Issuu on Google+

PUB PUB

Polícia procura suspeito

PUB

de homicídio em Monte Abraão O principal suspeito de um homicídio na Amadora, na sequência de uma rixa entre grupos, é residente em Monte Abraão e está fugido às autoridades policiais. Queluz, 14

Autárquicas 2013

MP acusa autarcas

Polícia detido

Política. Acompanhe a atividade política dos vários candidatos à presidência da Câmara de Sintra.

Sociedade. O Ministério Público acusou oito membros do executivo da Junta de Rio de Mouro de crimes de peculato. Concelho, 6

Crime. Um polícia da esquadra de Rio de Mouro foi detido por suspeitas de um crime de lenocínio - incentivo à prostituição. Crime, 11

Concelho, 4

PUB


2 Correio de Sintra

14 de junho de 2013

A abrir

S

intra é nos dias de hoje um belo jardim rodeado por uma casa degrada e habitada por muitos habitantes desenraizados, sem qualquer ligação afectiva ao local onde moram. Por casa entendase as cidades e freguesias urbanas que cresceram ao longo do IC19 nos anos frutíferos da construção civil desorganizada e em altura, sem as devidas compensações de espaços verdes e equipamentos. Esta construção urbana em excesso fez deste concelho o segundo maior município do país – não nos números esperados, os tais 500 mil – e criou problemas que, em 2013, são difíceis de resolver de uma assentada e que, diga-se, não têm merecido o devido olhar por parte dos órgãos que gerem o território. A Sintra suburbana, a dos prédios, a da falta de estacionamento e dos graffitis e a dos apartamentos mais baratos não é, de uma forma geral, um lugar aprazível e agradável para viver. Praticamente não têm espaços verdes, têm muitos estabelecimentos comerciais vazios, não têm vida social, não cativam e são locais onde se sonha apenas quando as pessoas estão a dormir. Além da reabilitação urbana, é também urgente trabalhar a vertente cultural destes locais. Trabalhar para que deixem de ser apenas dormitórios, rodeados de pessoas desenraizadas. É urgente para que as pessoas fixem raízes de uma vez, para que gostem dos locais onde moram. Só esse trabalho e essa aposta fixará essa população e contribuirá para que as pessoas olhem para o sítio onde se encontram, a maior

parte por necessidade, e a desenvolvam também economicamente. É nesta vertente que têm que entrar os jovens, nomeadamente jovens empresários, que sejam empreendedores e com novas ideias, que apostem e façam surgir novos negócios, que despertem novas tendências. Porque atualmente assistimos a duas questões: à sua saída destes polos de dormitórios que nos últimos anos nada lhes têm oferecido e ao acumular de jovens sem expectativas. Essa transformação do tecido comercial e cultural destes lugares teria vantagens de fixação social e de criar afetos aos locais. E mais importante de tudo: esses jovens teriam ocupação, gostos, expectativas de vida muito além daquelas que têm hoje. Veja-se os casos recentes da Amadora. Um jovem esfaqueado mortalmente e outro que morreu no hospital em circunstância ainda por determinar. Dizem que o menor de 15 anos de idade foi espancado violentamente pela polícia e que acabou por falecer duas semanas depois, mas as autoridades referem nada ter a ver com o caso e que tem um longo historial de crimes. Foi na Amadora, podia ter sido em Sintra. Qualquer um deles. Resta-nos pensar se é este o país que queremos e os jovens que educamos para o futuro. Se nada for feito ao nível de política local – dos municípios e das juntas – a falta de expectativas destas gerações vai manchar o futuro do país.  JOAQUIM JOSÉ REIS

Salta à vista...

A

rribas perigosas continuam a limitar acesso às praias. A época balnear começa oficialmente a 15 de junho, mas apenas cinco das doze praias do município são classificadas como zonas balneares: Praia Grande, Maçãs, Adraga, Magoito e São Julião. As últimas três são de “uso limitado”, devido, mais uma vez, à instabilidade das arribas e ao perigo de derrocada. A circulação ou permanência nos locais interditos dá direito a uma coima até 300 euros.

Sintra em ruínas

Faltam raízes na verde Sintra

Blogue Algueirão-Mem Martins

editorial

http://www.sintraemruinas.blogspot.com/

LOCALIZAÇÃO Rua de Santo Estevão – Algueirão-Mem Martins NOTAS Edifício desconhecido em ruinas. PROPOSTA DE INTERVENÇÃO Reabilitação das fachadas e cobertura. Limpeza e conservação do logradouro.


PUB


4 Correio de Sintra

14 de junho de 2013

Autarquicas

Pedro Pinto (PSD/CDS-PP) anunciou primeiros candidatos

Basílio Horta (PS) critica Governo

O candidato da coligação ‘Sintra Pode Mais’ anunciou os primeiros candidatos às freguesias do concelho. Ana Caetano (Colares), Joaquim Prego (São João das Lampas) e Clara Caiado (Casal de Cambra) vão avançar pela coligação à qual se juntou esta semana o Movimento Partido da Terra (MPT).

