Issuu on Google+

Ano 6 | nº 22 | Outubro . Novembro 2013

JOINVILLE

Virada da DUO 5 anos em Joinville Astros Infantis Conheça quatro promessas da próxima década Idoso Contemporâneo A nova geração de vovôs Duo Moda Dicas de primavera/verão para todas as idades

PARCEIROS | MODA | TENDÊNCIAS | CULTURA | BELEZA | SAÚDE | SOCIAL


Beleza autêntica nas mãos de verdadeiros especialistas.

MATRIZ

FILIAL

R.: Min. Calógeras, 645

R.: B. Constant, 212

47

3433.8722

47 3025.7722

w w w.m arciovargas.com.br


SHOPPING MUELLER JOINVILLE GARTEN SHOPPING


Editorial

EXPEDIENTE

5 anos de Duo. E do ano que se passa, só podemos agradecer!

Fugindo um pouco das clichês palavras que uso nos editoriais e que resume a edição, trouxe uma frase bem atípica para comemorar nosso aniversário. Vindo de uma comemoração comum, mas olhada de outro prisma, a virada do ano nos traz a certeza que o novo ano será melhor ainda e a necessidade de mudanças, de deixar as coisas ruins no último minuto do ano que se passa, torna-se viva. Essa analogia ao tempo fez a equipe Duo simular uma virada do ano e praticar novas promessas, desafios e metas para o ano novo, até porque , se você parar pra pensar, o cara que criou o tempo era um gênio, pois nos fez acreditar que tudo mudará de um minuto para o outro. Nós acreditamos nisso. Acreditamos que nesse quinto ano de revista na cidade, conseguiremos galgar novos desafios e aproximar mais ainda o joinvilense à Duo. A Duo de aniversário vem com um recheio super gostoso: Dia das crianças, noivas, moda, gastronomia. Uma reportagem super importante sobre o combate à AIDS, uma homenagem aos leitores da terceira idade e uma matéria super interessante sobre mercado de luxo no caderno de Casa e Decoração. Entre nessa virada conosco, faça seus pedidos para o próximo ano e não esqueça das promessas, que tudo se realize no ano que vai nascer. A equipe Duo agradece e te deseja uma ótima leitura.

Toni Furtado,

Diretor da revista DUO

Capa

DF Models Sayonara Diniz Fotografia e Tratamento Vpf Estúdio Fotográfico/ Vanderlei Kupicki Jóias Scheffer Ateliê Beleza Alexandre Simas Clínica de Beleza (R. Dr. Plácido Gomes, 308, 3433-2959) Agradecimentos Sussurra Boutique e Graça Cake Design Diagramação 47 3043 2150

Anúncios Denivaldo da Silva design@revistaduo.com.br Idee: Lizie lizie_c@terra.com.br Tiragem 5.000 exemplares Gráfica Impressul Jornalista Responsável: Mariana Woj (MTB 3580/SC) Fotografia Eberson Theodoro Revisão de Texto Bruno Arins Financeiro Marcelo Kuhnen Colaboradores Marinaldo de Silva e Silva Leandro Camargo Drag Conchita Marcos Thomas Osny Martins Leandro Schmitz Windson Prado Aldo Cadorin Manoella Hoffmann Eliezer B. Júnior Rozane Campos Andrea Berté Juliana Pamplona Iêda Camargo Pricilla Back Junior Borges Claudia Petry Matilde Melo Alexandre Perger Nivia Miranda Fabiola Bernardes Casal Fashion Roberto Pascoal Vanderkei Kupicki Márcia Campos Juliana Albino Émilin Souza Alexandre Simas José Gomes Tiago Cazaniga

Anuncie em nossa revista! Departamento Comercial Toni Furtado

A Revista DUO não se responsabiliza por materiais publicados nos anúncios.

8423.3934 toni@revistaduo.com.br


Índice

15

Casa e Decoração Mercado de Luxo

5 Anos em Joinville

23

Especial Dia das Criança

Duo Cultura

52 57

Duo Saúde

Crianças que Brilham

Dia Mundial de Combate a Aids

Virada da Duo

Cheiro de Amor no Ar

Duo Noivas Dreams Flowers

64 100 125

Outubro Rosa

Social

138


DUO Casa e Decoração

{

LUXO em pauta

Gleidson Silvério é estilista, designer, empresário do ramo de importação e representa comercialmente indústrias de móveis e decorações voltados para o público classe A. Em conversa com a Revista Duo, ele falou sobre o cobiçado mercado de luxo no mundo. Por Mariana Woj Fotos: Divulgação

DUO

15


A

paixonado pelas formas, cores e pelo design brasileiro, Gleidson Silvério acabou de ter um ambiente assinado na mostra Morar Mais por Menos, em Curitiba, além de ser premiado em umas das mais importantes feiras de decoração do mundo – o Salone Internazionale del Mobile 2013, na Itália. Seu espaço acabou se destacando pela ousadia e fidelidade que usou nas cores, nas formas e no conceito da mostra “mais por menos”. Recentemente chegando de Londres, onde fez um curso de extensão, ficou impressionado em perceber como o nosso país está sendo visto com bons olhos por todo o mundo. “Muitas empresas admitem que ignoravam o mercado latino, porém, como o país já figura entre os maiores consumidores de luxo do mundo, essas empresas agora estão se movimentando”, comenta. Na América Latina, fala-se hoje na existência de mais de 400 mil consumidores de luxo. “Quando comecei a me envolver com esse mercado, me perguntava por que todas as companhias tinham os olhos fixos na China e não conseguiam enxergar um mercado que estava logo ali ao lado dos Estados Unidos”, afirma Gleidson. Revista Duo (DUO): Quais os fatores que deixaram o luxo mais perto dos brasileiros? Gleidson Silvério: O luxo não conhece a crise, isto porque o planeta está ficando mais rico, a concentração de riqueza é cada vez maior e, segundo dados, 19 pessoas ficam milionárias por

dia no Brasil e o número de bilionários Gleidson Silvério: Falar de luxo em cresceu 66% no ano passado. Tão um país como o Brasil é uma coisa perto e tão longe ao mesmo tempo: meio paradoxal, todos nós sabemos o consumo cresceu, mas o país da má distribuição de renda do nosso ainda possui singularidades que são país e da grande parcela da população reforçadas pelo aspecto aspiracional que vive em grau de extrema pobreza. do mundo do luxo. As marcas globais Porém, o nosso maior objetivo é tiveram muita dificuldade em entender trazer este mercado para mais perto que até mesmo o consumidor que pode dos profissionais de várias áreas, eles pagar à vista prefere pagar em parcelas precisam entender este mercado no no cartão de crédito – uma facilidade qual todos estão direta ou indiretamente há até pouco tempo exclusivamente inseridos. Não estamos aqui dizendo brasileira. Portanto, agora estão se que as pessoas devem ser mais sofisticadas, mas saber identificar este movimentando. Outro ponto seria o crescimento novo perfil de cliente que está entrando acelerado das mídias de informação, nas lojas é fundamental para ter sucesso como a internet, que abriu um caminho nos negócios. sem volta e deixou quase tudo ao Não adianta em uma ponta as empresas alcance de quase todos, dando um investirem em produto, tecnologia, importarem produtos novo conceito ao mercado de luxo no design, inovadores, mudarem Brasil, que de frivolidade e ostentação passa a ser LUXO É A FORMA todo o conceito do marketing voltando suas visto como necessidade de pertencimento e COMO VOCÊ REAGE linhas para este público, afirmação desta classe EMOCIONALMENTE se na outra ponta, que é na hora da disseminação consumidora. A situação destes produtos, os é que antigamente o profissionais não luxo era para um grupo restrito e todo mundo aceitava isso, era conseguirem identificar o perfil de somente para os ricos, não se conhecia. cliente e entender suas necessidades, ou Hoje todos têm acesso e acham que não entender sobre o produto. A grande têm direito a ele, fez com que as pessoas verdade é que o mercado está muito se perguntassem: - Por que não eu? As carente de profissionais para atuarem pessoas não querem mais se contentar nestas áreas, que oferece salários muito somente com o que lhes permite atrativos. É o caso das lojas Louis Vuitton sobreviver. Vemos que estes fatores e Burberry, que acabaram de se instalar trouxeram o luxo para mais perto dos no shopping Patio Batel em Curitiba. Elas estão trazendo profissionais de São brasileiros. Paulo, pois não encontraram o perfil DUO: Você procura disseminar o solicitado. conceito de luxo através de palestras e treinamentos. O que as pessoas podem esperar desses encontros?


DUO: Qual a possibilidade de internacionalização do design e da moda brasileira? Gleidson Silvério: Acho que é uma questão de tempo para que as marcas brasileiras fiquem mais conhecidas mundialmente. O processo deve ter a mesma maturação por qual passou o mercado de luxo, antes visto como acessível somente aos muito ricos. O luxo é hoje visto mais como aspiracional, é mais aberto e fala mais de perto às pessoas. DUO: De que maneira você acredita que o Brasil pode se destacar nesse mercado? Gleidson Silvério: Com a forma artesanal de fabricar os produtos. Arquitetos como Niemeyer e até mesmo Sérgio Rodrigues, assim como estilistas brasileiros como Alexandre Herchcovitch e Adriana Barra se destacaram por apostar nessa ideia. Cada vez mais, marcas tradicionais associam sua produção à tradição e ao conceito “feito a mão”, ao mesmo tempo em que faturam com produtos para consumo de massa, no caso de móveis e facções de roupas fabricados em série. Nos próximos 10 anos, creio que o artesanato será uma grande parte do mercado de luxo brasileiro. DUO: Qual a essência do luxo? Gleidson Silvério: É algo muito pessoal, como você sente a maciez de um tecido, o couro de uma bolsa, o conforto que uma poltrona traz ao se sentar ou até mesmo um perfume delicioso, eu acho que é a forma como você reage emocionalmente. E isso é algo que não implica entender o luxo ou não. Um entusiasmo, uma alegria, a paixão por se vestir ou se sentir bem em um espaço que é seu. Receber as pessoas que você ama em sua casa é um prazer e uma alegria que estão presentes na forma como o brasileiro sai às compras, seja muito rico ou não.


Publieditorial

Você e sua casa lindas do seu jeito

Com um espaço moderno e repleto de novidades a Geovanna W une, em um mesmo ambiente, peças para alegrar a sua casa e também acessórios para levantar o astral de qualquer composição. Por Mariana Woj Fotos: Eberson Theodoro


A loja Geovanna W Casa e Acessórios, idealizada pelas sócias Geovana Wacherhage e Mayra Kuntz Ledra Zagheni, está há dois anos no mercado e se especializou nos melhores produtos para decoração e semijoias. A marca que está sempre inovando para atender seus clientes no mês de outubro amplia seu espaço para poder apresentar cada vez mais novidades e lançamentos. Casa e decoração É nos detalhes que sua casa se transforma em um lar. “A decoração da sua casa fala de você, mostra quem você é ou gostaria de ser”, explica Mayra. Nos dias atuais em que a correria da vida coloca as pessoas em contínua tensão, nada como voltar para casa e encontrar um ambiente aconchegante e que tenha a sua cara. E para deixar ainda mais bonito o espaço em que você reencontra amigos e repõe suas energias para o próximo dia a Geovanna W disponibiliza uma linha completa de decoração com alto padrão para ambientar seu lar com requinte e qualidade. Na loja é possível encontrar todos os tipos de acessórios decorativos como: abajures, lustres, castiçais, caixas,

potes, vasos vietnamitas, garden seat, espelhos, quadros, a famosa cômoda Bombée e as velas Voluspa, usadas por atrizes famosas. A loja ainda oferece produtos decorativos para casa de praia e salas com lareiras. Acessórios Acessórios são peças curingas na hora de se vestir e dão um toque em qualquer produção de moda. “Todas as mulheres gostam de estar bem vestidas e com lindos brincos e pulseiras que chamam atenção por sua beleza”, destaca Geovana. Na Geovanna W as clientes encontram brincos, anéis, pulseiras e correntes com pedras, drusas, cristal de rocha e cravejados. Destaque que todas as peças recebem um banho de 18 quilates que garantem beleza e durabilidade ao produto. Além disso, possui acessórios exclusivos entre eles assinados pela designer Maria Dolores.

março de 2011, percebeu o mercado aquecido e optou por abrir um espaço físico. Além dos acessórios, Geovana gostava muito de decorar e receber pessoas em sua casa. E com isso decidiu unir suas duas paixões: decoração e acessórios. A ideia deu muito certo e já se vão dois anos em que a marca se consolidou na cidade. Novidades No mês de outubro a loja estará ampliando seu espaço para melhor atender seus clientes. A Geovanna W conta com estacionamento próprio, trabalha com lista de noivas e em parceria com arquitetos da cidade. A marca oferece também um excelente serviço de delivery, que leva tanto as peças de decoração como os acessórios da loja até as clientes.

História A história da Geovanna W Casa e Acessórios se mistura com a história da sua fundadora. Geovana, antes de inaugurar sua loja, há 12 anos trabalhava com a venda de semijoias diretamente na casa das clientes. Em

Geovanna W Casa e Acessórios Rua Otto Boehn, 1127 - Glória – Joinville Telefone: 3026-3435 E-mail: Giovannawca@gmail.com


Coisas DUO Amor

Por Marinaldo de Silva e Silva mdesilvaesilva@hotmail.com

Já sei falar

por mim mesmo

Bem, meu nome é Willy. Hoje papai e mamãe não participam da história, só indiretamente; é que foram num barzinho ouvir uma moça amiga deles que canta igual à Marisa Monte, que é uma moça cabeluda que eles ficam acompanhando quando toca a música Amor I Love You. Nossa, não aguento mais essa música, e pensar que estamos já em 2001 e desde o ano passado eles ficam repetindo: quando faz comida, mamãe fica cantarolando, aí chega meu pai e começa a engrossar a voz pra ficar imitando o Arnaldo Antunes. Quando eles veem minha cara séria, riem, acham engraçado e dizem que eu tenho personalidade... Nossa! Quando falaram isso, adorei, me senti crescido, e olha que já tenho 6 anos! Mamãe disse que depois da virada do ano 2000, quando os computadores sobreviveram ao Bug do Milênio e as pessoas viram que o Apocalipse ficou para o século 30, ela teve certeza que a minha geração – ainda não sei o que

quer dizer isso! – seria muito avançada. Deve estar certa: olha eu! É tão bom ser criança e ser filho! Minha brincadeira preferida é usar a imaginação. Mamãe me conta histórias e é só começar que eu me transporto pra longe. Ela mistura elementos, fala de casas que tem homens de vidro e mulheres que são feitas de ametista: acho que fala dela e de papai, porque tem coisas nos olhos deles que parecem esperança e ambos têm tanta transparência que parecem de cristal, mas de um jeito de ser cristal que não se quebra. Meu professor me disse que sou bom nesse negócio de escrever, mas tenho problemas de gramática, então pedi pra ele escrever pra mim, e ele foi me ajudando a ligar coisa com coisa. Por exemplo, eu não sabia o que era ametista e ele me mostrou num livro, e então lembrei que essa pedra parecia mamãe quando me chamava pra comer seus legumes mágicos e suas

couves-orquídea! Um dia eu perguntei pra ela: mãe, couve-molho é pra misturar no macarrão? Ela sorriu. Jogou meu cabelo com sua mão grandona e disse que eu sou a cara do papai; adulto fala tanta coisa estranha! Papai tem tanta espinha! Acho que sou mais bonito que ele. Ele tem uma bocona assim ó... Bem, eu ia continuar me achando adulto, mas quando terminava de escrever essa carta pra vocês lerem aí, mamãe chegou, me pegou ao colo, me ergueu no alto e começou a cantar Amor I Love You. Gente, ser criança é difícil!


Matéria Principal

CRIANÇAS

QUE

BRILHAM

Elas desenvolveram suas aptidões muito cedo, são tidas como promessas para o futuro e levam com seriedade e determinação as carreiras que escolheram para atuar neste momento. Acompanhe a trajetória de quatro crianças que no futuro tem tudo para serem conhecidas nacionalmente. Por Mariana Woj Foto: Arquivo pessoal DUO

23


O cavaleiro O jovem Vinícius Ismael Travessini, 12 anos, participa de competições hípicas há cinco anos, mas desde os quatro anda a cavalo. Sua primeira experiência não foi das melhores e é algo sempre lembrado. “Sempre gostei de cavalos, mas na primeira vez montei em um pônei e caí”, conta, dando risada. Filho de pais apaixonados pelos animais ganhou seu primeiro cavalo, a Pocahontas Jmen II, e, supervisionado pelo instrutor Sebastião Francisco da Silva, começou a praticar o hipismo. Graças a sua dedicação, se tornou o primeiro cavaleiro de Santa Catarina que conquistou o título FEI Childrens B International Jumping (2012) e atualmente é o Campeão Catarinense Pré-Mirim individual e em equipe.

Saltando alto Com talento, técnica, garra e amor ao esporte, o cavaleiro vem obtendo excelente desempenho, comprovado por meio dos resultados conquistados. Em cinco anos, Vinícius subiu da categoria escola 0,60m (inicial) para a categoria Pré-Mirim 1,10m (categoria de alto desempenho) e pretende, no próximo ano, competir na categoria mirim (1,20m) – disputada por atletas com até 14 anos de idade. “Amo muito o que faço e graças ao esporte tenho amigos pelo Brasil inteiro”, revela o garoto quando questionado da melhor parte de praticar o hipismo.


Relação com o cavalo

o cavaleiro Cesar Almeida.

Vinícius tem uma relação muito bonita

Vinícius treina no Centro Equestre Leme,

com seu cavalo. Com apenas um ano

em Pirabeiraba, e é patrocinado pelo

de diferença, estão sempre juntos e ele

Fundesporte, que paga parte das suas

a considera sua melhor amiga. “Toda

despesas em competições. “Até tenho

vez que escuta a minha voz, ela tira a

vontade de competir mais vezes, porém

cabeça para fora da sua baia”, conta.

o investimento é muito alto. Além do

Ele revela também que não pensa em

custo do meu transporte, tem o do

vendê-la nunca. “Mesmo depois que não

cavalo também”, comenta.

conseguir mais saltar, ela vai ficar com a família. Ela foi a responsável pelo meu início”.

Comprometimento Vinícius sabe que para ser um atleta de hipismo é necessária muita força de vontade e dedicação. Para estar preparado para as inúmeras viagens competitivas, todos os dias, depois que chega da escola, o jovem precisa treinar com a Pocahontas, pois é de extrema necessidade para que o cavalo continue ativo. “Esse é um esporte que exige muito entrosamento entre cavaleiro e cavalo e precisa também de muita disciplina”, revela o jovem. Mas Vinícius não é apenas bom com cavalos, na escola é um aluno brilhante. “Meus pais me ensinaram que em primeiro lugar vem os estudos”, explica.

Cavaleiro olímpico Com os ótimos resultados que vem obtendo, se continuar nesta frequência de treinamento e aprendizado Vinícius tem ótimas condições de participar das Olimpíadas de 2020. “Desejo muito encontrar alguém que acredite no meu potencial e me forneça um cavalo olímpico”,

destaca.

Mas

enquanto

esse momento não chega, o cavaleiro continua se preparando. Em dezembro deste ano, o jovem embarca para os Estados Unidos onde fará um curso com


Abela A pequena menina loirinha, de olhos azuis, Maria Eduarda Lamin Streit, ou apenas Duda Lamim como é conhecida, está acostumada com luz, passarelas e flashes. Duda tem um currículo de dar inveja até nas modelos experientes. Trabalha como modelo há cinco anos, é a única criança exclusiva contratada pela agência Faro Models Santa Catarina e já coleciona oito títulos: Miss Beleza Brasil Mini, Miss Santa Catarina Mirim, Mini Miss da Beleza Catarinense, Miss Beauty World Mirim, Miss Fashion e 2ª Princesa Miss Brasil Mirim (2010 e 2011). Mesmo com apenas sete anos, Duda afirma que já sabe o que quer fazer quando crescer. “Quero ser modelo ou atriz, ou os dois juntos”, revela.

Desce e arrasa Segundo sua mãe, Ivone, desde que a Duda nasceu sempre chamou atenção por sua beleza e se engana quem pensa que esse é um papo de mãe. “Desde bebê as pessoas me paravam na rua para falar como ela era linda e até tirar fotos”, relembra Ivone. E foi exatamente desta maneira que a Duda passou a circular no mundo da moda. “Ela tinha dois anos quando a proprietária da Ótica Diniz me parou na rua e falou para eu inscrever minha filha no concurso que a marca estava promovendo”, conta. Após conversar com seu marido, resolveu inscrever a filha. Não é que a danadinha da Duda caiu no agrado dos jurados e virou garota propaganda da ótica? Esse foi o ponto de partida para a carreira da menina. Depois disso, já fotografou para várias marcas conceituadas como: Lilica Ripilica, Turma da Cuca, Tutti Chic, entre outras. O ano de 2014 promete novos desafios, a jovem está cotada para participar do seu primeiro filme.


Aluna nota 10 Na escola, Duda prova que não basta ter apenas um rostinho bonito. Aluna aplicada, está no primeiro ano e já sabe ler e escrever. Sua dedicação até já lhe rendeu uma medalha de Honra ao Mérito de melhor aluna. “Ela aprendeu a ler e escrever sozinha e adora português. Vive corrigindo quando alguém lá em casa escreve algo errado”, revela Ivone. Além de estudar, Duda também gosta de passar suas horas livres jogando videogame e ficar no computador.

Vida de miss Vida de modelo não é nada fácil, porém, segundo sua mãe, os pais apenas a incentivam. “Não a proíbo de comer nada e nem a obrigo a fazer algo se ela não quiser. Apenas ela pode decidir seu futuro. Vamos apoiar pelo tempo em que ela quiser continuar”, explica. Mas pelo visto, parar nem passa pela cabeça da Duda. Ela tem plena consciência das competições e das neuroses que esse mundo impõe. “Preciso saber ganhar e perder. Sei que não vou ganhar todas, mas o importante é competir”, comenta a jovem. Duda conta com o patrocínio de diversas lojas para competir.

Ditando moda Olhando para a Duda, é fácil notar que ela é vaidosa por natureza e tem muito estilo. Sempre bem vestida, usa um piercing no nariz, que segundo ela dá um charme. Gosta de pintar as unhas e passar uma leve maquiagem. “Não gosto apenas que passem lápis nos meus olhos, pois tenho medo que me machuquem”, revela a modelo.


Osjogadores A paixão de dois irmãos pelo esporte mostra que a força de vontade é capaz de superar as dificuldades e também promover a união. Leonardo Gabriel Rosa, 10 anos, e Igor Gabriel Rosa, 8 anos, já participaram de diversos campeonatos em várias modalidades, mas atualmente vêm se destacando no basquete de cadeira de rodas e fazem parte do time Raposinhas do Sul, a versão infantil criada neste ano do time adulto Raposas do Sul.

Introdução ao esporte Fã dos filhos, a mãe Sabrina Leuni Gabriel torce e acompanha de perto todas as partidas. Leonardo tem paralisia cerebral que afetou os tendões dos pés e Igor tem hidrocefalia e má-formação da coluna vertebral. “Os dois são bem resolvidos com essa questão e sabem seus limites, porém são persistentes e cada vez mais independentes”, revela Sabrina. Há três anos, os irmãos começaram a frequentar o Centro Esportivo para Pessoas Especiais (Cepe) e a fazer atividades. “É visível a melhora deles depois que começaram a praticar esportes, que ajudaram na coordenação motora e no emocional, sem contar que aprendem a conviver em grupo também”, destaca a mãe. Os dois também são pacientes da Associação de Reabilitação da Criança Deficiente (ARCD), onde tiveram acompanhamento de fisioterapeuta, psicólogo, terapeuta ocupacional, pedagogo e fonoaudiólogo.


Amor de irmão Além de treinarem basquete toda a semana, os dois também praticam vôlei, futebol de sete, corrida, salto em distância e lançamento de pelota. Igor foi duas vezes vice-campeão da prova de 50 metros dos Jogos Paraolímpicos de Joinville. A única exigência que os irmãos fazem é que treinem ou disputem juntos, um ajudando ao outro. Os dois são hiperativos: Igor é mais destemido e extrovertido, enquanto Leonardo é mais tímido, porém o responsável pelas ideias das aventuras que os irmãos vivenciam. Mas como a relação entre irmão é tudo igual, sempre existe alguma questão para discordar e a deles é quem é o melhor jogador de basquete do mundo. Leonardo afirma que é famoso jogador americano Michael Jordan, mas Igor acha que ele é muito velho.

Dedicação Assim como as demais crianças de que falamos nessa matéria, Leonardo e Igor, também são alunos excelentes. Leonardo estánaquartasérieeIgornasegunda.“Além de tirar boas notas, os dois se dão muito bem com os demais colegas”, revela a mãe. Suas limitações físicas não os impedem de fazer nada e eles sonham grande: Leonardo quer ser jogador de basquete, enquanto Igor quer ser veterinário.

Basquete na cadeira de rodas A modalidade é praticada por atletas de ambos os sexos que tenham alguma deficiência físico-motora. As cadeiras são adaptadas e padronizadas. A cada dois toques na cadeira, o jogador deve quicar, passar ou arremessar a bola. As dimensões da quadra e a altura da cesta são as mesmas do basquete olímpico.

Fotos: Eberson Theodoro


Editorial KIDS

Infância

Fashion Apresenta

A geração Z traz pequenos consumidores antenados no mundo da moda e mesmo com toda a inocência de uma criança, deixam o recado de : Mamãe, eu cresci!

Fotografia e Tratamento de Imagem: Tiago Cazaniga | Produção de Moda: José Gomes ( 9108-6664) Beleza: Rita Cabelo Estetica (47) 3423-2092 | Modelos: Letícia,Lucas ,Miguel e Julia (Faro Models) Locação: Moveis Masotti - (R. Padre Carlos, 53, centro, 34337477) Acessórios: Geovanna Acessórios | Óculos: Diniz Prime | Bolsas: Lei Baruffi (Auxiliar de produção: Cirilo)


Agradecimentos: Cynthia Cristianne Decoraçþes


Agradecimentos: Sepha Perfumes


Onde Encontrar: R. Visconde de Taunay, 235, centro, Shopping Mueller 047 34330603 www.mundokidsstore.com.br


Tri Legal

Transmissores de CONHECIMENTO

O professor é a figura mais importante no processo educativo, responsável pela formação de cidadãos e que ensina desde cedo sobre as diversas áreas do conhecimento humano, sobre a vida e a sociedade, consolida intelectualmente e eticamente. A seguir, acompanhe um bate papo com três professores que são destaque na cidade

Por Mariana Woj


Língua mundial Pipo Coutinho leciona há 20 anos a matéria de Língua Inglesa para crianças, jovens e adultos. Iniciou aos 18 anos com cursos particulares de inglês, pré-escola e ensino fundamental. Além disso, teve oportunidade de trabalhar no Ensino Supletivo. Hoje, atua no Colégio Posiville, Colégio Elias Moreira e na Escola Marli Maria de Souza. Por ter o prazer de vivenciar o crescimento das crianças, dos jovens e ingresso desses no campo de trabalho, sente orgulho em afirmar que é professor!

