Page 1

Revista

ANO XV . Nº 52 . MACAÉ/RJ DEZEMBRO/2019 . DISTRIBUIÇÃO DIRIGIDA E GRATUITA

Macaenses se destacam Surfe depois no fisiculturismo nacional dos 50 anos

A G U! P ODE PE

VIDA

ES

SE

Fotos de família, um Os sabores das registro de amor linguiças artesanais

ESPORTE

AT U IT A

TE

R1

É

GASTRONOMIA

GR

D IS T R IB U IÇ

TENDÊNCIA

O

R

Atividade cresce na cidade, com vários grupos de pessoas, que têm no esporte a prática de atividade física, a busca de qualidade de vida junto à natureza e também uma forma de competição

Ã

A CANOA HAVAIANA CONQUISTA OS MACAENSES

E XE MPLA


2


3


V

em chegando o verão e, com ele, terminamos mais um ano de lutas e conquistas na estrada da vida. Este ano foi especial, pois a revista completou 15 anos de muita história sobre Macaé, suas pessoas, suas empresas e tudo de bom que a cidade tem. Pra fechar 2019 com chave de ouro, aproveitamos o período para dar destaque a um esporte que tem crescido bastante em todo o país e, em Macaé, não poderia ser diferente. A Canoa Havaiana completa 20 anos de Brasil em 2020 e Macaé já se destaca como um centro de praticantes do esporte. O início foi em 2013 com o Macaloha, primeiro grupo de canoa da cidade, criado por Carlos Paiva na Lagoa de Imboassica, e que foi o responsável pela disseminação dos outros grupos. Hoje, já são 7 clubes diferentes de pessoas que se descobriram mais felizes praticando uma atividade física que tem o contato direto com a natureza e um grande apelo social, pois traz os conceitos originais das Canoas Polinésias, que pregavam o respeito à natureza. É um esporte que atrai pessoas de diversas idades, que querem melhorar sua qualidade de vida com atividade física ou até mesmo encarar a canoa como um esporte de competição. E Macaé já é destaque nas categorias Master, acima dos 50 anos. Tudo isso e muito mais, você encontra nesta edição, que está variada como sempre, com matérias interessantes sobre a cidade, como charcutaria, fisiculturismo, fotografia de família, surfe depois dos 50 e a nossa seção Pessoas & Negócios, com o que tem de melhor em comércio e serviço na cidade. Boa leitura a todos e Boas Festas!

58

Billy Jonatas

DIRETOR GERAL

CANOA HAVAIANA EM MACAÉ EXPEDIENTE

A revista DVCD é uma publicação do Grupo DiverCidades com tiragem de 7.000 exemplares por edição, distribuição dirigida e gratuita aos públicos A, B de Macaé. Rua Dolores Carvalho Vasconcelos, 270 Sobreloja - Bairro da Glória - Macaé/RJ CEP: 27.937-600 • Direção geral: Gianini Coelho - Tel: (22) 99985-5645 Obs: os textos assinados por terceiros, que não sejam colaboradores da revista, são de total responsabilidade de seus autores.

COLABORADORES DESTA EDIÇÃO

68

LINGUIÇA ARTESANAL

Joanna Cohen

EDITORIAL&ÍNDICE

EDIÇÃO DE VERÃO E FIM DE ANO PARA COMEMORAR OS 15 ANOS DA DVCD

64

FOTOS DE FAMÍLIA

08 #VCnadivercidades 12 De Tudo um Pouco 18 20 21 22 26 30 32 34 35 36 38 40 41 42 44 46 48 49 50 52 54 56 58 64 68 72 76

Arquitetura & Design

Criare Macaé Dayana Valente Glam by Muquici Italínea Villa Are 15 anos

Pessoas & Negócios

Colégio Souza Treino de Menina Resort Bioanálise Laboratórios VetSLIM Studio BC Closet Store Cacau Show na Silva Jardim O2HM Hiperbárico Tatiana Organizer Espaço Todeschini Nana Nogueira Treino de Menina Serelepes Brinquedos Petit Petit Dr. Alessandro Mitraud Inovare Acabamentos 2000 Elétrica e Hidráulica DVCD 15 anos Mário Telhas

A Cidade

Canoa Havaiana Fotos de família Linguiça artesanal Fisiculturismo Surfe depois dos 50

Perfil

Editor: Gianini Coelho | Jornalistas: Leila Pinho, Tathiana Campolina, Renatta Viana, Juliana Carvalho, Alysson Nogueira e Gabriel Coimbra | Foto da Capa: Billy Jonatas - Canoa na Lagoa de Imboassica Fotografia: Alle Tavares | Revisão: Bárbara Coelho | Publicidade: Gianini Coelho (22) 99985 5645 @divercidadesmacae | grupodivercidades

4

80 Rossine Medeiros Gente que Faz 82 Projeto Luz Verdadeira


5


6


7


VC NA DIVERCIDADES

#VC NA DIVERCIDADES

@jana_santorsg

AQUI, SUAS FOTOS TÊM UM LUGAR DE DESTAQUE, VALORIZANDO VC E A NOSSA MACAÉ

C

hegamos à estação mais quente do ano, quando os lugares e as cores da cidade estão iluminados pelo astro rei. Bom motivo para registrar belas imagens da nossa bela Macaé. Faça como o pessoal desta página. Marque a #vcnadivercidades nas suas fotos para que a gente possa publicá-las no nosso Instagram, aqui na seção ou até, quem sabe, estampar a capa da revista e na matéria, como nesta edição, onde a bela foto de Billy Jonathas, de uma Canoa Havaiana num pôr do sol na Lagoa de Imboassica foi escolhida para ilustrar nossa matéria de capa. Boa sorte e boas fotos!

@brunocamposfotografo

O nascer do sol visto na Praia da Imbetiba, sob o olhar atento de Janaina Santos

@matthcordeiro

@valadaresfelipe

8

A Praia dos Cavaleiros num dia de sol, céu azul e vento forte chamou a atenção de Matheus Cordeiro

O sol se pondo no Pico do Frade, fez Felipe Valadares lembrar do hino de Macaé

Simplesmente um belo final de tarde em Macaé, na lente de Bruno Campos


@geraldobpessoa

@mahdsiqueira

A cachoeira da Bicuda Grande nas cores do registro de Geraldo Pessoa

@daniellices

O canal da Lagoa de Imboassica com a Praia das Pedrinhas ao fundo. Registro de Marcele Siqueira

@cironzr

@billyjonathas

O silêncio e as cores do pôr do sol na Lagoa de Imboassica com Daniellices na canoa havaiana

Ciro Nazaro e a altinha no final de tarde, na Praia dos Cavaleiros

Marque a #vcnadivercidades nos seus cliques de Macaé. Sua foto poderá ser escolhida para ilustrar essa seção da revista A Lagoa de Imoassica sob o olhar de Billy Jonathas ganhou um ar bucólico

9


10


11


DE TUDO UM POUCO Karoline Pittizer e Candido Neto estão à frente da franquia da marca, que fica nos Cavaleiros

TURQUESA ESMALTERIA

E BELEZA PARA VOCÊ

E

mpoderamento feminino e beleza acessível a todos são os pontos fortes da Turquesa. O salão é uma franquia com mais de 60 lojas espalhadas pelo Brasil e, em Macaé, foi inaugurada há seis meses. A empresária Karoline Pittizer conta que o espaço foi idealizado para proporcionar conforto e bem-estar, em um ambiente aconchegante, com atendimento diferenciado. A Turquesa tem serviços completos de beleza como: manicure, pedicure, esmaltação em gel, alongamento, embelezamento do olhar, micropigmentação, design de sobrancelha, cabelo, depilação, massagem, drenagem linfática e limpeza de pele. A franquia ainda conta com mais de 50 cores de esmalte veganos e currently free, além de esfoliantes e cremes hidratantes. “Nosso conceito é cuidar da cliente com carinho, proporcionar um momento de prazer e relaxamento. A cor azul turquesa e a essência

O salão oferece serviços de beleza em geral com destaque para manicure e pedicure

aromática do espaço são calmantes, a acústica é confortável e a trilha sonora é de uma rádio própria da franquia, deixando o ambiente tranquilo”, ressalta Karol. A Turquesa trabalha com os 5 sentidos: a visão que é a cor azul turquesa, o paladar que é o cappuccino sempre servido como mimo, o olfato com o aroma da essência própria, a audição através da rádio Turquesa e o tato, com uma massagem relaxante que as clientes ganham quando fazem manicure e pedicure. Outro ponto positivo é o agendamento dos serviços através do aplicativo Trinks, escolhendo a profissional e o horário. A Turquesa Esmalteria e Beleza fica na Rua Franklin Delano Roosevelt, 87, loja 1, nos Cavaleiros, e atende de terça a sábado. Contatos: 22 2006-0043 / 98149-9321 ou pelas redes sociais @turquesamacae.

TIC SHEN POR PATRÍCIA COELHO

P Patrícia Coelho criou o TIC Shen por acreditar que as terapias integrativas como a cromaterapia e acupuntura cuidam do ser humano com um todo

12

ara quem se identifica com as terapias integrativas complementares, o TIC Shen é a nova opção de tratamento na cidade. O espaço é coordenado por Patrícia Coelho, enfermeira graduada na Faculdade de Enfermangem Wenceslau Braz, vinculada à UFJF, com Pós-Graduação em Acupuntura e Homeopatia, que se especializou em terapias naturais, de procedência holística oriental, por acreditar que elas avaliam o ser humano como um todo: mente, corpo físico e energético. As técnicas são oferecidas a partir do diagnóstico energético de cada cliente, elaborando assim uma indicação terapêutica de acordo com as disfunções, deficiências e desequilíbrios energéticos de cada um. “Hoje, essas práticas têm uma maior aceitação pelas pessoas e são reconhecidas pela OMS (Organização Mundial de Saúde) como práticas integrativas complementares na saúde, com resultados comprovados cientificamente, dentro de uma visão holística e tratando o indivíduo como um todo”, destaca Patrícia. O TIC Shen funciona no Espaço Studio Vital e oferece as terapias: auriculoterapia, ventosaterapia, reflexologia podal, floral cromoterapia, cristais, realinhamento de chakras, acupuntura estética, eletroacupuntura e laseracupuntura. Patrícia atende sempre às terçasfeiras, das 10 às 12h e das 14 às 19h. Agendamento de consultas pelo telefone 22 2773-3442 ou pelas redes sociais @patricia.coelho.ticshen


Clayton e Catarina inauguraram as novas instalações do CFE, que ficaram com uma cara moderna e com muito mais conforto para os pais, alunos e professores, além de contar com uma loja para vender os produtos do CFE e também da marca Nike

NOVAS INSTALAÇÕES DO CFE CLAYTON FUTEBOL ESCOLA MARCA MACAENSE É REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO ESPORTIVA

O

CFE encerra mais um ano de atividades com muito sucesso e com várias novidades! Sempre visando mais conforto, sofisticação e qualidade para os seus alunos e pais, o clube investiu e inaugurou sua nova sede, um projeto moderno. Projetado pelo arquiteto Márcio Lobo, foi feito com containers e contempla sala de reunião com vista panorâmica para o campo, espaço

reservado para professores e alunos e com um super lançamento, a CFE Store, uma loja que estará cheia de itens personalizados do CFE, além de ser um revendedor autorizado de grandes marcas como a Nike. Venha conferir de perto esta bela novidade da escola de futebol que mais cresce na região e aproveite para fazer a matrícula do seu filho ou filha para o ano de 2020. Contatos pelo telefone: 22 99824-5764 ou pelas redes sociais @cfemacaeoficial.

13


DE TUDO UM POUCO

Dr. GUSTAVO LACERDA GERIATRIA E GERONTOLOGIA

Elmo Resende, de 83 anos, é paciente do Dr. Gustavo Lacerda e se sente melhor a cada consulta. “Após fazer um checkup, iniciei o acompanhamento. Nada melhor que ter qualidade de vida e bem-estar na melhor idade”

D

outor Gustavo Lacerda é especialista em geriatria e gerontologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Especialidade que trata da saúde do idoso, prevenção e tratamento de doenças, reabilitação funcional e cuidados paliativos. Essa área abrange desde o envelhecer saudável até a reabilitação. O processo de envelhecimento impacta no comportamento orgânico, psicológico e social, e através das consultas é possível garantir melhora na qualidade de vida do paciente. Além de atender no consultório, Dr. Gustavo é diretor técnico da Instituição de Longa Permanência Recanto dos Idosos e médico intensivista no CTI do Hospital São João Batista. Atualmente, concentra seus estudos no tratamento da dor crônica, realizando especialização na USP (Universidade de São Paulo), devido à alta prevalência desta na terceira idade. “Uma vez que o idoso adoece, se torna mais difícil o tratamento. O acompanhamento do paciente previne e cuida de situações diversas como: Parkinson, Alzheimer, depressão, vacinação, prevenção de quedas, osteoporose, perda de peso, regressão de isolamento social e toda a fragilidade que esses pacientes apresentam”, explica o médico. Para agendamento de consultas, entrar em contato com o telefone 22 3311-0494 ou pelas redes sociais @drgustavolacerda

iRestaurou LOJA OFERECE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA APPLE E ACESSÓRIOS MULTIMARCAS

I

Os sócios Alexandre e Paulino apostam na localização privilegiada, na Praia dos Cavaleiros, nos serviços diferenciados, feitos na frente do cliente e no conforto da loja para conquistar o público

14

naugurada em novembro, nos Cavaleiros, a loja iRestaurou trabalha com reparos e manutenção em aparelhos iPhone, Samsung, Motorola e Xiaomi, além de uma vasta linha de acessórios multimarcas como: capa para celulares, cabos, relógios e pulseiras eletrônicos, fones, caixinha de som e, ainda, uma linha exclusiva de brinquedos para crianças e colecionadores. Os sócios Alexandre Marinho e Paulino Lousada ressaltam a localização privilegiada, próximo à orla da praia, produtos de primeira linha, o atendimento de excelência e os preços convidativos como seus diferenciais. “A loja tem fácil acesso, bem num ponto-chave da cidade, o atendimento é personalizado e o cliente pode acompanhar o reparo do seu aparelho porque nossa bancada permite esse contato”, ressalta Paulino. Além de ampla, a loja tem um estilo moderno, arrojado, é bem iluminada e conta com um espaço vip, onde o cliente ou o acompanhante podem esperar sentados no sofá, tomando um café, num ambiente bem tranquilo. Outro diferencial é o horário de funcionamento, todos os dias da semana, de 12h às 21h. A iRestaurou fica na Av. Atlântica, 2500, nos Cavaleiros (ao lado do Subway). Atende nos telefones 22 3311-3373 e Whatsapp 99213-7515 ou pelas redes sociais @irestaurou


b4f SURFBOARDS, O SHAPER CANDIDO NETO EM AÇÃO

Candido Neto, na sala de shape, preparando mais um projeto da Boards 4 Fun em Macaé

A

Ao lado: b4f nugget em EPS, fibras naturais e resina epóxi

LA VILLE CAKE E BISTRÔ É UMA ÓTIMA OPÇÃO PARA SEU CAFÉ

R

einaugurado recentemente, o La Ville Cake e Bistrô é aquele cantinho super charmoso e aconchegante no meio dos Cavaleiros, bem na Galeria Patrocínio. Sob direção da Márcia Castilho, o trailer de madeira chama a atenção pelo estilo despojado, ao ar livre, cercado de verde, sofás e bistrôs. Sem falar no cardápio que inclui café da manhã, deliciosas opções de lanches, almoço, doces, frios e uma carta de vinhos para a noite. A proposta do La Ville é de um ambiente familiar, íntimo, agradável e que leve ao cliente a sensação de calmaria. Márcia conta que fugir da beira da praia foi uma opção pensada, justamente, para quem busca um pouquinho de paz. “Uma música ambiente, luz do sol, as plantas, tudo isso torna o café mais gostoso. A noite estrelada, onde o cliente pode conversar à vontade, com a vista do céu, uma tábua de frios acompanhando um bom vinho, uma meia luz...”, descreve. Entre as delícias servidas, estão os carros-chefes: cappuccino tradicional e de Amarula, servido gelado ou quente; torta de ninho com Nutella, torta de ninho com morango, croissant de provolone com tomate seco, omelete de pizza, chá francês refrescante, limonada suíça e pão de queijo recheado com salame e gouda, além de muitas outras opções. O bistrô também tem música ao vivo e está aberto para a realização de eventos, aniversários e rodas de conversa. As guloseimas podem ser encomendadas pelos clientes. O La Ville fica nos Cavaleiros, na Galeria Patrocínio, na Rua Joaquim da Silva Murteira, 60. Contatos: 22 99711-4116 ou pelas redes sociais @bistro.laville .

Acima: Jean Martins na Indonésia testando os modelos b4f

Boards 4 Fun nasceu de uma paixão pelo surfe de Candido Neto, que também é surfista e natural de Curitiba. Há 3 anos, Candido começou a desenvolver a arte de transformar um bloco de EPS em shape (formato da prancha), para então laminar esse bloco utilizando fibra de vidro, fibras naturais e resina epóxi. “É uma satisfação muito grande fabricar e entregar uma prancha b4f com qualidade para o cliente, que trará momentos e experiências que somente quem surfa pode vivenciar”, ressalta o shaper. Os detalhes para escolha do melhor design da prancha são descobertos em longas conversas com o cliente, para entender suas necessidades e expectativas. A partir daí, inicia-se o processo de produção da prancha, que leva mais ou menos uns 40 dias, pois Candido é responsável por 100% da produção das pranchas, sem terceirizar nenhuma etapa do processo de fabricação. Além de pranchas de surfe, a Boards 4 Fun também produz Longboards, Stand Up Paddle e Wakeboards. As encomendas são pelo telefone (22) 98128-5033 ou no direct @boards_4_fun

O La Ville Cake e Bistrô, que fica na Galeria Patrocínio, nos Cavaleiros, está sob nova direção da família Castilho. Da esquerda para a direita: Raiane, Dodô, Márcia e Douglas

O cardápio do La Ville possui ótimas opções para um delicioso lanche na Rua Joaquim da Siolva Murteira, nos Cavaleiros, como o pão de queijo com suco de frutas vermelhas e o cappuccino acompanhado de uma deliciosa torta de chocolate e morango

15


16


17


ARQUITETURA & DESIGN

Loja de planejados entende o estilo de vida de cada cliente e produz móveis com personalidade

Fernanda Moraes na sua sala planejada pela Criare. Ela fez vários ambientes com a loja e ficou muito satisfeita com a qualidade do material

CRIARE MACAÉ, REALIZANDO OS SONHOS DOS SEUS CLIENTES

U

Por: Leila Pinho / Fotos: Alle Tavares

18

ma das lojas mais antigas da Criare de todo o Brasil, a Criare Macaé pratica um atendimento que vai além das necessidades básicas do cliente. A equipe da loja entende o estilo de vida do cliente, acolhe as memórias afetivas dele e produz móveis planejados com soluções que se adaptam ao jeito que cada um tem de viver. O resultado disso é ter um ambiente acolhedor, agradável e que tem o estilo de quem vive nele. “Investimos pesado no atendimento ao cliente, no produto que é de alto padrão e em uma equipe de montagem muito experiente”, pontua a gerente Isabela Lage. A advogada Tellma Velasco é cliente Criare há 10 anos. Todos os móveis da casa que ela construiu em Rio das Ostras, em 2009, foram feitos pela marca, assim como os móveis do escritório de advocacia em Macaé e da casa que ela está construindo agora, também em Macaé. “A Criare é uma loja que recomendo sem medo. O produto é muito bom. Apesar do grande tempo de uso, os móveis continuam com a aparência de novos. A equipe é muito atenciosa e eles se esforçam pra realizar o nosso sonho”, fala Tellma.

Carolina Oliveira planejou todo o seu apartamento com a Criare e o aproveitamento do espaço foi muito bom, como na sua cozinha americana


Na cozinha de Fernanda, o armário, que tem portas de vidro, comporta uma torre quente, com dois fornos, e ainda dois gavetões na ilha

O escritório da advogada Tellma Velasco foi feito pela Criare em 2012 e pode-se comprovar a qualidade e durabilidade dos materiais da marca

Tellma Velasco é cliente Criare há 10 anos e agora está terminando de fazer o projeto dos planejados para a casa que ela está construindo em Macaé A Criare desenvolve os projetos dos seus clientes com todo o cuidado, inclusive na apresentação dos detalhes do ambiente, já dando uma melhor ideia de como ficará o resultado final

A pedagoga Carolina Caetano de Oliveira fez todos os móveis do apartamento na loja. “A Criare conseguiu enxergar tudo o que eu queria e precisava. A minha casa é cheia de afeto, de cuidado e tudo é funcional por causa da Criare. Venho de uma casa grande e fui morar em apartamento. Posso dizer que hoje tenho espaço sobrando”, conta Carolina. A empresária Fernanda Alexandre P M Moraes já fez vários móveis com a Criare. “Gostamos muito da qualidade do material usado, além do excelente acabamento e design moderno”, opina Fernanda.

