Page 1

O jornal da comunidade luso-venezuelana. - Caracas, 07

a 13 de agosto de 2008

DepósitO LegaL: 199901DF222 - pubLiCaçãO semanaL anO 08 – n.º 270

VenezueLa: bs.F: 1,50 / pOrtugaL:

1,50

www.correiodevenezuela.com

Dois candidatos na luta

No princípio eram quatro os candidatos luso-descendentes a governadores e alcaldes na Gran Caracas. Após um acordo dois retiraram-se, ficando apenas Do Nascimento e Tavares. /p. 11

ESPANHÓIS DERROTAM MARÍTIMO NA DESPEDIDA O Marítimo “fechou” a sua sexta visita à Venezuela com uma derrota ante os espanhóis do Deportivo da Corunha. O resultado foi 2-0, com a equipa madeirense a não conseguir acompanhar a pedalada da equipa espanhola. A visita dos verde-rubros acabou por ser melhor no plano social que desportivo, num ano em que tem direito a disputar a Taça UEFA. p. 28-31

Cristiano Ronaldo fica em Manchester

Lei da imigração provoca reacções /p.32

Lei da dupla nacionalidade levanta muitas dúvidas

/p.3

Clubes portugueses em grandes dificuldades

/p.6 e 7

/p.4


2

Editorial. 07 a 13 de agosto de 2008.

Correio da Venezuela.

a semana

Inacreditável

E

um paradoxo inacreditável: depois de tantos discursos e de tantas iniciativas de pura fachada, assiste-se agora à exclusão da América Latina - onde se destaca a Venezuela - dos programas de divulgação e promoção do Ensino de Português no mundo. Não dá mesmo para acreditar. Daí o grito de revolta deste jornal, um dos poucos meios que lutam pela preservação da Língua Portuguesa na Venezuela, sem olhar a custos que o Estado Português deveria chamar a si. Soa a traição! Recordemos que até reuniões, tendentes à criação de uma universidade lusófona na Venezuela, foram feitas e badaladas pelas autoridades de Portugal e seus representantes. Como é possível abandonar, agora, o Ensino do Português? A experiência vai demonstrando que, chegada a hora das decisões, Portugal e os seus governantes não sentem qualquer pejo em 'riscar' a Venezuela. São vários os exemplos. Parece um contra-senso, sobretudo nesta altura em que os governos português e venezuelano se empenham tanto em fomentar negócios. Mas há mais mundo para além do petróleo. O CORREIO assume aqui, uma vez mais, que fará desta luta uma bandeira. Denunciaremos sempre a 'covardia política' que é fazer discursos que não jogam com a prática. A defesa da Língua Portuguesa devia começar em Portugal, mas pelos vistos têm de ser os seus emigrantes a mostrar como se faz. Uma vez mais!

PUBLICIDADE

Muito Bom La iniciativa do governo português, e da Embaixada em Caracas, de convidar um grupo de empresários luso-venezuelanos de diversos sectores a visitarem Portugal, com a finalidade de estabelecerem contactos com altos funcionários do governo. Não sabemos de resultados, mas o simples facto de estarem ali e serem tomados em conta já merece nota positiva. Um gesto que simboliza muito e representa a importância do empresariado luso. A nota negativa vai para a falta de planificação da reunião, os impasses nas deslocações em Lisboa e o excessivo secretismo, factos que não devem ofuscar o verdadeiro objectivo.

Bom

Mau

Muito Mau

Em Valencia, uma biblioteca semi-privada de iniciativa Venezuelana atingiu já a bonita soma de mais de dois mil livros, textos em Língua Portuguesa. Um exemplo a seguir, se atendermos que a pessoa que leva a cabo a dita iniciativa nem sequer tem vínculos sanguíneos a Portugal. Um exemplo que também deve ser seguido pelos clubes e associações com orçamentos para iniciativas semelhantes e que muito dizem da nossa 'portugalidade' na Venezuela.

Em muitas oportunidades o tema ICEP, agora denominado AICEP, foi assunto negativamente abordado nesta secção do jornal, sobretudo devido à sua ausência na Venezuela. Continuamos sem perceber porque até ao dia de hoje continua sem sinal de vida, apesar da nova dinâmica de negócios entre as duas nações, do novo dinamismo aplicado ao empresariado luso, etc.. Quem percebe a política de Portugal e dos Portugueses ? Apesar das promessas continuamos a aguardar.

Uma vez mais, os emigrantes da Venezuela foram enganados pelo Governo português.. De que serve tantas visitas, reuniões e acordos, se na hora da verdade nos excluem dos verdadeiros planos do Estado Português em matéria de iniciativas relacionadas com os emigrantes no mundo? O que decidiram os políticos em relação à promoção da Língua Portuguesa no mundo não tem explicação, com a exclusão da América Latina dos programas de divulgação. Esperemos que a Embaixada tome posição neste assunto.

O cartOOn da semana

- Os empresários portugueses que se encontraram com Sócrates em Portugal andavam assustados em Lisboa e não era com medo de serem assaltados...

- Pudera quem não se assusta com o humor dos taxistas portugueses, sobretudo nas distâncias curtas?


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

Lei do Retorno da UE tem de ser mais flexível Valéria Costa Em Maio passado, o Parlamento Europeu aprovou durante sua reunião em Bruxelas uma normativa ligada directamente aos oito milhões de imigrantes ilegais que hoje vivem em diversos países europeus. Denominada de " política de retorno" , esta lei entre outros itens contempla com a deportação aquele imigrante que se recusa a sair do país de forma amigável. Esta medida tem gerado manifestações contrárias em todo o mundo, principalmente nos países de América Latina que possui um grande número de imigrantes em solo europeu. Aqui na Venezuela, por exemplo, a maior manifestação partiu do presidente Hugo Chávez durante uma edição de seu programa dominical, onde Esta medida tem gerado manifestações principalmente nos países Latinos. criticou abertamente esta lei e ameaçou com retaliações à investimentos europeus no país, caso algum imigrante venezuelano seja punido em face dessa normativa. O CORREIO ouviu alguns portugueses residentes na Ilha de Margarita a respeito desta lizar-se e afirma que a " deporta- minal tem que ser contemplado polémica lei e o sentimento ção" é uma palavra muito dura com a deportação já que não entre eles - que também um dia para quem saiu de seu país em está sendo útil para o país. A saíram da sua pátria rumo a um busca de melhores condições de mesma opinião é partilhada por novo mundo - é que deveria vida e de trabalho noutro país. Virgínia Gomes da Silva que afirhaver um debate maior, além de " Eu cito como exemplo a minha ma que antes as pessoas saíam flexibilizações, por parte dos paí- história. Eu cheguei à Venezuela da sua pátria rumo a outra proses membros da União Europeia como turista e fui escalando curando oportunidades e muito no que toca à aplicação efectiva pouco a pouco até me regulari- trabalho. " Hoje, muitos imigranzar e adquirir o visto de residen- tes não possuem boa conduta" , desta legislação. acrescenta. O comerciante David Freires te" , conta. Afirma que a lei é muito Entretanto, frisa que aquele defende que mais facilidades para que o imigrante possa lega- imigrante que tenha conduta cri- forte mas diz compreender as

LegisLação deve prever os meios para que os imigrantes possam LegaLizar a sua situação

razões porque a União Europeia resolveu tomar essa medida, e acredita que todo país, qualquer que seja, tem de ter normas para aceitar a entrada de imigrantes. " Mas, no final de tudo, todos somos afectados, tanto o imigrante quanto o próprio europeu" , analisa. "SomoS um paíS de imigranteS"

Na opinião de Clemente Pisco, todo país tem de se proteger de ondas migratórias ilegais. Entretanto, defende que em Portugal, especificamente, esta lei de retorno não deveria ser aplicada tal como foi aprovada. " Simplesmente pelo fato de que somos um país de imigrantes" , acrescenta. Assim como o compatriota David, conta que antes de fixar residência definitiva em Venezuela morou em Angola, na África e no Brasil, onde foi recebido de braços abertos, incluso, com a facilitação para regularizar sua papelada. Acredita que a génese do problema está no país de origem, que deveria fazer esforços concentrados para oferecer boas condições de vida a fim de evitar uma emigração em massa. Para João Nolasco, o Parlamento Europeu que votou pela aplicação desta lei deve ter tido fortes motivos para isso. Afirma que a imigração, em qualquer país, não pode ser feita sem controlo. No entanto, pelo facto de ocupar um cargo público, o de cônsul honorário, ele se absteve de emitir qualquer opinião a respeito desta polémica.

Actual

3

Migrantes latinos marcharam contra a Lei Com o lema, " Migrantes Somo Todos" , representantes da Assembléia Nacional de Venezuela, e organizações civis do Equador, Peru, México, Argentina e Colômbia, radicados no país, marcharam este domingo em repudio a Lei da Diretiva do Retorno. A Diretiva do Retorno, lei que pretende expulsar aos migrantes irregulares, rompe todos os afeitos solidários que desde estas terras latinoamericanas tem sido emanados para a Europa no período da post guerra e inclusive nas épocas em que foram supostamente descobertas pelos europeus, assegurou o Presidente da organização Colombianos na Venezuela, Juan Carlos Tanus. Na marcha, que iniciou desde a praça Brión de Chacaíto, até a praça Altamira ( Caracas), participaram integrantes da organização de Colombianos na Venezuela; Uma Só Bandeira; Associação Americana de Juristas, Rama Venezuela; defensores dos direitos humanos de 23 países do continente; Federação Colombiana Unida; a Associação Colombo-Venezuelana pela Paz e a Integração Latino-Americana; Comissão Internacional de Migrantes, adscrita ao Congresso Bolivariano dos Povos e as delegações dos povos do Equador, Peru, México, Argentina, Colômbia, Bolívia e Haiti.

Regresso de imigrantes a Portugal é “falsa impressão” A permanência prolongada de emigrantes em território português está a originar a " falsa impressão" de regressos definitivos a Portugal, por causas associadas à insegurança e aos sequestros, revelou à Agência Lusa o cônsul-geral de Portugal em Valência . Para Rui Monteiro, das preocupações da comunidade, " a mais gri-

tante é a insegurança, ou a questão dos sequestros em particular" " , que, diz, " tem as suas fases" . Nos últimos meses, acrescentou, registaram-se algumas dessas situações nos Estados Arágua, Zúlia, Táchira e Yaracuy, o que se manifesta na " vulnerabilidade dos comerciantes portugueses, que estão particularmente expostos" pelas profissões

que desempenham. Segundo o diplomata, desde Janeiro de 2004 que, na sua área consular, registaram 23 casos de sequestro, dos quais tomou " conhecimento, de forma muito informal" . Os dados incluem os casos de sequestro de luso-descendentes que não têm a nacionalidade portuguesa, mas que mereceram também algu-

ma atenção da parte do Consulado. Pese a vulnerabilidade, segundo Monteiro, os casos de regresso definitivo " contam-se pelos dedos e geralmente por doença ou más condições de vida" . No entanto, admite que possam existir casos de lusos que regressam sem notificar, porque as pessoas não estão obrigadas a fazê-lo.


4

Venezuela. 07 a 13 de agosto de 2008.

CorrEio da VEnEzuEla.

“Clubes estão em crise” Pagam ou perdem as acções

Anaís Castrellón Castillo A Federação de Centros Portugueses da Venezuela ( FECEPORVEN) conta com mais de 20 clubes filiados, mas apesar deste facto, existem centros que trabalham isoladamente, pelas mais variadas razões, o que coloca alguns problemas aos sócios e até á própria entidade. Prova disse são algumas instituições que funcionam com o fim de agrupar as compatriotas e seus descendentes, mas não contam com as condições necessárias para garantir o desfrute e a união dos seus assistentes. Alguns deles estão actualmente em Villa de Cura, El Tigre, Mérida, Zulia, Maracaibo e Táchira, onde nem sempre conseguem cumprir com o estabelecido com os sócios, que por ausência de actividades, falta de pessoal administrativo, de informação e até de segurança. Todo isto somado, faz com que os frequentadores e fundadores dos centros sejam afectados por flagelos como a insegurança. Segundo o presidente da Feceporven, Victor Vieira, " temos registado alguns casos de clubes que não possuem serviços de vigilância, o que é muito preocupante tendo em conta o alto nível de insegurança do país" . Uma das razões pelas quais isto ocorre é a localização dos clubes. Muitos que se encontram em zonas pouco idóneas, o que permite a participação dos chamados " azotes del hampa" . Vieira comenta que se podem aplicar medidas como: a instalação de uma rede de câmaras internas; colocação de vigilantes em sítios estratégicos; providenPUBLICIDADE

Valéria Costa

Vieira: " Estou na capacidade de dirigir-me a qualquer canto do país para ajudar”

Criação de Centros portugueses que funCionam isoladamente traz Consigo difiCuldades que afeCtam os sóCios ciar números de telefone de atendimento ao público; e a realização contínua de eventos culturais, com o fim de criar uma presença activa dos membros no clube. Para conseguir o bem-estar comum, é necessário realizar um " investimento milionário" , pois só a implementação de corpos de segurança tem um custo mínimo de 2.000 BsF. Mas " o importante é criar redes de integração" , manifesta, apelando aos clubes que trabalham isoladamente a integrarem-se na federação para assim concretizarem uma união que seja para " o benefício de todos" . A exemplo do que fez o Centro Luso de Catia La Mar, que mediante a sua directiva,

conseguiu aproximar-se da Federação. Numa reunião mantida na sede do Clube, foi possível unir ambas partes, assim como também estabelecer uma assessoria administrativa por parte de Vieira. O trabalho individual de cada clube não só levanta este tipo de dificuldades, senão que também leva consigo a crise que actualmente afecta muitos deles, pois alguns estão em risco de encerrar por falta de recursos económicos. Para Vieira, é urgente que sejam estabelecidos laços de união. Daí que se coloque à disposição do comité de organização dos clubes para promover actividades e facultar apoio.

Churrasco, torta enfeitada, música, gente animada e um discurso oficial foram os pontos altos das comemorações do 28º aniversário do Centro Lusovenezuelano de Margarita, celebrados na noite de 30 de Julho. Mais uma vez o ambiente familiar, principal característica deste clube, imperou durante toda a noite reunindo uns poucos lusitanos e descendentes residentes nesta ilha. Portugueses e descendentes uniram-se numa só voz ao cantar os parabéns ao clube, tanto em língua espanhola como em portuguesa, acompanhados por muitas palmas. Para o lusitano Fernando Loretto, sócio há 15 anos, o Centro está " magnífico" , no que toca às suas instalações e infra-estrutura. Entretanto, lamenta, " o que falta são os portugueses, pois o que vejo aqui são 20, 30 pessoas" . O comerciante e desportista David Freires que voltou a frequentar o clube há pouco tempo, afirma que esteve oito anos sem ir ao Centro por motivos profissionais, mas que sempre manteve suas cotas em dia. Defende a existência e perpetuação dos centros portugueses como forma de manter viva as tradições de sua terra, além de serem pontos de encontros dos lusitanos ao redor do mundo. " Isso tudo é um pouco

de Portugal" , acrescenta. Na avaliação de Virgínia Gomes da Silva, que se mudou recentemente para Margarita, o Centro Luso da ilha é mais " fraternal e possui outro estilo" em relação ao Centro Português de Caracas que, segundo ela, o acesso é mais difícil. Durante seu discurso pela data festiva, o presidente do Centro, João Nolasco, aproveitou a oportunidade para fazer um apelo àqueles accionistas em dívida com as cotas do clube a fim de que possam se regularizar, caso contrário, a direcção da entidade vai colocar em prática novas medidas tomadas a partir da alteração do estatuto interno: " ou os devedores pagam ou perderão suas acções" . A medida, explicou, é para que os que estão em atraso possam se regularizar e adiantou que o Centro vai oferecer facilidades para o pagamento. Do universo de 170 sócios, Nolasco afirma que existem cerca de 50 que estão há pouco mais de dois anos sem pagar suas cotas. Anunciou ainda que até o final deste ano, a actual directiva vai convocar uma assembleia-geral para juntar todos os associados, na qual, entre outros assuntos a discutir, deverão escolher a nova junta directiva para o próximo mandato. " Quero deixar claro aqui que não sou dono do clube e que está na hora de sair" , disse aos presentes.