Revista Duo (DUO): Qual a maior dificuldade em ser professor? Pipo Coutinho (Pipo): Percebo que a grande dificuldade é o acompanhamento pedagógico dos pais. Afirmo isso, pois sei que o sucesso do aluno não depende só dos professores ou do esforço do aluno, mas também da inserção dos pais 100% - em todas as atividades realizadas durante o ano letivo; não somente no resultado final. DUO: O que o fez optar por essa carreira? Pipo: Além de ter um público variado, ano a ano, em todas as séries, o que mais me incentivou a optar pela carreira pedagógica foi o prazer de fazer parte da história de cada um. É como se, além de adentrar no universo acadêmico de cada aluno, mergulhássemos no universo pessoal. Assim nos sentimos juntos durante um ano todo, não somente como professor, mas como amigo. Alguém que partilha, além do conteúdo programático, as ansiedades, alegrias, dores, conquistas; os desabafos e o crescimento pessoal de cada estudante. DUO: Aproximadamente quantas crianças já ensinou? Pipo: Difícil afirmar com exatidão. Mas, fazendo um cálculo básico de turmas e número de alunos – o que já varia entre

Foto: Arquivo Pessoal

30 e 110 alunos no auge do supletivo, acredito que mais de 20.000 alunos. Agora até eu me assustei (risos). DUO: Você está desenvolvendo um site que irá funcionar como um reforço escolar. Conte um pouco sobre esse projeto? Pipo: Este projeto é grandioso. Na realidade, faço parte de uma equipe super especializada em todas as áreas de humanas e exatas. Esses docentes sentiram a necessidade de modernizar o reforço escolar desde o “Fundamental”, passando pelo “Médio”, atravessando o “Pré-Vestibular” até os “Concursos Públicos”. Este site tem como ferramenta principal, além de auxiliar os professores em sala de aula, oportunizar à sociedade o reforço escolar. Tudo isso sem sair de casa, tendo acesso em qualquer lugar que estejam. Essa ferramenta se dá através de vídeo aulas fragmentadas, com resoluções de exercícios, e abrange todas as disciplinas virtualmente, pois sabe-se que o mundo virtual é o grande universo do aluno. O projeto se chama “Loucos por Saber” e conta com uma gama de mestres com vasta experiência em sala de aula, com aulas e macetes super motivadores. Todos podem conferir o nosso site acessando www.loucosporsaber.com.br e tornarem-se loucos por conhecimento.

DUO: O que é preciso para ser um bom professor? Pipo: Antes de tudo, ter “dom”. É entrar em sala de aula sem desmotivação, mesmo quando as adversidades nos atingem. Não basta apenas transmitir o conhecimento, tem de gostar do que faz. Necessita-se ter orgulho de estar à frente de um público que espera, além de tudo, uma formação de opinião para tudo o que os cerca. Tem de instigar, no ser humano, a vontade de ser o melhor naquilo que escolheu como profissão. É fazê-los acreditar que, em qualquer área profissional escolhida, o aluno será útil à sociedade. DUO: O que você espera do futuro? Pipo: Espero que os cursos de graduação de licenciatura de todas as áreas voltem a ter salas cheias. É triste termos o conhecimento de que são poucos os que escolhem esta árdua profissão. Não podemos perder a esperança de continuarmos tendo professores de excelência num futuro próximo. É bom lembrar que, se não houver professores, nenhuma outra profissão nascerá. Pois não há formação de carreira profissional sem um “mestre” para orientação, ensino, cobrança e incentivo.


Falar com as mãos Desde 2005, Rute Freitas de Souza ensina à população a linguagem dos sinais. Formada em Serviço Social e pós-graduada em Bilinguismo, tem como objetivo fazer com que todos possam conhecer um pouco dessa cultura e assim ajudar os mais de 20 mil surdos de Joinville.

Revista Duo (DUO): Qual a maior dificuldade em ser professora? Rute Freitas de Souza (Rute): Falta de apoio e material pedagógico, e principalmente, a falta de conhecimento da cultura surda. DUO: O que a fez optar por essa carreira? Rute: A dificuldade do surdo em ser compreendido e a falta de profissionais na área. DUO: Além de lecionar, você preside um Instituto para surdos. Fale um pouco deste projeto. Rute: O Instituto Joinvilense de Assistência aos Surdos começou com CNPJ e estatuto em 2009, mas desde 2005 já trabalhava com os surdos. Em 2009, pela dificuldade de ajudar nominalmente, fui orientada a criar o Instituto Joinvilense de Assistência aos Surdos. Imagine um país onde existem 193.946.886 habitantes, dentre eles 15 milhões são surdos profundos ou com deficiência, e a grande maioria não sabe e não entende o próprio idioma de seu país. Por esse motivo, a sociedade acaba excluindo essas pessoas de seu convívio, e são considerados loucos, pois não falam a mesma língua. Por exemplo, quando um surdo chega a um hospital, se não tiver acompanhado de um intérprete, como esse cidadão brasileiro vai se comunicar

Fotos: Sabrina Seibel

com o atendente? Se o atendente não sabe LIBRAS (Língua brasileira de Sinal), o atendente vai perguntar o que está acontecendo e ele vai gesticular e ambos não irão se entender. Assim é na escola, na empresa, no banco, na delegacia, no fórum, na igreja, etc... Por esse motivo, comecei este trabalho solitário, ajudando voluntariamente a muitos surdos nestes lugares mencionados. DUO: O que é preciso para ser uma boa professora? Rute: Ter amor pelo que faz. DUO: Trabalha em qual escola? Rute: Já lecionei na Escola Estadual Jorge Lacerda, e atualmente leciono na Escola do Legislativo de Joinville e na Fundamas - Casa Brasil Sul Bilíngue. DUO: O que espera do futuro? Rute: Espero um futuro próximo em que as pessoas possam ser tratadas igualmente.


Habilidade com o português Neusa de Lourdes Cagneti, ou apenas professora Neusinha como é conhecida, leciona há 34 anos e há 21 a disciplina de Língua Portuguesa. Filha de professores, ela cresceu brincando com giz, caderno e quadro-negro.

Revista Duo (DUO): Qual a maior dificuldade em ser professora? Neusa de Lourdes Cagneti (Neusinha): Hoje, acredito que seja tornar as aulas mais interessantes para competir com a tecnologia e tudo o que ela proporciona. Por exemplo, o aluno está ouvindo você explicar a matéria, mas um dedinho vai escorregando para o celular, querendo ler uma mensagem, fazer uma postagem no Facebook, etc... Mesmo que se usem recursos da tecnologia nas aulas, não é a mesma coisa. DUO: O que a fez optar por essa carreira? Neusinha: Bom, nasci numa família de professoras, mamãe e minhas tias. Nos anos 50, meu avô materno construiu uma escola, doando-a ao Estado, para minha mãe lecionar. Meu pai, depois de casar-se com ela, virou professor também. Portanto, eu e meus dois irmãos nascemos e nos criamos brincando com giz, quadro-negro e cadernos. DUO: Aproximadamente quantas crianças já ensinou? Neusinha: Ah, isso é impossível dizer, só sei que já me aconteceu de uma aluna me apresentar para a mãe e esta dizer “mas essa é Dona Neusinha, minha professora do 2º aninho!” Então, já dei aula para filhos de ex-alunos. Isso é maravilhoso!

Fotos: Eberson Theodoro

DUO: O que é preciso para ser um bom professor? Neusinha: Primeiro, amar o que faz! Estar sempre querendo ensinar e aprender com os alunos. Pra mim, o bom professor é aquele que consegue fazer o aluno entender o assunto, gostar de suas aulas, independente de apreciar aquela disciplina. Estar sempre aberto a inovações, porém sem esquecer que o professor deve ser um educador nato. DUO: Trabalha em qual ou quais escolas? Neusinha: Hoje, já estou aposentada por tempo de serviço, porém ainda leciono no Colégio Nova Era (há 21 anos) e dou algumas aulas particulares de gramática e redação para alunos de outros colégios, como Posiville e Machado de Assis. DUO: O que espera do futuro? Neusinha: Ter muita saúde e continuar amando dar aula. Viajar um pouco mais com minha filhinha Mirelle. Como cidadã, gostaria que o povo brasileiro aprendesse a amar, valorizar e se orgulhar de nosso país.


Publieditorial

em novo endereço

Para atender cada vez melhor seus clientes, Cida Modas inaugura novo espaço e agrada várias gerações que procuram por qualidade, preço e estilo. Sinônimo de qualidade e inovação, a Cida Modas, marca de moda feminina e masculina, inaugurou seu novo espaço, trazendo ainda mais qualidade e sofisticação a Joinville. A loja está cheia de novidades e lindas peças que vão fazer a cabeça de seus clientes. “O novo ambiente com layout diferenciado proporciona mais conforto, conta com amplo estacionamento e uma equipe motivada para lhe atender bem”, revela a proprietária.

Por Mariana Woj Fotos: Eberson Theodoro


Como tudo começou

uma sala menor, com o tempo passou A paixão por vendas, por moda e por para uma sala maior e de esquina. Para estar em contato com as pessoas fez Cida, um dos segredos de estar tanto com que Maria Aparecida Petry de tempo no mercado é contar com uma Souza (Cida) tomasse a decisão, em equipe preparada e apta a atender os 1996, de abrir uma loja especializada clientes da melhor forma possível. em moda feminina e masculina, além Além disso, a empresária viaja de bolsas, calçados e acessórios. Na constantemente para atualizar a cidade há 27 anos, a Cida Modas é hoje coleção. “O foco é sempre o cliente”, “Muitas dificuldades uma empresa sólida, com clientes fiéis comenta. aparecem em nosso caminho, mas e de longa data. o que me dá energia Cida revela que no início as coisas não foram fáceis. NOSSO FOCO É O e satisfação são os clientes que há anos Mesmo assim, sempre acreditam no nosso trabalhou com muito CLIENTE! trabalho e continuam empenho e dedicação. sempre ao nosso lado. Casada e mãe de dois “Tenho paixão de estar rapazes, se desdobrou para conciliar a vida pessoal e a profissional. Com a em contato com as pessoas, por isso evolução, a loja, que funcionava em não tenho dúvidas que vou continuar trabalhando por muito tempo”, conta.

Cida Modas R. Prudente de Moraes, 510 Santo Antônio – Joinville Fone: (47) 3435-4633 www.cidamodas.com


DUO Humor Por Drag Conchita

Era uma vez... Era uma vez uma menininha bem pequenininha que sonhava em ser uma linda princesa. Ela era rica, magra, tinha cabelos loiros cacheados e muito compridos. Os olhos eram azuis e ela vestia um glamouroso vestido de cetim. Tah, meu bem! Confesso que meu conto de fadas não era bem assim. Admito: eu era um menino gordinho, baixinho, de cabelo repartido, com óculos fundo de garrafa, que mal dava para olhar meus olhinhos amendoados e castanhos. Muito franca! Para ajudar, minha mãe fazia questão de que eu vestisse uma calça azul medonha, que tinha uma espécie de joelheira – pedacinho de napa costurado na altura do joelho para durar mais. Ah, não aceito! Nem toda infância é um verdadeiro conto de fadas, mas eu era feliz... Muito feliz! Sabe gente, todo ano é a mesma história. Chega esta época do Dia das Crianças e eu logo me pego recordando de minha infância. São tantas lembranças... Tantos amiguinhos, tantas artes, tantas descobertas, tantas surras... Porque ser um menino com tendências à princesa, nos cafundós do interior do Paraná, não é das coisas mais fáceis da vida! A infância, muitas vezes, pode ser cruel, muito cruel. É como diz aquele velho deitado:“crianças não mentem”. Isso pode ser traumático. Tenho amigas que fazem terapia até hoje. Mas eu sobrevivi, afinal de contas, vocês mereciam saber um pouco de minhas desventuras e travessuras, se é que vocês me entendem. São tantas histórias que fica até difícil relatar assim em apenas uma página. Por isso, vou tentar escolher as melhores, como a de quando minha mãe me pegou dublando a música da Xuxa. Sim, música da Xuxa. Sou antiga, meu bem, da época em que Xuxa era uma diva, assim como Madonna, Cher,

Lady Gaga, Beyoncé... Pois bem, eu tinha cinco ou seis anos, talvez. Recordo que estava quase sozinha na sala, com o som no último volume, fazendo performance de “Lua de Cristal”! Minha lua desmoronou, o tempo fechou e caiu uma tempestade quando mamãe e papai abriram a porta da sala e me pegaram com uma peruca de fitilho amarelo ovo na cabeça, dois pompons nas mãos e com o vestidinho da minha irmã de quatro aninhos, que assistia a tudo sentada de camarote. Ela adorava, ao contrário de papai. Para ajudar, eu tinha roubado dois batons de mamãe e arrasado na make-up. Confesso que mais parecia um dos Patati-Patatá, ou o Bozo, para as mais antigas, mas para mim estava lindo. Lindo mesmo foram os cascudos que levei. E ainda tive de ver a peruca ser tostada na churrasqueira. Isso me chocou muito, foi difícil perdoar papai pelo estrago. Mas hoje, papai... Bom, ele já morreu, não sei se foi desgosto, ou sei lá. Mas acho que ele está me aplaudindo no céu. Bobagem! Mas foi ali que acho que despertei para a carreira artística! Outra cena pitoresca de minha infância foi do tempo em que mamãe queria fazer com que eu me tornasse um homenzinho. Lembro que ela me matriculou em vários esportes brutos. Fiz futebol, voley e karatê (como já contei na outra edição da Revista Duo). Na verdade, eu desistia de tudo logo. Só ia para as aulas porque lá poderia ficar de olho nos amiguinhos, e sempre rolava o banho coletivo no final. Ui, que medo, ai que perigo! Depois de um tempo, descobri que ser escoteiro era bem melhor. Podia até armar a barraca dos meninos. Era uma espécie de brincadeira de casinha, na qual eu sempre era a mamãe, dona de casa. Enquanto meus amiguinhos saíam para caçar, cortar bambu para fazer as instalações, eu cuidava do quintal, plantava as florzinhas ao lado da

barraca e fazia até comidinha. Era um máximo, até que em um belo dia.... Ai, deixa pra lá. Não vou expor as pessoas, né?! Aloka! Mas minha infância também foi marcada por momentos difíceis, como na escola, por exemplo. Sim, porque o colégio de freiras pode se transformar em uma experiência traumática. É ali que o bicho pega. Vocês acreditam que uma vez eu estava parada no meio da rua para atravessar e um bando de meninos olhou para mim e disse: “Olha, agora o gordinho virou uma rotatória!” Ai gente, foi tão triste... Depois disso, no pátio da escola, eles ficavam correndo em volta de mim gritando bi-bi, bibi, apertando meu peitinho, quase sensualizando. E tinha mais, por um tempo eu fui conhecido por vários apelidos maldosos. Era algo que variava do Boto Rosa a gordo baleia saco de areia, da bunda vermelha, Bambi entre outros... Oh, céus! Mas tudo bem, a gente sempre acaba relevando em nome da amizade. Hoje, sei que alguns deles se tornaram caixeiros, outros pintores de meio-fio e prisioneiros. Eu, no entanto, continuo linda e na coragem, parando o trânsito, meu amor! Duvida? Cresci, evolui, mas continuo com um jeitinho meio de moleca. Hoje sei que não fui um príncipe e estava longe de ser uma princesa, mas me tornei rainha e capaz de escrever meu próprio conto de fadas! E o príncipe encantado pode ser você, ou seu marido. Quer ver? Blupt! Aloka! Feliz dia das Criancinhas. Drag Conchita é jornalista, escritora, radialista, apresentadora e produtora cultural. Atriz performática que trabalha com shows em boates, festas, telegramas animados, casamentos e eventos em geral. Contatos: E-mail: dragconchita@gmail.com Skype: dragconchita Twitter: @dragconchita Concha’s fone: 47 8415-3472


DUO Cabelos Por Junior Borges

Calvície Um mal que assombra homens e mulheres A alopecia androgenética (calvície) representa hoje uma preocupação para a maioria dos homens e mulheres. Numa sociedade em que o culto à beleza física e à juventude tornam-se cada dia mais valorizados, numerosas novidades surgem e são rapidamente desejadas por pessoas ávidas a enriquecerem sua imagem e parecerem mais jovens. Vencer a calvície assume uma importância vital na busca ao nosso objetivo, a qual se fundamentaliza a repilação dos fios inativos, trazendo a autoestima da pessoa. A calvície é hereditária, esta relacionada a andrógenos e, geralmente, ocorre em certo grau em todos os adultos em algum tempo da vida. Devido à correria do dia a dia relacionado ao estresse e má alimentação, também poderá ocorrer o início da queda dos fios. Este problema não comete somente aos homens, mas também às mulheres. O processo acontece devido à ação da enzima 5-alfa-redutase sobre o hormônio testosterona (a mulher também possui este hormônio), que agem sobre os folículos pilosos, provocando o seu afinamento e miniaturização. Outras causas como anemia ou alterações tireoidianas podem provocar a queda dos cabelos,

porém, a manifestação ocorre de forma diferente, também provocando rarefação dos cabelos, mas sem o afinamento característico da alopecia androgenética. Como os motivos são muito variados, é importante procurar um especialista para verificar qual o problema. A boa notícia é que este mal já tem solução. Utilizando Laser de Infravermelho de baixa potência, foi demonstrado que a radiação infravermelha causa aumento do fluxo sanguíneo na circulação. É muito indicado no tratamento da calvície como uma proposta terapêutica indolor, sem causar risco à saúde do paciente. Para que o tratamento dê resultados, é de extrema importância que o paciente colabore, seja assíduo e siga corretamente todas as orientações do profissional. Dicas para ter um cabelo bonito e saudável: Lavar os cabelos corretamente, enxaguando em abundância; Utilizar shampoos e condicionadores para o seu tipo de cabelo e cuidar para não aplicar o condicionador diretamente no couro cabeludo; Manter uma alimentação equilibrada, rica em proteínas, verduras, frutas e

legumes; Controlar o estresse; Não escovar o cabelo com muita força e nem coçar o couro cabeludo com as unhas; Não lavar o cabelo com água muito quente; Cuidado aos usar receitas caseiras. Patologias que podem ser tratadas com o Laser: Alopecia androgenética feminina e masculina (calvície), alopecia areata; alopecia por tração, dermatite seborréica, caspas, foliculite (espinhas no couro cabeludo), pré e pós-implante capilar, preventivo contra calvície, desobstrução do couro cabeludo, fortalecimento capilar, psoríase no couro cabeludo, prurido no couro (coceira), queda capilar pós-parto, queda capilar pós-cirúrgico, queda de cabelo por motivos nutricionais, queda de cabelo por estresse e outros tipos de quedas, além de tratamento para recuperação da haste capilar por agressão química.

Fotos: Divulgação


Publieditorial

Franquia de renome nacional faz sucesso em Joinville Especializada em depilação, a Depyl Action desenvolveu uma técnica suave e exclusiva, trazendo conforto e delicadeza para o momento da depilação.

Por Mariana Woj Fotos: Eberson Theodoro e Max Schwoelk


Especializada em depilação, a Depyl Action valoriza o bem-estar e a autoestima. Depilação feminina e masculina com cera morna desenvolvida a partir de ingredientes 100% naturais que ajudam a minimizar os efeitos da depilação na pele. Depilação delicada e natural A depilação com cera morna vem conquistando cada vez mais adeptos. Afinal, todas as facilidades e benefícios do procedimento tornam-se irresistíveis na hora de procurar um método depilatório que reúna eficiência, credibilidade e segurança. Atenta às necessidades de seus clientes, a Depyl Action ainda agrega mais vantagens ao processo: profissionais especializadas, técnica única e uma cera produzida especialmente para promover um verdadeiro tratamento de beleza a sua pele. A cera morna da Depyl Action é mesmo um grande diferencial. O produto é exclusivo e possui elementos selecionados para deixar o processo ainda mais satisfatório. Os ingredientes são 100% naturais e as propriedades anestésicas e cicatrizantes da própolis silvestre asseguram suavidade e leveza. Além disso, os efeitos hidratantes do mel garantem que ao final da sessão a sua pele esteja super macia e ainda mais bonita. Método Valorizar a autoestima, o bem-estar e a higiene são as bases principais da

Depyl Action. O público da franquia é predominantemente feminino e exatamente por isso, a Depyl Action entende a depilação como um ato de cuidado pessoal, que torna a mulher mais confiante, bonita, segura e, consequentemente, mais atraente. Cuidado e beleza da cabeça aos pés Porém, cuidar da beleza e da saúde não é uma preocupação apenas das mulheres. Muitos homens têm aderido à depilação, seja pela estética, para agradar à parceira ou até mesmo por questões de higiene. E neste universo também há espaço para o público masculino. Cada vez mais parceiros e interessados em se cuidar, encontram na Depyl Action o profissionalismo necessário para receber um serviço de qualidade e com discrição. As profissionais são treinadas por uma consultora da rede e todas elas tem a mesma técnica de depilação que foi desenvolvida pela Depyl Action, o que permite um atendimento padronizado em todas as cabines A franquia possui um ambiente climatizado e aconchegante totalmente voltado para atender as necessidades de seus cliente, com foco na

valorização do bem-estar, respeitando a privacidade de cada cliente. Por isso possui cabines totalmente individuais, permitindo maior conforto durante a depilação. Depyl Action em Joinville Completando um ano de funcionamento em Joinville, a Depyl Action vem sendo cada vez mais reconhecida pela sua qualidade e profissionalismo. Foi com este intuito que os sócios Diego Falcão e Lean Xerez juntamente com a gestora Andreia Monteiro resolveram abrir a franquia em Joinville. “Estamos muito felizes com os resultados e com a resposta positiva de nossos clientes”. E não poderia ser diferente, a rede de franquias Depyl Action está presente com mais de 80 unidades em todo Brasil, 2 unidades na Venezuela e 15 anos de sucesso no mercado de depilação.

Depyl Action – Especializada em depilação Rua Henrique Meyer, 152 Centro - Joinville Fone: (47) 3227-1021 depylactionjoinville@gmail.com


quando o assunto é

Produtos que fazem toda a diferença

maquiagem

DUO Make

Por Alexandre Simas clinicadebeleza@alexandresimas.com.br

01 Brush Set Brush Set é um kit com 5 pincéis para criar um visual maravilhoso para os olhos. Este kit com pincéis de alta qualidade proporcionará uma variedade de looks para os olhos, desde um look esfumaçado e misterioso ao visual elegante e despojado do dia a dia. Com estas cerdas macias, você consegue esfumar, misturar, esconder, contornar e destacar sua maquiagem para os olhos. 02

Delineador em Gel De alta performance, o produto promove traços precisos com inigualável pigmentação. Possui vitamina E (antioxidante natural) e manteiga de cupuaçu (ação hidratante). Práticos, alguns oferecem aplicador na própria embalagem. Para quem é iniciante ou tem dificuldades em usar o delineador líquido, a textura gel desse produto promove traços delineados com mais facilidade e precisão, sem escorrer. Além de realizar traços bem delineados, experimente este produto também como base para a sombra. Aplique por toda a pálpebra móvel, esfumando levemente a linha do côncavo e, em seguida, use a sombra, como de costume. Para um smoke eye, este pincel pode ser encontrado separadamente e, por ser tortinho, você consegue uma inacreditável precisão de traço firme.

03

KlassVough A utilização de produtos descartáveis está se tornando um hábito no cotidiano dos profissionais da área de beleza que têm contato direto com a pela humana. Manter o espaço de trabalho limpo, os produtos de uso diário esterilizados e utilizar produtos descartáveis sempre que possível são hábitos higiênicos básicos que contribuem para evitar uma série de vírus, bactérias e fungos que podem se tornar causadores de doenças nos próprios profissionais ou em seus clientes. A KV Internacional apresenta os kits descartáveis da KlassVough, desenvolvidos para evitar o uso repetitivo do material, ou seja, o profissional utiliza um bastão para cada aplicação de maquiagem e o descarta em seguida, evitando uma possível contaminação. São quatro modelos de bastões, sendo um para aplicação de gloss e três bastões para modelagem de cílios: alongado, ouriço e separador. Os kits podem ser adquiridos em embalagens individuais com 10 ou 50 unidades. Outra novidade na linha de descartável da KlassVough é o estojo com 100 aplicadores, contendo 50 para gloss e 50 para sombra. O kit vem com uma caneta aplicadora que evita qualquer contato direto com o material.

04

Cílios sem expressão nunca mais Os cílios Kiss Lashes with Applicator Strings tem uma corda vermelha ligada em cada extremidade que ajuda você a colocar os cílios tão perto e uniformemente a sua linha de cílios naturais quanto possível. Os cílios são à prova d’água e duram 24 horas!

05 Aplicador HD Touch O aplicador HD Touch vem com bateria e duas esponjas com propriedades bactericidas que podem ser lavadas sempre que for necessário e depois podem ser reutilizadas. Além disso, vem com um estojo para que você possa transportálo com segurança. O aplicador está sendo vendido por R$ 200,00 e pode ser adquirido em diversos endereços de revendas da marca KlassVough. Usando este produto, você ficará com o make bonito até o fim do dia e com a pele muito mais uniforme.

01

02

03

04

05


Fotos: Eberson Theodoro


DUO Saúde

No dia 1º de dezembro de 2013 faz vinte e cinco anos que um laço vermelho tornou-se símbolo mundial da luta contra a Aids.

O dia mundial de combate à Aids foi criado em 1988, com o apoio da ONU (Organização das Nações Unidas) e da Assembleia Mundial de Saúde. Nesse dia, é importante reforçar as informações sobre prevenção e sintomas do vírus, além de demonstrar solidariedade e simpatia para com as pessoas soropositivas. O evento também visa diminuir o preconceito em relação aos portadores do HIV, explicando as maneiras de contágio. O Programa Municipal DST/ HIV/AIDS da Secretaria da Saúde de Joinville elaborou algumas palestras sobre o tratamento aos portadores de HIV e combate à doença. As palestras acontecerão em vários pontos da cidade.

