Page 1


DISPONIBILIZAÇÃO: GHOST LADIES TRADUÇÃO: FERNANDA G, CLAUDIA G, PAMELA G, RICHELLI G, MEL WRAITH REVISÃO: LETY G, RICHELLI G, SUK G, MEL WRAITH LEITURA FINAL: GLAY GHOST E MEL WRAITH FORMATAÇÃO: Mel wraith


Slater Brothers #5 by


Alannah Ryan sempre sofreu em silêncio, até que esse silêncio se tornou tão ensurdecedor que ela derramou segredos que nunca pretendeu. Em um ponto de sua vida, ela ansiava por aventura, uma jornada de roer as unhas... algo diferente da vida mundana que levava. Os seus apelos foram respondidos sob a forma de um disfarce alto e bonito com um tufo de cabelos brancos. Os sonhos de Alannah por um toque emocionante em sua vida foram destruídos por causa de um erro adolescente. Um que a assombrou por mais de cinco anos e a deixou em pedaços.

Damien Slater era a razão para cada coisa ruim na vida daqueles que ele mais amava. A decisão que ele tomou quando ele tinha apenas quinze anos destruiu a vida de seus irmãos e não havia nada que pudesse fazer para mudar as coisas que haviam sofrido. Arruiná-los doía, mas arruinar a única mulher que o queria por mais de uma noite doeu muito mais.

Fugir ajudou Damien a curar-se, e retornar para a Irlanda só causou mais dor a Alannah. Dor que ele pretendia erradicar e substituir com a paixão que ele sabia que ambos compartilhavam. Quebrar suas paredes não era o único desafio que Damien enfrentava. Outro tinha planos próprios, e suas intenções não eram de vingança física, mas algo muito pior. Damien valoriza Alannah acima de tudo, e o que Damien valoriza,

Damien luta.


Seis anos atrás... Ser amigo de todos é um burro sugador de bolas. Pensei sobre isso enquanto eu enrolava as pontas do meu cabelo preto ao redor dos meus dedos e olhava para o teto. A cama que eu estava deitada de repente afundou, puxando-me dos meus pensamentos e fazendo-me recuar do tirando me da minha paz e sossego. Olhei para a minha melhor amiga, que tinha uma mão em sua cama para apoiar-se enquanto ela se equilibrar-se em seus saltos altos com a outra. Bronagh Murphy era o meu oposto em todos os sentidos. Quando ela não estava fingindo que era invisível, ela era alta, geniosa e tinha uma espinha dorsal sólida. Ela era engraçada também, e embora ela não pensasse assim, ela tinha um corpo sexy. Minha aproximação com Bronagh foi estranha, porque não tínhamos sido sempre amigas. Na verdade, foi só nas últimas semanas após Bronagh me defender de um ataque pelo valentão da escola que decidimos dar a coisa amizade um verdadeiro nome. Depois disso, nós rapidamente descobrimos que éramos, na verdade, BFFs e tínhamos de sair o tempo todo. Estávamos trabalhando continuamente por Bronagh, embora, eu não fosse exatamente uma


borboleta social. Eu poderia fazer amigos com bastante facilidade quando eu queria, mas Bronagh não podia. Ela tinha problemas de confiança, por isso mesmo chegar em um local como sua amiga era um milagre. Eu tinha estado em sua classe para o ensino secundário e muitas vezes a vi ao redor na escola primária, mas eu nunca conheci realmente ela. Ninguém fez... Até que Nico e Damien Slater mudaram-se para a nossa cidade, pularam em nossa classe, e literalmente, encurralaram-na até que ela não tinha escolha, a não ser se jogar. Damien Slater. Minha mente vagou. Onde posso começar sobre Damien Slater? Lambi meus lábios. Damien era... Meu Deus, ele era perfeito. Ele era lindo de morrer, super alto, magro com músculos, tinha um sotaque, e ele me fazia rir. Ele tinha um gêmeo idêntico, mas para mim, ele não era nada parecido com seu irmão Nico. Eu sabia desde o momento em que o vi, em seu primeiro dia na escola há alguns meses, que eu secretamente seria obcecada por ele. Eu só não sabia que eu estaria obcecada durante vinte e quatro horas todos os dias por ele. Eu nunca tinha tido uma queda real sobre um rapaz antes de Damien entrar em minha vida. Eu pensei que alguns rapazes em torno da escola e da cidade eram de boa aparência, e celebridades eram quentes, obviamente, me chamaram a atenção como qualquer outro adolescente, mas eu não tinha ninguém que eu realmente me imaginava estando. Tudo isso mudou quando eu o vi pela primeira vez.


Mesmo que ele estivesse muito fechado, eu poderia dizer que sua personalidade era maior que a vida, e brega como soava, parecia que ele foi esculpido por anjos. Ele era uma daquelas pessoas perfeitas e instantaneamente sabia que nunca sequer olharia e minha direção. Dez segundos depois que eu pus os olhos nele, eu estava imaginando o nosso casamento. Meu estômago deu uma cambalhota quando eu imaginei seu cabelo loiro branco destacando-se contra o seu smoking preto quando disséssemos ―aceito‖. Como seus olhos cinzentos iriam olhar para os meus quando ele declarasse seu amor eterno por mim para o mundo. Como seus cheios lábios rosados seriam como veludo quando reivindicassem os meus em um beijo quente. Como seu sorriso iria apagar a minha preocupação, cada medo e substituí-lo com esperança. Como sua mão grande iria segurar a minha quando passeássemos pela rua. Levou mais de dez segundos para eu perceber que eu nunca teria uma fodida chance. Quase todas as meninas da nossa classe, e, provavelmente, toda a maldita escola, provavelmente tinham os mesmos pensamentos que eu tinha, porque elas pularam para serem as primeiras a agarrar e prender sua atenção. Foi humilhante admitir para mim mesma, mas Damien consumiu uma grande parte da minha vida, e nós não éramos mesmo nem amigos. Se isso não me rotulava como patética, então eu não sabia o que era. Felizmente, ninguém sabia sobre a minha paixão


embaraçosa... Exceto Bronagh, que era muito atenta para seu próprio bem. ―Alannah.‖ Ela bate minha perna com a dela. ―Por que você está suspirando?‖ Voltei minha atenção para ela. ―Hã?‖ ―Você está suspirando.‖ Estou? ―Desculpe, estou apenas pensando.‖ Bronagh olhou para mim com uma sobrancelha perfeitamente em questionamento. ―Sobre Damien?‖ Senti minhas bochechas queimarem com o calor. Bronagh era minha melhor amiga, mas esse título era novo, então ela realmente não sabia a profundidade dos meus sentimentos por Damien. Ninguém o fez, e se eu tivesse meu caminho, nunca ninguém o faria. ―Sim‖, eu murmurei. ―Sobre Damien.‖ Bronagh sorriu. ―Você é tão bonita quando cora.‖ Porque isso é como toda garota de dezoito anos de idade quer ser vista. Fofa. Em jeito de brincadeira a chutei. ―Deixe-me em paz.‖ ―Desculpe‖, disse ela, a diversão brilhando em seus olhos verdes brilhantes. ―Eu esqueci como... muito introvertida você é.‖ ―Eu não sou tão introvertida. Você é.‖


―Eu?‖ Bronagh alegremente riu. ―Você está falando sério?‖ Eu balancei a cabeça. ―Qual de nós se guardou para ela mesma durante anos?‖ ―Eu estava propositadamente bloqueando todos para fora, embora você não estava.‖ Eu não respondi, por isso Bronagh levantou a sobrancelha mais uma vez e olhou para mim, um sorriso maroto nos lábios cor de rosa. ―Tudo bem,‖ eu resmunguei. ―Eu sou um pouco introvertida, mas serve-me bem. Quando eu tento ser extrovertida, falho, então manter a si mesma é uma aposta segura.‖ ―Quando foi que falhou?‖ Quando não havia fracassado era a verdadeira questão que deveria ter perguntado. Revirei os olhos. ―Com Damien.‖ Minha amiga fez uma careta. ―Você é sua amiga, sua única amiga do sexo feminino além de mim, e isso é só porque eu estou com seu irmão. Se eu não estivesse , ele provavelmente tentaria me foder, depois nunca mais falaria comigo de novo quando ele percebesse que eu não estava interessada.‖ ―Não é como se nós fôssemos mesmo amigos de verdade, no entanto. Eu só o vejo fora da escola porque eu estou com você o tempo todo, e isso significa que eu também estou com Nico. E onde Nico está, Damien está.‖


―Alannah –‖ ―Eu não gosto quando ele flerta comigo porque eu sei o que ele quer,‖ eu interrompo Bronagh. ―Ele é tão aberto sobre não querer uma relação mais do que um caso sob os lençóis, mas eu não quero apenas fazer sexo com ele. Eu não quero estar em sua lista de alvos. Eu realmente gosto dele, e isso é um saco, ele não gosta de mim da mesma maneira.‖ Bronagh se aproximou e colocou a mão no meu joelho. ―Desculpe, diferente.‖

Lana.

Eu

gostaria

que

ele

fosse

―Ele é ótimo do jeito que ele é,‖ Eu saliento. ―Mas eu quero que ele goste de mim. Eu não quero ser como Destiny ou Lexi; elas passam por rapazes como ele, e eu não posso ser assim. Eu não posso ser como elas apenas para ter sua atenção. Eu só... Eu só queria que eu valesse mais para ele do que uma trepada rápida... sabe?‖ Bronagh assentiu. ―Sim, eu sei.‖ O clima tinha rapidamente se transformado em melancolia, e me senti mal. ―Sinto muito, Bee. Estou te enchendo o saco em sua grande noite.‖ Ela inclinou a cabeça. ―Minha grande noite?‖ ―A sua vagina foi deflorada.‖ Eu brinquei. ―Isso significa que é uma grande noite.‖


Bronagh arregalou os olhos enquanto pegou um travesseiro e bateu-me com ele, me fazendo engasgar de tanto rir. Ela bateu-me com ele novamente, então eu gritei e ri ainda mais. ―Você é uma cadela.‖ Eu sorri largamente. ―Você me ama, apesar de tudo.‖ ―Sim‖, disse Bronagh, parecendo que tinha acabado de chegar a algum tipo de revelação. ―Eu amo.‖ Eu sabia que ela me aceitar como uma amiga foi um grande negócio para ela, mas eu sabia que me amar estava em um negócio ainda maior. ―Hey,‖ eu disse, ganhando sua atenção. ―Eu também te amo, e isso significa que você está presa comigo para a vida. Nico vai ter que se acostumar a mim ao seu lado.‖ Minha amiga bufou. ―Ele acha que você é linda, então ele não vai se importar.‖ Eu praticamente engasguei com o ar. ―Ele não acha!‖ ―Ele acha,‖ Bronagh disse. ―Nós aleatoriamente conversamos sobre isso. Estou totalmente bem com você sabendo também, porque eu sei que você é a única menina na escola que prefere Damien a ele.‖ Isso era a verdade. ―Companheira,‖ Eu me encolhi. ―Nico é... ew.‖ Bronagh rachou de rir. ―Damien é seu gêmeo idêntico. Eles literalmente têm a mesma aparência.


Bem, não é a mesma cor do cabelo, mas todo o resto é o mesmo.‖ Eu discordei. ―Quando eu olho para eles, vejo duas pessoas completamente diferentes. É difícil de explicar, mas eles não são nada parecidos para mim, apesar de terem a mesma aparência. Você vê Damien em Nico?‖ Bronagh sacudiu a cabeça. ―No começo, eu via, mas agora, eu não sei. Dominic tem tanta personalidade que seu corpo não pode contê-lo.‖ ―Falando no garoto amante.‖ Meus lábios curvados para cima. ―Fazer isso, você sabe, dói?‖ As bochechas de vermelhidão quando timidamente.

Bronagh tingiram-se com ela balançou a cabeça,

―Na primeira, ele beliscou, então era desconfortável, e, em seguida, tudo mudou, e foi maravilhoso. A dor honestamente não era tão ruim como eu sempre pensei que seria, mas se Dominic não estivesse tão focado em me fazer sentir bem, eu acho que ele só teria sido apenas básico como a primeira vez da maioria das pessoas.‖ ―Isso é bom saber.‖ Eu exalei. ―Talvez não seja tão ruim quando eu finalmente perder meu V-card1.‖ ―Eu estou um pouco dolorida agora, mas Dominic diz que é normal porque foi a minha primeira vez. Eventualmente, não vai ser desconfortável em tudo depois. Isso é o que ele diz de qualquer maneira, mas 1

Termo usado para “perder a virgindade”.


ele não tem uma vagina então eu nem sei por que eu o ouvi.‖ Eu ri, então percorria meus olhos sobre Bronagh enquanto eu pensava sobre a nova mudança em sua vida. Ela era uma jovem mulher cuja vida tinha acabado de se tornar muito adulta com ela e a nova intimidade física com Nico. ―É melhor você tomar a pílula. Sabe, apenas para ser seguro.‖ ―Eu sei, Branna disse que ia me levar ao médico para obter uma receita mensal.‖ ―Você é uma covarde,‖ eu provoquei. ―Precisando da pílula e um fornecimento de preservativos real.‖ O rosto de Bronagh queimou com calor mais uma vez, e eu momentaneamente me perguntei se a cor nunca iria deixar suas bochechas. ―Pare com isso. Eu fico tão envergonhada quando penso nisso. E eu não posso ficar não envergonhada.‖ Eu levantei uma sobrancelha. ―Mas ele é o cara.‖ ―Então?‖ Minha amiga questionou, suas bochechas ainda coradas. ―Eu o amo, e nós estamos em um relacionamento, mas ele só me viu nua e levou minha virgindade. Eu não posso deixar de ficar envergonhada.‖ ―Você é tão estranha, Bee.‖ Bronagh bufou. ―Isso não é nenhuma novidade.‖ Uma risada masculina no andar de baixo tomou a minha atenção.


―Os irmãos gêmeos‖, eu disse ao ouvi-los. ―são muito mais quentes do que o que você disse que eles eram.‖ ―Eles são?‖ Olhei para ela como se ela tivesse crescido apenas uma cabeça extra. ―Você disse que eles eram bons de se olhar, mas baby, eles estão pegando fogo. Eu nunca conheci homens completamente como Ryder e Kane antes. E Alec? Isso é sensualidade demais para reivindicar em uma pessoa. Depois, há os gêmeos, que são outro tipo de quente. Os genes são fodidamente maravilhosos.‖ Bronagh balançou a cabeça em concordância. ―Você deveria ter me visto quando eu os conheci. Olhei sem piscar e eu acho que ainda babava.‖ ―Ninguém iria culpá-la se você fez.‖ Minha amiga riu. ―Você está pronta para ir?‖ Suspirei enquanto me empurrou para cima da cama e fiquei de pé. Arrumei o meu vestido, esperando que não estivesse enrugado. ―Eu estou pronta, como eu nunca vou estar.‖ Bronagh hesitou. ―Se você preferir ficar–‖ ―Não, eu quero sair. Eu nunca fui ao Clube antes; é só que... Espero que eu não fique chateada se Damien puxar uma menina. Eu não tenho nenhuma reclamação sobre ele, mas eu realmente gosto dele, para que possa me garantir emoções se ele pegar


alguma. Eu só espero que eu não chore e faça uma demonstração humilhante.‖ ―Sabe o quê?‖ Disse minha amiga, súbita confiança enchendo seu tom. ―Você está indo no clube esta noite. Você está indo para beijar um rapaz e esquecer Damien Slater.‖ Se eu pudesse. ―Sim.‖ Eu grito com falso entusiasmo. ―Boa ideia.‖ Bronagh sorri, satisfeita consigo mesma. ―Ótimo. Vamos descer e dizer aos rapazes, eu estou pronta. Eu vou obter algum perfume de Branna e ver se ela está pronta para ir.‖ Eu balancei a cabeça e sai do quarto. Quando cheguei ao térreo, viro-me e caminho pelo corredor e na cozinha onde eu bato de cabeça em um dos irmãos Slater. Olhei para cima e encontro Alec Slater olhando para mim com um sorriso comedor de merda em seu rosto perfeito demais. Ele colocou suas grandes mãos nos meus ombros para me firmar, e as deixou lá, me enlouquecendo porque ele era muito quente para palavras e me tocando para qualquer quantidade de tempo. ―Sinto muito‖, eu disse rapidamente, as palavras soando misturadas. ―Eu não estava vendo onde eu estava indo.‖ Ele continuou a sorrir. ―Não se preocupe com sua linda cabecinha, querida.‖ Eu ouvi um gemido de dentro da cozinha seguido por alguns risinhos.


―Ela tem dezoito anos, irmão mais velho.‖ Foi Nico quem falou, e eu queria surrá-lo por me envergonhar. Alec simplesmente pisca para mim antes que ele tire as mãos dos meus ombros, movendo-se em torno de mim, e se aventurou a descer o corredor, em seguida, no andar de cima. Eu inspiro e expiro antes de entrar na cozinha. Sem perceber, eu me virei para o espaço vazio de Alec, agora desocupado, e olho como se fosse magicamente reaparecer. ―Ele é tão fodidamente bonito.‖ Olhei à minha direita quando risadas masculinas soaram, e quando eu descobri os restantes dos quatro irmãos Slater olhando para mim, arregalo meus olhos. ―Eu disse isso em voz alta?‖ O grupo concordou, e eu sinto o sangue correr do pescoço para minhas bochechas, levo minhas mãos ao meu rosto. ―Você está fazendo muito melhor do que Bronagh, se serve de consolo.‖ Nico disse. ―Ela olhou para todos os meus irmãos, quando ela se encontrou com eles primeiro. Tenho certeza que ela babava, também.‖ Deixei minhas mãos de volta ao meu lado, meu rosto ainda em chamas. ―Falando de Bronagh, vá e coloque a miséria dela pra fora.‖ Nico piscou. ―Você quer explicar isso?‖


―Ela está mortificada ambos... sabe.‖

para

vê-lo,

mesmo

que

Ele sorri. ―Sim, eu sei.‖ Ryder e Kane balançaram a cabeça enquanto Damien bateu os punhos com seu gêmeo como se Nico ter relações sexuais com Bronagh tivesse o colocado em uma espécie de pedestal. ―Vai agir normalmente para que ela possa parar de enlouquecer porque quando ela está assustada, eu tenho que estar assustada. código de melhor amiga.‖ Damien riu, apesar de que seus irmãos não. Senti uma onda de prazer que, pelo menos, ele pensou que eu era engraçada. ―Eu vou cuidar dela,‖ Nico disse enquanto se levantava, passou por mim, e saiu da sala. Quando eu estava sozinha com os três irmãos restantes, eu me vi balançando para frente e para trás em meus calcanhares. Parei de me mover quando os meus tornozelos cedendo sob meus saltos altos entrou na minha mente. ―Então.‖ Limpei a garganta. ―Você é americano.‖ Eu me encolhi com a conversa inicial chocante que escorregou da minha boca. ―E você é irlandesa,‖ Kane retumbou. ―Agora que já tiramos o óbvio fora do caminho, o quão próxima você é de Bronagh?‖ Eu não estava preparada para a questão, nem a tensão na voz de Kane e a acusação em seus olhos


cinzentos gritantes. Apertei minhas mãos quando apreensão me encheu. ―Bro,‖ Damien começou, mas um olhar de seu irmão mais velho o silenciou. Kane olhou para mim, esperando minha resposta, mas tudo que eu podia fazer era olhar para ele. Ele foi extremamente intimidante. Bronagh tinha me avisado sobre sua aparência, e eu sabia que suas cicatrizes não me incomodavam, porque sua aparência não o definia, mas ela não mencionou que ele era um pouco idiota. ―Próximas como novas amigas podem ser, eu acho‖, eu respondi com um encolher de um ombro. Kane levantou uma sobrancelha. ―Ela já falou com você sobre nós?‖ ―Nós?‖ ―Eu. Os meus irmãos.‖ ―Hum, não.‖ Eu pisquei. ―Ela me disse seus nomes, que são de Nova York, e disse que vocês são lindos para olhar, mas só isso.‖ Ryder sorriu e estava prestes a falar, mas Kane não tinha terminado. ―Você vai fazer perguntas sobre nós?‖ Eu tenho a sensação de que ele não gostava de mim, embora eu não tivesse certeza do porquê, já que ele não me conhecia. Engoli. ―Não, por que faria?‖ ―Porque você está curiosa.‖


―Sobre Damien, não você.‖ Eu percebi o que eu disse no segundo em que as palavras saíram da minha boca, e eu queria que o chão se abrisse e me engolisse inteira porque eu soei petulante, e eu raramente era atrevida. ―Eu não quis dizer, como parceira,‖ Eu balbuciei. ―Quero dizer–‖ ―Eu sei o que você quer dizer.‖ Kane me cortou, inclinando-se para trás na cadeira enquanto ele me olhava de cima a baixo. ―Você não é a primeira garota a ser curiosa sobre ele, e você não será a última.‖ ―Ryder‖, Damien resmungou. ―Faça alguma coisa.‖ Ryder deu-lhe um ligeiro aceno de cabeça e permaneceu em silêncio. ―Sinto muito, mas eu fiz algo errado com você?‖ Perguntei a Kane, odiando o quão desconfortável ele me fez sentir. ―Porque, se eu não tiver, então eu quero saber que diabos é o seu problema e porque eu estou sendo interrogada por nenhuma maldita razão.‖ Kane ergueu as sobrancelhas em surpresa, Ryder sorriu, e Damien se engasgou com o ar. ―Eu só estou tendo uma sensação sobre você,‖ Kane respondeu, seus olhos ainda presos nos meus. ―Eu não sei... você é uma estranha.‖ Sinceramente, pensei que meu coração ia explodir de apreensão, mas eu mantive minha posição. ―Bem, você pode fazê-lo de uma forma educada sem essa atitude. Se apresentar e simplesmente ser


agradável é uma boa maneira de começar. Eu não sei o que Bronagh tem dito sobre mim, mas eu sou uma boa pessoa, que só pode ter tanta besteira. Se você não tem nada de bom para me dizer, não diga nada. Eu serei mais do que feliz em ignorá-lo.‖ ―Bem, foda-se.‖ Kane e Ryder, em seguida, partilham um olhar e começam a rir. Enquanto isso, eu estava ocupada tentando controlar minha respiração e orando a Deus que eu não desmaiasse. Eu não curtia o confronto, e de alguma forma, isso era exatamente o que eu estava envolvida... e eu acho que eu ganhei. ―Eu acho que essa conversa acabou‖, eu disse e sai da sala com pressa e nervosa. ―Muito obrigado!‖ Damien falou ―Idiota!‖ O riso continuou quando eu ouvi uma cadeira raspar, passos batendo contra o chão, e sinto uma presença vir atrás de mim. Virei-me, assim que Damien estendeu a mão para mim. Sua mão, que eu tenho certeza que foi destinada para o meu ombro, tocou meu seio direito e o choque me congelou no local. ―Eu não tive a intenção de pegar o seu seio‖, disse Damien, seus olhos nos meus, e sua mão ainda segurando firmemente meu peito. ―Eu juro.‖ Meu pulso acelerou. ―É... bem,‖ eu guinchei. ―Não se preocupe com isso.‖


Olhei para o meu peito, e quando Damien percebeu que ele ainda estava segurando ele, largou a mão como se estivesse pegando fogo. ―Merda‖, disse ele, confuso. ―Eu queria pedir desculpas pelo comportamento de Kane, não te tocar.‖ Eu estava tão envergonhada que eu considerava caminhar para fora da casa, sem mais palavras trocadas, mas não o fiz. Em vez disso, eu engoli e forcei um sorriso de boca fechada. ―É tanto faz, ele provavelmente estava apenas mexendo comigo." ―Sim,‖ Damien mentiu. brincando com você.‖

―Ele

estava

apenas

Nós dois sabíamos que Kane não estava brincando comigo, ele me questionou por uma razão, mas eu não tinha ideia do porque. Eu não tinha certeza se eu queria saber qualquer coisa. ―Esqueça-o,‖ Damien continuou. ―Não lhe dê um segundo pensamento.‖ Kane Slater não era alguém que você esquecia facilmente. ―Já esquecido,‖ Eu menti, meu sorriso forçado ainda no lugar. Damien olhou através do meu sorriso. Eu sabia que ele fez, porque seu rosto se suavizou. Ele deu um passo em minha direção e abriu a boca para falar, mas foi interrompido quando Alec correu escada abaixo. Dei um passo para trás e acenei para Alec, que passou por nós com apenas uma piscadela em nossa direção.


Damien olhou por cima do ombro quando Alec falou, e seus outros irmãos riram. Três deles, em seguida, saíram da cozinha, e Alec continuou ostentando. ―Tudo o que eu estou dizendo é que meu irmão mais novo tem as habilidades que ele obviamente pegou de mim. Sua menina gritou para Deus mais vezes do que eu poderia contar. Ele estava no controle daquela buce–‖ ―Você termine a frase Slater, e eu vou acabar com você!‖ Bronagh rosnou enquanto descia as escadas com Nico e Branna atrás. Alec fez o movimento de selar os lábios, embora eu duvide que ele terminasse de provocá-la e a Nico sobre a sua noite especial. Eu queria dizer a ele para deixála sozinha, mas eu ainda estava chocada e me sentindo fora de lugar desde que Kane me questionou e me tratou como se eu estivesse fazendo algo errado por ser amiga de Bronagh. Damien se afastou de mim sem uma palavra quando Bronagh veio para o meu lado e agarrou a minha mão. Eu sorri para ela e dei-lhe um aperto de mão reconfortante. ―Você está pronta?‖ Eu soltei uma respiração profunda enquanto caminhávamos para fora de sua casa e para a noite. Pronta, como eu nunca vou estar.


―Eu deveria ter ficado em casa.‖ Bronagh bocejou e se espreguiçou. ―Eu estou exausta.‖ Duas horas atrás, eu teria aproveitado a chance para relaxar em seu quarto e assistir a um filme, mas agora que eu estava embriagada e sentia a música no clube, eu não estava deixando Bronagh se sentir confortável o suficiente apenas no caso dela se sentir adormecida e ter que ser levada para casa. ―Tenha uma bebida e relaxe‖, sugeri, inclinando minha vodka com coca em sua direção. ―Isto é divertido!‖ Bronagh me lançou um olhar que iria calar muitas pessoas, mas não a mim. ―Nós temos a escola de manhã, então eu estive passando sobre ter uma bebida‖, disse ela com uma sobrancelha levantada. ―Você deve apenas parar completamente. Caso contrário, você está indo para a morte com uma ressaca quando você acordar.‖ Eu não queria ser lembrada de escola ou qualquer coisa fora de me divertir como adultos. Esta foi a minha primeira vez em um clube e bebendo álcool. Eu não tinha dezoito anos ainda, então eu estava convencida de que eu não estava indo ganhar a entrada para o clube, mas Branna conhecia um dos seguranças. Eu acho que ela o chamou de 'caveira', mas eu esperava que eu tivesse ouvido errado. Uma vez dentro do clube, e as bebidas começaram a fluir, comecei a relaxar, e eu queria Bronagh relaxada também. Nós estaríamos terminando com a escola em poucos meses, e eu sabia que tanto Bronagh e eu


faríamos bem em nossos exames de certificado de conclusão, por isso não precisávamos nos preocupar com eles. As chances de ficar solta assim no futuro eram quase nulas quando começasse a faculdade para seguir a minha paixão na arte, então eu queria me divertir. ―Obrigado, Ma.‖ Eu sopro-lhe um beijo. ―Eu vou manter isso em mente.‖ ―Cadela!‖ Ela disse, me fazendo rir de seu sorriso. Olhei à minha esquerda e vi Branna no colo de Ryder. Eles estavam tão completamente enrolados um no outro que não notaram ninguém ao seu redor. Alec, Damien, e Nico estavam fora em algum lugar do clube, e Kane ainda estava sentado ao lado de Bronagh. Nós não tínhamos falado desde que ele me pediu desculpas ao entrar no clube, e eu estava feliz o suficiente para deixar por isso mesmo esta noite. Ele parecia tão feito com a cena do clube como Bronagh era, e ele obviamente tinha odiado ser cercado por muitas pessoas, mas se recusou a deixar sua atitude gelada passar para mim ou Bronagh. ―Vamos dançar‖, eu gritei para minha amiga. ―Agora mesmo.‖ Eu ri porque eu praticamente a senti suspirar mesmo que eu não pudesse ouvi-la. ―Nem sequer pense sobre dizer não, Bronagh,‖ eu avisei. ―À medida que somos novas amigas, temos de nos relacionar, e dançar ajuda com isso, então vamos lá.‖


Minha amiga gemeu, e eu temia que ela não fosse ceder, então eu usei a única arma no meu arsenal. Meus olhos. Minha mãe sempre me disse que meus olhos seriam a morte dela, porque eles eram grandes, marrons, e tão perigosos quanto um filhote de cachorro. Eu dei a Bronagh meu melhor olhar suplicante, e antes que ela sequer verbalmente tivesse concordado para dançar comigo, eu a vi, então eu estendi minha mão para ela. ―Ok‖, ela grunhiu e agarrou a minha mão. ―Vamos dançar.‖ Jogo, jogo, jogo. Eu aplaudi a vitória, e Bronagh revirou os olhos brincando. ―Estaremos de volta mais tarde‖, eu disse para a mesa. Bronagh olhou para Kane, Branna e Ryder quando eles nos deram a sua atenção. ―Por mais tarde‖, ela disse, ―ela esperançosamente significa após a próxima música.‖ Eu caí na risada, ganhando um grande sorriso de Bronagh. ―Sem chance disso.‖ Eu diabolicamente ―Agora, vamos lá; eu amo essa música!‖

sorri.

Eu não poderia dizer qual a música que estava tocando, mas eu sabia a batida, e isso foi o suficiente para me animar. Dancei com Bronagh até minhas coxas e panturrilhas arderem por excesso de uso. Meus pés, que não eram feitos para saltos altos em


qualquer forma, se sentiram como se estivessem em chamas. Eu tinha certeza que eu tinha ganhado algumas bolhas também, mas eu sabia que se eu levasse meus calcanhares para a pista, eu nunca colocaria novamente, então eu tirei da minha mente. Eu ri até minha garganta doer, e eu joguei para trás bebidas como se fosse negócio de ninguém. Eu queria dizer a Bronagh o quão divertido estava sendo, mas senti uma mão segurando meu braço, e isso me distraiu. A pessoa que teve parte de mim me levou para o meio da multidão para dançar. ―Hey,‖ eu gritei e tentei puxar meu braço livre. ―Solte.‖ Eu olhei para o dono da mão segurando em mim, e quando os olhos cinzentos e um tufo de cabelo branco ficaram claros através do meu olhar ligeiramente bêbado, eu sorri. ―Damien!‖ Concentrei-me sobre ele e descobri que ele estava sorrindo para mim, seus olhos brilhando com diversão. Ele era tão alto, eu tinha que inclinar a cabeça para trás só para olhar para ele. Ele colocou as mãos na minha cintura, e sem uma palavra, ele puxou meu corpo até que eu estava alinhada contra ele, e ele me tirou o fôlego. Eu coloquei minhas mãos em seus ombros largos e mordi meu lábio quando eu rolei meu corpo contra o dele. Eu praticamente senti seu gemido quando suas mãos na minha cintura apertaram minha carne.


Ele disse algo para mim. Eu vi o movimento dos lábios, mas eu não podia ouvi-lo. Eu fiquei na ponta dos pés e gritei, ―Eu não posso ouvi-lo.‖ Ele agarrou minha mão e me levou para fora da pista. Quando ele se virou para mim, eu não tinha ideia do que me possuiu para fazer isso, mas eu estiquei-me na ponta dos pés, coloquei minhas mãos em ambos os lados de seu rosto, e puxei sua cabeça para baixo. Eu me movi, e pressionei meus lábios contra os dele. Damien congelou por um par de segundos, mas então ele ansiosamente respondeu ao meu beijo. Ele passou os braços em volta do meu corpo e me puxou para mais perto que ele poderia me pegar. ―Alannah,‖ Eu o senti dizer contra os meus lábios. Eu me afastei do nosso beijo me sentindo sem fôlego, tonta de emoção, e quente em meu núcleo. ―Isso foi maravilhoso,‖ Eu exalei. ―Eu sabia que seria.‖ Damien olhou para mim antes e agarrou a minha mão mais uma vez e nos levou a dois homens enormes que estavam fora de uma porta. Evitei olhar para ambos os homens, porque eles eram intimidantes. Em vez disso, eu silenciosamente segui Damien quando os homens se separaram e abriram a porta que parecia estar guardando. Nós pisamos em um corredor, e um véu de silêncio desceu um segundo depois que a porta do clube foi fechada. ―Meus ouvidos estão tilintando‖, eu gritei antes de me lembrar que eu não precisava.


Damien olhou para mim e riu, então silenciosamente me levou pelo corredor até a última porta. Quando pisamos em uma sala enorme, a primeira coisa que vi foi uma enorme cama. Minha primeira reação ao ver deveria ter sido a incerteza, mas um impulso de confiança que me impressionou naquele momento, empurrou minhas pernas para se mover em direção à cama. Quando meus joelhos bateram contra ela, me inclinei para frente e corri minha mão sobre o linho. Seda. ―Isso é bom‖, eu cantarolava. ―É tão macio.‖ Eu ouvi uma ingestão aguda da respiração, e uma onda de prazer passou por mim. Eu sabia que meu vestido tinha subido um pouco mais do que o que era decente, e eu sabia em meus ossos que Damien podia ver tudo em exposição. ―Deus me ajude.‖ Fiquei em linha reta e sem fixar meu vestido, eu me virei. ―Você disse alguma coisa?‖ Damien levantou o braço e passou a mão pelo cabelo, e eu percebi que era uma ação que eu queria desesperadamente repetir com minhas próprias mãos. ―Eu disse,‖ ele retumbou, ―Deus me ajude.‖ ―Por que você precisa de ajuda?‖ Eu perguntei estupidamente, inclinando meu ouvido. ―Você não está em apuros.‖


―Pelo contrário.‖ Damien lambeu seu lábio inferior. ―Eu acho que estou em um montão de problemas.‖ Eu segui o movimento da língua com os meus olhos e minha boca secou. ―O problema seria isso?‖ ―Os dedos, amáveis.‖

cabelo

preto,

olhos

castanhos

e

Borboletas explodiram na minha barriga. ―Você acha que eu sou o problema?‖ ―Baby.‖ Damien riu. ―Eu acho que você é a definição do mesmo.‖ Como pode ser? ―Eu acho que você pode ter me confundido com outra pessoa,‖ eu disse, caindo em uma posição sentada na cama quando eu tentei dar um passo atrás. ―Eu nunca estive em apuros em toda minha a vida.‖ ―Não, eu tenho certeza que você não esteve,‖ Damien concordou, seus lábios se contraindo. ―Mas eu acho que você poderia agitar-se muito disso.‖ ―Sim?‖ Questionei. ―Como o quê?‖ ―Gosto de como um beijo tem me feito querer tocá-la de maneiras que nunca fora tocada.‖ Meu coração bateu no meu peito. ―Como você sabe de que forma eu fui tocada?‖ Eu gaguejei. ―Eu já poderia ter sido tocada em cada maneira possível.‖


―Baby‖, disse agitavam-se.

ele

enquanto

suas

bochechas

Senti um rubor queimar seu caminho até meu pescoço enquanto ele reconheceu minha virgindade com uma palavra e um sorriso maldito. ―Tudo bem.‖ Eu lambi meus lábios. ―Ninguém mais me tocou, mas eu me toco muito.‖ O olhar de desejo que Damien me deu enviou arrepios na espinha. ―Por que você não muda a forma e me toca?‖ Seu rosto perdeu todos os vestígios de diversões. ―Tenha cuidado, Sardas‖, alertou. ―Eu acho que nós devemos apenas conversar e falar.‖ ―Eu não quero falar.‖ Eu o interrompi. ―Eu quero te beijar, te tocar... Eu quero... Eu quero ter problemas com você.‖ ―Meu Deus.‖ Ele gemeu e colocou seu rosto entre as mãos. ―Você não é uma menina de apenas sexo, Lana. Você é o tipo de menina de flores, chocolate, noites com carinho, e tipo de relacionamento sério. E eu amo isso sobre você, mas eu não posso te dar isso.‖ Eu fiz uma careta. ―Não olhe para mim desse jeito‖, disse Damien, parecendo perturbado. ―Eu estou tentando fazer o certo por você. Estou tentando me convencer de que você realmente não me quer assim–‖ ―Eu quero.‖ Eu o interrompi mais uma vez. ―Eu sei a sua situação, e eu não sou uma tola. Eu sei que é só


sexo com você, mas eu quero você tanto que eu aceito isso.‖ Lembrei-me de minha conversa anterior com Bronagh. Eu disse que não queria que Damien me quisesse apenas para o sexo, que eu não quero ser outro nome em sua lista de alvos, mas eu tinha um forte desejo de experimentá-lo de qualquer maneira que pudesse. Eu lidaria com as consequências depois. ―Esta foi uma má ideia. Eu não deveria ter trazido você aqui.‖ Ele começou a andar. ―Eu só queria falar com você, mas porra, você parece comestível, e seu cheiro e sabor é tão bom, e tudo o que posso fazer é ficar deste lado da sala.‖ ―Venha até mim,‖ Eu acenava. ―Não pense sobre o depois, pense sobre o agora. Se eu ficar com raiva mais tarde, é culpa minha. Esta é provavelmente uma ideia estúpida, mas eu nunca precisei de alguém como eu preciso de você. Se isso é um erro, deixe-me fazê-lo e aprender com ele.‖ ―Você andou bebendo,‖ Damien disse, sem rodeios. ―Eu provei isso em você.‖ ―Eu estou sóbria como o inferno muito antes que você me dissesse que eu era um problema.‖ ―Você é um problema.‖ ―Prove‖, eu desafiei. Damien deu um passo adiante, então hesitou antes de dizer, ―Vamos apenas relaxar e conversar um pouco. Só... só para ver se é isso que você realmente quer.‖


As palavras saíram pesadamente de sua boca antes de eu me virar e subir na cama, deitando sobre minhas costas. ―O que você está fazendo?‖ ―O que você quer dizer?‖ Eu perguntei, segurando a minha posição. ―Eu estou relaxando.‖ Damien dobrou os braços enormes sobre o peito largo, os cantos dos lábios curvados. ―Você geralmente relaxa em uma cama com suas coxas separadas?‖ Ele perguntou, com um ligeiro toque de riso em seu tom. ―Isto é como eu deito sobre minha cama. É uma espécie de... libertação.‖ Damien baixou o olhar dos meus olhos para minhas coxas separadas. Eu vi o pomo de Adão enquanto ele engolia. Ele rapidamente atravessou a sala, virou as costas para mim, e se sentou na beirada da cama. Sem se virar, ele deu um tapinha no local ao lado dele e disse, ―Venha aqui e fale comigo. Eu quero ouvir a sua voz.‖ Eu praticamente flutuava ao seu lado, e isso fez Damien dar risada. ―O que você quer que eu diga?‖ Eu disse, um pouco sem fôlego. Damien voltou seu olhar em mim, e quando ele olhou nos meus olhos, ele disse, ―Diga qualquer coisa. Eu só quero ouvir sua voz. Eu amo sua voz.‖ Eu senti como se o ar tivesse sido sugado do quarto.


―Você ama?‖ Damien lambeu os lábios. ―Sim, eu ouço sua voz, mesmo quando você não está por perto.‖ Meu coração bateu contra meu peito. ―Você faz?‖ Eu repetidamente concordei por uma razão desconhecida. ―Eu a ouço quando está calmo,‖ disse ele, deixando cair seu olhar para os meus lábios. ―Realmente calmo.‖ Eu preguiçosamente arrasto minha língua em meu lábio inferior, observando os olhos de Damien dilatarem-se enquanto seus olhos seguiam o movimento. ―O que posso digo quando você ouve minha voz?‖ Eu perguntei; minha voz soando cheia de desejo. Damien bufou uma risada. ―Você não quer saber, Sardas.‖ Eu amasso meu rosto em desgosto. ―Por que você me chama assim?‖ Ele levantou a mão, e com o dedo mindinho, ele correu a ponta sobre o nariz e debaixo dos meus olhos. ―Você tem um respingo de sardas bem aqui.‖ ―Se você disser que você acha que elas são bonitas,‖ Eu resmunguei. ―Eu posso golpeá-lo.‖ Damien sorri. ―Bonita não é uma palavra que eu associo a você.‖ Meu pulso disparou. ―Qual palavra você me associa?‖


―Eu tenho algumas‖, respondeu ele, baixando a mão do meu rosto. ―Inteligente, engraçada, trabalhadora... bonita, elegante, sexy como pecado.‖ Eu suspirei. ―Você acha que eu sou engraçada?‖ Damien gargalhada.

quase

instantaneamente

caiu

na

―Claro que sim, você é engraçada.‖ Seus ombros tremiam quando ele riu. ―De todas as palavras que eu disse, você escolheu engraçada.‖ Eu corei. ―Ninguém nunca disse que eu era engraçada antes.‖ ―Bem, você é.‖ Inclinei-me um pouco mais perto dele. ―Você acha que eu sou bonita e elegante?‖ ―E sexy como pecado‖, ele respondeu, com a voz rouca. ―Não é possível esquecer isso.‖ Eu sorri, e ouvi um pequeno gemido chegar à garganta de Damien como se ele estivesse se esforçando para contê-lo. Fiquei na cama e chutei meus calcanhares antes de me virar para encará-lo. Eu gemi e olhei para os meus pés enquanto eu mexia meus dedos dos pés. ―Jesus, é bom para tirar os blocos do inferno fora.‖ ―Blocos do inferno?‖ ―Até que você ande em saltos altos,‖ Em jeito de brincadeira olhei para Damien, ―você nunca vai entender o quanto eles machucam.‖ ―É uma boa coisa que eu sou alto, então.‖


―Hmmm.‖ Eu lambia meu lábio inferior. definitivamente uma boa coisa que você seja alto.‖

―É

―Você está me olhando como se você quisesse se atracar em mim, Sardas.‖ ―Eu quero.‖ Todo o corpo de Damien ficou tenso. Fiquei olhando para ele, e naquele momento, eu tomei a decisão de me dar livremente a ele. Eu não poderia estar querendo mais dele, eu precisava tê-lo. Meu corpo parecia que era um fio vivo de eletricidade. Eu queria que Damien me beijasse e me tocasse mais do que minha próxima respiração. Eu não queria que ele fizesse o primeiro movimento. Eu estava muito consciente dele para permitir que isso acontecesse. Em vez disso, dei um passo adiante, separando suas coxas com os meus joelhos, e me colocando entre elas. ―Alannah, o que você–‖ Eu trouxe a minha boca para baixo em cima dele e peguei o que eu queria desde o primeiro momento que o vi. Levantei minhas mãos, as empurrei em seu cabelo, e quase caí de joelhos com o desejo. Seu cabelo era grosso e macio, estupidamente suave. Emaranhei meus dedos ao redor dos fios e puxei. ―Você está jogando um jogo perigoso comigo, Lana,‖ Damien disse contra meus lábios, sua voz rouca. ―Eu me afastaria se eu fosse você.‖ Ousadia passou por mim. ―Isso soa como um desafio para mim.‖


―Conversando.‖ Damien gemeu em minha boca. ―Nós deveríamos estar conversando.‖ ―Estamos‖, eu respondi, deslizando minha língua sobre seu lábio inferior. ―Nós estamos falando com nossos corpos.‖ Úrsula de A Pequena Sereia disse para ela nunca subestimar a importância da linguagem corporal, e, naquele momento, eu nunca tinha relacionado uma citação da Disney em toda a minha vida. Damien quebrou o nosso beijo quente e olhou para mim, com uma expressão de choque. Ele foi rapidamente substituído por alguém tão cheio de calor e desejo que pelo tempo que ele me puxou contra ele, eu tremia de antecipação. ―Te quero tanto,‖ ele respirou. ―Deus sabe que eu sonhei em te tocar, te beijar, degustar você.‖ Eu tive que trancar meus joelhos juntos para não cair. ―O que você vai fazer em mim se eu deixar você me tocar?‖ Eu perguntei, minha voz cheia de desejo. ―Eu preciso ouvir isso.‖ ―Eu vou te beijar. Agradável e lento até que meus lábios serão tudo o que conhece. Minhas mãos vão explorar cada polegada de você até você conhecer meu toque. Eu te quero tanto, a sensação seria de mim encaixado em você para a vida. Eu faria o seu corpo meu.‖ ―Sim‖, choraminguei. ―Por favor, eu quero isso.‖ Mais do que a minha próxima respiração.


Damien me puxou contra ele e cobriu sua boca com a minha. Ele rosnou contra os meus lábios antes que eles se encontrassem. Enganchando suas mãos em torno de minhas coxas, ele me pegou quando ele se moveu. Engoli em seco em sua boca, agarrando meus braços em volta do pescoço e envolvendo minhas pernas em volta de sua cintura. ―Eu amo o quão alto você é,‖ eu ofegava, puxando para trás para olhar para ele. ―Faz-me sentir pequena.‖ ―Você é tão pequena‖, disse Damien, empurrando meu vestido com uma mão para que ele pudesse pôr a minha mão para trás. Ele tocou seus lábios nos meus mais uma vez, moldando-os juntos como sua língua deslizando para dentro em um beijo tão voraz que causou a minha coluna um arco, o meu coração bater em meu peito, e minha pele lavar com prazer. Meus pensamentos foram espalhados com cada impulso e o deslizar de sua língua, lambendo contra a minha própria. O beijo de Damien foi tão desgastante que eu não sabia onde eu terminava e ele começava. ―Você é tão lindo,‖ eu soltei contra seus lábios. ―E eu amo o seu cabelo. É tão fodidamente bonito e macio. O condicionador que você usa? Na verdade, não importa. Eu amo seu rosto. Meu Deus, eu amo seu rosto. Suas covinhas são estonteantes.‖ Eu senti vibrar uma risada de Damien contra meus lábios antes de beijar a minha mandíbula para o meu pescoço, suaves beijos sobre a minha pele, causando arrepios por todo meu corpo.


―Você não acreditaria nas coisas que eu sonhei fazer com você e você fazendo comigo,‖ Eu ronrono, esperando por Deus, que esteja soando sensual. Damien raspou os dentes sobre o meu ponto doce, e isso causou a minhas costas se curvando em sua direção, que empurrou os meus seios contra ele. Suas mãos sobre meu traseiro me apertaram com força. ―Por que você não me conta em detalhes o que você sonhou que nós estávamos fazendo?‖ Ele perguntou. ―Eu preciso ouvir isso.‖ ―Você usou sua b-boca em mim‖, gaguejei. ―E quando eu pensei que iria me matar, você adicionou os dedos e usou-os para me fazer gritar.‖ Damien levemente mordeu incentivando a continuar.

meu

pescoço,

me

―Sua língua.‖ Eu cantarolava. ―Você lambia e chupava, e me provava toda até que eu estava mole em suas mãos.‖ Eu suguei uma respiração afiada quando Damien de repente virou-se e soltando meus braços e pernas ao redor dele enquanto ele me empurrou de seu corpo para o colchão com um salto. Ele se livrou de sua camisa com um puxão, e me deu um olhar que enviou um arrepio pela minha espinha. ―Você é perfeito‖, eu disse, olhando para ele. ―Porra, você é perfeito.‖ Sua pele bronzeada parecia brilhar na iluminação quando fios de seus cabelos brancos caiam para frente em seus olhos. Ele ergueu a mão para afastá-los, e o


flexionar de seu bíceps fez minhas entranhas apertar com a necessidade. Seus ombros largos estavam implorando para os meus dentes afundarem neles, e as linhas de seus músculos abdominais insultando meus dedos para passar por cima deles. Você não tem ideia do que está fazendo em mim. ―Perfeito?‖ Ele repetiu quando ele agarrou a barra do meu vestido e empurrou-o até a cintura. ―Não, querida, isso seria você.‖ Sem uma única palavra, ele agarrou o topo do meu vestido, puxou as alças para baixo dos meus ombros, e puxou o material para baixo até meus seios nus ficarem livres. Eu não usava um sutiã com o meu vestido – eu não tinha necessidade – e se o gemido de Damien era qualquer coisa perto, ele parecia apreciar isso. Ele deixou meu vestido amontoado na minha cintura e se inclinou para trás em seus calcanhares para que ele pudesse percorrer os olhos em cima de mim. ―Você é impressionante, Lana.‖ Meu corpo cantarolou com prazer quando ele deslizou as mãos para cima das minhas coxas, roçando meu estômago, e achatando-as sobre os meus seios. Ele os segurou, dando-lhes um aperto suave antes que ele corresse os polegares sobre eles endurecidos, sensíveis. A sensação de formigamento desenhou um leve gemido em mim quando o calor entre as minhas pernas, um pulsar incessante crescia a cada toque tentador.


Senti minhas bochechas queimarem quando o olhar fixou no centro de minhas coxas. ―Lace2?‖ Ele questionou, sem olhar para mim. ―Eu gosto muito de l-lingerie.‖ ―Eu também.‖ Damien olhou para mim com fogo em seus olhos. ―Cristo, eu nunca vou receber a imagem de você fora da minha cabeça.‖ Eu não queria que ele fizesse. ―O que você quer fazer para mim?‖ Eu perguntei, minha voz quase um sussurro. Ele lambeu os lábios. ―O que eu queria fazer para você desde o primeiro momento que a vi.‖ ―O que é isso?‖ Eu gritei quando ele agarrou a barra da minha calcinha e a puxou de meu corpo. Se o som de rasgar o tecido era qualquer coisa ir perto, eu diria que ele mesmo as rasgou no processo. Eu mal podia respirar quando minhas coxas se separaram, e Damien trouxe seu rosto para baixo à minha boceta. Ele respirou profundamente, e eu conheci a mortificação naquele momento. ―Damien!‖ Eu chorei e desesperadamente tentei fechar as pernas, mas ele não me deixou. ―Por que você está me cheirando? Oh Deus! Você tem um fetiche estranho ou algo assim?‖ Ele riu, mas não moveu um músculo diferente de quando ele me parou de me contorcer. 2

Marca de lingerie.


―Não‖, ele meditou. ―Eu estou saboreando como você cheira, porque isso é muito bom.‖ Se eu nunca falasse com ele novamente depois disso, seria muito cedo. ―Isto é indecente!‖ Eu disse, todo o meu rosto queimando. ―Você não pode simplesmente... Damien!‖ O primeiro movimento de sua língua quente e molhada foi inesperado, e oh tão deliciosa. ―Santa Maria, Mãe de Deus.‖ ―Ore para quem quiser, Sardas. Ninguém pode salvá-la de mim agora.‖ Dito isso, ele começou a lamber e chupar os lábios da minha boceta, então usou a língua para separá-los. Senti meus olhos revirarem, e era tudo que eu podia fazer para não contrariar meus quadris em sua cara. Sua língua deslizou para cima do rastro de calor até que ele a enrolou em volta do meu clitóris e me presenteou com uma sensação que eu nunca soube que existia. Abaixei-me com a minha mão, enrolando meus dedos em seus cabelos, e fiquei realizada em minha preciosa vida. Ele aplicou pressão quando ele rodou sua língua ao redor do botão sensível, e a ação sugou o ar para fora de mim. Era demais a sensação, muito de uma sensação nova para o meu corpo manusear. Eu não podia ficar parada, então Damien colocou os braços ao redor de minhas coxas e aplicava pressão sobre elas, o que ajudou a me manter no lugar.


―Dame, Dame, Dame, Dame,‖ Eu respirei enquanto minha respiração voltou irregular. ―Oh!‖ Sua resposta foi sacudir a cabeça de um lado para o outro rapidamente, sacudindo sua língua sobre o meu clitóris enquanto ele se movia. Ele enviou choques de êxtase direto pela minha espinha. ―Oh Deus!‖ Eu gritei para a nova sensação de puro desejo que trouxe. ―Oh Deus, oh Deus, oh Deus!‖ Eu gritei por apenas um segundo antes de eu sugar o ar, segurando-o em meus pulmões como o prazer de montagem de repente fizeram minhas coxas tremer em antecipação. Por um segundo, senti uma sensação aguda perto de dor e, em seguida, dormência, antes de uma surra do que eu só poderia descrever como o céu tomou conta de mim. Em seguida, um latejante prazer explodiu através de mim. Meus músculos contraídos em resposta como se estivessem torcendo pela sensação enrolada em torno deles. Soltei a respiração que eu estava segurando quando meus pulmões exigiram que eu fizesse. Eu nem sequer percebi que eu tinha fechado meus olhos, mas eu não conseguia abri-los nem se eu quisesse, por isso não importa mesmo. Meus membros se tornaram negligentes com todos os vestígios de energia, e foi tudo o que eu podia fazer para não cair no sono. ―Você é tão bonita, sardas.‖ A voz asperamente de Damien quando ele separou minhas coxas mais distantes. ―Desculpe-me se isso é desconfortável.‖ Essa foi a única advertência que ele me deu antes de meu interior ficar tenso quando eles foram


esticados e invadidos. Meus olhos se abriram, e um gemido estrangulado passou por meus lábios. Minhas mãos trancaram os braços grossos de Damien quando ele parou dentro de mim, e minhas costas arqueadas quando uma leve pitada de dor cortou através do meu núcleo. ―Vai passar‖, ele sussurrou, sua voz rouca. ―Dê-lhe um segundo.‖ Ele abaixou a cabeça e beijou-me com tanta ternura e carinho que era fácil de concentrar em seus lábios em vez do desconforto. Ele sussurrou palavras de encorajamento contra meus lábios inchados e roçou a ponta do seu nariz contra o meu, então descansou a testa na minha e olhou profundamente em meus olhos. Éramos um naquele momento. Em pouco tempo, eu contorci meus quadris, puxando um gemido aflito de Damien que estava tentando duramente para permanecer imóvel como uma estátua. Eu contorci mais uma vez e apenas senti um pouco de desconforto, mas para minha surpresa, a pitada de dor havia diminuído completamente. O segundo que eu cantarolei, Damien tomou isso como uma luz verde para avançar. Quando ele se retirou lentamente e empurrou de volta, meus músculos apertaram. Não doeu, mas não me senti bem também. ―Relaxa, baby‖, ele respondeu asperamente. ―Você está me apertando como um vício.‖


―Você relaxa!‖ Eu retruquei. ―Ela se sente como um melão sendo empurrado para cima de mim.‖ Damien teve a coragem de rir, e ele prendeu minha atenção, mas quando ele se retirou e empurrou de volta para o meu corpo, eu permiti que minha cabeça caísse para trás contra a cama que eu gemia. Ele caiu em um ritmo, e tomou a minha capacidade de pensar de forma coerente, muito menos falar. ―Cristo‖, Damien respirou quando ele abaixou a cabeça e plantou beijos ao longo do meu pescoço. ―Você se sente incrível.‖ Eu levantei minhas pernas e envolvi-as em torno de seus quadris, enganchando meus tornozelos para bloqueá-los no lugar. Eu não podia controlar quão vocal eu era, especialmente quando cada impulso enviava uma onda de arrepios pelo meu corpo e fez-me com fome para mais. ―Oh!‖ Engoli em seco quando um pingo de prazer enrolado em torno de meus músculos internos. ―Sim,‖ Damien respondeu asperamente. ―Oh!‖ ―Mantenha-se fazendo isso.‖ Eu respirei. mantenha-se fazendo isso!‖

―Oh,

―Eu não conseguiria parar nem se você me pagasse,‖ Damien respondeu, suor caindo em sua testa. Pancadas rápidas e duras substituindo os golpes lentos e suaves. Cavei meus dedos na carne de Damien quando o desejo de morder alguma coisa atingiu. Eu tentei segurar, mas eu não podia. Como


um animal, eu me inclinei para frente e agarrei meus dentes em seu pescoço e mordi. Damien entrou em mim com tanta força em resposta e uma bofetada retumbante ecoou na sala. ―Porra! Uh, yeah! Você vai me arruinar para qualquer outra mulher.‖ Eu malditamente esperava que sim. ―Deus, eu poderia mantê-la para sempre‖, ele passou a dizer, sua voz cheia de paixão. Soltei e pressionei minha testa na dele quando eu engoli. ―Você vai me manter?‖ ―Sim.‖ Ele ofegou, empurrando o meu rosto com a seu. ―Deus, sim. Você é minha.‖ Meu coração batia com prazer e um enorme sorriso ultrapassou meu rosto. Ele foi rapidamente apagado quando escaldante propagação de calor pelo meu corpo como manteiga, causando arrepios a sair na minha pele. Minha boca se abriu de repente num grito silencioso quando um estrondo começou em meu núcleo e manteve até uma explosão de luz de dentro de mim. O prazer que começou a ondular através do meu corpo enviou pequenos espasmos rolando pelas minhas pernas e me deixou tremendo. Quando voltei a mim, eu estava repetindo o nome de Damien. ―Sim, sim‖, ele ofegava enquanto as minhas paredes internas cerradas em torno dele. ―Você promete manter-me?‖, Perguntei como ele bombeado mais forte, mais rápido, mais profundo.