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008..

Venezuela

5

Peregrinação pelo Santuário de Fátima Ao que pArece, estA obrA é A primeirA réplicA que se fAz do sAntuário de fátimA

Andreina de Abreu dosreis.andreina@ gmail.com O padre José António Conceição, acompanhado dos membros da associação civil Amigos de Nossa Senhora de Fátima nos Altos Mirandinos viajaram até Portugal para dar a conhecer a iniciativa de construir uma réplica do Santuário em Carrizal. Em Fátima, reuniram-se com as autoridades do Santuário, com quem discutiram todos os detalhes relacionados com a obra e que se mostraram muito emocionadas com o projecto. Também ofereceram todo o seu apoio à sua concretização. Com esta visita, foi ainda possível ficar a saber que este templo em vias de construção seria a primeira réplica do Santuário original. Tal informação é sustentada pelo facto de que os registos não mostram que exista alguma reprodução da edificação.

Em Fátima reuniram-se com as autoridades do santuario com quem discutiram os detalhes da obra.

A visita estendeu-se também à Madeira, onde foi possível contactar os responsáveis eclesiásticos locais. No entanto, a falta de tempo impediu a realização de uma reunião entre ambas as partes. Foram recebidos no Centro das Comunidades Madeirenses pelo secretário regional dos Recursos Humanos, Brazão de Castro, que mostrou grande interesse na obra. O governante madeirense elogiou o dinamismo dos mentores do projecto, e a sua abnegação na con-

cretização desta ideia. Colocouse, por isso, à disposição do Comité para dar a conhecer o projecto e contribuir no que pudesse. A ocasião foi ainda aproveitada para recordar a recente visita do presidente do Governo Regional da Madeira à Venezuela e a sua presença no arraial realizado na altura destinado à recolha de fundos para a construção do Santuário. No último dia da visita, o padre José António celebrou uma missa dominical acompanhado pelo pároco da igreja de Santa Cruz. Durante a Eucaristia, os fiéis foram informados da iniciativa de construir o Santuário. Ao concluir a celebração, muitos dos presentes revelaram-se emocionados com o projecto. A maioria das pessoas idenfica-se com a Venezuela devido aos vínculos que os unem ao país, pelo que manifestaram o seu apoio para tornar esta ideia numa realidade. PUBLICIDADE


6

Venezuela. 07 a 13 de agosto de 2008.

CorreIo DA VenezUelA.

Deveres e direitos duplicados Andreina De Abreu dosreis.andreina@ gmail.com A globalização permitiu que muitas pessoas recuperassem a sua cidadania natural sem ter de renunciar àquela que adoptou, através da possibilidade de ter duas ou mais nacionalidades. Esta situação levou a que os emigrantes pudessem sentir-se de novo parte da sua terra natal e, ao mesmo tempo, da nação que os acolheu e onde criaram raízes. No entanto, poucos se questionam sobre o que é que comporta a condição de serem cidadãos de dois Estados, cada um deles com os seus próprios direitos e deveres. Tão pouco reflectiram sobre as vantagens e desvantagens de pertencer a duas nações. A Venezuela, na sua Constituição de 1999, deu um passo para a dupla nacionalidade quando o artigo 34 passou a garantir que a cidadania venePUBLICIDADE

Adolfo P. Salgueiro, responsável pela Cátedra de Direito Internacional na Universidade Católica Andrés Bello

Quem detém duas ou mais nacionalidades encontra-se obrigado a observar as leis dos estados Que é cidadão

zuelana não seria perdida com a opção ou adopção de outra nacionalidade. Mas que significa possuir dois ou mais cidadanias? Como pode uma pessoa responder às obrigações que fazer parte de vários países implica? Ainda que muito esteja por esclarecer, o direito internacional estabelece que qualquer cidadão deve responder ao Estado no qual se encontra radicado. Os passaportes lusos, pelo menos aqueles que foram emitidos em 2004, reflectem esta realidade, ao colocar na contracapa, que " os cidadãos portugueses com uma segunda nacionalidade não poderão reclamar proteção diplomática ou consular junto das autoridades lusas se estiverem a residir no país onde esse pedido é desencadeado." Segundo o cônsul de Portugal em Caracas, Fernando Teles Fazendeiro, esta disposição é regulamentada por uma

convenção internacional. Não se trata, portanto, de uma decisão arbitrária tomada pelas autoridades portuguesas. Afirma que é uma condição jurídica assumida por muitos outros países. O diplomata explicou que, quando se reside na Venezuela, tem-se os mesmos direitos e deveres que todos os cidadãos nascidos neste país. O mesmo acontece se o indivíduo começa a viver em Portugal e a desfrutar de todos os direitos, garantias e obrigações dos restantes cidadãos portugueses. Para solicitar refugio

Adolfo Salgueiro, responsável pela Cátedra de Direito Internacional na Universidade Católica Andrés Bello ( UCAB), explica que " uma Embaixada estrangeira é um território onde não entra a jurisdição venezuelana" . Por isso, " ao entrar na Embaixada portuguesa, está-se fora do alcance das leis venezuelanas" .


o jornal da comunidade luso-venezuelana. Portanto, as embaixadas são entidades independentes, que se regem pela jurisdição do país que representam. " Se te querem dar asilo ( ou refúgio), é um direito da Embaixada, porque entraste na casa deles. Esta decisão é tomada em função dos seus interesses políticos, morais, económicos, etc" . O facto de possuir outra naconalidade não influencia a decisão, e todo o cidadão tem o direito de pedir asilo em qualquer país, sem necessidade de possuir a nacionalidade deste. " Quase todas as pessoas que pedem asilo numa embaixada estrangeira no país têm nacionalidade venezuelana. Se um cidadão luso-venezuelano entre na embaixada portuguesa e os portugueses querem dar-lhe asilo, o cidadão tem direito a esse asilo, apesar de possuir também a nacionalidade venezuelana. O facto de ter a nacionalidade portuguesa e solicitar o asilo nessa embaixada não tem nenhum benefício. Seguramente verão com mais agrado o caso e far-se-á um esforço maior para resolver o assunto" , disse Salgueiro.

07 a 13 de agosto de 2008..

Todo o cidadão tem o direito de pedir asilo em qualquer país sem necessidade de possuir a nacionalidade deste

Se a embaixada concede o asilo, " o governo venezuelano tem a obrigação de dar à pessoa um salvo-conduto, permissão outorgada pelo Ministério das Relações Exteriores para permitir que a embaixada portuguesa, por exemplo, possa levar o cidadão até ao aeroporto e tirá-lo do país" . Sem esta permissão, a pessoa ficaria exposta a que as

autoridades a detivessem na altura de sair da embaixada. situações de asilo

" De uma forma geral, o asilo é outorgado apenas em delitos políticos, como a acusação de cometer traição à pátria ou especulação" . Mas é necessário que alguma entidade determine que tipo de delito foi cometido.

No que se refere a esta questão, Salgueiro explica que " quem determina se o delito é ou não político é o país que está a conceder o asilo" . A maioria das situações é desta natureza, ainda que também " se considera a possibilidade de asilar-se no estrangeiro quando existe uma sensação de perigo à pessoa" . " O asilo trás sempre dificuldades, porque o país que reclama o cidadão alega que o crime que cometeu é um delito comum" . Este direito gera grande discussão entre o país que considera conceder o asilo e a nação na qual o cidadão reside. É um sinal de que o Governo que o outorga desconfia da justiça que impera na outra nação. O asilo está regulamentado tanto na Constituição como na Lei do Asilo e Refúgio da República. Vantagens gens

e

desVanta-

Para aproveitar ao máximo a dupla nacionalidade é necessário conhecer as vantagens e desvantagens desta condição. Salgueiro é da opinião que, " se a segunda nacionalidade é de

Venezuela

7

um país muito importante, como o são os da União Europeia, as vantagens são várias" . Como exemplo, referiu que " se amanhã decides ir para Portugal, contas com Segurança Social e o direito ao trabalho, sem a necessidade de preencher papéis" . Existem também outras garantias, como o direito à saúde e à educação. Outro dos benefícios é " a vantagem da proteção diplomática. Se te fazem alguma crueldade, tens direito a reclamar por essa maldade em todos os tribunais venezuelanos e também que o Estado da outra nacionalidade intervenha" . No que diz respeito a desvantagens, a Constituição estabelece, no artigo 227, que toda aquela pessoa que tenha dupla nacionalidade não pode concorrer a eleições presidenciais. No que diz respeito a responsabilidades fiscais, Salgueiro explica que na sua maioria, os países estabelecem " Tratados de Reciprocidade, que fixam o cancelamento de impostos" . A responsabilidade do serviço militar mantém-se em ambos os países. PUBLICIDADE


8 Venezuela.

Correio da Venezuela.

07 a 13 de agosto de 2008.

Uma semente que germina trabalhos, e sempre esteve disposto a fazê-lo. " Este é um tipo de negócio que praticamente te exige que gostes do que fazes" , disse, afirmando que se sente satisfeito com o seu trabalho, e, " aliado à minha formação académica e à minha experiência familiar, a minha atitude está em visualizar o progresso e o desenvolvimento sustentado da organização a todos os níveis" .

Rebeca Fandiño P. rebecafp87@ gmail.com Com raízes bem fortes, valores morais assentes e amor pelo que o avô e o pai criaram há mais de 30 anos, Luís Miguel Faria, 24 anos, decidiu dar continuidade a uma organização que começou como uma pequena empresa familiar de venda de sementes para aves e que hoje se converteu num negócio próspero que se diversificou no tipo de produtos que oferece. Este jovem empresário nasceu na Madeira, no Estreito de Câmara de Lobos, de onde também são oriundos os seus pais. Com cerca de 24 meses de idade, atravessou o Atlântico junto com a sua família para instalar-se em Caracas, onde iniciou os seus estudos. " A minha formação académica primária e secundária foi feita no Colégio Nossa Senhora de San Bernardino, e neste momento estou em processo de defesa de tese para obter a licenciatura em Relações Industriais, na Universidade Católica Andrés Bello" , referiu, expressando o seu orgulho por ter estudado nestas duas instituições, " não apenas do ponto de vista académico mas também pela sua influência no meu desenvolvimento como católico e como desportista" . Uma nova visão

Kantal, S.A. é o negócio que o pai e o avô iniciaram na década de 70. O jovem conta que PUBLICIDADE

Da pUra cepa

Seu irmão e ele conseguiram abrir quatro sucursais da Pajarolandia

Luís MigueL Faria ForMou-se para continuar a obra que tanto o pai coMo o avô criaraM na década de 70 " depois de anos de dedicação e esforço árduo, assim como a adição de mais membros da família, a empresa aumentou consideravelmente o leque de produtos e criou novas divisões que permitiram a sua expansão" . Acrescenta que " uma das principais divisões da empresa remonta ao ano 2000, quando a reconhecida loja de mascotes Pajarolandia, situada na Avenida

Casanova de Bello Monte, Caracas, passa para as mãos da Kantal, S.A, com a denominação Pajarolandia 2000" . Esta é administrada pelo seu irmão mais velho, Alberto Vieira, e por ele, e em oito anos conseguiram abrir quatro sucursais em diferentes pontos da cidade de Caracas. Faria explicou que sempre teve a liberdade de escolher entre dedicar-se ou não a estes

À parte a sua experiência laboral e o seu nível de instrução, este jovem manifesta que tem interesse em " manter uma relação activa com a comunidade portuguesa, na qual estive sempre presente. Desde muito jovem que sou fiel seguidor do Marítimo da Madeira e consequentemente do Marítimo da Venezuela, o que na minha infância encheu os meus domingos, no estádio ( principalmente no Brígido e no Olímpico). Pratico futebol e futsal" . Para além da ligação ao desporto, " frequento muito as festas de Nossa Senhora de Fátima" . A mãe é professora de português no Centro Português de Caracas e no Colégio Nossa Senhora de Fátima. " As pessoas que me conhecem sabem que me dedico muito ao que faço e à minha pátria, Portugal. Trago-a sempre como minha principal insígnia onde quer que vá, já que para mim é um dos meus maiores orgulhos" .

Petaquire ameaçado pela insegurança José Maria do Nascimento A zona alta de Petaquire, no estado Vargas, onde residem diversas famílias de origem madeirense, tem vindo a enfrentar problemas muito sérios no que diz respeito à insegurança, mais especificamente nos dias em que os agricultores vão à capital para vender a mercadoria que cultivaram nos seus terrenos. Manuel da Rocha, natural da Ribeira Brava, disse que já por diversas vezes foi alvo de actos de delinquência na zona. " Quando estamos a caminho do Mercado Mayor de Coche, ou quando vimos de regresso, sentimo-nos ameaçados. Se vamos pela via de El Junquito, não paramos por nada, porque se o fazemos, em menos de um minuto já temos três ou quatro 'malandros' em cima de nós a nos roubar”. Diz que há algumas semanas aconteceu o mesmo a um dos seus filhos que saía de Petaquire para ir trabalhar, desta vez na via de Tovar, por onde também é possível circular para chegar à capital. " Enquanto conduzia foi interceptado por 'piratas da estrada', que, com pistolas, ameaçaram e tiraram todo o dinheiro. Como acontece connosco, acontece com todos quantos transitam nesta artéria. Aí há assaltos todos os dias" . Aproveitou a oportunidade para fazer um apelo às autoridades competentes para que façam mais patrulhas com mais frequência, que possam garantir mais tranquilidade para os condutores que se vêem na arriscada tarefa de circular por essas vias.


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

Venezuela

9

“O Centro Marítimo está a evoluir” Rebeca Fandiño P. rebecafp87@ gmail.com Após a inauguração em 1971 do antigo Centro Luso de Caracas, em Turumo, actualmente rebaptizado de Centro Marítimo da Venezuela, este clube conseguir chegar aos 1500 sócios. No entanto, hoje são apenas 400 os sócios, conforme revelou Bernardino Gomes, um dos fundadores da instituição. Apesar dos números, diz que a situação está a melhorar. Bernardino Gomes explica que os sócios começaram a diminuir na época de Caldera. " Uns abandonaram o país, outros deixaram de ganhar o salário que tinham, mas hoje em dia as coisas estão a melhorar, porque há muitos portugueses a comprar as acções do Marítimo" , disse. Este fundador do clube de Turumo é oriundo de Santa Maria da Feira, no território continental português. Depois

Um dos fUndadores do clUbe acredita qUe este é o caminho para resolver a crise

“Os sócios começaram a diminuir na época de Caldera”.

de cumprir 20 anos a viver na Venezuela, mudou-se para a urbanização de Turumo, tomando parte da primeira Junta Directiva do ex-Centro Luso de

Caracas. O seu primeiro objectivo foi construir os salões no segundo piso. Explica que, naquela altura, havia 1500 sócios e uma média de seis mil

pessoas a frequentar o centro. " Agora só há 400 sócios e a entrada de receitas já não é a mesma coisa" . A ocupação principal de Bernardino Gomes após a sua chegada à Venezuela consistiu em dirigir obras de construção, incluindo durante o governo de Pérez Jiménez quando trabalhou na edificação da Maternidad Concepción Palacios, tal como do edifício Savoy, sediado em El Valle. Com o passar dos anos e com a situação do país a mudar, " as minhas netas foram para Portugal e aqui só ficaram alguns sobrinhos" . Acrescentou como

exemplo do comportamento da emigração luso-descendente, que começou a regressar a Portugal desde a altura de Caldera, o facto de três dos seus bis-netos também já estarem em Portugal, onde estudaram, sendo hoje em dia grandes profissionais. Bernardino Gomes já vai na sétima década de vida e prefere " ficar em casa, comprando e vendendo alguns terrenos, esperando pela minha esposa que está em Portugal desde Maio a tratar de arranjar uns documentos" . Não está só por estas paragens. O seu sorriso agradável e os seus olhos a brilharem quando fala, para além do seu bom humor, tem feito com que muita gente do clube lhe chamem de " tio" . Também por isso, recomenda às pessoas que " frequentem o clube" , que é um lugar tão agradável que " até já casei duas filhas aqui" , antes de tecer os melhores elogios à actual direcção da instituição. PUBLICIDADE


10 Venezuela.

CorrEio da VEnEzuEla.

