Page 1

ROTAS DO ANDAR

ceilândia


Rotas do Andar - Ceilândia*, é um projeto iniciado em março de 2019 que busca entender, no contexto do espaço urbano, as principais demandas de quem circula por Ceilândia/DF e propor intervenções para melhorar a vida do pedestre em três bairros da cidade: Setor O, Ceilândia Centro e Ceilândia Sul. Utilizando-se da metodologia de Safari Urbano, foram realizados trajetos de caminhada em grupo e, simultaneamente, avaliações sobre esses espaços. Então, compilou-se coletivamente um diagnóstico dos três trechos, em que foram apontadas problemáticas e potenciais de cada percurso. A partir da caminhada e do diagnóstico coletivo apresentado, o coletivo de arquitetos urbanistas Da Cei Eu Sei iniciou o trabalho técnico, a fim de complementar este diagnóstico coletivo e desenvolver a primeira proposta de intervenção. As primeiras soluções foram compiladas em um estudo preliminar, apresentadas e discutidas junto ao grupo que participou do Safari Urbano. O debate fomentou o aprimoramento do estudo preliminar, o qual transformou-se em um anteprojeto – exposto em uma apresentação aberta a toda a comunidade de Ceilândia em agosto de 2019. * O projeto é uma iniciativa da associação Andar a Pé, em parceria com a associação Rodas da Paz, com financiamento do Fundo Socioambiental Casa, do Fundo Socioambiental Caixa e da OAK Foundation.


LOCALIZAÇÃO Ceilândia, Distrito Federal


ROTAS DO ANDAR

Apoio:

Parcerias:

CEPAFRE

Financiamento:

Realização:

CASA DO CANTADOR

TRECHO SETOR O (HOJE)


SETOR O TRECHO 1 Passarela - Terminal Rodoviรกrio

hoje


SETOR O TRECHO 2 Terminal Rodoviário - Comércio

hoje


SETOR O TRECHO 3 Creche - Terminal Rodoviรกrio

hoje


SETOR O TRECHO 4 Acesso - Terminal Rodoviรกrio/Estacionamentos

hoje


SETOR O TRECHO 5 Comércio

hoje


PASSEIOS ESTREITOS, OBSTRUÍDOS E DESCONTÍNUOS

Os caminhos para o pedestre não têm largura mínima adequada para circulação e a ausência de faixas de serviço faz que o espaço seja dividido com postes, lixeiras e estacionamentos. Ainda, as calçadas não têm continuidade em nível, acarretando em absurdos desníveis que dificultam (a ponto de impossibilitar) a circulação de pessoas com deficiência física.

DESCARTE DE LIXO NA RUA

A precarização e a baixa disponibilidade de lixeiras próximas às calçadas acarreta no descarte inadequado e acúmulo dos resíduos sólidos no solo, ocasionando mau cheiro e obstáculos físicos ao pedestre.

TRAVESSIAS SEM SEGURANÇA

A principal ligação entre o Setor O e o condomínio Privê se constroi pela passarela suspensa em meio à BR 070.A alta velocidade dos automóveis na rodovia (em média, 60km/h) somada à ausência de semáforo e à insegurança proporcionada pela travessia pela passarela faz que o pedestre arrisque a própria segurança atravessando por entre os carros.

AUSÊNCIA DE MOBILIÁRIO URBANO

O espaço público do trecho, em geral, não é servido de mobiliário urbano para descanso, como bancos, mesas e quiosques.

TERMINAL DE ÔNIBUS

Por estar localizado às margens da BR 070 e atender cidades do Distrito Federal e entorno, o terminal gera grande fluxo, porém, sem segurança: há conflito na entrada e na saída dos ônibus em relação à travessia de pedestres.

GRANDES ÁREAS DESCONEXAS

A maior parte das margens da BR 070, tanto do lado do Setor O quanto do Condomínio Privê, está abandonada e é utilizada como área de descarte de resíduos diversos. Até meados da década de 90 encontrava-se nascentes de água natural no trecho em questão. Os arredores do terminal rodoviário também estão ociosos.

