Page 1


Equipa

Handful

EPTN - Associação Torrejana de Ensino Profissional de Torres Novas Temas

POBREZA / FOME // SAÚDE // CONVIVER COM A DIFERENÇA // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL // PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Perante o levantamento efetuado, constata-se um contexto económico e social em que se revela importante a ajuda à população através da distribuição de bens (roupa, alimentos, brinquedos), de ações de sensibilização sobre saúde e práticas saudáveis e da promoção de iniciativas que potenciem uma cidadania ativa.

Área Geográfica

Área da EPTN, em Salvador, União das Freguesias de Torres Novas, concelho de Torres Novas, distrito de Santarém. Cidade Universitária de Lisboa, concelho e distrito de Lisboa. Moçambique.

Objetivos

- Sensibilizar os alunos para uma cidadania ativa e consciente; - Desenvolver junto dos alunos o espírito de entreajuda e solidariedade; - Contribuir para a formação de cidadãos responsáveis, autónomos, solidários, que conhecem e exercem os seus direitos e deveres, em diálogo e no respeito pelos outros, com espírito democrático, pluralista, crítico e cooperante; - Atenuar as dificuldades que se verificam na comunidade envolvente; – Potenciar a consciência ambiental e um conhecimento mais realista da comunidade onde se inserem; – Recolher uma tonelada de papel para o banco alimentar; – Angariar 50 quilos de comida; – Angariar 3 caixotes de brinquedos; – Recolher 4 caixotes de roupa; – Vender 50 narizes em prol da Operação do Nariz Vermelho; – Aumentar o número de árvores no espaço envolvente da escola.

Intervenção

Recolha de Rodas de Alimentos a propósito do Dia da Alimentação // Recolha de brinquedos sob o mote “Um brinquedo, um sorriso” // Palestra sobre toxicodependência “A adição e a expressão” // Angariação de bens alimentares // Colheita de couve // Campanha de recolha de “Papel por alimentos” // Venda de lápis para angariação de fundos para construção de escola em Moçambique // Caminhada “Dia Mundial do Coração” // Ações de sensibilização sobre alimentação saudável // Peditório para ONG de saúde internacional // Palestra sobre os refugiados a propósito do Dia Internacional para a Tolerância // Animação em festa de Natal para os sem-abrigo // Sensibilização para a recolha de pilhas e baterias para angariação de fundos para um hospital // Sessão sobre desenvolvimento sustentável // Ação de formação para voluntariado // Distribuição de panfletos informativos sobre o Dia Internacional dos Direitos das Crianças // 2 colheitas de sangue // Recolha de fundos para ONG dedicada a crianças com doenças graves // Workshops artísticos para jovens e seniores institucionalizados // Recolha de alimentos, artigos e fundos para animais desprotegidos // Venda de “Narizes Vermelhos” // Criação de “Nariz vermelho” gigante.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Comunidade envolvente // Câmara Municipal // Programa de voluntariado de entidade bancária // IPSS’s // ONG’s // Agrupamentos escolares // empresas locais // Unidade de saúde // biblioteca.

Dificuldades

Pouco tempo disponível fora das atividades letivas, não letivas e extracurriculares, conciliação de horários e impossibilidade de delimitação do espaço exterior à escola (impedindo o aumento do número de árvores a plantar).

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 12 alunos, 3 professores e 20 voluntários, investiu 100 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 13 instituições externas. Além da população em geral, beneficiaram das diversas intervenções 358 pessoas, das quais 128 institucionalizadas. Os resultados ultrapassaram as expectativas iniciais, nomeadamente no que respeita à recolha de bens. Foram reunidas 2 Rodas de Alimentos e recolhidos brinquedos em quantidade indeterminada, colhidos 1300 quilos de couve, angariados fundos ainda não contabilizados para construção de escola em Moçambique, feito 1 peditório, realizadas 16 palestras/campanhas/ações de sensibilização, 1 colheita de sangue e 1 recolha de fundos e alimentos para animais desprotegidos.

Autoavaliação Geral

O balanço das atividades desenvolvidas é bastante positivo e nota-se o crescendo do espírito de voluntariado na comunidade educativa. Fomos pioneiros nesta matéria no nosso concelho, o que suscitou já solicitações externas para colaboração nas suas iniciativas. O grupo criado demonstra vontade de continuar e melhorar no próximo ano, sendo já considerado inconcebível pensar o plano anual de atividades da EPTN sem contemplar o voluntariado e a solidariedade, pois os próprios alunos já tomam iniciativa e esta temática já surge nas suas provas de aptidão profissional.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

Os netos

CENFIM – Núcleo de Ermesinde Temas POPULAÇÃO SÉNIOR

Situação

Ermesinde é uma "cidade dormitório", em que a maioria da população ativa está fora durante o dia, ficando ocupada, nesse período, maioritariamente por seniores e jovens que nela residem ou estudam. Neste sentido, pensou-se em colocar em interação estas duas gerações, de forma a aprenderem uma com a outra. Sendo a Casa do Povo local uma instituição conhecida e reconhecida da região, lançou-se esta proposta de intercâmbio e colaboração.

Área Geográfica

Freguesia de Ermesinde, no concelho de Valongo, distrito do Porto.

Objetivos -

Estimular a relação de entreajuda entre jovens e seniores; Erradicar os preconceitos dos jovens em relação à população sénior; Criar uma imagem mais positiva sobre a terceira idade; Realizar um resgate cultural e da memória coletiva e identitária junto da população sénior; Melhorar o processo de comunicação entre as gerações; Fomentar a troca de saberes, experiências e afetos entre jovens e seniores; Fomentar a integração da população sénior com as novas tecnologias; Diminuir o isolamento da população sénior; Diminuir a depressão na população sénior; Incentivar a mobilidade da população sénior; Desmistificar o processo de envelhecimento; Criar relações de amizade entre jovens e seniores; Obter a participação ativa e regular de pelo menos 8 idosos nas atividades planeadas; Numa escala de satisfação de 1 a 10, obter uma avaliação superior a 7 em 80% das respostas dos seniores sobre a satisfação global com as atividades.

Intervenção

Atividade de mímica de jovens e seniores no Centro de Dia // Ida dos seniores à escola Cenfim para conhecerem o trabalho realizado pelos jovens // Conclusão de uma peça metálica para oferta à Casa do Povo // Troca de correspondência // Jogos tradicionais ao ar livre // Lanche-convívio na escola // Exposição fotográfica das atividades conjuntas.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // IPSS’s locais no âmbito da terceira idade

Dificuldades

As principais dificuldades prenderam-se com a conciliação do projeto e o horário de formação, tendo os formandos da equipa entrado em estágio durante o período destinado ao desenvolvimento das atividades.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 8 alunos, 2 professores e 4 voluntários, investiu 45 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 1 instituição externa. Beneficiaram das diversas intervenções 50 pessoas institucionalizadas. Cerca de 35 seniores participaram na atividade de mímica e 8 na visita ao Cenfim. A avaliação dos seniores quanto ao grau de satisfação foi muito positiva, com uma média de 9,5, numa escala de 1 a 10, ou seja, acima do nosso objetivo! Os restantes objetivos a que a equipa se propôs foram cumpridos e estabeleceu-se uma boa relação intergeracional. Ajudaram-se mutuamente nas atividades propostas e os jovens ficaram com uma ideia de que o envelhecimento pode ser uma fase ativa da vida. Proporcionou-se uma troca de conhecimento intergeracional, em que os seniores partilharam histórias da sua vida e uma visão da realidade de há vários anos, e os jovens deram a conhecer a sua realidade. Na visita à nossa escola, os seniores tiveram oportunidade de interagir com as novas tecnologias, bem como com as máquinas utilizadas na área da metalomecânica. Retiraram-se os seniores do seu contexto habitual, proporcionando novas experiências e satisfação pelo convívio. A participação nas Escolas Solidárias promoveu uma relação mais próxima dos formandos com o centro de formação, assim como desconstruiu alguns preconceitos associados à terceira idade. Verificou-se nos jovens e nas professoras/psicólogas uma grande motivação para o projeto e um maior empowerment.

Autoavaliação Geral

Face ao reduzido tempo de planificação e intervenção, considera-se que a intervenção foi positiva, tendo como principais benefícios a chamada de atenção para as questões sociais, a mobilização dos jovens em horário extra curricular e a aproximação com o Gabinete de Psicologia.

Previsão de Continuidade

Prevê-se a continuidade da interação dos elementos da equipa com os seniores. Considera-se que fará sentido e será benéfica esta continuidade, havendo vontade de todos para tal. Com ou sem distinções!

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Os Sempre Alerta

Colégio da Imaculada Conceição Temas POBREZA / FOME POPULAÇÃO SÉNIOR

Situação

Numa sociedade que se caracteriza por clivagens sociais e económicas, em que os mais afetados pela crise são os seniores e as crianças, decidiu-se intervir junto de famílias carenciadas, de crianças e de seniores institucionalizados.

Área Geográfica União de Juntas de Freguesia de Viseu, distrito de Viseu.

Objetivos

– Contribuição da satisfação das necessidades básicas de alimentação, higiene e vestuário de famílias carenciadas e crianças institucionalizadas; – Melhoria do tempo livre de crianças e seniores institucionalizados.

Intervenção

Recolhas de alimentos não perecíveis, artigos de higiene e roupas para 30 famílias carenciadas e 20 crianças de um Centro de Acolhimento Temporário // Organização de diversos momentos de confraternização e animação com crianças de um Centro de Acolhimento Temporário e com diversos grupos de seniores em Lares e Centros de Dia.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Centro de Acolhimento Temporário de crianças // Lar // Comunidade sénior de Irmãs Doroteias // Centro de Dia. O projeto foi divulgado na página do Colégio na internet, no facebook, através do envio de e-mails institucionais e da edição do jornal do Colégio.

Dificuldades

A vergonha inicial, mas que foi rapidamente ultrapassada.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 36 alunos, 2 professores e 200 voluntários, investiu 180 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 4 instituições externas. Beneficiaram das diversas intervenções 30 famílias carenciadas e 80 pessoas institucionalizadas, das quais 20 crianças e 60 seniores. Foram recolhidos alimentos não perecíveis, artigos de higiene e roupas em quantidades indeterminadas, organizados 3 momentos de animação para crianças e 2 momentos de animação para idosos. Tanto os professores como os alunos envolvidos estão agora mais cientes e sensibilizados para a realidade e as carências sociais e afetivas vigentes em Viseu. A participação no programa aumentou a qualidade de organização dos projetos de intervenção social, bem como a interatividade de alunos e professores. Aumentaram também os relacionamentos escola-família e escola-comunidade envolvente.

Autoavaliação Geral

A intervenção revelou-se muito importante para a relação alunos-professores e permitiu mostrar um outro lado do professor fora da sala de aula. A equipa, ao conviver com as crianças institucionalizadas, teve oportunidade de estabelecer novas amizades e conhecer uma realidade nova para ela. Gostou também muito de preparar as atividades e de estar com as irmãs seniores da Comunidade de Viseu das Irmãs Doroteias. Quanto à visita ao Centro de Dia, a equipa dedicou-se a preparar um dia diferente aos seniores da Instituição e considera que foi um dia muito bem conseguido.

Previsão de Continuidade

Pelo impacto que tem tido na nossa escola e nas instituições beneficiadas pelas ações, estamos muito entusiasmados para dar continuidade e intensificar a intervenção.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Solidários em Ação

Colégio de Albergaria Temas

POBREZA / FOME // POPULAÇÃO SÉNIOR // CONVIVER COM A DIFERENÇA // PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Na senda de projetos desenvolvidos em anos anteriores, decidimos dar especial atenção à População Sénior. Os cidadãos mais velhos têm muito saber acumulado para transmitir às crianças e jovens, constituindo uma mais-valia na formação das novas gerações. Escolhemos também outras áreas de intervenção, como a pobreza/fome, pelo facto de termos no nosso concelho pessoas carenciadas e uma instituição de acolhimento temporário de crianças.

Área Geográfica

Comunidade escolar, freguesias de Albergaria-a-Velha e da Ribeira de Fráguas, concelho de Albergaria-a-Velha, distrito de Aveiro.

Objetivos -

Despertar na comunidade escolar valores de solidariedade e cidadania como sendo um processo contínuo; Incentivar a participação social da comunidade escolar junto da comunidade local; Sensibilizar para uma cidadania ativa; Sensibilizar a comunidade escolar para o problema da pobreza; Promover ações de solidariedade; Ajudar famílias carenciadas; Ajudar as crianças do CAT-Aconchego; Estimular a valorização dos seniores através das ações de solidariedade e cidadania; Desenvolver, junto das entidades que atendem seniores, ações voltadas para a melhoria da autoestima, da qualidade de vida, convívio social e comunitário; - Angariar o montante de 150 euros; - Angariar cerca de 250 quilos de alimentos; - Recolher, roupa, fraldas e produtos de higiene; - Recolher material de pintura; - Tentar recolher pelo menos 2 toneladas de papel; - Recolher tampas e superar o número de tampas obtido nos anos anteriores.

Intervenção

Cordão humano no Dia da Erradicação da Pobreza // “Criar pessoas excentricamente felizes” com sorteio de euromilhões cujo prémio foram moedas de chocolate e mensagens de esperança e carinho // Ações de sensibilização contra os maus tratos infantis // Visita dos “Doutores Saúde” a instituição de seniores, sensibilizando de forma animada para a saúde, a esperança e a vida // Concerto de aluno disfarçado de Tony Carreira, para utentes jovens da área da saúde mental // Projeção de filme alusivo ao Dia da Luta Contra o Cancro // Troca de cartas entre os alunos e os seniores de uma instituição // Viagem simulada à antiga Lourenço Marques para uma sénior que há muito não vê a terra natal // “Dia de Tradições”, com os mais velhos a contarem histórias aos jovens // “Dia da Mulher” com testemunhos de duas seniores // Showcooking “Bolos dos Santos”, por seniores para os jovens // Recordações do 25 de Abril pela voz dos seniores // Olimpíadas Seniores com sessão de zumba para os mais velhos // Apresentação de Danças da Europa aos seniores // Recolha de tampas de plástico para troca por cadeiras de rodas // Recolha de produtos de higiene, alimentos, brinquedos e roupa // Recolha de papel // Semana Gastronómica (venda de pratos confeccionados reverteu par compra de fraldas para IPSS // Venda de bolos para compra de material de pintura para IPSS // Caminhada Solidária para angariação de alimentos para IPSS // Ação “Se fosse eu?”, ao encontro do drama dos refugiados.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar e pais de alunos // Junta de Freguesia // Câmara Municipal // Unidade de saúde // Escola Segura // IPSS’s locais.

Dificuldades

Uma das grandes dificuldades prendeu-se com o levantamento da situação e posterior definição das áreas de intervenção. Também não foi fácil reunir os alunos, por serem de turmas diferentes. Relativamente aos custos das ações, conseguimos poucos patrocínios, pelo que contámos sempre com o apoio dos pais para suportar algumas despesas.

Impactos/resultados

1 equipa de 14 alunos e 2 professores, a que se juntaram 279 voluntários, investiu 700 horas de energia solidária no projeto. Criou-se rede com 6 instituições externas. Beneficiaram das diversas intervenções 400 pessoas, das quais 100 institucionalizadas. Foram recolhidos 300 Kg de alimentos, 20 champôs e toalhitas, 1500 Kg de papel e 13 embalagens de fraldas. Foram ainda angariados 157 euros. Conseguimos realizar os sonhos de alguns utentes, proporcionar momentos de alegria a seniores e jovens e estimular o sentimento de interajuda e voluntariado.

Autoavaliação Geral

Realizámos a maioria dos projetos e mobilizámos 90% dos alunos, professores e funcionários; estabelecemos uma excelente relação com as entidades parceiras e há já várias outras interessadas; fizemos os seniores sentirem que são válidos e estimulámos na comunidade o espírito de voluntariado e solidariedade. Por tudo isso, classificamos a nossa ação como positiva.

Previsão de Continuidade Estamos comprometidos em dar continuidade e, pensamos até, com mais equipas.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas Solidários do Sagrado Coração de Maria

Colégio do Sagrado Coração de Maria - Ourém Temas

POBREZA / FOME // DESEMPREGO / SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA // SAÚDE // POPULAÇÃO SÉNIOR // CONVIVER COM A DIFERENÇA // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

A área circundante da cidade de Fátima continua a ser muito rural e são numerosas as famílias de alunos carenciadas, devido às dificuldades económicas e ao crescente desemprego.

Área Geográfica

Comunidade escolar, zona circundante da Cova da Iria, freguesia de Fátima, concelho de Ourém, distrito de Santarém

Objetivos -

Recolher alimentos para as famílias de alunos com carências económicas; Participar no Projeto Re-food de combate ao desperdício alimentar; Colaborar com o Banco Alimentar Contra a Fome; Conhecer os objetivos do Milénio e contribuir para a sua operacionalização; Valorizar os princípios da Liberdade, Justiça Social, Tolerância e Solidariedade; Reconhecer, na relação com os outros, uma forma de realização pessoal; Reconhecer a justiça como promoção da pessoa humana; Desenvolver comportamentos e atitudes que visem eliminar forma de discriminação e intolerância; Contribuir para a igualdade de direitos e oportunidades de todas as pessoas; Promover o respeito pela diferença; Promover a ação de formação "Testemunhos de Vida - consequências do consumo de substâncias psicotrópicas"; Participar no Seminário Júnior Contra a Violência; Participar no Parlamento dos Jovens sobre o tema "Racismo, Preconceito, Discriminação"; Comemorar o “Pink T-shirt Day” de luta contra o bullying; Promover atividades de desporto adaptado com o Centro de Deficientes Profundos João Paulo II; Promover visitas solidárias ao Acolhimento das Religiosas do Sagrado Coração de Maria; Valorizar o saber dos mais velhos e promover a partilha de saberes; Colaborar em ações que visem a diminuição da solidão e o respeito pelos idosos; Participar no projeto "Simples gesto de abrir a torneira"; Recolher tampas de plástico, pilhas, rolhas de cortiça, óleos alimentares, eletrodomésticos e tinteiros; Sensibilizar para a questão dos refugiados; Promover a "Mochila Amiga" - recolha de mochilas, livros e material escolar para os alunos carenciados do concelho.

Intervenção

Recolha de alimentos para Centro de Apoio Solidário (CAS): criação de cabazes para entregar às famílias dos alunos com carências económicas // Participação no Projeto Re-food, no âmbito do Ano Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar // Confeção e venda de crepes e pastelaria francesa a favor do CAS // Entrega de alimentos a alunos com carências económicas (Natal e Páscoa) // Participação no Seminário Júnior Contra a Violência (25 anos da APAV) // Participação nas campanhas do Banco Alimentar Contra a Fome // Participação no programa de debates do Parlamento dos Jovens sobre o tema "Racismo, Preconceito, Discriminação" // Comemoração do “Pink T-shirt Day”, no âmbito da luta contra o Bullying (na Semana das Línguas) // 3 visitas solidárias a instituição religiosa de acolhimento, levando animação musical e lanche para partilhar // Ação de formação "Testemunhos de Vida - consequências do consumo de substâncias psicotrópicas" // Atividades de Boccia, Slalom de Cadeira de Rodas e Tricicleta, em colaboração com o Centro de Deficientes Profundos João Paulo II // Recolha de tampas de plástico, pilhas, rolhas de cortiça, óleos alimentares, eletrodomésticos e tinteiros ao longo do ano // Cerimónia de entrega da 8.ª Bandeira Verde, no âmbito do Programa Eco-Escolas // Formação "Simples gesto de abrir a torneira", dinamizada pela Be Water // "E se fosse eu? Fazer a mala e partir" - sensibilização para a questão dos refugiados // "Mochila Amiga" - recolha de mochilas, livros e material escolar para alunos carenciados do concelho.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Junta de Freguesia e Câmara Municipal // Corporação de bombeiros // Unidade de saúde // Produtores locais de alimentos // Entidades de solidariedade locais e nacionais // Associação e empresa locais ligadas ao ambiente.Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Conciliar a dimensão dos projetos com outras atividades desenvolvidas, devido à escassez de tempo.

Impactos/resultados

3 equipas, envolvendo 493 alunos e 30 professores, investiram 2000 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 14 instituições externas.Beneficiaram das intervenções 250 pessoas institucionalizadas e mais 550 pessoas da escola.

Autoavaliação Geral

As ações desenvolvidas, que cumpriram na generalidade os nossos objetivos, são fundamentais, uma vez que permitem desenvolver uma cidadania ativa e responsável e uma consciência mais desperta para a necessidade de intervir no meio e de preservar a identidade cultural e ambiental.

Previsão de Continuidade

Do programa fizeram parte projetos de longo prazo, que terão continuidade nos próximos anos, ainda que as atividades dinamizadas possam ser diferentes.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa Juntos pela Floresta

Colégio Senhor dos Milagres Temas

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

O projeto “Juntos pela Floresta” surgiu da identificação, cada vez mais regular, de falhas nas manchas florestais, na região de Leiria, provocadas pelo abate de inúmeros pinheiros infetados pelo Nemátodo, bem como da identificação de problemas no âmbito da limpeza dos mesmos espaços.

Área Geográfica

Zonas florestais da freguesia dos Milagres, concelho de Leiria, distrito de Leiria.

Objetivos

- Promover um processo de consciencialização ambiental, de promoção de valores, de mudança de atitudes e de comportamentos face ao ambiente; - Contribuir para a valorização da floresta autóctone; - Contribuir para o aumento da biodiversidade, para a proteção do meio ambiente, para o equilíbrio ecológico e para a preservação do património, através da aplicação de medidas sustentáveis no quotidiano; - Efetuar cinco plantações simbólicas; - Efetuar uma ação de reflorestação no meio; - Dinamizar três sessões informativas na área da educação ambiental; - Construir cinco caixas-ninho; – Realizar duas saídas de campo com entidades externas; – Efetuar uma ação de limpeza florestal.

Intervenção

Sessões informativas “A Importância da Floresta Autóctone”, “História da Mata Nacional” e “As Aves e a Floresta” // Medições de campo na Ribeira de Milagres e áreas florestais adjacentes // Medições laboratoriais no colégio Senhor dos Milagres // Plantação simbólica de Carvalhos e Medronheiros // Ação de reflorestação de Pinheiros Bravos nos Milagres // Limpeza da floresta nos Milagres // Concurso de desenhos, ilustrações e contos “Floresta+Limpa” // Edição do "Guia de Valorização Florestal - Boas práticas", com todas as atividades desenvolvidas.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Junta de Freguesia // Câmara Municipal // Instituto Politécnico // Organizações ambientalistas // empresa editora. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos do colégio, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

As principais dificuldades registadas foram as variações meteorológicas, que condicionaram os dias das plantações, as quais tiveram de ser reajustadas várias vezes.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 53 alunos e 15 professores, investiu 210 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 10 instituições externas. Foram efetuadas 5 plantações simbólicas no Colégio e mais 11 plantações simbólicas nas escolas do 1º CEB e JI que aderiram ao projeto. Foi também efetuada a plantação de 250 árvores numa área de 750 m2. Foram dinamizadas 3 sessões informativas por entidades de relevo na área (Quercus, ICNF e CERVAS). O principal resultado foi a repercussão que a sensibilização está a ter, tanto a nível individual na comunidade educativa como a nível das entidades parceiras. No âmbito do projeto, foi criada uma página no Facebook para divulgar o seu andamento e apoiar os objetivos, tendo as ações sido objeto de diversas notícias na imprensa regional e nos órgãos oficiais de alguns parceiros.

Autoavaliação Geral

De uma forma geral, o projeto decorreu como planeado, tendo sido desenvolvidas todas as atividades inicialmente previstas. Toda a comunidade se mostrou interessada e sensível à temática, pelo que atingimos os nossos objetivos, sendo de sublinhar a importância e repercussão que as atividades realizadas tiveram.

Previsão de Continuidade

A continuidade do programa é quase uma certeza, dada a emergente necessidade encontrada no meio. O Nemátodo do Pinheiro é uma doença grave que está a afetar de forma muito célere a nossa floresta, nomeadamente os pinhais. Há muitas zonas afetadas pela doença, o que se traduz em grandes manchas de floresta doente, onde tiveram de ser arrancadas todas as árvores. Continua a ser importantíssimo sensibilizar os alunos e a comunidade para uma atuação precoce, bem como contribuir para a reflorestação das zonas afetadas.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Agil

EB Augusto Gil Temas

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

A nossa escola luta "Por uma escola + verde", de forma a poder reduzir a produção de lixo indiferenciado e melhorar a separação de resíduos, na escola e em casa.

Área Geográfica

Comunidade escolar, concelhos do Porto, Vila Nova de Gaia, Maia e Gondomar, distrito do Porto.

Objetivos -

Reduzir a produção de resíduos indiferenciados na escola; Melhorar a separação de resíduos; Reativar o compostor com os verdes resultantes da preparação dos legumes na cantina; Construir jardins verticais com o composto obtido da compostagem realizada na escola; Consolidar boas práticas ambientais; Incrementar a consciência ambiental, informando os alunos das vantagens das atitudes ecológicas e das consequências das atitudes menos ecológicas; - Reduzir o consumo de energia elétrica; - Reduzir o consumo de água; - Reduzir os desperdícios alimentares na cantina.

