Page 1

Uma mensagem para o Dia das

Mães!

Pág. 02 Ano 10 - Nº 95 - Faculdade de Jornalismo - PUC-Campinas - 10 a 25 de maio de 2012

Bares temáticos atraem torcedores A paixão nacional pelo futebol chega até bares do interior e da capital paulista. A decoração é modificada, com fotos, flâmulas, bandeiras, escudos, adesivos, caricaturas de jogadores, que os transformam em locais peculiares para o encontro de torcedores, que tornam esses lugares verdadeiras ‘arquibancadas’ Pág. 05 Bar na Vila Madalena, em São Paulo, celebra o São Cristóvão do Rio de Janeiro

Dilema: videogame ou bosque A influência de jogos eletrônicos no comportamento de crianças e adolescentes é preocupação constante de pais e psicólogos. Além de limite de tempo de jogo e dar responsabilidades além da escola para os filhos, atividades ao ar livre são importantes para o desenvolvimento de habilidades sociais. Pág. 04 Crianças observam fósseis no museu de História Natural

Sistema de som em ônibus Projeto propõe sistema de som para deficientes visuais em ônibus urbanos

Pág. 06

“Projeto Orelhinha” Programa visa operar crianças e adultos que tem orelha de abano deformidade das orelhas - gratuitamente

Pág. 06

Sonho Realizado!

Segunda Chance!

A carioca Fernanda de Oliveira conta como foi o encontro com o seu maior ídolo, o líder da banda Foo Fighters, Dave Grohl

Pessoas que não tiveram a oportunidade de estudar na infância, a encontram no programa EJA

Pág. 07

Pág. 07

ONG GAAR Grupo de Apoio ao Aniaml de Rua, busca orientar a população sobre métodos para diminuir a superpopulação dos animais de rua

Pág. 03


02

10 a 25 de maio de 2012

Carta ao leitor

Para você torcedor, que lamenta não estar presente em todos os jogos, acompanhando e apoiando seu time do coração, é que o Saiba+ edição de maio preparou uma matéria especial: vamos apresentar a você, caro leitor, bares para torcedores aqui em Campinas e na Capital, que oferecem um ambiente esportivo, em clima e ritmo de campeonato, com direito a bandeiras, quadros, cardápio diferenciado e uma decoração para deixar qualquer torcedor sentindo como se estivesse em uma segunda arquibancada! Saber dosar jogos eletrônicos e atividades ao ar livre é o desafio de muitos pais dessa geração hi-tech, que mal aprendeu a falar já sabe

brincar no computador. A principal preocupação dos psicólogos é com o desenvolvimento das habilidades sociais das crianças, extremamente importante para um crescimento saudável. Uma alternativa para isso são as atividades ao ar livre e, por mais urbanizada que seja, a Região Metropolitana de Campinas tem ótimas opções de bosques, zoológicos e áreas de lazer ao ar livre. Confira ainda nesta edição, duas grandes oportunidades: um projeto de lei para instalar um sistema de som nos ônibus circulares para auxiliar deficientes visuais e o “Projeto Orelhinha” que oferece cirurgia gratuita para quem tem as chamadas ‘orelhas de abano’.

Notas

Por Ubiratan Maia Jr. e Letícia Araújo

Exposição fotográfica no Museu de Arte Moderna de São Paulo

Está aberta, até o dia 27 de maio, no Museu de Arte Moderna (MAM) em São Paulo, a exposição do fotógrafo German Lorca. “Acontece ou faz acontecer”, este é o tema do evento, que tem como objetivo mostrar fotos flagradas ou produzi-

das pelo fotógrafo. A mostra é gratuita e ocorre de terça a domingo e feriados, das 10h da manhã às 18h da noite. O MAM esta localizado no Parque Ibirapuera, s/n°. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (11) 5085.1300.

Rodeios

Hortolândia Será realizada entre os dias 16 e 20 de maio a 8ª Festa do Peão de Hortolândia. A festa, acontece na principal avenida da cidade e contará com shows de Gusttavo Lima, Jorge e Mateus, Fernando e Sorocaba e Luan Santana. A entrada de menores de 16 anos só será permitida com acompanhamento pelo responsável legal. Informações no site www.rodeiodehortolandia.com.br

Americana Entre os dias 06 à 17 de junho será realizada a 25ª Festa do Peão de Boiadeiro de Americana Terá shows desde sertanejo tradicional com Rio Negro e Solimões, passando por expoentes do sertanejo universitário com Michel Teló e Ivete Sangalo. Também haverá mais atrações. O rodeio acontecerá no Pq. de Eventos CCA, na Rodovia Anhanguera, Km 120,5, logo após o pedágio de Nova Odessa.

Crônica

Tu é massa de manobra, heim mané!