Novo Showroom – Coleção Essencial

Recentemente, a loja renovou seu showroom, com nove ambientes assinados por arquitetos da região, que ficam no segundo andar. O showroom é todo da nova coleção, a Essencial. A Essencial é uma coleção em que os tons amadeirados e cores claras e neutras são protagonistas. Os materiais e elementos desta coleção se conectam com a natureza e favorecem um viver mais simples, sem abrir mão do conforto, beleza e funcionalidade. A gerente Isabela apresenta um pouco das novidades da coleção. “Temos a porta de palhinha, que tem tudo a ver com a natureza. O ripado também

está presente nessa coleção e vem com o corte de fábrica. Pra quem gosta do estilo industrial, temos a estrutura metálica que é bem contemporânea. Isso sem contar nos acessórios de ponta, como a porta clássica almofadada que é talhada na própria madeira, um material muito mais delicado, com acabamento impressionante”, destaca Isabela.

@criaremacae | www.criare.com Av. Nossa Srª da Glória, 3025 - Cavaleiros Macaé/RJ | Tel.: 22 2773.6100

19


ARQUITETURA&DESIGN

Arquiteta dá ênfase em projetos comerciais, destacando soluções e detalhes dos projetos

DAYANA VALENTE

O pé-direito alto e a mescla de materiais de acabamento na medida certa dão um ar mais sofisticado ao projeto de Dayana Tons amadeirados no mobiliário, com placas cimentícias e um jardim vertical dão charme e leveza ao projeto da Clínica Maxclin, nos Cavaleiros, na Av. Nª Sª da Glória, 1861

E

Por: Renatta Viana / Fotos: Lú Cantiliano

20

specializada em arquitetura comercial, Dayana Valente imprime em seus projetos conceitos de modernismo, apresentando soluções que fazem a diferença no dia a dia de seus clientes. Ambientes amplos, com clareza visual, são sua marca dentro da arquitetura. “Menos é mais” é uma diretriz muito presente em seus projetos, como por exemplo, o da Clínica Maxclin, recém-inaugurada nos Cavaleiros. A proposta foi inovadora. “A questão da acessibilidade foi inserida nos ambientes do térreo e, na questão estrutural e estética, optamos por um estilo industrial, com concreto aparente, paredes de cimento queimado e grandes vãos. Um conceito arquitetônico mais moderno, com amadeirado presente nas escadas e fachada, iluminação confortável, placas cimentícias, chão em porcelanato e jardim vertical”, explica Dayana. A questão ambiental também entrou em pauta, com a geração de energia limpa com placas solares. Os vidros tornam o ambiente claro e possibilitam o contato com o meio externo. Dr. Maurício Araújo, proprietário da Maxclin, conta que a ideia foi investir no monocromático, com pé-direito alto, dando um clima de shopping e menos de clínica. Esse conceito já é tendência nos grandes centros e eu quis trazer para Macaé. É um espaço diferenciado, multidisciplinar, que agrega não só a odontologia”, destaca Dr. Maurício, que é especialista na técnica de harmonização orofacial. Devido à sua forte linha comercial, Dayana foi convidada para projetar o “Cemitério Parque”, em São Pedro de Aldeia, quando desenvolveu um módulo sustentável de cemitério, que pode ser replicado em outros municípios. “Eu e meu sócio Walcir Loureiro trabalhamos juntos nesses projetos e estamos expandindo o conceito. Há a preocupação ambiental que contempla a parte de energia solar, captação de água da chuva e uma técnica chamada “Invol”, uma espécie de bolsa que evita a contaminação do solo”. Dayana também trabalha na startup indiana Oyo como executiva de transformação, fazendo parceria com hotéis independentes, atuando em reformas para que se enquadrem nos critérios internacionais.

Os ambientes da clínica foram projetados para aproveitar ao máximo a iluminação natural, inclusive nas escadas

Outro projeto de Dayana, em parceira com seu sócio Walcir Loureiro, é o “Cemitério Parque”, que pode ser aplicado em várias regiões e tem uma preocupação ambiental

Dayana Valente com seu cliente, Dr. Maurício Araújo, da Maxclin. A arquiteta deu um toque moderno e industrial ao projeto da clínica


GLAM BY MUQUICI

by MARCELO MUQUICI Fotos: Márcio Raro

UMA UNIÃO DE ALMAS E DE CORAÇÕES

No 12 de outubro, no Vilarejo Praia Hotel, duas pessoas iluminadas e muito queridas oficializaram a união de suas vidas em um matrimônio especial. Marcelo Muquici e Michel Tannus se casaram em uma cerimônia que emocionou a todos. Depois, os noivos celebraram a noite toda com seus convidados com muita energia e alegria. Confiram alguns clicks dessa união que marcou a vida de quem presenciou esse momento único. Parabéns aos noivos e muitas felicidades!

Michel e Marcelo estavam elegantérrimos, como almas gêmeas, emanando uma energia única de felicidade

Marcelo e Michel foram recebidos pelos seus 36 casais de padrinhos

A cerimônia emocionou os convidados num belo final de tarde no Vilarejo Praia Hotel

A entrada das daminhas de honra foi um dos pontos altos da cerimônia. Beleza e candura que chamaram a atenção

Marcelo e Michel curtiram a noite toda com seus convidados ao som de Glauco Zulo (acima) e com a performance da Beyonce Cover (ao lado)

Todeschini Macaé Av. Nossa Senhora da Glória, 689 Praia Campista • Tel: 22 2773-4200

21


ARQUITETURA & DESIGN

Marca líder do mercado em móveis planejados na região, comemora 15 anos em Macaé com qualidade e satisfação dos clientes

A equipe da Italínea Macaé se destaca pelo atendimento aos seus clientes, liderada pelo gerente Wenderson Dutra, primeiro à esquerda, em pé

ITALÍNEA MACAÉ COMEMORA 15 ANOS

N

Por: Alysson Nogueira / Fotos: Alle Tavares

a região, o Grupo Villa Are é líder no mercado de móveis planejados, chegando a cinco lojas nas cidades de Macaé, Rio das Ostras, Araruama e Cabo Frio. O Grupo, que iniciou suas atividades na cidade de Macaé em setembro de 2004, completou 15 anos de excelentes trabalhos realizados, atendendo a mais de 25.000 clientes satisfeitos, fato que se deve à seriedade de seus sócios Rodrigo Arenales, Milena Arenales, Augusto César Sorage e Ana Paula Arenales que, atentos ao nível de exigência do mercado, certificam-se de trabalhar com uma equipe de profissionais treinados e comprometidos com a qualidade dos produtos e serviços oferecidos. Seu principal showroom que fica na Avenida Rui Barbosa e possui mais de 350 m², reunindo diversos ambientes pensados e planejados para que o cliente consiga sentir-se em casa e mais perto do seu sonho. “A qualidade do nosso material faz toda a diferença. Temos certificação de qualidade ISO 9001, ISO 14001 e NR 17 de ergonomia. Nossos clientes podem ficar sossegados. Temos garantia de cinco anos e assistência técnica especializada”, ressalta Wenderson Dutra, gerente da loja há 10 anos. A Italínea preparou excelentes opções para começar o ano dando aquela renovada ou até mesmo levantar aquele cantinho

22

Luciano Pádua e Andrea Coelho trabalham na construção civil há 12 anos e instalam os móveis Italínea nas suas obras para agregar valor aos imóveis na hora da venda

especial da sua casa ou ponto comercial. Modernidade, sofisticação e sustentabilidade caminham juntos a conceitos, que surgem com novas texturas para deixar os produtos mais modernos. Com isso, a marca apresenta a linha Eros, que é inspirada no mármore. Uma ótima pedida para ambientes molhados como banheiro, cozinha e lavanderia. A linha Nébbia chega com uma tonalidade clara e desenhos sutis, trazendo suavidade e tornando o ambiente mais harmônico. Ideal para salas de estar e jantar. E o que falar do Rosê? Estão em alta no mercado. A tonalidade do rosa mais fechado permite as mais altas combinações sem perder a elegância. O Rosê é ideal para ambientes como dormitórios. Um currículo como esse de sucesso é construído com trabalho e união dos seus colaboradores e parceiros. É o caso de Karin Hansen e Rodrigo Nunes. A dupla de arquitetos utiliza a Italínea em todos os seus projetos e recomenda aos seus clientes. “A gente trabalha com a Italínea há mais de 7 anos e, nesse tempo, conhecemos todas as etapas, desde a produção até a entrega. A confiança no trabalho de qualidade é o diferencial deles e nosso também. O atendimento é de excelência. Existe bom senso na negociação. Não temos nenhuma reclamação por parte dos nossos clientes”, completa. Andrea Coelho e Luciano Pádua trabalham no ramo


O showroom da loja de Macaé foi todo reformulado com a nova coleção 2020 da Italínea, como esta cozinha em tons rosê

Adilson Luiz, Lurdes e o filho Anderson na cozinha Pet da Italínea. Ele foi o primeiro cliente da Italínea Macaé e até hoje, conta com os produtos e serviços da loja para planejar suas residências

A equipe da Italínea Villa Are Macaé, recebendo o prêmio de destaque em atendimento e qualidade no segmento de móveis planejados 2019

Os arquitetos Karin Hansen e Rodrigo Nunes na sala da Italínea Macaé. Eles utilizam os móveis da lojaem todos seus projeto e indica com segurança a marca para seus clientes

Os sócios-proprietários da Italínea Villaare. Da esquerda para a direita: Milena e Rodrigo Arenales, Augusto César Sorage e Ana Paula Arenales

da construção civil há 12 anos. Em uma casa de 180m2 no Condomínio Vale dos Cristais foram usados móveis da Italínea em todos os cômodos. Na área gourmet, a bancada de cor amarela da linha Celestone traz vida ao ambiente. Já na cozinha, o destaque fica para o laminado Nano em tons de cinza. “Toda obra nossa, a gente manda o projeto para a Italínea e o cliente vai acompanhando o processo. O que mais chama atenção é a facilidade no pós-venda. Aqui na região, a Italínea cumpre isso com excelência. Hoje, no mercado, esse detalhe é o diferencial para o nosso trabalho”, conta Andrea.

O engenheiro Adilson Luiz foi o primeiro cliente a fechar negócio na Italínea, em Macaé, há 15 anos. Ele não poupou elogios à debutante Villa Are. “Vim de Salvador para trabalhar em Macaé. Minha esposa e eu procurávamos uma loja para mobiliar nossa casa, depois, encontramos a Italínea. O atendimento foi excelente. Os projetistas foram super atenciosos e cuidadosos com as nossas necessidades. Até que precisei me mudar para uma outra casa e a escolha não foi diferente. Anos mais tarde, retornei à Italínea e projetei cozinha, quartos e closet. Fiquei muito satisfeito. Hoje, eu só indico a Italínea para meus amigos”, finaliza Adilson.

Prêmio Instituto de Pesquisa Ideal 2019

O Grupo Villa Are recebeu o Prêmio Destaque em atendimento e qualidade no segmento de móveis planejados agora em novembro de 2019, o que vem confirmar o trabalho sério e a confiança dos clientes na marca Italínea realizado ao longo de 15 anos de história.

23


24


25


PESSOAS & NEGÓCIOS

Firme na essência de receber com afeto e dar voz aos alunos, a escola inova nas propostas pedagógicas para o ano que vem A família Souza: Liliane, Genilda e Daniel. Juntos, eles são os responsáveis pelo sucesso da escola há 36 anos

COLÉGIO SOUZA 2020

H

Por: Leila Pinho / Fotos: Alle Tavares

á 36 anos construindo uma história significativa na educação em Macaé, o Colégio Souza mostra o quanto é importante transformar, antes de mais nada, o espaço de aprendizagem em local de expressão e acolhimento. Esses são dois dos ingredientes que fazem dessa escola, um lugar diferente, onde o aluno tem vez e voz! Administrado por uma família, formada por Genilda de Souza, diretora, Daniel de Souza, diretor administrativo e Liliane de Souza, diretora pedagógica, o colégio transfere o afeto das relações familiares para os alunos, do Maternal ao Ensino Médio. “Tia Genilda” é uma prova viva disso. Ela é conhecida entre todas as crianças e adolescentes e querida por eles também. Genilda na rotina do colégio, cria uma relação de confiança e afeto com eles, fazendo com que se sintam em casa. “É como se, cada aluno, fosse da nossa família. Gostamos de estar presentes no dia a dia da escola, observando, percebendo e compreendendo as especificidades dos estudantes, desde o Maternal até o Ensino Médio”, fala Liliane. Os filhos da assistente social Ursula Teixeira Sant’Anna, Augusto e Eduardo, de 16, e Felipe, de 12, estudam no Souza há muitos anos. A mãe observou o acolhimento diferenciado nos primeiros dias de aulas das crianças. “Uma das características que percebi, assim que chegamos na escola, foi justamente com a Genilda. Ela está todos os dias na

26

Ursula Teixeira Sant’Anna com o marido Fabio Oliveira de Azevedo e os filhos Augusto, Eduardo e o pequeno Felipe. Ela vem se surpreendendo a cada ano com o tratamento recebido no Souza e está muito satisfeita com a proposta pedagógica da escola

porta do colégio, recebendo os alunos. Fiquei impressionada que, em pouco tempo, ela sabia os nomes dos meus filhos, o meu e do meu marido. Além de saber também quem eram seus avós. Eu tenho uma dificuldade enorme em decorar nomes”, comenta Ursula. Sempre em movimento, o Souza investe em inovações estruturais e pedagógicas para acompanhar as mudanças dos tempos e oferecer aos estudantes as melhores possibilidades de aprendizagem, contando ativamente com a opinião


Arquivo

Andrea Vilhena Dutra e seu marido Vinicius Rocha Lima com os filhos Gabriel e Lucas. Ela acha positiva a iniciativa da escola de estar sempre se modernizando para acompanhar os desafios dos novos tempos

Para 2020, o momento “Desconecte” chegará com tudo! No Souza, os estudantes do 9º ano à 3ª série do Ensino Médio se desconectam para se conectarem, aproveitando o espaço da escola

e as escolhas dos alunos nas transformações. A advogada Andrea Vilhena Dutra, mãe dos alunos Gabriel, de 8 e, Lucas, de 6, valoriza esse protagonismo. “O colégio incentiva a participação e a opinião dos alunos, é democrático. Procura sempre ouvir e está aberto a sugestões de melhoria. A escola ouvindo mais os alunos, os incentivam a se tornarem cidadãos de caráter e de opinião, e não a aceitarem somente o que é imposto”, opina Andrea. O Souza tem várias novidades para o ano de 2020, confira algumas abaixo.

nas mais modernas e melhores linhas pedagógicas, com eficiência comprovada em outros países, onde o aluno protagonista do seu conhecimento, é estimulado a resolver situações-problema, explorar a linguagem, aprendendo a partir de suas experiências e interações com o meio. Os diretores do Souza viajaram, visitando vários lugares do mundo, conhecendo inúmeras escolas, em busca de referências, a fim de implementar no colégio projetos educacionais eficientes e interessantes. Com o Sou 22, foi desenvolvido um projeto de transformação. O “pacote” Sou 22 contempla:

Sou 22

O Sou 22 é um projeto pedagógico diferenciado, que contemplará um ciclo de 4 anos. É uma nova metodologia implementada aos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II à 3ª série do Ensino Médio. O projeto surgiu a partir de muitas reflexões da gestão do colégio, e após compreender que no interior do Souza, que é uma escola em movimento, o que acontece é o oposto do que se acredita que aconteça em uma escola comum. O colégio pratica suas ações, se transforma, cresce e se desenvolve atento ao momento atual, à pesquisa e à realidade da cidade e do mundo. Foi assim que o Souza idealizou o Projeto Especial Sou 21, “piloto” do atual Sou 22, por entender que ele é um real potencializador da aprendizagem. Em ambientes diferentes (como a Cozinha Experimental, Espaço Multimeios, por exemplo), onde as práticas fogem do modelo tradicional de aula, o projeto acontecia. “Quando o aluno coloca seus conhecimentos em prática, a aprendizagem torna-se mais significativa. Esse projeto nos mostrou tudo isso”, esclarece Liliane, sobre o Sou 21. Assim como o Projeto Sou 21, o agora Sou 22 tem sua metodologia baseada em práticas educacionais inspiradas

Desconecte

Outra inovação é o Desconecte! Segundo explica a diretora pedagógica, estudos mostram que o rendimento dos alunos no primeiro horário de aula é baixo. Assim, o início tardio das aulas melhora o desempenho escolar, porque o cérebro ativo é capaz de gerar soluções e aprender. Por isso, o momento “Desconecte” propõe que os estudantes do 9º ano à 3ª série do Ensino Médio, cheguem à escola às 7h, façam atividades prazerosas por 1 hora, como ler um livro, conversar com os amigos, jogar, para, em seguida então, despertarem o cérebro, se reconectarem e absorverem os conteúdos do dia.

Pré-Pré, o Pré² Vestibular do Souza

A preparação para o vestibular do colégio busca estimular o prazer dos adolescentes em aprender e, assim, reduzir a tão temida pressão, típica dessa fase da vida. “A gente entende que o aluno não tem que ser só o melhor, mas tem também que fazer o que gosta. Ele precisa estar feliz”, pontua o diretor administrativo Daniel. “Eu gosto muito da proposta pedagógica, pois antes de se tornarem profissionais bem sucedidos, eu desejo que meus filhos se tornem seres

27


Arquivo

PESSOAS & NEGÓCIOS

humanos felizes, sociáveis, preocupados com tudo e todos à sua volta. Percebo que várias instituições estão mais preocupadas em treinar alunos para o Enem. Quero que meus filhos tenham senso crítico, raciocinem, não vejam o conhecimento somente como bagagem para aprovação no Enem”, diz Ursula. Assim, visando cuidar do emocional e ter também uma melhor preparação, o Colégio Souza apresenta mais uma novidade para 2020, o Pré-Pré, o Pré² Vestibular. A preparação começa na 2ª série do Ensino Médio. É o “Segundão”, que chega para preparar o aluno por mais tempo e com mais tranquilidade!

Plantões de Ensino

Dentro do Sou 22, o aluno conta ainda com Plantões de Ensino. Os plantões têm como objetivo apoiar e desenvolver habilidades nos pontos mais críticos, tirando as dúvidas. O colégio já oferece plantões de Redação e Exatas. E para 2020, terá também o plantão carinhosamente chamado de “Você Decide”, que vai trazer apoio a um rodízio de matérias escolhidas pelos alunos.

O Souza oferece atividades extracurriculares que visam estimular a interação dos alunos com a família em eventos sociais, como o Sarau

Educação Tecnológica

Cláudia Adriane da Silva Ferreira Miranda com a filha Marina, de 10 anos, que estuda na escola em tempo integral Arquivo

O Souza também aposta na Educação Tecnológica, trazendo para Macaé o Programa Zoom Education. A novidade será implementada para as crianças da Educação Infantil ao 9º ano do Ensino Fundamental II. Utilizando quatro pilares como base: conectar, analisar, construir e continuar, o programa é o representante oficial da Lego Education no Brasil, desenvolvendo competências, capacidade de realização e mobilizando alunos, processos e ideias, estimulando e inspirando a criação de um mundo melhor, por meio da codificação, robótica e cultura maker. Os alunos serão os protagonistas do próprio aprendizado, sendo incentivados a criar soluções para situações-problema. Nessas atividades, as dinâmicas vão possibilitar que o estudante exercite a argumentação com base confiável, a tomada de decisão, a expressão de linguagens verbais, visuais, sonoras e artísticas. Tudo isso, considerando sempre ideias e iniciativas que respeitem os direitos humanos, a consciência socioambiental e os princípios éticos. A despachante documentalista, Cláudia Adriane da Silva Ferreira Miranda, aprova o ensino do Souza. Sua filha Marina, de 10 anos, estuda na escola em tempo integral. “A proposta pedagógica do Souza é maravilhosa, ofertando maior tecnologia no próximo ano, e tem também o Curso de Inglês dentro do colégio”, conta Cláudia.