―Sim‖, ele quase gritou. ―Eu prometo. Lana!‖ Seus movimentos tornaram-se frenéticos então, e assim como seus impulsos desacelerou e virou-se para contrações musculares, eu assisti as sensações ultrapassarem o seu corpo e jogar fora como um filme em seu rosto bonito. Seus olhos fechados, ele mordeu o lábio inferior; seu rosto corado uma máscara bonita de rosa, as sobrancelhas franzidas, e seus músculos tensos. Mais ou menos dez segundos depois, foi como se cada gota de tensão que tinha trabalhado o seu caminho para o seu rosto derreteu e se espalhou por seu corpo como uma massagem profunda. Foi o único aviso que eu tive antes que ele caísse para a frente. ―Damien!‖ Eu ri quando o ar foi batido fora de mim. Todo o seu peso estava sobre mim, e enquanto eu adorei, foi demais para o meu peito segurar. Eu o cutuquei, e ele gemeu quando ele usou os cotovelos para sustentar a si mesmo, tomando a maior parte de seu peso de cima de mim. ―Oi.‖ Eu sorri para ele. Minha mente, corpo e coração foram estavam tão feliz que nada poderia ter arruinado o momento. ―Eu não quis dizer isso‖, disse Damien, seus olhos piscando com... terror. Exceto aquilo. ―Dizer o quê?‖ ―Essa coisa‖, disse ele, limpando a garganta. ―Sobre mantê-la.‖


A sensação de enjoo começou a se formar na boca do estômago. ―Damien,‖ eu sussurrei. ―Você não pode dizer isso enquanto você ainda está dentro de mim!‖ Ele olhou para os nossos corpos ainda conectados e rapidamente saiu de mim. Eu estremeci, e ele se desculpou. Eu estava deitada sobre os lençóis, então eu não tinha nada para me cobrir, exceto minhas mãos. Damien eliminou o preservativo agora usado. Eu nem sabia onde ele jogaria fora quando começou a vestir-se numa velocidade chocante. Começando a entrar em pânico, eu senti que deveria fazer o mesmo, então me juntei a ele na fixação meu vestido até que estávamos vestindo e olhando como fizemos quando entramos na sala - um pouco menos juntos. ―Eu não entendo o que está acontecendo,‖ eu disse como eu deslizei meus pés de volta em meus saltos altos, eles gritaram em protesto. ―Você está bem?‖ ―Eu não deveria ter dito isso , merda.‖ Me bater doeria menos. Eu vacilei. ―Não diga isso.‖ ―Eu tenho, caso contrário, você vai acreditar.‖ ―E daí? Eu não estou acreditando que você disse que iria manter-me?‖ ―Alannah, eu teria concordado com qualquer coisa nesse ponto durante o sexo‖, disse ele, sem rodeios. ―Eu não poderia ajudá-la. Minha mente e corpo foram focadas na sensação, e minha voz assumiu um papel de seu próprio país.‖


Eu senti como se fosse vomitar. ―Você está arruinando isso!‖ Eu disse,baixo com lábios tremendo . ―Você está arruinando tudo sobre minha primeira vez. Por que você está fazendo isso comigo?‖ O rosto de Damien empalideceu. ―Sinto muito, mas eu não vou mentir para você.‖ ―Qual é a mentira?‖ ―Quando eu prometi mantê-la.‖ Senti meus olhos com lágrimas. ―Damien,‖ eu sussurrei. ―Não é que eu não posso mantê-la, Lana. É que eu não quero.‖ Ele não podia me olhar nos olhos enquanto falava as palavras que eu sabia que nunca iria esquecer. A força disso me fez tropeçar para trás alguns passos como se ele tivesse me atingido. Eu provavelmente não tinha o direito de me sentir traída, mas eu senti, e doeu mais do que eu gostaria de admitir. ―Eu estou indo me l-limpar‖, gaguejei, tentando segurar as lágrimas que eu queria derramar. ―Não.‖ Damien franziu a testa. ―Por favor, temos que falar sobre isso. O que eu quero dizer é-‖ ―Eu não acho que nada que você tem a dizer vai me fazer sentir melhor.‖ Eu o interrompi, tentando o meu melhor para manter minhas emoções sob controle. ―Alannah-‖


―Está bem.‖ ―Foda, não!‖, ele respondeu. ―Eu sabia que isso era uma má ideia. Basta olhar quão chateada você está! É por isso que eu tentei ficar longe de você. Você é uma boa menina, e eu sabia que você ia deixar que suas emoções tomassem o centro do palco. Isto foi um erro!‖ Suas palavras eram a verdade, e eu acho que foi por isso que me doeu tanto. ―Você estava certo. Este foi um erro, mas eu fiz isso.‖ Eu engoli. ―E eu vou aprender com ele também.‖ Damien chegou para mim, mas eu me movi mais longe dele e me dirigi para a porta que assumi ser um banheiro. ―Eu não quero falar mais com você, Damien,‖ eu disse enquanto abria a porta. ―Apenas... Vá embora. Por favor.‖ Eu nunca mais vou falar com ele novamente. ―Lana‖. ―Alannah‖, eu disse, meu domínio sobre o aperto da maçaneta da porta. ―Meu nome é Alannah‖. Entrei no banheiro, fechei a porta atrás de mim, e tranquei-a. Entorpecida, eu me aliviei e limpei o melhor que pude com pequenos pedaços de papel de seda. A evidência de sangue reconfirmou que Damien tinha acabado de tomar minha virgindade, e trouxe um gosto amargo na minha boca. Em vez de deixar o banheiro, eu inclinei minhas costas contra a parede e deslizei até meu traseiro bater no chão.


Eu não tinha certeza quanto tempo fiquei sentada lá, mas foi tempo suficiente para que as lágrimas que corriam dos meus olhos salpicassem em meu rosto e secarem. Entre as minhas coxas me senti estranha como uma ternura doce que eu não conseguia afastar. Eu pensei ter ouvido vozes alteradas, e quando ouvi uma batida na porta, eu vacilei. ―Lana?‖ Eu ouvi meu nome mansamente. ―sou eu. Posso entrar?‖

sendo

falado

Bronagh. Eu estava de pé, fui até a porta, abri e, em seguida, sentei-me na tampa fechada do vaso sanitário. Bronagh entrou no banheiro e rapidamente fechou e trancou a porta atrás dela. Ela tirou os saltos, abaixou-se de joelhos, e, em seguida, estendeu a mão e me envolveu em um abraço apertado. Quando eu coloquei meus braços em torno dela, eu liberei um soluço atado de dor. Naquele momento, eu estava magoada e mortificada. Eu percebi que tinha me jogado em Damien como se eu não tivesse vergonha, e agora, a vergonha era tudo o que me enchia. Eu não poderia começar a formar as palavras para dizer a Bronagh como me comportei por medo de que ela iria me julgar, então eu mantive minha boca fechada. ―Está tudo bem, Lana. Você é forte e não vai deixar um irritante pau americano te derrubar, certo?‖ Eu consegui um ronco quando a puxei para trás do nosso abraço. Eu agarrei algum papel para limpar o


ranho do meu nariz. Eu era uma bagunça, e eu sabia que parecia tão ruim quanto eu me sentia. ―Você sabe uma coisa?‖ Eu funguei. ―Eu sei que Nico é a sua cara, mas eu achava que ele era o espinhoso e Damien fosse o agradável. Eu estava tão errada. Nico é honesto e sempre foi ele mesmo, você gosta dele ou o odeia. Damien, embora... ele é como uma cobra em forma humana. Eu o odeio‖. Eu não poderia criticar Damien por que tivemos sexo, mas as mentiras que ele expeliu durante e a desculpa de merda que ele tinha para dizer depois me irritou. ―Se isso faz você se sentir melhor,‖ Bronagh interrompeu. ―Dominic é realmente um idiota, eu tive uma grande briga com ele antes de eu vir aqui‖. Eu comecei a rir através das minhas lágrimas, mas eu fiz uma careta quando Bronagh sentou-se sobre ela para trás e estremeceu com o contato. Foi um lembrete de que ela não era mais virgem, mas sua primeira vez tinha sido mágica, enquanto a minha tinha a magia sugada de min dez segundos após o término. ―Eu só percebi que nós duas perdemos a nossa virgindade esta noite para os gêmeos.‖ ―Bem ... pelo menos podemos estar doloridas e odiálos juntas.‖ Eu ainda estava tão chateada que nem sequer começava a cobri-lo, mas eu ri da piada de Bronagh, e o som despreocupado ajudou um pouquinho. Mesmo com minha amiga ao meu lado me fazendo rir, eu não


podia ajudar, mas sentia como uma camada de pedra tivesse selado sobre o meu coração. Eu silenciosamente prometi que eu nunca iria me colocar voluntariamente em uma situação onde eu sentiria dor como essa novamente. Engane-me uma vez, vergonha por você; Engana-me duas vezes, vergonha de mim. Eu chamei o nome de Bronagh quando o silêncio que nos rodeia foi arrancado, e um barulho batendo alto podiam ser ouvidos do lado de fora. Eu não sei como eu sabia, mas eu sabia que Damien tinha saído da sala com a porta aberta e fugiu pelo corredor de volta para o clube. Ficando tão longe de mim como podia. O covarde. Bronagh olhou para mim quando falei. ―Sim?‖ ―Você está pronta para voltar lá para fora?‖ Eu interroguei. ―Eu posso ouvir 'Rampage' sendo aplaudido agora que eles pararam a música para a luta.‖ As coisas eram um borrão de atividade quando Bronagh saltou para seus pés, coloque os calcanhares de volta, e me puxou para fora do quarto e de volta pelo corredor para o clube. Corpos de todas as formas e tamanhos lotados em torno da plataforma onde Nico e outro lutador estavam. Não conseguia me concentrar com o barulho e o mar de pessoas que me cercavam, então quando Bronagh rompeu por entre a multidão para chegar a Nico depois que ele ganhou a luta, fiquei tempo suficiente para abraçá-la, quando ela voltou


para o meu lado. O segundo que ela se tornou focada em Nico, eu escorreguei para longe dela e sai do clube. Quando cheguei lá fora, ninguém estava por perto, nem mesmo o segurança que nos tinham concedido entrada no clube antes. Eu estava feliz por ter a solidão de um momento para que eu pudesse tentar envolver minha cabeça em torno do que aconteceu. Sentei-me no meio-fio e lutei contra um novo lote de lágrimas. Isso é um desastre. Nunca ia ser um 'Damien e Alannah' do jeito que eu queria, e ele fez certo. Não, nós não tornamos nada claro do que isso. Ele tirou a minha virgindade, mas eu fui a única que praticamente implorou para levá-lo. Para isso, eu não tinha ninguém para culpar, mas eu mesmo... E meus hormônios esquecido por Deus. Damien perseguindo nossa intimidade com ilusões ou mentiras revestidas em bonitas palavras, até que ele conseguiu o que queria. Antes disso, ele disse que não queria um relacionamento, ele só queria sexo, e para me sentir tão quebrada sobre ele manter sua palavra, era tola. No fundo da minha mente, eu silenciosamente esperava que uma vez que fizemos sexo, Damien iria querer estar comigo. Se isso não fosse o equívoco mais idiota enchendo a cabeça dos adolescentes ao redor do mundo, então eu não sabia o que era. A dor em meu peito era nada como eu nunca tinha sentido antes, e eu não sabia como lidar com ele. Eu precisava de Bronagh. Eu precisava da minha amiga. Eu ouvi um barulho atrás de mim, e eu não sabia por


que, mas porque eu pensei em Bronagh, eu só assumi que seria ela. Eu queria olhar em volta, mas um súbito caso de tontura me atingiu, e eu tinha dificuldade em permanecer na posição vertical. Apenas quando eu pensei que a minha cabeça e visão estavam limpas, senti uma pancada forte na parte de trás da minha cabeça como se alguém tivesse me batido, e foi seguido pelo meu corpo caindo para trás. Não doeu, e a primeira coisa que pensei foi que se alguém não tivesse me atingido, em seguida, eu estava passando, porque eu tinha bebido álcool pela primeira vez. Imaginei que minha montanha russa emocional tinha empurrado o meu corpo em modo de estresse, e, como resultado, minha mente simplesmente desligou. Eu estava feliz por isso. Fiquei feliz quando me vi diante da escuridão porque, no momento atual, a escuridão era uma visão mais acolhedora do que o pensamento de Damien Slater. Mas eu não estava certa que era paz. Antes que eu perdesse completamente a consciência, a última coisa que ouvi foi suas palavras. Não é que eu não posso mantê-lo, Lana; É que eu não quero. Damien não me queria, mas o que mais doía era que eu sabia que no fundo, eu sempre ia querer ele, não importa o que aconteceu entre nós. Eu nunca deixaria que ele ou qualquer outra pessoa soubesse isso, no entanto. Damien poderia ter me machucado, mas eu nunca iria dar-lhe a oportunidade de fazê-lo novamente.


Ele disse que nĂŁo me queria, e durante o tempo que eu vivesse, eu nunca esqueceria.


Dias de hoje... Acordei com um sobressalto. Eu me atirei em pé e coloquei a mão no meu peito, sentindo meu coração bater no meu peito enquanto ele batia de forma irregular. Minha respiração era irregular, e em vez de acordar de um sonho, parecia que eu tinha acabado de completar uma maratona. Fechei os olhos e tentei desesperadamente me acalmar sem sucesso. Eu odiava quando as lágrimas de repente brotaram nos meus olhos, e eu não poderia impedi-las de derramar sobre as abas e espirrando em minhas bochechas em grandes gotas. Eu funguei e descuidadamente as enxuguei com as costas da minha mão. Levantei meus joelhos no meu peito e enganchei os braços ao redor, abraçando-os com força. Mesmo no sono, eu era miserável. Tanto a minha vida profissional e a vida pessoal da família estavam caindo aos pedaços em torno de mim, e parecia que tudo o que fiz para parar o desastre de golpear só foi adicionando combustível para o fogo e destruindo tudo que me preocupava mais rápido. No momento, minha vida pessoal estava em frangalhos e tomou o centro do palco.


Quase todas as noites nos últimos meses, eu revivia a noite que eu perdi minha virgindade em detalhe. Eu não tinha sonhado sobre aquela noite em um longo tempo, mas o aparecimento recente de volta na minha vida parecia trazer tudo caindo de volta para baixo em cima de mim como uma avalanche de emoções que eu não podia escapar. Fechei os olhos, e como de costume, cada pensamento ligado a ele. Damien Slater. Eu não queria pensar sobre ele, mas parecia que eu não tinha escolha no assunto, porque minha mente sempre chegava até ele. Para ser tão obcecada sobre o menino que quebrou meu coração na escola secundária era patético, e eu sabia que era, mas eu não conseguia superar isso, não importa o quão duro eu tentasse. Eu tinha aceitado isso, é claro, mas eu nunca poderia superar a dor que eu senti quando eu pensava sobre ele e o que aconteceu entre nós. Abri os olhos e fiz uma careta para mim, como sempre, quando eu percebi o quão idiota eu era. Eu tinha perdido a conta das vezes que eu queria voltar no tempo e me dar um tapa por tomar a decisão estúpida que estragou tudo. Eu fechei meus olhos mais uma vez, me inclinei contra a minha cabeceira e cerrei os dentes quando o rosto bonito de Damien passou pela minha mente. O bastardo estava me assombrando. Metade do tempo, eu não sabia por onde começar quando eu pensava nele. Ele esteve na minha vida por


um curto espaço de tempo, mas ele teve um impacto tão significativo sobre ele. Meu envolvimento com ele moldou a mulher que tinha me tornado. Tanto quanto eu odiava a dar-lhe qualquer crédito, ele foi a razão pela qual eu nunca deixaria outra pessoa obter intimamente perto de mim. Foi por causa dele que eu construí os muros altos ao redor do meu coração machucado. Eu não tinha sido sempre tão reservada, embora. Por muito tempo depois que ele me deixou, deixou o país o, pensamentos dele me consumindo até que eu tinha certeza de que tudo o que restava era poças de lágrimas. Aquele garoto ... não, aquele homem ... quebrou meu coração, e eu deixei-o fazer isso. Não só eu o deixei me arruinar, mas eu também praticamente implorei-lhe para fazê-lo. Minha paixão adolescente com ele foi muito além de um primeiro desgosto, porque antes de nós nos tornarmos íntimos, eu me importava com ele mais profundamente do que um novo amigo deve ter. Eu vi o melhor em Damien, mesmo quando ele não via em si mesmo. Cinco anos e meio atrás, eu dei meu coração e corpo para o novo mulherengo da escola, e quando ele rejeitou o meu coração e só aceitou o meu corpo, eu não deveria ter ficado surpreendida, mas eu estava. Eu estava devastada. Eu senti como se estivesse enganada fora de uma primeira experiência sexual mágica porque Damien se tornou uma pessoa completamente diferente depois que tivemos sexo e não permaneceu o menino doce que prometeu manter-


me quando eu lhe pedi. As palavras que ele falou eram mentiras atadas em torno de paixão ardente. Mentiras. Mentiras. Mentiras. ―Garota estúpida,‖ Eu me xinguei. Eu empurrei meu lençol para longe do meu corpo e fiquei de pé. Esfregando os olhos cansados enquanto eu andava para a frente. Acabei andando de cabeça em meu guarda-roupa quando eu julguei mal a localização da porta do meu quarto. Eu assobiei de dor quando mudei meus dedos dos meus olhos para o local agora latejante na minha testa. Olhei por cima do meu ombro, e através da escuridão, eu olhei para a porta do quarto entreaberta. O layout do meu novo apartamento ainda estava me tomando algum tempo para acostumar. Eu tinha recentemente me mudado para um espaçoso apartamento de dois quartos em Upton graças a uma de minhas melhores amigas, Aideen Collins. Eu tinha mencionado a ela que eu precisava sair do meu antigo apartamento devido a um aumento de renda ridícula, e ela me disse que um apartamento recém-mobilado estava disponível em seu prédio pelo o mesmo preço que eu sempre tinha pago no aluguel. Eu não podia acreditar na minha sorte quando eu descobri que tinha dois grandes quartos em vez de um quarto individual e uma sala de estar separada e cozinha que foram mais de generoso em tamanho. Os móveis eram impressionantes também. Eu praticamente saltei para o agente imobiliário que me mostrou ao redor e disse a ela que ia levá-lo.


Isso foi há um mês, e eu ainda estava me batendo em coisas durante a noite. Eu coloquei para baixo para meus recorrentes sonhos, não, não sonhos, pesadelos e simplesmente esperava que eles iriam parar; caso contrário, meus amigos iriam começar a pensar que eu estava secretamente apanhando se contusões frescas mantivessem aparecendo no meu rosto. Eu poderia dizer ―eu entrei no meu guarda-roupa‖ apenas tantas vezes antes que eles suspeitassem. Deixei o meu quarto, e me dirigi para o banheiro onde me aliviei. Depois eu lavei e sequei minhas mãos, ouvi um ping vindo de meu quarto. O som tinha-me franzindo as sobrancelhas enquanto eu caminhava até a minha mesa de cabeceira. Peguei meu celular, tirei o fio do carregador de sua base, e apertei o botão home. Suspirei quando eu vi que eu tinha recebido um texto, um texto de uma pessoa que eu não queria falar. Dante Collins. Eu toquei a tela para abrir a mensagem e revirei os olhos quando eu li o texto. Booty Call?3 Pela primeira vez em dias, eu bati responder a uma mensagem. Não, obrigado. Nossas 'chamadas Booty' tornaram-se um problema. O problema é que todos os meus amigos e Damien agora sabiam sobre um relacionamento que eu queria ter mantido em sigilo. Eu suspirei, sentando ao lado da minha cama, e mantive meu olhar abatido. Uma 3

Depende do contexto mas pode ser rapidinha / ficada / sexo casual


semana atrás, eu só estava lidando com drama familiar, mas agora, eu tive que adicionar amigo de foda e drama ex amante à mistura. Eu nunca pensei que eu ia de bom grado ser atormentada com apenas a culpa de saber que meu pai estava tendo um caso e não fazer nada sobre isso, mas lidar com isso e agora o drama com Damien e meus amigos me fez querer ir para a cama e ficar lá para sempre. Deitei-me no meu colchão, olhando para o teto, e voltei a pensar sobre uma semana atrás.


Começando como qualquer outro dia, eu acordei, tomei café da manhã, e, em seguida, passei a maior parte do dia sacudindo e para trás entre esboço, pintura e concepção de um site para um cliente. O meu trabalho tinha sido a única fuga da minha vida como de tarde, então eu tendia a mergulhar nele o mais rápido que podia, especialmente com o conhecimento do caso secreto do meu pai. Eu estava fazendo um bom trabalho de bloquear tudo para fora quando Bronagh me enviou uma mensagem de texto e me pediu para sair com ela e Georgie. Passamos a manhã juntas, e como de costume, nos divertimos. Tudo deu errado quando paramos pela casa de Ryder e Branna na hora do almoço. Damien estava lá, e ele estava em seu habitual amigável. No entanto, o meu passado com ele me fez suspeitar do comportamento amigável. Ele estava tentando comigo. Eu sabia que ele estava tentando, mas eu não sabia o que ele estava tentando. Ele poderia realmente só querer ser meu amigo, mas na parte de trás da minha mente, eu me lembrei que a última vez que ele queria simplesmente ser 'apenas meu amigo', eu fiquei com o coração partido e humilhado para arrancar. Por essa razão, eu o mantive no comprimento do braço. Se ele andou em um quarto, eu andei fora dele. Se ele iniciou


uma conversa comigo, eu educadamente pararia. Se ele olhou para mim, eu fiz um ponto em desviar o olhar e ignorá-lo. Eu vinha fazendo isso desde que ele voltou para casa mais de um ano atrás, mas naquele dia, algo em minha atitude em relação a ele mudou. Ele me convidou para sair para o almoço, e de repente eu senti como se meu relacionamento pessoal com Dante era um laço em volta do meu pescoço. Era uma sensação estranha, mas eu senti como Damien tinha o direito de saber que eu não estava disponível. Não porque Dante e eu estávamos em um relacionamento amigos-com-benefícios, mas porque eu não quero que ele tenha a falsa esperança de que algo pode desenvolver entre nós. Não que ele tivesse qualquer esperança em tudo ou queria outra coisa senão uma amizade real, mas eu queria ser tão aberta com ele como ele sempre esteve comigo. Eu sabia que ele não iria ignorar o aviso como tolamente eu tive. “Como você vai chegar lá?” Aideen tinha me perguntado quando eu disse a ela sobre o meu encontro para entrevistar um assistente potencial para o meu negócio de design gráfico. "Eu sei que o seu carro está na garagem da minha família para consertar uma bomba de diesel." “Eu estava pensando em andar.” “Eu posso deixá-la,” Damien ofereceu, endireitandose de brincar com as crianças. “Ry e eu não precisamos estar de volta ao trabalho por uma hora e trinta minutos.”


Eu estava hesitante. “Eu não quero ser um incômodo.” “Você nunca é um incômodo”, disse Damien, as bochechas queimando com um pouco de calor. “Podemos obter almoço ou alguma coisa depois de sua entrevista, se você não está ocupada?” Pense. Pense. Pense “Eu não posso.” “Por que não?”, Perguntou Damien, atravessando a sala, franzindo a testa. Eu evitei olhar na direção de Aideen, sabendo que o que eu estava prestes a dizer iria fazer ele desistir. “Eu estou vendo alguém.” Todos ficaram mortalmente silenciosos, até mesmo as crianças; era como se soubessem que algo estava acontecendo. “Quem?”, Perguntou Bronagh primeiro. “Sim,” Damien disse, sua voz surpreendentemente baixa. “Quem?” “Não importa quem” "É muito bom!" Bronagh me interrompeu. Olhei para o minha amiga. “Eu estava indo pra te dizer, eu prometo, mas eu sabia que você ia dizer a Aideen, e eu não queria um grande negócio sendo feito.” “Por que ela me diria?” Aideen questionou com as sobrancelhas franzidas. “E por que eu iria fazer um grande negócio dele?” Eu gemi e coloquei meu rosto em minhas mãos. “Oh, meu Deus!” Bronagh de repente engasgou. “É um dos 'irmãos, não é?” “O quê?”, Perguntou Aideen, os olhos arregalados. “Você está saindo com um dos meus irmãos?”


Olhei para cima e, em vez de olhar para Aideen, eu olhei para Damien quando eu disse, “Sim”. Damien fechou os punhos. “Qual Collins?” Engoli. “Dante”. Meu peito se apertou com a dor quando vi a dor nos olhos cinzas de Damien. “Eu tenho que ir”, disse ele e virou-se para sair da sala. Por instinto, eu agarrei o braço dele. “Espere. Olha, nós precisamos conversar.” “Não”, Damien disse e tirou minha mão de seu braço. “Nós não.” “Por favor, eu não sei por que eu trouxe isso, mas temos que tentar-” “Eu tentei com você.” Ele me cortou com raiva. “Eu tentei ser paciente. Tentei mostrar-lhe como estou arrependido pelo que fiz a você. Eu tentei fazer amizade com você. Tentei dar-lhe espaço ... Tentei mostrar o quanto eu me preocupo com você, mas você não me quer. Eu vejo isso agora “. “Damien-” “Não, Alannah,” ele me cortou. “Você está com Dante Collins, e eu estou feito.” “Não é um relacionamento,” eu soltei. “Nós não estamos namorando. Ele é apenas ... “. “O que diabos isso significa?” Aideen furiosamente estalou. Eu não olhei para longe das costas de Damien. “Ele me ajudou a superar você” “Ao estar embaixo dele?”, Ele retrucou.


Eu estremeci. “Isso não é justo, Damien. Você estava fora por tanto tempo, e nós não estávamos em boas condições.” “Deixei a cidade por você!” Damien gritou quando ele se virou para me encarar. “Quando eu percebi o quanto eu te machuquei, quando Bronagh me disse as coisas que ninguém mais o faria, eu tomei a decisão de ir embora para melhorar a mim mesmo, mas também para dar-lhe tempo. Eu não sabia como fazer as coisas direito naquela época, mas eu estava sempre voltando para você, Alannah. Eu iria resolver tudo, mas você fez isso tão difícil.” Um nó se formou na minha garganta. “Eu ... eu não sabia.” Damien balançou a cabeça. “Eu tenho que ir.” Ele se virou e saiu da cozinha, mas eu o segui rapidamente, enquanto todos os outros ficaram enraizadas para o seu lugar. “Damien, por favor”, implorei, agarrando o braço dele novamente. Eu podia ouvir as crianças começando a chorar, muito provavelmente de toda a gritaria. “Vamos lá, Lana,” Damien respondeu, seu tom baixo. “Não”, eu disse. “Nós precisamos conversar.” “O que precisamos fazer é estar longe um do outro,” Damien respondeu. “Vá para Dante; Tenho certeza que ele vai ser mais do que feliz para consolá-la.” “Damien, pare. Você não quer dizer isso.” “Alannah. Deixei. Ir.” “Não, eu não vou.”


Ele virou a cabeça em minha direção e olhou para mim. Eu ainda podia ver a dor em seus olhos, mas havia raiva lá, também. “Por que você quer falar de repente?” Damien perguntou depois de alguns momentos de olhar tenso. “Por que não nas milhares o de vezes que eu pedi?” “Porque eu estou pronta para lidar com tudo isso.” “Tomou-lhe tempo suficiente!” “Não seja desagradável,” Eu bati de volta. “Nada disso é minha culpa. Eu sou a única que ficou ferida e envergonhada e carregando isso em torno de anos, e não você “. “Não eu?” Damien gritou. “Eu já levei isso em torno, desde o segundo em que eu te fiz mal, e eu porra sei disso. Eu sei o que eu fiz, e eu tentei fazer tudo certo, mas eu não posso. Você fez isso impossível.” “Como?” “Por estar com ele!” Damien gritou. “Eu não toquei ninguém desde que eu toquei em você. Eu não beijei ninguém desde que eu te beijei. Eu não olhei para outra mulher desde que eu estava transando com você com dezoito anos, mas isso termina hoje à noite. Se você seguiu em frente, eu também posso.” Eu senti meu queixo cair com o choque na admissão de Damien, e meu coração batia contra o meu peito, mas suas últimas palavras prenderam minha atenção. “Tudo bem”, eu gritei, mas minha voz rachou ainda que levemente, indicando que eu ia chorar. "Vá comer alguma cadela porque eu não vou estar aqui quando você voltar. Você diz que está feito? Bem, eu também estou! "


Damien riu sem graça. "Você terminou comigo há anos e você sabe disso!" Eu esfreguei meu rosto com as mãos, revivendo a nossa luta de alguns dias atrás que ainda parecia muito recente para processar. Damien sem humor riu. “Você terminou comigo há anos, e você sabe disso!” Depois que Damien me convidou para sair para o almoço, eu lhe disse que não podia sair com ele porque eu estava vendo alguém, e quando eu revelei que era Dante, eu não me importava que Aideen tinha reagido mal à notícia, eu só me importei como Damien reagiu. Ele reagiu pior do que eu jamais poderia ter imaginado, e eu reagi com medo quando ele se afastou de mim. Eu tentei dizer a mim mesma que eu queria que ele se afastasse de mim, eu queria que ele terminasse de tentar salvar algum tipo de vínculo entre nós, mas quando ele fez exatamente essas coisas, entrei em pânico. Ele tentou falar comigo por meses sobre o que aconteceu entre nós, mas eu parei o a cada vez. E quando ele se afastou de mim, eu não estava surpresa que de repente eu estava pronta para falar. Ele tinha mudado de ideia, embora; ele não queria falar comigo ou ter nada a ver comigo. Ele só jogou Dante de volta na minha cara, me disse que ele tinha acabado comigo, e se afastou. Depois, eu fui imediatamente para casa e passei o resto do dia chorando por Damien.


Algo que eu jurei há muito tempo que nunca faria novamente. Eu sabia que não tinha feito nada de errado. Eu era uma mulher solteira que poderia ter um relacionamento com quem eu quisesse, mas por alguma razão, toda a situação deixou um gosto ruim na minha boca. Não porque eu estava com vergonha de ficar com Dante, mas por causa de sua conexão com o grupo. Ele era o irmão mais velho de minha amiga, ele era o futuro cunhado de Kane, e ele era o colega de trabalho de Damien e Ryder na C.A.R reparação automóvel-Collins Auto. Eu não queria que as coisas fossem estranhas com Aideen, e eu estava com medo de que elas ficassem sabendo que eu estava dormindo com o irmão mais velho dela. Damien e Dante tinham a certeza de bater de cabeça no trabalho também. Eles nunca gostaram um do outro muito antes de começarem a trabalhar juntos graças a uma grande briga que os irmãos Slater e Collins tiveram alguns anos atrás, então qualquer esperança deles subitamente se tornando melhores amigos depois que Damien reagiu ao me ver dormir com Dante, isso estava fora da mesa. ―Tudo está tão confuso‖, eu disse para a sala vazia. Eu senti como se estivesse sendo punida quando eu só queria não me sentir tão sozinha. Dante era a única outra pessoa na terra verde de Deus que eu tinha sido íntima desde Damien, mas ao contrário de Damien, eu fiz certo de não formar um vínculo emocional com ele. Antes, depois ou durante o


sexo. Foi só por isso que eu nunca tinha beijado Dante, nem mesmo acidentalmente. Ele sabia que o beijo era um disjuntor de negócio para mim e ficou mais do que feliz em cumprir essa regra se isso significava que poderia se emaranhar entre os meus lençóis um par de vezes por mês. Dante brincou sobre eu estar 'usando' ele de vez em quando, mas sabia que ele estava contente com nosso acordo. Ele nunca empurrou para mais do que eu ofereci, e eu nunca ofereci mais do que eu queria, e isso tinha dado certo para nós. Até agora. Sentei-me e olhei para o meu telefone quando ele apitou. Que tipo de problema? Suspirei. O tipo de problema que nos faz voltar a ser apenas amigos. Quase dez segundos se passaram antes que meu telefone tocasse e uma rápida olhada na minha tela me mostrou que era Dante chamando. Com um gemido e uma sacudida de minha cabeça, eu respondi o meu telefone, coloquei-o contra a minha orelha, e deitei-me. ―Oi.‖ ―Você realmente respondeu. Eu tenho tentado entrar em contato com você por dias ―. Eu fiz uma careta. ―Me desculpe, eu não queria falar com ninguém.‖ ―Babe, fale comigo.‖


Meus lábios tremeram. ―Eu não estou fazendo sexo por telefone com você.‖ Dante soltou uma risada. ―Isso seria estranho, já que agora estamos apenas sendo amigos. Quero dizer, nós somos apenas amigos agora, certo?‖ ―Sim‖, eu murmurei. ―Eu vou precisar de toda a coragem que eu possa reunir para enfrentar Aideen agora que ela sabe. Eu acho que eu morreria por completo, se nós continuássemos como estávamos e ela confrontar-nos sobre isso.‖ ―Alannah‖. Dante riu. ―Aideen é minha irmã, ela não tem nenhuma palavra a dizer com quem eu tenho relações sexuais. Mesmo que ela seja a mais velha, ela ainda não tem nenhuma palavra. Eu sou um adulto.‖ ―Isso é uma resposta fraternal típica‖, eu disse com um rolar de meus olhos. "Ela não se importa que tenhamos feito sexo; ela se importa com o fato de termos feito isso por trás. Ela é uma das minhas amigas mais íntimas, Dante, e ela está sofrendo porque eu basicamente menti." ―Como você sabe que ela está chateada?‖, Ele questionou. ―Eu vi ontem, e ela não parecia louca para mim.‖ ―Será que ela falou com você?‖ ―Bem não.‖ ―Olhou para você?‖ ―Por uma fração de segundo ... talvez.‖


"Exatamente. Eu vi isso no seu rosto quando disse à Damien que estava dormindo com você", resmunguei. "Ela não estava apenas chocada, ela estava chateada, e eu sabia que era porque ela foi deixada no escuro. Foi o mesmo olhar que Bronagh e Keela me deram. Elas ficaram chateadas por eu não ter contado a elas. Elas não expressaram isso, mas eu sei. ―Alannah.‖ Dante suspirou. ―Você não tem que compartilhar tudo com seus amigos. Você está autorizada a ter uma vida privada.‖ ―Você não entende‖, eu disse, frustrada. ―Eu e as meninas, estamos realmente muito próximas. Nada está fora dos limites com a gente ―. Foi uma das razões que eu amava meus amigos. Poderíamos falar sobre qualquer coisa, e até que eu mantive o meu relacionamento com Dante deles, não tínhamos segredos. Senti porra horrível por causa disso. "Você quer que eu fale com minha irmã?" Dante perguntou com um suspiro. ―Não poderia machucar. Basta falar com ela, no entanto. Não Kane, Ryder, e especialmente não Damien.‖ ―Sobre isso.‖ Dante pigarreou. ―Eu tentei falar com Damien sobre isso no trabalho ontem, e acabou ... mal.‖ Fechei os olhos. ―Como mal?‖


―Ele tem um olho negro, e eu tenho um queixo machucado e um nariz quebrado ... mas isso é só porque Kane-‖ ―Você lutou com Kane?‖ Abri os olhos. ―Ele estava tentando acabar com a briga, mas eu pensei que ele estava pulando em mim, e uma coisa levou a outra, e sua bochecha está um pouco machucada. Não é nada ... realmente." Eu gemi e deixei minha cabeça cair para trás. ―Isso não deveria acontecer.‖ Dante riu. ―Diga-me sobre isso.‖ ―Eu sinto que todo mundo está me julgando.‖ ―Foda-se eles‖, Dante disse com firmeza. ―Você é uma mulher adulta; você não precisa de permissão para ter uma vida privada ―. "É mais fácil falar do que fazer quando é o irmão mais velho da minha melhor amiga com quem eu estava dormindo." ―Olha, está feito. Fizemos sexo, mas não vamos mais ... ou vamos? Eu só preciso de esclarecimentos sobre a parte sem sexo―. Eu sorri. ―Você é um porco.‖ "Isso não é um não sobre o sexo." "Sem mais sexo, Date." Eu ri, usando o apelido bem conhecido que ele ganhou de seus modos de mulherengo.


"Ok, ok", ele aplacou. "Não se preocupe com isso, ok? Não é o fim do mundo, querida." "Eu sei." Eu suspirei. "Parece que sim." ―Eu sei.‖ Eu suspirei. ―Ele só se sente como ele.‖ ―Você quer que eu passe um tempo por ai? Você está tão para baixo, e eu odeio quando você está triste. "Não, eu estou bem", eu disse, sugando-o. "Eu vou voltar a dormir. Eu tenho um pressentimento de que Bronagh vai gozar comigo amanhã. Eu já estou de saco cheio há dias e sei que ela atingiu o limite. ‖ ―Boa sorte negociando com aquela jovem. Essa é uma tempestade que eu não desejaria a ninguém. ‖ Eu ri. "Obrigado, Date." ―Eu amo você, linda. Só porque somos amigos agora não significa que eu não tenha suas costas, você sabe?" ―Sim.‖ Eu sorri. ―Eu ouvi, e eu te amo também.‖ Eu amava Dante. Eu simplesmente não estava apaixonada por ele, e eu sabia que nunca seria. ―Se você precisar de mim, ou meu pau, eu estarei aqui para você. BBFs para a vida ―. Eu ri. ―Boa noite, você é maluco.‖ Eu desliguei em um Dante rindo e senti-me uma tonelada mais leve sabendo que pelo menos ele e eu estávamos em um bom lugar. Agora, se eu pudesse me obter na mesma página com todos os outros na minha vida, as coisas seriam ótimas. Eu joguei meus braços sobre meu rosto e gemi, sabendo que em meras horas,


pelo menos, uma das minhas amigas iria finalmente ter sucesso na obtenção da segurança do meu prédio e estaria batendo na minha porta. Só Deus sabia como eu estava indo para enfrentar o furacão Bronagh. Jesus, me ajude.


―Alannah?‖ Eu sabia quem era, e também que ela sabia que eu podia ouvi-la. Estar grávida ampliou todos os seus sentidos como uma mamãe urso louca, embora ela estivesse com apenas algumas semanas de sua segunda gravidez. Prendi a respiração e esperava que ela não pudesse cheirar o meu medo. ―Você pode muito bem abrir, sua fodida, porque eu não vou embora e você não pode me fazer sair.‖ Eu precisava Bronagh.‖ ―Não rapidamente.

manter-me forte. ―Vá embora, nessa vida‖, ela respondeu

Eu permaneci sentada. ―Tudo bem.‖ Ela suspirou dramaticamente. ―Deixe sua melhor amiga grávida no corredor onde qualquer Tom, Dick ou Harry poderia pegar um pedaço 'dela‖. Revirei os olhos, mas não conseguia parar os cantos dos meus lábios dos espasmos. ―O senhorio só tem quatro inquilinos em todo o prédio',‖ eu chamei. ―Eu e Aideen somos dois deles, e os outros dois são casais de idosos nos andares inferiores. Eu sou a única pessoa em todo este andar . O proprietário não tem pressa para preencher os apartamentos enquanto a maioria deles ainda estão


mobilados, ninguém está por perto para ouvi-la, e muito menos assediá-la.‖ Minha atenção voltou para a porta quando um baque soou seguido pela porta sacudindo um pouco, o que me disse que Bronagh deu-lhe um pontapé, e que a ação me fez sorrir. Ela nunca teve muita paciência, e ela estava começando a mostrar. ―Você pode me deixar usar o banheiro pelo menos?‖, Ela perguntou, seu tom esperançoso. ―Eu não vou nem olhar para você. Eu vou para o banheiro, então eu vou voltar para fora, fechar a porta atrás de mim, e podemos começar este argumento mais uma vez. Prometo.‖ Com isso, eu ri. ―Você é uma dor na minha bunda sua imbecil,‖ eu falei quando me levantei e caminhei até a porta, destranquei e abri-a. Bronagh instantaneamente correu por mim e fugiu pelo corredor. ―Eu não estava brincando sobre precisar usar o banheiro!‖ Com um sorriso ainda no meu rosto, eu fechei a porta e caminhei de volta para o meu sofá. Sentei-me, enfiei os pés debaixo das minha pernas, e esperei que o furacão Bronagh continuasse. Dois minutos depois, ela voltou e se afastou de mim como uma louca. ―Você é uma cadela egoísta,‖ ela disse quando ela sentou perto de mim. ―Você sabe disso?‖


―Eu não estou fazendo a você qualquer chá para essa observação.‖ Bronagh bufou. "Beber chá não está na minha lista de tarefas, mas assar o seu rabo está‖ Eu decidi me fazer de muda. ―O que eu fiz?‖ ―O que você fez?‖ Ela me jogou um olhar incrédulo. ―Você desapareceu por sete dias!‖ ―Eu estou certa, e você sabe disso.‖ "Isso está além do ponto porque eu não pude entrar para ver você, não importa o quanto eu ameacei os guardas dia e noite", ela brincou. "Você não respondeu ou retornou nenhuma de nossas ligações desde aquela tempestade com Damien na semana passada. Todos nós estamos muito preocupados com você. Eu literalmente vomito com o pensamento de você agora.‖ Eu gargalhei. ―Muito obrigada.‖ "Eu não estou brincando. Tudo com Damien era tão sério. Você está bem, querida? Eu apertei meus dentes com a menção dele. "Eu só precisava de um pouco de espaço, Bee." Sete dias e isso ainda não era suficiente. Bronagh cruzou os braços sobre o peito e olhou para mim. Eu resisti à vontade de provocá-la porque eu sabia que ela não estava nem perto de terminar de assar minha bunda. Se eu cutucasse o urso quando ela estivesse com raiva, eu definitivamente perderia um dedo ou dois.


"Então", eu disse, "Branna ainda está grávida?" "Sim, mas se ela não estivesse, você teria perdido o nascimento dos gêmeos." Eu lambi meu lábio inferior. "Eu teria saído da hibernação se ela estivesse em trabalho de parto." "Claro que você faria." Eu ignorei o tom dela. "Eu pensei que ela estava destinada a ser induzida por agora?" "O médico fez uma mudança nos planos." Suas respostas abruptas me disseram que ela estava irritada. "Vá em frente", eu disse com um aceno de minha mão. "Cuspa o que mais você veio até aqui." Ela inspirou profundamente e, em um enorme fôlego, disse: "Você está fodendo Dante Collins, e você nunca pensou em me esclarecer aquele pedacinho de informação? Você é a pior melhor amiga que alguém no planeta Terra já teve, e você nem se importa. " Eu tentei e falhei em não rir, o que levou Bronagh a pegar um travesseiro e arremessá-lo para mim. Eu peguei com um sorriso e me aconcheguei contra o meu estômago. "Alannah", disse Bronagh, seu rosto a imagem de seriedade. "Fale comigo." Eu perdi meu sorriso. "Eu não quero, Bronagh. Eu só quero ficar sozinha por um tempo e esquecer ..."


"E esquecer o quê?" Olhei para o travesseiro e passei a ponta dos dedos por ele. "Esquecer que Damien existe." Ela chupou em uma respiração afiada, e balbuciou: ―Você não quer dizer isso.‖ Olhei-a sem expressão. ―Confie em mim, eu faço.‖ Seus lábios se abriram ligeiramente. "Alannah." Eu a machuquei com minhas palavras e meu peito se apertou por causa disso. "Eu sinto muito", eu disse sinceramente. "Eu sei que você está muito perto de mim, mas eu o estou cortando fora, Bronagh." ―Cortando fora do que?‖ ―Minha vida.‖ Bronagh recuou como se eu tivesse esbofeteado. ―O que aconteceu ... foi apenas um equivoco.‖ "Não foi. Foi um argumento baseado em anos de tensão que finalmente rompeu. ‖ Minha amiga balançou a cabeça. "Nada teria entrado em erupção se você não descartasse aleatoriamente a bomba Dante no meio da cozinha de Branna", ela respondeu. ―Quero dizer, porra do inferno, Alannah. Você realmente teve que dizer que você estava vendo alguém na frente de todos quando


você estava contando para Damien? Foi uma coisa fria a fazer." Meu estômago revirou. "Eu não quis dizer isso assim ", enfatizei. "Eu não pretendia dizer nada. Eu só ... eu senti que devia a Damien ser honesta com ele depois que ele me convidou para almoçar." "Bem." Bronagh franziu a testa. ―Você foi honesta. Brutalmente honesta." "Eu sei." "Eu ainda não consigo me envolver com isso," Bronagh disse com as sobrancelhas franzidas. "Você está dormindo com Dante Collins? Ele não é do seu tipo e é muito mais velho do que você. Como diabos aconteceu mesmo?" Eu cerrei os dentes para me impedir de chamar Bronagh em seu choque que alguém tão quente como Dante iria dormir com alguém tão caseira como eu, mas eu me contive e exalei uma respiração profunda. "Só tem sido a alguns meses." Dei de ombros. "Você lembra quando eu peguei aquele pneu furado há algum tempo? Aideen me disse para ir para a garagem, então eu fui, e Dante foi o único que lidou com isso para mim. Nós conversamos, e eu não sei, nós apenas ficamos. ‖ "Eu posso comprar isso." Ela assentiu com a cabeça. ―Eu posso comprar que vocês dois clicaram e se tornaram amigos, mas amigos de foda? Isso não é você, Lana."


Alannah. Dei de ombros mais uma vez. ―Ele me mandou um texto uma noite para ver o que eu estava fazendo. Eu estava assistindo Netflix e convidei para terminar. Ele aceitou, e nós...‖ ―Netflix e uma trepada ?‖ ―Precisamente.‖ Ela olhou para mim, e eu sabia exatamente o que estava pensando. "Você acha que eu não estou agindo como eu, não é?" Um rubor manchou suas bochechas enquanto ela assentia. Eu mordi meu lábio inferior. "Se eu te contar isso, por favor, não conte para a Aideen." Bronagh cruzou o dedo sobre o coração. "Nenhuma palavra." "Dante começou como uma experiência", eu disse em uma respiração apressada. A admissão teve um peso enorme, eu não percebi que estava carregando meus ombros. O queixo de Bronagh caiu. "Com licença?" "Não é tão ruim quanto parece." "Por favor." Bronagh acenou com a mão. "Expliquese." Por onde começar?


"Ok". Eu exalei. ―Então, Dante tem uma longa lista de mulheres com quem ele dormiu, ele não faz relacionamentos de longo prazo, ele é apaixonado, charmoso, ridiculamente atraente, carinhoso, leal à sua família ... quem faz isso lembrar você?" Bronagh piscou. "Qualquer um dos irmãos antes de se estabelecerem, mas eu estou indo para ir com Damien desde que ele é o seu centro." Ignorei sua observação de que ele era meu centro e concentrei-me na menção dele. "Bingo." Minha amiga franziu as sobrancelhas. "Você está dormindo com Dante porque ele é como Damien?" "Exatamente." "Eu sei que há um ponto para isso", disse Bronagh enquanto esfregava as têmporas, "mas eu tenho gravidez cerebral, então vá em frente e explique para mim, querida." Meus lábios se contraíram. ―Eu sempre me culpei pela idade, falta de noção e hormônios estúpidos para me envolver com Damien, e eu queria provar que aquelas coisas triviais eram realmente a causa do quanto eu gostava dele. Então, quando a oportunidade de dormir com Dante surgiu, eu pulei para ela, e coloquei minha teoria à prova.‖ "E sua teoria foi?"


"Que eu poderia ter sexo casual sem compromisso com alguém como Damien e não ser afetado como eu era uma vez." Bronagh levantou uma sobrancelha. "E como isso funciona para você?" "Muito bem", eu disse com orgulho. ―Não tenho interesse romântico em Dante; é puramente físico. "Sua teoria, no entanto, não prova nada" Bronagh fez uma pausa e disse: "Bem, a menos que ..." "A menos que o que?" Eu perguntei. "A menos que Damien seja a pessoa que você dorme e depois se afaste." Eu congelo. "Isso é estúpido, Bee." Ela estava sugerindo que eu fizesse sexo com o homem que levei anos para superar?

Eu cerrei meus dentes com os meus pensamentos enquanto minha amiga brincava. "Você acabou de me dizer que está transando com Dante Collins porque ele é como Damien, e você quer provar que pode dormir e ir embora. É ótimo que você possa fazer sexo casual com Dante, mas isso não prova nada a menos que você deixe o homem que está por trás dessa sua teoria, e que, minha querida amiga, seja Damien Slater. ‖ Recusei-me a permitir-me processar qualquer um dos argumentos que Bronagh disse.


Eu fiz uma careta. "Eu pensei que você disse que tinha uma gravidez cerebral" Ela sorriu. "Eu tenho momentos." Vá tê-los em outro lugar. "Podemos não falar sobre Damien?" Eu quase implorei. "Eu realmente não quero pensar nele agora". Bronagh não recuou. ―Damien está tentando com você, Lana. Você sabe que ele está ― "Eu não sei nada do tipo " "Keela tem você bêbada em um vídeo, reconhecendo que você sabe exatamente o que eu estou falando." Eu abracei o travesseiro na minha mão com mais força. Eu sabia muito bem que Damien estava tentando construir algo comigo; Eu não precisava que todo mundo me contasse algo que eu já sabia. Isso me fez ficar com uma raiva dele extremamente mais. "Eu pensei que você deveria ser minha amiga?" Eu exigi de Bronagh, meu olhar duro. "Eu sou sua amiga", ela mordeu de volta, estreitando os olhos. "Mas eu também sou amiga de Damien, e em vez de se esconder e sentir pena de si mesma, você deveria ir para o lugar de Branna e Ryder e conversar com Damien. Vocês dois se meteram nessa situação, e só vocês dois podem se livrar disso." Eu tirei meu travesseiro do meu colo e com raiva fiquei de pé. "Talvez você devesse ir embora", eu disse a Bronagh. "Tenho trabalho a fazer."


"Lana" "Alannah", eu bati. "Meu nome é Alannah." "Qual é o seu problema?" Bronagh exigiu. "Por que você corrige todos quando eles chamam você de Lana?" ―Porque Damien me chamou assim primeiro, e toda vez que alguém diz isso, isso me lembra dele! Agora, como eu disse, tenho trabalho a fazer." Ela levantou. "Não me jogue de lado, porque você não gosta de ouvir a verdade, você é engraçada. Sete dias atrás, você disse à Damien que estava pronta para lidar com tudo entre os dois, então o que mudou desde então? ‖ Tudo. "Nada." "Não fale besteira." Bronagh olhou. "Eu te conheço melhor do que você mesma, então corte esse ato e fale comigo." Era impossível ganhar um argumento contra ela! "Você estava lá", eu disse, desejando não ficar chateada. "Você ouviu" eu estou dizendo que ele disse que estava saindo para "seguir em frente", eu disse usando meus dedos como citações em torno das palavras. ―Nós duas sabemos o que ele quis dizer com isso. Não finja como se você não faz." Ele ia "seguir em frente" entre as coxas de outra mulher. Eu não deveria ter me importado com isso, mas eu fiz, e eu odiei isso.


"O mais longe que ele conseguiu foi ir ao bar, onde ele foi acompanhado por seus irmãos e bebeu até o esquecimento." Meu coração bateu no meu peito e de repente eu me senti doente. "Ele ... ele não fez sexo com uma mulher aleatória?" Bronagh sacudiu a cabeça e meu coração deu um pulo com a ação. "Ele bebeu e ficou só de ressaca há três dias. Ele está ... Mal e isso não tem nada a ver com estar doente de beber. Ele entrou em uma briga com Dante no trabalho também, então isso não ajudou. ‖ Recusei-me a sentir qualquer culpa, mas foi difícil. "E todo mundo me culpa?" Ela teve a decência de corar. "Não estamos culpando você, vocês dois são a razão dos seus problemas." ―O único problema que tenho é a situação comigo. Fora isso, eu estou perfeitamente ..." "Não se atreva a dizer que está bem", Bronagh me interrompeu. ―Porque você não está. Pare de negar a merda que está te encarando. Isso faz você parecer grossa." Eu olhei para longe dela. ―Eu nunca estive em um relacionamento com ele, Bronagh. Foi apenas sexo; sexo que ocorreu há mais de seis anos. Não é grande coisa."


"Quem você está tentando convencer, eu ou você mesma?" Eu permaneci muda. "Eu sei que você está tendo com seus pais e seu trabalho, mas Damien é uma grande parte de por que você está se sentindo mal." Suspirei. "O que você quer que eu faça, Bronagh?" "Fale com Damien", ela respondeu. ―Isso é tudo que eu peço. Apenas falem um com o outro." "E se eu recusar?" "Então, vou respeitar sua decisão, mas também lhe direi como você seria burra. Você pode dizer que não se importa com Damien tanto quanto quiser, mas suas ações são diferentes. Olhe para você, você está quase chorando porque estou dizendo isso." Eu odiava que meus olhos ardessem com lágrimas não derramadas. "Isso é tão estúpido", eu resmunguei, e limpei meus olhos antes que minhas lágrimas tivessem a chance de cair. "Olha", disse Bronagh, aproximando-se e agachando-se diante de mim quando me sentei de volta. ―Eu te amo e quero te ver feliz. Quer seja com Damien dentro ou fora de sua vida, mas acredite em mim, você será atormentada se você não limpar o ar com "ele". Engoli. "Eu vou ... considerar falar com ele." Bronagh piscou. "Boa garota."


"Mas‖ , eu continuei, "ele não poderia ficar longe de mim rápido o suficiente na semana passada, então ele provavelmente vai correr quando ele me vir chegando em sua direção." "Provavelmente." Ela sorriu. "Você só tem que esperar o seu tempo, escolher o seu momento e lugar quando ele menos espera." ―Ele sempre parece me ver antes que eu veja‖. Eu não vou conseguir puxar a lã sobre seus olhos atentos. "Se isso acontecer, vou mandar uma mensagem para você quando ele estiver em minha casa, e eu vou trancar as portas para que ele não possa sair. Simples." Essa foi uma coisa tão Bronagh para dizer. Eu balancei a cabeça. "Você é louca." "Você sabe", ela respondeu e me deu um abraço antes de ficar de pé. "Eu tenho que ir. Dominic está lá embaixo no carro com Georgie. Eu disse a ele que se não conseguisse falar com você em quinze minutos, ele poderia aparecer e dar uma volta." "Vá." Eu ri. "Antes que o filho da puta apareça e eu sou presa por tentativa de homicídio." Bronagh saiu do meu apartamento, rindo enquanto ia. Quando ela fechou a porta atrás dela, meu sorriso permaneceu no meu rosto, mas apenas por alguns instantes. Por mais que eu odiasse admitir, Bronagh estava certa. Eu precisava falar com Damien. Eu não tinha ideia do que dizer a ele, mas uma conversa tinha


que acontecer, e o extremamente nervosa.

pensamento

me

deixou

Levantei-me, então entrei no meu quarto e vesti uma legging preta, uma blusa preta e uma camisa xadrez azul, grande e abotoada, que arregacei até os cotovelos. Cada peça de roupa tinha uma mancha de tinta, carvão ou tinta de algum tipo nelas, e a roupa era minha quando eu queria desenhar e pintar. Agora, eu precisava fazer as duas coisas. Eu tirei meu cavalete da minha prensa de armazenamento e o configurei. Normalmente, sempre que eu pintava, estava no papel, mas hoje, algo me dizia que eu precisava pintar na tela. Eu não tenho muitos deles. Na verdade, eu só tinha seis restantes do pacote de dez que Bronagh e Nico me deram no meu aniversário há alguns meses, então eu fui seletiva sobre o que eu usei para eles porque eu não tinha dinheiro para substituí-los ainda. Peguei o maior, coloquei na mesinha de café ao lado do meu cavalete e olhei para ele por um tempo. Eu refleti sobre quais pinturas eu queria usar e se eu queria que fosse colorido. Eu estabeleci-me em cores escuras para refletir o meu humor. Peguei meus lápis, depois me acomodei sobre o meu sofá, eu cruzei as pernas, coloquei minha tela no meu colo, e comecei a trabalhar. Eu não tinha decidido sobre o que a esboçar até o segundo em que toquei a ponta afiada na tela. E quando a minha mão automaticamente curvou e desenhou o mesmo par de


olhos que eu vi em meus sonhos todas as noites eu percebi que nĂŁo estava desenhando o quĂŞ. Foi um quem.


Quando acordei na manhã seguinte, tinha um plano. Eu decidi aceitar o conselho de Bronagh de ontem e colocá-lo em teste. Eu queria conversar ... mas não com o Damien. Eu tive que construir isso. A pessoa com quem eu queria falar morava oito andares acima de mim, e enquanto eu ficava do lado de fora da porta do apartamento dela, eu rezava para que ela estivesse de bom humor. Mandei-lhe um texto para que ela soubesse que eu queria falar com ela, e ela reconheceu o texto e disse-me para ir ao seu apartamento sempre que eu estivesse pronta. Isso foi há cinco horas e eu estava me encontrando na frente da porta dela. Antes que eu pudesse desmaiar, levantei o braço e bati com firmeza na madeira escura. Soltando meu braço de volta para o meu lado, comecei a suar balas. ―Eu tenho isso.‖ A voz gritando pertencia a ninguém menos que Kane Slater, de todos os irmãos Slater, Kane era a pessoa que eu era menos próxima. Não conversamos muito, embora estivéssemos na companhia um do outro muito. Não era estranho, porque eu sabia como reservado ele era, mas meu silêncio não foi porque eu estava reservada; foi por causa de uma conversa que tive com ele quando eu tinha dezoito anos. Ele me perguntou um monte sobre a minha amizade com Bronagh que não se sente bem comigo, então eu não liguei para ele. Ele tinha uma vez pedido desculpas,


mas nunca me esqueci dessa conversa, e assim permaneceu muito consciente sempre que eu estava na presença de Kane, o que resultou no meu silêncio. Eu sorri educadamente quando a porta se abriu e Kane me deu um aceno de boas-vindas em resposta. ―Alannah‖. ―Kane‖. Eu podia jurar que vi seus lábios se contorcerem, mas eu não tinha certeza, então eu não mencionei. Em vez disso, eu fiz a varredura de seu rosto e foquei em sua mandíbula quebrada, o que Dante tinha mencionado que ele tinha quando falei com ele ao telefone duas noites atrás. Parecia pior do que eu pensava que estaria. ―Deixe-me adivinhar:‖ Eu demorei. ―O outro rapaz parece pior?‖ Isso me rendeu um sorriso. ―Ambos fazem‖, ele respondeu, ―mas não posso tomar crédito. Date e Damien podem organizar os seus próprios, o que resultou em ambos destruídos.‖ Eu pisei dentro do apartamento quando Kane arrastou para trás e fez um gesto para eu entrar. ―Só o que eu preciso,‖ eu resmunguei. ―Dois caras brigando sobre algo estúpido.‖ Kane fecha a porta. ―Você acha que é algo estúpido?‖ Afastei-me dele. ―Eles não estavam brigando sobre mim. Eles estavam brigando sobre egos machucados.‖ Ele não respondeu, então eu perguntei:‖ Onde está Aideen? Eu quero começar esta conversa o mais rápido possível.‖ ―Ela está no quarto.‖


Eu hesitei. ―Ela está decente?‖ Eu tive que perguntar. Aideen estava noiva de um irmão Slater, afinal de contas, e isso significava que se você não anunciasse a sua presença sempre que entrasse em uma casa, você com certeza teria um olho em corpos suados se esfregando um no outro. Eu aprendi da maneira mais difícil algumas vezes antes. Kane bufa. ―Ela está.‖ ―Obrigado‖, eu disse, e sem outra palavra, eu andei longe de Kane e na direção de seu quarto e de Aideen. Bati na porta quando eu estava perto o suficiente para fazê-lo. ―Sou eu‖, eu disse, embora eu não estava certa porque eu estava anunciando a mim. Ela sabia que era eu porque Kane com certeza não iria bater em sua porta do quarto e fazer soar o seu nome. ―Entre,‖ Aideen chamou. Eu respirei, exalei, em seguida, abri a porta. Eu pulei de susto quando um grito soou, então eu ri. Jax, que estava deitado na cama, olhou para cima quando ouviu a porta aberta e gritou de alegria quando me viu. ―Ei, pequeno homem,‖ Eu sorri. Entrei no quarto e segurei meus braços para ele como ele já estava chegando para mim, sua linguagem de bebê em pleno andamento. Levantei-o quando eu estava perto o suficiente para fazê-lo, eu me ocupei com ele por alguns momentos. Quando eu olhei para cima para Aideen, ela estava olhando para mim. ―Quanto tempo?‖ Eu nem sequer tentei jogar de muda sobre o que ela estava pedindo. ―Quatro meses.‖


Aideen absorveu isso. ―Não desde que Damien voltou para casa, então?‖ Eu balancei minha cabeça. ―Apenas nos últimos quatro meses.‖ ―Vocês dois estão juntos?‖ ―Não‖, eu respondi. ―Nós decidimos que é melhor sermos bons amigos'. Eu amo o seu irmão, mas não de uma forma romântica. Ele tem sido minha rocha nos últimos meses, e para ser honesta, sem o relacionamento que compartilhamos, eu poderia ter tido um colapso mais cedo do que uma semana atrás. Damien está de volta e mexeu comigo no último ano e meio, e Dante me manteve sã quando eu pensei que poderia explodir." "Então eu estou feliz", disse Aideen, surpreendendo o inferno fora de mim. "Fico feliz que ele e o relacionamento que ambos compartilharam ajudaram você." Ela não parecia tão feliz, e isso me preocupava. ―Você me odeia?‖ Aideen recusou. "Eu deveria bater em você por perguntar isso." Eu me inclinei para trás apenas no caso de ela ter um tapa afinal "Não", ela continuou. "Eu não te odeio e nunca vou te odiar." Meus ombros caíram de alívio. "Eu pensei que você poderia, contando quem Dante é para você." "Alannah." Aideen suspirou. "Eu não estou pulando de alegria por você ter esse relacionamento secreto com meu irmão. Se você tivesse um relacionamento


com ele, sem a parte secreta, ficaria encantada com os dois. Eu só ... somos apenas ... somos amigas. Desde que engravidei de Jax, ambos nos tornamos muito próximas. Nós somos uma grande parte da vida da outra e eu realmente amo você. Apenas me pegou de surpresa que você guardaria isso de mim. Eu sei que foi sua decisão, e você teve suas razões, mas não posso deixar de me sentir chateada. "Eu sei, e sinto muito. Eu nunca poderia arranjar coragem para falar sobre isso. Para contar a alguém sobre isso, para ser sincera." "Eu sei", disse Aideen, "e isso é culpa minha por fazer você sentir que não podia falar comigo sobre isso, então me desculpe." Eu pisquei e não sabia o que dizer, então fiquei muda. "Como você está?" Ela me perguntou. "Mesmo?"

