguir, com o brilho do sol - sorriso de açucenas suavizai um viver, acalmando um porvir. Relevai com amor, oh! Mãe, nossas fraquezas para não padecermos doloridas penas, levando, para o mar, as mágoas e tristezas! *Messody Benoliel, carioca, advogada, poeta, cantora em vários idiomas e compositora.  Presidente da Academia Brasileira de Trova, Vice-Presidente Vitalícia da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, Diretora Jurídica da Academia Pan-Americana de Letras e Artes e do INBRASCI - Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais. Membro do Pen Clube do Brasil, da IWA - International Writers and Artists Association, da Sociedade Eça de Queiroz e da Academia Luso-Brasileira de Letras e Artes, entre outras. Contato: messodyramiro@yahoo.com.br

Memórias de Mim Por Larissa Loretti*

Amanhecer sobre a saudade No retângulo do tempo como num espelho a imagem do amor antigo ressurge. Talvez o último sonho possa abrigar-se na lembrança. Apenas um espectro, eu sei. é insensatez, eu sei. Assim mesmo te bendigo. No farrapo da esperança, teia rompida. Mas a força da vida traz o sol da poesia. E nas horas frias desta saudade acordo o dia sobre o painel da minha fantasia.

Não é derrotado, Não esmorece, Vai à luta e Levanta-se, Contra a corrupção. Apoia atitudes decentes, Dos grandes cidadãos. Busca verdadeiros valores Todos pela união. Com amor, justiça, E muito trabalho Vencerá a situação. Pois une todas as raças Numa verdadeira paixão. Defender os princípios e As cores dessa Nação, Cores sempre presentes Em nossa Bandeira, A Bandeira Brasileira! *Iza Engel (Maria Luiza Vicente Engelhardt), nascida em Abatiá (PR), em 1945. Licenciada em Matemática e Pós-graduada em Magistério. Devido seu acentuado gosto pela Literatura e amor pela natureza, participou de vários cursos artísticos. Constam algumas de suas poesias e crônicas nas publicações da Câmara Brasileira de Jovens Escritores. Contato:izaengel45@gmail.com

Por Teresinka Pereira*

A Terra é um lar enorme, forte e renovável, onde sobrevivem nossos sonhos e nossa utopia. A Terra é reciclada como nós, seres que vivemos em sua superfície, em suas entranhas ou no seu espaço cósmico. Viva o infinito bem que a Terra nos dá! Viva a Terra de todos e de todos os dias! *Teresinka Pereira é brasileira residente nos EUA. Presidente da IWA - Associação Internacional de Escritores e Artistas. Foi indicada candidata ao Prêmio Nobel em 2005, pelo International Poetry Translation and Research Center. Nomeada Presidente Honorária da Associação Hispânica de Escritores. É Representante Internacional do Jornal Sem Fronteiras nos EUA. Contato: tpereira@buckeye-express.com

“Encontro de Poesia” homenageou Messody Benoliel

O

“Encontro de Poesia”, projeto idealizado e organizado pelas escritoras Lydia Simonato e Larissa Loretti e que acontece na Biblioteca de Botafogo (Rua Farani, 53, Botafogo – RJ), toda terceira quinta-feira do mês, às 15h, tem homenageado os poetas contemporâneos, desde o ano passado. Já foram homenageados: Gilberto Mendonça Teles, Stela Leonardos, Larissa Loretti, Lia Luft, Marta Medeiros, Adélia Prado, Manoel de Barros, Ivan Junqueira, Affonso Romano de Sant'Ana. Marina Colasanti, Elisa Flores, Astrid Cabral... No mês de maio, a homenageada foi a advogada, escritora, poetisa, cantora Messody Benoliel. Power Point com alguns poemas da homenageada foram projetados e os poetas presentes declamaram. Idalina Andrade Gonçalves levou flores. Messody Benoliel merece, por tudo aquilo que representa para a nossa cultura. E Lydia e Larissa estão de parabéns por promover tão importante projeto!

Sonia Sales realiza palestra na UBE-RJ No dia 18 de maio, a UBE-RJ, presidida por Juçara Valverde, proporcionou a interessante palestra Um país mágico - China, proferida pela escritora Sonia Sales . Na oportunidade, Sônia autografou seu livro de mesmo título. Na foto, Sonia Sales recebe o carinho de Idalina Gonçalves e Juçara Valverde, Presidente da UBE-RJ.

Academia Brasileira de Literatura recebe Idalina Andrade Gonçalves

*Larissa Loretti é pseudônimo de Maria de Lourdes Loretti Motta, poeta, escritora, trovadora, musicista e compositora. Presidente da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil - Seção RJ – AJEB. A colunista palestra inserindo a música ao piano, ao teclado, ao violão e imagens, nas muitas Academias de Letras e Artes às quais pertence. Contatos: lloretti1807@yahoo.com.br

Por Dyandreia Portugal

No dia 5 de Maio, aconteceu a reunião solene de posse da escritora Idalina Andrade Gonçalves, na Academia Brasileira de Literatura, na cadeira 24, patronímica de Joaquim Nabuco. A cerimônia, presidida pela Presidente, Drª. Ricardina Marques da Silva, aconteceu no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Na foto, vemos Iladina (de preto) acompanhada de sua família e do Presidente da ACL, Ricardo Cravo Albin (esquerda).

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Divulgação

À Santa Bárbara

A Terra

Por Iza Engel*

Divulgação

Por Messody Benoliel *

O país que amo...

M & L Fotografias

Cantinho da Messody

MOMENTO POÉTICO


9

Jun \ Jul 2016

Impressões H

A Tecnologia

oje, peço licença para ceder meu espaço a uma pessoa muito querida: minha cunhada Edy. Edy é uma jovem senhora de noventa anos, que mora sozinha, e adora fazer um delicioso bobó de camarão, para satisfação de seus filhos, amigos e parentes, nos quais eu me incluo. Sempre muito bem-disposta e alegre, gosta de contar piadas. Como ela mesma diz: “é pau pra toda obra”. Não há quem lhe peça alguma coisa que ela não atenda prontamente. É alguém com quem se pode contar sempre, uma companhia agradável e uma pessoa humana muito bonita. Edy gosta de escrever. Sem a pretensão de ser lida: é para ela que escreve. Gosta de colocar no papel suas emoções, suas lembranças, sua vivência passada e presente. Tudo aquilo que lhe desperta um sentimento, uma sensação, um conhecimento, é colocado no papel. Eu costumo incentivá-la a publicar seus textos. Sempre que eu insisto na possibilidade de publicá-los, ela dá um sorriso e, gentilmente, recusa. Sei que ela tem cadernos cheios de suas lembranças desde quando menina, escritas já na entrada dos anos. Nunca os li, embora tenha vontade: muito raramente ela me dá um texto para ler. Por isso, fiquei surpresa e feliz quando, dias atrás, veio almoçar comigo e me mostrou uma página escrita. Gostei do que li. Mostra o quanto ela é jovem aos noventa anos: atualizada e pronta para encarar o futuro. Mais surpresa e feliz fiquei, quando ela me permitiu, depois de muito insistir, que eu colocasse seu texto na minha coluna. Passo, pois, para vocês, o texto da minha cunhada. Espero que concordem comigo:

E

am en te a ép oc a co m pl et ia que um o nd ve vi ou st E olog egada da nova tecn diferente com a ch l, facilitar todos os meios de veio, com força tota or para mim! ad comunicação. Assust ade, as pessoas se comunicam Com a maior facilid e amigos que moram do rentes com seus filhos, pa : Europa, Ásia, África. Fazem do outro lado do mun lhetes aéreos, leem jornal, bi compras, emitem m eles - músicas e filmes, tudo ze di o capaz “baixam” – com e. Não sei se seria sse, ad ilid qu an tr or ai m mo já di com a sa tecnologia que, co de aprender toda es ora. Tenho a impressão de que para mim é assustad necessária para manuseá-la. não teria paciência tos estão sempre na frente do ne Como meus filhos e eciso, peço socorro... Até que, pr r computador, se fo ada a aprender. um dia, eu seja obrig ologia, às vezes prejudicial e Viva a nova tecn ia. ssár outras, bastante nece humanidade, atrás da nova Assim caminha a comunicação!

Acervo da Colunista

Por Isis Berlinck Renault *

Edy Dutra Renault

A colunista colaboradora é Psicóloga, Artista Plástica, formada em Desenho e Pintura pelo Instituto de Belas Artes, Escritora, Pós-graduada em Literatura Infantojuvenil pela UFRJ. Diretora da Academia Brasileira de Belas Artes, Membro da Société Académique D’Éducation et D’Encouragement de France - Arts-Science-Lettres, Comendadora Grande Mestre da Associação Brasileira de Desenho e Artes Visuais e Acadêmica das mais importantes Academias de Letras e Artes do Brasil. Contatos: isis.renault@terra.com.br

Sérgio Gerônimo lança Mary Columbus

A vida em artes e poesias de Dalva Frahlich

Por Dyandreia Portugal L. Duarte

Por Dyandreia Portugal

Mozart Carvalho, Marcelo Mourão e Jorge Ventura celebram a nova obra de Sérgio Gerônimo (sentado).

O

lançamento do mais recente livro de poesia de Sérgio Gerônimo, Mary Columbus - poesia crônica de um romance contado, puro folhetim teatral, foi realizado no dia 23 de maio, na sobreloja do Bar do Ernesto, na Lapa (RJ), com a presença de amigos e membros da APPERJ. Na ocasião, foram declamados poemas. Sérgio Gerônimo é Editor-chefe da OFICINA, poeta em tempo integral. Doze livros de poesia publicados. É, também, conferencista, ensaísta e cronista. Atual Presidente da Associação Profissional de Poetas no Estado do Rio de Janeiro; Diretor da Academia Brasileira de Poesia, Membro Efetivo da União Brasileira de Escritores (RJ), do PEN Clube do Brasil. Coordena os eventos poéticos: Te Encontro na APPERJ; Saraupoesia, Li na livraria e o Festival de Poesia Falada do Rio de Janeiro.

A

Professora, Artista PlásL. Duarte tica, Poetisa e Parceira Oficial do Jornal Sem Fronteiras, Dalva Frahlich lançou o livro A vida em artes e poesias, com 150 poemas. Sobre a obra, Marcos Vinícius Macedo Varella, Presidente do IHGN, relatou: “Podemos perceber o brilhantismo deste trabalho, que, realmente, merece todos nossos aplausos, uma vez que resgata o amor e a arte de algo que sempre esteve presente no destaque de eterno elemento do conhecimento vivo e atuante, pois a poesia e a arte são coisas que militam o mesmo Capa do livro, com obra de sentimento. Tenho a certeza que a autoria de Dalva Frahlich. querida Dalva será muito feliz com A Editora-Chefe do JSF, esta maravilhosa obra e que seu Dyandreia Portugal, nome estará sempre no livro de parabeniza Dalva Frahlich. ouro de nossas vidas”. Dalva Martins Frahlich é Niteroiense de natureza e Gonçalense de coração. Escreve poemas desde os sete anos de idade. Deixou a sala de aulas por problemas auditivos, mas nada a impediu de continuar na Cultura e Educação. É Acadêmica de diversas Academias de Artes, Ciências e Letras, nacionais e internacionais, com vários troféus e medalhas conquistados ao longo de sua trajetória. É Diretora da ABD - Associação Brasileira de Desenho e Artes Visuais e Secretária-Geral da ANBA - Academia Niteroiense de Artes, Ciências e Letras.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


10

Jun \ Jul 2016

Um Olhar Sobre o Essencial Por Maria Araújo*

Q

Chocolate Literário

ueridos leitores! Quero compartilhar com vocês a alegria de passar uma tarde no Café Literário, ao lado de personalidades, efetivamente atuantes em prol do fomento da nossa literatura brasileira. Fui convidada para as comemorações do ano cultural do Pen Clube, através do Presidente, Sr. Cláudio Aguiar, e sua magnífica esposa, Célia Salsa. O evento foi coordenado pela escritora Prof. Luiza Lobo e Prof. Alcmeno Bastos, com presença de respeitadas personalidades de nossa literatura, entre eles (as), Ricardo Cravo Albin (museólogo, Presidente da Academia Carioca de Letras), Profª. Marie Louise, escritora Profª. Helena Ferreira e a convidada especial, Ana Maria Machado, dona de obra de múltiplas facetas, teve seu romance de história e ficção – Um Mapa Todo Seu – destaque para discussão na roda. Fizemos observações e, o mais interessante, foi a forma lúdica e alegre como discutimos pontos e ouvimos explicações da pesquisas e construção da obra. Com conteúdo dos fatos reais, conta a história de amor entre Eufrásia Teixeira Leite e o Diplomata Joaquim Nabuco, sendo a personagem uma mulher à frente de seu tempo, uma das primeiras grandes investidoras e empresárias do país, como seu par, o grande jornalista político e diplomata Joaquim Nabuco, figura essencial no processo de Abolição da Escravatura no Brasil. O interessante nesse livro é que a autora, com muita sagacidade, consegue, descrever a vida íntima de Eufrásia e Nabuco, recriada com vivacidade e precisão, além de também contribuir com documentos históricos que fazem com que a leitura nos instigue a continuar passeando na ficção e fatos reais dos personagens que, devido aos fatos ocorridos, aos poucos se tornam autônomos, construindo suas jornadas de amores e frustrações. A narrativa se desloca por territórios como liberdade dos escravos e a autonomia feminina; descreve a Roma clássica e a antropofagia. E, ainda, relaciona o tema com a grande cidade de São Paulo, com relação aos Imigrantes.  O mais interessante nesse encontro foi o debate que se fez com a autora e sua forma generosa de colocar no livro a bibliografia das fontes primárias. A autora falou sobre os diálogos; sempre que havia possibilidades, pesquisava os textos das cartas trocadas entre eles, os exemplos da linguagem da época com diálogo feitos na primeira e terceira pessoa, que usou como modelo. Na ficção, subjetivamente criou o encontro de Gauguin e Eufrásia que, na época, ainda não era pintor, continuando esse flirt com a presença de Eufrásia na exposição de Gauguin, uma invenção instigante que foi aplaudida por todos nós. 

Divulgação

Ana Maria Machado (terceira a partir da esquerda) é recepcionada por Célia Salsa (de vermelho).

Ana Maria Machado conclui a explanação de sua obra, explicando que as cartas que ambos trocavam têm duas versões: ou foram postas no caixão de Eufrásia, ou foram queimadas pelo testamenteiro. Enfim, uma tarde magnífica, de pura essência literária, com atmosfera europeia, em fim de tarde de junho chuvoso, agradavelmente aquecida pelo delicioso chocolate servido com muito carinho pela anfitriã Célia Salsa.  M & L Fotografias

Em tempo!

E

m solenidade magnânima, no dia 25 de março, no Salão Nobre e na Cobertura do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), o PEN Clube do Brasil celebrou seus 80 anos de intensa atuação e prestígio no Estado. Na ocasião, esta colunista pôde apresentar o Jornal Sem Fronteiras para a atriz Nathália Timberg, que, muito atenciosa, levou um exemplar para a sua leitura.

*A colunista formou-se em Licenciatura Plena nas Artes pela Faculdade Bennett e possui Pós-graduação em Gestão e Produção Cultural na FGV. É Artista Plástica, Escritora e Pesquisadora na área de Patrimônios Históricos. Autora do livro Edifício SEABRA, lançado em Paris e no Brasil. Associada da REBRA, Literarte e Acadêmica de várias Academias nacionais e internacionais. Contatos: maria.araujo22@hotmail.com

Márcio Catunda e Ricardo Alfaya lançam suas respectivas obras literárias no Museu da República, entre amigos cariocas e leitores

O

Viagens Introspectivas, Márcio Catunda | Expressão Gráfica e Editora (Fortaleza-CE), 2016, 112 p. Viagens Introspectivas tem duas partes: Desassossego/Meditação e Natureza.  Na primeira, poemas de inquietação existencial. Na segunda, de celebração, segundo a tríade sagrada: poesia, meditação e natureza.  Em Márcio Catunda, essa tríade se apresenta unificada, indissociável e indispensável.  E o veículo para fazer poesia, em meio à natureza, é a introspecção, a meditação. Um modo de meditar é caminhar, peregrinar, anotando em blocos as impressões. (...). (Ricardo Alfaya)

O escritor Gilberto Mendonça Teles prestigia os autores.

Fronteiras em Liquidação, Ricardo Alfaya | Editora Dowslley (Rio de Janeiro-RJ), 2016, 220 p. Nessa obra, Ricardo Alfaya celebra 34 anos de poesia, desde seu primeiro livro solo, Através da Vidraça, de 1982. Inclui Passeio Público, volume inédito até então, com que obteve Menção Honrosa (quarto lugar) em concurso do Sindicato dos Escritores do Estado do Rio de Janeiro, em 1993. Contém cinco livros: Passeio Público, Sujeito a Objetos, Águas-Fortes, Feitiços de Vento e Fronteiras em Liquidação. Livros temáticos, correlatos ao assunto Fronteiras em Liquidação. Além de poemas inéditos, o autor selecionou alguns dos textos mais expressivos de seus livros anteriores, em edição revista e ampliada, conforme se deu em Sujeito a Objetos, que teve a reedição dos 28 poemas que o compunham e a inclusão de 48 inéditos. (...). Para contato com os autores: http://www.marciocatunda.com.br/ - https://alfayalivreiro.blogspot.com.br/ www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Duarte / Tel.: (21) 99511-6964

Por Fábio Portugal

s escritores Márcio Catunda (Representante Internacional do Jornal Sem Fronteiras na Argélia) e Ricardo Alfaya lançaram seus livros de poesia, Viagens Introspectivas e Fronteiras em Liquidação, respectivamente. O coquetel de lançamento ocorreu no dia 3 de junho, no Museu da República (Rua do Catete, 153 – Catete/RJ) e a responsável pela coordenação do evento foi a editora, Lucília Dowslley. Os autores receberam vários leitores e amigos, entre eles Gilberto Mendonça Teles e Juçara Valverde. Os livros já haviam sidos lançados em Brasília (DF), dia 31 de maio, no Restaurante Carpe Diem.  Antes, no dia 30, os poetas concederam entrevista a uma TV alternativa da internet, mantida pelo artista multimídia Anand Rao.

Grupo de escritores celebram o momento ao lado dos autores (a partir da esquerda): Fábio Portugal, Lydia Simonato, Juçara Valverde, Dyandreia Portugal, Marcio Catunda, Ricardo Alfaya, Maria Araújo, Márcia Barroca e Marcelo Mourão.


Jun \ Jul 2016

Cultura em Foco

11

Por Rogério Araújo (Rofa)*

Flashes Culturais Foi realizado, no dia 20 de maio, o Sarau de Artes e Poesias de Outono, promovido pela ANBA – Academia Niteroiense de Belas Artes, Letras e Ciências, com premiações das melhores obras e textos. Também foram

entregues homenagens de mérito culturais. Na ocasião, o seu Presidente, Edson Carvalho de Luna Freire, recebeu, da Câmara de Vereadores, o Título de Cidadão Niteroiense.

Acervo do Colunista

Aconteceu em 26 de junho, no feriado de Corpus Christi, a confecção dos tradicionais tapetes de sal, em celebração festiva da data. São considerados os maiores da América Latina em extensão, somando aproximadamente 1,5 km.

No dia 10 de junho, ocorreu a solenidade do Instituto Histórico e Geográfico de Niterói, na Câmara Municipal de Niterói (RJ), ocasião em que se fez homenagem aos 150 anos de Euclides da Cunha, com a entrega de Diploma e Medalha de Mérito Cultural que leva seu nome e imagem. Parabéns aos escritores de todos os gêneros pelo Dia do Escritor (25/7)!

REFLEXÃO EM FOCO:

“Quem lê um livro, viaja por todos os mundos a bordo de um único meio de transporte: a imaginação.” (ROFA)

Escritor Rofa no Projeto de Leitura Escolar em Casimiro de Abreu (RJ)

O

Acervo do Colunista escritor e colunista RogérioAraújo (Rofa) participou do Projeto Integrado de Leitura Escolar, da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro, no auditório do Colégio Estadual Indaiaçu, na cidade de Casimiro de Abreu, no dia 18 de maio, com uma belíssima abertura, com professores e alunos no violão e violino. O projeto foi implementado na escola pela Coordenadora e também escritora Márcia Kanitz, com grande apoio da direção da professora Maria da Glória Valadão Ferreira, com envolvimento dos docentes e discentes. Na ocasião, aconteceu um bate-papo com o autor, que contou sobre sua carreira, Participantes do Projeto Integrado de Leitura Escolar seus livros, leu trechos de textos e respondeu perguntas dos alunos, no Ensino Médio. Rofa, a professora Márcia Kanitz e os E o projeto segue em frente, com diversos escritores que inspiram os alunos com alunos do Colégio Indaiaçu. suas obras e sonhos realizados de ser escritor que pode estar presente na vida também dos alunos. O autor continua com esse trabalho prazeroso com crianças e adolescentes nas escolas e pode ser contatado para essa visita: rofa.escritor@gmail.com ou (21)98804-2204 (cel/WhatsApp).

* O colunista é Escritor, Jornalista e Professor. Graduando em Letras. Cronista, Contista e Poeta. É especialista em Leitura e Produção Textual, graduado em Propaganda e Marketing e Bacharel em Educação - Teologia Cristã. Doutor Honoris Causa em Literatura. Autor dos livros: Mídia, bênção ou maldição?;Crônicas, poesias e contos - Que eu te conto...; o duplo infantil Presentão de Natal / O super-herói do Natal e Rofinha e os amigos de oito patas. E coautor de várias antologias. Além disso, é Comendador e Membro Acadêmico de Letras de diversas entidades de cultura nacionais e internacionais. Contatos: rofa.escritor@gmail.com. Acompanhe essa Coluna semanalmente em: www.redesemfronteiras.com.br

L

Carlo Montanari lança mais uma obra literária

ançado em maio nos Estados Unidos, na Biblioteca Brasileira de New York, juntamente com a Antologia Sem Fronteiras pelo Mundo...,o livro do contador de causos Carlo Montanari, foi agora apresentado, oficialmente, no Brasil, durante as comemorações do aniversário de sua cidade natal, Passos, nas Minas Gerais, em 17 de maio. O lançamento, realizado pela Secretaria de Educação, Cultura, Esportes e Lazer da Prefeitura Municipal de Passos, nas Minas Gerais, teve Coordenação de Ponciana Lemos. Foi realizado no anfiteatro da Casa da Cultura, com a presença de Ataíde Vilela - Prefeito, Hilda Mendonça - Presidente da Associação Escritores & Cia e, honrosamente, ainda compondo a mesa, o Editor da obra pela Editora

Acervo do autor

Casa Cultura, André Luiz Cabral de Vasconcelos que viajou de Taubaté (SP) - terra de Monteiro Lobato- para prestigiar Carlo Montanari (foto). A obra ainda foi lançada na Feira do Livro de Ribeirão Preto, no dia 15 de junho e, em seguida, no Sarau Ponto & Vírgula, da jornalista Irene Coimbra. A obra Mortos Resolvem Contar...,peculiar como a primeira do autor, é composta de capítulos especiais dedicados às crianças, aos jovens, ao humor, às puxadas de

Por Mayra Soares

orelhas... E, ainda, traz charges criadas por Montanari nos anos 80 e 90, comparadas à época de hoje... e homenagens. São textos que mais se parecem crônicas em formato de contos. Nesta edição, o autor criou a primeira fase das “Mínimas de Montanari”, onde satiriza o que o país Brasil vive nos dias de hoje. São contos para crianças de 5 a 105 anos. Vale a pena ler!!! O livro, embora recentemente circulando entre os leitores, já faz com que o autor esteja sendo agraciado com dois Prêmios Nacionais de Literatura este ano. Um pela Associação Internacional de Escritores - Prêmio LITERARTE 2016 e outro em Itabira MG - terra de Drummond - com o Prêmio Carlos Drummond de Andrade, há 51 anos sendo outorgado aos Destaques em Literatura do Brasil. Para adquirira obra: pousadaparadadoslagos@bol.com.br

R. PUBLISHER: No mínimo, uma editora diferente

U

ma editora sem funcionários, que não possui endereço comercial, que estabelece parcerias com “frilas” (free-lancers) e cuja responsável trabalha em casa (home office), eis o diferencial da A. R. Publisher Editora, empresa de Maringá que estreou no mercado literário em setembro de 2015. Com visão empreendedora, a escritora Angela Ramalho, de Maringá-Paraná, idealizou a editora e resolveu apostar na viabilidade de sua ideia. Na verdade, ela planejava uma empresa “enxuta”, que economizasse

Fonte: Assessora de Imprensa

em aluguel e despesas trabalhistas, para que essa economia revertesse na qualidade das suas edições. Autores nacionais: Angela Ramalho lançou, no início deste ano, pela Editora A. R. Publisher, um concurso literário nacional denominado “Prêmio VIP de Literatura”. O mesmo recebeu cerca de 600 inscrições de autores de todas as regiões do país (e mais três autores residentes no exterior), resultando no envio de 1.100 trabalhos, entre poesias e contos. A editora premiará com medalhas e certificados os 10 melhores

contos e as 10 melhores poesias e os 50 melhores trabalhos (entre contos e poesias) serão publicados gratuitamente. Com vistas à participação da editora na 3ª FLIM - Festa Literária Internacional de Maringá, que será realizada de 13 a 18 de setembro, Angela Ramalho já deu a largada, convidando autores a juntarem-se a ela no estande da A. R. Publisher Editora, cujo espaço priorizará a exposição, venda e lançamento de obras de escritores nacionais. Para contato: arpublishereditora@gmail.com

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


12

Jun \ Jul 2016

ALAB & Cultura Por Dr. José Gonzaga*

Búzios com sol e belas praias implanta o Turismo Cultural! - Retrospectiva do trimestre – Fotos: Acervo TV- BÚZIOS.COM

A

Câmara Municipal de Búzios aprova criação da Semana de Artes Plásticas a ser celebrada anualmente no período de 08 a 15 de maio. Cria, também, o Dia Municipal do Artista Plástico, a ser comemorado anualmente no dia 8 de maio. A lei aprovada disponibiliza, ainda espaços municipais para exposições permanentes. Tudo por iniciativa do Vereador José Márcio, que vem se dedicando à criação de leis que fomentam e protegem o desenvolvimento da cultura no município. Nós, da ALAB, conseguimos realizar as nossas Semanas de Arte e Cultura Internacional Buziana, que fazem parte do Calendário Municipal do Turismo Buziano e já trouxe milhares de turistas e artistas, do exterior e de todo o país para interagirem com os artistas de Búzios, a Cidade Península mais cosmopolita de todo Brasil. O I SACI, em 2011, foi uma ação direta do então Secretário do Turismo Cristiano Marques. Os SACI II, III e IV (2012, 2013 e 2014), justiça seja feita, graças ao apoio pessoal de José Márcio, que, na época, era também Secretário Municipal de Turismo, sempre intervindo junto ao executivo municipal, e Nani Mancini, interagindo junto a outros empresários buzianos, com o norte de realizarmos atividades culturais de grande porte, como realizaremos o V SACI, em Maio de 2017. É claro, junto com eles, que sempre estiveram prontos a nos ajudar a sedimentar o “TURISMO CULTURAL” em BÚZIOS. Levar a Arte a toda população, naturalmente, fomenta o indispensável turismo sustentável, unido ao desenvolvimento cultural e intelectual dos cidadãos buzianos, sem exclusão e ou qualquer preconceito! Iniciativas como estas, que vêm se multiplicando na cidade por ação constante de vários membros e amigos da nossa ALAB, como Flory Menezes, Luciana Fajardo, Odília Cuiabano, Adriano Labis, dentre outros. Criação de leis e apoios que fomentam e protegem o desenvolvimento da cultura no município sempre serão bem-vindas. Na medida do possível, a TV BUZIOS tem produzido centenas de matérias que podem ser vistas pelos leitores do nosso Jornal Sem Fronteiras e por milhares de internautas, cada vez mais, pelas imagens que nossa TV ao vivo e a cores tem gravado e mandado para todo o mundo globalizado. É a Arte que perpetua a eloquente manifestação de determinadas ações populares, do cotidiano de uma comunidade vista pelo ângulo do artista, enriquece a cultura da cidade, sem falar da inclusão social e avanços comprovados de pessoas com necessidades especiais, obtidos após contatos com diversos trabalhos artísticos. Armação dos Búzios é privilegiada por abrigar vários artistas que divulgam a nossa cidade através de sua Arte. Destinar um espaço para as amostras de Artes Visuais, bem como promover esses trabalhos é um dever do Município, assim como foi disponibilizado no plenário da Câmara Municipal, um espaço para receber exposições permanentes de Artes Plásticas e de Fotografia, ideia acolhida pelo então Presidente da Casa, Vereador Henrique Gomes. A cada mês, será escolhido um tema e realizada uma exposição, junto a artistas locais e de fora. Já aconteceram as mostras: “OLHARES SOBRE O INDÍGENA DA REFERÊNCIA À CRÍTICA” Na abertura da exposição, no dia 12 de abril, quatro índios da etnia Fulni-ô participaram da sessão legislava. Quebrando o protocolo, o grupo apresentou alguns elementos de sua cultura, como a dança, o canto e o idioma materno, chamado Yaathe. Segundo o índio Xowa Fulni-ô, das cerca de 280 tribos do Nordeste, a etnia Fulni-ô é a única que preserva sua língua. Contou com obras de alguns artistas plásticos da cidade, como Beth Medeiros, Lela Mendes, Flory Menezes, Fernando Naxcimento, Vera Verne, de alunos do Atelier Mosaico Lu Rizzi e dos artefatos da tribo indígena de Águas Claras – Pernambuco.