Letícia Araújo

No mês de abril, Campinas passou por um grande momento histórico: o prefeito Pedro Serafim Junior que estava interinamente assumindo o cargo, passou por uma eleição indireta juntamente com outros três candidatos. Como de costume, e após acompanhar as cassações de dois prefeitos da cidade, fui a Câmara Municipal de Campinas para “cobrir” o acontecimento. Um dos candidatos e inclusive o mais curioso deles, foi o vereador Antonio Francisco dos Santos, que é mais conhecido como O Politizador. Ele iniciou sua carreira política, após utilizar um megafone para falar de política nas ruas de Campinas. No dia em que aconteceu a eleição indireta, o plenário da Câmara Municipal de Campinas estava repleto de

jornalistas e também de cidadãos campineiros que prezam por um bom representante para a cidade, e que inclusive fizeram alguns manifestos, pois pela terceira vez a cidade correria o risco de mudar a direção do Palácio dos Jequitibás. E lá estava ele, Antonio Francisco dos Santos, elegante com um terno cinza e com sua barba bem feita esperando para fazer seu discurso. Ele dizia que se candidatou a prefeito de Campinas como um protesto para combater a corrupção. Ao subir na tribuna, começou seu discurso dizendo que em seu governo seria imprescindível à participação da população, afinal sente que a opinião dos cidadãos vale muito, outro ponto curioso de sua fala foi quando ele disse que quer acabar com essa tremenda corrupção e que fez sua campanha política,

com somente 800 reais, acredite, ele disse isso, neste exato momento os campineiros que estavam no plenário acompanhando a eleição caíram na risada, até ele mesmo, O Politizador riu do que disse e ainda acrescentou, “Vocês são massa de manobra, hein, manés!”. E assim seu discurso foi chegando ao fim, com poucas propostas. E o mais instigante foi o voto que recebeu o dele mesmo. Os jornalistas que ali estavam chegaram até comentar de uma forma pejorativa, se ele iria votar nele mesmo, pois ele não decepcionou a imprensa. E como já era de se esperar Pedro Serafim, ganhou as eleições com 22 votos dos vereadores. Com isso a cidade aguarda as eleições que ocorrerão em outubro, quando os eleitores finalmente expressarão o seu voto.

MÃE!

Fugir do clichê para falar de mães não é fácil. A sua sempre é a mais linda, a mais batalhadora, mais amorosa, mais leoa... É sempre a melhor melhor do mundo em tudo. Minha mãe costuma dizer: “Não quer presente no dia das mães. O melhor presente são as atitudes no dia a dia”. Nesse caso, concordo e discordo. Sei que ela se sente valorizada nas pequenas coisas do dia a dia, mas com a correria que vivemos hoje, quando mal temos tempo para comer, deixamos passar as oportunidades de agradecer e mimar essa pessoa tão especial, sem a qual não estaria aqui. Deixando de lado loucura capitalista em que esse dia se transformou, acho importante tê-lo no calendário. Dedicar ao menos 1 dia no ano à nossa mãe, que sonhou ou se surpreendeu com a nossa chegada, mas que abriu e sempre abrirá mão de tanta coisa pra ver nossos olhos brilhando e o sorriso em nosso rosto. Afinal, mãe é uma só. E é para sempre. Com muito amor às mães da nossa equipe e a todas as mães leitoras do Saiba+, desejamos que o dia de vocês seja mais que especial! Tatiane Bueno

Jornal laboratório produzido por alunos da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, do Centro de Comunicação e Linguagem (CLC) Diretor: Prof. Dr. Rogério E. R. Bazi Vice-diretora: Profa. Maura Padula Diretor da Faculdade: Prof. Lindolfo Alexandre de Souza. Tiragem: 2.000 | Impressão: RAC. Prof. Responsável: Luiz R. Saviani Rey (MTb 13.254) Editores: Ana Carolina Menani e Tatiane Bueno

Diagramação: Ana Carolina Menani, Laísa B. Diório, Letícia Araújo, Samanta Purgato e Tatiane Bueno Matérias: Ana Carolina Menani, Laísa B. Diório, Letícia Araújo, Renata Cunha, Samanta Purgato, Tatiane Bueno e Ubiratan Maia Jr.