Clubes Juvenis

O Souza propõe, para 2020, os Clubes Juvenis. Os clubes foram pensados para promover a conexão e a interação de alunos com os mesmos interesses, independentemente de turma ou série. “O aluno poderá escolher entre Empreendedorismo, Empoderamento Feminino, Mundo Digital, Artes e Fotografia, etc”, explica Daniel de Souza. Os temas propostos para os Clubes Juvenis foram criados de acordo com a preferência dos alunos, que responderam pesquisas aplicadas pela escola. A cada semestre, os alunos optam pelo tema de maior interesse, tendo como regra de ouro a reflexão, a pesquisa e argumentação. Mais uma vez, o Souza conduz o estudante a ser protagonista da educação, dando voz a ele.

28

O Projeto Sou 21 acontece em ambientes diferentes, como a Cozinha Experimental e Espaço Multimeios, onde as práticas fogem do modelo tradicional de aula


29


PESSOAS & NEGÓCIOS

Loja representante exclusiva das marcas Vestem e Labellamafia apresenta uma linha completa para atender às mulheres em suas diversas necessidades na academia e também no dia a dia

A coleção da Vestem Verão 2020 traz cores fortes e as últimas tendências na modelagem

TREINO DE MENINA RESORT ALTO VERÃO 2020

P

Por: Gianini Coelho / Fotos: divulgação Vestem e Labellamafia

ara este final de ano, a loja tem tudo para seus looks de festa, Natal, Réveillon, praia, viagens e treinos. “Na coleção Alto Verão 2020, a essência da mulher moderna permanece, e mais forte do que nunca. Com a vontade de construir sua própria história como a maior motivação para ir além, a nova temporada é marcada pela atitude de quem sabe onde quer chegar”, diz Lorenna Barbetto, proprietária da Treino de Menina Resort.

Vestem

Para a coleção da Vestem, a brisa da estação mais esperada do ano começa a soprar. As peças exaltam o bronzeado, chegando a hora de celebrar. Para isso, a Vestem traz para você as últimas tendências da temporada nas modelagens que acompanham a mulher ao longo da sua rotina diária. Diferentes corpos, com diferentes estilos de vida. Dentro desse contexto, a marca quer exaltar a aceitação e abraçar a beleza que cada mulher carrega dentro de si, despertando nas mulheres a hora de celebrar o amor-próprio!

Labellamafia

A versatilidade é a nova ordem retratada nas peças da nova coleção, onde a liberdade é a maior das regras para quem não tem nada a perder. Design autêntico, cores vibrantes e alta tecnologia elevam as propostas que vão do esporte e performance aos momentos Athleisure. A atitude autêntica e irreverente da Labellamafia domina a coleção desse

30

A proposta da Vestem é exaltar a aceitação da beleza que cada mulher carrega dentro de si e celebrar o amor-próprio


A coleção da Vestem oferece várias opções para compor um visual leve e confortável

A moda streetwear ganha destaque na coleção da Labellamafia

Nas atividades fitness, beleza e conforto são essenciais para se sentir bem

As roupas da Labellamafia podem ser usadas em outros ambientes, em ocasiões sociais ou casuais

O Lettering Oversized, que é umas das tendências dessa coleção, reforça a liberdade e a vontade de ir além

alto verão. Com shapes que valorizam a silhueta e com design ousado, os looks transitam do fitness ao streetwear. Para a alta performance nos esportes e treinos mais intensos, as propostas com tecnologia e modelagens estratégicas ganham mais evidência e destaque. O conceito de Athleisure (uma tendência da moda, na qual as roupas projetadas para exercícios e outras atividades atléticas são usadas em outros ambientes e ocasiões sociais ou casuais), se estende para as produções day by day até o resort e também à noite. A nova coleção resgata a essência da marca com cores fortes e estampas gráficas exclusivas. São as frases de empoderamento em Lettering Oversized que reforçam a liberdade e a vontade de sempre ir além. A Treino de Menina Resort é movida e destinada a mulheres fortes e ativas. Seja sua melhor versão! Viva o Verão 2020!

O conceito de Athleisure se estende para as produções day by day da estação Representante Exclusiva das marcas:

Av. Atlântica, 2370 - Cavaleiros - Macaé/RJ Tel.: 22 99758 3050 @treinodemenina_resort

31


PESSOAS & NEGÓCIOS

O urologista Carlos Wilson Menezes reforça a importância de se fazer os exames de PSA e toque retal, pelo menos 1 vez por ano, para os homens a partir de 50 anos e, com 45, se houver casos da doença na família

PSA e toque retal devem ser feitos anualmente pelos homens para prevenir e detectar o câncer de próstata

A bióloga do Bioanálise, Pilar Nascimento, faz os exames de PSA em uma máquina de última geração do laboratório

BIOANÁLISE LABORATÓRIOS EXAMES PARA PREVENIR E PARA TRATAR O CÂNCER DE PRÓSTATA

D

Por: Tathiana Campolina / Fotos: Alle Tavares

itados populares sempre têm a sua sabedoria e, quando o tema é saúde, são válidos para você parar e avaliar como estão os seus hábitos, principalmente os homens, que têm mais resistência em manter o check-up em dia. “É melhor prevenir do que remediar”, “Com saúde não se brinca”, “Prevenção é o melhor remédio”, são alguns exemplos disso. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens e quanto mais cedo descobrir a doença, melhor será para o tratamento. O médico urologista, Dr. Carlos Wilson Menezes, explica que o exame PSA é o marcador tumoral mais utilizado na detecção do câncer de próstata e deve ser associado ao exame digital retal, conhecido popularmente como toque retal. “A orientação é que todo homem acima de 50 anos faça o PSA e o exame digital retal uma vez por ano. Se o paciente tiver algum familiar de primeiro grau com câncer de próstata, o indicado é ele iniciar os exames a partir dos 45 anos”, ressalta. A administradora do laboratório Bioanálise, Fátima Corrêa, conta que o PSA é um exame de sangue, feito na própria matriz, e o resultado sai em 24 horas. “Muitas empresas estão solicitando o PSA nos exames periódicos dos homens e isso é muito interessante, pois ajuda na prevenção”, revela.

32

A bióloga do Bioanálise, Pilar Nascimento, conta que o PSA é feito em uma máquina digital de última geração. “Fazemos o controle diário do equipamento para garantir a confiabilidade dos resultados. Colocamos o reagente e o sangue do paciente identificado com um código de barras. A máquina lê e insere o laudo direto no sistema e avaliamos o resultado”, diz. Pilar fala que é muito importante a preparação para o exame. “Se o resultado apresentar alguma alteração, nós chamamos o paciente para saber se ele cumpriu todas as orientações”, reforça. Dr. Carlos Wilson frisa que é muito importante avaliar a curva do exame e a evolução do nível do PSA, principalmente porque o câncer de próstata na fase inicial não tem sintomas, e apenas o exame preventivo poderá detectá-lo. Postos de coleta: BÚZIOS Estrada Velha da Usina, 300 - Lj 2 (Shopping Dom Quixote) - Centro Tel: (22) 2623-1081 MATRIZ Rua Visconde de Quissamã, 774 - Lj 1b - Centro - Tel: 22 2796-9800 CAVALEIROS Av. Nossa Sr.ª da Glória, 1789 - Lj 23 (Macaé Palace) - Tel:. 22 2106-6855 PQ. AEROPORTO Rua Tancredo Neves, 734 (Antiga-62) - Tel: 22 2772-5178 IMBETIBA Rua Dr. Luis Belegard, 147 - Tel: 22 2759-1579 RIO DAS OSTRAS Rua Jandira Moraes Pimentel, 326, Centro Tel: 22 2764-6429 QUISSAMÃ Rua Conde de Araruama, 738, Centro Tel: 22 2768-1577 CONCEIÇÃO DE MACABU Rua Rozendo Fontes Tavares, 9, Bocaina Tel: 22 2779-2075

@bioanaliselaboratorio www.bioanalisemacae.com.br Whatsapp: 22 99259-2691


33


PESSOAS & NEGÓCIOS Arquivo

Simone Lemos é dona da cadelinha Meg. Ela sempre leva a cadelinha para os eventos do fim do ano ou deixa com alguém da família. Da esquerda para a direita: Rogério, Laís, Simone e Maurício com Meg

Dicas para cães e gatos sofrerem menos com a agitação das festas de fim de ano

Dr. Sérgio Miranda diz que cães e gatos reagem diferentemente à agitação das festas de fim de ano

VETSLIM

CLÍNICA VETERINÁRIA

O

Por: Leila Pinho / Fotos: Alle Tavares

34

fim de ano está chegando e, junto com ele, muita agitação social. Toda essa mudança típica da época pode alegrar os seres humanos, mas, nem sempre faz bem aos animais, principalmente, os gatos. Quem afirma isso é o Dr. Sérgio Luiz Ibrahim Miranda, o Serginho, da VetSLIM Clínica Veterinária. Ao contrário dos cães, os gatos não apreciam locais com muita gente. “Os gatos não apreciam locais com muita gente estranha. Não gostam de mudanças bruscas no ambiente, sendo muito presos à rotina. Locais muito tumultuados e barulhentos deixam os gatos estressados, fazendo com que se isolem e até mesmo parem de comer e beber água. Não é raro o desenvolvimento de distúrbios gastrointestinais e urinários”, pontua Serginho. Já os cães, costumam sofrer mais nesse período do ano com os fogos de artifício. Como os cachorros têm ouvidos muito sensíveis, barulhos altos demais costumam deixá-los estressados e muito agitados. O veterinário aponta uma maneira segura de fazer com que os cães e gatos sofram menos com as festas de fim de ano. “É interessante que o dono leve seu animal ao veterinário, como forma de prevenção, e peça ansiolíticos (medicamentos que acalmam e reduzem a ansiedade). Geralmente, receito fitoterápicos, mas dependendo do caso, posso receitar também remédios ansiolíticos (da indústria farmacêutica)”, explica. O ruído de fogos de artifício, muito comum nas festas de final de ano, também é fonte de muito sofrimento para a maioria dos animais de estimação. Seus ouvidos são mais sensíveis que os nossos, isso explica em parte, o medo que sentem. O veterinário comenta que alguns cães precisam receber ansiolíticos previamente. “Quando possível, a companhia dos tutores e a permanência em cômodo calmo durante as queimas de fogos, é a melhor solução. Nunca deverão ficar presos a correntes nestes momentos,

Gizelia Trindade e a filha Bianca com suas 4 gatas e uma cadela. Ela mantém na casa alguns cantinhos estratégicos para os pets ficarem nesse período de festas

devido ao alto risco de acidentes”, conclui. Simone Lemos é dona da cadelinha Meg e, desde pequenininha, a cachorra sempre demonstrou medo de barulhos altos. “Meg fica muito estressada, mas graças a Deus nunca teve problema sério de saúde. Então, o que eu faço é evitar deixá-la sozinha. Final de ano, eu sempre a levo onde vou ou deixo com alguém da família”, fala. A técnica em segurança do trabalho Gizelia Sá Freire Trindade tem 4 gatas (Nina, Arya, Lolla e Millie) e uma cadela (LOL). Gizelia conta que cada um dos seus pets tem um temperamento diferente e que nunca tiveram problemas de saúde por conta da agitação dessa época. “Eu mantenho em minha casa, alguns cantinhos estratégicos para elas, mas tudo depende do humor delas e da quantidade de pessoas. A Arya e Millie são as mais reclusas, não são sociais, mas Lolla e Nina adoram ver o movimento. Como nunca tiveram problemas de saúde por conta disso, respeito o momento e não incomodo quando elas estão no cantinho delas”, comenta.

Al. Manoel P. Carneiro da Silva, 335 Riviera Fluminense - Macaé/RJ Tel: (22) 2773-3750 / 3081-3003 Cel: (22) 99807-7557 E-mail: vetslim@hotmail.com veterinariavetSLIM


PESSOAS & NEGÓCIOS

Ambiente inovador, com serviços diferenciados, realçam e compõem a beleza feminina

Bruna Carolina, à esquerda, com as colaboradoras Patrícia e Mirella. Ela montou o Studio BC para oferecer um serviço difereciado de beleza na cidade

STUDIO BC BEAUTY CENTER

UM NOVO CONCEITO DE BELEZA

C

Por: Renatta Viana / Fotos: Alle Tavares

om a proposta de inovar no setor de beleza, o Studio BC Beauty Center vem atraindo a atenção das mulheres vaidosas e antenadas nas tendências. A comodidade do ambiente, a localização e os serviços diferenciados são os pontos fortes do espaço, que existe há pouco mais de um ano em Macaé, sob direção da empresária Bruna Carolina. O Studio BC oferece a técnica de extensão de cílios, que consiste na sobreposição de fios sintéticos sobre os cílios naturais. São vários os tipos, como o clássico Fio a Fio: para as mulheres que optam por um conceito mais natural, porém, realçando o olhar. O Híbrido: para as que ainda preservam a naturalidade, mas desejam um pouco mais de glamour; e as mais novas técnicas, queridinhas do momento: o Volume Russo e o Volume Brasileiro, ideais para quem deseja algo mais marcante. Além disso, há o Design/Pigmentação e Microblandig das sobrancelhas; Dermopigmentação e Neutralização de Lábios; o Lamination de Cílios, uma nova técnica europeia avançada, a revolucionária (Up Lamination®), que proporciona fios mais fortes e brilhantes, pois possui uma fórmula que nutre e blinda os fios protegendo-os de agentes externos, resultando num efeito de cílios mais grossos, chamado de “filler”. Além de tratar, os naturais são moldados para cima, com efeito de curvex. O uso do rímel é liberado e a manutenção é feita a cada 2 meses, em média. Há também o alongamento de unhas em gel moldado, Polygel, AcryGel, fibra de vidro e seda. E mais uma novidade: a tatuagem joia ou tatuagem de luxo, personalizada com escritas sofisticadas. Segundo Bruna Carolina, a ideia é oferecer às clientes o que há de mais moderno, em um espaço planejado e aconchegante. “O Studio proporciona a sensação de estar em casa com todo o conforto e bem-estar. O trabalho é prático e com qualidade”, ressalta Bruna.

A empresária Alessandra Guimarães se encantou com a proposta do Studio BC pelo serviço diferenciado na extensão de cílios

A dermopigmentação e neutralização dos lábios é um dos serviços oferecidos no Studio BC e que tem conquistado as clientes

Rua Maria Francisca Borges Reid, 89 - Bairro da Glória - Macaé/RJ (Associado ao MW Cabelereiros) Tel: 22 99936-7168 @studiobcmacae

35


PESSOAS & NEGÓCIOS

Loja recém-inaugurada nos Cavaleiros chega para mudar o conceito em atendimento, inovação e relacionamento com os clientes

A proprietária Giselli de Souza Santos Muniz sempre foi apaixonada por moda e realizou um sonho ao inaugurar a Closet Store, em setembro

CLOSET STORE, UMA LOJA PRA CHAMAR DE SUA

A

Por: Tathyana Campolina / Fotos: Alle Tavares

ssim é a Closet Store, um estabelecimento que reúne marcas queridas das mulheres – como Carmim, Ellus, Cecconello e Maria Gueixa – e um atendimento personalizado. A Closet Store é fruto de um sonho da empresária Giselli de Souza Santos Muniz e que demorou dez anos para se concretizar. Além de roupas, a loja vende bolsas, sapatos e acessórios. “Eu sempre fui apaixonada por moda e tinha uma carência em conseguir roupa para mim, pois visto 34. Também percebi que algumas amigas plus size tinham a mesma dificuldade. Aqui na loja, quero atender todas as mulheres, independentemente do manequim. Meu objetivo é que todas saiam lindas, elegantes e satisfeitas”, salienta. Além dos produtos físicos, o estabelecimento também recebe encomendas. “Nós apresentamos os catálogos e temos como conseguir o manequim solicitado”, conta. Um outro diferencial é que a cliente consegue comprar desde roupas para o dia a dia até produções completas para noite e festas. “A intenção é que a mulher saia da loja para o evento, otimizando tempo, desgaste físico e psicológico”, diz. Esse foi o caso de Rayani Esteves Paula Lopes, que depois de meses

36

Letícia Olivera se encantou ao descobrir que a Closet Store vendia Maria Gueixa. Entrou, virou cliente e amiga das meninas, que sempre informam a ela sobre as novidades da loja

procurando um look para o aniversário de 1 ano da filha, conheceu a Closet Store. “Quando cheguei, só de olhar a vitrine, já fiquei satisfeita. Simplesmente a loja é fantástica, um colírio para qualquer mulher. Todas as peças são de bom gosto e qualidade, além do atendimento ser incrível. Saí de lá me sentindo uma rainha, com roupa, sapato e acessórios”, revela. Letícia Oliveira Fernandes se encantou quando viu que a Closet Store vendia Maria


Josiane Mosquini destaca o atendimento especial recebido na Closet Store e a marca Maria Gueixa

Vanessa, que trabalha na Closet Store, apresenta um look despojado e casual com uma pegada fitness

Gueixa e não pensou duas vezes para entrar. “Tem dias que passo na loja, entro, tomo café, vejo as novidades e as meninas sempre me recebem muito bem. Virou uma amizade e elas me mandam as novidades online. Gosto muito dessa exclusividade, isso me atrai como cliente e me fideliza”, explica. Giselli afirma que treinou todas as funcionárias, pessoalmente, para que as clientes encontrem uma amiga e não uma vendedora na loja. É o mesmo caso de Josiane Mosquini que adorou a loja, as marcas que ela oferece e o atendimento. “Eu adoro ir à Closet Store. O atendimento é maravilhoso, todas as meninas e a Giselli deixam a gente muito à vontade. As roupas são lindas e as que eu mais gosto são da marca Maria Gueixa”, ressalta. Agora, se você não quer sair de casa para comprar, a Closet Store também vende pela sua loja virtual, Instagram e WhatsApp para todo o país, mas se você mora em Macaé, seu pedido chega em até 1 hora. Foi o que surpreendeu Érica Rodrigues. “Conheci a loja através do Instagram, perguntei sobre tamanhos e cores, trocamos mensagens, escolhi a peça e a Giselli trouxe na minha casa. Ela é muito atenciosa, dá dicas de como usar e auxilia nas composições com acessórios e sapatos. Realmente, é um atendimento que faltava em Macaé”, conta. Na Closet Store, a cliente pode fazer um cadastro com seus dados (numeração de manequim, sapato, estilo de roupa) e informar o telefone do seu companheiro. Nas datas importantes, a loja envia mensagens para ele, com sugestões de presentes! Carlos Augusto David e a noiva Alcione Severino conheceram a loja através de uma amiga que mora no estado do Mato Grosso. “Ela conheceu a loja pelo Instagram, comprou, gostou e indicou pra gente. A minha noiva adorou as roupas e o atendimento. Como ela mora em Vitória/ES, eu resolvi voltar e comprar algumas peças que ela tinha gostado. A loja já tinha todo o cadastro, ajuda

A colaboradora Luara veste um modelagem que atende ao público plus, que vai até o 48

Carlos Augusto sempre compra roupas para a filha e para sua noiva Alcione, que mora em Vitória e conheceu a Closet Store pelo Instagram

bastante, apesar de eu saber o tamanho dela. Agora, quero trazer a minha filha para conhecer”, diz. Ah, uma novidade para o verão. Que tal juntar um grupo de amigas para fazer compras? É só agendar na Closet Store que a Giselli fecha a loja para vocês e ainda faz um coquetel ou café exclusivo! Uma inovação que Macaé ainda não viu!