ESTACIONAMENTOS SUPER DIMENSIONADOS E MUROS CEGOS O espaço livre de conexão entre os usuários e o terminal de ônibus é majoritariamente destinado a estacionamentos de veículos não utilizados. Além disso, existe uma grande propriedade, vizinha ao terminal rodoviário, subutilizada como garagem, cujos fechamentos são enormes muros cegos.

ILUMINAÇÃO INSUFICIENTE

A iluminação pública é insuficiente e inadequada para o pedestre, visto que os postes são altos e os feixes de iluminação estão direcionados para o fluxo dos automóveis.

DESCONFORTO TÉRMICO

A ausência de arborização ou outros dispositivos de sombreamento, somada à temperatura do asfalto e às distâncias percorridas, gera alto desconforto térmico para o pedestre.

ALTO FLUXO DE PESSOAS

A BR 070 constitui um dos principais acessos da cidade. Além disso, o terminal rodoviário também exerce papel fundamental na dinâmica do trecho, sendo dos principais responsáveis pela circulação diária de pedestres.

POTENCIAL PARA OCUPAÇÃO DE ÁREAS

Há muitas áreas ociosas no trecho, com potencial para adensamento edilício e ocupação com usos coletivos.


SETOR O TRECHO 1 Passarela - Terminal Rodoviรกrio

hoje


SETOR O TRECHO 1 Passarela - Terminal Rodoviรกrio

croqui


TRECHO SETOR O (PROPOSTA)


4

5

5

8

6

7

2

5

7

3

4

1

7

5

5

9

9

6

6

8

10

10

8

8

9

12

12

9

9 10 11 12


1. PARQUE LINEAR

Para a margem da BR 070 adjacente ao Setor O, a proposta é criar um parque linear, aproveitando a infraestrutura de transporte e potencial de adensamento da área, além de ser uma solução para a ausência de lazer no trecho e uma maneira de integrar o Setor O e o Condomínio Privê.

2. SEMÁFORO

4. ADENSAMENTO

A verticalização dos edifícios faz-se necessária na medida em que a infraestrutura urbana existente hoje é sub aproveitada, e justifica-se ainda como maneira de melhor aproveitar as propostas de parque linear e equipamento de uso coletivo.

Para a travessia mais segura e acessível do pedestre entre o Setor O e o Condomínio Privê, suprime-se a passarela suspensa, substituindo-a por uma travessia elevada, no nível da calçada, junto a um semáforo.

5. ARBORIZAÇÃO

3. EQUIPAMENTO COLETIVO

6. PASSEIO LARGO EM NÍVEL

Para a área vazia adjacente à BR 070 no Condomínio Privê, propõe-se a ocupação do solo com equipamento de uso coletivo, justificada para o aproveitamento da infraestrutura de transporte oriunda do terminal rodoviário do Setor O.

Propõe-se a arborização como solução de sombreamento e agradabilidade visual nos fluxos dos pedestres e ciclistas.

A adequação da dimensão dos passeios públicos se faz necessária para o conforto e segurança do pedestre, e a pavimentação homogênea garante a acessibilidade de pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção. 08/08/2019


7. TRAVESSIAS EM NÍVEL

se nfrasub omo promen-

A fim de garantir maior segurança no acesso ao terminal rodoviário, as travessias em nível eliminam obstáculos e valorizam os trajetos de pedestres e ciclistas.

8. MOBILIÁRIO URBANO

lulidase

Como solução para a ausência de espaços de descanso e interação nos fluxos dos pedestres, propõe-se novo mobiliário urbano, com identidade visual própria, integrado aos passeios públicos, contemplando: bancos, mesas, quiosques, paradas de ônibus, lixeiras, paraciclos, bebedouros e placas de sinalização.

EL

9. ILUMINAÇÃO PÚBLICA ADEQUADA AO PEDESTRE

spara re, e nte de-

Os altos postes de iluminação pública existentes têm altura inadequada para o pedestre. Os espaços bem iluminados, propostos com postes de iluminação mais baixos, conseguem ser articulados em vários horários, aumentando o dinamismo das atividades no trecho. BR-070 - Google Maps

08/08/2019

BR-070

10. CICLOFAIXAS CONECTADAS A bicicleta é um dos principais meios de locomoção na Ceilândia. São propostas novas ciclofaixas, integradas aos espaços públicos, em um sistema conectado, que proporciona o deslocamento livre e seguro do ciclista.