Eu soltei uma respiração profunda e se sentei na cama, deixando Jax sentar ao meu lado. Eu mantive minha mão em suas costas para o equilíbrio. ―Eu não sei‖, eu respondi honestamente. ―Minha cabeça está tão confusa, e quando penso por que, isso me irrita. Eu não entendo por que Damien e eu mesmo discutimos. Nós não somos um casal, e nós nunca fomos um casal, então tudo acabou quando você pensa sobre isso.‖ Aideen estalou a língua. ―Vocês dois têm história, vocês compartilham uma atração, e ouso dizer que você ainda cuidam uns dos outros. Vocês dois são apenas antas sem comunicação ―.


Riso inesperado derramou livre, e era bom para relaxar e atirar a merda. "Tudo é apenas uma grande bagunça.‖ ―Você planeja limpar isso?‖ Eu mordo meu lábio inferior. ―Eu estou indo para falar com ele, mas só Deus sabe como isso vai acabar.‖ ―Eu não acho que vai ser tão ruim quanto você acha que vai.‖ ―Você está certa; ele provavelmente vai ser pior.‖ Aideen riu. ―Você nunca costuma falar isso de forma negativa.‖ ―Eu sei‖, reconheci. ―Eu estou apenas um pouco para baixo recentemente.‖ ―Tudo vai funcionar‖, disse Aideen com confiança. ―O que está destinado a ser será.‖ Beijei Jax na coroa da cabeça. ―Você é tão suave desde que você teve as crianças.‖ Aideen sorriu. ―Só quando eles estão tranquilos.‖ Eu bufo e olho para Jax quando ele agarrou e jogou com meus dedos. ―Você vai ficar para o almoço?‖ Minha amiga perguntou. Com os olhos ainda em Jax, eu balancei minha cabeça. "Eu tenho que pegar meu carro na garagem‖, eu respondi. ―Um dos rapazes teve de substituir a bomba de diesel rompida. Eu tive que esperar que a peça fosse entregue‖. Aideen assobiou. ―Damien está no trabalho hoje. Ele não apenas faz resgate na estrada com Ryder. Mas assumiu na condição de aprendiz.‖


Eu olhei para cima. ―Mas eu pensei que Ryder tivesse dito que ele não estava interessado em voltar para a escola?‖ ―Ele não estava até que ele teve um interesse repentino nos motores.‖ Ela encolheu os ombros. ―Eu já os preparei com o FAS para que eles sejam pagos para trabalhar na garagem e recebam da FAS ao mesmo tempo. A parte da escola é legal também. Leva quatro anos para que o certificado deles seja aprovado, e eles dividiram isso entre trabalhar na garagem e estar na escola. Eles estão no trabalho oitenta por cento do tempo e, em seguida, três meses de cada ano, eles têm suas aulas regulares para prepará-los para seus exames. Eles também recebem subsídios de treinamento, portanto sem taxas de faculdade. ‖ ―Isso é brilhante,‖ eu elogio. ―Seu pai realmente fezlhes uma equipe.‖ Aideen assentiu. "Ele disse que eles são tão difíceis de trabalhar quanto os meus irmãos, então ele ficou feliz em tê-los a bordo." "Estou feliz por eles." "Você ainda vai pegar seu carro?" "Eu tenho que fazer ", eu disse com um encolher de ombros. ―Não apenas tenho que ir às compras para colocar comida em casa, mas também tenho um encontro na cidade amanhã com um rapaz que pediu o emprego de assistente para me ajudar com o negócio, e eu estou pegando o ônibus.‖ Eu bufei e olhei para Jax, que estava babando em meus dedos enquanto mastigava eles. "Você tem sorte de ser fofo, cara."


Aideen riu quando eu o movi para o centro da cama e fui ao banheiro lavar as mãos. Eu coloquei minha cabeça de volta em seu quarto quando terminei e disse: "Eu vou te ver mais tarde, ok?" "Deixe-me saber como vai e se você tiver um encontro com Damien!" Eu inclinei minha cabeça contra o painel da porta. "Faça uma oração por mim." "Eu farei duas." Eu sorri enquanto eu caminhava pelo corredor. ―Tchau, Kane!‖ Eu gritei quando abri a porta da frente. ―Tchau‖, ele gritou da sala de estar. Quando eu deixei meu prédio, agradeci a Deus não estar chovendo e caminhei trinta ou mais minutos a pé para recuperar meu veículo. A caminhada me fez bem; não só me deu tempo para pensar, mas me permitiu esticar as pernas também. Estar escondida em meu apartamento durante sete dias seguidos foi assassinato em meus músculos, e a falta de uso era evidente à medida que minhas coxas e panturrilhas queimaram a cada passo que eu dava. Eu alcancei o edifício mais rápido do que eu teria gostado, mas eu estava preparada. Meu plano era pegar meu carro, entrar e sair da garagem antes de que Damien ou qualquer outra pessoa tivesse um vislumbre de mim. Era um bom plano, um plano sólido, um plano fodidamente infalível. Eu tenho isto. Eu dei sete passos para o lugar antes de ver as costas de Dante Collins. Eu rapidamente, mas silenciosamente corri meu caminho em direção à


recepção, onde eu me escondi de vista para que ele não me visse se ele se virasse. Meu coração estava martelando contra o meu peito e minhas palmas estavam mais suadas do que o normal. Este é um plano de merda. "Por que eu achei que isso foi uma boa idéia?" Sussurrei para mim mesma. Eu estava em um bom lugar com Dante, mas eu não queria ficar parado e atirar na merda com ele, sabendo que Damien estava no turno. Eu não era tão corajosa. Fechei a porta da recepção e esperei que nenhum dos rapazes entrasse, porque eu honestamente não tinha ideia do que faria se algum deles me confrontasse. Eu tive todos os dois segundos para mim antes de quase pular fora da minha pele quando a porta da recepção se abriu. Eu me virei, e quando vi que era apenas o Sr. Collins, coloquei minha mão sobre o peito e me forcei a relaxar. "Olá, Alannah." ―Hey, Sr Collins.‖ Eu sorri. ―Você está bem? Porque você está me parecendo muito bem , senhor.‖ ―Está tentando fazer um homem corar nessa idade, garota?‖, Ele respondeu com uma piscadela. ―Algum dos rapazes já falou com você?‖ Eu balancei minha cabeça. ―Eu acabei de entrar.‖ Ele assentiu, então olhou ao redor do quarto bagunçado. ―Eu realmente preciso contratar alguém para organizar essa bagunça‖, Collins fez uma careta para a montanha de papéis antes que ele olhasse para mim, seus olhos de repente amplos e esperançosos. ―Eu


suponho que você não está procurando por um emprego, querida?‖ Eu ri. ―Não, senhor. Desculpa.‖ ―Uma pena.‖ Ele suspirou, suas mãos indo para seus quadris. ―Eu preciso de um milagreiro para obter este negócio organizado.‖ ―Coloque um anúncio no jornal ou on-line‖, sugeri. ―Você ficaria surpreso com quantas recepcionistas profissionais estão lá fora que precisam de um bom trabalho.‖ ―Eu não acho que eu tenha outra escolha‖, disse ele com um suspiro. ―Não podemos assistir à recepção o tempo todo porque estamos trabalhando em carros, as pessoas que entrar e esperaram sem o serviço e ficam fartos e acabam saindo não posso dar ao luxo de perder clientes, especialmente desde que comprei o lote ao lado no ano passado e tinha tudo planejado em uma grande loja. Eu tenho tanta papelada. Eu preciso uma fada madrinha neste momento no tempo para resolver isso ―. ―Definitivamente experimente o anúncio,‖ Eu incentivei. ―Você vai estar lutando com os candidatos, é só você esperar e ver.‖ Sr. Collins sorriu antes de olhar por cima do ombro e suspirar. ―Eu já volto, amor‖, disse ele. ―Eu tenho que ver um cliente que está sendo ignorado por meus rapazes.‖ Eu balancei a cabeça. ―Não tenha pressa. Eu não estou com pressa.‖ Grande. Gorda. Mentira. Eu nunca quis deixar um estabelecimento tanto em toda a minha vida. Coloquei minhas mãos no balcão


da recepção, depois olhei para o belo relógio antigo na parede. Já passava das três da tarde, e como era uma segunda-feira, eu teria meu jantar semanal normal com meus pais esta noite às cinco da tarde. Eu esperava que meu pai não estivesse lá. Eu não estava com humor para sentar em frente a ele na mesa de jantar e fingir que não sabia que ele estava tendo um caso. Eu não tenho força para isso. Hoje não. A porta da recepção de repente abriu e fechou. O silêncio se prolongou por alguns instantes, e eu poderia jurar que ouvi uma risadinha, o que me fez tencionar ainda mais do que eu já estava. Eu apenas levantaria e morreria se fosse Damien. "Eu disse a você que esta merda com Date estava indo para causar problemas, Alannah." Meus ombros caíram com um suspiro de alívio que me escapou. ―Eu sei‖, eu respondi com um aceno firme. Eu não movi um músculo quando ele se moveu ao meu lado, sua sombra caindo sobre a bancada. ―No entanto, você ignorou minhas palavras de sabedoria?‖, Ele meditou. ―Eu aposto que você se sentiu estúpida agora, querida‖ Virei a cabeça, inclinada para trás, os olhos fixos em Harley Collins, em seguida, rolei-os. "Eu nunca te identifiquei como um homem do tipo "eu te avisei ". "Você se enganou porque ... eu te avisei." Harley era a única pessoa que sabia sobre meu relacionamento particular com Dante porque os dois


eram extremamente próximos. Se algum deles fizesse alguma coisa ou com alguém, o outro sabia disso. "Vá embora", eu resmunguei. "Você é mau." Ele sorriu para mim. "Date disse que não conseguiu se apossar de você e que você revogou o acesso dele a sua casa. Ele foi preso quando tentou invadir, sabe?" Que porra é essa? Eu engasguei. "O que?" "Não se preocupe, ele foi libertado sem acusação, graças ao senhorio do lugar, não pressionando as acusações." Harley riu, seus ombros tremendo. ―ele tentou usar uma escada de incêndio pela porta dos fundos depois que ele foi recusado pela terceira vez. Ele correu dos guardas de segurança também, mas caiu como uma mosca quando eles tentaram." "Ele foi arremessado e preso?" Eu perguntei, com os olhos arregalados. "Desmaiou e tudo". Harley gargalhou. "Não diga que eu te disse isso; seu ego ainda está dolorido com isso." "Eu acabei de falar com ele duas noites atrás, e ele nunca mencionou nada." "E você não vai ouvir. Ele me fez prometer nunca mais falar sobre isso." ―Seu pai?‖ "Ele estava comigo quando Date me ligou da estação da guarda." ―Esta semana não pode ficar pior.‖ ―Famosas últimas palavras ―Harley murmurou. Eu estava louca. Irada. Fumegante. louca sangrenta. ―Onde ele está?‖


―Agora, Alannah,‖ Harley disse, levantando as mãos na frente do peito. ―Ele só queria verificar.‖ Afastei-me de Harley, ouvindo-o amaldiçoar antes que ele corresse para me alcançar. ―Dante Collins!‖ Eu gritei. ―Onde está você?‖ Ele estava do outro lado da loja, levantando um grande pedaço de um motor de carro para o ar em um macaco de chão. Ele parou o que estava fazendo, em seguida, olhou por cima do ombro, e quando ele me viu, ele sorriu. Aquele sorriso deslizou lentamente de seu rosto quando me aproximei dele, e me perguntei se ele viu quão louca eu estava, ou se Harley estava fazendo sinais com as mãos quando ele se arrastou atrás de mim. "O que diabos está errado com você?" Eu bati em Dante quando parei na frente dele e bati em seu peito. ― Derrubado e preso? Você é naturalmente grosso, Date ou nasceu assim?" ―Ele nasceu assim‖, JJ e Gavin gritou em uníssono de algum lugar na loja. Dante revirou os olhos para seus irmãos antes de olhar para mim. ―Eu precisava vê-la, falar com você ... mas desde que você fez isso impossível antes da nossa chamada de telefone, eu tinha que ir aos extremos.‖ Fiz uma careta. ―Você tem sorte do proprietário do prédio não apresentar queixa.‖ ―O proprietário do prédio é meu futuro-‖ "Seu futuro motivo para ir para a prisão, se você tentar entrar em sua propriedade de novo", JJ gritou.


Dante se encolheu quando ele olhou para seu irmão por cima do ombro, antes de mudar seu olhar de volta para mim. ―O que disse JJ.‖ ―Eu não quero nem saber o que você está falando tanto,‖ Eu fiz uma careta, esfregando minha têmpora com os dedos. ―Hey,‖ ele disse, dando um passo mais perto. ―Tudo está bem. Não há problema.‖ Eu zombei. ―Sexo com você me causou nada além de problemas.‖ Dante sorriu diabolicamente. ―Valeu a pena, certo?‖ Eu odiava que eu tentei e não consegui esconder um sorriso. ―Você está aqui para me ver?‖ Eu balancei minha cabeça. ―Para pegar meu carro.‖ ―Eu terminei de substituir aquela bomba de diesel nesta manhã, mas me dê mais cinco minutos. Eu quero verificar o nível de óleo no seu carro. Eu acho que está acabando.‖ Dante correu para o meu carro e bateu o capô. Eu olhei para ele e coloquei minhas mãos nos meus quadris. Passei os olhos pela loja, vigiando Damien, mas havia vários carros e equipamentos que bloqueavam minha visão. A extensão da garagem significava que o lugar era enorme, mas mais espaço significava que tinha que ser preenchido com alguma coisa. "Sua linguagem corporal está "gritando" como você está desconfortável ", Harley murmurou quando ele veio para o meu lado. "Relaxe."


"Quão relaxado você ficaria se o cara com quem você tem história trabalhasse com o cara com quem você estava dormindo?" Harley cruzou os braços sobre o peito. "Muito desconfortável, considerando que sou hetero." Eu empurrei um agora rindo Harley para longe de mim. "Você é muito hilário." Ele voltou para o meu lado, jogou o braço sobre meu ombro e disse: "Damien está na sala dos fundos, arrumando novas ferramentas nas gavetas ". Harley foi até Dante e começou a fazer Deus sabe o que com meu motor de carro. Eu olhei para a porta que levava aos fundos da loja, e antes que eu pudesse racionalmente pensar o contrário, caminhei em direção a ela. Quando entrei na sala, tive que andar em volta de grandes carrinhos de ferramentas, mas quando vi os cabelos brancos de Damien, meus pés e meu coração pararam. Meus olhos vagaram por ele. Ele usava calças de trabalho pretas, aquelas que tinham um milhão de bolsos diferentes e abraçavam a bunda de um homem deliciosamente. Ele estava usando botas grossas de sola e um casaco de lã com o logotipo da loja. Era o único item uniforme de vestuário que os homens da loja usavam. Eu respirei e disse, ―Damien?‖ No mesmo instante, ele ficou tenso e manteve de costas para mim. ―Posso falar com você, por favor?‖ Ele permaneceu em silêncio, tenso e imóvel.


―Eu sei que eu sou provavelmente a última pessoa que você quer ver agora, mas eu ficaria muito grata se pudéssemos conversar. Por favor.‖ Nada. ―Está tudo bem‖, eu disse, meus ombros caídos. ―Entendi.‖ Virei-me e comecei a caminhar em direção à saída da sala, mas vim a uma parada abrupta quando uma mão agarrou meu antebraço. Em um movimento rápido, eu estava virada e contra um peito duro como pedra. ―Damien!‖ Uma fração de segundo depois, sua boca desabou na minha. Perplexidade absoluta superou minha mente, mas não o meu corpo. Meus lábios agiram por vontade própria, e assim o fez minhas mãos. Corri minhas mãos volta de Damien, até o pescoço, e agarrei seu cabelo espesso. Ele assobiou na minha boca e me beijou com a fome de um homem morrendo de fome. Sua língua mergulhou entre meus lábios entreabertos e dançou com os meus. Suas mãos de alguma forma abriram caminho para o meu traseiro, e ele não parou um segundo me apertando ao ponto de machucar. Ele não parou por aí; Ele passou as mãos pelas minhas costas, pescoço e enterrou-os no meu cabelo. Quando ele puxou-o, como eu tinha feito ao seu, minha boca aberta em um grito, e ele usou esse momento para prender meu lábio inferior com os dentes. Eu gemi quando ele chupou meu lábio em sua boca e eu cantarolava.


Suas mãos deslizaram de volta para minha bunda, e então, de repente, minhas costas estavam pressionadas contra um carrinho de ferramentas. Eu gemia, e ao ouvir aquele som, Damien quebrou o nosso beijo, colocou seus lábios na minha orelha, e rosnou: ―Agora, eu posso falar com você.‖ Ele recuou para longe de mim, e foi só então que eu percebi que estava tremendo, e meu corpo doía com a necessidade. Meu peito, como Damien, estava subindo e descendo rapidamente. Eu levantei minhas mãos para os meus lábios completamente inchados, e os meus dedos pousaram por um momento antes de eu deixar cair meu braço para o meu lado. Olhei para o olho machucado, e eu não podia acreditar o quão sexy ele parecia com ele. ―Porque você fez isso?‖ ―Fazer o que?‖ O que ele quis dizer fazer o quê? ―Por que você me beijou?‖ Eu perguntei sem fôlego. Isso não foi só um beijo, embora, e eu sabia que não era. Foi mais do que isso; era uma reivindicação. Os olhos de Damien estavam estreitados quando ele disse, ―Eu não podia falar com você sabendo que seus lábios eram os últimos a tocar o seu, então ... Eu consertei isso.‖ ―Você consertou?‖ ―Sim.‖ ―Você me beijou desse jeito só porque você tem um pedaço de pau na sua bunda sobre Dante ser o último a me beijar?‖ O olho direito de Damien se contraiu. ―Algo parecido.‖


Eu joguei minhas mãos no ar. ―Você é incrivelmente fodido, Damien Slater.‖ Ele me surpreendeu quando ele sorriu e disse: ―Eu sei.‖ Baixei meus braços e fiz uma careta. ―Isso não foi um elogio.‖ Ele deu de ombros e repetiu: ―Eu sei.‖ Eu coloquei minhas mãos em meus quadris. "Não me beije inesperadamente assim nunca mais." "Eu posso te beijar se você esperar então?" "O que? Não!" "Hey." Damien levantou as mãos. "Estou apenas me certificando." Eu olhei para ele. "Não estamos mais nos beijando. Eu não gosto disso." O sorriso de Damien caiu e ele se aproximou de mim. "Não é legal mentir." Eu lambi meus lábios, tremendo quando eu o provei neles. "Eu não estou ..." "Você ainda está mentindo", ele disse, sua voz firme quando ele deu mais um passo para perto de mim. "Você me beijou como uma mulher possuída, sardas." Eu relutantemente recuei e percebi que Damien tinha me encurralado quando minhas costas pressionaram contra algo sólido. O carrinho de ferramentas. "Damien", eu disse, minha voz soou mais rouca do que eu gostaria. "Nós temos que conversar, lembra?" Seus olhos estavam nos meus lábios. "Eu lembro." "Então, pare de olhar para mim como se eu fosse sua presa."


Ele sacudiu os olhos para os meus. "Você se sente como se fosse minha presa?" Claro que sim. "Eu faço", eu disse, levantando meu queixo. ―Você está com medo que eu vá comer você?‖, Ele perguntou, baixando a voz para um sussurro sedutor. Eu respirei fundo. ―Pare com isso.‖ ―Parar o que?‖ ―Seja o que for que você está fazendo ... eu não posso pensar.‖ Sempre que ele estava perto de mim, todo o pensamento lógico desaparecia. ―Eu deixo-a nervosa‖, disse ele, e ele parecia ... feliz. ―Você me deixa louca,‖ eu corrigi. ―Você acabou de me beijar.‖ ―Eu sei.‖ ―Damien, você não pode simplesmente beijar-me quando quiser.‖ Ele entrou em meu rosto. ―Oh caralho que não posso.‖ Meus membros pareciam gelatina. ―Por que você me beijou?‖ "Eu precisava", disse ele. "Ele beijou você pela última vez." Dante. "Não, ele não fez", eu disse com um suspiro. "De todas as coisas que fizemos, beijar não era uma delas." A testa de Damien se franziu quando ele deu um passo para trás. ―O que isso significa?‖ ―Nada‖, respondi. ―Eu não quero falar sobre Dante.‖ ―Ele é parte da conversa, e você sabe disso.‖


Eu levantei minhas mãos para o meu rosto e suspirei. ―Você me confundiu ainda mais do que eu já estava‖, eu disse, deixando cair minhas mãos. ―Eu pensei que você queria que fossemos amigos?‖ "Os amigos se beijam do jeito que eu apenas beijei você?" Eu lambi meus lábios, ainda saboreando ele. "Não", eu disse suavemente. "Então não, Alannah", ele rosnou, "eu não quero ser seu amigo." Meu coração batia no meu peito. "Eu não posso oferecer mais do que isso." "Besteira", Damien cortou. ―Eu senti o jeito que você me beijou, e eu vejo como você olha para mim. Você me quer, você está apenas com medo." "Apenas com medo?" Eu repeti. ―Damien, eu estou apavorada. A minha experiência com você terminou em desastre‖. Ele travou a mandíbula. "Eu não sou a mesma pessoa que eu era quando tinha dezoito anos." Eu levantei meu queixo. "Nem eu, e isso é graças a você." Eu me virei e fui para a saída, mas Damien não estava me deixando sair. Ele agarrou meu braço novamente, virou-se para mim e colocou seu corpo grande e duro entre mim e a saída. "Não", ele brincou. "Você acabou com a coisa de se afastar de mim quando estamos conversando." Minha boca caiu aberta. "Você está me dando uma ordem?" "Pode apostar sua bunda perfeita que eu estou."


Era errado estar tão excitada com sua demonstração de domínio. "Eu não recebo ordens de você ou de qualquer outro homem." "Vamos ver", ele rosnou. "Não vamos ver nada porque-" "Porque o que?" Ele estava na minha cara de novo, mas eu não conseguia pensar. "Eu não sei!" Eu bati. "Eu não sei nada disso quando você está tão perto de mim." "E você diz que não pode me dar mais?" Ele perguntou em um grunhido. ―Seu corpo sabe a quem pertence; seu cérebro só precisa acompanhar." Isso me tirou da minha neblina. "Meu cérebro e corpo não são os que chamam a razão ", eu brinquei. "O coração que você quebrou é!" Damien se recostou e olhou nos meus olhos. "Você sabe que eu daria qualquer coisa para mudar como eu deixei as coisas com você." Ele colocou as mãos nos meus ombros. "Eu sei que você sabe disso." Ele havia me dito muitas vezes no ano passado, mas eu sempre coloco isso na consciência culpada. "Eu não sei mais", eu admiti, olhando para baixo. "Tudo é tão confuso." Damien inclinou meu queixo até que meu olhar encontrou o dele. ―Precisamos conversar sobre tudo. Apenas nós dois, querida." Baby Engoli em seco e assentiu. ―Quando?‖


―Hoje à noite,‖ ele respondeu. ―Eu vou passar por aqui esta noite.‖ Meu coração batia forte contra meu peito. ―OK.‖ Ele soltou-me e disse: ―Eu vou levá-la para fora.‖ Saímos do quarto de volta, em seguida, dirigindo-se para a frente, onde meu carro estava pronto e esperando. Alec e Kane entraram na loja naquele exato momento, e eu olhei para o teto, silenciosamente pedindo a Deus por que ele me odiava tanto para me colocar nesta situação. "Seu carro é está bom", disse Dante na minha direita, ganhando a minha atenção. Ele caminhou na minha direção, olhando para mim como se eu fosse a única pessoa na sala, e antes que eu percebesse, eu estava olhando para as costas de uma pessoa, em vez do rosto de Dante. "Isso é longe o suficiente, idiota." Fechei meus olhos no segundo que Damien falou, e no meu coração, eu sabia o que estava prestes a acontecer. "Eu vou te dar dois segundos para se afastar para que eu possa falar com a minha garota rapidinho." Oh Deus. "Sua garota?" Damien estalou, avançando, entrando no rosto de Dante. "Ela não é sua, seu pedaço de merda." Os irmãos de Aideen eram os únicos homens que eu conhecia, todos tão altos quanto os irmãos Slater. Mesmo tão alto quanto Dante, Damien tinha dois ou três centímetros a mais. Eu corri para Alec e Kane, que estavam apenas observando os rapazes como se estivessem tendo uma conversa casual.


"Façam alguma coisa!" Eu exigi. "Agora mesmo!" Kane olhou para mim, depois para os rapazes novamente, me dispensando sem uma palavra. Eu me virei para Alec. "Por favor!" "Ainda não", ele respondeu sem olhar para mim. "Eu odeio quebrar isso para você, companheiro", Dante brincou atrás de mim. "Mas ela com certeza não é sua!" Eu suguei uma respiração estrangulada quando uma nuvem escura do que eu sabia que era fúria caiu sobre Damien. "Por favor", eu implorei, correndo para a frente e apertando entre eles. ―Podemos todos simplesmente parar e respirar por um minuto? Isso não precisa acabar em violência ‖. "Sem violência?" Alec repetiu. "Isso não parece certo." Kane bufou, mas manteve os olhos treinados em seu futuro cunhado. "Kane, você acha que isso vai ficar bem com Aideen?" Eu perguntei, esperando que ele visse a razão. "Você acha que ela vai estar entendendo você brigando?" Porque você sabe que vai lutar, se ele bater em Damien. "Eu não vou lutar", disse ele com confiança. "Eu vou acabar com isso se sair." "Sr. Collins!" Eu gritei desesperadamente para o único homem que eu sabia que acabaria com essa loucura. "Sr. Collins, senhor!" "Ele foi para o almoço". "JJ!" Eu gritei, ignorando Dante. "Harley!"


"Estamos aqui, Alannah", JJ respondeu do outro lado da sala. "Mas você precisa se afastar para que eles possam resolver suas diferenças, querida." "Foda-se, JJ!" Eu bati. ―E você, Harley. Nenhum de vocês fale comigo de novo." "E Gav?" Harley bufou. "Ele está aqui, e ele não está planejando parar eles também". "Foda-se, também!" "Muito obrigado, idiota", Gavin resmungou para seu irmão. "Agora ela vai me ignorar quando ela me ver em seguida. Ela não é como Bronagh, ela não me bate quando eu mijo, ela me ignora. O silêncio dói muito mais." Eu ignorei todos eles e foquei no irmão Collins que estava me causando tantos problemas. Eu empurrei o peito de Dante com ambas as minhas mãos, embora a ação não o fizesse tropeçar para trás como eu esperava que fosse. "Pare com isso, você está berrando sem nenhum motivo." "Eu tenho razões," Dante respondeu para mim, mas manteve os olhos sobre a minha cabeça enquanto olhava Damien. Ele era uma causa perdida, então eu me virei e olhei para Damien. "Por favor", eu implorei. "Não lute, Damien." ―Ele chamou-lhe de sua quando você não é.‖ "Bem." Dante riu. "Ela com certeza não é sua, amigo, ou ela não teria estado no meu pau."


Damien tentou atingir Dante, mas porque eu estava diretamente no meio do deles, ele parou antes que eu pudesse me machucar. Seus olhos, no entanto ... Eu nunca tinha visto a raiva como se estivesse habitando neles antes. "Basta parar!" Eu gritei quando empurrei Damien de volta pelo seu peito. "Olhe para mim!" Ele fez; seus olhos caíram para os meus e eles suavizaram quase instantaneamente. "Por favor", eu implorei a ele. "Não faça isso. Eu odeio brigas." A tensão em seu rosto lentamente começou a desaparecer. "É melhor você ouvir, Slater," Dante zombou. "Caso contrário, eu vou ter que foder aquela sua linda cara novamente ." Dante teve a audácia de me dar um tapa sem nenhuma outra razão a não ser começar uma briga afirmando que eu era dele. Os olhos de Damien se endureceram mais uma vez, e ele se moveu ao meu redor tão rápido que mal tive tempo de registrá-lo. Eu gritei quando Damien e Dante colidiram, mas felizmente, durou apenas cerca de trinta segundos antes que todos os rapazes os separassem. Eu não tinha percebido que estava chorando até que a gritaria parasse e meus gritos pudessem ser ouvidos. "Eu disse pare!" Eu berrei. "Eu não quero que ninguém lute!" Ambos Damien e Dante estavam respirando como touros enfurecidos e olhando um para o outro. O nariz de Dante estava jorrando sangue, mas Damien não estava sangrando. Ele parecia como se ele fosse


melhor dos dois. Eu nem tinha certeza se eles ouviram uma palavra que eu disse, mas eu sabia que os outros o fizeram porque eu recebi uma carranca de cada um deles. "Você sabe o que?" Eu disse para os dois. ―Matem um ao outro porque eu não me importo. Eu tenho coisas maiores para me preocupar do que seus egos‖ Avancei, peguei minhas chaves da mão de Harley sem agradecer e me dirigi para o meu carro. "Alannah!" Damien gritou. "Por favor, espere. Eu sinto muito! Baby, espere!" Eu o ignorei. Entrei no carro, liguei o motor e saí da garagem. Dirigindo na direção da casa dos meus pais, não fiz nada além de chorar. Meu peito estava subindo e descendo rapidamente, e minhas mãos tinham um aperto de morte no meu volante. Eu estava furiosa e magoada. Sempre fodidamente machucada. Quando parei na frente da casa dos meus pais, fiquei contente de ver que o carro do meu pai não estava na entrada da garagem. Eu estava adiantada para o jantar, mas eu não queria voltar para o meu apartamento e ficar sozinha. Não depois do que aconteceu na garagem.

Quando saí do meu carro, tranquei e dirigi-me para a casa dos meus pais. O som da minha mãe cantando da cozinha trouxe um pequeno sorriso aos meus lábios. Ela sempre foi feliz e sempre olhou para o lado bom de tudo. Eu queria ser mais parecida com ela e não me debruçar sobre as coisas que me deixavam infeliz. "Alannah, é você, querida?"


Eu pendurei meu casaco na prateleira. "Sim, mãe, sou eu." "Brilhante", ela chiou. ―Você pode me ajudar com o jantar. Acabei de receber os legumes picados. Da acabou de ligar, e ele vai se juntar a nós esta noite. Não é ótimo? "Sim", eu repeti. "Ótimo." Eu me inclinei contra a parede e resisti à vontade de bater minha cabeça contra ela. Eu já tinha suportado uma conversa desajeitada com Dante e Damien hoje, bem como assistir a uma briga entre os irmãos teimosos, e agora eu tive que sentar em um jantar com meus pais e fingir que não sabia que meu pai estava dormindo com outra mulher. Segundas-feiras são uma merda.


―Alannah?‖ Eu olhei para cima. ―Hã?‖ Minha mãe sorriu para mim. ―Han, eu estou falando com você.‖ Ela estava? ―Desculpe, Mãe,‖ eu disse com uma risada forçada. ―Eu estava a milhas de distância.‖ Ela veio para o meu lado e me cutucou. ―É um homem que tem você com os pensamentos tão longe?‖ Eu olhei para ela, e no segundo que eu vi seu sorriso diabólico, eu ri. ―Você é como uma criança,‖ Eu provoquei enquanto eu cortava em cubos os peitos de frango. ―Isso não foi uma resposta‖, disse ela, balançando as sobrancelhas. Eu balancei a cabeça, divertida. ―Sim, é sobre um homem,‖ Eu disse então esclarecendo. ―Dois homens, na verdade.‖ ―Dois?‖ Mãe gritou. ―Certeza, minha querida?‖ Larguei a faca, inclinei a cabeça para trás e ri até meus lados doerem. Ela raramente falava gíria, mas quando fazia, era hilária. ―Não é tão excitante quanto parece,‖ eu assegurei a ela, ainda rindo. ―Na verdade, é completamente o oposto.‖ ―Diga-me tudo.‖ Eu estava feliz que minha mãe era o tipo de mãe que eu poderia contar tudo, e só por isso, me matou


ainda mais que eu estava mantendo o meu caso dela. Eu contei tudo a ela, mas não consegui colocar isso em seus ombros. Eu prefiro ser meu fardo para carregar do que o dela. "Você sabe Damien Slater, certo?" ―A pequena merda que tirou sua virgindade e fugiu do país quando você tinha dezoito anos?‖ Meus lábios se curvaram. "Sim." "O que tem ele?" "Eu lhe disse que ele voltou da América não muito antes do nascimento de Jax", acrescentei. "Certo?" "Sim." "Bem, o que eu não lhe disse é que ele tem tentado arduamente compensar o que ele fez quando éramos crianças. Ele tem sido muito legal comigo e não fez nada para me irritar. Ele me deu espaço e foi um cavalheiro versátil. ‖ "Mas?" "Mas." Eu suspirei. "Estou com medo de que algo de ruim aconteça novamente se eu deixar entrar. Da última vez, nós não éramos nem um casal, e ele realmente fez um grande número comigo. Estou com medo de que, mesmo sendo apenas seu amigo, vai doer, porque se ele pegasse outra mulher ... isso me mataria." Eu não podia mais negar meus sentimentos românticos por Damien, não depois do beijo que compartilhamos em seu trabalho. Eu sabia que no fundo eu sempre nutria sentimentos por ele, mas depois que caímos e ele saiu, minha mente fez todo o possível para encobrir esses sentimentos. Acho que eu


acreditava que se eu negasse o que realmente sentia por ele, então eu iria superá-lo. Isso claramente não funcionou muito bem. ―Então, você não quer ser amiga de Damien ou algo mais, porque tem medo de ficar magoada, mas também não quer que ele esteja com outra pessoa ... porque isso também te machucaria. " Fechei os olhos. ―Parece tão estúpido quando você diz isso em voz alta.‖ ―Não é estúpido, querida,‖ mãe assegurou-me quando ela colocou o braço em volta da minha cintura. ―É apenas lamentável que a pessoa de quem cuida é a pessoa que você também está com medo de que pode quebrar você.‖ Abri os olhos. ―Eu gostaria de poder estalar meus dedos e acabar com tudo ... é tão difícil." Uma voz na parte de trás da minha cabeça lembra de como me machuquei uma vez por causa de nossas ações quando tínhamos dezoito anos. E se eu superasse tudo e desse uma chance, e depois tudo desse errado? Eu não posso imaginar o quanto isso ia doer se eu o amasse e perdesse ele. Eu fico com ansiedade por isso. "Eu entendo isso, e essa preocupação é completamente válida ... mas também não é possível viver sua vida. Preocupar-se com algo que pode nunca acontecer é como tomar um gole de veneno a cada dia. Nada de bom virá disso. A única pessoa que você vai machucar é você mesma." "Eu sei." Eu balancei a cabeça. "Eu sei." "E sobre o outro rapaz?" Ma perguntou quando ela se abaixou e deu um tapa no meu traseiro.


Eu gritei quando ela se aproximou e sentou-se à mesa da cozinha. "O outro homem." Eu suspirei. "É Dante Collins." "Alguma relação com Aideen?" "Oh, só irmão mais velho." Ma assobiou. "Bem, você está fodida aí, amor." Eu não deveria ter rido, mas eu fiz. "Quer saber a pior parte?" Eu perguntei. "Eu estava com a pessoa em particular, e ninguém sabia, exceto o irmão de Dante, Harley, porque eles são o tampo um do outro, mas todo mundo descobriu quando eu disse a Damien depois que ele me convidou para almoçar na semana passada." "Oh, merda." "Oh merda é certo." Eu bufei. "Eu sou boa com Aideen, no entanto. Eu criei coragem para falar sobre isso esta tarde.‖ "Isso é bom", disse Ma. "Por que o irmão mais velho, embora?" ―Bem, Dante é exatamente como Damien costumava ser. Ele não entende a palavra compromisso, e ele é bonito demais e charmoso para o seu próprio bem. ‖Eu continuei cortando a comida. "Eu queria ver se eu poderia ter um relacionamento puramente físico com ele sem desenvolver um apego emocional ". "Você fez um teste de sexo no homem?" "Ma", eu gemi. "Não diga assim. Você faz parecer assustador. "Desculpe." Ela bufou. "Continue." "Eu só queria provar que a idade era a única razão pela qual Damien me afetou do jeito que ele fez."


"Mas agora você têm vinte e quatro anos e ainda sente o mesmo dano por Damien e a mesma atração ... certo?" Eu grunhi. "Certo." "Então, sua idade não era o problema, você acabou por ter uma forte ligação com o rapaz." Outro grunhido. "Eu acho." "Então, seu teste de sexo com Dante realmente não foi tão necessário." "Ma" "O quê?" Ela riu. "Eu só estou dizendo." Eu balancei a cabeça. "Sobre o teste, no entanto", ela continuou. "Isso realmente não provaria nada, a menos que o sujeito sexual fosse Damien. Você pode fazer sexo com muitos homens e deixá-los, mas você não seria capaz de provar nada a não ser que tenha feito sexo com Damien e deixado ele. Ele é o único que colocou você em nós, em primeiro lugar, então você teria que experimentar com ele para ver se sua teoria estava correta.‖ Minha boca caiu aberta. "Isso é exatamente o que Bronagh disse!" Ma sorriu. "Eu sempre disse que ela era uma garota brilhante." Eu balancei a cabeça. "Eu não estou fazendo sexo com Damien apenas para provar uma teoria." "Por que não?", Questionou Ma. "Você fez sexo com Dante para provar isso." Ela era uma esperta, mas uma esperta que fez total sentido.


"Isso é o suficiente sobre com quem eu faço sexo, muito obrigado." Ma riu, e isso trouxe um sorriso ao meu rosto. Eu a amava rir. "É tudo tão interessante", continuou ela. "Dois homens e apenas uma de você." "É pior porque Damien e Dante nunca se deram bem." "E agora eles se odeiam?" "Praticamente", eu disse. "Eles lutaram hoje por mim." "Espere", disse Ma com um piscar de olhos. ―Então, você está dormindo com o irmão mais velho de Aideen, e ninguém sabia sobre isso, mas agora todo mundo sabe sobre isso, e o homem que você claramente tem sentimentos por você sabe, e odeia o irmão mais velho, e lutou contra ele por você?" "Basicamente." Ma bateu palmas juntas. "Isso é como um episódio de Maury!" "Ma!" Eu ri. "Isso não é engraçado." "Claro que não", disse ela, cruzando as mãos no colo. "Por favor, continue." ―Não há nada mais a dizer.‖ Eu dei de ombros. "Eu e Dante vamos ser apenas amigos, e Damien quer falar comigo esta noite sobre tudo o que aconteceu entre nós, mas depois de ver os dois brigando por mim ... isso deixou um gosto ruim na minha boca." ―Dois homens lindos lutando contra o outro para ganhar seu coração é romântico.‖ Revirei os olhos. ―Você lê muitos livros de romance.‖


―Culpe Keela,‖ Ma respondeu. ―Ela recomenda-os todos para mim.‖ Eu ri. ―Você já leu o seu livro?‖ ―Sim, é maravilhoso. Você já?‖ "Não", eu respondi. ―Ela é tão protetora sobre isso. Ela tem muita dúvida; ela acha que vamos rir se lermos. Ela terminou há séculos e não está mais perto de publicá-lo. "É baby." Ma acalmou. "É um projeto que ela colocou sangue, suor e lágrimas. É normal ter medo, mas ela não deve deixar que o medo de que as pessoas gostem dele seja impedidoa impeça publicá-lo. " "Você disse isso a ela?" ―Claro,‖ Ma respondeu. ―Ela vai registar isso eventualmente. Ela só precisa de tempo. Roma não foi construída em um dia, depois de tudo ―. ―Eu espero que eu seja tão sábia como você, quando eu for mais velha.‖ ―Fique comigo, garota.‖ Ela piscou. ―Eu vou passar para você.‖ Eu ri. ―O frango está pronto.‖ Juntas, nós terminamos de preparar o jantar, revezando-se em cozinhar e temperar a comida. Nos trinta minutos que levamos para preparar tudo, eu nunca ri tanto na minha vida, e isso foi um grande negócio, considerando a frequência com que Alec Slater me quebrava. Mas minha mãe? Ela estava em outro nível de graça. "O meu abdômen está me matando", eu disse enquanto arrumava a mesa. Ma bufou. "Eu acho que nós duas precisávamos dessa risada."


"Eu sei que sim." Eu me sinto melhor. Depois da semana que eu tive, e no dia atual, especialmente, foi legal esquecer tudo e rir da minha mãe. Ela sempre soube o que dizer e fazer para me fazer sentir melhor. Continuamos contando piadas e rindo ... até a porta da frente se abrir. "Estou em casa, amor." Eu olhei para a minha mãe e vi quando um enorme sorriso apareceu em seu rosto quando meu pai entrou na casa. Ela rapidamente ajustou seu avental e bagunçou seus cabelos e correu para o corredor para encontrá-lo como se tivesse dezesseis anos e seu namorado apenas aleatoriamente parasse para uma visita. Se eu não soubesse o que era uma merda minha, eu teria pensado que o relacionamento dele com a minha mãe era perfeito, mas era unilateral. Minha mãe o adorava e ele retribuía esse amor e admiração ao dormir com outra mulher. Isso fez meu sangue ferver. "Alannah, amor," Da sorriu quando ele entrou na sala, os braços ainda em torno de minha mãe quando ela o abraçou com força, o rosto enterrado contra o peito. "Você chegou cedo".

Não havia nenhuma maneira na terra que eu estava dizendo a ele a verdadeira razão que eu estava aqui mais cedo, e eu sabia que minha mãe não faria qualquer um. Dei de ombros. ―Eu queria passar algum tempo com Ma.‖


Ele sorriu, olhou para minha mãe, e lhe deu um beijo. Meus dedos flexionados antes de se fecharem em punhos. Eu queria atacar o homem como um animal selvagem, e deixar nada para os pássaros, a única razão que eu não tinha feito isso foi por causa da minha mãe. Ela era a única razão. ―Você está pronto para comer agora?‖ Ma perguntou ao meu pai, recostando-se para que ela pudesse olhar para ele. Ela tinha a minha altura - um metro e cinquenta e cinco - e meu pai tinha um metro e noventa e quatro. Por alguma razão, minha mente o comparou a Damien porque eles tinham a mesma altura. Isso me aborreceu ainda mais porque eu desejei que eu pudesse dizer que Damien nunca iria trair um parceiro, mas depois de testemunhar a traição dos meus pais, destruiu a minha confiança em todos os homens. Da assentiu. ―Faminto‖. ―Perfeito,‖ Ma chiou, removendo os braços dele e virando-se para a comida. ―Vá lavar-se, e eu vou servir a comida.‖ Meu pai não precisou ser avisado duas vezes; ele saiu da sala, tirando o paletó, e pendurou-os no corredor no cabide. Deixei-o para usar o banheiro no andar de cima para lavar-se enquanto eu esperava que minha mãe terminasse na pia para que eu pudesse usá-la. Eu não queria ficar sozinha com o meu pai - eu tinha medo do que eu faria ou não diria a ele se estivesse. ―O que é esse rosto?‖ Olhei para minha mãe. ―Hã?‖


―Parece que você engoliu algo azedo‖, ela brincou. ―Só passando fome para este jantar. Cheira delicioso.‖ ―Sente-se,‖ Ma enxotou. ―Eu vou servir seu prato em primeiro lugar.‖ Eu fiz como me foi dito e tomei o meu lugar à mesa. Minha mãe colocou uma placa quente fumegante de frango salteados na minha frente, seguido por um pouco de arroz. Meu pai entrou na sala, e ela fez o mesmo para ele, antes de se juntar a nós com o seu próprio prato de comida. Nós inclinamos a cabeça, quando minha mãe agradeceu a Deus por nossa refeição, e quando ela terminou, meu pai ecoou seu amém. Eu permaneci muda. ―Como foi seu encontro?‖ Ma perguntou a meu pai, iniciando a conversa. ―Muito bom,‖ Da respondeu, levando uma mordida de sua comida. ―Este trimestre foi melhor do que o nosso passado, assim que as vendas estão melhorando de forma constante.‖ Eu desliguei enquanto discutiam negócios. Eu não me importava com o trabalho do meu pai, ou ele em geral, de modo a sentar e ouvir sobre o seu dia não estava no topo da minha lista de coisas a fazer. No entanto, para manter o rosto, eu tinha que suportar isso. Não importa o quão louco doente me fazia. ―Alannah.‖ Eu olhei para cima quando meu nome foi chamado. Eu engoli o pedaço de comida na minha boca. ―Hã?‖


"Eu perguntei como foi sua entrevista na semana passada", disse Da. "Sabe, a pessoa que você queria contratar para administrar seu negócio gráfico on-line, para que você pudesse se concentrar nos projetos que precisava criar." Olhei para o meu pai por um momento, surpreso por ele se lembrar da entrevista ou por se interessar pelo meu trabalho. Eu considerei dizer a ele para se foder, mas isso só causaria problemas. "Eu tive que reprogramar", eu disse, olhando para o meu prato enquanto eu colocava mais comida no meu garfo. "Está tomando lugar amanhã em vez disso." Eu praticamente coloquei minha comida na boca, esperando que isso impedisse que meus pais me fizessem mais perguntas. Por sorte, a conversa pelos trinta minutos restantes do jantar foi entre meus pais, e eu só tive que dar uma resposta quando eles fizeram uma pergunta do meu jeito. Depois, coloquei todos os pratos na lava-louças, limpei a cozinha e juntei-me aos meus pais na sala de estar. Desde o segundo em que entrei na sala, senti que algo estava errado. Eu parei na porta. ―Entre, querida.‖ Ma sorriu, embora eu podia ver ela tensa. ―Sente.‖ Ela fez um gesto para eu me sentar no sofá que os encarava, então com uma sobrancelha levantada, eu fiz o que ela pediu. ―Está tudo ok?‖ Meus pais trocaram um olhar, e imediatamente, eu sabia a resposta para a minha pergunta não era. ―Ma?‖ Eu solicitei. ―O que está errado?‖


Ela olhou para mim. Seus olhos estavam agora cheios de lágrimas, e isso fez com que meu estômago se revirar. ―Oh, Deus‖, eu sussurrei. ―É Nanny? Granda? Brogan?‖ ―Não, não‖, disse Ma rapidamente, enxugando os olhos. ―Todo mundo está bem. Nanny, Granda, e Brogan estão perfeitamente bem.‖ Brogan era minha prima, e ela tinha apenas seis anos de idade. Ela tinha vivido com os meus avós desde que seus pais, minha tia e meu tio, faleceram em um incêndio em casa quando ela tinha apenas alguns meses de idade. Eles viviam em County Offaly, de modo que só os vi ocasionalmente, mas fiquei aliviada ao ouvir que eles estavam todos bem. ―Então o que há de errado?‖ Eu pressionei. ―E não me diga nada. Eu posso ver isso em seus olhos, Ma.‖ Meu pai agarrou a mão de minha mãe quando ela quebrou, e meu coração caiu para a boca do estômago. "Oh Deus", eu disse a mim mesmo, segurando a almofada do sofá apenas para que eu tivesse algo para segurar. O que quer que meus pais tivessem que me dizer, era ruim. ―Sinto muito,‖ Ma choramingou. ―Eu não quero ser uma chorona. Prometi que eu não iria chorar.‖ ―Hey.‖ Da franziu a testa. ―Você não é nada do tipo; você não controlar suas emoções.‖ Olhei para eles e praticamente explodi. ―Diga-me o que está acontecendo!‖ Eu exigi. ―Agora mesmo.‖


Ma fungou. "Precisamos te contar uma coisa, mas, por favor, não tenha medo." Olhei de minha mãe para meu pai e vice-versa. É sobre o seu caso? Ela sabe? Eles estão prestes a me dizer sobre isso? ―Antes de dizer qualquer coisa―, disse Ma com uma expressão tão severa quanto ela poderia dizer, "Eu quero que você sente e ouça até terminarmos de falar. Eu não quero que você se preocupe." Eu estava além de preocupada. ―Diga-me,‖Eu quase engasguei. ―Por favor.‖ O lábio inferior de Ma vacilou, e depois de uma longa pausa, ela disse: ―Eu estou doente.‖ Meu coração parou. ―Doente?‖ Ela assentiu com a cabeça e fungou, lágrimas caindo sobre suas bochechas. ―Como doente?‖ Eu perguntei, minha voz quase um sussurro. ―Como doente, mãe?‖ "Eu não tenho me sentido muito bem nas últimas semanas, então fui ao meu médico, e ele me aconselhou a ir ao hospital para fazer alguns exames depois que ele encontrou algo durante um exame." O que ele achou? Coloquei minha mão sobre a minha boca e olhei para minha mãe com o que eu sabia que era terror em meus olhos. Meu estômago se contorceu em nós e comecei a tremer. "Você está bem, certo?", Perguntei, com a voz embargada. "Não é nada sério?"


Ela olhou para o meu pai, e suas lágrimas continuaram a cair quando ele a puxou com força contra ele e passou os braços ao redor dela. "Da!" Eu quase rosnei seu nome. "Conte-me." Ele trancou os olhos em mim e eu vi a tristeza que morava dentro deles. "Câncer", ele disse asperamente. "Ma tem câncer de mama." O ar foi arrancado dos meus pulmões no segundo em que ele pronunciou as palavras. Um barulho alto encheu meus ouvidos, uma dor se enraizou no meu peito, e uma repugnante sensação de náusea me atingiu como uma tonelada de tijolos. "Não", eu choraminguei. "Não, ela não tem." Minha mãe se afastou do meu pai e veio até mim quando eu desmoronei. Nós abraçamos um ao outro e apenas seguramos a nossa vida enquanto chorávamos. Minha mãe estava me balançando, tentando me acalmar, quando eu deveria ter sido o única confortando-a e assegurando-lhe que tudo ficaria bem. O choro fez com que ela se sentisse desconfortável, então ela pediu licença e foi ao banheiro para se ajeitar e se limpar. Eu tive que me forçar a não ficar doente. "Quando vocês dois descobriram?" "Última terça-feira", Da respondeu. Minha postura ficou rígida. Minha mãe tinha câncer, e ele sabia disso, e ele ainda ... ele ainda estava traindo ela. "Vai ficar tudo bem, amor ..." "Não me toque!" Eu bati na mão da minha quando ele pegou minha mão.


Sua boca caiu aberta em choque quando ele olhou para a mão como se fosse uma segunda cabeça. "Amor." Ele franziu a testa. "Qual é o problema?" "Você sabe muito bem, seu pedaço de merda." Ele engasgou no ar. "Alannah!" "Você sabe o que?", ele exigiu, baixando a voz e olhando para a porta. "Do que você está falando, Alannah?" Eu queria bater nele por parecer tão confuso; ele não tinha o direito de fingir que estava no escuro. ―Eu sei sobre essa vagabunda que você está vendo pelas costas de Ma!‖ Vi quando o sangue sumiu do rosto de meu pai, e uma expressão perto de terror tomou conta. ―Sim‖, eu zombei. ―É melhor você ter medo.‖ ―Não diga nada‖, suplicou ele, seus olhos correndo de mim para a porta e de volta. ―Agora não.‖ ―Você é doente‖, eu disse a ele. ―Você é mais baixo do que isso.‖ ―Eu sei.‖ Ele balançou a cabeça, engolindo. ―Eu sei.‖ "Por quê?" Eu exigi, um nó se formando na minha garganta. ―Por que você iria querer alguém que não fosse a mãe? Aquela mulher adora o chão em que você anda." "Eu sei que ela faz", ele cortou. ―Eu sei, ok? Foi um momento de fraqueza." Sentei-me e ri sem humor. "Alannah", ele implorou, suas mãos agora tremendo. "Por favor, não diga a sua mãe." "Eu poderia matar você", eu disse, meus dedos flexionando quando eu fechei minhas mãos em


punhos. "Eu poderia matar você aqui e agora, e eu não sentiria um único pingo de remorso." Meu pai olhou para mim, seus olhos sem piscar. ―Urso-‖ ―Não se atreva a me chamar assim!‖ Ele se encolheu com a frieza no meu tom. ―Por favor, baby‖, ele resmungou. ―Por favor, eu sinto muito.‖ ―Eu te odeio por isso‖, continuou. ―Eu te odeio.‖ O pomo de Adão balançou, sua pele pálida, e eu podia jurar que vi sua ruptura cardíaca direita a partir de mim. Ele teve que apertar as mãos para impedi-los de tremer. ―Eu sinto muito.‖ Eu levantei meu queixo. ―Você nunca vai se arrepender o suficiente.‖ ―Eu terminei‖, ele calmamente exclamou. ―O dia que eu fui para o hospital com sua mãe, e descobrimos que ela estava doente, eu terminei. A possibilidade de perder sua mãe para me fazer ver que ela é a única mulher que eu amei e amarei. Ela é minha primeira prioridade, e ao seu lado ela é meu mundo inteiro. Ela é, Alannah. Eu juro para você. Eu amo mais do que a vida." Eu olhei para ele, ódio fluindo em minhas veias como sangue. "Não diga", ele repetiu. "Eu estou implorando a você." "Você não merece" . ―Você está certa, eu não mereço,‖ Da freneticamente concordou, sacudindo seus olhos para a porta a cada poucos segundos. ―Mas por favor não


diga nada. Ela precisa se concentrar no tratamento e superar esta doença, Alannah ―. A raiva passou por mim. ―Como você se atreve!‖ Eu bati. ―Como você ousa lutar para me manter quieta!‖ ―Alannah!‖ Da quase rosnou. ―Me odeie tanto quanto você quiser, mas não traga mais dor a sua mãe do que o necessário.‖ ―Eu?‖ Eu sussurrei, incrédula. ―Eu não fiz nada! Você é o traidor punheteiro enfiando seu pau na outra mulher.‖ A mandíbula dele caiu. ―Eu nunca tive relações sexuais com Olivia.‖ Olivia. Era o nome da vagabunda. ―Eu não acredito em você.‖ "Na minha vida, eu não, Alannah." Ele jurou. ―Nós nos beijamos e nos tocamos, mas nunca foi tão longe quanto sexo. Não é desculpa, e ainda é uma completa traição à confiança de sua mãe, mas sua mãe ... ela é a única mulher com quem eu já tive contato íntimo. É ela desde que eu tinha dezessete anos." "Foi ela até você conhecer aquela vagabunda." O corpo inteiro de Da caiu. "Eu sempre lamentarei por ter quebrado a confiança de sua mãe. Eu irei, Alannah, mas por favor, pense no que dizer vai fazer quando precisarmos estar mais fortes." Comecei a tremer de raiva. "Você é um covarde", eu disse a ele. "Você é um maldito covarde." Ele engoliu em seco, seu pomo de Adão balançando. "Eu sei."