Av. Atlântica, 2374 - Loja 6 Cavaleiros - Macaé/RJ Tels: 22 2021-5091 / 99771-2700 @closetstoremacae

37


PESSOAS & NEGÓCIOS

A loja da Cacau Show já virou referência para os amantes de chocolate no Centro da cidade

Loja no Centro da cidade oferece mais de 70 opções de produtos para diferentes gostos, ocasiões e bolsos

Marcos Mendonça, à frente da Cacau Show da Silva Jardim, conta com a ajuda das colaboradoras Evelyn Fernandes e Rafaela Moura para atender os clientes da melhor forma possível

NATAL MÁGICO NA

CACAU SHOW

DA RUA SILVA JARDIM

Ana Maura Gonçalves é chocólatra assumida e, sempre que vai ao Centro, inclui uma passada na Cacau Show

H

Por: Juliana Carvalho / Fotos: Alle Tavares

á séculos, o chocolate é aquele amigo fiel, que permeia de bons momentos até os rompantes de tristeza. Branco, preto, ao leite, amargo, com acompanhamento ou sem, seja lá a forma como você preferir, o chocolate é uma das poucas coisas que é, quase sempre, uma unanimidade. Em Macaé, a Cacau Show dá forma a esse lado doce da vida. Quem passa pelo coração da cidade, encontra esse pedacinho do paraíso na loja que virou ponto de referência há 10 anos na Rua Silva Jardim. Impossível não ficar deliciosamente perdido em meio a tantas opções de formas, cores e sabores. À frente da loja há três anos, Marcos Mendonça encontrou na franquia uma maneira de unir seu espírito empreendedor com o amor pelo chocolate. “Amo doce e me identifiquei muito com a proposta da Cacau Show. Os produtos têm uma qualidade e um cuidado que perpassa pelo brilhantismo inovador do Alexandre Costa, fundador da marca, que hoje figura entre as maiores redes de chocolates finos do mundo”, destaca. Se para o consumo do dia a dia não faltam opções, quando o assunto é data comemorativa, aí então, a Cacau Show se supera. Para este Natal, serão 19 variedades de panetone que prometem agradar aos mais diferentes tipos de paladar, ocasião e bolso. As linhas La Creme, La Nut e Bendito Cacau ganham versões de levar qualquer um ao delírio, além da fuga do tradicional com sabores como o Brownie, Petit Gâteau e até Zero Açúcar. Sucesso de procura em anos anteriores, a caixa porta make - uma parceria da Cacau Show com a Capricho -, estará de volta, garantindo uma bela opção de presente para os mais antenados. Quem está sempre de olho nas novidades da Cacau Show é Daniele Xavier, ela acredita no potencial certeiro do chocolate com presente. “O chocolate é uma ótima opção para presentear, é muito difícil encontrar alguém que não goste. Como estou sempre passando por aqui, sei da variedade que a loja oferece para diferentes ocasiões”, afirma Daniele, que sempre aproveita as idas à loja para garantir um de seus chocolates favoritos: a trufa de cereja. Ana Maura Gonçalves é chocólatra assumida e aproveita a localização da loja, no Centro da cidade, para matar sua vontade de comer chocolate em grande estilo. “Sempre que vou ao Centro, incluo a Cacau Show na minha lista. O atendimento é super atencioso e me faz querer voltar. Venho aqui sempre, em épocas festivas ou não.

38

Daniele Xavier acredita no potencial dos chocolates da Cacau Show como um presente especial para este Natal

O panetone, por exemplo, já se tornou uma tradição de Natal lá em casa”, revela. Além dos chocolates, a loja conta com a Gelateria Cacau Show, com gelatos que combinam perfeitamente sabor, refrescância e cremosidade, e sobremesas com as mini tortas. Seja para presentear ou saborear, na Cacau Show sempre há uma opção com certificado de delícia garantida, incluindo as linhas ZeroAçúcar e Zero Lactose.

Rua Silva Jardim, 102 - loja 1 Centro - Macaé/RJ Tels.: 22 2772-1891 @cacaushowmacae


39


PESSOAS & NEGÓCIOS

Câmara hiperbárica potencializa tratamento, diminui tempo de internação, do uso de antibióticos e surpreende pacientes

O ortopedista Jalmeir Vianna diz que a hiperbárica é indica ao combate à osteomielite, aumentando a cicatrização dos tecidos e potencializando a ação dos antibióticos

OXIGÊNIO HIPERBÁRICO E A OSTEOMIELITE Por: Tathiana Campolina / Fotos: Alle Tavares

A

ntônio José Leite foi atropelado quando tinha 15 anos, no ano de 1975. Na época, ele fraturou o fêmur em seis lugares e contraiu osteomielite. Na década de 90, já com a doença, ele voltou a fraturar o mesmo osso em dois momentos distintos. “A osteomielite vai e volta, sempre preciso retornar ao tratamento. Dessa vez, a crise iniciou em janeiro e o médico me deu a opção de não operar e fazer o tratamento hiperbárico. Resolvi acatar a última opção, sem cirurgia, e estou vendo um resultado muito positivo: a cicatrização foi mais rápida e há quatro meses a ferida está fechada”, conta. A osteomielite é uma infecção dos ossos e pode ser causada pelo sangue (hematogênica), por alterações vasculares, comum em pacientes diabéticos, ou por algum trauma de alta energia, como fraturas, lesões das partes moles e, em casos mais graves, fraturas expostas, que deixam o osso mais suscetível à infecção. O ortopedista Dr. Jalmeir Vianna explica que a osteomielite dificilmente tem cura. “O paciente sempre terá que fazer o monitoramento, pois se a imunidade dele cair e ele não cuidar, poderá reativar o foco da infecção”, destaca. O médico frisa que todas as vezes que for detectada a infecção, o tratamento indicado é cirúrgico, para a retirada do tecido doente e coleta do material para fazer cultura, a fim de identificar a bactéria que está causando a patologia. Após a cirurgia, é iniciado tratamento com antibiótico e hiperbárica. “A hiperbárica potencializa a ação do antibiótico, favorece o sistema de defesa que destrói as bactérias; estimula a cicatrização, a formação de novos vasos sanguíneos e diminui indicadores inflamatórios. Esses benefícios diminuem o

40

Antônio José tem osteomielite desde os 15 anos e sentiu uma grande melhora nos sintomas da doença depois das sessões na câmara hiperbárica no O2HM

tempo de internação e do uso de antibiótico, com um ganho expressivo para os pacientes”, lista Dr. Jalmeir. O médico hiperbarista, Dr. Frederico Matos, reforça que a osteomielite não tem cura, mas salienta que há controle. “Normalmente, o paciente com essa doença faz de 30 a 50 sessões na hiperbárica, pois apesar da fístula fechar antes, a infecção continua internamente. A câmara proporciona o aumento da quantidade de oxigênio no plasma sanguíneo e mata as bactérias anaeróbias, além potencializar algumas funções do corpo”, ressalta. A clínica Oxigênio Hiperbárico de Macaé (O2HM) possui duas câmaras na cidade: uma monoplace, localizada junto ao Hospital São João Batista, para pacientes internados, e a multiplace, com capacidade de atender até 54 pacientes por dia, na clínica da Imbetiba. Os médicos hiperbaristas acompanham a evolução do tratamento e os pacientes que apresentarem fístulas têm a opção de fazer os curativos na unidade, com profissionais especialistas na área. Antônio José declara a sua satisfação em relação ao tratamento. “A minha osteomielite é crônica, já passei por vários tratamentos, e posso dizer que este, com a câmara hiperbárica, é muito eficaz. Infelizmente, alguns médicos ainda relutam em indicar esse tratamento. No meu caso, foi um infectologista que me orientou, e estou muito satisfeito”, revela. O paciente conta que é um tratamento longo, mas que está valendo a pena. “Comecei vindo todos os dias, e agora, só consigo vir três vezes por semana, mas o resultado está chegando e o importante é que não precisei fazer cirurgia”, destaca. Dr. Jalmeir explica que a câmara hiperbárica também é muito eficiente nos casos de artrite séptica, que é a infecção nas articulações e pode ser desencadeada pela osteomielite ou vice-versa. CENTRO Rua Dr. Júlio Olivier, 346 - Sala A IMBETIBA Rua Dr. Bueno, 627 Tel. 22 2759-9082 / 99104-3406 E-mail: oxigenoterapia@yahoo.com.br


PESSOAS & NEGÓCIOS

Patrícia Pacheco organizou todo o seu closet com Tatiana, redescobrindo roupas que ficavam escondidas por falta de ordem

Serviço de organização contribui para a utilização dos espaços de maneira prática e funcional

Tatiana Pinheiro se especializou para atender seus clientes com qualidade em organização

TATIANA PINHEIRO PERSONAL ORGANIZER

T

Por: Juliana Carvalho / Fotos: Alle Tavares

atiana Pinheiro é daquelas pessoas que sabem enxergar longe uma oportunidade de negócio. Há um ano, ela decidiu dar um salto em sua carreira, saindo da área de limpeza em geral, para oferecer o serviço de organização personalizado. “Em todas as casas onde eu trabalhava, percebia que as pessoas tinham muita dificuldade nessa área. Eu já entendia um pouco do assunto e resolvi me capacitar para atender essa demanda do mercado”, revela Tatiana, que tem formação para atuar na área e está em constante atualização. A organização pode ser aplicada em diferentes ambientes como closet, cozinha, quartos, briquedotecas e até nos ambientes comerciais, como escritórios, arquivos e outros. “Organização parece ser algo simples, mas não é apenas não deixar bagunçado, é fazer uso de ferramentas que garantam a utilização ordenada de um espaço. Uma vez organizado, é possível manter assim, quando essa lógica é entendida e posta em prática por quem administra o ambiente”, explica Tatiana, que oferece ainda treinamento para funcionários tanto de empresas quanto os domésticos, para que sejam capazes de dar seguimento à organização implantada. Patrícia Pacheco está radiante com o novo modelo de organização em sua casa. “Estou muito satisfeita com o resultado. ‘Ganhei’ várias roupas, já que antes elas ficavam escondidas. Brinquei com a Tatiana que não vou precisar comprar nada por um bom tempo. É uma economia e tanto de tempo no meu dia a dia, já que agora tudo está setorizado e identificado”, garante Patrícia, que concilia a rotina agitada de advogada, mãe e atleta. Correria também define o dia a dia de Raquel Fazoli Camolezi. Seu tempo se divide entre a administração da casa com dois filhos, estar à frente da direção de uma escola e o esporte. “Acordo todos os dias às 4h da manhã, e é tudo muito corrido. O serviço que a Tatiana presta traz praticidade, leveza diária, porque você sabe que cada coisa tem o seu lugar.

Raquel Camolezi contratou os serviços de Tatiana para organizar seu quarto e também orientar sua secretária do lar nos serviços domésticos

Ela organizou todo o meu quarto de maneira bem funcional e fácil de manter. Ela colaborou muito, ainda, no aprendizado da minha secretária do lar, tornando o trabalho dela mais prático”, afirma Raquel que contou com o serviço de personal organizer também em sua cozinha. Tatiana oferece também o serviço de organização pré e pós-mudança, deixando tudo pronto para a saída e a chegada em um novo endereço, e o serviço de organização de casas para noivos. “A satisfação do cliente é a minha melhor recompensa, saber que, de fato, estou ajudando a vida de alguém é o que me motiva a querer estar em constante aprimoramento e a oferecer um atendimento de qualidade e personalizado”, conclui.

Tel: 22 99832-1806 E-mail: tatianaorganiza@gmail.com tatianapinheiropersonalorganizer

41


ESPAÇO TODESCHINI

Nana Nogueira destaca a importância de desenvolver o projeto corporativo levando em conta o ramo de negócio da empresa

Arquiteta fala sobre a sofisticação dos produtos da linha Todeschini em projetos corporativos

Na nova sede da Épora Imobiliária, um grande painel de madeira dá mais aconhego à recepção, contrastando com a sofisticação e requinte do balcão em alto brilho

NANA NOGUEIRA by Todeschini

E

Por: Renatta Viana / Fotos: Manuela Duarte e Liliana Porto

42

m um projeto corporativo, são inúmeros os detalhes que precisam ser observados pelo profissional de arquitetura, que vão além da parte estética e seguem a necessidade e atividade que a empresa apresenta, diferente dos projetos residenciais. A escolha dos móveis planejados é o ponto-chave para dar funcionalidade e beleza ao ambiente. Este é o caso da Todeschini, responsável por transformar ambientes com mobiliário planejado, inovando com tecnologia, soluções em acabamentos e tendências que reforçam a essência da marca.

Nessa minicozinha, os armários com as portas em alto brilho dão um ar de modernidade a um espaço pequeno, mas agradável

A arquiteta Nana Nogueira explica que, para um bom projeto, é imprescindível que os móveis sejam de qualidade, com design arrojado, que dão personalidade e sofisticação, acompanhando o ramo da empresa. Nos projetos da Épora Imobiliária e em seu próprio escritório, Nana conta os detalhes que fizeram a diferença tornando cada ambiente interessante, inspirador, acolhedor e moderno. “Ressaltamos a distribuição dos móveis, iluminação, acústica e a parte estética, porque em projetos de escritório não há muitos adornos decorativos, já que o próprio mobiliário se encarrega de trazer toda a beleza, seguindo o que a empresa quer transmitir, seu públicoalvo, a visão que os clientes e funcionários terão. Não é meramente um ambiente bonito. É preciso remeter


No escritório de Nana, a arquiteta quis dar uma ideia de casa, com um projeto mais limpo, com as cores nos objetos de decoração

As estações de trabalho do escritório foram compostas em uma bancada de madeira que, na parte externa, recebeu o acabamento em alto brilho

A sala de reunião do escritório de Nana recebeu uma parede de tons amadeirados, ficando mais aconchegante, apesar do espaço ser pequeno

à ideia de solidez, modernidade e requinte, pois se trata de um projeto corporativo”, explica. Os planejados são os mais indicados para esses casos, porque são versáteis, feitos sob medida e com prazo de entrega garantido, principalmente para quem não tem tempo e precisa correr com a obra. No ambiente da Épora Imobiliária, a proposta do cliente foi de transmitir requinte, modernidade e, também, a sensação de aconchego. Para isso, o tom de madeira foi usado, além de vidro e laca, que traduzem brilho e beleza.

“Na Épora, usamos um painel de madeira no pé-direito duplo, com uma porta camuflada que dá acesso ao administrativo e criando um fundo para o balcão usando um material acolhedor. No projeto do meu escritório, procurei dar um toque mais pessoal na decoração, onde as cores entram nos acessórios e adornos. Temos a madeira que traz o conforto e uma ilha que centraliza a operação para todos interajam, que é uma tendência na parte de corporativos. A sala de reuniões fica mais reservada. Lembrando sempre da leveza que os tons neutros trazem, além do toque de verde no projeto, que dá a sensação de bem-estar”, destaca Nana. Todeschini Macaé Av. Nossa Senhora da Glória, 689 Praia Campista • Tel: 22 2773-4200

43


PESSOAS & NEGÓCIOS

Loja traz nova coleção com tecnologia e conforto para o treino e para a praia

Sarah Novaes se sente confortável para malhar na academia com o modelito da Let’s Gym Nathalie Longobardi veste um biquini com saída de praia da marca Maldivas Beachwear

TREINO DE MENINA

BEACH WEAR E MODA FITNESS PARA O VERÃO 2020 Por: Gianini Coelho / Fotos: Alle Tavares

A

Treino de Menina é uma loja multimarcas que traz para você as melhores marcas no segmento fitness e beachwear. Revendedora oficial da Bro Fitwear, Let’s Gym, Legbox e a moda praia maravilhosa da Maldivas. Para esse final de ano, a loja traz novidades para surpreender as clientes, como: biquínis, saídas de praia para um verão sofisticado, além dos looks fitness, clicados no clima fresco das águas, que marcam o pré-verão. No mix, tons de azul e de dourado celebram este momento de prosperidade. O toque final fica por conta de neutros como branco, grafite, baunilha e preto. Blusas básicas e com bossa, em diversas cores, vêm para facilitar o cotidiano da mulher contemporânea. “Os looks levam do treino ao fim de um dia ameno, com liberdade de movimentos, estilo e frescor para o conforto total das clientes”, ressalta Lorenna Barbetto, proprietária da Treino de Menina. Grande parte da coleção é confeccionada em emana e elásticos personalizados. Ideal para qualquer combinação. O bojo removível e a tecnologia da malha garantem a melhora no desempenho esportivo, através dos cristais bioativos, que reduzem a fadiga muscular. Proteção UV 50+, antiodor e secagem rápida completam os diferenciais dos materiais das roupas. “A nossa loja busca promover a autoestima e o cuidado da mulher, alinhando a isso, peças de qualidade, com informação de moda. Queremos promover o cuidado com o corpo e a saúde. Então, seja seu esporte preferido a musculação, corrida, crossfit, dança, yoga... aqui você sempre encontrará o look ideal. O importante é se cuidar. Aproveite a coleção 2020 e bom verão!”, finaliza Lorenna. Representante Exclusiva das marcas:

Av. Atlântica, 1160 - Loja 3 - Cavaleiros - Macaé/RJ Tel.: 22 99811-1432 @treinodemenina

44

Nathalia Nunes Borges aproveita o look casual da Bro Fttwear para outros afazeres depois de malhar

Michely Lima Valente pratica Crossfit e sente se à vontade usando um conjunto Bro Fitwear


45


PESSOAS & NEGÓCIOS

Os proprietários e idealizadores da Serelepes Brinquedos, Adelino Lopes e Silvia Pachioni, com os filhos Miguel e Danilo

SERELEPES BRINQUEDOS EDUCATIVOS ALIA DIVERSÃO E APREDIZADO

O

Arquivo

Especialista em brinquedos educativos e pedagógicos, loja tem atraído pais e profissionais pela variedade e qualidade dos produtos

Por: Juliana Carvalho / Fotos: Alle Tavares

46

maravilhoso mundo dos brinquedos é o paraíso para qualquer criança, não é mesmo? Mas, e se, além de entreter, divertir, esses produtos oferecerem um aprendizado, um estímulo ao desenvolvimento, um convite para a interação em família? E foi exatamente isso que a loja Serelepes Brinquedos Educativos trouxe para Macaé. A loja teve seu início no mundo virtual, em 2018, com vendas online e, desde setembro de 2019, ganhou um espaço físico bem no Centro de Macaé. Os idealizadores e proprietários, Silvia Pachioni e Adelino Lopes, foram atraídos para o universo dos brinquedos educativos com a chegada de seu primeiro filho, Miguel, atualmente com 6 anos. “Sempre brinco junto com meus filhos (Silvia e Adelino também são pais do Danilo de 2 anos) e todos esses brinquedos fazem com que eles tenham essa necessidade de interação. Nos auxiliam no acompanhamento e desenvolvimento de suas habilidades”, destaca Silvia, revelando

Para este Natal, a Serelepes Brinquedos tem os presentes ideais para fazer a alegria dos seus filhos e estimular e desenvolver os pequenos, como a Torre Inteligente e o Kit de Escavação T-Rex, nas fotos acima

que foi surpreendida com a procura de psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicopedagogos pelos produtos da loja. “Esses profissionais representam a maior parte dos meus clientes. É muito gratificante atender quem realiza um trabalho tão significativo e nobre com crianças, pessoas com algum transtorno ou deficiência, e idosos”, comenta.


Bruno Carneiro com seu filho caçula Heitor, que é autista. Ele tem nos brinquedos educativos e nas brincadeiras, uma importante ferramenta de interação e desenvolvimento A psicopedagoga Angélica Alvarenga destaca os benefícios dos brinquedos educativos para o desenvolvimento das crianças em diferentes faixas etárias

A psicóloga, neuropedagoga e psicopedagoga Angélica Alvarenga destaca os benefícios desses produtos. “Os brinquedos educativos podem atender diferentes faixas etárias e necessidades. Em geral, eles estimulam o desenvolvimento em diferentes níveis cognitivos, sensorial, motor e raciocínio lógico. Na terapia, por exemplo, eles são facilitadores para que a criança possa expressar sentimentos e emoções. Além disso, vemos que em nossa sociedade os pais estão sempre sem tempo ou paciência e os brinquedos eletrônicos se tornaram verdadeiras babás. Por isso, a importância do investimento de tempo, desenvolvimento de laços afetivos, e muitos dos brinquedos educativos propiciam isso, pela necessidade de que a brincadeira seja construída. Quanto antes a criança tiver contato com este tipo de brinquedo, melhor”, salienta Angélica que é cliente da loja enquanto profissional e como mãe do pequeno Luan, de 9 anos. Bruno Carneiro conheceu a Serelepes em um evento promovido pelo grupo Motivados pelo Autismo Macaé (Mopam), fundado por sua esposa Caroline Araújo. Pai de Cléo, 8 anos, e Heitor, 6 anos, ele afirma que os produtos da loja atendem, perfeitamente, tanto a filha mais velha quanto o caçula, que é autista. “Os brinquedos são muito importantes em nossa convivência, a gente aprende brincando. Conviver com esses dois mundos, de uma criança que tem uma síndrome e outra que não, permite a gente ampliar o olhar e ver a importância de deixar a criança ser criança, comemorando cada momento e conquista, independente da limitação”, pontua. Carla Duarte, que também é cliente da Serelepes há anos, destaca que o serviço delivery que a loja oferece, com entregas em casa e até mesmo na escola da criança, é muito vantajoso e útil em várias situações. “Sou cliente da Serelepes desde a época do site. Tenho uma filha de 4 anos, a Isabela, e compro não só para ela como para todas as festinhas que vamos. A Silvia já me ‘socorreu’ em várias situações”, destaca Carla, que gosta de brincar com a filha depois do jantar, quando a família desliga a TV para jogarem juntos, o que remete à sua própria infância, como aquele “cheirinho de bolo de vó”. Além da loja física que fica localizada na Rua Marechal Deodoro, nº 246, loja 1, no Centro, as compras podem ser feitas pelo site www. serelepes.com.br e pelo Whatsapp 22 99943-7903. Para acompanhar as novidades nas redes sociais, é só seguir @serelepesbrinquedos.