11. ESTRUTURAS PARA O COMÉRCIO AMBULANTE

Com a criação do parque linear, aproveitando o fluxo de pessoas, as possibilidades de comércio tendem a se intensificar. Dessa forma, propõe-se estruturas que podem servir ao comércio de rua existente.

12. INFRAESTRUTURA VERDE

Os jardins de chuva são propostos como solução para a drenagem insuficiente e como elemento de paisagismo. Constituem estruturas que recebem o escoamento de água e acumulam os excessos, formando poços que se infiltram gradualmente no solo. Essa tecnologia auxilia o sistema geral de drenagem a trabalhar dentro de sua capacidade mesmo durante os picos de precipitação.


08/08/2019

ACESSO AO TERMINAL RODOVIÁRIO (HOJE)

Distrito F

Go

Street Vie

https://www

ACESSO AO TERMINAL RODOVIÁRIO (PROPOSTA) BR-070 - Google Maps


TA)

BR-070

TRAVESSIA - BR070 (HOJE) Captura da imagem: jan 2019

© 2019 Google

Distrito Federal Google Street View - jan 2019

https://www.google.com.br/maps/@-15.785703,-48.1344976,3a,90y,185.07h,86.39t/data=!3m6!1e1!3m4!1s3epOwPXCOXH8aEk1SVINDQ!2e0!7i13312!8i6656

1/2

TRAVESSIA - BR070 (PROPOSTA)


BR-070 - Google Maps

08/08/2019

BR-070

ADJACÊNCIAS DA BR 070 (HOJE)

Captura da imagem: jan 2019

© 2019 Google

Distrito Federal Google Street View - jan 2019

https://www.google.com.br/maps/@-15.7853149,-48.1345145,3a,90y,204h,79.84t/data=!3m6!1e1!3m4!1s2ERO-ZkdHKIKDHf78JMoDw!2e0!7i13312!8i6656

1/2

PARQUE LINEAR DO SETOR O/CONDOMÍNIO PRIVÊ E EQUIPAMENTO DE USO COLETIVO (PROPOSTA)

PARQUE LINEAR DO SETOR O/CONDOMÍNIO PRIVÊ E EQUIPAMENTO DE USO COLETIVO (PROPOSTA)


RODOVIA BR 070


ROTAS DO ANDAR

Apoio:

Parcerias:

CEPAFRE

Financiamento:

Realização:

CASA DO CANTADOR

TRECHO CEILÂNDIA SUL (HOJE)


CEILÂNDIA SUL TRECHO 1 Acesso - Estação Ceilândia Sul

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 2 Viaduto (metrô)

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 3 Acesso UnB-FCE

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 4 Acesso IFB

hoje


Apoio:

s:

CEPAFRE

Financiamento:

Realização:

CASA DO CANTADOR

PASSEIOS ESTREITOS, OBSTRUÍDOS E DESCONTÍNUOS

Os caminhos para o pedestre não têm largura mínima adequada para circulação e a ausência de faixas de serviço faz que o espaço seja dividido com postes, lixeiras e estacionamentos. As calçadas não têm continuidade em nível, acarretando em absurdos desníveis que dificultam (a ponto de impossibilitar) a circulação de pessoas com deficiência física.

DESCARTE DE LIXO NA RUA

RAM

As p fazen sos.

AUS

O esp desc

A precarização e a baixa disponibilidade de lixeiras próximas às calçadas acarreta no descarte inadequado e acúmulo dos resíduos sólidos no solo, ocasionando mau cheiro e obstáculos físicos ao pedestre.

DES

TRAVESSIAS SEM SEGURANÇA

ILUM

A alta velocidade dos automóveis, somada ao tempo de espera dos semáforos, às grandes distâncias e conexões inadequadas entre as faixas de pedestre e as calçadas faz que o pedestre arrisque a própria segurança atravessando por entre os carros.