Ouvi passos descendo as escadas e senti os olhos da minha queimarem em mim com um último apelo para manter a boca fechada. Eu o ignorei e foquei na minha mãe quando ela entrou na sala. Seus olhos estavam apenas ligeiramente vermelhos, e ela tinha um sorriso no lugar em seu belo rosto. Ela olhou diretamente para mim e descobriu que eu já estava olhando para ela. Ela veio para o meu lado, sentou-se e colocou a mão no meu joelho. "Estamos indo para passar por isso", ela me disse, com as costas retas. "Não há nada que nós três não possamos bater juntos." Nós três ... juntos. Porra. Quando ela me abraçou, eu olhei diretamente para meu pai, e quando eu lhe dei um leve aceno de cabeça, ele praticamente esvaziou com alívio. Virei-me, fechei os olhos, e foquei em minha ma. Gostaria de manter o segredo angustiante do pai para minha mãe por um pouco mais porque ele estava certo sobre uma coisa: precisamos dela para se concentrar em lutar contra a doença, não sobre ele e sua traição. ―Eu te amo tanto, Mammy.‖ Ela me apertou com força. ―Te amo mais, bebê.‖ O medo envolveu-se em torno de mim. Por favor, Deus, pensei. Não a leve de mim. Eu nunca tinha conhecido o desamparo total e absoluto até aquele momento.


Quatro horas atrás, descobri que minha mãe tinha câncer de mama. Depois do choque inicial, meus pais me explicaram que isso foi detectado em um estágio inicial. O tratamento começaria em breve, e a taxa de sucesso da remissão também era maior. Nada disso me confortou porque, no final do dia, minha mãe tinha câncer, e o único propósito do câncer era matar seu hospedeiro. Aquele anfitrião era minha mãe. Eu tinha ficado na casa dos meus pais conversando e chorando enquanto tentava aceitar as novidades que mudam minha vida. Quando minha mãe começou a mostrar sinais de fadiga, eu fiz uma desculpa que eu tinha que sair para que eu pudesse ir para casa e me preparar para a minha entrevista de negócios no dia seguinte. Isso agradou minha mãe porque ela queria que eu continuasse como de costume, mas a partir do olhar nos olhos do meu pai, ele sabia melhor. Eu me encontrei do lado de fora da porta da frente da casa de Bronagh e Nico não muito tempo depois de deixar meus pais. Não era muito tarde, fechando às nove da noite eu tive que estacionar na estrada porque o carro de Kane estava na entrada ao lado de Nico, e o carro da Ryder estava atrás de ambos, não deixando espaço para ninguém. Mesmo que eu tivesse uma chave, bati na porta e esperei. Keela abriu a porta e sorriu quando me viu, mas o sorriso dela caiu do rosto.


"O que está errado?"

Eu não poderia responder a ela eu andei por ela e ouvi fechar a porta atrás de mim e rapidamente seguir-me para a sala de estar, onde todos estavam. E por todos, quero dizer todos. Jax estava dormindo nos braços de sua mãe, e Locke estava dormindo em sua mãe. Não havia nenhum sinal de Georgie, então eu assumi que ela já estava em seu quarto dormindo em seu berço. Nico teve seu monitor do bebê em sua mão, para que ele pudesse vê-la e ouvi-la se ela acordasse. ―Bem, bem,‖ Alec anunciou quando seus olhos brincalhões pousaram nos meus. ―Olha quem decidiu mostrar seu rosto.‖ Eu não lhe poupei um olhar; em vez disso, me concentrei em minha melhor amiga cujos olhos estavam em mim enquanto ela lentamente ficou de pé. ―Alannah‖, Bronagh disse devagar, atraindo a atenção de todos que eu não estava bem. ―O que está errado?‖ Por um momento, eu não podia falar, e então, de alguma forma, eu consegui dizer as palavras que eu sabia que iriam assolar meus sonhos. ―Minha mãe,‖ Eu disse asperamente enquanto me preparava para dizer as palavras que nenhuma criança queria dizer. ―Ela tem câncer.‖ Todo mundo prendeu a respiração chocada, mas isso não me surpreende. O que me surpreendeu foi que a primeira pessoa a chegar a mim, para me reunir em seus braços e me segurar não era Bronagh. Foi


Damien, e, naquele momento, não havia nenhum outro lugar que eu queria estar. Coloquei meus braços ao redor de sua cintura e enterrei meu rosto em seu peito enquanto soluços irromperam de mim. Eu não tinha certeza quanto tempo fiquei nos braços de Damien, mas, eventualmente, ele me mudou para um sofá agora vazio. Ele sentou-se à minha esquerda com o braço ainda firmemente em torno da minha cintura enquanto Bronagh sentou-se à minha direita. Inclinando a cabeça contra a minha, ela me abraçou. ―O que aconteceu?‖ ―Fui até a casa deles para jantar, como faço toda segunda-feira.‖ Eu chorei. ―Eu fui cedo hoje porque Dante e Damien brigaram na garagem, e eu não queria ir para casa e ficar sozinha depois disso ... Eu queria ver mamãe, então eu dei a volta e ajudei com o jantar." Damien me deu um aperto, e eu sabia que era um pedido silencioso de desculpas por sua luta com Dante. ―Tivemos a melhor risada que tivemos juntas em um longo tempo.‖ Eu sorri, meu lábio oscilando. ―Ela estava me irritando e estava sempre feliz. Isso mudou depois do jantar quando ela e meu pai sentaram-se na sala ―. Outro aperto de Damien. ―Eu sabia que era algo ruim‖, eu disse, recordando as expressões preocupadas em seus rostos. ―No início, eu pensei que algo poderia ter acontecido com meus avós ou Brogan. Nada poderia ter me preparado para o que estavam prontos para me dizer. Eu não estava


esperando para saber que ela tinha câncer de mama. Eu não tinha ideia. Nenhuma.‖ Bronagh colocou a mão na minha e segurou-a com força. "Quando eles me disseram, minha mãe deixou a sala para limpar-se, eu acabei de ficar um pouco louca com meu pai." Bronagh engasgou. ―Você o enfrentou sobre o caso?‖ "Eu fiz, tudo o que eu mantive dentro de mim transbordou." Eu engoli em seco. " Silêncio. Bronagh acariciou o polegar sobre a minha mão. "O que ele disse?" "Que ele se arrependeu." Eu bufei sem humor. ―No segundo em que ele descobriu que a mãe tinha câncer, ele terminou. Que a possibilidade de perder fez com que ele percebesse o quanto ele estava errado e que ela é a única pessoa que ele poderia amar e querer." Damien murmurou: "Você não acredita nele?" ―Não‖, eu respondi. ―Eu não. Se ele a amava, em primeiro lugar, ele nunca teria olhado para outra mulher, muito menos ter um relacionamento com ela. Ele jurou a Deus que eles nunca tiveram relações sexuais, mas, mesmo se não o fizessem, ele ainda a traiu. Ele quebrou os votos que ele fez para ela ―. ―Sua mãe sabe?‖ Alec perguntou. Olhei para ele e balancei a cabeça, desenhando uma carranca para ele. ―Ele me implorou para não dizer a ela. Ele me pediu para não dizer". Eu ri. "Ele disse que precisamos nos concentrar em seu tratamento e, se eu disser, não vai ajudar."


―Aquele desgraçado manipulador!‖ Aideen fez uma careta. ―Ele está usando a situação para esconder seus erros.‖ Eu solenemente concordei. ―Eu sei, mas tanto quanto me dói admitir isso, ele está certo.‖ ―Como assim?‖ Bronagh interrogou. ―Se eu disser a mãe sobre o caso, ela vai quebrar, e eu não acho que ela vai querer vencer o câncer." ―É claro que ela vai,‖ Damien balbuciou. ―Ela vai querer viver.‖ "Você não entende", eu chorei. ―Ela adora o meu pai. Ela está tão apaixonada por ele, Damien. Se eu disser, isso vai estragar." Silêncio. ―Tudo o que você decidir fazer,‖ Bronagh tranquilizou. ―Nós vamos apoiá-la totalmente.‖ ―Obrigado‖, eu reconheci. ―Isso significa muito.‖ ―Vou fazer o chá‖, Branna anunciou. Esta foi uma situação que o chá não poderia fazer melhor. ―Não‖, eu disse rapidamente, ―Eu não vou ficar.‖ Ela franziu a testa para mim. ―Mas, Alannah-‖ ―Eu realmente só quero ir para casa, Bran.‖ A carranca de Branna ficou no lugar enquanto ela acenou para mim. ―Eu pensei que você deveria ter os bebês até agora? Na segunda-feira, quando eu vi pela última vez, você disse que estava ficando induzida em quatro dias, mas que veio e se foi.‖ ―Meu médico mudou as datas de última hora. Eu estou com trinta e oito semanas, de modo a qualquer


momento para tê-los é um bom momento.‖ Ela colocou a mão em sua barriga grande. ―Estou ficando induzida nesta sexta-feira em definitivo, se eu não entrar em trabalho antes disso.‖ Eu sorri. ―Isso fez meu dia de merda muito melhor.‖ Ela piscou para mim, mas ela não conseguia esconder a preocupação que eu sabia que ela sentia por mim. Eu não queria preocupá-la ainda mais, então fiquei de pé, a ação fazendo com que os braços de Damien e Bronagh se afastassem de mim. "É melhor eu ir embora." Todo mundo estava franzindo a testa para mim, e eu odiava isso. Eu não queria pena de ninguém, mas sabia que recebi dez vezes. Bronagh ficou de pé. "Eu vou sair com você." Eu disse adeus a todos e ela segurou minha mão quando chegamos à porta da frente. "O que eu vou fazer?" Perguntei a ela. "Eu não posso perdê-la, Bronagh. Eu não posso." "Você não vai", disse ela com firmeza. "Não há uma chance de sua mãe não vencer isso." "Mas há", eu choraminguei. "Há uma chance de ela não sobreviver." "Olhe para mim", ela ordenou, e quando eu fiz, ela se inclinou e beijou minha bochecha. "Ela ficará bem." Eu balancei a cabeça, repetindo isso repetidamente em minha mente. "Estou chegando para passar a noite com você", acrescentou. "Dê-me um minuto para pegar as roupas."


"Não", eu disse a ela. "Fique com a sua família. Eu sei que já tive muito, mas estar sozinha quando as coisas ficam demais para mim é exatamente o que eu preciso. ‖ Ela não estava feliz com a minha decisão, mas ela não discutiu comigo. Ele fez, no entanto. "Com licença, Bee." Bronagh se afastou quando Damien entrou no corredor, e eu recuei quando ele se aproximou de mim. "Eu vou ficar a noite." Eu tinha certeza de que minhas sobrancelhas chegavam ao meu couro cabeludo. "Com licença?" "Você tem um quarto de hospedes", disse Damien, seus olhos cinzentos presos nos meus. "Eu estou dormindo lá." Olhei para Bronagh, e ela parecia tão chocada quanto eu me sentia, mas ela não disse nada. Voltei minha atenção de volta para Damien. ―Eu não acho que é uma boa ideia.‖ Ele encolheu os ombros. ―Eu ainda vou ficar a noite.‖ Uma parte de mim ficou chocada com sua audácia, enquanto outra parte de mim gostou. Uma semana atrás, se ele tivesse feito tal pedido, eu teria argumentado com ele até que eu estivesse com o rosto azul, mas esta noite ... nenhuma luta ficou em mim. Eu não quero discutir mais com ele, então eu cedi. ―OK.‖ Bronagh quase caiu em cima da minha aceitação, mas ela não disse nada. Ela ficou muda quando ela olhou para trás e para frente entre Damien e eu.


―Bom‖, Damien disse com um aceno de cabeça. ―Eu não preciso de nada, para que possamos ir.‖ Roboticamente, eu disse adeus a Bronagh, abraçando-a firmemente antes de me virar para longe dela, em seguida, juntamente com Damien, desci o caminho e subi no meu carro. Eu coloquei minha chave na ignição, afivelei o cinto de segurança, mas antes de eu colocar o carro em marcha, eu olhei para Damien no lado do passageiro do carro. ―Isso é uma boa ideia?‖ Ele se concentrou em mim. ―Só por enquanto, esqueça tudo o que foi dito entre nós na semana passada e tudo o que aconteceu hoje. Eu sei que as montanhas precisam ser movidas para que façamos as coisas certas, mas esta noite, deixe-me estar lá para você. Por favor." Foi a primeira vez em muito tempo que eu não precisei ter o braço torcido para estar na companhia de Damien. "Obrigado", eu disse a ele. "Eu não tenho certeza de como estou me sentindo agora, para ser honesta com você, mas eu realmente aprecio você querer me ajudar." "Eu tenho você", disse ele, a promessa em suas palavras não vai mal. "Vocês é minha sardas." Essas três pequenas palavras envolveram-se ao redor do meu coração ferido e, para minha imensa surpresa, me fizeram sentir um pouquinho melhor. Eu olhei para a frente, depois para Damien. ―Você pode dirigir?‖, Perguntei. ―Vou colocar-nos em uma vala. Minha mente está em outro lugar.‖


Nós mudamos de posição e, em um silêncio confortável, ele nos levou para o meu apartamento e estacionou meu carro em seu local designado. Enquanto nos dirigíamos para a minha casa, Damien deixou-me mostrar o caminho porque ele nunca tinha estado no meu apartamento antes. Eu sabia que ele tinha estado em Kane e Aideen, mas ele nunca esteve no meu andar, então ele não tinha certeza de qual apartamento era meu. Quando nos aproximamos da porta do meu apartamento, senti os olhos dele em mim, então olhei por cima do ombro e, para minha surpresa, os olhos de Damien estavam no meu traseiro. Ele olhou para mim, como se sentisse o meu olhar sobre ele, e em vez de ficar envergonhado por ser pego de surpresa, ele simplesmente sorriu para mim e encolheu os ombros largos. Eu rapidamente virei meu olhar para frente, sentindo minhas bochechas queimarem. Quando entramos em minha casa, acendi as luzes e fui ligar o aquecimento central. Quando entrei na cozinha, Damien já tinha a chaleira ligada e estava enchendo-a com água. Deixei-o e fui para o meu quarto para colocar meu pijama. Eu tinha acabado de mudar quando, do nada, comecei a chorar. Cobri meu rosto com as mãos e solucei. O rosto da minha mãe encheu minha mente, e o pensamento de perdê-la era insuportável. Isso machuca. Eu estava tão perdida em preocupação e devastação que nem sequer pestanejei quando o colchão afundou ao meu lado e os braços em volta do meu corpo.


Damien deu um passo adiante; Ele me puxou em seu colo e me abraçou contra ele. Eu podia ouvi-lo sussurrando palavras em meu ouvido, mas eu não conseguia percebê-las com meus gritos. Ele me segurou e eu deixei tudo para fora. ―Me desculpe,‖ eu chorei. ―Eu não quero ser uma bagunça chorona'.‖ "Hey", disse Damien com firmeza, pressionando os lábios contra a minha testa. ―Se você precisa chorar, então chore. Eu não estou indo a lugar nenhum." Eu não deveria ter sido consolada por essa afirmação, mas eu estava. Eu não tinha certeza de quanto tempo ficamos assim, eu chorando e Damien me consolando, mas, eventualmente, me sentei e respirei fundo. Eu tive que ficar junto. Sempre que algo dava errado na minha vida, minha reação era chorar e sentir pena de mim mesma, mas era uma corrente que eu tinha que quebrar. Olhei para Damien, e com a luz do corredor, eu só pude ver parcialmente seu rosto. Sem pensar, estendi a mão e puxei seu cabelo. "Quando éramos crianças", murmurei, "eu estava convencida de que você descoloria seu cabelo." Quando ele sorriu, minha respiração ficou presa. "Por quê?" "Porque." Dei de ombros, soltando minha mão. ―Você tem o mesmo rosto de Nico, mas uma cor de cabelo diferente. Eu percebi que você não era idêntico se seu cabelo era realmente tão leve quando ele estava tão escuro. "Você não acha que somos idênticos?" Eu considerei que então respondeu: "Sim e não".


"Explique." "Vocês dois têm exatamente o mesmo rosto", comecei, "mas quando olho para você, não vejo Nico. Parece estúpido, eu sei, mas sempre que você usava um chapéu na escola e tentava enganar outras pessoas, você nunca poderia me enganar. "Hmm", Damien refletiu. "Eu lembro disso. Você sempre ficaria tão contente que eu não poderia enganá-la. Eu assenti. "Eu ficaria feliz." Damien me deu um aperto e encostou a testa na minha. Meu coração começou a bater com o contato, e meu corpo começou a tremer com a pequena ação de intimidade. "Você era perfeita para mim então", ele sussurrou. "E você é perfeita para mim agora." Eu fechei meus olhos. "Devemos ir para a sala de estar." ―Antes de nos metermos em apuros?‖ À menção da palavra problema, fui trazida de volta à nossa noite juntos quando lhe pedi para ter problemas comigo pouco antes de fazermos sexo. Eu fiquei sóbrio, abri os olhos e fiquei de pé. "Sim", eu respondi. "Antes de nos metermos em apuros." Hoje cedo, perdi todo o caso racional quando Damien estava perto de mim. Isso foi em um beijo que me confundiu mais do que eu já estava. Se eu tivesse outro momento assim em um quarto com ele, os problemas teriam lugar mais uma vez. Eu não era estúpida o suficiente para pensar que eu era emocionalmente estável para lidar com isso.


"Você quer um pouco de chá?" Ele perguntou quando nos aproximamos da cozinha. "Eu liguei a chaleira." Eu ri. ―O que é tão engraçado?‖, Ele perguntou, e eu ouvi o sorriso em sua voz. Entrei na cozinha, me apoiei no balcão, e cruzei os braços sobre o peito enquanto eu me virava para encará-lo. ―Perguntar se eu ou as meninas querem um pouco de chá é algo que você e seus irmãos dizem muito‖, eu meditei. ―Eu acho que vocês todos foram corrompidos.‖ "O chá acalma as mulheres", brincou Damien. "Essa é a única razão pela qual oferecemos tanto". Eu sorri e balancei a cabeça, divertida. Eu assisti como Damien me fez uma xícara de chá, e fiquei surpresa quando ele adicionou três açúcares e apenas a quantidade certa de leite sem precisar ser informado. Eu me perguntei se ele tinha me visto tomar chá na casa de Branna ou Bronagh antes. A ideia de ele me observar causou um arrepio ao longo da minha espinha. Peguei alguns biscoitos e pratos, enquanto Damien também preparava uma xícara de chá, depois levou os dois copos para a sala de estar. Depois que tudo estava na minha mesa de café, liguei a televisão e me ocupei com ela para fazer alguma coisa. De repente eu estava ciente de que Damien estava no meu apartamento, e eu não sabia o que pensar ou como me sentir sobre isso. Por muito tempo, eu estava tão


interessada em bloqueá-lo, mas esta noite, eu não queria isso. Eu queria ele lá. "Alannah?" Eu me assustei. "Sim?" "Fale comigo", disse Damien, achatando as mãos em suas coxas grossas. "Você parece que vai enlouquecer." "Eu faço?" Eu pisquei. "Eu me sinto bem." Ele levantou uma sobrancelha. "Não minta." Meus ombros caíram quando levantei meus joelhos para o meu peito e passei meus braços ao redor deles. "Na semana passada, estive dizendo que havia uma razão para termos terminado do jeito que fizemos", comecei. ―Tenho que lembrar o que aconteceu entre nós; caso contrário, farei algo estúpido.‖ "Algo estúpido ... como me beijar de volta quando eu te beijo?" Engoli. "Precisamente." "Alannah." Damien suspirou quando ele se inclinou para frente e descansou os cotovelos sobre os joelhos. "Vou esperar até que você tenha tempo para absorver as notícias da sua mãe, mas quero que você saiba que o que aconteceu entre nós é o nosso passado, mas não precisa ser o nosso futuro". Eu gemi e descansei minha testa sobre meus joelhos. "Afinal, o que isso quer dizer?" ―Isso significa‖, ele continuou, ―que as coisas mudam. Pessoas mudam. Situações mudam. Só porque algo de ruim aconteceu entre nós antes não significa que isso vai acontecer novamente.‖ Isso foi um grande e poderoso se.


Eu inclinei minha cabeça para trás, descansando na grande almofada atrás das minhas costas. "Estou com medo", eu disse em voz alta. "Sobre sua mãe?" "Sobre tudo", eu respondi. ―Minha mãe, meu negócio ... você. Apenas tudo." "Agora, vamos nos concentrar em sua mãe. Consertar as coisas entre nós pode acontecer mais tarde e, assim, lidar com o seu trabalho.‖ Fechei os olhos com a menção de trabalho. ―Eu tenho uma entrevista com um rapaz que se candidatou a mim como assistente de emprego amanhã. Eu estraguei tudo na semana passada, e não posso adiar a entrevista de novo, porque estou preocupada. Ele foi a única pessoa que aplicou, e de acordo com sua experiência anterior, ele realmente sabe do que está falando, e eu preciso disso. Preciso de alguém para lidar com o lado comercial, para poder desenhar e pintar. "Ok, então uma vez que você tire a entrevista do caminho, você pode respirar um pouco melhor?" Eu assenti. "Então nos preparamos para isso", disse ele, esfregando as mãos juntas. "Com o que você precisa de ajuda?" Eu não respondi. Abri os olhos e olhei para o teto. "Por que você está aqui, Damien?" "Eu te disse no carro", ele respondeu. "Você é minha, Sardas." "Eu não sei o que isso significa." "Isso significa que eu tenho você. Sempre."


Eu olhei para frente e o encontrei olhando para mim intensamente. "Eu não sei porque", eu disse a ele. "Eu não tenho ideia do porque você quer fazer isso comigo. Eu fui horrível para você desde o momento em que você voltou para a Irlanda.‖ "Você está de brincadeira?" Eu brinquei. "Eu pareço que estou fazendo piadas?" "Essa é a coisa mais idiota que eu já ouvi você dizer." Minha boca caiu aberta. "Com licença?" "Perguntar por que eu gostaria de ter alguma coisa a ver com você não faz sentido para mim", ele respondeu. ―Você não estava sendo horrível, você estava sendo precavida. Há uma diferença." Eu olhei para baixo. "Eu fui terrivelmente rude com você." "E veja como você está chateada sabendo disso", ele disse suavemente. "Você não é uma pessoa má, sardas. Você não tem um osso ruim em seu corpo, então quando você se parece com algo parecido com alguém rude, todo mundo sabe que você tem uma boa razão para se comportar dessa maneira.‖ "E você acha que a razão foi justificada?"

―E então alguns.‖ Damien assentiu com firmeza. Eu esfreguei minha cabeça. ―Eu não posso dizer se você está mentindo ou não.‖ ―Eu não minto quando se trata de você.‖ Com isso, eu bufei.


―Todo mundo mente sobre alguma coisa.‖ "Eu contei uma mentira sobre você, e é a maior mentira que eu já contei e meu maior arrependimento." Eu podia ouvir meu coração batendo em meus ouvidos. ―Qual foi a mentira?‖ Damien soltou um suspiro. ―Você está pronta para ouvir isso?‖ Não. Eu mal consegui um aceno de cabeça. ―A maior mentira que eu já disse foi aquela noite na escuridão quando eu lhe disse que não queria mantêla.‖ Não é que eu não posso mantê-lo, Lana; É que eu não quero. Meu coração bateu no meu peito, e minha boca secou. Palavras que me tinha assombrado por anos, de repente não eram verdadeiras e não tinham significado. Eu não sabia como processar isso. ―Você não sabia que se encaixaria nisso.‖ ―Não‖, ele concordou, ―mas se era por dias ou anos, eu ainda te machuquei, e eu me odeio por isso.‖ Eu fiz uma careta. ―Bem, eu não odeio você.‖ O olhar de surpresa no rosto de Damien era um que eu nunca esqueceria. ―Você não?‖ "Damien", eu comecei. "Se eu realmente te odiasse, então eu não teria ficado tão chateada com tudo o que aconteceu entre nós. Eu só fiquei brava com você, com a situação. Isso pode parecer ódio às vezes, mas foi apenas raiva."


―Foi a raiva ou a raiva?‖ ―Eu não tenho certeza.‖ Eu engoli. ―Eu sei que você está triste por tudo isso, você já disse isso tantas vezes e mostrou o suficiente desde que você voltou, mas eu simplesmente não consigo estalar meus dedos e fingir que tudo está bem. Eu gostaria de poder, mas eu não posso.‖ ―Está tudo bem‖, disse Damien, lambendo seu lábio inferior, seus olhos jamais se afastaram dos meus. ―Eu tenho o tempo de espera para você decidir.‖ Pisquei. ―Decidir o quê?‖ ―Se você quer estar comigo.‖


No momento em que abri os olhos naquela manhã, eu estava ciente dos eventos do dia e da noite anterior. Eu havia deixado meu apartamento depois de estar enfiada por sete dias no meu apartamento, e nas poucas horas que se seguiram, a minha vida mais uma vez virou de cabeça para baixo. Damien tinha me beijado até que eu não conseguia ver direito, ele lutou com Dante, mais uma vez, e descobri que minha mãe tinha câncer de mama, e Damien, de todas as pessoas, foi quem passou a noite comigo só para eu não estar sozinha. Eu estava em um estado permanente de confusão sobre aquele homem. Eu tinha ido de não saber o que ele queria de mim para ele, dizendo que iria esperar por mim para decidir se eu queria estar com ele ou não. Estar em um relacionamento estável com ele. Ele me disse que mentiu quando disse que não me queria quando tínhamos dezoito anos. As palavras que me assombravam dia e noite durante anos eram repentinamente falsas. Ou pelo menos ele disse que eles eram. Eu ainda estava em estado de choque por tudo isso. Eu não sabia como processar o que ele estava dizendo ... o que ele realmente queria. Não parecia ser real. Era uma vez, Damien dizendo que iria esperar por mim teria feito toda a minha vida, mas eu não era mais uma criança. Eu não estava tão despreocupado e


meu coração não era novo no jogo. Quando conheci Damien, nunca tinha sido beijada, nunca tinha feito sexo e nunca cheguei perto de sentir amor por outra pessoa. Eu estava confiante de que não amava Damien quando tinha dezoito anos, mas sabia que estava me apaixonando por ele quando tudo virou de cabeça entre nós. Eu senti algo por ele, algo grande. Eu não teria sido tão destruída por ele nos últimos anos. Damien saiu do meu apartamento muito antes de eu acordar, e tive que admitir, fiquei mais do que um pouco aliviada. Quando entrei na cozinha e vi uma nota adesiva presa a uma tampa de prato, peguei-a e sorri quando passei os olhos sobre as palavras rabiscadas. Vou para casa para me limpar antes do trabalho. Você precisava de seu descanso, então eu não queria acordá-lo, mas eu fiz um pouco de comida. Coma-a. Vejo você mais tarde - Dame x A colegial em mim queria gritar com o beijo depois do nome de Damien, mas a mulher em mim a manteve sob controle. Eu não queria ou precisava de esperança onde Damien estava preocupado. Eu não conseguia pensar no que ele me disse; Eu tive que focar no maior problema da minha mãe ter câncer. Antes de eu comer o café da manhã que Damien cozinhava para mim, liguei para minha mãe. "Bom dia, amor", ela respondeu no terceiro toque. "Bom dia", eu respondi. "Como você está? Você está bem? Você se sente doente? Eu vou passar por aí e ..."


"Urso", Ma me cortou, rindo. "Estou bem baby." Eu resmungo. ―Não, você não está.‖ ―Ok‖, ela admitiu. ―Eu não estou bem no geral, mas agora, neste exato momento, me sinto bem.‖ Mordo meu lábio inferior. ―Você promete?‖ ―Eu prometo, urso.‖ Meus lábios tremeram ao apelido. ―Eu ainda estou indo para passar por aí e vê-la mais tarde.‖ ―Depois de entrevistar essa pessoa para o seu trabalho de assistente?‖ Eu balancei a cabeça, embora ela não pudesse me ver. "Sim", eu respondi. "Damien me ajudou a preparar para o que eu quero perguntar ao rapaz ontem à noite, então eu estou tão pronta quanto eu posso ..." ―Segure o telefone.‖ Ma me cortou novamente. ―Damien ajudou você na noite passada?‖ Eu apertei meus olhos fechados, mentalmente me chutando por deixar deslizar. ―Não é um grande negócio, Ma.‖ "É muito bom", afirmou ela. "Você não estava ontem me dizendo que estava dormindo com o irmão mais velho de Aideen, e Damien lutou contra isso ... e agora ele estava com você ... à noite?" Eu tive que me forçar a não rir; minha mãe parecia tão animada com o meu drama. "Ma ..." "Você dormiu com ele?" "Não", eu disse, incrédula. "Que tipo de mulher você pensa que eu sou?" "Uma com um desejo sexual saudável?" Com isso, eu ri.


"Nada aconteceu". Eu ri. ―Eu disse a todos que você estava doente e fiquei um pouco chateada, e ele passou a noite comigo. No quarto de hóspedes, quero dizer. Ele só queria estar lá para mim. Ele não me deu uma escolha também; ele apenas disse que estava ficando, e foi isso." Ma gritou. "Que bonitinho!" ―A maioria das mães incentivava a filha a ligar para os guardas se um homem com quem ela estava em desacordo ficasse a noite no apartamento sem perguntar se eu estava em primeiro lugar.‖ "Quando eu já fui como a maioria das mães?" Eu pensei sobre isso por um momento, então eu bufei. "Nunca." "Exatamente", disse Ma, e eu sabia que ela tinha um sorriso em seu rosto bonito. "Além disso, se você realmente não quisesse que ele ficasse, você teria dito que sim, e pelo que eu sei, ele teria escutado." Suspirei. "Eu odeio quando você está certa." "Você puxou isso do seu pai." Eu cerrei meus dentes com a comparação. "Sim, eu suponho." "Ligue depois da sua entrevista." "Eu vou fazer melhor", eu disse. "Eu estou passando por aí." "Alannah, eu prometo a você, estou me sentindo bem." "Eu sei", eu disse, pegando fiapos invisíveis das minhas calças de pijama. ―Eu só preciso estar perto de você. Isso me fará sentir melhor." "Ok, urso", disse Ma. "Eu vou te ver em algumas horas."


Depois que desligou, eu comi meu café da manhã, em seguida, lavei meu prato e coloquei-o na máquina de lavar. Tomei banho, vesti-me e, em um esforço para estar apresentável para uma entrevista de negócio, eu ajeitei meu cabelo e maquiagem aplicada. Eu chupei a maquiagem. Eu tinha um monte de produtos que meus amigos me fizeram comprar, mas eu usei talvez três deles quando eu decidi usar algo no meu rosto. Eu queria usar todas as minhas maquiagens, mas eu não tinha a habilidade necessária para aplicá-las. Eu assisti a milhares de tutoriais no YouTube, e, eventualmente, eu percebi que eu assisti esses vídeos, porque eu gostava de assistir as pessoas a transformarem seus rostos, ao invés de querer aprender com eles. Apliquei com cuidado primeiro a base para a minha pele hidratada e usei uma pequena esponja para espalhar suavemente até que ela parecia um pouco natural. Tão natural como maquiagem pode olhar de qualquer maneira. Meu cabelo continuava caindo no meu rosto, então eu empurrei-o de volta, mas não antes de eu rir com o contraste do meu cabelo para a minha pele. Eu tinha cabelo preto e pele clara. O único pedaço de pele que não era justo eram as sardas castanhas claro que polvilhado sobre meu nariz e sob meus olhos. Sardas que agora estavam escondidas por minha fundação. Eu apliquei o pó e preenchi minhas sobrancelhas o melhor que pude. Depois de adicionar algum rímel, um pouquinho de contorno para minhas bochechas, e um bronzer para aquecer meu rosto, eu estava pronta para ir. Meus


lábios estavam naturalmente pigmentados, então eu nunca coloquei qualquer coisa diferente de protetor labial sobre eles. Depois de mudar a minha roupa quatro vezes, me decidi em usar o único terno de negócio que eu tinha. Foi um terno de saia cinza apropriada apertada que meus pais tinham comprado para mim alguns anos atrás, quando eu comecei à procurar um emprego e queria estar apresentável nas entrevistas. Fiquei tão contente ainda relativamente em forma. O zíper no meu torso não fecha todo o caminho mais, mas eu sabia que era porque eu tinha ganhado um pouco de peso ao longo dos anos. Se vinte e cinco quilos fossem considerados 'pouco'. Depois que eu estava pronta, eu olhava para mim mesma no espelho. Puxando o blazer até a cintura, desejei que fosse mais longo para cobrir a forma dos meus quadris. Eu não era Bronagh Murphy. Minha amiga tinha uma figura de ampulheta, e eu não. Eu não tinha certeza se havia um nome para a forma do corpo que possuía. Meu peito não era grande, mas também não era pequeno, e minha cintura era menor que meus quadris, mas não muito. Meus quadris eram um pouco largos e minhas coxas eram grossas. Foi o que Nico disse quando uma vez mencionei na presença dele o quanto eu odiava o tamanho deles. "Grossas" foi aparentemente bom, mas eu não penso assim. Eu senti que ficaria muito mais feliz com o meu corpo se não tivesse alças de amor. Meu corpo foi um grande fator porque eu quase não me envolvi com


Dante considerando o quão enfraquecido ele era. Eu sempre tinha sido insegura sobre isso, mas Dante me assegurou que eu era sexy, e meu corpo era um material de ―punheta‖. Eu não tinha certeza se acreditava nele, mas ele adorava meu corpo quando estávamos juntos, e pelo olhar dele quando ele me viu nua, eu sabia que ele não estava mentindo sobre me achar sexy. Eu gostaria de ver o que ele fez, mas eu não vi. Mordendo meu lábio, eu peguei meu telefone e decidi fazer FaceTime com Bronagh para ter sua opinião. Nico respondeu, seu rosto sorridente enchendo minha tela. "Olá linda." Eu mostrei minha língua. "Eu estou dizendo a Bee que você me chamou assim." "Continue. Ela concordaria comigo." Meus lábios se contraíram. "Onde ela está? Eu preciso da opinião dela sobre minha roupa. ―Minha opinião não vale nada?‖ "Não, porque você só vai me dizer que eu estou bonita." "Você é bonita." Eu sorri. ―Onde está Bronagh?‖ ―Bronagh!‖ Nico gritou. ―Alannah está no telefone querendo sua opinião sobre sua roupa.‖ Eu me encolhi. ―Você tem uma boca grande.‖ ―Alto é a única língua que Bronagh entende.‖ Eu ri, e não muito tempo depois, o belo rosto de Nico foi substituído por uma bela Bronagh. ―Olá, como vai? Você está bem? Você quer-‖


―Bronagh,‖ Cortei-a, rindo. ―Eu estou bem no momento.‖ ―E sua mãe?‖, Perguntou ela. ―Você já falou com ela hoje?‖ ―Sim, e ela disse que estava tudo bem, também.‖ ―Isso é bom.‖ Bronagh assentiu. ―Que ela se sente bem, quero dizer.‖ ―Sim é.‖ ―Assim?‖ Eu sorri. ―Assim?‖ ―O que aconteceu com Damien na noite passada?‖, Perguntou ela, sem perder tempo. ―Não saber está me matando.‖ ―Nada aconteceu.‖ ―Alannah!‖ "O que? Literalmente nada aconteceu. Eu chorei por causa da mãe, então ele me ajudou a fazer perguntas para minha entrevista. Ele se foi quando acordei esta manhã." Bronagh franziu a testa. "Eu pensei que ele poderia te beijar ou ... algo." Eu não queria saber o que era o "algo". "Ele me beijou quando eu tirei o carro da garagem ontem, então ..." "O que?" Eu pulei no volume de seu grito. ―Damien beijou você ontem?‖, Ela perguntou, incrédula. ―Esse é meu garoto!‖ Nico gritou ao fundo. Eu gemi. ―Eu chamei você para a sua opinião sobre o que eu estou vestindo para à entrevista, não para falar de Damien.‖


―Sim mas-‖ ―Yo, alguém em casa?‖ Alec. ―Não, vá embora‖, Bronagh gritou. ―Eu estou no meio de uma conversa importante.‖ Bronagh tinha torcido o telefone para que eu pudesse ver parcialmente Alec quando ele entrou em sua cozinha com Georgie em seus braços. Eu só podia ver suas pernas rechonchudas, mas eu podia ouvir sua tagarelice afastado no volume máximo. ―Estou devolvendo sua prole. A fralda está cheia.‖ ―E você não pode mudá-lo?‖, Perguntou Nico, levando sua filha. Bronagh deslocou o telefone e eu podia ver Nico beijar o rosto todo de Georgie, fazendo seu grito de prazer. ―Até poderia.‖ Alec encolheu os ombros. ―Mas não quero.‖ Minha amiga se aproximou dele, a câmera me mostrando as pernas enquanto a mão dela caía para o lado dela. ―Eu vou adorar feri-lo‖ Do ângulo agora eu podia ver, Nico passou um braço em volta da cintura, tomando cuidado para evitar a sua barriga, e puxou-a contra seu corpo, sorrindo por cima da cabeça a seu irmão mais velho. ―Me deixa ir!‖ ―Não‖, Nico respondeu. ―Você está grávida, e ele precisa estar vivo para testemunhar o nascimento de seu primeiro filho.‖ Bronagh quase rosnou.


―Tudo bem‖, ela cedeu ―mas ele não vai viver tempo suficiente para conceber o segundo .‖ ―Isso é bastante justo.‖ ―Olá?‖ Eu suspirei. ―Eu ainda estou aqui, você sabe?‖ ―É a Lana?‖ Alannah. "Cale-se", Bronagh disse, em seguida, quando ela levantou o telefone para que eu pudesse ver agora seu rosto, e peito de Nico como ele estava atrás dela. Eu podia ouvir Georgie, mas não consegui vê-la. "Desculpe, Alec veio e me incomodou." Eu sorri abertamente. "Esse é o seu talento." "Morda-me, Ryan", gritou Alec. Eu bufei quando liguei a câmera no meu celular e apontei para o meu espelho de corpo inteiro. ―Opiniões honestas, Bee.‖ "Santa merda, Alannah", ela assobiou. "Você parece uma bibliotecária sexy." "Cale a boca." Eu corei. "Eu não." "Ela não está mentindo, Lana", Nico concordou, então Alec disse: "Bem, foda-me você parece absolutamente pecaminosa." Virei a tela de volta para o meu rosto, mas antes que eu pudesse ligar para os caras em suas besteiras, Bronagh disse: "Sua maquiagem é tão bonita!" "Eu tenho que ir, mas vou passar em sua casa." "É melhor", Bronagh avisou. "Temos muito o que conversar." Eu assenti. "Você conseguiu, chefe." Nós nos despedimos, e antes que eu percebesse, estava no meu carro e dirigindo para a cidade. Eu


ficava repetindo o que eu tinha praticado perguntando repetidamente na minha cabeça enquanto olhava para o nome do candidato na primeira página dos meus trabalhos. Morgan Allen. Então eu tive que repetir o nome várias vezes, então eu não esqueci quando o conheci. Uma hora depois de partir, estava sentado em um café relativamente grande, tomando uma xícara de chá. Eu bocejei pela sexta vez enquanto esperava Morgan Allen aparecer para a nossa entrevista. Não começou por mais quinze minutos, mas eu esperava que ele aparecesse cedo apenas para terminar a reunião. Eu estava nervosa. Eu nunca tinha entrevistado alguém para trabalhar para mim antes, então eu estava agindo puramente por instinto quando se tratava das perguntas que eu tinha preparado. Examinei as perguntas que fiz com Damien por um tempo desconhecido, então peguei meu bloco de viagem e comecei a desenhar quando uma sombra caiu sobre a minha mesa. "Senhorita Ryan?" Eu olhei para cima do meu bloco de notas e audivelmente respirei fundo quando meus olhos pousaram no belo espécime diante de mim. O homem ou deus - ele realmente parecia um deus grego - olhou para mim com olhos violetas. Logicamente, eu sabia que não havia olhos violetas, mas a pigmentação da íris desse homem era tão leve que eu não conseguia chamar de outra cor. Eu olhei para ele e seus olhos por um longo tempo, tanto tempo que ele limpou a garganta e estendeu a mão e desajeitadamente coçou o pescoço.


Eu senti minhas bochechas corarem com o calor. ―S-sim?‖ Eu gaguejei. ―Hey.‖ Olhos violeta sorriu, revelando os dentes brancos. ―Eu sou Morgan Allen, eu estou aqui 'para-‖ "A entrevista", eu terminei com uma risada nervosa. ―Claro, sinto muito por ser estranho e ficar olhando para você; é só ... você tem olhos realmente brilhantes." "Eles são esquisitos, certo?" ―Esquisito?" Eu repeti. ―Tente muito legal. São lentes?" Morgan sacudiu a cabeça. "Não, eles são meus olhos naturais, acredite ou não. Eles são assim porque há pouca ou nenhuma cor em mim, então parece um tom de violeta. É um defeito genético. Eu sou praticamente um mutante." "Eu gostaria de ter um defeito genético que me daria olhos violeta, meu único super por der é a teimosia", eu murmurei. Morgan riu. Eu não sabia se ele estava rindo de mim ou não, mas eu não quero saber. ―Sinto muito‖, eu disse, sentindo o calor espalhado por todo o meu rosto. ―Eu estou me fazendo de burra por favor, sente-se.‖ "Obrigado", disse Morgan e sentou-se à minha frente. ―E para constar, ter um pouco de teimosia é legal. Você me superaria se alguma vez estivéssemos em uma situação em que um tubarão estivesse nos perseguindo e precisássemos nadar para longe. Ele me pegaria primeiro, e isso seria uma vantagem para você."


Eu olhei para Morgan por alguns segundos, depois caí na gargalhada. "Oh, meu Deus", eu ri e cobri minha boca com a mão. "Você é mais estranho do que eu sou!" "Hey!" Ele engasgou, fingindo ofensa. "Eu estava tentando fazer você se sentir melhor sobre se fixar em mim e babar". "Eu não babei!" Eu limpei meu queixo só para ter certeza, e Morgan sorriu. "Peguei você." Tentei não sorrir quando olhei para ele. "Você percebe que eu tenho o poder de não lhe dar este trabalho, certo?" "Sim, mas então você teria que se contentar com alguém com olhos coloridos regulares, e onde seria a diversão nisso?" Oh, ele era bom. "Eu suponho", eu meditei. "A cor dos olhos é tudo quando se trabalha em design."

"Isso está ficando cada vez pior para você", disse Morgan balançando a cabeça. ―Você olha, você baba, e agora você bufa quando você ri? A lista nunca está acabando com você, hein?" Peguei meu guardanapo e joguei nele. Ele pegou antes que pudesse acertá-lo no rosto, e ele tinha um sorriso assassino no lugar enquanto o fazia. Não foi até aquele momento que percebi que ele estava flertando comigo e eu estava flertando de volta. Eu não queria, mas sua aura relaxada me relaxou. Limpei a garganta, endireitei-me e bati nos meus papéis.


"Hora da entrevista." Ele se endireitou. "Estou pronto." ―O que fez você se candidatar a mim como assistente de emprego?" "Fácil", disse Morgan. ―Sou um grande fã do seu trabalho e acompanho você por muito tempo. Quando vi que você estava procurando por um assistente, aproveitei a chance de me candidatar. Eu também posso desenhar e egoisticamente, eu estava esperando aprender com você, assim como trabalhar com você.‖ Meus lábios se separaram. "Você quer aprender comigo?" "Definitivamente. Seu trabalho é inspirador. Eu senti minhas bochechas corarem com o calor. "Obrigado", eu murmurei antes de olhar para as perguntas que eu tinha preparado para ele. "Você sabe o que o seu trabalho implicará?" Quando olhei de volta, encontrei-o assentindo. "Gerenciamento geral de negócios". "E você acha que pode lidar com isso?" Eu perguntei. "O número de ofertas de emprego que recebi no ano passado triplicou, e mal consigo lê-las o suficiente para organizar e priorizar projetos que me interessam". "Podemos criar um sistema", disse Morgan. "Uma vez que eu sei que tipo de projetos você também desenha, posso categorizar quais trabalhos priorizar e quais não." Eu balancei a cabeça e olhei de volta para as minhas perguntas.


"Você disse que teve experiência e eu li o que você fez anteriormente, mas o que você acha que pode trazer para minha empresa?" "Uma forte ética de trabalho que irá alcançar eficiência para sua empresa", respondeu Morgan. "Eu farei tudo o que te impede de esboçar agora, e vou fazer melhor." Eu olhei para cima e sorri para sua confiança. "Fazer melhor como?" "Seu trabalho é ultrapassado, mas, a partir de agora, você não comercializa isso muito bem." "As ofertas de emprego triplicaram para mim no ano passado", repeti. "Parece que o mercado está indo muito bem." "Mas isso é através do boca a boca e referências, correto?" Eu hesitei. "Eu acho." Morgan assentiu. "Isso é fantástico, mas posso comercializá-lo em um nível superior e alcançar pessoas que não o conhecem de Adam. A propaganda é a chave para o sucesso no design gráfico. Precisamos do seu trabalho inserido nos rostos dos clientes em potencial. Você precisa ser exigente e visar projetos que serão bem-sucedidos em suas plataformas. Vi seus designs em capas de livros, mas apenas um deles se tornou relativamente bem-sucedido. ‖ "Então, você acha que eu deveria trabalhar em projetos onde eles serão bem sucedidos em seu próprio mercado para chamar a atenção para os meus projetos?" "Exatamente." Ele assentiu. "Não estou dizendo que você não deveria trabalhar em outros projetos porque o


sucesso pode vir de qualquer lugar, mas agora você precisa divulgar seu nome." Eu balancei a cabeça, encontrando-me concordando com ele. "Isso é outra coisa", disse ele hesitante. "O nome da sua empresa" Eu fiz uma careta. "O que há de errado com o Go-to Designs?" "É peculiar, mas não é algo que reflete seu talento à primeira vista. Você precisa de um nome comercial que faça com que as pessoas aproveitem para clicar em seu site ou em suas páginas de mídia social. O nome vai atraí-los e seus projetos vão mantê-los interessados. Você não é uma típica designer gráfica. Você não usa as imagens de outra pessoa para criar um design. você esboça e faz algo completamente original. Suas imagens não parecem esboçadas, a menos que seja uma preferência do cliente. Seus designs parecem fotos antes de digitalizá-los para um computador, e precisamos comercializar esse talento.‖ Senti minhas orelhas queimarem com o elogio. Levantei minha xícara de chá e tomei um gole. "Estou assumindo que você tem alguns nomes em mente?" Os lábios de Morgan se contraíram. "Um pouco." "Vamos ouvi-los então." "Por alguns, eu realmente quero dizer um." Eu ri. "Continue." "Enigma Creations". Eu pisquei. "Eu ... eu realmente gosto disso." "Brilhante." Morgan sorriu. "Seus projetos são um mistério para mim, às vezes, porque quando você


desenha algo, parece tão real, eu tenho que lembrar que você desenhou a mão." Eu mordi o interior das minhas bochechas. ―Obrigada, acho que a Enigma Creations é perfeita.‖ "Que bom que você pensa assim." Eu passei por mais algumas perguntas com Morgan, e quanto mais ele falava, mais eu queria impedi-lo de falar e oferecer-lhe o trabalho completamente. No momento em que lhe fiz a última pergunta, eu sorria como uma idiota. Ele sorriu de volta para mim. "Esse sorriso significa que eu consegui o emprego?" ―Definitivamente sim.‖ Morgan sorriu. "Mortal." "Vou transformar um quarto de hóspedes em um escritório, então, eventualmente, vou ter um lugar para você vir e trabalhar. Eu originalmente pretendia ter você como um gerente on-line de coisas, mas acho que ter um espaço de trabalho será muito melhor. Isso combina com você?" "Você não tem ideia do quanto." Nós trabalhamos fora um salário de hora em hora e horário de trabalho e então nós conversamos um pouco. Eu soube que Morgan tinha vinte e um anos, e ele era originalmente de Finglas, mas mudou-se para Tallaght com seus pais quando era criança. Como eu, ele freqüentou o Dublin Institute of Design e tinha acabado de se formar com seu bacharelado em design gráfico. Ele era filho único e não era muito próximo de seus pais. Depois que terminei outra xícara de chá e Morgan bebeu um café, ficamos de pé para sair do café.


"Vou enviar um e-mail para você amanhã e podemos falar sobre tudo e fazer as alterações que discutimos hoje." "Parece bom, terminamos bem a tempo de eu me encontrar com a minha namorada ." Morgan disse, ajeitando as alças da bolsa sobre os ombros. "Eu vou falar com você amanhã, Srta. Ryan." "Por favor, me chame de Alannah." "Alannah", Morgan sorriu e inclinou a cabeça. "Obrigado por me dar uma chance, eu não vou te decepcionar." Eu ia oferecer-lhe uma carona, mas decidi contra. Eu não queria pular direto para uma amizade com Morgan; meu negócio veio primeiro, e ele agora era meu empregado, então eu tinha que manter limites. Quando nos separamos, eu o assisti ir embora, e notei que um grupo de garotas e mulheres parou e se concentrou nele enquanto ele colocava seus fones nos ouvidos. Eu sorri e balancei a cabeça, me perguntando se ele sabia o quão bonito ele era. Enquanto eu caminhava até o estacionamento de vários andares para pegar meu carro, meu telefone tocou. "Heya, mãe", eu disse ao responder. "Você está bem?" "Estou bem. Estou ligando para dizer que eu e Da vamos fazer compras, então eu não vou estar em casa se você passar por aqui.‖ Eu fiz uma careta. "Ok, você vai estar em casa amanhã?" "Sim."


"Eu vou aparecer então", eu disse. "Eu te ligo hoje à noite antes de você ir dormir. Que horas você acha que vai ser?" "Você não precisa me telefonar, amor." Eu entrei no carro. ―Eu quero.‖ Ma riu. "Eu geralmente estou dormindo às nove e meia." "Vou ligar cedo." "Tudo bem", disse ela. "Como foi a sua entrevista com aquele rapaz?" "Brilhante." Eu sorri. "Eu contratei, e estou muito satisfeita com isso. Estou animada porque ele tem ótimas ideias para o negócio.‖ "Estou feliz por você, amor." "Obrigado, mãe." "Eu falo com você depois." "Tudo bem tchau. Eu te amo." "Eu também te amo, urso." Depois que desligamos, voltei para Tallaght e fui direto para a casa de Bronagh. Tive o prazer de não ver carros no jardim além do de Nico, porque significava que ninguém mais estava na casa com eles. Eu amava nosso grupo, mas tinha crescido tanto ao longo dos anos que era raro para Bronagh e eu ficarmos a sós. Depois que estacionei meu carro na entrada da garagem, fui em direção à porta da frente. Eu estava prestes a bater, mas decidi testar a alça primeiro e fiquei contente em saber que ela cedeu e se abriu. Eu não pensei em me anunciar. A sala de estar estava vazia, então o próximo lugar óbvio para eu verificar era a cozinha.


"Ei, Bee", eu disse, empurrando a porta aberta. "Espere até que eu fale sobre ... Oh MEU DEUS!" Eu gritei, Bronagh gritou, e Nico riu. Atualmente, minha melhor amiga estava debruçada sobre a mesa da cozinha com seus jeans e calcinha ao redor dos tornozelos. A bunda apertada de Nico estava em exibição para todos, ou apenas para mim, para ver, e seus jeans foram empurrados para baixo até a metade das coxas. Eu não tinha dúvida da posição em que ele estava atrás de Bronagh e do aperto que ele tinha em seus quadris nus, onde o resto de seu corpo estava. "Oh, Jesus Cristo!" Eu empalideci. "Eu sinto muito."


Eu preciso limpar os meus olhos. Esse pensamento correu selvagem em minha cabeça quando eu fechei a porta da cozinha com uma batida firme, virei e corri pelo corredor, apenas para bater em uma parede de músculos quando abri a porta da frente. Eu gritei e imediatamente caí para trás, apenas para ser agarrada no ar, girada e pressionada contra um corpo rígido quando bati no chão. Ou quando o corpo em que aterrei bateu no chão. O impacto me tirou o fôlego, então quando eu ofeguei, a pessoa debaixo de mim se esforçou para nos sentar. "Alannah, você está bem?" Damien Uma vez que tomei algumas respirações, consegui me levantar com Damien me ajudando. "Estou bem", eu disse asperamente, então olhei para a minha saia. "Merda, eu rasguei?" Eu me virei para que Damien pudesse ver se eu tinha arruinado minha saia, e quando ele não respondeu, eu disse: "Damien, eu estraguei ela?" Ele limpou a garganta. "Está perfeita." Eu soltei uma respiração aliviada. "Graças a Deus, este é o único terno que tenho." Seus olhos levantaram para o meu rosto, e ele fez uma pausa. "O que há com toda a maquiagem?" "O que há de errado com isso?" Ele apertou os olhos. "Eu não posso ver suas sardas."


"Assim?" ―Então, eu gosto de poder vê-las. Elas são bonitas, você é bonita sem tudo… isso.‖ "Isso significa que a maquiagem me deixa feia?" "Não!" Damien falou. "Você parece bem. Eu acho que estou apenas acostumado a você não usar isso. Você parece perfeita de qualquer forma, mas ... eu gosto de poder ver suas sardas." Aquelas malditas sardas. "Eu só usei para minha entrevista para obter uma aparência melhor" Eu me virei para a cozinha quando eu poderia jurar que ouvi um gemido climático, e minhas bochechas queimaram com o calor. Na lembrança do porque eu estava fugindo e me levando a bater em Damien em primeiro lugar, eu me encolhi. "Eu preciso ir", eu disse e tentei empurrar Damien, mas ele não me deixou. "Não", ele disse com firmeza. "Diga-me o que está errado em primeiro lugar." Eu bufei. "O que há de errado é que eu acabei de ver minha melhor amiga assumindo isso como uma campeã e, para completar, eu vi a bunda do seu irmão!" Damien olhou para mim por um momento, depois riu. Duro. "Você entrou quando Dominic e Bronagh estavam fazendo sexo?" Ele perguntou, seus ombros tremendo. Coloquei minhas mãos nas minhas bochechas em chamas. "Sim", eu respondi. "E eu nunca posso olhar nenhum deles nos olhos novamente."


Ele continuou a rir, e foi só então que percebi como estávamos próximos um do outro. Eu dei um passo para trás, esperando que eu não estivesse sendo óbvia que eu queria espaço, mas a partir do aperto da mandíbula de Damien, ele percebeu minhas intenções. "Como foi a sua entrevista?", Ele perguntou, colocando as mãos nos bolsos do jeans. Eu me animei. ―Foi brilhante. Morgan é exatamente o que eu preciso." Na sobrancelha levantada de Damien, acrescentei: ―Ele me ajudará maciçamente com o negócio. Isso realmente vai me tirar uma carga." "Estou feliz", ele então disse. "Qualquer coisa para colocar menos peso em seus ombros é bom." Eu balancei a cabeça em concordância, mas congelei quando a porta da cozinha se abriu. "Ela ainda está aqui?" Eu fechei meus olhos. "Fique onde você está, rabo apertado." Os gêmeos riram. "Eu estou gritando quando eu entrar nesta casa no futuro, então isso nunca acontecerá de novo", eu disse, abrindo os olhos. "Essa é uma visão que eu nunca poderei apagar." "Alannah, venha cá." Eu me movi ao redor de Damien e protegi meus olhos com minhas mãos enquanto caminhava por Nico, que os gêmeos acharam hilário. Quando eu estava dentro da cozinha, fechei a porta atrás de mim e exalei uma respiração profunda. "Eu realmente deveria ter tocado a campainha."


Bronagh riu. "Me desculpe por isso." Eu olhei para ela e sorri. "Sim, você parece muito triste." Ela parecia completamente relaxada e satisfeita com os cabelos bagunçados. Ela balançou meu caminho para sorrir para ela, então ela arrumou o cabelo, amarrando-o em um coque no topo de sua cabeça. Sentei-me à mesa, fazendo um grande esforço de não sentar perto do local em que ela estava recentemente curvada, e isso a fez rir. "Você parece irreal", Bronagh comentou, seus olhos vagando sobre a minha roupa. "Você está perfeita com esse terno." Eu sorri. "Obrigado, onde está Georgie?" ―Com Alec e Keela. Eles entram e saem a maior parte do dia. Keela está se sentindo muito materna ultimamente e quer levar as crianças. Alec é frio sobre isso porque ele diz que eles precisam da prática para quando o bebê nascer." "Que bonitinho." Bronagh assentiu em concordância. "Como foi o encontro?" "Brilhante", eu chiei. "Estou muito satisfeita com Morgan e tão empolgada por começar a trabalhar com ele ". Bronagh levantou uma sobrancelha. "Ele é gostoso" "Por quê?" "Apenas perguntando'." "Bem, sim, ele é." "Quantos anos ele tem?" "Vinte e um." "De onde ele é?"