Na foto: Argina Seixas, Luciana Fajardo, Flory Menezes e Pepper, O Ilusionista.

“LIBERDADE NEGRA” A exposição “Liberdade Negra”, realizada durante todo o mês de maio, foi para celebrar a data histórica do 13 de maio, mês em que se comemora a Abolição dos Escravos no Brasil. Participaram desta exibição os artistas Beth Medeiros, Ana Sopeña, Vera Verne, Lu Rizzi, Fernando Naxcimento e Antônio Montenegro. No dia 11 de maio, foi recebido emprestado uma obra do acervo do Museu de Etnologia Odé Gbomi, que participava do 1º Circuito Arte Búzios, que transformou a cidade em uma grande galeria de arte a céu aberto, iniciado no dia 6 de maio indo até o dia 30 de maio. Diversos pontos turísticos, ruas, restaurantes e galerias receberam uma grande variedade de expressões artísticas. O evento contou com artistas pintando ao ar livre na Orla Bardot com o tema ‘A Orla dos Meus Sonhos’, show de grafiteiros no Shopping n.1, no Porto da Barra; pintura de geladeiras e Concurso de Fotografia com o tema “Pôr do sol no Porto da Barra”. Além disso, foram apresentados filmes de artes no Cine Bardot, Workshop de mosaico e as galerias e ateliers dos artistas Flory Menezes, Silvia Lopes, Gustavo Fleiuss, Yvone Boghossian, Galeria Nº1, Dila Vidal, Ivone R., e a mais nova galeria BRD 34, em Manguinhos, estiveram abertos durante todo evento em horários diferenciados, confirmando a vocação artística da cidade. “LIBERDADE DE IMPRENSA” Em junho, a Câmara prestou homenagem ao repórter investigativo da TV Globo, assassinato há 14 anos, quando gravava uma série de reportagens sobre bailes funk, promovidos por traficantes de drogas, situado no Complexo do Alemão. Crime que chocou o país, nomeando, desde 2006, o espaço de imprensa da casa de “Espaço Jornalista Tim Lopes”. Houve, no dia 3, a exibição do documentário “Tim Lopes – Histórias de Arcanjo”, direção de Guilherme Azevedo e roteiro de Bruno Quintela, filho de Tim. Estavam presentes à exibição os irmãos de Tim, Miro e Tania Lopes. Durante o mês, aconteceu a exposição “Liberdade de Imprensa”, reunindo Artes Plásticas e Fotografias de Laura Vivacqua, Fernando Naxcimento, Alan Camara, Jakó e capas de jornais do Jornal Peru Molhado. Estes eventos foram organizados pelas competentes e dinâmicas: Produtora Cultural Luciana Fajardo e a Artista Plástica Flory Menezes.

Na foto: Vereador Henrique Gomes, Vereador Messias Carvalho, Fernando Naxcimento, Alan Camara, Vereador José Márcio, índios da etnia Fulni-ô, Beth Medeiros e Luciana Fajardo.

*O Colunista é natural de Visconde do Rio Branco e Empresário em Minas Gerais. Há 35 anos radicado em Armações dos Búzios (RJ). Tem formação acadêmica, bacharelado em Economia, Antropologia e Sociologia. Pós-graduação nas áreas de Saúde, Reinserção e Políticas Sociais. Escritor de livros, contos, poesias e de matérias reportadas como Jornalista Profissional MT-003.4855RJ. É colunista de inúmeros jornais. Presidente da Fundação Rio Branco, ALAB-Academia de Letras e Arte Buziana, do CRER-VIP para Dependentes Químicos e da Confederação de Rádios e TVs Educativas - CONFEERTIBRAS. Contatos: gonzaga@mar.com.br Acompanhe essa Coluna semanalmente em: www.redesemfronteiras.com.br www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


13

Jun \ Jul 2016

Vício, doença, moda ou dependência tecnológica? O uso dos aparelhos eletrônicos está cada vez mais presente na vida das pessoas

H

oje, a população não consegue mais viver sem contar com os dispositivos eletrônicos: computadores, celulares, tablets, iPhones e outros. Esses comportamentos tornaram-se uma grande epidemia tecnológica. Para muitos, esse forte entrelaçamento se deve às necessidades, ou pela falta de controle psicologicamente. Essas e outras questões tornaram esse comportamento algo grave, sendo comparado de fato com outros tipos de vícios. Na época, as pessoas não tinham essa dependência; ouviam o rádio, assistiam à TV, liam jornais e outros meios que as possibilitavam ficar informadas do que estava acontecendo. O aprendizado era mais rigoroso, requeria a atenção e memorização. As pesquisas eram realizadas em bibliotecas, os registros em papéis e os contatos através do simples aparelho telefônico e/ou pelo tradicional correio. “Eu sou completamente otimista em relação à tecnologia. Eu tenho medo de fazer algum discurso a demonizando. Porque quem tem que servir e ser sempre inteligente é o homem. A máquina é sempre burra, não tem cérebro”, comentou Marcello da Silva Santos, Coordenador de um curso de Psicologia. E ainda acrescentou: “Esses aparelhos, a inteligência é artificial. Ela tem que funcionar como algo que vai me impulsionar, e não algo que vai me impedir”. As pessoas foram acompanhando o crescimento sem perceber que esses meios as estavam tornando dependentes e reféns. Hoje, esses antigos aparelhos que tinham características individuais até então inimitáveis e modernizáveis, deixaram de ser sozinhos os protagonistas e viraram, na atualidade, um grande elenco em função das grandes transformações. Permitindo ir além do básico, cooperando para um fim comum. A Jornalista Christiane Milagres admitiu fugir um pouco dos padrões: “Navego todos os dias, e mais de uma vez ao dia. Mas não tenho qualquer dependência desses aparelhos. Reconheço a importância e a necessidade de estar atualizada. Porém, vivo bem sem eles”, declarou. Essas mudanças fizeram com que a população alterasse os seus comportamentos e hábitos. Preenchem, hoje, o esforço físico e mental com o auxílio desses aparelhos. Trazendo de certa forma mais conforto e, ao mesmo tempo, mais dependência. De que forma esses aparelhos tecnológicos podem influenciar na vida das pessoas? Os aparelhos tecnológicos não deixam de ser uma ferramenta para todos se relacionarem entre si. Mas, como diz o ditado: “Nem tudo são flores”. O uso excessivo pode ocasionar sérios problemas, desde a atenção até no comportamento. Muitos colocam a culpa na ciência descoberta. No entanto, para os psicólogos, a tecnologia não é a vilã, mas, sim, a forma de como as pessoas fazem o seu uso. Se o indivíduo passa muito tempo no celular de uma forma obsessiva, certamente a sua concentração para as outras questões serão prejudicadas. Como por exemplo, o sujeito dirigindo e falando no celular. Alguma coisa ele está fazendo de errado: ou está prestando a atenção na conversa ou está conduzindo o veículo de forma errada, e vice-versa. Em relação ao mau uso das buzinas dos automóveis, talvez tenha contribuído para a redução da audição do homem contemporâneo. Uma vez que a poluição sonora em 1951 não tinha todos esses ruídos. Muitos também ficam mais concentrados na tela de um computador ou celular, do que as coisas que acontecem à sua volta. É possível notar esses comportamentos nas salas de aula, onde o aluno, além de não prestar atenção, se desliga do ambiente em que ele se encontra. “Não me considero viciada em tecnologia. Acho que tudo tem que ter limites. O celular e computador, no máximo, uma hora por dia”, comentou a estudante Danielli Martins. Após ser interrogada se conseguiria viver sem os aparelhos, disse que sim. E ainda aconselhou: “Se todos conseguissem, não haveria tanta falta de comunicação entre as partes. As pessoas deixam de sair, de socializar e quando saem ficam todos em uma mesa com o smartphone na mão. É irritante”, desabafou. Já a estudante Kíssila Paula, afirma que obsessiva ela não é, mas assumiu: “Considero-me um pouco ‘viciada’ no celular. Quando possível, utilizo todos os dias, nos horários vagos”, comentou. O ser humano, por habituar-se de uma maneira muito rápida, pode ser que seja um dos contratempos para o seu “vício”. Segundo o Psicólogo Marcello da Silva Santos,

Por Marcos Filho*

Colunista Convidado desta edição

Tudo é muito relativo para dizer se há um contexto que venha deliberar se é ou não uma doença. Pois existem diferentes tipos de “vícios”, sejam por livros, café, carros, jogos, enfim, aceitos e seguidos pela sociedade. É uma dependência como qualquer outra. O que a tornam diferente, é o modo de como cada uma é aproveitada. Nos dispositivos eletrônicos, esses aproveitamentos, por vezes, não são dosados adequadamente. Não foi possível identificar algum local especializado em atender essas pessoas. Portanto, os locais indicados e apropriados para atendimentos dessa instância, são os consultórios de psicologia, psicoterapia e psiquiatria. E você, já imaginou algum dia ficar sem esses aparelhos? Se sua resposta for não, é melhor começar a ficar atento e evitar certas obsessões, antes que descubra uma possível doença.

“o homem é um animal muito adaptativo. Ele deixou o nomadismo, passou a ser sedentário, porque ele precisava crescer”, destacou. Após ser questionado sobre as novas tecnologias adotadas pelas instituições em sala de aula, e se esses estariam fomentando cada vez mais essa conexão ou partindo para outro lado da Educação, alegou que é uma forma de agilizar a informação e o mundo em que vivemos. “O que eu vejo é que mais cedo ou mais tarde os alunos venham utilizar esses aparelhos através da instituição. Embora muitos já utilizam tablets, celulares e outros”. E ainda se lembrou de um fato inusitado que aconteceu em sua aula: “Os alunos me perguntaram: Professor, pode copiar? Eu disse: Pode! E começaram a fotografar o quadro”, recorda com humor. Diversos alunos, de tanto ficarem submetidos aos acômodos que a tecnologia lhe proporciona, acabam se deleitando de forma errada. Um bom exemplo para isso são as palavras abreviadas. Causando inúmeros problemas na escrita, na fala e no entusiasmo para desenvolver uma boa redação. Prejudicando de fato seu rendimento e quando for prestar algum concurso. “Eu tenho alunos que têm muitas dificuldades. Às vezes, eu peço para eles escreverem umas dez linhas, e só conseguem responder no máximo de três a quatro linhas. Talvez isso seja um dos efeitos”, adverte o Coordenador. Já se caracteriza como doença? Existem tratamentos para esses “vícios”? Algumas pessoas já correlacionam essa dependência dos aparelhos tecnológicos com outros tipos de vícios, tais como: bebidas alcoólicas, drogas, etc. Uma possível doença ainda a ser designada. Embora já o identificasse como tecno maníaco, cyber maníaco, tecnólatra, entre outros neologismos empregados para definir os "viciados" em tecnologia.

*Marcos Filho - O jovem artista prodígio. Ator, Modelo (Manequim), Apresentador, Radialista (Locutor - Apresentador - Animador e Assistente de Produção), Literato (Escritor de contos, poesias, etc.), Artista Plástico, Produtor Rádio e TV, Estudante de Comunicação Social (Jornalismo). Comendador – portador da Medalha Leonardo Da Vinci. Membro e Sócio da ABD. Acadêmico Nacional (Fortaleza, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, etc.),

com destaque como Titular da Cadeira nº 1 patronímica de Augusto dos Anjos do Quadro de Membros Correspondentes Letras da ALAP. Titular da Cadeira nº 50 patronímica de Pio Lourenço Corrêa do Quadro de Membros Correspondentes da Academia de Ciências Letras e Artes - ALUBRA. Acadêmico Internacional (Buenos Aires-Argentina, Lisboa-Portugal, etc.). Premiado nacionalmente e internacionalmente por sua carreira multifacetada.

Agenda... Agenda... Agenda... Coletânea Bilíngue Sem Fronteiras pelo Mundo... No dia 11 de maio, no Centro Cultural da Sociedade Nacional de Agricultura, a UBE -RJ, em Reunião Extraordinária, recebeu como anfitriã a Rede Mídia de Comunicação Sem Fronteiras, para o lançamento da Coletânea, em comemoração aos 3 anos do Jornal Sem Fronteiras. O coautor Marcos Filho esteve presente com seus pais, Marcos de Lima Bastos e Sueli Franco Garcia, e, na ocasião, autografou a obra. No dia 9 de abril, aconteceu o Congresso da Sociedade de Cultura Latina - Seção Brasil, foi o 12º evento sob a Vice-Presidência de Honra de Agostinho da Conceição Rodrigues Filho. Na ocasião, ele e a Presidente da ALAP, Eliane Mariath, receberam exemplares das mãos do coautor Marcos Filho. www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


14

Jun \ Jul 2016

Conversando Sobre Arte Apoiadores

N

um país onde a demanda por cultura é tão pequena, a oferta segue no mesmo patamar, não por falta de talentos ou produtores de cultura, mas pela escassez de apoio ao artista que precisa apenas do suficiente para pagar uma modesta produção. Encontramos grandes espetáculos financiados por verba pública, sim, mas é perceptível como esse dinheiro sempre fica nas mesmas mãos, entra ano, sai ano. E aos que não se encontram nesse círculo, sobram algum

Divulgação

Por Paco de Assis*

milhões de reais, que serão apoucados entre os milhões de artistas com obra para mostrar. Sobre o mercado invisível que rege essa distribuição de recursos, nem é bom falar, pois, a priori, “tudo é feito dentro da lei”. Mas, existem empresas privadas e públicas que fazem muito em favor da Arte. Ressalto o Metrô de São Paulo, que tem mais obras importantes do que muitos museus e podem ser visitadas gratuitamente pelos usuários. Outro serviço à Arte é a Linha Cultura, através do qual artistas com boa qualidade técnica podem expor suas obras em espaços adaptados de diversas estações. A conjuntura econômica e política tem um peso enorme na demanda por cultura, porque, por instinto, o homem tem como prioridade estar vivo e, se brincar, ameaça trabalhos sérios de apoio à Arte. Nessa edição, homenageio o Grupo JAM (Japanese Art Music), que mantém Galeria de Arte em seus espaços, exibem obras de artistas de todo Brasil e receberá, em setembro, o Projeto Letra e Imagem, composto por Artes Visuais e Poesias.

Sobre a 2ª Exposição Letra e Imagem menções honrosas. Além disso,

A

2ª Exposição Letra e Imagem, com concurso, produzida pela Cia Arte Cultura, é um evento diferenciado, envolvendo artistas plásticos e poetas, celebrando e integrando as duas artes. Um evento off-Feira, por ocasião da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que já está em sua segunda edição, devido ao sucesso da primeira. O Artista entra com a obra e o Poeta (por força da Bienal do Livro) tem o desafio de fazer uma poesia para esta obra, que poderá ser escolhida entre algumas opções. O evento acontecerá em Restaurante Galeria, com um

conceito diferenciado e mega badalado na capital paulista, a Capital Cultural do Brasil. O projeto será realizado em um local alternativo, que reúne gastronomia, arte e música para uma camada privilegiada de clientes, que estão acostumados à intensa agenda cultural. Visite a página e conheça o local: www.jamwarehouse.com.br E se não bastasse tudo isso, a premiação do Primeiro Lugar para o Artista Plástico é uma exposição individual com tudo pago e, para o Escritor Poeta, a publicação de um livro solo. Para os segundos e terceiros lugares, premiações, medalhas e Diplomas para

os participantes contarão com um vernissage com coquetel especial, registros fotográficos e de mídia. Para a cobertura de imprensa, já estão confirmados o Jornal Sem Fronteiras, o Site Chave do Luxo (http://www.chavedoluxo.com.br/) e a TV Búzios – Canal 10 (http://www.tv-buzios.com/). O projeto conta com o apoio cultural da SINAP–SP (Sindicato Nacional dos Artistas Plásticos), ALAB (Academia de Letras e Artes Buziana), UBE-RJ (União Brasileira de Escritores) e Casa do Restaurador.

*O colunista é Pós-graduado em Administração de Empresas, com especialidade em Gestão de Projetos. É Artista Plástico e ministra cursos e workshops para particulares e empresas. É Presidente do Sindicato Nacional dos Artistas Plásticos (SINAP-ESP) e um dos fundadores da Cia Arte Cultura, empresa que atua no mercado de Arte com foco em Marketing Artístico para artistas emergentes. A Cia Arte Cultura é curadora de vários espaços de exposições nacionais e internacionais. Contato: pacodeassis@ciaartecultura.com.br

P

SBBA inaugura Exposição Coletiva Comemorativa aos Jogos Olímpicos

Por Carmem Teresa Elias | Escritora, Artista Plástica, participante do Salão ara celebrar com arte, talento e cultura o maior evento esportivo jamais realizado no Brasil, Colunista Convidada desta edição especificamente, no Rio de Janeiro - os Jogos Olímpicos - a Sociedade Brasileira de Belas Artes, SBBA, organizou o primeiro e único Salão Olímpico e Paraolímpico Rio - 2016. 1 2 Com cerca de 100 artistas participantes e 140 obras expostas, incluindo pinturas dos mais variados estilos, esculturas, fotografias, artes decorativas, artes digitais e desenho, a exposição coletiva foi inaugurada a 9 de junho de 2016 por Therezinha Hillal, Presidente da entidade (Foto 1). Os artistas convidados de honra foram: Fernando Reis (APBP), Francisco do Couto (SBBA), Marcelo Cunha (APBP), Paulo Braga (SBBA), Sibéria Sperle (SBBA), Teruko Monteiro (SBBA) e Gian Paolo (SBBA). O destaque do evento coube à participação e presença de pintores com necessidades especiais, que, por meio de seus pés ou boca, superam os obstáculos físicos e realizam suas pinturas com criatividade e primazia (Foto 2). Emocionada, Therezinha Hillal reuniu esse grupo, que prestigiou o evento com seus quadros e presenças, vindos do RJ, SP, MG, DF e outros estados e citou: “Corajosos, guerreiros e artistas talentosos, cujas adversidades da vida não impedem de lutarem por seus sonhos! A SBBA, sempre esteve atenta à importância da inclusão e a ajudar e estimular os verdadeiros valores desses rapazes e moças maravilhosos: verdadeiros artistas plásticos para olímpicos brasileiros." 4 A Presidente da SBBA convidou os pintores da Associação de Pintores com a Boca e os Pés (APBP), representado pelo pintor Kazê, para cortarem a fita da Galeria Eliseu Visconti (foto 4), que ficou repleta de convidados (Foto 5). Esta colunista convidada, Carmem Teresa Elias, participou como artista expositora (Foto 6) e junto aos parceiros oficiais do Jornal Sem Fronteiras, o casal Nina Fernandes e Francisco Caldas, divulgou a publicação (Foto 7). A totalidade das obras expostas abordam as modalidades olímpicas e paraolímpicas ou as belezas do Rio de Janeiro. A Exposição ficou aberta para visitação gratuita até 23 de junho. Participe dos Salões da SBBA!!

SERVIÇO: Sociedade Brasileira de Belas Artes - SBBA Rua do Lavradio, 84 - Lapa - 20230-070 Rio de Janeiro - RJ - Brasil +55 21 2509-6718 e 2509-7079 Segunda a sexta, de 13 às 17h30 sbba.contato@gmail.com Visite-nos no Facebook: https://www.facebook.com/SBBAoficial

5

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

7

L.Duarte

6


15

Jun \ Jul 2016

Entrevista

T

ive a honra e o privilegio de conhecer Mário Diniz há mais de 20 anos, num evento em Brasília, que reuniu expoentes das Artes Plásticas, Literatura e demais expressões culturais, com ênfase à Nova Era, do Brasil e exterior. Desde o início, encantei-me com seu trabalho. Na época, ele havia terminado de ilustrar a primeira edição do livro O Alquimista, de Paulo Coelho, e seu talento já cruzava fronteiras, levando-o a um reconhecimento global por seu magnífico e expressivo trabalho. Empresas como Editora Ground, Aquariana, Rocco, Madras, Sexto Sentido, Ediciones Obelisco e Editorial Planeta (Espanha), Vivéz Soleil (França), Love Light Communications e Merril West (USA), entre outras, encontram em seu trabalho uma maneira de representar seus compromissos perante a refinação da consciência e os valores emergentes de nosso tempo. Mário também vem assinando capas de livros de autores consagrados na área da metafísica e autoconhecimento, como Edward Bach, Eliphas Levi, Joshua Shapiro, ZulmaReyo, Solara, Denny Johnson, Alice Bailey, entre muitos outros.  As pessoas, por sua vez, ao entrarem em contato com suas obras, raramente esquecem a experiência de perceber, através da apreciação estética, dimensões inusitadas de pensamentos e sentimentos dentro de si mesmas.  Mário Diniz é designer gráfico, ilustrador, artista plástico e digital, escritor, Terapeuta Reiki Master Teacher nos Sistemas Usui Reiki, Reiki Tibetano, KarunaReiki®, TeraMai Reiki, Seichim, ou seja, uma vida voltada à busca do aperfeiçoamento enquanto indivíduo humano, visando, acima de tudo, ser um canal do bem e da Luz nesse nosso mundo tão conturbado. Há vinte e três anos, as imagens de Mário Diniz representam os ideais de um mundo em transformação – com equilíbrio, beleza e profundidade. Pessoa DE bem e Do bem, fala suave, olhar intenso e riso franco, Mário cativa a todos quantos dele se aproximam, expressando grande amor pela humanidade, pela Terra, pela vida.  Para nossa alegria e deleite de nossos leitores, Mário gentilmente aceitou conceder-nos uma entrevista, a qual compartilho com vocês a seguir:   Sandra Hasmann/JSF - Como foi sua iniciação no mundo das Artes Plásticas? Mario Diniz -  A palavra Iniciação é muito apropriada no Momentum, pois é o que mais realizo atualmente: Iniciações Sagradas. Arte é ação, e foi com ela que Me coloquei em movimento para expressar as miríades de frequências energéticas que transpassavam meu Ser, ativando o autoconhecimento através de estudos e pesquisas sobre os 4 pilares da humanidade: Ciência, Filosofia, Arte e Religião. E foi na síntese destes 4 pilares que surgiu a quintessência do meu trabalho artístico como desenhista, ilustrador e artista plástico. No início, bem no início, ilustrava as letras de músicas que compunha no violão e flauta (eternos companheiros da adolescência) pois era a música meu canal de expressão do mais íntimo que surgia desta aventura de consciência.  Com a conquista de excelência na área do desenho gráfico, publicitário e ilustração, busquei os portais para a realidade que criava dia após dia na prancheta, adentrando ao mercado editorial de metafísica, autoajuda, esoterismo, espiritualidade, holismo, física quântica, etc., via revistas como Planeta, Amaluz, Vialuz, Sexto Sentido, entre outras, junto às melhores editoras do Brasil e, consequentemente, do exterior.   SH/JSF – Você ilustrou, de forma tão bela e com toque de sobrenatural, a primeira edição do livro O Alquimista do Paulo Coelho, que bem me lembro, deu origem a cartões postais e pôsteres que fizeram muito sucesso, na época, em todo mundo. Qual foi a importância e repercussão desse trabalho? MD – Encontrar com Paulo Coelho e participar do livro O Alquimista foi como Lei da Atração. Sinto que, naquele momento (1986/1987), eu era o canal de expressão artística mais conectado com o que viria a se tornar o bestseller mundial mais lido depois da Bíblia Sagrada, e na fase de criação das ilustrações foi na Bíblia que busquei referências para manifestar as 21 Ilustrações de O Alquimista, edição “Mário Diniz tem a rara capacidade de saber colocar  doçura e profundidade numa mesma dimensão” Paulo Coelho - Escritor

Primeiro ilustrador do bestseller mundial O Alquimista, de Paulo Coelho

Por Sandra Hasmann* Escritora, Colunista Sem Fronteiras

de Espanha e Brasil. Na edição de Espanha, todas as 21 ilustrações (20 ilustrações internas e 1 para a capa) foram impressas na sua forma original, coloridas, nos tons e nuances de azul e violeta. Foi um processo alquímico pessoal que levou 28 dias de reclusão para criar e pintar as obras de O Alquimista.  Sinto-Me honrado pela oportuna idade e feliz por ter atingido o propósito e cumprido a missão a mim outorgada. O compromisso com este propósito me levou ao mercado editorial internacional, expandindo o raio de ação através da arte que transbordava incessantemente para o papel, telas de pintura e de computadores, expressando a cada projeto manifestado o burilamento de alma e aprimoramento pessoal que sempre esteve conectado a tudo o que realizo. Assim, criei algumas séries de cartões postais com mensagens de autoconhecimento, canalizadas, e séries de pôsteres New Age e Cristais, que teve uma receptividade imensa

Divulgação

A Arte Alquímica de Mário Diniz

Mário Diniz

Melchizedek

Reverência

junto ao público ligado ao despertar da nova consciência e das infinitas possibilidades que Nós Somos. SH/JSF – Você ficou alguns anos afastado da mídia, e muita gente se perguntava se você tinha deixado a arte para seguir outros caminhos. O que fez nesses anos em que esteve longe do grande público? MD – A arte é uma expressão do estado de consciência em que Nos encontramos como artistas, e é natural que sigamos adiante ascendendo esta consciência. Arte é Ação, e essa consciência Me levou a aprofundar a mente na busca de novas excelências que tinha como herança divina interior. O retiro da mídia e distanciamento do grande público aconteceu naturalmente, e se fez necessário para esse aprimoramento. SH/JSF – Em finais dos anos 90, houve uma onda provocada pelo lançamento, no Brasil, do livro Viver de Luz, da australiana Jasmuheen, e você foi um dos primeiros a adotar essa prática. Qual a influência dessa experiência em seu trabalho artístico e em sua decisão de seguir o caminho terapêutico, em especial no Reiki? MD – Recebi de presente o livro “Viver de Luz” dos editores. Naquele momento, eu decidi que seria o meu próximo passo: Não mais necessitar de alimento físico para viver, aqui e agora. Essa meta foi atingida em novembro de 2001 e é uma realidade possível para qualquer pessoa que se prepare física, emocional, mental e espiritualmente, para viver essa realidade!