Intervenção

Reunião com a LIPOR // Sensibilização dos alunos para a redução do desperdício alimentar // Sessão de sensibilização para a redução dos consumos de água e luz e do desperdício alimentar // Sessão sobre “Alterações climáticas” // Sensibilização para a preservação dos recursos biológicos (fauna e flora), sobre a poluição do ar, da água e do solo // Produção de jardins verticais

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // Organização ambientalista // Serviço intermunicipalizado // Empresas Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Houve dificuldade em construir os jardins verticais devido à impossibilidade de usar o compostor do ano transato. A sobrecarga do horário docente dificulta o envolvimento fora do horário escolar.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 490 alunos e 21 professores, mais 12 voluntários, investiu 2354 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 4 instituições externas. Beneficiaram das diversas intervenções 1132 pessoas independentes e 566 pessoas da escola. Foi reativado o compostor. A implementação do programa permitiu a estruturação do trabalho que se faz e que, por vezes, não tinha visibilidade. Melhorou a comunicação entre os elementos da comunidade escolar. Conseguiu-se melhor separação de plástico e papel, reduziu-se o consumo de água, gás e luz, aumentaram-se as boas práticas ambientais e reduziram-se as atitudes menos ecológicas, incluindo o desperdício alimentar na cantina. Estas atitudes toraram-se, para os alunos, de consciência permanente e “automática”, em vez de serem apenas preocupação durante as intervenções inseridas no programa.

Autoavaliação Geral

O balanço da intervenção é positivo, pois foram alcançados os objetivos a que nos propusemos, com grande envolvimento de toda a comunidade escolar e dos parceiros. Soubemos que a maioria dos alunos transmitiu estas atitudes aos encarregados de educação e que a separação de resíduos não se faz apenas na escola.

Previsão de Continuidade

Estamos determinados em dar continuidade e aprofundamento ao programa, havendo que alargar as preocupações de separação além do papel, plástico e vidro, nomeadamente a resíduos como as pilhas, os equipamentos eletrónicos, as lâmpadas, os óleos usados, as rolhas de cortiça e as tampas de plástico.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

• Ser Solidário • Engenheiros do ambiente

EB Carlos Gargaté Temas

POBREZA / FOME DESEMPREGO / SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Fenómenos de reflexo e importância nacional como o drama dos refugiados, o desemprego enquanto fator de condução à pobreza, a crise económica do país e o desrespeito pelos Direitos Humanos constituem, simultaneamente, dramas sociais e temáticas que potenciam áreas de aprendizagem e desenvolvimento pessoal. Paralelamente, inquéritos realizados junto dos alunos permitiram concluir que era necessário diminuir o lixo na escola, aproveitando-se para sensibilizar para as temáticas ambientais.

Área Geográfica

Comunidade escolar. Charneca da Caparica, concelho de Almada; Corroios, concelho de Seixal, no distrito de Setúbal. Concelho de Lisboa. Território nacional alargado. Moçambique.

Objetivos -

Exercer a cidadania ativa; Participar em campanhas de solidariedade; Sensibilizar para a reciclagem; Alcançar uma situação de zero-lixo no chão da escola; Implementar práticas de reciclagem de papel nas salas de aula; Conhecer para compreender as culturas de vários países; Sensibilizar e informar a comunidade escolar para a população deslocada no espaço europeu.

Intervenção

Promover a distribuição de alimentos a pessoas carenciadas // Promover a entrega de cabazes de Natal // Promover a entrega de refeições a partir dos excedentes do refeitório // Promover as Caixas Solidárias dos CTT // Lançar a campanha “Pijaminha” // Aplicar o “PERA” - Programa Escolar de Reforço Alimentar // Fazer uma campanha de recolha de alimentos a favor da Cáritas // Implementar o AJUDEF – Apoio e trabalho para deficientes // Implementar a participação no movimento global Eco-Escolas // Desenvolver o espírito da Escola Geração Depositrão // Recolher papel em todas as salas de aula // Instalados no pátio da escola ecopontos feitos a partir de pneus reciclados // Lançamento na escola a campanha “Um lixo por dia” // Elaboração de grelha de atitudes / cartaz com fotos / palestra de sensibilização // Envio manuais escolares para os PALOP.

PADRINHO ESCOLAS SOLIDÁRIAS

Pedro Manuel “Mantorras” (ex-futebolista)

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // IPSS’s locais // Hospital // Empresa local // Organização ambiental // Organizações de apoio a refugiados. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, etc.

Dificuldades

A falta de recursos financeiros diminui a capacidade de realizar outras tarefas mais elaboradas, como a aquisição de apanha-lixos para os alunos o poderem fazer em segurança.

Impactos/resultados

2 equipas, envolvendo 43 alunos, 7 professores e 51 voluntários, investiu 90 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 6 instituições externas. O lixo no chão da escola foi substancialmente reduzido, passou a ser feita a reciclagem do papel em cada sala de aula e melhorou a qualidade de vida de algumas famílias carenciadas, tendo aumentado também o grau de consciência da comunidade escolar para os diversos dramas focados.

Autoavaliação Geral

A intervenção atingiu na generalidade os objetivos traçados, ainda que o alcance tenha sido algo limitado pelo facto de ser o primeiro ano de participação no programa.

Previsão de Continuidade

Queremos mobilizar mais alunos e continuar a envolver toda a comunidade escolar nos projetos de solidariedade social. Os projetos relativos à reciclagem do lixo são de caráter contínuo e são para continuar no próximo ano letivo.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • Os incríveis do 9º • Os mafarricos • Os magníficos

EB D. João II, Portimão Temas

POBREZA / FOME DESEMPREGO / SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA EDUCAÇÃO / LITERACIA POPULAÇÃO SÉNIOR

Situação

O conhecimento profundo da realidade social na zona onde a escola está inserida levou-nos a sentir maior necessidade de intervenção nas áreas temáticas escolhidas, como forma de contrariar situações dramáticas vividas pela população, promover a interação da escola com a comunidade e desenvolver a sensibilidade e o espírito de ajuda voluntária na comunidade escolar.

Área Geográfica

Freguesia de Alvor, no concelho de Portimão, no distrito de Faro.

Objetivos -

Incutir nos alunos um espírito de solidariedade; Sensibilizar os alunos para as situações de carência, pobreza e fome que afetam a freguesia da escola; Levar os alunos a desenvolverem uma atitude proativa no sentido de ajudar os mais desfavorecidos; Contribuir para uma atitude diferente face ao estudo; Desenvolver e estimular o trabalho de equipa; Estimular a participação dos alunos em atividades solidárias e voluntárias. Recolha e entrega de alimentos a pessoas e famílias carenciadas da freguesia (pelo menos 2 cabazes de alimentos); - Incrementar o contacto intergeracional; - Organizar exposições que ajudem a difundir os princípios subjacentes às temáticas escolhidas para esta nossa participação no programa “Escolas Solidárias”.

Intervenção

Investigação/criação e distribuição de panfletos informativos sobre a pobreza e o desemprego // Organização de exposições formativas sobre as áreas de intervenção // 2 recolhas de alimentos para apoio a famílias carenciadas, com o Banco Alimentar // Assistência/colaboração no concurso EUROTALENTOS dinamizado pelo grupo de geografia para promoção da educação e da literacia // Visitas a um lar sénior com ações de animação // Comemoração do Dia da Europa.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // Banco Alimentar // Lar. Para divulgação e amplificação usaram-se o Jornal da Escola e o site do agrupamento.

Dificuldades

A principal dificuldade foi a manifesta falta de tempo. Por um lado, para desenvolver e organizar as atividades compreendidas no projeto; por outro, para o próprio preenchimento dos formulários relativos à nossa participação.

Impactos/resultados

3 equipas, envolvendo 50 alunos, 3 professores e 1 voluntário, investiram 175 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 3 instituições externas. Beneficiaram das diversas intervenções 35 pessoas institucionalizadas, 15 pessoas independentes e 65 pessoas da escola. Todas as equipas colaboraram de forma positiva nas atividades desenvolvidas e foram realizadas as várias recolhas de alimentos previstas, as várias exposições e as distribuições de panfletos de divulgação. Com a concretização deste projeto, os nossos alunos ficaram mais sensibilizados para as situações dramáticas de carência, pobreza e fome que afetam a freguesia, ao mesmo tempo que desenvolveram competências de organização que lhes permitirão, futuramente, replicar projetos individuais.

Autoavaliação Geral

A intervenção é considerada bastante satisfatória, na medida em que foi atingida a maioria dos objetivos estabelecidos.

Previsão de Continuidade Poderá haver continuidade no próximo ano letivo em várias turmas.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • Sorrisos Solidários • Asm - Amigos Solidários de Marvão • Gpam – Grupo Protetor Ambiente Marvanense

EB de Ammaia - Marvão Temas

EDUCAÇÃO / LITERACIA SAÚDE POPULAÇÃO SÉNIOR CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

O isolamento geográfico do concelho justifica as intervenções nas áreas Saúde e Conviver com a Diferença, consideradas frágeis; trabalhar com a População Sénior é uma sequência do projeto anterior e, a pedido dos beneficiários, foi alargada a ação à Educação/Literacia, com foco nas TIC; a área Ambiental suscitou mesmo a criação de um clube de alunos interessados em promover e sensibilizar para a necessidade de preservação do meio ambiente.

Área Geográfica

Freguesias de São Salvador da Aramenha e Santo António das Areias, todo o concelho de Marvão, grande parte do distrito de Portalegre.

Objetivos -

Promover o espírito de iniciativa, cooperação, interajuda e solidariedade; Promover o espírito de equipa e a criatividade no desenvolvimento das ações selecionadas; Desenvolver iniciativas solidárias e em benefício de grupos desfavorecidos; Desenvolver competências sociais nos jovens; Aumentar o número de envolvidos; Diversificar os beneficiários das várias ações; Aumentar o número de voluntários e colaboradores.

Intervenção

Exposição sobre discriminação "Luta pela Igualdade" // Criação de vídeo "Não tapes os olhos à diferença" // "Operação Pijamas Solidários" para o serviço hospitalar de pediatria // Animação e interação com seniores // Formação com seniores em leitura, escrita, expressão plástica, atividades físicas e TIC // Espetáculo "Talentos de Marvão" // Criação de powerpoints e folhetos "Dia do Ambiente" // Caminhada pela Natureza // Concurso fotográfico "Um olhar pela natureza de Marvão" // Estruturas de materiais recicláveis.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Juntas de Freguesia // Câmara Municipal // Unidades de saúde // IPSS // Clube desportivo local. Foram produzidos um vídeo e dois powerpoints de balanço das atividades de cada equipa, que foram difundidos em plataformas na internet.

Dificuldades

As principais dificuldades foram de foro burocrático: relatório, quantificação...

Impactos / Resultados

3 equipas, envolvendo 30 alunos, 6 professores e 130 voluntários, investiram 345 horas de energia solidária neste projeto. Criou-se rede com 15 instituições externas. Beneficiaram 50 pessoas institucionalizadas, 10 pessoas independentes e 80 pessoas do agrupamento escolar.

Autoavaliação Geral

De um modo geral, a autoavaliação é muito positiva, pois as equipa envolveram-se com empenho e conseguimos alcançar os objetivos iniciais, desenvolvendo várias ações que foram relevantes para os que delas beneficiaram. Este programa tem contribuído para aumentar as ações solidárias e promover o espírito de cooperação, voluntariado e interajuda para com quem mais precisa.

Previsão de Continuidade

A vontade de continuar é geral entre os elementos envolvidos, com ou sem distinções. Sente-se muito entusiasmo nos alunos, que pedem para continuarmos. Já que tencionam dar seguimento às ações iniciadas e até alargar as áreas de intervenção. É também de sublinhar a recetividade, apoio, ajuda e cooperação por parte das entidades locais e regionais com quem temos lidado, o que se tem revelado muito importante e igualmente motivador para darmos continuidade ao programa!

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

• GAMA • EspalhAbraço

EB de Aver-o-Mar Temas

EDUCAÇÃO / LITERACIA POPULAÇÃO SÉNIOR CONVIVER COM A DIFERENÇA

Situação

O abandono escolar é um dos problemas que afeta a nossa comunidade e que urge contrariar, reforçando junto dos jovens a motivação para se manterem na escola e prosseguirem os estudos. Paralelamente, fenómenos como o isolamento dos seniores e a discriminação de alunos com Necessidades Educativas Especiais são também de ataque prioritário, o que se inscreve simultaneamente na estratégia de educação para a cidadania verdadeiramente inclusiva, com valorização de princípios como a solidariedade, o respeito pela diferença, as relações intergeracionais.

Área Geográfica

Freguesias de Aver-o-Mar, Amorim, Terroso, Aguçadoura, Navais, Estela, concelho da Póvoa de Varzim, distrito do Porto.

Objetivos -

Diminuição do abandono escolar; Valorização da importância da Escola/Saber/Educação para uma cidadania ativa e responsável; Sensibilizar para uma cidadania responsável e solidária; Valorizar a relação e o respeito pela população sénior e as suas vivências; Promover a aproximação de gerações; Promover o respeito e a compreensão para com os alunos NEE; Promover uma educação inclusiva; Trabalhar os princípios do Projeto Educativo; Incentivar a continuação dos estudos em várias áreas; Contribuir para a redução de comportamentos disruptivos; Aumentar o número de voluntários; Alargar os núcleos de intervenção de cariz solidário.

Intervenção

Aprendizagem de métodos de trabalho com sucessivas e periódicas reuniões para definição de objetivos, estratégia e balanços regulares de ações desenvolvidas, com reajustamento de atuação // “Nós e os Avós” - interação com seniores, incluindo espetáculo, lanche-convívio e oferta de lembranças // “Vamos conhecer-nos melhor” - visitas guiadas à unidade de autismo, explicações sobre NEE, sobre as dificuldades diárias desses alunos e como interagir com eles e apoiá-los // “Encontro com a Catarina Furtado” para recolha de depoimento sobre voluntariado e solidariedade, bem como sobre o enriquecimento e felicidade daí resultantes.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Juntas de Freguesia // Centro de Saúde // CPCJ - Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco // Cruz Vermelha.

Dificuldades

Uma das maiores dificuldades sentidas prende-se com a articulação de horários entre os professores responsáveis e os alunos.

Impactos / resultados

2 equipas, envolvendo 47 alunos, 11 professores e 10 voluntários, investiu 150 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 6 instituições externas. Beneficiaram 8 pessoas institucionalizadas, além dos alunos envolvidos e dos professores. A população escolar envolveu-se nas diferentes atividades com entusiasmo e empenho, verificando-se interesse de alguns alunos em serem “voluntários esporádicos”, o que permite antever um aumento do número de voluntários no próximo ano. Aumentou também o número de voluntários efetivos, o que possibilitou a criação de uma maior dinâmica nas atividades propostas. Após as intervenções junto dos “avós”, as relações intergeracionais perduram e são já frequentes as visitas dos jovens a casa dos seniores que antes viviam isolados. Como resultado da concretização deste programa, aumentou substancialmente a dinâmica das relações entre alunos e professores.

Autoavaliação Geral

O trabalho desenvolvido pelas duas equipas foi bastante positivo, dado que atingiram os objetivos delineados, refletindo-se na concretização de todas as atividade propostas bem como nos resultados alcançados e no impacto que estes tiveram junto da comunidade escolar. É de sublinhar a envolvência gerada nos elementos das equipas.

Previsão de Continuidade

O programa é para ter continuidade, com ou sem distinções, estando já garantido o apoio por parte da Direção escolar, e haverá provavelmente novas áreas de intervenção.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

A de Abraço

EB de Eiriz - Baião Temas

POPULAÇÃO SÉNIOR CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

A região tem uma população bastante envelhecida, com dificuldades socioeconómicas e alguns problemas de saúde. Por outro lado, existem na região diversas instituições que trabalham com cidadãos portadores de deficiências, sendo essa uma experiência cuja partilha é importante para as aprendizagens dos nossos alunos. As nossas escolhas recaíram também sobre a sustentabilidade ambiental devido ao enquadramento do agrupamento de escolas na zona duriense e a proximidade com algumas serras, cenário esse propício ao desenvolvimento de ações no âmbito da limpeza de espaços, caminhadas e atividades ao ar livre.

Área Geográfica

Freguesias de Ancede e Ribadouro; Gôve; Grilo; Baião (Santa Leocádia) e Mesquinhata; Santa Cruz do Douro e São Tomé de Covelas; concelhos de Baião e do Porto, distrito do Porto.

Objetivos -

Fomentar a participação cívica dos alunos em atividades de solidariedade social; Reforçar a ligação da escola com a comunidade local; Desenvolver nos alunos atitudes de solidariedade e de responsabilidade partilhada; Promover ações de caráter comunitário, social e ambiental.

Intervenção

Baile de Carnaval com seniores e deficientes // Musicoterapia com seniores e deficientes // “Dia da Diferença” // “Dez milhões de estrelas” lanche com alunos NEE // Recolha de alimentos para os sem-abrigo da cidade do Porto // Feira Franca com utentes das IPSS // Doação de sangue em parceria com Instituto Português do Sangue // Hora do Conto para seniores // Caminhada solidária // “Histórias com vida” - palestra de Doutor Palhaço da Operação Nariz Vermelho.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // IPSS // Cáritas // Operação Nariz Vermelho // Instituto Português do Sangue // Empresas locais. Além das parcerias com 6 IPSS, todas as atividades beneficiaram de patrocínios por parte de algumas empresas da região que, nomeadamente, facultaram os lanches e transporte.

Dificuldades

Deparámo-nos com uma ou outra dificuldade na calendarização de determinadas atividades, designadamente condições atmosféricas adversas e sobreposição de atividades com os seniores.

Impactos / resultados

1 equipa, envolvendo 22 alunos e 4 professores e 20 voluntários, investiu 12 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com mais de 6 instituições externas. Beneficiaram 150 pessoas institucionalizadas, 30 pessoas independentes e 26 pessoas do agrupamento. Após a intervenção, verifica-se na comunidade escolar uma maior sensibilização para a diferença e uma maior disponibilidade para atividades de caráter voluntário. Foram desenvolvidos valores como a solidariedade, a generosidade e o amor ao próximo, além da capacidade de trabalho em cooperação.

Autoavaliação Geral

A intervenção foi conseguida na sua totalidade e com resultados bastante positivos nas várias áreas. Os elementos da equipa, alunos e professores, evidenciaram esforços permanentes no sentido de realizar todas as atividades de forma séria e procurando sempre o seu sucesso. A relação com as várias entidades parceiras decorreu sem obstáculos nem problemas, existiu sempre uma grande disponibilidade de parte a parte na flexibilização dos calendários pré-estabelecidos. No seio da escola, verificou-se uma grande colaboração por parte de alunos, professores, funcionários e órgão diretivo na facilitação de recursos, bens e outros apoios.

Previsão de Continuidade

A escola pretende dar continuidade a este programa, uma vez que trouxe ajuda imediata a algumas situações e benefícios no desenvolvimento de competências e aprendizagens dos nossos alunos, particularmente ao nível do saber estar e dos valores cívicos.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa Clube de COOLaboradores

EB de Gondifelos Temas

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

Esta escola insere-se num meio rural, onde muitas das nossas famílias cultivam as suas hortas. Desconhecimento do quanto pode ser prejudicial à saúde de todos nós a utilização de químicos na agricultura. Nós próprios, apesar de termos nascido neste meio, desconhecemos muitas das coisas que se podem cultivar.

Área Geográfica

Freguesias de Gondifelos, Cavalões e Outiz, concelho de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga.

Objetivos -

Promover espaços lúdico-pedagógicos; Promover competências de desenvolvimento pessoal e social; Promover uma educação e modos de vida sustentáveis; Informar pais e alunos cerca das preocupações ambientais, bem como das estratégias de desenvolvimento sustentável, na família e na escola; Aumentar o número de alunos e pais envolvidos em atividades lúdico-pedagógicas; Aumentar os conhecimentos responsáveis e sustentáveis; Modificar comportamentos; Diminuir o uso de agentes químicos na agricultura local; Aumentar a produção e consumo de produtos biológicos.

Intervenção

Gincana da Sustentabilidade // Exposição Sustentável // Workshop “Sustentabilidade na Escola e na Família” // Produção de artigos jornalísticos sobre sustentabilidade para o jornal escolar // Inauguração da Horta Escolar.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Comunidade local // Câmara Municipal // Movimento ReFood // empresa local // Unidade de Saúde // Fundação Gulbenkian // Programa Europeu.

Dificuldades

A maior dificuldade é a gestão do tempo. Quanto mais pessoas estão envolvidas no projeto, mais se torna difícil conciliar horários de alunos, professores e parceiros. Por vezes, vão-se fazendo reuniões de alavancagem e, depois, em momentos informais, desenham-se as estratégias em pequeno grupos de trabalho, mas nem sempre foi fácil.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 8 alunos, 1 professor e 32 voluntários, investiu 150 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 6 instituições externas. Beneficiaram 320 pessoas institucionalizadas, 400 pessoas independentes e 494 pessoas do agrupamento. Aumentou-se o envolvimento da comunidade e a sua consciencialização para as questões da sustentabilidade. Foram promovidas as competências pessoais e sociais dos jovens envolvidos, especialmente ao nível do emporwerment. Aumentou também o número de parceiros e o número de famílias participantes em atividades lúdico-pedagógicas. O maior contributo do projeto foi possibilitar e promover a participação dos alunos na escola, procurando privilegiar metodologias de educação não formal.

Autoavaliação Geral

Mais uma vez, foi uma intervenção concertada com várias estruturas internas e externas, que permitiram produzir ações de sucesso, bem definidas e adequadas às necessidades identificadas. Tanto os alunos diretamente envolvidos como todos os outros referem que este programa lhes deu alegria, aliada ao conhecimento, pelo que é possível afirmar que os objetivos foram cumpridos. Conseguimos que fosse um projeto reconhecido por alunos, pais, professores e comunidade envolvente, tanto que por vezes já começam a surgir novas ideias para o próximo ano.

Previsão de Continuidade

Este é o segundo ano que a nosso agrupamento participa neste programa e pretendemos continuar. O facto de termos envolvido já outras estruturas direta e indiretamente faz com que todos estejam a contar com o próximo projeto. A Fundação EDP já faz parte da casa! Vamos continuar.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

• Os ratos da biblioteca • Amigos de Sempre • Os Fabulásticos • Os amigos do Planeta

EB de Lamaçães Temas

EDUCAÇÃO / LITERACIA POPULAÇÃO SÉNIOR CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

Somos uma escola urbana com uma população muito heterogénea, onde podemos encontrar diferentes culturas e etnias e ainda uma comunidade alargada de alunos com diferentes deficiências, quer a nível físico quer mental, pelo que faz sentido desenvolver estes e outros projetos de solidariedade. Esta é também uma escola de referência para a surdez e as atividades programadas contribuem para que a população estudantil desenvolva capacidades que lhes permita dar resposta à vida quotidiana. Além disso, nos dias de hoje, é fundamental que os alunos não fiquem indiferentes aos problemas alheios e que percebam que ajudar/amparar o próximo proporciona muita alegria e satisfação.

Área Geográfica Freguesia de S. José de S. Lázaro, distrito de Braga.

Objetivos -

Desenvolver a literacia e a leitura, melhorando o sucesso educativo dos alunos; Partilhar obras da Educação Literária; Conhecer o espaço da biblioteca; Desenvolver a literacia dos média; Promover a integração dos alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE); Sensibilizar os alunos para a problemática de ser portador de uma ou mais deficiências; Sensibilizar os alunos para a importância da permanência das árvores no Parque da Ponte; Refletir/analisar a origem de cada árvore, tipo/nome e a sua sustentabilidade no norte de Portugal; Sensibilizar os alunos e professores para a importância da reflorestação de áreas que, ao terem sido intervencionadas pelo Homem, se apresentam agora sem vegetação: na manutenção do solo e em toda a envolvência ambiental (derrocadas, etc.); - Plantar árvores; - Sensibilizar os alunos para a problemática da situação de solidão de muitos idosos, encontrando formas de minimizar essa situação; - Fomentar a consulta e requisição de livros na biblioteca.

Intervenção

Mês das bibliotecas escolares // Marcha da leitura // Semana da Alimentação // Língua gestual // Partilhar a diferença (direitos humanos) // Holocausto conviver com a diferença // Motivação “A Fada Oriana” // Mês dos afetos // Sensibilização para os alunos com NEE // Plantação e manutenção de árvores no Monte do Picoto.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Câmara Municipal // Lar seniores local // IPSS Foram feitas ações de divulgação nos transportes públicos e num centro comercial. Publicadas informações no blogue da escola e na página internet do agrupamento.

Dificuldades

Algumas equipas referiram que a dificuldade maior que encontraram foi a falta às aulas porque o currículo tem de ser dado nas diferentes disciplinas. As dificuldades com os alunos NEE foram ultrapassadas com a colaboração de professores e colaboradores que já costumam acompanhar esses alunos.

Impactos/resultados

5 equipas, envolvendo 113 alunos e 15 professores, investiu 508 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 2 instituições externas. 12 árvores foram plantadas e mantidas.