52

DUO

A sigla Aids significa Síndrome da Imunodeficiência Humana. O vírus HIV foi descoberto em 1979, na França. Ele atua como um parasita ao se instalar em uma célula e age como um oportunista, baixando a imunidade da pessoa. Dessa maneira, os portadores podem facilmente ficar doentes, pois o organismo não consegue se defender sozinho. Assim, as pessoas não morrem de Aids, mas de uma doença que aproveita a baixa do sistema imunológico. No entanto, existem portadores do vírus HIV que não desenvolvem a Aids e sua imunidade permanece inalterada. A transmissão do vírus não acontece pelo ar ou pelo toque, é necessário que haja condições específicas como relações

sexuais sem camisinha, transfusão de sangue contaminado, uso de seringas já utilizadas e de mãe para filho durante o parto e amamentação. O tratamento adequado para um paciente quando se detecta o vírus é acompanhamento com profissionais de saúde e realização de exames. O medicamento antirretroviral é necessário somente quando exames clínicos indicam a necessidade. Esse remédio mantém o HIV sob controle, diminuindo a multiplicação do vírus no corpo, assim recupera as defesas do organismo. Quanto mais cedo a pessoa infectada iniciar o tratamento médico, maior a possibilidade de estabilizar a síndrome. Atualmente, o portador de HIV vive uma rotina normal, com relações sociais e afetivas.

Por Priscila Andreza de Souza Fotos: Divulgação


Peguei Aids e agora? Depoimento de F.A., administradora, 26 anos, portadora do HIV Muito se fala da prevenção contra o vírus HIV e quais são os sintomas de uma pessoa soropositiva. No entanto, quais são as atitudes certas a serem tomadas quando se descobre que está infectado? Eu ouvi casos na TV, da amiga da vizinha, do cantor que se contaminou, mas não achava que isso poderia acontecer comigo. Imagina! Eu que sou moça delicada, linda, pertencente à classe média e estudada! Eu sabia dos riscos, não foi por falta de aviso ou informação. Foi por me achar superior, como se fosse imortal. Eu fiz o teste há uns quatro anos e o resultado deu positivo, foi bem na fase de curtir a vida. Eu transava com vários meninos, era assim que eu me divertia. Saía praticamente todas as noites, era viciada em sentir prazer. E aquele plástico que encapava o meu objeto de desejo tinha o poder de diminuir o prazer. Usei camisinha raras vezes e não conseguia me sentir saciada com ela. Sempre que bebia ou fumava deixava o tal do plástico pra lá. Não sei dizer quando exatamente foi o dia em que peguei o vírus ou quem passou, como peguei, ou o porquê da contaminação, mas às vezes fico imaginando... E o medo do exame? Descobri que o teste é gratuito e confidencial, mas tinha medo do resultado. E se desse positivo? Melhor não saber. Depois de um tempo peguei uma gripe muito forte, ela não sarava. Penso que a culpa foi pela imunidade baixa causada pelo vírus, mas não consegui

mais lidar com a dúvida. Fiz o exame. O dia de buscar o resultado foi o pior da minha vida. Cheguei ao laboratório e um rapaz me entregou o envelope sem nem ter ideia que aquela notícia mudaria a minha vida. Abri e li o que minha intuição já me dizia: reagente, eu estava contaminada. A coisa que achei que nunca aconteceria comigo aconteceu. O primeiro pensamento que veio na minha mente foi “vou morrer”, seguido pela indignação: “Por que fui tão estúpida”? E por fim veio a vergonha de contar para a família e amigos. Contei somente para meus pais e duas amigas. O pessoal que trabalha comigo não sabe, a lei garante o direito dos soropositivos não falarem sobre a doença se não quiserem. Nunca mais transei sem camisinha e aviso meus parceiros a respeito da minha condição. Alguns fogem com nojo e medo, outros entendem que se usar camisinha não tem risco. Ser portadora de HIV me fez amadurecer, me fez uma mulher de escolhas e atitudes. Eu sei que dar conselhos é complicado, na maioria das vezes não adianta, como para mim não adiantou. Mas se eu puder dar uma informação para você que lê é que sexo nenhum, por mais prazeroso que seja, vale uma vida transformada por um vírus que te mata aos poucos. Hoje uso a medicação corretamente e vou ao médico, não tenho perigo de morte prematura, mas os efeitos colaterais da medicação me lembram todos os dias do valor de ser saudável.

Dados de Joinville Acompanhe os dados divulgados pela Vigilância Epidemiológica da cidade:

Faça o teste O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito a partir da coleta de sangue. Em Joinville, temos o exame laboratorial e o teste rápido, que detectam os anticorpos contra o HIV em até 30 minutos, colhendo uma gota de sangue da ponta do dedo. Esses testes são realizados gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento). Os exames podem ser feitos inclusive de forma anônima. Nesse centro, além da coleta e da execução dos testes, há um processo de aconselhamento, para facilitar a interpretação do resultado pelo paciente.

• Neste ano 127 pessoas que até então viviam com o HIV passaram a ter AIDS em Joinville. • No mesmo período, foram descobertas 289 pessoas vivendo com o HIV. • Nos casos diagnosticados com o vírus do HIV, nos que viraram AIDS e nos óbitos por HIV, o sexo mais acometido é o masculino. • A faixa etária entre 30 a 49 anos é na que mais viram AIDS. Porém, observa-se que vem aumentando o percentual da faixa etária acima de 60 anos. • Com relação ao tipo de exposição ao vírus, 70% dos casos de AIDS se denominam heterossexuais e 22% homossexuais/bissexuais

Endereço do CTA: Rua Itajaí, 51, Centro. Telefone: 47 3433-9179. E-mail: cta@saudejoinville.sc.gov.br.


Diário de Uma Solteira

Por Iêda Camargo iedacamargo@hotmail.com

Se você não

se sente feliz solteira... Tem muita gente estranha e problemática se passando por solteira convicta, então resolvi dar exemplos para vocês identificarem e separarem o “joio do trigo”. Assinado: trigo!

Se ela está triste, liga para os amigos, sai numa balada e se acaba numa pista de dança, se “rolar” um gatinho, ótimo... Convicta. Se ela está triste, liga para os amigos, sai numa balada se acaba numa pista de dança, se não “rolar” um gatinho, fica mal humorada, briga com os amigos, com os garçons e é a ultima a ir embora na tentativa de encontrar alguém... Estranha. Fazer planos para a sua vida com prioridades estabelecidas por você mesma, sejam elas quais forem... Convicta. Não incluir ninguém nessas prioridades... Estranha. Ter uma vida sexual excitante com casinhos passageiros ou com a mesma pessoa, mas sem cobranças ou rótulos... Convicta. “Dar em cima” de qualquer coisa que se movimente, desejar os maridos das amigas, todos os colegas do irmão... Estranha.

Apelar para alguns “flashbacks” de exnamorados sem se sentir a pior pessoa do mundo... Convicta. Perseguir o ex, bisbilhotar sua vida, vasculhar seu Facebook, odiar a atual que nem sabe que você existe... Estranha. Dedicar-se inteiramente ao trabalho, esporte ou ao que gosta sem ter que aguentar chantagens emocionais do tipo “você dá mais atenção ao trabalho do que para mim”... Convicta. Ficar chateada com os amigos porque algumas vezes eles não podem se dedicar a essas atividades como você, pois tem compromissos com seus pares... Estranha. Conversar horas com amigos que moram longe, fazer contato com aquele gatinho vizinho da sua prima que tem grandes chances de se conhecerem no verão... Convicta. Fazer perfil em tudo que é site de relacionamento, marcar encontros com desconhecidos totalmente, entrar

em chats com frequência, sonhar em casar com um estranho que a levará para morar num castelo na Europa... Estranha, sinistra. Poder comprar sapatos de R$ 700 sem dar satisfação... Convicta. Continuar usando o cartão de crédito dos pais ou do ex... Estranha. Sentir-se triste de vez em quando, preferir ficar em casa assistindo à TV, não querer agitação e ficar comendo chocolate em casa sem culpa... Convicta. Ter rituais de irritação (sempre que está com fome, que está com sono, que está atrasada, sempre que o cão late, que o vizinho fala, que a flor abre). Estar sempre triste ou mal humorada... Estranha. A solteirice é uma opção de vida mal compreendida, por fatores culturais, mas também por essas impostoras. Sei que vocês estão se perguntando como reconhecer e diferenciar uma solteira convicta de uma “estranha”, mas não é tão difícil. A convicta ajuda os parentes, amigos e vizinhos, tem uma autoestima elevada, não inveja a felicidade alheia e tem muitos planos para o futuro. Já a “estranha” é inimiga de metade da família, não tem amigos, é arrogante, mimada, infantil, ciumenta, tem trauma do passado, não está feliz no presente e não tem ideia do que será seu futuro. Deus nos livre e guarde dessas!

Fotos: Banco de Imagens


Outubro

rosa Joinville na luta contra o câncer de mama “A prevenção é o melhor remédio”. Com esse lema em mente, mulheres do mundo inteiro entram numa cruzada durante o mês de outubro com o objetivo de lutar contra o câncer de mama, espalhando a mensagem de que prevenir é a melhor solução para evitar os males que essa perigosa doença pode causar. Nesses 30 dias, o rosa toma conta de milhares de cidades, pinta monumentos, prédios, enfeita as ruas e veste as pessoas.

A luta é mais que justificável, já que o câncer de mama causa mais de 400 mil mortes por ano em todo o mundo, sendo o segundo tipo de câncer mais comum entre mulheres, representando 22% em média em relação aos outros tipos. No Brasil, em 2012, foram registrados 52,6 mil casos da doença. Para este ano, a estimativa é de que sejam diagnosticados 52,2 mil casos, com um índice de mortalidade de cerca de 12 mil. Em 2010, segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), pouco mais de 12, 8 mil mulheres e 147 homens morreram em decorrência de tumor na mama. Por todos esses números, o rosa é a cor da vez no mês de outubro. No Brasil, as centenas de sedes da Rede Feminina de Combate ao Câncer promovem diversos eventos, como palestras e

outras formas de explicar ao público a importância de realizar exames preventivos, como mamografias e outros, realizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde. História do Outubro Rosa O movimento Outubro Rosa nasceu no começo dos anos 1990, nos Estados Unidos, quando o laço rosa, principal símbolo da campanha, foi distribuído entre os participantes da Corrida da Cura, que é realizada em Nova York e reúne sobreviventes da doença. Mais tarde, o Congresso dos Estados Unidos aprovou o outubro como o mês de prevenção do câncer de mama. Em 1997, outras cidades estadunidenses passaram a aderir e a ideia foi se espalhando pelo mundo. Vários locais históricos já foram iluminados com a cor rosa.

No Brasil, a primeira ação pelo Outubro Rosa foi realizada em 2002, quando, por iniciativa de um grupo de mulheres simpatizantes da causa, o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera, situado em São Paulo-SP, foi iluminado com luz rosa. Depois disso, em maio de 2008, a Fortaleza da Barra, em Santos-SP, também recebeu a cor. A partir dali, em outubro daquele ano, vários outros monumentos, como Cristo Redentor e outras cidades, como Porto Alegre-RS, Brasília-DF, SalvadorBA, Teresina-PI, Poços de Caldas-MG aderiram ao movimento que começou a crescer e ganhar força em todo o Brasil. De 2009 em diante, virou tradição encontrar prédios com a cor rosa no mês de outubro.

Por Alexandre Perger Fotos: Divulgação

DUO

57


Prevenção interna no Hospital São José Em Joinville, a primeira edição foi realizada em 2011 e começou dentro do Hospital Municipal São José, com uma demanda interna, depois que se percebeu que muitas das funcionárias não faziam os exames preventivos. Com esse dado em mãos, iniciou a campanha do Outubro Rosa dentro da unidade de saúde, com um grupo de voluntários que se colocou à disposição para organizar e ajudar a aumentar o índice de mulheres prevenidas no Zequinha. Essa realidade foi descoberta por meio da medicina do trabalho. Todas as funcionárias do hospital com idade acima de 40 anos recebem uma guia para realizar o exame periódico. No entanto, foi detectado que muitas delas não procuram o procedimento, apenas as mulheres da limpeza faziam porque achavam que era obrigatório. “Quando uma das enfermeiras descobriu isso, se assustou e, com isso, surgiu a ideia de fazer alguma coisa internamente”, conta a assistente social Claudineia, que foi convidada a participar da organização, em final de setembro de 2011, quando se reuniram pela primeira vez. Mesmo estando em cima da hora, perto de outubro, elas decidiram montar uma programação e cada uma ficou responsável por algo. “Em muito pouco tempo montamos uma semana e colorimos o São José de rosa, estimulando os funcionários”, lembra. Além das palestras, as comidas e lembrancinhas entregues aos funcionários, pacientes e acompanhantes também eram da cor tema da campanha. O hospital não entrou com recurso, segundo Claudineia, porque a intenção não era dar mais uma despesa. “A gente não queria pedir nada para ninguém, queríamos levar para as pessoas a ideia da prevenção”, destaca a assistente social. Depois de mobilizar a equipe do centro cirúrgico, as organizadoras conseguiram que duas mulheres fossem chamadas para fazer a cirurgia de reconstituição da mama. “Foi uma festa que motivou muito o pessoal do hospital, eles entraram com uma garra, tanto mulher quanto homem”, aponta. No primeiro momento, o número de mulheres que realizaram o exame nem foi tão importante, mas sim, a

multiplicação da ideia da prevenção. Ano passado os preparativos começaram mais cedo, em maio, com a primeira reunião para decidir qual seria a camiseta utilizada. Nesse momento, mais pessoas entraram para organização. “O convite é aberto, não tem um chefe, não tem uma coordenação, participa quem quer, de todas as áreas”, ressalta. Com o sucesso da edição interna, o grupo decidiu ampliar e levar a campanha para fora do hospital. Para isso, buscaram parcerias, como a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas). Com isso, as lojas levaram a campanha para dentro das empresas, com camisetas e palestras. Em outubro de 2012, a cidade se envolveu na campanha. Desde os jogadores do Joinville Esporte Clube que entraram em campo com a camisa do Outubro Rosa até o poder público, que iluminou espaços como Rua das Palmeiras, Pórtico e Prefeitura com a cor rosa. Empresários fizeram doações, inclusive de um laço gigante. Foi realizada uma caminhada junto com motoqueiros. Os shoppings da cidade também aderiram e cederam espaços para que as mulheres distribuíssem panfletos. A imprensa também cobriu e acabou chamando a atenção para o tema. “Foi emocionante, porque vimos muita coisa acontecer na cidade”, relembra Claudineia. Para 2013, o grupo do São José decidiu voltar a fazer a campanha dentro do hospital apenas. No entanto, muitos parceiros que aderiram ano passado já procuraram a equipe para perguntar como vai ser este ano. Em resposta, essas empresas ou entidades são convidadas a participar junto ou levar a campanha para seus funcionários. Entre os motivos para que as mulheres não busquem o exame pode estar o medo de descobrir que tem câncer. Outra motivação pode ser o desconforto e a dor causados pelo procedimento. Por isso é dada a orientação sobre quando ir e o que evitar, como procurar não ir em período de menstruação, porque nesse caso a dor pode ser mesmo grande. O comodismo e a correria do dia a dia também podem ser empecilhos para a prevenção, já que muitas mulheres vão deixando para depois e acabam não fazendo. Mas também fazem uma vez, não encontram nada e acham que não precisam fazer da outra vez. “Com a mamografia, o câncer pode

ser detectado do tamanho de um grão de arroz”, afirma Claudineia, alertando para a importância do exame. Em Joinville, infelizmente, boa parte dos diagnósticos são feitos já em estágio avançados, apesar de a cidade oferecer os aparelhos necessários.

Rede Feminina reforça a luta A presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Joinville, Monique Douat, ressalta que o mês de outubro, junto com a campanha, é uma época ideal para disseminar a ideia da prevenção, principal meta da entidade. “As mulheres precisam entender que a prevenção é a melhor saída para curar o câncer de mama, não existe outra coisa”, reforça. Segundo ela, está provado que se a doença for detectada precocemente, tem cura, sem a necessidade de fazer tratamentos químicos. A primeira ação da Rede Feminina para o Outubro Rosa será uma missa, na Catedral de Joinville, no dia 1 de outubro. Na oportunidade será dada uma bênção. Serão vendidas camisetas, entregues rosas e lacinhos para as mulheres que comparecerem à cerimônia. Depois, no dia 5, será realizado um pedágio para distribuir panfletos e arrecadar dinheiro para a entidade, que vive de doações. As voluntárias ainda estarão nos shoppings com barraquinhas vendendo artigos e orientando as mulheres. Ainda


serão realizadas palestras e firmadas parcerias. Para Monique, o Outubro Rosa foi um marco na luta contra o câncer de mama, “virou o mundo do avesso.” Segundo ela, a campanha aumentou o acesso, justamente pelo destaque que recebeu nos meios de comunicação, chegando a um número maior de mulheres. “Hoje está mais fácil o acesso, antigamente vinham mulheres com 60 ou 70 anos que nunca tinham feito um exame preventivo”, conta a presidente. A Rede Feminina de Joinville existe há 34 anos e foi fundada por Maria José Douat, mãe de Monique, depois que ela teve câncer de mama, foi tratada em São Paulo e lá conheceu a entidade, fundando depois uma sede na cidade. Hoje, são 60 por Santa Catarina. As redes oferecem os exames gratuitos, tanto o preventivo de mama quanto o Papa Nicolau, de colo de útero. São atendidas 600 mulheres por mês. “Qualquer coisa diferente que aparecer no exame, ela já é encaminhada para o Pam para fazer o tratamento”, explica. Depois, ela retorna para a rede, onde receberá atendimento psicológico e todo o apoio das voluntárias. Há ainda uma parceria com o SUS, que cede 200 mamografias por mês e fornece também material para os outros exames.

Somente eles poderão encaminhar a paciente para outros feitos com uso de aparelhos, que poderão detectar o tumor e dar um diagnóstico preciso da doença. O mais importante deles é a mamografia, que pode encontrar o chamado caroço em tamanhos muito reduzidos. As recomendações são de que as mulheres com mais de 40 anos se consultem com um mastologista pelo menos uma vez por ano, idade com a qual também devem fazer a mamografia. Se detectado precocemente, o câncer de mama tem grandes chances de cura. Em caso de mulheres que tenham histórico na família, os cuidados devem ser maiores e a ida ao médico deve ser aos 35 anos. Outros fatores também exigem cuidado redobrado: primeira menstruação precoce, menopausa tardia (após os 50 anos), primeira gravidez após os 30 anos e não ter tido filhos. Alguns fatores podem ser causadores de câncer de mama. Entre eles está a hereditariedade e hábitos de vida (fumo, ingestão de álcool, exposição a produtos químicos). De acordo com o Inca, ainda não há comprovação da associação entre o uso de pílulas anticoncepcionais com o aumento do risco para o câncer de mama.

Sintomas do câncer de mama Segundo o Inca, os principais sintomas do câncer de mama são esses: - Alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações, inclusive no mamilo - Aspecto semelhante à casca de laranja - Secreção no mamilo - Nódulo (caroço) palpável no seio ou na axila - A dor pode ser um sintoma, mas nem sempre acompanha o nódulo

Shoppings participando Em 2012, os shoppings Mueller e Garten aderiram à campanha do Outubro Rosa, com programação especial durante o mês e iluminação rosa. Este ano, não será diferente e as ações se repetirão em uma nova parceria. No Garten, a programação inicia no dia 1 de outubro, quando, às 18h, as principais luzes do shopping serão apagadas e acesas novamente na cor

rosa. Ainda estão previstas palestras e ações de moda, além de outros eventos que poderão ser realizados ao longo do mês. “A nossa intenção é realmente envolver a comunidade nesse momento tão importante e chamar a atenção para uma doença que já provocou mais de sete milhões de mortes no mundo”, afirma a gerente de marketing Monique Campos. Enquanto isso, no Mueller a programação da campanha inicia no dia 3 de outubro, , com uma cerimônia na Praça de Eventos. Terão palestras e a presença de entidades relacionadas ao câncer e autoridades. Até o dia 31 outubro, a fachada do shopping e todo o jardim externo serão iluminados com luzes cor-de-rosa. Cerca de 45 lâmpadas serão instaladas para garantir o efeito. Os clientes poderão conferir banners informativos e a Rede Feminina desenvolverá ações sobre o câncer de mama.


Poder público no combate Pelo poder público, a Secretaria de Saúde de Joinville deixará livre para cada unidade elaborar sua programação, que deve contar com decoração, ações de prevenção e palestras. Já a programação geral, da secretaria, vai focar em um trabalho de identificar as mulheres que estão na fila de espera por especialistas e necessitam de urgência. Segundo Silvia Betat, a intenção é fazer com que essas mulheres permaneçam no máximo três meses na espera. O foco é esse porque a meta de exames a serem realizados foi batida e chegou a 115%, ultrapassando o estabelecido. Por isso, o foco passou a ser outro, de proporcionar o acesso ao médico especialista. Foto Prefeitura e CDL Até o dia do fechamento desta edição, a programação da Prefeitura era essa, com possibilidade de mudanças: • No dia 01/10, às 18h30, Celebração de missa na Catedral de Joinville; •Todos os funcionários serão incentivados a utilizar camisetas e laços da campanha durante o mês de outubro; • Iluminação rosa em prédios públicos; • Busca ativa, durante todo o mês de outubro, das mulheres que estão aguardando consulta com o especialista em mastologia e patologia do colo na rede SUS; • Divulgação na Rádio Joinville Cultural durante o mês de outubro, sobre prevenção do câncer de colo de útero e detecção precoce do câncer de mama. Na Unidade de Saúde Vila Nova • Todas as quintas-feiras, agenda aberta para a realização de preventivo de câncer para mulheres da abrangência

da Unidade; • Atividades educativas nos grupos terapêuticos existentes abordando temas como menopausa e outros; • No dia 08/10, atividade educativa para 90 mulheres na “Confecção Dois Rios”; • No dia 15/10, no SESC, atividades de lazer e educação com equipe da Unidade Básica de Saúde Vila Nova; • Momento mulher para as funcionárias da unidade. Na Unidade Básica de Saúde da Família Paranaguamirim • Atividade educativa na Igreja Santa Luzia • Panfletagem nas escolas e CEIs da abrangência, abordando as mães dos alunos; • Elaboração de cartaz educativo sobre o autoexame de mama, mamografia, câncer de colo uterino e papanicolau. Regional de Saúde Aventureiro Do dia 21 ao dia 25/10: no período vespertino, no Complexo Esportivo do Aventureiro, ações de educação em saúde e prevenção de doenças, com a promoção da autonomia e autocuidado, envolvendo as equipes das Unidades Parque Joinville, Rio do Ferro, Santa Bárbara, Leonardo Schlickamnn, Aventureiro I, Aventureiro II e Policlínica Boa Vista, com parcerias do CRAS, Consulado da Mulher, Fundação Cultural, Corpo de Bombeiros, Igreja Católica, Centro Social Urbano e Fundação 25 de Julho.

Policlínica Boa Vista Dia 30/10, atividade cultural para as pacientes com câncer de mama atendidas na Policlínica, aberta ao público em geral, a ser realizada no período vespertino, com a seguinte programação: 13h30 - Apresentação do evento 13h40 - Conversa com os mastologistas 13h40 - Conversa com Flávia Fores - Flávia Flores encara o câncer de forma corajosa e criativa; - Empresária e ex-modelo de Florianópolis encontra na autoestima a força para enfrentar a doença com leveza. 15h00 - Café da tarde 15h45 - Apresentação musical Fundação cultural (a definir os grupos musicais) 16h45 - Grupo de dança - Fundação cultural (a definir os grupos de dança) 17h45 - Sorteio de brindes – Kits de beleza, lenços, camisetas 18h30 - Entrega de lembranças A população também pode fazer a diferença: - Enfeitando o seu carro com fita corde-rosa, na antena, no retrovisor ou no seu chaveiro; - Vista-se de cor-de-rosa, coloque um detalhe no seu figurino, um lenço, uma fita amarrada na bolsa, uma bijuteria, acessórios no cabelo; - Escolha um dia do mês e distribua rosas no seu trabalho; - Fale para outras pessoas sobre o autoexame da mamografia e da detecção do câncer; - Seja uma voluntária da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Joinville.


DUO Bem Estar

Por Felipe Deschermayer | CREF: 014155-G/SC felipe@benefitacademia.com

Saúde em evidência

Com a agitação do dia a dia, problemas e stress, nos deparamos com uma série de fatores que agridem a nossa saúde. Popularmente conhecidos como fatores de risco, contribuem significativamente para o aparecimento de várias patologias decorrentes de hábitos de vida não saudáveis. Manterse “alerta”, evitando o acúmulo de funções e, consequentemente, o acúmulo destes fatores é obrigação de quem preza por saúde e qualidade de vida em longo prazo. A prática regular de atividade física atua exatamente na direção contrária dos fatores de risco, reduzindo consideravelmente a possibilidade do desenvolvimento de inúmeras

doenças. Dentre elas, podemos destacar o câncer de cólon, diabetes e pressão alta, doenças coronarianas. Pessoas de todas as idades podem melhorar sua saúde e bem-estar ao praticar atividade física regularmente, em um ambiente seguro e com a orientação de um profissional formado em Educação Física. Elas podem aliviar os sintomas do stress e diminuir o risco de infarto. Alguns benefícios da atividade física regular são: • Ajuda a controlar o peso corporal; • Contribui com a saúde dos ossos e articulações; • Contribui com o ganho de força;

• Reduz o índice de quedas em idosos; • Ajuda a aliviar a dor da artrite e da artrose; • Diminui os sintomas de ansiedade e depressão que estão associadas ao menor número de medicação, visitas médicas e até hospitalização; • Proporciona maior independência e autonomia para os idosos; • Entre outros. Pessoas sedentárias definitivamente não estão contribuindo com a sua própria saúde. Quanto mais examinamos os riscos para a saúde associados à falta de atividade física, mais convencidos ficamos de que pessoas que não praticam nenhuma atividade devem começar a se exercitar.