"Finglas, mas mudou-se para Tallaght quando ele era criança." "Ele tem uma garota?" Eu ri. "Eu não perguntei, mas sim, ele tem. Ele falou na conversa." Os lábios de Bronagh se contraíram. "Ok, para uma melhor conversa." "'Nós vamos." Bronagh nos preparou chá enquanto dizia: "Digame tudo e não deixe nada". "Bronagh, nada ..." "Não mesmo", ela me cortou, em seguida, baixou a voz. "Você disse que Damien te beijou ontem." Eu corei com a memória. "Ele fez." "Como foi?" Pensei nisso por um minuto e depois suspirei. "Constrangedor". Bronagh gritou. "Esses são os melhores tipos de beijos." ―Foi tão inesperado. Eu não percebi o que estava acontecendo, então, de repente, seus lábios e mãos estavam em mim, e eu estava beijando como uma mulher faminta." "Isso é tão quente." Lambi meus lábios. ―Se ele não tivesse quebrado o beijo, eu não teria parado.‖ "Santa merda." Ela veio até a mesa, carregando nossas xícaras de chá. Eu brinquei com a alça da minha quando ela colocou na minha frente, antes de se sentar à minha


frente. Eu não conseguia olhar para ela enquanto conversávamos sobre isso porque eu estava muito envergonhada. Normalmente, nossas conversas sobre sexo ou beijo eram principalmente quando Bronagh falava e eu ouvia. "Eu perco todo pensamento racional quando ele está perto de mim", eu admiti. "É como se nada me fosse tão importante apenas esqueço o drama entre nós." "E como você se sente sobre isso?" Eu grunhi. "Ainda mais confusa." "Você gosta dele". Não era uma pergunta. "Sim", eu admiti em um sussurro. "Mas isso não significa nada, porque eu não posso deixar o passado ir." Bronagh não disse nada. "Fica pior", eu disse. "Como?" "Ele disse ... ele disse que esperaria até eu decidir se eu queria ficar com ele." "Oh, Lana." Eu senti meus olhos arderem. "Eu sei", eu disse, esfregando os olhos para impedir que qualquer lágrima tola caísse. "Eu quero acreditar", e eu quero acreditar que as coisas seriam diferentes de quando éramos crianças, mas eu estou com muito medo. E eu sei que todos vocês provavelmente acham que é hora de eu superar isso, e eu concordo, mas é como se meu coração simplesmente ... não pudesse." Eu olhei para a minha amiga quando ela estendeu a mão, cobriu minhas mãos com as dela, e deu-lhes um


aperto. Meus olhos ardiam, e quando algumas gotas espirraram em minhas bochechas, eu rapidamente as enxuguei. Não quis mais cair porque sabia que, se algum dos gêmeos percebesse que eu estava chorando, eu não seria capaz de sair de casa sem dizer o motivo. "Eu acho que você deveria tentar", Bronagh disse suavemente. "Tentar o que?" Eu ri. "Eu acho que você deveria tentar ver o que acontece entre você e Damien." Eu olhei para ela, meus olhos arregalados. "Você vai se arrepender para sempre, se você não fizer isso. Eu sei que você vai." Eu também sabia. "Eu sempre fui tão contra a possibilidade, mas ouvi dizer que eu estou interessada em mudar as coisas." Bronagh assentiu em concordância. "Você acha que ele iria devagar?" Eu questionei. "Com a mãe estando doente, e eu sendo uma bastarda mentirosa, eu não posso ter um relacionamento completo agora. Eu não sou emocionalmente estável o suficiente para isso. ‖ "Baby, Damien vai se mover no ritmo de um caracol se isso significa que ele tem uma chance com você." Um fantasma de um sorriso enfeitou meus lábios. "Eu vou ... eu vou falar sobre isso." Bronagh gritou e bateu palmas alegremente como uma foca, e isso me fez rir. Ambos os nossos olhares dispararam para a porta quando de repente se abriu e entrou Damien com um Georgie balbuciando em seus braços. Sentei-me em linha reta e rapidamente


esfreguei minhas bochechas para me certificar de que não havia lágrimas restantes. "Esta pequena beleza acabou de chegar em casa, e eu acho que ela está com fome." Bronagh se levantou e foi até a geladeira, onde tirou uma caixa de tupperware, depois tirou a tampa e colocou no micro-ondas. ―Eu misturei isso para ela esta manhã. você vai colocar ela na cadeira alta?‖ Damien se moveu para a porta dos fundos, onde a cadeira alta de Georgie estava localizada, e quanto mais eu olhava para ele, fixando-a na cadeira e apertando as correias ao redor dela, mais nervosa ficava em falar com ele. "Dame." Ele olhou para mim, seus olhos cinzentos olhando quase prata na luz. Seu olho negro fez o meu estômago apertar, e eu não sabia por que, porque era apenas uma contusão. Havia algo de errado comigo para encontrá-lo robustamente sexy por causa disso. ―Hmm?‖ ―Podemos falar depois?‖ Ele acalmou. ―Conversar?‖ Eu balancei a cabeça. ―Mais tarde.‖ Ele piscou algumas vezes, então ele lentamente balançou a cabeça. ―Obrigado‖, eu disse, exalando uma respiração. Damien pigarreou, então ele se virou para Bronagh, e por alguma razão, eu sabia o que ele estava prestes a dizer era para tirar a apreensão que de repente encheu a sala.


―Dominic disse que estava fazendo pizza para o jantar.‖ Bronagh olhou para ele quando ela removeu o jantar de Georgie do micro-ondas e provou. ―Eu vou.‖ Ele olhou ao redor, antes de se concentrar nela. ―Eu não sinto o cheiro de nada.‖ Eu bati minha atenção para Bronagh, e eu observei enquanto seus olhos se estreitaram levemente. ―Eu tenho que ir para Dunnes e obter as pizzas antes que eu possa cozinhar. É cedo ainda.‖ ―Ah‖, ele resmungou. ―Então, não haverá comida até mais tarde.‖ "Eu iria ver, se eu fosse você." Damien piscou para Bronagh. "O que eu faria?" "Você está ficando grande demais para suas botas, fazendo perguntas a homens das cavernas", respondi em nome da minha amiga. "Isso é o que você está fazendo." Bronagh estalou os dedos quando terminei de falar e disse: "Exatamente". "Homem das cavernas?" Damien sorriu. "Se eu colocar o pé no chão, isso significa que você vai me fazer um sanduíche?" Eu descansei meu queixo nas palmas das minhas mãos, observando a cena se desdobrar diante de mim com grande diversão. ―Mais uma palavra,‖ Bronagh avisou Damien com um perigoso movimento do dedo. "Mais uma palavra, e eu não hesitarei em estrangular você." "Estrangular-me?" Ele levantou uma sobrancelha. "Você pode até chegar ao meu pescoço?"


"Você é um excelente exemplo!" Bronagh assobiou, suas mãos voando para seus quadris. "Sobre o que?" ―De uma pessoa alta sendo um idiota!‖ Damien riu, eu bufei e Bronagh olhou. Eu a assisti voltar a mexer na comida de Georgie, e quando ela ficou quieta por mais de dez segundos, eu disse: ―Eu pensei que você fosse estrangular ele se dissesse mais uma palavra? Ele disse dez delas." "Jesus, Lana", Damien fez uma careta, mas eu sabia que era brincalhão. "Assine meu atestado de óbito, por que não?" Ele fugiu da sala no segundo em que Bronagh pegou uma faca. Ela bufou enquanto soprava a comida, pegando uma colher em seu lugar. "Bundão." Eu ri, depois olhei para Georgie, que estava olhando para ela, sorrindo. "Eu te amo tanto". Bronagh olhou para nós e sorriu. "Eu também." "Eu ainda não consigo acreditar que você tem uma filha e agora você está indo para ter outro bebê. Quando nós crescemos tanto? "Conte-me sobre isso." Bronagh riu. "Parece que ontem nós tinhamos dezoito e estávamos na escola." Amém para isso. Bronagh foi até Georgie e a alimentou antes que ela desse um ataque. Conversamos um pouco mais sobre Morgan e as ideias que ele tinha para o meu negócio, nós conversamos sobre Branna e nos perguntamos qual dia ela teria e os gêmeos de Ryder, e nós falamos sobre minha mãe. Nós duas nos certificamos de não


trazer o meu pai para a conversa por razões óbvias. Depois que Georgie foi alimentada e limpa, Bronagh se levantou. "Vou pegar alguns frangos para o jantar." "Eu vou com você", eu disse, fazendo um movimento para ficar de pé. "Não", disse Bronagh com firmeza. "Você fica aqui, Damien virá assim que você estiver por conta própria. Ele pode te beijar novamente." Eu fiz uma careta. "Bronagh" "Você não está vindo comigo." Eu cruzei meus braços em meu peito em aborrecimento, e isso só fez meu amigo sorrir. Sabendo que ela ganhou a discussão, Bronagh soltou Georgie de sua cadeira e levantou a filha em seus braços, dando-lhe um aconchego. "Eu não vou demorar muito." Ela piscou. Fui deixada sozinha, e quando estava prestes a tomar um gole do meu chá, percebi que estava sendo vigiada. Através da porta de correr de vidro, do outro lado do jardim dos fundos, agachou-se com a barriga no chão, e seus ouvidos atentos foram Tyson. Ele estava mortalmente parado e sem piscar enquanto olhava para mim. "Pare com isso", eu chamei para ele. ―Pare de me encarar. Eu não estou fazendo nada errado ". Ele não moveu um músculo ou desviou o olhar de mim, e eu fiz uma careta para ele por causa disso. Aquele maldito cão guardava rancor melhor do que qualquer um que eu conhecia. Eu era notória por não observar exatamente onde eu caminhava quando estava distraída, e talvez uma ou duas vezes, ou dez


vezes, eu pisasse em Tyson durante sua vida, se isso acontecesse, mas sempre foi um acidente. Eu fiz isso para Storm algumas vezes ao longo dos anos também, e ele nunca segurou isso contra mim. Tyson claramente não tinha me perdoado, ou esquecido do que eu tinha feito também ... ele estava sempre me observando, esperando ... e isso me assustou. Voltei minha atenção de Tyson para a porta da cozinha quando ouvi uma voz familiar trazer um sorriso ao meu rosto. "É melhor você não ter minha xícara, Ryan!" Alec deslizou para a cozinha, seus olhos instantaneamente agarrando a xícara em minhas mãos. Quando ele viu que não era sua premiada xícara do Harry Potter, ele relaxou. "Eu pensei que você poderia estar usando ela." ―E arriscar sua ira? Nunca." Seus lábios se contraíram. "Como foi a sua entrevista com esse cara?" ―Brilhantemente‖, exclamei. ―Ele está indo a ser uma grande adição, eu sei disso.‖ "Legal". Alec sorriu. "Fico feliz em ouvir isso." Seus olhos caíram para o meu corpo, em seguida, respirei fundo. "Alec!" Seus olhos se voltaram para os meus e quando ele viu o quão largo eles estavam, ele riu. "Você parece quente, mas eu não estava te checando. Eu prometo." Eu fiz uma careta. "O que você estava fazendo então?" "Procurando por seu bloco de desenho".


―O meu bloco principal está em casa.‖ Ele franziu a testa. "Porra, eu queria ver o retrato de Keela que ela disse que você desenhou." "Você não viu?" "Não ... venho pensando sobre isso, você está sempre desenhando, mas eu nunca realmente vejo o que você está desenhando." "Claro que sim", respondi. "A maior parte do que eu esboço vem em meu site depois que eu termino e sei que você gosta de olhar pelo meu site." "Sim", concordou Alec, "mas isso é depois de digitalizá-lo em seu computador e fazer todas as coisas mágicas de seu designer gráfico. Na metade do tempo, o que você desenha não parece desenhado à mão depois que você o obtém como um cliente quer.‖ Eu sorri abertamente. "Porque eu sou boa em meu trabalho." "Você é incrível no seu trabalho", ele corrigiu. "O que estou dizendo é que quero ver seu trabalho pessoalmente". Eu hesitei. "Eu trago o bloco que tem a Keela comigo amanhã, e você pode folhear, ok?" "Bom. Estou ansioso por isso." Eu levantei minha testa quando ele apenas abertamente olhou para mim. "O que?" "Você vem ao banheiro comigo?" "O que? Por que?" "Dominic disse que há algo que eu tenho que ver no banheiro, e eu não vou para o meu próprio caso, seja o que for ... está vivo." Eu fiquei de pé, rindo.


"Vamos, princesa", eu disse, levando-o para fora do quarto. "Eu protegerei você." Quando chegamos ao banheiro no primeiro andar, nós dois pressionamos nossos ouvidos contra a porta, e permanecemos mortalmente silenciosos. Nenhum de nós ouviu movimento ou um som de qualquer tipo, então eu peguei a maçaneta da porta e a abri. Alec decidiu se tornar corajoso ao entrar no banheiro, mas respirou fundo um segundo depois e saiu do quarto. Eu espiei no banheiro e gritei quando vi o palhaço. Alec já estava descendo as escadas, me deixando sozinha. "Seu bastardo covarde!" Eu gritei atrás dele. Ele não parou de correr. "Sinto muito", ele gritou quando saiu da casa. "Não me julgue!" Entrei no banheiro e olhei para o lindo e aterrorizante recorte de Pennywise do livro de terror de Stephen King, IT, que estava esfriando na banheira. Eu balancei a cabeça e coloquei minhas mãos nos meus quadris. Eu olhei por cima do meu ombro quando o riso lateral começou a subir as escadas. Quando Nico entrou no quarto, eu balancei a cabeça e ri. "Sua alma provavelmente está a caminho de estar com Jesus agora, espero que você perceba isso." Nico não se importou, ele tremeu de rir. "Ele me disse que eu não poderia assustá-lo", ele riu. "Provou que o cachorro está errado, não é?" Deixei a hiena rindo e me dirigi para fora da casa para encontrar Alec no fim do jardim. "É apenas um papelão cortado."


"É mal, e eu juro que piscou para mim." Alec cortou, colocando as mãos nos quadris. "Eu vou matar Dominic." Eu bufei, mas olhei para baixo quando meu telefone tocou na minha bolsa, então eu rapidamente torci por ele. Eu cliquei em resposta quando vi o rosto de Collins de Gavin atravessar a tela. "Eu não estou falando com você, Gavin Collins. Você acha que eu esqueci que você acabou me ignorou para impedir Damien e Dante de brigarem na garagem ontem?" ―Eu sinto muito, mas por favor, eu preciso falar com você, Alannah! Posso passar por aí? " A urgência em seu tom me preocupou. "Você está bem?" "Não", ele respondeu. "Eu acabei de descobrir algo que vai fazer meus irmãos e irmã me matarem." Eu ampliei meus olhos. "O que você descobriu?" "Eu vou ser pai."


"Eu preciso de você para explicar isso para mim mais uma vez, Gav." Gavin, que estava deitado de bruços no meu sofá, gemeu. Depois que ele me telefonou, eu dei uma desculpa para Alec que eu tive que ir, então eu corri para o meu carro, gritando tchau para todos no meu caminho. Alec sabia que eu estava no telefone com Gavin porque ele me ouviu dizer seu nome, e eu só podia rezar para que ele não tivesse ouvido a declaração de Gavin, porque com sua boca grande, ele voltaria para Aideen antes que Gavin pudesse lhe contar as novidades. que ela seria tia. "Eu já disse a você tudo o que sei", disse ele, sua voz abafada quando ele falou no travesseiro sofá. "Por favor, não me faça dizer tudo de novo." "Quem é ela?" "Quem é quem?" Eu joguei um travesseiro, batendo nas costas dele antes que ele caísse no chão, mas ele ainda não se mexeu. "Quem é a mulher que você engravidou?" "Oh". Ele grunhiu quando ele empurrou para cima, em seguida, virou-se e sentou-se de costas, inclinando a cabeça para trás no sofá. "Ela é apenas alguém que eu estava vendo. O nome dela é Kalin, você não saberia. Ela é de Kildare.


Eu fiz uma careta. "Você nunca mencionou sair com ninguém." ―Nós não estávamos saindo; nós estávamos apenas... "Tendo sexo?" ―Sim‖, ele respondeu, virando a cabeça para olhar para mim. ―Mais ou menos como o que você e meu grande irmão estavam fazendo.‖ Senti minhas bochechas queimarem, e Gavin bufou antes que ele virasse a cabeça para olhar para mim. "Eu sinto muito por não ter contado", eu disse, torcendo as mãos. "Eu estava indo para contar mas eu quase nunca vejo você, e quando eu faço, eu iria para fora ... então você descobriu junto com todos os outros antes que eu pudesse descobrir uma maneira de formar as palavras." "Não se desculpe", disse Gavin. "Você não precisa verificar comigo quando você fode alguém." Eu me encolhi. "Não diga assim." Gavin sorriu. "Desculpe, você não precisa fazer o check-in comigo quando fizer sexo com alguém." "Isso é melhor." Ele riu, então como se lembrando por que ele estava aqui, ele gemeu em voz alta. Novamente. "Como isso aconteceu?" Eu apertei minhas mãos juntas. ―Bem, quando um homem e uma mulher gostam um do outro—‖ "Cale a boca, espertinha." Eu ri. "Desculpa." Ele se inclinou para frente, colocando os cotovelos nos joelhos e o rosto nas mãos. Meu coração saiu para ele, então eu me levantei e sentei ao lado dele,


colocando meu braço em volta da sua cintura e descansando minha cabeça em seu ombro. "Nós vamos descobrir isso", eu disse, dando-lhe um aperto. ―Você falou com Kalin? Ela deixou você saber de alguma coisa sobre o bebê?" "Ela está mantendo, e ela está com seis semanas. Ela também ofereceu um teste de paternidade para provar que o bebê é meu, caso eu tenha alguma dúvida. Isso é tanto quanto eu sei. " ―E você?‖ Eu pressionei. ―Tem alguma dúvida?‖ ―No começo, sim‖, admitiu. "Então eu não conseguia lembrar se eu usava camisinha ou não. A maioria das pessoas se reunia em festas e, quando bebíamos em uma das festas do chefe, bebíamos bem. Eu vou fazer o teste de qualquer forma, mas Kalin diz que ela só fez sexo comigo, então ela sabe que o bebê é meu.‖ O chefe a que ele se referiu foi Brandon Daley, tio de Keela. Eu não sabia exatamente em que Brandon estava envolvido, mas sabia que não era legal. Meus amigos nunca falavam sobre ele ao meu redor, nem mesmo quando eu fazia perguntas, então imaginei que eles provavelmente não tinham ideia do que ele realmente queria. Gavin sabia, no entanto, não que ele iria me dizer.

Pelo que eu conhecia pessoalmente do Sr. Daley, eu gostei. Ele fez um monte de negócios com a companhia de seguros que meu pai trabalhava, e ele até comprou uma tela pintada por mim antes. Eu não tinha ideia de quem tinha comprado a peça até que eu o entreguei na


sua casa. Ele era um cavalheiro perfeito, e me disse que iria manter o olho no meu site para outras peças que lhe chamasse sua atenção. ―Você é um idiota,‖ eu disse a Gavin. ―Um enorme.‖ ―Eu sei‖, disse ele. ―Deus, eu estou tão morto.‖ "Você tem vinte e quatro anos", eu lembrei a ele. "Eu não acho que você pode conseguir um esconderijo para engravidar uma menina." Gavin deu uma risada. "Você não conhece meus irmãos e irmãs, assim como você acha que faz se esse for o caso." "Esta é sua responsabilidade, não deles, e se eles têm algo a dizer, ouça e depois diga para eles se prepararem." "Você pode estar comigo quando eu falar com eles?" "Eu? Não. Eu provavelmente morreria de medo em seu nome. Aideen me assusta quando ela está brava." Gavin desatou a rir antes de ele enganchar o braço em volta do meu ombro e se inclinar, beijando minha têmpora. "Nós não saímos o suficiente." "Não", eu concordei quando ele se recostou contra a almofada, me puxando com ele. "Nós não, e de quem é a culpa?" Gavin notou meu tom e suspirou. "Não comece, urso. Eu não estou no clima." Além dos meus pais, Gavin era a única outra pessoa que me chamava de urso. "Não, eu vou começar", eu disse, irritada. "Como é que saímos de ver uns aos outros todos os dias para ver uns aos outros, talvez uma ou duas vezes por semana, mesmo?"


"Estou ocupado", respondeu Gavin. "Você sabe disso." "Não, eu não sei disso porque sempre que eu pergunto o que você está fazendo, você não me responde." "Você sabe que eu não posso falar sobre o que eu faço quando estou com os rapazes", disse Gavin com firmeza. "Eu te disse, não pergunte, porque eu não estou falando sobre isso." Eu balancei a cabeça. "Eu acho que você não deveria andar com as pessoas e fazer Deus sabe o que se estiver tirando você de sua família e amigos." Gavin franziu a testa para mim. "Eu não vou ficar longe de você, urso." Um nó formou na minha garganta. "E se você estiver envolvido em alguma coisa um dia, como algo que você não pode falar, e isso te leva embora?" Sua carranca se aprofundou, e quando ele viu meus olhos com lágrimas, seus lábios se separaram. "Por favor, por favor, não chore." Muito tarde. "Eu me preocupo com você", eu disse, enxugando as lágrimas antes que eles tivessem a chance de cairem nas minhas bochechas. "Eu sei que você não confia em mim o suficiente para confiar em mim sobre as coisas" "Você é a primeira pessoa que apareceu na minha cabeça quando Kalin me disse que estava grávida." Gavin me interrompeu. ―Não Aideen, não meus irmãos, não Bronagh. Você, Alannah. Eu ri. "Eu suponho." ―Nós somos amigos há muito tempo, e nós sempre seremos amigos‖, Gavin assegurou-me, me puxando


para mais perto dele. ―Só porque eu não posso falar sobre o trabalho não significa que eu não confio em você, ok?‖ Eu balancei a cabeça. ―OK.‖ "Você é minha garota." Gavin me deu um aperto. "Se eu não te amasse como uma irmã, eu teria tentado me entregar a ser seu rapaz há muito tempo." Eu o empurrei brincando enquanto fazia uma cara de completo desgosto. "Se eu não soubesse melhor", ele brincou, "eu acho que você foi repelido por mim." "Só se eu tiver que pensar em você sexualmente." Eu soltei, por precaução, e Gavin riu. Ele não precisava de mim para dizer a ele como ele era bonito porque eu tinha certeza que ele sabia disso. Eu não poderia imaginá-lo de uma maneira sexual; Eu não poderia fazer isso com qualquer um dos irmãos Slater também. Bem, exceto um desses irmãos. "Eu tenho algo para lhe dizer." Gavin me olhou. "Você não está falando com Harley ou JJ ... você está?" Eu bati em seu braço enquanto ele ria de mim. "Seja sério." "Ok". Ele riu. "Prossiga." "Eu tenho duas coisas para te dizer, mas vou começar com a mais leve." Eu exalei um suspiro. "Damien me beijou ontem no quarto dos fundos da garagem antes que ele e Dante lutassem, e eu o beijei de volta. Gavin assobiou. ―Isso fodeu sua cabeça mais do que já estava?‖


"Sim." Eu suspirei. "Quando falamos um pouco ontem à noite, ele disse que ia esperar que eu decidisse se queria tentar ficar com ele, e é claro, a minha mente pensa em tudo o que aconteceu entre nós e automaticamente a interrompe porque estou com medo da história se repetir. Mas então falei com Bronagh e ela disse que Damien iria tão devagar quanto eu precisasse." "Você teria que ir devagar", pressionou Gavin. "Vocês não se conhecem neste momento de suas vidas. As pessoas podem mudar em seis anos para melhor ou para pior. Começar lento faz sentido." Eu balancei a cabeça em concordância. "Isso não me deixa menos assustada". Gavin deu um tapinha na minha perna. "O que deveria ser será." "Aideen disse isso para mim ontem!" ―Agora eu sei onde eu tenho que dizendo a partir de então.‖ Ele riu. ―Qual é a segunda coisa que você queria me dizer?‖ Minha mãe passou pela minha mente, e eu engoli. Eu apertei minhas mãos no meu colo e foquei na minha respiração. ―Minha mãe está doente.‖ Gavin congelou, arregalando os olhos levemente. ―Doente?‖ ―Muito doente.‖ Seus lábios se separaram, mas nenhuma palavra ou som escaparam. ―Câncer de mama,‖ eu consegui dizer ao redor do nó na garganta. ―Está no estágio inicial.‖


―Urso‖, disse Gavin e estendeu a mão para mim, me puxando para um abraço. Respirei fundo para não chorar em cima dele. ―Ela inicia o tratamento em breve,‖ eu disse, minha voz abafada. ―Eu não sei nada mais do que isso, mas quando eu vou ver ela amanhã, eu estou pedindo por informações sobre tudo e que o curso de ação é.‖ Gavin manteve o braço em volta do meu ombro. ―Eu sinto muito que ela está passando por isso.‖ ―Eu também, amigo.‖ ―E o seu pai‖ Gavin rosnou. ―O pedaço de merda.‖ ―Você não sabe da missa a metade,‖ eu disse, e então contei sobre a conversa que tive com o meu pai sobre o caso depois que a bomba do câncer foi lançado sobre mim. "Que idiota!" Gavin exclamou quando terminei de falar. "Eu sei", eu concordei, "mas ele está certo. Precisamos que eu me concentre em bater o câncer. Se ela soubesse que ele trapaceou ... Eu não quero pensar em como ela reagiria." "Isso é fodido, Alannah." "Eu sei." Gavin tirou o braço do meu ombro e esfregou o rosto com as mãos. "Eu pensei que estava em uma situação fodida, mas você levou o bolo, querida." Eu sorri para ele. "Sua situação termina com um bebê, no entanto." "Um bebê", ele repetiu admirado. "Eu não posso acreditar que vou ter um bebê." "Quando você vai contar para sua família?"


"Nenhuma pista", respondeu ele. "Eu preciso absorver primeiro." Eu parei quando Gavin olhou para mim, seu olhar duro. "Não diga a Bronagh." Minha boca caiu aberta. "Não," Gavin advertiu antes que eu pudesse objetar. "Ele vai deixar passar para Nico, e ele vai dizer a Kane, e Kane dirá Aideen, e a merda vai começar." Eu cocei meu pescoço. ―Bronagh e eu não mantemos segredos uma das outras, no entanto. Você sabe isso.‖ ―É apenas por pouco tempo,‖ Gavin me assegurou. ―Só até eu conseguir me alinhar e ter a coragem de dizer-lhes.‖ Inclinei a cabeça para trás e suspirou. ―Bem.‖ ―Eu te amo, urso.‖ ―Sim, sim‖, eu disse, abraçando-o de volta quando ele me puxou para seus braços. ―Eu também o amo seu idiota.‖


Quando Gavin foi para casa depois que nos falamos, eu estava tão esgotada com os acontecimentos do dia que não voltei para a casa de Bronagh como pretendia inicialmente. Eu tinha planejado enviar um texto para ela e dizer que ia mudar no dia seguinte, mas não consegui encontrar meu telefone. Pensei na última vez que a tive: depois de falar com Gavin e voltar para casa da casa de Bronagh. Quando percebi onde estava, gemi de aborrecimento. Saí do meu apartamento e fiz meu caminho até o saguão do prédio, acenando para Joseph, o guarda noturno, enquanto passava. Quando peguei meu telefone do meu carro e o tranquei, ouvi um grito suave. Um choro que estava perigosamente próximo do de um bebê. Com meu coração batendo forte e todos os meus sentidos em alerta máximo, eu me virei e apertei os olhos, esperando que isso me ajudasse a enxergar melhor. Não foi. Eu pulei quando ouvi o grito novamente, e caminhei rapidamente na direção de onde veio. Todos os tipos de cenários estavam inundando minha mente. Eu tinha visto nos noticiários muitas vezes sobre pessoas abandonando bebês recém-nascidos e deixando-os a céu aberto sem proteção. Eu orei a Deus que não era o caso, mas quando me deparei com uma caixa de papelão entre dois carros estacionados, meu corpo inteiro ficou tenso, e eu quase morri no local. Eu


rastejei para frente, e quando encontrei a coragem de espiar dentro da caixa, eu quase me senti aliviada quando vi que não era um bebê ... mas então a simpatia me inundou quando percebi no que tinha tropeçado. Alguém havia abandonado um pequeno gatinho indefeso. "Oh, baby", eu disse, minhas mãos agarradas ao meu peito. Quando a gatinha chorou de novo, fiquei horrorizada ao descobrir o quanto parecia uma criança. O pobre parecia aterrorizado, então eu cuidadosamente entrei na caixa e peguei. Eu segurei contra o meu peito, estremecendo quando suas unhas cravaram na minha pele enquanto segurava minha querida vida. Eu corri de volta para o meu prédio, andando em um ângulo em direção ao elevador para que Joseph não pudesse ver o gatinho. Havia uma política rígida de não haver animais no prédio, mas eu não podia deixar o gatinho no frio para se defender sozinho. Eu simplesmente não consegui. Quando cheguei ao meu apartamento, peguei um cobertor menor do meu sofá e envolvi o gatinho dentro dele. Eu coloquei no sofá e me afastei. Fiquei aliviada ao ver que o gatinho não tentou escapar; Ele simplesmente ficou aconchegado dentro da segurança e do calor do cobertor. Eu peguei meu telefone e liguei para Alec. Ele trabalhou em um abrigo de animais e foi a única pessoa que eu poderia pensar em chamar. "Alannah", ele respondeu no quinto toque. "Está tudo bem?"


Eu raramente ligava para ele, e estava chegando às oito da noite, então ele provavelmente imaginou que algo estava acontecendo. "Mais ou menos", eu respondi. "Eu encontrei um gatinho." "Você encontrou um gatinho?" ―Sim‖, eu respondi. ―Algum bastardo deixou-o em uma caixa de papelão no parque de estacionamento do meu prédio.‖ ―Está vivo?‖ ―Sim.‖ Eu balancei a cabeça, embora não pudesse ver minha ação. ―Você quer que eu vá e pegue-o?‖, Ele questionou. ―Eu posso mantê-lo e trazê-lo para o abrigo amanhã.‖ Eu parei. Quando liguei para Alec, foi para ajudar o gatinho, mas, naquele momento, percebi que só o havia chamado para pedir conselhos. Eu não queria que ele levasse o gatinho. Eu não tinha certeza quando tomei a decisão, mas eu queria manter o gatinho sozinha. "Não", eu respondi. "Eu vou ficar com ele." Alec ficou em silêncio. "O quê?" Eu pressionei. "Por que você está quieto?" Alec nunca ficou quieto, então seu silêncio falou em volume. "Você ... você não é muito boa em cuidar de animais." Meus lábios se separaram em indignação. ―Você também!‖ Eu nunca admitiria isso para os meus amigos, mas minha visão não era a melhor, e a cada ano que passava, era óbvio para mim que eu teria que fazer


uma consulta para pegar os óculos, sabia que precisava. Não ajudou que eu não tenha visto exatamente onde eu estava andando quando eu estava distraída também. "Eu não vejo onde eu coloco meus pés, então me processe". ―Tyson rosna para você sempre que ele te vê porque você pisou nele muitas vezes. Ele apenas observa você sempre que você está perto dele agora." Aquele cão sangrento não podia me perdoar e esquecer como Storm poderia. ―Escute‖, afirmei, ―toda vez que aconteceu foi um acidente total‖. Alec riu. "Eu estou mantendo o gatinho, e é isso", eu disse com um bufo. ―Você pode me dizer o que eu preciso comprar? Eu não tenho ideia." "Eu posso fazer melhor", ele chiou. "Eu posso ir ao Maxi Zoo antes que ele feche e traga o que você precisa para você, já que você não deve deixar o gatinho sozinho." Meu coração se aqueceu e meus ombros caíram de alívio. "Obrigada, Alec." Eu jorro. "Eu não sei quantos anos tem até eu levá-lo a um veterinário amanhã, mas parece muito novo, então compre comida de gatinho. Traga o recibo quando você vier, e eu vou pagar de volta quando você chegar ". Depois que desligamos, eu fui e sentei ao lado do meu novo colega de quarto, espiando o cobertor. O pelo do gato era completamente branco, e pelo que pude ver, tinha um olho verde e um olho azul.


"Você é tão linda", eu arrulhei. O gato não moveu um músculo, então eu cuidadosamente peguei o cobertor e o abracei contra o meu peito. Quando o gatinho finalmente se contorceu, eu alcancei e peguei. Rapidamente, chequei entre as pernas e descobri que o gatinho era uma menina. Eu a coloquei de volta dentro do cobertor e deixei ela se acostumar com o que quer que fosse que ela estava cheirando e coçando. "O que, baby?" Eu perguntei quando ela começou a miar e não parou. Eu me perguntei se ela estava com fome, e então me perguntei quantos anos ela tinha mais uma vez. ―Você deve ter um nome legal,‖ eu disse quando a gatinha bateu a cabeça para fora do cobertor e olhou para mim, depois olhou ao redor da sala. ―Oh, o que dizer de Nala? Ela era uma leoa legal em O Rei Leão ―. A gatinha olhou para mim, sem piscar. ―Eu vou levar o seu silêncio como um não.‖ Eu ponderei em um par de nomes exclusivos que soou legal na minha cabeça, mas quando eu disse em voz alta, nenhum deles lhe convinha. Sua expressão de tédio me disse tudo o que eles sugado também. Liguei a televisão e selecionado meu aplicativo YouTube. Eu rolei através dos vídeos, e quando um dos vídeos de música de Barbra Streisand foi sugerido, eu olhava para o seu nome, em seguida, olhei para a gatinha. ―E quanto a Barbara?‖ A gatinha miou como se estivesse respondendo para mim. Eu olhei para ela, tomei o miado como um retumbante sim, depois ri. O nome do meio da minha


mãe era Bárbara, então eu ficava com essa grafia porque sabia que ela iria se divertir com isso. "Barbara, vai ser." Peguei meu telefone quando ele começou a vibrar e atendi sem olhar para a tela. "Alec disse que você encontrou um gatinho." Eu sorri. "Ei, Bee." "Onde você encontrou um gatinho?" Ela continuou como se eu não tivesse falado. ―Eu vi Alec entrar em seu carro quando eu estava colocando a lata de lixo de Branna. Ele disse que você encontrou um gatinho, e ele estava indo pegar algumas coisas para você." Eu a enchi quando, onde e como eu encontrei o gatinho, e ela grunhiu. "Malvado desgraçado quem quer que tenha saído." "Dela." Bronagh bufou. "Você nomeou?" ―Sim.‖ ―Vamos ouvir isso.‖ Eu sorri. ―Barbara‖. Como eu sabia que ela faria, Bronagh caiu na gargalhada. ―Eu não estou nem um pouco surpresa‖, disse ela, divertida. ―Se você colocasse um nome da moda, eu não teria acreditado em você.‖ ―O que é engraçado?‖ Eu ouvi Nico perguntar ao fundo. ―Alannah encontrou uma gatinha, e chamou ela de Barbara.‖ Eu sorri quando ele riu e disse: ―Eu amo essa mulher.‖


Bronagh e eu conversamos por um tempo, e felizmente, ela não mencionou nada sobre Gavin, que eu secretamente agradeci a Deus. Eu estava esperando que Alec iria manter meu telefonema com Gavin para si mesmo, porque se Bronagh me confrontasse sobre isso, eu estava com medo que eu iria quebrar minha promessa com Gavin e dizer-lhe tudo sobre ele se tornar um pai." Tínhamos acabado desligar quando a campainha do meu apartamento tocou. Fui até a porta e apertei o botão para Alec entrar no edifício. Eu não olhei para o monitor para ter certeza de que era ele porque Barbara estava miando como uma alma penada. Quando eu finalmente virei-me e olhei para o monitor, a porta de entrada estava vazia, então achei que Alec já tinha entrado no edifício. Abri minha porta para ele, e voltei para o sofá e acariciei delicadamente Barbara. Ela se afastou de mim quando minha mão inicialmente tocou, então ela pareceu relaxar e não me importei em coçar seus ouvidos. Minha campainha tocou, então eu gritei: ―Está aberta.‖ Eu continuei a esfregar Barbara, e quando ela se mudou de volta para a segurança do cobertor, virei-me para cumprimentar Alec e ajudá-lo com os itens que ele trouxe para mim. Só que não era Alec no meu apartamento, era Damien, e ele tinha dois sacos grandes nas mãos. Fiz uma pausa e olhei para ele quando meus lábios se separaram em surpresa. O que ele está fazendo aqui? ―Onde devo colocar isso?‖


Eu não sabia o que estava nos sacos, mas eu consegui dizer, ―Cozinha, por favor.‖ Ele entrou na cozinha sem dizer uma palavra, deixando-me a encará-lo. Quando ele voltou, fechou a porta da frente e entrou na sala de estar, olhando para o cobertor ao meu lado. "Então, você encontrou um gato?" Eu assenti silenciosamente. "Ela estava em uma caixa entre dois carros no estacionamento, e eu decidi que poderíamos manter um outro hospede." "Você a resgatou", Damien concluiu. "Eu acho." "Isso é admirável." Sangue fez o seu caminho para minhas bochechas em seu louvor. "Onde está Alec?" Eu perguntei, mudando de assunto. "Ele me ligou e disse que precisava de ajuda para conseguir algumas coisas para você, então ele me deixou com todas as coisas." Ele levantou a mão e coçou o pescoço. "Eu pensei que nós poderíamos ter essa conversa que você mencionou anteriormente na casa de Dominic." Meu coração batia no meu peito quando percebi que tinha esquecido completamente de perguntar isso a ele. Quando Gavin me telefonou, tudo ficou em segundo plano em minha mente, e me concentrei em meu amigo e seu problema. ―O-tudo bem.‖ Os olhos de Damien cairam para o cobertor quando ela se moveu. ―Você nomeou ele?‖ ―Ela.‖


Seus lábios tremeram. ―Desculpa, você vai chamála?‖ ―Eu escolhi Barbara.‖ O sorriso que se estendia pelo rosto de Damien foi transfixante. ―Será que ela se adequou ao nome?‖ ―Ela fez ... Eu provavelmente deveria tê-la chamado de floco de neve, como eu te chamo.‖ ―Por quê?‖ ―Ela é toda branca, assim como seu cabelo.‖ Enfiei a mão no cobertor e tirei Barbara, puxando o cobertor para longe de suas patas quando o tecido ficou preso em suas unhas. Eu a segurei no meu peito, com cuidado para colocá-la lentamente contra mim, então suas unhas não me picavam como as agulhas que claramente eram. ―Olhos legais,‖ Damien murmurou quando se aproximou para dar uma olhada nela. "Um azul e um verde." Eu parei enquanto ele pairava por perto sem qualquer indicação de que ele iria se mover. Eu soltei: "Você está me deixando nervosa". "Por estar aqui?" Eu balancei minha cabeça. "Você disse que queria falar comigo." "Eu sei", gaguejei. "Eu estou apenas ... apenas ..." ―Assustada?‖ Ele terminou. Eu exalei uma respiração profunda. "Imensamente." "Você quer que eu vá?" Ele perguntou, franzindo a testa. "Eu não quero que você se sinta desconfortável."


Foi exatamente por isso que eu estava nervosa porque ele não me fez sentir desconfortável, ele me fez sentir ... inteira. "Você acreditaria em mim se eu dissesse não?" Os lábios de Damien se separaram de surpresa, mas nada saiu. "Sente-se", eu disse a ele. "É hora de eu tirar isso do meu peito." Damien sentou-se no sofá em frente a mim, e quando ele descansou os cotovelos nos joelhos e juntou as mãos, eu sabia que ele estava tão nervoso quanto eu me sentia, o que me permitiu relaxar um pouco. Eu coloquei o gatinho de volta no cobertor no sofá ao meu lado só para me ocupar por um segundo ou mais. Quando olhei de volta para Damien, passei um momento levando-o para dentro. Ele era tão bonito; parecia injusto que alguém pudesse nascer tão lindo assim. Seu cabelo, como sempre, estava perfeitamente estilizado. Estava bem aparado nas laterais com um desvanecimento doentio se misturando ao seu pescoço. Seu cabelo era grosso; Eu sabia da experiência de tocá-lo. Tinha um pouco de comprimento, não que alguém soubesse, porque ele usava gel de cabelo e secador de cabelo para obter aquele perfeito penteado para trás. Eu me concentrei em seu rosto, sua pele clara, e o restolho que tinha claramente crescido um pouco de seu último barbear. Suas sobrancelhas tinham um tom de escuridão para elas. Elas eram leves, mas longe de ser tão leve quanto seu cabelo, que fez sentido para mim. Meu cabelo era preto, mas minhas sobrancelhas eram naturalmente castanho claro. Ao contrário de


minhas sobrancelhas, Damien eram grossas e bem em forma. Sem dúvida graças a Bronagh recebendo suas mãos sobre eles. Seus cílios eram claros e longos, e eles emolduravam seus impressionantes olhos cinzentos que pareciam penetrar em minha alma com um único olhar. Eu conhecia cada curva de seu rosto, cada movimento de seu cabelo, e de todas as formas possíveis, ele podia sorrir. Eu o vi todas as noites nos meus sonhos. Eu poderia atraí-lo da memória sozinho ... Eu já havia feito tantas vezes. Este homem estava sob a minha pele e tinha sido por muito tempo. Esta conversa entre nós estava atrasada, e eu só podia esperar que pudesse fazer justiça e dar a ele o respeito que ele merecia. "Eu quero tentar." Damien inclinou a cabeça. "Tentar o que?" O que deveria ser será. Eu exalei uma respiração. "Eu quero tentar estar com você ... se você me quizer, é isso." Silêncio. Oh Deus. Um longo período de silêncio ensurdecedor. "Damien?" Ele estava me encarando, longo e duro, e eu descobri, naquele momento, que teria pago qualquer preço e feito qualquer coisa para saber o que estava passando pela sua mente. "Ok", eu disse, esfregando minhas palmas agora suadas nas minhas leggings. "Agora você está me assustando."


"Desculpe", ele disse, sem piscar. "Eu sinto que isso não é real." Eu olhei para Barbara quando ela miou, depois voltei meu olhar para Damien. "É muito real." "Você está dizendo ... que você quer namorar comigo?" Sim. Sim. Sim. Sim. "Eu faço." Eu engoli em seco. ―Mas é aí que as coisas ficam complicadas porque não estou pronta para ser sua namorada. Eu estou indo muito bem agora, mas eu não quero que isso seja mais uma desculpa do porque eu deveria fecha-lo para fora mais do que eu já fiz no ano passado. Estou tomando iniciativa e seguindo os conselhos dados a mim aparentemente por todos. Isso foi dito, eu quero ir devagar." "O que isso significa?" ―Isso significa que vamos a encontros e nos conhecemos porque, vamos ser honestos, somos pessoas diferentes do que quando tínhamos dezoito anos. Eu quero que nós criemos uma confiança, uma conexão melhor do que a que temos agora ... Eu quero tudo o que os casais fazem antes que a intimidade aconteça.‖ Damien lambeu os lábios. "Você quer dizer tudo o que deveríamos ter feito antes de fazermos sexo quando éramos crianças?" Exatamente. "Tudo bem?" "Você está brincando?", Ele exclamou. "Você pode apostar que tudo está bem ... mas ..." Meu estômago se apertou. "Mas?"


"Eu quero saber por que você quer isso." Eu corei. "Que tipo de pergunta é essa?" ―Uma válida,‖ Damien desafiou. ―Você tem me abandonado o ano todo, mantendo-me no braço desde que cheguei em casa. Você foi vigiada, mas agora, de repente, você quer tentar comigo. Eu quero saber porque." Eu pensei sobre isso. Difícil. Simplesmente dizendo que eu estava incrivelmente atraída por ele, não parecia uma resposta boa o suficiente. Não para mim. Eu olhei para Damien e repeti sua pergunta em minha mente. Por que eu queria estar com esse homem? E assim, a resposta veio para mim. "Porque eu estou cansada de estar com medo de aceitar que você poderia ser isso para mim. Estou cansada de me preocupar com o que poderia dar errado se eu aceitasse você de volta na minha vida,‖ eu respondi, minha voz apertada com emoção. "Eu me convenci de que tudo o que aconteceu entre nós foi sua culpa ... e não foi, Dame. Desculpe por nunca ter admitido isso antes.‖ "Não foi minha culpa?" "Não, não inteiramente, como eu sempre disse que era." Respondi. "Você foi sincero e honesto o tempo todo, e eu não deveria ter usado o que você disse durante o sexo contra você. Eu te seduzi, mesmo quando você me disse que não era uma boa ideia. Você me disse o que aconteceria. Você disse que eu não era um tipo de garota só de sexo, e você estava certo, mas eu não escutei. Eu vi como você olhou para mim naquela noite, e eu usei sua atração por mim contra você porque eu te queria tanto. Eu estava ciente do


que poderia acontecer, do que evidentemente aconteceu… mas eu pensei que poderia lidar com isso se chegasse a isso‖. "Mas você não podia?" "Não, eu não pude." Eu limpei minha garganta. ―Eu queria te odiar; você não tem ideia do quanto eu queria. Eu tentei dizer a mim mesmo que eu fiz. Eu deixei claro para todos os outros que eu te desprezei ... mas eu não. Eu apenas odiei o que aconteceu entre nós porque me machucou tanto. Mas saiba que não foi tudo culpa sua. Eu tinha mais culpa, mas não queria admitir isso para ninguém. Especialmente eu mesma." "Alannah", Damien murmurou enquanto esfregava o rosto com as mãos. "É difícil ouvir você dizer tudo isso." "Dói?" Eu perguntei suavemente. "Eu nunca quis te machucar." O olhar em seu rosto quando eu disse a ele sobre Dante passou pela minha mente, e me cortou até o osso. ―Me machucar? " Ele piscou. ―Baby, você parece tão triste me dizendo isso, está me rasgando por dentro.‖ Baby. "Estou bem." Eu sorri, infelizmente. "Tem sido uma semana de tentativas." "Você vai sair por cima", Damien me assegurou. "Você sempre faz." "Eu não tenho tanta certeza", eu sussurrei. "O que?" "Eu não sou uma pessoa corajosa", eu disse, meu lábio inferior balançando. "Quando alguém ou algo me magoa, eu não sou muito boa em ficar de pé e voltar


com isso porque estou com medo de me machucar mais do que antes." Eu olhei para baixo. ―Eu tenho esse medo em mim, Damien. Isso estraga tudo. "Alannah." "Por favor", eu disse com um aceno de cabeça. "Não diga que sou corajosa porque não sou. Eu sou uma covarde." Damien respirou fundo. "Eu sou", eu continuei. "Eu era uma covarde com você, fazendo você acreditar que o que aconteceu entre nós era tudo para você quando eu sabia que não era bom. Eu sou uma covarde com meus amigos, eles eram a voz da razão onde estavam preocupados por um longo tempo e eu ignorei suas opiniões. Eu assumi automaticamente que eles estavam errados, só porque eles discordaram de mim. Eu sou uma covarde com meus pais. Eu tenho me enganado por Deus só sabe quanto tempo, e eu nem tentei dizer porque isso vai me machucar se ela não puder lidar com isso. A mulher tem câncer de mama ... ela tem câncer, não eu. Ela é a única que tem que lutar contra esse mal em seu corpo, e tudo que eu posso pensar é que eu não quero que ela morra, porque eu não poderia lidar sem ... eu faço tudo sobre mim e eu não aguento mais. " ―Alannah‖. ―Eu sou covarde‖, eu disse, com raiva enxugando as lágrimas que brotaram nos meus olhos antes de terem a chance de cair. ―Eu sou uma covarde, sem coragem.‖ "Alannah." "Eu sou covarde", eu disse, enxugando com raiva as lágrimas que brotaram nos meus olhos antes que eles


tivessem a chance de cair. "Eu sou um covarde sem coragem." Eu recuei com alarme quando Damien se moveu, e antes que eu soubesse o que estava acontecendo, ele se ajoelhou diante de mim. Suas mãos foram para os lados do meu rosto, e seu rosto se moveu o mais próximo possível sem tocar seu nariz no meu. "Você me escuta, Alannah Ryan", ele quase rosnou. "Você não é nenhuma dessas coisas e tem muita coragem!" Eu desviei meus olhos de Damien, não me permitindo acreditar em suas palavras. ―Como você pode dizer isso, muito menos acreditar? Eu tenho medo do que está acontecendo comigo, do casamento de meu pai e minha mãe. Estou com medo de que os negócios estejam em alta e falhem, e estou absolutamente apavorada com o fato de que as coisas acabarão pior com você do que da última vez. " "E você diz que não tem coragem?" Damien perguntou, seus polegares acariciando minhas bochechas. ―A coragem real está agindo quando você está apavorada. Você é corajosa." "Por que você está tão bom para mim?" Eu sussurrei. "Eu fiz a sua vida difícil." "Não", ele avisou. "Você saiu por minha causa." Eu ri. "Você disse na semana passada na cozinha de Branna." ―Eu disse que parti para você, não por sua causa. Eu também parti para mim. Eu tinha muita merda para trabalhar, coisas que eu só conseguiria descobrir sozinho. Se eu achasse que você fez algo errado


comigo, Lana, eu não teria tentado tanto ganhar sua confiança. Eu não teria voltado em tudo.‖ Eu olhei profundamente em seus olhos. "Como você consegue me fazer sentir melhor sobre algo que tem me atormentado desde que me lembro?" ―É um talento‖, disse ele, seus lábios se contraindo. ―Eu aprendi isso na escola.‖ ―Com outras meninas?‖ Ele bufou. ―Nenhuma que eram importantes. Todos elas só queriam a minha atenção.‖ ―Eu lembro.‖ ―Todos queriam algo de mim‖, disse Damien. Eu permaneci em silêncio. Ele vagou os olhos sobre o meu rosto. ―Todo mundo queria algo ... então o que você quer de mim, Alannah?‖ O que eu quero de Damien Slater? ―Eu quero o que eu sempre quis, o que eu ainda quero.‖ ―E é o quê?‖, Ele perguntou, inclinando-se para mim como se ele precisasse ouvir minha resposta. ―Seu tempo.‖ ―O quê?‖ Damien se afastou e olhou para mim com confusão. "Ter um único momento do seu tempo foi a melhor parte de mim no dia de volta à escola, sabe disso? Todo mundo sempre quis sua atenção, sua aparência, estivesse em seu braço ... mas eu só queria estar perto de você. Nada mais, nada menos. Eu só queria falar com você ... Eu só queria o seu tempo."


―Você tem isso‖, ele disse, colocando sua testa na minha. ―Você tem cada minuto, a cada milissegundo. É seu.‖ Fechei os olhos e coloquei minhas mãos em seus braços. ―Me beije.‖ Damien fez um som, no fundo de sua garganta. ―Você disse que nós temos que ir devagar‖, ele murmurou. ―Nós temos que. Eu não vou arruinar isso.‖ ―Um beijo não vai estragar nada, floco de neve.‖ ―Um dos seus beijos arruinou-me há muito tempo, sardas.‖ Quando abri os olhos, e sorri para Damien, sua respiração presa, foi o único aviso que eu tive antes dele cobrir a boca com a minha. Minhas mãos, como eu sabia que seria, deslizaram em linha reta até o cabelo de Damien, e meus dedos se enredaram em torno dos fios grossos. Eu separei meus lábios, e quando sua língua deslizou contra a minha boca, um pulso começou a pulsar entre as minhas coxas. Instantaneamente, eu quebrei o beijo. ―Problemas‖, eu disse asperamente. ―Pare. Vamos ficar em apuros ―. Damien ficou tenso, mas ele não tentou me beijar de novo, embora eu sabia que ele queria. Eu quase podia sentir o quanto ele queria. ―Você quer que eu vá?‖, Ele perguntou, com os olhos ainda em meus lábios. Eu balancei minha cabeça. ―Não, eu não.‖ ―Você não quer me deixar em tudo?‖ ―Não‖, eu respondi timidamente.


―Você está tentando me matar.‖ Damien gemeu. ―Eu sei que você quer.‖ ―Eu prometo ser boa.‖ Ele resmungou. ―Eu vou ficar bem‖, eu continuei. ―Eu não vou provocar.‖ ―Você vai ser uma boa namorada?‖ Meu estômago estremeceu com a menção da palavra. ―Eu sou sua namorada?‖ "Sim", respondeu Damien instantaneamente. "Eu não quero jogar. Nós estaremos namorando e namorando um ao outro. Qual é o ponto de não ser o parceiro do outro quando sabemos que é o que seremos um para o outro? Eu não estou fazendo isso sem besteira de etiqueta. Eu vi alguns dos meus irmãos seguirem esse caminho, e foi inútil para eles. Eu sei quem eu quero e é você." Meu estômago entrou em erupção com borboletas. "Sem jogos?" Eu repeti. Damien assentiu. "Sem jogos." "Vamos ter que nos comunicar", insisti. "Faltámos severamente a esse departamento antes, por isso tem de ser uma prioridade se estivermos realmente a fazer isto." "Estamos fazendo isso", disse Damien, lambendo os lábios. "Você é minha namorada." A colegial em mim queria gritar: "Eu sou a namorada de Damien Slater!", E pela primeira vez, a mulher em mim estava no mesmo comprimento de onda.


"Eu serei a melhor namorada", assegurei a Damien. "Eu prometo." Ele sorriu, inclinou-se e roçou os lábios suavemente contra os meus. "Eu não posso acreditar que você é minha namorada." Nem eu ... meus amigos iam morrer.


Eu levantei quando ouvi um estrondo, seguido por uma série de palavrões. Eu pulei para fora da minha cama, felizmente meus lençóis não me envolveram como uma jiboia e me deixaram de joelhos. Eu corri para fora do meu quarto e parei no corredor fora da cozinha. Eu estremeci com o brilho da luz e levantei minha mão para bloqueá-lo. Com os olhos apertados, minha visão clareou e Damien apareceu. Um Damien seminu. "Porra." Damien pulou e se virou para mim. ―Você assustou a merda fora de mim‖, ele disse, colocando a mão em seu ridiculamente tonificado peito em surpresa. Meus olhos vagaram por seu corpo, e minha mente começou a marcar as coisas uma a uma. Bronzeado legal? Verifica. Assassino abs? Verifica. Linha V digna de babar? Verifica. Trilha do Tesouro? Verifica. Vestindo nada além de cuecas boxer preta? Verifica. "Alannah", disse Damien, sua voz rouca. Voltei meus olhos para ele. ―Como você mantem um bronzeado? As pessoas ficam mais claras, não mais escuras.‖ Damien olhou para o seu corpo, em seguida, de volta para mim. ―Eu sou mais claro do que eu era há um ano.‖


"Não parece para mim." Quando ele não respondeu, eu olhei para ele e congelei quando vi como ele estava olhando para mim. "Pare de olhar para mim como se você quisesse me comer", disse ele, sua mandíbula tensa. "Eu sou apenas um homem, e vou tentar tocar em você se você não parar." Eu não tinha certeza se poderia seguir seu pedido, então levantei minha mão e cobri meus olhos completamente. "Feito." Quando a risada baixa de Damien encheu a sala, senti a súbita tensão sexual desaparecer, então sorri e deixei cair a minha mão de volta para o meu lado. "Eu não pretendia te acordar", disse ele, franzindo o rosto levemente. ―A gata estava chorando, então eu fui checá-la e bati na mesa quando entrei aqui.‖ Eu suspirei. "Bárbara!" Antes que eu pudesse me virar e correr para a sala de estar, a voz de Damien me parou. ―Ela está em sua caixa; ela está bem." Antes de nós dois fossemos para a cama em quartos separados montamos tudo que Alec tinha comprado em meu nome para Barbara. Havia brinquedos, alimentos, tigelas de comida e água, caixas de areia em tamanhos diferentes para quando ela crescesse, um poste para arranhar, que demorou surpreendentemente uma eternidade para colocar juntos, um pacote de catnip e uma pequena escova de pelo. Eu estava confiante de que precisaria de mais suprimentos para ela, mas, no momento, parecia que eu tinha tudo para satisfazer suas necessidades. ―Ela comeu alguma comida?‖


Damien assentiu. "Há um pequeno dente no que nós demos a ela." Eu mordi meu lábio inferior e me preocupei. "Eu espero que ela não seja muito jovem para a comida de gatinho." "Alec disse à mulher na loja que você não tinha certeza de quantos anos ela tinha, mas que ela era pequena, então nos deu a comida que tinha para gatinhos que acabaram de desmamar o leite de sua mãe." Eu cruzei meus braços no meu peito. "Mas e se ela ainda estivesse bebendo leite de ma, e nós estamos dando comida sólida?" "Você vai ao veterinário amanhã e sabe que vai perguntar, ok? Nós fizemos tudo que podemos por agora. ‖ Suspirei. "OK." Quando Damien sorriu, eu mudei minha postura. "O que?" "Estamos em sua cozinha no meio da noite falando sobre um gatinho bebê, e estamos namorando." Ele balançou a cabeça. "Isso não é como eu estava esperando a noite ir quando você disse que queria falar comigo." "Como você estava esperando que fosse?" "Honestamente?" Eu assenti. "Eu pensei que você ia dizer que só queria ser minha amiga." Meus lábios se separaram. "Por quê?"


"Eu não queria me dar nenhuma esperança, então eu sempre me forço a esperar o pior quando se trata de você ... só para que doesse menos." Meu estômago revirou. "Dame." Eu fiz uma careta quando eu abaixei meus braços para o meu lado e atravessei a sala. Ele abriu os braços e aceitou meu abraço sem palavras. Ele abraçou meu corpo ao dele e acariciou sua mão para cima e para baixo nas minhas costas. Espantou-me o quão perfeitamente eu me encaixava contra ele e o quão suave eu achava o toque dele. "Me desculpe por ter feito você se sentir como se tivesse que fazer isso." "Não peça mais desculpas." Ele beijou o topo da minha cabeça. "Não estamos mais nos concentrando no passado, certo?" Eu apertei ele. "Certo." Barbara começou a fazer muito barulho e Damien suspirou. "Ela está cantando a música de seu povo." Eu ri e juntos fomos para a sala de estar. Deixei Bárbara sair do caixote e encorajei-a a comer mais e beber um pouco de água. Demorou alguns minutos, mas ela consumiu um pouco mais de ambos e isso me aliviou muito. Eu empurrei sua caixa de areia para perto dela para que ela pudesse ver e cheirar. Eu toquei na tela do meu telefone quando uma pergunta entrou na minha cabeça. ―Eu acho que ela tem que ir ao banheiro, e Google diz para colocar ela sobre a caixa de areia depois que ela comer e beber para promover que ela vá ao banheiro na mesma.‖


Damien esfregou os olhos. ―Se o Google diz isso, ele deve estar certo.‖ Eu olhei para ele. Ele riu cansado, em seguida, estendeu a mão e colocou o braço em volta do meu ombro, puxando-me para seu corpo. "Eu amo que eu posso te tocar assim sem se preocupar que você vai me atacar." Eu deslizei meu braço ao redor de sua cintura nua, minhas palmas ficando quase instantaneamente úmidas. "Quando eu já ataquei você?" "O dia em que eu soube que você era a única para mim", ele respondeu. ―Nós tinhamos dezoito anos, e tudo acabara de sumir entre nós. Você me chutou nas bolas e me disse para ir para o inferno e nunca mais voltar." Minha mão livre jogou na minha boca e eu ri. "Eu esqueci disso!" "Jesus, eu não fiz." Ele brincou estremecendo. "Eu ainda posso sentir a dor cegante quando penso nisso." "Você é tão cheio disso", eu gargalhei. Ele olhou para mim quando eu ri e disse: "Você é linda". Parei de rir quase instantaneamente e abaixei a cabeça. "Não diga coisas assim; você vai me envergonhar. Damien gemeu. "Deus, isso é sexy." Eu olhei para ele com as sobrancelhas levantadas. "O que é?" ―O fato de você não saber que é linda; é tão excitante.‖


Eu estreitei meus olhos, tentando ignorar minhas bochechas queimando. "Pare com isso." Damien sorriu com um brilho diabólico em seus olhos. "Faça-me parar." Eu congelo. "Nico diz isso a Bronagh o tempo todo, e nove vezes em cada dez, eu dou uma desculpa para sair porque eu sei que eles estão fazendo sexo." "Eu acho que tenho mais controle do que meu irmão gêmeo idiota." Eu bufei. "Você acha que sim, hein?" "Eu sei que sim." Com um sorriso, eu voltei para Barbara para ver o que ela estava fazendo, e eu ofeguei. "Damien!" Eu dei a sua cintura um aperto. "Veja." Eu apontei para a caixa de areia de Barbara, a que ela estava usando atualmente. "Boa menina", disse Damien, e sem olhar para ela, eu sabia que ele estava sorrindo. "Acho que acabamos de transmitir sabedoria." Damien bufou, então quando Bárbara terminou, ele a colocou de volta em sua caixa. Eu me senti mal por colocá-la lá, mas Damien disse que Alec disse que os gatinhos não gostam de espaços grandes que são novos para eles, então colocá-la em sua caixa a relaxaria e a ajudaria a se ajustar. Eu esperava que Deus estivesse certo porque partiu meu coração olhar para ela através da pequena porta gradeada como se ela fosse uma prisioneira. "Você não poderia ouvi-la em seu quarto mais cedo?"