Autoavaliação Geral As equipas mostraram vontade em dar continuidade a este programa.

Previsão de Continuidade

Todas as equipas referiram estar disponíveis para dar continuidade ao programa, com ou sem distinções.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Solidariedade em ação

EB de Lousada Este Temas

POBREZA / FOME CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

O enquadramento do programa teve em conta vários fenómenos de cariz local, nacional e internacional. Desde logo, a situação de desemprego que afeta o país. Mas também a existência, na nossa escola, de uma Unidade de Apoio à Multideficiência; a necessidade de apoiar uma criança que necessita de uma nova cadeira de rodas; a vontade de incentivar a recolha e separação de plástico e tampinhas e, ainda, a pobreza e a fome enquanto dramas genéricos. Também o alerta para as necessidades diversas sentidas por pessoas fora do nosso país.

Área Geográfica

Freguesia de Caíde de Rei, concelho de Lousada, distrito do Porto. Moçambique.

Objetivos -

Sensibilizar os alunos e encarregados de educação para a solidariedade, a diferença, a proteção ambiental e ações voluntárias; Recolha de alimentos suficientes para constituir 30 cabazes; Recolher vestuário usado e calçado para satisfazer as necessidades dos alunos carentes da escola; Contactar com a diferença; Angariar 100 euros para apadrinhamento de criança de Moçambique.

Intervenção

Recolha e entrega de alimentos e vestuário // “Árvore da misericórdia” // Recolha e envio de tampinhas e plástico para uma cadeira de rodas // Projeto de doação de cerâmicos para melhoria de sala de aula NEE // Recolha e oferta de papel para atividades da Paróquia local // Dia dos Direitos Humanos // Lançamento de balões e mensagens // Sensibilização refugiados “E se fosse eu? Fazer a mochila e partir”.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // Associação de Pais // Câmara Municipal // Agrupamento de Escolas de Freamunde // empresa local.

Dificuldades Constituir equipas diferenciadas.

Impactos / resultados

1 equipa, envolvendo um número indeterminado de alunos, 21 professores e a associação de pais do agrupamento, investiu 90 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 3 instituições externas. Beneficiaram 51 pessoas. Ajuda alimentar a mais de 40 famílias, oferta de roupas e calçado a mais de 20 alunos da escola e, posteriormente, a outras famílias apoiadas pela Câmara Municipal de Lousada. As atividades da Paróquia de Caíde de Rei ficaram mais ricas com o papel oferecido. Ajuda ao financiamento de uma cadeira de rodas. Melhoramento da sala de apoio à multideficiência. Apadrinhada 1 criança de Moçambique. Há agora na comunidade maior valorização da atividade de voluntariado e a consciencialização de que todos podemos precisar de ajuda em qualquer momento da nossa vida.

Autoavaliação Geral

Perante os resultados obtidos, consideramos que a nossa intervenção, apesar das grandes dificuldades das famílias da nossa comunidade educativa, foi muito boa, pois tivemos muita adesão nas campanhas de solidariedade desenvolvidas e conseguimos atingir os objetivos propostos. Os alunos ganharam maior abertura aos problemas sociais que envolvem a comunidade e a sociedade globalmente, estando mais sensíveis à necessidade de todos sermos chamados a colaborar e intervir.

Previsão de Continuidade

Estamos dispostos a dar continuidade ao programa no próximo ano, tendo em conta que a edição deste ano nos deu a possibilidade de trabalhar pedagogicamente valores fundamentais da nossa sociedade.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Grão a Grão… até à tonelada

EB de Paços de Brandão Temas

POBREZA / FOME PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Existe um elevado número de famílias carenciadas nas quatro vilas. Apesar de apoiados por instituições de solidariedade, estes agregados necessitam de maior auxílio. Agir para atenuar as suas dificuldades foi o nosso intuito.

Área Geográfica

Freguesias de Paços de Brandão, Rio Meão, Santa Maria de Lamas e São Paio de Oleiros, no concelho de Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro.

Objetivos -

Desenvolver valores da solidariedade, partilha e ajuda ao próximo; Ser próximo dos outros, principalmente dos que mais precisam; Abrir a Escola à comunidade; Assumir um papel cívico de intervenção na melhoria das gentes da sua terra; Ter um papel ativo na melhoria da comunidade em que a Escola está Inserida; Aprender a desenvolver um projeto de intervenção; Aprender a trabalhar em equipa e compreender as diferentes competências de cada um dos intervenientes no projeto; Recolher uma tonelada de alimentos; Ajudar as instituições de solidariedade que apoiam famílias carenciadas.

Intervenção

Divulgação da campanha nas vilas e junto da imprensa // Recolha de fundos na turma para aquisição de bola a sortear entre as rifas de entrega de alimentos // Campanha de recolha de alimentos // Sorteio da bola // Entrega dos alimentos às instituições.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Juntas de Freguesia // IPSS locais. Divulgámos o projeto nas vilas e nas instituições, com cartazes e outro material informativo. Fomos alvo de grande atenção na imprensa.

Dificuldades Não houve dificuldades a registar.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 27 alunos e 1 professor e 5 voluntários, investiu 48 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 5 instituições externas. Beneficiaram 335 pessoas. Foram distribuídos 1.210 quilos de alimentos, por 90 famílias carenciadas.

Autoavaliação Geral

Toda a comunidade escolar esteve envolvida: alunos, pais, professores e assistentes operacionais. Todos os objetivos qualitativos foram atingidos. O objetivo quantitativo foi ultrapassado!

Previsão de Continuidade O programa é para ter continuidade, com ou sem distinções.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Jovens Promotores da Saúde e da Solidariedade

EB de Paços de Ferreira Temas

POBREZA / FOME SAÚDE PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

O conhecimento de enormes situações de carência e a existência de grupo de alunos com experiência em voluntariado estão na génese do nosso projeto.

Área Geográfica

Freguesias de Ferreira, Meixomil, Paços de Ferreira e Penamaior do concelho de Paços de Ferreira; freguesia de Paranhos do concelho do Porto. Distrito do Porto S. Tomé e Príncipe.

Objetivos – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Reforçar a componente humanista da vivência escolar; Colorir/quebrar ciclos de pobreza humana e de recursos; Estimular o sucesso escolar e educativo; Propiciar o crescimento em liberdade e responsabilidade, para a adoção de estilos de vida saudáveis; Promover as “boas” práticas alimentares; Estimular a prática de atividades físicas quotidianas (bem-estar físico e psíquico), prevenindo atitudes violentas; Educar para uma vida sexual livre e responsável; Ajudar a mudar o Mundo; Replicar o Projeto a outras escolas; Aumentar em 20% a participação de professores e encarregados de educação; Desenvolver iniciativas inovadoras e sustentáveis, tendo em vista a resolução de problemas; Desafiar preconceitos enraizados em relação à diferença; Envolver 100 alunos da Escola Básica de Paços de Ferreira; Abranger 250 alunos da escola nas ações; Aumentar para 100 o número de cabazes de Natal; Aumentar de 69 para 80 o número de dadores para o Instituto Português de Sangue; Aumentar o número de participantes na Semana da Saúde e alargar ao 1º Ciclo; Promover mais campanhas de recolha de bens alimentares, roupas, brinquedos e calçado para distribuir pelas famílias mais carenciadas da Comunidade Educativa; – Aumentar de 9 para 20 o número de alunos “Liga-te”; – Alargar a 60 encarregados de educação a ação sobre Prevenção de Acidentes; – Estabelecer parcerias com mais IPSS; – Promover um espetáculo a favor de S. Tomé e Príncipe.

Intervenção

Dia Mundial da Alimentação // “Sopa Mágica” // Peddy-paper // Oferta de sopa a famílias // Prova de corta-mato // “Onda rosa” (Cancro da Mama) // Donativos “Lata solidária” para a Liga Contra o Cancro // Dia Mundial de Luta Contra a SIDA // “Comportamento de Risco VIH/SIDA” // Prevenção do Cancro do Colo do Útero // Livro “Tu podes: lê e previne” // Dia Mundial do Cancro // Pins “Eu posso” a favor da Liga // Semana da Saúde // Rastreios múltiplos // Palestras sobre bullying, violência, gravidez, etc. // “Tabaco – o que deves saber” // “Conversa com pés e cabeça sobre… felicidade e sonhos!” // “Mexe-te pela tua saúde” // “Mês do coração” // Recolha de sangue // “Um pequeno gesto, um grande sorriso” // Recolha de alimentos, brinquedos, roupa e livros // “A amizade e os afetos” // Angariação “Banca dos afetos” // Venda de “Pirilampos mágicos” // Venda de “Narizes vermelhos” // Montra de Intervenção Social no Concelho // “Reviver o passado medieval” // Espetáculo MAM' ÁFRICA.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Outro agrupamento de escolas // Juntas de freguesia // Câmara Municipal // Bombeiros // IPSS // ONG // Fundações // Empresas // Universidade.

Dificuldades Relatório.

Impactos / resultados

1 equipa, envolvendo 9 alunos, 1 professor e 25 voluntários, investiu 1.640 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 40 instituições externas. Beneficiaram 340 pessoas institucionalizadas e independentes. Foram apoiadas 76 famílias carenciadas e 200 alunos da escola. Foram angariados e entregues: 1.000 kg de brinquedos; 260 kg de livros; 1.500 kg de roupa e calçado; 2.400 kg de alimentos. A venda de pins e a recolha de donativos renderam 1.347,49€ para a Liga Portuguesa Contra o Cancro. Foram realizados 685 rastreios de saúde. Participaram nas palestras 1.133 alunos de diferentes agrupamentos. O espetáculo MAM' ÁFRICA angariou 2.500€ a favor do Banco de Leite de S. Tomé e Príncipe. O espetáculo solidário com África foi participado por cerca de 500 pessoas. As diversas ações tiveram uma participação de 9.380 pessoas.

Autoavaliação Geral

Resultados francamente positivos. Obtivemos reconhecimento público com a atribuição do selo “Escola voluntária”.

Previsão de Continuidade

Queremos dar continuidade ao programa, alavancar mais recursos humanos, alargar a área de intervenção e criar extensões noutras escolas.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Viver a Amizade

EB de Vila Nova de Tazém Temas

POBREZA / FOME SAÚDE POPULAÇÃO SÉNIOR SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

A valorização e o apoio as diversas entidade de solidariedade social que operam no nosso concelho revestem-se de grande importância para as mesmas e concorrem para uma formação alargada dos nossos alunos, desenvolvendo o espírito de ajuda, cooperação e ação pelo ambiente envolvente. A zona está cada vez mais desertificada, em grande medida como consequência da emigração dos mais novos, ficando os seniores em situações de isolamento.

Área Geográfica Todo o concelho de Gouveia, no distrito da Guarda. Algumas ações de âmbito nacional.

Objetivos

– Agir em função de valores, objetivos e metas humanitárias; – Sensibilizar os alunos para a a importância da solidariedade social; - Aumentar o número de alunos envolvidos; – Procurar atenuar a falta de bens de algumas famílias; - Recolher apoio para os idosos institucionalizados; – Angariar fundos a favor da Operação Nariz Vermelho; – Trabalhar em áreas humanitárias, como a recolha de roupas e brinquedos novos ou usados; – Angariar 4 enxovais de bebé para a Maternidade da Guarda; - Angariar apoios para 2 associações de crianças e jovens carenciados; – Participar na iniciativa dos Bombeiros locais de recolha de pacotes de açúcar vazios; – Sensibilizar alunos e comunidade local para a recolha de cortiça e o seu reaproveitammento; – Apoiar a Quercus.

Intervenção

Angariação de roupas e calçado // Organização de enxovais de bebé/criança para a Maternidade da Guarda // Apoio a associações de cariz social voltadas para crianças, jovens e mães solteiras // Recolha de pacotes de açúcar vazios para apoiar os Bombeiros Voluntários na aquisição de cadeira de rodas // Operação Nariz Vermelho // Feirinha Solidária // Magusto com a população sénior do Centro Social de Vila Nova de Tazém // Representação de "A Estrela" nos 100 anos de Virgílio Ferreira // Confeção e entrega de agasalhos aos seniores // Educação física com os seniores // Recolha de rolhas de cortiça para a Quercus.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar e do agrupamento // Junta de Freguesia // Câmara Municipal // Comunidade local // IPSS // bombeiros // hospital // empresas locais // ONG.

Dificuldades

Tentar conciliar os horários dos docentes; conseguir que os alunos possam ficar na escola além do tempo letivo e convencê-los a participar nas atividades. Como esta é uma zona de baixos rendimentos económicos, não existem grandes ajudas por parte da maioria dos encarregados de educação.

Impactos / resultados

4 equipas, envolvendo 42 alunos, 8 professores e 10 voluntários, investiram 568 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 11 instituições externas. Beneficiaram das diversas intervenções 79 pessoas institucionalizadas. Foram reunidos e entregues na maternidade 4 enxovais de criança. Foram angariados e entregues aos seniores 30 mantas e 10 cachecóis. Foram angariados apoios não contabilizados para 7 instituições. Aumentou de 1 para 3 o números de turmas envolvidas.

Autoavaliação Geral

A participação foi muito positiva, tendo sido concretizadas todas as ações previstas e alcançados todos os objetivos traçados.

Previsão de Continuidade

A equipa considera dar continuidade ao programa, aumentar as atividades, aumentar os donativos e ajudar ainda mais instituições.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa RAD Respeitadores do Ambiente e das Diferenças

EB do Esteval Temas

CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

A escola está ladeada por bairros sociais e recebe alunos com diversidade racial e religiosa e com limitações físicas e cognitivas, sendo imperativo consolidar o respeito pelas diferenças. Nesse sentido, a realização de atividades conjuntas é um importante veículo, pelo que a sustentabilidade ambiental se tornou igualmente prioritária para despertar consciências e criar hábitos.

Área Geográfica

Freguesia de Montijo-Afonsoeiro, no concelho de Montijo, distrito de Setúbal.

Objetivos

– Reconhecer que as limitações são criadas pelos "muros" da nossa mente; - Compreender que a diversidade é sinónimo de riqueza; – Promover um espírito de abertura e aceitação entre os pares; – Desenvolver o respeito mútuo e a tolerância perante as diferenças; – Desmistificar rótulos criadores de marginalização social; – Fomentar a autonomia e a responsabilidade nos alunos; – Interagir com jovens diferentes (Trissomia 21, autismo, paralisia, etc.) através de manifestações de arte, nomeadamente a dança; – Partilhar experiências vividas; – Consciencializar os jovens para a criação de um ambiente sustentável, quer para nós quer para as gerações vindouras; – Consolidar hábitos elementares para a promoção de um ambiente sustentável; – Aumentar de 4 para 6 o número de entidades a trabalhar em parceria com a equipa do projeto; – Aumentar de 3 para 6 o número de professores a colaborar no projeto; – Aumentar de 5 para 8 o número de atividades; – Iniciar a realização de atividades nos bairros sociais.

Intervenção

Construção e instalação de ecopontos // Atitudes inclusivas para com alunos especiais // Espetáculo de dança // Sessão “Conviver com a diferença” pela psicóloga do Centro Comunitário do Bairro do Esteval // Sensibilização da comunidade para a “Sustentabilidade ambiental”.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // Comunidade local // ONG // Cooperativa // Empresa local Foram disponibilizados vídeos de algumas das ações na plataforma Vimeo, na internet.

Dificuldades

Elevado número de alunos envolvidos e reduzido número de professores envolvidos; a motivação inicial dos alunos foi-se dissipando e fragmentando com a implementação do programa; falta de tempo para organizar melhor as ações; contactos com as entidades que, na maioria dos casos, nem sequer responderam e mostraram-se indiferentes ao programa.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 47 alunos, 3 professores e 30 voluntários, investiu 45 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 3 instituições externas. O projeto tinha como principal alvo os 47 alunos envolvidos e que foram, assim, os primeiros beneficiários. Beneficiaram ainda das diversas intervenções 25 pessoas institucionalizadas. As experiências vividas foram bastante enriquecedoras para professores e alunos, pois é muito importante que consigamos trabalhar com os alunos fora da sala de aula. Um enorme contributo foi conseguir informar a comunidade educativa da existência de projetos de índole social que realmente funcionam e passam da teoria à prática. Posteriormente, a maior recompensa foi poder contribuir para o crescimento pessoal dos nossos alunos, incutindo-lhes formas de saber ser e de saber estar que vão para além do saber científico que a escola ministra.

Autoavaliação Geral

A intervenção conseguiu mobilizar alguns membros da comunidade educativa e elevado número de discentes. Consideramos que o esforço valeu a pena. A localização geográfica da escola é propícia à sustentabilidade do programa na comunidade, havendo no entanto ainda muito caminho a percorrer.

Previsão de Continuidade

Há apoio do Órgão Diretivo do Agrupamento e estamos decididos a continuar, sendo necessário estabelecer mais parcerias, uma vez que a freguesia tem imensas potencialidades e queremos melhorar a nossa ação no terreno. Queremos realizar uma panóplia mais variada de atividades e almejamos operar fora do espaço escolar.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Fazer Sorrir

EB Dr. Fernando Peixinho Temas POBREZA / FOME SAÚDE

Situação

O conhecimento de situações de carência socioeconómica acentuada de alunos que frequentam as escolas do agrupamento determinou a nossa intervenção.

Área Geográfica

Comunidade escolar, inserida na freguesia de Oiã, concelho de Oliveira do Bairro, distrito de Aveiro.

Objetivos – – – –

Desenvolver o espírito de voluntariado na comunidade escolar; Promover a empatia, a inteligência emocional e os valores sociais; Acorrer a situações de alunos com famílias carenciadas; Participar na campanha de Natal “Make-a-wish”.

Intervenção

- Recolha de bens alimentares e vestuário para famílias carenciadas - Distribuição dos bens no Natal - Participação na campanha de Natal da Make-a-wish.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação - Comunidade escolar - Comunidade local - ONG

Dificuldades

Enquadramento do programa Escolas Solidárias aos outros projetos e atividades já existentes. Escassez de tempos de trabalho com os alunos; grupo de trabalho muito reduzido.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 4 alunas e 1 professor, fez um forte investimento de energia solidária ao longo do ano letivo. Criou-se rede com 1 instituição externa. Beneficiaram das diversas intervenções um número não contabilizado de alunos extremamente carenciados e respetivas famílias, a quem foram entregues bens alimentares e vestuário, por altura do Natal. A decoração da escola e a participação no concurso de Natal da Fundação Make-a-wish conseguiram mobilização geral, com a participação de diversas escolas do agrupamento.

Autoavaliação Geral

Neste ano letivo, começámos tarde a investir nesta ideia, por motivos de ordem diversa e relacionados com a própria dinâmica da escola e do agrupamento, o que condicionou em muito o trabalho desenvolvido.

Previsão de Continuidade

É muito importante para nós desenvolvermos projetos que promovam a empatia, a inteligência emocional e os valores sociais. Esta avaliação, bem como outras que serão realizadas internamente permitirão, com toda a certeza, definir novos trilhos que possam ser concretizados no próximo ano letivo, de forma mais consistente. De qualquer modo, é nossa pretensão criar um Clube de Voluntariado, sólido e consistente, para se poderem trabalhar questões de âmbito social, quer internas quer externas à escola.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

G-Team Os Irresistíveis Escultor em ação (RE)Brincar

EB Escultor Francisco dos Santos Temas

POBREZA/ FOME SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

Existe um elevado número de famílias da escola em situação socioeconómica considerada desfavorecida, sendo que o número de alunos que beneficiam do Apoio Social e Escolar é bastante significativo. Verificam-se carências a vários níveis, nomeadamente alimentar, de vestuário e cuidados de higiene, que importa atenuar. Do mesmo modo, é necessário fomentar o desenvolvimento da consciência cívica e promover o espirito de cidadania, desenvolvendo, designadamente, projetos de cariz ambiental.

Área Geográfica

Rio de Mouro, Fitares e Mercês, no concelho de Sintra, distrito de Lisboa.

Objetivos -

Promover e trabalhar valores como a solidariedade e a fraternidade, através de ações de voluntariado; Ajudar alunos e famílias mais desfavorecidas do Agrupamento, colmatando algumas necessidades e promovendo a integração e o sucesso escolar; Recolher o maior número possível de bens alimentares e de higiene, vestuário, roupa de cama, brinquedos, etc.; Sensibilizar para a investigação e inovação responsável, promovendo a construção de conhecimento acerca da investigação científica; Partilhar ideias através do intercâmbio entre escolas, permitindo a troca de opiniões entre grupos de dois estabelecimentos de ensino (parceria com Escola Básica Alfredo da Silva, Rio de Mouro); - Fomentar o desenvolvimento da consciência cívica e promover o espirito de cidadania com projetos de cariz ambiental; - Contribuir para o bem-estar animal, em particular de animais de companhia; - Construir brinquedos para gatos do Centro de Recolha Oficial de Animais, com recurso a materiais reutilizáveis; - Promover a proteção ambiental, recorrendo à reutilização de materiais; - Aumentar o conhecimento sobre a problemática dos plásticos nos Oceanos.

Intervenção

Campanha de solidariedade “Vai e Faz o Bem”: colocação, na escola, de caixa de recolha de bens alimentares; criação de cabazes de alimentos, para famílias carenciadas da comunidade escolar // Divulgação e envolvimento em projeto de intervenção social de uma IPSS local: campanha de recolha de bens (alimentares e de higiene, vestuário, roupa de cama, brinquedos, etc., novos ou em segunda mão), a favor da associação; criação da Manta Solidária, com retalhos trabalhados por elementos da comunidade educativa // Construção de brinquedos para gatos do Centro de Recolha Oficial de Animais do concelho, com reutilização de materiais // Sensibilização para a Investigação e Inovação Responsável: construção de conhecimento acerca da investigação científica; palestra e exercício lúdico sobre a problemática da sobrepesca e da exploração sustentável, pelo Centro de Investigação Mare; organização da exposição interativa "Problemática dos plásticos dos Oceanos"

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Associação de Pais // Junta de Freguesia // Centro de Recolha Oficial de Animais concelhia // IPSS local // Instituto de Educação distrital // Centro de Investigação Mare. Amplificação na rádio, no jornal e no website da Escola, bem como nas páginas Facebook do Agrupamento e da Associação de Pais.

Dificuldades

Articulação de horários (dos professores e alunos envolvidos) e gestão do tempo, de modo a cumprir-se os prazos estipulados. Sensibilização dos alunos, em alguns casos, quer para as carências socioeconómicas e a necessidade de ajudar quem precisa, quer para a investigação e inovação responsável.

Impacto / Resultados

91 alunos e 8 professores entregaram ao projeto 855 horas de energia solidária. Criou-se rede com 5 entidades externas. Foram beneficiadas 200 pessoas integradas em instituições apoiadas e 33 da Escola/Agrupamento. Superámos as expectativas. Angariámos cerca de 600 Kg em bens alimentares, de higiene e vestuário. Entregámos 33 cabazes de alimentos. Construímos brinquedos, em quantidade e qualidade, para os gatos de Centro de Recolha Oficial de Animais. Sensibilizámos 600 pessoas com uma exposição sobre a problemática do plástico nos oceanos.

Autoavaliação Geral

Os objetivos traçados e delineados foram atingidos na sua globalidade. O balanço realizado é bastante positivo, não só pela quantidade de bens angariados, brinquedos construídos ou número de visitantes da exposição, mas essencialmente pelo envolvimento da comunidade em torno dos projetos.

Previsão de Continuidade Com certeza que para o ano haverá continuidade!

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

FreiSOL

EB Frei Bartolomeu dos Mártires Temas

POBREZA/ FOME CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

São várias as famílias carenciadas de alunos da Escola. A acompanhar problemas económicos e de desemprego, existe a exclusão social, que importa combater. Simultaneamente, é importante apresentar soluções de preservação do ambiente, pugnando pela diminuição dos resíduos.

Área Geográfica

Freguesia de Santa Maria Maior, distrito de Viana do Castelo.

Objetivos -

Desenvolver comportamentos cívicos e humanos junto dos alunos; Erradicar a pobreza e a fome, e sensibilizar a comunidade em geral para a temática; Ajudar a comunidade escolar mais carenciada e mobilizar voluntários para apoiar as famílias com necessidades; Recolher e distribuir alimentos (23 cabazes), roupa, livros e brinquedos em bom estado; Cuidar das comunidades e cidadãos mais vulneráveis, designadamente os sem-abrigo; Realizar cinco “bonecos de rua”; Fomentar a sustentabilidade ambiental – valorização de recursos e resíduos; Reconhecer a importância da valorização da matéria orgânica através da compostagem; Dinamizar um pequeno espaço no jardim da escola para o composto produzido; Sensibilizar para os aspetos positivos da adequada gestão dos resíduos, recolher óleo usado, pilhas, tampinhas e papel (a favor de várias causas); Promover a educação e o respeito pelo meio ambiente em geral e aquisição de competências e de bons hábitos de consumo de recursos.