A aus à tem

A ilum em s

DRE

A infr da U radas

A Aveni bem ser a estaçã Brasília

TRECHO CEILÂNDIA SUL (HOJE)

É notáve tam e m de


NUOS

da para eja divim conficultam ciência

s calçasólidos tre.

dos sentre as própria

RAMPAS SEM CONEXÃO

As poucas rampas de acessibilidade existentes não seguem fluxos lógicos, fazendo que usuários de cadeira de rodas percorram caminhos mais extensos.

AUSÊNCIA DE MOBILIÁRIO URBANO

O espaço público do trecho, em geral, não é servido de mobiliário urbano para descanso, como bancos, mesas e quiosques.

DESCONFORTO TÉRMICO

A ausência de arborização ou outros dispositivos de sombreamento, somada à temperatura do asfalto, gera alto desconforto térmico para os caminhantes.

ILUMINAÇÃO INSUFICIENTE

A iluminação pública é insuficiente e inadequada para o pedestre, resultando em sensação de insegurança no percurso do pedestre pelo trecho.

DRENAGEM URBANA INSUFICIENTE

A infraestrutura de captação de águas pluviais é insuficiente nas adjacências da UnB, e, aliada à topografia do terreno, ocasiona acúmulo de água e enxurradas nas vias.

PÓLO DE ATRAÇÃO

A Avenida Elmo Serejo constitui um dos principais acessos à Ceilândia, sendo bem servida de diversas linhas de transporte coletivo - além da proximidade com a estação de metrô Ceilândia Sul. Além disso, os campi do Instituto Federal de Brasília e da Universidade de Brasília/FCE são pólos geradores de fluxo de pessoas.

COMUNIDADE ENGAJADA

É notável o cuidado que os moradores da região têm com o espaço público: plantam e mantêm hortas, constroem e usam mobiliário efêmero, ocupando a cidade de maneira saudável e gerando o sentimento de segurança a quem passa.


CEILÂNDIA SUL TRECHO 1 Acesso - Estação Ceilândia Sul

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 1 Acesso - Estação Ceilândia Sul

croqui


CEILÂNDIA SUL TRECHO 1 Acesso - Estação Ceilândia Sul

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 1 Acesso - Estação Ceilândia Sul

croqui


CEILÂNDIA SUL TRECHO 2 Viaduto (metrô)

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 2 Viaduto (metrô)

croqui


CEILÂNDIA SUL TRECHO 3 Acesso UnB-FCE

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 3 Acesso UnB-FCE

croqui


CEILÂNDIA SUL TRECHO 3 Acesso UnB-FCE

hoje


CEILÂNDIA SUL TRECHO 3 Acesso UnB-FCE

croqui


6 4

7

3

5

8

9

10

1 5 6 8 9 10 11

TRECHO CEILÂNDIA SUL (PROPOSTA)


TA)

1

8

6

5

9

9

6

10

8

11

9 10 11

7

4

2 7 9

5


4. ADENSAMENTO 1. CAMPUS-PARQUE

Inseridas em uma área ambientalmente sensível, que sugere um parque, propõe-se um campus único e integrado para as instituições IFB e UnB/FCE, constituindo um pólo científico-cultural e de lazer público.

A verticalização dos edifícios lindeiros à Elmo Serejo (para até 8 pavimentos) faz-se necessária na medida em que a infraestrutura urbana existente hoje é sub aproveitada. A proposta se justifica por ser um pólo de atração (instensificado com a proposta do Campus-Parque).

2. PASSAGEM SOB VIADUTO

O espaço sob o viaduto do metrô, hoje estigmatizado pelo medo, tem potencial para ser uma passagem agradável por meio da inserção de elementos de mobiliário urbano e paisagismo: arborização, iluminação no nível do pedestre, faixas de pedestre nas vias adjacentes, ciclofaixas etc.

3. PAISAGISMO

O desenho de piso existente associado a um paisagismo adequado, com diversidade de espécies e sombreamento, constitui um espaço mais agradável de passagem e permanência nas adjacências da estação Ceilândia Sul.

08/08/2019

St. N Qnn 24 Conjunto B - Google Maps

St. N Qnn 24 Conjunto B

5. ARBORIZAÇÃO

Propõe-se a arborização como solução de sombreamento e agradabilidade visual nos fluxos dos pedestres e ciclistas.