POLÍTICA. O candidato do PS defende que “o Governo perdeu a capacidade para resolver problemas e ser um fator de unidade nacional”. Em causa está o conflito entre os professores e o Ministério da Educação.

POLÍTICA.

J

oaquim Prego foi presidente da Junta de Freguesia da Terrugem pelo Partido Socialista, e mostra-se disposto a contribuir com a sua experiência de mais de vinte anos à frente daquela freguesia. “O trabalho que deixei na Terrugem fala por mim e quero fazer mais na região de origem da minha família paterna”, refere o

candidato. Já Ana Caetano quer “colocar Colares no mapa de Portugal. Vou apostar no Turismo e no Desporto, duas marcas que podem ser aliadas e potenciadas ao máximo nesta freguesia”, refere. Clara Caiado quer colocar-se ao serviço da terra: “Sempre quis dar o meu contributo ao poder local, aquele onde o contacto com as pessoas e as suas dificuldades diárias é prática corrente e o fruto das nossas acções tem reflexo imediato nas suas vidas. Agora é o momento para iniciar este caminho em que espero estar à altura da tarefa a qual, com extremo orgulho, aceitei e espero vir servir com autenticidade e honestidade”, diz a candidata. 

B

asílio Horta afirmou, durante uma reunião com a direção da Escola Secundária Ferreira Dias, que “quando conhecemos, quando falamos com professores e alunos desta e de outras escolas, percebemos como é prejudicial o ambiente que se vive, atualmente, no ensino em Portugal”. Para Basílio Horta “este Ministério da Educação, este Governo, perdeu a capacidade para resolver problemas e ser um fator de unidade nacional”.

Basílio Horta afirmou que “a forma como o Governo tem lidado com os professores não está à altura do momento de crise que vivemos. O regime de mobilidade especial na função pública, aprovado pelo PSD/ CDS-PP, é um exemplo de uma política baseada no medo e que desperdiça o potencial que a função pública pode oferecer ao País”. O candidato do Partido Socialista à presidência da Câmara de Sintra alertou ainda que “caso mereça a confiança de quem vive e trabalha neste concelho” tudo vai “fazer para que nenhum colaborador seja colocado em regime de mobilidade especial. Vou exigir trabalho, empenhamento pessoal e dedicação à causa pública, mas vou precisar de todos para trabalhar por Sintra”. 

Marco Almeida inaugurou sede de campanha

BE contra encerramento de Museu do Brinquedo

O vice-presidente da câmara de Sintra e candidato independente nas próximas eleições autárquicas, Marco Almeida, inaugurou a sede de campanha em Sintra e apresentou os dez compromissos e eixos estratégicos da sua candidatura.

POLÍTICA. O deputado do Bloco de Esquerda, Luís Fazenda, candidato do partido à presidência da Câmara Municipal de Sintra, vai reunir-se com a direção do Museu do Brinquedo, depois de a direção do espaço ter afirmado que este está em risco de encerramento devido à suspensão do financiamento municipal.

POLÍTICA.

M

arco Almeida contou com a presença de António Capucho e afirmou estar comprometido com o desafio de construir um Estado Social Local que responda de forma rápida e eficaz aos problemas imediatos das famílias sintrenses. “A deserção do Estado Central exige o reforço das medidas municipais de proteção social às famílias mais vulneráveis Pub

através da ação articulada com as organizações comunitárias autónomas. Os apoios sociais de proximidade são essenciais para defender a dignidade da pessoa humana em todas as suas dimensões”, disse. A candidatura comprometeu-se ainda em tornar a revisão do PDM uma prioridade, em incentivar a cidadania participativa – aprofundando o associativismo – em obter a transferência de responsabilidades da administração central para a esfera municipal e no reforço de projetos municipais na área da proteção à saúde. Marco Almeida compromete-se ainda com a concretização de uma política pública de segurança, que garanta a integridade das relações sociais locais.

O Bloco considera o museu como fundamental para a cultura e a economia sintrense, bem como uma referência para vários milhares de pessoas, de inúmeras gerações, que urge preservar e acarinhar. O museu representa também um investimento municipal na cultura que não pode ser posto em causa pela cegueira da austeri-

dade”, afirma o Bloco em comunicado. De acordo com o BE, o candidato Luís Fazenda pediu esclarecimentos ao governo sobre a eventualidade de encerramento do Museu do Brinquedo “em consequência dos cortes cegos impostos pela lei do apoios a fundações aprovada pelo actual governo”. “O Bloco considera que manter a limitação de financiamento que ameaça o museu, sem ter em conta o interesse público da oferta prestada, é um erro que trará consequências profundas para a vida económica do município, bem como um desperdício do investimento já realizado pela autarquia e uma perda cultural sem precedentes”, refere o comunicado.