07 a 13 de agosto de 2008.

Cavenport organiza 2º fórum Cavenport Carabobo de jovens empresários homenageia cônsul de saída

Francisco Javier Figuera fjfiguera@ hotmail.com A Câmara Venezuelana Portuguesa de Indústria, Comércio, Turismo e Afins ( Cavenport) realiza, no último trimestre deste ano, o II Fórum de Jovens Empreendedores e Empresários Luso-venezuelanos na cidade de Maracay, uma iniciativa resultante da união dos esforços das três secções: Aragua, Carabobo e Nacional, com sede em Caracas. A este respeito, Fátima Pontes, presidente da secção de Carabobo, adiantou que esperam, em Outubro e Novembro, a presença de cerca de 500 empreendedores e empresários, para além de uma representação empresarial de cerca de 70 empresas. " Será um palco para que todos os jovens talentos mostrem as suas inovações, tenham ou não empresas constituídas. Será uma janela de oportunidades para este sector que entra no mundo empresarial ou que ainda está em universidades e que não tem outra forma de mostrar as suas ideias e projectos" , disse. Por seu turno, Soraya Valero, directora de Relações Institucionais, indicou que este II Fórum está planeado com uma feira em que os participantes darão a conhecer as suas inquietudes e invenções em todas as áreas, inclusive no campo da robótica, dado que existem alguns projectos neste sentido. As intervenções neste Fórum versam temas como sobreviver em tempo de crise, planificação e análise de cenários para converter ameaças em oportunidades de crescimento, visão da nova economia venezuelana, a família como suporte do crescimento empresarial e perspectivas de expansão internacional. Vale a pena destacar que esta é a primeira iniciativa deste tipo que se realiza para apoiar a população da região central do país, mas é a segunda que se realiza a nível nacional desde a criação da Cavenport nos finais do ano passado. " É uma inquietude que este-

Francisco Javier Figuera fjfiguera@ hotmail.com

Esperam a presença de cerca de 500 empreendedores e empresários

SecçõeS da cavenport de aragua, carabobo e nacional (caracaS) uniram eSforçoS para realização deSte evento.

ve sempre presente na gestão da Cavenport, no que diz respeito a ouvir todos esses jovens talentos que não puderam contar com uma tribuna na qual pudessem fazer notar a sua criatividade" , disse Pontes. Ainda que a Cavenport conte, nesta altura, com secções apenas em Aragua e Carabobo, esperam que o convite chegue a cidades como Barquisimeto ( Lara), Barcelona ( Anzoátegui), Maracaibo ( Zulia), Maturín ( Monagas), Mérida ( Mérida), Puerto Ordaz ( Bolívar), entre outras. " Queremos que os jovens talentos e empresários com experiência de todo o país possam encontrar uma forma de sair do anonimato e darem a conhecer os seus projectos, produtos e serviços" , expressou Valero. Alguns AvAnços

Pontes

aproveitou

para

referir alguns dos avanços que a secção de Carabobo da Cavenport conseguiu durante o primeiro trimestre de funcionamento. Sublinhou a realização de um boletim trimestral, 'A Câmara em acção', cujo primeiro número foi publicado no princípio do mês de Junho. Destaque ainda para o reforço do programa de rádio Lusitanos na Venezuela, aos sábados, das 7 às 10 da manhã, através da emissora 101.5 FM, que, com seis anos de existência, conseguiu um interessante nível de audiências entre a comunidade lusa da capital de Carabobo. Mencionou ainda a assinatura de um convénio com uma entidade financeira para a emissão de um cartão de crédito da Cavenport e o aumento sistemático do número de afiliados, do qual preferiu não mencionar números e cuja base de dados a Cavenpor nacional já gere.

A Câmara Venezuelana Portuguesa de Comércio, Indústria, Turismo e Afins ( Cavenport), secção Carabobo, ofereceu, na passada terça-feira, 29 de Julho, uma homenagem ao cônsul geral de Portugal na cidade de Valência, Rui Gonçalves Monteiro, que se despede do cargo e regressa a Portugal nesta primeira semana de Agosto. Durante esta homenagem, o presidente da Cavenport nacional, José Luís Ferreira, dedicou palavras de agradecimento ao representante diplomático pelo seu intenso trabalho a favor da comunidade lusa e adiantou que tentará, junto das entidades oficiais portu-

diplomata, e agradeceram a forma de gestão no processo de integração das antigas câmaras de comércio lusovenezuelanas, com a criação da Cavenport. Sublinharam ainda a sua colaboração na consolidação dos acordos bi-nacionais assinados entre os governos da Venezuela e de Portugal durante os últimos meses, o seu apoio à concretização da visita do primeiro-ministro José Sócrates, para além do incremento das relações entre a comunidade lusa radicada na Venezuela e o governo português. Estiveram neste cerimónia de homenagem os representantes dos organismos que compõem a comunidade portuguesa em Carabobo, entre elas a Associação de

Rui Gonçalves Monteiro recebeu homenagem

guesas, com que Monteiro regresse a este país caribenho para continuar a desenvolver o seu trabalho. Os presidentes das secções de Carabobo e de Aragua, Fátima Pontes e Juan Macrino, respectivamente, foram coincidentes no reconhecimento ao

Beneficência Só Bem, a Fundação Martins para Crianças com Paralisia Cerebral, a Fundação Cultural Camões, a escola Hernán dos Santos, a Academia do Bacalhau, bem como reconhecidos empresários e jovens luso-descendentes.


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

11

Venezuela

Disputa acesa em El Hatillo Yonesky Romero Elizabeth De Ornelas O dia 23 de Novembro é a data das eleições para a escolha dos alcaldes e governadores da Venezuela. No entanto, nesta contenda eleitoral, ao contrário das últimas eleições, os candidatos ao cargo e os seus partidos, tanto da oposição com do 'oficialismo', tiveram que enfrentar várias etapas a fim de garantir que todos os municípios e estados tenham um só candidato por tendência partidária. Na etapa preliminar, quatro candidatos luso-venezuelanos foram a eleições para a Grande Caracas: Carlos Teixeira ( alcaldía de Vargas), José Luís Farias ( governação de Vargas), Miriam do Nascimento ( alcaldía de El Hatillo) e Andrea Tavares ( alcaldía de Libertador). Apesar da luta pela conquista dos votantes através dos seus programas de governo, tanto José Luís Faria como Carlos Teixeira tiveram que abandonar as suas respectivas candidaturas a favor dos colegas que, de acordo com as sondagens, tinham a preferência dos cidadãos. Teixeira referiu que renunciar à alcaldía para apoiar o pré-candidato Salomón Bassim deveu-se principalmente ao facto de se ter comprometido a cumprir as regras do jogo estabelecidas no passado mês de Janeiro ( dia 23). Assegura que até Abril o seu nome encabeçou as sondagens, mas os resultados começaram a variar uma vez que entraram novos candidatos na corrida. Em Julho, passou para trás nos lugares das sondagens, ultrapassado por Bassin, que é apoiado pelo partido 'Primero Justicia'. Da mesma forma que Teixeira, cinco pré-candidatos também abandonaram a favor do favorito. Assegurou que com isto " não estou renunciando ao meu propósito de trabalhar por Vargas" e informou que " fui designado como candidato a Deputado ao Conselho Legislativo Regional com o apoio de 12 organizações políticas, entre elas: 'Primero Justicia', AD, AVP, 'Causa R', 'Vanguardia Popular', 'Solidaridad Independiente' e a ONG 'Gente de Macuto'" . Por seu turno, o pré-candidato ao Governo de Vargas também renunciou para apoiar Roberto Smith, que encabeçava as sondagens nos finais de Junho. AindA em jogo

Apesar da data limite para definição das propostas unitárias estar marcada para esta terça-feira, 5 de Agosto ( dia em que se iniciou a inscrição das candidaturas no Conselho Nacional Eleitoral), oito estados e alguns municípios ( como

Nesta contenda eleitoral os partidos procur ão que todos os municípios e estados tenham um só candidato por tendência política para garantir o triunfo

Nascimento continuam a disputar o primeiro lugar nas sondagens. A candidata luso-venezuelana assegurou que não irá contra a vontade dos cidadãos que expressaram a sua preferência nas sondagens que vêm sendo realizadas desde Abril. Ao mesmo tempo,mostrou-se confiante quanto à consolidação da unidade neste município da capital. " El Hatillo é um município opositor por excelência mas ir com duas ou três candidaturas paralelas vai causar um aumento da abstenção, o que prejudicará a governação do estado e a Alcaldía Mayor" , indicou. Nascimento apelou aos pré-candidatos para que honrem o compromisso assinado a 23 de Janeiro, " que não é apenas um compromisso com El Hatillo, mas também com a liberdade da Venezuela" . Para tentar saber qual dos candidatos reúne as preferências dos eleitores, a oposição decidiu realizar cinco sondagens. A candidata luso-descendente assegurou que está a ganhar em quatro delas. Do outro lado, a candidata Andrea Tavares, que luta pela alcaldía de Libertador, também continua na corrida eleitoral. PUBLICIDADE

Dois luso-DescenDentes Desistiram Das suas aspirações, honranDo o compromisso assinaDo em Janeiro. myriam Do nascimento e anDrea tavares continuam na corriDa. o de El Hatillo) continuam sem unificar critérios. De acordo com a oposição, a razão principal para que o anúncio dos candidatos ainda não tenha sido feito é que existe uma diferença mínima entre as diversas opções, ou seja, há um empate técnico e nenhum dos pré-candidatos está disposto a retirar-se. Não obstante, os dois blocos - oficial e oposição - terão até dia 12 deste mês para inscrever os seus candiatos. A não conseguir resolver-se este inconveniente até este dia, a oposição vai realizar anúncios parciais, e os interessados poderão entregar a sua candidatura no CNE, sob a premissa de definir a opção unitária antes do dia das eleições. Em El Hatillo, por exemplo, as précandidatas Dersa Solórzano e Miriam do


12História de Vida.

Correio da Venezuela.

07 a 13 de agosto de 2008.

“Emociono-me ao ouvir o hino da Venezuela” Trinidad Macedo Conhecemos Sebastião Tronio Rodrigues de Moura como uma pessoa capacitada, com amplos conhecimentos e grande humanidade, nascido na Ponte dos Frades, Câmara de Lobos, Madeira, a 20 de Março de 1938. A 1 de Abril de 1955, tinha então 17 anos, chegou à Venezuela a bordo do famoso navio Santa Maria. A sua entrada neste país foi possível graças a uma carta de chamada que um tio enviou. Assim, este madeirense, como tantos outros compatriotas naquela época, conseguiu escapar ao serviço militar. Sebastião Rodrigues de Moura tinha conseguido terminar o bacharelato na Escola Industrial do Funchal. Na sua chegada à Venezuela, não ficou chocado com a paisagem que encontrou, antes começou logo a querer bem a esta terra. Assegura que é " um dos meus amores" . Quando chegou começou a trabalhar com o seu tio no bar restaurante Codazzi, na cidade de Maracay. O seu dia de trabalho tinha 14 horas, e assim foi durante dois anos. Posteriormente decidiu regressar a Caracas e ainda foi empregado num outro restaurante na zona de Boleíta. Durante o pouco tempo livre que tinha, estudou numa academia comercial. PUBLICIDADE

Também nessa época conheceu os dirigentes da Cervecería Heineken, que o contrataram para administrar os escritórios que tinham na cidade de Punto Fijo, estado Falcón. Passado um tempo, a empresa foi vendida e ainda trabalhou como auditor para ajudar a pagar a liquidação da cervejeira. Depois, estabeleceu uma sociedade comercial com um turco de nome Raimundo Echenagui. Estabeleceram-se a 1 de Abril de 1964 e a sociedade funcionou durante 30 anos. Nos dois primeiros anos, fundaram outra empresa chamada Expres. Ambas foram pioneiras na Venezuela na venda de mobiliário e utensílios para restaurantes e supermercados. Também se dedicaram à comercialização de artigos de alumínio e plásticos, importando 90% da mercadoria dos Estados Unidos, Europa e Japão. Posteriormente fundaram outras 27 empresas espalhadas por toda a Venezuela, dedicadas também ao mesmo ramo. Este emigrante assegura sentir-se satisfeito por ter dado trabalho a muita gente e conta que estas empresas serviram de formação para muitos dos seus empregados, que aproveitaram os seus conhecimentos e actualmente gozam de boas condições económicas. Depois de três décadas a trabalhar juntos, a sociedade chega ao fim. Confessa que se sentiu um 'superman' e pensou que

SebaStião RodRigueS de MouRa diz teR naS SuaS MãoS uM gRande teSouRo: o aMoR da faMília e gRandeS e incondicionaiS aMigoS podia continuar sozinho. No entanto, este madeirense sofreu um grande descalabro financeiro. Conseguiu, ainda assim, pôr tudo em ordem e ficou com apenas duas empresas. " Sinto-me tranquilo e feliz por ter vencido os obstáculos" , afirmou. Para Sebastião, a cultura e a riqueza de conhecimentos é

muito importante. Com a sua preserverança, conseguiu aprender a falar perfeitamente três idiomas e como ele diz, " machuca" o italiano. Este comerciante é um estudioso da história de Portugal e da Venezuela. Afirma que sente um grande respeito pelo hino de Portugal, mas emociona-se quando ouve o hino

nacional da Venezuela. Outro dos tesouros que valoriza é o da amizade, a qual faz com que a vida seja muito mais agradável. " Vivo rodeado de amigos. Inclusive mantenho uma respeitável amizade com o meu antigo sócio, o turco Raimundo" . Entre as suas amizades conta com Pedro Ferreira e Adelino Rodrigues, muito conhecidos nesta cidade e com quem partilha momentos agradáveis. Ainda no campo da sua vida pessoal, conta que conheceu a sua actual esposa em Barquisimeto. " Ela é alemã, filha de pai espanhol e mãe alemã. Desta união nasceram dois filhos, que já exercem uma profissão" .