6. PASSEIO LARGO EM NÍVEL

A adequação da dimensão dos passeios públicos se faz necessária para o conforto e segurança do pedestre, e a pavimentação homogênea garante a acessibilidade de pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção.


eidida isode -

7. TRAVESSIAS EM NÍVEL

A fim de eliminar obstáculos para pedestres e ciclistas, e abrandar a velocidade do tráfego, as travessias tornam-se mais seguras, confortáveis e acessíveis quando elevadas, niveladas com os passeios.

8. MOBILIÁRIO URBANO

lulidase

Como solução para a ausência de espaços de descanso e interação nos fluxos dos pedestres, propõe-se novo mobiliário urbano, com identidade visual própria, integrado aos passeios públicos, contemplando: bancos, mesas, quiosques, paradas de ônibus, lixeiras, paraciclos, bebedouros e placas de sinalização.

EL

9. ILUMINAÇÃO PÚBLICA ADEQUADA AO PEDESTRE

spara re, e nte de-

Os altos postes de iluminação pública existentes têm altura inadequada para o pedestre. Os espaços bem iluminados, propostos com postes de iluminação mais baixos, conseguem ser articulados em vários horários, aumentando o dinamismo das atividades no trecho.

10. CICLOFAIXAS CONECTADAS A bicicleta é um dos principais meios de locomoção na Ceilândia. São propostas novas ciclofaixas, integradas aos espaços públicos, em um sistema conectado, que proporciona o deslocamento livre e seguro do ciclista.

11. INFRAESTRUTURA VERDE

Os jardins de chuva são propostos como solução para a drenagem insuficiente e como elemento de paisagismo. Constituem estruturas que recebem o escoamento de água e acumulam os excessos, formando poços que se infiltram gradualmente no solo. Essa tecnologia auxilia o sistema geral de drenagem a trabalhar dentro de sua capacidade mesmo durante os picos de precipitação.


08/08/2019

St. N Qnn 24 Conjunto B - Google Maps

St. N Qnn 24 Conjunto B

ACESSO À ESTAÇÃO CEILÂNDIA SUL (HOJE) Captura da imagem: out 2018

Distrito Federal

© 2019 Google

Google Street View - out 2018

https://www.google.com.br/maps/@-15.8380246,-48.1038905,3a,90y,56.12h,92.01t/data=!3m6!

1e1!3m4!1sqk0wAz9dFYjTo3jLbkh0Zw!2e0!7i13312!8i6656

ACESSO À ESTAÇÃO CEILÂNDIA SUL (PROPOSTA)

1/2

ACE


ACESSO À ESTAÇÃO CEILÂNDIA SUL (HOJE)

ACESSO À ESTAÇÃO CEILÂNDIA SUL (PROPOSTA)


VIADUTO DO METRÔ (HOJE)

VIADUTO DO METRÔ (PROPOSTA)

ACE


ACESSO À UNB/FCE/IFB (HOJE)

ACESSO À UNB-FCE/IFB (PROPOSTA)


CAMPUS-PARQUE (PROPOSTA)


PROPOSTA PARA A AVENIDA ELMO SEREJO


ROTAS DO ANDAR

Apoio:

Parcerias:

CEPAFRE

Financiamento:

Realização:

CASA DO CANTADOR

TRECHO CEILÂNDIA CENTRO (HOJE)


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 1 Acesso Estação Ceilândia Centro

hoje


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 2 Hélio Prates

hoje


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 3 Via arterial transversal

hoje


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 4 Cruzamento - Caixa d’Água

hoje


PASSEIOS ESTREITOS, OBSTRUÍDOS E DESCONTÍNUOS

Os caminhos para o pedestre não têm largura mínima adequada para circulação e a ausência de faixas de serviço faz que o espaço seja dividido com postes, lixeiras e estacionamentos. Além disso, o comércio apropria-se também das calçadas, dispondo expositores para além do espaço privado, dificultando a circulação. Ainda, as calçadas não têm continuidade em nível, acarretando em absurdos desníveis que dificultam (a ponto de impossibilitar) a circulação de pessoas com deficiência física.