Carla Duarte com Isabela, de 4 anos. Ela é cliente da loja desde a época do site e compra sempre brinquedos para a filha e para presentear

Rua Marechal Deodoro, 246 - Loja 1 - Centro - Macaé/RJ www.serelepes.com.br - Whatsapp: 22 99943-7903 @serelepesbrinquedos

47


PESSOAS & NEGÓCIOS

O chef Guilherme prefere peixes não muito comerciais e mais locais, como o olho-de-boi e o pargo

Alguma vez você já se perguntou de onde vem o alimento que consome?

Guilherme Veiga em visita à Fazenda Jogoroaba, um dos seus fornecedores de orgânicos

PETIT PETIT, COZINHA TERROIR

E

Texto e fotos: Assessoria Petit Petit

48

m um tempo em que os fatores climáticos começam a mostrar o resultado da exploração e da falta de cuidado com a terra, questionar a origem, o tempo percorrido e a cadeia produtiva de um alimento não pode ser mais uma questão ativista, mas sim, uma obrigação de todo cidadão. E é claro, mais ainda de quem trabalha no ramo, como é o caso do casal Guilherme Veiga, chef de cozinha, e Elisângela Ribeiro, sommelière. Os dois, juntos, tocam o Petit Petit, um restaurante localizado na Villa Gourmet, na Praia do Pecado, em Macaé. O casal começou a questionar não só a qualidade, mas também o sentido dos alimentos que vendiam. “Um dia, fazendo um prato com funghi porcini italiano, pensei quanto tempo e quanto trabalho aquele pacote levou pra chegar até aqui. Será que faz sentido trazer um ingrediente da Itália, com tantos produtos maravilhosos por aqui?”, questiona o chef. Foi então que deu início à busca por produtos locais de alta qualidade. A costa extremamente rica, é uma das inspirações. Do mar vêm os camarões, os peixes , os mexilhões, o polvo... De Quissamã, chegam os orgânicos. De Carapebus, os cogumelos; de Búzios, os pães de fermentação natural; e do Sul, alguns dos vinhos naturais, que representam muito bem o sentido de ‘terroir’. “O vinho foi evoluindo para um paladar global. O vinho francês, por exemplo, tem que agradar ao paladar do mundo inteiro, sem pensar onde o vinho vai ser consumido. A temperatura que consumimos este vinho por aqui, por exemplo, é diferente. Então, o mais lógico, é buscar o que a natureza nos entrega aqui. E é isso que encontramos nos vinhos naturais brasileiros: uma expressão enorme do que é a nossa terra, nosso clima. São vinhos leves,

O Polvo é um dos carros-chefes do Petit, sempre fresco, é guarnecido com orgânicos e Aioli de Páprica

A sommelière Elisângela Ribeiro com o vinhateiro Acir Boroto

com acidez mais elevada, que são perfeitos pra se beber aqui” ressalta Elisângela. E pra reforçar ainda mais essa cozinha de ‘terroir’, o Petit Petit, que completou três anos, deve ganhar um ‘irmão’. O casal planeja abrir, até março de 2020, mais uma casa, onde o foco será mais ainda a sazonalidade e os ingredientes utilizados. Já tem ponto escolhido, nome, e até cardápio, mas tudo isso só será divulgado nas proximidades da inauguração. “Nós entendemos que existe gente interessada na nossa proposta, mas não dá pra fazer isso em grande escala. E não dá pra ficar no meio termo. Não dá pra ter ovo orgânico e servir refrigerante, por exemplo. É uma contradição. Por isso, decidimos por uma segunda casa. Nós queremos que as pessoas entendam isso e passem a consumir os ingredientes em seu melhor momento. Tanto na comida, quanto na bebida. Esperamos que esta casa traga mais comida boa, ajude mais gente e valorize ainda mais a gastronomia do nosso país”, completa Elisângela.

Av. Amphilóphio Trindade, 40 - Lagoa Macaé/RJ - Tel.: 22 99947-1522 @petitpetit


PESSOAS & NEGÓCIOS

Médico do esporte se lança além do consultório, com empreendimentos na área da alimentação e CrossFit

Alessandro com a esposa Viviane, a filha Sofia e o filho Pedro. Ele está em Macaé desde 2004 e agora expandiu a área de atuação com a Dracma CrossFit e a CrossFood Congelados

Dr. ALESSANDRO MITRAUD

O

Por: Juliana Carvalho / Fotos: arquivo pessoal

entusiasmo e respeito com que fala sobre sua profissão revela a paixão que Alessandro Mitraud tem pelo exercício da medicina. Médico pela Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, com domínio em nutrologia e na área ortomolecular, o Dr. Mitraud rompe as barreiras do consultório com empreendimentos voltados para o mundo do CrossFit: a Dracma CrossFit, box inaugurado em outubro deste ano na cidade de Campos dos Goytacazes e a CrossFood, uma linha de alimentos congelados voltada para os crossfiteiros. Essa diversificação demonstra a versatilidade do Mitraud, bem como o fato de estar antenado às tendências, sem perder seu foco principal, a preocupação com a saúde. Em Macaé desde 2004, Mitraud coleciona atuações no município como médico de família e médico dos times de futebol e vôlei da cidade. Atualmente, ele divide seu tempo entre os pacientes macaenses, além de atender no Rio de Janeiro, Cabo Frio e Campos. “As pessoas estão cada vez mais buscando a atividade física como forma de ter uma vida mais saudável. O atendimento feito pelo médico do esporte busca avaliar o paciente a fim de, acima de tudo, evitar a morte súbita, com a identificação de eventuais problemas e orientações na prevenção de doenças”, explica, acrescentando que o seu público-alvo se estende de crianças a idosos, de sedentários a atletas. “O atendimento é para todo mundo, desde quem quer começar a fazer um exercício, ao atleta de alto rendimento. O foco é cuidar da saúde, e a gente entende que cuidar da saúde é comer bem, dormir bem e fazer exercício. Uma pessoa que consegue adequar bem essas três variáveis, provavelmente, irá responder bem aos seus estímulos. Por isso, a avaliação do paciente ocorre de maneira bem ampla e cautelosa”, afirma Mitraud.

Dr. Alessandro Mitraud é médico do esporte e ressalta que o acompanhamento médico é necessário para todos. Da pessoa que vai começar a se exercitar no verão até o atleta de alto rendimento

De médico a empresário

Em 2019, o envolvimento de Mitraud com o CrossFit se intensificou. O gosto pelo método de treinamento, criado pelo preparador físico norte-americano Greg Glassman, levou o médico a abrir, no início deste ano, uma linha de alimentação voltada para os crossfiteiros, a CrossFood - futuramente disponível em Macaé. Em outubro, foi a vez da Dracma CrossFit abrir suas portas em Campos dos Goytacazes. “A medicina do esporte me fez conhecer o CrossFit. Eu sou praticante e vários dos meus pacientes são do CrossFit - apesar de atender todos os tipos de atletas. O CrossFit é uma atividade bem completa, envolvendo três modalidades esportivas: levantamento de peso, ginástica olímpica e exercícios funcionais. Assim como para qualquer outra atividade física, é importante o acompanhamento adequado, por profissionais competentes e a execução em um local de fato preparado para tal”, finaliza Mitraud.

Dr. Mitraud atende em Macaé na Ultracor Rua Acapulco, 47 - Cavaleiros - Macaé/RJ Tel: 21 97536-5633 @drmitraud @dracmacrossfit @crossfoodcongelados

49


PESSOAS & NEGÓCIOS

A inauguração da loja foi prestigiada por clientes, arquitetos e construtores. Da esquerda para a direita: Gustavo, Rodrigo, Nerine, Fagner, Karin, Taciane, Andréa e Luciano

Loja na Praia Campista possui um espaço aconchegante, com fácil acesso e estacionamento próprio

INOVARE ACABAMENTOS ESTÁ DE LOJA NOVA

A

Ambientes setorizados facilitam a escolha dos materiais para compor cada projeto

Por: Inovare Acabamentos / Fotos: Leandro Foca

gora em novo endereço, a nova loja Inovare Acabamentos já está pronta para te receber! Com ótima localização e fácil acesso, a Inovare conta com estacionamento exclusivo e ambiente amplo e aconchegante, com uma equipe inteiramente dedicada. A disposição do showroom facilita na escolha dos materiais de acabamento para os diferentes ambientes que podem compor um projeto, garantindo foco em cada detalhe. Quanto aos materiais, com certeza você vai amar! A Inovare acompanha e participa das melhores mostras do setor de acabamentos do país, trazendo para seus clientes e parceiros uma grande variedade de acabamentos, inovações e os lançamentos das grandes marcas do segmento. De acordo com a arquiteta e diretora da Inovare Acabamentos, Taciane Maria Vulczak, a política comercial da empresa garante preço competitivo, materiais de qualidade e atendimento personalizado. E pensando nisso, a Inovare implantou dois novos ambientes, o Espaço Ideia e a brinquedoteca, dando maior conforto aos seus clientes e parceiros durante os trabalhos de especificação e escolha. O Espaço Ideia proporciona aos arquitetos e decoradores um ambiente reservado e dedicado à análise e definições finais sobre o projeto. Em todos os ambientes da sua obra, a Inovare quer estar presente! Você vai gostar!

50

O showroom de pisos e revestimentos é moderno e promete ter sempre novidades, proporcionando um trabalho agradável durante as especificações

A Inovare conta com grandes marcas do mercado de acabamentos, oferecendo aos seus clientes e parceiros uma ampla variedade de opções às inovações e tendências

Av. Guadalajara, 1220 Praia Campista - Macaé/RJ Tel.: 22 2762 9650 @inovareacabamentos


51


PESSOAS & NEGÓCIOS

Loja passa por processo de modernização, novidades vão do visual ao espaço físico

A fachada da loja recebeu um letreiro moderno, com a nova identidade visual que chama a atenção de quem passa pela Rua Alcides Mourão, na Aroeira

TRADIÇÃO E INOVAÇÃO MARCAM A NOVA FASE DA 2000 ELÉTRICA E HIDRÁULICA

A

Por: Juliana Carvalho / Fotos: Alle Tavares

história de empreendedorismo de Marianna e Renato de Melo Fontanha é fascinante. Em 2002, os irmãos abriram mão de um minimercado para se lançar no ramo da construção civil. O olhar visionário da época estava certo, hoje, eles comemoram a nova fase da 2000 Elétrica e Hidráulica. A loja e a identidade visual foram reformuladas, agregando modernidade e inovação ao atendimento que, há 17 anos, conquista Macaé. “Tivemos um mercadinho por cinco anos e a ideia, quando construímos esse espaço, era abrir um supermercado. Mas percebemos que, no bairro, havia uma demanda por uma loja de elétrica e hidráulica. E, foi assim, que uma loja que, a princípio visava atender apenas o mercado local, foi tomando forma e crescendo”, relembra Marianna. Renato, por sua vez, agrega a combinação perfeita para que o empreendimento da família desse tão certo. Ele cuida diretamente do relacionamento com os clientes, imprimindo nos funcionários algo que na 2000 Elétrica e Hidráulica se destaca: a qualidade no atendimento. “Renato já nasceu comerciante e eu me tornei por cauda dele”, destaca Marianna. “Ser próximo, estar na loja todos os dias, conversando, recebendo as demandas, enxergando pontos de melhorias, tudo isso faz com a gente entenda de fato as necessidades do nosso cliente, podendo assim atendê-lo melhor”, frisa Renato. O arquiteto Judson Gomes, além de consumidor da loja, sempre a recomenda a seus clientes. “Esse contato vendedor-cliente é muito importante. Os profissionais da 2000 são todos experientes, têm conhecimento sobre os produtos e isso agrega muito ao estabelecimento que, além disso tudo, ainda tem um bom preço”, pontua. Nézio Valecilo Afonso integra um grupo de postos de gasolina em Macaé, atualmente com oito unidades. Em todas elas, a 2000 Elétrica e Hidráulica esteve presente e o ‘seu Nézio’ foi um dos incentivadores para a mudança da loja. “São 15 anos de relação com a 2000. Essa atenção e a

52

Os irmãos empreendedores Marianna e Renato de Melo Fontanha têm uma história de muita luta e conquista, há 17 anos no ramo da construção

O construtor Alexandre Moreno de Souza, além de ser cliente da loja, também foi o responsável pela reforma da 2000


A loja possui um grande espaço interno, onde os produtos ficam organizados e de fácil observação O arquiteto Judson Gomes com Renato. Ele sempre recomenda a loja para seus clientes na hora de construir

Outro construtor que não abre mão da variedade, qualidade, bom preço e atendimento da 2000 Elétrica e Hidráulica é Jardel Alexandre. “Temos uma parceria de longa data, são 17 anos comprando na 2000, mesmo antes de iniciar no ramo da construção. Aqui, eles se dedicam e se preocupam com a fidelização do cliente. Não se trata de apenas vender, mas, de criar relações de confiança, e até mesmo de amizade, como é o meu caso”, destaca Jardel.

Há 15 anos, Nézio Valecilo Afonso é cliente da 2000, que atende sua rede de postos de gasolina

O construtor Jardel Alexandre tem uma parceria com a loja desde a sua abertura, em 2002

facilidade de encontrar os materiais são os grandes diferenciais que fazem a gente virar cliente”, afirma o empresário. “O fato de encontrar tudo no mesmo lugar facilita muito o meu dia a dia. Não tem essa de ter que ficar indo de um lado para outro em busca dos materiais que preciso. A gente administra de três a quatro obras ao mesmo tempo, então, as coisas têm que ser ágeis, não tenho como ficar perdendo tempo”, frisa o construtor Alexandre Moreno de Souza que, além de cliente, também foi o responsável pela reforma da 2000, tendo que lidar com o desafio de fazer a obra da loja sem a interrupção do seu funcionamento.

Nova Loja - Mesma qualidade A nova fase da 2000 Elétrica e Hidráulica é fruto de um longo planejamento e objeto de estudo da empresária Marianna durante sua pós-graduação em Gestão Empresarial. “O consumidor está cada vez mais cauteloso e exigente em relação às suas escolhas e, para isso, é preciso entender o mercado, estar antenado às transformações da sociedade e se adequar com foco na qualidade e aprimoramento contínuos do serviço prestado”, comenta. Os planos e a visão dos irmãos macaenses Marianna e Renato não param por aí. A busca pela satisfação do cliente será sempre o fio condutor a mover a dupla e a motivar toda a sua equipe a fazer sempre o melhor nessa relação comercial, que vai muito além do que simplesmente vender.

53


PESSOAS & NEGÓCIOS

Transformações editoriais marcam a história da primeira revista de variedades de Macaé. As capas acima mostram esse universo Manuela Duarte

DIVERCIDADES, 15 ANOS DE MUITAS HISTÓRIAS

O

Por: Alysson Nogueira / Fotos: Alle Tavares

54

ano de 2019 foi marcado por muitos desafios, e chegar à marca dos 15 anos de uma publicação tão importante como a Revista DiverCidades é motivo de orgulho, não só para quem move toda essa engrenagem, mas também para quem, direta ou indiretamente faz parte de toda essa história. Ao todo, foram 51 edições da popularmente conhecida como a ‘queridinha de Macaé’. Em 1999, foi realizada a primeira edição da Feira Brasil Offshore em Macaé, criando a oportunidade de se lançar uma revista para o segmento de óleo e gás, a revista Macaé Offshore. Nos cinco primeiros anos, a revista prosperou. Daí o empresário e idealizador do projeto, Gianini Coelho, juntamente com seus amigos e sócios, Alexandre Calomeni e Bruno Bancovsky, resolveram criar uma nova publicação. “Boa parte do comércio e serviços locais queria anunciar na Macaé Offshore para atingir um público selecionado. Mas a revista era uma publicação técnica e não cabia publicidade do varejo. “Em menos de 6 meses, montamos uma equipe comercial e de jornalistas para lançar uma nova revista. Assim nasceu a Revista Divercidades”, conta Gianini. A primeira edição da Revista Divercidades foi lançada em agosto de 2004 e estampava na capa uma matéria sobre o ator e modelo Rafael Calomeni. A revista trazia sempre uma entrevista exclusiva com personalidades da mídia nacional para ilustrar suas capas, como Luiza Brunet, Luigi Baricelli, Flávia Alessandra, Bruna Marquezine, entre outros. Os anos se passaram. As mudanças econômicas afetaram o país e atingiram o mercado como um todo. Em 2010, a sociedade da

O casal de empresários Gleison Guimarães e Michele Monteiro. Ela foi capa da edição Especial do Dia das Mães, no relançamento da revista em 2012. Hoje, o casal tem a revista como veículo para divulgar seus negócios

editora se desfez, e a revista DiverCidades ficou com Gianini Coelho. Ele sempre acreditou no produto e, por isso, fazia uma edição a cada final de ano para manter a marca viva. “Em 2012, eu decidi recolocar a revista no mercado, no formato que ela tem hoje, com quatro edições ao ano e com o editorial valorizando mais as pessoas da cidade, inclusive com os macaenses na capa da revista, coisa ainda inédita até então”, destaca.


A leitora Fátima Caetano guardava as edições da revista enquanto o filho estava no exterior, para que quando ele retornasse, nas férias, pudesse se inteirar sobre as novidades da cidade A “pequena notável” equipe responsável pela produção da DiverCidades. Da esquerda para a direita: Alysson Nogueira, Renatta Viana, Tathiana Campolina, Gianini Coelho, Alle Tavares, Leila Pinho e Juliana Carvalho

Julio Marinho com sua esposa Gabriela Fragoso Marinho. Ele gerência a Marinho Ideias e ela comanda a QLF Brindes e vêem na revista DiverCidades um veículo ideal para seus clientes divulgarem seus negócios

Logo de cara, o leitor percebeu a mudança e que os assuntos que a revista trazia estavam diferentes, trazendo o que tinha de melhor em Macaé, como moda, lazer, gastronomia, decoração, saúde, esporte, negócios e tendências, sempre com o foco nas pessoas da cidade, com uma cara leve e informativa. Quem aprovou esse novo formato foi a professora Lúcia de Fátima Caetano. Ela utilizava da publicação para aperfeiçoar o conteúdo pedagógico utilizado em sala de aula para seus alunos. A admiração foi tanta, que logo passou o conteúdo para o seu filho, Sávio Caetano, que morou no exterior durante alguns anos. “Quando encontrava na revista assuntos que eu sabia que interessavam ao Sávio, eu guardava, para que assim que ele chegasse ao Brasil, pudesse ler e se informar sobre as novidades. A DiverCidades é atual, moderna e variada. Os assuntos da área médica são meus preferidos. Já os assuntos ligados ao esporte são os que mais interessam ao Sávio”, pontua a leitora. A dermatologista Michele Monteiro foi capa em 2012, na edição que lançou a nova fase da revista. Ela conta como a relação de amor com a publicação foi uma alavanca para impulsionar seus negócios. “Lembro bem quando o Gianini me fez o convite para ser capa da

DiverCidades. Foi um momento especial, pois tinha acabado de ter minha filha. Estava muito feliz e lisonjeada, claro! A partir daquele momento, eu e meu marido passamos a ser clientes e divulgadores dos nossos serviços e negócios na revista. Digo a todos que essa é uma revista que dá certo, tanto para os leitores que têm acesso ao que há de novo na cidade, como para os anunciantes. São tantos anos de parceria que criei vínculos. Tenho um carinho enorme por toda à equipe! Quem não ama a Alle? E a Leila? Sempre muito querida. Desejo ainda mais sucesso e dou parabéns para um trabalho tão bonito. Macaé merece a DiverCidades!”, comemora Michele. O empresário Julio Marinho, da Marinho Ideias, foi o responsável pela reformulação gráfica e da nova identidade visual da DiverCidades no ano passado. Ele avalia que a revista é um veículo diferenciado para o mercado publicitário local. “A DVCD é um veículo ideal para o posicionamento e reposicionamento de marcas e negócios em Macaé, seja para lançamento de novas empresas ou de produtos. A publicação é indispensável para apresentar as empresas a um público segmentado na cidade”, completa. O publicitário garante que o bom resultado da revista é consolidado pelo tempo que ela atua no mercado e da credibilidade junto aos seus leitores. “O segredo do sucesso da DVCD de se perdurar há 15 anos, está na construção da sua própria identidade que hoje é sólida, clara e reconhecida pelos seus leitores fiéis”, fala Júlio. Como agência da revista, ele adianta que, para 2020, a revista fará uma nova inserção no meio digital, para ampliar a visibilidade do seu conteúdo diferenciado e dos seus parceiros. Aguardem...