“Uma arte inspirada, que nutre grandes arquétipos da condição humana”. Roberto Crema - Diretor Geral da Associação Holística Internacional e Vice-Reitor da Universidade da Paz  

Estive com Jasmuheen algumas vezes e percebe-se que ela é um ser humano muito especial e consciente, diria que um “agente transformador”. A decisão de seguir o caminho terapêutico, em especial com o que é chamado de Reiki - Energia Vital Cósmica Universal, foi tomada como consequência das conquistas pessoais atingidas com estas tecnologias. SH/JSF – Qual o seu conselho para aqueles que se iniciam agora no caminho das Artes Plásticas, principalmente no trabalho de ilustração? MD – Toda obra é viva, emana energia e influencia a vida que as toca com os sentidos... Lembre-Se disso quando for manifestar suas obras artísticas. Procure os portais que honrem a Sua criação e que honrem o divino no Ser humano, assim Sua obra será magna! SH/JSF – Deixe aqui uma mensagem para nossos leitores, e aceite nossa sincera gratidão por concedernos essa entrevista. MD – Somos Todos Filhos herdeiros da Fonte Que Tudo É e devemos honrar esta herança! Sejamos Fontes, aqui e agora. Emane Sua Luz, Você pode, Você É e sempre será. Gratidão Gratidão, Gratidão! Eu Sou Mário Diniz Melchizedek  Para mais informações sobre Mário Diniz, acesse  http://www.reikidesignios.net/curr_mario.htm

“Olhar para qualquer imagem desenhada por Mário Diniz é ousar tocar a face de Deus e ser transformado”. ZulmaReyo – Escritora, terapeuta e fundadora do Centro de Alquimia Interior  

*A colunista é Life/Executive Coach, Consultora de Imagem, Terapeuta Naturóloga, Escritora e Artista Plástica. Membro da Academia Jacarehyense de Letras. Recebeu, em 2012, a medalha do cinquentenário da Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz da ONU, por seu trabalho de conscientização humanitária, sensibilização holística do ser e celebração da feminilidade. Contatos: sandrahasmann@ig.com.br www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


16

N

Jun \ Jul 2016

Do útero do Maranhão ao coração do Rio: Dez visões sobre a poesia de Ferreira Gullar.

Por Diego Mendes Sousa* Colunista On-line do Portal Sem Fronteiras Divulgação

ão há brasileiro que não tenha orgulho do Poeta maranhense Ferreira Gullar, um ser extraordinário do nosso tempo, de todos os tempos. Ferreira Gullar estreou em seu torrão natal em 1949, aos 18 anos de idade, com o livro Um Pouco Acima do Chão, que, por um longo período, foi retirado pelo próprio autor de sua bibliografia, sendo depois reposto por Antônio Carlos Secchin, quando da publicação da obra completa de Ferreira Gullar. 1 - Um Pouco Acima do Chão é um livro adverso dos caminhos que Ferreira Gullar iria abrir e seguir no percurso dos anos de sua bela trajetória literária. Nessa obra, comparecem trovas e sonetos, formas que logo seriam abandonadas para sempre, por Ferreira Gullar, reluzindo margem para a originalidade criativa do poeta, que apareceria cinco anos depois, com A Luta Corporal (1954).

2 - Ferreira Gullar é amado pelas gentes da rua. Apontado e aplaudido por onde passa, Ferreira Gullar conquistou o seu espaço no mundo, com uma poesia coloquial e transformadora, feita das coisas comuns da vida: uma fruta, um galo, uma galinha, um relâmpago de amor. É notável a sua sensibilidade. Em A Luta Corporal, encontramos todas as perplexidades que Ferreira Gullar iria aprofundar ilimitadamente, ao longo do tempo, no largo de sua enaltecida poética. 3 - O Vil Metal é um livro esquecido de Ferreira Gullar, publicado logo após A Luta Corporal. Na linguagem de O Vil Metal, aparecem palavras que, antes de Ferreira Gullar, não se liam em uso corrente na Poesia. São expressões fortes, de conversa de rua, que Ferreira Gullar passou a utilizar com maior esmero, principalmente, em seu Poema Sujo (1975), marco na literatura do século XX. 4 - Todos os poemas contidos no livro Dentro da Noite Veloz (1962-1975) são antológicos. Ferreira Gullar convoca o mundo para o mundo, momento em que surge a poesia voltada para a sociedade, preocupada com o seu destino. Instante em que também se levantam, no Brasil, vozes como as de Thiago de Mello, Affonso Romano de Sant'Anna, Carlos Nejar, Luiz de Miranda e Moacyr Félix. Ferreira Gullar influenciou uma geração inteira de artistas e intelectuais, a começar por Vinícius de Moraes, Milton Nascimento e Adriana Calcanhotto, passando por Antônio Cícero, Fagner e Zeca Baleiro, além de José Sarney, Salgado Maranhão e Maria Bethânia, dentre muitos outros, no qual me incluo também. 5 - Poema Sujo representa um luzeiro canto de memória, nas lembranças vivenciadas por Ferreira Gullar em São Luís do Maranhão, no tempo de sua infância. Li, ainda menino, o grande e longo poema de Ferreira Gullar, foram tantas vezes, que, hoje, sei de cor todos os comoventes versos do livro. Ferreira Gullar abre o seu coração no Poema Sujo. Evoca Bizuza, alma próxima de sua família; relembra o pai, Newton Ferreira, com admiração; fala dos acontecimentos banais da cidade em que vivia e suas personagens, que ficaram para sempre na retina aguda do Poeta e exalta uma teoria de velocidades, pois veloz é o galope do tempo e do destino. O fecho do Poema Sujo é secular, evidenciando a genialidade de Ferreira Gullar e o seu lirismo eterno de sonhos. Poema Sujo foi escrito no exílio de Ferreira Gullar em Buenos Aires, entre os meses de maio e outubro de 1975. É um notável testemunho de vida, repleto de genuíno amor pela Palavra e pelo Homem. 6 - Depois do livro Poema Sujo, a realeza poética de Ferreira Gullar retorna Na Vertigem do Dia (19751980), retratando seus emblemáticos temas, eleitos por sua inteligência literária, como as frutas podres, o renascimento da poesia, a palavra social... é uma obra mais branda, devido à tempestade da anterior. Na Vertigem do Dia, encontramos uma redenção, uma das pérolas raras da Poesia Brasileira, chamada “Traduzir-se”.

7 - Muitos desconhecem o magnífico poema-prosaico Crime na Flora (1986) de Ferreira Gullar. Escrito na mesma atmosfera de A Luta Corporal, estreia literária dada como válida pelo próprio Poeta, Crime na Flora é o que não lemos sobre os eus metafóricos de Gullar. Ousado, esse longo poema quer luz, é uma busca solar nas sujeiras destrutivas da vida, transgredida em um ato rebelado de palavras, na inversão da linguagem. Ferreira Gullar desponta o seu verbo ferino nesse texto que é excremento de A Luta Corporal e preparação para o lúcido e bem-vindo Poema Sujo, ponto inabalável da poética do século passado. 8 - Barulhos (1980-1987) mantém a unicidade de Ferreira Gullar. Espirituoso, o Poeta deixa-se levar por espantos, por clarões líricos e doídos. Gullar volta-se para a morte, de uma maneira bem real, não mais abstrata, como em seus primeiros momentos de visões metafísicas. Mas o azul permanece intacto, nas suas indagações de extrema dor. 9 - Muitas Vozes (1999) representa elevado ponto na convergência poética de Ferreira Gullar, aliado a uma filosofia arraigada de amor e morte, descobertas e fracassos, nos passos prosaicos da longa vivência, em amadurecimento lavrado de palavras e ritmo impresso em perdas e em escolhas afetivas. 10 - Em 2010, após onze anos de silêncio, Ferreira Gullar volta com Em Alguma Parte Alguma, ano também em que completa os seus oitenta anos de vida e ganha o honroso Prêmio Camões, a maior honraria literária da Língua Portuguesa. Há abundância de reflexão nesse claro e aberto livro de Ferreira Gullar, alimentado por novas esferas filosóficas e perplexidades poéticas. Em Alguma Parte Alguma é o coroamento de uma carreira que atravessou todas as fronteiras e encontrou, no mundo presente, a profusão de um iluminar de vidas tecendo vidas.

*Diego Mendes Sousa nasceu na Parnaíba, costa norte do Piauí. É autor dos livros de poemas: Divagações; Metafísica do Encanto; 50 Poemas Escolhidos Pelo Autor; Fogo de Alabastro; Candelabro de Álamo; O Viajor de Altaíba; Alma Litorânea; Gravidade das Xananas; Tinteiros da Casa e do Coração Desertos e o inédito Coração Costeiro. Recebeu o Prêmio Castro Alves da UBE-RJ pelo Conjunto da Obra, em 2013. É membro correspondente da Academia Carioca de Letras e da UBE-RJ, bem como membro efetivo da Associação Nacional de Escritores (ANE). Colunista on-line do Portal Sem Fronteiras. Contato: diego_mendes_sousa@hotmail.com

AJEB - Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil, com nova Presidente Nacional!

E

m reunião ordinária, no dia 8 de Abril, na cidade de São Paulo, Maria Odila Menezes foi eleita Presidente Nacional da AJEB – Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil, por unanimidade. Maria Odila era a Coordenadora da AJEB no Rio Grande do Sul (RS) e agora assume a entidade a nível nacional. A ex-Presidente, muito querida, Daisy Buazar, recebeu das mãos de Maria Odila a Comenda Literária da Coordenadoria da AJEB no Estado do Rio Grande do Sul, como reconhecimento pelo trabalho desenvolvido nas suas duas gestões no comando da associação. Em sua página, em uma rede de relacionamentos, a nova Presidente declarou: “Ontem, com um terno sorriso, o cosmos me presenteou, abrindo um novo caminho para a Coordenadoria da AJEB-RS. Assim, pude vivenciar um dos momentos mais felizes da minha vida. Uma feliz e dupla coincidência permitiu que no dia do aniversário de 46

Por Dyandreia Portugal

anos da AJEB, o destino resolvesse me acolher mais uma vez. Porém, agora, com a tarefa de presidir, nacionalmente, sua casa de Escrita, Imanência e Imortalidade da AJEB. Agradeço de coração a todas as Ajebianas que me apoiaram nesta eleição. Este voto de confiança de todas vocês fez com que eu me movesse com entusiasmo e natural responsabilidade, tendo em mente a expansão da AJEB como entidade cultural, bem como a harmonização e elevada consciência de nosso papel de intelectuais. A todas minhas amigas, transmito carinho e gratidão por dividirem comigo este momento tão especial.” O Jornal Sem Fronteiras, na pessoa desta jornalista que também é uma ajebiana, deseja a Maria Odila Menezes, um mandato próspero e produtivo para a AJEB.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Divulgação

Daisy Buazar (esquerda), passa a Presidência Nacional da AJEB para Maria Odila Menezes.


17

Jun \ Jul 2016

Coletânea Literária Bilíngue Sem Fronteiras pelo Mundo... é lançada durante cerimônia da UBE-RJ

N

o dia 11 de maio, no Centro Cultural da Sociedade Nacional de Agricultura, a UBE-RJ, em Reunião Extraordinária, recebeu como anfitriã, a Rede Mídia de Comunicação Sem Fronteiras, para o lançamento da Coletânea “Sem Fronteiras pelo Mundo...”, uma coletânea Literária Bilíngue - Português/Inglês, em comemoração aos 3 anos do Jornal Sem Fronteiras (Foto 1). A presidente da UBE, Juçara Valverde, além de Edir Meireles e Luis Poeta, fizeram considerações sobre o evento de comemoração do aniversário do Jornal Sem Fronteiras em Blumenau, realizado 1 em março. Luiz Gondim, representando a equipe de jurados, fez as considerações sobre o Concurso da Coletânea. Na oportunidade, foram entregues de forma exclusiva e pessoal, o Troféu "Magnífico Sem Fronteiras" a três dos quatro homenageados do ano. A partir do primeiro aniversário do Jornal Sem Fronteiras, instituiu-se que, anualmente, a cada aniversário, apenas 4 exemplares do troféu intitulado “Troféu Magnífico Sem Fronteiras”, seriam entregues de forma exclusiva e pessoal, 3 para como o nome diz, “Pessoas Magníficas”. Uma na área de Literatura, uma na área das Artes, uma na área de Empreendedorismo Cultural e um na categoria Melhor Colunista do Ano. Essa escolha no futuro será por voto popular, mas, por enquanto, a escolha é feita através de reunião entre os editores e os Conselheiros da publicação. É utilizado, como critério, o bom senso e, sobretudo, os destaques que cada “Magnífico” teve ao longo dos últimos anos para merecer tal visibilidade. O Troféu na categoria “Colunista do Ano” foi entre6 gue durante o Jantar de Gala em Blumenau à Colunista e Conselheira Betty Silberstein. Os demais Troféus, foram entregues durante a cerimônia da UBE, e as personalidades magníficas agraciadas deste ano foram: • Cláudio Aguiar - Presidente do PEN Clube (Categoria Literatura) (Foto 2). Formado pela Faculdade de Direito do Recife e doutor pela Universidade de Salamanca (Espanha). Pertence a várias entidades literárias e culturais brasileiras, entre as quais se destacam: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) e PEN Clube do Brasil, do qual é o atual Presidente. Publicou mais de 25 livros nos gêneros de romance, teatro e ensaio, sendo o mais recente Francisco Julião, uma biografia (Editora Civilização Brasileira, 2014), vencedor do Prêmio Jabuti 2015, Categoria Biografia. Tem livros traduzidos e publicados na Rússia, França e Espanha.  

2

4

o Dicionário Cravo Albin de MPB, com cerca de 12.000 verbetes. O Dicionário é, hoje, o maior banco de dados em música popular na Internet. Em 2001, criou o Instituto Cultural Cravo Albin (ICCA), para o qual doou todos seus bens e coleções. O Instituto passou a ser amparado por diversos conselhos compostos por cariocas notáveis. É Presidente da Academia Carioca de Letras e membro de importantes entidades culturais.

5

• Therezinha Hillal - Presidente da Sociedade Brasileira de Belas Artes (Categoria Artes Plásticas) (Foto 4). Faz parte da história da SBBA – Sociedade Brasileira de Belas Artes há 40 anos, sendo 11 anos como Presidente, realizando 10 Salões de Artes por ano. Todos com a parceria e exigências do IPHAN. Uma bela história de vida, de amor à Arte e de dedicação e altruísmo, uma vez que seu trabalho é voluntário e seu desejo maior é de preservar a história da entidade e promover a Arte e a Cultura brasileira. Lançou, neste ano, o livro comemorativo O Renascer da Phoenix, nos 105 Anos da SBBA, onde retrata a história da entidade e todo o processo de restauro do Solar do Marquês do Lavradio, o Palacete do Lavradio.

• Ricardo Cravo Albin - Presidente da Academia Carioca de Letras e do Instituto Cravo Albin (Categoria Excelência Cultural) (Foto 3). Possui formação em Direito, Ciências e Letras pela Universidade do Brasil. Escritor, historiador de MPB, crítico, apresentador, radialista e comentarista. Autor de vários livros, sempre resgatando a memória musical. Foi o estruturador e o primeiro Diretor do Museu da Imagem e do Som. Atualmente, supervisiona

Para o Jornal Sem Fronteiras, é uma honra poder contar, em sua galeria de Magníficos, personalidades tão importantes do cenário brasileiro. Pessoas comprometidas com o desenvolvimento cultural, manutenção da memória e fomento educacional. Ainda foram homenageados, com Diplomas e brindes, os jurados do Concurso da Coletânea: Juçara Valverde, Sérgio Gerônimo (Foto 5), Luiz Gondim (Foto 7) e Maria Amélia Paladino (Foto 6). E, sob representação: Betty Silberstein, José Gonzaga, Mara Lúcia Vicente Joaquim, Marly Bárbara, Antônio de Oliveira Pereira e Jacqueline Aisenman. Por fim, foram entregues certificados de participação aos coautores do Rio de Janeiro presentes, que posaram para foto histórica. Luiz Poeta, Presidente da Academia APALA – Academia Pan-Americana de Letras e Artes, concedeu a Medalha de Mérito Cultural ao Jornal Sem Fronteiras, na pessoa de sua editora-chefe (Foto 8). E Juçara Valverde, Presidente da UBE-RJ, concedeu o Troféu UBE Encontro das Américas para os editores da publicação.

8

7

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


18

Jun \ Jul 2016

JL Duarte

Continuação da página 18.

Ao final da cerimônia, durante o coquetel (foto 9, 10 e 11), foi realizada a sessão de autógrafos e registro de fotos com vários coautores cariocas Alberto Araújo, Alcina Moraes, Angela Guerra, Arleni Batista, Beatriz Dutra, Carmem Elias, Chaja F. Finkelsztain, Dalva Franlinch, Edilde Candido, Edna Lima de Mendonça, Eloisa Helena C. Barroso, Flavia Assaife, Francisco Gondar, Juçara Valverde, Larissa Loretti, Luiz Poeta, Lydia Jacome, Marcos Filho, Maria Araújo, Maria do Carmo de L. Bomfim, Marina G. T. 9 Paranhos, Messody Benoliel, Monica Rocha, Neide Barros Rêgo, Rosangela S Goldoni, Sérgio Gerônimo, Shirley Lopes, Siberia 11 Sperle, Telma Moreira, Zélia Fernandes e Zezé Barcelos. 10 Ainda na ocasião, a Antologia da ONG Madalena´s, a Literárias no Mundo, como Madalena´s em Prosa e Verso - criada para a comemoração dos 12 Bienal Internacional do Livro de 15 anos da entidade presidida por Lúcia Amélia - foi lançada e São Paulo (Brasil), Feira do Livro apresentada oficialmente aos presentes (Fotos 12 e 13). E foi de Frankfurt (Alemanha), Salão cantado o “Parabéns para você”, com bolo de aniversário, para do Livro de Berlim (Alemanha), a coautora Zezé Barcelos, que aniversariava no dia (Foto 14). Salão do Livro de Londres (InA Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... está sendo glaterra), Feira Internacional do lançada em vários estados braLivro de Guadalajara (México) sileiros, em vários países, e 13 isso acontecerá durante todo e muitas outras. o ano de 2016. Nesta edição Para que to14 de nossa publicação, além deste dos possam tomar lançamento no Rio de Janeiro, conhecimento do trazemos a cobertura do lancalendário de lançaçamento da obra no Brasil, em mentos nacionais e Fortaleza – Ceará e Mossoró internacionais, bem - Rio Grande do Norte (veja como conhecer dePágina 19) e São Luis - Matalhes sobre a obra, ranhão (veja página 31). No seus coautores e exterior, trazemos informações outras informações, convidamos para acessar: www.editoraredesemfronteiras.com.br. sobre o lançamento da obra na Continuaremos durante todo o ano, a divulgar os lançamentos República Tcheca (veja Página 34), Itália (veja Página 36), Áustria (veja Página 38) e Suíça (veja Página 38). Como nacionais e internacionais, para que nossos leitores e, sobretudo nossos sabem, na edição passada mostramos os lançamentos na Argentina, EUA e Portugal. Além da doação em bibliotecas nacionais e internacionais, já estão confirmados lançamentos em importantes Feiras coautores, possam acompanhar a caminhada do projeto.

U

m diferencial importante de nosso projeto editorial - e que temos muito orgulho de citar! - é que a obra Sem fronteiras pelo Mundo... possui a versão também em Braille; exemplares serão doados para Bibliotecas, Associações e Projetos que fazem inclusão de deficientes visuais. O objetivo da inclusão e divulgação da obra às pessoas com deficiência visual faz deste projeto da Rede Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras, um projeto mais completo que, além de ter a preocupação de não ter fronteiras geográficas, também não possui fronteiras sociais e humanas. E graças ao sério empenho, apoio e colaboração da escritora, parceira do JSF e coautora da obra, Elinalva Oliveira (Foto 1), conseguimos dar início a essa etapa tão difícil, de transformar e produzir: a obra na versão em Braille. Foram meses e meses de luta, contatando entidades, solicitando apoio e parceria, muitas das vezes sem sucesso algum. O processo de confecção da obra em sistema Braille não é barato o que, em geral, torna o desejo e o projeto inviáveis. Todavia, quem acredita na importância de proporcionar a oportunidade àqueles que não podem ler com os olhos,

2

não pode esmorecer. Então, graças às forças positivas do universo, conseguimos iniciar essa etapa. Mas, isso não teria sido possível sem a ajuda desta importante fomentadora cultural, que passa a ser para nós, da equipe Sem Fronteiras, um nome a ser ressaltado com a gratidão e respeito por seu comprometimento com a causa. Elinalva é graduada em História. Mestre em Educação Especial e Formação de Professores. Acadêmica da Academia Feminina de Letras do Ceará – AFELCE, Academia de Letras e Artes de Fortaleza - ALAF, correspondente de diversas Academias de Letras e Artes, inclusive no exterior. Escritora com textos publicados em diversos livros. Elianalva apresentou o projeto ao INESP, para análise. Este disse sim ao nosso apelo, dando, então, início a essa nossa empreitada (Foto 2 e 3). O Instituto de Estudos e Pesquisas sobre o Desenvolvimento do Estado do Ceará – INESP foi criado pela Resolução nº 200, de 30 de dezembro de 1989, e acrescido pela Emenda Constitucional nº 61 de 19 de dezembro de 2008 – D.O 15.01.09 com o nome de Instituto de Estudos Políticos e Atividades Parlamentares.

3

1

Mayra Soares

Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... em Braille!! A cultura de forma inclusiva

O INESP é um órgão de assessoramento da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, que tem como missão qualificar o debate em torno das questões da agenda pública, por meio de uma base de informações confiável e organizada sobre a realidade, orientando a crítica e a tomada de decisões do Parlamento. As ações do Instituto são pautadas na perspectiva de construção de esferas públicas de participação, promovendo reflexões e debates, tornando públicos pesquisas e estudos, informando experiências. O INESP trabalha no sentido de se consolidar como um centro indutor, aglutinador e divulgador de conhecimento, orientado para subsidiar as Comissões Técnicas e a Assembleia Legislativa. Continua na página 20

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


19

Jun \ Jul 2016

JL Duarte

Continuação da página 19.

5

E foi através da gráfica do INESP que chegou até as nossas 4 mãos os primeiros exemplares em Braille da Coletânea Sem fronteiras pelo Mundo... Por isso, nosso sentimento é de profunda gratidão a todos os envolvidos com a execução desta tarefa, a saber: • Sra. Júlia Neide Pinheiro Nogueira - Presidente do INESP. • Ernandes do Carmo - Coordenador de Impressão do INESP. • José Gotardo Filho – Responsável pelo Projeto Gráfico e diagramação no INESP. • Aurenir Lopes Alves - Responsável pela Impressão em Braille (revisor e transcritor) no INESP. • Tiago Melo Casal – Responsável pela Impressão em Braille 6 (revisor e transcritor) no INESP. No dia 15 de junho, Elinalva levou os livros em Braille para eu ver e a emoção foi algo inexplicável. Me senti uma criança em Dia de Natal (Foto 4). No dia 16 de junho, durante a programação do evento “Integração Cultural Interestadual” realizado em Fortaleza (CE) e Mossoró (RN), foram lançados oficialmente os exemplares da Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... na versão em Braille (Fotos 5 e 6). Representando o INESP na entrega dos exemplares, estavam presentes Aurenir Lopes Alves e Tiago Melo Casal, os responsáveis pela revisão e transcrição do texto para o Braille, um processo minucioso e muito trabalhoso, que apenas pessoas apaixonadas pela arte podem executar. Para se ter uma ideia na complexidade do trabalho, um exemplar do volume prosa, equivaleu a 3 exemplares em Braille. Por isso, os nossos mais profundos respeitos e gratidão aos dois. 8 Na ocasião, eles, bem como Elinalva, foram homenageados com a “Moção Cultural de Aplausos” do Jornal Sem Fronteiras, em agradecimento ao trabalho realizado em prol da cultura inclusiva. Eles também representaram a Presidente Sra. Júlia Neide e demais membros da equipe, no recebimento do “Troféu Cultura Sem Fronteiras” (Fotos 7 e 8). Em suas falas, os dois declaram a satisfação em realizar tal tarefa e também sobre a importância deste trabalho de inclusão, criando um clima de emoção. Aurenir Lopes Alves (Foto 9) declarou que, através da leitura, ela pode viajar pelo mundo, foi até Paris, viajou de trem, participou das férias de muitos e isso a aproximou de cada escritor. Este foi um momento de 11 grande emoção para mim, pois ao 10 ouvir esse relato, eu que já não me continha de tanta felicidade por realmente poder colocar em prática esse projeto, pude ter a certeza que fiz a coisa certa. Gratidão e satisfação é pouco para explicar tais sentimentos. Ainda durante a cerimônia, pude oficializar a entrega da primeira doação do livro em Braille. A primeira entidade a receber em doação a obra foi escolhida - e não podia ser diferente - por Elinalva Oliveira: foi a ACEC - Associação de Cegos do Estado do Ceará, entidade da qual ela faz parte da Diretoria, sendo responsável pelo Departamento de Educação e Cultura. Os representantes da ACEC que estiveram presentes e receberam a doação em nome da entidade foram os simpáticos e antenados João Bosco de Farias (produtor Braille, professor da Rede Pública Municipal de Fortaleza, lotado na ACEC) e Thamyle Vieira (funcionária da Biblioteca Pública Estadual Governador Menezes Pimentel, no Setor Braille na produção de Braille) (Foto 10). A Associação de Cegos do Estado do Ceará – ACEC nasceu em 9 de novembro de 1985, do ideal de um grupo de atores sociais com deficiência visual, que procuraram nessa iniciativa firmar suas conquistas de inserção social, não se deixando representar, exercendo diretamente essa ação. A ACEC surge então como um espaço de liberdade e de autonomia, contribuindo significativamente na transformação das relações sociais. Sua fundação é um marco na luta das pessoas com deficiência no Ceará que, há algum tempo, vem procurando romper os limites impostos pela sociedade, frente à deficiência, à exclusão e aos estigmas vivenciados ao longo da História. Sua missão é propiciar meios para o desenvolvimento das competências e o potencial da pessoa com deficiência visual, assegurando autonomia, segurança e dignidade para o exercício pleno da cidadania. Com programas, projetos sociais e diversos serviços ofertados como Educação de Jovens e Adultos, Atividades Extracurriculares, Serviço Social, Formação para o mundo do trabalho, além de disponibilidade de conteúdo em Braille, mídia digital, ampliada e outros,

7

9

fez dessa entidade uma escolha acertada. Como se já não bastassem todas as maravilhas que vivenciamos durante a programação do evento “Integração Cultural Interestadual” (veja a matéria de cobertura deste evento nas páginas 20 a 24 e 40), este momento foi vivenciado como ápice para a Rede Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras, sobretudo quando recebi de Elinalva a foto do Presidente da ACEC, Francisco Ferreira da Silva, lendo nosso liv ro (Foto 11). Foi uma emoção inenarrável e lágrimas me vieram aos olhos... Nosso livro era acessível! Como um sonho, voltei para o Rio de Janeiro com os demais exemplares, embrulhados em volta das roupas mais finas, como verdadeiros cristais raros e sem perder a mala de vista. A próxima doação será feita à Biblioteca Nacional, que possui o projeto Biblioteca Acessível. Este é só o começo de algo que pretendemos estender para o maior número de estados possíveis e, com isso, esperamos motivar escritores, editores e entidades a fazer o mesmo. Afinal, a inclusão à cultura é um direito de todos e precisamos, além de não possuir fronteiras geográficas, também não possuirmos fronteiras sociais e humanas. Obrigada, Elinalva, obrigada, amigos do INESP e... Obrigada Deus! Continua na página 20

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


Jun \ Jul 2016

O Evento Integração Cultural Interestadual é realizado no Ceará e no Rio Grande do Norte, com grande sucesso e importantes intercâmbios

O

Por Dyandreia Portugal

Evento Integração Cultural Interestadual, idealizado pela Escritora Socorro Cavalcante, com o apoio de importantes personalidades e entidades culturais, foi realizado nas cidades de Fortaleza (CE) e Mossoró (RN) nos dias 15, 16, 17 e 18 do mês de junho. A ideia surgiu em 2015, durante o 1º Seminário Internacional Encontro das Américas, promovido pela UBE-RJ, com o apoio do Jornal Sem Fronteiras e outras entidades. Na ocasião, Socorro Cavalcante, que foi uma das palestrantes do evento, teve a intenção de fazer um intercâmbio no Nordeste e a ideia foi imediatamente abraçada pelas escritoras Dyandreia Portugal e Juçara Valverde, que se comprometeram a estar presentes, colaborando para o intercâmbio (Foto 1). Durante os quatro dias, entidades se congregaram, escritores palestraram, artistas mostraram suas obras e importantes intercâmbios foram realizados em prol da cultura e do aprimoramento individual dos participantes, nas lindas cidades de Fortaleza (CE) e na importantíssima e histórica cidade de Mossoró (RN). Mais de 200 pessoas de vários Estados da Federação e uma da Itália estiveram presentes no decorrer da programação.