Especial DUO

64

DUO


Você já parou pra pensar que o cara que inventou o tempo é um gênio, nos faz acreditar no milagre da renovação e que tudo pode começar ainda melhor? Daqui pra frente, tudo vai ser diferente... Adeus problemas velhos, que tudo se realize no ano que vai nascer... Que loucura é essa: na metade do segundo semestre a Duo já tá falando em virada do ano? Pois então leitor, viramos o ano... Novas promessas, novos desafios, novos sonhos. Resolvemos montar uma analogia ao tempo e comemorar um aniversário diferente, substituindo os típicos parabéns por espumantes, uvas e sete ondinhas. Mas vamos por partes: é de praxe a tão conhecida retrospectiva que traz as lembranças do ano que se passa. Nesse caso, traz a historinha da Duo desde o início. Lá em setembro de 2008, iniciava-se o projeto de um informativo interno para os clientes do salão Marcio Vargas e da então clínica Emagrecentro. Rose Vargas, como típica geminiana sonhava com uma revista à altura do seu salão, que encantasse suas clientes e trouxesse dicas de make, tendências de cabelos e beleza. Dessa ideia, surgiu uma Duo bem singela com 10 páginas, 1000 exemplares, 3 anunciantes que até hoje continuam na revista e um destaque para Vanderlei Kupicki, fotográfo da VPF estúdio, que desde a primeira edição é um colaborador assíduo da Duo. Já nas primeiras edições, conseguimos criar fortes e bons laços, pois a intenção sempre foi plantar coisas boas e colher coisas boas. A partir do primeiro ano, resolvemos

dar “corpo” à revista, até porque já a Conchita, viajar para o deserto e fazer estávamos totalmente envolvidos e uma revista lá provou que falamos apaixonados e não tinha mais como fugir para todos os gostos e idades. Assim desse casamento. Então, repaginamos a começa a bendita saga de agradar publicação criando cadernos e a quinta gregos e troianos e, acima de tudo, edição já vem com uma nova cara: 30 provar para nós mesmos e para quem páginas e 2 mil exemplares. Cara essa mais fosse necessário que podemos que se torna pequena perto do tamanho SIM fazer a diferença. Por acaso, digae proporção que a revista começou a se de passagem, fazer a diferença em ter e se faz necessário já nas próximas Joinville, vindo de uma família humilde, edições aumentar gradativamente sem investimentos iniciais e formar o número de páginas, exemplares e um veículo de comunicação na cidade respeitado, era a grande promessa do qualidade da revista. Como fazer uma retrospectiva sem ano. pontuar alguns fatos marcantes nessa Seria tão legal chegar aqui e falar história? Como esquecer as capas com que temos uma revista com foco, direcionada para tal a Cléia Vicente, classe, tal público... uma mulher que NADA DE PROMESSAS Então, para nós da representa como ninguém a beleza DIFÍCEIS, ENTÃO NÃO Duo, isso é tudo balela. pela afro e a capa da PEÇA FOCO PARA A DUO. Ultrapassamos esquerda e quebramos revista especial no nossas próprias regras. deserto do Chile Queremos uma revista com as queridíssimas irmãs Suzi e Ana Flores? Como esquecer democrática e a cada edição plantamos dos primeiros materiais de moda e a proposta de você sentir vontade do de noivas que fizemos e que hoje nos que está lendo ou vendo, de você se rende clientes fiéis nos segmentos sentir parte da revista e nos apoiar. Como e uma feira de noivas imponente já fazer uma revista para o público A, sem na 5ª edição? Como esquecer da saber o quanto você é rico? Como focar necessidade de humor da revista e da um público em especial se você se torna quebra de tabus na cidade convidando especial a partir do momento que tem uma drag pra escrever? Essas ações interesse em ler a Duo? Como entregar parecem pequenas, mas colocar uma as revistas só no bairro x se você pode negra na capa, desenvolver editorial morar no bairro y e gostar da revista? com modelos, fotógrafos, produtores e Então, concordamos que regras podem colaboradores da cidade em cadernos ser quebradas? de moda e de noivas, fazer humor com Por Toni Furtado Fotos: Vanderlei Kupicki


Mais uma brincadeira com trocadilhos, agora para dizer que a Duo tem vários parceiros e que eles SIM fazem a diferença. Resolvemos dar a cara deles a tapa e mostrar quem faz a Duo de Joinville. 05.

04. 02.

06.

07.

08.

03.

09

01.

10.

11.

15.

13. 12.

14.

01. Ricardo Ramirez - Monograma Design 02. André Momm - Monograma Design 03. Aline Tomio - Planejamento Estratégico 04. Matilde Melo - DUO Liderança 05. Pricilla Back - Repórter 06. Priscila Andreza Souza 07. Márcia Campos - Repórter 08. Alexandre Perger - Repórter 09. Bruno Arins - Revisor 10. Lizie Capello - Designer DUO 11. Bianca Trinks - Monograma Design 12. Tatiane Borba - Monograma Design 13. Amanda Mosimann - Monograma Design 14. Toni Furtado - Diretor 15. Mariana Woj - Jornalista Responsável


Algumas pessoas também merecem ser lembradas, já que não puderam comparecer na nossa virada de ano.

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

01. Ieda Camargo - Colunista Diário de uma Solteira 02. Windson Prado - Colunista Duo Humor 03. Andreia Berté Colunista - Duo Sensualidade 04. Manoela Hoffmann - Colunista Duo Variedades 05. Juliana Pamplona - Colunista Duo Música 06. Ariadna Straliotto - Repórter 07. Emilin Souza - Repórter 08. Eliezer José Bonan Júnior - Colunista Duo Direito 09. Leandro Camargo - Colunista Duo Social 10. Alexandre Simas - Colunista Duo Make 11. Deni Silva - Design Gráfico 12. Andrei Silva Cardoso - Gráfica Impressul 13. Fabiana Mendes - Monograma Design 14. Felipe Deschermayer - DUO Bem-Estar

20. 18. 16.

21. 22.

19.

23.

24.

17.

25.

31.

26.

29. 27

28.

30

16. Osny Martins - DUO Viajem 17. Rose de Faria - Produtora de moda 18. José Gomes - Produtor de Moda 19. Claudia Petry DUO Sexo 20. Fabíola Bernardes - Colunista Social 21. Henrique Puchini - Duo Moda Homem 22. Patricia Aquino - Duo Moda Homem 23. Júnior Borges - DUO Cabelo 24. Marcelo - Financeiro DUO 25. Rozane Campos - DUO Esporte 26. Leandro Schmitz - DUO Perfil 27. Cirilo - Responsável pelas Franquias 28. Aldo Cadorin - DUO Bebidas 29. Marinaldo de Silva e Silva Coisas DUO Amor 30. Nívea Miranda - DUO Tendência para noivas 31. Marcos Thomas - Duo Estrelas


Aniversário da Duo Muita gente não gosta de comemorar mais um ano de vida, muito menos contar a idade, mas no nosso caso, que estamos aprendendo a engatinhar e ainda ganhando corpo, é uma felicidade dizer que cinco anos se passaram e fizeram a história da revista. Assoprando as velinhas com felicidade, optamos esse ano por dar um foco numa comemoração envolvendo os colunistas e colaboradores da revista.

5 vezes mais Duo. Nesses cinco anos de Duo, muitas águas rolaram, muitos obstáculos viraram trampolim, muita gente boa virou parte da família Duo e muita gente fez a diferença. Pessoas que entenderam a verdadeira intenção da Duo de parceria, de clientes satisfeitos e retorno de investimento. Uma parceria que traz possibilidades, repercussão, visibilidade, incentivo e apoio para novos profissionais, ligação entre clientes, felicidade e realização para os

envolvidos. Por isso, eu leio a Duo há 5 anos. Continuaremos acreditando na Duo e em Joinville. Continuaremos acreditando na lei da atração e em fazer o bem não importando a quem. Até o próximo aniversário!


DUO Moda Festa


Momentos para

serem compartilhados

Vida na Rádio Itapema

A vida na Itapema é de muito trabalho... E não poderia ser diferente, claro. Por isso, há pouco mais de um mês ganhei um ajudante, o editor Jhonatan Marques, que veio unir forças comigo pra fazermos ainda mais pela rádio, pelos ouvintes e clientes. É como se diz... Juntos somos mais fortes!

Quero ficar velhinha “comunicando”...

Comunicar faz parte da minha alma... Não saberia viver sem isso! E cada dia tenho mais certeza que escolhi a profissão certa quando optei pelo jornalismo. E lá se vão 20 anos de muitos desafios e aprendizado. Tomara que venham mais 20! Quero ficar velhinha “comunicando”...

RejaneGambinégaúcha,jornalistaeatualmente responsávelpelaprogramaçãodarádioItapema FM. Nas horas vagas, gosta de receber a família e os amigos em casa, cozinhar, ouvir uma boa música e claro, registrar tudo no Instagram.

Espaço Saudável

Essas são algumas das delícias saudáveis que temos na Cia da Saúde da Galeria 9 de Março, loja que tenho junto com o meu marido e sócio Falcon há 10 meses... Um negócio que se transformou numa grande paixão!

União e carinho

Meu marido querido Falquinho. Meu amor, meu parceiro, meu amigo e meu sócio. Essa foto, acredito, demonstra nossa cumplicidade e amor! Sou muito feliz com ele e todos os dias! E por isso, como disse Vinícius de Moraes, “que seja infinito enquanto dure”- mas torço pra que dure pra sempre!

Hora do descanço

Ahh... O que pode ser melhor que ficar em casa, de preguiça num fim de semana vendo um bom filme e ainda com a companhia da minha amadinha Catarina, minha cadelinha de estimação que é tudo de bom?! Adoooro... Não tem preço!

O mundo toca aqui!

A Itapema foi um presente na minha vida. Sou ouvinte da rádio há tempos, por isso, quando recebi o convite pra trabalhar aqui, fiquei muito feliz. Adoooro essa rádio!


Por Marcos Thomas contato@marcosthomas.com

DUO Estrelas

A outra face de

Alessandra Maestrini Ela ficou conhecida pela sua excelente interpretação no papel da empregada “Bozena” do seriado Toma lá dá cá da Rede Globo, mas o que poucos sabem é que além de uma excelente atriz, Alessandra Maestrini divide seu tempo entre interpretar e cantar. Com sua nova turnê que está percorrendo todo o Brasil, a cantora e atriz reservou um tempo em sua agenda para conversar com a Duo, contando um pouco sobre carreira, projetos e, principalmente, sobre seu talento musical.


Alessandra Maestrini é atriz, cantora, compositora e versionista. Estreou nos palcos em 1997 com As Malvadas de Charles Möeller e Cláudio Botelho, que ganharam naquele ano o Prêmio Sharp de Melhor Musical pelo espetáculo. Desde então, vem trilhando sua carreira como atriz de teatro, cantora e, especialmente, como destacada personalidade em musicais de sucesso e atriz de televisão. Entre os musicais que protagonizou, estão a superprodução Les Miserables, o “off-Broadway” Rent e o mega sucesso Ópera do Malandro. Também como protagonista, foi dirigida pelas mãos de diretores como Moacir Chaves (Utopia), João Falcão (Mamãe não pode saber) e João Fonseca (O casamento do pequeno burguês), pelo qual foi indicada ao Prêmio Shell de Melhor Atriz. Em dezembro de 2009, arrebatou o Brasil com a incrível Bozena, “lá de Pato Branco” no sitcom da Rede Globo de Televisão Toma lá dá cá, de Miguel Falabella e Maria Carmen Barbosa. Anteriormente, atuou em Amazônia – De Galvez a Chico Mendes, minissérie de Glória Perez como Soledad, a cantora flamenca, tendo sido também a intérprete do tema Tango de Málaga. Frequentemente é usada como exemplo de “crossover singer” entre mestres de canto e fonoaudiólogos, pela facilidade com que transita entre os variados estilos musicais (mpb, rock, jazz, ópera, etc.). Além disso, é das poucas cantoras com quatro oitavas de extensão, um fenômeno raro no canto que a deixa à vontade para interpretar com maestria estilos tão distintos. Em setembro de 2008, estreou no Rio de Janeiro 7 - O Musical, de Charles Möeller e Cláudio Botelho, especialmente escrito pela dupla para ela, com trilha inédita especialmente composta por Ed Motta. O espetáculo foi o maior vencedor do Prêmio Shell de Teatro2007.Maestriniéumadasprimeiras pessoas a terem aprovadas e bastante elogiadas as versões que fez para o inglês de letras de Chico Buarque , dentre elas, I love you (Eu te amo), que foi tema da trilha da novela Aquele Beijo escrita por Miguel Falabella. Em 2010, no elenco da novela Tempos Modernos também da Rede Globo, incorporou o papel de Ditta Kuznetskov, uma diva internacional de ópera com um passado roqueiro. Seu desempenho foi tão brilhante que suas interpretações, tanto de árias quanto de standards do rock, passaram da TV para o YouTube, com grande audiência até hoje. Em 2011, duas outras canções interpretadas por ela estiveram em trilhas

de novela com grande repercussão: True Colors, sucesso dos anos 90 na versão de Cindy Lauper e que na interpretação de Alessandra para a novela Ti Ti Ti ganhou espontaneamente as rádios brasileiras, com destaque; e Round Midnight, tema da novela Insensato Coração, de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Revista Duo (DUO): Conte-nos um pouco sobre sua história e início de carreira. Alessandra Maestrini (AM): Estreei no Rio de Janeiro em novembro de 1997, no musical original e ganhador do Prêmio Sharp do ano “As Malvadas”, de Charles Möeller e Claudio Botelho. De lá para cá fui emendando vários espetáculos, protagonizando peças de teatro e, especialmente, grandes musicais como “O Abre Alas”, “Rent”, “Les Misérables”, “Ópera do Malandro”, “7” (escrito especialmente para mim por Charles Möeller, Claudio Botelho e Ed Motta) e, mais recentemente, a primeira montagem mundial para teatro de “New York New York”. DUO: Como surgiu o convite para interpretar a Bozena em Toma lá da cá? AM: Foi um convite do próprio Miguel Falabella, que já acompanhava minha carreira no teatro e escreveu o papel especialmente para mim. DUO: Foi seu primeiro trabalho humorístico? AM: Não, já tinha interpretado outros. DUO: Tem intenções de voltar ao humor? AM: Nunca o abandonei. Atualmente sigo em turnê nacional com a comédia “A partilha”, de Miguel Falabella. DUO: A personagem “Bozena” foi um grande sucesso, você tem medo que isso possa atrapalhar outros trabalhos? AM: Nenhum. Cada papel é um novo desafio. DUO: Como surgiu a música em sua vida? AM: Nasci já muito musical. E minha mãe sempre escutou boa música em casa. Nasci, fui criada e alimentada nesta placenta. DUO: Qual seu maior prazer, atuar ou cantar? AM: As duas coisas. DUO: Projetos futuros em vista? AM: Sigo em turnê com o show de lançamento do meu CD “Drama ‘N Jazz” e com a comédia “A Partilha”; no segundo semestre tomo a frente da


primeira turnê nacional do musical “New York New York”; em setembro estreio na TV no seriado de Luiz Fernando Carvalho com textos de Clarice Lispector “Só Para Mulheres” que vai ao ar no “Fantástico”; em breve estreia no cinema o filme “A Primeira Missa” de Ana Carolina, em que protagonizei no papel de uma índia. DUO: Quando está nascendo um projeto, você tem medo que não dê certo? AM: O que eu tenho é vontade de que dê certo. Nossa energia é uma só; é importante investi-la pró-ativamente. DUO: Seu novo CD é totalmente jazz? AM: Não. O CD aborda uma grande diversidade de ritmos. Por isso a escolha de um nome que remete a “ginga”/“groove” simplesmente, que vem a ser o fio condutor mestre do CD ao lado da emoção/interpretação, também presente no título com a palavra “drama” que, em inglês, remete a teatro. “Drama ‘N Jazz” poderia ser traduzido como “Ritmo e Sentimento”. Ao mesmo tempo, brinca com a expressão “Drum ‘N Bass”. Além de ser mais uma maneira de se dizer “Rhythm ‘N Blues”. Tudo isto está presente no CD. DUO: O que completa Alessandra? Hoje você se sente uma mulher completa? AM: Sinto-me uma mulher com maior inteireza a cada dia. Estou viva. Sigo construindo-me. Sinto-me abençoada e abençoante. Tão completa neste sentido quanto incompleta em outros tantos. Ou seja, uma mulher dicotômica, o que já vem a ser em si uma redundância. DUO: O que você não faria novamente? AM: Refrear meus instintos diante do medo de não ser amada por meu objeto de desejo, muito embora a clareza escancarada da ressonância do momento. DUO: Algo que tira Alessandra do sério? AM: Covardia é uma delas. DUO: Algo que gostaria de falar e nunca teve oportunidade? AM: A oportunidade sempre existe. A escolha é nossa de não dizer. DUO: Um recado para os leitores da Duo. AM: Direito e dever quase sempre são sinônimos. Por exemplo: a cidadania. Grande beijo a todos!


DUO Sexo

Por Claudia Petry contato@sussurra.com.br

BRINQUEDOS SEXUAIS que tal, no mês das crianças, brincarmos como gente grande?

Podemos considerar brinquedos sexuais todo e qualquer objeto que insinue ou que é usado com a finalidade de excitar a si ou ao parceiro. Mas o que o uso destes brinquedinhos eróticos tem a ver com a sexualidade? Se eles podem nos ajudar, como isso acontece? Eles podem facilitar no conhecimento do nosso corpo e das sensações que podem despertar: Com eles podemos nos explorar, ampliar sensações e ter muito mais prazer. É preciso deixar de lado a crença de que uma vez com o brinquedo em mãos sua vida será diferente de tudo que sempre soube. Não se compra prazer. Assim como o Viagra não estimula o desejo, o vibrador, por exemplo, por si só não te fará chegar ao clímax. Então, relaxe, liberte-se, permita-se fantasiar e deixe que o desejo te controle por uns minutinhos. Fato é que ainda há muito preconceito no que diz respeito ao uso dos acessórios eróticos. Muitos ainda percebem o seu uso como um descontentamento sexual utilizados por pessoas cujos parceiros não dão ‘conta do recado’, ou porque são sozinhas ou encalhadas ou ainda para os casais que estão na corda bamba. Serve tanto pra esses como para todos os outros. Serve para sanar a curiosidade e incrementar a vida sexual e descobrir sensações até então não conhecidas. Serve para ampliar o prazer do seu parceiro (a) a um esforço quase que zero! E se, antes existiam poucas opções de brinquedos sexuais, hoje nos deparamos com verdadeiras Disneylândias reais ou virtuais que buscam intensificar as fantasias sexuais, afastar a monotonia sexual e facilitar que os parceiros

encontrem novas e diferentes formas de excitação e diversão. Ótima possibilidade de inovar sem correr riscos desnecessários por aí afora... Se a insegurança ou a timidez te prende na entrada de um sex shop, hoje se tem a opção de comprar numa Boutique Sensual ou mesmo pela internet. Além dessa, na sua própria casa existem objetos capazes de apimentar a sua próxima noite. Mas tenha cautela e consciência. Um par de dados é o suficiente para um joguinho sexual fácil e eficaz. Gelo e chá quente são ótimas alternativas para brincar com a sensibilidade. Um espelho pode despertar prazeres adormecidos ao permitir uma visão de um ângulo que não se consegue ver sem a ajuda dele. Um lenço pode servir como algema. Para as preliminares, nada como trocar mensagens pelo celular. Enfim, solte a imaginação e deixe a criatividade brincar com você. Mas precisamos acabar com o preconceito em relação aos locais onde estes brinquedos sexuais são vendidos. E isso não é nenhum tipo de comercial. Ir a uma Boutique Sensual é entrar em contato com a sua criatividade, pois os brinquedos podem ser usados além da área genital. Mas fique de olho nas instruções de uso. Além disso, seu emprego é como se fosse um jogo: existem fases. Alguns brinquedos requerem mais práticas e um maior nível de intimidade com o corpo e com o parceiro. É preciso tomar alguns cuidados para se aventurar nessa brincadeira: Higienização é artigo de primeira linha. Verifique nas especificações do produto

como ele deve ser limpo. Seu brinquedinho é pessoal e intransferível. Não compartilhe com as amigas. Quer experimentar? Cada um tenha o seu. Falando de vibradores, pode ser interessante o uso de um gel lubrificante para suavizar o atrito com a mucosa vaginal. Eles também têm prazo de validade. Tenha cuidado com os materiais utilizados na fabricação. Saiba que há produtos que contém ptalatos, ativo que pode causar câncer. Não compre o primeiro que achar. Vá conhecendo as disponibilidades do mercado, estudando o mecanismo do que você procura aos poucos, entendendo como ele funciona e o que você espera dele. Procure um local seguro, que prioriza a qualidade e segurança dos produtos. Conheça outras opções de brinquedos e procure um local que tire suas dúvidas sem julgamentos, sem preconceitos. E se você quer incrementar sua relação com os brinquedinhos, tenha uma conversa franca com o seu parceiro, descontraída e sem cobranças. Deixe o parceiro livre pra decidir. Sexo precisa ser divertido para os dois. Mas também não se sinta culpada caso queira descobrir como funciona a sua compra sozinha. Algumas pessoas querem compartilhar, outras se sentem mais à vontade, estando sozinhas ainda que seja nesse começo. Tudo depende da sua vontade e intimidade consigo mesmo e com o parceiro.


DUO Sensualidade

Por Andreia Berté andreiaberte@andreiaberte.com.br

Primavera o perfume da sedução está no ar!

A chegada da estação mais colorida e perfumada do ano é absolutamente inspiradora! Aromas extasiantes e explosão de cores em paletas estampadas nas mais elegantes pétalas que compõem os jardins mais sedutores e irresistíveis aos sentidos dos polinizadores. Uma perfeita harmonização da natureza estrategicamente elaborada para evocar sentimentos e sensações e garantir a perpetuação das espécies.


Cor e perfume fazem parte da estratégia de sedução da natureza E sim, isso tem tudo a ver com você!

A magia das cores e dos aromas é poderosa, pois atua diretamente no sistema límbico, considerado o “cérebro das emoções” e a partir do qual são estimulados os comportamentos emocionais e motivacionais e os impulsos mais primitivos como a fome, sede e... O sexo. Vem daí a ligação afrodisíaca entre perfumes e sedução. Usados inicialmente pelos religiosos através de unguentos e incensos capazes de despertar estados de relaxamento, meditação e contemplação divina, os Per Fumun (perfumes em latim) eram restritos aos sacerdotes. Na Grécia antiga, óleos essenciais eram utilizados em rituais em homenagem à Afrodite, a deusa do amor e da fecundidade (Vênus para os romanos) que lhes concedia o poder de aumentar o vigor, a potência e o prazer sexual. Na Índia do Kama Sutra, recomendava-se o uso de arranjos de flores e óleos aromáticos como estimulantes eróticos do casal. No Egito, as essências perfumadas extrapolaram os redutos dos faraós e chegaram à pele e aos narizes do povo que descobriu o seu poder mirando-se no exemplo da sedutora Cleópatra que conquistou impérios pela inteligência e também pelo olfato (dizem que Júlio César, ao sentir o perfume de flores nos cabelos da rainha, foi enfeitiçado e dobrou-se aos seus pés). É da Era Medieval a imagem de belas feiticeiras preparando poções do amor à base de plantas e flores combinadas com feromônios para atrair o sexo oposto, mas foi na França do século XIV que a indústria da perfumaria descobriu o enorme potencial comercial da sintetização dos hormônios da atração sexual combinados com aromas afrodisíacos, anos depois eternizado pela declaração de Marylin Monroe: “Gosto de dormir usando apenas uma gotinha de Chanel Nº 5”. Pronto! O poder sensual do perfume estava para sempre selado! Hoje a indústria da beleza e da cosmética sensual oferece odores, cores e sabores tão variados quanto nossas intenções ao usá-los. Então, que tal dar as boas-vindas à primavera utilizando-se de todas as suas nuances para seduzir? Seguem algumas

Aroma de desejo no ar... Perfume à flor da pele... Sedução com flor na pele... Cheiro de pele com pele... Sabor de desejo no corpo todo! ideias pra lá de poderosas: AROMA DE DESEJO NO AR Ensinamentos orientais milenares como o Feng Shui, Kama Sutra, Tantra, entre outros já orientavam a erotização dos ambientes através das flores e aromas. A moderna aromaterapia também apresenta as reações desencadeadas pelos estímulos olfativos. Então, que tal passar na floricultura ou jardim mais próximo e preparar um lindo arranjo de flores coloridas para a sala de jantar ou quarto do casal? Complemente espalhando pétalas de flores e velas perfumadas pela casa fazendo um caminho do pecado até a “cama do prazer”. Borrife um Splash Parfum sobre os lençóis, almofadas e travesseiros, para então cobri-los de pétalas. Utilize o mesmo splash sempre que for preparar um momento romântico e picante criando assim uma marca olfativa da sua sensualidade. De dar inveja à Cleópatra! PERFUME À FLOR DA PELE O poder de usar o seu perfume você já conhece: basta colocar aquela gotinha mágica pra sentir a transformadora sensação de poder! Mas que tal ousar e utilizar perfume de feromônios (encontrados em sex boutiques) combinado com um óleo essencial exótico como o ylang ylang ou à base de múltiplas especiarias? O ideal é esfoliar a pele durante o banho e com o corpo ainda úmido espalhar uma pequena quantidade dessa exclusiva fórmula, massageando delicadamente e despertando assim as milhares de zonas erógenas. Gostou da sensação? Aplique o mesmo ritual no corpão do seu amado. Simplesmente inebriante!

SEDUÇÃO COM FLOR NA PELE Quer deixar esse momento ainda mais inesquecível? Após aplicar o óleo realize a massagem utilizando a suavidade e textura acetinada de pétalas de rosas. Seu toque simula lambidas pra lá de provocantes especialmente se aplicadas em todo o percurso da coluna, no pescoço, atrás as orelhas, nos mamilos, no abdômen, períneo e na região genital. Um show para todos os sentidos aplaudirem e pedirem bis. CHEIRO DE PELE COM PELE Os dois corpos envolvidos por esse óleo da paixão formam um irrecusável convite para uma sessão de massagem tailandesa... Aquela que você realiza utilizando todas as partes do seu corpo para massagear: deite-se sobre o amado e deslize, esfregue-se, delicie-se enquanto seios, coxas, pernas, bumbum, cabelo, unhas e lábios (todos eles) tocam, estimulam, excitam e provocam o corpo do seu amado. Huuum! SABOR DE DESEJO NO CORPO TODO Se o óleo que estiver utilizando for comestível, caia de boca agora mesmo! Caso contrário, aplique um óleo com sabor ou quem sabe, um chantilly, uma calda de pêssego ou cereja, um vinho, licor ou qualquer outro sabor da sua preferência. Um banho de língua com sabor de desejo, de entrega, de gosto de quero mais... Muito mais! E que assim venha a primavera: repleta de cores, amores, aromas, sabores e momentos especiais vividos com toda intensidade e todo poder de sedução que, sim... Você tem em você! Acredite, ouse, aproveite e viva já tudo o que puder viver! Beijocas especiais.