Eu balancei a cabeça com a pergunta de Damien. Ele bufou enquanto se endireitava a toda a sua altura. "Eu a ouvi no quarto de hóspedes", disse ele. "Não há nada de errado com seus pulmões, eu posso te dizer muito." Eu peguei a mão dele. "Talvez você devesse vir e dormir em meu quarto comigo então?" Seus olhos se voltaram para os meus, sua surpresa era clara como o dia em que sua expressão de boca aberta era algo para se passar. "Nós não vamos ficar em apuros", eu assegurei ele, vendo a pergunta em seus olhos. "Vamos apenas dormir." Damien parecia aflito, mas quando eu puxei a mão dele, ele não ofereceu resistência e saiu da cozinha comigo, apagando a luz enquanto saíamos. Eu sorri para mim mesma. Eu me senti no controle de algo pela primeira vez em muito tempo, e me senti bem. Eu não tinha medo de dormir na mesma cama que Damien. Eu estava animada. "Você sempre usa tanto para dormir?" "Sim", eu respondi. "Eu fico com frio facilmente." Meu quarto estava escuro como breu quando entramos, e eu sabia onde minha cama estava, mas Damien não, e ele entrou diretamente na base. ―Foda-se!‖ Eu ri quando eu subi em cima da cama, empurrando para trás o cobertor. ―Acha isso engraçado, não é?‖ Eu gritei quando a cama afundou e um braço se enganchou ao meu redor, enquanto outra mão corria


para cima e para baixo do meu lado, fazendo cócegas em mim sem piedade. Eu gritei, ri e implorei para Damien parar, mas ele não fez. Ele vibrou de tanto rir, e só parou quando eu caí de costas, e ele se viu inclinado sobre mim com a mão agora na minha cintura nua desde que minha camiseta subiu durante o ataque de cócegas. Nós dois ficamos em silêncio então. Nós não podíamos nos ver porque a sala estava coberta de escuridão, mas eu estava super consciente dele. "Você cheira bem." Eu lambi meus lábios. "Eu faço?" ―Você faz.‖ Eu podia ouvir meu coração batendo. ―Damien, não podemos entrar em apuros.‖ ―Sem problemas‖, ele murmurou. ―Eu só quero tocar em você. Eu posso tocar em você, por favor?‖ A vontade de pedir-lhe para fazer exatamente isso era esmagadora. ―Mas, mas …‖ ―Sim, eu quero tocar sua bunda, também.‖ Eu empurrei ele, e ele levemente riu. "Relaxe", ele sussurrou, abaixando o rosto o suficiente para eu sentir sua respiração quente na minha pele. "Deixe-me fazer você se sentir bem, baby." Baby Eu adorava ouvi-lo me chamar de apelidos, mas isso de lado, eu estava apreensiva. "Eu não acho que isso é uma boa ideia", eu murmurei. ―Lembre-se do que dissemos sobre


construir uma conexão melhor e uma confiança entre nós antes de nos tornarmos íntimos?‖ "Você confia em mim?" "O céu me ajude, mas sim, eu faço." "Então, confie em mim para não ultrapassar", disse Damien. "Confie em mim apenas para tocar seu corpo e dar-lhe prazer." "Estou com medo", eu admiti. "Eu não estava quando entramos aqui, mas estou agora." "Eu sei, sardas", Damien quase ronronou. ―Mas deixar de lado esse medo por algum tempo ajudará você a se acostumar comigo nessa capacidade. Somos parceiros agora e tenho que trabalhar para baixar a guarda, e esse momento entre nós ajudará. Eu sei que vai." "O-ok." "Boa menina". Eu pulei quando a mão dele deslizou da minha cintura e desceu para o meu estômago. Eu congelei, imaginando se ele diria alguma coisa sobre sentir meu estômago. Eu sabia que não era gorda, mas eu não me parecia com os meus amigos. Eu poderia me dar ao luxo de perder os vinte e cinco quilos que ganhei nos últimos dois anos, e estava muito ciente desse fato com a mão de Damien sobre mim. "Por que você está tão tensa?" Eu hesitei, então lembrei do nosso acordo para nos comunicarmos uns com os outros. "Eu estou envergonhada." "Porque eu quero tocar em você?"


"Porque estou preocupada que você não goste do que sente." Eu praticamente senti os olhos de Damien perfurarem meu crânio através da escuridão. "Você acha que eu não vou gostar do seu corpo?" Ele questionou incrédulo. "Você não pode estar falando sério, Alannah." Eu mexi ao lado dele, mas sua mão permaneceu firme no meu estômago. "Eu sou um pouco gordinha", eu murmurei. "Ganhei um bom peso desde que ficamos juntos pela última vez. Eu sou autoconsciente sobre meu estômago, quadris e coxas. Eu também." ―O que diabos está errado com a sua bunda?‖ Damien perguntou. ―Ou o seu quadris, coxas e estômago para que o assunto?‖ "Eles não são tonificados", eu disse com um gemido mortificado. "Eu tenho celulite e rolinhos." Deus, isso é embaraçoso. "Só para ficar claro, eu amo o seu corpo", disse ele, seu polegar acariciando lentamente a minha pele. "Estou extremamente atraído por isso." Eu não queria rir, mas eu fiz. ―Você não acredita em mim?‖ Antes que eu pudesse responder, Damien sentiu a minha mão, agarrou-a, depois ergueu-a no ar antes que ele a movesse sobre algo ... difícil. Algo que era muito difícil e latejava como se não houvesse amanhã. "Oh", eu sussurrei quando percebi o que minha mão estava pressionada.


Damien grunhiu antes de mover nossas mãos de volta ao meu estômago. "Eu te desafio a não concordar com o quanto eu gosto do seu corpo agora", ele desafiou. "Meu pau vai discordar de você e assim será a minha mente e coração." Fiquei contente com a escuridão quando um sorriso apareceu no meu rosto, queimando com o calor. "Eu não posso ajudar como me sinto sobre o meu corpo." "Não", ele concordou. "Mas você vai aprender a amar, assim como eu." "Você ama meu corpo?" "Sim", disse ele, "Da cabeça para baixo, é um ótimo corpo. Perfeito, realmente." Eu ri, mas parei quando a mão no meu estômago deslizou para baixo e se encaixou sob a faixa das minhas calças de pijama. Meu coração disparou quando Damien gentilmente cutucou minhas coxas. Um arrepio percorreu minha espinha quando sua mão grande e áspera deslizou por dentro das minhas coxas. Ele apertou minha carne aqui e ali, fazendo todo o meu corpo ganhar vida. "Damien", eu sussurrei. "Lana", ele murmurou. "Eu vou fazer você se sentir bem pra caralho." Minhas coxas de repente se apertaram e prenderam a mão de Damien. "Oh, você quer que eu toque em você", ele cantarolou. "Eu posso sentir seus músculos se contraindo."


Meu corpo corou com o calor e minhas pernas se separaram mais uma vez. "Há a minha garota." Eu respirei fundo quando o polegar de Damien correu o comprimento da minha calcinha. O atrito do tecido contra o meu clitóris causou arrepios na minha espinha. "Damien", eu respirei. Ele moveu seu corpo para mais perto de mim. "Foda-se", ele sussurrou. ―Eu amo como você diz meu nome. Eu estive em torno de pessoas irlandesas há muito tempo, mas seu sotaque é o único que me deixa duro quando você fala. Eu amo sua voz." Eu lembrei que ele me disse que amava minha voz uma vez antes, e isso fez meu corpo estremecer. "Você está me matando, Dame." "Eu ainda não comecei , baby." O tempo todo ele falou, ele estava esfregando um dedo solitário para cima e para baixo na minha fenda. Foi bom, mas não bom o suficiente. Era quase como se ele estivesse me provocando, não empurrando o tecido de lado. Com coragem que eu não sabia que possuía, estiquei minhas calças de pijama, coloquei minha mão em cima de Damien e manobrei seus dedos para empurrar o tecido da minha calcinha para o lado. Quando seus dedos finalmente tocaram meu clitóris, minhas costas se arquearam. "Sim!" Damien colocou a boca ao lado da minha orelha e fez um som perto de um rosnado. "Você é uma coisinha exigente", ele disse, "não é?"


Eu gemi em resposta quando ele deslizou um dedo solitário até a minha entrada. Ele mergulhou-o uma vez, duas vezes, depois gemeu. ―Você se sente tão quente, tão molhada. Eu posso sentir você envolvendo meu dedo ... Eu não posso esperar para que seja meu pau. " Eu também. Quando seu dedo deslizou de volta para o meu clitóris e começou a girar em torno dele lentamente, mas sem tocá-lo diretamente, comecei a perder a cabeça. Meu corpo começou a se contorcer de um lado para o outro, tentando forçar o dedo de Damien no meu clitóris a cada movimento. Ele encostou seu corpo contra mim, entretanto, e usou seu peso para me manter no lugar enquanto continuava sua deliciosa tortura. "Por anos", ele murmurou em meu ouvido, "eu me acariciei e me fiz gozar apenas imaginando estar com você assim." Minha respiração ficou irregular. "Você fez?" "Claro que sim", ele rosnou. ―Eu me lembrei de como era tocar em você, sentir seu gosto, sentir você em volta de mim tão apertado. Eu vim duro toda vez." O pensamento de vê-lo tocando-se enviou outra onda de calor através de mim. "É verdade?" Eu perguntei de repente. "O que você disse na semana passada, sobre não tocar ou beijar ninguém desde que você tocou e me beijou pela última vez?" Eu não toquei em outra mulher desde que te toquei. Eu não beijei outra mulher desde que te beijei.


―Cada palavra,‖ Damien respondeu, sua língua batendo no meu lóbulo da orelha. ―Você me arruinou para qualquer outra mulher. Você é a única que eu quero tocar de novo. Eu te disse ... você é minha sardas." Eu gritei quando seu dedo finalmente esfregou meu clitóris. "Sim!" Eu gritei. "Sim!" "Foda-se, você é tão quente." Lábios roçaram contra a minha bochecha, então um segundo mais tarde, eles cobriram a minha própria, e só assim, eu estava perdida em contato e gosto de Damien. Eu adorava beijá-lo. uma vez eu fingi que eu nunca gostei dos beijos que eu tinha uma vez compartilhado com ele, apenas para que eu nunca iria pensar sobre eles, mas beijá-lo agora, eu percebi o quão idiota que eu era por tentar me enganar em pensar que eles não eram agradáveis. Eles estavam se enrolando. ―Eu posso te provar?‖, perguntou ele contra os meus lábios. ―Por favor diga sim.‖ ―Você já está.‖ ―Não.‖ Ele riu, o som baixo e surdo. ―Não sua boca, sua buceta.‖ Ele deslizou o dedo dentro da minha buceta quando eu registrei sobre suas palavras, e ele rosnou. . ―Você quer a minha língua em você.‖ ―Sim‖, eu respirei. ―Sim por favor.‖ Mudou-se, então, e antes que eu pudesse moverme, o cobertor foi empurrado para o final da cama, e as minhas calças e calcinha foram puxadas para baixo do meu corpo e jogou só Deus sabe onde no quarto.


Mãos pressionaram contra meus joelhos e separaram minhas coxas largas. Eu sacudi com surpresa quando os lábios pressionaram contra o interior das minhas coxas e lentamente subiram. Minhas pálpebras se fecharam quando as mãos de Damien deslizaram pelo meu corpo, apertando minha carne aqui e ali. Eu gemi baixinho quando ele arrastou beijos dentro das minhas coxas, seus dentes beliscando minha pele a cada poucos segundos, fazendo-me apertar com excitação. Meu corpo se contraiu por vontade própria quando de repente senti sua língua quente e úmida deslizar sobre minhas dobras sensíveis. Eu respirei fundo porque eu não senti essa sensação desde que Damien me colocou a boca em mim todos aqueles anos atrás. Quando eu fiz sexo com Dante, era apenas sexo - não oral, sem beijos. Esses atos eram muito íntimos, muito especiais para mim, e percebi então que eu só queria compartilhar esse tipo de conexão com Damien. Ninguém mais, apenas ele. Ele cantarolou contra mim, então lambeu para cima e para baixo. Ele não tocou diretamente no meu clitóris latejante que doía tanto que rangi os dentes. Eu cerrei minhas mãos ao meu lado e foquei na minha respiração. Meus olhos cruzaram quando ele lambeu meu clitóris, me provocando, puxando longos gemidos dos meus lábios. Ele moveu sua atenção e língua para meus lábios e chupou meus lábios antes de mergulhar a língua dentro de mim. "Damien!" Ele chupou meus lábios e até raspou seus dentes sobre eles, enviando um arrepio na minha espinha. Ele


moveu a língua para cima e, finalmente, senti ar quente no meu clitóris, seguido por sua talentosa língua lambendo-o como um homem faminto. ―Foda ... se ... Deus!‖ Damien colocou os braços ao redor de minhas coxas e achatou suas mãos no meu estômago, aplicando pressão para manter a minha bunda no colchão. Ele inalou uma respiração profunda, em seguida, enrolou a língua em volta do meu clitóris lentamente. Foi tão bom que quase machucou, mas isso não me impediu de implorar-lhe para parar. Eu pulsava com a necessidade, e a vontade de descer e fechar minhas mãos no cabelo espesso de Damien tornou-se difícil de ignorar. Meus dedos se flexionaram contra os lençóis da minha cama. Respirar, eu disse a mim mesma. Apenas continue respirando. Meu corpo se contraiu e sacudiu como um fio vivo com cada golpe e apertar a língua de Damien. Minha carne estava corada de desejo e minha pele queimava de necessidade. A paixão que senti foi tão intensa quanto inebriante. Essa breve fuga da realidade era exatamente o que eu precisava, e Damien era apenas o homem que eu queria - não, o homem que eu precisava ter para mim. "Damien", implorei. "Não pare." Suas mãos se flexionaram contra o meu estômago em resposta. Choques de prazer tornaram-se mais constantes, então, e com uma abundância de atenção focada no meu clitóris, meu orgasmo construído em um ritmo rápido. Minha respiração de repente tornou-se


irregular, e eu não conseguia me concentrar em qualquer coisa, exceto o quão bom eu me senti. Comecei a me perder ao toque de Damien, e eu não resisti; atirei-me sobre a borda. Minhas coxas começaram a tremer como gelatina, tanto que Damien usou as mãos para agarrar o interior das minhas coxas para mantê-las de bater contra a sua cabeça enquanto ele me lambia. Com a nova posição suas mãos, ele empurrou minhas pernas mais distantes, e ele empurrou minha buceta mais difícil contra a boca de Damien. Naquele momento, perdi a luta contra a vontade de enterrar as mãos no cabelo dele, e no segundo em que fiz isso, ele chupou meu clitóris em sua boca e meu corpo começou a convulsionar. Eu gritei o nome de Deus antes que eu respirasse fundo e segurei. Por um momento, senti uma fração de segundo de dormência antes de uma inexplicável onda de felicidade começar em meu clitóris e, a cada pulso, empurrar a sensação para fora. Meus olhos reviraram, minha coluna arqueou e meus lábios se separaram em um grito silencioso. Meus pulmões queimavam por ar, então eu exalei a respiração que eu estava segurando antes de engolir mais. Meu corpo continuou a tremer incontrolavelmente, e Damien ainda chupava e lambia meu clitóris agora sensível demais, como se estivesse tentando puxar outro orgasmo de mim. Quando eu comecei a choramingar, eu acho que ele sabia que eu não aguentava mais porque ele soltou meu clitóris, colocou um beijo casto nele, então subiu


meu corpo. Eu senti suas mãos em cima de mim; senti seus lábios beijando minhas coxas, meus quadris, meu estômago e qualquer outra parte da pele que seus lábios pudessem alcançar. No momento em que ele chegou aos meus lábios, eu estava meio adormecida, meu corpo completamente esgotado de energia. "Boa noite, sardas." Damien riu, roçando seus lábios contra os meus. "Bons sonhos." A última coisa que eu percebi não era Damien ao meu lado ou o quão satisfeito eu estava, era como eu me sentia contente. Ele penetrou profundamente em meus ossos e envolveu-me como um cobertor quente. Eu não me sentia assim há muito tempo, e rezei para que não houvesse fim à vista para isso.


Quando acordei, não foi porque o meu corpo decidiu que estava pronto, foi porque algo estava cavando no meu traseiro que me deixou desconfortável. Quando eu abri meus olhos, eu pretendia sentir o objeto que eu acidentalmente deixei na minha cama, mas no segundo um ronco suave ecoou no meu ouvido e o hálito quente de alguém soprou no meu pescoço, eu sabia que não era um objeto que cavou em mim. Foi uma parte do corpo. A noite anterior veio correndo de volta para mim em segundos. Eu sorri ridiculamente largo quando me mexi um pouco, e o braço em volta de mim se apertou. Mordi meu lábio inferior quando uma mão flexionou ao redor do meu seio esquerdo. Eu olhei para baixo e vi que Damien tinha colocado a mão no meu pijama e pegou um punhado do meu peito. Eu resisti à vontade de rir porque parecia uma coisa tão masculina para ele, mesmo em seu sono. Ele continuou roncando, e eu fiquei tão feliz ao descobrir que não era alto nem perturbador, mas estranhamente relaxante de ouvir. Eu lentamente me virei para encará-lo, sua mão caiu do meu peito, mas permaneceu em volta da minha cintura. Eu engoli quando percebi que estava nua da cintura para baixo, e a razão fez meu estômago apertar. Lembrei-me do que Damien fez comigo na noite anterior e o calor me percorreu.


Eu só tinha tido a boca de Damien em mim uma vez antes, mas a noite passada foi a melhor das duas porque eu ainda me sentia satisfeita com o lançamento que ele literalmente sugou de mim. Eu mordi meu lábio inferior enquanto descansava minha cabeça no meu travesseiro e olhava para o rosto dele dormindo. Ele era impressionante, e eu não podia acreditar que tínhamos falado e chegado à decisão de que iríamos namorar um ao outro. Eu ainda estava apavorada que as coisas acabariam mal entre nós, mas como eu tinha dito a Damien na noite anterior, eu estava tão farta de deixar meu medo de me machucar me impedir de fazer as coisas que eu queria. Eu queria ser corajosa, assim como Damien disse que eu era ... e eu queria que essa coragem começasse a dar-lhe um bom despertar matinal. Ele estava certo quando disse que aquele pequeno momento de intimidade entre nós ontem à noite ajudaria a baixar a guarda porque eu não me sentia mais completamente apreensivo com o Damien me tocando de tal maneira. Meus problemas com o corpo ainda permaneciam, mas eu acreditava que Damien quando ele disse que amava meu corpo. Eu só tinha que colocar minha mente no mesmo comprimento de onda que ele, então eu também poderia amar. Com os olhos no rosto, disse a mim mesmo que poderia fazer o que estava prestes a fazer e que Damien adoraria. Essa coragem me empurrou para lamber a palma da minha mão, em seguida, pressionar as costas da minha mão contra o peito sólido e correr pelo seu torso. Lambi meus lábios quando meus dedos deslizaram sobre seu abdômen e vieram para a banda


de sua cueca boxer. Eu serpenteei meus dedos sob a banda, e no segundo que eu senti seu pênis, envolvi minha mão em torno do membro endurecido e apertei suavemente. Os lábios de Damien se separaram em seu sono, e ele quase choramingou. A emoção que disparou através de mim foi até os dedos do pé. A lubrificação da minha saliva na palma da minha mão permitiu que minha mão deslizasse para cima e para baixo com mais facilidade, e a partir da subida e descida do peito de Damien, eu sabia que seu corpo estava gostando do meu toque. Eu quase desejei que ele abrisse os olhos e acordasse por causa do prazer que eu estava dando a ele, mas assistir suas feições se contorcerem com felicidade em seu sono me excitou. Eu queria fazer mais com ele. Com cuidado, empurrei o cobertor que nos cobria de nossos corpos. Eu tive que levantar o braço ao redor da minha cintura e empurrá-lo de costas. Uma ou duas vezes, achei que ele acordaria, mas ele não fez, e quando me mexi pelo corpo dele e separei as coxas, olhei para o contorno do seu pênis grosso e ereto. Puxando-o livre de sua cueca, eu peguei-o na minha mão e olhei para o rosto de Damien assim que me abaixei e fechei minha boca ao redor da cabeça. Eu nunca tinha dado um boquete antes, então eu estava saindo do que eu tinha visto em pornôs e esperando em Deus que eu estivesse fazendo certo e que isso fosse bom para Damien. Sua boca se abriu, suas mãos se fecharam em punhos e um gemido alto e primitivo encheu a sala. Subindo e descendo a cabeça


quatro vezes e, no quinto, quando o levei para o fundo da garganta e engoli, os olhos se abriram. ―Foda ... se!‖ Ele assobiou, empurrou-se nos cotovelos, e olhou para mim, seus lábios entreabertos e os olhos arregalados. ―Ah, porra. Alannah. Baby, sim.‖ Eu sorri ao redor de seu pênis, e juro que seus olhos reviram um pouco com a visão. Eu chupei ele, apertei-o com a minha mão e caí em um ritmo de foder com a minha boca. Algumas vezes, seus quadris empurraram para cima, empurrando seu pau para o fundo da minha garganta. Eu engasguei duas vezes, e a saliva chegou em todos os lugares, mas não me atrasou. As coisas ficaram confusas quando usei a saliva que escorria pelo meu queixo e deslizei sobre o pênis de Damien. Ele estava orando em voz alta para Deus, pedindo-lhe para fazê-lo durar mais tempo, mas eu não estava tendo nada disso. Eu queria que ele viesse e viesse agora. Trabalhei minha boca e minha mão mais rápido, chupando mais forte e engolindo quando a cabeça do pênis de Damien bateu na parte de trás da minha garganta. Ele veio com um rugido e seu esperma quente cobriu minha língua. Eu engoli cada gota, continuando a trabalhá-lo como eu fiz. Os quadris de Damien resistiram algumas vezes, e seu corpo estava tão tenso que ele parecia rígido como uma tábua, mas quando eu soltei seu pênis da minha boca com um estalo, ele caiu de volta no colchão. Seus olhos estavam fechados e seu peito subia e descia tão rápido que você pensaria que ele corria uma


maratona. Limpei a boca e a mão com a camiseta do pijama, depois sorri para a forma inerte dele. "Bom dia, Damien.‖ "Venha", ele ofegou, "aqui". Eu me arrastei para o lado dele e me aconcheguei contra ele, puxando o cobertor de volta sobre nossos corpos. Eu inclinei minha cabeça em seu ombro enquanto seu braço se envolvia em torno de mim. Jogando meu braço sobre sua cintura, suspirei em contentamento. Eu era uma pessoa tímida quando se tratava de sexo; eu podia ouvir meus amigos falarem sobre isso, mas se fosse minha vida sexual sob o microscópio, eu me sentia desconfortável. Eu não gostava de falar sobre isso ... mas na cama com Damien? Parecia que eu não tinha filtro. ―Eu não sabia se eu gostaria ou não, mas eu adoro chupar seu pau.‖ ―Por favor,‖ ele quase gemeu, ―você vai me fazer chorar.‖ ―Chorar?‖ Eu levantei uma sobrancelha. ―Por quê?‖ ―Porque eu tenho sonhado uma fantasia de acordar com você chupando meu pau , e meu Deus,a realidade era melhor do que qualquer coisa que minha mente pudesse evocar.‖ Eu cantarolei. ―Fico feliz em ouvir isso.‖ "Eu sinto que minha alma deixou meu corpo", disse ele, com os olhos ainda fechados. "Você chupou para fora de mim." Eu vibrei de tanto rir. "Você gostou?" "A água está molhada?", Ele respondeu. Eu sorri e beijei seu peito em resposta.


"Você não tinha que fazer isso, você sabe disso, certo?" Damien perguntou, apertando-me suavemente. "Eu não quero que você sinta que você me devia algo porque eu comi sua boceta ontem à noite." Minhas bochechas queimaram. ―Eu sei, mas eu queria fazer isso. Você estava certo quando disse ontem à noite que iria me ajudar a baixar um pouco a guarda. Eu não posso acreditar em quão confortável estou me sentindo com você." "Parece certo, não é?" "Sim", eu disse, assentindo. "Sim" "Estou tão feliz, Alannah", Damien exalou uma respiração profunda. "Pela primeira vez em anos, estou genuinamente feliz e é por sua causa." Meu coração se aqueceu. "Eu me sinto do mesmo jeito", respondi. "Eu ainda estou com medo, mas estou feliz que estamos fazendo isso." "Eu também." "Isso é aleatório, mas você veio muito", eu disse enquanto escovava meus dedos sobre o peito de Damien. "Isso foi um acúmulo de seis anos?" "Eu me masturbei muito nos últimos seis anos, mas hoje? Jesus Cristo, meu pau não entendeu o que estava acontecendo e não sabia quando parar. Desculpe pela quantidade, eu não percebi." "Por que você está se desculpando?" Eu perguntei, confusa. ―Foi sexy. Além disso ... eu engoli tudo." Damien gemeu. "Pare. Eu quero transar com você e sei que não posso, então pare.


Eu atendi o aviso instantaneamente e não estava prestes a provocá-lo quando soube que seria cruel fazê-lo. ―Eu estou indo para verificar Barbara.‖ Ele levantou uma pálpebra. ―Eu não posso acreditar que você nomeou a gata de Bárbara.‖ "Não odeie seu nome", eu avisei. "É adorável." Damien abriu os olhos completamente. "Você é perfeita." Eu abaixei minha cabeça, envergonhada, e ele riu, me apertando contra ele. "Você vai ver sua mãe hoje?" Eu balancei a cabeça, inalando o cheiro dele. "Eu quero saber qual é o seu plano de ação para melhorar." "Que tal levar Bárbara ao veterinário?" "Eu vou fazer isso também", eu disse. "Eu não tenho que trabalhar até mais tarde. No entanto, preciso me mexer e converter o quarto de hóspedes em um escritório para Morgan. "Morgan?" "Meu empregado", eu lembrei. "Você me ajudou a me preparar para a entrevista, lembra?" "Sim", disse Damien lentamente. "Mas você não disse que era uma coisa online?" ―Originalmente, sim, mas eu estava fazendo esse quarto virar um escritório de qualquer forma, e de vez em quando vou falar sobre coisas mais fáceis. Ele só trabalha cinco dias por semana durante um punhado de horas por dia, três daqueles dias em que estará." Damien ficou em silêncio, então me sentei e olhei para ele.


"O que está errado?" Ele encolheu os ombros. "Isso não é uma resposta, Dame." Ele fechou os olhos ―Acabamos de começar a namorar. Eu não posso dizer o que quero dizer sem parecer um namorado protetor.‖ Eu estendi a mão e escovei meu polegar sobre seus lábios. "Fale comigo", eu encorajei. ―Manter as coisas engarrafadas nunca funcionou para nós, então eu quero que sejamos honestos. Comunicação, lembra?‖ Damien suspirou, mas assentiu. ―Eu não me sinto confortável com um homem estranho estar aqui com você.‖ "Um sorriso se estendeu pelo meu rosto. "Dame." "Estou com ciúmes", continuou ele. "Esse cara pode ser gay, não ter um pau, e acho que uma boceta é revoltante, e eu ainda ficaria com ciúmes." Meu sorriso só cresceu. "Dame." ―Eu odeio quando meus irmãos flertam com você, e eles só fazem isso para provocar, então se esse cara sorrir para você, eu vou perder isso. Eu sei que vou." "Dame." Ele suspirou. "O que?" "Você é tão sexy quando está com ciúmes." Os olhos de Damien brilharam de desejo. "Não", ele avisou. Eu ri. ―Morgan é meu empregado, e é isso. Ele não tem interesse romântico em mim, e eu não tenho nenhum interesse. Ele também tem namorada. O


único cara que eu quero está olhando para mim agora." Damien relaxou. "Eu confio em você, mas ainda vou ficar com ciúmes." O que posso dizer? O ato de homem das cavernas me chama a atenção do clitóris. Damien estalou e tentou estender a mão para encontrar o dito clitóris, mas eu apertei minhas coxas e ri tanto que consegui um ponto. "Não", eu implorei. "Nós não podemos. Você tem trabalho em breve e eu tenho que alimentar a Bárbara.‖ "Você deveria ter pensado nisso antes de correr com sua boca sexy", ele disse, me puxando contra ele. "Você é tão descarada na cama, mas tão tímida quanto Bárbara fora dela." "Porque é só você e eu entre esses lençóis", respondi. "Eu só fico um pouco tímida em torno de todos os outros, isso é tudo." "Eu sei, e eu gosto disso." "Você faz?" "Claro que sim", respondeu Damien. "Este é um lado de você que só eu sei." No segundo em que as palavras saíram de sua boca, todo o comportamento de Damien mudou e eu sabia por quê. Ele percebeu que Dante compartilhou essa cama comigo, e não muito tempo atrás. "Olhe para mim", eu disse, então ele se inclinou e beijou minha bochecha. ―Eu nunca fui com Dante da maneira que sou com você. Eu juro pela minha vida. Eu mal falava, não nos beijávamos, não fazíamos oral


também. Foi apenas sexo. Você me tem agora, tudo de mim, e é isso que importa, certo? Ele assentiu e fechou os olhos. "Eu quero machucálo por tocar o que é meu." Ouvi-lo me reclamar era tão quente. ―Ele só teve um pequeno pedaço de mim por um curto período de tempo. Você tem tudo de mim e desde que te conheci." Quando os olhos de Damien se abriram, ele estendeu a mão e me puxou contra ele, seus lábios encontrando os meus. Eu zumbi em sua boca, e sua língua enrolou em volta da minha, mas quando ele chupou minha língua, eu gemi alto porque me senti tão bem. "Pare", eu disse asperamente. "Oh, pare." Damien me soltou, balançou os pés para o lado da cama e se levantou. Eu caí de costas e olhei para suas costas. "Não faça isso comigo", eu disse a ele. "Deus, é sexy."

―Feche a boca.‖ Damien resmungou. ―Não fale; não faça um som. Eu estou falando comigo mesmo.‖ "Você ou o seu pau?" "A ... lannah." "Desculpe." Eu ri. ―Pense em Alec nu, Ryder nu, ou Kane nu.‖ "Por que não Dominic?" Eu bufei. "Porque ele é praticamente você, então seria como dizer que você não se vê nu".


"Nós não somos praticamente o mesmo ." Damien se virou para mim, um sorriso no lugar. "Meu pau é maior." "Vou tirar a fita de medição apenas para que possamos ter certeza." "Espertinha." Eu sorri e me aconcheguei no cobertor com os olhos de Damien em mim. "Eu poderia me acostumar com isso", disse ele. "Acordando ao seu lado." Meu coração pulsou dentro do meu peito. "Eu também." Fechei os olhos, sentindo-me exausta, e Damien disse: "Você vai voltar a dormir?" "Não", respondi, mas mantive meus olhos fechados e não me mexi. Senti a cama mergulhar e um beijo roçou meus lábios. ―Eu vou alimentar a gata e limpar sua caixa de areia.‖ Eu acho que grunhi. Senti Damien se afastar de mim, então senti um cobertor sendo jogado de volta sobre mim. Damien bocejou, tamborilou no quarto por um minuto ou dois, depois saiu. Eu não estava pensando em voltar a dormir, mas quando senti a cama de repente mergulhar, saí do meu torpor. Abri os olhos quando Damien estava voltando para a cama. "Eu pensei que você estava indo para alimentar Bárbara." Ele sorriu. "Você adormeceu." "Não fiz."


"Fez também porque eu a alimentei, e limpei sua bandeja de lixo uma hora e trinta minutos atrás," ele disse com uma risada. "Eu fui pego assistindo o jogo que eu perdi a noite passada." "Que horas são?" Eu perguntei. "Logo depois das oito." Eu me estiquei antes de me mover e me aconchegar contra o lado de Damien. "Quando você tem que sair?" ―Cerca de oito e quarenta e cinco. Meu turno é às nove e meia, mas tenho que ir para casa tomar banho e arrumar roupas limpas. Eu fiz uma careta quando percebi que eu não queria que ele fosse embora, e deixei ele saber sobre isso. "Eu não quero que você vá." Seu braço veio ao meu redor. "Eu voltarei depois do trabalho." "Promessa?" Ele beijou a coroa da minha cabeça. "Promessa." "Traga roupas com você desta vez e com sua escova de dentes, para que você não tenha que voltar para casa antes do trabalho. Você pode apenas tomar banho e depois sair. Damien perguntou: "É à sua maneira de dizer que você quer que eu passe a noite com você?" Eu parei quando a dúvida me inundou. "Você não quer?" "Hey", disse Damien e não falou mais até que eu olhei para ele. "Não faça isso." "Fazer o que?"


―Não se refugie em si mesma quando não tiver certeza de alguma coisa; você pensa demais quando faz isso." Eu fiz uma careta. "Eu faço?" ―Sim,‖ Damien respondeu. ―Você faz.‖ Eu balancei a cabeça. ―E para responder sua pergunta, eu quero ficar a noite com você. Quero ficar todas as noites se você me deixar. Eu não ia perguntar porque tudo isto é novo ... Eu não queria empurrar a minha sorte.‖ "Você disse que não estamos jogando um jogo, você disse que somos o parceiro do outro e os parceiros dormem juntos na mesma cama." Os lábios de Damien se contraíram. "Isso eles fazem." "Eu não estou pedindo para você se mudar", eu disse, sentindo minhas bochechas esquentarem. "Eu só ... eu passei muito tempo no limbo sobre você, e se eu for sincera ... eu estou sozinha." "Sozinha?" Damien repetiu. "Sim", eu murmurei. "Não sobre amizade apenas ..." "Namorado?" "Eu acho." ―É por isso que passou um tempo com Dante?‖ Engoli. ―Sim e não.‖ Damien inalou e exalou um suspiro e disse: ―Digame. Eu quero saber." "É embaraçoso". "Sou eu quem você está falando, querida."


"Ok", eu disse suavemente. "Quando ... quando as coisas começaram com Dante, foi apenas para provar alguma coisa para mim mesma" Damien ficou em silêncio, então continuei. ―Eu queria provar que eu estava tão chateada com você porque eu era jovem e burra… e desde que Dante é tão parecido com você quando tinha dezoito anos, eu percebi que se eu dormisse com ele e não fosse daquela forma, então provaria que a idade era um fator quando terminei com você.‖ "E foi?" Damien perguntou baixinho. "Não, porque eu ainda sinto o mesmo por você assim como eu senti quando tinha dezoito anos." Eu suspirei. ―Eu não tinha interesse romântico em Dante, mas sempre tive esse interesse em você, mesmo quando eu negaria isso a mim mesma. Quando você me beijou outro dia, eu senti isso em minha alma ... Eu sei que isso soa estúpido, mas eu nunca me senti assim com ninguém além de você. Concedido você é o único rapaz que eu já beijei, mas ainda assim, tudo é sobre você em minha mente. Sempre foi. Quer fosse bom ou ruim, era sempre você." Damien estendeu a mão e segurou minha bochecha. "Eu sou o único homem que você já beijou?" Eu balancei minha cabeça. "Só você." "Eu me sinto da mesma maneira", disse ele. ―Tentei seguir em frente quando voltei para Nova York. Durante um ponto baixo, eu fui a alguns bares e disse a mim mesmo que iria pegar a primeira gostosa que eu vi e transar com ela… mas eu nunca fiz. Você estava em minha mente constantemente, e não apenas porque eu me sentia um merda sobre como as coisas


terminaram entre nós ... mas porque eu me importava com você. Você é tão querida, Alannah, e eu sempre carreguei você em meu coração mesmo quando estava a milhares de quilômetros de distância." Eu cobri meu rosto com as mãos quando as lágrimas picaram meus olhos. "Pare", implorei. "Eu não quero chorar em cima de você novamente." Damien me puxou contra ele. "Você sabe que não somos como um namorado e namorada normal que estão apenas começando, certo?" Eu abaixei minhas mãos e assenti. ―Nós temos história,‖ Damien continuou. ―Então, não se preocupe com o que é certo e errado quando se trata de como devemos nos comportar. Se você se sente bem para me ter ao seu lado durante a noite em sua cama, então eu vou estar aqui ... ok?‖ "Ok", eu respondi. "Eu quero você aqui comigo. Eu nunca me senti tão contente dormindo como eu fiz ontem à noite com você ao meu lado.‖ Eu estava mortificada admitindo isso, mas o sorriso de Damien me disse que eu não tinha razão para me sentir assim. "Eu também", disse ele. "Eu fico acordado por um tempo apenas ouvindo você respirar e desfrutando de ter você em meus braços." "Dame", eu murmurei. Ele se inclinou e apertou seus lábios contra os meus, me dando um beijo curto e doce.


―Você me faz muito feliz,‖ Damien sussurrou. ―Lembre-se que sempre que você começar a duvidar de si mesmo ou sentir medo.‖ ―Você me faz feliz também‖, eu disse, ―e como eu disse, eu ainda estou assustada, mas eu não me arrependo de tentar com você.‖ Bronagh estava certa; se eu não tentar com Damien, minha mente seria atormentada com isso para o resto da minha vida. Por mais difícil que era para eu fazer, eu tinha que pensar positivo; caso contrário, eu estaria sabotando minha relação com Damien antes mesmo de começar. Isso foi realmente fora da minha zona de conforto; por estar com ele, eu estava indo contra tudo o que eu tinha me forçado a acreditar há cinco anos e meio. Minha mentalidade não mudou durante a noite, mas eu estava disposta a tentar, e até agora, foi o melhor que eu podia fazer. Orei para ser o suficiente.


―Você a encontrou em uma caixa de papelão, certo?‖ Depois de Damien deixar meu apartamento para chegar ao trabalho na hora certa, eu fui tomar banho, me vesti e liguei para a clínica veterinária mais próxima para fazer uma nomeação para Bárbara. Por sorte, eles tiveram um cancelamento às dez da manhã e eu pulei. A clínica acabou por ser uma conexão com o abrigo de animais onde Alec trabalhou. Enquanto eu estava sentada na sala de espera para ser chamada pelo veterinário, eu ouvi duas mulheres jorrarem sobre um americano alto e incrivelmente lindo que era ―tão engraçado‖ e ajudou-as a tirar os cachorros de seus carros enquanto ele passava seu caminho para o trabalho. Revirei os olhos alegremente enquanto as mulheres conversavam. Eu poderia imaginar a cabeça de Alec crescendo cinco vezes o tamanho com a notícia. "Sim", eu respondi ao veterinário. "Ela estava dentro da caixa sem cobertor ou qualquer coisa." O veterinário balançou a cabeça enquanto examinava Barbara da cabeça aos pés. "Malvados bastardos." Meus lábios se contraíram. "Eu concordo de todo coração." "Bem, eu estou feliz que você tenha levado a pequena dama", o veterinário me elogiou. "Muitas pessoas não fazem isso."


"Eu não podia deixar de me defender", eu disse. "Eu ficaria doente se eu fizesse isso." "Você tem um bom coração." Eu senti minhas bochechas queimarem com o calor. "Obrigado." "Posso te fazer uma pergunta?" Eu levantei uma sobrancelha. "Certo." "Por que você nomeou Bárbara?" Eu ri. "Bárbara Streisand estava na televisão e eu perguntei se ela gostava do nome Bárbara, ela miou, então eu aceitei como um sim. É também o nome do meio do meu nome, então estou mudando a maneira como ela soletra para dar uma risada. " O veterinário cobriu a boca com o antebraço enquanto ria. Por um momento, me perguntei por que ela não usava a mão, mas então percebi que era porque ela estava tocando em Bárbara e estava tocando os animais a manhã toda. Ela usava luvas, mas sim, eu não a culpei por não colocar a mão na boca dela. "Essa é a melhor coisa que ouvi toda a semana." "Ainda bem que eu poderia te divertir." Com um sorriso, o veterinário disse: "Mais ou menos a idade ... ela não é tão jovem assim, eu acho que seria entre nove e dez semanas". Eu pisquei. "Mas ela é tão pequena." "Ela está desnutrida", explicou o veterinário. "Ela provavelmente foi deixada de lado pela mãe, ou simplesmente removida antes de você encontrar ". Meu estômago se apertou. "Ela vai ficar bem?" "Ela vai." O veterinário assentiu. "Ela vai receber a primeira vacina hoje, e se você quiser, eu posso dar


uma vacina para a leucemia felina." Não é cem por cento garantido que ela nunca vai contrair a doença, mas vai dar uma boa chance de evitá-lo." "Dê tudo o que ela precisa para se manter saudável, por favor." Os vinte minutos seguintes foram preenchidos com minha assinatura de Bárbara para o seguro de animais enquanto ela recebia duas vacinas, uma dose de vermes, tinha um microchip implantado, uma avaliação completa do corpo, depois teve sua primeira foto com seu veterinário. Eu tinha visto nas paredes da sala de espera que o veterinário tinha fotos de centenas de animais em diferentes formas e tamanhos. A maioria das fotos era quando um animal de estimação era jovem, depois anos depois, quando o animal era mais velho. Eu amei isso; mostrava como o veterinário confiava que as pessoas continuassem a levar seus animais até ela ao longo de suas vidas. Eu olhei para a porta quando uma enfermeira veterinária entrou na sala. "Desculpe por interromper", ela disse para mim, então para o veterinário, ela disse, "Cora está cobrindo para mim. Eu vou ajudar Alec a alimentar os cães nos canis. ‖ "Ok", disse o veterinário. "Não demorará muito." A enfermeira saiu com um salto com a caminhada e o veterinário riu para si mesma. "Aquele homem tem toda minha equipe feminina em fitas." Alec Slater. "Você conhece Alec?"


"Todo mundo conhece Alec." O veterinário riu. "Ele não é o tipo de personalidade que alguém esquece, e é fácil para os olhos também." Eu sorri abertamente. "Não deixe que te ouça dizer isso; ele vai ficar se achando." O veterinário riu. "Estou assumindo que você está familiarizada com " ele " "Só um pouco", eu brinquei. "Ele está noivo de uma das minhas melhores amigas." "Ah, Keela." O veterinário assentiu. "Ele fala muito sobre isso, e muitas vezes eu quero dizer constantemente". Eu sorri abertamente. "Ele estaria perdido sem ela." "Não precisa me dizer, eu acredito", disse o veterinário. "Ele só está trabalhando há pouco tempo oficialmente; depois de ver o quão bom ele é com os animais, e o quão duro é trabalhar, eu tive que oferecer um trabalho de tempo integral. Ele faz todo mundo rir, então todos querem estar por perto." ―Isso soa como Alec.‖ O compromisso foi encerrado então. Bárbara foi liberada por mais um mês até que ela voltasse para o seu segundo e último conjunto de vacinas, então ela só precisaria voltar a cada doze meses para seu reforço anual. Eu me despedi do veterinário e saí da clínica. Enquanto caminhava em direção ao estacionamento, ouvi uma voz familiar e parei. "Lana". Alec sorriu quando ele e a enfermeira que entrou na sala de exame do veterinário dobraram a esquina rapidamente, indo em direção à clínica. Para a enfermeira, ele disse: ―Esta é Alannah Ryan; ela é praticamente minha irmã."


Fiquei completamente surpresa com a apresentação e, por algum motivo, senti um nó na garganta. Eu engoli e sorri educadamente para a enfermeira. "Prazer em conhecê-la." " Você também." Ela sorriu de volta. "Eu sou Tracey." Alec se concentrou no caixote que eu estava segurando. "Ela está bem?" "Sim". Eu balancei a cabeça. "Ela tem vacinas, é vermífuga, microchipada e é boa até chegar ao mês que vem." Os lábios de Alec se contraíram. "Diga a Tracey como você nomeou a ela." Eu fiz uma careta para ele, depois para Tracey, eu sorri e disse: "Barbara, o mesmo de Barbra Streisand." Tracey riu, e Alec riu para si mesmo quando ele balançou a cabeça. ―Você é um inimigo,‖ eu disse a ele. ―Ninguém gosta de um inimigo.‖ Alec continuou a sorrir quando ele pediu licença a Tracey, dizendo-lhe que ele ia me ajudar com Barbara no meu carro. Eu ia dizer-lhe que estava tudo bem, mas quando ele tomou sua caixa de mim, suspirei de alívio. Eu esfreguei meu ombro, onde um nó tinha formado. ―Ela não pesa nada, mas o caixote sangrento pesa muito.‖ ―Você é apenas fraca.‖ Revirei os olhos. ―Morda-me, vadia.‖ Nós caminhamos para o meu carro, e quando Alec acomodou Barbara no banco traseiro, mesmo colocando o cinto de segurança em torno de sua caixa,


ele fechou a porta e se concentrou em mim. Eu levantei minhas sobrancelhas, sem entender por que ele estava olhando para mim tão atentamente. ―Falei com Ry esta manhã.‖ Meu coração parou. ―Branna está bem?‖ ―Ela está bem, ainda grávida.‖ Eu relaxei. ―Graças a Deus.‖ ―Quando falei com ele, ele mencionou que Damien lhe enviou um texto para deixá-lo saber que ele não estaria em casa porque ele estava hospedado lá no apartamento de um certo alguém.‖ Todo o meu rosto aquecido, e Alec estalou os dedos. "Eu sabia", disse ele. "Eu disse a Keela que vocês dois estavam dormindo juntos, mas ela estava convencida de que ele iria dormir no quarto de hóspedes." Eu tentei entrar no meu carro para ficar longe de Alec e da conversa, mas ele me bloqueou. ―De jeito nenhum, rosto vermelho. Converse.‖ Eu gemi. ―Quando foi que você se transformou em Bronagh?‖ ―No segundo em que percebi que você tinha à sua maneira suja com meu irmãozinho.‖ Eu gritei e bati em seu antebraço. ―Cale-se!‖ Alec gritou com riso. ―Vamos lá, me diga. O que aconteceu?‖ Eu coloquei meu rosto em minhas mãos e gemi, antes de deixá-las cair para o meu lado. Coloquei meu rosto em minhas mãos e gemi, antes de largá-los ao meu lado. "Ele ficou a noite ... e não no quarto de hóspedes." "Eu sabia disso!"


"Segure-o." Eu levantei a minha mão, impedindo-o de falar mais. "Nós não fizemos sexo ... mas também não dormimos também." "Essa é a minha menina", disse Alec, levantando a mão no ar. Eu ri quando levantei a minha e bati a palma da mão contra a dele. "Então, o que agora?" Alec pressionou. "Estou confuso, porque você não está proclamando ódio por ele por ... como ... sempre?" Eu fiz uma careta, odiando o quão acurado era essa descrição. "Nós conversamos ... falamos sobre tudo isso, e esclarecemos muitos problemas que tivemos, e embora ainda não tenhamos saído da floresta, essa conversa nos fez um mundo de coisas boas. Nós não queremos jogar nenhum jogo, e nós dois queremos tentar nossa sorte em um relacionamento, então ... estamos namorando. Oficialmente. Exclusivamente." "Alannah." Alec sorriu tão grande que eu tinha certeza que suas bochechas estavam picando ele. "Estou muito feliz por vocês." Quando ele me abraçou, eu o abracei de volta. "Obrigado. Estou com tanto medo. "Isso vai acabar mal?" Quando nos separamos, dei um passo para trás e assenti. "Quer saber um segredo?" "Sempre", respondi. "Eu ainda estou com medo de que isso aconteça com Keela." Meu queixo caiu. "Feche a porra da boca"


"Estou falando sério", disse Alec. "Quando você tem toda a sua vida depositada em alguém ... é natural se preocupar que eles nunca estarão por perto para fazer parte dessa vida." Inclinando minha cabeça, eu disse: ―Mas você e Keela são feitos um para o outro. Eu nunca vi duas pessoas mais felizes. ‖Fiz uma pausa. "A menos que eu esteja com Nico e Bronagh, Kane e Aideen ... e Ryder e Branna. Todos os seus relacionamentos são tão sólidos; você não deveria estar com medo." "Ainda no fundo da minha cabeça, ainda há o medo." Alec encolheu os ombros. "Tudo o que estou dizendo é que você não é a única que tem medo do fracasso. Todo mundo tem sobre alguma coisa." Eu considerei isso e me encontrei sentindo uma sensação de alívio. "Você é brilhante", eu disse a ele. ―Eu me sinto melhor ouvindo isso. Obrigada." "Seja bem-vinda" Alec olhou por cima do ombro quando seu nome foi chamado, então ele se virou para mim. "Tenho que ir, mas eu te vejo mais tarde?" "Você sempre fará ." Ele beijou minha bochecha, então se virou e correu em direção ao grande edifício no lado esquerdo do complexo que eu sabia ser o abrigo. "Se você for à casa de Dominic", gritou Alec, "não toque na porra da minha xícara." Minha risada o seguiu, e eu queria perguntar se ele amava tanto a xícara, por que ele não a mantinha em sua casa, mas eu sabia a resposta. Ele gostava muito


de brigar por isso para a afastar de mim, e eu adorava isso nele. Com um sorriso e uma nova sensação de alívio após a nossa conversa, entrei no meu carro e dirigi para a casa dos meus pais. Quando cheguei, planejei deixar Bárbara no banco de trás do meu carro depois de ver que ela estava dormindo em seu caixote, mas a chuva começou a cair em baldes, e o barulho era alto demais para ela não se assustar. Assim que soltei o cinto de segurança, meu telefone tocou. Eu respondi sem olhar para a tela. "Olá?" "O que você fez com meu irmãozinho?" Ryder Eu congelo. "O que você quer dizer?" ―Quero dizer, ele não parou de sorrir desde que o peguei no seu apartamento, e isso foi há três horas. Estou preocupado que o rosto dele fique preso assim." Uma risada se soltou. "Ele está bem", assegurei Ryder. "Nós trabalhamos muito na noite passada ... e eu posso ter dado um bom alerta." ―Eu sabia disso!‖ Ryder disse então ele gritou, ―Eu sabia que você teve um pouco, seu idiota babaca… uh, Alannah, para quem mais eu ligaria para perguntar por que você está sorrindo assim? … Não, porque eu estou falando com ela, é isso - Ow! ‖ Houve comoção e maldições. Eu sorri quando Damien disse: "Olá?" Deus, eu amo a voz dele. "Você acabou de ferir o seu irmão mais velho?"


"Ele vai ficar bem", ele respondeu, e eu ouvi o sorriso em sua voz. "O que você está fazendo? Eu sinto sua falta." Eu sorri tanto que minhas bochechas arderam. "Acabei de deixar o veterinário com Bárbara", respondi. "Eu também sinto a sua falta." "Está tudo bem com ela?" ―Tanto quanto o veterinário pode dizer, ela tem cerca de nove a dez semanas de idade. Ela tem a primeira rodada de vacinas hoje, e eu voltarei no próximo mês para a segunda rodada. Eu me registrei e comprei um seguro para animais de estimação. Ela é oficialmente Bárbara Ryan e eu sou mãe ‖. Quando Damien riu, isso me fez sorrir, e eu não me importei. Eu sabia que provavelmente estava revirando os olhos para qualquer um ver, mas eu estava feliz, e eu não iria me desculpar com ninguém por sentir isso. "Isso faz de mim o pai dela?" "Eu pensei que você fosse meu pai." Eu me encolhi no segundo em que as palavras saíram da minha boca. Uma vez eu jurei em tudo que era sagrado que eu nunca me referiria a um parceiro como meu ―papai‖ porque isso me assustou, mas aqui estava eu, indicando que Damien era… papai. "Não," Damien advertiu, sua voz baixa. "Não se atreva a me fazer ficar duro quando estou no trabalho, cercado por essas ferramentas." Eu tinha a sensação de que ele não estava falando sobre o equipamento. "Eu não estou tentando te deixar duro", eu disse, meus lábios se contorcendo. "Embora pareça que não é preciso muito para manter seu pau em pé."


Damien rosnou, mas não disse nada, e eu estava grata porque eu estava preocupada se ele fizesse, eu perderia esse pouco de segurança descarada que tinha me preenchido. Olhei em volta e fiquei feliz por estar chovendo tanto. Isso significava que eu poderia ficar no carro um pouco mais e ... conversar. "Vá para o quarto dos fundos", eu disse a Damien, lambendo meus lábios. "Eu quero tentar alguma coisa com você ... pelo telefone, isso é." "Porra", ele grunhiu. "Ry, eu voltarei em um minuto." Eu pensei ter ouvido Ryder rir, mas eu ignorei e Damien também. "Ok", disse Damien um minuto depois. "Estou no quarto e a porta está fechada". "Bom", eu disse, meu estômago nadando com borboletas. "Eu quero sexo por telefone." "A ... lannah." Confiança surgiu através de mim ao ouvir o desespero em seu tom. "Você não acha que vai ser divertido?" Eu questionei baixinho. "Eu acho que vai ser ótimo as preliminares antes de realmente fazer sexo." "Você está me matando, linda." Linda. "Eu sinto que posso ser corajosa com você, então estou saindo da minha zona de conforto, mesmo sugerindo isso. Eu estou envergonhada, mas eu não quero que isso me impeça de ser um pouco ... safada.‖ "Deus no céu, me ajude." Minha risada foi baixa.


"Você está duro?" Eu perguntei, minha voz um pouco sem fôlego. "Você está latejante"? "Sim", Damien assobiou. "Sua mão é minha mão", eu disse a ele. "Eu quero te tocar." Sua respiração pesada era tudo que eu podia ouvir, então eu ouvi alguns movimentos e depois de alguns segundos um gemido suave soou, e eu sabia que sua mão estava envolvida em torno de seu pênis. "Bom menino", eu elogiei. "Você gosta quando eu toco em você?" Ele quase sussurrou: "Sim". "Lamba a palma da mão", eu ronrono, "então feche seus olhos enquanto eu aperto seu pênis." "Jesus", Damien gemeu. "Você está fazendo o que eu digo?" "Sim, senhora." Eu sorri abertamente. "Eu estou diante de você de joelhos", eu disse, lambendo meus lábios, "acariciando você enquanto rodo minha língua ao redor da cabeça do seu pau" Damien não respondeu; a única coisa que pude ouvir foi sua respiração pesada. "Você pode me ver de joelhos na sua frente, me sentir tocando em você?" "Sim", ele respondeu. "Foda ... se." Eu cantarolei. "Você gosta quando eu olho em seus olhos quando eu chupo seu pau, não é?" "Alannah." Ele ofegou. "Cristo." Eu apertei minhas coxas juntas, forçando-me a ignorar a dor crescente entre as minhas coxas. Meu


foco estava em Damien, e agora eu queria tudo, todo o prazer, fosse dele. "Eu quero que você venha na minha boca", eu disse um pouco com força. ―você quer isso? Quer que eu engula cada gota salgada? Ele grunhiu, depois ofegou. ―Alannah. Porra. Simm. Ele ia vir. Eu sabia que ele iria. "Eu vou engolir tudo de você‖ eu ronronei. "Eu amo o seu sabor salgado, quero você na minha língua." "Merda", Damien ofegou, sua voz ainda baixa. "Oh, foda-se!" "Dê para mim, baby", eu pressionei. "Foda-me a boca com tanta força que não consigo ver direito." Eu ouvi grunhidos, muitos grunhidos, depois respiração pesada seguida por um longo e satisfeito gemido. Confiança envolveu-me ao redor sabendo que minhas palavras e os visuais que eu plantei na cabeça de Damien o levaram ao ponto onde ele perdeu o controle. "Você é o pecado", Damien disse depois de alguns instantes. "Oh Deus, você é puro pecado." "Isso foi divertido", eu disse, ignorando minhas bochechas em chamas. "Eu nunca fiz sexo por telefone antes." Damien recitou o Pai Nosso e isso me fez rir. "Você tem que dizer três Ave-Marias ou Deus não vai te perdoar por gozar no trabalho." Quando sua risada estridente soou, meus lábios se contraíram. "Eu vou te trazer de volta para isso."


"Me pegar de volta?" Eu pisquei. ―Você acabou de ter um orgasmo. Seja bem-vindo." Outra risada. "Nuh, sardas, você me pegou no trabalho, sabendo bem que eu lhe disse para não o fazer." Eu fiz beicinho. "Eu estava apenas me divertindo." "Eu sei", respondeu Damien, "mas eu ainda estou recebendo você de volta." "Eu só preferiria se você me pegasse de volta", eu provoquei. "Eu aprendi lições muito mais rápido assim ... eu prometo." "Pecado", Damien assobiou. Eu estava gostando demais disso. "Eu sou um anjo e você sabe disso." ―Você parece um e age como um, mas no segundo em que estamos sozinhos, você é um pecado. Você é minha definição de problemas, sardas." Eu ri. "Você ama isso." "Você pode apostar sua boa bunda que eu faço." Houve uma pausa grave, então Damien resmungou uma maldição. "Eu tenho que limpar essa bagunça, e depois lavar as mãos ... e o telefone de Ryder, ou ele vai me matar." Eu ri e Damien rosnou. "Eu vou te devolver isso, sardas." "Floco de neve", eu pensei, "estou ansiosa para isso." Eu desliguei e pude imaginar o olhar em seu rosto, e eu ri. Eu me senti tonta e confiante. Era mundos de distância de sentir medo e amargura sobre algo que aconteceu uma vez. Suspirei e agradeci a Deus por ter tido uma melhor amiga que me deu um chute na


bunda para fazer sentido quando a maioria sรณ daria uma cutucada.