10 a 25 de maio de 2012

03

ONG ajuda animais de rua

O GAAR procura realizar um trabalho de conscientização e defendem o direito aos animais Laísa Borges Diório

O GAAR – Grupo A webdesigner Ivana de Apoio ao Animal Cubas, que adode Rua – é uma ONG tou uma cachorrinha ambientalista, fundada através do GAAR, na cidade de Campi- afirma que é muito imnas em 1999. Tem portante que a ONG como principal objetivo defenda a questão da ajudar animais de rua responsabilidade de por meio de ações que adotar um animal e procuram solucionar os esterilizá-lo. “Existem problemas de super- muitos animais abanpopulação nos centros donados, então esse é urbanos, ocasionada um meio de evitar que na maioria das vezes essa situação piore. pelo abandono, tendo Vou fazer isso quancomo reflexo atropela- do a “Lola” estiver na mentos, maus-tratos idade adequada”, cone difusão de doenças. ta a dona da cachorrinEm 2004, o grupo ha, hoje com 4 meses. se uniu ao Instituto de Como a ONG não Valorização da Vida possui abrigos e tamAnimal (IVVA) e, por- bém não faz o recoltanto o GAAR ficou himento de animais, inativo, realizando desenvolve o trabalho assim suas ações de orientação e interatravés do Instituto. venções como procedMas, em 2009, nove imentos veterinários a integrantes da ONG preços acessíveis para decidiram retomar as todos os animais abanpropostas iniciais e, donados e abrigados até hoje, esse mesmo nas casas de voluntárigrupo a administra. os, por pessoas que Além desse grupo, os encontram nas ruas contam também com e também por quem a participação de vol- os adota via ONG. untários que ajudam “Ainda não utilizei os nos bazares - que tem procedimentos vetera renda revertida para inários indicados pela o cuidado dos animais, ONG, mas pretendo bingos beneficentes e usar quando for castrar feiras de a “Lola”, “O poder público adoção e tamrealizadas em Campinas é bém já durante a b s o l u t a m e n t e aproveitodo o ano to para omisso(...)” na cidade. castrar Dentre minha as diversas ações e outra cachorra tammetas da ONG, a mais bém”, disse Ivana. importante é a esteriliAlém dessas ações, zação cirúrgica de cães a ONG realiza tame gatos - mais conhe- bém mutirões de cida como castração. castração em locais Segundo o GAAR, a carentes, onde não esterilização é benéfi- há nenhum tipo de esca, pois além de evitar trutura. Fazem feiras a reprodução, também de adoção e, através previne doenças como de visitas, buscam a piometra (enfermi- contato e negociações dade bacteriana no com veterinários conendométrio), infecções veniados para realizar no útero e ovário, os procedimentos doenças hormonais, clínicos necessários. diminui as brigas en- Procuram também latre cães e também res temporários para ameniza o mau cheiro os animais resgada urina dos gatos. tados e realizam um

Foto: Divulgação

Ivana e sua filha aguardam o preenchimento do contrato de adoção pela ONG

trabalho educativo de conscientização sobre vacinação e doação desses animais, junto a guarda responsável em parceria com o Conselho Municipal de Proteção e Defesa Animal, e com o Setor de Maus-tratos a Animais da Polícia Civil. A psicóloga clínica e também presidente da ONG, Rosana Ocampos afirma que todo o trabalho realizado é pela própria ONG, pois não há apoios financeiros relevantes – não há verba pública ou privada em caráter permanente. “O poder público em Campinas é absolutamente omisso em relação ao bem estar Animal, e não tem interesse em estabelecer parce-

rias com as ONGs”, afirmou a presidente. As ONGs protetoras de animais têm crescido muito no país, e isso se deve aos trabalhos que buscam mostrar para a sociedade que não existe ser humano se a natureza for destruída, inclusive toda diversidade de espécies de animais selvagens e domésticos. A presidente da ONG aposta nessa causa e defende o respeito a todos os animais, independentemente qual ele seja. “Embora nosso foco enquanto ONG seja o trabalho com animais domésticos, muitas vezes nos unimos a causas maiores”, relata Rosana. O GAAR tem toda sua documentação

registrada em cartório, possui um estatuto que traça suas diretrizes e objetivos, além de organizar sua estrutura interna. E pelo trabalho realizado há mais de uma década, contabiliza desde 2009 até hoje, 1617 animais submetidos à esterilização cirúrgica e 658 animais doados e, consequentemente adotados. Contato: www.gaarcampinas.org www.bloggaar.org Facebook: gaarcampinas twitter: @gaar_campinas


4

10 a 25 de maio de 2012

Entre o Videogame e o Bosque Com jogos e tecnologia cada vez mais acessíveis, pais precisam estimular atividades ao ar livre Foto: Carlos Bassan

Tatiane Bueno

“Videogame, só depois da lição, Gabriel!” Era assim todos os dias após a escola: Gabriel chegava em casa, jantava e logo queria jogar videogame. A mãe, Suzana Marques Molonhoni impunha limites para que o menino, aos 10 anos, não deixasse de estudar e cumprir suas obrigações. Apesar de curtir ficar horas jogando, Gabriel sempre foi bom aluno e suas notas, sempre altas. “Ele nunca me deu trabalho por causa de videogame”, conta a mãe. Hoje, aos 15 anos, Gabriel joga, no máximo, 2 horas por dia e a restrição da mãe continua sendo ter as obrigações cumpridas. “Mas não jogo todo dia, é só quando não tenho nada para fazer e fico com tédio”, conta Gabriel. Com Leonardo, de 8 anos, Patrícia Oliveira Araújo tem mais trabalho: se não fizer marcação cerrada, Leo deixa de estudar e a única coisa que quer fazer é jogar. “Já tive até que desconectar o videogame, pois chegou uma reclamação da escola dizendo que ele não

