__MAIN_TEXT__

Page 1

ANO XXVI | N. 132 | JANEIRO A MARÇO DE 2019

MAIS ESPAÇO PARA APRENDER E CONVIVER

Colégio realiza diferentes melhorias durante as férias escolares

Mais opções de atividades extracurriculares para a comunidade escolar

Os destaques da Semana de Formação Docente


EXPEDIENTE

2

EDITORIAL

N. 132 – Edição de Janeiro a Março de 2019 da Revista Farroupilha Presidente da Associação Beneficente e Educacional de 1858 – ABE 1858 Fernando Carlos Becker Diretora Pedagógica Marícia Ferri Diretor de Administração e Finanças Milton Fattore Jornalista Responsável Manoela Andrade Scroferneker (MTB 13648) Textos Cristiane dos Santos Parnaíba Manoela Andrade Scroferneker Criação e Design Milene Martins Monica Figueiredo Dawud Comunicação e Marketing comunicacao@colegiofarroupilha.com.br Diagramação e Projeto Gráfico Carolina Fillmann – Design de Maria www.designdemaria.com.br Revisão Textual Laboratório de Português Capa – crédito Mauer Ricardo Varela Liz, auxiliar de Tecnologia Educacional (TE), e Gentil César Bruscato, professor do Laboratório de Física do Colégio Farroupilha. Ouvidoria Farroupilha ouvidoria@colegiofarroupilha.com.br (51) 3455-1889 Tiragem 1.000 exemplares Versão Online www.colegiofarroupilha.com.br COMO INSTALAR O LEITOR DE QR CODE NO SEU CELULAR Inventado no Japão em 1994, o QR Code foi criado para facilitar o acesso à informação por parte de usuários de celulares, podendo ler qualquer coisa de qualquer lugar. Para ler um QR Code ou Quick Response Code é preciso instalar um software em seu celular. Ele será responsável por decodificar a imagem capturada. Na internet, há muitos softwares gratuitos disponíveis. É preciso que se baixe um de acordo com o modelo do celular. Em português, o http://reader.kaywa.com é um dos melhores sites para baixar leitores de QR Code. Para aqueles que quiserem criar seus próprios QR Codes, em http://qrcoder.kaywa.com, é possível gerá-los facilmente.

ENSINO E INFRAESTRUTURA DE EXCELÊNCIA É com muita alegria que iniciamos mais um ano letivo no Colégio Farroupilha com uma novidade: a inauguração de um novo prédio para o desenvolvimento de práticas pedagógicas. Nos últimos anos, não só apostamos em melhorias na infraestrutura, tornando os nossos espaços mais acolhedores para os estudantes, como também investimos na formação docente. Na primeira edição de 2019 da Revista Farroupilha, falaremos so­ bre o novo edifício que foi construído pensando na necessidade de atender aos estudantes da 3ª série do Ensino Médio, que com­ põem a primeira turma que cursou os nove anos do Ensino Fun­ damental. O novo prédio também oferece dois andares de salas multidisciplinares, que poderão ser utilizadas por todos os níveis de ensino para as mais diferentes atividades. Com mobiliário fle­ xível, os educadores terão à disposição inúmeras possibilidades de tornar o aprendiza­do dos estudantes mais prazeroso e prático. Além disso, traremos um retrospecto de todas as benfeitorias re­ alizadas na instituição desde 2013 e um histórico da construção dos outros prédios. A publicação traz, ainda, as atividades desenvolvidas na Semana de Formação Docente, as melhorias realizadas durante as férias escolares de verão e as novidades em relação à oferta das ativi­ dades extracurriculares e ao Farroups+ (antigo Full Day). Esta edição da Revista Farroupilha também conta com algumas editorias novas, como a “Registro Farroupilha”, em que, a cada edição, convidaremos educadores, estudantes, famílias e ex­ -alunos a compartilharem imagens de algum tema específico; a “Memória Farroupilha”, com fatos e curiosidades históricas sobre o Colégio; e a “Sou Farroupilha”, com bate-papos com ex-alunos, familiares, estudantes e educadores da instituição. Desejamos um excelente ano a todos!

Boa leitura! Fernando Carlos Becker Presidente da Associação Beneficente e Educacional de 1858


SUMÁRIO 3

14

10

28

35

32

38

NESTA EDIÇÃO | #132 10

O uniforme na história do Colégio Farroupilha

32

Colégio lança novo site institucional

14

TED Ed Clubs no Farroupilha

35

Um novo jeito de viver o Farroupilha

28

Parceria de estudantes e professores com tecnologia

38

Empréstimo de livros na Biblioteca


4

OPINIÃO

AMBIENTES VOLTADOS À INTERAÇÃO PROPORCIONAM APRENDIZAGEM Por Marícia Ferri, Diretora Pedagógica do Colégio Farroupilha. O ano de 2019 inicia com novidades na escola: será entregue à comunidade es­ colar um novo prédio com aproximada­ mente 3500m2, parte de um projeto de expansão, aprimoramento e qualificação de espaços no qual o Colégio Farroupilha vem investindo nos últimos anos. Essas mudanças fazem parte de uma gran­ de remodelação de espaços para que possamos continuar na vanguarda da

O espaço térreo é composto de área de convivência e de espaço para atividades re­

educação do país, desenvolvendo uma

creativas. O 2o andar será destinado às aulas da 3a série do Ensino Médio, com salas

proposta pedagógica cada vez mais só­

que permitem maior mobilidade dos estudantes, de modo que possam experienciar

lida, com atividades que acontecem em

não apenas atividades individuais, mas também coletivas, exercitando o trabalho

ambientes que favorecem aos nossos

em equipe, habilidade fundamental da contemporaneidade, ligada principalmente a

estudantes o desenvolvimento de um

elementos como a solidariedade, a empregabilidade e o empreendedorismo. Todas

elevado capital cultural e cognitivo por

as salas são climatizadas, possuem lousas laterais e projetor interativo, tendo seus

meio de múltiplas possibilidades para o

mobiliários um design ergonômico, previamente testado e aprovado por nossos

aprender.

estudantes.

A construção do novo prédio justifica­

No 3o andar, encontram-se as salas destinadas às aulas de Língua Estrangeira. Es­

-se, também, pela efetivação do Ensino

ses ambientes apresentam identidade visual e mobiliário específico que priorizam

Fundamental de nove anos. Assim, para

as quatro habilidades para o ensino de línguas: ler, escrever, ouvir e falar. Neste

que possamos continuar a atender nos­

andar, encontram-se, ainda, três salas destinadas às atividades extracurriculares

sos estudantes com excelência – e sem

nas áreas de tecnologia (robótica e ciência da computação), artes (teatro e dança) e

quaisquer modificações curriculares

esportes (judô, capoeira, xadrez e outros).

–, fez-se necessário pensar em novos espaços para receber nossas crianças e adolescentes que participam de ativi­ dades extracurriculares. O prédio conta com uma infraestrutura moderna e sus­ tentável que permite o reaproveitamen­ to da água da chuva, além de um telhado verde que proporciona melhor sensação térmica em seus espaços internos e isolamento acústico para que não haja

E, por fim, no 4o andar, enquanto uma das áreas será destinada à prática de ginástica olímpica, a outra servirá para que possamos dar início a um importante serviço com­ posto de uma série de atividades na área da psicomotricidade, aspecto fundamental para o desenvolvimento físico e motor de nossas crianças. No 3º e no 4º andar, há flexibilidade para a modelação de diferentes espaços, permitindo a integração das salas. Houve, também, a revitalização da Recepção dos estudantes na Rua Matias José Bins e a ampliação das passarelas cobertas que fazem a ligação entre os pré­ dios. Na fachada do prédio, há o belíssimo registro do nosso eterno poeta Mário Quintana com a assinatura do muralista Eduardo Kobra.

interferência no trabalho pedagógico,

Desejamos que o novo empreendimento do Farroupilha, assim como os demais es­

considerando as múltiplas e simultâne­

paços da nossa escola, sejam lugares de muita aprendizagem, conquistas e cresci­

as atividades que ocorrerão no local.

mento para toda a comunidade escolar!


5

ESPAÇOS QUE EDUCAM Por Samantha Diefenbach e Christiano Pandolfo, arquitetos, e Marina Fischer Meyer e Diennefer Ostrowski, assistentes de arquitetura do setor de Arquitetura do Colégio Farroupilha. A cada volta às aulas, uma nova

enquanto indivíduo; e intervir em um lugar cuja implantação e edificações

escola para esperar os estudantes:

apresentam elementos importantes do vocabulário da arquitetura moderna

essa tem sido a dinâmica dos últi­

brasileira, buscando a valorização das soluções acertadas e promovendo um

mos seis anos no Colégio Farroupi­

diálogo entre linguagens arquitetônicas.

lha. Neste ano não foi diferente: a escola ganhou um novo edifício para complementar o complexo educacio­ nal, juntamente com outras 50 in­ tervenções que qualificam o espaço escolar.