14 de junho de 2013

Concelho

5

Castelo dos Mouros mais atrativo SOCIEDADE. As

novas instalações de apoio ao cliente do Castelo dos Mouros foram inauguradas a dia 5 de junho, num projecto que incluiu infraestruturas e iluminação, bem como o restauro das muralhas, Igreja de S. Pedro de Canaferrim, cisterna, enquadramento paisagístico e caminhos.

O

projeto “À conquista do Castelo” implicou um investimento de 3,2 milhões de euros, co-financiados em 600 mil pelo Programa de Intervenção do Turismo (PIT) e os restantes pela empresa Parques de Sintra Monte da Lua, que gere os parques e palácios de Sintra. De acordo com a empresa, o objetivo das obras passaram por valorizar o monumento que, em 2012, contou com 269.000 visitas, número que tem aumentado todos os anos. A empresa recuperou a envolvente paisagística, “repondo a ambiência romântica preexistente”. Os caminhos de acesso e de ronda foram “totalmente requalificados e iluminados”, assim como as duas cinturas de muralhas e a cisterna, que passa agora a poder ser visitada. Está também prevista a abertura ao público da Casa do

Investimento de 3,2 milhões de euros para cativar mais visitantes.

Guarda do Castelo, que se encontra fora do perímetro pago, após a recuperação e adaptação como cafetaria e esplanada com vista panorâmica para a serra. Outra vertente do projecto foi a redução de barreiras à mobilidade, permitindo acolher visitantes com dificuldades motoras. Ainda este verão será inaugurado o novo Centro de Interpretação do Castelo, na Igreja de São Pedro de Cana-

ferrim, igualmente alvo de restauro e de um projecto de arquitectura “que visa proteger a ruína e albergar achados arqueológicos. Será também ligada a nova iluminação das muralhas, que permitirá uma nova vista do Castelo a partir do Centro Histórico da vila. As novas instalações foram inauguradas pelo secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes

que, cerca de duas horas mais tarde, inaugurou também o novo posto de turismo do Cabo da Roca. Na ocasião, o governante afirmou que o setor do Turismo no nosso país está a resistir bem à crise e que as quebras detectadas no turismo interno estão a ser compensadas pelo aumento de visitantes internacionais. ”O turismo não está em crise e os indicadores que temos deste ano apontam para um crescimento substancial de turistas. Temos uma quebra no turismo interno, que está a ser mais que compensada pelo turismo internacional, mesmo o vindo de Espanha”, disse Adolfo Mesquita Nunes. O secretário de Estado sublinhou que existiam dúvidas sobre o impacto que a crise em Espanha teria no número de visitantes do país vizinho a Portugal – os que mais visitam Sintra - mas adiantou que os indicadores, até ao momento, são otimistas. “O turismo é um setor que está a resistir bem à crise. A palavra crise associada ao turismo não faz grande sentido em Portugal. As receitas do turismo em 2012 subiram mais de 5% e em 2011 cresceram mais de 7% [face ao ano anterior] “, disse. JJR PUB


6 Correio de Sintra

14 de junho de 2013

Concelho

SOCIEDADE. O

Ministério Público de Sintra deduziu acusação contra o presidente da Junta de Freguesia de Rio de Mouro, Filipe Santos, e sete elementos do executivo pela prática de crimes de peculato na forma continuada e pede a devolução de 68 mil euros. O autarca afirma que acusação se baseia no pagamento “normal” de despesas a quem trabalha na junta, a valores inferiores a 100 euros por mês.

DR

Autarcas de Rio de Mouro acusados de peculato

CMS dá apoio à demência

O

crime de peculato apenas pode ser imputado a elementos que desempenhem cargos públicos e refere-se à apropriação indevida ou desvio de valores ou bens a que esse elemento tem acesso justamente por exercer esse cargo. De acordo com a acusação, a que o Correio de Sintra teve acesso, o Ministério Público pede a perda de mandato dos elementos acusados e a devolução das verbas recebidas indevidamente durante os mandatos de 2005/2009 e 2009/2013, mais de 68 mil euros. O MP pede que o presidente da junta devolva cerca de 29 mil euros. A acusação resulta de um inquérito de uma inspecção da Inspeção Geral da Administração Local (IGAL), que teve início em junho de 2010. Em 2008, a vogal da junta, Anabela Gonçalves, tinha apresentado uma denúncia no MP sobre o que considerava serem irregularidades praticadas pelo executivo, que consta no relatório do IGAL. O MP acusa os oito membros do executivo de terem recebido indevidamente verbas de ajudas de custo, subsídio de transporte, pagamento de refeições, de combustível e de portagens, assim como prendas de natal adquiridas pela junta. De acordo com o MP, “os arguidos sabiam que não tinha direito a ajudas de custo, ou subsídio de transporte, ou pagamento de refeições, de combustível ou de portagens, fora das Pub

Breves

Ministério Público pede que Filipe Santos devolta mais de 29 mil euros.