Crianças participam de atividade no Museu de História Natural, no Bosque dos Jequitibás

tinha feito lição.” Em ambos os casos, a psicóloga explica que a postura das mães foi a mais adequada. “As crianças precisam aprender, desde cedo, que existem obrigações a serem cumpridas. Entre elas estão as tarefas da escola e pequenas atividades domésticas. Se seu filho perde a noção do tempo na frente dos jogos, será preciso estipular o inicio e o fim da atividade. Vale ressaltar que os pais devem conversar com os filhos e mostrar a grade de horários que foi construída.”, explica.

Enquanto essa geração nasce praticamente sabendo mexer em computador, tablets e celulares, a escola e os pais precisam mostrar que há um mundo além da tecnologia e sair de casa, estar em contato com a natureza não só faz bem à saúde, como também ajuda a desenvolver as habilidades sociais. Embora os jogos eletrônicos ajudem a desenvolver o raciocínio, também inibem o relacionamento interpessoal, pois ao invés de a criança ou adolescente conviver com outArquivo Pessoal

Gabriel: tempo de jogo limitado, obrigações cumpridas

ras pessoas de sua idade, convivem com o jogo. “Uma dica interessante para evitar isso é tornar o jogo um momento propicio para relacionamentos, permitindo que seu filho leve amigos em casa, para jogarem juntos, tomarem um lanche”, explica a psicóloga Vanessa Rovaris Barbosa. A Região Metropolitana de Campinas tem ótimas opções de lazer ao ar livre e em contato com a natureza. Entre muitos parques, praças e zoológicos que a região possui, o Bosque dos Jequitibás está entre os destaques: está entre os 5 espaços no País que abrigam zoológico e aquário no mesmo complexo. Além disso, possui resquícios de Mata Atlântica e há também o Teatro Infantil “Carlos Maia”, o Museu de História Natural, o Aquário Municipal e a Casa dos Animais Interessantes, que possui um Centro de Educação Ambiental e conta com uma

agenda de palestras e programas educacionais, com o objetivo de educar crianças e adolescentes para a preservação do meio ambiente, através do conhecimento da fauna e flora brasileira, difundir ações conservatórias e postura solidária em ralação às questões ambientais. “Alguns domingos atrás, fomos ao Bosque e o Leo reclamou o tempo todo, dizendo que preferia ter ficado em casa jogando”, conta Patrícia. Em casos como esse, a psicóloga orienta que os pais não devem ceder às vontades da criança. “As crianças, principalmente, aprendem pelo exemplo. Se os pais querem desenvolver em seus filhos o gosto por esportes, pela natureza e por encontros sociais, eles devem ser os primeiros a praticarem isso”, completa. Seja ao ar livre ou jogando, as atividades das crianças e adolescentes precisam desenvolver seu raciocínio e habilidades sociais.


10 a 25 de maio de 2012

5

A arquibancada agora é outra Futebol transforma bares em lugares de encontro de torcedores e culto ao esporte Samanta Purgato Não são arquibancadas de cimento nem cadeiras numeradas, mas já se tornaram cantinhos dos amantes do futebol. Bares dedicados a clubes e ao esporte caíram no gosto dos torcedores da capital e do interior paulista. Paredes decoradas com mais de 4 mil itens relacionados a futebol é um dos diferenciais do bar de Leonardo Silva Prado, na Vila Madalena em São Paulo. Há 12 anos, quando resolveu montar o bar, emprestou a ideia de alguns pubs ingleses que tem o costume de homenagear seus heróis de guerra, e adaptou para a cultura brasileira. “Percebi que se quisesse fazer algo parecido aqui no Brasil, eu teria que adaptar esses heróis de guerra para heróis das quatro linhas, não tem como fugir somos o país do futebol”, explica Leonardo. Todo esse acervo de fotos, flâmulas de times, caricaturas de jogadores, recortes de jornais e até uma camisa da seleção brasileira assinada por Pelé foi sendo montado pouco a pouco, sempre com a ajuda de clientes. O bar é dividido em três ambientes, que em dias de futebol se tornam “arquibancadas” com direito a torcedores uniformizados e exibição de três jogos diferentes, um