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

Lusavox vai ter “realização sistemática” O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga, afirmou no sábado, 3 de Julho, que o festival Lusavox é uma iniciativa para " consolidar" e que vai ter " realização sistemática" . O responsável falava pouco antes da segunda edição do festival, que este ano ocorreu na Casa da Música, no Porto e reuniu dez músicos portugueses e luso-descendentes radicados no estrangeiro. António Braga acrescentou que o festival, cuja primeira edição foi em Braga, " visa também consagrar e consolidar os vínculos de pertença dos jovens que vivem na diáspora com a cultura e a língua portuguesas" . O responsável referiu ainda que o Lusavox integra " um conjunto de incentivos que têm como objectivo número um dar

NiNa aguiar foi a veNcedora da preseNte edição do festival

O festival ocorreu na Casa da Música, no Porto

visibilidade em Portugal ao que de melhor há de portugueses fora de Portugal" . O secretário de Estado sustentou que " há uma distância

muito grande entre a ideia, que, muitas vezes, ainda vigora em Portugal, do que era a emigração há 20 ou 30 anos e o que ela é hoje" .

A música " é um veículo extraordinário de cultura e assinala esta pertença colectiva a uma história de quase 900 anos, que Portugal transporta consigo" . Com esta iniciativa, frisou António Braga, pretende-se " atingir uma faixa jovem das comunidades" . Nina Aguiar, uma estudante de 18 anos que vive com os pais na Suíça, foi a grande vencedora da edição do Lusavox 2008, com a canção " Traz-me de volta" .

13

Cultura

Dia do emigrante na freguesia da Ilha A Casa do Povo da Ilha promove no dia 17 de Agosto mais uma edição 'Dia do Emigrante'. A instituição pretende com esta iniciativa homenagear as comunidades e a cultura madeirense espalhada pelo mundo. O evento conta com diversas iniciativas. O programa das festividades arranca às 10 horas e inclui actuações de vários grupos folclóricos, missa e um espectáculo pirotécnicoFernando Correia Marques é o artista nacional convidado, o cantor actua pelas 21h30.

PUBLICIDADE


14Cultura.

Correio dA VeNezuelA.

07 a 13 de agosto de 2008.

Espaço “Professor 28 alunos recebem diplomas Manuel Alves de Oliveira” Magnalis Tavares magnis0810@ gmail.com

Até agora conseguiram quase 2.000 exemplares dos quais 45% estão em português.

Magnalis Tavares magnis0810@ gmail.com " Quando se tem uma ideia, é necessário concretizá-la" , por isso, Carlos Balaguera e o deputado eleito pelo Círculo Fora da Europa em Portugal, Gonçalo Nuno, uniram esforços para criar a biblioteca 'Professor Manuel Alves de Oliveira' em Valência, estado Carabobo, há três anos, que procura facilitar a comunidade portuguesa do centro do país no acesso à cultura da nação lusa. A iniciativa destes dois homens surge porque a maioria dos membros da comunidade portuguesa não é membro dos clubes sociais que existem. Para além disso, os luso-descendentes ou os venezuelanos que desejem conhecer a literatura portuguesa não encontram muita informação nas bibliotecas nacionais ou centrais do país. Assim, este recinto representa um pequeno passo para solucionar estas falhas e ajudar a colectividade portuguesa a conseguir informação sobre as suas raízes.

Actualmente, a biblioteca encontra-se em fase de recolha de textos, sendo esta a etapa mais difícil, uma vez que, nas palavras de Balaguera, " custa muito às pessoas doar um livro" . Diz que começaram com 45 livros doados pelo deputado, e, até agora, conseguiram reunir quase 2.000 exemplares, dos quais 45% estão escritos em português. No entanto, há a expectativa de que nos próximos meses esta percentagem aumente para 65%. " O processo foi muito lento" , afirmou. Os fundadores desta biblioteca aguardam, por isso, pela doação de um computador que permita criar um registo dos livros que existem, as pessoas que os solicitam e os empréstimos que se façam. Espera-se também pelo contributo do governo de Portugal para a criação de uma biblioteca virtual e a manutenção da real. Quem quiser doar livros e contribuir para esta causa pode contactar Carlos Balaguera para os telefones ( 0414)341-24-22 ou ( 0241)821-89-30.

Vinte e oito jovens luso-descendentes e venezuelanos receberam o diploma que os credita como bilingues em português-espanhol. O acto de entrega dos diplomas decorreu no colégio Nossa Senhora de Fátima, em San Bernardino. Depois de três anos de estudo, os graduados saem com um excelente domínio oral e gramatical do Português. Outros 55 alunos receberam reconhecimentos por terem terminado satisfatoriamente os níveis de iniciação e intermédio. Susana Cardozo, uma das alunas diplomadas, referiu que " apesar de ter começado este curso a partir do nível intermédio, encontrei companheiros que me receberam com os braços abertos e esta é uma experiência que nunca esquecerei" . O coordenador académico do curso, David Pinho, conversou com o público que assistiu ao evento e enalteceu o sacrifício destes estudantes que, sábado após sábado, assistem às aulas para aprender um novo idioma. Comentou que este centro conta com 500 alunos, convertendo-te no segundo instituto com maior número de estudantes que se dedicam à

A entrega dos diplomas foi no colégio Nossa Senhora de Fátima, em San Bernardino.

aprendizagem da língua portuguesa. No mesmo evento, os alunos prepararam alguns actos para entreter o público. Um grupo do nível de iniciação deleitou os presentes com duas canções, uma das quais o 'Bailinho da Madeira', e a outra 'Color Esperanza' traduzida

para português. Os alunos encarregues de encerrar a sessão relataram, através de pequenas histórias, a vida do emigrante português neste país, e entrelaçaram as bandeiras da Venezuela e de Portugal, num gesto de união destas duas nações através da aprendizagem do idioma.

Fadista Fernanda Baptista morre aos 89 anos Agencia Lusa A fadista e actriz Fernanda Baptista, de 89 anos, criadora de êxitos como 'Fado da carta', faleceu hoje ao princípio da madrugada, no hospital de Cascais, onde se encontrava internada, disse à Lusa um familiar. Além do " Fado da carta" ( João Nobre/Amadeu do Vale) a fadista criou vários outros êxitos e foi primeira figura de várias operetas e revistas, entre elas, " Chuva de mulheres" e " Fonte luminosa" . A sua estreia na revista deu-

se em 1945, em " Banhos de sol" , a convite do compositor e maestro João Nobre, mas já anteriormente integrara o cartaz do Café Luso, a convite de Filipe Pinto, no início da década de 1940. O êxito alcançado levou-a a deixar a profissão de costureira que exercia. " Saudades de Júlia Mendes" , " Fui ao baile" , " Trapeiras de Lisboa" , " Pedrinha da rua" , " Fado toureiro" ou " Fado das sombras" foram alguns dos seus êxitos. A sua última presença em palco foi no musical " Canção

de Lisboa" de Filipe la Féria, em 2005. A fadista foi alvo de várias homenagens, nomeadamente da Associação Portuguesa dos Amigos do Fado, da Câmara de Lisboa e, em 2003, foi condecorada com a Ordem de Mérito pelo Presidente da República, Jorge Sampaio. Ao longo de mais de 65 anos de carreira artística, a fadista e actriz actuou em cerca de 50 revistas e operetas, gravou centenas de discos e realizou várias digressões, tendo actuado nos Estados Unidos, Brasil, Argentina e Angola.


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

Filme luso retratará carreira da fadista Amália Rodrigues O diretor português Carlos Coelho da Silva lança no final deste ano, com produção da Valentim de Carvalho Filmes, " Amália, o filme" , que retrata a carreira da famosa fadista lusa. A atriz Sandra Barata Belo, que estréia no cinema aos 29 anos no papel da diva do fado, acredita que esta é uma obra que vai agradar ao público. " Este filme é um filme comercial, mas acho que tem coisas interessantes, acho que serve a um público ampliado, acho que serve aos eruditos e serve ao senhor da mercearia que sempre gostou da Amália. É um filme sobre a fadista, portanto é um filme para as pessoas irem ver" , disse a atriz em entrevista à Agência Lusa a duas semanas do fim das gravações. Escolhida para o papel depois de ter interpretado duas cenas do filme e de ter cantado dois fados, Sandra teve pouco mais de dois meses para se preparar para encarnar a mais importante e internacional fadista portuguesa. Leu biografias, recortes de imprensa e testemunhos escritos, viu filmes e documentários e falou com Estrela, a confidente de Amália. Da fadista, Sandra Barata estudou os gestos, o comportamento, a cadência do canto e da fala, descobriu-lhe a timidez e a insegurança e as variações entre a alegria e a tristeza nos anos que o filme abrange, entre 1950 e 1980.

As cenas mais intensas se filmarão na casa que pertenceu a Amália em Lisboa.

Tem tudo registrado num caderno, uma espécie de diário, um mapa cartográfico das emoções nas diferentes cenas do filme, variando entre a euforia e a vontade de desistir. " O mais difícil é atingir a profundidade dela, mais do que a tristeza" , citou a atriz, que rejeitou a idéia de fazer apenas uma cópia da artista. " Mas eu não gosto de imitações. Eu tenho um bocado de aversão a essa palavra, porque acho que imitar é limitado. Eu gosto de criar. Eu sei que ela existiu, que passou por determinadas situações, mas aquilo que vou fazer é recriá-la, então também tenho que ter alguma coisa minha nesse processo. É a minha maneira e a maneira de nós todos, no filme " Amália" , olharmos a Amália" , frisou.

Responsabilidade

Sandra Barata Belo sente já o peso da responsabilidade, mas sabe que até aqui tem sido uma desconhecida para o grande público. Nasceu em Lisboa, e desde que pensou em querer ser atriz, passou pela escola do Chapitô, onde formou-se em vários cursos ligados à interpretação de personagens. Trabalhou com as companhias teatrais Útero, O Bando e no próprio Chapitô, passou pela televisão, nas séries " Família Galaró" e " Chiquititas" , e nunca representou os clássicos. " Eu gosto muito do ridículo, do kitsch, de explorar as personagens mais 'clownescas'" , disse, lamentando que algumas pessoas ainda a critiquem por ter feito formação no Chapitô e nunca

ter optado por passar pelo Conservatório. " Eu acho que os atores devem manter-se fiéis àquilo em que acreditam e não se devem moldar. E eu acho que uma escola superior molda" , opinou. Desde junho, quando começou a gravação do filme, Sandra Barata Belo tem vivido exclusivamente para a personagem, comparando a intensidade deste trabalho quase a uma gravidez, que a leva a abstrair-se de todo o resto. " Não há muito espaço para mim" , disse. Nas duas próximas semanas, Sandra Barata Belo terá, possivelmente, as cenas mais intensas de toda a gravação, já que irá filmar na casa que pertenceu a Amália Rodrigues, em Lisboa. " É uma sensação de que ela está presente. Sente-se a energia dela" , disse a atriz, recordando a ocasião em que lá esteve. Sobre as polêmicas em torno do filme, com a família de Amália Rodrigues não se revendo em certos aspectos da história desta biografia, Sandra Barata Belo prefere manter-se à distância. " Para ser sincera isso passame um bocadinho ao lado, porque eu não tenho tempo de ler as revistas. E aquilo que sei é o Manuel Fonseca [ o produtor] que vem cá e que me explica. Eu não sou muito afetada por isso. Sinceramente, não sei qual é a base da polêmica, mas acho que a família vai acabar por gostar do filme. Espero isso" , afirmou.

Noite de Fados no CP Anaís Castrellón Castillo A direcção do Centro Português levou a cabo mais um evento para celebrar o seu 50.º aniversário. Desta vez foi uma noite de fados entre sócios do clube, eventos que duraram pouco mais de duas horas no dia 19 de Julho, no restaurante 'El Navegante', Este evento teve outra finalidade, que foi arrecadar fundos para o Comité Juvenil do Centro Português, que, com o valor recolhido, vai organizar outras actividades. O encontro iniciou-se e num ambiente

muito familiar, os conhecidos cantores deste género musical que representa a melancolia lusas apresentaram-se ao público, entre eles Liliana Faría, Jonathan Rodríguez, Karina Ferreira, Maria Lourdes de Almeida, Pedro Fiuza e António Reis, que participou como convidado de honra do Centro Marítimo de Venezuela. A música esteve a cargo de guitarristas de Lisboa e da Venezuela, mais especificamente de Maracay e Caracas ( 'Calaveras da Saudade'). O cantor Fiuza expressou a sua satisfação

por tão " grata celebração" , dizendo que foi " uma noite muito linda e agradável, onde a juventude teve a oportunidade de cantar, e celebrar" . Agradeceu ao Comité de Damas, ao Centro Português e aos patrocinadores por terem permitido que se levasse a cabo este evento. Jonathan Rodríguez, que participou como vocalista na gala, comenta que a iniciativa foi muito boa, pois " a cultura portuguesa está a ser esquecida na nossa comunidade, e eventos como este permitem que se difunda essa cultura na Venezuela" .

15

Lazer

Aprender... brincando Chegaram as férias e com elas a preocupação de não saber que fazer com os mais pequenos da casa para que possam divertir-se e passar este tempo de descanso de maneira divertida. Para este tipo de situações, a melhor opção é visitar o Museu das Crianças, que, com as suas diversas actividades, proporciona não apenas brincar mas também aprender. Esta majestosa obra arquitectónica, inaugurada em 1982, permite aos mais pequenos explorar, jogar, descobrir e entender o mundo nas suas diferentes facetas. Neste grande espaço, as crianças podem interagir com as mais de 500 exibições e experiências em áreas como a Física, a Comunicação, a Arte, a Ecologia, o Universo e os valores fundamentais da sociedade.

Permite brincar mas também aprender.

Nestas instalações, que se situam no Parque Central, Nível Bolívar, frente ao Paseo Vargas, em La Candelaria, organizam-se visitas guiadas através das quais os visitantes também poderão desfrutar de exibições participativas realizadas com componentes mecânicos, electrónicos, seres vivos e mobiliário, com apoio gráfico e textos que permitem manipular, contemplar e interagir, obtendo informação, conhecimentos e experiências que reforcem a aprendizagem. Se o que procura é que as crianças passem momentos de diversão de forma sã e educativa, então o museu é o que procura. Está aberto de segunda a sextafeira, das 9 às 17h00 e aos sábados, domingos e feriados das 10 às 17h00. Para mais informações, contactar os seguintes números ( 0212) 575-3022 / 575-4022. Fax: ( 0212) 575-4302.


16Santa Cruz.

Correio da Venezuela.

07 a 13 de agosto de 2008.

PUBLICIDADE

ART’Camacha 2008

XX Festival de Arte Camachense Realiza-se de 8 a 12 de agosto o aRt'CamaCha 2008, XX Festival de aRte CamaChense, um evento que deCoRRe anualmente no CentRo da vila da CamaCha, oRganizado pela nossa Casa do povo.

s e u q a Dest •Dia 8 De agosto - sexta-feira

- Sessão de abertura presidida pelo presidente do Governo Regional - XAILE, world music Esta será a estreia regional deste grupo em franca ascensão e de qualidade amplamente reconhecida. Saiba mais em: http: //www.myspace.com/xailempp •Dia 9 De agosto - sábaDo

- Passeio TT " I Rota do Vime" - IV Gala de Folclore Maria Ascensão, organizada pelo Grupo Folclórico da Casa Povo da Camacha -Queima de Bonecos de Fogo Preso

Dando seguimento ao projecto " Mais e melhor Camacha" , compromisso assumido pelos elementos eleitos este ano, fez-se uma grande aposta na qualidade e diversificidade de acções, espectáculos, exposições e tudo o mais que integra o programa da festa maior da " Capital da cultura tradicional madeirense" .