Intervenção

"Uma turma, um cabaz" – concretização de cabazes de géneros alimentares por turma // "Amor ao Próximo" – palestra e exposição sobre Solidariedade // "Doces sorrisos" – entrega de brinquedos a crianças de instituição local // Recolha de roupa para Casa dos Rapazes e uma outra IPSS locais // "Dependência dos sem-abrigo" – testemunho real de um sem-abrigo; sessões de esclarecimento e visualização de filmes / Instalação “Vidas (sem) abrigo” // Criação de 5 “Bonecos de Rua” para as principais ruas da cidade // "Resíduos amigos" – ações de sensibilização para a compostagem // Vasos com ervas aromáticas para angariar fundos nos Feirões Escolares // Recolha de tampinhas (angariação de cadeira de rodas para antiga aluna, em parceria com outra EB do Agrupamento); papel/cartão (angariação de materiais escolares para alunos necessitados do Ensino Especial); pilhas (trocadas por material escolar) e óleos usados (fundos para bens alimentares) // Criação/venda de sabonetes a partir de óleo usado.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Gabinete de Atendimento à Família // Escola EB do Agrupamento // IPSS crianças // Casa dos Rapazes // IPSS lar // Banco Alimentar contra a Fome // Associação Cultural e Artística // Empresa de recolha de óleos alimentares // Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental // Ecopilhas. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades Nada a declarar.

Impacto / Resultados

33 alunos e 7 professores desenvolveram com energia solidária um projeto que contou com 513 voluntários. Criou-se rede com 8 entidades externas. Foram beneficiadas 40 crianças de várias instituições, com entrega de roupa. Realizaram-se 23 cabazes de géneros alimentares; 75€ com venda de sabões; 25 kg de pilhas e baterias usadas; 10 garrafões de tampinhas; 22 Kg de papel e cartão. Distribuíram-se 22 brinquedos. Venderam-se 40 vasos de plantas com o composto produzido. As atividades previstas foram todas executadas, algumas com bastante sucesso, superando as expectativas iniciais. A equipa conseguiu envolver e sensibilizar toda a comunidade educativa, o que levou a resultados excelentes. Ajudámos as famílias mais carenciadas da comunidade escolar e instituições, com alimentos, roupas ou brinquedos. A realidade dos sem-abrigo foi trabalhada pela primeira vez na escola, tendo tido um grande impacto na comunidade educativa. Foram recolhidos diferentes resíduos em ações que, servindo a causa ambiental, foram ao encontro de objetivos de caráter social.

Autoavaliação Geral

A equipa manifestou espírito de solidariedade, desenvolvendo o programa com interesse e empenho. Professores e alunos prontificaram-se a ajudar voluntariamente em todas as ações, com o apoio da Direção e a recetividade das instituições parceiras. Denotou-se uma maior sensibilidade, por parte de toda a comunidade educativa, para os problemas existentes na escola.

Previsão de Continuidade O programa deu “frutos”, havendo entusiasmo e mobilização para garantir a sua continuidade.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

6.º B Amigos solidários

EB N.º 2 de São Bernardo Temas POBREZA/ FOME POPULAÇÃO SÉNIOR

Situação

A intervenção solidária é uma vocação das escolas que se estende por vários domínios da sociedade. Compreender a realidade que nos cerca, entender as fragilidades e agir são linhas de uma dinâmica que envolve alunos e suas famílias, determinando ações em áreas como a alimentação, higiene, saúde, organização da vida quotidiana, educação e integração social.

Área Geográfica Freguesia de São Bernardo, distrito de Aveiro.

Objetivos -

Motivar os alunos para as causas sociais; Ajudar alunos e famílias nas áreas de alimentação, higiene, saúde, organização da vida quotidiana, educação e integração social; Ajudar 37 alunos e respetivas famílias com carências económicas; Dinamizar atividades em centro de idosos (pelo menos duas sessões com jogos, dança e confraternização).

Intervenção

- Recolhas de alimentos, roupa/calçado, livros e brinquedos. Doação semanal dos bens angariado a uma Fundação local, para apoio a famílias carenciadas. - Criação de cabazes e organização dos produtos recolhidos: na Fundação, os alunos puderam observar e perceber a organização dos espaços e dos bens doados (no caso dos géneros alimentares, por tipos e data; no caso de roupas, calçado, brinquedos e livros, por idade e sexo). - Recolha de bens, para posterior doação, no Instituto de Telecomunicações do concelho (por iniciativa da representante dos Encarregados de Educação). Angariação de donativo junto desta instituição, a favor da Fundação. - Convívio intergeracional e atividades com seniores em Centro local de Apoio ao Idoso: partilha de saberes, jogos, momentos de dança e música; programa sobre o 25 de Abril, com interpretação de canções emblemáticas e testemunhos de seniores sobre a experiência da Revolução em 1974.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Alunos, professores e encarregados de educação // Representante dos Encarregados de Educação // Centro local de Apoio ao Idoso // Fundação local // Instituto de Telecomunicações do concelho // Banco Alimentar Contra a Fome. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

O projeto contou apenas com uma turma, pelo que a dificuldade maior foi não estar envolvida toda a comunidade escolar.

Impacto / Resultados

28 alunos e 2 professores dedicaram ao projeto bastantes horas de energia solidária. Criaram parcerias com 4 entidades externas. As ações realizadas tiveram impacto em 136 pessoas associadas às instituições apoiadas, beneficiando ainda 6 pessoas a título individual e 37 da Escola. Graças ao envolvimento dos encarregados de educação, foi possível chegarmos a uma Instituição do concelho com capacidade de colaborar com uma doação de € 1500 para ajudar a Fundação que nos propusemos ajudar. Os objetivos propostos foram todos atingidos. A atividade de recolha semanal de bens foi muito importante para os alunos, que passaram a ter consciência das dificuldades existentes inclusive no seio escolar. Aquando da ida à Fundação, verificaram que existiam cabazes para serem entregues a colegas da escola. Ficaram muito sensibilizados, pois desconheciam as necessidades e problemas existentes mesmo ao lado deles. Ao recolherem os bens, ao entregá-los na Fundação e ao colaborarem na realização de cabazes houve sempre um misto de sentimentos de orgulho e felicidade. Também a dinamização de atividades (2 tardes) com seniores foi muito enriquecedora.

Autoavaliação Geral

Pela primeira vez, a nossa escola participou neste programa Escolas Solidárias, sendo muito bom o saldo da intervenção. Os alunos envolveram-se desde o início, passando a ser eles o motor da equipa. Entraram em contacto com as instituições locais a apoiar e inteiraram-se dos seus campos de ação e necessidades. A esta dinâmica, juntaram-se os encarregados de educação. A força desta intervenção residiu no facto de os alunos terem identificado os alvos de atuação. O programa poderá ser melhorado no futuro, com o envolvimento de toda a comunidade escolar.

Previsão de Continuidade

Havendo massa crítica, este projeto deverá continuar, atendendo à sua relevância e à vontade dos alunos.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Com um "grão" se dá a mão

EB N.º 2 de Vilarinho do Bairro Temas

POBREZA/ FOME SAÚDE CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Uma cultura de solidariedade e responsabilidade social alimenta-se com ações que vão ao encontro das comunidades, com o intuito de responder a necessidades, atenuar problemas e, sobretudo, educar para a mudança – dentro da escola, à sua volta e pelo mundo fora.

Área Geográfica Vilarinho do Bairro, concelho de Anadia, distrito de Aveiro. Amazónia, no Brasil.

Objetivos -

Adoção no dia-a-dia de atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio pelas injustiças; Vivenciar a cidadania como meio de participação social; Envolver a comunidade escolar em ações de partilha e solidariedade; Envolver a comunidade escolar em práticas que aumentem a qualidade de vida e de bem-estar; Desenvolver hábitos de vida saudáveis; Envolver 64 alunos em ações teórico-práticas de Suporte Básico de Vida; Envolver de forma direta 24 encarregados de educação na confeção de sopas; Dinamizar 13 ações de sensibilização para a diferença no âmbito do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência; Sensibilizar a comunidade para a proteção ambiental; Aumentar de 10 para 50 os alunos envolvidos em ações diretas de voluntariado.

Intervenção

Lanche partilhado no Natal com envolvimento de toda a comunidade educativa // Anadia Solidária e Bibliopartilha – recolha de brinquedos, alimentos e livros a favor de famílias carenciadas do concelho // Mostra de Sopas, com envolvimento direto de encarregados de educação, de incentivo ao consumo de sopa // Mostra de Saberes e Sabores, com trabalhos realizados pelos alunos, para divulgação de iguarias típicas da região // Dia do Surf // Visita à Estação Operacional do Instituto de Socorros a Náufragos Laço Humano no Dia Internacional de Luta Contra a Sida // 10.ª Caminhada pelo Coração no âmbito do Projeto de Educação para a Saúde // Ações teórico-práticas de Suporte Básico de Vida // Venda Solidária aberta à comunidade, a favor de várias instituições // Celebração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência com várias ações // Envolvimento dos alunos com NEE no melhoramento do espaço escolar: renovação de mobiliário; reutilização de paletes; atividades da vida diária // Recolha de tampinhas a favor de um aluno, para aquisição de cadeira de rodas motorizada // Limpeza e manutenção da área reflorestada da serra local // Recolha de REE-Escola Eletrão // Projeto Amazónia Live – angariação de verbas para aumentar a plantação de árvores na Amazónia, no Brasil.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Junta de Freguesia // Câmara Municipal // AMI // Fundação Portuguesa de Cardiologia // ACREDITAR // Better World. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades Nada a declarar.

Impacto / Resultados

223 alunos e 5 professores, mais 10 voluntários, uniram-se e agiram ao longo de 197 horas de energia solidária. Criou-se rede com 6 entidades externas. Foram beneficiadas 100 pessoas das instituições apoiadas, 30 pessoas independentes e 265 da Escola. Todas as ações a que nos propusemos foram realizadas com êxito. Verificou-se a adoção de atitudes de solidariedade e cooperação no dia-a-dia. Desenvolveram-se hábitos de vida saudável e sensibilizou-se a comunidade para a sustentabilidade ambiental. Promoveu-se a inclusão social e o compromisso com a educação como facilitadores da melhoria dos resultados da aprendizagem, aumentando o bem estar-emocional e reduzindo os comportamentos de risco. Combinação de experiências de aprendizagem com o objetivo de ajudar a comunidade envolvente da escola, e não só, a aumentar conhecimentos e mudar atitudes.

Autoavaliação Geral

Através deste programa, a escola fortaleceu a capacidade de criar um ambiente saudável para aprendizagens, fomentando espaços onde todos os membros da sua comunidade trabalham em conjunto, com vista à formação integral do aluno.

Previsão de Continuidade

Daremos continuidade ao programa. "Grão a grão enche a galinha o papo", ou seja, esperamos continuar a semear os nossos "grãos", a implementar ações...

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

Unidos contra a pobreza Unidos pela diferença

EB Prof. Carlos Teixeira Temas

POBREZA/ FOME CONVIVER COM A DIFERENÇA

Situação

No Agrupamento e seu meio envolvente existem situações de carência socioeconómica e de alguma discriminação relativamente à diferença, seja ela física, intelectual ou económica. Verifica-se o caso concreto de um aluno que carece de bens essenciais para a sua habitação, bastante parca em conforto e eletrodomésticos, pois a família não pode suportar os custos da sua aquisição. Impõe-se, pois, sensibilizar a comunidade escolar para a diferença, colaborando na realização de palestras e ações de sensibilização para a temática.

Área Geográfica Freguesias de Fafe, Silvares e Quinchães, distrito de Braga.

Objetivos -

Sensibilizar a comunidade educativa para o conceito de diferença e de solidariedade; Motivar para a cidadania; Fomentar o gosto pela partilha e voluntariado; Desenvolver o espírito de cooperação e o respeito pelo próximo; Desenvolver a criatividade e o espírito crítico; Promover o espírito de empreendedorismo, a autonomia e a capacidade de iniciativa; Envolver a comunidade educativa nas atividades da escola; Apoiar pessoas e instituições carenciadas; Diminuir o estigma da diferença; Sensibilizar para as diferenças entre colegas; Melhorar a situação de um aluno com NEE do Agrupamento; Prevenir comportamentos de risco ou desviantes; Promover laços de afetividade e proximidade; Aumentar as ações de solidariedade de 1 para 3; Aumentar o número de ações de sensibilização contra a diferença de 1 para 4.

Intervenção

Angariação de fundos para aquisição de um esquentador e um televisor para família de aluno carenciado: recolha de objetos para Feira da Primavera Solidária e sensibilização das comunidades educativa e envolvente // Recolha de tampinhas para ajudar menina com necessidade de cadeira de rodas // Recolha de alimentos e entrega de cabazes solidários a alunos carenciados // Color Run no Dia da Criança, com recolha de bens alimentares não perecíveis para instituição // Dinamização do Dia da Diferença com cartazes e exposição de frases/palavras, elaboração de porta-retratos alusivo ao tema e palestra.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Associação de Pais // Câmara Municipal // Empresa de eletrodomésticos // Anónimos solidários // PAR - Plataforma de Apoio aos Refugiados. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Articulação dos horários dos diferentes intervenientes e dificuldade de algumas entidades colaborarem em tempo útil.

Impacto / Resultados

28 alunos e 2 professores entregaram ao projeto 110 horas de energia solidária. Contaram com 10 voluntários e criaram parcerias com 6 entidades externas. Foram beneficiadas 2 pessoas independentes e 500 pertencentes ao Agrupamento. O projeto teve uma boa aceitação na comunidade educativa que, sensibilizada para as áreas de intervenção selecionadas, contribuiu, de forma direta ou indireta, para a concretização dos objetivos traçados. Procurámos sempre dar voz aos alunos, no sentido de os responsabilizar, desenvolvendo a sua autonomia e o seu espírito crítico. Nesse sentido, promoveram-se ações concretas, ao encontro das expectativas e propostas de cada um. Aumentámos de 1 para 5 as ações de solidariedade. Angariámos fundos para a aquisição de 1 esquentador e sua instalação. Graças à divulgação desta causa, em prol de um aluno carenciado, assistiu-se a 1 doação anónima de 1 televisor e respetiva instalação.

Autoavaliação Geral

Classificamos a nossa intervenção como bastante satisfatória. A implementação deste projeto resultou de um esforço coletivo que envolveu toda a comunidade educativa. Todos contribuíram, de forma mais ou menos direta, para o sucesso das atividades realizadas. A mobilização foi bastante positiva e o impacto das ações implementadas relevante, não só para as pessoas diretamente beneficiadas, mas também para todos aqueles que, participando no projeto, contribuíram para a promoção de valores de cidadania. As equipas mostraram-se, de um modo geral, disponíveis, de acordo com os seus horários e ocupações extracurriculares.

Previsão de Continuidade Existe a possibilidade de dar continuidade ao programa.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • Bombásticos • Parceiros para o desenvolvimento

EBS da Bemposta Temas

POBREZA / FOME EDUCAÇÃO / LITERACIA POPULAÇÃO SÉNIOR SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

O enquadramento social da comunidade escolar e os objetivos curriculares permitiram detetar variadas situações com potencial e maior necessidade que justifica a intervenção e o desenvolvimento de atividades que se inserem nas temáticas escolhidas.

Área Geográfica Freguesia de Portimão, distrito de Faro.

Objetivos

– Sensibilizar a comunidade educativa para a solidariedade; – Sensibilizar a comunidade educativa para a sustentabilidade ambiental; – Motivar para um maior conhecimento acerca das questões que se relacionam com a alimentação saudável e sustentável; - Participação dos alunos envolvidos em pelo menos uma atividade intergeracional. – Participação dos alunos envolvidos em pelo menos uma atividade de educação ambiental; – Tornar os alunos participantes ativos nos processos de decisão e promover a tomada de consciência da importância do ambiente no dia-a-dia da sua vida pessoal, familiar e comunitária;

Intervenção

Apoio a famílias carenciadas // Visita a lares e infantários // Participação em concursos // Eco-Escolas , criada a figura do "Eco-delegado" com tarefas de sensibilização da turma e outras // criação de cartazes, folhetos, vídeos e esculturas relativos ao ambiente // criados recipientes para recolha seletiva de resíduos na escola // Ementas sazonais com os respetivos valores nutricionais // Projeto Tampinhas para ajuda na aquisição de cadeiras de rodas e outros equipamentos // Concurso “Pestana Eco-kids” // “Feira Hora da Troca” valorização de resíduos // “Vamos dar vida aos resíduos” // Dia da Terra // “A Terra e as Artes” // “À descoberta da Terra nos livros” // “Roupas usadas não estão acabadas” // Concursos “Criar com estilo” + “Recolha com estilo” // “Geração Depositrão” // Campanha “Nós pelo lince e o lince por nós” // Campanha DECOjovem, internet segura, direitos de autor.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // Câmara municipal // Outras escolas // IPSS // Empresa

Dificuldades

Fase de organização do cálculo do impacto e evidências. Falta de tempo a organização e o desenvolvimento das atividades.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 22 alunos, 3 professores e 40 voluntários, investiu 20 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 6 instituições externas. Beneficiaram 180 pessoas, algumas institucionalizadas, crianças de outras escolas e pessoas do agrupamento. Passou a haver condições de recolha seletiva de resíduos na escola. Contamos que, com as ementas, tenha havido melhoria da alimentação. Ajudamos na aquisição de cadeiras de rodas e outros equipamentos necessários.

Autoavaliação Geral

Das duas equipas inicialmente previstas, apenas uma agregou e desenvolveu atividades diversas. Os objetivos foram alcançados de forma satisfatória, sendo certo que estas atividades permitem socializar com outras gerações e contribuir para aproximar a escola da comunidade local. A participação nas atividades permite aos alunos adquirir alguns conhecimentos e ter oportunidade de fazer coisas diferentes.

Previsão de Continuidade Vamos continuar a trabalhar, com ou sem distinções.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

De mãos dadas

EBS de Airães Temas

POBREZA / FOME SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Constrangimentos do Banco Alimentar distrital para dar resposta a todas as solicitações. Oportunidade de ligação da escola e famílias ao BA, com a angariação de papel. Hábitos de separação de RSU's no domicílio com necessidade de motivação.

Área Geográfica Freguesia de Airães. Distrito do Porto.

Objetivos -

Fomentar a recolha de papel para apoiar o Banco Alimentar Contra a Fome distrital; Incentivar atitudes de reciclagem; Sensibilizar para uma cidadania solidária; Envolver várias turmas de diferentes níveis no projeto; Alargar a intervenção do projeto a todo o concelho de Felgueiras; Fazer da solidariedade uma ação concreta; Conseguir chegar aos 5.000 quilos de papel recolhido para converter em apoio a instituições carenciadas.

Intervenção

Campanha “Papel por alimentos” // Ações de sensibilização da comunidade local // Recolha semanal junto das turmas // Participação ativa de encarregados de educação e professores a nível particular // Parceria com a Câmara Municipal para fazer chegar o papel ao Banco Alimentar // Implantação de hábitos de separação de RSU's nas famílias da comunidade escolar // Recolha de papel no comércio, serviços e outras empresas locais // Realização de balanço semanal da intervenção.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // Comunidade local // Câmara Municipal // Banco Alimentar Contra a Fome distrital // Empresas locais.

Dificuldades

Poucas horas para desenvolver o projeto, sendo muitas vezes aproveitada a hora do almoço.

Impactos/resultados

3 equipas, envolvendo 50 alunos, 1 professor e 4 voluntários, investiu 4 horas semanais de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 2 instituições externas. Beneficiaram das diversas intervenções 40 pessoas institucionalizadas e um número indeterminado de famílias carenciadas. Foram recolhidos mais de 3.000 quilos de papel e estamos a chegar à meta dos 5.000 quilos, que serão convertidos em dinheiro para alimentos a fornecer a famílias carenciadas. O impacto mais evidente é a alegria com que os alunos colaboram no projeto, o brilho no olhar de cada um quando toma conhecimento da declaração semanal sobre quantos quilos de papel já foram angariados. A maior parte dos alunos, antes do projeto, nunca tinha participado em qualquer atividade de índole solidária; muitos deles não faziam separação em casa e alguns desconheciam o Banco Alimentar e a sua ação. Nesta altura tudo isso já é passado, os alunos estão completamente envolvidos no programa e têm consciência de que há uma 'cadeia' solidária no país, bem como de que “a EDP é mais do que um fornecedor de energia” (sic).

Autoavaliação Geral

A intervenção realizada é excelente e enche-nos de orgulho, pois a meta dos 5.000 quilos de papel está praticamente alcançada e deve mesmo ser ultrapassada, tendo em conta a adesão, o empenho, a entrega e alegria dos alunos, encarregados de educação e alguns docentes. Foi, assim, generalizado o conceito de solidariedade, tanto na comunidade escolar como na freguesia, bem como hábitos de reciclagem e de combate ao desperdício e atitudes mais amigas do ambiente.

Previsão de Continuidade O programa é para ter continuidade e ser aprofundado.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • Hortabiológica • ProJetArte • Adota um Sorriso • Cidadania Ativa • SoliDar-te

EBS de Barroselas Temas

POBREZA / FOME EDUCAÇÃO / LITERACIA SAÚDE CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

A comunidade escolar inclui alunos de famílias em situação preocupante de qualidade de vida e bem-estar, com focos de pobreza e pobreza extrema. Alguns alunos só na escola conseguem ter condições dignas para higiene pessoal. O principal problema é o desemprego, com tecido empresarial frágil e predominância de microempresas. O setor primário é explorado por seniores, com progressivo abandono da terra e da floresta. O envelhecimento da população é agravado pela emigração dos jovens. A escola situa-se num meio rural, onde a sustentabilidade ambiental é por vezes muito negligenciada.

Área Geográfica

Freguesias de Barroselas e Carvoeiro; Mujães; Viana do Castelo (Santa Maria Maior, Monserrate) e Meadela; Vila Nova de Anha; e Vila de Prunhe. Distrito de Viana do Castelo. Guiné-Bissau.

Objetivos

- Sensibilizar os alunos e a comunidade para problemas mundiais/globais // Alertar para a urgência na adoção de práticas sustentáveis // Educar para os valores da cidadania global // Unir a comunidade educativa numa causa e promover a participação de todos // Evidenciar o espírito de comunhão e solidariedade como fundamento para o envolvimento nesta operação // Ensinar e promover práticas de gestão financeira // Disponibilizar o pequeno-almoço e/ou lanche diário aos alunos inscritos no programa PERA // Oferecer aos alunos carenciados ajudas em vestuário, calçado, material escolar, etc. // Atribuir reforço alimentar a 10 ou mais alunos // Distribuir 2 cabazes alimentares a famílias carenciadas // Sensibilizar alunos e famílias para uma alimentação saudável // Inclusão dos alunos com NEE nas diversas atividades // Proporcionar momentos de alegria a crianças // Contribuir para a melhoria da qualidade de vida escolar (tempos livres e lazer) // Valorizar a saúde enquanto bem essencial // Promover feirinhas da saúde // Contribuir para a consciência da responsabilidade individual na conservação do ambiente // Aumentar a empatia da comunidade educativa face à horta biológica e estufa // Enfatizar a qualidade dos produtos biológicos // Aumentar em 10% a variedade dos produtos agrícolas da horta biológica // Aumentar em 40% a prática da reciclagem // Reduzir em 80% o desperdício de luz e água na escola // Promover 3 entregas de papel ao Banco Alimentar // Realizar 3 atividades do Projeto Make-a-Wish // Assegurar 2 visitas de estudo aos alunos do Projeto ProJetArte.

Intervenção

Cartazes para divulgação dos projetos // Redação de notícia para os jornais locais/regionais // Tela "Projeto Global Schools - rumo a uma nova direção para a Educação" // Decoração de estrelas para árvore de Natal // Concurso de Decoração Natal Inter-Escolas // Balões com frases alusivas aos Contrastes // Coreografia rap "Sozinho” // Visitas de Estudo – Caminhadas com alunos NEE // Dia Azul // Angariação de fundos, tampinhas e outros bens // Sensibilizar e alertar para a preservação da natureza e das espécies // Exploração dos sons da natureza // Conselho Eco-Escolas // Geração Depositrão // Diversificar a produção e apostar nas plantas aromáticas // Aumentar a produção para venda regular dos produtos produzidos // Ilustração dos 15 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável // Dia Internacional dos Direitos Humanos // Contactar a Fundação Make-A-Wish e envolver toda a comunidade nas atividades // Distribuição de estrelas para ajudar a concretizar o desejo de uma criança ou jovem .

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Juntas de Freguesia // Câmara Municipal // Escola Superior // Fundações // Unidade de saúde // Empresas // ONG's locais e nacionais // Órgãos de comunicação social. As ações foram divulgadas nas redes sociais e em órgãos de comunicação locais/regionais.

Dificuldades

Condições atmosféricas adversas estragaram as plantações e atrasaram as colheitas. Identificação dos alunos/famílias com necessidades. Indisponibilidade de algumas empresas e instituições.

Impactos/resultados

5 equipas, envolvendo 586 alunos, 61 professores e 254 voluntários, investiram 4690 horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 14 instituições externas. Beneficiaram mais de 120 pessoas, (80 institucionalizadas, 18 independentes e 25 do agrupamento). Angariados 390€ para a Cáritas. Mais quantidade e diversidade da produção da horta. Realizadas 4 vendas de angariação de fundos.