Rua Dolores Carvalho de Vasconcelos, 270 - Sobreloja Bairro da Glória - Macaé/RJ - Tel.: 22 99985-5645 grupodivercidades @divercidadesmacae

55


PESSOAS & NEGÓCIOS

A loja está de cara nova, oferecendo mais conforto e praticidade aos seus clientes

Há 30 anos no mercado, além de tudo em materiais de construção, agora oferece também utilidades para o lar

Rodrigo com seu pai Mário Borsato e a equipe de vendas no novo show room da Mário Telhas, que fica na Linha Vermelha

MÁRIO TELHAS ESTÁ DE CARA NOVA

A

Por: Renatta Viana / Fotos: Alle Tavares

o longo de 30 anos no mercado, a Mário Telhas vem implementando novidades e se consolidando como uma das lojas mais completas no ramo da construção em Macaé, com um mix completo de materiais de construção. O espaço ganhou uma nova cara, começando pela ampliação da loja. De 80, passou para 320m², onde o cliente encontra materiais de construção em geral num espaço amplo, com corredores largos e climatizado. O diretor da Mário Telhas, Rodrigo Borsato, conta que o novo espaço físico proporciona mais conforto ao cliente, que vai poder comprar tudo num só lugar. “A loja mantém a sua identidade, mas agora numa versão mais moderna, climatizada, corredores amplos, onde todos os produtos são precificados nas gôndolas e prateleiras e os clientes fazem suas compras com carrinho ou cesta, sempre acompanhados pelos nossos vendedores. Isso faz diferença. Com a ampliação do espaco, consegui setorizar a loja e dar comodidade aos clientes”, diz Rodrigo. A grande novidade é que a Mário Telhas fechou uma parceria com a Rede Big Lar Center. As lojas do ramo se associam à rede e conseguem melhores negociações com os fornecedores, repassando aos clientes promoções de marcas renomadas, como: Tigre, Viapol e Argamassa Portocoll, entre outros, que são apresentados em um encarte mensal da rede. A loja tem tudo para a sua obra, como: telhas, tijolos, material de elétrica e hidráulica, acabamento, metais, ferramentas, entre outros, além de todo o material bruto, como cimento, cal, areia e brita a granel e vergalhões. “Oferecemos condições especiais para pequenos e médios construtores com facilidade de crédito para quem faz cadastro na loja”, destaca Borsato. A Mário Telhas também oferece utilidades para o lar com centenas de produtos como: ventiladores, artigos de limpeza, chuveiros, luminárias, fechaduras, torneiras e mais uma infinidade de mercadorias para manutenção das casas. O construtor Luizenito Pessanha é cliente desde quando a loja abriu. “Os produtos são de excelente qualidade e agora, com a reforma, a gente encontra tudo que precisa. O atendimento é personalizado e aqui eu tenho crédito. Hoje, esses são fatores importantes para fidelizar o cliente”, destaca.

56

Com a reforma, a loja passou de 80 para 320m2, onde além de material de construção, o cliente também encotra utilidades para o lar

Luizenito Pessanha é construtor e cliente da Mário Telhas desde a abertura da loja, há quase 30 anos

Av. Carlos Augusto Tinoco Garcia, 323 - Sol e Mar - Macaé/RJ Tel: 22 2773-4353 @mariotelhasmacae


57


MATÉRIA DE CAPA

Atividade vira tendência em todo o país e ganha cada vez mais adeptos em Macaé, com a criação de vários clubes para a prática do esporte na cidade

CHEGOU A VEZ DA

CANOA HAVAIANA! Por: Juliana Carvalho / Fotos: arquivo

58

A Canoa Havaiana vem crescendo muito em Macaé, inclusive com a realização de campeonatos, como o Macaé Water Challenge, realizado na Lagoa de Imboassica

A

ideia de estar conectado com a natureza, em uma atividade física ao ar livre, tem atraído inúmeras pessoas para a Canoa Havaiana. Com origem na Polinésia - onde originalmente as canoas serviam como meio de transporte -, a prática preserva, ainda hoje, a cultura predominantemente havaiana, por meio de nomes, símbolos e rituais. Em 2020, o esporte comemorará 20 anos de chegada ao Brasil. Nos últimos anos, o aumento de praticantes tem sido expressivo. De acordo com a Federação de Canoa Havaiana do Estado do Rio de Janeiro (FCHERJ), em 2015, eram 876 federados em todo o estado; a última atualização do órgão, em junho deste ano, aponta que são 2.206 atletas associados em 44 clubes, um aumento de mais de 150%. E como estar federado não é um pré-requisito, a estimativa é que este número seja ainda maior. E Macaé também reflete esse crescimento. Até 2018, eram apenas dois clubes. Atualmente, seis exploram a atividade seja de maneira social, entre amigos, ou como serviço, por meio do pagamento de mensalidade pelo associado. O fato é que, quem experimenta, se apaixona, e as belezas naturais da cidade, só tornam o esporte ainda mais encantador.


Marcele Siqueira Alle Tavares

Macaloha Va’a, o início de tudo

Carlos Paiva, 60 anos, é referência em Macaé. Ele carrega, com orgulho, o título de ser o pioneiro no município na prática do esporte. Foi ele que, em 2013, deu início às atividades com Canoa Havaiana na cidade. Ex-comandante da marinha mercante e aposentado do mercado offshore, Paiva dedica seus dias à canoa, estando à frente do MacalohaVa’a, o primeiro clube fundado no município. “Em 2011, tive o meu primeiro contato com a Canoa Havaiana, em Niterói. Na época, dividia meu tempo, por conta do trabalho, entre essas duas cidades. A minha aproximação com o esporte acabou afetando e tornando mais difícil o meu retorno para Macaé, sempre ficava aproveitando um motivo para ficar por lá. Foi aí que vi a necessidade de trazer para cá a prática da Canoa Havaiana. Dois anos depois, nascia o MacalohaVa’a”, recorda. Atualmente, o clube tem cerca de 40 associados que se revezam nos três horários disponibilizados de segunda a sábado, na Lagoa de Imboassica. Além da administração do clube, Paiva também é atuante na

Carlos Paiva foi o pioneiro do esporte na cidade, com a criação do Macaloha Va’a em 2013 e, hoje, além da administração do clube, se dedica à organização de campeonatos, como o Circuito Costa do Sol, criado por ele este ano

59


Gianini Coelho

MATÉRIA DE CAPA

Alle Tavares

O Macaloha, liderado por Paiva, possui cerca de 40 associados, que se revezam para remar em três horários, de segunda a sábado, na Lagoa de Imboassica

Adiel Gonçalves, primeiro à esquerda, criou o Makae Hoe junto com amigos em 2017. Hoje, preside o clube com mais de 30 associados que, além de remar, incentiva o convívio social entre os participantes

A Canoa Havaiana é mais do que um esporte. É uma forma de estar em contato com a natureza e até mesmo de educação ambiental, já que, a partir desse contato, você se torna mais consciente em relação à preservação Carlos Paiva Macaloha Va’a

organização da prática do esporte, já fez parte da diretoria da federação estadual, participa da realização de campeonatos como o Macaé Water Challenge e, neste ano, lançou o Circuito Costa do Sol, o primeiro com foco regional dedicado à atividade. “A Canoa Havaiana é mais do que um esporte. É uma forma de estar em contato com a natureza e até mesmo de educação ambiental já que, a partir deste contato, você se torna mais consciente em relação à preservação. Macaé tem uma riqueza natural enorme e a Lagoa de Imboassica oferece todas as condições para que possamos remar em segurança”, frisa Paiva que é um defensor da realização da Canoa Havaiana no local, por não oferecer tanto risco aos praticantes do esporte.

Makae Hoe

Um dos nomes que figuram entre os veteranos na Canoa Havaiana, em Macaé, é o de Adiel Gonçalves, de 54 anos. Ele iniciou sua trajetória com o Paiva, em 2013 e, em 2017, juntamente com outros 21 amigos, fundaram o Makae Hoe. Hoje, o clube conta com cerca de 30 associados, sendo

60

O Makae Hoe treina na Lagoa de Imboassica três vezes ao dia, possibilitando aos associados marcar um horário de acordo com sua agenda para a prática do esporte

presidido por Adiel, com o apoio de oito diretores. Aposentado da Marinha, com experiência em embarcações e navegação, sua identificação com a Canoa Havaiana aconteceu de forma natural. “O trabalho no mar facilitou minha adaptação a esse esporte. O bom da Canoa Havaiana é que não há limite de idade e nem muitos pré-requisitos. Apenas que a pessoa tenha condições de saúde que permitam a prática de uma atividade física e que tenha disposição, já que aqui a propulsão é feita totalmente com o esforço físico de cada um”, afirma. E haja disposição! O exercício realizado durante a remada na canoa requer concentração, sintonia - já que todos trabalham em conjunto - e coordenação motora no trabalho de braços, pernas, abdômen e tronco. A integração entre os participantes também é estimulada, o clube realiza uma vez por mês um café da manhã, buscando a socialização dos associados.

Crispy Koa Va’a

O primeiro contato de Crispiane Barcelos, 54 anos, com a Canoa Havaiana foi em 2015, no Macaloha. O sedentarismo


Crispiane Barcelos (à direita) com Vanderleia Müller no pódio do Aloha Spirit Brasil, em Cabo Frio. Crispiane criou o Crispy Koa Va’a em setembro e, além de administrar o clube, também se destaca em competições

O clube Ohana Hoa foi fundado por Ricardo Caldas (primeiro à direita) no início de janeiro e, hoje, é administrado pelo seu filho, Ricardo Caldas Júnior (primeiro à esquerda) Gianini Coelho

era uma realidade em sua vida naquela época. Por indicação de uma amiga, chegou até esse esporte como uma forma de ser mais ativa. De lá para cá, o que era apenas uma atividade física se tornou um ofício ao qual Crispi se dedica, diariamente, tendo como escritório o belo cenário da Lagoa de Imboassica. “Eu estava desempregada, à procura de um emprego com carteira assinada e, quando percebi, já estava envolvida com a Canoa Havaiana e identifiquei ali uma oportunidade para unir lazer e negócio”, revela. Assim, após passar por outros clubes, em setembro de 2019, Crispi deu início ao Crispy Koa Va’a. Recém-criado, o clube conta com 30 alunos e cinco canoas de três capacidades diferentes: seis lugares (OC-6), dois lugares (OC-2) e de um lugar (OC-1). A veia competitiva da fundadora está presente nos treinos e nos campeonatos que o clube participa. “A minha ‘vibe’ de campeonato é bem acentuada. Gosto muito dessa coisa da competição, da adrenalina e, descobrir tudo isso depois dos 50 anos, é muito bom. Remar é uma terapia, é um recarregar de bateria. É uma linda forma de começar ou terminar o dia. Procuramos preservar a cultura havaiana no respeito à natureza, à canoa, na utilização dos símbolos e na manutenção de tradições como o batismo das canoas, em que é feito um ritual de ‘entrega’ da embarcação”, ressalta.

Os grupos de Canoa Havaiana preservam a cultura e os símbolos do país de origem, como esse batismo de canoa do Crispy Koa Va’a, na Lagoa de Imboassica

Ohana Hoa Wa’a

Criado em janeiro deste ano, o Ohana Hoa Wa’a, nasceu com o objetivo de agregar amigos e familiares a participarem de um esporte saudável e em contato com a natureza, trazendo no próprio nome, de origem havaiano, essas características: Ohana, que quer dizer família e Hoa, amigos. “Esse é e sempre será nosso propósito maior: unir, remar para viver bem, se sentir saudável, útil, independente da idade, em contato e preservando sempre nosso meio ambiente”, pondera Ricardo Caldas Júnior, 38 anos, que administra o clube fundado pelo pai, Ricardo Caldas. “Sempre tive ligação com esportes náuticos, meu pai era treinador no Clube de Natação e Regatas Campista (Campos dos Goytacazes). Com isso, pratico remo e canoagem desde que nasci. Em 2016, tive meu primeiro contato com a Canoa Havaiana e, este ano, resolvemos ter nossas próprias embarcações”, relembra Ricardo Caldas, o pai, que comemora os benefícios de um estilo de vida mais saudável ao longo dos seus 59 anos de idade.

A comodora do Ohana Hoa, Cristiane Rebelo (fora da canoa) não praticava nenhum esporte até conhecer a Canoa Havaiana, em 2016

61


Karine Verdoon

MATÉRIA DE CAPA

Gianini Coelho

O clube Vela Jovem entrou na Canoa Havaiana em 2016. Eles iniciaram na Lagoa de Imboassica e, hoje praticam na Praia da Imbetiba. Na foto, da esquerda para a direita: Karine Verdoon, Ludmila Candeco, Cristiane Montebello, Alex Oliveira e os filhos de Cris, Katarina e Jorge

Estar ao ar livre, em plena sintonia com a água, e com a canoa é muito prazeroso. A canoa tem essa capacidade de fazer a gente se apaixonar CRISTIANE REBELO Ohana Hoa Wa’a

Ligada ao clube, Cristiane Rebelo, não praticava nenhum esporte até conhecer a Canoa Havaiana, em 2016. Cris é conhecida pela boa circulação em todos os clubes e até participa de competições a convite dos parceiros. “Meu relacionamento com os clubes sempre foi muito positivo, tudo o que aprendo repasso para quem está iniciando, incentivo o esporte independente da finalidade, seja para lazer, bem-estar ou competição. Estar ao ar livre, em plena sintonia com a água, com a canoa é muito prazeroso. A canoa tem essa capacidade de fazer a gente se apaixonar”, destaca.

Vela Jovem

62

Entrando, literalmente, na onda da Canoa Havaiana, está o Vela Jovem. Inicialmente destinado à vela, o clube criado em 2016 se rendeu ao encanto da Canoa Havaiana e, desde 2018, passou a ter a prática como grade de suas aulas por meio da #canoavelajovem. “O nosso foco está no aprendizado. Muito mais do que remadores, a gente quer formar navegadores. Por isso, a gente está sempre se atualizando, indo em busca

O Vela Jovem tem o foco nas travessias e competições oceânicas e utiliza os conhecimentos náuticos de Cristiane e Karine para remar com segurança

dos melhores professores, tudo para que nossos alunos tenham conhecimento de todos os elementos da navegação e domínio técnico”, explica Cristiane Montebello, 41 anos, que está à frente do clube, que iniciou as atividades na lagoa e mudou-se recentemente para a Praia da Imbetiba. Ela destaca a importância do acompanhamento e conhecimento específico para quem quer realizar a prática no mar, como é o caso deles. “Estamos aqui na Praia da Imbetiba porque entendemos de navegação e dos critérios de segurança necessários à prática em um ambiente como esse”, ressalta Cris. A nutricionista Ludmila Candeco, 33 anos, está entre esses novos adeptos que não se veem mais longe da canoa. “Vim a convite de uma paciente em junho deste ano. E, na primeira vez que eu vim, de madrugada, e vi o sol nascendo, aquele cenário lindo na lagoa, pensei: gente, é aqui que eu quero ficar! Uma das coisas que mais me atrai é o fato de trabalhar corpo, mente e alma. Eu tenho que estar ali, estar presente, concentrada. Acordo às 4h30 da manhã sorrindo para remar, é algo que me dá muito prazer”, conta Ludmila que acompanhou a migração das aulas da lagoa para a Praia da Imbetiba. “Macaé tem um grande potencial para qualquer esporte náutico. Eu vim de São Paulo e, quando cheguei aqui, me apaixonei à primeira vista. A Canoa Havaiana é um esporte em que todas as pessoas se unem por um objetivo só. Essa ligação acaba extrapolando o esporte em si e reflete nas relações sociais. Nosso enfoque está em travessias e competições. Estar competindo para nós é divertido e motivador, um objetivo para a nossa preparação, como um aluno que estuda para fazer prova”, destaca Cris.

Atua Va’a

A ligação com o mar já unia um grupo de amigos, entre eles, Ian Whyatt e Rosalvo Júnior. Em 2017, eles se juntaram a mais 13 pessoas e compraram uma canoa. O Atua Va’a se diferencia dos demais clubes por não oferecer aulas ou ter associados. A utilização da canoa é restrita aos proprietários e seus convidados. “Todos os integrantes vêm de esportes náuticos, como o surfe, stand up paddle, natação e kite surf, com participação em competições e travessias. Essa conexão


Billy Jonatas Billy Jonatas

O Atua Va’a é um grupo fechado, criado por Ian Whyatt, que reuniu os amigos para comprar uma canoa e praticar o esporte na Praia da Imbetiba. Da esquerda para a direita: Rosalvo Júnior, Diogo Brun, Juli Santos, Ian Wyatt, Michele Freire e Fabrício Barcelos

O Atua Va’a se especializou em travessias oceânicas e vai sempre ao Arquipélago de Sant’Anna. Também já foi até Rio das Ostras e Búzios Aloha Spirt

trouxe o desejo da gente remar junto e a canoa possibilita isso. Por isso, resolvemos comprar uma canoa e levaá-la para o mar, sendo os pioneiros na cidade a fazer isso. A ideia era até fazer um time, mas preferimos focar na recreação”, afirma Ian, que atua como capitão do grupo e reforça que a experiência dos praticantes é fator crucial para que a remada seja realizada com segurança na Praia da Imbetiba, onde o grupo atua. “A gente usa a canoa como estilo de vida. Com isso, fomos estreando algumas rotas como Macaé-Búzios, Ilha de Sant´Anna, fazendo algo diferenciado na cidade. O grupo tem uma agenda semanal e regras para utilização da embarcação que são respeitadas por todos os proprietários. Essa conexão com o oceano, com os amigos e atividade física para mim é fundamental. O legal da canoa é isso, me permite me conectar com a natureza e estar em harmonia com o mar, sendo uma ótima pedida contra o estresse e a correria do dia a dia”, declara Rosalvo.

Claudio Roy: competições de canoa no auge dos seus 62 anos

Cláudio Paulista, o Roy, se destaca nas competições nacionais e internacionais. Ele participou do Mundial de Canoa Havaiana no Taiti em 2018 e, recentemente, ganhou o Aloha Spirit, em Cabo Frio, na sua categoria Gianini Coelho

Até os 50 anos de idade, Cláudio Carneiro, o ‘Cláudio Roy’ ou apenas ‘Paulista’ era só um amante do surfe. Mas, ao conhecer a Canoa Havaiana, em 2015, isso mudou. Atualmente, os dias de Roy, que é aposentado, são dedicados aos treinos e competições que participa com a canoa, tendo passagens no Mundial de Canoa Havaiana, em 2018, no Taiti, e estando classificado para o Mundial de 2020, que será no Havaí. “Aos 9 anos, eu já surfava, então, minha ligação com o mar é muito forte. Com o surfe, eu não tinha um desempenho para competir, depois, no stand up paddle, comecei a ter alguns resultados, indo me destacar na Canoa Havaiana, sendo o campeão sul-americano, brasileiro e carioca, dentro da minha categoria etária. A canoa para mim é algo surreal, essa coisa de você se deslocar por meio da sua própria energia é apaixonante. Macaé tem uma riqueza natural muito grande, um presente para os amantes dos esportes aquáticos”, conclui.

Loko Va’a

O grupo reafirma o crescimento do esporte na cidade e só foi descoberto pela redação da revista no fechamento desta edição. Criado por Rodolfo Araripe e Mariana Vilardo no final de setembro, o Loko Va’a rema na Imbetiba e possui apenas 12 participantes, sendo fiel à cultura polinésia, com respeito à canoa e à natureza. “É um esporte de harmonia”, frisa Rodolfo.

O Clube Loko Va’a rema na Praia da Imbetiba e conta apenas com 12 pessoas e não tem intenção de aumentar o número dos participantes. Na foto, da esquerda para a direita: Edgard Oliveira, Luciana Vasco, Diogo Dócio, Cátia Paula, Bernardo Araripe e Mariana Vilardo

63


TENDÊNCIA

Fotógrafos captam com espontaneidade a conexão entre pais e filhos, eternizando momentos de amor

Alessandro Zanetti e Paula Bernardes e os filhos fizeram um ensaio em casa com Joanna há dois anos e adoraram o resultado

FOTOS DE FAMÍLIA, UM REGISTRO PARA A POSTERIDADE

O

Por: Tathiana Campolina / Fotos: arquivo Joanna Cohen e Raphael Bózeo

64

mundo mudou e a fotografia também. No início do século passado, eram aquelas fotos posadas, amareladas, com o casal sentado e os filhos ao redor, os homens com terno e as mulheres de vestidos rendados. Um registro da família tradicional indispensável na época. Já nas décadas de 1960 e 1970, os fotógrafos ofereciam seus serviços de casa em casa, onde somente as crianças eram fotografadas, com suas melhores roupas e em vários ambientes do lar, e depois entregavam o álbum já com as fotos impressas em um tamanho grande, que fez parte da nossa história. E como são as fotografias de família hoje? Quais são as tendências? Hoje, percebe-se que o lifestyle e a fotografia documental são os dois estilos mais procurados pelas famílias. As pessoas buscam espontaneidade, leveza e sentimento nos registros fotográficos. E há fotos para todos os gostos.