- Passeio BTT " Camacha a Pedal" - Futebol 11 - Veteranos da ADC/Camacheiros Emigrantes - Almoço convívio numa quinta da Camacha - Corrida de carros de madeira/descida da Quinta das Almas até ao Largo Achada - Fados - Encontros da Eira e Spillyck Grupo alemão de música tradicional, com concertinas e gaitas de foles, em intercâmbio com os Encontros da Eira. Saiba mais em: http: //www.myspace.com/spillyck •Dia 11 De agosto - segunDa-feira

- " Noite Rock" •Dia 12 De agosto - terça-feira

•Dia 10 De agosto - Domingo

- " VII Dia do Camacheiro Emigrante"

- Banda " Nova Onda" - Desfile de Moda


o jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

Santa Cruz

17

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Festa da Sidra

realiza-se este ano a 13 e 14 Setembro A Junta de Freguesia do Santo da Serra e a Câmara Municipal de Santa Cruz estão a ultimar o programa da próxima Festa da Sidra, que se realiza este ano nos dias 13 e 14 Setembro. O programa será anunciado oportunamente pelo CORREIO.

9.ª Noite de Festas

da Promenade do Caniço

A edição deste ano, que conta com a habitual Semana Gastronómica, volta a realizar-se na Promenade no Caniço-de-Baixo, entre 22 e 31 de Agosto, contando com a participação de várias bandas musicais, e com a presença de

alguns hotéis, restaurantes e pizzarias da freguesia. Em breve poderá consultar o extenso programa deste evento de referência do concelho e até da Região em http: //www.jf-canico.pt/


18Portugal.

CORREIO dA VENEzuElA.

07 a 13 de agosto de 2008.

Os derradeiros 60 operacionais portugueses da Brigada de Acção Rápida do Exército que estiveram ao serviço da Força Internacional de Assistência à Segurança ( ISAF), na capital afegã, regressaram domingo, 3 de Julho, a Portugal.

Mudança na lei protege produtos artesanais A engenheira agrónoma Ana Soeiro diz estar " contente com as disposições que têm vindo a sair" para proteger os produtos artesanais, esperando que estas venham a facilitar a vida aos produtores. Os pequenos produtores e os produtores tradicionais estão a ser alvo de uma série de medidas legislativas - despachos, circulares e relatórios - nos últimos dias para proteger os produtos artesanais, de acordo com o Diário de Notícias de segunda-feira, 4 de Agosto. Uma das medidas simplifica e facilita as condições de higiene em que os pequenos produtores alimentares podem abastecer directamente o consumidor final. As instalações artesanais foram dispensadas de licenciamento e as matanças são facilitadas. Em declarações à agência Lusa, Ana Soeiro, engenheira agrónoma que trabalha na área há 30 anos, considerou as medidas positivas. " Estou contente com as disposições que resultam dos trabalhos que tiveram lugar no Parlamento e na comissão dos pequenos produtores e produtos tradicionais" , disse. Ana Soeiro disse à Lusa esperar que estas medidas " venham facilitar a vida aos produtores se não puser em causa a legalidade" . " Há um decreto de lei muito antigo, o 28/84 que não foi revogado e que tem disposições considerando que o abate fora das instalações dos matadouros é crime" , contou. A engenheira agrónoma considera " positivo, tudo o que venha facilitar a vida aos produtores tradicionais que os ponha em situação de concorrência menos desleal com outros parceiros comunitários. Contudo, apesar de optimistas, Ana Soeira considera que ainda há muito a fazer. " Falta ainda muita coisa. Basta

Governo analisa alterações à Lei de Execução de Penas O Ministério da Justiça ( MJ) confirmou em comunicado que " a introdução da possibilidade de flexibilização da execução no caso dos presos preventivos " está em análise e que já existe um " primeiro anteprojecto que foi remetido a algumas entidades" . O Jornal de Notícias avançou no início desta semana que o Governo propõe um regime aberto de saídas precárias para quem, depois de condenado em tribunal de primeira instância, recorra da pena de cadeia. O Ministério da Justiça esclarece em comunicado que " a introdução da possibilidade de flexibilização da execução no caso dos presos preventivos é apenas

preocupados com o facto de uma pessoa condenada a uma pena de prisão e que apresente recurso seja prejudicada por manter o estatuto jurídico de preso preventivo, que pode durar anos devido à morosidade da justiça. " Exista já um anteprojecto" , indica o MJ, " que foi remetido a algumas entidades ( Sindicato dos Magistrados do Ministério Público e Associação Sindical dos Juízes Portugueses) para recolher o seu contributo" . Só depois de acolhidas as propostas consideradas pertinentes será redigido o Projecto Final para apresentação pública e debate. O Ministério recorda que a Lei de Execução das Penas está

Novas medidas visam facilitar a vida aos produtores se não puserem em causa a legalidade.

alterações legislativas são positivas Mas ainda faltaM outras Medidas ver o relatório do Parlamento para ver que ainda falta uma boa série de medidas para facilitar a vida aos produtores mas, o que já saiu já não é mau" , frisou. " Espero que estas medidas sejam mais do que portarias pois muitos produtores já tiveram de alterar os métodos de produção" , referiu a especialista. Ana Soeiro contou que muitos pequenos produtores tiveram de fechar e outros tiveram de fazer alterações a nível da produção. Para a especialista, estas situações descaracterizam os produtos. " Se se obriga os produtores a fazer grandes mudanças as coisas descaracterizam-se e ficam menos

especificas, o que é uma pena porque é património cultural que se perde" , disse. O Diário de Notícias cita uma portaria conjunta dos ministérios da Agricultura e Economia, datada de 29 de Julho, que facilita e simplifica as condições de higiene em que os pequenos produtores alimentares podem abastecer directamente o consumidor final, restaurantes ou outros estabelecimentos comerciais em pequenas quantidades. Naquela portaria fixa-se, nomeadamente o que se entende por pequenas quantidades por produto, sendo que, para os ovos, a referência é estimada num máximo de 350 ovos por semana. A quantidade máxima considerada para o mel é de 500 quilos anuais e para os produtos de pesca 150 quilos por semana. A Direcção-Geral de Veterinária passou a permitir a matança de suínos, ovinos e caprinos fora dos matadouros desde Junho, segundo um edital de 09 de Junho a que o DN teve acesso.

Governo propõe um novo regime aberto de saídas precárias.

Ministério fala na possibilidade de flexibilizar a execução no caso dos presos preventivos uma" das propostas avançadas no anteprojecto e " corresponde a recomendações, nomeadamente, do Provedor da Justiça e de instâncias internacionais como o Conselho da Europa" . Tanto o provedor como o Conselho da Europa mostram-se

" desactualizada face à evolução das práticas penitenciárias, à alteração do perfil da população reclusa, à evolução da realidade social e criminal e aos novos desafios da intervenção penitenciária" .


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

19

Portugal

O Governo antecipou em cerca de um ano e meio a utilização alargada da gravação digital às cerca de 760 salas de audiência dos tribunais de primeira instância, em substituição dos obsoletos gravadores de cassetes.

Centro e Alentejo juntos em parceria com a Extremadura A Junta da Extremadura ( Espanha) quer avançar, em parceria com as regiões portuguesas do Alentejo e do Centro, com um projecto transfronteiriço de desenvolvimento tecnológico, que prevê um investimento de 6,5 milhões de euros. O governo regional da Extremadura espanhola anunciou ter apresentado uma candidatura ao Programa Operativo de Cooperação Transfronteiriça: Espanha-Portugal 2007/2013 para a criação da Rede de Investigação Transfronteiriça da Extremadura, Centro e Alentejo ( RITECA). O projecto RITECA, para colocar as três regiões envolvidas " no mapa dos objectivos da Estratégia de Lisboa" , envolve um investimento total de 6,5 milhões de euros, com comparticipação do Fundo Europeu de Desenvolvimento Rural ( FEDER), devendo ser iniciado em Janeiro do próximo ano. " A maior ambição deste projecto é a aproximação das três regiões de fronteira para que, através da promoção da investigação tecnológica e da inovação, se desenvolvam e mo-

uma das áreas-chave do projecto é a eficiência e utilização da água para a rega das regiões.

dernizem em conjunto" , assegura a Junta da Extremadura. A rede tem já quatro objectivos principais definidos, nomeadamente fazer um levantamento das actividades que cada instituição promove em prol do desenvolvimento tecnológico das suas regiões e facilitar a criação de redes de investigação me-

Governo garante medidas para impedir aumento da factura dos medicamentos O Ministério da Saúde garantiu no início desta semana que se houver subida nos medicamentos de marca " tomará todas as medidas necessárias para que não sejam os cidadãos a pagar" , disse à Lusa fonte da tutela. Na sequência do anúncio da descida em 30% no preço dos genéricos, o presidente da Associação Nacional de Farmácias, João Cordeiro, referiu ao jornal Público a diminuição da comparticipação nos fármacos de referência, o que aumentaria a factura para os utentes. À Lusa, fonte do ministério de Ana Jorge adiantou que se " houver subidas nos preços dos medicamentos de marca, o Governo tomará todas as medidas necessárias para que não seja o cidadão a pagar mais" .

diante o desenvolvimento de um portal na Internet, entre outras tecnologias de comunicação. Além disso, a RITECA pretende favorecer as relações inter-regionais e transfronteiriças com vista à elaboração de metodologias de investigação comuns e promoção do intercâmbio de investigadores.

Por último, o quarto fim passa por fomentar a participação de centros tecnológicos e das universidades em projectos comuns de grande dimensão, para, desta forma, " criar massa crítica em torno do objectivo cientifico-técnico nacional e internacional" . O projecto também já identificou algumas áreas-chave de investigação, como a valorização e conservação de ecossistemas representativos da região Sudoeste da Península Ibérica, a eficiência e utilização da água para a rega, a conservação e recuperação de recursos genéticos, a tecnologia agro-alimentar e de saúde e os materiais de construção. Do lado português, vão participar no projecto a Universidade de Évora e os Institutos Politécnicos de Portalegre e de Beja, a Associação de Centros Tecnológicos Portugueses ( RECET), o Instituto Nacional de Recursos Biológicos, o Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio e a Associação de Desenvolvimento Regional do Instituto Politécnico de Portalegre.

Comerciante de 67 anos assassinado na África do Sul Um português de 67 anos natural de Espinho foi assassinado na noite de sexta-feira, 1 de Agosto, na sua residência num subúrbio do norte da capital sul-africana, disse hoje à Lusa fonte ligada ao Fórum Português. Emílio Ferreira Couto, que tinha um negócio de carpintaria e tectos falsos, foi morto a tiro por um grupo de assaltantes que penetraram na sua residência quando ele e a sua mulher dormiam. Os assaltantes, que se puseram em fuga levando vários bens pessoais do português, teriam serrado as barras de segurança de uma janela da residência, disse fonte próxima da família. A vítima era casada em segundas núpcias e deixa 3 filhos adultos, um dos quais emigrado no Reino Unido. Trata-se do quarto português ou luso-descendente assassinado desde Janeiro deste ano na África do Sul.

TC chumba adaptação da Lei do Tabaco à Madeira O presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, disse, na segunda-feira, 4, que a decisão do Tribunal Constitucional ( TC) de considerar inconstitucional as adaptações regionais à Lei do Tabaco vem provar a necessidade de uma revisão da Constituição. " Nós, aqui, na Madeira, estamos fartos deste Estado central, ou vamos encontrar novas soluções de articulação da Madeira no quadro da unidade nacional, ou, então, alguém, em Lisboa, está a querer estabelecer um clima de choque permanente entre os direitos do povo madeirense e o Estado central" , acrescentou.

Jardim quer mais autonomia legislativa.

O Tribunal Constitucional considerou parcialmente inconstitucional o diploma de adaptação da Lei do Tabaco à Região Autónoma da Madeira aprovado pela Assembleia Legislativa por invadir matéria reservada da Assembleia da República " A verdade é que isto vem, mais uma vez, demonstrar a necessidade de uma revisão Constitucional" , comentou Alberto João Jardim. Esta decisão, para João Jardim, " vem também demonstrar o logro" da Revisão Constitucional de 2004. " Até em matéria de tabaco a região não pode legislar" , conclui.


20Portugal.

CorrEio da VEnEzuEla.

07 a 13 de agosto de 2008.

Governo garante Manutenção do traçado do TGV O Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações esclareceu no passado domingo, 3 de Agosto, que não houve qualquer rejeição pela União Europeia ao traçado de Alta Velocidade ferroviária, no troço Elvas-Caia. " Não houve qualquer rejeição da UE ao traçado da Alta Velocidade ferroviária no troço ElvasCaia, tendo sido, apenas, recebido um pedido de esclarecimento sobre a matéria, habitual neste tipo de processos, ao qual será enviada resposta no prazo indicado" , refere um comunicado do Ministério liderada pelo ministro Mário Lino. Segundo o Ministério, " o troço Elvas-Caia é o lote transfronteiriço da ligação Lisboa-Madrid, com uma extensão de 20 quilómetros" . " Neste pedido de esclarecimentos não são abrangidos os restantes troços integrantes deste eixo, que também já foram objecPUBLICIDADE

Troço do TGV entre Elvas-Caia mantém-se, assegura Governo.

to de declaração de impacte ambiental favorável" , sublinha. O Ministério refere ainda que os estudos realizados no processo de avaliação, em apreço, " permitiram identificar" a necessidade de atravessamento de uma zona de

maior interesse ambiental. Neste sentido, " já se encontram previstas no âmbito do projecto medidas de minimização de impactes e medidas de compensação a implementar" , adianta o comunicado.

GNR “descura” prevenção e aposta na repressão Um dirigente sindical da Guarda considera que a GNR tem " descurado" o policiamento de proximidade e de visibilidade e isso poderá ter originado o elevado número de vítimas mortais registados nas estradas entre sexta-feira e domingo ( 1-3 Agosto): 16 mortos. Manuel Bancaleiro, dirigente da Associação de Profissionais da Guarda ( APG), disse à Agência Lusa que a mortandade provocada pelos acidentes registados no início de Agosto, principal mês de férias, é uma " autêntica catástrofe" . " Há uma política de repressão e não de prevenção" , lamenta, considerando que é com a consciencialização dos condutores e não com as multas que se diminui a sinistralidade rodoviária. Para a estratégia de visibilidade que defende para a GNR na estrada diz serem importantes os meios aéreos prometidos em Maio de 2007, quando tomou posse o actual ministro da Admi-

nistração Interna, Rui Pereira, que tutela GNR. " Não adianta investir em carros descaracterizados, pois só servem para reprimir" , defende Manuel Bancaleiro. Num comunicado emitido segunda-feira, 4, a APG considera que a operação policial dos últimos dias devia ter " sido precedida de uma prevenção rodoviária efectiva por parte das entidades responsáveis, assente em campanhas de sensibilização amplamente divulgadas" . " Por outro lado, importa que se invista seriamente na afectação de mais meios humanos e materiais, apostando-se na eficácia" , acrescenta a nota. A associação exige ainda que o Governo tome medidas e corrija eventuais deficiências desta operação [ a decorrer até 15 de Setembro] que, ao que tudo indica, " poderão comprometer o sucesso desta operação e atingir números verdadeiramente dramáticos" .