condições legais, mas ainda assim quiseram recebê-las, apropriando-se de tais verbas em proveito próprio com prejuízo do erário público da junta”. O Ministério Público considera ainda que todos os acusados, enquanto titulares de um órgão autárquico, “não desconheciam o regime legal que lhes é aplicável” e “agiram de forma deliberada e com perfeita consciência da ilicitude dos seus atos”. Além dos crimes de peculato, o MP acusou ainda outro elemento do executivo por abuso de poder, peculato de uso e um crime de ameaças agravadas e outro por peculato de uso. Todos os acusados encontram-se com o termo de identidade e residência. Como testemunhas de acusação, o MP chamou o presidente da Junta de São Marcos, Nuno Anselmo, que de acordo com o relatório do IGAL terá encontrado no Algarve um dos elementos do executivo em deslocação com uma carrinha da junta, que terá sido utilizada para transportar uma moto quatro particular.

Contactado pelo Correio de Sintra, Filipe Santos afirmou que “o que se extrai da acusação é muito pouco” e que os valores referidos pelo MP se referem ao pagamento de despesas aos elementos do executivo o que, adiantou, a dividir pelos oito anos dá uma média inferior a 100 euros por pessoa. “É muito mais económico fazer o pagamento destas despesas do que adquirir uma viatura para a junta. Em vez de termos carros ao serviço do executivo, sempre foi deliberado e acordado entre todas as forças politicas que constituem a junta que, ao haver entrega de pelouros, nas deslocações em serviço a junta suportava essas despesas”, afirmou. Filipe Santos adiantou estar preparado para ir a julgamento e que apenas admite a devolução das verbas que “o Ministério Público considerou prendas de natal”. “As tais prendas são brindes, como canetas. Nesse caso nós poderemos ter que devolver os brindes ou o dinheiro que representam. É único caso que acho que poderá haver restituição”, afirmou. JJR

A Câmara Municipal de Sintra (CMS) criou um gabinete de apoio aos cuidados das pessoas com demência. O novo gabinete abre portas a 19 de junho. O gabinete ‘Cuidar Melhor de Sintra’ pretende contribuir para a inclusão e promoção dos direitos das pessoas com demência, bem como apoiar e valorizar o trabalho dos familiares e profissionais que lhes prestam cuidados. A cerimónia de lançamento do Gabinete Cuidar Melhor de Sintra foi no dia 11 de junho, no Palácio Valenças, na vila de Sintra. Este gabinete pretende ser uma resposta vocacionada para prestar informações, encaminhamento, apoio técnico e jurídico, de modo a melhorar, desdramatizar e valorizar os cuidadores das pessoas com demência. Uma iniciativa da Alzheimer Portugal, da Fundação Montepio, da Fundação Calouste Gulbenkian e do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa à qual aderiu o Município de Sintra, possibilitando, assim, a criação desta resposta no concelho. O Gabinete Cuidar Melhor de Sintra estará aberto ao público às quartas-feiras, das 09:00 às 13:00 nas instalações da Divisão de Higiene Segurança e Saúde Ocupacional, na Avenida Doutor Álvaro de Vasconcelos, nº45, na Portela de Sintra.

Inexperiência provocou acidente

A inexperiência do piloto e a forma como lidou com uma avaria do motor são as causas da queda da aeronave que caiu na praia da Aguda em 2010 e que provocou a morte do passageiro, concluiu um relatório do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Aéreos (GPIAA). “O acidente resultou do insucesso do piloto [de 20 anos] ao lidar com a falha do motor, quando pretendia efetuar uma aterragem de emergência na praia”, refere o documento. O relatório avança que o jovem “selecionou uma área de aterragem de difícil acesso e com características físicas que limitavam as possibilidades de correção para qualquer desvio no plano inicial previsto para a manobra de aterragem”.


PUB


PUB


14 de junho de 2013

Agualva Crime - Cacém

11

Grupo roubava cobre e vendia a sucateira do Cacém CRIME. A GNR deteve 13 suspeitos de pertencerem a um grupo que se dedicava ao furto de cobre na Grande Lisboa, que tinha na sua base uma sucateira no Cacém e uma empresa de reciclagem de Torres Novas. Esquema rendeu mais de um milhão de euros.

O grupo deslocava-se às caixas de visita permanente da PT, munido de uma carrinha tipo furgão, adaptada com um fundo falso (alçapão), efetuando de seguida as operações de corte e carga dos fios de cobre. De acordo com a fonte, de seguida, o material recolhido era transportado para um armazém na cidade do Cacém, uma sucateira onde era vendido e de seguida cortado e triturado, naquele que era o segundo nível do grupo suspeito do crime de associação criminosa. O terceiro patamar está relacionado com uma empresa de reciclagem de Torres Novas, onde era, por fim, vendido o cobre e chumbo proveniente dos cabos furtados, que “colocava este material no mercado lícito”, duplicando o preço que inicialmente era pago ao nível da sucateira.