Andreia Berté Palestrante motivacional, Educadora Sexual, Especialista em criatividade sensual e outras ideias sobre o universo dos relacionamentos. andreia.bertepalestrante www.andreiaberte.com.br andreiaberte@andreiaberte.com.br


DUO Comportamento

SAI PRA LÁ MAU HUMOR 13 de novembro é o Dia Internacional do Mau Humor! Temos um dia para comemorar a rabugice, reclamar da vida e chutar o balde. Agora, quando isso vira uma rotina, pode ser considerado uma doença - e não somente chatice.

Por Márcia Campos Fotos: Divulgação

Todos nós, algum dia, já tivemos uma crise de mau humor, acordamos com o pé esquerdo e daí pra frente tudo dá errado: o despertador que não toca; o trânsito que fica insuportável; o pneu do carro que fura; o salto de sapato que quebra, atrasos que atrapalham a rotina do dia a dia, esquecimento de alguma coisa importante... Credo, que “zica”! Quando estamos de bom humor, tudo isso é motivo para uma enorme dor de cabeça. Imagine só quando o mau humor impera no nosso ser, aí fica difícil de lidar com as situações adversas. Muitas relações sociais, profissionais e até amorosas já se desfizeram devido

ao mau humor. É quase impossível conviver com pessoas que reclamam de tudo o tempo todo e só percebem o lado negativo das situações. Normalmente os mal humorados nem sabem que sofrem de uma doença, eles acreditam que o mau humor constante é apenas um traço de sua personalidade. Mas o problema tem solução e nome: distimia, um quadro depressivo crônico, incluso na Classificação Internacional das Doenças, nos Transtornos Persistentes do Humor. As pessoas que sofrem deste mal têm uma percepção melancólica e negativa da vida. Estão

sempre tristes, pessimistas, com pouca energia e baixa autoestima. Mostramse sempre abatidas, pois para elas, nada dá certo, reclamam de tudo a todo instante e nunca estão satisfeitas com nada. Pessoas com distimia precisam de ajuda e de tratamento médico. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a doença atinge a 3% da população mundial, o que significa cerca de 180 milhões de pessoas no mundo. 70% dos adultos com depressão foram distímicos na infância ou adolescência.


Alimentos que podem ajudar a turbinar o seu humor Está mais do que comprovado pela ciência que a mudança dos hábitos alimentares e uma alimentação saudável e equilibrada só trazem benefícios para o corpo e a saúde. Conheça uma lista elaborada por nutricionistas com alguns alimentos que podem dar uma turbinada no seu humor e atuando como coadjuvantes no combate a doença.

LIMÃO: ajudar a trazer clareza e lucidez para encontrar as melhores respostas aos desafios da vida. Um grande cúmplice do bom funcionamento do fígado e intestinos, o limão ajuda a eliminar as substâncias densas que enfezam e irritam. ALFACE: ótima para amenizar a irritação. A falta desse elemento no organismo causa depressão, confusão mental e cansaço. FOLHAS VERDE ESCURO: couve, agrião e brócolis, ricas em ácido fólico e vitaminas do complexo B, cuidam do cérebro, da memória e do sistema nervoso central. CENOURA: rica em betacarotenos, substâncias antioxidantes que preservam a saúde de todos os tecidos, como os do sistema cardiovascular e da visão. ALHO: reduz a pressão arterial, que pode ir às alturas devido à ansiedade acumulada. BANANA: diminui a ansiedade e ajuda a garantir um sono tranquilo. UVA: tem boa dose de vitaminas do complexo B, que ajudam no funcionamento do sistema nervoso. JABUTICABA: contém ferro - que combate a anemia - e vitamina C, que aumenta as defesas do organismo. Suas vitaminas do complexo B agem como antidepressivos.

Dicas para melhorar seu dia

Agora chega de mau humor! Quando aquela nuvenzinha negra pairar sobre você, leia as dicas que a DUO elaborou é lembre-se: o importante é ser feliz! • Rir de si mesmo é um ótimo antídoto contra o mau humor; • Sair com os amigos para jogar conversa fora acaba com o estresse da rotina e melhora o ânimo;

LARANJA: rica em vitamina C, cálcio e vitaminas do complexo B, a laranja ajuda no bom funcionamento do sistema nervoso. O cálcio, presente em sua composição, é relaxante muscular e combate o estresse. SEMENTES DE LINHAÇA, GERGELIM, GIRASSOL e CASTANHA DO PARÁ: principalmente quando pré-hidratadas e germinadas. Ricas em gorduras essenciais, ômega 3, proteínas e sais minerais, devem ser ingeridas (com moderação) para suprir o cérebro das melhores matérias-primas de que ele necessita.

tipo tem também poder antioxidante. MARACUJÁ: combate o cansaço e o estresse do organismo. PIMENTA: a ardência desse alimento é causada pela capsaicina, princípio ativo da pimenta que estimula o cérebro a produzir mais endorfina, responsável pela sensação de euforia.

LECITINA DE SOJA: funciona como um detergente para limpar o organismo de todas as gorduras em excesso. Rica também em fitosteróis, acetilcolina e vitamina E, proporciona muitos benefícios ao funcionamento do sistema nervoso e do cérebro. Uma colher de chá por dia, batida com um suco desintoxicante é suficiente. FRUTOS DO MAR: quer mandar a tristeza embora? Consuma até 3 vezes/ semana as delícias que vêm do mar. Elas têm zinco e selênio que agem no cérebro, diminuindo o cansaço e a ansiedade. OVOS: os nutrientes dos ovos que garantem o bom humor são a tiamina e a niacina (vitaminas o complexo B), o ácido fólico e a acetilcolina. A carência deles pode causar apatia, ansiedade e até perda de memória. PROTEÍNAS: elas possuem boas doses de triptofano, que ajuda na formação da serotonina. Além de carnes, ovos, leite e derivados, está presente no grão-de-bico, ervilha e feijões. CHOCOLATE: o cacau possui carboidrato e triptofano, que estimulam a produção de serotonina no organismo. O mais indicado pelos nutricionistas é o meio amargo ou com 70% de teor de cacau, já que esse

• Evite pessoas negativas, o mau humor pode ser contagioso; • Pratique atividade física regularmente; • Acorde 15 minutos mais cedo e tome um bom café da manhã; • Evite o desgaste e otimize sua agenda, desta forma terá mais tempo para você; • Divirta-se com as coisas simples da vida: assista a bons filmes, cante no

carro e no chuveiro, afastando o baixo astral; • Adote um animal de estimação, eles são ótimos companheiros e nos trazem uma sensação de bem estar; • Devore uma barra do seu chocolate preferido, sem culpa; • Quando se irritar, pare, respire e mentalize coisas boas e positivas; • Ame-se, gostar de si mesmo é a melhor opção.


DUO Esporte rozane.campos@yahoo.com.br

Contato

com a natureza

No município de Santo Amaro da Imperatriz, em Santa Catarina, considerado a região das águas termais, foi onde ocorreu mais uma de nossas aventurais. É lá onde fica também o Rio Cubatão do Sul, conhecido como último rio livre de PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) e a fonte de Caldas da Imperatriz que foi indicada como a segunda melhor água mineral termal do mundo. São 5 km de rio no

trecho da serra, lugar de rara beleza em meio à mata Atlântica. Foi lá que decidimos fazer a prática do rafting e a equipe de instrutores já aguardava a nossa chegada. O rafting é a prática de descida em corredeiras em equipe utilizando botes infláveis e equipamentos de segurança. A prática do esporte pode ser feita por qualquer pessoa. Porém os trechos são escolhidos de acordo com o perfil de cada grupo

de praticantes. Para quem está iniciando, os menos radicais são os mais indicados. Mas para quem gosta de aventura é só segurar o medo, não se importar com a água gelada e encarar os desafios. Depois de três horas remando, e de ter passado por 19 corredeiras, nossa aventura termina e a sensação é de que tudo valeu muito a pena. Fotos: Arquivo Pessoal


DUO Direito

Por Eliezer José Bonan Júnior - Advogado eliezer@bonanmartins.adv.br

Um ato de

amor Adotar é mais fácil do que se imagina. Embora ainda exista um preconceito velado sobre a adoção, além de expressar verdadeiro amor, este é um ato de coragem e doação. O primeiro passo para a adoção de uma criança ou adolescente é a vontade de amar incondicionalmente uma pessoa. Vontade de dividir seu carinho, sua vida e seu futuro com um ser que, muito provavelmente, ainda não experimentou estas alegrias de uma relação parental. O segundo passo é procurar o Fórum da Comarca onde você reside. Basta levar o RG, o comprovante de residência e manifestar sua vontade em adotar. Lá você receberá informações iniciais a respeito de outros documentos necessários para dar continuidade ao processo de adoção. Saiba que qualquer pessoa pode adotar, independente do seu estado civil e de sua orientação sexual, desde que maior de idade e que seja 16 anos mais velho do que o adotando. Os cônjuges ou companheiros também podem adotar em conjunto, desde que um deles seja maior de idade e que seja comprovada a estabilidade familiar, independentemente de sua orientação sexual.

Podem ser adotadas crianças ou adolescentes com, no máximo, 18 anos de idade, ou, em alguns casos previstos em lei, até mesmo pessoas maiores de 18 anos. Após dar entrada ao pedido de adoção, você passará por uma avaliação de suas motivações e expectativas quanto à adoção. É uma das fases mais importantes, já que os interessados serão entrevistados por uma equipe técnica da Vara da Infância e da Juventude, composta por profissionais da área da psicologia e de serviço social. As entrevistas também objetivam conciliar as características das crianças ou adolescentes que se encontram aptos à adoção com as dos interessados. Em seguida, os candidatos à adoção precisam participar de um curso preparatório de 10 horas. Em seguida, os interessados serão considerados habilitados à adoção e ingressarão no Cadastro Único Informatizado de Adoção e Abrigo – CUIDA, que é um sistema de informações que vincula pretendentes à adoção, inscritos e habilitados em Santa Catarina, a entidades de abrigo e a crianças e adolescentes abrigados ou em condições de colocação em família substituta.

É importante reforçar que a primeira fase da adoção até a habilitação no processo e a inscrição no Cadastro Único normalmente é rápida. Na maior parte dos casos, a etapa mais demorada é a segunda, de localização de uma criança que atenda às características escolhidas pelos adotantes. Porém, não precisa ser assim. Será muito mais fácil encontrar uma criança ou adolescente que se adapte ao perfil de um candidato que tenha poucas restrições quanto às suas características. Localizada a criança ou adolescente, o pretendente poderá encontrar-se com ela no próprio Fórum ou abrigo, conforme o caso. Depois disso, o tempo até que a criança ou adolescente seja levado para o lar adotivo vai variar, respeitando-se suas limitações. O ideal é a aproximação gradativa, já que a adoção exige do adotando tanto uma despedida dos vínculos amorosos estabelecidos até então – seja no abrigo, seja na família guardiã – quanto um tempo de construção de novas relações. Sendo a adoção um ato de amor, não o limite: adote.

Fotos: Divulgação


Por Aldo Cadorin aldocadorin@demarseille.com.br

DUO Bebidas

VINHO

SAÚDE E PRAZER Vinho é prazer e saúde! Nesta coluna, sempre abordamos o prazer do vinho. Hoje será a vez da saúde.

U

m estudo feito nos anos 70, que passou a ser chamado “Paradoxo Francês”, deu início a inúmeros estudos associando o vinho como benéfico à saúde e, sobretudo, ao coração. Intrigava os cientistas que os franceses, apesar de hábitos de vida pouco saudáveis, como fumar, beber e comer muita gordura de origem animal, tinham baixa incidência de enfarto do miocárdio e de acidente vascular cerebral. O aprofundamento da pesquisa a povos como italianos e gregos, também com características como as dos franceses, concluiu que tudo estava ligado à alimentação, principalmente vinho e azeite, que trazem saúde e longevidade. Nos anos 90, isolou-se do vinho a substância resveratrol, que se comprovou ter o potencial de prevenir doenças ligadas ao coração por seu poder antioxidante, que ajuda a limpar os depósitos de gorduras nas artérias. Estudos quentíssimos deste ano publicados no American Journal of Nutrition avançaram ainda mais. Concluíram que os polifenóis (resveratrol e demais substâncias do vinho) associados ao etanol, presentes no vinho tinto, eram benéficos ao coração. Portanto, o álcool em doses moderadas também é um amigo do coração. Hoje há inúmeros estudos em andamento sobre os benefícios do vinho para artrites e muitos outros males. Outros campos, como o da beleza, já se beneficiam dos

estudos sobre os componentes do vinho. A história do vinho é quase tão antiga quanto a humanidade. Seu sucesso, como já dissemos, está em proporcionar prazer e saúde. Este binômio o transformou em bebida sacra - Cristo disse que o vinho simbolizava seu sangue. Na mitologia grega, o vinho foi presente de Dionísio (depois Baco para os romanos), o deus das festas e alegrias. Platão o chamava de bebida dos deuses. Hipócrates, pai da medicina e Galeno, médico grego considerado pai da farmácia moderna, colocavam suas plantas medicinais dentro do vinho. O resveratrol está mais presente nos tintos. Embora varie de safra para safra, na média, está presente em maior quantidade nos tintos das uvas sangiovese (italianos da Toscana) e das francesas merlot e tannat, dentro os vinhos mais usuais em nosso meio. Os vinhos brasileiros se saem bem. Para dar um exemplo de Santa Catarina, podemos destacar a Villa Francioni, que tem tintos, roses e até brancos (como o espumante Brut Blanc de Noir) com as uvas merlot e sangiovese. Da Serra Gaúcha, o grande destaque é a Casa Valduga com seus merlots rose e tinto e seu top de linha: o Storia. O Uruguai, nosso vizinho, soube domar com extrema maestria a uva francesa tannat. Bouza, nos arredores de Montevidéu, talvez seja a Bodega que mais soube exprimir esta casta no país. Seus tannats são fabulosos, bem como seus merlots,

ou ainda fazendo um “assemblage” de ambos. Das Américas, sempre digo, os vinhos uruguaios são os mais “europeus”. Mas atenção, muita atenção: um ou dois cálices por dia é o limite (cálice = 150/180 ml). Quando se abusa do vinho, o efeito nocivo do álcool neutraliza os componentes benéficos. Há pessoas que não podem tomar bebida com álcool, outras que têm propensão ao alcoolismo. Consulte sempre seu médico para uma orientação segura. Se você não pode tomar vinho por causa do álcool e quiser usufruir dos benefícios do resveratrol presente nas uvas, pode fazer uso de um suco de uva de qualidade. E aqui, o nacional da Casa de Madeira é imbatível. Sobretudo agora que há opções de suco de uva com fibras, que adicionalmente é bom para a regularização do intestino. Devemos também evitar os vinhos de má qualidade, que podem conter conservantes e causam dores de cabeça. E qualidade está associada a preço. Nunca custa repetir: jamais dirija se ingeriu vinho ou outra bebida alcoólica. Os nossos reflexos, seguramente, não são os mesmos. O prazer em si de tomar vinho nas refeições já agrega saúde em nossa vida. Portanto, tome também nossos belos brancos e espumantes, sobretudo na primavera e verão. Eles são perfeitos para frutos do mar, peixes e pratos leves. É pelo prazer e saúde que quando fazemos tilintar as taças de vinho falamos nas diversas línguas: Santé! Salute! Salud! Cheers! Saúde!


DUO Gastronomia

Sabo

rean DUO

Convidada da Edição: Regiane Corrêa Martins Bayer Proprietária do restaurante DOC Cucina

Prato principal Polpetone de mignon recheado com queijo colonial ao molho buco e purê de batata com lascas de castanhas do pará.

Entrada Cesta de Formaggio com rúcula, alface americana e sweet grape à salsa italiana. Ingredientes: • 50 g de parmesão • 2 folhas de alface americana picada • 4 a 5 folhas de rúcula sem o talo • Tomate cereja Para o molho: • Nata • Sal e pimenta a gosto • Manjericão e hortelã

Ingredientes: • 1 kg de mignon moído (sem o cordão) • 1 ovo • Cebola roxa • Alho • Pasta de alho negro • Tomate • Salsinha • Cebolinha • Sal pimenta • Noz moscada • Queijo tipo colonial (encontra-se na região de Pirabeiraba) • Farinha de rosca • Óleo • Queijo mussarela • 1 kg de ossobuco • Batata inglesa • Nata • Creme de leite pasteurizado • Castanha do pará

Colocar o mignon moído numa tigela, acrescentar o ovo, cebola, pasta de alho negro, salsinha, cebolinha, sal, pimenta e noz moscada a gosto. Fazer uma pequena porção na palma da mão, acrescentar o queijo colonial e a mussarela (é necessário colocar a mussarela, pois os queijos coloniais não costumam derreter), fechar em formato de bolinhas. Empanar na farinha de rosca e fritar. Para o molho: em uma panela de pressão colocar o ossobuco, tomate, cebola, alho, pimenta, noz moscada, cebolinha e salsinha, sal a gosto. Deixar 40 minutos após a pressão. Retirar o osso e processar a carne. Para o purê: cozinhar as batatas e processá-las até obter uma mistura homogênea, acrescentar a nata e o creme de leite, sal a gosto, noz moscada, pimenta, salsinha e cebolinha a gosto. Decorar com as castanhas.

Colocar em uma frigideira o parmesão, deixar ficar ao ponto de crocância, colocar em uma forma de bolinhos em formato contrário da entrada. Preencher a cesta com a alface, a rúcula e o tomate cereja. Para o molho, picar o manjericão e a hortelã e juntar todos os ingredientes. Foto: Arquivo pessoal


Por Casal Fashion www.casalfashion.com

DUO Moda e Comportamento Homem

O blazer nosso de cada dia Há um ditado que diz que na moda tudo é cíclico. Mas, certamente, isso não vale para o blazer. Se você já ouviu a sua mulher falar do famoso “pretinho básico” antes de ir para uma festa, lembre: o blazer azul-marinho é a versão masculina desse ditado. Se você ainda não possui um modelo, creio que chegou a hora de pensar seriamente em ter um (ou dois, ok?). O blazer é a peça mais flexível que você terá, porque pode te acompanhar da reunião na empresa ao barzinho, dando aquele toque de estilo que você procura no dia a dia. Com origem na marinha inglesa, a peça vai do formal ao casual. Eu, Henrique Puccini, garanto que o efeito no seu visual é incrível e deixa qualquer jeans com camiseta mais bacana e moderno. Mas por onde começar? Vamos pelo básico: primeiro tenha um bom jeans, camisa e camiseta básicas. Depois, dois blazers: um de inverno (tecidos mais quentes e sociais) e outro de verão (tecidos mais leves e que garantam ser casual sem perder o estilo, dos negócios ao lazer). E temos a receita do sucesso.

Para deixar mais claro, explicaremos a diferença do social e casual. E, claro, não vale usar o paletó, do seu terno, como blazer, ok? No social, os ombros são estruturados. Esse destaque garante a elegância e o caimento mais social.

“Se você ainda não possui um modelo, creio que chegou a hora de pensar seriamente em ter um”.

O modelo conta com uma silhueta acinturada e lapela peaked, sendo o ideal para negócios e encontros mais formais. No blazer casual a peça acompanha o nosso corpo, mas mantém a alfaiataria. Ombros com pouco enchimento e cintura menos marcada deixam esse modelo mais esportivo e jovial. Agora que explicamos o básico, vale começar com uma opção de cor neutra e, depois, adquirir um de cor mais destacada, tendo assim um bem

casual e um social. Se você é discreto, no segundo blazer vá de azul ou até mesmo um burgundy (vinho). Se você é mais moderno pode ousar mais, tons como o vermelho e o mostarda são ótimas opções. Vista com um jeans e camiseta (ou camisa) e vá aproveitar o dia. Ou noite. Depois de usar uma vez, nós temos certeza que seu visual ganhará elogios e vai fazer você se diferenciar na multidão.

Patrícia de Aquino: Para o verão, indicamos um tecido bacana e que não sai de moda para o seu blazer casual: o linho. Ele possui textura amassada e é leve, ideal para a estação, principalmente em eventos diurnos. Um modelo jeans também pode cair bem e, nesse caso, opte pelos escuros que garantem um ar mais elegante.

Fotos: Tiago Cazaniga.


Publieditorial

Inovando o conceitO

de formaturas Concluir um curso e colar grau é o sonho da maioria das pessoas. Por isso, para fazer desta conquista um momento único e memorável, a Q.I. Formaturas inova o conceito e oferece a você os melhores serviços, desde os momentos ao lado de sua turma que antecedem o dia, a todos os detalhes que envolvem a organização deste tão esperado evento.


Experiência A empresa, idealizada por Rose Muniz e Vanderlei Kupicki, é baseada na comunicação, na confiança, na cumplicidade e no entusiasmo. Rose possui mais de nove anos de experiência em eventos tendo comercializado mais de 100 formaturas em diversas instituições de ensino superior na cidade de Joinville e região, de diversos cursos do universo acadêmico. Trabalhou em três grandes empresas do segmento desde consultora comercial a gerente comercial e gestão de eventos. Vanderlei é

proprietário do VPF Estúdio e atua desde 1992 em Joinville e região, lidera sua equipe de profissionais com entusiasmo e técnica desenvolvida à partir da sua visão e estilo próprio e aprimorada com recursos tecnológicos de última geração que lhe proporcionam um trabalho diferenciado de fotografia. Em constante busca de novos conhecimentos e conectado ao mundo contemporâneo, costuma participar de feiras, palestras e congressos que abordam o tema.

Diferenciais - A Q.I Formaturas é a única empresa de organização de formaturas de Joinville que possui sede própria e um grande estúdio com ambiente moderno, amplo e confortável para que os formandos e familiares possam desfrutar da experiência em ser fotografados em um estúdio de verdade. “Não nos limitamos em fotografar nossos formandos e seus familiares somente no dia do evento, entendemos que essa história deve ser construída gradativamente e repassada para o álbum, por conta disso convidamos os acadêmicos e seus familiares para sessões em estúdio em momentos que antecedem a Formatura e concluímos nosso trabalho conceitual no Grande Dia”. Vanderlei Kupicki. - Cada turma possui características próprias e a Q.I. busca sempre seguir a risca os desejos dos formandos. Pensando nisso, a empresa oferece a oportunidade de personalizar a festa, de acordo com as peculiaridades da sua turma.

- Agrega requinte e apresenta as mais modernas opções em termos de decoração com a elaboração de peças personalizadas para cada evento e tecnologia como: plataformas touch screen, passarelas de led, superfícies interativas (pista de dança, piso e parede) cenário mapping, led, entre outros. - Parceira das melhores empresas do Brasil garante qualidade, preços competitivos e excelência no atendimento.

Serviços A Q.I. Formaturas oferece muito mais que a certeza de uma festa marcante, os profissionais estão preparados para auxiliar em todos os processos até o inesquecível dia. São oferecidos serviços de assessoria financeira, assessoria em pré-eventos, assessoria documental, assessoria em arrecadações, gestão de cobrança, criação e edição de imagens conceituais, planejamento, organização, personalização e execução dos eventos da formatura.

Q.I. Formaturas Rua Servidão Fritz Alt, 1001 | Centro - Joinville www.qiformaturas.com.br | (47) 3034.3050 / 9715.7777

Rose Muniz

Vanderlei Kupicki


DUO Liderança

Requisitos para ser um

Líder Coach

Na edição anterior, abordamos a importância do Líder Coach nas organizações e afirmamos que infelizmente não basta apenas querer ser um Líder Coach, é preciso alguns requisitos para que o líder seja um coach para sua equipe. Pensando na liderança em geral, podemos perceber que nem sempre é fácil desempenhar com excelência esta atividade. E pensando na Liderança Coach, este desafio torna-se ainda mais evidente visto que estamos aprendendo uma nova postura de perfil e valores enquanto líderes e uma forma mais humanizada no manejo e desenvolvimento de nossa equipe e na busca dos resultados. Gosto de brincar com as palavras e para mim é uma forma de memorizar o que penso ser importante, por isso vou utilizar o acróstico de Líder Coach para destacar as principais características e requisitos que você precisa ficar atento para desenvolver ou ressaltar e assim se tornar um Líder Coach eficaz.

Por Matilde Melo matildemelo@matildemelo.com.br

L

iderar envolve você estar ciente que precisa liderar antes suas emoções, sentimentos, atitudes e decisões para então poder liderar outras pessoas. Isso se chama inteligência emocional, e só é possível através do seu autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

C

omunicar é ter o dom de tornar comum, compartilhar, trocar informações e, no caso do Líder Coach, transmitir novas ideias com o intuito de trazer a equipe para a sua missão e visão de futuro, fazendo com que o liderado possa sonhar e vivenciar esta comunicação através dos resultados alcançados.

I

nspirar Significa despertar em alguém a vontade de criar ou realizar algo. Um Líder Coach inspira principalmente através do seu exemplo, da vontade de crescer e ajudar as pessoas, por isso você precisa ficar atento na imagem que você está passando para sua equipe e qual legado pretende deixar.

O

rganizar suas metas, diretrizes e padrões de pensamentos, pois quando você deixa claro primeiramente para você, de forma estruturada, onde deseja chegar, qual o preço pretende pagar e como deseja fazer, fica muito mais fácil organizar o ambiente e a equipe para a resolução dos desafios.

D

esenvolver Primeiramente desenvolver suas próprias habilidades e conhecer o seu verdadeiro potencial, prestando atenção em suas qualidades e dificuldades a serem melhoradas. Quando o desenvolvimento começa em você, fica mais fácil desenvolver e inspirar a sua equipe.

A

prender é buscar constantemente novas formas de ser e agir e poder fazer a diferença na sua vida e na vida de sua empresa e equipe. Se você continuar fazendo exatamente igual, seus resultados continuarão os mesmos, por isso abrase para o novo e aprenda para poder ensinar, pois esta é a tradução do coach.

E

scutar princípio básico para um Líder Coach, pois quando pratica a escuta pode perceber e acolher suas próprias inquietações, ficando focado no aqui e no agora e estando livre para ouvir as demandas da equipe, podendo ser mais assertivo e predisposto a ajudar.