DESCARTE DE LIXO NA RUA

A precarização e a baixa disponibilidade de lixeiras próximas às calçadas acarreta no descarte inadequado e acúmulo dos resíduos sólidos no solo, ocasionando mau cheiro e obstáculos físicos ao pedestre.

TRAVESSIAS SEM SEGURANÇA

A alta velocidade dos automóveis na Avenida Hélio Prates somada ao tempo de espera dos semáforos, ao superdimensionamento dos bolsões de estacionamento e às grandes distâncias e conexões inadequadas entre as faixas de pedestre e as calçadas faz que o pedestre arrisque a própria segurança atravessando por entre os carros.

TRECHO CEILÂNDIA CENTRO (HOJE)

RAM

As p faze sos.

AUS

O es desc

DES

A au à tem

EST

O es trans porte

ILU

A ilu post auto res).


OS

para divircio m do têm culncia

lçados

a ao bolquarris-

RAMPAS SEM CONEXÃO

As poucas rampas de acessibilidade existentes não seguem fluxos lógicos, fazendo que usuários de cadeira de rodas percorram caminhos mais extensos.

AUSÊNCIA DE MOBILIÁRIO URBANO

O espaço público do trecho, em geral, não é servido de mobiliário urbano para descanso, como bancos, mesas e quiosques.

DESCONFORTO TÉRMICO

A ausência de arborização ou outros dispositivos de sombreamento, somada à temperatura do asfalto, gera alto desconforto térmico para os caminhantes.

ESTACIONAMENTOS SUPER DIMENSIONADOS

O espaço público é majoritariamente destinado a estacionamentos para o transporte individual, restando espaços residuais para o pedestre e o transporte coletivo.

ILUMINAÇÃO INSUFICIENTE

A iluminação pública é insuficiente e inadequada para o pedestre, visto que os postes são altos e os feixes de iluminação estão direcionados para o fluxo dos automóveis (sendo muitas vezes bloqueados pela projeção das árvores maiores).

ALTO FLUXO DE PESSOAS

A Avenida Hélio Prates constitui um dos principais acessos da cidade, e dessa forma, é bem servida de transporte coletivo. O forte comércio também exerce papel fundamental na dinâmica do trecho, sendo dos principais responsáveis pela circulação diária de pedestres.


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 2 Hélio Prates - Comércio

hoje


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 2 Hélio Prates - Comércio

croqui


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 2 Hélio Prates - Canteiro Central

hoje


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 2 Hélio Prates - Canteiro Central

croqui


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 3 Via arterial transversal

hoje


CEILÂNDIA CENTRO TRECHO 3 Via arterial transversal

croqui


TRECHO CEILÂNDIA CENTRO (PROPOSTA)


diรกria de pedestres.

JE)

TA)

9

10

10

1

12

3

4

8

2

9

8

6

8

6

5

6

5

9

7

10


1. CAIXA D’ÁGUA COMO ESPAÇO PÚBLICO

O recuo da grade de fechamento do lote da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (CAESB) resulta na abertura do entorno imediato da Caixa d’Água para uso livre público - o que sugere um novo mobiliário, com fontes de piso e arquibancadas, por exemplo. O monumento é reconhecido, desde 2013, como patrimônio histórico do Distrito Federal.

4. ADENSAMENTO

A verticalização dos edifícios lindeiros à Hélio Prates (para até 12 pavimentos) faz-se necessária na medida em que a infraestrutura urbana existente hoje é sub aproveitada. A proposta reafirma a legislação já prevista para o trecho no Plano Diretor Local (PDL/Ceilândia) e na nova Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS/2019).

2. CRUZAMENTO EM NÍVEL

A elevação das pistas de rolamento da via no cruzamento, junto ao semáforo, garante maior segurança na travessia de pedestres (principalmente usuários de cadeiras de rodas e pessoas com dificuldade de locomoção) e ciclistas. Além de eliminar os obstáculos causados pelo desnível, funciona como um elemento redutor de velocidade do tráfego.

3. VEÍCULO LEVE SOBRE TRILHOS (VLT)

A faixa exclusiva para ônibus e VLT (novo modal de interligação Ceilândia-Taguatinga), junto à reformulação dos trajetos das linhas de ônibus, é um incentivo ao uso do transporte coletivo, com o objetivo de desafogar o tráfego na Avenida Hélio Prates.