Autoavaliação Geral

Toda a equipa funcionou globalmente bem e as atividades foram plenamente implementadas.

Previsão de Continuidade Sempre, com ou sem distinções.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • Ajude-nos a Ajudar • LampLusa

EBS de São João da Pesqueira Temas

POBREZA / FOME EDUCAÇÃO / LITERACIA SAÚDE POPULAÇÃO SÉNIOR CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Interioridade do país, com difíceis acessos. Dificuldades apresentadas na região, nomeadamente ao nível de Saúde, Ação Social, combate ao isolamento dos idosos, Conviver com a Diferença, Educação Ambiental e combate à Pobreza/Fome.

Área Geográfica

Todas as freguesias do concelho de São João da Pesqueira, no distrito de Viseu. Freguesia de Paranhos no distrito do Porto. Beneficiários instituições a nível nacional e internacional.

Objetivos -

Sensibilizar a comunidade educativa para a mudança do comportamento face à realidade dos mais carenciados; Consciencializar para as necessidades do Outro, como membro integrante da mesma comunidade; Promover atitudes pro-ativas, tendo como mote a solidariedade; Promover campanhas de angariação de bens e dádivas; Promover vendas com fins de beneficência; Angariar donativos financeiros.

Intervenção

“Cabaz Solidário – Natal Branco” e Sarau Solidário para angariação e oferta de bens alimentares a famílias carenciadas // Leituras partilhadas na rádio local para combater o isolamento dos idosos // Teatro “ID – Identidade Digital” a favor de Academia para o sucesso e saúde juvenis // Angariação de donativos com “Cantar dos Reis/Janeiras” // “Peditório para aquecer um ser”, com angariação de bens para sem-abrigo // Recolha de tampinhas para aquisição de cama articulada para Associação para a Infância e Terceira Idade, cadeira de rodas para Lar e cadeira de rodas elétrica para aluno com NEE // “Campanha Solidária” com a Pediatria do IPO Porto // Venda de “Velas Solidárias” a favor da Cáritas // “AMI e os Objetivos do Milénio” // Angariação de donativos para a Luta Contra o Cancro // Participação em campanhas do Banco Alimentar, Cáritas, Liga Portuguesa Contra o Cancro e AMI // Dádiva de sangue a favor do Instituto Português de Sangue.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // ONG's nacionais e com âmbito internacional // IPSS's // Unidade de saúde // Instituto público // Rádio local. Foram publicados vídeos no youtube. Amplificação em rádio local.

Dificuldades Nada a referir.

Impactos/resultados

2 equipas, envolvendo alunos e professores, investiram muitas horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 11 instituições externas. A campanha de Natal beneficiou 7 famílias. A oferta de bens alimentares no Sarau Solidário beneficiou 17 famílias. Foram angariados 1.000€ para a Cáritas. E 330€ para bolsas sociais. As campanhas para a AMI e Luta Contra o Cancro foram entregues em caixa fechada às instituições. Foram entregues 1 cama articulada e 1 cadeira de rodas a 2 IPSS. Foi entregue 1 cadeira de rodas elétrica a 1 aluno com NEE. O Sarau Solidário teve uma assistência de 500 pessoas; a ação sobre a AMI teve assistência de 200 pessoas; a peça de teatro teve assistência de 400 pessoas.

Autoavaliação Geral

Os objetivos foram alcançados e verificou-se um grande envolvimento da comunidade escolar, tendo as atividades obtido grande impacto e resultados na ajuda à comunidade local, bem como a instituições nacionais.

Previsão de Continuidade

As equipas estão decididas a dar continuidade às iniciativas desenvolvidas e pretendem mesmo intensificar algumas das ações.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Tempo de Amor

EBS de Sever do Vouga Temas

SAÚDE CONVIVER COM A DIFERENÇA PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

É elevado o número de crianças/jovens e adultos portadores de deficiência na escola e no concelho.

Área Geográfica

Todas as freguesias do concelho de Sever do Vouga, no distrito de Aveiro

Objetivos -

Defender e promover a humanização da escola; Defender e promover uma escola Inclusiva; Dar qualidade de vida às crianças/jovens/adultos portadores de deficiência; Ser uma rede de suporte às famílias, Proporcionar ambientes de aprendizagem funcional às crianças/jovens/adultos portadores de deficiência; Defender e promover o trabalho colaborativo no sentido da construção de práticas profissionais de qualidade; Promoção da realização pessoal e profissional de toda a comunidade escolar; Criar 3 oficinas de atividades de vida diária; Angariar 100 euros para comparar produtos para as oficinas funcionarem; Criar um Banco de Tempo solidário.

Intervenção

Criação de 3 oficinas de atividades de vida diária // Bancas solidárias para venda uma vez por período // Criação do Banco de Tempo Solidário para oferecer às famílias, quando necessitam de quem fique com os seus filhos // Parceria com a APCDI - Associação Pró Cidadão Deficiente Integrado // Visitas de estudo

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade escolar // Câmara municipal // Associação local

Dificuldades

A dispersão do concelho. A falta de transportes. Falta de confiança das famílias-alvo nos voluntários.

Impactos/resultados

1 equipa, envolvendo 15 alunos, 20 professores e 30 voluntários, investiu muitas horas de energia solidária neste programa. Criou-se rede com 2 instituições externas. Beneficiaram das diversas intervenções 12 pessoas institucionalizadas, 5 pessoas independentes e 10 pessoas da escola. Foram angariados 100€ para o funcionamento das oficinas. Foram financiadas visitas de estudo a 6 alunos carenciados. O Banco de Tempo Solidário já está a funcionar, tendo sido já levantadas 10 horas para tomar conta de crianças e jovens. Foi conseguida maior sensibilização da comunidade para o cidadão portador de deficiência. Foi conseguido maior envolvimento da comunidade. Com esta intervenção, a comunidade educativa a quem e ao que a rodeia.

Autoavaliação Geral

A intervenção superou as expectativas, pois conseguimos colocar em prática todas as ações e cumprir todos os objetivos. Ao nível da escola, conseguiu-se um legado de qualidade, tendo havido rigor no diagnóstico, na investigação das necessidades e nos conteúdos inseridos. Os objetivos e as ações eram exequíveis. Houve uma grande mobilização, envolvimento da equipa, da escola, do agrupamento, da comunidade. O impacto da intervenção na comunidade e na escola foi muito grande. O esforço foi bastante, mas também os benefícios.

Previsão de Continuidade Pelos resultados alcançados, o programa é para continuar, com ou sem distinções.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Brigada dos Afetos

EBS Dr. Serafim Leite Temas

POBREZA/ FOME // POPULAÇÃO SÉNIOR // CONVIVER COM A DIFERENÇA // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL // PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Verificam-se situações de pobreza entre alunos da Escola, do concelho, de zonas limítrofes e de outros países. A não observância dos direitos humanos e o desrespeito pelos que, por alguma razão, fogem da linha do considerado normal estão na base de situações internas de indisciplina. Há também falta de sensibilidade e amizade para com a população sénior. Regista-se ainda desrespeito pela natureza e pelos bens comuns a todos.

Área Geográfica

Freguesia de S. João da Madeira e freguesias limítrofes onde residem alunos, concelho de São João da Madeira, distrito de Aveiro. Chibuto, em Moçambique, e outros países.

Objetivos

- Sensibilizar a comunidade educativa para a cidadania solidária e o voluntariado em prol do ambiente e da sociedade em geral, próxima ou noutros lugares do mundo; - Alertar para valores de justiça e solidariedade para com todos os cidadãos do mundo que foram penalizados nos seus Direitos fundamentais; - Intervir para que todos os alunos dos 5.º e 6.º anos da Escola possuam todos os manuais escolares; - Acolher e visitar, com amizade e carinho, os mais velhos; aumentar, estimativamente, em 20% os alunos que visitam e acolhem a população sénior, e em 10% o número de avós que visitam a Escola; - Fomentar, na comunidade educativa, comportamentos de respeito e aceitação pelo outro, na sua diferença; - Aumentar em, estimativamente, 20% o número de alunos da escola que participam em palestras e dinâmicas relacionadas com os Direitos Humanos e em iniciativas no âmbito das Sustentabilidade Ambiental. - Permitir que uma família de 6 pessoas tenha uma casa (palhota) mais digna para viver, num bairro de pobreza extrema, em Chibuto, Moçambique.

Intervenção

Promoção dos Direitos Humanos, no âmbito projeto "Escola amiga dos Direitos Humanos" (67.º aniversário da Carta Universal dos Direitos Humanos) // Angariação de verbas, junto de empresas, para o Banco de Manuais Escolares (apoio a alunos com dificuldades económicas) // Campanhas do Banco Alimentar // Encenação no Dia Internacional da Tolerância // “24h a correr por uma causa” – prevenção dos maus-tratos na infância // Prevenção do cancro da mama (Projeto Liga-te) // Dia Mundial de Luta contra a Sida // Promoção da proximidade entre netos e avós, incentivando os alunos a visitar os avós, tirar foto e escrever um pensamento // Visita a lar da Santa Casa – momento recreativo e diálogo com utentes // Visita dos avós à Escola // Participação no “The International Youth Camp ‘Stop Bullying’”, em Palermo, Itália // Participação no espetáculo de solidariedade “O Natal nos 6 Continentes”, a favor da CERCI // Sensibilização para a mobilidade sustentável // Reutilização da roupa em prol do ambiente – sensibilização para a poupança de matérias-primas e redução de gastos de energia e água // Atividades na estufa da Escola // Criação de presépios e enfeites de Natal com materiais recicláveis // Dia Eco-Escolas e Semana da Terra, com tertúlia e outras ações // Colocação de pictogramas junto de torneiras e interruptores da luz da Escola, sensibilizando para a economia de recursos // Construção de ecopontos para papel, embalagens e escovas de dentes // Renovação dos pufs no átrio da escola, com a Associação de Pais // “Maratona de Cartas 2015” da Amnistia Internacional – recolha de assinaturas em defesa de ativistas de diferentes países // Recolha de donativos para construção de uma casa digna (palhota) num bairro pobre em Chibuto, Moçambique // Peditório da AMI // “Entender os Refugiados” – recolha de vestuário e sensibilização.

PADRINHO ESCOLAS SOLIDÁRIAS

Pe Agostinho Jardim Moreira (Presidente da REAPN - Rede Europeia Anti-Pobreza - Portugal)

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Associação de Pais // Câmara Municipal // Santa Casa da Misericórdia // CPCJ Comissão de Proteção de Crianças e Jovens // Banco Alimentar // ONG’s locais, nacionais e internacionais // Associação de apoio aos refugiados // Liga Portuguesa Contra o Cancro // AMI- Médicos do Mundo // Amnistia Internacional. Amplificação nas redes sociais.

Dificuldades Nada declarado.

Impacto / Resultados

180 alunos e 11 professores dedicaram 35 horas de energia solidária. Contaram com 15 voluntários e criaram rede com cerca de 10 entidades externas. Foram beneficiadas 60 pessoas de instituições apoiadas, 40 independentes e 300 pertencentes à Escola. Os resultados foram positivos, na medida em que se cumpriram os objetivos. Recolheram-se 8.000 assinaturas em defesa dos Direitos Humanos.

Autoavaliação Geral

Com a participação no programa Escolas Solidárias conseguimos criar um fio condutor e uma linha de ação concertada, uma maior ligação, entre as diferentes atividades que são realizadas na escola. Os alunos ficam com um conhecimento de temáticas e procedimentos que desconheciam. Recolher experiências significativas com a participação nas diferentes atividades.

Previsão de Continuidade Há vontade de continuar e criar várias equipas.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Dr. Vieira de Carvalho Solidária

EBS Dr. Vieira de Carvalho Temas

POBREZA/ FOME // SAÚDE // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

O apoio aos mais carenciados, a adoção de hábitos saudáveis e a preservação do ambiente constituem segmentos de ação solidária e consciencialização cívica, concorrendo para o desenvolvimento integral da sociedade e de cada indivíduo.

Área Geográfica

Moreira da Maia, concelho da Maia. Paços de Sousa, concelho de Penafiel. Distrito do Porto.

Objetivos -

Promover a solidariedade; Incentivar o voluntariado jovem, de apoio na logística e organização de cabazes para famílias carenciadas; Sensibilizar para a importância de uma alimentação saudável; Criar hábitos e atitudes positivas face aos alimentos e à alimentação; Minimizar o desperdício de alimentos; Promover a aprendizagem e consolidação de conhecimentos da área das Ciências Naturais; Motivar os alunos para a adoção de atitudes positivas responsáveis perante a saúde, a solidariedade e a cidadania; Sensibilizar e motivar os alunos para a dádiva de sangue; Aumentar os conhecimentos sobre a importância da escovagem dos dentes; Aumentar a proporção de alunos que efetua a escovagem dos dentes; Promover a utilização do cheque-dentista; Explorar o stress como resposta adaptativa, bem como as estruturas e hormonas envolvidas; Conhecer a psicopatologia dos quadros depressivos e das perturbações de humor; Identificar nos estilos de comunicação, a importância da assertividade; Descrever as estratégias de “dizer não” de forma construtiva e positiva; Educar para a conservação da biodiversidade e a sustentabilidade dos ecossistemas; Identificar espécies autóctones e invasoras; Dinamizar a separação correta dos resíduos; Reduzir o consumo de energia elétrica na escola e promover o consumo sustentável da água.

Intervenção

Recolha e criação de cabaz solidário de produtos de higiene para associação de proteção à infância // Concurso "Mesas de Natal" – promoção da solidariedade e da partilha entre toda a comunidade educativa // Caminhada Solidária // Recolha de leite para instituição de apoio à criança (Dia Mundial da Alimentação) // Monitorização dos desperdícios alimentares na cantina // Decoração e divulgação de placard na zona da cantina // Workshop “Aprender a dizer não” // Palestra “Uma mente feliz em corpo saudável” // Sessões sobre a importância de doar sangue // Projeto Dentes Saudáveis – promoção da escovagem dos dentes // Sessões sobre Suporte Básico de Vida // Programa "Porta Aberta à Saúde mental" – reduzir o estigma da doença mental; criar uma cultura de inclusão; promover a prevenção // Recolha de rolhas de cortiça // Recolha de garrafas de plástico, a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro // Separação de resíduos // Utilização de materiais recicláveis na criação de presépios, brinquedos, ect. // Exposição sobre a floresta autóctone // Substituição de lâmpadas fluorescentes por LEDs // Cartazes de sensibilização para a diminuição do consumo de energia eléctrica // Realização de filme sobre "Gestão Sustentável da Água".

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Associação de Pais // Juntas de Freguesia // Câmara Municipal // Entidade de Gestão de Resíduos regional // Santa Casa da Misericórdia local // Associação local de Proteção à Criança // UCC local - Unid. de Cuidados na Comunidade (enfermeiros) // Núcleo de Enfermagem da Universidade Católica // Clínica de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital distrital // Instituto Português do Sangue. Meios de divulgação e amplificação da escola: Cartazes; Plataforma/da Escola; Circuito interno de rádio da Escola; Placards da Escola.

Dificuldades

Por vezes os horários não permitiram reuniões mais frequentes, mas as tecnologias ajudaram a ultrapassar esse constrangimento. Os currículos muito extensos e exigentes de algumas disciplinas fazem com que os alunos não possam dedicar-se o tempo desejado ao programa.

Impacto / Resultados

250 alunos e 10 professores dedicaram 50 horas de energia solidária ao programa, contando com 75 voluntários. Criaram parcerias com 10 entidades externas. As várias intervenções permitiram apoiar várias pessoas associadas às organizações apoiadas ou pertencentes à escola. Quantificar torna-se difícil, mas de ano para ano são contemplados mais cidadãos e mais instituições. A nossa intervenção foi gratificante, pois desenhámos sorrisos no rosto de muitas crianças, tanto nas que ajudámos, como nas que colaboraram no programa. Melhorámos hábitos de consumo, quer de alimentação, quer de seleção de materiais e separação de resíduos sólidos, quer de uso de energia e água. Conseguimos reduzir o desperdício alimentar na cantina.

Autoavaliação Geral

No cômputo geral, podemos dizer que foi satisfatória a nossa intervenção.

Previsão de Continuidade A equipa prevê dar continuidade ao programa.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

Clube eTwinning de Sardoal

EBS Dr.ª Judite Andrade Temas

POBREZA/ FOME // EDUCAÇÃO/ LITERACIA // SAÚDE // POPULAÇÃO SÉNIOR // CONVIVER COM A DIFERENÇA // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL // PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Sardoal é um concelho social e economicamente desfavorecido, com alguns problemas de desemprego e desertificação. Tem uma população muito envelhecida e dispersa. Perante esta realidade, um grupo de alunos muito dinâmicos e cheios de vida assumiram ter uma missão a cumprir, unindo-se para melhorar a realidade local e contribuir para uma sociedade melhor.

Área Geográfica

Concelhos de Sardoal, Abrantes e Tomar, distrito de Santarém.

Objetivos -

Sensibilizar os alunos para os problemas da sociedade em geral; Sensibilizar os alunos para a cidadania ativa e responsável; Promoção do voluntariado jovem na escola; Celebração de dias temáticos; Criação de redes de solidariedade; Colaboração com instituições locais de solidariedade social; Aumentar, em pelo menos 10%, o número de atividades de solidariedade social e voluntariado jovem de ano para ano; Aumentar, em pelo menos 10%, o número de parcerias anuais.

Intervenção

Participação em campanhas do Banco Alimentar Contra a Fome e Missão Continente // Projeto Cabaz Solidário // Colaboração com o projeto Eco-Escolas do Agrupamento // Ação de formação em Suporte Básico de Vida // Peditório para a Liga Portuguesa Contra o Cancro // Operação Nariz Vermelho // Visita a Centro de Crianças em Risco // Visitas a lares da terceira idade // Comemoração de dias temáticos com a população sénior // Palestra sobre o Ativismo Social pela GásNova // Comemoração do Dia do eTwinning // Campanha Abraços Grátis

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade Educativa // Câmara Municipal // CPCJ - Comissão de Proteção de Crianças e Jovens // Centro de Crianças em Risco // Centro de Recuperação Infantil // Lar da terceira idade // Santa Casa da Misericórdia // Hospital Distrital // Banco Alimentar contra a fome // Liga Portuguesa contra o Cancro // Cruz Vermelha Portuguesa // ONG dedicada ao voluntariado em países africanos. Divulgação regular das atividades nas redes sociais, designadamente no Facebook e YouTube, na página Web e no Jornal da Escola, bem como no Boletim Municipal.

Dificuldades

Algumas dificuldades logísticas, nomeadamente o transporte de alunos quando os pais não podiam auxiliar.

Impacto / Resultados

45 alunos e 5 professores dedicaram ao projeto 60 horas de energia solidária. Contaram com 12 voluntários e criaram rede com 12 entidades externas. Foram beneficiadas 45 pessoas de instituições apoiadas, 45 independentes e 60 pertencentes à Escola. Consideramos a nossa intervenção como muito boa, excecional mesmo. Esta dinâmica solidária surgiu em 2012/13, vindo a aumentar o número de ações de ano para ano. Se no primeiro ano fizemos 6 atividades, neste ano letivo de estreia no Escolas Solidárias estavam já contadas 11 até à entrega deste relatório, estando outras programadas. O mesmo se passa em relação ao número de alunos inscritos (eramos 20, hoje somos 45!) e parceiros institucionais (de 2, passámos para 12!). As famílias deram sempre o apoio possível aos alunos, uma vez que se concentrou a maioria das atividades no fim-de-semana e fora da Escola (o que requereu transporte e o acompanhamento dos pais). Quando necessário, solicitámos autocarro à Câmara Municipal. De referir que a nossa Escola faz parte da rede europeia eTwinning – aliás, desde há 4 anos que dinamiza e coordena este projeto de Solidariedade Social e Voluntariado Jovem. Somos 6 parceiros no total.

Autoavaliação Geral

Os alunos estiveram sempre motivadíssimos. Aplicados e participativos, revelaram altruísmo e generosidade, sendo um exemplo para os colegas mais novos. Ao seu empenho associou-se a união/cooperação entre várias entidades, com o apoio da Direção da Escola, pais e autarquia. Os vários intervenientes no projeto cumpriram aquilo a que se propunham, realizaram todas as atividades com sucesso e grande impacto na comunidade escolar, pelo que a autoavaliação é muito positiva.

Previsão de Continuidade Se tudo correr bem, o programa irá continuar por muitos e bons anos.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

• Sacos de pão sempre à mão • Eficiência energética, a energia de todos nós • Por um ambiente melhor • Educação financeira para Jovens • Reinstalar a solidariedade humana

EBS Eng. Dionísio Augusto Cunha Temas

EDUCAÇÃO/ LITERACIA POPULAÇÃO SÉNIOR SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

A preparação dos alunos para a vida ativa, participando na formação de bons cidadãos, é o grande investimento da Escola e um plano alargado que abarca intervenções de caráter solidário e consciência social. Neste contexto, o apoio à população sénior, a sustentabilidade ambiental e a boa gestão de recursos são temas a merecer atenção.

Área Geográfica

Freguesias de Canas de Senhorim e Lapa do Lobo, concelho de Nelas. Municípios do Planalto Beirão, distrito de Viseu.

Objetivos -

Envolver os alunos em ações de solidariedade e voluntariado, em áreas do seu interesse; Educar alunos e famílias para uma gestão responsável do dinheiro; Incentivar o consumo consciente; Promover o convívio intergeracional em lar de seniores; Sensibilizar para a eficiência energética e as questões ambientais; Produzir sacos de pão em pano, com o intuito de contrariar o uso excessivo do plástico; Embelezar os camiões de lixo do concelho.

Intervenção

Ações de sensibilização para a gestão adequada do dinheiro, para alunos e alargada a encarregados de educação // Atividades regeneradoras de afetos junto de seniores, com momentos de partilha, contos, dança e música // Ações de promoção do consumo consciente de energia, por um grupo formado por alunos, pais e famílias // Concurso de desenhos para embelezamento dos camiões de recolha de lixo do concelho, alargado às escolas do 1.º ciclo do Agrupamento // “Sacos de pão sempre à mão” produção de sacos em pano, tendo em vista a sensibilização para a redução do uso do plástico

.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Associação de Estudantes e Comissão de Pais e Encarregados de Educação // Junta de Freguesia // Câmara Municipal // Lar da terceira idade // Associações locais // Associação de municípios Planalto Beirão Amplificação nas redes sociais, designadamente YouTube.

Dificuldades

Alguns problemas de logística. Por vezes faltaram pequenas verbas para aquisição de alguns materiais necessários ao desenvolvimento dos projetos. No projeto de Eficiência Energética gostaríamos de premiar as pessoas que tivessem resultados positivos, oferendo pequenos eletrodomésticos, o que se tornou difícil.

Impacto / Resultados

215 alunos e 3 professores dedicaram 1500 horas de energia solidária. Contaram com 400 voluntários e criaram parcerias com 12 entidades externas. Foram beneficiadas 450 pessoas associadas às instituições apoiadas, 500 de forma direta e 200 pertencentes ao Escola/Agrupamento.

Autoavaliação Geral

No geral, as iniciativas correram bem. Existiu devoção e voluntariado no desenvolvimento das iniciativas propostas. Fizemos investigação e diagnóstico, trabalhámos em equipa. O trabalho desenvolvido foi salutar, dentro das expectativas criadas. Temos ideia clara do que fizemos e do impacto nas diversas áreas envolvidas. Saímos do espaço escolar para irmos ao encontro da sociedade em geral e da comunidade envolvente. O objetivo foi cumprido e, graças ao Escolas solidárias, algumas iniciativas foram feitas de raiz. Esta participação permitiu-nos pensar em que áreas de intervenção a escola pode ser útil à sociedade; de que modo os jovens podem contribuir para um mundo melhor.

Previsão de Continuidade

A nossa equipa estará sempre pronta e disponível. Gostamos de ser úteis e existe uma grande vontade de compromisso.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

Sol & Team

EBS Francisco Simões Temas

SAÚDE CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

Procurou-se responder a um problema que fosse muito próximo da Escola e da comunidade. Após inspeção à Unidade de Apoio à Multideficiência, foi constatada a necessidade de aquisição de um muda-fraldas de alunos. Sendo um equipamento caro, tornou-se opção de intervenção solidária desta equipa contribuir ativamente para a sua aquisição, aderindo, para o efeito, ao Projeto T (recolha de uma tonelada de tampas).

Área Geográfica

Freguesias do Feijó e Laranjeiro, concelho de Almada, distrito de Setúbal.

Objetivos

- Adquirir equipamento para a Unidade de Apoio à Multideficiência (um projeto a dois anos); - Reunir 1 tonelada de tampinhas de plástico; - Através do Projeto T, estimular o espírito solidário, sensibilizar para a diferença e promover a recolha seletiva de resíduos.

Intervenção

Recolha de tampas de plástico na escola, em casa, através de familiares e amigos e nas empresas adjacentes às escolas do Agrupamento.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade educativa // Famílias da área do Agrupamento // Sistema regional de Gestão de Resíduos // Empresas locais.

Dificuldades Nada declarado.