2

Mayra Soares/ Acervo Sem Fronteiras

20

1

3

Fortaleza (CE) – 15 e 16 de junho

A programação começou na cidade de Fortaleza, no Palácio da Luz, sede bela e histórica da Academia Cearense de Letras, com a Cerimônia Oficial de Abertura, presidida pelo Presidente da ACL, Dr. Dr. José Augusto Bezerra e guiada pelo Mestre de Cerimônias, o escritor e jornalista Vicente Alencar (Foto 2).

5

4

6

A Mesa Diretora foi composta inicialmente No dia seguinte, no mesmo local, foi realizada uma programação intensa: pelo Dr. José Augusto Bezerra, Socorro Cavalcanti Palestra “Uma Breve História do Livro”, por Dr. José Augusto Bezerra. (Idealizadora e Coordenadora Geral do Projeto As mesas redondas: Interestadual), Dyandreia Portugal (Jornalista e “O Valor do Cordel”, por Luiz Airton (PI), Gisleno Feitosa (PI) e José Maria ChaEditora-chefe da Rede Mídia de Comunicação e ves (CE), com apreciação de Gutemberg Liberato de Andrade (Presidente do Conselho Editora Sem Fronteiras), Dra. Juçara Viegas ValverEstadual das UBT’s do Ceará) (Foto 7); de (Presidente da União Brasileira de Escritores “A Literatura e o Cangaço” por Leandro Cardoso (PI) e Ângelo Osmiro Barreto -RJ), Cel. Gutemberg de Andrade (Presidente do (CE), com apreciação de Manoel Severo (Presidente do Cariri Cangaço) (Foto 8). Conselho das UBS do Ceará), Clara Leda Ferreira 7 “Apresentação de Poesias Fe(Presidente da Academia Feminina de Letras do minina”, por Juçara Viegas Valverde (RJ), Ceará) e Vicente Alencar (Escritor, Jornalista e Dilercy Adler (MA), Grecianny Cordeiro Mestre de Cerimônias do Evento) (Foto 3). (CE), Ana Luiza Almeida Ferro (MA), A Banda de Música do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Ceará executou o Hino Nacional. Vicente Alencar (CE), com apreciação Após os respectivos pronunciamentos dos componentes da mesa diretora, foram entregues Títulos de Arquimedes Vale (MA) (Foto 9). Culturais do Jornal Sem Fronteiras e da UBE-RJ para o Dr. José Augusto Bezerra, Presidente da Acade A apresentação do Projeto mia Cearense de Letras. Em seguida, foi apresentada a performance – Recital da Academia Maria Ester de Intercâmbio Cultural Itália/Brasil, de Leitura e Escrita (AME), do Colégio Maria Ester, sobre Comunidade, Juventude, Família e Deus. 8 com apresentação da Antologia bilínNa segunda parte da noite, aconteceu o lançamento da Coletânea Literária do evento, a gue Madre Terra, por Sonia Miquelin Coletânea Integração Cultural Interestadual, editada a convite da organização, pela Editora Rede (Vice-Presidente da A.C.I.MA. - Associazione Sem Fronteiras. Socorro Cavalcante recebeu uma homenagem especial pela importância da Culturale e Internazionale MANDALA e idealização da obra, uma vez que os registros foram criados como legado do momento (Foto Representante Internacional do Jornal Sem 4). Na ocasião, todos os coautores foram chamados para receber seus respectivos certificados Fronteiras na Itália) (Foto 10). de participação e, ao final, reuniram-se para o registro da foto histórica (Foto 5). Informações sobre este projeto editorial e seus coautores, podem ser conferidos na página 40. Da mesma forma, foi lançado o Catálogo de Artes Plásticas IntegrARTE - com capa de Aldair Ribeiro - e os artistas se reuniram para a foto histórica (Foto 6). 9 O Catálogo, organizado por Silas Falcão e Socorro Cavalcanti possui os seguintes artistas: Cearenses: Alberto Marques Filho, Aldírio Ribeiro; Argentina Austregésilo de Andrade; Eliana Maria Batista Suraty; Gilson Pontes; Joana Recamonde; Liduina Leila Lima Chaves; Rita Maria L.  Guedes Santos; Rosa Helena Rodrigues Santos e Solysmar Oliveira de Carvalho. Mossoroenses: Albetiza Leite de Souza Melo; Margarida Costa de A. Bezerra; Maria Conceição Maciel Filgueira e   Maria Freire da Costa.  10 No momento, foi oficializado também a Exposição de Artes IntegrARTE dos artistas participantes, no Salão Nobre, onde foi realizado o coquetel de encerramento e confraternização. www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Continua na Página 21...


21

Jun \ Jul 2016 ...Continuação da página 20.

Mossoró (RN) – 17 e 18 de junho

11

12 Fronteiras

Performance musical da Escritora, Tecladista e Musicista Graça Santos (Foto 13). Exposição de fotopoemas e Exposição de Artes (Foto 14). Lançamento de livros solos, como o Batendo papo com o jacaré do papo amarelo, de Juçara Valverde. Doação de livros para a biblioteca da ACL. Ao longo de toda a programação, o Jornal Sem Fronteiras outorgou Moções Culturais de Aplausos e a UBE-RJ outorgou Certificados de Mérito Cultural às personalidades, aqueles que colaboraram efetivamente para a realização das atividades e para os fomentadores culturais. A Presidente da UBE-RJ, Juçara Valverde, ainda entregou Diplomas de Sócio Correspondente da UBE-RJ. 13 No dia 17 de junho, uma caravana composta de escritores oriundos de outros estados seguiu viagem em ônibus fretado pelo evento para a cidade de Mossoró, no estado do Rio Grande do Norte. Aqui, aproveito a oportunidade para ressaltar a importância e o apoio do Presidente da Academia de Letras e Artes do Ceará, José Odmar de Lima, que não só organizou esse traslado, mas que esteve por perto de toda a caravana, que veio de outros estados, dando apoio logístico.

Mayra Soares/ Acervo Sem

Apresentação do Jornal Sem Fronteiras com abordagem sobre a importância da publicação para a Literatura, as Artes e a Cultura, por Dyandreia Portugal (Presidente da Rede Mídia de Comunicação e Editora-chefe do Jornal Sem Fronteiras e da Editora Sem Fronteiras). Lançamento da Antologia Madalena´s em Prosa e Verso, da ONG Madalena’s e da Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... versão impressa (Foto 11) e transcrita para o Braille (veja matéria das páginas 18 e 19) (Foto 12). Roda Poética – Coordenada por Juçara Viegas Valverde, com a participação de vários poetas presentes.

14 1

A programação da cidade de Mossoró começou com o empolgante city tour “Roteiro Turístico do Cangaço”, guiado pela competente Cinara Maciel, onde todos puderam tomar conhecimentos de fatos históricos impressionantes como: o fato de Mossoró ser a única cidade que conseguiu a resistência contra a investida do Lampião – O Rei do Cangaço e seu bando; ser a primeira cidade a libertar 2 os escravos 5 anos antes da Lei Áurea e ser a cidade que acolheu o primeiro voto feminino do país, por Celina Guimarães Viana. Tudo isso foi explicado pelo 3 historiador Geraldo Maia, durante a visita ao Museu Municipal Jornalista Lauro Escócia, que já abrigou uma antiga cadeia pública, foi criado em 1948 e é hoje um dos monumentos pertencentes ao centro cultural do município, abrangendo exposições referentes à sua história, além de documentos históricos (Foto 1). Esse encontro com o historiador Geraldo Maia, Cinara Maciel e Dr. Dix-sept, foi um dos momentos mais empolgantes de nossa visita (Foto 2). Geraldo Maio é pesquisador da história do Oeste potiguar, publicando seus estudos nos jornais e revistas da região, principalmente no jornal O Mossoroense, onde colabora com uma pelo magnífico Coral da Academia de Ciêncoluna semanal desde 1999. É autor de importantes livros como, por exemplo, Amantes Guercias Jurídicas e Sociais (ACJUS), que brindou reiras – A Presença da Mulher no Cangaço, Fatos e Vultos da História de Mossoró – Acontecimentos a todos durante toda a noite com diversas e Personalidades e Mossoró na Trilha da História. Em breve, o Jornal Sem Fronteiras trará uma bela apresentações musicais (Foto 5). 5 reportagem sobre ele. Mas, enquanto esperam, visitem o blog: http://www.blogdogemaia.com/. A Acadêmica Maria do Socorro Não podemos deixar de citar também a grande acolhida que recebemos do Presidente Cavalcanti, Coordenadora Geral do Projeda Fundação Vingt-un Rosado, Dr. Dix-sept to Integração Cultural Interestadual, tomou a palavra, seguida Rosado Sobrinho, que acompanhou o grupo 4 pelos demais membros da mesa. durante toda sua estada em Mossoró, dando Em seguida, houve o lançamento da coletânea literária do apoio e explicações pertinentes à cultura e evento, a Coletânea Integração Cultural Interestadual, que, como história da cidade, contando-nos também sobre já foi dito, foi editada pela Editora Rede Sem Fronteiras. O projeto a Coleção Mossoroense (veja: http://colecaomoseditorial foi explicado e a lista com o nomes de todos os coautores soroense.org.br/). Dr. Dix-sept já tinha sido lida aos presentes. Os coautores que não puderam estar presentes homenageado pelo Jornal Sem Fronteiras com o em Fortaleza foram chamados para o registro fotográfico (Foto 6). “Troféu Imprensa Sem Fronteiras”, na categoria Da mesma forma, o Catálogo de Artes Plásticas IntegrARTE foi Autoridade Cultural, em cerimônia de gala reapresentado pela Artista Plástica Eliana Maria Batista Suraty, que convidou a alizada na cidade de Blumenau em março. Em todos para apreciarem a Exposição de Artes com as obras expostas no local. breve, faremos aqui uma reportagem sobre a A Coletânea Madalena´s em Prosa e Verso e Coletânea Bilíngue biografia romanceada de Vingt-un Rosado, livro Sem Fronteiras pelo Mundo... além do Jornal Sem Fronteiras, foram de autoria do historiador Geraldo Maia. apresentados, com a colaboração de Maria Araújo (Colunista do JSF) À noite, aconteceu a sessão solene lotada e Sonia Miquelin (Represetante Internacional do JSF na Itália) (Foto 7). (Foto 3) no Salão Joseph Buolier, no Memorial da 6 O livro infantil Batendo papo com o jacaré do papo amarelo, de Juçara Resistência, com a condução da Mestre de Cerimônias Valverde, foi apresentado oficialmente. Joana d’Arc Fernandes Coelho (Escritora, Presidente da Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense). A mesa diretora foi composta pelo Presidente 7 da Mesa, Dr. José Wellington Barreto (Presidente da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais), Socorro Cavalcanti (Coordenadora do Projeto Interestadual), Jornalista Vicente Alencar (Representando o Presidente da ACL), Dr. Elder Heronildes da Silva (Presidente da Academia Mossoroense de Letras), Dyandreia Portugal (Jornalista, Editora-chefe do Jornal Sem Fronteiras), Dra. Juçara Valverde (Presidente da UBE-RJ) e Profa. Francisca Claudionora da Silveira (Secretaria Municipal de Edu., Desp., Lazer e Cultura) (Foto 4). Após a saudação feita aos participantes e convidados pelo Dr. Wellington Barreto, ouviu-se o Hino Nacional, interpretado www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Continua na Página 22...


22 10

Mayra Soares/ Acervo Sem Fronteiras

Jun \ Jul 2016

...Continuação da página 21

9 O Vereador Prof. Dr. Francisco Carlos Carvalho de Melo, autor da referida proposição na Câmara Municipal de Mossoró, entregou a Medalha de Mérito Cultural “Vingt-Un Rosado”, a mais alta honraria da Câmara Municipal de Mossoró, a Dyandreia Portugal, Dra. Juçara Valverde e Dr. José Augusto Bezerra (sob representação). Houve também momento de entrega de homenagens às autoridades presentes pelo Jornal Sem Fronteiras e pela UBE-RJ, entre os Homenageados, o Acadêmico Dr. Milton Marques de Medeiros (Presidente e Diretor Geral da TV a Cabo em Mossoró – TCM) (Foto 9), Prof. Dr. Francisco Carlos Carvalho de Melo (Vereador Municipal) (Foto 10), Dr. Benedito tamanha sua importância. Então, Vasconcelos Mendes (Presidente do Museu do Sertão) (Foto 11) e Socorro comprometo-me, na próxima ediCavalcanti (Idealizadora e Coordenadora Geral do Evento) (Foto 12). ção de nosso jornal, trazer matéria A organização do evento entregou o Diploma de Mérito Cultucompleta sobre essa preciosidade ral de Comunicação a algumas personalidades, como cultural, que traz orgulho a todos Zineide Conceição Cabral Freire de Medeiros e Francisca nós brasileiros. 11 Claudionora da Silveira. Da mesma forma, traremos na 12 A noite ainda contou com a performance teatral próxima edição uma reportagem “Invocação a Deus”, da atriz Tony Silva e da perforsobre o Artista Plástico Escultor mance musical de Maria Goretti Alves de Araújo, potiguar, Elson Mesquita (Elson que interpretou a música “Canção para Mossoró”. Henrique de Oliveira Mesquita), Na manhã seguinte, outro city tour, começando pela natural de Antônio Martins (RN), visita à Salina São Camilo de Lélis, que recebeu a todos autor da maior obra do Museu com muito carinho, mostrando o processo de manipulado Sertão, com 4 metros e ção de seu produto, sua importância e muito mais.  Fun50cm de altura por 6 metros dada em 1991, a empresa produz e comercializa cerca de 13 de largura. A escultura em 280 mil toneladas de sal marinho por ano, em suas mais 14 ferro foi inaugurada no dia variadas formas. A Região produz 95% do sal do Brasil de nossa visita, com direito e gera cerca de 30 mil empregos. Todos da caravana de a entrega de placa e muitos visitantes foram embora motivados com a visita e ainda aplausos (Fotos 15/18). ganharam um simpático “mimo” de presente. As atividades da parte da Em seguida, a visita foi no Museu do Sertão, tarde ocorreram no mesmo sem sombra de dúvida o ápice de todo o evento. local da noite anterior, o MeO Presidente do Museu, Prof. Benedito morial da Resistência, onde Vasconcelos Mendes (Instituto Cultural foi realizada uma programação 15 do Oeste Potiguar, Sociedade Brasileira 16 intensa, contendo: do Cangaço e Museu do Sertão) e sua Conferências: esposa Suzana, receberam a todos com “Valores da Amazônia”, por Dr. uma mesa de sucos e frutas da região Neuzemar Gomes de Moraes (CE), (Foto 13). Com muito carinhoso e com apreciação da Dra. Vanessa atenção, levaram todos para conhecer Gomes de Moraes (CE) (Foto 19). os 11 galpões que compõem o Museu “Religiosidade Popular do Nor(Foto 14 e 15). deste”, pelo Prof. Benedito VasconO Museu do Sertão foi fundado (em celos Mendes (RN), com apreciação 31 de agosto de 2003) e é mantido pelo da Acadêmica Joana d’Arc Fernandes Coelho (RN) (Foto 20). Prof. Benedito Vasconcelos Mendes. 17 Apresentação: Informações sobre o Projeto da ASCRIM (LanÉ um Museu Temático sobre o Sertão çamento da Plaqueta – Filme sobre o Cangaço) por Dr. Lemuel Semiárido Nordestino. Fica localizado Rodrigues e Dr. na Fazenda Rancho Verde (Estrada da Francisco José da Alagoinha, a 4 km da cidade de Mossoró 18 Silva Neto (Presi-RN) e possui uma área de 10 hectares. dente da AssociaCom 11 galpões de 25m de comção dos Escritores primento por 11m de largura, possui um Mossoroense). acervo de mais de 1.550 peças (objetos, Apresentação: utensílios domésticos, apetrechos de trabado Projeto de Inlho, implementos agrícolas, equipamentos tercâmbio Cultural e maquinas do setor produtivo) (Foto 16). Seu objetivo é resgatar o Modus Vivendi do Sertão do Semiári21 20 do. Preserva as rústicas 19 e gigantescas máquinas das agroindústrias do passado e outras peças. Leva aos estudantes e interessados pela Cultural Regional o testemunho de vida e perfil cultural dos nossos antepassados. Além das inúmeras peças históricas, o visitante encontrará uma casa de taipa com mobília típica do Sertão Semiárido; um memorial do fundador Museu do Sertão; um parque de Itália/Brasil, e da Antologia bilíngue Madre Terra, com leitura de diversos textos dos autores, por Sonia Miquelin, que também plantas úteis da caatinga (plantas frutíferas, medicinais, tóxicas, industriais, madeireiras e forrageiros e muitas outras coisas apresentou seus livros solos. interessantes, como o Pátio das Artes Vingt-um Rosado, em homenagem ao pai do Dr. Dix-sept Rosado Sobrinho). Roda Poética / Tribuna Livre, com a participação de Sonia O Museu do Sertão nunca recebeu dinheiro Público (Municipal, Estadual ou Federal) e nunca cobrou ingresso. Miquelin, Dilercy Adler, Seu acervo foi formado do longo de 40 anos, com recursos do fundador e mantenedor, o que faz do Prof. Benedito Vicente Alencar, Gilda Freitas, um grande mecenas da Cultura. Sonia Nogueira, Rejane Costa Barro, Visitas particulares e de escolas podem ser agendadas pelo e-mail: beneditovasconcelos@gmail.com ou pelo fone Ceição Maciel, Maria Goretti Alves (84) 9972-2139. O ingresso: 1 kg de alimento não perecível, doado diretamente pelo visitante ao Lar da Criança de Araújo, Gualter Alencar e muitos Pobre da Diocese de Mossoró. outros (Foto 21). Relatar aqui nesta matéria o que significou esta visita guiada (Foto 17) e o que é o Museu do Sertão seria impossível, www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Continua na Página 23...


23

Jun \ Jul 2016

22

Juçara Valverde lançou, também em Mossoró, o livro Batendo papo com o jacaré do papo amarelo e ainda presenteou vários exemplares aos presentes (Foto 22). Um momento bem emocionante deste final de tarde, foi a doação da obra de artes em óleo sobre tela “País de Mossoró”, da Artista Plástica Maria Araújo à Fundação Vingt-un Rosado (Foto 23). A obra foi recebida pelo Dr. Dix-sept Rosado Sobrinho, Presidente da Fundação, que manifestou grande gratidão pela doação à Coleção Mossoroense, realçando a importância da Arte e da Cultura e seus intercâmbios para a Fundação (Foto 24). Maria Araújo, natural de Natal (RN), radicada no Rio (RJ), é Artista Plástica e escritora. Formou-se em Lic. Plena do Ensino das Artes, Universidade Metodista Bennett; pós-graduada em Gestão Produção Cultural na FGV. Curso História da Indumentária Fac. Estácio. Colunista do Jornal Sem Fronteiras e grande parceira da Editora-chefe Dyandreia Portugal, representando-a e ao Jornal em muitas ocasiões. Maria lançou, no Salão do Livro de Paris, o livro Edifício Seabra, sobre Patrimônio Histórico e Identidade Nacional, recebendo o diploma da Société D´Encorouragement au Progrès. O livro foi presenteado a Fundação Vingt-un Rosado e ao Museu do Sertão, nas pessoas de seus respectivos presidentes. Momento acompanhado de perto por seu marido Manuel Rui e Socorro Cavalcanti (Foto 25). Ao doar essa tela, Maria Araújo resgata suas origens e cria novos laços com a Região. Em seu discurso, ao apresentar a obra e sua representatividade, ela se emocionou e emocionou a todos os presentes, fazendo do momento, um momento único (Foto 26). Ela relatou: “Convidada a participar do evento, fiquei estimulada a pintar a tela "País de Mossoró", que me deu muita alegria, por fazer um resgate histórico de uma cidade considerada Capital da Cultura do Rio Grande do Norte, Mossoró, com tantos re-

27

28

29

24

26

25 ficou atrás e acrescentou na lista de homenageadas Sonia Miquelin e também presenteou a todos com mimos (Foto 28). É importante ressaltar que a mídia escrita e televisionada esteve sempre presente, prestigiando o evento e fazendo a cobertura, como foi o caso da TCM - TV a Cabo de Mossoró e da TV Santa Luzia, do jornalista e advogado José Maria Alves e da TV Câmara Mossoró, Jornalista Jório Nogueira. À noite, para confraternização geral, todos foram assistir ao espetáculo “Chuva de Bala no País de Mossoró”, no Adro da Igreja de São Vicente. Espetáculo que mostra a história da invasão de Lampião e seu bando e a resistência da cidade. Maria do Socorro Cavalcanti (Foto 29) desdobrou-se para que todo o evento saísse de forma impecável e ela conseguiu. Comunidade, Juventude, Família, Artes, Cultura e Deus foram os temas que permearam esses quatro dias. Aqueles que foram com expectativa de conhecer a cultura nordestina, fazer intercâmbios e parcerias, não se arrependeram, pois as expectativas foram ultrapassadas - e muito! Claro que vai ter sempre aquele participante que não aproveitou a oportunidade de aprendizagem, porque é crítico demais para ver o belo e as boas intenções. Mas, certamente, esses estão entre uma minoria ínfima, que perdeu uma grande oportunidade. As autoridades culturais dessas duas sociedades nordestinas precisam ver seus membros com respeito depois deste evento, pois o que esse movimento conseguiu não foi pouco. Fomentar a cultura não é para quem quer, é para quem tem dentro de si a centelha da motivação e do desejo de criar, de ir além, de produzir em prol de um bem comum. Por isso, os meus respeitos e de toda a equipe do Jornal Sem Fronteiras e, tenho certeza, de que posso dizer também por minhas companheiras de viagem, parceiras e grandes fomentadoras culturais, Juçara Valverde e Maria Araújo, que realmente valeu a pena. Muito Obrigada, Socorro Cavalcanti e a todos que compuseram essa equipe organizadora e que contribuíram de alguma forma para a realização deste evento. Esta jornalista voltou com uma sensação de comunhão enorme e com um sentimento de gratidão. Foram dias incríveis ao lado de pessoas maravilhosas. Como eu costumo sempre lembrar e parafraseando Vinícius de Moraes: “A vida é a arte do encontro.” Então, que através desse encontro histórico, possamos ser uma fonte de luz uns para os outros e, consequentemente, para a Cultura de nosso Brasil. Celio Duarte

gistros históricos (...). Então, procurei, nessa tela, expressar esse matiz histórico que representa essa cidade e suas várias vertentes culturais. Dei vida aos pincéis e tintas para, na tela, de uma forma lúdica, fazer o registro de cada momento que sintetiza esse caleidoscópio iluminado de colorido vibrante motivado p elo sol permanente nessa translúcida cidade. (...) Foi com esse entusiasmo e a felicidade de depois de muitos anos conhecer a cidade que meus pais falavam com tanto carinho, que tive a alegria de transferir para tela minhas emoções, criando essa obra que, de alguma maneira, irá perpetuar esse encontro de artista e literários nessa grande Manifestação Cultural, sob a guarda da grande Fundação Vingt-un Rosado.” Fechando o evento, como bom anfitrião da terra, Dr. Dix-sept Rosado Sobrinho presenteou as representantes do Rio de Janeiro, e apoiadoras do evento Dyandreia Portugal, Juçara Valverde e Maria Araújo com lembranças e mimos da terra (Foto 27). Gentileza pura. Ceição Maciel também não

23

Mayra Soares/ Acervo Sem Fronteiras

...Continuação da página 22

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Continua na Página 24...