Eu rapidamente corri para a casa dos meus pais, protegendo a frente da caixa de Barbara da chuva o melhor que pude. "Mãe?" Eu liguei quando entrei na casa. "Eu estou na cozinha, querida." Coloquei a caixa de Barbara ao lado do radiador para que ela ficasse quente, depois tirei o casaco e fui para a cozinha. Minha mãe estava lavando uma xícara na pia, então eu caminhei para trás dela, deslizei meus braços ao redor de sua cintura e me aconcheguei contra ela. Ela riu enquanto pegava uma toalha e secava as mãos para colocá-las sobre as minhas. "Você está bem?" " Se eu estou bem?" Eu repeti. "Estou bem, mãe. Você está bem?" "Agora, eu estou", ela respondeu. Eu a soltei e quando ela se virou para mim, eu a abracei sem dizer uma palavra. . Ela riu. "Querida, estou bem." "Mas você não está, mãe", eu disse, me afastando para olhar para ela. "Você não está bem; você tem câncer de mama. Dizer isso e saber que era verdade era como um chute no estômago. "Eu não sou a única mulher a ter câncer de mama, amor", ela disse suavemente, colocando as mãos nos meus ombros. "Milhões e milhões de pessoas têm isso."


"Sim, e isso é horrível, mas você é minha mãe ... não posso ajudar o quanto estou preocupada com você." "Eu sei", ela franziu a testa, levantando a mão na minha bochecha. "Vou colocar a chaleira, e podemos falar sobre isso, ok?" Eu balancei a cabeça e me sentei na mesa da cozinha. Eu apertei minhas mãos juntas na minha frente e esperei. Quando o chá estava pronto, minha mãe colocou meu copo na minha montanha-russa e depois sentou-se à minha frente. Eu exalei uma respiração profunda. "Diga-me tudo", eu quase implorei. "Eu preciso ouvir tudo." Ma assentiu. "Vou contar todos os detalhes." Tomei um gole do meu chá para tentar resolver o meu estômago agora chateado. "Eu tenho um câncer de mama no estágio 1", disse Ma, e instintivamente me aproximei, peguei sua mão e apertei-a. "Vou explicar isso para você da melhor maneira possível. Seu pai tem uma melhor compreensão disso porque não sei o que significam todas as grandes palavras." "Tudo bem", eu assegurei a ela. "Não tenha pressa." "Câncer cresceu no duto de leite em meu peito esquerdo", explicou ela, sua voz um pouco trêmula. ―O estágio um significa que o câncer está presente, mas está contido na área onde as primeiras células anormais se desenvolveram. O médico me garantiu porque foi detectado nos estágios iniciais, pode ser tratado de forma muito eficaz ‖. Eu balancei a cabeça, mas não falei. Eu não pude.


"O médico disse que eu tenho o estágio 1A, significando que ele não se espalhou para mim, então isso é realmente uma boa notícia." Eu tomei a palavra dela para isso. "Dentro do meu peito esquerdo, há um pequeno tumor, menor que um amendoim." Ouvir a palavra tumor, por menor que fosse, estava me enojando e tive que morder o interior da bochecha para não chorar. "O tratamento proposto deve começar imediatamente", continuou ela. "Na próxima semana, para ser exata" Minha respiração ficou presa. "Ma" "Tudo bem", ela disse, apertando minha mão. "Eu vou estar tendo uma combinação de cirurgia e radiação. Quimio não é recomendado para esta fase; isso é reservado para os estágios posteriores, quando o câncer é mais difícil‖. Eu me vi balançando a cabeça enquanto ela falava. ―A cirurgia que vou ter está marcada para a próxima quinta-feira e é chamada de mastectomia. O médico removerá o tumor e o menor tecido mamário possível‖. Meu coração batia descontroladamente contra meu peito. "Vou começar a radiação quatro semanas a partir da data da minha cirurgia. Eu tenho cinco dias por semana por cinco a seis semanas, e depois disso, estou em casa de graça até voltar para o teste depois de seis meses para ter certeza de que nada retornou.‖


Eu não percebi que estava tremendo até que minha mãe apertou minha mão com força. "Querida", ela disse. "Por favor, não tenha medo." "Eu não posso ajudar", eu engoli. "Com medo é o que eu sou boa." "Não, não é", disse Ma com firmeza. "Você é uma mulher guerreira." Eu não acreditei nisso. ―Está difícil. Você é a única a passar por isso." "Estamos indo juntos", afirmou Ma. ―Eu, você e seu pai. Isso está afetando todos nós, então está tudo bem em ter medo, se sentir sobrecarregado. Eu ficaria preocupada se você não estivesse." Eu exalei uma respiração. "Estou feliz que um plano esteja em vigor." "Eu também." "Eu vou para o hospital com você no dia da cirurgia", eu informei a ela. "E para todas as suas consultas de radiação." "Ok, urso." Ela sorriu. Engoli. "Eu gostaria que fosse eu em vez de você, mãe." "Você nunca diga isso!" Ela disse com o medo ofuscante brilhando em seus olhos castanhos com a possibilidade de eu estar tão doente quanto ela. "Estou feliz que sou eu e não você, você me ouve?" Eu assenti. ―Porque eu tenho câncer de mama, as chances de você ter aumentaram, então eu quero que você faça um exame de mama anualmente, se você puder, ok? Eu sei que é recomendado a cada três anos para sua


faixa etária, mas eu não me importo com isso. Não podemos ser descuidadas." Eu concordei com ela. ―Vou marcar uma consulta, ok?‖ ―Ok.‖ Ela relaxou. ―Bom.‖ Ela congelou quando um miado veio do corredor. "Aquilo foi um gato", disse ela, endireitando as costas. "Você deixou a porta aberta?" "Não", eu respondi. "Mas eu trouxe um gato comigo." Os lábios de mamãe se abriram de surpresa, então eu rapidamente a contei sobre como cheguei a ter Bárbara, e que ela está saudável e acabara de receber sua primeira rodada de vacinas. Eu a peguei do corredor e levei sua caixa para a cozinha. "Ela é branca", Ma disse enquanto espiava dentro do caixote. ―E tem um olho verde e um olho azul. Ela é tão fofa." "Certo?" "Olá, Bárbara", Ma arrulhou, em seguida, riu. "Eu não posso acreditar que você a chamou Barbara ". "Eu gosto disso." Eu sorri. "É mais adequado". Ma olhou de Bárbara para dentro de seu caixote e olhou para mim e, quando eu ri, ela apontou o dedo indicador para mim. "O que está acontecendo com você?" Ela perguntou brincando. "Por que você parece diferente?" "Diferente?" ―Sim, diferente. Você continua sorrindo ... assim! Olha, você está sorrindo de novo!" Eu ri e balancei a cabeça. "Conte-me!"


"Eu posso ter resolvido as coisas com Damien." Os olhos de mamãe se arregalaram. "Quer dizer?" "Quer dizer, estamos juntos." Corei. "Namorado e namorada." "O quê?" Ma gritou, em seguida, baixou a voz para não assustar Barbara. "Como isso aconteceu?" "Nós conversamos", eu respondi. "Nós gostamos um do outro e queremos estar juntos, então estamos juntos." "Esta é uma reviravolta," disse Ma, colocando a mão no peito. "Não foi ele socando o irmão de Aideen no outro dia por dormir com você?" Eu me encolhi. "Sim ... mas isso está no passado." À menção de Dante, fiz uma anotação mental para contar a ele sobre meu novo status de relacionamento. Não esfregar na cara dele - ele vai ficar feliz por eu estar feliz - mas eu queria que ele respeitasse Damien e não jogasse o nosso envolvimento anterior na cara dele, porque isso era apenas uma coisa baixa a fazer. "Eu quero encontrar-me com ele", Ma anunciou com um movimento de sua cabeça. "Eu quero conhecer esse rapaz que te fodeu e agora é seu parceiro." Meu Deus. "Você não vai se meter em mim, vai?" "Você vai fazer alguma coisa sobre isso, se eu fizer?" Ela desafiou com uma sobrancelha levantada. "Claro que não, eu não sou idiota." "Eu não vou brigar." Ela sorriu, divertindo-se com a minha resposta. "Eu só quero conhecer ele. Você é uma mulher adulta que pode tomar suas próprias decisões sobre quem ela tem na vida ... mas eu vou o estripar se ele alguma vez te machucar. Que eu não


posso voltar atrás, então você vai ter que aceitar isso 'e agora'. Eu ri. "Entendido." "Brilhante." Ela pegou minha mão. "Estou feliz por você; um novo relacionamento é tão excitante. O começo é um momento mágico. ‖ "Você acha?" "Eu sei que sim." Ela piscou. Eu sabia que ela estava pensando no meu pai naquela época, e tive que resistir ao impulso de enfiar as mãos em punhos. Fiquei na casa dos meus pais por uma hora, conversando com minha mãe antes de ir dormir para uma soneca. Junto com Barbara, voltei para o meu apartamento. Fechei todas as portas uma vez dentro e deixei Barbara sair na sala de estar. Dessa forma eu não a perderia se ela se escondesse em algum lugar. Ela parecia estar contente em se esconder debaixo do sofá, então eu fui para o meu quarto, amarrei meu cabelo em um coque no topo da minha cabeça, e então vesti minhas roupas de trabalho. Peguei meu bloco de desenho e caixa de lápis do quarto de reposição e voltei para a sala de estar. Eu também peguei meu laptop da mesa de café e liguei. Mandei um email para Morgan e dei-lhe a senha para o meu site e enviei um e-mail para que ele pudesse começar a organizar tudo para mim. Eu verifiquei meu calendário, notando que no dia seguinte o trabalho começou em um projeto para um autor que queria que eu projetasse uma capa de livro de ficção para jovens adultos pós-apocalípticos. O email dela


tinha sido muito detalhado, então eu estava animada para começar isso. Depois que enviei a informação para Morgan, coloquei meu bloco no colo e passei uma hora desenhando um retrato de Barbara em papel de oito por dez. Depois de desenhar o contorno inicial do esboço, usei carvão para defini-lo e, assim que terminei, uma batida soou na porta do meu apartamento. Eu fiz uma careta quando me levantei e saí pelo corredor. "Quem é? ―Seu namorado.‖ Abri a porta e sorri para Damien. "Como você veio até aqui sem que eu o recebesse ?" "Eu vim por apenas uns minutos falar com Kane ele estava voltando para casa da loja com Aideen e os meninos." Ele encolheu os ombros, encostado no painel da porta parecendo muito quente para palavras. "Eu vim com eles." "Eles perguntaram por que você estava vindo para me ver?" "Obviamente." Ele sorriu. "Aideen está tão animada que estamos juntos e estou dizendo que ela gritou." Eu bufei. "Alec se emocionou quando eu o vi no abrigo." Eu dei um passo para trás e gesticulei para Damien entrar no apartamento, mas ele estava muito ocupado vagando os olhos em mim para ver. "Você é linda", ele disse, seus olhos se demorando no meu rosto. Eu levantei uma sobrancelha. "Tenho certeza que tenho carvão no meu nariz."


"Você faz. Você tem algumas em suas bochechas e testa também." Damien assentiu. "E você ainda é incrivelmente linda." Eu corei com o elogio, e isso trouxe um sorriso ao rosto de Damien. Não um sorriso ou um sorriso, mas um sorriso real, e era lindo. "Você tem um sorriso tão bonito." Ele se afastou do painel da porta, deu um passo à frente e levou as mãos às minhas bochechas e segurou-as, acariciando o polegar sobre a minha pele. "Eu tenho certeza que eu deveria ser a pessoa doce falando com você." ―A Bíblia do Homem diz isso?‖ Damien sorriu mais largo. "Sim" "Eu vou calar a boca e deixar você me falar docemente então", eu disse, colocando minhas mãos em sua cintura. "Não gostaria de sentir a ira de Nico e sua confiável Bíblia do Homem". "Uma decisão sábia", Damien murmurou. Ele perdeu o sorriso e seus olhos estavam agora trancados em meus lábios. Fechei os olhos no segundo em que seus lábios tocaram os meus, e antes que um beijo real pudesse começar, pensei em Barbara, me afastei e engasguei: "Feche a porta. Bárbara está fora do caixote!" Damien girou e rapidamente fechou a porta quando eu corri para a sala de estar, caí de joelhos ao lado do meu sofá e olhei por baixo. Quase tremi de alívio quando me sentei nos calcanhares e disse: "Ela ainda está aqui".


Damien estava de pé atrás de mim, e ele parecia revivido, mas quando ele olhou para o meu bloco de desenho no sofá, ele sorriu. "Você desenhou Babs?" ―Babs?‖ Eu repeti. ―Todo mundo tem um apelido, e Bárbara é Babs. Lide com isso.‖ Eu ri. ―Sim, eu desenhei Babs‖. ―Você é muito talentosa, baby.‖ Um arrepio percorreu minha espinha. ―Obrigado‖, eu respondi timidamente. ―Como você torna-o tão realista?‖ Damien perguntou, olhando para o esboço. ―Parece quase tridimensional.‖ ―Prática‖, eu respondi. ―muita prática.‖ ―Como você aprendeu a desenhar tão bem?‖ "Não faço ideia", respondi. ―Eu sempre rabisquei e continuei porque adorei fazer. Eu acabei ficando melhor com o tempo." "Isso mostra em seu trabalho porque wow." Eu sempre achei difícil levar um elogio, mas sempre que eu era elogiada pelo meu trabalho, meu orgulho aumentava. Eu ainda não gosto de focar em mim, eu prefiro falar sobre alguém, ou algo assim. ―Você quer almoçar? Quanto tempo é o seu intervalo?" "Não faça isso." Eu congelo. ―Não fazer o quê?‖ ―Você fica constrangida quando as pessoas elogiam seu trabalho, e você tenta mudar de assunto.‖ Eu mordi meu lábio inferior. "Eu sou tímida‖


"Tímida?" Damien repetiu. "Você não parecia tão tímida antes no telefone." Minhas bochechas se transformaram em supernova no lembrete. "Oh, Deus, não!" Eu avisei. ―Eu fui corajosa mais cedo, mas não sou mais. Por favor, não fale sobre isso. Eu vou morrer." "Eu vou te deixar sozinha ... mas eu ainda estou te recebendo de volta." "E eu ainda estou ansioso para isso, mas, enquanto isso, cale a boca." Damien gargalhou e voltou seu olhar para o esboço. "Você sempre prefere apenas esboçar?" "Depende do meu humor", eu expliquei. "Alguns dias eu gosto de pintar." Os olhos de Damien baixaram para a minha camisa xadrez, notando as manchas. "Eu consigo ver." "Pode ficar confuso às vezes." Calor brilhou em seus olhos por um momento, então tão rápido quanto apareceu, desapareceu. "Que tipo de artista você é?" Eu pensei sobre essa questão. Difícil. "Eu sou diferente", eu dei de ombros. "Algumas pessoas veem o mundo em preto e branco, ou em uma explosão de cores ... Eu vejo isso como uma tela em branco esperando por mim para adicionar vida através da cor." Sorri e olhei para as minhas mãos, notando que uma tinta colorida diferente pontilhava minha pele e decorava minhas unhas, assim como algumas manchas de carvão.


―Eu amo a liberdade da arte. Não há regras, há certo ou errado, nenhuma punição, apenas auto expressão. Este é me centro; é o que eu amo fazer, então eu não me importo que me faz diferente. Eu gosto do diferente.‖ ―Eu gosto diferente, também‖, disse Damien. ―As pessoas que são diferentes tem uma chance de ser original. Eles afastam as linhas em vez de degolar o script. Tudo que eles fazem é uma aventura.‖ Senti minha boca cair aberta. ―Exatamente,‖ eu disse suavemente. ―Exatamente.‖ ―Qual é do rosto chocado?‖ "Você me entendeu ", respondi. "Ninguém nunca ... me entendeu antes." "Sim, bem, você nunca sabe", Damien piscou. "Talvez eu seja diferente também." "Sim", eu concordei, olhando para ele como se estivesse vendo ele pela primeira vez mais uma vez. "Talvez."


Depois que Damien almoçou no meu apartamento, ele voltou ao trabalho, e Ryder graciosamente o pegou para que ele não se atrasasse. Eu me limpei, tirei minhas roupas de trabalho e coloquei Bárbara em sua caixa depois que ela comeu e bebeu água. Eu não queria que ela ficasse na caixa fora de quando eu tinha que viajar com ela, mas ela parecia amar ficar dentro dela. Ela entrou e ficou dentro mesmo quando a porta estava aberta. Deixei a porta do caixote aberto para que ela tivesse acesso à comida, água e a caixa de areia. Então eu fui para a casa de Bronagh. Eu sabia que Nico estava no trabalho, então eu queria ir e manter sua companhia com Georgie até ele chegar em casa. No segundo em que entrei na casa dela, minha melhor amiga me abordou em um abraço e ela estava ... chorando. "Bronagh?" Eu disse, alarmada. "O que está errado?" "Você e ... D-Damien", ela soluçou. "Vocês dois são um casal. Ryder disse a Branna e ela me contou e eu choro desde então.‖ Eu olhei para ela quando ela se afastou do nosso abraço. "Isso faz você chorar?" "Estou tão feliz." Ela fungou. "Tão feliz por vocês dois." Eu sorri para ela e a abracei novamente, sabendo que seus hormônios estavam uma bagunça agora que ela estava grávida novamente.


"Coloque a chaleira para esquentar", eu disse, "e eu vou contar tudo". Fomos para a cozinha e olhei para o carrinho de Georgie, notando que estava vazio. "Onde está Georgie?" "Cochilando", respondeu Bronagh, apontando para o monitor do bebê no balcão antes de pegar alguns lenços e enxugar os olhos. "Ela acabou de dormir dez minutos atrás, então nós temos uma hora sólida, pelo menos, antes dela se mexer." "O que você quer ouvir primeiro?" Eu questionei. "Minha mãe ou Damien?" "Sua mãe", respondeu Bronagh instantaneamente. Lancei-me para a mesma conversa detalhada que minha mãe teve comigo sobre seu câncer e seu próximo tratamento. Bronagh nos preparou chá e sentou-se à mesa da cozinha comigo enquanto eu explicava tudo. Ela ouviu, e quando terminei de falar, ela disse: "Ter um plano faz você se sentir melhor?" "Sim", eu respondi. ―Eu ainda odeio isso, mas sei que existe um plano, e que ela não está presa no limbo é uma espécie de reafirmação‖. "Estou feliz." Bronagh tomou um gole de chá. "Eu vou passar amanhã para vê-la". Eu não parei para uma xícara de chá por um tempo "Ela adoraria isso, e honestamente, eu também," eu admiti. "Eu começo um novo projeto amanhã, e saber que você vai visitar ela vai me relaxar um pouco. Eu me sinto tão protetora. Eu constantemente quero estar por perto ou conversar com ela‖. "Ela vai ficar bem", disse Bronagh. ―Normalidade é o que ela precisa. Se você está saindo com você todos os


dias, provavelmente vai sentir que ela está perturbando as coisas. " Eu fiz uma careta. "Ela não está, no entanto." "Você conhece sua mãe", continuou Bronagh. ―Ela não gosta de sobrecarregar ninguém, mesmo quando ela definitivamente não é um fardo. Tudo o que estou dizendo é para tentar manter as coisas normais por enquanto. Eu sei que vai ser difícil, mas tente controlar um pouco. Ela não te vê todos os dias, mas agora você está tentando ver o máximo que puder. Entende o que quero dizer?" "Sim", eu resmunguei. "Eu estou sendo protetora ". "Você é uma filha preocupada", Bronagh corrigiu, "e sua mãe entende isso. Todo mundo entende isso, e ninguém está dizendo que é uma coisa ruim, porque não é. Eu só acho que você está ciente de como sua mudança repentina na rotina provavelmente irá aparecer para ela será útil para você.‖ "Obrigado", eu disse com um aceno de cabeça. ―Eu não percebi isso antes, mas sempre que eu falo agora ou paro por aí, ela está constantemente me dizendo que ela está bem. Eu não quero ficar cansativo constantemente me dizendo isso porque significa que o câncer é sempre o centro das atenções. Ela sabe que tem câncer, e ela não precisa de mais ninguém a lembrando. "Exatamente", disse Bronagh, exalando um suspiro. "Eu estava preocupada que eu poderia ofender você." "Nunca", eu disse. "Você é minha melhor amiga. Me dizer o que mais ninguém vai é o seu trabalho.


Bronagh sorriu. "E como você é minha melhor amiga, seu trabalho é contar tudo sobre você e Damien, e eu quero dizer tudo!" Senti a ponta das minhas orelhas queimar e Bronagh gritou e se mexeu em seu assento. "Isso vai ser bom!" "Você é louca." "Todo mundo sabe disso", disse ela. "Agora, fale." "Certo", comecei, "então, muita coisa aconteceu desde que falei com você na noite passada. Depois que encontrei Bárbara ..." "Eu ainda não consigo acreditar que você nomeou a gata de Bárbara." Eu levantei uma sobrancelha. "Você tem um problema com o seu nome?" "Não", respondeu Bronagh com um sorriso estampado no rosto. "É fantástico." Meus lábios se contraíram. ―De qualquer forma,‖ eu continuei, ―na noite passada, Damien trouxe todas as coisas que Alec conseguiu para Barbara, e nós tivemos aquela conversa, e Bronagh, foi tão… aliviante. Nós falamos sobre tudo o que aconteceu entre nós. Eu me desculpei ... "Você se desculpou?" Bronagh me cortou, seus olhos arregalados. Eu assenti. ―Eu admiti que eu era a única a seduzilo, então guardar rancor sobre o que ele me disse que aconteceria e eventualmente aconteceu parecia inútil. Bem, parece inútil agora, mas na época, fingir que eu odiava Damien meio que me ajudou a me empurrar, você sabe?"


Bronagh olhou para mim, sem piscar. "O quê?" Eu fiz uma careta. "Por que você está me olhando assim?" "Eu venho te dizendo há anos que-" "Eu sei." Eu a cortei antes de ela se lançar em um discurso "eu avisei". Eu sei, você tem sido a voz da razão, todos vocês têm, mas eu era muito teimosa para ouvir ou admitir que o que aconteceu não foi apenas para Damien. Acredite em mim quando digo que sei que fui completamente irracional quando o assunto é ele, mas você precisa entender, foi completamente por medo.‖ "Medo de que?" "Medo de possivelmente estar com ele e as coisas não derem certo ". "E você não tem mais medo disso?" Eu quase engasguei com o ar.

"Você está brincando? Estou apavorada, mas quero ser corajosa, como Damien diz que sou. Eu até disse para mim que não tentar algo porque você está com medo do resultado é uma maneira ruim de viver. Eu sei que é um jeito covarde de viver uma vida, e eu não quero viver assim, então eu mordi a bala e contei tudo para Damien, e isso resultou em nós, namorando. Nós não queremos jogar; queremos estar juntos, assim estamos." Bronagh bateu palmas juntas. "Estou muito feliz com isso", ela disse. "Você não tem a menor ideia."


"Eu também." Eu sorri. "Agora que eu não vou forçar a me concentrar em o afastar , estou passando pelos estágios da fantasia de novo. Eu sinto falta dele mesmo que eu apenas tenha visto agora. eu sorrio quando penso nele , eu não posso esperar para estar perto dele novamente. Eu só ... parece que tudo o que aconteceu antes entre nós me fez perceber o quão profundamente me preocupo com "agora que estamos na mesma página". "Isso é profundo." "Eu não posso acreditar que é real, no entanto. Tipo, eu posso beijá-lo quando quiser." "Você beijou ele?" Eu olhei para longe da minha amiga, e ela estendeu a mão e bateu na minha, terminou comigo assobiando para ela como um gato e embalando minha mão agora dormente contra o meu peito. " O que foi isso?" "Não se atreva a ficar envergonhada", ela avisou. ―Nós conversamos sobre minha vida sexual o tempo todo. Eu quero ouvir sobre a sua." ―Você fala sobre sua vida sexual. Eu apenas escuto. Bronagh estreitou os olhos para mim, então eu segurei minhas mãos em sinal de rendição. "Está bem, está bem. Garras pra baixo, garota. Eu estava prestes a começar a jogar o que aconteceu entre Damien e eu quando Bronagh levantou um dedo. "Antes de dizer qualquer coisa, eu quero lhe fazer uma pergunta que tem me incomodado." "Atire".


" Você se lembra de quando todos nós fizemos testes de gravidez antes de descobrirmos que Aideen estava grávida de Jax? Nós não tínhamos certeza de quem seria o teste. Você disse, "não há nenhum negócio em mim por seis meses, então não sou eu que está grávida" ... isso foi uma mentira? " "Obviamente." Eu bufei. "Eu não queria que você soubesse o quão patética eu era por ter feito sexo apenas uma vez com Damien." "Eu nunca pensei isso, e você sabe disso." "Eu sei." Eu suspirei. ―Eu estava apenas envergonhada. Quero dizer, além do sexo algumas vezes com Dante e aquela vez com Damien, eu não tenho experiência. Não como você ou as meninas, de qualquer maneira." "Alannah, isso não significa nada", disse Bronagh com uma carranca. ―Eu levei pelo menos um ano de sexo com Dominic antes de ficar confiante o suficiente para saber o que estava fazendo. Ele teve que me ensinar tudo. Ele literalmente teve que me dizer como lhe dar um boquete porque eu estava preocupada em estragar tudo." "Você vê, isso me assusta, porque eu sou inexperiente assim agora, e Damien tem muita experiência." "Damien também não fez sexo em seis anos, então seu rapaz está fadado a ser enferrujado." Minhas bochechas esquentam. "Não de acordo com o que ele fez para mim na noite passada." Bronagh se inclinou, seus olhos brilhando. "O que ele fez?" "Ele ... desceu sobre mim."


Bronagh descansou as palmas das mãos sob o queixo. "E?" "E o que?" "Você sabe o que, como foi?" Eu mordi minha bochecha interna antes de dizer: "Eu acho que foder a mente é a palavra perfeita". Bronagh sorriu. "Continue." Eu relaxei na conversa. "Ele parece saber exatamente o que fazer para me fazer perder a cabeça", eu disse com um aceno de cabeça. ―Quero dizer, ele me provocou. Deus no céu, ele me provocou até o ponto em que eu queria gritar, então bam, uma abundância de atenção foi para meu, clitóris, e eu quase morri bem ali na cama.‖ Bronagh riu alegremente. "Parece-me que ele pode dar um inferno de um orgasmo." "Você pode dizer isso de novo." "Você fez sexo depois?" Eu balancei a cabeça. "Não, o oral em si foi uma surpresa, porque eu estava clara sobre a gente indo devagar, mas Damien me perguntou se eu confiava nele para me fazer sentir bem, e eu fiz, então ele fez." "Você retribuiu?" Eu limpei minha garganta. "Sim", eu disse, minha voz baixa, "mas não ontem à noite porque eu fui nocauteada depois." Bronagh bufou. "Eu dei um bom despertar ", eu disse, sentindo orgulho quando pensei nele acordando e vendo minha boca sobre ele. "Eu estava tão nervosa que eu faria errado, mas eu queria dar prazer, e eu fiz."


"Ele acordou com você chupando, ou você apenas surpreendeu?" "Acordei", respondi. "Você deveria ter visto a cara dele. Ele parecia estar prestes a morrer. Bronagh riu. "Como ele conseguiu entrar na sua cama?" "Ele não entrou", eu respondi. "Eu perguntei se ele queria dormir comigo. Eu queria dormir perto dele e acordar com ele ao meu lado. Bronagh suspirou. "Isso é tão fofo." "Acho que estou em estado de choque sempre que sento e penso sobre isso, porque ontem eu estava planejando apenas falar com ele, e hoje estamos em um relacionamento exclusivo. Eu nunca acreditei que algo assim pudesse acontecer, quanto mais tão rápido." "Qualquer coisa pode acontecer em um relacionamento ." Bronagh encolheu os ombros. ―Não há regras quando se trata de estar com alguém. Embora eu saiba que há pessoas por aí que gostam de forçar sua opinião na garganta das pessoas. Tudo o que importa é que parece certo para você e Damien. Se alguém tiver um problema ou achar que é "muito rápido", ele pode se sentar e calar a boca porque o que funciona para você não vai funcionar para todos. " "Bem, você conseguiu o que queria." Bronagh sorriu. "Bom." ―Eu acho engraçado que nós saímos com gêmeos. Eu nunca pensei que isso fosse possível quando éramos crianças.‖ Eu sonhei muito com isso, mas nunca imaginei que poderia ser uma realidade.


"Nós nunca vamos misturá-los", brincou ela. "E eu não estou falando sobre a cor do cabelo deles." "Certo?" Eu disse, rindo. ―Eu nunca poderia confundir Damien com Nico, nem nunca. Eles são muito diferentes. "Como noite e dia", concluiu Bronagh. Nós passamos vinte minutos conversando sobre tudo, desde o meu novo relacionamento até ser mãe de gato, meus pais e, finalmente, Gavin. "Gav está me evitando no mês passado", comentou Bronagh. "Ele está sempre" ocupado "sempre que eu telefono ou mando o texto". Eu liguei para ele ontem e tive que deixar uma mensagem de voz. O idiota ainda não me ligou de volta." Senti minhas mãos suadas enquanto a informação que eu tinha sobre Gavin pesava sobre mim como uma tonelada de tijolos. Naquele momento, eu poderia ter dado um tapa nele por me fazer prometer manter o segredo dele. "Eu sei." Eu limpei minha garganta. "Eu gostaria que ele não estivesse trabalhando para o Sr. Daley. Tudo o que ele faz é obscuro." Bronagh começou a parecer tão desconfortável quanto eu me sentia. "O que você quer dizer exatamente quando diz "obscuro"?" Dei de ombros. "Você ouviu os rumores de que o Sr. Daley é um homem de negócios, mas do tipo ... assustador". ―Tipo assustador?‖


"Vamos lá", eu disse com um rolo de meus olhos. "Eu sei que você já ouviu falar que ele está envolvido com o ... com a turba". Eu disse a última parte em um sussurro, e isso fez os lábios de Bronagh se contorcerem. "Você já falou com Gavin sobre suas preocupações com quem seu chefe faz negócios?" Minha mão foi para o meu peito. "Eu morreria com medo antes que eu pudesse dizer uma palavra." Bronagh riu. "Você é uma covarde ." "E orgulhosa", eu disse, com a cabeça erguida. "Eu mal posso assistir a filmes da máfia, então, estar envolvido com qualquer coisa assim ou ter qualquer conexão com ela ... eu simplesmente morreria. Eu não seria capaz de aguentar isso. É por isso que estou sempre tão preocupada com Gavin.‖ Bronagh desviou o olhar de repente. "Sim", ela disse. "Eu sei o que você quer dizer." A vibração entre nós mudou então, e por alguma razão, senti que havia algo não dito entre nós. Eu me sentia assim muito com meus amigos sempre que conversávamos aleatoriamente. Eu diria alguma coisa, e eles iriam fechar, e eu senti que havia mais a ser dito ... mas nada mais aconteceria, e eu ficaria me sentindo como se estivesse faltando alguma coisa. Este foi um desses momentos, e assim como todas as outras vezes, eu estava muito apreensivo para questioná-lo, então eu empurrei para o fundo da minha mente e fingi que estava tudo na minha cabeça. "Eu vou fazer as torradas."


"Vou colocar a chaleira de volta", disse Bronagh, pondo-se de pé. "Eu estou com fome. Você quer um pouco de frango refogado? Eu tenho muito mais da noite passada." "Parece bom." Quando saí do quarto e cheguei às escadas, a porta da frente se abriu, e Nico entrou na casa com Ryder no reboque. Ambos pararam quando me viram, e sorrisos idênticos esticados através de seus lábios.

―Não‖, eu avisei-os. ―Não para qualquer um que pensa em me envergonhar. Eu já tive o suficiente para durar uma vida ―. Eles riram como crianças, em seguida, Nico deu um passo em minha direção, e quando ele se inclinou e beijou meu rosto, ele disse, ―Você é oficialmente minha irmã agora.‖ Isso fez meu rosto queimar como larva. ―Isso foi tão bonito,‖ eu sussurrei antes de me virar e fugiu pelas escadas, o riso dos rapazes ecoando atrás de mim. Eu nem sequer cheguei a questionar por que qualquer um deles foi para casa do trabalho, e, claro, já que Ryder trabalhou com Damien, eu me perguntava onde estava, também. Refleti sobre isso quando eu fui para o banheiro. Depois que eu estava acabada e tinha lavado minhas mãos, eu me virei para sair da sala, mas no balcão, polegadas longe de mim, estava a maior aranha que eu já tinha visto em toda a minha vida . A aranha parecia deslizar diretamente para mim, então eu fiz o que qualquer pessoa normal


faria. Eu pulei e gritei como num assassinato sangrento. Acho que cerca de dez a quinze segundos se passaram antes que a porta do banheiro se abrisse e Nico e Ryder entrassem. "Está indo para me comer!" Eu gritei quando me lancei para Nico com absolutamente nenhum aviso. Ele arregalou os olhos e abriu os braços uma fração de segundo antes do meu corpo colidir com o dele. Meu peito bateu no dele, minha virilha bateu contra seu estômago, minhas pernas envolveram sua cintura, enquanto meus braços rodeavam seu pescoço tão apertado, eu sabia que estava sufocando ele, mas eu não conseguia parar. "Pega ela!" Eu praticamente, gritei.

Nico tropeçou de volta para seu irmão como tentou fazer uma saída rápida e limpa do banheiro. Ryder virou para nós, e o bastardo estava rindo. Eu podia ouvi-lo agora que eu não estava gritando. Ele estava realmente rindo. ―Cale a boca!‖ Eu gritava para ele. ―Apenas mate-a! Meu Deus! É do meu tamanho, Ryder, é do tamanho da minha mão!‖ Ele riu mais alto. ―O que é isso?‖ Nico murmurou, tentando respirar em torno de meu estrangulamento. ―Aranha.‖ Eu soluçava. ―Grande aranha.‖ ―Você está gritando por uma porra de uma aranha?‖ Eu permaneci ligada a ele. ―Você não vê, Nico,‖ eu disse, e percebi que estava chorando. ―ela é enorme ―


Eu ouvi o choro de um bebê, então, meu coração se partiu sabendo que eu acordei Georgie. ―Sinto muito, baby ,‖ Eu falei para ela, mas não podia deixar seu pai. Bronagh subiu as escadas correndo, gritando: ―Eu tenho você ... continue.‖ Nico conseguiu me arrancar fora do seu corpo e quando meus pés tocaram o chão, ele colocou as mãos firmemente sobre os meus ombros e olhou para mim. ―Uma aranha realmente fez você gritar assim?‖, Ele ficou boquiaberto. ―Alannah Ryan, estou decepcionado com você.‖ ―Ela tinha a porra de joelhos, Nico! JOELHOS!‖ A risada de Ryder quase me bateu fora de meus pés enquanto eu estava agindo como uma louca. Nico olhou para mim e cacarejou e começou a rir também, que só me chateou ainda mais porque eu estava além do medo. Senti imenso alívio quando Damien de repente, correu até as escadas. ―O que está acontecendo, Alannah!‖ Ele empurrou Dominic de lado e avançou, plantando as mãos nos meus braços. ―Baby, o que é?‖ ―Uma aranha,‖ eu chorei. ―Era enorme ela veio para mim, e agora eu não sei onde ela está, mas ninguém me ajudou e me -‖ Damien me levantou do chão como se eu pesasse nada e desceu as escadas antes que eu tivesse tempo para compreender o que tinha acontecido. Quando chegamos até a cozinha, ele me colocou para baixo e me ajudou a escovar minhas roupas.


―Ela se foi‖, disse ele enquanto ele me girou, afastando-me. ―Não está em você.‖ Soluços atingiram o meu corpo, e minha respiração era difícil. ―Eu estava tão assustada.‖ ―Eu sei‖, disse Damien, envolvendo os braços em minha volta. ―Eu sei que você estava.‖ Eu não deixei Damien até Bronagh entrar na sala e perguntar : ―Lana, você está bem? A aranha está morta. Ryder matou.‖ Alívio encheu-me, mas não deixei Damien ir. ―Os rapazes riram‖ Bronagh disse, com a voz tensa como Georgie balbuciava, que eu assumi era braços da mãe. ―Eu não acho que eles perceberam quão grave é o seu medo de aranhas.‖ Eu estava aterrorizada com elas. Eu fiquei tensa quando Nico e Ryder desceram as escadas e entraram na cozinha. Eu liberei Damien só porque ele pediu para mim fazer. Tomei um tecido de Bronagh quando ela estendeu alguns na minha frente. Levei-o com um sorriso, em seguida, tomei Georgie quando ela estendeu a mão para mim. Eu aconcheguei-a contra meu peito e olhei para o rosto dela, encantada que eu estava relaxando. "Peça desculpas", Damien exigiu de seus irmãos. "Por quê?" Nico se arrepiou. "Nós apenas rimos." "Ela está apavorada!" Damien estalou, fechando as mãos em punhos. "Ria dela novamente quando ela precisar de você, e eu vou colocar o meu punho no seu crânio." Ele mudou seu olhar para Ryder e rosnou: "Você está fodendo isso também."


A boca de Bronagh se abriu, Ryder levantou uma sobrancelha e Nico grunhiu, mas não disse uma palavra. "Damien". Eu funguei, soltando Georgie. "Está bem." "Não esta", ele respondeu, seu tom firme. ―Branna tem pavor de ratos, e Bronagh tem medo de mariposas, e se eu risse delas quando algo que elas temiam as assustava, esses dois idiotas teriam batido em mim. E eles sabem disso." Fiquei surpreso quando Ryder e Nico meio que abaixaram a cabeça como se tivessem vergonha de si mesmos. "Eu sinto muito, Alannah", Ryder falou primeiro. "Eu não achei que você estivesse tão assustada. Eu não teria rido de outra forma." "Eu também", acrescentou Nico. ―Você é importante para mim e rir enquanto está com medo é algo que eu nunca faria. Você pode me perdoar?" "Nós", corrigiu Ryder. Eu limpei meus olhos. ―Claro, rapazes. Está tudo bem, acabei de exagerar e ..." "Você tem uma fobia de aranhas", Damien me cortou, virando-se para mim. "Você não exagerou." "Mas Damien" "Você. Não. Exagerou." Meu coração bateu no meu peito. "Ok", eu disse suavemente. "OK." Ele se aproximou de mim, voltando os olhos para a sobrinha, e eles suavizaram quase instantaneamente. "Como está minha garota?", Ele perguntou a ela, tocando a mão dele ao lado dela, fazendo cócegas nela.


Seu pequeno corpo se agitou em meus braços, então eu a afastei, rindo. "Não faça cócegas", eu avisei. ―Ela é como eu, ela não consegue lidar com isso. "Eu vou ser o juiz do que você pode lidar." Ninguém perdeu a insinuação no que Damien disse. "Cale-se." Os rapazes bufaram. "Você está muito bonita quando está com vergonha, sardas." Eu abaixei minha cabeça, e Damien riu quando ele colocou os braços em volta de mim e me abraçou a ele. Georgie não perdeu tempo enquanto agarrava seu braço com suas mãos pequenas e o beliscava, o que o fez se afastar com um grito. "Ow!" Ele franziu a testa e gingou o dedo para ela. "Não. Você não aperta. Não, não é legal." A criança olhou para ele. "Ela ama Alannah", disse Bronagh. "Ela claramente não gosta de você a tocando". ―Bem.‖ Damien olhou de volta para sua sobrinha. "Você vai ter que se acostumar com isso, garota." Georgie continuou a olhar para Damien, e isso me fez rir. "Ela é fogo", eu disse. "Boa sorte para você quando ela for adolescente, Nico." "Jesus, eu sei." Todos rimos e Georgie também riu por causa disso, o que só achamos mais engraçado. Eu a entreguei para sua mãe, e Damien passou o braço em volta do meu ombro, me puxando para o lado dele. Ryder saiu para atender quando seu telefone tocou, então me


concentrei em Damien e disse: "Por que você está em casa do trabalho?" "Saio do trabalho às três e meia na terça-feira." "Oh." Eu balancei a cabeça. "Vou ter que aprender seus horários " Damien inclinou a cabeça para baixo, e eu sabia que sua intenção era me beijar, mas ele fez uma pausa e olhou de repente. Eu segui seus olhos e congelei. "O quê?" Damien disse, seus olhos passando de Nico para Bronagh, que estavam nos encarando. "Por que vocês dois estão olhando para nós assim?" "Porque nós esperamos por anos para ver isso", respondeu Bronagh, um sorriso radiante se estendendo em seus lábios. "É por isso, mano." Nico sorriu para ela quando ela chamou Damien de mano. "Vocês estão indo para ser estranhos sobre isso?" Eu perguntei. "Porque eu nunca olho para qualquer um de vocês." "Nenhum de nós está farejando um ao outro como você e Dame tiverem", disse Nico. "Vocês são meu OTP". Eu pisquei para Bronagh. "O que significa OTP?" "Um par verdadeiro", ela respondeu. "Duh" Eu revirei meus olhos. "Você não tem mais permissão no Tumblr, você está se transformando em uma dessas pessoas malucas." ―Afaste-se do Tumblr, Lana.‖ Eu divertidamente levantei minhas mãos, e sorri antes de soltar minhas mãos nos braços ao meu redor quando Damien abraçou meu corpo com força ao dele.


"É uma loucura para nós vermos vocês juntos." Nico disse com um sorriso. "Um bom louco." "Você vai se acostumar com isso", respondeu Damien. "Vocês todos vão." Deus, eu esperava que sim. Eu sorri para ele, mas minha atenção foi puxada para a porta quando Ryder entrou no quarto, seus olhos selvagens, e sua testa brilhando de suor. "O que é isso?" "Branna", disse ele, em pânico. "A bolsa dela estourou!"


―Como Ry levou Bran ao hospital tão rápido?", perguntei a Bronagh enquanto corríamos do estacionamento em direção ao Hospital Universitário Coombe Women & Infants depois de passar pelo carro de Ryder estacionado em um ângulo estranho. "Vivemos a quarenta minutos de lá, e saímos no mesmo momento que ele!" "Deus não poderia impedir aquele homem de chegar tão rápido quanto podia com Branna e aqueles bebês." Eu não podia fazer nada além de concordar com ela enquanto corríamos para a entrada do hospital, um ponto já se formando ao meu lado da atividade. "Eu odeio correr", eu respondi sem fôlego. "Desde que Georgie se tornou mais ativo e começou a engatinhar, correr é tudo o que eu sou bom hoje em dia." Eu ri, em seguida, tomei uma respiração muito necessária quando desaceleramos ao aproximar-se da recepção no lobby. Achei que Bronagh ia perguntar onde ficava a ala de parto, mas quando ela virou à esquerda e se dirigiu a uma escadaria gigante, segui-a cegamente. Não foi até limparmos o primeiro andar que eu percebi que Bronagh sabia exatamente para onde ela estava indo, ela tinha tido um bebê no mesmo hospital depois de tudo. "Não é a ala de trabalho fora dos limites para os visitantes?"


"Normalmente, sim", respondeu Bronagh. "Mas desde que Branna trabalha aqui , e ela é a paciente, isso significa que temos privilégios especiais." "Nós?" Eu diminuí meus passos. "Você acabou de dizer que nós ... como você e eu?" Bronagh fez uma pausa, depois se virou para mim. ―Eu ouço o medo em sua voz,‖ ela comentou. ―Afaste-o, porque nós temos que focar em Branna.‖ Meus lábios se separaram. "Mas ... mas ... eu pensei que ia esperar na área de espera", eu disse, agarrando palhas. "Eu posso dar um grande apoio moral de fora, você sabe? Vou manter todos atualizados. Eu não vou deixar este lugar, nem mesmo para usar o banheiro. Eu serei o melhor sistema de suporte à distância, juro.‖ Bronagh bufou, depois se virou e continuou andando. Com um suspiro arrastado, eu a segui, silenciosamente rezando para que um guarda de segurança ou um membro da equipe me informasse que eu não tinha nenhum problema em estar em uma sala onde uma dama estava prestes a dar à luz ... mas ninguém nos parou. Nenhuma pessoa se quer. Segui Bronagh em direção à estação das enfermeiras, e quando vi Ash, a colega de trabalho de Branna, atrás da mesa, sorri junto com Bronagh. Ash era adorável, e sempre que eu o encontrava, ele sempre me fazia rir com uma piada idiota de um jeito ou de outro. "Bronagh, Alannah", disse ele com um sorriso brilhante quando ela parou diante da mesa. ―É ótimo ver vocês dois. Qual de vocês está em trabalho de parto para que eu possa fazer o check-in?" Eu ri. "Idiota."


Ele sorriu para nós. "Eu pularia esse balcão e torceria seu pescoço se não estivesse tão empolgada", disse Bronagh, pulando de um pé para outro. "Em que quarto está Branna?" "Número um", respondeu Ash. ―Sally está lá com ela e Taylor também; ela está fazendo lindamente. Ela já está dilatada oito centímetros. Ash mal terminou sua frase antes que Bronagh soltasse uma exclamação animada e correu para o quarto número um no final do corredor. Eu não fiz nenhum movimento para segui-la; em vez disso, olhei para a porta do quarto onde Bronagh simplesmente desapareceu. "Você parece assustada." Eu olhei de volta para Ash. ―Apenas com medo? Porque me sinto aterrorizada." Seus lábios se contraíram. ―Você nunca viu um bebê nascer?‖ "Não pessoalmente, e evito na televisão sempre que posso", respondi. "Eu não estava esperando para entrar no quarto. Eu pensei que teria sido um momento privado." ―Pelo que Branna me disse, você é sua família. Você não fica mais privado do que isso." Isso me fez sorrir. "Sim", eu concordei. "Somos uma família." ―Então entre aí‖, Ash encorajou. ―Quanto mais apoio, melhor, e é melhor você do que eu, para ser honesto. Bronagh pode se concentrar em Branna, e você pode se concentrar em Ryder. O homem parece que vai cair a qualquer momento."


Eu balancei a cabeça, engoli, então me virei e caminhei em direção ao quarto em que Bronagh desapareceu. Quando cheguei à porta, bati nela suavemente, e talvez dois segundos se passaram antes que a porta fosse aberta, revelando um Ryder muito perturbado. "Lana", disse ele, aliviado. "Entre aqui." Ele pegou minha mão e me puxou para o quarto, fechando a porta atrás de nós. Instantaneamente, meus olhos pousaram em Branna. Ela estava de quatro na cama, a cabeça baixa e os quadris balançando de um lado para o outro enquanto ela gemia. Ela estava vestindo uma camisola rosa bonita, e seu cabelo estava puxado para trás em uma trança francesa apertada. Bronagh estava ao lado dela, com o casaco e a bolsa pendurados em uma prateleira do outro lado da sala. Ela tinha sua camiseta de mangas compridas enrolada até os cotovelos e seu cabelo estava atrás das orelhas. Sua atenção foi de 100% em sua irmã enquanto ela esfregava sua parte inferior da coluna. Notei duas mulheres, uma mais velha e outra mais jovem, andando ao redor da sala verificando as máquinas, verificando Branna, depois conversando entre si como se não houvesse uma mulher com uma dor excruciante ao lado delas. Eu assumi que elas eram Sally e Taylor que Ash mencionou. Eu tinha ouvido Branna falando sobre elas antes, mas nunca as conheci pessoalmente. "Você tem isso, Bran", eu disse a ela, encontrando minha voz. "Você vai ser uma mamãe em breve."


Branna ergueu a cabeça e, embora estivesse suada e com o rosto vermelho, sorriu para mim da melhor forma que pôde. "Estou tão feliz por você e Damien, querida." Meu coração se aqueceu. "Obrigada, Bran". Ela abaixou a cabeça e disse: ―Lá vem outra.‖ Ela gemeu de dor, e Ryder, que ainda estava segurando minha mão, apertou-a. "Hey", eu disse, ganhando sua atenção. "Ela vai fazer de você um papai em breve, e ela vai ficar perfeitamente bem". Ele balançou a cabeça, e eu sabia que ele estava repetindo o que eu tinha dito em sua mente. Ele deu a minha mão outro aperto, em seguida, mudou-se para o lado direito de Branna. Ele beijou a bochecha dela, cabeça, então se agachou ao lado dela, agarrando a mão dela enquanto ela passava por uma contração. De repente, ela gritou de dor e eu pulei de susto. "Eu realmente não deveria estar aqui para isso", eu disse para ninguém, meu estômago apertando. "Eu acho que vou desmaiar." Ash riu quando ele entrou no quarto, e isso me assustou também, o que me disse o quão ferida eu estava. Eu me concentrei nele. "Esta sala está acima da capacidade, certo?" "Sim", ele respondeu com uma contração dos lábios. "Mas Branna trabalha aqui, então ter pessoas extras com ela não é problema." Eu fiz uma careta para o homem. "Você deveria concordar comigo, em seguida, me escoltar desta enfermaria e para um quarto de espera."


Ash começou a rir. "Minha culpa." Eu me concentrei na minha amiga e Ash também. "Você está linda, querida", ele disse a ela. "Você está indo bem." Branna gemeu em resposta, e Ryder meio que olhou para Ash, enquanto Bronagh continuava a esfregar as costas de sua irmã e falou palavras de encorajamento para levá-la através da contração atual. "Ela está progredindo como luz", a mulher mais velha, que eu assumi ser Sally do que Branna me disse, sorriu com orgulho. "Aqueles gêmeos estarão aqui dentro de uma hora, marquem-me as palavras." Ryder parecia que ele estava prestes a desmaiar. "Isso não está acontecendo muito rápido?" Eu perguntei para Ash. "Ela não deveria estar em trabalho de parto por horas? Minha mãe estava em trabalho de parto por vinte e sete horas antes que ela me tivesse, ela disse que é a razão pela qual eu sou filha única‖. ―Cada mulher é diferente‖, Ash respondeu com um encolher de ombros. ―Quando eu cheguei no turno esta manhã, a mulher que tinha sido no trabalho por doze horas quando saí noite passada ainda estava em seu quarto trabalhando enquanto outra mulher entrou e saiu uma hora mais tarde, depois de ter seu bebê.‖ ―Uau‖, eu murmurei. ―Isso é insano.‖ ―Branna está em trabalho de parto desde as seis horas da manhã, e ela não disse nada só para que Ryder fosse trabalhar. Ela está há umas boas nove horas agora ‖, explicou Ash. "Ela só não ligou para Ryder até que sua bolsa estorou uma hora atrás, porque ela sabia quanto tempo de trabalho poderia levar, e ela não queria preocupá-lo."


Isso foi uma coisa tão Branna a fazer. Ela não incomodaria ninguém, nem o marido, a menos que ela absolutamente precisasse. Branna de repente gritou de dor quando suas contrações se fortaleceram, e eu me encolhi junto com ela enquanto todo o seu corpo ficava tenso. Cruzando minhas pernas distraidamente enquanto eu inalava e exalava respirações profundas. Eu descobri que as ações me ajudaram tanto quanto pareciam ajudar Branna, então continuei nisso. "Você se lembra", disse Bronagh para sua irmã com um sorriso, "quando eu tinha dezoito anos e você me deixou na escola, mas eu não queria entrar porque eu não queria estar perto de Dominic?" Branna assentiu, respirando pesadamente. "Eu lembro." "Você se lembra de rir de mim?" "Sim", Branna ofegou, suor escorrendo pelos lados do rosto. "Eu faço." "Você se lembra que eu disse que iria lembrá-lo daquele momento quando você estava no auge da dor no parto?" Branna rosnou. "Eu lembro." "Esta é a minha vingança por esse momento ... isso dói?" Branna bateu em Bronagh, que se afastou rindo antes de voltar para o lado de sua irmã. Ela recomeçou a esfregar vigorosamente a base da espinha de Branna, e fez Branna gemer e não sentir dor. Ela parecia gostar do tratamento que Bronagh estava dando a ela, enquanto eu achava tudo mais ... áspero.


"Você não vai me fazer ver Dominic novamente quando eu não quiser, vai?" Bronagh brincou. Branna riu, depois gritou de dor novamente, e mesmo que eu só estivesse no quarto por alguns minutos, eu poderia dizer que as dores estavam ficando mais fortes e mais rápidas. "Dói", ela rosnou. "Deus, porra dói." "Eu sei", disse Bronagh. ―Respire através disso. Você tem isso, Bran." Branna gritou através do pior de sua contração e agonia percorreu seu rosto. O som e o visual me cortaram em dois. Eu olhei para Ryder, que estava olhando para sua esposa com os olhos assustados não piscando, e ele parecia exatamente como eu me sentia. Fodid de medo. "O que posso fazer, doçura?" Ele quase implorou. "Eu farei qualquer coisa, apenas me diga, e eu farei." "Gelo", Branna gemeu. "Um pouco de gelo, por favor." Ryder se afastou da sala para pegar um pouco de gelo antes que Branna terminasse a frase. Eu assisti ele ir. "Ele está 'apavorado." Branna inalou e exalou profundamente quatro vezes antes de dizer: "Não há sentido em reafirmar. Até os bebês ... nascerem ... ele continuará assim." "Ou até que eles tenham dezoito anos", eu provoquei. Todos riram assim que meu telefone tocou. Eu verifiquei a tela, vi que era Damien e respondi instantaneamente. "Alguma novidade?"


Eu estremeci quando Branna gritou e trancou Bronagh como uma jiboia. O rosto de Bronagh se avermelhou um pouco, o que me disse o quão apertada sua irmã tinha ela. "Ela ainda está em trabalho de parto." "Eu a ouvi, pobre mamãe", disse Damien, e eu poderia imaginá-lo carrancudo. ―Ela está bem além de sua dor óbvia? Como Ryder está lidando?" "Branna está fazendo brilhantemente." Eu olhei para seu irmão mais velho no corredor, recolhendo gelo da máquina e disse: "E Ryder ainda está consciente, então eu estou contando isso como um positivo". Damien bufou, e Ash sorriu ao meu lado antes de dizer algo para Taylor fazer suas bochechas ficarem vermelhas. Eu observei enquanto ele a acariciava com a mão, e um sorriso se esticou em seu rosto antes de sair da sala. Se não demorou muito para ver que eles eram mais do que colegas de trabalho. "Eu não estava esperando para estar no quarto", eu sussurrei para Damien quando voltei a me concentrar em nosso telefonema. ―Eu me sinto tão assustada, e eu continuo cruzando minhas pernas quando Branna recebe uma dor. é tão bom como um controle de natalidade eles deveriam fazer garotas adolescentes virem e experimentarem isso‖. A risada de Damien me relaxou, mas outro grito de Branna cortou o som. Coloquei meu dedo no meu ouvido livre para poder ouvi-lo melhor. "Você vai ficar bem", ele me assegurou. ―Pense desta maneira você vai ver nossos sobrinhos entrarem no mundo. ‖


Nossos sobrinhos. "Sim", eu disse, sorrindo. "Você está certo." Branna gritou tão alto que assustou o bejesus de mim, e eu não pude fazer nada além de estremecer em seu nome. "Tenho que ir", eu disse a Damien. "Vou ligar para você quando tiver outra atualização." "OK baby . Tchau." Mordi meu lábio inferior para não sorrir como um idiota. Toda vez que ele me chamava de bebê, ou algum nome carinhoso, me lembrava que estávamos realmente juntos. "Tchau." Depois que terminei a ligação, guardei meu telefone. Ryder entrou novamente na sala com um jarro cheio de gelo, em vez de apenas uma pequena xícara, e isso me fez sorrir. Eu nunca tinha visto alguém tão grande quanto ele parecer tão assustado, mas eu sabia que ele não estava apenas com medo de seus bebês. Ele também estava apavorado por sua esposa. "Sabe", eu disse aleatoriamente: "Eu continuo esquecendo que você é casado, e seu sobrenome é Slater agora, Bran". Ela sorriu através de sua dor. "Eu sei. Mas tem um anel, não é? "Sim", eu concordei. ―Bronagh Slater parece estrangeiro, no entanto.‖ "Eu provavelmente não vou pegar o sobrenome de Dominic", Bronagh disse com um encolher de ombros. ―É o século vinte e um; nem toda mulher leva o sobrenome do marido."


Ryder, que colocou um pedaço de gelo na boca de Branna, olhou para sua cunhada e disse: "Dominic sabe disso?" "Não." Eu sorri abertamente. "Eu posso estar lá quando você dizer isso a ele?" "Eu também", Ryder e Branna disseram em uníssono, fazendo um ao outro rir. Eu fiz uma careta quando Branna choramingou quando a dor a consumiu mais uma vez. Ela enfiou a cabeça no pescoço de Ryder e começou a chorar quando ele se inclinou para abraçá-la. Bronagh continuou a esfregar suas costas, e Ryder murmurou coisas para Branna que a fizeram balançar a cabeça. Sentei-me em uma cadeira à esquerda da sala enquanto as coisas progrediam rapidamente. Um minuto, Branna estava respirando através de sua dor, e no seguinte, suas pernas estavam separadas e havia uma enxurrada de pessoas na sala. Um homem chamado Dr. Harrison, Taylor, Sally e mais duas enfermeiras que estavam de prontidão para levar cada bebê quando eles nasceram encheram a sala já lotada. Antes que eu percebesse, Branna estava empurrando. Bronagh estava à sua esquerda, e Ryder estava à sua direita, ambos pareciam trocar posições com Branna em um piscar de olhos, se pudessem. Eu, por outro lado, estava focado na minha respiração porque sentia que meu coração estava prestes a sair do meu peito. Eu não teria sido capaz de trocar com Branna, mesmo que quisesse; eu estava com muito medo.


Esse medo, eu senti que era justificado, então eu não senti nenhuma culpa por isso. Durante toda a comoção, peguei meu telefone e comecei a gravar. Eu me certifiquei de ter a visão completa de Branna quando ela deu à luz, e eu notei que eu imediatamente a apagaria se ela não quisesse mantê-la, mas desde que ninguém mais pensou em registrar o momento, e eu não estava fazendo nada mas hiperventilando, imaginei que me tornaria útil e captaria a memória única da vida. "Ele está coroando", o médico anunciou depois de alguns minutos de empurrar. Assim que a cabeça saiu, Branna gritou para o alto céu. "Ombros, peito ... pênis, coxas ... e o bebê A está aqui." Branna chorou de alívio quando seu filho foi colocado em seu peito, Ryder estava completamente admirado quando ele olhou para seu filho primogênito, e Bronagh, ela estava chorando em silêncio. Lágrimas escorriam pelas bochechas dela enquanto um sorriso se esticava em seus lábios. "Você fez isso, Bran", Bronagh disse e beijou a cabeça da irmã. "Você fez isso!" "Obrigado", Ryder disse a Branna antes de beijar seu rosto. ―Obrigado por me fazer um pai. Eu te amo muito." "Eu também te amo", Branna soluçou. Juntos, ela e Ryder olhavam para o bebê enquanto Taylor silenciosamente o limpava com uma toalha. Ryder beijou a cabeça de seu filho, e Branna rapidamente seguiu o exemplo. "Ele é perfeito", disse Branna, maravilhada. "E ele se parece com você!"