S

egundo fonte ligada à investigação, a organização criminosa estava hierarquizada por três níveis de atuação, sendo o primeiro constituído por um grupo de seis homens, de nacionalidade estrangeira, que recolhia cabos de cobre durante a noite na Grande Lisboa. Alguns destes suspeitos residiam no concelho de Sintra, onde acabaram por ser detidos depois de fugirem à polícia.

A 31 de maio foram detidos doze homens e uma mulher por suspeitas da prática de crimes de associação criminosa, recetação e furto qualificado. As apreensões resultaram do cumprimento de sete mandados de detenção, nove mandados de busca e apreensão de veículos, oito mandados de busca domiciliária e um não domiciliário. No âmbito da operação “Linha Segura”, a GNR apreendeu aproximadamente 20 toneladas de cobre e chumbo, 10 mil euros em numerário, nove viaturas e diversa maquinaria industrial pesada no distrito de Lisboa. De acordo com a fonte da investigação, os homens do grupo que furtava o cobre na Grande Lisboa já tinham trabalhado para empresas que trabalham com a Portugal Telecom,

tendo, por isso “conhecimentos técnicos” para manusear com este tipo de material. A operação, coordenada pela Unidade Especial de Combate ao Crime Especialmente Violento, da 11.ª Secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, em estreita colaboração com a Portugal Telecom, envolveu 141 militares pertencentes à Unidade de Intervenção, à Direção de Investigação Criminal e aos Comandos Territoriais de Lisboa e de Setúbal. Durante a investigação foram montadas operações de vigilância, escutas telefónicas e levantamento de sigilo bancário dos suspeitos, afirmou a fonte. Seis dos suspeitos vão aguardar julgamento em prisão preventiva.  Redação

CRIME. Um polícia da Esquadra de Rio de Mouro foi detido por suspeitas de lenocínio - incentivo à prostituição com fins lucrativos – durante uma operação policial a uma residência nesta freguesia. Tribunal ordenou suspensão de funções do agente policial.

DR

Polícia foi detido em Rio de Mouro

O

polícia foi detido na madrugada de 6 de junho juntamente com o proprietário do estabelecimento (alegadamente utilizado para fins de prostituição) e uma mulher no decorrer da operação que culminou com o cumprimento de um mandado de busca ao estabelecimento e a três de busca domiciliária. A investigação, iniciada em 2012, deu agora origem à operação, na qual as autoridades detiveram dois homens - um dos quais polícia -, e uma mulher, com idades entre os 40 e os 50 anos, indiciados pela

Apenas a parte do bar estará encerrada até ao final do processo judicial - fonte da PSP.

prática de ilícitos relacionados com o crime de lenocínio.

Durante a ação policial, foram apreendidos uma pistola municiada

de calibre 6.35 milímetros (mm), uma soqueira, equipamento de recolha de imagem e diversa documentação considerada relevante para o processo. Foram ainda identificadas 30 pessoas, entre as quais 18 mulheres, que se encontravam no estabelecimento em causa, que foi encerrado à ordem do processo. Os três suspeitos já foram presentes a tribunal, que aplicou como medidas de coação a suspensão de funções do polícia, assim como apresentações diárias no tribunal de Sintra e a proibição de permanência na esquadra da PSP de Rio de Mouro. O proprietário do estabelecimento vai ficar em prisão preventiva e a mulher está obrigada a apresentações bissemanais à esquadra da sua área de residência. Segundo a fonte da PSP, apenas a parte do bar do estabelecimento ficará encerrado até ao final do julgamento. Redação Pub


12 Correio de Sintra

14 de junho de 2013

Agualva - Cacém DR

Mais médicos de família no Cacém

SOCIEDADE. Cerca de 6.900 utentes vão passar a ter médico de família na nova Unidade de Saúde Familiar (USF) de Flor de Lótus, na Rua do Olival, nº13, na freguesia do Cacém.

D

e acordo com o Agrupamento de Centros de Saúde de Sintra, “esta nova unidade vai ter 10 médicos de família e irá cobrir 19 mil utentes”. A unidade já está a funcionar, ainda com oito médicos, e vai permitir que 6.900 pessoas desta cidade passem a ter médico de família. A Unidade de Saúde Familiar Flor de Lótus, do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Sintra, vai servir cerca de 19 mil utentes inscritos. Nesta unidade com 622 metros quadrados, vão ainda trabalhar 10 enfermeiros e 6 assistentes, num horário de funcionamento de segunda a sexta, das 8:00 às 20:00. A unidade de saúde vai funcionar no

Unidade de Saúde Famíliar Flor de Lótus vai ter dez médicos de família.

antigo espaço do Centro de Saúde do Olival, uma estrutura inaugurada e equi-

pada em 1999, não tendo sido necessário investimento por parte da Adminis-

tração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo para o início de atividade desta nova USF. Com cerca de 371.000 utentes, o ACES Sintra tem por missão garantir a prestação de cuidados de saúde à população do concelho de Sintra, numa área territorial de 317 Km². O ACES Sintra tem em funcionamento 12 Unidades de Saúde Familiar, 10 Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) e 4 Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC). Tem também uma Unidade de Saúde Pública (USP) e uma Unidade de Recursos Assistenciais Partilhados (URAP). O ACES Sintra desenvolve atividades de vigilância epidemiológica, investigação em saúde, controlo e avaliação dos resultados e participa na formação de diversos grupos profissionais nas suas diferentes fases, pré-graduada, pós-graduada e contínua.  Redação

SOCIEDADE. A Junta de Freguesia de São Marcos abriu uma loja social destinada aos agregados familiares “em condições sociais desfavoráveis”. Os munícipes podem deixar bens como roupa ou eletrodomésticos, que serão entregues às famílias mais carenciadas.