24

Jun \ Jul 2016

CARTA ABERTA - O Agradecimento de Socorro Cavalcanti

E

Coordenadora Geral do Evento Integração Cultural Interestadual

sse relato é resultado de um despretensioso desejo de tornar público o preito de gratidão às pessoas que tornaram possível a realização do Projeto Integração Cultural Interestadual nas cidades de Fortaleza (CE) e Mossoró (RN). Seria impossível a consumação do referido projeto se não tivéssemos tido o apoio e a ajuda, que me foram tão importantes e úteis. Sinto, ao findar esse projeto, que obtivemos indicadores para alcançarmos a forma correta, ou, pelo menos ideal, do viver em sociedade e de pensar que se colocarmos em nossas vidas o plano Divino, tudo converge para bons resultados. Tivemos, por esses dias, convivência fraterna, simples e desprendida de valores materiais com escritores cearenses, potiguares, piauienses, maranhenses, cariocas, paraibanos, paraenses, e até do outro lado do mundo, da Itália. Agradeço a Deus infinitamente por me dar lucidez para, ao lado de tantas outras pessoas e instituições, me permitir continuar nessa jornada literária de ensinamentos e aprendizados. Isso só foi possível dado ao esforço desempenhado por inúmeras Instituições e pessoas que, individualmente ou em grupo, se organizaram e atraíram a devida atenção e apoio para a efetivação desse empreendimento. Daí a razão pela qual, como idealizadora e Coordenadora Geral desse projeto, julgo indispensável nominar os colaboradores e externar os nossos mais sinceros agradecimentos, começando pela EQUIPE DE PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO DO CEARÁ, constituída por: - Maria Nirvanda Medeiros - Coordenadora do Projeto no Ceará - Rejane Costa Barros e Maria Gilda Freitas - Secretárias - José Odmar de Lima - Tesoureiro - Vicente Alencar - Mestre de Cerimônia - Argentina Austregésilo de Andrade - Articuladora - Clara Lêda Ferreira e Maria das Graças Teixeira Santos Equipe de Apoio - Silas Falcão, Gilson Pontes, JSilva e Aldirio Ribeiro - Equipe do Integrarte / Exposição de Artes Plásticas – Telas. EQUIPE DO RIO GRANDE DO NORTE: - Joana d’Arc Fernandes Coelho - Coordenadora do Projeto no Rio Grande do Norte - Albetiza Leite de Souza Melo, Margarida Costa de Araújo Bezerra, Susana Goretti Lima Leite, Wellington Barreto e Geraldo Maia - Equipe de Apoio - Maria Conceição Maciel Filgueira - Articuladora – Natal e Cidade Circunvizinhas. Somos particularmente gratos pelo valiosíssimo apoio advindo das conceituadas Instituições corresponsáveis: - União Brasileira de Escritores (UBE-RJ): Dra. Juçara Viegas Valverde - Jornal Sem Fronteiras (Brasil e 26 países): Dyandreia Valverde Portugal - Academia Cearense de Letras – Fortaleza (CE): – Dr. José Augusto Bezerra - TCM – TV a Cabo Mossoró: – Dr. Milton Marques de Medeiros / Zilene Freire Marques. Sensibilizada, agradecemos de coração: A Joana d’Arc Fernandes e Fátima Lemos pelos textos “Invocação a Deus” e “Comunidade, Cultura, Família, Juventude e Deus”, respectivamente interpretados, de forma brilhante, pela atriz Mossoroense Tony Silva e pelos eminentes jovens da Academia Maria Ester de Leitura e Escrita (AME), do Colégio Maria Ester de Fortaleza (CE). Manifestamos elevados agradecimentos aos componentes das Academias de Letras e afins sediadas em Fortaleza e Mossoró, através dos seus presidentes, dado suas presenças, bem como dos associados nas solenidades, e nas atividades executadas nos dias subseqüentes: •ACADEMIAS DE LETRAS E AFINS, SEDIADAS NO CEARÁ E PRESIDIDAS POR: - Dr. José Augusto Bezerra – Academia Cearense de Letras - José Odmar de Lima - Academia de Letras e Artes do Ceará

- Linda Lemos - Academia de Letras Juvenal Galeno - Clara Lêda de Andrade Ferreira - Academia Feminina de Letras do Ceará - Manoel Casqueiro - Academia Afrocearense de Letras - Vicente Alencar - Academia de Letras dos Municípios do Ceará (Presidente em exercício) - Elinalva Alves de Oliveira - Academia de Letras de Fortaleza (Vice-presidente) - Francisco José Moreira Lopes - Academia de Ciências Letras e Artes de Columinjuba e da União Brasileira de Trovadores de Maranguape - Dra. Gizela Nunes da Costa- Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil - João Silas Falcão - Associação Cearense de Escritores - Vicente Alencar - União Brasileira de Trovadores de Fortaleza - Terça-Feira em Prosa e Verso, Jornal Café Literário - Gutemberg Liberato de Andrade - Conselho Estadual das UBT’s do Ceará - Dr. Antonio Galeno Júnior – Casa de Juvenal Galeno - Maria Nirvanda Medeiros - Fórum do Centro Cultural do Ceará - Ângelo Osmiro Barreto - Grupo de Estudo do Cangaço - Maria Lina Cunha Moura - Cooperativa de Cultura do Estado do Ceará •ACADEMIAS DE LETRAS E AFINS, SEDIADAS NO RIO GRANDE DO NORTE E PRESIDIDA POR: - Dr. Elder Heronildes da Silva - Academia Mossoroense de Letras - Joana d’Arc Fernandes Coelho - Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense - Dr. Wellington Barreto - Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró - Gualter Alencar - Academia de Cordel de Mossoró - Dra. Taniamá Vieira da Silva Barreto - Academia de Letras e Artes de Martins - Dr. Diógenes da Cunha Lima – Academia Norte-Riograndense de Letras - Ivan Pinheiro Bezerra - Academia Assuense de Letras - Dr. Benedito Vasconcelos Mendes - Instituto Cultural do Oeste Potiguar, Sociedade Brasileira do Cangaço e Museu do Sertão - Dr. Dix-Sept Rosado Maia Sobrinho – Fundação Vingt-Un Rosado – Coleção Mossoroense - Dr. Francisco José da Silva Neto – Associação de Escritores de Mossoró - Flauzineide Moura Machado - Difusão da Literatura Feminina - Gilda Avelino - Representante da Associação de Escritoras e Jornalistas do Brasil (RN). Este Projeto também agradece a colaboração inestimável das Instituições Governamentais, não Governamentais e da mídia do Ceará e do Rio Grande do Norte:

•Fortaleza:

- Corpo de Bombeiros do Ceará – Cel. Heraldo Maia Pacheco - Polícia Militar do Ceará – Cel. Giovane Pinheiro da Silva - Shopping Benfica - Dr. João Soares Neto - Empresa Rodrigues F. Neto – Jose Rodrigues F. Neto - Ateliê JSilva – José da Silva - Rádio Assunção - Vicente Alencar - Rádio Cidade - Cid Carvalho - TV Educativa- Mônica Silveira

•Mossoró

- Secretaria Municipal de Educação, Desporto, Lazer e Cultura - Francisca Claudionora da Silveira - Livraria Independência - Thiago Capistrano Gonzaga - Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte – Pe. Manoel Guimarães Neto - Museu Histórico de Mossoró - Almyr Moura - Vereador Municipal - Francisco Carlos Carvalho de Melo

- TCM - TV a Cabo de Mossoró – Dr. Milton Marques de Medeiros - TV Câmara Mossoró - Jório Nogueira - TV Santa Luzia - José Maria Alves - Academia Norte-Riograndense de Letras - Diógenes da Cunha Lima Também desejamos destacar nosso apreço aos integrantes do debate atinente a Poesia feminina, da Roda Poética e conferencistas, pelo valioso conteúdo das suas apresentações e aos respectivos apreciadores, pelos oportunos comentários e as devidas complementações. •DEBATE - POESIA FEMININA E RODA POÉTICA: -Dilercy Adler, Grecianny Cordeiro, Ana Luiza Almeida Ferro, Arquimedes Vale, Sonia Cristina Miquellin, Vicente Alencar, Odmar de Lima, Gilda Freitas, Rejane Costa Barros, Sonia Nogueira, Rita Guedes, Leandro Cardoso, Gisleno Feitosa, Luiz Airton, Maria Conceição Maciel, Joana D’Arc Fernandes Coelho. •PALESTRANTES / APRECIADORES: Dr. Luiz Airton, Dr. José Maria Chaves, Dr. Gisleno / Gutemberg Liberato de Andrade Leandro Cardoso / Ângelo Osmiro / Manoel Severo Dr. Neuzemar Gomes de Moraes / Dra. Vanessa Gomes de Moraes Dr. Benedito Vasconcelos Mendes / Joana d’Arc Fernandes Coelho. Agradecemos também a: Sonia Cristina Miquellin (Vice-presidente da A.C.I.MA. e Representante Internacional do Jornal SF na Itália), que nos apresentou o importante Projeto Itália / Brasil como um caminho para a integração dos que lidam com as Artes, frente a esses países. Aos eminentes escritores e doutores Francisco José da Silva Neto e Lemuel Rodrigues, com o lançamento do Projeto – Plaqueta, atinente ao esperado filme sobre o Cangaço. Com imensa alegria, meu coração se curva para agradecer a Editora do Jornal Sem Fronteiras - Dyandreia Valverde Portugal, pelo seu devotado apoio, destinado à nossa Coletânea Integração Cultural Interestadual; aos eventos de Fortaleza e Mossoró; ao lançamento das outras coletâneas: Sem Fronteiras Pelo Mundo..., inclusive transcrita para o Braille; da Antologia Bilíngue Madalena’s em Prosa e Verso, bem como aos títulos honoríficos atribuídos às personalidades. Com relação à Presidente da UBE-RJ, Juçara Viegas Valverde, com estima e elevada gratidão, destacamos sua atuação voltada para a mobilização, reconhecimento de valores e o merecido agraciamento de títulos. Externamos, ainda, sinceros agradecimentos a Cinara Maciel pelo City Tour (roteiro do Cangaço); ao Historiador Geraldo Maia pela visita guiada no Museu Histórico de Mossoró; ao Dr. Milton Medeiros e Zilene Freire Marques pelo rico passeio à Salina São Camilo de Lélis e ao Dr. Benedito Vasconcelos e Suzana pela visita guiada ao Museu do Sertão de Mossoró. Para a tecladista e cantora Graça Santos, o nosso abraço de gratidão pela brilhante apresentação e ao deslumbrante Coral da ACJUS, os nossos festivos agradecimentos. Aos ilustres e competentes Mestres de Cerimônia, o jornalista Vicente Alencar e a escritora Joana d’Arc Fernandes Coelho, que atuaram com segurança e categoria, dando brilho à solenidade e ao desempenho das atividades subsequentes, os nossos aplausos e eternos agradecimentos. E, para maior glória, contamos com a presença de Deus nesses eventos, cujas falhas foram insignificantes diante do que cada um viu, ouviu, sentiu e ofereceu, pensando no enriquecimento individual e coletivo para o progresso da cultura, como um todo. Tudo isso nos leva a agradecer, com fervor, ao nosso MESTRE e acreditar na possibilidade da sua inclusão nos meios literoculturais. Fortaleza, 23 de julho de 2016

Socorro Cavalcanti

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Coordenadora Geral do Integração Cultural Interestadual


25

Jun \ Jul 2016

Academia Carioca de Letras outorga a Comenda da Ordem Pe. José de Anchieta aos parceiros da entidade

N

Por Dyandreia Portugal

Por Socorro | Coordenadora o diaCavalcanti 27 de junho, dando con-Geral do Evento Integração Cultural Interestadual

tinuidade aos festejos de 90 anos da Academia Carioca de Letras – ACL, foi realizada sessão solene comemorativa. Na ocasião, foi outorgada a mais alta honraria concedida pelo sodalício, a Comenda da Ordem Padre José de Anchieta - Patrono da Academia desde sua fundação em 1926 - aos parceiros da entidade, a saber: Domício Proença Filho (Presidente da ABL), Arno Wehling (Presidente do IHGB), Cláudio Aguiar (Presidente do PEN Clube do Brasil), Juçara Regina Viegas Valverde (Presidente da UBE-RJ) e Adolpho Polillo (Presidente da Academia Luso Brasileira de Letras). Estavam presentes inúmeros acadêmicos, autoridades culturais e personalidades do meio. O Presidente da Academia O orador Acad. Bernardo Brasileira de Letras, Acad. Cabral abriu a cerimônia, seDomício Proença Filho, faz o discurso de agradecimento, guido do Presidente Ricardo representando todos os Cravo Albin, que entregou homenageados.

JL Duarte

A mesa diretora composta pelo Presidente Ricardo Cravo Albin, o 1º Secretário, Acad. Adriano Espínola e os respectivos homenageados.

Acad. Bernardo Cabral faz o discurso de abertura da cerimônia.

O Acad. Sérgio Fonta, coordenador da Revista da Academia Carioca de Letras – Edição Especial dos 90 anos, apresenta a obra.

A Presidente da UBE-RJ, Juçara Valverde, recebe das mãos do Presidente Ricardo Cravo Albin, a Comenda, representando brilhantemente as mulheres da Cultura.

as referidas homenagens. O Presidente da ABL, Domício Proença Filho fez o discurso em nome dos homenageados. Por fim, o Acad. Sérgio Fonta apresentou a nova e primorosa Revista da Academia Carioca de Letras – Edição Especial dos 90 anos, referente ao 1º semestre de 2016, coordenada por ele, dando a mesma por oficialmente lançada. Ao final do evento, durante um vin d’honneur, foram distribuídos exemplares da Revista aos presentes.

Arte Por Toda Parte

Projeto Viagem Literária pela Amazônia visita a Aldeia Katón

Fonte: Assessoria de Imprensa

Por Fábio Portugal

Projeto Viagem Literária pela Amazônia cumpre seu papel na doação de livros.

Acervo Jânio Félix

N

os dias 08, 09, 10 de março, o Projeto Viagem Literária pela Amazônia 2016/2017 - do escritor e parceiro oficial do Jornal Sem Fr o n t e i r a s , J â n i o F é l i x – v i s i t o u a Aldeia Katón, em Jacareacanga (Pará), chegando em um monomotor, para a comemoração ao Dia Internacional da Mulher, proporcionando a mais de 2.000 (dois mil) índios Mundurucus, o direito à leitura. Além de livros, revistas, jornais, roupas, brinquedos, doces e biscoitos, o Projeto Viagem Literária pela Amazônia 2016/2017 levou a felicidade de maneira festiva no coração de cada mãe contagiada pela chuva de bombons, caramelos e pirulitos, enchendo de alegria seus olhos, contemplando seus filhos correndo, pulando, brincando, lendo e sorrindo no desfrute dos sabores. Jânio Félix esteve presente no Sarau do Jornal Sem Fronteira em Blumenau e, na ocasião, lançou seus livros, apresentou seus projetos e informou da necessidade de receber doações de livros para que o projeto possa continuar levando a literatura para as aldeias mais longínquas do Parque Nacional da Amazonia. Portanto, aqueles que desejarem doar livros, podem entrar em contato com: igorbellkior@hotmail.com

Divulgação

A

Jânio Félix chega à Aldeia no monomotor. Começa a distribuição de brinquedos e faz a farra dos pequenos índios, com a chuva de doces.

Exemplares do Jornal Sem Fronteiras também são distribuídos aos índios da Aldeia Katón.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

AGAV- Associação Goiana de Artes Visuais realizou o Happening “ARTE POR TODA PARTE”, na cidade de Caçu (GO), em maio, com Exposição de Pinturas e Oficinas, destinadas ao público acima de 12 anos. As manifestações culturais movimentaram a região e foram coordenadas pela Secretária de Cultura da Cidade, através da pessoa da senhora Eliene Ferreira. A Artista Lionizia Goyá, natural da cidade de Caçu e radicada em Uberlândia (MG), que é membro efetivo da AGAV, teve participação especial como convidada da cidade de Caçu, e foi a primeira vez que a polivalente artista e escritora participou de um evento desta Associação de Demiurgos. Participaram ainda, a convite os artistas Papas Stefanos, Brenda Lee, Bento Cassiano, Nonatto Coelho, Claudia Jeanne e Pedro Galvão. O Happening teve ainda exposição de telas de vários artistas da AGAV e Sarau de Poesias no Centro Cultural Rozenda Cândida Guimarães.


26

Jun \ Jul 2016

Pitadas Culturais

COLUNISTA DO ANO

Por Betty Silberstein*

Divulgação

VI Congresso de Autores Luso-Brasileiros

P

ela primeira vez, foi realizado – com grande sucesso! – o Congresso de Autores de James McSill, em Lisboa, na Sala de Âmbito Cultural do El Corte Inglés. Sob a coordenação de Helena Campos e Ricardo Laranjeira, foi apresentado um painel de oradores composto por escritores, atores, editores (TopBooks, Colibri Editora, Grupo Valente, Revista Pense Mais), assessores (Sandra Nobre - Short.Stories), formadores, que representaram o que acontece no momento no mercado do livro. Quem esteve presente, aproveitou sobremaneira os temas e oradores: - Gênese e Criação da Obra – James McSill - Acreditar, desenvolver e concretizar – A transformação da Autora – Helena Campos - Storytelling & Assessoria Literária – Ricardo Laranjeira - Uma experiência na primeira pessoa – Carla Carvalho Dias - O Mundo dos Negócios com Criatividade – Novas Habilidades e Competências com Storytelling – Josi Gomes e Neide Barros - Sete Minutos – Uma interpretação de um texto do

livro de James McSill – um momento especial, interpretado magistralmente pela atriz da Rede Globo de Televisão Maureen Miranda - Os obstáculos mais aterradores que o autor enfrena ao longo da obra e que o levam a desistir – James McSill - A busca de editora e a colocação da obra no mercado – Da Utopia à Realidade – Helena Andrade - Como chegar com sucesso à Publicação da Obra? – Fernando Gabriel Silva, da TopBooks - Divulgação da Obra – O momento da verdade no mercado – Ângelo Rodrigues - O Mercado Livreiro Brasileiro – Bruno Valente - Debate com a audiência No final do evento, James sorteou dois volumes da Antologia Sem Fronteiras pelo Mundo..., da Editora Rede Sem Fronteiras. Pena que foram só dois exemplares, pois todos os participantes queriam um! Validando o foco do seminário – “Luso-Brasileiro” - uma brasileira e um português foram os sortudos a levar esta bela obra bilíngue! Após o evento, Helena Campos lançou seu livro Da

Esta colunista com James McSill.

Utopia à Realidade. Se você não pôde comparecer e perdeu essa excelente oportunidade, acesse o site de James McSill (www.mcsill.com) e informese sobre os próximos cursos, workshops seminários e palestras de James, uma das maiores autoridades em Storytelling do momento e um dos Consultores de História (Story Consultant) mais bem-sucedidos do mundo.

*Betty Silberstein é escritora, tradutora, revisora. Graduada em Letras pela Universidade Mackenzie (SP), fez também o Curso Project Zero do Summer Institute da Escola de Educação de Harvard (EUA). Conselheira da Rebra e da SUPERECO. Diretora Cultural da OBME (Organização Brasileira das Mulheres Empresárias). Membro Correspondente de várias Academias de Letras. E é Revisora e Conselheira do Jornal Sem Fronteiras. Contatos: bettyescritora@silber.com.br Acompanhe essa Coluna semanalmente em: www.redesemfronteiras.com.br

Carmen Lúcia Hussein lança mais duas obras na Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Por Dyandreia Portugal

Livro de Poesias: O ypê-roxo no jardim

Livro de Poesias: Tempo Presente Editora CBJE, 2015 Divu

lgaç

N

ão

o dia 2 de setembro, às 15h, pela livraria Asabeça - Stand Scortecci /Rebra, a escritora Carmen Lúcia Hussein lançará mais duas sobras: Tempo Presente e O ypê-roxo no jardim. Carmen Lúcia Hussein é poeta e professora universitária. Doutora, com Pós-doutorado em Psicologia Escolar no Instituto de Psicologia na USP. Publicou alguns livros, vários artigos e recebeu 5 distinções internacionais nesta área. Ganhou vários prêmios nacionais e no exterior de poesias. Tem 21 livros de poesias, sendo 2 livros traduzidos para outras línguas. Participou em 120 Antologias, sendo 53 divulgados no exterior. Pertence a Academias (5) e Associações (4) no exterior (NLAL -Lisboa, CIEEGaliza, ALAV (Valparaiso), NLABA (Buenos Aires); Divine Académie (Paris); Embaixadora Del Mundo (Santiago); CEMD – Diáspora; ACIMA (Milão); WPSCanadá) e a entidades (15) e associações (3) nacionais. Tem livros divulgados em Lisboa e em português e espanhol em Santiago de Compostela, Galícia. Mora hoje em São Paulo. Nasceu em Taubaté.

Poesia do livro Tempo Presente: Que diferença! Menina pálida E anêmica Que tristeza ela tem! Criança que não tem brinquedo Sentada na rede de sua casa Olha a menina rica da casa em frente dela É a menina vizinha Saudável e forte E alegre O sol ilumina claramente.

Sinopse: Uma seleção de todos os livros da autora, de poesias crítico-sociais. Portanto, o livro trata de temas como problemas de educação, alienação, cidade caótica, pressões econômicas e sociais, condições de mercado, injustiça e exclusão social, condições materiais e desumanas no mundo de hoje, etc... Carmen Hussein faz na sua poesia crítico social uma denúncia das questões sociais do mundo contemporâneo. Também a poetisa “trata do amor e solidariedade humana”. A “sua poesia é simples, melódica e sincera”. Para adquirir os livros: www.livrariacultura.com www.amazon.com

Editora: CBJE, 2015

Poesia do Livro: O ypê-roxo no jardim: A construção

Construa a ti A tua vida E atua no mundo Cresça o amor em ti Desenvolva o amor em ti Cresça sempre Construa a ti no tempo infinito Seja exemplo para as novas gerações Seja consolo para os que sofrem E os desamparados Seja grandioso na solidariedade E cresces no amor no tempo sem fim Para criar luz Calor E energia a todos.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Sinopse: Uma coletânea de poesias meditativas e religiosas, que foram selecionadas dos livros religiosos da autora, Meditações e Poemas Contemplativos. Esse livro foi feito através de reflexões e meditações do encontro pessoal da autora com o divino na vida e por leituras realizadas. Da filosofia, os poemas desta obra denotam um lado humanista subjacente, que têm como centro a preocupação com o homem e não com uma verdade que o excluiria das indagações. Pode interessar aos cristãos ou pessoas de diferentes concepções. É também especialmente indicado às pessoas que gostam da leitura de Poesia. Vale a pena ler! Para contato direto com a autora: www.carmenluciahussein.com.br chussein8@gmail.com


27

Jun \ Jul 2016

Associação Poemas à Flor da Pele completa 10 anos, celebrando com grande programação!

A

Por Dyandreia Portugal

Leticia Pacini

Associação Cultural Poemas à Flor da Pele foi criada em 29 de abril de 2006 como uma Comunidade do Orkut. Quando este terminou, tinha 3 mil membros, muitos migraram para o Facebook. Hoje, a página da entidade no 1 Facebook conta com mais de 8 mil curtidas. O seu Portal na internet, o www.poemasaflordapele.com.br, possui mais de 100 mil visualizações. 2 Mais de 200 autores passaram pelos livros compostos de nove antologias, duas coletâneas e quatro livros infantojuvenis. Todos distribuídos no Brasil e presentes também na Alemanha, França, Portugal e Suíça. Muitos eventos foram realizados em várias cidades nesses 10 anos: Porto Alegre, Bagé, Bento Gonçalves e Sapiranga (RS), Rio de Janeiro, Búzios e Paquetá (RJ), São Paulo (SP), Blumenau (SC), Brasília (DF), Vitória e Vila Velha (ES), etc. Sempre com o eficiente registro de Letícia Pacine. Então, como podem ver, a cultura une e quando existe 3 um grupo disposto a interagir, compartilhar e criar possibilidades de criação despretensiosa, algo incrível e maravilhoso surge e a cultura é fomentada. Fui apresentada a este movimento logo no começo, pela querida Sonia 4 Imamura e, como membro, o vi crescer e florescer. É uma honra estar perto de gente tão talentosa e que tem como prioridade apenas construção poética, deixando as vaidades e títulos para segundo plano. É dessa forma que se constrói algo sólido. Por isso, o ano é de celebração. Em março, parte da diretoria e associados foi recebida em Blumenau, na programação cultural de aniversário de 3 anos do Jornal Sem Fronteiras. Lá, puderam se encontrar com membros da “Poemas” - como é carinhosamente chamada a Associação - ali reunidos, de vários estados brasileiros, se confraternizando (Fotos 1 e 2) como Ana Luiza Conceição (Diretora), Arlete Trentini dos 6 Santos, Basilina Pereira (Conselheira - DF), Claudete Silveira (Diretora), Doroty Dimolitsas (Diretora),  Dyandreia Portugal (Conselheira - RJ), 5 Else Lopes, Evanir Plaszewski , Iara Pacini (Diretora), Jania Souza (Conselheira - RN), JC Bridon, Roberto Ferrari (Conselheiro - SP), Rosangela de Souza Goldoni (Conselheira - RJ), Soninha Porto (Presidente), Telma Moreira (Conselheira - RJ) e os simpatizantes Luiz Poeta, Ilda Brasil, Juçara Valverde e outros. Durante o Sarau SF, a Presidente Soninha Porto apresentou a entidade, sua diretoria e membros, relatando a jornada dos 10 anos (Foto 3). Na oportunidade, os associados puderam lançar seus livros e coletâneas (Foto 4). Já na Cerimônia de 7 Gala, todos os associados presentes foram homenageados em grande estilo, por suas carreiras e por terem contribuído para a entidade chegar a este importante jubileu (Fotos 5 e 6). No coquetel de lançamento da Coletânea do JSF, a Poemas também me homenageou com uma linda medalha. Troca de carinho entre as partes e que ficará 8 para sempre em nossos corações (Foto 7). Mas é em outubro que acontecerá a grande festa dos 10 anos. Nos dias 28, 29 e 30 de outubro, em Porto Alegre (RS), acontecerá a grande programação cultural composta por: City Tour pela Eu, Soninha Porto, criamos juntos cidade de Porto Alegre; festa dos 10 anos com o e trilhamos juntos a Poemas à tema “Baile de Máscaras”, entrega de homenagens Flor da Pele. Obrigada por transe apresentações artísticas; lançamento da coletânea formarem minha vida, obrigada dos 10 anos da Poemas e Concurso Literário, com pelos eventos, pelos livros, pelos sarau de diversas atividades – tudo acontecendo momentos sensacionais que vivedentro e simultaneamente a 62ª Feira do Livro de mos, tudo está gravado aqui dentro Porto Alegre - além de lançamentos solos; jantar no do peito e tantas fotos, tantos reCTG – Centro de Tradições Gaúchas; passeio à gistros hoje fazem parte da minha história e da história cidade de Gramado e muitas surpresas!! da Poemas. Obrigada, obrigada, obrigada. Vou esperar a A Antologia será histórica este ano, devido todos para a grande comemoração em outubro, quando ao jubileu dos 10 anos e está aberta à participação de todos os escritores e cobertura completa do momento. poetas. A página custa R$100,00, com a participação por coautor de até 5 Sobre a ocasião, a Presidente Soninha Porto relatou: “Estou faremos um encontro que, espero, seja inesquecível e poemas, com uma biografia e uma foto. Cada página dará direito a 5 livros. muito Feliz! Nosso grupo que começou lá no Orkut completou sonho que cada um que contribuiu de alguma forma para O mesmo para contos e crônicas. Os sócios Poemas, membros da UBE-RJ 10 anos. Foram muitos os avanços; teve, também, muitos a nossa caminhada esteja também junto com a gente, e parceiros oficiais do Jornal Sem Fronteiras pagam apenas R$85,00 a página. recuos, o que não impediu de seguirmos em frente. O bacana para festejarmos muito a nossa amizade e a poesia.” Os interessados em receber a programação completa Já o Concurso, com suas inscrições em seus momentos finais, está disso tudo é ter tanta gente em nossos registros, em nossos e detalhada sobre a programação cultural dos 10 anos recebendo até 2 poemas, com taxa no valor de R$ 50,00. O participante momentos, mesmo que virtualmente compartilhando com da Poemas à Flor da Pele em Porto Alegre, bem como se concorrerá a medalhas, certificados e livros editados com poemas do autor a gente a beleza da poesia! É simplesmente maravilhoso vencedor para os 3 primeiros lugares. chegar até aqui e saber que, graças a vocês, meus queridos inscrever para lançar seu livro solo na 62ª Feira, do Livro de Como já informado, o lançamento da antologia e a cerimônia de poetas, ativistas, coordenadores de meios de comunicação, Porto Alegre, participar da Antologia e Concurso, podem premiação do Concurso acontecerá na 62ª Feira do Livro de Porto Alegre, representantes de grupos poéticos, presidentes de aca- entrar em contato por um dos meios abaixo: tamujuntu.poemasflordapele@gmail.com no Memorial do Rio Grande do Sul, no dia 29 de outubro, com coquetel, demias, artistas, músicos, diretores, sócios, conselheiros, heisoninha@gmail.com - somareditora@gmail.com  sarau e muita alegria (Foto 8). enfim, todos que se manifestam com arte e poesia e que Fones: 51- 82230759 (WhatsApp) ou 51-33917237 O Jornal Sem Fronteiras já confirmou a presença e estará fazendo a um dia acreditaram nessa mulher que descobriu a poesia: www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


28

Jun \ Jul 2016

Vitrine Literária do Sul Por JC Bridon & Arlete Trentini*

Divulgação

100 Anos da Querida Tia Mimi

Francisco Hostins, para todos nós, o ‘Seu Chico’

E

Hoje, faço esses versos Que brotam do coração Para a querida Tia Mimi Que eu amo de montão Uma pessoa do bem E fácil de ser amada Sempre gentil e carinhosa Alma pura e grandiosa

Divulgação

sse homem foi Professor, Diretor de colégio, Secretário de Educação, Vereador e Prefeito da cidade de Gaspar. Sempre foi muito atuante na igreja e em outros segmentos da nossa sociedade, onde era solicitado. Um grande exemplo na vida familiar. Casado por 50 anos com a querida Zelma, tiveram 4 filhos e 8 netos. No dia 19 de maio, nossa cidade vestiu-se de luto por tão grande perda. Todos nós ficamos entristecidos. Seu Chico marcou a vida de muitas pessoas da nossa cidade, com a sua humildade, bondade, generosidade. Cada uma delas relatava com grande emoção esses fatos. Temos uma gratidão imensa por esse ser humano iluminado.