Impacto / Resultados

8 alunos e 4 professores estiveram diretamente envolvidos no projeto. Com a sua energia solidária contagiaram positivamente toda a comunidade educativa e não só. Criou-se rede com 10 entidades externas. O projeto beneficia 2 pessoas de instituições apoiadas e 2 pertencentes à Escola. Já foram recolhidos mais de 400 kg de tampinhas. Sendo este um projeto a dois anos, conta-se chegar ao final do ano letivo com meia tonelada (o objetivo proposto). A nossa intervenção foi, como tal, muito positiva.

Autoavaliação Geral

Com o empenho da equipa, recolher e reunir tampinhas tornou-se a causa de um universo indeterminado de pessoas. Tampa a tampa, alunos, professores, encarregados de educação e famílias, mas também empresas, colaboraram ativamente na prossecução do objetivo proposto.

Previsão de Continuidade A equipa está motivada para dar continuidade a este programa.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Mestre Solidária

EBS Mestre Domingos Saraiva Temas POBREZA/ FOME

Situação

Um número significativo de famílias do Agrupamento/Escola apresenta uma situação socioeconómica desfavorecida, sendo o número de alunos subsidiados pelo Apoio Social Escolar bastante elevado. Estas famílias, a maioria com baixa escolaridade, apresenta carências a vários níveis, nomeadamente alimentar, de vestuário/calçado e também, ao nível dos cuidados de higiene.

Área Geográfica

Algueirão, Mem Martins, no concelho de Sintra, distrito de Lisboa.

Objetivos -

Promover o gesto solidário e o voluntariado; Transformar os alunos em agentes ativos de mudança social; Atenuar as carências de alunos e de famílias da comunidade referenciadas pelo Agrupamento e Rede Social; Ampliar a Loja Solidária, estendendo o projeto, nascido para colmatar necessidades de vestuário, à ajuda alimentar e de produtos de higiene; Alargar a ajuda a 20 famílias do Agrupamento.

Intervenção

Loja Solidária dinamização de ações de voluntariado; partilha e troca de bens e utilidades; recolha de bens alimentares, roupa e produtos de higiene para distribuir por quem mais precisa // Doação de Cabazes de Natal, organizados através da recolha de bens na comunidade educativa, a famílias referenciadas do Agrupamento // Um Brinquedo por um Sorriso dinamização de banca de troca de brinquedos, que foram doados a alunos do Agrupamento // Doação de kits de higiene, com recolha de bens entre a comunidade educativa.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade Educativa // Rede Social // IPSS inseridas na comunidade envolvente.

Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades Nada declarado.

Impacto / Resultados

- 30 alunos e 3 professores dedicaram 120 horas de energia solidária. Contaram com 5 voluntários e criaram rede com diversas entidades externas de apoio social. - A Loja Solidária viu as suas funções ampliadas, passando a funcionar como espaço de recolha/distribuição de diverso tipo de bens, associado a diversas ações solidárias. O projeto, lançado inicialmente pelo Agrupamento com o Curso Vocacional de Comércio, é dinamizado em articulação com o Serviço de Psicologia e Rede Social. Como fruto do trabalho cumprido, contribuiu-se para um Natal mais feliz de alunos e famílias referenciadas com a distribuição de cabazes e brinquedos. Distribuíram-se, também, kits de higiene, bem como roupa e outros bens ao longo do ano.

Autoavaliação Geral

A comunidade escolar envolveu-se e empenhou-se nas atividades de recolha e troca de roupa e bens de primeira necessidade, revelando espírito solidário.

Previsão de Continuidade Prevemos que este programa tenha continuidade no próximo ano letivo.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas 6 ProfiSolidárias

EP Profitecla - Braga Temas

POBREZA / FOME // DESEMPREGO / SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA // EDUCAÇÃO/ LITERACIA // SAÚDE // CONVIVER COM A DIFERENÇA // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

É importante incrementar o espírito de cooperação e entreajuda. Ajudar a diminuir as desigualdades sociais e procurar colmatar as carências das famílias da área envolvente da Escola constituem prioridades. O desconhecimento da importância de uma boa alimentação, bem como dos comportamentos de risco, obriga também a traçar linhas de ação. De igual modo, há a necessidade de proteger o ambiente.

Área Geográfica Área de residência dos alunos, concelho/distrito de Braga.

Objetivos

- Promover a solidariedade e o voluntariado // Consciencializar para a necessidade de ajudar e reconhecer que existem muitas pessoas com graves carências financeiras // Ajudar a colmatar as carências sociais // Promover a igualdade de oportunidades // Promover os valores democráticos // Sensibilizar para a necessidade da poupança e controlo das finanças pessoais // Criar oportunidades de partilha de experiências e boas práticas de promoção local da empregabilidade jovem // Promover e sensibilizar para os benefícios de uma alimentação saudável // Combater a obesidade nos jovens // Prevenir comportamentos de risco // Sensibilizar para a importância do rastreio precoce ao cancro da mama // Promover a educação e sensibilizar para a sustentabilidade ambiental.

Intervenção

Estímulo à solidariedade anónima e encontro de parceiros empenhados em agir em Comissão Social promovida pela Junta de Freguesia // Recolha de alimentos e elaboração de cabazes, bem como angariação de roupas e brinquedos, para famílias carenciadas sinalizadas pela Junta // Palestra ABC da Poupança // Projeto Justiça para Tod@s // Participação em duas simulações de julgamentos no Tribunal de Braga (sobre violência no namoro e liberdade religiosa) // Seminário “Empregabilidade Jovem: Desafios e Soluções à Escala Local” e atividades de capacitação para a empregabilidade // Campanha Dez Milhões de Estrelas - Um Gesto Pela Paz // Dia da Alimentação // Ações de sensibilização sobre a diabetes e os riscos associados a tatuagens e piercings // Rastreio do cancro da mama // Mês de Prevenção de Cancro da Mama, com faixas e laços rosa na fachada do edifício escolar // Roteiro Acessível – Dia Internacional da Pessoa com Deficiência com itinerário gratuito adaptado // Projeto Eco-Escolas // Reflorestação Monte do Picoto, com a Câmara // Eco Carnaval com disfarces e elementos decorativos em materiais reciclados // Caminhada de apoio à Candidatura do Bom Jesus a património mundial da UNESCO, com recolha de lixo // Hastear da Eco-Bandeira.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos… Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E para a próxima edição já teremos com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa / Junta de Freguesia e Câmara Municipal / Confraria do Bom Jesus / Arquidiocese / Associações locais / Aeroclube / Santa Casa da Misericórdia / CCD / INATEL / OIKOS / Cruz Vermelha / Instituto Português da Juventud

Dificuldades

Falta de tempo e recursos para responder a todas as solicitações.

Impacto / Resultados

267 alunos e 19 professores dedicaram 55 horas de energia solidária ao programa, criando rede com 16 entidades externas. Beneficiadas 319 pessoas (100 integradas nas instituições apoiadas, 60 independentes e 159 da Escola). Os jovens tomaram consciência da energia que possuem para mudar o mundo. Tomaram em mãos a ação humanitária e cívica. Reforçou-se a importância da escola como espaço vital de educação e motivação para a cidadania, capaz de oferecer aos alunos condições para a realização de projetos de apoio voluntário às comunidades. Criaram-se vínculos fortes entre a população escolar, as famílias e a comunidade alargada. No que pode ser quantificável, realizou-se 100€, em velas vendidas, a favor da Cáritas. Pelo nosso trabalho em prol da comunidade alargada, fomos uma das instituições de ensino locais, a única privada, distinguida pela Junta de Freguesia local em cerimónia pública.

Autoavaliação Geral

As atividades foram todas exequíveis, porque bem pensadas e estruturadas. Houve uma grande mobilização e envolvimento de alunos e demais comunidade educativa. As intervenções tiveram o impacto necessário e desejado. Todos os objetivos inicialmente traçados foram atingidos em quase a sua totalidade, pelo que a nossa intervenção foi positiva e importante para a comunidade escolar e parceiros. Foram muitos os desafios que abraçámos, alcançando resultados muito satisfatórios. O rácio esforço versus benefícios foi compensador. Em suma, este programa tem uma enorme sustentabilidade na comunidade escolar, e os alunos estão cada vez mais capacitados para responder às solicitações.

Previsão de Continuidade

Sim. Pretende-se implementar cada vez mais ações de solidariedade e voluntariado na nossa Escola.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa Profitecla Pela Vida

EP Profitecla - Guimarães Temas

POBREZA/ FOME CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

A crise em Portugal e consequente desemprego, que afetou bastante a região de Guimarães, levou-nos a perceber as necessidades das famílias, quer na escola quer no município. Daí a associação a algumas instituições da cidade para colaborarmos na ajuda aos mais carenciados. O que também pode ser conviver com a diferença. A sustentabilidade ambiental é igualmente importante de implementar, sobretudo numa escola de ensino que tem por missão preparar alunos para a responsabilidade que qualquer profissão terá de ter com a ecologia. Pretensão de associação a instituições de apoio aos refugiados para desenvolver nos alunos sensibilidade e responsabilidade pela diferença, invertendo atitudes preconceituosas que já se começam a demonstrar por falta de boa informação.

Área Geográfica Cidade de Guimarães, no distrito de Braga.

Objetivos -

Minorar as dificuldades das pessoas mais carenciadas; Criar nos alunos o espírito de solidariedade e responsabilidade social; Contribuição com alimentos para aproximadamente 90 utentes da Casa dos Pobres; Reconhecer que a "diferença" deve ser encarada de forma positiva; Angariação de fundos para o tratamento de um jovem (Super T) Criar hábitos e práticas para a sustentabilidade ambiental; Angariação de fundos para 45 refugiados.

Intervenção

Realização de serviço de catering e protocolo no desfile solidário Freak & Chic // Recolha de roupas e brinquedos usados para doação a várias instituições // Caminhada Solidária // Dia Mundial de Luta Contra o Cancro // Angariação de fundos para o tratamento de um jovem (Super T) e para os refugiados // Recolha de lâmpadas, pilhas e tampas // Construção do Depositrão // Criação de horta pedagógica e biológica de ervas aromáticas, no âmbito do curso de Restauração e para consumo interno, com reutilização de garrafas de plástico.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos… Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E para a próxima edição já teremos com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Casa dos Pobres // Oficinas de S. José // Corporação de bombeiros // Santa Casa da Misericórdia // Cruz Vermelha // Vitória Sport Clube Divulgação das iniciativas nas redes sociais, designadamente no Facebook, e expressão na imprensa local.

Dificuldades

Dificuldade em atendermos a todas as solicitações das instituições parceiras, uma vez que a escola conta apenas com 6 turmas.

Impacto / Resultados

156 alunos e 13 professores dedicaram ao programa 50 horas de energia solidária, tendo trabalhado em parceria com 6 entidades externas. Beneficiaram 585 pessoas (312 integradas nas instituições ajudadas, 100 independentes e 173 da escola). A lógica e o cálculo das nossas ações implicam sempre que cada aluno ajude uma pessoa da comunidade. Ou seja, e pelo menos, 1 aluno = 1 pessoa apoiada. Sendo a nossa escola altamente voltada para atividades no exterior, acabamos sempre por fazer mais iniciativas durante o ano letivo do que as que são inicialmente planeadas. Como expressão desta realidade, a nossa escola tem sido uma referência no apoio a outras instituições. Temos princípios holísticos e pragmáticos na formação de alunos/cidadãos, o que leva que sejamos bastante solicitados.

Autoavaliação Geral

Em termos de metodologia de programa, os diagnósticos foram feitos em conjunto com as instituições com quem trabalhámos. Procura-se, assim, operacionalizar com o máximo rigor (por exemplo, se 90 utentes necessitarem de apoio alimentar, os 90 serão atendidos). As ações foram exequíveis, pois agimos de forma concreta e direta. Como o contingente humano é rigorosamente calculado, o envolvimento é sempre o esperado, ou seja, muito bom, direcionado a um público-alvo bem definido. Os benefícios são sempre importantes/relevantes quando se fala de apoio social na pobreza e na diferença, sendo que a este nível os resultados são de excelência; na sustentabilidade ambiental são apenas bons. Os resultados, do ponto de vista qualitativo, foram excelentes quer para os alunos envolvidos, pelo processo de aprendizagem que desenvolveram, quer para as pessoas e instituições que auxiliámos. A inovação não é a nossa principal preocupação; apostamos sobretudo na eficiência. E foi isso que revelámos com o nosso trabalho.

Previsão de Continuidade Esta é uma dinâmica inerente à escola, pelo que continuará necessariamente.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Factor V

ES de Campo Maior Temas

POBREZA/ FOME PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

O Fator V, o projeto de voluntariado do Agrupamento que existe desde 2010/11, continua em ação. Apoia a implementação das iniciativas que vão surgindo em serviço à população do concelho.

Área Geográfica Concelho de Campo Maior, no distrito de Portalegre. Dulombi, na Guiné-Bissau.

Objetivos

- Criar e fomentar o espírito solidário e voluntário na juventude; - Manter/aderir iniciativas e campanhas solidárias de apoio à população. - Dar continuidade ao projeto Missão Dulombi com a Guiné-Bissau.

Intervenção

"Tens Lata" recolha de bens alimentares enlatados para famílias de alunos carenciados, no espaço escolar em parceria com o grupo de Educação Visual // "É tempo de Ajudar" recolha de produtos de higiene nos supermercados do concelho, no âmbito do projeto "Tempo para Dar" da Associação Coração Delta // Participação nas campanhas do Banco Alimentar // Voluntariado nas Férias de Natal apoio a várias instituições locais, em parceria com o projeto "Campo Maior Vila Solidária da Europa" // Peditório para a Liga Portuguesa contra o Cancro // Continuidade do projeto Missão Dulombi Guiné-Bissau, com a recolha/envio de bens e troca de cartas com as crianças // "E se fosse eu?" campanha nacional de sensibilização de apoio aos refugiados.

PADRINHO ESCOLAS SOLIDÁRIAS

Comendador Rui Nabeiro

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Câmara Municipal // Museu // Loja Social // Estruturas desportivas concelhias // Casa do Povo // Centros Comunitários // Coletividades // Associações locais // Coração Delta // Banco Alimentar Contra a Fome // Liga Portuguesa Contra o Cancro Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Muitos alunos ainda não atingiram o grau de responsabilidade ideal, pelo que existem ainda casos de desmotivação e falta de empenho em algumas atividades. No entanto, de maneira geral todos os voluntários do Factor V dignificam o verdadeiro espírito do voluntariado. Isso é reconhecido por todo o concelho.

Impacto / Resultados

A equipa reuniu 170 alunos e 1 professor, que com energia solidária criou parcerias com muitas das instituições e associações do concelho. É de registar com agrado um aumento do número de voluntários. O apoio às iniciativas tem sempre um saldo extremamente positivo, quer da parte das instituições envolvidas quer dos voluntários. É enriquecedor do ponto de vista dos alunos e das entidades.

Autoavaliação Geral

A avaliação é muito positiva. Os alunos ganharam espírito solidário e sentido de responsabilidade, manifestando, na generalidade, empenho no desenvolvimento das tarefas. Tornaram-se visíveis para a comunidade e motivaram outros a realizar ações de intervenção social a vários níveis.

Previsão de Continuidade Esperamos que o programa continue e com outros professores envolvidos.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

• Sustentáveis Solidários • Bio-Solidários

ES Freamunde Temas

POBREZA/ FOME SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

Consideramos que em Freamunde se manifesta o aumento de situações de pobreza, sobretudo relativa e subjetiva, uma consequência do desemprego. Os fatores que justificaram a nossa estratégia e ações de intervenção estão relacionados com a consciência de que todos podemos fazer a diferença e contribuir para uma vida melhor da nossa comunidade.

Área Geográfica

Freamunde, concelho de Paços de Ferreira, no distrito do Porto.

Objetivos -

Aumentar o conhecimento sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável; Promover o espírito de solidariedade; Encorajar o voluntariado; Apoiar famílias carenciadas; Recolher cerca de 50 Kg de alimentos; Criar mini-hortas de agricultura biológica para oferta de produtos a famílias carenciadas; Realizar uma feira de produtos biológicos a favor de famílias carenciadas.

Intervenção

Realização de palestra alusiva aos ODS e com intuito solidário (a cada participante foi “cobrada” uma entrada expressa num alimento) // Realização do Dia da Solidariedade, com angariação de bens a distribuir pelos mais necessitados // Recolha de alimentos, roupas e brinquedos para famílias carenciadas // Criação de mini-hortas de agricultura biológica para produção de alimentos destinados a agregados carenciados // Realização de Feira de Produtos Biológicos com fins solidários.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade educativa // Centro Paroquial // Câmara Municipal. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

A gestão do tempo disponível. O facto dos elementos das duas equipas fazerem parte de uma turma com exames finais de ciclo obrigou a uma maior necessidade de controlo do tempo dedicado às diferentes atividades. Existiu a necessidade de contextualizar as ações nos conteúdos lecionados e, assim sendo, algumas atividades decorreram em alturas mais consentâneas com o calendário curricular do que com o cronograma do projeto.

Impacto / Resultados

19 alunos e 1 professor consagraram 140 horas de energia solidária ao projeto realizado em parceria com 2 entidades externas. A intervenção beneficiou 62 cidadãos associados a instituições e, por tudo o que envolveu e significou, 1007 pessoas ligadas à Escola. O espírito de voluntariado foi incutido nos alunos envolvidos, os quais conseguiram transmitir à comunidade a importância da solidariedade nos dias de hoje. Foi possível sensibilizar para o facto de todos podermos contribuir para minimizar as muitas dificuldades que algumas famílias enfrentam. Recolhemos cerca de 80 Kg de alimentos (na palestra sobre os ODS foram reunidos 35 Kg). Brinquedos e roupa de criança foram também recolhidos e posteriormente canalizados para famílias carenciadas. Fomos capazes de produzir 37 mini-hortas. A feira de produtos biológicos agendada para a última semana de aulas, angaria donativos para as famílias carenciadas e demonstra que, com iniciativa, podemos nós próprios cultivar alguns alimentos de forma saudável e económica. Consideramos que a nossa intervenção foi conseguida uma vez que foi aumentado o conhecimento dos ODS; foi promovido o espírito de solidariedade e estimulado o voluntariado; e foi desenvolvido o gosto pelo cultivo de alimentos saudáveis. O programa potenciou ainda o desenvolvimento da autonomia e da confiança entre os alunos do 3.º ciclo, bem como possibilitou um maior conhecimento do concelho.

Autoavaliação Geral

Em termos gerais consideramos que a ação desenvolvida foi muito positiva. Os objetivos propostos foram atingidos. O diagnóstico realizado permitiu um conhecimento profundo do concelho onde está inserida a freguesia de Freamunde. A mobilização e o envolvimento dos elementos das equipas foram elevados, o que permitiu também envolver os restantes elementos da escola. A relevância dos benefícios é inquestionável, uma vez que foi possível ajudar famílias que estão dependentes de outros para garantir alimentação. A vontade de ir mais além foi criada nos alunos que fazem parte das duas equipas e em outros elementos da escola, alunos e professores.

Previsão de Continuidade

Vamos dar prosseguimento ao programa. As equipas irão aumentar, dado que os alunos envolvidos e outros que não fizeram parte das duas equipas já manifestaram vontade e compromisso em continuar.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • Unidos por um Natal Solidário • Causa Simão

ES de Vila Real de Santo António Temas

POBREZA/ FOME SAÚDE CONVIVER COM A DIFERENÇA

Situação

A difícil situação socioeconómica de muitos cidadãos e famílias é uma realidade com expressão nacional que se sente, também, em Vila Real de Santo António. E a nossa escola tem situações específicas que requerem a nossa atenção e ajuda.

Área Geográfica

Freguesias de Vila Real de Santo António, Monte Gordo e Cacela. Distrito de Faro.

Objetivos -

Sensibilizar os vários elementos da comunidade educativa para a necessidade do gesto solidário e voluntário; Promover um projeto de apoio a cidadãos e famílias carenciadas, através da recolha e entrega de bens de primeira necessidade; Apoiar instituições locais de intervenção social; Ajudar os pais de um menino com problemas graves de saúde e desenvolvimento.

Intervenção

Projeto “Unidos por um Natal Solidário” – campanha de recolha de bens perecíveis e brinquedos em benefício de cidadãos e famílias carenciadas, associadas à nossa comunidade educativa ou sinalizadas pela Câmara Municipal. Os produtos foram entregues no último dia do ano letivo, sendo que esta intervenção permitiu também ajudar duas instituições que prestam apoio humanitário e social na região (Mão Amiga e Santa Casa da Misericórdia, através do Centro de Atendimento Temporário). Projeto “Causa Simão” – recolha de tampas, recolhas e caricas, a converter em apoio financeiro a família de menino com graves problemas de desenvolvimento e a necessitar de cuidados de saúde e reabilitação. O projeto desenvolveu-se ao longo de todo o ano, tendo contado com a adesão de inúmeros locais, designadamente estabelecimentos comerciais, no processo de recolha.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação / Amplificação

Comunidade educativa // Câmara Municipal // Cadeia de supermercados // Estabelecimentos comerciais concelhios // Santa Casa da Misericórdia // Associação Mão Amiga

Dificuldades

Uma das dificuldades foi envolver todas as turmas do Agrupamento. Apenas na escola sede tivemos turmas envolvidas. Este facto prende-se, em grande medida, com a distância entre escolas, o que não permite a comunicação desejada.

Impacto / Resultados

28 alunos e 1 professor dedicaram 240 horas de energia solidária ao desenvolvimento do programa que envolveu várias parcerias: 4 entidades externas para o projeto “Unidos por um Natal solidário” e ainda não contabilizado para o projeto "Causa Simão". O envolvimento da comunidade escolar ultrapassou as expectativas, com a maioria das turmas do Secundário do Agrupamento a participarem. As quantidades recolhidas ultrapassaram as previsões mais otimistas, o que permitiu abranger mais famílias e maior quantidade de produtos por família. Recolheu-se mais de 1 tonelada de bens. Foram ajudadas 2 instituições locais. Só nas primeiras semanas foram recolhidos cerca de 200 Kg de tampas, sendo que imensos estabelecimentos se foram juntando à causa.

Autoavaliação Geral O projeto "Unidos por um Natal solidário" foi um sucesso. A Causa Simão está a surpreender pela positiva.

Previsão de Continuidade

Os projetos realizaram-se pela primeira vez no agrupamento e ainda estão muito dependentes do professor envolvido. Mas há esperança que os alunos envolvidos este ano dinamizem as suas futuras turmas!

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa Fonseca Solidária

ES Fonseca Benevides Temas

POBREZA/ FOME // EDUCAÇÃO/ LITERACIA // SAÚDE // POPULAÇÃO SÉNIOR // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

As instituições de proximidade que ajudam a comunidade mais vulnerável (idosos, mães jovens, alunos em situação económica menos favorável) necessitam de ajuda para apoiar diariamente no terreno. A educação pela saúde também pede intervenção. E é necessário promover o desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia com a Natureza. Unindo tudo, a intervenção solidária da Escola permite aos alunos desenvolverem competências complementares às académicas, úteis para a sua formação integral.

Área Geográfica Freguesia de Alcântara e áreas limítrofes, distrito de Lisboa.

Objetivos -

Promover o maior conhecimento do meio envolvente; Promover laços afetivos entre os voluntários e maior sensibilização ao outro; Capacitar os alunos a assumirem-se como cidadãos globais criativos e responsáveis; Continuar a construir uma escola voluntária e solidária; Construir uma identidade própria de forma saudável, rompendo estereótipos de género e aceitando a diversidade; Promover a educação para a saúde, desenvolvendo competências no âmbito de uma alimentação saudável, atividade física regular, escolhas informadas na área da sexualidade, prevenção dos comportamentos aditivos e dependências; - Aumentar a consciencialização para o desenvolvimento sustentável e estilo de vida em harmonia com a Natureza, reciclando, reduzindo e reutilizando; - Articular e apoiar as instituições de proximidade que diariamente estão no terreno a ajudar a comunidade local mais vulnerável.

Intervenção

Recolha de bens alimentares para IPSS local // Elaboração e venda de bolas natalícias para aquisição de produtos de higiene para a mesma instituição // Recolha de tampas a favor do Projeto Semear - BIPP inclusão de cidadãos com deficiência // Participação na campanha Papel por Alimentos e colaboração no armazém do Banco Alimentar // Recolha de pilhas a favor do IPO // Venda de rifas e confeção de bolachas em forma de coração a favor da ONG de intervenção social // Criação e venda de porta-chaves: angariação de fundos para compra de produtos de puericultura destinados à Ajuda de Mãe // Elaboração de sabonetes, cuja venda se converteu em material de desgaste para a Escola 1º ciclo // Recolha de livros infantis para a Biblioteca desta escola // Celebração do Dia dos Afetos // Comemoração do dia mundial da Alimentação e de Luta contra a Sida // 6 palestras sobre Educação para a Saúde // Ação de formação sobre "Suporte Básico de Vida" pelos Paramédicos de Catástrofe.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa // Junta de Freguesia // UCC Consigo // Loja Social e IPSS locais // Ajuda de Mãe // Corações com Coroa // Paramédicos de Catástrofe Internacional // Escola do 1º ciclo // Banco Alimentar Contra a Fome // BIPP inclusão de cidadãos com deficiência // IPO. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Articulação de horários de professores e alunos com a disponibilidade das instituições para nos receberem.