Samanta Purgato

em cada ambiente, assim várias torcidas tem a possibilidade de assistir seus times. Com toda essa atmosfera futebolística, Leonardo chega receber em média 8 mil clientes por mês, conta que aumenta se no mês há alguma partida decisiva. Diferentemente do bar de Leonardo, o bar onde Jailton Ribeiro de Jesus é gerente, não nasceu com alma futebolística, mas há 10 anos se tornou a “casa” dos são-paulinos em Campinas. Desde que o atual proprietário comprou o bar, ele se tornou ponto de encontro de tricolores, e isso começou, é claro, por ele próprio ser torcedor do São Paulo, então começou a convidar amigos também torcedores do clube do Morumbi para que pudessem assistir aos jogos juntos no bar. A fama de “bar dos são paulinos” pegou, a decoração já conta com alguns adereços tricolores, como quadros, por exemplo, quando tem jogo do São Paulo as três televisões do local dão prioridade, os clientes vão uniformizados e em jogos decisivos do tricolor o bar chega a ter lotação de 800 pessoas. Outro exemplo de bar que não nasceu futebolístico, mas se rendeu aos encantos da “arte” que para o país a cada quatro anos, é o bar de Wash-

ington Jesus Rosa. Há 25 anos no bairro do Ipiranga, em São Paulo, como um bar comum foi transformado há 5 anos em um “bar corintiano”, com adesivos, bandeiras, recortes de jornal e uma parceria com a torcida organizada do clube, a Gaviões da Fiel, que passou a marcar presença com parte de sua bateria na rua do bar, uma atração a mais para corintianos que encontraram no bar de Washington um lugar para torcer e demonstrar seu amor ao clube, já que muitos colaboram na decoração para deixar o bar cada vez mais preto e branco. Os palmeirenses de Capivari, interior de São Paulo, não tiveram a mesma sorte, nenhum bar da cidade se transformou em um “cantinho” alviverde. Então, a solução foi

Samanta Purgato

Samanta Purgato

Bar decorado com as cores do Corinthians recebe torcedores em dias de jogos.

Fotos e escudos, uma das paredes que faz parte do acervo do bar de Leonardo.

Ademir da Guia com torcedor em encontro.

montar esse “cantinho”. Liderados por Clóvis Benedito Zani, um grupo de dez amigos se uniu e comprou um barracão que estava abandonado, o reformaram e o transformaram em um “bar palmeirense”, inteiro pintado com as cores verde e branco, com desenhos de escudos do clube do passado e do presente. Diferente de bares comuns, esse só abre em dias de jogos do Palmeiras e o lucro é somente para a manutenção do local.“Temos esse lugar para reunir os amigos palmeirenses, para ter um lugar nosso em que podemos torcer, discutir sobre os jogos, para ser a nossa arquibancada fora do campo”, conta Clóvis. Junto com a ideia do bar, veio também a ideia de fazer um encontro anual, que acon-

tece em um domingo de jogo do Palmeiras, com o objetivo de reunir palmeirenses de toda a cidade e da região para uma festa com direito a participação da bateria da torcida organizada do clube, a Mancha Verde, e a presença de ex-jogadores, como Ademir da Guia, Evair e Cesar Sampaio, e esse ano pode contar com uma surpresa. “Esperamos conseguir a vinda do nosso ex-goleiro Marcos, um dos nossos maiores ídolos, para que a festa do 10º encontro seja ainda maior”, afirma Clóvis. O primeiro encontro contou com apenas 90 participantes, enquanto que o nono, ano passado, teve mais de 1.200. Segundo Clóvis, o encontro visa promover além da união dos torcedores palmeirenses celebrarem também o amor ao clube. Samanta Purgato

Em Campinas, torcedores comemorando gol em bar são paulino.


06

10 a 25 de maio de 2012

Cirurgia gratuita para orelha de abano “Projeto Orelhinha” visa acabar com os constrangimentos causados pela deformidade

Letícia Araújo

Orelha de abano é uma deformidade das orelhas que se projetam para fora da cabeça. Para as pessoas que sofrem com esse problema mais perceptível em crianças, o Projeto Orelhinha é uma opção. De acordo com o cirurgião plástico Marcelo Souza de Assis, o projeto consiste em atender crianças de 7 a 14 anos e adultos, a fim de proporcionar cirurgias gratuitas, evitando o constrangimento. Para a realização da cirurgia, primeiramente é necessário que o paciente faça a inscrição. Após esse procedimento uma consulta

será agendada para que o médico avalie o estado emocional e psicológico do paciente, dando sequência a uma triagem antes da operação. “No caso de crianças, a entrevista é feita para que eu veja se realmente ela deseja fazer a cirurgia, justamente porque os pais que idealizam que a criança deve operar e esse problema às vezes nem afeta a vida da criança. E se o paciente diz que não, eu