5. ARBORIZAÇÃO

Propõe-se a arborização como solução de sombreamento e agradabilidade visual nos fluxos dos pedestres e ciclistas.

6. PASSEIO LARGO EM NÍVEL

A adequação da dimensão dos passeios públicos se faz necessária para o conforto e segurança do pedestre, e a pavimentação homogênea garante a acessibilidade de pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção.


eividida isovista cal Uso .

lulidase

EL

spara re, e nte defião.

7. TRAVESSIAS EM NÍVEL

A fim de eliminar obstáculos e valorizar os trajetos de pedestres e ciclistas, as travessias entre quarteirões tornam-se mais seguras, confortáveis e acessíveis quando elevadas, niveladas com as calçadas.

8. MOBILIÁRIO URBANO

Como solução para a ausência de espaços de descanso e interação nos fluxos dos pedestres, propõe-se novo mobiliário urbano, com identidade visual própria, integrado aos passeios públicos, contemplando: bancos, mesas, quiosques, paradas de ônibus, lixeiras, paraciclos, bebedouros e placas de sinalização.

10. CICLOFAIXAS CONECTADAS A bicicleta é um dos principais meios de locomoção na Ceilândia. São propostas novas ciclofaixas, integradas aos espaços públicos, em um sistema conectado, que proporciona o deslocamento livre e seguro do ciclista.

11. ESTRUTURAS PARA O COMÉRCIO AMBULANTE

Com a pavimentação que prioriza o pedestre, as possibilidades de comércio tendem a se intensificar. Dessa forma, propõe-se estruturas que podem servir ao comércio de rua existente.

12. INFRAESTRUTURA VERDE 9. ILUMINAÇÃO PÚBLICA ADEQUADA AO PEDESTRE

Os altos postes de iluminação pública existentes têm altura inadequada para o pedestre. Os espaços bem iluminados, propostos com postes de iluminação mais baixos, conseguem ser articulados em vários horários, aumentando o dinamismo das atividades no trecho.

Os jardins de chuva são propostos como solução para a drenagem insuficiente e como elemento de paisagismo. Constituem estruturas que recebem o escoamento de água e acumulam os excessos, formando poços que se infiltram gradualmente no solo. Essa tecnologia auxilia o sistema geral de drenagem a trabalhar dentro de sua capacidade mesmo durante os picos de precipitação.


ESTACIONAMENTOS

A retirada dos bolsões de estacionamentos existentes na Avenida Hélio Prates justifica-se pela intenção de priorizar o solo público para uso do pedestre e como incentivo ao uso do transporte coletivo. Hoje a área é bem servida de diversos estacionamentos públicos em seus arredores, dispostos em um raio de 250 metros - distância confortável para caminhar. Além disso, a verticalização dos edifícios adjacentes à avenida também possibilita a existência de garagens privativas.

CAIXA D’ÁGUA LIVRE Patrimônio da cidade como espaço de uso público


HÉLIO PRATES (HOJE)

HÉLIO PRATES (PROPOSTA)


CAIXA D’ÁGUA (HOJE)

CAIXA D’ÁGUA (PROPOSTA)


PROPOSTA PARA A AVENIDA HÉLIO PRATES


O ANDAR

ROTAS DO ANDAR CEILÂNDIA Batalha de Rap Repentistas Exposição dos projetos Vídeos

EVENTO DE LANÇAMENTO DAS PROPOSTAS CASA DO CANTADOR - CEILÂNDIA 08 / Agosto / 2019 – Quinta-feira - 19 às 21 horas

Apoio:

Parcerias:

CEPAFRE

CASA DO CANTADOR

Financiamento:

Realização:

Profile for Daniel Melo

Rotas do Andar - Ceilândia  

Rotas do Andar - Ceilândia, é um projeto iniciado em março de 2019 que busca entender, no contexto do espaço urbano, as principais demandas...

Rotas do Andar - Ceilândia  

Rotas do Andar - Ceilândia, é um projeto iniciado em março de 2019 que busca entender, no contexto do espaço urbano, as principais demandas...

Profile for dnlmlo
Advertisement