DR

Nova Loja social em São Marcos

C

om o lema “Partilhe o que tem com quem menos tem”, este espaço surgiu em parceria com várias associações e com a ajuda de voluntários do projeto ´São Marcos Social’. De acordo com o presidente da Junta de Freguesia de São Marcos, Nuno Anselmo, esta Loja Social resulta de uma aposta da freguesia no projeto “São Marcos Social” que, nos últimos tempos, tem prestado Pub

apoio a várias famílias. “Apresentámos recentemente o projeto “São Marcos Social”, que congrega um conjunto de instituições sociais locais, municipais e

nacionais, para desenvolver projetos da área social na freguesia. Há um esforço dessas instituições para ajudar as pessoas, em rede”, afirmou Nuno Anselmo ao Correio de Sintra. O autarca adiantou que este tipo de projetos é importante para “que as pessoas saibam que podem contar com a junta”. “Infelizmente vivemos num tempo particularmente difícil e a consequência é localmente termos que encontrar respostas para ajudar a famílias. Há desemprego elevado e carências de várias ordens”, disse. Segundo Nuno Anselmo, têm chegado à junta vários pedidos de ajuda de famílias que não conseguem pagar rendas e faturas de água, luz e electricidade. “O retrato geral causa-nos alguma preocupação e faz-nos procurar ter res-

postas. Temos conseguido dar resposta e já tivemos situações de pagamento de rendas e de água e electricidade”, sublinhou. A loja social terá disponíveis bens como produtos têxteis e de vestuário, acessórios e calçado, equipamento doméstico, electrodomésticos, puericultura, brinquedos e material didáctico “Os bens podem ser entregues nas instalações da junta de freguesia, na sede ou na delegação do Casal do Cotão) Posteriormente serão inventariados e contabilizados e, após a devida triagem e tratamento, estarão prontos para serem utilizados por quem deles precisa”, refere a junta. A loja encontra-se na delegação do Casal Cotão, na Avenida Cidade de Lisboa nº 67 A em horários ainda a definir. Redação


14 de junho de 2013 Correio de Sintra

PREOCUPA-SE COM OS SINAIS DA SUA PELE?

de idade g)O factor de protecção solar, deve ser sempre duplicado em caso de antecedentes familiares com cancro da pele. h)As exposições em solários são completamente desaconselhadas. 3. Em caso de alguma dúvida ou sinal suspeito contacte imediatamente o seu médico de família, ou um médico de clínica geral ou ainda um dermatologista.

Todas as pessoas independentemente do seu tipo racial ou sexo ou ainda, individualidade genética, apresentam sinais na pele que se modificam ao longo da sua vida e em função de um conjunto de estímulos externos: mecânicos (traumatismos, lesões de coceira, cicatrizes cirúrgicas, entre outros) e radiações (raios ultravioleta, raios X, raios Gama). Desde a infância surgem os primeiros sinais (geralmente muito pequenos) designados ‘nevus’, que são gerados pelas células produtoras de melanina (os melanócitos). Quando se fazem exposições solares ou a fontes artificiais de radiação ultravioleta, raios X ou raios gama, aumenta a probabilidade de desencadear atipias (irregularidades no aspecto dos sinais) que podem ser sinais de alarme, justificando a sua observação por um médico. Ao longo da vida, a densidade de sinais (número e tamanho) vai aumentando e desta forma aumenta o risco de tumor maligno da pele, sendo o mais frequente o melanoma, mas não devemos esquecer o carcinoma espinocelular ou ainda o carcinoma basocelular (basalioma).

Principais sinais de alarme de um sinal:

1. O aumento do seu tamanho (mais de 6 mm); 2. A modificação da sua forma; 3. A sua distinção súbita relativamente ao grupo em que estava inserido; 4. A assimetria recente no sinal relativamente à posição que apresentava no passado; 5. O aspecto áspero ou descamativo; 6. Apresentar várias cores, 7. O prurido local;

DR

Saúde “ Promover a Saúde. Prevenir a doença.”

Pub

13

Entre os dias 20 e 30 de Junho, a Walk’in Clinics realiza, nas suas quatro unidades, um rastreio dermatológico gratuito que pretende alertar a população para os factores de riscos associados ao cancro da pele. Durante os rastreios será, também, feita uma observação de todos os sinais cutâneos dos participantes. Previna-se contra o cancro da pele e aproveite esta oferta da Walk’in Clinics. Para mais informações, ligue o 808 20 20 80 ou desloque-se a uma Walk’in perto de si.