Princípios da arquitetura sustentável também orientaram o processo de ela­ boração do projeto: otimização do potencial construtivo do lote, por meio do aproveitamento do perfil natural do terreno para a distribuição do programa arquitetônico e a valorização do térreo livre e integrado; racionalização do consumo de energia para climatização e iluminação, por meio de soluções convencionais de ventilação e controle de insolação e de tecnologia; con­

A demanda desse novo prédio sur­

servação de água através do uso de água pluvial; e otimização do processo

giu a partir da implementação do 9º

de construção para reduzir os resíduos resultantes, com o uso de uma ar­

ano do Ensino Fundamental versus

quitetura industrializada que reduziu tanto o consumo de materiais quanto

o espaço físico existente, bem como

o tempo de canteiro de obras. Fazer parte dessa transformação do espaço

da ampliação das atividades extra­

físico da escola, poder contribuir para uma entrega de excelência e criar es­

curriculares. O projeto nasceu em

paços que educam é muito gratificante para todos do setor de Arquitetura do

conjunto com os usuários, em um

Colégio Farroupilha.

processo colaborativo com estudan­ tes e professores, potencializando as melhores soluções como reflexo da pedagogia adotada pela escola. O desenho do novo prédio foi pensado não apenas a partir das questões ergonômicas dos estudantes, mas também de sua participação como coautores do projeto, por meio da possibilidade de reconfiguração es­ pacial, de layouts flexíveis e de ele­ mentos pensados com a finalidade de trabalhar com o sistema físico, intelectual e psíquico. Dois foram os grandes desafios no desenvolvimento

desse

projeto:

pensar em uma arquitetura escolar compatível com as metodologias do Colégio, buscando desenvolver as potencialidades de cada estudante


6

OPINIÃO

NOVIDADES DE FORMAÇÃO COMPLEMENTAR Por Andressa Generosi, supervisora de Gestão de Serviços do Colégio Farroupilha.

Ao longo dos anos, o Colégio Farroupilha tem consolidado sua posição de re­ ferência em processos de ensino e aprendizagem inovadores e de qualidade. Além de uma proposta pedagógica contemporânea, disponibiliza inúmeras ex­ periências complementares para a formação integral do estudante, propiciando oportunidades de aprendizado que transcendem a sala de aula. Em 2019, a inauguração do novo prédio e a reestruturação de algumas de suas de­ pendências possibilitam que a escola ofereça múltiplas propostas de integração à comunidade escolar - crianças, estudantes, familiares, educadores e Alumni. O portfólio atual traz 27 opções de atividades, apoiadas em quatro pilares: artes, esportes, tecnologias e línguas. Nas artes e nos esportes, além das ati­ vidades tradicionais, como ballet, teatro, judô, capoeira, ginásticas artística e rítmica e esportes coletivos, destacam-se a formação de bandas e as aulas de instrumentos musicais, como violão, violino e teclado, canto, coral, xadrez, esgrima e cheerleading. A área das tecnologias, da ciência da computação e da robótica tiveram suas propostas remodeladas e ganharam sala própria. Ampliou-se o projeto CLIL – Science in English, realizado em parceria com o Centro de Cambridge e implementado com estudantes de 4º e 5º anos. Para educadores, famílias e Alumni, as atividades contemplam yoga, ballet adulto, corrida orientada e vôlei. Projeta-se, ainda, eventos e oficinas ao longo do ano, que contribuam no desenvolvimento de competências para a vida e para o trabalho, assim como em maior conveniência para os familiares. Ao disponibilizar atividades em uma infraestrutura moderna e adequada, a escola reafirma o seu compromisso em ser um espaço de acolhimento e de pertencimento, promotora da interação entre e com os estudantes, de modo que eles não só adquiram novos conhecimentos, como também possam desen­ volver habilidades socioemocionais e cognitivas.


REGISTRO FARROUPILHA

LEMBRANÇAS DA VOLTA ÀS AULAS O início do ano letivo é sempre muito aguardado! Por isso, convidamos a comunidade escolar a nos enviar imagens relacionadas à volta às aulas. Confira as fotos!

Ana Clara Streibel Gusmão, do 4º ano, no primeiro dia de aula no 1º ano, em 2016.

Helena Streibel Gusmão, do 1º ano, em seu primeiro dia de vida escolar, em 2014, no Nível 1 da Educação Infantil.

Os irmãos Frederico e Guilherme Gastal Bing Savino, do Nível 2 e do 4º ano, às 6h30, ansiosos pelo primeiro dia de aula em 2018.

Os colegas Lorena Pereira Caggiani e João Otávio dos Reis Rochefort de Andrade, do 4º ano, no início do ano letivo de 2016.

Luísa Machado Laureano, do 1º ano, no primeiro dia de aula no Nível 3 da Educação Infantil, em 2016.

Pedro Kaempf Goldani, do Nível 4 da Educação Infantil, no início do ano letivo de 2018.

7


8

REGISTRO FARROUPILHA

Eduardo Pinto Papaleo, do 1º ano, na volta às aulas de 2017. Gabriel Groti Natal, do 1º ano, em seu primeiro dia de aula no Colégio Farroupilha, no Nível 5 da Educação Infantil, em julho de 2018.

Os colegas Roberto Hermann Coelho e Henrique Pinto Papaleo, do 5º ano, na volta às aulas de 2015.

Os irmãos Lucas e Pedro Saraiva Schmal, da 1ª série do Ensino Médio e do 2º ano do Ensino Fundamental, saindo de casa para o primeiro dia de aula, em 2018. Os colegas Guilherme Fortes Huyer Ely e Leonardo Passini Lucht, do 1º ano, no início do ano letivo de 2018.

Os colegas Tiago Tumelero, Arthur Passini Lucht, , Guilherme Zanella, Arthur Safer, Guilherme Grings na ano, 5º do do, Bernardo Coutinho e Tiago Macha volta às aulas de 2018.

Os irmãos Valentina e Mathias Hochegger, do 4º e 3º ano, iniciando o ano letivo de 2018.

As colegas Carolina Zanella, Maria Valentina Estrazulas, Manuela Canquerin i e Valentina Silva, do 5º ano, na volta às aulas de 2018.

Os irmãos Lorenzo e Vincenzo Ferronato, estudantes do 8º e 6º ano do Ensino Fundamental.


9

ro Os colegas Gabriela Gomes Barcellos, Jorge Londe Lucas lves, Gonça a Pereir ue Henriq Pedro usch, Kohlra da Pelizza de Quadros e Victor Rocha Kuhn, do 4º ano 2018. em aulas às volta unidade Correia Lima, na

do 6º court Pereira, Marina Bitten primeiro o ra pa casa ano, saindo de 2018. dia de aula em

Manuela Ramires, do 2º ano da unidade Correia Lima, no início do ano letivo de 2018.

Os colegas João Felipe da Cunha, Felip e Roehe, João Henrique Bemfica, Áleff Kury Berthier e Felipe Mauláz, da 2ª série do Ensino Médio, no início das aulas em 2012.

Julia de Andrade Schifini, do 5º ano, na volta às aulas de 2018.

da unidade ires, do 6º ano Leonardo Ram 2018. início do ano de Correia Lima, no

O tempo passou para as irmãs Antônia e Rafaela Jakubowski Frantz, estudantes do 4º e 3º ano. A primeira foto é na volta às aulas de 2012 e depois em 2018.

Larissa Bolze, do 2º ano, na volta às aulas de 2018.

As colegas Isad ora de Amorim Santos, Luísa Basso, Bi biana Rodrigue s Santos, Sophia J. Delg ado, Alice Sá Ca ye e Fernanda Kich i, do 6º ano, na volta às aulas de 2017.

* As fotos foram enviadas por estudantes, famílias e ex-alunos. A cada nova edição convidaremos a comunidade escolar a participar. O tema da editoria “Registro Farroupilha” da próxima revista será divulgado em nossos canais de comunicação (site, redes sociais e e-mail).