Sr. Chico com a esposa Zelma.

Mulher forte, mulher guerreira E de grande sabedoria Tem sempre a palavra certa Que chega a nós, como melodia Ela nos transmite uma paz que acalma a alma e o coração. Agradecemos a Deus pelos 100 anos da Tia Mimi. Agradecemos, porque, com ela, aprendemos muito. Feliz aniversário, Tia Mimi, nesse abençoado ano de 2016. Com todo carinho, de seus sobrinhos Júlio César e Arlete

Sr. Chico, a esposa Zelma e a dona da casa Celina Pamplona Farias.

Na missa de sétimo dia, vi os familiares como taças que transbordam compreensão, serenidade, paz e gratidão. O legado deixado pelo nosso querido ‘Seu Chico’ foi absorvido por seus familiares. Ele voltou à Casa do Pai por uma estrada iluminada que ele construiu ao longo dos anos que aqui viveu. A Coluna Literária do Sul, aqui representada por JC Bridon e Arlete Trentini, prestam uma singela homenagem a esse tão grande gasparense.

As Super Poderosas

Exposição Fotográfica - A Beleza Além do Câncer m dia, recebemos a notícia que mudaria nossas vidas. Estávamos doentes. O câncer estava em nosso corpo e, ali, iniciávamos uma batalha. Uma batalha dura e difícil. Um tratamento penoso e que nos deu muitas limitações. Entretanto, a nossa vontade de vencer sempre foi superior a tudo que poderia ser ruim. O nosso sorriso sempre estava ali. Assim, no meio dessa turbulência, nos conhecemos. “O câncer leva, mas traz também”: ele trouxe a nossa amizade e todas as outras que vieram por meio dela. Um dia, despretensiosamente, criamos nosso grupo no aplicativo WhatsApp para reunir mulheres que estavam vivenciando a mesma experiência e para que pudéssemos nos apoiar. Em seguida, criamos nossa fanpage no Facebook para ampliar esse apoio e espalhar nossa alegria a outras mulheres. Em nossa fanpage, há mulheres lindas, guerreiras determinadas. Lutando com todas as forças para vencer esta terrível doença. São depoimentos emocionantes. Além disso, buscamos conteúdo para informar essas mulheres poderosas. Nosso próximo passo é criar um site para que possamos armazenar essas informações e alcançar ainda mais mulheres que estejam passando pelo tratament o oncológico. Diante disso, surgiu a possibilidade de realizarmos essa exposição fotográfica para reunir algumas dessas mulheres do grupo e mostrar de forma artística a beleza de cada uma delas.

Acervo As Super Poderosas

U

Por Ana Paula Voss Gomes, Administradora do Grupo “As Super Poderosas” e Rafaela Vancini Silva

A beleza e a determinação daquela que está iniciando o tratamento, a beleza de quem está no meio do caminho e a beleza daquela que já terminou esse capítulo da sua vida. As fotos foram realizadas no dia 01/05/2016, no Fazzenda Park Hotel, Gaspar (SC). Nossa intenção é mostrar ao mundo que podemos ser lindas e podemos realizar nossas atividades cotidianas (mesmo que com

algumas limitações) durante o tratamento. Mostrar a beleza da mulher em diferentes fases do tratamento oncológico, apoiar e incentivá-las com exemplos de coragem, fé, bom humor, autoestima e vontade de viver. O câncer não conseguiu apagar nossa beleza e é por essa razão que queremos abraçar outras mulheres que estejam passando por isso através desse projeto.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Continua na página seguinte.


29

Jun \ Jul 2016

“A FOME”

S

Por JC Bridon

abem o que mais me deixa triste, melancólico e indignado? A injustiça, a falta de respeito com o ser humano, principalmente, com as criancinhas. Além de serem atacadas e violentadas por pedófilos, ainda morrem de fome, por não terem o que comer num mundo desigual desses. Temos que fazer alguma coisa. Temos que tomar atitudes que os governantes não tomam. Temos que “defendê-las” de tudo que lhes causa mal. Temos o dever de estar à frente e podarmos, de uma vez por todas, todo esse extermínio terrível de nossas criancinhas. Se os que governam o País e o Mundo não tomam atitude alguma, devemos nós apadrinhar essas crianças infelizes e, cada um, fazendo a sua parte, um pouco já vai amenizar. Estamos assistindo um verdadeiro massacre desses inocentes, que não sabem e não têm quem os defenda. Vamos fazer uma grande empreitada para salvaguardar nosso futuro, salvando, assim, milhares de inocentes que, hora a hora, estão morrendo por não ter um pedacinho de pão ou água para os alimentarem. Triste fim para uma humanidade que se afirma, cada dia mais, como avançada!!! Em quê? No quê? Se deixarmos milhares morrer da forma que estão morrendo, não estamos vendo avanço em praticamente nada. Novos aparelhos que somente instigam a guerra entre inocentes, adolescentes e até entre as próprias crianças, que não sabem qual rumo seguir, porque estão completamente desorientadas. Pais, que deixam os filhos à vontade, sem nada cobrar-lhes

com medo de “sei lá o quê”. Governantes que viram as costas para quem tem fome e sede de justiça e que não sabem o que significa alimentar-se dignamente com pão. Apenas pão já bastaria em milhares de casos. Por que não criam penitenciárias agrícolas, no meio da Amazônia, para aqueles que mataram, estupraram, assaltaram, sequestraram, molestaram crianças e idosos, para que eles plantem e vivam do seu próprio sustento e, ainda ajudem a eliminação da fome no mundo? Não é possível? Quem diz isso não acredita no que o Grande Mestre Jesus Cristo sempre afirmou. Vamos lutar por isso. Vamos batalhar para que essa turma de políticos e governantes, finalmente, faça alguma coisa de útil. Não podemos mais ver crianças, adolescentes, idosos, homens e mulheres, apinhados em lixões, colhendo aquilo que lhes matará a fome. Aqui, no Brasil, isso é inacreditável e inaceitável. Lá fora, com os parcos recursos que possuem, tudo é diferente! Mas, nós, o Brasil e os verdadeiros brasileiros, poderíamos fazer com que aqueles problemas também fossem resolvidos. Basta um pouco de boa vontade! Uma das saídas seria as Penitenciárias Agrícolas, porque hoje em dia, os presos têm muito mais que muita gente neste Brasil e no mundo afora. Vamos parar de ser hipócritas e dar trabalho a quem está dando trabalho ao Brasil e aos seus contribuintes, porque somos nós, os contribuintes, que pagamos tudo, que cobrimos as mordomias dos presos. Está na hora de um basta. Não só “vamos parar para pensar”. Vamos fazer. Por que isso é tão difícil?

Divulgação

Continuação da coluna Vitrine Literária do Sul.

Sinceramente, não acredito em dificuldade alguma nisso. “Coitadinhos”, vão ter que trabalhar! Talvez muitos afirmem, principalmente os que os defendem. Mas, quando mataram, estupraram, violentaram crianças, assaltaram e tudo fizeram para estar lá, ninguém pulou à frente para defender as famílias das vítimas. Mas, os presos, “coitadinhos deles”, não podem ser maltratados! Desde quando neste País, TRABALHAR é ser maltratado? Está na hora dessa turma que enche os Presídios, Penitenciárias e Cadeias, saiam dessa “mordomia” e vão trabalhar, sim, trabalhar para plantar, colher. Isso sim, seria uma limpeza e não, em vez disso, dar Bolsa Reclusão. Onde já se viu isso? Só aqui mesmo, onde quem manda é essa turma, uma pequenina minoria de políticos corruptos, salvo algumas exceções, e que não querem nada com nada, só encher os seus bolsos. Vamos, pessoal, vamos cobrar mesmo, pois a hora está chegando. Vamos botar gente que só cometeu crimes, na roça, para TRABALHAR e ganhar o seu próprio sustento. Pensem bem! Ainda temos chance de sermos melhores, de o mundo ser melhor, de pessoas serem melhores e, assim, contribuir um pouco para amenizar essa que é a mais terrível das verdades: “A FOME!”

ALI BABÁ e os .........

H

Por JC Bridon

oje, lembrei-me dos contos das Mil e Uma Noites, principalmente daquele famosíssimo Ali Babá e os tantos... Não era de se estranhar que os “escolhidos ministeriáveis” estão sob suspeita. Na verdade, estão sendo investigados por propinas, desvios de verbas e outras tantas. Tenho que dizer a verdade: SINTO VERGONHA DE MIM! Sim, porque parece que aquele conto foi escrito para os políticos brasileiros. Triste fim para algo que parecia tão bom! Ainda têm a coragem de falar em democracia e que se fez o que o povo brasileiro queria! Que povo? Para mim, 70% da população correspondente a mais ou menos uns 140 milhões de brasileiros e não alguns milhares que foram às ruas, pedindo mudanças urgentes. Não queriam somente a saída de uma Presidente e a entrada de outro, investigado também. Desejavam e ainda o fazem por mudanças. Não venham me falar de Parlamentarismos que perpetuam os políticos no poder. Não sei se eleições, agora, iriam resolver gravíssimos problemas de políticos, de poder e de tudo que podem, querem e conseguem. Dizem que o Brasil é um país diferente dos outros. Concordo plenamente, porque aqui as coisas mais inusitadas acontecem. Ontem alguns eram de tal partido e oposição. Hoje, 13 dias após, estão no outro lado e são situação. Alguém acredita que isso é sério? Conversas são gravadas e eles, com a maior cara de pau, dizem: - Não sei do que estão falando, porque não devo nada para ninguém!

Se não fosse tão trágico, afirmaria que é cômico. Infelizmente, não temos Escolas, Hospitais, remédios, segurança, etc... Aliás, não temos nada! E a mídia? Parou de falar e mostrar os Hospitais, com gente morrendo nos corredores. Deveriam ter continuado a falar, porque a situação somente piorou. Ontem, eram os ladrões do lado de lá. Agora, são os do lado de cá. Ali Babá, que viveu naquela época, reencarnou no Brasil e, hoje, vive no Congresso Nacional, construído em 5 anos, para deleite dos que detêm o poder. Como já tenho mais de 70 anos, não quero e não vou votar mais. Antes, com a tal democracia de voto obrigatório, tinha que ir lá, naquelas urnas de “me engana que eu gosto” e digitar o voto. Faria alguma diferença se eu não fosse? Claro que não! Se não se importam com milhões de votos, vão se preocupar com um apenas? É, a coisa não está feia. Estou acreditando que a Operação Lava-jato vai pôr muitos na cadeia ainda. É só esperar para ver. Se o brasileiro, enganado pela mídia e meios de comunicação, se deixou levar, agora as coisas são diferentes. Juscelino, que Deus o tenha, jamais imaginou que, um dia, Brasília acabaria assim, com tantos Ali Babás dentro dos edifícios. Desejo que o povo não sofra mais. Infelizmente, o que está por vir é algo que não está no controle do povo, porque o povo é somente o povo e nada mais. Não me iludo mais. Acabou de verdade, povo de Deus!

“Verbalizando a Poesia”

V

erbalizando a poesia é um projeto criado por Ivo Hadlich Scheik, em Blumenau (SC). Projeto que, através de oficinas por ele ministradas, ensina todas as técnicas em declamar em público; as diversas nuances da poesia tornam-se um espetáculo quando interpretadas utilizando um texto, a articulação das mãos, olhos, face, podendo a indumentária, sons, adereços de mãos incrementarem a poesia. Não necessariamente a interpretação tem que ser um monólogo. Algumas pessoas, inclusive a plateia, podem participar do show declamatório. Os diversos espaços, tablados, palcos, salas de aula, círculos, e por aí afora, todos precisam orientação como utilizá-los. Nestas oficinas, Ivo exige que seja mencionado o nome do autor, o título da obra, e jamais mudar o texto. As primeiras oficinas foram um absoluto sucesso. Um bom número de entidades já agendou as oficinas. As oficinas acontecem em duas circunstâncias diferenciadas, sendo uma teórica, e a outra prática. Segundo consta, é algo inédito na cultura. Mais informações: ivohadlich@yahoo.com.br

*JC. Bridon é pseudônimo de Júlio César Bridon dos Santos. O colunista é Poeta e Escritor, com 14 livros publicados. Comendador da ALG - Academia de Letras de Goiás; Delegado da ALAV - Academia de Letras e Artes de Valparaíso (Chile) e Acadêmico de várias Academias do Brasil. Possui ainda as Altas Insígnias da “Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture”. Contato: bridon@terra.com.br. *Arlete Trentini, nascida em terra catarinense, Dona Emma, em 16 de maio de 1952, é casada com o poeta Júlio Cesar Bridon dos Santos. Artista Plástica e Escritora. É Acadêmica de várias Academias nacionais e internacionais e detentora de inúmeras outorgas e premiações, bem como também as Altas Insígnias da “Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture”. Contato: arletesan@terra.com.br

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


30

Jun \ Jul 2016

Saberes e Fatos Por Stela Oliveira *

O Colecionador de Antiguidades

N

Divulgação

A partir daí, ele passou a entrar em contato com elas, dizia que era para ele fazer um acervo histórico e não deixar essa memória ser esquecida pela população. Com essa iniciativa, tornou-se conhecido como Colecionador de Antiguidades. As pessoas passaram a procurá-lo e doar suas fotos para ele. O seu acervo conta, hoje, com aproximadamente 4.000 fotos. Ele pretende fazer um catálogo com elas, porém há dificuldade, devido aos direi-

A

Em tempo! Durante o 9º Salão do Livro de Ipatinga, realizado entre os dias 18 a 22 de maio, no Centro Cultural Usiminas, em Ipatinga (MG), esta colunista entregou exemplares do Jornal Sem Fronteiras para as importantes escritoras e líderes culturais em suas regiões, Andreia Donadon - Coordenadora do Projeto “A Poesia bate na sua porta” de Mariana/MG (Foto A) e a Marília Siqueira - Coordenadora do CLESI - Clube dos Escritores de Ipatinga/MG (Foto B).

Divulgação

il Rodrigues se considera um artista de antiguidades, especificamente de Governador Valadares, sua cidade do coração. Apesar de não ter estudado muito, tem grande conhecimento sobre memória cultural. Sua formação acadêmica é o Ensino Médio. Ele me relatou que passou a se interessar por essa arte de colecionar fotos antigas de Valadares em 2009, quando foi Presidente da Associação Comunitária do Bairro São Pedro e viu algumas fotos da enchente de 1979, que invadiu o Colégio Washington Luis, hoje desativado. Então, ele passou a procurar por outras fotos nas escolas e com pessoas que moravam próximos onde a água havia invadido tudo. Para a sua surpresa, havia mais fotos que ele poderia imaginar e elas não eram acessíveis às demais pessoas.

tos de imagens que precisam ser liberadas por seus proprietários. Para enriquecer sua coleção, fez um vídeo do Bairro São Pedro. Sua primeira exposição foi no Clube Filadélfia, em 2009. Com essa divulgação, ficou mais fácil adquiri -las, visto que a maioria delas está em poder das pessoas que as fotografaram. A riqueza do seu acervo é tão grande e valiosa, que ele está sempre sendo convidado para expor suas fotos em diversos espaços da cidade. Umas de suas fotos mais raras são as da linha férrea, no centro da cidade, do time Pastoril, e de uma escola de madeira da década de 50. Para ele, que se tornou um amante dessa arte, a história de uma cidade não deve pertencer apenas a um grupo pequeno de pessoas e sim disseminá-las, para que todos possam conhecê-la e comparar o seu progresso com o decorrer dos anos. Para contato: Facebook: Fotos antigas e atuais de Governador Valadares (MG).

B

* A colunista é mineira de Abre Campo, mas reside em Governador Valadares (MG). Graduada em Pedagogia e Pós-graduada em Psicopedagogia. É Escritora e Poeta. Autora do livro “Marcas de sofrimento e esperança”. Membro e Vice-Presidente da Academia Valadarense de Letras. É Membro Correspondente da Academia de Artes, Ciências e Letras de Iguaba Grande (RJ), da Academia de Letras e Artes Buziana - Búzios (RJ) e da Academia de Letras Música e Artes de Salvador (BA). É associada à REBRA – Rede de Escritoras Brasileiras.

Momento Olímpico Por Assessoria de Imprensa Divulgação

Cerimônia da Academia Ipê, em Lisboa-Portugal Fonte: Academia Ipê Divulgação

A

arte sempre esteve interagindo em cada época e se adaptando ao seu meio cultural. Notadamente, percebemos, hoje, de forma nítida, a superação da arte em suas relações de sociabilidade. Nós a vemos aliada ao conhecimento tecnológico, à cultura digital, às políticas públicas como em suas aplicações em arte-educação e, com isso, a construção de uma identidade diversa e inclusiva. A arte, em sua aventura e interação com o meio social se torna preponderante nos dias de hoje, ao trazer consigo a perspectiva da criticidade, num tempo de uniformidade de pensamento. A exposição de Momento Olímpico, de J. Afonso, está iniciando uma jornada pela arte e este momento histórico do nosso país com as Olímpiadas, a valorização da saúde, do esporte, e da paz através da integração dos povos. Momento Olímpico é uma exposição que nasce em Xanxerê (SC), do artista plástico e escritor J.Afonso e irá ter sua conclusão em agosto, no estado do Rio de Janeiro, juntamente com a Galeria de Arte NG ARTE, durante as Olimpíadas no Brasil. As obras ainda estão nascendo, em um processo de superação, integração, através da mostra também de livros, catálogos de arte. Esperamos que até agosto todas as obras relativas a este momento olímpico estejam concluídas, comemorando este evento maravilhoso do esporte e integração mundial entre os povos. J.Afonso, ao longo de sua jornada, participou de muitos eventos de arte e literatura, com várias premiações. No mês de maio, foi honrado com o Prêmio “Cora Coralina” de Literatura pela Academia de Artes e Literatura de Goiás. “Fico feliz de iniciar esta jornada de arte aqui em Xanxerê. Com certeza, esta exposição já é um Sucesso pela própria razão de ser Momento Olímpico. Agradeço sempre pelo apoio de todos.” informa o artista. Mais informações: jalafonso@gmail.com

Os acadêmicos empossados José Siles González (Espanha) e Ricardo Jorge Sousa Fonseca (Portugal), ladeados pela Drª Onã Silva, Presidente da Academia IPÊ (esquerda) e Célia Maísa Ferreira Felipe, Secretária Geral da Academia IPÊ.

A

Academia Internacional de Poetas e Escritores de Enfermagem – Academia IPÊ – entidade que congrega profissionais de enfermagem autores de poesias e demais gêneros literários – realizou uma histórica cerimônia de Posse de acadêmicos, no dia 3 de junho, em Lisboa-Portugal; oportunidade de celebração junto à enfermagem de três países: Brasil, Portugal e Espanha. Na ocasião, a Academia IPÊ foi representada pela Presidente, a Drª Onã Silva e a Secretária Geral Célia Maísa Ferreira Felipe. A Presidente teve a honra de empossar dois acadêmicos internacionais: o Prof. Dr. José Siles González, Catedrático da Universidad de Alicante-Espanha, ocupante da Cadeira nº 3; e Ricardo Jorge Sousa Fonseca, enfermeiro, português ocupante da Cadeira nº 16. O evento foi emocionante e a realização do mesmo foi possível devido ao apoio que a Academia IPÊ recebeu da Associação Portuguesa de Enfermeiros e da Escola Superior de Enfermagem São Francisco das Misericórdias, da Universidade Autónoma de Lisboa.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


31

Jun \ Jul 2016

Saudações Literárias Por Jô Ramos*

O

Interpretando Clarice Lispector

lá, pessoal! Dando início ao segundo semestre de 2016, a ZL Editora apresenta a nova Antologia Interpretando Clarice Lispector, para todos os apaixonados por esta grande escritora. Amada por tantos, Clarice sempre nos desperta para o que temos de profundo, ela te convida a sair do raso, do óbvio, da mesmice, da pieguice, etc. É por isto que a ZL Editota propõe um mergulho na alma humana, através de textos reflexivos sobre esta autora e sua obra. Os autores escolhem um texto da escritora e interpretam. Estaremos, sempre que possível, dando mais um passo na busca de algo realmente significativo. É assim que trabalhamos. Queremos lembrar que em setembro estaremos no Salão do Livro de Berlim e Lisboa, recebendo autores e suas obras para exposição, divulgação e vendas. Em Berlim, nosso palestrante será o respeitado escritor, roteirista de publicida-

de, cinema e televisão, o brasileiro André Sant’Anna, com o seu livro O Brasil é Bom, onde denuncia a pobreza moral da classe média e as tensões raciais e sociais em ebolição no Brasil. Será um grande dia! Com isso, meus eventos literários seguem buscando um aprofundamento cultural do que é ser escritor no nosso país. Em Lisboa, teremos um workshop sobre Literatura Brasileira e várias outras atividades. Seguindo como agente literária, estou recebendo textos e livros para análise. Devo dizer que tudo que faço tem um compromisso com a cultura, com o autor e com o nosso país. Por isso, meus eventos são intimistas e pretendo que continuem dessa forma, buscando um espaço onde o autor se vê, se coloca, é apreciado e percebido. Saudações literárias, Jô Ramos

*A Colunista é Jornalista, pós-graduada em Sociologia Urbana com Licenciatura em Letras. Editora-chefe da Revista Lapa Legal Rio, Diretora da ZL Comunicação, proprietária da ZL Editora e fundadora/coordenadora de projetos do Movimento Defesa da Mulher, que trabalha pelo fim da violência contra mulheres no mundo. Lançou os livros Violência Contra Mulheres. Dê um Basta; A Mulher e Seus Direitos; A Silent War; Violence Against Women in Brazil e Violenza Contro Le Donne. Diciamo Basta. Criou e coordena o Salão do Livro de Nova Iorque e a Exposição Tributo a Tom Jobim. Participa da Feira do Livro de Londres e da Suécia, com um estande. Contato: jo.qhramos@gmail.com e www.defesadamulher.com.br

FLAEMA - 1ª Feira do Livro do Autor Maranhense Lança a Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo...

C

om o tema: “O Renovo da Atenas Brasileira” e o lema: “Maranhenses unidos na Arte e nos Livros”, a FLAEMA - 1ª Feira do Livro do Autor Maranhense teve como objetivo principal resgatar a Athenas Brasileira, com a ideia do Renovo. José Viegas, seu idealizador, juntamente com a escritora Cléo Rolim, idealizou e reuniu Literatura, Música, Artes Plásticas e Artes Cênicas, numa forma de abordar várias linguagens em que a Arte e seu Artista foram o foco. O evento aconteceu no Shopping da Ilha, em São Luis, entre os dias 20 e 29 de maio. Nove escritores maranhenses foram homenageados, entre eles, Profa. Dra. Marina Gutman Tosta Paranhos, Dra. Ana Luiza Almeida Ferro, Dilercy Aragão Adler e Benedita Silva de Azevedo. A Feira contou com 102 escritores, 29 palestrantes, 20 horas de músicas autorais, 26 eventos de artes cênicas e 104 metros apresentam e distribuem Anna Elizandra e Charles Simões . quadrados de Exposição de Artes. Tudo isso exemplares do Jornal Sem Fronteiras com talentos 100% maranhenses.

Charles Simões lê textos da Coletânea Sem Fronteira pelo Mundo... ao lado dos coautores, durante a apresentação da obra ao público.

Divulgação

Por Dyandreia Portugal Com a colaboração de Charles Simões – Escritor

Cléo Rolim e José Viegas (a direita), idealizadores e organizadores do evento, recebem os escritores Rai D`Lavor e Charles Simões.

Celebrando o momento, a partir da esquerda: Profa. Dra. Marina Gutman Tosta Paranhos, Charles Simões, Cleo Rolim, Eliane Moraes, Rai D`Lavor e Dra. Ana Luiza Almeida Ferro.