não faço a cirurgia”, disse o doutor. Conforme o médico, essa operação pode ser feita depois de cinco anos de idade, quando a cartilagem já esta bem formada. De acordo com o médico, a cirurgia de correção da orelha é relativa mente simples e pode

ser feita a nível ambulatorial, tendo retorno das atividades normais dentro de cinco dias. Flávia Paschoal, professora de educação infantil, conseguiu realizar a cirurgia sua e da filha através desse projeto. Porém, o custo era elevado para a sua situação financeira, e sendo assim, procurou a clínica que realiza este projeto para que a filha retirasse a orelha de abano e no meio da entrevista com o médico

perguntou se também poderia fazer, o médico fez a triagem e a professora fez a operação, “hoje minha vida é bem diferente, ando de cabelos soltos e não sinto vergonha”. O médico ressalta que embora seja uma cirurgia simples o ganho físico e psicológico é muito grande, pois a criança e o adulto, recuperam sua auto estima, tornando-se pessoas confiantes e sem traumas. Serviço: (19) 3201.3781 / 3201.3782 End: Av. Engenheiro Carlos Stevenson, 385 – Nova Campinas – Campinas SP

Projeto propõe sistema de som em ônibus para deficientes visuais O sistema atuará em cidades com mais de 100 mil habitantes

Laísa Borges Diório

Na realidade, só as pessoas que têm algum tipo de deficiência sabem, de verdade, como os serviços públicos são precários para atendê-las, principalmente no Brasil, que diferentemente de outros países, não têm um bom desenvolvimento humano e tecnológico. Nos Estados Unidos, por exemplo, além das estações de trens e metrôs, alguns ônibus já possuem também um sistema de som que indica a todo momento o itinerário das linhas, ajudando assim, deficientes visuais e consequentemente turistas. Esse mesmo sistema informativo está ainda em andamento no Brasil. Por enquanto é uma proposta legislativa e sugestão ao poder Executivo, que

pode ou não ser acolhida, mas faz parte de um dos projetos enviado ao Ministério das Cidades no começo do mês de abril pelo deputado federal Roberto Lucena do PV(SP) . Ele disse que se preocupa com a situação dos deficientes visuais que utilizam os transportes públicos e que, por conta de suas limitações físicas, não são orientados adequadamente quanto aos pontos, paradas e terminais. A Indicação nº 2706/2012 propõe este sistema nos ônibus de cidades com mais de 100 mil habitantes. “Os deficientes visuais, até agora, dependem de terceiros para obter identificações e realizar suas ativi-

dades, ,cotidianas. “Eles precisam sempre de auxílio para andar nas ruas, distinguir os itinerários dos ônibus

e alguns obstáculos, além de ficarem expostos a condições de risco.”, afirma o deputado. Segundo ele, ônibus urbanos que transitam nas cidades brasileiras, não apresentam sistemas que ajudem os passageiros a identificar os locais de destino ao longo do percurso,

diferentemente do que ocorre nas estações metroviárias do país. Esse novo projeto, se instalado nos ônibus, a princípio, identificará os principais bairros das cidades e seus pontos de referência como pontes, prédios importantes, colégios e faculdades, postos de combustíveis, hipermercados, entre outros. Sendo assim, os passageiros passariam a se habituar ao trajeto de acordo com a citação desses pontos de orientação, facilitando, também, a população em geral. Um dos grandes radialistas da cidade de Campinas, Romeu França Salgado, que atuou na área há mais de 18 anos é defi-

ciente visual e acredita no projeto. “A ideia é excelente. Se de fato vingar, além de ajudar deficientes visuais e turistas como proposto, ajudará também pessoas com outras dificuldades visuais e idosos.”, disse o radialista. De acordo com o projeto, esse sistema busca uma boa qualidade de áudio, justamente para que os passageiros consigam ouvir claramente quais serão as próximas paradas, dando sequência ao trajeto ou não. E de acordo com os planos do deputado, este benefício não elevará o valor das passagens, o que ocasionaria uma grande preocupação da população das grandes cidades, principalmente a capital e metrópoles.


10 a 25 de maio de 2012

Uma segunda Chance

7

Em Campinas, há oportunidade de estudo para pessoas de 15 à 90 anos que não possuem escolaridade Ana Carolina Menani Atender jovens e adultos que, por alguma razão, não puderam cursar o ensino fundamental ou médio, e oferecê-los uma nova chance. Esse é o objetivo do EJA (Educação para Jovens e Adultos) I, com a Fundação Municipal para Educação Comunitária (FUMEC), e EJA II Anos Finais, programas oferecidos pela Secretaria Municipal de Educação. O EJA I (Anos Iniciais) corresponde ao ensino do 1º ao 5º ano, enquanto o EJA II (Anos Finais) é a continuação do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano. Segundo Mari Cuzin, coordenadora do EJA Fumec, diferentemente do EJA II (Anos Finais), eles não possuem prédios e salas próprias. “Enquanto Fundação, nós vamos onde precisa, seja em um salão de igreja ou uma sala de associação