C

R

espeitar suas próprias limitações e seu estilo de ser, aproveitando ao máximo todas as suas habilidades. Respeitar o grau de maturidade de sua equipe e estar consciente que cada estilo exige do Líder Coach uma abordagem diferenciada e focada para os resultados desejados com aquela pessoa.

onfiar é buscar dentro de você a segurança e a certeza de que você tem todos os recursos e possibilidades para ser quem você decidir ser. É poder identificar na sua equipe potenciais adormecidos ou mal aproveitados e acreditar que você pode contribuir no desenvolvimento e crescimento destes talentos sendo você o precursor e o facilitador deste processo.

H

umanizar sendo mais gentil e humano primeiro com você mesmo, você poderá se permitir humanizar ainda mais a sua relação com seus amigos, familiares e liderados. Isso resulta em respeito e admiração, sendo você inspiração para as pessoas que te cercam resultando em um ambiente mais feliz e saudável para se viver.

Nem sempre conseguimos nos ver e nos perceber como líderes e quais os impactos que nossa liderança exerce nos resultados de nossa equipe e empresa, por isso estarei à disposição se precisar de um “espelho”. Espero que você reflita sobre estas dicas e com isso possa colocar em prática coisas tão simples, mas que podem mudar o rumo da sua história.


DUO Viagem Por Osny Martins


Não é mais aquele modelo de mochila nas costas e pé na estrada. Há muito que Jericoacoara deixou de ser o reduto de hippies e comunidades nômades. Também deixou de ser o paraíso em que só se viam turistas estrangeiros (os holandeses adoram o lugar até hoje). Os brasileiros também descobriram o lugar e com eles vieram também exploradores urbanos. Mas Jericoacoara mantém uma gostosa magia nativista, que parece resistir ao progresso que já faz sintonizar bem pelo menos duas operadoras de celular – coisa inimaginável até recentemente. A energia elétrica chegou e com ela os benefícios do desenvolvimento. Para alguns, isso é a senha para partir rumo a lugares ainda mais distantes e, até que se prove o contrário, esquecidos da civilização. Para outro, agora sim é que dá para conhecer a já tão comentada região norte do Ceará. Não vão faltar boa gastronomia, bons passeios e boas acomodações com ar condicionado e TV digital. É praticamente o mesmo que já se viu em Canoa Quebrada, do outro lado do litoral cearense, e também em Itaúnas no Espírito Santo, bem como em tantas e tantas outras praias que nascem pequenas, nativas, esquecidas e inacessíveis, mas que, rapidamente, veem chegar estradas, hotéis, restaurantes e toda a especulação imobiliária típica. É o preço que se paga por se descobrir algo tão bonito. Outros corajosos desbravadores, sedentos por paisagens tão bonitas quanto tranquilas também querem o gostinho de férias no paraíso. Taí o nome que melhor se identifica com Jericoacoara: Paraíso. Mas não imagine silêncio a partir das 8h da noite quando o sol se põe e muita gente fica embevecida com tamanha beleza do alto da Duna do Por-do-sol (passeio tão imperdível quanto obrigatório). Também ali, em frente ao povoado, há bares, luaus, shows em palco montado pela Secretaria de Turismo do Estado para sediar seus festivais culturais e toda sorte de programação que agitam o outrora pacato lugar. Claro que o que se sobressai em alto e bom som... E estilo inigualável é o forró. E o forró

corre solto até altas horas...sempre!

A lagoa azul é aqui

Não se assuste ao procurar informações turísticas técnicas sobre o destino. É que vai ler muito a respeito do bioma do lugar. Por se tratar de um bioma costeiro rico, vai encontrar algo como “lugar com ambiente vulnerável e composto por paisagens distintas: serrote, restinga, dunas, lagoas, tabuleiro, manguezal, gramados halofíticos e praias”. Mas o que vale mesmo é que o ambiente é propício a você ir até local de nascedouro de cavalo-marinho. É fantástico. Verá e o “colherá” numa cuia, sob a rigorosa fiscalização de ambientalistas que proíbem maiores acessos. Se optar pelo passeio de um dia até Tatajuba, vai se encantar mais ainda, pois atravessará rios em balsas, brincará com dunas de mais de 50 metros de altura, em escaladas vertiginosas e passeios de buguis radicais. Lagoa não falta. Neste passeio, com direito a modernos esportes náuticos e lanchas, terá a velha e boa rede no meio da água pra descansar enquanto o pescador prepara o prato que escolheu ao chegar – geralmente peixe e frutos do mar. Não tem como não passar pela sua cabeça ficar por lá mais tempo. Mas não dá... pelo menos agora. É necessário voltar pra chegar de volta a Jericoacoara no final do dia. Não antes sem passar pelo lugarejo onde ficava Tatajuba. As casinhas foram literalmente engolidas pelas dunas e um novo local, que na verdade se chama Nova Tatajuba é onde você se deleita com lagoa, gastronomia, esportes náuticos e... claro, a boa rede. No antigo lugarejo só uma conhecida cabana, ponto de encontro de bugueiros e, consequentemente turistas encantados, não se cansam de perguntar aos nativos sobre o lugar. Há outra lagoa, que, geralmente, se visita no último dia em Jeri, já voltando à sede do lugar, próximo da BR, depois de uns dias na praia. Uma lagoa é a Paraíso e a outra é Azul. Ambas agradabilíssimas, pra se voltar

sempre, se passar o dia, se passar uma semana inteira ou o resto da vida, como um casal de holandeses, que arrasta um português, sempre com tom vitorioso, como quem diz: “Eu tive coragem e vim pra cá. Venci”. A Pedra Furada também é passeio obrigatório, você explorando morros e trilhas com uma paisagem de cinema no horizonte. Quem viu esta paisagem no lado contrário, do mar pra terra foi Cristóvão Colombo em 1.499. Reza a lenda que não divulgou nada na época por dois motivos: Não existiam redes sociais na época e por causa do Tratado de Tordesilhas, que entrou em vigor naquele mesmo ano. E quando cansar de tanto passeio, de tanta trilha, tanto rio e mar, tanta duna e tanto esporte náutico, descanse num dos hotéis a beira mar. Muitos com deques literalmente na areia da praia, onde o café da manhã é generosamente servido. O Mosquito Blue é uma boa indicação. Restaurantes já são tão fartos que os preços e a qualidade variam muito. Um prato de peixe frito pode custar R$ 20,00 ou R$ 110,00, com uma frescurinha a mais no ambiente, como som ambiente, ar condicionado e guardanapo em tecido. É assim, Jericoacoara hoje é para todos os gostos, bolsos, idades e coragem de seus aventureiros nem tão aventureiros assim. Melhor dizer, para os filhos e netos dos verdadeiros aventureiros de antigamente. O que não mudou é a beleza encantada do lugar e a certeza de que você deve resistir às ofertas de seguir com seu próprio carro e contratar um guia em Jijoca de Jericoacoara (nome da cidade onde está Jeri). Melhor é seguir em condução 4 x 4 local. Evitará percalços no trajeto de meia hora e que circunda área alagadiça. Se puder optar, evite ir no primeiro semestre, pelo menos até maio, onde acontece a temporada de mais chuvas e ventos. Mas o ano todo Jeri pode ser sempre recomendável. Fica a 300 km de Fortaleza. Nas praias urbanas da capital, como Meireles e Iracema, há passeios até Jeri. Opte pelos de 3 dias.


DUO Cultura

Cheiro de

Flores no ar

Por Pricilla Back

No próximo mês, auge da primavera, Joinville vai se transformar em um grande jardim repleto de cores e aromas. É nesse cenário que, entre 12 e 17 de novembro, acontece a 75ª Festa das Flores de Joinville. E o público que visitar a festa vai fazer uma viagem histórica, afinal o tema deste ano é “Um passeio pela história da Festa das Flores”

100

DUO

Fotos: Divulgação


De acordo com o presidente da Fundação Turísitica, Sérgio Ferreira, a Festa das Flores deste ano estará presente em toda a cidade e envolverá tanto a comunidade local como, também, os turistas que visitam Joinville no período do evento. “Teremos feira de flores na Rua das Palmeiras, atrações na Praça Nereu Ramos, ações nos bairros e em estabelecimentos como shoppings e locais com grande circulação de pessoas”, declarou Ferreira. Durante os seis dias da festa, a programação é bastante extensa e variada. A atração principal da festa é a belíssima exposição de flores e plantas ornamentais, com destaque para as orquídeas. São mais de 4,5 mil exemplares de orquídeas, selecionadas entre expositores nacionais e internacionais. Entre elas a Laelia purpurata, flor-símbolo de Santa Catarina. Além da exposição de flores, as rainhas da festa, o público também poderá apreciar a feira de artesanato, mostra de paisagismo, mercado de plantas e praça de alimentação. Porém, depois de mais de sete décadas de tradição, a Festa das Flores se renova a traz ações inéditas: feira itinerante de flores; Casa das Flores, com exposição fotográfica; Jardim do Tempo, contando a história da Festa das Flores; Festival da Cerveja, no Mercado Público, entre outras novidades. O complexo contará também com o Boulevard, um espaço criado especialmente para valorizar as tradições e a gastronomia germânica. Já do lado de fora dos pavilhões, a diversão será garantida com o parque de diversões e com retorno do tradicional pedalinho. Os ingressos para a 75a Festa das Flores custarão R$5,00 (inteira) e R$2,50 (meia-entrada). Menores de 10 anos e maiores de 60, não pagam. Estudantes pagam meia-entrada, mediante apresentação da carteira de identificação. No dia de abertura da 75a Festa das Flores (12/11), a entrada será gratuita. E na quinta-feira (14/11), a programação é especialmente dedicada ao público da Melhor Idade. O horário de funcionamento da 75a Festa das Flores será das 14h às 22h, no primeiro dia do evento (12/11), e nos demais, a Festa estará aberta ao público das 09h às 22h.

Turismo para todos

A cada ano, a Festa das Flores de Joinville ganha novas atrações e conquista admiradores. Por isso, o evento é cada vez mais procurado como destino turístico e vem se estruturando continuamente para bem atender ao público de todos os estilos e idades. Além do sucesso unânime das flores, entre os mais jovens, os shows nacionais, as feiras, a gastronomia e o chopp artesanal são atrações disputadas. Público assíduo do evento, os turistas da melhor idade têm um dia de programação especial dentro da Festa das Flores, encerrado pelo disputado Baile da Melhor Idade. Para as crianças, a diversão fica por conta do parque infantil, sempre como apoio de monitores. Já para aqueles que procuram novos lugares, o roteiro turístico em propriedades de flores e na área rural revelam os encantos de uma Joinville que poucos conhecem.

Preparativos

E durante esse mês já iniciam as comemorações da 75ª Festa das Flores. No dia 12 é a vez de escolher a nova rainha e as princesas da festa. O concurso acontecerá na Sociedade Rio da Prata, a partir das 20h30. Na sequência, um grande baile vai animar o público e durante toda a noite, a gastronomia típica da região dará o tom da festa. Já no dia 19, a Via Gastronômica vai receber o Stammtisch, repleto de atrações artísticas e muita diversão. O evento será realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Joinville (CDL) em parceria com a Fundação Turística. E para agitar o último sábado do mês, dia 27, também na Via Gastronômica, a Fundação Cultural e a Fundação Turística realizam o Mercado de Pulgas. No mesmo evento, haverá a estreia do Mercado de Flores, com a presença marcante da gastronomia local.


75 anos de história

A história da Festa das Flores começa com a vinda dos imigrantes em 1851. Encantados pela beleza das orquídeas existentes na extensão territorial de Joinville, coberta pela Mata Atlântica, passaram a colhê-las e a cultivá-las. Já em 1936, na Sociedade Harmonia Lyra, uma pequena Exposição de Flores e Artes (EFA) foi organizada pelos primeiros imigrantes. Do carinho e dedicação dessa gente às plantas nasceu a Festa das Flores de Joinville, consagrada agora como a festa oficial da cidade. Em 1938 aconteceu a criação do ACAO (Círculo Catarinense de Amadores de Orquídeas). A Exposição de Flores e Artes servia como uma recompensa ao trabalho dedicado ao cultivo da planta e também como uma oportunidade de relembrar os costumes da terra de origem. Por alguns anos, EFA e AJAO organizavam mostras independentes, multiplicando as atrações e aumentando ano a ano o número de visitantes. Porém, durante a II Guerra Mundial, a EFA ficou restrita a pequenas mostras devido à Campanha de Nacionalização decretada pelo então presidente Getúlio Vargas, que censura a prática da língua alemã. Esse período é desconsiderado na contagem oficial da

Festa das Flores. O evento foi retomado em 1944. Apenas em 1964 aconteceu o primeiro concurso para rainha da festa. E em 1970 a festa é rebatizada Festa das Flores, e pela primeira vez o evento da AJAO é realizado no complexo Expoville. Na década de 70, o recém-criado departamento de turismo da prefeitura de Joinville ajuda na organização da festa, agora considerada um evento turístico. Desde então, a exposição sofreu diversas alterações. Atualmente a Festa possui status internacional e atrai centenas de milhares de turistas a Joinville. Contudo, os amantes das flores comemoram, pois ela não perdeu sua essência. A cidade se prepara durante todo o ano para receber, em novembro, aqueles que vêm em busca da magia das flores e do conhecimento especializado em jardinagem e cultivo de orquídeas. Hoje, ela engloba mais do que a exposição de flores, que na última edição reuniu aproximadamente 4.500 exemplares de orquídeas, além de plantas ornamentais e outras espécies de flores, mas também uma praça de alimentação repleta de delícias – gastronomia germânica, produtos coloniais da área, além do tradicional chope artesanal fabricado em Joinville – apresentações culturais e folclóricas,

bailes para a terceira idade, ciclo de palestras, exposições e shows nacionais.

A ex-rainha lembra que o reinado durava somente durante o evento. Onde elas desfilavam em carros alegóricos pelas principais ruas da cidade para convidar população para visitar a Festa das Flores. Porém, o reinado rendeu outros títulos para Neusa. “Em função da participação na festa surgiram outros convites que ficaram na memória, pois não existem mais. Fui Embaixatriz do Turismo, em

1968 e Rainha da Cervaja, em 1969, e em 1970 participei do Miss Joinville”, relembra com orgulho.

A majestade das flores E se os anos trouxeram mudanças na moda, na estrutura do evento e na própria cidade, existe um sentimento que, até hoje, permanece o mesmo: a emoção de ser Rainha da Festa das Flores. O concurso, que acontece desde 1964, conta com a participação de dezenas de garotas que sonham em se tornar anfitriãs do evento.

Durante o ano de reinado, as eleitas representam Joinville em eventos nacionais e internacionais, recepcionam visitantes que chegam à cidade, e divulgam os atrativos. Quem já foi majestade sabe o orgulho de ter ostentado a coroa e representado Joinville. Neusa Maria Ferreira foi Rainha da Festa das Flores de 1967. Ela conta que, naquela época, uma das principais diferenças era no formato do evento. “Já naquele tempo a Festa das Flores era um grande evento na cidade, embora a estrutura nem se comparasse ao que temos hoje. A Rainha era eleita pela venda de votos e a renda era totalmente revertida para alguma entidade beneficente. Havia um envolvimento maior dos familiares, tudo era feito com muito amor e não existia expectativa da premiação ser em valores monetários ou presentes valiosos”, conta Neusa.

A eleição da Rainha e das Princesas é realizada este mês é um dos mais disputados e emocionantes momentos do evento. Neste ano, cada uma das eleitas será presenteada com um cruzeiro marítimo, sendo que a rainha terá direito a levar um acompanhante.


DUO Música @Jupamplona

Com Vocês:

Ferns Henke Nesta edição, o papo rola com Ferns Henke, da Banda Miopia. Um cara autêntico e com muita história pra contar Como começou com a música? No prédio onde eu morava tinha uma banda que sempre tocava no salão de festas. Eu tinha 12 anos de muita cara de pau e sempre fui muito intrometido, então comecei a cantar e acompanhar a banda. Fiquei fissurado por distorção, dissonância, solinhos maneiros e a chamada barulheira infernal. Sempre que podia pegava uma guitarra no ensaio pra ficar treinando o que tinha visto. No mesmo ano, eu ganhei minha primeira guitarra, reprovei a 6ª série e a música entrou na minha vida. Você tem uma banda. Conta aí como surgiu! Eu tocava com Navi Almeida numa banda de covers onde éramos extremamente frustrados. No começo é legal interpretar suas influências musicais, mas a necessidade de produzir algo próprio sempre foi maior, tanto é que a banda não durou 3 semanas e viramos um trio. Com o antigo baterista junto, Guilherme, nos juntamos pra deixar a música fluir sem barreiras ou limites, fazer algo com nosso abstrato senso surrealista e a impressão embaçada que temos da música. Mas estávamos num momento confuso, com duas guitarras e uma bateria. Ficamos um tempinho nesse limbo, porém ajudou muito na questão do som ficar espontâneo, o entrosamento entre nós, fluía muito mais fácil. Então, meu amigo Fleming surgiu com seu baixo e sua preguiça de tocar. A princípio ele ia ser o baixista da nossa frustrada gang, mas o que ele gostava mesmo é ficar olhando a gente fazendo um som. Com isso, ele se divertia com a bagunça musical em vez de participar efetivamente da banda. Aí comecei a gostar muito de, em vez da guitarra, tocar o contrabaixo, para mim foi uma

descoberta, um instrumento pouco explorado. Até que arranjamos um gravador de fita K-7, o enrolamos numa camiseta pra abafar um pouco o som e conseguirmos ouvir bem precariamente nossas ideias. A partir daí, com as músicas acidentais, eu ouvia em casa e a inspiração para as letras começou a surgir. Como você classifica e justifica a sua presença de palco “bem peculiar” e o estilo diferenciado da banda? O que mais a gente ouve hoje em dia das pessoas nas ruas é que só lançam músicas parecidas, bandas parecidas, que o cenário musical está igual e sem açúcar, que música hoje em dia é feita pela mídia, não por artistas. Eu acho que a gente faz uma música alternativa de verdade, é uma alternativa diferente do que está acontecendo por aí, valorizamos todo tipo de música e tudo vira influência, desde música de fundo de desenhos animados até a melodia das músicas de jogos de videogames antigos. Quanto à nossa presença de palco, eu acho que reflete a energia que colocamos nas músicas. Somos desequilibrados e desajustados também, creio eu. Quais os projetos pessoais e da banda? Estamos focados desde dezembro do ano passado gravando e produzindo nosso primeiro álbum no Toca 88 Records, estúdio aqui de Joinville. O título será “Maniacópolis”, uma cidade fictícia muito real onde seus habitantes são personagens um tanto quanto caóticos e maníacos. Acredito que já esteja pronto no fim do ano, daí vamos correr o Brasil divulgando nossa música míope. Para o pessoal que ficou interessado e não conhece a banda Miopia, aí vão os contatos:

bandamiopia.com.br @bandamiopia facebook.com/miopiabanda soundcloud.com/bandamiopia (47) 9928 7955 | (47) 9617 9743


Publieditorial

A ARTE

da música Por Mariana Woj Fotos Eberson Theodoro

Escola Arte Maior completa 25 anos atendendo alunos que buscam a música como profissão ou apenas como refúgio e terapia.

A música é reconhecida por muitos pesquisadores como uma espécie de modalidade que desenvolve a mente humana, promove o equilíbrio, proporciona um estado agradável de bem-estar, facilita a concentração e o desenvolvimento do raciocínio. Além disso, aprender a tocar um instrumento é para todos. Que tal se aventurar a tocar um violão na terceira idade ou poder acompanhar seu filho ouvindo os primeiros acordes? A música é um exercício tão importante quanto ler e estudar a arte.

Por Mariana Woj Fotos Eberson Theodoro


Arte Maior Inaugurada em 1988, pela proprietária Kátia Siqueira, inicialmente a escola chegou em Joinville apenas para ensinar órgão eletrônico e revender equipamentos da extinta Minami. Sua metodologia moderna de ensinar em grupo começou a chamar atenção e com o tempo os alunos passaram a pedir que o espaço ensinasse outros instrumentos. Atualmente, conta com 900 alunos e oferece cursos de instrumentos de cordas, teclas, sopro, bateria, canto e técnica vocal, Dj, Produção Musical e Musicalização para crianças. Em 2006, a escola passou a ser administrada também por Fabio Siqueira Martins que, em parceria com sua mãe, está trabalhando no desenvolvimento da marca. Unidade Infantil Vários estudos comprovam a importância que a música tem para o bem estar dos pequenos. Fazer as crianças imitarem os sons com a boca, ouvir os sons dos objetos e dos que estão ao seu redor faz com que ela observe o mundo em que vive e desenvolva desde cedo a sensibilidade. Além disso, tem grande importância no desenvolvimento psico-motor,

auxilia o aprendizado da fala, estimula a concentração e trabalha intensamente a coordenação motora. Após pensar com carinho nos seus alunos baixinhos a Arte Maior inaugurou, em 2012, uma unidade especializada em educação musical infantil. Todos os equipamentos, móveis e ambientes foram planejados para servir, encorajar e proporcionar mais conforto e segurança para os pais e alunos. O espaço ensina crianças a partir de oito meses. Os bebês de até três anos fazem aula semanalmente, acompanhados por um familiar sendo assim uma ótima oportunidade para visualizar o desenvolvimento da criança e ter um momento de descontração. A iniciação do instrumento específico como teclado, violão, piano é indicado conforme a evolução da criança no processo de alfabetização musical. Apresentações Durante todo o ano a Escola desenvolve ações para motivar cada vez mais seus alunos. Um destaque fica por conta das apresentações temáticas que acontecem na semana de eventos da escola. “Buscamos sempre fazer um resgate

cultural e em cada evento definimos um cantor ou estilo para os alunos conhecerem. Os mais recentes foram Pink Floyd, Michael Jackson, The Beatles, Elvis Presley e Especial Anos 80”. No decorrer do ano os alunos são avaliados através de apresentações internas também realizadas nos dois auditórios da escola. Festival de Bandas Arte Maior Uma vez por ano a Arte Maior promove também um Festival de Bandas. Neste ano o evento irá acontecer no Big Bowlling, no dia 25 de outubro. As bandas são formadas por alunos e interessados e algumas já ganharam destaque na cidade como a Vento Sul e banda Neighborhood. Melhores Equipamentos Para garantir qualidade aos seus alunos a Arte Maior conta com os melhores profissionaisnoseuquadrodefuncionários e utiliza em sala de aula os melhores equipamentos do mercado como as marcas Roland, Yamaha, Fender, Odery Baterias, Liverpool Baquetas, Bosphorus Cymbals Pratos, Michael Instrumentos e Santo Angelo são disponibilizadas para aprender.

Arte Maior Unidade Matriz R. Orestes Guimarães, 104 (47) 3433-8807 Unidade Infantil R. Lages, 59 (47) 3028-8814 contato@artemaiorjoinville.com.br artemaiorjoinville.com.br


Especial Dia do Idoso

O idoso CONTEMPORÂNEO

Quem ainda está preso às referências dos idosos de fábulas infantis em que as vovós preparavam guloseimas para seus netinhos e depois tricotavam na cadeira de balanço; enquanto o vovô se revezava entre partidas de dominó ou carteado com os amigos, também aposentados, não conhece a vida do idoso contemporâneo. Por Marcia Campos Fotos: Divulgação


Os idosos do século 21 mantêm-se a envelhecer bem é respeitar o corpo cada dia mais jovens, adoram dançar, e a mente - os dois devem estar em trabalham depois de aposentados, harmonia. Para isso, boa alimentação e estão conectados com o mundo digital, prática constante de exercícios físicos e buscam mais qualidade de vida e mentais são fundamentais para manterpossuem vitalidade para encarar várias se saudável. Porém, Jablonski alerta que décadas. Curtindo os prazeres que só não basta sair por aí e praticar exercícios a maturidade pode proporcionar, eles físicos. Sem acompanhamento de estão mais saudáveis, não dependem um profissional, o mal pode ser ainda tanto dos familiares e aproveitam com maior. Ele cita Nuno Cobra, renomado vivacidade estas novas preparador físico que conquistas. Segundo O EXERCÍCIO BURRO diz que “o exercício dados do Instituto NÃO TEM EFEITO, burro não tem efeito, Brasileiro de Geografia causa defeito”. Ele e Estatística (IBGE), a CAUSA DEFEITO. adverte que fazer população idosa no exercícios de forma país vem crescendo. A errada, na quantidade estimativa é que em 2050 e na hora errada pode o número de brasileiros com mais destruir o nosso corpo. de 65 anos deve saltar dos atuais Ainda de acordo com Jablonski, uma 20 milhões para 65 milhões - ou avaliação com um fisioterapeuta antes seja, será três vezes maior. Para que de começar a praticar exercícios é todos consigam envelhecer de forma fundamental para detectar problemas saudável, a Revista Duo apresenta como hérnia de disco, artrose ou algumas sugestões e exemplos de articulação que o impossibilite de como as pessoas encaram o fato de fazer exercícios ou mesmo que tenha envelhecer. O primeiro assunto será a indicação correta de como praticar abordado pelo fisioterapeuta Jhony a atividade para atingir seus objetivos. Jablonski. Segundo o fisioterapeuta, O fisioterapeuta diz que seus pacientes

idosos têm consciência de que podem fazer tudo o que uma pessoa de 40 anos faz, pois hoje em dia estão melhores fisicamente. Entretanto, eles não devem pensar que podem cometer excessos, pois assim o corpo não aguenta e o sentimento de incapacidade vai deixálos incomodados. Ele orienta aos idosos a desacelerarem, pois não se pode manter a mesma rotina de anos anteriores. “Precisamos aceitar as limitações, mas não confundilas com incapacidade. As pessoas tendem a confundir envelhecimento com limitação e doença. O ritmo das atividades é que deve ser diminuído, mas não deixar de realizá-las”, alerta. Para finalizar, Jablonski comenta que se os idosos praticarem exercícios físicos regulares, como caminhada, pilates, hidroginástica; evitarem produtos industrializados e o uso contínuo de medicamentos desnecessários, que causam mais doenças e enfraquecem a estrutura do corpo humano; e cuidarem da saúde emocional, terão uma vida saudável e feliz.