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

Ricardo e Diliana casaram no Banquete Gales

21

Publicidade

O casal, que se cOnheceu num jOgO de beisebOl há cincO anOs e meiO, festejOu a sua uniãO cOm 150 cOnvidadOs Rebeca Fandiño P. rebecafp87@ gmail.com Ricardo Maio e Diliana Andaia, engalanados com os seus respectivos trajes de noivos, chegaram ao Salão Majestic de Banquetes Gales, no Centro Comercial Ciudad Tamanaco, a bordo de um automóvel antigo para partilhar juntamente com os seus familiares e amigos a alegria terem proferido o sim a ambos antes o altar. Antes de descer do carro, o casal brindou com champanhe pelo seu futuro. Só depois fizeram a sua entrada no salão, cuja excelente decoração era caracterizadas pelas cores bege e castanho, complementada por arranjos florais feitos à base de girassóis e rosas de diferentes cores, que definitivamente impregnavam à festa um gosto requintado. Durante a celebração, os convidados, que chegaram ao mesmo tempo que o feliz casal, puderam desfrutar algumas variedades de canapés, assim como de uma mesa de

queijos e outra de sobremesas. Antes de Ricardo e Diliana dançarem pela primeira vez como marido e mulher, foram fotografados um e outra vez na entrada do Salão Magestic, ora com os pais, familiares e amigos. Só depois conseguiram dirigir-se para o centro do salão para dançar a tradicional valsa. Os pais do noivo, José Maio de Freitas, e a sua esposa Maria José de Freitas, são oriundos da Ilha da Madeira, de onde partiram com os seus filhos, à excepção de Ricardo, que ainda não tinha nascido), há muitos anos para radicar-se na Venezuela. Ambos asseguraram estar muito felizes com o casamento do filho com Diliana, pelo que garantiram que por nada deste mundo, nem sequer a doença de Parkinson da mãe do noivo ( que lhe provoca fortes dores nos joelhos que limitam o andar), os teriam afastado da celebração deste momento. Por seu turno, Daniel Andaia e a sua esposa Ilia, pais da noiva, expressaram a sua emoção ao relatar que a sua filha, estudante de arquitectura, e o seu esposo, Ricardo, comunicador social que trabalha para Meridiano, " se conheceram, há cinco anos e meio, durante o jogo entre La Guaira e Magallanes" .


22 Opinião.

Correio da Venezuela.

07 a 13 de agosto de 2008.

Petróleo! O preço a pagar...

P

ara quem já assistiu a alguns " choques petrolíferos" no passado, nada se compara com o actual. Não vou fazer grandes comentários sobre quem está a ganhar com este " negócio" . Já vi e ouvi acusar tudo e todos: os produtores, os especuladores, as refinarias, os distribuidores, os governos, a globalização, o elevado consumo chinês, a guerra no Iraque, a sabotagem na Nigéria ou uma greve nas plataformas da Noruega, etc. Concluí simplesmente e de forma amadora que, praticamente todos eles ganham com esta escalada de preços e, quem está a sofrer e continuará a pagar ( enquanto puder...), serão os muitos milhões de consumidores desta energia, que foi a alavanca do nosso desenvolvimento económico no séc. XX. Estamos a viver o sufocar de uma economia mundial, a braços com um custo cada vez mais elevado da sua principal fonte de progresso e com repercussões que excedem o simples transporte individual ou colectivo, para atingirem os produtos alimentares e todo o tipo de bens e serviços, que nos habituámos

Luís Barreira

É preciso baixar o consumo do petróleo, para que ele baixe de preço

a ter a baixo preço e que nos permitiram um certo bem-estar. E porque a economia não está desligada do social, serão cada vez maiores as contestações populares aos aumentos de preços e aos governos nacionais e transnacionais que os permitem, caminhando o mundo para uma situação de bloqueio social, político e económico que, se não for encontrada, atempadamente, uma solução razoável, poderá " deslizar" para o tipo de soluções que estiveram na base dos grandes conflitos internacionais, do início do século passado. Sem querer ser pessimista, mas mal habituados que estamos a que as nossas sociedades " resolvam" harmoniosamente os seus problemas, temo que, desta vez, elas não estão preparadas para o fazer, sem grandes convulsões ou revoluções, na forma como temos vivido. Podemos " brincar" ainda algum tempo ao " liberalismo" , comprando gasolina mais barata num outro país ou fazendo greve ao consumo de algum outro produto. Mas não se assustem! Já passámos da tracção animal ao vapor e deste último ao petróleo, resta saber como é

que vai ser a transição para a, ou as, próximas formas de energia, que passarão a ser as responsáveis pelo nosso contínuo desenvolvimento. Vamos ter naturalmente que diversificar a origem das energias essenciais ao nosso bem estar. Já sabíamos das graves consequências para o planeta, em termos de poluição, que a utilização do chamado " ouro negro" tem produzido. É tempo de " tirar da gaveta" muitas das descobertas científicas, que têm sido " caladas" , por grandes interesses económicos e que poderiam substituir os actuais carburantes utilizados em muitos casos. É preciso obrigar os governos a adoptar medidas sérias e eficazes a favor das energias alternativas e facultá-las, sem hesitação ( e sem especulação), ao consumo popular. É preciso baixar o consumo do petróleo, para que outras energias, mais limpas, duráveis e acessíveis, possam tomar o seu lugar. Alguns portugueses já começaram a dar o exemplo, a avaliar pelo nosso compadre alentejano, que colocou a sua furgoneta a trabalhar com banha de porco preto! Podem sorrir... mas não deixa de ser um bom exemplo!

Subdirector Agostinho Silva Coordenação em Caracas Elizabeth De Ornelas Jornalistas: Jean Carlos de Abreu, Erika Correia, Victoria Urdaneta, António da Silva, Rebeca Fandiño, Magnalis Tavares, Anaís Castrellón, Andreína de Abreu Correspondentes: Carlos Balaguera (Maracay e Valencia) Carlos Marques (Mérida) Edgar Barreto (Punto Fijo) Trinidad Macedo (Barquisimeto) Valéria Costa (Margarita) Francisco Figuera (Valencia) Silvia K Gonçalves (Guayana) Colaborações: Raúl Caires (Madeira) António de Abreu, Arelys Gonçalves Antonio López Villegas, Luís Barreira, Álvaro Dias, Luis Jorge Sandra Rodríguez, Ysabel Velásquez Gerente Executivo Aurelio Antunes Publicidade e Marketing: Carla Vieira Ventas Ricardo de León Preparação Gráfica:

Rectificações

DN-Madeira Produção: María Alexandra Monteverde C. Fotografia

Q

uando o tenente-coronel Hugo Chávez ascendeu ao poder na Venezuela, há aproximadamente uns dez anos, alguns observadores, quiçá a maioria para não generalizar muito, captaram de imediato o potencial antidemocrático que o " novo populismo" a sua figura carregava. A maioria deles decretou que a política venezuelana tinha entrado definitivamente numa fase populista. Com ele, evidentemente se rompia a falsa crença de que o chamado populismo latino-americano correspondia a um período histórico determinado pelo processo da industrialização substitutivo dos anos 30 e 40 do século passado. Nesse sentido, o chavismo, ou era um populismo extemporâneo, ou era um populismo " sui generis" . Mas, lentamente, foi impondo-se entre os analistas políticos a tese de que, efectivamente, o chavismo não podia ser equiparado com nenhum dos populismos do passado na América Latina. Quiçá Chávez, ao oferecer demagogicamente aquilo da

Director: Aleixo Vieira

Antonio López Villegas altatribuna@ yahoo.com

Este governo tem "balbuciando" entre distintas correntes ideológicas

incorporação dos excluídos, do castigo exemplar a quem saqueava os tesouros públicos, a eliminação do neoliberalismo selvagem e o de " cortar as cabeças" às " cúpulas podres" da quarta República, feznos crer, inclusive a mim, que efectivamente era o ponto final nos desastres desse período também nefasto para a Venezuela. No entanto, depois destes quase dez anos, vimos aquilo que jamais podíamos ter imaginado. Esses governos, vendo bem as coisas, foram " umas crianças de peito" ante o que assombrados e pasmados estamos vendo actualmente. " Ripley, se tivesse dado gosto neste país com o seu mundialmente famoso programa " Ainda que você não acredite" . E que dizer do museu que leva o mesmo nome. Infinitos teriam sido os seus programas a ter eleito este país como exemplo. E o museu nem se fala. Este governo tem " balbuciando" entre distintas correntes ideológicas, águas remexidas e ideias que geraram uma total confusão entre toda a

população e atrevo-me a dizer toda porque entre o mesmo chavismo existe toda uma gama de tendências que quiçá jamais poderiam colocarse de acordo a não ser pelo carácter autoritário do líder indiscutível desse processo: " Quem não está comigo é meu inimigo" . Bolívar, Zamora, Mao, Fidel, Carlos Marx, Simón Rodríguez, para nomear alguns, têm sido os inspiradores em que este governo se entusiasmou ao longo destes anos, para terminar, por agora, com o do " Socialismo do século XXl" . Talvez a maneira mais simples de entender o que nos está a acontecer é compará-lo com aqueles indivíduos aos que se lhes pergunta: " que tipo de mulheres gostas? - Gosto das altas, ruivas e magras. Muito bem respondido! - Espera, também gosto das baixinhas, gordas e negras. Claro, entendi! - No entanto, atraem-me também as de estatura média, morenas claras e que não sejam nem gordas nem fracas. Isto é, qualquer uma, através de ensaios, poderíamos exercer qualquer profissão.

Leo Merchán Administradora de conteúdos Web Juliet Linarez Distribuição: Juan Fernández e Enrique Figueroa Impressão: Editorial Melvin C. A Calle el rio con Av. Las Palmas Boleita Sur - Caracas Venezuela Endereço: Av. Principal Las Mercedes. Edif. Centro Vectorial (Banco Plaza). Pent House, Urb. Las Mercedes, Baruta Caracas (Ao lado de CONAVI). Telefones: (0212) 9932026 / 9571 Telefax: (0212) 9916448 E-mail: correio@cantv.net URL: www.correiodevenezuela.com Tiragem deste número: 15.000 exemplares Fontes de Informação: Agência de Notícias Lusa, Diário de Notícias, Diário de Notícias da Madeira, Ilhapress, Portuguese News Network e intercâmbio com publicações em língua portuguesa, de diferentes partes do Mundo.


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

Cartas:

07 a 13 de agosto de 2008.

23

Cartas&Inquerito

Favor enviar as suas cartas e comentários ao enderaço electrónico: correio.prensa@gmail.com

Não percebo!!!

“Apenas negócios”

Preços muito caros

Mais que emocionada

Vivo em Guatire, muito perto de Caracas. Sou leitora do CORREIO e escrevo porque não percebo a maneira de escrever e interpretar os acontecimentos da comunidade. Li na última edição "Réplica do santuário só tem 40%". Juro que me chamou a atenção a notícia e pensei que fazia referência à construção da igreja de Guatire, que está em projecto há mais de quatro anos. Mas não. Resulta que era a notícia do projecto de Los Teques, onde apenas há dois meses começaram com a ideia e já têm 40% do projecto. O que não percebo é porque é que a jornalista coloca "só tem" quando deveria dizer "já tem" .

Gosto de ler o CORREIO e fico contente por saber que o governo da Venezuela está sempre a reunir com o governo de Portugal, da mesma maneira fico contente quando o jornal elogia o governo português pelo que faz pela comunidade na Venezuela. No entanto, aproveito para desabafar: julgo que faz o que faz apenas pelo petróleo, pelo dinheiro, pelo factor económico e nada pelo factor humano e social, tal como deveria ser, fazendo jus à sua definição de partido político. Só negócios, "business" e nada da comunidade portuguesa. Por exemplo como é possível tanta luta para aprender Português na Venezuela, devido à falta de professores, quando tantos profissionais nessa área estão desempregados em Portugal?

Escrevo para o vosso jornal para comentar a vinda do Marítimo da Madeira à Venezuela. De facto já lá vão os tempos das vitórias, dos estádios cheios, da emoção, etc.. Falo nas vitórias porque o Marítimo perdeu todos os jogos este ano na Venezuela, incluindo o campeonato Mundialito de Puerto La Cruz e onde inclusivamente perdeu com a Venezuela por 8 a 0. Mas o resultado seria o que menos importasse dado que julgo que o mais importante foi o preço a que puseram os bilhetes para ver as "estrelas" jogar: 350.000 mil bolívares. Resulta que as pessoas que gostam de futebol ao vivo, como eu, vivemos do nosso salário mensal, e não podemos dispensar 350 mil bolívares para ver um jogo de futebol. No meu caso, somos três pessoas em casa. Imaginem que seria 1.050. BsF. Impossível, já que representa metade do meu salário mensal. Fiquei triste, embora tenha visto pela televisão. Mas os preços estavam muito caros .

Felicito a associação que está encarregada de construir a réplica do Santuário da Virgem da Fátima. Na verdade, parece-me emocionante saber que dentro em breve o país vai ter um bocadinho de Portugal. Temos sido sempre uma comunidade muito devota da nossa padroeira e é gratificante saber que aqui se vai construir um monumento em sua honra. Oxalá pudessem conseguir todo o apoio necessário para que a réplica esteja pronta em 2009 e para que possamos desfrutar dela.

Susana Freitas

Victor Rentroia Mendes

Carolina Pereira

Júlio G. Berimbau

Inquerito: Como viu a visita do Marítimo da Madeira à Venezuela? Domingo García Professor

Alexandre Mendonça Sacerdote

Maria Susette Cabeleireira

Juan Carlos Gonçalves Estudante

"Parece-me bem que tenham vindo. Primeiro porque nós, na Venezuela, queremos que as nossas equipas venham para conhecê-los. E que eles também façam a sua preparação porque precisam de estar em forma na Liga que disputam".

"Como dar uma opinião, se eles vêm precisamente para preparar-se... É lógico que a equipa não podia dar a satisfação que a comunidade portuguesa esperava porque não estava preparada nem técnica nem fisicamente para tal. Mas não posso deixar passar esta oportunidade para agradecer a sua visita à Venezuela, positiva de todos os pontos de vista. Boa sorte e que Deus vos abençoe".

"Acho que foi muito positiva, tanto para eles como também para nós, que somos adeptos. A sua actuação foi fantástica. Sinto-me orgulhosa da sua prestação e da sua visita ao nosso país".

"Foi interessante receber uma equipa portuguesa de alto rendimento para fazer a pré-temporada aqui e mostrar-nos o seu futebol. Serve também como incentivo ao futebol venezuelano, que devia seguir o exemplo quanto à forma de jogar e viver o desporto."


24Câmara de Lobos.

07 a 13 de agosto de 2008.

Correio da Venezuela.

PUBLICIDADE

Estreito tem novo Centro Comunitário Espaço Está vocacionado para a formação E informação da população dEsta frEguEsia.

PUBLICIDADE

O Estreito de Câmara de Lobos dispõe de um novo Centro Comunitário vocacionado para a formação e informação da população desta freguesia. Além da actividade física dirigida à população sénior, o novo espaço oferece cursos de formação em diversas áreas. A autarquia investiu 245 mil euros num espaço composto por uma sala polivalente, auditório, cozinha, sanitários e balneários, sala de informática, sala de estar e recepção. As novas instalações foram inauguradas pelo presidente do Governo Regional. Este centro comunitário está instalado no piso superior do mercado municipal da vila do Estreito e ocupa uma área de 750 metros quadrados. O novo espaço é uma iniciativa da Câmara Municipal de Câmara de Lobos e está vocacionado para a formação e informação da população sénior da freguesia do Estreito, bem como para as crianças e jovens. As principais valências são: ginástica, actividade física e educação para a saúde, cursos de formação social, pessoal e familiar, atelier de leitura e espaço Internet. Acerca desta obra, o chefe do Executivo madeirense, Alberto João Jardim, observou que será um local onde os da " idade da sabedoria"

poderão conviver com os mais jovens, podendo aceder a actividades culturais e físicas que os incentivem a não ficar isolados em casa. " As pessoas têm de conviver mais, para não se sentirem definhar" , alertou. O presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, Arlindo Gomes, manifestou a sua satisfação pessoal por sentir cada vez mais que a população da freguesia tem orgulho de pertencer à terra que a viu nascer. " Hoje, este espaço, é o reforço desse nosso trabalho" , sublinhou o autarca câmara-lobense.


o jornal da comunidade luso-venezuelana.