Impacto / Resultados

10 alunos e 3 professores realizaram 145 horas de energia solidária. Contaram com 6 voluntários e envolveram toda a comunidade educativa. Criaram rede com 11 entidades externas. Foram beneficiadas, diretamente, 100 pessoas das instituições apoiadas. Entregámos 122,5Kg de produtos a IPSS local, para apoio a 20 famílias. Convertemos 1060 Kg de papel recolhido em 106€ em produtos alimentares. 62 garrafões de tampas contribuíram para as sessões de terapia da fala de alunos com NEE do Projeto Semear-BIPP. Entregámos 40 kg de produtos de puericultura à Ajuda de mãe (apoio a 40 jovens mães). 20 kg de pilhas reverteram para a aquisição de equipamentos de diagnóstico do IPO. Entregámos 35 livros infantis a biblioteca da Escola Básica 1.º ciclo de Santo Amaro. Mas com este programa percebemos que 1+1 nem sempre é igual apenas a 2; neste caso é igual à soma de todos os que quiseram participar num verdadeiro exercício de cooperação coletiva. Mais do que os resultados quantitativos alcançados, interessam os processos de mudança que ocorreram e o forte sentido de pertença à Escola e à comunidade envolvente. Para primeiro ano de envolvimento neste programa, consideramos a nossa intervenção positiva. Alcançámos os objetivos a que nos tínhamos proposto.

Autoavaliação Geral

Foi necessário alguma persistência para levar a cabo o programa, que teve muitos momentos gratificantes e outros mais difíceis. Tudo se ultrapassou com o trabalho em equipa e o envolvimento de todos.

Previsão de Continuidade Queremos continuar neste programa de modo a construirmos um mundo mais solidário.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Ajuda em ação

ES Inês de Castro Tema

POPULAÇÃO SÉNIOR

Situação

Dados fornecidos pelos Censos 2011 indicam que a freguesia de Canidelo, em Vila Nova de Gaia, apresenta índices elevados de desemprego e um registo acentuado do número de idosos sem retaguarda familiar. Estas problemáticas são sobejamente conhecidas pela população ativa e constituem um desafio permanente para todos os canidelenses.

Área Geográfica

Freguesia de Canidelo, concelho de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto

Objetivos

- Desenvolver junto dos alunos voluntários valores de solidariedade com a comunidade local, bem como a partilha de saberes intergeracionais; - Permitir que os alunos, antes da sua intervenção com a população-alvo, analisem e identifiquem como, dentro da sua área de formação, poderão implementar os saberes adquiridos na escola, usando-os como ato de ajuda/voluntariado e solidariedade; - Envolver o maior número possível de alunos nas ações de voluntariado.

Intervenção

Partilha intergeracional em centro de convívio para a seniores de associação de solidariedade social local. Partilha de saberes, conhecimento das dinâmicas da instituição e da realidade do sénior. Envolvimento nas atividades em curso e desenvolvimento de novas atividades. Realização de entrevistas quer ao pessoal técnico e não técnico da instituição, quer aos seniores. Com estas entrevistas, gravadas em formato digital, pretendeu-se obter o testemunho pessoal de quem compõe a instituição, percebendo o que se faz, o que se sente, o tipo de trabalho, as parcerias, as gratificações, os contratempos, etc. Registo fotográfico da instituição e dos elementos que a constituem: seniores, pessoal auxiliar e técnico, momentos de convívio, trabalho efetuado na instituição, envolvência dos alunos com a população sénior, etc. Observação e recolha de informação para conhecimento pessoal e de trabalho: conversas formais e informais, pesquisa de documentos, registo fotográfico, etc. Realização de vídeo sobre a Associação parceira. Sendo os alunos voluntários do Curso Profissional de Multimédia, esta atividade representou o culminar do projeto. A partir de todo o conhecimento apreendido e informação recolhida, surge um vídeo que retrata a Associação desde a sua criação até aos dias de hoje, mais a ideia de futuro.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Associação de Solidariedade Social de Seniores local. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola.

Dificuldades

À semelhança dos anos letivos anteriores, existe alguma dificuldade na calendarização das ações previstas, uma vez os alunos têm sempre muitas atividades na escola, horários preenchidos e pouco tempo livre para as realizar. Foi necessário dispensar os alunos de algumas atividades letivas para que pudessem desenvolver o programa.

Impacto / Resultados

14 alunos e 2 professores dedicaram 55 horas de energia solidária ao projeto. Contaram com 2 voluntários, sendo que a intervenção decorreu em parceria com 1 entidade externa. Foram beneficiadas 35 pessoas da instituição parceira, bem como 20 pessoas da escola. Os alunos do Curso Profissional de Multimédia puderam aplicar os saberes adquiridos na escola e desenvolver valores de solidariedade com a comunidade local. Promoveu-se a partilha de saberes intergeracionais, sendo que a Associação com que cooperámos manifestou grande interesse e satisfação pelo projeto e pela prestação da equipa. Para a população sénior, o convívio com estes jovens foi sempre positivo. Conseguimos chamar a este programa de voluntariado mais de 75% dos alunos da turma (11.º ano).

Autoavaliação Geral

O envolvimento dos alunos foi total, pelo que a avaliação só pode ser positiva.

Previsão de Continuidade

Para a nossa escola, os projetos solidários são indispensáveis. O trabalho interinstitucional é também fundamental. É, pois, do nosso interesse continuarmos a fazer parte da Rede Escolas Solidárias.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Justiça para Tod@s

ES Jaime Cortesão Tema

EDUCAÇÃO/ LITERACIA

Situação

A promoção dos valores democráticos e da participação cívica deve ser afirmada no processo educativo. Por esse motivo, e dentre os muitos projetos de intervenção realizados na nossa escola, destacamos um exercício de cidadania que afirma a importância da Justiça e dos Direitos Humanos.

Área Geográfica Escola. Coimbra.

Objetivos -

Promover valores democráticos por reforço da compreensão do funcionamento do Estado de Direito; Reforçar o valor da participação cívica, informada e responsável; Criar canais eficientes de aproximação que proporcionem uma comunicação saudável entre jovens cidadãos e o sistema judicial; Despertar a consciência para a importância de analisar e compreender vários pontos de vista e promover soluções comprometidas com os Direitos Humanos; - Permitir, através de uma fórmula alternativa, a introdução no portefólio de aprendizagens básicas, a educação para a Justiça e os Direitos Humanos; - Ajudar a perceber como a lei pode promover a coesão social e provocar mudança social; - Levar 60% dos nossos alunos (os doze diretamente envolvidos e as quatro turmas a que pertencem) a tomar consciência do que é uma lei e da legislação em vigor para o exercício de uma cidadania plena.

Intervenção

Simulação, no Palácio da Justiça, de julgamento de caso de violência doméstica e posterior homicídio, uma atividade pedagógica integrada no projeto “Justiça Para Tod@s”, promovido pelo IPAV – Instituto Padre António Vieira. Os alunos assumiram os diversos papéis, de vítima a arguido, passando pelos de juízes, advogados, testemunhas, oficial de justiça ou guarda prisional. O grupo começou por selecionar o caso a trabalhar: “Violência no namoro e homicídio”. Seguiu-se uma visita ao Tribunal da Relação de Coimbra Palácio da Justiça para se assistir a um julgamento. Passou-se depois à construção do caso, com o apoio de magistrado e advogados tutores. Seguidamente, efetuou-se uma queixa simulada na PSP e foram redigidas as participações formais pelos crimes de agressão e homicídio para o Ministério Público. Recorreu-se ao Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses para uma simulação de peritagem à vítima de violência e obtenção do respetivo relatório. Construídas as peças processuais possíveis, realizou-se o “julgamento”. No final, o magistrado que colaborou no projeto respondeu a perguntas dos alunos, explicando o funcionamento da justiça portuguesa e as formas de recurso dos jovens aos tribunais.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Alunos e professores // Magistrado e advogados // IPAV – Instituto Padre António Vieira // Tribunal da Comarca // Instituto de Medicina Legal. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Conciliação de horários entre os alunos das várias turmas e com algumas das entidades colaboradoras. Necessidade de deslocação, em tempo de interrupção de atividades letivas, ao Tribunal, a fim de se realizar um reconhecimento dos espaços e da performance de cada um aquando da simulação do julgamento (o que demonstra o grau de envolvimento dos alunos).

Impacto / Resultado

12 alunos e 3 professores, mais 12 voluntários, dedicaram 65 horas de energia solidária a um projeto que envolveu 6 entidades externas. A intervenção beneficiou 30 pessoas independentes e 50 da escola. Os alunos puderem desenvolver a maior parte das competências que sustentaram o projeto: sentido de Justiça; valorização da lei e dos Direitos Humanos; compreensão do processo legislativo e do papel dos tribunais como órgãos de soberania; compreensão dos dilemas da justiça; capacidade de comunicar convicções e opiniões sobre a lei e os Direitos Humanos; entendimento sobre quando e como a lei se aplica; capacidade de análise de um problema, argumentação e defesa de um ponto de vista. Puderam ainda adquirir competências ao nível da negociação, compromisso e resolução de conflitos. Promoveram o espírito de participação.

Autoavaliação Geral

Foi uma intervenção muito positiva, quer pelos resultados, quer pela envolvência e empenho de todos os intervenientes. Tratou-se de um ótimo programa de promoção dos valores democráticos através da educação para a Justiça e para os Direitos Humanos das jovens gerações. O desempenho de todos os alunos foi muito elogiado.

Previsão de Continuidade Queremos continuar.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

FaceCare/FaceShare

ES João de Deus Temas

POBREZA/FOME POPULAÇÃO SÉNIOR PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

No momento atual há muitas situações de "pobreza envergonhada" mesmo ao nosso lado e até em contextos familiares de alunos. A população sénior é sempre esquecida, apesar do contributo que deu ao longo da idade ativa.

Área Geográfica Concelho (distrito) de Faro. Moçambique.

Objetivos

- Criar na população jovem os valores de solidariedade e partilha, contrariando o altíssimo desenvolvimento do individualismo e da competição da sociedade atual; - Aproximar a escola da comunidade, tocar e sensibilizar cada vez mais pessoas; - Reiterar a nossa instituição como escola solidária; - Apoiar famílias carenciadas e instituições de apoio e intervenção social.

Intervenção

Participação na separação de alimentos recolhidos pelo Banco Alimentar na sua campanha de Natal // Apoio à distribuição de alimentos promovida por instituição que acompanha cidadãos doentes, seniores, desempregados e sem-abrigo // Campanha de Natal para recolha de alimentos e entrega de cabazes às famílias carenciadas de alunos do Agrupamento // Campanha solidária permanente “Transforma papel em alimentos” em colaboração com instituição de intervenção social // Venda de postais de Natal, com as receitas a reverterem para a compra de livros infantis entregues a centro de acolhimento de crianças em risco // Convívio com seniores integrados em IPSS local – decoração das salas com motivos natalícios, acompanhamento dos utentes, realização de jogos // Angariação de "pais adotivos para" animais abandonados – apoio a associação // "Uma Mochila para Moçambique" – recolha de materiais, com ajuda de toda a comunidade educativa.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa e Biblioteca Escolar // Associação e IPSS locais // Centro de acolhimento de crianças // Banco Alimentar Contra a Fome. O projeto ganhou expressão nas redes sociais, designadamente em página no Facebook.

Dificuldades

Motivação do pessoal docente e discente. Não tem sido tarefa fácil, já que numa escola secundária o nível etário dos alunos é de 15 ou mais anos. Os estudos, os amigos e as saídas ocupam-lhes todo o tempo e não estão muito disponíveis para a comunidade... Além disso, também é difícil motivar os docentes, que já têm uma vida difícil dentro e fora da escola. Acresce ainda que os docentes tendem a considerar os projetos que já desenvolvem como seus, oferecendo grande resistência ao seu englobamento num programa comum.

Impacto / Resultados

50 alunos e 3 professores desenvolveram o programa ao longo de 33 horas de energia solidária, em rede com 5 parceiros externos. Graças à sua intervenção foram beneficiadas 220 pessoas: 60 integradas em instituições apoiadas, 100 independentes e 60 do universo escolar. O impacto qualitativo é a semente de motivação para a ação solidária que vamos criando na comunidade educativa. Apesar de todos os constrangimentos que tivemos de superar, o maior aspeto positivo é o facto de comunidade reconhecer, cada vez mais, a nossa instituição como uma escola solidária, estando pronta a atuar em situações às vezes limite. Foram entregues 20 cabazes de Natal a famílias carenciadas. Apoiaram-se diretamente 30 agregados familiares, mais um número incerto de cidadãos da comunidade (por apoio indireto). Ajudaram-se crianças de Moçambique e levou-se carinho e animação a 30 cidadãos seniores.

Autoavaliação Geral

Podemos considerar a nossa intervenção como razoável, considerando as resistências com que nos deparámos. Apesar de tudo, os alunos participantes desenvolveram a sua consciência social, deram maior atenção ao mundo que os rodeia e começaram a recrutar outros colegas para a causa solidária.

Previsão de Continuidade É para continuar!

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Moralitos em Ação

ES José Loureiro Botas Temas

POBREZA/FOME POPULAÇÃO SÉNIOR CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Do levantamento realizado pela equipa do projeto, em diálogo com a comunidade escolar e entidades locais parceiras, concluiu-se pela necessidade de intervir em áreas fundamentais como o apoio aos idosos, a luta contra a violência escolar e a sustentabilidade ambiental. Com sentido de responsabilidade global, estendeu-se a solidariedade a outras geografias.

Área Geográfica

Lugares de Vieira de Leiria, Passagem e Praia da Vieira, na vila de Vieira de Leiria, concelho da Marinha Grande, distrito de Leiria. Guiné-Bissau. Moçambique. Timor.

Objetivos -

Sensibilizar os alunos para a cidadania solidária e voluntária; Dinamizar a comunidade educativa, promovendo atitudes de cooperação e solidariedade; Sensibilizar para o problema da exclusão social; Realizar 3 campanhas de angariação de alimentos e vender 300 velas em campanha da Cáritas; Continuar a desenvolver o projeto Eco-Escolas e realizar 2 atividades relacionadas com o ambiente e sua preservação; Angariar e enviar roupa e brinquedos para a Guiné-Bissau, e apadrinhar uma criança, ajudando no pagamento da sua educação.

Intervenção

Angariação de fundos para apoio a família carenciada // Angariação de fundos para compra de máquina fotográfica para o pré-escolar // Campanha do Banco alimentar Contra a Fome // Recolha de roupas e entrega na Cruz Vermelha, no âmbito da Jornada Mundial pela Erradicação da Pobreza // Realização de Feira de Natal solidária, com os fundos a reverterem para corporação local de Bombeiros // Construção de Laço Humano contra a Violência Escolar // Criação de bonecos Pai Natal Verde com material reciclado // Participação no projeto “Apadrinhar Sonhos” // Venda de velas a favor da Cáritas e participação no peditório nacional desta instituição // Dinamização de Marcha Solidária a favor dos Médicos do Mundo // Angariação de fundos para crianças de Timor.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade educativa, famílias // Junta de Freguesia // Corporação local de Bombeiros // GNR // Hipermercado // Cáritas // Médicos do Mundo. Divulgação dos projetos nas redes sociais, designadamente no YouTube (procurar “AGVL -Dia Da Não Violência Escolar”).

Dificuldades

Sobretudo na articulação com o tempo de aulas e de estudo.

Impacto / Resultado

35 alunos e 3 professores investiram 55 horas de energia solidária no desenvolvimento de um projeto que reuniu 300 voluntários. Desenvolveram-se parcerias com 6 entidades externas. Das intervenções beneficiaram 250 pessoas da Escola, mais 80 integradas nas instituições ajudadas e 30 cidadãos independentes. Os objetivos foram atingidos. Tal como nos propúnhamos, chamámos os alunos para a cidadania solidária e voluntária, dinamizámos a comunidade educativa, promovendo atitudes de cooperação e solidariedade, e sensibilizámos para o problema da exclusão social. Angariámos 500€ para os Médicos do Mundo com uma Marcha Solidária que envolveu 600 pessoas, entre alunos, pais e restante comunidade educativa. Auxiliámos com 100€ uma família de idosos. Vendemos 300 velas em campanha a favor da Cáritas e recolhemos 500 Kg de alimentos para o Banco alimentar. Os alunos criaram 200 Pais Natal Verdes. Formámos um laço humano com 500 alunos.

Autoavaliação Geral

Com a sua intervenção, a equipa considera que se gerou um maior dinamismo na escola em termos sociais, tendo os alunos aderido a estas questões. Através das ações realizadas, promoveram-se os valores da cidadania, da comunicação, da partilha e da tolerância. Em articulação com outras entidades e famílias, a equipa procurou ter sempre como linhas orientadoras a promoção da solidariedade junto dos alunos em contexto escolar e na comunidade, procurando fazer a diferença em diferentes áreas sociais.

Previsão de Continuidade

Para o ano o clube irá manter-se e continuará a desenvolver ações de solidariedade, sobretudo com a Cáritas, a corporação local de Bombeiros e o Banco Alimentar, entre outras parcerias e iniciativas que possam surgir.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

7.º A Solidário

ES Marques de Castilho Temas POBREZA/ FOME SAÚDE POPULAÇÃO SÉNIOR

Situação

Atendendo ao facto de o concelho de Águeda ter, em nossa opinião, uma boa rede de apoio social, decidimos neste ano letivo colaborar com algumas instituições de solidariedade social já existentes. Com a nossa intervenção, pretendeu-se estimular o voluntariado na comunidade escolar.

Área Geográfica Concelho de Águeda, distrito de Aveiro.

Objetivos -

Desenvolver os valores de solidariedade e de cidadania; Promover o convívio intergeracional; Desenvolver o trabalho em equipa; Realizar pelo menos 3 ações de solidariedade social.

Intervenção

- Animação da festa de Natal da Cruz Vermelha, delegação de Águeda, com realização de peça de teatro. - Promoção de convívio intergeracional, com utentes seniores da Santa Casa da Misericórdia. - Colaboração nas ações da organização Make a Wish, a qual procura cumprir os desejos de crianças e jovens com doenças que colocam a sua vida em risco.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Cruz Vermelha Portuguesa // Santa Casa da Misericórdia // Organização Make-a-Wish Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Incompatibilidade de horários para reuniões e ensaios de peça teatral.

Impacto / Resultado

O projeto envolveu 19 alunos e 1 professora, que lhe dedicaram 40 horas de energia solidária. Foi criada rede com 3 instituições externas. A intervenção foi importante não só para o público-alvo, como também para a formação dos discentes, que além de terem feito uma iniciação ao trabalho voluntário representaram um exemplo para a comunidade escolar. Os alunos estão hoje mais responsáveis e mais sensibilizados para os problemas dos outros no mundo.

Autoavaliação Geral

O programa promoveu interações muito positivas. Proporcionou momentos de alegria ao público-alvo e desenvolveu competências nos alunos, que desenvolveram as atividades com empenho e responsabilidade.

Previsão de Continuidade

Este programa foi uma iniciação ao trabalho voluntário na escola. Cientes da importância do seu trabalho, os alunos irão dar continuidade à iniciativa no próximo ano letivo.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Voluntariado - Missão 913

ES Pinhal do Rei Temas POBREZA/ FOME

EDUCAÇÃO/ LITERACIA CONVIVER COM A DIFERENÇA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

São muitas as famílias com carências diversas, nomeadamente ao nível das necessidades mais básicas. A escola, com aproximadamente 30 anos, nunca foi sujeita a intervenções relevantes, sendo necessário requalificar os seus espaços. A exemplo do ano anterior, justifica-se a continuidade do apoio à sala multideficiência da escola e do voluntariado em centro para deficientes profundos. Há também que continuar a educar para a preservação do meio ambiente e promover ações com impacto nos jovens.

Área Geográfica Concelhos de Marinha Grande, Leiria e Fátima, distrito de Leiria.

Objetivos

- Sensibilizar os alunos para a importância do voluntariado e da solidariedade; - Criar situações de voluntariado que possam ser uma mais-valia para a formação pessoal e social dos alunos; - Educar para a diferença; - Aumentar o número de pessoas (alunos, professores, auxiliares e encarregados de educação) envolvidas nos projetos; - Requalificar mais espaços da escola (passar das 3 salas inicialmente programadas para 7); - Aumentar a diversificação das atividades desenvolvidas na sala multideficiência.

Intervenção

Campanha “Um alimento por um sorriso” – recolha de alimentos e entrega de cabazes de Natal a famílias com necessidades do Agrupamento // Participação na campanha do Banco Alimentar // Festa de Natal - Recolha de Roupa de homem, para auxiliar Centro Porta Azul – momentos de música, dança e teatro, e presépio vivo // Apoio à sala multideficiência – acompanhamento dos alunos nas refeições e na sala de aula, desenvolvimento de atividades lúdicas, etc. // Semana de Voluntariado em centro de apoio a deficientes profundos // Dia Internacional do Voluntariado – ajuda nas tarefas dos funcionários da escola // Dia Nacional dos Direitos Humanos – enfeite de pinheiro gigante, oferecido pela Direção Geral de Florestas, com mensagens // Reabilitação de espaços escolares, nomeadamente pintura e decoração de salas de aula durante as paragens letivas // Recolha de alimentos (cão e gato) para Associação Protetora de Animais // Projeto Eco-Escolas – aposta na literacia ambiental e solidariedade com o meio ambiente // Roupas Usadas Não acabadas, um projeto de sensibilização para a reutilização e reciclagem de roupa, calçado e brinquedos // Geração Depositrão // Exposição "Marinha em flor", na Festa da Primavera da autarquia – construção de "árvores floridas" com materiais reciclados.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Câmara Municipal // Santuário de Fátima // Centros de apoio a deficientes profundos e a cidadãos carenciados // Empresas da região // Banco Alimentar // Direção Geral de Florestas. Amplificação das atividades nas redes sociais, designadamente partilha de vídeos no Youtube.

Dificuldades

Resistência e pouca flexibilidade dos professores para colaborar em projetos não diretamente envolvidos com os conteúdos temáticos que lecionam, e consequente centralização de todas as atividades nas professoras coordenadoras do projeto e num número restrito de alunos mais autónomos.

Impacto / Resultados

A equipa, formada por 15 alunos e 2 professores, dedicou ao projeto 130 horas de energia solidária. Envolveu 26 voluntários e criou rede com 12 entidades externas. As atividades realizadas beneficiaram 2400 pessoas integradas nas instituições ajudadas, 400 independentes e 2000 da escola. A equipa está muito satisfeita com os resultados obtidos, apesar de querer fazer muito mais. Inicialmente, a equipa pretendia apenas fazer voluntariado em Centro de Apoio a Deficientes Profundos e participar nas campanhas do Banco Alimentar. Foi, no entanto, detetando problemas e dificuldades quer no meio escolar, quer no meio envolvente, pelo que outras ações foram desenvolvidas no sentido de lhes dar resposta. Assim, além das 2 atividades inicialmente previstas, nasceram mais 10. Conseguimos, também, envolver mais pessoas. Dentre os resultados alcançados, distribuímos 40 cabazes de Natal; auxiliámos instituições; entregámos rações a associação de acolhimento de animais abandonados. Melhorámos o ambiente da nossa escola.

Autoavaliação Geral

A avaliação que fazemos é muito extremamente positiva. Conseguimos mobilizar alunos, professores, auxiliares da ação educativa e encarregados de educação, e contámos sempre com o apoio da Direção do agrupamento. Nem sempre foi fácil conciliar este trabalho de voluntariado com as atividades escolares, mas o esforço de alguns (poucos) pode beneficiar muitos.

Previsão de Continuidade Sem sombra de dúvida que queremos continuar este programa. Nós queremos fazer a diferença!

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Tavisão

ES Rafael Bordalo Pinheiro Tema

CONVIVER COM A DIFERENÇA

Situação

A nossa escola inscreve-se na cidade, mas recebe muitos alunos das zonas rurais do concelho. Por oferecer cursos profissionais, atrai também alunos de concelhos vizinhos. No seu espaço coexistem e interligam-se diferentes culturas, religiões e nacionalidades. O projeto que aqui apresentamos é fruto do envolvimento dos alunos do 1.º ano do Curso Técnico de Audiovisuais.

Área Geográfica Concelho de Caldas da Rainha (distrito de Leiria).

Objetivos -

Sensibilizar a população escolar para a diferença e para o valor que todos temos, sobretudo devido às nossas escolhas diferentes; Desenvolver a tolerância; Anular espaços de violência e discriminação; Realização de filme e palestra.