8. O sangramento ou perda de líquido na zona do sinal; 9. O aspecto saliente em forma de pérola; 10. O aspecto de ferimento que não cicatriza.

Para uma boa saúde da sua pele é necessário:

1. Fazer regularmente o auto-exame da sua pele (de 2 em 2 meses) em frente do espelho e inspeccionando meticulosamente todas as áreas, incluindo os locais menos acessíveis;

2. Cumprir as regras de foto-educação: a)As exposições solares devem ser lentas e progressivas b)As exposições de risco (entre as 12h00 e as 16h00 Horas) devem ser evitadas c)Uso de chapéu de abas largas d)Uso de protector solar com factor adequado ao seu tipo de pele e)Proibição total de exposição solar em bebés até aos 6 meses f)Proibição de exposição solar directa em crianças até aos 3 anos

Walk’in Sintra Fórum Sintra (Piso 0 em frente ao Pingo Doce) Clínica Geral Enfermagem Nutrição Podologia


PUB

14 Correio de Sintra

14 de junho de 2013

Queluz - Belas

Opinião

O principal suspeito do homicídio que ocorreu junto a uma escola da Amadora reside na freguesia de Monte Abraão e está desaparecido, disse ao Correio de Sintra fonte policial. A 6 de junho, um jovem de 20 anos foi esfaqueado à porta da escola secundária Seomara da Costa Primo, onde ainda conseguiu entrar já ferido. CRIME.

DR

PJ procura homicida em Monte Abraão

Teatro na escola

A Junta de Freguesia de Queluz organizou na Escola EB1 nº2 de Queluz, com entrada livre, uma peça de Teatro pelo grupo de Teatro Fórum de Moura, para assinalar o Dia da Criança. A peça da autoria de Álvaro Cunhal com o título “Os Barrigas e os Magriços”, contou às crianças a luta travada pelos Magriços por uma vida liberta da opressão dos Barrigas, pela partilha justa dos meios de produção. “Nas mãos da pequena minoria Barriga, que também controlava o Estado, esses meios de produção apenas serviam os seus interesses de lucro próprio, deixando a grande maioria Magriça entregue à miséria e à exploração. A revolta dos Magriços levou ao derrube dos Barrigas em 25 de Abril de 1974”, refere a Junta de Freguesia.

U

ma rixa entre dois grupos, um de Queluz e outro da Amadora, provocou um morto devido a ferimentos provocados por facadas no tronco e um ferido, apedrejado na cabeça. O principal suspeito pôs-se em fuga, mas já foi identificado por elementos da PSP e da Polícia Judiciária que já tem a arma do crime. Segundo fonte policial, o suspeito reside da freguesia de Monte Abraão, de onde está desaparecido desde o incidente. “Continuamos sem qualquer indicação do paradeiro do principal suspeito que é um jovem de 19 anos. É um jovem problemático, do qual temos 13 registos nas esquadras, desde roubos e desacatos e até a situações de agressão e resistência a agentes policiais”, afirmou a fonte. Na origem da rixa, estará uma discussão no dia anterior na Avenida Miguel Bombarda, em Queluz, na qual o grupo da Amadora terá roubado uns óculos a um jovem de Queluz. Segundo a fonte, no dia seguinte o grupo do concelho de Sintra deslocou-se à Amadora para retaliar, numa prática que tem sido comum entre grupos de jovens rivais. “Há sempre rivalidades entre os bairros. São pequenos grupos de miúdos que se envolvem em quezílias entre eles. Por vezes, quando se encontram procuram roubar um boné ou outro objeto, que encaram como troféus, e depois há estas Pub

Breves

Jovem foi esfaqueado e ainda conseguiu fugir para o interior da escola.

retaliações”, afirmou outra fonte policial. Por haver receios de novos confrontos e ajustes de contas entre os dois grupos, a PSP mobilizou mais meios policiais para a freguesia de Monte Abraão mas, uma semana após o homicídio, tudo começa a regressar à normalidade. “Neste momento não temos nada de concreto que indique que poderá haver retaliações. Já se passaram uns dias e não detetámos ameaças como as que chegaram a haver no Facebook horas após o homicídio”, referiu a fonte policial. Um dia após os confrontos, a Escola Secundária de Seomara da Costa Primo já estava a funcionar normalmente. No entanto, mantinha-se no local um carro policial e dois agentes do Programa Escola Segura à entrada do estabelecimento de ensino, situado na zona da Venteira. Atualmente existem várias versões da história: uma que estaria envolvido num desses gangues, enquanto que a família afirma que o jovem praticante de capoeira estava a defender um amigo que