Festival

07 a 13 de agosto de 2008.

25

Câmara de Lobos

Artmar 2008

A IV edição do Festival Artmar tem Camané como cabeça de cartaz e realiza-se no dia 5 de Setembro nos Jardins do Ilhéu. Nesta que será a primeira actuação na Região, o fadista irá apresentar " Sempre de Mim" o seu novo álbum de originais com produção de José Mário Branco. A abertura do Festival estará a cargo do Côro de Câmara de Câmara de Lobos. Os ingressos para o espectáculo custam 10 euros e podem ser adquiridos a partir de dia 4 de Agosto no Bar do Mar, na Câmara Municipal e nas lojas ARPimenta. As portas abrem às 21h00.

Bombeiros têm novo quartel O novo quartel dos Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos vai albergar 44 elementos ( 23 dos quais em regime profissional e os restantes em voluntário) e está instalado num edifício de dois pisos, dividido em três zonas de serviços. Possui uma área total de 2 mil metros quadrados. Dispõe ainda de uma recepção, controlo de serviços e telecomunicações, parque para 22 viaturas, camaratas para os bombeiros de serviço, balneários, vestiários, refeitório, um espaço para exercícios denominado " casa escola" , entre outras valências. Este investimento do Governo Regional rondou os 1,2 milhões de euros. Em meados deste Agosto, o contingente poderá ser reforçado, com a entrada de uma nova escola de 40 formandos. PUBLICIDADE


26Saúde&Bem-estar.

A importância de amamentar Erika Correia yeyacr16@ hotmail.com A Semana Mundial da Amamentação Materna celebra-se de 1 a 7 de Agosto de cada ano com o propósito de sensibilizar as pessoas para a importância de amamentar durante os seis primeiros meses de vida dos bebés pois tal proporciona, como nenhum outro meio, o alimento e a nutrição que melhor convém ao crescimento são e ao perfeito desenvolvimento das crianças. Esta celebração, que se realiza em mais de 120 países e que é apoiada pela Organização Pan-americana da Saúde ( OPS), trata de abrir a consciência das mães, sobretudo das que o são pela primeira vez, sobre a adequada nutrição do lactante no seu primeiro ano de vida, já que disso depende que a menina ou menino desenvolvam plenamente o seu potencial humano. Para Maria Fátima Sousa, médica pediatra do Hospital J.M. de Los Ríos, os dois primeiros anos de vida representam

uma janela aberta de oportunidades que devem aproveitar-se ao máximo para promover o desenvolvimento óptimo da saúde e o crescimento tanto físico como mental do recém-nascido, ao mesmo tempo que sugere que depois dos seus primeiros meses a amamentação materna seja acompanhada de uma alimentação complementar. " O êxito da amamentação depende, em grande parte, de factores como a alimentação da mãe. Esta deve ter uma nutrição rica em cálcio, que pode ser adquirida através de produtos lácteos e os seus derivados, em vitamina C e D, alimentos ricos em nutrientes que garantam uma fabricação de leite suficiente para alimentar uma criança e dar-lhe todas as vitaminas essenciais" . Aproveitou a oportunidade para convidar todas as mães a que dediquem um dia desta semana a amamentar os seus filhos ao ar livre, se puderem fazê-lo, pois isto permite à mãe oferecer ao bebé os benefícios da luz solar e de respirar ar puro.

PUBLICIDADE

Na edição desta semana do programa 'Contacto Venezuela', da RTPI, vamos a história de José Luís Ferreira, uma figura reconhecida por toda a comunidade lusa na Venezuela pelo seu trabalho em diversas áreas. Foi presidente do Club Sport Marítimo da Venezuela, e actualmente preside à Academia do Bacalhau e à Câmara Venezuelana Portuguesa de Comércio, Indústria, Turismo e Afins. José Luís Ferreira, natural do Funchal, Madeira, chegou a esta país há mais de 30 anos. É casado com uma venezuelana, com quem teve três filhos. É considerado um dos responsáveis pelo desenvolvimento e evolução da actividade lusa na Venezuela. Vale a pena conhecer a fundo o trajecto desta personalidade única. O programa inclui também um especial sobre Urbe Bikini, onde a bela lusodescendente Carla Gomes foi apresentada pela primeira vez. Estão também previstas imagens da formação Sub-15 do Marítimo da Madeira que veio à Venezuela para participar no Mundialito 2008, na cidade de Puerto La Cruz.

CorrEio da VEnEzuEla.

07 a 13 de agosto de 2008.

Conduzido pelas luso-descendentes Sandra Rodrigues e Vanessa dos Santos, o programa é transmitido de 15 em 15 dias, todas as sextas-feiras, com três sessões diárias. É produzido desde Novembro pela Roteiro Films C.A., Productora Nacional Independiente de capital social lusitano. Através deste endereço electrónico da RTP, poderá consultar o arquivo de programas: http: //ww1.rtp.pt/multimedia/index.php?t vprog=17736 VENEZUELA CONTACTO Viernes, 01 de Agosto de 2008 Hora Venezolana: 4: 00 a.m. - 4: 00 p.m. - 9: 30 p.m.

Prevenir lesões desportivas sem deixar de se mexer

Entre as lesões mais frequentes encontram-se a tendinites, distensões e roturas musculares.

Ysabel Velásquez ysabelvd@ yahoo.com O desporto é fundamental para que crianças e adultos tenham uma boa saúde, mas a prática pouco cuidadosa de actividade física pode gerar lesões com repercussões irreversíveis. Conversámos com o médico Manuel Alberto Figueiras, do Instituto Nacional do Desporto ( IND) a fim de conhecer as formas de prevenção dos traumatismos e as suas lamentáveis consequências. Segundo aquele profissional de Saúde, a área do corpo mais afectada pela prática desportiva é o joelho, seguido do cotovelo e depois pelo ombro. Entre as lesões mais frequentes encontram-se as dos tendões, como as tendinites, uma infinidade de distensões e roturas musculares, para além de lesões dos ligamentos que compreendem as lesões como as entorses, e as relativas às articulações, como as luxações. Para evitar as lesões desportivas, é fundamental, sublinha Figueiras, compreender que para todo o esforço físico há que treinar de forma progressiva, já que não se pode passar do sedentarismo à actividade repentina, como correr uma hora diária, pois a falta de adaptação dos sistemas vitais vão-nos levar a lesões por excesso de uso. Daí a importância de o organismo estar adaptado à carga de trabalho que vai realizar. É importante realizar exercícios de aquecimento adequados ou alongamentos prévios ao exercício, bem

como depois da actividade, por forma a relaxar os músculos. É também importante usar roupas e calçado adequados a cada desporto. Para a comunidade lusitana, o desporto rei é o futebol, pelo que aquele especialista considera que o factor que produz mais lesões na prática deste desporto é o contacto físico, o que se resolve à medida que o jogador adquire mais técnica e melhor preparação física. É sobretudo nos mais jovens, que se iniciam no futebol, que aparecem as lesões devido a uma preparação inadequada para a altíssima exigência que esta disciplina implica, bem como a inadequada protecção das extremidades com os equipamentos requeridos. Com o objectivo de prevenir lesões nas crianças, este médico afirma que " é de suma importância ensiná-los a cumprirem as rotinas dos jogos, fomentando a pontualidade para não terem que iniciar as actividades sem aquecer, utilizando o equipamento adequado e verificando se o local do jogo está em óptimas condições" . Figueiras conclui que o desporto deve contribuir para uma sã diversão e para saúde, por isso deve-se cumprir as normas básicas de prevenção e preparação para alcançar estes objectivos fundamentais sem causar danos ao organismo. Dr. Manuel alberto Figueiras trauMatologista instituto nacional Do Deporte (inD) tlF.: (0412) 2407530


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

27

Desporto

Jovem promessa vai para o Benfica María Alejandra Colmenares Magnalis Tavares A sua agilidade, rapidez no terreno de jogo e força frente ao adversário fazem de Jonathan Goncalves uma grande promessa do futebol venezuelano. Este luso-descendente viaja até Portugal, nas próximas semanas, com a ilusão de assinar um contrato que o vincule durante cinco anos ao Sport Lisboa e Benfica. Este jovem, de apenas 13 anos, que veste a camisola 7, participou por primeira vez numa competição internacional ao competir no XXV Torneio Internacional Pentecostés, que se levou a cabo na cidade de Barcelona, Espanha, entre 13 e 16 de Maio do corrente ano, onde a sua equipa, a Casa Italia Maracay, da qual era o capitão, conquistou o terceiro lugar. Este 'onze' jogou com 18 formações na categoria sub13. Depois deste torneio, viajou para Portugal para continuar com os treinos. Foi durante estas práticas que foi observado por Eusébio, figura emblemática do futebol português, que o comparou com futebolistas da tarimba de Deco, quando era criança, Rui Costa, entre outros jogadores de

Goncalves a 20 de Agosto assinará um contrato com Sport Lisboa e Benfica por cinco anos

clubes como o Sporting e o Benfica. Este facto enche de orgulho os seus pais José Goncalves e Isabel Fernández, posto que conhecem o talento do seu filho e têm estado a apoiá-lo desde o início da sua carreira. Jonathan Goncalves, melhor conhecido como " Jona" , deu-se a conhecer através do programa de futebol infantil " Academia de Campeões" , produzido pela produtora 'Roteiro Films', que é transmitido pela Meridiano Televisión, todas as quintas-feiras. Actualmente, Jonathan Goncalves " Jona" encontra-se pelo segundo ano consecutivo na Real Madrid Soccer Language School, uma escola de Verão sedeada em Inglaterra, onde aprende inglês e joga futebol todos os dias com o objectivo de aperfeiçoar a sua técnica e o domínio do jogo. Este rapaz aguarda com muita ânsia pelo 20 de Agosto, data em que foi agendada a assinatura do contrato, para assim vestir a camisola " encarnada" e começar a demonstrar o seu talento e crescer como profissional. Além disso, sonha em conhecer dois grandes ídolos: o capitão encarnado, Nuno Gomes e a nova aquisição benfiquista, o argentino Pablo Aimar. PUBLICIDADE


28 Desporto.

COrreiO da Venezuela.

07 a 13 de agosto de 2008.

Zé Castro quer a selecção Zé Castro é uma das figuras do Desportivo da Corunha, um jovem central português que apresta-se para ser o patrão da defensiva dos espanhóis. No final do encontro, o DIÁRIO conversou com o jogador, o qual começou por realçar o facto de estar " satisfeito por estar no Corunha" onde acredita poder realizar " uma temporada bastante boa" . Na primeira fase da pré-temporada em solo venezuelano onde chegaram no início do mês, regressando a Corunha somente na sexta-feira - Zé Castro queixa-se de que " houve muito calor" e das " condições de trabalho" que considera não serem as melhores" . Um pouco à semelhança do que aconteceu com o Marítimo... Pontos menos positivos que o central considera " valer a pena ultrapassar" para ir ao encontro da comunidade imigrante. " Há muita gente espanhola e portuguesa aqui na

Venezuela" , constata. Até ao momento, Zé Castro parece ter lugar cativo no centro da defesa, pelo menos tem sido essa a indicação dada pelo técnico Miguel Angel Lotina. " Foi um treinador que me queria e só isso é bastante importante. Sentir que tenho pessoas que têm apostado em mim é muito bom para a minha evolução" , enalteceu. Zé Castro pensa, por isso, em voltar a realizar uma época tão ou mais regular do que a primeira que efectuou quando chegou ao Atlético de Madrid... " Fiz uma boa época em Espanha no primeiro ano. No ano passado é que as coisas não correram muito bem e claro que agora quero voltar a jogar e evoluir cada vez mais para chegar onde quero" ... E o seu desejo, ao que tudo indica, passa por continuar no Desportivo. " Ainda sou jogador do Atlético, mas o Corunha tem opção de compra e eu quero

O jovemportuguês parece ter lugar cativo no centro da defesa

fazer a melhor época possível" , argumentou. Zé Castro 'reclama' ainda a atenção de Carlos Queiroz, garantindo que a selecção está nos seus " planos futuros" , mas sabe que " para lá chegar as coisas têm de correr bem à equipa" . A concluir, considerou que o " Marítimo tem uma boa equipa" , exaltando as " dificuldades que colocaram ao Corunha em alguns espaços do jogo" . " Sinceramente gostei do Marítimo" concluiu, antes de revelar que estará " muito atento ao campeonato da Académica" , clube que o lançou no futebol. A oportunidade de transferir-se para o Sporting foi efectivamente uma " possibilidade" esgotada rapidamente. " As coisas acontecem muito rápido no futebol. Acabou por surgir uma proposta muito boa do Corunha e aceitei-a logo" , confidenciou.

PUBLICIDADE

PGA Contribui para Crescimento da TAP A aquisição da PGA, em Julho de 2007, teve por objectivo reforçar a posição competitiva da TAP, permitindo-lhe alargar o número de destinos da sua rede, com um aumento significativo de passageiros oriundos de cidades a pequena e média distância, muitos deles não servidos pela Companhia, captando tráfego de ponto a ponto e alimentando a rede de médio e longo curso. O total de passageiros transportado pela TAP no primeiro semestre atingiu os 4,1 milhões, 22% acima do verificado em igual período do ano passado. Cerca de 12 pontos percentuais desse aumento correspondem ao tráfego operado pela frota da PGA. Este crescimento foi especialmente evidente no Aeroporto do Porto, onde a TAP cresceu 38%. Nas vendas apuradas no primeiro semestre em Portugal através dos Agentes de Viagens, a TAP aumentou o seu " share" de 46% para 52%, para o que contribuíram também as receitas apuradas nos voos operados em

equipamento da PGA. Nas suas representações europeias, as vendas da TAP aumentaram 24% de Janeiro a Junho, mas onde cresceram de forma mais significativa foi nos mercados de Espanha ( 68%) e de França ( 39%), exactamente aqueles onde a TAP mais cresceu a sua oferta contando com a frota da PGA. Salienta-se que todos os custos referentes à aquisição, bem como os encargos da dívida, são suportados pela operação da própria PGA. Neste primeiro ano de actividade, a companhia regional ( segundo semestre de 2007 e primeiro de 2008) que em 2006 teve um prejuízo de 60 milhões de euros, passou para um resultado negativo de 3,9, confirmando que está no caminho da recuperação. Porém, as sinergias que trouxe à TAP e o contributo directo e indirecto que deu às receitas desta e ao aumento do número dos seus passageiros, tornam o saldo claramente positivo, confirmando as melhores expectativas.


O jornal da comunidade luso-venezuelana.

07 a 13 de agosto de 2008.