Lifestyle

A fotógrafa Joanna Cohen trabalha com fotos de família há 9 anos e se especializou em fotos lifestyle

Joanna Cohen trabalha com fotografias de família há 9 anos. Ela se especializou em fotos lifestyle, que são fotos espontâneas, autênticas, que refletem o dia a dia das pessoas com uma direção mais leve. Antes do ensaio, ela dá dicas de roupas, por exemplo, e no dia sugere atividades, brincadeiras para eles fazerem. “A partir do momento que há uma interação da família, vou registrando os sorrisos e a conexão entre eles. Fica um trabalho bem bonito. Esses ensaios podem acontecer na casa do cliente ou ao ar livre. O registro em casa é bem especial e único, pois o cenário é o ambiente que eles vivem, retrata o momento que a família se encontra, os objetos de decoração e brinquedos daquele momento e fica uma fotografia muito pessoal e carregada de amor. Já os ensaios externos


Jéssica Ribeiro com o filho Arthur. Ela contratou os serviços do Raphael, que passou 24 horas registrando as atividades do seu dia

O jornalista e fotógrafo Raphael Bózeo se encantou com a fotografia documental e oferece um registro da vida dos clientes

têm a natureza como cenário e ela te proporciona cenários únicos, como uma nuvem diferente que compõe a cena em um dia, um pôr do sol rosa que surge em outro dia...”, salienta. Joanna completa informando que o ensaio lifestyle da chegada do bebê na família também é uma tendência atual. Paula Bernardes e Alessandro Zanetti fizeram um ensaio em casa há dois anos com a Joanna e a ideia de contratar esse estilo de fotografia de família surgiu após a indicação de uma amiga. “Nós nunca havíamos contratado um fotógrafo para fazer foto da família e, logo depois que o Luiz (hoje com 5 anos) nasceu, eu tentei fazer o registro dele a cada três meses. Mas eram ensaios muito cansativos, ele nunca gostou de fotos, não ficava parado e desistimos. Quando a Ana fez 1 ano (hoje com 3), uma amiga sugeriu conhecer o trabalho da Joanna, que não tinha fotos posadas e foi muito tranquilo”, contou Paula.

O carinho que eu tenho com a fotografia documental é para sempre. É uma pena que quando eu era criança, não havia esse tipo de registro. Gostaria de ter uma foto tomando banho de mangueira, brincando no tanque da casa da minha avó JÉSSICA RIBEIRO MARTINS Cliente de Raphael Bózeo

“Achei bem legal esse tipo de registro, pois retrata detalhes da nossa vida que a gente até esquece. Algumas lembranças do dia a dia vão se apagando e, quando vemos a fotografia, ela, estão eternizadas”, reforça Alessandro. O casal revela que, no início, achou estranho usar a casa como cenário, mas garantiu que é muito especial. “A visão da fotógrafa é diferente. Quando vemos as fotos, lembramos até do cheiro daquela época”, destaca.

65


TENDÊNCIA

Paula explica que não percebeu uma direção: “Ela interagiu muito conosco. Perguntava para as crianças: ‘do que vocês mais gostam de brincar? Me mostra!’ e ela fazia as fotos da gente ali...”, diz Paula, que está grávida e já pensando em um segundo ensaio lifestyle com a família.

Fotografia documental

Joanna registrou Alessandro, Paula e os filhos em momentos descontraídos da família, como brincar com as crianças

Tanto no lifestyle quanto na foto documental, o foco principal do trabalho do fotógrafo é o registro das crianças em momentos que ficarão eternizados nas fotos da família

Raphael registrou momentos de Jéssica, como marido Fábil Kallel e o filho Arthur durante um dia inteiro, acabando por se integrar ao ambiente da família, quase despercebido

66

O fotógrafo e jornalista Raphael Bózeo se especializou em fotografia documental e explica sobre essa arte que vem encantando. “A foto documental mostra o cotidiano da família, registrando a época em que ela vive. O projeto é individual e varia conforme o desejo do cliente. A primeira pergunta que eu faço para quem me contrata é: O que você quer guardar? Quais os momentos da vida você quer ver daqui a 20 anos?”, conta. Nesse trabalho, Raphael tem pacotes de passar 24h com a família, 6h e, ainda, uma vez por mês - durante seis meses ou um ano, por exemplo. Antes do trabalho, Bózeo troca muitas informações com o cliente. “Quanto mais eles me conhecem e se acostumam comigo, melhor serão as fotos. É importante ressaltar que esse estilo de fotografia resgata a essência da família e encontra a beleza na rotina familiar. As pessoas se identificam muito, mas, ao mesmo tempo, sei que é um estilo de fotografia que não é para qualquer um. Esse trabalho é muito maior que uma foto bonita para colocar nas redes sociais, é o registro de uma herança visual, de uma memória que os pais deixarão para os filhos”, destaca. A fotógrafa Jéssica Ribeiro contratou Raphael quando o filho Arthur tinha 1 ano e a sessão foi no dia em que ela e o marido, Fábio Kallel, completavam 8 anos juntos. “A fotografia documental tem uma carga emocional muito maior que a posada. É sem maquiagem, sem direção e realmente mostra o que vivemos”, diz Jéssica. Ela revela que pediu para Raphael fotografar o banho do Arthur: “queria muito guardar aquele momento, as carinhas que ele fazia”, afirma. O fotógrafo passou 24h com a família. Durante essas horas, ele registrou o café da manhã, a ida ao mercado de peixe, a produção do almoço, o descanso da tarde, o banho do Arthur, a hora da papinha, a relação da família com o cachorro... “O carinho que eu tenho com a fotografia documental é para sempre. É uma pena que quando eu era criança não havia esse tipo de registro. Gostaria de ter uma foto tomando banho de mangueira, brincando no tanque da casa da minha avó”, diz. Jéssica está grávida e conta que já está pensando em um segundo ensaio documental com Raphael. As tendências estão sempre em constante movimento, mas uma coisa continua a mesma, a vontade dos pais de registrar as relações de amor com os filhos na família, que é a base da nossa sociedade. Esses momentos mágicos e encantadores passam rápido e vale muito a pena registrá-los para a posteridade.


67


GASTRONOMIA

Antiga prática da charcutaria vira hobby e atividade comercial entre amantes da forma mais natural de produzir alimentos

Para Rafael Viana, que faz linguiças artesanais pra consumo próprio, o melhor desse alimento é a suculência

LINGUIÇA ARTESANAL, REDESCOBRINDO SABORES

V

Por: Leila Pinho / Fotos: Alle Tavares

68

ocê já comeu uma linguiça feita apenas com pernil, ervas naturais, sal, bacon e aipim? Ao cortar essa carne, um pedaço branco pode induzir o seu cérebro a pensar que é gordura. Mas não é. Trata-se de um pedaço picado de aipim. O sabor é delicado e dá pra sentir o gosto de cada ingrediente. Tudo muito diferente das linguiças das grandes marcas, que a maior parte das pessoas está acostumada a consumir. Na contramão dos alimentos industrializados, cheios de aditivos químicos, algumas pessoas estão resgatando um modo antigo de produzir comida, bem mais natural e artesanal, com a tradicional

Uma das dicas de Rafael pra acertar na produção é escolher um corte de carne com gordura e seguir a proporção média de 70% de carne e 30% de gordura


O charcuteiro Felipe Padovam é produtor de linguiças artesanais e vende seus produtos para alguns estabelecimentos de Macaé, como a Padaria Forno, que compra suas linguiças para preparar suas receitas. As linguiças de costela bovina com queijo, de pernil com bacon e aipim e de frango com queijo e goiabada (em sequência nas fotos acima), são alguns dos sabores que ele produz

charcutaria. Uma maneira de produzir alimentos com métodos de preservação naturais usando por exemplo a salga, a cura, a fermentação, a defumação, entre outros, de qualquer tipo de carne. É por meio dessa técnica que são feitas as linguiças artesanais, copa, bacon, presunto, defumados, confits, etc. Em Macaé e região, pessoas como Rafael, Felipe e Cristiane, dedicam parte do tempo a fazer linguiças desse jeito. O empresário Rafael Viana, de 34 anos, também se diverte “charcutando” com as linguiças. Formado em gastronomia em 2013, ele já conhecia a técnica da charcutaria dos tempos de faculdade e já fez salsicha e até carnes curadas. Alguns anos depois, ele teve a oportunidade de fazer um curso de charcutaria em Macaé e a chama do interesse reacendeu. “No curso, o chef desmitificou muito sobre a carne de porco e a indústria. A linguiça artesanal de porco é branca, porque essa é a cor da carne de porco. Não é como a industrializada que leva corantes. E o sabor da

Eu sinto que a cultura da linguiça artesanal é subvalorizada. Essas receitas são mais saudáveis, naturais, carregam histórias e emoções. Na França, por exemplo, isso é muito valorizado. Quanto mais rústico, mais valor tem RAFAEL VIANA Empresário / Charcuteiro

69


GASTRONOMIA Cristiane Ibrahim curte os sabores das linguiças que produz, sempre junto com os amigos. Da esquerda para a direita: Maria, Cristiane, Augusto, Leninha e Vitor

70

artesanal é outro, tem gosto de carne de porco”, diz. Rafael faz linguiças para o consumo da sua família e pra confraternizar com os amigos. “O legal é compreender a base da receita. É essencial pra fazer todo o resto. Seleciono um corte com percentual de gordura próprio, entre 25 e 30%, misturo com outros cortes e vou testando outros ingredientes”, fala. Uma das receitas que ele destaca é a de porco com pera, gorgonzola, alho e ervas finas. O empresário comenta sobre outra que fez bastante sucesso entre os amigos, feita com muito queijo meia cura. “O que tem de melhor nessa linguiça é que ela é molhadinha. Essa suculência vem da água mesmo”, pontua Rafael. Rafael lamenta que, na opinião dele, o excesso de burocracia dificulte o surgimento de mais produtores de linguiças artesanais e de charcuteiros, e assim, um menor número de pessoas possa experimentar esses alimentos feitos de forma saudável. “Eu sinto que a cultura da linguiça artesanal é subvalorizada. Essas receitas são mais saudáveis, naturais, carregam histórias e emoções. Na França, por exemplo, isso é muito valorizado. Quanto mais rústico, mais valor tem”, argumenta. O charcuteiro Felipe Pinhal Padovam, de 33 anos, traz o costume de produzir linguiças da infância. Natural do interior de São Paulo, ele veio de uma família de agropecuaristas com tradição em produzir linguiças artesanais para consumo próprio. “Eu fazia porque queria ajudar meu pai. Era tudo fresco. Eu ajudava a matar o porco, ajudava a preparar a carne e fazíamos tudo no mesmo dia, com temperos frescos, naturais e sem conservantes”, recorda Felipe. Ele conta que, naquela época, as linguiças eram resfriadas de um jeito que boa parte dos moradores urbanos desconhece: no sereno da noite. Hoje, Felipe vive em Rio das Ostras e acabou trazendo a tradição das linguiças artesanais junto com ele para o estado do Rio. Ele criou a Pantaneiro Linguiças Artesanais, um negócio que começou depois dos amigos dele provarem as linguiças e insistirem pra que começasse a produzir localmente. Atualmente, o charcuteiro produz quatro sabores: a de pernil com bacon e aipim, a de fraldinha com pimenta biquinho e rúcula, a de frango com queijo e goiabada e a de costela bovina com

Fotos de arquivo Cristiane

A tripa de porco natural é uma marca das linguiças artesanais, como a linguiça Viking, com pimenta, criada por Cristiane

Cristiane já desenvolveu várias receitas de linguiças artesanais que, diferente das industrializadas, levam produtos naturais, sem aditivos químicos

queijo, todas ensacadas na tripa natural do porco. “Essa é uma linguiça mais gourmet, feita pra churrasco ou pra assar. Tem um percentual de gordura baixo e, por isso, também é mais saudável”, fala. Segundo ele explica, o segredo pra manter a suculência, mesmo com pouca gordura, está em um ingrediente: a água. Além de alguns estabelecimentos comerciais em Rio das Ostras, Felipe já está vendendo suas linguiças artesanais em alguns lugares de Macaé, como o Xurrasclube, Kebab Store e a Padaria Forno. Sua


Cristiane já comercializou suas linguiças artesanais, como a linguiça de alho, que era muito apreciada pelos consumidores

ideia é ampliar os locais de distribuição dos seus produtos para que as pessoas descubram o verdadeiro sabor da charcutaria. A analista de RH, Cristiane Ibrahim, de 45 anos, é uma amante da charcutaria. Ela faz as linguiças para consumo próprio desde 2016 e até já comercializou. Cristiane chegou a fazer 14 sabores diferentes, todas receitas que ela mesma criou e foi aprimorando. Atualmente, Cristiane produz linguiças uma vez por mês pra consumo próprio e pra fazer churrasco com os amigos, sempre com uma receita diferente. É uma forma de confraternizar e aguçar os paladares e as amizades. De todas as receitas já criadas, Cristiane tem as suas preferidas. “A de carne de porco, com queijo minas padrão, parmesão, açafrão e tomilho é muito boa. Essa eu vendi muito. Tem também a de gorgonzola, que leva carne de porco, tomilho, gorgonzola e temperos. Uma delícia”, lembra. Para ela, o sabor é inigualável. “É leve, macia e fresca. Dá pra sentir o sabor dos temperos e da carne muito bem”, opina. A dica dela pra fazer uma boa linguiça artesanal é seguir o percentual de 70% de carne para 30% de gordura. Ela apresenta como é o processo de trabalho para produzir as linguiças. Primeiro tem que moer a carne e depois colocar os temperos, fazendo com que isso vire uma massa. Essa massa é mexida com as mãos e depois vai para a geladeira. Cristiane adora essa parte de colocar a mão na massa. “Deixo dois dias descansando na geladeira e no terceiro dia ensaco com a tripa de porco natural”, explica. Diante dessas experiências, vale a pena experimentar e perceber a diferença entre a linguiça artesanal e a tradicional. O sabor é delicado e dá pra sentir o gosto de cada ingrediente de uma forma particular. Tudo muito diferente das linguiças das grandes marcas. Além de ser mais saudável, é um convite a uma degustação de qualidade e à descoberta de novos sabores.

71


ESPORTE

Apesar de ser uma prática exigente, busca pelo corpo perfeito vem se popularizando em Macaé Vivian Mussi conquistou seu primeiro pódio em 2017 e confirmou sua trajetória de sucesso ao sagrar-se campeã Wellness no Arnold South América 2019

FISICULTURISMO PROJETA ATLETAS MACAENSES

Por: Gabriel Coimbra / Fotos: arquivo pessoal

72


Flávio e Sérgio Mariola foram homenageados este ano no Mr. Macaé por serem um dos pioneiros do esporte na cidade Flávio Losada (à direita), com seu primo Paulo Zanoni, em Nova York, em 1993. Flávio iniciou a prática do fisiculturismo com o primo Paulo

O

interesse pelas academias segue em plena expansão em suas mais variadas modalidades. A busca pelo corpo perfeito se popularizou e a prática de atividades físicas com foco no fisiculturismo fez com que o bodybuilding se tornasse um estilo de vida que envolve mais do que ganho de massa muscular e simetria. Exige muita dedicação, comprometimento com o corpo e com o objetivo de chegar ao topo. O fisiculturismo em Macaé é um esporte com origem nas décadas de 70 e 80. Inspirados em astros do esporte como Arnold Schwarzenegger, Sérgio Oliva, Larry Scott, Dave Drapper, Lou Ferrigno, Frank Zane, Serge Nubret e Rob Robson, nomes como Flávio Losada, Sérgio Mariola e Ica iniciaram a prática do fisiculturismo na cidade, conquistando competições locais e regionais. “Começamos a treinar em casa com o Paulo Peixoto, meu irmão Dalton e um amigo chamado Aquiles. Fizemos alguns pesos e compramos outros que trazíamos do Rio ou de Campos. E mesmo com as dificuldades, nos primeiros campeonatos que participei em Macaé, consegui o primeiro e o segundo lugar”, lembra Flávio Losada, um dos precursores do fisiculturismo em Macaé. A partir daí, outros nomes locais do esporte apareceram. “Começamos na academia União do Ica. Lá era onde todos os fisiculturistas de Macaé se encontravam. Depois vieram a Academia Artus e a Antônio José, e um grupo maior de fisiculturistas se formou”, completa. Grupo de precursores do esporte que pôde se sentir homenageado no início deste ano, quando Flávio Losada e Sérgio Mariola receberam uma menção especial durante o evento Mr. Macaé. “Fomos homenageados no Mister Macaé e foi uma grande surpresa. Foi muito legal a lembrança por parte dos organizadores e é muito bom ter esse reconhecimento”, diz Flávio.

Construindo um atleta

O fisiculturismo cresceu e evoluiu com a expansão no número de academias, as novas tecnologias e métodos de treino. Hoje, a construção de um atleta de alto nível exige uma alimentação balanceada com a prática de exercícios e

Aqui em Macaé, vale ressaltar dois ícones do esporte na década de 90: Flávio Losada e Sérgio Mariola. Hoje, atletas da região disputam em diversas categorias. E esse crescimento se deve a essas pessoas BRUNO MACHADO Fisiculturista

acompanhamento minucioso por profissionais capacitados para desenvolver o físico e prepará-lo para competição sem que a saúde seja comprometida. A super campeã Vivian Mussi, além da rotina intensa de treinos, destaca que é indispensável manter uma rigorosa dieta e ajustar horários à rotina alimentar. “A alimentação é bastante restrita. Não faço ingestão de carboidrato e de qualquer tipo de açúcar, a dieta é acompanhada semanalmente e levo minha marmita para onde vou”, revela a atleta, que conta com apoio de algumas empresas da cidade, como a academia Equipe Atlética e a farmácia Água Viva, entre outros. A bodybuilder faz questão de enfatizar que o acompanhamento profissional é fundamental para se manter saudável em um esporte tão exigente. “Nunca tive nenhum problema de saúde, pois tudo é controlado. E não tem como ser diferente. Sem acompanhamento de profissionais habilitados e competentes, como meu treinador Jeferson Amaro, o médico Rodrigo Schroder, não tenho como ser atleta e não dou um passo”, alerta Vivian. O atleta Bruno Machado, que também vem se destacando no esporte, diz que o fisiculturismo exige disciplina e a

73


ESPORTE

Bruno sagrou-se campeão do Mr. Rio em sua categoria agora no mês de setembro

Vivian Mussi coleciona vários títulos e sua meta agora é competir no Mister Olympia, em Las Vegas

Bruno Machado compete na categoria Men´s Physique e se classificou para disputar o Arnold Classic 2020

abdicação de muitas coisas. “Treino seis vezes na semana e minha rotina começa às 5h, com um aeróbico em jejum por uma hora. À noite, o treino de musculação e, logo após, mais 30 minutos de aeróbico. No período de preparação, que se inicia de seis a oito semanas antes do campeonato, a alimentação passa a ser ainda mais regrada”, relata. Bruno ainda lembra que para um corpo são, a mente sã é indispensável. “A mente é um importante instrumento e, se não está totalmente condicionada a suportar a carga emocional de uma competição ou preparação, esse descompasso acaba se refletindo automaticamente na performance esportiva e no resultado”, pontua.

Orgulhos da terra

Tanta dedicação já rende frutos aos dois competidores macaenses. Vívian Mussi, logo em suas primeiras competições na categoria Wellness (mulheres com um corpo não muito musculoso, com padrão de baixa gordura e medidas proporcionais, mantendo as curvas e traços femininos), se sagrou campeã do Mr. Cabo Frio, em 2017, e vice do Mr. Rio, disputado em 2018. Os torneios foram realizados pela International Federation of Bodybuilding and Fitness (IFBB). Em 2018, ainda veio o título do Mr. Brasil, realizado pela Brasil Fisiculturismo e Fitness (BRAFF) e considerado o Campeonato Brasileiro da categoria. No mesmo ano, ela ainda faturou a 4ª colocação no Mr. Olympia, que foi realizado pela IFBB Pro League pela primeira vez na América do Sul. Este ano, Vivian confirmou sua estrela ao sagrar-se bicampeã da Wellness no Arnold South América 2019, considerado um dos maiores eventos de fisiculturismo do mundo e que foi realizado em São Paulo.