de bairros. Eles cedem o espaço físico e nós entramos com o ensino”, conta a coordenadora. Ao todo, o programa conta com o envolvimento de aproximadamente 400 profissionais - entre professores, diretores educacionais, pessoas de apoio – mais o corpo administrativo. Orivaldo Barbosa Soares, 47 anos, é um dos aproximadamente 3000 alunos matriculados no programa EJA I, e reconhece a importância do estudo, tanto para a vida quanto para a profissão. “Eu não tive tempo de estudar quando criança, então agora eu preciso. Trabalho como pintor e tenho que pedir para meu filho fazer os orçamentos”, explica Soares. Além do desejo de independência, as situações do dia a dia também são grande incentivo para que novos alunos se matriculem no programa,

Foto: Ana Carolina Menani

além de servir de inspiração para as aulas. “Com situações cotidianas, fica mais fácil o aluno entender que a escola não é algo supérfluo e como saber ler, escrever e fazer uma operação matemática, Orivaldo Barbosa Soares, pintor começou a estudar aos 47 anos por exemplo, pode torná- as alegrias com as tris- Uma vez eu precisei lo menos dependente de tezas e compartilha com me afastar por devido a outras pessoas”, enfati- o outro”, conta Maria Xa- problemas de saúde do za Mari Cuzin, coorde- vier, de 63 anos. A pro- meu pai, e eles me liganadora do EJA Fumec. fessora Rosemary, que vam todo dia pra saber O prazer de apren- há 21 anos vem trabal- como eu estava”, lemder e as amizades são hando no EJA, confirma bra Rosemary, tocada fatores que, além de a existência do laço de pelo gesto dos alunos. levar a pessoa de volta amizade, não só entre os A paixão pelo trabalho ao estudo, faz com que alunos, mas também na é o que move a profissionpermaneça e só perca relação ‘aluno-professor’. al, que não se vê fazendo aula em casos de ne- “Nós sabemos os prob- outra coisa. “Eu me encessidade. Segundo os lemas que cada um en- cantei com essa sensação próprios alunos, o am- frenta fora daqui, temos de fazer parte deles, essa biente é como de uma essa liberdade de con- interação e essa simplicifamília. “A gente junta tar um para os outros. dade”, conclui a professora.

Um sonho que se realizou

A carioca Fernanda de Oliveira conta como foi encontrar o seu maior ídolo, Dave Grohl Renata Cunha Quem nunca sonhou em conhecer uma celebridade, que atire a primeira pedra. Porém, para alcançar esse objetivo, é preciso muito planejamento, dedicação e uma equipe empenhada a realizalo. Essa é a história da universitária carioca, Fernanda de Oliveira que, com a ajuda de seus amigos também dispostos a tal aventura, teve a chance de conhecer o seu maior ídolo, o líder da banda norteamericana Foo Fighters, Dave Grohl. “Foi uma luta extremamente cansativa, mas que no final valeu muito a pena”, declara Fernanda

que não aguentou a ansiedade e preferiu

Lollapalooza, foi surpreendida por Fer-

Fernanda , em Buenos Aires, com Dave Grohl

viajar para Argentina para o tão esperado encontro, dias antes do show do grupo no Brasil. A banda, que estava hospedada no hotel Four Seasons para os shows que realizaria em Buenos Aires nos dias 3 e 4 de abril pelo festival

nanda e sua trupe, em meio a uma legião de fãs argentinos. “Foi um encontro rápido, havia muita gente, mas felizmente deu tempo de autógrafos, fotos e abraços! Vou guardar tudo isso para o resto da minha vida”, conta a fã.

Fernanda tem 24 anos e revela ser fã da banda há 10 anos. “Foo Fighters já é parte da minha vida e desde os primeiros momentos como fã, sempre tive a pretensão de conhecê-los. A partir daí, fiz de tudo para realizar esse sonho”, afirma a carioca que hoje é uma das colaboradoras de um dos maiores fansites existentes da banda no Brasil. O show E para alegria dos outros fãs brasileiros, o Foo Fighters resolveu matar as saudades do Brasil em apresentação única no dia 7 de abril, na edição de estreia do Lollapalooza no Jockey Club, em São Paulo. A última vinda

da banda ao país aconteceu em 2001, durante a terceira edição do Rock in Rio. Os fãs puderam agora reviver os seus maiores sucessos em um show de tirar o fôlego que durou cerca de 3 horas. Além de promover o novo cd “Wasting Light” (2011), a banda lembrou clássicos como “Learn To Fly”, “Breakout”, “My Hero” e a épica “Everlong”, mesmo com a voz rouca e gasta do vocalista, Dave Grohl. “Foi uma noite grandiosa que só fez aumentar todo o meu amor e respeito pela banda”, conta a campineira Ana Carolina Alves, que esteve presente no festival para o show da sua banda favorita.