Intervenção

- Sessões de debate e formação da turma a envolver no projeto (participação de direção de turma, psicólogo da escola e responsável do Ensino Especial). - Definição do projeto, escolha do tema e organização da equipa. - Construção do guião do filme a realizar. Preparação de adereços (participação do Clube de Ciências, que tratou dos "pós coloridos") e cenários. - Realização de filmagens; montagem e som. - Organização da palestra.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Alunos, professores, psicólogo e outros elementos da escola // Famílias. A curta-metragem que resultou do projeto está acessível nas redes sociais, designadamente no Youtube – procurar “Cultiva a tua diferença (Escolas Solidárias)” (https://www.youtube.com/watch?v=AewO438PbCQ)

Dificuldades

Falta de alguns conhecimentos técnicos e desmotivação de alguns elementos. Falta de tempo devido a horário muito preenchido dos participantes.

Impacto / Resultado

Uma equipa de 10 alunos e 5 professores, a que se juntaram 3 voluntários, deu expressão ao projeto ao longo de 60 horas de energia solidária. Foram beneficiadas 102 pessoas, 100 das quais integradas na Escola. Conforme se pretendia, realizou-se 1 filme (“Cultiva a tua Diferença”) e 1 palestra. Torna-se difícil quantificar o projeto, mas podemos situá-lo algures entre zero e infinito… Com ele se conseguiu uma melhoria das relações entre pares, uma maior integração na escola, uma maior tolerância. Por ter envolvido uma turma do 1.º ano, ainda sem coesão de grupo, houve lugar a algumas desistências, mas também a lutas e conquistas. Pode afirmar-se que o projeto correu bem. Para um resultado ainda melhor, seria necessário mais tempo, sobretudo na fase final. É difícil avaliar o impacto numa escola tão grande... O filme, disponibilizado na Web, poderá ser visualizado as vezes que qualquer pessoa quiser, em qualquer lugar.

Autoavaliação Geral

O processo foi bastante criativo, pelo que a avaliação final é muito boa. Os professores abriram algumas janelas e puderam observar algumas paisagens novas. Os alunos que se mantiveram até ao fim aprenderam a trabalhar juntos e a respeitar as diferenças uns dos outros para alcançarem o objetivo comum.

Previsão de Continuidade

Foi a primeira vez que participámos no Escolas Solidárias. O programa provocou na escola algumas “ondas” que irão continuar. Para o ano poderá pensar-se noutros temas, na constituição de mais equipas, numa maior divulgação. Em suma, justifica-se a continuidade.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • Clube de Voluntariado • Educação para a Saúde • Brigada Ecológica

Escola de Hotelaria e Turismo de Douro–Lamego Temas

POBREZA/ FOME SAÚDE POPULAÇÃO SÉNIOR SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

São notórias as carências existentes na sociedade em geral, o que justifica um programa de voluntariado ativo. Há que sensibilizar para a adoção de hábitos saudáveis e o consumo responsável. É urgente preservar o ambiente.

Área Geográfica

Concelhos de Lamego, Tarouca, Moimenta da Beira e São Pedro do Sul, no distrito de Viseu.

Objetivos

- Estimular o voluntariado, indo ao encontro de quem mais precisa // Sensibilizar para as boas práticas alimentares // Atingir os 80% de alunos que melhoram os seus hábitos alimentares // Incutir hábitos de vida saudáveis e reduzir comportamentos de risco // Facilitar o acesso a cuidados de saúde normalmente de custos elevados (por exemplo, serviço de Psicologia) // Permitir assistência na área da enfermagem, bem como a exposição de preocupações de caráter sexual, ou outras, no Gabinete de Apoio ao Aluno // Aumentar os índices de felicidade e diminuir a solidão da população sénior // Promover momentos de convívio e afeto entre crianças e idosos de várias instituições // Recolher alimentos em benefício de cidadãos carenciados // Recolher e distribuir roupas e outros bens por 5 IPSS // Contribuir para a preservação do ambiente // Diminuir a poluição, contribuindo, de forma consciente, para a redução do efeito de estufa // Sensibilizar para a problemática das alterações climáticas e sua conexão com a ação humana // Promover a reciclagem: atingir os 100% de reciclagem na escola e os 50% na redução da compra de sacos de lixo // Sensibilizar para a poupança e valorização da água // Levar 80% dos alunos a adquirirem hábitos de poupança de água nas rotinas de higiene Incentivar o cultivo próprio de alimentos e aumentar em 70% a área da Horta Biológica.

Intervenção

Recolha de alimentos (Banco Alimentar) // Almoço Solidário – angariação de fundos para recuperação de capela em Moimenta da Beira // Recolha de roupa, calçados e brinquedos, a favor de várias instituições // Distribuição de bolo-rei pelas entidades parceiras // Animação em lares da terceira idade e jardins de infância // Peça de teatro em escola local // Educação para a Saúde – ações sobre temas como Doenças Sexualmente Transmissíveis, Consumos Nocivos, Alimentação Saudável, etc. // Apoio do gabinete de enfermagem – rastreios auditivos e visuais, despiste de diabetes e glicémia, distribuição de preservativos, etc. // Apoio psicológico e Gabinete de Apoio ao Aluno // Dia da Mulher // Eco-Código da Escola // Ações de sensibilização para a preservação do ambiente – redução dos gases com efeito de estufa, valorização da água ou do transporte ecológico, etc. // Esculturas em chocolate e açúcar sobre os recursos marinhos // Criação de parque de bicicletas e zona de convívio ao ar livre na Escola // Limpeza dos espaços exteriores da escola e plantio de oliveiras // Aumento da Horta Biológica // Instalação de estufa e galinheiro // Brigadas Verdes // Concursos em prol do ambiente // “Um saco para compras” // Rota das Eco-Escolas // Eletrão e Pilhão // Recolha da água da chuva // Registo de consumo e análise da água na escola // Eco-Repórter, etc.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação / Amplificação

Comunidade educativa // Câmaras Municipais // Centros Escolares // Corporações de Bombeiros // Lares e Centros de apoio à criança e à terceira idade // Várias IPSS e associações // Empresas // Museu da cidade // Unidades de Saúde, UCC, Hospital locais // Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro // Direção Geral de Saúde // RESINORTE // Turismo de Portugal // Banco Alimentar local. Divulgação e amplificação dos projetos nas várias plataformas da Escola, como site, blogues e páginas em redes sociais.

Dificuldades Sem registo.

Impacto / Resultados

260 alunos e 22 professores dedicaram 2.400 horas de energia solidária ao programa. Criou-se rede com 20 entidades externas. Beneficiaram 900 pessoas (600 de instituições apoiadas e 300 da Escola). Conseguimos desenvolver competências de caráter social e voluntário; valorizar o trabalho em equipa e incutir sentido de responsabilidade e cooperação; cimentar valores de sustentabilidade ambiental; e desenvolver competências de valorização do outro e do meio ambiente. 100% dos envolvidos cumpriram com empenho as suas tarefas e mais de metade alterou os seus comportamentos. Também 100% dos que foram público-alvo receberam nitidamente a mensagem; sentiram-se valorizados e felizes.

Autoavaliação Geral

A nossa autoavaliação é bastante positiva. Aplicámo-nos na execução de tudo a que nos propusemos e conseguimos, com muito orgulho, alcançar e até superar os objetivos! Ao encontro do lema da nossa escola, “Fazer coisas simples, extraordinariamente bem”, fizemos outros felizes e sentimo-nos felizes com isso.

Previsão de Continuidade Pretendemos continuar!

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas

BS – Brigadas Solidárias

Escolas de Fajões Temas

POBREZA/ FOME DESEMPREGO/ SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Situação

As áreas de intervenção prendem-se com as nossas necessidades enquanto agrupamento TEIP. Deparamo-nos com agregados socioeconómicos carenciados, que nem sempre conseguem suprir as necessidades alimentares básicas. Em muitos casos, o almoço atribuído na escola é a única refeição saudável. É uma preocupação constante do Agrupamento dar resposta a estas situações, realizando eventos e recolhas de alimentos. Por outro lado, pretende-se educar para a sustentabilidade ambiental e combater o desperdício alimentar.

Área Geográfica

Área de abrangência do agrupamento, em Fajões, concelho de Oliveira de Azeméis. Porto. São Tomé e Príncipe.

Objetivos -

Evitar o desperdício alimentar, por parte dos alunos, à hora da refeição (almoço); Reduzir em 5% a quantidade de desperdícios alimentares na cantina; Promover a mudança de atitudes e comportamentos; Desenvolver hábitos de vida saudável; Promover o trabalho colaborativo e a partilha de saberes; Proporcionar no bar, duas vezes/semana, alimentos saudáveis em alternativa a doces e refrigerantes; Promover o espírito de solidariedade; Envolver, e responsabilizar, todos os intervenientes educativos na formação de cidadãos ativos e conscientes; Realizar duas campanhas de bens alimentares para fins humanitários; Realizar uma ação de sensibilização sobre o projeto; Envolver dois elementos de agregados familiares apoiados na manutenção da horta pedagógica.

Intervenção

Operação Prato Limpo // Sarau solidário, aberto à participação de toda a comunidade local // Campanhas de recolha de bens alimentares e posterior distribuição pelas comunidades da área do Agrupamento e no Porto, através de instituição de solidariedade local // Recolha de tampinhas a favor de uma causa solidária // Sessões de sensibilização para as causas solidárias implementadas no Agrupamento // Manutenção da horta pedagógica.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação / Amplificação

Comunidade escolar, encarregados de educação e famílias // Comunidade alargada da área do Agrupamento // Paróquia e Missão humanitária (ponte com São Tomé e Príncipe) // Associação local

Dificuldades

As dificuldades situaram-se sobretudo ao nível da submissão de informação na plataforma.

Impacto/ Resultados

1330 alunos e 140 professores investiram 500 horas de energia solidária. Extra-equipa, contaram-se mais 35 voluntários. As iniciativas concretizadas beneficiaram 120 pessoas integradas em instituições, 70 independentes e 110 das escolas do Agrupamento. As 11 escolas do Agrupamento, num total de 1334 alunos, participaram na recolha e distribuição de bens alimentares. Com esta dinâmica, foram apoiadas 29 famílias. As várias intervenções sensibilizaram a comunidade educativa para as causas solidárias. Concorreram, de igual modo, para a promoção de hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis. Bastante positivo foi também o envolvimento de elementos de agregados familiares apoiados em atividades cívicas e de melhoria de condições de vida. A título de exemplo, participaram de forma regular, ao longo do ano letivo, na manutenção da horta pedagógica.

Autoavaliação Geral

As escolas do Agrupamento revelaram espírito de união, cooperação e solidariedade em torno de um programa comum. No próximo ano pretendemos alargar a iniciativa, aumentando o número de parceiros externos e envolvendo ainda mais a comunidade. Sendo a primeira vez que este Agrupamento participou no Escolas Solidárias, foi uma experiência vantajosa para toda a comunidade educativa. Permitiu que alunos e professores aumentassem o seu nível de interesse e sensibilização para áreas sociais importantes em qualquer comunidade. Paralelamente, maximizou as relações escola-família.

Previsão de Continuidade

Após tanto empenho e vontade de trabalhar, a nossa é vontade continuar no próximo ano letivo, mesmo que venham a mudar os diferentes intervenientes, quer existam ou não distinções.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipas • InterAgir jogando • Montemor Solidário • Faz acontecer • InterAge! Montemor

Escolas de Montemor-o-Velho Temas

POBREZA/FOME // POPULAÇÃO SÉNIOR // CONVIVER COM A DIFERENÇA // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL // PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

Face às circunstâncias locais e globais, sentiu-se necessidade de ampliar e intensificar as intervenções educativas e sociais e o trabalho solidário e de voluntariado iniciados em anos anteriores. Interpretando o mundo em mudança, criou-se um novo eixo de intervenção na comunidade educativa, focado na questão dos refugiados no espaço europeu.

Área Geográfica

Freguesias de Pereira, Seixo e Montemor-o-Velho, concelho de Montemor-o-Velho (Coimbra). Sogá, em Cabo Verde. Síria.

Objetivos -

Fazer a comunidade educativa refletir, agindo, sobre a fome, a pobreza e as desigualdades; Construir jogos lúdicos e matemáticos, a utilizar em atividades com cidadãos seniores; Sensibilizar os alunos para a cidadania solidária e voluntária; Desenvolver projetos de interdisciplinaridade, pela sua dimensão criativa e eficiência na consecução das metas educativas; Promover atividades intergeracionais e interdisciplinares regulares; Combater o preconceito e promover a tolerância e entreajuda; Sensibilizar para a problemática dos refugiados e os direitos humanos.

Intervenção

Recolha de roupas, calçado e alimentos para alunos do Agrupamento, e de brinquedos e livros para a comunidade de Montemor // Campanha Papel por Alimentos e Recolha de Alimentos para o Banco Alimentar Contra a Fome // Convívios/atividades intergeracionais e multidisciplinares semanais, com alunos e idosos da Santa Casa: replantação da horta pedagógica e promoção da alimentação saudável; jogos e danças tradicionais; vivência musical; boccia; Almoço e Jogo dos Afetos; ateliês de dança criativa e teatro; espetáculo final // Construção de jogos lúdicos e matemáticos // Avaliação final do impacto do programa intergeracional, com especialistas/docentes do Ensino Superior // Mercado Solidário // Projeto Young VolunTeam // Venda de Produtos UNICEF/Presentes para a vida (em favor das crianças sírias) // Peditórios da AMI e Liga Portuguesa Contra o Cancro // Faz abraçar esta causa – cordão humano e Dia do Abraço // Dia do Voluntariado // Venda de rifas para Sogá, Cabo Verde // Campanha 10 milhões de Estrelas, um gesto pela paz, com a Cáritas // Campanhas Laço Azul e Montemor So(u)lidário, com a autarquia // Pirilampo Mágico // "E se fosse eu?" – apoio aos refugiados // V Corrida Solidária, com Médicos do Mundo // Apoio a campanhas da Plataforma de Apoio aos Refugiados, UNICEF e ONU.

PADRINHO ESCOLAS SOLIDÁRIAS

Manuel Carraco dos Reis

(Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Velho)

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar, famílias e comunidade envolvente // Investigadores e docentes universitários // Instituições do Ensino Superior e escolas profissionais // Centro paroquial // Câmara Municipal // Santa Casa da Misericórdia // Associações, IPSSs e ONGs // Plataforma de Apoio aos Refugiados // UNICEF. Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Reunião da informação de ponto de situação em abril para o programa Escolas Solidárias, costumamos fazer uma avaliação global no final do ano letivo. Impossibilidade de colaboração institucional das entidades que acolheram os refugiados na Zona Centro, apesar dos contactos terem sido efetuados em tempo útil. Falta de motivação dos mais idosos para a implementação das atividades e a falta de espaços adequados na Santa Casa.

Impacto / Resultados

150 alunos, em 4 equipas, e 26 professores deram 260 horas de energia solidária ao programa. Reuniram 550 voluntários e criaram rede com 16 entidades externas. Beneficiaram 250 pessoas integradas nas instituições ajudadas, 56 independentes e 700 das escolas do Agrupamento. O trabalho realizado, na globalidade, só no final do ano letivo pode ser devidamente avaliado. Refira-se, no entanto, que o programa intergeracional decorreu em clima de grande afetividade e cumplicidade entre todos os intervenientes. A importância dos encontros regulares com idosos fica patente neste testemunho da Sr.ª Olívia, de 90 anos: "Sr. professor, não pude vir na semana passada porque caí, mas hoje tinha de vir mesmo com dores". No cômputo geral, cumpriram-se os objetivos propostos ou superaram-se as expectativas.

Autoavaliação Geral

Sempre que possível, houve cruzamento de esforços e envolvimento das equipas participantes. Sentiu-se uma agregação das atividades das equipas e uma amplificação unificada e promovida pelo Escolas Solidárias Fundação EDP. Ao nível da escola conseguiu-se um legado de qualidade, pois, de um modo geral, abordaram-se rigorosamente os conteúdos, de modo a atingir os objetivos pretendidos. Foram feitas várias ações conjuntas; houve mobilização, envolvimento das equipas, das escolas do Agrupamento e da comunidade envolvente. O impacto foi francamente positivo.

Previsão de Continuidade Os coordenadores das equipas manifestam total disponibilidade para continuar o programa.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa Ser Voluntário, Ser Solidário

ETP de Sicó Tema

POPULAÇÃO SÉNIOR

Situação

As ações de voluntariado têm permitido discussões sobre valores como ética e cidadania, além de estimularem a solidariedade e cultura da paz. Na escola, enriquecem o processo de ensino e de aprendizagem, complementando o trabalho de sala de aula e proporcionando uma compreensão mais aprofundada dos conteúdos abordados pelas matérias, uma vez que permitem relacionar teoria e prática. Existem muitas ações que podem ser desenvolvidas por projetos de voluntariado educativo, considerando os diferentes públicos e áreas de atuação. Elegemos, no entanto, como parte fundamental do nosso projeto o relacionamento interpessoal com a população sénior.

Área Geográfica Freguesia de Avelar, no distrito de Leiria.

Objetivos

- Promover a participação cívica dos jovens alunos em ações de voluntariado de interesse social e comunitário, incentivando o seu espírito de iniciativa e de solidariedade e que visem a melhoria das condições de vida da comunidade; - Fomentar nos alunos, pelo convívio com a população sénior, competências fundamentais (tolerância, solidariedade, comunicação, relacionamento interpessoal e intrapessoal); - Ocupação saudável dos tempos livres dos alunos; - Apresentar os resultados do projeto na Semana Aberta da ETP Sicó (fotos, vídeos, registos escritos, testemunhos…) e no programa Escolas Solidárias; - Incentivar os alunos a continuar o programa nos próximos anos letivos.

Intervenção

- Reuniões preparatórias com os alunos voluntários todas as terças-feiras à hora de almoço. - Visitas regulares a lar da terceira idade de Fundação local. - Atividades com cidadãos seniores: diálogo interpessoal, ensinar a escrever o nome, auxílio nas propostas da animadora do lar, jogos de mesa (cartas, dominó, damas, jogo da memória, bingo, etc.), momentos musicais. - Semana Aberta, visita à ETP Sicó pelos seniores e responsáveis da instituição parceira, com vários momentos: apresentação pública do Projeto de Voluntariado da Escola (“Ser voluntário. Ser Solidário”) e Hora do Conto (momento narrativo de uma história na Biblioteca); apresentação da peça de teatro “(Sobre)Viver”; Colóquio sobre o Voluntariado, com apresentação das atividades desenvolvidas até à data no âmbito do projeto e partilha de testemunhos.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação Comunidade educativa // Lar de Fundação local (IPSS) Registos em fotografia e divulgadas na imprensa local e regional, no Facebook e na Semana Aberta da ETP Sicó.

Dificuldades

Sobrecarga letiva da coordenadora do programa, bem como dos professores e alunos envolvidos.

Impacto / Resultados

50 alunos e 4 professores uniram-se ao longo de 63 horas de energia solidária. O programa decorreu em parceria com 1 instituição externa. Com as ações realizadas beneficiaram 104 pessoas – 50 da instituição parceira e 54 da escola. O reconhecimento público dos alunos envolvidos no programadas – chamados ao palco e aplaudidos na Semana Aberta da escola – manifesta a realização de um trabalho consistente e louvável. Os seniores do lar mostraram-se particularmente felizes e entusiasmados com as visitas e atividades dos nossos alunos, gostando muito de conversar e jogar com eles.

Autoavaliação Geral

Este programa, que ainda está na sua “infância”, tem potencial para se consolidar, enriquecendo os alunos e alegrando alguns momentos de quem mais precisa. Consideramos, pois, que estamos no bom caminho. Sempre que tinham blocos livres, os alunos voluntários manifestaram interesse em participar nas ações programadas, o que revela um grau de motivação e empenho muito positivo.

Previsão de Continuidade Pretendemos continuar, alargando mesmo a nossa ação a outras IPSS da região.

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados


Equipa

Geração ETPR

Escola Técnica Profissional do Ribatejo Temas

POBREZA/FOME // POPULAÇÃO SÉNIOR // SAÚDE // CONVIVER COM A DIFERENÇA // SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL // PARCERIA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO

Situação

A escola situa-se numa zona rural com carências socioeconómicas e onde muitos idosos estão votados à solidão. Perante esta realidade, optámos por eleger a Pobreza/Fome e População Sénior como áreas prioritárias. Por sugestão dos alunos envolvidos, decidimos estender a nossa ação também a outros âmbitos de intervenção.

Área Geográfica

Azoia de Cima, Tremês e Abrã, concelho e distrito de Santarém.

Objetivos

- Sensibilizar e envolver os alunos em ações de solidariedade e estimular o espírito de entreajuda e de equipa, com o intuito de desenvolver uma verdadeira cultura de voluntariado; - Beneficiar pessoas que se encontrem em situação ou risco de pobreza e apresentem dificuldades de cobertura das suas necessidades básicas; - Proceder à angariação e entrega de cabazes solidários, em três momentos do ano letivo; - Colaborar no desenvolvimento social dos idosos mais isolados da freguesia; - Proporcionar o encontro e a partilha de experiências entre gerações; - Realizar três atividades de combate ao isolamento dos idosos; - Mobilizar mais de 50% da população escolar para participar numa iniciativa solidária até ao final do ano letivo.

Intervenção

Campanha “Adoçar Corações” – entrega de cabazes solidários a famílias carenciadas e instituições // Atividades para angariação de fundos e produtos destinados aos cabazes // Aulas de Zumba Solidária // Recolha de roupa, brinquedos, livros e manuais escolares: Kits solidários // Campanha “Um brinquedo por um sorriso”, em benefício de crianças de famílias com dificuldades // Participação nas campanhas do Banco Alimentar // “Dar é Mudar” – recolha de roupa e produtos de higiene para instituição de acolhimento de raparigas // Campanha 4 patas: apoio a instituições para cães e gatos abandonados // Oferta de cabazes de rações para animais // Torneio de Basquetebol 3x3: apoio ao canil/gatil municipal // Visita e limpeza de instalações do canil // Convívio intergeracional na Aldeia Natal ETPR – participação de utentes da Santa Casa e crianças de jardim-de-infância em encontro com teatro e música; oferta de lembranças e almoço // Campanha SeniorMente Divertido – tardes de convívio com idosos // Visita a crianças internadas no Hospital Distrital, com canções de Natal // Apoio ao projeto Make-A-Wish – angariação de fundos e celebração do Dia Azul // Dia Internacional da Luta contra a Discriminação Racial // Limpeza de espaços escolares // Participação no projeto autárquico Reabilitar Troço a Troço // Torneio de Matraquilhos: angariação de fundos para as atividades da Geração ETPR.

PADRINHO/MADRINHA ESCOLAS SOLIDÁRIAS Ainda não temos. Vamos ver quem nos inspira, motiva e ajuda nesta nossa missão. E, para a próxima edição, já teremos, com certeza!

Rede de Cooperação e Amplificação

Comunidade escolar // Juntas de freguesia, Câmara // Associações de intervenção social // Creche e jardim-de-infância // Hospital Distrital // Canis // Instituições de acolhimento // Santa Casa da Misericórdia // Banco Alimentar Contra a Fome // APPACDM // Make-a-Wish Divulgação e amplificação através dos meios de comunicação internos da escola, redes sociais dos parceiros, etc.

Dificuldades

Por ter sido esta a primeira participação da ETPR no programa, não soubemos tirar partido da plataforma e, no final, a elaboração do relatório foi muito trabalhosa. Outra dificuldade relaciona-se com a nossa organização curricular: nos 2.º e 3.º períodos os alunos encontram-se em formação prática, logo, não estão na escola, o que condiciona a organização e dinâmica do grupo. Acresce que a maioria dos nossos alunos reside longe da escola, o que impede a sua participação nalgumas atividades por falta de transporte. Por último, o facto de ter estado apenas um professor envolvido no programa.

Impacto / Resultado

46 alunos e 1 professora deram 248 horas de energia solidária ao programa. Conseguiram reunir 453 voluntários e criar rede com 18 entidades externas. As intervenções beneficiaram 252 cidadãos de instituições, mais 296 independentes e 29 da Escola. Os objetivos inicialmente previstos foram cumpridos e mesmo suplantados. Foram dinamizadas 16 atividades de cariz solidário que beneficiaram mais de 500 pessoas e envolveram, em vários momentos, todos os 433 alunos da Escola. Reunimos em cabazes solidários um total de 594 Kg de alimentos e 80 kg de produtos de higiene. Entregámos ainda 38 kg de roupa e 109,4 Kg de produtos de higiene a famílias e raparigas de 2 instituições. Oferecemos 115 brinquedos a crianças de famílias sinalizadas. Sobretudo, assistimos ao desenvolvimento humano, social e cívico dos alunos participantes.

Autoavaliação Geral

A equipa foi bastante ativa, chegando a mobilizar 100% dos nossos alunos. Rigor e resiliência marcaram todo o processo de trabalho. Um indicador do sucesso alcançado é o facto de terem surgido convites para parcerias por parte de várias entidades. A Geração ETPR considera a sua intervenção como excelente.

Previsão de Continuidade

Qualquer programa que promova os valores indispensáveis ao exercício de uma profissão, como cidadania e responsabilidade social e que nos ofereça ferramentas para melhorarmos o nosso desempenho nessas áreas será sempre para manter. Gostávamos de, pelo menos uma vez, ser "Super Escola Solidária".

Edição 2015/2016 Conteúdos Adaptados

Projetos Escolas Qualificadas_Escolas Solidárias 6ªed