Idosas escolhem a dança para manter o corpo e a mente saudável É no ritmo contagiante da zumba que alunas da “melhor idade” que não gostam dos exercícios físicos oferecidos nas academias tradicionais encontram motivo para lá de animado para sair do ócio, além de cuidar da saúde do corpo e da mente. Há um ano e meio, a turma que requebra nas aulas de zumba usufrui dos benefícios que a dança oferece. De acordo com Lia Marquesi, pósgraduada em Dança e sócia do Dança e Tradição Studio de Danças, a modalidade tem uma infinidade de benefícios como: melhora no condicionamento físico, ganho cardiorrespiratório, tonificação dos músculos, aumento da resistência, melhora da postura, auxílio no emagrecimento, socialização, melhora no desempenho motor, autoconfiança, combate à depressão e auxílio na memória, pois as alunas têm que decorar os passos das coreografias. A dança funciona como um elixir da juventude, pois exercita o equilíbrio, a flexibilidade, o ritmo e a agilidade, habilidades que vão se perdendo com o tempo. Para a professora, a dança

atua não somente no corpo, mas no emocional de quem pratica a atividade. “No âmbito psicológico, a zumba, como qualquer outro ritmo, auxilia no tratamento de depressões e na superação da timidez”, relata. A dança pode ser uma grande aliada ao combate da depressão e mal de Alzheimer, pois proporciona bem-estar tanto físico como emocional. Então, não fique em casa parada e mexa o esqueleto, pois dançar pode trazer benefícios incríveis para a sua saúde.

Fotos: Banco de Imagens


Cresce o número de idosos em casas de repouso Hoje em dia, muitas mulheres que antes cuidavam do lar estão inseridas no mercado de trabalho e normalmente não dispõem de tempo para cuidar dos seus familiares, principalmente quando

estes adoecem e precisam de cuidados constantes. O que fazer? Pensando nesta necessidade, as casas de repouso estão oferecendo serviços cada vez mais especializados, distanciando-se do antigo conceito de que seus moradores sentiamse abandonados pelas famílias, tristes e solitários. Muitos idosos procuram este recurso, pois não querem ou não podem mais morar sozinhos, mas por outro lado, preferem evitar atrapalhar a rotina atribulada de seus filhos.

Foi este o caso de dona Hilda Becker Coral, 84 anos. Natural de Braço do Norte, escolheu viver no Ventura Residence, em Joinville, para ficar mais perto de sua filha. “Minha família tem uma rotina muito atarefada e eu não queria atrapalhar. Eu sou muito feliz aqui. Moro num lugar muito confortável, bonito, tenho muitas amigas, jogo dominó, faço exercícios físicos, como pilates, que adoro, atividades de artesanato e ainda tenho o acompanhamento de cuidadores e equipe médica especializada”, explica a idosa.

Fotos: Banco de Imagens

Maestro Mello diz que o segredo da juventude é a paixão pela vida O empresário, músico e maestro José Barcelos de Mello, 70 anos, esbanja vitalidade e motivação para realizar suas atividades cotidianas. Totalmente proativo, Mello concilia duas profissões: a de engenheiro químico, prestando consultoria em sua empresa, agora sob direção de seus filhos e onde participa ativamente de todas as decisões; e a sua carreira de músico, em que exerce com maestria a sua grande paixão. Para Mello, o segredo da juventude é querer viver. “Estou sempre pronto para fazer acontecer”, diz o maestro. Neste momento, a música ocupa um espaço maior do seu tempo. Recentemente lançou um CD com Paulo Mattar chamado Pingo de Lágrima. A coletânea de clássicos da MPB traz músicas relaxantes e emocionantes, mostrando uma sensibilidade, incrível do maestro, que só a maturidade pode trazer. “Através deste CD, realizei mais um sonho”, comenta Mello. Reconhecendo que a idade traz algumas limitações, Mello conta que já teve que operar as duas pernas, mas diz que isso nunca lhe tirou a vontade de continuar a fazer as coisas. “A idade às vezes me impede de fazer algumas coisas. Não me sinto

velho, sei que a idade está na cabeça, mas muita coisa que eu fazia quando era moço, já não consigo mais fazer”, explica. Apaixonado pela família e pela esposa Sarah, Mello diz que o segredo para viver bem, em qualquer idade, é a motivação. “Para mim não existe terceira idade, toda idade tem seus prazeres e seus problemas. As pessoas devem curtir cada etapa da sua vida”, afirma. Sem problemas com a idade, o maestro Mello reverteu a experiência de vida a seu favor, pois diz que para quem faz música a maturidade só ajuda. “Quanto mais velho a gente fica, melhor a música se torna. A gente começa a perceber determinados detalhes que quando se é jovem, não se percebe. Música é sentimento, com a idade a gente fica mais sensível, então consegue transmitir às pessoas alegria e uma maior sensibilidade”, relata Mello. De bem com a vida, o maestro deixa uma mensagem para os leitores da Duo: “a vida é impulsionada por motivação e persistência. Falo sempre para minha família e meus funcionários que matamos a burrice com a persistência. Por mais inteligente que a pessoa for, se não tiver persistência, não conseguirá atingir seus objetivos e não vai vencer na vida”. Fotos: Banco de Imagens

e uma maior sensibilidade”, relata Mello. De bem com a vida, o maestro deixa uma mensagem para os leitores da Duo: “a vida é impulsionada por motivação e persistência. Falo sempre para minha família e meus funcionários que matamos a burrice com a persistência. Por mais inteligente que a pessoa for, se não tiver persistência, não conseguirá atingir seus objetivos e não vai vencer na vida”.


Fotos: Eberson Theodoro


Jornalista por uma edição

Por Roberto Pascoal - Empreendedor Social roberto.pascoal@omunga.com

Numa viagem para África,

uma virada de vida Fotos: Max Schwoelk

“Na vida nada é definitivo. Tudo se molda ao acaso do momento seguinte”. Esta frase retrata bem tudo que aconteceu nos últimos anos, da paixão pela comunicação por meio de rádios do segmento jovem, até o atual empreendedorismo social. Desde os dezessete anos, atuei na área da comunicação, e durante muito tempo, imaginei que a área de atuação de minha carreira estava definida. A forma como a comunicação dirigida influencia os hábitos, comportamentos, consumo, interesses e o futuro de algumas tribos, sempre gerava motivação para compreender e criar os melhores cenários para acompanhar a nova geração. E a versatilidade que o rádio se propõe a fazer parte do dia adia de seus ouvintes, gerando bons resultados aos anunciantes, tornava-o, naquela época, um delicioso vício. Vontade de ajudar Contudo, com o passar dos anos, e, arrisco dizer, com a maturidade, os gostos mudaram e algumas inquietações começaram a pedir mudanças que eu nem sabia quais eram. Aproveitando a afinidade com projetos

sociais, que até então, era um hobby, e por ter amigos que atuavam em Angola (país africano de colonização portuguesa vindo de um pós-guerra com sérias dificuldades sociais e com muita necessidade de voluntários), julguei oportuno vivenciar um período sabático na África para depois ver o que “ia rolar”. A ideia inicial era passar seis meses do ano 2009 como voluntário nos projetos criados e liderados pela Missão Católica em Angola. Mas confesso que, além das questões relacionadas ao dia a dia que me impressionaram nas primeiras semanas, o que mais chamou minha atenção foram as oportunidades comerciais e acabei empreendendo em consultorias comerciais com objetivo de aproximar empresas brasileiras de compradores angolanos. E os trabalhos sociais continuavam ainda como um hobby despretensioso. Dois anos se passaram, erros e acertos aconteceram, e a sensação de que algo ainda estava incompleto, somado à necessidade de buscar uma vida com mais significado me tirava o sono e também o sono de alguns amigos em função das conversas via web, como é o caso do meu grande amigo Giu

Vicente, arquiteto de usabilidade de Joinville/SC. OMUNGA Lembro bem, que em algumas madrugadas em Luanda, tive os primeiros insights, baseados em educação para crianças que vivem em regiões de extrema pobreza, o desejo de viajar pelo mundo propondo soluções para determinadas comunidades, motivar pessoas e empresas para doarem-se cada vez mais para causas alheias e com isso, encontrar um novo objetivo de vida, algo com mais sentido. A necessidade de levantar recursos para a viagem do voluntário Douglas Strellow para atuar em projetos esportivos em Luanda em 2012, acabou gerando a ideia de produzir camisetas com mensagens edificantes relacionadas a comportamento, causas sociais e sonhos, e neste caso, a compaixão foi o foco. Em poucas semanas vendemos 200 camisetas, a viagem teve muito êxito e surgiu a sensação de que alguma iniciativa coletiva na prática estava se fortalecendo.


Em uma das vezes que retornei para Joinville, uma amiga, Suzana Lopes, também atuante em projetos sociais no Brasil, me convidou para conhecer a extrema pobreza do Brasil e tive a oportunidade de conhecer o sertão do Sul do Piauí. Lembro que fiquei totalmente surpreso por perceber que ainda existe muita “África” no Brasil e resolvi fazer das necessidades daquelas comunidades o projeto piloto da grife social que estava sendo criada – OMUNGA. OMUNGA vem do dialeto angolano “umbundo” e significa unidade, união e coletividade. Seu objetivo é articular a sociedade a fim de criar melhores condições de educação para crianças que vivem em regiões de extrema necessidade no Brasil e no mundo e mobilizar a consciência social e a prática da compaixão. Nos projetos da OMUNGA não se tem a pretensão de simplesmente doar recursos e materiais didáticos de forma assistencialista e sem continuidade. O objetivo é dar o primeiro passo e estabelecer contrapartidas com todas as camadas das comunidades beneficiadas, a partir do investimento na formação de lideranças locais para que estas possam sustentar e fomentar seu próprio desenvolvimento. Livros para todos Nos pequenos e distantes municípios beneficiados no Estado do Piauí com o projeto “Escolas do Sertão” (www. escolasdosertao.com.br ou www. facebok.com/escolasdosertao) Betânia do Piauí e Curral Novo, por exemplo, pais e professores ficaram responsáveis por buscar recursos para os insumos da construção, o poder público ficou responsável pela mão de obra e outros insumos, e buscar parceria com empresas locais, e a OMUNGA, por meio da venda de seus produtos,

neste caso, camisetas, levantar recursos e doações para aquisição de livros, móveis e computadores, além de buscar a capacitação de professores para estimular o uso das bibliotecas e manutenção da gestão do acervo de livros. Já do outro lado do oceano, em Moçambique, onde será construída a terceira biblioteca por meio do próximo projeto “Livros para África”, o engajamento comunitário foi ainda mais rico. Em função da área de isolamento onde está localizada a comunidade de Boroma e do seu contexto econômico, foi formada uma comissão de pais para construir os milhares de tijolos à base de barro e capim, além do envolvimento do poder público e de algumas empresas locais. No entanto, eu jamais teria condições de promover estas iniciativas sem o engajamento dos fantásticos voluntários e das empresas que acreditam em nossas ações e que, literalmente, vestem a camiseta. Com a fundamental participação de todos, poderemos fazer muito pelas crianças do mundo e creio que eu esteja, paulatinamente, no caminho daquilo que busco como realização pessoal. Solidariedade sem fronteira Sou frequentemente questionado sobre porque atuar em outras cidades, estados e países ao invés de nutrir esforços para ajudar a enfrentar os problemas de Joinville, minha cidade natal e admito quando visito bairros como Juquiá, Canaã, Jardim Paraíso e Jardim Edilene, também me questiono. E é por isto que parte dos recursos obtidos com as vendas realizadas para pessoas de Joinville, serão revertidos para projetos de educação de nossa cidade. Contudo, me conforta saber que, além de sermos o vigésimo quinto

PIB do país (IBGE-2010), temos aqui uma legião de voluntários, empresas, associações, ONG’s, congregações religiosas, empreendedores sociais, investidores anônimos e excepcionais projetos, como é o caso do projeto Bombeiro Mirim (Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville), Jovens de Atitude (Instituto Carlos Halberto Hansen) ou as senhoras da Rede Feminina de Combate ao Câncer, além de pessoas que na sua humildade, e, sobretudo, proatividade, nos enchem de orgulho e outros nobres sentimentos, tal como Abigail do Rosário (Casa da Mãe Abigail) e Gilson Soares (Lar Emanuel), só pra citar apenas alguns exemplos. E como Joinville é uma das cidades consideradas mais prósperas e com um dos melhores índices de qualidade de vida do Brasil, depois de muito refletir, confirmo minha escolha de concentrar as iniciativas de empreendedorismo social da OMUNGA em regiões praticamente desassistidas de recursos básicos para o desenvolvimento humano, via acesso à informação e educação. Como todos nós, eu bem sei que nem tudo é perfeito por aqui, mas por fim, acredito que a solidariedade não pode ser bairrista e nem ter fronteiras. Quanto mais nos doarmos em qualquer canto do mundo, menos necessitados existirão e que ao encurtar a distância entre aqueles que precisam e os que desejam oferecer algum auxílio, estamos realmente fazendo parte de algo melhor. Esta sensação de plenitude que nos é oferecida como recompensa é o que realmente vale a pena, mesmo considerando que nada é definitivo. Afinal, todos podem ser agentes de mudança para um mundo melhor. Basta agir. Agora.”


Agradeciementos: Lusimere Silva ( Vanessa Modas Boa vista)


DUO Perfil

Por Leandro Schmitz leandro.eros83@gmail.com

Fabi e suas aventuras por Joinville G

ente, é ano novo e eu não sabia? Haha, sim! Esta edição da DUO está o máximo, embora não seja ano novo (ainda, mas está quase lá), nossa querida revista está completando 5 anos e está de aniversário. Por isso, tudo aqui está especial, inclusive eu, que resolvi mudar o nome deste espaço para “Fabi e suas aventuras por Joinville”. Nada contra o nome anterior (Fabi e seu amor por Joinville), mas prefiro usar algo que é a minha cara, ou seja, aventura! Falando em aventuras e sentimentos, eu que sempre estou em tudo quanto é lugar com meus amigos, seja em festa chique, badala eletrônica, formatura ou simplesmente jogando conversa fora em um dos inúmeros barzinhos de Joinville, tenho várias histórias pra contar. Quero, a partir de hoje, apimentar a roda de papos além-balada com casos que fazem parte da vida de quem é da noite, como eu. Parece brincadeira, mas quem está solteiro, seja homem ou mulher, dificilmente volta acompanhado para casa. O legal é observar de longe todo aquele “ritual de acasalamento” entre as partes. E nem é preciso beber demais pra rir da situação. Dias atrás eu estava dançando um som maneiro em uma das casas sertanejas da cidade quando fui obrigada a parar meu devaneio porque um sujeito veio falar ao meu ouvido. Bem, falar não, gritar!

Dava pra perceber que o teor de álcool daquele menino já estava bastante alto. Talvez precisou de coragem pra investir em uma garota. O hilário foi observar que depois ele fez o mesmo com pelo menos quatro meninas. Todas o dispensaram. E o pior é que ele nem era feio, mas não sabia chegar, saca? E tem aqueles que insistem: - Essa gatinha não tem nome? - Fabi – respondo eu, secamente. - Aceita uma bebida? - Não, obrigada. Tenho a minha! Depois de mais alguns instantes, sem o menor interesse de minha parte, ele continua: - Balada legal essa, né? - Aham – apenas balanço a cabeça, procurando desesperadamente pela minha melhor amiga, que pela demora parece ter construído o banheiro. Agora vem a clássica pergunta. Essa é como aquele presente de aniversário repetido que você não consegue trocar ou aquela calcinha de conjunto que vem em promoção e com cor repetida. Você nunca usa, é feia e barata, além do que não valoriza seu corpo. - Nunca te vi por aqui, gatinha. Você é daqui? Nesta hora você olha para a cara do sujeito fixamente pela primeira vez. Não fosse o olhar fulminante, o cara até pensaria que você está afim. Porém, existem duas alternativas: você chama ele de tudo

quanto é nome para que ele saia correndo da sua frente e te deixe em paz ou delicadamente, como uma princesa, diz: - Na verdade é a segunda vez que venho (mentira, é claro!). Com licença, meu querido, mas minha amiga está acenando para mim lá do banheiro, acho que ela está com algum problema, vou lá ajudá-la! É o que chamo de “saída de fininho pela esquerda”! Bem, meus amores, este é apenas um exemplo básico que acredito ter sido identificado por muitas leitoras! Antes de me despedir, quero deixar duas grandes dicas de atividade cultural em Joinville para outubro e novembro. Imperdíveis, heim? Na penúltima semana de outubro tem o aclamado Stammtisch. Será no domingo, dia 20, na Via Gastronômica. Quer me conhecer? É só dar uma passada por lá, com certeza estarei com meus amigos no maior fervo e alegria! Outro evento bacana que estarei com certeza é na 1ª Convenção de Tatuagem, entre 8 e 11 de novembro, no Expocentro Edmundo Dobrawa. Eu que amo tatuagens não vou perder os workshops que vão rolar por lá. Gosto de me ligar nas tendências! Beijos nos corações de todos, continuem lendo o espaço da Fabi e não esqueça, nos veremos na próxima edição da Duo com mais novidades e aventuras desta maluquinha que vos escreve. Bye!


DUO Noivas

Primavera traz

inspiração para casamentos A estação das flores já chegou. A primavera tem em sua essência o colorido, um clima leve, alegre e romântico que contagia. A época é considerada perfeita para celebrar o amor e caiu na preferência de muitos casais que estão prestes a subir ao altar. Por Ariadna Straliotto Fotos: Divulgação

A inspiração do casamento começa nos detalhes que antecedem o grande dia. Nesta época, em especial, as flores dão o tom para os vários tipos e modelos de convites: delicados, expressivos e tradicionais ganham uma arte suave e encantadora. O mercado já oferece opções de convites mais

elaborados que trazem, inclusive, flores naturais aplicadas. O convite é a cara da primavera e o primeiro mimo para os convidados. Com a temperatura aumentando aos poucos, os dias ficam mais longos e as pessoas querem aproveitar cada minuto de luminosidade natural. Por

isso, quem pensa em casar nessa estação, tende também a idealizar uma cerimônia diurna. Se for ao ar livre, bem pertinho da natureza: na praia ou no campo será lindo, mas é preciso pensar em todos os detalhes para fazer uma festa glamourosa e cheia de estilo.


Decoração A decoração de um casamento ao ar livre deve ser especial, diferente da decoração em espaço fechado. Quando o casamento é realizado em local aberto, os elementos da natureza já decoram o ambiente. A decoração requer uma combinação de flores, que deve completar o cenário natural e compor a estrutura do evento. Use diferentes flores. Misture cores, tipos e texturas. Espalhe-as por todos os cantos. Os lírios ou rosas em cores claras são flores muito indicadas para cerimônias mais formais. As cores mais vibrantes estão liberadas para celebrações mais informais, é possível experimentar, inclusive, combinações ousadas de cores como amarelo e rosa, verde e branco ou lilás e branco. A iluminação também deve ser muito bem planejada, principalmente se o casamento estiver marcado para o fim de tarde. Para cerimônias ao ar livre o ideal é prever a locação de tendas, quiosques ou armações. Em caso de tempo chuvoso, ninguém precisará correr.

Vestidos O clima primaveril também faz florescer muitas ideias para o tão sonhado vestido. Para a noiva acompanhar o ritmo e as tendências da estação, os vestidos leves, feitos de tecidos como renda ou tule, por exemplo, podem ser usados, já que são bem vaporosos e têm um excelente caimento. As estampas florais se impõem em tons claros e as rendas trazem desenhos de flores que deixam o vestido delicado e romântico. Para as mais ousadas, a estação mais colorida do ano permite a aposta em outros tons como rosa clarinho, champanhe e até mesmo um azul claro. Estilo simples e romântico, silhueta bem marcada com tecidos fluídos: esse é o vestido da estação. Independente da tendência, o vestido escolhido ou criado deve traduzir o estilo da noiva e deixá-la confortável. Ah, e as flores sempre combinam com casamentos em qualquer que seja a estação.

Dica para um casamento primaveril ao ar livre Os noivos que desejam realizar uma cerimônia ao ar livre, mas fazem questão do casamento religioso, devem ficar atentos. Na maioria dos casos, a Igreja Católica não autoriza os padres a realizar casamentos fora da igreja. O ideal é sempre verificar a questão com antecedência e tentar buscar alternativas.


Publieditorial

Casamento Bonito e Criativo Vestido: Atelier Andrean Bouquet: Maria Rosa Floricultura

Casar é o sonho da maioria das mulheres, e todas querem realizar esse momento da forma mais bonita e criativa possível. A Elite Cerimonial é uma empresa voltada especialmente para essas mulheres que precisam de pílulas de inspiração para realizar a data mais especial de suas vidas. Por Mariana Woj Fotos: Feux Fotografia


Fora isso o bom entendimento entre Cerimonialista e noiva é fundamental para o andamento e finalização do evento. Dica Duo: Contrate a empresa de cerimonial e assessoria a partir do retorno que ela da a cada ligação ou pedido que você faz e não pense nos valores porque o valor fica pequeno perto da responsabilidade que esse profissional tem quando esta à frente de um evento onde ele comanda e organiza para a tranquilidade dos noivos e convidados.

Decoração, lembrancinhas, espaço, vestido, buquê, sapato, lista de presentes, são tantas coisas a se pensar, que fica mais fácil com a ajuda de alguém que entende do assunto. Deluana Hamann é apaixonada por esse universo e trabalha com cerimonial e assessoria de casamentos desde 2006. Neste ano a profissional se remodelou e voltou ao mercado com várias ideias. Em conversa com a Revista Duo sugamos o máximo de dicas da Deluana para ajudar as noivas que estão passando por esse processo cercado de decisões. Cerimonialista ou Assessora de Casamento? Segundo Deluana, em alguns estados a cerimonialista faz exatamente o papel da assessora de casamentos. Mas se for para estabelecer as diferenças entre as funções, a assessora cuida da fase pré-casamento e a cerimonialista do dia em si. “Na verdade, a assessoria de casamento pode abranger o cerimonial também, e eu particularmente acho muito melhor quando é feito dessa maneira, pois confiança não é algo que se adquire do dia para a noite, por isso quanto mais tempo tivermos juntas, melhor!”, destaca. Escolha o profissional quando se sentir segura que está em boas mãos. Essa pessoa deve lhe dar segurança, ter voz firme ao fazer você entender que esta fazendo as escolhas erradas quando o assunto é a organização deste que é o seu dia. O bom profissional vai lhe conhecer para depois falar sobre como esse evento deve caminhar.

Noivas A dica da profissional fica por conta dos decotes e aberturas. “Um vestido com decote pode sim ser usado, porém deve-se tomar cuidado para não deixar vulgar demais e sair do contexto noiva e todo o glamour que envolve o evento”. Toque Vintage Deluana explica que o Vintage é algo que esta em moda e vem com força total nos casamento de hoje e que provavelmente fica por muito tempo como algo necessário para dar um ar de delicadeza aos eventos nem que seja apenas em detalhes. Cantinho das Crianças Crianças se entediam fácil e num minuto já estão chorando, reclamando ou correndo pelos cantos. Pensando nisso Deluana sugere preparar um espaço com almofadas, mesas, revistas para colorir, brinquedos e manter assim elas ocupadas por boa parte do tempo. “Caso fique dentro do orçamento, vale alugar brinquedos do tipo pula-pula ou piscina de bolinhas. Outra opção é contratar um profissional para entreter as crianças, como um caricaturista, um mágico ou uma pessoa que faça pinturas no rosto”, explica. Daminhas que choram Deluana comenta que as pessoas precisam entender que isso é muito natural ocorrer, simplesmente porque é uma criança e criança pode sim chorar, fazer birra e bater pé. Mesmo ela ensaiando para entrar toda linda e arrumadinha, ela pode se assustar com todos olhando para ela e chorar. “Então, por favor, deixa, não obriguem ela à fazer o que não quer ou o que não se sente bem para fazer”, ensina a expert no assunto.

Hora do Buquê A hora em que a noiva joga o buquê é uma das mais esperadas pelas convidadas. Sempre é muito bacana e divertido, além de render fotos lindas! O tradicional é a noiva jogar o próprio buquê ou um reserva, Deluana conta que existem algumas maneiras diferentes de fazer essa hora ainda mais animada. “Uma opção, que as noivas tem gostado bastante e que já apareceu nos casamentos, é o buquê de fitas em que a noiva vai cortando fita por fita até sobrar uma só, e a outra opção é jogar um boneco do Santo Antônio”. Como um casamento deve ser? Questionada sobre como escolher entre as inúmeras opões de temas, comidas e decorações Deluana simplificou dizendo. “Gosto do diferente, do inusitado. Sou apaixonada pelo incomum. Não gosto de tudo certinho ou sempre tudo alinhado. Sou adepta ao novo, sou louca pelas pessoas que procuram as mudanças e não sofrem com as indiferenças que o mundo tráz. Casamentos devem ser assim: diferentes, inusitados, incomuns e apaixonantes. Porque fazer algo apenas pensando nos seus convidados e não fazer pensando em você? Qual é seu desejo? Como seria a sua cerimônia? Onde você gostaria de casar? Com que tipo de roupa? E porque não fazer? Se liberte do tradicional e viva o que te faz bem e feliz. Seja como for case com quem você ama, faça a festa que deseja, vista o que lhe deixa confortável e dance a música que embalou seu namoro e cada beijo que você deu nesta pessoa que esta ao seu lado”.