"Você está brincando?" Ryder respondeu, seus olhos brilhando com lágrimas não derramadas. "Ele é lindo. Isso é tudo de você, doçura. Eu olhei para o bebê. "Eu estou vendo coisas, ou a criança tem cabelo loiro branco?" "Você não está vendo coisas", Bronagh riu. "Damien não é mais o único rapaz de cabelos louros." Eu fiquei com um nó na garganta enquanto a emoção me dominava, mas mantive minha mão firme, certificando-me de que o vídeo que eu estava gravando não seria bagunçado. Sete minutos depois, Branna gemeu de dor, e o bebê A foi levado para o lado por Sally, onde ele poderia ser limpo, pesado e verificado adequadamente. Eu queria desesperadamente ir vê-lo, mas fiquei enraizado no local. As coisas então foram da calma para a insanidade em segundos. Branna estava se contraindo mais uma vez e começou a empurrar o segundo filho para fora. Minha vagina estava em agonia apenas olhando para ela, minhas pernas estavam tão cruzadas que eu sabia que Damien precisaria receber uma medalha se ele conseguisse forçá-las a abrir novamente. Eu me vi empurrando junto com Branna, como se estivesse tentando ajudá-la. Bebê B, que também tinha cabelos loiros brancos, levou dez minutos a mais para aparecer no mundo, fazendo seu irmão dezessete minutos mais velho, mas quando o fez, foi com um grito potente Todo mundo chorou, principalmente Branna, e uma parte de mim pensou que era porque ela não tinha que empurrar outro garoto naquele momento. Depois que Baby B passou alguns minutos com sua mãe e seu


pai, ele foi levado para ser limpo, pesado e examinado como seu irmão. Ambos os bebês foram devolvidos à Branna assim que ela deu a placenta, foram limpos com uma toalha e foram acomodados na cama. Eu tinha parado de gravar no momento em que isso aconteceu, mas eu estava tirando muitas fotos, para o caso de Branna e Ryder quererem que eu apagasse o vídeo. Eu me mudei para os gêmeos depois que eles foram embrulhados em cobertores azuis e tinham pequenos chapéus brancos em suas cabeças. Eu babei sobre eles, e quando Bronagh veio se juntar a mim, nós duas nos abraçamos com entusiasmo. Depois que os bebês foram devolvidos a Branna, Sally disse: - O bebê A tem cinco quilos e sessenta e quarenta centímetros de comprimento, e o bebê B tem cinco quilos e vinte, quarenta centímetros de comprimento também. Bom trabalho, querida. Branna sorriu e então virou a cabeça e beijou Ryder, que estava enxugando as lágrimas de suas bochechas. Ele passou alguns minutos olhando para os gêmeos, depois beijando Branna e agradecendo-lhe por dar-lhes mais uma vez. Ele cuidadosamente pegou um gêmeo dela e abraçou-o contra o peito. Meu coração apertou enquanto eu o observava. Ele era uma montanha de homem, super alto, magro de músculos, e ali estava ele, completamente à mercê do pequeno embrulho em seus braços. "Fotos", eu anunciei. Ryder sorriu para mim enquanto eu tirava uma foto dele e de seu filho, Branna o imitou enquanto eu tirava uma dela e de seu outro filho. Ryder se inclinou para


mais perto, para que eu pudesse tirar a primeira foto juntos deles como uma família. "Podemos ouvir seus nomes agora?" Eu perguntei, abaixando o meu dispositivo. ―Acho que estou prestes a entrar em colapso por toda a emoção; me dê algo bom para sair. Os novos pais sorriram para mim. "Este pequeno homem, Baby A", Branna sorriu, "é Nixon Joe Slater." Ryder sentou-se parcialmente ao lado da cama de Branna. "Este pequeno cara, Baby B." Ele sorriu para seu filho enquanto bocejava, "é Jules Alec Slater". Eu agarrei minha mão livre no meu peito. "Alec vai chorar quando descobrir." "Definitivamente." Bronagh ecoou, então para sua irmã, ela disse, "Você deu a Nixon seu nome do meio por causa do pai?" "Claro". Branna sorriu cansada. "Ele é o maior homem, além de Ry, que eu já conheci." Bronagh foi até a irmã e beijou sua bochecha; ela então silenciosamente chorou novamente quando Branna ofereceu a Nixon pela primeira vez. Bronagh sentou-se na cadeira, e quando Ryder rodeou a cama e entregou-lhe Jules também, um pequeno soluço se soltou. "Sorria, Bee", eu disse e esperei até que ela fizesse o que eu pedi antes de tirar uma foto deles. Ryder e Branna se abraçaram e beijaram um pouco mais, mas quando ele se virou para mim, ele sorriu. Eu estava saltando de pé para pé. Eu estava tão


orgulhosa de ambos, e eu estava tão feliz por eles que eu poderia ter explodido. "Você é um pai!" Eu gritei e me lancei para Ryder, que me pegou, riu e me abraçou tão apertado, que eu poderia jurar que ouvi meus ossos estalarem. "Eu sou um pai." "Parabéns, estou muito feliz por vocês dois, Ry." Eu procurei meu telefone mais uma vez quando ele me soltou. "Eu tenho que atualizar todo mundo", eu anunciei. "Eles vão me matar de outra forma." Ryder bufou, então foi até Branna, que agora estava mordiscando uma fatia de torrada e tomando uma xícara de chá que Sally lhe trouxe. Ela não parecia que queria qualquer um deles, mas pelo olhar que Sally lançou em seu caminho, ela sabia que argumentar contra isso era fútil. Eu me concentrei no meu telefone e disquei o número de Damien. Ele respondeu no segundo toque. "Como ela está?" "Ela está fabulosa", gritei, "e os nossos sobrinhos também!" "O quê?" Damien gritou. "Ela já os tem?" "Sim!" "Branna tem os gêmeos!" Ele gritou tão alto que eu tive que puxar meu telefone para longe da minha orelha, rindo. "Ela os tem!" "Dois garotos lindos‖ , eu disse. "Ambos perfeitamente saudáveis." Damien repetiu a informação que eu lhe dei, e aplausos soaram ao fundo. ―E Branna?‖ Ele perguntou.


"Ela está brilhante", eu disse. ―Você deveria ter visto‖; ela era como supermulher. Eu não estou nem brincando. ela é literalmente minha heroína depois de ver isso duas vezes no espaço de alguns minutos.‖ Damien riu. "Você está bem?" "Não", eu respondi instantaneamente. "Eu pensei que estava prestes a desmaiar cinco ou seis vezes, e minhas pernas podem permanecer permanentemente cruzadas para sempre depois do que acabei de testemunhar." Damien respirou fundo. "Você não quer dizer isso." "Acabei de ver uma mulher empurrar não um, mas dois seres humanos da vagina", eu disse com um aceno de cabeça. "Eu nunca estou fazendo sexo novamente. Me desculpe, simplesmente não está acontecendo.‖ "Alannah", disse Damien... ou ele choramingou. "Não tome decisões precipitadas, apenas... apenas coloque o sexo em sua mente e não foque naqueles bebês e Branna, ok?" "Ok." Eu balancei a cabeça. "Ainda não estou tendo sexo, no entanto." "Porra!" "Você é um homem assim não tem que passar por isso" "Não me diga para se acalmar", Damien gritou para alguém no fundo. ―Ela acabou de dizer que nunca vai fazer sexo comigo porque viu Branna dar à luz! Como você se sentiria se Keela dissesse isso para você?… exatamente! Você choraria porra!" Alec.


Eu ri tanto que todo mundo olhou para mim, então eu os acenei e virei de costas, tentando me concentrar em Damien. ―Eu tenho que ir‖, eu disse a ele. ―Vejo você mais tarde.‖ Eu desliguei, notando que ele ainda estava discutindo com seu irmão para me ouvir dizer adeus. Eu pulei quando meu telefone tocou antes de eu colocá-lo em meu bolso; num primeiro momento, eu pensei que Damien estava me chamando de volta, mas quando um nome diferente tiro em toda a tela, eu sorri e cliquei em resposta. ―Ei, Morgan,‖ Eu sorri. ―Ei, Alannah‖, foi sua resposta. ―Estou apenas checando em que ainda é bom para eu começar amanhã? Eu registrei seu endereço no meu navegador, então vou fazer isso sem problema.‖ "Ainda estamos certos para amanhã", eu disse, olhando para os meus amigos. "Eu ainda não tenho o quarto de reposição arrumado ainda, mas vamos gerenciar com a mesa e configurar com algo que tenho por enquanto.‖ "Brilhante", respondeu Morgan. "Eu tenho um cronograma feito e estou ansioso para começar." ―Bem, parece que fiz a escolha certa com você. Você parece mais do que pronto para começar a trabalhar." Sua risada praticamente ressoou através do receptor do meu telefone. "Nasci pronto, chefe."


Eram sete da tarde quando nos preparávamos para deixar o hospital, para que Branna e Ryder pudessem ter um encontro com os filhos e conseguir um descanso bem merecido. Bronagh e eu ficamos o tempo todo; o resto da tribo apareceu uma hora depois que ela deu à luz e, a essa altura, ela estava acomodada em uma grande sala privada, sem distrações. Todos nós olhamos para os bebês com total admiração. Georgie e Jax olharam para eles, mas não ficaram tão incomodados; a única vez em que mostraram interesse foi quando seus pais seguraram os gêmeos. Eles não gostaram muito disso, e não gostaram quando eu os segurei também. "Eu te disse que ela era a favorita deles‖, Keela franziu o cenho. "Eles não choraram quando o resto de nós segurou os bebês.‖. Eu sorri, pegando Jax de Kane depois que eu cuidadosamente entreguei Jules de volta para seu pai. Jax se aconchegou contra o meu torso e colocou a mão no meu peito. Ele começou a brincar com isso, e era assim que eu sabia que ele estava cansado e que Aideen teria que amamentá-lo em breve. Eu olhei para o irmão mais novo e meus lábios se contraíram. Locke dormiu quase o tempo todo em que esteve no hospital. Ele era brilhante em duas coisas, comendo e dormindo. "Eu sou o único a vê-lo jogar abertamente com seu peito?"


Revirei os olhos para Alec. "Eu também sou o único que vê Damien abertamente encarando o garoto por isso?" Olhei para Damien e, com certeza, seus olhos cinzentos estavam trancados em seu sobrinho primogênito e eles se estreitaram. "Eu nem acho que tenho permissão para brincar livremente com eles", disse Damien, sem tirar os olhos de Jax. "Por que ele deveria ser permitido?‖. "Porque ele é um bebê." Damien olhou para o meu. "Isso não é desculpa.‖. Jax fechou os olhos em Damien, em seguida, descansou totalmente a mão no meu peito, a palma da mão achatada, e isso fez Damien assobiar para ele. ―Você sabe muito bem o que está fazendo, garoto. Eu sei que você faz." Eu não pude acreditar quando Jax descaradamente riu. "Veja!" Damien apontou para ele. "Eu te disse. Ele sabe que ela é minha e que tocá-la me irrita.‖ O show lúdico de dominância causou um pulso a crescer entre as minhas coxas. "Pare de xingar", disse Kane para Damien. ―Ele está quase com um ano, ele aprenderá as palavras mais facilmente se forem faladas com frequência ‖. "Maldita é uma maldição?" Bronagh murmurou para sua irmã. Branna sorriu, cansada. ―Não para nós, mas na América? Sim." "E o inferno?" "É uma piada", Nico respondeu a sua noiva.


"Isso é estupido. Como pode ser uma maldição quando é um lugar?‖ "Nós não fizemos as regras, baby." Nico riu, afagando Georgie em seu peito. "Acabamos de ser criados para saber que são palavrões." "Maldição, não é xingar." Eu revirei meus olhos. ―Deixe-os ter o seu jeito de dizer isso; temos um monte de palavras que eles têm que lidar diariamente, e você não os ouve reclamar sobre isso.‖ Todos os homens da sala disseram: "Obrigado". Eu sorri e beijei a cabeça de Jax, ganhando sua atenção. "Você quer ter uma festa do pijama, pequeno homem?" Eu murmurei. "Com tia Alannah?" ―E tio Damien." Eu sorri, sem tirar os olhos do meu sobrinho. ―Se um de vocês está ficando na minha cama, é o Jax." "Droga, garoto." "Damien!" "O que? Merda, desculpe.‖ "Não diga nada também!" "Eu não consigo lembrar de todas essas regras, Kane!" Eu ri. "Eu vou lembrá-lo, grande homem." A atenção de Damien se concentrou em mim. "Isso é uma promessa, linda?" Engoli. "Oh". Bronagh suspirou. "Eu posso sentir a tensão sexual entre vocês dois." Instantaneamente, meu rosto ficou vermelho. "Bronagh !"


"O que?" Ela sorriu, agitando seus cílios. "O que eu fiz?" Ela sabia muito bem o que ela fez. "Pare de falar, por favor." Ela fez o movimento que seus lábios estavam selados com os dedos, mas ela tinha um sorriso de merda no rosto, o que me fez balançar a cabeça enquanto eu lutava com um sorriso meu. Eu me concentrei em Aideen e Kane, então com um aceno de cabeça para Jax, eu perguntei: "Ele pode dormir?" "Sim", responderam em uníssono. Damien bufou. ―Locke não acorda à noite; Perguntome o que você quer chegar até.” Kane sorriu maliciosamente; Aideen ficou boquiaberta. "Nós vamos estar dormindo" , disse ela com autoridade. ―Não deixe que ele te enganar também. Ele estará dormindo antes de eu estar.‖ Kane deu de ombros, sem negar as acusações contra ele, o que fez o resto de nós rir. Nós todos nos beijamos e abraçamos Branna e Ryder, parabenizando-os mais uma vez. Cada um de nós balbuciava sobre os gêmeos que dormiam mais uma vez e mencionou o quanto eles se pareciam com Ryder. Todos concordaram que tinham que manter as bandas coloridas nos tornozelos, porque nenhum de nós conseguia distingui-las. Eles eram idênticos. Kane e Aideen levaram as duas crianças em seu carro porque parecia inútil colocar o assento de Jax no meu carro quando todos nós estávamos dirigindo para o mesmo prédio. Bronagh foi para casa


com Nico e Georgie e Alec saíram com Keela, o que deixou apenas eu e Damien para subir no meu carro. Eu estava afivelada antes de perceber que ele estava no banco do motorista. "Isso é uma coisa agora?" Eu disse. "Quando você me levou as chaves?" ―Eles estavam pendurados no seu bolso de trás. Eu os peguei facilmente.‖ Eu balancei a cabeça, sorrindo. "Eu estou namorando um ladrão." "Eu ando pelo lado selvagem, sardas." Eu ri cansadamente, antes de bocejar. "Por que você sugeriu levar Jax se você está cansado?" ―Porque eu o amo‖, eu respondi. ‖E ele adormece muito facilmente comigo." "Ele adormece no seu peito?" "Sim, por quê?" Damien grunhiu. "Eu estaria confortável o suficiente para dormir se eu estivesse deitado no seu peito por um tempo também." Eu ri quando ele saiu do estacionamento. Damien buzinou quando passamos por Nico, que estava colocando Georgie em sua cadeirinha. Ele olhou por cima do ombro, acenou para mim, então mostrou o dedo médio para Damien. Damien devolveu o gesto sem piscar. "Você não é a único gêmeo da família agora", eu disse quando nos fundimos no tráfego. "Como você se sente sobre isso?" "Incrível porque eles não são meus." Meus lábios se contraíram. "Poderia ser um dia."


"Então eu sinto muito por você desde que você vai ser o único carregando-os." Meu coração parou e a conversa também. "Lana", disse Damien, dando um aperto no meu joelho. ―Não enlouqueça comigo, por favor? Eu não quis dizer isso em voz alta.‖ Eu olhei para ele. "Mas você quis dizer isso de qualquer maneira?" Ele olhou para mim, depois para a estrada. "Não devemos falar sobre isso", disse ele. ―É muito cedo para isso. Eu não quero você mais brava do que você já é sobre nós." "Damien", eu disse, inclinando a cabeça enquanto olhava para ele. "Você acabou de dizer que eu vou estar carregando seus bebês... isso não é algo que não devemos varrer para debaixo do tapete." Damien engoliu em seco e seu pomo de adão se inclinou. "Ok". Ele lambeu os lábios. ―Quando penso em ter filhos, você é automaticamente a pessoa que eu imagino como mãe deles.‖ Meu estômago se agitou com borboletas. "Mesmo?" Damien assentiu, apertando as mãos no volante. "Você está assustada?" "Não", eu respondi honestamente. "Estou muito emocionada, porém, que você me veria em um papel tão importante." Damien encolheu os ombros. ―Eu lhe disse que quero fazer isso de verdade com você. Eu não estou procurando por uma aventura ou um relacionamento


meio burro. Estou procurando minha esposa, Alannah, e sei que vai ser você algum dia.‖ Minha boca secou. "Damien." "É uma loucura, eu sei", disse ele. "Mas você não acha que poderíamos chegar lá, mesmo um pouco?" Eu ponderei isso, mas apenas por um momento, porque a resposta foi óbvia. "Eu imaginava eu mesma casando-se com você alguns segundos depois de eu ter batido os olhos em você na escola, então o que você acha?‖ Damien olhou para mim, para a estrada, de volta para mim, depois de volta para a estrada. "Você está falando sério?" "Como um ataque cardíaco", eu respondi. "Porra, baby, você já fez um dia incrível, muito mais doce, me dizendo isso." Eu levantei minha mão, corri até o braço dele, e descansei atrás do pescoço dele enquanto ele dirigia. "Nós vamos chegar lá", eu disse. "Eu sei que vamos." "Devagar, mas seguro?" Eu sorri e olhei pela janela, a cidade passando em um borrão de atividade. "Devagar, mas seguro."


"Babe?" Eu olhei para cima de mudar a fralda de Jax, e só por um momento, eu tive que me lembrar que Damien estava falando comigo. Ouvi-lo se referir a mim como um nome de carinhoso ainda era muito surreal, e eu não conseguia me imaginar me acostumando. "Sim?" "Eu não vou voltar até esta noite, eu tenho que trabalhar durante a minha hora de almoço e duas horas depois que eu normalmente termino para puxar a folga de Ryder não estar lá." "Ok", eu disse com um aceno de cabeça. ―Vou fazer um assado para o jantar; Você quer que eu sirva um prato para você mais tarde? ‖Fiz uma pausa. ―Você gosta de comidas assadas?‖ Acabou de me ocorrer que não tenho ideia de quais são suas preferências alimentares. Quero dizer, se você vai estar aqui, eu também posso te alimentar, então esta é a informação que eu preciso saber. "Sim, eu gosto de comidas assadas", Damien... gemeu. "Deus, eu já estou ansioso por isso." Eu ri enquanto me concentrei de volta em Jax. Depois de trocar a fralda, vesti-o bem a tempo de Damien entrar na sala de estar e dar-lhe aconchego e beijos. "Eu posso entregá-lo a Aideen no meu caminho", ele ofereceu. "Você pode começar a trabalhar no projeto que você mencionou na noite passada."


"Oh, você faria?" Eu relaxei. "Sim, por favor. Minha cabeça está em todo lugar. Eu tenho que ler através instrução do cliente novamente para que eu possa capturar a visão para a imagem que ela quer.‖ "Você vai fazer muito bem." Eu olhei para Jax. "Tchau, amigo." Ele sorriu para mim e fez o som de beijos, então eu me inclinei e beijei todo o seu rosto, para o qual ele gritou de prazer. "E eu?" Damien disse, um beicinho perfeito no lugar. "Eu não recebo beijos?" "Eu não sei", eu pensei. "Você tem sido um bom menino?" "Eu te fiz gozar duas vezes ontem à noite, uma vez na minha língua e uma vez nos meus dedos... Eu acho que sou um menino muito bom." Eu cobri as orelhas de Jax. "O bebê está presente!" Damien riu. "Dê-me um pouco de doçura, linda." Eu me inclinei na ponta dos pés e pressionei meus lábios contra os dele em um beijo casto. "Vejo você mais tarde", eu sussurrei antes de deslizar minha língua sobre o lábio inferior. "Pecado", Damien rosnou. "Você é um pecado!" Eu pisquei, então voltei minha atenção para Jax. "Seja bom para sua mamãe e papai, ok?" Ele assentiu como se soubesse o que eu estava dizendo. "Apenas a sua mãe", disse Damien. "Kane está ocupado hoje." Antes que eu pudesse me impedir de ser intrometida, eu perguntei, ―Fazendo o que?‖


Damien apontou os olhos para longe de mim, e instantaneamente, eu sabia que era porque o que ele estava prestes a dizer era uma mentira. Eu sabia porque não podia mentir por merda, e meus amigos me disseram em várias ocasiões que eu fiz exatamente a mesma coisa quando estava sendo mentirosa. "Executando alguns recados", ele respondeu. ―Eu não tenho tanta certeza. Eu não estava ouvindo quando ele estava falando na noite passada. Eu estava muito ocupado olhando para você. Quando Damien olhou de volta para mim, eu tive um sorriso forçado no meu rosto, tentando esconder o desconforto que senti nele mentindo para mim tão facilmente. "Bem." Eu limpei minha garganta, focando no meu sobrinho. ―Você ser bom para Mammy, você me ouve?‖ Jax balbuciou em sua linguagem de bebê. "Vou tomar isso como um sim." Damien sorriu então se inclinou e beijou minha bochecha. "Eu vou te ver esta noite?" Eu assenti. "Isso é todas suas coisas?" Damien perguntou, enquanto caminhava a alça da bolsa de bebê de Jax até o ombro dele enquanto segurando Jax contra o tórax dele com um braço. "Sim", eu respondi. ―Eu comprei o berço de viagem desde que as crianças ficam muito comigo. Você tem tudo o que ele precisa nessa bolsa.‖ Outro beijo e outro adeus, então eu estava sozinha com meus pensamentos, e de experiências anteriores, eu sabia o quão perigoso isso poderia ser quando eu


duvidava de algo ou alguém. Damien apenas mentiu para mim, eu sabia que ele sabia, mas era sobre o que quer que Kane estivesse fazendo. Eu não tinha certeza se deveria ter sido ofendido ou simplesmente ignorá-lo porque, na verdade, não era da minha conta que Kane fosse, e não era o trabalho de Damien me dizer também. Eu balancei minha cabeça, forçando-a para o fundo da minha mente e fui em frente e me troquei com a minha roupa de trabalho. Arrumei todo o apartamento e, uma hora depois de Damien sair, a campainha tocou e soube imediatamente que era Morgan. Enquanto eu caminhava em direção à porta da frente, olhei para o relógio na parede e vi que ele estava quase dez minutos adiantado para o trabalho, o que me fez sorrir. Eu não atendi a ligação. Eu simplesmente liguei para Morgan quando vi que era ele no monitor. Eu coloquei Bárbara em sua caixa, só para que ela não surtasse quando Morgan entrasse porque ela não o conhecia e ainda era um pouco volúvel ao redor de mim e Damien. Cinco minutos depois, houve uma batida na minha porta. Eu abri com um sorriso. "Oi, Morgan." Morgan sorriu de volta para mim. ―Hey, como vai?‖ "Estou ótimo", eu disse. "Entre, entre." Morgan assobiou depois que entramos na cozinha. "Lugar legal." "Obrigado", eu chilrei. "Eu amo isso." "Você está aqui há muito tempo?"


Eu balancei a cabeça. ―Eu mudei há um mês; minha amiga mora no andar de cima e me contou sobre isso.‖ "Legal", Morgan disse, seus olhos vagando pela sala. "Onde eu moro é um mergulho comparado a isso." Eu ri. "Eu tenho sorte, eu acho." "Sim", Morgan concordou. "Eu acho que você é." ―Você quer uma xícara de chá?‖ ―Se você está fazendo chá, eu não direi não. Dois açúcares, por favor.‖ Um homem segundo o meu coração. "Eu tenho pensado sobre o que você disse sobre o seu escritório." Morgan falou enquanto eu fiz o chá. "E eu percebi que entre nós dois poderíamos começar e operacional hoje para tirá-lo do caminho." Eu olhei por cima do meu ombro. "Você tem certeza? Eu não quero ter você indo para fora do seu caminho.‖ "Não está fora do meu caminho", respondeu ele. "Eu vou estar trabalhando aqui, então eu acho que eu poderia muito bem ajudá-lo a obter o espaço de trabalho juntos." "Que generosidade sua", eu disse. "Obrigada." "Está resolvido então", ele chiou. "Podemos fazer isso quando terminarmos o nosso chá." Eu coloquei a xícara na frente dele e, juntos, nos sentamos na mesa da minha cozinha. "Você tem algo para trabalhar hoje?" Morgan perguntou, tomando seu chá. "Sim". Eu balancei a cabeça. ―Eu tenho que começar uma capa de livro para um autor; ela tem um


resumo bem detalhado sobre isso. Eu preciso relê-lo para capturar a visão, bem combinando com comigo próprio para criar algo que eu espero que ela goste‖. "Quando é o seu prazo?" "Em duas semanas", respondi. ―Geralmente, levo alguns dias para obter um resumo com o qual estou feliz, e depois que ele é escaneado para mim, as coisas se movem mais rápido. Eu sempre dou duas semanas, no caso de eu conseguir um bloco e perder a visão.‖ "Isso já aconteceu antes?" "Uma vez", eu respondi, engolindo. "O drama da família me tirou da pista por alguns dias." Aprender sobre o caso de minha mãe fez mais do que me deixar de fora; isso me atingiu como a força total de um maldito trem. "Não tenho dúvidas de que o que você criar será fantástico", disse Morgan. "Você nunca criou algo menos que incrível." Calor correu para as minhas bochechas, então eu levantei minha xícara de chá perto do meu rosto, esperando que Morgan pensasse que o vapor do líquido escaldante corou e não o elogio dele. "Você está pronto para verificar o escritório?" Eu limpei minha garganta. "Estou ansiosa para começar." Deixamos nossos copos na pia da cozinha e entramos no futuro escritório. Morgan examinou a sala, pegando tudo ou descobrindo por onde começar primeiro. "Onde você vai colocar a cama?" ―Eu estava indo para desmontá-la, então apenas ficar tudo na vertical e inclinar-se contra a parede.‖ Eu


dei de ombros. ―Eu não posso me livrar disso; faz parte da oferta que o proprietário providenciou.‖ "Estes parecem caros como o inferno", Morgan observou, "e o colchão parece que seria o paraíso para se deitar." "É", eu concluí. "Eu tenho o mesmo colchão no meu quarto, e é incrível." Morgan colocou as mãos nos quadris e olhou os maços no canto da sala. ―Eu posso ajudá-lo a desmontá-lo e colocá-lo contra a parede, então podemos colocar essas estantes e sua mesa juntas. É uma visão desanimadora ver um Mac Desktop com monitores tão grandes sentado em uma pequena estante como essa.‖ Eu olhei para o suporte patético e suspirei. "Eu sei", eu admiti. ―Eu não sou muito acessível; Eu sugo em colocar as coisas juntos. Eu estava indo pedir ao Damien para ajudar, mas eu esqueci. Meus amigos tiveram gêmeos ontem, e isso acabou de ser adicionado a uma semana já cheia de acontecimentos.‖ "Damien?" "Oh, desculpe." Eu ri. ―Damien é o meu namorado. Ele está no trabalho agora.‖ "Legal", disse Morgan com um aceno de cabeça. "Tenho certeza que ele ajudaria, mas desde que eu estou aqui, você pode muito bem me colocar para trabalhar." Meus lábios se contraíram. "Você não tem que me dizer duas vezes." Juntos, passamos uma hora desmontando a cama extra e colocando a madeira e o colchão


cuidadosamente contra a parede do outro lado da sala. Construir a grande mesa foi um esforço muito mais rápido do que eu poderia imaginar, porque Morgan parecia saber exatamente o que estava fazendo. Eu só tinha que entregar o parafuso correto aqui e ali, e ele fez o resto. Quando tudo foi colocado juntos, nós levantamos a mesa para o novo local designado, e eu coloquei as estantes onde eu queria que elas fossem. Separar meu computador e os monitores demorou talvez cinco minutos. Quando terminamos, coloquei minhas mãos nos meus quadris e sorri. "Eu amo isso!" Morgan olhou ao redor. "Alguns dos seus desenhos na parede vão amarrar tudo bem." Eu concordei e já comecei a arquivar ideias sobre o que pintar em uma data posterior. Morgan rapidamente moveu uma cadeira solitária na qual ninguém sentou na sala para o escritório, para que eu pudesse sentar lá e esboçar enquanto ele trabalhava. Fazia sentido em vez de nos gritarmos um para o outro. Assim que nos instalamos, reli o resumo do cliente e comecei a desenhar. Morgan entrou no e-mail comercial que estava conectado ao meu site e começou a organizar os emails em uma lista categorizada para eu escolher. Ele lia um breve e-mail, então nós dois decidíamos em qual arquivo ele iria entrar. Ele então respondeu a cada e-mail, e pelo que pude ver, havia muitos não lidos.


"O que você está dizendo para os clientes?" Eu perguntei enquanto eu alisava uma linha áspera em um prédio parcialmente destruído que eu estava desenhando com o meu polegar, criando um efeito esfumaçado. "Uma resposta bastante normal, mas formal", ele perguntou sem desviar os olhos dos monitores à sua frente. ―Não aceitando a oferta para trabalhar com eles, mas também não recusando. Eu estou pedindo por mais informações sobre o que você vai ser o projeto, se é uma capa de livro, uma ilustração, ou uma obra de arte para pendurar em uma sala sentada, coisas assim. Ah, e encontros eles gostariam que o trabalho começasse e terminasse para que possamos verificar se estão disponíveis.‖ Morgan olhou por cima do meu ombro. ―Você sabe quê? Vou criar um formulário pedindo por toda essa informação, e mais, em seguida, atualizar seu guia contato em seu site. Todos terão que preencher o formulário e enviá-lo por e-mail para você receber uma resposta.‖ Eu levantei minhas sobrancelhas. "Onde você tem estado em toda a minha vida?" Morgan riu, depois voltou para o monitor. "Estou ligando o seu calendário e enviando um email para o meu telefone, assim posso trabalhar em qualquer lugar para ter certeza de que não entro no trabalho e fico sobrecarregado pelas poucas horas que estou". Eu parei. ―Eu não quero que você trabalhe fora de horas, no entanto. Isso não é justo, já que estou pagando apenas por nossas horas semanais.‖


"Alannah." Morgan bufou, olhando por cima do ombro para mim. ―Estou checando e-mails; você dificilmente vai estar trabalhando demais comigo.‖ Eu fiz uma careta, mas ele sorriu e voltou para o computador. Ele passou a mudar todo o meu site, renomeá-lo e atualizar minhas contas de mídia social para refletir as mudanças também. "Sua lista de preços precisa de uma renovação." "Muito caro?" Morgan riu. "Mais como barato." Eu pisquei. ―Um exemplo é o seu canto de criação de autor. Você cobra cem por uma capa de livro de bolso e sessenta e cinco por uma capa de e-book ‖. "Sim", eu fiz uma careta "mas agora, apenas os autores indie vêm para mim, e eles não têm muito dinheiro.‖. ―Eu respeito isso‖, disse Morgan, ―sim, mas você não está colocando uma capa junto com fotos e enviando-as para elas. Você desenha, e a menos que seus clientes especifiquem de outra forma, seu trabalho parece real, como se alguém tirasse uma foto. Você precisa cobrar pela qualidade do trabalho que você oferece.‖ Eu hesitei. "Quero dizer, se você acha que eu deveria..." "Eu faço." "Ok". Eu engoli em seco. "Mude os preços para o que você pensa, mas não os torne insanamente caros." Morgan assentiu e voltou ao trabalho. Nós conversávamos de tempos em tempos pelas próximas três horas, ele fazendo perguntas, e eu respondendo-


as antes de fazer uma pergunta minha. Foi uma maneira interessante para eu esboçar. Normalmente, ninguém estava por perto quando eu desenhava, a menos que eu estivesse desenhando no meu bloco de viagem, mas fiquei contente ao descobrir que poderia me perder no meu ofício e ainda manter uma conversa com alguém se eu escolhesse fazer isso. Quando a uma hora chegou, eu tinha a distópica4 cidade em ruínas no fundo da capa desenhada com pequenos detalhes adicionados, e os personagens no primeiro plano delineados. Eu rolei meu pescoço sobre meus ombros, e quando meus ossos se quebraram, eu soube que estava acabado o dia. Eu coloquei minhas coisas longe, então passei por trás de Morgan para ver o que ele estava fazendo. Quando vi como ele mudou todo o meu sistema e organizou tudo, fiquei mais do que impressionada. "Ok", ele disse quando sentiu a minha presença atrás dele. ―Eu tenho categorias com tags de cores. Todos os projetos pendentes são marcados em azul, amarelo é para projetos que você aceitará, vermelho para projetos que você está diminuindo, verde para projetos concluídos e laranja para trabalhos em andamento.‖ Eu sorri. "Brilhante." ―Além disso,‖ acrescentou Morgan, ―mudei sua política. Depois de obter um esboço desenhado e enviar a imagem simulada ao cliente para aprovação, as alterações só podem ser feitas em um esboço uma vez antes de digitalizá-lo e começar a trabalhar com 4 Distopia ou antiutopia é o pensamento, a filosofia ou o processo discursivo baseado numa ficção cujo valor representa a antítese da utopia ou promove a vivência em uma "utopia negativa".


o design on-line. Mudanças adicionais depois de aprovarem a simulação serão de cinquenta euros por edição, já que você teria que apagar e redesenhar fisicamente as alterações.‖ Eu assenti. "Parece bom." ―E‖, continuou ele, ―também alterei sua política de que o pagamento de um projeto deve ser pago integralmente. Não haverá depósitos ou taxas de retenção de qualquer tipo. Seria um pesadelo tentar ganhar dinheiro com as pessoas depois de você já ter se comprometido com o projeto deles e ter gasto tempo criando isso. ‖ "Eu queria originalmente fazer isso, mas muitas pessoas preferiram o depósito primeiro." "Bem, se eles realmente querem o seu trabalho, eles vão aderir à nova política e não terão problemas." Eu assenti. "Sim você está certo." Passamos mais uma hora decidindo quais projetos eu estaria aceitando e quais eu estaria recusando. Eu odiava recusar qualquer um que gostasse do meu trabalho o suficiente para me mandar um e-mail, mas algumas das solicitações estavam tão lá, eu não tinha ideia se poderia criar o que eles estavam pedindo. Quando terminamos, Morgan havia criado respostas formais por e-mail com uma fatura anexada. Cada cliente foi informado de que, até que a fatura fosse paga, o trabalho não começaria, e o seu lugar no meu calendário estava em perigo até que o saldo fosse liquidado. ―Assim que as faturas começar ficando pago, vou atualizar o calendário, e refleti-la por um em seu site que as pessoas vão ver que você está reservado e terá


de escolher datas posteriores quando preenchendo o formulário novo projeto." Eu balancei a cabeça, surpresa. ―Obrigado, Morgan. Você literalmente me organizou todo o negócio.‖ "Hey", disse ele, virando-se para mim. ―Esse é o meu trabalho. Estou realmente me divertindo, e é só meu primeiro dia.‖ ―Companheiro, eu gosto de ter você aqui. Você é um salva-vidas.‖ Ele bufou e bateu a palma da mão contra a minha quando levantei a mão no ar, pedindo um high five5. "Quando você ter um minuto", ele disse, "você precisa criar um novo logotipo, e eu posso começar a trabalhar no mercado". "Eu tenho algumas ideias para isso, então vou começar a esboçar quando eu tiver o tempo livre e chegar a algumas ideias para escolher." "Legal." Eu olhei para a hora no monitor e disse: "O trabalho está acabado para você." Seu celular vibrou e ele suspirou. ―Isso seria minha namorada; ela tem planos de irmos ao cinema e ver aquele novo musical com Hugh Jackman e Zac Efron.‖ Eu ri. "Vá a isso então." ―Tem certeza que você está bem? Eu posso ficar e ajudar se você precisar de mim ainda mais.‖ "Continue indo.‖ Eu acenei Morgan diante. ―Sua patroa vai rasgar-lhe, se você fizer ela esperar mais.‖

5

toca aqui


Morgan riu quando ele pegou sua bolsa do chão e colocou suas coisas dentro dela. "Vejo você amanha." "Você vai de fato." Depois que Morgan saiu, deixei Barbara sair do caixote, depois voltei para o escritório e olhei em volta com um sorriso no rosto. Eu tinha feito algumas decisões de merda na minha vida, mas contratar Morgan para trabalhar para mim não era uma delas.


Depois que voltei a vestir roupas normais, alimentei Barbara e limpei a bandeja de lixo. Eu tinha perdido a conta de quantas vezes eu tinha limpado, mas Barbara ainda tinha que ir ao banheiro em qualquer lugar, mas em sua bandeja, então eu mantive minha boca fechada e continuei com ela. Eu era mãe agora, então não podia me queixar. Em vez disso, eu tive que beber vinho quando as merdas ficaram demais para mim. Depois que eu cuidei das suas necessidades e coloquei a carne para o meu e o jantar de Damien em fogo baixo no forno, demorou cinco segundos para eu ficar entediada. Antes de me trancar em minha casa por uma semana, eu passava quase todo dia em uma das casas de um amigo, e agora que eu não estava mais em depressão por causa de Damien ou desorientada sobre o futuro dos meus negócios. Eu queria voltar para a minha rotina normal. Eu peguei meu telefone e coloquei um texto em Bronagh. Você está em casa? Apenas três segundos se passaram antes do meu telefone tocar. Onde mais eu estaria? Eu bufei. Acabar em 15. Com meu telefone ainda na mão, liguei para minha mãe em seguida. "Olá, urso", ela respondeu no segundo toque.


"Ei, mãe", eu chilrei, sorrindo calorosamente. "Como você está hoje?" "Eu me sinto um pouco sob o clima." Náusea caiu sobre mim. "Eu estou chegando." "Não", disse Ma bruscamente. ―Eu estou ficando doente me sentindo péssimo. Seu pai tirou o dia de folga do trabalho e está comigo. Posso ter um problema no estômago e não quero que você pegue.‖ "E se não for um bug?" ―Sua mãe ligou para um bug médico para sair e me ver‖ disse ela, depois tossiu, e soou como se ela tivesse levantado, mas eu não conseguia ouvir muito bem, então imaginei que ela afastou o telefone do rosto. ―Isso não tem nada a ver com o câncer, querida. Eu me sinto mal. Você está doente há alguns dias, então eu devo ter pegado isso de mim.‖ Levantei minha mão para o meu rosto e apertei a ponte do meu nariz. Foi contra tudo o que eu era como pessoa para não estar lá por alguém com quem eu me importava, e o fato de que essa pessoa era minha mãe tornava tudo mais difícil, mas eu tinha que respeitá-la e atender seus desejos. "Você vai me ligar quando o médico sair", eu pressionei, "e deixe-me saber como você está, certo?" "O segundo que ele sair." "Ok." Eu suspirei, relutantemente cedendo a ela. ―Descanse um pouco e conversarei com você daqui a pouco. Eu te amo." Depois que desligamos, eu tive que me forçar a sair da minha casa e ir para a casa de Bronagh. Eu não


queria mais sair do meu apartamento, mas sabia que, se não o fizesse, teria andado de um lado para o outro enquanto esperava que minha mãe me telefonasse. Bronagh e Georgie seriam a distração que eu precisava desesperadamente. Depois que eu parei e entrei em sua casa, encontrei minha amiga e sua filha dançando em volta da cozinha. Eu inclinei meu ombro contra o painel da porta da cozinha e sorri enquanto os observava. Eu tive uma sensação familiar de borboletas quando pensei em ter um bebê como Georgie um dia, e pela primeira vez na minha vida, o devaneio acompanhou Damien como o pai do meu futuro bebê. "Alannah!" Bronagh gritou quando me pegou com o canto dos olhos. "Eu quase morri!" "Desculpa." Ela me entregou Georgie, que já estava me alcançando. Eu beijei todo o seu rosto, fazendo-a gritar de prazer, o que fez a mãe rir. "Eu juro que ela te ama mais do que eu." Eu sorri abertamente. "Como estão Branna e os gêmeos?" "Brilhante", Bronagh sorriu. ―Eu estava indo para subir esta manhã para vê-los, mas Ryder disse que Bran foi apagado e dormiu tanto quanto os gêmeos. Ela tinha uma muito ligeira lágrima dando nascimento, e pressão arterial foi alta na noite passada, mas ela está bem agora e será permitido para casa amanhã‖. Eu me senti mais leve sabendo disso. "Eu não posso esperar para vê-los novamente", eu jorro. "Eles são tão fofos que eu poderia engolir eles."


Bronagh riu, mas concordou com um pouco de cabeça. ―Ryder disse que ambos os gêmeos estão mamando como profissionais, e eles são perfeitamente perfeitos. Dominic trouxe roupas sujas antes do trabalho esta manhã então Ry poderia usar o chuveiro e, em seguida, ele trouxe para casa a suas roupas sujas. Eu apenas fiz uma carga. Eu vou para a casa deles hoje à noite e limpo em todos os lugares, então eles só precisam voltar para casa e aproveitar os bebês.‖ Eu parei. "A casa de Branna é tão limpa que você poderia comer do chão, Bee." "Eu sei." Os lábios de Bronagh se contraíram. "Mas ela odeia poeira, então eu vou arrumar tudo para que ela não sinta que deveria limpar, você sabe?‖ Eu assenti. "Irmã do ano". ―Por favor, eu estou bem egoísta.‖ Ela riu. ―Dominic já sabe que estarei ajudando os gêmeos nas primeiras semanas até que eles entrem em uma rotina. Ser um pai de primeira viagem é como ser jogado em um poço escuro; Você nunca sabe o que vai acontecer. Eles terão problemas duplos com gêmeos.‖ "Ambos são classificados com o trabalho, certo?" "Sim." Bronagh assentiu. "Ryder começou suas duas semanas pagas de licença de paternidade ontem, sobre as quais ele ainda está comovido." "Os homens em toda a Irlanda ficaram encantados quando essa lei entrou em vigor, e é era hora se você me perguntar." "Amém, irmã."


"Qual é o problema com a licença maternidade de Branna, embora?" Eu perguntei. ―Eu sei que, por lei, ela recebe vinte e seis semanas de férias pagas e um extra de dezesseis semanas não pagas se ela escolhe, mas ela está indo para o trabalho" toda a gravidez. Concedido não tanto ultimamente, mas ela ainda tem uma sólida semana de trinta horas o tempo todo.‖ "Ela trabalhou assim para ter mais tempo com os gêmeos", respondeu Bronagh. ―Ela não queria perder licença remunerada sentada em casa, então é por isso que ela continuou indo para o trabalho. Ela começou oficialmente deixou última segunda-feira porque nós pensamos que ela teria os gêmeos mais cedo do que de agora até o médico mudou coisas ao redor. Ela reservou uma folga há sete semanas.‖ "Inteligente", eu disse. "Muito esperto." ―Ryder está tão feliz que ela está ficando tanto tempo fora, e que ela está ainda recebendo.‖ Bronagh bufou. ―Kane foi o mesmo com Aideen, eles não podiam acreditar em quão boa é a nossa licença ou no fato de sermos pagos‖. "Eu vou dizer", eu disse, e voltei meu foco para Georgie, que estava babando enquanto ela mordia o punho fechado. ―Você é a garota mais bonita do mundo inteiro. Sabe disso, querida?‖ Ela sorriu para mim ao redor de seu punho, e isso me fez rir. "Alguma palavra em sua mãe hoje?"


Suspirei enquanto me movia em direção à mesa da cozinha e me sentei, descansando as costas de Georgie no tampo da mesa. "Ela está doente hoje", eu respondi Bronagh quando eu endireitei a pequena camiseta de George. ―Um médico está vindo. Ela não me deixa voltar, caso eu pegue o que ela tem.‖ Bronagh franziu a testa. ―Mas você viu no outro dia, então você provavelmente tem tudo o que já estava se estivesse indo captura-lo.‖ "Eu sei", eu concordei, "mas tente me dizer isso." Bronagh bufou. ―Eu não posso discutir com a lógica às vezes foge quando você quer manter seu filho seguro ‖. "Você está me dizendo." Eu brinquei com as mãos gordinhas de Georgie enquanto Bronagh fazia chá para nós duas. "Como estão às coisas com você e Dam?" "Feliz", eu respondi, um sorriso puxando meus lábios. "Estou em estado de choque permanente, porque sempre que penso em mim, simplesmente não consigo acreditar que estamos juntos." "Eu disse a mesma coisa para Dominic na noite passada." Bronagh riu do outro lado da sala. "Eu disse que vocês dois passaram tantos anos em desacordo e em negação, que para vocês dois terem superado seus problemas e estarem juntos é simplesmente selvagem." "O poder da comunicação." "Amém". Bronagh riu. Coloquei Georgie em seu cercadinho enquanto Bronagh e eu bebi nosso chá na mesa. ―Hoje foi o primeiro dia de trabalho de Morgan.‖


"Oh, como foi?" ―Brilhante, nós fizemos tanto. Ele literalmente reorganizou todo o meu sistema e melhorou em dez vezes.‖ "Agradável. Isso alivia um pouco o estresse dos seus ombros?‖ "Como se você não acreditasse." Eu balancei a cabeça. ―Meu trabalho e Damien foram dois fatores principais do porque eu estava tão estressada no ano passado, e agora que eu estou em um bom lugar com ambos, parece estranho ter apenas o drama dos meus pais para lidar comigo e comigo. Mãe está bem doente, é claro.‖ "É claro", Bronagh ecoou. ―Você vai chegar lá com os outros; Você sabe melhor do que ninguém que as coisas levam tempo.‖ "Sim", eu concordei em silêncio. Não demorou muito até o nosso trio se multiplicar. Aideen e Keela apareceram uma hora depois que eu apareci , e eu odiei que eu imediatamente quisesse perguntar a Aideen onde Kane estava, porque minha conversa anterior com Damien se repetiu na minha cabeça, e eu não consegui calar sua voz. "Onde está Kane?" Eu perguntei o mais indiferente que pude. Aideen desviou o olhar de mim e disse: ―Só estou fazendo alguns recados na cidade.‖ Eu olhei para ela e, como Damien, eu sabia que ela estava mentindo. Parecia que ela não podia me olhar nos olhos também, mas, ao contrário de Damien, Aideen ficou inquieta com meu olhar nela, e eu só podia imaginar o que estava passando por sua


mente. Eu estava um pouco magoada por ela ter mentido para mim, mas eu tinha que me lembrar que não era da minha conta o que Kane estava, ou o que ele estava fazendo. Eu só esperava que o que quer que estivesse acontecendo, ele estivesse bem. As horas se passaram, e o tempo estava cheio de conversas, risadas e um telefonema da minha mãe para me avisar que ela só tinha um problema de vômito e nada mais sinistro. Quando o entardecer se aproximou, e o sol começou a se pôr, levantei-me para um bule de chá e, quando coloquei meu copo, ou o copo de Alec, no balcão, tudo deu muito errado. Eu estupidamente coloquei isso muito perto da borda, e quando Jax gritou por algo, eu me virei para olhar para ele, e meu cotovelo bateu no copo. O tempo diminuiu quando a taça começou a cair pelo ar, sua descida rápida chutando meu coração para a ultrapassagem. Eu me atrapalhei e tropecei quando fiz uma última tentativa desesperada de arrancá-lo das garras da minha desgraça, mas estava fora do meu alcance, e um segundo depois que eu bati no balcão, ele bateu no chão de azulejos e se quebrou em pedaços. A realização do que aconteceu enviou uma dor aguda no meu peito. O silêncio caiu sobre a sala até que meu trabalhou respiração podia ser ouvida. "Ele vai me matar." Eu praticamente senti Keela se encolher. "Concordo; ele está indo me matar‖ Aideen se aproximou de mim. ―Ele não vai, querida. Foi um acidente.‖


"Ha!" Eu balancei a cabeça. "Ele vai me linchar antes que eu possa explicar que foi um acidente." ―Nós vamos conseguir uma nova taça Harry Potter antes de ele chegar em casa,‖ Bronagh disse com um estalar de dedos. "Ele não vai saber a diferença." "Ele vai saber," eu resmunguei, olhando para a razão do meu assassinato iminente. "Ele tem marcas secretas na coisa estúpida, então, se eu trocar com uma xícara diferente, ele saberá." Keela riu. Eu empurrei meu olhar para o dela e olhei. "Eu sinto muito." Ela riu. ―Ele é tão engraçado. Eu o amo tanto‖. Eu revirei meus olhos. ―Você vai ama-lo tanto para ajuda-lo a enterrar meu corpo?‖ Keela riu mais, então eu a ignorei. Ela era uma causa perdida e já estava corrompida pelo terror que era Alec Slater. "Eu não tenho outra escolha", eu disse, colocando minhas mãos firmemente em meus quadris. "Eu tenho que deixar o país." Bronagh fez um som muito perto de uma risada, e quando olhei para ela, ela teve seu corpo virado para longe de mim, mas seus ombros estavam tremendo. "Você ousa rir de mim quando eu estou morrendo de assassinato, Bronagh Murphy?" "Você tem que admitir..." Ela gargalhou, virando-se para mim. "Ele está indo para ser a maior cadela conhecida pela humanidade." Cristo, pensei. Ele vai.


Limpei a bagunça que causei e, depois que esvaziei as taças quebradas no lixo, senti-me mal. Alec definitivamente ia me matar. "Eu tenho que sair de" "Gatinha, você está aqui?" Eu congelei e o tempo também. "Não", eu sussurrei. "Não há jeito de escapar, por que ele está aqui?" "É quarta-feira", Keela respondeu, arregalando os olhos com alarme. ―Ele termina o trabalho cedo na quarta-feira. Eu esqueci." Antes que Keela pudesse terminar, eu corri até ela e fiquei atrás da cadeira dela. O instinto me disse para destrancar a porta dos fundos caso eu precisasse correr, então eu fiz. Nós todos ficamos parados quando Alec entrou na sala. Até as crianças ficaram quietas e ficaram olhando para ele. Os olhos de Alec passaram de Keela para todos os outros, e finalmente para mim, e ele os estreitou em fendas. "O que você fez?" Eu me aproximei mais da porta dos fundos, trazendo a cadeira de Keela e ela comigo. Quando ela se levantou, eu a segurei na minha frente, não sentindo a menor vergonha de usar uma mulher grávida como um escudo humano. "Foi um acidente", eu disse calmamente. ―Lembre-se disso antes de contar a você.‖ "O que. Você. Fez?" Eu me engasguei em pânico e não consegui encontrar as palavras. ―Keela‖, Bronagh murmurou. ―Você diz ou eu vou."


Alec se concentrou nela, e quando ela falou, o olho direito dele se contorceu com cada palavra. ―Foi um acidente, um acidente total… Alannah quebrou sua xícara de Harry Potter. Mais uma vez, por acidente completo, eu vou testemunhar em seu nome se for necessário.‖ Keela apontou para a lixeira e ele caminhou em silêncio até ela. Alec olhou para o lixo, e eu juro por Deus, seus olhos se encheram de lágrimas um pouco, antes de enchê-los com fúria e eles se voltaram contra mim. De onde eu estava, a luz fazia seus olhos normalmente cinzentos parecerem pretos, e era naquele momento que eu acreditava que ele era o diabo encarnado. "Eu sabia que você faria isso eventualmente, você está morrendo pequeno demônio." "Eu não fiz isso de propósito." Eu balancei a cabeça freneticamente. Eu cruzo meus braços no meu coração e espero morrer. "Não importa", ele disse chocantemente calmo. "Você ainda fez isso, então é melhor você começar a correr." Jesus. "Ela está grávida de seu filho." Eu agarrei a cintura de Keela. "Você não pode vir para mim quando ela está grávida." "Observe-me", disse Alec e começou a andar em minha direção, os olhos sem piscar e os movimentos calculados.


Eu segurei Keela por dois segundos antes de me virar, puxar a porta de correr e sair para o jardim dos fundos. Meus olhos correram em busca de uma rota de fuga, mas tudo estava bloqueado por malditos brinquedos. A única coisa que eu vi foi o trampolim, e na minha cabeça, eu planejei entrar e fechar a rede que formaria uma barreira entre eu e Alec. Esse plano não deu certo porque quando eu consegui entrar na coisa, Alec estava quente nos meus calcanhares. "Volte aqui!" Eu gritei de susto e me afastei dele quando ele entrou pela abertura na rede. Ele era um homem grande, mas sua altura imponente me intimidava ainda mais dentro do espaço fechado. Tentar fugir em um trampolim não foi nada além de um completo fracasso que eu rapidamente percebi, e tudo que eu conseguia pensar era pular tão forte e tão rápido quanto eu poderia bater Alec em seus pés para me dar uma chance de me libertar. Ele me ameaçou no segundo em que comecei a pular e, quando ele avançou, eu gritei mais alto e pulei mais rápido. Em meio aos meus gritos e ameaças de Alec, pude ouvir meus supostos amigos rindo como hienas. "Pare de pular!" Alec ordenou. Eu pulei mais forte, fazendo suas pernas tremerem um pouco mais. "Isso é assalto!" "Eu nem sequer toquei em você ainda!" Ainda. "Vai ser um assalto quando você me tocar então." "Está prestes a ser atualizado para o assassinato, se for o caso."


Eu gritei. "Ele admitiu que vai me assassinar!‖ Mais risadas "Bronagh", implorei. "Ajude-me!" "Por que eu?" "Porque", eu gritei quando Alec se lançou para mim, mas colidiu com a rede quando eu saí do caminho. "Só porque!" "Que porra é essa? Alannah e Alec?" "Damien!" Eu gritei, alívio me inundando. "Me salve!" "O que aconteceu?" Ele exigiu. "Ele parece que vai matá-la." "Ela quebrou a taça", Keela respondeu. "Oh, merda", um coro de vozes masculinas falou. Vi a abertura para o trampolim agora que Alec não estava bloqueando, e eu rastejei para ele o mais rápido que pude. Eu fiz isso na metade do trampolim quando uma mão agarrou meu tornozelo esquerdo e segurou a minha vida. "Eu não penso assim, você arruinou a vida!" "Isso nem é uma palavra!" "Eu não dou a mínima", gritou Alec. "Eu vou fazer cócegas em você até que você chore!" Como um filme de terror, eu fui arrastada de volta para o trampolim o tempo todo enquanto eu gritava para Deus me ajudar, já que nenhum dos desgraçados do jardim dos fundos iria. "Ele é como Pennywise6 me arrastando para longe da morte", eu berrei. ―Um de seus bastardos me ajuda; Eu não quero ser como Georgie!‖ 6 Pennywise (Parcimonioso, em português) é uma criatura sobrenatural, que muda de forma, e geralmente aparece na forma de um palhaço para atrair suas presas preferidas: crianças. Já no livro It (A Coisa),


Minha sobrinha aplaudiu quando ela me ouviu gritar seu nome, sem perceber que eu estava falando sobre um Georgie fictício que foi brutalmente assassinado por um palhaço dançando. Eu não conseguia ver meu pedaço de amigos de merda porque tinha me jogado de costas para poder seguir os movimentos de Alec, mas podia ouvi-los e todos estavam rindo. Eu poderia jurar que ouvi Jax e Georgie gritarem também, e isso estava errado. Trazer esses lindos bebês para testemunhar minha morte foi imperdoável. Eu olhei para Alec, e a maneira como a cabeça dele inclinou enquanto ele olhava para mim me lembrava de Damien. Todos os irmãos pareciam iguais, mas os gêmeos se parecem mais com Alec. À menção do gêmeo de cabelos loiros, tive uma ideia. "Damien!" Silêncio, então, "Sim?" ―Eu vou fazer sexo com você, se você tirar esse lunático longe de mim!‖ Mais silêncio, então Alec olhou para cima e rosnou: - Nem pense nisso, sua merda. Eu ouvi um farfalhar atrás de mim. "Desculpe, irmão." Damien riu, soando horrivelmente perto de mim. ―Eu não posso deixar passar sua oferta. Eu tenho sonhado com sexo com ela por mais anos do que estou disposto a admitir.‖ Mãos agarradas sob minhas axilas, e eu fui puxada para trás, fora do alcance de Alec, que estava mergulhando para as minhas pernas. Eu me curvei, impedindo-o de pegá-los enquanto ele saltava do


trampolim e vomitava maldições para todos e seu cachorro. "Traidor!" Alec disse ao irmão mais novo. Eu apontei para cada um dos traidores quando Damien me segurou contra ele. "Vou me lembrar disso quando você precisar de uma babá." Os sorrisos de Bronagh e Aideen caíram de seus rostos, e eles empalideceram, exceto Keela cujo rosto estava vermelho de tanto rir. "Você também", eu disse a ela. ―Seu filho demônio não ficar com cinco estrelas Alannah cuidado.‖ Ela bateu as coxas juntas enquanto ria. Damien estava rindo também quando ele me colocou em meus pés, então ele riu mais forte quando eu empurrei por ele e corri da casa. "Eu vou pegar você, Alannah" Alec gritou, sua voz soando demoníaca. "E o seu gatinho também." Não Barbara! Eu não parei na minha fuga até que eu estivesse fora de casa e seguramente dentro do meu carro trancado e me afastando rapidamente. Agradeci a Deus por ter vivido em um complexo de apartamentos seguro porque só Deus sabia o que Alec Slater faria comigo quando finalmente colocasse as mãos em mim. Eu estava tão morta.

Damien  

L. A. Casey - Slater Brothers - Damien - Part 1

Damien  

L. A. Casey - Slater Brothers - Damien - Part 1

Advertisement