A sexta vez do Marítimo Edmar Fernández DN-Madeira A história do Marítimo contempla momentos de grande nostalgia vividos na Venezuela, ou não fosse esta a sexta vez, na sua existência quase centenária, que a colectividade madeirense visitou Caracas. A primeira deslocação aconteceu há 33 anos ( 1975), equipa que era orientada por José Pedro Gomes. Técnico que acabaria por comandar novamente o conjunto que três anos depois ( 77) regressaria à Venezuela, em ano de subida ao primeiro escalão do futebol português. Seguiu-se uma outra digressão com a equipa de Medeiros, em 1980, e só dez anos mais tarde, com Paulo Autuori, os maritimistas voltariam a Caracas. Por último, Nelo Vingada também teve oportunidade de conviver de perto com os milhares de madeirenses residentes na Venezuela em 2001.Presenças que se justificam em função do carinho que a

Carlos Pereira, não tem dúvidas de que a equipa “volta a Caracas”

grande comunidade madeirense residente em Caracas nutre pelo emblema. Não obstante a recente visita ter coincidido com um período de férias, foram muitos os adeptos que não quiseram perder a oportunidade de conviver de perto com os homens que vão tentar alcançar o sucesso desportivo. O facto de se ter tratado de um

estágio de preparação para a longa temporada que se aproxima limitou o número de acções de cariz social, mas as existentes, principalmente as primeiras duas - Centro Português de Caracas, em Macaracuay, e Casa Portuguesa em Maracay - foram bem engendradas. Curiosamente, acabou por ser o Centro Marítimo da Venezuela,

em Turumo, quem revelou menos entusiasmo por receber a 'caravana' verde-rubra, desiderato a que não é alheio, segundo os responsáveis pelo clube, a hora tardia da visita - após o jogo diante do Corunha - e o facto do dia seguinte implicar o regresso ao trabalho. De resto, alguns dirigentes tiveram ainda oportunidade de visitar a Academia do Bacalhau, confraternizando com muitos dos 150 compadres que ( con)vivem em Caracas. Independentemente da equipa ter sentido algumas dificuldades para cumprir os desígnios profissionais - estágio de pé-temporada - que tinha planeado, o presidente do clube, Carlos Pereira, não tem dúvidas de que a equipa " volta a Caracas" sempre que os imigrantes " entenderem ser útil" . Disponibilidade que entende ser obrigatória para a retribuir " tudo o que foi feito em prol do clube no passado" pelas pessoas residentes em Caracas.

29

Desporto

Estágio com várias “manchas” A organização da digressão maritimista em Caracas esteve em foco por motivos pouco estimulantes. A Liga Premier acabou por não ser feliz, falhando em diversos 'pormenores', tais como o cumprimento de horários de treino e jogos, embora relevemos as péssimas condições de quase todos os relvados em que treinou. A Liga Premier demonstrou vontade em melhorar todos os aspectos, colocando sempre dois elementos a acompanhar a 'caravana' verde-rubra, que obedeciam às indicações dos responsáveis pelo grupo. Mas Lori Sandri e seus pares não foram os únicos a sofrer contratempos. Também o Desportivo da Corunha tem enfrentado complicações na Venezuela, conforme admitiu Zé Castro, internacional luso que actua nos espanhóis. " Tem sido muito difícil em termos de trabalho. Mas vale a pena cá vir porque vivem muitos espanhóis e portugueses" . PUBLICIDADE


30 Desporto.

Correio da VenezueLa.

07 a 13 de agosto de 2008.

3x5x2 em vantagem segundo Lori Sandri No final da primeira etapa do estágio maritimista, já existe um ponto de referência em relação à forma como o Marítimo apresentar-se-á nas diferentes provas em que está envolvido. Lori Sandri reconheceu que o modelo que inclui três centrais tem sido o que mais lhe agradou até ao momento, como sucedeu durante o encontro frente ao Desportivo da Corunha. " Utilizámos o 4x3x3 na primeira parte para ver como é que a equipa se comportava, mas na segunda optei por voltar ao 3x5x2 e acho que melhorámos no segundo tempo" apontou o técnico. No entanto, e embora tenha gostado " mais" da etapa complementar, pensa continuar a efectuar experiências a este nível, mas admite que o modelo com três defesas " possa ser um ponto de trabalho no início" . Ainda assim, acrescenta que dispõe de " mais quatro jogos" de preparação em Melgaço, os quais aproveitará para " continuar a promover alterações" , dando mostras de ainda não estar completamenPUBLICIDADE

O importante, conforme vincou, é que o plantel " realizou o seu trabalho, independentemente das dificuldades. Esta etapa compreendia três jogos e conseguimos realizá-los" valorizou. Zé Gomes na 'berlinDa'

Lori Sandri reconhece a superioridade dos espanhóis

te certo do melhor dispositivo para o Marítimo, até porque faltam algumas unidades importantes na equipa, nomeadamente o capitão Bruno. De resto, e restringindo a conversa ao jogo com o Desportivo da Corunha, o técnico reconhece a superioridade dos espanhóis. " Encontrámos um adversário mais qualificado, com uma qualidade técnica um pouco superior à nossa" referiu, antes de abordar as incidências do jogo. Lori Sandri considerou que os seus pupilos até começaram " bem" e poderiam ter " conseguido ganhar vantagem o que certamente mudaria a história do jogo" . Assim não aconteceu e acabaram " surpreendidos no contra-ataque e sofrer um golo. A partir daí o Corunha dominou todo o primeiro tempo" , descreveu. Com a mudança na estrutura táctica, o Marítimo melhorou segundo o treinador " dispôs de mais oportunidades, enquanto o Corunha preferiu apostar no contra-ataque" . Lori Sandri considerou que a equipa " atingiu os objectivos pretendidos" com a realização do encontro, " embora o resultado seja diferente" daquele que queria. Direcção viu falhas

Em jeito de balanço ao estágio promovido em Caracas, Lori Sandri deu nota bem negativa à forma como a Liga Premier conduziu a operação... " A organização falhou muito, mas não sou eu que vou estar a criticar. A direcção estava aí, sabe o que ocorreu" , aludiu.

A expulsão do lateral Zé Gomes no final da partida diante do Desportivo da Corunha não caiu bem à equipa técnica. " A expulsão do Zé Gomes será resolvida internamente e depois veremos o que faremos" começou por salientar Lori Sandri. Para o treinador, " independentemente de tratar-se de um jogo amigável" , a equipa técnica " não gosta de ter ninguém expulso" . O defesa terá alegadamente agredido um atleta do Corunha quando tentava ganhar posição junto à área contrária. O árbitro auxiliar acompanhou o lance e pediu ao seu chefe de equipa para expulsar o maritimista. Primeiro, o juiz equivocou-se dando ordem de expulsão a Pedro Moutinho e foi Zé Gomes que ajudou a diluir as dúvidas, dando um passo em frente no sentido de reconhecer que tinha sido o protagonista do lance. esboço Do onZe

Tendo por base os três desafios disputados em solo venezuelano, alguns jogadores parecem partir em vantagem para Melgaço no que diz respeito à luta por um lugar no onze. Embora ainda exista tempo para 'apanhar o comboio da titularidade', a verdade é que Lori Sandri tem já ideias bem definidas relativamente aos elementos que poderão merecer a sua confiança na primeira fase da época. Começando pela baliza, Marcos continua a ser o escolhido, como era, aliás, previsível. Depois, tudo mudará consoante a táctica utilizada. Partindo do pressuposto que o 3x5x2 é o modelo que mais tem agradado ao treinador ( conforme reconhece o próprio), os três centrais pelo menos até à chegada de Van der Linden, que está ainda a recuperar de uma lesão - serão João Guilherme, Cardozo e Carlos Fernandes. Se o esquema incluir uma linha defensiva de quatro defesas, Carlos Fernandes deriva para a esquerda, com Zé Gomes a posicionarse no flanco oposto. Mas voltando ao 3x5x2, no meiocampo Lori Sandri impõe a obrigação de correr pelos corredores a Zé Gomes e Miguelito, enquanto o miolo tem sido ocupado por Olberdam e João Luiz, estando ainda à espera de entregar a organização


o jornal da comunidade luso-venezuelana. do jogo ao capitão Bruno Fernandes. Na frente é que tudo se complica, com Manu e Djalma ( este tem a dupla de missão de situar-se na zona central, derivando depois para a direita sempre que necessário) a se adiantarem na corrida com Paulo Jorge, que terá de recuperar o tempo perdido agora em Melgaço. No posto de pontade-lança têm alternado Bruno Fogaça e André Pinto, muito embora pertençam a Pedro Moutinho as melhores indicações no tocante a essa função. Trio que já conhece o nome do eventual novo adversário pela titularidade, o uruguaio Taborda, avançado que o Marítimo está a tentar adquirir ao Corunha. imiGrantes tristes com o resultaDo

Perder? Nem a feijões! E os imigrantes que assistiram ao encontro frente ao Desportivo da Corunha que o digam... De facto, o cariz particular do embate não incutiu menor seriedade à forma como os adeptos do Marítimo digeriram a derrota. Tristes e chateados com a

maneira como a equipa se comportou, alguns evocaram mesmo o passado para comparar e criticar a postura do conjunto actual. Também por isso não foi de estranhar que a saída dos portugueses do estádio tivesse sido bem mais apressada do que a dos espanhóis. Esses, que estiveram em maioria, não descoloram um segundo da comitiva do Corunha. Cânticos, pedidos de autógrafos e fotografias em catadupa, que quase impediram o treino posterior ao embate para os atletas que não foram utilizados. Djalma e olberDam em eviDência

Concluída a primeira metade do estágio de pré-temporada, é tempo para retirar algumas ilações. E no plano positivo, há que referir o nome de dois elementos que parecem prontos a desempenhar papéis de relevo na estrutura do conjunto de Lori Sandri: Djalma e Olberdam. O primeiro, que esteve com um pé fora do clube, foi o único capaz de criar desequilíbrios ao longo dos três jogos de preparação, tendo inclusive apontado

07 a 13 de agosto de 2008.

31

Desporto

Centro Marítimo da Venezuela em Turumo

os cerca de 500 sócios não aproveitaram para conhecer os jogadores

dois dos três golos que a equipa marcou em solo venezuelano. Seja no meio ou nas alas, Djalma assume-se como o 'ás' dos madeirenses, parecendo capaz de assumir sozinho as despesas do ataque. Quanto a Olberdam, que até capitaneou a equipa nos jogos frente ao Caracas FC e Corunha, desempenhou na perfeição o papel de líder. O médio apresenta já uma boa forma física que lhe permitiu vencer quase todas as lutas individuais com os seus adversários. Foi a melhor unidade do miolo e deverá ter lugar garantido no

onze ao lado de... Bruno. Dia De folGa e nova viaGem

A equipa técnica concedeu folga aos seus pupilos no dia de ontem, condicionando-os somente à obrigação de jantar no hotel. A partir de então, os atletas voltaram a estar em regime de concentração. De resto, a viagem para Melgaço inicia-se às 21h45 de amanhã ( 16h15, na Venezuela), com a chegada a Lisboa a estar prevista para as 6h30. A ligação para o Porto está marcada para as 10 horas, seguindo-se nova viagem, desta feita de autocarro, até Melgaço.

Poucos foram os que aguardavam a comitiva maritimista em Turumo, no Centro Marítimo da Venezuela. O horário tardio da visita não ajudou, o facto do dia seguinte ser de trabalho também não e o resultado frente ao Corunha, esse, tornou tudo um pouco mais complicado. O presidente do Centro, Sidónio Rodrigues, primou pela ausência em virtude de estar gozar um período de férias, e em representação da direcção esteve o madeirense Gregório Vicente e o lisboeta Victor da Silva. Os cerca de 500 sócios da instituição não aproveitaram a oportunidade para conhecer os jogadores, apenas uma dezena de pessoas compareceu, desdobrando-se em esforços para obter fotos com todos os atletas. E conseguiram-no! Após o jantar, o plantel maritimista pôde observar o espólio do Marítimo local, com os atletas a mostrarem-se surpreendidos com a quantidade de taças que simbolizam o enorme sucesso da filial número 6 dos verde-rubros. PUBLICIDADE


RIF: J-31443138-2

O jornal da comunidade luso-venezuelana Caracas, 07

a 13 de agosto de 2008.

www.correiodevenezuela.com

III Mundialito das Nações neste sábado Anaís Castrellón Castillo anaiscastrelloncastillo@ gmail.com A partir deste sábado, dia 9, e até 16 de Agosto, tem lugar no 'Estádio Guido Blanco', em Guatire, o Mundialito designado "Julio Carlos 'el pibe' Pineda", no qual participam representantes da Madeira, Colômbia, Venezuela, Nigéria, Suécia e uma equipa do 'Resto da América'. Este é o terceiro encontro de países que disputa na Venezuela, no qual participam crianças nascidas entre os anos de 1996 e 1997, que pelas suas idades se encaixam na selecção 'Infantil C', categoria Sub-12. Contrariamente ao nível profissional, a duração de cada parte dos jogos - por ser um campeonato juvenil - será de apenas 30 minutos, no sistema 'todos contra todos', para apurar os melhores classificados. Esta deveria ser a quarta edição, mas devido a problemas de infraestruturas o ano passado, não foi possível concretizar o que estava previsto. "Os estragos na sede não nos deixou, nem era possível jogar futebol. Não temos outras instalações onde disputar os jogos", lamenta Guido Blanco, presidente da Liga de Futebol do Município Zamora, que assegura a competição num torneio de uma semana que já tem estatuto de categoria nacional. Portugal continental não estará representado, porque os seus responsáveis terão se sentido "em desvantagem", por não terem um escalão com as idades definidas para este torneio, conforme explicação dada a Blanco. Tudo está a postos para que às nove da manhã do próximo sábado comece a rodar a bola no Estádio 'Guido Blanco', situado na Avenida Professor Adolfo Gutiérrez, Urb. Valle Arriba, Guatire.

Tudo está a postos para que comece a rodar a bola em Guatire.

PUBLICIDADE

Ronaldo fica em Inglaterra O futebolista internacional português Cristiano Ronaldo afirma que vai continuar ao serviço do Manchester United na temporada 2008/09 e não se transferirá para o Real Madrid, numa entrevista ao jornal Público, em Portugal. Segundo o resumo do conteúdo da entrevista publicada quinta-feira, Ronaldo diz que vai manter-se no campeão inglês e europeu pelo menos mais um ano, mas confessa também que o desejo de representar a equipa espanhola é real e mantém-se. Os motivos da decisão tomada por Ronaldo não foram adiantados no resumo da entrevista, na qual o internacional luso tece também elogios ao seu treinador das últimas cinco temporada no Manchester United, o escocês Alex Ferguson. Esta é a primeira vez que o futebolista admite a sua continuidade no campeão inglês, depois de nos últimos meses ter dito que gostaria de se transferir para o Real Madrid, apesar de o Manchester United ter sempre negado essa possibilidade, recordando que Ronaldo tem contrato válido até 2012. O número 7 dos "red devils" está em Portugal a recuperar de uma operação ao tornozelo direito, que vai atrasar o regresso ao trabalho em Inglaterra. O jogador escolheu também a Madeira, sua terra Natal, como local para receber o troféu 'Bota de Ouro' da UEFA, numa tentativa de

Ronaldo vai manter-se no campeão inglês e europeu pelo menos mais um ano.

homenagear o seu pai, entretanto já falecido. Oo jovem 'craque' dos actuais campeões europeus e ingleses, que vai ser galardoado por ter sido o melhor marcador dos campeonatos europeus, aproveitou a premissa concedida pela UEFA que lhe confere o direito de escolha do local onde irá receber o troféu. O local onde

irá decorrer a gala será a Sala de Congressos do Casino da Madeira, sendo que a data ainda está por definir, 29 ou 30 deste mês de Agosto. Cristiano Ronaldo continua a destacar-se ao serviço do Manchester United, tendo na época que findou apontado 39 golos, oito dos quais a contar para a Liga dos Campeões Europeus.

Correio da Venezuela 270  

Edición 270

Correio da Venezuela 270  

Edición 270

Advertisement