estava a defender um amigo. Uma outra versão refere que Lainine Sanches se encontrava a fazer trabalho comunitário naquela zona – por ter sido apanhado a circular em transportes públicos sem ter adquirido bilhete – e que foi apanhado no meio dos confrontos. Cerca de 500 pessoas estiveram presentes no funeral de Lainine Sanches, que decorreu na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Queluz. Centenas de jovens vestidos com camisolas brancas prestaram a última homenagem a Lainine, que deixou uma filha. A cerimónia fúnebre ficou ainda marcada pela presença de colegas que praticavam capoeira que envergaram as vestes utilizadas neste desporto de luta. Horas antes do funeral, surgiram vários apelos à calma em páginas da internet criadas em honra do jovem. “Amigos, agradecia a todos que não fizessem nada e deixassem a PSP fazer o trabalho deles. Sei que está tudo muito revoltado, mas já não resolvemos nada mesmo, pois o mal já está feito”, referiu um dos amigos. JJR

Feira de artesanato

A Junta de Freguesia de Monte Abraão vai realizar a 8.ª Edição da Feira de Artesanato, Velharias e Antiguidades. A iniciativa decorrerá no dia 22 de Junho, sábado, no horário compreendido entre as 10:00 e as 18:00, no jardim do Parque 25 de Abril, em Monte Abraão.

Pintar Monte Abraão

A Junta promove a 8ª actividade de pintura ao ar livre “Pintar Monte Abraão”. O evento realizar-se-á no dia 22 de Junho, sábado, no horário compreendido entre as 10:00 e as 17:00, no Adro da Igreja de Nossa Senhora da Fé, que servirá de palco a todos os pintores e amantes da arte de pintar que se associem à iniciativa. As inscrições são gratuitas.

Marchas Populares

A freguesia de Massamá assinala a 28 de junho, às 18:00, no Parque Salgueiro Maia e dia 29 de junho, às 21:00, na Praceta dos Reformados, as marchas séniores e infantis, com muita animação e sardinha assada como manda a tradição. Este evento vai ter a participação da Tuna “Mactamã” da Universidade Sénior de Massamá, da Associaçao de Reformados, Pensionistas e Idosos de Massamá e do grupo Moçoilas da Universidade Sénior de Massamá.


14 de junho de 2013

Tribuna

Razões para a minha candidatura Desempenho as funções de Presidente da Junta de Freguesia de Queluz, cargo que ocupo há quatro mandatos e apresento-me agora como candidato a Presidente da Câmara Municipal de Sintra porque acredito que devemos pôr em primeiro lugar pessoas e projectos em detrimento de filiações partidárias. Continuo a ser um militante socialista mas estou nesta corrida como socialista independente. Não foi de ânimo leve que tomei esta decisão. Vivemos uma época conturbada em termos políticos e a imagem do político está sem dúvida manchada junto da opinião pública. É contra esta corrente também que pretendo lutar, contribuindo para a construção de uma imagem renovada, mais próxima do cidadão e menos partidária. A minha candidatura tem pois o propósito de unir a esquerda e os que se encontram desiludidos com o panorama político-partidário actual, tentando mudar a imagem negativa que os políticos têm junto do público em geral. A minha experiência enquanto Presidente da Junta de Freguesia de Queluz é uma mais-valia para o trabalho que pretendo desenvolver a nível camarário, naturalmente com a ajuda de todos os que me apoiam. PUB

“Sintra, Paixão com Independência” assenta num programa sólido que tem estado a ser cuidadosamente desenhado pela equipa que compõe o nosso movimento. Deste programa destaca-se um conjunto de medidas que visa combater um dos flagelos da sociedade actual, ou seja, a elevada taxa de desemprego. Vamos trabalhar no sentido de dotar o Concelho de Sintra de mais e melhor oferta hoteleira para que este sector de actividade seja gerador de emprego no nosso Concelho. Sendo Sintra um Concelho jovem vamos trabalhar precisamente com os

jovens e suas associações para definirmos a melhor política na criação de oportunidades de emprego e ocupação dos jovens no apoio social aos mais carenciados, com a criação de uma rede que funcione junto das instituições que se encontram no terreno com grande eficácia nesta área. Pretendemos ainda incrementar o reordenamento do território e promover a recuperação de espaços verdes abandonados, melhorar o abastecimento e qualidade da água substituindo as velhas condutas por novas e garantir aos Sintrenses a excelência do trabalho a realizar na área dos SMAS. Acreditamos ser necessário negociar com o Estado no sentido de reverter para a Câmara Municipal de Sintra a serra dos Zunidos para que possamos construir equipamentos sociais e de lazer, nomeadamente uma escola profissional, um lar de terceira idade, e uma pista de crosse para eventos desportivos, além de um pavilhão municipal para vários desportos. Sintra é ainda “um diamante por lapidar”. A sua riqueza cultural e notoriedade enquanto Património Mundial aumentam a nossa responsabilidade e vontade de fazer mais e melhor. Barbosa de Oliveira Presidente da Junta de Queluz

15


PUB


Edicao60internet