Elite Cerimonial Telefone: 9614-8662 E-mail: deluanahamann@hotmail.com


DUO Noivas

DUO

127 125


DUO Tendências para Noivas

Por Nivia Miranda maisoncenternoivas@maisoncenternoivas.com.br

O vestido especial E

stou imensamente feliz por mais uma vez poder dissertar a respeito de um assunto tão maravilhoso: casamento. Minha grande alegria é ouvir, na segundafeira após a festa, todos os detalhes sobre o casamento. Como foi, se a noiva chorou, o que acharam do vestido. Como é bom ver que seu trabalho faz toda diferença! Como é maravilhoso ver as pessoas totalmente realizadas! Tenho muitas novidades para esta edição. No último dia 27/08, fui consagrada a Pastora em minha amada igreja (Assembleia de Deus Explosão De Milagres). Como profissional, me sinto muitíssimo realizada, agora como mulher de Deus mais ainda. São momentos em nossas vidas que comparo ao casamento: único e verdadeiro. A segunda novidade é o lançamento de minha primeira coleção: Nivia Miranda By Maison Center Noivas. Nesta edição, vocês poderão conferir o ensaio feito com exclusividade para a Revista Duo. A nova coleção é composta pelas linhas Festa e Formanda, que substituiu as linhas tradicionais, apresentando vestidos de rendas estilo segunda pele ideais

para aquelas mulheres que sonham em vestidos exuberantes no seu grande dia, com bordados altamente desenvolvidos para aquela peça. Seja para casamento ou formatura, você ficará chique e elegante. A coleção Noiva é composta por vestidos fluidos e com volume para ressaltar a feminilidade, com tecidos como a renda, tule francês e o gazar de seda natural, combinados com encaixes e bordados. Os vestidos de noiva desta primeira linha tiveram uma inspiração claramente romântica. Os mesmos estruturamse com saias de tule, gazar de seda e cintos em cascata que acompanham as aplicações de pedraria que salpicam sobre o tecido. Neste vasto tempo em que acompanho as noivas, tenho observado que mesmo com o passar do tempo, elas não renunciam aos clássicos – os vestidos com saias de grande volume não faltaram na nova coleção. Em um dos dias mais especiais de nossa vida, queremos brilhar e marcar a nossa presença de uma forma inesquecível! No dia do casamento, todas as noivas querem sentir-se maravilhosas e desejam que todos os comentários sejam de que

está linda e deslumbrante. Seja qual for o seu gosto pessoal, o tema do casamento ou o local, todos os vestidos podem ter bordados. Que tal optar por um vestido com cristais? Utilizados somente como um pequeno apontamento na parte do peito, no corpo todo ou como uma chuva de diamantes em toda a saia, só o seu gosto pessoal poderá impor limites. Eles são elegantes, femininos, glamourosos e ainda por cima estão na moda. Use-os na parte do corpo que pretende realçar, pois todas as luzes irão refletir nos cristais - até os olhos mais distraídos irão notá-los. O toque do tecido em outra cor também é marcante. Pode ser igualmente usado sem problemas e dão um charme à parte. Se acha complicado ou arriscado decidir sozinha, entregue-se nas mãos de uma estilista com a qual se identifique, que a ouvirá e a encaminhará às escolhas corretas, de forma a que o vestido e os acessórios que escolher sejam a expressão da sua personalidade e estilo. Afinal de contas, estilo não se compra com a moda, cultiva-se com tempo e autoconhecimento. O essencial de uma pessoa com charme e estilo é ser fiel a si.

Fotos: Divulgação


Lado DUO Algumas pessoas tem dois lados! Convidada da edição: Pedro Ambrósio

Golfe Os negócios em uma partida de

Praticante de golfe há mais de quarenta anos, Pedro Ambrósio, administrador da empresa Seguridade, descobriu ao longo dos anos que o rendimento profissional está além do escritório.

Os costumes, o estresse do dia a dia, a responsabilidade de administrar grandes empresas levam cada vez mais os empresários aos campos de golfe, um esporte conhecido pela classe e que pode garantir além de grandes jogadas, excelentes negociações. Conhecedor do esporte e praticante há mais de quarenta anos, Pedro Ambrósio é hoje veterano no esporte em Santa Catarina, e um dos fundadores do Joinville Country Club. Espaço conhecido como um

dos melhores campos para a prática do golfe no Brasil, e está presente em revistas renomadas que mostram a qualidade do gramado e o nível técnico que pode sediar grandes campeonatos. Pedro joga semanalmente com os amigos, outros empresários que acham fundamental parar as atividades profissionais uma tarde durante a semana para jogar. A pausa serve para dar energia, esquecer do estresse e ainda dar fôlego para o resto da semana. O administrador descobriu ao longo dos anos que o rendimento profissional está além do escritório. “Foi o tempo em que o bom empresário era aquele que não saia da empresa, que não tinha tempo para o lazer e que vivia focado nos problemas”.

Por Émilin Souza Fotos: Eberson Theodoro


Com mais de dois mil funcionários, o diretor trabalha todos os dias com a preparação de profissionais para o mercado de trabalho, e também com a responsabilidade de administrar a empresa pioneira em terceirização de serviços em Joinville. “São mais de quatrocentos clientes que precisam de mão de obra qualificada na área de segurança, como vigilantes industriais até os profissionais que fazem a limpeza dos estabelecimentos em

A agilidade na tacada, o poder de decisão, a jogada que é entre você e o campo, e o desafio, são ferramentas que instigam a maioria dos jogadores que apreciam o esporte “Quem joga não abandona, você joga contra si mesmo, o que faz com que o jogador conheça as próprias atitudes” complementa o apaixonado pelo esporte. Ter uma atividade paralela sempre foi fundamental para este empresário.

bandeira fica posicionada junto ao buraco. Os campos variam de tamanho podendo ir até mil quilômetros quadrados, e a primeira tacada pode lançar a bolinha a mais de duzentos metros, e os obstáculos não param por ai, florestas artificiais, lagoas e inclinações dificultam a trajetória, fazendo com que o golfista tenha técnica e sabedoria para conseguir vencer a partida.

geral”, explica. E para dar conta de tudo isso, o golfe não é só o outro lado, é também a tacada de mestre para grandes investimentos na área comercial. “O relacionamento nasce entre uma partida e outra, o estreitamento de laços e o conhecimento que se adquire do oponente pode ajudar nas negociações, como a partida leva em média quatro horas, negócios de altos níveis podem se ter início não no escritório, e sim numa informal reunião no campo de golfe” comenta Pedro.

Ter uma “carta na manga” para lidar com as diversidades do cotidiano foi adquirida no contato com o esporte, sem contar o bom humor, e o prazer de fazer o que gosta. O objetivo geral do golfe, é acertar os dezoito buracos do campo com o menor número de tacadas possível, com vários tacos diferentes, é preciso escolher o equipamento certo para que a bolinha chegue até o alvo com precisão. O buraco tem apenas dez centímetros contra os quatro centímetros da bolinha, para que o jogador consiga visualizar o alvo uma

Por todos esses desafios e dificuldades, o ganhador se torna um exemplo de campeão, que conseguiu superar não os outros jogadores, mas sim as adversidades que apareceram pelo caminho, como na vida de cada jogador que tem atitudes empresariais que podem mudar o percurso de uma grande empresa, por exemplo. Pedro revela que tenta organizar os negócios de uma maneira menos exaustiva e mais prazerosa, como um jogo de golfe.


DUO Aplauzzo

Por Leandro Camargo yahoo.cocruzleandrodecamargolaram.br

MERECEDOR DE APLAUZZO

FERNANDO PIRES

O meu entrevistado nesta edição da Revista Duo é um ícone internacional. É um artista que merece o meu aplauzzo e o meu reconhecimento. Através de suas contemporâneas criações e seu senso de conforto, aliado ao bom gosto, design inigualável e aguçado senso estético, Fernando Pires é reconhecido no universo da moda e está sempre um passo à frente de todos. O trabalho de Fernando Pires representa um divisor de águas no segmento calçadista. Suas inéditas e luxuosas criações embelezam ainda mais os pés de celebridades do jet-set internacional. Homens vanguardistas dizem sim às coleções apresentadas pelo artista e mulheres que são referência ostentam em seus pés os calçados by Fernando Pires, a exemplo de Cláudia Raia, Madonna e outras tantas importantes figuras do universo feminino. A eterna dama da televisão Hebe Camargo também se rendeu aos encantadores modelos de Fernando Pires, sempre altos e com muito brilho, com muito cristal. Fernando Pires é formado em arquitetura, curso em que colou grau em 1976 pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos. Mas foi por volta de 1983 e seguindo a sugestão de

uma cliente de seu escritório de arquitetura que ele resolveu experimentar o mundo dos calçados, mesmo sem possuir o menor desejo ou perspectiva de chegar onde possa ter chegado. “De maneira despretensiosa, iniciei tal experiência e dela fiz o meu cotidiano profissional. Nunca pensei em ser designer de calçados. Confesso que, na adolescência, a minha predileção era pelas artes cênicas. Eu gostava de atuar.” Talvez se hoje Fernando Pires pudesse escolher ter outra profissão, certamente a de ator também faria com que ele atingisse a plena realização. E como o nosso bate-papo transcorre descontraído, com assuntos diversos surgindo sem parar, o quesito família vem à tona e resolvo perguntar o que a família representa para Fernando Pires. Rapidamente ele diz: “família é mãe e pai”. Os outros são parentes. E parente é serpente (risos)! Amigos muitas vezes são muito mais família, bem como a sua equipe de trabalho. Temos muito mais convívio, mais cumplicidade e mais familiaridade. Já que estamos falando de família, o que dizer, então, de casamento? É... Opção! Quando existe respeito e amor pode ser lindo, explica Fernando Pires. “Atualmente as pessoas se

juntam e se separam com muita facilidade. Modernidade? Não sei.” Solicitado a enumerar uma peculiaridade a seu respeito, Fernando Pires rapidamente pronuncia workaholic (gíria em inglês que significa alguém viciado em trabalho). Sim, ele adora trabalhar, assim como relata adorar novelas. “Os enredos, os personagens me distraem, me subtraem dos problemas diários. É quase uma terapia. É um vício desde criança, assim como desenhar nas horas vagas.” Em uma pessoa, Fernando Pires valoriza a honestidade. E você, o que indica? Tenha bom humor e aproveite ao máximo os momentos felizes. Mau humor ele detesta e, no seu modo de ver, o seu maior defeito é ser centralizador. A simplicidade é a sua maior qualidade e, quando falo em perdão, Fernando Pires observa: “devemos perdoar, sempre”. Dele, os baderneiros que estão presentes nas manifestações de rua merecem nota zero, enquanto que o Papa Francisco merece nota mil. Sucesso é uma palavra que descreve perfeitamente a superstar Madonna. Bem, e o que representa o fracasso? A nossa política é o total fracasso.


O momento agora é de falar a respeito de preferências e amenidades. Quando Fernando Pires não está trabalhando, o que prefere fazer? Ah! Estou procurando trabalho, exercitando! Acordar para um novo dia, todos os dias, é maravilhoso. É poder trabalhar, é acordar pensando em Deus, almejando ter um dia com muita luz e discernimento para resolver todos os pepinos que possam surgir... E como surgem! Pergunto se ele possui algum dote culinário e ele confessa não ter nenhum, mas sentencia que, na culinária, aprecia frutos do mar e que evita a carne vermelha há milênios. Conta que possui poucos amigos e que gosta de estar na presença deles, em pleno lazer, seja comendo, sorrindo, falando bobagem, para assim tornar especial o seu dia a dia. Além de admirar o Papa Francisco, questionei o meu entrevistado a respeito de uma personalidade que ele admira. E ele efusivamente discorre que ainda possui uma profunda admiração pela amiga e apresentadora Hebe Camargo. Pedi que enumerasse uma atriz que ele aplaude e a resposta foi: Marília Pera. A sua viagem preferida é para a inesquecível metrópole cultural Nova Iorque. E quanto ao futuro, o que pensa? Bem, espero encontrar um parceiro e juntos possamos fazer com que a estrutura Fernando Pires vire tão grande quanto a marca conseguir chegar! Creio ser impossível um artista conseguir sozinho esses dois feitos! Agora, para que você conheça um

pouco mais a respeito de Fernando Pires, eu, Leandro Camargo, citei uma palavra e o entrevistado ficou à vontade para responder de maneira sintetizada - com apenas uma palavra – ou para comentar de maneira detalhada a respeito de cada item por mim exposto. Acompanhe: LEANDRO CAMARGO: Música? FERNANDO PIRES: Como nunca estou exclusivamente ouvindo música, me deixo levar por aquela que esteja tocando independentemente do gênero ou ritmo. Eu embarco facilmente, porque na verdade se trata apenas de um fundo musical, uma trilha sonora para algum momento. E o momento é o que mais importa! LC: TV? FP: Assisto bem! Como já relatei, gosto muito de novela, do Tapas & Beijos, do Saia Justa, Vídeo Show, entre outros... LC: Esporte? FC: Não pratico nenhum. Sou horrível... LC: Perfume? FC: Dolce & Gabbana. LC: Moda? FP: Cada um faz a sua... LC: Cabeleireiro? FP: Nem cabelo eu tenho mais (risos)! LC: Vaidade? FP: Pinto a sobrancelha quando vai ficando branca... E os cabelos, aqueles que me restam, procuro descolorir. LC: Juventude? FP: Ainda sinto um restinho dela

(risos)... LC: Velhice? FP: Está bem próxima... LC: Homossexualidade? FP: Compete a cada um. Cada um com seus problemas, se é que isso seja um problema! LC: Cirurgia plástica? FP: Tenho certo receio de fazer... Prefiro nem falar sobre isso. LC: Segredo de beleza? FP: Nenhum. E de que beleza você está falando (risos)? LC: Sonho de consumo? FP: Ter um patrão... Deixar de ser patrão! Cansa, viu?! Ser apenas um designer. LC: Dinheiro? FP: Apenas um bem necessário. Um dia ele vai ficar por aqui! LC: Um momento especial? FP: Quando Madonna usou pela primeira vez uma sandália Fernando Pires, isto em 1993. LC: Política? FP: Juro que eu não consigo entender por que as pessoas não conseguem fazer... E só pensam em enriquecer! LC: Trabalho voluntário? FP: Gostaria muito de ter disponibilidade de tempo para tal fim. LC: Para finalizar, de que você se orgulha? FC: De ter construído uma marca que é reconhecida por quase todo o público feminino. Mesmo eu tendo optado por permanecer em uma estrutura caseira, pequenina, a marca Fernando Pires ganhou status, parece de gente grande!

Fotos: Divulgação


DUO Fabíola Bernardes

E-mail: fabiolacolunista@terra.com.br Site: www.fabiolabernardes.com.br Siga no twitter - @FabiolaBernardes Facebook - Fabiola Bernardes III

01

CR FERNANDES entrega mais um prédio O Edifício Rotterdan foi entregue aos moradores com coquetel e muita comemoração! Carlos Fernandes e sua equipe estavam felizes pelo resultado do trabalho e ganharam muitos elogios! A noite seguiu com diversos moradores se conhecendo, afinal, muitas famílias irão desfrutar desse maravilhoso local para morar! 02

01 | Liani Stein e Rozana Barros - Foto Fabíola Bernardes 02 | Carlos R. Fernandes, Rozana Barros e Jaqueline Cardozo - Foto Fabíola Bernardes VILLADAMIANI-LANÇAPRIMAVERA2013 A loja ficou repleta de mulheres antenadas e felizes em busca de novidade! E é assim mesmo que a Loja Villa Damiani faz, proporciona encontros deliciosos! Desta vez, Priscila Damiani buscou informações através da personal Stylist Bianca e sugeriu diversas combinações!

03

04

03 | Vilma Cruz de Oliveira, Guta Giacon e Cláudia Giacon - Foto Fabiola Bernardes. 04 | Simone Hulse Feuser, Carolina Castanheira, Priscila Damiani e Cristiane Hulse Feuser - Foto Fabiola Bernardes. 05 | Karina Voig, Patricia Voigt Socher, Priscila Damiani, Ludmila Vodianitskaia e Sandra Wille - Foto Fabiola Bernardes

05

SIMÉIA BOUTIQUE inaugura loja Siméia de Azevedo resolveu colocar toda sua inspiração e paixão por moda numa loja aconchegante e de bom gosto trazendo grifes já conhecidas e outras do Rio de Janeiro atendendoumpúblicointeressanteedebom gosto. O coquetel foi para amigos e clientes com desfile da coleção. Holofotes para as peças exclusivas de acessórios super bonitos vindos de Florianópolis. 06 | Dina Duarte, Siméia de Azevedo e Maria Claudia Coutinho Rocha - Foto Fabiola Bernardes.

06

138

DUO

07

07 | Rainoldo Uessler e Caio Araujo - Foto Fabiola Bernardes.


DUO Fabíola Bernardes

08

ARROZ DE BRAGA EM PROL DO INSTITUTO PRISCILA ZANETTE O evento aconteceu no Kartódromo de Joinville e contou com diversos patrocinadores e muitos convidados. A estrutura montada para crianças também permitiu que os familiares pudessem encontrar amigos e colocar o papo em dia! Desfiles das lojas Jurerê, Kleine Kinder e Dudalina. O Instituto Priscila Zanette cuida de crianças com vulnerabilidade social e tem ainda diversos planos para abertura para tratar dependência química infantil. 08 | Zilma e Claudio Zanette com Mari de Menezes Lopes - Foto Fabíola Bernardes

09

SANTA MISTURA - TRAZ EXPOSIÇÃO DE ARTE O compromisso sempre foi oferecer gastronomia, cultura e arte para o espaço Santa Mistura e o mote se concretiza com a exposição do fac-símiles do artista holandês M.C.Escher. Pela primeira vez em Santa Catarina, imagens impressas em edição limitada e carimbadas com o selo de autenticidade da fundação M. C. Escher estarão expostas e a venda no restaurante que também tem uma galeria de arte. Muitas pessoas bacanas e admiradoras da arte estiveram na abertura da exposição que continua até meados de Setembro para quem quiser conferir. Vale a pena! 09 | Marla Bork, Alexandre Simas, Patrícia Voigt Socher, Karina Voigt e Fabiane Zimmermann - Foto Fabíola Bernardes 10 | Rejane Gambim e Falcon Dias CostaFoto Fabíola Bernardes

10

11 | Juliano Zimath e Priscila Damiani -

11 Foto Fabíola Bernardes

12 | Carlos Alexandre Döhler e Maristela Döhler com Iara Costa e Nivan Correia Foto Fabíola Bernardes 13 | Fabiane Fukuti, Cleópatra Silva e Claudio Mokross - Foto Fabíola Bernardes

12

LAR MÃE ABIGAIL - RECEBE AJUDA A AAFA é uma associação que tem como objetivo ajudar as crianças que a Abigail cria e inclusive, proporcionar essa ajuda na área de educação. Atualmente são 23 crianças que moram na casa. Aconteceu o evento 2º Alemão solidário no Biergarten e foi um verdadeiro sucesso com mais de 200 convites vendidos. A Construtora Correia patrocinou o evento juntamente com outros empresários. 14 | Hellen Cristina Pickler Bahiense, Roberta Buss Rocha, Adriana Alzira de França e Milto Morais - Foto Fabíola Bernardes.

13

14


DUO Fabíola Bernardes

Schutz lança Coleção com Coquetel Amigas e apaixonadas pela marca Schutz estiveram na loja para conferir a primavera 2013 que vem com muitas cores, texturas e materiais diferentes! Sandra Kleinubing ficou feliz com o resultado dos comentários. 15 | Marcia, Ana Flávia e Helena Petry Foto Fabíola Bernardes 16 | Viviana Nascimento e Larissa Zattar - Foto Fabíola Bernardes

15

17 | Sandra Kleinubing- Foto Fabíola Bernardes

15

18 | Rafaela e Fernanda Macedo com Sandra Kleinubing- Foto Fabíola Bernardes Loja Princesa Lança Coleção Primavera/ Verão O evento de lançamento foi muito diferente e super descontraído! Presença de quase 100 mulheres fez a loja ficar ainda mais enfeitada...vermelhos, amarelos, azuis, verdes e as cores preto, branco e marinho tiraram suspiros de quem assistiu o desfile. A equipe da Loja Princesa montou os looks com perfeição, o que significa que você não tem que temer absolutamente nada quando for lá sem nenhuma ideia do que vestir!

16

17

18

19 | Ana Carolina de Oliveira- Foto Fabíola Bernardes 20 | Tere Rossi, Lia Schuetzler e Carol Winter - Foto Fabíola Bernardes 21 | Maria Salete Reis, Marcia Dalcastagne e Tere Rossi - Foto Fabíola Bernardes Construtora Correia Patrocina Baile Nivan Correia, através de sua Construtora e Incorporadora Correia, patrocinou o Baile da Associação das Imobiliárias e Corretores de Imóveis de Jaraguá do Sul, levando a Pop Band para animar a festa. O jantar contou com autoridades e grande parte da classe de corretores da cidade que não poupou elogios para a atitude da equipe Correia que também fez questão de estar presente no evento. A Construtora fez sorteios de muitos brindes e inclusive um tablet.

19

20

21

22 | Dieter Janssen, Nivan Correia e Luiz Sérgio A Pereira Jr - Foto Fabíola Bernardes

22


DUO Fabíola Bernardes

Samsung Inaugura Loja em Joinville Circularam mais de 400 pessoas para conferir os lançamentos de celulares, câmeras, tablets, netbooks, além da simpática e querida presença do ator global Júlio Rocha que tirou fotos com todos os convidados e ainda abraçou, beijou, conversou ...um verdadeiro gentleman. Cristiano Machado, proprietário da loja de Joinville e de outras no Estado de Santa Catarina estava radiante de ver a aceitação do público da cidade!

24

23 | Heloisa Ferreira e Cristiano Lehmkuhl Machado - Foto Fabíola Bernardes 23

24 | Fabiola Bernardes ladeada por Eoda e Raquel Steglich - Foto Andréia Behnke 25 | Ana Cristina Capozzi e Adriane Borges - Foto Fabíola Bernardes 26 | João e Ana Lucia Orselli - Foto Fabíola Bernardes 26

25

28

Cantos & Encantos Coquetel Para dar as boas vindas à nova coleção de papéis de parede, Salete Nascimento e José Carlos reuniram arquitetos, designers e decoradores na loja, que por sinal, está um luuuxo! A estrela da noite foi a marca ORLEAN que atende todos os tipos de público, mas principalmente aqueles bem exigentes que adoram o glamour e o diferente! 27 | Cadu Dias, Maria Salete e José Carlos Nascimento - Foto Fabíola Bernardes.

27 29

Someday Lança Coleção Primavera/ Verão Vivian Hernascki Marcarini recebeu convidados para conferir a coleção da marca Someday que agrada diferentes tipos de mulheres em diversas horas do dia. O desfile foi super legal e mostrou a versatilidade da grife além do bom gosto dos looks passando por uma cartela de cores alegres. 28 | Vivian e César Luis Marcarini- Foto Fabíola Bernardes

30

29 | Deise Cristina Büst com Daniele Pelaez - Foto Fabiola Bernardes Inauguração Gaia Pilates 30 | Equipe Gaia Pilates - Foto Fabíola Bernardes 31 | Gladson Maragno e Priscila Bendo com o pequeno Luigi - Foto Fabíola Bernardes

31


DUO Fabíola Bernardes

Construtora Ritzmann Minella entrega mais um prédio Erlon Minella e Anneliese Ritzmann Minella entregaram o bloco B do Residencial Attività com muita emoção, para os moradores e investidores de mais um empreendimento. Conhecemos um pouco da história e é um verdadeiro exemplo de superação, pois o empresário venceu as limitações de um grave AVC e mostrou que a perseverança e o comprometimento são características fortes de sua personalidade . E assim, contamos mais uma história de sucesso! 33

32 | Anneliese Ritzmann Minella e Erlon Minella - Foto Fabíola Bernardes 33 | Janice Vieira e Wilson Zarpelon - Foto Fabíola Bernardes

32

34 | Dilnei Tanchella e Maria Sheila Vasconcellos - Foto Fabíola Bernardes Inaugura Dona Francisca Choperia Comidinhas de boteco aliadas ao chope perfeito em temperatura e ambiente descontraído fazem o conjunto de um lugar interessante para um happy hour com amigos ou simplesmente uma noite em família. Lugar amplo e gostoso que você pode levar crianças inclusive para jantar, pois além do cardápio de boteco a choperia tem comidas típicas alemãs e cardápio variado. Promete ser o melhor chope da cidade.

35 34

35 | Alcidio Rodrigues e Vilma Gripa - Foto Fabíola Bernardes. 36 | Osmair, Maria Eliza, Alairce e Wilson Doin - Foto Fabíola Bernardes. Carmen Steffens Maison Uma loja que remete luxo puro e glamour total e o que é melhor...em Joinville como modelo para todo Brasil! Essa conquista foi de Franciane Pereira que inaugura a Carmen Steffens Maison no Garten Shopping com um evento somando moda com comemoração. Tudo continua incrível, mas a estrela do show foi a coleção de moda feminina que arrebentou corações das mulheres. Rafael Steffens foi para passarela mostrando coleção de sapatos masculinos e ainda as crianças com sandálias e bolsas. Tudo lindo!

36

37 | Mario e Monalisa Spaniol - Foto Fabíola Bernardes 38 | Rodrigo e Juliane Laufer, Fabio João e Franciane Pereira com Mario e Monalisa Spaniol - Foto Fabíola Bernardes 37

38


DUO Crônica

Por Juliana Albino julianaa_-@hotmail.com

O que ser,

em que pensar e o que fazer?

Juventude, adolescência. Ambas ansiadas por muitos, ambas recordadas por muitos. Quem é criança quer ser adolescente, quem é adolescente quer ser jovem, jovens querem ser adultos e adultos querem voltar à juventude. Jovens podem ser complicados, ou até simples demais. Querem atenção, por mais que não admitam isto abertamente. Odeiam quando os pais querem nos exibir na frente de outras pessoas chamandonos de “bebês”. A primeira coisa que pensamos é em um buraco bem fundo pra enfiar a cabeça. Nessa idade, a gente só tem sono, preguiça e fome. Dá preguiça de estudar, dá preguiça de levantar, dá preguiça até de se mexer. Mas é óbvio, nunca dá preguiça de curtir. Seja saindo com os amigos ou fazendo qualquer outra coisa que nos agrade. Sonhamos muito. Ora acordados, ora dormindo. Sonhamos com uma casa e um carro na garagem. Sonhamos com uma boa profissão. Com uma viagem ao exterior ou férias em um lugar encantador.

Temos nossos amores, nossos anseios, nossas expectativas. É bom ser jovem, mas às vezes parece que nossa cabeça vai explodir. Não por causa de estresse no serviço ou um filho que tirou nota baixa, por que são esses os argumentos dos pais dizendo: “Você não trabalha, não sustenta uma casa e não tem filhos pra se preocupar, pare de reclamar!”. Mas sim por que temos nossas confusões internas. E, às vezes, tão internas que não há quem descubra o que se passa em nossa cabeça, nem mesmo nós. Eu mesma posso dizer que é uma confusão total. Cada um reage de uma maneira, sendo mais sensíveis ou mais grosseiros. Lutamos pelo que realmente queremos, movemo-nos pelos nossos desejos e ambições. Porque quando crescemos, somos obrigados a crescer mentalmente também, embora alguns não consigam. Nosso amadurecimento vai ocorrendo à medida que as situações vão se encaixando na nossa vida. E é exatamente por isso que uma boa parte tende a amadurecer mais rapidamente, às vezes

devido à perda de um ente querido, de uma doença ou até pela separação dos pais. Enfim, ser jovem requer paciência, discernimento e aproveitamento. É uma época única, e não adianta querer se realizar nos filhos, pois não é a mesma coisa. O que ser? Feliz. Em que pensar? Na vida. O que fazer? O que te faz bem. Pense na vida e seja feliz com o que te faz bem, porque a juventude não volta pra ninguém.



Revista duo22 edicao outubro