10

MEMÓRIA FARROUPILHA

Estudantes dos 1º e 2º anos do Ginasial, em 1937

O uniforme NA HISTÓRIA DO COLÉGIO FARROUPILHA

Peças foram adotadas a partir de 1929 pelos meninos e, em 1934, pelas meninas. Os atuais modelos de uniformes escolares do Farroupilha foram pensados na década de 1990. Porém, antes disso, muitas modificações foram feitas nas pe­ ças. Os registros apontam que, até 1929, o Colégio nunca havia adotado o uso de uniforme. Por decisão do Diretor Kramer, os meninos passariam a utilizar gorros ou bonés na cor azul escuro, com aba de celuloide, contendo fitas es­ treitas nas cores das séries (1ª série: branco/azul; 2ª série: branco/vermelho; 3ª série: branco/verde; 4ª série: prata/azul; 5ª série: prata/vermelho; 6ª série: prata/ verde; 7ª série: ouro/azul; 8ª série: ouro/vermelho; e 9ª série: ouro/verde). As meninas passaram a usar uniforme somente em 1934, data em que a escola passou a designar-se Hindenburgschule, em homenagem ao recém-falecido marechal alemão e presidente da Alemanha, Paul von Hindenburg. Foram as próprias estudantes que escolheram, por meio de votação, as peças: blusa branca, saia e casaco azul-marinho.


11

A partir de 1940, outras mudanças fo­

calças compridas ou curtas. As estu­

ram observadas. As meninas usavam

dantes utilizavam o uniforme do des­

blusa branca com botões madrepé­

file com o casaco do uniforme diário.

rola, saia azul-marinho, casaco verde musgo, tênis branco, sapato preto “Renner” e meias brancas. A cor cáqui predominava nas peças dos meninos, que vestiam blusão e calça comprida ou curta. No blusão, havia o emblema do Colégio bordado, e, na manga es­ querda, os galões indicavam se o es­ tudante era do primário ou do ginásio.

Em 1967, o verde escuro fazia parte das peças adotadas. Já em 1968, os meninos usavam casaco cinza, calça ou bermuda verde escuro e camisa branca, e as meninas usavam saia cinza e casaco verde escuro, com ca­ misa branca. Além disso, todas as pe­ ças continham o logotipo do Colégio.

CO-CRIADORES DE UNIFORMES

Os sapatos eram pretos. Nessa época,

Na década de 1980, os meninos tinham

os estudantes adotavam um uniforme

como uniforme da escola a calça, a

para os desfiles da Semana da Pátria,

bermuda cinza e a camiseta vermelha,

com camiseta olímpica com o emble­

enquanto as meninas seguiam usando

ma do Colégio, cinto preto, calça azul­

saia cinza e camiseta vermelha. Para as

-marinho do uniforme de gala e tênis

aulas de Educação Física, os estudan­

para os meninos e camiseta olímpica,

tes deveriam usar o abrigo azul-mari­

saia do uniforme diário e tênis para as

nho, com camiseta e tênis brancos.

meninas. Já o uniforme de gala mas­

O estilista Rui Spohr foi contratado pelo

culino era um traje azul-marinho, gra­

comunicação e design júnior da ESPM­

Colégio, na década de 1990, para pensar

vata, camisa branca, sapatos pretos e

-Sul, e a Top Sul Uniformes, um projeto

nos modelos dos uniformes, e é deste

calças compridas para os estudantes

foi pensado e dois representantes de

período que se destacam as cores atu­

do ginásio. Para o primário, a camisa

cada turma do 9º ano de 2016 foram

ais. Para os meninos, calça, bermuda

era esporte, sendo opcional o uso de

escolhidos para auxiliar na criação das

azul-marinho, camisetas branca, azul­

peças. O grupo realizou um brains-

-marinho e vermelha, abrigo azul-ma­

torming e, a partir das sugestões, foi

rinho, moletons azul-marinho, branco

montada uma pesquisa on-line para

e vermelho. As mesmas peças foram

estudantes dos 8º e 9º anos opinarem

pensadas para as meninas, com o

sobre cores, peças e detalhes. As no­

acréscimo da saia-calça azul-marinho.

vas peças foram desenhadas pelos es­

As cores foram mantidas a partir dos

tudantes da Co.De, avaliadas por uma

anos 2000, mas os tecidos foram al­

equipe pedagógica e de estudantes e

terados. O Colégio passou a adotar o

são comercializadas, desde então, para

cotton para as peças.

os estudantes do Ensino Médio

Em função do uso obrigatório do uni­ forme escolar no Ensino Médio, a partir de 2017, a equipe pedagógica do Ensino Fundamental – Anos Finais resolveu contar com a participação dos estu­ dantes para a criação de novas peças. Em contato com a Co.De, empresa de

Colégio adotava uniforme especial para a Semana da Pátria


12

OLHOS PARA O MUNDO

REFERÊNCIA E EXCELÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA Centro Aberto de Cambridge do Colégio Farroupilha possibilita que estudantes a partir do 4º ano do Ensino Fundamental realizem o primeiro exame. Os estudantes do Colégio Farroupilha são preparados, desde o Ensino Funda­ mental – Anos Iniciais, para comunicar-se em inglês nos moldes de Cambridge. O primeiro exame é feito ainda no 4º ano e, depois, é realizado anualmente ao fi­ nal de cada ano letivo, até a conclusão do Ensino Médio. Desde 2010, o Colégio é referência internacional por ser a primeira instituição do mundo a incorporar a metodologia e a preparação para os exames de Cambridge no currículo escolar. A escola também é a primeira do Rio Grande do Sul a ser Centro Aberto Auto­ rizado de Cambridge, recebendo uma certificação para aplicar os exames da renomada instituição britânica a estudantes e candidatos externos, bem como para atuar no desenvolvimento de preparations centres, polos de aplicação dos exames de Cambridge em cidades do Rio Grande do Sul. Atualmente, os exames também podem ser feitos em escolas conveniadas nas cidades de Pelotas, Ivoti, Santana do Livramento, Canoas, Nova Prata e Lajeado.


13

Os exames de Cambridge English Language Assessment são imparciais, avaliados por um órgão da Universidade de Cambridge; completos, abrangem as quatro habilidades linguísticas: ler, ouvir, falar e escrever; e pragmáticos, baseiam-se em situações de comunicação do dia a dia. Os testes escritos devem acontecer no mesmo dia e horário em todo o mundo. Por questão de fuso horário, os continentes são divididos por zonas, e os testes são distribuídos de acordo com cada zona. Portanto, a data do teste escrito é intransferível. O Centro de Idiomas do Farroupilha segue o calendário fixado pela Universidade de Cambridge. Quanto ao teste oral, a data é mais flexível, mas o teste deve ser feito dentro de uma janela de opções, também estipulada por Cambridge. Os certificados de Cambridge são reconhecidos internacionalmente e podem decidir processos seletivos (estágios, bolsas de estudo, empregos), além de facilitar o acesso ao ensino superior e a cursos de pós-graduação no Brasil e no exterior, não perdendo a validade e sendo, portanto, diferenciais profissionais.

QUADRO COMUM EUROPEU DE REFERÊNCIA Desde 2010, o ensino de idiomas no Colégio Farroupilha tem como parâmetro o Quadro Comum Europeu de Referência, que determina o que cada estudante é capaz de realizar em cada etapa de seu aprendizado. Entre os principais diferenciais desse formato estão: • Organização dos grupos por faixa etária e grau de proficiência: possibilita a divisão das turmas de um mesmo ano ou série em grupos de acordo com o nível de conhecimento dos estudantes. • Exames de proficiência certificados por instituições internacionais: possibilitam aos estudantes, ao final de cada ano letivo, testarem seus conhecimentos dos idiomas, a partir de avaliações preparadas e corrigidas por instituições internacionais, como Cambridge, Instituto Cervantes, em nome do Ministério da Educação e Formação Profissional da Espanha, e Ministério da Cultura alemão. Os certificados, reconhecidos mundialmente, podem compor o portfólio do estudante e ser utilizados para além da vida escolar, seja para o ingresso em uma universidade estrangeira, seja para facilitar a vivência em intercâmbios, entre outros aspectos. • Aulas estruturadas em seis eixos: ao seguir o Quadro Comum Europeu de Referência, o Farroupilha estrutura o ensino das línguas adicionais nos eixos de expressão oral, leitura e interpretação de textos, aspectos de linguagem, produção escrita, dimensão estético-simbólica e valores.

QUAIS SÃO OS EXAMES DE CAMBRIDGE? • YOUNG LEARNERS: Starters e Movers – Cambridge Nível 1 (para crianças de 7 a 12 anos); • YOUNG LEARNERS: Flyers – Cambridge Nível 2 (para crianças de 7 a 12 anos); • KET (Key English Test) – Cambridge Nível 2 (qualificação de nível básico); • PET (Preliminary English Test) – Cambridge Nível 3 (qualificação de nível intermediário); • FCE (First Certificate in English) – Cambridge Nível 4 (qualificação de nível intermediário superior); • CAE (Certificate in Advanced English) – Cambridge Nível 5 (qualificação de alto desempenho em inglês); • CPE (Certificate of Proficiency in English) – Cambridge Nível 6 (qualificação de nível extremamente elevado em inglês).