No decurso dos 10 dias da feira, foram sorteados, entre os visitantes, 6 livros por hora (numa média de 1 livro por cada 10 minutos), num total de cerca de 696 livros. A Rede Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras não poderia ficar de fora desse evento e foi gentilmente convidada por seus organizadores, já que o Maranhão também está representado na Coletânea Literária Bilíngue Sem Fronteiras pelo Mundo... com a participações dos coautores

Ana Luiza Almeida Ferro (que inclusive é a ganhadora do segundo lugar no Concurso da Rede Mídia), Marina Gutman Tosta Paranhos (que lançou seu livro de poesia Outrora Agora na FLAEMA) e Charles Santos Simões. A Editora Rede Sem Fronteiras doou algumas coletâneas para serem sorteadas durante o evento. Além disso, mandou como representante a escritora pernambucana Rai D’Lavor e também a poetisa Anna Elizandra, maranhense de Santa Luzia do Tide, que apresentaram ao público, junto com o escritor Charles Simões, o Jornal Sem Fronteiras. A Editora contou, também, na hora do lançamento, com a presença da escritora Eliane Moraes, que lançou na FLAEMA o seu romance Comensais (Editora Chiado). A primeira edição do evento foi excelente e inaugurou um legado para o escritor maranhense. Esperamos que a cada edição, a Feira cresça mais ainda, como importante movimento cultural que é. Parabenizamos os organizadores e apoiadores. No site oficial do evento (http://www.flaema.org/), muito bem feito e eficiente, podemos conhecer detalhes desse belo e inovador projeto.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


32

Jun \ Jul 2016

Emigrantes Por Josiana Martins & Sergio Barbosa*

“Brazilian International Press Awards”

C

Evento premia a produção cultural brasileira no exterior e em 2016 completa 19 anos de história.

omo prometido, cá estaAcervo Emigrantes e eu já estou na expectativa para ver 1 mos nós novamente para 2 de perto esse espetáculo. Sabemos o contar como foram os dias quanto ainda é difícil para qualquer porem Fort Lauderdale, na tador de deficiência conseguir realizar Flórida, durante as comemorações do seus sonhos e, para mim, Josiana, que Brazilian International Press Awards sempre estive bem perto de crianças e 2016. Como já era de se esperar, adolescentes, foi marcante poder ver a foram momentos muito especiais, Thati subir ao palco, sendo acompanhada que celebraram a Arte e a Cultura pelo pai, todo orgulhoso até as escadas. Brasileira nos Estados Unidos. Fico imaginando a emoção dele e da Nessa edição, foi homenageada mãe, naquele momento, e isso me fez Nicete Bruno (Foto 1), atriz consaeleger esse prêmio, não como o mais 3 grada na televisão e no teatro. Além de todo o talento importante da noite, mas, sim, como o e experiência – acredite! – ela é uma doçura de pessoa. mais profundo, o mais emocionante, o mais carinhoso. Simplesmente Falou com toda delicadeza com o Emigrantes e ressaltou me tocou profundamente! a importância de eventos como este para valorizar a Outra alegria para nós foi poder acompanhar nossa querida produção cultural brasileira fora do país. Aproveitamos a Beti Rozen (Foto 5), Representante do Jornal Sem Fronteiras nos EUA, oportunidade e também conversamos com Beth Goulart sendo homenageada pelo seu maravilhoso trabalho em literatura. Mais (Foto 2), mais do que orgulhosa e feliz, a filha se mostrou uma vez, minha experiência com crianças me obriga a dizer: que lindos a fã número da mãe e a acompanhou durante todo o livros a Beth disponibiliza aos pequenos leitores. Uma delícia passear tempo das comemorações. pelas cores, desenhos e textos que envolvem até os adultos, imagine Outro homenageado foi Márcio Garcia (Foto 3), ator, então as crianças! Parabéns, Beth, estamos orgulhosos de você! Como diretor, apresentador e mais uma infinidade de outras funnão poderíamos deixar passar em branco, fizemos questão 4 ções acumuladas durante os mais de 20 anos de profissão. de entregar um exemplar do Jornal Sem Fronteiras para Laine 5 Não se engane com a carinha de rapazote do galã, por trás Furtado (Foto 6), Presidente da ABI Inter (Associação Brasidesse sorriso faceiro está um profissional extremamente leira de Imprensa Internacional), que direcionou as palestras dedicado e comprometido. Foi corrido e ele quase escapou especialmente dedicadas à imprensa brasileira nos EUA, as da nossa câmera, mas, sim, também falamos com Márcio, que quais ocorreram durante as comemorações. não escondia a felicidade em receber uma homenagem tão cariSó para constar, as festividades aconteceram entre os dias nhosa no momento em que se prepara para começar um novo 4 e 7 de maio. Em uma das oficinas de troca de experiência, projeto na Rede Globo. Desta vez, Márcio será apresentador de tivemos o prazer de conhecer e entrevistar Alice Salazar um programa de variedades que vai ao ar a partir do segundo (Foto 7), famosa maquiadora e blogueira, que falou sobre o semestre de 2016. Óbvio que ele não poderia contar muitos tema do momento: Influenciadores digitais. Estamos vivendetalhes, sendo assim, vamos aguardar, não é? ciando umas das grandes mudanças no modo de se transmitir Abrilhantando a noite, Guilherme Arantes (Foto 4) subiu ao informação e de se conquistar o público. Depois da internet, palco, foi homenageado, tocou e cantou seus maiores sucessos a imprensa nunca mais foi e nem será a mesma. Mas isso é e, claro, encantou o público, que vibrou ao som das músicas que assunto para a próxima conversa. embalaram a juventude da maioria Se você chegou até aqui, dê uma olhadinha na nossa dos presentes. Totalmente antenado página no Facebook (Emigrantes Brasil) e deixe uma men7 com o momento de grande agitação sagem, ok? Assim vamos saber que você leu nosso texto. no meio político brasileiro, o cantor Até a próxima, então!!! (Foto 8) e compositor, ao falar com Emigrantes, se mostrou preocupado com os rumos que o país está tomando 8 e enfatizou a importância de cada brasileiro estar atento e participativo. Educação política já, não é mesmo? Todas as homenagens foram muito válidas. Não é possível eleger uma ou outra que tenha sido mais 6 ou menos importante. Cada um dos nossos conterrâneos que subiu ao palco do Broward Center, decididamente mereceram estar ali. Em cada categoria, o que vimos foi um desfile de grandes talentos e dedicação. Assim como os grandes nomes que já citamos aqui, esse pessoal se compromete a fazer o melhor. Mesmo sabendo disso, uma das homenagens nos chamou a atenção: Thatiana Piancastelli, autora e protagonista da peça de teatro Menina dos Meus Olhos, recebeu o Prêmio de Destaque no Teatro Brasileiro nos EUA. Ela é autista e escreveu a peça baseada em suas próprias experiências. Levou o texto até a diretora Débora Balardini, que acreditou na ideia e foi a ponte entre uma ideia e sua realização. A peça já ganhou o coração de quem a assiste

*A Coluna Emigrantes, dos Colunistas Josiana Martins e Sérgio Barbosa, tem como temática o fluxo de pessoas pelo mundo. O objetivo é buscar desenvolver o respeito aos valores culturais de outros povos e nações, valorizando a participação dos milhares de imigrantes que ajudaram nosso país a crescer sem deixar de lado a trajetória de nossos conterrâneos, que se arriscaram em busca de uma vida mais digna pelos quatro cantos do mundo. Contatos: www.emigrantesbrasil.com e emigrantesbrasil@hotmail.com www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


33

Jun \ Jul 2016

Notícias dos Representantes Internacionais JSF Beti Rozen recebe o Prêmio Especial do Board do Brazilian International Press Award

A

Beti Rozen participa de encontro da imprensa e apresenta o Jornal Sem Fronteiras para Márcio Garcia, Nicette Bruno e Guilherme Arantes

Beti Rozen apresenta também o Jornal Sem Fronteiras para Laine Furtado, Presidente da Associação Brasileira de Imprensa Internacional.

Eliana Machado lança o livro Sete Contos Brasileiros

Fonte: Assessoria de Imprensa

Escritora e Representante Internacional do Jornal Sem Fronteiras na França, Eliana Machado, foi nomeada, em maio, Presidente Nacional da Unión Hispanomundial de Escritores (UHE). Isso ocorreu um pouco depois do lançamento de mais uma obra de sucesso, o livro Sete Contos Brasileiros. Livro de cunho fantástico, com notável influência da literatura fantástica hispano-americana dos anos 60, Sete contos brasileiros é um conjunto de histórias completamente diferentes entre si, com personagens que parecem ter saído de livros distintos e interagem de maneira misteriosa, pois não se reconhecem e se olham com estranheza como olham a própria vida. Um quarto misterioso e sem existência real, uma capa e um chapéu mágicos que transportam o utilizador a outras dimensões, uma bisbilhoteira ociosa vivendo uma noite singular e uma aranha gigante descontente são alguns dos temas deste livro. Todas as histórias têm em comum a linguagem clara e o modo como vão se forjando, para captar e prender a atenção do leitor, em uma rede de tensões e de intrigas. Para aqueles que acreditam que a literatura é um poço exaurido e que o melhor já havia sido escrito, Sete contos brasileiros é um prenúncio de que nem tudo já foi inventado, que o inconformismo e a mirada nova de Eliana Machado podem derrotar os conformismos e nos levar a mundos novos que sempre existiram à nossa volta, mas que, fundidos e absorvidos no dia a dia, não os tínhamos percebido… Eliana Machado é formada em Letras (russo, espanhol e português (USP) e é Doutora em Literatura Espanhola (UNSA, 2001). Professora titular da Educação Nacional Francesa (francês-espanhol), ministra suas aulas em Mônaco. Escritora, tradutora literária desde 2003 (Ed. Actes Sud) e Editora Les Trois Rivages, Eliana Machado escreve originalmente poesia e ficção em vários idiomas. Publicou: Blanco en el blanco (Scortecci, 2010), Locus brasilis (Mesa Rendonda,

Divulgação

A

Por Dyandreia Portugal

Acervo da Representante

Representante Internacional do JSF nos EUA, Beti Rozen, recebeu no dia 7 de maio, o Prêmio Especial do Board do Brazilian International Press Award. O Board é  composto de lideres da mídia e cultura da comunidade brasileira nos Estados Unidos. Realizado desde 1997, o Press Award é uma das mais relevantes celebrações da cultura brasileira no exterior e tem o objetivo de reconhecer personalidades, instituições e iniciativas comprometidas com a cultura e a imagem positiva do Brasil no mundo. Este ano, o evento ocorreu no Amaturo Theater do Broward Center for Performing Arts, em Fort Lauderdale, Flórida. A atriz Nicette Bruno, o compositor e músico Guilherme Arantes e o ator Márcio Garcia receberam o Prêmio Lifetime Achievement do A homenageada, Beti Rozen, Brazilian International Press Award na mesma e seu marido Peter Hays. noite (Confira mais na página 32 desta edição). Durante o painel da Imprensa, Beti representou o Jornal Sem Fronteiras e apresentou a publicação aos artistas premiados presentes.  Parabéns, Beti Rozen, por sua premiação e por representar tão bem nosso Jornal!

Nas fotos, vemos a elegante escritora Eliana Machado, durante o V Salon du Livre de Mônaco, que ocorreu no mês de abril, quando ela lançou seu último livro e registrou a presença do Jornal Sem Fronteiras.

Peru, 2012), Succès intimes (França, 2014), Sete Contos Brasileiros (Scortecci, 2015), traduzido e publicado em edição bilíngue Siete Cuentos Brasileños/Seven Brazilian short tales (La Ovejita de Papel, Nova Iorque, 2015) e lançado no Centro Espanhol de Nova Iorque. Como editora, publicou a antologia poética Hommage poétique à César Vallejo/Homenaje poético a César Vallejo (Éditions Les Trois Rivages, 2015), que reúne poemas de seis autores latino-americanos contemporâneos. Dita antologia foi lançada na 20° FIL de Lima e apresentada na Biblioteca Nacional da França (BnF). O primeiro romance desta escritora transnacional, Brasil: aventura interior, será lançado na 24° Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em agosto de 2016. Entre os prêmios que recebeu, destaca-se o Prêmio Melhor Autor Estrangeiro 2014 da Union Internationale de la Presse Francophone de Mônaco. Seus livros estão disponíveis em edição impressa (amazon.fr e lulu.com) e, também, em formato Kindle. Para contato com a autora: meugema@hotmail.com, ou visite sua página no Facebook: Escritora Eliana Machado

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


34

Jun \ Jul 2016

22ª Feira do Livro de Praga

Helvetia Edições marca presença e recebe Jornal Sem Fronteiras Por Jannini Rosa | Escritora e Executiva da Helvetia Edições Colunista Convidada desta edição

C

Acervo Helvetia Edições

om o objetivo de divulgar e marcar a presença da Cultura Brasileira em Salões de Livros Internacionais, a Helvetia Edições participou da 22ª Feira do Livro de Praga, realizada dos dias 12 a 15 de maio, no Palácio da Indústria. A Feira, que recebeu cerca de 40 mil visitantes e aproximadamente 75 expositores, superou as expectativas da direção da editora, devido ao grande número de visitações a um stand luso-francófono em território tcheco. Dentre as programações realizadas no stand da Helvetia, ocorreram lançamentos das antologias Faz de Conto (port/inglês) e Sem Fronteiras pelo O casal Executivo da Helvetia Edições: Mundo... (port/inglês), que despertaram a atenção por serem editadas em Jannini Rosa e duas línguas e possibilitarem o conhecimento de mais gente no que tange Alexsandro Martins. As escritoras Margot Weide e Isis Berlinck a Literatura Brasileira Contemporânea. As autoras Isis Berlinck Renault, Renault se reencontram e celebram o momento. Dulce Rodrigues e Margot Weide marcaram presença no stand, lançando seus livros-solo e autografando para o público. Vídeos também foram gravados Jannini Rosa, em seu com o objetivo de apresentar as obras dos autores que não puderam comparecer, momento mas enviaram seus livros para exposição e divulgação. escritora, posa com seus livros Além dessas atividades, a Editora programou uma visita à Embaixada do Brasil solos e com a em Praga com o grupo de autoras, sendo recebida pelo Embaixador Sr. George Antologia que organizou, Monteiro Prata e a assistente Eva Magalhães. Na ocasião, foram doados 30 livros Madalena’s em à Biblioteca da Instituição, para que os mesmos fiquem à disposição da comuniVerso e Prosa. dade lusófona residente na República Tcheca. Entre estas obras, constavam: No redemoinho da vida a luz aflora em mim (Ivanilde Morais de Gusmão), Memórias de Lucky (Ítalo Vasconcelos), Faz de Conto (Helvetia Edições), Faces de Malala (Jannini Rosa), Sem Fronteiras pelo Mundo... (Editora Rede Sem Fronteiras), O céu está em festa (Dulce Rodrigues), O Bem-te-vi fofoqueiro (Rejane Machado), TeJannini Rosa recebe no stand a Representante Internacional do JSF em Praga, Dra. souro Prateado (NelsiEmilia) e A seita das Marie Havlíková (centro), e a Representante Internacional do JSF em Portugal, Dulce Rodrigues, para o lançamento da Coletânea da publicação. crianças dos olhos grandes (Leslie Aloan). No último dia de programação, a equipe da Helvetia esteve no stand do Instituto Camões para registrar a doação de exemplares da Coletânea bilíngue Sem Fronteiras Pelo Mundo... e a entrega de exemplares do Jornal Sem Fronteiras à Entidade, que já conhece a publicação Isis Berlinck Renault, escritora e Colunista do JSF, de outras oportunidades. entrega exemplares do jornal e da coletânea à Sra. Mirka, representante da Embaixada do Brasil Por falar em Jornal Sem Fronteiras, cabe em Praga. Jannini Rosa, ladeada pela Jannini Rosa, executiva da Helvetia ressaltar que o stand da Helvetia Edições organizadora da 22ª Feira do Livro Edições, no stand da editora. foi palco do encontro da Representante de Praga, Sra. Michaela Mecerová e As irmãs escritoras Iris Berlinck e pela Escritora e Colunista do JSF, Isis Internacional do JSF em Praga, Dra. Marie Havlíková, e da Representante Internacional Isis Berlinck Renault posam com as Berlinck Renault, que, na oportunidade, obras que autografaram na ocasião. do JSF em Portugal, Dulce Rodrigues, além da Colunista da publicação Isis Berlinck apresentou a publicação. Renault, que foi a representante da Rede no lançamento da obra Sem Fronteiras Pelo Mundo... O balanço superpositivo por parte da Editora é a garantia de que a presença para o próximo ano está confirmada. Não só na 23ª Feira do Livro de Praga, mas no 2º Festival de Poesia de Lisboa, quando faremos uma bela parceria com o Jornal Sem Fronteiras, que também terá uma programação cultural em Portugal na ocasião. A Helvetia Edições está sempre inovando e com projetos em andamento, como o Prêmio de Literatura Helvéticos-Brasileiros, Momento da visita ao stand do Instituto a ser realizado em janeiro, em Recife (PE-Brasil). Camões, para a doação dos exemplares Mais informações sobre nossos projetos: helvetiaedicoes@gmail.com àquela entidade.

Chico Luz tem sua obra em destaque no 1º Festival de Poesias de Lisboa e na 22ª Feira do Livro de Praga

O

escritor Chico Luz é brasileiro, casado, advogado, escritor membro da Ordem Nacional dos Escritores; membro da APE Associação Portuguesa de Escritores; Associação Portuguesa de Poetas; Movimento Poético Nacional; Casa do Poeta de São Paulo “Lampião de Gás”; SOBRAMES -SP Sociedade Brasileira de Médicos Escritores de São Paulo; Grande Oriente do Brasil e filiado ao Grande Oriente de São Paulo, MI Gr. 33 do Rito Brasileiro Augusta e Respeitável Loja Simbólica Estrela da Paz nº 2.696. Autor de diversas antologias e de

Divulgação

O autor Chico Luz

Por Mayra Soares

livros pela Editora Baraúna Chico e seu estado de espírito e pela Editora All Print Chico e seu estado de graça. Com gênero biografia e memórias, a proposta dos livros é apresentar o estado de espírito do Chico, segundo o seu momento pontual, mostrando como ele pensa sobre vários assuntos filosóficos, ordinários, complexos e contraditórios. E, desta forma, as obras participaram e fizeram bastante sucesso no 1º Festival de Poesias de Lisboa, quando o autor esteve presente e foi homenageado na 22ª Feira do Livro de Praga. Confira uma poesia do autor:

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

SAUDADE

Saudade sete letras recordam, Um passado alegre e feliz, Que nos emociona a lembrança De um tempo ou coisas da vida.   Não há noutra língua palavra Que traga nostalgia vivida. Nem tempos saudosos passados Daquilo que nos entristece.   Saudade é alegria de um tempo, Tempo que não volta jamais. Voltamos ao passado recordar Pessoas, lugares, coisas da vida.   A vida é uma somatória lembrança, De tudo de bom que passamos, De esperanças, promessas, De um dia termos saudades!  


35

Jun \ Jul 2016

Notícias dos Representantes Internacionais JSF

O destaque do autor Helder Macedo, na XX Feira do Livro em Praga

A

Feira do Livro em Praga costuma ser acompanhada de eventos importantes para os profissionais e atraente para o público: a Associação Tcheca dos Tradutores atribui, por exemplo, o Anti-Prêmio, isto é, prêmio atribuído pela pior tradução do ano precedente. Merecem, porém, o maior interesse apresentações de livros recentemente traduzidos, presenteadas pelos autores e tradutores. Precede à própria Feira a Noite de Literatura, durante a qual é lido, repetidas vezes, por exemplo num café, um trecho previamente selecionado da tradução de um O escritor Helder Macedo determinado autor com a presença deste. autografando sua obra. Este ano, veio de Portugal, Helder Macedo, grande intelectual português, já há mais de 60 anos no serviço da Cultura Portuguesa. Nasceu em 1935 e passou a infância na África; estudou em Lisboa. Perseguido pela polícia PIDE do então regime salazarista, como todos os jovens dissidentes que se reuniam no Café Gelo lisboeta, muitos dos quais futuros renomados pintores e escritores, fugiu e instalou- se na Inglaterra, onde trabalhava primeiro na BBC e, mais tard,e conseguiu, mediante um concurso, lugar de professor das literatuas de expressão portuguesa na King´s College (Universidade de Londres). Participou na edificação da prestigiosa Cátedra Camões, que dirigiu até 2004. Para além de professor, Helder Macedo é um renomado crítico literário e ensaísta, especialista sobretudo nos autores portugueses do século XVI, que são seus companheiros de toda a vida, e aos quais dedicou vários estudos bilhantes: “Camões ajuda sempre”, diz ele, concordando com Francisco Sá de Miranda (e contra Freud)‚ que “a vida não tem cura”. Não admira que o próprio Macedo escreva poesia: seu primeiro livro saiu em 1957 (Vesperal). Em 1991, surpreendeu os críticos e os leitores com o seu primeiro romance – Partes de África ” – seguido de outros cinco. É (até agora) o último – Tão longo amor, tão curta a vida, que foi traduzido para o tcheco. O título da obra vem do último verso do soneto de Luís de Camões – Sete anos de pastor…. de possível leitura ambígua, como é a visão de amor no romance: o imediato gozo erótico, mas a perspetiva de um “longo amor”, frustrada de antemão

Acervo da Colunista

Por Marie Havlíková* | Representante Internacional do JSF na República Tcheca

Dra. Marie Havlíková e o escritor Helder Macedo.

pela consciência de brevidade da vida. O romance de estrutura engenhosa, baseado em paradoxos e ambiguidades, sonda o frágil limite entre a realidade e a ficção: o autor-narrador apodera-se da história que lhe vem contar a sua personagem principal, desenvolvendo-a paralelamente com aquela, até as duas se unirem. As histórias estão entrelaçadas por alusões irônicas (a regimes sustentados por exércitos ou polícias secretas, inclusive o regime militar no Brasil, a história de Portugal, cujo futuro preocupa o autor), tocando vários outros assuntos atuais. As obras de H. Macedo têm encontrado ótima recepção no Brasil, sendo tema de estudos de pesquisadores da Universidade do Rio de Janeiro.

O Brasil na Eslovênia

A

Por Marta Berglez Representante Internacional do JSF na Slovênia.

Projeto Sementeira e Escola de Português

Eslovênia é um pequeno país da Europa Central, que faz fronteira com Itália, Áustria, Hungria e Croácia. O país tem pouco mais de dois milhões de habitantes e faz parte da extinta Iugoslávia. Pequeno e surpreendente pelas belezas naturais, este país, também chamado de “país de conto de fadas”, conta com uma pequena comunidade luso-brasileira. A lusofonia está presente aqui. Na comunidade portuguesa, está organizada a Escola de Português, que não é uma escola formal, mas um projeto que desenvolve atividades lúdicas e multidisciplinares para crianças. Ainda na comunidade portuguesa, existe a revista Sardinha: http://www.sardinha.org/sardinha, uma edição bilíngue portuguesa-eslovena, que traz assuntos relacionados à Arte, Cultura e Lazer. Na comunidade brasileira, o Projeto Sementeira: https://www. facebook.com/groups/agua.na.peneira/ desenvolve igualmente eventos que promovem e mantêm a Cultura Brasileira e a Língua Portuguesa vivas para as crianças da comunidade. O Projeto também leva às escolas eslovenas eventos que igualmente mostram um pouco da História do Brasil e de sua Cultura. A Embaixada do Brasil, em parceria com o Projeto Raízes Brasil África, também organiza eventos de leitura em português e esloveno para as crianças. Neste ano, o Grand Hotel Union de Liubliana http://www.union-hotels.eu/ que é um dos patrocinadores da Divulgação Equipe Olímpica Eslovena para as Olimpíadas Rio 2016, em parceria com a Embaixada do Brasil em Liubliana, organiza uma série de eventos que mostram um pouco do Brasil para os eslovenos. O primeiro evento foi um show de Bossa Nova com a cantora Christiane Ruvenal; o segundo, um Carnaval com Baile de Gala, em seu luxuoso salão, com apresentação da cantora brasileira Denise Dantas e quarteto e, ainda, um evento culinário com a Chef brasileira Silvia dos Santos e atletas olímpicos eslovenos. Até agosto, mais eventos estão sendo organizados, como a palestra sobre Turismo no Brasil e uma performance de rua, com a presença de artistas brasileiros residentes na Europa. Viver na Eslovênia é estar com o Brasil longe dos olhos, Carnaval no Grande Hotel Union – Liubliana mas vivo na memória... sempre.

Acervo da Colunista

*Dra. Marie Havlíková, residente em Praga (República Tcheca) é tradutora e professora (aposentada) de Português e Francês e Literaturas de Língua Portuguesa. Ensinou na Universidade Carolina em Praga, Univ. de Pilsen e continua dando aulas de introdução à Tradução Literária na Universidade em Brno. Traduziu para o tcheco mais de vinte obras de autores brasileiros (Jorge Amado, Zélia Gattai, José J. Veiga...), portugueses (Menina e Moça, de Bernardim Ribeiro, Eça de Queirós...) e franceses (Maurice Maeterlinck).

Marko Delbello Ocepek

O evento culinário com a Chef brasileira Silvia dos Santos e atletas olímpicos eslovenos no Grand Hotel Union de Liubliana.

*Marta Berglez é carioca, residente em Ljubljana. É Psicóloga formada pela USU (Universidade Santa Úrsula) do RJ. É Tradutora. Fala fluentemente inglês, francês, espanhol e italiano, que estudou no Brasil e aperfeiçoou posteriormente na Europa. Em 2014, criou o Projeto Sementeira, um projeto sem fins lucrativos que busca, junto com a Embaixada do Brasil na Eslovênia, do CCBE (Conselho de Cidadãos Brasileiros na Eslovênia, do qual é Presidente) e de empresas privadas, difundir e preservar a Língua Portuguesa e a Cultura Brasileira na Eslovênia. Junto com a Comunidade Portuguesa na Eslovênia, dirige a Escola de Português, que oferece workshops duas vezes por mês para crianças e jovens de 0 a 15 anos, onde são apresentados a eles Cultura, Música, Folclore e Arte do Brasil e Portugal. www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


36

Jun \ Jul 2016

Notícias dos Representantes Internacionais JSF

A.C.I.MA. comemora 5 anos de atividades culturais, conectando Mentes & Culturas

A

Fonte A.C.I.MA.

Acervo A.C.I.MA.