8

10 a 25 de maio de 2012

Da COLÔNIA ao IMPÉRIO

Curso de extensão para alunos da PUC-Campinas visita locais históricos do Brasil.

Samanta Purgato

Igreja Nossa Senhora do Rosário, que começou a ser construída em 1785, é um dos lugares visitados na passagem por Ouro Preto.

Samanta Purgato

P

roporcionar a vivência entre monumentos históricos e a imersão de alunos em lugares que fazem parte da história do Brasil, é a proposta da prática de formação “Identidade Sócio-Político-Cultural do Brasil”, organizada pelo diretor e professor da Faculdade de Ciências Sociais da PUC- Campinas, Pedro Rocha Lemos. As cidades históricas de Minas Gerais, Petrópolis e Rio de Janeiro, foram os locais escolhidos . A ideia do projeto surgiu em 2000, depois de uma visita à exposição “Brasil +500”, em São Paulo, com a faculdade da terceira idade da PUC-Campinas, em que viram um pouco do barroco

brasileiro. O interesse foi tanto que os alunos sugeriram uma excursão para as cidades históricas de Minas Gerais, onde se “respira” o barroco. Essa iniciativa se encaixou no conceito que a universidade tem para o desenvolvimento das práticas de formação, que consistem em cursos de extensão obrigatórios com o objetivo de integrar alunos de diferentes cursos para que além da bagagem acadêmica, possam ter conhecimento e experiências em outras áreas como esportes, cultura e artes, e por isso tornouse uma das opções oferecidas aos alunos. Com o objetivo de resgatar as raízes históricas do Brasil, o

projeto foi dividido em três módulos. O primeiro referente às cidades históricas de Minas Gerais, passeio que proporciona o contato com o período colonial brasileiro. Já o segundo módulo passa por Petrópolis, enfatizando o período imperial, e o último visita o Rio de Janeiro, com enfoque na transição do Império para a República. O projeto inicial eraconcluir um módulo por ano. Mas com a grande procura, em 2011, o projeto começou a ser realizado semestralmente. Os interessados eram em sua maioria alunos das áreas de humanas e comunicação, mas de acordo com o professor Pedro, organizador da prática, no ano pas-

sado já houve uma procura maior de cursos de outras áreas, como engenharia e farmácia, mostrando o interesse desses alunos em resgatar e vivenciar in loco os diferentes períodos da história brasileira. “Hoje, vemos interesse de alunos de outras áreas, até da Medicina, o que nesses quatro anos de realização, nunca havia acontecido”, afirma o professor. Além do interesse pela parte histórica da prática de formação, Pedro acredita também que o fato de proporcionar a integração de alunos de diversos cursos, ajuda no sucesso do projeto, como confirma a estudante de farmácia Letícia Moda, que participou em 2011 da viagem a Minas Gerais,

“gostei muito de poder ver de perto lugares históricos, como as igrejas, mas valeu também por conhecer pessoas que eu jamais conheceria se não fosse com essa viagem”. A escolha dos lugares teve dois critérios, primeiro pela proximidade com Campinas, assim as viagens podem ser feitas de ônibus, o que diminui o custo, e segundo por serem locais conservados com muitos patrimônios históricos. O sucesso do projeto reflete na possível expansão para um quarto módulo, que seria realizado em Brasília, com objetivo de fechar o ciclo político brasileiro com a consolidação da República até os dias de hoje, mas ainda

MINAS GERAIS

PETRÓPOLIS

RIO DE JANEIRO

Uma das cidades visitadas é Ouro Preto, que é a mais explorada, abriga a Igreja Nossa Senhora do Rosário, exemplo do período barroco e o Museu da Inconfidência, que guarda documentos assinados por Tiradentes. Em Congonhas do Campo, o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos que abriga, os doze profetas esculpidos por

Dentre os lugares visitados estão o Museu Imperial, que guarda um rico acervo de peças ligadas a monarquia brasileira com raridades como a coroa dos Imperadores Dom Pedro I e II, a Casa da Princesa Isabel e do Barão de Mauá, figuras importantes do Império.

O ponto de partida é o Paço Imperial, que ainda mantém em partes a decoração original de 1840 e abriga mostras de arte. Visita-se também o Palácio do Catete ilustrando a transição de Império para a República, pois era usado desde os tempos do Imperador Dom Pedro II até a transferência da capital federal para Brasília, e o centro histórico carioca.

Saiba+ - Edição Maio de 2012  
Saiba+ - Edição Maio de 2012  
Advertisement