14

OLHOS PARA O MUNDO

TED ED CLUBS NO FARROUPILHA

CONFIRA OS NOMES DOS ESTUDANTES E OS TÍTULOS DE SUAS FALAS:

Estudantes do 21st Century Communication, clube de apresentações em Língua Inglesa do Colégio, apresentaram temas diferenciados.

• Helena Hummes Peixoto — How technology overuse interferes with myopia

Os estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental – Anos Finais à 2ª série do

• Gabriela Maino— The concept of beauty

Ensino Médio, integrantes do 21st Century Communication, o clube de apre­ sentações em Língua Inglesa do Colégio, participaram, no final do ano letivo de 2018, da primeira edição do TED Ed Clubs realizada no Farroupilha. O Clube TED Ed é uma iniciativa do TED para estimular ideias em crianças e adolescentes no ambiente escolar. No Farroupilha, cada estudante teve de três a oito minutos para apresentar à plateia, em inglês, um tema por ele escolhido e desenvolvido. Foram 13 falas, que abordaram diferentes assuntos, como a felicidade, o conceito de beleza, a obra de Stan Lee, a privacidade nas redes sociais, entres outros. Na ocasião, a gerente do Centro de Idiomas do Colégio, Luciane Calcara, agradeceu à professora Gabriela Cunha pelo trabalho realizado com o grupo e declarou estar orgulhosa do resul­ tado apresentado, destacando o domínio do idioma e a exposição dos temas. As apresentações foram assistidas pelos familiares e colegas dos estudantes, pelo coordenador do Ensino Médio, Cristiano Silva dos Santos, e pelo presidente da Associação Beneficente e Educacional de 1858 (ABE 1858), Fernando Carlos Becker, acompanhado de sua esposa, Vera Maria Hemb Becker.

• Julia Mendes — Decision fatigue and mental energy • Marcelo Bopp Tesheiner — Stan Lee: the Legend • Thomas Trevisan Ribeiro — Terrorism Around the World • Mariana Schreiner Homrich da Silva — Privacy in social media • Amanda Mayer — Don’t you feel hot? Because a piece of you has just been burned • Julia Ferrarin — What the world needs • Alvaro Madrid — The happiest I can be • Gabriela Trindade Nunes — A conversation with society • Juliana Fasolo Oliveira Sobierayski — The process of falling in love • Letícia Gonçalves Almeida Lacerda — How the sun affects us • Giovana Zaffari Lacerda — We have to wake up


15

AGENDE-SE PARA OS PRÓXIMOS MESES! Confira algumas das atividades que serão realizadas em abril, maio e junho.

ABRIL • 06 - Convescote* do Ensino Fundamental – Anos Iniciais (unidades Correia Lima e Três Figueiras)

• • • •

08 - Eleições do Grêmio Estudantil Farroupilha (GEF) 19 - Feriado – Paixão de Cristo 21 - Feriado – Tiradentes e Páscoa 22 - Cuidar é Básico – encontro geral para famílias de todos os níveis de ensino e educadores

• 22 a 26 - V Semana de Tecnologia Educacional MAIO • 01 - Feriado – Dia do Trabalho • 11 - Homenagem às mães (Anos Iniciais – Unidade Correia Lima) • 11 - Homenagem às mães (Educação Infantil) • 18 - Homenagem às mães (Anos Iniciais – Unidade Três Figueiras) • 18 - Simulado SAT (estudantes dos Anos Finais, do Ensino Médio e ex-alunos) JUNHO • 03 a 07 - VIII Feira Verde • 08 - Festa Junina • 12 - Jornada das Profissões (Ensino Médio) • 20 - Feriado – Corpus Christi • 29 - Ciranda de Ideias (Ensino Fundamental – Anos Iniciais)

* Em caso de chuva, a atividade ocorrerá no dia 13 de abril. Mais informações sobre as atividades serão divulgadas em nosso site www.colegiofarroupilha.com.br


16

SOU FARROUPILHA

OS DIFERENTES “ROSTOS” DO COLÉGIO FARROUPILHA Nova editoria da Revista Farroupilha trará um breve bate-papo com um estudante, um ex-aluno, uma família e um educador. A comunidade escolar do Colégio Farroupilha é variada e formada por educadores, estudantes dos quatro níveis de ensino - Educação Infantil, Anos Iniciais, Anos Finais e Ensino Médio -, famílias e ex-alunos. A partir da primeira edição de 2019 da Revista Farroupilha, traremos uma breve conversa com representantes da comunidade. Para participar, envie as respostas das perguntas e uma foto para o e-mail comunicacao@colegiofarroupilha.com.br

SOU EDUCADOR FARROUPILHA Meu nome é Milton Fattore. No Colégio Farroupilha, sou o Diretor Administrativo. Minha função é a direção administrativa e financeira do Farroupilha. Trabalho aqui desde 2008. O que mais gosto no Farroupilha: as pessoas.


17

SOU ESTUDANTE FARROUPILHA Meu nome é Maria Eduarda Conter Villanova. Sou estudante da 3ª série C do Ensino Médio e, com muito aperto no coração, me formo no fim deste ano. Estudo no Farroupilha desde 2008. O que mais gosto daqui: todo o seu conjunto, pois, com mais de dez anos de história, é difícil apontar apenas um fator que faz eu ser apaixonada por essa instituição. Todos os monitores, o pessoal da Recepção, os professores, os coordenadores e os demais funcionários contribuíram para eu me tornar o que sou hoje. Muito qualificados e dedicados, com o passar dos anos, criei laços inimagináveis com todos esses profissionais e com amigos e colegas. Como “filha” desse Colégio, gostaria também de salientar as atividades extracurriculares e os ensinamentos de sala de aula, que, sem dúvida alguma, são essenciais para a formação de jovens com visão de mundo, portadores de valores bem definidos. Creio que quando eu sair do Colégio, sentirei saudade de “casa”, porque é exatamente isso que o Farroupilha se tornou para mim. Os treinos de vôlei, as provas, as risadas nos corredores, a Miniempresa, o Grupo de Relações Internacionais e tantos outros momentos proporcionaram os melhores anos da minha vida!


18

SOU FARROUPILHA

SOU EX-ALUNO FARROUPILHA Meu nome é Carolina Corrêa Meyer d’Avila. Estudei no Farroupilha de 1979 a 1991. A minha melhor lembrança do Colégio: são tantas! Eu adorava as Olimpíadas, era um período de diversão e confraternização. E quem esquece do prensado do Bar do Zé? Os passeios para a Sede? Em 1990, fiz parte do Grêmio Estudantil e também foi um período muito divertido! Acho que eu aprontava – para os padrões da época! Um educador marcante foi o Carvalho, de Biologia, o Ortiz, de Química, a Loara, de Artes, a Maria José e seu impagável “oitavaaaaa A” para chamar a nossa atenção. E a professora Irene, de Português e Literatura, do 3º ano, que tem um lugarzinho especial no meu coração. Tantos educadores me marcaram! Atualmente, sou designer gráfica e tenho meu estúdio, chamado A Design Estúdio. Moro em Porto Alegre.


19

SOU FAMÍLIA E EXALUNO FARROUPILHA* Meu nome é Walter Fontanive Júnior. Eu sou pai da Isabel Giacomet Fontanive, estudante do 1º ano do Ensino Fundamental – Anos Iniciais. Escolhi o Colégio Farroupilha porque me identifico com os métodos e com a organização da escola e também pela excelência do corpo docente e constante atualização da instituição. O que mais gosto na escola é a tradição e as propostas de atividades com estudantes e com participação das famílias. Estudei no Farroupilha entre os anos de 1978 e 1991. A minha melhor lembrança do Colégio são os amigos “da escola para a vida”! Uma educadora marcante foi a Maria José, professora de Matemática da 8ª série. Atualmente, sou gestor de investimentos. Moro em Porto Alegre. * No ano passado, Walter Fontanive Júnior refez uma foto feita em 1978, quando ele estava no 1º nível do Jardim de Infância, ao lado do irmão, Luís Fontanive Neto, também ex-aluno e que se formou em 1987, e do pai, Walter Fontanive. Na época, Luís cursava o 2º ano do antigo 1º grau. Passados 40 anos, uma nova imagem foi registrada, dessa vez com a presença da filha de Walter Júnior, Isabel Giacomet Fontanive.


20

ESPECIAL

apren

MAIS ESPAÇOS PARA


21

nder

Novo prédio do Colégio Farroupilha é inaugurado com locais adequados para o desenvolvimento de práticas pedagógicas de excelência.

Após dois anos, os tapumes que “escondiam” o novo pré­ dio do Colégio Farroupilha foram retirados, e a comunidade escolar pôde, na volta às aulas, em fevereiro, conhecer a estrutura de 3.503,06 metros quadrados. Do final de maio de 2017 até fevereiro de 2019, cerca de 200 pessoas tra­ balharam, diariamente, na construção do edifício de cinco pavimentos, que abriga todas as turmas da 3ª série do Ensino Médio, além de salas multidisciplinares. O objetivo do investimento foi qualificar permanentemente as estruturas físicas e tecnológicas do Colégio, de modo a oferecer espaços para o desenvolvimento das mais dife­ rentes práticas pedagógicas. “Este novo prédio é mais um equipamento que entregamos para oferecer aos nossos estudantes e educadores. Anualmente, investimos em me­ lhorias de infraestrutura que contribuem para a qualidade do trabalho desenvolvido em sala de aula, bem como para a convivência escolar”, explicou o diretor administrativo do Colégio, Milton Fattore. A construção seguiu todas as normas de acessibilidade e de segurança. O prédio conta com uma área para os edu­ cadores, dividida em salas de convivência, refeitório e ves­ tiários, um andar com as salas de aula do Ensino Médio e dois andares com salas multidisciplinares para estudantes de todas as faixas etárias, com área e layout flexíveis e com mobiliários que se adaptam a diferentes metodologias de ensino e usos. Além disso, o prédio conta com dois ele­ vadores, com capacidade para 20 pessoas, destinados à utilização de todos os usuários, pátio coberto e áreas de convivência. “Temos um grande ganho educacional. A cons­ trução visa ao século 21, transferindo para os estudantes o conhecimento de uma maneira mais digital e menos ana­ lógica. Os estudantes são os nossos grandes condutores. É com eles que aprendemos”, analisou o conselheiro da Associação Beneficente e Educacional de 1858 (ABE 1858) e membro do Comitê de Obras formado exclusivamente para o novo prédio, Mario Fernando Fettermann Espíndola.


22

ESPECIAL

A estrutura possui uma série de soluções focadas na sustentabilidade, como cobertura com telhado verde, para melhorar o conforto térmico da edificação, sistema de ar condicionado central VRF, com economia de cerca de 30% no consumo de energia, e salas projetadas com ventilação cruzada para deixar o ambiente mais confortável. As esquadrias são de PVC e vidro duplo, para garantir o conforto térmico e reduzir os ruídos, a iluminação é 100% em LED e as paredes internas são móveis, permitindo mudanças nos formatos das salas. Também há um reservatório de reaproveitamento de água da chuva, que será utilizada para regar os jardins da instituição.


23

“É um espaço de qualificação superior, com conforto térmico, acústico e lumino­ sidade controlada. São aspectos que, em tese, no passado, não eram abordados, e hoje em dia, com o nível de sofisticação e exigência, damos atenção a isso. O prédio não acrescenta apenas salas de aula, mas novos espaços e ambientes que nos permitem realizar atividades diferentes. Além disso, é um prédio que tem a preocupação com a sustentabilidade e que atende a parâmetros supermoder­ nos. E isso não é somente pensar na qualidade do ambiente, mas em torná-lo mais adequado aos novos tempos em que temos que tratar com muito cuidado o consumo de água e luz”, destacou o conselheiro da ABE 1858 e membro do Comitê de Obras, Christian Ulrich Voelcker. “Quando se viu que chegaria um momento que não teríamos mais espaço pela reforma do ensino [inclusão do 9º ano do Ensino Fundamental], pensamos o que poderia ser feito dentro da estrutura física do Co­ légio. O espaço deveria ser de destaque e não ligado ao Colégio, porque não teria como fazer um novo prédio sem tirar áreas úteis e de circulação hoje utilizadas pelos demais segmentos. Então, pensamos nesse local, com interligação e área de convivência. Foi uma mudança dentro de uma escola tradicional em questão de modernidade em infraestrutura”, completou o tesoureiro da ABE 1858 e mem­ bro do Comitê de Obras, Delfino Carlos Plá Filho.


24

ESPECIAL

INTERVENÇÃO ARTÍSTICA DE EDUARDO KOBRA O novo prédio do Colégio ganhou uma intervenção de um dos mais reconhe­ cidos muralistas da atualidade, o ar­ tista paulista Eduardo Kobra, que no mês de dezembro de 2018 foi eleito uma das personalidades do ano pelo guia cultural americano Time Out. A primeira obra de Kobra em Porto Alegre faz uma homenagem ao poeta gaúcho Mário Quintana em uma área de 14m x 14m do prédio, localizada em frente ao Campão.

Marina Meyer

MELHORIAS CONSTANTES Desde 2013, muitas obras na infraestrutura do Farroupilha foram feitas para qualificar os espaços educativos. Além disso, houve importantes esforços na qualificação do corpo docente, alinhados à missão e à visão da instituição. Relembre, a seguir, algumas das benfeitorias.

2013 •• Reforma das salas de aula e adesivagem com diferentes temáticas (países do mundo, regiões do Brasil, natureza, fundo do mar, animais e ícones que remetem à cidade de Porto Alegre); •• Instalação de ar-condicionado em todo o 3º andar e nova iluminação nas salas de aula; •• Áreas de convivência e espaço de leitura nos três andares do prédio principal; •• Implantação da Central de Relacionamento, com oito salas para atendimento às famílias; •• Novos armários com a utilização de senha; •• Reforma no Auditório principal e nos laboratórios de Química, Física e Bio­ logia; •• Inauguração do Saúde no Copo, da Livraria Casa do Estudante e da Cafeteria La Brunita; •• Inauguração do novo Memorial.


25

2014 •• Inauguração do espaço do Berçário e dos Níveis 1, 2 e 3 da Educação Infantil: localizado junto à Recepção de Alunos, possui refeitório, salas de aula, pátio interno, sala multidisciplinar e ateliê. As janelas, além de iluminação direta, mantêm uma ventilação cruzada, uma das exigências do Ministério da Edu­ cação (MEC), o piso é aquecido e o mobiliário tem ergonomia específica para cada faixa etária e cores e formas primárias que facilitam o aprendizado das crianças; •• Salas multidisciplinares nos 1º, 2º e 3º andares; •• Salas exclusivas para o Farroups+; •• Remodelação da Sala de Artes; •• Reforma na Biblioteca Kids, localizada junto à parte anexa à Biblioteca principal; •• Ligação entre os prédios principal e o da Recepção de Alunos; •• Instalação de rede wireless em todo o Colégio; •• Implantação de nova loja de uniformes (Grife Farroupilha).

2015 •• Banheiros do prédio principal foram reformados e as portas ganharam adesi­ vos de super-heróis e personagens marcantes do cinema e de séries; •• As escadas dos andares receberam o Caminho das Poesias; •• Instalação de ar-condicionado nas salas de aula dos 1º e 2º andares; •• Novo playground junto às quadras esportivas inferiores para os estudantes do Ensino Fundamental – Anos Iniciais; •• Aquisição de novas catracas de acesso; •• Ampliação da subestação de energia, implantação de gerador e readequação da rede elétrica; •• Substituição das coberturas de acesso à Recepção de Alunos e do telhado do hall do Ginásio; •• Instalação de elevador para acesso ao Ginásio e ao Auditório principal.

2016 •• Modernização do prédio dos Níveis 4 e 5 da Educação Infantil: nova recep­ ção, implementação de catracas de acesso, padronização de área e novos mobiliários, novas instalações elétricas, pintura e troca de piso, reforma geral dos banheiros, adaptação da edificação para pessoas com neces­ sidades especiais, implementação do novo sistema de climatização e de iluminação do tipo LED, reforma da cobertura da recreação, remodelação do Recanto dos Bichinhos e ligação coberta entre a Educação Infantil e o prédio B; •• Troca da cobertura da quadra esportiva atrás do Ginásio; •• Melhorias e ampliação da unidade Correia Lima.


26

ESPECIAL

2017 •• Ampliação do número de vagas do estacionamento e criação de nova saída pela Rua Alfa; •• Reforma no telhado e nos banheiros do Ginásio; •• Instalação de ar-condicionado nas salas de Artes e de Judô; •• Expansão da passarela da Educação Infantil até a calçada da Rua Carlos Huber e da passarela da escadaria que leva às quadras inferiores até a quadra coberta; •• Novo piso, portão e espaço para depósito na unidade Correia Lima.

2018 •• Reformulação da Biblioteca: mobiliário novo, espaços alternativos para leitura, duas salas para estudos em grupo, computadores substituídos por equipamentos móveis, integração da Biblioteca Kids à Biblioteca principal e espaço próprio da Hora do Conto; •• Criação do Espaço Maker, equipado com diversas ferramentas e maquinário digi­ tal para o estudante colocar a mão na massa; •• Estúdio Farroups: laboratório equipado com recursos audiovisuais para a utiliza­ ção dos estudantes; •• Minicidade na Educação Infantil para as crianças aprenderem questões de cida­ dania e trânsito; •• Lounge no estacionamento para espera das famílias, com conexão wi-fi, tomadas, café e água, sanitário e locais para sentar; •• Tratamento acústico no refeitório do Berçário; •• Remodelação do Centro Cultural e Esportivo; •• Reforma da sala da Recreação dos Anos Iniciais; •• Integração dos laboratórios de Física e Matemática, com mobiliário flexível que permite diferentes configurações de trabalho; •• Remodelação da Sala dos Educadores e das salas do Farroups+; •• Pintura, substituição da cerca de perímetro e novas carteiras na unidade Correia Lima.


27

A HISTÓRIA DOS OUTROS PRÉDIOS DO COLÉGIO NO BAIRRO TRÊS FIGUEIRAS Prédio A (principal) Em 1956, o então presidente da ABE 1858, Egon Renner, decidiu cons­ truir um novo prédio no terreno adquirido na Chácara Três Figueiras. O projeto previa a construção de três pavilhões, que abrigariam os cursos Primário, Ginasial e Colegial, os serviços de administração escolar, os salões de ginástica – com separação para meninas e me­ ninos -, um auditório, o Jardim de Infância e pátios amplos. A cons­ trução teve início em 1959 e a inauguração foi realizada em 1962. Jardim de Infância Sob a direção da professora Vera Elisabeth Reimer Matte, o novo Jardim de Infância do Colégio Farroupilha abriu as por­ tas em 20 de março de 1972. Moderno e funcional, o prédio provocou grande fluxo de visitação, principalmente de es­ tudantes da Faculdade de Engenharia da UFRGS, e tornou­ -se campo de observação e estágio para educadores que buscavam especializar-se na área de Educação Pré-escolar. Centro Cultural e Esportivo A ABE 1858 definiu que o local contaria com dois pavimentos, cada um deles com flexibilidade para permitir diferentes usos. O projeto de arquitetura da época definiu dois espaços amplos, com vãos livres de grandes dimensões, possibilitando, no pavimento superior, a implantação de espaço para uso múl­ tiplo, como ensaios de dança, exposições, feiras e outras atividades esporti­ vas, e, no pavimento térreo, um espaço nobre, onde espetáculos de natureza cultural com grande público pudessem ocorrer. A obra foi concluída em 1995. Berçário e Maternal Farroupilha Iniciado em abril de 1993, surgiu com o objetivo de auxi­ liar as famílias no atual contexto social. Desde o princípio, tornou-se um diferencial por estar vinculado a um grande educandário.

Prédio B (Administrativo) O Colégio Farroupilha inaugurou o Bloco Administrativo em 1974, junto com as comemorações do sesquicentenário da Imigração Alemã. O espaço possuía saguão principal, Salão de Honra, sala da presidência da ABE 1858, salas da Dire­ ção, secretaria, salas complementares e auditório.


28

CONECTADOS

PARCERIA DE ESTUDANTES E PROFESSORES COM TECNOLOGIA Grupo de estudantes dos Anos Finais e do Ensino Médio recebeu certificado após concluir o programa Aluno Tutor Google.

No começo de 2018, estudantes do Ensino Fundamental – Anos Finais e do Ensino Médio tiveram a oportunidade de inscrever-se no programa Aluno Tutor de Tecnologia Google for Education, desenvolvido pela Nuvem Mestra, empresa responsável por implementar as ferramentas Google for Education no Farrou­ pilha. A iniciativa buscou desenvolver parceria com educadores de diferentes disciplinas para utilizar os recursos tecnológicas do Google em sala de aula. Seis estudantes que concluíram todos os desafios propostos pelo programa foram selecionadas a participar, no mês de novembro, do 2º Encontro Nacional de Alunos Tutores de Tecnologia, realizado na sede do Google Brasil, em São Paulo. No evento, o grupo compartilhou experiências com estudantes de todo o país, teve um treinamento on-line sobre as ferramentas Google, assistiu a palestras com Rodrigo Vale, responsável pelo Google for Education na América Latina, e Viviane Rozolen, especialista em educação de usuário em segurança on-line da Google, e participou de dinâmicas e desafios em equipes. “Participar do programa foi uma experiência muito boa, pois aprendi novos recursos que me auxiliarão no dia a dia. O mais legal do encontro foram os desafios e as atividades envolvendo as plataformas Google”, avaliou Júlia Carolina Dourado Magalhães, da 1ª série C. Para Gabriela Bittencourt Pereira, também da 1ª série C, o evento de São Paulo foi a melhor parte do programa. “Na minha mesa, tinha gente de Natal, Santa Catarina, interior de São Paulo, e foi uma troca de experiências muito legal. Eu contei um pouco do meu dia a dia no Colégio, e eles contaram a rotina deles. O programa todo me trouxe muitas coisas boas para colocar na minha bagagem do conhecimento”, frisou. “Lá, fizemos várias atividades legais que valorizavam

Estudantes representaram o Colégio Farroupilha em evento na sede do Google Brasil, em São Paulo


29

muito o trabalho em grupo, tivemos palestras de pessoas importantes do Goo­ gle, montamos um protótipo de aplicativo, e o que eu achei mais legal é que fomos divididos em grupos aleatoriamente”, complementou a estudante Camila Knijnik Milman, da 2ª série A.

APRENDIZADO PARA EDUCADORES E ESTUDANTES Durante todo o programa, os estudantes auxiliaram os professores na utiliza­ ção das ferramentas Google for Education em sala de aula. O grupo foi acompa­ nhado pela analista de Tecnologia Educacional (TE) do Colégio, Daniela Oliveira Hahn. “Foi uma experiência única acompanhar o crescimento e a evolução des­ se projeto. O grupo estava engajado, determinado e focado. Realmente, todos colocaram a mão na massa e concluíram com excelência os desafios. Uma palavra que define esse grupo é criatividade”, avaliou. Quando começou o programa, a estudante Camila Milman pretendia tentar algo novo. Ela confessou que, no início, pedia ajuda e tinha dificuldade de fazer as tarefas sozinha, mas foi se acostumando e aprendeu muito mais do que imagi­ nava. “Ajudamos os professores a montar aulas usando ferramentas do Google. Foi uma das coisas mais legais que fiz em 2018, se não uma das coisas mais legais que já fiz na minha vida, que acrescentou demais. Agora consigo ajudar os meus amigos, a minha família e os meus professores”, analisou. A estudante executou uma atividade em sala de aula em parceria com o professor de Biolo­ gia do Ensino Médio, Luís André Martins, sendo ela a protagonista. “A estudante teve, ainda, a chance de compartilhar a prática em sala de aula, debatendo com os colegas as propostas sobre a atividade em questão. “Eu, como professor, achei fantástica a ideia de aprender com ela as ferramentas Google for Educa­ tion”, comemorou Martins. A estudante Gabriela Pereira sempre gostou da área de tecnologia. Além do programa Aluno Tutor, ela também participa, desde 2017, do Conexão Farroups, o grupo de educomunicação do Farroupilha. “Foi uma experiência maravilhosa, porque conseguirei ver a sala de aula de outra perspectiva, não só como estu­ dante, mas como um aluno tutor, que está ali para ajudar o professor, que quer proporcionar as melhores aulas, o melhor aprendizado, que aquele conteúdo e ambiente podem gerar”, comentou. “O programa Aluno Tutor permitiu o engajamento e a participação ativa dos estudantes em seu próprio processo de aprendizagem, de maneira interativa e lúdica. É tarefa da escola e dos educadores auxiliar na promoção de atividades como essa, que estimulam a autonomia dos estudantes”, considerou a profes­ sora de História do Ensino Fundamental – Anos Finais, Carine Bajerski. A partir de agora, os estudantes podem participar da segunda fase do progra­ ma, chamada “Sou aluno tutor. E agora?”, para reconhecer a importância do Aluno Tutor na instituição e promover a interação entre o grupo de alunos tu­ tores e a comunidade escolar por meio de um canal no YouTube. Haverá, ainda, a terceira e última fase, “Nós somos alunos tutores”, que pretende mapear as experiências tecnológicas no Colégio.


30

DESTAQUE

INÍCIO DO ANO LETIVO COM MELHORIAS Mais de 50 intervenções foram realizadas no Colégio Farroupilha durante as férias escolares. Esplanada ganhou novas intervenções artísticas, além de abrigar o Grêmio Estudantil Farroupilha (GEF)

Além da conclusão do novo prédio, as férias escolares serviram para que ou­ tras melhorias fossem realizadas em diferentes espaços do Colégio Farroupilha. Mais de 50 benfeitorias aconteceram, e a comunidade escolar encontrou mui­ tas novidades na volta às aulas. Unidade Administrativa (ABE 1858): situada na rua Balduíno Roehring, n. 200, a Unidade Administrativa passou por reforma e remodelação. Alguns setores foram realocados, como o setor Financeiro, que está melhor localizado para as famílias que o procuram. Espaço do Berçário e dos Níveis 1, 2 e 3: nova recepção, reforma no Ateliê de Artes e climatização da área de depósito de alimentos. 2º andar: reforma no banheiro e na copa da Sala dos Educadores, substituição do piso nas salas de aula, substituição do piso na área de circulação, substitui­ ção das portas e reforma na sala de Atendimento Educacional. Grêmio Estudantil Farroupilha (GEF): o espaço dos estudantes agora fica em um contêiner, localizado na Esplanada.

Nova Recreação

Unidade Correia Lima: substituição de mobiliário na cozinha, nova Sala dos Educadores, pintura geral, calha no piso da quadra poliesportiva e cercamento.

Novas Passarelas


31

• Novo refeitório do Farroups+ (antigo Full Day); • Nova recreação; • Área de convivência para os Anos Fi­ nais e para o Ensino Médio no térreo; • Inauguração da Livraria Clip (após as catracas da Recepção de Alunos);

Espaço de alimentação

• Remodelação da Sala da Escola de Professores Inquietos; • Substituição das portas automáticas na Recepção de Alunos;

Local no Espaço de Alimentação para que estudantes aqueçam lanches e comida.

• Brinquedoteca no 1º andar; • Sala de Apoio para os Anos Iniciais; • Substituição do piso de circulação do 3º andar; • Renovação do piso da Esplanada; • Drenagem, irrigação e nivelamento do Campo de Futebol e renovação da Pista Atlética (entrega prevista para o mês de abril); • Nova pracinha para os estudantes dos Anos Iniciais; • Substituição das passarelas até o

Refeitório do Farroups+

Nova Recepção da Educação Infantil (Berçário, Níveis 1, 2 e 3)

prédio novo, o espaço de alimenta­ ção e o Ginásio; • Climatização da Recreação no prédio dos Níveis 4 e 5 da Educação Infantil e colocação de piso emborrachado

Brinquedoteca

na Ponte de Cordas; • Renovação do Espaço de Alimenta­ ção (Bar do Zé e Cafeteria La Brunita); • Substituição de parte do piso da Ala F do estacionamento;

Nova pracinha para os Anos Iniciais

• Renovação da calçada externa do Colégio.

Área de convivência para os Anos Finais e o Ensino Médio


32

DESTAQUE

COLÉGIO LANÇA NOVO SITE INSTITUCIONAL Busca otimizada, interação e navegação intuitiva e vertical são as características do portal. Desde o dia 23 de janeiro está no ar o novo site do Colégio Farroupilha. Pensado para uma navegação intuitiva e vertical, que se adapta a diferentes telas, o portal reúne informações sobre a escola e uma série de serviços à comunidade escolar. Entre os principais pontos da página inicial estão: conteúdos em desta­ que no banner principal; informações sobre os principais diferenciais da escola e sobre os níveis de ensino; eventos previstos no calendário escolar; algumas notícias; e uma área multimídia, onde é possível acessar as edições da Revista Farroupilha e as páginas da escola no YouTube e no Flickr.

NOVO SITE DA ABE 1858 A Associação Beneficente e Educa­ cional de 1858 (ABE 1858), mantene­ dora do Colégio Farroupilha, também está com site novo. Nele, é possível navegar pela história da instituição, conhecer as unidades mantidas pela

No novo site, a busca por conteúdos foi otimizada e pode ser feita na lupa que

ABE 1858, conferir notícias e publica­

aparece na parte superior central do portal. Também nessa parte superior é

ções, preencher cadastro de associa­

possível ser direcionado para os perfis do Farroupilha nas redes sociais Insta­

ção e, para os membros do Conselho,

gram, Facebook, Linkedin, YouTube e Flickr.

acessar uma área restrita.


33

USO DO CRACHÁ: SEGURANÇA NO AMBIENTE ESCOLAR Estudantes e famílias devem portar o objeto para acesso em todas as atividades do Colégio. O Colégio adota diferentes normas e procedimentos para garantir um trabalho educativo de qualidade, um local de segurança e conforto de todos que integram a comunidade educativa, e o uso do crachá integra o conjunto dessas ações. Além do uso para acessar as catracas no turno regular de aula, ele deve ser utilizado para acesso ao turno inverso, em sábados letivos, em dias de reunião de pais, jogos, treinos, competições e demais eventos promovidos pelo Colégio. No caso de convidados, é necessário apresentar, na Recepção, um documento válido de

PERDEU O CRACHÁ?

identidade com CPF e foto. O uso do crachá é obrigatório para as crianças a partir

Procure qualquer uma das recepções

do Nível 4 da Educação Infantil e para as famílias de todos os níveis de ensino.

para solicitar um novo! Mais informa­

Além disso, pais e demais familiares possuem horários específicos para cir­

ções pelo telefone (51) 3455.1816.

cularem nas áreas comuns (Pátio, Área Coberta, Saúde no Copo, Bar do Zé, La Brunita e Livraria Clip): das 7h às 8h30, das 11h30 às 14h30, e após as 17h. Saiba mais, abaixo, sobre outros procedimentos adotados: Circulação nos andares e nas salas de aula: nossas salas de aula são o coração do Farroupilha, onde o processo educativo e a interação entre profes­ sores e estudantes acontecem. Portanto, nossa equipe está orientada a res­ tringir o acesso das famílias a esse ambiente, com o objetivo de não interferir no trabalho pedagógico. Entrada dos estudantes: deve ser realizada nas recepções específicas para tal fim. A Recepção Administrativa é restrita somente aos educadores, visitan­ tes e prestadores de serviço. Entrada de animais de estimação: não é permitido o acesso de animais de estimação no espaço escolar, exceto em atividades pedagógicas nas quais a condução de animais seja solicitada pelo Colégio.

Mais informações estão disponíveis no Código de Conduta e Convivência do Colégio Farroupilha, que pode ser acessado no link http://www. colegiofarroupilha. com.br/arquivos/ codigosdeconvivencia.pdf


34

DESTAQUE

ARTES, TECNOLOGIA, ESPORTES E MÚSICA Farroupilha oferece mais de 20 opções de atividades extracurriculares para crianças dos Níveis 4 e 5 da Educação Infantil, estudantes dos Anos Iniciais, dos Anos Finais e do Ensino Médio, famílias, educadores e ex-alunos. Para o ano letivo de 2019, o Colégio Farroupilha oferece mais de 20 atividades extracurriculares. As opções são nas áreas de esportes, música, tecnologia e artes, e são destinadas às crianças dos Níveis 4 e 5 da Educação Infantil, aos estudantes dos Anos Iniciais, dos Anos Finais e do Ensino Médio, às famílias, aos educadores e aos ex-alunos. Entre as novidades estão a parceria com a escola de música Guitarríssima, que terá sete modalidades: Bandas, Canto, Coral, Guitar Kids, Violão, Violino e Tecla­ do, e com a escola de programação SuperGeeks. Há, ainda, novas modalidades esportivas, como Esgrima, Cheerleading e Yoga. Já as famílias, ex-alunos e educadores podem participar da Yoga, do Ballet Adulto, do Farroupilha Runners (grupo de corrida) e do Voleibol. As inscrições devem ser feitas diretamente na Secretaria, e informações sobre valores e disponibilidade de vagas podem ser Ballet também será oferecido para famílias, educadores e ex-alunos

Educação Infantil – Níveis 4 e 5 • Ballet • Ginástica Artística • Judô • Guitar Kids • Programação | Ciência da Computação Anos Iniciais • Ballet (1º e 2º anos) • Basquete (1º ao 5º ano) • Capoeira (1º ao 5º ano) • CLIL – Science in English (4º ano) • Clip Dance (1º ao 5º ano) • Esgrima (2º ao 5º ano) • Futsal (1º ao 4º ano) • Ginástica Artística (1º ao 5º ano) • Ginástica Rítmica (1º ao 4º ano) • Judô (1º ao 5º ano) • Canto (2º ao 5º ano)

obtidas com o setor de Gestão de Serviços, pelo telefone (51) 3455.1837. Veja, a seguir, o que é oferecido para a comunidade escolar:

• Coral (2º ao 5º ano) • Guitar Kids (1º ano) • Teclado (2º ao 5º ano) • Violão (4º e 5º anos) • Violino (2º ao 5º ano) • Programação | Ciência da Computação (1º ao 5º ano) • Robótica (1º ao 5º ano) • Teatro (4º e 5º anos) • Voleibol (3º ao 5º ano) Anos Finais • Cheerleading • Clip Dance • Esgrima • Ginástica Artística (6º ano) • Bandas (8º e 9º anos) • Canto (6º e 7º anos) • Coral • Teclado (6º e 7º anos) • Violão (6º e 7º anos)

• Violino (6º e 7º anos) • Programação | Ciência da Computação • Robótica • Teatro (6º ao 8º ano) • Yoga Ensino Médio • Bandas • Coral • Programação | Ciência da Computação • Yoga Famílias, ex-alunos e educadores • Farroupilha Runners | Grupo de Corrida • Ballet Adulto • Voleibol • Yoga


35

UM NOVO JEITO DE VIVER O FARROUPILHA Farroups+ aposta em novas oficinas para a Educação Infantil e os Anos Iniciais.

Nova proposta oferece mais atividades mão na massa

O antigo Full Day do Colégio Farroupilha foi reconfigurado e, desde o início do ano letivo, passou a ser chamado de Farroups+. Nele, as crianças dos Níveis 3 ao 5 da Educação Infantil e do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental – Anos Iniciais vivenciam mais a instituição no turno oposto ao da aula regular. São oficinas e atividades oferecidas em ambientes planejados que contribuem para o desenvolvimento cognitivo, social, emocional e ético. As propostas incentivam a criatividade, o autoconhecimento, a autonomia e o cuidado de si, do outro e do mundo, a partir de uma rotina planejada e acompanhada por uma equipe de professores e monitores especializados.

OS DIFERENCIAIS DO FARROUPS+ ••

Divisão em três grupos etários: Educação Infantil (Níveis 3, 4 e 5), Anos Iniciais (1º e 2º anos) e Anos Iniciais (3º, 4º e 5º anos);

••

Oferta de duas oficinas por dia;

••

Oficinas mão na massa, que proporcionam o desenvolvimento da expressi­ vidade em diferentes linguagens, como corporal, artística e oral;

INSCRIÇÕES E MAIS INFORMAÇÕES:

••

Setor de Gestão de Serviços (sala na Central de Relacionamento), contato pelo telefone 3455.1837 ou e-mail servicos@colegiofarroupilha.com.br

••

Flexibilidade: opção de matrícula nas modalidades duas, três ou cinco ve­ zes por semana; Espaço, na rotina diária, para atividades e brincadeiras dirigidas, como combinações do dia, apoio ao tema de casa, momento de descanso, cuida­ dos de higiene e alimentação;

••

Cardápios preparados pela nutricionista da escola, que priorizam o consu­ mo de alimentos in natura ou minimamente processados.


36

DESTAQUE

EU TAMBÉM #SOUFARROUPILHA Pelo terceiro ano consecutivo, Convenção dos Educadores marcou o início da Semana de Formação Docente

Desde 2017, todos os profissionais do Colégio Farroupilha participam, no início da Semana de Formação Docente, da Convenção dos Educadores. Na volta às atividades de 2019, o tema da Convenção foi o programa ConViver Bem: a valo­ rização do Bom Relacionamento, que foi desenvolvido a partir do mote “Eu tam­ bém #souFarroupilha” e buscou valorizar o trabalho colaborativo das equipes. Após uma palestra sobre boa convivência nos dife­rentes espaços escolares e nos diferentes grupos, os educadores participaram de dinâmicas com Gustavo Nunes Pereira, da Evolurindo. Além de atividades de planejamento e organização para o ano letivo, os edu­ cadores tiveram uma programação que envolveu palestras, workshops, forma­ ções e oficinas, entre os dias 12 e 15 de fevereiro. A pedagoga e doutora em edu­ cação na área de psicologia, desenvolvimento humano e educação Telma Vinha ministrou as palestras “O diálogo entre professor e aluno: a arte da linguagem”, para os educadores da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, e “O desenvolvimento das estratégias de negociação nos conflitos entre as crianças e os jovens”, para os docentes dos Anos Finais e do Ensino Médio. Os educadores da Educação Infantil também estiveram envolvidos com a for­ mação “Consciência fonológica e a construção da escrita na Educação Infan­ til”, com a professora e pesquisadora Luciana Picolli, dando continuidade ao trabalho realizado em 2018. Já os docentes dos Anos Finais e do Ensino Médio fizeram uma formação sobre a Matriz Socioemocional. Os monitores e auxiliares de ensino participaram do workshop “Primeiros Socorros”, com a enfermeira do Ambulatório Escolar Renata Endres. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC)


37

foi tema de duas palestras da mestre em educação Priscila Boy direcionadas aos educadores da Educação Infantil e do Ensino Médio. O tema “Inteligência Emocional” foi abordado com educadores da Educação In­ fantil e do Ensino Médio. O educador, psicoterapeuta e consultor de desenvol­ vimento pessoal e profissional Wilson Calé foi o responsável por falar sobre o assunto com a Educação Infantil, enquanto a professora e coach de Inteligência Emocional Alessandra Gonzaga refletiu sobre o tema com os docentes do Ensi­ no Médio. Os educadores dos Anos Finais participaram da formação “Professor – orientador e estudante – pesquisador: os papéis que se constroem com a pesquisa em sala de aula”. Os professores do Ensino Médio conheceram as ferramentas do Google for Education No último dia da Semana de Formação Do­ cente, todos os educadores fizeram um tour pelas instalações do novo prédio.


38

DESTAQUE

EMPRÉSTIMO DE LIVROS NA BIBLIOTECA Crianças, estudantes, famílias e educadores têm à disposição acervo com cerca de 30 mil obras.

Inaugurada em 12 de outubro de 1968, com um acervo inicial de 5 mil livros, mil gravuras e recortes e 500 folhetos, a Biblioteca do Colégio Farroupilha teve o seu primeiro projeto desenvolvido pela ex-aluna e arquiteta Ana Luiza Petrik. Entre os anos de 1999 e 2001, o espaço físico foi ampliado e modernizado, e foram adquiri­ dos novos computadores, estantes, livros e sistema de ar condicionado. Foi em 2018, porém, que a Biblioteca foi totalmente reformulada, recebendo mobi­ liário novo, espaços alternativos para leitura e duas salas para estudos em grupo. Os computadores de mesa foram substituídos por Chromebooks, facilitando a pesquisa em diferentes configurações, e a busca no catálogo passou a ser feita em tablets fixados à frente das estantes de livros. A Biblioteca Kids, voltada para atividades da Educação Infantil e dos primeiros anos do Ensino Fundamental Anos Iniciais, foi integrada à Biblioteca. E a “Hora do Conto”, atividade de contação de histórias, ganhou um espaço próprio, com acesso independente. 

• Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30 (sem fechar ao meio dia). * As famílias têm horários específicos de acesso (saiba mais na página 33).

• Telefone: 3455.1817 • E-mail: biblioteca@ colegiofarroupilha.com.br

Além das crianças e dos estudantes, as famílias e os educadores também po­ dem realizar o empréstimo de obras. Para isso, é realizado um cadastro a partir do número do CPF dos educadores e dos familiares (a quantidade máxima de livros que podem ser retirados é de três exemplares). Atualmente, o acervo da Biblioteca é composto por cerca de 30 mil obras, sendo aproximadamente 7 mil do acervo infantil. Uma das novidades deste ano é a criação do espaço “Bebeteca”, um carrinho com livros adequados às crianças da Educação Infantil de zero a cinco anos de idade.


Ao longo de 2019, realizaremos atividades especiais para comemorar os 10, 30, 50 e 60 anos de formatura no Colégio Farroupilha.

Jantar de

Jantar de

Almoço de

Almoço de

10 anos

30 anos

50 anos

60 anos

12/09

17/08

14/09

07/12

quinta-feira

sábado

sábado

Anote na sua agenda e venha reencontrar os seus colegas!

Saiba mais em colegiofarroupilha.com.br

soufarroupilha

sábado


viver

CARINHO

lealda

de

uniĂŁo

Profile for colegio farroupilha

Revista Farroupilha | Edição de Janeiro a Março de 2019  

Revista Farroupilha | Edição de Janeiro a Março de 2019  

Advertisement