A.C.I.MA. - Associazione Culturale Internazionale Mandala, comemorou 1 seus 5 anos de atividades em maio, durante programação cultural e turística, que envolveu as cidades de Roma e Turim, na Itália. O evento, realizado anualmente, desta vez teve a programação oficial de 6 a 9 de maio em Roma e, sucessivamente, de 12 a 16 de maio, em Turim. Sonia Miquelin, Vice-Presidente da entidade e uma das principais articuladoras das atividades culturais, divulgou sobre a programação: “Foram encontros e reencontros mágicos, que falam por si através de palavras, imagens, risos, celebração e muita emoção, que protagonizou o evento que teve como moldura os mais significantes cenários de Roma”. A programação começou por Roma, já na jornada do dia 5, justamente para assistir à celebração na Basílica de São Pedro com o Papa Francisco da "Vigília das Lágrimas" – um evento especial por conta das celebrações do Jubileu extraordinário 2 e abertura da Porta Santa de São Pedro. Uma experiência tocante, que emocionou a todos os presentes. 3 4 O XXIX Salão InternaNo dia 6, aconteceu, na Embaixada do Brasil de cional do Livro de Turim 2016 Roma – Centro Cultural, o lançamento oficial na Itália aconteceu de 12 a 16 de de Madre Terra - a 4° antologia bilíngue realizada maio. A A.C.I.MA. e a Edisob a coordenação da A.C.I.MA. (Foto 1). Foram zioni Mandala têm estande entregues certificados e homenagens aos coautores fixo (Foto 5) desde sua funda obra e um agradecimento todo especial a Marina dação (2011) no Salão que Inoe, artista plástica, que gentilmente concedeu é realizado, tradicionalmenuma de suas obras para a capa da obra, bem como, te, na primeira quinzena do a Else R. P. Vieira - Professora catedrática de Estudos mês de maio, sendo este o Latinos Americanos na Queen Mary University, posfaciadora da obra. maior evento dedicado à literatura em território italiano, e um dos mais renomados Na ocasião deste evento na Embaixada do Brasil da Europa. Portanto, suas datas (e de consequência, também as datas dos eventos da A.C.I.MA.) são pré fixadas anualmente dentro do referido período – ou seja: a de Roma, foi também apresentada e divulgada a Coletânea bilíngue Sem 1° quinzena de maio de todos os anos. Preparem-se para 2017, a programação Fronteiras pelo Mundo... com a presença de vários coautores, como está belíssima e terá como moldura: Cinque Terre – Portofino e Santa Margherita – Dulce Auriemo, Jô Mendonça, Ceição Maciel, Silvia Securato, Valdivia Universidades, Castelos e afins. (Consulte a agenda de eventos da A.C.I.MA., ou Beauchamp, e, claro, Sonia Miquelin. Foram também distribuídos exemsolicite maiores informações via e-mail. plares do Jornal Sem Fronteiras, parceiro oficial da A.C.I.MA. (Foto 2). Neste Salão Internacional do Livro de Turim, a magia dos encontros e reencontros se A comitiva da A.C.I.MA. contou com uma visita guiada no histórico Pallazzo Pamrefaz quando diversos autores residentes em diferentes partes do mundo se movem em philij – sede da Embaixada do Brasil em Roma, onde teve a oportunidade de conhecer direção ao espaço A.C.I.MA., dedicado à literatura. Com esmero, o catálogo das obras é o acervo artístico da Instituição, sob a gentilíssima guia de Cristiane Pellegrino (Foto 3). distribuído no IBF, também divulgado via internet precedentemente, banners, bandeiras, Durante a jornada, a comitiva também visitou a Basílica de Sant’Agostilivros e mais livros... (Foto 6). Isso tudo foi o que aguardou os autores protagonistas do no e outras pérolas italianas, guiada maravilhosamente pela profissional de 5 evento, alguns deles que estiveram com a A.C.I.MA. em Roma se dirigiram também turismo, Ester de Almeida. 6 para Turim, como Rô Angeli. Outros, chegam diretamente do Brasil: Adriana Vieira, No dia 7, a jornada começou com o enconPaula Valéria Andrade - que veio especialmente para 7 tro do grupo na entrada receber oficialmente a premiação do concurso AMOR do Castel Sant’Angelo, para & AMORE da A.C.I.MA., Beti Rozen, diretamente dos a passagem oficial da comiEUA, Blenda Bortolini e Carla De Sá Morais, da Suíça, tiva na Porta Santa. A Porta entre outros, representados pela A.C.I.MA, como JackSanta tem um significado michel, Val S. Beauchamp, Carmen Lúcia Hussein, Ana específico: é o símbolo da Cristina Costa Siqueira, Eliana Machado, Nelsi Emília T. passagem que todo cristão Stocker, Silvia Bruno Securato, Francisco Evandro, etc... deve fazer do pecado à grae mais 200 títulos expostos. ça, pensando no que disse Jesus: "Eu sou a porta" (João 10: 7). O grupo partiu do pátio Houve também no estande A.C.I.MA. lando Castelo e se dirigiu (juntamente com outros grupos) em direção à Basílica de São çamentos das antologias: Madre Terra (Foto 7) e  Pedro. Cada grupo recebia uma cruz, e um voluntário a carregava inicialmente, dando, Sem Fronteiras Pelo Mundo... (Foto 8). a seguir, a oportunidade aos demais companheiros de peregrinação de carregarem Foram 5 dias de trabalho intenso, recebendo o 8 também a cruz santa. Em nosso grupo, foi o escritor português Augusto Lopes que público fiel, com reuniões com editores e agentes gentilmente carregou inicialmente a cruz sagrada, alternando essa tarefa, por vezes, literários internacionais, muita dedicação, persecom outros peregrinos da nossa comitiva, tarefa essa que a todos emocionou (Foto 4). guindo, sempre, o objetivo de difundir e promover A noite foi de gala e aconteceu no Teatro Centrale - Jantar com espetáa literatura lusófona no exterior, ou seja: fazendo culo. Numa atmosfera atraente, feita de muito brilho, canções e ballets que parte da história literária internacional. se misturavam com a rica culinária romana, criando uma experiência única Almoços, jantares, lindos e históricos locais servina histórica location de Roma. Show de variedades com artistas profissionais ram para unir e integrar todos os participantes dessa provenientes do panorama teatral italiano. A noite terminou com nossos maravilhosa comitiva cultural. Sonia Miquelin finaliza: convidados na pista de dança, curtindo músicas dos anos 60/70/80. “A A.C.I.MA. nasceu há 5 anos, e veio a luz de súbito com Dia 8, um domingo ensolarado, foi o dia de assistir ao Ângelus, almoço no um respiro internacional: (Brasil & Itália), com o objetivo Restaurante 34, e a visita aos monumentos e afins - o passeio, realizado com um ônibus fretado especialmente para a comitiva A.C.I.MA., com de conectar Mentes & Culturas, através das Artes e da Literatura. (...) Renovamos nossos agradecimentos por a guia de Ester de Almeida. À noite, um dos momentos mais esperados da programação, o Jantar com música romana (ao vivo) no tradicional fazerem parte desta história, por estarem fazendo história. Restaurante Meo Patacca, em Trastevere - local histórico em estilo ottocentesco, com musicistas vestidos em costume de época que, brilhanCom Amor, e até 2017, na 1ª quinzena de maio, com temente alegraram a noite e os comensais, à luz de velas e ao som de lindas músicas italianas, como: Io che amo solo te, Volare e um inusitado a A.C.I.MA., seus associados, simpatizantes e apoiadores”. Brasileirinho. Noite divina!!! Para ver as fotos dos eventos, vídeos, entrevistas, No dia 9, o fechamento do evento deu-se na mais famosa casa de Chá romana: Babingtons Tea Rooms, localizada na Piazza di Spagna, com Show de Harpa e entrega de certificados de participação. Neste dia, concluiu-se a 1° etapa dos eventos A.C.I.MA. 2016 catálogo, etc., além do regulamento para a 5° Antologia Internacional A.C.I.MA., Amor & Amore, contate: na Itália, deixando um dia de trégua e repouso para a equipe se dirigir para Turim, e dar prosseguimento à tradicional representação associazionamandala@hotmail.com da Literatura Brasileira & Lusófona na maior vitrine literária italiana, o Salão Internacional do Livro de Turim. www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


37

Jun \ Jul 2016

Notícias dos Representantes Internacionais JSF Destaques brasileiros no

XXIX Salão Internacional do Livro de Turim 2016

N

Acervo A.C.I.MA.

o mês de maio, a escritora Adriana Vieira esteve presente em Turim, na Itália, para lançar seu livro de poemas Carpintaria de Sonhos e também a coletânea da qual faz parte como Sonia Miquelin encoautora, Madre Terra, trega o certificado de escritora participante promovida pela A.C.I. a Adriana Vieira MA. MANDALA, no XXIX Salão Internacional do Livro de Turim 2016. O seu conto, “Folha Milenar” foi um dos destaques da obra bilíngue (Português- Italiano). Nascida em 1968, na cidade do Rio de Janeiro, Adriana Vieira passou parte da infância e adolescência em Alagoas. Formada em Direito pela Faculdade Cândido Mendes, pós-graduada em “Arte, Pensamento e Literatura Contemporânea” e em “Roteiro para TV, Cinema e Novas Mídias” - ambas promovidas pela PUC-Rio. Participa de oficinas literárias, dentre as quais as promovidas pela Estação das Letras e pelo atelier literário de Vera Bensalah. Participou de várias antologias literárias, entre elas, a promovida pela Editora Literris Escritores do Século XXI. O seu conto “Espelho” está sendo divulgado pela Amazon. Mantém uma coluna literária, “Ki Literatura é essa?”, na revista eletrônica de cultura Obviuos, onde comenta a narrativa de vários autores, dos clássicos aos contemporâneos, além de publicar alguns breves contos de sua autoria.

A

escritora Romilda Angeli participou da programação cultural da A.C.I. MA. em Roma e do XXIX Salão Internacional do Livro de Turim, em Turim, na Itália, no mês de maio, lançando a obra: Sente-se no meu banco! Segundo a autora: “A obra trata-se de um relicário de emoções! Esse é o banco da vida! Nele, todos senA escritora Romilda Angeli. tam-se e conversam entre si: brancos, negros, pardos, loiros, ruivos... Aqui, impera a inocência! Todos somos iguais! (...) Guiada pela linguagem mágica da escrita e pelos meus instintos elementares, decidi partilhar com você retalhos da minha percepção durante essa peregrinação humana, divididos pela força natural dos sagrados elementos: Água, Terra, Fogo, Ar. Mas, desejo lhe falar também sobre o quinto elemento, o AMOR, aquele que conecta todos e o todo... O AMOR... Nossa origem e nosso destino final... Poesias que irão encantar...” Romilda Angeli  é natural de Terra Boa (Paraná), Brasil. Debutou na literatura em Veneza, na Biblioteca Marciana, em março de 2015, com a antologia Navegantes. Em setembro de 2015, foi homenageada no III Encontro Mundial de Escritores, na Universidade de NY. Tem textos publicados em diversas antologias nacionais e internacionais.

XIX Concurso Internacional Amor, Ficção, Humor 

Nieves María Merino Guerra compartilha nossa publicação na Espanha

Grupo dos Escritores Argentinos Evento Final  Por Maria Cristina Drese – Escritora | Representante Internacional do JSF na Argentina

E

N

Divulgação

ste grande evento aconteceu no Salón Mayor de la S.A.D.E. – Sociedade Argentina de Escritores, na cidade de Buenos Aires, no dia 21 de maio. O Salão estava composto com cerca de 180 pessoas, aproximadamente, vindas de diversos países, como Brasil, Uruguai, Colômbia, Paraguai e América Central. O júri foi composto por: Carlos Caporali (Professor da UBA e de oficinas literárias da S.A.D.E., além de editor), Maria Cristina Drese A mesa dos jurados composta por Francisco Chechi, (Escritora e Carlos Caporali e Maria Cristina Drese. Poeta del Mundo e ganhadora de mais de 400 prêmios nacionais e internacioMaria Cristina Drese, Juan nais, além de Representante Internacional do JSF na Argentina), Robledo Martinez; um dos Francisco Chechi (Diretor do Grupo de Escritores Argentinos, A Escritora e Representante premiados internacionais da Internacional, Maria Cristina com mais de 34 anos de experiência). Colômbia e Carlos Caporali.  Drese, com um exemplar do JSF. 

Reunião

o dia 19 de maio, reuniram-se, no 3º andar do Palácio Municipal, representantes das entidades: S.A.D.E., Rotary Club, Centro Santiagueño, Associação de Colonos, Biblioteca Florentino Ameghino, Associação Sanmartiniana, Associação Ucraniana, Lions Club, Chiche Benedetich e outros. Na ocasião, foram entregues exemplares do Jornal Sem Fronteiras.

Os representantes das entidades com o Diretor Enrique Consoli.

Acervo A.C.I.MA.

Romilda Angeli

N

Por Mayra Soares

ieves María Merino Guerra, Representante Internacional do Jornal Sem Fronteiras na Espanha, recebeu nossa publicação e apresentou aos amigos, sobretudo, a coluna “Vitrine Literária do Sul”, dos amigos JC. Bridon e Arlete Trentini. Nieves é espanhola, radicada em Las Palmas de Gran Canaria, na Espanha. Estudou na UniversiNieves com um grupo de alunos, na Praia de Sardina de Gáldar, em Gran Canaria. dade de Cambridge. Foi Professora durante 35 Anos em várias áreas, níveis e especialidades. Gosta da Escrita, Pintura, Fotografia, Música, Ciências, Artes, Humanidades, Filosofia, Astronomia. Dedica-se a tudo um pouco, mas, sobretudo, se dedica a pintar e a escrever. É poetisa e comunica-se em várias línguas, como castelhano, italiano, português, francês, catalão e outras. É Embaixadora Universal da Paz na Espanha e Membro do Movimento Poetas Del Mundo.

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

Divulgação

Adriana Vieira

Por Mayra Soares


38

Jun \ Jul 2016

Notícias dos Representantes Internacionais JSF

Madalena’s: Um Movimento Agitado Por Lúcia Amélia – Presidente da ONG Madalena´s Representante Internacional do JSF na Suíça JZ Oliveira / R.Aeberhardt

M

úsica, artes plásticas, literatura, exposição fotográfica, muito bom humor, rosas e chocolates foi a linguagem utilizada pela ONG Madalena’s na Suíça (Madalena’s é uma entidade que se preocupa em apoiar os brasileiros. Em especial, às vítimas de violência doméstica, tráfico ou exploração de qualquer espécie.), para expressar a sua alegria e comemorar de forma especial a êxitos a realização de mais um de seus projetos: a antologia bilíngue (português/francês) Madalena’s em Prosa e Verso. Uma iniciativa ousada e inovadora de apresentar nossa Antologia em movimentos culturais está acontecendo em várias partes do Brasil e da Europa, com o apoio de Dyandreia Portugal, editora-chefe do Jornal Sem Fronteiras, e Jannini Rosa, Diretora-geral da Helvetia Edições. Na ocasião dos lançamentos de nossa coletânea, simultâneamente, lançamos também a Coletânea bilíngue (português-Inglês) Sem Fronteiras pelo Mundo... do Jornal Sem Fronteiras e editado pela Editora Rede Sem Fronteiras. Confira abaixo alguns dos lançamentos ocorridos aqui na Europa.

7 de maio: Bienne – Suíça

25 de maio: Zams - Áustria

N

E

Como convidados especiais, recebemos Marisa Pedro Pfeiffer, Sara Eichenberger, Anne Lou Aufranc, Valeria Eva, Irene Zwetsch, Deborah Maristela Biermann, Helen Garrido. O evento contou com a apresentação artística de Démetrius Sena (cantor) e, vinda da Espanha, Eve Astrid (cantora e escritora). A mídia brasileira na suíça foi representada por Irene Zwetsch (Linha Direta), Deborah Biermann (Brasilinfos), Marisa P. Pfeiffer (Brasileiros Mundo afora), Dyandreia Portugal (Jornal Sem Fronteiras) e Gazeta Lusofona (Adelino de Sà & Augusto Lopes). Lou Carrico também esteve presente com sua exposição fotográfica.

25 de junho: Genebra - Suíça

m Genebra, a Presidente do Centro Cultural Brasileiro, Veronice de Abreu, recebeu a comitiva do Madalena’s no dia 25 de junho, para apresentar ao público local a Antologia Madalena’s em Prosa e Verso, juntamente com a Coletânia Sem Fronteiras pelo Mundo… A Comitiva foi recebida de tapete vermelho e champagne Moët &  Chandon. O Consulado Geral do Brasil em Genebra esteve representado pela Diplomata Erika Watanabe Patriota, a qual recebeu as Antologias e falou sobre a importância de projetos socioculturais para a comunidade brasileira na Suíça. O evento contou com a presença dos coautores Augusto Lopes, Mar Soares e Eva Alice Astrid Leutenegger. Como sempre é feito, o Jornal Sem Fronteiras foi apresentado e exemplares distribuídos aos participantes. A Fotógrafa Lou Carrico esteve presente, registrando os momentos. Valérie Rosset, ilustradora e artista plástica suíça, esteve presente com sua belíssima exposição de quadros (portrait de jogadores de futebol famosos como Neimar, Christiano Ronaldo, entre outros). Tivemos também a Exposição Fotográfica de Anne Stichwort ouviram atentamente em inglês a leiLou Carrico. A Escritora Dulce Rodrigues presenteou tura de diversos textos contidos na obra literária. Rolf o Madalena’s com diversos livros em francês, os quais Aeberhardt, (organizador do evento e Vice-Presidente foram doados para o Centro Cultural Brasileiro. O do Madalena’s) foi o realizador das leituras em língua destaque foi a Cantora Eve Astrid e o belíssimo Show estrangeira. Na ocasião, Lúcia Amélia apresentou o de Veronice de Abreu com sua aluna. Jornal Sem Fronteiras, traduzindo as informações do Esperamos que vocês apreciem as fotos e participem português para o alemão. Toda apresentação foi feita ativamente conosco nesse movimento de fomentação da em três idiomas - alemão, inglês e português - comCultura Brasileira. Na próxima edição, traremos a coberSite : www.luciaameliamadalenas.com provando que realmente somos SEM FRONTEIRAS. tura do último lançamento realizado no dia 2 de Julho, em Facebook: Madalena’s Suíça-Brasil Londres, na Casa do Brasil, presidida por Carlos Mellinger. E-Mail: madalenas@hotmail.ch www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br Divulgação

o dia 25 de maio, o Salão de Eventos do Hotel Jägerhof na cidade de Zams, na Áustria, foi palco para o lançamento da Antologia Madalena´s em Prosa e Verso e da Coletânia Internacional Bilíngue Sem Fronteiras pelo Mundo... O evento, fechado ao público, contou com a presença dos Conselheiros e Anciões do Madalena’s, que, uma vez ao ano, reúnem-se em um determinado local da Europa, para retiros espirituais, com o objetivo de obterem novas direções e projetos futuros para Entidade. Os convidados especiais Susanne Blatter, Johson Brüllhardt e

Lou Carrico

Ao contrário de outros eventos organizados em Bibliotecas, Salões de Livros, Galerias de Artes, CEBRAC e MULTIMONDO, o evento realizado dia 7 de maio foi informal e reuniu 40 homens e mulheres vindos da Espanha, Itália, Portugal, Zurique, Basel, Berna, Fribourg, Yverdon, Winterthur e Solothurn. O local escolhido foi o Centro Cultural de Jovens X-Project (Centre Culturel de Jeunesse) na cidade de Bienne, onde o multiculturalismo e a diversidade linguística são uma constante na vida dos habitantes.


39

Jun \ Jul 2016

Sem Fronteiras Pelo Mundo R Especial Coletânea Sem fronteiras pelo Mundo... Brasília (DF)

Uberaba (MG)

N

o Circuito de Feiras do Livro no Paranoá (DF), em abril, a Diretora da Escola Córrego de Sobradinho, Sra. Rosemary Mundim Saldanha, adquire a coletânea para sua escola. Ao lado, Cida Araújo, da UNIEB/ Paranoá. Nos informa a coautora Dinorá Cançado.

N

a Academia de Letras do Triângulo Mineiro, sediada em Uberaba (MG), a acadêmica e coautora da obra, Arahilda Gomes, apresenta a Coletânea e entrega exemplares à Presidente Ilcea Borba Marquez e ao Diretor Guido Bilharinho.

A

Caçu (GO)

E

AGAV - Associação Goiana de Artes Visuais realizou o Happening “Arte Por Toda Parte”, na cidade de Caçu (GO) em maio, com Exposição de Pinturas e Oficinas destinadas ao público acima de 12 anos. Lionizia Goyá, coautora da obra, presenteou o Artista Plástico Nonatto Coelho com uma Coletânea e exemplares do JSF.

Taubaté (SP)

m abril, a coautora Janaína da Cunha esteve em Taubaté para receber o Prêmio Destaque, homenagem outorgada pelo queridíssimo e competente jornalista Ray Nonato, em evento de gala na Mansão Fabelle. Na ocasião, ela o presenteou exemplares da coletânea e do JSF.

Catolé do Rocha (PB)

O

A

Niterói (RJ)

Rio de Janeiro (RJ)

A

Recife (PE)

coautora Rai D’Lavor entregou um exemplar da Coletânea para a sua irmã Terezinha Lavor, que reside em Recife, Pernambuco.

coautor Lenival Nunes de Andrade entregou a obra Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo... para Francisco da Alsol e Iam Pontes do Jornal Sertão é Notícia.

Coautora e Colunista SF, Maria Araújo, em cerimônia no Rio de Janeiro, entregou exemplares da Coletânea para Sr. Brice Roquefeuil, Cônsul do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro e Sr. Jean-Francois Laborie, Cônsul Adjunto.

Acervos Particulares e Divulgação

Por Fábio Valverde Portugal*

ecebemos fotos de registro de apoio de todo o Brasil e de todo mundo. Isso é muito legal, pois temos a real noção por onde nossa publicação está circulando. Por isso, inauguramos essa coluna, para poder agradecer a tanto carinho. No entanto, não conseguimos divulgar todas de forma tão dinâmica, devido ao restrito espaço. Ao recebermos as fotos, elas entram em uma fila e vão sendo publicadas, aos poucos. Pedimos a paciência de todos. Mas, enquanto esperam, todas as fotos estão sendo divulgadas em nossa Página no Facebook, no álbum “Galeria Sem Fronteiras”. Confira!

O

Presidente de Honra da Associação e Escola Fluminense de Belas Artes – AFBA e Presidente Nacional da Academia Niteroiense de Belas Artes Letras e Ciências – ANBA, Edson De Luna Freire, exibe nossa Coletânea em Niterói.

São Gonçalo (RJ)

C

entro Educacional Fonseca Gouveia recebeu, em maio, a visita da escritora e coautora Rai D`Lavor, que entregou um exemplar da Coletânea para a Diretora Tia Lais, como carinhosamente todos a chamam.

*O Colunista é empresário da área de Construção Civil, com especialização em Incorporação e Construção. Perito em Avaliação Imobiliária Judicial. É Consultor Político associado pela ABCOP. Foi Delegado do CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) por três gestões. Palestrante da área imobiliária em Seminários e Congressos. Foi Presidente do Rotary Clube. Além disso, tornou-se Jornalista sob o registro MTB 36.186/RJ e é Editor Adjunto do Jornal Sem Fronteiras, sendo também Conselheiro da Publicação. Contato: fvportugal@yahoo.com.br

www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br


40

Jun \ Jul 2016

Coletânea Literária Integração Cultural Interestadual, mais um projeto editorial da Editora Rede Sem Fronteiras Mayra Soares/Acervo Sem Fronteiras

Apresentação da obra por Socorro Cavalcanti, com adaptações de Dyandreia Portugal

Coletânea Literária Integração Cultural Interestadual é parte integrante do Projeto denominado INTEGRAÇÃO CULTURAL INTERESTADUAL. A ideia dessa coletânea surgiu após a palestra “Cultura nas Academias de Letras e Instituições Afins”, proferida por Socorro Cavalvanti em evento na UBE-RJ, e que tinha como objetivo convocar a todos para a reflexão sobre o papel das Instituições lítero-culturais; analisar e sugerir ações de combate à desvalorização da cultura. Dado o interesse da plateia, demonstrado pela elevada participação dos congressistas, hora questionando, concordando ou complementando o conteúdo da palestra, houve o empenho para realizar eventos nas cidades de Fortaleza (CE) e Mossoró (RN), ao lado de unidades lítero-culturais, com o objetivo de proporcionar a integração em nível interestadual, de escritores, poetas, jornalistas e artistas plásticos. Nessa direção, após o anunciado apoio do Jornal Sem Fronteiras, na pessoa da Editora-chefe, Dyandreia Portugal, para a cobertura do evento, deu-se, neste momento, o convite para que a mesma pudesse editar a obra literária que serviria de legado histórico e de registro para tal encontro. Desta forma, foi levado a cabo a realização do evento, nas cidades de Fortaleza (CE) e (RN). O apoio das instituições das áreas lítero-culturais de Fortaleza e Mossoró determinou a viabilidade do Projeto. Acreditando no sucesso desta obra, os responsáveis por esta proeminente coletânea abriram espaço para o fazer literário, de novos e evidenciados escritores e poetas, para mostrarem suas valorosas obras e avaliarem a sua receptividade. Resultado: as metas foram atingidas: 66 patriotas se fizeram presentes nesta coletânea, residentes em 21 cidades, vinculadas a 13 estados da Federação Brasileira, alem de 2 outras cidades da Suíça. Quanto aos textos, apresentados em prosa e versos, mais de uma dezena se voltaram para as sugestões propostas: Deus, comunidade, família e juventude. Essa estatística, aliada à diversificação e qualidade dos textos apresentados, nos leva a acreditar que estamos fazendo algo de proveitoso, estimulando os principiantes a investirem na literatura e conduzindo os autores consagrados a exporem seus trabalhos para serem apreciados e tomados como referência. Portanto, queremos agradecer a todas as Instituições e pessoas que, em reconhecendo o valor dessa iniciativa, se fizeram presentes com seus préstimos: a Editora Rede Sem Fronteiras, na pessoa de Dyandreia Valverde Portugal, que organizou a obra; Juçara Valverde, Presidente da UBE-RJ pelo apoio; Dr. José Augusto Bezerra, Presidente da Academia Cearense de Letras, prefaciante da obra; Dr. Diógenes da Cunha Lima, Presidente da Academia Norte -Riograndense de Letras, que fez o posfácio; a participativa TCM – TV a Cabo de Mossoró, que tem como Diretor Presidente o Dr. Milton Marques de Medeiros pela cobertura e a todos os Presidentes de Academias de Letras e órgãos afins, do Ceará e do Rio Grande do Norte, que apoiaram o projeto. Manifestamos, também, os nossos mais elevados agradecimentos aos coautores que, em acreditando no Projeto, na organizadora e coordenadora editorial da obra, bem como nos membros corresponsáveis, investiram e tornaram possível essa coletânea que, dado a sua diversificada riqueza, passará a ser objeto de apreciação e indiscutível deleite. Os lançamentos desta coletânea foram realizados por ocasião dos eventos acadêmicos “Integração Cultural Interestadual”, no dia 15 de junho de 2016, na capital Alencarina – Fortaleza (CE) e no dia 17 de junho de 2016 na cidade de Mossoró (RN) e foram dignos de orgulho cultural. Por fim, ao meditar sobre as dificuldades percorridas no caminho trilhado, e experimentar o sabor advindo das resoluções, só temos a dizer, muito obrigada SENHOR, pelas indicações certeiras rumo ao resultado desejado. E que cada autor possa sentir a mesma emoção desde o início do Projeto Integração Cultural Interestadual e tenha vontade em dar continuidade a outros projetos similares, quando convocados pela literatura que nos aproxima, nos orgulha e nos envolve nessa teia mágica que chamamos de missão divina, estimulando as pessoas para a prática em favor da coletividade. www.redesemfronteiras.com.br | contato@redesemfronteiras.com.br

São coautores desta obra, que é o legado deste evento cultural e que integrou autores de diversas regiões: Álvaro Luiz Cardoso Ambrosina Coradi Angela Guerra Angélica Sampaio Anna Elizandra Argentina Austregésilo de Andrade Arlete Trentini Benedito Vasconcelos Betty Silberstein Carla De Sà Morais Ceição Maciel Célia Oliveira Cinara Maciel Clara Lêda Claudia Carvalho Dilercy Adler Diulinda Garcia Dix-Sept Rosado Sobrinho Dyandreia Valverde Portugal Edinaide Gomes de Paiva Eliane Morais Araújo Elinalva Oliveira Else Dorotéa Lopes Ely Vieitez Lisboa Fátima Lemos Gabriele Loureiro Bruschi Gilda Avelino Gilda Freitas Gisleno Graças Santos Grecianny Carvalho Cordeiro Iára Pacini Ilda Maria Costa Brasil Isis Dias Vieira Ivanilde Morais de Gusmão Iza Engel Jania Souza Johanna Fernandes José Odmar de Lima Juçara Valverde Lenival de Andrade Lúcia Recamonde Lucineide Souto Mar Soares Maria Araújo Messody Benoliel Neri França Fornari Bocchese Neves Pereira Nice Arruda Nilza de July da Costa e Silva Ninita Lucena Nirvanda Medeiros Orlando Torquato Sampaio da Silva Pio Barbosa Neto Poeta da Amazônia Rai D’Lavor Rejane Costa Barros Rosângela de Souza Goldoni Rubens Barros de Azevedo Socorro Cavalcanti Socorro Rebelo Sonia Nogueira Vanessa Gomes de Moraes Vany Campos Vicente Alencar Zezé Barcelos

Jornal Sem Fronteiras - Edição junho-julho/16  

Jornal Sem Fronteiras - Edição Junho-Julho/2016, uma produção da Rede Mídia de Comunicação Sem Fronteiras, da jornalista Dyandreia Portugal,...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you