74

Agora, ela mira vôos ainda mais altos. “Ano que vem, tenho planos de competir no Mister Olympia em Las Vegas (EUA), dependendo dos custos. Não é algo fácil, pois requer muita determinação e são necessárias parcerias, pois ser atleta é um gasto muito grande. Mas, quem tem vontade, precisa ter foco e correr atrás”, pondera. Já Bruno Machado, que concorre na categoria Men’s Physique (homens com físico menos musculoso, com aspecto atlético e que avalia questões como simetria corporal e beleza), começou nas competições de fisiculturismo há um ano e meio e já tem em sua estante os troféus do Campeonato Mr. Rio de Janeiro 2019 (BRAFF) e do Campeonato Cariocão 2019 (NPC), que o classificou para o Arnold Classic 2020 e que ele define como inesquecível. Mas ele quer mais. “Infelizmente, no Brasil, os patrocínios ainda são muito baixos. Trabalhamos para que as grandes empresas comecem a enxergar nosso esporte e nos deem oportunidades. Objetivo, determinação e foco são as armas para o sucesso. Levo isso no meu dia a dia”, afirma. E Bruno mira o futuro sem deixar de exaltar os atletas que abriram portas para o esporte na cidade. “Aqui em Macaé, vale ressaltar dois ícones do esporte na década de 90: Flávio Losada e Sérgio Mariola. Hoje, atletas da região disputam em diversas categorias. E esse crescimento se deve a essas pessoas. O destaque delas levou uma federação, a BRAFF, a realizar o Mister Macaé aqui este ano”, finaliza.


75


VIDA

Homens e mulheres de meia-idade estão encontrando, no surfe, um novo jeito de enxergar a vida, próximos à natureza e do convívio social

N

Por: Gabriel Coimbra / Fotos: arquivo pessoal

a vida, assim como na tela do computador, chegamos numa fase em que temos que escolher: desligar ou reiniciar. E muitos estão escolhendo o “reiniciar” de uma forma muito especial, encontrando no surfe um novo jeito de enxergar a vida, começando ou recomeçando no esporte quando já passaram dos 50 anos de idade. A modalidade está caindo no gosto dos “surfistas prateados”, pessoas na meia-idade que encontraram no surfe uma atividade para se manter em movimento e socializar. Uma terapia sem a pressa ou as cobranças tão comuns aos mais jovens.

Além do radical

76

Apesar de seus 35 anos, o instrutor Cláudio Freitas já acumula muitos anos de surfe, esporte que pratica desde criança. Além de competir profissionalmente, ele se tornou professor, técnico e árbitro de surfe. Em suas aulas, Cláudio percebe o aumento na procura pela faixa etária acima dos 50 anos, quando as pessoas já estão mais estabilizadas pessoal e profissionalmente. “O surfe começou a ser visto com outros olhos após os resultados dos brasileiros em competições do circuito mundial, inclusive pelas pessoas de mais idade, por verem que o surfe

Alvarenga Jr.

NAS ONDAS DEPOIS DOS 5O ANOS Claudio Ramos, de 60 anos, encontrou no surfe, através do contato com a natureza e o convívio com o pessoal da praia, uma terapia para superar um momento difícil em sua vida

é um esporte que promove a saúde. A maior parte de meus alunos é adulta, alguns já ultrapassaram os 50 anos”, conta. O professor explica que é um esporte possível para todos, independentemente da idade. O fator fundamental é a dedicação. “Todos os meus alunos acima dos 50 anos conseguiram surfar, com mais facilidade ou menos. As limitações existem em todas as idades. A diferença é que o jovem é afoito, quer fazer tudo acontecer no tempo que ele imagina. Já os maduros são mais pacientes, encaram o esporte como qualidade de vida”, diz. Os equipamentos adequados também fazem a diferença. “Sem um bom equipamento, não se consegue atingir o objetivo principal que é ficar de pé na prancha. Ele precisa estar de acordo com a altura, o peso e considerar até se o aluno tem alguma experiência com o mar”, explica. Com dedicação, Cláudio garante que os benefícios são muitos. “Diminui o estresse, melhora a respiração e a capacidade cardiorespiratória, fortalece e tonifica a musculatura, aumenta a resistência, melhora a coordenação motora, aumenta o equilíbrio e melhora até o sono”, enumera.


Leandro Foca

O professor de surfe Cláudio Freitas, ao centro, diz que o esporte não tem idade para começar a praticar e que a procura do público acima de 50 anos tem crescido Edna Cerante, com 67 anos, começou a surfar depois dos 50 e já viajou para vários lugares no Brasil e exterior para praticar, como Pavones, na Costa Rica, em 2011

Mente sã, corpo são

Quem retrata o bem-estar trazido pelo surfe é a médica dermatologista Edna Rosalina Motta Cerante. Aos 67 anos, ela descobriu o esporte para vencer o desafio da longevidade com mais saúde. Edna sempre gostou de praticar esportes: academia, ginástica, escalada, montanhismo, trilha, ciclismo, tênis... Mas foi após completar 50 anos, que “se deu” o presente de aprender a surfar. “Pensei ‘estou com meio século de vida e se não surfar agora, nunca mais eu vou’. O surfe me dá prazer. Faço muito exercício, estou sempre rodeada de amigos e me desligo de tudo quando estou na água”, lembra. Mas, apesar de se manter sempre ativa, Edna reconhece as limitações que os anos trazem. “É preciso orientação e cuidar do físico. Limitações sempre vão existir. Depende de cada um encará-las ou não”, indica. Porém, para ela, os benefícios compensam. “Fiz algumas surf trips para ‘brincar’ de pegar onda. Me encantei com a Costa Rica, onde encontrei lindas praias, águas quentes, ondas longas e de todos os tamanhos. Encontrei no surfe o prazer em me divertir, desligar dos problemas, conversar com pessoas de cabeça boa e o contato com a natureza. Não tem nada melhor que isso”, relata.

A terapia do surfe

A depressão é como maré que sobe de repente, e até mesmo os surfistas precisam encarar essa onda gigante. E uma dessas quase “quebrou” em cima de Cláudio Roberto da Silva Ramos, de 60 anos. Mas no surfe ele encontrou o recomeço. Na verdade, a história começa quando Cláudio tinha 15 anos e começou a surfar, com direito a conhecer lendas como Rico de Souza, Pepê, Daniel Friedmann. Porém, a paixão acabou perdendo espaço para as responsabilidades da vida de adulto.

Pensei ‘estou com meio século de vida e se não surfar agora, nunca mais eu vou’. O surfe me dá prazer. Faço muito exercício, estou sempre rodeada de amigos e me desligo de tudo quando estou na água EDNA ROSALINA CERANTE Médica e Surfista

“O trabalho foi tomando um espaço maior no meu dia a dia e parei totalmente. Minha vida foi voltada ao comércio, à família e a criar meus filhos. Até os 51 anos, nunca mais surfei”, lembra. O reencontro de Cláudio com o surfe, após mais de 30 anos sem subir em uma prancha, veio depois de um momento difícil de sua vida pessoal. “Passei por um momento difícil na minha vida e voltar ao surfe foi a minha válvula de escape. Estava definhando por não comer e não dormir. Meu incentivo maior para voltar veio de amigos e familiares que me aconselharam a viajar para Itacaré/BA. Foi lá que, ao invés de me afogar em remédios por conta da depressão, fiz do surfe minha terapia e consegui me refazer”, afirma.

77


VIDA

Leonam Alexandria

Yassim Irabi, de 55 anos, realizou o sonho de criança de subir em uma prancha e surfar as ondas no mar, depois de se estabilizar na vida

Jackson / Studio 59

Depois, foi a vez de se dedicar ao sonho dos filhos, que também se formaram em medicina. “Há uns 15 anos, comecei a procurar alguém que me orientasse, pois era difícil encontrar professores realmente profissionais, além de não ter o tempo necessário naquele momento, já que trabalhava muito para que meus dois filhos fizessem faculdade”, conta. O surfe entrou, de fato, na vida de Yassim há três anos. “Conheci os mestres Claudinho e Mosquito e a minha rotina foi sendo moldada de acordo com os ensinamentos deles: condições do mar, clima, vento, melhor hora do dia para praticar o esporte, de acordo com a minha rotina médica”, afirma. A paixão pela medicina, ele conseguiu transmitir aos seus filhos mais velhos. Já o surfe, está “na veia” de sua caçula: “Dos meus três filhos, os mais velhos são médicos. Já a menorzinha, com 10 anos, adora o surfe. No meu caso, tem as limitações físicas, por conta do corpo mais ‘maduro’. Mas, independentemente da idade, ficar em pé numa prancha é um grande prazer”, brinca.

Paixão em família

Nubia Rosa, de 53 anos, começou a surfar há 2. Ela surfa apenas no verão, quando o mar está mais propício para iniciantes

Mas, em dezembro do ano passado, Cláudio levou outro susto: uma queda de motocicleta a mais de 130 km/h, por conta de óleo derramado na pista, teve como resultado, uma lesão no ombro que o impediu de surfar este ano. “Hoje, entendo que a cabeça tem o mesmo ímpeto de quando eu era mais jovem, mas o corpo já é outro. Só que, enquanto eu achar que consigo surfar e andar de moto, vou seguir com essas duas paixões”, reforça Cláudio, que já pretende voltar a surfar nesse verão.

Se o mar não vem até o surfista...

78

O Mato Grosso do Sul é um lugar de cenários deslumbrantes, como o Pantanal e a cidade de Bonito, que são dois dos destinos ideais para o turismo no Brasil. Só falta uma paisagem: o mar. E foi pela televisão que o médico sul-mato-grossense de 55 anos, Yassim Irabi, conheceu o surfe. Uma paixão à primeira vista, que virou a promessa de um dia estar no meio das ondas, em cima de uma prancha. Até cumprir a promessa, se formou, consolidou carreira e constituiu família.

Quem disse que as mamães não acabam “dropando” umas ondinhas também? A médica Nubia Cordeiro Rosa, de 53 anos, adotou o surfe como esporte praticado em família. Ela sempre gostou do esporte, mas morava numa cidade sem praias e nunca teve oportunidade de aprender. Já em Macaé, há dois anos, resolveu ter aulas com seu filho. “Meu filho achou muito engraçado, pois, no início, não conseguia me manter em pé na prancha. Me perguntou se eu iria continuar com as aulas e eu disse que sim. Os professores Cláudio Freitas e Mosquito dão todo o suporte pra isso, com pranchas adaptadas aos iniciantes, e ficam ao seu lado, comemorando todas as suas vitórias”, complementa. Nubia já está na sua temporada de surfe: “Como o mar em Macaé é difícil para iniciantes, pratico apenas no verão. Faço aulas às 7h e não atrapalha em nada o meu trabalho. Estar na praia só me estimula a começar o dia com mais disposição e alegria”, finaliza a médica.


79


PERFIL

Rossine acendeu a Tocha Olímpica quando ela passou por Macáe, nas Olímpíadas do Rio, em 2016

ROSSINE MEDEIROS, 80 ANOS DE BOAS HISTÓRIAS

U

Por: Renatta Viana / Fotos: arquivo pessoal

80

m verdadeiro ícone em Macaé, conhecidíssimo por todos e, por onde passa, deixa um “bom dia” carinhoso e sorridente, principalmente, no calçadão da Avenida Rui Barbosa, onde costuma passar as manhãs lendo seu jornal. Quem não conhece Rossine Medeiros, certamente, ainda o conhecerá um dia. Essa figura tão importante da cidade chega aos seus 80 anos com uma história de vida fantástica, esbanjando saúde, vitalidade, energia e alegria. Natural de Santo Antônio de Pádua, no noroeste fluminense, de uma família de 15 irmãos, Rossine chegou a Macaé em 1957 para servir ao Exército. Ainda bem jovem, fez curso de formação de professores no Rio de Janeiro em 1962, prestou concurso público para o estado e passou. Sendo assim, iniciou sua trajetória como professor de Educação Física na Escola Matias Neto, até ser convidado para lecionar no tradicional Colégio Estadual Luiz Reid em 1965 e lá ficou como diretor do colégio até 1991, quando se aposentou. Ainda assim, continuou a dar aulas de natação no Castelo, no Polivalente, em academias e até em cidades vizinhas. Seu maior tempo de vida profissional foi ligado ao Luiz Reid mas, como professor, realizou inúmeros feitos em nome do esporte, como a 1ª Olimpíada Estudantil em Macaé em 1963, envolvendo as instituições: Matias Neto, Irene Meirelles, Visconde

Alle Tavares

Uma vida inteira dedicada ao esporte, grandes feitos em sua carreira e o reconhecimento mais que merecido

O lugar preferido de Rossine é o calçadão da Av. Rui Barbosa. No banco, ele encontra todo mundo e ainda lê seu jornal

de Araújo, Raquel Reid, Télio Barreto e Luiz Reid. Entre as modalidades disputadas estavam: futebol de campo, de salão, voleibol, basquete, natação, atletismo (com corrida, lançamento de peso e dardo) e salto em altura e distância. Em 1984, realizou a 1ª Corrida de Macaé a Rio das Ostras, um feito inédito para a época. Rossine também é Benemérito da Federação Carioca de Futebol e ajudou o esporte Taekwondo a chegar no Brasil.

Envolvimento com a política

Em 1982, foi Secretário de Turismo de Macaé, quando promoveu a 1ª Feira de Artesanato com diversas atividades espalhadas pela cidade. Nas eleições de 2018, surpreendeu a todos se candidatando a deputado estadual, quando obteve mais de mil e quinhentos votos. Rossine tem título de cidadão macaense e mérito municipal de Carapebus, inclusive, ele contribuiu para a realização das primeiras eleições em Carapebus e Quissamã.


Rossine, vascaíno de coração, acabou de completar 80 anos. Na festa, com a filha Iara Lúcia e a neta Gabriela

Em 1965, começou a lecionar Educação Física no Colégio Estadual Luiz Reid, onde permaneceu até 1991, quando se aposentou

Momentos importantes

Em 2007, tiveram os jogos Pan Americanos no Rio de Janeiro e Rossine foi convidado para carregar a tocha por 200 metros. Em 2016, nas Olimpíadas do Rio, o ápice, acendeu a tocha olímpica, quando esta passou por Macaé. Foram momentos inesquecíveis para ele. “Foi uma emoção sem igual. E pra completar, o Comitê Olímpico ainda solicitou um discurso, e eu, muito emocionado, fiz. Nunca me esqueci daquele momento. Enquanto eu discursava, tocava uma música do Queen”, lembra. Sobre a sua vida pessoal, o professor abriu o coração e contou que foi casado por mais de 10 anos e, dessa união, nasceu sua única filha Iara Lúcia, mãe de sua grande paixão, a neta Gabriela. Da família imensa de 15 irmãos, hoje Rossine só tem uma irmã, a Risete Medeiros, com quem compartilha muitos momentos de alegria. Durante a entrevista, cada lembrança o remetia ao passado. Falou sobre o time do coração, Vasco da Gama, que inclusive, a família inteira era de vascaínos e a tradição vem se perpetuando. Seu vício é ler jornal e rever os amigos no coração de Macaé, o calçadão. É sentado no banquinho que ele reencontra diariamente colegas de trabalho, alunos e muitos amigos transitando pra lá e pra cá. No auge dos seus 80 anos, seus hobbies são caminhar e nadar. “Meu lema é aproveitar a vida. Já trabalhei demais e agora já é hora de descansar. É como a metáfora do elefante, que vive em manada. Quando um deles percebe que já deu sua hora, vai dando espaço para os mais novos, porque já concluiu a sua missão. Assim eu faço. Como dizia Santo Agostinho, no final das contas, a gente deixa o que tem e leva o que fez”, cita. As lições não param por aí, pois o professor, além dessa aula de vida, ainda surpreende ao dizer que diariamente pratica o desapego ajudando entidades filantrópicas e vive com muito pouco. “Basta o essencial, nada de exagero. A felicidade é um bem que se multiplica ao ser dividido”, comenta.

Lembranças de menino

Rossine conta que foi um garoto muito levado e que sua mãe

Depois de se aposentar, Rossine continuou dando aulas de natação em vários lugares da cidade, como a Academia Corpo & Movimento

passava poucas e boas com ele. Aos 8 anos de idade, ele e os amigos brincavam de mocinho, polícia e ladrão no cemitério de Pádua, deixando as famílias preocupadas. Para acalmar Rossine, sua mãe decidiu colocá-lo para fazer catecismo e primeira comunhão na esperança de centrar a cabeça do menino, mas, mesmo assim, ele aprontava. “Eu pulava o muro da igreja e roubava todas as frutas dos pés das árvores. Não sobrava uma. Era carambola, manga, mamão...Tudo eu pegava, aí o padre me mandava confessar e rezar uma infinidade de Pais Nossos e Aves Marias”, recorda. Não satisfeito com as peripécias que aprontava e, chateado porque como “castigo” passava o dia rezando, Rossine entrava na sacristia e comia todas as hóstias do padre não deixando nada para os fiéis. “Ao invés de ajudar na igreja, eu atrapalhava (risos). Até que chegou o dia da primeira comunhão e havia uma mesa muito bonita, cheia de doces, chocolates, tudo que mamãe tinha feito. E um amigo começou a me caçoar porque eu estava todo arrumado. Eu pulei em cima dele, sujei todos os convidados de chocolate e fiquei uma semana de castigo”, se diverte Rossine lembrando que, naquela época, o castigo das crianças se chamava “vara de goiaba”.

81


GENTE QUE FAZ

Pessoas com deficiência têm acesso a artes marciais através do projeto

João Lemos, em pé, à esquerda, é um dos criadores do projeto, que oferece aulas de Jiu-Jítsu no Centro de Treinamento (CT Macaé)

PROJETO LUZ VERDADEIRA Por: Renatta Viana / Foto: Alle Tavares

C

82

rianças, jovens e adultos de Macaé têm acesso a aulas de Jiu-Jítsu, Judô e Karatê através do Projeto Luz Verdadeira. Um projeto social de iniciativa da Loja Maçônica Lacerda Agostinho, n° 3769. O objetivo principal é promover a inclusão social entre pessoas com algum tipo de deficiência física ou mental: autismo, síndrome de down, surdez, cegueira, amputação de membro ou outras limitações, por meio das artes marciais. O projeto começou a ser idealizado em outubro do ano passado e, em março deste ano, saiu do papel. As aulas acontecem todas as sextas-feiras, de 11h30 às 13h, no Centro de Treinamento (CT Macaé), que fica na Rua Barão de Mauá, nº 80, no Centro. São 30 alunos em atividade e agora mais 30 vagas serão abertas, graças à doação de material feita pelos funcionários da rede bancária Santander, de Macaé. Dois dos integrantes do projeto, João Lemos e Herman Oertel, explicaram que as aulas são gratuitas, com instrutores graduados e há uma equipe disciplinar com psicólogos, psiquiatras e nutricionistas, que dispõem de atendimento e assistência necessária. “O intuito é permitir o convívio de pessoas com ou sem deficiência, mostrando à sociedade que é possível superar barreiras em seus cotidianos, e que colaborando uns com os outros, a superação de suas limitações se torna mais fácil”, fala João. As aulas são ministradas pelos instrutores Ricardo Teixeira, João Lemos, Alberto Junior, Roberto Muller e Leandro Alvitos, que desenvolvem com os alunos uma metodologia que complementa os trabalhos fisioterápicos tradicionais, estimulando a confiança e disciplina. Atualmente, existe o apoio de algumas instituições e colaboradores para tocar o projeto mas, ainda assim, há espaço e

Com a doação feita pelos funcionários da rede bancária Santander, de Macaé, serão abertas mais 30 vagas para novos alunos participarem do projeto

necessidade de mais voluntários. Para ajudar, basta ir ao CT num dia de aula ou entrar em contato pelas redes sociais: @projetoluzverdadeira.

Engajamento

O instrutor da iniciativa, João Lemos, esteve na ALERJ (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) para apresentar o Projeto ao Presidente da Comissão da Pessoa com Deficiência, o deputado estadual Gil Viana, que demonstrou interesse em expandir o formato do projeto. Além disso, o grupo participou de uma palestra sobre o Autismo em Campos e se reuniu com a Comissão Municipal em Defesa das Pessoas com Deficiência para avaliar estratégias e mais ações. O objetivo desses encontros é trocar informações com os poderes públicos regionais e locais, buscando melhorias para as pessoas com deficiência. Em Macaé, há apoio, interesse e participação da MOPAM (Motivados pelo Autismo Macaé), APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), entre outras instituições.


83


84

Profile for Revista Divercidades

Edição 52 DVCD - Revista Divercidades  

Nesta edição, a última de 2019 a matéria que estampou a capa da DVCD foi a Canoa Havaiana, que virou tendência em todo país. Além da matéria...

Edição 52 DVCD - Revista Divercidades  

Nesta edição, a última de 2019 a matéria que estampou a capa da DVCD foi a Canoa Havaiana, que virou tendência em todo país. Além da matéria...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded